Page 1

i n fa n toj u v e n i l

i n fantoj uve n i l 277 títu los

cosac naify Rua General Jardim, 770, 2º. andar 01223-010 São Paulo sp [55 11] 3218 1444 cosacnaify.com.br

Atendimento ao professor [55 11] 3218 1473 professor@cosacnaify.com.br Departamento comercial [55 11] 3823 6588/89 vendas@cosacnaify.com.br

capa2011.indd 1

9/30/11 12:43 PM


テ確io HAS: pr MIL-FOL ntes o iz r o h novos de (feira a , 2010) bolonh


infantojuvenil 1-277 tĂ­tulos


Desde o primeiro catálogo infantojuvenil da

pelo encontro de quatro pré-adolescentes

Cosac Naify, nos propunhamos o desafio

na escola: somos infinitos e vivemos em um

de esco­lher o livro de destaque para ilustrar

mundo único e contínuo. Foram meses de dedi-

a capa das edições. Para este sexto volume, cação ao livro, não apenas para chegarmos tínhamos algumas opções, todas muito perti- às divertidas ilustrações de Jan Limpens, mas nentes. Por exemplo: Mil-folhas, de Lucrecia

também para desenvolver conteúdos inéditos:

Zappi, que chegou aonde nenhum outro livro

uma página exclusiva no Facebook, com

brasileiro tinha estado até então – o prêmio

vídeos, entrevistas e material adicional, além

máximo na categoria Novos Horizontes, con- de um plano interdisciplinar que potencializa cedido pela Feira do Livro de Bolonha. Fruto

o trabalho dos professores. É a partir desta

de um trabalho coletivo e intenso, cujo empe- obra que a editora criou seu primeiro projeto nho dos designers merece registro, o sexto

experimental em formato digital. Com áudio

título da coleção Prismas ganhou exposição

do próprio autor e animações que permitem

privilegiada em todos os pavilhões e chamou

uma interatividade com a narrativa, representa

a atenção do mundo durante os quatro dias

o começo do diálogo da Cosac Naify com uma

do evento. Este feito inédito veio a se somar

nova geração de leitores.

aos outros livros da editora que receberam

Mas como deixar de fora Vermelho amargo,

menções honrosas em Bolonha: o ousado

um presente de Bartolomeu Campos de

Lampião & Lancelote, de Fernando Vilela, Queirós para a literatura brasileira? O autor o inovador Tchibum!, de Gustavo Borges e

mineiro revisita a infância – e outras obras –

Daniel Kondo, e o surpreendente A janela de

nesta narrativa reveladora e pungente, que

esquina do meu primo, novela do alemão E. T. A. o coloca definitivamente entre os principais Hoffmann ilustrada por Daniel Bueno.

escritores da nossa história. Para além de

Outro que merecia ser capa deste catá- classificações de faixas etárias, Bartolomeu logo é Turma do infinito. Primeiro livro escrito

transcende os limites da prosa poética e

pelo ex-atleta Raí, traz em sua prosa fresca

conquista o leitor pela emoção. Publicado

e leve uma mensagem filosófica construída

em 2011, a primeira tiragem rapidamente se


esgotou em três meses. Sinal de que os lei- e o clássico Conto de escola, de Machado de tores aprovaram. Havia ainda outros fortes candidatos, como a irresistível dupla Gaspar e Lisa, cuja co­le-

Assis, ilustrado por Nelson Cruz, está disponível em edição bilíngue francês-português. A editora também se orgulha de abrir o

­­ção chegou a oito títulos e foi parar na televisão. caminho para temas importantes do estudo Os personagens de Anne Gutman e Georg

da literatura infantil. É com grande alegria

Hallensleben vivem situações coti­dianas que, que acompanhamos o crescimento de teses para uma criança, podem ser a primeira vez:

e ensaios sobre o livro ilustrado. Foi a partir

andar de avião, ir ao cinema, ao museu, enfrentar

da publicação dos títulos da área História e

uma cirurgia... É por isso que tanto a capa deste catálogo

Crítica que pudemos contribuir para o debate acadêmico e criar condições para o pesqui-

quanto este texto de abertura são uma home- sador brasileiro se aprofundar no assunto. nagem aos autores, ilustradores e colaboradores

Fundamental para completar o ciclo foi a pro-

destes onze anos de literatura infantoju­venil

gramação de eventos com os próprios autores

na Cosac Naify. Todos eles fazem parte de

que visitaram o Brasil: a francesa Sophie Van

uma história que mudou os paradigmas

der Linden (Para ler o livro ilustrado), a russa

do livro infantil no Brasil, quebrou tradições, Maria Nikolajeva (Livro ilustrado: palavras e impôs um alto nível de qualidade, trouxe um

imagens) e o inglês Peter Hunt (Crítica, teoria

discurso de vanguarda e ganhou reconheci- e literatura infantil). mento internacional. Não à toa, alguns títulos

Além de conhecermos suas obras, esses

nossos já tiveram os direitos vendidos para

pesquisadores e professores centrais na dis-

o exterior: o romance O Fazedor de Velhos, cussão contemporânea também se aproximade Rodrigo Lacerda, ganhará uma edição

ram da produção nacional. A qual, se depender

em francês e outra em espanhol; as novelas

da Cosac Naify, continuará a expandir os limi-

Pawana (J. M. G. Le Clézio) e A Árvore dos

tes do livro, seja em papel ou no formato digital.

Desejos (William Faulkner), ambas ilustradas por Guazzelli, podem ser lidas em edições italianas;

os editores


il us tr aรง รฃo excl us iva


sumรกrio


sum

Nacionais

70 amazonas: no coração encantado da floresta

Thiago de Mello | Andrés Sandoval

40 barulho, barulhinho, barulhão Arthur Nestrovski | Marcelo Cipis 39 bichos que existem & bichos que não existem

Arthur Nestrovski | Maria Eugênia

60

bili com limão verde na mão

Décio Pignatari | Daniel Bueno

69

caso do saci, o

Nelson Cruz

39

coisas que eu queria ser

Arthur Nestrovski | Maria Eugênia

40

cores das cores

Arthur Nestrovski | Marcelo Cipis

66

de dois em dois

Renata Sant’Anna | Maria do Carmo Carvalho | Edgard Bittencourt 58 declaração universal do moleque invocado

Fernando Bonassi | Azeite

56

dentro do espelho

Luise Weiss

64

dia em que felipe sumiu, o

Milu Leite | Jan Limpens


77

diário de um papagaio

Lalau | Laurabeatriz

62

fazedor de velhos, o

Rodrigo Lacerda | Adrianne Gallinari

46

ismália

Alphonsus de Guimaraens | Odilon Moraes

74

jarro da memória, o

Claudio Galperin | Laura Teixeira 50 joão felizardo, o rei dos negócios

Angela-Lago

34

lampião & lancelote

Fernando Vilela

63

livro da primeira vez

Otavio Frias Filho | Guto Lacaz

52

maurício, o leão de menino

Flavia Maria | Millôr Fernandes

64

melhor time do mundo, o

Jorge Viveiros de Castro | Daniel Bueno

53

meu filho, meu besouro

Cadão Volpato

72

minhas contas

Luiz Antonio | Daniel Kondo

69

no longe dos gerais

Nelson Cruz

54

noite do sertão

Cynthia Cruttenden

56

ops

Marilda Castanha

71

pavão misterioso, o

Ronaldo Correia de Brito | Assis Lima | Andrés Sandoval


45

pedro e lua

Odilon Moraes

59

pequeno fascista, o

Fernando Bonassi | Daniel Bueno

73

princesa nada boba, uma

Luiz Antonio | Biel Carpenter

42

princesinha medrosa, a

Odilon Moraes

51

psiquê

Angela-Lago

48

sinais do mar

Ana Maria Machado 54 sob o sol, sob a lua

Cynthia Cruttenden

72

tapete de maria, o

Simone Cosac Naify | Marta Manetti

75

transpoemas

Ricardo Silvestrin | Apo Fousek

36

turma do infinito

Raí | Jan Limpens

49

vermelho amargo

Bartolomeu Campos de Queirós

Estrangeiros

139 ah, se a gente não precisasse dormir!

Keith Haring 101 alice no país das maravilhas

Lewis Carroll | Luiz Zerbini


90

animais de todo mundo, os

Jacques Roubaud | Fefe Talavera

122

anjo da guarda do vovô, o

Jutta Bauer

181

aprendo com meus amigos

Taro Gomi

112

árvore dos desejos, a

William Faulkner | Guazzelli

83

árvore generosa, a

Shel Silverstein

255

aventuras de ook e gluk, as

Dav Pilkey

254 aventuras do superbebê fraldinha, as

Dav Pilkey

190

babum

Kate Banks | Georg Hallensleben

180

balanço

Keiko Maeo

130

balão por um bacamarte, um

Alastair Reid | Bob Gill

174

barbie

Frédéric Beigbeder

171

caracol e a baleia, o

Julia Donaldson | Axel Scheffler

187

caro einstein...

Lynne Barasch

160

casa assombrada, a

Kazuno Kohara


157

casa azul, a

Anne Herbauts

134

chapeuzinho vermelho

Irmãos Grimm | Susanne Janssen

189

como me tornei uma bailarina

Anna Pavlova | Edgar Degas

154

como um peixe na água

Daniel Nesquens | Riki Blanco

89

contos para crianças impossíveis

Jacques Prévert | Fernando Vilela

106

coração

Edmondo De Amicis | Serrote

119

criação, a

Bart Moeyaert | Wolf Erlbruch

167

dariz, o

Olivier Douzou

176

de uma vaca à outra

Antonio Ventura | Pablo Amargo

114

dia de chuva, um

Eça de Queiroz | Guazzelli

88

dia de folga

Jaques Prévert | Wim Hofman

108

diaba e sua filha, a

Marie NDiaye | Nadja

174

diferente como chanel

Elizabeth Matthews

164

eram cinco

Ernst Jandl | Norman Junge


157 estava escuro e estranhamente calmo

Einar Turkowski

129

eu sei um montão de coisas

Ann Rand | Paul Rand

146

fada feiticeira, a

Brigitte Minne | Carll Cneut

142

fico à espera…

Davide Cali | Serge Bloch

116

fique longe da água, shirley!

John Burningham

175

frida

Jonah Winter | Ana Juan

85

fuja do garabuja

Shel Silverstein

86

girafa e tanto, uma

Shel Silverstein

120

grande questão, a

Wolf Erlbruch 95 história da ressurreição do papagaio

Eduardo Galeano | Antonio Santos

178

histórias de faivl, as

Dovid Bergelson | Lasar Segall

162

homem atômico chegou!, o

Mini Grey

117

hora de sair da banheira, shirley!

John Burningham

94

imitabichos

Serguéi Tretiakóv | Aleksandr Ródtchenko 146 inacreditável história de amor do cão chicão, a

Carll Cneut


188 incrível história da orquestra, a

Bruce Koscielniak

143

inimigo, o

Davide Cali | Serge Bloch 115 janela de esquina do meu primo, a

e. t. a. Hoffmann |

Daniel Bueno

134

joão e maria

Irmãos Grimm | Kve˘ta Pacovská 109 joão e os sete gigantes mortais

Sam Swope | Carll Cneut

167

joaquina & sua máquina

Olivier Douzou | Isabelle Chatellard 84 leocádio, o leão que mandava bala Shel Silverstein

155

lilás, uma menina diferente

Mary E. Whitcomb | Tara Calahan King

92

livro das perguntas

Pablo Neruda | Isidro Ferrer

103

livro do foguete, o

Peter Newell

103

livro inclinado, o

Peter Newell

169

lóris lento

Alexis Deacon 149 mamãe é grande como uma torre

Brigitte Schär | Jacky Gleich

125

mamãe zangada

Jutta Bauer


96

marcelino pedregulho

Sempé

90

marco, o barco

Ted Hughes | Jim Downer

162

mas por quê??!

Peter Schössow

145

menina e o elefante, a

Nicole de Cock 186 menina que batizou plutão, a

Marc McCutcheon | Jon Cannell

193

menino entregador de jornal, o

Dav Pilkey

133

menino que mordeu picasso, o

Antony Penrose

104

meninos da rua paulo, os

Ferenc Molnár | Tibor Gergely

183

metrô vem correndo..., o

Dong-Jun Shin

152

meu amigo jim

Kitty Crowther

153

meu reino

Kitty Crowther

110 meu tio Jean-Claude Carrière |

Pierre Étaix

159

meu vizinho é um cão

Isabel Minhós Martins | Madalena Matoso

182

minhas imagens do japão

Etsuko Watanabe

146

monstro, não me coma!

Carl Norac | Carll Cneut


172

morango sardento

Julianne Moore | LeUyen Pham 173 morango sardento e o valentão da escola

Julianne Moore |

LeUyen Pham

126

na noite escura

Bruno Munari

136

na floresta do bicho-preguiça

Anouck Boisrobert | Louis Rigaud

99

natal da turma do snoopy, o

Charles M. Schulz

92

ode a uma estrela

Pablo Neruda | Elena Odriozola

81

onde vivem os monstros

Maurice Sendak

161

papai!

Philippe Corentin

148

papai sob medida, um

Davide Cali | Anna-Laura Cantone

121

pato, a morte e a tulipa, o

Wolf Erlbruch

141

pato! coelho!

Amy Krouse Rosenthal | Tom Lichtenheld

112

pawana

J. M. G. Le Clézio | Guazzelli

158

pê de pai

Isabel Minhós Martins | Bernardo Carvalho

128

pequeno 1

Ann Rand | Paul Rand


144

povo das sardinhas, o

Delphine Perret

191

presente do mar, um

Kate Banks | Georg Hallensleben

176

quando vem a lua

Antonio Ventura | Elena Odriozola 86 quem quer este rinoceronte?

Shel Silverstein 123 rainha das cores, a

Jutta Bauer

97

raul taburin

Sempé 178 rei salomão e o seu anel mágico, o

Elie Wiesel | Mark Podwal

151

sábado na livraria

Sylvie Neeman | Olivier Tallec

191

se a lua pudesse falar

Kate Banks | Georg Hallensleben

140

segredo do coelho, o

John A. Rowe

124

selma

Jutta Bauer

150

senhor augustin

Ingo Schulze | Julia Penndorf

185

sete novelos, os

Angela Shelf Medearis | Daniel Minter


98

snoopy extraordinário

Charles M. Schulz

98

snoopy – primeiro de abril

Charles M. Schulz

191

solange e o anjo

Thierry Magnier | Georg Hallensleben

170

sr. raposo adora livros!, o

Franziska Biermann

119

tabuada da bruxa, a

J. W. Goethe | Wolf Erlbruch

169

teca, sapeca

Marina Windsor | Steve Haskamp

169

teco aprende a nadar

Nele Moost | Michael Schober

162

todos os patinhos

Christian Duda | Julia Friese

185

tranças de bintou, as

Sylviane A. Diouf | Shane W. Evans

165

trolls, os fura-dentes

Nina Blychert

161

visita dos monstros, a

Brigitte Schär | Jacky Gleich


201

Livros-imagem espelho

Suzy Lee

205 na garupa do meu tio David Merveille

202

onda

Suzy Lee

207

outro lado, o

Istvan Banyai

199

presente, o

Odilon Moraes

203

sombra

Suzy Lee

196 tchibum!

Gustavo Borges | Daniel Kondo

211

Livros interativos eu que fiz

Ellen Lupton | Julia Lupton 215 livro da nina para guardar pequenas coisas, o

Keith Haring

213

rabiscos

Taro Gomi


Coleções

Ache o Bicho

234

correndo a todo vapor

Svjetlan Junakovic´

235

está na hora de comer

Svjetlan Junakovic´

235

futebol, tênis...

Svjetlan Junakovic´

234

mamãe, papai...

Svjetlan Junakovic´

235

pintas, listras...

Svjetlan Junakovic´

234

tambores, clarineta...

Svjetlan Junakovic´

As Aventuras do Capitão Cueca

251 aventuras do capitão cueca, as

Dav Pilkey

251

capitão cueca (vol. 2)

Dav Pilkey

251

capitão cueca (vol. 3)

Dav Pilkey

252

capitão cueca (vol. 4)

Dav Pilkey

252

capitão cueca (vol. 5)

Dav Pilkey

252

capitão cueca (vol. 6)

Dav Pilkey


253

capitão cueca (vol. 7)

Dav Pilkey

253

capitão cueca (vol. 8)

Dav Pilkey

Brasileirinhos

239

bem brasileirinhos

Lalau | Laurabeatriz

238

brasileirinhos

Lalau | Laurabeatriz

239

mais brasileirinhos!

Lalau | Laurabeatriz

238

novos brasileirinhos

Lalau | Laurabeatriz

Bruxa Vitalina

247 ametista, a fada que era dentista

Márcia Frazão | Mariana Massarani

247

bruxa vitalina, a

Márcia Frazão | Mariana Massarani

247

dia em que a pracinha sumiu, o

Márcia Frazão | Mariana Massarani

247

rei da sola, o

Márcia Frazão | Mariana Massarani


As Catástrofes de Gaspar e Lisa

243

gaspar e lisa no cinema

Anne Gutman | Georg Hallensleben

242

gaspar e lisa no museu

Anne Gutman | Georg Hallensleben

242

gaspar em veneza

Anne Gutman | Georg Hallensleben

243

gaspar no hospital

Anne Gutman | Georg Hallensleben

242

irmãzinha de lisa, a

Anne Gutman | Georg Hallensleben

243

lisa no avião

Anne Gutman | Georg Hallensleben

243

pesadelos de lisa, os

Anne Gutman | Georg Hallensleben

242

presente de natal, o

Anne Gutman | Georg Hallensleben

Clifford, o Cachorrão Vermelho

229

clifford arruma emprego

Norman Bridwell

230

clifford e a tempestade

Norman Bridwell

231

clifford é dez

Norman Bridwell

231

clifford é educado

Norman Bridwell


231 clifford e os vizinhos rabugentos

Norman Bridwell

229

clifford e sua família

Norman Bridwell

228

clifford faz aniversário

Norman Bridwell

230

clifford no circo

Norman Bridwell

228

clifford, o cachorrão vermelho

Norman Bridwell 229 clifford, o cachorro bombeiro

Norman Bridwell

228

clifford, o filhotinho vermelho

Norman Bridwell

230

clifford vai viajar

Norman Bridwell

Clifford, o Filhotinho Vermelho

224

clifford brinca de esconde-esconde

Norman Bridwell

224

clifford conta bolhas

Norman Bridwell

225

clifford e a hora de dormir

Norman Bridwell

225

clifford e a hora do banho

Norman Bridwell

224

clifford e os opostos

Norman Bridwell 224 clifford e os sons dos animais

Norman Bridwell

225

clifford e seus latidos

Norman Bridwell


Dedinho de Prosa

277

aprendiz de feiticeiro, o

J. W. Goethe | Nelson Cruz

278

conto de escola

Machado de Assis | Nelson Cruz

276

homem que sabia javanês, o

Lima Barreto | Odilon Moraes

277

presente dos magos, o

O. Henry | Odilon Moraes

276

será o benedito!

Mário de Andrade | Odilon Moraes

278

vingança em veneza

Giovanni Boccaccio | Carlos Nine

Fique por Dentro

298 fique por dentro da astronomia

Robin Kerrod | Andrew Kulman 298 fique por dentro da ecologia

David Burnie |

Andrew Kulman 297 fique por dentro da evolução

David Burnie |

Andrew Kulman 299 fique por dentro da filosofia

Neil Turnbull |

Andrew Kulman


297 fique por dentro da física moderna

John Gribbin | Andrew Kulman 297 fique por dentro da genética

Martin Brookes |

Andrew Kulman 298 fique por dentro da internet

Jerry Glenwright | Andrew Kulman 299 fique por dentro dos sonhos

Maeve Ennis | Jennifer Parker | Andrew Kulman

Histórias para Contar História

266 agbalá, um lugar-continente

Marilda Castanha

265

bárbara e alvarenga

Nelson Cruz

265

chica e joão

Nelson Cruz

264

dirceu e marília

Nelson Cruz 266 pindorama, terra das palmeiras

Marilda Castanha


Isto É…

269

isto é nova york

M. Sasek

269

isto é paris

M. Sasek

269

isto é roma

M. Sasek

Os Mais Belos Contos

261

alfaiate valente, o

Arnica Esterl | Olga Dugina | Andrej Dugin

258

kachtanka

Anton Tchekhov | Guenádi Spirin 260 mais belas histórias das mil e uma noites, as

Arnica Esterl | Olga Dugina

259

nariz, o

Nikolai Gógol | Guenádi Spirin

261

penas do dragão, as

Arnica Esterl | Olga Dugina | Andrej Dugin

Mitos do Mundo

283

cabeça de elefante, o

Lúcia Fabrini de Almeida | Zé Tatit

284

ivan filho-de-boi

Marina Tenório | Fernando Vilela


283 mundo de cabeça para baixo, o

Rodrigo Montoya | Andrés Sandoval 285

nascimento de zeus, o

Adriane Duarte | Felipe Cohen

285

palavra cigana

Florencia Ferrari | Stephan Doitschinoff

282

primeiro homem, o

Betty Mindlin | Luana Geiger

282

príncipes do destino, os

Reginaldo Prandi | Paulo Monteiro

284

senhor do bom nome, o

Ilan Brenman | Sérgio Sister

Mundo de Artista

245

bicho de artista

Katia Canton 245 espelho de artista

Katia Canton

245

mesa de artista

Katia Canton

Ópera Urbana

273

av. paulista

Carla Caffé

272

cidade dos deitados

Heloisa Prieto | Elizabeth Tognato


272

montanha-russa

Fernando Bonassi | Jan Limpens

273

surfando na marquise

Paulo Bloise | Daniel Kondo

Prismas

289

contos do balé

Inês Bogéa

290

mãe da rua

Ettore Bottini

291

mil-folhas

Lucrecia Zappi 289 moda: uma história para crianças

Katia Canton | Luciana Schiller 288 tatuagem, piercing e outras mensagens do corpo

Leusa Araujo

290

yoga para crianças

Katia Canton

O Que Faz de um Mestre um Mestre

295 que faz de um bruegel um bruegel?, o

Richard Mühlberger 293 que faz de um da vinci um da vinci?, o

Richard Mühlberger


293 que faz de um degas um degas?, o Richard Mühlberger 295 que faz de um goya um goya?, o

Richard Mühlberger 293 que faz de um monet um monet?, o

Richard Mühlberger 294 que faz de um picasso um picasso?, o

Richard Mühlberger 295 que faz de um rafael um rafael?, o

Richard Mühlberger 294 que faz de um rembrandt um rembrandt?, o

Richard Mühlberger 294 que faz de um van gogh um van gogh?, o

Richard Mühlberger

Ricky Ricota e Seu Super-Robô

249 ricky ricota e seu super-robô (vol. 1)

Dav Pilkey | Martin Ontiveros 249 ricky ricota e seu super-robô (vol. 2)

Dav Pilkey | Martin Ontiveros 249 ricky ricota e seu super-robô (vol. 3)

Dav Pilkey | Martin Ontiveros 249 ricky ricota e seu super-robô (vol. 4)

Dav Pilkey | Martin Ontiveros


Siricutico

221 antigamente & tente entender

Sandra Peres | Zé Tatit

221

ora bolas

Paulo Tatit | Edith Derdyk | Andrés Sandoval

220

pindorama

Sandra Peres | Luiz Tatit | Alex Cerveny

220

rato

Edith Derdyk | Paulo Tatit | Elaine Ramos

história e crítica

307 crítica, teoria e literatura infantil

Peter Hunt

303

era uma vez uma capa

Alan Powers 308 livro ilustrado: palavras e imagens

Maria Nikolajeva e Carole Scott

305

para ler o livro ilustrado

Sophie Van der Linden


nacionais


lampião & lancelote ✦

fernando vilela quarta capa Braulio Tavares

a ros hon s ção nte n o e z i m r s ho o v no a de 7) (feir , 200 nha o l bo

O que poderia acontecer se o nosso famoso cangaceiro do sertão nordestino enfrentasse um dos cavaleiros medievais

ivro or l elh m 7) i t 0 ,2 0 jabu (cbl ntil a f in

da Távola Redonda do

list our te whi hon g o o 07) l á t , y 20 ca (ibb s n e rav

Rei Arthur? Esse encontro

para desenvolver esta obra

or s elh ivro ti m de l jabu o ã l ç i a n r e t uv ilus ou j ntil infa ) 7 , 200 (cbl

“Este é um livro de sonhos

mais do que inusitado fez

grandiosa, no tamanho e no

para encorajar a sonhar;

com que o ilustrador e autor

talento. O resultado, como

um livro onde as colinas

Fernando Vilela compusesse

diz Braulio Tavares no texto

são de bronze e a cavalaria

uma obra extremamente

de quarta capa, “é uma

dos antigos poemas

original, mesclando lingua-

aventura visual e poética à

épicos respira o aroma

gens diversas: em verso, na

altura das duas culturas

dos afrescos italianos.”

sextilha do cordel sertanejo,

que a inspiraram”.

e em prosa, no tom das narra­tivas épicas; em carimbo

pnbe 2008

e xilogravura. O confronto

programa lendo e

entre Lampião e Lancelote

aprendendo 2007

se estende às cores especiais que vêm preencher as

1a. edição, 2006 (3 000)

páginas: o prata e o cobre,

4a. reimpressão, 2011 (5 000)

em contraste com o negro, compondo imagens de uma

membros do júri, feira de bolonha

capa dura + hot stamping;

beleza plástica deslumbrante.

miolo em cores metálicas;

O livro ainda traz um glossá-

35 x 24 cm;

rio e um texto explicativo

52 pp. + 2 dobras; 24 ils.

sobre as referências de Vilela

isbn 978-85-7503-526-9


34/35

o de livr 7) hor , 200 i l mel n j ia (f s e po

jeto pro 07) hor ij, 20 f mel ( nl l a i or edit

– ano s do r e r ho sce mel cre ista rev

ão

raç

ão

laç

ve r re rito esc ) 7 0 ij, 20 (fnl

t ilus hor mel ) 7 0 ij, 20 (fnl

MIL mais de 55 es ar pl exem vendidos


turma do infinito

raí ilustrações ✦

Jan Limpens

eça conh são r e v a ipad para

quarta capa Cadão Volpato Raí, ex-jogador da seleção brasileira de futebol e dos clubes São Paulo e Paris Saint-Germain, estreia como autor na literatura infantojuvenil e nos apresenta os amigos Sol, Filó, Sofia e Zen, a Turma do infinito. Acompanhamos a trajetória dos personagens desde o nascimento, quando tudo parece orbitar ao redor deles. É ao entrar no colégio que eles se conhecem e percebem que fazem parte do mesmo mundo e que, para conviver em sociedade, é preciso haver tolerância. Por meio das dinâmicas ilustrações de Jan Limpens, que metaforizou a existência humana em planetas do sistema solar, acompanhamos o crescimento das crianças e suas transformações até a pré-adolescência. Um livro que aborda, de uma forma leve e despretensiosa, uma questão importantíssima: a busca por seu lugar como indivíduos e também na sociedade. Para todos que querem fazer a diferença no mundo que nos cerca.


36/37

1a. edição, 2011 (10 000) brochura; 4 cores; 16 x 23 cm; 56 pp.; 30 ils. isbn 978-85-7503-969-4 apoio: Fundação Gol de Letra

acesse o projeto interdisci plinar inspirado no livro no si te da editora

“Uma turma infinita não deve se expandir sempre e durar para sempre? Não será esse o segredo do mundo que sonhamos, essa bola azul chamada Terra? É o que Raí, o atleta que poderia ter sido dessa turma, tem a delicadeza de contar para a gente.” cadão volpato

do nteú o o co nad io Veja c la 25 l re 3 a . it p dig na ivro ao l


38/39 MIL mais de 39 es exemplar vendidos

bichos que existem & bichos que não existem

coisas que eu queria ser

texto

texto

arthur nestrovski

arthur nestrovski

ilustrações

ilustrações

Maria Eugênia

Maria Eugênia

Arthur Nestrovski sugere uma maneira dife-

Arthur Nestrovski e Maria

rente de conhecer os bichos do mundo: não

Eugênia propõem um novo

separar a ficção da realidade. Inspirado na

exercício de imaginação.

prosa poética do francês Francis Ponge, o

Dessa vez, abordam o fascí-

autor recria mitos universais, da Grécia antiga

nio que objetos do cotidiano

ao folclore brasileiro. Se o texto de Arthur faz

exercem sobre o mundo

o imaginário saltar as cercas do real, as ilus-

infantil. Ao invés da crítica

trações de Maria Eugênia, pra lá de coloridas,

ao consumismo, os autores

materializam a mais pura invenção. Indicado

resgatam sua dimensão

para pais, professores e crianças alfabetizadas

lúdica. Subvertendo a res-

que ainda acreditam na fantasia.

posta à pergunta tradicional “O que você quer ser quando crescer?”, no lugar de médico

PNLD 2003 PNBE 2005

ou advogado surgem depoi-

programa ler e escrever 2007

mentos insólitos: um lápis, um

1a. edição, 2002 (3 000)

Para leitores em fase de

celular, um guarda-chuva. alfabetização e todos que

6a. reimpressão, 2010 (3 000)

um dia desejaram ser outra “coisa”.

capa dura; 4 cores; 16 x 23 cm; 56 pp.; 28 ils. isbn 978-85-7503-120-9

jabuti livro do ano ficção (cbl, 200 3)

catá log ow rav hite ens (ibb y, 20 04)

fde 2004 programa ler e escrever 2007

1a. edição, 2003 (5 000) 1a. reimpressão, 2004 (4 000)

jabuti melhor liv ro infantil ou juven il (cbl, 2003)

capa dura; 4 cores; 16 x 23 cm; 56 pp.; 28 ils. isbn 85-7503-216-x


cores das cores

arthur nestrovski

barulho, barulhinho, barulhão

texto

ilustrações

texto

Marcelo Cipis

arthur nestrovski

Fazendo associações entre

Marcelo Cipis

ilustrações as cores e os sentimentos (roxo de raiva), as frutas

Este livro desafia a nossa curio-

(o laranja da laranja) ou mesmo

sidade: você é capaz de reco-

os times de futebol (o azul

nhecer os sons que o rodeiam?

do azulão), o livro apresenta

O avião que passa no céu faz

uma progressão de cores.

um barulhinho ou um barulhão?

Como em uma sinfonia,

Com poucas palavras, Arthur

elas aparecem à medida

Nestrovski nos transporta

que o texto fica mais complexo.

do barulho da barriga ao zzz... do mosquito. As divertidas

projeto mais cultura 2008

ilustrações de Marcelo Cipis

PNLD 2010

sugerem que o som também possui forma e cor. Recomen-

1a. edição, 2006 (3 000)

dado para crianças em fase de alfabetização e futuros músicos.

capa dura; 4 cores; 20 x 20 cm; 56 pp.; 30 ils.

PNLD 2005

isbn 85-7503-523-1 1a. edição, 2004 (5 000) capa dura; 4 cores; 20 x 20 cm; 64 pp. + 1 dobra; 28 ils. isbn 85-7503-295-x ES 3 OPÇÕ DE CAPA


40/41


a princesinha medrosa

“A história de Odilon sobre a

odilon moraes

e a simplicidade que aprendemos

princesinha medrosa tem a força

quarta capa

a amar nas fábulas clássicas.”

Jutta Bauer

JutTa BAUER

O primeiro livro escrito e ilustrado por Odilon Moraes subverte a lógica dos contos “era uma vez”. Em vez da princesinha desamparada, a desta história é mandona e intolerante. Ordena ao Sol que nunca se ponha, aos trabalhadores que nunca parem de trabalhar, aos súditos que durmam dentro do castelo. Mas toda essa exigência escondia a fragilidade da princesinha perante seus medos, como do escuro, da pobreza e da solidão. Não é num passe de mágica que a história acaba. Mas com a ajuda de um garoto, existe esperança para que este conto às avessas termine com um final feliz. pnbe 2010 programa fbn 2010

1a. edição, 2008 (5 000) capa dura; 4 cores; 19,5 x 15,5 cm; 48 pp.; 38 ils. isbn 978-85-7503-718-8


42/43

melhor livro criança (fnlij, 2002)

o

melhor ilustraçã (fnlij, 2002)


44/45

pedro e lua

odilon moraes Raramente imagem e texto alcançam uma harmonia tão perfeita quanto na bela história que verniz brilha uro no esc

de Odilon Moraes. A simplicidade do traço – o frescor de um esboço – aliada à poesia das palavras compõem o relato de uma amizade: o menino Pedro e a tartaruga Lua. O fascínio dessa história salta das páginas para a capa do livro, em que um verniz fosforescente faz o volume brilhar no escuro. Um livro que tem tudo para ser um clássico. Altamente recomendável para leitores especiais.

melhor livro criança (fnlij, 2005)

pnbe 2005 PNLD 2006 projeto mais cultura 2009

Conheça também o livro-imagem de

didos:

s ven direito o il max m a , 2010) ç n a r (f

1a. edição, 2004 (5 000) 2 . reimpressão, 2009 (3 000) a

capa cartonada + verniz que brilha no escuro; 2 cores; 23 x 28,5 cm; 48 pp.; 23 ils. isbn 978-85-7503-338-8

Odilon Moraes, O presente, na p. 199


ismália texto

alphonsus de guimaraens ilustrações ✦

Odilon Moraes Um pequeno livro, raro, quase artesanal: Ismália é um projeto especialíssimo do artista Odilon Moraes, que deu ao célebre poema de Alphonsus de Guimaraens (1870-1921) uma leitura extremamente autoral e o transformou em cor, tato e movimento neste livro-objeto. Ele vem dentro de uma caixinha, cabe na palma da mão, tem uma capa revestida de tecido e suas páginas se emendam como uma sanfona. Ao abri-lo, o leitor é convidado a mergulhar em imagens – lindas aquarelas em tons de marrom – que desdobram, quadro a quadro, os versos do grande poeta mineiro. Embora o poema não tenha sido originalmente escrito para crianças, esta obra introduz os leitores no universo poético com uma poesia que se pode pegar com as mãos. Um autêntico livro-poema. 1a. edição, 2006 (1 200) 1a. reimpressão, 2007 (3 000) capa dura revestida com tecido + luva; miolo sanfonado; 4 cores; 16 x 11,5 cm; 48 pp.; 12 ils. isbn 978-85-7503-508-5

altam ente reco mend ável poes ia (fn lij)


46/47


sinais do mar

partir de poemas e canções

ana maria machado

de Martin Codax (“Ondas do

projeto gráfico

mar de Vigo”), Fernando

Luciana Facchini

Pessoa (“Ode marítima”)

A estreia da consagrada Ana

simulando a maré, o avanço das águas, redemoinhos,

Naify é também seu primeiro

respingos. A textura da areia

mergulho em um novo gênero

pode ser sentida no toque do

literário: a poesia. Sinais do

papel especial. Marco na

mar reúne poemas que pas-

carreira de Ana Maria

saram pelo crivo rigoroso da

Machado, é um livro para

própria escritora. Os versos

se banhar.

revelam uma poeta em propnbe 2011

explorando rimas, aliterações e referências a grandes escri-

HANS ANDERSEN

CHRISTIAN

e Dorival Caymmi (“O mar”),

Maria Machado na Cosac

fundo exercício da linguagem,

PRÊMIO

1a. edição, 2009 (7 000)

tores do mar. Como uma música incidental, o projeto

capa dura; 2 cores;

gráfico acompanha o balanço

11,5 x 21 cm; 56 pp.

do mar em ilustrações feitas a

isbn 978-85-7503-770-6

go catálo avens r e whit 010) (ibby, 2


48 /49

vermelho amargo

bartolomeu campos de queirós quarta capa Gabriel Villela O primeiro livro pela Cosac Naify de um dos

“Bartolomeu comanda sua escrita

maiores expoentes da literatura infantojuvenil

com mãos apolíneas e cérebro dionisíaco,

brasileira não poderia ser mais um. Vermelho

produzindo uma fábula delicada... como

amargo nos mostra uma face pouco conhecida

arame farpado. Grande alma literária com

do escritor Bartolomeu Campos de Queirós e

coração santo.”

o insere definitivamente na literatura brasileira,

gabriel villela

para além de qualquer classificação. Neste relato de inspiração autobiográfica, o narrador revisita a dolorosa infância, marcada pela ausência da mãe e pela difícil relação com a madrasta. Vemos os irmãos – filhos de um pai que não larga o álcool e enteados de uma mulher que serve finas fatias de tomate em todas as refeições – adquirirem hábitos peculiares para tentar suprir a falta de afeto e a

programa minha biblioteca 2011

saudade da mãe: um come vidro, a outra não larga as agulhas e o ponto cruz. Em uma

1a. edição, 2011 (3 000)

espécie de contagem regressiva, o narrador

1a. reimpressão, 2011 (8 550)

acompanha o esvaziamento da casa, com a partida dos irmãos mais velhos. Misto de

capa dura + laterais pintadas; 1 cor;

memória e fantasia, uma prosa poética

11,5 x 20,7 cm; 72 pp.;

dolorosamente bela.

isbn 978-85-7503-962-5


joão felizardo, o rei dos negócios

angela-lago

desprendimento e a renovação garantem o ciclo da vida. Um material rico para refletir sobre o valor simbólico

Um clássico, considerado

dos objetos e até sobre o

pela própria autora seu pro-

consumo. Delicado, comovente

jeto mais maduro. João

e, ao mesmo tempo, intenso,

Felizardo, o rei dos negócios

é recomendado para pais e

é uma releitura de um conto

professores que buscam

da cultura oral – dentre as

passar às crianças uma

várias versões há uma dos

mensagem de esperança e

Irmãos Grimm – pelo olhar de

de felicidade.

uma das autoras contemporâneas mais respeitadas

Programa ler

nacional e internacional-

e escrever 2008

mente. Felizardo recebe uma

programa fbn 2010

moeda de herança, que troca por um animal, que troca por

1a. edição, 2007 (5 000)

outro e por outro... E assim

2a. edição, 2010 (4 000)

aprende que a felicidade está justamente na brevidade e na

capa dura; 4 cores;

simplicidade, que o acúmulo

30 x 21 cm; 32 pp.; 25 ils.

não leva à riqueza, e que o

isbn 978-85-7503-790-4

to recon r livro melho s r oncou hors-c 8) 0 0 2 , ij (fnl

ue prêmio bib plaq (bienal de 7) bratislava, 200

melhores do ano – revista cr escer


50/51

psiquê

sombra. Na versão de Angela

angela-lago

onto

c ro re or liv melh rs u o c -con hors ) , 2011 (fnlij

da história da linda Psiquê

quarta capa

– cuja beleza é motivo

Adélia Prado

de ciúmes de Afrodite e da paixão de Eros –,

Em seu segundo livro pela

a princesa “impossível de

Cosac Naify, Angela-Lago

pintar ou descrever” e o

recupera, por meio de seu olhar

monstro que é o “mais terrível

singelo e traço luminoso, o

dos seres” surgem como

lendário mito grego de Eros e

silhuetas em meio a

Psiquê, cujo primeiro registro

folhagens, grossos troncos

data do século ii d.C. A porta de

ou um castelo iluminado em

entrada para essa atmosfera de

tons dourados.

sonho e encantamento é um céu cheio de estrelas: a capa

1a. edição, 2010 (4 000)

preta traz pequenos furos que revelam o papel prateado da

brochura com guarda em prata;

guarda, formando uma

4 cores; 30 x 26,5 cm;

constelação. Dentro, imagens

56 pp.; 25 ils.

deslumbrantes contrastam luz e

isbn 978-85-7503-702-7

“Estou cheia de gratidão por estar na quarta capa de Psiquê dizendo como é possível alguém perfurar

melh

(fnlij

or ilu

, 2011

)

straç

ão

um papel de fundo preto e me obrigar a dizer: é um céu estrelado!” ADÉLIA PRADO


MAURÍCIO, O LEÃO DE MENINO

flavia maria ilustrações Millôr Fernandes quarta capa Jaguar O livro é grande e amarelo. Assim como o leão Maurício, que mora dentro do armário de um menino. É certo que o garoto nunca o viu, mas, quando criança, não é preciso ver para ter certeza de que algum bicho muito feroz vive no nosso quarto. Um dia, o menino se enche de coragem e resolve tirar essa história a limpo. E conhece Maurício, o leão de menino. Dono de um traço e de um humor incomparáveis, Millôr combina seus característicos desenhos ao texto prosaico de Flavia Maria, que esbanja irreverência. A nova edição (a primeira foi lançada em 1969) ganha projeto gráfico renovado que privilegia o amarelo, a cor do leão Maurício. Vem no tamanho ideal para abrigar um

no – do a res o r h e l me resc ta c revis

animal desse porte e sua “bocona de dentão de fora”. pnbe 2012

1a. edição, 2009 (3 000) 1a. reimpressão, 2011 (4 000)

“Um bom texto de literatura infantil, como este de Flavia Maria, e ainda

brochura; 2 cores;

por cima ilustrado pelo Millôr, deve

24 x 35 cm; 24 pp.; 11 ils.

ser festejado.”

isbn 978-85-7503-830-7

JAGUAR


52 /53

meu filho, meu besouro ✦

cadão volpato O jornalista, músico e escritor Cadão Volpato estreia com gosto na literatura infantil. Escrito e ilustrado por ele, este livro é uma coletânea de poemas que traduzem uma conversa sincera entre duas gerações. Sem qualquer lição de moral, mas com uma clara noção de aprendizado conjunto e admiração mútua, surgem temas como identidade, inserção na sociedade e liberdade. Um livro lúdico e

“Tem tudo para virar livro de

nostálgico, para ser lido junto – pais e filhos,

cabeceira: o Cadão poeta e o

avós e netos, professores e alunos.

Cadão ilustrador disputam entre si a nossa atenção, o Volpato

1a. edição, 2011 (3 000)

dos versos e o Volpato dos desenhos competem entre si

brochura + costura reta + hot stamping;

pelo nosso encantamento.”

pb; 15,7 x 23 cm; 40 pp.; 19 ils.

marcelo pires

isbn 978-85-7503-934-2


NOITE DO SERTÃO

sob o sol, sob a lua

cynthia cruttenden

cynthia cruttenden quarta capa

A segunda edição ganhou, além da capa dura, dois novos textos que revelam as origens do

Bartolomeu Campos de Queirós

povo Cita e a técnica da xilogravura adaptada

Após seis anos, Cynthia publica um novo

para borracha, inspirações da autora para

trabalho, desta vez, inspirado no universo de

esta pequena fábula. Em uma atmosfera de

Guimarães Rosa. A força deste projeto advém

sonho – algum lugar insólito, parado no

da técnica utilizada para realizar as ilustra-

tempo e no espaço – uma cobra que amava

ções, em perfeita harmonia com o texto, sin-

o Sol e um lobo que amava a Lua protagonizam ✦

tético e poético. Em Noite do sertão, as cores

um embate de formas e cores. O amarelo vivo

surgem do preto: a luz vem da escuridão. Em

e a densidade do preto se alternam em um

um clima de sonho e devaneio, um cavaleiro

movimento intenso e circular, que ganha ritmo

andante invade o silêncio do sertão, iluminado

até a conciliação. Cynthia Cruttenden escul-

pela luz da Lua. Como se alcançasse o céu, o

piu carimbos de borracha com os quais criou

satélite ganha o contorno de uma flor espe-

as imagens da cobra e do lobo, do Sol e da

tada que, por sua vez, transforma-se em

Lua. Um convite ao sonho e ao desenvolvi-

besouro, pássaro, cobra... Nesta metamorfose,

mento de outros registros da sensibilidade.

o cavaleiro se depara com os animais e as

Para crianças pré-alfabetizadas, professores

plantas da paisagem sertaneja.

de artes plásticas e literatura. 1a. edição, 2009 (3 000) 1a. edição, 2002 (1 500) 2a. edição, 2007 (3 000)

capa flexível; 4 cores; 16 x 22 cm; 32 pp.; 13 ils.

capa dura; 2 cores; 30,5 x 24 cm; 32 pp.; 13 ils. isbn 978-85-7503-627-3

isbn 978-85-7503-835-2


54/55

“Dois motivos fazem de Noite do sertão uma obra admirável. Texto e ilustrações se fundem numa conversa feita de equilíbrio e subjetividade. [...] A partir das dicotomias criadas, somos convidados a escolher entre a noite e o dia, entre o sertão e a Lua. Mas nosso desejo é restar entre os dois.” BARTOLOMEU CAMPOS DE QUEIRÓS


ops

dentro do espelho

marilda castanha

luise weiss

O menino derruba o sorvete no chão, chuta a

Este livro é um estímulo ao exercício da lei-

bola e quebra o vidro da janela, voa no balanço

tura. Imagens e palavras desafiam a criança

pra frente e pra trás e... Oooops! Neste livro

a decifrar um enigma escrito às avessas. Por

de uma palavra só, Marilda Castanha propõe

trás de todo o mistério está a rainha da noite,

às crianças pequenas um exercício de

que tem o estranho poder de embaralhar as

observação e descobertas. Ilustrado em cores

palavras. Somente com a ajuda de um espe-

vivas, cada página dupla traz uma situação

lho – literalmente colado no livro – podemos

diferente de “ops”, de cenas desastradas a

compreender a história. Com essa estratégia,

enganos que cometemos no dia a dia, como

a artista plástica Luise Weiss desperta a

abrir um livro de cabeça para baixo. Para

curiosidade infantil. Um livro-brinquedo para

não leitores perspicazes e curiosos.

iniciar os leitores no universo de Alice no País das Maravilhas.

cartonado; 4 cores; 16 x 16 cm; 22 pp.; 10 ils.

