Page 1

L etra s & Treta s | 1

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria

Letras

Ano letivo 2014 / 2015 Edição Nº 15

Tr e t a s Baile de Finalistas uma festa com muito power

Ainda o Natal Projetos Atividades Comemorações Entrevista Prosa Notícias Curiosidades Finalistas

Cantar dos Reis

Desporto Escolar Europa S. Valentim Carnaval Bibliotecas Visitas de Estudo

As crianças da Sala 1, do Jardim de Infância Raul Lopes, reviveram a tradição.

Erasmus +

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


2

|

EdiçãoNº15

JI/EB1 Raul Lopes

Festejar o Natal No dia 16 de dezembro, os alunos do JI/EB1 Raul Lopes viveram o espírito natalício assistindo a um espectáculo de teatro-circo “O Circo do Mágico Ozamiz”, proporcionado pela União de Juntas de Freguesias de Tomar, que a todos encantou. Como Natal é tempo de festa e confraternização, também houve festa na escola. No Jardim de Infância, nas instalações do ATL, pais e encarregados de educação presentearam os mais pequenos com a sua presença e puderam assistir a um encantador conto de Natal e ouvir bonitas canções. Na EB1, por seu turno, no pavilhão D. Nuno Álvares Pereira, os alunos maravilharam os pais e encarregados de educação com algumas canções, demonstração de judo e algumas coreografias alusivas a profissões dos que contribuem, com o seu trabalho, para que todos possam ter um bom Natal. No final das festas, o Pai Natal não se esqueceu das crianças, aparecendo carregado de sacos, mimandoas com uma surpresa que a todos agradou. Para que esta grande festa do Natal pudesse acontecer, Direção do Agrupamento, professores, alunos, assistentes operacionais, associações de pais e ATL contribuíram com a sua grande dedicação e empenho.

Escola Secundária /3 Santa Maria do Olival

Portas Decoradas As salas 1, 2 e 3 do Jardim de Infância Raul Lopes decoraram as suas portas.


L etra s & Treta s | 3

Festa de Natal

EB1/JI de Vale do Calvo No passado dia 16 de dezembro, festejámos o Natal na nossa escola com uma festa que envolveu toda a comunidade educativa. Para os nossos familiares, amigos, professores, educadora e auxiliares, cantámos lindas canções, declamámos poesias, apresentámos os nossos desejos para o novo ano e dramatizámos uma linda história de Natal. Depois da atuação chegou o Pai Natal de verdade, que conversou connosco acerca do nosso comportamento e aproveitamento e distribuiu aos meninos, livros de histórias de encantar. Foi, sem dúvida, um momento muito divertido!! No final, houve um lanche partilhado, que contou com a colaboração de todos. Espalhámos não só alegria, como também carinho e afeto a todos aqueles que estiveram presentes, tendo sido um momento mágico que ficará no coração de todos nós. Um muito obrigado e um 2015 cheio de muita saúde, paz e amor! Alunos do 3º e 4º anos

Escola D. Nuno Álvares Pereira

CANTATA DE NATAL

Na semana dedicada à apresentação das atividades desenvolvidas ao longo do primeiro período, os alunos do 5º ano, turmas B e C, apresentaram, no Auditório da Escola D. Nuno Álvares Pereira, uma Cantata de Natal. Este projeto, desenvolvido no âmbito da disciplina de Projeto de Turma, em interdisciplinaridade com as disciplinas de Português e Educação Musical, teve como objetivos: Saber Montar um Espetáculo de Palco e Saber Trabalhar em Equipa. Para tal, os alunos trabalharam poemas, textos e canções, extraídos do Cancioneiro Tradicional. Do trabalho de equipa resultou uma atuação multifacetada em que os alunos declamaram, cantaram, tocaram e representaram. Todos souberam desempenhar o seu papel de forma a funcionarem em conjunto e daí resultar a atividade final, O Espetáculo de Palco - Cantata de Natal. Os Encarregados de Educação também fizeram parte da equipa de trabalho, no incentivo que deram aos seus educandos, na envolvência que tiveram com a escola, participando massivamente na apresentação e ainda na promoção de um lanche – convívio para todos, no fim da atividade. É de realçar a presença de muitos avós, no dia da apresentação. Prof. Angelina Oliveira

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


4

|

EdiçãoNº15

“FACTOR X”

Do palco para a vida…

“Realizar a partir do que sentimos e sentir a partir do que se faz” é a primeira meta que as professoras de Educação Musical pretendem atingir ao desenvolver a atividade. Acrescido ao facto de se poderem divertir e participar, os alunos têm a possibilidade de mostrar o seu talento ao mesmo tempo que desfrutam a música que interpretam e sentem novas emoções. Tal como na pintura, a criação artística também se produz na música, enquanto se realiza ou apresenta,

“ É emocionante porque nos sentimos especiais” Mariana , 6ºA

Escola Secundária /3 Santa Maria do Olival

carregada de emoções. Participar provoca um novo conceito de si e dos outros; há sempre uma resposta do público que nos torna mais sociais e ainda o conhecimento de nós mesmos pela descoberta das nossas próprias capacidades. Eliminar o medo de si e dos outros é um desafio, alarga as nossas fronteiras e repercute-se na vida.

“Quando cantamos, e cantamos com o coração, somos livres e simplesmente nos sentimos felizes” Lígia,6ºA


L etra s & Treta s | 5

“Sentimos cá dentro a alegria, que só nós podemos sentir quando estamos em cima do palco, de estar a cantar para os outros, de partilhar” Rafaela, 6ºA

“A música não é só cantar e tocar; a música é um sentimento que transmitimos ao Mundo” Pedro, 6ºA

O fado, a dança, a música tradicional no acordeão, passando por música mais contemporânea a solo ou em pequeno grupo, aconteceu, na manhã do dia 10 de dezembro, na Escola D. Nuno Álvares Pereira.

Tudo isto se passa no “Factor X” como diz o Lucas, do 6ºA: “Pelo que ouvi dizer, a música do “Factor X” é boa e cada vez que se organiza é sempre melhor”.

É o encontro dos vários anos da escola, também assim há Natal!

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


6

|

EdiçãoNº15

27 de Janeiro- Dia em memória das vítimas do Holocausto A palavra holocausto (originária do grego hólos = tudo e kaustós = queimado) tem origem nos sacrifícios e rituais religiosos da Antiguidade, em que plantas, animais e até seres humanos eram oferecidos às divindades. O termo Holocausto (com inicial maiúscula) refere-se ao extermínio de milhões de judeus pelo regime nazi de Adolf Hitler, durante a 2ª Guerra Mundial (1939-1945). Shoah é um termo originário de um dialeto alemão falado pelos judeus ocidentais e é a palavra que representa, ou substitui, o termo Holocausto. Os judeus preferem usar essa expressão porque é originária do idioma do seu povo e significa calamidade. A Shoah foi um genocídio horrível perpetrado de forma programada por mentes implacáveis que torturaram, maltrataram e mataram milhões de pessoas inocentes. Em 2005 a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) designou o dia 27 de janeiro como o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Essa data é simbólica porque é o aniversário da libertação dos prisioneiros do complexo de Auschwitz-Birkenau, na Polónia, o maior campo de concentração nazi, em 27 de janeiro de 1945. Neste ano de 2015, faz exatamente 70 anos que essa libertação aconteceu.

O maior perigo é o esquecimento: não podemos esquecer ou ignorar o Holocausto!

Escola Secundária /3 Santa Maria do Olival

Dia Escolar da não violência e da Paz Com organização das Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria, o dia 27 de janeiro foi lembrado mediante a divulgação de informação e a projeção de filmes sobre o tema do Holocausto, a que alunos e professores puderam assistir. O Jardim de Infância e a Escola Básica do 1º Ciclo Raul Lopes comemoraram, a 30 de janeiro, o dia escolar da não violência e da Paz, no auditório da Escola D. Nuno Álvares Pereira. Todos juntos e vestidos de branco, envergando na cabeça ou na mão o símbolo da Paz (a pomba), os alunos do Jardim de Infância e da EB1 partilharam textos, poemas, pequenas frases sobre a Paz, a solidariedade, a partilha, o respeito e a amizade. A professora Paula Vaz contou, também, uma pequena história sobre as diferenças e o respeito pelo outro. A grande mensagem ficou: “O Mundo e todos os que o habitam merecem respeito!”


L etra s & Treta s | 7

Visita de estudo ao Instituto Superior Técnico

No dia 2 de fevereiro (2ª feira), os alunos da disciplina de Física do 11ºC, 12ºA, 12ºB e 12ºD deslocaram-se até Lisboa com o objetivo de visitar o Instituto Superior Técnico (IST), no âmbito dos temas de Mecânica Clássica, Eletromagnetismo, Hidrostática e Hidrodinâmica. Esta visita de estudo iniciou-se logo cedo, às 8h30, seguindo-se uma viagem calma e tranquila até à capital. Na parte da manhã, foi dada a liberdade aos alunos para se deslocarem pelo centro comercial Vasco da Gama e pelo Parque das Nações, onde poderiam ter visitado a exposição de Física e Matemática do Pavilhão do Conhecimento se, infelizmente, este não estivesse fechado para obras. Após o almoço e já de barriga cheia, os alunos dirigiram-se ao Instituto Superior Técnico (Alameda). Aqui, puderam participar nas exposições de celebração da “Semana da Física”, onde observaram e contactaram com experiências interativas desta área,

dinamizadas pelos alunos do curso de Engenharia Física Tecnológica. Antes do fim da visita e do regresso a Tomar, os estudantes assistiram e participaram num mini-curso sobre “Lasers Super Intensos” apresentada pelo professor Gonçalo Figueira do departamentodo Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear, que, de forma breve e incisiva, abordou as propriedades, a história, o funcionamento e as utilizações do laser, e ainda falou do seu espaço de trabalho, os laboratórios de lasers intensos. Em suma, foi uma viagem interessante e educativa, onde os alunos puderam contactar com novas experiências e, acima de tudo, com um ambiente novo e desconhecido, o do Instituto Superior Técnico, que poderá vir a ser o seu local de estudo num futuro próximo.

