Issuu on Google+

JUQUERY

Mairiporã • Sexta-feira 21 de junho de 2013

1

www.correiojuquery.com.br

CORREIO

CORREIOJUQUERY.COM.BR

ANO IX - Nº 473 ● Mairiporã, sexta-feira, 21 de junho de 2013 ● Distribuição gratuita ● R$ 1,00 (nas bancas)

Divulgação

CIDADE VAI PARAR HOJE! As redes sociais organizaram para hoje, na cidade, manifestação semelhante as que ocorreram em todo o país, com ênfase para o preço das passagens de ônibus.

Na Câmara, na terça-feira, um grupo demonstrou a insatisfação reinante, e a passeata de hoje, que irá percorrer inúmeras ruas, promete ser a maior que já se viu

ou se fez no município. Um dos pontos importantes que serão interrompidos, é a rotatória de acesso à cidade, por onde passa o trânsito oriundo da rodovia

Fernão Dias. O movimento é legítimo e conta com o apoio de diversos segmentos da sociedade. PÁGINA 7

Correio Imagem

BONS EXEMPLOS NO TRÂNSITO Vacinação contra a pólio termina hoje

revelam como o Departamento de Trânsito age no município. Estacionar em local proibido, só para viaturas oficiais, e circular sem cinto de

Diretoria da OAB Mairiporã tomou posse

PÁGINA 3

A indústria da multa em Mairiporã só serve para punir os cidadãos comuns. Os privilegiados têm passe livre para toda sorte de infrações. As duas fotos

segurança, só para agentes. Até quando a população vai ter que engolir essa situação? COLUNA DO CORREIO – Página 4

Governo lançará notas de R$ 2 e de R$ 5 no segundo semestre R$ 25 MILHÕES Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 1.504 da Mega-Sena, realizado na anteontem, e o prêmio acumulou para o sorteio de amanhã, com previsão de R$ 25 mi-

lhões. Os números sorteados foram foram: 02 - 10 - 12 - 30 - 41 - 42. Ao todo, 74 apostas fizeram a quina (R$ 25.045,42 cada) e outras 5.957 a quadra (R$ 444,46 cada).


2

www.correiojuquery.com.br

GERAL Incidência de conjuntivite aumenta com tempo frio A PROXIMIDADE da estação mais fria do ano traz com ela aumento significativo de casos de conjuntivite. Por conta da baixa umidade e do frio, as aglomerações em ambientes fechados são comuns e isso favorece o contágio. A doença se resume na inflamação da conjuntiva, membrana que cobre a área branca dos olhos e a parte interna da pálpebra. A causa pode ser viral, bacteriana ou alérgica. A opção mais freqüente, no entanto, acentuada durante outono e inverno, é a viral, que encontra condições ideais em climas frios e secos. Gripe - De acordo com os médicos, o vírus da conjuntivite é parecido com o da gripe, mas a infecção não ocorre pelo ar, e sim por contato direto. A conjuntivite bacteriana ocorre raramente e tem origem por contaminação, por higiene inadequada. A inflamação alérgica acomete pessoas com doenças respiratórias como rinite alérgica, asma, entre outros, mas pode ocorrer por causa de poluição e cloro de piscina. A inflamação, com duração média de sete a dez dias, é fácil de ser percebida por conta dos sintomas: olhos vermelhos, lacrimejamento, sensação de areia nos olhos, pálpebras inchadas e avermelhadas, secreção (amarela, verde ou branca), pálpebras grudadas ao acordar, intolerância à luz e visão borrada. Oftalmologistas alertas que assim que os sintomas aparecerem, é necessário procurar o médico. O tratamento para conjuntivite também varia. Para as virais não há o que fazer, apenas cuidados com higiene e compressa de água filtrada e gelada. No caso da bacteriana, é necessário antibiótico em forma de colírio, e a alérgica vai depender da duração da crise. Para aliviar os sintomas, os especialistas aconselham o uso de colírios conhecidos como lágrimas artificiais, que são comprados sem receita médica.

ANS começou a receber sugestões para revisar planos de saúde A AGÊNCIA Nacional de Saúde Complementar (ANS) começou a receber sugestões e comentários à proposta de norma que revisa a cobertura mínima obrigatória dos planos de saúde contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à lei 9.656/98 (Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde. A participação para a Consulta Pública 53 deve ser feito, exclusivamente, pelo formulário eletrônico disponível na página da ANS na internet (www. ans.gov.br) até 7 de julho. Qualquer cidadão pode participar. A ANS afirma que proposta de resolução normativa contempla a inclusão de cerca de 80 procedimentos médicos e odontológicos, entre remédios, terapias e exames, além da ampliação das indicações de mais de 30 procedimentos já cobertos (diretrizes de utilização). A agência destaca a inclusão de medicamentos orais para tratamento de câncer; a introdução de uma nova técnica de radioterapia e cerca de 30 cirurgias por vídeo.

Mairiporã • Sexta-feira 21 de junho de 2013

 Rafael Tadeu cumprimenta OAB pela posse da nova diretoria Da Redação

MOÇÃO de congratulação pela posse da nova diretoria da OAB de Mairiporã foi apresentada pelo vereador Rafael Tadeu na sessão da Câmara de terça-feira, 18. No documento, o parlamentar destacou o trabalho desenvolvido pela subseção local, que tem à frente, pela terceira vez, como presidente, o advogado Miguel Nagib Moussa. O edil disse ai nda que os trabal hos da entidade são relevantes e vão de encontro às necessidades dos cidadãos que precisam dos serviços da OAB. Ainda na mesma sessão, Rafael Tadeu fez indicações ao prefeito sobre a necessidade de se instalar abrigo no

ponto de ônibus na estrada velha de Bragança, entre os bairros Gibeon e Sol Nascente, em Terra Preta, colocação de luminárias na rua Vitor Odorico Bueno (estrada da Canjica) e na rua São Paulo (Chácara São Jorge), ambas em Terra Preta. O vereador também pediu que o departamento competente da Prefeitura providencie a limpeza de galerias e bueiros nos seguintes locais: ruas Castro Alves, Luís Vaz de Camões, Serra Morena e Álvares de Azevedo (Jardim Oliveira), Antônio Ianuzzi, Antônio Álvaro Simões de Souza, Gercina Antônia da Silva, Clarice Pereira de Andrade, Pedro Paulo da Fonseca e João Puga Dias (Terra Preta) e Laurindo Felix da Silva (Jardim Esperança).

