Page 1

nº 320 • novembro 2013

Fundação Odebrecht: transformando vidas e sonhos de jovens Odebrecht TransPort conquista o 15º ativo

Baixo Sul da Bahia terá Estrada Parque requalificada

Integrantes reúnem-se para o 1º Encontro da Comunidade de Conhecimento de Agronegócios


sumário nº 320 • novembro 2013

6

FUNDAÇÃO ODEBRECHT: 25 ANOS APOIANDO JOVENS TALENTOS

expediente ODEBRECHT NOTÍCIAS é um informativo eletrônico quinzenal, enviado às quartas-feiras, de circulação interna, produzido e editado pela equipe de Comunicação da Odebrecht S.A. PRODUÇÃO E EDIÇÃO DE CONTEÚDO: Fabiana Cabral e Bárbara Rezendes FOTOS: Arquivo Odebrecht ARTE: Criativos JORNALISTA RESPONSÁVEL: Fabiana Cabral SUGESTÕES: fabianacabral@odebrecht.com brezendes@odebrecht.com DISTRIBUA O ODEBRECHT NOTÍCIAS EM SUA EMPRESA!

C DE IMPORTA


FOZ LEVA SEUS SERVIÇOS A GOIÁS E AMPLIA O SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO ESTADO

COMUNIDADE DE CONHECIMENTO E AGRONEGÓCIOS: INÍCIO DE UMA ANTE TROCA DE CONHECIMENTO

26 4

ODEBRECHT TRANSPORT A SERVIÇO DA MOBILIDADE PAULISTANA

14

RÁPIDAS

30 PRÊMIOS 35 PESSOAS 56 AÇÕES SOCIAIS 60 BAIXO SUL GANHA APOIO

DO EXÉRCITO BRASILEIRO PARA REQUALIFICAÇÃO DA ESTRADA PARQUE

PRÓXIMA EDIÇÃO:

4

DEZEMBRO

50


especial

Odebrecht TransPort movimenta São Paulo com a conquista de novo ativo

A

Odebrecht TransPort foi declarada pelo Governo do Estado, em novembro, vencedora da licitação para a construção e operação da Linha 6 Laranja do Metrô de São Paulo, por meio do Consórcio Move São Paulo – formado com a Queiroz Galvão, UTC e um Fundo de Investimentos com participação dos mesmos grupos econômicos. Em seu 15º ativo, o quinto em Mobilidade Urbana, o Negócio assume o compromisso de contribuir para melhorias no transporte da cidade, oferecendo agilidade, conforto e segurança aos passageiros.

4

A MAIOR, A SERVIÇO DA COMUNIDADE Além da construção, estimada em seis anos, o consórcio será responsável pela compra de equipamentos e a operação da linha, na primeira e maior Parceria Público-Privada (PPP) integral de transporte do Estado de São Paulo. “A data de hoje é histórica para o processo de desenvolvimento da mobilidade urbana em São Paulo. O consórcio é formado por empresas de peso. Nossa expectativa é que a obra seja entregue antes do prazo”, destacou o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.


O contrato do Consórcio Move São Paulo com o Estado prevê a atuação durante 25 anos. Serão seis anos de implantação e 19 de operação e manutenção, com investimento de R$ 8,9 bilhões. A previsão é que as obras tenham início em 2014

O metrô ligará a zona norte da capital (Brasilândia) à região central (São Joaquim), em 15,5 quilômetros e 15 estações. A estimativa é que a linha atenda 634 mil passageiros por dia, em um percurso que poderá sem feito em até 27 minutos. “Vamos imprimir nesta nova linha do metrô de São Paulo duas marcas características da Odebrecht: a entrega no prazo certo e a qualidade dos serviços para a população”, ressaltou Paulo Cesena, diretor Executivo da Odebrecht Transport.

DIVERSIDADE QUE AGREGA EXPERIÊNCIAS Criada em 2010, a Odebrecht TransPort integra 4.200 pessoas, atuando em três áreas: Mobilidade Urbana, Rodovias e Sistemas Integrados de Logística. Além da Linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo, a empresa tem em seu portfólio outros 14 ativos. Com a SuperVia, opera

trens urbanos na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, e na ViaQuatro, é responsável pela Linha 4 - Amarela do Metrô de São Paulo. A Otima responde por projetos de mobiliário urbano na cidade de São Paulo. O VLT Carioca (Veículo Leve sobre Trilhos) ligará a Zona Portuária ao centro do Rio de Janeiro e ao Aeroporto Santos Dumont. Com a ConectCar, trouxe ao mercado brasileiro um novo meio de pagamento eletrônico de pedágios e estacionamentos. As Rota das Bandeiras, Rota dos Coqueiros, Bahia Norte, Rota do Atlântico, CLN (Concessionária do Litoral Norte) e ViaRio são rodovias administradas pelo Negócio, localizadas no Sudeste e Nordeste do país. Na operação da Embraport e LiquiPort, levou a São Paulo e Espírito Santo, respectivamente, novas opções de terminais portuários. Com a Logum, irá oferecer sistemas integrados de logística de etanol, cujo poliduto atenderá cinco Estados brasileiros.

5


capa

O resultado das diversas parcerias da Fundação Odebrecht com entidades governamentais e não governamentais, ligadas aos setores de educação, trabalho, cultura e turismo, beneficiou cerca de 500 mil crianças e adolescentes em diversos Estados, até 2002. Na foto, jovens da Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves em aulas práticas

6


“O

que aprendemos quando jovens levamos para toda a vida”. A afirmação de Rafael Santos, que em 1999 participou do Programa Pacto do Sítio do Descobrimento pela Educação, reforça a importância de potencializar o aprendizado da juventude. O Pacto do Sítio está entre os diversos projetos desenvolvidos pela Fundação Odebrecht, que, criada em 1965, há 25 anos definiu o jovem como foco de sua atuação, assumindo a missão de educar para a vida, pelo trabalho, para valores e limites. A decisão de fazer “com o jovem” e não “para o jovem”, entendendo-o como parte da solução, é denominada Protagonismo Juvenil. O termo foi batizado pelo professor Antonio Carlos Gomes da Costa e, atualmente, é considerado um patrimônio do Terceiro Setor. Maria Adenil Vieira, coautora do livro Protagonismo Juvenil, escrito em parceria com Costa e lançado em 2000 pela Fundação Odebrecht, esclarece que focar na juventude foi resultado de um movimento denominado “Onda Jovem”. “Pesquisas revelaram que o Brasil

7


viveria esse fenômeno entre os anos de 2005 e 2025: a população entre 15 e 24 anos seria maioria no Brasil”. Segundo Adenil, o jovem precisaria estar preparado para uma atuação competente, solidária e responsável. Buscando inserir-se nesse contexto e desenvolver metodologias e estratégias de intervenção social, a Fundação Odebrecht apoiou cerca de 50 projetos direta e indiretamente entre 1988 e 2002 em todo o país. Os temas variavam entre voluntariado, trabalho, educação e sexualidade. Uma das iniciativas foi o Pacto do Sítio – criado para garantir a entrada, permanência e sucesso na escola de crianças e adolescentes dos municípios baianos de Belmonte, Eunápolis, Porto Seguro, Prado e Santa Cruz Cabrália. Rafael Santos foi um dos participantes e afirma que as ações contribuíram com a mudança no seu modo de se relacionar com as pessoas. “Obtive conhecimentos diversos que enriqueceram minha cultura e minha convivência em toda comunidade. Senti que esse aprendizado fez toda a diferença”. Em 1999, a Fundação Odebrecht ajustou sua atuação para microrregiões da Bahia, Ceará e

8

Pernambuco, com baixos Índices de Desenvolvimento Humano e fora do eixo dinâmico da economia do Brasil. Para isso, uniu-se ao Instituto Ayrton Senna, Fundação Kellogg e Banco Nacional para o Desenvolvimento Econômico


e Social (BNDES) para instituir o Programa Aliança com o Adolescente pelo Desenvolvimento Sustentável no Nordeste. Durante o período de seis meses, Miquéias Reale, 30 anos, natural da comunidade de Moenda, em

Presidente Tancredo Neves (BA), participou do programa com outros 28 jovens da mesma idade. Para ele, essa foi “uma das maiores contribuições para a mudança de visão sobre o mundo e sobre si mesmo”, relembra. A experiência

Estudantes da Escola Estadual Casa Jovem II durante aula na unidade de ensino

9


permitiu que Miquéias Reale, na época com 16 anos, soubesse o que queria no futuro. “Abri minha própria empresa, especializada em tecnologia da informação e manutenção de computadores”, destaca.

10

Em janeiro de 2002, para valorizar o patrimônio acumulado no programa e permitir a continuidade, execução e integração dos resultados alcançados, além de assegurar a reaplicação da experiência no futuro, a Fundação Odebrecht contribuiu


As Casas Familiares e o Construir Melhor já foram responsáveis pela formação de 650 jovens da zona rural. Outros 367 estão em formação. Na foto, aluna da Casa Familiar das Águas alimenta peixes durante aula prática

UM NOVO OLHAR SOBRE O CAMPO O amadurecimento e evolução das ações no Baixo Sul da Bahia deram origem ao Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade

para a criação do Instituto Aliança. No ano seguinte, passou a concentrar, exclusivamente, seus esforços no Baixo Sul da Bahia, com a perspectiva de contribuir para a formação de uma nova geração, mais consciente e capacitada.

do Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS), fomentado com o apoio de parceiros públicos e privados. O desafio é tornar próspera e dinâmica uma área rural com grande patrimônio ambiental, fixando os jovens talentos no campo. Promover a educação de qualidade e incentivar a formação de novos empresários rurais é uma das premissas do PDCIS. Para isso, foram implantadas unidades de ensino que trazem conceitos pedagógicos fundamentados nos quatro pilares da educação, divulgados em 1996, no relatório para a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) – coordenado pelo economista Jacques Delors – que são: aprender a ser, a conviver, a fazer e a conhecer. As Casas Familiares Rurais, por exemplo, oferecem o ensino profissional técnico integrado ao nível médio.