Texto de Luís Morais, 11ºC Fotografias de Paulo Vasconcelos, 11º C

Henrique Mendes, representante dos alunos no Conselho Geral Como é habitual, todos os anos os alunos com mais de 16 anos da Escola Secundaria Santa Maria do Olival elegem o seu representante no Conselho Geral do Agrupamento. Este ano coube-me a mim ser eleito. Aceitei este desafio por considerar que os alunos devem ser bem representados junto dos órgãos da Escola / Agrupamento pois uma escola e todas as suas medidas têm de estar direcionadas e ter como principal fim os alunos. Sendo assim, julgo que o representante dos alunos no Conselho Geral desempenha uma função de extrema importância podendo ajudar de forma significativa a melhorar a vida escolar. Este cargo permite também obter uma visão mais ampla da missão escolar desenvolvida pois, como sabem, a nossa escola está integrada num Agrupamento que tem escolas desde o ensino pré-primário até ao ensino secundário. Desde que este órgão foi criado apenas alunos do 12ºano foram eleitos, daí todos os anos haver nova eleição, apesar de o mandato ser de dois anos. Este ano foi diferente e eu serei o primeiro aluno do 11º ano a desempenhar esta função durante dois anos. De salientar que todo o processo eleitoral decorreu de forma natural culminando na eleição da lista A constituída por mim, como efetivo, e pelo aluno João Gonçalves do 11ºB como suplente. Henrique Mendes, 11ºA Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


8

|

EdiçãoNº15

À conversa com O «Letras e Tretas» esteve à conversa com Agripina Vieira, Diretora do Centro de Formação Templários.

Letras & Tretas - De que forma o AENSM está ligado ao CFPT? Agripina Vieira - Os Centros de Formação são associações de Agrupamentos de Escolas. Este centro foi criado em 2008 e resultou da associação de todos os agrupamentos de escolas públicas de três concelhos: Ferreira do Zêzere, Ourém e Tomar. O AENSM é, pois, um dos seis membros que constituem o Centro de Formação “Os Templários”. Para além disso, por decisão dos diretores dos agrupamentos, foi escolhido para escola sede do centro um dos estabelecimentos do AENSM. L&T - Quer falar-nos um pouco sobre os cursos que o Centro costuma dinamizar? AV - O Centro de Formação, tal como eu entendo as minhas funções, está ao serviço dos agrupamentos de escolas associados, dos seus docentes, funcionários administrativos e operacionais e pais e encarregados de educação dos alunos dessas mesmas escolas. Assim, as ações implementadas refletem as necessidades de formação diagnosti-

Escola Secundária /3 Santa Maria do Olival

cadas pelos vários agrupamentos de escolas, em conjugação com os ‘interesses’ individuais e os coletivos dos docentes. A minha função é antes de mais a de estruturar, organizar e implementar no terreno as formações solicitadas, gerindo relações interativas com instituições educativas associadas dando corpo a uma atividade associativa entre os parceiros. Numa dinâmica de trabalho em rede, o plano de formação do centro procura espelhar essas dimensões: a coletiva (sustentada na análise dos resultados da avaliação externa das escolas e na priorização das áreas de intervenção); a singular (centrada nas necessidades de desenvolvimento profissional dos docentes). Para a implementação do plano tenho vindo a contar com a disponibilidade de alguns docentes das escolas associadas que são simultaneamente formadores. Sem a participação destes formadores internos, que de modo abnegado e empenhado dedicam parte do seu tempo à dinamização de formações para os seus colegas, os docentes teriam certamente muito menos opção de escolha. As temáticas e as modalidades são muito variadas, da panóplia de formações implementadas gostaria de destacar dois eventos pela importância que assumem em termos de formação mas igualmente de promoção de Tomar. Refiro-me ao Seminário Regional de Educação, que organizo em parceria com a Câmara Municipal de Tomar, e que ocorre sempre na primeira semana de interrupção da atividade letiva da Páscoa. É a ocasião para ouvir especialistas nacionais em questões relacionadas com as Ciências da Educação. O segundo evento é o Bibliotecando em Tomar, uma organização conjunta com o Agrupamento Templários, a Câmara Municipal de Tomar, o Instituto Politécnico de Tomar e a Rede de Bibliotecas Escolares. Para além de formação, é um grande momento de promoção da cultura que tem contado com a presença de artistas, estudiosos e especialistas das várias áreas do conhecimento. Julgo que estes dois eventos formativos/culturais marcam o calendário da comunidade, não só tomarense mas igualmente nacional, já que temos o prazer de


L etra s & Treta s | 9

receber docentes dos mais diversos cantos do país.

L&T - “Um aluno, um professor, um livro e uma caneta podem mudar o mundo”, foi uma fase dita pela Malala. Concorda? L&T - Como é ser professor em 2015? AV - As frases definitivas, como a que cita, têm AV - A escola enquanto organização tem sido palsempre um lado redutor que não compartilho, já co de profundas e constantes mudanças que vêm que poderíamos acrescentar outros elementos redimensionar ou mesmo alterar os papéis atribuigualmente importantes à listagem que a enumeídos à escola e aos seus docentes e que excedem ração deixa de fora. No entanto, e atendendo à largamente a tradicional e mera transmissão e autoria da frase, parece-me legítimo nela poder aquisição de conhecimentos. Estas alterações ler a apologia da educação e do conhecimento nas decorrem da aplicação de suas múltiplas di“… a educação é a única forma de construção normativos que introdumensões: de quem de uma sociedade mais justa e equitativa. É zem modificações na oros recebe, de através da educação que os indivíduos e as ganização do trabalho dos quem os transmisociedades crescem e progridem.” docentes, mas resultam te, dos meios atraigualmente das transforvés dos quais são mações que têm marcado a transmitidos. Tonossa sociedade. Com efeito, à semelhança da madas as palavras de Malala nesse sentido, obvisociedade em que se insere, também a escola vive amente concordo e acredito que a educação é a profundas transformações. única forma de construção de uma sociedade mais Como subsistema de um macrocosmo político, justa e equitativa. É através da educação que os social e económico muito mais vasto, a escola não indivíduos e as sociedades crescem e progridem. passa ilesa às profundas convulsões económicas, L&T - Que mensagem gostaria de deixar para os sociais e políticas que atravessam a sociedade professores do agrupamento? portuguesa. No centro de todos os desafios que se AV - Gostaria, antes de mais, de desejar uma feliz pedem à escola está o professor a quem é pedido e doce Páscoa. Dizer igualmente da minha dispoa gestão, por vezes num justo equilíbrio impossínibilidade em construir e implementar, em diálogo vel de alcançar, das mais diversas pressões que com todos, na senda do que tem sido a minha sobre ele pesam, em termos organizacionais, relaatuação, as ações que respondam às suas efetivas cionais e pedagógicos. Conciliar estas várias dinecessidades. Mas este é um trabalho colaboratimensões (a profissional, a pessoal) não é tarefa vo, por isso apelo aos contributos de todos. As fácil. No entanto, apesar de todos estes constransuas opiniões e sugestões são indispensáveis para gimentos e de todos estes desafios de que o dia-aa melhoria do meu trabalho. dia dos professores é feito, temos o privilégio de Entrevista realizada por Manuel Faria, 11ºF desempenhar uma das mais belas e nobres profissões: a de acompanhar os jovens no seu crescimento.

O Gato do Barão Aposta que Matou Se7e Local - Cine Teatro Paraíso Dias - 12 de Junho, 21.30 e 13 de Junho, 17.30 Co-produção do Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria e da Universidade Sénior de Tomar (UST), com a colaboração do Curso de Estética e Cabeleireiro do Centro de Formação Profissional de Tomar. O Gato do Barão Aposta que Matou Se7e é um musical dedicado ao lançamento do CD da Tuna Sabes Cantar, com as canções e músicas originais criadas para os 4 últimos espetáculos, com encenação da professora Ana de Carvalho. Nele são recriadas as diversas cenas para as quais as músicas foram compostas. O nome do espectáculo - e do CD - é uma mistura de partes dos diferentes títulos: A Aposta, As Aventuras do Barão, Aqui há Gato e Dom Caio-Matei Se7e! Nesta produção teatral, participarão, enquanto atores, os alunos de teatro da UST, professores, funcionários e alunos de Expressão Dramática, do Agrupamento. Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


10

|

EdiçãoNº15

Planear a Poupança No dia 8 de janeiro os alunos das disciplinas de Economia A e de Economia C, da Escola Secundária Santa Maria do Olival, assistiram a uma sessão formativa sobre a poupança e o orçamento familiar, promovida pela delegação de Coimbra, do Banco de Portugal, através dos formadores Joana Cardoso e José Dinis. Esta atividade insere-se no âmbito do concurso “Todos Contam”. Nesta sessão, aprendemos várias coisas úteis para a nossa vida! Ensinaram-nos a gerir o nosso dinheiro e alguma dicas para pouparmos (criarmos o nosso mealheiro) e também para resistir à tentação de gastar dinheiro, por exemplo:  Trazer na carteira apenas o dinheiro necessário para o dia, impedindo-nos assim de gastar para além do necessário e de desperdiçarmos dinheiro sem darmos conta;  Comprar apenas o que é, de facto, necessário;  Colocar algum dinheiro de parte (10%) assim que o recebemos, da nossa mesada ou semanada, ajuda-nos logo a poupar. Devemos definir objetivos para a nossa poupança, isto é, ter em conta aquilo que queremos fazer com o dinheiro que pode ser para obter algum bem ou fazer face a um imprevisto.

Os objetivos devem ser SMART: S – (Specifics) específicos, ou seja devem ser concretos, por exemplo queremos comprar um bilhete para um concerto; M – Mensuráveis, deve ser possível medilos, quantifica-los; A – Alcançáveis, devem ser objetivos que sejam possíveis de atingir com as nossas poupanças; R – Realistas, devem ser concretizáveis, por exemplo ir a um concerto, é um objetivo realista, ir à Lua, não é um objetivo realista; T – Tempo, os objetivos devem ter um prazo, serem limitados no tempo.

