Issuu on Google+

DISLEXIA


ETIMOLOGIA DA PALAVRA

Dislexia: (do grego) dus = difĂ­cil, dificuldade; lexis = palavra.


DEFINIÇÃO

Actualmente,

a

definição

mais

consensual é a da Associação Internacional de Dislexia (2002) e do Nacional Institute of Child and Human Development – NICHD:


“Dislexia é uma dificuldade específica de aprendizagem

de

origem

neurológica.

É

caracterizada por dificuldades em ler com acuidade, soletrar e escrever correctamente. Estas dificuldades são resultado de uma precariedade a nível fonológico e são, muitas vezes, inesperadas em relação a outras habilidades cognitivas. Existem consequências secundárias que podem incluir problemas de compreensão na leitura que, por sua vez, vão causar um impedimento do enriquecimento do vocabulário. Estudos demonstram que as pessoas com dislexia processam a informação numa diferente área do cérebro das pessoas que não apresentam quaisquer sinais deste fenómeno.”


SINAIS DE ALERTA Durante a Infância:

 Atraso na aquisição da linguagem. Começou a dizer as primeiras palavras mais tarde do que é habitual e a construir frases mais tardiamente.

 Apresentou problemas de linguagem durante o seu desenvolvimento, dificuldades em pronunciar determinados sons, linguagem “abebezada” para além do tempo normal.

 Apresentou dificuldades em memorizar e acompanhar canções infantis e a rima das lenga-lengas.


Dificuldade em se aperceber que os sons das palavras podem dividir-se em bocados mais pequenos.

Dispersão.

Fraco desenvolvimento da atenção.

Dificuldades em aprender rimas e canções.

Fraco desenvolvimento de coordenação motora.

Dificuldade com quebra cabeças.

Atraso no desenvolvimento motor desde a fase do gatinhar, sentar e andar.

Parece difícil, para a criança, entender o que está a ouvir.

Distúrbios de sono.


Enurese nocturna.

Susceptibilidade a alergias e a infecções.

Tendência a hiper ou a hipo – actividade motora.

Chora muito ou parece inquieta ou agitada com muita frequência.

Dificuldade em aprender a andar de triciclo.

Dificuldades de adaptação nos primeiros anos escolares.


SINAIS DE ALERTA Na Idade Escolar:

 Lentidão na aprendizagem dos mecanismos da leitura e escrita.

 Erros por dificuldades na descodificação grafema - fonema. Dificuldade em compreender que as palavras se podem segmentar em sílabas e fonemas.

 Bastantes dificuldades na leitura, com a presença constante de erros, inventando palavras ao ler um texto.


A velocidade da leitura é inadequada para a idade. Dificuldades na leitura de pseudo palavras.

Apresenta dificuldades na rima de palavras.

Escrita com muitos erros ortográficos e a qualidade da caligrafia é bastante deficiente.

Salta linhas durante a leitura, na leitura silenciosa consegue-se ouvir o que está a ler, acompanha a linha de leitura com o dedo.

Demora demasiado tempo na realização dos trabalhos de casa (uma hora de trabalho rende 10 minutos), ou, ao contrário, pode fazer os trabalhos muito rapidamente mas com muitos erros.

Utiliza estratégias e truques para não ler. Não revela qualquer prazer pela leitura.

Distrai-se com bastante facilidade perante qualquer estímulo, parecendo que está “a sonhar acordado”.


Os resultados escolares não são condizentes com a sua capacidade intelectual.

Melhores resultados nas avaliações orais do que nas escritas.

Não gosta de ir à escola ou de ou de realizar qualquer actividade com ela relacionada.

Confunde a direita com a esquerda.

Apresenta “picos de aprendizagem”, nuns dias parece assimilar e compreender conteúdos curriculares e noutros parece ter esquecido o que tinha aprendido anteriormente.

Apesar das dificuldades na escola revela ser bastante imaginativo e criativo, com um bom raciocínio lógico e abstracto, podendo evidenciar capacidades acima da média em determinadas áreas (desenho, pintura, musica, teatro, desponto, etc.)


Desatenção ou dispersão.

Dificuldades em copiar de livros.

Dificuldade na coordenação motora fina e/ou grossa.

Desorganização geral, atrasos de entrega de trabalhos escolares e perda de material escolar.

Dificuldade em manusear mapas, dicionários, lista telefónicas etc.

Vocabulário pobre.

Dificuldade em decorar sequências, como meses do ano, alfabeto, tabuada, etc.

Troca de letras na escrita.


Dificuldades na aprendizagem de uma segunda língua.

Problemas de conduta como: depressão, timidez excessiva ou o “palhaço da turma”.

Fica, facilmente, frustrado com a escola, com a leitura, com a matemática, com a escrita.

É muito sensível e emocional, procura sempre a perfeição que lhe é difícil atingir.

Cerca de 80% dos disléxicos têm dificuldades na soletração e na leitura.


Diagnóstico da Dislexia É

importante

referir

as

principais

manifestações da dislexia ao nível da competência leitora e da escrita. No entanto, não podemos deixar de referir, que estas manifestações não precisam de estarem todas elas presentes para que seja diagnosticada a dislexia, uma vez que estes

indicadores

servem,

somente,

despertar a atenção para um possível caso.

para


Temos, então, como principais indicadores da dislexia ao nível das competências de leitura e escrita:  Um atraso na aquisição das competências da leitura e escrita;

 Dificuldades acentuadas no processamento fonológico e na consciência do mesmo;

 Uma leitura efectuada de forma silábica, recheada de hesitações, logo sem ritmo;

 Velocidade de leitura reduzida quando em comparação com outros indivíduos com idade e nível escolar semelhante;

 Verifica-se que a pessoa em causa omite ou adiciona letras e sílabas (ex. casaco - casa; batata - bata;…);


Uma confusão acentuada ao nível de letras com diferenças reduzidas em termos de grafia ou de som, ou mesmos de letras e com grafia semelhante, mas com diferente orientação no espaço (ex. a - o; f - t, f – v,b - d; d - q, a - e);

Uma inversão parcial ou total de sílabas (ex. ai - ia; fla - fal; ra - ar;…);

Uma substituição de palavras por outras de estrutura similar, mas com significado díspar (ex. salvou - saltou;…);

Uma substituição de palavras inteiras por outras semanticamente vizinhas;

Problemas na compreensão semântica e na análise compreensiva dos textos lidos;

Dificuldades em exprimir ideias e pensamentos seus em palavras;

Dificuldades na memória auditiva imediata;


Uma escrita ilegível devido a letra rasurada, disforme ou mesmo irregular. A isto acresce-se muitas vezes a presença de muitos erros ortográficos e défice de estruturação e sequenciação de ideias;

Escrita em espelho;

Problemas ao nível da lateralidade (pode ser difusa, cruzada, confusão da esquerda com a direita e vice-versa);

Problemas na motricidade fina e do esquema corporal;

Problemas na orientação espacio - temporal.


CARACTERÍSTICAS DO ALUNO DISLÉXICO

 Divergente organização do cérebro;

 Distúrbios de lateralidade;

 Nível de QI normal ou elevado;

 Grau de desenvolvimento fraco ao nível das áreas instrumentais;

 Elevada criatividade.


“Com um ensino adaptado à sua particular forma de aprender, os jovens com dislexia poderão ter um desempenho semelhante

ao

praticamente

dos todas

seus

pares

em

as

áreas

de

aprendizagem, inclusive na escrita e na ortografia,

áreas

em

que

tecnologias dão uma ajuda”.

as

novas


Dislexia