Page 1

Publicação do Conselho Regional g de Corretores de Imóveis do Estado de Goiás

CRECI-GO CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS 5ª REGIÃO / GO

EDIÇÃO 8 - GOIÂNIA, MAIO DE 2012

Redução do ISTI Prefeitura veta redução do imposto. Projeto poderá ser retomado em 2013. Critérios de avaliação Localização, condições do imóvel e infraestrutura. Conheça os itens que compõem um Parecer Técnico. Tudo em casa Consumidores buscam facilidades e qualidade de vida na hora de comprar um imóvel.

Negócios internacionais

Circuito Corretor Global proporcionou contato e conhecimento das práticas de sucesso dos norte-americanos: o MLS e a exclusividade de vendas.

“IMPRESSO - ENVELOPAMENTO AUTORIZADO PODE SER ABERTO PELA ECT”

Empresários e corretores de imóveis revelam os caminhos para atender a nova demanda do mercado imobiliário.

+ que corretor – profissionais mostram seus talentos fora as vendas


hugo@oscarhugo.com.br

OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES - presidente do Creci de Goiás

Palavra do Presidente

ry leu aF leri Va

Exclusividade: essencial nos negócios Os negócios imobiliários nos últimos dez anos, vêem crescendo e exigindo cada vez mais a qualificação dos corretores de imóveis e uma melhor estrutura das imobiliárias. Várias modalidades de associações foram criadas com o intuito de oferecer à sociedade um atendimento melhor, maior celeridade nas negociações e maior segurança para quem vende ou para quem compra. Em países desenvolvidos a exclusividade é uma realidade. Nos EUA, por exemplo, 91% dos negócios são feitos por corretores de imóveis e imobiliárias, e 100% dos imóveis que fazem parte da MLS (Serviço de Listagem Múltipla), têm contrato de exclusividade. É importante salientar que nos EUA a profissão não é regulamentada, nos moldes do Brasil, sendo de livre associação. No Código Civil de 2002, no seu Capítulo XIII, é tratado sobre a corretagem imobiliária, onde deixa bem claro a responsabilidade civil de todos aqueles que fazem a corretagem. No seu artigo 723, ele é bem claro quando diz: “O corretor é obrigado a executar a mediação com diligência e prudência, e a prestar ao cliente, espontaneamente, todas as informações sobre o andamento do negócio.” Parágrafo único: Sob pena de responder por perdas e danos, o corretor prestará ao cliente todos os esclarecimentos acerca da segurança ou do risco do negócio, das alterações de valores e de outros fatores que possam influir nos resultados da incumbência.”

As imobiliárias e os corretores de imóveis, passaram a responder por perdas e danos, ficando responsáveis por toda a segurança na negociação. Para que um profissional possa se inteirar de todos os fatores de risco, ele precisará tirar toda a documentação necessária para somente assim colocar o imóvel a venda. E para que isso seja possível, ele terá que ter a exclusividade no seu contrato de autorização de venda, assinado pelo proprietário. Isso não acontecendo, ele não poderá dar a necessária segurança ao comprador, não terá responsabilidade total junto ao proprietário, ficando sujeito a um processo judicial de indenização por perdas e danos, caso ocorra algum problema de ordem legal. Nas negociações, quando existir o contrato de exclusividade, terão mais segurança e rapidez: o vendedor, o comprador e o corretor ou a imobiliária. Fala-se que a exclusividade, quando imposta pelo corretor, é abusiva e atenta contra a livre concorrência. Se o proprietário tem o direito e a liberdade de escolher a imobiliária ou o corretor, e estipula o prazo de validade da autorização, onde está o caráter de abusivo e da livre concorrência? Não havendo exclusividade, seria o mesmo que contratar dois ou mais motoristas para dirigir, ao mesmo tempo, um veículo. Qual seria o resultado? Um desastre de proporções incalculáveis. Aqueles que falam mal da exclusividade nos negócios imobiliários, deveriam se inteirar da complexidade de uma venda, do perigo de documentos falsos, do risco que corre o comprador quando mal orientado. Fica aí o alerta, para os bons profissionais: não trabalhem sem o contrato de exclusividade, pois o seu patrimônio pessoal estará em risco.

3


EXPEDIENTE Em contato com o setor de comunicação do Creci-GO : imprensa@crecigo.org.br

CRECI-GO CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS 5ª REGIÃO / GO

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 5ª Região-GO é uma autarquia federal de disciplina e fiscalização da profissão de corretor de imóveis. Regulamentada pela Lei Federal 6.530/1978 Endereço: Rua 56 Nº 390, Palácio dos colibris, goiânia-GO CEP: 74810-240 - Fone/ fax: 62 3236-7350 - Homepage: www.crecigo.gov.br, E-mail: crecigo@crecigo.org.br Diretoria: Oscar Hugo Monteiro Guimarães, Rafael Nascimento Aguirre, Maria Aparecida Moreira, Juscemar Antônio de Oliveira, Jair Reis de Melo, Walter São Felipe. Conselheiros: Adão Luiz de Andrade, Antônio Alves de Carvalho, Antônio Rosa de Mesquita, Antônio Spinetti Alves, Celso Monteiro Barbugiani, Eduardo Coelho Seixo de Brito, Elmo Monteiro Clement Aguirre, Geraldo Dias Filho, Geraldo Pereira Braga Jackson Jean Silva, Jair Reis de Melo, João Benicio Gomes, João Pedro Vieira, José Machado Resende, Juscemar Antônio de Oliveira, Leandro Daher da Costa, Luiz Roberto de Carvalho, Marcio Antonio Ferreira Belo, Maria Aparecida Moreira, Maria Francisca Alves Carvalho, Omar Ataídes de Castro, Oscar Hugo Monteiro Guimarães, Rafael Nascimento Aguirre, Ricardo Alves Vieira, Sérgio Teodoro da Cruz, Walter São Felipe e Wildes Marcos Faustino. Suplentes: Ademir Silva, Ana Mônica Barbosa da Cunha, André Luis Nogueira do Carmo, André Luiz França de Melo, Carlos César Lemos do Prado, César Feliciano de Oliveira, Claudio Gonçalves de Araújo, Domingos Alves de Castro Filho, Evaldo Euler Duarte de Almeida, Francisco Carlos Lobo, Francisco Ludovico Martins, Helder José Ferreira Paiva, João Soares da Silva, José Humberto Martins Vieira Carvalho, José Severino de Lima, José Virgílio Ferreira Filho, Luis Clemente Barbosa, Marcelo Alves Simon, Marco Antonio de Oliveira, Murilo Sousa de Andrade, Pedro Antônio Cotecheski Bobroff, Rodrigo Paullus Barreto Machado, Ronaldo Odorico Veiga Saul Pereira da Costa, Valgmar Domingos Tavares, Valoni Adriano Procópio e Veronde Antônio de Oliveira.

A Revista Painel é uma publicação do CRECI-GO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO: Thaysa Mazzarelo ANA PAULA VITORINO Diagramação: Neide Ataíde - GO-2690 JD REVISÃO ORTOGRÁFICA: DOUGLAS RODARTE Revisão jurídica: Eduardo Felipe Silva - OAB 25566 Tiragem: 13.000 exemplares Fotolito e impressão: FLEX GRÁFICA

w w w. c r e c i g o . g o v. b r

4

Sumário Entrevista

6

O que acontece por aí

8

Intercâmbio de experiências – Teresa King Kinney

De olho na lei

10

Artigo

12

Parceiros

14

Enquete

16

Especial

18

Mercado

24

Guia do Corretor Nota 10

30

Direto do Creci

34

Prefeito veta sanção do ISTI Cresce número de livros sobre direito imobiliário Pesquisa de processos e bens

O modelo jurídico dos novos negócios imobiliários – Maurício Alves de Lima

Corretor Global em Goiânia Redes sociais para o mercado imobiliário Os segredos do sucesso do corretor norte-americano Conquistando fãs nas mídias sociais De portas abertas para os negócios internacionais Critérios de Avaliação Mercadológica Em busca da qualidade de vida

+ que corretor 36 Contando nossa história 38 Quando tudo começa com uma boa amizade

Serviços

Cotas de adesão são reduzidas para o mercado imobiliário

40

Cultura & Lazer 42 Legislação para o corretor de imóveis 43 Social

44

Creci na mídia

45

Para refletir

46


5


de Corretores de Imóveis de Miami

Teresa King Kinney – presidente da Associação

entrevista especial

Intercâmbio

de experiências

“É muito importante que os membros de todos os mercados possam se comunicar e fazer negócios entre si, para que possaM entender o que se passa entre eles”, disse Teresa King Kinney em visita a Goiânia. A presidente falou sobre as características do mercado imobiliário da Flórida, a importância da abertura para a realização de negócios internacionais, e o Brasil, que hoje, se configura como um dos maiores mercados compradoREs na cidade. Thaysa Mazzarelo Ela é presidente da Associação de Corretores de Imóveis de Miami, considerada uma das maiores instituições locais do setor nos Estados Unidos, e que hoje já congrega cerca de 26 mil corretores de imóveis. Formada por três instituições: a Residential Association, a Realtors Commercial Alliance e a Broward County Board of Governors - a Associação já recebeu diversos prêmios e é reconhecida por suas ações educativas, de liderança e cívicas em prol da categoria. Qual o objetivo da Associação e o que ela oferece aos seus membros? Nosso trabalho é ajudar os associados a ganhar mais dinheiro. Para tanto, operamos no sistema de listas exclusivas (MLS) e temos 80 serviços diferentes que

6

oferecemos para nossos membros. Também oferecemos mil seminários por ano, atingindo assim cerca de 20 000 profissionais. É importante promovermos a educação em relação ao mercado, às leis, às regras, mas também em relação a como usar as ferramentas disponíveis em benefício ao mercado. Quais são os pré-requisitos para se tornar corretor de imóveis em Miami? Para atuar no mercado imobiliário de Miami, você

precisa obter uma licença de corretor de imóveis da Flórida e para isto, primeiramente você precisa ser licenciado como vendedor. É necessário que se tenha por dois anos este registro como vendedor para depois poder voltar, estudar e aí fazer um teste para obter uma licença para corretor imobiliário. Depois de licenciado, é recomendável ir trabalhar em uma companhia ou empresa já para aprender mais sobre os negócios, as regras e as regulações do mercado.

“O Brasil é o nosso segundo maior mercado em Miami, sendo que somos a cidade mais internacionalizada nos Estados Unidos.”


Divulgação

E depois, quais os procedimentos para tirar a licença como corretor de imóveis? Primeiro, você deve participar de um curso de Ciências Imobiliárias, que pode ser feito através de aulas presenciais ou assistidas online. Elas são disponíveis em inglês e espanhol, e possuem ao seu final, um teste. Ao ser aprovado nele, você precisa fazer um outro teste oferecido pelo governo em uma das cidades da Flórida. Uma vez feito e aprovado nele, então você adquire sua licença. Existe um requerimento para que seja feita uma “pós-licença” que deve ser realizada no prazo de dois anos, e de dois em dois anos há um adicional de 14 horas de aulas que devem ser feitas pelos membros. Somente cidadãos americanos podem se tornar corretores de imóveis na Flórida? Não é necessária a cidadania americana para isso, então se um brasileiro quiser adquirir uma licença e trabalhar em uma de nossas companhias, ele pode passar por esse processo e ir trabalhar com uma empresa. Os EUA passaram há alguns anos por crises financeiras e imobiliárias, como tem sido esta recu-

peração da economia? Não tão rápido quanto gostaríamos. O pico da crise financeira foi em 2005, e do mercado imobiliário em agosto de 2008, “o fundo do poço”. E somente em dois anos, nós levamos o mercado a um novo recorde em vendas. O maior número de vendas de toda a história do mercado imobiliário de Miami aconteceu em 2011, e a razão disto foram as listas exclusivas (o MLS), e os compradores internacionais e brasileiros. Falando no Brasil, como o mercado imobiliário brasileiro é visto nos EUA? O Brasil é muito importante não só para os EUA como para todo o mundo. Eu tenho 3 mil companhias em Miami e 26 mil membros que adoram fazer par-

ceria com corretores de outros países. O Brasil é o nosso segundo maior mercado em Miami, sendo que somos a cidade mais internacionalizada nos Estados Unidos. Há mais compradores estrangeiros em Miami do que em qualquer outra cidade, 60% de todos os compradores neste momento são estrangeiros. E em novas construções, esse número aumenta para 90%, e o Brasil é o numero dois neste mercado. E os corretores de imóveis brasileiros, como eles são vistos pelos americanos? Bom, os corretores de imóveis brasileiros são maravilhosos e nós realmente gostamos de trabalhar com eles. Eu tenho trabalhado com imobiliárias e associações brasilei-

ras há 18 anos, então temos uma relação próxima de trabalho. É muito importante para nós termos este contato e vocês têm excelentes instituições que oferecem serviços e educação para corretores, como o Cofeci e o Creci. O que pode ser considerado essencial para o profissional realizar negócios internacionais? É muito importante que os membros de todos os mercados possam se comunicar e fazer negócios entre si, para que seja possível entender o que se passa entre eles. Isso dá a oportunidade de fazerem um mercado local mais forte e com muito boas e importantes conexões externas - internacionais. (Tradução: Mariana Cunha)

7


comunicacao@crecigo.org.br

Thaysa Mazzarelo - assessora de comunicação

O que acontece por aí

QUAIS OS CAMINHOS ENCONTRADOS POR GRANDES E PEQUENAS EMPRESAS PARA VENDER SEMPRE MAIS E MELHOR? “O QUE ACONTECE POR AÍ” REÚNE AÇÕES DE MARKETING E COMUNICAÇÃO REALIZaDAS POR CONSTRUTORAS E IMOBILIÁRIAS MUNDO AFORA. CONHEÇA ALGUMAS PRÁTICAS DAS EMPRESAS GOIANAS:

›› Realizaram ações inovadoras

Assessoria de imprensa

Nas alturas Já pensou em jantar a mais de 50 metros de altura? Esta é a proposta do Dinner in The Sky iniciativa criada na Bélgica e que já visitou mais de 40 países. A ação foi trazida em Goiânia pela Toctao Rossi para divulgar o empreendimento Flamboyant 56. Cerca de 1.144 seletos convidados apreciaram a gastronomia de chefs renomados da cidade, como Tatiana Mendes, Humberto Marra e Emiliana Azambuja, literalmente nas alturas.

