Page 1

4

CR IA

ERSÁRI IV

O

AN

REPORTAGEM LAGOA TEM EQUIPA DE FUTEBOL FEMININA

NE ZI

MÚSICO CRISTÓVAM APRESENTA CD “HOPES & DREAMS”

ANO IV Nº 49

NOVEMBRO 2018

S DE DESCONTO VOUCHNER O INTERIOR

Entrevista a Jorge Rita

“A Lavoura reivindica mas não prejudica ninguém”

c ria ti va magazine • 1

º

M VA AGA TI

APRESENTADO LIVRO “PONTA DELGADA E OS SEUS 24 ENCANTOS”


2 • c ria ti va magazine


“PONTA DELGADA 34 LIVRO E OS SEUS 24 ENCANTOS” SOLIDÁRIO 37 CONCERTO “LUÍS DOS ANJOS E AMIGOS” EDIÇÃO 38 10ª DO WINE IN AZORES DO CORAÇÃO 40 MARCHA JUNTOU MAIS DE 3 MIL ALUNOS VILLAS 42 PATRÍCIA EXPÕE “RASCUNHOS” DE SÃO PEDRO PRESTA 44 JUNTA HOMENAGEM A MÚSICOS

RUBRICAS

DE SAÚDE 28 CONSULTÓRIO COM: JOÃO BICUDO MELO JURÍDICO 29 CONSULTÓRIO COM: CARLOS MELO BENTO CRIATIVO 30 OLHAR TEMA “GEOMETRIAS E SIMETRIAS” ÓTICA 32 SAÚDE COM: INSTITUTOPTICO Propriedade:

criativaçores, Lda Rua do Espírito Santo, 77 - r/c Esq. 9500-465 Ponta Delgada NIF: 513 281 070 Email: criativa.azores@gmail.com

962 370 110 • 968 691 361 Nº Registo: 126655

REPORTAGEM EQUIPA DE FUTEBOL FEMININA LAGOENSE EM FASE DE ARRANQUE ENTREVISTA A CRISTÓVAM MÚSICO E COMPOSITOR CRISTÓVAM EM TOUR PARA APRESENTAR “HOPES & DREAMS”

GRANDE REPORTAGEM AÇORES QUEREM REDUZIR O USO DO PLÁSTICO

DESPORTO MOTORIZADO PICO PLAY AUTO AÇOREANA RALI A FESTA DA FAMÍLIA RODRIGUES

Diretora: Natacha Alexandra Pastor Editor: Carlos Costa Direção Comercial: João Carlos Encarnação Sede da Redação/Editor: Rua Espírito Santo, nº 77 R/chão Esqº 9500-465 Ponta Delgada Periodicidade: Mensal Tiragem: 5.000 exemplares Impressão: Coingra - Companhia Gráfica dos Açores - Parque Industrial da Ribeira Grande Lote 33 - 9600-499 Ribeira Grande

26 14 12 10 08

10

GRANDE ENTREVISTA

EVENTOS

APRESENTAÇÃO DO ÁLBUM FOTOGRÁFICO “PONTA DELGADA E OS SEUS 24 ENCANTOS”

Design Gráfico e paginação: Orlando Medeiros Fotografia: António Bettencourt e Carlos Costa Depósito Legal: 390939/15 Colaboradores: Carlos Melo Bento, Luís Moniz, João Bicudo Melo, Paulino Pavão/AFAA, Paulo Renato Sousa e Renato Carvalho. O uso e reprodução parcial ou total de qualquer conteúdo existente nesta revista é expressamente proibido. Os anúncios existentes nesta revista são da inteira responsabilidade dos anunciantes.

ESTATUTO EDITORIAL - CRIATIVA Magazine A Criativa Magazine é uma revista mensal de informação geral que oferece, quer através de textos quer de imagens, a mais ampla cobertura de assuntos, em todos os domínios de interesse, de maior relevância que ocorram no mercado açoriano, com especial enfoque no mercado da ilha de São Miguel; A Criativa Magazine é independente de qualquer poder político e económico; A Criativa Magazine pauta a sua ação em total cumprimento das normas éticas e deontológicas do Jornalismo português; A Criativa Magazine defende o pluralismo de opinião, respeita as crenças, ideologias políticas e religiosas, diferenças sociais e culturais, sem prejuízo de poder assumir as suas próprias posições; A Criativa Magazine identifica-se, como tal, com os valores da Democracia; A Criativa Magazine quer contribuir para o desenvolvimento de cidadãos ativos e conscientes, bem como assim para o desenvolvimento da sociedade na qual se insere.


GRANDE ENTREVISTA

“SINTO-ME DESILUDIDO COM A IGNORÂNCIA DAS PESSOAS” Natacha Alexandra Pastor

Carlos Costa e Orlando Medeiros

Foi um ano de novo difícil para a Lavoura e para os produtores. A seca severa deixou um rasto de prejuízos que ainda não é possível contabilizar na totalidade. Jorge Rita lembra que é preciso aprender com o panorama vivido este verão. Numa entrevista de balanço do ano, o responsável da AASM mostra o seu profundo descontentamento quando se referem às constantes reivindicações do setor, afirmando que se sente desiludido com a ignorância do povo.

C

riativa Magazine - É inevitável falar-se daquele que foi um ano um pouco atípico em especial para a Lavoura. A seca provocou aqui um dano considerável. Portanto, agora que estamos em fim de ano, qual é o balanço de 2018. Foi ou não foi, ainda assim, um ano positivo para a Lavoura? Jorge Rita (Presidente da Associação Agrícola de São Miguel) - Nem por isso. Em qualquer tipo de agricultura ou produção, seja no leite, na carne ou nas restantes produções na região, o tempo tem um efeito positivo ou negativo consoante as necessidades de sol ou chuva. Com uma seca severa que começou bem cedo, todas as culturas foram prejudicadas, e falo aqui de forma transversal, não só da produção de leite. Os resultados efetivos desta seca só os veremos mais tarde, quando começar a escassez dos alimentos que começaram a ser utilizados muito mais cedo do que o previsto. É um facto que houve aqui um apoio para a alimentação do gado por parte do Governo dos Açores, tendo em conta o cenário, mas é um apoio que fica aquém das expetativas. Quando é que será possível tomar realidade dos efetivos custos derivados da seca? Isso será mais evidente em dezembro ou janeiro, depois de começar-se a alimentar os animais sabendo que a qualidade e a quantidade dos milhos forrageiros são inferiores e com aquilo que ainda está disponível nas pastagens e depois de contabilizados os custos com as sementeiras,

4 • c ria ti va magazine

já que muitos pastos foram obrigados a ser semeados de novo. Esta foi de facto uma situação dramática para a fileira do leite, apesar de termos tido uma boa produção, o mesmo não podemos dizer do setor da carne, que tem ganho expressão, e também para alguma produção das ilhas, caso do ananás, do mel, do chá, das meloas, e de outros produtos açorianos que têm tido uma procura interessante à conta do turismo. Quanto ao preço do leite houve um pequeno reajuste que continuamos a achar está longe do que é pretendido já que no continente aumentou 1 cêntimo e meio enquanto a Bel só aumentou 1 cêntimo. No entanto, aguardamos que as restantes indústrias acompanhem este aumento e inclusive, sejam mais arrojadas na subida. Continuamos a ter um dos leites mais baratos da Europa, atrás de nós só estão posicionados três países do leste, que têm pouca expressão em matéria de produção e qualidade. A valorização do leite dos Açores e dos seus derivados, que são únicos na Europa a ter uma base de produção de pastagem verde, devem conquistar novos mercados através da internacionalização. A carga fiscal sobre os agricultores é pesada, as ajudas nem todas chegam a tempo, e com uma lavoura descapitalizada era bom que o Governo fizesse um esforço no sentido de ter os pagamentos devidamente agendados. Vivemos num cenário difícil.


