Page 1

EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS DE CLASSIFICAÇÃO PERÍODO

CLASSIFICAÇÕES Utilizam critérios relacionados com o interesse que os seres vivos têm para o Homem.

São as mais primitivas tendo perdurado até aos nossos dias.

Artificiais (pré-lineano)

Baseadas num número restrito de caracteres, escolhidos arbitrariamente.

Formam grupos de seres vivos, geralmente muito heterogéneos.

Naturais (pós-lineano)

Baseadas no maior número possível de caracteres, agrupando assim organismos com maior grau de semelhança.

Transmitem maior quantidade de informação que as classificações artificiais.

Filogenéticas ou Evolutivas

Baseadas nas relações filogenéticas entre os organismos, procurando agrupá-los de acordo com o grau de parentesco entre eles. Tentam reproduzir a história evolutiva dos organismos (filogenia).

Práticas

Fixista ou Prédarwiniano Horizontais Racionais

Pósdarwiniano

Verticais


Classificação Horizontal

Árvore Filogenética

Classificação Vertical


SISTEMA HIERÁRQUICO DE CLASSIFICAÇÃO Systema Naturae – Lineu é considerado o pai da Taxonomia

Ramo da Biologia que se ocupa da organização dos seres vivos em grupos, segundo

• Propõe um sistema hierárquico de classificação dos seres

determinados

critérios

• Ordena os seres vivos numa série ascendente de grupos com complexidade crescente • Considerou a espécie como a unidade básica de classificação • As espécies semelhantes agrupam-se em géneros, os géneros agrupam-se em famílias, as famílias agrupam-se em ordens, …

Espécie 1

Género A

Espécie 2 Espécie 3

Família X

Género B

Cada categoria taxonómica é designada de taxon (plural taxa) taxa


Actualmente as categorias taxonómicas são: Reino, Filo, Classe, Ordem, Família, Género, Espécie Lagarto Lobo

Mosca

Cobra

Raposa

classe

Cão género

filo

género

Cegonha

família

Pato Gato

classe

Tigre género

ordem

classe

ordem

Enguia

Castor Rato

Planária Ténia

Esquilo

Cachalote Orca

filo

Sapo família

Golfinho

Lula Polvo

Puma género

Aranha

filo

Sardinha ordem

classe

classe filo

reino


CATEGORIAS TAXONÓMICAS

REINO FILO CLASSE ORDEM FAMÍLIA GÉNERO ESPÉCIE

Podem existir categorias taxonómicas intermédias: superclasse, subordem, subespécie,…


Espécie – conjunto de indivíduos, morfologicamente semelhantes, que podem cruzar-se entre si, originando descendentes férteis. Agrupamento natural


NOMENCLATURA – Regras básicas A designação dos taxa é feita em língua latina. Os nomes genéricos, específicos e subespecíficos devem ser em tipos de letra diferente da do texto, nomeadamente em itálico; quando manuscritos devem ser sublinhados.

Nomenclatura de espécie Sistema de nomenclatura binominal para designar as espécies: - nome do género – substantivo escrito com inicial maiúscula. - epíteto ou restritivo específico – geralmente um adjectivo, escrito com inicial minúscula. Ex: Canis familiaris À frente da designação específica deve escrever-se, em letra de texto, o nome, ou a abreviatura do nome, do taxonomista que, pela primeira vez, atribuiu aquele nome científico à espécie. Ex: Canis familiaris Linnaei Canis familiaris Linn. Canis familiaris L. Pode citar-se a data de publicação do nome da espécie, sendo essa data colocada a seguir ao nome do autor, separada por uma vírgula. Ex: Canis familiaris Linn, 1753


NOMENCLATURA – Regras básicas Nomenclatura dos grupos superiores à espécie A designação é uninominal – um único termo escrito com inicial maiúscula. Ex: Reino Animalia Ordem Carnívora O nome da família obtém-se, geralmente, acrescentando uma terminação à raiz do nome do género: - nos animais a terminação é -idae - nas plantas a terminação é -aceae Ex: género Felis ------------ família Felidae género Rosa ------------ família Rosaceae

Nomenclatura da subespécie Utiliza-se uma nomenclatura trinominal - nome da espécie – seguindo todas as regras já referidas. - epíteto ou restritivo subespecífico – terceiro termo, com inicial minúscula. Ex: Rana esculenta marmorata Corvus corone corone

sistematica  

classificaçao e sistematica

Advertisement