11


Déborah da Silva, 25 anos, estudou na Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFRPTN), que oferece a habilitação em Agropecuária. Hoje é Assistente Educadora na Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan) e difunde o que aprendeu ao longo de sua trajetória. “Jovem protagonista é quem se compromete com o

12

meio em que vive. Não só com a sua comunidade, mas aonde quer que ele esteja, continua com o seu espírito de servir”, ressalta Déborah. Sandro Assunção, 17 anos, compartilha dessa crença. Morador de Itiúba, localizado no município de Ituberá (BA), ele conta que seus objetivos mudaram ao ingressar no curso do Ensino Médio aliado à


Camila Silva, de 23 anos, foi a única mulher na segunda turma do curso Construir Melhor

habilitação técnica em Florestas, na Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf). “Antes eu pensava como muitos jovens, que querem se formar e sair do campo. Hoje não quero fugir da minha realidade, mas transformála. Quero viver de forma tranquila

Pretendo participar de qualificações na área de agroecologia”, assegura Ângelo de Jesus, 24 anos, formado em 2011. O Centro de Formação Profissional Construir Melhor integra ainda o quadro de unidades de

e sustentável no lugar onde nasci”. Sandro pretende continuar aplicando o que aprendeu durante os três anos de estudos na Casa Familiar Rural. “Com o crescimento da agricultura local, mais jovens vão permanecer aqui. Temos muito a aprender com os produtores mais experientes e para oferecer também”, avalia. Entre as instituições de ensino que buscam incentivar os jovens do Baixo Sul a tornarem-se protagonistas de seus destinos estão, ainda, a Casa Familiar Rural de Igrapiúna, a Casa Familiar das Águas, a Escola Municipal e o Colégio Estadual Casa Jovem. Este último oferece o curso de habilitação técnica em Agroecologia. Mais de 1.700 alunos já tiveram acesso ao ensino formal no local. “Escolhi meu caminho profissional e tenho colocado em prática meu sonho de ser um empresário rural. Não quero parar.

ensino ligadas ao PDCIS. Localizado no município de Valença, o Centro qualifica profissionais em 18 meses para atuar na área da construção civil. A jovem protagonista Camila Silva, 23 anos, conta que antes de ingressar no Construir Melhor não tinha sonhos nem planejamento para o futuro. “Aqui aprendi a ter foco, objetividade, disciplina e paciência. Transformei a minha vida e vou transformar a de minha família e comunidade”. Em entrevista à Fundação Odebrecht no ano de 2008, o professor Antonio Carlos , que faleceu em 2011, r essaltou que o protagonismo juvenil é um caminho sem volta e sua tendência natural é ampliar-se e aprofundar-se. “A vida exigirá das pessoas cada vez mais iniciativa, criatividade, capacidade de analisar situações e tomar decisões. Isso faz do protagonismo uma necessidade cada vez mais básica para o nosso tempo”.

13


rápidas

Mais energia de fontes renováveis para o Brasil O Consórcio Construtor Santo Antônio (CCSA) – que tem participação da Odebrecht Infraestrutura-Brasil – deu início à implantação da quinta Casa de Força da Usina Hidrelétrica (UHE) Santo Antônio, no Rio Madeira, em Rondônia. A nova Casa de Força irá adicionar seis Unidades Geradoras do tipo Bulbo ao empreendimento, cuja capacidade passará de 3.150 megawatts (MW) para 3.568 MW, com 50 Unidades Geradoras. De acordo com Délio Galvão, diretor de Contrato do CCSA, a energia gerada pelas

turbinas adicionais será transmitida para o Sistema Elétrico Regional (Acre e Rondônia). “Com a ampliação da capacidade da usina, outros benefícios serão agregados à região, como manutenção e geração de oportunidades de trabalho e movimentação da economia local”, explica. A inundação do leito do Rio Madeira está prevista para setembro de 2015. O início da geração de energia no Grupo de Geração 5 (GG5) deve ocorrer em agosto de 2016.

As obras civis das unidades adicionais estão em andamento, com a aplicação das primeiras camadas de concreto estrutural. O volume previsto é de cerca de 300 mil metros cúbicos

14


Compartilhar bons resultados Entre os dias 20 e 22 de outubro, a Braskem e a Associação Brasileira dos Produtores de Fibras Poliolefínicas (Afipol) participaram do XX Congresso Internacional do Trigo, na Bahia. Durante um dos principais eventos da cadeia do trigo, apresentaram os diferenciais dos sacos fabricados com ráfia para o armazenamento de grãos. Na programação, que reuniu cerca de 500 participantes de diversos países, entre produtores de trigo, dirigentes de moinhos, panificação, indústrias de derivados e representantes do governo e entidades ligadas ao agronegócio, Braskem e Afipol tiveram um estande onde

Outro aspecto positivo é a economia proporcionada, tanto com a redução de perdas durante o transporte, quanto com a possibilidade de reutilização e reciclagem, que fazem da ráfia um produto com menor impacto ambiental. “Queremos que a indústria química brasileira cresça de forma sustentável e esteja preparada para concorrer em iguais condições em todos os mercados, por isso investimos em um programa abrangente que combina vantagens comerciais, capacitação e inovação”, destaca Rafael Christo, responsável por Marketing, Estratégia e Análise de Negócios na Braskem. Para a Afipol, a parceria resulta em novas perspectivas de

foi apresentado o estudo da Avaliação de Ciclo de Vida da embalagem feita com ráfia. Mais resistente e inviolável, o material garante uma proteção eficaz contra umidade, sujeira e ação de roedores, características importantes para armazenamento de alimentos.

expansão dos negócios. “O apoio da Braskem é fundamental para alcançarmos nossos objetivos, pois nos auxilia nas questões mais práticas, como amparo técnico e operacional, e propicia visibilidade e alcance de novos mercados”, ressalta Ricardo Vivolo, o presidente.

1515


rápidas

Números que apontam crescimento A receita líquida consolidada da Braskem no terceiro trimestre deste ano atingiu R$ 10,7 bilhões, um crescimento de 12% comparado ao trimestre anterior, e de 16% sobre o terceiro trimestre de 2012. A correção parcial do câmbio pela desvalorização do real, a redução de PIS e COFINS (impostos brasileiros) sobre as matérias-primas petroquímicas, aliadas à recuperação das margens internacionais foram fatores que contribuíram para a evolução dos resultados. “A melhora da economia mundial, somada à desoneração tributária das nossas matériasprimas em atendimento a um pleito do setor, refletiu positivamente no desempenho da Braskem, sendo também fundamental para que a cadeia petroquímica brasileira recupere parte de sua competitividade”, ressalta Carlos Fadigas, Líder Empresarial. “Dessa forma, fortalecemos nossa capacidade de investir de forma sustentável para acompanhar o crescimento do mercado brasileiro, por meio de projetos como o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj)”, acrescenta. Em resposta às medidas recentes de estímulo ao setor pelo governo federal, a Braskem desenvolveu, em conjunto com a indústria de transformação plástica, o Plano de Incentivo à Competitividade (PIC), que passou a vigorar no terceiro trimestre. Entre as iniciativas, destacam-se condições especiais de venda de resinas com o objetivo de dobrar as exportações de produtos transformados em plásticos em dois anos; promover a inovação como forma de ampliar

16

o mercado; qualificar profissionais; e o apoio na gestão empresarial. O plano prevê ainda esforços na promoção e valorização das vantagens do plástico, como solução sustentável para as necessidades da sociedade. A Braskem anunciou investimentos na ampliação de uma de suas linhas de produção de polietileno de PEBDL (Polietileno de Baixa Densidade Linear), na Bahia. Além disso, assinou um memorando de entendimento com a Styrolution, com o objetivo de avaliar a produção de resina ABS (Acrilonitrila Butadieno Estireno) e SAN (estirenoacrilonitrila) no polo de Camaçari, na Bahia. No acumulado do ano, a demanda de 4 milhões de toneladas por resinas termoplásticas no mercado brasileiro registrou um crescimento de 9% na comparação com igual período de 2012, influenciado pelo bom desempenho de alguns setores como agrícola, automotivo, alimentício e de infraestrutura. A participação de mercado da empresa cresceu e atingiu 68%, recuperando espaço frente ao produto importado. O EBITDA – lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações – alcançou alta de 57% em relação ao trimestre anterior. Nos nove meses iniciais do ano, o EBITDA consolidado foi 42% superior ao do mesmo período de 2012. Assim, a Braskem registrou lucro líquido de R$ 394 milhões no terceiro trimestre e de R$ 492 milhões no ano.


Via Binário do Porto conclui primeira fase Em 20 de outubro, a Concessionária Porto Novo, com participação da Odebrecht Infraestrutura - Brasil, entregou as ruas de superfície da Via Binário do Porto, primeiro trecho do novo sistema viário da região portuária do Rio de Janeiro. O evento contou com a participação do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, do presidente da Porto Novo, José Renato

Participações, BRt e RATP. A via conta com diversas saídas para a distribuição interna do trânsito e acessos ao centro da cidade. O projeto abrirá novos caminhos, desempenhando um papel importante no escoamento do tráfego do viaduto do Elevado da Perimetral. Combinada à Via Expressa, em construção, permitirá o aumento em 27% do fluxo da região portuária,

Ponte, e dos integrantes da obra. Nesta etapa, foi concluída a ligação do Viaduto do Gasômetro à Avenida Rio Branco. A nova via, de 3.500 metros de extensão, é composta por três faixas por sentido e uma galeria para passagem do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) – meio de transporte alternativo que será construído e operado pelo consórcio formado por Odebrecht TransPort, CCR, Invepar, Riopar

contribuindo para um novo padrão de mobilidade urbana. Além das vias, a nova infraestrutura compreende sistemas de água e esgoto, eletricidade e iluminação pública, drenagem, telecomunicação, gás e o plantio de aproximadamente 15 mil árvores. No momento, cerca de 62% das obras da Via Binário do Porto já foram concluídas.

Aproximadamente 1700 integrantes trabalharam nas obras dos túneis e de infraestrutura do Binário do Porto

17


rápidas

Desenvolvimento no Equador A Odebrecht Infraestrutura - América Latina e a Odebrecht Engenharia Industrial conquistaram a construção do Poliduto Pascuales – Cuenca, no Equador. O contrato de US $ 369 milhões foi firmado com a empresa estatal Petroecuador em outubro deste ano, e tem um prazo de 700 dias para conclusão. O poliduto permitirá o transporte de gasolina e diesel desde o Terminal Pascuales, e de gás liquefeito de petróleo ( GLP) do Terminal El Chorrillo até a cidade de Cuenca. O percurso contará ainda com uma estação de armazenamento e distribuição no município de La Troncal. O Poliduto Pascuales – Cuenca terá extensão de 210 quilômetros. Entre Pascuales e La Troncal, será instalado um duto de dez polegadas de diâmetro, e entre La Troncal e Cuenca o duto terá oito polegadas. Este projeto evitará que caminhões tanque realizem o transporte terrestre de diesel e gasolina, como é feito atualmente, contribuindo para a segurança no transporte desses fluidos e para a redução da contaminação ambiental.

