Page 1

EDIÇÃO 16 - GOIÂNIA, FEVEREIRO DE 2015

Tendências para

2015

Especialistas comentam os números, os desafios e as expectativas para o mercado imobiliário brasileiro e de Goiás

CRECI-GO CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS 5ª REGIÃO / GO

LEI 13.097/15 Conheça a norma que traz o “Renavam dos imóveis” e a figura do corretor associado EXCLUSIVIDADE Argumentos para convencer o cliente a assinar essa modalidade de contrato ENTREVISTA Cristiano Piquet, empresário do setor imobiliário nos EUA, conta os segredos do seu sucesso como corretor de imóveis e diretor de imobiliária DEMANDA CRESCENTE Imóveis no setor Central vêm atraindo moradores pela localização privilegiada


2 | Painel Imobiliรกrio


PALAVRA DO PRESIDENTE

Muda Brasil. Ainda é possível? Afinal de contas, você é brasileiro? Tem medo de dar o primeiro passo e sofrer uma decepção? Tem medo do futuro e não vivencia o presente? Tem medo de sofrer retaliações? Esse é o mundo em que vivemos: de incertezas, de dúvidas, de preocupações, de desilusões. E deixa-se de lado o COMO sair dessa situação e promover uma verdadeira mudança, pessoal e coletiva. O nosso país passa por uma situação onde os valores estão deturpados, a sociedade está perdendo o respeito por si e pelos demais, o errado passa a ser normal, o normal passa a ser exagero e o exagero passa a ser loucura. Onde vamos parar? Continuando com as ações que são praticadas no dia a dia atual, todos nós iremos para o caos. Mas se mudarmos nosso modo de ser, agindo com ética e respeito com as pessoas, amando a natureza, obedecendo a legislação atual, cooperando com as instituições que procuram o bem-estar do cidadão, respeitando os mais velhos, educando as nossas crianças com amor e sinceridade, dando o exemplo para que elas cresçam e possam, amanhã, dar bons frutos. Aí sim, teremos uma mudança no nosso Brasil. Com pessoas educadas, com conhecimento, a escolha dos políticos passa a ser mais qualitativa e, assim, teremos governantes probos, compromissados com o desenvolvimento ordenado, preocupados com a educação, saúde e segurança da população. Se assim não for feito, continuaremos a ver o que está acontecendo: os nossos representantes, exercendo em benefício próprio os seus mandatos, esquecendo que foi o povo que os ali colocou. Mas como foram colocados de uma forma não muito ortodoxa, não se pode reclamar, pois são os representantes legais da população. Nós, corretores de imóveis, poderemos dar o primeiro passo. Como? • Primeiramente se qualificando diuturnamente para oferecer um serviço de qualidade. • Agir com ÉTICA em todos os momentos de nossa atividade e fora dela. • Procurar sempre realizar um bom negócio para as partes envolvidas na negociação. • Lembrar sempre que estamos no mercado para servir as pessoas, fazendo o que for melhor, para que elas possam realizar os seus sonhos. Se assim procedermos, a nossa categoria estará iniciando uma caminhada cívica, em busca do dos princípios éticos e morais em nosso país.

MUDEMOS NÓS PRIMEIRO.

OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES presidente do Creci de Goiás crecigo@crecigo.gov.br


SUMÁRIO expediente

6

14

ENTREVISTA

MERCADO

Empresário do setor imobiliário nos EUA, Cristiano Piquet, conta os segredos do seu sucesso

Promessa de ajustes na economia não deverá impedir que o ano que se inicia seja melhor que 2014

18

24

MAPA DE REGIÕES

SAÚDE

Centro, a localização dos sonhos X o pesadelo do abandono

Dengue e Chikungunya: atenção redobrada

ARTIGO 10 34 + QUE CORRETOR

Novo ITBI ameaça negócios imobiliários Corretores de imóveis e o Simples Nacional

DE OLHO NA LEI 12

35 FISCALIZAÇÃO Potencialização com o Whatsapp

Sancionada Lei 13.097/15

36 DIRETO DO CRECI MERCADO 16 Exclusividade de venda 38 CULTURA & LAZER PARCEIROS 26 39 CONVÊNIOS VOCABULÁRIO DO CORRETOR 28 40 SOCIAL PROFISSÃO 30 Os segredos do podium 41 CRECI NA MÍDIA

história de corretor 32 De corretor para corretor

42 PARA REFLETIR

EXPEDIENTE O Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 5ª Região-GO é uma autarquia federal de disciplina e fiscalização da profissão de corretor de imóveis. Regulamentada pela Lei Federal 6.530/1978 Endereço: Rua 56, Nº 390, Palácio dos colibris, JARDIM GOIÁS, goiânia-GO - CEP: 74810-240 - Fone/ fax: 62 3236-7350 - Homepage: www.crecigo.gov.br, E-mail: crecigo@crecigo.GOV.br Diretoria: OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES, EDUARDO COELHO SEIXO DE BRITO, RAFAEL NASCIMENTO AGUIRRE, JUSCEMAR ANTÔNIO DE OLIVEIRA, JACKSON JEAN SILVA, WÁLTER SÃO FELIPE, JAIR REIS DE MELO. Conselheiros: ANA MÔNICA BARBOSA DA CUNHA, ANTÔNIO ALVES DE CARVALHO, ANTÔNIO ROSA DE MESQUITA, ANTÔNIO SPINETTI ALVES, CARLOS CÉSAR LEMOS DO PRADO, EDUARDO COELHO SEIXO DE BRITO, ELMO MONTEIRO CLEMENT AGUIRRE, FRANCISCO CARLOS LOBO, GERALDO DIAS FILHO, JACKSON JEAN SILVA, JAIR REIS DE MELO, JOÃO BENICIO GOMES, JOÃO PEDRO VIEIRA, JOSÉ MACHADO RESENDE, JOSÉ MÁRCIO MOREIRA SANTOS, ANTÔNIO DE OLIVEIRA, lEANDRO DAHER DA 4 |JUSCEMAR Painel Imobiliário

COSTA, LUIS CLEMENTE BARBOSA, MARCIO ANTONIO FERREIRA BELO, MARCO ANTONIO DE OLIVEIRA, MARIA FRANCISCA ALVES CARVALHO, OMAR ATAÍDES DE CASTRO, OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES, RAFAEL NASCIMENTO AGUIRRE, RICARDO ALVES VIEIRA, WALTER SÃO FELIPE, WILDES MARCOS FAUSTINO. Suplentes: ADEMIR SILVA, ANDRÉ LUIZ FRANÇA DE MELO, ALEXANDRE GUIMARÃES ROSA DE MOURA, CELSO MONTEIRO BARBUGIANI, CÉSAR FELICIANO DE OLIVEIRA, CLAUDIO GONÇALVES DE ARAUJO, EDGARD FURTADO MARTINS, EVALDO EULER DUARTE DE ALMEIDA, FRANCISCO LUDOVICO MARTINS, HELDER JOSÉ FERREIRA PAIVA, ISMAILDE GOMES DA SILVA, JOSÉ HUMBERTO MARTINS VIEIRA CARVALHO, JOSÉ VIRGÍLIO FERREIRA FILHO, LUCIMAR ALVES ELIAS, LUIZ ANTÔNIO DO NASCIMENTO, LUIZ ANTÕNIO MADY, MARGORETH ALVES DE CASTRO GUIMARÃES, MARIA APARECIDA DIONÍSIO, MURILO SOUSA DE ANDRADE, NEILA ETERNA DE MORAES NASCENTE, PEDRO ANTÔNIO COTECHESKI BOBROFF, RODRIGO PAULLUS BARRETO MACHADO, RONALDO ODORICO VEIGA, SAUL PEREIRA DA COSTA, VALGMAR DOMINGOS TAVARES, VALONI ADRIANO PROCÓPIO, VERONDE ANTÔNIO DE OLIVEIRA.

A Revista Painel é uma publicação do CRECI-GO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO: Thaysa Mazzarelo, caROLINA DINIZ e colaboração de ANA PAULA VITORINO Diagramação: Neide Ataíde - GO-2690 JD REVISÃO ORTOGRÁFICA: Isa Daher COMERCIAL: OBJETIVA COMUNICAÇÃO E MARKETING - objetivacomercial@ig.com.br Revisão jurídica: FERNANDO DE PÁDUA - OAB 17840 Tiragem: 15.000 exemplares Fotolito e impressão: FLEX GRÁFICA As opiniões expressas nessa publicação são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não refletem, obrigatoriamente, a opinião deste Conselho

www.crecigo.gov.br imprensa@crecigo.gov.br


Painel Imobiliรกrio

| 5


ENTREVISTA

O Piquet do mercado imobiliário O empresário brasileiro que faz sucesso no setor imobiliário dos EUA, Cristiano Piquet, fala sobre sua trajetória, profissão e o mercado internacional POR THAYSA MAZZARELO

D

e piloto de automobilismo a corretor de imóveis. Essa foi a trajetória de Cristiano Piquet, um bem sucedido empresário do mercado imobiliário nos Estados Unidos. O mineiro, que desde menino sonhava em ser piloto, assim como o famoso Nelson Piquet, com o qual não possui parentesco, viu, aos 23 anos, seus planos de vida mudarem ao perder o patrocínio buscado nos EUA para realizar seu sonho. Foi no pedido de um amigo brasileiro para ajudar a encontrar um imóvel no exterior que Cristiano Piquet, desempregado, vislumbrou uma segunda oportunidade como corretor de imóveis. Hoje, o empresário é diretor do Piquet Group, composto por sete companhias que vão desde a imobiliária até empresa de educação, que oferece curso on-line de inglês. Como foi sua trajetória profissional? 
 Mudei pra Miami no final do ano 2000, atrás do meu sonho que era ser piloto de automobilismo. Eu já era piloto no Brasil, já tinha ganhado três campeonatos grandes, daí tive a oportunidade de correr aqui nos Estados Unidos com o patrocínio ame-

6 | Painel Imobiliário

ricano, mas com o atentado de 11 de setembro eu perdi o patrocínio. A economia americana deu uma desaquecida e eu me vi forçado a tentar alguma outra coisa. Acabei sendo levado para um caminho que, hoje, dou graças a Deus que aconteceu. Depois disso, tirei minha licença de corretor, comecei a trabalhar numa imobiliária aqui em Miami e no primeiro ano fui campeão de vendas. Apesar de ser novo no mercado, características do esporte – como determinação, foco, coragem, me fizeram ter sucesso nessa área. Após ter sido o maior vendedor na empresa onde trabalhava, me senti preparado para abrir meu próprio negócio. Fundei a Piquet Realty, durante a crise americana, quando o mercado estava “quebrado”. Enxerguei na crise uma oportunidade. Hoje a Piquet Realty já atua no Mercado Imobiliário há oito anos e tem se consolidado como uma referência para investidores estrangeiros. Para conquistar o cliente, o corretor de imóveis tem que fazer atendimentos diferenciados. Quais foram alguns que já realizou? Realmente, para se destacar nesse mercado temos que ter algum dife-

rencial, pois existem mais de 100 mil corretores só no Estado da Flórida. Eu criei a Piquet Group que é um grupo de empresas que presta serviços em todas as áreas que podemos ajudar o cliente, desde a parte jurídica que é feita pela Piquet Law Firm, a Piquet Concierge, a Piquet Exotics, a Piquet Interiors, que faz reformas, entre outras. Então, nós tivemos essa visão e criamos uma solução correta para atender nossos clientes. Por isso, nos destacamos e crescemos no mercado. Nós não só vendemos o imóvel, mas também damos a assessoria completa. Além disso tudo, eu apliquei no business a minha filosofia de vida que aprendi no Jiu Jitsu, que á a filosofia baseada na integridade, coragem, benevolência, honra, honestidade, respeito e lealdade. Empreendedor por natureza, você ainda desenvolveu outros negócios. Quais são eles e que relação eles têm com a imobiliária ou o mercado imobiliário? Como falei anteriormente, a abertura da Piquet Realty teve relação direta com a minha experiência no ramo a partir de uma oportunidade em meio à crise de 2008. A Piquet


Foto: Piquet Realty/Divulgação

Fundei a Piquet Realty durante a crise americana, quando o mercado estava “quebrado”. Enxerguei na crise uma oportunidade. Hoje a Pique Realty já atua no mercado imobiliário há oito anos e tem se consolidado como uma referência para investidores estrangeiros.”