A ‘luta’ em relação às fábricas de leite já vem de longo tempo e não tem sido possível chegar a bom porto. A nós produção compete-nos produzir com qualidade; a obrigação do Governo é apoiar-nos nas alturas de maior necessidade e criar melhores infraestruturas e as indústrias por sua iniciativa têm que procurar mercados que valorizem os nossos produtos. A internacionalização é um desafio neste momento para os Açores. Como é que se chega lá rapidamente, que já se faz tarde? Os mercados são abertos! O turismo é um bom caminho, e nós já o temos em quantidade, parece-me que precisamos de qualidade e não de massas, um tipo de turismo que valorize os nossos produtos, que goste de um produto de qualidade e que paga bem por ele. Preocupa-o as imagens que passaram de pastagens secas e o impacto que isso pode ter na imagem do leite açoriano? As preocupações que tenho em relação à questão da seca são: primeiro; não podemos enfiar a cabeça na areia e pensar que isso não acontece mais – mais a mais que tem chovido. Segundo; foi extraordinária a seca e é um facto que houve zonas onde não havia forragem suficiente

e a nossa expetativa é que isso não se repita, pois põe em causa a imagem do nosso verde das pastagens. Terceiro; há muita água disponível mas há muita água a ser desperdiçada. O armazenamento é fundamental. Entendemos que a maior parte das nascentes devem estar disponíveis para o abastecimento geral da população, mas que se salvaguarde a situação da agropecuária. E isto é um desafio de todos, não apenas do Governo. Mas acha que esta situação específica serviu de alerta? Eu já há muitos anos que venho alertando para essa situação. Por agora estar a chover muito, não vamos pensar que está tudo bem. A água é um bem indispensável. Penso que há muita gente neste mundo que não leva a sério as questões relativas às alterações climáticas e é curioso que, os grandes países, que são os que mais estragos provocam, são aqueles que menos levam a sério o assunto. O problema é que vamos todos ser penalizados, e os países mais pequenos deverão sofrer mais. Por isso reafirmo que o desafio das alterações climáticas não é deste ou daquele setor, é de todos nós.

“A carga fiscal sobre os agricultores é pesada, as ajudas nem todas chegam a tempo, e com uma lavoura descapitalizada era bom que o Governo fizesse um esforço no sentido de ter os pagamentos devidamente agendados.”

cria ti va magazine • 5


Contas feitas, e do que já foi dito, é rentável ser produtor? É extremamente difícil. Há produções que têm tido sucesso e nós ficamos muito satisfeitos com isso. Na carne, como já disse atrás, estamos melhor. Já o disse, a falência da agricultura nos Açores será a falência dos Açores no seu todo. Teve oportunidade de ver as linhas gerais do Plano do Governo para 2019 e identificar o que lá está? Vi o que lá está e sobretudo o que não está. Dou-lhe um exemplo: o montante inscrito para ajudar à seca não é suficiente. Este é um exemplo mas há outros por nós assinalados. O secretário diz-se contente, o presidente do Governo também está satisfeito com este Plano, mas nós não. Pior ainda é saber se o plano vai ser efetivamente executado. Aqui é que faço a crítica: com tantas dificuldades que este setor enfrentou nos últimos três anos, como é que é possível o Governo executar tão pouco na área da agricultura?! Então para 2019 o que se prevê? Vamos ter tempo para analisar a execução desse plano. A verdade é que o secretário dizia ser um bom plano para 2018, mas na verdade já surgem dificuldades em executar. Na verdade quem está a sofrer a descapitalização do setor são os agricultores. A indústria não valoriza, logo não paga mais; o Governo transita para o ano seguinte as ajudas; a lavoura está descapitalizada, a banca não perdoa… quem sofre a crise são as organizações de produtores. É

6 • c ria ti va magazine

bom que se perceba que a Agricultura é um contribuinte líquido de enorme peso para a região, seja por via do IRS, do IVA, e ao que parece passaremos a ser os únicos a fazer o Pagamento por Conta. Até das ajudas comunitárias pagamos impostos… A Agricultura tem o seu orçamento, tal como outros setores de atividade, e como tal se nós reivindicamos, tem de sair do orçamento da Agricultura, nós não vamos buscar nada ao erário público. É bom que se perceba porque o que as pessoas entendem é que o Jorge Rita está a pedir de novo e nós é que vamos pagar. Nada disso. Precisamente por ouvir e ler muitas vezes que a Lavoura está em constante reivindicação e que quer mais e mais, o que sente quando ouve e lê estes comentários? Sinto-me desiludido com a ignorância das pessoas! Quando eu vejo um professor ou um profissional de um outro setor de atividade constantemente a reivindicar direitos, eu não comento. Muitos deles fazem greves que é um direito que lhes assiste! A Lavoura reivindica mas não prejudica ninguém! Todos os outros que fazem as suas reivindicações trazem transtornos ao público em geral. Nos transportes marítimos e aéreos se houver greves há um impacto direto nas pessoas; na Educação se houver greve, os pais e crianças saem prejudicados. Por isso, repito, desilude-me quando nos criticam por reivindicarmos, quando todos os outros reivindicam e fazem sofrer a população pelas suas reivindicações.


VOUCHER pรกg. 51

c ria ti va magazine โ€ข 7


REPORTAGEM

APRESENTAÇÃO DO ÁLBUM FOTOGRÁFICO “PONTA DELGADA E OS SEUS 24 ENCANTOS” Natacha Alexandra Pastor

Paulo Renato Sousa

O Coliseu Micaelense foi o palco escolhido para a apresentação da obra “Ponta Delgada e os seus 24 Encantos”, um álbum fotográfico editado pela Criativaçores, em estreita colaboração com a Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores.

24 fotógrafos aceitaram o desafio de fotografarem as 24 freguesias do concelho de Ponta Delgada, focando-se, cada um deles, nas particularidades de cada uma das localidades, e descobrindo, em muitos casos, detalhes nunca antes conhecidos ou retratados. Para a execução da obra, composta por 440 páginas, foi essencial, ainda, a participação de todas as juntas de freguesia deste concelho. A cerimónia de apresentação deste livro contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, que declarou que este livro dá a conhecer

8 • c ria ti va magazine

“24 territórios e as suas respetivas identidades e patrimónios material e imaterial vem acrescentar valor à ideia do concelho no seu todo”. O autarca felicitou toda a plateia, composta por vários elementos representativos das freguesias e a quase totalidade de fotógrafos que colaboraram na execução do livro, referido ser “um gosto estar no Coliseu perante uma assistência tão grandiosa, interessada e comprometida com o livro apresentado e com a sua identidade”, acrescentando que era um momento de “enaltecimento da nossa História e da nossa gente”.


“Para a execução da obra, composta por 440 páginas, foi essencial, ainda, a participação de todas as juntas de freguesia deste concelho”.

cria ti va magazine • 9


REPORTAGEM

EQUIPA DE FUTEBOL FEMININA LAGOENSE EM FASE DE ARRANQUE Natacha Alexandra Pastor

Direitos Reservados

O que começou por ser uma forma de escape para um grupo de amigas ganhou contornos muito mais sérios rapidamente. Está criada a primeira equipa de futebol de 7 no concelho da Lagoa. Ana Rita Sousa é uma das principais responsáveis.

F

oi na base da amizade e da distração que Ana Rita Sousa começou por fazer uns treinos descomprometidos num polivalente da cidade da Lagoa, em conjunto com uma amiga. A notícia surpreendeu outras lagoenses que passaram a acompanhar estes encontros. Várias foram as jovens que decidiram juntar-se e criaram um grupo regular. Como o espaço começou a tornar-se pequeno para tanta participação feminina, Ana Rita decidiu recorrer a Octávio Cabral, Presidente do Clube Futebol Santiago, para as apoiar disponibilizando espaço para os treinos. Ana Rita Sousa, que acabou por ser mãe há relativamente pouco tempo, suspendeu esta sua prática desportiva, e o projeto acabou por ‘arrefecer’. Já este ano surgiu da parte da autarquia lagoense um contacto para que retomassem os treinos e pensassem na constituição de uma equipa feminina com vista à formação e, assim, ser criada a única equipa de futebol feminina da ilha de São Miguel. O desafio acabou por ser aceite e, se no arranque da mesma equipa existia um grupo de 20 atletas, oriundas das freguesias de Nossa Senhora do Rosário, Cabouco e Água de Pau, alguns meses passados, a adesão já supera grandemente as 20 atletas.

10 • c ria ti va magazine

Ana Rita é a principal mentora do grupo e garante que o objetivo inicial, e para os próximos tempos, passa por agregar um grande número de jovens raparigas e algumas senhoras de mais idade, proporcionando-lhes algumas horas de diversão, pese embora nos treinos se procure ter rigor, respeito, fair-play e muita seriedade pelas regras do jogo. Não há por ora intuito de formar uma equipa oficial!, enfatiza a responsável, lembrando que juntarem-se em torno do futebol de 7 proporciona o bem-estar físico e a socialização saudável. Para 2019, há sim a intenção de se realizarem mini torneios de ilha, algo que até no passado chegou a ser feito, quando os primeiros elementos se juntavam para jogar de modo ainda anónimo. Com a constituição desta equipa, que merece para já todo o apoio da Câmara Municipal da Lagoa, Ana Rita espera poder ser um estímulo para que outros grupos se juntem e possam no futuro constituir-se oficialmente. Os treinos da nova equipa são orientados pelos treinadores André Sousa e Bina Sousa, e estão a decorrer todas as terças e quintas-feiras. A equipa neste momento tem atletas com faixas etárias entre os 13 e os 35 anos de idade.


