Issuu on Google+

nº 304 • abril 2013

Itaipava Arena Fonte Nova: começa uma nova história!

Odebrecht: uma marca de todos nós!

Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável

UHE Santo Antônio: 1 ano de geração de energia


sumário nº 304 • abril 2013

UMA MARCA DE TODOS NÓS!

expediente ODEBRECHT NOTÍCIAS é um informativo quinzenal, de circulação interna, editado pela equipe de Comunicação da Odebrecht S.A. JORNALISTA RESPONSÁVEL: Fabiana Cabral SUGESTÕES: fabianacabral@odebrecht. com DISTRIBUA O ODEBRECHT NOTÍCIAS EM SUA EMPRESA!

40

4

CRIATIVIDADE A SERVIÇO DA SUSTENTABILIDADE


26 RÁPIDAS 52 NOVOS DESIGNERS,

NOVAS IDEIAS

56 RÁPIDAS:

PESSOAS

60 SANTO ANTÔNIO: 1 COMEÇA UMA NOVA HISTÓRIA

10

ANO DE GERAÇÃO

62 DIA MUNDIAL DA

ÁGUA: ATITUDES FAZEM A DIFERENÇA

68 RÁPIDAS:

MEIO AMBIENTE

72 RÁPIDAS:

AÇÕES SOCIAIS

PRÓXIMA EDIÇÃO:

24 ABRIL


identidade visual

Uma marca de todos nós!

A

Odebrecht deu um passo importante para reforçar visualmente o alinhamento cultural entre seus diferentes Negócios. A Organização lançou, ao longo do primeiro trimestre de 2013, uma nova arquitetura de marcas, que traz como destaque a adoção de uma marca única para todos os negócios. Apenas a Braskem e o Estaleiro Enseada do Paraguaçu não aderiram ao novo sistema por questões específicas. “Precisávamos reforçar visualmente, para as empresas e as pessoas, o sentido de pertencer a uma mesma Organização. Por outro lado, precisávamos também demonstrar a elas o compromisso da Organização com cada um de seus negócios”, afirma Márcio Polidoro, responsável por Comunicação na Odebrecht S.A.

4


O desafio foi lançado à consultoria inglesa Interbrand em 2011. Em um trabalho que levou mais de um ano para ser realizado, os profissionais da empresa visitaram obras, unidades industriais, concessionárias e escritórios da Organização no Brasil e em outros países. O objetivo era compreender a cultura empresarial da Odebrecht e as peculiaridades resultantes da descentralização das suas operações. Na época, cada empresa criava e gerenciava sua marca.

Conceição Ribeiro, da Odebrecht S.A. em Salvador, recebe kit contendo objetos com a aplicação da logomarca

5


Isabel Ferreira exibe o folheto informativo sobre lançamento da marca

6

“Reunimos um conjunto de percepções e, junto com o cliente, estabelecemos as premissas do trabalho, sempre norteados pela ideia de que a marca é um ativo que deve ser gerenciado com vistas ao entendimento de quem com ela se relaciona. Outro vetor decisivo foi a ideia de construir uma percepção global para uma organização empresarial que atua em diferentes negócios e países. Para isso, era preciso ter uma marca única, e capaz de resistir a mudanças estruturais”, afirma Laura Garcia, gerente de Estratégia de Marca da Interbrand. Além de reforçar o sentido de Organização, a adoção do sistema de monomarcas permitiu criar diferenciações entre os negócios, por meio de descritivos próprios associados à marca Odebrecht. Os descritivos têm a função de informar, de forma simples e clara, o segmento de atuação de cada negócio.


ODEBRECHT S.A. DE CARA NOVA A implantação da nova identidade visual e de nomenclatura segue um cronograma próprio, definido e comunicado por cada Negócio. Na holding Odebrecht S.A., o dia 1º de abril foi escolhido para marcar a mudança. Uma campanha de lançamento da nova marca foi preparada pela equipe de Comunicação da Odebrecht S.A. para envolver os integrantes no novo momento da Organização. Um dos destaques da campanha foi a divulgação de um vídeo baseado em animações que reforçou a unidade entre os negócios, destacou aspectos relevantes da Cultura Empresarial Odebrecht e apresentou a nova arquitetura de marcas. O vídeo foi enviado a todos os integrantes da Organização por meio de e-mail marketing e, em uma semana, alcançou 14.042 acessos, com mais de mil compartilhamentos nas redes sociais. Na página oficial da Odebrecht no Facebook, foram registradas 93 mil visualizações do post de apresentação do filme, que foi curtido por 446 pessoas. A campanha incluiu ainda a substituição da logomarca nas recepções dos escritórios da Odebrecht S.A., a colocação de banners e cartazes nos ambientes internos, a publicação de banners eletrônicos no portal corporativo e no site da Organização na internet, além da troca dos crachás dos cerca de 1.200 integrantes da holding. Também foram distribuídos para esses integrantes kits com objetos que exemplificavam as

Clique e confira o vídeo de apresentação da nova arquitetura de marcas da Organização

Um vídeo apresentou a nova arquitetura de marcas da Organização

7


formas de aplicação da nova marca. No total, as ações de lançamento abrangeram oito escritórios em Brasília, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. “Esperamos que com esta campanha, os integrantes cuidem dessa marca, da sua aplicação, e a utilizem da forma correta, porque é uma marca que pertence a todos nós. Isso é muito importante para a nossa Organização”, afirma Karolina Gutiez, responsável por Programas Editoriais e Gestão da Marca na Odebrecht S.A.

O Território da Marca foi desenvolvido com o objetivo de orientar a aplicação da nova identidade visual

8

TERRITÓRIO DA MARCA Para facilitar o acesso de integrantes e prestadores de serviço às novas diretrizes visuais da Organização Odebrecht foi desenvolvido o Território da Marca, site que reúne todos os padrões para o uso correto da marca. Para acessá-lo, é necessário efetuar um cadastro na página inicial e aguardar a aprovação da equipe de gerenciamento do site. No Território da Marca, os usuários encontram informações sobre os atributos e a estratégia de marca da Organização, diretrizes de Tom de Voz para a construção de textos, guia de cores da nova identidade visual, manual de sinalização e frota, além da nova arquitetura de marcas. Também estão disponíveis para download as versões da logomarca, artigos de papelaria, a nova família tipográfica da Odebrecht, modelo de apresentação e pictogramas utilizados na sinalização dos ambientes. Cada empresa possui a sua versão do Território da Marca, com diretrizes visuais, variantes da logomarca e aplicações específicas para o seu tipo de negócio. Tudo em um ambiente integrado, desenvolvido com o objetivo de garantir a unidade visual e fortalecer a marca da Organização.


Nova identidade visual presente no dia a dia

9


capa

10


O jogo de abertura da Itaipava Arena Fonte Nova, realizado em 7 de abril, contou com a presenรงa de 41.500 pessoas

11


A

pós 1 .959 dias, ou cinco anos e cinco meses, torcedores voltaram a pisar no local que já foi palco de importantes momentos do futebol. Na tarde ensolarada de 7 de abril, mais de 40 mil tricolores e rubro negros se reuniram para o início de uma nova história: a inauguração da Itaipava Arena Fonte Nova. De novembro de 2007 a abril de 2013, muita coisa mudou. O antigo estádio Octávio Mangabeira, inaugurado em 1951 , transformou-se no mais novo cartão postal de Salvador, implodido e reconstruído para receber jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo de 2014. Os eventos inaugurais da Itaipava Arena Fonte Nova começaram no dia 5 de abril até o esperado clássico do futebol Bahia e Vitória, no domingo. O Odebrecht Notícias mostra as celebrações.

I NAUG U RAÇ ÃO O F I C I A L Na manhã de 5 de abril, a Fonte Nova Negócios e Participações – concessionária

1212


A presidente Dilma Rousseff, acompanhada do governador Jaques Wagner, deu o chute que marcou a inauguração oficial da Itaipava Arena Fonte Nova

13


que administra a arena, formada por Odebrecht Properties e OAS Arenas – realizou a cerimônia de inauguração oficial com a presença da presidente Dilma Rousseff, acompanhada do governador da Bahia Jaques Wagner, do prefeito e Salvador Antônio Carlos Magalhães Neto e de integrantes do consórcio construtor Arena Salvador ( Odebrecht Infraestrutura e Construtora OAS ). Em seu discurso, Dilma Rousseff falou do orgulho que a obra traz para os brasileiros. “Me sinto feliz de fazer a inauguração dessa arena. Dá orgulho de ver que estamos superando expectativas. Não é qualquer país que tem essa beleza em seus estádios. O formato ‘ferradura’ dá identidade ao povo, porque a arena se volta para a Fonte do Tororó, onde bebi água quando era pequena, onde estão os orixás dessa terra, onde está o orgulho do sincretismo dessa cidade”, afirmou. Estiveram presentes os

14

ministros dos Esportes, Aldo Rebelo; da Justiça, José Eduardo Cardoso; da Comunicação, Helena Chagas; dos Transportes, César Borges; de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, e o Padre Antônio Maria. O presidente da Itaipava


Arena Fonte Nova, Frank Alcântara, diretores da empresa e Ney Campello, titular da Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo da Fifa, também participaram da cerimônia.

