Page 1

Publicação do Conselho Regional g de Corretores de Imóveis do Estado de Goiás

CRECI-GO CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS 5ª REGIÃO / GO

EDIÇÃO 10 - GOIÂNIA, FEVEREIRO DE 2013

“IMPRESSO - ENVELOPAMENTO AUTORIZADO PODE SER ABERTO PELA ECT”

Mercado imobiliário em 2013

O que esperar do setor para este ano? Construtores e incorporadores contam seus projetos e expectativas de crescimento

Mapa de regiões Conheça os fatores que levaram a valorização do Jardim Goiás e Alto da Glória

Entrevista Presidente do Conselho de Educação, Geraldo Santana, faz análise da qualificação da categoria e revela planos para o futuro da educação no segmento

Imposto de renda Obrigações e alternativas para a declaração do corretor de imóveis

ISTI - Redução da alíquota foi aprovada pela Câmara Municipal


hugo@oscarhugo.com.br

OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES - presidente do Creci de Goiás

Palavra do Presidente

O estagiário De acordo com a Lei 11.788/08, que regulamenta o estágio nas empresas, temos: Art. 1º Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam frequentando o ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos. § 1º O estágio faz parte do projeto pedagógico do curso, além de integrar o itinerário formativo do educando. § 2º O estágio visa ao aprendizado de competências próprias da atividade profissional e à contextualização curricular, objetivando o desenvolvimento do educando para a vida cidadã e para o trabalho. Conforme a Lei e o significado da própria palavra estágio, sabemos que essa função é exercida por estudantes, que estão APRENDENDO a trabalhar na profissão escolhida. É obrigação da instituição de ensino a sua interveniência para que o contrato seja cumprido fielmente. A Lei 11.788/08 em seu Art. 9º ítem III diz: – indicar funcionário de seu quadro de pessoal, com formação ou experiência profissional na área de conhecimento desenvolvida no curso do estagiário, para orientar e supervisionar até 10 (dez) estagiários simultaneamente; Mas o que está acontecendo em Goiás e no Brasil, a respeito do estágio? Temos visto o estagiário exercendo a função do profissional Corretor de Imóveis, em toda a sua plenitude, sem o devido preparo. Em razão do que está acontecendo no Estado de Goiás, embasado na Resolução 06/12 do CNE/CEB-Conselho Nacional de Educação, e na Instrução Normativa 001/12 do CEE-GO-Conselho Estadual de Educação de Goiás, o Creci-GO publicou o Ato 01/13, proibindo o estágio de alunos matriculados em Instituições de Ensino fora do Estado e que não tenham polo em Goiás.

ry leu aF leri Va

O Creci-GO preocupa com a segurança, a organização e o disciplinamento do mercado imobiliário, a sociedade tem que ter segurança no ato de aquisição do seu imóvel. Por isso a presença do corretor de imóveis é de suma importância, ele é um profissional que está capacitado para dar toda a assessoria nas negociações e de acordo com o Art. 723 do Código Civil é responsável por todas as informações sobre a segurança e o risco do negócio, respondendo por perdas e danos. É importante fazer um alerta à sociedade e às empresas: o estagiário não responde por perdas e danos em uma transação imobiliária mal feita, o responsável pelo seu estágio é que responde. Sempre exija da pessoa que o está atendendo a sua identidade profissional, para verificar se você está sendo atendido por um Corretor de Imóveis ou um estagiário, se for estagiário o seu supervisor tem que estar lhe dando apoio.

3


EXPEDIENTE Em contato com o setor de comunicação do Creci-GO : imprensa@crecigo.GOV.br

CRECI-GO CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS 5ª REGIÃO / GO

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 5ª Região-GO é uma autarquia federal de disciplina e fiscalização da profissão de corretor de imóveis. Regulamentada pela Lei Federal 6.530/1978 Endereço: Rua 56 Nº 390, Palácio dos colibris, JARDIM GOIÁS, goiânia-GO - CEP: 74810-240 - Fone/ fax: 62 3236-7350 - Homepage: www.crecigo.gov.br, E-mail: crecigo@crecigo.GOV.br

Entrevista

6

Na minha opinião

9

Educação para a cidadania – José Geraldo Santana

Expo Realtor - A maior feira mundial do ramo imobiliário – Marcus Henrique Ferreira

O que acontece por aí

10

Diretoria: OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES, EDUARDO COELHO SEIXO DE BRITO, RAFAEL NASCIMENTO AGUIRRE, JUSCEMAR ANTÔNIO DE OLIVEIRA, JACKSON JEAN SILVA, WÁLTER SÃO FELIPE, JAIR REIS DE MELO.

De olho na lei

12

Conselheiros: ANA MÔNICA BARBOSA DA CUNHA, ANTÔNIO ALVES DE CARVALHO, ANTÔNIO ROSA DE MESQUITA, ANTÔNIO SPINETTI ALVES, CARLOS CÉSAR LEMOS DO PRADO, EDUARDO COELHO SEIXO DE BRITO, ELMO MONTEIRO CLEMENT AGUIRRE, FRANCISCO CARLOS LOBO, GERALDO DIAS FILHO, JACKSON JEAN SILVA, JAIR REIS DE MELO, JOÃO BENICIO GOMES, JOÃO PEDRO VIEIRA, JOSÉ MACHADO RESENDE, JOSÉ MÁRCIO MOREIRA SANTOS, JUSCEMAR ANTÔNIO DE OLIVEIRA, lEANDRO DAHER DA COSTA, LUIS CLEMENTE BARBOSA, MARCIO ANTONIO FERREIRA BELO, MARCO ANTONIO DE OLIVEIRA, MARIA FRANCISCA ALVES CARVALHO, OMAR ATAÍDES DE CASTRO, OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES, RAFAEL NASCIMENTO AGUIRRE, RICARDO ALVES VIEIRA, WALTER SÃO FELIPE, WILDES MARCOS FAUSTINO.

Artigo

15

Convênios

18

Vocabulário do corretor de imóveis

19

Mercado

20

Parceiros

24

Tecnologia e produtos

25

Mapa de regiões

26

Suplentes: ADEMIR SILVA, ANDRÉ LUIZ FRANÇA DE MELO, ALEXANDRE GUIMARÃES ROSA DE MOURA, CELSO MONTEIRO BARBUGIANI, CÉSAR FELICIANO DE OLIVEIRA, CLAUDIO GONÇALVES DE ARAUJO, EDGARD FURTADO MARTINS, EVALDO EULER DUARTE DE ALMEIDA, FRANCISCO LUDOVICO MARTINS, HELDER JOSÉ FERREIRA PAIVA, ISMAILDE GOMES DA SILVA, JOSÉ HUMBERTO MARTINS VIEIRA CARVALHO, JOSÉ VIRGÍLIO FERREIRA FILHO, LUCIMAR ALVES ELIAS, LUIZ ANTÔNIO DO NASCIMENTO, LUIZ ANTÕNIO MADY MARGORETH ALVES DE CASTRO GUIMARÃES, MARIA APARECIDA DIONÍSIO, MURILO SOUSA DE ANDRADE, NEILA ETERNA DE MORAES NASCENTE, PEDRO ANTÔNIO COTECHESKI BOBROFF, RODRIGO PAULLUS BARRETO MACHADO, RONALDO ODORICO VEIGA, SAUL PEREIRA DA COSTA, VALGMAR DOMINGOS TAVARES, VALONI ADRIANO PROCÓPIO, VERONDE ANTÔNIO DE OLIVEIRA.

A Revista Painel é uma publicação do CRECI-GO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO: Thaysa Mazzarelo ANA PAULA VITORINO Diagramação: Neide Ataíde - GO-2690 JD REVISÃO ORTOGRÁFICA: DOUGLAS RODARTE COMERCIAL: OBJETIVA COMUNICAÇÃO E MARKETING - objetivacomercial@ig.com.br QI EMPRESARIAL - bosco@qiempresarial.com Revisão jurídica: FERNANDO DE PÁDUA - OAB 17840 Tiragem: 13.000 exemplares Fotolito e impressão: FLEX GRÁFICA

w w w. c r e c i g o . g o v. b r

4

Sumário

Avaliação imobiliária Novas regras para inscrição de pessoa física Desconto no primeiro imóvel Aprovada redução do ISTI CNE restringe estágio

Exclusividade imobiliária – Mariana Ferronato Estabeleça seu campo de trabalho e objetivos – George Duarte

Traduzindo o ‘tributarês’ Expectativas para 2013

Jardim Goiás e Alto da Glória

+ que corretor 32 Direto do Creci

34

Social

36

Creci na mídia

38

Para refletir

39


5


presidente do Conselho Estadual de Educação de Goiás

JOSÉ GERALDO SANTANA

entrevista

Educação para a cidadania josé geraldo santana defende que as instituições de ensino devem levar a pessoa ao seu pleno desenvolvimento profissional e não apenas para o trabalho Ana Paula Vitorino “Não se esqueçam que vocês são corretores de imóveis, não para o mercado do trabalho, mas para o mundo do trabalho”. Este foi apenas um dos recados do presidente do Conselho Estadual de Educação de Goiás, José Geraldo Santana, ao apadrinhar uma das turmas de novos corretores de imóveis, em solenidade de entrega de carteiras profissionais, realizada no Palácio dos Colibris. Formado em História, pela Universidade Federal de Goiás e bacharel em Direito, pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás, o professor é uma referência na área de educação. Para ele, todo profissional tem um compromisso com a construção da cidadania. “Ética não é palavra vazia, ética é cidadania. Nós não podemos almejar a transformação brasileira sem a ética”, disse ao citar vários artigos da Constituição da República que dizem respeito ao dever ético de cada profissional, de servir a sociedade

6

com honestidade e eficiência. Em entrevista, o professor fala sobre o trabalho dos Conselhos de Educação no combate às fraudes e à venda de diplomas e qual a punição para esse tipo de crime.

esses objetivos. Quanto a preocupação do Creci, na sua efetiva participação na busca pela qualidade, o Conselho só tem a louvá-lo porque esta é uma demonstração de

Como o Conselho Estadual de Educação se posiciona sobre a questão da qualificação dos corretores de imóveis? Como vê a preocupação do Creci com a qualidade desses profissionais? A educação, nos termos do artigo 205 da Constituição da República, tem três objetivos. O primeiro é o pleno desenvolvimento da pessoa; o segundo, o seu preparo para o exercício da cidadania; e terceiro, a sua qualificação para o trabalho. Então, o Conselho Estadual de Educação, como órgão normatizador da educação e do sistema educativo no Estado de Goiás, tem o dever de cuidar e zelar para que as escolas cumpram com

compromisso com a construção da cidadania, com o Estado democrático de direito. A parceria celebrada entre o Conselho Estadual de Educação e o CRECI, e agora também com o Conselho Federal dos Corretores de Imóveis e a


Foto: Delzito

“A educação, nos termos do artigo 205 da Constituição da República, tem três objetivos. O primeiro é o pleno desenvolvimento da pessoa; o segundo seu preparo para o exercício da cidadania; e terceiro, a sua qualificação para o trabalho” nossa expectativa com todos os Conselhos Estaduais de Educação, por certo, irá produzir bons frutos e vai permitir um maior rigor, não só na autorização dos cursos técnicos e também nos cursos tecnológicos, bem como na sua avaliação e supervisão, que é um dever não só do Conselho Estadual de Educação, bem como de todo cidadão. Como o Creci pode contribuir com o Conselho de Educação? O Creci tem uma responsabilidade social que é a de zelar para que os profissionais que são de sua competência, que são por ele abrangidos, realmente cumpram a sua função social de bem servir a sociedade. O Creci conhece a realidade dos profissionais, dos corretores de imóveis em todo o estado de Goiás, e o Cofeci conhece a realidade de todo o Brasil, então é preciso que eles levem aos respectivos concílios de educação as suas preocupações e os seus conhecimentos sobre os cursos que não estão formando adequadamente os profissionais que estão entregando à

sociedade, ao mercado de trabalho, profissionais que não estão qualificados. Os conselhos de educação, recebendo essas informações, essas preocupações, têm o dever de averiguar a veracidade delas e se confirmadas, o que quase sempre o é, lamentavelmente, têm o dever de tomar medidas para que isso não se repita, chegando inclusive a descredenciar as instituições de ensino que não cumprem com a sua finalidade social que é a de bem formar os profissionais que vão servir a sociedade. Nesse aspecto entra em pauta a discussão sobre a diferença entre educação distante a à distancia. Qual a diferença entre elas? Com o desenvolvimento dos meios tecnológicos que nós alcançamos, hoje, deveríamos ter uma educação sem distância, uma educação que abrangesse, no caso do Brasil, todos os seus 5.565 municípios. A educação à distância já é presente e será, sem dúvida nenhuma, um esteio no futuro da educação no mundo inteiro. Agora, lamentavelmente o que nós

7


Foto: Delzito

“A educação à distância já é presente e será, sem dúvida nenhuma, um esteio no futuro de educação no mundo inteiro”

temos é uma educação distante, quer dizer, são instituições que logram êxito na aprovação da oferta de cursos à distância e que o fazem sem que esses cursos tenham qualidade. O fazem de forma precária, sem nenhuma estrutura, sem nenhuma preparação dos profissionais, e é por isso que nós costumamos dizer que, nesse caso, não temos uma educação à distância, mas sim uma educação distante. Existe punições para estas escolas que praticam essa educação distante? De que forma o Conselho de Educação identifica estas instituições e as pune? Existe punições em duas

8

esferas. Na esfera administrativa, que é da competência dos conselhos de educação: essa punição é do descredenciamento e da cassação de seu ato autorizador, e na outra esfera, a penal: é em relação a dois crimes praticados; de falsificação de documento público, no caso de certificado de conclusão, ou de ensino médio, ou de diplomas de cursos técnicos; e de crime de

falsidade ideológica. O Conselho, quando toma conhecimento de que há uma instituição atuando irregularmente, procura averiguar, designar uma equipe técnica para visitá-la e, constatada a irregularidade, a medida é a da cassação do ato autorizador e o envio da notícia-crime ao Ministério Público, titular da Ação Penal, para que sejam tomadas as providências cabíveis.

