Page 1

“O Cristo Redentor tecnológico” Revista Época, 24 de janeiro de 2011 Marcela Unterman Luciana Ganzaroli Pinheiro Novas tecnologias em função do meio ambiente A estátua do Cristo Redentor inaugurou, no dia 1 de março de 2011, em comemoração aos 446 anos da cidade maravilhosa, o novo projeto de iluminação realizado pela empresa OSRAM em parceria com a prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. As lâmpadas convencionais foram substituídas pelas modernas lâmpadas de LED (Light Emitting Diode – Diodo Emissor de Luz), que prometem ser mais econômicas e eficientes, causando assim, menores impactos ambientais. A nova iluminação precisou ser aprovada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, pois o monumento é tombado desde 2008. O novo sistema estabelecido antecipou também a celebração dos 80 anos do Cristo, que são completados no dia 12 de outubro deste ano. O papa Bento XVI foi o encarregado de acionar o novo sistemaà distância a partir de um dispositivo eletrônico inteligente (Lighting Control Engine). Foram usados 300 projetores de LED de última geração, que proporcionam uma iluminação muito mais forte e com uma infinidade de cores e efeitos.É importante ressaltar que esse sistema permite ainda melhor flexibilidade no gerenciamento da luz e, além disso, cada projetor pode ser controlado de forma individual, com relação às cores e à intensidade, o que permite a criação de várias cenas de luz.


Os LEDs proporcionam enumeras vantagens em relação às demais lâmpadas comuns, entre elas a de não apresentar gases tóxicos em sua composição, que poluem a atmosfera e são extremamente prejudiciais à saúde humana. O Efeito Estufa é um dos grandes problemas que afetam a sociedade atualmente e o uso dessas lâmpadas contribui de forma muito favorável para que o problema não se agrave ainda mais, assim como o Aquecimento Global. Outro benefício importante que a utilização dessas luzes ofereceé a nãoemissão de raios ultravioletas, que são a principal causa de doenças como o câncer de pele, que afeta de forma significativa a população. Segundo a empresa responsável pela nova iluminação (OSRAM), elas também consomem menos energia elétrica, porém obtémuma maior eficiência de iluminação. Em muitos países a eletricidade é produzida a partir da queima de combustíveis fósseis, e a substituição de lâmpadas comuns pelas luzes de LED significa uma economia de nove vezes menos gasesresponsáveis pelo Efeito Estufa lançados na atmosfera. A durabilidade aliada ao baixíssimo consumo de energia ajudaria a evitar novas crises energéticas, diminuindo de modo expressivo a necessidade de construção de novas usinas hidrelétricas e até de várias outras formas de geração de energia, que geralmente apresentam grande impacto ambiental, causando problemas ao ecossistema e a populações locais. A lâmpada de LED é composta por um diodo, que é um semicondutor, fabricado a partir de um material com impurezas adicionadas a ele, processo ao qual chamamos de dopagem. Isso permite que haja uma condutividade elétrica muito mais eficiente, quando comparada as outras lâmpadas. Um diodo é formado por eletrodos (polos), onde há uma seção de material tipo-N (carregado negativamente) ligado a uma seção de material tipo-P (carregado positivamente). Quando há uma voltagem aplicada, os elétrons passam a se movimentar, criando uma corrente elétrica, o que produz energia na forma de luz. Está claro que esse modo de se produzir luz não exige tanto consumo de eletricidade, por isso pode ser considerado o melhor e mais econômico sistema de obtenção de luz. Essas lâmpadas são mais resistentes a impactos e duram por um período de tempo maior por terem uma estrutura plástica protegendo-as, dessa forma,pode-se perceber que não há tanta necessidade de manutenção, tornando seu custo-benefício favorável. As


lâmpadas comuns duram de 5 mil a 10 mil horas e devem ser substituídas a cada 3,5 anos. O LED dura até 50 mil horas e precisa ser trocado, somente, a cada 17 anos. O Cristo Redentor, tendo se tornado uma das sete maravilhas do mundo, merece, mais do que nunca, o que há de mais inovador em tecnologia, mas sempre levando em consideração a sustentabilidade ambiental. Sabemos que todosos investimentosbaseados em novas técnicas não são muito baratos. Aavançada tecnologia do Diodo Emissor de Luz, por ter uma prática de uso recente, em torno de oito anos, apresenta um preço muito elevadoquando comparado ao dos demais tipos de lâmpadas.Uma lâmpada de LED com a mesma potência de uma fluorescente custa, em torno de, R$50,00, já a fluorescente recebe um valor de, aproximadamente, R$17,00. Quando comparada com a incandescente a diferença torna-se maior ainda, isso porque uma lâmpada incandescente com a mesma potência está no mercado por R$12,00. Muitas pessoas, por não terem o conhecimento da economia que essas lâmpadas geram, deixam de adquiri-las por seu alto preço. Como não recebem nenhum tipo de informação a respeito desse assunto, não têm a oportunidade de utilizar essas lâmpadas e constatar que, realmente, são de uma ótima eficiência. Por isso, o governo deveria investir na propagação dessas informações e mostrar ao público que vale a pena aderir a essa nova tecnologia. O preço da nova iluminação do Cristo não foi divulgado pela empresa responsável pelo projeto, mas levando em consideração a preservação ambiental e a economia que irá gerar, com certeza,esse investimento será vantajoso. As lâmpadas de LED são a prova de que o desenvolvimento tecnológico é a forma mais eficiente de combater o Aquecimento Global, buscando minimizar impactos ambientais, manter a qualidade de vida e atingir o desenvolvimento sustentável, preocupando-se não somente com a população, mas também com o futuro do planeta e das próximas gerações. Referências Bibliográficas http://eletronicos.hsw.uol.com.br/led1.htm http://www.revistameioambiente.com.br/2008/03/25/leds/ http://ledcotec.blogspot.com/2011/03/porque-usar-leds.html


http://empresasefinancas.hsw.uol.com.br/torre-nasdaq-marketsite.htm

“O Cristo Redentor tecnológico”  

resumo critico de fisica

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you