Issuu on Google+

[http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/bibliotecadigital/elivro.php?id=odiaemqueogalonaoacordou URL disponĂ­vel a 7/04/2011]

PĂĄgina 1


Naquela manhã, a casa da quinta permanecia em silêncio. Apesar de o dia já ter chegado, estranhamente, ninguém ouviu o galo cantar.

Rita Santos e Mafalda do 2º A

A Tia Maria concordou. Pensando bem, quem é que de em quando não gosta de dormir até mais tarde.

Piedade do 2º A

- Dez horas da manhã! Não sei que terá acontecido! - gritou enquanto abanava o Tio Júlio para o acordar.

Maria Virgílio e Afonso do 2º A

A maior preocupação da tia Maria eram os animais. [http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/bibliotecadigital/elivro.php?id=odiaemqueogalonaoacordou URL disponível a 7/04/2011]

Página 2


Como estariam, depois de uma manhã sozinhos? Porém, o que ela não sabia era que nenhum deles se tinha atrapalhado com a falta dos donos.

Miguel e Joana do 2º A

Os coelhos aproveitaram a manhã para ir visitar as vacas, e ofereceram-lhes erva fresquinha.

Tomás e Matilde Gonçalves do 2º A

[http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/bibliotecadigital/elivro.php?id=odiaemqueogalonaoacordou URL disponível a 7/04/2011]

Página 3


O mais sabichão explicou-lhes a importância de uma boa alimentação para se ter uma vida saudável.

Maria Ana e Guilherme do 2º A

O burro ofereceu-se para levar os patos num passeio de carroça pela quinta.

Maria Pereira e Pedro Aguilar do 2º A

Ao ver os patos tão contentes, as ovelhas, que não tinham ido para o prado, pediram boleia e saltaram para a carroça.

Maria Costa e Manuel do 2º A

[http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/bibliotecadigital/elivro.php?id=odiaemqueogalonaoacordou URL disponível a 7/04/2011]

Página 4


- Que vista tão bonita! - comentavam os patos e as ovelhas.

Beatriz e João Tomás do 2º A

“Como é bom ser guia turístico!”, pensava o burro, orgulhoso. Quem também não perdeu tempo foram as galinhas que, esfomeadas, pediram aos ratos para roerem a porta da capoeira.

Tiago e Leonor do 2º A

- Hoje é dia de guloseimas! Sigam-me!- disse com voz de comando a galinha pedrês, correndo em direcção ao celeiro.

[http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/bibliotecadigital/elivro.php?id=odiaemqueogalonaoacordou URL disponível a 7/04/2011]

Página 5


Quando a tia Maria e o tio Júlio abriram a porta de casa, a quinta mais parecia uma festa de Carnaval.

Matilde Cunha e Frederica Costa do 2º A

Mas, afinal de contas, porque é que naquela manhã ninguém ouviu o galo cantar? Não foi difícil desvendar o mistério. Durante a noite. O galo caíra do seu poleiro, enfiando a cabeça na palha. Como poderia ele ter visto o Sol e avisar os donos de que a manhã tinha chegado?

Frederico e Carlota do 2º A

- Deve ter-se assustado com algum trovão. Ou se calhar sonhou com raposas… Pobre galo! -disse a tia Maria.

[http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/bibliotecadigital/elivro.php?id=odiaemqueogalonaoacordou URL disponível a 7/04/2011]

Página 6


- É deixá-lo descansar. Voltamos para casa. E os outros que se divirtam, que amanha a ordem volta esta quinta- disse o Tio Júlio a rir. - Se o golo não quis acordar, é lá com ele.

António e Sofia do 2º A

A Tia Maria só despertou quando o Sol se fartou de esperar e empurrou os seus raios por entre as portadas da janela do quarto.

[http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/bibliotecadigital/elivro.php?id=odiaemqueogalonaoacordou URL disponível a 7/04/2011]

Página 7


texto_galo_total_2A