Page 1

Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAIO/2013

Conselho firma parcerias com o poder público

Fiscalização aperta o cerco no interior

PL da Odontologia Hospitalar é aprovado

Pág. 7

Pág. 8

Pág. 11

Dentistas têm na corrida um hobby Pág. 17


Diretoria Membros efetivos

Carta da Presidente Unir é combinar esforços e pensamentos para um bem comum. A união reflete as parcerias importantes conquistadas ao longo destes primeiros meses e cujos resultados serão altamente positivos para a odontologia de Mato Grosso. Algumas destas parcerias envolvem a classe e o poder público representado pelas prefeituras de Rondonópolis e Várzea Grande com quem estamos trabalhando em conjunto, com sucesso, para resolver situações pontuais que envolvem a atividade da odontologia praticada na rede pública de saúde. Graças ao diálogo e ao acompanhamento da situação por parte do Conselho, conseguimos reverter situações como o corte salarial dos cirurgiões-dentistas de Rondonópolis. Também acompanhamos de perto a realidade dos profissionais que atuam em Várzea Grande, cobrando incansavelmente das autoridades melhoras nas condições de trabalho. Intensificamos a agenda de fiscalizações no interior para combater a atuação de práticos e a existência de consultórios clandestinos, que colocam em risco a saúde bucal da população e, com isso, prejudicam o trabalho sério desenvolvido pelo cirurgião-dentista devidamente qualificado para exercer a profissão. A recém-criada Comissão Feminina, mais do que um grupo de confraternização formado por cirurgiãs-dentistas, pretende ser um time de mulheres unidas em torno de ações para beneficiar o próximo. Percebemos que juntas somos capazes de muito mais do que imaginamos. E devemos usar esta união de esforços em prol de outros menos privilegiados. Mesmo com tantos avanços, ainda há muito o que fazer. A cada dia surgem novos desafios e muitos deles pedem o trabalho conjunto de toda a categoria para que possamos ter força e representatividade. Desta maneira, eu conclamo os colegas para que se aproximem mais do Conselho e se juntem a nós nesta caminhada. Entendemos que é por meio da união e do trabalho em parceria que conseguimos atingir os objetivos com os quais nos comprometemos. Um abraço Christiane Raso Tafuri 2

Christiane Raso Tafuri Presidente

João Milanez Moreira Júnior Secretário

Fábio Giuberti Sucena Rasga Tesoureiro

Sandro Marco Stefanini de Almeida Presidente da Comissão de Ética

Renato André Vaz Dall’Acqua Comissão de Tomada de Contas

Expediente Textos Maria Angélica de Moraes Edição e diagramação ZF Comunicação Projeto Gráfico ZF Comunicação Fotos Arquivo CRO-MT, Divulgação


Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAI/2013

Suplentes

Índice 4

Artigo: O papel dos alunos no desenvolvimento de pesquisas

5

Comissão Feminina se mobiliza

7

Conselho intensifica fiscalizações no interior

8

Câmara aprova presença de odontólogos nas UTIs

9

Programa inclui Centros de Especialidades

11

CRO firma parcerias com poder público

12

Projeto de Lei proíbe indicação de medicamento

13

Dentista é a mais antiga inscrita no CRO

14

Odontologia do Trabalho ganha defensor na Câmara

15

Projeto inédito vai desenvolver setor de saúde

16

Receituário passa a ser válido em todo o país

17

Cirurgiões-dentistas praticam corrida

18

CRO é parceiro em evento contra tabagismo

19

Inscrições para a 4ª Conpa estão abertas

20

Notas

Fabiane Louly Baptista Santos Conselheira

Judson Lopes Guimarães Conselheiro - Presid. Comissão de Licitação

Maura Cristiane G. O. Dorileo Conselheira

Taísa Aidamus Prado Genaro Conselheira

Jornalista responsável Maria Angélica de Moraes MTb – 674

Tiragem 5 mil exemplares Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso Rua Cinco, Q. 12 - Lt. 7 - Setor A Centro Político Administrativo Cuiabá-MT - CEP: 78049-035 Telefone: (65) 3644-2002 E-mail: cromt@cromt.org.br www.cromt.org.br

DELEGACIAS SECCIONAIS DELEGACIA DE BARRA DO GARÇAS

DELEGACIA DE RONDONÓPOLIS

DELEGACIA DE SINOP

Rua Pires de Campos, 579 - 1º andar Centro - CEP: 78600-000 Fone/Fax: (66) 3401-7426 E-mail: barradogarcas@cromt.org.br

Rua Dom Pedro II - Sl.304 Centro - (Prédio da Elétrica Falcão) Fone/Fax: (66) 3421-6449 E-mail: rondonopolis@cromt.org.br

Av. das Embaúbas, 1538 - Centro Ed. Alegria - Sl. 2 - 1º andar CEP: 78550-000 Fone/Fax: (66) 3532-1115 E-mail: sinop@cromt.org.br

3


ARTIGO

O papel dos alunos no desenvolvimento de pesquisas nas universidades

E

xistem várias explicações para o desenvolvimento econômico, social e político de uma sociedade, porém, será sempre o conhecimento a condição necessária e obrigatória para que ocorra o seu autoentendimento. Enquanto na sociedade primitiva o conhecimento acontecia de forma experimental, e muitas vezes acidental, na sociedade moderna ele é desenvolvido de maneira sistemática e direcionada à aplicação e ao desenvolvimento social. No desenvolvimento da pesquisa odontológica como fonte de conhecimento, o papel das faculdades tem sido muito discutido por pesquisadores que consideram que este é um dos ambientes e momentos propícios para que o aluno e, futuro atuante na sociedade, possa desenvolver habilidades que fazem diferença no seu comportamento social e na sua atuação profissional. Nesse âmbito é possível verificar o aflorar nos estudantes dos sensos de responsabilidade, espírito crítico, capacidade de organização e respeito e, principalmente, curiosidade. Essa última capacidade gera a inquietação que transforma o esforço em resultados, conseguindo propor soluções que se tornam a mola pro-