Realty é hoje mais do que uma imobiliária. Oferecemos serviços que vão além da concretização do negócio imobiliário. Hoje a empresa está preparada para atender o cliente em todas as etapas do processo como a Piquet Law Firm, escritório de advocacia do grupo, especializado nos trâmites jurídicos; a Piquet Concierge, que abrange todas as necessidades do cliente, relacionadas à administração do imóvel, pagamento de contas, suporte na preparação do imóvel para a chegada do morador e sua família; a Piquet Interiors, que oferece através de seus parceiros exclusivos, serviços de design de interiores, que contemplam desde uma instalação da tecnologia de áudio e vídeo até um projeto completo de reforma. Em 2013, a Piquet Realty foi eleita a melhor imobiliária da Flórida pela Câmara do Comércio de Miami. Isso nos trouxe a certeza de que estamos no caminho certo. Anualmente, atendemos centenas de clientes em função também

da nossa atuação em três cidades: Miami, Orlando e Nova Iorque. Com mais de 100 consultores imobiliários e alianças em todo os Estados Unidos e Brasil, a Piquet Realty continua a crescer e em 2015 continua a expandir para outras cidades como Aspen, no Colorado; Los Angeles, na Califórnia; Nassau, em Bahamas e Xangai, na China. Também fui convidado pelo João Doria Junior, presidente do LIDE Brasil, para fundar e ser o presidente do LIDE USA e esse tem sido o setor onde tenho dedicado bastante tempo. Seu início como corretor de imóveis se deu meio por acaso, por que optou por dar continuidade na carreira? Trabalhar como um corretor de imóveis permite viver o sonho de uma pessoa e de uma família que buscam através da nossa orientação um imóvel que represente seu estilo de vida e o seu desejo de futuro. Considero que essa profissão só tem vantagens relacionadas a ajudar os que nos

procuram a encontrar a melhor solução e isso é muito gratificante. Quando você começou a atuar no mercado imobiliário dos EUA o cenário era pós-crise. Hoje, com a recuperação da economia americana, como tem sido as vendas? Na verdade, nós temos percebido que os clientes hoje buscam propriedades maiores do que antes, porque agora os brasileiros não estão somente em uma casa de férias em Miami, por exemplo, eles estão vendo Miami como uma segunda casa. Muitos deles estão passando metade do ano aqui e outros se mudando de vez para os Estados Unidos. E essa é uma nova realidade que antes nós não víamos com tanta frequência como hoje. Por isso, estão comprando imóveis ainda maiores. Quando iniciou a carreira teve a percepção de um mercado não atendido, de brasileiros que querem comprar imóveis fora. Como o corretor de imóPainel Imobiliário

| 7


veis pode desenvolver este potencial de empreendedor? Não pensar que o propósito pode ser financeiro. O papel do corretor é prestar um bom serviço, ser honesto, ajudar o cliente realmente como se estivesse ajudando um irmão ou um pai. O que é melhor para o cliente? Pensar nele! Fazer o certo e o universo “care you take care of the rest”!

Sua trajetória foi marcada por adversidades, como a perda do patrocínio. Como se portou diante destas situações? Como o corretor de imóveis deve se portar diante de uma crise, seja ela pessoal ou profissional? Tudo na vida você pode ver pelo lado positivo ou negativo, e eu acredito que tudo tem um lado positivo, mesmo algo ruim. Tem um ditado que diz “Every challenge or diversity, brings a seed to an equivalent or greater benefit”. “Toda dificuldade, todo desafio, traz sempre junto a semente de algo igual ou melhor”. Então você tem que achar essa semente. Eu vi várias empresas de Real Estate fechando, eu vi um escritório sendo alugado por um terço do preço, porque os inquilinos tinham saído, tinham quebrado, tinham fechado, e foi então que eu entrei no mercado. Consegui contratar mão de obra barata na época, porque estava difícil a economia, então eu fui por esse lado ao invés de ficar lamentando a crise. E é essa a mensagem que eu passo não só aos colaboradores e corretores da Piquet Realty como também todos que me cercam.

mento de muitos desafios e dificuldades, porém isso é bom para o país e para qualquer pessoa, pois são nesses momentos de dificuldade, desafios, que nós evoluímos e melhoramos. Como o corretor de imóveis pode fazer parte do mercado imobiliário em outros países? A Piquet Realty criou um programa exclusivo de parceria para possibilitar que corretores e imobiliárias brasileiras possam realizar negócios junto conosco, através da indicação de seus clientes. O mundo hoje é globalizado e parcerias como essa são a prova de que as fronteiras geográficas já não são mais limite para aqueles que tem visão. O “Affiliate Program – Piquet Realty” é uma oportunidade única do corretor e imobiliária ampliarem a sua forma de atuar no mercado internacional, potencializando o faturamento e permitindo mais opções aos seus clientes. Eu quero convidar a todos os profissionais do mercado imobiliário de Goiás a fazer parte deste programa e ampliar as suas chances de negócios. Para mais informações, acesse o site www.piquetrealty.com  Faça o download do aplicativo da Revista na Play ou Apple Store e assista a mensagem do Cristiano Piquet aos corretores de imóveis goianos

O que você acha do atual momento do mercado brasileiro? Eu vejo Brasil passando por um mo-

Foto: Divulgação

Antes de montar a própria imobiliária, você ganhou prêmios como corretor destaque. Qual o segredo de um corretor de imóveis de sucesso? “Our income, is a direct result of our philosophy, not the economy”, o que quer dizer que nosso sucesso depende da nossa filosofia e não da economia. Eu apliquei nos negócios o que eu aprendi no esporte. No automobilismo, a gente aprende a não olhar pro lado, literalmente. Não olhar pro lado. Quando estamos numa corrida, concentrados na pilotagem, não podemos parar pra ficar prestando atenção no que o carro ao lado está fazendo, o que o carro de trás ou da frente está fazendo. Temos que nos concentrar em nossa pilotagem, em nossa tangência, porque se você fica prestando atenção na pessoa que está atrás te pressionando ou em quem está a sua frente, você não dirige tão bem, não faz o seu traçado tão bem, e então fica pior ainda.

Trouxe então esse aprendizado para os negócios.

Trabalhar como um corretor de imóveis permite viver o sonho de uma pessoa e de uma família que buscam, através da nossa orientação, um imóvel que represente seu estilo de vida e o seu desejo de futuro.”

8 | Painel Imobiliário


Painel Imobiliรกrio

| 9


ARTIGO

O

s reflexos negativos da afobada aprovação da lei que alterou as alíquotas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em Goiânia começam a ser conhecidos. Como alardeado à época, por poucas e contáveis vozes republicanas, o projeto de lei enviado ao apagar das luzes para a Câmara de Vereadores tratava, também, de outras relevantes matérias que mereciam maior discussão. Dentre estas, alterações no Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). A legislação deste imposto era bastante antiga. Logo, a sua revisão se mostrava importante. Ocorre que alguns pontos da nova lei são inconstitucionais e podem causar grandes problemas aos goianienses. O fato gerador do ITBI pressupõe sempre o acesso do título ao Registro de Imóveis. No entanto, a lei sancionada prevê a incidência do tributo sobre compromissos de compra e venda de bens imóveis independentemente de seu lançamento registral. É a Constituição Federal que delimita o campo de competência tributária de cada ente público (União, estados e municípios). Neste sentido, fixa, dentre outros, que compete aos municípios instituírem imposto sobre a “transmissão ‘inter vivos’, a qualquer título, por ato oneroso, de bens imóveis, por natureza ou acessão física, e de direitos reais sobre imóveis, exceto os de garantia, bem como cessão de direitos a sua aquisição”. Sendo a propriedade um exemplo de direito real (direito sobre uma coisa e que deve ser respeitado por toda a coletividade), podemos resumir que o campo de incidência do ITBI envolve a transmissão onerosa de direito real imobiliário, exceto os de garantia. No sistema jurídico nacional, a aquisição de direito real imobiliário só se concretiza com o registro do título no Cartório de Registro de Imóveis. Sem o mesmo, há apenas direito pessoal (direito que envolve exclusivamente pessoas determinadas).

10 | Painel Imobiliário

Outro exemplo de direito real é o do promitente comprador. Direito este que decorre de um contrato preliminar, ou seja, de negócio onde a parte adquire o direito de formular um outro negócio futuro e definitivo. No caso, o de adquirir a propriedade. Logo, a mera lavratura de escritura pública de compra e venda ou de um compromisso de compra e venda não pode ser tributada pelo imposto ora comentado. Poderá o ser tão somente quando tais negócios forem registrados na matrícula imobiliária. Antes disso, não denotam evento gerador do ITBI. Na linha do exposto, a jurisprudência pátria já é bastante evoluída, inclusive com posicionamentos do Supremo Tribunal Federal (STF). Por diversas razões, a maioria das vendas de imóveis no país é estruturada com a formulação inicial de compromissos de compra e venda, que não são levados ao Registro de Imóveis. Após o pagamento total ou de boa parte do preço, são formalizados os instrumentos definitivos de compra e venda. Estes sim, em boa parte, devidamente registrados. Momento em que se recolhe o ITBI. Ao determinar que o imposto deva ser pago na assinatura do contrato de compromisso de compra e venda, a lei comentada impõe à sociedade goianiense a necessidade de um desembolso imediato a mais de 2% (dois por cento) sobre o valor do imóvel. Muitas vendas certamente deixarão de acontecer, pois se tornarão financeiramente inviáveis. Embora inconstitucional, o promitente comprador que não pagar referido imposto na assinatura estará sujeito à autuação (ilegítima), com multas elevadíssimas. A alteração legislativa é, portanto, desastrosa ao bom fluxo comercial de imóveis em Goiânia. Ameaça, ainda, o sonho da casa própria. O sucesso do Brasil pressupõe um Poder Público respeitoso às leis e atento aos interesses sociais. Eis acima um exemplo que nos afasta de tal caminho.

Cristina Cabral

Novo ITBI ameaça negócios imobiliários

Arthur Rios Filho Advogado, especialista em Direito Civil e Processual Civil, Direito Corporativo, Direito Tributário, co-autor do livro “Manual de Direito Imobiliário” , vice-presidente da Comissão de Direito Imobiliário e Urbanístico da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Goiás


ARTIGO

Corretores de imóveis e o Simples Nacional

Sebastião Rincon da Silva, advogado, corretor de imóveis, escritor, ex-professor universitário e especialista em Direito de Empresa

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

O

s corretores de imóveis foram inseridos no regime do Simples Nacional, conforme Anexo III, da Lei Complementar 123/2006. Também denominada de Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, a lei, na verdade, institui o Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. Deve-se observar que, em seu artigo de abertura, a disposição define o propósito da Lei, qual seja estabelecer normas gerais relativas ao tratamento diferenciado e favorecido a ser dispensado às microempresas e empresas de pequeno porte no âmbito dos Poderes da União Estados, Distrito Federal e Municípios, especialmente no que se refere: a) à apuração e recolhimento dos impostos e obrigações, inclusive acessórias, mediante regime único de arrecadação; b) ao cumprimento de obrigações trabalhistas e previdenciárias, inclusive as acessórias; e, c) ao acesso ao crédito, ao mercado e ao cadastro nacional único de contribuintes. A par dos benefícios e da repercussão geral da política de inserção de distintos segmentos da atividade econômica, de categorias profissionais e de outros agentes na informalidade, não se deve esquecer que todo esse arranjo resulta do comando constitucional segundo o qual, “a ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme ditames da justiça”, observando-se os princípios que enumera, especialmente, aquele que implica em tratamento favorecido para as empresas de pequeno porte constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sua sede e administração no País. Assim, a prática da política de inserção da categoria profissional dos Corretores de Imóveis no Simples Nacional não se consuma meramente por força do enfrentamento do sistema COFECI/CRECI sobre a questão, que resultou no sucesso da inclusão da categoria, mas, sim e principalmente, para dar cumprimento ao comando constitucional circunscrito no Art. 170, IX da Constituição de 1.988, ainda que, com expressivo atraso.

Eder Gomes de Araújo, contador, especialista em Gestão de Tributos, sócio da Inforplace Auditores e Consultores

Painel Imobiliário

| 11


DE OLHO NA LEI

Sancionada Lei 13.097/15 A nova lei traz diversas novidades para o mercado imobiliário, entre elas, a possibilidade do corretor associado, a facilidade ao emitir certidões e as letras imobiliárias garantidas

A

presidente Dilma Rousseff sancionou, em 19 de janeiro de 2015, a Medida Provisória 656, transformada na Lei nº 13.097. A minuta é apelidada de “Renavam dos Imóveis” por permitir que todos os questionamentos legais sobre o imóvel estejam reunidos na matrícula, assim como funciona o registro único dos automóveis. Facilita a busca dos compradores pela documentação do imóvel. Ao invés de retirar todas as certidões negativas possíveis, na cidade e em outros estados, para pesquisar por dívidas relacionadas ao imóvel, o comprador poderá apenas consultar a matrícula do bem no cartório, que conterá todas as informações. De acordo com a Lei, as pendências jurídicas deverão ser registradas e averbadas nos cartórios pelos credores para garantir o recebimento do bem. Por outro lado, a medida gera discussões, pela possibilidade do devedor, antevendo perder uma ação na justiça, vender o imóvel no qual poderia ser averbada a dívida, lesando o credor. Para o especialista em Direito Imobiliário, Arthur Rios Júnior, só o tempo dirá se esse ponto desfavorável será um problema concreto. O coordenador jurídico do

12 | Painel Imobiliário

Creci de Goiás, Fernando de Pádua, considera que o “Renavam dos Imóveis” trará maior facilidade e segurança aos negócios imobiliários, mas é importante ter cautela durante o período garantido pela lei para a implantação da regra. “Os credores têm o período de dois anos para informar as pendências do imóvel no cartório. Neste tempo, os corretores de imóveis devem orientar seus clientes a continuar tirando as certidões negativas para garantir a segurança do negócio”, ressalta. Trata-se de procedimento que contribuirá decisivamente para aumento da segurança jurídica dos negócios, assim como para desburocratização dos procedimentos dos negócios imobiliários, em geral, e da concessão de crédito, em particular, além de redução de custos e celeridade dos negócios, pois, num único instrumento (matrícula), o interessado terá acesso a todas as informações que possam atingir o imóvel. Circunstância que dispensaria a busca e o exame de inúmeras certidões e, principalmente, afastaria o potencial risco de atos de constrição oriundos de ações que tramitem em comarcas distintas da situação do imóvel e do domicílio das partes.