“A parceria (...) irá produzir bons frutos e vai permitir um maior rigor, não só na autorização dos cursos técnicos e tecnológicos, mas também na sua avaliação e supervisão”

É prevista uma punição para pessoa ou estudante que se envolver em algum caso específico? O estudante também comete os dois crimes, de falsidade ideológica e o crime de corruptor, quer dizer, seria o agente ativo na prática da falsificação de documentos públicos, logo, a pena é a mesma a ser cumprida pelas escolas. O estudante só não será punido no caso administrativo, uma vez que ele não depende de nenhuma autorização do Conselho Estadual de Educação para atuar, mas ele não poderá exercer a sua profissão, se comprovado que seu diploma foi adquirido de forma irregular. 


mhenrique@atresimoveis.com.br

Marcus Henrique Ferreira - corretor de imóveis

Na minha opinião Thaysa Mazzarelo

Marcus Henrique Ferreira Graduado em Negócios Imobiliários pela UEG, pós graduado em Operações Imobiliárias, sócio proprietário da Atrês Imóveis e da Atrês Prime Corretora de Seguros, Especialista em Gestão Condominial pela Tecnoponta-SP, instrutor de inglês e palestrante.

Expo Realtor - A Maior Feira Mundial do ramo Imobiliário A cada fim de ano acontece nos Estados Unidos, A Expo Realtor - maior feira do mercado imobiliário no mundo. Em 2012, a conferência ocorreu em Orlando-Flórida. Um grande espetáculo repleto de novidades. Estive presente e exponho três fatores que me chamaram a atenção: 1. A profissão imobiliária nos Estados Unidos: Nos estandes de tecnologia grande parte dos sistemas eram comercializados em duas versões: a “agent”, para os corretores de imóveis; e a versão “broker”, voltada para os donos de empresas. Um corretor só pode vender imóveis através de uma empresa, e esta por sua vez, tem que cumprir alguns critérios para se qualificar como tal. Mais tarde, trabalhando na imobiliária de São Francisco-CA, descobri que a competição por bons corretores é extremamente agressiva e, deixá-los bastante motivados, é a preocupação principal das empresas. Nos EUA, assim como no Brasil, a profissão é competitiva. Poucos conseguem se destacar e, além disso, o valor médio dos ganhos mensais com comissão, registrados pelo órgão regulador no país (U$ 34 mil/ano ou cerca de U$ 2.800,00/mês – ou em reais: R$ 5.500/mês), é considerado baixo para o padrão americano. Para se iniciar como corretor de imóveis nos EUA, o candidato tem que fazer uma prova e outros cursos anuais, em forma de educação continuada, sob pena de ter sua licença suspensa pelo órgão regulador. Um aspecto interessante em São Francisco, (não

sei se em outros estados funciona dessa forma), é que todo o dinheiro recebido pela venda de um imóvel é pago para uma empresa, escolhida geralmente pelo comprador, que por sua vez, faz a divisão dos valores entre as partes envolvidas na negociação. 2. As Franquias Imobiliárias, Marketing e Motivação dos “Agents”. Apesar de não ter se recuperado totalmente da crise de 2008, o mercado imobiliário americano tem mostrado bons sinais de melhora. Algumas partes do país, como São Francisco, por exemplo, nem foram afetadas e os preços dos imóveis continuam em alta devido ao grande número de milionários do Vale do Silício. As franquias suprem bem o papel de fornecer modelos estruturados de empresas, facilitando a captação de “brokers”. O sistema de marketing, bem como todo o merchandising oferecido aos franqueados impressiona pela qualidade das peças. Os estandes da feira (os maiores por sinal) e a agressividade com que procuram captar franqueados é definitivamente um dos motores que movimentam o mercado imobiliário norte americano. No entanto, na prática do trabalho diário e em conversas com o Sr. Mathew (diretor da Zephyr), notei que boas idéias existem em todas as redes e que existem formas de remuneração mais interessantes do que as franquias oferecem, pois, neste mercado, o que conta mesmo é a dedicação dispensada ao cliente. A motivação dos corretores vem do “plano de carreira” e das reuniões semanais com

resultados e amostragens dos detalhes das empresas. Tudo no mercado de lá é baseado em um cronograma estruturado, com apresentação impecável e totalmente participativa por parte dos corretores. 3. A Tecnologia no dia-a-dia do Setor Imobiliário Redes sociais, projeções de imagens e vídeos imobiliários, redução de papel (sistemas “paperless”), sistemas de “back-office” e padronização de sistemas de informação mercadológica através da MLS (Multiple Listing Search ou Listas de Procuras de Imóveis). Nem todas as tecnologias apresentadas na feira internacional funcionariam aqui no Brasil, bem como os conceitos de lá, que precisariam de um ‘toque brasileiro’ para funcionar em nosso país. Talvez, pensando um pouco mais, algumas delas necessitariam de vários anos para serem absorvidas pelos clientes. Porém, acredito que devido a crise financeira na Europa e Estados Unidos e, com tantos brasileiros voltando para a nossa terra, poderíamos implementar algumas mais fa-cilmente em nossa cultura, trazendo melhorias, inovações, oportunidades e facilidades para o nosso trabalho diário. Mas o que realmente me marcou foi uma frase de um dos maiores especialistas motivacionais dos EUA, Sr. Brian Buffini: “esqueça a maioria das inovações tecnológicas. IMPORTE-SE com seu cliente, saiba seu nome, conheça sua família. Volte-se para o fundamental que começa com “Fun” (diversão), então, sempre “Have Fun” (Divirta-se).

9


›› Comercial e sustentável Garden Office Já pensou em dar uma pausa no trabalho em meio a jardins e paisagens exuberantes? É esta a experiência que a Opus Inteligência Construtiva quer proporcionar com o empreendimento comercial Connect Park Bussiness. O prédio foi construído dentro do conceito, já utilizado na Europa, de Garden Office, em que os espaços planejados possuem área verde em seu interior, nos chamados “andares verdes”. Levando a máxima que viver bem é trabalhar bem, a construtora coloca em prática o conceito de Green Building.

Divulgação

›› De volta ao passado

O retorno das penteadeiras

Thaysa Mazzarelo é assessora de comunicação do Creci-GO. Envie sua sugestão de matéria para thaysa@crecigo.gov.br

10

Alto padrão com itens exclusivos. O Parque Flamboyant 56, da joint-venture Toctao Rossi, traz possibilidades de customização pelos clientes que pode ser resumida em um elemento de seu apartamento decorado: a penteadeira, localizada no quarto do casal. O item recebeu repaginação pelas mãos da arquiteta Fernanda Marques, ganhando ar de modernidade, mas continua com a mesma proposta de compor a rotina diária de beleza da mulher. A intenção é estimular o hábito do cuidado pessoal mesmo em meio a intensa jornada que a mulher moderna vivencia.

Garagem para carro elétrico A frente de seu tempo, a City Soluções Urbanas, a Oliveira Melo e a FR Incorporadora erguem prédio comercial que possui vagas especiais, com tomadas adaptadas para o abastecimento de carros elétricos. Já preparado para uma futura popularização deste tipo de veículo, o Buena Vista Office Design será a alternativa para quem não possui a tecnologia em sua residência. Democrático, o sistema possui medidor separado do restante da energia do prédio, permitindo com que a conta seja dividida somente entre aqueles que utilizam o serviço.

Divulgação

thaysa@crecigo.gov.br

Thaysa Mazzarelo - assessora de comunicação

O que acontece por aí

OFERECER MAIS QUE UM EMPREENDIMENTO, UM ESTILO DE VIDA. É O QUE CONSTRUTORAS E IMOBILIÁRIAS TÊM PROPORCIONADO AOS SEUS CLIENTES. CONHEÇA ALGUNS DOS CONCEITOS UTILIZADOS NOS ÚLTIMOS LANÇAMENTOS:


›› Apostando na qualidade de vida Divulgação

Sob a sombra das mangueiras

Tudo perto Localização é um dos critérios essenciais na escolha de um imóvel. Imagine então quando ela permite que você deixe o carro em casa e faça tudo à pé. Este é o diferencial do Walk Bueno Business & LifeStyle, da EBM, que possui o conceito de walking distance. Situado em eixo comercial da cidade e próximo ao Parque Vaca Brava, o empreendimento, constituído de apartamentos residenciais, comerciais e lojas, conta com toda a infraestrutura de comércio e restaurantes que seu endereço lhe garante.

Divulgação

A Loft Construtora traz de volta o quintal. E desta vez, surpreendentemente, nos empreendimentos verticais. Em uma área com mais de 2.856m², foram mantidas imensas mangueiras cinquentenárias, que trazem de volta os tempos saudosos da infância e os momentos de lazer compartilhados em família. Localizado separadamente às torres, sob a sombra das árvores, o quintal do Ecovillagio Castelo Branco abrange completa área de lazer, com piscinas, playgroud, quadra de esportes, entre outros espaços, e serve de vista para a academia de ginástica.

Dupla função

Divulgação

É comercial e ao mesmo é hotel. O QS Two Hands, da Queiroz Silveira, possui duas torres: uma de apartamentos para hospedagem, que serão administrados pela Atlântica Hotels International, e outra de salas de escritórios, com serviços pay-per-use. O conceito de mixed-use foi usado no empreendimento com o objetivo de receber quem vem a Goiânia fazer turismo comercial e atender a demanda por leitos existente na capital. A concepção do projeto foi aprovada, principalmente pelos investidores, que adquiriram todas as unidades do hotel em apenas uma hora após a abertura das vendas.

Complexo de saúde A Tropical Urbanismo, a FR Incorpotadora, a Artefato e a Joulie Engenharia buscaram a consultoria de especialistas em arquitetura hospitalar, tecnologia e design europeu para criar o Órion Bussiness &Health Complex. O empreendimento abrange 356 salas clínicas, 308 salas comerciais, hospital com 20 salas de cirugia, 150 leitos, centro de diagnóstico e laboratorial, e estrutura de apoio com shopping center, hotel, estacionamento, Centro de Convenções e heliponto. As salas comerciais, o centro clínico e o hotel serão comercializados, já as outras áreas serão abertas à investidores com cotas de participação, como no caso do shopping center.