Investiram em campanhas de vendas Vôo de vendas

Corrida pelo 1°lugar

Thaysa Mazzarelo é assessora de comunicação do Creci-GO. Envie sua sugestão de matéria para comunicacao@crecigo.org.br

8

Para motivar os corretores de imóveis, a Pólo Imóveis lançou no início deste ano a Pólo Position 2012. A campanha interna tem como objetivo ranquear, trimestralmente, os profissionais de acordo com seus números de venda para que no fim do ano se chegue aos grandes vencedores. Os corretores de imóveis mais bem classificados receberão percentuais a mais de comissão que variam de acordo com a sua classificação. As categorias são: bronze, prata, ouro, diamante e double diamond. Quem estiver em segundo no pódium leva um lote e o primeiro lugar, além do champanhe, ganhará uma casa no loteamento São Bernardo.

Divulgação

Assessoria de imprensa

Estratégia, meta e resultados. Os pontos chave de qualquer operação militar podem também ser utilizadas em campanhas de vendas. Foi com este espírito que a URBS-RT instituiu a Campanha Voo de Vendas. A primeira etapa, denominada de Operação Falcon já foi colocada em prática e os profissionais campeões de vendas foram premiados com visita a Base Aérea de Anápolis. Lá conheceram a história da Base, a rotina de treinamentos dos militares, e a melhor parte: os aviões caça da instituição. Agora, eles partem para a segunda etapa da campanha de endomarketing, a Operação Apache.


Divulgação

Mamães grávidas

›› Promoveram promoções

Assessoria de imprensa

Para comemorar o Dia das Mães, a CMO construtora lançou a ação Mamães CMO. Promotoras caracterizadas de grávidas percorreram diversos pontos da cidade parabenizando as mães pelo seu dia e convidando as gestantes para fazer o Teste da Mamãe realizado pela APAE Goiânia na manhã anterior a data comemortiva. Quem tirasse uma foto com as promotoras e compartilhasse no Facebook da construtora concorria a dois vouchers, no valor de R$ 300,00 cada, para comprar calçados e assessórios na Santa Lolla.

Páscoa solidária A Rizzo Imobiliária quis dar mais que ovos de chocolate para as crianças nesta páscoa. Para isto realizou ação social no Facebook que consistia na doação de 12 litros de leite e dois quilos de achocolatado para cada 20 curtidas no post A Fantástica Fábrica de SorRizzos. O resultado: 352 curtidas que se reverteram em 216 litros de leite 36 quilos de achocolatados em pó doados as crianças da Casa do Caminho.

A cooperativa dos Corretores Uma cooperativa de crédito que oferece serviços e produtos bancários voltados, especialmente, para corretores. Proporcionando uma melhor organização financeira e crescimento patrimonial a todos os cooperados. - Melhores taxas de juros; - Tarifas mais baixas; - Seguros condominiais, de imóveis e veículos (risco contra terceiros); - Custos de boletos e doc's mais baratos; - Maior rentabilidade nas aplicações; - Menor tarifa de manutenção de conta; - Atendimento ágil e personalizado.

9


de olho na lei

Ana Paula Vitorino

10

Depois de prometer ao mercado imobiliário que reduziria a alíquota do Imposto de Transmissão de Imóveis (ISTI), o Prefeito Paulo Garcia recuou do compromisso alegando impedimento legal. Na justificativa, a procuradoria da Prefeitura citou a Lei nº 9.504, de 1997, que proíbe a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios, por parte da administração pública, no ano que se realizar eleições. A decisão pegou de surpresa os vereadores que ameaçaram derrubar o veto mas perceberam que o impedimento legal poderia ir além do Paço Municipal. O vereador Anselmo Pereira disse que a Casa está fazendo uma consulta ao Supremo Tribunal Eleitoral (TSE) para tentar reverter a situação, mas se o impedimento atingir também os vereadores é possível que o projeto só retome a discussão no próximo ano. Segundo o vereador Anselmo Pereira, como Goiânia possui a maior alíquota do ISTI do Brasil, a redução do imposto é a principal reivindicação do mercado imobiliário junto ao Poder Executivo. A luta começou no ano passado. Em setembro, a Câmara Municipal aprovou o Projeto de Lei que reduzia a alíquota de 3,5% para 2%. Mas o desconto aprovado, que significou a redução real de 43%, era de caráter experimental e teve validade até 31 de dezembro de 2011. Com isso, desde o início deste ano as lideranças do mercado imobiliário em conjunto com os vereadores

de Goiânia solicitaram a manutenção do benefício. No dia 22 de março, a Câmara aprovou o projeto de redução do imposto, mas havia a necessidade de sanção por parte do Prefeito. Esta sanção era tida como certa, em virtude de promessa feita pelo próprio Paulo Garcia às lideranças do setor, durante encontro no Paço Municipal, no dia 24 de janeiro. No entanto, as expectativas foram frustradas e o Prefeito teve que voltar atrás em sua palavra. Segundo o vereador Anselmo Pereira, não houve demora da parte do Prefeito para sancionar a Lei. “Existe um prazo a ser cumprido e no momento da assinatura já estava fora prazo permitido pela legislação eleitoral”. Atualmente, a taxa de transferência de um imóvel de R$ 150 mil, por exemplo, é de R$ 5,2 mil. Já com a alíquota de 2%, o valor do imposto de transferência do mesmo imóvel passaria para R$ 3 mil, uma economia de R$ 2 mil para

uma população que sofre com um dos maiores deficit habitacionais do País. A redução permanente do ISTI ajudaria a fomentar o segmento imobiliário além de contribuir para a receita municipal. Atualmente, devido aos altos valores, os registros não são feitos, gerando os chamados “contratos de gaveta”, acordo de alto risco entre as partes, sobretudo para o comprador, que se arrisca, inclusive, a perder o bem. Estima-se que, pelo menos 70 mil imóveis na capital estejam nesta situação. “Projeto, agora, irá prever redução definitiva” Entre as lideranças do setor imobiliário já se dá como certo o adiamento das discussões sobre o ISTI para o início do próximo ano legislativo. “Assim que terminar o período proibitivo eleitoral nós vamos pedir ao Executivo a reedição da matéria da forma como

Divulgação

Prefeito veta redução do ISTI


está”, disse o vereador Anselmo Pereira, adiantando ainda que desta vez o projeto irá prever a redução definitiva. “Nós vamos continuar com a cobrança permanente pela redução deste imposto que é o mais alto do País”, disse. “Embora o momento seja de impedimento legal, já temos o compromisso do Prefeito e o apoio dos vereadores, o que nos faz acreditar que a redução do ISTI, em Goiânia, é apenas uma questão de tempo”, disse o presidente do Creci de Goiás, Oscar Hugo Monteiro Guimarães. Segundo o vereador Anselmo Pereira, o período de vigência do imposto de forma reduzida não foi suficiente para que pudesse ser feita uma análise dos efeitos da medida. “O período de três meses foi muito curto para que se detectasse um avanço extraordinário no número de transferências de imóveis até porque o tempo foi pouco até para se fazer a divulgação”, conta o vereador, analisando ainda que a própria prefeitura não se aparelhou tecnicamente para receber os pedidos das pessoas que queriam se beneficiar. Representante do setor imobiliário Contudo, continua a

luta do setor imobiliário pela redução do ISTI. E nesta, assim como em lutas anteriores, o vereador Anselmo Pereira sempre foi e será um aliado do segmento imobiliário. Relator da Comissão de Constituição e Justiça, na época da aprovação do Plano Diretor e do Código de Obras de Goiânia, e atual membro do Conselho de Política Urbana e da Comissão Permanente de atualização do Plano Diretor da Capital, o vereador atua em parceria com o mercado imobiliário desde a década de 80, quando começou a articulação para criação da Lei 7.222/93, que estabelece condições especiais para aprovação de parcelamento do solo nas áreas urbanas e de expansão urbana do Município de Goiânia, caracterizados como Parcelamento Prioritário. Nessa época, segundo o vereador, haviam mais de 150 loteamentos irregulares e clandestinos no município. Responsável pela inclusão do dia 27 de agosto, dia oficial do corretor de imóveis, no calendário cívico e cultural da cidade de Goiânia e pela criação do dia do Creci de Goiás, o vereador Anselmo Pereira se consagrou como um dos representantes dos corretores de imóveis junto ao Poder Público, em Goiás.

Cresce número de títulos com foco em direito imobiliário Nunca se construiu e vendeu tantos imóveis no Brasil. Pesquisa publicada pela Associação de Investidores Estrangeiros no Setor Imobiliário apontou que, em 2012, o Brasil será um dos lugares mais atraentes para investidores estrangeiros, superando a China e toda a Europa. Com isso, cada vez mais, os profissionais do Direito, de diferentes áreas de atuação, são chamados a respaldar negócios e iniciativas e intervir na tentativa de solucionar uma gama quase infindável de litígios. Seguindo esta tendência, o mercado editorial jurídico, com foco nos assuntos imobiliários, também está aquecido. Nas livrarias é possível encontrar uma grande quantidade de livros que abordam desde os chamados vícios de construção, passando por questões que envolvem compra, venda, financiamento e crédito, registro e averbações, inventários e partilhas, tributação, condomínios até a própria atividade voltada à administração de bens imóveis. Em Goiânia foi lançado em março, O Perfil Atual da Propriedade Imobiliária, do advogado Maurício Alves de Lima. No entanto, um dos títulos mais conhecidos da área é Direito Imobiliário, de Luiz Antonio Scavone Júnior, que já está em sua 4ª edição. Entre os mais voltados para atuação do corretor de imóveis está Compra de Imóveis, de Bruno Mattos e Silva, em que o autor descreve o passo a passo para a aquisição da casa própria e enfatiza os cuidados necessários para que sejam reduzidos os riscos jurídicos inerentes ao negócio. Em Direito Registral Imobiliário, do desembargador Venício de Paula Salles, é mais voltado para especialistas. Mais um título é Guia Prático do Corretor de Imóveis, de Sylvio Lindenberg Filho.Outro livro, Curso de Direito Imobiliário, do advogado e professor Hércules Aghiarian, se destaca por apresentar farta coletânea das decisões adotadas por diversos tribunais, especialmente pelo STF e pelo STJ. Em sua 11ª edição, o livro é voltado basicamente para advogados e outros profissionais do direito e tem sido utilizado nos cursos de graduação e pós-graduação de várias instituições de ensino.

Pesquisa de processos e bens No dia 13 de abril, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Supremo Tribunal (STF), lançaram a etapa inicial da Central Nacional de Informações Processuais e Extraprocessuais (CNIPE), um sistema que reunirá dados de todos os tribunais, varas e cartórios judiciais e extrajudiciais do país. O objetivo é permitir que qualquer pessoa tenha acesso, em um único endereço na internet, a

informações sobre andamento processual, dados estatísticos de funcionamento do Judiciário, assim como pesquisa de registros imobiliários, indisponibilidade de bens, protestos cambiais, divórcios, etc. Nessa primeira etapa já estão disponíveis informações sobre pessoas que tiveram seus bens bloqueados pela Justiça, assim como dados de parte dos cartórios de registro de imóveis de São Paulo, Rio de Janeiro,

Santa Catarina, Pará e Mato Grosso. No entanto, como o sistema ainda está em fase de desenvolvimento e a adesão dos tribunais e cartórios é voluntária, em Goiás, o Tribunal de Justiça informou que não tem data definida para começar a integrar o sistema. No futuro, o cidadão poderá saber, por exemplo, se determinada pessoa ou empresa está sendo processada, com pendências na Justiça, se responde a processo criminal

ou está com os bens indisponíveis em qualquer parte do país. Será possível, por meio da central, pesquisar movimento processual das comarcas e avaliar a necessidade de criação de novas varas judiciais, ampliação de tribunais e até mesmo a contratação de mais servidores. Para mais informações faça uma visita à página através do endereço: www.cnj.jus.br/cnipe

11


mauricio@skafelima.com.br

Maurício Alves de Lima - mestre em direito

Artigo Raquel Pinho

Maurício Alves de Lima é mestre em Direito pela PUC/SP, advogado e autor do livro Perfil Atual da Propriedade Imobiliária, sócio da Skaf e Lima Advogados. Tel.: (62) 3213.7098

12

O modelo jurídico dos novos negócios imobiliários Hoje, com a expansão imobiliária avançando de forma muito rápida, têm se tornado mais comum propostas, por parte de construtoras e incorporadoras, a proprietários de chácaras, lotes e casas para que vendam seus espaços para a construção de grandes empreendimentos. Um dos fatores que certamente tornará mais rotineiro estes negócios é a função social da propriedade, um conceito trazido pela Constituição Federal que agora começa a ser implementado. Nossa carta magna abortou o direito absoluto do proprietário sobre seu imóvel, temperando-o com a socialidade. Assim, ficou assegurada a liberdade de uso, gozo, dispor e reaver a propriedade, caso alguém a possua injustamente, mas também o dever jurídico de dar uma utilidade a ela. Em razão disso, a venda de espaços urbanos para construir será uma das maneiras de dar utilidade ao seu imóvel e não incorrer nas sanções previstas na legislação. Em Goiânia, proprietários de quase 3,5 mil lotes vagos em 26 bairros foram notificados a construir alguma edificação em seu terreno, sob pena de incorrer no imposto progressivo (IPTU/ITU) que poderá ter a sua alíquota elevada ao percentual de até 15% sobre o valor do imóvel. Ao final de cinco anos, se o imóvel não estiver edificado ou com alguma utilização, o proprietário poderá ser desapropriado, sendo a indenização paga com títulos da dívida pública. A medida está amparada pelo Estatuto da Cidade, pelo Plano Diretor da cidade e pela lei municipal complementar nº 181/2008. Para quem tem uma área valorizada dentro da cidade, é hora

de pegar a calculadora e buscar uma boa saída no mercado imobiliário sem incorrer na pena de deixá-la sem cuidados e perdê-la definitivamente, seja alienando sua área para empreendedores, seja realizando parcerias com incorporadores. Hoje, existem bons instrumentos jurídicos para a celebração de parcerias entre empresas incorporadoras e donos de áreas. Entre eles, temos a sociedade de propósito específico - SPE, sob a modalidade de sociedade limitada ou anônima, ou a sociedade em conta de participação - SCP. Esta modalidade de parceria permite que o proprietário participe, como sócio, diretamente do empreendimento a ser realizado em seu terreno. Outra modalidade de parceria é o consórcio imobiliário, formado por incorporadores ou construtores, na forma da Lei das Sociedades Anônimas, visando realizar determinado empreendimento imobiliário.Há incorporadores que asseguram

que no consórcio imobiliário se tem uma maior economia tributária na realização do empreendimento imobiliário, desde que observados alguns pressupostos na sua formação. Outro cuidado diz respeito às garantias a serem obtidas, caso seja possível a sua obtenção no negócio jurídico a ser realizado. Além das garantias reais previstas no Código Civil, os proprietários, sejam pessoas físicas ou jurídicas, envolvidos nestas negociações podem obter como garantia a “cessão fiduciária de direitos creditórios”, devidamente registrada em cartório de títulos e documentos, visto que, os créditos que estejam garantidos dessa forma, não se sujeitam à falência ou recuperação judicial, conforme estabelece a Lei 11.101/2005. O que vale é fazer um bom negócio e não deixar para depois a oportunidade que se tem hoje. Atenção: caneta a mão e faça boas escolhas!