Vereador Nil propõe criar o Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais Da Redação

CONSCIENTIZAR a população sobre a necessidade de se proteger e preservar os animais foi o tema de indicação do vereador Nil Dantas, que propôs a criação de um Conselho Municipal que possa atuar nesse sentido, estendendo a iniciativa à manutenção de ecossistemas. O parlamentar destacou que é dever do município incentivar e preservas as espécies, assumindo ou encaminhando aos órgãos e entidades competentes animais apreendidos por tráfico

Essio pede bilhete único para a cidade a pegar mais de coletivo e que a implantação do bilhete único diminuiria esses custos, além de facilitar a locomoção. O vereador também indicou que seja procedida a limpeza dos bueiros da rua Padre Vairo, serviços de conservação na rua Pintado (Parque da Lagoa do Barreiro) e na rua Nove, conhecida por Francisco Alves, no Jardim Gibeon. Apresentou também pedido para que a Sabesp estude a extensão da rede de água até o bairro Mil Flores.

Da Redação

ATRAVÉS de indicação o presidente da Câmara, Essio Minozzi Júnior, solicitou que o prefeito estude a implantação de bilhete único no transporte coletivo municipal. Justificou o pedido ao assinalar que muitas pessoas utilizam mais de uma linha para chegar ou voltar do trabalho, o que torna oneroso ao bolso do usuário os gastos com transporte. Citou vários exemplos de pessoas que são obrigadas

Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Mairiporã   

CONVOCAÇÃO   Ficam convocados os servidores que possuem  Plano de Saúde com a CLIMED  junto ao Sindicato, para uma Plenária na Câmara  Municipal de Mairiporã,  no dia 26 de junho, às 17 horas, para discutir reajuste  anual: - Reajuste anual: Contrato dos Funcionários: 15% (quinze por cento) e Contrato dos Agregados 13% (treze por cento), ou Adequar o contrato ao plano de co-participação:  - Na CO-PARTICIPAÇÃO se mantém o mesmo valor, e passa a pagar pelos procedimentos conforme tabela abaixo, a ser descontado no holerite. VALORES DE CO-PARTICIPAÇÃO: a) Consultas eletivas / ambulatoriais = R$ 12,00 (cada) b) Consultas em pronto socorro = R$ 16,00 (cada) c) Exames simples = R$ 4,00 (cada) d) Exames de alta complexidade = R$ 12,00 (cada)     Diretoria Gestão, Dignidade e Reconstrução - 2012/2016

ou caça ilegal cuja manutenção ou soltura sejam impraticáveis. O vereador também indicou que a Prefeitura solicite à Elektro a instalação de luminárias nas vias Leonor Maria Barbosa dos Santos (três luminárias), Alameda Ipê (duas), Osvaldo Rodrigues (cinco postes com luminárias) e Cândido Portinari (uma). Pediu ainda a construção de uma rotatória e devidas sinalizações no cruzamento da estrada Velha de Bragança, proximidades da empresa Cancelata, no Parque Votorantim.

Vereador prof. Edio prioriza o esporte para jovens de Terra Preta Da Redação

EM PARCERIA com a Secretaria Municipal de Esportes, o vereador professor Edio  tem  atuado com ênfase na priorização do esporte comunitário como ferramenta de resgate social, através de iniciativas na Câmara. Em especial, direcionadas aos jovens. “Independente de mandato político, sempre atuei no apoio ao esporte comunitário. Conheço a realidade dos jovens e adolescentes do distrito de Terra Preta, e sei

o quanto ele pode ser usado para resgatar os jovens do vício das drogas e da criminalidade sem que o Poder Público gaste muito. O que nossos jovens precisam é de oportunidade”, explicou o vereador. O parlamentar, desde que assumiu como vereador, começou a trabalhar em projetos esportivos infantis e neste momento atua no Campeonato de Futebol de Campo, categoria Sub 15, que terá a final no dia 30, no Centro Esportivo José Ivan de Oliveira (Campo da Igreja de Terra Preta).

Marcinho da Serra quer incluir rua do Barreiro no Programa do Fumefi Da Redação

ATRAVÉS de indicação, apresentada durante os trabalhos legislativos da última terça-feira, o vereador Marcinho da Serra solicitou que o prefeito determine ao departamento competente a inclusão das rusa Golfinho, localizada no bairro do Barreiro, e Pedro Paulo da Fonseca, antiga rua São Roque, no bairro Colina II, no Programa do Fumefi para pavimentação asfáltica. Marcinho justificou assinalando que citada rua, uma vez atendida, atenderia a uma região de grande circulação de veículos, oferecendo conforto aos usuários e moradores. Também solicitou do chefe do Executivo a colocação de luminárias em ruas do bairro Samambaia I, que não conta com esse melhoramento.

04:50 05:15 05:45 06:00 06:15 06:40 06:50 07:20 08:20 09:15 10:30 11:15 12:00 13:30 15:00 15:45 16:15 17:30 19:00 19:30 20:00 21:00 21:30 23:00

05:00 06:00 07:00 08:00 09:00 10:00 11:00 11:30 12:00 13:00 13:30

14:00 15:00 15:30 16:00 17:15 19:00 20:00 21:00 22:00 23:00

05:00 07:00 09:00 11:00 13:00 15:00 17:00 19:00 20:00 21:30 23:00

06:00 06:30 06:50 07:00 07:30 08:00 08:30 09:00 09:30 10:00 10:30 11:30 12:15 13:00 14:00 15:00 16:00 16:30 17:00 17:15 17:30 17:45 18:00 18:15

18:30 18:45 19:00 19:20 19:40 20:00 20:30 21:00 21:30 22:00 22:40 22:55 23:00 23:05 23:15 23:59

06:00 06:45 07:00 07:45 08:00 08:45 09:00 09:45 10:00 10:45 11:00 11:45 12:00 12:30 13:00 13:45 14:00 14:30 15:00

15:45 16:00 16:30 17:00 17:45 18:30 19:15 20:00 21:00 22:00 23:00 23:59

06:00 07:15 08:00 09:15 10:00 11:15 12:00 13:15 14:00 15:15 16:00

17:15 18:00 19:15 20:00 21:00 22:30 23:59

05:00 05:30 06:00 06:30 07:00 07:40 08:00 08:45 09:45 12:45 14:15 16:45 18:15 22:00