Nós próprios fizemos, em grupo, um trabalho prático que consistiu em elaborar um orçamento com dados fornecidos pelos formadores. Assim, percebemos que Escola Secundária /3 Santa Maria do Olival

a técnica para fazer um orçamento é definir as receitas (rendimentos) e as despesas, de modo a sabermos se as receitas são suficientes para fazer face às despesas. Aprendemos a fazer um orçamento familiar e pudemos aceder ao portal “Todos Contam” (no âmbito do Plano Nacional de Formação Financeira) e simular operações relacionadas com o planeamento do orçamento familiar. Percebemos as vantagens que temos ao fazer um orçamento e de como a poupança é importante para as famílias, podendo acautelar dificuldades que surjam no orçamento familiar, no futuro. Assistimos ainda a um vídeo sobre os “monstros” da inflação (subida dos preços) e da deflação (descida dos preços) e percebemos como ambas são negativas para a economia do país. O facto do Banco de Portugal ter vindo à nossa escola para nos sensibilizar acerca do dinheiro e da poupança é uma iniciativa bastante notável, pois o dinheiro é algo com que contactamos todos os dias e é importante saber como se faz um orçamento familiar, visto que é uma mais valia para nós jovens e que irá ajudar-nos a gerir o dinheiro no futuro. Alunos de Economia A (10ºE e 11ºC)


L etra s & Treta s | 11

Conhecer a nota de euro Nos dias 8 e 9 de janeiro decorreram no Agrupamento Nuno Santa maria, promovidas pelo Banco de Portugal, ações sobre o conhecimento das notas de euro, destinadas aos alunos do 9º ano e às turma do ensino secundário que frequentam a disciplina de economia. Na sexta feira, 9 de janeiro, os alunos do 10º ano (turma E), 11º (turma C) e 12º (turma C) e quatro alunos do 12º B, assistiram à palestra “Conhecimento da nota de Euro”, tendo sido abordados os seguintes assuntos:  Notas de euro;  Moedas de euro;  Combate à contrafação. A apresentação, realizada por dois membros da delegação de Coimbra do Banco de Portugal, iniciou-se com a visualização de um pequeno filme sobre a história, função e importância desta instituição. Seguiu-se a abordagem às notas de euro da série 1 e série Europa com a identificação das suas características gerais (cor e dimensão, tema, representação de estilos arquitectónicos e respectiva simbologia - pórticos, janelas e pontes - bandeira europeia, assinatura do presidente do Banco Central Europeu, iniciais do BCE, designação Euro, símbolo copyright) , elementos de segurança (impressão em relevo, marcas táteis, marca de água, filete de segurança, registo frente/verso, banda holográfica e banda iridescente, elemento holográfico e elemento que muda de cor, número de série) e cuidados a ter, de modo a que todos possamos e estejamos prontos a contribuir no combate à contrafação. Por último, enquanto parte dos alunos assistiu a um outro filme sobre moedas contrafeitas, os restantes tiveram oportunidade de aplicar os conhecimentos aprendidos à análise prática de notas contrafeitas e verdadeiras seguindo o método «Tocar - Observar - Inclinar». Caso se detetem notas contrafeitas, estas devem ser entregues na polícia ou numa instituição bancária. Em suma, foi uma experiência interessante e educativa sobre um tema não só importante para nós, mas também para a comunidade. Isaías Pires, Luís Morais e Paulo Vasconcelos,11ºC

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


12

|

EdiçãoNº15

Filosofia Agora «Atitudes, permanentes ou não, perante o avanço na Vida» de Philipe Alfonso Gumels Frequentemente somos confrontados com a analogia entre a Vida e um longo caminho. É-nos fácil reconhecer as semelhanças entre as decisões a tomar, os dilemas com que nos deparamos quando não sabemos por que caminho enveredar, para onde ir, como continuar. Ou não. Porque se a Vida é uma infinita rede de trilhos há, sempre houve e sempre haverá aqueles que simplesmente não avançam. Mas o que é avançar? É impossível desassociar Gumels da palavra “avançar”. Para o autor, este conceito fundamental é usufruir da nossa liberdade natural e, utilizando as nossas capacidades, conceber ideias, criticar o que nos rodeia, procurar soluções, apresentar hipóteses explicativas do real e, consequentemente, progredir em espaço físico e sobretudo intelectual. Podemos então dividir as atitudes, permanentes ou não, de um individuo perante o avanço na Vida em dois grandes grupos: os que se mexem e os que estão parados. Comecemos pelos que estão parados. Gumels dividiu este grupo em três categorias: o escravo, o conformado e o cético. O escravo diz ele que é o individuo forçado a estar parado. A palavra escravo é ilustrativa o suficiente para compreendermos que este não pode decidir para onde vai ou que faz com o que pensa. O conformado assemelha-se, em tudo, ao escravo, com a exceção do poder da decisão. Este podia avançar, se quisesse, mas não o faz. Com uma atitude de “vencido da vida” o conformado até pode trabalhar, ganhar dinheiro e ter uma “boa vida”, mas não avança. Gumels salienta ainda que o escravo que faz a barba ao seu senhor e, com a navalha encostada ao pescoço do único obstáculo entre ele e a liberdade, nada faz, pode agir por dever moral ou conformismo. Um escravo que não mata o senhor por ser errado moralmente é um escravo, embora não por praticar ou não aquela ação, mas pelo contexto em que se encontra. O escravo que não mata, não por achar que matar é errado, mas por achar que nada vai mudar se o fizer, é um conformado. Tendo em conta que Gumels parte do principio que todo o Homem quer viver (o que constitui umas das falhas apontadas à sua teoria), um gladiador lançado para a arena repleta de leões é um escravo. Obrigado a lutar pela sobrevivência. O aluno que sabe que se não estudar não irá aprender mas também reprovar e apesar de ter todas as ferramentas para combater esse destino não o faz, é um conformado. O cético está naturalmente associado à dúvida. É nele sincero e profundo o desejo de avançar, mas numa atitude demasiado cautelosa questiona constantemente qual o trilho melhor a seguir e fica inevitavelmente parado. Passemos ao grupo dos que se mexem. São também três as categorias aqui contidas: o galopador, o cartógrafo e o underground. O galopador para Gumels é aquele que corre sem olhar para trás. Aquele a quem só interessa percorrer caminho, contar quilómetros. Apreende matéria, conhecimento, enriquece em todos os sentidos, mas do seu tesouro nada faz. Ganha, mas não usa para avançar. É, por exemplo, aquele que no fim do mês recebe o seu ordenado e em vez de comprar um livro compra o terceiro telemóvel. Ou compra o livro, e lê-o de uma ponta à outra, mas bate com a contracapa na última página e prossegue inalterado com a sua Vida. É aquele que age bem mais do que pensa. E por este pensamento, entenda-se o filosófico. O cartógrafo persegue as experiências, bebe as palavras que lê, as músicas que ouve, os filmes que vê, evolui em cada relação que estabelece. Cresce com tudo isso, subindo todos os patamares que conseguir em direção ao avanço. A atitude de underground é muito mais comum entre os filósofos. O underground é aquele que ao avançar, contrariamente aos outros dois em movimento, constrói o seu próprio caminho, novo, diferente, revolucionário, em maior ou menor escala. É aquele que escava uma galeria para futuramente ser descoberta, partilhada com os restantes. Gumels admite que os últimos três estejam em movimento, mas para ele apenas o underground avança verdadeiramente, estando os outros dois sim em movimento, mas apenas a caminho do avanço. Resumindo e retomando a analogia do caminho, supondo que nos encontramos diante de uma bifurcação, podendo esta representar qualquer momento da nossa Vida: o escravo está preso dentro uma jaula de frente para o caminho; o conformado está livre, sentadinho e de costas; o cético está de frente a coçar cabeça; o galopador

Escola Secundária /3 Santa Maria do Olival


L etra s & Treta s | 13

já foi pela esquerda há meia hora - ou terá sido pela direita? -; o cartógrafo está agora a voltar da esquerda para ir ver o que se passa na direita; o underground vai todo compenetrado a abrir caminho por entre as folhas, ainda não se sabe bem para onde. Mas ele sabe. Ou vai saber. É imperativo notar que o título da obra inclui a expressão: “permanentes ou não”. São poucos os que não praticam todas estas atitudes durante a sua Vida, alternadamente. Seja com maior ou menor frequência e maior ou menor duração. Gumels descreve a vida do homem comum como “Um escravo da sociedade, que se conforma em galopar, questionando-se ocasionalmente e dando-se ao luxo, de tempos a tempos, de mapear uma pequena parte do mundo.” Não avança, nunca. Porque quem avança, não é comum. Sendo esta teoria aqui alvo de síntese, filosófica, está sem sombra de dúvida aberta a debate, crítica e discussão, comportando naturalmente imensas falhas. No entanto, não deixa de ser uma perspetiva interessante. Pelo menos sabemos agora, como Gumels via as coisas. Pedro Nunes, 11ºA

Alunos da EB D. Nuno Álvares Pereira visitam instalações da PSP de Tomar Com o objetivo de oferecer aos alunos aprendizagens diversificadas e mais significativas, um grupo de alunos desta escola foi visitar a Policia de Segurança Pública de Tomar. Vejamos o que nos contam estes alunos. No decorrer da visita guiada tivemos oportunidade de ficar a conhecer melhor todo o funcionamento deste serviço: como se tiram as impressões digitais às pessoas que fazem maldades, como se fazem os testes do álcool, como funcionam os radares de velocidade, etc. Tivemos oportunidade de visitar as salas onde as pessoas suspeitas de terem feito alguma maldade são identificadas pelas testemunhas…foi muito giro, pois as testemunhas vêem os suspeitos mas os suspeitos não conseguem ver quem são as testemunhas!!! Imaginem só que também conhecemos as celas onde as pessoas que ficam detidas, por vezes têm que passar alguma noite ou algum dia. No final ainda tivemos o prazer de entrar nos carros da polícia, experimentar as sirenes e as luzes de emergência… Foi uma manhã muito bem passada! Obrigado Agente Dolores e Agente Sérgio!!!

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


14

|

EdiçãoNº15

La Chandeleur No passado dia 2 de fevereiro, no âmbito da disciplina de Francês, comemorou-se «La Chandeleur» na Escola Santa Maria do Olival.

Para assinalar esta tradição francesa, os alunos do 8º ano fizeram crepes, muitos crepes, na sala Polivalente.

La Chandeleur (Festa das Candeias) É uma festa religiosa de origem cristã que acontece passados 40 dias depois do Natal. Comemorase a apresentação do Menino Jesus no Templo de Jerusalém e a purificação da sua mãe, a Virgem Santíssima.

Tradição da «Chandeleur» - o dia dos crepes Segundo a tradição, fazem-se saltar os crepes com a mão direita, segurando uma moeda (de preferência, de ouro), na mão esquerda. O crepe deverá cair na posição correta na frigideira, o que trará prosperidade durante todo o ano. Em França, é costume reunir a família e os amigos no dia da «Chandeleur» e comer crepes (muitos crepes!). Com açúcar, com chocolate, com frutas, com doce, é só escolher … e ainda existe a possibilidade de pôr um recheio salgado: queijo, presunto, ovo, linguiça, frango...