18


Novos avanços para a Transolímpica Em 8 de novembro, foi iniciada a perfuração dos dois túneis que compõem as obras da via expressa de ligação entre a Barra da Tijuca e a Zona Norte do Rio de Janeiro – em construção pelo Consórcio Construtor TransRio, com participação da Odebrecht Infraestrutura Brasil. O primeiro túnel terá duas galerias e extensão de 1.300 metros. O segundo, localizado na Estrada da Boiúna, conta com duas galerias de 200 metros cada. Os túneis devem estar concluídos em 18 meses. A travessia é considerada a etapa mais importante das obras e o início de sua implantação marcou a contagem de 1.000 dias para as Olimpíadas de 2016. Na primeira detonação foram utilizados 150 quilos de explosivos. O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e o governador, Sérgio Cabral, com autoridades do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) acionaram a primeira carga de explosivos. “Mobilizamos toda a equipe para que essa etapa acontecesse com a maior segurança possível. A detonação é um marco para a entrega de mais uma Obra de Arte Especial da Transolímpica”, destacou Pedro Moreira, diretor de Contrato. Geraldo Caracini, responsável pela área de Produção do consórcio, espera entregar as obras com a mesma agilidade e precisão do início das detonações: “Cumprimos o planejamento sem surpresas. Agora, teremos o cuidado de manter a produção com o mesmo ritmo e o menor impacto possível”. Este será o quinto maior túnel da cidade e o segundo a ser construído no Maciço da Pedra Branca. A estrutura será uma das

mais modernas da cidade e nasce cumprindo as diretrizes de segurança da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), além de diversas inovações, como iluminação em LED, revestimento em placas brancas, sistema à prova de apagões e prevenção a incêndios. A implantação da Ligação Transolímpica está orçada em R$ 1,55 bilhão, dos quais 30% são financiados pela iniciativa privada, que assegura o direito de construção, manutenção e operação por 35 anos pela concessionária ViaRio – formada por Invepar, Odebrecht TransPort e CCR. Ao final, terão sido escavados 350 mil metros cúbicos de rocha – material que será reutilizado como aterro nas obras de urbanização previstas para adequação das pistas ao BRT (Sistema de Transporte com Ônibus Rápido). Dos 23 quilômetros de extensão da Transolímpica, o trecho concedido ao consórcio ViaRio será de 13 km. “Serão oito bairros integrados. A Transolímpica vai beneficiar a cidade oferecendo mobilidade urbana e qualidade de vida para a população”, ressalta Ronaldo Vancellote, diretorpresidente da ViaRio.

Eduardo Paes, Sérgio Cabral e autoridades acionam a primeira detonação da Transolímpica

19 19


rápidas

Autoridades celebram a aproximação da data das Olimpíadas de 2016 e inauguram o Mirante do Parque Olímpico

Mil dias para os Jogos de 2016 Como parte da celebração pela marca de 1.000 dias para os Jogos Olímpicos de 2016, a Concessionária Rio Mais, responsável pelo Parque Olímpico, recebeu, no dia 8 de novembro, a visita do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e do governador do Estado, Sérgio Cabral. Participaram do evento, ainda, a presidente da Empresa Olímpica Municipal (EOM), Maria Silvia Bastos Marques, e o presidente do Comitê Organizador Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman. Durante o encontro, foi inaugurado o Mirante do Parque Olímpico, construído pela Rio Mais para permitir que os visitantes acompanhem o andamento das obras. Entre as autoridades, também estavam o presidente da Autoridade Pública Olímpica, Fernando Azevedo, e o ministro interino do

20

Esporte, Luis Fernandes. A comitiva foi recebida pelo diretor-presidente da Rio Mais, Fernando Pacheco, e pelos diretores Paulo Roberto Martins e Mauro Santos. Formada por Odebrecht Infraestrutura Brasil, Andrade Gutierrez e Carvalho Hosken, a Rio Mais é responsável pela construção dos três pavilhões esportivos dos Jogos de 2016, o Centro Principal de Mídia, o Centro Internacional de Transmissão, um hotel, além das obras de infraestrutura do Parque Olímpico e da Vila dos Atletas. As empresas foram representadas pelo diretor-Superintendente da Odebrecht no Rio de Janeiro, Leandro Azevedo; pelo Superintendente de Obras da Andrade Gutierrez, Marcus Vinicius Moresi; e pelo presidente da Carvalho Hosken, Carlos Fernando de Carvalho.


Arena Corinthians na etapa final A aproximadamente sete meses da abertura da Copa do Mundo de 2014, técnicos da FIFA realizaram, no dia 30 de outubro, a inspeção no gramado da Arena Corinthians – em construção pela Odebrecht Infraestrutura Brasil, em São Paulo. Após os testes, o campo foi aprovado em todas as especificações: textura e dureza; resistência à tração; densidade e uniformidade;

Nos preparativos finais para a entrega em dezembro, a arena recebeu a penúltima peça da cobertura sobre o prédio Sul. Esse módulo, o maior já montado, de 420 toneladas, foi içado a uma altura de 40 metros por um guindaste com capacidade de 1.550 toneladas. Entre a preparação para o içamento e a fixação da peça – que também une a cobertura do prédio Sul com a do edifício Leste – foram consumidas

nivelamento; temperatura; e umidade. São utilizadas as mais modernas tecnologias disponíveis, a começar pela subestrutura dotada de sistemas de drenagem a gravidade e por sucção. Em meio às raízes da grama, cujas sementes foram importadas dos Estados Unidos, passam milhares de metros de finos tubos de plásticos pelos quais o sistema faz circular água gelada para que, durante o verão, ela se mantenha viva e apta para jogos.

72 horas de trabalho por uma equipe de 65 integrantes. Atualmente com cerca de 1.500 trabalhadores, as obras da Arena Corinthians registram avanço de 94%, com concentração em serviços de acabamento. Grande parte dos banheiros, pisos e fachadas de vidro dos prédios Leste e Oeste foram concluídos, assim como as lojas de concessões e vestiários.

O gramado, aprovado pela FIFA, é diariamente tratado com adubagem, cortes e irrigação, e está recebendo fios de grama artificial para que fique ainda mais denso e resistente às trações

21 21


rápidas

Um dos maiores investimentos da Rota das Bandeiras A Concessionária Rota das Bandeiras – empresa da Odebrecht TransPort responsável pela administração das rodovias que formam o Corredor Dom Pedro, no interior de São Paulo – concluiu, no dia 6 de novembro, a primeira etapa das obras de duplicação e modernização da rodovia Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360), em

viários, nos Km 67 e 70, reformulados. Duas passarelas foram demolidas e remodeladas. O investimento foi de R$ 69,9 milhões. No total, mais de 20 mil usuários que circulam diariamente pela SP-360, especialmente as populações das cidades de Jundiaí e Itatiba, foram beneficiados. “Para a Rota das Bandeiras, trata-se de umas das maiores

Jundiaí. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, inaugurou o trecho entre os quilômetros (km) 66+500 e 74+410, e destacou que a segunda fase (do km 74+410 ao km 81+200, em Itatiba) deve ser entregue em maio de 2014. “Essas obras promovem desenvolvimento já que trazem empresas para a região, e reduzem os acidentes rodoviários ao prover mais segurança para os motoristas”, ressaltou. No projeto, 7,9 km de pistas foram duplicados e dois complexos

obras previstas nos 30 anos de concessão”, afirmou Irineu Meireles, então diretorpresidente da Concessionária, posição recentemente ocupada por Julio Perdigão. O segundo trecho da SP-360, do km 74+410 ao km 81+700, contará com três dispositivos de retorno nos Km 74+900 (no bairro de Champirra), 78+500 (no distrito industrial de Itatiba) e 81+700 (no trevo de Louveira). Além disso, do km 77+400 ao km 81 serão feitas pistas marginais e a duplicação da estrada principal.

Participaram da inauguração do primeiro trecho de modernização da rodovia SP-360 o vice-prefeito e o prefeito de Jundiaí, Gerson Sartori e Pedro Bigardi, respectivamente; o prefeito de Itatiba, João Fattori; Theodoro de Almeida Pupo Junior, diretor de Investimentos da Artesp; Irineu Meireles; e Geraldo Alckmin

22


O Vila Olímpia Corporate é orientado pela Certificação LEED, concedida a edifícios sustentáveis

Novidade para São Paulo Em 30 de outubro, a Odebrecht Realizações Imobiliárias entregou o Vila Olímpia Corporate, condomínio empresarial localizado em São Paulo. Na presença de cerca de 300 pessoas, entre clientes e integrantes, o evento foi realizado na praça central do empreendimento, onde os convidados puderam visitar a exposição que contou um pouco da história do bairro da Vila Olímpia e da família Milan – permutante do terreno em que foi construído o empreendimento.

O Vila Olímpia Corporate está localizado em um dos bairros mais valorizados da cidade e é composto por duas torres corporativas independentes, interligadas pela praça central. Com foco na construção inteligente, tecnológica e sustentável, durante as obras, houve investimento no uso econômico de energia, aplicação racional e eficiente de água, redução na emissão de gás CO2 e melhoria na qualidade do ambiente interno, além da administração de recursos e de impacto de resíduos ao meio ambiente.

23


rápidas

Marco de uma fase concluída A primeira fase de escavação dos túneis da Linha 5 do Metrô de Caracas – em implantação pela Odebrecht Infraestrutura - América Latina na Venezuela – foi concluída em outubro, com a chegada do “tatuzão” (TBM) Juana Ramírez, la Avanzadora ao canteiro de obras de Miranda, no bairro de Santa Eduvigis, futura estação Hugo Chávez. Na cerimônia que marcou a entrega dessa etapa, o presidente da República, Nicolás Maduro, e o ministro do Poder Popular para o Transporte, Haiman El Troudi, destacaram os benefícios que o Metrô de Caracas oferecerá à comunidade, entre eles a mobilidade e o conforto ao descongestionar a Linha 1. O segundo “tatuzão”, Manuelita Sáenz, la Libertadora está perto de alcançar o ponto de extração. Após a respectiva manutenção

no Fosso Norte, na futura estação Hugo Chávez, ambos os equipamentos seguirão seus trajetos até a estação El Marqués. Com dimensões de 94 metros de comprimento e 5,85 metros de diâmetro, os “tatuzões” conquistaram diversos êxitos, entre eles os trajetos por baixo do rio Guaire e dos túneis das futuras estações Bello Campo e Hugo Chávez, cruzando as rodovias Francisco Fajardo e Valle – Coche, sem interromper a dinâmica urbana. A Linha 5 do Metrô de Caracas contará com as estações Zona Rental, Bello Monte, Tamanaco, Parque Simón Bolívar, Bello Campo, Hugo Chávez, Montecristo, Boleíta, El Marqués e Warairarepano. Assista e confira o avanço das obras da Linha 5 do Metrô de Caracas, na Venezuela.

