Page 1

PUBLICIDADE

SEMANÁRIO

FUNDADO EM 05 DE OUTUBRO DE 1922 DIRETOR ANTÓNIO MAGALHÃES SUB DIRETOR EDUARDO COSTA Nº 4482 - 20 DE NOVEMBRO DE 2012 PREÇO 0,50 € (IVA INCLUÍDO) www.correiodeazemeis.pt Taxa Paga | Devesas - 4400 V. N. Gaia | Autorizado a circular em invólucro de plástico fechado | Autorização n.º 5804/2002 DCP-2

90

Distinguido pelo Governo com Diploma de Louvor de Mérito Jornalístico e Empresarial da Comunicação Social Regional e Local

> NESTA EDIÇÃO:

> CANIL INTERMUNICIPAL A ‘REBENTAR PELAS COSTURAS’... ADOTE!

Muitos animais ‘nossos amigos’ precisam do carinho de todos Páginas 04 e 05

ENTRE 03 E 09 DE DEZEMBRO

Azeméis prepara-se para receber o Mundial de Futsal

> AINDA A REFORMA ADMINISTRATIVA DO TERRITÓRIO

As reações à proposta da UTRAT Páginas 06, 07 e 08 > UNIDADES DE SAÚDE

Horários alterados em Ossela, Loureiro e Pinheiro Página 13 > CASAL LEVA CERCA DE 15 MIL EUROS EM OURO

Ourivesaria no centro da cidade foi assaltada Página 14

‘Bolsa de €mprego’

Página 15

O Correio de Azeméis publica, novamente, ofertas de emprego, em colaboração com IEFP. Consulte na página 23 PUBLICIDADE


02

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

ABERTURA

POESIA

Tu o quiseste ser Pronuncio três letras lentamente Milhares de palavras as contêm Só uma tenho permanentemente A única e para sempre minha Mãe Nunca te tive como criada... Mas por amor tu o quiseste ser De tanto amar é que tu és amada Mãe tudo faço para te merecer Orgulhas-te de sofrer pelo que amas São teus os sentimentos de pureza Tantas lágrimas que tu não derramas Para afogar a minha tristeza Amo a ternura de teu coração A beleza de teus lábios a sorrir A grandeza da tua aproximação A felicidade que tens de eu existir Não és o sol, mas eu sinto o teu calor Meu conforto é de ti que ele vem Cada dia tens sempre mais valor No coração permaneces minha Mãe

POSTAL DA SEMANA

Verdades

EDUARDO OLIVEIRA COSTA

“Os pobres desgraçados vão presos por roubarem alguns euros; e os que roubam milhões nunca são presos!” A este desabafo na taberna, um dos presentes rematou: “Não é bem assim; olha o Vale e Azevedo, o Duarte Lima, aquele do BPN e outros!” “São poucos, comparados com os pobres que vão dentro por roubarem uns euros!” Fui chamado a dar a opinião: “O que me assusta é poder chegar a casa e ter sido ‘visitada’! Ou ir na rua agora, para casa, e ser assaltado! Ou ter amanhã os vidros do meu carro partidos para roubarem alguma coisa sem valor que poderá estar à vista!” Aproveitei para lembrar que o que nos dá um sentimento de insegurança, que nos pode trazer em permanente sobressalto, são os pequenos crimes e, sobretudo, a quantidade dos mesmos! Não nos traz em sobressalto, quando andamos nas ruas, saber que

pode haver alguém que está a tratar dum roubo de milhões. Como os presentes não contestaram o meu argumento, acrescentei: “Há uma outra coisa: a percentagem de pessoas que roubam milhões e vão ‘dentro’ é se calhar maior que a percentagem de pequenos meliantes. Isto é, o volume de pequenos crimes é imenso se comparado com os crimes de ‘colarinho branco’ ”. Naturalmente, também, os ‘pequenos’ ladrões são em número largamente maior. “Se há, por exemplo, cem pequenos crimes num dia, haverá 1 crime de milhões…”. Os presentes pareciam concordar e fiquei com a ideia de que há muito a fazer para esclarecer os cidadãos, mostrando outras formas de ver as coisas, que os deixem mais tranquilos e menos revoltados com o que veem à sua volta!

ÁLVARO OLIVEIRA COSTA SILVA

ESTANTE

Um Beijo Ardente Catherine Anderson, ANDERSON, CATHERINE Quando Samantha Harrigan decide ir assistir ao Rodeo da sua terra natal, não está à espera de acabar na prisão. Mas é precisamente o que acontece quando tenta impedir um bêbado de maltratar o seu cavalo. Pelo menos não está sozinha. Tucker Coulter, um bonito veterinário da terra, sai em sua defesa – e também ele acaba preso. As queixas são retiradas, mas os verdadeiros problemas de Sam ainda estão para vir. Os seus cavalos de competição começam a aparecer doentes e a causa da sua doença está relacionada com ingestão de veneno. Como Sam é a principal beneficiária do seguro, torna-se a principal suspeita. Tucker não acredita que Sam seja culpada e oferece-se para a ajudar a provar a sua inocência. Sam, no entanto, sente-se pouco à vontade para aceitar esta ajuda – e pouco à vontade com os sentimentos que este homem lhe desperta.

A Linha do Vale do Vouga completa 104 anos na próxima sextafeira. Uma longa vida em que se entrelaçam períodos de apogeu, levando o progresso a toda uma vasta região, onde se inclui o nosso concelho, cujo desenvolvimento muito lhe deve; também épocas de um progressivo apagamento face à inexistência de estratégia perante o acelerado avanço dos veículos a motor e o crescimento do parque rodoviário; finalmente tempos de abandono e de indecisão quanto ao futuro de uma via, cujo primeiro troço, desde Espinho à nossa provinciana vila, o jovem monarca D. Manuel inaugurou festivamente em 23 de Novembro de 1908, sendo aclamado em delírio ao longo do percurso.


ABERTURA

EDITORIAL

SEMÁFORO

DESENHO DE PORTUGAL SEM CONSENSO

Dia Universal da Criança

Parar para reflectir? A Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território acaba de tornar público o desenho de Portugal, nova fase de um processo assinalado por generalizada controvérsia. Um percurso talvez inquinado logo à nascença com o abandono dos propósitos de redução de concelhos, que a pronta e enérgica reacção da associação que os representa terá aconselhado…. A última reforma administrativa data dos meados do sec. XIX. Mas exactamente ao contrário do que agora pretende fazer-se, Mouzinho da Silveira não tocou nas freguesias, reduzindo os concelhos de 817 para 351, extinguindo 466 “micro-concelhos”, na linguagem de um historiador contemporâneo. Entre eles o da Bemposta e os vizinhos de Fermedo, Couto de Esteves, Cortegaça e Esgueira; o concelho de Couto de Cucujães fora já suprimido em 1836. (Nada mais se fez desde então: o Doutor Oliveira Salazar, que governou o país de forma autocrática durante 36 anos - 1932 a 1968 - não mexeu nesta matéria, certamente convicto da resistência de uma população a quem não faltavam problemas). Mas há também uma outra diferença. Mouzinho não se limitou a abolir concelhos, promovendo uma decisiva reforma do Estado. Três diplomas de um só dia determinaram a reforma administrativa, financeira e judicial. Ora em Portugal não se assiste ainda a uma efectiva restruturação, assentando a necessidade da redução de freguesias em não demonstradas razões de economia. Relativamente ao nosso concelho, onde não foi possível o consenso e é visível o desagrado das populações, o projecto não toca nas freguesias de Cesar, Fajões, Macieira de Sarnes, Cucujães, São Roque, Carregosa, São Martinho, Ossela e Loureiro. Unem-se Nogueira e Pindelo; juntam-se Palmaz, Pinheiro e Travanca; Santiago, Ul, Macinhata e Madail constituirão, com a cidade, uma só freguesia. Não se entendem muito bem os critérios seguidos, talvez ainda não devidamente explicados; de entre as muitas possíveis, apenas uma breve reflexão: mantêm-se intocáveis nove freguesias e extingue-se outra com mais de um milénio, cujo estatuto de vila completará 500 anos em 2014 e durante mais de três séculos foi sede de pujante e vasto concelho da então província da Estremadura. Vozes de todos os quadrantes receiam acrescidas dificuldades nas eleições autárquicas de 2013. E se a Assembleia da República, onde também não há consenso, adiasse a decisão para uma melhor oportunidade, após mais ponderados e criteriosos estudos? Talvez quando os portugueses possam vislumbrar um luzeiro de esperança na emborrascada linha do horizonte.

www.correiodeazemeis.pt geral@correiodeazemeis.pt

Fundador: BENTO LANDUREZA (1922) SEDE: Edifício Rainha, 8º piso Telefs. 256049890 • Fax: 256046263 3720 OLIVEIRA DE AZEMÉIS Horário de 2ª a 6ª • 9.00/18.30H Assinatura anual : (C/IVA 6%) (Entre Douro e Vouga) 20,00 (Resto do País) 22,50 (C/IVA 6%) (Europa) 65,00 (C/IVA 6%) (Resto do Mundo) 97,00 (C/IVA 6%)

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

ANTÓNIO MAGALHÃES

UNICEF é a sigla do Fundo das Nações Para a Infância, um organismo da ONU empenhado em melhorar as condições de vida das crianças de todo o mundo, com especial destaque para os países em via de desenvolvimento. Foi criado em 1946, inicialmente para fundo internacional de auxílio às crianças de uma Europa devastada pela guerra. No princípio dos anos 50, a Assembleia Geral das Nações Unidas, sob pressão dos países pobres, decidiu conservar a sigla, mas alargando o âmbito do organismo de modo a compreender todas as crianças do mundo com dificuldades.

