Page 1

J O R N A L

D O Mala Direta Básica

Informativo do Conselho Regional de Medicina do Estado de Roraima | Abril a Junho de 2019 - EDIÇÃO 52ª

JÁ ESTÁ EM VIGOR NOVO CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA A atualização do CEM foi um processo de quase três anos de discussões e análises e entrou em vigência no dia 30 de abril.

Pág. 12 e 13

Fiscalização Departamento de Fiscalização constatou

Além da Medicina

que única Unidade de Saúde da Comu-

Médica se dedica à pintura óleo

nidade da Barata, em Alto Alegre, está

sobre tela há 10 anos.

sucateada.

Pág. 17

Pág. 14

Declaração de Óbito A emissão da Declaração de Óbito é uma importante ferramenta que permite a coleta de dados para estatísticas vitais e epidemiológicas.

Pág. 7


B

oa Vista, a capital mais setentrional

amor à profissão, e que não fazem greve

do país, lida com muitas dificulda-

e nem se postam em frente ao Palácio do Governo fazendo reivindicações?

des por conta de sua geografia, difícil acesso, entre outros. Dentre os vários problemas existentes no Estado, a saú-

Que funcionários são esses que

de é um dos maiores e há anos vem

trabalham muitas vezes mais de 24

pedindo socorro.

horas por dia, embora cansados, por não terem quem os substitua? Que se

A dificuldade enfrentada pela saú-

excede em cafezinho e vivem expostos

de perpassa pela falta de profissionais e

ao stress? Que funcionários são estes

medicamentos, e podemos até afirmar

que embora já tenham cumprido sua

que há uma absoluta incompetência

jornada de trabalho contratada são

e irresponsabilidade das gestões, que

obrigados a deixar compromissos pes-

saem e entram com tal velocidade que impedem o enfrentamento dos problemas.

Rosa de Fátima Leal de Souza Presidente do CRM-RR

soais e os raros momentos com a família e retornarem ao hospital para cobrir plantão por não haver profissionais na escala? Que funcionários são esses

Neste caos da saúde, vejo os médicos lutando de forma

que sofrem violência verbal, e as vezes até física de familiares e

heroica para manter um atendimento de qualidade à população,

pacientes, que são achincalhados nas redes sociais por pessoas

enquanto gestores do Estado, das unidades hospitalares e a

que não conhecem as nuances de sua profissão?

PALAVRA DA PRESIDENTE

própria mídia tem jogado de forma aviltante a população contra aqueles que lutam contra esta irresponsabilidade administrativa,

Que funcionários são esses que fazendo tudo isto, ainda tem

culpando os médicos por todas as mazelas que ocorrem na saúde,

sua idoneidade suspeitada por gestores hospitalares? Estes fun-

e reforçamos que não temos culpa disto.

cionários públicos tão sacrificados, achincalhados e tão expostos ao stress são os médicos, os heróis anônimos de Roraima neste

Queremos lembrar que os médicos são funcionários públi-

caos em que vive a saúde.

cos, igual a todos os outros. Mas, que funcionários são estes que deixam suas famílias nos finais de semana e feriados para esta-

O Conselho Regional de Medicina de Roraima tem imenso

rem nos hospitais amenizando o sofrimento de desconhecidos?

orgulho em representar e agradecer a estes médicos heróis, pois

Que funcionários são esses que mesmo com o atraso de

atividades com dignidade e amor, sublimando suas emoções em

diante de todas estas intempéries, eles continuam realizando suas salários por dois meses continuam exercendo suas atividades por

EXPEDIENTE Informativo do Conselho Regional de Medicina do Estado de Roraima

EDITOR-CHEFE Anderson Cesar Dalla Benetta COMISSÃO EDITORIAL Anete Maria Barroso de Vasconcelos Rosa de Fátima Leal de Souza JORNALISTA RESPONSÁVEL Marta Gardênia Barros – DRT/RR 502 DIAGRAMAÇÃO David Eugene IMPRESSÃO Gráfica Ioris TIRAGEM 1500 exemplares

Av. Ville Roy, 4123, Canarinho, Boa Vista, Roraima Tel.: (95) 3623-1542 Fax: (95) 3623-1554 E-mail: crmrr@portalmedico.org.br Site: www.crmrr.org.br Facebook: facebook.com/crmrr Instagram: crm_roraima

2

CRM-RR

DIRETORIA Presidente: Rosa de Fátima Leal de Souza 1ª Vice-Presidente: Blenda Avelino Garcia 2º Vice-Presidente: Domingos Sávio Matos Dantas 1º Secretário: Anderson Cesar Dalla Benetta 2ª Secretária: Anete Maria Barroso de Vasconcelos 1ª Tesoureira: Nympha Carmen Akel Thomaz Salomão 2º Tesoureiro: Douglas Henrique Teixeira 1º Corregedor: Marcelo Henrique de Sá Arruda 2º Corregedor: Bruno Miana Caiafa COMISSÃO DE ASSUNTOS POLÍTICOS Membros: Álvaro Túlio Fortes; Blenda Avelino Garcia; Douglas Henrique Teixeira; Juliano Medeiros Lima; Laerth Macellaro Thomé. COMISSÃO DE CONTROLE INTERNO Membros: Alexander Vasconcelos Blanco; Marcilene da Silva Moura; Ricardo Oliveira de Carvalho; Ana Carolline da Silva e Silva (servidora) COMISSÃO DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA Coordenadora: Blenda Avelino Garcia Membros: Alexandre Salomão de Oliveira; Bruno Miana Caiafa; Bruno Thiago de Oliveira Cruz Pinto; Edson Rodrigues Bussad; Marilza Bezerra Martins; Peter Coutinho Melo; Roberto Carlos Cruz Carbonell. COMISSÃO DE LICITAÇÃO Membros: Domingos Sávio Matos Dantas; Adriana Albuquerque (servidora); Marcelo Cabral (servidor); Sorahyda Monteiro de Alencar (servidora).

favor da saúde da população!

COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO Coordenador: Domingos Sávio Matos Dantas Presidente: Blenda Avelino Garcia Membros: Anderson Cesar Dalla Benetta; Edson Rodrigues Bussad; José Antônio do Nascimento Filho; Jucineide Vieira Araújo; Nympha Carmen Akel Thomaz Salomão; Ricardo Oliveira de Carvalho; Roberto Carlos Cruz Carnonell; Rosa de Fátima Leal de Souza.

REPRESENTANTES NO COMITÊ DE MORTALIDADE MATERNA Membros: Valéria Cristina Nascimento Silva

COMISSÃO DO MÉDICO JOVEM Coordenador: Bruno Miana Caiafa Presidente: Peter Coutinho Mello Membros conselheiros: Andréa Giordana dos Passos Araújo; Bruno Thiago Oliveira Cruz Pinto; Guilhermina Modesto Jacó Membros não conselheiros: Daniella Karina Congo Thomé; José Ferreira Buttenbender; Simon Thomaz Salomão.

REPRESENTANTES NO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE Efetivo: Marcilene da Silva Moura Suplente: Silvia Mariane Vasconcelos dos Santos

COMISSÃO PERMANENTE DE PATRIMÔNIO Membros: Douglas Henrique Teixeira; Adriana Albuquerque (servidora); Antonio Neto (servidor); Juscelino Felix (servidor); Sorahyda Monteiro de Alencar (servidora). COMISSÃO DE REGISTRO DE ESPECIALIDADES Coordenadora: Anete Maria Barroso de Vasconcelos Presidente: Marcos Antonio Chaves Cavalcanti de Albuquerque Membros: Bruno Figueiredo dos Santos; Tao Machado; Valéria Cristina Nascimento Silva.

REPRESENTANTES NO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE Efetivo: Mareny Damaceno de Sousa Suplente: Bruno Thiago de Oliveira Cruz Pinto

REPRESENTANTES NO CONSELHO DISTRITAL DE SAÚDE Efetivo: Álvaro Túlio Fortes Suplente: Anete Maria Barroso de Vasconcelos REPRESENTANTES NO SUL DO ESTADO Membros: Áthila Ferreira Bessa; Francisco Cláudio Linhares de Sá Filho CONSELHEIROS FEDERAIS DE RORAIMA Efetivo: Wirlande Santos da Luz Suplente: Alexandre de Magalhães Marques ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Marta Gardênia Barros ASSESSORIA JURÍDICA Allan Kardec Lopes Mendonça Filho


PRESTANDO CONTAS Caros Colegas,

passa a ser do médico que realiza o procedimento”.