06:30 07:10 07:30 08:30 09:00 09:30 10:00 10:45 13:45 15:30 17:45 19:30 23:00

04:30 05:10 05:30 05:45 06:00 06:15 06:30 06:45 06:50 07:00 07:15 07:45 08:00 08:30 09:00 09:30 10:00 10:30 11:00 11:30 12:00 12:30 13:00 13:30

14:00 14:30 14:45 15:30 15:00 15:15 16:00 16:15 16:30 16:45 17:00 17:30 18:00 18:30 19:30 20:30 21:30

07:40 08:40 09:20 10:00 05:30 06:15 06:40 07:00 07:20 08:00 08:20 09:00 09:40 10:20 10:40 11:00 11:30 12:00 12:30 13:00 13:30 14:00 14:30 15:00

15:30 16:00 16:15 16:30 16:45 17:00 17:15 17:30 17:45 18:00 18:20 18:40 19:00 19:30 20:15 21:00 22:00 22:20 23:00

05:30 06:30 07:30 08:30 09:30 10:30 12:30 14:30 16:30 18:00

06:30 07:30 08:30 09:30 10:30 11:30 13:30 15:30 17:30 19:00

04:30 05:30 06:00 06:15 06:30 07:00 07:30 08:00 08:30 09:00 09:30 10:00 10:30 11:00 11:30 12:00 12:30

13:00 13:30 14:00 14:30 15:00 15:30 16:00 16:30 17:00 18:00 18:30 19:30 20:30 21:30

06:00 06:40 07:10 07:30 08:00 08:30 09:00 09:30 10:00 10:30 11:00 11:30 12:00 12:30 13:00 13:30 14:00

14:30 15:00 15:30 16:00 16:30 17:00 17:30 18:00 18:30 19:00 19:30 20:15 21:00 22:00 23:00

06:00 08:00 10:00 12:00 14:00 16:00 18:00

07:00 09:00 11:00 13:00 15:00 17:00 19:00

06:00 06:40 07:10 07:30 08:00 08:30 09:00 09:30 10:00 10:30 11:00 11:30 12:00 12:30 13:00 13:30 14:00

14:30 15:00 15:30 16:00 16:30 17:00 17:30 18:00 18:30 19:00 19:30 20:00 20:30 21:00 22:00 23:00

04:45 05:30 06:00 06:15 06:30 07:00 07:30 08:00 08:30 09:00 09:30 10:00 10:30 11:00 11:30 12:00 12:30

13:00 13:30 14:00 14:30 15:00 15:30 16:00 16:30 17:00 17:30 18:00 18:30 19:00 19:30 20:30 21:30


Mairiporã • Sexta-feira 21 de junho de 2013

3

www.correiojuquery.com.br

LOCAL Diretoria da OAB Mairiporã tomou posse Correio Imagem

Da Redação

Termina hoje vacinação contra a paralisia infantil Lúcia Helena Da Redação

EM SOLENIDADE festiva, que contou com a presença de autoridades civis, judiciárias e militares, a 129ª Subseção Mairiporã da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foi empossada na quinta-feira, 13. O presidente da OAB estadual, Marcos da Costa, foi quem deu posse aos novos dirigentes. A subseção de Mairiporã vai ser presidida pela terceira vez consecutiva pelo advogado Miguel Nagib Moussa, que tem como companheiros os advogados Daniel Bonora (vice-presidente), Marcelo Joaquim Pacheco (tesoureiro), Maria José da Silva (secretária) e Antônio Theodoro da Silva Filho (secretário-adjunto). Entidades de classe, associações e clubes de serviço de Mairiporã também se fizeram representar na solenidade.

A CAMPANHA Nacional de Vacinação contra a Poliomielite em Mairiporã imunizou num só dia (na abertura) 3.399 crianças. Hoje é o último dia, e aqueles que ainda não levaram seus filhos devem fazê-lo nos postos fixos (unidades básicas de saúde e postos de saúde da família) no horário normal de expediente, pois o objetivo é imunizar 4.983 menores com idades entre seis meses e cinco anos. A Secretaria Municipal da Saúde não divulgou nenhum outro número desde o Dia D, quando foram vacinados 68,21% do total, e a expectativa é que

Planos de saúde devem seguir prazos para os atendimentos Correio Imagem

Da Redação

A CARÊNCIA do sistema público de saúde leva milhares de pessoas a encontrar como solução a contratação de um plano de saúde, dos quais esperam mais eficácia e rapidez que o serviço público. Na maioria das vezes os usuários dos planos de saúde acabam passando por situações parecidas com as que encontram na rede pública: demora no atendimento, dificuldade de agendar consultas com especialistas, demora na realização de exames e cirurgias, entre outros. No entanto, os planos de saúde têm prazos estabelecidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), e o descumprimento desses prazos pode acarretar diversos problemas para as operadoras. Para cada tipo de serviço, existe um prazo estipulado pela ANS e, para cada prazo não cumprido, um tipo de punição. Porém, cabe aos consumidores vigiar e atentar-se a tais prazos e, quando perceber, denunciar para que as devidas providências sejam tomadas. Penalidades - Segundo informações da ANS, as operadoras de planos de saúde que não cumprem os prazos definidos estão sujeitas a multas de R$ 80 mil ou de R$ 100 mil, em casos de demora no atendimento de urgência e emergência. Nos casos de o descumprimento ter acontecido mais de uma vez, as operadoras podem sofrer medidas administrativas, como a suspensão da comercialização de parte ou da totalidade dos seus planos de saúde e a decretação do regime especial de direção técnica, existindo, inclusive, a possibilidade de afastamento de seus dirigentes. Levantamento não oficial aponta que Mairiporã tem entre 13 mil e 16 mil famílias que contrataram planos de saúde, a maioria com operadoras da vizinha cidade de Atibaia.

Torneio Sub-15 de futebol em Terra Preta terá final no dia 30 Divulgação

Da Redação

ORGANIZADO pela Secretaria Municipal de Esportes, o torneio de futebol Sub-15, disputado em Terra Preta, terá a decisão no próximo dia 30, em partida que reunirá A.A. Pereira x Paulista, jogo programado para às 11 horas, no campo José Ivan de Oliveira. Antes, às 9h15, na disputa pelo terceiro lugar, jogam Sol Nascente x São Francisco. Segundo o vereador Edio de Oliveira Souza, que é um incentivador do esporte no distrito, o torneio foi um sucesso e revelou jovens talentos, como os artilheiros Luiz Paulo e Jonathan (Sol Nascente), Marcelo Diniz (Paulista), Gustavo Vitor (Bela Vista), Hugo (Flor de Caju), Paulo Henrique (AA Pereira) e Gabriel (São Francisco), além dos goleiros Yuri (Paulista) e Marcos (AA Pereira). Juventude de Terra Preta aproveita oportunidade para a prática de esportes

atinja os 95% propostos pelo Ministério da Saúde. Num único dia foram imunizadas 406 crianças com mais de 6 meses e menos de um ano de idade (69,64%), outras 682 com um ano (58,49%), mais 1.166 com dois anos (74,32%), um total de 710 de três anos (68,27%) e 814 na faixa de quatro anos (71,72%). A doença é causada pelo poliovírus selvagem, e caracterizada por febre, mal-estar, cefaléia e pode causar paralisia. Desde 1988, o Estado de São Paulo não registra casos de paralisia infantil, porém a vacinação é fundamental, já que o vírus da doença ainda circula na África e Ásia. A vacina não tem efeitos colaterais.