Escola Secundária /3 Santa Maria do Olival

Dia de São Valentim Na passada sexta-feira, 13 de fevereiro, um dia antes do dia dos namorados a Associação de Estudantes (AE) da ESSMO preparou atividades para celebrar esta data. A sala polivalente estava a condizer com o tema, havia corações espalhados por toda a parte e a música dava vida ao romantismo. Para os mais brincalhões, era dada a oportunidade de se casarem, construímos um altar e tínhamos muitas pulseiras para fingir de alianças. O padre também não faltou e com a sua bíblia e o terço lá passou o dia a casar os alunos. Os noivos também iam preparados, raparigas com um véu e os rapazes com um laço, no final todos tiravam muitas fotos com uma moldura em forma de coração que dizia “Casados de fresco”. Para adoçar as bocas, os alunos puderam comer variados bolos decorados com coraçõezinhos de gomas e o chocolate também não faltou! O momento mais esperado pelos alunos foi a entrega das cartas, dias antes todos tiveram a oportunidade de escrever uma carta para alguém e, durante a manhã, os alunos da AE foram distribui-las pelas salas, até os professores receberam cartas, foi muito divertido. O dia foi muito animado e todos colaboraram para que fosse passado da melhor forma, foi bom ver que todos se divertiram e que o trabalho que foi respeitado e disfrutado pelos alunos. Mariana Garcia Chaveiro, Presidente da Associação de Estudantes


L etra s & Treta s | 15

O Carnaval no JI/EB1 Raul Lopes O JI/EB1 Raul Lopes festejou o carnaval participando no cortejo que culminou com um espetáculo de palhaços, organizado pela Câmara Municipal de Tomar.

As crianças do Jardim de Infância puderam assistir a uma peça de teatro de fantoches dinamizada na Biblioteca da EB1 Raul Lopes- “O palhaço que não gostava de ler” com recurso a fantoches e áudio aprendemos umas canções bem giras!

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


16

|

EdiçãoNº15

Projeto PARTILHA COM ENERGIA Visita de Estudo à Barragem do Castelo do Bode

Caro leitor, já se imaginou a percorrer estreitos túneis de betão, a cerca de 100 metros de profundidade, acompanhado por uma ruidosa sinfonia de fundo, “tocada” por máquinas gigantescas sob o comando de uma batuta muito especial, chamada água? A resposta mais provável é: não, não imagino! Pois é, isto de que vos vimos dar conta, não se trata de nenhum projeto para um filme de ficção. Esta foi a realidade experimentada por 60 alunos e cerca de dezena e meia de professores das Escolas Secundárias Santa Maria do Olival e de Constância, na tarde da passada 4ª feira, dia 25 de fevereiro. Perguntar-se-á: mas a que propósito andaram estas “almas” por estes singulares e labirínticos trilhos de betão, numa bela tarde de fevereiro, onde as mimosas em flor, delicadamente, convidavam a um passeio pelo campo? Pois bem, as motivações orbitam em redor do projeto PARTILHA COM ENERGIA, projeto piloto promovido pela EDP e pela Gesentrepreneur, envolvendo dois territórios geográficos, um no litoral- Sines e Vila Nova de Santo André, outro no interior centro - Tomar e Constância, entre os quais se devem estabelecer as mais diversas interações, capazes de fomentar o desenvolvimento sustentável das comunidades numa base económica, social e cultural. Entre os muitos objetivos

Escola Secundária /3 Santa Maria do Olival

que se pretende atingir com este projeto, distingue-se a promoção de uma cidadania pró-ativa. Mas vamos aos factos. Depois de simpaticamente recebidos pelo Senhor Engº Carlos Rosário e muitos outros colaboradores, técnicos da Barragem Castelo do Bode, fomos agraciados por uma interessante sessão teórica, dinamizada pela Dra. Rita Machado e pelo Engº Carlos Rosário, seguindo-se uma espécie de roteiro tecnológico pelos diversos setores da barragem, brilhantemente guiado nos diferentes grupos. Na senda da partilha, gostaríamos de partilhar, passo a redundância, com os estimados leitores, algumas interessantes notas acerca deste poderoso empreendimento hidroelétrico. Sabia que a albufeira de Castelo do Bode é a maior reserva nacional de água destinada ao consumo humano, e que abastece mais de dois milhões de habitantes da área urbana de Lisboa e concelhos limítrofes, assumindo uma importância estratégica como estival reserva energética? Sabia que a Barragem de Castelo do Bode será, para sempre, um ícone na história da eletrificação do país? Sabia que Portugal, em meados do século XIX, se afirmou como um dos países pioneiros na utilização da hidroeletricidade, e que a Real Fábrica de Fiação de Tomar (1884) é um exemplo da instalação da primeira rede de iluminação elétrica


L etra s & Treta s | 17

não pública, (após o incêndio causado pelo gás de iluminação)? Sabia que as obras de Castelo do Bode se iniciaram em março de 1946 e que o enchimento da albufeira se iniciou em abril de 1950? Sabia que a EDP investe nos “Reforços de Potência” utilizando estruturas existentes, e tendo por objetivo económico evitar o desperdício energético decorrente de descarregamentos? Sabia que as apostas para a conquista de maior independência energética se consubstanciam no aproveitamento dos recursos endógenos (pequena e grande hídrica, vento, sol)? Sabia que o princípio básico do funcionamento das barragens é transformar a energia potencial da água em energia mecânica (graças aos desníveis verificados entre a montante e jusante), sendo que essa energia se transformará em energia elétrica? Sabia que Portugal e Espanha têm possibilidade de produzir energia para a Europa Central, sendo prioritário apostar nas interligações energéticas? Muito mais haverá para relatar acerca desta experiência rica e pedagogicamente muito válida. Sublinhamos a imponente sala das máqui-

nas e a sala de comando, passando pelos inúmeros painéis que permitem a supervisão e controlo de diversos parâmetros e os interessantes mecanismos de monitorização da parede da barragem. O empreendimento hidroelétrico de Castelo do Bode foi e será um marco decisivo para o desenvolvimento dos povos e para a sustentabilidade das sociedades. Como escreveu Miguel Torga, “… terra onde a história não quis morrer, a Estremadura é no corpo de Portugal a figura da sua própria alma… Um ázimo pão sobrenatural mora nesses sacrários que a Charola de Tomar sintetiza”. Um agradecimento a todos os que contribuíram para a dinamização desta atividade, destacando os responsáveis pela barragem e a Câmara Municipal de Tomar, na pessoa do Senhor Vereador Hugo Cristóvão, pela cedência do autocarro. Em junho, aquando do intercâmbio, vamos guiar esta visita aos nossos congéneres de Sines/ Vila Nova de Santo André, pelo que esta aprendizagem foi muito importante Pelos membros do Projeto PARTILHA COM ENERGIA

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


18

|

EdiçãoNº15

Italianos na ESSMO Nesta entrevista, Giulia Pasquali e Stefano Bonfanti contam-nos como é a sua vida em Itália e como tem sido esta experiência de viver em Portugal.

Giulia Pasquali

Letras & Tretas - Em que cidade vives em Itália? Giulia - Em Itália, vivo numa cidade que se chama Vejano, perto de Roma. Letras & Tretas - Como é a escola onde vives: o almoço, os professores, as disciplinas, as instalações? Giulia - Na minha escola em Itália, " Liceo Linguistico Mariano Buratti", somos mais de 1000. Na escola não temos onde almoçar porque todos acabamos as aulas ás 13h00 e não temos aulas durante a tarde, pois todos os dias temos 5 horas de aulas. Temos no total doze disciplinas, também temos aulas ao sábado. Os professores são mais ou menos como aqui. Letras & Tretas - Como funciona o programa: foste tu que escolheste o país e a cidade? Quanto tempo vais ficar por cá? Giulia - Eu inicialmente fiz exames psicológicos e tive reuniões para perceber como funcionava e lá estavam pessoas que contavam a sua experiência. Eu escolhi o pais, Portugal era a minha terceira escolha, a primeira era á Bélgica. Letras & Tretas - Aspetos positivos e negativos deste programa?

Escola Secundária /3 Santa Maria do Olival

Giulia - Acho que tem mais aspetos positivos que negativos. Claro que depende de pessoa para pessoa, eu gosto muito de novas experiencia. Às vezes pode sentir-se saudades de casa, mas eu penso sempre que a minha família está a minha espera. Agora só penso em viver esta experiencia.. Já sei dizer muitas coisas porque aqui os meus colegas e a minha família me falam todos em português e, assim, aprendi muito rápido mas ainda tenho que aprender muito. Letras & Tretas- Portugal é muito diferente de Itália? Qual é a maior diferença que notaste? Giulia - Portugal é muito parecido com Itália. Onde há uma maior diferença é na escola porque na Itália não temos aulas durante a tarde e cá não há aulas ao sábado, ao contrário da maioria das escolas em Itália. Outra coisa que notei foi que aqui as raparigas podem ir com saias e vestidos e em Itália não.

“Estou muito feliz por cá estar. Os portugueses são um povo espetacular! Já sinto-me parte do país. É claro que antes de partir os medos são muitos porque tu não sabes nada, não sabes a cidade para onde vais viver , não sabes com quem vais viver. Agora posso dizer que tive sorte com tudo : Família fantástica, escola fantástica, colegas fantásticos, turma espetacular. Portugal é a minha segunda casa. Adoro estar cá, só de pensar que em junho tenho de ir embora fico triste. Já sei que vou a chorar muito e que vou a sentir muitas saudades de todos vocês e de Portugal em geral.”


L etra s & Treta s | 19

Italianos na ESSMO Stefano Bonfanti

esta experiencia tens que fazer uma lista de 3 a 10 países, uma carta para te apresentares à família que te vai acolher, uma composição sobre porque queres fazer esta experiência, folhas médicas e fotografias. A família que te acolhe é voluntária. Há, também, um conselheiro que te ajuda se tiveres problemas. O programa em que estou é anual e começou em setembro. Letras & Tretas - Aspetos positivos e negativos deste programa?