4

pulsora e essencial para a atividade investigativa. A partir dela é possível que haja sempre uma continuidade de pesquisas e elaborações de tantas outras. Para os professores e orientadores, essa atividade deve estar inserida em todos os momentos da atividade educativa e, segundo Lawrence Stenhouse, “transformando o seu momento de sala de aula em verdadeiros laboratórios”. Apesar de estar na docência há 17 anos e ainda ser iniciante nesse mundo, vejo que não há como separar as atividades acadêmicas das experiências de pesquisa. As dificuldades que enfrento hoje muitas vezes são supridas pela “inteligência moderna“ e facilidades que esses acadêmicos têm com os avanços tecnológicos. O crescimento é recíproco, pois aprendemos a errar e acertar juntos, buscamos alternativas, somos equipe. Finalizo agradecendo aos nossos ICs e aproveito para fazer um pedido: caros acadêmicos, se dediquem e façam a diferença desde agora. Invistam no conhecimento, pois vocês são o futuro da nossa profissão e agentes importantes na construção de uma sociedade mais justa e desenvolvida.

Maura Dorilêo é cirurgiã-dentista, especialista em Endodontia (Unic), mestre em Ciências Odontológicas Integradas (Unic) e professora desde 1997 do curso de graduação da Faculdade de Odontologia de Cuiabá, além de professora do curso de especialização em Endodontia da ABO-MT.

Revista A revista Meu Guia Saúde já está sendo distribuída aos profissionais da área. Com temas variados, a publicação tem o objetivo de abordar as principais notícias relacionadas à saúde, assim como levar ao público consumidor informações relevantes para a busca de profissionais e empresas específicas da área. O primeiro número conta com uma entrevista com a Dra. Christiane Tafuri, primeira mulher presidente do CRO-MT.


Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAI/2013

MULHER

CRO-MT tem Comissão Feminina

F

oi lançada em março, por ocasião do Dia Internacional da Mulher, a Comissão Feminina, cujo maior objetivo é promover a integração entre as cirurgiãs-dentistas e, por meio dessa união, desenvolver atividades sociais e beneficentes. A solenidade de lançamento, intitulada Sorria Mulher, aconteceu no dia 25 de março, no auditório do CRO-MT, em Cuiabá, e contou com grande presença das cirurgiãs-dentistas, além de palestra proferida por Sonia Mazetto e apresentação da cantora Lorena Ly. “Por conta da profissão e dos muitos afazeres em casa, ficamos muito isoladas nos consultórios, temos pouco contato umas com as outras, apesar de trocarmos frequentemente informações e indicações sobre pacientes. Este

encontro quer diminuir esse isolamento e promover uma confraternização entre as mulheres que atuam na odontologia”, disse a presidente do CRO-MT, Christiane Raso Tafuri. “A cirurgiã-dentista tem uma preocupação e responsabilidades sobre a saúde da população. Queremos aproveitar este potencial em causas sociais, em prol da mulher e da profissional”. Essas ações serão uma das bandeiras do CRO Mulher. Para tanto a Comissão Feminina vem se reunindo com frequência para elaborar iniciativas de responsabilidade social. “Juntas, podemos fazer muita coisa. Este é apenas o passo inicial”, frisou Christiane Tafuri. A cirurgiã-dentista Nazaré Haddad elogiou a iniciativa de reunir as cirurgiãsdentistas e disse que essa é uma

maneira de fortalecer as amizades e as relações profissionais entre as mulheres que atuam na odontologia. Para a cirurgiã-dentista Maíra Silva Coimbra, membro da Comissão Feminina, foi uma grata surpresa encontrar amigas e antigas colegas de faculdade e trocar informações de interesse profissional. “É uma ótima iniciativa poder unir essas amizades e parcerias em atividades de responsabilidade social”. Uma das primeiras ações da Comissão Feminina é a vacinação dos cirurgiões-dentistas contra a gripe H1N1, no dia 28 de maio, das 9h às 17h, na sede do CRO-MT.

Foto: Divulgação/CRO-MT

Comissão Feminina vai realizar iniciativas de cunho social

5


UMA NOVA

FERRAMENTA

PARA O SEU DIA A DIA.

Baixe gratuitamente

universo.mobi/odontologia

O CRO criou um novo instrumento de trabalho para auxiliar você e tirar suas dúvidas diárias:

O App CRO. Um aplicativo para celular com conteúdo informativo e dicas que vão facilitar sua rotina. A maneira mais simples e rápida de ter acesso a tudo sobre o CRO, onde e quando quiser.

6


Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAI/2013

FALSOS DENTISTAS

Conselho intensifica fiscalização no interior O ano de 2013 mal começou e o Conselho Regional de Odontologia (CRO-MT) já recebeu várias denúncias de falsos profissionais atuando principalmente no interior do Estado. No dia 03 de abril, o prático João Batista Bom Tempo, 52, foi detido no município de Dom Aquino, acusado de atuar ilegalmente como dentista por cerca de 20 anos. A prisão aconteceu após uma fiscalização de rotina de uma equipe do CRO-MT na cidade. O falso dentista foi autuado em flagrante enquanto realizava os atendimentos. João Batista admitiu à Polícia que atuava há 20 anos na região e, como não possui documento falso, foi acusado de exercício ilegal da profissão, que prevê pena de até 2 anos de detenção. O prático assinou um termo de compromisso e foi liberado após prestar esclarecimentos. “Após a denúncia, estivemos no consultório dele e pudemos constatar que o suspeito realmente não possuía registro profissional. Ele explicou que passou a atuar como dentista porque faltavam profissionais para atender na região”, explicou o delegado da Polícia Civil de Dom Aquino, Afonso Monteiro da Silva Júnior. No local foram apreendidos vários materiais utilizados no atendimento.

Em março, outro falso dentista foi preso em Várzea Grande. O suspeito, de 53 anos, trabalhava havia pelo menos 30 anos na profissão e disse que não sabia da necessidade de ser graduado para exercer a função. Segundo Widney Alves, coordenador do CRO-MT, dentistas atuando ilegalmente são uma realidade, principalmente no interior do estado, onde o ofício costuma ser transmitido entre gerações. O CRO-MT tem intensificado as ações de fiscalização e possui um canal aberto para receber denúncias da população. “O Conselho tem buscado desenvolver ações de conscientização da população, dos riscos que procedimentos realizados com falsos profissionais oferecem”, afirma a presidente do Conselho, Christiane Raso Tafuri.