D E S EJO R EA L I Z A D O N a ta rd e d e s á b a d o , 6 d e a b r i l , j o r n a l i s ta s e c o nv i d a d o s a c o m p a n h a ra m o eve n to p a ra o ro m p i m e n to d a e n o r m e f i ta d o S e n h o r d o B o n f i m q u e e nvo l v i a a a re n a . A

A fita do Senhor do Bonfim, que envolvia a arena, foi desamarrada, simbolizando que o sonho da entrega do novo estádio foi concretizado

15


d o B o n f i m’ , t ra d i ç ã o d a c u l tu ra da Bahia, simboliza um pedido e a re a l i z a ç ã o d e u m d e s e j o . “ Es s e e ra u m s o n h o , u m p e d i d o q u e a go ra s e to r n o u re a l i d a d e : d a r a o p ovo b a i a n o u m a a re n a c o m a e s t r u tu ra q u e e l e m e re c e ” , re s s a l to u Fra n k A l c â n ta ra . D e a c o rd o c o m D o u g l a s Co s ta , d i re to r d e M e rc a d o d o G r u p o Pe t ró p o l i s ( fa b r i c a n te d a c e rve j a I ta i p ava ) , e n t re te n i m e n to e m u i to s eve n to s e s tã o n o s p l a n o s d a a re n a : “ É u m a d e m o n s t ra ç ã o d e g ra t i d ã o e

16


re s p e i to à s t ra d i ç õ e s b a i a n a s , u m d o s m a i s i m p o rta n te s fe i to s p e l o G r u p o Pe t ró p o l i s ” .

‘A FO N T E NOVA É NOSSA’ Antes de assistirem à partida de futebol, os torcedores puderam conhecer as novas instalações da arena e acompanhar o evento inaugural que homenageou a cultura baiana. O pequeno Arthur Nascimento, de 13 anos, que sofre de paralisia infantil e depois de vários tratamentos,

começou a ficar de pé e a andar com equipamentos especiais, deu o pontapé inicial na cerimônia. “Queria dizer que todos precisam respeitar as pessoas com deficiência. Ser deficiente não é ser incapaz. Também quero pedir um Ba-Vi [ clássico Bahia versus Vitória] de paz. Todos precisam se respeitar”, afirmou o jovem, aplaudido de pé pela plateia. Mestre de cerimônia, o ator baiano Fábio Lago conduziu a festa. Vestido de branco e com um pandeiro nas mãos,

A participação de Arthur Nascimento e de cantores baianos marcaram o espetáculo artístico de inauguração da arena

17


18

ele tocou repente e recitou Cordel – gênero literário popular nordestino escrito frequentemente na forma rimada. “Desse povo que é guerreiro, a seleção é canarinho, e tem um santo milagreiro e dizem numa só voz Nosso Deus é

respeito e lembrança que impera”, recitou o ator. Em seguida, cantores baianos deram o tom musical da festa. Margareth Menezes cantou Kirimurê, de Jota Velloso; Mariene de Castro entoou sambas de roda, ritmo característico

Brasileiro” , declarou. Fábio Lago lembrou as vítimas do acidente de 25 de novembro de 2007, quando sete pessoas morreram após a queda de parte da arquibancada da antiga Fonte Nova. Os nomes de Anísio Marques Neto, Djalma Lima Santos, Jadson Celestino, Joselito Lima Júnior, Márcia Santos Cruz, Midian Andrade Santos e Milena Vasquez Palmeira foram lidos e exibidos nos telões. “E dos escombros e feridas, nasceu esse sonho. A espera foi um tempo tristonho, mas nenhuma dor é em vão, nenhum sonho morre pagão. Agora somos todos testemunhas do novo amanhecer, e temos no peito a certeza que fizemos por merecer. Do nosso peito a homenagem sincera. Nosso

do Recôncavo Baiano; e Marcia Short, Dan Miranda e Claudia Leitte subiram ao palco com as músicas Crença e Fé e Sorriso Negro. Ivete Sangalo encerrou as apresentações artísticas com uma homenagem aos jogadores que fizeram história no futebol brasileiro – Aliomar Brito, André Catimba, Baiaco, Beijoca, Elizeu Godoy, Emo, Marcelo Ramos, Osni Lopes, Paulo Isidoro, Preto Casagrande, Ronaldo Passos, Sapatão, Sérgio Moraes, Tyrso, Wesley, Zé Carlos, Zé Eduardo e Ricky. A cantora e os outros artistas cantaram, juntos, os hinos do Bahia e do Vitória. “Estou feliz e honrada por cantar na abertura da arena, que é um lugar querido e importante e faz parte


Os cenĂłgrafos baianos responsĂĄveis pelo evento artĂ­stico desenvolveram um palco feito do isopor reutilizado na obra, mais leve, para preservar o gramado da arena

19


Com capacidade para 50 mil pessoas, a nova arena tem assentos cobertos em 10 níveis e três anéis de arquibancadas

20

da nossa história e cultura. Espero que o povo saiba zelar, usufruindo por muitos anos desta que é uma conquista de todos” , afirmou Margareth Menezes. Ivete Sangalo, que confirmou a gravação de seu especial de 20 anos de carreira na Itaipava Arena Fonte Nova, reforçou: “Esse é um templo

de alegria, entretenimento e orgulho para todos os baianos”.

A BO L A ‘RO L A’ O c l á ss i co B a -Vi fo i p re ce d i d o p e l o h i n o n a c i o n a l exe c u ta d o p o r 1 0 0 m ú s i co s d o O l o d u m , t ra d i c i o n a l gru p o d e p e rc u ss ã o d o e s ta d o . B a h i a e Vi tó ri a , e ntã o , d i s p u ta ra m


De pênalti, Renato Cajá marca o primeiro gol da Itaipava Arena Fonte Nova, na partida que terminou 5 a 1 para o Vitória

21


u m j o go e m o c i o n a nte p e l o Ca m p e o n ato B a i a n o . A p a rt i d a co m e ço u m ovi m e nta d a , co m o s d o i s t i m e s ata c a n d o . Ao s 42 m i n u to s d o p ri m e i ro te m p o , Re n ato Ca j á co b ro u p ê n a l t i e m a rco u o p ri m e i ro go l n a I ta i p ava A re n a Fo nte N ova , p e l o Vi tó ri a . N o s egu n d o te m p o , m a i s c i n co go l s , q u at ro

22

d o Vi tó ri a , d e M ax i B i a n c u c h i , M i c h e l , Va n d e r e Es c u d e ro , e u m d o B a h i a , d e Zé Ro b e rto . D e a c o rd o c o m F ra n k A l c â n t a ra , n ã o h o u ve p ro b l e m a s g ra ve s d u ra n te to d o o e ve n to . “ É u m c o m e ç o p a ra to d o s n ó s . H o j e é s ó o p r i m e i ro d i a . E s s a a re n a va i e vo l u i r a c a d a j o g o ” , concluiu.


NAMING RIGHTS A Itaipava Arena Fonte Nova é a primeira entre as novas arenas multiuso brasileiras a assinar um contrato de naming rights. Para ter o privilégio, o Grupo Petrópolis está investindo 10 milhões de reais por ano, por 10 anos. O contrato concede à Itaipava e outras marcas da empresa o direito de comercialização de seus produtos com exclusividade em todos os bares e restaurantes da arena.

As torcidas do Bahia (tricolores) e do Vitória (rubro negros) acompanharam um clássico emocionante pelo Campeonato Baiano

23


INAUGURAÇÃO DA ITAI Confira outras imagen

24


IPAVA ARENA FONTE NOVA ns da festa, em Salvador.

25


rápidas

Uma revista para nos conhecermos A O d e b re c ht n a A rge nt i n a d e s e nvo lve u u m n ovo ve í c u l o d igi ta l p a ra i n ce nt iva r u m a co m u n i c a ç ã o d i fe re nte : a revi s ta N OS m o s t ra o l a d o m a i s p e ss o a l d o s i nte gra nte s d e d i fe re nte s co nt rato s no país e estimula a i nte ra ç ã o e nt re o s p ro fi ss i o n a i s . La n ç a d a n o d i a 22 d e m a rço , co m gra n d e a ce i ta ç ã o e b o a s c rí t i c a s , a revi s ta co nta co m c i n co e nt revi s ta s e m c a d a e d i ç ã o . Sã o d ivu lga d a s , e m c a d a n ú m e ro , h i s tó ri a s

