Issuu on Google+


      

Falta ou problemas de comunicação? Falta de clareza, foco e objetivos comuns? Metas e indicadores de desempenho que não são compartilhadas? Ambiente de trabalho tenso? Métodos de trabalho inadequados? Processos que necessitam ser atualizados? Grupos de pessoas ou equipes de trabalho?


 Tal

como num time de futebol ou seleção não basta haver profissionais de grande valor se não são unidos, não se entendem e não jogam efetivamente em conjunto com o máximo de garra, dedicação e colaboração mútua, assim também numa organização.


Um grande desafio é unir as pessoas e as diversas áreas (existe desafio maior?) que compõem uma empresa. Aliás, uma colocação oportuna: para jogar bem, como um bom time, uma ou duas vezes por semana, os jogadores treinam a semana inteira. E nas empresas? Para atuar a semana inteira, trabalhar bem em conjunto e atingir os gols, quanto tempo as pessoas treinam juntas? ???


O Coaching é um poderoso processo para apoiar as pessoas e conseqüentemente, as organizações a obterem melhores resultados. O termo, “Coach” proveniente do inglês, tem origem no mundo dos esportes e designa o papel de professor, treinador, preparador, facilitador, o “técnico”, como conhecemos. No Coaching não estamos falando apenas de competências técnicas ou capacidades específicas, das quais um bom programa de treinamento poderia dar conta perfeitamente. Coaching é mais do que treinamento, pois o ”Coach” permanece com a equipe até que ela produza resultados.


A função do Coaching é apoiar mudanças profissionais significativas através de planos de ação específicos. As principais atribuições do “Coach” são o seu compromisso com a realização, performance e desempenho dos seus “Atletas”. Seu foco é acompanhar a evolução das equipes , dando todo o suporte e estimulando-as a avançar até a conquista dos seus alvos profissionais.


“ Atletas em Geral” Empresas, Setores, Departamentos ou Equipes de Pequenas, Médias ou Grandes empresas que estejam vivendo novos desafios ou momentos de mudança. O Coaching se destina a grupos que buscam melhorar o seu desempenho e performance atingindo metas específicas, passíveis de medição e com prazo determinado. O Coaching de Grupo oferece um acompanhamento personalizado onde serão tratadas as questões que dificultam o alcance dos objetivos e metas grupais; ou interferem diretamente nos resultados e no desempenho do grupo.


› Elaboração e condução de diagnósticos e projetos específicos para mudança com base em indicadores. › Estabelecimento do FOCO, priorização de metas e tomada de decisões. › Organização e execução de tarefas conforme a prioridade. › Desenvolvimento, condução, gerenciamento e operacionalização de Planos de Ação práticos. › Desenvolvimento de Visão de Futuro e elaboração participava de objetivos práticos para concretizá-la. › Administração de equipes e conflitos. › Organização do ambiente de trabalho › Otimização de recursos e eliminação / redução de desperdícios. › Melhoria de processos e padronização › Auto desenvolvimento de competências empreendedoras › Motivação de Equipes para resultados.·


De uma forma sistêmica, através de atividades e ferramentas estruturadas (dinâmicas de grupo, jogos cooperativos, círculos de diálogo) em pequenos grupos (coaching de grupo com as áreas / setores)


Um sistema é um conjunto de dois ou mais componentes inter-relacionados e interdependentes – os sub-sistemas – cuja dinâmica se dirige para um objetivo comum.  É a organização do sistema que confere identidade ao conjunto. 


A organização determina as características essenciais dos sistemas. Diz como o sistema está configurado (de forma saudável, ou não). A estrutura mostra como as suas partes se interligam fisicamente. Mostra concretamente as partes, como elas se interligam e como o sistema se comporta. A estrutura pode variar sem que isso desorganize (desintegre) o sistema.


Nesta linha, a mudança significa alterações estruturais, que levam a uma recomposição dos elementos internos dos sub-sistemas – e daí a novas formas de funcionamento.  A equipe pode, e muitas vezes precisa mudar sem que seus propósitos e razão de existir se alterem profundamente. 