Após três anos de trabalhos, o “tatuzão” Juana Ramírez, la Avanzadora escavou 7,5 km de túnel, dos 14,8 km que compreendem o projeto

24


Nossa Cultura, Nossa Marca O estilo fotográfico da Odebrecht As imagens dizem muito sobre quem somos e o que fazemos. Por isso, devemos ter atenção na escolha das fotografias que representam a nossa Marca. Conheça os caminhos conceituais que orientam a nossa linguagem visual:

INSPIRADOR

Imagens que inspirem uma época de transformação, que mostrem os empreendimentos integrados às necessidades de um novo tempo.

ESPECIALISTAS

Imagens que mostram o detalhe, a habilidade que nasce do conhecimento, em projetos ainda em construção.

REALIZADOR

Imagens de projetos já realizados, que transmitam amplitude e evidenciem o crescimento local.

PRÓXIMO

Imagens que se aproximam do dia a dia das pessoas, que respeitam e valorizam a cultura local. Apresentam os efeitos positivos dos empreendimentos nas comunidades locais.

Para outras orientações, acesse o Território da Marca:

www.odebrecht.com/territorio

Fique atento às dicas de identidade visual nas edições do ON!

25


conquista

Equipe da unidade de Goiás reuniu-se em Trindade, um dos municípios beneficiados pelos serviços da Foz

26

Foz inicia sua operação em Goiás


E

m 1º de novembro, o Estado de Goiás passou a contar com serviços prestados pela Foz. Por meio de um contrato de subdelegação com a Saneago, a Foz torna-se responsável pela operação e manutenção dos serviços de esgotamento sanitário das cidades de Aparecida de Goiânia, Jataí, Rio Verde e Trindade, atendendo 1,2

milhão de habitantes ao final do contrato. Com a atuação, a Foz totaliza mais de 13,2 milhões de pessoas beneficiadas por seus serviços de água e esgoto no Brasil. Com um investimento de aproximadamente um bilhão de reais no sistema de esgoto destes quatro municípios, a meta desta operação é coletar, no mínimo, 90% dos efluentes

27


e tratá-los integralmente. Serão construídos 2,7 mil quilômetros (km) de coletores, 100 km de interceptores, seis novas estações elevatórias (EEE) e três novas estações de tratamento de esgoto (ETE). A Foz fará, ainda, a ampliação de 11 estruturas já existentes nos municípios: sete estações elevatórias e quatro estações de tratamento de esgoto.

NA PORTA DE CASA Em Aparecida de Goiânia, localizada na região metropolitana da capital do Estado, está prevista a construção de 1.950 km de coletores e 40 km de interceptores. Hoje, apenas 29% dos imóveis que são contemplados pelo fornecimento de água estão conectados ao sistema de esgoto do município. A cidade de cerca de 500 mil habitantes contará com três novas estações elevatórias e a ampliação de uma já existente, além de potencializar a capacidade da ETE Lages e receber uma nova estação

28

de tratamento – a ETE Santo Antônio –, em substituição à ETE Cruzeiro. Com aproximadamente 105 mil habitantes, Jataí, na região sudoeste de Goiás, tem 58% das residências da região urbana com coleta de resíduos. No município, a Foz contribuirá com a implantação de 150 km de coletores que agregarão aos 180 km já existentes, e construirá 15 km de interceptores e ampliará, além da estação elevatória da cidade, a ETE Rio Claro. Na quarta maior cidade do Estado, Rio Verde, a população estimada em 197 mil habitantes possui um sistema de esgoto com 277 km de extensão que atende 46% das residências da área urbana. A empresa levará 350 km de coletores e 20 km de interceptores. Serão construídas uma estação elevatória e uma estação de tratamento de esgoto, a ETE Lajes. Rio Verde receberá, ainda, a ampliação de sua estação elevatória e da ETE Sapo. Em Trindade, a construção de 300 km de coletores e 25 km de


interceptores somará ao sistema atual de 218 km de extensão, e levará o esgoto das residências a duas novas estações elevatórias. A Foz fará, também, a ampliação de quatro estações elevatórias e da ETE Barro Preto, além de construir a ETE Arrozal.

ATUAÇÃO CON SOL I DA DA A Foz investe e opera sistemas de água e esgoto em mais de 160 municípios brasileiros, entre eles capitais como Rio de Janeiro

e Recife. A chegada a Goiás reforça sua presença no Brasil, assim como a qualidade de seus serviços no país. A empresa representa o segmento de Água e Esgoto da Odebrecht Ambiental, que atua, ainda, em soluções ambientais para o setor industrial – em Utilities – e é responsável pelo diagnóstico, remediação e monitoramento de áreas contaminadas por operações industriais – em Resíduos.

Início da operação: primeira desobstrução da rede de esgoto na cidade de Aparecida de Goiânia, em Goiás

29


rápidas•prêmios

Unidades da Foz têm reconhecimento nacional

30

As unidades Mauá e Foz|Saneatins, da Foz, foram premiadas na 17ª edição do Prêmio Nacional de Qualidade em Saneamento (PNQS) – que tem como objetivos estimular a busca e a aplicação de boas práticas no setor no Brasil e reconhecer as organizações que apresentam resultados competitivos de

entrada da Odebrecht Ambiental como controladora, em janeiro de 2012, o compromisso é renovado e ampliado por meio do forte incentivo para que as operações municipais busquem referências externas para comparação e aperfeiçoamento contínuo. “Foi um ótimo resultado, mas é só o começo. A

desempenho por meio dessas práticas. A operação de água e esgoto de Gurupi, da Foz|Saneatins, foi a vencedora da categoria Bronze, e as operações de Palmas, também da Foz|Saneatins, e de Mauá foram reconhecidas com o certificado “Compromisso com a Excelência”. Essa foi a primeira participação da Foz|Saneatins no PNQS, realizado desde 1997 pelo Comitê Nacional de Qualidade em Saneamento, com o apoio da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) e outras instituições. A iniciativa é reconhecida pela International Water Association (IWA) como a mais importante ferramenta de gestão da área de Saneamento Ambiental no Brasil. Para Antônio Alencar, diretor de Operações da Foz|Saneatins, as concessões da companhia têm um compromisso histórico com a constante busca pela melhoria da qualidade dos serviços. De acordo com ele, com a

cada ano vamos aumentar o número de municípios participantes, além de buscar subir nas categorias”, explica. Em Mauá, o reconhecimento também é um estímulo, como informa Thadeu Pinto, diretor de Concessão: “A premiação conquistada reforça o nosso compromisso em atender a população da cidade com serviços de excelência em esgotamento sanitário, contribuindo para a melhoria da saúde e da qualidade de vida de todos”. Para alcançar a premiação, é feita uma avaliação do sistema de gestão que se baseia em oito critérios de excelência estabelecidos pela Fundação Nacional de Qualidade: liderança; estratégia e planos; clientes; sociedade; informações e conhecimentos; pessoas; processos e resultados. Empresas de saneamento de todo o Brasil concorreram ao prêmio, em que são avaliadas nos critérios de gestão que resultam em melhorias da qualidade dos produtos e serviços.


A partir da esquerda, André Vieira, responsável por Comunicação Externa na Braskem; Mário Pino, responsável por Gestão em Desenvolvimento Sustentável; Jorge Soto, responsável por Desenvolvimento Sustentável; Carlos Fadigas, Líder Empresarial; Claudia Bocciardi, responsável por Marketing Institucional; Edmundo Aires, responsável por Inovação e Tecnologia; e Beatriz Luz, de Marketing e Sustentabilidade de Químicos Renováveis

Braskem: sinônimo de sustentabilidade Em novembro, a Braskem foi incluída na lista das empresas mais sustentáveis do país pelo Guia Exame de Sustentabilidade, e recebeu o prêmio de destaque na categoria Química. A premiação leva em consideração indicativos nas dimensões econômicas, ambientais e sociais e gerais, que abrangem questões sobre transparência, governança e engajamento das empresas. Esta é a quinta vez que a Braskem recebe o reconhecimento – a quarta consecutiva –, que está em sua 14ª edição. O levantamento, elaborado pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), é publicado pela revista Exame. Neste ano, 184 empresas responderam o questionário com 140 perguntas. As empresas com melhor pontuação foram organizadas em 20 setores. A premiação da Exame vem na sequência de outro reconhecimento na área de sustentabilidade. Em setembro, a Braskem foi uma das empresas de destaque do Prêmio Época Empresa Verde – concedido pela revista Época – por sua atuação ambiental.

31


rápidas•prêmios

Construção condecorada pelo Estado A Odebrecht Infraestrutura - Brasil recebeu, no dia 22 de outubro, a Medalha Pernambucana do Mérito Bombeiro Militar, uma das mais altas condecorações do Corpo de Bombeiros, pela construção da então Arena Pernambuco, inaugurada em maio de 2013. A homenagem foi recebida por Bruno Dourado, diretor de Contrato da obra, durante cerimônia realizada no teatro da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Concedida por meio de um ato

do governador do Estado, Eduardo Campos, o prêmio visa reconhecer militares, personalidades, autoridades civis, instituições públicas e entidades privadas que tenham prestado relevantes serviços à causa pública, ao Estado de Pernambuco e ao Corpo de Bombeiros. Em maio, a Assembléia Legislativa do Estado de Pernambuco também prestou uma homenagem à Odebrecht Infraestrutura - Brasil e a Bruno Dourado pela construção do empreendimento.

Bruno Dourado recebe a Medalha Pernambucana do Mérito Bombeiro Militar pela construção da então Arena Pernambuco

32


Entre as “Mais Admiradas” no Brasil Pelo quarto ano consecutivo, a Odebrecht foi eleita a mais admirada no setor de construção, segundo o ranking “As empresas mais admiradas do Brasil – 2013”, realizado pela revista CartaCapital. A homenagem foi recebida por Benedicto Junior, Líder Empresarial da Odebrecht Infraestrutura - Brasil. “Há uma série de projetos para serem estruturados, tanto pela iniciativa privada quanto pelo governo, voltados para a infraestrutura. Nossa expectativa é de que 2014 seja melhor no campo da infraestrutura no país”, ele afirmou. A Odebrecht Realizações Imobiliárias também aparece na lista, como segunda colocada entre as construtoras e incorporadoras, e a Braskem surge em terceiro lugar em química e petroquímica. Realizado anualmente, a edição deste ano entrevistou cerca de dois mil líderes empresariais no Brasil e na América Latina, levando em conta fatores como qualidade dos produtos, solidez financeira, responsabilidade social e inovação. No ranking geral das empresas mais admiradas do país da CartaCapital, a Odebrecht ocupa a 18ª posição.