Dia Internacional para Eliminação da Violência contra as Mulheres Mau grado todos os avanços verificados nas últimas décadas, a comunicação social fornecenos, com indesejada e bem lamentável assiduidade, inúmeras situações em que a mulher (ou o homem) continua vítima de graves atos de violência doméstica, não raro com uma brutalidade que conduz à morte. O álcool e o ciúme aparecem à cabeça como causa dos atos de violência. E embora por via de regra se associem as gravíssimas carências de ordem material, por vezes a extrema miséria, verdade também que os atos de violência atingem todas as camadas sociais, também as de desafogo e de elevada posição social.

Grupos radicais em ação Usando dos direitos consagrados pelos regimes verdadeiramente democráticos, organizações sindicais e outras desenvolveram uma greve geral e uma manifestação de protesto. Ao fim do dia, grupos radicais promoveram atos da maior violência. Petardos, pedras da calçada, garrafas, etc., foram lançados sobre os agentes da PSP, montras e mobiliário urbano foram vandalizados. Vozes de vários quadrantes condenaram os atos e louvaram a atuação da PSP, que consideraram ajustada. Estranho que certos órgãos de informação se tenham preocupado mais com hipotéticos excessos, esquecendo-se de denunciar os atos com a exigível veemência.

03

A ‘RESSACA’ DA SEMANA Desde há mais de 20 anos que a guerra não chegava às portas de Telavive. Desde quintafeira, que três mísseis do Hamas romperam o ‘isolamento’ da mais cosmopolita das cidades israelitas, mudando os hábitos dos seus 400 mil habitantes. O conflito no Médio Oriente parece não mais ter fim. Enquanto o Egito tenta mediar um cessar-fogo, Israel continua a mobilizar forças junto à fronteira com a Faixa de Gaza. A destruição de uma casa de dois andares num ataque israelita, em Gaza, resultou na morte de onze civis, segundo fontes médicas, de acordo com as informações nas primeiras horas do dia de ontem. Em Portugal, estamos em contagem decrescente para a aprovação do Orçamento de Estado. Já tudo foi dito (e desdito) e, eventualmente, a maior parte dos portugueses não sabe muito bem o que está em causa. Entre ajustes e desajustes, entre taxas, sobretaxas que antes de serem aprovadas, já estão a levar “cortes”, dizem para ‘baralhar as contas’ - dia 27 do corrente será a data da votação final global. Nós por cá, continuamos às voltas com a reforma da administração do território. A proposta da Unidade Técnica fez alguma ‘mossa’... ou nem por isso. As reações de alguns autarcas são mais ‘inflamadas’ do que outras, bem como das estruturas políticas da ‘nossa praça’. Resta saber se vai ou não avançar a lei 22/2012 ainda antes das eleições Autárquicas e se a ‘reviravolta’ será feita a tempo, com todas as consequências que daí advierem. De ‘ressacar’ também, desta edição, a visita que fizemos ao Canil Intermunicipal da Associação de Municípios Terras de Santa Maria. Com o Natal à porta, nada como uma ‘boa ação’: adotar um animal, quiçá oferecê-lo a uma criança, e só terá mesmo de lhe colocar um ‘lacinho de prenda’, se assim o entender. Para quê comprar um cãozinho - por vezes a preço elevadíssimo -, se todos aqueles ‘habitantes’ do canil precisam de um lar? E no mesmo ano em que o Correio de Azeméis completa 90 anos, também a União Desportiva Oliveirense comemora as mesmas décadas de existência. Disso damos conta, num trabalho mais extenso sobre o clube. 1922 foi efetivamente um grande ano para Oliveira de Azeméis. A caminho do centenário, continuamos vivos, ‘sobrevivendo’ a todas as ‘intempéries’... E, por falar em ‘intempéries’, a nossa equipa associa-se solidariamente a todos os algarvios que, na semana que passou, viram as suas casas, os seus estabelecimentos, as suas viaturas (etc., etc.) desaparecerem sob um amontoado de escombros, bem como a todos quantos sofreram na pele o tornado da semana transata. A REDAÇÃO

Diretor: António Magalhães • Administrador: Eduardo Costa (Cart. Prof. nº 1738) • Chefe de Redação: Ângela Amorim (Cart. Prof. nº 2855) • Redatores: • Gisélia Nunes (Cart. Prof. nº 5385) • Diana Cohen •CORRESPONDENTES: Carregosa: António Amorim: Cesar: Carlos Costa Gomes; Loureiro: Emanuela Gomes ; Macieira de Sarnes: Manuel Lopes; Macinhata da Seixa: António Magalhães; Nogueira do Cravo: Alírio Costa; Ossela: A. Jesus Gomes; S. Martinho da Gândara: Arlindo Gomes e Sérgio Tavares; S. Roque: Eduardo Costa; Santiago de Riba-Ul: Luís Mateus; Ul: Olímpio Costa. Fotógrafo: Alfredo Pinho • COLABORADORES: • Adelino Ramos • António Vidal • António Santos • Batalha Gouveia • Beatriz Costa • Frederico Bastos • Hugo Tavares • João Araújo • Joaquim Silva • Manuel Costa • Manuela Inês • Manuel Alves Paiva • Manuel dos Santos Matos • Maria Emília Costa • Mário Rui • Manuel Laia • Marisa Gonçalves • Paulo Rui • Rodrigo da Cunha (Pe) • Rui Duarte • Samuel Oliveira • Sérgio Costa • Paulo Pinho • Tavares Ribeiro. (Os artigos assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores não vinculando necessariamente a opinião da direção) Os textos do Correio de Azeméis já obedecem às regras do acordo ortográfico, salvo os da responsabilidade de autores ainda não aderentes.

Propriedade: Globinóplia, Unipessoal, Lda NIF: 509 071 341 Ed. Rainha, 8º Piso • Oliveira de Azeméis Telef.: 256 049 890 • Fax 256 046 263 Impressão: CORAZE Oliveira de Azeméis Telf.: 910 252 676 / 910 253 116 / 914 602 969 e-mail: geral@coraze.com Depósito Legal nº 27755/89 Nº ICS 104639 Tiragem média: 6.500 exemplares


04

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

CONCELHO

> CANIL INTERMUNICIPAL ENCONTRASE SOBRELOTADO

> DESDE O INÍCIO DO ANO

Cerca de 445 adoções até ao momento

Nem os animais escapam à crise… A crise está aí em força e, ao que parece, está para durar, não poupando sequer os animais de companhia. São cada vez mais os cães abandonados em Terras de Santa Maria, fazendo com que, neste momento,o Canil Intermunicipal esteja sobrelotado.

Muitos são os animais que esperam um novo lar...

GISÉLIA NUNES

Segundo Fátima Alcarpe, “à sombra da crise”, centenas de canídeos de várias raças têm chegado ao Canil Intermunicipal da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria (CIAMTSM), trazidos não só pelos serviços de captura das câmaras municipais abrangidas pelo CIAMTSM, mas também pelos próprios donos, que, “além das antigas razões como alergias e divórcios”, justificam, agora, este seu ato com “a falta de dinheiro, a crescente taxa de de-

semprego e a emigração”. Resultado: O CIAMTSM encontra-se, hoje, numa situação muito longe de ser a ideal: “Há um desequilíbrio evidente no número de animais que dão entrada e no número de animais que são adotados” (ver breve ao lado), disse à nossa reportagem a assistente técnica do centro de recolha oficial de Arouca, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, São João da Madeira e Vale de Cambra, durante uma visita guiada às instalações, que

contou, também, com a presença de Ândrea Ferreira, chefe da Divisão Municipal de Ambiente e Conservação da Natureza da autarquia oliveirense. “Uma segunda oportunidade” para os ‘amiguinhos de quatro patas’ De acordo com Fátima Alcarpe, com quem falámos, a sobrelotação deste equipamento situado na Serra do Pereiro, na freguesia de Ossela (coordenadas GPS 40.859021 –8.425688),

> SERVIÇO DE RECOLHA CAMARÁRIO INSULTADO E INJURIADO

Autarquia ‘presa por ter cão e presa por não ter’