1a. edição, 2002 (3 000)

isbn 978-85-7503-973-1 ado

carton

Conheça outros livros de Marilda Castanha na p. 266

capa dura com espelho colado na parte interna; 4 cores; 20,5 x 21 cm; 32 pp.; 32 ils. isbn 85-7503-042-6


56/57


declaração universal do moleque invocado

de Azeite reforçam a opção pelo traço “sujo”, dando ao

texto

livro a configuração dos

fernando bonassi

desenhos infantis: fortes,

ilustrações DE CARTELA ADESIVOS

novo milênio. As ilustrações

Azeite

expressivos e únicos. Para crianças que têm opinião e pais e professores dignos de

“Toda criança tem direito a

receber o certificado abg

uma máquina de coçar

[Adulto Boa Gente].

macaco, uma de enxugar gelo, uma de acender fogo

pnbe 2005

no rabo, uma de descascar abacaxi e também a um

1a. edição, 2001 (3 000)

patinete prateado.” São

2a. edição, 2003 (3 000)

exigências de uma declara-

1a. reimpressão, 2009 (2 000)

ção universal de direitos proposta pelo autor. Uma

capa grampeada

forma de compreender o

e adesivada; 4 cores;

lugar da criança inteligente

22 x 18 cm; 32 pp.; 30 ils.

e bem-informada neste

isbn 978-85-7503-068-4


58/59

o pequeno fascista texto

fernando bonassi ilustrações ✦

Daniel Bueno Mais uma vez, o polêmico Fernando Bonassi aborda a passagem da infância à adolescência e questiona a noção de inocência. Do ventre materno à gangue de rua, o autor descreve a trajetória de um personagem egoísta e autoritário. As imagens expressionistas de Daniel Bueno fortalecem a atmosfera agressiva dos centros urbanos. Uma forma brechtiana de educar: às avessas, pelo mau exemplo. Recomendado para jovens e para pais e professores que pretendem discutir questões de cidadania. 1a. edição, 2005 (3 000) brochura; 4 cores; 16 x 23 cm; 64 pp.; 30 ils. isbn 85-7503-373-5


bili com limão verde na Mão texto

décio pignatari ilustrações ✦

Daniel Bueno Um dos principais poetas brasileiros em atividade, Décio Pignatari interrompe um longo período de silêncio com esta obra barulhenta. Num projeto gráfico arrojado e inovador – com direito a fôlderes e capa com dobras –, as ilustrações de Daniel Bueno revisitam a estética concretista e preenchem as páginas de texto, ora em prosa, ora em poesia, resultando numa obra-prima visual. Considerada pelo próprio autor como a “Alice brasileira”, Bili é uma adolescente que sai de sua casa desatando bile e atirando um limão no que encontra pelo caminho. Não contava que todos esses objetos, inclusive o limão, voltariam contra ela, como bumerangue. Cansada, depois de sua jornada, Bili entra num pesadelo que mudará sua história. Uma experiência de amadurecimento que ultrapassa classificações de gênero e de faixa etária. programa fbn 2010

1a. edição, 2009 (7 000) brochura com aba; 4 cores; 15 x 30 cm; 80 pp.; 25 ils. isbn 978-85-7503-741-8

nte altame l endáve m o c e r lij) n (f ia poes


60/61

bili com limão verde na Mão texto

décio pignatari ilustrações ✦

Daniel Bueno Um dos principais poetas brasileiros em atividade, Décio Pignatari interrompe um longo período de silêncio com esta obra barulhenta. Num projeto gráfico arrojado e inovador – com direito a fôlderes e capa com dobras –, as ilustrações de Daniel Bueno revisitam a estética concretista e preenchem as páginas de texto, ora em prosa, ora em poesia, resultando numa obra-prima visual. Considerada pelo próprio autor como a “Alice brasileira”, Bili é uma adolescente que sai de sua casa desatando bile e atirando um limão no que encontra pelo caminho. Não contava que todos esses objetos, inclusive o limão, voltariam contra ela, como bumerangue. Cansada, depois de sua jornada, Bili entra num pesadelo que mudará sua história. Uma experiência de amadurecimento que ultrapassa classificações de gênero e de faixa etária. programa fbn 2010

1a. edição, 2009 (7 000) brochura com aba; 4 cores; 15 x 30 cm; 80 pp.; 25 ils. isbn 978-85-7503-741-8

nte altame l endáve m o c e r lij) n (f ia poes


MIL mais de 25 es exemplar vendidos

o fazedor de velhos

tem dúvidas sobre seus cami-

texto

nhos, o que o leva a pensar em

rodrigo lacerda

desistir da faculdade de História.

ilustrações

Eis que conhece Nabuco, um

Adrianne Gallinari

professor que o auxilia na difícil

orelha

tarefa de se colocar no mundo.

Antonio Prata

E por meio dos livros conhecerá a si mesmo. Sobretudo quando

Rodrigo Lacerda narra neste

aparece Mayumi, por quem

livro a passagem de Pedro

sentirá uma nova forma de amor.

para a vida adulta. O adoles-

A prosa de Rodrigo Lacerda,

cente descobre que a vida

ora bem-humorada, ora emotiva,

pode não ser tão doce quanto

dialoga com leitores de todas

a primeira paixão, e encontra

as idades.

na literatura um caminho para buscar suas respostas. Mas o

pnbe 2009

que torna O Fazedor de Velhos

programa minha biblioteca 2010

uma novidade do gênero é sua capacidade de reavivar a

1a. edição, 2008 (3 000)

ternura e o afeto como senti-

5a. reimpressão, 2011 (4 000)

ndidos: direitos ve e la joie de lir ) 10 20 , (suíça castillo Ediciones 11) 20 o, (méxic

ro jovem melhor liv ) 09 (FNLIJ, 20

Prêmio glória pondé (fbn, 2008)

hor livro jabuti mel , 2009) bl (c l juveni

mentos que também participam do processo de amadureci-

brochura; 2 cores;

mento. Neste romance de

16 x 23 cm; 136 pp.; 6 ils.

iniciação, Rodrigo traça o

isbn 978-85-7503-664-8

retrato de um artista quando

apoio: pac (Secretaria de

jovem. O personagem Pedro

Estado da Cultura)

catálogo white ravens (ibby, 2009)


62/63

livro da primeira vez texto

otavio frias filho ilustrações ✦

Guto Lacaz Otavio Frias Filho, diretor de redação do jornal Folha de S. Paulo, narra com sobriedade e humor as experiências mais cabeludas: o primeiro não, a primeira morte, a primeira festa. Desde as páginas amarelas, passando pelas azuis, até as vermelhas, a alegria dá uma rasteira na tristeza. Guto Lacaz confere uma forte identidade visual ao menino, acentuando o caráter universal da história. Indicado para crianças, pais e professores que transformam decepções infantis nas primeiras lições rumo ao amadurecimento. pnLD 2005

1a. edição, 2004 (3 000) capa dura; 4 cores especiais; 16 x 23 cm; 53 pp.; 18 ils. isbn 85-7503-316-6


o dia em que felipe sumiu

texto

texto

jorge viveiros de castro

milu leite

ilustrações

ilustrações Jan Limpens Em seu primeiro livro juvenil

o melhor time do mundo

CARTELA DE ADESIVOS PARA FUTEBOL

Daniel Bueno

DE BOTÃO

orelha Soninha Francine

Milu Leite narra uma aven­tura

“Envolvente, empolgante, eletrizante” – segundo

ecológica, ilustrada pelo aus-

a comentadora esportiva Soninha, assim é o

tríaco Jan Limpens. Tudo

livro de Jorge Viveiros de Castro, um prato

começa quando Felipe,

cheio para quem gosta de bater uma bola.

munido de seu kit para medi-

A sociabilidade do futebol está presente em

ção do nível de poluição da

O melhor time do mundo, cujo enredo cativante

água, descobre que a lagoa de

é, acima de tudo, uma história sobre a amizade

sua cidade está contaminada.

e o sentimento de equipe. O leitor será pego

A partir daí, uma instigante

pelos dribles, pênaltis e gols narrados por um

história de suspense,

apaixonado pelo esporte. As ilustrações de

contada por um narrador

Daniel Bueno reforçam a atmosfera futebolís-

bem-humorado, captura o

tica, com tabelas, descrição de jogadas, o colo-

leitor – que não consegue

rido dos uniformes e as formas geométricas

largar o livro antes de desco-

dos escudos. Acompanha uma cartela de ade-

brir o que houve “no dia em

sivos para futebol de botão.

que Felipe sumiu”. Indicado para leitores jovens, que já

programa lendo e aprendendo 2007

consigam acompanhar um

pNBE 2009

enredo mais longo. As ilustrações, em ritmo de quadrinhos,

1a. edição, 2006 (3 000)

feitas em computador, tam-

2a. reimpressão, 2007 (3 000)

bém contemplam o gosto

2a. edição, 2009 (3 000)

desse leitor. brochura; 4 cores; 1 . edição, 2006 (3 000) a

16 x 23 cm; 144 pp.; 39 ils. isbn 978-85-7503-798-0

brochura; 2 cores; 16 x 23 cm; 80 pp.; 20 ils. isbn 85-7503-406-5

altamente recomendável jovem (fnlij)


64/65

“O livro de Jorge Viveiros de Castro tem todas aquelas coisas que fazem parte da vida quando a gente está na sexta série: apelidos e gozações, ansiedade e provas, glórias e frustrações.” Soninha Francine


de dois em dois – um passeio pelas bienais

“A Bienal de São Paulo

renata sant’anna, maria do carmo carvalho e edgard bittencourt

na proa da arte. Artistas

orelha Nelson Aguilar Para estimular nas crianças o interesse pelas

alinha o que acontece consagrados aí fizeram seu teste vocacional. Enfrentá-la desafia a sensibilidade a se afinar cada vez mais. A arte

artes plásticas, este livro resgata a história do

introduz o enigma que

principal evento de artes do país (e também do

se torna claro através

mundo), e revela ainda curiosidades dos

de nosso envolvimento.

bastidores, a escolha dos temas, a quantidade

Boa viagem.”

de pessoas envolvidas, os principais artistas

nelson aguilar

participantes. O passeio começa na primeira mostra, idealizada por Ciccillo Matarazzo e realizada na avenida Paulista, no local onde hoje é o Masp, e chega até as últimas edições, já no prédio projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, no Parque Ibirapuera. Ricamente ilustrado, traz cartazes, fotos históricas e reproduções de obras que foram expostas – pinturas, esculturas, instalações, gravuras, grafites, desenhos e performances. Ao final deste envolvente percurso, o leitor encontra uma detalhada linha do tempo, que sugere uma continuidade ad infinitum: ele agora pode e deve passear não só pelas Bienais, mas por qualquer exposição de arte. E se divertir com isso. 1a. edição, 2010 (5 000) brochura; 4 cores; 24,5 x 24,5 cm; 86 pp.; 96 ils. isbn 978-85-7503-918-2


66/67


68/69

no longe dos gerais

o caso do saci

nelson cruz

nelson cruz

Em maio de 1952, o escritor

Na proposta ousada de

Guimarães Rosa percorreu 240

Nelson Cruz, o território do

quilômetros conduzindo uma

folclore se funde com a

boiada pelo interior de Minas

temática urbana. Personagens

Gerais. Suas minuciosas

principais: o Saci, o Pinóquio e

anotações sobre a paisagem e

os irmãos Manfredinho e

os costumes da vida rústica foram

Andréa. Cenário: uma favela,

registradas em cadernetas e

no bairro do Ipê. O autor retrata

migraram para Corpo de baile e

o cotidiano de um país pobre

Grande sertão: veredas, publicados

que se enriquece pelas suas

em 1956. Inspirado por essa

crenças. Os jovens leitores têm

viagem, o também mineiro Nelson

em mãos não um reconto, mas

Cruz percorreu, no traço e na

uma ótima apropriação de um

geografia, os caminhos trilhados

mito brasileiro, deslocado de

por Rosa. O fio condutor é o olhar

seu contexto habitual.

de um menino que acompanha a boiada. Recomendado para jovens

pnbe 2005

e professores, esta é uma

pnLD 2006

excelente introdução ao universo

programa fbn 2010

de Guimarães Rosa. 1a. edição, 2004 (5 000) programa minha biblioteca 2010

capa dura; 4 cores; 1a. edição, 2004 (5 000)

19 x 26 cm; 48 pp.; 18 ils.

1a. reimpressão, 2010 (3 250)

isbn 85-7503-341-7

capa dura; 4 cores; 15,5 x 23,5 cm; 56 pp.; 28 ils. isbn 978-85-7503-280-0

melhor projeto editorial horsconcours (fnlij, 2005)


amazonas: no coração encantado da floresta texto

thiago de mello ilustrações ✦

Andrés Sandoval Thiago de Mello dá uma aula de geografia poética: o folclore da Amazônia, onde mora há mais de vinte anos, exibe todas as cores do mundo. As sete histórias aqui reunidas foram recontadas no registro de quem fala a “língua” da região e vive à beira do rio Paraná-dos-Ramos. Já as ilustrações de Andrés Sandoval traduzem a exuberância da paisagem e da vida amazônica. O livro traz ainda uma curiosa biografia de pessoas e rios. Para crianças, pais e professores com espírito de aventura, cineastas, ecologistas e futuros antropólogos. PNLD 2004 PNBE 2005 programa fbn 2010

1a. edição, 2003 (5 000) 2a. reimpressão, 2007 (5 000) capa flexível; 4 cores; 19 x 26 cm; 80 pp.; 40 ils. isbn 978-85-7503-201-5

o r livr ) melho ij, 2004 o (fnl t n o c re


70/71

o pavão misterioso texto

ronaldo correia de brito e assis lima ilustrações Andrés Sandoval Os cearenses Ronaldo Correia de Brito e Assis Lima realizaram uma proeza: adaptar um dos textos mais famosos da literatura de cordel, além de introduzir algumas novidades na narrativa. A princesa enclausurada pelo pai é salva por um príncipe com a ajuda do pavão misterioso. Com um simples traço de lápis de cor, Andrés Sandoval dá vida a lugares e personagens inusitados, usando predominantemente o verde e o vermelho. O leitor será atraído pelo enredo engenhoso, próprio do cordel nordestino. altamente recomendáv el reconto (fnlij )

1a. edição, 2004 (3 000) brochura; 4 cores especiais; 16 x 23 cm; 72 pp.; 22 ils. isbn 85-7503-360-3


o tapete de maria

minhas contas

texto

texto

simone cosac naify

luiz antonio

ilustrações

ilustrações

Marta Manetti

Daniel Kondo

tradução

quarta capa

Maria Helena Arrigucci

Heloisa Prieto

Esta história revisita o ato

Pedro e Nei são “dois furacõe-

de tecer, tão presente na mito-

zinhos” inseparáveis. Mas a

logia quanto nos contos de

mãe de Pedro o proíbe de

fadas. A autora Simone Cosac

brincar com o amigo por causa

Naify constrói uma narrativa

dos fios de contas que ele usa.

simples, sobre um jovem casal

Esta história sobre o precon-

que se separa no meio da

ceito religioso se revela, ainda,

guerra, mas que ainda está

uma bonita celebração da cul-

unido pelo amor. Assim como

tura africana, tão importante

Penélope, Maria espera por

para a formação da identidade

Stéfano tecendo um enorme

brasileira. As cores e os objetos

tapete. A ilustradora italiana

do candomblé foram o ponto

Marta Manetti contribui com

de partida para Daniel Kondo

belas imagens, cujo colorido

conceber as vivas ilustrações,

reforça o tom de esperança da

que demonstram as caracterís-

narrativa. História de amor que

ticas de importantes orixás,

pode ser lida e discutida por

explicados ao final do livro.

pessoas de qualquer idade.

Recomendado para crianças de todas as crenças.

1a. edição, 2005 (3 000) 1a. edição, 2008 (3 000) capa dura; 4 cores;

2a. reimpressão, 2009 (5 000)

20 x 20 cm; 32 pp.; 15 ils. isbn 85-7503-384-0

brochura; 4 cores; 21 x 21 cm; 60 pp.; 48 ils. isbn 978-85-7503-731-7

“O texto comove ao apontar para uma responsabilidade que é da conta de todos nós: o direito à liberdade.” heloisa prieto


72/73

uma princesa nada boba

“Um mundo de reinos

texto

ancestrais que povoaram

luiz antonio ilustrações ✦

as terras dos avós e bisavós vindo da velha e

Biel Carpenter

generosa África.”

quarta capa

emanoel araujo

Emanoel Araujo

“Por que eu não podia ser igual a uma princesa?”, é a pergunta da protagonista deste livro e de muitas meninas reais que aparentemente não se encaixam nos padrões de beleza que veem na televisão e nos livros: cachos dourados, rosto fino, pele clara... Quando vai até a casa da avó com este questionamento na ponta da língua, a menina vive uma transformação ao descobrir a história de princesas africanas que existiram de verdade e até vieram para o Brasil. Explorando elementos poucos conhecidos da cultura africana, Luiz Antonio fala de busca da identidade. Para princesas de todas as etnias. 1a. edição, 2011 (3 000) brochura; 4 cores; 19,5 x 15,5 cm; 64 pp.; 32 ils. isbn 978-85-405-0104-1


o jarro da memória texto

claudio galperin ilustrações Laura Teixeira quarta capa Rodrigo Lacerda A delicadeza do texto busca um fio capaz de unir infância, maturidade e velhice: a memória. Laurinha cria o “guardador de lembranças”: um jarro onde as recordações se acumulam na forma de pedrinhas. Assim ela pode lembrar dos acontecimentos especiais de sua vida. A ilustradora Laura Teixeira criou um trabalho original feito apenas com canetas esferográficas. Segundo o escritor Rodrigo Lacerda, “Galperin e Laura botam no papel esses mistérios que nascem no coração da gente”. programa lendo e aprendendo 2007

1a. edição, 2005 (3 000) brochura; 4 cores especiais; 13,5 x 18,5 cm; 40 pp.; 18 ils. isbn 85-7503-462-6


74/75

transpoemas texto

ricardo silvestrin ilustrações ✦

Apo Fousek O poeta gaúcho Ricardo Silvestrin presta em

“Foi tranquilo atravessar o livro. Ele está

Transpoemas uma homenagem aos meios de

bem sinalizado e evita que o leitor se

transporte, novos e antigos. Nesta viagem por

perca. Congestionamento? Só se for de

terra, água e ar, há lugar para o avião, o metrô,

boas ideias e belas ilustrações.”

a bicicleta, o submarino, e outros veículos

pedestre

menos convencionais, como o carrinho de supermercado, a prancha de surfe e o tapete voador. São dezoito poemetos rimados, acompanhados de divertidas ilustrações do gravurista e pintor Apo Fousek, que invadem gradativamente as páginas. O semáforo deu sinal verde: as crianças em fase de alfabetização podem ocupar seus lugares. 1a. edição, 2008 (3 000) brochura; 4 cores; 15 x 23,5 cm; 40 pp.; 22 ils. isbn 978-85-7503-748-5


76/77

nte altame l endáve recom j) li n a (f crianç

diário de um papagaio

sobre a mata atlântica, outro sobre as

texto

espécies brasileiras de papagaios, os nomes

lalau

científicos de plantas e aves que aparecem no

ilustrações

livro, e ainda uma lista de sites para quem

Laurabeatriz

quiser se engajar fecham a edição. Um livro

quarta capa Martha Argel

que envolve o co­nhecimento de disciplinas como geografia, biologia e ciências, por meio de uma prosa envolvente.

Para aqueles que cresceram lendo a coleção Brasileirinhos, os autores convidam o jovem

programa ler

leitor a um passeio pela exuberante mata

e escrever 2007

atlântica sobre as asas de um papagaio. Um belo dia, ao acordar, o simpático papagaio-de-

1a. edição, 2007 (3 000)

cara-roxa se dá conta de que seu bando

2a. reimpressão, 2010 (3 000)

levantou asas e... sumiu! Sozinho, resolve procurar a turma, principalmente sua namorada,

capa dura; 4 cores;

a papagaiazinha mais bonita do Brasil, entre o

26,5 x 24 cm; 56 pp.; 23 ils.

litoral de São Paulo e o de Santa Catarina. Na

isbn 978-85-7503-580-1

estreita faixa que ainda resta da mata, o papagaio conhece alguns de seus vizinhos, que o ajudam (ou atrapalham) nessa busca, entra em contato com os hábitos dos bichos,

“A prosa bem-humorada de Lalau

aprende sobre o funcionamento da cadeia

atravessa montanhas e vales, ilhas e

alimentar e também enfrenta alguns perigos

manguezais, e parece que a gente voa

(como os caçadores ilegais). Um mapa do

nas asas desta simpática ave tricolor.”

trajeto percorrido pelo personagem, um texto

Martha Argel

Conheça, dos mesmos

autores, a coleção brasileirinhos, na p. 236


e strang e i ros


80/81

onde vivem os monstros ✦

maurice sendak

ões de 18 milh lares p m e ex os só id vend a nos eu

PRÊMIO HANS CHRISTIAN ANDERSEN

tradução Heloisa Jahn

MEDALha CALDECOTt (1964)

Escrito em 1963, Onde vivem os monstros revolucionou a literatura infantil, abrindo caminho

principais prêmios literários e

para o que hoje conhecemos por

traduzido para mais de vinte

livro ilustrado. A história é a do

idiomas, Onde vivem os monstros

menino Max. Vestido com sua

faz parte da biblioteca básica de

fantasia de lobo, faz tamanha

todo leitor. Chega em português

malcriação que é mandado para

ao Brasil numa bela edição com

o quarto sem jantar. Lá, ele se

tecido e sobrecapa. Como

transporta para uma floresta,

publicado no jornal The New York

embarca em um miniveleiro,

Times, “o trabalho de Sendak,

navega pelo oceano por dias,

disfarçado de fantasia, emerge

semanas, meses, até chegar a

do ‘eu’ primário, da criança que

uma ilha, onde vivem os mons-

espreita no coração de todos

tros. Com o seu olhar, consegue

nós”. Fundamental.

dominá-los e é coroado rei. Max, então, fica livre para mandar e

programa fbn 2010

desmandar, longe de regras e restrições. Neste momento de

1a. edição, 2009 (10 000)

pura selvageria, as ilustrações

1a. reimpressão, 2009 (8 000)

tomam conta do livro e o texto desaparece. Mas, quando Max

capa dura com sobrecapa;

percebe como pode ser perigoso

4 cores; 25,3 x 22,7 cm;

viver com os monstros, a sau-

40 pp.; 22 ils.

dade de casa e daqueles que

isbn 978-85-7503-823-9

realmente o amam começa a apertar o peito. Com mais de 18 milhões de exemplares vendidos só nos

PRÊMIO especial tradução criança (fnlij, 2010)

Estados Unidos, vencedor dos

MELHOR LIVRO ILUSTRADO –

melhores do ano – revista crescer

the NEW YORK TIMES

altamente recomendável tradução ou adaptação criança (fnlij)

PRÊMIO ASTRID LINDGREN MEMORIAL


shel silverstein O americano Shel Silverstein (1930-99) viveu a contracultura dos anos 1960 e foi um grande ativista em favor do desarmamento e da ecologia. A opção da editora pelos livros deste escritor não é casual: passa, sobretudo, pela afinidade com seu posicionamento diante de questões fundamentais da vida. Embora suas histórias façam parte dos catálogos infantis, Silverstein é um desses poucos autores que se pode afirmar ser, de fato, para todas as idades. Dono de um traço preciso, ele revela por meio do próprio desenho toda uma visão de mundo: dizer muito com pouco.

5 mil de 11 mais es a l p r exem o id s vend


82/83

a árvore generosa

Silverstein foi traduzida pelo

tradução

renomado escritor mineiro

Fernando Sabino

Fernando Sabino. Pautando-se pelo respeito

A árvore generosa é uma

aos leitores, a nova edição da

fábula em preto e branco

Cosac Naify restabeleceu o

sobre a amizade, a consciên-

formato original (e generoso)

cia ecológica e a passagem

do livro. Para além das

para a vida adulta. Os estrei-

questões ecológicas, ele

tos laços que aproximam o

sugere um horizonte de

menino e a árvore transfor-

cidadania e responsabilidade

mam-se, pouco a pouco, em

social. Em escala planetária.

distância e silêncio. Ela sempre acolhe e oferta; ele

pnbe 2012

tudo pede e retira. A árvore propõe uma relação de troca

1a. edição, 2006 (3 000)

sincera e desinteressada –

6a. reimpressão, 2011 (4 000)

essa que o menino parece desaprender quando vira

capa dura; pb;

homem. No Brasil, a delicada

21 x 26 cm; 60 pp.; 28 ils.

narrativa criada por

isbn 978-85-7503-475-0

ano – melhores do cer es cr a st vi re


leocádio, o leão que mandava bala tradução Antonio Guimarães Leocádio, o leão que mandava bala pode não ser o livro mais famoso, mas é o predileto do autor. Ao enfrentar um caçador, Leocádio descobre o poder da arma de fogo e suas habilidades de exímio atirador. Da noite para o dia, transforma-se em um astro internacional, despertando curiosidade. Os apelos do mundo do consumo e a aquisição de novas tecnologias o afastam da natureza. Essas são algumas questões que atormentam o pobre leão rico. Boa munição para o professor abrir o apetite do jovem leitor. pnld 2005 pnbe 2006 programa ler e escrever 2008

1a. edição, 2003 (3 000) 1a. reimpressão, 2006 (2 000) capa dura; pb; 16 x 23 cm; 112 pp.; 79 ils. isbn 978-85-7503-218-3


84/85

fuja do garabuja tradução Alípio Correia de Franca Neto O primeiro livro de poemas de Shel Silverstein, de 1964, é o seu único em cores. Nele, o autor adentra o imaginário infantil e convida as crianças a rir dos próprios medos. Fuja do Garabuja é uma coletânea de 45 poemas sobre monstros e criaturas imaginárias, como o Gruto, um bicho bom de disfarce; o Gradiardo, com seus dentes em fila dupla e garras afiadas; o Grício, gordinho de olhos vermelhos, e outros tantos que somente alguém tão criativo como Silverstein poderia criar, com um humor sutil que cativa crianças e adultos. A simplicidade poética e o minimalismo característicos do autor ganham nesta obra o colorido das ilustrações em aquarelas. Para shelebrar! programa fbn 2010

1a. edição, 2009 (3 000) capa dura; 4 cores; 21 x 26 cm; 64 pp.; 43 ils. isbn 978-85-7503-765-2

melhores do an o– revista crescer


uma girafa e tanto tradução

quem quer este rinoceronte?

Ivo Barroso

tradução

Alípio Correia de Franca Neto De modo brincalhão e aparentemente despretensioso,

Se você cansou de gatos,

Silverstein faz bom uso das

cachorros, peixes ou hams-

rimas para denunciar as

ters, e está à procura de um

falsas necessidades do con-

bichinho de estimação dife-

sumo. A pobre girafa carrega

rente, vale a pena conhecer

tantas coisas em suas costas

este rinoceronte. Neste livro,

que só para quando cai no

o autor tenta convencê-lo a

buraco do tatu e descobre

levar para casa este animal

que pode existir sem tudo

pra lá de esquisito. Bons

aquilo. A tradução do poeta

argumentos não faltam: ele

Ivo Barroso, em caráter

devora o boletim com notas

quase autoral, consegue

baixas antes que seus pais o

preservar o humor e o clima

vejam, sabe imitar tubarões e

absurdo do original.

ainda segura a corda para você pular. A convivência

pnld 2005

com o diferente e a tolerân-

pnbe 2005

cia são as questões funda-

programa ler

mentais deste livro.

e escrever 2007 programa fbn 2010

pnbe 2008

1a. edição, 2003 (3 000)

e escrever 2008

programa ler

2a. reimpressão, 2008 (3 000) 2a. edição, 2011 (3 000)

1a. edição, 2007 (3 000) 2a. reimpressão, 2010 (2 000)

capa dura; pb; 21 x 26 cm; 48 pp.; 25 ils.

capa dura; pb;

isbn 978-85-7503-767-6

26 x 22 cm; 64 pp.; 44 ils. isbn 978-85-7503-586-3

ano – res do melho cer s e r c a revist


86/87


altamente recomen dável tradução ou adaptaçã o crianç a (fnlij)

dia de folga

porta aberta para o sonho e a

“O francês Jacques Prévert,

texto

imaginação, enriquecido pelo

com sua linguagem

jacques prévert

olhar ao mesmo tempo coti-

simples e bem-humorada,

ilustrações

diano e trágico. Um dos mais

seu olhar generoso, seu

Wim Hofman

importantes autores da língua

terno humanismo, nos

francesa em tradução refinada

ensina a flagrar o que há

do poeta Carlito Azevedo.

de mágico no cotidiano, a

tradução Carlito Azevedo quarta capa Marcos Siscar

Antologia bilíngue que encan-

aceitar as pequenas

tará crianças e adultos.

fraquezas de todo mundo, a entender aquilo que há

Os poemas do francês

pnld 2005

de rude na vida.”

Jacques Prévert (1900-77)

pnbe 2005

MARCOS SISCAR

falam da liberdade dos passarinhos, do tempo estático dos

1a. edição, 2004 (3 000)

caramujos e da malícia dos

1a. reimpressão, 2009 (2 000)

gatunos. São dezesseis poemas selecionados pelo ilustra-

edição bilíngue

dor Wim Hofman, que também

capa dura; pb;

assina os delicados desenhos

16 x 23 cm; 49 pp.; 28 ils.

em nanquim. O livro é uma

isbn 978-85-7503-320-3


88/89

contos para crianças impossíveis

uníssona por liberdade. Os

texto

histórias infantis – ingênuos,

crianças impossíveis ficarem

jacques prévert

politicamente corretos,

ainda mais “impossíveis”,

ilustrações

obedientes. Fantasioso, mas

para o orgulho de pais

Fernando Vilela

ao mesmo tempo sobre o

e professores.

tradução Alexandre Barbosa de Souza quarta capa José Arthur Giannotti Prévert encampa um discurso

referência direta a outro

bichos de Prévert não são

momento da história política

como os da maioria das

francesa: Maio de 68. Para

pano de fundo da realidade, o livro não poupa o leitor.

programa minha

As sintéticas ilustrações de

biblioteca 2008

Fernando Vilela aproximam o abstrato e o figurativo,

1a. edição, 2007 (3 000)

espelhando a densidade do

1a. reimpressão, 2008 (10 500)

provocativo, em histórias cujos

livro e adentrando o registro

personagens são animais.

das artes plásticas. Se o livro,

edição bilíngue

Ora um dromedário sente-se

publicado em 1947, foi escrito

capa dura; 2 cores;

ofendido ao ser chamado de

originalmente durante a

15 x 23,5 cm; 64 pp.; 12 ils.

camelo, ora um jovem leão

ocupação nazista na França,

isbn 978-85-7503-566-5

revolta-se contra o adestrador,

o projeto gráfico explora a

apoio: Ministério Francês das

ora um cavalo clama em voz

linguagem de cartaz, uma

Relações Exteriores

“São oito ordenações possíveis de temas infantis a serem lidos por crianças impossíveis, adultas porque já são capazes de passear por trilhas onde o Pequeno Polegar, o elefante-marinho, o cavalo e alguns outros personagens são levados por uma narrativa pontuada por atos truculentos.” josé arthur giannotti

te altamen dável recomen ou o çã u trad o criança adaptaçã (fnlij)


os animais de todo mundo

marco, o barco texto

texto

ted hughes

jacques roubaud ilustrações

altamente recomendáv el poesia (fnlij)

ilustrações ✦

Jim Downer

Fefe Talavera

tradução

tradução

Alípio Correia de Franca Neto

Paula Glenadel e

quarta capa

Marcos Siscar

Leonardo Fróes

Neste divertido bestiário,

O designer Jim Downer

inglês), contém um posfácio

o poeta francês Jacques

escreveu e ilustrou Marco, o

de Jim Downer, e uma quarta

Roubaud deposita toda a sua

barco na década de 1950.

capa do poeta e admirador

ironia em 61 sonetos que

Mostrou o livro a seu amigo,

de Hughes, Leonardo Fróes.

celebram animais do mundo

o poeta inglês Ted Hughes,

inteiro, entre eles,

que, após elogiar educada-

o mangusto, o texugo, o tordo

mente os versos “precários”

1a. edição, 2010 (4 000)

e até os dinossauros. Num

de Jim, pôs-se a reescrever a

edição bilíngue

inusitado posfácio, catorze

história em rimas, colando-os

capa dura; 4 cores;

cachorros protestam

sobre as páginas do original

26,7 x 20,2 cm; 48 pp.; 19 ils.

indignados por terem sido

onde Downer tinha feito as

isbn 978-85-7503-897-0

excluídos da edição e fazem

ilustrações em aquarela. Os

eles mesmos o seu soneto.

novos versos só foram desco-

A ilustradora Fefe Talavera

bertos anos depois, no

criou uma forma gráfica

arquivo do poeta. O resultado

bastante original para ilustrar

é este belo poema narrativo,

os bichos: eles são feitos de

que conta a história de Marco, “Criado na década de

letras e números. Recomen-

um barco rebocador que se

dado para todo mundo.

sentia ultrapassado, enferru-

reencontrado e impresso,

jando no cais e que, ao se

este livro que celebra o

1a. edição, 2006 (3 000)

1950, mas só há pouco

libertar, encontra sentido ao

prazer de ir e vir resultou

ajudar uma embarcação a

da convivência entre dois

edição bilíngue

vela, que se torna sua par-

jovens artistas. Suas

capa dura + hot stamping;

ceira e amiga – após várias

palavras nos confortam.

2 cores; 16 x 23 cm; 152 pp.; 47 ils.

tentativas fracassadas de

Suas surpreendentes

isbn 85-7503-509-6

salvar outros barcos e peixes.

aquarelas nos abrem para

apoio: Ministério francês

Publicado em edição fac-

a imaginação sem limites.”

das Relações Exteriores

símile bilíngue (português/

leonardo fróes


90/91


92/93

livro das perguntas

ode a uma estrela

texto

texto ilustrações

ilustrações ✦

Isidro Ferrer tradução Ferreira Gullar

ano – res do melho er c s e r ac revist

pablo neruda

pablo neruda apoio

Colég io Migue l de Cerva ntes

quarta capa

Elena Odriozola tradução e quarta capa Carlito Azevedo

Angela-Lago

Este segundo livro de Pablo Neruda no catálogo

O Livro das perguntas é um ousado experimento

aparentemente, cabem na palma da mão. Neruda fala

da Cosac Naify nos mostra que existem coisas que,

vanguardista com esmerado projeto gráfico e

de um homem que, por adorar as estrelas, resolve

impressão cuidadosa. Nesta viagem ao imaginário

tirar a mais brilhante do céu e escondê-la embaixo de

de Pablo Neruda, um dos maiores poetas do

sua cama. Mas o brilho da estrela denuncia o roubo e

século xx, surgem questionamentos sobre os

o homem se sente envergonhado por seu ato. Nas

animais, os elementos da natureza, o significado

sugestivas ilustrações de Elena Odriozola, a intensa

da vida e da morte, a sua própria existência. Com

luminosidade da estrela converte-se em personagem

ilustrações feitas a partir da reprodução fotográ-

que irradia sua presença ao longo das páginas. Com

fica de colagens e instalações, o artista plástico

tradução do poeta carioca Carlito Azevedo, este livro

espanhol Isidro Ferrer, em vez de tentar responder

é um convite para questionarmos o valor do amor, a

às perguntas de Neruda, capturou a essência dos

possessão, os limites da liberdade.

poemas e criou questões próprias por meio de uma série de pequenos cenários surrealistas –

pnbe 2012

metáforas da sua maneira de perceber o mundo. 1a. edição, 2010 (5 000) pnbe 2009

capa dura; 4 cores; 1 . edição, 2008 (5 000)

21 x 28 cm; 24 pp.; 14 ils.

1a. reimpressão, 2009 (3 000)

isbn 978-85-7503-834-5

a

capa dura + sobrecapa; 4 cores;

“Uma estrela pode iluminar a noite escura

18,5 x 23 cm; 182 pp.; 87 ils.

e ao mesmo tempo caber no bolso de um

isbn 978-85-7503-686-0

homem, como um roubo, como um poema? Um poema pode saltar da folha do livro e luzir “Isidro Ferrer também é dos que preferem

no cinzento dos dias banais? Pablo Neruda

perguntas a respostas, grupo para o qual

apostou nessas duas pequenas utopias que

este livro foi feito e que inclui certamente

colocam, contudo, a vida das pessoas de

as crianças.”

pernas para o ar.”

angela-lago

carlito azevedo ivro ) or l 2009 melh nlij, (f ia s e po

altame nte recom endáve l poesia (fnlij)


a inclui cint r ta on m para figuras onais tridimensi

“Enquanto você joga, acredita na brincadeira; se deixar de acreditar, muda de montaria, e, protegido por uma carapaça, volta a caminhar lentamente e a recuperar o fôlego, como sua amiga, a tartaruga; ou então inventa tranquilamente formas de papel.” jean-pierre ryngaert

imitabichos

cujas ilustrações foram feitas

verdadeiro circo de papel,

texto

por Aleksandr Ródtchenko?

em maquetes feitas a partir

serguéi tretiakóv

O poeta e dramaturgo

de moldes geométricos que

ilustrações

Serguéi Tretiakóv, ao observar

ganham movimento através

Aleksandr Ródtchenko

seus filhos brincarem de

de um jogo de espelhos e

quarta capa

imitar bichos, escreveu nove

sombras. Um livro-espetáculo

Jean-Pierre Ryngaert

divertidos poemas que

em todos os sentidos – além

tradução

ensinam a recriar animais a

de uma grande brincadeira.

Rubens Figueiredo

partir de objetos facilmente

posfácio

encontrados em casa. Para

Odile Belkeddar

ser uma foca, por exemplo,

1a. edição, 2011 (3 000)

basta se enrolar num lençol e

edição bilíngue

O que dizer de um livro infantil

“nadar sem medo no chão”. O

capa dura; 3 cores;

construtivista russo nunca

amigo Ródtchenko e sua

21,5 x 27,8 cm; 48 pp.; 27 ils.

publicado no próprio país,

esposa construíram um

isbn 978-85-405-0005-1


94/95

história da ressurreição do papagaio texto

eduardo galeano ilustrações Antonio Santos tradução Ferreira Gullar quarta capa Eucanaã Ferraz Estreia de Eduardo Galeano,

“Muito além de qualquer

um dos escritores uruguaios

geografia, essa história

de maior referência no cenário

trata de sentimentos

da literatura contemporânea,

universais: compaixão,

na Cosac Naify. Ao passear

ternura, amizade. Mas

por um mercado no Ceará,

talvez o motivo principal

Galeano ouviu um poema

dessa breve narrativa

em cordel sobre a origem

[...] seja nos dizer que a

das cores do papagaio.

grande ambição da arte é

Recontou-o a sua maneira

superar a dor, a morte e

num poema em espanhol, que

reinventar a vida.”

Ferreira Gullar retraduziu para

eucanaã ferraz

a edição brasileira. O artista espanhol Antonio Santos criou esculturas coloridas em madeira, recuperando o trabalho artesanal nordestino. Um livro de transformações e recriações, tal qual o mito do papagaio. pnbe 2012

1a. edição, 2010 (5 000) capa dura; 4 cores; 21 x 28 cm; 24 pp.; 14 ils. isbn 978-85-7503-686-0

ente altam el endáv m o c re ij) l n (f poesia


marcelino pedregulho

“Marcelino Pedregulho, de Jean-Jacques

sempé

Sempé, esbanja simplicidade, economia

tradução

de traços e cores, precisão das palavras

Mario Sergio Conti

e, principalmente... sabedoria.”

orelha

ODILON MORAES

Odilon Moraes Um dos mestres do cartum, referência

Renê Rocha, o garoto violinista que espirra

mundial ao lado de nomes como Steinberg,

o tempo todo, mesmo sem estar resfriado.

o francês Jean-Jacques Sempé ganha

Uma grande e sincera amizade nasce a partir

edições em português. Dono de um traço

das diferenças.

inconfundível, e colaborador de revistas como a The New Yorker, Sempé lida com temas

pNBE 2011

curiosos usando o humor sutil. Como neste livro, Marcelino Pedregulho, o menino que

1a. edição, 2009 (3 000)

enrubesce sem nenhum motivo. Todos o

1a. reimpressão, 2011 (3 000)

acham muito diferente, mas Marcelino não entende o porquê. Então, ele se isola das

brochura; 4 cores;

outras crianças para poder brincar em paz.

17 x 22 cm; 128 pp.; 65 ils.

Até que conhece um vizinho muito estranho:

isbn 978-85-7503-815-4

melhores do ano – revista crescer

altamente recomen dável tradução ou adaptaçã o crianç a (fnlij)


96/97

raul taburin

não sabe andar de bicicleta. E a chegada do

sempé

fotógrafo Hervé Figure complicará ainda

tradução

mais a sua situação. Um exímio Sempé,

Mario Sergio Conti

para aqueles que sabem da importância de

quarta capa

um verdadeiro amigo.

Cássio Loredano 1a. edição, 2010 (4 000)

Raul Taburin é o melhor mecânico de bicicletas de Saint-Céron: sabe identificar

brochura; 4 cores;

todos os barulhos, corrente solta, guidão

17 x 22 cm; 96 pp.; 80 ils.

desbalanceado, rodas de aro torto, e também

isbn 978-85-7503-927-4

as minúcias como um chiado, um treme-

altamente el recomendáv tradução ou iança adaptação cr (fnlij)

treme. Sua fama é tamanha que o veículo passou a ser chamado de taburinha. Apenas dois outros cidadãos de Saint-Céron desfru-

“Raul Taburin é literatura. Embora feita

tam do mesmo privilégio: Fréderic Bifalha,

por um desenhista, um contista que se

óptico, e Augusto Tourinho, especialista em

vale de finíssimos desenhos para

presuntos. Poderíamos escutar na vila, com

substituir a descrição de personagens e

facilidade, alguém dizer que enxerga melhor

cenários por palavras – mantendo para

com bifalhas, come um delicioso tourinho

estas a tarefa então enxuta de comunicar

e anda de taburinha. Mas, Raul Taburin tem

o que as imagens não querem dizer.”

um segredo, que há anos o consome: ele

cássio loredano


snoopy extraordinário ✦

snoopy – primeiro de abril

charles m. schulz

charles m. schulz

tradução

tradução

Intercontinental Press

Intercontinental Press

quarta capa

quarta capa

Umberto Eco e Chris Ware

Bill Watterson e Rafael Coutinho

Os protagonistas da série de quadrinhos

O livro reúne 112 tiras e dezoito páginas

mais famosa de todo o mundo, Snoopy,

dominicais criadas por Schulz na década de

Charlie Brown e toda a turma estreiam na

1970. O leitor poderá se deliciar com as deze-

Cosac Naify nesta seleção das melhores

nas de recusas recebidas pelo cão em res-

páginas dominicais de Schulz, das décadas

posta a seus incríveis contos (a não ser no

de 1960 e 70. Em Snoopy Extraordinário, o

dia da mentira), assistir a uma encenação de

cachorro filosófico e seu dono tímido e

Guerra e paz em fantoches e compartilhar

desajeitado protagonizam situações de

das angústias do cachorro escoteiro perdido

amizade, desentendimento e reflexão sobre

na mata. Há ainda tiras protagonizadas por

questões existenciais, sempre de forma

Charlie Brown, Lucy e Schoeder, Marcie e

bem-humorada, seja em uma partida de

Patty Pimentinha, Sally e toda a turma.

beisebol ou no repouso inquieto sobre o telhado da casinha. Publicada pela primeira

1a. edição, 2010 (5 000)

vez nos Estados Unidos em 1950, a série, que permanece atual e encanta leitores de

capa dura; 4 cores;

todas as idades, foi inclusive tema de um

22 x 29 cm; 56 pp.; 44 ils.

ensaio do escritor italiano Umberto Eco.

isbn 978-85-7503-929-8

1a. edição, 2010 (5 000)

“Charles Schulz abriu o caminho que quase todo cartunista tem tentado trilhar

capa dura; 4 cores;

desde então.”

22 x 29 cm; 56 pp.; 44 ils.

bill watterson

isbn 978-85-7503-928-1

“Copiei Schulz compulsivamente “Uma pequena comédia humana

durante anos. Passei a tentar escrever

para todos os gostos.”

como Schulz: criar um universo similar

Umberto eco

àquele em que a vida dos personagens e o imaginário infantil se misturam e se tornam relevantes para adultos e crianças. Percebi que era impossível.” rafael coutinho


98/99

o natal da turma do snoopy

charles m. schulz tradução Intercontinental Press quarta capa Augusto Massi

Como o título sugere, trata-se de uma

“Simpaticamente

seleção das melhores tiras com a temática

neurótica e crítica,

natalina publicadas por Charles Schulz, de

esta turma não poupa

1950 a 1999. São mais de 230 tiras e trinta

ninguém – seja o melhor

páginas dominicais em que Sally questiona

amigo, o irmão mais

a existência do Papai Noel, Linus encara a

novo, Deus ou até

timidez para participar da peça de Natal,

mesmo o Papai Noel.”