11

Divulgação

›› Empreendimentos mistos


Avaliação Imobiliária Justiça assegura atribuição aos corretores de imóveis

de olho na lei

12

Após anos consecutivos de tramitação, o Sistema Cofeci-Creci ganhou, em última instância, o processo que assegura aos corretores de imóveis a atribuição legal de realizar avaliações imobiliárias em todo o território brasileiro. “Com a decisão final do Poder Judiciário não há mais o que discutir. A Resolução Cofeci nº 957/2006, depois aperfeiçoada com a Resolução Cofeci nº 1.066/2007, que a substituiu, não pode mais ser contestada judicialmente”, disse o presidente do Sistema Cofeci-Creci, João Teodoro da Silva. Segundo o vice-presidente de Avaliações Imobiliárias do Sistema Cofeci-Creci Luiz Fernando Barcellos eram propostas ações judiciais em diferentes estados da federação, impugnando “laudos de avaliação” produzidos por corretores de imóveis e contestando ser esta uma atribuição legal da categoria. “Ao longo dos anos, decisões divergentes somaram-se nos dois sentidos, a favor e contra os pareceres emitidos por corretores de imóveis, sem a formação de jurisprudência, mas agora, com a decisão proferida em última instância, o duelo judicial chega ao final, com a vitória dos corretores de imóveis”. Em 2006, após uma profunda e meticulosa análise da fundamentação legal que embasava a argumentação dos engenheiros para justificar sua reivindicação de exclusividade na atribuição de avaliar bens, o

Fotos: Divulgação

Ana Paula Vitorino

Sistema Cofeci-Creci, na gestão de João Teodoro da Silva, decidiu entrar na briga para valer. Instituiu por Resolução a função de avaliador imobiliário, criou o CNAI (Cadastro Nacional dos Avaliadores de Imóveis) e foi à Justiça, sempre que necessário, para defender a categoria. Para complementar, o Cofeci determinou que, para avalizar bens, o profissional imobiliário deve se submeter a um curso específico. Somente após essa complementação na formação profissional, o corretor de imóveis pode se inserir no CNAI – o cadastro de profissionais aptos a realizar avalizações de imóveis chancelado pelo Cofeci. “Agora, buscaremos junto à Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT incluir nas normas da série NBR 14653 a avaliação mercadológica de imóveis como uma das modalidades de avaliação, e o corretor de imóveis legalmente inscrito no CNAI como o profissional habilitado a realizá-las”, antecipa Barcellos.

O advogado do Creci de Goiás, Lourival Júnio Oliveira Bastos, avalia: “em suma, com a conclusão da demanda, os corretores de imóveis não irão notar mudança em relação ao que hoje já está disciplinado e regulamentado pela Resolução do Cofeci 957/20006, aperfeiçoada com a 1.066/2007. Apenas não poderá mais ser discutido judicialmente a atribuição legal dos corretores de imóveis para realizarem avaliações imobiliárias”. A procura por cursos de qualificação em Avaliação de Imóveis para corretores é crescente e o conteúdo dos trabalhos produzidos atinge nível cada vez mais alto. Com a credibilidade e confiabilidade das avaliações mercadológicas emitidas por corretores e a divulgação feita pelo Cofeci, cresce o número de acessos ao CNAI, que já disponibiliza uma relação com mais de dez mil avaliadores, em todo o território brasileiro. O acesso a essas informações é gratuito, no sítio do Conselho Federal: www.cofeci.gov.br.


Novas regras para inscrição de pessoa física Desde dezembro de 2012 foram instituídas novas regras para inscrição principal de pessoa física junto ao Creci de Goiás. Através do Regimento Interno e da Resolução do Cofeci nº 013/78, passaram a ser exigidos os seguintes documentos: Certidões Negativa

Cível e Criminal/Goiás e Federal Seccional Goiás e Certidão Negativa de Protestos dos Cartórios da cidade residente do solicitante. Os documentos somam-se aos já solicitados para obtenção da inscrição; como diploma do curso de TTI ou superior,

além dos documentos pessoais. As certidões também passam a ser requeridas para inscrições secundária e transferência. O objetivo da Portaria nº 334/2012 é preservar os interesses e direitos da coletividade e da própria categoria, mantendo a credibilidade do

profissional, e tendo como requisito essencial a confiança. Para mais informações sobre a documentação necessária para obter a inscrição junto ao Creci de Goiás, visite a página do Conselho, em www.crecigo. org.br, vá em Canal do Corretor e depois em Inscrições e Taxas.

ração concedida pelo agente financeiro ou do próprio comprador. O desconto também se aplica aos imóveis financiados pelo programa Minha Casa, Minha Vida. Caso o comprador se

enquadre nas especificações da Lei e mesmo assim o cartório se recuse a conceder o benefício, o consumidor pode procurar ajuda do Ministério Público Estadual.

Quem compra o primeiro imóvel, financiado pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) ou através do Programa Minha Casa, Minha Vida, tem direito a desconto nos valores cobrados pela escritura e registro no cartório. O primeiro benefício está previsto na legislação desde 1973, através do Artigo 290 da Lei nº 6.015 que tem o seguinte texto: “os emolumentos devidos pelos atos relacionados com a primeira aquisição imobiliária para fins residenciais, financiada pelo Sistema Financeiro da Habitação, serão reduzidos em 50%”.

Foto: Divulgação

Desconto no primeiro imóvel

Segundo o cartório de registro de imóveis da 2º circunscrição, para obter o benefício basta apresentar a certidão cartorária, declaração de imposto de renda ou decla-

13


Primeiramente, aprovado pela Câmara de Vereadores, por unanimidade, o projeto de redução definitiva da alíquota do Imposto de Transmissão de Imóveis (ISTI), de 3,5 para 2% entra em vigor a partir da sansão do Prefeito Paulo Garcia. Ao enviar o projeto, o Prefeito argumentou que além da vantagem ao contribuinte, haverá aumento na arrecadação de receita aos cofres municipais possibilitando a realização de obras e serviços de interesse da coletividade. O vereador Anselmo Pereira disse que a aprovação da matéria significa justiça tributária já que mais de 30 mil

Fotos: Divulgação

Aprovada redução do ISTI

contratos de gaveta poderão ter as escrituras lavradas. O parlamentar lembrou também que a alíquota de 3,5% é uma das maiores do país. Segundo o vereador Tayrone Di Martino o projeto é de interesse, tanto

das entidades ligadas ao setor, quanto da sociedade. “Acredito que a partir de março a população já poderá se beneficiar”, disse Tayrone. Desde 2010, o Creci de Goiás é parceiro das en-

tidades ligadas ao mercado imobiliário na luta pela redução da alíquota. Em 2011 o projeto foi aprovado e ficou vigente por 3 meses. O Conselho retomou a solicitação de redução ao prefeito no ano passado, mas na época a lei não pôde ser sancionada devido à legislação eleitoral. Essas etapas que contribuíram para a conquista final do setor imobiliário: da redução definitiva da alíquota. “A nova alíquota irá facilitar a realização da escritura para quem acabou de comprar um imóvel e ainda permitir que os contratos de gaveta sejam revistos”, comentou o presidente do Creci, Oscar Hugo.

CNE proíbe realização de estágio de alunos das instituições de ensino sem pólo e fora de sua base O estágio é o primeiro contato do profissional com o mercado de trabalho e consiste na aplicação do conhecimento adquirido na sala de aula. Para regular e zelar por uma boa prática do estágio na profissão de corretor de imóveis, o Creci de Goiás proibiu, com base na Resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE) nº 06/12 e na instrução normativa nº 001, do Conselho Estadual de Educação de Goiás, por meio de decisão de diretoria,

14

que estudantes matriculados em instituições de ensino que não tem matriz ou pólo autorizado no Estado de Goiás realizem estágio. Em resumo, a determinação limita aos estudantes de escolas com pólo em Goiás, a possibilidade de realizar o estágio em empresas goianas. Desta forma, a medida impossibilita a realização de fraudes. “O ato apenas reforça as determinações do Conselho Estadual de Educação”,

comenta o presidente do Creci de Goiás, Oscar Hugo Monteiro Guimarães.

Acesse www.crecigo. gov.br e conheça o texto do ato publicado pelo Conselho.


marketinngimob@gmail.com

Mariana Ferronato - Idealizadora do blog Marketingimob

Artigo Ana Paula Vitorino

Mariana Ferronato Idealizadora do Marketingimob. com, publicitária, gerente de marketing do Portal Imobiliário Viva Real, colunista de revistas do segmento e palestrante em eventos do setor. Artigo publicado na Revista Imoveis News/Janeiro

Exclusividade imobiliária Até que ponto não temos certa culpa em sua baixa adesão? Mais segurança, atendimento personalizado e velocidade na venda. Estes são alguns benefícios daqueles proprietários que optam em comercializar seu patrimônio através da exclusividade. Hoje, é crescente as reclamações quanto à dificuldade para que o proprietário opte por este modelo de atendimento. Na grande maioria das cidades, conseguir convencer os proprietários sobre os benefícios da exclusividade é cada vez mais difícil. O fato é que argumentos como os já mencionados são vagos, e para um mercado tão competitivo e veloz, atrelado a um consumidor cada vez mais exigente, a exclusividade como é oferecida não parece uma opção tão atrativa quanto deveria ser. Ok. É difícil os clientes aderirem à exclusividade, então colocamos a culpa nos clientes, na desqualificação dos profissionais, no governo, mas até que ponto nós, profissionais do mercado imobiliário, não temos uma parcela de culpa nisto, em não aprimorarmos nossas técnicas de oferta dos benefícios do modelo de transação? Precisamos ampliar, modificar e reforçar os argumentos da exclusividade sob uma nova ótica. Compartilho seis dicas de marketing e algumas ferramentas que você pode utilizar para captar a exclusividade. Seu cliente não vai resistir!

1. Placas diferenciadas:

Desenvolva placas diferenciadas para os imóveis exclusivos. Elas podem ser maiores, feitas com outros materiais, e até mesmo contar

com o recurso do QR-Code, código que armazena informações, como preço, dormitórios, metragem, que podem ser acessadas pelo interessado através de um aparelho celular. Uma ferramenta gratuita e simples para fazer códigos Qr-Code é a Kaywa.

2. Explore a localização:

Este é o grande diferencial dos empreendimentos com exclusividade. Explorando a localização, é possível realizar diversos materiais que vão acelerar a venda e agregar valor ao imóvel. Através de ferramentas gratuitas como Google Maps e Google Earth, você pode, por exemplo, desenvolver mapas do entorno do imóvel com as distâncias das principais facilidades, um dado importantíssimo para o cliente. Pode também desenvolver guias sobre o bairro, como “50 coisas para fazer na região”, e oferecer aos possíveis moradores.

3. Explore o visual e os materiais de vendas:

Contrate fotógrafos para seus imóveis exclusivos. Caso não seja possível, devido ao orçamento, ofereça em seu plano tratamento nas fotos e fotos panorâmicas dos ambientes. Você pode fazer isto, respectivamente, no site Pixlr. com,e através do aplicativo Pano, ambos gratuitos, e de simples uso. Com estas imagens, desenvolva um vídeo. É possível criá-lo rapidamente através do site Stupeflix. Faça ainda, apresentações bem completas sobre o imóvel (ficha do imóvel, diferenciais, localização, condições de pagamento).

4. Potencialize a divulgação:

Ofereça uma divulgação (verdadeiramente) mais ampla do que a dos imóveis não exclusivos. Algumas opções são: envio de e-mail marketing; divulgação do imóvel nas redes sociais, juntamente com os materiais desenvolvidos no item 3 (hospede os vídeos no Youtube e as apresentações no Slideshare), divulgação do imóvel com destaque em seu site ,em todos os portais imobiliários em que anuncia e nos anúncios impressos.

5. Relatórios:

Ofereça no mix de diferenciais um relatório semanal de performance do imóvel e das ações desenvolvidas por você. Ele servirá não somente para mostrar a seriedade de seu serviço, mas também para manter o cliente constantemente seguro em relação à opção pela exclusividade. O pior erro é conseguir a exclusividade e não manter o devido contato com o proprietário.

6. Materiais de Pré-exclusividade:

Após pensar e encontrar novos serviços pode oferecer para convencer a vender com exclusividade, desenvolva materiais que demonstrem, com bons e verdadeiros argumentos, os diferenciais oferecidos, e também estatísticas que comprovem os benefícios do modelo de negócio. Ofereça também uma planilha de “checklist”, em que informará passo a passo todos serviços ofertados.

15


georgeduarte@cofeci.gov.br

GEORGE DUARTE - especialista em educação financeira

Artigo Ana Paula Vitorino

Estabeleça seu campo de trabalho e objetivos O primeiro passo para construir uma casa é o alicerce. Se o alicerce não estiver certo, o resto do esforço será inútil, porque a casa ficará permanentemente bamba. O alicerce estabelece a direção da casa e garante que ela estará fixa e que isso será duradouro. O mesmo acontece com sua “casa financeira”. O alicerce certo mantém seus esforços na direção certa e o ajuda a se manter firme durante o percurso ao longo de todo o processo. O cimento que mantém sólida a estrutura financeira inclui dois ingredientes: objetivos claros e planejamento definido. Para ser bem sucedido, você precisa estabelecer objetivos que toda família concorde e um planejamento para se chegar a eles. Você não pode atingir seu destino final se você não souber qual ele é. O que você quer de sua vida? O que você está querendo atingir? Ao estabelecer metas, as respostas para estas perguntas podem ser respondidas mais facilmente, pois poderão ser definidos os sacrifícios a serem enfrentados e como você está se saindo durante sua caminhada. Defina os seus objetivos de curto prazo e os de longo prazo.