ço de captura de canídeos, que, em geral, atua às quintas-feiras de manhã, pôs em prática uma “operação especial”, durante vários dias e em horário póslaboral, precisamente, para evitar ferir as suscetibilidades dos mais protetores dos animais. Mas qual não foi o seu espanto ao saber que os ‘seus’ homens tinham sido alvos de insultos, injúrias, ameaças. “Houve até quem os tivesse filmado, imagine”, afirmou o político afeto ao PSD, acrescentando que “fizemos o que nos competia fazer e, no entanto,

> PARA FOMENTAR A ADOÇÃO E TAMBÉM DESINCENTIVAR O ABANDONO

Câmara tem promovido ações de sensibilização

Foto de Arquivo

A situação que se segue é, no entender de Isidro Figueiredo, uma daquelas em que a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis é ‘presa por ter cão e presa por não ter’. Em declarações ao nosso jornal, depois da visita que fizemos ao Canil Intermunicipal da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria (CIAMTSM), o vereador da Divisão Municipal de Ambiente e Conservação da Natureza voltou a lembrar o que não há muito tempo ocorreu na cidade, aquando do desmantelamento de algumas matilhas de cães que geraram pânico junto da população e que, inclusive, chegaram a atacar munícipes – assunto que ele próprio já havia levado a uma reunião de Câmara, tal como divulgámos oportunamente. Ao corrente deste problema, a autarquia, através do seu servi-

é uma “triste realidade”, resultante, em grande parte, da difícil conjuntura económica que está a viver o país e originando a que, neste momento, haja cerca de 250 ‘amiguinhos de quatro patas’ (cachorrinhos e cães adultos) disponíveis para adoção – número que ultrapassa a lotação do CIAMTSM, que tem capacidade para acolher entre 150 a 180 animais. Na ótica desta responsável, o Canil Intermunicipal da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria representa “para muitos destes animais errantes ou entregues pelos donos uma segunda oportunidade de terem um lar”. Aliás, “um dos nossos grandes objetivos é a adoção dos cães cá existentes, por parte da população, dando-lhes uma nova casa e uma nova família”, conforme nos assegurou. De salientar que o CIAMTSM pode ser visitado de segunda a sexta-feira, das 14h30 às 17h00, e aos sábados, das 10h00 às 13h00. Já as adoções são feitas às quartas de tarde (entre as 14h30 e as 16h30) e aos sábados de manhã (entre as 10h00 e as 12h30).

No Canil Intermunicipal da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria (CIAMTSM), desde o início do ano até ao dia em que Fátima Alcarpe nos facultou os dados (13 de novembro), tinham dado entrada 1053 canídeos, dos quais 442 já tinham sido adotados e apenas 20 tinham sido reclamados. Em comparação com o que aconteceu em 2011 (1386 entradas e 456 adoções, no total), a assistente técnica do CIAMTSM conclui que, até ao final do ano, “poderemos ainda atingir ou até mesmo ultrapassar o número de entradas”, visto que este, atualmente, “só não é maior por causa do cancelamento temporário das entradas dos animais errantes vindos das câmaras” municipais. A responsável diz ainda acreditar que as adoções irão “ultrapassar os valores” do ano transato, uma vez que “a taxa de adoções, até ao momento, ronda os 41%”.

não deixámos de ser maltratados”. “Custa-nos ver que foram maltratados, incompreendidos”, lamentou. Isidro Figueiredo alertou para o facto desta ter sido, na sua ótica, a solução mais sensata, quer para os cães, quer para os cidadãos, contrariamente ao que se passou no Norte do país, “onde as matilhas ganharam tal dimensão que foi necessário chamar o Exército para as abater”. “A nossa missão é zelar pelo bem público e, neste caso em concreto, penso que a Câmara teve sucesso”, frisou. Em terras de La Salette, tudo acabou, então, por se resolver da melhor maneira, tendo sido recolhidos, ao longo de duas semanas, mais de 40 animais errantes – número que, note-se, também contribuiu para a sobrelotação atual do CIAMTSM. GISÉLIA NUNES

Tendo em vista a sensibilização para a adoção e a posse responsáveis de animais de companhia, bem como o desincentivo para o seu abandono, a autarquia de Oliveira de Azeméis, através da sua Divisão Municipal de Ambiente e Conservação da Natureza (DMACN), chefiada por Ândrea Ferreira, tem vindo a promover várias ações. Por exemplo, a 03 de março passado, teve lugar no Canil Intermunicipal da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria (CIAMTSM) uma campanha de adoção em que estiveram presentes figuras públicas, bem nossas conhecidas, nomeadamente Ana Paula Reis, ex-apresentadora da RTP; o estilista João Rolo; o fadista Nuno da Câmara Pereira; entre outras. Note-se que, a partir desse dia, o CIAMTSM passou a estar aberto também aos sábados de manhã para adoções. Destaque, de igual modo, para a iniciativa ‘Não me abandones…eu sinto a tua falta e nunca te abandonaria’, dirigida aos jardins de infância (JI) e escolas básicas do 1.º ciclo (EB1). No último ano letivo, a DMACN levou esta atividade a nove estabelecimentos de ensino e, já neste que está em curso, a quatro, podendo os interessados em receber este projeto nos seus JI e EB1 ainda fazerem as inscrições até ao fim do mês de novembro. Por último, a DMACN comemorou o Dia do Animal (04 de outubro), em 2012, juntamente com o CIAMTSM e a Biblioteca Municipal Ferreira de Castro. As comemorações decorreram durante vários dias, incluindo ateliês, adoção de cães, etc..


CONCELHO

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

05

> VISITAS DE SEGUNDA A SEXTAFEIRA E AO SÁBADO; ADOÇÕES À QUARTAFEIRA E AO SÁBADO

Visite o Canil e adote um cão Fátima Alcarpe e Isidro Figueiredo apelam a uma visita ao CIAMTSM e, se possível, à adoção de um dos muitos cães ali existentes. Isto, no sentido de inverter os números de canídeos que dão entrada neste equipamento intermunicipal e os que são adotados.

GISÉLIA NUNES

Tanto a assistente técnica do Canil Intermunicipal da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria (CIAMTSM), como o vereador da Divisão Municipal de Ambiente e Conservação da Natureza da Câmara de Oliveira de Azeméis querem ver o número de canídeos disponíveis para adoção, que, presentemente, se situa na casa dos 250, a diminuir, se possível, para as oito dezenas. “Se pudéssemos ter só 80 seria muito bom”, vis-

to que, “assim, ainda lhes poderíamos dar melhores condições”, afirma o autarca oliveirense, acrescentando que, “se não for possível nem uma coisa nem outra, pelo menos, não abandonem os animais que têm em casa e cuidem bem deles”. É de notar que o CIAMTSM tem capacidade para cerca de 180 cães, encontrando-se, neste momento, a fazer um esforço acrescido para manter o bom funcionamento da infraestrutura. Quem quiser visitar o CIAMTSM pode fazê-lo de

segunda a sexta-feira, das 14h30 às 17h00, e aos sábados, das 10h00 às 13h00. Já as adoções, totalmente gratuitas, podem ser feitas às quartas de tarde (entre as 14h30 e as 16h30) e aos sábados de manhã (entre as 10h00 e as 12h30), período durante o qual está presente um médico veterinário para vacinar e colocar o microchip no(s) cão(es). Os interessados em adotar devem fazer-se acompanhar de Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão, um comprovativo de morada e, claro, muito carinho para

receber o seu novo ‘amiguinho de quatro patas’. Mais informações podem ser obtidas através do número de telefone 256 408 147, email ciamtsm@amtsm. pt, blogue canilintermunicipaldaamtsm.blogspot.com, página do facebook, e/ou no próprio local. Não vire as costas ao que atualmente se passa no CIAMTSM… Dê um novo lar e uma nova família a, pelo menos, um destes cerca de 250 animais, que pode muito bem vir a tornar-se no seu melhor amigo!

> MAS… PENSE MUITO BEM ANTES DE ADOTAR

Trata-se de uma vida e não de um brinquedo! Não é que adotar um animal de companhia para oferecer a alguém como prenda de aniversário ou até de Natal, que está quase aí à porta, seja uma hipótese fora de questão. Mas a adoção tem de ser, acima de tudo, consciente. Isidro Figueiredo é de opinião que, “em tempos de crise, há que ter alguma imaginação”, encarando a oferta de um cão do Canil Intermunicipal da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria como “um presente original e bara-

to”. No entanto, o vereador da Divisão Municipal de Ambiente e Conservação da Natureza da autarquia oliveirense também chama a atenção para o facto de que, antes de o fazer, o adotante deve conhecer bem a pessoa a quem vai oferecer o canídeo, saber se ela tem condições para o acolher e cuidar dele. Mais importante ainda, na ótica deste autarca que até já adotou dois cães, deve ter a certeza que o animal é desejado pelo(s) novo(s) dono(s): “A adoção deve ser uma escolha

consciente e não algo imposto”. Tanto é assim que nunca se deve adotar se algum membro da família estiver em desacordo ou, então, porque é gratuito ou o cachorro é muito fofinho. Lembre-se que um cachorro cresce depressa, necessitando de um espaço para brincar, de um alojamento que o abrigue, de uma alimentação equilibrada, das visitas periódicas ao médico veterinário e de um dono que tenha tempo para ele. Outra coisa a ter em conta: não adote um animal de deter-

Fátima Alcarpe mostrou-nos um dos cachorrinhos que estão totalmente disponíveis para adotar no CIAMTSM

minada raça só porque está na moda. É que a moda passa e um cão pode chegar até aos 14 ou mais anos de idade…

Acima de tudo, tenha bem em mente que estamos perante uma vida e não de um brinquedo!


