Page 1

CREMAM CONSELHO

REGIONAL

DE MEDICINA

DO ESTADO

DO AMAZONAS

Manaus, dezembro 2013/ janeiro de 2014

O CREMAM SOMO TODOSN

r


EDITORIAL

DEZ

20131

JAN 2014

. EXPEDI ENTE

CREMAM CONSElHO

REGIONAl

DE MEDICINA.

DO ESTADO DO AMAZONAS

Presidente: José Bernardes Sobrinho Vice-presidente: Donato Marinho Neto Secretária-geral: Rossilene Conceição da Silva Cruz 1a Secretária: Maria Grasiela Correia Leite 2° Secretário: Homes André de Souza Proença Tesoureiro: Flávio Antunes de Sousa Projeto Gráfico: Vítor Sidrome Jornalista Responsável: Rodrigo Araújo - MTB018/01 Conselho Regional de Medicina do Estado do Amazonas: Endereço: Avenida Senador Raimundo Parente, 06 - Alvorada Manaus - AM, 69048-662 Tel.: (92) 3656-0531 Fax: (92) 3656-0537

Programa Mais Médicos o

CFM encaminhou denúncia formal à Organização Mundial de Saúde (OMS) e à Organização Internacional do Trabalho (01T) por conta de ilegalidade na contratação de profissionais estrangeiros para atuarem dentro do programa Mais Médicos. Também é preocupação do CFM a existência de um esquema de intermediação de mão de obra estabelecido no contrato firmado entre o Ministério da Saúde e a OPAS, que receberá 5% (cinco por cento) de todos os salários dos médicos cubanos, sem justificativa ou previsão legal. Não precisamos de "Mais Médicos" e sim de mais saúde, com melhor qualidade, melhor administração e menos desvio de verbas destinadas a esta área. Nos últimos 10 anos, o Governo deixou de investir R$ 94 bilhões em saúde, que já estavam previamente alocados. Os recursos não foram utilizados por pura incompetência dos gestores do Ministério da Saúde. Além desse descaso em investimento, nos últimos anos o governo desativou do SUS aproximadamente 13 mil leitos. Para fixar médicos no interior, a desculpa do Governo é a de que os profissionais não querem ir para as pequenas cidades. No entanto, o argumento é improcedente. Falta apenas vontade política. Basta fazer concurso para provimento de vagas no interior, por meio de uma carreira de estado, semelhante às carreiras do Ministério Público e Magistratura. Conheço caso de médico recém-formado que foi para o interior, casou com moça do local, estabeleceu vínculo profissional e afetivo com a cidade e já está no interior há mais de vinte anos. Mas, além de médicos, é necessário oferecer condições de trabalho para que o profissional possa oferecer um trabalho com qualidade e segurança para os pacientes. Não culpem os médicos pelos descasos na administração da saúde. Nós também somos vítimas desses desmandos com o dinheiro público.

Nova Diretoria do CREMAM

O médico cirurgião vascular José Bernardes Sobrinho é o novo presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Amazonas (CREMAM). A nova diretoria tomou posse no dia 10 de outubro, para um mandato de cinco anos. A chapa eleita também escolheu o oftalmologista Donato Marinho Neto para a vice-presidência da entidade, que agora tem como 0 secretária-geral a dermatologista Rossilene Conceição Cruz, 1 a secretária a ginecologista Grasiela Leite e 2 secretário o neurologista Romes André Proença. O urologista Flávio Antunes de Sousa é o novo tesoureiro, o dermatologista Luiz Cláudio Dias é o corregedor de processo e a pediatra Maria das Graças Mateus é a corregedora de sindicância.


DEZ 2013/ JAN 2014

COM MUITO AMOR!!!!

Um caso de justiça Atento à defesa e valorização da classe médica, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Amazonas (CREMAM) adotou novamente uma postura firme diante de mais um caso de desrespeito a um profissional da categoria. Na noite do último dia 10 de dezembro, policiais militares agiram de forma abusiva e algemaram a pediatra Maria do Socorro de Souza Pereira, que cumpria plantão no Hospital e Pronto Socorro da Criança da Zona Oeste. Após receberem denúncia

da mãe de uma criança, os policiais prenderam a profissional da Sociedade dos Pediatras do Estado do Amazonas (COOPED) e a colocaram em uma viatura. A denunciante acusou a médica de ter recusado atendimento a sua filha. No entanto, o boletim de ocorrência registrado no 19° Distrito Integrado de Polícia (DIP) deixa claro que a médica não se recusou a prestar socorro. Diante deste fato lamentável, o CREMAM se manifestou à sociedade manauara por meio desta Nota de Repúdio.