33 33


rápidas•prêmios

O melhor em um quarto de século O projeto de refinanciamento para a construção das unidades de perfuração NORBE VIII e NORBE IX, da Odebrecht Óleo e Gás, no valor de US$ 1,5 bilhão, emitido em 2010 no valor de US$ 1,5 bilhão, foi mais uma vez reconhecido pela revista LatinFinance – importante publicação veiculada na América Latina e Caribe. Nesta premiação, o empreendimento foi classificado como a melhor operação no

escala que não seriam possíveis apenas por meio de empréstimos bancários. Considerando que a produção de petróleo nos campos de pré-sal no Brasil está transformando a indústria em larga escala, os navios de perfuração tornaram-se um dos principais componentes de construção de infraestrutura da região. “O diferencial desse projeto foi que havíamos financiado a

mercado de capitais em infraestrutura ao longo dos 25 anos de existência da revista. Anualmente, a LatinFinance entrega o prêmio Deal of the Year em reconhecimento aos melhores projetos de financiamento (project bonds) realizados na América Latina. O mesmo projeto da Odebrecht Óleo e Gás, já havia recebido o prêmio em 2010 e 2011. Project Bonds têm sido vistos como ferramenta que pode revolucionar o mercado de infraestrutura, abrindo possibilidades de financiamento em

construção das duas unidades por meio de empréstimo bancário, e como as duas unidades já estavam quase prontas, nos permitiu emitir o bond e pagar a dívida”, ressalta Roberto Ramos, Líder Empresarial do Negócio. “Nós também tivemos uma garantia de construção emitida pela Kexim, que concedeu um índice favorável contra riscos de construção”, completa o líder. A emissão do bond possibilitou ainda à Odebrecht Óleo e Gás abrir caminho para outras operações.

O prêmio foi recebido por Roberto Ramos, no dia 9 de outubro, durante um jantar realizado nos Estados Unidos

34


rápidas•pessoas

O encontro ofereceu aos participantes a oportunidade de aprofundarem o conhecimento sobre a Organização e seus Negócios, e sobre a essência da liderança

Aprendizado contínuo Nos dias 25 e 26 de outubro, foi realizado o 4º Encontro de Encarregados da Odebrecht em Angola. O evento contou com a participação de 59 integrantes, representantes de projetos no país. Com objetivo de promover integração e desenvolvimento de competências técnicas de liderança e formação de pessoas, foram abordados temas como segurança do trabalho, sustentabilidade, produtividade, equipamentos, além dos princípios da Tecnologia Empresarial Odebrecht, trabalho em equipe, motivação, comunicação e relações interpessoais. Os participantes também conheceram mais sobre os desafios da Organização em Angola. “Aprender os valores básicos e componentes de ser líder foram muito úteis”, destacou Eujason Fernandes, do projeto Zango. Os participantes acompanharam palestras e receberam orientações de Oscar Ferreira, consultor parceiro da Odebrecht para os programas de Liderança e Equipes Produtivas. Para José Orlando de Assis, integrante das obras de infraestrutura em Benguela Centro Sul, o encontro foi esclarecedor e os temas abordados, como segurança e formação de pessoas, foram bem explorados: “Foi essencial refletir sobre como devemos incentivar e motivar nossos liderados”.

35


rápidas•pessoas

Odebrecht Agroindustrial: a vez dos jovens Em outubro deste ano, a Odebrecht Agroindustrial realizou o segundo módulo dos programas Jovem Parceiro (JP) e Jovem Agroindustrial. Entre os dias 14 e 18, o Programa Jovem Agroindustrial reuniu 69 participantes para um módulo focado nas operações agroindustriais, passando por todas as etapas dos processos agrícolas, industriais e de manutenção. O ponto alto foi o diálogo com Celso Ferreira, responsável por Operações e Engenharia; Fabiano Zillo, responsável pela área Agrícola; José Carlos Teixeira, superintendente do Polo São Paulo; e Luiz Paulo Sant’Anna, superintendente do Polo Taquari. Foram debatidos os desafios do Negócio e como os jovens podem contribuir para os Programas de Ação (PAs) dos líderes dos polos. “Os assuntos abordados contribuíram para o desenvolvimento das nossas competências e melhoria de desempenho na realização das nossas atividades diárias”, comenta o participante Ivandro Manteufel, da área Agrícola da Unidade Morro Vermelho, em Goiás. De 30 de outubro a 1º de novembro, o Programa Jovem Parceiro reuniu 38 participantes, em São Paulo, com o objetivo de aprofundar conhecimentos na Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO) e no Negócio. As palestras contemplaram apresentações de diversas áreas, como Estratégia Comercial e Negócios Internacionais, Desafios da Logística, Comunicação e Relação com Imprensa, Sustentabilidade, Saúde Segurança e Meio Ambiente (SSMA), Desafios da Manutenção e da Indústria. De acordo com Karina Fonseca, responsável por Desenvolvimento de Pessoas da Odebrecht Agroindustrial, o encontro permitiu aos jovens conhecer um pouco mais do Negócio e seus desafios. “Além disso, forneceu a base para que eles reflitam e construam o projeto de melhoria de produtividade, que será apresentado ao Líder Empresarial no próximo ano, durante o encerramento do programa”, explica.

36


O terceiro módulo do Jovem Agroindustrial, voltado às áreas Comercial, Logística, Suprimentos e Negócios Internacionais, está previsto para fevereiro de 2014. O grupo do Jovem Parceiro irá se reencontrar em abril, para o último módulo do ciclo

37


rápidas•pessoas

As integrantes do projeto Zango receberam instruções sobre o câncer de mama e como realizar o autoexame

Em apoio às mulheres angolanas Em outubro, as áreas da Saúde dos projetos da Odebrecht Infraestrutura - África, Emirados Árabes e Portugal em Angola promoveram ações em apoio à campanha mundial de conscientização sobre o câncer de mama, o Outubro Rosa. No projeto Zango, as integrantes vestiram peças de roupa na cor rosa e participaram de palestras sobre a doença, ministradas pela Dra. Isolina Freitas, responsável pelo ambulatório da obra. “Conhecer a si mesma já é uma oportunidade de prevenir. O autoexame é um gesto simples e aumenta as chances de cura, quando o câncer é descoberto em estágio inicial”, orienta. Para o projeto Vias Expressas de Luanda, foi promovido um ciclo de palestras sobre o tema. As apresentações foram realizadas pelos

38

médicos Rogério Barcelos e Marisa Chaves, que ensinaram as participantes a fazerem o autoexame e a importância desta atitude. A Biocom também reuniu suas integrantes para uma palestra preventiva, ministrada pela Dra. Maria Licia de Jesus dos Santos, médica responsável na empresa. “A palestra foi muito importante. Eu sabia sobre a doença, mas não conhecia os cuidados que deveríamos ter”, ressalta Ana Suraya Severino Martinho, auxiliar administrativa. No projeto SONAREF, para destacar a importância do autoexame na prevenção ao câncer de mama, a área de Saúde, em parceria com a área de Sustentabilidade, realizou atividades teóricas e práticas para os integrantes e a comunidade de Hanha do Norte, localizada no entorno das obras.

38


Um mês dedicado a elas Em apoio à campanha mundial Outubro Rosa, o Centro de Serviços Compartilhados (CSC) e a área de Tecnologia da Informação (TI) da Odebrecht S.A. realizaram uma ação conjunta para mobilizar as equipes na conscientização e combate ao câncer de mama. No dia 24 de outubro, integrantes do escritório Panamérica Park, em São Paulo, foram ao trabalho trajando roupas na cor rosa. Neste dia, receberam um comunicado por e-mail com informações sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce

Integrantes do núcleo de Itatiba do CSC apoiam o Outubro Rosa

da doença. “Devido à importância do tema e após a abordagem na Corrida e Caminhada Odebrecht, resolvi passar a ideia para nossa área de Comunicação”, conta Vandrea Rufino, da equipe de Planejamento Financeiro da TI, idealizadora da campanha no escritório. Lúcia Ribolli, responsável por Planejamento, conta que o CSC ainda estendeu a ação aos núcleos de Salvador, Rio de Janeiro, Itatiba e Guarulhos. “Todos aderiram à ideia e tivemos trocas de fotos entre as equipes ao longo do dia”.

Profissionais de TI da Odebrecht S.A. incentivaram a campanha no ambiente de trabalho

39 39


rápidas•pessoas

Vestidos de rosa Em 18 de outubro, como forma de apoio à campanha mundial Outubro Rosa, integrantes do escritório da Odebrecht no México foram trabalhar vestidos com roupas de cor rosa. O objetivo foi chamar a atenção das mulheres sobre a principal ferramenta contra o câncer de mama: a prevenção. O grupo ganhou bolos decorados e o tradicional broche símbolo da campanha. Balões foram espalhados, completando o ambiente com a cor da iniciativa. Ao longo do dia, os integrantes receberam informações sobre as formas de identificar a doença na etapa inicial – o que facilita o tratamento – e a indicação de laboratórios conveniados à Odebrecht que realizam exames para detectar o câncer de mama. Estudos da Organização Panamericana de Saúde (OPS) apontam que a doença costuma ser mais frequente em mulheres da América Latina e Caribe. Estima-se que a cada ano, é diagnosticado cerca de um milhão de novos casos no mundo.

O escritório da Odebrecht no México e seus integrantes, entre homens e mulheres, vestiram a camisa contra o câncer de mama

40


Participantes do Programa Jovem Ambiental com Fernando Reis, Líder Empresarial: integração entre líder e liderado

Capacitados para novos desafios Entre os dias 27 de outubro e 1º de novembro, a Odebrecht Ambiental realizou o último módulo presencial do Programa Jovem Ambiental (PJA), em Itú, interior de São Paulo. A iniciativa teve como principal objetivo a capacitação dos Jovens Parceiros para enfrentar novos desafios e contribuir

apresentação de líderes, que expuseram, por meio do diálogo, os desafios diários do Negócio. A Conversa ao Pé da Fogueira teve a presença de Fernando Reis, Líder Empresarial da Odebrecht Ambiental, que compartilhou suas experiências profissionais e sua visão de negócio.

com o desenvolvimento do Negócio. Após a participação no primeiro módulo, em junho deste ano, em que foi abordada a primeira etapa da Tarefa Empresarial – identificação e conquista do Cliente –, os 29 jovens, integrantes dos três segmentos da Odebrecht Ambiental (água e esgoto, utilities e resíduos), concluíram o aprendizado sobre a segunda metade da Tarefa, a Satisfação do Cliente. Para disseminar o conhecimento aos

Para Cristal Coser de Camargo, o PJA contribuiu muito para seu desenvolvimento. “Foram meses únicos, de intenso aprendizado, que me permitiram desenvolver uma visão holística sobre nosso Negócio. O programa me proporcionou um aprofundamento em temas na minha área de formação, além de fornecer informações básicas sobre outros assuntos. A oportunidade de interagir com profissionais experientes também foi

participantes, o programa contou com a

fundamental”, ela relata.