Cronograma de fiscalizações Abril – Jaciara, São Pedro da Cipa, Juscimeira, Dom Aquino, Guarantã do Norte, Novo Mundo, Matupá, Peixoto de Azevedo, Terra Nova do Norte e Marcelândia. Maio – Nova Xavantina, Água Boa, Canarana, Campinápolis, Juína, Juara, Porto dos Gaúchos e Brasnorte. Junho – Feliz Natal, Santa Carmem, Vera, União do Sul e Cláudia, Pedra Preta, São José do Povo, Guiratinga, Poxoréo, Cáceres, Poconé e Nossa Sra. do Livramento.

Foto: Divulgação/CRO-MT

João Batista presta depoimento na Polícia Civil do município

7


CONQUISTA

Câmara aprova presença de odontólogos nas UTIs

A

Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou no dia 10 de abril, em caráter conclusivo, proposta que torna obrigatória a presença de cirurgiõesdentistas em hospitais públicos e privados de médio ou grande porte onde haja pacientes internados ou que atendam a doentes crônicos. O objetivo é garantir a higiene e a saúde bucal desses pacientes. O CCJ acatou o substitutivo da Comissão de Seguridade Social e Família ao Projeto de Lei 2776/08, do ex-deputado Neilton Mulim. O relator no CCJ foi o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR). A matéria segue agora para o Senado. O cirurgião-dentista e membro da comissão de Odontologia Hospitalar (COH/MT), João Milanez Moreira Junior, vem acompanhando de perto como secretário do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CROMT) a evolução do projeto. Ele diz que a presença ativa do CRO-MT mostra a

importância que a odontologia está dando ao processo. “Com certeza, isso sensibiliza a classe política no intuito de aprovar leis que interessem ao cirurgião-dentista, no caso este Projeto de Lei”. O texto assegura a assistência odontológica a todos os pacientes em regime de internação hospitalar, aos atendidos em casa na modalidade “home care” e aos doentes crônicos, mesmo que não estejam internados. O projeto original garantia o serviço apenas em unidades de terapia intensiva (UTIs) e em hospitais públicos e privados com pacientes internados. Pelo substitutivo, apenas os hospitais de médio e grande porte deverão cumprir a regra. De acordo com a proposta original, as clínicas, públicas ou privadas, também deveriam manter profissionais de odontologia à disposição dos pacientes. Na opinião do Dr. Milanez, a aprovação deste texto significa uma evolução para a odontologia, que migra da ideia de saúde bucal Foto: Chico Ferreira/A Gazeta

para o comprometimento com a saúde no sentido mais amplo da palavra. “O cirurgião-dentista está ocupando um lugar importante e ainda vago no diagnóstico e tratamento dos pacientes hospitalizados. A nova visão da saúde no Brasil mostra um avanço em colocar o profissional da odontologia integrando uma equipe multidisciplinar”, frisa. “Para a população em geral, isso significa a melhoria no atendimento e melhor resultado no avanço do tratamento. Este doente passa a ser visto de maneira holística. Muitas infecções sistêmicas têm origem na boca e áreas adjacentes. O cirurgião dentista será agora um contribuinte para a melhora no atendimento global ao paciente”, conclui. Na opinião do ex-deputado e autor do projeto, Neilton Mulim, o atendimento odontológico do paciente contribui na prevenção de infecções hospitalares, entre elas as respiratórias como a pneumonia nosocomial, uma das principais infecções em pacientes de UTI favorecidas por microorganismos que proliferam na orofaringe. “Sua ocorrência é preocupante, pois é bastante comum nesse grupo de pacientes, provocando um número significativo de óbitos, prolongando a internação do paciente e exigindo mais medicamentos e cuidados”, justifica o parlamentar.

Presença do cirurgião-dentista na UTI contribui na prevenção de infecções

8


Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAI/2013

NACIONAL

Programa passa a incluir CEOs A partir de 2013, os Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) também passam a fazer parte do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade (Pmaq). Com essa iniciativa, divulgada por meio da Portaria 261 de 21/02/2013, o Ministério da Saúde quer promover a melhoria do atendimento prestado à população. Por meio da adesão ao Pmaq-CEO, o gestor pode dobrar os recursos recebidos pelo governo federal se cumprir os padrões de qualidade. “Ao fazer parte do Pmaq os Centros de Especialidades Odontológicas poderão alcançar um padrão de qualidade comparável em âmbito nacional, regional e local”, explica Gilberto Pucca, coordenador-geral de Saúde Bucal do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde. “Periodicamente, todas as equipes e gestões municipais serão objeto de acompanhamento do Ministério e de avaliação externa feita por especialistas de universidades. Também será pesquisada a satisfação do usuário. Dessa forma, teremos subsídios para qualificar o cuidado e melhorar a saúde bucal dos brasileiros”, completa. Os CEOs oferecem serviços especializados como tratamento endodôntico (canal), cirurgia oral menor, periodontia (tratamento de gengiva), diagnóstico bucal, com ênfase ao diagnóstico de câncer bucal, e podem oferecer ainda a colocação de implantes e o tratamento ortodôntico. Atualmente, há 948 centros em funcionamento e outros 100 em fase de construção em todo o país. A adesão ao programa será voluntária para todas as unidades que estão em funcionamento. O Pmaq é composto pelas seguintes fases: adesão (cujo prazo se encerrou

em 5 de abril) e contratualização; desenvolvimento; avaliação externa; e recontratualização. Com a adesão e contratualização, o Centro passa a receber 20% do incentivo do programa. Os CEOs que aderirem serão monitorados por meio de indicadores de produção, de gestão, de processo de trabalho e satisfação do usuário, de acordo com o tipo de Centro (I, II ou III). Apenas os CEOs de gestão estadual terão outro momento para optarem pela adesão ou não. Após avaliação externa, o CEO poderá ampliar para 60% ou para 100% o incentivo, manter os 20% ou perdê-lo. Os valores de incentivo do programa serão publicados em portaria específica, a ser publicada oportunamente. O Ministério da Saúde também irá produzir material de apoio para auxiliar os CEOs no processo de qualificação e cumprimento dos padrões de qualidade. O Pmaq, que já acompanha o atendimento prestado por equipes da estratégia Saúde da Família, é um programa que tem como principal objetivo induzir a ampliação do acesso e a melhoria da qualidade dos serviços. Assim, permite maior transparência e efetividade das ações governamentais