NOTA DE REPÚDIO O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DO AMAZONAS (CREMAM) vem, por meio de seu Presidente Dr. José Bernardes Sobrinho, em nome de toda a Classe Médica deste Estado, REPUDIAR os atos abusivos e truculentos praticados por policiais militares contra a médica, Ora. Maria do Socorro de Souza Pereira, a qual se encontrava

no regular exercicio da profissão, em

plantão no Hospital e Pronto Socorro da Criança Zona Oeste, na noite do último dia 10.12.2013. Vale ressaltar que, de acordo com o que foi constatado

no 19° Distrito

Integrado de Polícia (DIP), por ocasião da lavratura do Boretim de Ocorrência, a Ora. Maria do Socorro de Souza Pereira não se negou a prestar atendimento

ao

paciente e, se o tivesse feito, o que é um direito do médico sob algumas circunstâncias, havia no plantão outros 3 (três) médicos pediatras, logo, não houve, de forma alguma, a omissão de socorro. Este CRM-AM informa que acompanhará

o desenrolar dos fatos junto

à SOCIEDADE DOS PEDIATRAS DO ESTADO DO AMAZONAS (COOPED), prestando o apoio necessário para que o ocorrido não fique impune, porém, e desde já, reafirma seu REPÚDIO pelo fato de 5 (cinco) viaturas terem sido deslocadas ao ~.~spital, enquanto a população padece com a falta de policiamento na cidade. Causa revolta o fato dos policiais militares terem algemado a médica e a colocado em uma viatura policial de forma constrangedora, público, o que não se admite sob qualquer circunstância,

na função de agente muito mais por não ter

havido a mencionada omissão de socorro, como já constatado. Por fim, este Conselho Regional de Medicina presta, de público, sua total e incondicional

solidariedade

à Ora. Maria do Socorro de Souza Pereira, e

afirma que utilizará todos os meios legais necessários para esclarecer os fatos ocorridos e resgatar os direitos de cidadania profissional com o fim de impedir que excessos desta natureza voltem a ocorrer e, ao final, poder afirmar à sociedade que os médicos deste Estado praticam a profissão com dignidade, competência e responsabilidade,

dentro, porém, dos limites e condições de trabalho

Médico é aquele cara que diz qual é a sua doença (mesmo que seja só uma virose), e te passa algum tratamento (mesmo que seja só dipirona) Médico é o rapaz da equipe de saúde que tem de assinar o atestado de óbito, e dizer pra uma mãe que o filho de 14 anos morreu. E isso dói! Médico é um cidadão que estudou na universidade 8.400 horas durante 6 anos, com uma média de 2 provas por semana (provas estas de nível bem acima das provas de residência), que trabalhou 2 anos de graça para o SUS como estagiário, onde nem direito a almoço teve, e que ficou evoluindo enfermaria no Dia das Mães, Carnaval, Natal e Ano Novo. Médico é o cara que recebe ameaça (verbal e física) para dar atestado médico a uma dor de cabeça, fato este que ocorre várias vezes ao dia! Médico é o profissional que entra em cirurgia de paciente soropositivo para AIDS, morrendo de medo de se furar, e ganha 98 reais por mês no adicional de insalubridade por este risco! Médico é o ser humano que, por lei, tem direito a 1 hora de pausa para almoçar no meio do plantão, mas engole a comida em 15 minutos porque a fila de atendimento é gigante. Médico é parte dos 99% dos profissionais que recebe a má fama do 1% que age sem ética. O governo não investe em saúde, mas põe a culpa na falta de médicos. Digam-me: a culpa de escolas sem professores é dos professores? Médico muitas vezes é um cidadão que serve 1 ano obrigatório no Exército (homens), e faz residência de 3-5 anos, trabalhando 60-84 horas por semana recebendo salário por uma bolsa de 2.900 reais. E que, quando exige um pagamento compatível com essa formação, é chamado de egoísta, playboy e mercenário. Se você teve saco de ler até aqui, parabéns! Porque nós MÉDICOS aguentamos isso a carreira inteira de mais de 40 anos. E não digo isso para elevar a categoria ' ao status de semideus. MÉDICO NÃO É SEMIDEUS! MÉDICO É GENTE IGUAL A VOCÊ!!! Médico tem sono, fome, saudades, vontade de brincar com os filhos e ficar com a família! Médico morre de raiva de ver um paciente morrer porque o SUS não funciona. Por isso, da próxima vez que se perguntar por que os médicos estão indignados, leia o texto acima. Não trabalhamos pra encher a carteira de dinheiro!!! Somos médicos porque amamos nosso trabalho, amamos cuidar de outros seres humanos, e não tem dinheiro no mundo que pague isso de volta. Amo ser médico e foi a melhor escolha que eu fiz pra minha vida!!! Portanto, parabéns a todos os médicos deste Brasil que tiram leite de pedra, e aguentam as difamações do governo contra nossa classe!!!