OBJETIVOS DE CURTO PRAZO:

George Duarte Corretor de Imóveis, contador, empresário, diretor de divulgação do Cofeci e especialista em educação financeira

16

São os objetivos específicos que são rapidamente realizados. Requerem um período curto de disciplina e o ajudam a ver os resultados imediatos de seus esforços. Para atingi-

-los, defina alguns passos importantes que poderão ajudá-lo a atingi-los: 1) Tenha um objetivo específico; 2) Estabeleça um tempo para atingi-lo; 3) Coloque isso tudo no papel; 4) Estabeleça um planejamento para atingir seu objetivo; 5) Decida qual é o preço que está disposto a pagar; 6) Reflita sobre seu objetivo diariamente.

OBJETIVOS DE LONGO PRAZO:

O principal objetivo que todos deveriam ter é uma aposentadoria segura e sem preocupações. Há uma verdade absoluta sobre o tempo: ele continua passando. Antes que você perceba, a aposentadoria baterá à sua porta. Neste momento, ela deverá ser um pagamento feliz por todos os anos que você trabalhou duro. Para que isso aconteça, você deve pensar nisso hoje. Tenha um planejamento. Depois de escolher seu destino, você precisará de um mapa que o leve até lá. Um mapa financeiro, cuja pergunta principal será a identificação de quanto tem que investir e por quanto tempo, para atingir seu objetivo de aposentadoria.

Dica para o sucesso de seu planejamento

Faça-o de forma simples. Um plano muito complicado é difícil de ser seguido e, se for difícil, você ficará tentado a desistir. Outra coisa: faça-o de forma específica. Ele não pode ser muito vago ou não

apresentar um foco específico, como por exemplo, “eu quero ser rico”, que é como um mapa com os nomes dos estados, mas sem estradas. Não o levará a lugar nenhum. Ponha os pés no chão. Não existem milagres para ficar rico. Existe trabalho e administração financeira. Criar um planejamento financeiro que seja irreal para sua renda, irá gerar uma sensação de fracasso. Seu plano deverá ser razoável e atingível. E isto pode ser feito. Não acontecerá do dia para a noite. A segurança financeira não é construída com contas de R$1.000 ou R$10 mil. Ela acontece porque você poupou mensalmente R$100 ou R$200 que podem ser obtidos cortando suas despesas mensais ou aumentando sua renda mensal. Independente do tipo de objetivo que você tenha (longo prazo ou curto prazo), a parte mais importante de seu planejamento financeiro é começar. A procrastinação é o maior obstáculo para todos. Nada acontece até que você comece. Não se preocupe se não puder fazer tudo de uma vez. É incrível o que se pode fazer uma vez que tenha realmente começado a se movimentar na direção de seus objetivos. Cada pequena coisa que você faça para construir seu futuro valerá a pena. O mais importante é não se desencorajar. Mantenha-se fazendo, indo em direção ao seu PONTO B, que inevitavelmente você chegará lá. Tudo bem começar com pouco. Lembre-se. Qualquer começo já é um bom começo.


17


Convênios

Benefícios para corretores de imóveis Creci de Goiás firma parceria com empresas para oferecer vantagens exclusivas para a categoria:

Qualificação com descontos Quer se graduar ou especializar, mas está sem recurso? Convênios assinados entre o Creci e instituições de ensino garantem mensalidades com descontos exclusivos. No IPOG, os corretores de imóveis podem escolher entre cursar a graduação em Administração Vip, que na parceria tem abatimento de R$ 150 na mensalidade, ou os 40 cursos de pós-graduação oferecidos pela instituição, com desconto de R$ 130 nas parcelas. Já o convênio com a Faculdade Cambury garante, nos quatro cursos de pós-graduação e nos mais de dez cursos de graduação, 10% de desconto na mensalidade. Para se ter uma ideia das vantagens oferecidas pelo convênio firmado, é possível realizar uma especialização de 18 meses, com parcelas de R$ 390 mensais, ao invés de mensalidade de R$ 420. Para este ano, as instituições conveniadas prevêem a implantação de cursos voltados exclusivamente para o mercado imobiliário.

Diversão a menor custo

Esta é para você aproveitar melhor os finais de semana e feriados. Parceria entre Conselho e o Clube Jaó oferece 30% de desconto nos planos individual e familiar para corretores de imóveis. Com o convênio, os profissionais que se tornarem sócios, poderão desfrutar, além de toda infraestrutura do Clube, de 21 clubes localizados em outros estados; de descontos no Educandário Yara e Integrado Jaó e em shows do Music Hall e de convênio com três academias da capital.

Mais informações: (62) 3269-8021 ou www.jao.com.br.

Mais informações: IPOG (62) 3945-5050 www.ipog.edu.br Faculdade Cambury (62) 3239-3000 www.cambury.br

Serviço de lavanderia Já que a primeira impressão é a que fica, o corretor de imóveis deve estar sempre bem alinhado para atender seus clientes. Para manter o figurino em dia, o Creci de Goiás firmou convênio com a Quality Lavanderia que proporciona 10% de desconto nos serviços de limpeza de vestuário e de jogos de cama. Usufrua do benefício apresentando sua carteira do Creci.

Mais informações: Av. T- 1,n° 2923, Setor Bueno (62) 3241-1141 www.qualitylav.com.br

Acesse www.crecigo.gov.br e fique sabendo de mais convênios!

18


vocabulário do corretor de imóveis

Um pouco mais sobre os termos que todo profissional deve saber, mas não tem coragem de perguntar: Pé-direito

Expressão muito utilizada em arquitetura, engenharia e em construções em geral, que indica a distância do pavimento ao teto. A origem da expressão pé-direito refere-se à distância medida em pés e na posição em relação ao plano. Alguns historiadores registram que na Idade Média era assim que se chamavam os pilares em que os arcos de uma construção se apoiavam. Segundo o Regulamento Geral de Edificações Urbanas (RGEU), a altura mínima do teto de um imóvel deve ser de 2,70m. Pela CLT, todos os estabelecimentos de empresas que tenham empregados são obrigadas a ter, no mínimo, 3 metros de pé-direito. Um pé-direito baixo seria uma medida próxima a 2,40 m e pé-direito considerado alto que vai de 3m até alturas maiores de 6m. Na arquitetura, uma construção com pé-direito elevado ajuda na ventilação e uma com pé-direito baixo causa uma maior sensação de aprisionamento e, também, uma maior carga térmica sobre os moradores.

Isto mesmo, o termo certo é geminado e não germinado. Trata-se da construção de duas ou mais casas ligadas umas as outras, que dividem proporcionalmente o lote de acordo com a quantidade de unidades. É um tipo de residência simétrica que compartilha parte da estrutura e telhado com outra, com o mesmo arranjo interno invertido uma à outra.

posto por ítens bastante flexíveis que variam conforme o padrão do empreendimento, como bancada, pia, churrasqueira, forno de pizza, banquetas, mesa e cadeiras.

Agility/Walk Dog

Beauty Center ou Beauty Care Área para passeio e/ou treinamento de cães, com rampas, túneis e outros acessórios de lazer para o animal. O espaço pode ser incrementado com o serviço de um treinador, mediante pagamento do condômino interessado. Na tradução literal significa centro de beleza. Resume-se a uma sala equipada com espelhos e cadeiras, em que as mulheres podem usar para fazer a unha e o cabelo. Em alguns empreendimentos usa-se até mesmo contratar um salão para administrar o espaço.

Family Room ou Family Space

Terraço gourmet

Casa geminada

É um espaço funcional reservado para preparar e servir refeições. Pode estar integrado a outros ambientes como a sala e a cozinha. Normalmente fica localizado na sacada dos apartamentos e é com-

Antigamente conhecido como sala de TV, o espaço é destinado ao convívio em família dentro do apartamento ou numa área de lazer comum. Os itens que o compõem são bastante variados, podendo incluir sofá, mesa, terraço, churrasqueira, acesso à cozinha, home theater e telão. Fonte: Fórum da construção

19


Ana Paula Vitorino

MERCADO

Traduzindo o “tributarês” O desconhecimento da tributação brasileira pode levar profissionais e empresas a correr o risco de sofrer multas e processos

Ana Paula Vitorino Há um ano trabalhando no mercado imobiliário, o corretor de imóveis Iremon da Silva Feitosa não atingiu, em 2012, o teto de receitas tributáveis e está na faixa de isenção da Declaração de Imposto de Renda. O profissional disse que está buscando informações e que pretende contratar um contador para auxiliá-lo no planejamento da declaração em 2013. Assim como Iremon, muitos corretores que estão começando a carreira profis-

sional não conhecem a tributação incidente na atividade e os riscos que correm ao atuarem na informalidade. Segundo o advogado e especialista em direito tributário, Maurício Alves de Lima, o corretor de imóveis é um profissional autônomo e deve fazer a Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física. Este ano, por exemplo, estão obrigados a declarar aqueles que tiveram rendimento anual acima de R$ 23.499,15. Segundo o advogado, a melhor hora para co-

“Se a pessoa está na informalidade, começa a fabricar situações que não lhe beneficiam e se constatada, a irregularidade pode resultar em multa punitiva podendo chegar a 150% do valor do Imposto”, Maurício Alves de Lima

20

meçar a planejar a declaração é no início do ano, quando a pessoa já deve começar a reunir todos os comprovantes de despesas que podem ser restituídas. Autor do trabalho sobre “Preço de transferência no direito tributário brasileiro”, o advogado Maurício Lima afirma que muitos profissionais, por falta de um planejamento adequado, começam a criar situações que não lhe beneficiam. Segundo o tributarista, no próprio site da Receita Federal o corretor pode baixar um programa que o auxilia na contabilidade das receitas e despesas anuais. “As vantagens desse programa é que possibilita a redução da carga tributária, uma vez que permite algumas deduções da base de cálculo do IR”. Entre estas despesas estão gastos com educação, pessoais ou com filhos, desde o ensino infantil até a pós-graduação com o limite

anual de R$ 2.958,23; saúde, consultas, despesas hospitalares, planos médicos e odontológicos, tratamentos; despesas com funcionários; pensão alimentícia e planos de previdência privada. Riscos da informalidade

Um dos problemas da informalidade, ou quando a pessoa omite parte de seus rendimentos, é quando adquire bens. “Se a pessoa não tem rendimentos como ela irá explicar a aquisição de bens? E por outro lado, a pessoa que vendeu irá declarar”, alerta o advogado Maurício Alves de Lima, afirmando ainda que está cada dia mais arriscado viver na informalidade tendo em vista que a máquina fiscal está cada vez melhor aparelhada com condições de realizar o cruzamento de informações prestadas pelos contribuintes em diversas situações.


A carga tributária incidente nos rendimentos dos corretores de imóveis que atuam como pessoa física é de 27,5% e para pessoa jurídica no lucro presumido é de 14,53%. O corretor de imóveis autônomo deve emitir o Recibo de Pagamento de Autônomo (RPA). Além do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), a pessoa jurídica ou física tomadora do serviço deverá reter do emitente do RPA, 11% a título de Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) até o limite de base de cálculo de R$ 3.916,20. Além disso, a empresa imobiliária deverá recolher outros 20% para o INSS sobre a totalidade do valor serviço (art. 22, III, Lei 8.212/91). “O corretor de imóveis que não emite o RPA pode ser autuado pela não contribuição com o INSS; com o Imposto de Renda e ainda

“Por desconhecimento da legislação tributária, muitas pessoas realizam negócios irregulares ficando expostos à riscos, quando na verdade, se bem orientadas podem se beneficiar de diversas situações legais” pela Prefeitura, pelo não pagamento do Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN). Em todos esses casos o pagamento deverá ser efetuado acrescido de multas e juros”, ressalta Maurício Alves de Lima. Formas de reduzir a carga tributária

Embora a carga tributária brasileira seja pesada, o corretor de imóveis, que cumpre todas as exigências, tem condições de justificar

Rendimentos ≠ Ganho de Capital Além da incidência sobre rendimentos decorrentes do trabalho, do capital (aluguel, empréstimos, aplicações), da combinação de ambos e de proventos de qualquer natureza; ainda há a incidência sobre o ganho de capital, que é a diferença positiva entre o valor da alienação e o custo de aquisição.

Programa gratuito para livro-caixa Para a correta apuração do IRPF é importante que o corretor autônomo contabilize todas as receitas e despesas, identificando os gastos que podem ser restituídos. A Receita Federal disponibiliza um programa que pode auxiliar o corretor. Este programa está disponível no site:

a legalidade dos seus rendimentos e bens, além de ter seu direito de propriedade assegurado fazendo uso dessas informações para se beneficiar na realização de negócios e acesso a financiamentos. “O profissional deve ficar atento para as possibilidades de redução desta carga tributária através de mecanismos legais como a restituição, juntando todos os documentos necessários e possíveis de despesas dedutíveis”, disse Maurício.

