Page 1

“Antes restrito a idosos, zumbido no ouvido atormenta cada vez mais jovens” O Estado de São Paulo, 15 de março de 2011. Fernanda Del Nero, Natalia Campilongo e Nurya Âmbar, 3°B

Resumo Crítico “Zumbidos no ouvido estão mais comuns em jovens” Até algum tempo atrás um problema restrito a idosos ou pessoas de meia idade, o zumbido auricular, vem se tornando mais comum, até mesmo entre jovens, podendo ser causado por diversas formas. O que as pessoas não sabem, é que há meios para melhorá-lo, e por falta de informação elas pensam que viver com o problema é a única solução. De acordo com o médico e professor Ricardo Bento, “o zumbido extremo leva o paciente à depressão, atrapalha a rotina profissional e pessoal e há casos até de suicídio”. Segundo estudos, o uso inadequado de aparelhos sonoros, maus hábitos alimentares e envelhecimento, podem causar zumbido no ouvido, afetando 24% da população, em contraste com os 15 % há 15 anos. Esta causa tem consequências sérias como as estruturas presentes no ouvido interno ficarem prejudicadas, fazendo com que algumas células se danifiquem e, assim, provoquem certa perda auditiva. Há certa polêmica em relação ao uso do celular como uma possível causa do zumbido, pois existem pessoas que são mais sensíveis à radiação eletromagnética e alguns estudos afirmam que isso pode estar associado à lesão das células auditivas. A partir do momento que essas células são danificadas as sobreviventes enviam impulsos elétricos de forma acelerada e desorganizada para tentar compensar as outras, fazendo com que o cérebro interprete isso como um zumbido.


Além das causas mais comuns, pode haver diversas maneiras, curiosas e até mesmo inimagináveis, como as metabólicas, as quais originam o zumbido a partir de diabetes, alterações no colesterol e hormônios tireoidianos; as cardiovasculares com a anemia, hipertensão arterial e insuficiência cardíaca; as

neurológicas

(esclerose

múltipla

e

seqüelas

de

infecções);

as

farmacológicas; odontológicas (disfunção da articulação mandibular – ATM) e psicológicas, com estresse, ansiedade e depressão. Apesar de ser causado por várias disfunções, o barulho sonoro é o principal agente do zumbido. Em uma escala de barulho medido em decibéis, um escritório movimentado, a televisão em volume médio, a rua de médio movimento e gritos se encaixam entre 60 e 80 decibéis. A partir de 85 decibéis, começa a zona de perigo, na qual o tempo máximo de exposição não pode ultrapassar 8 horas por dia. Nessa zona, se encontram algumas das principais ações do dia-a-dia da população: aspirador de pó, fábricas, fones de ouvido, metrô, sirene e buzina, os quais possuem tempo de exposição entre 15 minutos e 4 horas. Quando há exposição a sons muito altos sejam de MP3s ou de barulhos do cotidiano que ultrapassam os 85 decibéis, ou quando se sofre de alguma patologia como foram citadas, por conseqüência acontece o zumbido: quando algumas células auditivas morrem, as vizinhas começam a mandar impulsos elétricos para o cérebro em um ritmo mais acelerado e desorganizado para tentar compensar as que morreram. O cérebro interpreta isso como um barulho. O maior problema é que a população não tem consciência do perigo de tais ondas sonoras, escutando musicas em aparelhos de som com um volume muito alto, podendo até ultrapassar os 85 decibéis. Como as pessoas são leigas no assunto, deveria se tornar obrigatória a notificação de que sérios danos podem ser causados ao ouvido, não apenas nos jornais, mas também na internet, televisão, nas embalagens dos produtos, entre outros meios de grande acesso.


Referência Bibliográfica TOLEDO, K. Antes restrito a idosos, zumbido no ouvido atormenta cada vez mais jovens. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 15 março 2011, p. A8. CAMPOS, Shirley. Zumbido no ouvido, São Paulo, 16 maio 2003, Disponível em:< http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/3459> Acesso em: 18 mar. 2011. CAMPOS, Marcos. Zumbido no ouvido, São Paulo, 11 nov. 2007, Disponível em:< http://www.revistavigor.com.br/2007/11/11/zumbido-no-ouvido/> Acesso em: 18 mar. 2011. GONÇALVES, Juliana. Zumbido no ouvido representa sintomas de diversas doenças. Londrina, Jornal de Londrina, 3 mar. 2011, Disponível em: http://www.jornaldelondrina.com.br/edicaododia/conteudo.phtml?id=862828 Acesso em: 20 mar. 2011. PATTEN, Donald. Doenças dos ouvidos. São Paulo, Disponível em: http://saude.hsw.uol.com.br/como-cuidar-de-seus-ouvidos4.htm Acesso em: 21 mar. 2011. 1,5 milhão sofre de perda auditiva causada pelo MP3, 09 nov. 2010, Disponível em: http://www.bonde.com.br/bonde.php?id_bonde=1-27--4420101109&tit=15+milhao+sofre+de+perda+auditiva+causada+pelo+mp3 Acesso em: 21 mar. 2011.

São Paulo Março 2011

Antes restrito a idosos, zumbido no ouvido atormenta cada vez mais jovens  

resumo critico de fisica

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you