Issuu on Google+

revista

Distribuição gratuita Distribuição gratuita

Ano X - n° 120 - Outubro 2013 - www.cotripal.com.br

Sinal vermelho

A população brasileira está endividada Ovinocultura: investimento que vale a pena

Última etapa da promoção Festa Premiada 55 anos Cotripal é marcada por muitos festejos

Receita: Esfirra aberta de carne


Editorial

Lugar nenhum Equilíbrio é o segredo para uma vida feliz e bem-sucedida. A filosofia oriental, inclusive, considera ser este o ponto de partida para uma jornada de prosperidade integral, onde se obtém conquistas tanto em termos materiais quanto afetivos e espirituais. Uma das metáforas utilizadas por essa tradição afirma que uma canoa só pode sair do lugar quando o remador usa os dois remos, do contrário, independente da força empregada, nada se obterá senão uma viagem em círculos, estéril, frustrante, exaustiva... A perda de controle financeiro não apenas indica uma falta de equilíbrio a ser corrigida como, ainda, leva ao agravamento do desequilíbrio. Quando as contas vão mal, o problema vira eixo central de todas as áreas da vida. A capacidade produtiva é reduzida, pois a cabeça não consegue deixar as preocupações de lado para se concentrar no trabalho. Os relacionamentos são prejudicados, já que o estresse provoca desentendimentos. O ânimo para buscar soluções enfraquece, porque o desgaste emocional abala a autoestima. Enfim, a canoa gira em círculos exaurindo as energias necessárias à reação. O jeito, conforme aponta a matéria de capa desta edição, está em disciplinar os hábitos de consumo para equilibrar o orçamento. No caixa doméstico, entradas e saídas precisam se combinar como dois remos de um mesmo barco. Esta é a única solução para sair do lugar, o único modo de fazer com que se estabeleça na economia pessoal uma jornada de conquistas, com avanços que proporcionem orgulho e satisfação. Parece simples. Mas as evidências apontam que o desafio é grande. Sobretudo num sistema econômico que funciona o tempo todo para manter o mercado aquecido por meio do consumo. Os apelos chamando à compra são constantes. As tentações estão por todo lado. Mas se nos deixarmos hipnotizar por esta roda-viva, aonde ela vai nos levar? Óbvia e inevitavelmente, a lugar nenhum...

Gostaria de cumprimentá-los pela excelente entrevista realizada com Paula Pfeifer na edição de agosto, “Os sons do silêncio”, pois ela aborda um tema que ainda é tabu na nossa sociedade. Eu tenho uma filha de seis anos que tem deficiência auditiva bilateral, moderada em um ouvido e profunda no outro, e ouve com auxílio de aparelhos auditivos. Ela frequenta fonoaudióloga uma vez por semana, está no Jardim II, e tem um desenvolvimento normal cognitivo e de fala. Hoje, eu e minha esposa sabemos muito sobre o assunto, inclusive através do blog Crônicas da Surdez, citado na entrevista. É ótimo que vocês, com todo o alcance que a revista tem – sei disso porque leio todas as edições –, esclareçam o tema, ajudando assim a desmistificá-lo. .

Rogerio Abreu, leitor da revista Atualidades Cotripal e cliente da Cooperativa Presidente Germano Döwich, diretoria, conselheiros, colaboradores, cooperados e vitoriosa equipe, Que o dia 21 de setembro represente sempre um momento especial. Comemorem a missão de disseminar o conhecimento, oferecendo oportunidades de negócios e desenvolvimento do cooperativismo. Valorizem sempre a credibilidade conquistada e o comprometimento de toda equipe em gerar importantes diferenciais na vida humana. Que as homenagens confirmem os resultados construídos com uma bela história, que teve início em 1957. Parabéns, Cotripal, pela emoção de assoprar 56 velinhas. .

Dalmir Sant'Anna, palestrante comportamental

REVISTA ATUALIDADES COTRIPAL COTRIPAL AGROPECUÁRIA COOPERATIVA Rua Herrmann Meyer, 237 - Centro - CEP: 98280-000 Panambi/RS Fone: (55) 3375-9000 - Fax: (55) 3375-9088 www.cotripal.com.br .

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Presidente: Germano Döwich Vice-Presidente: Dair Jorge Pfeifer Conselheiros: Ivo Linassi, Jeferson Fensterseifer, Eliseu Dessbesell, Delmar Schmidt, Davi Keller, Roland Janke, Ari Augusto Schmidt, Gerhardo Strobel e Ernani Neumann .

CONSELHO FISCAL Efetivos: Carlos André Schmid, Cezar Augusto Mello de Oliveira e Lino Carlos Breitenbach . Suplentes: Germano Nesio Feiden, Lorinei Gianluppi e Afonso Doneda.

Rede Colinas FM 88.7 Cotações e preços de segunda a sexta 8h20 Atualidades Cotripal: sábado 7h40 Rádio Sorriso FM 103.5 De segunda a sexta 6h10 e 11h45 – Sábado 6h10 Cotações e preços de segunda a sexta 8h20 Rádio Sulbrasileira AM 1320 Atualidades Cotripal de segunda a sexta 7h02 Sábado: 7h02 e 11h Cotripal pra você: domingo 11h30 Rádio Blau Nunes AM 1210 Atualidades. Cotripal: sábado 11h40 .

tamar@cotripal.com.br

02

outubro 2013

.

EDITOR RESPONSÁVEL Marco André Regis .

EXPEDIENTE Comunicação e Marketing Cotripal .

DESIGN GRÁFICO Charlei Haas e Valdoir do Amaral .

EQUIPE DE REDAÇÃO Gislaine Windmöller Mileni Denardin Portella - Mtb/RS 13916 .

REVISÃO Vinícius Dill Soares .

CONTATO Maiglon Hess - Fone:(55) 3375 9061 Email: maiglon@cotripal.com.br Email: mileni@cotripal.com.br .

IMPRESSÃO Kunde Indústrias Gráficas Ltda Tiragem: 6.000 exemplares


Mercado agrícola

João Carlos Pires Supervisor comercial joaoc@cotripal.com.br

por João Carlos Pires

Referente a agosto de 2013 GRÃOS - preço pago ao produtor

R$/saca

72,0 68,04 68,52 69,00 68,04 67,50 67,02 66,00 66,00 66,00 67,02 66,54 66,00 68,0 64,0 60,0 56,0 52,0 48,0 44,0 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 40,0 36,0 32,0 28,0 21,00 21,00 21,00 21,00 21,54 21,54 21,54 21,54 21,54 21,54 21,54 21,54 24,0 20,0 16,0 12,0 8,0 4,0 11 6 16 4 9 10 17 12 Dias 2 3 5 13

SOJA

TRIGO

65,52 64,50 65,52 63,54 63,54 63,54 64,02 65,04

42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00 42,00

21,54 21,54 21,54 21,54 21,54 21,54 21,54 21,54

19

18

22

24

25

26

27

30

MILHO

DÓLAR

R$

2,500 2,400 2,375 2,360 2,356 2,300

2,322 2,307

2,277 2,286 2,273 2,273 2,281 2,277 2,259

2,200

2,246 2,259 2,219 2,200 2,197 2,227 2,216 2,192 2,202

2,100 2,000 1,900 Dias

2

4

3

6

5

9

11

10

12

16

13

17

19

18

20

24

23

26

25

27

30

COTAÇÃO BOLSA DE CHICAGO

$/Bushel

16,0 15,0 13,86

14,0

13,96 13,81 13,52 13,67 13,67 13,56 13,55 13,58 13,48 13,42 13,47 13,39 13,15 13,07 13,12 13,21 13,16 13,19

13,0

12,82

12,0 10,0 9,0 8,0 7,0 6,0 5,0

FERIADO NOS EUA

11,0

6,53

6,41

6,41

6,43 6,46

6,57

6,46

6,53

6,58

6,70

6,78

6,83

6,78

4,69

4,72 4,66

4,59

4,56

4,54

4,56

4,59

4,51

4,53

4,48

4,54

4,56

4,54

4,41

10

11

13

16

17

18

19

20

23

24

25

26

27

30

6,47

6,46

6,40

6,47

6,41

6,46 6,48

4,75

4,69

4,61

4,68

4,63

3

4

5

6

9

4,0 Dias 2

SOJA

TRIGO

12

MILHO

outubro 2013

03


Pecuรกria

Ovinocultura investimento que vale a pena

04

outubro 2013


Nos filmes norte-americanos, várias vezes nos deparamos com ovelhas cuidando dos gramados de propriedades rurais. Mas, aqui no Brasil, elas têm ganhado status de produção alternativa para pequenas e médias áreas. A ovinocultura sempre foi vista como uma produção que não trazia resultados financeiros expressivos. As ovelhas eram usadas para controlar pequenas plantas em meio ao pomar de laranjas, no pátio de madeireiras ou em grandes gramados abertos nas propriedades rurais. A realidade mudou, e os cuidados com a ovinocultura também. De acordo com Vlads Paim Miranda, zootecnista e instrutor do Senar/RS, é necessário saber exatamente qual a finalidade para começar o investimento em ovelhas. “Tudo precisa ser pensado: a área que vai ser dedicada à produção, o ambiente oferecido aos animais e o objetivo que se pretende atingir”. A atividade pode ser bastante rentável, mas ela exige conhecimento. Por isso, Vlads indica à pessoa interessada em começar a criação fazer um curso para compreender as necessidades do rebanho e o tipo de manejo adequado. Existem vários perfis de ovinocultores hoje em dia. Na região noroeste do Rio Grande do Sul, essa cultura surge quando se deseja ter uma atividade diferenciada no campo. Na maioria desses casos não há grande produção, mas, sim, um lugar ocioso usado para alimentar as ovelhas. A criação doméstica, para consumo próprio, também ganha espaço, principalmente na área de abrangência da Cotripal. O número de raças existentes hoje no mercado é variável, por isso, de acordo com Vlads, vale fazer um planejamento para a produção. “Há raças que estão prontas para o abate em 90 dias, outras em 150 dias. Não podemos dizer

que existe uma raça melhor que a outra, vai depender da adaptação dela ao ambiente que lhe for oferecido”. Os terrenos de Panambi e região são favoráveis a esta produção. Por serem acidentados, em vários casos ficam impossibilitados à agricultura ou pecuária, mas, no caso da ovinocultura, com bom manejo os resultados podem ser muito bons. “Ainda falando das raças, justamente pelas questões de relevo, eu indicaria a Texel para produção aqui. É uma das direcionadas à produção de carne, de médio porte, rústica e que se reproduz facilmente”, explica o zootecnista. A relação de quantas ovelhas podem ser criadas leva em conta a quantidade de alimentação disponível. “Um ovino come 10% do seu peso diariamente. Vamos supor que uma ovelha pese 60 quilos: ela vai precisar comer 6 quilos de pasto ou suplementação no cocho. Em ciclo produtivo, onde se alimenta uma vaca, há comida para 10 ovelhas”, exemplifica Vlads. O custoso investimento para iniciar um rebanho de ovinos não é muito alto se for levado em consideração o seu custo-benefício. Para quem quer apostar nesta atividade como fonte de renda, o zootecnista deixa uma dica: “O que existe hoje é uma lacuna no mercado. Muitas pessoas buscam carne de ovelha, mas ela nem sempre está à disposição. A ovinocultura ganhou espaço e vai continuar crescendo, principalmente se levarmos em conta o que o consumidor está procurando”.