Bimestral, a revista NOS é divulgada nos idiomas espanhol e português

26

e ex p e ri ê n c i a s d o s i ntegra nte s . “Al é m d e n ã o ga s ta r t i nta e p a p e l , o fo rm ato d igi ta l p e rm i te u m vi s u a l m a i s m o d e rn o , co m ga l e ri a fo tográfi c a e ví d e o s . A ss i m , p o d e m o s co n h e ce r a fu n d o a s p e ss o a s e nt revi s ta d a s” , co m e nta H e rn á n Ló p e z So s a , d a á re a d e Co m u n i c a ç ã o e I m age m n a A rge nt i n a . U m d o s p e rs o n age n s d a p ri m e i ra e d i ç ã o é D i ego Pugl i e ss o , re s p o n s áve l p o r Ad m i n i s t ra ç ã o , Fi n a n ç a s e Pe ss o a s . “ É i m p o rta nte m o s t ra r o

n o ss o p ovo , p o i s s o m o s u m a O rga n i za ç ã o d e p e ss o a s . Q u a l q u e r ava n ço te c n o l ógi co c h ega rá p a ra n o s a j u d a r, m a s n u n c a i rá s u b s t i tu i r o co ntato q u e te m o s no dia a dia. A ideia é n o s co n h e ce rm o s m e l h o r, e nte n d e r e va l o ri za r q u e m e s tá a o l a d o” , d e c l a ro u e m s u a e nt revi s ta . Co n h e ç a a revi s ta d igi ta l N OS e a lgu n s i ntegra nte s d a O d e b re c ht n a A rge nt i n a . Ace ss e : http://nos. odebrecht.com.ar


O Rio Corporate é composto por seis lajes corporativas, tem 21 mil metros quadrados de área construída e dois subsolos

No Rio, um novo empreendimento Em 26 de março, a Odebrecht Realizações Imobiliárias entregou seu segundo empreendimento no Rio de Janeiro: o Rio Corporate, localizado no Complexo Rio Office Park, na Barra da Tijuca, ao lado do Dimension Office Park – primeiro da empresa na cidade, entregue em dezembro de 2012. Para Maurício Brayner, da equipe de construção, a obra foi um aprendizado por conta das peculiaridades em se desenvolver um projeto para um único cliente. “Fizemos uma obra personalizada”, comenta. De acordo com ele, durante 20 meses a equipe da

Odebrecht Realizações e um engenheiro do cliente trabalharam juntos na construção do empreendimento. “Com essa relação, tivemos uma comunicação direta e transparente. Pudemos, então, sonhar o sonho do cliente e desenvolver um produto com melhor qualidade sem impactar no custo e no prazo”, ressalta. O evento de entrega contou com a presença de cerca de 80 pessoas, que puderam, ainda, participar da visitação do espaço, liderada por João Carlos Moog Rodrigues, responsável pela construção do Rio Corporate, e Flavio Neves, responsável por incorporação.

27


rápidas

Porto Atlantico: sucesso de vendas No dia 23 de março, a Odebrecht Realizações Imobiliárias promoveu o lançamento oficial do Porto Atlantico e a inauguração de seu estande no Rio de Janeiro. O clima era de comemoração, já que as 830 unidades do Porto Atlantico Leste, primeiro de dois empreendimentos do complexo, foram vendidas. A abertura das vendas ocorreu nos dias 20 e 21 do mesmo mês, quando cerca de 50 integrantes da Regional Rio de Janeiro se mobilizaram para um evento que se tornou mais um marco para a empresa. “Reuni a equipe para transmitir uma mensagem sobre a importância daquele momento na vida e na carreira de cada um e sua relevância para a Odebrecht. O resultado não poderia ter sido melhor”, relata Rogério Oliveira, responsável pela incorporação. Ele conta que os envolvidos trabalharam com uma energia positiva vibrante: “A equipe foi essencial para fechar o resultado

Foram vendidas lojas, salas e unidades hoteleiras em menos de três dias

28

de sucesso e o comprometimento e a dedicação de todos fizeram a diferença”.  O Porto Atlantico é situado no Porto Maravilha, região portuária do Rio que está sendo revitalizada com participação da Odebrecht Infraestrutura. Sua primeira etapa, o Porto Atlantico Leste, será composta por duas torres com 450 quartos das bandeiras Ibis e Novotel, uma torre com 330 salas comerciais, uma torre com lajes corporativas padrão AAA e 50 lojas no térreo. A previsão para iniciar as obras é no segundo trimestre de 2013, com entrega no primeiro semestre de 2016. Já o segundo empreendimento do complexo, o Porto Atlantico Oeste, que será lançado em breve, terá três torres corporativas padrão AAA e diversas lojas. 

Clique para assistir ao vídeo sobre o lançamento.


O ‘tapete’ verde da Arena Pernambuco

Depois das cadeiras vermelhas, a Arena Pernambuco ganhou mais uma cor: o campo está tomado pelo verde do gramado. Em 23 e 24 de março, com quinze dias de antecedência, a Odebrecht Infraestrutura instalou a grama para os jogos da Copa das Confederações, em junho deste ano. Antes de ser levada para a arena, a grama do tipo Bermuda Tifway 419, recomendada pela FIFA, foi plantada e cultivada, desde novembro do ano passado, no Centro de Treinamento do Naútico, clube que fechou contrato para jogar suas partidas na Arena Pernambuco. Foram necessários 500 rolos de grama, cada um com 1,20 m de largura e 15 m de comprimento, para preencher o gramado, cuja área total é de 8.970 metros quadrados. Para Bruno Dourado, Diretor de Contrato, a Arena Pernambuco ganhou vida. “A partir de agora, todos os trabalhos girarão em torno do gramado”, ressalta. Outras atividades continuam sendo realizadas, como a etapa final da colocação dos assentos, acabamento e fechamento lateral, entre outras.

O gramado está sendo cuidado pela empresa responsável em cultivar o campo do Camp Nou, estádio do Barcelona

29


rápidas

Comunicação em duas vias

A Rede de Comunicadores é formada por pescadores, marisqueiras, quilombolas, lideranças comunitárias, comunicadores comunitários e blogueiros

30

Formar um grupo de comunicadores sociais para esclarecer as comunidades do entorno sobre o andamento das obras do Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP) é o principal objetivo da iniciativa criada pela Diretoria de Relações Institucionais e Sustentabilidade. O EEP realizou o evento de lançamento da Rede de Comunicadores na sede da entidade Vovó do Mangue, em Maragojipe, no Recôncavo Baiano, no dia 8 de março. Pela ação, 15 pessoas das comunidades serão permanentemente ouvidas e informadas sobre o projeto e seu cronograma, as contrapartidas do governo, os eventos previstos, a geração de oportunidades de trabalho

e a qualificação da mão de obra direta. Segundo Roque Peixoto, coordenador da Rede de Comunicadores do EEP, o grupo é formado por agentes de interação. “Os participantes são as pessoas que se destacaram nos últimos anos no quesito representatividade, verdadeiros protagonistas sociais locais que consideram o EEP uma oportunidade de fortalecer suas regiões”, explica. A rede é um espaço de governança e participação, tendo os agentes como principais participantes e fomentadores. “A ideia é a formação de uma rede fluida e dialógica, estimulando uma comunicação em ‘duas mãos’”, resume Roque Peixoto.


Transferência de tecnologia A Concessionária deu início à montagem de um túnel de concreto pré-fabricado no trevo do Caxambu, previsto no projeto de duplicação da rodovia Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360), que liga Jundiaí e Itatiba, no interior de São Paulo. O uso de uma solução de engenharia europeia vai possibilitar a conclusão da obra em metade do tempo necessário para a construção de um túnel convencional. A tecnologia portuguesa foi trazida pela Odebrecht ao Brasil, pela primeira vez, para o trecho sul do Rodoanel. “Na Rota das Bandeiras, o projeto agrega ainda a construção de novas alças com

o objetivo de eliminar os conflitos viários e garantir maior segurança e conforto aos usuários”, explica Jurandir Barrocal Netto, diretor de Engenharia da concessionária. O túnel de 62 m de comprimento, 13 m de largura e 9 m de altura será composto por 49 módulos pré-fabricados e funcionará como passagem inferior na ligação entra as rodovias Engenheiro Constâncio Cintra e João Cereser. A conclusão da duplicação da SP-360 no trecho de Jundiaí e a liberação total para uso de dispositivos como o trevo do Caxambu e a passagem inferior do km 70,1 está prevista para o segundo semestre deste ano.

Na SP-360, o uso de soluções europeias garantirá agilidade à obra: os trabalhos que levariam 120 dias poderão ser feitos em 60

31


rápidas

Soluções para a construção civil

As mantas são aplicadas entre a laje e o contra piso e proporcionam redução de ruídos entre os andares

Atentas às necessidades do setor de construção civil, a Braskem e a Multinova lançaram no mercado brasileiro as mantas expandidas de polietileno (PE) produzidas com tecnologia italiana – solução inovadora para reduzir a transmissão de ruídos entre os andares dos edifícios e conferir ainda mais qualidade às obras. O produto é uma alternativa para atendimento à norma ABNT NBR 155753:2013, que entra em vigor em julho deste ano e estabelece requisitos mínimos de desempenho acústico em edificações. A nova exigência determina critérios e métodos de avaliação para os principais sistemas que compõem um edifício: estrutura, pisos internos, vedações externas e internas, coberturas

32

e instalações hidrossanitárias. As mantas de PE seguem um rigoroso controle de qualidade e têm sua eficiência comprovada por meio de ensaios técnicos realizados no Instituto de Pesquisas Tecnológicas e em institutos independentes italianos. O produto é feito em PE expandido, o que o torna mais leve, com maior durabilidade e menor custo. “A manta é a alternativa de melhor custo-benefício que podemos encontrar no mercado de isolamento acústico, permitindo atingir os níveis intermediário e superior da norma. Com a forte expansão da construção civil, é preciso investir em novos produtos”, afirma Jorge Alexandre, responsável por Desenvolvimento de Mercado de PE da Braskem.