Para o especialista, existem outras situações em que o contribuinte também pode se beneficiar como no caso de isenções e benefícios no ganho de capital. O contribuinte tem direito a isenção em três casos: na alienação do único imóvel que o titular possua, cujo o valor seja de até R$ 440 mil, desde que não tenha efetuado, nos últimos cinco anos, outra alienação de imóvel a qualquer título, e no ganho auferido por pessoa física residente no Brasil na venda de imóveis residenciais, desde que o alienante, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato, aplique o produto da venda na aquisição de imóveis residenciais localizados no país; na venda de imóveis de pequeno valor até o limite mensal de R$ 35.000,00 e ainda nos casos de imóveis adquiridos até 1988, que terão redução da base de cálculo do IR que oscila entre 5% e 100%.

Resumo das formas de tributação Pessoa Física: IR (até 27,5%) + 11% relativos ao INSS até o limite da base de cálculo de R$ 3.916,20. Pessoa Jurídica – Lucro Real: IR + CSLL (até 34%) + 9,25% relativos ao PIS e a Cofins Pessoa Jurídica – Lucro Presumido: 14,53% de alíquota efetiva.

Exemplo de cálculo para emissão do RPA Valor do Serviço

R$ 10.000,00

Desconto do INSS (11%)

R$

IRRF (27,5% - parc. ded.)

R$ 1.993,47

ISS (5%)

R$

Valor líquido a receber

R$ 7.075,75

430,78

500,00

www.receita.fazenda.gov.br/PessoaFisica/CarneLeao

21


MERCADO

Expectativas para 2013 Thaysa Mazzarelo Depois de começar o ano com incertezas, diante do boom imobiliário presenciado entre os anos de 2001 a 2011, o mercado fechou 2012 com índices positivos. Com uma média de 3,6 empreendimentos lançados por mês e uma valorização de 49,54% nos imóveis verticais da capital, de acordo com pesquisa do Departamento de Prospecção e Pesquisa do Creci de Goiás (DEPAMI), no período de 2008 a 2012. O crédito imobiliário acompanhou os números, chegando a um total de 140 bilhões de reais liberados pelos bancos. O presidente do Creci de Goiás, Oscar Hugo Monteiro Guimarães, explica que ao longo dos anos o mercado imobiliário passou por um desenvolvimento natural. O setor, que andava estagnado em 2001, apresentou uma retomada de crescimento devido às facilidades de crédito e aos programas habitacionais do governo, o que possibilitou o boom de vendas e de lançamentos imobiliários. Depois de atender a demanda por imóveis que estava acumulada, o mercado imobiliário se estabilizou, fazendo de 2012 um ano de análise e de desenvolvimento de estratégias para o setor. “O mercado passou a ter um crescimento mais equilibrado, e a tendência é que em 2013

22

continuemos neste desenvolvimento sustentável do setor”, comenta Oscar Hugo. Novos fatores irão fomentar e permitir o crescimento estruturado que se espera para este ano. O incentivo anunciado pelo Governo Federal para o setor da construção, que diminui os gastos com mão de obra pela substituição de 20% dos gastos do INSS por 2% abatidos no faturamento, é um deles. Outro ponto que irá favorecer o setor está relacionado com o crédito imobiliário, já que os bancos prometem investir bastante no mercado. A Caixa Econômica Federal, responsável por 71,5% do total de crédito imobiliário no país, disponibilizará R$ 120 bilhões para contratação do serviço e já baixou os juros para financiamento de imóveis acima de R$ 500 mil, de 8,9% para 8,4% para clientes. Os outros bancos também tomaram novas medidas, com redução de juros e reestruturações no modelo de crédito. “Todos estes aspectos favoráveis, nos fazem crer que 2013 será um ano de cresci-

mento, que embora mais maduro, está longe de ser sinônimo de crise no setor”, conclui o presidente do Creci. É com esta certeza que os construtores iniciam o ano com grandes expectativas. Como o empresário Rodrigo Queiroz Silveira, que projeta para 2013 a entrega de quase um imóvel por dia, 358 unidades relativas a dois empreendimentos.

ta forma que ainda em 2012 ele alcançou um recorde nacional com a venda de 190 quartos de empreendimento hoteleiro, em apenas uma hora. Segmento em que pretende se fortalecer neste ano: “A diversificação, a inovação e o alto grau de excelência no desenvolvimento de produtos são de fato objetivos conquistados pela construtora que pretendemos manter. Empreendimentos bem planejados têm venda garantida mesmo fora de um contexto de boom imobiliário”. Fotos: Divulgação

Mercado imobiliário segue para crescimento sustentável

Para Rodrigo Queiroz, o período de estabilidade requer investimento em pesquisa e planejamento por parte de quem deseja se diferenciar e se garantir no mercado. Foi pensando desDener Justino, empresário imobiliário tem a mesma visão: “O mercado sempre tem espaço para bons produtos”. Esperando crescer 10% em volume de vendas, chegando a quantia de R$ 250 milhões este ano, o empresário enxerga no segmento em que já atua, de alto padrão, um nicho de mercado a ser trabalhado. “Este mercado tem oportunidade de crescimen-


Com a programação para lançar seis empreendimentos em 2013, Pedro Borela tem a receita para alcançar o sucesso nas vendas: “para continuar em crescimento, o setor deve buscar desenvolver novos projetos em regiões privilegiadas, com diferenciais em sua estrutura e acabamento. Aqueles que desenvolvem projetos no segmento econômico também devem procurar projetos diferenciados, onde o valor do terreno seja viável para a realização e comercialização”.

Entender as demandas dos clientes e utilizar estes conceitos nos empreendimentos a serem lançados é, para o presidente da Consciente Construtora e da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi Goiás), Ilézio Inácio Ferreira, o elemento que garantirá o crescimento contínuo das empresas neste ano. Ele prevê uma maior oferta de empreendimentos residenciais, comerciais, mixed-use e flats, localizados principalmente ao longo dos eixos previstos no Plano Diretor. Mesmo esperando um crescimento modesto para o setor imobiliário em 2013, de 10% em relação ao

Fotos: Divulgação

Fernando Leite

to, devido ao fluxo de pessoas que estão retornando de condomínios horizontais e buscam imóveis novos, grandes e de alto padrão, compatíveis com as casas em que moravam”, observa. O imóvel de alto padrão também está entre as apostas de Pedro Borela para este ano, ao lado de empreendimentos do tipo mixed-use (comercial e residencial), de médio padrão e segmento econômico, que compõem portifólio de produtos do empresário. “Acreditamos e apostamos em imóveis de até R$ 200 mil, localizados em regiões em crescimento.Também apostamos nos imóveis de alto padrão, com valores acima de R$ 800 mil”, detalha.

Há apenas um ano no setor imobiliário, mas já com bons resultados – com 60% de seus dois empreendimentos lançados vendidos em apenas um mês - o engenheiro João Gabriel Tomé, já percebeu o grande número de players que disputam um mesmo segmento de mercado e que projetos que não possuem o conceito demandado pelo cliente não têm boa aceitação. “O público está cada vez mais exigente. Antes de comprar, ele pesquisa muito”, observa.

ano passado, Ilézio Ferreira é positivo quanto ao momento vivenciado por empresários e profissionais ligados ao ramo. “Quando o mercado está equilibrado é a melhor situação para crescer, pois será um crescimento sustentável e pela competência de cada um, à medida que se detecta a demanda. Isso é muito sadio, pois há equilíbrio de preços e não há super ofertas ou super preços”, diz.

Mesmo um cenário que há princípio parece favorável para o setor pode ser um entrave para o desenvolvimento do mesmo. Goiás hoje possui um déficit habitacional de 163 mil goianos e uma estimativa de crescimento da população de 4%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Números que podem representar oportunidades para o setor, mas que dependem de outro elemento para se concretizarem: investimento em infraestrutura. “Requisitos como transporte, energia elétrica, água tratada e rede de esgoto são básicos para que a construção civil continue suprindo as necessidades de moradia e estabelecimentos comerciais de nossa cidade”, comenta o empresário Rogério Queiroz.

Desafios

Depois manter uma média de 750 unidades vendidas ao mês em 2012, o que corresponde a 9% do mercado goianiense, o empresário do mercado imobiliário, Marcelo Moreira, projeta para este ano o lançamento de sete empreendimentos. Apesar de ser otimista e ver a estabilização do setor com bons olhos, o empresário percebe alguns gargalos a serem enfrentados pelo mercado, como a viabilização de projetos com o perfil Minha Casa Minha Vida. “Não conseguimos construir condomínios mais populares porque eles não se viabilizam em decorrência do alto custo dos terrenos, pois para compensar temos que construir um empreendimento mais caro”, analisa.

“O mercado passou a ter um crescimento mais equilibrado, e a tendência é que em 2013 continuemos neste desenvolvimento sustentável do setor” Oscar Hugo

23


PARCEIROS

CREA-GO Inauguração da nova sede em Iporá Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO) inaugurou no dia 1º de fevereiro a nova sede da Inspetoria de Iporá, localizada à Rua Marginal Tamanduá Qd. 109 Lt. 101-B – Setor Mato Grosso. O evento reuniu lideranças políticas e classistas da região, além de conselheiros, inspetores e funcionários do Conselho. A nova unidade fortalece a política de interiorização das ações do Conselho, cujo objetivo é aperfeiçoar o atendimento aos profissionais, empresas e ao público do interior. O terreno possui área total de 399 m² e 210,71 m² de área construída. Na obra foram investidos R$ 410.433,00, além de R$ 28.117 com móveis e equipamentos, totalizando um investimento de R$ 438.550. O presidente do Crea-GO, eng. Civil Gerson de Almeida Taguatinga, disse que “o fortalecimento das inspetorias integra uma das nossas grandes metas de gestão: a de tornar o Crea-GO uma instituição mais presente e ativa em todas as regiões do Estado, com uma estrutura descentralizada, visando garantir maior representatividade, proximidade, participação e transparência perante a sociedade”. O Crea-GO possui ao todo 47 inspetorias criadas com o objetivo de auxiliar os profissionais e a comunidade local nos assuntos relacionados às profissões abrangidas pelo Sistema.

ADEMI-GO Milésima Edição do Ademi News No último dia 24 de janeiro, chegou à sua milésima edição o Ademi News, o newsletter da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO). De segunda a sexta-feira, passam pela publicação informações atualizadas do mercado imobiliário, incluindo sempre as novidades dos lançamentos, a atividade das empresas associadas e as novidades das demais entidades do segmento. Completam o cenário do Ademi News abordagens da economia e das ações governamentais em campos que de uma maneira ou de outra consultam os interesses da indústria da construção, em Goiás e no Brasil. Pela sua atualidade e dinâmica de linguagem, tornou-se leitura obrigatória no mercado da construção.

Sindimóveis Eleita nova diretoria para o triênio 2013/2015 No dia 22 de novembro os corretores de imóveis sindicalizados participaram da eleição do Sindimóveis Goiás. Os profissionais elegeram a diretoria, o conselho fiscal e os representantes na Fenaci para exercício de mandato de 2013/2015. A chapa de consenso denominada União, elegeu como presidente a corretora de imóveis, Lucimar Alves Elias que atua na área há 26 anos e participa das atividades sindicais dentro da entidade há 15 anos. Lucimar já faz parte da história do Sindimóveis, sendo a primeira mulher a ser eleita para esse cargo em 66 anos de Sindicato. A presidente garante que para desempenhar uma boa gestão é necessária a participação de todos os corretores de imóveis. “O Sindicato está disposto a ouvir sugestões e reivindicações dos profissionais”.

24

Fotos: Divulgação

Confira ABAIXO o que foi e é notícia nas demais entidades que atuam no setor imobiliário GOIANO


Google Street View nos sites Assim como as empresas nacionais, as organizações goianas já podem adicionar o Google Street View aos seus sites institucionais. Desde 2012, o serviço do Google disponibilizou na internet a visualização de sete cidades de Goiás em tecnologia 3D: Goiânia, Aparecida de Goiânia, Rio Verde, Anápolis, Luziânia, Caldas Novas e Jataí. Com o recurso, que é gratuito, o corretor de imóveis pode mostrar a um futuro morador a vizinhança e os pontos fortes da localização do imóvel sem precisar sair do escritório e até mesmo pelo próprio celular ou tablet Android. Por ser um serviço adicionado ao Google Maps, já muito utilizado para localização, o Google Street View é de fácil uso e permite registrar telefones de contato, adicionar várias fotos, definir horários de atendimento, descrição e integrar com o Google +, garantindo maior visibilidade à empresa.