Corretor associado A Lei nº 13.097/15 trata, dentre várias diretrizes, do regime de trabalho do corretor de imóveis, que poderá operar em sistema de associação com as imobiliárias. De acordo com Marcos Lopes, vice-presidente de Comercialização e Marketing do Secovi-SP, a nova lei formaliza a relação entre corretores e imobiliárias que atuam neste modelo há mais 40 anos, e traz mais segurança jurídica para as partes. A partir de agora, corretores de imóveis poderão se associar a imobiliárias, mantendo sua autonomia profissional, sem que fique configurado qualquer vínculo, inclusive empregatício ou previdenciário. O corretor de imóveis associado e a imobiliária coordenam, entre si, o desempenho de funções correlatas à intermediação imobiliária e ajustam critérios para a partilha dos resultados da atividade de corretagem, mediante obrigatória assistência da entidade sindical. O contrato que regerá a relação entre o profissional e a imobiliária será específico, e deverá ser registrado no sindicato da categoria. O documento tem de prever as funções e as responsabilidades de cada um no exercício da intermediação imobiliária. O contrato de associação não implica troca de serviços, pagamentos ou remunerações entre a imobiliária e o corretor de imóveis associado, desde que não configurados os elementos caracterizadores do vínculo empregatício previstos no art. 3º da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

Letras imobiliárias A Lei nº 13.097 ainda traz novas determinações sobre o financiamento imobiliário, como as Letras Imobiliárias Garantidas para investidores mais conservadores. A LIG consiste em promessa de pagamento em dinheiro e será emitida por instituições financeiras, exclusivamente sob a forma escritural, mediante registro em depositário central autorizado pelo Banco Central do Brasil. O novo título terá garantia dupla: tem a cobertura da instituição financeira que oferece a aplicação e a carteira das aplicações fica protegida em casos de liquidação do banco. A aplicação terá isenção de Imposto de Renda para pessoas físicas desde que o título tenha prazo médio acima de 2 anos.

A cooperativa dos Corretores Uma cooperativa de crédito que oferece serviços e produtos bancários voltados, especialmente, para corretores. Proporcionando uma melhor organização financeira e crescimento patrimonial a todos os cooperados. - Melhores taxas de juros; - Tarifas mais baixas; - Seguros condominiais, de imóveis e veículos (risco contra terceiros); - Custos de boletos e doc's mais baratos; - Maior rentabilidade nas aplicações; - Menor tarifa de manutenção de conta; - Atendimento ágil e personalizado.

Painel Imobiliário

| 13


MERCADO

O que esperar de 2015? Promessa de ajustes na economia não deverá impedir que o ano que se inicia seja melhor, principalmente se comparado a 2014

A

dições favoráveis para o crédito imobiliário; estimativa de crescimento, ainda que moderado da massa total de rendimentos; nível de comprometimento da renda ainda saudável; elevado déficit habitacional brasileiro (5,2 milhões de domicílios em 2012 segundo o IPEA); expectativa de aumento das famílias e na oferta de crédito imobiliário sustentada por resultados positivos de captação de recursos da poupança e pela grande propensão dos bancos públicos na promoção do crédito. O economista aponta que, embora reajustes nos preços de energia, transporte urbano e gasolina possam exercer pressão no orçamento familiar em 2015, o crédito imobiliário em relação ao PIB ainda estará abaixo dos 10% e que existe no País uma ampla demanda potencial por “melhores moradias”. Luiz Fernando Garibaldi

redução da confiança afetou dramaticamente a atividade econômica do País no ano que passou, mas no final de novembro a indicação do engenheiro Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda foi recebida pelo mercado como um sinal de que o Governo pretende colocar as finanças nos trilhos. Com isso, embora se mantenha a certeza de um ano de ajustes para 2015, no mercado imobiliário a expectativa é de continuidade do avanço no número de unidades financiadas mesmo com taxas mais discretas do que as praticadas na última década. Segundo análise do economista e diretor da Tendências, Adriano Pitoli, a expectativa é de crescimento nominal de 15,8% nos financiamentos imobiliários ante 2014, previsão que se sustenta na expectativa de manutenção das con-

Pesquisa divulgada pela Revista Exame também aponta que a maioria dos agentes do mercado imobiliário está otimista e acredita que em 2015 não haverá redução no preço dos imóveis. A consulta foi feita pelo portal online de imóveis VivaReal para sondar as expectativas sobre o mercado imobiliário em 2015. Foram consultadas 1.149 pessoas, sendo 93% anunciantes do site (corretores e construtoras) e 7% investidores. O objetivo do levantamento foi mostrar as perspectivas de profissionais, empresas e participantes ativos do mercado imobiliário, já que eles acompanham de perto as mudanças do setor. De acordo com o estudo, 56% dos entrevistados acreditam que o valor dos imóveis ficará estável em 2015, enquanto 25% acreditam que os preços devem diminuir e 15% consideram que o preço deve aumentar. Em relação ao apetite dos compradores, 39% acham que o número de pessoas interessadas em comprar ou alugar imóveis deve diminuir. Para 30% dos entrevistados, o número deve aumentar e 28% acham que o dado deve ficar estável. Em relação às expectativas sobre as políticas de financiamento imobiliário promovidas pelo governo: 44% acham que essas políticas devem ficar estáveis, 27% acreditam que devem aumentar e 26% consideram que devem diminuir. Adriano Pitoli aponta expectativa de 15,8% nos financiamentos imobiliários

14 | Painel Imobiliário


O presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-Go), Renato Correia, também apresenta argumentos otimistas com relação ao mercado imobiliário em 2015. Segundo ele, em Goiânia e Região Metropolitana ainda há população com poupança suficiente para comprar e, além disso, as políticas de financiamento seguem abertas; a infraestrutura básica (água e esgoto) está num patamar razoável e ainda há terra com boa disponibilidade. Para Renato Correia ainda há mercado consumidor

Mercado goiano O economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci (foto), reforça o otimismo do mercado goiano. Segundo ele, a taxa de endividamento das pessoas aumentou de 5% para 17% em 2014, com habitacional. Isso significa que apesar de acumular dívidas, mais pessoas estão comprando imóveis. De acordo com o economista, o aumento nas vendas se deve àqueles que estão comprando seu primeiro imóvel. Celso apresentou simulações recentes feitas pela Caixa Econômica Federal, que sustentam o argumento: jovens, de 25 a 35 anos, representam a maio-

Desafios para 2015, segundo Celso Petrucci:

ria dos interessados em financiar um apartamento. Apesar desse volume de vendas, de acordo com os dados de Celso Petrucci, a valorização do metro quadrado em Goiânia caiu de 17% para 3% em dois anos, porém continua ascendente. Embora os resultados pareçam preocupantes, Celso afirma que os preços só vão cair caso haja uma super oferta de imóveis na região. “Isso não vai acontecer, a tendência é de que continue subindo, mesmo que de forma moderada. A tendência é que o preço se mantenha estável, com leve aumento”, explica.

 Administração de oferta x preço dos imóveis  Níveis de taxa de desemprego e geração de emprego  Mudanças de expectativa dos investidores em relação à política econômica

Questionado a respeito da queda nas vendas em 2014, Renato Correia, presidente da Ademi-GO, explica que o fato se deve aos jogos da Copa do Mundo e ao período eleitoral. “Tivemos um ano atípico, sofremos tanto quanto outros setores”, argumenta. De qualquer forma, segundo ele, o ano foi bom para diminuir a quantidade de imóveis em estoque e a redução no número de lançamentos ajudou a equilibrar a demanda. Devido a desconfiança de alguns investidores nas medidas da nova equipe econômica do governo federal, a expectativa é de que os lançamentos no mercado se iniciem somente a partir do segundo semestre.

2011

2012

2013

Out/2014

11.346

7.847

6.823

4.940

Valor médio m² (R$)

3.316,33

3.882,58

4.270,11

4.403,41

Valorização (%)

16,6

17,1

9,9

3,1

Vendas

*Fonte: Grupom

Conheça as condições que garantem as boas expectativas para Goiás no material complementar disponível no aplicativo da revista

Painel Imobiliário

| 15


MERCADO

Exclusividade de venda Conheça alguns argumentos para a assinatura do contrato na modalidade que garante maior segurança para o corretor de imóveis e o cliente

C

om frequência, o corretor de imóveis de Ceres, Rubens de Souza, se depara com o mesmo problema na hora de fechar negócio para a comercialização dos imóveis de seus clientes: eles não querem assinar o contrato de exclusividade. Apesar de expor a obrigatoriedade imposta ao profissional corretor de imóveis por lei de ter um contrato devidamente assinado para poder anunciar, Rubens ainda enfrenta a resistência dos clientes. “Percebo que a oposição se dá principalmente porque alguns colegas aceitam pegar o imóvel sem o contrato”, comenta o corretor de imóveis que diz preferir perder o negócio do que cometer a irregularidade de anunciar sem o documento. O gerente de vendas Miguel Gusmão pensa da mesma maneira: “Só trabalho com exclusividade de venda”. Para ele, a necessidade da assinatura do contrato com exclusividade é a primeira coisa que precisa ser dita ao se encontrar com o cliente, e cabe ao corretor passar os motivos pelos quais o contrato deve ser assinado nesses termos. Entre os argumentos utilizados pelo gerente está a segurança. Não somente a segurança física do imóvel e de seus proprietários ao se permitir visitas apenas com um corretor responsável, evitando-se assim roubos e outras ocorrências, mas também a segurança jurídica do negócio. Afinal, o contrato assinado deixa as partes amparadas por lei, evita perda para todos lados. “A imobiliária é testemunha do negócio, tem sua responsabilidade civil

16 | Painel Imobiliário

em relação ao negócio”, comenta Miguel Gusmão. Para o diretor de imobiliária e corretor de imóveis Thiago Cosac, não optar por exclusividade é desfavorável para o próprio cliente. Para ilustrar, ele cita o caso de imóveis oferecidos a vários corretores e imobiliárias que acabam tendo preços diferenciados nos anúncios e informações divergentes. “O cliente vai estabelecer um preço e cada corretor, na sua cabeça, vai colocar uma margem de gordura. Ele quer R$ 200 mil, um corretor vai pedir R$ 220, outro R$ 190”, comenta. Além do leilão de preço, também existe a falta de compromisso que pode afetar a venda do imóvel. Sem o contrato em mãos,

as imobiliárias e os corretores não terão a mesma dedicação para vendê-lo e nem o mesmo compromisso. Se for um imóvel vago, por exemplo, com muitos profissionais de posse da chave, ele pode ser deixado com portas e janelas abertas, e ninguém poderá ser responsabilizado sobre isso. Os argumentos são muitos para convencer aquele cliente que acredita que colocando o imóvel à venda com muitos corretores e imobiliárias terá um retorno melhor do que assinando exclusividade com apenas um profissional ou uma imobiliária. Cosac sugere que, ao abordar o cliente, ao invés de usar o termo exclusividade, que pode ser de pouco conhecimento do cliente, ele seja orientado a ter um coordenador de venda, uma única pessoa responsável pela venda do imóvel, assim como acontece nos lançamentos de imóveis. “Um profissional que vai coordenar, pulverizar a venda do imóvel aos corretores de sua empresa e de outras imobiliárias, definir um preço único, passar as informações corretas, ter a garantia de publicar apenas um anúncio, com as melhores fotos, imagens profissionais”, enfatiza. Para o diretor de imobiliária, é preciso esclarecer ao dono do imóvel de que o acesso do profissional aos demais corretores e às empresas é maior que o dele na hora de divulgar o imóvel e que Rubens de Souza opta sempre por negócios com exclusividade de venda


o mercado imobiliário também trabalha com parcerias. Desta forma, o cliente não “queima˝ o seu imóvel no mercado e recebe toda a orientação jurídica que só um profissional é capaz de oferecer, como a verificação dos documentos do empreendimento, que pode evitar problemas, por exemplo, no fechamento do negócio no cartório. “Com várias Para Thiago Cosac argumentos convencem o cliente da necessidade da exclusividade

imobiliárias e corretores no negócio, o cliente tem a falsa ilusão de que vai vender mais rápido, mas não vende. Por isso os argumentos que oriento para os meus corretores são que aconselhem de uma forma que a gente consiga atingir o objetivo final do vendedor, que é vender mais rápido, e usar a linguagem dele”, comenta Thiago Cosac.