Práticas sustentáveis No cenário atual de escassez de chuvas e racionamento de água na região Nordeste do Brasil, o Consórcio CONEST (formado por Odebrecht Engenharia Industrial e OAS) adota novas soluções para economizar aproximadamente 30 milhões de litros de água. Trata-se da adoção de novas tecnologias para testes hidrostáticos e limpeza interna de tubulações da Unidade de Destilação Atmosférica (UDA) na Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. O novo método foi desenvolvido

no consórcio com a participação de empresas parceiras e apoio da Petrobras. A implantação compreende três novas práticas: o jateamento interno de tubulações (processo que evita a utilização de água), a passagem de PIG mecânico com passivação (retirada de produtos sólidos das paredes internas da tubulação) e a instalação da Estação de Tratamento e Reuso de Água (ETA), inaugurada em março deste ano, com capacidade para produzir 200 mil litros de água.

ETA: a utilização de novas tecnologias vai reduzir prazos, custo e uso dos recursos hídricos, eliminar o descarte de efluentes e elevar a qualidade do produto final

33


rápidas

Primeira peça de uma turbina A Odebrecht Infraestrutura, responsável pela construção da Usina Hidrelétrica (UHE) Teles Pires, iniciou, em 14 de março, a montagem do tubo de sucção da Unidade Geradora 01 (UG01) de sua Casa de Força. O tubo de sucção é a primeira peça da turbina a ser montada e faz parte do circuito hidráulico de uma unidade geradora. Sua função é restituir a água para o canal de fuga, que é o caminho natural no leito do rio. Para viabilizar os trabalhos, as peças são pré-montadas na Área de Montagem (AM), lançadas nas unidades geradoras e posteriormente concretadas. A UHE Teles Pires, localizada entre os estados de Mato Grosso e Pará, terá potência instalada de 1.820 MW, distribuída em cinco unidades geradoras de 364 MW cada.

34

O tubo de sucção da UHE Teles Pires tem diâmetro de 16 metros e 60 toneladas


Onde nascerá um túnel Um desafio está sendo superado pelo Consórcio Linha 4 Sul, responsável pelas obras da Linha 4 do metrô do Rio de Janeiro, com liderança da Odebrecht Infraestrutura. A montagem da Fábrica de Aduelas, no canteiro da Leopoldina, foi iniciada após um árduo trabalho logístico coordenado pela equipe de Equipamentos do CL4S para a chegada das peças para a sua montagem. Os componentes saíram da fabricante alemã em 12 contêineres, incluindo o sistema de carrossel, o túnel de cura e as pinças (de desmoldagem, préestocagem e estocagem). O segundo carregamento, em 16 contêineres, transportou os moldes metálicos. Os materiais já estão sendo montados no canteiro.

Atualmente, 30 integrantes trabalham na montagem da Fábrica de Aduelas, cuja área total é de 4.000 metros quadrados

“Especialistas alemães estão no Brasil para acompanhar a montagem e nos auxiliar em todo o processo. A operação deve começar a partir de maio deste ano, em modo de comissionamento que deve durar um mês”, ressalta Sérgio Braos, gerente de Equipamentos do CL4S. A capacidade de produção da fábrica será de 10 anéis por dia, em 16 horas de trabalho, divididas em dois turnos. A área de estocagem deverá armazenar até 1.000 anéis – cerca de 2.800 são necessários para a construção do trecho de túnel do TBM. “O objetivo é que 800 anéis já estejam prontos quando o “tatuzão” começar a operar, em outubro deste ano”, comenta Sérgio Braos.

35


rápidas

Com capacidade para transportar 48 toneladas e mais de 82 metros de altura, os equipamentos são os maiores da empresa no país

‘Gigantes’ da Odebrecht Angola Para atender as obras de elevação da estrutura da barragem do Aproveitamento Hidrelétrico de Cambambe, estão sendo instaladas duas gruas da fabricante espanhola Linden Comansa. São os maiores equipamentos da Odebrecht em Angola. As grua s vã o a uxi l ia r n o la n ça m e nto d e 65 . 000 m e tros c ú b i cos

36

d e co n c re to na s o m b re i ra s e n o vão central, elevando a altura em mais de 20 metros e permitindo maximizar a geração de energia nas Centrais 1 e 2. O primeiro equipamento, localizado na margem esquerda do Rio Kwanza, está em operação desde fevereiro deste ano. A segunda grua, que será instalada

na margem direita, terá sua montagem finalizada em maio. Para Roberval Fonse ca, Ge re nte d e Eq u i pa m e ntos, a u ti l iza çã o da s grua s oti m iza rá o te m p o d e tra ba l h o : “Sã o e q u i pa m e ntos m o d e rn os, d e m o ntage m rá p i da, q u e ate n d e rã o d e fo rma segu ra a s o b ra s de elevação da ba rrage m” .


Visita ao teleférico da Providência A Embaixadora da Áustria no Brasil, Mariane Feldmann, visitou as obras do teleférico da Providência, na Região Portuária do Rio de Janeiro, no dia 22 de março. A comitiva foi recebida por Rodrigo Jurdi, Diretor de Contrato na Odebrecht Infraestrutura, que apresentou as três estações do sistema: Central do Brasil,

revitalização de pontos históricos e urbanização do entorno. “O Banco Mundial tem acompanhado essas referências de mobilidade urbana em toda a América Latina. Este teleférico faz parte do legado que fica para os moradores. Uma forma eficiente de interligar as áreas da cidade”,

Américo Brum e Gamboa. “O teleférico representa um novo momento para a Providência, que agora terá a mobilidade facilitada”, ele afirmou. Rodrigo Jurdi destacou as demais intervenções realizadas, como a construção de 293 unidades habitacionais, um plano inclinado, um centro esportivo, além das obras de

salientou Mariane Feldmann. A implantação do teleférico da Providência está em fase final e conta com 400 integrantes, concentrados nas montagens elétricas e na conclusão das obras civis. Com 16 cabines, o sistema vai transportar mil pessoas por hora em cada sentido. O início da operação deve ocorrer até o fim de abril. Equipe da Odebrecht com a comitiva da embaixadora da Áustria no Brasil: a empresa também foi responsável pela construção do teleférico do Complexo do Alemão

37


rápidas

Por dentro do setor bioenergético

38

A Odebrecht Agroindustrial recebeu, no dia 1º de abril, um grupo de estudantes de MBA da Louisiana State University (LSU), dos Estados Unidos. Os visitantes foram acompanhados por Adriana Valente, responsável pela área de Planejamento e Inteligência

Odebrecht no mundo. Durante uma semana no Brasil, o grupo visitou nove empresas e assistiu a duas aulas na Universidade de São Paulo (USP), sobre história política e macroeconomia. O programa faz parte da disciplina de Gestão Internacional, que tem como uma

Empresarial, que apresentou a Odebrecht Agroindustrial e o mercado sucroenergético brasileiro. Adriana traçou também um panorama geral da atuação da Organização

de suas premissas apresentar aos alunos mercados de países emergentes. Além de norteamericanos, havia no grupo um chinês e um professor da Coreia do Sul.

Os visitantes, 16 alunos e três professores, conheceram a atuação da Organização e o negócio da Odebrecht Agroindustrial


Relações internacionais

Na segunda quinzena de março, o Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP) participou de dois encontros com empresários estrangeiros. O primeiro, realizado no escritório do EEP no Rio de Janeiro, contou com a presença de uma comitiva da Finlândia, do Diretor Geral do Ministério do Emprego e Economia, Petri Peltonen, de integrantes da embaixada e representantes comerciais. No segundo evento, também na capital fluminense, o EEP apresentou suas oportunidades de negócios a diversas empresas norueguesas.

Helle Klem, Consul da Noruega no Rio de Janeiro, fez a abertura dos encontros. Em seguida, Gerson Ricardi, diretor de engenharia do EEP, explicou como a empresa está estruturada e mostrou os equipamentos que serão adquiridos para a construção do estaleiro no município de Maragojipe, na Bahia, para as seis sondas de perfuração, e para o projeto de conversão de quatro navios do tipo VLCC (Very Large Crude Carriers) em FPSOs (Floating Production Storage and Offloading) no Estaleiro Inhaúma, no Rio.

Representantes de 15 empresas norueguesas apresentaram seus produtos e serviços

39


prêmio

Criatividade a serv sustentabilidade

A

sustentabilidade é um conceito praticado pela Odebrecht desde a concepção da Organização, no que diz respeito ao relacionamento com as comunidades onde está presente.