Dia 30 de setembro próximo, estará encerrando o meu

Membro efetivo da Comis-

mandato como representante

são Nacional Pró-SUS, Comissão

dos médicos roraimenses no

de Assuntos Políticos, Comissão

Conselho Federal de Medicina.

de Integração dos Médicos de

Foram 5 anos de muito trabalho

Fronteira e Comissão de Saúde

nas votações de Pareceres, Re-

Suplementar.

soluções, Relatoria de Processos Éticos-Profissionais e audiências

Como membro da Comis-

na Câmara dos Deputados e

são de Assuntos Políticos (CAP)

Senado Federal.

fizemos análises de cerca de mil Projetos de Lei e participamos de cerca de duzentas audiências

Éticos-Profissionais julgados em

com parlamentares. Essas ativi-

Câmaras de Julgamento e 7 que

dades serviram para firmar junto

foram julgados pelo Plenário da

aos parlamentares a posição das

Casa. Participei de 35 Sessões

Entidades Médicas com relação

Plenárias Ordinárias e 10 Sessões

aos projetos analisados e que es-

Extraordinárias. Participei ainda

tão em tramitação no Congresso

de 86 Ações Administrativas em

Nacional.

CONSELHEIRO FEDERAL

Fui relator 46 Processos

Comissões e Câmaras Técnicas, mais de 40 eventos promovidos

Aproveito para agradecer

pelo CFM, além de acompanhar

o voto de confiança que me foi

seis Encontros Nacionais de En-

Wirlande da Luz Conselheiro Federal

tidades Médicas.

dado pelos médicos roraimenses e pelos Conselheiros dos demais

de exames complementares que con-

Estados da Federação.

Tive a honra de representar

figurem ato médico sem solicitação

o CFM em 8 atividades externas.

do profissional médico. Nos casos de

Desejo boa sorte e um bom

Fui autor do parecer que afirma

demanda espontânea, a responsabi-

trabalho aos nossos próximos

“não ser permitida a realização

lidade profissional sobre o paciente

representantes.

“COMO MEMBRO DA COMISSÃO DE ASSUNTOS POLÍTICOS (CAP) FIZEMOS ANÁLISES DE CERCA DE MIL PROJETOS DE LEI E PARTICIPAMOS DE CERCA DE DUZENTAS AUDIÊNCIAS COM PARLAMENTARES”.

CRM-RR

3


Enfermaria da Emergência do HCSA Marcia Terezinha Baroni de Moraesa*, Alberto Ignácio Olivares Olivaresb, c, Alexandre Madi Fialhoa, Fábio Correira Maltaa, Sergio da Silva e Mouta Juniora, Romanul de Souza Bispob, Alvaro Jorge Vellosod, Gabriel Azevedo Alves Leitãoa, Carina Pacheco Cantellic, d, Johan Nordgrene, Lennart Svensone Marize Pereira Miagostovicha José Paulo Gagliardi Leitea Laboratory of Comparative and Environmental Virology, Oswaldo Cruz Institute, Oswaldo Cruz Foundation (FIOCRUZ), Avenida Brasil, 4365-Manguinhos, Rio de Janeiro, RJ, Brazil b Federal University of Roraima, Research Center Roraima Health Observatory (ObservaRR), Avenida Capitão Ene Garcês, 2413-Aeroporto, Boa Vista, RR, Brazil c Post-Graduate Program in Parasite Biology, Oswaldo Cruz Institute, Oswaldo Cruz Foundation (FIOCRUZ), Avenida Brasil, 4365-Manguinhos, Rio de Janeiro, RJ, Brazil d Department of Viral Vaccines and Department of Quality Control, Immunobiological Technology Institute (BioManguinhos) – Oswaldo Cruz Foundation (FIOCRUZ), Avenida Brasil, 4365-Manguinhos, Rio de Janeiro, RJ, Brazil e Division of Molecular Virology, Department of Clinical and Experimental Medicine, Linköping University, 581 85 Linköping, Sweden

ARTIGO CIENTÍFICO

a

RESUMO

Os antígenos do grupo Histo-sanguíneo (HBGA) são fatores genéticos do hospedeiro associados à suscetibilidade ao rotavírus (RV) e norovírus humano (HuNoV), os principais agentes etiológicos da gastroenterite aguda viral (GEA) no mundo. O gene FUT2 expressa á enzima alfa-1,2-L-fucosiltransferase é importante para a expressão do HBGA no intestino, e também fornece uma composição do perfil fenotípico obtido através de mutações que ocorrem em populações com diferentes histórias evolutivas; como tal, pode ser considerado um marcador genético da população. A fenotipagem de Lewis e secretor do HBGA foi realizada, com 352 amostras de saliva coletadas de crianças de três meses a cinco anos nascidos na Amazônia (Brasil, Venezuela e Guiana Inglesa) apresentando GEA ou IRA, sendo esta última considerada, controle. As crianças fenotipadas como secretoras foram 323, correspondendo a 91,80%. Destes, 207 (58,80%) tinham um perfil Le (a + b +) (secretor fraco). Os perfis de HBGA foram igualmente encontrados em crianças com GEA e IRA. O rs1047781 do gene FUT2 não foi detectado no DNA de células da saliva com um perfil Le (a + b +). No entanto, mutações ainda não descritas no gene FUT2 foram observadas. A distribuição do SNP (Polimorfismos de Nucleotídeo Único) no gene FUT2 das amostras analisadas foi muito semelhante à des-

4

CRM-RR

crita em populações asiáticas, incluindo tribos indígenas. Palavras-chave: Antígenos do grupo histo-sanguíneo; Saliva; secretora fraca; Polimorfismos de Nucleotídeo único Introdução: A gastroenterite é a segunda maior causa de morte em menores de cinco anos, com 530 mil mortes a cada ano (OMS, 2018). Os antígenos Secretor e Lewis do HBGA são fatores de susceptibilidade à infecção por Norovírus Humanos (HuNoVs) e Rotavírus A (RVA); principais agentes causadores de GEA. A identificação do perfil HBGA em populações é de grande importância (Monedero et al. 2018; Munnink e van der Hoek, 2016). O gene humano FUT2 define o status Secretor e Lewis de cada indivíduo sendo um marcador genético das populações. Objetivos: Definir o perfil Secretor e Lewis do HBGA de crianças de 3 meses a 5 anos da região Amazônica com GEA; identificar polimorfismos de nucleotídeo único (SNPs) do gene FUT2. Relacionar perfil HBGA/SNPs com gastroenterites e SNPs detectados com SNPs asiáticos. Desenho do estudo: 352 amostras de saliva coletadas de janeiro de 2016 a outubro de 2017 (crianças entre 3 meses a 5 anos) apresentando GEA ou IRA (grupo controle) nascidas na região amazônica do Brasil, Venezuela e Republica Federativa da Guiana Inglesa, atendidas no Hospital da Criança. Método: Fenotipagem por ELISA com anticorpos monoclonais (mAb) contra α-A, α-B), Lea, Leb e com lectina para enzima alpha (1,2) fucosyltransferase. PCR touchdown para amplificação da região codificante do gene FUT2 e região 3’ não codificante. Sequenciamento nucleotídico dos amplicons. Resultados: 323 (91,80%) crianças apresentaram perfil secretor, dessas 207 (58,80%) foram secretoras fracas (Sew) Le (a+b+). 29 crianças (8,2%) foram não secretoras. O SNP A385Tdo gene FUT2 não foi detectado nas crianças Sew, porém mutações ainda não descritas foram


detectadas: não sinônimas C327T, C446T, C723A, A724T, C736A e sem sentido A325T, C501T, C519T, C585T, A855T. Os perfis de HBGA foram iguais em crianças com GEA e controle. Discussão e conclusões: A alta frequência do perfil secretor detectado em crianças com GEA, e o perfil HBGA em amostras e controle, indica que crianças secretoras são mais susceptíveis a GEA e ressalta a importância da detecção dos agentes virais causadores de GEAs, pois são responsáveis por 30 a 70% dos casos. A baixa frequência de crianças não secretoras foi similar a mundial. O perfil Sew foi encontrado nas amostras estudadas e têm exclusivos da população asiática. SNPs já identificados nas populações asiáticas e nas amostras estudadas corroboram a ancestralidade entre os dois grupos.