Software de administração O software UAU oferece soluções para corretores e imobiliárias, garantindo que se tenha todas as informações necessárias on-line, na hora “H” do fechamento do negócio. O corretor pode, por exemplo, obter informações sobre estoque de unidades e análise/ geração de proposta em tempo real pela web. O sistema proporciona ainda o controle das informações registradas e envio automático de e-mails internamente (para os próprios corretores). Outra vantagem é que os e-mails sobre posicionamento de propostas à expirar, informativo de alteração futura na tabela de preço das unidades, agenda e posicionamento de prospects são acessados de qualquer local e também há o envio de dados externamente (para os possíveis clientes). A automação dos processos, proporcionada pela ferramenta, auxilia nas rotinas do corretor e nas tomadas de decisão. O UAU inclui o Controle de Estoque de unidades, Comissões de Vendas, Análise de Propostas, Emissão automática do contrato jurídico, Estatísticas de vendas, Pesquisa de mercado, Gerenciamento de Prospects, Controle de pós-vendas, tudo integrado e gerado automaticamente.

Crie seu site Você sabe a importância de ter uma página na web da sua empresa, com produtos e serviços oferecidos atualizados, mas não entende nada de programação? Existem plataformas simples para a criação de sites que você mesmo pode gerenciar. São os Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo (CMS): aplicativos usados para criar, editar, gerenciar e publicar conteúdo, permitindo que o mesmo seja modificado, removido e adicionado com facilidade. Para operá-los basta a habilidade para um simples editor de texto. Entre as opção de uso mais fácil está o Wordpress, que possui hospedagem gratuita, com o domínio wordpress.com.

Aplicativos para tablet e smartphones DropBox

Magic Plan e Smart Tools

Precisa acessar apresentações e documentos, mas está longe do computador? Instale o aplicativo DropBox gratuitamente em seu pc, armazene seus arquivos e tenha acesso a eles de qualquer lugar, de qualquer aparelho móvel, sem necessidade de pendrives ou usbs. O sistema funciona com o conceito de computação de nuvem e permite downloads de até 2 gigas grátis.

Se a ideia é passar as medidas exatas do imóvel ao cliente, estas duas ferramentas poderão ser bem úteis. O aplicativo Magic Plan, disponível gratuitamente e apenas na Apple Store, permite que, com simples fotos tiradas do espaço com rotação de 360°, seja obtida a planta do imóvel. Já o Smart Tools é a opção disponível para os aparelhos Androids para medir espaços e objetos. Contudo, tem taxa para download de quase R$ 5,00.

Sun Seeker Quer saber se o imóvel pega o sol da manhã ou da tarde? Use o aplicativo disponível para Android e IOS para monitorar o posicionamento do sol. Valor do download: R$ 12,93.

25

Fotos: Divulgação

& produtos Tecnologia

Conheça o que há de novo no mercado e pode facilitar, e muito, a sua vida profissional:


MAPA DE RegiÕES

Jardim Goiás e Alto da Glória Conheça os fatores que provocaram a alta valorização imobiliária nestes setores nos últimos quatro anos Ana Paula Vitorino

Fotos: Ana Paula Vitorino

Compreender a história e o potencial de desenvolvimento de uma determinada região, bairro ou cidade é fundamental para o corretor de imóveis atender bem o cliente. Segundo pesquisas do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (CRECI-GO), em Goiânia, nos últimos quatros anos, a maior valorização imobiliária aconteceu na região Sul e foi de quase 60%. Em janeiro de 2009, enquanto nessa região o preço médio do m² era de R$ 2.600 reais, na região me-

26

nos valorizada, a Oeste, este valor era de R$ 1.500. Quatro anos depois, em agosto de 2012, através de nova pesquisa, o Creci de Goiás identificou que o maior preço do m² ainda se encontra na região Sul, no valor atual de R$ 4.200 reais. Localizados nesta região, os setores Jardim Goiás e Alto da Glória apresentaram uma valorização surpreendente e impulsionada por vários fatores, principalmente pela construção do Parque Flamboyant. Em janeiro de 2009, o valor médio do m² no Jardim Goiás era de R$ 2.900 reais. Já em agosto de 2012, este valor passou para R$ 4.400. Corretores de imóveis que participaram dos

Primeiros imóveis vendidos na orla do Parque Flamboyant, valorizaram até 40% do lançamento à entrega das chaves

primeiros lançamentos na orla do Parque Flamboyant, lembram que nesta época o m² era comercializado a R$ 3.200 reais. “Hoje, no bairro, nós trabalhamos com imóveis de alto padrão com preço até R$ 6.600 reais o m²”, lembra o diretor comercial, Luziano Machado. Além do Parque, o que também contribuiu para a valorização dos imóveis da região foi a instalação de vários órgãos públicos nas redondezas como o Paço Municipal, Centro Cultural Oscar Niemeyer, Fórum, Ministério Público, Assembleia Legislativa e Receita Federal. Além disso, o diretor do departamento de Gestão do Plano Diretor de Goiânia, Ramos Albuquerque Nóbrega, enumera mais uma influência: os 12 condomínios horizontais de alto padrão

que foram construídos nas proximidades da GO-020, fazendo do Jardim Goiás o centro comercial mais próximo para esses novos moradores com grande potencial de consumo. Mas como o desenvolvimento tem suas consequências, com o adensamento e a valorização dos imóveis, o trânsito e a segurança pioraram. Em razão disso, ações do poder público visam manter o equilíbrio entre desenvolvimento e qualidade de vida. Segundo o Plano Diretor, a região é definida como uma área adensável em desaceleração que paga uma outorga, ou direito de construir onerosa, sendo que os recursos auferidos são revertidos ao Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano e Fundo Municipal de Habitação e Interesse Social.


Área verde eleva preço do m2 Em Goiânia, a experiência com a construção dos parques Vaca Brava e Flamboyant demonstram a ligação direta entre a implantação de um parque e a valorização rápida do seu entorno. “A farta oferta de áreas verdes tem como reflexo uma maior exigência por parte dos compradores de imóveis que se correlacionam com esta sustentabilidade, oferecida pela

paisagem verde e os espelhos d´água, facultando aos habitantes a opção por uma melhor aeração, ventilação e iluminação”, afirma Ramos Albuquerque. Esta preferência dos compradores contribui para que o Jardim Goiás seja uma aposta do mercado imobiliário para os próximos anos. O diretor comercial, Luziano Machado, por exemplo, acredita que a valorização no setor continue em torno de 10 a 12% ao ano.

“O preço do m², em Goiânia, ainda está muito longe do que é praticado em outras capitais no Brasil, ou seja, existe um espaço para valorização” disse o corretor, lembrando que nos primeiros plantões de empreendimentos na orla do Parque Flamboyant não havia asfalto e era difícil acreditar que as unidades iriam valorizar mais de 40%, do lançamento até a entrega das chaves, como aconteceu.

Diretor do Departamento de Gestão do Plano Diretor, Ramos Albuquerque

Últimas unidades Em seis anos foram lançados cerca de 37 empreendimentos na orla do Parque Flamboyant, mas atualmente, as chances de adquirir um imóvel com vista para o Parque estão ficando escassas. Segundo, Luziano Machado, existem apenas três áreas disponíveis para construção e não há previsão de lançamentos. Uma das explicações é que as construtoras estão focadas na entrega dos produtos iniciados em 2010 e 2011. Com o fim dos produtos com vista para o Parque, a tendência será a oferta nas ruas adjacentes. “Estes imóveis tem uma diferença de preço em torno de 20 a 30% em relação aos que tem vista garantida para o Parque, mas a valorização é a mesma. Hoje o cliente busca estar perto de tudo e o Jardim Goiás oferece o máximo de comodidade pela proximidade ao shopping, supermercados e lazer. Tudo isso contribui para que tenha uma valorização excepcional”, afirma Luziano Machado. Segundo os corretores que trabalham na região,

Gerente Comercial Valdomiro Rodrigues, em decorado de 240m2 com vista para o Parque Flamboyant

um diferencial dos imóveis construídos no Parque Flamboyant é que são projetos novos e avançados, que atendem melhor as necessidades do cliente. O mercado aposta que entre os potenciais compradores destas unidades está o morador de condomínios horizontais que busca maior comodidade. Acredita-se que esse cliente, que compra um produto de 270 m², no valor de 1,5 milhão, é um morador de condomínio horizontal que está retornando para a cidade. A família, geralmente composta por dois filhos, quer conforto e principalmente estar mais perto da escola dos filhos, do trabalho, ou seja, quer facilidade no ir e

vir. Então, como essa pessoa já mora em uma residência de 300 a 400 m², tem necessidade de ter um apartamento com mais espaço. O gerente comercial e corretor de imóveis,Valdomiro Rodrigues Silva Júnior, por exemplo, aposta que o potencial comprador de imóveis de alto padrão com vista para o Parque Flamboyant possui renda mensal em torno de R$ 30 mil reais e é funcionário público. “Acreditamos que a proximidade com vários prédios públicos pode levar essa pessoa a escolher esse setor para ficar mais próximo do trabalho”, explica. Mas se o preço de um apartamento no Jardim Goi-

ás já é o mesmo de uma casa em um condomínio horizontal, o que faz um comprador optar pelo apartamento? O gerente comercial explica as vantagens. Segundo ele, com R$ 1,5 milhão, o cliente compra um excelente apartamento no Jardim Goiás, já em um condomínio horizontal esse valor não garantiria a melhor casa, na melhor localização. Além disso, de acordo com o corretor, o imóvel não teria a vista que tem o apartamento e nem a vantagem de estar perto de tudo. “Só o lote, em um local privilegiado, custa R$ 1 milhão”.As condições de pagamento são decisivas para muitos clientes, que encontram na estabilidade e redução de juros, fatores que favorecem a contratação de financiamentos. “No caso do apartamento a pessoa não precisa investir todo dinheiro de uma só vez, podendo planejar com exatidão, o gasto que terá com o imóvel, ao passo que na construção de uma casa, nunca se mantém o mesmo planejamento financeiro do início até o fim da obra”.

27


Fotos: Ana Paula Vitorino

Imóveis comerciais

Diretor comercial Luziano Machado: “Não há mais espaço para empreendimentos comerciais no Parque Flamboyant”

Uma das características do Jardim Goiás e Alto da Glória é a crescente valorização dos imóveis comerciais. Localizado na esquina da Avenida E com a Jamel Cecílio, o Edifício Brookfield Towers, por exemplo, possui quase 400 unidades comerciais e, apesar de estar com entrega prevista para dezembro deste ano, quase todas as unidades já foram vendidas. Pesquisa realizada pelo Creci de Goiás, em agosto de 2012, apontou que na região Sul estão os imóveis comerciais com o maior preço do m² de Goiânia. Neste ranking, os setores Jardim Goiás e Alto da Glória ocupam o segundo e terceiro lugar, respectivamente. Estão atrás apenas do Setor Oeste, onde o valor médio do m² é de R$ 6.800 reais. Segundo a pesquisa, a média do preço do m² no Jardim Goiás é de R$ 6.300 e no Alto da Glória R$ 5.800. O diretor comercial, Luziano Machado, acredita no lançamento de novos empreendimentos comerciais na região, mas não na orla do Parque Flamboyant. “O único empreendimento comercial com vista para o Parque foi todo vendido em apenas 30 dias. Hoje, por falta de áreas, a tendência dos empreendimentos na orla é ser residencial. Agora, nas proximidades, pode ser que venha a ter novos lançamentos comerciais”.