40

Por meio do Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável, concebido em 2008, o diálogo sobre este tema foi ampliado com a sociedade e o compromisso de estimular jovens universitários a projetá-lo em


iço da Vencedores puderam apreciar as belezas do Rio de Janeiro, antes da cerimônia de premiação

suas carreiras foi estabelecido. O prêmio tem o objetivo de incentivar os estudantes a pensarem a engenharia em uma perspectiva sustentável, propondo soluções para o desenvolvimento da sociedade

sob os pilares econômico, social e ambiental. “Identificamos diversas iniciativas para premiar ações de sustentabilidade, mas nenhuma com enfoque no público jovem, especialmente nos estudantes de graduação

41


42

em engenharia. O prêmio busca motivar e reforçar a preparação do futuro engenheiro para exercer seu papel considerando o compromisso com a sustentabilidade”, explica Sérgio Leão, responsável por Sustentabilidade na Organização. Na edição de 2012, o prêmio recebeu 102 projetos de

da instituição União Dinâmica de Faculdades Cataratas (UDC), com o trabalho Verga de Controle Solar; e o terceiro lugar foi conquistado pelo grupo da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, com a pesquisa Compósitos Obtidos através da Substituição Parcial do Agregado Miúdo pela

instituições de ensino de 18 estados brasileiros – 24 a mais do que na edição anterior. “O aumento da participação é uma somatória do nosso trabalho com o destaque que o tema tem ganhado no mundo, em eventos como a Rio+20”, ressalta Sérgio Leão. À frente dos cinco projetos ganhadores estão jovens de Pernambuco, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo. Cada grupo recebeu 60 mil reais, sendo 20 mil reais para os estudantes, 20 mil reais para o professor orientador e 20 mil reais para a instituição de ensino. Com o projeto Aproveitamento dos Resíduos de Biomassa da Construção Civil (RCC) para Geração de Combustíveis Sólidos (Pellets) e Gasosos, o aluno da Universidade de Pernambuco, Humberto Santos, venceu em primeiro lugar. A segunda colocação ficou com os alunos

Cinza do Bagaço da Cana em Microconcretos: Resistência Mecânica e Durabilidade. O trabalho Nova Abordagem de Sistema de Esgotamento Sanitário em Comunidades Isoladas e Tradicionais Contemplando a Segregação das Águas Servidas, dos alunos da Universidade Federal de Viçosa (UFV), ganhou o quarto lugar; e Gabriel Estevam, estudante do Centro Universitário Monte Serrat (UNIMONTE), autor do Estudo sobre a Reutilização de Lodo de ETA para Produção de Tintas Ecológicas, alcançou a quinta colocação. Participam da iniciativa no Brasil, Braskem, Odebrecht Infraestrutura, Odebrecht Engenharia Industrial, Odebrecht Realizações Imobiliárias, Odebrecht Ambiental, Odebrecht Energia, Odebrecht Oil & Gas e Odebrecht Agroindustrial.


Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável | Brasil Participação

2011

2012

Alunos

370

562

Trabalhos

78

102

Universidades

117

190

Estados do Brasil

15

18

Clique e confira o resumo dos cinco projetos vencedores.

Assista ao vídeo e conheça o primeiro colocado.

NOITE DE CELEBRAÇÃO Em um evento dedicado a refletir sobre o desenvolvimento sustentável, a cerimônia de premiação foi realizada no dia 20 de março, no Rio de Janeiro, e teve início com um debate mediado por Manoel Francisco (Kiko) Brito, responsável por Comunicação na Odebrecht Ambiental. Participaram o exjudoca Flávio Canto, fundador da ONG Instituto Reação, o

economista e ambientalista Sérgio Besserman e o Líder Empresarial da Odebrecht Ambiental, Fernando Reis. Os convidados falaram sobre a atual situação ambiental do Brasil, o valor econômico agregado aos bens naturais como água e resíduos por consequência da degradação da natureza, e comentaram sobre a condição social no país. A entrega do troféu aos vencedores foi realizada após o debate, pelos Líderes Empresariais Fernando Reis, da Odebrecht Ambiental, Paul Altit, da Odebrecht Realizações Imobiliárias, Roberto Ramos, da Odebrecht Oil & Gas, e Benedicto Júnior, da Odebrecht Infraestrutura, e contou com a presença de Renato Baiardi, membro do Conselho de

43


“ Cada um de nós fará o papel de multiplicador do Prêmio. Agradeço o reconhecimento e parabenizo o grande trabalho que a Odebrecht faz na área da sustentabilidade. Isso mostra que a empresa pratica e acredita no tema.” Humberto Santos, aluno da UPE

“ Pequenas coi trajetória de vi determinante p e nos faz acred realizar e conq Se no futuro ele da sustentabili sejam estimula

“ Como docente, vejo que o prêmio é uma motivação muito grande para o aluno. A alegria de vencer e a valorização do trabalho contribuem para desenvolver a proatividade do estudante.” Ana Augusta Rezende, professora da UFV

44


isas podem mudar nossa ida. O prêmio pode ser um fator para o futuro desses jovens, ditar que somos capazes de quistar o que parece impossível. es não seguissem o caminho idade, talvez, com esse prêmio, ados a seguir” Egon Vettorazzi, orientador e professor da UDC

“ Além de ser um estímulo, o prêmio é interessante para divulgar nosso trabalho, desenvolvido longe das grandes metrópoles. É também uma forma de dar um retorno à comunidade sobre o investimento que estão fazendo em uma universidade pública. Pretendo usar o valor do prêmio para investir em cursos e ferramentas importantes para a minha profissão.” Larissa Barbosa, estudante da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

“ Agradeço a Odebrecht por nos dar a oportunidade de contribuir com o desenvolvimento sustentável no país. Isso nos permite colocar nosso conhecimento em prática e avaliar nossas ideias, além de dar uma grande visibilidade e nos ajudar a construir uma rede de relacionamentos. Esse prêmio vai ficar marcado na minha carreira.” Gabriel Estevam, aluno da UNIMONTE

Alunos e orientadores dos projetos vencedores. A cerimônia de premiação foi realizada no Espaço FIRJAN, no centro do Rio de Janeiro

45


Da esquerda para a direita: Fernando Reis, Kiko Brito, Flávio Canto e Sérgio Besserman

46

Administração da Odebrecht. “Ganhar esse prêmio foi muito emocionante, desde o momento de descobrir o resultado até a cerimônia. É um incentivo para o pesquisador e para o aluno, que vai querer estudar cada vez mais e aplicar esses conhecimentos”, afirma Sérgio Peres, professor orientador da Universidade de Pernambuco. O primeiro colocado, Humberto Santos, acompanhado do orientador, Sérgio Peres, subiu ao palco para receber o troféu. “Ter um grande reconhecimento como esse é a justificativa para continuar sonhando. Estou muito feliz, desejo que esse projeto se prolongue por milhares de anos e

que continue realizando o sonho de muitos jovens”, comenta o universitário. Aluno de escola pública do sertão de Pernambuco, Humberto encontrou no professor Sérgio – que deixou a carreira na engenharia para se dedicar à vida acadêmica – o conhecimento e a experiência que faltavam para mostrar seu potencial. “Quando assumimos esse papel de professor, de transferir tecnologia e conhecimento, queremos ver o sucesso dos alunos. Humberto está se mostrando um excelente profissional e hoje é um dos líderes no laboratório, ensinando outros jovens. Ver esse crescimento e seu sucesso é muito gratificante”, completa Sérgio Peres.


O s t ra b a l h o s ve n ce d o re s s e d e s ta c a ra m , p ri n c i p a l m e nte , p e l a re s p o n s a b i l i d a d e a m b i e nta l d e m o n s t ra d a p e l o s a l u n o s . O s p ro j e to s d a U FV e d a U N I M O NTE, p o r exe m p l o , a b o rd a ra m te m a s re l a c i o n a d o s à atu a ç ã o d a O d e b re c ht A m b i e nta l , q u e te m a s u s te nta b i l i d a d e n a e ss ê n c i a d e s e u s n egó c i o s . D e a co rd o co m Fe rn a n d o Re i s , a c re s ce nte p a rt i c i p a ç ã o d e j ove n s ta l e nto s o s n o P rê m i o O d e b re c ht re ss a l ta co m o a s q u e s tõ e s d e s u s te nta b i l i d a d e e m e i o a m b i e nte s ã o co nte m p o râ n e a s : “ I ss o e n co ra j a a O d e b re c ht A m b i e nta l a s egu i r n o c a m i n h o d o s e u c re s c i m e nto , ga ra nt i n d o ,

a ss i m , a p e rp e tu i d a d e d a s ge ra çõ e s fu tu ra s » .

CO2 TRANSFORMADO EM ÁRVORES A área de Sustentabilidade da Odebrecht selou uma parceria com a Organização de Conservação da Terra (OCT) para compensar o carbono (CO2) emitido durante a cerimônia de entrega do prêmio – assim como ocorreu na edição passada. Isso foi possível por meio do projeto Carbono Neutro Pratigi, que calcula a quantidade de CO2 gerada e realiza o plantio equivalente de árvores para a neutralização desse gás. A iniciativa permitiu a continuidade da restauração de

A partir da esquerda: Benedicto Júnior, Fernando Reis, Renato Baiardi, Roberto Ramos e Paul Altit

47


Mais de 90 toneladas de carbono foram compensadas, o que equivale ao plantio de 570 árvores

nascentes na Área de Proteção Ambiental (APA) do Pratigi, de responsabilidade da OCT. Uma dessas nascentes está localizada na propriedade do agricultor Jeovan Nascimento, morador da comunidade Juliana, no município de Piraí do Norte (BA). Pela geração de um serviço ambiental, como o plantio de espécies nativas ao redor da nascente, Jeovan será remunerado financeiramente. “É uma questão de estimular e influenciar as pessoas para que sejam responsáveis por um mundo melhor”, destaca Alexandre Baltar, da área de Sustentabilidade da Odebrecht. A OCT tem apoio direto da Fundação Odebrecht e faz parte do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de APAs do Baixo Sul da Bahia (PDCIS), para fomentar e executar ações ambientais na região. “Temos o objetivo de desenvolver um modelo prático

48


que vise o tratamento adequado dos elementos da natureza”, pontua Joaquim Cardoso, Presidente do Conselho Deliberativo da OCT.