que lhes são oferecidos. Vocês fazem deste melhor!!!

país um lugar cada

dia

Dr. José Bernardes Sobrinho, Presidente do CREMAM

Texto de autor desconhecido

publicado

nas redes sociais


DEZ 2013 I JAN 2014

Dedicação à ginecologia e à obstetrícia

o

médico amazonense José Figliuolo nasceu na capital do Estado em meados da década de 40. Filho de Vitorio Figliuolo e Rosalina da Costa Figliuolo, ele foi o primogênito da família, tendo como irmãos Roberto, Lucia Tereza e Vitorio Junior.

o

Durante sua carreira profissional, José Figliuolo decidiu dedicar-se à Ginecologia e à Obstetrícia. Ingressou no serviço público como médico do extinto Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (Inamps), atualmente Sistema Único de Saúde (SUS). .

Como muitos profissionais bemsucedidos da cidade, José Figliuolo estudou no tradicional Colégio Dom Bosco, onde concluiu o Ensino Fundamental e o Ensino Médio.

Nas décadas de 70 e 80, atuou como obstetra no antigo Hospital São José, no mesmo local onde hoje funciona a maternidade da cooperativa Unimed Manaus.

Em 1966, aos 20 anos de idade, ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Seis ános mais tarde (1972), graduou-se na área. E no mesmo dia de sua formatura, casou-se com Maria da Fé Mattos Figliuolo, com quem teve três filhos: Giuseppe Figliuolo (1973), médico urologista; Leonardo Figliuolo (1976), advogado; e Bianca Figliuolo (1980), advogada.

Já na década de 90, trabalhou no PAM Centro como diretor clínico. No exercício da profissão também exerceu o cargo de gerente clínico no PAM da Codajás. Nos últimos anos de vida, o doutor José Figliuolo pôde, ainda, dedicar-se aos três netos: Pietra Campbel Figliuolo da fonseca (filha de Bianca e José Henrique), Isabeli Albuquerque Figliuolo e Giovanni Albuquerque Figliuolo (filhos de Giuseppe e Karina).

primeiro grande evento da nova gestão do CREMAM foi o Outubro Médico. A semana científica, realizada no período de 14 a 18 de outubro, debateu temas de grande relevância para a classe médica e sociedade em geral. Entre os ~emas: o atendimento diferenciado a pacientes adolescentes; as novas técnicas de reprodução; os avanços no tratamento da endometriose; e a abordagem das urgências e emergências hipertensivas. No campo da Medicina Familiar, foi discutida a relação do médico da famnia e

I

as comunidades no Amazonas, Brasil e Mundo. Outro tema bastante interessante foi no campo neurológico. O neurologista Daniel Ribeiro Chaves ministrou palestra sobre a "enxaqueca", apresentando a atualização terapêutica no tratamento da doença. Também no campo da neurologia, a epilepsia e os acidentes vasculares cerebrais foram tema de palestra muito concorrida. Outros temas no campo da cardiologia, cirurgia geral, trauma e dermato-

logia completaram a semana de palestras. Para o presidente do CRM/AM, José Bernardes Sobrinho, o "Outubro Médico" é a oportunidade dos profissionais e alunos da área se reciclarem. "O médico tem que se reciclar periodicamente. Existe uma evolução muito rápida da Medicina. O que se fazia há dez anos, hoje já não se faz. Então, é preciso se manter atualizado constantemente. E uma das formas de você se manter atualizado é participar de eventos como o Outubro Médico", sustentou José Bernardes.