REFERÊNCIAS:

Monedero, V., Buesa, J., Rodríguez-Díaz, J., 2018. The

interactions between host glycobiology, bacterial microbiota, and viruses in the gut. Viruses 10, 1–14. https://doi. org/10.3390/v10020096. Munnink, B.B.O., van der Hoek, L., 2016. Viruses causing gastroenteritis: the known, the new and those beyond. Viruses 8, 42. https://doi.org/10.3390/v8020042. OMS, 2018. Diarrhoeal Disease. Fact Sheet. http://www. who.int/mediacentre/factsheets/fs330/en/, Accessed date: 1 July 2018.

AGRADECIMENTOS:

Os autores reconhecem os pequenos do Hospital da Criança Santo Antônio de Boa Vista-RR e seus pais por fazerem este estudo possível. Ao prof. Dr. José Francisco Luitgards Moura, coordenador do ObservaRR, por seu apoio ao Projeto e seus ensinamentos sobre cultura indígena. Bruno Baroni de Moraes e Souza pela revisão em inglês.

ARTIGO CIENTÍFICO

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

matrículas abertas o ano inteiro

kumon kumo KUMON mundo

•Matemática•inglês •português•japonês Unidade Boa Vista Centro

3623-5478

CRM-RR

5


CRM – RR visita escritório da Unicef/Roraima No dia 4 de julho, a 1ª vice-presidente do Conselho Regional de Medicina de Roraima (CRM – RR), Blenda Garcia participou de uma reunião no escritório da Unicef em Roraima. Estiveram presentes ainda a presidente da Sociedade Roraimense de Pediatria (SRP), Adelma Figueiredo e a Coordenadora da Unicef para toda Amazônia, Anyoli e Ewerton, o responsável pelo Setor de Saúde e Nutrição Unicef /RR.

NFORMAÇÃO

O objetivo da reunião, segundo contou Blenda Garcia, foi estreitar os laços entre o CRM-RR, a SRP, a Universidade Federal de Roraima e o trabalho da UNICEF realizado em Roraima, em especial no tocante às crianças e adolescentes migrantes/refugiadas . As pediatras Blenda Garcia e Adelma Figueiredo, também, são professoras do curso de Medicina da UFRR e se colocaram à disposição para contribuírem na elaboração de treinamentos e capacitação dos monitores que atendem às crianças migrantes dentro e fora dos Abrigos, em especial uma capacitação sobre “Aleitamento Materno e Alimentação e Hábitos Saudáveis do nascimento aos 2 anos de vida”. Outro assunto, tratado na reunião foi a cooperação de alunos do curso de Medicina no levantamento e compilação

o 39º Congresso Brasileiro de Pediatria”, disse Blenda. Outro evento que haverá cooperação é no 5º Ciclo Saúde, que capacita profissionais da saúde de toda a Rede de Atenção Básica com a garantia e premiação do Selo Unicef.

Em setembro haverá um Fórum regional sobre crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade dos dados sobre o estado nutricional das crianças e adolescentes, bem como a possibilidade da aplicação de um questionário qualitativo às adolescentes grávidas. A primeira presidente Blenda Garcia propôs parceria por meio do Departamento de Educação Médica do CRM-RR para realização de um Fórum Regional sobre as crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. “Pretendemos realizar este Fórum em setembro deste ano. Os levantamentos, estatísticas e proposições servirão para levar material didático e científico mais refinado ao Fórum de Pediatria do Conselho Federal de Medicina, que ocorrerá na cidade de Porto Alegre/RS simultaneamente com

FÓRUM O Fórum do CFM terá este ano como tema principal “Crianças e Adolescentes em situação de vulnerabilidade”, com 3 mesas-redondas : Segurança do paciente pediátrico; Crianças e Adolescentes Refugiados (o caso Roraima) e Crianças e Adolescentes Indígenas. A pediatra Blenda Garcia, representante de Roraima na Câmara Técnica de Pediatria do CFM, estará como responsável e Coordenadora da Mesa-Redonda sobre a população Pediátrica refugiada em Roraima, que terá como subtemas : 1.

Panorama Roraima e Resposta Humanitária na saúde ( Como é e como deveria ser ); 2. Estado Nutricional de crianças e adolescentes migrantes em RR; 3. Gravidez na adolescência entre a população migrante; 4. Casuística do atendimento nas Unidades de Saúde de Boa Vista dos Refugiados venezuelanos.

ELEIÇÃO

Duas chapas concorrem à vaga de Conselheiro Federal No dia 5 de junho, encerraram as inscrições para o registro das chapas de candidatos que desejavam concorrer a vaga de conselheiro federal efetivo e suplente do Conselho Regional de Medicina de Roraima (CRM – RR). Duas chapas foram inscritas: Projeto Dignidade Médica (Carlos Patrick Araújo da Silva e Samir de Araújo Xaud) e Ética e Compromisso (Domingos Sávio Matos Dantas e Nazareno Bertino Vasconcelos Barreto). A eleição acontecerá no dia 28 de agosto. A votação será presencial, das 8h

6

CRM-RR

às 20h, na sede do CRM – RR. Não haverá votação pelos Correios. As normas pertinentes ao processo eleitoral estão disponíveis no site do Conselho Federal de Medicina (www.portalmedico.org. br) e no site www.crmrr.org.br, do CRM – RR. O voto é obrigatório e secreto para os médicos que estejam em gozo de seus direitos políticos e profissionais, inscritos primária ou secundariamente no CRM – RR, e quites com o pagamento de suas anuidades. Para as pessoas com mais de

70 anos é facultativo. Será aplicada a multa prevista em lei para o médico que não votar, salvo justificativa ou impedimento a ser declarado até 60 dias após o encerramento da eleição. Já, o médico inscrito em mais de um Conselho Regional deverá votar em pelo menos um deles. O mandato para conselheiro federal, efetivo e suplente tem duração de cinco anos e é meramente honorífico. A posse dos candidatos eleitos acontecerá no dia 1º de outubro em Brasília, na sede do CFM.


É dever do médico preencher corretamente a Declaração de Óbito com relatório médico. Em mortes naturais a DO deve ser preenchida pelo médico assistente do paciente ou substituto/plantonista ou aquele designado pela instituição, e em pacientes sob acompanhamento domiciliar pelo médico da Estratégia de Saúde da Família. Em casos de ausência de assistência médica a DO deve ser preenchida pelo SVO (Serviço de Verificação de Óbito) e na ausência deste pelo médico do serviço público mais próximo. Em mortes não naturais a DO deve ser preenchida pelo IML, e em locais sem IML qualquer médico que seja investido pela autoridade policial ou judicial (ad hoc), e nestes casos o médico não pode ser negar a esta tarefa se assim lhe for determinado. As causas da morte a serem anotadas na DO são todas as doenças, os estados mórbidos ou as lesões que produziram a morte ou contribuíram para mesma, além das circunstâncias do acidente ou da violência que produziram essas lesões. O médico deverá declarar as causas da morte anotando

apenas um diagnóstico por linha. Para preencher adequadamente a DO, o médico deve declarar a causa básica do óbito (doença ou lesão que iniciou a cadeia de acontecimentos patológicos que conduziram diretamente à morte, ou as circunstâncias do acidente ou violência que produziram a lesão fatal) em último lugar estabelecendo uma sequência, de baixo para cima, até a causa terminal ou imediata. Na parte seguinte, o médico deve declarar outras condições mórbidas pré-existentes e sem relação direta com a morte, que não entraram na sequência causal declarada anteriormente. Quanto às causas da morte o Primeiro Secretário do CRM –RR, Anderson Dalla Benetta, afirma que esta é parte mais importante da DO, e a que é mais comumente é preenchida errada. “Um dos erros mais comuns é colocar na primeira linha das causas da morte a parada cardiorrespiratória, e esta não é causa da morte e sim modo de morrer. Outro erro muito comum é colocar apenas falência múltipla de órgãos como causa da morte. Este é um diagnóstico impreciso, e caso seja relatado como causa da morte, deve vir acompanhando pelas outras causas que o motivaram.O Ministério da Saúde possui um guia de preenchimento que deve ser lido por todos os médicos, pois explica como preencher de forma correta as causas da morte exemplificando com diversos casos clínicos”. Paciente transferido entre instituições deve ser acompanhando de relatório médico e sua não emissão é ilícito ético punível pelos CRM´s. E caso o paciente venha a óbito em trânsito este relatório pode subsidiar ao médico que recebe o paciente para que emita a DO. Caso uma DO seja preenchida errada não deve ser dispensada, deve-se anotar na mesma “anulada” e devolver ao serviço epidemiológico local que dará as providências cabíveis. E se o médico perceber que emitiu DO errada após ser emitida a Certidão de Óbito pelo cartório, deve procurar um advogado que entrará com pedido judicial para retificação da DO.