Foto: Secom

Programa visa promover a melhoria do atendimento prestado à população

direcionadas à Atenção Básica em Saúde. Lançado em 2011, o Programa contemplou, em seu primeiro ciclo, a adesão de equipes de Saúde da Família e de Atenção Básica parametrizadas, incluindo equipes de saúde bucal. Não há limite para a adesão, isto é, todas as equipes do município poderão aderir ao programa. Nesse novo ciclo, 135 municípios mato-grossenses aderiram ao Pmaq (95,7%), nas seguintes modalidades: 506 equipes de saúde da família (ESF), 348 equipes de saúde bucal (ESB), 20 Núcleos de Apoio a Saúde da Família (NASF) e 8 CEO (Tabela 1). O valor mensal global que os municípios receberão pela adesão será de R$ 1.095.000,00.

Tipo de modalidade, número de programas implantados e de adesão ao PMAQ. Mato Grosso, 2013

Modalidade

Implantadas

Adesão Nº

Adesão%

ESF

570

506

88,77

ESB

406

348

85,71

NASF

24

20

83,33

CEO

10

8

80,00

Fonte: MS, 2013

9


10


Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAI/2013

AVANÇOS

Conselho firma parcerias com poder público Parcerias entre o Conselho Regional de Odontologia (CRO-MT) e o poder público vêm sendo buscadas para melhorar a qualidade do serviço odontológico oferecido na rede pública de saúde e beneficiar os profissionais que atuam nela. Em Rondonópolis a redução salarial para cirurgiões-dentistas do Programa de Saúde da Família (PSF) foi revertida. Em Várzea Grande o Conselho acompanha de perto a situação das clínicas odontológicas e a reestruturação do serviço na rede pública. Rondonópolis – No dia 15 de maio foi aprovado na Câmara Municipal o Projeto de Lei apresentado pelo prefeito Percival Muniz (PPS) que anula redução salarial dos cirurgiões-dentistas que atuam no Programa de Saúde da Família. O corte nos salários havia sido aprovado anteriormente pelos vereadores, em sessão extraordinária no início de março. Na ocasião, a presidente do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT), Christiane Raso Tafuri, foi a Rondonópolis com o objetivo de dialogar e reverter a situação. Em encontro com o prefeito Percival Muniz, a presidente do CRO-MT

Situação precária das clínicas odontológicas de Várzea Grande

expôs a importância de um bom trabalho desenvolvido pelo cirurgião-dentista do PSF e a necessidade de valorização do profissional. Sensibilizado, o prefeito se comprometeu em rever a redução salarial desde que houvesse o comprometimento dos profissionais da odontologia com a qualidade do serviço de saúde bucal prestado à população. “Nós queremos que a odontologia do município de Rondonópolis seja oferecida dentro dos melhores critérios de qualidade. Enquanto profissionais de saúde, temos esse compromisso com a comunidade”, enfatiza Christiane Raso Tafuri. “Queremos que nossos profissionais sejam valorizados e que tenham condições dignas de trabalho, mas também entendemos e concordamos com

o prefeito quanto à necessidade de haver este comprometimento com a qualidade dos atendimentos. O Conselho será parceiro nesta busca”, completa. Várzea Grande - A situação da odontologia oferecida na rede pública de Várzea Grande foi destaque na

Foto: Divulgação/CRO

Diálogo entre CRO e Prefeitura levou à anulação no corte salarial

imprensa no início de abril. A falta de estrutura que fez com que quatro das 12 clínicas odontológicas públicas tivessem o atendimento suspenso e as oito restantes atendessem precariamente com carência de estrutura, o que inclui material básico de consumo como luvas e anestésicos. O CRO-MT visitou as clínicas entre abril e maio. “Nós avaliamos as condições de trabalho e a situação das clínicas, que são muito ruins e constatamos que apenas uma está apta a atender satisfatoriamente os pacientes”, frisou Christiane Tafuri. Em parceria com a Secretaria de Saúde serão traçadas metas e ações para reestruturar o serviço de odontologia no município. “O Conselho se comprometeu a acompanhar esse trabalho para cobrar resultados. Tudo será feito em cima de um cronograma, com prioridades definidas em parceria. Daremos o apoio necessário como parceiros, mas sempre cobrando para que a situação melhore. Não pode ficar como está”, concluiu.

11


DIREITO DO CONSUMIDOR

Obtenção de vantagem em troca de indicação é crime

F

oi aprovado na Comissão de Defesa do Consumidor o Projeto de Lei 3650/12, de autoria da deputada Manuela D’Ávila (PCdoB/RS) que classifica como crime a obtenção de vantagem por médicos ou dentistas em virtude do encaminhamento de procedimentos e da comercialização de medicamentos, órteses, próteses ou implantes. Conforme a proposta, o profissional que praticar tais atos será punido com detenção de 3 meses a um ano e multa. Embora tomando como paradigma o Código de Ética Médica, a redação proposta também se aplica a outros profissionais de saúde, especialmente odontólogos. “Não há dúvida de que a relação médico-paciente seja relação de consumo, pois o Código de Defesa do Consumidor é que disciplina a responsabilidade civil do profissional liberal, incluindo médicos e odon-

tólogos”, disse o deputado Chico Lopes (PCdoB-CE), relator na Comissão de Defesa do Consumidor. Segundo ele, a tipificação poderá beneficiar o consumidor ao inibir a conduta dos maus profissionais que, de certa forma, podem prejudicar a concorrência ao indicar uma determinada farmácia ou laboratório, por exemplo. O parlamentar ressalta que não é raro laboratórios oferecerem vantagens como o pagamento de viagens. A conduta a que se pretende sancionar penalmente é eticamente condenada pela categoria médica, aprovada pela Resolução CFM 1931/2009, art. 68. Portanto, não há dúvida de que a conduta não é correta. Ela também se aproxima de um tipo penal previsto no art. 66 do Código

de Defesa do Consumidor que é o de “fazer afirmação falsa ou enganosa, ou omitir informação relevante sobre a natureza, característica, qualidade, quantidade, segurança, desempenho, durabilidade, preço ou garantia de produtos ou serviços”. O projeto será analisado agora nas comissões de Seguridade e de Constituição e Justiça. Depois, a proposta segue para apreciação em Plenário.

