Issuu on Google+

“Cientistas europeus obtêm átomos de antimatéria por longo período” Publicado em http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5169218-EI8147,00Cientistas+europeus+obtem+atomos+de+antimateria+por+longo+periodo.html

Por Thiago Mayllart Macedo Silva Fernando Momensso Resumo Crítico “A antimatéria e sua revolução no modo de obtenção de energia” Atualmente vivemos num mundo que não possui recursos naturais infinitos. Demoramos em perceber isso e uma vez que percebemos, não alteramos nossa perspectiva e ainda assim continuamos desperdiçando grande número destes recursos, muitos sob a forma de energia. Em razão da escassez de recursos naturais para serem transformados em energia, cientistas estão cada vez mais procurando alternativas para manterem os mesmos padrões de vida que temos hoje, ou até melhores. Um exemplo disso é o pré-sal, que está sendo explorado em razão da obtenção de petróleo em grandes quantidades para servir de combustível. Entretanto, é fato que este petróleo irá acabar, e levarão mais alguns milhões de anos para se formar mais, e os cientistas já sabem disso. Sabendo que muitas de suasformas de obtenção de energia estão se tornando obsoletas devido à escassez da matéria-prima formadora da energia, pesquisadores estão decidindo optar por projetos de obtenção de energia renovável ou em enormes quantidades. No dia 5 de junho, o site www.terra.com.br publicou uma matéria muito interessante à respeito da antimatéria. Esta notícia divulgava que os cientistas haviam avançado ainda mais na criação em laboratório de antimatéria, pois desta vez haviam conseguido estabilizar cerca de 40 antiátomos de anti-hidrogênio por 16 minutos, uma marca recorde. De acordo com a notícia, o objetivo de produzir átomos de antimatéria é descobrir se e por que o universo é composto apenas de matéria, sendo que no momento do Big Bang, quantidades iguais de matéria e antimatéria foram criadas, além disso, no final deste ano já teremos as medições dos antiátomos e suasestruturas, podendo ser comparados com átomos comuns. Esta notícia publicada no site do Terra, apresenta uma grande carência de informações, justamente pelo fato de que muitos de seus leitores são interessados na área de política e não de ciências, fazendo com que os escritores das matérias não deem tanto enfoque na publicação de matérias sobre este tema. Além disso, muitos dos conceitos discutidos são citados diversas vezes, mas são explicados de modo extremamente superficial e pouco aprofundado, contendo algumas vezes informações óbvias e incompletas, como por exemplo, ao definir o que é um antiátomo: “A matéria e a antimatéria são idênticas, mas com cargas elétricas opostas, e se aniquilam quando entram em contato”. Outro fator que prejudica a