O que é exclusividade de venda É o contrato de corretagem imobiliária feito com cláusula de exclusividade para a venda do imóvel, em que o cliente vendedor contrata o corretor de imóveis em caráter exclusivo para prestar serviços de forma personalizada na venda ou busca do imóvel pretendido. No contrato são definidos o objeto, preço, prazo, deveres e obrigações e a cláusula de exclusividade, que resguarda o corretor de imóveis dos problemas procedentes da responsabilidade civil do profissional e o comprador ganha segurança na negociação. Previsto pela Resolução n° 458/95 do Cofeci, a celebração de contrato com exclusividade é obrigatória para que o corretor de imóveis possa anunciar o imóvel. Faça download do aplicativo da Revista e conheça mais argumentos para convencer o fechamento de contratos com exclusividade

Painel Imobiliário

| 17


Detalhes que fazem toda diferença Projetos inteligentes evitam reformas e oferecem facilidades inovadoras

Q

uem compra um imóvel de terceiro já faz as contas de quanto irá gastar com a reforma, mas quem compra na planta e espera até três anos para se mudar acredita que irá receber um imóvel pronto sem nenhuma necessidade de adequação. Isso até pode acontecer, mas é preciso muito planejamento, tanto da parte do cliente quanto da construtora que precisa estar aberta a modificações no projeto inicial. É que no período de construção do imóvel muitas tecnologias surgem e com elas a necessidade de reformas para adaptar o imóvel para receber as novidades. Dependendo do local e do tipo de aparelho é preciso até quebrar pisos e paredes. Mas esse problema comum na vida de quem está de casa nova pode estar com os dias contados uma vez que algumas construtoras tem se esforçado ao máximo para estar à frente e descobrir quais serão as necessidades do cliente antes mesmo que ele perceba. E nesse caminho não basta apenas estar em sintonia com as novas tecnologias, ou somente investir em inovação. É preciso, principalmente, ter um radar bem apurado para as opiniões dos clientes. “Poucos dias depois de um lançamento, os corretores detectaram a insatisfação do público com uma porta de vidro; quando percebemos que todos iam trocar já incorporamos a mudança no projeto e substituímos por uma de madeira”, conta a gerente de Inteligência e Desenvolvimento de Produtos,

18 | Painel Imobiliário

Lyvia Mendonça, ao revelar a velocidade com que uma mudança pode ser detectada e incorporada ao produto através de um trabalho de inteligência aliado à sensibilidade dos corretores de imóveis. Ainda no mesmo empreendimento, outra adaptação feita para evitar as obras depois da entrega do imóvel foi a integração da varanda com a sala. “Percebemos que quase todos os compradores faziam essa integração depois que se mudavam e com isso decidimos mudar os novos projetos e evitar que os moradores gastassem tempo e dinheiro com a reforma.”, conta Lyvia ao explicar que a mudança integrada ao projeto, além de significar uma economia, não deixa rastros de obras no imóvel. Mas além das adaptações estruturais para atender necessidades específicas de cada família, o uso de novas tecnologias também é uma fonte de informações para prever quais serão as novas necessidades dos moradores. Um exemplo que trouxe inovação sem causar impacto no custo do produto foram as tomadas USB usadas para carregamento de baterias de dispositivos móveis. Se ter estas tomadas instaladas em locais estratégicos em casa, hoje, já faz toda a diferença, imagine para quem está planejando se mudar daqui há três anos. Segundo a gerente de Desenvolvimento de Produtos, Lyvia Mendonça, as pessoas têm cada vez menos tempo para per-


Fim das dores de cabeça A gerente de Inteligência e Desenvolvimento de Produtos, Lyvia Mendonça, mostra as tomadas USB, um detalhe que trará facilidade ao dia a dia dos moradores

A dedicação de profissionais como Lyvia, tem o objetivo de acabar ou diminuir ao máximo os problemas enfrentados por quem se muda para um imóvel novo. A publicitária Ana Paula Ramos conhece bem essa realidade. Nos últimos anos ela passou por duas situações que exigiram reformas. “Na primeira vez pegamos o imóvel sem nenhuma previsão para ar-condicionado e na segunda a construtora só não deixou pronto na sala, mas aí tivemos que passar a tubulação em toda a casa. O mais difícil é a mão de obra. Muitas vezes o profissional combina um dia e não vem, e depois acontecem outros problemas que adiam a conclusão do serviço. No final, tudo isso acaba adiando ainda mais a mudança que já é algo tão esperado”, afirma Ana Paula que ainda não se considera totalmente satisfeita porque precisa instalar uma extensão do telefone no segundo piso da sua casa nova.

der e alguns detalhes representam grande ajuda no dia a dia. Em empreendimento recém-lançado no Setor Marista, outros itens que visam facilitar a vida dos futuros moradores fazem parte da estratégia de encantar o comprador. O ponto de água para geladeira; tratamento acústico entre as lajes e sistema de biometria no elevador são alguns exemplos de itens entregues sem nenhum custo adicional; no entanto, existem facilidades que demandam investimento do cliente como o sistema de aspiração de pó central; sistema de automação ligado ao celular ou tablet; fechadura eletrônica; veneziana integrada; e até vidros especiais que amenizam a incidência solar. Para optar por estes e outros itens as empresas estipulam um período antes da entrega das chaves para a personalização dos projetos.

O caso de Ana Paula é exemplo dos problemas encontrados na modificação do imóvel já pronto

Lista de facilidades:

 Previsão para automação;  Aparelho que se conecta com o smartphone e ajusta o ar-condicionado de acordo com a temperatura que estiver do lado de fora;  Ponto de água para geladeira;  Fechadura eletrônica;  Tomada USB;  Veneziana integrada;  Sistema de biometria no elevador;  Área comum com Wi-Fi  Vidros que amenizam incidência solar;  Tratamento acústico entre as lajes;  Tomadas extras para telefone.

Painel Imobiliário

| 19


Mapa de Regiões ESPECIAL

CENTRO,

20 | Painel Imobiliário


A localização dos sonhos X pesadelo do abandono

Painel Imobiliário

| 21


Mapa de Regiões

Problemas como trânsito e "toque de recolher" afastam investimentos no Centro de Goiânia, porém, a demanda por unidades é crescente devido À localização POR ANA PAULA VITORINO

D

esde que Pedro Ludovico Teixeira lançou a pedra fundamental de Goiânia, em 1933, em um local próximo à Praça Cívica, muita coisa mudou nessa região. E nesses mais de 80 anos, ir a pé de casa para o trabalho tornou-se um sonho para muitas pessoas. Um exemplo é o contador e advogado João de Morais Júnior, que há cerca de um ano começou a perceber que estava passando cada vez mais tempo no trânsito e por isso resolveu morar mais perto de seu escritório, que está localizado na Avenida Anhanguera. O advogado fez uma pesquisa por apartamentos, mas revela que as opções que encontrou no Centro não atenderam as expectativas da família. “Geralmente são apartamentos com muito espaço, mas muito antigos”, disse o contador que comprou um imóvel de três quartos, com 110 m² de área por R$ 340 mil reais, em outro setor da região. Esta é a atual realidade do mercado imobiliário no Centro de Goiânia: uma excelente localização mas com poucas opções para quem quer comprar um imóvel residencial. Levantamento do Departamento de Pesquisa do Creci de Goiás (DEPAMI), realizado este ano, identificou apenas três empreendimentos novos sendo comercializados com poucas unidades disponíveis. Segundo a pesquisa, o preço médio do metro quadrado desses apartamentos é de R$ 4.500 reais e pode ser comparado ao preço do m² de setores nobres como o Bueno que, segundo o Depami, no início de 2014 apresentou preço médio do m² em torno de R$ 4.800 reais. “O centro está gritando por empreendimentos”, é a opinião de Íkaro

22 | Painel Imobiliário

Sem opções para morar perto do escritório, no Centro, João de Morais comprou imóvel no bairro vizinho

Avenida Anhanguera, principal via de trânsito do setor


Santana, diretor comercial de uma das construtoras que acreditaram na demanda por imóveis no Centro e se surpreenderam com a venda de 100% das unidades disponibilizadas em um único dia. Segundo Íkaro, as 105 unidades do Residencial Park Living, localizado próximo ao Parque Botafogo, foram comercializadas pelo preço de R$ 3.600 o m². “Hoje sabemos que, para comprar um imóvel de terceiros, o preço do m² já está em R$ 4.200 reais”, disse o empreendedor que explica os motivos que levaram a construtora a investir no Centro. “Nossa intenção foi fugir de setores que já estão saturados com um grande estoque de unidades e oferecer produtos em outros onde há muito tempo não há lançamentos”, conta Íkaro, ao descrever o tipo de cliente que a empresa buscou quando formatou o produto para o Centro. “Visualizamos proprietários de empresas localizadas na região que querem morar perto do trabalho e jovens casais que estão comprando seu primeiro imóvel e fazem questão de uma localização facilitada”, disse. Segundo o corretor de imóveis e diretor da Tropical Urbanismo, Leandro Daher, é baixíssimo o interesse dos empresários em investir em empreendimentos no Centro da forma como ele se encontra hoje. “Toda cidade que vai envelhecendo o Centro demonstra um processo de depreciação, com isso a Prefeitura, em parceria com entidades e o setor produtivo, precisam se preocupar com esta área. O Centro de Goiânia está deteriorando cada vez mais e as empresas pensam duas vezes em relação a investir nessa região porque não demonstra uma valorização”, disse Leandro ao revelar que a iniciativa privada já apresentou projetos para revitalizar o Centro mas que a Prefeitura não demonstrou interesse. “Acredito que o Poder Público precisa abraçar esse conceito de revitalização. Não estamos inventando a roda, isso já foi feito e tornou-se sucesso em várias cidades e em vários países. Com investimentos em segurança e revitalização as pessoas passam a querer morar nesse lugar e tendo demanda as construtoras certamente vão querer ter um produto”, disse Leandro.

Revitalização requer investimentos planejados O especialista em planejamento urbano e professor do curso de Negócios Imobiliários, Jeová Alcântara, defende a revitalização do Centro. Segundo ele, o setor encontra-se da forma que está porque foi projetado para atender uma população muito menor do que a que existe hoje e além disso, na época em que os prédios foram construídos não havia preocupação com garagens. “Isso provocou um grave problema quando os veículos passaram a tomar conta de todos os espaços”, disse Jeová ao lembrar que já aconteceram muitas tentativas de revitalização. “Os projetos para revitalizar o Centro não vingaram por incompetência; falta de vontade política e coragem dos administradores”, disse o especialista sobre o Projeto Cara Limpa, que propunha restaurar as fachadas dos prédios históricos e a

revitalização da Avenida Goiás que transferiu os camelôs para Avenida Paranaíba. Além dessas intervenções, outra obra que teve uma proposta positiva, mas ignorou as necessidades reais do Centro, foi a Vila Cultural, inaugurada em 2013. Foram utilizados R$ 12 milhões de reais para construção do lugar localizado no subsolo, na esquina da Rua 3 com a Tocantins. No entanto, a Vila Cultural permanece desconhecida e enquanto isso as pessoas que realmente precisam transitar pelo Centro continuam a espera de equipamentos urbanos de qualidade como pontos de ônibus confortáveis, embutimento da fiação, requalificação das calçadas, lixeiras, e de um projeto amplo que, no mínimo, possa servir de norte para qualquer centavo que venha a ser investido na região.