INSCRIÇÕES 2013 O Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável é realizado em oito países – Brasil, Angola, Argentina, Estados Unidos, Panamá, Peru, República Dominicana e Venezuela. A novidade para a edição de 2013 é a participação de Portugal e Colômbia. “O prêmio vem se consolidando e está reforçando a interação que a Organização mantém com a comunidade nesses oito países. Tem sido uma experiência muito bem recebida. A iniciativa aproxima a Organização das universidades e, por consequência, dos temas de interesse nessas sociedades”, ressalta Sérgio Leão. As novas inscrições serão abertas este mês, no site: www. premioodebrecht. com /brasil

O trabalho de reflorestamento foi iniciado ao redor da nascente localizada na propriedade de Jeovan. Para neutralizar cada tonelada de CO2 são necessárias seis árvores

49


A concessionária implantou um sistema de coleta seletiva de lixo que otimiza o trabalho de limpeza pública e reciclagem e desobstrui calçadas

Assista ao vídeo e conheça as mudanças propostas pela Concessionária Porto Novo

50

PORTO MARAVILHA: MUDANÇA SUSTENTÁVEL PARA O RIO Na manhã da cerimônia, os grupos vencedores puderam conhecer a Concessionária Porto Novo, responsável pela revitalização do centro do Rio de Janeiro por meio do contrato Porto Maravilha. “Quando cheguei à obra tive contato com um modelo de negócio diferenciado, com claros benefícios para toda a cidade. O projeto abrange sustentabilidade e, ainda, agrega o aspecto cultural”, conta Ricardo Bueno, Diretor de Contrato. O contrato já trouxe à cidade, por exemplo, diversos achados arqueológicos, iniciativas socioculturais à comunidade e um modelo inovador de coleta seletiva de lixo, com armazenamento subterrâneo. Promoverá, também, melhorias no saneamento, no tráfego e na paisagem da região. Para Ricardo Bueno, a sustentabilidade no Brasil está

sendo debatida de forma mais intensa. “O tema deixou de ser discutido exclusivamente nos meios acadêmicos e passou a ter um espaço maior na agenda das empresas, na mídia e nas ações de desenvolvimento das comunidades”, ele afirma. Após a apresentação do modelo do negócio e do projeto, feita pelo presidente da Concessionária Porto Novo, José Renato Ponte, e por Ricardo Bueno, o grupo, curioso, visitou a sala de exposição Meu Porto Maravilha, onde puderam ver, de maneira interativa, quais serão as mudanças na região e como será a operação da concessionária. “Como um apaixonado pelo projeto e pela cidade, tenho orgulho em poder contribuir na maior intervenção urbana dos últimos 100 anos”, finaliza Ricardo. Saiba mais sobre a Concessionária Porto Novo: www. portonovosa. com


10

PRÊMIO ODEBRECHT DE PESQUISA HISTÓRICA

anos

2013

PATROCÍNIO DO PROJETO PREMIADO E PUBLICAÇÃO DE LIVRO

Período de inscrições: de 1º de abril a 30 de junho Informações e inscrições: www.odebrecht.com/pesquisahistorica /premioodebrechthistoria

51


desafio Cecília Siqueira, César Roberti e Rafael Conforto, do Istituto Europeo di Design (IED), receberam um prêmio no valor de 15 mil reais

52


Novos designers, novas ideias

N

o dia 26 de março, foi realizada, em São Paulo, a cerimônia de premiação do Desafio de Design Odebrecht Braskem, iniciativa que envolveu universitários na criação dos mobiliários da área de convivência do Edifício Odebrecht São Paulo. O vencedor foi o Istituto Europeo di Design (IED), com o projeto elaborado pelos alunos Cecília Siqueira, César Roberti e Rafael Conforto, do curso de Design de Produto. O grupo usou as fontes da natureza para criar o projeto “Elo”. Os móveis apresentados se destacaram pela leveza de suas linhas, seus traços atraentes e inovadores e pelo formato agregador. Os participantes também criaram uma linha de bancos com elo central que permite diversos formatos e vários tipos de utilização. “Estes móveis foram criados pensando na integração e na comodidade das pessoas, sem deixar de lado a beleza do traçado. Ficamos felizes em ver que os jovens vestiram a camisa do projeto e entenderam o nosso objetivo. A nossa expectativa pela criação de peças inovadoras e sustentáveis foi superada”, destaca Walmir Soller, diretor de polipropileno da Braskem.

53


Os projetos das outras instituições participantes também surpreenderam os jurados. Tanto que foi designado um reconhecimento especial para a mesa concebida pelos alunos da Fundação Armando Álvaro Penteado (FAAP) dentro da linha “Coral”, que usou como referência a natureza e a maternidade para representar a diversidade e a troca. O Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, por sua vez, optou pela inspiração em artistas renomados para a concepção da linha “Harmonia”, de traços arredondados e frisos marcantes em móveis envolventes. O Instituto Mauá de Tecnologia buscou na imponência e na integração da natureza os elementos para a linha “Louva-a-Deus”, aliando praticidade e solidez. De acordo com Carla Barretto, Diretora Superintendente da Odebrecht Properties, o Desafio de Design e a concepção do edifício foram pensados a partir dos conceitos da Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO). “Além de contribuir para o desenvolvimento de novos talentos, o desafio e o empreendimento reforçam temas como sinergia, melhores práticas de engenharia, compromisso socioambiental e ambiente que valoriza as potencialidades do ser humano”, completa.

CONCEPÇÃO A ideia do Desafio surgiu durante

54

a elaboração do projeto de interiores do Edifício Odebrecht São Paulo. Em vez de buscar por designers renomados, as empresas decidiram por um processo que envolvesse jovens talentos do design brasileiro. A matéria-prima escolhida foi o plástico, por sua versatilidade, leveza, resistência e possibilidade em trabalhar formas mais complexas e

“Nossa expectativa pela criação de peças inovadoras e sustentáveis foi superada” Walmir Soller, Braskem


sofisticadas. Além disso, o plástico também se destaca por ser mais sustentável, pois é 100% reciclável. As instituições Belas Artes, FAAP, IED e Mauá, todas com o curso de Design de Produto em sua grade, foram convidadas a indicar alunos que aceitassem desenvolver o projeto de uma cadeira, mesa e chaise long de plástico que atendessem conceitos de sustentabilidade, inovação, praticidade e design arrojado e ainda representassem conceitos da TEO. Na preparação, os estudantes selecionados receberam a consultoria da agência de design Mais Packing, parceira do projeto. Os projetos deveriam estar adequados ao tema, ser originais,

criativos e trazer inovação tecnológica e mercadológica, além de oferecer viabilidade industrial – característica avaliada pela Tramontina, empresa responsável pela execução das peças. A comissão julgadora foi composta por representantes da Braskem, Odebrecht e Tramontina e especialistas.

Durante quatro meses, os participantes acompanharam todo o processo de criação, com a orientação de profissionais e palestras técnicas sobre o tema do Desafio

SAIBA MAIS SOBRE O DESAFIO DE DESIGN ODEBRECHT BRASKEM Acesse o site: www.desafiodedesign.com.br Curta a página no Facebook: www.facebook.com/ desafiodedesign

55


rápidas•pessoas

Conhecimento em equipamentos

56

Em 1º de abril, o AFEq - Unidade de Equipamentos da Odebrecht iniciou, em Guarulhos, uma nova turma de Treinamento Técnico de Equipamentos para Jovens Parceiros (JPs). Com o resultado positivo obtido em 2012, neste ano foram montadas duas novas turmas, a

fabricantes e projetos específicos – em fase de terraplenagem e com movimentação de terra e cargas. A primeira etapa, que será finalizada no próximo dia 12, contou com apresentações de todas as áreas do AFEq, palestras sobre cada tipo de equipamento (caminhão basculante, trator de

primeira de jovens de Angola e a segunda composta por integrantes do Brasil. O AFEq também avalia a formação de um terceiro grupo, com JPs da Venezuela. O treinamento compreende cinco fases de 272 horas, sendo três presenciais e duas à distância, e inclui temas relacionados à aplicação de equipamentos, atividades e visitas a empresas

pneus e esteiras, motoniveladora, rolo compactador, escavadeira de esteiras, carregadeira de rodas, guindaste, guindautos, centrais industriais e grupos geradores), além de visitas a Scania, Metso, Tracbel, Sotreq, Volvo e Atlas Copco. Para participar do treinamento, entre em contato: edivaldofreitas@ odebrecht.com.