Letras & Tretas - Em que cidade vives em Itália? Stefano - Eu moro em Robbiate. É uma aldeia de 6000 habitantes, situada no norte de Itália. É perto de Milão, fica a 30/45 minutos de carro. Letras & Tretas - Como é a escola onde vives: o almoço, os professores, as disciplinas, as instalações? Stefano - A escola é muito diferente: cada turma tem a sua sala; as aulas começam às 8h05 e acabam todos os dias à 13h05 e cada aula é mais ou menos uma hora; por todas as aulas acabarem às 13h05, não há refeitório; eu tenho 11 disciplinas: italiano, latim, matemática, física, ciências, história, filosofia, inglês, história das artes, educação física e religião; nas aulas só há, praticamente, a explicação do professor, os exercícios fazemos como trabalho de casa. Outras diferenças são termos aulas ao sábado e termos 13º ano. No final deste, temos de fazer um exame onde há uma composição escrita; um teste de matemática; uma terceira prova onde há 4 disciplinas e 3 perguntas para cada uma e um exame oral sobre todas as disciplinas. Letras & Tretas - Como funciona o programa: foste tu que escolheste o país e a cidade? Quanto tempo vais ficar por cá? Stefano - A associação AFS Intercultura faz, cada ano, este concurso. Primeiro fazes um teste psicológico. Se estás psicologicamente pronto para

Stefano - Acho que este programa só tem aspetos positivos: ajuda-te a conhecer-te melhor, abre-te os olhos, faz-te descobrir que não existe apenas o teu país, a tua realidade, mas também muitas outras coisas; muda-te, pois eu acho que já não sou o mesmo que deixou Itália há 3 meses. Quando há momentos difíceis, estes ajudam-te a crescer, a perceber como és. Claro que tens de estar preparado para não ver os teus pais e os teus amigos por muito tempo, mas eu acho que ajuda a perceber quem realmente é teu amigo, quem quer saber se estás bem, mas, há outros que nem sequer te mandam uma mensagem. Letras & Tretas - Portugal é muito diferente de Itália? Qual é a maior diferença que notaste? Stefano - Não há muitas diferenças. A mentalidade é mais ou menos a mesma. A maior diferença é que, aqui em Portugal, há mais paixão pelas tradições. Na Itália perdemos um pouco esta paixão. Por falar em tradição, a minha mãe é portuguesa, ou seja, somos os dois latinos! “Esta é a melhor experiência da minha vida, gosto muito de estar cá. Portugal não foi a minha primeira escolha, mas se agora tivesse que fazer uma nova lista de certeza que Portugal seria a primeira opção. Gosto muito das pessoas de cá. Ajudam-me sempre, falam comigo, brincam e fazem-me sentir em casa.” Francisca Quádrio, 10ºB Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


20

|

EdiçãoNº15

Visita de Estudo à Assembleia da República No passado dia 19 de fevereiro, os alunos do 11º C e 11ºF, das disciplinas de Filosofia e de Economia A, no âmbito dos conteúdos programáticos “Argumentação e Filosofia” e “A Intervenção do Estado na Economia”, assistiram a uma palestra com a Senhora Deputada Isilda Aguincha, relacionada com a Assembleia da República (órgãos de soberania). A vinda da Senhora Deputada teve como objetivo preparar uma visita de estudo, realizada no dia seguinte à Assembleia da República. Assim, a convite da Senhora Deputada, os alunos deslocaram-se, no dia 20 de fevereiro, à Assembleia da República, para assistirem a uma reunião plenária, com a presença do Primeiro Ministro, que lhes permitiu entender a sua organização e o seu funcionamento. Aprenderam, nomeadamente, como é estipulado o tempo de intervenção de cada Partido Politico e do Governo e a forma como decorrem os trabalhos, nomeadamente, as votações, bem como características do discurso político. Esta experiência contribuiu para o enriquecimento pessoal, cívico e pedagógico dos alunos que, com muito prazer, participaram nesta atividade. Catarina Trezentos e Raquel Abegão, 11ºC

Depois do almoço, e no âmbito da disciplina de Geografia, fez-se uma visita à Área Central de Negócios (CBD) de Lisboa (Baixa Pombalina e Avenida da Liberdade e Chiado). Ao mesmo tempo, os alunos da disciplina de Geometria Descritiva, do 11º C, visitavam o Museu da Fundação Millennium BCP - Núcleo Arqueológico. Para além de ter ajudado a consolidar e ampliar conhecimentos científicos adquiridos nas diferentes disciplinas, esta visita interdisciplinar proporcionou a todos novas vivências, favoreceu o relacionamento interpessoal entre alunos e professores e despertou novos interesses nos alunos, contribuindo para o seu enriquecimento cultural.

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


L etra s & Treta s | 21

Tuna Sabes Cantar grava segundo CD Nos dias 17 e 18 de Janeiro a “Tuna Sabes Cantar” gravou o seu segundo CD no auditório da Biblioteca Municipal Dr. António Cartaxo Da Fonseca, em Tomar. Intitulado "O Gato do Barão Aposta que matou se7e”, este trabalho apresenta dezassete temas originais do professor José Morgado, maestro da Tuna. Prestes a celebrar os 21 anos de existência, a “Tuna Sabes Cantar” combina dezasseis temas com os quais participou nas várias peças teatrais levadas à cena na Escola Secundária Santa Maria do Olival com um “Hino à Escola” já gravado em 1997 no CD “Cantar”. Concluída a gravação, realizada no estúdio móvel da Clave de Soft, que também é responsável pela edição, o novo CD, será apresentado brevemente ao público.

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


22

|

EdiçãoNº15

‘Don’t worry, be healthy!’ Projeto Erasmus Plus - 2014-2016

O Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria apresentou a sua candidatura no âmbito do Projeto ‘Erasmus Plus’ com o objetivo de criar um programa escolar internacional que promova estilos de vida saudáveis para os nossos alunos, a proteção do ambiente e o desenvolvimento do espírito empreendedor. Este projeto está a ser desenvolvido com dez parceiros internacionais: Polónia, Eslóvaquia, Chipre, Turquia, Espanha, Itália, Grécia, Bulgária, Letónia e Roménia. Pretende-se com este projeto ajudar a mudar as atitudes dos nossos alunos e das suas famílias relativamente aos hábitos de vida e à proteção do ambiente; prepará-los para a vida futura; utilizar ideias inovadoras para desenvolver atividades físicas e atuar na prevenção das dependências (computador, internet, compras excessivas e ‘fast-food’. Serão múltiplas e variadas as atividades a desenvolver com professores e alunos. A título de exemplo, podemos referir a produção de um filme sobre estilos de vida saudáveis e proteção do ambiente; a criação de um dicionário subordinado à temática do programa; a produção de panfletos e materiais didáticos, bem como a realização de ‘workshops’ relaciondos com: estilos de vida saudáveis, medicina básica, funAgrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria

ções e necessidades do corpo humano, dieta saudável para as crianças, karaté, aeróbica, dança moderna, jogos de interior e exterior, proteção do meio ambiente, seleção e reciclagem do lixo, preservação dos recursos naturais, eco-jardins e combate às dependências já atrás referidas. A novidade deste programa reside na mobilidade e na formação para professores e estudantes, abrangendo assim um total de 9 alunos, de idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos que participarão em atividades durante cinco dias na Roménia, Itália e Grécia. Também os docentes deste agrupamento, num total de 18, desde educadores até aos professores do ensino básico e secundário dos grupos de Educação Física, Ciências Naturais, Física e Química e Informática, participarão em formações na Polónia, Letónia, Eslováquia e Bulgária que posteriormente replicarão nas diferentes escolas do agrupamento. O lançamento do projeto teve lugar na Polónia, no dia 12 de dezembro, com a primeira reunião de coordenação. O encerramento do mesmo terá lugar no Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria em maio de 2016, onde será produzido o filme subordinado à temática do programa e que contará com a presença de 20 professores e 30 alunos dos diferentes países parceiros.

Até lá: ‘Don’t worry, be healthy!’ A Coordenação do Projeto


L etra s & Treta s | 23

Dinamiza workshop sobre dietas saudáveis O Projeto Erasmus+ pretende criar um programa escolar internacional visando a promoção de estilos de vida saudáveis, a proteção do ambiente e o desenvolvimento do espírito de empreendedorismo. No seguimento da formação em “Estilos de vida saudáveis, medicina básica, funções e necessidades do corpo humano e dieta saudável para as crianças”, que teve lugar durante o mês de dezembro, na Polónia, em que o Agrupamento esteve representado pelos professores Ivone Assunção e Carlos Assunção, estes realizaram um Workshop no passado dia 11 de fevereiro, destinado aos docentes do primeiro ciclo. Durante esta sessão que incluiu uma componente teórica e outra prática, foram apresentados vários materiais que permitiram em trabalho conjunto, analisar e discutir alguns aspetos de uma dieta saudável, erros alimentares e consequências para a saúde. Entre outros exercícios foram construídas pirâmides alimentares e elaboradas ementas diárias recorrendo a tabelas com valores calóricos. Na sequência destas atividades os professores confecionaram alguns exemplos de lanches saudáveis, que posteriormente serão replicados, pelos professores do primeiro ciclo, nas respetivas turmas. Prof. Silvina Matos

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


24

|

EdiçãoNº15

Baile de Finalistas 2015 da ESSMO DJ Malto e Kalices deram power à festa

Comissão de Finalistas 2015

12º A

12º B

12º C Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria

Na noite de 7 de março de 2015, a Comissão de Finalistas da ESSMO estendeu, mais uma vez, a passadeira vermelha para que finalistas, famílias e amigos pudessem disfrutar de mais um momento de brilho, diversão e glamour. Assim, os nossos distintos finalistas foram chegando com as suas famílias, fazendo-se notar pelas magníficas indumentárias. Depois de um breve discurso dos membros da Direção da ESSMO, com a presença da Comissão de Finalistas composta este ano pela Carlota Neves, Carolina Oliveira, Daniela Baptista, Emanuel Henriques, Inês Nunes, João Silva, José Ferreira, Manuel Faria, Maria Rosa, Mariana Garcia, Mariana Lopes e Sofia Mendes, as várias turmas de 12º ano desfilaram para receber os seus diplomas. Os grandes animadores da noite, foram sem dúvida os convidados musicais, o DJ Malto, e os Ninja Core que atuaram na tenda exterior. O Malto destacou-se, levou o pessoal ao rubro e conseguiu cativar com mestria os presentes. No polivalente, os Kalices – uma jovem banda - conseguiu dominar e encantar, os FH5, já consagrados,


L etra s & Treta s | 25 agradaram, desta vez, aos mais velhos e aos mais novos. Todos estes músicos, já de renome, foram um grande foco de atenção para os convidados, dando enorme qualidade musical ao evento. Mais de 1150 pessoas estiveram presentes nesta animada e marcante festa da noite tomarense, 12º D que foi passada num ambiente agradável e com muita diversão. A equipa de Segurança, extremamente profissional, contribuiu honrosamente para o clima descontraído que se viveu nesta noite. Este ano, a tradicional After-Party teve lugar no Rio Bar, animada pelo DJ CRI$E, concebida também para os Finalistas, que bem merecem. Queremos agradecer ainda à Câmara Municipal de Tomar, PSP, LR Fitness, Pastelaria Estrelas de Tomar e pedir desculpa a todos os habitantes da zona da Escola, pois sabemos que não conseguiram disfrutar do merecido descanso, naquela noite. Finalmente, uma palavra de gratidão para os nossos pais que muito nos aturaram e abdicaram da nossa companhia para que nos pudéssemos dedicar à nossa escola para lhe dar tanto brilho numa noite que ficará sem dú12º F vida na memória de todos! A Comissão de Finalistas 2015

12º E

12ºG

Fotografias gentilmente cedidas por FOTO SHOP – Tomar Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