Lucy exige cartões de Schroeder, Patty

augusto massi

Pimentinha sofre com as redações de férias e, claro, Snoopy enfeita a árvore e a casinha, veste-se de Papai Noel e abre todos os presentes antes da hora. Por trás de cada história cômica, Schulz reflete sobre o sentido desta data comemorativa, o verdadeiro “espírito natalino” e os valores que nos movem nesta época do ano. Um verdadeiro presente de Papai Noel para adultos e crianças. 1a. edição, 2010 (5 000) capa dura; pb; 22 x 29 cm; 112 pp.; 44 ils. isbn 978-85-7503-946-5


100/101

“Uma nova edição de Alice no País das Maravilhas é sempre bem-vinda. Ainda mais quando não se limita a ser uma adaptação ligeira, mas soma

melhor tradução ou adaptaçã o crianç a (fnlij, 2010 )

uma boa tradução do texto integral a maravilhosas ilustrações.” ana maria machado

alice no país das maravilhas

Em comemoração, a editora preparou

texto

uma edição de colecionador, limitada, no

lewis carroll

papel gardapat, com capa diferenciada e

ilustrações ✦

pequena filmografia baseada na história.

acondicionada em uma caixa.

Luiz Zerbini tradução e posfácio

pNBE 2011

Nicolau Sevcenko

programa fbn 2010

quarta capa Ana Maria Machado

1a. edição, 2009 (7 000) 3a. reimpressão, 2010 (10 000)

O inventivo texto de Lewis Carroll ganhou

brochura com cantos arredondados; 4 cores;

tradução integral e impecável do escritor e

17 x 23 cm; 168 pp.; 31 ils.

historiador Nicolau Sevcenko, com posfácio

isbn 978-85-7503-849-9

exclusivo e versões inéditas dos poemas. O artista plástico Luiz Zerbini, atraído pelo

edição especial limitada, 2009 (3 000)

universo de baralhos, inspirou-se em “Lewis

caixa + brochura com

Carroll fotógrafo” para criar pequenas

cantos arredondados [abaixo];

maquetes com as cartas, fotografadas em

4 cores; 17 x 23 cm; 168 pp.; 31 ils.

cenários reais, criando um efeito de 3d.

isbn 978-85-7503-877-2

O trabalho de edição demorou dois anos para ser concluído e o resultado é um livro de tirar o fôlego. Além do magnífico projeto gráfico, com os cantos arrendondados que simulam cartas de baralho, a edição traz indicações de estudos e ensaios sobre Alice, além de biografias do autor, uma seleta relação de artistas que já se aventuraram pelo País das Maravilhas, links úteis e uma


Peter Newell Este inventivo autor norte-americano marcou época na literatura infantil como precursor do livro-objeto, cujo formato traduz a ação da história. As ilustrações, que acompa­­nham a linguagem rimada e divertida, lembram a Nova York do começo do século xx, forte inspiração nas telas de Hopper. Se os personagens de Newell são tipos comuns da cidade, suas narrativas primam pelo inusitado. Nascido em 1862, estudou artes em Nova York, onde montou seu estúdio. O livro inclinado (1910) e O livro do foguete (1912) estão entre as principais obras deixadas pelo autor, após sua morte em 1924, sendo citadas inclusive em livros de referência como Era uma vez uma capa. As obras de Newell foram publicadas em edição fac-similar.


102/103

o ou traduçã melhor iança cr o çã adapta ) (fnlij, 2009

ano – res do melho er c s a cre revist

o livro inclinado

o livro do foguete

tradução

tradução

Alípio Correia de Franca Neto

Ivo Barroso

O formato inclinado deste livro nos

O que acontece quando um menino

dá uma pista do que o leitor irá

acende um morteiro no porão de

encontrar ao abri-lo: um carrinho

um edifício? O foguete dispara

de bebê foge desgovernado ladeira

prédio acima, furando todos os

abaixo, causando uma grande

apartamentos – e as páginas do

desordem por onde passa – atropela

livro. No caminho, perfura uma

a moça que carrega uma cesta

banheira, arranca a peruca do vovô,

de ovos, derruba um pintor do alto de

acende um cigarro... até chegar à

uma escada, passa pelo meio de dois

cobertura. As ilustrações interagem

homens com uma vidraça... Um deleite

com o furo nas páginas, essenciais

para crianças de todas as idades.

para a narrativa em versos. Para crianças arteiras que moram nas

programa fbn 2010

grandes cidades.

1a. edição, 2008 (5 000)

1a. edição, 2008 (5 000)

capa dura; 4 cores;

capa dura; 4 cores;

26,4 x 17 cm; 48 pp.; 23 ils.

22 x 18 cm; 48 pp.; 23 ils.

isbn 978-85-7503-263-3

isbn 978-85-7503-262-6

ente altam vel endá m reco u o o ã uç nça trad o cria ã ç a t adap ) (fnlij


os meninos da rua paulo texto

ferenc molnár ilustrações Tibor Gergely tradução Paulo Rónai posfácio e notas

mil de 50 mais res a l p exem idos vend

Nelson Ascher orelha Laura Sandroni, Marçal Aquino, Tatiana Belinky e Edgard Scandurra A história dos meninos que travam batalhas

“Molnár descreve com paixão os

de vida ou morte nas ruas de Budapeste, no

problemas íntimos, as peripécias e

final do século xix, ainda fascina leitores de

as reações comuns a todos os meninos

várias gerações. Publicado em 1907, este livro

e meninas que, em qualquer país,

projetou mundialmente o húngaro Ferenc

procuram espaço para o indispensável

Molnár (1878-1952). Está para nascer quem

exercício do espírito lúdico.”

não se identifique com o espírito de amizade

laura sandroni

e heroísmo presente nesta obra maravilhosamente traduzida por Paulo Rónai. Esta nova

“Mais que um clássico, uma verdadeira

edição, inteiramente revista, traz posfácio de

experiência de vida.”

Nelson Ascher, além dos depoimentos de

marçal aquino

Tatiana Belinky, Laura Sandroni, Marçal Aquino e Edgard Scandurra. Leitura obrigató- “Os meninos da rua Paulo é um ria para professores, bibliotecários, alunos e

livro que fez parte da minha própria

ex-alunos, amigos do bairro, miúdos e mar-

adolescência. Esta obra é um clássico

manjos. Um clássico da literatura juvenil que

na plena acepção do termo, e fez a

já conquistou mais de um milhão

alegria também dos meus filhos.”

de leitores.

tatiana belinky

pnbe 2009 programa minha biblioteca 2010

“Que idade mais feliz é essa em que brincar de guerra é algo muito divertido.” edgard scandurra

1a. edição, 2005 (7 000) 6a. reimpressão, 2011 (7 000) brochura; pb; 13 x 20 cm; 264 pp.; 31 ils. isbn 978-85-7503-431-6


104/105


106/107

coração

“O Coração era o livro de leitura

texto

adotado na minha classe. Para mim,

edmondo de amicis

porém, não era um livro de estudo.

ilustrações

Era a porta de um mundo, não de

Serrote

evasão, mas de um sentimento

tradução

misturado, com a intuição terrificante

Nilson Moulin

das tristezas e maldades da vida.”

posfácio

manuel bandeira

Antonio Faeti orelha Bernardo Ajzenberg quarta capa Manuel Bandeira Livro de cabeceira de autores como

muito mais delicadas, para além do novo

Manuel Bandeira e Paulo Mendes Campos,

universo escolar em que entrou. Coração

Coração (1886), do italiano Edmondo De

permanece atemporal ao tratar de temas

Amicis, foi um marco na vida intelectual

como convivência, solidariedade, compaixão

brasileira e um dos títulos estrangeiros mais

e cidadania.

vendidos entre as décadas de 1920 e 40 no Brasil. A nova edição, cujo projeto gráfico

1a. edição, 2011 (4 000)

evoca um antigo caderno escolar, conta com a tradução de Nilson Moulin, notas

brochura + tipografia sobre

explicativas dos trechos históricos, posfácio

3 cores de cartolina; 2 cores;

exclusivo escrito pelo crítico italiano Antonio

13 x 20 cm; 352 pp.; 12 ils.

Faeti, texto de orelha assinado pelo escritor

isbn 978-85-7503-970-0

Bernardo Ajzenberg e uma biobibliografia. Este clássico romance de formação narra a passagem da infância para a adolescência de uma heterogênea turma de garotos que se veem diante de novas e complexas experiências de vida. O livro é o diário de Enrico, que irá se deparar com situações

3 OPÇÕES DE C

APA


a diaba e sua filha texto

lugar dos pés, suscita no leitor alguma

marie ndiaye

hesitação e muitos questionamentos. Um livro

ilustrações ✦

graciosa, olhos doces, mas com cascos no

Nadja tradução Paulo Neves quarta capa e orelha

enigmático que nos convida a refletir sobre como o afeto é capaz de humanizar até a aparentemente mais aterrorizante criatura e sobre a importância de se respeitar as diferenças, visíveis e invisíveis.

Mia Couto 1a. edição, 2011 (3 000)

A atmosfera noturna dá um caráter sombrio e misterioso à história da franco-senegalesa

brochura; 1 cor;

Marie NDiaye, autora de Coração apertado

13 x 20 cm; 40 pp.; 14 ils.

(Cosac Naify, 2010). O sincretismo de NDiaye

isbn 978-85-7503-920-5

ecoa em seu texto, mescla de metáforas dos contos de fada tradicionais e de elementos da literatura africana. No livro, uma diaba sai todas as noites da floresta à procura de sua filha que

“NDiaye escreve sobre os nossos

desapareceu misteriosamente, junto com a

medos e o modo como eles são

casa onde moravam. Certa vez, percebe que

colectivamente construídos. Escreve

seus delicados pés haviam se transformado em

sobre a necessidade de classificarmos

cascos de cabra – deformidade que causa

os outros e os arrumarmos em bons e

repulsa nas pessoas. A ambiguidade da

maus, em anjos e monstros.”

personagem – alegoria da noite –, de face

mia couto


108 /109

joão e os sete gigantes mortais

capitais personificados em gigantes mortais.

texto

avessas e renova a estrutura dos contos tradi-

sam swope

cionais, misturando gigantes da literatura, da

Nesta divertida prosa, o autor cria um herói às

ilustrações

Bíblia aos Irmãos Grimm: o desafio do leitor é

Carll Cneut

encontrar nas entrelinhas outras histórias.

tradução Maria Guimarães orelha

Feijões mágicos, maçãs rosadas, rainhas más e princesas aprisionadas são algumas das pistas. Indicado para leitores fluentes com

Laura Sandroni

apurado senso de humor.

João é considerado culpado por tudo de

1a. edição, 2008 (3 000)

ruim que acontece na vila onde mora. A gotad’água, porém, é a notícia de que sete gigan-

brochura; pb;

tes mortais rondam a aldeia, fazendo desmaiar

13 x 20 cm; 112 pp.; 11 ils.

homens e mulheres. Culpado, o menino foge

isbn 978-85-7503-608-2

da vila e, pelo caminho, terá de descobrir maneiras inteligentes de derrotar as monstruosas criaturas, que assustam por suas peculia- “Uma história que parece conhecida – ridades: a preguiça do Poeta Gigante, a gula

como, de resto, todos os contos tradicio-

do Terrível Guloso, a ira de Dona Iracúndia, a

nais – mas escrita com originalidade,

luxúria do Cocegão Selvagem, a avareza de

talento e empatia, e com muitos persona-

Avarico, a vaidade de Orgulha, a Grande, e a

gens divertidos e surpreendentes.”

soberba da Rainha Verde – os sete pecados

laura sandroni


meu tio texto

jean-claude carrière ilustrações ✦

Pierre Étaix tradução Paulo Werneck quarta capa Cao Hamburger O escritor e roteirista Jean-Claude Carrière fez, neste romance, o caminho inverso ao de costume: passou da tela para a página. Partindo do filme Meu tio, de Jacques Tati, Carrière conta em primeira pessoa a história de um garoto de oito anos dividido entre as regras impostas por pais seduzidos pelas facilidades da vida moderna e a liberdade oferecida por um tio, o senhor Hulot, cuja falta de adaptação a esse mundo novo preserva as relações afetivas entre as pessoas e a cidade. As ilustrações de Pierre Étaix, que desenhou os cenários do filme, se tornaram marca registrada da estética do universo criativo de Tati.

pnbe 2009 programa minha biblioteca 2010

1a. edição, 2009 (3 000) 1a. reimpressão, 2010 (4 100) brochura; 1 cor; 13 x 21 cm; 176 pp.; 94 ils. isbn 978-85-7503-855-0


110/111

“Este livro de frases curtas, claro e imagético, deixa espaços para criar um novo filme na mente do leitor. As ilustrações de poucos traços de Pierre Étaix [...] completam a experiência. Uma experiência tão prazerosa quanto ver o filme original.” cao hamburger

Veja também o Na garupa livro-imagem de David , tio u Me do p. 205 Merveille, na


PAWANA

a árvore dos desejos

texto

texto

j. m. g. le clézio

william faulkner ilustrações

ilustrações Guazzelli tradução Leonardo Fróes quarta capa

direit os vend idos : donz elli (itál ia , 20 10)

Guazzelli tradução Leonardo Fróes

os direit os: id vend elli donz ) , 2010 ia (itál

orelha

Daniel Galera

Emilio Fraia

Inspirado em uma lenda “verdadeira” sobre

Antes de William Faulkner, um dos maiores

um lugar encantado onde as baleias-cinzen-

escritores do século xx, escrever os roman-

tas vão parir seus filhotes, o prêmio Nobel de

ces que lhe renderam o Prêmio Nobel de

literatura j. m. g. Le Clézio, com seu texto ágil

Literatura, ele se dedicou a esta novela

e pungente, faz um comovente depoimento

infantojuvenil que já anunciava seu extraordi-

da caça a estes animais e da agressão à

nário domínio da prosa. A Árvore dos Desejos

natureza por meio de um relato de viagem.

alterna o fantástico com o real, em persona-

A história rememora um episódio de 1856,

gens que encolhem, lerofantes (sim, uma

quando a América assistia à colonização da

espécie de elefante), rio correndo na vertical

costa da Califórnia. O capitão do navio Léo-

e... uma árvore mágica. No dia de seu aniver-

nore, Charles Melville Scammon, movido pela

sário, a menina Dulcie acorda na presença

curiosidade e pelo espírito aventureiro, parte

de Maurice, um estranho garoto ruivo, que

com sua tripulação em busca desta enseada

promete uma jornada inesquecível em busca

desconhecida, do paraíso escondido entre as

da Árvore dos Desejos. Outras crianças se

rochas do litoral. As impactantes ilustrações

juntam à caravana rumo à floresta, onde

de Guazzelli imortalizam o paraíso como ele

conhecem personagens curiosos. Por meio

foi um dia.

de uma narrativa fluente e sem intervalo, Faulkner brinca com o verdadeiro e o imagi-

“Mais do que uma narrativa de aventura,

nário, uma espécie de reflexo de nossos

J. M. G. Le Clézio constrói a partir deste

desejos. As figurativas ilustrações de

episódio um relato sobre a profanação

Guazzelli potencializam o onírico da obra.

irreversível da natureza.” DANIEL GALERA

Programa minha biblioteca 2011

1a. edição, 2009 (3 000)

1a. edição, 2009 (4 000) 1a. reimpressão, 2011 (4 800)

capa dura; 2 cores; 16 x 22,6 cm; 64 pp.; 14 ils. isbn 978-85-7503-848-2

capa dura com sobrecapa; 2 cores; 16 x 23 cm; 56 pp.; 15 ils. isbn 978-85-7503-769-0

altamente recomen dável tradução ou adaptaçã o jovem (fnlij)


112/113

“A Árvore dos Desejos é uma odisseia fabulosa: crianças encolhem, pôneis saem de uma sacola e, se alguém ‘virar o travesseiro de lado antes de pegar no sono, tudo pode acontecer’.” emilio fraia


um dia de chuva eça de queiroz ilustrações ✦ Guazzelli quarta capa

Antonio Candido Conto primoroso (e pouco conhecido) do português Eça de Queiroz, escrito perto de sua morte. O enredo é simples e aponta para uma singela história de amor, encoberta por uma chuva incessante. José Ernesto, um solteirão de Lisboa, vai até o Norte de Portugal com o intuito de comprar uma quinta. Ao chegar, sucedem-se vários dias de chuva sem trégua. Impossibilitado de conhecer a propriedade, José Ernesto ouve ao redor da mesa, ao sabor das iguarias rurais e do vinho, o padre e procurador dos donos da casa descrever D. Joana, filha do proprietário, por quem se apaixona antes mesmo de conhecê-la. As ilustrações de Guazzelli criam a atmosfera romântica que se forma, gradativamente, entre ele e a moça, priorizando o interior do casarão do século xvi. 1a. edição, 2011 (4 000) capa dura; 2 cores; 15,5 x 22 cm; 40 pp.; 16 ils. isbn 978-85-7503-907-6

“O enredo é simples, tecido tchekhovia­namente com quase nada, fino e leve como teia de aranha. [...] Narrativa de atmosfera, cujo princípio estrutural é a surda competição entre a chuva que fecha o mundo e a imagem solar da moça que rompe as brumas.” antonio candido


114/115

a janela de esquina do meu primo

melhor tr adução ou adapta ção jove m (fnlij, 2011 )

texto

e. t. a. hoffmann ilustrações a honros menção tes n o iz r o novos h e (feira d a , 2011) bolonh

Daniel Bueno tradução Maria Aparecida Barbosa posfácio Marcus Mazzari quarta capa Modesto Carone Neste conto, publicado originalmente em

de época – que foi recortada em pequenas

1822, o autor alemão e. t. a. Hoffmann

partes, as quais entram no texto como uma

introduz o conceito de multidão pela primeira

janela que se abre para a praça.

vez na literatura ocidental, o que abriu caminho para que outros escritores desenvol-

1a. edição, 2010 (5 000)

vessem o tema, como Edgar Allan Poe em O homem da multidão. De caráter autobio-

capa dura; 4 cores;

gráfico, A janela de esquina do meu primo

16 x 23 cm; 80 pp.; 40 ils.

narra a história de dois primos que observam

isbn 978-85-7503-890-1

o movimento da praça do mercado em Berlim, apoio: Goethe-Institut do alto de uma janela de um pequeno apartamento de esquina. Um ensina ao outro a arte de atentar para os tipos que visitam a feira, observando cuidadosamente as mudanças sociais de uma das passagens mais significa- “Sua prosa de ultrarromântico é superlativa tivas do século xix para o xx: o surgimento

e, já na superfície do texto, é possível

das grandes cidades. O posfácio de Marcus

acompanhar as curvas do humor negro, o

Mazzari joga luz a este autor como um dos

eco de uma gargalhada que anuncia o

mais influentes escritores do realismo, citado

realismo e a tendência a revirar a alma do

por Machado de Assis e Walter Benjamin.

leitor. [...] Quem ler sem dúvida vai gostar.”

A quarta capa de Modesto Carone coloca

modesto carone

este pequeno conto de Hoffmann como uma das obras-primas do autor, muito mais importante que os textos comumente difundidos.

“É como se o próprio Hoffmann tivesse

O ilustrador Daniel Bueno fez uma grande

confidenciado a Daniel Bueno o segredo

ilustração da feira – seus personagens e

de seus contos.”

arquitetura, com colagens a partir de imagens

membros do júri, feira de bolonha


john burningham

fique longe da água, shirley!

Um dos mais reconhecidos autores

tradução

contemporâneos, da mesma geração de

Claudio Alves Marcondes

Maurice Sendak, o inglês John Burningham

quarta capa

tem cerca de sessenta livros publicados

Peter Hunt

e já vendeu mais de quatro milhões de exemplares em todo o mundo. Seu sucesso

Um dia na praia é o tema deste livro, publicado

e originalidade se devem ao esforço em

originalmente em 1977. Os pais preparam o

criar histórias a partir da perspectiva da

“acampamento”, bebem água e leem o jornal,

criança. Dotado de uma capacidade única

enquanto dão diversas recomendações à

de mesclar as trivialidades do mundo adulto

menina. Ela, longe dali, enfrenta piratas e até

e as fantasias do universo infantil, seus

descobre um tesouro escondido.

livros ressaltam o contraste entre estas duas realidades. Mais um clássico para o

1a. edição, 2011 (5 000)

catálogo da Cosac Naify. brochura; 4 cores; 28,8 x 23 cm; 32 pp.; 26 ils. isbn 978-85-7503-955-7

“Fique longe da água, Shirley! é um livro revolucionário, que faz com que crianças e adultos olhem uns para os outros com mais compreensão.” peter hunt


116/117

hora de sair da banheira, shirley! tradução Claudio Alves Marcondes quarta capa Alan Powers Em 1978, Burningham criou uma nova história para Shirley, desta vez sobre a hora do banho. Enquanto a mãe dá broncas pelos maus hábitos da filha, ela parte, pelo ralo da banheira, para um reino encantado onde anda com cavaleiros, conhece o castelo e ainda sobra tempo para uma divertida batalha com o rei e a rainha, montada em seu pato de borracha. 1a. edição, 2011 (5 000) brochura; 4 cores; 28,8 x 23 cm; 32 pp.; 26 ils. isbn 978-85-7503-956-4

“Hora de sair da banheira, Shirley! parece dizer, para pais e filhos, que a experiência imaginativa sempre vale a pena.” alan powers


wolf erlbruch O alemão Wolf Erlbruch escreve e ilustra obras bem curiosas. Os temas que aborda tratam da existência do homem, estimulam a reflexão e sugerem um grande mistério. Da mesma forma, suas ilustrações, inteligentes e provocativas, arrancam do leitor um riso sempre discreto. O reconhecimento mundial veio com o prêmio Hans Christian Andersen 2006, considerado o Nobel da literatura infantojuvenil, pelo conjunto da obra.

HANS PRÊMIO ANDERSEN CHRISTIAN


118/119

a criação texto

a tabuada da bruxa

bart moeyaert

texto

tradução

j. w. goethe

Samuel Titan Jr.

tradução

O belga Bart Moeyaert achou um modo original de narrar os sete dias da Criação. Partindo do

Jenny Klabin Segall Erlbruch demonstra toda a sua genialidade

texto bíblico, o livro é um diálogo entre Deus e o

nesta interpretação visual do poema

Homem. Moeyaert recontou em palavras o

“A tabua­da da bruxa”, extraído da obra-prima

oratório do austríaco Franz Joseph Haydn,

de J. W. Goethe, Fausto (1808-32), na respei-

A Criação (1798). A leveza de Haydn é percebida

tada tradução de Jenny Klabin Segall. Esse

no tom da fala deste Deus bonachão e de sor-

pequeno poema, que até hoje desafia os

riso largo, como o traço do ilustrador alemão

especialistas em Goethe, foi contemplado

Wolf Erlbruch o representa. O contraponto é

com as divertidas e enigmáticas ilustrações

o Homem pequenino e assustado diante do

de Erlbruch.

fenômeno que testemunha: a criação de todas as coisas.

1a. edição, 2006 (3 000)

1a. edição, 2006 (3 000)

brochura; 4 cores; 31 x 18 cm; 32 pp.; 14 ils. isbn 85-7503-390-5

brochura; 4 cores; 21 x 26 cm; 32 pp.; 15 ils. isbn 85-7503-554-1

altamente vel recomendá ou tradução criança adaptação (fnlij)

altamen te recome ndável traduç ão ou adaptaç ão cria nça (fnlij)


a grande questão tradução Roberta Saraiva e Samuel Titan Jr. Com extrema delicadeza, Wolf Erlbruch coloca o leitor na condição de um entrevistador. Os pais, a avó, o gato, o soldado, a pedra... cada um tem a sua resposta para a grande questão: por que viemos ao mundo? As respostas são ora diretas, como a do padeiro que diz estar aqui “para acordar cedo”, ora insólitas, como a do pato que diz não ter “a menor ideia”. Uma bela e divertida introdução à filosofia. Para curiosos de plantão. pnbe 2008

1a. edição, 2006 (3 000) brochura; 4 cores; 17 x 29 cm; 48 pp.; 22 ils. isbn 85-7503-391-3

r livro melho prêmio nha lo o eb feira d (2004)


120/121

o pato, a morte e a tulipa tradução José Marcos Macedo Neste livro, Erlbruch propõe nova reflexão sobre o nosso lugar no mundo. Com naturalidade, questiona “para onde vamos” por meio de uma amizade incomum. Se dizem que a morte nunca atrasa, o autor nos mostra que, ao conhecer e se encantar com um pato, ela perde a noção do tempo e até desfruta um pouquinho da vida. O pato a ensina a mergulhar no lago, a subir em árvores e a tirar uma soneca. E onde a tulipa entra nesta história? A resposta cabe ao leitor. programa fbn 2010

1a. edição, 2009 (3 000) brochura; 4 cores; 24 x 29,5 cm; 32 pp.; 25 ils. isbn 978-85-7503-831-4

nte altame l endáve m o c e r ou o ã ç u trad iança ção cr adapta (fnlij)

ano – res do melho er c a cres revist


altamente recomen dável tradução ou adaptaçã o crianç a (fnlij)

o anjo da guarda do vovô tradução Christine Röhrig quarta capa Antonio Ventura Este livro trata de um assunto delicado: a morte vista de um olhar que nos educa para a vida. Um garoto escuta as aventuras do avô – agora numa cama de hospital –, mas o que o neto nem imagina (e que só os desenhos mostram) é que em todas as situações de perigo havia um anjo zelando por ele. A cada página, o leitor se emociona com a sutileza das ilustrações perpassadas por um humor fino, com a poesia que se infiltra nos assuntos mais espinhosos.

jutta bauer pnld 2004

A autora e ilustradora alemã Jutta Bauer nasceu em 1955, em Hamburgo. Estudou na

1a. edição, 2003 (3 000)

Escola Superior de Desenho, onde se dedicou

2a. reimpressão, 2009 (3 000)

à ilustração e descobriu um modo delicado e bem-humorado de contar histórias. Seus

capa flexível; 4 cores;

desenhos e aquarelas foram comparados

17 x 20 cm; 48 pp.; 37 ils.

aos de Sempé. Jutta visitou o Brasil em 2006,

isbn 978-85-7503-202-2

quando participou do 8º. Salão do Livro para Crianças e Jovens, promovido pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

“O mito do anjo da guarda se reinventa nesta história. Nela, a voz da autora Jutta Bauer é quase

PRÊMIO HANS CHRISTIAN ANDERSEN

um sussurro.” ANTONIO VENTURA


122/123

a rainha das cores tradução Manuel Olívio quarta capa Diana Corso

Jutta Bauer dá personalidade

altamente vel recomendá ou ão uç trad criança adaptação ij) (fnl

às cores fazendo delas personagens que vivem em função das ordens de uma rainha temperamental. Até que chega o insubordinado amarelo e provoca a maior revolução: deixa cinza a vida da rainha. De tão triste ela chora um rio de lágrimas. E no final... você pode ficar vermelho de raiva, mas não podemos contar. Com extrema simplicidade, a autora estimula a criança a estabelecer relações entre as cores e o comportamento humano. Ilustrado com lápis de cera. 1a. edição, 2003 (3 000) 1 . reimpressão, 2010 (2 500) a

“Jutta Bauer consegue ser profunda com poucos elementos: algumas

capa flexível; 4 cores;

palavras, traços simples

14 x 21 cm; 64 pp.; 40 ils.

bem-humorados e de

isbn 978-85-7503-203-9

impressionante força dramática. Assim, fica fácil encontrar-se em seus personagens.” DIANA CORSO


altamen te recome ndável traduçã o ou adaptaç ão cria nça (fnlij)

selma

autora retratam uma Selma

tradução

rechonchuda, simpática e muito

Marcus Mazzari

carismática. Jutta manuscreveu o texto em português, um

O dia a dia da ovelha Selma é

detalhe simples que conferiu

aparentemente comum: ensinar

vivacidade e deu um tom pessoal

as crianças a falar, praticar um

à edição. É impossível não se

pouco de esporte, conversar

tornar adepto dos princípios

com a vizinha, comer grama,

desta charmosa e fiel defensora

dormir profundamente. A

do jeito simples de viver. Para

diferença está na satisfação com

os filhos lerem aos pais.

que ela realiza essas atividades. Selma aprecia a vida em sua

1a. edição, 2007 (3 000)

essência e, por isso, vê beleza

2a. reimpressão, 2010 (3 000)

naquilo que é comum. E nem se tivesse mais tempo ou se

capa dura; 4 cores;

ganhasse na loteria ela mudaria

15 x 11 cm; 56 pp.; 25 ils.

seus hábitos. As ilustrações da

isbn 978-85-7503-578-8


124/125

mamãe zangada tradução Irene Fehrmann Certamente todas as mães já perderam a paciência com seus filhos e acabaram gritando bem alto com eles. Em Mamãe zangada, Jutta Bauer cria uma emocionante metáfora para mostrar o que acontece com as crianças quando a mãe lhes dá uma bronca: o pequeno pinguim se despedaça em pleno ar. Com ilustrações expressivas e texto sucinto, a autora revela o esforço da mãe para reparar o dano causado ao seu filhote. Boa maneira de trabalhar os conflitos familiares, o arrependimento e a culpa. 1a. edição, 2008 (3 000) capa dura; 4 cores; 19,5 x 15,5 cm; 40 pp.; 18 ils. isbn 978-85-7503-237-4

cher deuts is prêmio urpre t a dliter jugen (2001)

ano – res do melho er c s e a cr revist


na noite escura ✦

bruno munari tradução Nilson Moulin Considerado um marco na história da edição e referência em publicações para crianças, o designer italiano Bruno Munari reinventa nesta obra a relação com o livro. Na noite escura requer uma leitura sensorial, por meio de diferentes papéis combinados com imagens simples e texto conciso. Publicado pela primeira vez em 1956, o livro nos convida a adentrar Na noite escura e nos mistérios que ela guarda. Somos atraídos por uma misteriosa luz brilhante revelada através de furos nas páginas. A primeira parte, em papel preto, traduz a atmosfera noturna. Na segunda parte, o papel translúcido sugere uma neblina matinal e marca a passagem do tempo. A aventura termina no interior de uma gruta, nas páginas em papel pardo. Fundamental para crianças inventivas, que poderão interagir com folhas recortadas, texturas, cores e materiais diversos. Essencial também para educadores, designers e ilustradores. 1a. edição, 2008 (5 000) capa dura; 4 cores; 16 x 23 cm; 54 pp.; 33 ils. isbn 978-85-7503-680-8

ano – res do melho er c a cres revist


126/127


pequeno 1

Rand criou ilustrações

texto

sintéticas e com alto poder

ann rand

comunicativo, que seguem a

ilustrações Paul Rand tradução Alípio Correia de Franca Neto quarta capa Chico Homem de Melo

cadência dos versos rimados de Ann Rand. Acompanhar a saga de Pequeno 1 à procura de amigos é uma forma divertida de as crianças aprenderem a contar, somar e reconhecer os numerais. Além

O clássico moderno Pequeno 1,

disso, o Patinho Feio dos

do renomado artista gráfico

números evoca a importância

Paul Rand, foi o primeiro livro

da amizade e do companhei-

de um grande designer no

rismo em detrimento da

catálogo infantojuvenil da

exclusão e da indiferença.

editora: design para crianças.

Para filhos únicos e todos

Por ser pequeno, magro e

os que se sentem sozinhos.

sem graça, Pequeno 1 sofre com a falta de amigos. Mas o

pnbe 2010

numerozinho tenta se enturmar. Puxa papo com

1a. edição, 2007 (3 000)

2 peras, sem sucesso. O mesmo acontece quando

capa dura; 4 cores;

encontra 3 ursos de pelúcia,

21 x 24,8 cm; 36 pp.; 17 ils.

4 abelhas, 5 guarda-chuvas,

isbn 978-85-7503-653-2

6 formigas, 7 camundongos, “Quem diria, Pequeno 1 é pequeno, é só um 1, e as aventuras são tantas. ocupados, ou já têm amigos A vida não é nada fácil, suficientes, ou simplesmente mas ele segue em frente: fingem não o ver. Até que “uma argola vermelho ardente vai em busca do 2, vai em busca do 3, do 4... chegou rolando à sua frente”. E nós vamos junto, nos De repente, uma história onde deliciando com o texto só havia subtração, vira um de Ann e com as caso de adição. Qual será o ilustrações do Paul.” resultado do encontro da 8 livros de capa dura e

9 peixes. Todos estão muito

argola com unzinho? Paul

chico homem de melo


128/129

“Este delicado e necessário livro fala do olhar e de como o crescimento nos propicia o mundo excitante do conhecimento, para as crianças que olham e para as que têm medo de olhar.” BIA LESSA

eu sei um montão de coisas

além da preocupação

texto

em estabelecer relações

um alto poder comunicativo,

ann rand

inventivas entre os elementos

ilustrações

da história. O artista abusa

Paul Rand

do colorido e preenche todo

tradução

o espaço das páginas com

Alípio Correia de Franca Neto

figuras arredondadas,

quarta capa

movimento circular que se

Bia Lessa

reflete também na narrativa,

Escrita originalmente em 1956,

de descoberta do mundo e

o narrador dessa história, ao

de si mesmo.

num constante exercício

contar tudo que sabe, descobre que ainda há muito a conhecer.

programa fbn 2010

Os versos leves e divertidos de Ann Rand acompanham as

1a. edição, 2010 (3 000)

ilustrações do designer Paul, que têm a mesma graça e leveza. capa dura; 4 cores especiais; De maneira extremamente

25,5 x 21,4 cm; 40 pp.; 17 ils.

sintética, seus traços revelam

isbn 978-85-7503-892-5


um balão por um bacamarte texto

alastair reid ilustrações ✦

Bob Gill tradução José Rubens Siqueira O mestre do design Bob Gill e o poeta Alastair Reid mostram neste livro como é possível ter tudo na vida, possuindo nada (ou quase nada). O segredo é trocar, trocar e trocar: um balão por um bacamarte, um zoológico por uma torre, uma cidadezinha por uma cachoeira... Este clássico dos anos 1960 permanece atemporal ao revelar uma sábia e irresistível alternativa ao acúmulo. A autora Angela-Lago comenta a semelhança com seu João Felizardo, o rei dos negócios: “Sonhar e trocar, ganhar e perder, é tema do livro. Difícil não compará-lo ao conto dos Irmãos Grimm, sobre o qual me debrucei para escrever e desenhar João Felizardo [...]. Mas em Grimm a temática acumulativa caminha ao contrário. Há perda e nova frustração em cada troca. Já em Um balão por um bacamarte a imaginação ganha gozo cada vez maior”. Os versos despretensiosos de Reid casam perfeitamente com as ilustrações de Bob Gill, de traço espesso – remetendo aos logos e marcas que criava –, dispostas na página de forma a sugerir uma leitura continuada. Para designers e minidesigners fãs dos livros de Bruno Munari e Paul Rand, publicados pela Cosac Naify. 1a. edição, 2011 (5 000) capa dura; 3 cores especiais; 20,5 x 26,5 cm; 36 pp.; 15 ils. isbn 978-85-7503-825-3


130/131


132/133

o menino que mordeu picasso

trechos de conversas, cheiros, que o menino

antony penrose

Tony, depois de adulto, não precisou de

divertidas memórias, lembranças soltas,

tradução

muito esforço para reavivar. Mostra um

José Rubens Siqueira

Picasso que adorava interagir com as crianças, sempre experimentando,

Pablo Picasso é conhecido por muitos como

inventando, fazendo arte. Agora, ele pode se

um dos mais revolucionários artistas de

tornar seu amigo também. Só não vá lhe dar

todos os tempos. Mas, para Tony, ele foi o

uma mordida – ele é capaz de, sem aviso, te

amigo de infância que visitava sua casa. Os

morder de volta! Um livro despretensioso e

dois gostavam de brincar com os animais da

inspirador.

fazenda e de colocar máscaras, ainda que não fosse carnaval. Ilustrado com obras

1a. edição, 2011 (5 000)

conhecidas e outras pouco documentadas, além de fotografias – de autoria de

capa dura; 4 cores;

Lee Miller – da família com Picasso e alguns

17 x 23 cm; 48 pp.; 56 ils.

desenhos infantis, o livro é o registro destas

isbn 978-85-7503-945-8


chapeuzinho vermelho

joão e maria

texto

texto

irmãos grimm

irmãos grimm

ilustrações Susanne Janssen

ilustrações ✦

PRÊMIO HANS CHRISTIAN ANDERSEN

Kveˇ ta Pacovská

tradução

tradução

Samuel Titan Jr.

Mônica Rodrigues da Costa e Jamil Maluf

O clássico conto recolhido pelos irmãos Grimm (1830-1959/1963) ganhou roupagem

orelhas Fernando Vilela e Stela Barbieri

moderna. O texto manteve-se inalterado, mas

A conhecida história dos irmãos que, após

as ilustrações penetram camadas ocultas do

serem abandonados na floresta pelo pai e

imaginário infantil, reafirmando o universo

pela madrasta, encontram uma casinha toda

assustador e original da história. Dotada de

feita de doces (mas que na verdade é a casa

uma sensibilidade expressionista, a ilustra-

de uma bruxa faminta) ganha, nesta edição,

dora alemã Susanne Janssen carrega nas

o traço inconfundível da tcheca Kveˇ ta

tintas do Lobo. Para não falar das cores for-

Pacovská. Em João e Maria, texto integral dos

tes, dos ângulos inusitados e da agudeza

irmãos Grimm, a artista plástica dá vida aos

com que retrata Chapeuzinho Vermelho.

personagens por meio de uma narrativa visual moderna. A partir de formas geométricas,

pnld 2005

colagens, cores vibrantes e tintas especiais,

programa ler e escrever 2007

surge uma bruxa assustadora, com nariz

1a. edição, 2004 (3 000)

fragilidade de João e Maria, desenhados em

1a. reimpressão, 2008 (2 000)

preto e branco. Um livro de arte para crianças.

capa dura; 4 cores;

1a. edição, 2009 (5 000)

grande, verrugas e olhos vermelhos, diante da

29 x 22 cm; 32 pp.; 16 ils. isbn 978-85-7503-283-1

capa dura com sobrecapa + hot stamping; 4 cores especiais; 23,5 x 28,7 cm; 30 pp.; 15 ils.

ente altam vel endá m reco u o o ã uç trad iança ão cr ç a t p ada ) (fnlij

isbn 978-85-7503-809-3 apoio: Goethe-Institut

altamente recomendá vel tradução ou adaptação criança (fnlij)


134/135

“A experiência clássica que temos da história se encontra com a invenção de Kveˇta Pacovská.” STELA BARBIERI

“Somos convidados a participar desta conversa das imagens de Kveˇ ta com a clássica narrativa de fábula nos conduzindo a uma nova percepção desta história.” FERNANDO VILELA


na floresta do bicho-preguiça ✦

anouck boisrobert e louis rigaud tradução Cássia Silveira quarta capa Ana Maria de Niemeyer Cesarino O primeiro livro com o recurso “pop-up” do catálogo destaca-se pela inventividade e criatividade: sob uma cuidadosa engenharia de papel, os autores criaram esta comovente história sobre a vida, a destruição e o renascimento da grande Amazônia brasileira. As ilustrações revelam, no início, a flora e a fauna abundantes, que página a página vão perdendo o verde, por conta da ação do homem. Onde foi parar o bicho-preguiça? Em sintonia com sua temática, o livro foi impresso com tinta de soja ecológica e possui o selo fsc, que indica que o papel é proveniente de fontes responsáveis. O convite é abrir este livro e deixar-se encantar pela exuberância da floresta – e do papel. 1a. edição, 2011 (5 000) capa dura; 4 cores + pop-up e “puxe aqui”; 15,5 x 29,5 cm; 14 pp.; 16 ils. isbn 978-85-7503-785-0

livro popup


136/137

“Descubra neste livro uma floresta que está sendo devastada e precisa urgentemente de cuidado. Procure o bicho-preguiça para que ele seja seu aliado!” ana maria de niemeyer cesarino


138/139

ano – res do melho cer s e r c a revist

ah, se a gente não precisasse dormir!

Uma abordagem sobre arte de

keith haring

maneira inédita.

e sua relação com o Brasil.

tradução Claudio Alves Marcondes

1a. edição, 2010 (5 000)

reportagem Mario Cesar Carvalho

capa dura; 4 cores;

quarta capa

24 x 28 cm; 40 pp.; 26 ils.

Osgemeos

isbn 978-85-7503-909-0

Um breve passeio pela vida e obra de Keith Haring. Para

“Keith Haring foi sem

cada imagem de uma obra do

dúvida um dos

artista pop há depoimentos de

artistas da arte pop

crianças, um texto orientador e

mais consagrados

perguntas diretas, concedendo

internacionalmente. Com

aos leitores instrumentos para

seu trabalho, atravessou

construírem suas interpreta-

barreiras, superou várias

ções. O livro estimula a percep-

dificuldades e conquistou

ção visual e o olhar atento

o mundo. Uma arte alegre,

para as pinturas, desenhos e

questionadora e divertida,

pôsteres. Como Keith Haring,

com traços fortes e

é repleto de leveza e ironia,

linguagem direta, que

inventividade e energia. A edi-

somou muito para a cena

ção brasileira tem, ainda, uma

do grafite em Nova York

reportagem do jornalista Mario

nos anos 1980.”