Previsão de alta do comércio é reduzida em 2013 Da Redação

O RITMO de consumo das famílias brasileiras seguirá pressionado pela inflação, inadimplência e menor crescimento da renda na segunda metade do ano. A Confederação Nacional do Comércio (CNC) reviu de 4,5% para 4,3% sua estimativa de crescimento do comércio este ano, após avanço de 8,4% em 2012. É a terceira vez no ano que a Confederação

revisa para baixo a projeção, que começou em 6,5%. Na terça-feira, 18, a CNC divulgou uma melhora da Intenção do Consumo das Famílias (ICF) na passagem de maio para junho (+1,9%), após três meses consecutivos de recuos na margem. Esse ‘suspiro’ foi ancorado na fraca base de comparação com os meses anteriores, mas também em uma leve desaceleração da inflação dos alimentos.

Idosos pleiteiam Viagra com desconto na Farmácia Popular Da Redação

REIVINDICAÇÃO de entidades que representam idosos em todo o Brasil pede que anti-inflamatórios, antibióticos, analgésicos e até o Viagra - utilizado para combater a disfunção erétil

- sejam incluídos na Cesta Básica de Medicamentos disponibilizada pela Farmácia Popular. Atualmente, a lista oferece 112 itens com desconto de até 90%. Caso a medida seja aprovada, o número poderá chegar a 150. Correio Imagem

Governo lançará notas de R$ 2 e de R$ 5 no segundo semestre Da Redação

As cédulas de R$ 2 e R$ 5 da nova família do Real serão lançadas no segundo semestre de 2013, informou na segunda-feira (3) o chefe-adjunto do Departamento do Meio Circulante do Banco Central, Luiz Ernani Marques Acciolly. As

cédulas da segunda família representam hoje 55% do meio circulante, que somam cerca de R$ 165 bilhões. Desde 2010, já foram lançadas as cédulas de R$ 100, R$ 50, R$ 20 e R$ 10 da nova família, que conta com novos elementos de segurança e tamanhos diferenciados para cada valor. Correio Imagem

Consumidor gasta mais com cigarro do que com arroz e feijão Da Redação OS GASTOS da população com cigarros têm se mantido nos últimos anos e o peso dessas despesas no orçamento mensal dos consumidores “é relevante”, disse o economista do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas

(FGV), André Braz. No Dia Mundial sem Tabaco, comemorado na sexta-feira, 31 de maio, o economista comentou que os consumidores gastam com o cigarro o dobro do que usam para comprar arroz e feijão: 1,20% da renda média é gasta com cigarro e com arroz e feijão a metade disso, só 0,60%.


4

www.correiojuquery.com.br

Mairiporã • Sexta-feira 21 de junho de 2013

OPINIÃO

contato@correiojuquery.com.br

COLUNA DO CORREIO NAQUELE TEMPO...

A população de Mairiporã parece fadada ao descaso quando o assunto é trânsito. Seis meses de governo Pampuri e parece que estamos ainda sob a égide do ex-burgomestre Aiacyda. Todos os problemas inerentes à área continuam, alguns até mais graves. As multas, pelos mais diversos motivos, seguem em ritmo industrial e ninguém, absolutamente ninguém faz nada. Nem aqueles a quem cabe fiscalizar. No sábado, 15, por ocasião de uma festa junina no Colégio Objetivo, carros foram multados sob a alegação de que estavam estacionados de forma indevida. Mentira! Todos os dias o estacionamento naquela rua, por sinal sem saída, ocorre da mesma forma, sem qualquer tipo de intervenção. Ademais, é de se perguntar: o que o Departamento de Trânsito estava fazendo naquele local, num sábado à tarde? Mas esse caso em particular foi ainda pior: diante da intervenção de uma pessoa importante, influente, as multas ficaram restritas a dois ou três automóveis. Ou o prefeito Márcio Pampuri toma nas mãos as rédeas do departamento ou tudo o que faz de bom de dia, será estragado à noite. Não é de hoje que esse Departamento é se mostra incompetente, com gente que não é do ramo. É preciso dar um basta nessa indústria da multa e cobrar projetos que possibilitem a mobilidade urbana que há muito tempo deixou de existir. Por enquanto, prefeito Pampuri, essa área da sua administração continua ruim como nos tempos do ex-burgomestre. E se nada for feito, ficará ainda pior. O que se comenta por toda a cidade é que o Departamento de Trânsito, na atual gestão, multa onde não deve, e não multa onde deve. Cômico, se não fosse trágico!

NAQUELE TEMPO (II)

Além de interromper a operação de multas por ingerência da pessoa influente, os funcionários do Departamento de Trânsito fizeram vistas grossas a uma viatura da Polícia Militar que em seguida chegou ao local e lá ficou horas a fio, estacionada na área considerada ‘imprópria’ pelo Trânsito. Ou seja, tráfico de influência barra multa e viaturas oficiais também. Traduzindo para o bom português: esse pessoal que multa é valente com uns e ‘cagão’ com gente graúda. A frase desta semana, ao pé desta coluna, deve ser lida com atenção pelo prefeito Pampuri.

REUNIÃO

Durante a última semana o prefeito Márcio Pampuri reuniu todo o secretariado para um balanço sobre os primeiros seis meses de governo. Quem participou disse que as análises foram positivas, porém nada de descuidar das contas. A mesma fonte disse também que o prefeito reafirmou a necessidade de continuar o controle para cumprir o calendário das projeções feitas quanto a investimentos e arrecadação.