O guia pode ser acessado pelo seguinte link: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/ pdf/2015/agosto/14/Declaracao-de-Obito-WEB.pdf

CRM-RR

7

DECLARAÇÃO DE ÓBITO

A atual declaração de óbito (DO) foi implantada pelo Ministério da Saúde em 1976, e tem a função legal que permite a emissão da Certidão de Óbito e também é importante ferramenta que permite a coleta de dados para estatísticas vitais e epidemiológicas que subsidiam políticas públicas de saúde. Constitui ato médico devendo ser preenchido todos os campos e com letra legível, e indicar a sequência correta das causas da morte. Além disso, é proibido ao médico assinar DO em branco, assinar sem constatar pessoalmente o óbito, usar termos vagos para indicar as causas da morte, cobrar pela emissão e emitir DO falsa, sendo todos essas situações puníveis pelos CRM´s de acordo com o Código de Ética Médica. A DO deve ser emitida em todos os óbitos, bem como para crianças nascidas vivas e que morrem em seguida e em óbitos fetais (idade maior igual de 20 semanas ou peso igual ou maior de 500 gramas ou estatura maior ou igual a 25 centímetros). Peças anatômicas amputadas são sepultadas apenas


O CRM-RR está oferecendo o Clube de Benefícios. São empresas que oferecem descontos aos médicos regularmente inscritos no CRM-RR, bem como aos seus parentes de primeiro grau.

CLÍNICA DE PSICOLOGIA 24H

ARAMIS MENSWEAR

Avenida Venezuela, 3111-1, Jardim Floresta Telefones: 981137875 – 99155-4950

DESCONTO Psicoterapia individual presencial; Psicoterapia individual online; Arte terapia; Fonoaudiologia; Consulta psicológica de emergência; Psicopedagogia; Reflexologia; Aula de Xadrez; Musicalização; Nutrição

Avenida Getúlio Vargas, 4491 – São Pedro – Telefone: 3224-5696

10% DESCONTO com parcelamento em até 3 vezes

SESI

(SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA)

A ve n i d a B r i g a d e i ro E d u a rd o G o m e s 3710 – Aeroporto – Telefone: 4009-1801

VALORES DIFERENCIADOS para conveniados nos seguintes serviços: Educação, Lazer, Saúde, Odontologia, Laboratório, Enfermagem

TODESCHINI

IPOG

Avenida Ville Roy, 381 – Canarinho

COLÉGIO CLARETIANO

15% DESCONTO

DESCONTO DE R$ 720,00 no valor total nos cursos de Pós-Graduação

Rua Antonio Augusto Martins, 52 – São Francisco – Telefone: 3621-7200

CLUBE DE BENEFÍCIOS

https://www.ipog.edu.br/home

DESCONTO DE 10% no valor total nos Cursos de Curta Duração

DESCONTO DE 10% na parcela mensal para período matutino

CLÍNICA DE PSICOLOGIA SANTA LUZIA

DESCONTO DE 15% na parcela mensal para período vespertino

Avenida Severino Soares de Freitas, 1940 – Paraviana – Telefone: 98123-7845

DESCONTO DE 17% no valor das mensalidades do curso de Engenharia Civil

DESCONTO Acompanhamento Terapêutico; Avaliação Psicológica; Laudo Psicológico; Orientação Vocacional; Treinamentos; Acompanhamento de projetos.

DESCONTO DE 10% no valor total de todos os cursos EAD

LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS DO INSTITUTO FECOMÉRCIO DE RORAIMA Rua Major Manoel Correa, 2084 São Francisco – Telefone: 9811-8902

DESCONTO em exames laboratoriais e atendimento odontológico

CLÍNICA DE PSICOLOGIA CLARA MOURA DE OLIVEIRA VERAS

Avenida Nossa Senhora da Consolata, 976 – Centro – Telefone: 3224-8008

20% DESCONTO na parcela mensal

COLÉGIO OBJETIVO Rua Capitão Franco de Carvalho, 195 São Francisco – Telefone: 3623-2104

25% DESCONTO na parcela mensal

Avenida Severino Soares de Freitas, 1940 – Paraviana – Telefone: 98102-2863

DESCONTO em Sessões de Terapia e outros serviços para manutenção da saúde mental

WIZARD

DESCONTO DE 25% no valor das mensalidades do curso de Administração

ECOPARK Rod. RR 205, S/N, KM 35 – Gleba Cauamé – Boa Vista – Telefone: 3224-9917/3224-5930

VALOR DO TÍTULO A R$ 250,00

INSTITUTO BATISTA DE RORAIMA

PANORAMA LIMUSINES

Avenida Severino Soares de Freitas, 1940, Paraviana – Telefone: 98123-7845

Rua da Mangueira, nº 237 – Caçari Telefone 99113-0050

DESCONTO DE 10% na parcela mensal para período matutino

DESCONTO DE 20% na locação de automóveis de luxo

DESCONTO DE 15% na parcela mensal para período vespertino

BRSUN ENERGIA Rua Alferes Paulo Saldanha, 692-B – São Francisco, Telefone 99113-4208

25% DESCONTO na instalação de sistemas de geração de energia fotovoltaica em imóveis urbanos ou rurais

Quer ser um integrante do nosso Clube de Benefícios? Envie a proposta da sua empresa para martagardenia@gmail.com

Médico(a), quer indicar alguma empresa para fazer parte do seu Clube de Benefícios? Basta enviar um e-mail para martagardenia@gmail.com indicando o nome do estabelecimento e um telefone de contato. Tentaremos fechar o convênio, desde que tenhamos a garantia de benefícios diferenciados e de compromisso e confiabilidade da empresa conveniada.

8

CRM-RR


YAZIGI

RORAIMANET

Av. Santos Dummont, nº 1753 São Francisco, Telefone 3224-6161

Rua Alferes Paulo Saldanha, nº 51A – Centro, Telefone 3198-9100

DESCONTO DE 20% na parcela mensal

EMPRESA ESPAÇO MENTE POSITIVA

INSTALAÇÃO VIA RÁDIO

15% DESCONTO SEM FIDELIDADE

R$ 560,00

VIA RÁDIO

50% DESCONTO COM FIDELIDADE DE 06 MESES

R$ 290,00

VIA RÁDIO

GRATUITO COM FIDELIDADE DE 12 MESES

R$ 0

VIA FIBRA

15% DESCONTO SEM FIDELIDADE

R$ 560,00

VIA FIBRA

50% DESCONTO COM FIDELIDADE DE 06 MESES

R$ 290,00

VIA FIBRA

GRATUITO COM FIDELIDADE DE 12 MESES

R$ 0

Rua General Penha Brasil, 857 – São Francisco Telefone 98119-1641 / 99112-3205 / 98100-9511

R$ 109,90

BANDA LARGA VIA RÁDIO 6MB

R$ 159,90

BANDA LARGA VIA RÁDIO 8MB

R$ 189,90

BANDA LARGA VIA FIBRA 25MB

R$ 159,90

BANDA LARGA VIA FIBRA 50MB

R$ 219,90

BANDA LARGA VIA FIBRA 100MB

R$ 289,90

CLUBE DE BENEFÍCIOS

DESCONTO EM: Psicoterapia Individual – consulta adulto; Psicoterapia individual - sessão adulto; Psicoterapia Individual – consulta criança/ adolescente; Psicoterapia individual - sessão criança/adolescente; Psicoterapia casal – consulta; Psicoterapia casal – sessão; Avaliação psicológica; Palestras; Avaliação para porte de arma de fogo

PLANOS BANDA LARGA VIA RÁDIO 4MB

NETFAST LAVANDERIA CRISTAL

Avenida Benjamin Constant, nº 563 – São Pedro, Telefone 3212-2280

Rua Pau Rainha, nº 884 – Paraviana Telefone 3624-2372

DESCONTO DE 10% em todos os serviços ofertados

SAYMON BUSINESS SCHOOL/SBCCOACHING – KMN CONSULTORIA TREINAMENTO E NEGÓCIOS Rua Cecília Brasil, nº 1274-1 – Centro, Telefone 98123-9977/99148-3212

DESCONTO DE 50% no valor total em prestação de serviços profissionais em treinamento de alta performance e soluções para empreendedores.