26

|

EdiçãoNº15

Notícias das Bibliotecas Escolares [...] “quem mais lê, mais conhecimentos adquire e melhores escolhas poderá efetuar”. Aprender, cultivar-se, ler, é lançar as sementes para um futuro mais responsável e mais livre. Hugo Vaz in Sementes de Leitura

“Bibliotecamente” falando, o 2º período começou bastante bem, refrescado com as novidades literárias e cinematográficas adquiridas em dezembro. Continuámos com saudades de algumas pessoas “bibliotecamente” importantes, mas lá fomos tentando promover o livro e a leitura, a literacia literária e a literacia informática. A 14 de janeiro tivemos a nossa eliminatória do Concurso Nacional de Leitura. Com muita honra e distinção, apuraram-se para a fase distrital, a Maria Beatriz Almeida, o Lourenço e o Luís Morais. Esta etapa irá decorrer em abril, em Rio Maior. Para fazerem boa figura (como é costume, aliás!), os nossos leitores de exceção terão de ler “Os Rapazes do Lixo” e “A Lua de Joana” (3º ciclo do ensino básico) e o Luís, por ser do ensino secundário, terá de ler “O Retorno” e “Livro”. Foi mais uma vez assinalado o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Este ano, na passagem dos 70 anos sobre a libertação do campo de concentração de Auschwitz, no dia 27 de janeiro, a ESSMO e a EBDNAP, em perfeita consonância, divulgaram informação em vários suportes para que não nos esqueçamos. E porque o maior perigo é o esquecimento, houve projeção de um filme de grande impacto que retrata apenas uma das muitas faces negras do episódio trágico que foi a 2ª Guerra Mundial: O Pianista, de Roman Polanski. O anfiteatro da ESSMO foi o local escolhido para sala de projeção. E foram várias as turmas que, atentamente, viram o filme. Se, inicialmente, o riso marcava os rostos dos alunos presentes, durante, e no final do filme, a perplexidade ocupou-lhe o lugar. Para que não caia no esquecimento! Desde que nos integrámos em agrupamento, as visitas e as leituras noutras escolas, em particular nas de 1º ciclo do ensino básico, foram tomando espaço nas nossas atividades. Em fevereiro fomos até à EB1 de Cem Soldos. As leituras andaram à volta dos afetos, do respeito, da amizade e da felicidade. E os meninos pareceram ter gostado das histórias lidas (e contadas).

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


L etra s & Treta s | 27 O que se conta, também, é que a Internet tem tanto de bom como de pernicioso. O Dia da Internet mais Segura 2015, foi assinalado em todo o agrupamento. Na ESSMO, em colaboração com o grupo de professoras de informática, houve a projeção de alertas, distribuição de folhetos informativos, divulgação de “dicas” para navegar em segurança na net e, sobretudo, tentou passar-se a mensagem sobre o que fazer através da sequência “O que farias…?”. Temos, finalmente, no ambiente de trabalho dos computadores da biblioteca, um atalho direto para o nosso catálogo online, simbolizado pelo ícone, do http://www.iconarchive.com/. E também, finalmente, temos o nosso blogue - http://essmo-becre.blogs.sapo.pt/- como homepage do browser predefinido nos computadores fixos. Mas nem só de grandes eventos marcámos o “nosso” 2º período de 2014/2015. Apoiámos alunos que, na biblioteca, faziam trabalhos de pesquisa, elaboravam cartazes ou apresentações PowerPoint. Todos os que procuravam o livro que precisavam, ou que queriam ler, foram por nós ajudados e orientados, recorrendo quer ao nosso catálogo quer à nossa sensibilidade. E como os livros são escritos, continuámos a evidenciar, mensalmente, um escritor português. Em janeiro, Eugénio de Andrade. Em fevereiro, Almeida Garrett. Em março, Alice Vieira.

Os nossos leitores mais assíduos foram, no âmbito dos alunos, a Carolina Diz, o Fernando Brito e a Ana Rita Henriques, logo seguidos da Vânia Dionísio e do João Fernandes. Também os professores requisitam frequentemente os nossos livros. Da lista, destaque para os professores escritores, José Sobral e Carlos Craveiro, seguidos das professoras Ana Célia Costa, Cidália Neves e Rosa Fernandes. Concluindo, fomos realizando as tarefas que permitiram o atendimento de todos os que nos procuraram. Fizemo-lo com o nosso maior empenhamento e dedicação. E como cá estaremos no 3º período: visitem-nos, apareçam.

Votos de uma

E, sobretudo, LEIAM!

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


28

|

EdiçãoNº15

LER EM VOZ ALTA É ALTAMENTE! “O único caminho em direção à leitura é ler.” Roberto Castro A comemoração da 9ª edição da Semana da Leitura, este ano subordinada à temática Palavras do Mundo, é um convite para fomentar a leitura de diversas formas: lendo, ouvindo ler ou lendo para os outros. As virtudes da leitura são, em contexto escolar, constantemente realçadas, uma vez que a leitura constitui um passo fundamental no acesso à informação e ao saber, e para o consequente processo pessoal de construção do conhecimento. Quando pensamos em leitura talvez nos venha à cabeça a tradicional imagem de um leitor comodamente sentado a ler, em silêncio, um livro, um jornal ou uma revista. Esta leitura individual, atenta, silenciosa é, evidentemente, fundamental. Contudo, a leitura em voz alta não deve ser subestimada, como muitíssimo bem salientou o escritor francês Daniel Pennac que, antes de se dedicar inteiramente à escrita, foi também professor do ensino secundário. No seu magnífico livro/ensaio Mágoas da Escola (2002), Daniel Pennac realça precisamente a importância da leitura em voz alta como forma de motivar e facilitar o acesso dos alunos ao estudo do texto literário. Lamenta o reduzido espaço concedido à leitura em voz alta, afirmando: “O saber é antes de mais carnal. São os nossos ouvidos e os nossos olhos que o captam, a nossa boca que o transmite. É claro que ele provém dos livros, mas os livros saem de nós. Um pensamento é ruidoso, e o gosto de ler é uma herança da necessidade de dizer.” Nesse livro, fornece inclusivamente muitas estratégias de promoção da leitura que experimentou com sucesso, enquanto professor. Por sua vez, o professor, escritor e contador de histórias argentino Rodolfo Castro, mas que reside atualmente em Portugal, relata na interessantíssima obra A Intuição Leitora, a Intenção Narrativa (2012) como a leitura em voz alta foi essencial no seu processo de aprendizagem, quer ouvindo outros ler, quer lendo ele próprio livros e conteúdos escolares em voz alta. Afirma Rodolfo Castro: “Quando o leitor sabe, em voz alta, transmitir significados através da sua voz, o que escuta e lê o som pode perceber, sem nenhuma dificuldade, o significado global da história que ouviu e, inclusive, o valor singular de cada palavra desconhecida, não pela sua forma, mas pelo seu significaA Papelaria Nova tem presdo concreto.” Acrescenta ainda em relação à sua experiência de leitor: “Lia tado um notável apoio à promoção do livro e da leituem voz alta por necessidade e para estudar, mas não é demais dizer que, ra no agrupamento. ao fazê-lo, a minha capacidade leitora cresceu.[…] fui notando uma mudança e a leitura por prazer ocupou lentamente um lugar entre as outras leituras. Com o tempo comprovei que os livros tinham ganho sentido e interesse muito além do estudo.” Infelizmente, ao contrário de Rodolfo Castro, muitos jovens associam o livro essencialmente às tarefas escolares, ao esforço, ao labor, remetendo para segundo plano ou ignorando a leitura por prazer. Não raramente, a escola reforça essa perceção, porque nunca ou tão raramente quebra a abordagem instrumental da leitura: leitura informativa, leitura obrigação, leitura utilitária. Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


L etra s & Treta s | 29 Ler só por ler não representa um fim em si. Lemos para viver emoções, para tentar colmatar a nossa ignorância, para melhor apreender o mundo e os outros, mas também para nos lermos. Lemos para melhor viver com os outros, em sociedade. Lemos para efetuar escolhas mais conscientes e acertadas. A leitura é um processo de apropriação e de descoberta. É por isso que ler em voz alta para as crianças, desde muito cedo, histórias, contos, fábulas é importante porque são textos que evocam, de forma ficcional e simbólica, os passos fundamentais do crescimento pessoal, Ler em voz alta representa um momento da construção de uma personalidade própria e de uma existência inde partilha, de descoberta e de fruição dependente e autónoma. As fábulas, os contos, os poemas, enquanto da língua. divertem e distraem as crianças, fazem-nas viver emoções por vezes extremas e intensas, esclarecem-nas sobre si próprias e contribuem para despertar o desejo de conhecer o mundo e os outros. O contacto com as histórias ajuda-nos a construir-nos como seres humanos, porque nos obrigam a pensar. A pensar sobre o mundo, sobre os outros e na nossa relação com os outros. Ler ou ouvir ler faz-nos crescer interiormente. As palavras contadas ganham vida e sentido graças aos contadores de histórias, que dão humanidade às palavras. Despertam sentidos, transmitam arrepios. As palavras não estão gastas. Estão vivas e de boa saúde! É a leitura que nos une. Por isso, estão os professores bibliotecários do agrupamento e os membros das equipas das Bibliotecas empenhados na promoção da leitura, no prazer de navegar livremente pelas histórias, que estimulam a imaginação e a criatividade, que nos dão a ver outras experiências, outros mundos e outras vidas, que nos enriquecem como seres humanos, histórias que mais cedo ou mais tarde se revelarão extremamente importantes para nós. Nesse sentido, têm sido levadas a cabo iniciativas visando a promoção da leitura: lendo histórias nas bibliotecas, incentivando a declamação de textos poéticos, indo ler a outras escolas do agrupamento ou realizando Feiras do Livro. É necessário captar novos leitores para o sortilégio das histórias, levando os alunos a assistir a leituras na biblioteca, fora do espaço da sala de aula, promovendo o contacto livre com os livros, mas também com as revistas, as BD, incentivando os alunos a consagrarem mais tempo à leitura recreativa. Com efeito, ler acalma, desenvolve o léxico, desenvolve a imaginação e pode, em certas situações, ajudar-nos a enfrentar os desafios do futuro. Aprender, cultivar-se, ler, é lançar pontes para uma cidadania mais responsável, tolerante, consciente e interventiva e, consequentemente, mais livre.