VOUCHER pรกg. 51

cria ti va magazine โ€ข 11


ENTREVISTA

MÚSICO E COMPOSITOR CRISTÓVAM EM TOUR PARA APRESENTAR “HOPES & DREAMS” Natacha Alexandra Pastor

Direitos Reservados

Cristóvam esteve em Ponta Delgada para um concerto intimista, apresentando o seu novo disco “Hopes & Dreams”. Depois de ter estado em digressão por Portugal continental e de ter tocado pela Europa ao lado de Stu Larsen, vem a São Miguel cantar-nos as histórias deste álbum que teve uma canção vencedora na International Songwriting Competition - considerada pelo New York Times e pela Billboard um dos maiores concursos de canções do mundo.

C

riativa Magazine - Este novo trabalho do Cristóvam será apresentado em Ponta Delgada. Será em ambiente intimista e mais reservado? Cristóvam - Sim, será um concerto com um ambiente intimista, com uma proximidade grande ao público e uma mistura de um pouco de storytelling por entre as canções. Qual é o alinhamento do trabalho? Que estilo está presente? Que mensagem, admitindo que exista, se encontra neste trabalho? O disco tem o nome “Hopes & Dreams” e é composto por 13 canções, com sonoridades Folk / Indie-Pop. As minhas letras são todas um pouco autobiográficas e cada canção tem a sua própria temática. Penso que o álbum no seu todo, como o próprio nome indica, passa a ideia dos sonhos e das expectativas próprias de uma certa fase da nossa vida, que é exactamente a fase em que estava quando as escrevi. As letras e músicas são da autoria do próprio Cristóvam?

12 • c ria ti va magazine


Nascido em Angra do Heroísmo, Flávio Cristóvam começou por conquistar o seu primeiro prémio em 2009, no Angra Rock, seguindo-se três prémios em 2010 (LabJovem; LabRevelação; Vodafone Ones to Watch Portugal). Em 2011, Cristóvam esteve nomeado para o Top10 UK Songwriting Contest e em 2012 foi nomeado para o Songwriting Competition.

Sim. À excepção da canção “Faith & Wine”, que tem música de minha autoria e letra tripartida entre eu, a Tammy Weis e o Timothy Flores. Em termos técnicos, como correu o processo de produção? Foi um longo processo. O disco foi gravado em Lisboa nos estúdios Namouche e fomos extremamente dedicados à ideia de fazer um disco bem gravado, com o melhor som e produção possíveis. Que caminho quer dar a Hopes & Dreams? Quero continuar a correr o mundo com este disco e tocá-lo para o máximo de pessoas possível. O disco saiu no dia 28 de Setembro e este será o meu 20º concerto desde

então. No fundo só quero continuar o caminho que comecei a percorrer no dia 28 e ver até onde esse mesmo caminho me leva. Que palcos tem pisado? Estive numa digressão nacional com passagens em Braga, Guimarães, Porto, Leça da Palmeira, Coimbra, Lisboa, Almada, Albufeira, Faro e Angra do Heroísmo. Estive também numa tour europeia a acompanhar o cantautor australiano Stu Larsen, onde dei concertos em Leuven (Bélgica), Paris (França), Cologne (Alemanha) e Groningen (Holanda). Levo agora o concerto a São Miguel e vou estar também no Pico, no Faial, em Amesterdão, Bruxelas e Porto até ao princípio de Dezembro.

c ria ti va magazine • 13


GRANDE REPORTAGEM

AÇORES QUEREM REDUZIR O USO DO PLÁSTICO Natacha Alexandra Pastor

Direitos Reservados

A utilização exacerbada de plásticos descartáveis há muito que gera preocupação, em especial junto de associações ambientalistas. Depois de muita luta, a União Europeia decidiu que estava na hora de acabar com o plástico. A tarefa não será fácil, requer o envolvimento de cada cidadão. Nos Açores chegou a hora de apelar à redução ou ao fim mesmo de alguns artigos de plástico.

E

stá a ser promovida a partir de agora uma campanha televisiva denominada «Diga NÃO aos plásticos descartáveis», com o objetivo de reduzir o uso destes produtos nos Açores, promovendo a sua substituição por produtos reutilizáveis ou compostos por materiais biodegradáveis. Dentro desta campanha há uma segunda iniciativa que diz respeito em particular ao uso de palhinhas. Ela segue aquilo que a nível nacional tem vindo a ser defendido por associações ambientalistas, e, neste sentido, a campanha «Açores sem palhinhas» destina-se, em particular, a empresários do setor da hotelaria, restauração, cafetaria e similares, sensibilizando para evitar a disponibilização de palhinhas e promovendo a troca de palhinhas de plástico que tenham em stock por palhinhas de papel que serão fornecidas gratuitamente pelos Serviços de Ambiente. Esta ação junta diferentes parceiros, nomeadamente a Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) que ainda recentemente esteve em Ponta Delgada para precisamente sensibilizar os estabelecimentos de restauração e hotelaria e a comunidade em geral para a necessidade de alterar comportamentos no que respeita à utilização de artigos de plástico descartável. A ação que decorreu em diferentes pontos do país está a ser acompanhada de forma mais profunda de um diagnóstico da realidade nacional sobre a utilização dos plásticos no canal HORE-

14 • c ria ti va magazine

CA, estudo que deve vir a ser apresentado em breve. A utilização diária e excessiva de plásticos, onde se incluem as palhinhas, para citar apenas alguns, já levou inclusivamente à criação do Dia Internacional Sem Palhinha, assinalado em simultâneo em duas centenas de países, a 3 de fevereiro último. Para esta campanha em particular, o Governo dos Açores conta com a parceira da AHRESP. A entidade que representa muitos hoteleiros, restaurantes e similares diz-se consciente da necessidade de preparar os empresários do setor a atingir um propósito global. À nossa reportagem, fonte da AHRESP a nível nacional recorda ainda que esta é também uma forma de estabelecer barreiras junto do consumidor. “A Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) associou-se à campanha “Açores sem Palhinhas” uma vez que está consciente da necessidade de preparar os empresários para as medidas que serão implementadas no âmbito da “Primeira Estratégia Europeia para os Plásticos” lançada no início de 2018. Já existe hoje uma enorme sensibilidade e interesse dos empresários por esta matéria, pelo que a AHRESP irá promover as pontes necessárias para apoiar Portugal no cumprimento da estratégia europeia para os plásticos. Este é um tema que temos vindo a acompanhar de perto, nomeadamente para a importância de continuar a


Há precisamente um ano atrás, a Quercus emitiu um comunicado onde ditava alguns números assustadores quanto à utilização/ desperdício de embalagens plásticas:

Consumidos 721 milhões de garrafas de plástico; 259 milhões de copos de café; Mil milhões de palhinhas; 40 milhões de embalagens de “fast food”.

c ria ti va magazine • 15


promover as boas práticas ambientais na atividade das nossas empresas, através da recolha seletiva e reciclagem de resíduos (plástico, vidro, papel, entre outros), que há cerca de 20 anos, com a implementação do VERDORECA, o nosso setor já promove. Pretendemos igualmente promover uma melhor consciencialização do nosso consumidor, restringindo ao máximo a disponibilização de material descartável plástico e motivar, auxiliar e avaliar a mudança de comportamentos da população em geral. Neste contexto, a AHRESP lançou em maio deste ano, e que ainda está a decorrer, a iniciativa “Menos Plástico, Mais Ambiente”, cofinanciada pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente, com o objetivo de consciencializar a população e os estabelecimentos de restauração e alojamento turístico (Canal HORECA). Esta Campanha representou mais uma iniciativa da AHRESP para a promoção das boas práticas ambientais e autorregulação das nossas empresas, estando inclusivamente a trabalhar em estreita colaboração com o Governo, na construção de medidas e de políticas que incentivem as boas práticas e a mudança de comportamentos, assentes em estudos da utilização dos utensílios descartáveis nos seus diferentes contextos pelo consumidor final. Ao associarmo-nos à iniciativa “Açores sem Palhinhas” estamos a dar mais um contributo na preparação dos empresários para as novas medidas que entrarão em vigor a curto prazo, como as que foram aprovadas no Parlamento Europeu recentemente e que inclui a proibição da venda de palhinhas, entre outros artigos, a partir de 2021.” Sendo algo que só agora começa a ser estruturado no terreno, a associação diz que vai acompanhar de perto todas as iniciativas, procurando ajustá-las à realidade de Portugal.