O preparo da carne influencia no sabor? Normalmente, entre os meses de outubro a fevereiro, os animais jovens ficam prontos para o abate. Quanto mais jovem o ovino, melhor será o sabor da carne. Outro fator que influencia remete à alimentação: se a ovelha for criada só com pastagem, a carne terá um sabor, se for usado complemento alimentar, terá outro. O preparo, em si, não exige muitos cuidados. A carne pode ser temperada com sal normal ou com ervas e demais condimentos, dependendo do gosto de quem cozinhar. “E a questão de encostar o pelego na carne não condena todo o animal, apenas a parte em que houve o contato”, desmistifica Vlads.

outubro 2013

05


Entrevista

Custo de vida:

Administrar bem para viver bem À medida que o custo de vida aumenta, quem não adapta os gastos acaba perdendo o controle do orçamento doméstico e se endividando. Isso, consequentemente, compromete a qualidade de vida da família. David Antonio dos Santos, delegado regional do Conselho Regional de Contabilidade do RS e professor do Programa Aprendiz Cooperativo da Cotripal, esclarece algumas questões sobre esse tema e dá dicas de como controlar as finanças familiares. 06

outubro 2013


O que está causando o aumento do custo de vida brasileiro? O grande vilão do aumento do custo de vida são os tributos impostos sobre os produtos brasileiros. Vale lembrar que os governos dependem de impostos para poder governar. No entanto, em 1990 a carga tributária era de 26% do PIB (Produto Interno Bruto). Hoje, gira em torno de 36%. Isso elevou o preço de todos os produtos e serviços e, consequentemente, o custo de vida. Quais os perigos que isso traz para o nosso dia a dia? O aumento do custo de vida reflete na defasagem salarial, pois, embora haja aumentos nos salários, há elevação do preço dos produtos de consumo e também na tabela do IRF (Imposto de Renda na Fonte). E, dessa forma, o custo de vida vai se elevando ano a ano.

grama de Ingresso ao Ensino Superior). Concordei em pagar R$ 250,00 mensais na nova escola, mas a alertei que ela passaria a conviver com colegas cujos pais tinham situação financeira superior à nossa e ela não teria como acompanhá-los sempre. Foi gratificante, já que, além de conseguir a vaga na UFSM, ela não mudou seus hábitos de consumo, mantendo-se adequada à nossa realidade financeira. Portanto, digo que os pais devem mostrar aos filhos qual é a realidade familiar e não ceder ao impulso das crianças e adolescentes.

Qual postura as pessoas devem ter na hora de consumir? Algumas sugestões de como consumir e economizar são: fazer pesquisa de preço; programar a utilização do veículo; utilizar transporte público; usar cartão de crédito com moderação; pagar, preferencialmente, à vista; experiComo é possível organizar o orçamento familiar para mentar produtos de marcas diferentes, pois é possível não sofrer com o aumento do custo de vida? A família é encontrar bons produtos por preços melhores; ter apenas o centro da sociedade e, por isso, do sistema econômico uma conta corrente em banco, visto que desta maneira se também. E, hoje, as pessoas são estimuladas ao consu- evita diversas taxas de manutenção; não usar cheque mismo. A única forma de diminuir os efeitos do aumento do especial; pagar o valor total do cartão de crédito; presentecusto de vida é evitar o descontrole do orçamento familiar. ar os filhos dentro de suas possibilidades, ensinando O primeiro passo é cortar os gastos desnecessários e desde cedo que nem todas as vontades podem ser realiimpulsionados por promoções ou ofertas. Ou seja, reduzir zadas; mostrar aos filhos a importância do controle financeiro; e ter uma poupança. Essas são dicas simples, mas o consumo de supérfluos. que facilitam a administração do orçamento familiar e evitam o Quais são as atitudes que ‘‘O primeiro passo é cortar os gastos consumo desenfreado. auxiliam na redução das despesas, seja dentro de casa ou desnecessários e impulsionados por Qual o limite do consumo? Em no trabalho? As atitudes são promoções ou ofertas. Ou seja, reduzir o razão da facilidade de crédito e muito simples. Por exemplo, consumo de supérfluos.’’ das inúmeras oportunidades de evitar banhos demorados; reguconsumo oferecidas, as famílias lar o chuveiro conforme a estatêm comprometido o orçamento ção; usar lâmpadas econômicas, familiar, gastando mais do que pois seu consumo é inferior aos outros tipos disponíveis no mercado; abrir a porta da gela- ganham. Boa parte das pessoas gasta o dinheiro que deira somente quando houver necessidade e por curto deveria usar no mês em apenas uma semana. Algumas período de tempo; efetuar o descongelamento e a limpeza conseguem, através de práticas de repressão ao desejo dos refrigeradores sempre que necessário; acumular a de consumo, reduzir a compra de supérfluos. O ideal é que maior quantidade possível de roupas para passar de uma as famílias elaborem seu orçamento, fazendo distinção só vez; apagar as luzes de cômodos no momento não entre o desejo e a necessidade do gasto. A recomendação utilizados; usar máquinas de lavar e secar com a capaci- de diversas instituições financeiras é que as pessoas dade máxima; e fechar a torneira enquanto escova os comprometam no máximo 30% dos ganhos em despesas dentes ou faz a barba. No trabalho também há como eco- extras ou parcelas. E guardarem 10% em uma poupança. nomizar, basta desligar o computador todos os dias; evitar o desperdício de folhas, usá-las dos dois lados; desligar as Dê algumas dicas de como organizar um orçamento luzes ao sair dos ambientes; e reduzir a utilização de familiar dentro do limite salarial de cada um. O primeiro passo é listar as receitas líquidas – descontados INSS e copos plásticos. IRF. Depois, a dica é relacionar as despesas fixas, ou seja, Os filhos são fonte de despesa. Como organizar os habitação, transporte, alimentação, educação, saúde, custos deles para não pesar no orçamento? Vivemos higiene e lazer. Incluir nas contas as despesas chamadas numa sociedade consumista e nossos filhos estão neste de anuais, como IPTU, IPVA, material escolar, uniformes e contexto. Penso que a conscientização dos jovens é fator pequenos consertos. Antes de comprar qualquer coisa, relevante não só para a economia familiar, mas para a vida desde um simples produto de limpeza até bens duráveis, futura deles. Um exemplo pessoal que posso dar é que, há como carros e eletrodomésticos, analisar se a aquisição é alguns anos, minha filha estudava em uma escola e eu necessária ou apenas um desejo de consumo momentâpagava mensalidade de R$ 70,00. No entanto, ela me neo. E, por último, a sugestão é poupar: se houver alguma pediu para trocar de escola, pois queria entrar na UFSM emergência, não haverá necessidade de correr para os (Universidade Federal de Santa Maria) pelo PEIES (Pro- empréstimos e acabar descontrolando as finanças.

outubro 2013

07


Agricultura

Os nutrientes necessários para o sucesso da agricultura urbana Na segunda reportagem da série “Agricultura urbana”, vamos tratar sobre a necessidade de o solo ser nutrido. Pois, na ausência dos elementos essenciais, os vegetais não crescem nem completam o ciclo de vida, ou seja, não se desenvolvem corretamente e não se reproduzem.

08

outubro 2013


As plantas não se desenvolvem sem os nutrientes necessários para o seu crescimento. A deficiência dos elementos essenciais nos solos acarreta uma série de problemas para os vegetais, causando alterações em seu metabolismo. Os principais nutrientes minerais são: nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, boro, ferro, zinco, cobre, molibdênio e manganês – encontrados nos adubos. “Os elementos indispensáveis são absorvidos pelas plantas em quantidades específicas para o seu

desenvolvimento. Eles podem ser divididos, de acordo com a concentração relativa nos tecidos dos vegetais, em micronutrientes e macronutrientes”, explica Edvaldo Junio Pires Novais, engenheiro agrônomo da Cotripal. Cada mineral, por menor que seja a quantidade consumida pela planta, tem função indispensável para o desenvolvimento e a manutenção da vida vegetal. Portanto, Edvaldo diz que nenhum nutriente pode faltar, para que as plantas mostrem toda a sua exuberância e produzam de forma adequada.

Macronutrientes primários: .

Nitrogênio (N) – Componente de proteínas, clorofila e enzimas, ele é um nutriente fundamental para o crescimento vegetativo. Fósforo (P) – Responsável pela formação de raízes e flores e também pelo acúmulo e transferência de energia. Potássio (K) – Auxilia na síntese da clorofila – que possibilita a fotossíntese. Além disso, desenvolve os mecanismos de defesa das plantas, tornandoas mais resistentes às doenças, e é responsável pela hidratação dos vegetais. .