13


PARCEIROS Confira ABAIXO o que foi e é notícia nas demais entidades que atuam no setor imobiliário GOIANO Divulgação

Secovi-GO Feirão do Imóvel

O último Feirão do Imóvel Secovi Goiás e 8º Feirão da Casa Própria Caixa ocupou um ponto estratégico e de fácil acesso: a Avenida Rio Verde, em frente ao Buriti Shopping. Cerca de 50 empresas do segmento participaram, ofertando mais de 5.000 imóveis para todos os bolsos e gostos como lotes, casas populares, apartamentos, chácaras, lotes e casas em condomínios horizontais. “Conseguimos gerar mais oportunidades de acesso a moradia para os goianos, principalmente agora com a redução das taxas de juros para os financiamentos habitacionais”, comemora Marise Fernandes de Araújo, superintendente regional da Caixa em Goiás. Mais de 30 mil pessoas visitaram a feira. “Mais uma vez, o Secovi Goiás e a Caixa cumpriram o papel socioeconômico de oferecer à população variadas e acessíveis opções de aquisição da casa própria”, disse Marcelo Baiocchi Carneiro, presidente do Secovi Goiás. Veja mais sobre os resultados do evento em www.secovitv.com.br .

Sindimóveis Inauguração da nova sede Dia 25 de junho, o Sindicato dos Corretores de Imóveis no Estado de Goiás completa 65 anos, e a diretoria escolheu essa data comemorativa para inaugurar a nova sede. Entre as proposituras do atual diretor, Antônio Rosa de Mesquita, estava a aquisição de uma sede digna para o corretor de imóveis sindicalizado e no dia 30 maio de 2011 foi concretizado este sonho com a compra do imóvel de 500 m2, localizado no 5º andar do Edifício Palácio do Comércio, salas 501 a 510. “Venho agradecer, de coração, aos nossos associados por mais esta conquista, lembrando que sem a participação e a confiança de todos, não poderíamos concretizar esse sonho”, disse Mesquita. A nova sede conta com auditório para realização de cursos, através da universidade corporativa do Sindimóveis, sala do corretor de imóveis, equipamentos de informática, fax, telefone, internet, departamento jurídico e departamento de convênios.

SINDUSCON-GO Campanha de Valorização do Trabalhador da Indústria da Construção O Sinduscon-GO e a Ademi-GO promoveram no dia 03 de maio o lançamento oficial da campanha publicitária pela valorização da mão de obra na indústria da construção em Goiás. Tendo como slogan “Construção Civil: Aqui tem trabalho, aqui tem futuro”, a campanha foi veiculada nos principais meios de comunicação de Goiânia a partir do dia 14 do maio. O objetivo é evidenciar a importância do trabalho na indústria da construção e valorizar o colaborador. Com a iniciativa, as entidades pretendem reter talentos nas empresas construtoras, além de atrair novos trabalhadores. Para captar o retorno da campanha para o setor, também foi instalado um call center para atendimento ao público. O serviço funciona na sede do Sinduscon, de segunda à sexta, das 8h00 as 18h00, pelo número 0800-604-5199.

ADEMI Inovação e muita produção no setor da construção Tem-se de um lado o mercado de luxo, potencializado empreendimentos ousados e de outro, o imóvel compacto, mas emoldurado por requintes de definição arquitetônica e acabamento. Tudo isso para dar cada vez mais conforto às famílias. Este é o cenário atual do mercado imobiliário goianiense, na definição da Ademi. A entidade acompanha de perto essa evolução, com o olho na qualidade e nos compromissos de pontualidade na entrega. Tanto quanto ver bem de perto o andamento dos projetos dos seus quase 60 associados, a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás, na gestão do empresário Ilézio Inácio Ferreira, sistematizou sua atuação, com uma política descentralizadora de decisões, para que a resposta às suas responsabilidades no mercado seja a mais eficiente possível. Hoje, à Diretoria Executiva se une aos integrantes dos conselhos Diretivo, constituído pelos ex-presidentes, e Executivo, integrado por jovens valores do mercado.

14


Enquete

Como fazer a diferença?

Arquivo pessoal

Corretores premiados e empresários de sucesso ensinam como fazer a diferença e a grande surpresa é que cursos, especializações, trabalho nas mídias sociais, tudo isso ajuda, mas o grande diferencial apontado pela maioria dos entrevistados está ao alcance de qualquer um. confira:

“Claro que a qualificação e o conhecimento são aspectos importantes para que um profissional se destaque no mercado, mas o grande segredo para mim, é algo muito simples mas difícil de se alcançar. O profissional precisa entender profundamente algo que é básico: antes de pensar no próprio interesse, ou seja, no valor da comissão, deve pensar em contemplar a necessidade do cliente. Muita gente acha que isso é o trivial, mas para mim isso é o grande diferencial por que a maioria das pessoas não consegue fazer. Quando o corretor age dessa forma, isso fica tão evidente para o cliente e ele, o corretor, ganha a confiança, mola propulsora de todo negócio.” Ricardo Vieira, diretor da Provenda

“O mercado imobiliário está cada vez mais profissionalizado e o nível de excelência no atendimento ainda maior. O corretor de imóvel contemporâneo necessita estar atualizado no seu aspecto intelectual e antenado com as mudanças comportamentais e econômicas da nossa sociedade. Fazer cursos, participar de reuniões de classe, se aperfeiçoar sempre, é sem dúvida, uma forma de estar se atualizando. Assimilar técnicas de negociação de atendimento, direito e economia, bem como estar bem informado com notícias gerais e locais é uma boa maneira de adquirir conteúdo. Fazer das redes sociais digitais um local de prospecção e divulgação de suas idéias tambem é um bom caminho, bem como se conectar e se atualizar com aqueles que atuam nela. Paticar no dia a dia tudo que assimilamos teoricamente. O mercado imobiliário é um terreno fértil para profissionais entusiasmados que buscam com ética, levar a seus clientes oportunidades de negócio e realizações pessoais.” Dino Cademartori, diretor comercial da Única Negócios Imobiliários

16


Ana Paula Vitorino

“Para alcançar excelência em seus resultados, o corretor de imóveis deve atentar-se à seis competências básicas: persistência, persuasão, empatia, competência técnica, relacionamento e comunicação. As principais ferramentas de trabalho são relacionamento e comunicação, que devem ser fomentadas pela persistência e persuasão que devem junto ao conhecimento técnico gerar emoção. Estas são competências que unidas constroem uma carreira de sucesso.” João Cláudio, diretor comercial da Polo Imóveis

“Hoje, faltam pessoas que pensem mais no cliente como ser humano, que precisa de atenção especial e respeito. O corretor precisa deixar de pensar no dinheiro em primeiro lugar, e sim, como uma consequência de um trabalho honesto, e focado nas necessidades do cliente. Para se destacar na profissão, o corretor de imóveis não pode esquecer que está atendendo pessoas que têm sonhos e estão realizando, muitas vezes, o maior deles.” Iza Ferreira, diretora da Atrês Imóveis

Renato Lozi Leite, corretor de imóveis da Adão Imóveis

“Acredito que o principal é buscar conhecimento e qualificação. Fiz o curso de TTI, mas o meu objetivo agora é cursar Direito Imobiliário. Com as mudanças no Código Civil e a difusão das leis do código do consumidor, o cliente está cada dia mais exigente. Com isso o profissional não precisa ser apenas capacitado, mas precisa agregar outras habilidades no currículo. Para mim, o corretor tem que criar valor e não apenas vender o produto. Temos que atrair o cliente pela qualidade do produto e também pela capacitação do profissional.”

Ana Paula Vitorino

“Para se destacar no mercado, o corretor de imóveis não pode ficar estagnado, tem que procurar alternativas, como por exemplo, a chamada P.A.P. que significa Venda Porta a Porta e oferta por telefone. Além disso, o corretor deve estar preparado, e no plantão, dar um show de conhecimentos e vendas”, afirma Renato Lozi, o melhor gerente de equipe no mês de fevereiro.

Ana Paula V/itorino

Carlos Barberino de Araújo, corretor de imóveis

“Acredito que em qualquer ramo o principal para pessoa se destacar no mercado de trabalho é antes de tudo buscar o conhecimento. Na nossa área acredito ser muito importante o estudo da legislação ligada ao mercado imobiliário. Mas além disso, acredito que o corretor de imóveis deve ter perseverança e força de vontade, já que precisamos trabalhar até nos fins de semana. E ainda acredito que para se destacar no mercado atual o profissional deve, principalmente, respeitar o cliente, e agir com ética e sinceridade.” Jorge Luis Arruda Peçanha, corretor de imóveis Com Reportagem de Ana Paula Vitorino

17


ESPECIAL

Corretor Global em Goiânia Circuito de palestras trouxe personalidades do mercado imobiliário nacional e internacional à capital para discutir sobre negócios Thaysa Mazzarelo Promovido pela rede social Redimob desde o ano passado, o Circuito Corretor Global esteve na capital goiana no dia 12 de abril. Cerca de 400 profissionais participaram da iniciativa que trouxe a cidade autoridades do mercado imobiliário internacional como a presidente da Associação dos Corretores de Imóveis de Miami, Teresa King Kinney, e o presidente e CEO da International Real Property, Norm Flynn. Outro palestrante do

evento foi o consultor de mídias sociais da Tecnisa, Israel Degásperi que apresentou casos de sucesso do mercado imobiliário nas redes sociais e deu dicas de como melhorar a presença do segmento no meio digital. Para Oscar Hugo Monteiro Guimarães, presidente do Creci de Goiás, a iniciativa foi importante por possibilitar que os corretores de imóveis goianos tivessem contato com o mercado imobiliário do exterior, podendo assim traçar um comparativo entre a realidade regional e

internacional, tomando como exemplo as melhores ações desempenhadas pelos americanos para colocá-las em prática no Brasil. “Foi uma excelente oportunidade de mostrar para os corretores de imóveis o que acontece no mundo, a necessidade de ter um trabalho com exclusividade, mostrando para o profissional sua responsabilidade, para que o corretor sinta o que está acontecendo em Goiás e consiga fazer uma mudança nos seus procedimentos”, comentou. Ana Paula Vitorino

18


Thaysa Mazarello

A caravana americana foi recepcionada pelos presidentes do Cofeci e Creci de Goiás preparem e desenvolvam as competências necessárias, as qualificações para poder lidar com este mercado internacional que está florescendo”, disse. Ao término do evento, uma participante foi sorteada para concorrer a uma viagem para Orlando-Flórida oferecida pela Redimob. A corretora de imóveis, Maiara de Paula Taveira, concorrerá com os participantes sorteados nas demais edições do evento que estão sendo realizadas em seis capitais brasileiras, à viagem com direito a passe livre para a Conferência e Exposição Anual da National Association of Realtors (NAR). Sobre o Circuito Sendo realizado pela primeira vez em abril do ano passado, o Circuito Corretor Global, já se consolidou como evento de nível nacional capaz de integrar os mercados regionais, nacionais e agora até mesmo os internacionais. Em 2011, o Circuito Ana Paula Vitorino

O presidente do Cofeci, João Teodoro, que também ministrou palestra no evento reforçou esta perspectiva positiva acerca do Corretor Global que para ele ainda desperta no profissional a necessidade de se qualificar, conhecer novas culturas e línguas a fim de possibilitar a realização de negócios internacionais: “Nós, hoje, vivemos em mundo efetivamente globalizado, onde não se pode negar que os negócios não acontecem mais localmente nem regionalmente, nem dentro de um único país, mas sim entre países. E os corretores de imóveis brasileiros devem estar preparados para enfrentar esta nova realidade.” Francisco Pesserl, assessor da presidência do Cofeci para assuntos internacionais, que falou aos participantes do Circuito em Goiânia sobre o Corretor Global e o mercado regional relatou que há certo tempo o Sistema Cofeci-Creci já percebeu este novo mercado – o internacional – que se desponta como oportunidade de negócios para os corretores de imóveis brasileiros. Segundo ele, tem aumentado a vinda de investidores estrangeiros para o Brasil, comprando propriedades, desenvolvendo negócios em outros setores, como o hoteleiro, e também tem aumentado a compra de imóveis no exterior, nos Estados Unidos ou na Europa, por investidores brasileiros. “Este movimento internacional não está sendo intermediado por corretores brasileiros, são os corretores internacionais que estão se beneficiando destas transações. Então, nós entendemos que devemos alertar a nossa comunidade para que se

percorreu as cidades de Rio Janeiro, Brasília, Natal e São Paulo. Neste ano, o primeiro evento realizado antes de Goiânia, ocorreu em Porto Alegre. Nos próximos meses, a rodada de palestras já está programada para Florianópolis, a ser realizada em junho. Leonardo Stuepp Jr., diretor de marketing da Redimob e organizador do evento em Goiânia explica que a intenção do Corretor Global é conectar os corretores de imóveis às oportunidades do mercado global, trazendo informações sobre qualificação e as tecnologias que podem potencializar a atuação do profissional. Segundo ele, cada evento é organizado levando em consideração as características do público a que se destina: “o Circuito acontece em diversas capitais do país e em cada uma a gente busca trazer novos palestrantes para trazer novos conceitos, novos tipos de integração social”.