41


rápidas•pessoas

O Centro de Convivência Marupiara da UHE Belo Monte foi inaugurado em maio de 2013

Na Sala de Educação Digital, os integrantes podem fazer cursos de informática, ministrados em parceria com o SENAI

Pelos integrantes e para os integrantes Diante do desafio de abrigar 20.000 pessoas no canteiro de obras da Usina Hidrelétrica (UHE) Belo Monte, no Pará, a Odebrecht Infraestrutura - Brasil realizou um estudo para entender as principais necessidades diárias dos integrantes. O trabalho foi base para o projeto arquitetônico dos alojamentos, refeitórios e centro de convivência e para um programa de qualidade de vida. Para promover o desenvolvimento humano e incentivar o aproveitamento do tempo livre dos trabalhadores, foram elaboradas ações para a elevação do nível de escolaridade, o contato com a arte e a cultura, o acesso ao lazer e à prática de esportes e a preservação da saúde. A principal iniciativa é o Polo de Escolarização, que tem parceria com o SESI. Com cinco salas de aulas, para 20 alunos cada uma, oferece cursos de alfabetização, Ensino Fundamental e Médio, além de programas de idiomas, educação orçamentária, entre outros. Os alunos contam com professores capacitados, aulas dinâmicas, vídeo-aulas e atividades extracurriculares.

42

No âmbito educacional, os integrantes também contam com a Sala de Leitura e a Sala de Educação Digital. Por meio de parceria com o Proler - Programa Nacional de Incentivo à Leitura, um espaço foi estruturado para lazer e conta com um acervo de cerca de 8.000 obras, doadas pela Biblioteca Nacional. Já a Sala de Educação Digital possui 36 estações de estudo com computadores conectados a internet. Idealizado como espaço para estudos à distância, o local recebe hoje cursos de informática presenciais. O Polo de Escolarização e as Salas de Leitura e de Educação Digital integram o Centro de Convivência Marupiara – que significa “Lugar de Gente Feliz”, em tupi-guarani –, construído para abrigar 10.000 pessoas no período fora do horário de trabalho. O complexo é composto por academia, sala de artes marciais, cinema, oficinas de arte, supermercado, sorveteria, duas praças de alimentação com lanchonetes, bazar, salões de beleza e barbearia, farmácia, centro ecumênico e salões de jogos.


Um dia especial Integrantes da Companhia de Obras e Infraestrutura (COI), em Cuba, reuniram-se com seus familiares, no dia 27 de outubro, para a 2ª edição da Corrida e Caminhada no país. Com a participação de 115 pessoas, o grupo percorreu quatro quilômetros no Jardim Botânico Nacional, na cidade de Havana. Na corrida, Fábio Andrade, integrante da área de Novos Negócios, e Isabel Carvalho, esposa de Álvaro Carvalho, responsável pelo Apoio Financeiro (RPAF), foram os primeiros colocados e receberam um troféu, entregue por Marlene Costa, cubana

tricampeã olímpica de vôlei. “Fizemos alongamento e partimos para a largada. O percurso foi muito bem elaborado, com subidas e pontos de hidratação. Fui campeão, ganhei o troféu, mas ele foi meu por apenas alguns minutos. Meu filho não o largou mais!”, conta Fábio Andrade. Além da atividade física, o evento contou com café da manhã; espaço recreativo para as crianças; passeio de trem pelo parque; jogos de futebol e vôlei; e, ao final, um almoço. “O dia foi muito especial, com minha família e amigos de trabalho”, completa Fábio Andrade.

Assista aos melhores momentos da Corrida e Caminhada no COI

Além de incentivar a prática de atividades físicas, a Corrida e Caminhada do COI apoiou a iniciativa mundial de prevenção ao câncer de mama, Outubro Rosa

43


rápidas•pessoas

Para alcançar mais saúde A Reserva do Paiva, empreendimento da Odebrecht Realizações Imobiliárias em Pernambuco, recebeu, em 19 de outubro, atletas profissionais e amadores para a 3ª Corrida Feminina. O circuito também foi aberto aos homens, com o mote Eu corro atrás da minha mulher. Promovida pela AQC Tallent – empresa de assessoria e marketing esportivo – com o apoio da Odebrecht Realizações Imobiliárias; dos grupos Ricardo Brennand e Cornélio Brennand; e da Concessionária Rota dos Coqueiros, a corrida contou com 1.300 inscritos que optaram por percorrer trechos de 5 ou 10 quilômetros (km).

Para o trajeto de 5 km, no grupo masculino, Valderes Almeida foi o vencedor, seguido por Silvio Lima e Paulo Mergulhão. O pódio feminino foi formado por Conceição Magnólia em primeiro, Ana Nascimento em segundo e Ana Costa em terceiro. De acordo com Valderes Almeida, que pratica corrida há 10 anos, essa é a primeira vez que vence uma competição. Para ele, o local ajudou: “A sensação de correr aqui não se compara à cidade”. Entre os que completaram o percurso com um bom tempo, também estava a paulistana Mara Morelli. Aproveitando a passagem a trabalho por Recife, ela destacou que a proximidade com a natureza revigora e incentiva. “Foi muito bom correr nesse ambiente completamente diferente de São Paulo”. No trecho de 10 Km, a campeã foi Juliana Mafra. A triatleta também mencionou a relevância do ambiente no desempenho: “O contato com a natureza, a área reservada para corredores e o percurso são fatores externos que ajudam”. Com a participação de estudantes e professores de Nutrição, Farmácia e Fisioterapia em tendas montadas, os participantes também puderam aferir pressão, fazer teste de glicemia e receber dicas de alimentação e alongamento.

Os primeiros colocados da 3ª Corrida Feminina receberam troféus e brindes de parceiros dos segmentos de suplemento alimentar, moda esportiva e cosmético

44


Os trabalhadores também participaram de sorteios de brindes e do concurso cultural Segurança e Saúde no Trabalho, que premiou as três melhores frases sobre a importância da prevenção de riscos no canteiro

Prevenção em primeiro lugar A Concessionária Rio Mais (formada por Odebrecht Infraestrutura - Brasil, Andrade Gutierrez e Carvalho Hosken), responsável pela construção das instalações do Parque Olímpico, no Rio de Janeiro, promoveu sua Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT), por meio da área de Segurança do Trabalho e dos membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). Voltadas para integrantes e parceiros, as atividades tiveram o objetivo de ampliar o debate sobre um dos assuntos mais importantes no canteiro de obras: a prevenção de acidentes. Palestras sobre o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), o cuidado com as mãos, trânsito e trabalho em equipe foram realizadas pela Companhia de Teatro Máscaras, de forma lúdica e elucidativa, permitindo a interação dos trabalhadores.

“Utilizamos o teatro para transmitir mensagens importantes e educativas. É uma forma de orientar através de situações cotidianas vividas pelos integrantes”, explica Raul Toledo, um dos atores. De acordo com Danielle Rodrigues, técnica de Segurança do Trabalho, a SIPAT tem como principal missão estimular o diálogo entre líderes e liderados sobre os cuidados com o dia a dia de trabalho. “Optamos por evitar as palestras tradicionais e abordar os temas de forma descontraída, sem perder o comprometimento de cada um”, reforça. A CIPA da Rio Mais foi constituída em 2012 e promove encontros para estreitar o diálogo entre as diferentes frentes de trabalho. A comissão também realiza e divulga as normas de Segurança e Medicina do Trabalho, e regulamentos e instrumentos de serviços que normatizam a atuação da concessionária.

45 45


rápidas•pessoas

A abertura da quinta SIPAT da UHE Santo Antônio contou com a presença da banda da Base Aérea, que apresentou os hinos nacional e de Rondônia

As peças teatrais abordaram a prevenção de acidentes relacionados com os olhos, as mãos e quedas de pessoas. Os trabalhadores também participaram de sorteios e distribuição de brindes personalizados

Por um ambiente de trabalho mais seguro De 21 a 25 de outubro, a Usina Hidrelétrica (UHE) Santo Antônio promoveu sua quinta Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT), com o tema Sempre Seguros. O objetivo foi conscientizar todos os integrantes acerca da importância de realizar suas atividades com segurança. A abertura reuniu milhares de trabalhadores dos turnos diurno e noturno, que acompanharam uma apresentação musical e um culto ecumênico. Délio Galvão, diretor de Contrato do Consórcio Construtor Santo Antônio (CCSA), enfatizou que a segurança deve ser uma prática diária de cada um: “Que possamos refletir durante essa semana a fim de melhorar nossa conscientização para trabalharmos sempre seguros, porque esse é o nosso pacto”. Cerca de 30 palestras sobre variados temas de Saúde e Segurança, peças teatrais, shows de humor e exposições foram realizados. A programação ocorreu em tendas climatizadas,

46

localizadas próximas às frentes de serviço e equipadas com recursos audiovisuais. “A SIPAT é uma ótima iniciativa, pois nos desperta para que sejamos, a cada dia, mais conscientes a respeito da segurança”, comentou o eletricista Raimundo Nunes Verçosa. A Segurança no Trânsito foi abordada na palestra Direção Defensiva, ministrada por membros da Polícia Rodoviária Federal, e Saúde do Trabalhador foi o assunto da apresentação sobre doenças sexualmente transmissíveis e tabagismo. O espaço também recebeu uma equipe do Tribunal Regional do Trabalho, que, por meio do programa Justiça Vai à Empresa, abordou os acidentes de trabalho e as responsabilidades dos integrantes e do empreendimento, e um grupo de alunos da Universidade Federal de Rondônia, que mostrou um equipamento desenvolvido para exemplificar o processo de geração de energia.