16 • c ria ti va magazine

“Neste momento, ainda não existe um objetivo definido em Portugal para a redução do uso de plásticos no Canal HORECA. Após a aprovação no Parlamento Europeu, as novas medidas irão ser debatidas em Conselho da União Europeia e cada país deverá apresentar o seu plano nacional. A AHRESP, naturalmente que irá acompanhar de perto todas estas novas iniciativas, contribuindo para que as mesmas sejam adequadas à especificidade da atividade das nossas empresas, evitando a criação de mais, e desnecessários, custos de contexto.” A ALTERNATIVA AÇORIANA Por cá já se manifesta preocupação por este assunto há algum tempo, a tal ponto que há uma empresa que já apresentou sistemas alternativos, ecológicos. Trata-se da IGA – Innovation Green Azores, uma marca que tem vindo a testar o uso da espécie invasora conhecida por Conteira, e criou já uma panóplia de utensílios que podem ser um substituto eficaz na redução de elementos de plástico e até de cartão e papel de utilização única. De resto, já há algumas empresas que colocam à disposição de qualquer consumidor alternativas, por exemplo no que respeita a cotonetes biodegradáveis ou palhinhas ecológicas. Em sapatoverde.pt pode ainda encontrar-se uma série de outros produtos amigos do ambiente. A preocupação com a quantidade de plástico em circulação no Mundo é grande! Segundo a União Europa, 70% dos resíduos marítimos são objetos de plástico. A União Europeia quer por esse motivo alternativas rápidas para cotonetes, talheres, pratos, palhinhas, agitadores de bebidas e suportes em plástico para balões, que terão de ser fabricados a partir de matérias-primas mais sustentáveis.


144.500 €

ID: 123541012-58

MORADIA T4

375.000 €

180.000 €

ID: 123541094-3

ID: 123541081-24

MORADIA T3

600.000 €

ID: 123541006-77

APARTAMENTO T3 COM SUITE

RABO DE PEIXE - RIBEIRA GRANDE

MORADIA DE LUXO T3

PICO DA PEDRA - RIBEIRA GRANDE

TOTALMENTE RECONSTRUÍDA LIVRAMENTO - PONTA DELGADA

SANTA CLARA - PONTA DELGADA

2.800.000 €

195.000 €

325.000 €

135.000 €

ID: 123541075-115

ID: 123541027-177

ID: 123541075-113

ID: 123541070-45

FURNAS - POVOAÇÃO

FURNAS - POVOAÇÃO

CALHETAS - RIBEIRA GRANDE

SÃO PEDRO - PONTA DELGADA

490.000 €

56.000 €

189.000 €

120.000 €

HOTEL COM 26 QUARTOS

ID: 123541081-25

MORADIA DE LUXO T4 MOSTEIROS - PONTA DELGADA

MORADIA T3

ID: 123541075-116

LOTE CONSTRUÇÃO 415 m2 MATRIZ - RIBEIRA GRANDE

MORADIA T2

ID: 123541096-4

ESPAÇO COMERCIAL MATRIZ - RIBEIRA GRANDE

MORADIA T3

ID: 123541027-179

APARTAMENTO T3

SÃO PEDRO - PONTA DELGADA

c ria ti va magazine • 17


REPORTAGEM

PERSPETIVAS DO OLHAR REVELA A HISTÓRIA DE QUEM VENCEU O CANCRO DA MAMA Natacha Alexandra Pastor

Direitos Reservados

Todos têm um denominador comum: sofreram de cancro da mama. Todos receberam aquela notícia que ninguém quer receber. Venceram o cancro e contam agora a sua história através da exposição fotográfica Perspetivas do Olhar, da autoria de José Melo Santos.

O

fotógrafo José Melo Santos dedicou cinco meses da sua vida a olhar o outro. Fotografou 22 pessoas que foram apanhadas de surpresa pelo cancro. Um trabalho delicado, durante o qual José Melo Santos fez aquilo que pôde para ‘arrancar’ sorrisos e expressões de alegria a estas pessoas. À Criativa Magazine traça o trabalho que agora expõe. “Confesso que pensei de início que receberia muitos não por parte destas pessoas, mas na realidade contei com o apoio do núcleo regional dos Açores da Liga Portuguesa Contra o Cancro, coloquei este propósito de trabalho, que foi aceite desde logo por algumas pessoas, numa reunião de grupo na qual participei. Houve quem recusasse, houve quem aceitasse e outras pessoas surgiram entretanto demonstrando a sua vontade.”

18 • c ria ti va magazine

O primeiro sinal deste trabalho aconteceu a 2 setembro último, quando foi realizado um coração humano no Parque Urbano. Seguiu-se já em outubro a inauguração da exposição, numa primeira passagem pela Unidade de Saúde da Ilha de São Miguel. Para construir o trabalho, o fotógrafo realizou algumas fotografias em ambiente de estúdio, outras foram efetuadas em ambientes de exterior. Para cada caso, José Melo Santos tentou encontrar um ambiente diferente. Para chegar até ao momento expositivo, foi preciso dedicar cinco meses de atenção ao processo. José Melo Santos teve de ler sobre a doença, ouvir testemunhos, ter diversas reuniões de trabalho de modo a realizar com o maior rigor possível o seu registo fotográfico.


Foram parceiros essenciais neste processo criativo o Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, o Instituto Joaquim Chaves, a Clínica de São Gonçalo, a Unidade de Saúde de ilha de São Miguel, e algumas pessoas, e outras entidades que permitiram que o fotógrafo pudesse participar em sessões de quimio e radioterapia. A exposição Perspetivas do Olhar terá agora um caráter itinerante percorrendo alguns espaços e instituições. Nela estão representadas 22 pessoas que foram vítimas do cancro da mama. Entre o público feminino, aquele que mais sofre desta doença, surge um rosto masculino. Quem passa pelo processo jamais se esquece da hora em que recebe a terrível notícia. O testemunho, que aqui se reproduz, de Amélia Correia, revela um pouco desse instante. É um testemunho, em simultâneo, da força e da capacidade de luta que são tão necessárias.

A palavra cancro assusta, ficamos tristes, sensíveis, solidários, incomodados, etc... quando nos dizem que determinada pessoa está com  cancro. Digo isto porque era assim que me sentia, sempre que sabia  que alguém tinha a doença, e pensava meu Deus permita que nunca tenha, pensava como ia ficar horrível sem cabelo e o pânico de morrer era assustador. No dia que me foi dito que tinha cancro, a primeira reação foram as lágrimas a rolar pelo rosto, mas rapidamente me recompus e pensei, tenho que arranjar um oncologista, tenho que me tratar, vou lutar para ficar boa e tudo vai correr bem. Desde o dia da notícia até ao fim desse pesadelo, não houve um único dia que me passasse pela cabeça a possibilidade de morrer. A queda do  cabelo foi um mal menor, até descobri que não ficava assim tão feia careca e ficar sem a minha mama foi o que tinha que ser. Os tratamentos de quimioterapia foram uma fase difícil, sofri bastante, com dores. Há uma película, não sei de quê, que reveste a nossa boca, que torna o  sabor dos alimentos horrível, mas tinha que comer, só assim ia  conseguir ultrapassar esta fase e voltar ao antigamente. Durante o período dos tratamentos (quimioterapia e radioterapia) fiquei com muito tempo para pensar na vida, naquilo que fiz até ali, e aquilo que quero que ela seja no pós a doença. E aquilo que vos posso dizer é que sou uma pessoa diferente, sou sem dúvida uma melhor  pessoa, principalmente para mim, deixei de me colocar no último lugar na ordem  das minhas prioridades e passei a ser a primeira prioridade da minha vida. O que posso dizer é que é uma fase difícil, “um pesadelo”, foi assim  descrita pela médica que me fez a ressonância magnética em Lisboa.  Mas, acreditar que vamos ficar bem é sem dúvida uma boa parte da cura, o resto os médicos fazem.” Amélia Correia

c ria ti va magazine • 19


REPORTAGEM

PAULINO PAVÃO LANÇA LIVRO COM FOTOGRAFIAS DE VIAGENS Natacha Alexandra Pastor

Direitos Reservados

É um pequeno registo dos milhares de fotografias que vai fazendo por onde quer que passeia. A Paixão pela Fotografia – Viagens pelo Mundo, da autoria de Paulino Pavão, é o primeiro livro que edita. Um registo fotográfico que vai partilhar com família e amigos.