A sortuda Maiara de Paula irá concorrer a uma viagem para Orlando, na Flórida

19


Redes sociais para o mercado imobiliário Especialista diz que o corretor é um especialista em relacionamento por natureza, por isso, só tem que fazer nas redes sociais o que já faz no mundo presencial

Com a grande variedade de mídias sociais que vem surgindo como o Facebook, Twitter, Linkedin, Blog, Pinterest, Youtube, Redimob, e outros, o mais difícil para o profissional é saber se deve participar de tudo ou escolher qual plataforma irá atender melhor a sua necessidade. Leonardo Stuepp, apresentou aos corretores as vantagens de ter um perfil no Redimob, rede segmentada voltada exclusivamente para o mercado imobiliário. “Foi criada para atender o público do mercado imobiliário, então ali são discutidos temas de relevância para o setor, onde o corretor vai poder trocar experiências com colegas, destacar a sua atuação profissional, conseguir compartilhar bastante conhecimento e conseguir muitas informações importantes, podendo com isso, se destacar perante aos outros profissionais e na própria sociedade”, afirma Leonardo. Segundo o diretor de marketing, as redes sociais maiores, mais abertas, são muito importantes para destacar o profissional. Neste caso, é importante que o corretor não apenas crie sua conta, mas que participe ativamente, que traga conteúdos interessantes, para que as pessoas tenham realmente interesse em participar ativamente desse processo. “Os

20

Divulgação

Ana Paula Vitorino

Leonardo Stuepp, diretor de Marketing do Redimob ambientes nas mídias sociais acabam se integrando e se misturando um pouco, mas cada um tem a sua característica específica. No Redimob, por exemplo, é mais fácil compartilhar informações com outros profissionais, adquirir conhecimentos sobre o setor e até divulgar seu imóvel”. Sobre a atuação do corretor nas demais redes sociais, Stuepp explicou que o principal é ter uma identidade forte, presença constante e atuação real dentro dos canais. “O corretor é um especialista em relacionamento presencial. Se ele levar esse relacionamento que tem no mundo físico, no mundo presencial, para a rede social, com certeza ele vai ter muito sucesso porque vai conseguir ter um bom canal de atendimento, de divulgação de seus produtos e, principalmente, destacar sua atuação profissional”, disse. E quais são erros mais comuns de profissionais nas

redes? Segundo Stuepp, alguns desses erros são: não ter um perfil ou ter um perfil e não estar presente, interagindo. “Outro erro é ter um perfil para usar apenas como canal de venda e não como um canal de relacionamento, porque o que as pessoas buscam são relacionamentos, conteúdos de relevância, algo que traga um benefício para a pessoa. Por isso, é importante para o corretor de imóvel entender que a participação na rede social não pode ser vista apenas como um canal de venda, e sim, para se re-

lacionar com seu público e conquistar uma penetração maior no mercado.” Mas se para muitos ter um perfil em uma rede social é algo natural, para alguns a tarefa ainda é um desafio. Nesse caso, para não errar, o especialista em marketing digital dá a dica: “Não faça nada que você não faria no mundo presencial. Tenha um comportamento ético, que reflita o profissional que você é no dia a dia e evite escrever ou fazer qualquer colocação que não faria no mundo presencial”, concluiu.

O que é Redimob? A rede social do setor imobiliário reúne classificados, conteúdos voltados ao setor imobiliário e possibilita a interação entre os participantes, em sua grande maioria corretores de imóveis. O Redimob atende aos interesses dos profissionais e também cria um ambiente de relacionamento destes com a sociedade. No Redimob cada pessoa cria o próprio perfil e pode contribuir com a produção de conteúdos, comentar o que está publicado, convidar contatos para participar e encontrar amigos e/ou possíveis parceiros de negócios. A estrutura do Portal é composta por pessoas que através de suas participações, comentários, relacionamentos e contribuições, formam a rede. O Redimob também possui uma equipe de profissionais da área de comunicação, como jornalistas e publicitários, responsáveis por elaborar conteúdos. O Portal traz reportagens e entrevistas exclusivas sobre assuntos do setor imobiliário. Além disso, reproduz as principais reportagens publicadas em outros veículos. No portal ainda estão disponíveis: agenda com os principais eventos do ramo imobiliário, área com links para as principais leis sobre o assunto, produções científicas e blogs. entrevistados.


Thaysa Mazarello

Os segredos do sucesso do corretor norte-americano Presidentes de Associações dos EUA desvendam as ferramentas que incrementam as vendas no exterior: o MLS e a exclusividade de vendas Thaysa Mazzarelo e Ana Paula Vitorino Durante o Corretor Global, o presidente e CEO da International Real Property Foundation (IRPF), Norman D. Flynn, e a presidente da Associação de Corretores de Imóveis de Miami,Teresa King Kinney explicaram o que eles consideram os segredos do sucesso do corretor de imóveis norte-americano, o Serviço de Listagem Múltipla (MLS) e a exclusividade de vendas. Segundo Norman, o MLS é um banco de dados de imóveis disponíveis no mercado, compartilhado entre seus membros e controlado com total privacidade. O propósito de um MLS é ajudar os profissionais do mercado imobiliário a vender os seus imóveis

de forma mais eficiente. De acordo com o presidente da IRPF, na maioria dos países, os corretores participam de no máximo 20% das transações imobiliárias, enquanto nos EUA essa porcentagem sobre para 91%. Para Norman este dado comprova que o MLS é uma ferramenta poderosa de fazer negócios e pode ser utilizada pelos corretores brasileiros que vivem um momento importante de desenvolvimento econômico. Em sua palestra, Norman Flynn, contou sobre sua experiência de mais de 40 anos no setor imobiliário organizado, servindo como presidente local, estadual e nacional da National Association of Realtors (NAR), entidade parceira do Redimob no evento Corretor Global. Ao se apresentar aos corretores de Goiânia, Norman disse

que tem mais de 80 experiências de liderança relacionados desde 1972 e que viajou grande parte do mundo avaliando e estudando as práticas de venda de imóveis para a International Real Property Foundation. Segundo o CEO, participar de um MLS dá às imobiliárias e aos corretores capacidade de fazer negócios com maior velocidade, pois as informações comerciais são compartilhadas com os outros parceiros e todos cooperam para vender os imóveis anunciados. “O se-

gredo não é controlar a informação, e sim compartilhar o máximo”, disse Norman, completando ainda: “nunca aconteceu de um corretor se recusar a compartilhar comigo a comissão de uma venda feita através de uma MLS.” Esta cooperação entre os corretores para divulgar e vender seus imóveism faz com que os clientes se sintam mais à vontade para assinar um contrato de exclusividade com uma imobiliária ou um corretor que participa desse sistema. Outro segredo do sucesso do corretor americano. Nos países da Europa, nos EUA, no Canadá e na Argentina a exclusividade já é uma exigência dos próprios compradores de imóveis que demandam contratos deste tipo dos corretores de imóveis visando uma maior segurança.

21


Teresa King, presidente da Associação de Corretores de Imóveis de Miami, que tem como objetivo auxiliar os seus membros a fazerem bons negócios, contou que as listas exclusivas foram essenciais na recuperação do mercado imobiliário dos EUA, possibilitando mais negociações e até mesmo uma repercussão positiva em relação ao mercado imobiliário local, tornando Miami a nova cidade global. “Os dados do MLS também foram usados pela imprensa que começou a falar bem sobre o mercado de Miami”, relatou. Para se ter uma ideia da recuperação do mercado imobiliário de Miami, em fevereiro deste ano foi registrado um crescimento de transações imobiliárias de

54% em relação aos anos anteriores, com aumento gradativo no preço e baixa no estoque de imóveis. Sobre as causas deste novo fôlego do mercado, Teresa King é taxativa: “Nunca poderíamos fazer isto sem as listas. Elas são um fortalizador de mercado.” Além das listas exclusivas, Teresa contou que a Associação oferece outras ferramentas a seus associados para gerar maior número de vendas, como a Social Kandy, aplicativo de busca de imóveis que pode ser instalado nas Fan Pages dos corretores de imóveis no Facebook, e o Private City que gera vídeos com base nas fotos dos imóveis captados dos membros. “As ferramentas de marketing são essenciais para colocar o anúncio em sua rede de networking”, ressalta a presidente.

Mais sobre as listas nos EUA Segundo dados de Associações Norte Americanas, nos EUA e no Canadá, quase 100% dos corretores, estão cadastrados em um MLS. Os EUA têm mais de 800 MLS locais, cada um servindo um mercado local. Os corretores adicionam seus imóveis no MLS e concordam em compartilhar a comissão de vendas com qualquer outro corretor que tenha um cliente comprador. Segundo Norman Flynn, no início era comum alguns corretores recusarem compartilhar as comissões, por isso foram criados alguns mecanismos de regulação. “Existem regras que devem ser seguidas”, afirma Norman. O sucesso do MLS, acontece por quatro motivos, a visibilidade do mercado, a obrigação contratual, o histórico e cadastro unificado e a exclusividade. Há uma promessa de cooperação entre os profissionais que podem ser punidos. Normalmente as comissões são divididas 50/50% entre quem tem o imóvel e quem tem o cliente comprador. No entanto, estas divisões são negociáveis e determinadas pelos agentes envolvidos no negócio, não pelo Sistema MLS. Existe um prazo em que se o imóvel for vendido nesse tempo é obrigatório o compartilhamento da comissão do corretor que incluiu este imóvel na MLS. Outra característica do MLS, é que o sistema mantém um histórico e banco de dados de imóveis comercializados para que os usuários possam ver as tendências de preços e estimar valores atualizados, contribuindo para a correta avaliação de imóveis.

Conquistando fãs nas mídias sociais Resolução de problemas, relacionamento, monitoramento e conteúdo. O consultor Israel Degásperi apresentou os pilares que levam ao sucesso na rede Divulgação

Thaysa Mazzarelo Segundo Censo divulgado pelo Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci) em janeiro deste ano, 40,6% dos corretores de imóveis e 86% das imobiliárias brasileiras já utilizam as diversas ferramentas de mídias sociais disponíveis no mercado: Facebook, Twitter, Orkut, entre tantas outras. As redes já são uma realidade e o segmento imobiliário goiano está se acostumando a lidar com elas. Foi com objetivo de fomentar este conhecimento em torno da temática que o publicitário e consultor de mídias sociais da construtora Tecnisa, Israel Scussel Degáspari falou no

22

Circuito Corretor Global sobre as melhores práticas no uso das redes sociais para o setor. “É uma ferramenta que amplifica a mensagem de comunicação, o relacionamento e o networking, elementos importantes que fortalecem a relação – entre as empresas e corretores de imóveis com seus clientes mas que também traz resultados consideráveis na venda de imóveis”, pontuou. Israel Degásperi considera que para se ter sucesso nas mídias sociais, seja como profissional ou como empresa, é necessário trabalhar quatro pilares: a resolução de problemas, o relacionamento, o conteúdo e o monitoramento.


O palestrante revelou que segundo levantamento da empresa de monitoramento, a Seekr Monitor, em um período de apenas dez dias, foram registradas mais de 822 reclamações nos meios digitais realizadas por clientes em relação a comércio e serviço. Entre as principais queixas estavam o atendimento, que obteve 356 reclamações, e de serviços, com 139. “É inevitável. Se você está presente online, em qualquer uma das mídias sociais disponíveis, você deverá responder e solucionar os problemas que seus clientes tenham”, comentou. Os benefícios para a empresa ou para o corretor de imóveis que assumem uma postura receptiva frente aos clientes queixosos na rede são a manutenção de uma boa imagem institucional, reduzindo a repercussão de impressões negativas sobre o seu produ-

to/serviço, e um contato que poderá resultar em relacionamento, um dos pilares primordiais citados pelo publicitário. “O relacionamento é fundamental para qualquer profissional. Estar em contato com outros profissionais do seu meio e de profissões próximas é fundamental para enriquecer seu networking”, disse. Para se conectar cada vez a mais pessoas, criando uma rede de contatos de qualidade capaz de gerar negócios é necessário que o usuário das mídias sociais se atenha ao conteúdo que ele divulga. Israel Degásperi afirma que hoje as pessoas se destacam pela importância das mensagens que compartilham: “o principal diferencial é ter um conteúdo relevante.Você deve intercalar o conteúdo institucional com as dicas, com as ofertas dos seus produtos”. Desta forma, as em-

presas podem seguir a fórmula de divulgação de conteúdo proposta pelo consultor, de 60% de informações de interesse dos clientes, como temas relacionados ao mercado imobiliário, decoração, formas de financiamento, entre outros, e 40% de conteúdo institucional, no qual estão inseridas as informações sobre a imobiliária ou o corretor e os produtos/serviços que eles oferecem. Uma das formas mencionadas por Israel Degásperi para conhecer os interesses de seus seguidores na rede e assim definir os assuntos não institucionais que podem gerar comentários positivos em seu perfil é o monitoramento. Além de obter os números de retorno de uma ação realizada, monitorar suas redes também permite que você conheça mais seu público-alvo e seus interesses.

“Através do monitoramento, você pega informações importantíssimas para interagir ou tomar ações estratégicas de marketing que vão resultar ou no fortalecimento da marca ou até em atitudes de venda”, ressalta Israel. E para quem ainda não está na rede por achar que as mídias sociais são apenas um moda passageira, o publicitário deixa um recado: “o Brasil é um país muito engajado. É o terceiro país no Facebook – em número de usuários - , está entre os cinco países que passam mais tempo online. As redes sociais não são modismo, são uma forma concreta e real de se fazer negócios”.

Etiqueta das mídias sociais Evite o excesso de mensagens Não repita com frequência os seus posts

Dicas para o setor imobiliário Como consultor de mídia da construtora Tecnisa desde 2010, Israel Degásperi já esteve à frente de diversas ações de marketing desenvolvidas nas redes sociais pela construtora que há alguns anos vem acumulando prêmios por sua atuação nas mídias sociais, como o Máster Imobiliário e o Prêmio Abanet. Entre as ações de sucesso, uma mais recente chama atenção por sua repercussão na mídia, a entrada da Tecnisa na rede Pinterest. Com seu amplo conhecimento sobre nas mídias sociais, principalmente em relação ao mercado imobiliário, o publicitário forneceu algumas dicas que servem tanto para empresas como corretores de imóveis: fazer uso das mídias que mais se adéquam ao seu público, utilizando sempre o formato mais adequado, como Fan Pages no caso de empresas; selecionar entre as opções de mídias sociais, algumas para criar perfils de relacionamento pessoal e outras para o profissional; zelar sempre pelo bom senso e a etiqueta das redes sociais.