Dois livros que abordam a importância da leitura: Prof. bibliotecário Hugo Vaz

Centro de Radiologia de Tomar, S.A. 2300-555 Tomar Tel.: 249 329 020 Fax: 249 329 029

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


30

|

EdiçãoNº15

NOTÍCIAS DA MATEMÁTICA No XXXIII Olimpíadas Portuguesas de Matemática

No dia 14 de janeiro realizou-se a 2ª eliminatória das XXXIII Olimpíadas Portuguesas de Matemática. Esta atividade, organizada pela Sociedade Portuguesa de Matemática e dinamizada pelos professores de Matemática das escolas que aderem a esta iniciativa, realiza-se em três categorias: categoria Júnior (6º e 7º anos), categoria A (8º e 9º anos) e categoria B (10º, 11º e 12º anos) e o seu principal objetivo é incentivar o interesse e o gosto pela Matemática. A prova teve lugar na escola Santa Maria do Olival, que, sendo a escola anfitriã desta eliminatória, recebeu os alunos apurados de todas as escolas da cidade. Participaram os seguintes alunos e respetivas escolas:  Santa Maria do Olival: Emanuel Gaspar Marques, André Morgado Ribeiro e Paulo Brandão Vasconcelos.  D. Nuno Álvares Pereira: Carolina Marques Guido Evaristo e Eva Rodrigues Dias Claro.  Jácome Ratton: Guilherme Lopes, Duarte Mendes e Ricardo Ferreira.  Santa Iria: José Luta e Sara Vicente Costa.  Gualdim Pais: Ana Inácio. Os nossos parabéns ao aluno Emanuel Gaspar Marques que foi apurado para a Final Nacional, que terá lugar na Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira, em Rio Maior, de 19 a 22 de Março. Ao Emanuel desejamos votos de um excelente desempenho e, acima de tudo, que se divirta, ao longo destes quatro dias, com todos os finalistas do país.

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


L etra s & Treta s | 31

AÇÃO DE FORMAÇÃO Departamento de Matemática e Informática

No dia 11 de fevereiro os elementos do Departamento de Matemática e Informática participaram numa ação de formação, dinamizada pelo Engenheiro Nuno Madeira, professor no Instituto Politécnico de Tomar. A ação subordinada ao tema ”Segurança de Informação, Redes Sociais e Análise de Risco. Estas coisas novas da Informática e a nossa vida!” subdividiu-se em seis tópicos: segurança na Internet, Desafios atuais, Gestão do conhecimento, Classificação da informação, Segurança e ameaças e Análise de risco. Nesta ação foram feitas considerações interessantes e objetivas referentes à nossa informação, sua classificação, organização, exposição e segurança. O nosso convidado explicou também como se faz uma análise de risco (referencial “probabilidade-

impacto”), visualização e comparação de pirâmides (pirâmide do conhecimento e de Maslow) e projeção de dois filmes bastante adequados ao tema apresentado, onde foi visível a transparência e exposição das nossas vivências nas redes sociais, muitas vezes aproveitada por terceiras pessoas. O Engenheiro Nuno Madeira concluiu, referindo: “Às tantas não precisamos de mais informação – temos o google. Do que precisamos é de uma maneira de pegar na informação que existe nos diferentes lugares e juntar tudo de uma nova forma. Ou seja, unir os pontos, não como estavam antes, mas de uma nova forma – temos as referências e as boas práticas…” Área disciplinar de Matemática do AENSM

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


32

|

EdiçãoNº15

“Matemático” apaixonado A PÁSCOA é uma festa móvel – a sua data varia de ano para ano e depende da primeira lua cheia após o Equinócio da Primavera. Do cálculo do dia em que acontece a Páscoa depende o Carnaval (47 dias antes da Páscoa) e a quinta feira do Corpo de Deus (60 dias depois da Páscoa). Só em 1913 e em 2008 a Páscoa foi em 23 de março (e só em 2228 voltará a ser). A 22 de março foi em 1818 e voltará a ser em 2288! Mas como é calculado o dia em que calha o Domingo de Páscoa? O método de Gauss [ grande matemático, astrónomo e físico (1777 -1855)] para a determinação do dia em que será o Domingo de Páscoa é muito simples e não envolve mais do que o cálculo de restos de divisões inteiras. Esta é a fórmula válida entre 1900 e 2099. - Começa por determinar o resto da divisão por 4 do número correspondente ao ano. Chama-lhe A. - De seguida determina B, resto da divisão do ano por 7 e C, resto da12ºE divisão do ano por 19. - Calcula 19 x C+ 24 e divide o número obtido por 30 e designa por D o resto. - Só falta calcular E: para isso calcula o resto da divisão de 2A + 4B + 6D + 5 por 7. - Soma D com E.  Se D + E ≤ 9, então a Páscoa será a 22 + D + E de março.  Se D + E > 9, então a Páscoa será a D + E - 9 de abril Duas correções à fórmula:  Se D = 28 , E = 6 e C >10 então a Páscoa é no dia 18 de abril (e não a 25 de abril).  Se D + E = 35 então é em 19 de abril (e não a 26 de abril). Assim o dia de Páscoa será sempre num dia entre 22 de março e 25 de abril.

12ºF

Simetria a 2… no dia dos namorados

14 de março nos EUA lê-se 3/14 O dia do “Pi” celebra-se a 14 de março às 1h59m26s

Isto porque Pi = 3,1415926… Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


L etra s & Treta s | 33

Espaço Europa 2015 – Ano Europeu para o Desenvolvimento

Este ano comemora-se o “Ano Europeu para o Desenvolvimento”, com o lema “O nosso mundo, a nossa dignidade, o nosso futuro”. Esta é uma oportunidade para sensibilizar os cidadãos europeus para as políticas de ajuda internacional da União Europeia e para o seu papel enquanto um dos principais agentes mundiais na luta contra a pobreza. A União Europeia é o principal doador de ajuda ao desenvolvimento no mundo. Esta é também uma oportunidade para motivar mais europeus a implicar-se e a participar no desenvolvimento.

Distribuição regional da ajuda aos países em desenvolvimento em 2013 56,5 biliões de euros: como a UE e os Estados membros estão a combater a pobreza a nível mundial

https://europa.eu/eyd2015/pt-pt

Todos podemos participar!  contribuindo com ideias e reflexões para os debates nacionais e internacionais sobre o desenvolvimento  aderindo a uma organização de ajuda ao desenvolvimento  oferecendo-nos como voluntários para um projeto de desenvolvimento Neste contexto, o Clube Europeu Nuno de Santa Maria associou-se a esta iniciativa, com o desenvolvimento de algumas atividades que irão decorrer até ao final do ano letivo:  Sessões de Esclarecimento/palestras inseridas na temática do Ano Europeu para o Desenvolvimento e do voluntariado e da educação em países de Língua Oficial Portuguesa.  Abordagem de temas mensalmente previstos no programa do Ano Europeu para o Desenvolvimento.  Criação, em parceria com a Câmara Municipal de Tomar, uma Bolsa de Voluntários, constituída por alunos do Ensino Secundário, pessoal docente e não docente.  Campanha “Mochilas solidárias”: recolha de material escolar (mochilas contendo material básico cadernos, estojos, canetas, lápis…) a serem distribuídas em escolas de um País de Língua Oficial Portuguesa.  Comemoração do Dia da Europa, no dia 9 de maio.  Publicação de artigos e divulgação das iniciativas realizadas no jornal escolar do Agrupamento «Letras & Tretas» e na Rádio e Jornal regional «Cidade de Tomar». Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


34

|

EdiçãoNº15

Desporto Escolar Desportos Gímnicos . Decorreu no dia 11 de fevereiro o 1º encontro de Ginástica Acrobática

Par Feminino (Vice-Campeãs) - As alunas Sofia Rodrigo, do 10ºG e Ana Catarina Pereira, do 12ºA, conquistaram o 1º lugar na Ginástica Acrobática no nível 3 e ficaram em 2º lugar no campeonato distrital no mesmo nível, tendo sido apuradas para o Campeonato Regional, onde será feito o apuramento para o campeonato nacional.

Par Feminino - Mónica André e Ana Marques, ambas alunas do 9ºG, conquistaram o primeiro lugar no nível 2.

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria

O Encontro ADE de Ginástica Artística e Ginástica de Trampolins foi realizado na EB 2,3 D. Nuno Álvares Pereira, no dia 25 de fevereiro.

O aluno Manuel Lopes (11ºB), conquistou o primeiro lugar na especialidade de Ginástica Artística e Ginástica de Trampolins de nível 1,

O José Batista (9ºH) conquistou o primeiro lugar na especialidade de Ginástica de Trampolins de nível 3. Tornou-se, também, vicecampeão distrital de Ginástica de Trampolins de nível 3, estando apurado para o regional onde se realiza o apuramento para o campeonato nacional.


L etra s & Treta s | 35

Corta Mato

No corta Mato CLDE (Distrital) que decorreu no dia 13 de fevereiro de 2015, no Parque Municipal de Almeirim, a nossa representação conquistou o 1º lugar no escalão de juvenis femininos. As alunas Tatiana Santos (11ºF), Maria Silva (11ºB), Marisa Mourão (11ºB) e Marta Ferreira (10ºE) ficaram apuradas para o Campeonato Nacional realizado na Guarda.

Representação no Campeonato Nacional - Guarda

No escalão de juniores femininos, as alunas Andreia Rosário (11ºE), Andreia Pereira (12ºB), Mariana Lopes (12ºB) e Marisa Simões (11ºF) conquistaram o 2º lugar. Ainda no escalão júnior feminino, a aluna Andreia Rosário (11ºE), conquistou o 3º lugar na prova individual.

Na participação no campeonato Nacional que se realizou na Guarda (Foto 4), as alunas que nos representaram foram: Tatiana Santos (11ºF), Maria Silva (11ºB), Marta Ferreira (10ºE) e Beatriz Gonçalves (11ºF).

Campeãs CLDE Juvenis Femininos

3ª classificada Individual Juniores Femininos

Vice Campeãs CLDE Juniores Femininos Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


36

|

EdiçãoNº15

Futsal – Juniores masculinos

A equipa de futsal Juniores masculinos participou no torneio de abertura classificando-se no segundo lugar na sua ADE. Encontra-se neste momento a disputar o quadro competitivo, 1ª fase, encontrando-se exe quo em 1º Lugar com outra equipa.