.

Macronutrientes secundários: .

Cálcio (C) – Elemento importante na síntese da parede celular e no crescimento do sistema radicular. Magnésio (Mg) – Componente da clorofila, sem ele a planta não pratica a fotossíntese. Enxofre (S) – Componente dos aminoácidos e das vitaminas, indispensável para a planta transformar glicose em proteína.

Como comprar adubo? Na hora de comprar adubo, em primeiro lugar, procure lojas especializadas. Os adubos podem ser sintéticos ou químicos. Os sintéticos são vendidos em forma de sais simples – salitre-do-chile, sulfato de amônia, superfosfato... Os químicos são comercializados em pó, líquido, pastilha ou granulado. Nas embalagens há uma série numérica, como, por exemplo, 10-10-10, 8-16-24 ou 2-20-30. Esses números indicam a proporção de nitrogênio, fósforo e potássio que os adubos contêm – NPK. Vale lembrar que os adubos químicos liberam nutrientes por um período de 1 a 3 meses. Deste modo, cuidado para não adubar em excesso, pois pode acontecer intoxicação da planta, o que provoca disfunções e, em casos mais graves, a morte do vegetal. O ideal é seguir as orientações de um engenheiro agrônomo.

.

.

Micronutrientes: .

Ferro (Fe) – É essencial para a síntese da clorofila. Manganês (Mn) – Componente responsável por ativar as enzimas. Zinco (Zn) – Elemento ativador de enzimas, responsável pelo crescimento do vegetal e pela formação do hormônio Auxina, que fica no “olho” da planta. Cobre (Cu) – Componente que integra as enzimas responsáveis pelo metabolismo. Molibdênio (Mo) – Elemento integrante das enzimas, essencial para assimilação do nitrogênio. Boro (B) – Elemento relacionado com a movimentação dos açúcares nas plantas e fecundação das flores. .

.

.

.

.

Adubo orgânico São compostos de resíduos animais e vegetais. Os mais conhecidos são: farinha de sangue, ossos ou peixe; torta de mamona ou girassol; e esterco de gado, cavalo, galinha ou porco. Os aditivos orgânicos não liberam todos os nutrientes de uma só vez, como acontece com os químicos. Contudo, o resultado é mais duradouro, pois ativa a criação de vida no meio de cultivo. Também é possível fazer compostagem, que é a transformação do lixo orgânico em adubo. Esse tema será tratado nas próximas edições da revista Atualidades Cotripal.

Como escolher adubos orgânicos? Escolha compostos orgânicos de fabricantes regulamentados por entidades certificadoras. No entanto, evite utilizar resíduos, principalmente de animais, sem orientação de um engenheiro agrônomo, porque eles podem conter micro-organismos maléficos à saúde.

Outros fatores fundamentais para desenvolvimento pleno das plantas são: - Iluminação - Temperatura - Umidade do ar - Vento - Posição geográfica - Tratos culturais - Manejo de pragas e doenças

outubro 2013

09


por Denio Oerlecke

Direto do campo Geada prejudica parte do trigo

Denio Oerlecke Supervisor do Departamento Técnico Agronômico denio@cotripal.com.br

estava com estágio mais avançado e foi prejudicado pela geada. Neste ano, as plantas que estavam menores, com a folha se encostando à palhada, sofreram mais com o fenômeno. No entanto, certamente esse milho vai se recuperar, poucas áreas vão precisar de replantio. A perda foi bem menos expressiva que no ano passado. O Campo Experimental é uma área muito beneficiada. Foram poucas as vezes em que tivemos prejuízos nas estações. Esse ano os experimentos estão se desenvolvendo bem e, com eles, faremos inúmeras verificações para transmitir aos produtores. Além disso, testamos várias novidades relacionadas a fungicidas e cultivares que, posteriormente, o associado vai poder aplicar em suas lavouras. Vale lembrar que outubro é mês de iniciar a colheita do trigo e o plantio da soja. Então, fica o alerta para que o produtor observe seu maquinário e faça a manutenção preventiva antes de começar as atividades mais intensas, porque sabemos que uma máquina estragada atrasa o serviço e pode, sim, também prejudicar a produtividade.

Durante todo o inverno, ocorreu uma situação muito favorável à cultura do trigo. Até a primeira quinzena de setembro tivemos poucas chuvas, contrariando a previsão que apontava excesso de precipitações neste período. Infelizmente, elas apareceram nos dois últimos finais de semana do mês em altos índices pluviométricos. O potencial até então era excelente. Nós falávamos que, se o clima continuasse no mesmo ritmo, poderíamos alcançar médias mais altas que 2011. Porém, isso não vai mais acontecer. Duas geadas atingiram a nossa região de abrangência, nos dias 18 e 19. Primeiramente, os casos de perdas pareciam pontuais, mas, com o passar do tempo, as lavouras demonstraram redução de produção. Vários agricultores, inclusive, precisaram acionar o seguro agrícola. O principal fator que contribuiu para essa perda foi o estágio da lavoura, que já estava na emissão da espiga e florescimento, que é uma das fases mais sensíveis à geada. Com relação ao milho, o produtor atrasou um pouco o plantio devido às baixas temperaturas. No ano passado, o milho

Ocorrência de chuvas/setembro

precipitação (mm)

560 520 480 440 400 360 320 280 240 200

177

166

160

170 147

141

179

165

172 139

134

120 80 40 0 Panambi

10

outubro 2013

Condor

Belizário

Esquina Beck Mambuca

Gramado

Pejuçara

Capão Alto

S. Bárbara

Ajuricaba


Embrapa defende Manejo Integrado de Pragas e uso de inimigos naturais para combater Helicoverpa um odor.

O chefe da Embrapa Milho e Sorgo, Antônio Álvaro Corsetti Purcino, afirmou que o monitoramento é um dos passos principais para combater a Helicoverpa armigera, que tem causado prejuízos bilionários nas plantações de soja, milho e algodão, e afetado outras 17 culturas, como tomate e pimentão. Ele defende o Manejo Integrado de Pragas e a utilização de inimigos naturais nas lavouras. “Estamos distribuindo um boletim técnico que trata do manejo integrado em lavouras e faz recomendações de como o produtor pode controlar a H. armigera, utilizando também cultivares transgênicas eficientes e inseticidas eficientes”, diz Purcino. Purcino alerta para a necessidade de os agricultores realizarem inspeções nas lavouras com mais frequência, utilizando feromônios liberados pelo Ministério da Agricultura, um composto químico que atrai a lagarta através de

Purcino ressalta que um dos problemas atuais é que as lavouras infectadas estão muito fechadas, com espaçamentos pequenos entre as plantas. “É difícil que a aplicação do inseticida atinja a praga porque a lagarta fica protegida dentro dos frutos, na vagem da soja, no algodão ou na espiga do milho. O inseticida, usado por pulverização ou por via aérea, não consegue atingir a praga, que precisa receber certa quantia mínima de produto para ser controlada. O aparecimento da mariposa no campo deve ser sempre monitorado.” A Helicoverpa armigera é resistente a vários inseticidas e se alimenta de cerca de 20 culturas no Brasil. O especialista alerta que é necessário não só utilizar inseticidas, mas aplicá-lo com as técnicas corretas. Fonte: www.ruralbr.com.br

Governo do Rio Grande do Sul anuncia políticas de incentivo ao trigo O governador Tarso Genro anunciou créditos para compra de trigo e estruturas de estocagem. Banrisul e Banco do Brasil disponibilizarão R$ 200 milhões cada para financiamento a cooperativas, moinhos e cerealistas para aquisição de trigo. “O trigo é uma riqueza absolutamente carente de políticas públicas no RS”, afirmou Tarso Genro. A meta do governo gaúcho é dobrar a produção de trigo no estado, que hoje é de 2,5 milhões de toneladas ao ano, o que representa um quarto da produção do Brasil.

“O trigo já foi uma das políticas mais importantes do RS e enfrentou, recentemente, anos de políticas de desestímulo”, disse o secretário de Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Luiz Fernando Mainardi. Os créditos terão valores diversos e juros de 5,5% ao ano. “Nosso objetivo é que os moinhos cerealistas tenham recursos para compra imediata do trigo”, ponderou o superintendente de Crédito do Banrisul, Carlos Barbieri. Fonte: www.secom.rs.gov.br

Leite & Mercado Nova alta nos preços anima produtores Contrariando todas as expectativas, o preço pago ao produtor pelo leite entregue em agosto teve nova alta, chegando a atingir R$ 0,03 de aumento em algumas regiões. Se for comparado ao valor de 2012, o preço hoje está 20% superior. Mesmo com o aumento da captação no Rio Grande do Sul, os preços continuaram se elevando em função da demanda do mercado e também pela estabilidade produtiva dos demais estados. Para o próximo mês, 70% dos laticínios entrevistados apontam estabilidade, enquanto 20% acreditam que o preço suba ainda mais.