Refletir sobre Saúde e Segurança O projeto Moatize Expansão – obra da Vale em construção pela Odebrecht Infraestrutura – África, Emirados Árabes e Portugal, em Moçambique – realizou, em 29 de outubro, o Dia de Reflexão sobre Saúde e Segurança. Fizeram parte da programação encontros para a troca de experiências

responsáveis pela segurança do projeto”, ressaltou Paulo Brito, diretor de Contrato, durante o Diálogo de Saúde e Segurança (DSS). Para Benjamin Morgado, encarregado de Serviços, o Dia de Reflexão foi importante para relembrar acidentes ocorridos em obras e como evitá-los. “Devemos sempre

sobre acidentes ocorridos no passado, dinâmicas e exibição de vídeos. Os integrantes tiveram a oportunidade de refletirem sobre a importância de terem cuidado com si mesmos e com os que estão a sua volta. “Todos nós, individualmente ou em grupo, somos

alertar colegas caso estejam correndo risco de acidentes e até mesmo nossos familiares, como ao cozinhar alimentos, por exemplo”. O evento faz parte do calendário anual da Vale e acontece simultaneamente em diversos países.

Fabio Jaramillo, responsável por Qualidade no projeto Moatize Expansão, em palestra para os integrantes

47


rápidas•pessoas

Virou notícia O Consórcio Conest – em construção pela Odebrecht Engenharia Industrial em Pernambuco – implantou um novo meio de comunicação para a equipe: um painel interativo de fotos chamado de “Aconteceu, virou um flash”. Este veículo tem como objetivo estimular a participação dos integrantes em eventos e campanhas e fazer com que identifiquem-se com as iniciativas desenvolvidas. O painel busca, ainda, expor as fotos das ações promovidas pelo

projeto, além de otimizar a divulgação das notícias do empreendimento. A iniciativa é desenvolvida pelas equipes de Comunicação e Qualidade, com o apoio das áreas de Serviços Social, SMS (Segurança, Meio Ambiente e Saúde) e Pessoas & Organização. O painel já trouxe resultados e a ideia foi apresentada como uma boa prática na reunião de Responsabilidade Social e Comunicação, realizada pelas empresas contratadas da Petrobras.

As fotos são colocadas no painel “Aconteceu, virou um flash” no formato de um cartão postal

48


Em outubro, o Programa Mestre Multiplicador, do Consórcio Construtor CADF, formou sua primeira turma de alunos, oferecendo capacitação para que cresçam profissionalmente

Desenvolver pessoas O Consórcio Construtor CADF – formado por Odebrecht Infraestrutura - Brasil e Via Engenharia – promoveu o Programa Mestre Multiplicador para os integrantes da obra do Centro Administrativo do Distrito Federal. A primeira turma, formada por 40 líderes, concluiu o curso em 22 de outubro, quando foi realizada uma cerimônia de formatura com a presença da diretoria e gerência do consórcio. A iniciativa teve início em junho deste ano, com aulas duas vezes por semana, após o expediente, sobre Qualidade, Planejamento, Custos, Comercial, Saúde, Suprimentos, além de Segurança do Trabalho e Meio Ambiente ( SSTMA). “Gostaria de parabenizar os participantes, pois não é todo mundo que tem disposição para estudar depois de uma jornada de trabalho. O consórcio investiu nessa formação, demos o primeiro

passo, e agora a oportunidade vai ser construída por vocês”, ressalta André Araújo, diretor de Contrato. Entre os alunos, está Márcio Eduardo Pereira, encarregado de Pedreiro. Atuando no ramo da construção civil há cerca de 20 anos e há sete meses na obra, ele foi o mais assíduo durante o curso. “Trazemos o legado de começar e terminar algo. Essa é a característica de um bom líder. Trabalhamos em uma empresa que busca o crescimento dos seus profissionais e só temos a agradecer pela oportunidade”. Para finalizar a celebração, foi servido um lanche aos líderes e à equipe administrativa do consórcio, que apoiaram o programa. “Reforçamos a importância da sinergia entre as equipes para o bom andamento da obra”, destaca Liliane Doroteu, uma das responsáveis pela realização do Mestre Multiplicador.

49


rede de conhecimento

O 1ª Encontro da Comunidade de Conhecimento de Agronegócios reuniu 42 integrantes de sete países. O ambiente virtual já agregou 140 membros e diversos documentos e notícias de interesse sobre o tema

50


N

os dias 28 e 29 de outubro, a Comunidade de Conhecimento de Agronegócios realizou seu primeiro encontro presencial e elegeu seu líder. Assim, ganhou vida e passou a integrar a Rede de Conhecimento da Organização. O líder eleito foi Wolney Longhini, integrante da Odebrecht Infraestrutura América Latina. “Nesta fase, de início da Comunidade, vejo um grande trabalho de divulgação e coordenação das experiências para motivar a adesão de integrantes de todos os Negócios da Organização”, destaca como desafio em seu novo papel.

UNIÃO DE BOAS PRÁTICAS Com a participação de 42 pessoas de sete países onde a Organização atua, o evento reuniu integrantes da Odebrecht S.A., Odebrecht Agroindustrial, Odebrecht Infraestrutura - América Latina, Odebrecht Infraestrutura - Brasil, Odebrecht Infraestrutura - África, Emirados Árabes e Portugal, Odebrecht Engenharia Industrial, Braskem, Odebrecht Africa Fund e Fundação Odebrecht. A agenda do encontro foi estruturada para ampliar a perspectiva dos participantes sobre

51


“A Comunidade de Conhecimento de Agronegócios surgiu a partir da provocação constante para a participação na Rede de Conhecimento da Organização. A iniciativa nos traria, e tem trazido, o aumento da produtividade por meio da replicação de experiências e iniciativas bem sucedidas” – Wolney Longhini

a definição de agronegócio e sua função no desenvolvimento socioeconômico de uma região. “Buscamos mostrar, principalmente, que projetos de construção de infraestrutura para a produção agroindustrial podem acrescentar elementos sociais, além de abrir perspectivas de novos negócios”, ressalta Wolney Longhini. Ele acredita que para a Organização, com a diversidade de negócios, o setor pode desenvolver-se e oferecer

52

oportunidades na prestação de serviços, investimento e comercialização de produtos, por exemplo. Entre as palestras, Elias Teixeira Pires, engenheiro agrônomo na consultoria Plena, falou sobre os desafios pósconstrução dos perímetros irrigados em implantações de infraestrutura coletiva. O exministro da agricultura, Alysson Paulinelli, levou aos participantes a evolução do agronegócio no


diretor de contrato da Odebrecht Infraestrutura - América Latina no Peru, falou sobre o projeto Irrigación Olmos, como a região foi de um deserto pouco produtivo à agroexportação. Joaquim Cardoso, representante da Fundação Odebrecht, mostrou os riscos, acertos e lições aprendidas

Brasil. Marco Brandão, integrante em Angola, representou Felipe Cruz, responsável por Sustentabilidade na Odebrecht Infraestrutura - África, Emirados Árabes e Portugal, e apresentou sobre o desenvolvimento regional que o segmento proporciona, citando as oportunidades e ameaças da atividade. Os Negócios apresentaram, também, dez trabalhos bem sucedidos ou tidos como lições aprendidas. Giovanni Palacios,

do turismo agroecorural – instrumento de interesse entre turistas e condições humanas, sociais, econômicas e ambientais de uma região, em que o capital produtivo é baseado no bom e correto uso dos recursos naturais. Representando o Pólo Agroindustrial de Capanda, Marco Brandão apresentou o desafio de promover o agronegócio em Angola. Genésio Couto, responsável por Pessoas & Organização, Sustentabilidade e Comunicação na Odebrecht Agroindustrial, falou sobre o programa de carreiras no Negócio. O projeto Irrigación Chavimochic, no Peru, foi apresentado por Afonso Pinillos, diretor de Investimentos na Odebrecht Infraestrutura - América Latina no país. Evandro Fortes, integrante do Pólo Agroindustrial de Capanda (Sodepac), revelou os detalhes do projeto agráriosocialista Planicie

53


Ao final do encontro, os participantes reuniramse em grupos para consolidar o aprendizado das palestras

54

de Maracaibo, da Odebrecht Infraestrutura - América Latina na Venezuela. Gonzalo Diaz, diretor de Contrato, mostrou o projeto Daule-Vinces, da Odebrecht Infraestrutura América Latina no Equador. As particularidades da Biocom, empresa agroindustrial em Angola, foram apresentadas no encontro pelo integrante Alecio Cantalogo Junior. Pedro Freudenthal falou sobre o projeto agroavícola desenvolvido em Capanda, Angola, pela Odebrecht Africa Fund. No evento, Fabiano Zillo, responsável por Área Estratégica (RAE) Agrícola no escritório de Campinas da Odebrecht Agroindustrial, também foi

um dos palestrantes e levou aos participantes a opção da capacitação técnica da equipe por meio de integrantes multiplicadores. “As oportunidades de novos projetos estão frequentemente em regiões despreparadas para receber empreendimentos que demandam operações com diferentes níveis de complexidade. A capacitação das pessoas é um desafio comum aos projetos e buscamos superálo usando experiências como agente transformador daquelas comunidades”. Ele coloca como bons recursos para a formação da equipe de CCT (Colheita, Carregamento e Transporte), formar líderes, multiplicadores


e operadores por meio de ferramentas como manuais de melhores práticas; treinamentos presenciais ou em simuladores; e acompanhamento no campo. “A comunidade tem importância fundamental no conhecimento e na aproximação entre as lideranças da Organização

constante”, enfatiza Wolney Longhini. Para o líder, o desafio do segmento de agronegócios aumenta junto à crescente demanda por matérias primas e a redução dos ambientes produtivos. O papel da Organização nesse contexto

ligadas direta ou indiretamente ao agronegócio. O nosso papel é estimular a troca das experiências e o que ganhamos é um aprendizado compartilhado e novas oportunidades de sinergias entre os Negócios”, destaca Fabiano Zillo.

está explícito na Visão 2020, que reforça a participação nas indústrias de água, energia, infraestrutura, insumos industriais e alimento. “Assim, a troca de conhecimento é uma fórmula para alcançarmos nosso objetivo”.