DEZ 2013/

JAN 2014

Ao longo dos ultimos 12 anos, o Ministério da Saúde (MS) deixou de aplicar quase R$ 94 bilhões no Sistema Único de Saúde (SUS) - valor superior ao que estados e municípios gastam em um ano com a saúde pública. A conclusão é do Sistema Federal de Medicina (CFM), segundo matéria divulgada pela entidade na edição n° 225 do jornal "Medicina". Tomando por base no Sistema Integrado de Administração Financeira

(Siafi), o levantamento revela em detalhes o resultado da falta de qualidade da gestão financeira em saúde. Segundo Roberto d' Avila, presidente do CFM, as informações foram encaminhadas ao Congresso Nacional, ao Ministério Público Federal (MPU) e ao Tribunal de Contas da União (TCU) - que há pouco mais de um ano investiga o cumprimento, por parte da União, da lei que regulamenta a aplicação de recursos no SUS. "Cabe aos conselhos de medicina promover, por todos os meios, o perfeito desempenho técnico e moral da medicina. Também nos preocupa a gestão dos recursos - o que impacta diretamente na assistência da população e na atuação dos profissionais. Por este motivo, passaremos a acompanhar de perto o orçamento da saúde em todos os níveis. Só assim conseguiremos mostrar à população as reais dificuldades de infraestrutura com as quais milhares de médicos e outros profissionais da saúde se deparam todos os dias", anunciou D'Avila. No período apurado, R$ 852,7 bilhões foram estimados para o Minis-

Série histórica do orçamento

tério da Saúde no Orçamento Geral da União (OGU). Os desembolsos, no entanto, chegaram a R$ 759,2 bilhões. Em 2013, apesar do maior orçamento já autorizado na história da pasta - pouco mais de R$100 bilhões -,66,7% tinham sido aplicados até o último dia 15 de outubro. "O SUS precisa de mais recursos e por isso entregamos ao Congresso Nacional mais de 2 milhões de assinaturas em apoio ao projeto de lei de iniciativa popular Saúde+ 10, que ' vincula 10% da receita bruta da União para o setor. Paralelamente, é preciso que o Poder Executivo aperfeiçoe sua capacidade de gerenciar os recursos disponíveis", criticou Roberto D' Avila. Para exemplificar, o presidente do CFM cita que com R$ 94 bilhões seria possível adquirir 763 mil ambulâncias (137 para cada município brasileiro), construir 468 mil unidades básicas de saúde (UBS) de porte I (84 por cidade), edificar 67 mil unidades de pronto atendimento (UPA) de porte I (12 por cidade) ou, ainda, aumentar em 1.850 o número de hospitais públicos de médio porte.

da União para a Saúde*

Total pago*

Orçamento não executado

Ano

Dotação autorizada

2001

64.615.383.529,66

57.221.931.058,35

-7.393.452.471,31

2002

62.606.809.598,76

57.664.701.560,71

-4.942.108.038,05

2003

53.109.404.583,40

49.363.667.541,32

-3.745.737.042,08

2004

59.519.860.654,01

52.511.183.749,69

-7.008.676.904,32

2005

63.098.505.297,21

52.404.996.732,64

- 10.693.508.564,57

2006

66.723.419.835,52

59.165.531.175,44

- 7.527.888.660,07

2007

72.868.919.476,20

63.379.308.816,28

- 9.489.610.659,93

2008

70.138.953.845,45

62.292.956.597,29

- 7.845.997.248,16/

2009

78.123.982.661,17

69.112.100.156,93

- 9.011.882.504,24

2010

80.279.411.496,30

75.650.818.892,45

- 4.628.592.603,85

2011

85.735.199.997,06

82.630.460.707,93

- 7.982.222.439,88

2012

95.927.702.594,00

77.752.977.557,18

- 13.297.241.886,07

Total

852.747.553.568,73

759.180.634.546,21

- 93.566.919.022,52

Fonte: Siafi/Elaboração:

CFM. *Valores atualizados pelo IGP-DI, da FGV. **Inclui os restos a pagar pagos.


CJ~EMAM

o

DEZ 2013/

JAN 2014

movimento popular Outubro Rosa é internacional. Em qualquer lugar do mundo, a iluminação rosa é compreendida

como a união dos povos pela saúde feminina. Incidência do câncer de colo uterino na nossa região é maior do que o câncer de mama.