Cuidado com o Caps Look Não exagere nas cores e nas imagens animadas

Evite repassar correntes Não ignore as menções feitas a você

Compartilhe conteúdos interessantes para a comunidade da rede Utilize corretores ortográficos sempre que possível Não mande muitos convites para jogos online, mensagens de aniversário e atualizações

Nosso programa NOMOS irá fazer seu controle de compra, venda e aluguel de imóveis, bem como geração automática de contratos para clientes. Este software ajuda, ainda, no controle de escritório imobiliário com a parte financeira, geração de boletos automáticos, cadastro de clientes e fornecedores. Conheça, também, nossos outros sistemas. Ligue e peça uma proposta. Av. Anhanguera, n. 5389, ed. Anhanguera, sl. 1205, Goiânia-GO. Telefone: (62) 32233336 ht t p : //w w w.umbrellatec.com.br

23


MERCADO

De portas abertas para os negócios internacionais Corretores de imóveis e imobiliárias se preparam e especializam para atender o novo mercado comprador de imóveis

Não é de hoje que o Brasil chama atenção do restante do mundo em relação a negócios imobiliários. Estrangeiros já investem em imóveis no país há certo tempo, mas uma nova realidade engrandeceu a nossa importância no circuito mundial. Segundo a Associação de Corretores de Imóveis de Miami, no último ano, os estrangeiros representaram 10% das compras de imóveis em Miami, sendo que 60% destas compras foram provenientes de capital brasileiro. O mesmo acontece em outros países da América Latina que estão sendo muito requisitados por brasileiros que desejam investir e fazer turismo fora do Brasil. Tudo isto mostra que o mercado internacional oferece novas oportunidades para o profissional brasileiro, mas a questão é: estão preparados para aproveitar esta circunstância favorável? E as empresas, já se estruturaram para atender esta nova demanda? O empresário Ricardo Vieira relata que em sua empresa existe desde 2008 uma equipe exclusiva de profissionais para a realização de negócios internacionais. O que

24

começou com operações imobiliárias com estrangeiros que vinham a Goiânia com o intuito de investir, se ampliou diante do novo cenário da economia. O empresário ressalta a importância da intermediação deste tipo de negócio pelo corretor de imóveis: “temos hoje uma profissão globalizada. As pessoas não podem dispensar este profissional, haja visto que é o que mais tem informação a respeito da cadeia produtiva da construção civil brasileira e que pode indicar os melhores negócios.” Sobre os negócios realizados fora do país, Ricardo Veira conta que eles não se limitam a Miami. “Temos vendido algumas coisas no exterior, nos EUA, mas temos vendido também na República Dominicana. Lá participamos de um lançamento que foi muito importante para nossa empresa porque gaThaysa Mazzarelo

Thaysa Mazzarelo

nhamos experiência internacional”, revelou. Segundo o dono da imobiliária, este ano a equipe de vendas internacionais irá ganhar novo fôlego: “estamos reestruturando o grupo, principalmente com a chegada de profissionais que já possuem a expertise internacional.” Se engana quem pensa que somente profissionais que contam com a estrutura de grandes imobiliárias conseguem realizar negócios internacionais. O corretor de imóveis João Pedro Viera é prova disto. Atuando em uma das cidades consideradas pólo turístico de Goiás, Caldas Novas, João Pedro fez recentemente negócios na Suíça. “Eles – o casal de portugueses que moram na Suíça - estavam visitando a cidade quando os abordei. O principal interesse deles é investir no país”, comentou. A possibilidade de negócio se tornou real desde o momento em que o corretor de imóveis foi convidado a visitar o casal em sua cidade para apresentar novas possibilidades comerciais e saiu de lá com mais de 10 apartamentos vendidos e uma cartela

Desde 2008 a imobiliária de Ricardo Vieira possuiu equipe especializada em negócios internacionais

de clientes maior. “O meu objetivo é atrair um grupo de investidores para Caldas Novas, o que já está dando certo. Após a minha visita, recebi em Caldas um suíço da área médica interessado em investir em um hospital para crianças.” O assessor internacional do Conselho Federal de Corretores de Imóveis, Francisco Persserl, conta que casos como o do empresário Ricardo Vieira e do corretor de imóveis João Pedro são minoria. No geral, os profissionais e as empresas brasileiras ainda não perceberam a oportunidade de realizar negócios internacionais. “Grande parte é por simples desconhecimento. Todos estavam tão acostumados a fazer negócios imobiliários em seu quintal, em sua região, que não tinham ideia que podiam fazer negócios fora do Brasil”, disse. Para Francisco Persserl, o motivo da baixa participação dos corretores de imóveis em negócios internacionais tem relação com a elevada faixa etária destes profissionais: “ a falta de intimidade com a tecnologia fez com que passassem batidas as oportunidades de negócio que a própria tecnologia trouxe”. Realidade que o assessor do Cofeci acredita que logo irá mudar com o


rejuvenescimento da profissão e o maior acesso aos negócios internacionais através das notícias da mídia e da ação em prol da causa promovida pelo Sistema Cofeci-Creci e os convênios firmados com as Associações Internacionais. Para os profissionais e imobiliárias que pretendem agir internacionalmente, Persserl deixa conselhos preciosos: ter maior flexibilidade para se adaptar aos anseios dos clientes; aceitação para entender que tudo aquilo que você sabe pode não ser suficiente; desenvolver especialidades para se tornar confiante, ter princípios básicos de ética e honestidade; e se possível aprender uma segunda língua. “Costumo dizer que um bom profissional no Brasil, é um bom profissional em qualquer parte do planeta. Uma pessoa com vocação para atender as necessidades de seus

Dentro das regras da fiscalização

O corretor de imóveis João Pedro, de Caldas Novas, realizou recentemente negócios com suíços clientes já é meio caminho andado. No restante, é importante que se desenvolva especialidades para que você seja útil. Se for vender terras, tem que saber a legislação da compra de terras por estrangeiros; se for vender um hospital, deve saber os custos e preços referentes ao segmento”, finaliza.

Estrangeiros buscam Brasil como forma de investimento no mercado imobiliário

Mesmo nos negócios internacionais, os profissionais e as empresas do mercado imobiliário devem zelar pela legislação da profissão de corretor de imóveis e por suas resoluções. O coordenador de fiscalização do Creci de Goiás, Marcos Aurélio Luiz, explica o que deve ser observado quando o negócio está sendo fechado: “O que caracteriza a obrigatoriedade do registro no Conselho é a localização do imóvel ou da negociação.” Segundo ele, se a negociação ocorrer fora do Brasil, não há necessidade da apresentação do Creci dos profissionais e da imobiliária, mas se acontecer dentro do país, serão exigidos os registros no Conselho Regional tanto do corretor de imóveis quanto da imobiliária envolvida, inclusive no caso profissionais estrangeiros que devem tirar seu registro no Conselho para poder vender empreendimentos no país. A respeito de outra tendência que tem ocorrido no mercado, do lançamento de empreendimentos americanos e de outras partes do globo feitos aqui mesmo no Brasil, em busca de compradores brasileiros, Marcos Aurélio esclarece: “Se uma empresa ou corretor faz um lançamento de um empreendimento em Goiás, ainda que o imóvel seja localizado fora do país, e anuncia o empreendimento, monta um stand, um escritório, isso caracteriza a negociação e deverá ser cobrada a devida inscrição de pessoa física ou jurídica no Creci.”

25


Critérios de Avaliação Mercadológica Parecer Técnico confere mais credibilidade ao trabalho do corretor de imóveis Ana Paula Vitorino

Ana Paula Vitorino

A valorização de 40% foi fator decisivo para que a corretora Sônia Guerra captasse a venda de um imóvel no Setor Alto da Glória. “A proprietária ficou surpresa quando soube o valor que o imóvel poderia ser anunciado”, afirma a corretora, explicando que nos últimos três anos a região está passando por um momento de valorização imobiliária. Isso ocorre principalmente em decorrência de melhorias de infraestrutura como a construção do Parque Flamboyant. “Aqui nós temos bairros vizinhos que também estão sofrendo este efeito como a Vila Maria José, onde já estão sendo construídos edifícios com apartamentos que eu chamo de alto padrão compacto”. Observar melhorias de infraestrutura e caracte-

26

rísticas que implicam no valor de um bem passou a fazer parte do dia a dia da corretora Sônia Guerra que desde 2009, quando participou do curso de Avaliação Mercadológica, está inscrita no Cadastro Nacional de Avaliadores de Imóveis (CNAI) do Cofeci. Nestes três anos ela conta que já elaborou mais de 40 Pareceres Técnicos de Avaliação. A especialista enfatiza que o corretor de imóveis precisa valorizar o seu trabalho e se recusar a fazer qualquer avaliação verbal. “É impossível avaliar um imóvel ou lote sem visitar o local. É preciso averiguar o tipo do terreno, as condições e os detalhes da infraestrutura. Acho que uma avaliação através de um parecer técnico proporciona mais credibilidade, além de agregar valor ao trabalho do corretor de imóveis”, afirma. A profissão de corretor de imóveis e avaliador foi regulamentada pela Lei nº 6.530, em 1978, contudo, o Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica (PTAM), que é o docu-

mento, cujo o responsável é o corretor de imóveis, só foi regulamentado há cinco anos, através da resolução do Cofeci nº 1.066/2007. Sendo assim, o corretor de imóveis avaliador e o Parecer Técnico de Avaliação, se tornam importantes no contexto de desenvolvimento econômico no Brasil que ocupa o segundo lugar no ranking de valorização nominal de imóveis do mundo. Em 2011, os imóveis brasileiros tiveram valorização de 27,82%, conforme pesquisa realizada pelo site Global Property Guide, que auxilia investidores na busca de casas e apartamentos ao redor do mundo. Segundo o engenheiro civil Edney Trevenzol, para não cair nas armadilhas do mercado e supervalorizar ou desvalorizar um imóvel, a solução é

Sônia Guerra já trabalha há quatro anos como avaliadora de imóveis

contratar um profissional habilitado para realizar a avaliação do imóvel. O professor Edney afirma que são dois os principais métodos utilizados na avaliação mercadológica de imóveis, o Involutivo e o Comparativo Direto de Dados de Mercado, este último usado em 95% dos casos. “O trabalho avaliatório depende das condições que o profissional se defronta no mercado, ou seja, a quantidade de informações coletadas, confiabilidade dessas informações, diversidade de fontes, bem como o nível de rigor que se pretenda desenvolver para cada tipo de serviço.” O professor Edney,


O segundo método que pode ser utilizado em uma avaliação é o Involutivo. Neste, o avaliador cria um empreendimento hipotético onde irá buscar o máximo de aproveitamento na viabilidade técnico e financeira. “O avaliador busca o padrão ideal de construção, a viabilidade técnica, pesquisa em órgãos como a prefeitura informações como a altura permitida, a quantidade de área, o custo e o lucro estimado de um empreendimento. Outro fator que promete influenciar cada dia mais no valor do imóvel é o trânsito. Segundo especialistas, a tendência em grandes centros é que a localização se torne cada vez mais importante que a metragem. As pessoas vão preferir apartamentos menores e bem localizados àqueles longe do centro e com grande metragem. Se em São Paulo as pessoas gastam em média, 2 horas e 49 minutos se locomovendo, em Goiânia, esta mesma realidade já está ficando próxima.

Ana Paula Vitorino

ensina que a necessidade urgente da compra exerce forte influência no valor do imóvel. “Já presenciei negociações onde a venda foi finalizada pela metade do preço em função dessas situações”, disse o professor que destaca ainda que o avaliador cumpre um papel importante nos casos de leilão, partilha ou inventários. Nestes casos, por exemplo, o avaliador utiliza o Método Comparativo de Dados do Mercado onde o imóvel é comparado à empreendimentos, buscando critérios como localização, metragem, estado de conservação, infraestrutura, entre outros. “Se o imóvel for ao lado de uma igreja, de um cemitério, se for em frente à uma escola, se a área recebeu obras importantes que valorizam a região, isso tudo pode fazer a diferença no valor.”

Edney Trovensol explica os dois métodos utilizados na avaliação: o involutivo e o comparativo

Entende-se por Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica – PTAM - o documento elaborado por corretor de imóveis no qual é apresentada, com base em critérios técnicos, análise de mercado com vistas à determinação do valor de comercialização de um imóvel, judicial ou extra-judicialmente. PRequisitos mínimos do PTAM: identificação do solicitante; objetivo do parecer técnico; identificação e caracterização do imóvel; indicação da metodologia utilizada; valor resultante e sua data de referência; identificação, breve currículo e assinatura do Corretor de Imóveis Avaliador. São requisitos para caracterização do imóvel a identificação de seu proprietário, o número da matrícula no Cartório do Registro de Imóveis e o endereço completo ou a descrição detalhada de sua localização. PRequisitos mínimos na descrição do imóvel: medidas perimétricas, medida de superfície (área), localização e confrontações; descrição individualizada dos acessórios e benfeitorias, se houver; contextualização do imóvel na vizinhança e infraestrutura disponível; aproveitamento econômico do imóvel; data da vistoria. Ao Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica recomenda-se estarem anexados: mapa de localização; certidão atualizada da matrícula no Cartório do Registro de Imóveis; relatório fotográfico.

27


Em busca da qualidade de vida Consumidores dão preferência a empreendimentos que promovam seu bem estar físico, emocional e social

Thaysa Mazzarelo

Thaysa Mazzarelo

Para Celso Castellano os empreendimentos tipo Residential Club são tendência

28

Não faz muito tempo que se formou e o médico Murilo Moreira Borges Santos já sente os efeitos de sua rotina de trabalho: “Normalmente, eu saio as seis horas de casa e chego mais ou menos às 20h00, então chego bem cansado. Outra noite mesmo, saí de casa as seis horas da manhã e cheguei somente as oito horas da manhã do dia seguinte. Fiquei 24 horas trabalhando”, comentou o clínico geral. Foi pensando em aproveitar os horários livres de sua agenda e os momentos que está em casa que Murilo Moreira adquiriu um apartamento com tudo o que tem direito a poucos metros do Parque Flamboyant. O objetivo principal do jovem médico é garantir sua qualidade de vida: “meu trabalho já exige muito, a gente fica bem cansado, então acaba querendo um lugar mais confortável, que tenha todo o lazer possível para que não tenha que ficar saindo”. Foram nestes quesitos que o empreendimento adquirido o conquistou. Além de oferecer a segurança de um apartamento, a localização privilegiada, a proximidade a centros de compra e de comércio, o condomínio clube oferece a possibilidade de desenvolver uma atividade física. A piscina e a academia integram os serviços disponíveis no Residential Club. Um diferencial frente ao imóvel da

família em que, hoje, reside e que não possui muitos itens de área de lazer. “Eu praticava mais esportes, mas agora está corrido. Hoje quando eu quero me exercitar, tenho que ir para outro lugar, tenho que ir longe porque aqui perto não tem nada. Lá não, a academia já faz parte da área de lazer”, pontuou. Segundo o médico, a possibilidade de reunir a família e os amigos para realizar confraternizações na varanda gourmet e os serviços de pay-per-use também foram critérios importantes observados na hora da escolha do imóvel. Entre os diversos serviços a pagar oferecidos pelo empreendimento, tais como de courrier, aulas particulares e de recreação, Murilo Andrade acredita que dois facilitarão em sua rotina: “Como eu moro sozinho, não tenho ninguém para cuidar das minhas roupas, a lavanderia será muito útil. Eu tenho também um animal de estimação que não fica comigo por causa da correria, que agora está em outra cidade com os meus pais, mas como lá tem um pet shop para cuidar dele, vou poder trazê-lo de volta”. Celso Castellano, coordenador de desenvolvimento imobiliário da Brasal Incorporadora, responsável pelo empreendimento adquirido pelo médico, explica que os serviços de pay-per-use são prestados por uma empresa especializada contratada para administrar


Murilo Moreira: o novo imóvel incentivará os esportes e os encontros com os amigos

CONDOMÍNIOS EM GERAL e ICORPORAÇÕES IMOBILIÁRIAS ANÁLISE e DECISÃO DE INVESTIMENTOS

COLÉGIO ARISTÓTELES Cursos On line, Pós-graduação e Conscursos

NOÇÕES GERAIS DE DIREITO IMOBILIÁRIO AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS Ee PERÍCIAS

a maior parte do tempo, onde nos relacionamos com as pessoas mais próximas e nos refazemos para o próximo dia. Por isto incluir boas práticas em nosso lar é essencial para alcançar a qualidade de vida. Uma vida prática, com simplicidade ou simplesmente morar com conforto, com várias opções de lazer ou próximo de seu trabalho podem ser o caminho”, analisou.