12

outubro 2013


Agricultura

Planejar a lavoura de soja traz bons resultados

14

outubro 2013


Para obter lucro na lavoura de soja é preciso planejamento. Entre os cuidados básicos iniciais estão: escolha da semente, manutenção de plantadeiras, tratamento de semente e dessecação. Planejamento é palavra-chave no agronegócio da atualidade. A velha prática de fazer tudo em cima da hora gera perdas e inviabiliza as lavouras. Então, para quem quer alcançar boas produtividades, atenção no começo da implantação da lavoura é essencial. Segundo Denio Oerlecke, engenheiro agrônomo e supervisor do Detec Cotripal, iniciar bem é muito importante. “Planejar investimentos e necessidades faz diferença, refletindo em bons rendimentos, fator fundamental para o produtor.” Por isso, escolher uma boa semente, prepará-la com tratamento adequado, regular o maquinário e fazer a dessecação do campo constituem ações que devem estar no rol de tarefas de quem investe em soja. A escolha da semente, conforme diz Denio, precisa de atenção, afinal, ela carrega todo o potencial genético da planta. “O ideal é buscar informações com os técnicos do Detec Cotripal e participar dos Dias de Campo, para saber das novidades e dos potenciais produtivos.” Além disso, é preciso ter certeza da qualidade da semente, pois a partir dela a planta se desenvolverá. O segundo passo consiste em fazer um bom tratamento de semente, já que isso afasta o risco de aparecimento de fungos e pragas na fase inicial da soja. “O objetivo deste manejo é proteger as sementes e aumentar seu desempenho, visto que a germinação da cultura é uma fase crítica”, esclarece Denio. E ele ainda alerta para que sejam usados produtos de qualidade, registrados, que são seguros e apropriados para essa prática. Outro cuidado essencial se refere à manutenção do maquinário agrícola. Isso inclui limpeza geral de discos, depósitos e mangueiras, e também troca de peças que apresentem problemas. Do mesmo modo, há necessidade de dar atenção especial ao sistema de distribuição de sementes das plantadeiras. Denio sugere que, após a regulagem, seja realizado o teste da semeadeira, que consiste em fazer, antecipadamente, duas passadas no campo e verificar como foi o comportamento da máquina e a emergência das plantas. “Nesse momento ainda é possível fazer correções, se necessário.” E ele afirma também que a velocidade de plantio deve ser lenta, para que a distribuição das sementes aconteça de forma mais uniforme. Para completar os cuidados, há a dessecação. Ela é fundamental, pois existem diversas plantas daninhas nas áreas de lavoura, que competem por luz solar, água e nutrientes com a cultura da soja. “A dessecação da área de plantio é essencial, um dos manejos mais importantes, independente da cultura a ser semeada. No entanto, vale um alerta. Existem plantas daninhas – buva preta e azevém – resistentes ao glifosato, produto tradicionalmente utilizado para a dessecação. Elas necessitam de um manejo com herbicidas específico para o efetivo controle. Um campo limpo de invasoras, do início ao fim, faz diferença no resultado” diz Denio. Vale lembrar que mesmo com todo o planejamento, a agricultura é uma empresa a céu aberto e, portanto, sujeita a intempéries e perdas. Então, investir em seguros contratados ou financiamento com Proagro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária) é parte fundamental desse ramo de atividade.

outubro 2013

15


Agricultura

Milho aplicação de fungicidas

melhora produtividade A nova prática de manejo ganha força na cultura do milho, pois auxilia na melhora da produtividade e na qualidade dos grãos.

Nos últimos anos, a cultura do milho tem recebido mais atenção e, com isso, um novo tema surgiu: o uso de fungicidas para o manejo de doenças foliares. Isso porque a propagação de doenças fúngicas tem acarretado prejuízos significativos em diversas regiões produtoras. Segundo Denio Oerlecke, supervisor do Detec Cotripal e engenheiro agrônomo, pesquisas recentes demostram que, quando a lavoura mantém sua área foliar, ou seja, está livre de doenças, o peso do grão aumenta, o que melhora o resultado. “Antigamente, não havia tanta preocupação com as folhas das plantas do milho, pois os estudos não relacionavam as doenças com a produtividade.” Quanto à decisão sobre quantidade de aplicações e melhor época de uso dos fungicidas para o controle de doenças na cultura do milho, Denio diz que “o ideal são duas aplicações, sendo a primeira no limite de entrada do trator na lavoura e a segunda na fase de prépendoamento. E mais, pesquisas com fungicidas também têm confirmado a melhor qualidade do grão de milho produzido.” Vale lembrar que o potencial produtivo da cultura do milho não varia, mas a aplicação de fungicidas de forma preventiva evita perdas em decorrência do ataque de doenças. Além disso, Denio alerta para que os produtores evitem aplicações na época do florescimento, visto que o óleo mineral adjuvante aos fungicidas, quando atinge as flores das plantas no período reprodutivo, impede a fecundação. “A consequência deste fato são espigas com falhas no enchimento de grãos.” Os fungicidas são ferramentas de grande importância para o manejo de doenças em diversas culturas e sua utilização tem contribuído de forma significativa para o aumento na produção de alimentos no Brasil e no mundo. No entanto, na cultura do milho a utilização deste recurso ainda é novidade, mais estudos são necessários para um melhor entendimento do efeito dos fungicidas na fisiologia e na produção da cultura do milho.

Antes de aplicar fungicida na lavoura de milho, procure o Detec Cotripal para obter as melhores recomendações.

outubro 2013

17


Notícia

Colaboradores da Cotripal participam de evento no Paraná Os colaboradores da Cooperativa, Mileni Denardin Portella, jornalista, e Maiglon Hess, relações públicas, estiveram em Maringá – PR para receber uma homenagem e comemorar os 10 anos da empresa Guerreiro Agromarketing. No dia 13 de setembro, os colaboradores da Cotripal, Mileni Denardin Portella, jornalista, e Maiglon Hess, relações públicas, participaram do evento “Guerreiro Agromarketing 10 anos – uma homenagem à comunicação do agronegócio brasileiro”, realizado em Maringá – PR. O primeiro objetivo da viagem foi receber uma homenagem da empresa paranaense, que destacou profissionais da comunicação que incentivam e divulgam o agronegócio brasileiro. “Esse serviço é prestado através das diversas publicações da Cotripal, que incluem a revista Atualidades Cotripal, os programas de rádio, os folhetos promocionais e muito mais”, explica Maiglon. A segunda finalidade foi comemorar os dez anos de fundação da Guerreiro Agromarketing, parceira da Cotripal, que atende as principais agências de propaganda e departamentos de marketing de grandes companhias do agronegócio, no planejamento e execução de mídia e ações de comunicação. Entre elas: Bayer, Dow, FMC, John Deere, Pioneer, Genese, Stihl, Shell, Spraytec e Stoller. “É um trabalho específico e traz paixão aos envolvidos por sua relevância”, cita Glaucia Guerreiro, diretora-executiva e idealizadora da empresa. Na ocasião, ainda houve uma palestra com Richard Jakubaszko, jornalista, consultor de marketing, pesquisador de mercado e autor de diversos livros na área, que falou sobre a importância da comunicação no agronegócio. “A comunicação é sustentada por três pilares, conteúdo de qualidade, leitores fiéis e marketing”, comenta. “A nossa participação foi excelente, pois, além da homenagem, que nos deixou muito felizes, agregamos conhecimento com a palestra e trocamos experiências com diversos profissionais ligados à comunicação do agronegócio que estiveram por lá”, diz Mileni. O evento contou com patrocínio da Bayer Cropscience e apoio da FMC Agricultural Products.

Pollyanna Caroline, Glaucia Guerreiro, Mileni Denardin Portella e Maiglon Hess

Alguns dos homenageados da noite, junto com patrocinadores e apoiadores do evento

18

outubro 2013


Novidade

Comunicação da Cotripal tem novidades Desde o mês de agosto, a Cotripal tem novidades. A primeira é a utilização de mais um veículo de comunicação – o Facebook. Nele, são publicados avisos, lembretes, fotografias, história da Cooperativa, notícias, eventos e muito mais. Para ter acesso a todo esse material e ainda poder se comunicar com a equipe coordenadora, basta curtir a fan page da Cotripal. A atualização da página é diária, portanto, sempre há conteúdo novo esperando por você. A outra novidade é um programa de rádio, o “Cotripal pra você”, transmitido aos domingos, às 11h30, pela rádio Sulbrasileira. Nele, são veiculadas promoções da Cooperativa, novidades dos mais diversos setores, curiosidades e dicas de beleza, saúde, decoração, moda e muito mais. Curta nossa página no Facebook:


20

outubro 2013


Capa

Sinal vermelho A população brasileira está endividada

De acordo com pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mais de 50% da população brasileira está endividada. E escapar do vermelho não é tarefa fácil. A boa notícia é que existe saída. A má notícia: é preciso esforço para acabar com o endividamento e disciplina para continuar fora dele. A cada dia, o brasileiro parece ter mais dificuldade em lidar com as finanças. A atual sociedade, regida pelo consumismo, impulsiona as pessoas a consumir sem avaliar a real necessidade de compra, as taxas de juros e a verdadeira capacidade de pagamento. É aí que entram empréstimos, excessos nos cartões de crédito e uso do cheque especial, que, devido às altas taxas de juros, são vilões do endividamento. Segundo levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a maior parte da população brasileira tem alguma dívida. Em números exatos, 54,15% das famílias estão endividadas, sendo que 9,7% estão em situação crítica. A pesquisa ainda aponta que a dívida média mensal chega a quase R$ 5,5 mil por lar. Outro resultado que assusta é que 20% das pessoas têm alguma conta atrasada, mas cerca de 60% acreditam que conseguirão quitar essas dívidas, total ou parcialmente, no próximo mês. O presidente do Ipea, Marcio Pochmann, conta que quatro em cada dez famílias analisadas pela pesquisa disseram que não terão condições de honrar seus compromissos. “Os números do endividamento brasileiro são assustadores.” Reinaldo Domingos, presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros) e autor do livro “Livre-se das Dívidas”, vai mais longe e diz que os números reais de endividamentos são muito maiores. “Se levarmos em conta todas as formas de endividamento, é possível afirmar que mais de 80% da população possui algum valor a ser pago”. E ele ainda lembra que os juros dos empréstimos e créditos são exorbitantes e a grande maioria dos brasileiros recorre a eles quando está em situação de risco. Ainda de acordo com a pesquisa do Ipea, atualmente, a região que tem o mais baixo nível de endividamento é a Centro-oeste. E a situação mais crítica é no Norte, onde apenas 16% das famílias declararam não ter dívidas. O ciclo do endividamento, de acordo com Domingos, constitui-se de causas como analfabetismo financeiro, consumismo, crédito fácil, juros do cheque especial, cartão de crédito, crediário, crédito consignado, empréstimos, adiantamentos e antecipação da restituição do imposto de renda. Outros fatores que levam ao endividamento são problemas de saúde, desmotivação, baixa autoestima, produtividade reduzida, atrasos e faltas no trabalho. Em geral, os passos para entrar no vermelho são sempre os mesmos. “A ciranda começa com uma prestação de casa ou carro maior que o orçamento. A partir daí, a família passa a pagar todas as demais despesas no cartão de crédito, imaginando que sobrará recurso para as demais contas. No entanto, o que acontece é que, em poucos meses, não há como quitar a fatura do cartão e se inicia o pagamento da parcela mínima, na expectativa de que entre algum recurso extra. Só que isso não acontece e a saída é recorrer ao cheque especial. Chega o começo do outro mês e a história se repete. Aí os juros dos empréstimos são altos e a situação vira uma bola de neve, ou seja, fica impagável”, explica Domingos. E Pochmann conclui: “Hoje é tudo facilitado, principalmente quando se toca na questão do crédito pessoal. Qualquer pessoa pode conseguir dinheiro emprestado. Contudo, o grande problema é pagar o empréstimo.” Além disso, o Indicador Experian de Educação Financeira do Consumidor reconhece que ter mais ou menos dinheiro não é sinônimo de um melhor comportamento financeiro. Em todas as classes sociais há famílias endividadas.pelo fumo. E, se o ritmo continuar o mesmo, em 2020 esse vício levará mais de 10 milhões de pessoas à morte, por ano.