PRESSÃO

A prefeitada de todo o Brasil está fazendo a maior pressão sobre os deputados para que a PEC 37 seja aprovada, ratificando que investigação criminal é atribuição da polícia. Os prefeitos reclamam que o Ministério Público tenta até substituí-los na gestão, impondo ou vetando iniciativas das Prefeituras, sob ameaça de promover investigações. Pressionados ou não, os deputados adiaram para o segundo semestre qualquer decisão sobre o assunto.

A

classe política brasileira, em todos os seus níveis, ainda não assimilou as razões das sucessivas manifestações por todo o país, pois elas têm um diferencial daqueles tradicionais protestos do passado, em que os partidos estavam engajados, em sua maioria de esquerda. O novo modelo que está nas ruas é complexo, em especial pela multiplicidade de manifestações e com um recado claro: a sociedade não quer mais as práticas políticas adotadas, como por exemplo a construção de estádios milionários para a Copa do Mundo, muitos deles localizados, ironia ou não, ao lado de hospitais públicos sem qualquer estrutura para atender a população. Essas manifestações, segundo os especialistas, depois de

EDITORIAL

Recado das ruas um longo período de apatia, não vão parar tão cedo. O estopim de tudo foi o preço das passagens de ônibus, mas outras questões que afetam o dia a dia do brasileiro também fazem parte do cardápio de protestos. Oportunista ou não, a visibilidade internacional por conta da Copa das Confederações foi a alavanca para se revelar a insatisfação com problemas recorrentes, até então restritos ao boca a boca entre os cidadãos e redes sociais. Os políticos devem ter em mente que essa onda de protestos é só uma demonstração do que pode ocorrer durante a

Copa do Mundo, em 2014, pois os investimentos maciços e aditamentos em contratos mais que suspeitos, demonstraram que o governo não está nem aí para setores essenciais como saúde, educação e segurança. A velha máxima de que o povo é pacífico, cordeiro, dá lugar ao descontentamento geral e, mais importante, à percepção de impunidade, corrupção, elevada carga tributária, aumento do gasto público e descrédito nas instituições. O enfrentamento através de bombas, cassetetes e força bruta só contribuem para acirrar

ainda mais os ânimos e aumentar a indignação. Encorajam e aglutinam pessoas que até então estavam no conforto de seus lares e alheias à política. Fica o recado das ruas de que os jovens têm pressa, que as coisas no Brasil vão em sentido contrário e que o crédito farto e desonerações de bens de consumo popular e a enganação das muitas ‘bolsas’ oferecidas pelo governo já não são suficientes para postergar o sofrimento da maioria das famílias. A classe política tem que dar um basta nas dissimulações, na falta de ética, na manipulação de índices e pesquisas, que fizeram um entorpecido povo se levantar, pois a propaganda oficial de que estamos no país das maravilhas é mentirosa. Captar o sentimento da massa é a única saída.

DELFIM NETTO

ESSIO MINOZZI JR.

É o que falta

Redução da tarifa do ônibus

essiominozzijr@terra.com.br

contatodelfimnetto@terra.com.br

Q

uando existem fatores de produção disponíveis e o Produto Interno Bruto não cresce por falta de demanda, os gastos do governo, financiados com o aumento da Dívida do Tesouro, colocam para trabalhar os fatores disponíveis tornados ociosos pela falta de demanda do setor privado. A demanda do governo supre a deficiência da demanda privada e eleva o nível de renda até a utilização da capacidade produtiva. Acontece que, hoje, não existem recursos físicos disponíveis nas proporções adequadas para aumentar o Produto Interno Bruto.  Como sempre em economia, tudo é questão de observar as “circunstâncias” e como estão as “expectativas”. Nas atuais circunstâncias, a insistência no aumento da Dívida Pública Bruta poderá nos levar à situação indesejável de aumentar a relação Dívida/PIB e pressionar os juros, o que significa aumentar o custo da própria Dívida. Desprezando a importância do equilíbrio fiscal para ajudar no controle da taxa de inflação, alguns economistas ainda insistem em defender o financiamento de despesas públicas com empréstimos do Tesouro. Só que ao aumentar a relação Dívida/PIB, o empréstimo pressiona a taxa de juros real e valoriza o câmbio. A demanda do setor público apenas substitui a demanda do setor privado em consumo e investimentos, provavelmente mais adequados ao bem estar da coletividade. Como a taxa de juros

e o câmbio real não se ajustam instantaneamente, o excesso de demanda pública se dissipa em maior inflação e maior déficit em conta corrente. Não é por outro motivo que a Teoria Fiscal do Nível de Preços obriga a uma integração entre a política fiscal e a política monetária e sugere que a política fiscal é tão (ou mais!) importante do que a política monetária na determinação do nível geral de preços. Quem tiver interesse deve consultar um trabalho didático do Nobel de Economia de 2011, professor Christopher A. Sims, na American Economic Review (“Paper Money”, 103(2)2013: 563-584). Manifestei recentemente a certeza que a presidente Dilma tem as condições de credibilidade para antecipar os objetivos de um ajuste fiscal que afaste a necessidade de usarmos a política monetária (a taxa de juros) como instrumento principal para o controle da inflação. Voltar a elevar a taxa de juro real é um caminho ruim porque primeiro valoriza o câmbio e em segundo lugar reduz os investimentos, prejudicando o desenvolvimento da economia. Diante da disposição do Banco Central de cumprir a sua missão (devolver a expectativa inflacionária para 4,5%) e da flutuação do dólar imposta externamente, o compromisso crível com uma política fiscal adequada (caminhando para o objetivo do déficit fiscal zero) é tudo o que falta para antecipar o restabelecimento da confiança no desenvolvimento robusto da economia brasileira.