06

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

concelho

> Autarcas dizem de sua justiça...

Uma reorganização extemporânea Conforme noticiámos a semana passada, o município de Oliveira de Azeméis viu reduzidas as suas 19 freguesias em sete, ficando assim com 12, pela proposta da Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território (UTRAT). Esta sugestão está já na posse da Assembleia da República e apenas as assembleias municipais dos concelhos que se pronunciaram e viram as suas propostas rejeitadas ou alteradas é que têm até 24 deste mês (20 dias após a proposta da UTRAT, que saiu a 05 do corrente) para contraporem, se assim o entenderem. O Correio de Azeméis foi ao encontro dos atuais presidentes das juntas do nosso município que se viram agregadas nas denominadas “Uniões de Freguesias”. Todos se assumem contrários à lei que impôs a fusão; porém, a ser levada a cabo efetivamente, de uma forma geral concordam com a deliberação da Unidade Técnica. Surpreendidos ficaram alguns pelo facto de freguesias do Nordeste do concelho (Cesar, Fajões, Macieira de Sarnes, por exemplo) não terem sido ‘unidas’. Ainda das opiniões recolhidas, é de avançar uma outra conclusão consensual: Esta reforma é extemporânea e precipitada, tendo em conta, nomeadamente, o facto de estarmos a menos de um ano das eleições Autárquicas. Angela Amorim

União de Freguesias de Azeméis, Santiago, Ul, Macinhata e Madail Ramiro Rosa, presidente da Junta de Oliveira de Azeméis “O que deu origem a esta união foi o alargamento do perímetro urbano às fregue­ sias que dele fazem parte”, reconheceu ao Correio de Azeméis Ramiro Rosa, que confirmou que S. Roque possui, também, uma área integrada nesse mesmo perímetro (zona em Bustelo e Lomba), mas não sabe explicar a razão por que essa não foi integrada. Nesta ‘altura do campeonato’ e tendo em conta as circunstâncias em que decorreu todo o processo de agregação, o presidente de Oliveira de Azeméis não vê com grande surpresa esta proposta da UTRAT, tendo apenas ficado admirado pelo facto de algumas freguesias não terem sido igualmente agregadas, noutras áreas do concelho. O autarca encara a situação de “forma pacífica e serenamente” para “ver no que dá” no futuro.

Carlos Silva, presidente de Santiago de Riba-Ul “Desde o primeiro mo­ men­­to que não concorda­ mos com esta reforma no modelo atual”, o que “foi demonstrado de forma unâ­ nime por todos os elementos da nossa Assembleia de Freguesia, principalmente pela pouca informação disponibilizada e, consequentemente, pelas muitas dúvidas que existem, e porque o timing e a ino­ portunidade da sua implementação são desajustados”, Defendendo que “os nossos moradores deveriam ser bem informados, e darem a sua opinião e contributo”, Carlos Silva prossegue: “Sabíamos que a haver uma reforma e fusão, à partida seria ine­ vitável a nossa agregação, porque somos uma freguesia muito urbana e quase uma extensão da própria cidade. Por esta gran­ de proximidade seria difícil mantermonos autónomos, mesmo sendo a quarta maior freguesia do concelho, em termos de população”. O autarca “não invalida” uma eventual reforma, mostrando “abertura” para ela, mas com “um modelo mais claro” e desde que cumpridos dois critérios “fundamen­ tais”: “Sermos agregados numa união de fre­ guesias onde a sede de concelho também estivesse inserida; A haver agregação que a mesma fosse minimamente coerente nas suas mais variadas vertentes, pese em­

bora a especificidade de algumas fregue­ sias, mas que fosse abrangente a todas as freguesias do concelho - factor que consi­ deramos também importante para o de­ senvolvimento do nosso concelho”. Já quanto ao ‘mapa’ desenhado pela UTRAT “não nos satisfaz, porque um processo de reforma administrativa e do território não pode nem deve ser imposto, e porque um dos nossos critérios não está a ser cumprido: o da reforma ser abran­ gente a todas as freguesias. Isto trará, em nosso entender, um crescimento e um desenvolvimento diferenciado pela exis­ tência de freguesias de grande e pequena dimensão. Também, as freguesias que não estão agora a ser ‘obrigadas’ a agregar-se quererão alterar o plano atual, porque ficaram numa posição de conforto e da qual dificilmente quererão sair; isto à par­ tida fará com que, muito provavelmente, se discuta dentro de algum tempo, uma nova reforma desta reforma”. O jovem presidente espera que “haja o bom senso por parte de quem nos governa de estudar e clarificar melhor este assunto, apresentando um modelo mais consensu­ al e de dar tempo às autarquias para defi­ nirem o que pretendem para o seu futuro. A não acontecer, esperamos sinceramente que estas novas ‘mega freguesias’ agora impostas saibam acautelar as políticas de proximidade implementadas em cada fre­ guesia, os serviços que a Junta presta aos seus moradores e aos espaços públicos, e, não menos importante, garantir os postos de trabalho dos atuais colaboradores”. Hugo Pereira, presidente de Ul “À semelhança da maioria das freguesias, Ul preferia manter a sua autonomia e não ser agregada a qual­ quer outra”, começa por dizer-nos Hugo Pereira. Porém, “a ter de fazer-se esta reorganização”, os responsáveis autárquicos (Junta e Assembleia de Freguesia) não se surpreendem que a sua terra passe a unir-se às que integram o perímetro urbano de Oliveira de Azeméis. O autarca faz, no entanto, questão de frisar – em jeito de alerta – que esta proposta “não representa que Ul vá desapa­ recer, que o seu pão e as suas festas dei­ xem de ser originariamente ulenses, etc. etc.”. Para o edil, “temos de nos adequar à nova realidade” se esta ‘vingar’. Uma realidade que considera “fora de tempo e desadequada”, até porque falta pouco

Cerciaz – Centro de Recuperação de Crianças Deficientes e Inadaptação de Oliveira de Azeméis, CRL

para as eleições Autárquicas. Francisco Jacinto, presidente de Macinhata da Seixa “Eu sou contra a agre­ gação propriamente dita. Con­tudo, em termos do ‘mapa’ delineado pela UTRAT, con­­­cordo com a agregação de Macinhata da Seixa a Oliveira de Azeméis, uma vez que faz parte do seu perímetro urbano”, assume Francisco Jacinto. O presidente macinhatense tem a noção que a reorganização do território “não vai resolver problema algum, antes pelo contrário: vai criá-los”. Como pôr o processo todo a funcionar antes das Autárquicas é uma das várias perguntas retóricas deste autarca, que é mais um “contra a extinção das fregue­ sias” e que não percebe como esta reforma pode trazer “mais poupança” para o país e “mais competências às juntas de freguesia”, como anuncia. Américo Carvalho, presidente de Madail Américo Carvalho alinha pelo mesmo diapasão: “Não sou apologista da agregação e, a nível de custos, não vejo como possa ser assim tão vantajosa para Por­ tugal”. Além disso, esta proposta de “técnicos que estão nos gabinetes em Lisboa” e não conhecem o terreno “só vem preju­ dicar os madailenses”, lembra o autarca, defendendo uma política de proximidade entre as juntas de freguesia e a respetiva população. Mais competências para as autarquias locais, com a transferência das verbas correspondentes é o que advoga Américo Carvalho (e quase todos os seus colegas que o Correio de Azeméis contatou). “Conseguimos resolver a mesma coisa, a um preço menor e mais rapidamen­ te, porque conhecemos melhor a nossa terra. Porém, indo a reestruturação avante, “julgo efetivamente que o mais correto é ficarmos em Oliveira de Azeméis”. Para além do critério da “pertença ao perímetro urbano”, os costumes, a cultura, a afinidade e a ligação do povo de Madail a Azeméis é grande e tradicional. “Do mal… o menos!”, exclama.