Cesar Carvalho sobre o artista

osgemeos

Conheç a també m, de Keith Haring, O livro da Nina para gu ardar pequen as cois as, na p. 21 5


o segredo do coelho ✦

encontrá-los. O autor reservou,

john a. rowe

ainda, um grand finale, um

tradução

segredo que não podemos con-

Alípio Correia de Franca Neto

tar: só quem voltar ao começo do

quarta capa

livro e observar a história nova-

Cristiane Rogerio

mente (prestando muita atenção em todas as ilustrações) saberá

Os livros do inglês John A. Rowe

do que estamos falando.

ficaram tão conhecidos mundial-

O segredo do Coelho é uma obra

mente que, hoje, o autor e ilustra-

infinita, que se renova a cada

dor é considerado um dos pilares

leitura, para além de qualquer

da literatura infantojuvenil do

data comemorativa.

século xx. Em sua estreia no Brasil, esta fábula sobre a Páscoa

1a. edição, 2010 (3 000)

guarda vários segredos, escondidos entre seus personagens mais brochura; 4 cores; famosos (o Bebê Corvo, o Macaco, 24,5 x 24,5 cm; 32 pp.; 15 ils. o Elvis, o porco-espinho e muitos

isbn 978-85-7503-699-0

outros). O Vovô Coelho perde a hora e esquece de pintar os ovos de Páscoa na floresta. Mas, ao invés de surpreender os animais,

“Quando você pensar que já

é ele quem tem a surpresa: os

viu tudo, ainda encontrará

ovos já estão todos decorados e

uma nova surpresa.”

escondidos. Onde? Cabe ao leitor

cristiane rogerio


140/141

pato! coelho! texto

amy krouse rosenthal ilustrações Tom Lichtenheld tradução Cassiano Elek Machado

Quando a escritora Amy Krouse Rosenthal viu seu amigo, o autor e ilustrador Tom Lichtenheld, desenhar a famosa figura do PatoCoelho – em que nossa percepção visual alterna entre os dois animais – durante uma palestra, logo teve a perspicácia de que daria um livro inteligente e divertido. Com humor e um jogo de diálogos informais entre dois amigos, os autores nos lembram que, na verdade, tudo depende do nosso ponto de vista: pode ser o pato bebendo água por conta do calor, ou “o coelho acalorado refrescando as orelhas”. Quando a questão está quase apaziguada, aparece um tamanduá. Ou seria um brontossauro? Pato! Coelho! estimula a troca e o debate, deixando claro que o objeto se define pelo modo como olhamos para ele. programa minha biblioteca infantil 2011

1 . edição, 2010 (6 500) a

1a. reimpressão, 2011 (3 400)

altamente recomendá vel tradução ou adaptação criança (fnlij)

capa dura; 4 cores; 22,9 x 22,9 cm; 32 pp.; 19 ils. isbn 978-85-7503-893-2

melhores do ano – revista cres cer


fico à espera... texto

davide cali ilustrações Serge Bloch tradução

obab – prêmio ba o livro do an ontreuil , m de ão (sal ) 05 frança , 20

Marcos Siscar Como um envelope, o leitor abre o livro à espera de uma carta. Apoiado em uma janela, um menino divaga, curioso pelo que a vida lhe trará. Fico à espera... narra a trajetória de um homem, da infância à velhice, conduzindo o leitor de forma comovente pelo tempo que passa sem pedir licença, pelas coisas que esperamos, não importa a idade. Poderia ser a história de qualquer um. O livro traz momentos como a guerra, o casamento, a perda de um parente querido, o afastamento dos filhos, o nascimento de um neto. Um pequeno fio de lã vermelho percorre página a página todas as emoções: emaranha-se quando está bravo, esconde-se quando está com vergonha, estica quando quer crescer, e se rompe na separação. A narrativa provoca uma reflexão sobre a continuidade da vida. Ao ler essa espécie de álbum de memórias, a sensação é de gostosa nostalgia. Um livro para ler sem esperas. 1a. edição, 2007 (3 000) 2a. reimpressão, 2009 (3 000) capa dura; 4 cores; 27 x 10,5 cm; 56 pp., 25 ils. isbn 978-85-7503-571-9


142/143

o inimigo texto

davide cali ilustrações ✦

Serge Bloch tradução Paulo Neves quarta capa

altamente vel recomendá ou ão traduç criança adaptação (fnlij)

Leão Serva A dupla Davide Cali e Serge Bloch propõe um exercício de reflexão sobre a incoerência de uma guerra. Dentro de um buraco no campo de batalha, um soldado se interroga sobre seu inimigo – a quem considera um animal selvagem e impiedoso –, sobre os seus companheiros – agora em silêncio – e sobre a razão de ainda estar ali. Acompanhamos apenas um dos lados da história, mas certamente este poderia ser qualquer um dos lados: os soldados, ainda que adversários no front, têm muito em comum. As singelas ilustrações em poucas cores conferem à narrativa vivacidade surpreendente. Simples e perspicaz, uma história fundamental para munir as crianças de espírito crítico e instigá-las a conscientizar-se sobre a importância do respeito aos direitos humanos. programa fbn 2010

1a. edição, 2008 (3 000) brochura; 4 cores; 21 x 28 cm; 64 pp.; 43 ils. isbn 978-85-7503-691-4

“Os inimigos são exatamente iguais [...]. Se por acaso um dia eles trocassem de lado, não mudaria nada, ninguém notaria, porque os de lá são iguais aos de acolá. Então, por que lutam?” leão serva


o povo das sardinhas

sardinhas, decide desobedecer às regras e

delphine perret

pegar um ramo da árvore para plantar em seu

tradução

quintal. O povo das sardinhas mostra como o

Paulo Neves

homem é capaz de interferir abruptamente na

O formato do livro imita uma lata de sardinha.

espécie ao tentar domesticá-la. Mas revela

Dentro da embalagem, ideia fresca da melhor

também a superioridade da natureza diante

ordem natural, alterando o destino de uma

qualidade, para ser consumida numa poltrona.

da ignorância humana. As ilustrações às

De maneira divertida, a jovem autora Delphine

vezes contradizem o texto e deixam transpa-

Perret conta neste pequeno livro como as

recer uma sutil ironia da autora. Para leitores

sardinhas escaparam da dominação humana

bem-humorados e revolucionários.

e migraram para o mar. Pouca gente sabe, mas, antigamente, as latas de sardinhas eram

1a. edição, 2007 (3 000)

o fruto de uma árvore, a sardinheira. Uma iguaria tão nobre que somente o governo

capa dura + luva; 4 cores;

tinha o direito de cultivá-las. Maurício,

11,5 x 9 cm; 28 pp.; 22 ils.

que desde garoto sonhava em ter um pé de

isbn 978-85-7503-619-8


144/145

a menina e o elefante

nicole de cock tradução Ana van Lieshout Titan Até onde uma amizade pode nos levar? A menina vai ao zoológico e lá conhece um grande amigo: o elefante. Juntos, vivem momentos felizes, que terminam quando ele volta para a África. Ela pede ajuda a uma andorinha que sobrevoa terra e mar à procura do elefante. O tempo passa, a saudade aumenta e a andorinha traz boas notícias da África. A autora e ilustradora criou o cenário da conhecida série de tv Vila Sésamo. Indicado para crianças em fase de alfabetização. 1a. edição, 2004 (3 000) capa flexível; 4 cores; 22 x 16 cm; 48 pp.; 50 ils. isbn 85-7503-306-9


a inacreditável história de amor do cão chicão

texto

brigitte minne

carll cneut

carl norac

ilustrações

tradução

ilustrações

Carll Cneut

Carll Cneut

tradução

tradução

Ana van Lieshout Titan

Roberta Saraiva Querido por todos, o talentoso Cão Chicão anda na corda

monstro, não me coma!

Lucrecia Zappi

a fada feiticeira texto

Rosamaria não se contentava

bamba demonstrando sua perí-

O porquinho Alex não perde a

em ser fada: queria ser feiti-

cia. Mas isso não é o suficiente

chance de comer fora de hora.

ceira. A rebelde fadinha briga

para alegrá-lo; sente-se solitário

Uma mentirinha inocente deixa com a mãe e vai morar na

e resolve sair em busca de um

sua mãe furiosa. Pego em fla-

divertidíssima floresta das

amigo que o faça feliz. Procura

grante, Alex toma uma bronca

feiticeiras. Escrita pela belga

em vários lugares, encontra

daquelas. Desolado, vai ao rio

Brigitte Minne e ilustrada

diferentes animais, mas nada o

se lavar mas, no caminho, é

pelo também flamengo Carll

contenta. Quando desiste e

surpreen­dido por um monstro

Cneut, esta fábula trata das diferenças e dos preconcei-

volta para o circo, descobre que

gigante, com uma fome maior

trouxe de suas andanças uma

ainda. Monstro, não me coma!

tos na relação entre mãe e

eterna companheira. O reno-

aborda dois assuntos latentes

filha. Contada com leveza e

mado ilustrador belga

na educação: os limites entre a graça, A fada feiticeira ensina

Carll Cneut escreveu o seu

mentira e a verdade e entre a

aos pequenos leitores que os

primeiro texto para crianças

boa nutrição e os excessos

filhos podem trazer novos

baseando-se num desejo

alimentares. As ilustrações de

conhecimentos ao mundo dos

infantil: trabalhar no circo.

Carll Cneut dão pistas sobre o

pais sem, contudo, abandonar

final desta apetitosa história.

os costumes da família.

pnld 2005

Recomendado para gulosos desobedientes de todas

programa ler

as idades.

e escrever 2007

projeto mais cultura 2008

1a. edição, 2004 (3 000)

brochura; 4 cores;

programa ler

1a. reimpressão, 2008 (2 000)

27 x 21,5 cm; 28 pp.; 13 ils.

e escrever 2008

1a. edição, 2004 (3 000) 1a. reimpressão, 2005 (1 500)

isbn 85-7503-329-8

capa dura; 4 cores; 1 . edição, 2007 (3 000)

21 x 30 cm; 32 pp.; 17 ils.

1a. reimpressão, 2009 (2 500)

isbn 978-85-7503-315-8

a

brochura; 4 cores; 28 x 24 cm; 32 pp.; 18 ils. isbn 978-85-7503-635-8


146/147

altamente recomendável tradução ou

a

adaptação crianç (fnlij)


um papai sob medida

baterem à sua porta. Davide Cali traz neste livro uma

texto

poesia sensível que parece

davide cali

ter sido escrita por uma

ilustrações

criança. Não muito diferentes

Anna-Laura Cantone

são as divertidas ilustrações

tradução Cássia Silveira

de Anna-Laura Cantone: exagerando nas medidas, alguns retratos excedem o

Um retrato sobre as famílias

limite das páginas, na impos-

modernas. A garotinha do

sibilidade de dimensionar o

livro tem a mãe mais extra-

carinho familiar. Certamente

ordinária do mundo: além de

muitos pequenos leitores se

alta, forte, linda, esperta, sabe

reconhecerão nesta busca

fazer contas de cabeça, pra-

pelo pai ideal, ou melhor,

tica esportes, joga pebolim

sob medida.

e anda de patins. Mas, como ela mesma diz, “as outras

programa ler

crianças também têm um

e escrever 2008

pai. Eu não”. Então as duas

programa fbn 2010

decidem procurar por um pai. Mas não basta qualquer

1a. edição, 2007 (3 000)

um, ele precisa estar à altura

1a. reimpressão, 2009 (2 300)

desta mãe excepcional – um papai sob medida. Basta

capa dura; 4 cores;

publicar um anúncio no jornal

30 x 23,5 cm; 32 pp.; 15 ils.

para dezenas de candidatos

isbn 978-85-7503-638-9


148/149

mamãe é grande como uma torre

lhe faz. As irreverentes ilustrações de Jacky Gleich, sem

texto

perder de vista a solidão

brigitte schär

sentida pela personagem,

ilustrações

dão um toque de leveza ao

Jacky Gleich

tema tratado.

tradução Christine Röhrig

1a. edição, 2003 (3 000)

A narrativa fantástica de

capa dura; 4 cores;

Brigitte Schär registra a vida

28,5 x 21,5 cm; 32 pp.; 15 ils.

de uma menina que tem a

isbn 85-7503-268-2

maior mãe do mundo e um pai que cabe dentro de uma caixa de sapato. Recurso poético dos mais felizes para analisar como uma criança lida com a separação dos pais. A menina enfrenta a questão, por meio da fantasia, associando o tamanho da mãe à grande falta que ela


senhor augustin

chapéu, às vezes confunde

texto

o guarda-chuva com o cabo

ingo schulze

da vassoura. Com texto sutil

ilustrações

e irônico, Schulze demonstra

Julia Penndorf

como pode ser solitário

tradução

envelhecer, se não houver

Irene Fehrmann

solidariedade e consideração

quarta capa

dos mais jovens. As alegres

Thiago de Mello

ilustrações de Julia Penndorf combinam cores vibrantes com

Ingo Schulze é um exemplo

colagens de diferentes tipos

de autor consagrado que

de papéis. A edição traz ainda

também escreve obras

uma carta inédita do autor

primorosas para os pequenos

que revela como surgiu a ideia

leitores. Neste livro, ele utiliza

para o livro.

toda sua habilidade literária para abordar o tema da

1a. edição, 2009 (3 000)

velhice, contando a história de um personagem bem

capa dura; 4 cores;

inusitado: o senhor Augustin

30 x 24 cm; 40 pp.; 17 ils.

que, com o seu inseparável

isbn 978-85-7503-863-5

“Acho que o Ingo acertou. Li o livro para umas crianças aqui do rio Andirá, no coração da floresta amazônica. Elas me pediram rindo para contar de novo como foi que o Augustinho caiu, enquanto olhavam contentes as ilustrações de Julia Penndorf.” thiago de mello

altamente recomendável tradução ou

a

adaptação crianç (fnlij)


150/151

sábado na livraria texto

sylvie neeman ilustrações ✦

Olivier Tallec tradução Cássia Silveira quarta capa Bernardo Ajzenberg Este livro é uma homenagem a um lugar

1a. edição, 2010 (3 000)

tão familiar aos amantes da literatura e um convite a um hábito muito prazeroso: visitar

capa dura; 4 cores;

uma livraria com calma, descobrir tesouros

23,5 x 31,5 cm; 32 pp.; 14 ils.

escondidos nas prateleiras, mergulhar na

isbn 978-85-7503-885-7

ano – res do melho cer a cres revist

leitura de um título e, quem sabe, levá-lo para casa. Tematizando a livraria como local de convívio e transformação, Sylvie Neeman

“Livraria é como parque de diversões:

narra a história da silenciosa amizade entre

encanta e gera encontros. Ou como

uma menina que lê quadrinhos e um senhor

cinema: incrível variedade de temas,

que lê um livro de guerra, ambos na mesma

magia das surpresas. [...] Como revela

livraria. As ilustrações de Olivier Tallec

Sábado na livraria, ela é generosa de

revelam essa atmosfera onírica, misturando

modo inigualável.”

ao cenário da loja passagens dos livros lidos.

bernardo ajzenberg

Juntos, escritora e ilustrador nos conduzem por um percurso surpreendente e inesperado ao longo de sábados na livraria. O escritor Bernardo Ajzenberg, que é dono de um sebo, assina um simpático texto de quarta capa.

altamente recomendá vel tradução ou adaptação criança (fnlij)


meu amigo jim

kitty crowther tradução Flávia Varella quarta capa Jairo Bouer Jim é uma gaivota. Jack é um melro. Jim vive

“A sexualidade, a discriminação, o valor

perto do mar. Jack mora no bosque. Jack adora

da amizade, a resistência em não aban-

ler. Jim usa folhas de livros para acender a

donar aquilo em que se acredita e, de

lareira. Jack é negro. Jim é branco. Apesar de

quebra, a importância do ato da leitura

tantas diferenças, eles têm algo em comum:

são apenas alguns dos temas tocados

gostam de estar juntos. E, mesmo que outras

com sensibilidade pela belga Kitty Cro-

aves torçam o bico, eles não perdem uma pena

wther, um dos nomes mais notáveis da

de preocupação. Afinal, por que é tão difícil

literatura infantojuvenil.”

aceitar essa amizade? Kitty Crowther trata com

jairo bouer

naturalidade as diferenças com que nos deparamos em nosso dia a dia e introduz a questão da homossexualidade. Para pais tolerantes e crianças do século xxi. programa ler e escrever 2008

1a. edição, 2007 (3 000) 2a. reimpressão, 2010 (5 000) brochura; 4 cores; 24,5 x 24,5 cm; 32 pp.; 54 ils. isbn 978-85-7503-665-5


152/153

meu reino

onde moram um rei e uma

“No nosso reino, gostamos

kitty crowther

rainha. Os dois brigam incan-

de trocar de personagens,

tradução

savelmente, noite e dia, sem

pois às vezes só assim as

Flávia Varella

parar. Quando decidem ir à

coisas se resolvem. Mas

quarta capa

casa dela para se desculpar

nossos filhos se divertem de

Malu Mader e Tony Bellotto

pelo barulho, o encontro

verdade quando as coroas

inusitado não termina bem.

caem de nossas cabeças.”

Primeiro livro publicado pela

Cabe à garota tomar a frente

malu mader e tony bellotto

autora belga Kitty Crowther,

da situação e impor seus

conhecida por abordar em

limites. É então que nos

suas histórias temas raros na

damos conta de que o rei e a

literatura infantil, Meu reino

rainha são, na verdade, seus

usa uma bonita metáfora

pais. Indicado para todos os

para falar sobre as relações

tipos de família.

familiares e os conflitos paternos. A menina vive no

brochura; 4 cores;

alto de uma colina. De cada

15 x 21 cm; 40 pp.; 30 ils.

lado de sua casa há um reino,

isbn 978-85-7503-967-0


como um peixe na água

“Ao percorrer as páginas deste livro não

texto

pude deixar de me identificar com a

daniel nesquens ilustrações ✦

história. […] Contemplei o que o Sebastião encontra na água. Vontade

Riki Blanco

de viver.”

tradução

mara gabrilli

Livia Deorsola quarta capa Mara Gabrilli Quem disse que a perfeição é o único jeito de ser feliz? Sebastião, um menino que não consegue mexer as pernas, sabe nadar como ninguém. Sua maior alegria é acordar e ver nuvens no céu, afinal, com o tempo ruim, a piscina fica toda para ele, que treina duro para ser um grande nadador. Sua paixão pelos mares, rios e oceanos – aliás, por tudo o que tem a ver com direito a água – quase o transforma num verdadeiro peixe, com direito a barbatanas e muito mais. Com traços da literatura do absurdo, Como um peixe na água foi escrito pelo espanhol Daniel Nesquens e ilustrado pelo catalão Riki Blanco, autor das imagens em aquarela. pnbe 2012

1a. edição, 2010 (4 000) capa dura; 4 cores; 21 x 26,5 cm; 40 pp.; 20 ils. isbn 978-85-7503-916-8


154/155

lilás, uma menina diferente

diferenças podem ser mais atraentes e

texto

interessantes. As ilustrações de Tara Calahan

mary e. whitcomb

King reforçam tais estranhezas com um

ilustrações Tara Calahan King tradução Charles Cosac

traço distorcido e um leve deslocamento de perspectiva. 1a. edição, 2004 (3 000) 2a. edição, 2009 (3 000)

Ser aceito no grupo é uma tarefa árdua,

1a. reimpressão, 2011 (3 000)

principalmente quando não correspondemos ao padrão. Talvez, por isso, Lilás tenha

brochura; 4 cores;

resolvido cativar os colegas da escola por

22,5 x 22,5 cm; 28 pp.; 13 ils.

suas excentricidades. Eles descobrem que as

isbn 978-85-7503-805-5


156/157

ESTAVA ESCURO E ESTRANHAMENTE CALMO

a casa azul ✦

anne herbauts tradução

einar turkowski

Cássia Silveira

tradução

quarta capa

Julia Bussius

Marcelo Cunha Bueno

Vencedora de importantes prêmios internacionais, esta obra rendeu ao estreante Einar

Quão grande pode ser uma casa? Valendo-se

Turkowski um lugar de destaque entre os

de muita poesia, no texto e nas imagens,

autores contemporâneos. Trata-se de uma

Anne Herbauts mostra que, literalmente,

intrigante história sobre o desconhecido

o céu é o limite. Um viajante chega a um

(e a desconfiança que temos dele). Como

país situado entre o céu e o mar e começa a

nos enredos de ficção científica, o autor cria

construir sua casa, que logo pinta de branco.

uma trama envolvente e carregada de sus-

Alguns pássaros zombam do tamanho dela,

pense, transitando entre a ciência imaginária

tão pequena... Ele não hesita: pinta de azul,

e o nonsense, para discutir o impacto de uma

para que se confunda com a paisagem, e a

grande descoberta sobre uma comunidade.

decora de pássaros. Esta é uma história

As minuciosas e obsessivas ilustrações de fino

sobre perspectivas. Sobre o homem, o mar e

traço capturam a atmosfera científica com uma

a vastidão do universo. Vista com os pássaros

profusão de detalhes e texturas. Feito sob

ao lado, a casa parece pequena. Pintada de

medida para crianças inventivas e curiosas.

azul e com o céu ao fundo, ela parece menor

1a. edição, 2009 (3 000)

triste. Ele decide então subir na árvore e

capa dura; pb;

E do mar. Anne Herbauts, que já publicou

30 x 21,8 cm; 24 pp.; 14 ils.

mais de vinte títulos pelo mundo, estreia com

isbn 978-85-7503-751-5

este livro no Brasil.

ainda, quase some, o que deixa o homem pintar sua casa no azul do céu.

1a. edição, 2010 (4 000) – BIENAL GRAND PRIX DE ILUSTRAÇÃO DE (2007) BRATISLAVA

capa dura; 4 cores; 20 x 28 cm; 32 pp.; 22 ils. isbn 978-85-7503-912-0

altamente recomendável tradução ou

a

adaptação crianç (fnlij)

“A seleção de palavras cuidadosas nos insere na trama poética entre imagem e paisagem literária. Viver, nesse lugar, é estar de passagem, se entregar

melhores do ano – revista crescer

à viagem.” MARCELO CUNHA BUENO


pê de pai texto

isabel minhós martins

“Às vezes abrigo meu pai sob meu casaco e faço dos meus filhos minha meta. Este livrinho nos ajuda a viver um pouco disso:

ilustrações

o amor em forma de aventura. Para todos.”

Bernardo Carvalho

moreno veloso

cinta Moreno Veloso Uma singela e poética homenagem, com cores e rimas, à cumplicidade entre pais e filhos. Pê de pai traz diferentes formas que o

MENÇÃO HONROSA DESIGN BEST BOOK THE FROM ALL OVER DO WORLD (FEIRA , 2006) LIVRO DE LEIPZIG

pai pode assumir para agradar o filho: o pai avião, o pai motor, o pai esconderijo, o pai colchão, o pai cofre, e muitos outros. A portuguesa Isabel Minhós Martins cria uma poesia simples, com cadência e

MENÇÃO ESPECIAL PRÊMIO NACIONAL DE ILUSTRAÇÃO (PORTUGAL , 2006)

musicalidade, sensível à representação do pai aos olhos da criança. As ilustrações de Bernardo Carvalho combinam poucas e vivas cores para personificar as metáforas do texto. Inventivo e terno, é uma fonte inesgotável de leitura. De filho para pai.

altamente recomendável literatura-língua portuguesa (fnlij)

1a. edição, 2009 (4 000) capa dura; 4 cores; 19,7 x 22 cm; 32 pp.; 27 ils. isbn 978-85-7503-817-8 apoio: Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas / Portugal

melhores do ano – revista crescer


158/159

meu vizinho é um cão

“Quem é normal e quem é estranho nesse

texto

prédio de moradores tão diferentes? Um

isabel minhós martins ilustrações ✦

Madalena Matoso quarta capa

cão toca saxofone, um crocodilo se veste de Papai Noel... Abra este livro e se surpreenda!” adriana lisboa

Adriana Lisboa Uma menina que morava num prédio

1a. edição, 2010 (3 000)

onde “quase nada acontecia” tem sua vida transformada quando começam a chegar

capa dura; 4 cores;

novos vizinhos, aparentemente esquisitos –

19,7 x 22 cm; 32 pp.; 15 ils.

como um crocodilo chique que gosta de dar

isbn 978-85-7503-900-7

presentes. A menina logo se afeiçoa aos

apoio: Direcção-Geral do Livro e

novos moradores, enquanto seus pais “torcem

das Bibliotecas / Portugal

o nariz” para eles. Mas descobrimos depois que, na verdade, os pais também não são tão normais assim... As ilustrações de Madalena Matoso compõem um percurso visual pelo prédio, com detalhes que só serão percebidos pelos mais atentos. Elas complementam o texto despretensioso e sutil de Isabel Minhós Martins, nesta história sobre relações de vizinhança, expectativas e preconceitos, territórios e identidades.

stração de melhor ilu il (festival livro infant senhada de ade band a, de amador 2008) portugal ,


British fantasy award 2008

a casa assombrada ✦

kazuno kohara tradução Heloisa Prieto quarta capa Bernardo Jablonski Uma menina um tanto diferente descobre que seu novo lar também não é muito normal: está repleto de fantasmas! Contudo, ao invés de se assustar, ela se diverte com a situação. Bruxinha que é, dará as mais inusitadas utilidades para eles – alguns viram ótimas de toalhas de mesa, outros servem de cortina para o banheiro, depois, é claro, de serem lavados e estendidos no varal. A japonesa Kazuno Kohara trabalhou com colagens de papel branco sobre linogravuras nas cores típicas do

“Os fantasmas da

dia das bruxas. Uma história de

japonesa Kazuno Kohara

“assombração” às avessas para

morrem de medo dos

mostrar que a melhor maneira

humanos. E têm bons

de lidar com os medos é brincar

motivos: neste livro, a

com eles.

heroína, uma simpática menina, parte para cima

1a. edição, 2010 (3 000)

deles, cheia de ideias transformadoras na

capa dura; 4 cores;

cabeça!”

25 x 25 cm; 32 pp.; 21 ils.

bernardo jablonski

isbn 978-85-7503-931-1


160/161

a visita dos monstros

papai!

texto

philippe corentin

brigitte schär

tradução

ilustrações

Cássia Silveira

Jacky Gleich

quarta capa

tradução

Rosely Sayão

Christine Röhrig

Uma história antes de dormir para pegar no

Contrariando a esperada reação de medo

sono. Mas no meio da noite: “Pai! Tem um

do desconhecido, Brigitte Schär faz um

monstro na minha cama!”. Afinal, quando

verdadeiro exercício de tolerância. Quando

começa o sonho e quando despertamos?

vinte monstros invadem a casa de uma família, Brincando com o ponto de vista do narrador, os pais chamam a polícia e os bombeiros

Philippe Corentin mostra neste livro que o

para expulsar aqueles seres estranhos.

outro talvez não seja tão diferente assim.

A menina é a única a conversar com os

Papai! adentra o imaginário infantil para

monstros, ensinando-os a se portar e a não

incitar as crianças a rir dos próprios medos.

bagunçar a casa. O ilustrador Jacky Gleich

E qual é a criança que não sente medo da

também subverte a imagem dos monstros,

noite, do escuro e de pesadelos? Uma prova

transformando aquelas figuras quase sempre

de que é possível lidar com os temores

terríveis em seres razoavelmente simpáticos.

infantis com leveza e bom humor. Para ler antes de dormir.

programa ler e escrever 2007

1a. edição, 2008 (3 000)

1a. edição, 2003 (3 000)

capa dura; 4 cores;

1a. reimpressão, 2008 (2 000)

25,5 x 21,5 cm; 32 pp.; 23 ils. isbn 978-85-7503-714-0

capa dura; 4 cores; 17 x 24,5 cm; 40 pp. + 6 facas especiais; 24 ils. isbn 978-85-7503-276-3

“Por meio de um diálogo amoroso, este livro desperta na criança o respeito às diferenças. Ninguém temerá monstros se a diferença não for vista como ameaça.” ROSELY SAYÃO


o homem atômico chegou!

MAS POR QUÊ??!

todos os patinhos

peter schössow

texto

mini grey

tradução

christian duda

tradução

Irene Fehrmann

Vanessa Barbara

ilustrações ✦

A revolta e a indignação

Ninguém escapa da hora de

explodem pelas páginas do

arrumar o quarto, pegar o tênis

livro. Não sem motivo. A

na sala ou levar a louça à

menina desta história não se

Julia Friese tradução Marcus Mazzari quarta capa Cora Rónai

cozinha. Agora as crianças

conforma com a morte de

ganharam um ajudante e tanto:

Elvis. Ele, que cantava e dan-

o Homem Atômico! Ele tem

çava tão bem, agora jaz ali,

como a raposa Conrado e o

mãos firmes, olhos de águia,

dentro de sua bolsa de couro,

pato Lourenço formaram uma

calças de combate chocantes

vermelhona e brilhante, do

família bem diferente. Na floresta, enquanto Lourenço

O livro conta a história de

e cabelos reais –, trabalha

tempo da vovó. Elvis, seu

apenas com uma corda e o

canarinho amarelo, morreu.

ainda era um ovo sem nome,

mascote Escolvado. Seus

Por meio de um texto sucinto

Conrado apareceu faminto.

principais dons: vigiar a casa,

e direto, o inconformismo da

Ele só não esperava que, em vez de devorá-lo, iria adotar o

salvar brinquedos, proteger

menina dá lugar à serenidade.

torradas. O Homem Atômico

Aparentemente simples, as

patinho. Em tom prosaico, o

chegou! para mostrar que, com

ilustrações acrescentam uma

texto dá ao drama de Con-

um pouco de imaginação, as

pitada de humor que atenua a

rado um toque de humor. As

tarefas domésticas podem se

dor, ao misturar personagens

vibrantes ilustrações mistu-

tornar bastante divertidas. Um

fantásticos a um tema tão

ram recortes e colagens e

criativo e engraçado convite ao

realista. Mas por quê??! não

ganham textura pelas pince-

universo privado das brincadei-

usa meias palavras para lidar

ladas fortes. Um livro inteli-

ras infantis modernas. Para

com o tema da morte. Afinal,

gente e questionador, com

meninos e meninas que não

sentir saudades independe

um final sensível, para crian-

fogem das obrigações de casa.

de idade.

ças capazes de controlar

1a. edição, 2006 (3 000)

1a. edição, 2008 (3 000)

refeição mais saborosa.

brochura; 4 cores;

brochura; 4 cores;

1a. edição, 2009 (3 000)

22 x 25 cm; 32 pp.; 25 ils.

24 x 22 cm; 40 pp.; 24 ils.

isbn 85-7503-527-4

isbn 978-85-7503-732-4

seus impulsos, até diante da

capa dura; 4 cores; 22,5 x 23 cm; 60 pp.; 30 ils. isbn 978-85-7503-761-4

PRÊMIO DEUTSCHER JUGENDLITERATURPREIS (2006)

melhores do ano – revista crescer

apoio: Litrix.de altamente recomendável tradução ou adaptação criança (fnlij)


162/163

“É com ingredientes singelos que se faz este livro, tão bom quanto pato ass... oops, perdão: quanto uma torta de chocolate. Experimentem!” cora rónai

ano – res do melho er c s a cre revist


eram cinco

porta, uma luz. Escrito pelo

texto

poeta concretista austríaco

ernst jandl

Ernst Jandl e ilustrado pelo

ilustrações

artista plástico Norman

Norman Junge

Junge, este livro minimalista

tradução Márcia Lígia Guidin e Lilian Jenkino Todos estavam sentados

é indicado para pequenos leitores que têm medo de médico. pnbe 2005

esperando para ser atendidos. Mas o que será que

1a. edição, 2005 (3 000)

existe atrás daquela porta,

1a. reimpressão, 2010 (2 000)

para as pessoas entrarem preocupadas e saírem

brochura; 4 cores;

sorridentes? Eram cinco na

26,5 x 19,5 cm;

fila, cada qual com a sua

36 pp.; 17 ils.

mazela. E do outro lado da

isbn 978-85-7503-374-6

prêmio bologna ragazzi feira de bolonha , (1998)

ente altam el endáv m o c re ou o ã ç a tradu crianç ação adapt (fnlij)


164/165

trolls, os fura-dentes ✦

nina blychert tradução Flávia Varella Na escola, os trolls são cha-

dentes. Para isso, enfrentam

Indicado para crianças que

mados de cáries, para não

muitos inimigos: a escova de

precisam de um estímulo na

assustar as crianças. Na ver-

dentes, o fio dental, o antis-

hora de escovar os dentes.

dade, essas criaturas são

séptico, os dentistas... Nina

pequenos animais peludos

Blychert mostra às crianças a

que vivem na boca das pes-

importância de escovar os

soas, especialmente nas

dentes, por meio de uma histó-

brochura; 4 cores;

cheias de açúcar. O trabalho

ria bem-humorada, fugindo do

21,5 x 25,5 cm; 40 pp.; 20 ils.

deles é escavar buracos nos

discurso didático convencional.

isbn 978-85-7503-712-6

1a. edição, 2008 (3 000)


166/167

joaquina & sua máquina texto

O DARIZ ✦

olivier douzou

olivier douzou

tradução

ilustrações

Paulo Neves

Isabelle Chatellard tradução Cássia Silveira

A hisdória de um dariz que agorda gombletamente endupido só boderia ser gontada assim: de forba nasalada. Inspirado no famoso conto

Imagine um lugar onde bonecos de neve ves-

homônimo do escritor russo Nikolai Gógol,

tem cachecol laranja, pontes usam calça de

O dariz traz os momentos que antecedem esta

pijama listrada, casas e ruas são cobertas por

clássica narrativa. Na busca pelo grande lenço

panos coloridos... É neste sonho que a ratinha

branco, juntam-se ao nariz de homem um botão

Joaquina “sobre a máquina se inclina, tantos

– que pensa ser nariz –, uma tromba de elefante

ornamentos imagina, tudo em tafetá e pope-

cheia de água, um triste nariz de palhaço, um

lina”. A menor costureira da mais alta costura

focinho de porco entupido de lama... O humor,

envolve o leitor em uma trama simples, introdu-

sempre presente nos textos inteligentes de

zindo-o no universo da moda. No tac-tac da

Douzou, combina-se às sintéticas ilustrações,

máquina, o livro costura o vocabulário do

que contribuem para a construção do enredo.

poema às ilustrações: nomes de tecidos, pon-

Um livro inovador que certamente vai “cheirar

tos de costura, peças da máquina. A ilustradora

muito bem” entre as crianças. Para ser lido em

Isabelle Chatellard faz sua estreia nesta história

voz alta.

inventando moda: inteiramente desenhado em papel kraft, confere um efeito de textura às

1a. edição, 2009 (3 000)

ilustrações. Delicado como a seda, Joaquina & sua máquina convida para uma colorida viagem

capa dura; 2 cores;

em versos pela alta-costura.

15 x 20 cm; 64 pp.; 32 ils. isbn 978-85-7503-894-8

programa ler e escrever 2008

1a. edição, 2007 (3 000) capa dura; 4 cores;

PRÊMIO BAOBAB – LIVRO DO ANO (SALÃO DE MONTREUIL , FRANÇA , 2006)

20 x 20 cm; 40 pp.; 16 ils. isbn 978-85-7503-634-1 altamente recomendável tradução ou adaptação criança (fnlij)

ano – melhores do r ce es cr revista


168/169

lóris lento

alexis deacon

teco aprende a nadar

texto

tradução

texto

marina windsor

Lilian Jenkino

nele moost ilustrações

Ele mora no zoológico e não é muito popular, pois vive dormindo enquanto os visitantes observam os animais. Passa o

teca, sapeca

ilustrações ✦

Steve Haskamp

Michael Schober

tradução

tradução

Charles Cosac

André Jenkino do Carmo

Teca é uma cachorrinha

dia inteiro na maior preguiça,

Pai e filho irão viver uma

incansável que vive apron-

sem dar atenção a nada nem

aventura: Ursão quer ensinar

tando confusões. Apesar de

a ninguém. Mas há explicação

Teco a nadar. Mas, de tão

adorada, ela acaba irritando

para tanta moleza, ele guarda

ansioso, o ursinho se joga

toda a família. Então, resol-

um segredo: dorme de dia

sozinho no lago, começa a

vem levá-la ao veterinário e

para brincar à noite. As ilustra-

afundar, bebe um pouco

descobrem que este é o seu

ções mais escuras capturam o

d’água e se assusta. Moost

jeito de ser, cheia de energia.

torpor de Lóris, porém quando

e Schober criam um livro

Com ilustrações bem colori-

entra o colorido é sinal de que

encantador, em que a relação

das, Steve Haskamp utiliza as

o bichinho está aprontando.

afetiva e protetora

imagens para passar o

A interatividade fica por conta

do pai encoraja o ursinho a

recado: precisamos respeitar

das páginas com dobras que

continuar tentando e a não

a maneira de ser de cada um.

brincam de esconder-revelar

desistir diante de uma

Uma ótima leitura para crian-

experiên­cia frustrada.

ças agitadas e em fase de

As ilustrações são espe-

alfabetização.

as proezas de Lóris. 1a. edição, 2005 (3 000)

cialmente interessantes para crianças pequenas. Este

brochura; 4 cores;

1a. edição, 2004 (3 000)

ursinho já se transformou até

24 x 22 cm; 32 pp.

em desenho animado para

grampeado; 4 cores;

+ 2 facas especiais; 24 ils.

televisão.

25 x 22,5 cm; 28 pp.; 14 ils.

isbn 85-7503-369-7

isbn 85-7503-299-2 1a. edição, 2004 (3 000) brochura; 4 cores;

altamente recomen dável tradução ou adaptaçã o crianç a (fnlij)

26 x 24 cm; 28 pp.; 14 ils. isbn 85-7503-337-9


o sr. raposo adora livros! ✦

franziska biermann tradução Christine Röhrig

nte altame ndável recome o ou ã ç u d tra nça ão cria ç adapta (fnlij)

A autora e ilustradora alemã

sobre a importância e o

Franziska Biermann surpreende

prazer da leitura, e a

o leitor colocando como

necessidade que sentimos

personagem central uma raposa

quando incorporamos esse

que devora – literalmente –

hábito à vida. As divertidas

livros com sal e pimenta, para os

ilustrações acompanham

apreciar melhor. Um leitor tão

e dão ritmo ao texto,

faminto que mastigou páginas

tornando-o mais engraçado

de obras na biblioteca, roubou a

ainda. Para crianças

livraria da esquina, foi preso,

famintas pela leitura.

proibido de ler e ainda teve desarranjos intestinais por tentar 1a. edição, 2004 (3 000) substituir a boa leitura por folhetos de anunciantes. Com

brochura; 4 cores;

humor e irreverência, Franziska

16 x 23 cm; 66 pp.; 29 ils.

fala para os jovens leitores

isbn 85-7503-285-2


170/171

o caracol e a baleia texto

julia donaldson ilustrações Axel Scheffler tradução Lilian Jenkino Um destemido caracol não se intimida com o tamanho da baleia e pula em sua cauda à procura de aventuras. Do círculo polar às praias de areias escaldantes, a dupla navega na crista da onda e adentra cavernas profundas. Eis que, num dia de maré baixa e de um zunido muito forte, a baleia que nadava ao sol encalha na praia. Como o seu novo e pequenino amigo irá ajudá-la? Esta história mostra que amizade e solidariedade não têm tamanho. pnld 2006 programa minha biblioteca 2009

1a. edição, 2004 (3 000) 3a. reimpressão, 2010 (3 000) brochura; 4 cores; 28 x 25 cm; 32 pp.; 24 ils. isbn 978-85-7503-343-8


MORANGO SARDENTO

chamavam, por conta de suas

gostar de como é. Afinal,

texto

sardas, que se espalhavam pelo

“Quem liga para um milhão de

julianne moore

rosto e corpo. Numa narrativa

sardas quando se tem um

ilustrações

“cinematográfica”, cheia de

milhão de amigos?”. A tradu-

LeUyen Pham

diálogos e imagens sequenciais

ção e o texto de quarta capa

tradução

de LeUyen Pham, a premiada

também são de atrizes sar-

Fernanda Torres

atriz estreia na literatura infantil

dentas, mas brasileiras: Fer-

quarta capa

com um livro inteligente

nanda Torres e Debora Bloch,

Debora Bloch

e comovente. A autora lembra

respectivamente.

como fez de tudo para se livrar A atriz Juliane Moore revela

das pintinhas, chegando a

neste livro divertido uma de

esconder-se sob uma máscara

suas curiosidades autobio-

de esqui. Quando a tira, os

capa dura; 4 cores;

gráficas: seu apelido na

amigos contam como ela fez

21,6 x 28 cm; 40 pp.; 21 ils.

escola, quando era menina.

falta, e Morango Sardento

isbn 978-85-7503-903-8

Morango Sardento é como a

passa a aceitar e até a

1a. edição, 2010 (3 000)

“Gostei muito deste livro porque eu também fui um ‘morango sardento’. [...] Quando a gente é criança, sempre pensa que é melhor ser diferente do que a gente é. Mas quando cresce, descobre que tanto faz.” DEBORA BLOCH


172/173

morango sardento e o valentão da escola

Moore nos conta, neste novo

“Acompanhada de seu

livro, como a menina fez para

inseparável monstro

texto

lidar com o valentão Pedro

imaginário, a pequena

julianne moore

Bomba, temido por sua habili-

Morango Sardento, com

ilustrações

dade no jogo e por não pensar

toda sua inocência e

LeUyen Pham

duas vezes antes de arremes-

pureza, não se permite

tradução

sar a bola com toda a força

nenhum tipo de senti-

Denise Fraga

nos menores. No dia em que

mento ruim. Por isso

quarta capa

precisa confrontá-lo sozinha,

mesmo, aquele que seria

Mário Bortolotto

os medos e preconceitos

o vilão da história também

transformam-se em uma

não é exatamente o

bonita amizade entre os dois.

que parece.”

A pequena Morango Sardento adora ir ao Passatempo, lugar onde as crianças se divertem

Mário Bortolotto

1a. edição, 2011 (3 000)

antes do horário da aula. Exceto em dias de chuva, quando a única

brochura; 4 cores;

brincadeira possível é a assusta-

21,6 x 28 cm; 40 pp.; 21 ils.

dora queimada. A atriz Julianne

isbn 978-85-405-0020-4


barbie texto

Diferente como chanel ✦

elizabeth matthews

frédéric beigbeder

tradução

tradução

Clô Orozco

Cássia Silveira

Este livro é a biografia ilustrada de uma

Símbolo do sonho americano, objeto de desejo

mulher à frente de seu tempo. Transgressora

de muitas meninas, a Barbie, criada em 1950, é

e discreta, Chanel inovou numa época em

a boneca mais vendida no mundo e conside-

que ser feminina era sinônimo de luxo. O

rada a primeira top-model internacional. Não é

pretinho básico, uma de suas principais

à toa que os estilistas Giorgio Armani, Calvin

invenções, ainda está na moda. Diferente

Klein, Christian Lacroix e Gianni Versace cria-

como Chanel foi enriquecido pela tradução

ram para a boneca figurinos “exclusivos” cujas

de Clô Orozco e apresenta a trajetória da

imagens estão reunidas neste livro, que encan-

estilista, da infância pobre no orfanato ao

tará as meninas.

emprego em uma alfaiataria e à abertura de

1a. edição, 2000 (3 000)

Matthews deu vida a uma personagem quase

sua primeira loja. Nas ilustrações, Elizabeth caricatural, de silhueta esbelta e o inseparável capa dura; 4 cores;

colar de pérolas com a tesoura pendurada no

15,5 x 21 cm; 80 pp.; 61 ils.

pescoço. Ao final, há cronologia, bibliografia

isbn 85-863-7479-2

básica, foto da estilista e desenhos do poeta Jean Cocteau e do caricaturista Sem. Um livro cheio de estilo, como Chanel. 1a. edição, 2009 (4 000) 1a. reimpressão, 2010 (5 000) capa dura + hot stamping; 4 cores; 22,2 x 26 cm; 40 pp.; 25 ils. isbn 978-85-7503-770-6


174/175

frida texto

jonah winter ilustrações

ente altam ável mend reco ou o uçã nça trad o cria ã ç a t adap ) (fnlij

Ana Juan tradução André Jenkino do Carmo Trata-se de uma biografia da pintora mais famosa do México, no século xx: Frida Kahlo (1907-54). O livro acompanha a infância e adolescência da artista, revelando a curiosidade que a menina tinha pelos objetos e pelo mundo, além do trágico acidente que deixou sequelas permanentes. A cultura mexicana foi uma grande inspiração para a pintora. A ilustradora Ana Juan povoou o livro com figuras desse imaginário, dando à obra um traço onírico que lembra os trabalhos de Frida Kahlo. pnld 2005

1a. edição, 2004 (3 000) 3a. reimpressão, 2009 (3 000) brochura; 4 cores; 28 x 24 cm; 32 pp.; 16 ils. isbn 978-85-7503-333-3


de uma vaca à outra texto

antonio ventura ilustrações Pablo Amargo tradução Roberta Saraiva Como será que uma vaca lê o mundo ao seu redor? A ideia mais comum é a de que elas ficam horas deitadas na

QUANDO VEM A LUA

grama, olhando a paisagem,

texto

ou mesmo caminhando pelo

antonio ventura

pasto, sem rumo. Mas, o que será que elas tanto olham e para onde será que tanto caminham? O escritor Antonio Ventura e o moderno ilustrador Pablo Amargo transformaram essas curiosidades

ilustrações ✦

Elena Odriozola tradução Josely Vianna Baptista quarta capa Fanny Abramovich

num livro divertido e inusitado,

Quando vem a lua, os brinque-

em que cada vaca tem a sua

dos ganham vida. O clarão da

particularidade e personali-

Lua entra pela janela e a farra

dade, apesar da aparência

começa: no quarto de Pablo, o

semelhante. E são elas que

pinguim de borracha, o ele-

vão guiar o livro a um final

fante de tecido e o rato de

surpreendente. Para os

madeira saem da caixa às

pequenos leitores.

escondidas para... brincar! Antonio Ventura cria um breve

pnld 2006

e despretensioso poema, que permite ao leitor espiar o

1a. edição, 2004 (3 000)

quarto do menino e se tornar cúmplice do que acontece

capa dura; 2 cores;

quando todos adormecem.

30 x 16 cm; 28 pp.; 14 ils.

Ou quase todos. Para a nossa

isbn 85-7503-355-7

surpresa, alguém observa


176/177

tudo de longe e intervém quando a algazarra toma conta. Elena Odriozola utiliza aquarela e acrílico para retratar os brinquedos com cores vivas e muitas estampas, alternando perspectivas cinematográficas. Para a hora de dormir. programa fbn 2010

1a. edição, 2009 (3 000) capa dura; 4 cores; 20,5 x 20,5 cm; 32 pp.; 14 ils. isbn 978-85-7503-758-4

“Um livro bom de ler junto com os pais, ouvindo a mãe a cantarolar cantigas de ninar, com colegas pra tirar a limpo as noites escurentas. Gostoso!” FANNY ABRAMOVICH

altamente vel recomendá ou ão uç ad tr criança adaptação ij) nl (f


o rei salomão e o seu anel mágico

as histórias de faivl texto

texto

dovid bergelson

elie wiesel ilustrações

gravuras ✦

Lasar Segall

Mark Podwal

tradução

tradução

Berta Waldman

Betina Bischof

e Nancy Rozenchan

Uma das mais célebres

Com gravuras de Lasar Segall

histórias bíblicas sobre o

(1891-1957) e texto em ídiche

terceiro rei de Israel, do

de Dovid Bergelson (1884-1952),

século x a.C., é recontada

nasce esta preciosidade da

neste livro por Elie Wiesel,

cultura judaica. Um garoto

Prêmio Nobel da Paz em

judeu, criado sob a tutela da tia

1986. Filho de Davi, o rei

rabugenta, faz um novo amigo,

Salomão deve usar um

um menino cheio de ideias, de

anel mágico para cumprir a

olhar sonhador e nome esqui-

sua missão: construir o

sito: Faivl das Pernas Pesadas.