INSTALAÇÃO VELOCIDADE

VALOR SEM FIDELIDADE

VALOR COM FIDELIDADE

25 MB

R$ 450,00

R$ 150,00

50 MB

R$ 450,00

R$ 150,00

75 MB

R$ 450,00

GRATUITA

100 MB

R$ 450,00

GRATUITA

PLANOS

25 MB

R$ 135,90

50 MB

R$ 169,90

75 MB

R$ 220,90

100 MB

R$ 254,90

MOANA BRITO – ARQUITETURA E INTERIORES Avenida Sebastião Diniz, 361 – Centro – Telefone 98119-0515

VALOR DO DESCONTO

DS COMUNICAÇÃO E MARKETING Rua Goiás, 349 – Bairro dos Estados Telefone: 99111-5858

DESCONTOS DE 10% em serviços impressos DESCONTOS DE 15% em serviços impressos digitais DESCONTOS DE 20% em serviços de criação

SERVIÇOS

05% Desconto

Consultoria

10% Desconto

Projeto de Interiores

10% Desconto

Projeto Arquitetônico

10% Desconto

Regularização de Imóvel

05% Desconto

Projeto de Paisagismo

05% Desconto

Projeto de Instalações

05% Desconto

Reforma

05% Desconto

Acompanhamento de obra

CRM-RR

9


MÉDICO JOVEM

Hélio Holanda

Durante dois dias médicos e acadêmicos de medicina participaram das palestras do I Fórum Roraimense de Integração do Médico Jovem

Conselho Regional de Medicina de Roraima realizou o I Fórum de Integração do Médico Jovem Durante os dias 24 e 25 de maio, inú-

tratar doenças, mas tem outras coisas que

a Comissão do Médico Jovem. “Os dois

meros acadêmicos de medicina e médicos

não aprendemos no curso, como a ética

dias foram muito proveitosos, com temas

estiveram reunidos no auditório do Centro

médica, preenchimento de prontuário e de-

importantes para o profissional, tanto pela

de Ciências da Saúde, na Universidade Fe-

claração de óbito. Estas e outras questões

ótica prática e de como gerir uma carreira

deral de Roraima, no I Fórum de Integração

que são importantes para a carreira foram

com sucesso”.

do Médico Jovem.

debatidas durante o Fórum”, contou Peter. Para a acadêmica de medicina, Bianca

O evento foi realizado pela Comis-

Ainda de acordo com Peter, o evento

Quintella, “o Fórum foi um grande passo

são de Integração do Médico Jovem, do

foi satisfatório. “Por ser o primeiro Fórum

para a Educação Médica roraimense. Não

Conselho Regional de Medicina de Ro-

da Comissão, tivemos uma boa participa-

só por demonstrar que Roraima está em

raima (CRM – RR). Segundo o Presidente

ção. Pretendemos realizar outros eventos

consonância com os eventos organizados

da Comissão, Peter Coutinho, o objetivo

e criar uma cultura de envolvimento dos

pelo Conselho Federal de Medicina, mas

do Fórum era capacitar e informar os

médicos mais jovens e residentes. Esses

também pela representatividade para a

médicos com assuntos prevalentes na

momentos são boas oportunidades de

demografia médica brasileira. Hoje, com

profissão e que são importantes para

troca de experiência e aprendizado”, co-

o crescente número de médicos jovens,

nortear os profissionais.

mentou Peter.

é necessário que eles estejam cada vez mais inseridos nos espaços representa-

“Quando o acadêmico sai da uni-

A presidente do CRM – RR, Rosa

versidade, sabemos lidar com paciente,

Leal considerou o evento um marco para

10 CRM-RR

tivos, como os conselhos, e isso ainda ocorre pouco”.


PROGRAMAÇÃO DO PRIMEIRO DIA FOTOS: Hélio Holanda

A médica Katherine Wilt abordou o tema “Mercado de Trabalho: Cenário atual e perspectivas”.

A primeira noite foi encerrada com a palestra Auto Liderança para o médico do futuro, ministrada pelo administrador Hiran Lima.

PROGRAMAÇÃO DO SEGUNDO DIA

A Presidente do CRM – RR, Rosa Leal falou sobre “Prontuário Médico: Como preencher e Implicações Legais”.

A importância do bom preenchimento da Declaração de Óbito foi o tema do médico oncologista e Primeiro Secretário do CRM – RR, Anderson Dalla Benetta.

O psiquiatra Arthur Danilla, de São Paulo – SP, falou da Saúde Mental do Médico Jovem.

O médico infectologista Mauro Asato encerrou o Fórum com o tema a Responsabilidade Civil e Ética do Médico Residente e do Preceptor. CRM-RR

11

MÉDICO JOVEM

O médico oncologista Allex Jardim da Fonseca proferiu a palestra “Fundamentos éticos: preparação para o recém formado e médico residente”.


Novo Código de Ética Médica está em vigor O respeito à autonomia do paciente,

Para facilitar a compre-

inclusive na fase da terminalidade da vida;

ensão das novas diretrizes,

a preservação do sigilo profissional na

o novo texto mantém o

relação entre médico e paciente; o direito

mesmo número de capí-

de o médico exercer a profissão de acordo

tulos, que abordam prin-

com sua consciência; e a possibilidade de

cípios, direitos e deveres

recusa de atender em locais com condições

dos médicos. Entre as

precárias, que expõem ao risco pacientes

principais novidades está

e profissionais são alguns dos pontos

o respeito ao médico

previstos no novo Código de Ética Médica

com deficiência ou do-

(CEM) que entrou em vigência no dia 30

ença crônica, assegu-

de abril deste ano.

rando-lhe o direito de exercer suas ativida-

CAPA

A atualização do CEM foi um processo

des profissionais nos

de quase três anos de discussões e análi-

limites de sua capacidade e também

ses que atualizaram a versão anterior que

sem colocar em risco a vida e a saúde

vigorava desde abril de 2010 (Resolução

de seus pacientes. dicina, o novo Código de Ética Médica

CFM Nº 1.931/2009). Os debates, que foram abertos à participação de toda a categoria

Também ficou definido que o uso das

manteve a proibição do uso do placebo

médica – seja por meio de entidades ou

mídias sociais pelos médicos será regula-

de maneira isolada em experimentos,

pela manifestação individual dos profis-

do por meio de resoluções específicas,

quando houver método profilático ou

sionais – permitiram modernizar o texto

o que valerá também para a oferta de

terapêutico eficaz.

anterior, incorporando artigos que contem-

serviços médicos à distância mediados

plam mudanças decorrentes de avanços

por tecnologia.

O novo Código de Ética Médica pode ser acessado pelos links: portal.cfm.org.br/

científicos e tecnológicos, assim como novos contextos na relação em sociedade.

No âmbito das pesquisas em me-

images/PDF/cem2019.pdf e cem.cfm.org.br.

CONFIRA ALGUMAS DAS NOVIDADES DO CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA DIRETRIZ O novo código transfere a regulação da telemedicina e do uso das mídias sociais para resoluções avulsas, passíveis de frequentes atualizações, impondo ao médico a obrigatoriedade do respeito às normas emanadas pelo CFM. Garante respeito ao médico com deficiência ou doença crônica, garantindo suas atividades profissionais nos limites de sua capacidade e segurança do paciente

REFERÊNCIA NO CÓDIGO Cap. V Art. 37 § 1º O atendimento médico a distância, nos moldes da telemedicina ou de outro método, dar-se-á sob regulamentação do Conselho Federal de Medicina. § 2º Ao utilizar mídias sociais e instrumentos correlatos, o médico deve respeitar as normas elaboradas pelo Conselho Federal de Medicina.

É direito do médico: Cap. II XI – É direito do médico com deficiência ou com doença, nos limites de suas capacidades e da segurança dos pacientes, exercer a profissão sem ser discriminado. É vedado ao médico:

Nas pesquisas, manteve a vedação ao uso de

Cap. XII Art. 106 Manter vínculo de qualquer natureza com pesquisas médicas em se-

placebo isolado

res humanos que usem placebo de maneira isolada em experimentos, quando houver método profilático ou terapêutico eficaz.

12

CRM-RR


Cap. XII Art. 101 § 1º No caso de o paciente participante de pesquisa ser criança, adolescente, pessoa com transtorno ou doença mental, em situação de diminuição de sua Criou normas de proteção de sujeitos partici-

capacidade de discernir, além do consentimento de seu representante legal, é necessário

pantes em pesquisa vulneráveis

seu assentimento livre e esclarecido na medida de sua compreensão. Cap. XII Art. 105 É vedado ao médico: Realizar pesquisa médica em sujeitos que sejam direta ou indiretamente dependentes ou subordinados ao pesquisador.