15 de maio Dia Nacional de Controle da Infecção Hospitalar Os profissionais de odontologia têm um motivo para comemorar: foi aprovada a lei que estabelece a obrigatoriedade da presença de cirurgiões-dentistas nas UTIs e em médios e grandes hospitais de internação em todo o Brasil.

Essa medida ajudará a combater a proliferação de doenças bucais e sistêmicas - e é mais uma mostra da importância desse profissional.

12

cromt.org.br


Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAI/2013

MEMÓRIA

Cirurgiã-dentista mais antiga no CRO-MT conta sua história

A

primeira cirurgiã-dentista inscrita no Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso se chama Maria Aparecida Menezes de Souza (CRO-42). Já a primeira cirurgiã-dentista, cuja inscrição no CRO-MT ainda está ativa, sob o número 114, é Alvair Maria Ayres Calhao. Formada em 1963 na Universidade Federal de Goiás (UFGO), Alvair começou a trabalhar em 1967. “Ser dentista sempre foi um sonho, desde menina, quando ainda morava em Diamantino. A família sempre me apoiou porque o objetivo do meu pai, que não tinha cultura, era que os filhos estudassem. Eu tinha vontade de ter uma profissão, fazer aquilo que gosto. Apesar das dificuldades, já que Cuiabá não possuía nenhuma faculdade de Odontologia, eu busquei o que queria para mim”. A rotina como cirurgiã-dentista era corrida. Eram três empregos, na rede pública de saúde durante a manhã, à tarde no consultório e no Sesc no período da noite. “Eu gostava muito de trabalhar na área e me manter ocupada, fazer alguma coisa, ajudar os outros”, conta. “Naquela época, éramos poucos profissionais em Cuiabá, mas todos muito unidos, todos se conheciam e se ajudavam quando necessário. Eu era praticamente a única mulher e quando me inscrevi no Conselho o estado nem era dividido”, revela Alvair. “Os outros dentistas me admiravam por eu ser a única mulher na área, por ter família e ainda assim

me dedicar tanto à odontologia”. Alvair se dividiu entre o consultório e a rede pública de saúde bucal até 2005, quando decidiu se aposentar. “Comecei a ter problemas no joelho e nas mãos, o que torna inviável o

filho como auxiliar enquanto atendia, levava colchonete para o consultório para ele dormir porque não tinha com quem deixar”, conta. “Por isso, tem a minha admiração a mulher que hoje ocupa a presidência do Conselho. Foto: Divulgação

Alvair fechou o consultório e agora se dedica à família e a outras atividades

trabalho do cirurgião-dentista. A idade começa a falar mais alto, o corpo diz que está na hora de parar”, admite. Apesar de ter sido uma decisão bem pensada, Alvair confessa que sentiu falta da rotina, de estar em contato com os pacientes e colegas de trabalho. “Tinha que dar atenção à família, às pessoas que estavam precisando de mim”. Hoje Alvair se dedica a outras atividades como aulas de pintura em tecido e tela. A odontologia, no entanto, ainda traz boas lembranças. “Já deixei meu

Não é fácil se dividir entre tantas responsabilidades, mas as mulheres de hoje estão bem capacitadas, conseguem se sobressair em qualquer área, inclusive em cargos eletivos”. Para ela, a odontologia é uma profissão que trouxe inúmeras recompensas. “Mas é preciso que os profissionais estejam sempre preparados, capacitados, se especializem para atender as mais diversas novas áreas que estão surgindo”, aconselha.

13


ODONTOLOGIA DO TRABALHO

Votos em separado pedem aprovação de Projeto de Lei Foto: Divulgação

D

epois de ter tido voto desfavorável do relator, deputado federal Paes Landim (PTB-PI) na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara Federal, o Projeto de Lei 422/2007, que trata da Odontologia do Trabalho, recebeu dois votos em separado pela aprovação, dos deputados federais Dr. Grilo (PSL) e Benjamin Maranhão (PMDBPB). Baseado em argumentos expostos em texto do cirurgião-dentista do trabalho e Presidente da Associação Brasileira de Odontologia do Trabalho – seccional Mato Grosso, Marcos Renato dos Santos, o deputado federal Dr. Grilo contestou o voto desfavorável do relator, deputado Paes Landim que considerou a medida inconstitucional. O projeto de lei da Odontologia do Trabalho, de autoria do deputado federal Flaviano Melo (PMDB-AC) obriga as empresas a incluír em seus exames admissionais e demissionais os exames odontológicos. Segundo o Dr. Marcos Renato, com a implantação da odontologia do trabalho nas organizações, os cirurgiõesdentistas serão contemplados em todas as especialidades da odontologia à medida em que o Dentista do Trabalho irá diagnosticar e verificar a necessidade de intervenção odontológica junto aos colaboradores das empresas nas quais atua e encaminhá-los para tratamento, a fim de supri-las para que possam ser considerados aptos à atividade a que estão sendo admitidos pela empresa contratante. “A empresa será beneficiada na