Templo de Jerusalém. Com

As histórias que Faivl lhe conta

belíssimas pinturas, Mark

mostram um mundo bem maior

Podwal reconta o texto

e mais misterioso que sua

pelas imagens que mais

aldeia. Um verdadeiro cortejo

parecem cenas tiradas de

de figuras do folclore judaico

um quadro.

habita as narrativas deste estranho garoto. Uma beleza

pnld 2003

diferente, que merece ser apreciada pelo jovem leitor a

1a. edição, 2002 (3 000)

fim de enriquecer seu

1a. reimpressão, 2003 (5 500)

repertório cultural.

capa flexível; 4 cores;

1a. edição, 2003 (3 000)

19,5 x 23,5 cm; 56 pp.; 26 ils. isbn 85-7503-115-5

capa flexível; 4 cores; 19 x 23 cm; 64 pp.; 26 ils. isbn 85-7503-219-4

te altamen dável recomen ou o ã ç u trad ão jovem adaptaç (fnlij)


178/179


altamente el recomendáv ou ão uç trad iança adaptação cr ) (fnlij

ano – melhores do r revista cresce

balanço

sensação de mover-se junto

keiko maeo

com o garoto. Balanço propor-

tradução

ciona uma experiência senso-

Diogo Kaupatez

rial da passagem do tempo, do fim da tarde ao início da noite,

Balanço é um poema feito na

quando as primeiras luzes da

mais delicada linguagem orien-

rua se acendem e surgem

tal. No parque de uma grande

algumas estrelas. Guiados por

cidade, brincando em um

essa gradação, os tons de azul

balanço, um garoto observa o

se acentuam em direção ao

anoitecer e declama uma

anoitecer. As ilustrações – de

poesia sobre a noite que se

perspectiva aérea e traços

debruça nos prédios. “Como

leves – se alternam em dife-

um pêndulo azul azul”, acom-

rentes ângulos, ganhando

panhamos o assobio da brisa,

ritmo. Um poema lírico vestido

o mergulho nas nuvens, a

com a mais fina estampa.

proximidade da escuridão, o perfume do vento, as pegadas

1a. edição, 2007 (5 000)

deixadas no céu. De leitura vertical, o recurso gráfico foi

edição bilíngue

cuidadosamente pensado para

capa dura revestida com tecido;

que o movimento das páginas

4 cores; 16 x 25 cm; 40 pp.; 20 ils.

pudesse se confundir ao do

isbn 978-85-7503-660-0

balanço, provocando no leitor a

apoio: Instituto Tomie Ohtake


180/181

letr a bast ão

aprendo com meus amigos

letra bastão para facilitar a leitura dos peque-

taro gomi

nos – acompanha ilustrações fortes e colori-

tradução Diogo Kaupatez

das, proporcionando uma sensação de contentamento e prazer deste gesto que é

quarta capa

aprender com os amigos. Para leitores em

Tomie Ohtake

fase de alfabetização.

Combinação perfeita entre arte e literatura,

pnbe 2010

Aprendo com meus amigos é a primeira obra

programa minha biblioteca infantil 2011

de Taro Gomi publicada no Brasil, um dos autores mais inventivos do cenário internacio-

1a. edição, 2008 (3 000)

nal contemporâneo. Trata-se de um livro de

1a. reimpressão, 2011 (1 500)

celebração, com história bem simples: uma garotinha conta ao leitor tudo o que aprendeu

capa dura; 4 cores;

com seus amigos. O cachorro, por exemplo,

19,5 x 22,4 cm; 36 pp.; 18 ils.

ensinou a pular; o macaco ensinou a se pen-

isbn 978-85-7503-607-5

durar nos galhos; o cavalo ensinou a correr; a coruja ensinou a admirar a noite. E, assim, Taro Gomi nos mostra quantas experiências podemos vivenciar com o outro. O texto – em “Aprendi de modo prazeroso coisas inesperadas e profundas... Conheç a

também

, de Taro Gomi, Rabisco s, na p. 213

É um livro completo.” tomie ohtake


minhas imagens do japão

e as diferentes formas de escrita japonesa,

etsuko watanabe

além de ensinar a fazer algumas dobraduras

tradução

em origâmi. Boa maneira de familiarizar as

Cássia Silveira

crianças com a diversidade. Recomendado

quarta capa

para todos os que não dispensam uma boa

Jo Takahashi

viagem pelos livros.

Este guia ilustrado mostra o dia a dia de uma

programa ler e escrever 2008

criança do outro lado do mundo. Yumi, uma simpática japonesinha de sete anos, nos

1a. edição, 2008 (3 000)

convida a conhecer um pouco da cultura de

2a. reimpressão, 2010 (3 000)

seu país. O roteiro inclui visita à casa dela – onde nos mostra seu quarto, as delícias que a

capa dura; 4 cores;

mãe prepara na cozinha, o banheiro e a forma

21,5 x 22,5 cm; 36 pp.; 136 ils.

diferente de tomar banho –, à escola – lá, os

isbn 978-85-7503-683-9

alunos ajudam a limpar a sala de aula, o pátio e os corredores – e a pontos importantes da cidade, como os banhos públicos, os centros

“Minhas imagens do Japão é um ensaio

comerciais e as grandes lojas. Yumi revela

de antropologia cultural para crianças.”

também tudo sobre as datas comemorativas

jo takahashi


182/183

menção honr osa não ficção

(feira do livro de bolonha, 2004)

o metrô vem correndo…

minações reais e a linguagem visual de Seul.

dong-jun shin

Recomendado para quem não dispensa uma

tradução

boa viagem, por uma cultura bem diferente.

Yun Jung Im quarta capa

1a. edição, 2010 (4 000)

Paulo Rodrigues edição bilíngue

Em edição bilíngue português-coreano, este

capa dura; 4 cores;

livro nos conduz a uma alegre e surpreendente

28 x 23 cm; 32 pp.; 18 ils.

experiência poética pela malha viária de Seul,

isbn 978-85-7503-904-5

capital da Coreia do Sul. Do Sul ao Norte, o

apoio: Instituto Coreano de

leitor embarca no trem, passa por pessoas

Tradução Literária (itc)

apressadas e percorre algumas das principais estações da cidade. Pela janela, avista diferentes paisagens e símbolos característicos desta

“Nesta história é o trem quem define o

cultura urbana: do centro agitado, passando

tempo e o espaço, marca o ritmo e dá

pelo rio “que brilha ao Sol”, até o monte Bugak.

o sentido. Devagar, mostra o tempo real;

Mestre nas colagens, Dong-Jun Shin criou as

veloz, o da fantasia. Imagens e cores

ilustrações a partir dos elementos do metrô,

preenchem o leitor. Frases singelas e

como por exemplo os bilhetes e o mapa das

precisas apenas o orientam.”

linhas. A tradução brasileira respeita as deno-

paulo rodrigues


altam ente recom endáv el tradu ção o u adapt ação CRIANÇA (fnlij )

“Em meio à diversidade cultural africana, os ritos de passagem são uma tradição comum. [...] A menina Bintou espera ansiosa o momento de deixar a infância e, junto com ela, os birotes de seu cabelo, passando a usar belas tranças. Mas, até lá, ela deve evitar a vaidade e dedicar-se a ser... criança.” omar ribeiro thomaz


184/185

MIL mais de 70 es exemplar vendidos

as tranças de bintou

os sete novelos

texto

texto

sylviane a. diouf

angela shelf medearis

ilustrações

ilustrações

um conto de kwanzaa

Shane W. Evans

Daniel Minter

tradução

tradução

Charles Cosac

André Jenkino do Carmo

orelha Omar Ribeiro Thomaz

Numa aldeia africana, sete irmãos transformam a vida familiar numa convivência difícil:

O sonho de Bintou, uma menina

brigam e discutem por qualquer motivo.

africana, é ter tranças como

Quando o pai morre, deixa um testamento

todas as mulheres mais velhas

curioso: até o pôr do sol daquele dia, os

de sua aldeia. Mas, como ainda

irmãos terão de aprender a fazer ouro com

é criança, tem de se contentar

sete novelos de fios coloridos. Se falharem,

com os birotes. A autora

serão expulsos de casa, sem receber a

Sylviane A. Diouf, filha de pai

herança. Assim, é no companheirismo e no

senegalês e mãe francesa, criou

trabalho em conjunto que os irmãos devem

uma delicada história sobre a

buscar a solução. Baseado no feriado de

angústia do rito de passagem e

Kwanzaa (“primeiros frutos” em suaíli), come-

o aprendizado do crescimento.

morado por afro-americanos, a leitura celebra

As ilustrações de Shane W.

a comunidade e a cultura africana.

Evans reforçam a beleza, a tradição e o encanto da cultura

pnld 2006

africana. Um belo exercício de respeito à pluralidade cultural e

1a. edição, 2005 (3 000)

ao amadurecimento. Para

6a. reimpressão, 2010 (3 000)

crianças alfabetizadas. brochura; 4 cores; pnbe 2005

20 x 25,5 cm; 40 pp.; 16 ils.

programa fbn 2010

isbn 978-85-7503-392-0

1a. edição, 2004 (3 000) 2a. edição, 2010 (4 000) 5a. reimpressão, 2011 (4 000) brochura; 4 cores; 21,5 x 27 cm; 32 pp.; 16 ils. isbn 978-85-7503-960-1

ente altam el endáv m o c re ou o ã ç u trad RIANÇA ação C adapt ) (fnlij


a menina que batizou plutão e outras histórias

“Sem a imaginação e a perseverança das nove crianças e adolescentes retratados neste livro, o mundo seria um lugar muito

extraordinárias de

menos interessante. [...] Basta conviver um

jovens cientistas

pouco com cientistas e escritores para

texto

perceber que a maioria deles não passa

marc mccutcheon

de grandes crianças.”

ilustrações

marcelo leite

Jon Cannell tradução Clara Lacerda quarta capa Marcelo Leite As nove histórias reunidas neste livro contam como crianças e adolescentes podem chegar a grandes descobertas científicas com base na observação do dia a dia, além de muito estudo, uma boa dose de intuição e outra tanta de sorte. Do primeiro foguete ao alfabeto braile, passando por contos de ficção científica, a imaginação e a pesquisa sistemática permitiram que crianças e adolescentes concretizassem suas ideias. programa minha biblioteca 2010

1a. edição, 2005 (3 000) 2a. edição, 2010 (4 800) brochura; 4 cores; 21,5 x 17 cm; 80 pp.; 45 ils. isbn 978-85-7503-939-7


186/187

caro einstein... ✦

lynne barasch

brasileiro do cientista, um apêndice traz fotos da

tradução

visita de Einstein ao Brasil

Marco Moriconi

(1925), além de indicações

orelha Alfredo Tolmasquim

bibliográficas para quem quiser se aprofundar no tema. A edição, traduzida por Marco

Escrito a partir de um episódio

Moriconi, físico especialista

real, Caro Einstein... é o caso

em Albert Einstein, tem

inspirador de uma garota de

orelha assinada por Alfredo

sete anos que enviou uma

Tolmasquim, diretor do Museu

carta a um dos cientistas mais

de Astronomia e Ciências

importantes de todos os

Afins (mast) do Rio de Janeiro.

tempos, na tentativa de ajudar

Versátil e instigante, Caro

sua irmã mais velha a passar

Einstein... é muito mais que

de ano na escola. Por trás

um livro de ciências: estimula

daquele tipo inconfundível,

a curiosidade e a pesquisa.

existiu um homem que, entre

Para pequenos curiosos.

uma teoria e outra, ajudava meninos e meninas com a

1a. edição, 2007 (3 000)

lição de casa. O que será que Einstein respondeu à

brochura; 4 cores;

protagonista desta história?

23,5 x 23 cm; 48 pp.; 41 ils.

Para aproximar o jovem leitor

isbn 978-85-7503-564-1

“Albert Einstein causa grande fascínio entre as crianças (e entre os adultos também), principalmente pela fama de maior cientista do mundo, pelos cabelos brancos e longos, quase sempre desarrumados, e pelo jeito desleixado de se vestir.” alfredo tolmasquim


altamente recomendável tradução

a incrível história da orquestra

INFORMATIVO (fnlij)

história da composição musical tendo como fio condutor o

uma introdução aos

desenvolvimento dos instrumen-

instrumentos

tos. Também aborda a formação

musicais e à

das orquestras, as tendên-

orquestra sinfônica

cias dos períodos clássico,

bruce koscielniak

romântico e contemporâneo.

tradução

Um ótimo “instrumento” para a

Renata Campos

iniciação da literatura musical.

Chalumeau, cromorno, saltério,

pnld 2003

fagotes não são nomes de

programa ler

células ou doenças, mas de

e escrever 2007

instrumentos musicais usados

programa fbn 2010

em orquestras sinfônicas. Quem explica é Bruce

1a. edição, 2002 (3 000)

Koscielniak neste livro que

4a. reimpressão, 2009 (3 000)

propõe uma viagem no tempo por meio da música. Com

capa dura; 4 cores;

ilustrações figurativas e esque- 28,5 x 24,5 cm; 32 pp.; 18 ils. máticas, o autor reconstitui a

isbn 978-85-7503-131-5


188/189

como me tornei uma bailarina texto

anna pavlova ilustrações Edgar Degas tradução Clara Lacerda Com texto extraído das memórias da bailarina russa Anna Pavlova (1881-1931), Páginas da minha vida, este livro conta a história de uma menina pobre que se encanta com o mundo do balé ao ir pela primeira vez ao teatro. Um universo mágico se abriu e um sonho foi criado: estrear nos palcos ao som de Tchaikovsky. Quadros do pintor francês Edgar Degas (1834-1917), célebre por seus estudos e desenhos de bailarinas, ilustram o volume. O livro traz ainda pequenas biografias de Pavlova e Degas. Um delicado casamento entre dança e pintura. 1a. edição, 2001 (3 000) capa dura; 4 cores; 21,5 x 28 cm; 32 pp.; 14 ils. isbn 85-7503-050-7 altamen te recome ndável traduç ão ou adapta ção JOVEM (fnlij)


georg hallensleben

babum

tradução

texto

Galiana Lindoso

Kate Banks

Georg Hallensleben nasceu em 1958 em

Pendurado nas costas de sua

Wuppertal, Alemanha, e desde pequeno gos-

mãe, um filhote de babuíno

tava de fazer desenhos coloridos como os dos

passeia na floresta pela primeira

livros que lia. Fez sua primeira exposição de

vez. Suas impressões imediatas

pinturas em Zurique, logo que terminou seus

constatam que o mundo é verde

estudos em artes plásticas. Mudou-se para

de dia, escuro à noite e macio

Roma, onde morou por vinte anos. Atualmente,

sob a relva. Mas também

vive em Paris, onde pinta os livros que ilustra,

oferece perigo: o calor é do

compondo cenas generosas que ocupam toda

fogo que queima a mata, e

a página com cores fortes.

Babum também deve ficar longe do jacaré. O traço inconfundível de Hallensleben transforma a história num delicado jogo de cores para os pequenos leitores. 1a. edição, 2001 capa dura; 4 cores; 22,5 x 25,5 cm; 28 pp.; 11 ils. isbn 85-7503-021-3

altamente recomendá vel tradução ou adaptação CRIANÇA (fnlij)


190/191

se a lua pudesse falar texto Kate Banks

solange e o anjo

texto Thierry Magnier

um presente do mar texto Kate Banks

A porquinha Solange adora Todos os dias, a Lua atra-

fazer bagunça. Um dia,

Uma pedra na areia da

vessa a Terra e observa os

inventa uma nova brincadeira:

praia pode ser apenas mais

animais, o vento, a areia e o

passear nos corredores de

um objeto para a coleção do

mar. Se ela pudesse falar, o

um grande museu, o Louvre.

menino. Mas ao remontar à

que nos contaria? A menina,

A porquinha se encanta com

origem da pedra, o leitor

por sua vez, observa o seu

o anjinho da pintura, que se

descobrirá que ela conheceu

universo: uma caixinha de

descola do quadro para

a era dos dinossauros,

música, o sapato debaixo da

acompanhá-la no museu.

passando pelas geleiras,

cadeira. Duas histórias cami-

Os dois tornam-se insepará-

ajudando os homens das

nham lado a lado: a da menina

veis. Thierry Magnier e Georg

cavernas, e servindo de

e a da Lua; ambas narram

Hallensleben tratam de

referência nas primeiras

suas impressões do mundo,

encontros importantes: da

civilizações, até chegar à

os detalhes perdidos no coti-

natureza com a cultura, da

mão do menino.

diano. Para ser lido no embalo

amizade com o amor, do

do sono, no colo do pai.

selvagem com o barroco.

1a. edição, 2001

1a. edição, 2001

1a. edição, 2001 capa dura; 4 cores; 24,5 x 23,5 cm; 36 pp.; 17 ils.

capa dura; 4 cores;

capa dura; 4 cores;

22,5 x 25,5 cm; 36 pp., 18 ils.

22,5 x 25,5 cm; 36 pp.; 21 ils.

isbn 85-7503-013-2

isbn 85-7503-012-4

isbn 85-7503-020-5

ente altam el endáv m o c re ou o ã ç u trad RIANÇA ação C adapt ) (fnlij


192/193

o menino entregador de jornal ✦

dav pilkey

altamente recomendável tradução ou adaptação CRIANÇA (fnlij)

tradução e quarta capa Otavio Frias Filho O consagrado autor da série As Aventuras do Capitão Cueca faz, neste livro, um relato

menção ho nrosa medalha ca ldecott (1997)

sensível sobre sua experiência de infância, como entregador de jornais. Enquanto toda a cidade ainda dorme, o protagonista desta história sai em sua bicicleta, acompanhado do inseparável cão, para distribuir o jornal diário. Depois, quando todos acordam, é a vez de ele se deitar. O garoto, assim como Dav Pilkey em seus treze anos, se orgulha de realizar a atividade, confiante e feliz. Nas ilustrações, as cores brilham em meio à atmosfera silenciosa e escura das manhãs de inverno. 1a. edição, 2010 (5 000) brochura; 4 cores; 22 x 26 cm; 40 pp.; 16 ils. isbn 978-857503-923-6

“Neste livro você vai conhecer a história de um menino que também trabalha à noite. Ou melhor, de madrugada, que é quando a noite vai acabando, mas o dia ainda não começou.” OTAVIO FRIAS FILHO

Conheça out ros livros de Dav Pilkey a partir da p. 248


livros-i mage m


a honros menção izontes r o h s o nov e (feira d a , 2010) h n lo bo

tchibum!

imersão, além de reproduzir

gustavo borges

objetos lúdicos familiares

ilustrações Daniel Kondo O primeiro livro infantil do

a qualquer criança que está começando a nadar. Cantos arredondados, papel com proteção à umidade e

maior nadador brasileiro,

gramatura superior à usual

Gustavo Borges, vem para

são alguns dos recursos

ensinar crianças que ainda

do livro, cuidadosamente

não deram os primeiros

pensados para facilitar o

passos a dar as primeiras

manuseio pelos bebês.

braçadas. Por meio de

Uma forma descontraída

imagens, Tchibum! descreve

e prazerosa de incentivar

uma aula de natação, do

o contato com o universo

momento do mergulho na

aquático.

piscina até o aconchego no colo dos pais ao final

1a. edição, 2008 (10 000)

da atividade. Concebido como um breve filme, o

brochura + lâmina “puxe-aqui”;

livro também apresenta

4 cores; 15 x 10,5 cm; 24 pp.; 15 ils.

os princípios básicos da

isbn 978-85-7503-240-4

natação, como flutuação e

apoio: Speedo

“Tchibum! deve sua originalidade à habilidade de ser um livro-arte divertido. A criança-leitora pode realmente brincar enquanto observa a fascinante e alegre galeria de imagens Pop Art. [...] Destinado a se tornar um daqueles objetos favoritos que você sempre quis ter e nunca vai querer perder.” membros do júri, feira de bolonha


196/197


198/199

o presente ✦

odilon moraes quarta capa Tales A. M. Ab’Sáber Um livro-imagem que não economiza somente

1a. edição, 2010 (5 000)

nas palavras, mas também nas cores e no desenho, para contar a história de um presente

capa cartonada; 2 cores;

que precisamos sustentar com as próprias

21 x 24,8 cm; 48 pp.; 24 ils.

mãos (ou pés). Esta é a primeira obra escrita

isbn 978-85-7503-719-5

somente com as imagens de Odilon Moraes. E, mais uma vez, ele demonstra que as

“O presente de Odilon Moraes pode

palavras não são a única forma de expressar

prescindir da palavra, e ainda assim nos

um grande acontecimento. Um menino ganha

falar tão de perto. O despertar do amor

a tão esperada camisa de futebol para assistir

ao futebol se confunde com o despertar

às partidas do campeonato. E, quando tudo

da própria consciência de si. É de fato

parecia dar errado, o verdadeiro presente

uma formação de si.”

estava para acontecer.

TALES A. M. AB’SáBER

altamente recomendável imagem (fnlij)

Conheça outros livros de Odilon Moraes a partir da p. 42


suzy lee A sul-coreana Suzy Lee (1974- ) é uma das grandes promessas da jovem geração de ilustradores. Lee trabalha com um tipo de narrativa muito particular: o livro-imagem, no qual as ilustrações formam uma história sem a necessidade do texto. A inventividade da autora é tamanha que ela brinca até com o espaço da página, nesta trilogia de uma garota que passa por três iniciações: a do encontro com o mar, a do encontro com seu reflexo no espelho e a do encontro com o universo fantástico de suas próprias brincadeiras. A Cosac Naify reconhece nesta autora a nova literatura infantojuvenil, que ultrapassa os limites de gêneros, faixa etária e do próprio livro como objeto. Suzy Lee veio ao Brasil em 2010 para participar do 12º. Salão do Livro para Crianças e Jovens, promovido pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.


200/201

espelho No primeiro livro da trilogia, Suzy Lee mergulha na relação simbólica entre o ser humano e seu reflexo. Por meio de uma sedutora narrativa visual, com grafite e aquarela em páginas duplas, a autora apresenta o primeiro encontro de uma garotinha com o espelho. O contato fica tão intenso que a menina e seu reflexo se tornam um único corpo. À primeira vista, não é possível definir qual imagem representa o real e o imaginário. Mas esse enigma é lentamente desvendado por meio das surpresas vivenciadas pela menina. Ao contrário do mito clássico de Narciso, neste livro não há espaço para a vaidade, mas um divertido convite à descoberta de nós mesmos ou daquele que nos olha do outro lado do espelho. 1a. edição, 2010 (5 000) capa dura; 2 cores; 17,5 x 30,5 cm; 48 pp.; 28 ils. isbn 978-85-7503-828-4

altamente recomendável imagem (fnlij)


onda A prova de que este livro-imagem é universal

mil de 60 mais es r a pl exem os id d ven

como o mar está nos seus 100 mil exemplares vendidos por todo o mundo. A obra dispensa palavras ao sensibilizar para a sincera amizade que nasce do primeiro encontro de uma menina com o oceano. A junção das páginas serve como limite físico para criar a tensão entre a menina e a onda, numa brincadeira que surpreende o leitor. Em apenas duas cores, as ilustrações conferem ao livro um lirismo singelo. O formato horizontal remete à extensão da praia. As recompensas multiplicam-se a cada releitura. pnbe 2010 programa fbn 2010

1a. edição, 2008 (5 000) 3a. reimpressão, 2011 (4 000) capa dura; 2 cores; 31 x 18,5 cm; 40 pp.; 20 ils. isbn 978-85-7503-723-2

r livro melho gem a de im 2010) j, li n (f

ano – melhores do r revista cresce


202/203

SOMBRA Quem tem medo da própria sombra? No terceiro livro-imagem da trilogia, a menina se depara com as silhuetas escuras das coisas que a cercam em seu quarto. “Desenhar” um pássaro com a mão e depois lançá-lo ao ar é o primeiro passo para que outras sombras inusitadas se formem a partir dos objetos, começando então a ganhar vida. As sombras brincam, vindo à superfície iluminada e dissolvendo os limites entre os dois mundos. A bagunça só é interrompida na hora do jantar. Mas, quem se importa? Ao apagar a luz, as sombras continuam a brincadeira e a menina descobre que há mais possibilidades nos objetos do que parece. 1a. edição, 2010 (5 000) capa dura; 2 cores; 30,5 x 17,5 cm; 40 pp.; 20 ils. isbn 978-85-7503-901-4

ano – res do melho er c s a cre revist


204/205

na garupa do meu tio

“Merveille cria um mundo

david merveille

possível onde é uma delícia se

quarta capa

perder, onde há segredos

Istvan Banyai

escondidos a serem descobertos,

Neste livro-imagem – baseado no

istvan banyai

quem sabe até o amor...”

personagem mais famoso de Jacques Tati – o ilustrador David Merveille, por meio de uma sequência de cenas, convida o leitor a apreciar uma nova aventura do senhor Hulot pela cidade de Paris. Como num livro cinematográfico, cada par de páginas tem um

altamente recomendável imagem (fnlij)

fôlder que se abre, revelando uma surpresa. Vários elementos retirados dos filmes do cineasta estão espalhados pelas ilustrações. Na garupa do Meu tio relembra a incrível

melhores do ano – revista crescer

capacidade do personagem criado por Tati de transformar o cotidiano em algo fantástico, romântico e muito divertido. A inédita quarta capa de Istvan Banyai, autor de O outro lado, é exclusiva para a edição brasileira. 1a. edição, 2009 (3 000) capa dura; 4 cores; 22,5 x 27,5 cm; 60 pp.; 27 ils. isbn 978-85-7503-870-3

conheça o romance de Jean-Claude Carrière, baseado no filme Meu tio, na p. 110


206/207

o outro lado ✦

istvan banyai tradução Daniel Bueno Ver o mundo pelos olhos de outra pessoa.

página anterior para recuperar algum ele-

Esta é a proposta de O outro lado, primeiro

mento não observado na primeira leitura.

livro-imagem da Cosac Naify. Istvan Banyai,

E, quando você achar que já descobriu tudo,

autor do consagrado Zoom (1995), mostra

uma nova surpresa aparecerá diante de

que, dependendo do ponto de vista, a

seus olhos. Concebido especialmente para

mesma situação pode ter infinitas percep-

pessoas atentas aos detalhes.

ções, prova de que nem tudo é exatamente o que parece ao primeiro olhar. Um inteli-

programa ler e escrever 2008

gente jogo de enigmas que ganha complexi-

projeto mais cultura 2009

dade a cada página e instiga o leitor a

programa fbn 2010

questionar sua própria realidade. As imagens produzem uma sequência narrativa envol-

1a. edição, 2007 (5 000)

vente e nos desafiam a desvendar todos os

1a. reimpressão, 2009 (3 000)

“outros lados” escondidos: pode ser dentro e fora, em cima e embaixo, quente e frio, perto

capa dura + sobrecapa com verniz;

e longe, claro e escuro, ficção e realidade.

4 cores; 18,5 x 25,5 cm; 44 pp.; 43 ils.

Não hesite em dar uma espiadinha na

isbn 978-85-7503-673-0

te altamen dável n e m o c re nlij) (f imagem

m a també Conheç em g a o livro-im arla sta, de C Av. Pauli 3 27 p. Caffé, na


livros i nte rativos


210/211

EU QUE FIZ

de catchup à confecção de

ellen e julia lupton

padronagens, com a ajuda

tradução Cristian Borges

do computador. A criança é convidada já na capa a adotar o estilo “eu que fiz”:

Este livro de design traz 102

a orelha pode ser destacada

atividades ilustradas e

e usada para montar uma

explicadas passo a passo,

capa exclusiva.

feitas por crianças, para ajudar pais e pedagogos a

pnbe 2010

praticar a reciclagem. O livro

programa fbn 2010

incentiva, na contramão do consumismo, a criar objetos

1a. edição, 2008 (3 000)

de maneira artística, usando

1a. reimpressão, 2011 (4 000)

materiais que encontramos dentro de casa. Além de

brochura + orelhas com

iniciar o bê-á-bá do design

picote; 4 cores; 18 x 21,5 cm;

por meio de projetos que

152 pp.; 272 ils.

utilizam desde um saquinho

isbn 978-85-7503-733-1


212/213

s ilhõe 3,5 m res a l emp de ex s no o id vend o mund

rabiscos – Um livro para pintar e desenhar

personagens a serem

taro gomi

acrescentados nas imagens

imaginar as cenas. Dividido em temas, há figuras incompletas, detalhes e

tradução

e páginas em branco para

Diogo Kaupatez

desenhar à vontade.

orelhas

O papel resiste às mais

Guto Lacaz, Nelson Cruz,

diversas técnicas. Ideal para

Daniel Bueno e Laura

crianças que adoram arte.

Teixeira

Fundamental nas escolas

Duzentas e cinquenta páginas

os pais e professores com

de pura imaginação. Mais

certeza vão pedir o livro

do que um simples livro para

emprestado.

de Educação Infantil, mas

colorir, Rabiscos convida à criação e estimula os

1a. edição, 2009 (5 000)

pequenos artistas a realizar sua própria história. É

brochura; 1 cor;

possível utilizar as dicas do

21 x 30 cm; 256 pp.; 125 ils.

autor ou sentir-se livre para

isbn 978-85-7503-801-7

bém, de veja tam mi, Taro Go meus om c Aprendo na p. 181 amigos,


214/215

o livro da nina para guardar pequenas coisas

brasileira conta, ainda, com

keith haring

22 anos após ter ganho o

tradução

um depoimento exclusivo da própria Nina Clemente, presente. Imperdível!

Alípio Correia de Franca Neto quarta capa

1a. edição, 2010 (5 000)

Nina Clemente

1a. reimpressão, 2011 (4 000)

O artista plástico pop norte-

capa dura; 4 cores + uma cor

americano Keith Haring

especial; 21,5 x 30 cm; 72 pp.; 29 ils.

deixou um legado de ícones

isbn 978-85-7503-888-8

famosos, admirados até hoje por nomes das novas gerações. Este livro foi um

“Fiquei muito feliz ao saber

presente de Haring para

que O livro da Nina para

Nina – filha do pintor italiano

guardar pequenas coisas

Francesco Clemente –, em

seria publicado no Brasil.

seu sétimo aniversário.

Eu morei algum tempo no

Trata-se de um objeto

Rio de Janeiro e sei que

pessoal para desenhar, pintar,

Keith ficaria contente

colar adesivos, folhas, fotos

também: a energia, as

dos amigos, lembranças de

cores intensas, o ritmo e a

um dia no circo e até pensa-

vibração deste país estão

mentos – desde que sejam

em sintonia com sua arte

pequenas coisas. Publicado

e seu modo de vida.”

em fac-símile, a edição

nina clemente

conhe ça ta mbém Keith , de Harin g, Ah gent , se a e não prec dorm isass ir!, na e p. 139

letra bastão


coleçõe s


coleção siricutico [palavra cantada] Idealizada por Edith Derdyk, produzida pela Cosac Naify e pelo selo Palavra Cantada, de Sandra Peres e Paulo Tatit. Esta coleção procura sensibilizar a criança para o diálogo entre três artes: poesia, pintura e música. Cada livro traz a letra de uma canção ilustrada por um artista plástico e os cds vêm sempre com uma faixa de karaokê e outra, denominada “toque musical”, com informações didáticas sobre arranjos e instrumentos. Coleção altamente recomendada para crianças em fase de alfabetização, professores de música, história, português e artes plásticas que têm o “siricutico” do ensino.

li vr o -c d


218/219


pindorama

rato

música

música

sandra peres e luiz tatit

edith derdyk e paulo tatit

ilustrações

ilustrações

Alex Cerveny

Edith Derdyk e Elaine Ramos

Uma verdadeira aula de história do Brasil por

Dos bueiros e becos da cidade sai um ratinho

meio dos instrumentos musicais. O que será que

à procura de uma noiva. Primeiro tenta seduzir

os portugueses descobriram quando aportaram

a Lua, depois uma nuvem, em seguida, a brisa,

em Pindorama no ano de 1500? Certamente,

mas a sua verdadeira amada estava mais

eles se encantaram com a beleza da terra das

próxima do que ele imaginava. A genial voz do

palmeiras. A suave canção nas vozes de

rato, interpretada por Paulo Tatit, tem como

Eugênia de Mello e Castro e de dois meninos,

contraponto um afinadíssimo coro de “ratas”:

um brasileiro e outro português, estabelece um

Mônica Salmaso, Ná Ozetti e Suzana Salles.

diálogo entre duas culturas, duas formas de usar Ao traço bem livre do desenho de Edith Derdyk a mesma língua, dois tipos de instrumentos

foram sobrepostas as fotografias urbanas de

musicais. Tudo enriquecido pelas eruditas e

Elaine Ramos.

bem-humoradas ilustrações de Alex Cerveny. 1a. edição, 2003 (5 000) pnld 2004

capa flexível + cd; 4 cores; 1a. edição, 2003 (5 000)

13,5 x 13,5 cm; 48 pp.; 26 ils.

1a. reimpressão, 2004 (3 000)

isbn 85-7503-177-5

capa flexível + cd; 4 cores; 13,5 x 13,5 cm; 48 pp.; 23 ils. isbn 85-7503-181-3


220/221

ora bolas música

antigamente & tente entender

paulo tatit e edith derdyk

música

ilustrações

sandra peres e zé tatit

Andrés Sandoval A bola que está no pé do menino, que mora

ilustrações Zé Tatit

na casa, que está na rua, dentro da cidade...

“Antigamente” – uma voz triste canta o pas-

O limite para o jogo é o espaço sideral. Numa

sado: é a boneca, antes a mais querida de sua

sequência de perguntas e respostas que

dona, hoje “coberta pelo pó”, abandonada num

lembra a embolada nordestina, o coro infantil

fundo de armário. “Tente entender” – a menina,

dá ritmo a essa infinita partida de futebol.

já crescida, pede à boneca que “tente enten-

Como o enfrentamento de duas torcidas.

der”: ela ainda vive entre as suas lembranças

Andrés Sandoval criou ilustrações que

mais queridas, e vai reviver quando a menina

se desdobram pelo livro, acentuando o efeito

tiver uma filha. A atmosfera de “Antigamente”

de continuidade da embolada e os

está presente nas ilustrações de Zé Tatit feitas

malabarismos da letra manuscrita.

à base de carimbos fixando os brinquedos abandonados pela menina. Já “Tente entender”

1a. edição, 2005 (4 000)

é ilustrada com a pincelada rápida e colorida da aquarela, sugerindo uma sutil sobreposição

capa flexível + cd; 4 cores;

de idades.

13,5 x 13,5 cm; 48 pp.; 23 ils. isbn 85-7503-454-5

1a. edição, 2005 (4 000) capa flexível + cd; 4 cores; 13,5 x 13,5 cm; 40 pp.; 25 ils. isbn 85-7503-459-6


coleção clifford, o filhotinho vermelho ✦

norman bridwell tradução Lilian Jenkino Depois do enorme sucesso da coleção Clifford, o Cachorrão Vermelho, a editora Cosac Naify investe em uma nova frente para as crianças em fase de pré-alfabetização. Trata-se da coleção Clifford, o Filhotinho Vermelho. São sete livros moldados com faca especial, produzindo um recorte diferenciado que facilita o manuseio pela criança, além de as páginas serem de material cartonado, portanto, mais resistentes. Abordando temas educativos, os livrinhos contribuem para o aprendizado da leitura, transformando-a numa atividade prazerosa.

car

to n

ado

s


222/223


clifford brinca de esconde-esconde

clifford conta bolhas volume 2

volume 1

Do um ao dez, Clifford distribui bolhas O pequeno Clifford aprende como usar os

para seus amigos: o gato, o coelho, a abelha,

advérbios e as preposições. Sua dona, Emily,

a borboleta e os ratinhos. Com um singelo

o ajuda na brincadeira de esconder.

texto rimado, a criança se diverte ao aprender os números.

1a. edição, 2004 (5 000) 2a. edição, 2007 (3 000)

1a. edição, 2004 (5 000)

2 . reimpressão, 2010 (5 000)

2a. edição, 2007 (3 000)

a

2a. reimpressão, 2010 (5 000) cartonado; 4 cores; 13,5 x 13,5 cm; 16 pp.; 7 ils.

cartonado; 4 cores;

isbn 978-85-7503-321-0

13,5 x 13,5 cm; 16 pp.; 7 ils. isbn 978-85-7503-322-7

clifford e os opostos volume 5

clifford e os sons dos animais volume 6

Num jogo de associações, a criança aprende a relacionar as ações e seus opostos. Dentro

Em uma fazenda, Clifford ouve e aprende os

e fora, acordado e dormindo, primeiro e último

sons dos animais. A vaca, a coruja, o passari-

são algumas situações propostas no livro.

nho e o ratinho, todos têm seu repertório. Inclusive o nosso cachorrinho vermelho.

1a. edição, 2004 (5 000) 2a. edição, 2007 (3 000)

1a. edição, 2004 (5 000)

2a. reimpressão, 2010 (5 000)

2a. edição, 2007 (3 000) 2a. reimpressão, 2010 (5 000)

cartonado; 4 cores; 13,5 x 13,5 cm; 16 pp.; 7 ils.

cartonado; 4 cores;

isbn 978-85-7503-325-8

13,5 x 13,5 cm; 16 pp.; 7 ils. isbn 978-85-7503-326-5


224/225

clifford e a hora de dormir

clifford e a hora do banho

volume 3

volume 4

Toda criança faz charme na hora de dormir.

O cachorrinho foge para não ter de tomar

Com o cachorrinho Clifford não é diferente.

banho, mas a mamãe pode transformar a

Sua mãe o coloca na cama, mas ele precisa

banheira em um grande mar, cheio de

do urso, da boneca, de um pouco de água e

brincadeiras. Clifford aprende que tomar

ainda não tem sono. Para uma noite bem

banho é gostoso e divertido se tiver um

dormida, só falta um carinho da mamãe.

pouco de imaginação.

1a. edição, 2004 (5 000)

1a. edição, 2004 (5 000)

2a. edição, 2007 (3 000)

2a. edição, 2007 (3 000)

2a. reimpressão, 2010 (5 000)

2a. reimpressão, 2010 (5 000)

cartonado; 4 cores;

cartonado; 4 cores;

13,5 x 13,5 cm; 16 pp.; 7 ils.

13,5 x 13,5 cm; 16 pp.; 7 ils.

isbn 978-85-7503-323-4

isbn 978-85-7503-324-1

clifford e seus latidos volume 7

Ao latir para os objetos e as pessoas, Clifford expressa seus sentimentos. É assim que convence sua dona, Emily, a levá-lo para passear pelas ruas e pelo parque. 1a. edição, 2004 (5 000) 2a. edição, 2007 (3 000) 2a. reimpressão, 2010 (5 000) cartonado; 4 cores; 13,5 x 13,5 cm; 16 pp.; 7 ils. isbn 978-85-7503-327-2


coleção clifford, o cachorrão vermelho ✦

norman bridwell tradução Cau Jahn Clifford, o cachorrão vermelho, é o grande amigo das crianças em processo de alfabetização. O autor destes textos curtos e simples, Norman Bridwell, também assina as irresistíveis ilustrações. Os livros irradiam a simpatia de Clifford em aventuras ao lado de sua dona, Emily Elizabeth, por diversas situações do cotidiano. A série Clifford acompanha as aventuras e brincadeiras do gigante cachorro vermelho de Emily, antes o menor cão de sua ninhada que, graças ao amor dela, conseguiu crescer mais do que o esperado.


226/227


clifford, o cachorrão vermelho

clifford faz aniversário volume 2

volume 1

clifford, o filhotinho vermelho volume 3

Emily e a mãe prepararam Neste volume, Emily nos

uma enorme festa para

Emily nos conta como virou dona de Clifford e a infância

apresenta Clifford, o cachor-

Clif­ford. Porém, nenhum dos

rão vermelho. Ele é único:

amigos do cachorrão verme-

do filhotinho, que cresceu até

seu tamanho, sua cor e sua

lho comparece, pois não têm

ficar maior do que o sobrado

personalidade criam as maio-

presentes legais para ele. A

onde ela mora. Clifford era o

res brincadeiras e também

menina logo diz que o pre-

menor de sua ninhada; até

causam confusão. Mas, no

sente não é o mais impor-

tomava leite na mamadeira

fim das contas, Clifford é

tante, e a festança começa.

de boneca. Confira esta nova

como todo cachorro: esperto

Mesmo assim, os amiguinhos

aventura e descubra como

e adorável, além de fazer

de Clifford levam algumas

Clifford se tornou o cachor-

sucesso entre os vizinhos.

lembranças, que causam

rão vermelho.

muita confusão e diversão. 1a. edição, 2001 2a. edição, 2006 (3 000)

1a. edição, 2001 1a. edição, 2001

2a. edição, 2006 (3 000)

2a. edição, 2006 (3 000) capa grampeada; 4 cores;

1a. reimpressão, 2008 (2 000)

20 x 20 cm; 32 pp.; 32 ils. isbn 85-7503-541-x

capa grampeada; 4 cores; 20 x 20 cm; 32 pp.; 32 ils.

capa grampeada; 4 cores; 20 x 20 cm; 32 pp.; 32 ils. isbn 978-85-7503-539-9

isbn 85-7503-513-4


228/229

clifford e sua família volume 4

clifford, o cachorro bombeiro

clifford arruma emprego volume 6

volume 5

Nesta nova aventura, Clifford

Ter um cachorrão vermelho é Depois da breve visita do

uma grande aventura, mas as

família, que mora em outra

cachorrão vermelho, em

despesas também são gran-

cidade. Na primeira parada,

Clifford e sua família, ele

des. Para ajudar com os

ele encontra a mãe que

decide rever o irmão bom-

gastos, Clifford sai à procura

quase não o reconhece por

beiro, Nero. O cachorrão

de um emprego. Primeiro, tenta o circo, mas seu tama-

sai em viagem para rever sua

causa de seu tamanho.

vermelho foi logo aceito pela

Depois, visita seus irmãos e

equipe, por causa da cor de

nho deixa o dono uma fera.

acaba até ajudando um deles

sua pelagem e de seu incrível

Depois, tenta uma fazenda,

a apagar um incêndio.

tamanho. O que parecia ser

mas os animais se assustam

apenas um passeio torna-se

com a sua cor. Desanimado,

1a. edição, 2001

um resgate quando as sire-

Clifford descobre que pode

2a. edição, 2006 (3 000)

nes dos bombeiros anunciam

ser um herói.

um incêndio. 1a. edição, 2001

capa grampeada; 4 cores; 20 x 20 cm; 32 pp.; 32 ils.

1 . edição, 2001

isbn 85-7503-540-1

2 . edição, 2006 (3 000)

a

2a. edição, 2006 (3 000)

a

capa grampeada; 4 cores; capa grampeada; 4 cores;

20 x 20 cm; 32 pp.; 17 ils.

20 x 20 cm; 32 pp.; 17 ils.

isbn 85-7503-538-x

isbn 85-7503-537-1


clifford no circo

clifford vai viajar

volume 7

volume 8

Clifford e Emily sempre tive-

Finalmente as férias chega-

clifford e a tempestade volume 9

ram um sonho: trabalhar no

ram. Emily e Clifford já faziam

Emily, junto de Clifford, vai

circo. Eis que, um dia, a cidade

planos para viajar, mas os pais

visitar a avó que mora na

onde moram recebe um circo

da menina decidiram ir para

praia. Lá, a menina e seus

que estava quase indo à falên-

as montanhas, e Clifford foi

amigos brincam no mar,

cia. O cachorrão vermelho é,

deixado com os vizinhos, pois

constroem castelos de areia

então, contratado como

não cabia no carro. Inconfor-

e saem para pescar. Um dia,

atração circense. De palhaço

mado, o cachorrão vermelho

no entanto, chega a notícia

a equilibrista, Clifford ganha

sai à procura de seus donos.

de que uma grande tempes-

uma nova profissão e a sim-

Farejando o caminho, ele

tade se aproxima da cidade

patia do público.

encontra algumas dificulda-

litorânea. O cachorrão verme-

des no trajeto, mas nada

lho passará por novas e peri-

1a. edição, 2001

o faz desistir de chegar

gosas aventuras para salvar a

2a. edição, 2006 (3 000)

até Emily.

casa da avó de Emily.

capa grampeada; 4 cores;

1a. edição, 2001

1a. edição, 2001

20 x 20 cm; 32 pp.; 17 ils.

2 . edição, 2006 (3 000)

2a. edição, 2006 (3 000)

a

isbn 85-7503-519-3 capa grampeada; 4 cores;

capa grampeada; 4 cores;

20 x 20 cm; 32 pp.; 17 ils.

20 x 20 cm; 32 pp.; 17 ils.

isbn 85-7503-514-2

isbn 85-7503-515-0


230/231

clifford e os vizinhos rabugentos

clifford é educado

volume 12

volume 11

Quantos presentes o Clifford

volume 10

O tamanho de Clifford pode

clifford é dez

Além de gigante e vermelho,

pode ganhar em seu aniver-

Clifford também é muito

sário? Ou com quantas brin-

causar diversas confusões.

educado. Quando quer

cadeiras os convidados

Nesta aventura, o cachorrão

alguma coisa, diz “por favor”;

podem se divertir na festa?

vermelho tenta conquistar

para não atrapalhar os espec-

E os balões, você saberia

seus vizinhos que não supor-

tadores no cinema, pede

somá-los? Bom, no fim das

tam os pelos espalhados no

licença; ou quando vai visitar

contas, o importante mesmo

quintal, o ronco noturno e a

a irmã, liga avisando. Na

é que existe um só cachorrão

sombra no jardim. Mas

verdade, foi a Emily

vermelho, o nosso

Clifford mostra-se um pouco

quem o ensinou a ter bons

amigo Clifford.

atrapalhado ao tentar con-

modos e, sobretudo, respeito

quistar o casal de idosos.

pelas pessoas.

programa lendo e aprendendo 2007

1a. edição, 2001

1a. edição, 2006 (3 000)

2a. edição, 2006 (3 000)

1a. reimpressão, 2010 (2 000)

1a. edição, 2006 (3 000) 1a. reimpressão, 2007 (4 500)

capa grampeada; 4 cores;

capa grampeada; 4 cores;

20 x 20 cm; 32 pp.; 17 ils.