Carla Pires, multiplicadora do encontro na Odebrecht Agroindustrial. Os multiplicadores foram eleitos no encontro. Por estarem em contato com a Linha e poderem captar as iniciativas que estão ocorrendo nos ambientes, seu trabalho é de grande responsabilidade

PARTICIPAÇÃO CONSTANTE A partir de agora, os 140 membros da Comunidade de Conhecimento de Agronegócios ganham a responsabilidade de manter a troca de aprendizados até o próximo encontro presencial, por meio da principal ferramenta do grupo: a página virtual da Comunidade. “O encontro tem a função de despertar a troca entre os empreendimentos, mas é fundamental que o trabalho de compartilhamento de conhecimento continue acontece no portal, onde o acesso é mais amplo, generalizado e deve ser

55


rápidas•ações sociais

Equipe de Infraestrutura Regional do EEP: sinergia com a área de Relações Institucionais para viabilizar o Programa de Infraestrutura Regional

Um benefício às comunidades de Enseada O Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP) idealizou o Programa de Infraestrutura Regional para viabilizar a operação do estaleiro e promover a melhoria da qualidade de vida dos integrantes e dos moradores das comunidades do entorno, na Bahia. Apoiada em oito pilares – saúde pública, educação, resíduos, infraestrutura bancária, habitação, segurança pública, sistema hidroviário e rodoviário –, a iniciativa foi acelerada e reestruturada para facilitar também as obras de implantação do Estaleiro Enseada, que contam com 3.500 integrantes. “Estamos focados em oferecer melhores condições às pessoas que trabalham para erguer nosso estaleiro. Quando surgiu o desafio, não hesitamos”, comenta Carlos Cunha, responsável por Infraestrutura Regional do EEP. As ações do programa já estão gerando

56

benefícios para os cidadãos locais. O sucesso das ações se deve à interação com os governos Municipais, Estadual e Federal e ao alinhamento com as áreas de Relações Institucionais do EEP e com a área de Implantação do Estaleiro Enseada. Maragojipe, Salinas, São Roque, Saubara, Santo Antônio de Jesus e Nazaré são algumas das cidades beneficiadas. Entre as soluções implantadas está a viabilização do sistema hidroviário que conduz os integrantes locais para o estaleiro. “Além de ser mais seguro, pois evita estradas sinuosas, o meio de transporte proporciona maior qualidade de vida aos integrantes porque reduz o tempo gasto no trajeto para o trabalho. Quem gastava 1h20, de São Roque do Paraguaçu para chegar ao estaleiro, hoje leva 10 minutos”, Hermano Viana, coordenador do Programa de Infraestrutura do EEP.


Sustentabilidade na Argentina: desafios e oportunidades Em 24 de outubro, foi realizado na Argentina o 1º Encontro de Responsabilidade Social Empresarial (RSE). Organizado pelo Grupo Brasil, na embaixada brasileira, o evento contou com empresas brasileiras que atuam no país para debates sobre os novos desafios e as oportunidades de praticar a sustentabilidade na Argentina. Lucas Utrera, líder de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da Odebrecht no país, atuou como moderador. O 1º Encontro de RSE enfatizou que a sustentabilidade requer planejamento a longo prazo: administrar bem o presente pensando em como irá refletir no futuro. Foram estabelecidos os princípios que guiam as ações e as formas de trabalho das empresas. “O objetivo principal do evento foi gerar um espaço de intercâmbio de conhecimento e debates sobre a Sustentabilidade entre empresas argentinas e brasileiras”, destaca Lucas Utrera.

Sebastian Bigorito, diretor do Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável, e Lucas Utrera durante o 1º Encontro de Responsabilidade Social Empresarial

57


rápidas•ações sociais

Formando jovens para o mercado

A partir da esquerda, Allan Chan, diretor de Pessoas & Organização na Odebrecht, Ricardo Boleira e Nancy Laos

Em 29 de outubro, o Ministério do Trabalho e Promoção do Emprego estabeleceu o Convênio Marco de Cooperação com a Odebrecht Infraestrutura - América Latina no Peru, que permitirá a capacitação e inserção de jovens participantes dos programas Jóvenes a la Obra e Vamos Peru no mercado de trabalho. Os cursos estão focados no aperfeiçoamento de técnicas de obras civis e oferecem treinamento em carpintaria, alvenaria e armadores, assim como a operação de maquinário pesado. Os jovens terão oportunidades de trabalho nos projetos do país, como o Vías Nuevas de Lima, Vías de Cusco e Proyecto Matarani (Arequipa). A ministra do Trabalho e Promoção do Emprego, Nancy Laos, destacou a contribuição da Odebrecht para o país que, por meio dessa iniciativa, integra-se à rede de empresas privadas que unem esforços para melhorar os

58

índices de empregabilidade dos jovens. “Nossa juventude precisa de uma chance para saber que tem um futuro diferente”. Ricardo Boleira, diretor-Superintendente da Odebrecht no Peru, destacou que contribuir para o desenvolvimento dos jovens faz parte da filosofia da Organização. “Nosso crescimento no país implica a geração de vagas de trabalho, com integrantes cada vez mais capacitados. Por isso, é importante nossa relação com o Ministério do Trabalho para oferecer novas oportunidades”. O Ministério do Trabalho, por meio do Programa Nacional de Emprego Juvenil, Jóvenes a la Obra, e o Programa Nacional para a Promoção de Oportunidades de Trabalho, Vamos Peru, compromete-se a selecionar os beneficiados e financiar sua capacitação, assim como coordenar com as empresas as inserções no mercado de trabalho.


Da teoria à prática O projeto Vias Expressas de Luanda, da Odebrecht Infraestrutura - África, Emirados Árabes e Portugal

Odebrecht (TEO)”, ressalta Uirá Ribeiro, responsável Comercial. De julho a outubro,

em Angola, ofereceu estágio a quatro engenheiros angolanos do Instituto Nacional de Estradas. Os profissionais concluíram o curso de Engenharia Civil na China. A oportunidade dada tem como objetivos principais aprimorar as competências práticas em complemento aos conhecimentos teóricos desenvolvidos durante a fase acadêmica, e desenvolver uma compreensão mais detalhada sobre a construção civil. “Durante o estágio no projeto, houve troca de experiências e, sobretudo, a prática da Tecnologia Empresarial

Antônia Manuel, Gilberto Dias, Abel da Silva e Adilson Mateus estagiaram nos setores de custos e apropriação, medição, suprimentos, engenharia, produção, equipamentos e sustentabilidade, além de conheceram o ÍRIS – sistema de monitoramento e acompanhamento de veículos da obra. “Entendemos que a formação acadêmica e a Educação pelo Trabalho, por meio da relação líder e liderado, irão alavancar o nosso crescimento profissional, onde quer que estejamos trabalhando”, destaca Antônia Manuel.

59 59


Fundação Odebrecht

N

o caminho da Estrada Parque existem diversas comunidades. Estimase que 90.000 pessoas residem e circulam na região por meio da via que liga as rodovias BR-

60

101 e BA-001, chegando à Praia do Pratigi, localizada na Área de Proteção Ambiental (APA) do Pratigi, no Baixo Sul da Bahia. A requalificação e pavimentação dessa estrada visam facilitar o transporte, assim como a


Norberto Odebrecht e General Joaquim Maia Brandão Júnior assinam Memorando de Entendimentos para a requalificação da Estrada Parque

implantação de centros de resultados ligados às cadeias produtivas agrícolas e aquícolas da região, constituindo um canal eficiente de comunicação e geração de renda, além de contribuir para consolidar o Agroecoturismo –

modelo de turismo agrícola, ecológico e sustentável. A obra será executada pelo Exército Brasileiro (EB), que está ampliando a parceria com o Programa de Desenvolvimento e Crescimento

61


Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS), fomentado pela Fundação Odebrecht e parceiros públicos e privados. No dia 18 de outubro, o General Joaquim Maia Brandão Júnior, chefe do Departamento de Engenharia e Construção (DEC) do EB, e Norberto Odebrecht, presidente do Conselho de Curadores da Fundação Odebrecht, assinaram o Memorando de Entendimentos que viabilizará a construção. Para o General Brandão, essa é uma oportunidade da instituição cumprir seu papel. “O trabalho é grande e sabemos do desafio”. A assinatura aconteceu durante o Workshop Pratigi, realizado na Serra da Papuã – em Ibirapitanga, na Bahia –, entre 14 e 18 de outubro. O evento abordou as atividades necessárias e o cronograma de trabalho para a construção da Estrada Parque. Durante os cinco dias, os participantes interagiram em visitas técnicas, palestras, debates e oficinas com temas como experiências de construção de estradas ecológicas, pavimentação, direito e policiamento ambiental. Na ocasião, houve também uma demonstração do “Valente” – Veículo Aéreo Leve Especializado Não Tripulado de Engenharia –, projeto do

62

Instituto Militar de Engenharia com a participação da Diretoria de Patrimônio Imobiliário e Meio Ambiente (DPIMA) vinculada ao DEC. “Não só podemos colaborar, mas angariar novas experiências. Como militares, buscamos incutir valores básicos e de cidadania, e aqui vemos uma oportunidade de aplicar esses conceitos em sua plenitude”, enfatiza o General Lauro Luís Pires da Silva, diretor da DPIMA. Para Mauricio Medeiros, presidente executivo da Fundação Odebrecht, “é extraordinário ter tantas mentes pensando em solucionar a dificuldade daqueles que transitam nessas estradas. “Que possamos juntos promover uma geração que desenvolvase e cresça com dignidade na região”. Inicialmente, dos 125 quilômetros


(km) que totalizam a Estrada Parque, o Exército irá atuar na requalificação e construção de 41 km da rodovia BA-250/Pratigi (estrada litorânea). O trecho une a comunidade de Colônia, cruzando a BA-001 até a Praia do Pratigi, no município de Ituberá. Os recursos para essa obra são resultado da parceria firmada com o Ministério do Turismo (MTur) e o Governo do Estado da Bahia, por meio da Secretaria de Infraestrutura. “O investimento é de grande importância porque agrega valor ao destino Bahia”, ressalta Fábio Mota, secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo do MTur. Heráclito Menezes, prefeito de Piraí do Norte e presidente do Consórcio Intermunicipal da APA do Pratigi

(Ciapra), destaca como principal objetivo o benefício à população. “O foco é melhorar a vida daqueles que mais precisam, com soluções sustentáveis”. Para Josevaldo Santos, presidente da Associação Guardiã da APA do Pratigi (Agir) e morador de Piraí do Norte, a obra vai beneficiar diretamente pequenos agricultores como ele. “Represento milhares de pessoas que sonharam com o desenvolvimento”. O empresário Arthur Bahia destaca o crescimento da região como um todo. “Apesar do meu trabalho estar focado no litoral, se aqui estiver bom, o interior vai estar também. Esse evento e a presença do Exército dão um selo de qualidade e comprometimento ao projeto”.

Oficiais do Exército e representantes do poder público local, de associações civis e da iniciativa privada participaram do Workshop Pratigi. No evento foram estruturados o cronograma de trabalho e as atividades necessárias para a construção da Estrada Parque

63


On 320 pt2