O setor teve em 2013 a inauguração da Vila Cultural

Painel Imobiliário

| 23


Fim do “toque de recolher” Um entusiasta da revitalização do Centro de Goiânia é o presidente do Sindicato dos Arquitetos de Goiás, Garibaldi Rizzo. Para ele, o setor é um rico patrimônio Art Déco. “Infelizmente em razão do crescimento da cidade, da horizontalidade e o surgimento dos shoppings, houve um processo de esvaziamento do ponto de vista cultural, habitacional e comercial. Então o Centro está em processo de degradação e precisa ser requalificado. Óbvio que temos que respeitar as construções antigas que são patrimônios, mas temos áreas que poderiam ser verticalizadas para promover uma ocupação ordenada e com isso o Centro tomaria vida, para ser um centro econômico, de gastronomia, de serviços, e contar com uma ocupação habitacional, o que favorece a mobilidade”, disse Garibaldi. Segundo Rizzo, uma das soluções para melhorar a mobilidade nas grandes cidades é justamente incentivar as pessoas a morar, fazer compras e buscar serviços no mesmo bairro onde trabalham. “Vimos isso acontecer em muitas cidades da Europa. Morar no centro, em apartamentos compactos e andar a pé já faz parte da rotina dos moradores de muitos países. As pessoas precisam despertar que o Centro pode ser um lugar pra morar e isso não está

Segundo o arquiteto Garibaldi Rizzo, galpões hoje vazios ao longo da Avenida Anhanguera poderiam ceder lugar para construção de torres residenciais

O que acontece é que a pessoa vai morar no Centro, mas de noite não poderá andar na rua porque ainda é um local mal iluminado e mal policiado”

Presidente do Sindicato dos Arquitetos de Goiás, Garibaldi Rizzo, aponta edifício que encontra-se vazio, mas que é um exemplo para um possível projeto de revitalização por ter um ponto comercial no térreo e imóveis residenciais nos andares superiores. A diferença seria apenas que nos novos projetos seriam incluídos pavimentos exclusivos para garagens

24 | Painel Imobiliário

acontecendo. O Poder Público deveria buscar soluções”, disse. Segundo ele, a revitalização do Centro também depende da atração de novos moradores. O que se percebe atualmente é que o Centro é um bairro que concentra pessoas que não apresentam necessidade de sair de casa à noite, como o senhor Antônio Borges, de 80 anos, que mora no Edifício Cascatinha, na Avenida Goiás. Os idosos são os que mais tem facilidade em se adaptar a lugares onde não se pode sair à noite, no entanto, isso não pode ser um motivo para que o Centro continue sendo um lugar com toque de recolher. Mesmo sem um planejamento para revitalização, alguns empreendimentos novos estão sendo construídos. “O que acontece é que a pessoa vai morar no Centro, mas de noite não poderá andar na rua porque ainda é um local mal iluminado e mal policiado”, afirma o presidente do Sindicato dos Arquitetos. Para Garibaldi Rizzo, é preciso pensar em uma ocupação e verticalização de forma ordenada. “O ideal seriam edifícios com atividade comercial no térreo e a parte residencial ocupada pelos andares superiores, com subsolo de garagens para uso do prédio e para uso comercial.


Inspiração do traçado O plano piloto de Goiânia, que hoje consiste no Centro da cidade, foi desenvolvido pelo arquiteto Attilio Corrêa Lima. Para alguns estudiosos o traçado urbanístico do Centro se baseia na cidade de Versalhes, na França, em

Art déco

Uma das características que o Centro não perdeu totalmente com o tempo e desenvolvimento foi a arquitetura. O estilo escolhido para os primeiros prédios, Art déco, combinava bem com a ideia de modernidade que Pedro Ludovico queria para a nova capital. Muitas construções particulares já não existem, mas os prédios públicos foram conservados e fazem parte de um dos maiores projetos arquitetônicos do estilo. O Art déco foi um movimento popular internacional de design que durou de 1925 até 1939, alcançando as artes decorativas, a arquitetura, design de interiores e desenho industrial, assim como as artes visuais, moda, pintura, artes gráficas e

que há ligação geométrica entre linhas e um núcleo central. Alguns afirmam que Attilio Corrêa se inspirou na escola francesa de urbanismo do início do século 20 para desenhar a planta original, mas existem outras duas versões para

inspiração do arquiteto. A primeira supõe que tenha se inspirado no manto de Nossa Senhora e a segunda que o desenho formado pelas avenidas Goiás, Tocantins e Paranaíba seja a representação do símbolo da maçonaria.

cinema. A sua popularidade aconteceu na Europa nos anos 1920 e 1930 nos Estados Unidos. Embora muitos movimentos de design tivessem raízes em intenções filosóficas ou políticas, a Art déco foi meramente decorativa e foi visto como estilo elegante, funcional e ultramoderno. Edifícios, esculturas, joias, luminárias e móveis são geometrizados. Sem abrir mão do requinte, os objetos têm decoração moderna, mesmo quando feitos com bases simples, como concreto (betão) armado e compensado de madeira, ganham ornamentos de bronze, mármore, prata, marfim e outros materiais nobres. Diferentemente da Art nouveau, mais rebuscada, a Art déco tem mais simplicidade de estilo.

Saiba mais sobre o Centro no aplicativo da Revista

Painel Imobiliário

| 25


SAÚDE ESPECIAL

Dengue e Chikungunya: atenção redobrada Por ter acesso à imóveis fechados, o corretor de imóveis tem função de extrema importância no combate aos mosquitos transmissores

M

enos letal que a Dengue, porém altamente debilitante, a Febre Chikungunya vem ganhando destaque desde a confirmação dos primeiros casos. De janeiro de 2014 até a primeira semana de fevereiro deste ano, o Ministério da Saúde registrou 2.870 casos da febre no Brasil. O Estado de Goiás confirmou um caso, originado no município de Rio Quente no último mês. Em relação à Dengue, foram registradas, no mesmo período, 628,7 mil pessoas com a doença. Os números em Goiás tiveram aumento de 36,7% somente nas seis primeiras semanas de 2015, comparado ao mesmo período de 2014, totalizando 19.584 registros. A Secretaria da Saúde do Estado de Goiás reforçou a equipe de agentes de combate para fiscalizar os imóveis dos municípios. Todavia, existem algumas barreiras, como lotes e edifícios abandonados ou fechados. Visando diminuir, em Goiás, a proliferação do mosquito transmissor das duas doenças, o Aedes Aegypti, e superar tais obstáculos, o deputado Lincoln Tejota, juntamente com outros parlamentares, propôs uma lei que determina que as imobiliárias tomem providências no combate ao mosquito em imóveis edificados ou lotes em áreas urbanas que estejam fechados e sem utilização provisória, que sejam de responsabilidade da empresa. O projeto de lei, que aguarda somente a sanção do governador Marconi Perillo, fixa como multa o pagamento de R$ 3 mil, caso a empresa imobiliária seja omissa ou deixe de atender às determinações. O papel do corretor de imóveis é fundamental para evitar a transmissão do vírus, auxiliando na eliminação dos criadouros dos mosquitos. As medidas são as mesmas para o controle da Dengue. No entanto, o diretor de vigilância e controle de zoonose, Edson Gomes,

26 | Painel Imobiliário


destaca algumas iniciativas específicas para o profissional do mercado imobiliário. Ralos e vasos sanitários devem ser tampados com jornal, tapete ou pano, de forma que evite o acesso do mosquito à água. Pode-se usar, inclusive, filme plástico para que fique bem selado. Na área de serviço, é importante se atentar às pequenas poças de água que ficam em pias e tanques. “Se houver piscina no imóvel, o proprietário ou responsável deve manter a manutenção da mesma frequentemente, ainda que esteja coberta com lona”, ressalta. Dentre as ações mencionadas, Edson reforça outras medidas a serem tomadas: retirar e destruir todo tipo possível de criadouros do mosquito no local, como garrafas, pneus, bacias, principalmente

Entenda o chikungunya

Doença tem sinais que lembram dengue COMO PEGA?

Picada dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus contaminados com o vírus

nos períodos de chuvas; fazer a limpeza e desobstrução de calhas e manter eficientemente fechados e tapados os recipientes de água, como caixas d’água e piscinas; notificar os proprietários vendedores ou locadores dos imóveis sob responsabilidade da empresa da ocorrência de focos do mosquito; e solicitar o apoio e orientação dos órgãos de combate à Dengue sempre que forem encontrados focos do Aedes Aegypti.

Prevenção é feita da mesma forma que a dengue: controle dos mosquitos

SINTOMAS Começam a aparecer entre

após a picada do mosquito infectado e duram de

4e8 dias

10 a 15 dias

● Dor de cabeça ● Febre repentina

SINTOMAS A Chikungunya pode causar febre acima de 39 graus, de início

repentino, e dores intensas nas articulações de pés e mãos – dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer, também, dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Cerca de 30% dos casos não chegam a desenvolver sintomas. De acordo com o Ministério da Saúde, as pessoas podem ter Chikungunya e Dengue ao mesmo tempo. A letalidade da Chikungunya, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), é rara, sendo menos frequente que nos casos de Dengue, entretanto deixa mais sequelas.

● Dor muscular ● Fortes dores nas articulações ● Náusea ● Manchas avermelhadas na pele

TRATAMENTO ● Não há vacina ou remédio específico

● Pacientes recebem remédios para amenizar a febre e as dores

Campanha O dia 6 de dezembro foi instituído em 2014 como Dia D de Combate à Dengue e à Chikungunya, pelo Ministério da Saúde. O propósito é de conscientizar as pessoas em todo o País sobre a importância da adoção de medidas educativas e preventivas a estas duas doenças. Na data, diversas atividades foram realizadas em Goiás e nos demais Estados para promover a campanha de combate ao mosquito. A próxima ação está prevista para 7 de fevereiro, como reforço do Dia D. Conheça as curiosidades sobre a doença no aplicativo da Revista, disponível na Apple e Play Store

O VÍRUS MATA?

A taxa de mortalidade é muito baixa:

0,03%*

* Taxa de mortalidade durante epidemia do vírus entre 2005 e 2006 na Ilha Reunião, departamento francês no Oceano Índico Fontes: Ministério da Saúde, European Center for Disease Prevention and Control (ECDC), Centers for Disease Control and Prevention (CDC) e OMS

.com.br

Infográfico atualizado em 3/11/2014

Painel Imobiliário

| 27


PARCEIROS ADEMI-GO

Confira ABAIXO o que foi e é notícia nas demais entidades que atuam no setor imobiliário GOIANO: SECOVI-GO Premiações e confraternização no Baile da Habitação

Com a presença de autoridades, líderes classistas e empresariais, foi realizado, no dia 02 de dezembro, o Baile da Habitação, tradicional evento social do segmento imobiliário/condominial goiano promovido pelo SecoviGoiás. Na festa, que contou com o show de MPB da cantora Fernanda Guedes e homenagens aos presidentes do SINDUSCON, Carlos Alberto de Paula Moura Júnior, e da ADEMI-GO, Renato de Sousa Correia, foram revelados os vencedores dos prêmios Referência, Top Imobiliário e eleitas, por votação direta, a Imobiliária do Ano e Construtora/Incorporadora do Ano. A iniciativa tem como objetivo principal reconhecer e estimular a excelência profissional no setor imobiliário/condominial de Goiás.

Presidente da Ademi-GO recebe a Medalha do Mérito Industrial A partir de sua próxima edição, em março de 2015, a pesquisa Ademi-Grupom, que vem sendo apresentada mensalmente ao mercado imobiliário goiano há 10 anos, terá dados levantados em cidades do interior do Estado, além de Goiânia e da Região Metropolitana. Esta expansão foi determinada pela Gestão 2014/2017 da Ademi para o atendimento da demanda, tendo em vista a influência de alguns municípios emergentes do Estado no cenário dos lançamentos e das vendas de unidades habitacionais e comerciais em Goiás. Em evento com a imprensa, na Ademi, no último dia 15 de dezembro, apresentada pelo Grupom, a pesquisa mostrou que o imóvel continua em valorização e permanece proporcionando mais rentabilidade do que outras aplicações. O m2 médio na região metropolitana estava em R$ 4.403,41 em outubro de 2014, índicador mais atualizado da pesquisa, que é elaborada com base em dados de 195 incorporadoras da Região Metropolitana. Esse valor continua sendo um dos menores do País. No ano de 2015, a pesquisa AdemiGO/Grupom, que vem sendo realizada há mais de 10 anos, abrangerá também o interior do Estado, passando por municípios de maior crescimento econômico, demográfico e social. Será ainda mais completa e um termômetro ainda mais eficiente de avaliação do negócio imobiliário no Estado de Goiás.

SINDUSCON-GO Campanha Natal Solidário beneficia vítimas de acidentes com queimaduras O Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás promoveu, por meio do Sinduscon Jovem, em 17 de dezembro, a campanha Natal Solidário beneficiando 210 pessoas, sendo 70 pacientes adultos, 50 crianças e 90 familiares de vítimas de acidentes com queimaduras assistidas pelo Núcleo de Proteção aos Queimados (NPQ), no Clube de Engenharia de Goiás, apoiador do evento. Durante a animada tarde, os colaboradores do Sinduscon-GO e os integrantes do Sinduscon Jovem, em um total de 30 pessoas, foram voluntários na organização e atendimento aos convidados que contaram com brincadeiras, pipoca, algodão doce, presentes entregues pelo Papai Noel (representado pelo diretor de Responsabilidade Social da Consciente

28 | Painel Imobiliário

Construtora, Felipe Inácio Alvarenga), entre outras atividades. A captação de recursos em Goiás foi realizada pelo Sinduscon Jovem, composto por um grupo de jovens empresários da indústria da construção que abraçaram a causa e se comprometeram em contribuir com essa ação de responsabilidade social. Na oportunidade, o presidente do Sinduscon-GO, Carlos Alberto Moura, manifestou seus votos de um Feliz Natal a todos, lembrando que o nascimento de Jesus Cristo simboliza a renovação da esperança, desejando que os presentes revivam suas esperanças nesta data especial e desfrutem de um Ano Novo repleto de paz. A diretora geral do Núcleo de Proteção aos Queimados, Maria Thereza Sarto Piccolo,

ressaltou a importância desta parceria com o Sinduscon-GO para o NPQ e agradeceu o apoio da entidade, desejando que esta união continue de forma efetiva em 2015. Da mesma forma, a coordenadora de atividades do Núcleo, a terapeuta ocupacional, Rosa Serafim, agradeceu, em nome dos beneficiados, pela realização do evento, ressaltando que ele alegrará o Natal das famílias atendidas.