Nas pesquisas, passou a permitir o acesso a prontuários, sem TCLE, em estudos retrospectivos quando autorizados por comissões de ética em pesquisa em seres humanos

Cap. XII Art. 101 § 2º O acesso aos prontuários será permitido aos médicos, em estudos retrospectivos com questões metodológicas justificáveis e autorizados pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) ou pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

Institui a obrigação da elaboração do sumário

Cap. X Art. 87 § 3º Cabe ao médico assistente ou a seu substituto elaborar e entregar

de alta e entrega ao paciente quando solicitado.

o sumário de alta ao paciente ou, na sua impossibilidade, ao seu representante legal.

Agora, quando for requisitado judicialmente, deve encaminhar cópias do prontuário sob sua guarda ao juízo requisitante.

Cap. X Art. 89 § 1º Quando requisitado judicialmente, o prontuário será encaminhado ao juízo requisitante.

DIREITOS DOS MÉDICOS ASSEGURADOS PELO CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA DIRETRIZES

REFERÊNCIA NO CÓDIGO Cap. II I – Exercer a medicina sem ser discriminado por questões de religião, etnia, cor, sexo, orientação sexual,

Exercício da medicina

nacionalidade, idade, condição social, opinião política, deficiência ou de qualquer outra natureza.

sem discriminação

XI – É direito do médico com deficiência ou com doença, nos limites de suas capacidades e da segurança dos pacientes, exercer a profissão sem ser discriminado. X – O trabalho do médico não pode ser explorado por terceiros com objetivos de lucro, finalidade política ou

explorado

religiosa. III – Apontar falhas em normas, contratos e práticas internas das instituições em que trabalhe quando as julgar indignas do exercício da profissão ou prejudiciais a si mesmo, ao paciente ou a terceiros.

Exercício da profissão

IV – Recusar-se a exercer sua profissão em instituição pública ou privada onde as condições de trabalho não

em condições

sejam dignas ou possam prejudicar a própria saúde ou a do paciente, bem como a dos demais profissionais.

adequadas

V – Suspender suas atividades, individualmente ou coletivamente, quando a instituição pública ou privada para a qual trabalhe não oferecer condições adequadas para o exercício profissional ou não o remunerar digna e justamente, ressalvadas as situações de urgência e emergência. IX – Recusar-se a realizar atos médicos que, embora permitidos por lei, sejam contrários aos ditames de sua consciência.

Exercer a medicina conforme sua consciência

Princípios Fundamentais Cap. V Art. 36 § 1° - Ocorrendo fatos que, a seu critério, prejudiquem o bom relacionamento com o paciente ou o pleno desempenho profissional, o médico tem o direito de renunciar ao atendimento, desde que comunique previamente ao paciente ou a seu representante legal, assegurando-se da continuidade dos cuidados e fornecendo todas as informações necessárias ao médico que o suceder.

Filmes Orodispersíveis . Forma farmacêutica elegante e diferenciada . Redução de efeitos adversos . Aumento da aderência ao tratamento . Aumento da biodisponibilidade . Rápida desintegração

Para saber mais, entre em contato com nossa equipe farmacêutica.

www.elifarma.com.br Av. Getúlio Vargas, 6099 - Centro, Boa Vista - RR @elifarmarr

(95) 99112-3553

CRM-RR

13

CAPA

Trabalho não pode ser


Única Unidade de Saúde da Comunidade do Barata está sucateada Fotos: Marta Gardênia

O Departamento de Fiscalização do Conselho Regional de Medicina de Roraima (CRM – RR) esteve no dia 18 de junho, na Comunidade Indígena Barata, localizada a 72 km de Boa Vista, na terra indígena Barata/ Livramento, Região do Taiano, no município de Alto Alegre do Estado de Roraima. A população de quase 675 indígenas, dados repassados pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Leste de Roraima, conta com dois locais para atendimento médico, que são: a Unidade Mista Bom Samaritano e o Clube de Mães da Comunidade do Barata (local provisório, cedido pela comunidade), que está sob respon-

ESTADO A FORA

sabilidade do DSEI-Leste e conta com um profissional do Programa Mais Médicos.

O mobiliário da Unidade Mista Bom Samaritano está sucateada

Na Unidade Mista Bom Samaritano,

locais para pronto-atendimento médico,

responsabilidade do Governo Estadual, o

observação clínica e até quartos de enfer-

atendimento médico acontece duas vezes

marias para internação de patologias de

por semana. Segundo o diretor da unidade,

baixa complexidade. No entanto, inexistem

para o local são disponibilizados dois mé-

recursos humanos disponíveis (médicos e

dicos, no entanto, no dia da vistoria apenas

equipe de enfermagem), todo o mobiliário

um médico estava regularmente prestando

encontra-se velho, sucateado e sem a mí-

atendimento à população.

nima condição de uso, além do mais grave a falta de praticamente todos os medica-

De acordo com a coordenadora do

mentos e insumos médico-hospitalares

Departamento de Fiscalização, Blenda

obrigatórios para o funcionamento do

Garcia, foi lamentável constatar o estado

local”, relatou Blenda.

de precariedade que se encontra a Unidade Mista Bom Samaritano, única unidade de saúde da Comunidade Indígena Barata.

Como ocorre com todos os locais vistoriados pelo CRM – RR, o relatório de fiscalização foi devidamente encaminhado

“Durante a nossa vistoria verificamos

para gestores (estadual e coordenação do

que existe um bom espaço físico, com

DSEI-leste) e demais órgãos fiscalizadores.

Os atendimentos do DSEI-Leste acontecem no Clube de Mães cedido pelos moradores da Comunidade

SESAU

14

Segundo nota-reposta enviada pela Assessoria de Comunicação

mente esclarecemos que o prédio pertence ou pertencia à Diocese

da Secretaria Estadual de Saúde, a Unidade Mista Bom Samari-

e que no início da gestão anterior manifestou - se a vontade de

tano foi abastecida no dia 11 de julho com medicamentos. Quanto

reformar o referido estabelecimento, porém conforme orientação

à estrutura do prédio foi informado que a área pertence à União,

de gestores da época não seria possível realizar tal manutenção

ou seja, é um patrimônio Federal. “Porém após busca ativa na

predial devido o mesmo ser patrimônio histórico e a única forma

Unidade Hospitalar, não localizamos qualquer documentação que

de melhorar sua estrutura seria através de restauração, o que seria

sinalize a doação do prédio para o patrimônio Estadual. Oportuna-

oneroso aos cofres públicos”.

CRM-RR


Fiscalização FISCALIZAÇÃO/EDUCAÇÃO MÉDICA

Atendendo uma solicitação do Conselho

Indígena Barata).

Federal de Medicina, o Departamento de Fiscalização do Conselho Regional de Medicina

Além dos locais públicos, o Departamento

de Roraima (CRM – RR) realizou nos meses

de Fiscalização realizou 05 vistorias para Reno-

de maio e junho, inspeção em 20 Unidades

vação de Certificado de Regularidade Pessoa

Básicas de Saúde.

Jurídica, 02 vistorias para Primeira Inscrição Pessoa Jurídica, 02 denúncias, uma no corpo

Das 20 Unidades Básicas de Saúde

de bombeiros e outra referente ao atendimento

fiscalizadas, 11 foram em Boa Vista, 04 no

médico oftalmológico em local inadequado e

município do Cantá, 01 em Iracema e Muca-

“venda casada” entre médico e ótica vendedora

jaí, e três em Alto Alegre (na Comunidade

de lentes corretivas.