28

A visão dos moradores Os moradores e empresários são uma importante fonte de informações para compreender a evolução imobiliária de cada região. Gerente de uma padaria próxima à Avenida E, Clênio Pimenta, por exemplo, acredita que o preço de venda do imóvel que aluga sofreu uma valorização de no mínimo 200% nos últimos seis anos. Segundo o contabilista, só o movimento de clientes aumentou em 50%. A empresária Fernanda Santana Xavier, moradora do Jardim Goiás há 20 anos, revela: “Antes, morar aqui era como morar em qualquer outro bairro de classe média, mas hoje, quando conto que moro no Jardim Goiás as pessoas já comentam sobre a questão de ser um bairro nobre. Também percebi uma mudança no perfil dos moradores, que agora tem maior poder aquisitivo. Foi bom porque valorizou, mas o trânsito ficou muito ruim”, disse a empresária. E se para os moradores já é fácil enumerar as transformações, a experiência contribuiu para que o corretor de imóveis João Benício pudesse avaliar mais a fundo a valorização imobiliária do Jardim Goiás. “A construção do Parque Flamboyant foi um dos principais motivos para essa intensa valorização, mas também vieram o Wallmart, Pão de Açúcar, além de vários outros estabelecimentos e serviços”, disse Benício, que investiu no setor, tanto para morar quanto para trabalhar. Em 2002, resolveu abrir seu próprio negócio e

Corretor João Benício investiu no Jardim Goiás tanto para morar quanto para trabalhar

escolheu a Avenida E para se instalar. “Na época, o aluguel era R$ 100,00 reais e hoje não se aluga algo parecido por menos de mil”, enfatiza. A Benício Imóveis está completando 10 anos e muitas mudanças ocorreram em sua volta. Do lado direito o movimento da padaria é cada dia maior, e do lado esquerdo o restaurante já comporta uma ampliação. Além disso, a pouco mais de 500 metros está o edifício para o qual o corretor de imóveis se mudou recentemente. Ao adquirir o imóvel, o profissional aliou investimento e comodidade. “Nós moramos em um condomínio horizontal por cerca de seis anos, mas depois, achei melhor ficar mais perto do trabalho”, conta Benício, que todos os dias só precisa atravessar a rua para chegar em seu escritório. E quem também está satisfeito com o bairro em que mora é Edinaldo Castro, que em 2009 adquiriu um imóvel de dois quartos, no setor Alto da Glória, pelo preço de R$ 155 mil reais. Hoje, o preço do imóvel está em R$ 230 mil e Edinaldo lamenta: “Valorizou demais!”, diz ele, mas a reclamação é porque queria comprar outro imóvel. “No início, por problemas pessoais, cheguei a pensar que tinha tomado a decisão errada, mas hoje, percebo que na verdade, fiz um ótimo negócio”. Edinaldo conta ainda que está muito satisfeito em morar no setor Alto da Glória; “tanto pela oferta de serviços quanto pela qualidade de vida e pela própria valorização”, disse.


Não há um fator natural que possa determinar se uma área tende a se valorizar com mais intensidade que outras, mas a experiência do Jardim Goiás demonstra que ações planejadas podem contribuir. As intervenções de Lourival Lousa, proprietário da fazenda onde se encontrava o Jardim Goiás na década de 50, começaram desde o planejamento do Bairro. O projeto foi baseado no conceito de cidade jardim, propondo ruas sinuosas e valorizando a arborização. Quando os lotes foram colocados à venda, grandes áreas foram reservadas. Em seguida, alguns terrenos foram doados para o poder público como o Estádio Serra Dourada, o Autódromo Internacional de Goi-

Hélio de Oliveira

A receita da valorização a partir da inauguração do Parque, em 2007, as imediações foram tomadas por empreendimentos verticais de alto padrão. Casas suspensas

Doação de área para construção do Estádio Serra Dourada foi uma das intervenções para valorização do bairro

ânia e o Colégio Militar. Estas construções impulsionaram o desenvolvimento econômico do Bairro e em 1981, em mais uma intervenção do empresário, aconteceu a inauguração do shopping Flamboyant. Contudo, no início da década de 90, apesar de abrigar o maior shopping do estado e com uma grande

rede de supermercados, o Jardim Goiás ainda não era o oásis imobiliário que é hoje. Este fenômeno só começou através da última negociação feita pela família Lousa com o poder público: a doação da área para construção do Parque Flamboyant, em 2002. A obra aconteceu em parceria com a iniciativa privada e

Alguns imóveis que estão sendo comercializados na orla do Parque Flamboyant propõe um um conceito inovador de casas suspensas com uma área interna de até 242 m² e externa de até 55 m² ao preço de quase R$ 5.600 reais o m². Outros ainda mais luxuosos, possuem 326 m² de área interna com preço de R$ 6.600 o m², saindo quase R$ 2,2 milhões a unidade. Dos imóveis lançados nos últimos quatro anos, no Parque, a maior parte possui área acima de 100 m².

29


Bairro estudantil O Alto da Glória foi um dos setores de Goiânia que mais apresentaram alta no preço do m² nos últimos oito anos. O pequeno bairro recebeu vários empreendimentos residenciais e quem adquiriu um imóvel na planta, em 2005, ganhou com uma valorização de mais de 100%. Os apartamentos do Edifício Plaza, por exemplo, com dois quartos e área de 67 m², foram comercializados pela construtora, em 2005, ao preço de R$ 111 mil reais e hoje custam em média R$ 230 mil, o que significa uma valorização de 107%, em oito anos. “Em 2005 haviam menos de 10 torres no setor, mas hoje, são mais de 35”, afirma o corretor de imóveis,

Dino Cademartori, um especialista na venda de imóveis na região. Ao explicar o crescimento do setor, o corretor afirma que a construção do Parque Flamboyant também contribuiu para a valorização do Alto da Glória, no entanto, o que chama mais a atenção dos compradores é a farta oferta de serviços, somada a localização próxima ao Shopping e as faculdades Sul Americana, Unip e PUC-GO. “É um ótimo setor para investir. O preço do aluguel de um apartamento de dois quartos aqui está em torno de R$ 900 a R$ 1000 reais e, além disso, existe uma enorme procura em função das universidades”, afirma Dino, enumerando, em seguida, as qualidades

Corretor Dino Cademartori, especialista em vendas no Alto da Glória, e Edinaldo Castro (dir.) que adquiriu um imóvel no setor, em 2009

do setor: “aqui você faz tudo a pé, leva os filhos na escola, está perto do Parque e também do shopping onde estão algumas agências bancárias e outros serviços”. Mas quem estiver a procura de um imóvel no setor Alto da Glória não tem mais tantas opções de escolha. Segundo Dino Cademartori, das 500 unidades que foram colo-

cadas a venda pela construtora, com a qual ele trabalha, só restam 15 disponíveis no setor. A situação é tal que o corretor já trabalha com imóveis de terceiros. “Só tenho conhecimento de um projeto que ainda está em estudo para ser lançado. Quase não existem mais áreas disponíveis e as que existem, o preço do terreno está muito alto”, disse o corretor.

Construção de avenida abre caminho para novo setor A área chamada de Chácaras Alto da Glória, passou a ser conhecida como Alto da Glória II depois do início da construção de alguns condomínios no local, em 2008. O mais conhecido é o Euroville, com duas torres prontas e mais duas em construção. O preço de um apartamento no lugar é um pouco menor que no Alto da Glória. Um imóvel de dois quartos, com 67 m², no Euroville, por exemplo, possui preço de R$ 207 mil reais, enquanto que no Alto da Glória está em torno de R$ 230 mil. Mas apesar do nome, o Alto da Glória II está localizado do outro lado da BR 153 entre os setores Parque das Laranjeiras e Jardim Vitória. O aces-

30

Av. Teófilo Otoni que liga o Setor Alto da Glória ao Parque das Laranjeiras (E) e Edifício Euroville

so foi facilitado recentemente depois da construção do viaduto, através da nova Avenida Teófilo Otoni que liga o Setor Alto da Glória ao Parque das Laranjeiras e Jardim da Luz. Há três meses, a jornalista Ady Patrícia Azevedo mora no edifício Euroville. Ela afirma que a qualidade do imóvel é muito boa, mas não

existe oferta de serviços nas proximidades. “É um perto, mas longe, porque quando se está de carro é bem perto do Flamboyant e do Alto da Glória, mas quando precisamos ir a um supermercado, por exemplo, precisamos recorrer aos serviços oferecidos no Parque das Laranjeiras e no Jardim da Luz”, disse a

moradora, que completa informando que o serviço de transporte coletivo ainda é muito carente, sendo que as pessoas que necessitam do transporte, precisam percorrer um longo caminho a pé para chegar ao primeiro ponto de ônibus. O comerciante Nilton Macedo, dono de um restaurante no Parque das Laranjeiras afirma que a construção do viaduto na BR-153, ligando o setor Alto da Glória à região, facilitou o acesso, mas ele não entende como um fator que irá impulsionar o crescimento imobiliário na região. “Pode ser que valorize os imóveis que já existem, mas é uma região que não possui áreas para novas construções”, disse o morador.


31


+

que corretor

É possível ir além Segundo os psicólogos, manter um hobby ou uma atividade prazerosa é uma forma eficaz de combater o EstreesE. No momento em que se dedica à algo que gosta, a pessoa consegue se desligar totalmente dos problemas, se recuperando mentalmente DA ROTINA AGITADA. a Revista Painel imobiliário buscou o exemplo de pessoas que são mais que corretores, que possuem outras atividades que acrescentam na sua vida profissional.

Ana

Pau

la V itorin

o

Soltando a voz

32

A estagiária Ana Paula Xavier, tem como hobby a música. Nas comemorações em família e reuniões de amigos ela adora cantar, e quem sempre a acompanha no violão é o irmão, o músico Alexandre Luna. Em casa, ou até em algumas apresentações públicas, a futura corretora solta a voz e esquece dos problemas do dia a dia. Mas não é apenas para aliviar as tensões que as cordas vocais a ajudam. A voz firme e de tom agradável, que tanto encanta aqueles que a ouvem nos momentos de descontração, também ajuda na hora de se comunicar com os clientes. Para Ana Paula, sua voz contribui no trabalho como corretora porque transmite segurança e desperta a confiança do cliente. Apesar de estar começando na profissão, já conhece bem o mercado, e foi depois de atuar por 15 anos em serviços administrativos em imobiliárias, que resolveu se tornar corretora de imóveis. “Também acho que trabalhar a voz através da música, ajuda a acabar com a timidez, uma vez que ter uma voz firme é um fator que traz segurança para a pessoa”.


Adrenalina com responsabilidade O corretor de imóveis, Elmo Aguirre, tem a velocidade no DNA. O avô era piloto de avião e o pai, Juvenal Nascimento Aguirre, disputou o Brasileiro de Marcas e Pilotos. Na terceira geração de apaixonados por velocidade, Elmo conta que só pôde realizar o sonho de fazer da sua paixão por motos um verdadeiro hobby, há três anos. Hoje, com uma Ducati 1198R, que vai de 0 a 300 Km/h, em apenas 16 segundos, o corretor participa de encontros de motociclistas e traking days em pistas profissionais. Mas além de ser caro, o motocilcismo é um hobby arriscado. “Aprendi com meu pai que para pilotar uma moto a pessoa precisa ter três vezes mais responsabilidade do que qualquer um, e para ser um piloto é preciso três coisas: respeitar o seu limite, o da máquina e o do lugar”, disse o empresário, ao revelar o que seu hobby traz de positivo para sua profissão: “Nas duas atividades é preciso estar em constante treinamento, se atualizando e se profissionalizando sempre”, disse, relatando em seguida, outra qualidade do seu brinquedinho

“nervoso”: a capacidade de fazê-lo se desligar completamente de todos os problemas do dia a dia.

Em contato com a natureza

O gosto pela bicicleta é algo que acompanha o vice-presidente do Creci de Goiás, Eduardo Coelho Seixo de Brito, desde criança; mas foi há 14 anos que ele passou a encarar a atividade como um hobby. “O dono do campo onde nós jogávamos futebol viajou e ficamos sem lugar para jogar, foi quando passei a praticar Mountain Bike”, conta Eduardo, que é corretor de imóveis há 24 anos. Foi através desta atividade que custeou os estudos para formar-se em direito, conquista que veio há 10 anos. Com tantos compromissos profissionais é nas trilhas e competições de Montain Bike que o corretor de imóveis busca o preparo físico e mental. “Na nossa profissão é preciso movimentar-se, corretor que fica atrás de uma mesa não vê resultado. Acredito no ditado que diz que quando se cansa o corpo, se refrigera a mente”.