Basquetebol Decorridas três jornadas do quadro competitivo de basquetebol que reúne equipas de dois escalões etários, o juvenil, representado pela nossa Escola e a escola secundária de Ourém e o júnior, representado pela escola profissional DRA das Mouriscas e a secundária Maria Lamas, a nossa escola mantém uma prestação desportiva muito positiva. Resultados: ● ● ESSMO - Tomar x E.S. Maria Lamas, T. Novas → 30-40 ● ESSMO - Tomar x EPDRA, Mouriscas → 59-14 ● E. Secundária de Ourém x ESSMO – Tomar → 10-76 ● EPDRA – Mouriscas x ESSMO – Tomar → 18-55 Perante os resultados obtidos e faltando apenas uma jornada para o fim da competição, a nossa Escola tem praticamente garantido o acesso à fase seguinte, o pré-Regional. Como o caminho se faz caminhando, continuem a divertir-se! Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


L etra s & Treta s | 37

Torneio de ” Voleibol-Jogos de Tomar” No dia 6 de fevereiro de 2015, realizou-se no pavilhão municipal o “Torneio de Voleibol-Jogos de Tomar”. Estiveram envolvidas todas as escolas do 2º,3º ciclos e Secundárias e a Escola Profissional de Tomar. As esquipas de Iniciados masculinos (9ºE), juvenis masculinos (11ºC) e juniores masculinos (12ºA), vence-

ram nos seus escalões esta competição. No escalão de juvenis femininos (11ºA) e juniores femininos registou-se o segundo lugar neste torneio. No escalão de Iniciados femininos (8ºE), registou-se o 3º lugar neste torneio.

Juvenis femininos

Iniciados femininos

Juvenis masculinos Juniores femininos

Juniores masculinos

Iniciados masculinos Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


38

|

EdiçãoNº15

Badminton O Grupo Equipa de BADMINTON da ESSMO, orientado pela Professora Paula Barrela, é um dos que integra o projeto de Desporto Escolar da ESSMO. São 28 os alunos inscritos, desde o escalão Infantil B, ao Júnior. A ESSMO enquadra-se numa das 6 ADES do Médio Tejo que é composta pelas seguintes escolas: ESSMO, ES Jácome Ratton, EB2/3 Nuno Álvares Pereira, EB2/3 Gualdim Pais, EB 2/3 Freixianda e EB 2/3 Dr. Manuel Lopes Perdigão de Caxarias). No presente ano letivo, a 1ª concentração da modalidade realizou-se a 26 de novembro de 2014, tendo sido a organização da responsabilidade da EB 2/3 Gualdim Pais. No dia 28 de janeiro de 2015 realizou-se o 2º torneio, com responsabilidade organizativa da Escola Jácome Ratton. As escolas da Freixianda e Caxarias organizaram, igualmente, duas

concentrações e selecionaram atletas para as representarem, num 3º encontro integrando as 6 escolas da ADE a que pertencemos, realizado no dia 11 de março, na ESSMO. Desta concentração saíram os alunos que representaram a nossa ADE na última concentração de seleção ADEs do Médio Tejo, no dia 17 de março, em Torres Novas, nos escalões de Iniciados e Juvenis. Os melhores resultados da ESSMO foram alcançados nos escalões Juvenis e Juniores, com maior incidência neste último, tendo a ESSMO, obtido no somatório das duas concentrações realizadas até ao momento, 4 primeiros lugares no escalão Júnior (Femininos e Masculinos), 4º, 7º e 10º, no escalão de Juvenil, e 4º, 9º e 10º, no escalão Iniciado. Prof. Paulo Lopes Coordenador do Desporto Escolar

Manuel Dias (Atleta do União de Tomar), 16 anos, foi o segundo melhor português, na sua primeira internacionalização, no Torneio Ibérico de Pista Coberta Letras & Tretas - Qual é a modalidade que praticas e o que fazes nos treinos e nas provas? Manuel Pratico atletismo há três anos. Tenho estado a trabalhar a disciplina chamada Decatlo. É um conjunto de dez provas realizadas ao ar livre que consistem em 100 metros, salto em comprimento, peso, salto em altura, 400 metros, 110 metros barreiras, lançamento do dardo, disco, 1500 metros e salto com vara. Na pista coberta, pratico o heptatlo: 60 metros, 60 metros de barreiras, peso, salto em altura, salto com vara, 1000 metros e salto em comprimento. Nesta disciplina, às marcas individuais de cada prova são atribuídos pontos. Letras & Tretas - Como te preparas para as provas? Manuel - Tenho treinos todos os dias da semana. Dou o meu melhor, pois é daí que provêm os frutos do trabalho desenvolvido, para quando chegam as provas nos sentirmos confiantes e preparados. Nas provas é Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria

dar o máximo! Aí é que temos de mostrar o que valemos e do que somos capazes. É pensar que temos de mostrar 110 % da nossa capacidade física e psicológica, naquele objetivo pretendido. Letras & Tretas - O que retiras desta experiência? Manuel - Esta experiência de representar Portugal fez-me perceber que não se faz nada sem trabalho nem dedicação. Apercebi-me que, após passar por esta magnifica experiência, uma pessoa torna-se «gananciosa», quer chegar mais longe e não quer faltar a um treino, pois sabe que o adversário está a treinar. Quando estamos na partida, com aquela adrenalina característica, ao lado de um atleta teoricamente melhor, não nos podemos dar por vencidos, mas sim pensar em vencer. Na minha opinião, foi um começo de uma “carreira” atlética que gostaria de ter, conquistando e ultrapassando os meus objetivos. Letras & Tretas - Como atingiste este objetivo? Manuel - Para ser selecionado, tive de obter a marca mínima de apuramento para o nacional. No nacional, tive de ficar entre os quatro primeiros: consegui o 4º lugar. Com a ajuda do meu treinador Tiago Madureira e dos restantes treinadores, treinei rigorosamente, cumprindo tudo como planeado para estar tranquilo, tanto física como psicologicamente, e confiante, pois tudo implica vontade e dedicação tanto do treinador como do atleta. Entrevista de Francisca Quádrio, 10º


L etra s & Treta s | 39

Dia da Internet Mais Segura O segundo, dedicado ao tema “Sou vítima do Cyberbullying. O que posso fazer?”, que contou com a presença de um especialista da SeguraNet, um Agente Principal da PSP de Tomar e dois membros da CPCJ de Tomar e foi moderado pelo Diretor do Agrupamento de Escolas Templários. “O cyberbullying surge da utilização de Tecnologias

No dia 10 de fevereiro e no âmbito do Dia Europeu da Internet Mais Segura, o Município de Tomar levou a efeito, no auditório da biblioteca municipal, o seminário “Internet Mais Segura - Cyberbullying”. Neste seminário dirigido mais especificamente à população escolar dos dois agrupamentos de escolas, mas também ao público em geral, foram abordadas as temáticas da segurança na internet, nas perspetivas “Problemática do Cyberbullying” e “Sou vítima do Cyberbullying. O que posso fazer?”. O seminário constou de dois painéis: o primeiro, sobre a “Problemática do Cyberbullying”, com a presença de professores representantes do Instituto Politécnico de Tomar e dos dois agrupamentos escolares do concelho. Em representação do Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria, esteve a docente Cristina Marques. Este painel foi moderado pela Diretora do Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria, Maria Celeste Sousa.

de Informação e Comunicação (TIC) para agredir verbalmente a vítima e/ou contribuir para a sua exclusão/isolamento social.” “No cyberbullying a agressão não se limita a um espaço físico (escola, recreio, bairro), mas pode estender-se a todo um universo cibernauta através dos diferentes instrumentos da internet.” Prof. Cristina Marques

O segundo, dedicado ao tema “Sou vítima do Cyberbullying. O que posso fazer?”, que contou com a presença de um especialista da SeguraNet,

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria


40

|

EdiçãoNº15

Dia Internacional da Mulher

Na sequência das lutas femininas por melhores condições de vida e de trabalho, bem como pelo direito de voto, surge a proclamação o Dia da Mulher a 8 de março. Neste contexto, e porque, embora já tenha sido percorrido um longo caminho no que diz respeito à discriminação de género, continuam a existir razões para comemorar este dia. A 9 de março, no Auditório da Biblioteca Municipal, dinamizada pela Área Disciplinar de História, em parceria com a Área Disciplinar de Inglês e o Departamento de Expressões, decorreu uma palestra/debate sobre o Dia Internacional da Mulher. Esta iniciativa contou com a presença de Idália Serrão, deputada à Assembleia da República, João Pires da Silva, magistrado judicial e Ana Roque, mestre em Estudos Portugueses. Na sessão de abertura estiveram ainda a Diretora do Agrupamento Nuno de Santa Maria, Maria Celeste Sousa e o Vereador da Educação da Câmara Municipal de Tomar, Hugo Cristóvão.

A atividade iniciou com um momento musical interpretado por Júlia Quadros e José Morgado. Seguiu-se a apresentação de trabalhos por parte das alunas, Mariana Duarte do 10ºA, Cármen Granchinho e Matilde Saraiva do 10ºE, acerca de mulheres que se destacaram ao longo do século XIX e XX: mulheres que, e citando Agustina Bessa Luís, “ousaram corromper situações estáveis em diferentes áreas”. No que se refere aos palestrantes convidados, Ana Roque fez a primeira intervenção, tratando o tema da Mulher na Literatura ao longo do tempo; João Pires da Silva abordou o tema da violência doméstica e, finalmente, Idália Serrão abordou o tema numa perspetiva sobretudo académica e da entrada da mulher no mercado de trabalho, salientando a disparidade que permanece, quer na remuneração, quer nas lideranças. Foi uma manhã muito agradável e profícua em que um auditório repleto de alunos se manteve interessado e atento ao tema central: a Mulher!

Ficha Técnica Coordenação, Redação e Arranjo Gráfico: Isabel Conceição e Isabel Gamelas Colaboraram nesta edição: professores da EB1 e educadoras do JI Raúl Lopes, alnos do 3º e 4º ano da EB1 de Vale Calvo, prof. Angelina Oliveira, Isaías Pires, Luís Morais e Paulo Vasconcelos - 11ºC, Henrique Mendes e Pedro Nunes - 11ºA, prof. Agripina Vieira, Manuel Faria - 11ºF, prof. Ana de Carvalho, alunos de Economia A - 10ºE e 11ºC, prof. Elsa Silva, Mariana Chaveiro 12ºC, professores da área disciplinar de francês, elementos do Projeto Partilha com Energia, Francisca Quádrio – 10ºB, Catarina Trezentos e Raquel Abegão – 11ºc, Tuna Sabes Cantar, Coordenadores do Projeto Erasmus+, prof. Cristina Marques, Comissão de Finalistas, professores da área disciplinar de matemática, professores responsáveis pelo Desporto Escolar, professores bibliotecários Hugo Vaz, Maria de Deus Monteiro e Paula Vaz, prof. Natália Nogueira, prof. Maria Celeste Sousa. Escola Secundária/3 Santa Maria do Olival –Tomar, Alameda dos Templários 2300-303 Tomar Tel. 249328360 mail: essmo.tomar@mail.telepac.pt Letras & Tretas - Edição nº15 – março 2015

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria

Profile for AENSM

Jornal 2º período 2014/2015  

Jornal de 2º período do Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria, Tomar - 2014/2015

Jornal 2º período 2014/2015  

Jornal de 2º período do Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria, Tomar - 2014/2015

Advertisement