D

esde a Medida Provisória que isentou doPis e Confins as empresas de ônibus, que a Câmara de Mairiporã solicitou a redução das tarifas. A insatisfação com os serviços de transporte coletivo é antiga. Há tempos os vereadores vêm solicitando providências da Prefeitura junto à empresa. Diversos requerimentos solicitando informações foram aprovados por unanimidade em plenário. A partir do valor das tarifas aumentadas no final de 2012, os questionamentos do Legislativo vão desde a superlotação dos ônibus, dos poucos horários oferecidos até a falta de linhas para atender diversas localidades. Com base nas informações recebidas, na última reunião legislativa a Câmara aprovou uma CEI - Comissão Especial de Inquérito -para investigaro cumprimento desse contrato. Por outro lado, no inicio do ano a Prefeitura abriu um processo interno para analisar essa concessão públicafirmada em 2010, com validade de dez anos. Com isso passou a investigar a fundamentação dos custos que basearam as novas tarifas, a possibilidade de ampliação dos atuais horários e a implantação de novas linhas. Na mesma reunião legislativa houve manifestação

Delfim Netto, é professor emérito da FEA-USP, ex-ministro da Fazenda, da Agricultura e Planejamento.

dos moradores reivindicando a redução das tarifas e a melhoria dos serviços prestados pela empresa de ônibus. Como vem ocorrendo em diversas cidades brasileiras, os interessados foram mobilizados a partir dasredes sociais. O movimento expressou toda sua insatisfação. Em contrapartida os vereadores declararam a legitimidade do movimento, a justeza das reivindicações e relataram as medidas que já vinham sendo tomadas pela Câmara. Muitas delas já estampadas em diversas edições do Jornal da Câmara e disponíveis no site. Com o plenário lotado providenciou-se um telão externo possibilitando aos manifestantes assistirem a transmissão da reunião pela TV Câmara. Para garantir maior segurança a todose a mobilidade no entorno do Paço Municipal, a Policia Militar e o Departamento de Transito foram acionados. Com isso a pauta da reunião legislativa foi cumprida e no final os lideres dos manifestantes foram convidados pelos vereadores para juntos buscarem uma solução para o atendimento das reivindicações. Permanece o convite para esse diálogo entre manifestantes e os vereadores visando à solução dessas justas reivindicações.

ESSIO MINOZZI JUNIOR é vereador do PR e professor, pós-graduado em Gestão Educacional UNICAMP em Gestão Publica - FUNDAP, e presidente da Câmara de Mairiporã

INDEPENDÊNCIA

A população de Terra Preta parece ter acordado da letargia que assolou a todos por conta das tentativas frustradas de emancipação. Com a mudança dos rumos sobre a independência de distritos, aprovada pelos deputados federais, o assunto voltou a ganhar as ruas e a possibilidade de se tornar um município ganha corpo.

ONDE ESTÃO?

Por falar em Terra Preta, onde estão os políticos do distrito que não tomaram e não tomam providências contra o fechamento das agências dos Correios e do banco Santander? Inacreditável que um distrito com mais de 20 mil habitantes tenha que se deslocar até Mairiporã para operações bancárias e receber ou enviar correspondência. O governo municipal precisa intervir e devolver essas agências à população de Terra Preta.

DESENCONTRO

É visível nos corredores do Palácio Tibiriçá o esforço que fazem alguns vereadores para seguir no ritmo atual. Há, sim, uma guerra surda, um desencontro de idéias e interesses que não se coadunam. Só não vê quem não quer.

PROTESTOS

A onda de insatisfação que tomou conta de todo o país também chegou a Mairiporã. Manifestantes estiveram na Câmara, na terça-feira, para cobrar providências quanto aos valores cobrados pelo serviço de transporte coletivo e prometem para hoje, no final da tarde, um movimento ainda maior.

FRASE

“Se um homem marcha com um passo diferente do dos seus companheiros, é porque ouve outro tambor.” (Henry Thoreau, poeta e ativista norte-americano)

EMPRESA JORNALÍSTICA SANTOS & FERREIRA LTDA. CNPJ nº 05.785.139/0001-01 Travessa Antonieta C. Spada, 26 CEP 07600-000 – Mairiporã-SP – Telefone: (011) 4419-1842

DIRETOR EXECUTIVO Marcos Roberto Borges

REDAÇÃO Wagner Azevedo Lúcia Helena Juarez César Cláudio Cipriani

DIRETOR DE REDAÇÃO David da Cunha Boal Júnior

EDITOR DE TEXTO Jean César C. Pavão

DIRETOR PRESIDENTE Joyce Franciely dos Santos

As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste jornal

COLABORADORES Marion Halm Delfim Netto Éssio Minozzi Ozório Mendes Daniel Bonora

REDAÇÃO E PUBLICIDADE Travessa Antonieta C. Spada, 26 Centro - Cep: 07600-000 Mairiporã - São Paulo SITE www.correiojuquery.com.br contato@correiojuquery.com.br correio.juquery@g.com.br

O jornal se reserva o direito de não editar publicidade sem fundamentar recusa

CORREIO JUQUERY. COM.BR


Mairiporã • Sexta-feira 21 de junho de 2013

CELso FELICIANO TURISMO E COMUNIDADE V - ENRIQUECENDO A COMUNIDADE

P

elo princípio da bilateralidade, tão decantada em Relações Públicas, enquanto teórica, e tão esquecida na prática, que Baus apelidou de Relações Públicas tipo “você coça minhas costas que eu coço as suas”, cada instituição poderá ampliar os programas particulares, aumentando sua respectiva área de relacionamento, inclusive com os visitantes. Desta forma, o turismo, como comunicação, terá cumprido sua função, pois na formulação do juízo, ao confrontar o que viu com o que lhe foi mostrado, o turista concluirá por um conceito mais justo, superior a qualquer imagem frágil, incapaz de resistir à mínima análise e a lembrança das pessoas e dos lugares perdurará e se fixará positivamente. Como indústria, o turismo será  reconhecido como um membro da comunidade, pois cumprindo suas finalidades, ensejará o enriquecimento social que beneficiará a todos. Esta a mensagem que poderíamos trazer aos senhores profissionais de turismo: O Profissional de Relações Públicas, pela ética profissional deve participar da vida comunitária, assumindo responsabilidades construtivas, cívicas e sociais. Por outro lado, por responsabilidade profissional, ele deve empenhar a sua instituição em todos os empreendimentos de caráter público. Sendo a organização do turismo do máximo interesse da comunidade, deve contar com a maior participação possível de todas as instituições locais que devem estar integradas ao projeto. E esta integração se fará por meio dos Profissionais de Relações Públicas. EM RESUMO - A comunidade é uma forma estável de associação da qual os membros participam por aquilo que são. O turismo  é  um setor de

atividades que envolve todas as instituições da localidade. Toda empresa, em qualquer nível (matriz, filial, agência, etc.) deve se prender à comunidade física, onde estiver instalada, e assimilar e incorporar os costumes e as tradições locais. A integração da empresa no meio depende, em grande parte, da aplicação de planos de Relações com a Comunidade. Como parte de Relações com a Comunidade, inclui-se a participação nos projetos do turismo local. Há  várias formas de participação no turismo, não só patrocinando programas, como integrando iniciativas de outras instituições, contribuindo para o “pool” de Recursos Materiais, e empenhando todos os meios disponíveis de comunicação. Os veículos de aproximação de uma empresa devem ser aproveitados nos projetos turísticos da comunidade. Os projetos devem ser integrados de forma a possibilitar recreio aos que viajam a negócios e, igualmente, sugerir negócios aqueles que viajam a passeio. O Profissional de Relações Públicas, dentro de suas atividades específicas, deve colocar os recursos de sua empresa à disposição dos Profissionais de Turismo. “É tranqüilizador imaginar que todos possam se reunir, promover melhores entendimentos e eliminar as divergTências, simplesmente porque alguém descobriu Natividade da Serra, a bica d’água e... naturalmente, o Joaquim”. NOTA DO AUTOR:  O texto desta série de artigos que se encerra nesta edição compõe a Conferência TURISMO E COMUNIDADE apresentada em 4 de maio de 1975 no I Congresso Nacional de Turismo realizado na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Obrigado.