Corretor de imóveis há 13 anos o delegado do Creci-GO em Valparaíso, Nixon Guitemberg, tem como hobby andar de Jet Ski. À procura de bons lugares para prática do esporte o corretor costuma viajar para Luziânia, Brasília e Caldas Novas. Mas é no Lago Paranoá, na capital federal, que Nixon costuma reunir os amigos para a prática do esporte. “No último final de semana estávamos em oito máquinas e passamos todo o domingo no lago”, disse. Para Nixon, estar em contato direto com a natureza faz com que ele libere o estresse acumulado no dia a dia. Com prática de 10 anos no esporte, o corretor alerta que para pilotar um jet ski é preciso ter uma habilitação que se chama Arrais Amador, que é obtida na Marinha do Brasil. O Jet Ski de Nixon é um RXT260AE, que possui 1500 cilindradas e chega até 120 km/h. Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Preparo físico e mental

33


DIRETO DO CRECI-GO

Combate a contravenção A fiscalização do Creci de Goiás fechou o ano de 2012 com 1.065 autuações por exercício ilegal da profissão. O número é bem superior aos apresentados por outros estados. Segundo o coordenador de fiscalização, Marcos Aurélio Oliveira Luiz, ao intensificar o combate a contravenção, o número de autuações aumentou em 100%. “Desde março do ano passado diminuímos as visitas aos corretores e imobiliárias e fortalecemos o combate ao exercício ilegal. Trabalho que geralmente é praticado por meio da verificação de faixas, placas, anúncios em jornais e internet, além de plantões piratas”, disse o coordenador. No início do ano, por exemplo, os fiscais percorreram mais de 700 km entre Goiânia e as cidades de Águas Lindas, Valparaíso e Cidade Ocidental em uma operação especial, que resultou em mais de 40 autos de infração, em apenas uma semana. Em 2012 a autarquia investiu na compra de novos veículos e equipamentos para garantir mais agilidade e eficiência no trabalho dos

Divulgação

Número de autuações por exercício ilegal aumentou 100% em 2012

fiscais. Além disso, as blitzes educativas também contribuíram para obtenção dos resultados positivos. Foram realizadas em diferentes cidades do interior de Goiás como Pontalina, Catalão, Porangatu, Formosa, Caldas Novas e Pirenópolis. A blitz visa alertar a população sobre a existência dos falsos profissionais; indicar os caminhos para denunciar a contravenção e ainda orientar as pessoas que pretendem atuar na profissão. “Tão importante quanto a fiscalização, que combate os contraventores, também é esta iniciativa, para

que os consumidores tomem consciência da necessidade de realizar negócios imobiliários somente com corretores credenciados, porque a partir do momento em que eles contratam um contraventor, estão colocando seu patrimônio em risco”, analisa o coordenador de fiscalização, Marcos Aurélio. E na lista de aliados da fiscalização está ainda a figura do delegado que é nomeado no interior. A função deste, é oferecer apoio aos fiscais, ajudar no planejamento do Plano Diretor da cidade, representar o Creci

diante da sociedade e das instituições públicas locais, conscientizar a população e instruir os novos profissionais. “Em 2012, seis novos delegados tomaram posse e, com isso, já estamos com 49 representantes no interior e uma cobertura de pelo menos 65% do Estado. Em 2013 nossa meta é alcançar 100%”, prevê o coordenador da fiscalização. Este ano, com a contratação de três novos fiscais, a fiscalização nos estandes de vendas e outros itens da Resolução nº 1.256/2012, e a continuidade do combate à contravenção; o número de autos deve aumentar em 30%. Além disso, segundo Marcos Aurélio, outra mudança para este ano veio com a Resolução do Cofeci nº 1.290/2012. “Antes, o auto de infração devia ser lavrado no estabelecimento do infrator (imobiliária ou escritório), ainda que a infração fosse cometida em outro local. Agora facilitou bastante o nosso trabalho, uma vez que o auto de infração pode ser lavrado em qualquer lugar onde o infrator for encontrado”.

Autos de Infração por Exercício Ilegal Meses Janeiro Fevereiro Março Abril TOTAL

34

2011 2012 48 47 36 71 27 94 37 49

2011: 533

2012: 1.065

Meses Maio Junho Julho Agosto

2011 2012 67 177 26 130 56 140 64 138

Meses Setembro Outubro Novembro Dezembro

2011 2012 41 68 26 38 42 54 63 59

* Por dois anos, no mês de maio, houve fiscalização federal, realizada pelo GEAF.


>>Campanha Natal com Leite: solidariedade que alimenta

Thaysa Mazzarelo

As crianças e adolescentes carentes atendidas pelas instituições goianas Casa Mãe de Deus, Centro Juvenil São Domingos e Associação de Serviço a Criança Especial de Goiânia (ASCEP) receberam um presente especial de Natal: quilos e mais quilos de leite em pó. A doação foi feita pelo Creci, que através da Campanha Natal com Leite, arrecadou mais de 500 quilos deste alimento, proveniente da contribuição de imobiliárias e corretores de imóveis que se sensibilizaram com o objetivo da iniciativa: promover a saúde de crianças e adolescentes que vivem em abrigos. “Esse leite chegou em boa hora”, disse a coordenadora de convênios da ASCEP, Rosiclei Vieira da Silva, ao receber a doação. A instituição atende adolescentes e crianças que possuem algum tipo de deficiência, seja ela intelectual, motora ou múltipla. Mantida por meios dos convênios e doações, a ASCEP oferece os serviços de assistência social, fisioterapia, fonoaudilogia, enfermagem, pedagogia e psicologia aos internos. “Precisamos lembrar que o Natal, na verdade, é lembrar que estamos neste mundo para servir e é momento de sermos solidários com o próximo”, comentou a irmã Silvana, coordenadora da Casa Mãe de Deus, sobre a data de realização da Campanha. O leite foi arrecadado por meio de entrada solidária de eventos promovidos pelo Conselho, e principalmente, através das doações de imobiliárias, instituições do mercado imobiliário e dos corretores de imóveis. A iniciativa leva a chancela do Juizado da Infância e Juventude de Goiânia. O presidente do Creci, Oscar Hugo Monteiro Guimarães, comenta sobre o segundo ano de realização do projeto: “É uma forma do setor retribuir, em benefícios para a sociedade, o crescimento que tem presenciado nos últimos anos e exercer sua responsabilidade social”.

Divulgação

>>Pela educação e conhecimento da categoria O Creci de Goiás foi palco de encontros inéditos que abriram o diálogo em busca de melhorias na formação profissional do corretor de imóveis. Representantes de Crecis de todo o Brasil se encontraram no I Encontro de Diretores Pedagógicos do Sistema Cofeci/Creci. Samuel Arthur Prado, que no evento representou o presidente do Conselho Federal, João Teodoro, expôs o problema enfrentado pela categoria ao dizer que novos corretores chegam ao mercado sem conhecimento sobre temas necessários ao exercício da profissão. “Nosso desafio é melhorar esta situação, estreitando o relacionamento entre as escolas e o Sistema”, disse Prado. Já o II Encontro de Diretores de Escolas de TTI, permitiu que os representantes destas instituições expusessem suas dificuldades ao Conselho Estadual de Educação de Goiás (CEE). O presidente do CEE-GO, José Geraldo Santana, que esteve presente no evento, considerou que o que está em debate é a educação, mola propulsora para a justiça social e que o Conselho e o Creci têm atribuições distintas, mas anseios e responsabilidades comuns: a qualidade social através da educação. Ele ainda afirmou que o Encontro foi um passo importante para abertura de um diálogo com as escolas no intuito de solucionar os problemas existentes. Os eventos ainda abriram espaço para os representantes das escolas e os diretores pedagógicos discutirem os desafios e os projetos da formação profissional na nova realidade educacional do País. “Para 2013 nossa meta é investir na formação de cientistas e pesquisadores, através do curso de bacharelado”, anunciou o presidente Oscar Hugo.

>>III Jornada da Conciliação Profissional Os resultados positivos alcançados no primeiro semestre de 2012 garantiram uma segunda edição da Jornada da Conciliação Profissional, ainda no ano passado. E o saldo da iniciativa não poderia ser diferente: a expectativa no número de acordos foi alcançada. Foram 6.900 audiências agendadas e mil acordos de conciliação, sendo 600 atendimentos pessoais. Nesta IV Jornada, o atendimento foi

ampliado para o interior do Estado. Além das audiências realizadas na capital, os corretores de imóveis receberam atendimento em Caldas Novas, Rio Verde, Valparaíso e Anápolis. “O objetivo é facilitar ao máximo o contato entre os profissionais e o Conselho, para que mais corretores de imóveis tenham a possibilidade de se regularizar”, comenta o presidente Oscar Hugo. A Jornada é uma iniciativa pioneira do

Creci de Goiás e da 8ª Corte de Conciliação e Arbitragem de Goiânia (8ª CCA de Goiânia) que recebe e ouve os corretores de imóveis que estão em débito com o Conselho para conhecer as dificuldades do inscrito e assim oferecer formas mais adequadas para a resolução da inadimplência, sem a necessidade de atuação do poder judiciário, representando economia para o próprio inscrito inadimplente.

35


Delzito

Social

Comemoração dos 50 anos

Arquivo Pessoal

Uma noite para ficar na memória. Assim foi a solenidade em comemoração ao cinquentenário do Conselho. Houve homenagem às empresas que fomentam o crescimento do mercado imobiliário goiano e personalidades do setor receberam a Comenda Ulysses Guimarães, por sua contribuição ao desenvolvimento da categoria. Ainda na cerimônia, foi lançado Selo comemorativo de 50 anos da autarquia.

Encontro

Visita O superintendente do Creci-DF, Rhanne Moreira, e Gilmar ,da procuradoria da regional, estiveram no Creci de Goiás para conhecer o trabalho desenvolvido pela procuradoria e pelo setor de informática do Conselho goiano. Além do networking, o momento foi propício para troca de experiências.

36

Neide Ataide

As autoridades que participaram do I Encontro de Diretores Pedagógicos do Sistema Cofeci/Creci e do II Encontro de Escolas de TTI não deixaram passar em branco sua visita ao Creci de Goiás. O vice-presidente do Creci do Ceará, Roufman Ribeiro Rolim, registrou reunião com a diretora pedagógica do Creci do Rio de Janeiro, Fátima Santoro, e com a sua conterrânea, a presidente do Sindimóveis-CE, Vânia Marques. Ele ainda posou ao lado do presidente do Creci-GO, Oscar Hugo, e dos membros do Creci- BA: Samuel Prado, presidente; Consuelo Leal, diretora de eventos e José Noel, diretor secretário.


37


Creci na mídia

No dia 31 de janeiro, o Creci de Goiás divulgou pesquisa revelando a valorização de 18,86% dos imóveis verticais em Goiânia. Os resultados foram assunto em matérias publicadas nos jornais O Popular, O Hoje e Diário da Manhã.

No dia 11 de novembro, em nota publicada na coluna Direito & Justiça, no Jornal O Popular, a jornalista Carla Borges registrou evento realizado no auditório Ninho dos Colibris.

De outubro de 2012 a janeiro de 2013, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis foi notícia em

No dia 16 de janeiro a profissão de corretor de imóveis foi tema do quadro TV Trabalho, veiculado às quartas-feiras, no Jornal Anhanguera - 1º edição.

veículos de comunicação de todo o Estado, totalizando:

31 espaços de mídia espontânea, sendo: 5 exibições em telejornais; 5 em rádios; 18 em jornais impressos;

3 em sites.

38

Em entrevista à Rádio Brasil Central, o vice-presidente do Creci de Goiás, Eduardo Coelho Seixo de Brito, esclareceu sobre o pagamento de honorários aos corretores de imóveis.


Para refletir

O ESPETÁCULO da vida

(Augusto Cury)

Que você seja um grande empreendedor. Quando empreender, não tenha medo de falhar. Quando falhar, não tenha receio de chorar. Quando chorar, repense a sua vida, mas não recue. Dê sempre uma nova chance para si mesmo. Encontre um oásis em seu deserto. Os perdedores vêem os raios. Os vencedores vêem a chuva e a oportunidade de cultivar. Os perdedores paralisam-se diante das perdas e dos fracassos. Os vencedores começam tudo de novo. Saiba que o maior carrasco do ser humano é ele mesmo. Não seja escravo dos seus pensamentos negativos. Liberte-se da pior prisão do mundo: o cárcere da emoção. O destino raramente é inevitável, mas sim uma escolha. Escolha ser um ser humano consciente, livre e inteligente. Sua vida é mais importante do que todo o ouro do mundo. Mais bela que as estrelas: obra-prima do Autor da vida. Apesar dos seus defeitos, você não é um número na multidão. Ninguém é igual a você no palco da vida. Você é um ser humano insubstituível. Jamais desista das pessoas que ama. Jamais desista de ser feliz. Lute sempre pelos seus sonhos. Seja profundamente apaixonado pela vida. Pois a vida é um espetáculo imperdível.

39


Não faça negócios imobiliários no escuro.

Exija um corretor de imóveis: profissional habilitado pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI-GO) para transações imobiliárias.

Consumidor, solicite sempre a carteira profissional do corretor de imóveis. Ela é a garantia de uma negociação mais segura.

40

Revista Painel Imobiliário - 10° edição  

A publicação traz: - Entrevista com José Geraldo Santana sobre cidadania e educação; - Notícias sobre avaliação imobiliária, desconto no pri...

Revista Painel Imobiliário - 10° edição  

A publicação traz: - Entrevista com José Geraldo Santana sobre cidadania e educação; - Notícias sobre avaliação imobiliária, desconto no pri...

Advertisement