Educação Médica Continuada Eventos da Educação Médica Continuada realizados até o final de junho:

I Simpósio Materno de Cuidados Infantis (21 e 22 de fevereiro) Curso de Reanimação do Recém Nascido (19 e 20 de fevereiro) Curso de capacitação de para determinação de morte encefálica. (21 e 22 de março) Fórum Roraimense de Integração do Jovem Médico (24 e 25 de maio) Serão Cientifico (05 de junho). Curso de Radiologia e Imagem (contínuo) II Curso de Eletrocardiograma (27,28 e 29 de junho)

CRM-RR

15


ESTATÍSTICA DA CORREGEDORIA REFERENTE DE 01 MARÇO A 30 DE JUNHO DE 2019 COMPOSIÇÃO DA CORREGEDORIA

Dr. Marcelo Henrique de Sá Arruda - 1º Corregedor Dr. Bruno Miana Caiafa - 2º Corregedor

PROCESSOS ÉTICO-PROFISSIONAIS INSTAURADOS

03

JULGADOS

04

RECURSO AO CFM

00

EM TRAMITAÇÃO

23

CORREGEDORIA/REGISTRO

SINDICÂNCIAS INSTAURADAS

161

JULGADAS

22

RECURSO AO CFM

01

EM TRAMITAÇÃO

185

PARECER CONSULTA INSTAURADOS

-

APRECIADOS P/ PLENO

-

EM TRAMITAÇÃO

00

CONSULTAS INSTAURADOS

-

APRECIADOS P/ PLENO

-

EM TRAMITAÇÃO

00

RELATÓRIO DO SETOR DE REGISTRO MÉDICO E PESSOA JURÍDICA REFERENTE DE 12 DE MARÇO A 30 DE JUNHO DE 2019

PESSOA FÍSICA Inscrição Principal (primeira inscrição)

5

Iscrição por Transferência (médicos de outros estados )

4

Inscrição Secundária (médicos com mais de uma inscrição)

5

Reinscrição (médicos que retornaram ao CRM-RR)

7

Inscrição Provisório (inscrição por até noventa dias no CRM-RR)

6

Total de inscrições no período de 12/03/2019 a 30/06/2019

27

Médicos que solicitaram transferência para outros estados

13

Médicos ativos até o dia 30/06/2019

914

PESSOA JURÍDICA

16

CRM-RR

Inscrição por Registro ( é a inscrição de direito privado que é cobrada as anuidades)

8

Inscrição por Cadastro ( é a inscrição de utilidade pública que é isenta de anuidades)

0

Cancelamento de Inscrição por Registro (a pedido da clínica/consultório etc...)

0


Da emergência/urgência para telas e pincéis PAISAGENS E NATUREZA O quadro pintado “As Hortênsias” fica logo na entrada na casa, onde há inúmeros outros decorando o ambiente e anunciando que ali mora uma artista. De acordo com Patrícia, ela gosta de pintar paisagens, flores e tudo o que remete a um sentimento bucólico. natureza. Quando eu saio para estes lugares, tiro foto das paisagens que eu acho bonitas, minha inspiração é a natureza e o que eu vivi na infância”. Fora o quadro “As Hortênsias”, outra obra preferida de Patrícia é a “A Fazenda Ourinho de Deus”, um de seus primeiros quadros, pintado com muito carinho e dedicação para presentar os pais. “Eu pintei a fazenda que cresci e que existe até hoje. Foi um presente que dei a meus pais e está em Goiás – GO. Meus tios amaram tanto o quadro que me pedem para fazer das suas fazendas”.

Formada em 2005 e com residência em Clínica Médica e Medicina de Urgência, Patrícia sempre trabalhou no setor de emergência/urgência e na UTI do Hospital Geral de Roraima (HGR). Hoje, coodernadora da Coordenadoria Geral de Atenção Especializada da SESAU. Para relaxar da exaustiva rotina, que envolve uma longa carga horária de trabalho, ela lembrou-se da pintura e dos desenhos em papéis - paixão do tempo de criança - e comprou por um site da Internet algumas revistas que ensinavam a técnica de pintura óleo sobre tela. Depois de algumas lidas, ela resolveu praticar e desde então se passaram 10 anos e mais de 30 telas pintadas. “Quando criança eu pintava muito em papéis, e algumas pedras do jardim onde morava. Em 2009 comprei umas revistas que ensinavam a técnica óleo sobre tela e comecei a pintar. Este momento que pratico aos finais de semana me traz paz, faz com que eu relaxe e desconecte de tudo”, contou Patrícia. Dos mais de 30 quadros pintados alguns fazem parte da decoração da casa, outros foram presenteados a amigos e familiares, e alguns vendidos.

O quadro “As Hortências” é a primeira tela pintada pela médica

Fotos: Marta Gardênia

Em casa, no conforto do lar, Patrícia pinta seus quadros

As obras são usadas para decorar a casa “Sempre tem algum colega me pedindo ou um familiar. Não gosto de vender, gosto de presentear. Ainda me sinto insegura, mesmo com muitas pessoas elogiando o meu trabalho”, contou Patrícia. Todo artista tem uma inspiração e os da Patrícia são o francês Claude Monet, considerado um dos mais importantes pintores da Escola Impressionista e o mineiro José do Rosário, que tem como principal fonte de inspiração, a paisagem e a gente mineira. A técnica de pintura óleo sobre tela utiliza tintas a óleo, aplicadas com pincéis, espátulas e outros meios, sobre telas de tecido, superfície de madeira ou outros materiais. CRM-RR

17

ALÉM DA MEDICINA

“Eu faço trilha e sempre estou na

Nascida em Goiânia – GO e criada no interior de Goiás, na fazenda dos pais, a médica Patrícia Renovato desde criança sonhava em ser médica e amava pintar em papéis. No ano de 2000, ela veio de férias a Roraima para visitar o namorado, aproveitou a oportunidade para fazer o vestibular para Medicina da Universidade Federal de Roraima (UFRR). Passou na prova e por aqui constituiu família, carreira e a atividade de pintar na infância tornou-se um hobby. É casada com o economista Márcio Freitas, com o qual tiveram três filhos: Juan, Guilherme e Maria Eduarda.


CONSTRUINDO UMA COOPEBRAS PARA TODOS Há 19 anos no mercado roraimense, a COOPEBRAS, Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde, vem investindo na prestação de serviços e dispondo de empenho para percorrer caminhos repletos de desafios, lutas, persistência, almejando sempre profundo sucesso e atender a demanda de nossos clientes.

PUBLICIDADE

Buscando demonstrar respeito àqueles que fazem parte de nossa história, dispomos de uma gestão responsável pela diretoria que prioriza o desenvolvimento da cooperativa, formulando estratégias adequadas que assegurem a integridade e valores éticos a nossa lista de associados. Assim, temos um grupo capacitado que trabalha conosco há vários anos, especialistas

renomados e de confiança dos cooperados, demonstrando competência e dinamismo. Reforçamos que esse ofício foi confiado a eles com muita tranquilidade, pois sabemos da importância de au toridade e dedicação requerida à função, além da exigência em ações que tangem os princípios de nossos valores. A COOPEBRAS tem a satisfação de convidar médicos idôneos que gostariam de compor nosso quadro de profissionais para participar da solicitação de nossos clientes. Criada em 07/11/2000 por um grupo de idealizadores que visavam uma sociedade voltada para a prestação de serviços gerais na área da saúde no Estado de Roraima, desde sua fundação a nossa cooperativa escolhe criteriosamen te os técnicos através de suas

DO UIRAMUTÃ

À SANTA MARIA DO BOIAÇU O ELO DE LIGAÇAO ENTRE A DEMANDA E A SOLUÇÃO

Rua Barão do Rio Branco, 71 - Centro Boa Vista - RR 95 3624-4242 www.coopebras.com.br

18

CRM-RR

especializações e expertises para solucionar as demandas da população. Visando beneficiar nossos associados e seus dependentes, dispomos do “CARTÃO VANTAGEM” que tem como objetivo oferecer descontos em estabelecides mentos nas diversas modalidades como: lojas, clínicas, faculdade, lazer, educação, salão de beleza e muitos outros serviços. Somos o elo entre demanda e a solução.


CFM é contra o Revalida simplificado ARCUR – SUL

“Não pode haver simplificação do

simplificada de diplomas dos países signa-

Revalida. Qualquer que seja a origem do

tários do acordo ARCUR-SUL. Na ocasião, a

Durante a audiência pública, o pre-

médico, seja do Canadá ou da Bolívia, ele

conselheira afirmou que o CFM é contrário

sidente substituto do Instituto Nacional

deve se submeter à mesma prova. Até por-

ao ARCUR-SUL, mas é a favor de uma

de Estudos e Pesquisas Educacionais

que se um médico brasileiro for trabalhar

maior regularidade do Revalida, com duas

Anísio Teixeira (Inep), Camilo Mussi, e o

em outro país terá de se submeter a um

edições anuais, e que o candidato aprovado

subchefe da Divisão de Temas Educa-

exame”, argumentou a conselheira federal

na primeira fase do teste, mas reprovado

cionais e Língua Portuguesa do Minis-

Rosylane Rocha, em audiência pública re-

na segunda, possa fazer apenas a segunda

tério das Relações Exteriores, Francisco

alizada no dia 26 de junho, na Comissão de

prova numa edição futura do Revalida.

