Issuu on Google+

De onde vem o pré-sal? Superinteressante, edição 287-Janeiro/2011, editora Abril. Giancarlo Mura Stefano Bellassai Resumo-crítico O Petróleo do Pré-sal Há 130 milhões de anos a América do Sul e a África começavam a se separar fisicamente. E, na rachadura entre os dois continentes, um caldo de matéria orgânica foi se acumulando, surgi assim o petróleo do pré-sal. Este petróleo não é um dos melhores do mundo, porém é melhor que o óleo do pós-sal, este apresenta cadeias de carbonos imensos em sua composição tornando-o mais pesado e para comercializar este óleo seria necessário mais refinamento do mesmo, o que o encareceria. Já o pré-sal foi preservado pela temperatura de 150º C, o que não permitiu proliferar as bactérias que comeriam as frações mais leves do óleo, o que aconteceu no pós-sal. De acordo com a API, Associação Americana do Petróleo, o óleo encontrado no pré-sal está classificado como médio, que significa que o petróleo não é muito leve nem muito denso aonde quanto maior sua leveza melhor o óleo. Origem do pré-sal Quando os continentes estavam se separando uns dos outros, surgiram bacias, dentre as quais são a de Campos e de Santos, que foram varridas por terremotos, cheias de rios, desmoronamentos e tempestades. A cada catástrofe, enormes fluxos de sedimentos se depositaram no funda da fenda. Assim criou-se o Lago Dantesco, onde está hoje armazenado o petróleo do pré-sal, cujo comprimento é de 800 km. Como a água armazenada neste lago continha muita matéria orgânica, como o plâncton. Conforme essa matéria se depositava, ela se misturava a finas partículas de argila, areia, calcário e conchas. Formou-se então a rocha porosa em que o petróleo está


armazenado. Porém como o planeta estava com muitos movimentos tectônicos, com o afastamento dos continentes, as águas do oceano invadiram o lago, formando um mar longo e estreito. Assim que a água salgada evaporava, acumulava uma camada de sal no leito do mar. Que com o passar do tempo atingiu uma profundidade de 2 mil metros. Este mar estreito foi se alargando e formou o Atlântico Sul. Com o calor (150º C) e a pressão da água, do leito oceânico, do sal e rochas, a matéria orgânica virou petróleo nos últimos 20 milhões de anos. Será que este petróleo é nosso? Tecnicamente sim, porém nosso governo teme perder a exclusividade dele, pois o limite para o Brasil explorar recursos é de até 200 milhas náuticas (370 km) da costa. Mas o pré-sal vai além desta barreira, então nosso governo decidiu expander o limite para 350 milhas náuticas, para isso teve que pagar certa quantidade à organização que cuida dos limites políticos mundiais. Com este aumento, o Brasil espera ficar como a 3ª maior reserva do mundo, ultrapassando o Irã, com 150 bilhões de barris, representando um aumento de 100 bilhões de barris para nosso país. Desafios para a extração do óleo. Existem vário desafios para extrair o petróleo. Aqui vão cinco deles: as ilhas flutuantes, os poderosos dutos, o antichoque térmico e o gás natural. Mas o que são todos esses problemas? As ilhas flutuantes são as plataformas de petróleo, que funcionam como navios ancorados com muita tripulação, isto custará muito caro ao país pois precisaria de uma grande quantidade de plataformas para poder tomar conta da grande quantidade de óleo presente naquele espaço. Outro problema sério, e que pode vir a encalhar o projeto é que a Petrobras não sabe como irão fazer para suas sondas perfurarem a camada de pedras e sal para chegarem à reserva do oléo. Para transportar este petróleo é necessário construir dutos que aguentem pressões de até 400 atmosferas, gases corrosivos, altas


temperaturas e grandes tensões (pelo balanço da plataforma de acordo com o movimento do mar), e tudo isso tem que ser desenvolvido a um custo baixo para dar lucro ao país. Outro desafio é o antichoque térmico, pois o oléo sai de uma temperatura de 150º C debaixo do sal, para uma temperatura de 4º C na lâmina da água- isso pode levar ao coagulamento do óleo, entupindo os dutos, para este problema é necessário achar uma solução química capaz de impedir a formação de cristais. Todos nós sabemos que junto com o petróleo vem o gás natural de brinde, isso é bom de um lado porém no quesito transporte é um imenso problema, pois para transportar este gás é necessário instalar um gasoduto oceânico, que é caro, de 300 km ou liquefazê-lonesse processo haveria perde desnecessária de energia. Conclusão O desafio do pré-sal é bem difícil e deve ser planejado muito bem, pois será algo que marcará as vidas futuras de brasileiros! Os investimentos são feitos com base em cálculos financeiros que dizem que seria vantajoso executar este projeto, os lucros trazidos pela extração deste petróleo seriam muito aproveitados pelo Brasil. Este desafio para o Brasil é importantíssimo! O slogan “Ordem e Progresso” escrito em nossa bandeira talvez se torne realidade, pois quanto mais recursos forem descobertos e devidamente explorados, mais emprego, tecnologia e qualidade de vida teremos. Referências Bibliográficas www.api.org Revista Superinteressante, edição 287, publicada em Janeiro/2011pela editora Abril.


De onde vem o pré-sal?