INSTITUTO

Matriz Goiânia - GO CONSULTORIA, EDUCAÇÃO E PESQUISA

(62) 3941-0999 / 3941-0991

21ª Turma de Pós-Graduação em Direito Imobiliário; 4ª Turma de Pós-Graduação em Avaliação Mercadológica; 3ª Turma de MBA em Administração de Condomínios; 2ª Turma de Pós-Graduação em Direito Notarial e Registral; 1ª Turma de Pós-Graduação em Crédito Imobiliário. (Já se prepare para a certificação CA-600 da ABECIP)

INSCRIÇÕES

ABERTAS

Início Imediato.

WWW.INSTITUTOSOLUS.COM.BR

Painel Imobiliário

| 29


vocabulário do corretor de imóveis

ABC do corretor de imóveis Um pouco mais sobre os termos que todo profissional deve saber, mas não tem coragem de perguntar:

Barracão: abrigo ou telheiro ou casa provisória, geralmente de madeira, para guardar utensílios ou depositar materiais de construção num canteiro de obras. Pequeno quarto ou depósito junto ao mercado, nos quais se armazenam gêneros do País.

Edícula:

Alicerce:

construção complementar independente e edificada ao lado da construção principal, tal como lavanderia, aposentos de hóspedes ou de empregados, casa pequena. Pequena capela; nicho reservado para abrigar as imagens dos santos.

escavação para assentar as bases dos edifícios; maciço de alvenaria ou de concreto que serve de base para as paredes de uma construção; base, fundação.

Despachante: agente comercial que, perante as repartições públicas competentes, ou empresas de transportes, incumbese de desembaraçar negócios e despachar mercadorias ou cargas, pagar direitos ou fretes etc. Pessoa cujo ofício é requerer, encaminhar e promover o expediente de papéis, zelando pelos interesses das partes junto de certas repartições públicas.

Fonte: Dicionário Imobiliário, de Celso Pereira Raimundo e Wilson Carvalho de Almeida - Editora Imobiliária

30 | Painel Imobiliário

Alvenaria estrutural:

Batente: rebaixo onde a porta ou a janela se encaixam ao fechar. A folha que fecha primeiro, na porta ou janela.

alvenaria projetada e executada de modo a suportar as cargas e os esforços solicitados pelos pavimentos superiores e pela cobertura.

Benfeitoria: obra útil realizada em propriedade, e que a valoriza. Obra feita em coisas móveis ou imóveis com o fim de as melhorar ou embelezar; nas locações imobiliárias.


Painel Imobiliรกrio

| 31


PROFISSÃO

Os segredos do Podium CONHEÇA OS SEGREDOS E AS HISTÓRIAS DE CORRETORES QUE SUBIRAM NO PODIUM

M

esmo com tantos estudos e pesquisas científicas sobre o comportamento humano, ainda não se descobriu uma característica física ou intelectual que possa determinar se uma pessoa será bem sucedida

em uma atividade. No entanto, é consenso que alguns ingredientes não ficam de fora da fórmula para o sucesso. Motivação, treino, autocontrole e sorte são características encontradas em pessoas que se destacam em

qualquer área e inclusive entre os que sobem os degraus do podium na atividade imobiliária. Conheça histórias de corretores que subiram no podium e contam seus segredos.

Corretora em tempo integral

A satisfação no trabalho é um dos segredos de Cristina Meirelles para chegar ao podium

32 | Painel Imobiliário

Quando chegou ao podium, a corretora de imóveis Cristina Meirelles celebrou com direito a troféu, música e prêmio. Mas ela afirma não se sentir envaidecida com o sucesso, pelo contrário, prefere ser discreta e não usa as conquistas para promoção, seja pessoal ou profissional. Casada e mãe de duas filhas, conta que sempre trabalhou com vendas e foi dona de uma loja de calçados, mas foi há apenas três anos que aceitou o convite do irmão para trabalhar como corretora. Começou com imóveis de alto padrão, mas não teve sucesso e por isso chegou a pensar em desistir; no entanto, foi aconselhada por uma amiga a mudar o foco e trabalhar com um público de menor renda. “Me identifiquei muito com o perfil de vendas de imóveis econômicos e acredito que o fato de estar me sentindo mais feliz nesta área foi uma mudança importante”, disse a corretora ao revelar o que a fez deslanchar no ramo da corretagem.

Mas trabalhar com algo que te oferece satisfação é apenas um dos segredos de Cristina para alcançar o sucesso. Segundo ela, também é preciso muito esforço. “Todos os dias eu saio de casa nem que seja para tomar um café”, conta Cristina que revela não perder a oportunidade de fazer uma abordagem na rua ou onde estiver. “Faço todo tipo de ação”, afirma Cristina que não abre mão de estar sempre com o crachá de identificação. Para ela, entre os fatores que determinam o sucesso estão a credibilidade e o treinamento. “Participo de muitos cursos e sempre faço questão de usar o crachá que me identifica como corretora de imóveis e também me apresenta como representante de uma empresa conhecida no mercado”, afirma a corretora que enumera mais um ingrediente para o sucesso na área: o apoio e o suporte de um gerente competente que deve estar sempre presente como apoio nos momentos decisivos.


Encontrando clientes nas redes sociais

Silvania Martins encontra os clientes no mundo on-line

A corretora de imóveis Silvania Martins dos Santos é um exemplo de que é possível chegar ao podium por caminhos alternativos, como por exemplo, utilizando o meio on-line. Ela conta que os cinco troféus que recebeu vieram com muito esforço e treinamento e a maioria de seus clientes ela conheceu na internet em sites como Facebook e Instagram. A corretora afirma que não se preocupa em ter um perfil pessoal e outro profissional. “As pessoas acabam conhecendo quem eu sou de verdade e isso é bom para gerar confiança, me conhecendo a pessoa sabe com quem está lidando”, afirma a corretora, colecionadora de troféus. Assim como muitos corretores, Silvânia também atuava na área de vendas antes de entrar para o mercado imobiliário. “Sempre acreditei que

vender imóveis era o topo para quem trabalha com vendas e isso me ajudou a enfrentar o início da carreira e esperar oito meses até fechar o primeiro negócio”, disse Silvânia ao contar também que sempre recebeu motivação extra de seu gerente para continuar nos momentos mais difíceis. “Dedicava-me muito, mas creio que a ansiedade era um problema que só foi resolvido quando consegui fazer a minha primeira venda”, disse Silvânia, que agora que está mais tranquila pretende terminar o curso de administração de empresas, mas continuando a trabalhar como corretora. “Acho que essa profissão é para quem tem o dom e eu acredito que tenho esse dom de ficar feliz em ajudar as pessoas a conquistarem o sonho de comprar um imóvel, é muito gratificante”, disse.

Foco total no cliente Um dos segredos que fez com que Thiago Vinícius (foto) se destacasse como o melhor vendedor de sua equipe foi o foco total no cliente. “Se você se envolve na venda, tudo dá certo”, afirma Thiago, que diz colocar todos os seus conhecimentos à disposição do cliente, inclusive orientando em todo o processo de financiamento. “Tem corretor que depois que assina o contrato nem atende mais o telefone, e isso é um erro muito grave para quem deseja construir uma carteira de clientes”, afirma Thiago. Segundo ele, as pessoas ficam inseguras sobre a documentação, e sobre a possibilidade de aprovação do crédito. “Através da minha experiência eu oriento e tranquilizo o cliente”, disse. Aos 26 anos e formado em Direito o corretor revela que já fez cursos de Calculadora HP, Coach e já trabalhou na área de contabilidade. “Aprendi técnicas que me ajudam a identificar o perfil de cada pessoa e além disso procuro ler boas revistas para estar sempre bem informado de forma que tenho condições de conversar com clientes de todos os níveis”, disse Thiago que ainda revela outro segredo: estudar e conhecer informações impor-

tantes sobre a concorrência. Outra estratégia que o corretor utiliza é uma análise do seu trabalho depois de cada venda e anotar os pontos que deram certo e aquilo que ele pode melhorar. Thiago Vinícius acredita que é preciso encantar o cliente e para isso não mede esforços. “Certa vez fiz de uma assinatura de contrato de um imóvel comercial um momento de celebração e ofereci um café da manhã e presentes para os sócios e familiares. Estes clientes se tornaram fieis e me indicam para todos os seus conhecidos”, conta o corretor que afirma se inspirar em profissionais famosos para buscar ideias e novas formas de trabalhar com excelência.

Como gostaria de ser atendida Atender o cliente do mesmo jeito que ela gostaria de ser atendida. Este é o segredo da corretora de imóveis Maria Saraiva, que foi a campeã de vendas de sua equipe no mês de novembro. Para ela a persistência é o grande segredo do sucesso. “Não aceito um não como resposta e sempre busco ouvir mais do que falar porque é muito importante saber ouvir o cliente”, disse. Para a corretora, o mais importante nessa profissão é persistir e não desanimar porque uma venda não deu certo. “É preciso ter foco e dedicação”, disse.

Painel Imobiliário

| 33


De corretor de imóveis a gerente de vendas Cargo de liderança requer características especiais e perfil adequado CAROLINA DINIZ

O

líder é aquele que está à frente de sua equipe. Aquele que lidera, que mostra o caminho. O corretor de imóveis, que vem a ser gerente de vendas, acaba se tornando um líder. Essa transição de cargo não é tão simples quanto parece. Dentre as funções de gerente de vendas ou comercial, ele deve planejar, organizar, liderar e controlar toda a área comercial. O novo posicionamento dentro da empresa demanda competências como proatividade, resiliência, quociente de adversidade, quociente motivacional, criatividade, inteligência emocional, modelagem de excelência, coaching sales e inteligência competitiva, entre outras.

34 | Painel Imobiliário

Para o professor e palestrante Rubens Berredo, fundador de instituto homônimo, o líder deve agir sempre com firmeza, segurança e convicção, porém, deixando abertura para flexibilização. Deve desenvolver, cuidar e zelar dos relacionamentos e agir de forma justa, transparente e ética. Há 7 meses, Cláudia Araújo Galvão se tornou gerente de vendas de uma imobiliária em Goiânia. A corretora diz que sua rotina ficou mais apertada e, por isso, é preciso saber administrar melhor o tempo. Outra dificuldade apontada por ela é em relação aos conhecimentos necessários, principalmente as questões mais burocráticas. Rubens acredita que promover um funcionário, sem o devido treinamento, seja um processo de alto risco tanto para empresa quanto para o colaborador. “É necessário um plano de transição para assegurar resultados positivos permanentes, evitar conflitos e, ainda, perda de produtividade”,

afirma. Embora já tenha recebido algumas orientações, Cláudia irá participar de um treinamento coaching de liderança, oferecido pela imobiliária, ainda este mês. Estudiosos afirmam que a liderança é aprendida e desenvolvida. Desta forma, Rubens explica que qualquer pessoa pode se tornar um bom líder. “Algumas pessoas têm muito mais facilidade que outras, porém, todas são passíveis de desenvolvimento e mudanças”, reitera. De acordo com o consultor, quem pretende se tornar um líder deve se preparar. “Estude, observe grandes líderes, seja curioso, desenvolva sua habilidade de comunicabilidade relacional, equilíbrio emocional e construa uma imagem de credibilidade”, recomenda. Recém-chegada ao mercado imobiliário, Camila Hosana também atua como gerente de vendas. A corretora de imóveis percebe que o novo cargo trouxe mais compromisso, mais satisfações a prestar e responsabilidade. Camila afirma que recebeu uma preparação básica antes de assumir a gerência, mas reconhece que ainda lhe falta prática e conhecimento. Para Berredo, “o gestor não capacitado deixa de ser uma força propulsora e passa a ser uma força restritiva, tornando-se uma ameaça para a empresa onde atua”.


Atitudes de um líder nato CAPACIDADE DE INFLUENCIAR Sempre há aquelas pessoas que têm a capacidade de influenciar as outras, de advogar seu ponto de vista e conseguir atrair pessoas em volta da sua advocacia. Até em um grupo de crianças brincando, esta característica pode ser percebida. EXPOSIÇÃO São pessoas sem acanhamento. Elas participam, se envolvem e dão atenção aos outros. INICIATIVA Antecipar-se a eventos e, sobretudo, agir. Normalmente são pessoas que estão sempre propondo e também estão sempre de prontidão para agir. EXCELENTE CAPACIDADE DE COMUNICAÇÃO Clareza na comunicação. Há pessoas que têm dificuldades de se comunicar, fala, fala e não consegue gerar a compreensão da sua fala. Já o líder nato, facilmente leva o outro a uma verdadeira compreensão da sua fala. DISPOSIÇÃO PARA AJUDAR E OUVIR Estar sempre pronto a ajudar quando alguém precisa ou mesmo ter a disposição para ouvir o que os outros têm a dizer. Estes aspectos são naturais em alguns profissionais e totalmente invisíveis em outros. Lembre-se, a disposição de ajudar não deve ser a de executar a tarefa no lugar do outro, e sim, ensiná-lo e orientá-lo para que faça sozinho. RESPONSABILIZAR-SE PELOS SEUS ATOS A capacidade de assumir a responsabilidade pelos seus atos é outro aspecto que sinaliza habilidade de liderança. Acredito que isso promove um crescimento contínuo das pessoas e alcançam um nível alto de maturidade revestido de um caráter pessoal e profissional. SENSO DE JUSTIÇA A busca por critérios justos nas tomadas de decisões. RESOLUTIVIDADE Buscar sempre resolver o problema, ou seja, focar na solução também é um sinal de pessoas que trazem em si um sinal de liderança.