Vendendo qualidade de vida ao cliente Qualidade de vida em si já é um termo subjetivo. A Organização Mundial da Saúde (OMS), por exemplo, define qualidade de vida como “a percepção do indivíduo de sua posição na vida no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações.” Se a palavra já é de difícil significação, imagine então qual não é a dificuldade em passar este conceito atrelado às características do imóvel ao cliente. O desafio é encarado com facilidade pelo coordenador de desenvolvimento imobiliário Celso Castellano. Para ele, o valor percebido pelo consumidor em relação ao empreendimento varia de acordo com o número de benefícios oferecidos e o preço do imóvel, sendo que quanto maiores forem os benefícios, maior será o valor agregado e percebido pelo cliente. “O consumidor moderno não está buscando preço. Hoje, caso ele possa ter acesso ao melhor, ele não irá optar pelo que lhe oferece poucos benefícios”, comentou.

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA e NEGOCIAÇÃO IMOBILIÁRIA

SISTEMA REGISTRAL e NOTORIAL

DIREITOS REAIS SOBRE IMÓVEIS e CONTRATOS

PARCELAMENTO DO SOLO URBANO e SUAS DIV. FORMAS

SISTEMAS CONSTRUTIVOS NOS EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS

ESTUDO ARQUITETÔNICO PARA GESTORES IMOBILIÁRIOS

CURSO ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS e LOCAÇÃO

CDC e SUAS APLICAÇÕES NOS NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS

Transações de Imoveis (TTI)

adp

todas estas atividades ditas extraordinárias; serviços que o consumidor necessita, mas que não fazem parte da convenção de condomínio. “Todos estes custos extraordinários são pagos somente quando solicitados, pois não são despesas fixas do rateio de condomínio mensal”, esclarece. Segundo ele, os serviços oferecidos compõe o conceito do empreendimento que ainda é considerado inovador para a capital goiana: o uso de recursos que buscam em todos os termos atender a demanda do consumidor por qualidade de vida. “O tempo entra como fator fundamental para o dia-a-dia do consumidor urbano – moderno. Em geral, o casal trabalha para compor renda e necessita de soluções práticas que

estresse, inimigo número um da qualidade de vida”, comenta a psicóloga. Para Dionice Araújo, a qualidade de vida está relacionada com o bem físico, mental, psicológico e emocional promovido por meio de hábitos saudáveis e relacionamentos sociais, todos estes possíveis de serem vivenciados no próprio lar. “Fora o trabalho, a nossa casa é onde passamos

Thaysa Mazzarelo

Arquivo pessoal

A psicóloga Dionice Araújo conceitua a qualidade de vida

atendam suas necessidades extraordinárias e claro, que não venham a onerar seu orçamento por serem esporádicas”, expõe. De acordo com a psicóloga Dionice Araújo, esta constante procura do ser humano por qualidade de vida não é um fenômeno novo. “Antigamente, a garantia de um emprego e uma residência própria já eram suficientes para poder dormir tranquilo. Hoje, o homem moderno tem confundido muitas vezes qualidade de vida com o consumismo desregrado, nessa busca pelo ter em detrimento do ser, aumentando em muito o

Cursos de Aperfeiçoamento * Escolha já o seu!

(62)

3285.7537

www.colegioaristoteles.com.br

itA Instituto Aristóteles Em tempos de crise, conhecimento é o seu maior diferencial!

R

www.institutoaristoteles.com

29


Guia do

CORRETOR de IMÓVEIS Especialistas e profissionais que já ministraram cursos no Creci-GO dão dicas e conselhos para a otimização do trabalho dos profissionais do mercado imobiliário

30


Thaysa Mazarello

Dream Marketing, o poder dos Sonhos! Antônio Fernando Braga e Silva Mestre em Planejamento, Gestão Organizacional, Gestão Pública, coordenador de Relações Externas da UPE/FCAP e coordenador de seminários internacionais bragafcap@hotmail.com

Quanto vale um sonho? Pergunte a uma mulher o quanto vale a sensação de sentir-se linda, a um homem o quanto vale a experiência de pilotar uma Ferrari, para um casal, o que representa comprar seu primeiro imóvel ou a uma criança o quão maravilhosa é a Disney. Com certeza, as respostas para essas perguntas serão algo como: não tem preço! É uma sensação única, a realização de um sonho. Sonhar faz parte da nossa essência! Os sonhos fazem parte de toda a nossa vida, eles nos energizam, fazem buscar os nossos objetivos e metas, proporcionam ir aonde quisemos até mesmo sem conhecer o lugar. Foram os sonhos que inspiraram a humanidade a conquistar o espaço e a desafiar as fronteiras do conhecimento. E todos têm sonhos! E é exatamente esse o desafio da nova era do marketing.

Em um mercado cada vez mais competitivo, é necessário apresentar um diferencial. Utilizar a percepção e definir uma estratégia que interprete os sonhos da nossa época é de extrema importância para sobrevivência da organização no mercado. Fazer de um produto ou serviço um desejo tão intrínseco quanto os sonhos que nos movem. Descobrir quais são os sonhos dos seus clientes e trabalhar para torná-los possíveis. Despertar as emoções, os sonhos, os desejos é a melhor estratégia para agregar valor a um produto ou serviço. Giani Luigi Buitoni, bem sucedido empresário italiano, grande responsável pelo sucesso dos automóveis Ferrari e criador do conceito de Marketing dos Sonhos apregoava: “A Ferrari não vende carros, mas a ilusão da velocidade.”

Pois bem, é isso que o marketing dos sonhos se propõe a fazer. Entender os clientes tão bem de forma que os produtos e serviços não só se vendam sozinhos, mas que representem uma experiência única, a realização de um sonho. De forma que o valor percebido pelo cliente vá além do aspecto tangível do produto ou serviço. O marketing dos sonhos visa agregar um facilmente. Portanto, confere uma vantagem competitiva sustentável perante a concorrência e a possibilidade de trabalhar com um preço premium. Visto que, não se está adquirindo apenas um produto ou serviço mas uma realização de um desejo, de um ideal, de um sonho. E como diria Olympio de Oliveira e Silva “não é a vida que embeleza os sonhos, são os sonhos que embelezam a vida!”

31


Arquivo pessoal

Gestão de pessoas:

Arandi Maciel Campelo Administrador; Doutor em Educação; Mestre em Planificación y Gestión Organizacional; Mestre em Dirección y Organización de Hospitales y Servicios de Salud arandi.campelo@globo.com

o comportamento humano frente às mudanças organizacionais Compreendendo as pessoas em função da forma como elas reagem às mudanças verificamos que em qualquer tipo de organização sempre encontraremos cinco grupos distintos de pessoas: os proativos; os apoiadores incondicionais; os apoiadores condicionais; os indecisos; e os reativos. Os proativos são aqueles que estão sempre em busca de mudanças. Esse é um grupo de poucas pessoas que deve ser identificado de imediato e acionado antes de se dar início a uma mudança organizacional. São muito importantes porque estão sempre dispostos a correrem grandes riscos e podem atuar como agentes multiplicadores. São os que têm as grandes sacadas para inovar a gestão. Costu-

mam romper paradigmas e por isso, incomodam os acomodados. Contudo, não se deixam abater; vão em frente com suas ideias e por correrem maior risco são agraciados com melhores retornos. Muito próximos dos proativos, e em número maior, estão os apoiadores incondicionais. São sempre dispostos a apoiar os proativos sem questionar. Arriscam-se também, pois estão colados nos proativos. São importantes para os proativos, uma vez que respaldam suas iniciativas. Portanto, devem ser igualmente convocados de imediato, durante uma mudança organizacional.

Os apoiadores condicionais são mais desconfiados. Apoiam apenas quando percebem que a mudança é inevitável ou que a ideia trará bons resultados. Esse é um grupo que não deve ser convocado enquanto não se puder provar que a mudança acontecerá, ou que trará bons frutos. Representando o maior número de pessoas de uma organização, existem os indecisos. Tanto faz se aproximarem dos proativos quanto dos reativos. É um grupo importante, mas sua aderência ou rejeição a um projeto pode variar bastante. Não se deve concentrar muita energia em sensibilizá-los logo no início de um processo de mudança. É melhor esperar para a “reta final” e sensibilizá-los no momento em que não tiverem mais tempo para mudar de ideia. Por último, existem os reativos. Esse grupo representa grande perigo a uma organização, pois podem contaminar negativamente os indecisos. Para essas pessoas há três possibilidades de ação: primeiro deve-se identificar as causas de tais reações e tentar a “cura”. Uma segunda possibilidade é, caso se chegue a conclusão que o caso é irreversível, afastá-la para evitar que contamine os demais. E a terceira possibilidade consiste em atribuir atividades que evitem muito contato com os demais, principalmente com os indecisos, e mantê-lo às suas vistas para que possa acompanhá-lo no dia a dia.

32


Thaysa Mazzarelo

O Cliente em Rede

Marcus Henrique Ferreira é palestrante, proprietário da Atrês Imóveis e da Atrês Prime Corretora de Seguros, formado em Negócios Imobiliários, pós graduado em Operações Imobiliárias e Gestão Condominial.

Internet, mídias sociais e o mercado imobiliário Com a melhoria dos serviços de internet no Brasil, muitos começaram a perceber que o futuro de toda a comunicação passaria pela “estratégia digital”. A internet encurta distâncias e tem custo inferior às formas tradicionais de mídia, além do conceito de ser ecologicamente correta e extremamente eficiente. Mas o que fazer para ter um papel de destaque na rede? Como fazer a diferença e apresentar produtos sem agredir ou invadir a privacidade dos clientes? A partir do momento que você souber exatamente o que quer, poderá utilizar estratégias para colocar seu plano em ação. Abaixo, enumero dez estratégias que, se utilizadas corretamente, dão um norte para o sucesso.

1

ª) Defina a sua página de entrada: Eu chamo isso de “nascer no mundo digital”. Esta página poderá ser um site, um blog, um perfil do Facebook/ Orkut/Twitter, um canal do Youtube, etc. mas o importante é que você faça dela a sua “menina dos olhos” pois todas as outras mídias digitais ou promocionais deverão indicar esta página, como o seu cartão de visitas, que informará aos seus clientes o que você realmente faz e lhes dará a oportunidade de estreitar o relacionamento com você.

2

ª) Cadastre-se em Sistemas de busca: Cadastre-se no maior número de sites de busca que puder, mas monitore de perto no máximo uns três sistemas (Google, Yahoo, etc) para que seu posicionamento no resultado da busca seja sempre pelas posições iniciais. Quem não é visto não é lembrado.

3

ª) Divulgue sua “Página de Entrada”: Elabore banners bem feitos

e atrativos em sites que, ao clicar, liguem o cliente ao seu site. Faça parcerias com outras páginas de assuntos similares, entenda como o mecanismo de busca do Google, Yahoo e outros sistemas de busca funcionam, para que você seja sempre classificado até o máximo na quinta página da busca quando forem digitadas as palavras-chave da pesquisa.

4

ª) Melhore continuamente o Conteúdo: “O Conteúdo é Rei”. Seus clientes devem ter você como referência no assunto. Nesta etapa, descubra o seu público-alvo e disponibilize conteúdo de acordo com a interesse desse público. Jamais tente enganar o cliente. Utilize blogs, fóruns de discussão, vídeos no Youtube, para alimentar a sua página de entrada.

5

ª) Somente aborde seu cliente com o consentimento dele: A utilização de e-mail não autorizado, bem como telinhas que aparecem (popups) na frente do cliente sem o consentimento dele, podem trabalhar de forma contrária, despertando a antipatia das pessoas com a invasão de sua privacidade. Esta poderá ser uma boa estratégia somente se tiver uma direção certa, um público específico ou se o banco de dados que você possui foi trabalhado de uma forma mais seletiva.

6

ª) Trabalhe com o Boca-a-Boca Digital: Para trabalhar com esta estratégia é necessário duas coisas: a primeira é que os seus divulgadores não possam sentir que você está tentando vender diretamente algo e a segunda é que você terá que con-

quistar pessoas com uma grande rede contatos/relacionamentos online (caso você próprio ainda não a tenha) para divulgarem a sua propaganda para os seguidores dela.

7

ª) Saiba utilizar-se das Mídias Sociais: Utilizar as redes sociais de forma mal feita leva ao descrédito; portanto, prudência é sempre bem vinda, pois, se antigamente um cliente insatisfeito falava para sete clientes sobre a sua insatisfação, com a internet esse último número pode subir para alguns milhões.

8

ª) Monitore seus Resultados: Saiba a quantidade de cliques que seu banner recebeu, quantos e-mails foram efetivamente abertos, quantos visitaram a página ou assistiram ao vídeo. Estude sobre as ferramentas disponíveis para esse monitoramento, cito aqui o Google Analytics que é gratuito e diz muito sobre o seu site.

9

ª ) Esteja disposto a ouvir: Entenda que a partir do momento que você abre um canal de comunicação com seu cliente, poderá ouvir coisas boas ou ruins. Dê atenção a todos, compreendendo os pedidos e melhorando continuamente os processos dentro de sua empresa ou profissão.

10

ª) Ouse Sempre: Nunca tenha medo de errar, mas sempre reflita antes de agir, procure entender o que está fazendo e dessa forma, você se posicionará como um profissional competente e ousado. Faça o que você acha que é certo, observando sempre a Ética e principalmente dando valor ao seu cliente.