20 x 20 cm; 32 pp.; 17 ils.

capa grampeada; 4 cores;

isbn 85-7503-518-5

isbn 85-7503-547-9

20 x 20 cm; 32 pp.; 17 ils. isbn 978-85-7503-348-7


coleção ACHE O BICHO ✦

svjetlan junakovic´

letra bastão

tradução Roberta Saraiva Interativa, educativa e divertida. Essas são as características básicas da coleção Ache o Bicho, desenvolvida para crianças em fase de pré-alfabetização. Os seis livros do croa­ta Svjetlan Junakovic´ relacionam bichos, conhecidos e inusitados, aos temas esporte, comida, meios de transporte, família, estampas e instrumentos musicais. O manuseio é simples. Por meio de uma associação imagética, a criança identifica um objeto e, ao abrir a página, acha um animal.

melhor livro-b rinqued o (fnlij, 20 04)


232/233


correndo a todo vapor

mamãe, papai...

tambores, clarineta...

Os filhotes nem sempre são O que é que os caramujos

parecidos com seus pais.

Uma verdadeira aula de

têm em comum com o trici-

Uma bolinha de pelo pode se

música com os instrumentos

clo? A concha do animal

transformar em um carneiro

mais refinados. A bicharada

funciona como as rodas do

quando crescer. Ou uma ave

faz a festa e a banda tem

brinquedo. Já a foca e o

assustada num lindo cisne

desde instrumentos de sopro

esqui têm o mesmo princípio:

branco. Os pais também

até tambor e acordeão. Todos

deslizar. Este título associa os

estão sempre de olho nas

entram na brincadeira: a

vários meios de transporte à

crias, pois os pequenos gua-

lagarta, o urso, a centopeia e

forma com que cada animal

xinim e coala precisam de

a aranha. O aprendizado

se locomove. Assim, o rinoce-

uma carona para subir e

começa na identificação dos

ronte parece uma locomotiva

descer das árvores. Outros

instrumentos. Depois, é só

e o íbis voa como um avião.

herdam a rispidez e a esper-

descobrir qual é o bicho por

Descubra por que o canguru

teza, como os filhotes de

trás de tanto barulho.

é um carrinho e a libélula um

avestruz e de raposa.

helicóptero.

pnld 2006 pnld 2006

programa ler

pnld 2006

programa ler

e escrever 2007

programa ler

e escrever 2007

e escrever 2007

programa minha biblioteca infantil 2011

programa minha

1a. edição, 2004 (5 000)

biblioteca infantil 2011

2a. reimpressão, 2010 (4 000)

1a. edição, 2004 (5 000) 3a. reimpressão, 2011 (600)

1 . edição, 2004 (5 000)

capa dura; 4 cores;

3a. reimpressão, 2011 (600)

12,5 x 29 cm;

capa dura; 4 cores;

24 pp. + dobras; 26 ils.

12,5 x 29 cm;

isbn 978-85-7503-350-0

24 pp. + dobras; 26 ils.

a

capa dura; 4 cores; 12,5 x 29 cm; 24 pp. + dobras; 26 ils. isbn 978-85-7503-347-0

isbn 978- 85-7503-351-7


234 /235

pintas, listras...

futebol, tênis...

Os animais diferem entre si

Dos esportes mais populares,

pelo número de patas, forma

como o basquete, o vôlei e o

está na hora de comer Cada espécie animal tem um

do corpo, tamanho e pelagem. futebol, aos mais inusitados,

habitat e um alimento prefe-

As listras podem ser bicolores, como o hóquei e o esqui, este

rido. Apesar de viverem todos

finas ou grossas, uniformes

volume brinca com os animais

na floresta, os bichos têm

ou variadas. Já as pintas são

e suas habilidades físicas,

um paladar muito específico e

pequenas ou grandes, redon-

relacionados aos diversos

particular: flores, troncos de

das ou quadrangulares, pon-

tipos de exercício. Com

árvores, folhas e até cogume-

tos dispersos ou uma

humor, até o hipopótamo e o

los. O que o castor come não

montanha deles. Guaxinim,

peixe-espada têm chance

é exatamente o prato prefe-

antílope, leopardo e ocapi são

nos esportes. Veja como a

rido da girafa. E eles podem

alguns dos bichos que mos-

girafa e o hamster também

até ser parecidos, mas a abe-

tram suas cores, formas e

têm vez.

lha e o beija-flor não frequen-

texturas. pnld 2006

tam o mesmo restaurante. A programa ler

surpresa é tentar adivinhar

e escrever 2007

quem prefere o quê na hora de comer.

programa ler e escrever 2007

1a. edição, 2004 (5 000)

programa minha

1a. reimpressão, 2010 (4 000)

1a. edição, 2004 (5 000) 1a. reimpressão, 2010 (4 000)

biblioteca infantil 2011

capa dura; 4 cores; 1a. edição, 2004 (5 000)

12,5 x 29 cm;

4 . reimpressão, 2011 (600)

24 pp. + dobras; 26 ils.

12,5 x 29 cm;

isbn 978-85-7503-346-3

24 pp. + dobras; 26 ils.

a

capa dura; 4 cores; 12,5 x 29 cm; 24 pp. + dobras; 26 ils. isbn 978-85-7503-349-4

capa dura; 4 cores;

isbn 978-85-7503-348-7


coleção brasileirinhos texto

lalau ilustrações ✦

Laurabeatriz Em visita pelas escolas, a ilustradora Laurabeatriz observou que as crianças brasileiras não conheciam os animais em extinção do próprio país. Convidou, então, seu parceiro de muitos livros, o escritor Lalau, para criar esta original coleção sobre os Brasileirinhos. Por meio da poesia, o pequeno leitor trava contato com os bichos mais especiais da nossa fauna, com informações e curiosidades sobre o seu habitat. Cada livro contém uma surpresa: jogo da memória, cartela de adesivos e até um cd com os poemas musicados. Indicada para crianças alfabetizadas e preocupadas com a fauna brasileira. Para pais e professores que pretendem estimular a consciência ecológica.

MIL mais de 75 es exemplar vendidos


236/237


brasileirinhos

novos brasileirinhos

Jacaré-de-papo-amarelo, queixada, macuco,

Neste segundo título da coleção, Lalau e

ariranha. Se esses nomes são pouco

Laurabeatriz apresentam novos animais em

conhecidos é porque todos eles estão em

extinção, mostrando como se torna cada vez

extinção. O jacaré, por exemplo, vivia em

mais necessário conhecê-los para preservá-los.

quase todo o Brasil, agora só o encontramos

Quem sabe não encontramos pela literatura

em riachos ou lagoas.

um modo de cuidar desta parceria homemnatureza tão importante para o planeta?

programa ler e escrever 2007 programa minha biblioteca infantil 2011

pnld 2003 programa ler e escrever 2007

1a. edição, 2001 (2 000) 5a. reimpressão, 2011 (1 500)

1a. edição, 2002 (5 000) 5a. reimpressão, 2011 (3 500)

capa grampeada; 4 cores; 20 x 20 cm; 32 pp.; 14 ils.

capa grampeada; 4 cores;

isbn 978-85-7503-071-4

20 x 20 cm; 36 pp.; 20 ils. isbn 978-85-7503-130-8

altamente recomendáv el poesia (fnlij)

cartela de adesivos


238/239

mais brasileirinhos!

bem brasileirinhos

Quem são, o que fazem, quanto medem, do

Paulo Bira

produção cd que se alimentam, onde vivem, quem são seus predadores? Essas informações, aliadas ao

O quarto livro da coleção faz uma homena-

poema que Lalau compôs para cada animal e

gem aos bichos: um cd com oito poemas

às ilustrações extremamente vivas de Laura­

musicados por Paulo Bira, e com participação

beatriz, permitem ao pequeno leitor não

de uma turma pra lá de competente: Zeca

apenas conhecer, mas fascinar-se pela fauna

Baleiro, Ná Ozzetti, Alzira Espíndola, Sérgio

brasileira. Dessa vez, a brincadeira fica por

Espíndola e Mário Manga. Para ajudar ainda

conta da cobra periquitamboia, que se destaca

mais no aprendizado, o livro também traz um

para além das páginas convencionais do livro.

jogo da memória com os animais do livro.

pnld 2004

programa ler e escrever 2007

programa fbn 2010

1a. edição, 2004 (5 000) 1 . edição, 2003 (5 000) a

4a. reimpressão, 2010 (3 000)

3 . reimpressão, 2011 (3 500) a

capa grampeada; 4 cores; capa grampeada; 4 cores;

20 x 20 cm; 32 pp.; 13 ils.

20 x 20 cm; 36 pp. + 2 dobras.; 17 ils.

isbn 978-85-7503-372-2

isbn 978-85-7503-217-6

cd + jogo da memória

m conheça també um de Diário 77 papagaio, na p.


coleção as catástrofes de gaspar e lisa texto

anne gutman ilustrações ✦

Georg Hallensleben Gaspar e Lisa são dois cachorrinhos que se envolvem em engraçadas situações pelo mundo. Seja em Veneza, no museu e até no hospital, eles sempre arrumam um modo divertido de resolver o problema. As histórias da francesa Anne Gutman ganham o inconfundível traço do ilustrador alemão Georg Hallensleben. Para crianças em fase de alfabetização.

ta assis v t a n


240/241


gaspar em veneza

gaspar e lisa no museu

tradução

tradução

Antonio Guimarães

Célia Euvaldo

Gaspar vai a Veneza com a família. O roteiro

Os cachorrinhos visitam, numa excursão

turístico inclui museus, museus e mais museus, e

escolar, um museu de ciências naturais. Lá,

o cachorrinho não pensa duas vezes quando

inventam uma brincadeira: se eles fossem

avista um caiaque parado na beira do canal. O que

animais extintos, como ficariam expostos?

era uma inocente volta por Veneza, transforma-se

O dia passou e o museu fechou. Como

numa catástrofe, envolvendo até a polícia.

Gaspar e Lisa sairão do museu?

pnld 2005

1a. edição, 2003 (6 000) 2a. edição, 2010 (2 000)

1a. edição, 2003 (3 000) 1a. reimpressão, 2005 (1 000)

capa dura; 4 cores;

2a. edição, 2010 (2 000)

19 x 19 cm; 28 pp.; 18 ils. isbn 978-85-7503-176-6

capa dura; 4 cores; 19 x 19 cm; 28 pp.; 18 ils. isbn 978-85-7503-225-1

a irmãzinha de lisa

o presente de natal

tradução

tradução

Antonio Guimarães

Antonio Guimarães

Lisa não estava nada contente com a chegada de

Gaspar e Lisa preparam uma surpresa

sua irmã. Desde a gravidez da mamãe, ninguém

de Natal para a professora: uma capa de

ligava mais para ela. Então, faz uma promessa:

chuva feita por eles mesmos. O material

não falará jamais com a bebê. Até que sua irmã

seria a cortina do banheiro e muita cola

mais velha, a Vitória, diz que as duas se parecem,

para “costurar”, mas eles erram alguns

o que desperta a curiosidade de Lisa para ver a

cálculos e... catástrofe!

pequenina e... adorá-la. 1a. edição, 2003 (3 000) programa fbn 2010

2a. edição, 2010 (2 000)

1a. edição, 2003 (3 000)

capa dura; 4 cores;

2a. edição, 2010 (2 000)

19 x 19 cm; 28 pp.; 18 ils. isbn 978-85-7503-264-0

capa dura; 4 cores; 19 x 19 cm; 28 pp.; 18 ils. isbn 978-85-7503-265-7


242/243

os pesadelos de lisa

gaspar no hospital

tradução

tradução

Florencia Ferrari

Antonio Guimarães

Depois de assistir a um filme sobre um lobo que

Desta vez, Gaspar aprontou sozinho. Estava

ataca crianças, Lisa não consegue mais dormir.

todo orgulhoso com o chaveiro novo, desfi-

Por mais de uma noite, o animal a persegue em

lando com ele pela escola. Com medo de

sonho, fazendo-a acordar com calafrios. Seu pai

que pegassem o chaveiro, o engoliu de

decide, então, levar Lisa e Gaspar ao zoológico

uma vez só. O coitado do Gaspar teve que

para conhecer de perto um lobo de verdade.

ser operado.

1a. edição, 2003 (6 000)

1a. edição, 2003 (3 000)

2a. edição, 2010 (2 000)

2a. edição, 2010 (2 000)

capa dura; 4 cores;

capa dura; 4 cores;

19 x 19 cm; 26 pp.; 18 ils.

19 x 19 cm; 28 pp.; 18 ils.

isbn 978-85-7503-175-9

isbn 978-85-7503-226-8

lisa no avião

gaspar e lisa no cinema

tradução

tradução

Flávia Varella

Flávia Varella

Lisa está prestes a viver algo por que muitas crianças

Antes de começar o filme, os cachorrinhos

esperam ansiosamente: viajar de avião sozinha. Ela

decidem comprar sorvete, que começa a

vai passar as férias na casa dos tios, que moram em

derreter e a melar tudo, até o gorro do pai de

Nova York. Cinto de segurança afivelado, poltrona na

Lisa, no qual Gaspar tinha sentado para

posição vertical, tudo pronto para a decolagem! Lisa

conseguir ver a tela. Como eles sairão limpos

queria conhecer todos os cantinhos do avião. Mas, na

dessa? Entre idas ao banheiro, sabonetes e

hora de assistir ao filme... catástrofe! Foi suco para

secadores, tudo termina num grande chocolate

todos os lados. Uma excelente introdução aos

quente. Indicado para os iniciados na telona e

“mistérios dos aviões”, para crianças com e sem medo

também para quem nunca foi ao cinema

de voar.

descobrir suas riquezas.

1a. edição, 2010 (3 000)

1a. edição, 2010 (3 000)

capa dura; 4 cores;

capa dura; 4 cores;

19 x 19 cm; 32 pp; 19 ils.

19 x 19 cm; 32 pp; 19 ils.

isbn 978-85-7503-786-7

isbn 978-85-7503-799-7


coleção mundo de artista Katia Canton, ph.D em artes plásticas pela Universidade de Nova York, aborda a cada volume da coleção um gênero das artes plásticas, como o autorretrato e a naturezamorta. Partindo sempre de uma perspectiva histórica, a autora revela por meio de diferentes obras de artistas brasileiros e estrangeiros as mudanças ocorridas ao longo dos séculos. Todos os livros contêm atividades a serem desenvolvidas em sala de aula. apoio: Museu de Arte Contemporânea da usp

altamente vel recomendá o iv at inform (fnlij)


244/245

espelho de artista

mesa de artista

bicho de artista

[autorretrato]

[natureza-morta]

Das marcas de mãos nas

Um passeio pelas diversas

cavernas pré-históricas até a

possibilidades de pintar,

de pano? Cada artista escolhe

pintura de Rembrandt, Modigliani

gravar, esculpir, desenhar,

uma forma (muitas vezes

ou Flávio de Carvalho, a autora

construir uma natureza-morta,

inusitada) de representar os

Cavalo com bolinha? Mosca

analisa as diversas formas que o

ou o que a autora denomina

animais. E as inovações

homem encontrou para criar o

mesas postas, comidas de

também se estendem para as

autorretrato. Sobre a tela, em

artistas. Aqui, a natureza-

técnicas: alguns usam

forma de escultura e até por

morta é apresentada em

modelagem em cera, outros preferem tiras metálicas, e o

meio de instalações, os artistas

diversas situações: da

se desdobram para registrar e

representação do cotidiano

resultado são formas tão

compreender a sua presença

ao exercício da composição

variadas quanto inesgotáveis.

no mundo.

de uma mesa, em tela.

pnld 2002

pnld 2005

projeto mais cultura 2008, 2009

projeto mais cultura 2008

1a. edição, 2004 (3 000)

1a. edição, 2004 (3 000)

2a. reimpressão, 2009 (3 000)

2a. reimpressão, 2009 (2 500)

brochura; 4 cores;

brochura; 4 cores;

16 x 24 cm; 40 pp.; 23 ils.

16 x 24 cm; 56 pp.; 33 ils.

16 x 24 cm; 48 pp.; 29 ils.

isbn 978-85-7503-319-7

isbn 978-85-7503-328-9

isbn 978-85-7503-318-0

pnld 2005 projeto mais cultura 2008

1a. edição, 2004 (5 000) 2a. reimpressão, 2009 (2 500) brochura; 4 cores;


coleção bruxa vitalina texto

márcia frazão ilustrações ✦

Mariana Massarani Ninguém poderia imaginar que nos bolos da simpática vovó Vitalina havia mais do que os ingredientes tradicionais. Só as crianças conheciam o segredo: a velhinha da rua do Sobe e Não Desce era uma bruxa. Nestas quatro histórias da carioca Márcia Frazão, a Bruxa Vitalina diverte e protege as crianças do bairro Bruxal com suas receitas e poções mágicas. O toque engraçado fica por conta do alegre e colorido cenário idealizado pela consagrada Mariana Massarani. As autoras são bruxas das boas e ninguém consegue escapar do feitiço contido nestes quatro livrinhos.


246/247

a bruxa vitalina

o dia em que a pracinha sumiu

No primeiro livro da coleção, somos apresentados à Bruxa Vitalina, uma velhinha

Vitalina e as crianças protestam contra a

simpática que cria duendes no jardim, pendura

derrubada da pracinha do bairro Bruxal. Jun-

fantasmas no varal, conversa com passarinhos

tas, fazem cartazes e algumas mágicas para

e ensina às crianças algumas de suas magias

mostrar aos adultos o quão prejudicial seria

com as ervas da horta. Todos os dias ela

retirar esse espaço de lazer da meninada.

prepara um incrível lanche da tarde e embala a meninada em suas histórias fantásticas.

pnld 2004

pnld 2003

1a. edição, 2002 (3 000) 2a. reimpressão, 2011 (4 000)

1 . edição, 2001 (3 000) a

1a. reimpressão, 2003 (6 000)

capa grampeada; 4 cores; 16 x 23 cm; 24 pp.; 14 ils.

capa grampeada; 4 cores;

isbn 85-7503-144-9

16 x 23 cm; 24 pp.; 15 ils. isbn 85-7503-078-7

o rei da sola

ametista, a fada que era dentista

Da turma da Rua do Sobe e Não Desce, Claudinha é a garota do tênis de ouro. A menina

No quarto e último livro da coleção, Márcia

acredita que as suas habilidosas jogadas de

Frazão relembra a antiga crença da Fada do

futebol só funcionam por causa de seu tênis.

Dentinho. No bairro Bruxal, a menina Beatriz

Mas, o que fazer agora que a sola descolou?

fica banguela e, de tanta vergonha, não come,

Será que a Bruxa Vitalina tem alguma magia

não sorri e não fala. A turma da Rua do Sobe

guardada para ocasiões esportivas?

e Não Desce aciona a vovó Vitalina, que de

1a. edição, 2003 (3 000)

fada dentista.

capa grampeada; 4 cores;

1a. edição, 2004 (3 000)

imediato apresenta a solução: Ametista, uma

16 x 23 cm; 24 pp.; 14 ils. isbn 85-7503-179-1

capa grampeada; 4 cores; 16 x 23 cm; 24 pp.; 15 ils. isbn 85-7503-298-4


coleção ricky ricota e seu super-robô texto

dav pilkey ilustrações ✦

Martin Ontiveros tradução Daniel Lembo Schiller Do mesmo criador da coleção As Aventuras do Capitão Cueca, as histórias robóticas de Ricky Ricota foram pensadas para um público um pouco mais novo. De modo divertido, tratam de um tema bastante atual: a “amizade” possível entre os homens (no caso, camundongos!) e as máquinas. As ilustrações de Martin Ontiveros são simples, ágeis e dinâmicas, com um estilo próximo ao de quadrinhos. A diversão fica ainda por conta da interatividade do livro: com as páginas finais, que ensinam a desenhar os personagens do episódio, e a brincadeira de vire-o-game, que transforma o livro em desenho animado. A coleção também inaugura a parceria entre Pilkey e Martin Ontiveros, que fez ilustrações em preto e branco, leves e bem-humoradas.


248/249

ricky ricota e seu super-robô: a primeira aventura robótica volume 1

ricky ricota e seu super-robô contra os mosquitos mutantes de mercúrio volume 2

Ricky Ricota é um camundongo que tem um robô de estimação, que o ajuda na lição

Foi em busca de um pouco de sombra e

de casa, vai com ele para a escola e ainda

água fresca que o Sr. Mosquito decidiu

faz as tarefas do lar. Nesta aventura, os dois

mudar-se de Mercúrio – um planeta muito

amigos tentam salvar o mundo do nefasto

quente, pela proximidade ao Sol – e invadir a

Dr. Fedorento Nojentino. O cenário é a pacata Terra. Para isso, ele comandou um batalhão Guinchópolis, onde Ricky mora com a família.

de Megamosquitos gigantes, que vêm parar

Todos os dias, ele é perseguido pelos valentões

justamente em Guinchópolis. Mas Ricky

da escola e fica esperando que alguma coisa

Ricota e seu Super-Robô têm uma arma

tremenda aconteça na vida dele.

secreta para defendê-la: muita inteligência e imaginação.

1a. edição, 2005 (7 000) 1a. reimpressão, 2011 (3 000)

1a. edição, 2005 (7 000)

brochura; pb;

brochura; pb;

14 x 21 cm; 119 pp.; ilustrado.

14 x 21 cm; 128 pp.; ilustrado.

isbn 978-85-7503-429-3

isbn 85-7503-430-8

ricky ricota e seu super-robô contra as aves vigaristas de vênus

ricky ricota e seu super-robô contra os macacos mecânicos de marte

volume 3

volume 4

Nesta terceira aventura robótica, Ricky Ricota e seu melhor amigo levam um castigo cruel:

Durante muito tempo, o Major Macaco obser-

uma noite sem tv. Longe dali, Victor von Viga-

vava a Terra. Ele sabe que para conquistá-la

rista, uma ave maléfica que mora em Vênus,

precisa capturar o Super-Robô do Ricky

reúne o exército de Aves Vigaristas para

Ricota. Neste livro, é a vez de o camundongo

invadir Guinchópolis e obrigar a população a

socorrer seu melhor amigo das garras do

cozinhar para eles. Graças a isso, a dupla

inimigo, antes que a terrível tropa de Macacos

ficará livre para salvar a cidade da fome insa-

Mecânicos invada Guinchópolis e... a Terra!

ciável de Victor von Vigarista e seu exército. 1a. edição, 2006 (5 000) 1a. edição, 2006 (7 000) brochura; pb; brochura; pb;

14 x 21 cm; 128 pp.; ilustrado.

14 x 21 cm; 128 pp.; ilustrado.

isbn 85-7503-532-0

isbn 85-7503-474-x


coleção as aventuras do capitão cueca ✦

dav pilkey Com mais de 50 milhões de exemplares vendidos no mundo, a coleção épica As Aventuras do Capitão Cueca é uma das publicações de maior popularidade internacional. Seu criador, Dav Pilkey, que também a ilustra, espantou-se com o rápido sucesso do herói de cueca. Segundo ele, isso se deve ao fato de a coleção incentivar o hábito da leitura de uma forma irreverente, por meio das hilariantes aventuras de seus personagens, sem se pautar por regras pedagógicas rigorosas. Pilkey se sente gratificado por incentivar as crianças a desligar a tv para ler um livro, mas, diz ele, “não é exatamente com isto que estou preocupado. A minha intenção é fazer as crianças rir. Divertindo-se, elas se entusiasmam pela escrita e pela leitura. Quis que Haroldo e Jorge fizessem o que toda criança sonha fazer: inventar o seu próprio super-herói”.

ra a pa rev esc i! ó r o he ca@ cue .br itão p a c .com aify n c a cos


250/251

as aventuras do capitão cueca volume 1

capitão cueca e o ataque das privadas falantes

Galiana Lindoso

capitão cueca e a invasão das incrivelmente malvadas garotas da cantina do outro planeta

tradução

volume 2

Clara Lacerda

tradução

Haroldo divertem-se escre-

Jorge e Haroldo tiram cópias

subsequente dos

vendo e vendendo histórias

de um gibi que fizeram sobre

igualmente perversos

em quadrinhos para a turma

privadas falantes. Porém, em

zumbis nerds

da Escola de Primeiro Grau

vez de papéis, a máquina

volume 3

Jerome Horwitz. Mas os

copiadora despeja um exér-

tradução

gibis são confiscados pelo

cito de privadas que querem

Galiana Lindoso

diretor do colégio, o malvado

devorar alunos e professores,

Sr. Krupp. Para escapar de

acabando com a feira de

Os amigos Jorge e Haroldo

punições, os garotos o hipno-

ciências da escola. É hora de

metem-se numa grande

tizam e fazem-no incorporar a

chamar o Capitão Cueca.

encrenca ao tentar usar uma

o Capitão Cueca.

pnld 2002

receita de biscoitos. Eles

pnld 2002

1a. edição, 2001

ao domínio de um exército

11a. reimpressão, 2009 (10 000)

de perversos Zumbis Nerds.

brochura; pb;

1a. edição, 2001

14 x 21 cm; 142 pp.; ilustrado.

10 a. reimpressão, 2009 (10 000)

Os colegas de sala Jorge e

e o ataque

experiência científica como

personalidade do super-herói,

quase levam a Terra inteira

1 . edição, 2001 a

15a. reimpressão, 2009 (10 000) brochura; pb;

isbn 978-85-7503-014-1

14 x 21 cm; 128 pp.; ilustrado.

brochura; pb;

isbn 978-85-7503-010-3

14 x 21 cm; 143 pp.; ilustrado. isbn 978-85-7503-069-1 mais de 62 mil exemplares

mais d

e 79 mil exemp lares vendid os

vendidos

 mil de 47 mais es r a pl exem os id d n ve


mil de 37 mais es r pla exem s o id vend

capitão cueca e o perigoso plano secreto do professor fraldinha suja

capitão cueca e a fúria da facinorosa mulher tentacular

capitão cueca e a grande e desagradável batalha do menino biônico meleca seca parte 1: a noite das repugnantes melecas de narina

volume 5

volume 4

tradução

tradução

Christine Röhrig

Galiana Lindoso

e Charles Cosac

No quarto volume da coleção,

Os garotos têm de enfrentar

volume 6

o herói terá de enfrentar

a fúria da sra. Ribble, uma

tradução

Fraldinha Suja, o professor de

professora que só fala com

Daniel Lembo Schiller

ciências que, por causa de

verbos no imperativo:

seu nome, é impiedosamente

“Calem-se!”, “Parem de me

Jorge e Haroldo estão numa

ridicularizado pelos alunos.

irritar...”, “Vão pro inferno!”.

situação pegajosa. A última

Para vingar-se, o mestre

Depois de tomar por aci-

estripulia deles deixou o nerd

inventa um terrível plano para

dente o “suco extraforte”, a

Melvin Sneedly tiririca, e

dominar o mundo.

mestra se transforma numa

o menino mal pode esperar

monstra que, em lugar de

para dar o troco. Mas, quando

1a. edição, 2002

cabelos, possui tentáculos,

Melvin se transforma num

9a. reimpressão, 2009 (10 000)

como um polvo.

supermenino biônico, as

brochura; pb;

1a. edição, 2003 (5 000)

malcheirosas – e assim

14 x 21 cm; 159 pp.; ilustrado.

7a. reimpressão, 2010 (5 000)

nasce o Menino Biônico

brochura; pb;

Capitão Cueca vai vencer

14 x 21 cm; 176 pp.; ilustrado.

esse monstro grudento?

coisas ficam bastante

Meleca Seca! Será que o

isbn 978-85-7503-106-3

mais

de 44  mil exem plar e s vend idos

isbn 978-85-7503-178-0 1a. edição, 2004 (7 000) 7a. reimpressão, 2009 (7 000) brochura; pb; 14 x 21 cm; 176 pp.; ilustrado. isbn 978-85-7503-292-3

mais

de 32  mil exem plare s vend idos


252/253

capitão cueca e a grande e desagradável batalha do menino biônico meleca seca parte 2: a revanche dos robôs melequentos ridículos

capitão cueca e a sina ridícula do povo do penico roxo volume 8

tradução Daniel Lembo Schiller Na aventura anterior, Jorge e Haroldo ignoram o conselho de

volume 7

Melvin: não usar a máquina do

tradução

tempo, o penico roxo, por dois

Daniel Lembo Schiller

dias seguidos. Neste volume, o feitiço vira contra o feiticeiro.

O sexto volume da coleção

Nossos amigos vão parar em

contou a primeira parte de

um mundo ao contrário, onde o

uma história cheia de revira-

diretor Sr. Krupp é bonzinho, a

voltas, na qual Jorge e

cantina tem cheiro de comida e

Haroldo derrotaram o Menino

o professor de ginástica não

Biônico Meleca Seca. Mas os

castiga as crianças. E há, tam-

heróis se esqueceram dos

bém, uma outra versão de

patifórios Robôs Melequentos

Jorge e de Haroldo, os

Ridículos. Para acabar com

malvados da escola. Até o

esses monstrengos, pedem

hamster Sulu, transformado em

ajuda ao Sr. Krupp, a Melvin e

um grande monstro pelos

ao hamster biônico. Assim,

meninos do mal, os avós de

todos vão parar no misterioso

Jorge e Haroldo e o Professor

e desaparecido Mundo do Dia

Fraldinha Suja participarão

Antes de Ontem.

desta história.

1a. edição, 2004 (7 000)

1a. edição, 2006 (12 000)

6a. reimpressão, 2010 (7 000)

3a. reimpressão, 2010 (5 000)

brochura; pb;

brochura; pb;

14 x 21 cm; 176 pp.; ilustrado.

14 x 21 cm; 175 pp.; ilustrado.

isbn 978-85-7503-340-1

isbn 978-85-7503-487-3

mais de 31 mil exemplares vendidos

mais de 26 mil exemplares vendidos


mais

de 20  mil exem plar es vend idos

as aventuras do superbebê fraldinha tradução Daniel Lembo Schiller Este livro foi inteiramente produzido pelas mentes doentias de Jorge e Haroldo. Eles são proibidos de escrever gibis sobre o famoso herói de cuecas. Para piorar, o diretor do colégio, Sr. Krupp, os obriga a redigir um texto de cem páginas sobre “Boa cidadania”. Após muito refletirem, Jorge e Haroldo decidem criar um novo personagem: o Superbebê Fraldinha. 1a. edição, 2004 (7 000) 5a. reimpressão, 2011 (4 000) brochura; pb; 14 x 21 cm; 128 pp.; ilustrado. isbn 978-85-7503-368-5


254/255

aprenda a

e 527,2 mais d erros aticais gram

falar cavernês

as aventuras de ook e gluk: mestres do kung fu primitivos do futuro tradução Vanessa Barbara Embalados pelo estrondoso sucesso de seu primeiro livro, Jorge e Haroldo voltam às livrarias com uma nova obra-prima. Desta vez, contam a saga de Ook e Gluk, dois amigos pré-históricos que, na luta contra o cruel Motopoto, acabam viajando no tempo e aprendendo kung fu com o Mestre Wong. A técnica e a filosofia dessa arte marcial milenar irão acompanhá-los numa jornada cheia de emoções fortes, paixões arrebatadoras e muita pancadaria. Com Vire-OGame em todos os capítulos. 1a. edição, 2011 (7 000) brochura; pb; 14 x 21 cm; 176 pp.; ilustrado. isbn 978-85-7503-995-3


coleção os mais belos contos Reunindo os melhores clássicos da literatura universal, esta coleção combina autores consagrados, como Anton Tchekhov, Nikolai Gógol e Irmãos Grimm, a ilustradores como Guenádi Spirin, Olga Dugina e Andrej Dugin, em belas edições de textos fundamentais para a biblioteca de todo leitor. O repertório varia de contos notórios, como O nariz, de Gógol, a histórias da tradição oral, como as célebres narrativas das Mil e uma Noites, adaptadas ou recontadas por tradutores especializados. As ilustrações surrealistas nos transportam a um universo simbólico enigmático. Adotada nas principais escolas do país.

 mil de 82 mais res a l p exem idos vend


256/257


kachtanka texto

anton tchekhov ilustrações Guenádi Spirin tradução Rubens Figueiredo quarta capa Marcos Losnak Kachtanka é um emotivo conto de Tchekhov,

“É o encontro entre a inocência e a

essencial para a formação de uma biblioteca

realidade, onde o conflito cede lugar ao

de textos universais. A cadelinha Kachtanka,

aprendizado de maneira simples e

cujo nome significa “ruivinha”, se perde de seu

inteligente. A integridade dos personagens

dono e é adotada por um palhaço de circo.

possui uma beleza clássica.”

Traduzido diretamente do russo por Rubens

marcos losnak

Figueiredo, a história confronta a saudade e a adaptação em um mundo completamente diferente. É sob a perspectiva da cachorra que acompanhamos o desenrolar desta narrativa. Com extrema sensibilidade, o também russo Guenádi Spirin transformou esta edição em uma obra clássica ao criar ilustrações que recuperam características tradicionais do Renascimento italiano, pelo traço seguro e pela fidelidade ao real. Fundamental para o jovem leitor.

nte altame l endáve m o c re u o o ã ç tradu iança ção cr adapta (fnlij)

pnbe 2009 programa ler e escrever 2008

1a. edição, 2008 (3 000) 2a. reimpressão, 2011 (2 000) capa dura; 4 cores; 22 x 30,5 cm; 26 pp.; 24 ils. isbn 978-85-7503-687-7

ano – melhores do r ce es revista cr


258/259

O NARIZ texto

nikolai gógol ilustrações Guenádi Spirin tradução Rubens Figueiredo quarta capa Luis Fernando Verissimo Neste livro, a expressão “meter o nariz onde

“Um conto fantástico em todos

não é chamado” é levada a sério. Em um dos

os sentidos.”

contos mais notáveis de Nikolai Gógol é, de

LUIS FERNANDO VERISSIMO

fato, um nariz que se mete onde não devia. Ou melhor: abandona seu posto de nariz e sai por São Petersburgo, na Rússia, passando-se por um Conselheiro de Estado. Publicado pela primeira vez em 1836, a narrativa, em tom jocoso, surpreende pela naturalidade com que aborda uma temática absurda. Guenádi Spirin compôs cenas minuciosas e ilustrações detalhistas, marcadas pela riqueza de ornamentos. Indispensável para jovens bem-humorados. pnbe 2010 programa minha biblioteca 2011

1a. edição, 2008 (3 000) 1a. reimpressão, 2011 (5 400) capa dura; 4 cores; 22 x 30,5 cm; 28 pp.; 28 ils. isbn 978-85-7503-720-1

ALTAMENTE RECOMENDÁVEL TRADUÇÃO OU ADAPTAÇÃO CRIANÇA (FNLIJ)


melhor tr adução ou adapta ção reconto (fnlij, 2008

)

as mais belas histórias das mil e uma noites

o “avental amassado de um sapateiro”. As mais belas histórias das Mil e uma Noites é

texto

um livro cujas imagens permanecem

arnica esterl

tão belas e misteriosas quanto as

ilustrações

primorosas ilustrações de Olga Dugina.

Olga Dugina

Ler essas aventuras é evocar um

tradução Alexandre Flory

universo mágico de narrativas, felizmente, intermináveis.

quarta capa Mariza Werneck

programa ler e escrever 2008 programa minha biblioteca 2011

As cinco histórias reunidas são protagonizadas por reis justos, princesas virtuosas,

1a. edição, 2007 (3 000)

ladrões torpes e animais sagazes. Em Shera-

2a. reimpressão, 2011 (5 200)

zade, uma inesgotável capacidade narrativa dribla o furor da desilusão do Rei com as

capa dura; 4 cores;

mulheres; em Ali Babá e os quarenta ladrões,

28,5 x 22,5 cm; 88 pp.; 75 ils.

a discrição de um irmão – somada à astúcia

isbn 978-85-7503-623-5

sem limites de sua criada – fazem-no acumular riquezas, enquanto a cobiça e a inveja do outro o aniquilam; em Do Boi e do Burro, dois animais disputam em esperteza, num duelo encantador; e ainda em O cavalo de ébano há princesas “belas como jardins floridos”, príncipe corajoso, cavalo voador e vilão feio como

“É um livro que não acaba nunca: quando uma história chega ao fim, outra começa. E, após a última, ainda podemos inventar quantas quisermos, porque é infinita a nossa capacidade de imaginar.” mariza werneck


260/261 altamente recomen dável tradução ou adaptaçã o jovem (fnlij)

as penas do dragão

o alfaiate valente

texto

texto

arnica esterl

arnica esterl

ilustrações

ilustrações

Olga Dugina e Andrej Dugin

Olga Dugina e Andrej Dugin

tradução

tradução

Tercio Redondo

Christine Röhrig

quarta capa

quarta capa

Regina Zilberman

Peter O’Sagae

A história recolhida pelos irmãos Ignaz e

Conto clássico dos irmãos Grimm recontado pela

Josef em 1854 ganhou ilustrações fenome­

escritora holandesa Arnica Esterl e revalorizado

nais do casal russo Olga Dugina e Andrej

pelas fascinantes ilustrações do casal Olga

Dugin. Recuperando o universo simbólico

Dugina e Andrej Dugin. A riqueza de detalhes cria

de pintores como Dürer, Bosch, Bruegel e

uma narrativa quase paralela ao conto do alfaiate

Cranach e recontado por Arnica Esterl,

que, graças a sua astúcia e inteligência, é conside-

o conto narra a vida de um pobre lenhador

rado o mais valente dos homens. A beleza das

que se apaixona pela filha de um rico

imagens, um tanto surrealistas, faz com que o

taberneiro. O pai da moça desaprova o

leitor se debruce sobre as páginas do livro e mer-

casamento e, para conceder a mão da filha

gulhe em um mundo absolutamente fantástico.

ao rapaz, o desafia a conseguir três penas de ouro do dragão. Sem titubear, o jovem parte

pnld 2005

para a floresta e, no caminho, encontra outras

programa ler e escrever 2007

pessoas que também necessitam do auxílio do dragão. O livro nos transporta para um

1a. edição, 2004 (3 000)

universo repleto de figuras enigmáticas e

3a. reimpressão, 2010 (3 000)

inquietantes. É o casamento da tradição com o moderno.

capa dura; 4 cores; 22 x 30,5 cm; 26 pp.; 26 ils.

programa minha biblioteca 2010

isbn 978-85-7503-284-8

1a. edição, 2010 (3 000) 2a. reimpressão, 2011 (4 000)

“Em uma aventura pela ilustração, o leitor capa dura; 4 cores;

descobrirá diferentes histórias

22 x 30,5 cm; 28 pp.; 30 ils.

paralelamente ao reconto de Arnica Esterl.”

isbn 978-85-7503-881-9

peter o’ sagae


coleção histórias para contar história

nelson cruz e marilda castanha Composta por cinco premiados livros dos consagrados autores mineiros Nelson Cruz e Marilda Castanha, a proposta desta coleção é registrar, por meio da ficção, passagens importantes da história do Brasil. Com cuidadoso projeto gráfico, os livros são generosos nas ilustrações e apurados na pesquisa. Nelson Cruz escolheu como protagonistas personagens centrais da Inconfidência Mineira. Suas ricas ilustrações retratam Minas Gerais do Brasil colônia. Marilda Castanha fez um recorte no tempo e no espaço para introduzir a diversidade cultural de nosso país, também no período colonial. Ao final, todos os livros trazem a seção “De olho na história”, onde o leitor encontra informações adicionais sobre o tema, textos sobre a pesquisa e a elaboração da obra, glossário com os termos essenciais para o período e bibliografia. Pesquisadores de renome assinam as orelhas, atestando a relevância das obras. Uma coleção tão rica quanto a nossa História. Interdisciplinar, é um ótimo material para professores de história, literatura e geografia.


262/263


dirceu e marília volume 1 altamente recomendável criança (fnlij)

nelson cruz orelha João Anzanello Carrascoza Mais do que retomar um episódio do Brasil colônia, a proposta de Nelson Cruz é narrar

es

ia lop io júl prêm – meida de al o ic t á id parad ) 0 0 0 2 (ube ,

uma história de amor ao dar vida a Dirceu e Marília, personagens criados pelo árcade Tomás Antônio Gonzaga em seus poemas à amada Maria Doroteia. Na ficção de Nelson, Dirceu evoca sua amada enquanto segue para o exílio, em um misto de declaração, memórias e despedida. Em pensamento, beija as mãos de Marília, vê seu desespero, imagina-a saindo à sua procura, enquanto ele, Dirceu, vai ao encontro de seu maior tesouro. Em vez de retratar esses importantes personagens como patrimônio de nossa história, Nelson preferiu carregá-los de sentimento e humanidade. Para criar as ilustrações, o autor buscou testemunhos de aventuras protagonizadas na Vila Rica do século xvii e retocou-os com sua interpretação pessoal. Rugendas e August de Saint-Hilaire foram duas de suas mais importantes referências. pnbe 2009 programa fbn 2010

1a. edição, 2008 (5 000) brochura; 4 cores; 21 x 28 cm; 40 pp.; 28 ils. isbn 978-85-7503-577-1


264/265 melh or liv ro pa crian ra ças (f nlij, 2 000)

chica e joão

bárbara e alvarenga

volume 2

volume 3

nelson cruz

nelson cruz

orelha

orelha

Alcides Villaça

Ricardo Martins Valle

Em Chica e João, Nelson Cruz registra uma

Neste livro, o cenário a ser desbravado é São

de nossas mais polêmicas passagens históri-

João D’el Rei, e os protagonistas, outros

cas: o casamento de Chica da Silva com o

nomes importantes da literatura e da Inconfi-

ouvidor João Fernandes de Oliveira. Apaixo-

dência Mineira: Bárbara Eliodora e Inácio

nado, João fez da ex-escrava uma rainha, em

José de Alvarenga Peixoto. Em Bárbara e

poesia, construiu para ela um castelo e um

Alvarenga, o leitor assiste de perto à revolta

mar. Mas a força da política fez com que ele

de Alvarenga quando prisioneiro, ao compor

se tornasse um dos principais expoentes do

um poema de indignação, evocando a lem-

Movimento da Inconfidência, separando-se

brança dos filhos e da esposa, lamentando o

da esposa por um longo exílio, em que foi

rompimento abrupto devido à condenação.

acompanhado pelos filhos do casal. Como se

Pelas mãos de Nelson Cruz, Alvarenga trans-

entrasse na mente e no coração de Chica,

forma a tristeza em versos, sua única compa-

Nelson conduz o leitor por seus pensamentos

nhia no caminho ao exílio. A narrativa é

e devaneios durante o período em que esteve

marcadamente surreal: um sonho de Bárbara

distante da família. Apesar de sua importância

é guiado por Alvarenga, que, por sua vez, guia

histórica, o autor optou por retratar Chica da

a caravela com a força de seu poema. As

Silva como uma mulher comum, apaixonada,

oníricas ilustrações acompanham o ritmo

que revive suas memórias. Baseadas em telas

emocionante da narrativa e trazem um cená-

como as de Piero della Francesca, as ilustra-

rio inventivo. Os momentos passados na vila

ções resgatam o ambiente do Brasil colônia,

de São João D’el Rei ganham cor e detalhes

seguindo fielmente a topografia da região e a

das artes barroca e rococó.

arquitetura de Diamantina do século xviii, com suas igrejas e construções coloniais.

pnbe 2009

pnbe 2009

1a. edição, 2008 (5 000)

programa fbn 2010

2a. reimpressão, 2009 (2 700)

1a. edição, 2008 (5 000)

brochura; 4 cores; 21 x 28 cm; 40 pp.; 28 ils.

brochura; 4 cores;

isbn 978-85-7503-576-4

21 x 28 cm; 40 pp.; 28 ils. isbn 978-85-7503-575-7

jabuti melhor livro infantil ou ju venil (cbl, 2001)

catálo go wh ite rav (ibby, ens 2001)


o r livr melho ivo t a m r info 2002) (fnlij,

pindorama, terra das palmeiras

agbalá, um lugar-continente volume 5

volume 4

marilda castanha orelha

ão

ustraç melhor il ) 99 19 ij, (fnl

marilda castanha orelha

Daniel Munduruku

Leila Leite Hernandez

Marilda Castanha se aventura pelo passado de

Agbalá é uma palavra da língua iorubá e

nosso país e nos leva aos primórdios da histó-

significa o pedaço da África plantado

ria: ao Brasil antes do “descobrimento”, ou

dentro de cada negro que veio para o

Pindorama, forma como os índios chamavam o

Brasil durante a escravidão. Neste

país. O livro explica como esses primeiros

volume, Marilda Castanha lança um

habitantes se orientavam pelas mudanças da

novo olhar sobre a trajetória desses

natureza, as técnicas de pesca e caça, a

povos e convida o leitor a adentrar esta

maneira de se comunicarem com o mundo dos

cultura tão importante para a formação

espíritos, as máscaras e os instrumentos musi-

da identidade do nosso país. A autora

cais usados nos rituais, e até a forma como

aborda singularidades como: por que

criaram as palavras de sua língua e sua identi-

alguns negros eram obrigados a dar

dade. Marilda recupera ainda os elementos

voltas ao redor de árvores antes de

dessa cultura hoje, presentes, por exemplo, em

deixar o continente africano rumo à

nosso vocabulário. Para compor as ricas ilustra-

escravidão no Brasil? Por que algumas

ções, a autora pesquisou a iconografia e os

crianças recebiam o nome em saudação

registros feitos pelos naturalistas e, sobretudo,

à natureza? Como os negros negocia-

pelos próprios índios, nas paredes das grutas,

vam a compra da carta de alforria? Por

nas pinturas corporais, nos adornos etc. Inspi-

que não podiam andar calçados? Como

rado em elementos da natureza, o trabalho

conseguiam escapar e formar os qui-

resultou em imagens vivas e coloridas, com

lombos? Que divindades cultuam? Por

traços rústicos e pinceladas densas, bem pró-

que oferecem alimentos a elas? Por que

ximo ao que conhecemos da arte indígena.

utilizam trajes diferentes e mantos coloridos? As ilustrações, em tons vibrantes,

pnBE 2009 prêmio runner-up

1 . edição, 2008 (5 000) a

(noma, unesco,

baseiam-se em pinturas, esculturas e objetos de artistas afro-brasileiros.

japão, 2000)

pnBE 2009

brochura; 4 cores; 21 x 28 cm; 48 pp.; 44 ils.

prix graphique octogone

1a. edição, 2008 (5 000)

isbn 978-85-7503-574-0

(frança, 2000)

1a. reimpressão, 2011 (3 000)

jabuti melhor ilustração de livro infantil ou juvenil (cbl , 2000)

brochura; 4 cores; 21 x 28 cm; 48 pp.; 45 ils. isbn 978-85-7503-573-3


266/267


coleção isto é...

desenhos vintage retratam

m. sasek

com exatidão a arquitetura

Paris, Nova York e Roma:

caz, enchem o leitor de

quem nunca ouviu falar

vontade de embarcar no

e, ao lado do texto perspi-

destas três metrópoles

primeiro avião. Uma cole-

mundiais? Nesta coleção

ção para renovar as aulas

clássica dos anos 1960,

de geografia e história ou

o tcheco Miroslav Sasek

servir de guia de viagem

nos convida a um passeio

para as crianças – mesmo

geográfico, arquitetônico e

para aquelas que ainda não

literário por estas cidades.

conhecem essas cidades

Exímio observador e via-

pessoalmente. O convite é

jante incansável, seus

irresistível: boa viagem!