Fatores de riscos para o câncer de colo uterino Fatores ligados à imunidade, à genética e ao comportamento

sexual parecem influenciar os mecanismos ainda incer-

tos que determinam a regressão ou a persistência da infecção pelo HPV e também a progressão para lesões precursoras ou câncer. Desta forma, o tabagismo, o início precoce da vida sexual, o número elevado de parceiros sexuais e de gestações, e a imunossupressão desenvolvimento

(causada por infecção por HIV ou uso de imunossupressores)

são considerados fatores de risco para o

do câncer do colo do útero. A idade também interfere nesse processo, sendo que a maioria das infecções

por HPV em mulheres com menos de 30 anos regrideespontaneamente,

ao passo que acima dessa idade a persistência é

mais frequente. - Papiloma Vírus Humano - HPV

HPV Existem mais de 150 tipos sendo os mais frequentes são os 6, 11, 16 e 18. Dentre os HPV de alto risco oncogênico, os tipos 16 e 18 estão presentes em 90% dos casos de câncer do colo do útero. Já os HPV 6 e 11, encontrados em 90% dos condi/omas genitais e papilomas laríngeos, são considerados não oncogênicos Com o exame (colpocitologia) confirmando lesãointraepitelial de Baixo Grau (L1EBG) a conduta preconizada é a repetição do exame colpocitologico

em 6 meses nas UBS já que estudos mostram que nas pacientes portadora destas

lesões há regressão espontanea Não há indicação de colposcopia Se dois exames consecutivos semestrais forem negativos a paciente retoma a rotina de rastreamento Se a citologia de repetição for positiva em dois exames com atipia celular encaminhar para colposcopia

com biópsia e após a confirmação pelo Histopatológico

a Conização ou Histerectomia conforme a

indicação do caso.

Lesão intraepitelial de Alto Grau ( L1EAG) deve

ser encaminhada para Colposcopia com

Biopsia , conização ou Histerectomia, conforme a indicação do caso. A ocorrência de infecção pelo HPV durante a gravidez não implica em má formação O parto normal não é contraindicado, desenvolvimento

pois, apesar de ser possível a contaminação do bebê, o

de lesões é muito raro. Pode também ocorrer contaminação antes do trabalho

de parto e a opção pela cesariana não garante a prevenção da transmissão da infecção. A via de parto (normal ou cesariana) devera ser uma indicação Obstétrica.

A prevenção do câncer de colo uterino é feita com:

Câncer de Mama

- Colpocitologia; - Vacinas Contra HPV; - Preservativo (já que o HPV é uma DST)

"Não existe prevenção e sim a Detecção precoce." Todas as mulheres que menstruam devem fazer seu Autoexame das

Vacinas contra o HPV

mamas do 5° ao 8° dia da menstruação e a partir dos 40 anos acresVacina Quadrivalente

Composição

HPV

6/11/16/18

Baixo Risco e Alto Risco Vacina Bivalente Composição

HPV 16/18 Alto Risco

centar a Mamografia anual. O exame de Ultrassonografia

mamaria,

só é indicado quando a mulher ou o ginecologista detecta um nódulo para esclarecer o tipo de nódulo para o tratamento, ou nos casos indicado na Mamografia (mamas densas) ou sempre que o especialista indicar Não é exame de prevenção.


CREMAM DEZ 2013/

JAN 2014

Dia

17 de Novembro

do teste Antígeno Prostático

não exclui o toque retal e a

lógico do tecido obtido pela

dosagem de PSA. Outro fator que deve ser lembrado, é

biópsia. O tratamento

impor-

que o PSA não é 100% se-

tante na etiologia desse tipo de câncer é a dieta. Dietas com base em gordura ani-

guro. Uma faixa de 10 a 20% de pacientes com câncer de

localizada, onde a taxa de cura é de 90%, pode ser

comemora-se

o Dia Nacional

Específico(PSA)

de Combate

ao Câncer de

reta!.

Próstata. A Sociedade Brasileira de Urologia, com apoio do governo federal, pro-

Outro

e do toque Fator

feito

para doença

através

de

cirurgia,

radioterapia e até mesmo observação vigilante (em situações especiais, carcinomas indolentes). Para do-

ção sobre saúde masculina,

mai, carne vermelha e embutidos estão associadas ao

conhecida

novembro

aumento no risco de desen-

próstata têm o valor de PSA normal, por isso o toque retal é sempre recomendado. Por outro lado, o PSA pode estar

azul, enfatizando o câncer de próstata com o slogan "um toque, um drible". O câncer de prós-

volver câncer de próstata. Além disso, também con-

elevado devido a prostatites elou hiperplasia prostática

ença localmente avançada, radioterapia ou cirurgia em

benigna.

combinação com tratamento hormonal são utilizados.