14

Dr. Marcos Renato dos Santos (2º da dir. para a esq.) representa o CRO-MT na Câmara Federal, em Brasília, com integrantes da Comissão Parlamentar do CFO

medida em que contar com colaboradores saudáveis, em se tratando de saúde bucal, o que minimizará as ausências e qualquer outra interferência na produtividade do trabalhador”, enfatiza o CD. “As organizações serão contempladas, pois o investimento em Odontologia do Trabalho será bem menor que o custo decorrente das faltas e dos acidentes de trabalho provocados pelo impacto das patologias que causam desatenção”. Na opinião do deputado Grilo, a Odontologia do Trabalho desonera o Sistema Único de Saúde (SUS) na medida em que os Programas de Monitoramento e Promoção da Saúde Bucal (PMPSB), criados dentro das empresas, reduzirão a procura às unidades de saúde para atendimento odontológico. Para o deputado Maranhão, a atividade especializada do cirurgião-dentista do trabalho é indispensável, pois se trata

de um profissional com experiência e conhecimentos científicos específicos para atuar na prevenção de doenças bucais que tenham por fator de risco as atividades e as condições de trabalho. “O exame médico é uma das medidas preventivas de medicina do trabalho, mas está voltado à avaliação de natureza exclusivamente médica, uma vez que o profissional não está capacitado para avaliações específicas da área odontológica”, afirma o parlamentar. Segundo o projeto, o Dentista do Trabalho deverá compor a equipe multidisciplinar de saúde do trabalhador. Com mais este voto em separado o Projeto de Lei volta à pauta de discussões na Câmara dos Deputados.


Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAI/2013

CAPACITAÇÃO

Projeto inédito vai desenvolver setor de saúde

O

Sebrae em Mato Grosso lançou em abril o Projeto Desenvolvimento do Setor de Saúde em Cuiabá e Várzea Grande voltado para gestores de empreendimentos do setor, prioritariamente clínicas de saúde, visando aumentar a competitividade das micro e pequenas empresas desse segmento, promovendo a melhoria de seus processos organizacionais, gerenciais e serviços ofertados. “Iniciamos esse projeto para atender o segmento de saúde em Cuiabá e Várzea Grande e nossa meta é atender entre 100 e 120 empresas”, disse diretora do Sebrae em Mato Grosso, Leide Katayama. A presidente do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CROMT), Christiane Raso Tafuri, acompanhou o projeto e firmou apoio. O objetivo do projeto é intensificar a atuação nesse setor, levando a transformação para as empresas participantes, tratando de questões relevantes como aumento de fluxo de clientes, melhoria de rentabilidade, estruturação de política de RH e formação de equipes, ações conjuntas, analise de novos modelos de atuação, acesso a novos mercados, diferenciação e certificação. Segundo ele, cada vez mais os dentistas trabalham em grupo e a gestão se torna uma necessidade para esses profissionais. “Fizemos uma visita prévia aos consultórios para ‘sentir’ o setor e fomos muito bem recebidos pelos profissionais da odontologia. Percebemos que esse segmento é carente nesse tipo de assessoria e um acompanhamento será muito bem-vindo”, ressalta Daniela Monteiro,

Foto: Divulgação/Sebrae

José Guilherme Barbosa Ribeiro, superintendente do Sebrae-MT, explica o projeto aos representantes da área da saúde

gestora do projeto. “Uma das principais ponderações dos dentistas é que eles não recebem na faculdade informações sobre como gerir o próprio negócio. É preciso enxergar o paciente como cliente para que o consultório seja autossustentável e traga renda ao profissional”, afirma. O projeto é dividido em fases. Da primeira consta o diagnóstico e consultoria individual. A segunda fase consiste de consultorias de aprofundamento, capacitações, acesso ao SebraeTec – Serviços de Inovação e Tecnologia do Sebrae, eventos de negócios, visita técnica, início dos grupos de trabalho para busca de benefícios coletivos. O dentista Marcos Prioli destaca os altos custos dos equipamentos e materiais, e que nem sempre é possível repassar tudo para os clientes. Segundo ele, o setor se ressente ainda de uma concorrência indireta com outras ofertas de bens de

consumo do mercado. “Muitas vezes, a pessoa prefere adquirir uma televisão nova em várias prestações, do que ir ao dentista ou ao médico”, constata ressaltando o quanto é importante fazer uma boa gestão do consultório ou clínica. Com a ascensão da classe C, os segmentos de saúde e beleza cresceram muito, mas nem sempre com qualidade, e muitas vezes acompanhados de dificuldades e deficiências. “Queremos levar esses negócios a novos patamares de excelência”, finaliza a gestora. Meta do Sebrae em MT é atender entre 100 e 120 empreendimentos, prioritariamente clínicas de saúde, incluindo odontológicas, farmácia de manipulação e laboratórios, visando aumentar a competitividade das médias e pequenas empresas.

15


MEDICAMENTOS

Receituários têm validade nacional

F

oi aprovado em 06 de março pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal o Projeto de Lei Suplementar nº 325/12 que garante validade nacional para receitas médicas e odontológicas. Atualmente as receitas são aceitas apenas dentro do estado onde foram emitidas. Para o autor da proposta, Jayme Campos (DEM-MT), a ampliação vai assegurar a continuidade do tratamento onde quer que os pacientes se encontrem. Jayme Campos reconhece a necessidade de controle na venda de medicamentos para impedir irregularidades como automedicação e contrabando, mas classificou de contrassenso a proibição de venda em local diferente daquela em que foi feita a emissão, já que o profissional devidamente registrado dispõe do direito legal de atuar em qualquer parte do país. O senador justificou a apresentação do projeto com o argumento de que a “proliferação” do uso de medicamentos que precisam de prescrição médica esbarra nas dificuldades para a sua aquisição. “A legislação atual muitas vezes dificulta e até coloca em risco, a vida de muitos cidadãos que necessitam adquirir remédios fora da unidade da federação em que foram prescritos. A consequência disso é, não raro, a interrupção ou suspensão do tratamento”, afirmou. O texto original só tratava das receitas médicas, mas a relatora, Ana Amélia (PP-RS), sugeriu emenda para

16

garantir validade nacional também às receitas odontológicas. Ao defender a proposta, Ana Amélia disse que ela mesma já se deparou com dificuldades por causa da atual restrição. Isso porque se viu impedida de adquirir em Brasília medicamento prescrito por um médico de Porto Alegre. Os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Paulo Davim (PT-RS), que são médicos, também se manifestaram a favor da proposta. Para Humberto, os Ministérios da Saúde e da Justiça poderão criar regulamento para afastar preocupação com a validade nacional das receitas para medicamentos controlados. Para Davim, hoje restam duas alternativas para o paciente que fica sem medicamento em outro estado, mesmo dispondo da receita: ou não toma o remédio ou terá de procurar uma unidade pública de saúde, em busca de nova receita. “O projeto é também um meio para desonerar as unidades públicas de saúde”, afirmou Davim. O projeto seguirá para a Câmara dos Deputados, a menos que seja

apresentado recurso para votação no Plenário do Senado. (Com Jornal do Senado).

