Page 14

ECOTURISMO - Trilhas O arquipélago de Ilhabela possui trilhas que permitem contemplar a Mata Atlântica, proporcionando aventuras como caminhadas até picos com mais de 1.000 metros de altura, momentos de lazer contemplando paisagens únicas em mirantes ou curtindo refrescantes banhos de cachoeira.

Trilha da Água Branca Trilha de fácil acesso e com boa infraestrutura (ducha, sanitário e estacionamento). Ela é indicada tanto para adultos quanto crianças. Ao longo de 3.692 metros é possível visitar 5 poços, num percurso que dura 2 horas (ida e volta). A dificuldade de acesso para os três primeiros poços é leve e moderada para os outros dois. Fica a 6,3 Km da balsa, na Estrada Parque dos Castelhanos, o início é na guarita do Parque Estadual de Ilhabela. Para chegar na trilha é necessário percorrer um trecho de estrada de terra, porém não é necessário veículo 4x4.

Trilha do Bonete Para chegar à Praia do Bonete é necessário fazer uma trilha de aproximadamente 12 km, com 4 a 5 horas de duração que parte da Ponta da Sepituba (sul da ilha, a aproximadamente 20 Km da balsa) e atravessa o Parque Estadual de Ilhabela. O caminho já é um grande atrativo, permitindo intenso contato com a Mata Atlântica e sua rica biodiversidade, além de cruzar as cachoeiras da La je, do Areado e do Saquinho. Outra boa opção para chegar ao Bonete é ir de lancha ou contratar o serviço de moradores locais, que fazem o transporte em canoas.

Trilha da Cachoeira do Veloso Esta trilha dá acesso a uma bela cachoeira que corre por um paredão rochoso envolto pela mata atlântica. O percurso de ida e volta é de 2,4 Km, durando aproximadamente 1 hora e 20 minutos. A trilha é de baixa

dificuldade e também é indicada aos praticantes de observação de aves. O início é a 9,5 Km da balsa, após a Praia do Curral.

Trilha da Cachoeira do Gato Esta trilha tem início na Praia dos Castelhanos, no canto do Ribeirão e possui 3,6 Km de extensão que podem ser percorridos em 1 hora e 20 minutos (ida e volta). A cachoeira forma uma das maiores e mais belas quedas d’água de Ilhabela, contudo deve-se tomar cuidado, pois as pedras do piso são bastante escorregadias. O acesso é de nível moderado e permite ao visitante intenso contato com a mata atlântica.

Observação de Aves O arquipélago abriga as dez maiores montanhas insulares do país, com picos que chegam a 1.300 metros de altitude, cobertos pela exuberante Mata Atlântica, além de área de mangue e extensa faixa costeira. Tais características do relevo proporcionam a ocorrência de rica avifauna, com mais de 350 espécies, entre elas o Papagaio-moleiro (Amazona farinosa), eleito a Ave Símbolo de Ilhabela, o Araçari-poca (Selenidera maculirostris), espécies raras como a Jacutinga (Aburria jacutinga), Macuco (Tinamus solitarius), Coruja-preta (Strix huhula), Saíra-sapucaia (Tangara peruviana), Gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) e aves migratórias, entre elas o Trinta-réis-real (Thalasseus maximus) e Albatrozes, nos meses mais frios. A proximidade entre o Parque Estadual de Ilhabela, que é considerado área importante para a conservação das aves pela Birdlife International, e o município faz com que os animais frequentem a zona urbana, e que em trilhas de fácil acesso seja possível observar espécies ameaçadas de extinção e aves que encantam com suas cores e cantos.

Mergulho A diversidade da vida marinha atrai mergulhadores à Ilhabela, um dos melhores pontos é a Ilha dos Búzios,

Revista Costa Brasil edição 69  
Revista Costa Brasil edição 69  
Advertisement