tata, no Brasil, é o segundo

tribui como fator de risco a obesidade. Em oposição, dietas ricas em vegetais,

mais comum entre os homens (ficando atrás ape-

vitaminas D e E, licopeno e Ômega-3 aparecem como

nas do câncer de pele nãomelanoma). No Amazonas,

fatores protetores. A Sociedade

esse tipo de câncer teve, em 2012, aproximadamente 510 novos casos, sendo 340

leira de Urologia recomenda que, a partir dos 45 anos, todo homem deve realizar

na capital Manaus, segundo

o rastreamento

estimativas

moveu' em novembro uma campanha de conscientizacomo

O valor de PSA considerado normal atualmente é $ 2,5 nglml, embora devamos levar em consideração a idade do paciente e o vo-

Para doença metastática (o sítio preferencial são ossos da bacia, fêmur, coluna e etc.) o tratamento de elei-

após

ção é a hormonioterapia el ou quimioterapia. A escolha do tratamento mais adequa-

anual para

achados de nódulo endurecido no exame clínico (to-

do deve ser individualizada e definida após discutir os

cional de Câncer. Com o crescimento

detecção precoce do câncer de próstata. Aqueles que têm antecedentes familiares

que retal), combinados com o resultado da dosagem do antígeno prostático especí-

tratamento com o seu médico, lembrando sempre

da expectativa

de câncer de próstata

de-

fico (PSA) no sangue, é in-

que atualmente

dial, é esperado que o número de casos novos aumente

vem iniciar aos 40 anos. Importante ressaltar

dicada a realização de uma ultrassonografia transretal

enorme variedade de opções terapêuticas em qual-

cerca de 60% até o ano de 2015. Parte desse aumento

que a ultrassonografia da próstata por via abdominal

de próstata com biópsia, de preferência sob anestesia. A

quer estágio da doença, e seguramente o paciente

pode ser reflexo das práticas de rastreamento por meio

não permite avaliar a presença de neoplasia, e portanto,

certeza do diagnóstico ocorre após o estudo histopato-

pode ser beneficiado

do Instituto

Na-

de vida mun-

Brasi-

Giuseppe Figliuolo - Urologista e presidente da Sociedade

lume da próstata. O diagnóstico é feito da seguinte

maneira:

riscos

e os benefícios

do

existe uma

com a

escolha certa.

Brasileira de Urologia - AM

NOVEMBRO

AZUL


Agenda 2014 Cursos, cóngressos e simpósios que vão acontecer no Brasil e no exterior I

Fevereiro Evento: 5° Joint Meeting Brasil-Alemanha

de Neurocirurgia

Os mais renomados especialistas do Brasil e da Alemanha estarão reunidos nos dias 21 e 22 de fevereiro, em São Paulo, ----para debater os mais diversos temas e compartilhar experiências com todos os participantes. Data: De 21 a 22 de fevereiro Cidade: São Paulo - SP Informações: http://www.sbn.com.br

Março Eventos: 111 Curso de Ventilação Mecânica em Pediatria e 111 Jornada de Fisioterapia Respiratória em Pediatria O 111 Curso de Ventilação Mecânica em Pediatria e a Jornada de Fisioterapia Respiratória em pediatria, do Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa são voltados para profissionais que queiram rever sua prática profissional, adquirir e gerar conhecimento, além de inovações relevantes e aplicáveis em saúde. Serão abordados temas relevantes com renomados especialistas atuantes e envolvidos com os assuntos tratados. Nossas atividades tem como objetivo desenvolver profissionais de excelência para a transformação para o desenvolvimento da saúde de forma sustentável. Data: 21 de março

da saúde, contribuindo

Cidade: São Paulo - SP Informações: www.hospitalsiriolibanes.org.brensino

Abril Evento: 2° Congresso Clínico Asiático (Asian Clinicai Congress - ACC2) O 2° Congresso Clínico Asiático (Asian Clinicai Congress - ACC2) irá ocorrer na tradicional cidade de Kyoto, Japão, entre 3 e 5 de abril de 2014, e será presidido pelo professor Dr. Koji Abe. O ACC2 é baseado no primeiro congresso de Bangkok, Tailândia, em 2013, presidido pelo professor Dr. Wonchat Subhachaturas. Data: De 3 a 5 de abril Cidade: Kyoto - Japão Informações: http://www.jccmed.com/2014acc. Evento: XI Congresso Norte e Nordeste de Urologia A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) está com inscrições abertas para este evento, que será realizado no Resort Iberostar da Bahia. Os principais temas do evento são: Saúde do homem, DElDAEM, DST, transplante renal, urologia oncológica, urologia ginecológica, urologia pediátrica, urolitíase e tutoriais. Data: De 17 a 20 de abril Praia do Forte - Bahia Informações: uronortenordeste2014.com.br

Jornal CREMAM Jan/2014