Adaptado da pág. 71 – Humberto Mariotti

12


Situação A

Situação B

13


14


Planejamento

Ações Corretivas

Cooperação

Ação / Execução

Verificar os Resultados / Atualização

15


Visão compartilhada

(metodologia participativa)

Resultados SMART Tarefas - PDCA

eSpecíficos Mensuráveis Atingíveis Relevantes Temporais.

16


A Metodologia Participativa propicia o desenvolvimento e a integração das diversas dimensões do Ser Humano conforme os Pilares da Educação da UNESCO:

Dimensão CONHECER  Dimensão FAZER  Dimensão CONVIVER  Dimensão SER 

17


Conhecer

Fazer

Tornar a realidade do aprendizado significativa. Desenvolver a capacidade crítica. Desenvolver a capacidade de comunicação. Aprimorar a capacidade de processamento, ordenação e elaboração da informação.

Facilitar a passagem da idéia para a ação. Desenvolver o hábito de prever futuros possíveis. Aprender com a própria experiência. Desenvolver a auto-disciplina na execução das tarefas.

18


Conviver Favorecer a comunicação inter grupal e o trabalho em equipe. Desenvolver atitudes de respeito ao posicionamento dos demais. Desenvolver o sentimento de pertencer a um grupo. Desenvolver atitudes de colaboração, convivência, solidariedade, justiça e democracia

Ser Favorecer a compreensão da integridade do ser. Propiciar o sentimento de autoestima e de realização. Potencializar a flexibilidade, a fluidez, a originalidade, a espontaneidade e a sensibilidade – condições essenciais para o pensamento criativo. Potencializar a manifestação e o posicionamento próprios.

19


É focado na melhoria das relações interpessoais, organização dos papéis e responsabilidades, equilíbrio das trocas, inclusão, integração e realização das metas da equipe. 20


O processo de coaching tem começo, meio e fim. Tem como etapas: 1 - Mapeamento inicial / Diagnóstico - Acordo entre as partes, definição da logística. - Avaliação do contexto. - 2 - Objetivos - Definição clara do que se quer atingir. - Como saberemos se o objetivo foi atingido? 3 - Plano de ação( planejamento estratégico) - Datas e prazos para cumprimento do plano. 4 - Fechamento/avaliação - Feed back. 21


É um processo sob medida que proporciona o atendimento das necessidades específicas do grupo naquele momento dentro do seu contexto.  É um processo flexível no qual o gestor poderá definir freqüência, duração, conteúdo e metas. 

22


Nos encontros, o objetivo é facilitar o processo de interação da Área para a própria Área. › Conhecer sua realidade, isto é, analisar aspectos externos e internos, de forma a identificar, basicamente, quais as escolhas e caminhos a serem percorridos. › Conhecer o que precisa ser mudado - tendo sempre em mente os objetivos e o diagnóstico das necessidades. › Estabelecer os objetivos de mudanças. › Avaliar os resultados, isto é, analisar se o processo vem se efetivando, a fim de realimentar o planejamento.

23


Objetivos: Identificar com clareza e formalmente os principais problemas da Equipe.  Estabelecer de forma participativa os objetivos estratégicos para que todos tenham um senso de único de direção e propósito.  Exercitar de forma prática o envolvimento, a participação, a comunicação, a negociação interna e a motivação na busca e implementação de soluções para o funcionamento saudável da equipe e o alcance de seus objetivos.  Servir como base para determinar o conteúdo dos próximos encontros . 

24


O processo de coaching tem uma duração de 4 a 16 sessões. Poderá ter uma duração maior dependendo dos objetivos e do que for acordado entre as partes.  O processo acontece através de reuniões em pequenos grupos ou em equipes com até 15 participantes, com freqüência, semanal ou quinzenal. 

25


Registros utilizados: › Atas de Reunião

formalizando os assuntos, decisões e ações para a próxima reunião. › Avaliações de Desempenho dos resultados obtidos com o grupo. 26


