Page 1

Japão: Tecnologia salvou e ainda salva vidas MSN Brasil (http://techguru.com.br/japao-tecnologia-salvou-e-ainda-salva-vidas) 14 de março de 2011 – 18:30 Anna Victória Fetsis nº4

2ºA

Renata Proença nº24

Tecnologia ajuda Japão durante o terremoto A reportagem feita pela equipe Techguru do site Msn Brasil no dia 14 de março de 2011, explica como a tecnologia ajudou o Japão durante o terremoto. A reportagem explica como funcionam alguns dos sistemas desenvolvidos, ainda que faltem dados gerais do terremoto e do tsunami, ou seja, informações mais relacionadas à física, como por exemplo, a velocidade da onda do tsunami.

Um dos sistemas do Japão, disponível apenas para funcionários do governo


A reportagem aponta que a tecnologia no Japão salvou e ainda salva milhares

de

vidas.

O

desenvolvimento

econômico

do

país

ajuda

financeiramente o desenvolvimento tecnológico, já que esses sistemas criados são de custo muito elevado (Bilhões de dólares por ano). Além do desenvolvimento econômico, outro fator que ajuda na segurança das pessoas é a educação. Desde a escola primária, as crianças são preparadas para sobreviver a algum desastre natural. Este preparo com antecedência é de grande importância, pois ajuda a população a ter autocontrole durante o acontecimento. Se adotássemos esta prática no Brasil, menos perdas sofreríamos quando algo, como enchentes e assaltos, acontecesse. Como o Japão não é o único que sofre com estes incidentes, recebe ajuda dos EUA na questão financeira e tecnológica. Com esta união, foi criado um excelente sistema, chamado de E-Defense, que ajuda os prédios a resistirem a terremotos e tsunamis através de um conjunto de amortecedores que é acionado automaticamente assim que sensores localizados abaixo da base do prédio detectam as ondas de choque antes da fase mais crítica. Quando estas são detectadas, os amortecedores criam um mecanismo de contrabalanceamento movido por molas ou por macacos hidráulicos. Esse mecanismo demora menos de um minuto para contrabalancear o prédio inteiro.


Central de testes do E-Defense

Sistema subterrâneo do E-Defense

Foi criado também um programa que, com ajuda de mil sismógrafos muito sensíveis espalhados por todo o país, avisa com um minuto de antecedência a população que têm menos de um minuto para sair antes da onda chegar, e para o governo, esta informação chega em questão de segundos. Estes sismógrafos consistem em uma bobina que envolve um imã pendurado em uma mola. Quando ocorre um terremoto, o imã balança e produz na bobina uma corrente elétrica. Essa corrente é transmitida através de cabos para o sismógrafo, onde dentro existe uma espécie de caneta que, acionada pelos impulsos elétricos, move-se por um cilindro de papel compondo os sismogramas (gráficos pelos quais se analisa o terremoto).


Sismograma Ditático

Sismograma Japão 2011

Para espalhar rapidamente os alertas que os sismógrafos mandam para o governo, a Agência Meteorológica do Japão e a imprensa desenvolveram um sistema que coloca os avisos nas telas da TV assim que eles são recebidos, ou seja, em tempo real. Para bancar toda essa tecnologia e sua manutenção, o Japão gasta aproximadamente US$ 20 milhões (R$ 33,2 milhões) por ano. Segundo o especialista Hirohito Naito da Agência Meteorológica do Japão, “O sistema funcionou muito bem, porque os alertas foram mostrados em redes de televisão por todo o país”. Em Tóquio, o primeiro choque foi sentido cerca de um minuto depois do alerta. Apesar de muitas pessoas acharem esse tempo


muito pequeno, ele é suficiente para pessoas que foram ensinadas desde a escola primária como se preparar e se proteger.

Um dos mapas das áreas atingidas pelo terremoto que mostrou na TV Japonesa

Legenda do mapa: área verde – menos afetada pelo terremoto/tsunami, área vermelha – mais afetada pelo terremoto/tsunami


Essas tecnologias ajudaram os japoneses a preverem as ondas. Uma onda sísmica do terremoto viaja a uma velocidade muito grande, sendo capaz de cruzar a Terra em 20 minutos. Essa onda sísmica tem a capacidade de chegar muito antes de uma onda oceânica. Quando ocorre um terremoto no oceano, há uma grande chance de acontecer consequentemente um tsunami. Quanto mais próxima da praia, a onda do tsunami reduz seu comprimento e aumenta sua amplitude. A velocidade com que a ela pode se propagar é mais ou menos 800 Km/h. No Japão, a onda do tsunami tinha 10 metros de altura e chegou a uma velocidade de 720 Km/h, ou seja, 200 m/s. Essa velocidade pode aumentar, pois a onda pode adquirir muita força e percorrer mais milhares de quilômetros através de tremores seguintes.

