Issuu on Google+

“Físicos capturam átomo de antimatéria” Folha de São Paulo, 18 de Novembro de 2010.

Antimatéria, ficção ou realidade? Por Luccas Lossano Name Rodrigo Salgado Henrique Stella

Recentemente físicos, de diversas origens, inclusive brasileiros, do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN), localizado no noroeste de Genebra, conseguiram isolar partículas de antimatéria, para ser mais exato antiátomos de hidrogênio. Mas afinal, o que é antimatéria? Como ela é produzida e como podemos armazená-la? E o mais importante, qual é sua utilidade? Antes de começarmos a compreender a antimatéria é importante entender os dois físicos brasileiros que trabalharam no projeto, Claudio Lenz Cesar, doutor em espectroscopia a LASER de átomos de hidrogênio em armadilha magnética, formado na Universidade Federal do Ceará, fez mestrado na UFPE e doutorado no MIT e Daniel de Miranda Silveira que tem experiência em aprisionamento magnético de átomos neutros (carregamento por gás buffer), armadilhas de Penning, espectroscopia a LASER, física de plasmas não-neutros e física de anti-hidrogênio e que possui graduação em Física pela UNICAMP, mestrado em Física também pela UNICAMP e doutorado em Física pela UFRJ. Com isso, ambos participaram diretamente na construção da armadilha magnética utilizada no procedimento e na criação de novos LASERs para a medição de energia. Mesmo com a participação do Brasil no projeto não se sabe se houve alguma porcentagem de royalties ganha por causa da descoberta e não há evidências de que esses cientistas obtiveram bolsas de estudo das universidades, o que indica que eles não são obrigados a voltar ao


Brasil e trazer a tecnologia que descobriram, portanto ambos continuarão no Laboratório de Física atômica Riken, no Japão. Apesar de tudo, ajudaram muito o nosso país e os brasileiros, despertando sua curiosidade e mostrando a capacidade dos brasileiros diante de um trabalho de extrema importância com repercussão mundial. A antimatéria é como uma irmã gêmea da própria matéria, porém com carga oposta. Enquanto a matéria é formada por prótons (+), elétrons (-) e nêutrons (0), a antimatéria é constituída por antiprótons (-), pósitrons (+) e antinêutrons (0). É importante ressaltar que quando uma antipartícula encontra uma partícula, ambas se aniquilam e liberam uma grande quantidade de energia (e ocasionalmente podem criar um novo par destes). Um anti-átomo é criado a partir de um processo muito complexo, em que, resumidamente, são lançados feixes de prótons altamente acelerados em placas de Irídio ou Cobre, dentro de uma máquina chamada “destroça átomos”. Devido à liberação de energia criam-se pares de prótons e antiprótons, sendo que a antipartícula é levada a uma máquina chamada “desacelerador de antiprótons” (AD) que como já dito deverá desacelerar os mesmos bem como resfriá-los. A partir daí estas antipartículas serão armazenadas em armadilhas magnéticas (Penning trap, em inglês), que usa uma combinação de campos magnéticos e elétricos. Para a criação de armadilhas que retenham átomos completos de anti-hidrogênio foram empregados campos magnéticos muito intensos, assim como temperaturas muito baixas. A antimatéria originalmente criou-se no universo como resultado da colisão entre partículas de alta energia, como ocorre no centro das galáxias, entretanto, não se tem detectado nenhum tipo de antimatéria como resíduo do Big Bang, coisa que ocorre com a matéria normal. Por enquanto a antimatéria é algo muito “novo” e por isso não temos em mente sua possível utilidade por diversos motivos: por ser um péssimo explosivo, difícil de manusear, difícil de criar e ter custo de produção extremamente alto. Mesmo assim ainda podemos aguardar o dia em que realizaremos todos os nossos sonhos de ficção cientifica como o uso de armas de antimatéria, como o phaser do doutor Spok de “Jornada nas Estrelas” que, apesar de serem


armas podem ajudar muito a população se houver devidas medidas, por exemplo, se estas forem restritas a policia civil, já que terão uma tecnologia mais poderosa para nos defender. Claro que para isso muito ainda deveria ser mudado, já que estas armas não poderiam ser usadas em guerras (pelo alto risco de atingir civis inocentes) e, além disso, a nossa polícia, e a do mundo todo praticamente, deveria evoluir, crescer e até ser reformada para que nunca sejam corruptas e deixem essa arma virar uma chave para o grande terrorismo. Além disso, poderiamos usar naves espaciais movidas à fusão de antimatéria e até mesmo o uso desse recurso para flutuarmos. Contudo, é de extrema importância dizer que esta última parte está ainda somente na teoria, segundo o jornal “Folha de São Paulo”, o que ocorre é que para os cientistas existe a hipótese de que a antimatéria seja o oposto da matéria, pode ser que ao invés de ser atraída pela Terra ela possa ser repelida, o que faria algo flutuar se houvesse uma quantidade razoável em sua base. Segundo o cientista brasileiro Claudio Cesar: “Não é que o que esperamos. Mas ainda falta fazer esse experimento”. Segundo a revista “Nature” este esperimento se chama Aegis, que tem como objetivo questionar uma lei da física, já que se a antimatéria realmente for repelida pelo campo gravitacional da Terra, a lei da relatividade geral deverá sofrer mudanças.

Referência Bibliográfica: 1. Antimatéria, Wikipédia, Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Antimat%C3%A9ria> Acesso em: 3 de mar. 2011. 2. MONDARDINI,Rosy.Kid’s Corner, Live from CERN, Disponível em: <http://livefromcern.web.cern.ch/livefromcern/antimatter/> Acesso em: 3 de mar. 2011. 3. A Verdade por Trás de “Anjos e Demônios” (2/5), Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=LE7SSaJns6k> Acesso em: 3 de mar. 2011 4. CESAR,Cláudio. Especial para O POVO, O POVO online, Disponível em: <http://www.opovo.com.br/app/opovo/tendencias/2010/11/26/noticiatendenciajornal,2069 923/a-vez-da-antimateria.shtml> Acesso em: 3 de mar. 2011. 5. SILVEIRA, Daniel. Currículo, Disponível em: <http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4795588D5> Acesso em: 8 de mar. 2011 6. CESAR, Cláudio. Antimatéria: coisa de “Anjos e Demônios”, StarTrek ou Física de sonho, Disponível em: <http://fma.if.usp.br/convite/ConvitesHTML/todososconvites/2006-0920.html> Acesso em: 8 de mar. 2011 7. REICH, Eugenie. Antimatter helds for questioning, Nature news, Disponível em: <http://www.nature.com/news/2010/101117/full/468355a.html> Acesso em: 8 de mar. 2011



CM 3 EM 1 tri 1