Figueredo de Souza, explicaram como

Relações Exteriores e Defesa Profissional

está o acordo Arcur-Sul, que pretende

da Câmara dos Deputados. Na ocasião, a

O CFM também defende o Revalida nos

simplificar a revalidação de diplomas

conselheira também argumentou que o

mesmos moldes aplicados hoje pelo Inep,

entre os países do Mersosul. O acordo,

Brasil vai conseguir fixar o médico no in-

com uma prova escrita e outra prática, e que

no entanto, ainda precisa da ratificação

terior do país quando criar uma carreira de

a autarquia está disposta a assumir a aplicação

do Congresso Nacional. Dois represen-

Estado e oferecer condições de trabalho.

da prova, com a supervisão do Inep. “Temos

tantes dos médicos formados no exte-

experiência com o Sistema de Acreditação das

rior também falaram na audiência: Sílvia

Rosylane Rocha representou o Conse-

Escolas Médicas (Saeme), que inclusive já re-

Soares e Gustavo Ramiro.

lho Federal de Medicina (CFM) em audiên-

cebeu certificação internacional, e poderemos

cia promovida para debater a revalidação

contribuir com o país”, argumentou.

Fonte: CFM

NACIONAL

Uso de cadeirinhas em veículos reduziu em 33% o número de crianças vítimas do trânsito Dados epidemiológicos con-

automóveis caiu um terço nos últimos

Trânsito (Contran). Trata-se de uma

firmam o efeito positivo do uso de

oito anos. No mesmo período, tam-

regra fundamental para aumentar a

cadeirinhas e outros dispositivos es-

bém houve queda de quase 20% na

segurança nas vias e rodovias e, sobre-

pecíficos para o transporte de crian-

quantidade de vítimas fatais, nesta

tudo, para proteger a vida e a saúde

ças. Após o advento dessa exigência,

faixa etária.

das crianças com menos de dez anos

em 2008, menos crianças têm sido

de idade”, ressaltou a presidente da

levadas à internação ou morrido por

Os números foram analisados

conta de acidentes de trânsito. Essas

pelo Conselho Federal de Medicina

constatações reforçam a posição dos

(CFM), em parceria com a Associa-

críticos ao Projeto de Lei 3267/2019,

ção Brasileira de Medicina de Tráfego

O tema mereceu o repúdio da

enviado pela Presidência da República

(Abramet) e a Sociedade Brasileira de

SBP que, logo após o anúncio do PL,

ao Congresso Nacional, e que prevê,

Pediatria (SBP). As entidades encami-

divulgou nota – juntamente com a

em um de seus artigos, o fim das pena-

nharão os resultados para análise da

Abramet e outras entidades – exter-

lidades aos condutores que deixarem

Comissão Especial criada no âmbito

nando sua preocupação com o fim

de observar essas regras.

da Câmara dos Deputados para ana-

das punições aos condutores que não

lisar a proposta.

transportem menores em cadeirinhas

Pelos números oficiais, desde que a cadeirinha passou a ser obrigatória,

SBP, Luciana Rodrigues Silva, uma das críticas à proposta.

de segurança. O assunto também deve EFEITOS POSITIVOS

ser discutido pela Câmara Técnica de

com previsão de multa e inclusão de

“As informações falam por si só.

Medicina do Tráfego, do CFM, que

pontos na carteira dos infratores, o

Os dados oficiais, que saíram das ba-

recentemente elaborou uma cartilha

número de crianças com até nove

ses do Ministério da Saúde, permitem

focada nesse tema.

anos internadas em estado grave

verificar os efeitos positivos da Reso-

após se envolverem em acidentes de

lução nº 277, do Conselho Nacional de

Fonte: CFM

CRM-RR

19


Membro da Câmara Técnica de

Foto: Hélio Holanda

Dr. Arthur Danila

mente em quantidade de horas, mas na intensidade emocional da relação médico-paciente. Em um cotidiano sobrecarregado física e emocionalmente,

Psiquiatria do Conselho Federal

não é raro encontrar médicos cujo

de Medicina

estilo de vida não valorize o cuidado com a própria saúde.

O psiquiatra Arthur Hirschfeld

O equilíbrio entre vida profissional e pessoal seria a chave do sucesso para uma vida mais leve?

Danila esteve no dia 25 de maio, no I Fórum Roraimense do Médico Jovem, organizado pelo Conselho Regional de Medicina de Roraima (CRM – RR). Ele tem viajado pelo Brasil palestrando

Eu diria que o equilíbrio é a solução para

sobre Saúde Mental do Médico.

boa parte dos problemas na vida. No caso da medicina, equilibrar a vida pro-

Além de atender em consultório

fissional e pessoal é fundamental para

particular, Arhur é psiquiatra do

que ambas as vidas possam ser vividas

Programa de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP, Coordenador do Serviço de Acolhimento Integrado do Núcleo de Apoio

ENTREVISTA

ao Estudante da Faculdade de Medicina da USP e Membro da Câmara Técnica de Psiquiatria do Conselho Federal de Medicina.

A sobrecarga de trabalho, segundo Arthur Danila, atinge a saúde mental do médico da população geral, no Brasil e no mundo. No entanto, por estarem em contato intenso e frequente com pacientes em condições drásticas de saúde, e muitas vezes em equipamentos de saúde pública em más condições de infraestrutura e suporte, esses

“Saúde mental pode ser um luxo na vida contemporânea”

profissionais acabam apresentando estatísticas aumentadas de adoecimento psíquico quando comparados à população geral.

de forma satisfatória. Alguns estudos já demonstram que casamentos entre médicos estão mais suscetíveis a separações. Uma das razões encontradas é a falta de diálogo, associada à intensa carga-horária destinada atividades profissionais em detrimento de mais momentos para construção do relacionamento. Certamente, famílias saudáveis constroem e sustentam profissionais saudáveis em sua atividade profissional médica, e vice-versa.

Embora seja mais comum entre estudantes

O uso de “tarjas pretas” sem um acompanhamento profissional pode piorar alguns problemas de saúde mental?

Eu diria que ter saúde mental pode ser um

de medicina e residentes, a depressão afeta

Um dos grandes gargalos da busca por

luxo na vida contemporânea. A vantagem

12% dos médicos e até 19,5% das médicas,

ajuda médica entre estudantes de medi-

desse luxo é que ela é extremamente

prevalências similares à da população geral.

cina, residentes e profissionais médicos,

acessível, desde que o indivíduo faça sua

Porém, estima-se que cerca de 400 médicos

é a possibilidade de conseguir medica-

parte na busca ativa da construção des-

cometem o suicídio por ano nos Estados

ções de uso controlado por colegas, sem

sa saúde mental, por meio da prática de

Unidos, o que equivale a dizer que, naquele

a devida e formal prescrição médica por

esportes, de uma dieta saudável, de um

país, um médico se suicida por dia. Tais taxas

um médico assistente do caso. Essas

sono com duração e qualidade adequa-

de suicídio são mais de duas vezes as da

medicações podem ser usadas tanto

dos, com práticas de manejo de estresse

população geral - 28-40/100 mil médicos vs

para induzir o sono, em casos de insônia,

e promoção de resiliência e mantendo

12.3/ 100 mil indivíduos no geral).

ou para mascarar a sonolência diurna e

Ter saúde mental pode ser considerada uma riqueza na atualidade?

relacionamentos interpessoais saudáveis.

Quais são os principais transtornos e síndromes que os médicos apresentam?

permitir o trabalho em sobre jornada.

humana, os médicos estão sujeitos ao

Há pesquisas que revelam quais os principais motivos dos profissionais da saúde estarem adoecendo psiquicamente?

adoecimento psíquico, tendo-se como

De maneira geral, a carga horária de

sem o correto endereçamento e cuidado

pressupostos os dados epidemiológicos

trabalho dos médicos é intensa, não so-

dessas condições.

Os médicos estão sujeitos ao adoecimento psíquico? Como qualquer extrato da população

20 CRM-RR

Em qualquer uma dessas condições, o indivíduo em uso de medicações psicotrópicas e de uso controlado sem acompanhamento profissional pode perpetuar as condições de prejuízo a qualidade de vida e a saúde mental,

Jornal CRMRR - 52ª edição  

Informativo do Conselho Regional de Medicina do Estado de Roraima | Maio a Junho de 2019 - 52ª edição

Jornal CRMRR - 52ª edição  

Informativo do Conselho Regional de Medicina do Estado de Roraima | Maio a Junho de 2019 - 52ª edição

Profile for crm-rr
Advertisement