outubro 2013

21


As principais dívidas das famílias brasileiras: Cartãoito de créd

Financiamento de automóvel

Cheque especial

Carnês

Crédito pessoal

Financiamento de casa própria

A solução do problema O primeiro passo para sair do endividamento é fazer um levantamento detalhado de todas as dívidas – separando-as em essenciais e não essenciais. Depois, paga-se as essenciais, que incluem luz, água, aluguel, alimentação, entre outras. As dívidas com taxas de juros altas, como cartão de crédito, empréstimos e cheque especial, também devem ter prioridade na reorganização das finanças. “O que muitos não sabem é que quando há o atraso de parcelas de financiamento, passa-se a pagar apenas os juros, e não mais o capital emprestado, o que torna a dívida interminável. Para sair desse ciclo, o ideal é ir ao credor, seja financeira ou banco, e negociar todas as dívidas. Opte por uma linha de crédito diferente, com prazo mais longo e juros médios de 2,5% ao mês. Lembrando que a prestação deve ter um valor compatível com a possibilidade de pagamento”, ensina Domingos. Assim, a dívida está efetivamente sendo liquidada.

22

outubro 2013


Oito passos para se livrar das dívidas:

1º Calcule o tamanho da dívida

– Peça à empresa ou ao banco que concedeu o empréstimo um demonstrativo com os valores discriminados da dívida total. O ideal é ter os documentos com os valores de todas as dívidas adquiridas.

2º Verifique os valores a serem pagos

– Avalie quais são as taxas e os valores cobrados junto com as dívidas. Veja se todas as cobranças estão dentro do estabelecido no contrato. Inclusive a taxa de juros. É possível que haja cobranças indevidas. Caso tenha dificuldade em fazer essa avaliação, procure um profissional da Contabilidade ou órgãos de defesa do consumidor, como o PROCON, para ajudar.

3º Renegocie

– Com os valores da dívida em mãos, retorne ao local em que foi adquirida e peça uma renegociação. “Chore” por descontos, melhores juros e prazos maiores, pois o credor tem interesse em receber o dinheiro.

4º Busque empréstimos mais baratos

– Outra opção é pesquisar um empréstimo mais barato. Se a dívida é no cartão de crédito ou no cheque especial, que têm juros altos, pesquise outras taxas, como as do crédito consignado, que costumam ser menores. Feito isso, quite a outra dívida e organize-se para a nova.

5º Organize o orçamento

– Paralelamente ao cálculo e ao pagamento da dívida atual, é preciso organizar o orçamento para não fazer novas dívidas. Calcule quais são as despesas e os ganhos mensais e coloque-os no papel.

6º Corte gastos

– Considere quais são os gastos essenciais, como alimentação; os básicos, como luz e água; e os contornáveis, que são os que trazem benefícios, mas podem ser descartados, como televisão a cabo e academia. Corte primeiro os gastos desnecessários, que são restaurantes e viagens, passando depois para os demais, conforme for preciso.

7º Busque alternativas de renda

– Se, mesmo com os cortes, ainda estiver difícil manter as despesas mensais, busque alternativas de renda, como dar aulas, vender produtos, etc. Avalie bens que possam ser vendidos, como carro, terreno e joias, para ajudar ou no pagamento de dívidas ou nos gastos do dia a dia que não podem ser cortados.

8º Eduque-se financeiramente

– Organize-se financeiramente para não voltar a ficar endividado. Fazer um orçamento mensal e anual é indicado. Use o cartão de crédito de forma inteligente, ou seja, para organizar as finanças e concentrar o pagamento das contas mensais. Organize-se para pagar sempre todo o valor da fatura, e não somente o valor mínimo. O cheque especial deve ser usado apenas em caso de emergência, como gastos com saúde.

Fonte: Tabela elaborada por Fábio Garcia e Carlos Coradi para o Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul.

Organização e controles: Controlar as finanças é fundamental. Para isso, escolha uma forma de se organizar. Vale planilhas, caderno de anotações e softwares de gestão financeira online. Contudo, apenas controle não resolve. O importante é adotar um novo comportamento com relação ao dinheiro. Ao considerar novos gastos, pense em termos de quantas horas ou dias de trabalho esse item representa e avalie quantas horas de trabalho você trocaria por uma televisão nova. Modificar o fator dinheiro pelo fator tempo de trabalho pode mudar completamente os hábitos de consumo. Se ainda assim você quiser ir adiante, considere adiar a compra até ter economizado o valor necessário para pagar o bem à vista e com desconto. Portanto, a solução para uma situação de vulnerabilidade econômica de qualquer pessoa ou família é, sem dúvida, o autocontrole no momento das compras.

outubro 2013

23


Cursos e treinamentos

Manejo de solo e sua fertilidade – Plantio Direto / Senar Data: 4 e 5 de setembro Local: Núcleo Integração – linha Jacicema, Pejuçara

Produção de derivados do leite / Senar Data: 10 a 12 de setembro Local: Núcleo Unidos do Vale – linha Caxambu, Panambi

Regulagem e manutenção de colheitadeiras / Senar Data: 23 a 26 de setembro Local: Núcleo Pioneiro – linha Morengaba, Panambi

24

outubro 2013

Tingimento e pintura em tecido / Senar Data: 9 a 13 de setembro Local: Núcleo Vencedor – linha Rincão Fundo, Panambi

Data: 17 a 19 de setembro Local: Núcleo Unidos Venceremos – linha Mambuca, Condor

Pulverizador motorizado com GPS / Senar Data: 30 de setembro e 1º de outubro Local: Núcleo Boa Amizade – linha Iriapira I, Panambi


Vendedor do futuro Data: 11 de setembro Local: Afucopal (Associação dos Funcionários da Cotripal) Palestrante: Miriam Freitas

Manejo de terneira e novilha leiteira / Senar Data: 30 de setembro a 2 de outubro Local: Núcleo Vencedor – linha Rincão Fundo, Panambi

Agenda

Agenda Agricultura de precisão Monitor de colheita – 7º módulo Data: 7 e 8 de outubro Local: Sindicato Rural de Panambi Operação de semeadoras Adubadoras para plantio direto / Senar Data: 7 e 8 de outubro Local: Núcleo Vencedor – linha Rincão Fundo, Panambi Pulverizador motorizado com GPS Data: 11 e 12 de outubro Local: Sindicato Rural de Panambi

outubro 2013

25


Cursos e treinamentos Automaquiagem Vult Data: 3 de setembro Local: Audit贸rio do Supermercado Cotripal Panambi Centro Turmas: 14h, 16h e 19h

26

outubro 2013

Data: 4 de setembro Local: Audit贸rio do Supermercado Cotripal Panambi Centro Turmas: 14h, 16h e 19h


Cuidados com sa煤de e beleza Data: 5 de setembro Local: Audit贸rio do Centro Administrativo

outubro 2013

27


Moda

Cores vibrantes, tecidos leves e estampas são a moda do verão A primavera chegou e logo o verão dará as caras, com dias ensolarados. Nas vitrines já é possível ver a moda das estações quentes que inclui cores vivas, muitas estampas e tecidos leves. Chegou a hora de investir na moda primavera-verão. E algumas das tendências que estiveram presentes neste inverno ainda vão estar com tudo na estação mais quente do ano. Segundo as responsáveis pelas compras das lojas de confecções da Cotripal, Karine Haefliger Bock e Vanusa dos Santos Bohn Kensy, o verão traz novidades, como os visuais em jeans total, as estampas floridas, geométricas, étnicas e que lembram azulejos portugueses. Os bordados, pedrarias, pérolas, spikes e aplicações estarão em alta nas roupas e acessórios. “Nos tempos quentes a moda é democrática e aceita muitas opções, por exemplo, teremos as cinturas de calças e shorts mais baixas. No entanto, os conjuntos conhecidos como cropped, hits do inverno, com cintura alta e marcada, continuam em evidência. Além disso, a estação será bem colorida”, explica Karine. Vanusa conta que na moda masculina há uma predominância de tons neutros e listras. “A moda homem é sempre muito clássica, com calças e bermudas jeans, combinadas com camisetas descoladas, para os mais jovens, e a versão polo, para os mais tradicionais. O sapatênis é sempre uma opção confortável, que completa o visual.”

28

outubro 2013

Calças As calças estampadas estão em evidência e são uma ótima pedida. Quando o assunto é modelo, as flares, hits do inverno, continuam na moda, assim como as skinnys e as de modelo alfaiataria – mais sociais.

Jeans total O jeans está em alta na estação quente. Vai bem do trabalho até a balada. Entre as novidades estão as calças rasgadas, os shorts bordados e com aplicações, macacões, saias... Os jeans coloridos também são uma tendência, algumas das cores que mais serão vistas por aí são: azul, mostarda, vermelho, verde e branco. Para looks mais elegantes o jeans vai bem, mas deve ser combinado com sandálias metalizadas e camisas em tecidos finos.