T

em dezenas de histórias contadas em fotografias. Viajar é, a par com a fotografia, uma das paixões do empresário Paulino Pavão que se estreia, agora, como autor de um álbum fotográfico que recolhe algumas das muitas fotografias que faz durante as suas viagens. O gosto por ambas as circunstâncias (fotografia+viagens) está espelhado no título que o livro recebe: “A Paixão pela Fotografia – Viagens pelo Mundo.” Com edição pela Criativaçores, Paulino Pavão quer partilhar com a família e amigos o resultado das suas aventuras, muitas delas concretizadas por aldeias, vilas e cidades portuguesas, outras em destinos internacionais, como Montreal; Hong Kong; Índia; México; República Dominicana, entre muitos outros. A obra conta com dois testemunhos de amigos, que o conhecem de há longa data. José Vaz deixa palavras de estima ao companheiro: “Chama-se Paulino, trato-o por Pavão, se a paixão pela fotografia nos uniu, a força da amizade atou nós que a família soube apertar desenhando bonitos laços. Tem sido na teimosia de seu feitio que caminhado de tripé nas costas e câmara ao peito, temos visto dias vestirem-se de noite, temos observado o nascer de um e outro dia.” Luís Ferreira é outro dos amigos que dedica palavras de estímulo a Paulino Pavão. “Desde que me recordo da nossa amizade que tem sido um acumular de bons momentos. Reza desta amizade que tenhamos um prazeroso, entre ou-

20 • c ria ti va magazine

tros, gosto, inato, pela fotografia, daí ser frequente a nossa saída em conjunto para fotografarmos espaços, vivências, culturas, gentes, expressões… Se a fotografia nos aproximou? Mais do que isso!”. A cerimónia de apresentação do livro de A Paixão pela Fotografia - Viagens pelo Mundo está agendada para o dia 7 de dezembro de 2018, uma cerimónia que decorrerá no São Miguel Park Hotel, em Ponta Delgada, um momento onde o autor contará certamente com a presença de familiares e muitos amigos que o acompanham há anos nas aventuras de viagens pelo Mundo, como também daqueles que têm a mesma paixão pela fotografia.


Deixe-se conquistar por Lisboa, a cidade onde os bairros históricos e monumentos se cruzam com animação cultural e inovação tecnológica. Onde o sol brilha até 290 dias por ano e a gastronomia autêntica passa por muito mais do que os pastéis de Belém e o adorado bacalhau. Onde vai adorar procurar o melhor sítio para ouvir o Fado e apanhar o elétrico amarelo que espalha charme por onde passa. Isso se ainda não se apaixonou. Reserve já em

c ria ti va magazine • 21


QUEIJOS DOS AÇORES

22 • c ria ti va magazine


REPORTAGEM

AÇORES MARCAM PRESENÇA NA WEB SUMMIT 2018 Natacha Alexandra Pastor

Direitos Reservados

Há uma série de incubadoras açorianas a participar na Web Summit 2018, o maior evento de tecnologia da Europa e do Mundo que decorre em Lisboa.

C

onsiderado o maior evento de tecnologia, empreendedorismo e inovação da Europa, os Açores estão presentes na atual edição da Web Summit, em Lisboa. O evento, que em 2017 acolheu cerca de 60 mil participantes de 170 países, mais de 1.200 oradores e 2.600 jornalistas internacionais, tem um impacto mundial. A região apoiou por isso mesmo a participação de incubadoras e empresas na Web Summit, numa iniciativa da Vice-Presidência do Governo, Emprego e Competitividade Empresarial, apoiados e inseridos no ‘Invest In Azores’, que visa essencialmente a promoção dos Açores como destino de grande potencial para o estabelecimento de empresas de base tecnológica. A participação dos Açores na Web Summit 2018, com um stand próprio, insere-se na estratégia de captação de investimento que foi definida, a qual contempla projetos como o Terceira Tech Island, que já conta com várias empresas internacionais instaladas na Praia da Vitória que incorporam programadores formados na ilha, ou iniciativas como a Rede Regional de Incubadoras de Empresas, o Concurso Regional de Empreendedorismo e o Empreende Jovem, que integra o sistema de incentivos à competitividade empresarial Competir+. Integram a participação dos Açores a StartUp Angra, uma incubadora de negócios de base local, com vista

24 • c ria ti va magazine

à estruturação de um novo e sustentável capítulo económico, que atua e apoia empresas ligadas à indústria agroalimentar; energias renováveis; cluster marítimo; ciência e tecnologia; turismo e indústrias criativas. Fábio Santos, diretor da StartUp Angra, que repete a experiência no evento tecnológico, explica à nossa reportagem a importância de se marcar presença num mundo totalmente inovador. “Vamos à Web Summit por convite direto da Invest in Azores, e vamos, como tal, todos concentrados na comitiva dos Açores, embora desta vez estejamos presentes com uma nova dinâmica, já que o CEO & Founder da Redcatpig Studio, uma startup da incubadora de empresas StartUp Angra, vai participar, a convite da organização, com o seu videojogo Keo, na Alfa programme. Fábio Santos estará este ano mais ‘Web Summit’ que em 2017, fá-lo porque percebeu onde deve estar e com quem quer falar, e recorreu para facilitar o trabalho in loco à aplicação para smartphones que a organização disponibiliza, através da qual podem ser calendarizados ‘os passos’ a dar enquanto decorre o evento. O destaque para os Açores é tarefa que fica facilitada pela própria exposição do stand, refere o diretor da StartUp Angra que no último ano ficou muito próximo do espaço da Google, da Cisco e da NBC, com um


colorido de led’s “muito atrativo”, razões que só por si chamam à atenção de quem visita a Web Summit. “O facto de termos um stand que se destaque diante dos outros é fundamental, do mesmo modo que o papel de cada um dos presentes neste stand dos Açores também é importante, no sentido de captar a atenção para quem passa por lá.” Fábio Santos aproveita o momento para recordar do desenvolvimento tecnológico que tem sido gerado nos últimos tempos na região, particularmente na ilha Terceira onde está criado o projeto Terceira Tech Island, que tem como objetivo transformar a ilha Terceira num centro de empresas tecnológicas. Para tal estão facultadas algumas facilidades, nomeadamente instalações para escritórios gratuitas, bem como outras

infraestruturas relacionadas com as atividades empresariais, situados num local privilegiado, com vista sobre o mar e abundância de espaços verdes; habitações gratuitas, para programadores seniores, situadas dentro de um condomínio privado adjacente à zona dos escritórios; formação Intensiva em JAVA/JAVA SCRIPT totalmente subsidiada, em associação com a entidade formadora ACADEMIA DE CÓDIGO. O objetivo é formar 300 trabalhadores qualificados rapidamente. Participam, ainda, no stand açoriano na Web Summit as incubadoras Go-On, do Nonagon, e Maidot, da Praia Links, o TERINOV e startups de base tecnológica, como a EYECON, Bluegrowth, NativePixel, BENEFITSUCESS, Infinitum e AZR – Crypto Blachain, Sciencentris.

c ria ti va magazine • 25


DESPORTO MOTORIZADO CAMPEONATO DE RALIS DOS AÇORES 2018

PICO PLAY AUTO AÇOREANA RALI

A FESTA DA FAMÍLIA RODRIGUES A dupla formada pelos irmãos Rúben e Estevão Rodrigues viajou até ao Pico para obter a vitória no Pico Play Auto Açoreana Rali. Com este resultado, a equipa de São Miguel, que tripulou um Peugeot 208 R2, também conquistou o título do Campeonato dos Açores de Ralis destinado a Veículos de 2 Rodas Motrizes e passou para a liderança do campeonato absoluto. Renato Carvalho

O

Pico Automóvel Clube esquematizou um rali com nove provas de classificação percorridas nas estradas de asfalto da ilha Montanha. Sem grandes novidades na lista de inscritos, a luta pelo triunfo antevia-se que fosse disputada pelos habituais favoritos, Bernardo Sousa, líder do campeonato e Luís Miguel Rego. No único troço disputado na sexta-feira, Bernardo Sousa acompanhado por Valter Cardoso no Citroën DS3 R5 da equipa Play/AutoAçoreana Racing foi o mais rápido, deixando Luís Miguel Rego e o seu navegador Jorge Henriques no Ford Fiesta R5 do Team Além Mar, a pouco mais de um segundo. Na manhã de sábado, Luís Miguel Rego imprimiu um andamento que permitiu vencer os quatros troços previstos até ao