07 de dezembro de 2012, com a seguinte Ordem de Trabalhos: Ponto único: - Eleição dos Corpos Sociais da Cooperativa para o triénio 2013-2015

Assembleia Geral Eleitoral Convocatória Nos termos da alínea a) do Artigo 29º dos Estatutos da Cooperativa (Artº 19º nº 2 – As listas de candidatos aos Órgãos Sociais da coopCERCIAZ – CENTRO DE RECUPERAÇÃO DE CRIANÇAS DEFI- erativa deverão ser apresentadas por cinco cooperadores) CIENTES E INADAPTADAS DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS, CRL., con- - A votação decorrerá das 20,00 horas às 23,00 horas. Cerciaz, 16 de Novembro de 2012 voco todos os cooperantes para uma Assembleia Geral Ordinária a O Presidente da Assembleia Geral realizar na sua sede social, na Rua Francisco Abreu e Sousa, nº 800 Dr. Jorge Manuel Freitas Oliveira e Silva em Lações de Cima, Oliveira de Azeméis, para as 20,00 horas do dia


concelho

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

União de Freguesias de Pinheiro da Bemposta, Palmaz e Travanca Armindo Nunes, presidente da Junta do Pinheiro da Bemposta “A proposta de Reorganiza­ ção Administrativa do nosso concelho não corresponde ao que esperava. A minha posição sobre esta sempre foi crítica, porque não acredito que dela resulte qualquer benefí­ cio para as populações. Disse-o por mais de uma vez na Assembleia Municipal, por­ que considero que tudo o que foi invocado para a justificar pode ser feito, deve mesmo ser feito, sem necessidade de alterar o atual mapa de freguesias e porque valorizo so­ bretudo a história de séculos, a identidade, a cultura, a tradição, a coesão territorial e humana, a mística, a alma do povo”, começa por dizer-nos Armindo Nunes. E prossegue: “Por isso teria de estar em causa uma refor­ ma profunda, suficientemente abrangente e solidamente justificada, que constituísse uma alteração de paradigma da organiza­ ção autárquica do país, que houvesse um valor mais alto a justificar uma reforma que é sempre traumatizante para as populações e para a sua memória”. Embora não acreditando nos benefícios da Reforma, o autarca sublinha que “a lei existe e por isso temos de refletir e agir com base nesta realidade. Em coerência, sempre pensei e continuo a pensar que, num contexto de reorganização de todo o concelho, se não pudermos ficar como estamos, então a agregação de Palmaz e Travanca é encarada como a solução mais

natural, pela proximidade geográfica, pela facilidade dos acessos e pelos serviços pú­ blicos que já hoje partilhamos”. Todavia, a proposta de reorganização apresentada “sa­ be a pouco, não representa na realidade uma verdadeira reforma, não traz nenhum benefício para as populações; é apenas um pequeno arranjo, que não reforma, antes cumpre, apenas e só, os mínimos impostos por uma lei que me parece iníqua. Faltalhe o tal valor mais alto, a tal profundida­ de, a solidez dos argumentos, que possa justificar uma mudança que é histórica para as populações abrangidas, que as fere nas suas memórias, na sua identidade, na sua alma”, reflete. E, já retoricamente, autoquestiona-se: “O que é que esta reforma, tal como está, acrescenta ao nosso concelho? Em que é que contribui para melhorar a nossa qualidade de vida? Que benefícios traz ao país?”. Miguel Silva, presidente de Palmaz Na opinião de Miguel Silva, “esta lei não é oportuna. A ser implementada deveria sê-lo a partir do próximo mandato”. O autarca assume-se “a favor de uma reforma administrativa do territó­ rio ponderada, sem precipitações e tendo sempre em linha de conta a realidade e a po­ pulação da freguesia”, os seus usos, tradições, vivências, etc., porque, afinal, “as freguesias são todas diferentes umas das outras”. A levar em frente esta reestruturação, o

União de Freguesias de Nogueira do Cravo e Pindelo Manuel Rebelo, presidente da Junta de Nogueira do Cravo O presidente de Nogueira do Cravo pensava que “fi­ cávamos sozinhos”, após a reunião da Assembleia Municipal que se decidiu por nada propor. Contudo, dos encontros tidos anteriormente, em sede da comissão criada para o efeito, já a hipótese de agregação com Pindelo havia sido ventilada, mais em jeito de “acordo verbal”. Até porque “há estru­ turas em comum ou que fazem fronteira entre nós, nomeadamente a zona indus­ trial, o centro de saúde e até a própria via estruturante”, que permite um rápido acesso entre ambas as freguesias. Contra a fusão de um modo geral, em termos de lei – “mas é Lisboa quem man­ da” -, Manuel Rebelo conclui a sua opinião com uma série de dúvidas para as quais não encontra – pelo menos por enquanto – respostas que já deviam ter sido dadas: “Agregamos freguesias, mas já estão definidas as funções e competências dos respetivos autarcas? Qual é, agora, o pas­ so que se segue? Será que o governo vai poupar dinheiro com isto? E os autar­ cas a governar um território maior vão ganhar o mesmo? As competências que, eventualmente, passarão para as ‘uniões’ vão ser acompanhadas da correspondente transferência de verbas?”

José António Santos, presidente da Junta de Pindelo “Não concordo com a Re­ organização Administrativa do Território, porque as fre­ guesias sempre demonstra­ ram saber gerir os seus or­ çamentos, ainda que muito magros; estes nunca contribuíram para o endividamen­ to do Estado e sabem fazer muita obra com poucos recursos”, começa por afirmar José António Santos. “O presidente da de Pinde­ lo, como todos os presidentes das restantes juntas, foi ouvido por membros da Assem­ bleia Municipal, representada pelo PS, PSD, CDS. Todos queriam que as suas freguesias não fossem agregadas, com a exceção de um ou dois presidentes que manifestaram vontade de se agregar”, adianta ainda. Embora “não concorde” e pense mesmo que “isto não irá por diante, tendo em conta muitas vozes críticas sobre esta reorganização, já que não é altura para o fazer, atendendo que estamos a um ano de eleições e nenhuma Junta fez campanha para isto”, caso as coisas se concretizem, o presidente de Pindelo defende que “a me­ lhor solução para Pindelo e Nogueira do Cravo é mesmo este mapa”, pelo facto de “termos algumas coisas em comum, como a zona industrial, o posto médico que serve Pindelo, enquanto o nosso se mantém num impasse sem sabermos se abre ou fecha, e pela proximidade urbana”.

07 > Hermínio Loureiro, presidente da Câmara Municipal

autarca assume que Palmaz “não deve ficar isolada” e o “espaço a agregar coincide de facto com a proposta ventilada pela Unida­ de Técnica”. Aliás, o presidente do executivo palmacense recorda que “esta foi a decisão tomada na Assembleia de Freguesia de Pal­ maz”, quando, em fevereiro último, reuniuse para discutir a matéria. Miguel Silva diz-se “tranquilo. Agora temos de esperar…”. Pedro Ribeiro, presidente de Travanca O presidente de Travanca é “contra a agregação pro­pri­ a­men­te dita” e clarifica-nos que, inicialmente, a intenção de­­fendi­da pelo seu executivo – caso a reforma avançasse – “era que a freguesia viesse a pertencer a Oliveira de Azeméis. Porém, como não nos pronunciá­ mos, temos que aceitar agora a proposta da Unidade Técnica”. De acordo com o entendimento do autarca, Travanca tem mais afinidade com a sede do concelho do que com a “União” a que foi agregada: “Era bem mais benéfico para a freguesia. Os travanquenses fazem mais a sua vida, nomeadamente profissional, em Oliveira de Azeméis, com melhores condi­ ções em termos de transportes… o povo de Travanca vai muito para lá”. No entanto, Pedro Ribeiro não se surpreendeu com a decisão da UTRAT: “Era o ce­ nário mais do que previsto, até pelo facto de já partilharmos a EB 2,3 e a unidade de saúde do Pinheiro da Bemposta”.

“Reforma inoportuna” O presidente da Câmara Municipal foi parco nas palavras, proferidas ao Correio de Azeméis, sobre esta matéria: “É uma proposta té­ cnica que, fundamen­ talmente, aumenta o perímetro urbano da cidade, facto recla­ mado por muitos há muitos anos, cria um núcleo com dimensão no sul do concelho bem como produz um ajustamento a norte. Continuo a conside­ rar inoportuna esta reforma, mas devemos respeitar a legislação em vigor. Constato que a proposta técnica não contraria os pare­ ceres das assembleias de freguesia à exceção da Assembleia de Freguesia de Nogueira do Cravo”.