Horário de atendimento O Conselho e delegacias têm novo horário de atendimento ao público. Na sede do CRO-MT, em Cuiabá, é das 8h às 17h30; e nas Delegacias Regionais, das 13h às 17h30.


Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAI/2013

ESPORTE

Correr traz benefícios para o dia a dia

Foto: Arquivo pessoal

O CD George Vallim montou a equipe Digoreste Runners

cação Física, integra uma equipe de corrida há dois anos e meio. “Um dia, em meu consultório, estava conversando com uma cliente, que é psiquiatra, e reclamei dos meus sintomas de TPM. Ela me disse que o melhor remédio era correr”. A partir daí a CD procurou uma assessoria esportiva e começou a le- A CD Paula Baldasso e equipe participando var a sério os treinos. Paula de maratona em Florianópolis participa de competições e corrida a maneira ideal para manter a corridas de rua, como a Corrida de Reis, forma”. Stefanini conta que corre pelo e, mais recentemente, a Volta a Ilha, em menos quatro vezes por semana e Florianópolis. “Em julho, vou correr misente, diariamente, os benefícios dessa nha primeira meia-maratona, com 21 prática. Km, no Rio de Janeiro”. Digoreste Runners é o nome da Entre os benefícios, a cirurgiã-denequipe criada pelo CD George Vallim tista destaca a sensação de bem-estar. composta por 6 cirurgiões-dentistas. Ele “Correr é difícil. A gente sofre muito dupratica a corrida há 10 anos e comerante uma corrida, principalmente nos çou depois que uma lesão o afastou do primeiros minutos, mas vale a pena. Corfutebol. O CD já participou de meiasrer te dá um preparo e uma disposição -maratonas e corridas de 10 e 15 Km. enorme para enfrentar o dia a dia. Nosso “Uma das principais causas da hipercorpo é uma máquina que foi desenhatensão, depressão e outras doenças é da para o movimento, e o sedentarismo o sedentarismo. Então, não existe nada cobra um preço caro pela nossa saúde. melhor que a prática de exercício para O movimento é que faz a diferença na aumentar a autoestima e curar as doenqualidade de vida”. ças relacionadas com o estresse do dia O CD Sandro Stea dia”. fanini sempre foi um praConscientização – Em noticante de esportes e há vembro de 2012 aconteceu a Corrida anos aderiu à corrida. e Caminhada de Combate ao Câncer “É um esporte atraente, de Boca, realizada pela Faculdade de pois necessita apenas de Odontologia do Univag com o objetivo esforço pessoal e tem ótide divulgar o Programa de Combate e mo custo-benefício para Prevenção ao Câncer de Boca. Foram a saúde. Devido à falta seis quilômetros de corrida e quatro de tempo para esportes de caminhada. O evento contou com coletivos, encontrei na apoio do CRO-MT. Foto: Arquivo pessoal

Os benefícios da corrida vão muito além da estética. Correr exercita a cabeça, pois exige foco e concentração. Melhora o sono, previne doenças ao fortalecer o sistema imunológico, aumenta a autoestima e deixa o coração resistente. Por isso, muitos cirurgiões-dentistas têm adotado a corrida como prática esportiva. A cirurgiã-dentista Maura Dorilêo começou a correr em 2011 com o intuito de praticar uma atividade física e já participou de diversas provas, entre elas as últimas edições da Corrida de Reis. “Além dos benefícios físicos, a corrida contribuiu para o bem-estar emocional e redução da ansiedade. Sinto-me mais revigorada, menos cansada e com muita disposição”. Além da corrida, Maura faz exercícios físicos para fortalecer e alongar os músculos. “Na nossa profissão, a postura e os longos períodos em pé ou sentada comprometem alguns grupos musculares e isso pode acarretar lesões que trazem dor e redução do rendimento no consultório. Hoje me sinto muito disposta para realizar as minhas atividades diárias”. A cirurgiã-dentista Paula Baldasso, que também é formada em Edu-

17


CÂNCER BUCAL

O

dia 24 de maio é marcado pela conscientização dos malefícios do cigarro para a saúde do homem, inclusive a bucal. Para marcar a data, são realizadas diversas ações, como a do curso de Odontologia do Univag Centro Universitário que conta com o apoio e a parceria do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT). Segundo Diurianne Caroline Campos França, coordenadora do projeto, o objetivo principal é a conscientização das pessoas e o alerta para o câncer bucal. “Queremos estimular os fumantes para que parem de fumar e evitar que mais pessoas se tornem dependentes do cigarro, além de informar sobre o fumo passivo, que também traz danos à saúde de quem está exposto à fumaça do cigarro. Vamos mostrar à população que o dentista pode ser um grande aliado na prevenção e detecção precoce das doenças bucais relacionadas ao tabagismo”. O evento envolve não apenas a

18

informação por meio da distribuição de folders, mas a realização de exames bucais gratuitos, atividades O fumo é responsável por 95% dos casos de câncer de boca no país educaticitologia esfoliativa bucal se torna obrivas, engatória por conta dos riscos”, explica a trega de kits e atividades culturais. Em uma unidade móvel do Sesi, coordenadora. De acordo com ela, os casos equipes de saúde bucal e alunos de odontologia orientam quanto às práticas de que necessitarem de exames complehigiene bucal, assim como o autoexame mentares, como radiografias e biópbucal. “Os exames clínicos são necessários sias para esclarecimento diagnóstico, para localizar possíveis lesões precursoras são encaminhados para o Programa do câncer bucal. Nos casos de alterações de Diagnóstico e Prevenção de Câné feita uma citologia esfoliativa. Nos fuman- cer de Boca do Univag. tes e ex-fumantes com mais de 40 anos, a