CRISTIANE MOREIRA - AGOSTO DE 2010 GERENTE DO DEPARTAMENTO FISCAL DA PAULICON CONSULTORIA CONTÁBIL – www.paulicon.com.br " A consultoria chegou ao departamento fiscal quando a equipe estava totalmente desunida e desmotivada. Foi e está sendo muito importante para todos. Com a consultoria podemos entender o que é ser e fazer parte de uma equipe, onde todos devem se ajudar e trabalhar para o mesmo objetivo. O clima está mais "leve". Houve várias melhorias, mas na minha visão, a mais importante é a mudança de alguns colaboradores. Um deles, por exemplo, está mais responsável, se preocupa mais com a equipe, está mais focado no todo, em como pode ajudar para melhorar a qualidade dos serviços.Outro, está mais interessado em aprender e a se desenvolver. Desde que iniciou-se os trabalhos, o departamento fiscal está mais unido. Claro que ainda temos muito o que fazer e melhorar melhorar. Uma pequena melhoria por dia faz toda a diferença no final. " 

DAIANA FERNANDES - MAIO DE 2010 GERENTE FINANCEIRA DA NAUTILUS - www.nautilus.ind.br “Competência, conhecimento, postura...” São apenas alguns atributos que definem Cristiane Gantus, uma profissional empenhada, ativa e cheia de idéias. Os projetos que ela se propôsa realizar em nossa empresa foram um sucesso, não só atingiram os objetivos propostos como motivaram nossos colaboradores a buscar sempre a qualidade total. Eu recomendo! 

27


Irmãos Perfeito  Paulicon Consultoria Contábil  Transpetro – Petrobrás  Senac – Unidade Francisco Matarazzo  Senac – Núcleo de Gestão e Planejamento  Altana Pharma  Medley  Fresenius Medical Care  Nautilus  Votorantim Celulose e Papel entre outros 

28


CRISTIANE GANTUS ENCINAS  Administradora de Empresas com Especialização coordenação de grupos de grupos pela SBDG – Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos – e cursando pós-graduação em Jogos Cooperativos pela UNIMONTE.  Coaching em Inteligência Estratégica atendendo executivos e em empresas nacionais e multinacionais  14 anos de Experiência em Consultoria:  Planejamento Estratégico  Implantação de Qualidade  Planejamento e Projetos Participativos  Diagnóstico Empresarial  LIVROS PUBLICADOS:  Gestão Organizada: A chave para a Eliminação do Desperdício, Tecmedd Editora, 2003  Possibilidades de Futuro : Educação Ambiental, Cidadania e Projetos de Transformação com apoio da USP em São Paulo, Tecmedd Editora, 2004  No Foco do Cliente – Projeto de Capacitação de Colaboradores da Votorantim Cimentos, 2003  Gestão pela Qualidade Total – Projeto de Capacitação de Fornecedores da Votorantim Celulose e Papel – VCP

29


 

     

     

CONSULTORIA E PROJETOS REALIZADOS DE 2000 A 2007: SEBRAE-SP - Projeto Líder Cidadão e IDEAL - Responsável pelos módulos de Planejamento e Negociação (incluindo repasse da metodologia para outros consultores do Sistema) PGE – Procuradoria Geral do Estado de SP (Implantação dos 5 S s) 2002 VOTORANTIM CIMENTOS ( treinamento para os colaboradores da área de logística em todo o território nacional em Qualidade em Atendimento) 2003 ACE – Associação Comercial de Guarulhos (consultoria de Planejamento Estratégico) 2004 CEUNSP – Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio – Assessora em Gestão da Pró Reitoria Administrativa, de outubro de 2005 a abril de 2007. ALTANA PHARMA – (consultoria em gestão pela Qualidade), 2005 BID / PNUD / PROMUS / SEBRAE NACIONAL – Avaliadora do Projeto APL – Arranjos Produtivos Locais, Brasília – 06 FREZENIUS MEDICAL CARE – (consultoria em gestão pela Qualidade), 2007 MEDLEY – (Short Learning), 2007 SENAC SP – (Coaching de Grupo) – Equipes GPG – Gerência de Planejamento e Gestão e Unidade Francisco Matarazzo), 2007 COORDENAÇÃO E EXECUÇÃO DE CONVENÇÕES: Funzionalle Móveis modulares – “ Planejamento Estratégico para 80 Participantes com duração de 60 horas CEBRAC – Diagnóstico participativo, Planejamento Estratégico para 140 pessoas, “Todos juntos plantando um só objetivo” com duração 60 horas

www.cristianegants.com.br

30


www.omundoedequemfaz.com Fones: 11 9845.4761 /19 3896.4443

OBRIGADA!

31


coaching de grupo