08

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

concelho

> Proposta da Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território

Reações político-partidárias Comissão Política Concelhia do Partido Social-Democrata O PSD de Oliveira de Azeméis, “pela forma e pela inoportunidade em que é apresentada, manifesta discordância com a proposta apresentada pela Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território [UTRAT]”, embora reconheça que “é necessário e urgente que se proceda a uma reforma alargada do território administrativo português. Um processo que deverá ser enquadrado tecnicamente e devidamente ponderado, acolhendo a multiplicidade de situações e realidades do país”. Assim, esta estrutura política concelhia entende que “não se pode aplicar a mesma medida, da mesma forma, ao Interior e ao Litoral. Aos grandes centros urbanos e aos meios mais rurais. Não se pode tratar por igual o que é diverso”. Este processo, que “deve conferir ganhos de escala a todas as freguesias, também lhes deve conferir mais atribuições e competências, acompanhadas dos respetivos meios financeiros, no respeito pela sua identidade, tradições e história”. A proposta apresentada para o concelho de Oliveira de Azeméis pela UTRAT - como fez para outros municípios que optaram pela não pronúncia – “pretende aplicar os critérios da lei, reduzindo um número significativo de freguesias”, refere a Comissão Política socialdemocrata oliveirense. E complementa, “apesar de conter alguns aspetos que estão em sintonia com os pareceres produzidos por algumas assembleias de freguesia - designadamente no que diz respeito ao alargamento do perímetro urbano da sede do município –, o documento deverá ser objeto de um estudo mais aprofundado”. Neste sentido, “o PSD de Oliveira de Azeméis entende que este processo peca pela extemporaneidade em que é apresentado, carecendo de consistência e, nesse sentido, de ser muito mais trabalhado, numa tarefa, aliás, que deve envolver cidadãos e seus representantes eleitos”. E mais: “Defendemos uma reestruturação do poder local em prol da poupança e da eficácia de serviços, mas gizada de forma sustentada, fundamentada e, acima de tudo, com ponderação. Por isso, a proposta da UTRAT não merece a nossa concordância”.

Comissão Política Concelhia do Partido Socialista Logo após a decisão da UTRAT, a Comissão Política Concelhia (CPC) do PS emitiu um comunicado, no qual dá conta do desenrolar do processo, desde a elaboração do ‘Documento Verde’ da reforma da administração local até esta proposta, apresentada dia 05 pela UTRAT, passando pela criação da comissão em sede de Assembleia Municipal com representantes dos três partidos com assento nesse órgão, o seu presidente e o homólogo da Câmara. “Uma comissão que, após ter reunido em fevereiro com os autarcas do nosso concelho sobre a versão inicial da proposta (entretanto abandonada [‘Livro Verde’]-, não mais voltou a reunir por única e exclusiva responsabilidade de Hermínio Loureiro”. Agora, após a “análise cuidada” ao documento da UTRAT relativamente “à extinção e agregação das freguesias no nosso concelho”, a CPC do PS oliveirense manifesta “a sua preocupação relativamente às propostas apresentadas”, por entender que: “1.Uma reforma desta natureza deveria resultar da vontade expressa das populações e de processos participados e transparentes que permitissem uma melhor gestão do território, sem colocar em causa a proximidade e a prestação de serviços públicos com qualidade; 2.A forte contestação por parte da maioria dos autarcas aos critérios impostos pela lei é uma prova de que estes se traduzem num mero exercício administrativo, cujo único objetivo é a eliminação de freguesias, sem salvaguardar as especificidades de cada autarquia e os reais interesses das populações locais; 3.A proposta para criação de uma mega-freguesia no nosso concelho, resultante da extinção das freguesias de Oliveira de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Macinhata da Seixa, Ul e Madail, com mais de 21 mil habitantes, é incompreensível quando a mesma lei permite que continuem a existir em Portugal dezenas de municípios com menos de 10 mil habitantes; 4.A extinção das freguesias de Pinheiro da Bemposta, Palmaz e Travanca, assim como das freguesias de Nogueira do Cravo e Pindelo, para que se formem duas novas freguesias com cerca de cinco mil habitantes, é incompreensível e de desrespeito para com as suas populações, quando permite que no município continuem a existir freguesias de dois mil habitantes”. Face aos referidos factos e tendo em conta “o respeito que nos merecem os autarcas e as populações das freguesias alvo de uma lei insensata e divisionista”, o PS “vai solicitar aos seus eleitos que requeiram, com caráter de urgência, a realização de Assembleias de Freguesia e que apelem à participação da população no sentido de se pronunciarem sobre a proposta da UTRAT, a qual pretendeu cumprir simplesmente os critérios administrativos impostos pela lei, sem ter em conta as diferentes realidades e, principalmente, sem a preocupação de salvaguardar a equidade e unidade territorial no nosso concelho”.

Comissão Política Concelhia do CDS – PP

A Comissão Política Concelhia (CPC) do CDS-PP fez, ao Correio de Azeméis, uma retrospetiva do processo da Reorganização Autárquica, desde o ‘documento verde’ até à proposta da UTRAT, passando pela lei 22/2012 da Assembleia da República que, no seu ponto 2, do artigo 11º, “estabelece que a iniciativa para a deliberação da Assembleia Municipal (AM) devia partir da Câmara Municipal (CM); o legislador ‘forçou’ ainda mais o papel das câmaras municipais, estabelecendo que mesmo que esta não tivesse a iniciativa de deliberação deveria apresentar à AM um parecer sobre o mesmo assunto”. Assim, a proposta da reorganização administrativa do território do nosso município apresentada pela Unidade Técnica é, no entender do CDS oliveirense “uma consequência da ausência de pronúncia pela Assembleia Municipal”. Ou seja, “o que foi feito de nada vale, ou melhor, é como se não existisse”. Os centristas ‘apontam o dedo’ à Câmara Municipal, “que se absteve de assumir as obrigações previstas na lei”, o que “confirma a tendência deste executivo de se esconder ao ser chamado a pronunciar-se sobre um assunto que assume um caráter importante para o concelho. Este nada ter feito, abre caminho à unidade técnica vir impor a reorganização administrativa no nosso concelho, que seria evitada se a Câmara Municipal exercesse a iniciativa que a lei lhe facultou, como prévia à deliberação da Assembleia Municipal, sendo neste caso a Câmara Municipal responsável pela reforma agora imposta aos oliveirenses”. Referindo-se à criação da comissão local, constituída em sede da Assembleia Municipal, e às reuniões desta em fevereiro, o CDS-PP “tem consciência das vezes que solicitou a marcação de outras para avançar com o estudo da nova lei, entretanto publicada. (…) Visto a não marcação de mais reuniões para esta comissão, tornouse impossível levar esta tarefa até ao fim. Com esta atitude, ficou nas mãos de terceiras pessoas, estranhas à realidade do concelho, a decisão; e se a CM não tivesse deixado cair a comissão criada para o efeito, hoje os oliveirenses teriam uma proposta de reorganização administrativa que iria ao encontro dos seus interesses, de forma esclarecida e no devido tempo”. Foi possível constatar, então, que “existiam vontades comuns e equilibradas, e também algumas dissonâncias, mas no essencial era possível perceber que havia abertura para o diálogo e compreensão nos autarcas das freguesias. Era uma decisão difícil, mas a porta nunca foi fechada a uma discussão saudável e construtiva. É verdade que seria sempre uma decisão impopular para muitos, mas tomar decisões difíceis mesmo que estas tenham implicações eleitoralmente negativas é da responsabilidade dos eleitos”, assume a CPC centrista de Oliveira de Azeméis.


CONCELHO

09

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

> VIII ANIVERSÁRIO DA ESPETACULAR ‘RAPAZINHOS TUNA’ DA ESEFNCVPOA

Baluarte da cultura académica de Oliveira de Azeméis O ponto alto das comemorações aniversariantes dos ‘Rapazinhos Tuna’ decorreu na noite de 31 de outubro, com boa presença de público e uma fantástica atuação no auditório da Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis. TAVARES RIBEIRO

Reunindo no mesmo espetáculo a atual formação e alguns ex-elementos, com os quais se concretizaram percursos fantásticos entre músicas e farras, juntos mostraram-se únicos, poderosos, animados, urgentes... fascinantes no sentir que nem anda longe da busca do sonho da ‘eterna’ jovialidade. Com respeito pela tradição académica, caudaloso manancial de repertório em temas de inegável qualidade, cantaram e tocaram lindamente… que a boa disposição é só uma grande necessidade! Noite de festa e música, que deu lugar a um fabuloso ‘concerto’ de temas

Tavares Ribeiro

Os ‘Rapazinhos Tuna’ estão de parabéns por mais um ano e, também, pelo ‘mui nobre’ palmarés.

clássicos e tradicionais – intemporais – que a tuna também tem ajudado a imortalizar. Um palmarés de prémios ‘invejável’ Os ‘Rapazinhos Tuna’, com uma caminhada bem recheada de prémios, desafios e projetos, apresentam vasto rol de frutuosas distinções: melhor solista, melhor porta-estandarte, pasa calles, melhor instrumental, melhor tuna, tuna mais tuna; isto é, em boa verdade, saber

elevar-se já a prestigioso símbolo, digamos que também honroso ícone da ‘mui nobre’ Escola Superior de Enfermagem (ESEfnCVPOA) e, por conseguinte, da cidade oliveirense. Não admira, pois, que, em contínua digressão pelo ‘mundo’ – especialmente dos meios académicos – a Tuna possua um calendário recheado de eventos. A Real e Mui Nobre Tuna da ESEfnCVPOA pode, com razão, sentir orgulho do muito

O auditório da Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis estava cheio para ouvir e ver os ‘Rapazinhos’.

que tem conseguido fazer, semeando agrado e saudade por todo o país, pela grande qualidade (coral, musical e coreográfica) e o ‘dom’ de loucura e razão, nascido por alquimia do saber, irreverência e boa disposição que lhe é peculiar. Ao desenvolver um excelente e inovador trabalho de ‘agarrar’ o som da alma dos estudantes, a ‘Rapazinhos Tuna’ desdobra-se em atividades para surpreender o ‘mundo’ com a sua capacidade de descobrir novos caminhos meló-

dicos. No encontro de outras sintonias, somam mais duas formações: ‘Rapazinhos Tuna – Fados’ e ‘Rapazinhos Band’; ambas com pergaminhos ruidosamente ‘audíveis’ na partilha da boa disposição e em aplausos merecidamente justificados pelo brilho das suas interpretações. Parabéns merecidos a todos os tunantes que, não descurando o essencial estudo, ainda conseguem destinar tempo a esta importantíssima atividade académica extracurricular.