Energia das ondas provocadas pelo terremoto

Com todos esses desastres ocorrendo no Japão, pessoas do mundo todo se mobilizaram para ajudar aos que mais necessitam. Por isso, grandes empresas como a Google, criaram meios de comunicação mais rápidos e


eficientes, como por exemplo, o Person Finder. O programa funciona como um quadro de mensagens e um diretório. Através dele, pessoas do mundo todo podem procurar por parentes e amigos, além de escrever sobre informações e dados que possuem. Assim, o banco de dados é constituído de informações que os próprios voluntários postam. Este serviço além de já ter comprovado ser muito útil em outros desastres, como por exemplo, no terremoto do Haiti em janeiro de 2010, foi desenvolvido a partir do trabalho feito após a passagem do furacão Katrina que devastou a cidade de New Orleans, em 2005. O Person Finder, com base apenas no terremoto do Japão de 2011, lista mais de 7.200 registros, que tende a aumentar todos os dias. Estes registros estão disponíveis para todos os públicos, porém não é tão fácil verificá-los, devido ao grande número de pessoas que entram no site, sobrecarregando-o.

Programa Person Finder da Google

Além do Person Finder, a Google também criou O Centro de Crisis do Google, que mostra mapas do terremoto, as últimas notícias relacionadas, listas de ligações aos centros de aviso, quadros de desastres e informações sobre trens disponíveis e apagões.


Centro de Crisis do Google após a busca

Apesar de milhares de pessoas terem morrido, muitas outras foram salvas graças a estes fantásticos sistemas tecnológicos, que tendem a se desenvolver cada vez mais.

Vídeos relacionados ao E-Defense: http://www.youtube.com/watch?v=HSl5fz9gF48 http://www.youtube.com/watch?v=z9oaeBcXKU4 http://www.youtube.com/watch?v=O2XMfOXVOvo http://www.youtube.com/watch?v=W4nLwwXhEag&NR=1 http://www.youtube.com/watch?v=uF8Fy9KAlis

Referência Bibliográfica:


Equipe Techguru. Msn Brasil, São Paulo, 14 de março de 2011. Disponível em: <http://techguru.com.br/japao-tecnologia-salvou-e-ainda-salvavidas> Acesso em: 19 de março de 2011. Uol Notícias. São Paulo, 11 de março de 2011. Disponível em: <http://noticias.uol.com.br/ultimasnoticias/internacional/2011/03/11/monitoramento-das-placas-tectonicas-edeterminante-para-poupar-vidas-em-terremotos-diz-cientista.jhtm> Acesso em: 07 de abril de 2011. Abril

Supermundo.

São

Paulo,

Edição

36.

Disponível

em:

<http://super.abril.com.br/superarquivo/1990/conteudo_112228.shtml> Acesso em: 07 de abril de 2011. Info Escola. São Paulo, 11 de março de 2011. Disponível em: <http://www.infoescola.com/japao/tsunami-no-japao-2011/> Acesso em: 07 de abril de 2011. In formação. São Paulo, 11 de março de 2011. Disponível em: <http://informacao.blog.br/2011/03/video-recente-tsunami-japao-11032011momento-em-que-a-onda-se-forma/> Acesso em: 07 de abril de 2011. Internacional. São Paulo, 11 de março de 2011. Disponível em: <http://www.tvi24.iol.pt/internacional/japao-sismo-tsunami-ondas-terramototvi24/1238667-4073.html> Acesso em: 08 de abril de 2011 Colégio Horizonte. São Paulo, 20 de março de 2011. Disponível em: <http://horizonte.forumeiros.com/t89-a-fisica-do-tsunami-no-japao-roteiro-paraum-analise-fisico-matematica> Acesso em: 08 de abril de 2011

Japão: Tecnologia salvou e ainda salva vidas  

resumo critico de fisica.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you