Painel Imobiliário

| 35


história de corretor

De corretor para corretor Dirceu Peixoto conta as histórias vivenciadas em seus 48 anos de atuação CAROLINA DINIZ

T

rabalhador desde jovem, Dirceu Peixoto, 71 anos, iniciou a vida profissional vendendo ações do Clube Jaó. Certo dia, um cliente informou que estava à procura de um lote específico para comprar. Determinado a resolver o problema do cliente, Dirceu procurou e encontrou Elias Bufaiçal, dono de uma imobiliária que vendia o lote. Após uma rápida negociação, sua primeira venda foi concluída. A partir daí, se interessou pelo ramo imobiliário. Foi contratado e recebeu diversos lotes para vender no Setor Jaó, que se esgotaram em apenas 60 dias. Admirado com a facilidade e a competência de Dirceu, Elias recomendou que ele se inscrevesse no Creci para emitir a carteira de corretor de imóveis. Mesmo sem entender ao certo o que era o tal do Creci, ele fez como sugerido. Dirceu conta que, desde o início, conquistava rapidamente a confiança dos clientes. Visitou um proprietário que queria vender o apartamento no Setor Bueno, com mobília e tudo, pois estava prestes a se mudar para Juiz de Fora. Ao final da primeira conversa, Dirceu recebeu a confirmação de que ficaria responsável pelo local. Diante de tamanha responsabilidade, procurou dar o melhor de si. Anunciou o apartamento em vários meios, até que recebeu uma ligação da Bahia. Um senhor queria comprar o imóvel para suas filhas, que estudavam na capital goiana. Depois de conhecer

36 | Painel Imobiliário

o apartamento, elas decidiram fechar o negócio. Empolgado, o corretor pediu ao proprietário, que já se encontrava fora da cidade, para que ele lhe enviasse a procuração prometida. Com a chegada do documento via Sedex, Dirceu autorizou, por telefone, o depósito do dinheiro pelo comprador, que segundo ele, queria ter depositado diretamente em sua conta, antes mesmo da procuração chegar. São histórias de confiança como essa que enchem o corretor de imóveis de gratificação. Certa vez, o corretor de imóveis teve de se encontrar com um cliente à meia-noite. Mesmo deixando a esposa desconfiada, Dirceu foi ao local combinado, pois iria negociar um lote valioso no Setor Marista. Ao chegar no endereço, foi muito bem recebido pela dona da casa, que lhe serviu whisky e aperitivos. Até então, tudo ia bem, porém a esposa do empresário ligou o som com música

erudita, sendo Dirceu fã de sertanejo. Os minutos pareceram horas, até o cliente chegar. Ao fechar o negócio, o corretor já recebeu um cheque no valor do lote, pois o cliente viajaria dentro de poucas horas. No dia seguinte, Dirceu terminou os trâmites, levando o caderno de assinaturas até a residência do comprador para a esposa assinar. Facilidade esta que não existe atualmente. Ao voltar de viagem, o empresário convidou o corretor de imóveis para um lanche, aproveitando a ocasião para lhe dar vários pacotes de café, do qual era fabricante, e um cheque de agradecimento, além da comissão de venda. Em quase 50 anos de carreira, o senhor Dirceu tem das mais simples às mais inusitadas histórias. Para entrar em contato com um comprador que queria comprar uma casa ao lado da casa da amante, Dirceu fingia ser um peão de obra sempre que a esposa traída aten-


dia o telefone. Pela discrição em seu trabalho, o cliente entregou a Dirceu todo o dinheiro, em espécie, para que ele comprasse a casa, pois teria de viajar. Após finalizar as transações, o comprador fez questão de encontrar Dirceu pessoalmente e lhe pagar mais do que a comissão combinada. Para o corretor, o sentimento de gratidão e a confiança depositada são as melhores recompensas que a carreira poderia oferecer. Porém, nem todos os casos na vida de seu Dirceu foram bem sucedidos. Ele já ouviu muita reclamação de imobiliárias e compradores envolvidos em vendas ilegais, as quais ele se negou a participar. Chegou a recusar uma comissão de 10% sobre um apartamento por não possuir o Habite-se. Outra vez, não aceitou intermediar a venda de um imóvel, cuja escritura ainda estava em posse da falida Encol. Presenciou ainda, o desespero do colega que recebeu um cheque sem fundos, mas já havia feito compromisso com o dinheiro. Por sorte, assim que recebeu a notícia do

banco, um engenheiro ligou, querendo comprar dois lotes. Dirceu se lembra que, mesmo arrasado com a situação do momento, o amigo atendeu a ligação dizendo que estava “maravilhosamente bem”. Com as experiências da vida, Dirceu percebeu que um bom corretor deve estar sempre otimista, com boa autoestima, confiante e não se deixar abater por coisas pequenas. Com muitos altos e baixos, Dirceu, hoje, dá risadas de várias cenas que o marcaram. Havia um lote à venda situado depois de um córrego. Em sua lambreta, o corretor buscou o cliente, que estava gripado e febril, para conhecer o local. Às margens do córrego, Dirceu decidiu atravessar em uma parte que lhe parecia mais rasa, no entanto, seu plano foi por água abaixo, literalmente. Depois de inúmeras tentativas de religar a moto, e completamente encharcados, o comprador não viu outra opção a não ser comprar o lote. Por sorte, encontraram um caminho mais acessível para retornar. Se engana

quem pensa que esta foi sua única experiência em córregos. Ao tentar atravessar uma outra região, também em cima de uma lambreta, porém desta vez passando por uma pinguela, Dirceu ficou tonto com a altura e empacou. Seu amigo, que havia atravessado primeiro, teve de voltar e puxar lentamente Dirceu e sua moto. Foram tempos alegres, recorda. Entretanto, o corretor de imóveis está desapontado com o mercado atual. Na visão que tem de hoje, acredita que existe muita deslealdade entre os colegas de profissão e falta respeito. “Se não houver fidelidade entre parceiros, fica difícil trabalhar. Hoje tem muito ‘trambiqueiro’”, lamenta. Sobre a confiança que os clientes tinham naquela época, Dirceu diz não existir mais. Para ele, é difícil acreditar que tudo aconteceria da mesma forma se fosse nos tempos atuais. Aposentado, o corretor de imóveis suspendeu em dezembro, seu Creci, que permanecia ativo e sem qualquer infração, desde 1966.

Painel Imobiliário

| 37


+ que CORRETOR Ajudar ao próximo sem esperar nada em troca. Corretores de imóveis realizam trabalhos voluntários fora do expediente. Através da religião, eles resolveram se envolver em ações sociais em prol da população carente.

Missão religiosa Por meio da religião, o corretor Jackson Jean Silva realiza ações sociais há mais de 8 anos. Dentro da igreja em que frequenta, o corretor de imóveis participa do projeto de entrega de cestas básicas realizado durante todo o ano, em que cerca de 30 cestas são entregues todo mês a famílias mais necessitadas, e do culto natalino, em que além da distribuição das cestas são entregues presentes às crianças, em dia festivo com prece de Natal. A dedicação de Jackson vai além do compromisso como pastor, afinal ele acredita que “é dever de todo ser humano, todo cidadão, ajudar ao próximo”.

Crianças necessitadas Há 15 anos, o corretor de imóveis Luís Clemente realiza trabalho voluntário na Creche São Tadeu, em Goiânia. Tudo começou quando ficou sabendo da instituição durante os encontros do Encasa - Encontro de Casais da Igreja São Tadeu. Ao longo das reuniões, Luís resolveu se juntar à causa e ajudar os mais necessitados. A creche atende 115 crianças carentes, entre 2 e 6 anos, cujos pais precisam sair para trabalhar. Cada voluntário ajuda da melhor forma que pode. Enquanto uns dão aulas, outros ajudam a dar banho nos pequenos. Luís faz doações, transporte, promove rifas e arrecada alimentos de outros doadores. O corretor também realiza algumas visitas nas casas de quem solicita vaga na creche. Ele verifica as condições da família para determinar se ela está apta, ou não, para receber o benefício. A creche abre, em média, 25 vagas por ano, mas recebem em torno de 300 inscrições.

38 | Painel Imobiliário

Lar doce lar “É o que faz a vida ter sentido”, diz o corretor de imóveis Edgard Furtado, sobre realizar ações voluntárias. Foi em 2006, enquanto participava de um encontro de casais na igreja Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo e Santo Expedito, que Edgard soube a respeito dos grupos de voluntários que realizavam atividades para ajudar a população carente. Além de tocar violão nas missas quatro vezes ao mês, o corretor integra a Pastoral da Moradia. Segundo ele, os membros se reúnem para arrecadar materiais de construção e mão de obra para ajudar aqueles que precisam de um lugar para morar. Já na Pastoral do Dízimo, Furtado participa buscando mantimentos e cestas básicas para famílias e crianças carentes. “É um trabalho de formiguinha, mas só assim me sinto útil de verdade, fazendo algo sem esperar nada em troca”, conta.


FISCALIZAÇÃO

Potencialização com o Whatsapp Novo canal de comunicação do CRECI-GO auxilia na verificação de irregularidades no mercado imobiliário

D

esde o segundo semestre de 2014 o mercado imobiliário goiano conta com mais uma ferramenta no combate à contravenção e às irregularidades no mercado imobiliário: o Whatsapp do Creci de Goiás. Pelo número (62) 9643-1994, os corretores de imóveis podem enviar informações sobre atividades que infringem as normas do mercado imobiliário e pessoas que se passam por corretores de imóveis. Em seis meses, mais de 40 denúncias foram realizadas pelos próprios profissionais utilizando os recursos do aplicativo, como informações e fotos em tempo real. Os recursos agilizaram o trabalho da fiscalização e o resultado é que das denúncias feitas pelo aplicativo, 20 foram concluídas em autuação por exercício ilegal da profissão, por débitos ou por documentação irregular. A pedido dos corretores de imóveis de Iaciara, por meio do Whastapp, a fiscalização esteve no município no mês de seu aniversário para averiguar denúncias de contravenção. Na ocasião, foram realizados cinco autuações, quatro por exercício ilegal de pessoas físicas e uma por exercício ilegal de pessoa jurídica. A iniciativa foi elogiada pelos corretores de imóveis da região por meio de mensagens enviadas pelo apli-

cativo em agradecimento pela fiscalização que beneficia o trabalho dos profissionais regularizados. “O aplicativo aproxima os profissionais do Conselho e fornece maior velocidade ao trabalho realizado pela fiscalização”, ressaltou o coordenador de fiscalização, Alaor Bezerra. Além de informar irregularidades, pelo número (62) 96431994, os profissionais inscritos também podem se manter informados sobre cursos, palestras, receber a Coluna Semanal e demais informações de interesse da categoria. Mobilidade e imagem em tempo real são algumas das facilidades do aplicativo que fizeram com que, em pouco menos de dois meses, mais de 500 profissionais estejam em linha direta com o Conselho. Confira como realizar o seu cadastro: COMO FAZER PARTE

Para receber os informes, basta armazenar o número (62) 9643-1994 em seu celular e enviar para o número, via whatsapp, seu Creci para o cadastro. A partir desta mensagem seu número será gravado para receber a programação de cursos, notícias e informativos do Conselho.

Painel Imobiliário

| 39


DIRETO DO CRECI

Mercado imobiliário tem Natal solidário Campanha Natal com Leite doa latas de leite em pó a crianças e adolescentes de abrigos A Campanha Natal com Leite 2014 teve novamente sua meta superada e alcançou o número recorde de latas arrecadadas. Com a contribuição dos corretores de imóveis, imobiliárias e os colaboradores do Creci de Goiás mais de

12 abrigos foram beneficiados. O total de doações arrecadado foi distribuído entre os abrigos indicados pelas empresas parceiras ao projeto e pelo Juizado da Infância e Juventude das comarcas de Goiânia e Luziânia, em nú-

mero proporcional às crianças assistidas em cada abrigo. A entrega dos leites foi comemorada com festa pelas crianças que ainda tiveram uma tarde recreativa com lanche diferenciado. Confira como foram as doações:

Em Goiânia - As latas foram distribuídas para o abrigo Missão Resgate (100 latas), Ministério Terra Fértil (665 latas), Casa Mãe de Deus (72 latas) e Obras Sociais Espírita Irmão Áureo (600 latas). Nas fotos, a comitiva formada por conselheiros, colaboradores e parceiros realiza a entrega dos leites.