Transparências Elas ganharam espaço em vestidos e vão bem com looks casuais e produções para festas.

Preto e branco A combinação preto e branco, eternizada pela estilista Coco Chanel, continua forte nesse verão. Eles aparecem sozinhos ou junto a outras estampas, como xadrez, listras, animal print e até mesmo florais. Portanto, abuse dessa dupla clássica, que permite muitas combinações.

Cores O azul, com certeza, é a cor do verão. Ele aparece tanto em estampas como sozinho. Além dele, ainda são apostas, verdes, rosas, vermelhos, laranjas, amarelo-limão e limão siciliano. Também estão em alta as candy colors, que são as cores tradicionais em tons claros – rosa, verde, azul e amarelo-bebê.

Shorts e saias Com o calor eles tomam as ruas e vêm nas mais variadas versões. Além disso, são ideais para diferentes situações, por exemplo, com tênis se consegue um look esportivo. Já se colocado com sandálias de salto alto, o visual fica moderno e pode ser usado na balada.

Blazer Eles são os queridinhos do verão. Podem ser usados com calças, saias e shorts. E aparecem nas cores mais variadas.

Acessórios As produções ganham charme extra quando têm acessórios. Entre as peças de destaque estão os braceletes, maxibrincos e maxicolares. A novidade é que as peças ganharam o duo preto e branco, além dos tradicionais prateado e dourado. As bolsas da estação são democráticas, pois todos os tamanhos são tendência. Desde as clutchs até as maxibolsas.

Estampas As estampas serão a principal aposta da estação. Entre os destaques estão florais, motivos étnicos – inspirados nas artes indianas e indígenas –, geométricas, animal print, e as de azulejos portugueses – baseados na arquitetura colonial portuguesa e nos antigos porcelanatos, composta por flores, arabescos e listras em tons de azul e branco.

outubro 2013

29


Notícia

Última etapa da promoção Festa Premiada 55 anos Cotripal é marcada por muitos festejos Contemplados: Ford Ecosport zero quilômetro - Fabiana F. Desbessel .

Televisores LCD 40” - Helga Radmann - Matheus G. Fogliarini - Andrea Pessetti dos Santos .

Refrigeradores - Rosa M. Marasca Sandre - Manfredo Handte - Juan C. Q. Lauer .

Lavadoras de roupas - Aline Zibell - Engegran Ind. e Montagens Ltda - Vitalino Gelatti .

Condicionadores de ar split - Neli Lopes da Silva - Charles H. C. de Freitas - Florentina Pires Boldt .

30

outubro 2013

Notebooks - Maria H. Werz - Aldino Rebelatto - Jorge Luiz de Souza Costa .

Churrasqueiras a gás - Mercado Tabapillon 23 Ltda - Jaciela Badk - Sandra de Souza .

Fornos elétricos - SLR Comércio e Representações de Materiais de Construção Ltda - Douglas G. Neto - Ari Valdir Liberato .

Fornos micro-ondas - Lorena G. Zitzke - Sandro Von Muhlen - Veronica Muller Santos

No dia 21 de setembro, a Cotripal realizou o último sorteio da promoção “Festa Premiada – 55 anos Cotripal”, série verde. O evento ocorreu no estacionamento do Supermercado Cotripal Arco-íris e foram contempladas 25 pessoas. Logo após o sorteio, todos puderam aproveitar um excelente show com César Oliveira e Rogério Melo. E no dia 26 de setembro, no pátio do Supermercado Cotripal Panambi Centro, foram entregues os prêmios da última fase desta promoção. O evento contou com a presença dos contemplados, do vice-presidente da Cotripal Dair Pfeifer, do gerente do varejo Elmo Kläsener e do gerente de comunicação e marketing Marco André Regis.


Confira todas fotos no site www.cotripal.com.br ou www.facebook.com/cotripal outubro 2013

31


Notícia

Roque Andreola participa de fórum durante 36ª Expointer Na oportunidade, o gerente de indústria da Cotripal apresentou a Cooperativa, a marca “Angus Supreme” e a 1ª loja 100% Angus certificada do RS. Além disso, explicou como as ações de marketing realizadas pela Cotripal visam um crescimento “de dentro para fora”. No dia 29 de agosto, o gerente de indústria da Cotripal, Roque Andreola, participou do Fórum Carne Angus, Integração e Lucro, realizado pelo Canal Rural e pela Associação Brasileira de Angus na 36ª Expointer, em Esteio/RS. O objetivo da participação foi apresentar a Cotripal, o trabalho desenvolvido no frigorífico, bem como a nova marca de carne da Cooperativa, a “Angus Supreme”, e a 1ª loja varejista licenciada 100% Angus no Rio Grande do Sul, que comercializa apenas carnes advindas de bovinos da raça Angus e com o selo de certificação. “Como em todos os nossos empreendimentos, trabalhamos cooperativamente para o desenvolvimento e o bemestar dos nossos associados e das comunidades das quais fazemos parte”, explica Roque. Além disso, os consumidores estão cada vez mais exigentes e buscam qualidade em todos os setores da vida. Com a alimentação não é diferente. “A Angus Supreme traz à região um conceito inovador porque estabelece uma verdadeira grife para um alimento tão apreciado pelo gaúcho”, diz o gerente de indústria. Pensando assim, a Cotripal tem buscado excelência nos seus mais diversos ramos de atuação.

Ainda durante a 36ª Expointer, a Cotripal esteve presente no projeto Vitrine da Carne Gaúcha, uma promoção da Farsul, Senar/RS e Sebrae/RS. Nele, aconteceu a demonstração do fracionamento de carcaças de bovinos, bubalinos, ovinos e suínos, com mostra de cortes e desossa. O local da apresentação consistiu em uma área envidraçada e refrigerada, cercada por arquibancadas, onde o público pôde acompanhar o trabalho realizado pelo consultor em cortes de carnes Marcelo “Bolinha” Conceição. Ele desossou meia carcaça da marca exclusiva da Cotripal, a “Angus Supreme”, e mostrou os diversos cortes especiais que podem ser feitos. Na sequência, os cortes foram entregues à chef de cozinha Fernanda Moreira, que preparou carreteiro, arroz gaudério, yakissoba e picadinho com batatas. O público presente degustou os pratos e comprovou o sabor da carne. “Esse projeto é excelente, pois expõe a qualidade da carne Angus e demostra os padrões de higiene exigidos nos abates e na lida com os produtos”, finaliza Roque Andreola, gerente de indústria da Cotripal.


Promoção

Cotripal e Coca-Cola realizam concurso cultural Os Supermercados Cotripal Panambi Centro, Arco-íris, Condor e Santa Bárbara do Sul, em parceria com a Coca-Cola, realizaram o concurso cultural “Família Reunida”. Para participar, era preciso completar a frase “Reunir a família é melhor com...”. Os autores das melhores frases, em cada um dos locais do concurso, levaram para casa um refrigerador.

Panambi Centro

Os ganhadores foram: - Supermercado Cotripal Panambi Centro – Ivete Figueiró de Oliveira - Supermercado Cotripal Arco-íris – Eolanda Cleusa Zimmermann - Supermercado Cotripal Condor – Jessica de Bairros Lima - Supermercado Cotripal Santa Bárbara do Sul – Marlei Almeida

Panambi Arco-íris

Santa Bárbara do Sul

Curiosidade

Produtor colhe batata-doce gigante O produtor associado da Cotripal Agenor Jesus Meira, morador da linha Pontão dos Buenos, Condor, colheu uma batata-doce com 3,215 quilos. Agora, Marta dos Santos Meira, esposa do associado, pretende preparar algumas delícias com o tubérculo. A batata-doce é um excelente alimento, pois apresenta alta quantidade de vitamina A e C, cálcio, fósforo e potássio, ideal para manter a energia do organismo.

outubro 2013

33


Bom saber

Cortes especiais

34

outubro 2013


de carne Angus Os conceitos de cortes nobres estão sendo ampliados. Neste sentido, todos os cortes são especiais quando os animais são jovens, possuem boa camada de gordura e provêm de raças diferenciadas. Cléber Lunardi, supervisor do Frigorífico Cotripal, detalha dez variedades ideais para churrasco, e que podem ser adaptadas conforme a criatividade do chef de cozinha.

Costela do dianteiro: Corte com osso, produzido a partir das cinco primeiras costelas dianteiras da carcaça. Apropriada tanto para cozidos como para assados, por ser muito saborosa e ter boa camada de carne em relação ao osso. Costela do traseiro: É considerado o preferido dos gaúchos. Pode ser produzido com ou sem osso e possui refinada camada de gordura, o que confere maciez, suculência e sabor diferenciado. Raquete: Sem osso, é produzida a partir de uma região específica da paleta. Apresenta boa camada de gordura, por isso é suculenta, macia e tem sabor característico. Com ela é possível preparar o tradicional assado, com sal grosso ou especiarias, conforme a preferência. Além disso, ensopados também podem ser feitos com esse corte. Peito: Corte sem osso, extraído do peito da carcaça, também conhecido como granito. Sabor e maciez fazem parte de suas principais características, além de ter uma boa relação entre gordura e carne. Durante sua produção é retirado o excesso da gordura, mantendo apenas uma camada especial. Pode ser assado ou grelhado. Vazio: Corte da porção traseira da carcaça, não possui osso e tem camada ideal de gordura. Fora do Rio Grande do Sul é conhecido como fraldinha. Além disso, é muito apreciado em todo o Brasil devido à suculência, maciez e sabor. Indicado para caldos, molhos, cozidos, ensopados e, claro, para um bom churrasco. Contrafilé: Sem osso, retirado do lombo, apresenta camada de gordura e marmoreio considerados ideais. Essa combinação confere textura e suculência excelentes. Pode ser assado na forma de medalhões ou a peça inteira. A partir desse pedaço é preparado o tradicional bife a cavalo. Alcatra: Considerada uma carne nobre, é retirada da parte traseira do animal. Não contém osso e é muito apreciada pelos consumidores do mundo inteiro. Possui suculência, maciez, fina camada de gordura e sabor característico. É usada para fazer bifes, mas faz sucesso em assados e cozidos de panela. Entrecote: Extraído da porção torácica da carcaça, tem um marmoreio de gordura inigualável, maciez extrema e sabor que dispensa comentários. Também conhecido como filé da costela, é ideal para ser assado, grelhado, servido com molhos, enfim, permite abusar da criatividade. O corte é grosso, por isso podem ser feitos medalhões para facilitar seu preparo. Maminha: Retirada da parte traseira da carcaça, muito macia, suculenta e saborosa, tem bom acabamento de gordura e marmoreio. Também conhecida como “chapéu de bispo”, é apreciada no mundo inteiro e, principalmente, pelo povo gaúcho. A carne faz sucesso em assados, churrascos e cozidos de panela. O peso médio desse corte é 1,2 quilo. 