33


DIRETO DO CRECI-GO

Fiscalização renova frota e equipamentos

Thaysa Mazzarelo

Com o objetivo de melhorar cada dia mais o trabalho desenvolvido pela equipe de fiscalização, a frota de veículos do Creci de Goiás foi renovada. A fiscalização que antes contava com carros modelo 2010, agora terá veículos substituídos por modelos 2012. A renovação, segundo o presidente, Oscar Hugo Monteiro Guimarães, é realizada a cada três anos, o que evita a desvalorização dos automóveis e beneficia a atuação dos fiscais. Além da agilidade, a mudança trará maior segurança aos agentes em suas viagens e em seus deslocamentos em Goiânia e pelo Estado. Na ocasião, foi apresentado o atual diretor de patrimônio do Conselho, João Benício, que irá acompanhar a utilização e conservação da frota. Outro equipamento muito utilizado pelos fiscais e que recebeu um upgrade

34

Ana Paula Vitorino

Ana Paula Vitorino

Fiscalização renovada para desenvolver melhor o seu trabalho foram os netbooks, que foram trocados por Tablets. De acordo com o coordenador de fiscalização, Marcos Aurélio Luiz, os novos aparelhos serão importantes também para o serviço que ainda será implantado, de biometria, em que o profissional será identificado pela sua

digital nas abordagens dos fiscais. Nos últimos três anos a fiscalização do Creci de Goiás se destacou entre os três primeiros colocados no ranking de produtividade da Diretoria Nacional de Fiscalização (DINAFI), do Conselho Federal dos Corretores de Imóveis (COFECI). O último

prêmio foi recebido pelo coordenador, no final do mês de março, em reunião do Cofeci, em Palmas/TO, onde além da classificação, o agente do Creci de Goiás, Edson Hamilton Luiz também recebeu um troféu por ter se destacado entre os profissionais mais produtivos do País.

>>Creci homenageia as mulheres Elas já são mais de 20% do total de corretores de imóveis ativos em Goiás e 32,7% dos inscritos no Brasil. Os números indicam que as mulheres entraram de vez no mercado imobiliário, profissão que inicialmente era em sua grande maioria representada por homens. Para homenagear estas corretoras de imóveis que se dividem entre as tarefas profissionais, pessoais e familiares, o Creci de Goiás na semana do Dia Internacional da Mulher, 8 de em março, realizou o sorteio de kits O Boticário. Foram quatro kits sorteados durante a solenidade de entrega de carteiras e os demais sorteados na Fan Page e Twitter do Creci de Goiás e entre as colaboradoras. “É uma lembrança a todas as mulheres que trazem para o mercado imobiliário a delicadeza e a atenção que tanto agrada os clientes”, comentou o presidente do Creci de Goiás, Oscar Hugo.


>>TV Creci

Thaysa Mazzarelo

A assessoria de comunicação do Creci de Goiás ganhou mais um veículo. A equipe de reportagem está presente em todos os eventos e ações trazendo uma cobertura completa e atualizada dos assuntos de interesse do corretor de imóveis goiano. O veículo vem integrar-se aos demais canais de comunicação já utilizados pela assessoria, como a Revista Painel Imobiliário, o site institucional, a Fan Page no Facebook, o perfil no Twitter, ações de marketing e os eventos. O recurso audiovisual é uma ferramenta de comunicação poderosa que fortalece e facilita ainda mais o relacionamento do Creci de Goiás com os profissionais e com a sociedade. Assista os vídeos da TV CRECI através do site www.tvcrecigo.com.br ou youtube.com/crecitv. Thaysa Mazzarelo

>>Encontro de Marketing Imobiliário

Evento reuniu corretoes de imóveis e profissionais de marketing No início de abril, mais de 250 corretores de imóveis participaram da terceira edição do Encontro de Marketing Imobiliário do Creci de Goiás. O evento aconteceu em dois dias e abordou temáticas como gestão de pessoas, redes sociais, e marketing promocional. Entre os palestrantes estava o mestre em Desenvolvimento, Gestão Organizacional e Pública, o professor da Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco (FCAP), Antônio Fernando Braga, que ministrou palestra sobre o marketing dos sonhos. Segundo o professor, é preciso que as empresas saibam primeiro detectar os desejos dos consumidores para que depois possam desenvolver produtos e serviços que correspondam a estas necessidades.

Cobertura de eventos e reportagens especiais

1º Conlabore

Colaboradores se confraternizaram no evento

No início de fevereiro, os colaboradores participaram do I Conlabore, primeira Convenção dos Colaboradores do Creci de Goiás. O evento contou com a palestra do professor do Centro Universitário Uni-Anhanguera, empresário, consultor empresarial, Rodielson Sousa de Souza, que falou sobre motivação e relacionamentos no ambiente de trabalho. Segundo o Superintendente do Conselho, Francisco Viana Lopes, o I Conlabore atingiu os objetivos uma vez que contou com a participação efetiva de mais de 90% dos servidores. “Ficamos satisfeitos com a resposta positiva dos colaboradores que participaram voluntariamente das atividades e avaliaram o evento de forma bastante positiva através das respostas do questionário de avaliação”, disse o superintendente.

Em comemoração aos 50 anos, o Creci de Goiás, inaugurou a exposição ‘Arte em Degraus’ do artista plástico Di Magalhães. A mostra, em caráter permanente, está localizada em local inusitado: na escadaria do Palácio dos Colibris. Os 10 painéis retratam paisagens naturais e fatos históricos do Estado de Goiás. Entre as imagens estão a Procissão do Fogaréu, na Cidade de Goiás, as Cavalhadas de Pirenópolis e uma homenagem à escritora Cora Coralina com a reprodução de uma fotografia da velha ponte, localizada na cidade de Goiás e da casa onde morou a artista e uma das cenas mais belas do Estado de Goiás, o pôr do sol no Rio Araguaia. “É um trabalho artístico inovador que agrega valor ao nosso projeto arquitetônico. Com isso, mais uma vez nosso objetivo é levar ao corretor de imóveis essa oportunidade de apreciar uma obra que busca enaltecer nossas raízes culturais e históricas”, disse o presidente do Creci, Oscar Hugo.

Ana Paula Vitorino

>>Arte em Degraus

O artista plástico, Di Magalhães em frente a seus painéis

35


+

que corretor

É possível ir além Segundo os psicólogos, manter um hobby ou uma atividade prazerosa é uma forma eficaz de combater o strees. No momento em que se dedica à algo que gosta, a pessoa consegue se desligar totalmente dos problemas, se recuperando mentalmente DA ROTINA AGITADA. a Revista Painel imobiliário buscou o exemplo de pessoas que são mais que corretores, que possuem outras atividades que acrescentam na sua vida profissional.

Força e disposição

Ana Paula Vitorino

Um corretor de imóveis que na terceira idade recebe um troféu em um campeonato de musculação é um exemplo para quem possa se achar velho demais para qualquer coisa. Estamos falando de Tito Corrêa Adrien ou vovô Tito, como ficou conhecido nos campeonatos em que participa. Mas o apelido ficou por conta apenas da idade já que o atleta afirma desconhecer os desprazeres da idade e nem se queixa de doenças. Ele conta que o número de pessoas na terceira idade que frequentam academias é tão pequeno que onde ele malha é o único com mais de 70 anos. Com isso, foi fácil ganhar o último troféu (foto), em dezembro de 2011, na Copa Cidade Goiânia, onde foi o único em sua categoria. Com tempo de sobra para treinar, o aposentado agora está a procura de patrocinadores para participar de novas competições. A próxima é o VI Campeonato Goiano de Musculação que é uma seletiva para a etapa nacional que acontece em Natal/ RN. Alguém tem dúvida que o senhor Tito vai estar lá?

36


Arte como descanso Formado em ciências contábeis o artista plástico João

Bernardes tem um portfólio com vários trabalhos, tendo exposto suas telas em vários locais. Mas além de ter trabalhado como bancário também exerceu outras atividades na área financeira e de serviços. O artista conta que foi por incentivo familiar e ao ver o aquecimento do mercado imobiliário que percebeu a afinidade nesta nova empreitada que é ser corretor de imóveis e decidiu deixar um pouco de lado as telas para atuar na venda de imóveis. “Ainda estou no começo, atuando como estagiário, e acredito ter muito a aprender. Fiz o curso de TTI, concluí no tempo regulamentar e já solicitei a minha carteira profissional. Quero levar a sério esta nova profissão. Me dedico a ser corretor e, dia após dia, me sinto mais comprometido com a atividade. A arte não é um impeditivo, tenho horas vagas em casa, e é numa folga ou outra que produzo. Na verdade tenho a arte como um descanso ou terapia. Por isso é possível ser: mais que corretor.”

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Foi depois de passar por transtornos financeiros na sua antiga atividade que Leandro Batista recebeu o apoio de parentes e decidiu atuar na profissão de corretor de imóveis. “Em 2009 fiz o curso de TTI, tirei a carteira profissional e comecei a atuar em uma imobiliária, onde trabalho até hoje”, Leandro conta como foi que aprendeu a tocar bateria: “Aprendi a tocar aos 14 anos e nessa época ensaiava constantemente, mas depois parei e só voltei mais tarde. Hoje é um hobby que me dá muito prazer”. Leandro afirma que costuma tocar nos cultos oficiais da igreja onde frequenta e que a música o ajuda muito a ser um profissional melhor. “Quando estou ali, atrás da bateria, deixo meus problemas de lado e consigo me aliviar de todas as tensões do dia a dia.”

Arquivo pessoal

Música e recomeço

Show de corretor Ricardo Augusto Borges Soares começou na profissão de corretor de imóveis como office boy e hoje é gerente de vendas. Faz parte da banda BelduinoS e tem como hobby, o Rock’in’Roll. Do meio artístico, Ricardo Augusto, incorporou o apelido, Kadu. O profissional vende imóveis, encanta seus clientes e também faz shows covers particulares e apresentações em cidades do interior. “É nas brechas do trabalho que me dedico aos shows. Já tocamos tanto para 10, quanto para 15 mil pessoas”, conta o artista.

37


CONTANDO NOSSA HISTÓRIA

Quando tudo começa com uma boa amizade Aos 69 anos, o corretor de imóveis Denis Wilson de Castro está prestes a completar 50 anos de profissão. Sua história se confunde com o ordenamento urbano de Goiânia e é recheada de emoção Ana Paula Vitorino A década de 60 ficará marcada pela ditadura militar, mas foi nesse período que o país passou por um processo de industrialização. Em Goiânia, surgiram bairros como Universitário, Sul, Oeste, Aeroporto, Fama e Pedro Ludovico, transformando a Capital em uma das maiores metrópoles brasileiras. A cidade passou a requerer maior infraestrutura, transportes, energia, escolas, e com isso acontecia o aquecimento nas vendas de imóveis. Nesse momento, os corretores buscavam o reconhecimento da profissão. Em outubro de 1962, em São Paulo, acontecia a primeira reunião plenária do Conselho Federal de Corretores de Imóveis, e em Goiás nascia o Conselho Regional. Com este cenário, aos 20 anos, Denis Wilson de Castro começava a atuar como corretor de imóveis e em 1963 se registrou no Creci com o número 185. Com a construção de Brasília, os vôos para Goiânia aumentaram e o aeroporto foi transferido para o Bairro Santa Genoveva. Nesta região Denis de Castro começou a atuar através de algo essencial

38

para um corretor – um bom relacionamento. O jovem conquistou a simpatia do médico e conhecido milionário Altamiro de Moura Pacheco, grande doador de terras para o município de Goiânia. Na época, os lotes da região do Setor Santa Genoveva haviam sido adquiridos por investidores de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Como estas pessoas compraram estes lotes? Denis responde: “Tinha uma propaganda que dizia: compre um lote à um palmo de Brasília! Mas era um palmo no mapa”, revela o corretor, brincando com excesso de otimismo da propaganda. Através da amizade, Denis convenceu o médico a lhe confiar uma lista com os nomes e endereços dos proprietários dos lotes. “Com a lista em mãos comecei a viajar comprando os terrenos e

revendendo para moradores de Goiânia.” Natural da cidade de Pires do Rio e descendente de italianos, Denis de Castro carrega no sangue a coragem dos imigrantes que atravessaram o atlântico em busca de uma vida melhor. Esta qualidade, aliada à sorte, lhe serviu para fechar bons negócios. O corretor lembra, por exemplo, de uma história em particular. Quando se casou fez um negócio tão bom que a comissão da venda de dois lotes foi suficiente para comprar todos os móveis de sua casa. “Dei todo o dinheiro para minha esposa e disse para ela comprar tudo que precisávamos.” Denis conta que trabalhou como autônomo e nas imobiliárias Bandeirantes e Itacolomi. Sua história se confunde com o ordenamento urbano de Goiânia. Há cer-

“Denis conquistou a simpatia do médico e conhecido milionário Altamiro de Moura Pacheco, grande doador de terras para o município de Goiânia.”

ca de 50 anos, a parte norte da Capital começou a ganhar novas feições com a construção de conjuntos de apartamentos, dando origem aos setores Fama, Vila Operária e dos Funcionários. Mais de 30 novos bairros surgiram neste período. Ele conta que saía de casa de manhã e voltada com dezenas de contratos de venda de lotes assinados. “Nessa época eu vendia uma quadra inteira para uma mesma pessoa”, conta, revelando ainda que chegou a receber como comissão, um porco, um rádio usado e até um frango. Na década de 70, a ditadura militar foi responsável pela exacerbação do nacionalismo e com isso o governo conseguiu fazer a economia nacional crescer a olhos vistos o que ficou conhecido como milagre brasileiro. Nesse período, em Goiás, a população assistiu a construção do Estádio Serra Dourada, à época, um dos mais modernos do país. Os loteamentos urbanos expandiram significativamente, mantendo um alto ritmo de crescimento populacional, que fez com que a cidade chegasse a 1980, com mais de 700 mil habitantes, dos quais 98% vivia em área urbana. Esse aumento demo-


como São Judas Tadeu, Urias Magalhães, Parque Amazonas, Buriti Sereno e Garavelo. Já na década de 90, com a expansão do agronegócio, o Centro-Oeste passou a ser uma nova fronteira de oportunidades. Nessa onda, Denis de Castro também diversificou seus negócios passando a atuar como fazendeiro, investindo em plantações e, claro, na compra e venda de imóveis rurais. Ao mesmo tempo, o corretor conta que se apaixonou pelas corridas de carro e gastou muito dinheiro nessa paixão. Tanto se dedicou que afirma

Metodologia diferenciada Flexibilidade de horário e local de estudos Suporte diário no Polo Cursos autorizados pelo MEC

ter sido um dos responsáveis pela construção do autódromo de Goiânia. Em segundos, milhares de imagens vem à mente, e Denis se recorda de um grande negócio que intermediou. Foi quando uma multinacional comprou uma área de 110 mil m². Na época era preciso muito sigilo. “Me disseram que eu não podia contar nem para minha mulher”. Denis lembra que esta venda lhe teria rendido uma excelente comissão, se ao final da negociação a empresa não tivesse contratado outro corretor. “É por isso que co-

Pólo EAD

gráfico provocou o surgimento de um grande número de loteamentos voltados para as classes de renda mais baixa, em cidades vizinhas, como Aparecida de Goiânia. Para Denis de Castro, quem trabalhou como corretor de imóveis desde essa época não começou a profissão com um diploma na mão, mas aprendeu com a vida e com os próprios erros. “Já vendi mais de cinco mil lotes em Goiânia, em mais de 10 loteamentos, e em alguns casos; vendi e revendi”, conta o corretor que viu nascer setores, hoje, considerados antigos

Ana Paula Vitorino

“Já vendi mais de 5 mil lotes em Goiânia, em mais de 10 loteamentos, e em alguns casos; vendi e revendi”.

mecei a trabalhar apenas com opção de venda”, disse lembrando ainda das palavras de seu avô “é melhor fazer um mal negócio com uma pessoa boa, do que fazer um bom negócio com uma pessoa ruim.” Mas Denis tem a sua própria dica simples para quem está começando a profissão: “Um bom corretor tem que entender de documentação.” Denis não apenas alcançou o tão sonhado sucesso profissional, mas também é um verdadeiro vitorioso na vida pessoal. Fez cinco safenas e superou um câncer, e assim como no poema de Mario de Andrade, tem mais passado do que futuro e por isso, hoje, não se contenta apenas com um bom negócio, quer sentir as coisas de verdade e se dedicar ao prazer de preparar um perfeito molho italiano, receita de família que aprendeu com a mãe e que guarda a sete chaves. E enquanto Goiânia vive a era dos condomínios horizontais e dos lançamentos de luxo, o corretor apenas ri dos seus tropeços e não se envaidece por ser um dos personagens que ajudaram a construir a história do corretor de imóveis goiano.