> BRUNO OLIVEIRA, TIAGO FERNANDES E CATARINA COSTA

Alunos de mérito reconhecidos pela autarquia Bruno Oliveira, Tiago Fernandes e Catarina Costa são jovens estudantes de Oliveira de Azeméis e foram recentemente distinguidos pelo seu trabalho nas áreas do Design e da Química respetivamente. “O município está hoje muito orgulhoso pela vossa prestação e dedicação”, afirmou o presidente da autarquia na receção aos alunos, que decorreu na sala de reuniões do executivo. Segundo Hermínio Loureiro, “este é um ponto de partida para novas e futuras conquistas num mercado cada vez mais competitivo”. E acrescentou: “A honrosa distinção é, também, dirigida a toda a comunidade escolar, bem como aos pais destes alunos”. Tiago Fernandes e Bruno Oliveira, alunos que terminaram o curso profissional de Técnico

A Câmara Municipal recebeu Bruno Oliveira, Tiago Fernandes e Catarina Costa pelo seu trabalho galardoado com o ‘Grande Prémio Projeto’ Sqédio 2012.

de Design na Escola Básica e Secundária Ferreira de Castro, receberam o ‘Grande Prémio Projeto’ do Grande Concurso Educacional Sqédio 2012, conforme já divulgámos, com a apresentação do trabalho ‘Parque Infantil AngryBirds’, contextualizado no parque infantil do parque de La Salette. O projeto foi executado na íntegra no softwareSolidWorks: modelação 3D, montagem de componentes, aplicação de materiais, iluminação, processamento gráfico e vídeo. Já Catarina Costa, aluna da Escola Básica e Secundária Soares Basto, obteve a medalha de bronze, ao representar Portugal na XVII Olimpíada Ibero-Americana de Química, que decorreu em Santa Fé, na Argentina, de 23 de setembro a 1 de outubro.


10

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

CONCELHO

> NÚCLEO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS DA LIGA DOS COMBATENTES

> CASAMUSEU REGIONAL DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Três aniversários assinalados numa só cerimónia

Magusto junta associados e familiares

Os participantes da cerimónia do passado dia 11 junto ao Monumento dos Combatentes da Grande Guerra (1914-1918), na Praça José da Costa

Foi “uma cerimónia simples mas revestida de grande significado”, segundo palavras do presidente do Núcleo de Oliveira de Azeméis da Liga dos Combatentes Joaquim Cabete, o que, no passado dia 11, teve lugar na Praça José da Costa, em Oliveira de Azeméis. Junto ao Monumento dos

Combatentes da Grande Guerra (1914-1918), ali situado, pelas 11h00, os ex-combatentes assinalaram os aniversários do Armistício (94.º), da Liga dos Combatentes (89.º) e do Ultramar (37.º). Nesta cerimónia repleta de simbolismo, promovida pelo Núcleo de Oliveira de Azeméis da Liga dos Combatentes (NOALC), marcaram presença o vereador Isidro Figueiredo (em representação do presidente da Câmara, Hermínio Loureiro); o líder da Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis, Ramiro Rosa; o Sargento Paulo Oliveira, representante do Comandante do Destacamento da GNR oli-

veirense; o presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis, António Gomes; os antigos presidentes do NOALC Vieira Dias, Pinto Nunes e Alfredo Pina; e ainda vários associados. Além do agradecimento público de Joaquim Cabete pela presença de todos, nota para a deposição de uma coroa de flores, pelo próprio e por Isidro Figueiredo, no monumento evocativo da I Grande Guerra, seguida de um minuto de silêncio em memória pelos compatriotas que faleceram no decorrer do cumprimento da sua missão.

Alfredo Pinho

Dando continuidade ao que em anos anteriores já tem acontecido, decorreu nas instalações exteriores da Casa-Museu Regional de Oliveira de Azeméis, no serão de 09 de novembro, um magusto. Entre associados e familiares da instituição oliveirense, a iniciativa contou com a presença de várias dezenas de pessoas, de todas as idades, muitas das quais senhoras. Quem também compareceu foi o vereador das Associações e Coletividades, Isidro Figueiredo, em representação da Câmara Municipal. Ainda antes das indispensáveis castanhas, destaque

para uma mesa recheada de padinhas de Ul quentinhas, algumas com chouriço, havendo ainda, para acompanhamento, queijo, manteiga e fiambre. Seguiram-se os rojões, feitos na hora; a broa; as ‘quentes e boas’, bem regadas com bebidas variadas; e, por último, um caldo verde para ‘assentar’ os já bem preenchidos estômagos. A animação entre os convivas foi uma constante, não tendo faltado um voluntário para cantar fado. No final, ficou a vontade de, sempre que possível, ver repetidas noites animadas como esta. ARTUR COSTA

> Exposição patente ao público até dia 24

‘Movimentos e Cor’ na Casa-Museu Da autoria de Lopes de Sousa, está patente ao público na Casa-Museu Regional de Oliveira de Azeméis a exposição de pintura ‘Movimentos e Cor’. A mostra pode ser visitada nas instalações desta instituição oliveirense, situadas na Rua António Alegria, na cidade, até ao próximo dia 24 de novembro. > SESSÃO DE ESCLARECIMENTO NA BIBLIOTECA MUNICIPAL

Mercado livre da energia

ira de Azeméis, distribuídos por 12 equipas, Cerca de meia centena de bombeiros de Olive ovido pelo comando da corporação. As participou, recentemente, num ‘challenger’ prom escolhido para várias atividades radicais, margens do Caima, em Palmaz, foram o ‘palco’ canoagem, etc., que puseram à prova as desde rapel, travessia do rio em cima de bidões, ‘soldados da paz’ oliveirenses. capacidades físicas e também de orientação dos

No próximo dia 06 de dezembro, entre as 14h30 e as 17h00, tem lugar na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro mais uma sessão de esclarecimento promovida pela Câmara de Oliveira de Azeméis, através do seu Serviço de Informação e Apoio ao Consumidor (SIAC). Desta feita, o assunto em destaque é o ‘mercado livre da energia’, sendo que o objetivo é informar os consumidores sobre o que vai mudar relativamente à eletricidade e ao gás natural no próximo ano. As inscrições estão abertas, podendo os interessados em participar nesta ação inscrever-se no próprio SIAC, situado no edifício do Mercado Municipal de Oliveira de Azeméis (loja 28), através dos n.ºs 256 600 600/7 ou 800 256 600 e ainda o email siac.consumidor@cm-oaz.pt.


REGIONAL

11

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

CARREGOSA > FESTOLA 2012 CONTINUA

GEDE representou ’A Partilha’ No sábado passado, dia 17 de novembro, numa típica noite seca e fria de outono, a URATE abriu as portas do auditório da Junta de Freguesia de Carregosa para a segunda sessão do FESTOLA 2012. O dia começou pelas 14h00 com uma ‘oficina de construção de fantoches’ em material reciclado. Com simples maços de tabaco apanhados do chão, garrafas de água vazias, pacotes de sumo, jornais, revistas e muitos mais materiais esquecidos e obsoletos, os formandos puderam trabalhar e construir bonecos de fantoche. Contudo, não foi

Três das protagonistas desta segunda sessão do FESTOLA 2012

possível à organização - conforme estava previsto - representar o teatro de fantoches; este foi adiado para o próximo domingo, pelas 15h30 no

Café da Praça. Pelas 21h30, foi a vez do Grupo de Expressão Dramática de Escapães (GEDE) subir ao palco do FESTOLA

P. BEMPOSTA> UMA IDEIA DA DESAFIO D’ ARTE

Arte ‘invade’ pavilhão da EB2,3 Este ano, o ‘Ideias de Arte’ realizou-se em dia de São Martinho – 11 de novembro, portanto – tendo tido lugar no pavilhão gimnodesportivo da EB2,3 Dr. José Pereira Tavares. Estamos perante um projeto da Desafio d’ Arte – Associação Cenográfica de Pinheiro da Bemposta, desenvolvido, pelo quinto ano consecutivo, com o objetivo de demonstrar a diversidade artística que há no seio da sociedade e que, desta vez, trouxe à vila mais histórica do concelho 24 artesãos oriundos de diversas freguesias. A edição de 2012 contou ainda com as atuações do Quarteto de Saxofones da Sociedade Musical Harmonia Pinheirense, dos grupos da Desafio d’ Arte, d’ A NOZ – Associação Nogueirense de Cultura e Desporto (No-

gueira do Cravo), de Pindelo e do Ginásio Rainha (Oliveira de Azeméis) e ainda um desfile de penteados da cabeleireira pinheirense Idalina Valente. Nota ainda para o pernil no espeto, as castanhas e outras ‘tentações’ gastronómicas que deliciaram os muitos miúdos e graúdos que por ali passaram. A direção da Desafio d’ Arte agrade-

ce a participação e a disponibilidade a todos os envolvidos no ‘Ideias de Arte’, desejando-lhes, desde já, os maiores sucessos no futuro. Termina e n d e re ç an d o - l h e s um pensamento de Máximo Gorky: “O talento desenvolvese no amor que pomos no que fazemos (…) Talvez até a essência da arte seja o amor pelo que se faz, o amor pelo próprio trabalho”.