26 • c ria ti va magazine

António Bettencourt

reagrupamento, assumir a liderança e amealhar uma vantagem de 19,5 segundos sobre Bernardo Sousa. Depois do almoço, o piloto do Team Além Mar continuou a ganhar tempo e à entrada para a penúltima prova de classificação, o avanço sobre o piloto da equipa Play/AutoAçoreana Racing era de 31,3 segundos. Só que no início deste troço, um despiste de Bernardo Sousa deixou o Citroën DS3 R5 atravessado na estrada impossibilitando a passagem das outras viaturas. Quando chegou ao local, Luís Miguel Rego não conseguiu evitar bater numa pedra que caiu para a via e foi obrigado a desistir. O troço foi posteriormente anulado. Este acidente permitiu a subida de Rúben Rodrigues, ao volante de um Peugeot 208 R2, à liderança do rali. Desde do princípio


TRAA TRIUNFO DE CARLOS ANDRADE

Com a realização do Pico Play Auto Açoreana Rali, a edição deste ano do Troféu de Ralis de Asfalto dos Açores chegou ao fim. O triunfo pertenceu a Carlos Andrade que ganhou três dos cinco troços. O piloto da ilha Terceira subiu ao primeiro lugar no final da terceira prova de classificação e conservou até ao fim. Na segunda posição ficou Marco Silva e Luís Lisboa num Peugeot 208 VTI que chegou a ser o primeiro líder do rali. O terceiro lugar pertenceu à dupla formada por Carlos Miguel e Flávio Mota em Citroën Saxo Cup. Terminaram a prova onze equipas.

CLASSIFICAÇÃO FINAL DO PICO PLAY AUTO AÇOREANA RALI 1º Ruben Rodrigues/Estevão Rodrigues (Peugeot 208 R2) 40m19,1s; 2º Rafael Botelho/Rui Raimundo (Citroen DS3 R3T) a 50,7s; 3º Carlos Andrade/Tomás Pires (Renault Clio Sport R3) a 3m14,7s; 4º Marco Silva/Luís Lisboa (Peugeot 208 VTI) a 4m01,8s; 5º João Faria/ Carlos Medeiros (Peugeot 206 RC) a 4m19,4s; 6º Marco Soares/Fernando Nunes (Citroen Saxo) a 5m46,5s; 7º Carlos Miguel/Flávio Mota (Citroen Saxo Cup) a 5m57,4s; 8º Artur Silva/Miguel Azevedo (Citroen Saxo) a 6m06,1s; 9º Ruben Santos/Nuno Pereira (Peugeot 106 1.6 Rallye) a 6m16,1s; 10º Rui Torres/Sousa Martins (Ford Escort RS MKII) a 8m10,2s; 11º Pedro Mendonça/José Melo (Peugeot 205 GTI 1.9) a 8m47,6s; 12º Mário Jorge/Marco Silva (Hyundai Getz 1.5D) a 9m09,1s; 13º Gilbert Ferreira/Manuel Lemos (Ford Escort Cosworth) a 10m04,3s; 14º Emanuel Garcia/Nelson Dinis (Citroen Saxo Cup) a 10m25,3s; 15º David Paiva/ Pedro Miguel Freitas (Toyota Starlet 1.3) a 12m06,5s; 16º João Costa/Bárbara Costa (Opel Corsa B 1.4) a 12m39,9s; 17º Paulo Renato Silva/Márcio Martins (Renault Clio) a 12m49,8s; 18º Hélio Inácio/Paulo Leonardo (Peugeot 205 GTI 1.9) a 13m07,6s; 19º Alexandre Aguiar/ Hélio Cardoso (Renault Clio) a 16m45,4s; 20º Ana Castro/Ivone Rodrigues (Toyota Yaris 1.3) a 16m59,1s; 21º Melina Pereira/Carlos Rodrigues (Nissan Micra K11) a 18m58,8s;

Rali Santa Maria 10/11 Agosto

Rali Ilha Lilás 14/15 Setembro

Rali Ilha do Pico 19/20 Outubro

20

17

14

25

Ruben Rodrigues Bernardo Sousa

0+0,33 25+2,75 25+3,30 20+2,20 25+1,86 0+0,55 20+0,33 20+1,65 0+1,65 25+2,75 20+1,86

Luís Miguel Rego

Rafael Botelho

14

12

17

14

12

Rui Torres

--

1

14

12

6

4

Gustavo Louro

--

17

--

--

17

--

0+3,3 20

João Faria

10

--

--

--

8

12

Ricardo Moura

25+3,96

--

--

--

--

--

Paulo Santos

--

8

--

10

10

--

10º

Ruben Santos

6

--

12

0

0

6

Pontos Totais

Rali Ilha Azul 01/02 Junho

14

1º 2º

Rali Lotus 10 Novembro

Rali Sical 20/21 Abril

17

Concorrente

Azores Airlines Rallye

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO RALIS DOS AÇORES - ABSOLUTO Posição

que ocupou o lugar mais baixo do pódio e manteve, mais uma vez, uma interessante disputa com Rafael Botelho. Só no antepenúltimo troço é que conseguiu ampliar a margem para 33,6 segundos. Este sucesso permite a Rúben Rodrigues subir ao comando do campeonato e entrar na discussão pelo título. Na segunda posição ficou Rafael Botelho, navegado por Rui Raimundo, no Citroën DS3 RT3. Envolveu-se desde o início num interessante “combate” com Rúben Rodrigues, sendo um dos polos de interesse do rali. Os tempos obtidos demonstram o andamento imprimido. O pódio ficou completo com a presença da equipa da ilha Terceira constituída por Carlos Andrade e Tomás Pires que utilizaram o habitual Renault Clio R3. No troço inaugural ocupou o 24º lugar! Na segunda prova de classificação já estava no 8º posto! E no seguinte subiu até ao quinto posto! Ascendeu ao pódio, em consequência do acidente que marcou o rali. Na categoria reservada aos Veículos Sem Homologação, a equipa terceirense Artur Silva e Miguel Azevedo foram os mais rápidos e puseram o Citroen Saxo no oitavo lugar final. A próxima prova do Campeonato dos Açores de Ralis é o Lotus Rali na ilha de São Miguel.

107 105,99 96,54 89 37 34 30 28,96 28 24

TRCA VITÓRIA DE MARCO SILVA

A penúltima prova do Troféu de Ralis do Canal dos Açores foi composta pelos primeiros cinco troços do Pico Play Auto Açoreana Rali. A vitória pertenceu a Marco Silva na companhia de Luís Lisboa, que utilizou um Peugeot 208 VTI. Venceu três provas de classificação e arrecadou o comando no final do terceiro troço que manteve até ao final. Na segunda posição ficaram Carlos Miguel e Flávio Mota em Citroën Saxo Cup que ainda passaram pela liderança. O pódio ficou completo com a presença de Pedro Mendonça e José Melo num Peugeot 205 GTI 1.9. Terminaram a prova cinco equipas.

cria ti va magazine • 27


CONSULTÓRIO DA SAÚDE João Bicudo Melo Médico e Psicólogo Clínico

T

GRIPE

odos os anos, por esta altura, ouvimos falar de gripe, de vacinas contra a gripe e da necessidade de cuidados redobrados. Tudo isto porque a gripe é uma doença infetocontagiosa que, quando complicada, pode trazer graves consequências para a saúde de cada um de nós, sobretudo no caso de indivíduos idosos e/ou portadores de doenças crónicas. A gripe é das doenças mais frequentes em adultos e é causada por um vírus. Normalmente, os sintomas da gripe têm um início súbito, com sensação de mal-estar geral, febre alta, tosse seca, dores de cabeça, dores nos músculos e articulações e olhos inflamados. Esta doença tem normalmente uma duração de cerca de 4 dias, com sintomatologia ligeira e evolução benigna. Porém, em indivíduos idosos e/ou portadores de doenças crónicas, a sintomatologia pode ser mais agressiva, a duração da doença mais longa e o risco de pneumonia, descompensação da doença cardíaca, pulmonar ou renal pode ser maior. O vírus causador da gripe encontra-se em constante alteração, pelo que a imunidade provocada pela vacina não é duradoura/vitalícia, devendo proceder-se a vacinação anualmente. Ou seja, se cumpriu com a vacinação anti-gripal em 2017, deverá repeti-la em 2018 se pretender atualizar as suas defesas contra o vírus da gripe. De todas as medidas preventivas conhecidas contra o vírus da gripe, a vacinação poderá ser considerada das mais importantes, prevenindo simultaneamente a doença e as suas complicações. Neste sentido, a Direção Geral de Saúde recomenda a vacinação anualmente, nomeadamente entre os meses de Outubro e Dezembro, embora a vacina possa ser disponibilizada e administrada durante os meses de outono e inverno de cada ano.