(*) CELso FELICIANO, Oficial pela Escola de Oficiais do antigo CFA da Força Pública (hoje Academia do Barro Branco) e Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP, é Coronel, Professor Universitário e Profissional de Relações Públicas registrado no CONRERP/2ª Região sob nº 146. Foi Secretário de Desenvolvimento Sustentável do Governo Municipal de Mairiporã e Comandante Geral da Polícia Militar de São Paulo.

www.correiojuquery.com.br

5

Previsão de alta do comércio é reduzida em 2013 Da Redação

A INFLAÇÃO vai seguir pressionando o ritmo de consumo da população, aliada á inadimplência e ao menor crescimento da renda previsto para o segundo semestre. De acordo com a Confederação Nacional do Comércio (CNC), houve revisão na estimativa de crescimento do comércio em 2013, passando de 4,5% para 4,3%. No ano passado, o avanço foi de 8,4%. Só este ano a Con-

federação revisou pela terceira vez, para baixo, a projeção, que começou em 6,5%. A expectativa do mercado é que possa haver uma melhora a partir de julho, mas o ritmo de consumo será bem mais fraco que o do ano passado. Ainda de acordo com a CNC, ocorreu uma melhora da Intenção do Consumo das Famílias (ICF) na passagem de maio para junho, de +1,9%, após um trimestre de consecutivos recuos na margem.

Idosos querem mais 40 remédios com desconto na Farmácia Popular Da Redação

ENTIDADES que representam os idosos em todo o Brasil reivindicaram esta semana a inclusão de mais de 40 remédios na Cesta Básica de Medicamentos disponibilizada pela Farmácia Popular, dentre eles anti-inflamatórios, antibióticos, analgésicos e, surpresa, também o Viagra, que é utilizado no com-

bate à disfunção erétil. A lista atual oferece 112 medicamentos com descontos de até 90% e, se o novo pedido for aprovado, poderá chegar a 150. Para o diretor da Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas do Brasil, Luiz Adalberto da Silva, a proposta com a inclusão do Viagra devolverá um pouco de dignidade aos idosos.

Vende-se

Ford Fiesta sedan, 1.6 flex, 4 portas, prata, quilometragem de 48.000, modelo 2010/2011, único dono, ótimo estado de conservação. Opcionais: som Pionner, roda de liga leve, trio elétrico, alarme anti-furto e insufilme. Valor: R$ 27 mil. Fiat Palio Ex1.0, prata, quilometragem original 68.000, pneus novos, IPVA e seguro obrigatório 2013 quitados, gasolina, ano 1999/1999, única dona, ótimo estado de conservação. Opcionais: som Pionner. Valor: R$ 10 mil.

Tratar com Renato, 4419-3197 – 99908-1868.

A P O S E N TA D O R I A S Telefax (11)

4412-9993 • Mairiporã e Região

Auxílio-doença, Contagens, Inscrição, Cálculos, Recursos, Pensão,

Dra. Ablaine Tarsetano dos Anjos Advogada - OAB-SP 127.677

AçÕes trabalhistas Dra. Márcia Cristina Jardim Ramos Advogada - OAB-SP 130.328

Ações Civeis e Família Dra. Juliana Fagundes Garcez Advogada - OAB-SP 208.886

Dra. maria luíza alves abrhão - OAB-SP 270.635 ações tributárias - imposto de renda

(isenções, restituições e repetição de indébito)

Av. 9 de Julho, 322 - Sala 22 - centro - Edif. S. José - Atibaia - SP - CEP 12940-580

OBITUÁRIO 16/6- Uriel Fernandes Pinto, aos 72 anos, separado judicialmente, não deixa filhos. Sepultado no Cemitério da Saudade. 15/6- Alzira Marques da Silva, aos 77 anos, viúva, deixa os filhos Jorge e Luís. Sepultada no Cemitério da Saudade. 15/6- Jorge da Silva Simões, aos 59 anos, casado com Elizabete Genoveva da Silva Simões, deixa os filhos Elisângela e Elizete. Sepultado no Cemitério Terra Preta. 15/6- Gentil Pereira da Silva, aos 71 anos, viúvo, deixa os filhos Nivaldo, Valéria, Emerson, Gentil e Gleice. Sepultado no Cemitério da Saudade. 15/6- Silvana de Almeida Franco, aos 69 anos, solteira, deixa a filha Alaíde. Sepultada no Cemitério da Saudade. 14/6 - Francisco Canindé de Almeida, aos 59 anos, solteiro. Sepultado no Cemitério da Saudade. 12/6- Donato Batista de Andrade, aos 69 anos, solteiro, deixa os filhos Reginaldo, Edinaldo, Vera, Ronaldo, Tamires, Taís e Gláucia. Sepultado no Cemitério Terra Preta. 12/6- Hélio Riyoiti Harada, aos 58 anos, casado com Oraide Álvares Harada, deixa os filhos Hélio, Artur e Iudi. Sepultado no Cemitério da Saudade.

Vende-se

Mesa com 6 cadeiras e 4 banquinhos, em madeira. Ótima oportunidade. Contato pelos telefones 4419-7266 e 97521-1532.