Em Caldas Novas - Com a parceria da Rádio Pousada, do portal Mais Notícias e das

Em Valparaíso - A doação arrecadada foi entregue ao Juizado da Infância e

Em Rio Verde - As mais de 280 latas arrecadadas no município foram destinadas ao Posto de Auxílio Espírita Primavera (PAEP) e à Igreja Avivamento Bíblico. Na foto, o vice-presidente Rafael Aguirre realizando as doações.

Juventude de Luziânia que distribuirá, com o apoio do radialista Dorinato Nogueira, os leites aos abrigos Comunidade Sagrada Face de Cristo, Purrísimo Coração de Maria, Complexo Assistencial André Luiz e Casa de Passagem.

Agradecemos o apoio institucional do Sinduscon Goiás e as contribuições dos corretores de imóveis e das empresas na Campanha Natal com

40 | Painel Imobiliário

Lojas Maçônicas Segredo e União, Vale do Rio Quente, Thermas de Caldas e Ordem DeMolay, foram arrecadadas quase 500 latas de leite em pó doadas aos abrigos Pastoral da Criança e Lar da Criança Reencontro com a Vida. Na foto, os apoiadores da Campanha na região: o delegado José Divino Rabelo e o conselheiro João Pedro.

Leite 2014: Unimed, Cristal Construtora, Pontal Engenharia, Sicoob/Secovi, Ângulo Forte, Palladium Imóveis, Ponto Com, Cristal Consultoria Imobiliária,

Papelaria Polo, Sedina Imóveis, Investt Imóveis, DCJ imobiliária, Versátil e Elite Imóveis.


Homenagem À cultura goiana Em novembro, o Creci de Goiás recebeu obras culturais de artistas goianos em Exposição Coletiva aberta ao público e aos corretores de imóveis na sede, em Goiânia. A iniciativa foi realizada em parceria com o Instituto Cultural Movimento Santuário da Arte, que reuniu artistas plásticos, escritores, músicos e fotógrafos goianos para se apresentarem e exporem seus trabalhos no Conselho. Na noite de abertura da Mostra foi realizada cerimônia de homenagens aos artistas plásticos e aos incentivadores da cultura goiana. O resultado positivo da exposição e a parceria do Instituto fizeram com que fosse criada a Semana Cultural do CRECI-GO, na qual artistas irão expor suas obras todos os anos, no mês de maio, iniciando em 2015, com a participação do Movimento Santuário da Arte.

CRECI-GO é o primeiro a gerar energia em Goiás À frente das crises de água e energia que o país enfrenta, o Creci de Goiás utiliza energia gerada por um sistema fotovoltaico, instalado na cobertura do seu prédio, desde setembro de 2014. Tal tecnologia sustentável gera energia 100% limpa e renovável, além de não sobrecarregar as usinas elétricas. Os benefícios são refletidos não só no meio ambiente, como na conta de energia, que é mais econômica no fim do mês. O sistema consiste em 52 placas solares instaladas no telhado do edifício, capazes de transformar energia solar em energia elétrica, levada direta-

mente aos eletrônicos da autarquia pela fiação. Segundo cálculos do especialista em energia fotovoltaica, João Carlos Afonso Costa, o sistema pode promover uma redução de 15 a 30% na conta de energia do Conselho. Nos 5 meses de funcionamento, o sistema já produziu 7.400 kWh, o equivalente ao consumo de 32 residências todos os meses. No caso de haver reserva de energia, a mesma é emprestada à Celg, que desconta o excedente gerado do consumo do mês. Apenas um imóvel residencial em Goiânia possui o mesmo sistema e no Estado de Goiás, o Creci é o primeiro prédio comercial a utilizar essa tecnologia.

Reforço tecnológico na fiscalização Para otimizar o trabalho realizado pela fiscalização, a equipe teve seus aparelhos telefônicos renovados. Smartphones de última geração e conexão 4G foram adotados visando maior velocidade na coleta de informações, auxílio nas rotas com o uso do gps e uso de aplicativos, como o de gravação de ligações. A partir

de agora, os profissionais contatados pelos fiscais pelo celular terão as conversas gravadas e estarão automaticamente notificados, sem a necessidade de notificação presencial. “Os novos aparelhos trazem um melhor desempenho para os fiscais em sua atuação”, ressalta o diretor de fiscalização, Carlos César Prado. Painel Imobiliário

| 41


CULTURA & LAZER

Cultura & lazer é um espaço para você, corretor de imóveis, relatar o que faz de melhor nos momentos de folga, COMpartilhando com os colegas de profissão por meio de dicas de locais e atividades para a descontração “Quando tenho um tempo livre, gosto de ir pescar! Vou ao lago Engenho Velho, onde tem uma pesca esportiva. O local é bem reservado, familiar, com espaço para as crianças brincarem, piscinas e restaurante. Ideal para passar o dia inteiro”. Gleison Cerqueira “Gosto muito de ir a Pirenópolis. Visito várias cachoeiras, me passa uma energia boa. Vou também ao restaurante Bom Começo, pois a comida é deliciosa, o ambiente é gostoso, tem uma atendente espanhola que nos trata bem e o músico que toca MPB, parece incorporar cada artista. É ótimo! Recomendo passar o fim de semana, seja com amigos, família ou casal”. Silvania Martins dos Santos

Sou grande fã de carros antigos, tenho uma F-100 de 1980 e participo do Clube do Veículo Antigo. Quando tenho tempo, levo meu filho para passear pela cidade, visito feiras e eventos sobre carros de colecionadores e, às vezes, dirijo até algumas cidades do entorno de Goiânia. Julio César Sari “Sou tradicional: gosto de parques! Para quem tem filhos, sugiro o Parque da Criança, em Aparecida de Goiânia. Não possui a melhor estrutura, mas tem uma área com brinquedos infantis, adolescentes jogando futebol e vôlei, além de famílias fazendo piquenique. Um bom programa de domingo!” Alexandre Kunert

Nos finais de semana eu frequento algum bar da cidade com meus amigos. Quando tenho mais tempo de folga, faço trilha em Pirenópolis e visito as cachoeiras. Tarcísio Wedson

42 | Painel Imobiliário


CONVÊNIOS

Benefícios para corretores de imóveis Creci de Goiás firma parceria com empresas para oferecer vantagens exclusivas para a categoria:

 Gasolina e álcool com até R$ 0,30 de desconto por litro. Aproveite o benefício, retire seu adesivo no CRECI-GO e garanta seu desconto no abastecimento.  Desconto de 10% nos serviços especializados Chips Computadores Avenida Transbrasiliana, 604, Parque Amazônia Fone:(062) 3087-6601 www.chipscomputadores.com.br  Desconto de 30% nos planos familiar e individual no Clube Jaó Fone:(062) 3269-8001 www.jao.com.br/home  Desconto de 15% em medicamentos na LIG MED Fone:(062) 4002-4400 www.ligmed.com.br  Planos de aluguel de escritório compartilhado na TRAMA COWORKING de uma hora por R$ 8 reais até plano de horas livres, por R$ 650, com 10% de desconto, mais 10 horas de coworking grátis e três horas adicionais na sala de reunião no primeiro mês. Fone:(062) 3996-6293 www.trama.eu

 Desconto de 15% na mensalidade escolar para filhos de corretores de imóveis no Colégio Ateneu Dom Bosco Fone/Fax: (62) 3093-3545 www.ateneusalesiano.com.br  Desconto de R$ 130,00 na mensalidade dos cursos de pósgraduação (cursos de 24 meses) e de R$ 150 na mensalidade da graduação de administração no IPOG Fone/Fax: (62) 3945-5050 www.ipog.edu.br  Desconto de 10% na mensalidade dos cursos de graduação e pós-graduação na Faculdade Cambury Fone/Fax: (62) 3236-3000 www.cambury.br  Cursos Jurídicos Presenciais com desconto de 30% na mensalidade dos cursos de pós-graduação no Proordem Fone/Fax: (62) 3932-0765 www.proordem.com.br

 Descontos de 20% na mensalidade do curso superior em Negócios Imobiliários, e em outros cursos de graduação e especialização para corretores de imóveis e dependentes na Faculdade Estácio de Sá Fone: (62) 3601-4914 www.estacio.br  Desconto de 10% nas limpezas a seco e à àgua de vestuário e roupas de cama na Quality Lavanderia Fone/Fax: (62) 3241-1141 www.qualitylav.com.br  Desconto de 10% no almoço de massas no Atelier da Massa Fone/Fax: (62) 3093-5616 -www. atelierdamassa.com.br  Preços exclusivos de seguro no Smartia Seguros On-line www.smartia.com.br  Valor fixo de R$ 89,90 mensais por anúncios ilimitados no site de imóveis Corretor Eletrônico www.corretoreletronico.com.br

 Descontos de 10 a 20% na mensalidade dos cursos de inglês do Brasas Fone/Fax: (62) 3213-1011 www.brasas.com Painel Imobiliário

| 43


SOCIAL

Padrinhos de peso

Os novos corretores de imóveis contaram com presenças ilustres nas solenidades em que recebem as carteiras profissionais. Em Rio Verde, o padrinho da turma foi o prefeito Juraci Martins de Oliveira. Em Goiânia, os profissionais ouviram as dicas dos empresários do setor imobiliário, Isnard Júnior e Murilo Andrade.

Compartilhando experiências

Durante todo o ano fiscais recém-contratados do Creci de São Paulo visitaram o CRECIGO. Eles vieram conhecer o Conselho e realizar estágio de aprendizado no Conselho goiano que é considerado modelo para as demais autarquias.

Palestra

A convite, o presidente Oscar Hugo falou aos presentes do 58º Encontro da Associação Brasileira do Mercado Imobiliário (ABMI) sobre a qualificação dos corretores de imóveis e a legislação do mercado imobiliário.

44 | Painel Imobiliário


CRECI NA MÍDIA

As novas tecnologias, como a implantação do sistema fotovoltaico foram destaque na reportagem da PUC TV. O vice-presidente Eduardo Britto fala sobre a inovação

Em reportagem da TV Serra Dourada o presidente Oscar Hugo falou sobre a notificação realizada pela prefeitura aos proprietários de lotes subutilizados e não utilizados na capital

A TV Metrópole destacou o trabalho realizado pela fiscalização do Conselho e o diretor de fiscalização, Carlos César do Prado esclareceu dúvidas sobre o tema

De outubro de 2014 a janeiro de 2015, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis foi notícia em veículos de comunicação de todo o Estado, totalizando:

14 espaços de mídia espontânea,

sendo:

5 exibições em telejornais; 3 portais de notícias e redes sociais; 2 em rádios e 4 em revistas e jornais impressos.

A presença ativa do Conselho no interior também foi registrada pelo Jornal Novos Tempos de Alexânia em matéria sobre blitz educativa e pelo Correio do Povo, com a posse da delegada de Uruaçu

Confira as entrevistas no aplicativo da Revista, disponível para download na Apple e Play Store

Painel Imobiliário

| 45


PARA INTERIOR REFLETIR

Como aliviar as doenças da alma Este alerta está colocado na porta de um consultório: A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma. O resfriado escorre quando o corpo não chora. A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições. O estômago arde quando as raivas não conseguem sair. O diabetes invade quando a solidão dói. O corpo engorda quando a insatisfação aperta. A dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam. O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar. A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável. As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas. O peito aperta quando o orgulho escraviza. A pressão sobe quando o medo aprisiona. As neuroses paralisam quando a "criança interna" tiraniza. A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

46 | Painel Imobiliário

Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra. O câncer mata quando não se perdoa e/ou cansa de viver. E as dores caladas? Como falam em nosso corpo? A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção. O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas Equívocos. Existem semáforos chamados Amigos. Luzes de precaução chamadas Família. Ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada Decisão. Um potente motor chamado Amor. Um bom seguro chamado Fé. Abundante combustível chamado Paciência. Mas há um maravilhoso Condutor e solucionador chamado DEUS! (Autor desconhecido )


Painel Imobiliรกrio

| 47


R O T N E . V E U A R T G N DEN O O CO RI O

Á M I L O C I B A NOCI V ERCADO IMO DO M DENUNCIE O CONTR

AVE

NTOR (62) 3236 -7377 fiscalizaca o@cre cigo.gov.b r o.gov.br

www.crecig

A Dengue é uma doença perigosa que chega sorrateiramente e pode até matar. Da mesma forma age o contraventor do mercado imobiliário atuando ilegalmente, sem compromisso com a ética profissional e causando prejuízos incalculáveis para o consumidor. Fique atento.

Combata o MOSQUITO e DENUNCIE o CONTRAVENTOR no Creci.

Revista Painel Imobiliário -16° edição  

Confira os temas da 16° edição da publicação: - Entrevista com o empresário do mercado imobiliário americano Cristiano Piquet; - Exclusivida...

Revista Painel Imobiliário -16° edição  

Confira os temas da 16° edição da publicação: - Entrevista com o empresário do mercado imobiliário americano Cristiano Piquet; - Exclusivida...

Advertisement