28 • c ria ti va magazine

Coloque uma questão dirigida ao Consultório da Saúde utilizando o e-mail: consultoriodasaude@hotmail.com

Conforme a situação clínica de cada utente, a vacinação assume diferentes níveis de recomendação, estando fortemente recomendada em indivíduos com idade superior a 64 anos, grávidas, profissionais de saúde/ cuidadores, bem como em portadores de doenças crónicas ou imunológicas (desde que a idade seja superior a 6 meses). Reconhecendo a importância da vacinação para o controlo epidemiológico da gripe, o Estado Português, por meio dos organismos próprios, disponibiliza gratuitamente a vacina contra a gripe a idosos, residentes em lares, diabéticos, transplantados ou a aguardar transplante, indivíduos sob terapêutica com diálise ou quimioterapia, portadores de síndrome de Down, Fibrose Quística ou doença crónica que comprometa a função respiratória, profissionais de saúde e bombeiros. Além destes, os utentes não incluídos nos grupos anteriormente referidos com indicação para vacinação gratuita, poderão beneficiar de comparticipação para a mesma se adquirida com receita médica. A utilização da vacina contra a gripe está contra-indicada em indivíduos com alergia conhecida e grave ao ovo ou que tenham documentada história anterior de alergia à vacina. Na prevenção da gripe, para além da vacinação, existem outras medidas igualmente importantes. Assim, a adequada e frequente higienização das suas mãos é assencial, bem como procurar espirrar para lenços descartáveis ou para o vestuário que cobre o antebraço, eviando a dispersão de particulas contagiosas para o ambiente envolvente. Além disso, se apresentar sintomas sugestivos de gripe, evite os contactos sociais. Ao resguardar-se está a contribuír para a sua recuperação e para a não propagação da doença em outras pessoas. Colabore na luta contra a gripe.


CONSULTÓRIO JURÍDICO com: Carlos Melo Bento ADVOGADO

Falemos de garantias de bens adquiridos, algo que suscita sempre dúvidas ao consumidor. Adquirindo, por exemplo, uma viatura num stand, e se esta apresentar graves problemas após a aquisição, como funciona o direito à reclamação; devolução/rejeição; ou o direito à reparação!? Em caso do automóvel ser novo o comprador tem direito a que a viatura seja reparada sem encargos, ou substituída por outra sem defeito, ou então a uma redução adequada do preço ou ainda a devolver a viatura e receber para trás o dinheiro pago. Isto deve acontecer num prazo máximo de 30 dias, e sem grave inconveniente para o consumidor. O consumidor pode exercer os direitos referidos acima quando o defeito se manifestar dentro de um prazo de dois anos a contar da entrega do automóvel. Tratando-se de automóvel usado, o prazo pode ser reduzido a um ano, por acordo das partes.

NOTE BEM: estes pequenos conselhos não dispensam a consulta a um advogado. Pois, cada caso é um caso e, para se dar um conselho, é preciso saber muitos detalhes que não cabem nas perguntas que me são feitas.

Tem alguma questão jurídica que gostaria de ver respondida? Envie-nos por email: criativa.azores@gmail.com

cria ti va magazine • 29


FOTOGRAFIA OLHAR CRIATIVO

DESAFIO MENSAL DO MÊS TRANSATO

COM O TEMA: “GEOMETRIAS E SIMETRIAS”

1º Lugar - Paulo Medeiros - “Geometrias”

“ESTAS PÁGINAS SÃO DEDICADAS AOS ENTUSIASTAS, QUE DE UMA FORMA APAIXONADA PARTILHAM O SEU OLHAR, POTENCIANDO A ARTE E O GOSTO PELA FOTOGRAFIA.”

Coordenação: Paulino Pavão

30 • c ria ti va magazine

Edição:


2º Lugar - Fernando Abreu - “Sob a Concha”

3º Lugar - Fernando Abreu - “Delta”

c ria ti va magazine • 31


SAÚDE ÓTICA

PROBLEMAS VISUAIS Vamos falar de problemas visuais, das doenças mais comuns, e de como pode detetar alguns dos principais sintomas. ASTIGMATISMO Fraco reconhecimento de detalhes, dores de cabeça, tendência a cansar-se rapidamente ao ler ou ao conduzir, fotofobia ou lacrimejo são alguns dos sintomas do astigmatismo. Surge quando existe alguma irregularidade numa ou várias estruturas do olho, levando a que a imagem que se forma na retina seja distorcida. Desta forma, o astigmata apresenta visão desfocada tanto ao longe como ao perto. Utilização de óculos ou lentes de contacto são as formas mais eficazes para compensar este erro refrativo.

AMBLIOPIA Ambliopia caracteriza-se pela diminuição da acuidade visual uni ou bilateralmente, sem que o olho afetado mostre qualquer anomalia estrutural, também é comum designá-la de “olho preguiçoso”. As principais causas de ambliopia são o estrabismo e os erros refrativos não corrigidos: hipermetropia, astigmatismo e miopia.

32 • c ria ti va magazine

Artigo elaborado com suporte em: INSTITUTOPTICO www.institutoptico.pt


cria ti va magazine • 33


EVENTOS APRESENTAÇÃO DE “PONTA DELGADA E OS SEUS 24 ENCANTOS” Paulo Renato Sousa Foi apresentada, no Coliseu Micaelense, a obra “Ponta Delgada e os seus 24 Encantos”, um álbum fotográfico editado pela Criativaçores, em parceria com a Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores. Trata-se de uma obra bilingue, de 440 páginas, onde predominam imagens de 24 fotógrafos que fotografaram as 24 freguesias do concelho de Ponta Delgada.

34 • c ria ti va magazine


cria ti va magazine • 35


EVENTOS

36 • c ria ti va magazine


EVENTOS CONCERTO SOLIDÁRIO “LUÍS DOS ANJOS E AMIGOS” Paulo Renato Sousa O concerto solidário “Luís dos Anjos e Amigos”, numa organização de Luís dos Anjos, que decorreu no Coliseu Micaelense, juntou cerca de 700 pessoas. Com a sua organização foi possível angariar mais de 10.000 euros, valor que foi repartido por várias instituições/associações de Ponta Delgada.

cria ti va magazine • 37


EVENTOS 10ª EDIÇÃO DO WINE IN AZORES Pedro Borges / Silvergrey, lda. Esta edição do Wine in Azores foi uma das mais especiais já que a organização assinalou o 10º aniversário. Milhares de pessoas passaram pelo pavilhão de exposições da Associação Agrícola de São Miguel para participar em muitas das provas de vinho que estiveram a decorrer, mas também para alguns momentos de convívio e de apreciação dos showcooking com chefs nacionais.

38 • c ria ti va magazine


cria ti va magazine • 39


EVENTOS MARCHA DO CORAÇÃO JUNTOU MAIS DE 3 MIL ALUNOS Paulo Renato Sousa 20 escolas do concelho de Ponta Delgada, num total de, aproximadamente, 3.000 alunos participaram na 13ª edição da Marcha do Coração. A iniciativa é, como habitualmente, da responsabilidade da Escola Canto da Maia, que participa com todos os alunos.

40 • c ria ti va magazine


c ria ti va magazine • 41


EVENTOS PATRÍCIA VILLAS EXPÕE “RASCUNHOS” CMRG Foi inaugurada, no Museu Municipal da Ribeira Grande, a exposição de desenho de Patrícia Villas, intitulada “Rascunhos”, mostra onde estarão em exposição nove telas com desenhos da artista.

42 • c ria ti va magazine


VOUCHER pรกg. 51

cria ti va magazine โ€ข 43


EVENTOS JUNTA DE SÃO PEDRO PRESTA HOMENAGEM A MÚSICOS Paulo Renato Sousa A Junta de Freguesia de São Pedro levou a cabo uma série de homenagens a músicos, grupos musicais, DJs e técnicos de som nascidos ou moradores nesta freguesia. O evento foi realizado no dia 5 de Outubro no bar Baía dos Anjos. Foram homenageados: Baía dos Anjos (pelo apoio aos artistas); Laura Santos ( Jovem Talento); Morbid Death; Hangover; Gnosticism; Obsenus; Pedro Silva; Mário Jorge Raposo; DJ PF; DJ Pedro Almeida; Técnico de Som Vasco Nunes e Banda.Com.

44 • c ria ti va magazine


VOUCHER pรกg. 51

cria ti va magazine โ€ข 45


46 • c ria ti va magazine


ACONTECEU PLANO APÍCOLA CONCLUÍDO ATÉ AO FIM DO ANO Até ao final deste ano o Plano Apícola estará concluído, sendo depois remetido a todas as associações, cooperativas e restantes parceiros, para que se possam pronunciar e darem os seus contributos. Seguir-se-á uma alteração ao Decreto Legislativo Regional, que regula a atividade apícola, de modo a adequá-lo à realidade e às necessidades do setor.