6

www.correiojuquery.com.br

Mairiporã • Sexta-feira 21 de junho de 2013


Mairiporã • Sexta-feira 21 de junho de 2013

www.correiojuquery.com.br

POLÍTICA Ricardo Honorio

Criação de novos municípios amplia distorção Juarez César Da Reportagem

Plenário do Legislativo foi tomado por estudantes e segmentos da sociedade

Manifestantes protestam na Câmara e prometem

novo ato para hoje Juarez César Da Reportagem UM GRUPO de mais de 80 pessoas compareceu na sessão legislativa de terça-feira, 18, para protestar contra o transporte público e outros serviços afetos ao poder público municipal. Eles foram até o Palácio Tibiriçá de maneira pacífica e levaram faixas e cartazes com palavras

de ordem e reivindicações que julgam pertinentes. Estudantes também estavam entre os manifestantes. Vaias, gritos e aplausos se sucederam e o presidente da Câmara, Essio Minozzi Júnior, pediu para que o movimento escolhesse uma comissão para dialogar com os vereadores ao final da sessão. Hoje - No final da tarde de hoje,

segundo as redes sociais, está previsto uma manifestação bem maior, que deverá percorrer as principais ruas do centro. Segundo os organizadores, é esperada a presença de mais de mil pessoas, que vão cobrar das autoridades melhorias em vários setores da administração pública, com ênfase para o transporte coletivo, a segurança e a saúde. Humberto Do Lago Müller

7

TERRA PRETA, distrito de Mairiporã, poderá ser um dos novos municípios que serão criados depois que a Câmara dos Deputados regulamentou o processo de emancipação, que agora caberá às assembléias legislativas. No distrito, o assunto é tema recorrente e a maioria, que em outras oportunidades participou ativamente, promete arregaçar as mangas em busca da independência. A possível criação de novas cidade no país, no entanto, terá como efeito colateral uma maior distorção na distribuição de verbas federais para as prefeituras. Com mais cidades, as atuais perderão peso no rateio dos recursos e sustentarão indiretamente a montagem de novas máquinas administrativas. As regras do Fundo de Participação de Municípios (FPM), principal canal de repasses federais para as prefeituras, incentivam indiretamente o separatismo. Quando uma cidade se divide, as duas resultantes sempre recebem, somadas, mais recursos do fundo do que a prefeitura original. A vantagem financeira será maior nas cidades com população escassa. Uma área com 15 mil habitantes e que hoje comporta uma única prefeitura

poderá até dobrar o recebimento de repasses federais ao se dividir em duas. A última onda separatista ocorreu após a promulgação da Constituição de 1988. Em dez anos, mais de mil cidades se desmembraram e passaram a ter direito a uma cota na distribuição do FPM, formado por parte da arrecadação de tributos federais como o Imposto de Renda e o Imposto sobre Produtos Industrializados. Prejudicados - A proliferação de prefeituras não trouxe danos às contas da União, já que a composição do FPM continuou a mesma. Mas a distribuição dos recursos mudou de forma radical, provocando perdas para as prefeituras maiores no interior. Mais da metade dos municípios criados na década encerrada em 1990 tinha até 5 mil moradores. São esses micro-municípios os principais destinatários de recursos da União - e a maioria é altamente dependente desses repasses. Estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostram que essas pequenas cidades se “acomodam” com as transferências federais e não buscam arrecadar os impostos locais a que teriam direito. Quanto menor a prefeitura, maior a ineficiência arrecadatória. A receita tributária própria, de impostos municipais como IPTU,

ISS e ITBI, chega a no máximo a 3,5% da arrecadação total nas cidades de até 5 mil habitantes, segundo estudo da Associação Transparência Municipal. Critérios - A multiplicação de micro-municípios distorceu tanto a distribuição do FPM que o valor per capita que chegou às cidades de até 2 mil habitantes em 2011 foi, em média, 133 vezes maior do que o repassado para capitais com mais de 5 milhões de moradores. Cada morador de Borá, cidade de 806 habitantes no interior de São Paulo, recebeu R$ 6,9 mil de repasses federais em 2011. Na capital paulista, a média per capita foi de R$ 17. Para reduzir o ímpeto separatista, o Congresso aprovou, em 1996, uma emenda constitucional que ampliou as exigências para os desmembramentos. É essa emenda que o Congresso está regulamentando agora. As regras aprovadas pela Câmara, e que ainda precisam passar por votação no Senado, estabelecem que, em caso de plebiscito, a consulta tem de envolver toda a população do município, e não apenas a da área que pretende se separar. Também há a exigência de uma quantidade mínima de moradores nas futuras cidades, que vai de 6.008 nas regiões Norte e Centro-Oeste a 12.016 no Sudeste.

Assistência Contábil, Fiscal e Departamento Pessoal Abertura e Encerramento de Empresas

4419-3295 - 4419-7188 - 4419-7171

www.tanenocontabilidade.com.br R. Olavo Bilac, 165-B - Centro - Mairiporã

Maioria dos manifestantes que esteve na Câmara era formada por jovens estudantes

Valdeci América pede verba de R$ 400 mil para obras de infra-estrutura Da Redação

NA TARDE de anteontem o vereador Valdeci América foi recebido pelo deputado Alex Manente, na Assembléia Legislativa, e durante o encontro fez uma série de reivindicações ao parlamentar, cujos recursos deverão ser empregados em obras de infra-estrutura, como pavimentação asfáltica. O vereador entregou ofício em que pede a liberação

Correio Imagem

de R$ 400 mil, de emendas parlamentares, e ouviu do deputado que a solicitação é pertinente e que vai atuar no sentido de conseguir esses recursos o mais breve possível. Iluminação – Na terça-feira, durante os trabalhos legislativos, Valdeci América agradeceu ao prefeito a colocação de novas luminárias na Rua da Feira (Espaço Viário Mario C ovas), pois o local estava às escuras há um bom tempo.

Ampliação de horário de visita no Hospital e Maternidade Mairiporã Da Redação

EM ATENÇÃO a muitos pedidos da população, o vereador Marcos do Táxi apresentou indicação durante os trabalhos legislativos de terça-feira, 18, em que solicita à direção do Hospital e Maternidade Mairiporã, a criação

de um segundo horário de visita aos pacientes. Segundo o vereador, hoje existe apenas uma possibilidade, das 14h30 às 15 horas, o que inviabiliza a visita, em virtude de ser um período em que a maioria das pessoas trabalha. Marcos sugeriu que um segundo horário, entre

19h30 re 20h, atenderia melhor a população. Em outra indicação, o vereador pediu que o prefeito estude a possibilidade de pavimentar com asfalto a rua Carlos Sanches Gonzalez, no bairro Rio Acima, e encaminhou abaixo-assinado dos moradores. Correio Imagem

Marcos do Táxi quer mais um horário de visíta no Hospital e Maternidade Mairiporã


8

www.correiojuquery.com.br

Mairiporã • Sexta-feira 21 de junho de 2013


473