Novas turmas do Treinamento Técnico de Equipamentos: foco nos Jovens Parceiros da Organização


Família no canteiro O clichê “tal pai, tal filho” passa de geração em geração. O apoio e incentivo da figura paterna são relevantes e podem contribuir para o sucesso dos herdeiros, como os de Hélio Ferreira Lima, assistente técnico na Odebrecht Infraestrutura. O integrante indicou os filhos para

integrante, há 20 anos na Odebrecht. Wesley conta que seu ingresso no setor da construção civil foi incentivado diariamente pelo pai: “Ele falava sobre os benefícios e de como eu poderia crescer. Aceitei o desafio e acho que fiz a escolha certa”, conta sorridente. Com esposa, filha e sobrinhos

trabalharem na construção da Usina Hidrelétrica Simplício, no Rio de Janeiro, e, atualmente são colegas na UHE Teles Pires. Aldson Carlos de Oliveira Lima é operador de tratamento de água e Wesley de Oliveira Lima atua como técnico de segurança do trabalho. O sobrinho de Hélio, Anselmo Gomes de Oliveira Filho, também integra a família como operador de guindaste. “Trabalhar com meus ‘meninos’ é um sonho realizado”, afirma o

trabalhando na mesma obra, Mauro Vicente da Silva, soldador na montagem eletromecânica, realiza um desejo antigo de estar próximo da família. “Desde cedo trabalho em construção e fico fora de casa, por isso meus filhos e sobrinhos sempre quiseram me acompanhar”, diz. A filha Ruth Alves da Silva, por exemplo, é auxiliar técnica. “Essa é nossa primeira obra e continuaremos seguindo os passos do meu pai”, ela ressalta.

A partir da esquerda: Anselmo, Aldson, Hélio e Wesley. Pai, filhos e sobrinho trabalham nas obras da UHE Teles Pires

57


rápidas•pessoas

A escola na empresa A e d u ca çã o e sco la r pa sso u a faze r pa rte da roti na d iá ria d e 66 i ntegra nte s da s o b ra s d o M e trô I pa n e ma - Expa n sã o Ge n e ra l Osó ri o, da O d e b re c ht I nfra e stru tu ra , n o Ri o d e Ja n e i ro. N o fi m d e ma rço, co m e ça ra m a s a u la s d o Progra ma d e El eva çã o d e Esco la ri da d e, ofe re c i d o e m pa rce ria co m o SESI, à q u e l e s q u e d e se ja m co n c l u i r o En s i n o Fu n da m e nta l . O p ro j e to faz pa rte d o Progra ma d e El eva çã o da Co m p e tê n c ia, q u e i n c l u i to d os os tre i na m e ntos co rp o rativos e os d e roti na da o b ra, a l é m d e c u m p ri r u m d os re q u i s i tos da ISO 9001 , a n o rma d e Ge stã o da Qua l i da d e. Re a l iza da e m 25 d e ma rço, a a u la i na ugu ra l co nto u co m a p re se n ça d e l i d e ra n ça s, d o ce nte s e a l u n os. Al é m d e pa ra b e n iza r a pa rti c i pa çã o d os tra ba l ha d o re s, os l í d e re s d e sta ca ra m a i m p o rtâ n c ia da vo l ta à e sco la pa ra o d e se nvo lvi m e nto h u ma n o e p rofi ss i o na l . Pa ra Le o na rd o Ga rc ia, re s p o n sáve l Ad m i n i strativo e Fi na n ce i ro, a i n i c iativa é u m i nve sti m e nto da e m p re sa na q ua l i fi ca çã o d os i ntegra nte s. “Es p e ra m os te r, a o fi na l d o p rogra ma, p e ssoa s ma i s p re pa ra da s pa ra n ovos d e safi os” , sa l i e nto u . Marcelo Santos, gerente de Produção, elogiou os esforços dos operários e ofereceu o apoio necessário para que possam completar esta etapa com sucesso: “Mais importante do que começar o curso é seguir até o final”. Animada com as aulas, Andrea Teixeira Figueira, auxiliar de serviços gerais, vê no programa a oportunidade de concluir o Ensino Fundamental e ingressar no Ensino Médio. “Quero seguir em frente”, ela planeja.

58

Com duração de nove meses, as aulas são realizadas no canteiro de Botafogo e de Copacabana em dois turnos, manhã e noite


GENTE QUE APRENDEU NO TRABALHO E NA VIDA.

A cada edição da revista Odebrecht Informa, um integrante da Organização é convidado a dividir experiências vividas e desafios superados. Confira os depoimentos, em vídeos, no site:

www.odebrechtonline.com.br 59


energia

E

m homenagem ao município brasileiro que tem se destacado pela produção de energia limpa e renovável, a Santo Antônio Energia – empresa responsável operação da Usina Hidrelétrica Santo Antônio, da qual a Odebrecht Energia é acionista – presenteia Porto Velho com o título de “Capital da Energia Renovável”. Na cidade, estão localizadas as usinas Santo Antônio e Jirau que juntas somam uma capacidade instalada para gerar

60

6.900,40 MW de energia limpa e renovável. Para divulgar o título e também celebrar o primeiro ano da geração da usina, iniciada em 30 de março de 2012, com nove meses de antecipação, a Santo Antônio Energia promove uma campanha que valoriza a importância da energia da capital rondoniense para o crescimento sustentável do país, além de reconhecer que o recurso está, ainda, no entusiasmo das pessoas, no vigor das correntes do Rio Madeira, na grandeza da


Quando entrar em operação, a UHE Santo Antônio será a terceira maior usina do Brasil

floresta amazônica, na riqueza cultural, nas heranças do passado e nas possibilidades do futuro da cidade. Instalada na Amazônia Legal, a 7 km do centro de Porto Velho, a UHE Santo Antônio, uma das 15 maiores do mundo, atingirá, em 2015, potência instalada de 3.150,4 MW, suficiente para abastecer mais de 40 milhões de pessoas. Atualmente, a usina opera com 25% da sua capacidade total. Com 11 unidades em funcionamento, alcança potência de 783 MW,

energia que pode abastecer mais de 3 milhões de residências. A previsão é encerrar este ano com 27 unidades geradoras em funcionamento, o que corresponde a mais de 60% da capacidade total. Sob liderança da Odebrecht Infraestrutura no Brasil, a obra da UHE Santo Antônio é uma das primeiras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, a entrar em operação. Seu investimento total é de R$ 16 bilhões, dos quais R$ 1,6 bilhão é direcionado a ações socioambientais.

61


meio ambiente

Dia Mundial da Água: atitudes fazem a diferença

M

orador do assentamento Mata do Sossego, no município baiano de Igrapiúna, Manoel Cardoso cuida de diversos plantios como guaraná, cravo, seringueiras, entre outros, e ainda trabalha como agente comunitário de saúde. Mas é a nascente de rio localizada em sua propriedade que o motiva a fortalecer seu papel como cidadão diariamente : “Sei a importância de conservá-la e faço isso, principalmente, para contribuir com o bem-estar de muita gente” . Manoel está certo. A água que sai de sua nascente – Rio Vargido, afluente da bacia hidrográfica do Rio Juliana – segue para a cachoeira da

62

Pancada Grande, situada na Área de Proteção Ambiental ( APA) do Pratigi, com queda d’ água de 65 metros e cercada por uma densa vegetação. Da cachoeira, o afluente segue para a divisa entre os municípios de Igrapiúna e Ituberá, desembocando na região estuarina, onde as principais atividades produtivas são pesca e aquicultura. “Sinto que sou um dos responsáveis por permitir que o rio faça sempre esse caminho”, conta o agricultor, com satisfação. Quando se trata da conservação da água, Manuel é um exemplo. Para continuar estimulando ações como as do agricultor, a Assembleia da Organização das Nações Unidas designou, em 1993 , o


Sempre sorridente, Manoel cuida da nascente do Rio Vargido, em sua propriedade: “É importante viver respeitando a natureza”

63


A Cachoeira da Pancada Grande é um dos atrativos turísticos do Baixo Sul da Bahia e local de práticas esportivas radicais, como o rapel

64

dia 22 de março como o Dia Mundial da Água. A proposta é permitir a reflexão sobre a importância do recurso natural e pensar maneiras de evitar sua escassez. A partir de então, iniciativas vêm sendo realizadas em todo o mundo. Uma delas estabelece 2013 como o Ano Internacional da Cooperação pela Água. No Brasil, a campanha foi lançada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UN ESCO)

junto à secretaria do Programa Hidrológico Internacional, em dezembro do ano passado. Para manter seu espírito contributivo em prol do meio ambiente, Manoel foi convidado pela equipe da Organização de Conservação da Terra ( OCT) a fazer parte do projeto Pagamento por Serviços Ambientais ( PSA Água) . O agricultor passou a ser remunerado por permitir que técnicos da OCT realizem trabalhos em sua propriedade


Sul da Bahia ( PDCIS) , apoiado pela Fundação Odebrecht em parceria com o poder público e iniciativa privada, e atua sob a vertente ambiental.