268/269

isto é paris

isto é nova york

isto é roma

tradução

tradução

tradução

Alípio Correia de Franca Neto

Alípio Correia de Franca Neto

Alípio Correia de Franca Neto

Bon appétit ! Paris é mesmo

Em 1626, um holandês com-

Dizem que todos os caminhos

deliciosa. Em cada rua e

prou de índios americanos a

levam a Roma, de onde quer

esquina se esconde um

ilha de Manhattan pelo equi-

que se venha. O Coliseu é um

monumento histórico. Mas

valente a apenas 24 dólares.

destino já bem conhecido.

você sabe qual é a altura

Mal sabia ele que Nova York

Mas o que dizer dos Banhos

exata da Torre Eiffel ou a

se tornaria a cidade das

de Caracalla ou da ponte

extensão da Champs-Elysées?

“Maiores Coisas”: 67 mil ele-

Fabricius? Um livro para se

E onde está o túmulo de

vadores, 110 mil hidrantes

traçar o próprio caminho

Napoleão? O primeiro livro da

contra incêndios que aconte-

nesta cidade, passando por

série é para os amantes da

cem a cada trinta segundos.

marcos da história que

Cidade das Luzes, reais e

Descubra neste livro a maior

convivem lado a lado com a

virtuais, e para a Kiki – e todos

loja do mundo – e também

efervescência contemporânea.

os milhares de gatos que

uma das menores: uma bar-

moram lá.

raquinha de cachorro quente.

1a. edição, 2011 (5 000)

1a. edição, 2011 (5 000)

1a. edição, 2011 (5 000) capa dura; 4 cores; 22 x 31 cm; 64 pp.; 32 ils.

capa dura; 4 cores;

capa dura; 4 cores;

22 x 31 cm; 64 pp.; 32 ils.

22 x 31 cm; 64 pp.; 32 ils.

isbn 978-85-7503-952-6

isbn 978-85-7503-953-3

isbn 978-8-7503-954-0


coleção ópera urbana coordenação

heloisa prieto, augusto massi e daniel kondo Concebida pela escritora Heloisa Prieto, em coedição com as Edições Sesc sp

e a Cosac Naify, Ópera Urbana é uma coleção ousada e moderna, voltada

aos jovens que vivem nas grandes cidades. Textos e ilustrações trazem uma linguagem contemporânea, sintonizada com o ritmo vibrante das metrópoles do século xxi. A proposta da coleção é desenhar um novo perfil dos espaços urbanos. Se a principal marca das cidades modernas é o apelo visual, em todos os volumes as ilustrações interferem diretamente na história, revelando paisagens que se perdem no dia a dia, dialogando de modo ativo com o leitor. Como em toda ópera, os livros vêm acompanhados de um libreto: um miniguia cultural com as mais variadas informações sobre o tema de cada obra, registros fotográficos e dicas de visitação.


270/271


montanha-russa

cidade dos deitados

texto

texto

fernando bonassi

heloisa prieto

ilustrações

ilustrações

Jan Limpens

Elizabeth Tognato

Em Montanha-russa, entrelaçam-se dois

Um livro todo preto, repleto de esqueletos,

narradores: o pai que passou a adolescência

figuras estranhas, rostos assustadores...

na década de 1970, em plena ditadura militar,

Não é preciso ser gótico ou frequentar

e o filho que vive seus treze anos hoje, em

cemitério para se divertir com esta história do

pleno século xxi. O parque de diversões é

além. Meia-noite, sexta-feira 13, o pneu do

o cenário escolhido por Fernando Bonassi

carro fura em frente ao cemitério. Este é só o

para ambientar dois encontros de gerações.

começo da aventura narrada por uma garota

Jan Limpens inspirou-se na linguagem do

que foge de uma festa sem graça, sem imaginar

videogame e dos quadrinhos para criar

o que aconteceria depois. Com um texto ágil,

ilustrações dinâmicas e bem-humoradas.

repleto de frases e diálogos curtos, Heloisa

Por meio delas, um terceiro narrador

conduz o leitor por esta cidade habitada por

acrescenta cenas divertidas e capta a

seres aparentemente deste, mas, na verdade,

atmosfera do conto. O libreto é uma viagem

de outro mundo. As ilustrações de Elizabeth

pela história dos parques, com fotos e

Tognato retratam vultos fantasmagóricos e

desenhos que mostram o aperfeiçoamento

bastante realistas. O libreto traz, além de

da montanha-russa e de outros brinquedos.

informações sobre cemitérios importantes,

Como nos almanaques, traz informações

diversas curiosidades sobre o tema: sugestões

curiosas sobre o tema, além de alguns

de filmes e bibliográficas, poemas, esculturas

inventores e questões da física que envolvem

tumulares, túmulos de famosos, entre outras.

a criação dos brinquedos.

Um verdadeiro livro mal-assombrado.

programa fbn 2010

1a. edição, 2009 (5 000)

1a. edição, 2009 (5 000)

capa dura; 4 cores; 15,8 x 21,7 cm; 60 pp.; 23 ils.

capa dura; 4 cores;

isbn 978-85-7503-296-1

15,8 x 21,7 cm; 60 pp.; 86 ils.

isbn (sesc) 978-85-98112-66-4

isbn 978-85-7503-336-4 isbn (sesc) 978-85-98112-67-1


272/273

surfando na marquise

av. paulista

texto

carla caffé

paulo bloise ilustrações

A maior avenida de São Paulo na ponta

Daniel Kondo

do lápis. É o convite de Carla Caffé, neste

O Parque do Ibirapuera é protagonista desta

a avenida Paulista. A autora observou os

narração descritiva que se passa no dia 25

prédios, marcados arquitetonicamente,

de janeiro, feriado de aniversário da cidade de

lembrando a evolução da via, que tem mais

livro-imagem, que percorre de ponta a ponta

São Paulo. O narrador aproveita o dia para

de cem anos. Desenhando nas calçadas, no

passear, enquanto germinam em sua cabeça

metrô e nas galerias, Carla retratou o

ideias para um conto: a história do surfista que

esqueleto da avenida com seus helipontos e

busca transpor os próprios limites, em meio à

edificações, como o Masp, o parque Trianon,

adrenalina de pegar uma onda gigante. Pelas

Sesc, Casa das Rosas e Conjunto Nacional,

ilustrações, os olhos do leitor se posicionam

dando também sua dimensão cultural. Ao

sobre os olhos do narrador, e o acompanham

final, a autora fala sobre seu trabalho e lança

por um passeio em meio ao verde do parque

propostas sobre um olhar para a avenida em

e aos mais variados tipos humanos: punks,

um emocionante depoimento.

skatistas, patinadores, ciclistas, bad boys. As expressões e gírias dos adolescentes

pnbe 2011

marcam a linguagem do livro. O libreto é uma espécie de guia, com informações sobre o

1a. edição, 2009 (5 000)

Pavilhão da Bienal de Artes, o Museu de Arte Moderna, o Museu de Arte Contemporânea,

capa dura; 4 cores;

a Oca, o Planetário, além de dados sobre a

24 x 32 cm; 56 pp.; 47 ils.

quantidade de visitantes por dia, as espécies de

isbn 978-85-7503-261-9

árvores, e serviços – opções de alimentação,

isbn (sesc) 978-85-98112-69-5

aluguel de bicicletas, banheiros, bebedouros,

li vr o im a g em

guardadores de carros. 1a. edição, 2009 (5 000) capa dura; 4 cores; 15,8 x 21,7 cm; 72 pp.; 36 ils. isbn 978-85-7503-297-8

outros Conheça agem -im livros p. 195 a partir da melhor projeto editorial (fnlij, 2010)

isbn (sesc) 978-85-98112-68-8 altamente recomen dável informat ivo (fnlij)


coleção dedinho de prosa coordenação

augusto massi e odilon moraes A proposta desta coleção, coordenada pelo poeta Augusto Massi e pelo artista Odilon Moraes, é estimular o jovem leitor na formação da sua biblioteca particular. A seleção das histórias procura contemplar autores fundamentais da literatura brasileira e universal. Além de manter o texto integral, cada livro tem um glossário e informações sobre os autores. A Dedinho de Prosa caracteriza-se pela originalidade das ilustrações encomendadas a ilustradores reconhecidos internacionalmente. Todos os livros têm o mesmo formato; entretanto, os costurados na vertical são dedicados a autores brasileiros, e os na horizontal, aos estrangeiros. A ideia é que o jovem que hoje lê a Dedinho de Prosa seja um futuro leitor da nossa coleção Prosa do Mundo.


274/275


o homem que sabia javanês

será o benedito!

texto

texto

lima barreto

mário de andrade

ilustrações

ilustrações

Odilon Moraes

Odilon Moraes

Este é um dos pontos altos da ficção de Lima

Um dos autores mais importantes da língua

Barreto (1881-1922). O autor criou, ao longo de

portuguesa, Mário de Andrade revela-se um

sua obra, um amplo painel do Rio de Janeiro,

cronista de mão-cheia. Em tom de conversa,

cidade onde ambientou uma inesquecível

conduz o leitor por uma viagem ao interior

galeria de personagens, entre os quais, o

de São Paulo, na Fazenda Larga. Longe dos

escrivão Isaías Caminha e Policarpo

arranha-céus e dos choferes, o homem da

Quaresma. Publicado em 1911, na Gazeta da

cidade conhece o garoto Benedito, “nos seus

Tarde, O homem que sabia javanês desmas-

treze anos de carreiras livres pelo campo”.

cara um dos mitos da sociedade brasileira:

A cerca que separa a casa-grande do vasto

o fascínio pela erudição postiça do “doutor”.

gramado é o obstáculo a ser conquistado em

Na melhor tradição da anedota burlesca, narra

busca de uma aproximação. O ilustrador

a história de um migrante pobre que vence na

Odilon Moraes passou mais de um ano para

vida por cair nas graças de um velho barão.

achar o tom certo das “enormes pastagens”

A edição traz belíssimas ilustrações de Odilon

e do “céu violento de setembro” deste conto.

Moraes, feitas em aquarela a partir de fotos

Por meio de uma leve prosa cotidiana, Será o

do Rio de Janeiro no início do século xx, num

Benedito! traz à tona o tema da amizade em

registro meticuloso da arquitetura, do vestuário

sua forma mais pura, capaz de emocionar

e dos objetos de época. Fundamental.

jovens e adultos.

pnld 2004

pnld 2009 programa fbn 2010

1 . edição, 2003 (4 000) a

3a. reimpressão, 2009 (2 000)

1a. edição, 2008 (3 000) 1a. reimpressão, 2011 (2 000)

capa dura; 4 cores; 21 x 28 cm; 32 pp.; 28 ils.

capa dura; 4 cores;

isbn 978-85-7503-199-5

21 x 28 cm; 36 pp; 24 ils. isbn 978-85-7503-677-8

te altamen ndável recome nlij) jovem (f


276 /277

o presente dos magos

o aprendiz de feiticeiro

texto

texto

o. henry

j. w. goethe

direitos vendidos: donzelli

ilustrações

ilustrações

Odilon Moraes

Nelson Cruz

tradução

tradução

Heloisa Seixas

Mônica Rodrigues da Costa

(itália , 20 11)

Este conto do norte-americano O. Henry

A história do aprendiz que se apodera da

(1862-1910), recolhido em livro em 1906, é um

vassoura do mestre e arrisca feitiços que não

dos textos mais populares da língua inglesa e

sabe reverter é bastante conhecida das crian-

emociona com a história de um jovem casal

ças pela adaptação feita com o personagem

apaixonado, que entrelaça amor e pobreza,

Mickey Mouse, de Walt Disney. Neste quarto

destino e acaso na Nova York do começo do

volume da coleção Dedinho de Prosa, os

século xx. As belas ilustrações de Odilon

leitores podem conhecer a versão integral

Moraes transportam o leitor para o interior do

do poema de J. W. Goethe (1749-1832) na

apartamento de Della e Jim, palco de quase

tradução de Mônica Rodrigues da Costa, em

todos os acontecimentos e coração desta

edição bilíngue. O premiado ilustrador Nelson

história de Natal. A partir desse olhar, filtrado

Cruz captou o espírito divertido que percorre

em tons sépia, as personagens e o cenário

o texto, criando ângulos cinematográficos, em

nos transmitem uma atmosfera de singeleza

um desenho de grande riqueza arquitetônica,

e solidariedade. Um livro lírico e delicado.

com referência nos traços do artista Mauritz Cornelis Escher.

pnld 2006 programa minha biblioteca 2008, 2009

1a. edição, 2004 (5 000)

pnld 2009

capa dura; 4 cores;

1a. edição, 2006 (3 000)

28 x 21 cm; 24 pp.; 12 ils.

2a. reimpressão, 2009 (3 500)

isbn 85-7503-382-4 edição bilíngue capa dura; 4 cores; altamente recomendáv el tradução cr iança (fnlij)

28 x 21 cm; 32 pp.; 19 ils.

melhores do ano – revista cr escer

isbn 978-85-7503-439-2 altame nte recome ndável traduç ão cria nça (fnlij)


o

melhor ilustraçã hors-concours

MIL mais de 30 es ar pl em ex vendidos

(fnlij, 2002)

vingança em veneza

conto de escola

texto

texto

giovanni boccaccio

machado de assis

ilustrações

ilustrações

Carlos Nine

tradução

Nelson Cruz Conto de escola, escrito em 1896, é uma

Nilson Moulin

excelente introdução ao universo do maior

Tirada do livro Decameron, best-seller de

escritor brasileiro, Machado de Assis (1839-

Giovanni Boccaccio, Vingança em Veneza é

1908). A história de Pilar, mestre em cabular

uma divertida novela sobre a sociedade vene-

aulas, tem início com a sua decisão de compa-

ziana do século xiv. Um charlatão disfarçado

recer à escola, onde rapidamente se vê enre-

de frade convence uma bella donna de que o

dado por dois colegas de classe, Raimundo e

anjo Gabriel estaria apaixonado por ela.

Curvelo, o primeiro deles, filho do professor.

Assumindo a figura do anjo, o frade dorme

De clara inspiração autobiográfica, Machado

com a mulher diversas vezes até sua farsa ser

registra em chave irônica que a escola também

descoberta. A história – narrada com humor e

pode ser o palco de lições inesperadas: a

irreverência – revela muito sobre a Veneza de

corrupção e a delação. O ilustrador Nelson

Boccaccio, por suas fofocas maliciosas, suspi-

Cruz, indicado ao Prêmio Hans Christian

ros na janela, e reviravoltas que desmascaram

Andersen em 2003, revela com perspectivas

os personagens. Na primeira obra feita exclusi-

e ângulos inusitados os

vamente no Brasil, o ilustrador argentino

encantos da narrativa.

Carlos Nine acentuou o aspecto caricatural

Um clássico.

do texto em seus desenhos, que também levam molduras imitando os afrescos da época.

pnld 2004

Ousado e inovador, um livro para jovens cuja leitura vai além de fadas e princesas.

1a. edição, 2002 (5 000) 7a. reimpressão, 2011 (3 000)

1 . edição, 2007 (3 000) a

capa dura; 4 cores; capa dura; 4 cores;

21 x 28 cm; 32 pp.; 28 ils.

28 x 21 cm; 32 pp; 19 ils.

isbn 978-85-7503-155-1

isbn 978-85-7503-555-9

altam

ente recom endáv el tradu ção o u adapt ação jovem (fnlij)

r list ns honou e rave go whit lo tá ca 003) (ibby, 2 idos s vend direito e n ig e chand ) a , 2004 (Franç

:


278/279

Рюд


coleção mitos do mundo coordenação

betty mindlin e elaine ramos Os mitos são um dos sinais mais fortes da presença humana no mundo. Eles explicam e recriam o universo e nos contam histórias que não são exatamente verdadeiras, mas também não são ficcionais. A premiada coleção Mitos do Mundo reúne narrativas escolhidas e recontadas por especialistas – antropólogos, sociólogos, historiadores – que buscam apresentar ao leitor toda a sua força e beleza originais. Cada volume traz o contexto histórico e cultural em que os mitos surgiram. Para ilustrar, a Cosac Naify convida os artistas a realizar uma pesquisa explorando os símbolos visuais de cada cultura. Não é à toa que várias escolas adotam a Mitos do Mundo.


280/281


o primeiro homem

os príncipes do destino

e outros mitos dos índios

histórias da mitologia

brasileiros

afro-brasileira

texto

texto

betty mindlin

reginaldo prandi

ilustrações

ilustrações

Luana Geiger

Paulo Monteiro

A antropóloga Betty Mindlin recolheu nove

Na cultura africana, cada ser humano está

mitos de seis povos indígenas, com línguas e

sob a proteção de um dos dezesseis prínci-

crenças distintas, que nos mostram a riqueza

pes, o seu padrinho do destino, cuja missão

das expli­cações dos índios sobre a criação do

era colecionar histórias. No Brasil, os pais e

mundo e a relação do homem com a natureza. as mães de santo do candomblé são os Luana Geiger pinta a simplicidade da icono-

sucessores dos príncipes africanos.

grafia corporal dos índios.

É a partir dessa premissa que o sociólogo Reginaldo Prandi reuniu os contos do livro,

pnld 2002

ilustrados por Paulo Monteiro.

programa ler e escrever 2007

pnld 2003

programa fbn 2010

pnbe 2005

1a. edição, 2001 (3 000)

1a. edição, 2001 (3 000)

4 . reimpressão, 2011 (3 000)

5a. reimpressão, 2011 (3 000)

capa flexível; 4 cores;

capa flexível; 4 cores;

17 x 24 cm; 80 pp.; 37 ils.

17 x 24 cm; 116 pp.; 40 ils.

isbn 978-85-7503-049-3

isbn 978-85-7503-059-2

a


282/283

o cabeça de elefante e outras histórias

o mundo de cabeça para baixo

da mitologia indiana

relatos míticos

texto

dos incas e seus descendentes

lúcia fabrini de almeida

texto

ilustrações

rodrigo montoya ilustrações

Zé Tatit

Andrés Sandoval

Pesquisadora da cultura indiana, Lúcia

tradução

Fabrini de Almeida escolheu os textos mais saborosos dos antigos livros da cultura hindu,

Miriam Xavier de Oliveira

os Vedas, e as epopeias clássicas Ramayana

Neste livro, foram recuperados sete

e Mahabharata para compor as histórias deste

relatos do império Inca deixados por seus

livro. Deuses como cabeça de elefante e

descendentes, na tradição oral. São histórias

macaco voador que aumenta e diminui de

da fundação de Cuzco, da chegada dos

tamanho são representações importantes

espanhóis e da importância da escrita como

para dizer quão variado é o universo. As cores,

sobrevivência cultural. Como grande

formas e texturas de Zé Tatit somam beleza

conhecedor da língua quíchua, o antropólogo

e singularidade aos mitos.

peruano Rodrigo Montoya fez um livro de histórias e de informação, trazendo para o

pnld 2003

leitor brasileiro um pouco mais sobre uma

1a. edição, 2002 (3 000)

Andrés Sandoval, que criou as ilustrações,

1a. reimpressão, 2003 (6 000)

dá ainda mais vida a esses mitos.

capa flexível; 4 cores;

programa fbn 2010

cultura tão desconhecida. A parceria com

17 x 24 cm; 96 pp.; 40 ils. isbn 85-7503-103-1

1a. edição, 2002 (5 000) 2a. reimpressão, 2010 (6 630) capa flexível; 4 cores; 17 x 24 cm; 104 pp.; 55 ils. isbn 978-85-7503-145-2

altamente vel recomendá o informativ ão uç ad tr (fnlij)


altamente vel recomendá ij) nl (f o nt reco

revelaç ão escr itor (fnlij, 20 04)

o senhor do bom nome

ivan filho-de-boi

e outros mitos judaicos

um conto da mitologia russa

texto

texto

ilan brenman

marina tenório

ilustrações

ilustrações

Sérgio Sister

Fernando Vilela

apresentação

apresentação

Luana Chnaiderman

Tatiana Belinky

de Almeida

Filha de mãe russa e pai brasileiro, Marina

O autor retoma textos do Talmude, código da

Tenório recupera um dos mitos que ouvia na

religião judaica criado no século v, para abor-

sua infância, em Moscou. A história fantástica

dar algumas passagens da Torá, conjunto de

de três filhos – um de uma nobre, outro de

escrituras sagradas que existiriam antes

uma cozinheira e, o mais forte, de uma vaca

mesmo de o mundo ser criado. Sete rabinos

que pastava perto do palácio – constitui uma

se reúnem para repetir um ritual tão antigo

inusitada narrativa do rico repertório de can-

quanto a própria Criação: contar histórias.

ções russas. Segue, ainda, a tradicional estru-

Surgem, assim, as narrativas da Lua narci-

tura das bylinas, épicos tão antigos quanto o

sista, que quer ser maior do que o Sol; da

povo. As xilogravuras de Fernando Vilela

dúvida divina sobre onde sopraria a alma em

materializam a profundidade do “herói quase

Adão; do Senhor do Bom Nome, fundador do

perfeito” e a veemência destas narrativas.

hassidismo, e outros mitos. Partindo de símbolos tradicionais, o artista plástico Sérgio

pnld 2005

Sister criou desenhos abstratos para as his-

pnbe 2005

tórias dos rabinos, em tons de ouro, prata e azul.

1a. edição, 2003 (3 000)

pnld 2006

capa flexível; 4 cores;

programa fbn 2010

17 x 24 cm; 88 pp.; 46 ils. isbn 85-7503-271-2

1a. edição, 2004 (5 000) 1a. reimpressão, 2011 (3 000)

revelaç ão ilustr ador (fnlij, 20 04)

capa flexível; 4 cores; 17 x 24 cm; 64 pp.; 33 ils. isbn 85-7503-313-1

altamen te recome ndável reconto (fnlij)


284/285

palavra cigana

o nascimento de zeus

seis contos nômades

e outros mitos gregos

texto

texto

florencia ferrari

adriane duarte

ilustrações

ilustrações

Stephan Doitschinoff

Felipe Cohen

O mundo não seria o mesmo sem os ciganos.

Todos conhecem as façanhas de Zeus, Árte-

Presentes em quase todos os países, eles

mis, Atena, Hermes, Dioniso, Héracles, Teseu,

marcam as mais diversas culturas com sua

Perseu, Odisseu, Aquiles e Páris. Mas o que

dança, música, costumes e tradições, passa-

pouca gente sabe é que eles tiveram pais,

dos de geração para geração. Neste livro, a

irmãos e uma infância prodigiosa. Neste livro,

antropóloga Florencia Ferrari apresenta seis

o leitor irá descobrir episódios pouco conheci-

contos recolhidos na tradição oral de comuni-

dos sobre a infância desses deuses e heróis

dades ciganas de diferentes países. São

gregos: pais com ciúmes dos filhos, um irmão

histórias de enganação e sedução, esperteza

passando a perna no outro, crianças abando-

e bom humor, prodígios e assombros, que

nadas. Mas também havia a doçura da mãe, a

apresentam os principais traços da vida

homenagem carinhosa à amiga, o orgulho do

cigana, numa costura literária que recusa os

avô coruja. As ilustrações de Felipe Cohen

estereótipos e clichês. Stephan Doitschinoff

recuperam arquitetura, objetos, símbolos e

utilizou recortes de tecidos, mapas, dinheiro,

adornos característicos da cultura grega. Há

fotografias, para compor o cenário andante e

ainda a genealogia dos deuses e o paren-

aventureiro dos ciganos.

tesco dos heróis, texto sobre as tradições na

1a. edição, 2005 (3 000)

tões de leitura. Para ser lido por estudantes,

Grécia, além de fontes de pesquisa e sugesprofessores, e por qualquer pessoa que aprecie uma boa história.

capa flexível; 4 cores; 17 x 24 cm; 88 pp.; 41 ils. isbn 85-7503-452-9

projeto mais cultura 2009

apoio: Nova Mercante

programa fbn 2010

1a. edição, 2007 (3 000) ro melhor liv (fnlij, 2006)

reconto

1a. reimpressão, 2009 (3 000) capa flexível; 4 cores; 17 x 24 cm; 80 pp.; 46 ils. isbn 978-85-7503-655-6


coleção prismas Uma coleção diversificada, como a pluralidade dos temas tratados em cada título. A coleção Prismas traz ao leitor temas do cotidiano deste jovem do século xxi, por meio de uma abordagem histórica, sociológica e cultural. Ricamente ilustrada com registros fotográficos, suas obras trazem conteúdo informativo aliado a um texto fluente e saboroso, que beira o literário. Além de percorrer os séculos de História, os livros atualizam cada tema permitindo um novo significado no nosso momento presente. Os autores são especialistas na área ou jornalistas e pesquisadores interessados nos assuntos.


286 /287

yoga • expressão corporal balé • dança • piercing tribos • brincadeiras de rua tatuagem • memória • estilistas brinquedos artesanais alta-costura • arte oriental cultura dos povos doce • culinária • moda


tatuagem, piercing e outras mensagens do corpo

altam ente reco mend ável infor mativ o (fnlij )

texto

leusa araujo pesquisa visual Leusa Araujo e Luciana Facchini A tatuagem e o piercing entram no século

explicação de alguns símbolos tradicionais,

xxi não apenas como marca distintiva de

como o coração e a rosa, que também figuram

grupos ou minorias, mas também como

no encarte de tatuagens removíveis, criadas

sinais de contestação e estilo. Este livro

especialmente para o livro pelos tatuadores

combina o sabor de almanaque a uma

Pedro M. Lucente e Ivan Szazi.

rigorosa pesquisa histórica sobre os 5 mil anos das mensagens do corpo. A autora

projeto mais cultura 2009

parte desde os mares do Sul, onde, no século xviii, o famoso capitão Cook ouviu pela

1a. edição, 2005 (5 000)

primeira vez a palavra tattow, e chega até

1a. reimpressão, 2010 (3 000)

hippies, punks e ao hip-hop, para demonstrar como a tatuagem adquiriu diversos

capa flexível; 4 cores;

significados e mudou a paisagem do novo

24 x 26 cm; 88 pp.; 90 ils.

milênio. No apêndice, além de um alerta sobre

isbn 978-85-7503-405-7

riscos e cuidados, o leitor encontrará a

apoio: Colorgraf cartela de tatuagens removíveis


288/289

altam ente recom endáv el inform ativo (fnlij)

moda: uma história para crianças

contos do balé

inês bogéa

texto A crítica e bailarina Inês Bogéa reconta cinco

katia canton ilustrações

das principais coreo­grafias do repertório de

Luciana Schiller

todas as companhias de dança clássica: A menina mal olhada, Giselle, Coppélia, O

Os modos de se vestir explicam o comporta-

lago dos cisnes e Petrouchka. Além de um

mento da humanidade. A professora de histó-

palco de palavras, o livro traz notas laterais

ria da arte Katia Canton vai da pré-história à

que recuperam a origem dessas histórias – as

corte de Luís xiv, passa pelos precursores

primeiras apresentações nas cortes, os músi-

da alta-costura no século xix e chega até os

cos e artistas que revolucionaram a dança, no

estilistas modernos, entre eles, Chanel,

Brasil e no exterior. As mais de setenta fotos

Gaultier e o brasileiro Dener. A moda é vista

de grandes montagens também narram a

como uma questão cultural e, além

trajetória desta arte. No apêndice, informa-

do universo feminino, contempla também o

ções sobre a evolução da dança e de elemen-

masculino: gravatas, uniformes de futebol etc.

tos como o tutu e a sapatilha, além de

Detalhe importante: o livro foi impresso a

minibiografias de dançarinos. Para ficar na

partir de um original feito integralmente à

ponta da língua de todos aqueles que

mão, com ilustrações e colagens de Luciana

apreciam um bom espetáculo.

Schiller, bordados e costura de Anete Miyazaki, e é acompanhado por uma charmosa

Projeto mais cultura 2008

bolsinha de tecido estampado. Atenção: este

programa fbn 2010

livro é disputado a tapa por mães e filhas, bibliotecárias e professoras.

1a. edição, 2007 (3 000) 1a. reimpressão, 2009 (5 500)

Projeto mais cultura 2008

capa flexível; 4 cores; 1a. edição, 2004 (5 000)

26 x 24 cm; 80 pp.; 72 ils.

2a. reimpressão, 2009 (5 000)

isbn 978-85-7503-542-9

capa flexível; 4 cores; 24 x 26 cm; 54 pp.; 29 ils. isbn 978-85-7503-282-4 apoio: Tyrol

bolsa de tecido


yoga para crianças

mãe da rua

texto

ettore bottini

katia canton fotos

O artista gráfico, e agora autor, Ettore Bottini

Tadeu Jungle

faz uma bela homenagem à Turma. O livro

quarta capa Lygia Lima Segundo a mitologia hindu, o yoga foi um

narra o dia a dia de garotos de doze anos, que desfrutaram a experiência de crescer brincando na rua. Apesar de falar de uma São Paulo que não existe mais, estas podem ser

presente dos deuses para celebrar a felicidade.

as histórias de qualquer menino da década de

Neste livro, Katia Canton apresenta a história e

1950. Além da prosa memorialística, Ettore

a origem deste exercício corporal e espiritual,

ensina a construção, passo a passo, dos

além de encaminhar para os primeiros passos

“jogos e armas” da época – mesa de botão,

da prática. Para as crianças, o yoga certamente

pipa, pião, carrinho de rolimã e muitos outros

se mostrará tão divertido quanto uma partida de – em um delicioso almanaque, livro aberto da futebol ou uma brincadeira de pega-pega. Com

memória repassado para novas gerações. Ideal

a diferença de que se trata de um momento de

para ser lido por professores, educadores, mas,

concentração e autoconhecimento: um convite

principalmente, por pais e filhos – juntos.

à expressão do corpo. Yoga para crianças resgata elementos da cultura hindu, explicando

1a. edição, 2007 (3 000)

o significado de cada movimento dentro de sua história. O cuidado em preservar esta história

capa flexível; 4 cores;

pode ser percebido tanto no projeto gráfico

26 x 24 cm; 88 pp.; 66 ils.

como nos verbetes, cujos títulos também estão

isbn 978-85-7503-639-6

escritos em sânscrito (assim como o mantra da paz no fim do livro). O fotógrafo Tadeu Jungle clicou as crianças praticando os exercícios, e o resultado é uma gostosa brincadeira. Um livro que transforma o corpo em poema vivo. Para experimentar. 1a. edição, 2007 (3 000) capa flexível; 4 cores; 26 x 24 cm; 48 pp.; 54 ils. isbn 978-85-7503-595-5


290/291

mil-folhas texto

lucrecia zappi pesquisa visual

novos prêmio eira de ntes (f horizo 1 1 a , 20 ) bolonh

to r proje melho j, 2011) li n (f ial editor

caderno de receitas

Maria Carolina Sampaio quarta capa Mari Hirata Nos quatro cantos do mundo, a gastronomia

“Além dos fatos históricos, Lucrecia

influenciou diversas culturas. O sexto livro

recheia o livro com as delícias do açúcar e

da coleção Prismas é um passeio geográfico,

com as cores e sabores que despertaram

histórico e literário pela história do doce.

a criatividade de grandes chefes também

Valendo-se de uma vasta bibliografia,

inventores. Como Vatel que, numa noite,

a jornalista e tradutora Lucrecia Zappi traça o

criou o chantilly.”

caminho do chictli consumido pelos maias e

mari hirata

astecas ao chiclete da Adam’s, do al-fahua dos árabes ao tradicional alfajor argentino, passando pelas navegações em busca do

“A iconografia foi disposta com habilidade

açúcar, pela Idade Média – com suas docerias

e ironia, mas também com coragem e

de conventos – e explica como os doces

grande senso de responsabilidade em

foram parar nos tabuleiros de rua no Brasil.

relação ao público jovem. Este é um livro

A iconografia foi inteiramente baseada em

especialmente divertido de se ler.”

cartazes de época, além de imagens informa-

membros do júri, feira de bolonha

tivas que mostram como a apreciação e a feitura dos doces são elementos do comportamento cultural. Um livro delicioso de ser lido. 1a. edição, 2010 (5 000) capa flexível; 4 cores; 24 x 26 cm; 96 pp.; 147 ils. isbn 978-85-7503-689-1 apoio: Dulca

melh or liv ro info rmat ivo (fnlij , 2011 )


coleção o que faz de um mestre um mestre texto

richard mühlberger Organizada pelo Metropolitan Museum of Art de Nova York, cada livro é como uma visita guiada às obras mais importantes dos grandes mestres da arte ocidental. Em uma análise didática de cerca de quinze obras de cada artista, o leitor conhece as principais características dos estilos e das biografias. Com acabamento primoroso, as imagens impressas em papel couché facilitam a visualização dos detalhes das pinturas. A coleção, amplamente adotada no Ensino Fundamental, também pode ser apreciada por adultos.


292/293

o que faz de um monet um monet?

o que faz de um degas um degas?

o que faz de um da vinci um da vinci?

tradução

tradução

tradução

Felipe José Lindoso

Valentina Fraíz-Grijalba

Valentina Fraíz-Grijalba

O livro analisa as obras

Edgard Degas (1834-1917)

Pintor, escultor, engenheiro,

mais famosas do expoente

gostava de pintar cenas

arquiteto, Leonardo da Vinci (1452-1519) interessou-se por

do impressionismo, o francês

cotidianas e íntimas do uni-

Claude Monet (1840-1926),

verso feminino. Ficou célebre

quase todos os campos do

mostrando os locais onde o

por suas bailarinas, que retra-

saber: escreveu tratados

artista se inspirava, como o

tou em tantos de seus qua-

de física e matemática, fez

jardim de Giverny. Explica

dros, criando uma das mais

estudos de anatomia, criou

como Monet, em sua inten-

delicadas séries de sua obra.

inventos como a bicicleta,

ção de mostrar o efeito da luz, O tema lhe permitiu estudar a

a catapulta... Neste livro,

pintava vários quadros ao

anatomia das mulheres, o

Mühlberger apresenta o

mesmo tempo, trocando de

momento fugaz captado num

Leonardo-artista, autor da

tela à medida que a luminosi-

gesto, a iluminação dos luga-

célebre Mona Lisa e de tan-

dade mudava, caso dos

res e, por consequência, os

tos outros quadros que fazem

quadros em torno da Catedral

hábitos de seu tempo. Neste

parte do início do Renasci-

de Rouen.

livro, as formas e cores mais

mento. A temática religiosa

utilizadas pelo pintor francês

está presente em O batismo

1a. edição, 2001

tornam-se reconhecíveis pela

de Cristo ou em São João

1a. reimpressão, 2007 (1 500)

análise de telas famosas

Batista. Mas será na compo­

como Miss La La no Circo

sição das telas a maior

Fernando e A aula de dança.

inovação do artista, tão revo-

brochura; 4 cores;

lucionária para o seu tempo.

23 x 21,5 cm; 48 pp.; 30 ils. isbn 978-85-7503-001-1

pnld 2002 pnld 2002

1a. edição, 2001 altam

ente recom endáv el tradu ção infor mativ o (fnlij )

1a. reimpressão, 2003 (2 000)

1a. edição, 2001 2a. reimpressão, 2007 (2 000)

brochura; 4 cores; 23 x 21,5 cm; 48 pp.; 28 ils.

brochura; 4 cores;

isbn 85-7503-004-3

23 x 21,5 cm; 48 pp.; 26 ils. isbn 978-85-7503-006-6

ente altam ável mend reco o uçã trad o mativ o f in r ) (fnlij


o que faz de um van gogh um van gogh?

o que faz de um picasso um picasso?

o que faz de um rembrandt um rembrandt?

tradução

tradução

tradução

Valentina Fraíz-Grijalba

Valentina Fraíz-Grijalba

Valentina Fraíz-Grijalba

Apesar de incompreendido

Pablo Picasso (1881-1973) foi

O jogo de luz e sombra

em seu tempo (vendeu ape-

um dos artistas mais impor-

das pinturas do holandês

nas um quadro durante sua

tantes do século xx e este

Rembrandt (1606-69) é a sua

vida), Van Gogh (1853-90)

livro mostra que existem

principal marca. Na escuridão,

tem destaque central na

muitas maneiras de entender

ficam os elementos secundá-

história ocidental das artes

sua obra. Episódios de sua

rios da tela, e a luz dá gran-

plásticas. Não é só o uso das

vida, num período histórico

diosidade aos personagens

cores vivas – a eloquência do

fascinante, ajudam a esclare-

retratados. A trajetória do

artista – que determina sua

cer aspectos do seu trabalho

artista, neste livro, é ilustrada

identidade. As grossas cama-

em pinturas, esculturas, gra-

por meio de comentários

das de tinta na tela são mar-

vuras e cerâmicas. Picasso

sobre treze de suas mais

cadas pela pincelada

começou a desenhar aos

importantes telas, como

aparente, demonstrando a

sete anos de idade, e sua

A lição de anatomia do doutor

paixão de Van Gogh por seu

inquietação fazia com que

Tulp, Tempestade no mar da

ofício. Suas cenas retratam o

explorasse de maneira cria-

Galileia e Aristóteles com um

cotidiano dos camponeses,

tiva todos os objetos que via:

busto de Homero.

as cidades holandesas, sob

máscaras de tribos africanas,

uma perspectiva criativa e

jornais, pedaços de estuque

inovadora, mas sua preocu-

etc. O volume fornece chaves

pação era com a forma de

para a compreensão de

1a. edição, 2003 (3 000)

retratá-los.

telas como Guernica, Les

1a. reimpressão, 2004 (2 000)

pnld 2002

Família de saltimbancos.

1a. edição, 2001

1a. edição, 2002 (3 000)

2a. reimpressão, 2004 (3 000)

1a. reimpressão, 2009 (3 000)

pnld 2004

demoiselles d’Avignon e brochura; 4 cores; 23 x 21,5 cm; 48 pp.; 43 ils.

brochura; 4 cores;

brochura; 4 cores;

23 x 21,5 cm; 48 pp.; 30 ils.

23 x 21,5 cm; 48 pp.; 53 ils.

isbn 85-7503-002-7

isbn 978-85-7503-003-5

ente altam ável mend o c e r ução trad o mativ o f in r ) ij (fnl

isbn 85-7503-151-1


294/295

o que faz de um goya um goya? tradução

o que faz de um bruegel um bruegel?

o que faz de um rafael um rafael?

Valentina Fraíz-Grijalba

tradução

tradução

Valentina Fraíz-Grijalba

Felipe José Lindoso

1828) dizia com orgulho que

Quando se trata do mestre

O pintor e arquiteto italiano

teve três mestres: Velázquez,

flamengo do século xvi, cada

Raffaello Sanzio (1483-1520),

Rembrandt e a natureza. O

detalhe da composição de

o célebre Rafael, é autor de

primeiro mostrou-lhe que um

seus quadros – sejam estes

uma obra que espelha os

artista da corte poderia ser

paisagens ou personagens

ideais da Alta Renascença.

grande; o segundo, que um

da vida cotidiana – pode ser

Com base na análise de

artista poderia olhar para

interminavelmente explorado,

catorze pinturas, o texto

dentro de si e extrair com sua

como um quebra-cabeça,

demonstra como as telas do

astúcia e inteligência obras

cheio de enigmas e de encai-

artista estabelecem relações

de significado universal; e a

xes inesperados. Pieter

com a cultura, a política, os

natureza lhe deu imagens,

Bruegel (c. 1520-69) foi um

costumes e a sociedade da

acontecimentos e jogos de

grande observador da vida

época, na passagem do

luz que ele soube, como

dos camponeses e da paisa-

século xv para o xvi. Sua

poucos, representar. Assim,

gem dos Países Baixos,

técnica também configura um

Mühlberger começa a explicar

como era conhecida a região

avanço: a criação da perspec-

a obra monumental de um

onde se situa hoje a Bélgica.

tiva e do espaço tridimensio-

Francisco de Goya (1746-

dos gênios da pintura na

Foi um dos primeiros pintores

nal – o ilusionismo – mudou

Espanha. Ele investiga tam-

a se preocupar em retratar o

o rumo das artes figurativas.

bém suas pinceladas rápidas

povo, em vez da corte. Seus

e soltas, que retrataram não

olhos de lince buscavam os

só os reis e suas cortes como

detalhes do cotidiano, as

pnld 2004

também os costumes popula-

idiossincrasias dos campone-

1a. edição, 2003 (3 000)

res, festas e cerimônias reli-

ses, na perspectiva de um

1a. reimpressão, 2004 (2 000)

giosas. O livro analisa, entre

pássaro que sobrevoa o céu.

outras obras, as telas As meninas, Três de Maio de

brochura; 4 cores; 1a. edição, 2004 (3 000)

1808 e O sabá das feiticeiras.

isbn 85-7503-134-1 brochura; 4 cores;

1a. edição, 2003 (3 000)

23 x 21,5 cm; 48 pp.; 18 ils. isbn 85-7503-152-x

brochura; 4 cores; 23 x 21,5 cm; 48 pp.; 51 ils. isbn 85-7503-136-8

23 x 21,5 cm; 48 pp.; 44 ils.


coleção fique por dentro ilustrações ✦

Andrew Kulman Com diagramação e ilustrações próximas da linguagem não linear da internet, a série apresenta uma maneira nova de aprender os grandes temas da sociedade atual. Em papel kraft, especial para levar na mochila, cada volume trata dos fundamentos de uma área específica, como astronomia, ecologia, física moderna, filosofia etc.

nte altame el endáv m o c e r o ã ç u d tra nlij) ativo (f inform


296/297

fique por dentro da genética

fique por dentro da evolução

fique por dentro da física moderna

texto

texto

texto

martin brookes

david burnie

john gribbin

tradução

tradução

tradução

Iara Fino Silva

Iara Fino Silva

Thomás A. S. Haddad

O que são genes? Por que

O homem é um parente

Como se formou o Universo?

eles são tão fundamentais

tão próximo dos macacos

E as estrelas, como surgiram?

para os mais diversos estudos

que cerca de 99% de seus

Como o som se propaga no

científicos? Não existem duas

genes são idênticos aos do

ar? Surgida no século xix, a

pessoas iguais no mundo,

chimpanzé. Mas como surgi-

física moderna abrange todas

mas hoje sabemos que huma-

ram os seres humanos?

essas questões, envolvendo

nos, chimpanzés, bactérias e

Como foi a evolução dos

outras ciências mais antigas:

milhões de outras criaturas no

homens e também a dos

a óptica, a acústica, o magne-

planeta compartilham uma

outros animais? Histórias e

tismo, a eletricidade, o calor,

herança genética comum.

teorias sobre a origem e a

o estudo das propriedades da

Como? Este livro faz uma bela

evolução foram marcadas por

matéria. Este guia explica, em

abordagem acerca da gené-

disputas acaloradas, espe-

linguagem clara, as teorias da

tica, desde as primeiras obser-

cialmente a partir da segunda

física moderna, de Albert Einstein ao mundo quântico.

vações do monge austríaco

metade do século xviii,

Gregor Mendel, considerado o

quando as teorias do natura-

“pai da genética”, até as mais

lista inglês Charles Darwin se

1a. edição, 2001 (3 000)

recentes experiências, nas

tornaram conhecidas.