IDA educ 39


SERVIÇOS

Cotas de adesão são reduzidas para o mercado imobiliário Acordo firmado entre a Secovicred e o Creci-GO garante menor cota para abertura de conta para corretores de imóveis

Além das facilidades já oferecidas, os corretores de imóveis terão uma vantagem a mais ao se tornarem cooperados do Sicoob Secovicred. A Parceria firmada entre o Creci de Goiás e a Cooperativa de Crédito reduziu de R$ 1.500 para R$ 200 o valor da cota de adesão. “Por uma percepção do Conselho e em vista das reivindicações da categoria, fizemos este pedido de redução à Cooperativa, que logo foi acatado. O objetivo é gerar benefício para os corretores que agora podem contar com serviços bancários especializados em mercado imobiliário”, comentou o superintendente do Creci de Goiás, Francisco Viana Lopes.

Thaysa Mazzarelo

Thaysa Mazzarelo

Os superintendentes do Sicoob Goiás e do Creci-GO selam acordo Sílvio Romero Adorno, superintendente executivo do Sicoob Secovicred Goiás, acredita que a redução da cota também será positiva para a instituição financeira: “esta parceria nasceu dentro do Creci e estamos otimistas. Os corretores poderão usufruir de serviços personaliza-

dos e de menores custos.” O superintendente explica que é através do montante das cotas que a cooperativa disponibiliza recursos para atender às necessidades de seus cooperados que, com suas aplicações, formam o patrimônio de referência: “Este capital é fundamental para a

Sobre o Sicoob Secovicred A Secovicred é uma cooperativa de crédito autorizada e fiscalizada pelo Banco Central que oferece produtos e serviços especializados para o mercado imobiliário. Hoje são mais de 1400 associados que desfrutam dos seguintes serviços: conta corrente, cobrança bancária, débito automático de con-

40

tas, cartões de crédito e débito, Internet Banking (Sicoobnet), seguros, serviços de autoatendimento, recebimento de contas, DOC, TED, depósito à vista, movimentação por cheques e aplicações financeiras e financiamentos. Conforme o superintendente executivo, a rede SICOOB é a 5ª instituição com

maior número de agências. Em Goiânia, possui quatro postos de atendimento que funcionam das 9h às 16. No interior, os cooperados podem utilizar os postos de atendimento de cooperativas similares e realizar saques no Banco do Brasil e Bradesco, que possuem convênio com as Cooperativas.

formação do nosso negócio, através dele que geramos condições de atender nossos cooperados com menores taxas e melhores serviços”. A gerente de contas do Sicoob Secovicred Goiás, Márcia Adriana Bento, ressalta que o recurso integralizado na abertura de conta, é aplicado e remunerado a uma taxa de 100% da Selic. “No futuro poderá servir como um plano de previdência ou uma poupança”, considera. Entre as prerrogativas garantidas ao associado está a participação nas sobras obtidas pela Cooperativa Sicoob Secovicred ao final do ano. “Todo associado participa das sobras, ou seja, o excedente arrecadado pela cooperativa irá voltar para ele”, comenta a gerente. O valor que deverá ser passado a cada cooperado é decidido mediante Assembleia Geral Ordinária realizada com a participação de todos os membros associados. • Av. D nº 314, Setor Oeste. • Rua 104 nº 672, Setor Sul (Corceg) • Agência Buena Vista: Av. T-4, Setor Bueno • Agência Creci, localizada no Palácio dos Colibris: Rua 56 Jd. Goiás.


41


“Recomendo acompanhar a programação da Galeria Cine Ouro. Lá sempre tem filmes e apresentações de teatro e de música ao vivo, como a Orquestra Sinfônica. Além de tudo, a Galeria possui uma biblioteca e gibiteca bem completa.”

Nielton Santos

Mande sua sugestão para: imprensa@crecigo.org.br

Cultura & Lazer

Cultura & lazer é um espaço para você, corretor de imóveis, relatar o que faz de melhor nos momentos de folga, partilhando com os colegas de profissão por meio de dicas de locais e atividades para a descontração

Ana Paula Vitorino

Juliana Tatagiba, estagiária

“A minha dica de lazer é curtir a natureza. Conheço um lugar muito bom, a Fazenda Santa Branca. Fica próximo à BR-153. Indo para Anápolis. Costumo ir lá para ficar perto da natureza, pescar, nadar, caminhar nas trilhas e andar a cavalo. Num lugar com clima de fazenda fica fácil encontrar alívio para o estresse urbano.”

“Minha dica é o Planetário da UFG, que fica ao lado do Mutirama. É um simulador, uma sala com uma cúpula onde realiza a projeção do céu em uma tela hemisférica, permitindo a visualização de planetas e estrelas como vistos de qualquer ponto sobre a superfície da Terra. Ao mesmo tempo são passadas informações referentes à astronomia. Só existem sessões abertas para a comunidade aos domingos, às 15h30 voltada para crianças e às 16h30 para adultos.” Shirley das Graças Alves, corretora de imóveis

42

“Minha dica é o Lago Verde, um pesque-pague localizado na GO-070, Km 08, no Jardim Primavera, em Goiânia. É um lugar muito bonito e perfeito para relaxar nos fins de semana. Boa estrutura e de fácil acesso.” Murilo Simon, corretor de imóveis

Ana Paula Vitorino

Robinson de Oliveira Almeida, corretor de imóveis


Legislação para o corretor de imóveis

CAPÍTULO XIII Da Corretagem Art. 722. Pelo contrato de corretagem, uma pessoa, não ligada a outra em virtude de mandato, de prestação de serviços ou por qualquer relação de dependência, obriga-se a obter para a segunda um ou mais negócios, conforme as instruções recebidas.

cumbência. (LEI 12. 236 DE 2010).

Art. 723. O corretor é obrigado a executar a mediação com diligência e prudência, e a prestar ao cliente, espontaneamente, todas as informações sobre o andamento do negócio. (LEI 12. 236 DE 2010).

Art. 725. A remuneração é devida ao corretor uma vez que tenha conseguido o resultado previsto no contrato de mediação, ou ainda que este não se efetive em virtude de arrependimento das partes.

Parágrafo único. Sob pena de responder por perdas e danos, o corretor prestará ao cliente todos os esclarecimentos acerca da segurança ou do risco do negócio, das alterações de valores e de outros fatores que possam influir nos resultados da in-

Art. 724. A remuneração do corretor, se não estiver fixada em lei, nem ajustada entre as partes, será arbitrada segundo a natureza do negócio e os usos locais.

Art. 726. Iniciado e concluído o negócio diretamente entre as partes, nenhuma remuneração será devida ao corretor; mas se, por escrito, for ajustada a corretagem com exclusividade, terá o corretor direito à remuneração integral, ainda que realizado o negócio sem

a sua mediação, salvo se comprovada sua inércia ou ociosidade. Art. 727. Se, por não haver prazo determinado, o dono do negócio dispensar o corretor, e o negócio se realizar posteriormente, como fruto da sua mediação, a corretagem lhe será devida; igual solução se adotará se o negócio se realizar após a decorrência do prazo contratual, mas por efeito dos trabalhos do corretor. Art. 728. Se o negócio se concluir com a intermediação de mais de um corretor, a remuneração será paga a todos em partes iguais, salvo ajuste em contrário. Art. 729. Os preceitos sobre corretagem constantes deste Código não excluem a aplicação de outras normas da legislação especial.

43


Ana Paula Vitorino

Social

Dos EUA para o Brasil Líderes de associações de corretores de imóveis dos Estados Unidos estiveram em Goiânia participando do evento Corretor Global. Na foto, ao centro, Teresa King Kinney e Norm Flynn. Ela, presidente da Associação dos Corretores de Imóveis de Miami e Norm, presidente e CEO da International Real Property Foundation.

Ana Paula Vitorino

Entre amigos

Fernando Leite

Ex-conselheiro do Cofeci, morador de Florianópolis, Celso Pereira Raimundo e seu sobrinho Diogo Raimundo Martins fizeram uma visita ao presidente Oscar Hugo. O corretor se emocionou ao ser homenageado pelo presidente com um troféu do Creci de Goiás, em reconhecimento aos seus 30 anos de atuação no Conselho Federal.

Fiscalização premiada

Divulgação

Na Plenária do Cofeci, que aconteceu em Palmas/TO, a equipe de Fiscalização do Creci de Goiás foi premiada com troféu por ter se classificado entre as três mais produtivas do País. Na foto, à esquerda, Claudemir das Neves, diretor nacional de fiscalização, conselheiros do Creci de Goiás, Antônio Spinetti e Eduardo Seixo Brito, Armando Cavalcante, diretor tesoureiro do Cofeci e Marcos Aurélio Oliveira, coordenador de fiscalização do Creci de Goiás.

44

Reconhecimento O procurador Manoel Pereira Dias foi o representante do presidente Oscar Hugo Monteiro Guimarães, em homenagem prestada durante a Noite Imobiliária. Na foto, momento em que o procurador recebe o troféu MMI. Cida Moreira, membro da Confraria das Mulheres, entidade organizadora do evento, afirma que Oscar Hugo assumiu a liderança da categoria dos corretores de imóveis e promoveu mudanças substanciais, principalmente no tocante à qualificação.


Creci na mídia

No dia 3 de Abril, o Jornal O Popular, publicou no caderno Magazine, matéria da jornalista Ana Carolina Guimarães, sobre a Exposição Permanente do Artista Plástico Di Magalhães, no Palácio dos Colibris.

No dia 27 de fevereiro, o Creci de Goiás credenciou 300 novos corretores de imóveis para atuarem no mercado goiano. Em solenidade de entrega de carteiras, os profissionais puderam compreender melhor o funcionamento e os objetivos dos conselhos regionais, em palestra ministrada pelo presidente do Creci de São Paulo, José Augusto Viana. O evento foi destaque na coluna Café da Manhã, do Jornal Diário da Manhã, assinada pelo jornalista Ulisses Aesse.

De janeiro a maio de 2012 o Conselho Regional de Corretores de Imóveis foi notícia para os veículos de comunicação de todo o Estado. Foram totalizados:

21 espaços de mídia espontânea, sendo: 3 exibições em telejornais; 5 entrevistas concedidas em emissoras de rádio;

O Creci de Goiás foi notícia na TV Brasil Central, que entrevistou o presidente, Oscar Hugo e veiculou reportagem sobre o evento Corretor Global, realizado no dia 12 de abril.

11 em jornais impressos

e

3 em sites.

45


Para refletir

46

Recomeçar... (Carlos Drummond de Andrande)

Não importa aonde você parou... Em que momento da vida você cansou... O que importa é que sempre é possível e necessário “Recomeçar”. Recomeçar é dar uma chance a si mesmo... É renovar as esperanças na vida e o mais importante... Acreditar em você de novo. Sofreu muito nesse período? Foi aprendizado... Chorou muito? Foi limpeza da alma... Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia... Sentiu-se só por diversas vezes? É porque você fechou as portas até para os anjos... Acreditou que tudo estava perdido? Era o início da sua melhora... Pois é... Agora é hora de reiniciar... De pensar na luz... De encontrar prazer nas coisas mais simples de novo... Que tal um novo emprego? Um corte de cabelo arrojado... Diferente? Um novo curso... Ou aquele velho desejo de aprender a pintar... Desenhar... Dominar o computador... Ou qualquer outra coisa... Olha quanto desafio... Quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus, o esperando.

Está se sentindo sozinho? Besteira... Tem tanta gente que você afastou com o seu “período de isolamento”... Tem tanta gente esperando apenas um sorriso seu para “chegar” perto de você. Quando nos trancamos na tristeza... Nem nós mesmos nos suportamos... Ficamos horríveis... O mau humor vai comendo nosso fígado... Até a boca fica amarga! Recomeçar... Hoje é um bom dia para começar novos desafios. Aonde você quer chegar? Ir alto... Sonhe alto... Queira o melhor do melhor... Queira coisas boas para a vida... Pensando assim trazemos para nós aquilo que desejamos... Se pensamos pequeno... Coisas pequenas teremos... Já se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente, lutarmos pelo melhor, o melhor vai se instalar na nossa vida. E é o hoje o dia da faxina mental... Joga fora tudo que te prende ao passado... Ao mundinho de coisas tristes... Fotos... Peças de roupa, papel de bala... Ingressos de cinema, bilhete de viagens... E toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados... Jogue tudo fora... Mas, principalmente, esvazie seu coração... Fique pronto para a vida... Para um novo amor... Lembre-se: somos apaixonáveis... Somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes... Afinal de contas... Nós somos o “Amor”.


Revista Painel Imobiliário - 8° edição  

Para quem tem curiosidade de saber como é o mercado imobiliário nos EUA essa edição traz: - Entrevista com a presidente da NAR; - Como o cor...

Revista Painel Imobiliário - 8° edição  

Para quem tem curiosidade de saber como é o mercado imobiliário nos EUA essa edição traz: - Entrevista com a presidente da NAR; - Como o cor...

Advertisement