Picanha: Esse corte é retirado da parte traseira da carcaça. Um dos lados da peça é recoberta por uma capa espessa de gordura, que garante maior suculência à carne. Inteira ou em bifes, é muito macia e não pode faltar em um bom churrasco. O corte deve ter no máximo 25 centímetros de comprimento e peso de 1 a 1,5 quilo. Também pode ir ao forno, ser frita ou até cozida.

outubro 2013

35


36

outubro 2013


Vida saudável

Da terra para a

mesa dos brasileiros Aipim, macaxeira, mandioca... As denominações são muitas, mas, na verdade, ela é única. Barata, resistente e cheia de carboidratos, foi eleita pela Organização das Nações Unidas o alimento do século 21. Raiz que se desenvolve bem em qualquer tipo de solo, traz vários benefícios para a saúde humana. A raiz da mandioca pode ser usada em diversas preparações. Há quem a substitua em pratos em que, tipicamente, se usa a batata, como o escondidinho e a salada de maionese. Outros a preferem cozida e temperada com sal, para acompanhar o feijão. A verdade é que, por ser versátil, cabe em diferentes pratos, pode ser produzida em qualquer solo e está no rol de alimentos mais consumidos no Brasil. Isso se deve à grande quantidade de nutrientes que traz para a saúde. Os benefícios econômicos também são gigantes. A FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) incentiva a produção de mandioca em países em desenvolvimento, a fim de promover maiores rendimentos, alívio da pobreza rural e contribuição ao desenvolvimento econômico nacional. De acordo com os registros históricos, a mandioca é originária do continente americano e já foi muito utilizada em solos brasileiros. Os indígenas consumiam e preparavam a farinha antes da chegada dos portugueses, atividade que se intensificou de alguns anos para cá. Isso porque o Brasil é o principal produtor dessa raiz no mundo, ao lado da Indonésia. Quanto às características, a nutricionista da Cotripal Débora Schmidt Linn conta que “em termos de calorias, a mandioca possui, em 100 gramas, 125 calorias e 30,1g de carboidrato. Boa fonte de fibras, que auxiliam na saciedade, contém ainda cálcio e vitamina C, que melhora as defesas do organismo”. Além disso, pode ser uma importante fonte de energia, muito utilizada pelos atletas. É o caso do maior velocista da história, o jamaicano Usain Bolt. Pergun-

tado sobre o segredo do filho campeão – recordista mundial dos 100 e 200 metros na Olimpíada de Pequim – o pai, agricultor do norte da Jamaica, não pensou duas vezes: a mandioca. “A mandioca não contém glúten, o que é uma excelente notícia para os celíacos, que podem consumi-la sem medo. Já no caso dos diabéticos, a mandioca possui fibra, o que permite que a glicose seja liberada no sangue mais lentamente. Porém, vale ter cuidado na quantidade a ser consumida, pois ela também tem um alto número de carboidratos que, em excesso, podem alterar a glicose”, explica a nutricionista. Mas atenção: a mandioca é um carboidrato e por isso as quantidades ingeridas não podem ser muito elevadas, principalmente para quem quer emagrecer. Mas, em sete mil anos, houve muitas evoluções e alterações na mandioca. Hoje, existem diversas variedades com características e sabores peculiares. “A mandioca amarela possui mais caroteno do que a branca. O caroteno, quando processado pelo fígado, produz vitamina A. Essa substância é importante para a visão, fortalecendo a retina, e também para a proteção do tecido epitelial do corpo humano”, lembra Débora. A mandioca está na base da pirâmide alimentar, junto com pães, batatas, arroz e outras fontes de carboidrato. Esses alimentos devem ser consumidos diariamente. A dica é evitar a ingestão de dois tipos de carboidrato juntos. “Podemos preparar vários pratos diferentes com a mandioca. Vale usar a criatividade e equilibrar a dieta”, conclui a nutricionista.

outubro 2013

37


Notícia

Cotripal comemora Semana Farroupilha A Semana Farroupilha da Cotripal começou oficialmente no dia 13 de setembro, com muita música gauchesca, declamações e apresentações artísticas de invernadas, trovas e distribuição de delícias típicas da culinária gaúcha – chimarrão e carreteiro. O Supermercado Cotripal Panambi Centro recebeu diversas apresentações artísticas, entre elas as invernadas do CTG Tropeiro Velho, do DTG Poncho Verde, da EEEF Adolfo Kepler, da EEEF Hermann Faulhaber, do Instituto Federal Farroupilha e o Grupo da APAE. Para marcar a abertura da programação nas Lojas Cotripal, aconteceu a transmissão, ao vivo, do programa “Um Mate Pra Ti”, pela Rádio Sorriso FM. Os supermercados Cotripal Arco-íris, Santa Bárbara do Sul, Pejuçara e Condor decoraram os ambientes com apetrechos e indumentárias e ofereceram chimarrão aos clientes, associados e funcionários que estiveram no local.

38

outubro 2013

Dança tradicionalista, música gauchesca e pratos típicos da culinária gaúcha marcaram os festejos da Semana Farroupilha da Cotripal.


Confira todas fotos no site www.cotripal.com.br ou www.facebook.com/cotripal

outubro 2013

39


Classificados VENDE-SE Corsa Wind – ano 1998 Cor branca, completo Contato: (55) 9157-7914 ou 9987-1203 Santana – ano 1998 4 portas, ótimo estado, cor branca, 1.8, completo Contato: (55) 9150-6502 Strada adventure – ano 2012 16 válvulas, 1.8, cabine dupla, cor vermelha Contato: (55) 9963-3560 Moto Titan KS – ano 2004 Baixa quilometragem Balança 250kg Contato: (55) 9181-1595 Fusca – ano 1980 Em bom estado, cor branca Contato: (55) 9983-6316 ou 9968-2280 Colheitadeira Massey Ferguson 3640 Troca-se por vacas ou novilhas Contato: (55) 9195-3585 Colheitadeira SLC 1000 – ano 1977 Resfriador de leite 600 litros Toldo e para-lama de trator 265 Contato: (55) 9138-6518 Colheitadeira John Deere 9750 – ano 2009 1200 horas, 30 pés de corte, ótimo estado Contato: (55) 9973-0010 Trator Massey Ferguson 85 Em ótimo estado, comando duplo e bomba independente Carretão de 6 toneladas Com tampa basculante Contato: (55) 9986-6958 Trator Massey Ferguson 296 – ano 1983 Simples, em ótimo estado Contato: (55) 9167-1683 Trator CBT 2105 – ano 1980 Com hidráulico e comando, aceita outro trator em troca Contato: (55) 9108-6840 Plataforma de milho SLC Com 4 linhas, espaçamentos de 90cm entre linhas Carroceria de madeira para caminhão Truck Contato: (55) 9182-5710

40

outubro 2013

Boiadeira para caminhão Truck Contato: (55) 9168-5921 ou 9145-8191

no, próximo à escola Poncho Verde Contato: (55) 9118-2144

Semeadeira PAR 600 Ótimo estado, facão afastado Contato: (55) 9962-9512

Chácara completa Com benfeitorias e água encanada Contato: (55) 9965-6900 ou 9932-3018

Plantadeira Semeato Ps8 8 linhas de soja, bom estado Contato: (55) 9909-0234

Área de terras com 12 hectares Com luz e poço artesiano Contato: (55) 9148-8257 ou 9128-1892

Plantadeira Imasa NTS 1800 – ano 2004 Marcador de linha Tecnomac Contato: (55) 9975-0745

Área de terras com 1,5 hectares Com armazém medindo 18x22, casa de alvenaria, água potável, localizado na linha Maraney Contato: (55) 9626-9600 ou 8443-3980

Plantadeira Frontal – ano 2001 6 linhas para soja, sistema pula-pedra, caixa de inox 8 cabeças de gado misto Para engorda Contato: (55) 9956-4040 Plantadeira Stara Sfil – ano 2002 8 linhas de soja, culturas de verão, modelo Hi-tech SS 8000 Contato: (55) 9156-8037 Espalhador de ureia Stara Sfil – ano 2004 Bom estado, monodisco Carretão de 4,5 toneladas Tanque de combustível 4 mil litros Contato: (55) 9975-3410 ou 9195-8245 Geva forrageira Resfriador a granel 1500 litros, trifásico Contato: (55) 9114-2900 ou 8439-3340 Resfriador de mil litros Fockink Contato: (55) 9168-5974 Resfriador a granel 500 litros Contato: (55) 9168-0548 Refrigerador Electrolux 32 litros, branco, frost free Contato: (55) 9144-4522 Máquina de cortar grama 6hp, ótimo estado Contato: (55) 9925-3225 ou 9103-9598 Área de terras com 9 hectares Localizado na linha Endem Contato: (55) 9144-2901 ou 9181-5025 Casa de alvenaria Localizada no bairro São Jorge, em Panambi, com 104m² e 402m² de terre-