Foto: Renato Araújo/ABr

Conselho participa do Dia Mundial Sem Tabaco


Boletim Informativo do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso · Ano I · Edição 5 · MAI/2013

4ª CONPA

O

Conselho Federal de Odontologia (CFO) promove a 4ª Conferência Nacional das Profissões Auxiliares em Odontologia (Conpa) que acontece nos dias 15 e 16 de agosto, em Brasília (DF), com o apoio dos Conselhos Regionais de Odontologia (CROs). O tema dessa edição é Perspectivas para o exercício das profissões auxiliares da odontologia no Brasil. As inscrições estão abertas até o dia 12 de julho. A Conferência inclui ainda eventos paralelos como o 4º Encontro Nacional de Técnicos em Prótese Dentária; 4º Encontro Nacional de Técnicos em Saúde Bucal; 4º Encontro Nacional de Auxiliares em Saúde Bucal e 3º Encontro Nacional de Auxiliares de Prótese Dentária. O evento é aberto à participação de cirurgiões-dentistas, técnicos em prótese dentária, técnicos em saúde bucal, auxiliares em saúde bucal e auxiliares de prótese dentária legalmente habilitados, desde que se inscrevam como participantes. As

inscrições serão gratuitas e deverão ser feitas online no site do Conselho Federal de Odontologia (www. cfo.org.br). Aos participantes serão fornecidos certificados de presença. A Conferência é uma oportunidade para que sejam debatidos temas específicos e relevantes sobre a atuação dos profissionais Conferência é voltada para profissões auxiliares do cirurgião- auxiliares na odontologia -dentista, tanto os que traprofissional nacional para essas duas cabalham no serviço público tegorias. nas esferas nacional, estadual e municipal Para uma jornada de oito horas quanto aqueles que atuam na iniciativa diárias e 40 semanais, a lei fixa o valor privada, como clínicas e consultórios. de R$ 1.020,00 para o Técnico em Entre esses temas, está o ProjeSaúde Bucal e R$ 770,00 para o Auxiliar to de Lei nº 1.187/2011, de autoria da em Saúde Bucal. O PL está na pauta da deputada Gorete Pereira, que propõe Comissão de Seguridade Social e Família alterações na Lei nº 11.889/2008, que (CSSF). regulamenta o exercício das profissões

Foto: Secom

Inscrições estão abertas

de Técnico em Saúde Bucal e de Auxiliar em Saúde Bucal e institui o piso salarial

ZF

FIQUE EM DIA COM O CRO-MT

Atenção, profissionais, clínicas e laboratórios! O atraso no pagamento da anuidade do Conselho Regional de Odontologia é uma infração ao Código de Ética Odontológica. Assim, o profissional ou o estabelecimento flagrados pela fiscalização nessa condição estarão sujeitos às sanções previstas.

CR

Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso

19


NOTAS

Nova diretoria A Eleição 2013 do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT), que ocorreu em 5 de março, teve a Chapa 1 (única) como a vencedora do pleito no 1º turno com 90% dos votos. A atual presidente do Conselho, Christiane Raso Tafuri, permanece no cargo para o biênio 2013-2015. A cerimônia de posse acontece dia 5 de julho.

Brasil Sorridente A Comissão Especial do Prêmio Brasil Sorridente/Conselhos de Odontologia confirmou os vencedores do Brasil Sorridente, homenageados no dia 24 de abril no Memorial JK, em Brasília (DF). Na categoria de municípios com população com até 50 mil, o município de Porto Real (RJ) foi o vencedor. Na categoria de municípios com população entre 50.001 a 300 mil habitantes, Resende (RJ) foi considerado vencedor. Na categoria de municípios com população a partir de 300.001 habitantes, o vencedor foi a cidade de São Bernardo do Campo (SP).

Unicred O cirurgião-dentista Valter Torezan Gouvêa foi o mais votado na eleição para membros do Conselho Fiscal da Unicred-MT. Entre os candidatos que concorreram estavam também Ronivaldo Fonseca Lemos, Ernani Albuquerque Preuss e Alex Sandro Cardoso. Segundo a presidente do CRO-MT, Christiane Raso Tafuri, “a conscientização da classe resultou no apoio ao colega para maior representatividade da odontologia”. As eleições foram realizadas em Cuiabá, Rondonópolis, Lucas do Rio Verde, Tangará da Serra, Primavera do Leste, Sinop e Sorriso. Valter Torezan foi empossado para mandato de dois anos, entre 2013 e 2015.

CLASSIFICAÇÃO

Aplicativo

Efetivos 1º Valter Torezan Gouvêa 2º Ronivaldo Fonseca Lemos 3º Alex Sandro Cardoso

Suplentes 1º Ernani Albuquerque Preuss 2º Benedito Candelário Sles 3º Anderson Aires Luis da Silva

Para facilitar ainda mais o acesso do profissional da Odontologia às informações de que necessita no seu dia a dia, foi criada uma nova ferramenta, o APP CRO. Entre os conteúdos disponíveis estão o Código de Ética e Legislação, a Classificação Internacional de Doenças na Odontologia (CID), telefones úteis e consultas dos CDs ativos e especialistas, entre outros. O aplicativo pode ser baixado gratuitamente do universo.mobi/odontologia.

Dentistas do Bem O projeto Turma do Bem firmou parceria com o Viva o Seu Bairro, projeto social do Grupo Gazeta de Comunicação, para oferecer tratamento dentário gratuito a crianças de bairros carentes da Capital e Várzea Grande, com idade entre 11 e 17 anos. Nessa parceria, cirurgiões-dentistas voluntários cadastram jovens de escolas públicas e, no dia do evento, realizam triagem na qual selecionam e encaminham para tratamento os jovens pacientes segundo o grau de necessidade.

20

Revista CRO Mato Grosso Notícias  

Revista com informações para Profissionais da Odontologia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you