qualidade da notícia do Terra é o fato do objetivo de estudar e conhecer a antimatéria não ser exatamente esclarecido. É óbvio que cientistas querem descobrir os “mistérios do Universo”, mas ainda assim, há um motivo para o estudo da antimatéria, não apenas para descobrir o passado, mas para criar o futuro. Devido a falta de informações em relação à antimatéria é necessário abandonar o site do Terra em busca de outros, que expliquem o que é a antimatéria em suma, a sua possível aplicação, e possuam a mesma notícia com uma maior riqueza de dados, como por exemplo, o processo pelo qual os cientistas conseguiram capturar os antiátomos, não especificado anteriormente. No caso, realizaram o experimento à vácuo, de forma que o antiátomo fosse isolado e através de campos magnéticos nos túneis do colisor de partículas (CERN), este se manteve estável e parado. Após a pesquisa, algumas dúvidas acerca da antimatéria já seriam esclarecidas e algum conhecimento também seria obtido, por exemplo, como a ideia de antimatéria surgiu. No caso, Paul A.M. Dirac foi o grande idealizador, que ao revisar a fórmula de Einstein, E=mc², dizendo que a massa poderia também ser negativa, possibilitou a elaboração de teorias, modelos e atualmente, experimentos envolvendo antimatéria. Além disso, a composição da antimatéria também já teria sido aprendida: antiprótons, são prótons com carga negativa ao invés de uma carga positiva; pósitrons, elétrons com carga positiva ao invés de negativa; e o antinêutron, que possui um campo magnético contrário ao seu nêutron correspondente, além de ser composto por dois antiquarks up e um down. A notícia do Terra nos divulga que a matéria e antimatéria se aniquilam ao colidirem, entretanto, não nos diz o que é liberado desta colisão. Apenas após uma pesquisa conclui-se que o que é liberado é energia, mas não uma energia comum, uma energia pura, visto que toda a matéria e toda a antimatéria são transformadas em energia, ou seja, seria a melhor forma de obtenção de energia já criada, pois não haveria perda nenhuma da mesma. Novamente a notícia do Terra é falha pois se a colisão de antimatéria com matéria gera a formação de uma enorme quantidade de energia, há um enorme acervo de possibilidades para a utilização desta energia, o que não é mencionado. Após novamente a necessidade de uma pesquisa, desta vez sobre os recursos da antimatéria, percebe-se que já há um desenvolvimento de motores utilizando antimatéria, o que seria genial, pois motores simples utilizariam uma mínima quantidade de antimatéria para moverem carros, por exemplo, e as grandes quantidades seriam utilizadas para as viagens espaciais, o que faria com que naves viajassem em uma velocidade muito superior a de hoje, e em teoria, poderiam chegar até mesmo à velocidade de dobra espacial, ou seja, poderiam distorcer o espaço-tempo, fazendo com que a distância entre seu ponto de partida e seu destino seja encurtada. Infelizmente há um grande problema em relação à construção destas naves, visto que ainda não é certeza a forma como a antimatéria seria estabilizada e armazenada, e como a energia liberada do conflito antimatéria e matéria seria manipulada, pois ela poderia facilmente destruir uma espaçonave. O que podemos concluir é que o site do Terra é um site direcionado para leigos e não especialistas no assunto, devido ao fato de fornecer uma notícia com uma visão superficial, apresentando conceitos, mas necessitando de uma pesquisa prévia para compreendê-los. Além disso, podemos perceber que há um real objetivo ao divulgar esta matéria, não apenas por curiosidade dos fanáticos pela ciência, mas pelo fato de promover uma ideia. Esta notícia


promove a ideia de que a antimatéria é futuro e que já existem projetos para ela, portanto, é algo como um marketing, pois ao promover algo assim, alguém pode investir, o que seria algo muito bom para ambos os lados, pois dessaforma a obtenção de energia quase não iria agredir o meio ambiente e traria um ótimo retorno ao investidor. Ou seja, esta notícia é de fato uma notícia que pode ser vista como curiosidade, mas também, como um marketing de pesquisas científicas. Referências Bibliográficas: HowStuffWorks – O que é antimatéria? Disponível em: http://ciencia.hsw.uol.com.br/antimateria1.htm Em busca da antimatéria. Disponível em: http://super.abril.com.br/superarquivo/1988/conteudo_111015.shtml Físicos conseguem capturar antimatéria por 16 minutos. Disponível em: http://hypescience.com/fisicos-conseguem-capturar-antimateria-por-16-minutos/ Cientistas europeus obtêm átomos de antimatéria por longo período. Disponível em: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5169218-EI8147,00Cientistas+europeus+obtem+atomos+de+antimateria+por+longo+periodo.html Cientistas conseguem capturar átomos de antimatéria. Disponível em: http://www.sintoonize.com/2010/11/cientistas-conseguem-capturar-atomos-de.html? utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+Sintoonize+ %28Sintoonize%29 Alunos: Thiago Mayllart Macedo Silva

n° 22

1° D

Fernando Momensso

1º D


Cientistas europeus obtêm átomos de antimatéria por longo período