Vaca holandesa e aberdeen Contato: (55) 9918-2520 1 touro gir leiteiro 2 anos 2 novilhas jersey com gir leiteiro Prenha Contato: (55) 9165-9016 Égua mansa 6 anos, para lida de campo Contato: (55) 9616-8992 2 novilhas holandesas Colheitadeira New Holland 1530 – ano 1979 Com cabine e caracol grisso Contato: (55) 9671-8057 20 vacas Holandesas e jersey Contato: (55) 9986-4992 Cavalo crioulo gateado 10 anos, porte grande, manso, excelente para cavalgada e rodeio Contato: (55) 8404-0798 Junta de boi mestiço Junta de novilhas mestiças Ambos com 1 ano e meio de idade Contato: (55) 9926-2943 7 novilhas holandesas 2 de 2 anos e 5 de um ano 2 vacas zebu 25 leitões desmamados Contato: (55) 9192-1805 2 touros gir leiteiro 2 anos e outro com 1 ano e meio Contato: (55) 9116-4647 Pastor alemão capa preta Contato: (55) 9157-5132


COMPRA-SE

PROCURA-SE

BOM SABER

Colheitadeira Massey Ferguson 5650 Contato: (55) 9123-3110

Safrista para trabalhar na cultura da soja a partir de novembro Contato: (55) 9148-3932

Além da revista Atualidades Cotripal, o seu classificado também pode ser divulgado no programa de rádio da Cotripal, no quadro Classificados, que vai ao ar todas as sextas-feiras nas emissoras Sorriso FM, 103.5MHz, e Sulbrasileira AM, 1320MHz. O anúncio fica ativo durante 30 dias. Casos de cancelamento ou de prorrogação, podem ser feitos até o último dia útil do mês. Lembrando que podem participar deste espaço associados e colaboradores de forma gratuita. Para mais informações, ligue (55) 3375-9071.

Esteira elétrica Contato: (55) 9144-4522

Funcionário para tambo de leite e serviços gerais Que dirija trator, caminhão, pode ser casal Contato: (55) 9944-3838

Desnatadeira Contato: (55) 9609-1483 Caminhonete entre 9 e 15 mil reais Contato: (55) 9118-5495 Trator Massey Ferguson 275 acima de 1985 Contato: (55) 9947-5153

Homem para trabalhar em tambo de leite Contato: (55) 9976-7710

Globe de 18 discos com comando Contrapeso para trator Massey Ferguson 275 Contato: (55) 9124-0704 ou 9175-6466

O Posto Cotripal Panambi Centro está comercializando novo combustível:

DIESEL

S-10 juntos somos mais


Prata da casa

Um passo de cada vez Na vida é preciso ter perseverança, mas não podemos colocar a “carroça na frente dos bois”. Andando um passo de cada vez se vai longe, foi o que disse Milton. Ele trabalha há 33 anos na Cotripal e tem orgulho em dizer que presenciou o desenvolvimento da empresa e que cresceu junto com ela. Reconhecido por amigos e colegas como uma pessoa humilde, simpática e bem relacionada, Milton é o homenageado deste mês no Prata da Casa.

Nome: Milton Farias de Mello Idade: 47 anos Função: Auxiliar de escritório – Unidade de grãos da linha Belizário, Panambi Colaborador da Cotripal desde: abril de 1980 Esposa: Solange Andrade Mello Filha: Rosângela de Fátima, 19 anos Como o senhor se define? Eu sou uma pessoa exigente no meu dia a dia, detalhista em tudo que faço. Procuro auxiliar sempre as pessoas quando precisam, sou muito amoroso com a família e valorizo muito a honestidade. O que a família representa para você? A família é o princípio de tudo, sempre deve estar em primeiro lugar. As coisas que são vividas em família são eternas. Posso dizer que é base de sustentação e confiança. Qual é o papel da fé no seu dia a dia? Junto com a família, é a sustentação de qualquer pessoa. Se você tiver fé e perseverança consegue alcançar muitos sonhos. Sem fé, não dá, isso posso afirmar. Quais são os valores mais importantes na vida? Honestidade, com certeza é, para mim, o valor mais importante. Outras coisas que valorizo também são o caráter e a perseverança em atingir os objetivos. Como foi seu início na Cotripal? Comecei a trabalhar aos 14 anos na Cooperativa. A nossa vida era sofrida, tínhamos dificuldades financeiras e precisava ajudar meus pais. Parei de estudar para começar a trabalhar, o pensamento das pessoas sobre ir à escola era bastante diferente anos atrás. Então, o seu Franco, que era o chefe aqui em Belizário, foi lá em casa e me chamou. Passei por vários cargos, mas em

42

outubro 2013

todos esses anos de Cotripal sempre trabalhei na Unidade de Belizário. E essa trajetória, pelo jeito, te ensinou muito. Com certeza! Aprendi que devemos tratar todos com respeito, que o bom relacionamento com as pessoas é fundamental para o sucesso do nosso trabalho e, também, da vida. Qual é o sentimento de ter acompanhado o crescimento da Cooperativa? Sinto muito orgulho. O meu trabalho, junto com o de meus colegas e também dos associados, fez com que a Cotripal crescesse. A união nos fez fortes e permitiu que chegássemos onde estamos. Posso dizer que quase tudo que tenho conquistei com meu trabalho dentro da Cotripal. Na sua função, o que você mais gosta de fazer? O atendimento ao público. Gosto de conversar, conhecer as pessoas, trabalhar com o associado. O que você costuma fazer nas horas vagas? Eu gosto muito de pescar, mas normalmente nas minhas horas vagas trabalho no meu sítio, cuido dos meus bichinhos. Gosto de me reunir com a família, fazer um churrasco, conviver com os amigos… E para o futuro, quais são os planos? Meu maior sonho é ver minha filha realizada pessoal e profissionalmente e, acima de tudo, feliz. Pretendo morar aqui no interior por mais alguns anos e no futuro me mudar para a cidade. Adoro residir no interior, praticamente temos todo o conforto que a cidade tem, mas quando não puder mais cuidar sozinho do meu sítio, vou ter que deixar outra pessoa cuidar. Deixe uma mensagem para leitor: Invista nos bons valores. Seja honesto, tenha um bom caráter e enfrente todos os desafios. Respeite as pessoas e aproveite a vida.


Pais e filhos na cozinha

Que tal preparar delícias gastronômicas em conjunto? Pais e filhos na cozinha, essa é a proposta da revista Atualidades Cotripal para o mês em que é comemorado o Dia das Crianças. O momento de preparo das esfirras será de diversão e aprendizagem, além de proporcionar a eles oportunidade de saborear as gostosuras que fizeram juntos. Então, pais e filhos: mãos à massa e boa diversão!

Esfirra aberta de brigadeiro Ingredientes

Modo de preparo

Massa 2 xícaras de chá de farinha de trigo 1 colher de sopa de açúcar 1 colher de chá de sal 2 colheres de sopa de margarina 3 gemas 1 tablete de fermento fresco para pão ½ de xícara de chá de leite ou até dar o ponto Fubá para polvilhar

Recheio Aqueça a panela em fogo médio. Acrescente a margarina. Logo após, adicione o leite condensado e o achocolatado em pó. Mexa sempre até desgrudar da panela. Massa e montagem Misture a farinha de trigo, o açúcar, o sal, a margarina, as gemas, o tablete de fermento e o leite. Amasse até formar uma massa lisa e homogênea. Deixe-a descansar por aproximadamente 10 minutos. Divida a massa em pedaços pequenos e faça bolinhas. Envolva-as no fubá e deixe descansar por mais 5 minutos. Abra as bolinhas em pequenos discos, deixando a borda mais grossa, e recheie com o brigadeiro. Disponha em uma assadeira polvilhada com farinha de trigo e leve ao forno médio preaquecido por cerca de 8 minutos. Retire do forno e polvilhe com chocolate granulado.

Recheio 1 colher de sopa de margarina 1 lata de leite condensado 2 colheres de sopa de achocolatado em pó 1 pacote de chocolate granulado

Esfirra aberta de carne Ingredientes

Recheio 500 g de carne moída ¼ de cebola picada ½ dente de alho 1 tomate sem pele e sem sementes picado 2 colheres de sopa de azeite de oliva 1 colher de sopa de salsinha picada Suco de ½ limão Sal a gosto

Recheio Refogue a cebola, o alho e o tomate no azeite. Logo em seguida, junte a carne até ela cozinhar. Desligue o fogo, mexa bem e tempere com a salsinha, o sal e o suco de limão. Massa e montagem Misture a farinha de trigo, o açúcar, o sal, a margarina, as gemas, o tablete de fermento e o leite. Amasse até formar uma massa lisa e homogênea. Deixe-a descansar aproximadamente 10 minutos. Divida a massa em pedaços pequenos e faça bolinhas. Envolva-as no fubá e deixe descansar por mais 5 minutos. Abra as bolinhas em pequenos discos, deixando a borda mais grossa, e recheie com o preparado de carne. Disponha em uma assadeira polvilhada com farinha de trigo e leve ao forno médio preaquecido por cerca de 8 minutos.

Compartilhe a sua receita preferida! Se você quer ver publicado aqui aquele prato especial que alguém da sua família prepara, entre em contato conosco. Mande sua dica para mileni@cotripal.com.br ou ligue para (55) 3375-9071

Dica: Deixe a massa crescer em um lugar protegido de correntes de ar.

outubro 2013

43

Todas as receitas são previamente testadas pelas culinaristas da Cotripal.

Modo de preparo

Massa 2 xícaras de chá de farinha de trigo 1 colher de sopa de açúcar 1 colher de chá de sal 2 colheres de sopa de margarina 3 gemas 1 tablete de fermento fresco para pão ½ de xícara de chá de leite ou até dar o ponto Fubá para polvilhar


PAGAMENTO

02 dezembro

A mais completa linha de peças agrícolas com pagamento super facilitado

Pneus agrícolas e de carga Óleos lubrificantes Peças agrícolas

juntos somos mais

Crédito sujeito à análise. Válido até 30 de novembro 2013.

SEM JUROS


Revista Atualidades Cotripal nº 120