1a. reimpressão, 2003 (3 000)

áreas vegetal e animal. 1a. edição, 2001 (3 000) 1a. reimpressão, 2003 (3 000)

brochura; 2 cores; papel kraft; 12 x 21 cm; 192 pp.; ilustrado.

brochura; 2 cores; papel kraft; 12 x 21 cm; 192 pp.; ilustrado. isbn 85-7503-039-6

brochura; 2 cores; papel kraft; 12 x 21 cm; 192 pp.; ilustrado.

1 . edição, 2001 (3 000) a

isbn 85-7503-061-2

isbn 85-7503-062-0


fique por dentro da internet

fique por dentro da astronomia

fique por dentro da ecologia

texto

texto

texto

jerry glenwright

robin kerrod

david burnie

tradução

tradução

tradução

Cássio Arantes Leite

André Vieira

Denise Sales

Hoje, a internet faz parte do

Há milênios, os astrônomos

A partir da segunda metade

cotidiano de muitas pessoas.

observam o céu na tentativa

do século xx, as mudanças

Para alguns seria impensável

de determinar nosso verda-

tecnológicas e o rápido

viver sem um computador

deiro lugar no Universo.

crescimento da população

conectado à web. Por isso, a

Mesmo assim, os mistérios

humana provocaram rupturas

internet é a maior revolução

permanecem e as dúvidas

significativas nos sistemas

ocorrida no mundo das

ainda são muitas. O que é o

naturais. Foi então que o

comunicações desde a inven-

Big Bang? A quantos milhões

interesse pela ecologia

ção da imprensa. Mas o que

de anos-luz está o corpo

explodiu, tornando-se hoje

é exatamente? Quem foi o

celeste mais distante que

parte essencial da ciência da

gênio que criou a internet?

podemos ver? Qual a dife-

vida. Fique por dentro da

Com este livro, ficaremos por

rença entre uma Gigante

ecologia explica com clareza e

dentro de toda a história dessa

Vermelha e uma Anã Ama-

objetividade questões funda-

gigantesca rede mundial:

rela? De Galileu Galilei aos

mentais para o bem-estar de

desde seus primórdios –

modernos telescópios e

nosso planeta, revelando as

como arma nascida na

satélites, o livro cobre quase

complicadas interações entre

Guerra Fria – até a constitui-

todos os mistérios do Uni-

os seres vivos e o ambiente.

ção do descomunal banco de

verso.

dados dos dias atuais.

pnld 2002

1a. edição, 2001 (3 000) 1a. edição, 2001 (3 000)

1a. edição, 2001 (3 000) brochura; 2 cores; papel kraft; brochura; 2 cores; papel kraft;

12 x 21 cm; 192 pp.; ilustrado.

12 x 21 cm; 192 pp.; ilustrado.

isbn 85-7503-060-4

isbn 85-7503-037-x

1a. reimpressão, 2007 (2 000) brochura; 2 cores; papel kraft; 12 x 21 cm; 192 pp.; ilustrado. isbn 978-85-7503-038-7


298/299

fique por dentro da filosofia texto

neil turnbull tradução

fique por dentro dos sonhos

Felipe José Lindoso Este livro explica como a

texto

filosofia trata das grandes

maeve ennis e jennifer parker

humana: “De onde viemos?”,

tradução Felipe José Lindoso

questões da existência “O que vai nos acontecer depois da vida?”. Mostra, ainda, as várias respostas

Por que sonhamos? O que é

que os homens, há séculos,

o sonho? Uma visita ao nosso

tentam dar a essas perguntas.

inconsciente, que produz

Para isso, as ideias-chave

todo gênero de imagens

dos mais importantes filóso-

durante o sono. O livro

fos de todas as épocas, de

resume as ideias de Freud e

Aristóteles a Nietzsche, são

Jung e traz as mais recentes

abordadas de maneira sinté-

teorias psicanalíticas e expli-

tica e clara, com o auxílio de

cações científicas sobre os

trechos de obras que revelam

possíveis significados dos

os conceitos fundamentais

sonhos.

de cada pensador.

1a. edição, 2001 (3 000)

1a. edição, 2001 (3 000)

1a. reimpressão, 2003 (3 000)

1a. reimpressão, 2003 (3 000)

brochura; 2 cores; papel kraft;

brochura; 2 cores; papel kraft;

12 x 21 cm; 192 pp.; ilustrado.

12 x 21 cm; 192 pp.; ilustrado.

isbn 85-7503-063-9

isbn 85-7503-040-x


h i st贸r ia e cr铆tica


panorama da literatura infantil, em capítulos didáticos muito bem divididos em períodos, assuntos e comentários precisos a respeito de autores, ilustradores e obras.” odilon moraes

“Descobrimos uma arte com tal riqueza de figuras e cores, letras e efeitos, tamanhos e papéis; resultado de uma competência coletiva em que se somam os talentos de ilustradores, autores e editores.” fernando paixão

anos 1920

1928

1910

1896

1873

c. 1800

1928

“Alan Powers nos apresenta um rico


302/303

era uma vez uma capa

alan powers tradução Otacílio Nunes orelhas

Esta história ilustrada da literatura infantil

Andersen, Beatrix Potter, Lewis Carroll,

inaugurou uma nova linha editorial na Cosac

Carlo Collodi, Quentin Blake, Dr. Seuss,

Naify: a de obras que discutem criticamente

Antoine de Saint-Exupéry, Maurice Sendak,

livros para crianças e jovens. Organizado

J. K. Rowling são alguns nomes abordados

cronologicamente, o livro recupera duzentos

neste livro que certamente é uma referência

anos de história do livro para crianças

para professores de artes gráficas, pedagogia

comentando a capa de mais de quatrocentos

e literatura, pesquisadores, bibliotecários,

títulos que marcaram a produção editorial no

autores, ilustradores e editores.

mundo todo. Além de registrar a evolução das técnicas de impressão, tipos de papéis e

1a. edição, 2008 (3 000)

encadernações, o professor inglês de design

1a. reimpressão, 2011 (4 000)

Alan Powers destaca os principais ilustradores, autores e editores que

brochura; 4 cores;

contribuíram para mudar a história do livro

24 x 28,5 cm; 144 pp.; 403 ils.

para crianças. Irmãos Grimm, Hans Christian

isbn 978-85-7503-688-4

2002

1968

1971

1967

1938

Fernando Paixão e Odilon Moraes


para ler o livro ilustrado

sophie van der linden tradução Dorothée de Bruchard orelhas Olivier Douzou e Rui de Oliveira

Nesta obra de referência, a autora Sophie Van der Linden discute a ideia de livro ilustrado, que há muito extrapolou os limites da literatura infantil. Ancorada na indiscutível capacidade narrativa da relação entre texto e imagem, ela

e o desafio entre estes dois modos de ler 304/305 a imagem. As leituras da ilustração, do det conjunto da imagem é um fenômeno quas neo, sem contar que possui uma plasticidad exercida por meio de cores e texturas, das fo objetos, das relações de profundidade et tanto, a estética da ilustração – diferente d pintura – se explica e se justifica quando es mos o elo independente e dependente com Esta é, sem dúvida, a grande questão no e relacionamento entre a palavra escrita e a narrativa “Sem dúvida, trata-se nos de livros. A importância da pesquisa que a professo um trabalho que acrescenta um rico mosaico de conhecimento Van der Linden ora nos apresenta está justam em um gênero de estudo que cada vez mais afirma a sua

exemplifica e classifica, com mais de trezentos

importância no aprimoramento

títulos e quase seiscentas imagens, os tipos de

da inteligência visual da criança

livro ditos “para crianças” e os compara com

e do jovem.”

outras manifestações, como o livro-imagem e

rui de oliveira

o livro com ilustração. A autora também faz um breve histórico do livro ilustrado que, segundo ela, remonta ao século xix com o pioneirismo

“É com o livro que ainda

de Randolph Caldecott, adentra o século xx

quero ter esse diálogo, essas

com Edy-Legrand e se consolida com o

criações, essas incógnitas,

revolucionário Onde vivem os monstros (1963),

pois seu público é atento,

de Maurice Sendak. Sophie complementa a

curioso e sem expectativas [...].

discussão com depoimentos de editores,

Escrevo da França e vibro ao

autores e diretores de arte. Uma obra pioneira

imaginar que uma história

e fundamental para professores, educadores

inventada também seja lida no

de arte, bibliotecários, editores, ilustradores e

Brasil, que tão longe daqui as

escritores. Mas o convite para ler (e entender)

mesmas perguntas sejam

o livro ilustrado é aberto a todos os

necessárias.”

apaixonados por esta literatura.

olivier douzou

1a. edição, 2011 (5 000) brochura; 4 cores; 24 x 28,5 cm; 184 pp.; 585 ils. isbn 978-85-7503-937-3


Mapa da crítica Crítica e literatura infantil situação da literatura infantil Definição de literatura infantil Abordagem do texto O texto e o leitor Estilo e estilística Narrativa Política, ideologia e literatura infantil produção de literatura infantil A crítica e o LIVRO ILUSTRADO Crítica para a literatura infantil A literatura infantil e as novas mídias Redefinindo a literatura infantil


306/307

r livro melho , 2011) o (fnlij teóric

crítica, teoria e literatura infantil

vocabulário específico para este

peter hunt

tipo de crítica ou se pode-se valer

tradução

da já construída para os romances

Cid Knipel

e contos ditos “para adultos”.

orelha

Define, ainda, termos-chave desta

necessária a criação de um

João Luís Ceccantini

literatura, como livro ilustrado

quarta capa

e livro-imagem. Em doze capítulos e

Isabel Lopes Coelho

um apêndice, Hunt colhe exemplos práticos da literatura

O professor emérito Peter Hunt é

universal e a edição traz imagens

um dos principais críticos de

internas das obras que

literatura infantil e juvenil da

enriquecem a leitura e

contemporaneidade. Crítica, teoria

compreensão. Uma obra

e literatura infantil foi

fundamental para professores,

especialmente revisado pelo autor

estudantes e interessados

tendo em vista o público brasileiro

no tema.

e ainda traz um prefácio exclusivo. Hunt discute a situação da crítica

1a. edição, 2010 (5 000)

literária especializada nos livros para criança. Ao começar por

brochura; 4 cores;

definir os campos de atuação

16,5 x 24 cm; 144 pp.; 194 ils.

da “crítica”, da “literatura” e do

isbn 987-85-7503-908-3

conceito de “criança” para, depois, compreendê-los no conjunto. Aborda os preconceitos que existem dentro das

“Uma contribuição ímpar para

universidades com relação à

que o gênero ‘literatura infantil’,

literatura infantil, que dificultam o

cada vez mais, reafirme sua

desenvolvimento da crítica

maturidade no interior do

especializada dentro das

nosso sistema literário.”

instituições. Relativiza se é

joão luís ceccantini


308/309

livro ilustrado: palavras e imagens

Burningham, Dr. Seuss e Beatrix Potter – além

“Considerada um marco

de trazer preciosidades da literatura sueca e

fundador da pesquisa teórica

maria nikolajeva e carole scott

dinamarquesa, ainda desconhecidas do público

sobre o tema, trata-se de

tradução

brasileiro – Barbo Lindgren, Eva Eriksson,

uma obra há muito esperada

Cid Knipel

Tord Nygren, entre outros. A edição brasileira

pelos estudiosos do livro

orelha

contém páginas em papel diferenciado com

infantil e da imagem no Brasil”

Luiz Antonio Coelho

imagens internas coloridas de alguns livros

luiz antonio coelho

Renomadas no meio acadêmico, Maria

nunca as fronteiras que separam a literatura

Nikolajeva e Carole Scott escolheram a

das artes visuais foram tão ameaçadas.

citados. O resultado final é surpreendente:

semiótica, associada à narratologia, como linha de pesquisa para a análise do livro

1a. edição, 2011 (3 000)

ilustrado. As autoras conduzem o leitor para uma esclarecedora compreensão do

brochura; pb + caderno 4 cores;

significado das imagens dentro da história.

16 x 24 cm; 368 pp.; 108 ils.

A dupla analisa livros de autores que nos são

isbn 978-85-7503-997-9

conhecidos – como Maurice Sendak, John

Coedição: Cátedra Unesco de Leitura puc-Rio


308/309

livro ilustrado: palavras e imagens

Burningham, Dr. Seuss e Beatrix Potter – além

“Considerada um marco

de trazer preciosidades da literatura sueca e

fundador da pesquisa teórica

maria nikolajeva e carole scott

dinamarquesa, ainda desconhecidas do público

sobre o tema, trata-se de

tradução

brasileiro – Barbo Lindgren, Eva Eriksson,

uma obra há muito esperada

Cid Knipel

Tord Nygren, entre outros. A edição brasileira

pelos estudiosos do livro

orelha

contém páginas em papel diferenciado com

infantil e da imagem no Brasil”

Luiz Antonio Coelho

imagens internas coloridas de alguns livros

luiz antonio coelho

Renomadas no meio acadêmico, Maria

nunca as fronteiras que separam a literatura

Nikolajeva e Carole Scott escolheram a

das artes visuais foram tão ameaçadas.

citados. O resultado final é surpreendente:

semiótica, associada à narratologia, como linha de pesquisa para a análise do livro

1a. edição, 2011 (3 000)

ilustrado. As autoras conduzem o leitor para uma esclarecedora compreensão do

brochura; pb + caderno 4 cores;

significado das imagens dentro da história.

16 x 24 cm; 368 pp.; 108 ils.

A dupla analisa livros de autores que nos são

isbn 978-85-7503-997-9

conhecidos – como Maurice Sendak, John

Coedição: Cátedra Unesco de Leitura puc-Rio


índice por nomes [autores, ilustradores, tradutores e colaboradores]

a

bira, Paulo [produção cd, 239]

aguilar, Nelson [orelha, 66]

bischof, Betina [tradução, 178]

ajzenberg, Bernardo [orelha, 106;

bittencourt, Edgard [66]

quarta capa, 151] almeida, Luana Chnaiderman de [apresentação, 284]

blanco, Riki [154] bloch, Debora [quarta capa, 172] bloch, Serge [142-43]

almeida, Lúcia Fabrini de [283]

bloise, Paulo [273]

amargo, Pablo [176]

blychert, Nina [165]

amicis, Edmondo de [106]

boccaccio, Giovanni [278]

andrade, Mário de [276]

bogéa, Inês [289]

araujo, Emanoel [quarta capa, 73]

boisrobert, Anouck [136]

araujo, Leusa [288]

bonassi, Fernando [58-59, 272]

argel, Martha [quarta capa, 77]

borges, Cristian [tradução, 211]

arrigucci, Maria Helena [tradução, 72]

borges, Gustavo [196]

ascher, Nelson [posfácio, 104]

bortolotto, Mário [quarta capa, 173]

assis lima [71]

bottini, Ettore [290]

azeite [58]

bouer, Jairo [quarta capa, 152]

azevedo, Carlito [tradução, 88, 92]

brenman, Ilan [284] bridwell, Norman [222-31]

B

brito, Ronaldo Correia de [71]

bandeira, Manuel [quarta capa, 106]

brookes, Martin [297]

banks, Kate [190-91]

bruchard, Dorothée de [tradução, 305]

banyai, Istvan [207; quarta capa, 205]

bueno, Daniel [59-60, 64, 115; orelha, 213;

baptista, Josely Vianna [tradução, 176]

tradução, 207]

barasch, Lynne [187]

bueno, Marcelo Cunha [quarta capa, 157]

barbara, Vanessa [tradução, 162, 255]

burnie, David [297-98]

barbieri, Stela [orelha, 134]

burningham, John [116-17, 309]

barbosa, Maria Aparecida [tradução, 115]

bussius, Julia [tradução, 157]

barroso, Ivo [tradução, 86, 103] bauer, Jutta [122-25; quarta capa, 42]

C

beigbeder, Frédéric [174]

caffé, Carla [273]

belinky, Tatiana [apresentação, 284;

cali, Davide [142-43, 148]

orelha, 104]

campos, Renata [tradução, 188]

belkeddar, Odile [posfácio, 94]

candido, Antonio [quarta capa, 114]

bellotto, Tony [quarta capa, 153]

cannell, Jon [186]

bergelson, Dovid [178]

canton, Katia [244-45, 289-90]

biermann, Franziska [170]

cantone, Anna-Laura [148]


carone, Modesto [quarta capa, 115]

dugin, Andrej [261]

carpenter, Biel [73]

dugina, Olga [260-61]

carrascoza, João Anzanello [orelha, 264] carrière, Jean-Claude [110, 205]

E

carroll, Lewis [101, 303]

ennis, Maeve [299]

carvalho, Bernardo [158]

erlbruch, Wolf [118-21]

carvalho, Maria do Carmo [66]

esterl, Arnica [260-61]

carvalho, Mario Cesar [reportagem, 139]

étaix, Pierre [110]

castanha, Marilda [56, 262-63, 266-67]

euvaldo, Célia [tradução, 242]

ceccantini, João Luís [orelha, 307]

evans, Shane W. [185]

cerveny, Alex [220]

facchini, Luciana [projeto gráfico, 48;

cesarino, Ana Maria de Niemeyer

pesquisa visual, 288]

[quarta capa, 136] chatellard, Isabelle [167]

F

cipis, Marcelo [40]

faeti, Antonio [posfácio, 106]

clemente, Nina [quarta capa, 215]

faulkner, William [112]

cneut, Carll [109, 146]

fehrmann, Irene [tradução, 125, 150, 162]

cock, Nicole de [145]

fernandes, Millôr [52]

coelho, Isabel Lopes [quarta capa, 307]

ferrari, Florencia [285; tradução, 243]

cohen, Felipe [285]

ferrer, Isidro [92]

conti, Mario Sergio [tradução, 96-97]

figueiredo, Rubens [tradução, 94, 258, 259]

corentin, Philippe [161]

flavia maria [52]

corso, Diana [quarta capa, 123]

flory, Alexandre [tradução, 260]

cosac, Charles [tradução, 155, 169, 185, 252]

fousek, Apo [75]

coutinho, Rafael [quarta capa, 98]

fraga, Denise [tradução, 173]

couto, Mia [quarta capa e orelha, 108]

fraia, Emilio [orelha, 112]

crowther, Kitty [152-53]

fraíz-grijalba, Valentina [tradução, 293-95]

cruttenden, Cynthia [54]

francine, Soninha [orelha, 64]

cruz, Nelson [69, 262-65, 277-78; orelha, 213]

frazão, Márcia [246-47] frias filho, Otavio [63; tradução e

D

quarta capa, 193]

deacon, Alexis [169]

friese, Julia [162]

degas, Edgar [189]

fróes, Leonardo [quarta capa, 90;

deorsola, Livia [tradução, 154]

tradução, 112]

derdyk, Edith [218, 220-21] diouf, Sylviane A. [185]

G

doitschinoff, Stephan [285]

gabrilli, Mara [quarta capa, 154]

donaldson, Julia [171]

galeano, Eduardo [95]

douzou, Olivier [167; orelha, 305]

galera, Daniel [quarta capa, 112]

downer, Jim [90]

gallinari, Adrianne [62]

duarte, Adriane [285]

galperin, Claudio [74]

duda, Christian [162]

geiger, Luana [282]


gergely, Tibor [104]

jenkino, Lilian [tradução, 164, 169, 171, 222]

giannotti, José Arthur [quarta capa, 89]

juan, Ana [175]

gill, Bob [130]

junakovic´, Svjetlan [232-35]

gleich, Jacky [149, 161]

junge, Norman [164]

glenadel, Paula [tradução, 90]

jungle, Tadeu [fotos, 290]

glenwright, Jerry [298] goethe, Johann Wolfgang von [115, 119, 134, 277]

K kaupatez, Diogo [tradução, 180-81, 213]

gógol, Nikolai [259]

kerrod, Robin [298]

gomi, Taro [181, 213]

king, Tara Calahan [155]

grey, Mini [162]

knipel, Cid [tradução, 307-08]

gribbin, John [297]

kondo, Daniel [72, 196, 273;

guazzelli [112, 114]

coordenação, 270-73]

guidin, Márcia Lígia [tradução, 164]

koscielniak, Bruce [188]

guimaraens, Alphonsus de [46]

kulman, Andrew [296-99]

gullar, Ferreira [tradução, 92, 95] gutman, Anne [240-43]

L lacaz, Guto [63; orelha, 213]

H

lacerda, Clara [tradução, 186, 189, 251]

haddad, Thomás A. S. [tradução, 297]

lacerda, Rodrigo [62; quarta capa, 74]

hallensleben, Georg [190-91, 240-43]

lago, Angela [50-51; quarta capa, 92]

haring, Keith [139, 215]

lalau [77, 236-39]

haskamp, Steve [169]

laurabeatriz [77, 236-39]

herbauts, Anne [157]

le clézio, J. M. G. [112]

hernandez, Leila Leite [orelha, 266]

lee, Suzy [200-01]

hirata, Mari [quarta capa, 291]

leite, Marcelo [quarta capa, 186]

hoffmann, E. T. A. [115]

leite, Milu [64]

hofman, Wim [88]

lessa, Bia [quarta capa, 129]

hughes, Ted [90]

lichtenheld, Tom [141]

hunt, Peter [307; quarta capa, 116]

lima barreto [276] limpens, Jan [36, 64, 272]

I

lindoso, Galiana [tradução, 190, 251-52]

im, Yun Jung [tradução, 183]

lisboa, Adriana [quarta capa, 159]

irmãos grimm [50, 134]

loredano, Cássio [quarta capa, 97] losnak, Marcos [quarta capa, 258]

J

luiz antonio [72-73]

jablonski, Bernardo [quarta capa, 160]

lupton, Ellen [211]

jaguar [quarta capa, 52]

lupton, Julia [211]

jahn, Cau [tradução, 226] jahn, Heloisa [tradução, 81]

M

jandl, Ernst [164]

machado de assis [278]

janssen, Susanne [134]

machado, Ana Maria [48; quarta capa, 101]


machado, Cassiano Elek [tradução, 141]

ndiaye, Marie [108]

mader, Malu [quarta capa, 153]

neeman, Sylvie [151]

maeo, Keiko [180]

neruda, Pablo [92]

magnier, Thierry [191]

nesquens, Daniel [154]

maluf, Jamil [tradução, 134]

nestrovski, Arthur [39-40]

manetti, Marta [72]

neto, Alípio Correia de Franca [tradução,

marcondes, Claudio Alves [tradução, 116-17, 139]

85-86, 90, 103, 128-29, 140, 215, 269] neves, Paulo [tradução, 108, 143-44, 167]

maria eugênia [39]

newell, Peter [102-03]

martins, Isabel Minhós [158-59]

nikolajeva, Maria [308]

massarani, Mariana [246-47]

nine, Carlos [278]

massi, Augusto [coordenação, 270-79;

norac, Carl [146]

quarta capa, 99] matoso, Madalena [159]

O

matthews, Elizabeth [174]

o. henry [277]

mazzari, Marcus [posfácio, 115; tradução,

o’sagae, Peter [quarta capa, 261]

124, 162]

odriozola, Elena [92, 176]

mccutcheon, Marc [186]

ohtake, Tomie [quarta capa, 180]

medearis, Angela Shelf [185]

oliveira, Miriam Xavier de [tradução, 283]

mello, Thiago de [70; quarta capa, 150]

oliveira, Rui de [orelha, 305]

melo, Chico Homem de [quarta capa, 128]

olívio, Manuel [tradução, 123]

merveille, David [205]

ontiveros, Martin [248]

mindlin, Betty [282; coordenação, 280-85]

osgemeos [quarta capa, 139]

minne, Brigitte [146] minter, Daniel [185]

P

moeyaert, Bart [119]

pacovská, Kveˇta [134]

molnár, Ferenc [104]

parker, Jennifer [299]

monteiro, Paulo [282]

pavlova, Anna [189]

montoya, Rodrigo [283]

penndorf, Julia [150]

moore, Julianne [172-73]

peres, Sandra [218, 220-21]

moost, Nele [169]

perret, Delphine [144]

moraes, Odilon [42, 45-46, 199, 276-77;

pham, LeUyen [172-73]

coordenação, 274-79; orelha, 96, 303]

pignatari, Décio [60]

moriconi, Marco [tradução, 187]

pilkey, Dav [193, 248-55]

moulin, Nilson [tradução, 106, 126, 278]

pires, Marcelo [quarta capa, 53]

mühlberger, Richard [292-95]

podwal, Mark [178]

munari, Bruno [126]

powers, Alan [303; quarta capa, 117]

munduruku, Daniel [orelha, 266]

prado, Adélia [quarta capa, 51] prandi, Reginaldo [282]

N

prata, Antonio [orelha, 62]

nadja [108]

prévert, Jacques [88-89]

naify, Simone Cosac [72]


Q

schulz, Charles M. [98-99]

queirós, Bartolomeu Campos de [49; quarta capa, 54] queiroz, Eça de [114]

schulze, Ingo [150] scott, Carole [308] segall, Jenny Klabin [tradução, 119] seixas, Heloisa [tradução, 277]

R

sempé, Jean-Jacques [96-97]

raí [36]

sendak, Maurice [81]

ramos, Elaine [220; coordenação, 280-85]

sevcenko, Nicolau [tradução, 101]

rand, Ann [128-29]

shin, Dong-Jun [183]

rand, Paul [128-29]

silva, Iara Fino [tradução, 297]

redondo, Tercio [tradução, 261]

silverstein, Shel [82-87]

reid, Alastair [130]

silvestrin, Ricardo [75]

rigaud, Louis [136]

sister, Sérgio [284]

rodrigues, Paulo [quarta capa, 183]

souza, Alexandre Barbosa de

rogerio, Cristiane [quarta capa, 140] röhrig, Christine [tradução, 122, 149, 161, 170, 252, 261]

[tradução, 89] spirin, Guenádi [258-59] swope, Sam [109]

rosenthal, Amy Krouse [141] roubaud, Jacques [90]

T

rowe, John A. [140]

takahashi, Jo [quarta capa, 182]

rozenchan, Nancy [tradução, 178]

talavera, Fefe [90]

ryngaert, Jean-Pierre [quarta capa, 94]

tallec, Olivier [151] tatit, Luiz [220]

S

tatit, Paulo [218, 220-21]

sabino, Fernando [tradução, 83]

tatit, Zé [221]

sales, Denise [tradução, 298]

tavares, Braulio [quarta capa, 34]

sampaio, Maria Carolina [pesquisa visual, 291]

tchekhov, Anton [258]

sandoval, Andrés [70-71, 221, 283]

teixeira, Laura [74; orelha, 213]

sandroni, Laura [orelha, 104, 109]

tenório, Marina [284]

santos, Antonio [95]

thomaz, Omar Ribeiro [orelha, 185]

saraiva, Roberta [tradução, 120,

titan jr., Samuel [tradução, 119-20, 134]

146, 176, 232]

titan, Ana van Lieshout [tradução, 145-46]

sasek, M. [268-69]

tognato, Elizabeth [272]

sayão, Rosely [quarta capa, 161]

tolmasquim, Alfredo [orelha, 187]

scandurra, Edgard [orelha, 104]

torres, Fernanda [tradução, 172]

schär, Brigitte [149, 161]

prieto, Heloisa [272; quarta capa, 72;

scheffler, Axel [171] schiller, Daniel Lembo [tradução, 248, 252-54]

coordenação, 270-73; tradução, 160] siscar, Marcos [quarta capa, 88; tradução, 90, 142]

schiller, Luciana [289]

tretiakóv, Serguéi [94]

schober, Michel [169]

turkowski, Einar [157]

schössow, Peter [162]

turnbull, Neil [299]


V valle, Ricardo Martins [orelha, 265] van der linden, Sophie [305] veloso, Moreno [cinta, 158] ventura, Antonio [176; quarta capa, 122] verissimo, Luis Fernando [quarta capa, 259] vilela, Fernando [34, 89, 284; orelha, 134] villela, Gabriel [quarta capa, 49] viveiros de castro, Jorge [64] volpato, Cadão [53; quarta capa, 36] W waldman, Berta [tradução, 178] watanabe, Etsuko [182] watterson, Bill [quarta capa, 98] weiss, Luise [56] werneck, Mariza [quarta capa, 260] werneck, Paulo [tradução, 110] whitcomb, Mary E. [155] wiesel, Elie [178] windsor, Marina [169] winter, Jonah [175] Z zappi, Lucrecia [291; tradução, 146] zerbini, Luiz [101] zilberman, Regina [quarta capa, 261]


palavras-chave

para a lista completa de palavras-chave, solicite ou consulte o material “sempre à mão” no site da editora (cosacnaify.com.br) Adolescência

Menino que mordeu Picasso, O [133]

Bili com limão verde na mão [60]

Pedro e Lua [45]

Fazedor de Velhos, O [62]

Pequeno 1 [128]

Livro da primeira vez [63]

Quem quer este rinoceronte? [86]

Melhor time do mundo, O [64]

Senhor Augustin [150] Turma do infinito [36]

África Agbalá, um lugar-continente [266]

Artes plásticas

Minhas contas [72]

Ah, se a gente não precisasse dormir! [139]

Princesa nada boba, Uma [73]

De dois em dois [66]

Príncipes do destino, Os [282]

Eu que fiz [211]

Sete novelos, Os [185]

Frida [175]

Tranças de Bintou, As [185]

Livro da Nina para guardar pequenas

Amadurecimento

Menino que mordeu Picasso, O [133]

coisas, O [215] Antigamente & Tente entender [221]

Mundo de Artista (Coleção) [244-45]

Eu sei um montão de coisas [129]

Que Faz de um Mestre um Mestre?, O

Fazedor de Velhos, O [62] Fico à espera... [142]

(Coleção) [292-95] Rabiscos [213]

Meninos da rua Paulo, Os [104] Montanha-russa [272]

Autoridade

Vermelho amargo [49]

Conto de escola [278] Contos para crianças impossíveis [89]

Amizade

Declaração universal do moleque invocado [58]

Aprendo com meus amigos [181]

Fique longe da água, Shirley! [116]

Árvore generosa, A [83]

Hora de sair da banheira, Shirley! [117]

Catástrofes de Gaspar e Lisa (Coleção)

Mamãe zangada [125]

[240-43] Clifford, o Cachorrão Vermelho (Coleção)

Pequeno fascista, O [59] Vermelho amargo [49]

[226-31] Coração [106]

Aventura

Marcelino Pedregulho [96]

Árvore dos Desejos, A [112]

Maurício, o leão de menino [52]

Aventuras de Ook e Gluk, As [255]


Aventuras do Capitão Cueca, As (Coleção) [250-53]

Natal da turma do Snoopy, O [99] Quem quer este rinoceronte? [86]

João e os sete gigantes mortais [109]

Raul Taburin [97]

Mais belas histórias das Mil e uma Noites, As [260]

Snoopy – Primeiro de abril [98] Snoopy extraordinário [98]

Bilíngue Animais de todo mundo, Os [90]

Ciência

Aprendiz de feiticeiro, O [277]

Caro Einstein... [187]

Balanço [180]

Fique por Dentro (Coleção) [296-99]

Contos para crianças impossíveis [89]

Menina que batizou Plutão, A [186]

Dia de folga [88] Imitabichos [94]

Clássico

Marco, o barco [90]

Alice no País das Maravilhas [101]

Metrô vem correndo..., O [183]

Chapeuzinho Vermelho [134] Coração [106]

Biografia

Dedinho de Prosa (Coleção) [274-79]

Ah, se a gente não precisasse dormir! [139]

Ismália [46]

Caro Einstein... [187]

João & Maria [134]

Como me tornei uma bailarina [189]

Mais Belos Contos, Os (Coleção) [256-61]

Diferente como Chanel [174]

Meninos da rua Paulo, Os [104]

Frida [175]

Onde vivem os monstros [81]

Menino que mordeu Picasso, O [133] Morango Sardento [172]

Comportamento | Conduta Alice no País das Maravilhas [101]

Bullying

Bili com limão verde na mão [60]

Lilás, uma menina diferente [155]

Coração [106]

Morango Sardento [172]

Declaração universal do moleque invocado [58]

Morango Sardento e o valentão da escola [173]

Fada feiticeira, A [146] Homem que sabia javanês, O [276]

Cartonado

Morango Sardento e o valentão da escola [173]

Clifford, o Filhotinho Vermelho (Coleção)

Pequeno fascista, O [59]

[222-25] Ops [56]

Prismas (Coleção) [286-91] Vermelho amargo [49] Vingança em Veneza [278]

Cartum Árvore generosa, A [83]

Consumo | Consumismo

Fuja do Garabuja [85]

Balão por um bacamarte, Um [130]

Girafa e tanto, Uma [86]

Eu que fiz [211]

Leocádio, o leão que mandava bala [84]

Girafa e tanto, Uma [86]

Marcelino Pedregulho [96]

João Felizardo, o rei dos negócios [50]

Maurício, o leão de menino [52]

Meu tio [110]

Montanha-russa [272]


Conto de fadas

Na noite escura [126]

Dentro do espelho [56]

Para ler o livro ilustrado [305]

Fada feiticeira, A [146]

Pequeno 1 [128]

João & Maria [134] Princesinha medrosa, A [42]

Desobediência Aprendiz de feiticeiro, O [277]

Conto popular

Contos para crianças impossíveis [89]

Amazonas, no Coração encantado da floresta

Fique longe da água, Shirley! [116]

[70]

Hora de sair da banheira, Shirley! [117]

Chapeuzinho Vermelho [134]

Onde vivem os monstros [81]

História da ressurreição do papagaio [95]

Pequeno fascista, O [59]

João & Maria [134]

Povo das sardinhas, O [144]

João Felizardo, o rei dos negócios [50] Mais Belos Contos, Os (Coleção) [256-61]

Direitos humanos

Pavão misterioso, O [71]

Declaração universal do moleque invocado [58]

Tapete de Maria, O [72]

Inimigo, O [143] Leocádio, o leão que mandava bala [84]

Convivência | Tolerância

Senhor Augustin [150]

Clifford e os vizinhos rabugentos [231] Diaba e sua filha, A [108]

Discriminação | Preconceito | Rejeição

Meu amigo Jim [152]

Agbalá, um lugar-continente [266]

Meu reino [153]

Diaba e sua filha, A [108]

Meu vizinho é um cão [159]

Estava escuro e estranhamente calmo [157]

Senhor Augustin [150]

João e os sete gigantes mortais [109]

Turma do infinito [36]

Lilás, uma menina diferente [155]

Vermelho amargo [49]

Meu amigo Jim [152] Meu vizinho é um cão [159]

Cordel

Minhas contas [72]

História da ressurreição do papagaio [95]

Morango Sardento [172]

Lampião & Lancelote [34]

Pequeno 1 [128]

Pavão misterioso, O [71]

Senhor Augustin [150] Todos os patinhos [162]

Cores

Vermelho amargo [49]

Cores das cores [40] Rainha das cores, A [123]

Diversidade cultural Agbalá, um lugar-continente [266]

Design

Histórias de Faivl, As [178]

Era uma vez uma capa [303]

Isto É... (Coleção) [268-69]

Eu que fiz [211]

Minhas imagens do Japão [182]

Eu sei um montão de coisas [129]

Mitos do Mundo (Coleção) [280-85]

Livro do foguete, O [103]

Pindorama, terra das palmeiras [266]

Livro inclinado, O [103]

Rei Salomão e o seu anel mágico, O [178]


Ecologia

Fique por dentro da filosofia [299]

Árvore generosa, A [83]

Grande questão, A [120]

Brasileirinhos (Coleção) [236-69]

Livro das perguntas [92]

Dia em que Felipe sumiu, O [64]

Pato, a morte e a tulipa, O [121]

Diário de um papagaio [77]

Selma [124]

Fique por dentro da ecologia [298]

Turma do infinito [36]

Na floresta do bicho-preguiça [136] Folclore Esportes Como um peixe na água [154] Futebol, tênis... [235] Melhor time do mundo, O [64] Morango Sardento e o valentão da escola [173]

Amazonas, no Coração encantado da floresta [70] Bichos que existem & bichos que não existem [39] Caso do saci, O [69] História da ressurreição do papagaio [95]

Ora bolas [221] Presente, O [199]

Fotografia

Rei da sola, O [247]

Alice no País das Maravilhas [101]

Tchibum! [196]

Imitabichos [94]

Teco aprende a nadar [169]

Livro das perguntas [92]

Yoga para crianças [290]

Prismas (Coleção) [286-91]

Família

Gastronomia

Anjo da guarda do vovô, O [122]

Está na hora de comer [235]

Clifford e sua família [229]

Mil-folhas [291]

Diaba e sua filha, A [108]

Minhas imagens do Japão [182]

Fico à espera... [142] Fique longe da água, Shirley! [116]

Guerra

Hora de sair da banheira, Shirley! [117]

Inimigo, O [143]

Irmãzinha de Lisa, A [242]

Lampião & Lancelote [34]

Mamãe é grande como uma torre [149]

Leocádio, o leão que mandava bala [84]

Mamãe zangada [125] Mamãe, papai... [234]

Higiene

Meu filho, meu besouro [53]

Clifford e a hora do banho [225]

Meu reino [153]

Hora de sair da banheira, Shirley! [117]

Papai sob medida, Um [148]

Trolls, os fura-dentes [165]

Pê de pai [158] Todos os patinhos [162]

História do Brasil

Vermelho amargo [49]

Histórias para Contar História (Coleção) [262-67]

Filosofia Casa azul, A [157]

Homossexualidade

Criação, A [119]

Meu amigo Jim [152]


Humor

Matemática

Aventuras de Ook e Gluk, As [255]

Caro Einstein... [187]

Aventuras do Capitão Cueca, As (Coleção)

Clifford conta bolhas [224]

[250-53] Dariz, O [167]

Clifford é dez [231] Eram cinco [164]

Meu tio [110]

Pequeno 1 [128]

Nariz, O [259]

Tabuada da bruxa, A [119]

Natal da turma do Snoopy, O [99] Pato! Coelho! [141]

Medo | Monstro

Snoopy – Primeiro de abril [98]

Casa assombrada, A [160]

Snoopy extraordinário [98]

Cidade dos deitados [272] Fuja do Garabuja [85]

Identidade

Maurício, o leão de menino [52]

Casa azul, A [157]

Monstro, não me coma! [146]

Coisas que eu queria ser [39]

Onde vivem os monstros [81]

Diaba e sua filha, A [108]

Papai! [161]

Espelho [201]

Pesadelos de Lisa, Os [243]

Grande questão, A [120]

Princesinha medrosa, A [42]

Janela de esquina do meu primo, A [115]

Visita dos monstros, A [161]

Marco, o barco [90] Princesa nada boba, Uma [73]

Meios de transporte

Turma do infinito [36]

Correndo a todo vapor [234] Lisa no avião [243]

Inclusão

Marco, o barco [90]

Como um peixe na água [154]

Metrô vem correndo..., O [183]

Lilás, uma menina diferente [155]

Raul Taburin [97]

Meu amigo Jim [152]

Transpoemas [75]

Minhas contas [72] Mitologia Índios

Caso do saci, O [69]

Mundo de cabeça para baixo, O [283]

Mitos do Mundo (Coleção) [280-85]

Pindorama [220]

Psiquê [51]

Pindorama, terra das palmeiras [266]

Sob o Sol, sob a Lua [54]

Primeiro homem, O [282] Moda Leitura

Diferente como Chanel [174]

Fazedor de Velhos, O [62]

Joaquina & sua máquina [167]

Meu amigo Jim [152]

Moda: Uma história para crianças [289]

Sábado na livraria [151]

Tatuagem, piercing e outras mensagens

Sr. Raposo adora livros!, O [170]

do corpo [288]


Moradia

Profissão

Casa assombrada, A [160]

Ametista, a fada que era dentista [247]

Casa azul, A [157]

Clifford arruma emprego [229]

Dia de chuva, Um [114]

Clifford, o cachorro bombeiro [229]

Meu vizinho é um cão [159]

Eram cinco [164] Fazedor de Velhos, O [62]

Morte

Menino entregador de jornal, O [193]

Anjo da guarda do vovô, O [122] História da ressurreição do papagaio [95]

Questionamento

Ismália [46]

Grande questão, A [120]

Mas por quê??! [162]

Livro das perguntas [92]

Pato, a morte e a tulipa, O [121]

Mas por quê??! [162]

Pedro e Lua [45]

Turma do infinito [36]

Todos os patinhos [162] Reconto Música

Amazonas: no Coração encantado da floresta [70]

Incrível história da orquestra, A [188]

João Felizardo, o rei dos negócios [50]

Siricutico (Coleção) [219-21]

Mais Belos Contos, Os (Coleção) [256-61]

Tambores, clarineta... [234]

Mitos do Mundo (Coleção) [280-85] Pavão misterioso, O [71]

Natal

Psiquê [51]

Natal da turma do Snoopy, O [99] Presente de Natal, O [242]

Religião

Presente dos magos, O [277]

Criação, A [119]

Sábado na livraria [151]

Histórias de Faivl, As [178] Minhas contas [72]

Poesia

Princesa nada boba, Uma [73]

Animais de todo mundo, Os [90]

Rei Salomão e o seu anel mágico, O [178]

Balanço [180]

Senhor do bom nome, O [284]

Balão por um bacamarte, Um [130] Dia de folga [88]

Solidão

História da ressurreição do papagaio [95]

Dia de chuva, Um [114]

Ismália [46]

Inimigo, O [143]

Livro das perguntas [92]

Kachtanka [258]

Ode a uma estrela [92]

Morango Sardento [172]

Sinais do mar [48]

Pequeno 1 [128]

Transpoemas [75]

Senhor Augustin [150]


Super-herói Aventuras de Ook e Gluk, As [255] Aventuras do Capitão Cueca, As (Coleção) [250-53] Aventuras do Superbebê Fraldinha, As [254] Homem atômico chegou!, O [162] Ricky Ricota e Seu Super-Robô (Coleção) [248-49] Urbano Isto É... (Coleção) [268-69] Janela de esquina do meu primo, A [115] Mãe da rua [290] Metrô vem correndo..., O [183] Meu tio [110] Ópera Urbana (Coleção) [270-73] Pequeno fascista, O [59] Velhice Anjo da guarda do vovô, O [122] Fazedor de Velhos, O [62] Marco, o barco [90] Sábado na livraria [151] Senhor Augustin [150]


Cosac Naify na era digital


Portal Cosac Naify cosacnaify.com.br

[exclusivo] dav pilkey cosacnaify.com.br / pilkey

Coleção Ópera Urbana operaurbana.com.br

turma do infinito turmadoinfinito.com.br facebook.com/turmadoinfinito

Blog cosacnaify.com.br /blog

Facebook facebook.com /cosacnaify

Twitter twitter.com /cosacnaify


crédito das imagens Ao longo do catálogo, a autoria das imagens está identificada com o sinal gráfico ✦ ao lado do nome do artista ou do livro ao qual pertencem. As ilustrações que trazem o selo “ilustração exclusiva” foram feitas especialmente para o catálogo da Cosac Naify. pp. 6-7 suzy lee pp. 16-17 © Potages maggi p. 67 ação educativa na xii bia-sp. fotógrafo desconhecido, 1973. © ahws/ fbsp pp. 133 desenhos de luke veevers (onze anos) pp. 146-47 carll cneut pp. 196-97 daniel kondo pp. 218-19 alex cerveny pp. 256-57 olga dugina e andrej dugin pp. 262-63 nelson cruz p. 267 marilda castanha pp. 270-71 carla caffé pp. 274-75 odilon moraes pp. 280-81 felipe cohen p. 292 francisco de goya p. 310 paul rand p. 326 odilon moraes


apoiadores

biblioteca monteiro lobato

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (cip) (Câmara Brasileira do Livro, sp, Brasil)

cosac naify Rua General Jardim, 770, 2o. andar 01223-010 São Paulo sp [55 11] 3218 1444

Cosac Naify infantojuvenil: 277 títulos São Paulo: Cosac Naify, 2011 328 pp. ilustradas isbn 978-85-405-0103-4 1. Literatura infantojuvenil 11-06149 Índices para catálogo sistemático: 1. Literatura infantojuvenil 028.5 2. Literatura juvenil 028.5

cdd-028.5

atendimento ao professor [55 11] 3218 1473 professor@cosacnaify.com.br departamento comercial [55 11] 3823 6588/89 vendas@cosacnaify.com.br


Este catálogo foi produzido pelas equipes editorial, de design e produção gráfica da editora Cosac Naify, durante o segundo semestre de 2011, em fonte Akzidenz Grotesk. Impresso pela RR Donnelley, em papel Alta alvura 90 g/m², teve tiragem de 2 000 exemplares.


i n fa n toj u v e n i l

i n fantoj uve n i l 277 títu los

cosac naify Rua General Jardim, 770, 2º. andar 01223-010 São Paulo sp [55 11] 3218 1444 cosacnaify.com.br

Atendimento ao professor [55 11] 3218 1473 professor@cosacnaify.com.br Departamento comercial [55 11] 3823 6588/89 vendas@cosacnaify.com.br

capa2011.indd 1

9/30/11 12:43 PM

Catalogo Infantojuvenil 2011 Cosac Naify  

Catalogo Infantojuvenil 2011 Cosac Naify

Catalogo Infantojuvenil 2011 Cosac Naify  

Catalogo Infantojuvenil 2011 Cosac Naify

Advertisement