AVANÇA ÚLTIMA FASE DO PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO MERCADO MUNICIPAL A última fase da remodelação do mercado municipal da Ribeira Grande já está em andamento e vai permitir concluir um projeto de requalificação de um espaço nobre no centro da cidade que alberga mais de uma dezena de comerciantes que exploram várias áreas de negócio.

2º LUGAR NO CAMPEONATO MUNDIAL DE TRAUMA A equipa dos Bombeiros Voluntários da Praia da Vitória que conquistou o segundo lugar no Campeonato Mundial de Trauma, que decorreu, na cidade do Cabo, na África do Sul. A Equipa de Trauma desta associação, composta por dois elementos e um treinador, conquistou, também, nos resultados parciais, o terceiro lugar na prova “standard” e o segundo lugar na prova complexa.

CÂMARA DO NORDESTE QUER ATRAIR GENTE NO NATAL E NA PASSAGEM DE ANO A Câmara Municipal do Nordeste já tem o programa festivo da quadra natalícia concluído, e apresentado, considerando assim estar a contribuir para oferecer à população um vasto programa com o propósito de colaborar com o comércio e com o alojamento local no sentido de atrair visitantes ao concelho durante a quadra. POTENCIAL DE EXPORTAÇÃO DOS QUEIJOS AÇORIANOS O Diretor Regional da Agricultura, José Élio Ventura, destacou o grande potencial exportador que os queijos dos Açores têm, quer no mercado nacional, quer internacional, pela sua qualidade, durabilidade e diversidade. José Élio Ventura falava na sessão do Concurso Queijos de Portugal 2018, promovido pela Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL), onde recordou que Portugal importa anualmente 50 mil toneladas de queijo, das 130 mil toneladas que são consumidas no país.

c ria ti va magazine • 47


WORKSHOP ARTE DOS VIMES MUSEU CASA DO ARCANO

3, 7, 10 e

CONCERTO ACÚSTICO DO MIGUEL GAMEIRO COLISEU MICAELENSE

EXPOSIÇÃO STUDIO MONTE PALACE

até

GALERIA FONSECA MACEDO

XANA TOC TOC NA SELVA AO VIVO COLISEU MICAELENSE

“CÓDIGO POSTAL 9500 – TRÊS RESIDENTES ARTISTAS: BEATRIZ BRUM, JOÃO MIGUEL RAMOS E SARA ROCHA SILVA”

GALERIA DO CENTRO MUNICIPAL DE CULTURA

% 10

DESCONTO

sobre o valor da fatura

OFERTA de um aperitivo

% 10

DESCONTO

sobre o valor da fatura

48 • c ria ti va magazine

até

24 24 24 01 28

novembro novembro novembro

dezembro dezembro

21,00€

2 Frangos Panados, 2 Pão de Alho, 1 Dose de Batata Frita e 1 Dose de Arroz

+ oferta fanta 1,5lt *Preço sujeito a alterações

% 10

DESCONTO

na loja da fábrica

21,00€

2 Frangos Panados, 2 Pão de Alho, 1 Dose de Batata Frita e 1 Dose de Arroz

+ oferta fanta 1,5lt *Preço sujeito a alterações

Agenda sujeita a eventuais alterações.

AGENDA


嘀攀爀漀  挀漀洀 愀  䄀倀刀䤀䰀䤀䄀

伀䘀䤀䌀䤀一䄀 ⼀ 嘀䔀一䐀䄀 䐀䔀 䴀伀吀伀䌀䤀䌀䰀伀匀 䔀 䄀䌀䔀匀匀팀刀䤀伀匀 䄀娀伀刀䔀匀 倀䄀刀䬀 倀䄀嘀⸀ ㌀⸀㄀㈀ ㈀㤀㘀 ㈀  ㄀㤀 ㈀  䌀伀䴀䔀刀䌀䤀䄀䰀䀀䄀䌀䌀䌀夀䴀䈀刀伀一⸀倀吀   圀圀圀⸀䄀䌀䌀䴀伀吀䄀匀⸀䌀伀䴀 䘀䄀䌀䔀䈀伀伀䬀⸀䌀伀䴀⼀䄀䌀䌀䴀伀吀䄀匀

cria ti va magazine • 49


HORÓSCOPO ASTRÓLOGO LUÍS MONIZ

rikinho-astro@hotmail.com www.meiodoceu-com-sapo-pt.webnode.pt

CARNEIRO 21/03 A 20/04

BALANÇA 23/09 A 22/10

TOURO 21/04 A 20/05

ESCORPIÃO 23/10 A 21/11

A vida afetiva em fase de renovação promove relações excitantes, mas com muita serenidade, confiança e consciência, perceberá o rumo a seguir. A nível profissional estão favorecidos os trabalhos inadiáveis que exigem eficiência e rigor. Adote uma atitude flexível, dedicada e compreensiva.

A vida afetiva abre um novo ciclo de segurança compatível com o estabelecimento de uma relação muito importante para o seu equilíbrio. A nível profissional deverá tomar a iniciativa para começar projetos com entusiasmo e dedicação, de forma a melhorar a situação financeira.

SIGNO DO MÊS

A vida afetiva sugere uma nova conquista apaixonante que estimula a sua criatividade intelectual e promove o entusiasmo pela vida quotidiana. A nível profissional vai lutar para provar o seu valor e mostrar as suas capacidades pioneiras, através de iniciativas que expandem a carreira.

A vida afetiva acentua os seus sentimentos em relação ao seu meio ambiente familiar, projetando muita compreensão, imaginação e intuição. A nível profissional procure arriscar em projetos ambiciosos, com a sua força e determinação, durante esta ótima temporada de renascimento.

GÊMEOS 21/05 A 20/06

SAGITÁRIO 22/11 A 21/12

CARANGUEJO 21/06 A 22/07

CAPRICÓRNIO 22/12 A 19/01

LEÃO 23/07 A 22/08

AQUÁRIO 20/01 A 18/02

VIRGEM 23/08 A 22/09

PEIXES 19/02 A 20/03

A vida afetiva permite-lhe tomar consciência do seu “Eu”, através dos relacionamentos e do autoconhecimento que confere evolução sentimental. A nível profissional estão especialmente favorecidas as áreas relacionadas com a comunicação, arte e criatividade, desempenhadas com dedicação.

A vida afetiva marca um crescimento sentimental e corajosamente estabelecerá uma relação estável, prevenindo situações melindrosas. A nível profissional poderá tomar iniciativas para realizar os seus sonhos com coragem, aproveitando oportunidades profícuas financeiramente.

A vida afetiva coloca à prova a sua evolução pessoal e com a paciência aliada à generosidade poderá demonstrar uma postura mais flexível. A nível profissional, a participação em estudos filosóficos ou sobre o desenvolvimento pessoal, assinalará evoluções na sua personalidade.

A vida afetiva propícia a ocasião ideal para refletir com profundidade acerca daquilo que objetivamente pretende para o seu futuro familiar. A nível profissional poderá contar com grandes avanços repentinos e melhorias financeiras, durante esta magnífico período de renovação.

50 • c ria ti va magazine

A vida afetiva necessita ser analisada profundamente e através do diálogo assertivo poderá resolver problemas antigos, com muita tolerância. A nível profissional conseguirá apresentar as suas ideias com convicção e optimismo, promovendo novos planos relacionados com a transcendência.

A vida afetiva encontra-se em fase de reconstrução e Plutão pede uma grande mudança de existência. É tempo de colher tudo o que semeou. A nível profissional pode surgir um convite para desenvolver um projeto, vantajoso financeiramente e poderá colocar em prática os seus planos.

A vida afetiva concede-lhe surpresas que facilitam o crescimento de ambos os elementos do par, alicerçado na liberdade individual dos envolventes. A nível profissional poderá quebrar rotinas e alargar horizontes, estudando profundamente uma área do seu interesse, que contribui para o progresso.

A vida afetiva é vivenciada com grande romantismo, sensibilidade e misticismo. Surgirão oportunidades para projetar os seus dotes sedutores. A nível profissional sentirá a força indispensável para seguir em frente com a capacidade de encarar o quotidiano, adotando uma atitude construtiva.


c ria ti va magazine • 51


52 • c ria ti va magazine

CRIATIVA MAGAZINE - EDIÇÃO DE NOVEMBRO DE 2018  
CRIATIVA MAGAZINE - EDIÇÃO DE NOVEMBRO DE 2018  
Advertisement