R EU T I L I Z A N D O A ÁG UA Graças ao início das operações de dois grandes

para a conservação da nascente, além de orientá-lo quanto aos métodos mais adequados. “Com o conhecimento que venho adquirindo, tenho conseguido influenciar mais facilmente colegas e vizinhos sobre a importância de viver respeitando a natureza” , garantiu. A OCT é uma das instituições ligadas ao Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de APAs do Baixo

projetos – Aquapolo e Água Viva (projeto da Unidade de Insumos Básicos da Bahia) , a Braskem estima elevar sua taxa média de reúso de água para 36 % em 2013 . Juntos e operando a plena carga, as duas iniciativas vão gerar até 2. 000 metros cúbicos de água por hora. Os benefícios vão além da economia de água potável, uma vez que implicam redução do uso de produtos químicos no tratamento da água e menor impacto nos recursos hídricos das regiões onde os projetos são alocados. O Água Viva elevará, na sua primeira fase, em quase 140 litros por segundo o uso de água reciclada na unidade onde está implantado. Já o Aquapolo, realizado pela Odebrecht Ambiental e Sabesp ( Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) , fornece atualmente à Braskem quase

65


O Aquapolo Ambiental produz água de reúso para o abastecimento do Polo Petroquímico de Capuava da Braskem, na região metropolitana de São Paulo

66

1 .000 metros cúbicos de água de reúso por hora, atingindo mais de 90% do recurso total utilizado. Inaugurado em novembro de 2012, o Aquapolo é o maior projeto de tratamento de água para uso industrial da América Latina e está apto a abastecer outras indústrias do Polo

Petroquímico de Capuava, no ABC paulista. O aumento do volume de utilização de água reciclada é uma das iniciativas da Braskem alinhadas ao seu compromisso com o desenvolvimento sustentável, envolvendo não apenas produtos finais, mas todo


o processo produtivo. Em 2012, a empresa reduziu em 11% a geração de efluentes ; em 6 % o consumo de água; e em 2 % o consumo de energia, melhorando ainda mais seus índices de ecoeficiência, que já eram referência na indústria química brasileira. “Crescer de forma sustentável, com foco

em excelência nas questões de saúde, segurança e meio ambiente, é uma diretriz estratégica da empresa. Para 2013 , estão previstas outras iniciativas para a redução do uso de recursos naturais”, afirma Jorge Soto, diretor de desenvolvimento sustentável da Braskem.

O projeto Água Viva é considerado o maior sistema de reúso de água na indústria na Bahia e abastecerá o Polo Industrial de Camaçari

67


rápidas•meio ambiente

Uma nova espécie de lagarto Os levantamentos de fauna da construção da Usina Hidrelétrica ( UHE) Chaglla, no Peru – primeiro investimento internacional da Odebrecht Energia –, oficializaram a descoberta de uma nova espécie de lagarto, Stenocercus chinchaoensis , para a ciência. A espécie foi descoberta na região de floresta do entorno do Rio Huallaga, a 420 km de Lima, onde a usina está sendo implantada. O nome científico é uma homenagem ao Distrito de Chincao, onde o animal foi encontrado. Com investimento de US $ 1 ,2 bilhão, a UHE Chaglla possui capacidade instalada de 456 MW, suficiente para abastecer quatro milhões de habitantes, contribuindo para a diversificação da matriz energética do Peru e aumentando a disponibilidade de energia para a crescente demanda do país. O empreendimento, que deverá iniciar sua operação em 2016 , é considerado exemplo de máxima eficiência energética e de redução do impacto socioambiental. A usina é considerada uma das maiores em geração de energia elétrica do Peru.

A descoberta da espécie foi registrada na revista Zootaxa, publicação científica dedicada à descrição de novas espécies

68


Indicadores ambientais em evolução A Braskem apresentou melhoria considerável dos indicadores de SSMA - Saúde, Segurança e Meio Ambiente em 2012. Em relação a 2011, a petroquímica reduziu em 11% a geração de efluentes; em 6% o consumo de água; e em 2% o consumo de energia. Os índices estão abaixo da média da indústria química no Brasil. Os resultados consolidados dos últimos dez anos – desde a fundação da companhia, em 2002 – mostram uma diminuição na geração de resíduos sólidos e de efluentes, em 61% e 39%, respectivamente. Já o consumo de energia foi reduzido em 11%. O consumo médio anual de água foi de 4,23 metros cúbicos por tonelada de produto produzido, índice positivo diante da média da indústria química mundial, de 25,9 metros cúbicos. Com ações que buscam tornar a empresa líder

mundial em química sustentável, em fevereiro deste ano, a Braskem foi incluída na primeira carteira do Dow Jones Sustainability Emerging Markets Index, índice de sustentabilidade de países emergentes da Bolsa de Nova York. Além disso, desde a sua primeira edição, a companhia compõe a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa, que reúne ações de 37 empresas consideradas referência em sustentabilidade. “Os números refletem o posicionamento da Braskem, que busca inovar para melhor servir às pessoas. O reconhecimento do Dow Jones atesta o compromisso com o desenvolvimento sustentável por meio de boas práticas de governança corporativa, responsabilidade social e ambiental”, afirma Jorge Soto, diretor de Desenvolvimento Sustentável.

69


rápidas•meio ambiente

Monitoramento de peixes Cerca de 370 peixes de 10 espécies migratórias do Rio Madeira, em Porto Velho, estão sendo monitorados pela Santo Antônio Energia, empresa responsável pela operação da Usina Hidrelétrica Santo Antônio, da qual a Odebrecht Energia é acionista. Os biólogos verificam como os peixes estão utilizando o Sistema de Transposição – estrutura construída para permitir o deslocamento dos animais na época da Piracema. A equipe de biólogos do Programa de Conservação da Ictiofauna executa uma microcirurgia para inserir um chip, contendo número de série, identidade do animal e informações de contato, de forma que a espécie possa ser devolvida aos pesquisadores se capturadas por pescadores locais. Os peixes são monitorados em um raio de 10 km da usina, por meio de 14 antenas de radiofrequência fixadas nas margens do rio e por uma antena acoplada em um barco e ligada a um GPS. Os sinais emitidos pelos chips permitem identificar o código do peixe, hora, data e localização. O Sistema de Transposição de Peixes ( STP ), instalado na UH E Santo Antônio, permite a migração dos peixes rio acima, garantindo a reprodução das espécies mesmo   com a usina em operação. Com os dados é possível entender e verificar a movimentação dos bagres acima e abaixo da usina.

70

Os biólogos colocam um chip nas espécies e, depois de pesado e medido, o peixe retorna ao Rio Madeira


Nossa Cultura, nossa Marca.

Nesse mês, a Odebrecht S.A. assumiu uma nova marca, única, inclusive em sua forma gráfica, para todos os Negócios da Organização.

No site Território da Marca é possível encontrar os padrões para o uso correto da nossa nova identidade visual.

Acesse e confira: www.odebrecht.com/territorio

71


rápidas•ações sociais

A história em prol da educação Desde 2010, o Governo Provincial de Luanda realiza ações sociais e culturais voltadas à promoção da memória e legado de António Agostinho Neto, primeiro Presidente da República de Angola, no âmbito do Projeto de Revitalização de Eixos Viários - Vias de Luanda – implantado pela Odebrecht Angola. As ações anuais, Exposição Sobre o Herói Nacional e Concurso Cultural Agostinho Neto na Escola, mantém viva a história do nacionalista, médico, político e poeta. Na última edição do Concurso Cultural Agostinho Neto na Escola, seis instituições participaram de palestras, aulas de teatro e de um concurso de peças teatrais sobre a vida e obra do líder. As escolas vencedoras receberam 550 livros didáticos, incluindo a coletânea Agostinho Neto e a Libertação de Angola (1949-1974) Arquivos da PIDE-DGS. Em 27 de março, Dia Mundial do Teatro, o Projeto de Revitalização de Eixos Viários realizou a cerimônia de premiação e a entrega dos livros às instituições ganhadoras, no Núcleo Cultural da Odebrecht Angola. O evento contou com a presença do vicegovernador de Luanda, António Resende, do escritor John Bela, representando a Fundação Agostinho Neto, e da viúva de Agostinho Neto e Presidente da Fundação António Agostinho Neto, Eugénia Neto.

As instituições 6021, do Bairro Popular, e 5003 e 5006, da Vila Alice foram as vencedoras da segunda edição do Concurso Cultural Agostinho Neto na Escola

72


Conscientização para cuidar da saúde

Integrantes das equipes da Odebrecht passaram por mais de 300 casas para a distribuição de informativos sobre a hanseníase

Durante a Semana Mundial de Combate à Hanseníase, as equipes de Responsabilidade Social, Comunicação

e combate ao alcoolismo também fez parte da iniciativa. O trabalho foi realizado com os 150 integrantes da

e Medicina do Trabalho da obra do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro realizaram uma ação de conscientização para a comunidade do entorno e integrantes. Mais de 300 casas e pontos comerciais do Amapá, bairro vizinho à obra, foram visitados pelas equipes, que distribuíram folders e alertaram sobre a importância de ajuda médica nos casos de suspeita de hanseníase. A prevenção

Odebrecht Infraestrutura por meio de campanhas internas, em 26 de março. “O diagnóstico precoce é muito importante para o tratamento da hanseníase. Alertamos sobre os principais sintomas da doença, principalmente as manchas pelo corpo sem sensibilidade, formas de transmissão e tratamento médico”, destacou Dr. Francisco Mourão, Médico do Trabalho do Arco Metropolitano.

73


74


ON 304 pt7