P. B E M P O S T A > SÁBADO A PARTIR DAS 22H00

‘Noite de fados’ na Associação do Curval No próximo sábado, 24 de novembro, na sede da Associação Recreativa e Cultural do Curval (ARCC) tem lugar uma ‘noite de fados’, a pensar naqueles que apreciam este estilo musical português que, no ano passado, foi elevado à categoria de Património Oral e Imaterial da Humanidade pela UNESCO. Trata-se de uma iniciativa inédita organizada pela ARCC, mas que a direção quer crer que vai ao encontro do gosto de muitos pinheirenses e também de gentes de outras terras apreciadores de fado. Assim, a partir das 22h00 do próximo sábado é caso para dizer: “Silêncio que se vai cantar o fado...”.

e representar a comédia dramática ‘A Partilha’. A história relata-nos as peripécias da partilha de uma herança de quatro irmãs, que, após muito tempo afastadas, se reencontram durante o funeral da mãe. Num momento tão trágico para uma família, há que fazer um levantamento dos bens da falecida, relembrar e discutir as próprias vidas. As divergências são inevitáveis, pois elas seguiram caminhos muito diferentes. Durante o encontro, discutem, mas, ao mesmo tempo, relembram os bons tempos passados e descobrem muitas novidades sobre elas mesmas, enquanto se tentam entender sobre os valores a pedir pelos bens da partilha. Mas quando tudo finalmente parece resolvido, os dois elementos não pertencentes à família fogem

com a mala do dinheiro e ‘lá se foi a partilha’. Foi uma noite muito divertida que contou com a presença de cerca de 130 pessoas. No próximo sábado, dia 24 de novembro pelas 21h30, sobe ao palco o Grupo de Teatro da Associação da Casa do Povo da Longra, concelho de Felgueiras, com a comédia ‘O Gato Pirilau’ de Henrique Santana. No domingo, dia 25 de novembro pelas 15h30, haverá lugar a teatro de fantoches no Café da Praça. Ajude o Tiago João A organização do FESTOLA continua a solicitar às pessoas que vêm ao festival assistir ao teatro, para trazerem tampas de plástico com o objetivo de ajudar o jovem pinheirense Tiago João a comprar uma nova cadeira de rodas.

FAJÕES > NOVO LIVRO DO DR. SAMUEL OLIVEIRA

“Assalto” da República à Igreja Na próxima sexta-feira, dia 23, na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro, terá lugar a cerimónia de lançamento de mais um trabalho de investigação histórica do Dr. Samuel de Bastos Oliveira. Trata-se, desta vez, do título ‘As Igrejas e Capelas das Freguesias de Oliveira de Azeméis esbulhadas dos seus bens pelo Governo da República, em 1911’, tendo por subtítulo ‘Os Párocos que, solidários com o Bispo do Porto destituído, recusaram a pensão do Estado’. Em 237 recheadas páginas, o autor retrata os tempos vividos após a proclamação da República e o entusiasmo com que o novo regime foi recebido em Oliveira de Azeméis, explanando depois sobre o ataque lançado à Igreja, sob a batuta de Afonso Costa, ministro da Justiça e dos Cultos, onde se destacou a chamada Lei da Separação da Igreja do Estado, que conduziu à apropriação dos bens paroquiais, a que, nas palavras do autor, foi muitas vezes dado destino impróprio e até sacrílego. Destaque também para os párocos do concelho que se mantiveram solidários com

o Bispo D. António Barroso, desterrado em Remelhe. Ainda para a Pastoral Colectiva do Episcopado Português, que muitos párocos leram às missas dominicais, desrespeitando a ordem de Afonso Costa, uma desobediência que conduziu a prisões e desterros. Em suma, estudo útil, valioso e bem documentado sobre uma época muito perturbada da nossa história.


12

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

REGIONAL NOG. CRAVO> UMA ‘TARDE MAIOR’ PARA FALAR DE AFETOS

‘O amor não tem idade’

Alguns dos convidados que marcaram presença no almoço convívio da Banda de Música de Fajões deste ano Um exemplo de uma vida a dois que é de seguir

FAJÕES> BANDA MUSICAL SÃO MARTINHO DE FAJÕES EM CONVÍVIO

Almoço anual com grande adesão À semelhança de outros anos, também neste já houve um dia consagrado ao convívio dos músicos, dirigentes e amigos da Banda Musical São Martinho de Fajões. O encontro decorreu a 04 de novembro e, a julgar pela elevada adesão, não há dúvida que este é dos acontecimentos mais relevantes da freguesia. Do programa delineado para este dia, constou a tradicional romagem ao cemitério em homenagem aos músicos, diretores e sócios já falecidos da Banda Musical São Martinho de Fajões (BMSMF), a que se seguiu a missa com a participação musical da dita filarmónica. Depois, pelas 13h00, o almoço encheu a Casa da Lavandeira, em Fajões, dado o elevado número de convivas. Neste repasto estiveram representados a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, pelo vereador das Associações e Coletividades,

Este é, sem dúvida, um dos acontecimentos mais relevantes da freguesia, congregando a esmagadora maioria dos fajoenses Isidro Figueiredo; a Junta e a Assembleia de Freguesia de Fajões pelos presidentes José Santos e Luís Filipe Oliveira, respetivamente; a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fajões, pelo vice-líder, Jorge Pinho; a autarquia de Cesar, pelo presidente Rodrigo Silva; a Junta de Nogueira do Cravo, pelo autarca Manuel Rebelo; a Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM), pela coordenadora Teresa Pouzada; assim como diversas coletividades da freguesia. Também estiveram presentes a Dr.ª Constância Moreira da Costa, proprietária do espaço onde teve lugar o repasto e também madrinha da Banda Musical São Martinho de Fajões, e o seu marido Dr. Manuel da Costa. O convívio decorreu de forma animada e agradável, sendo a Dr.ª Constância Mo-

reira da Costa surpreendida por todos com uma lembrança do seu quarto aniversário como madrinha da BMSMF. Câmara continuará a apoiar a formação musical Também na ocasião, o presidente da direção da BMSMF, Fernando Soares, dirigiu uma palavra de agradecimento ao maestro Bruno Costa e a todos os músicos que compuseram o elenco na época finda, bem como a todos os sócios e amigos “pelo carinho e pela ajuda que têm dado à Banda”, manifestando ainda o seu agrado pela atividade desenvolvida pela Escola de Música. Além disso, agradeceu a colaboração da edilidade oliveirense e, na sequência, congratulou-se por, na altura, Isidro Figueiredo ter assegurado a continuidade do apoio camarário à formação musical. De igual modo, falou Artur Pinho, tendo feito a sua habitual e calorosa intervenção em prol dos interesses desta agremiação fajoense, da qual é padrinho e benemérito, assim como o ex-presidente Manuel Teixeira. A finalizar os discursos, a direção voltou a tomar a palavra, agradecendo a presença de todos e desejando felicidades para a época natalícia que se aproxima.

A VIII sessão do programa camarário ‘Tardes Maiores’ teve lugar na Junta de Freguesia de Nogueira do Cravo sob o tema ‘O amor não tem idade’. Segundo press release da Divisão Municipal de Comunicação da autarquia de Oliveira de Azeméis, diante de uma plateia repleta de utentes dos centros de dia das freguesias de Pindelo e S. Roque, o casal Jorge Reis e Maria Rosa Santiago, com quatro filhos e cinco netos, deu o seu testemunho e este serviu de ponto de partida para a reflexão sobre o amor na idade ‘maior’.

Ambos foram unânimes ao dizer que “o amor cresce na medida em que cada um é aquilo que é e que para cada um de nós crescer tem de amar primeiro”. A iniciativa, que resultou no âmbito das ações e projetos que a Câmara tem vindo a implementar em áreas dirigidas à população sénior, tem como objetivo proporcionar um envelhecimento pró-ativo, uma maior qualidade de vida e bem-estar. ‘Tardes Maiores’ pretende ainda estimular a socialização, o reforço de laços de amizade e o combate ao isolamento.

CUCUJÃES > PELA MÃO DO NAC, SÁBADO NA CASA DO TORREÃO

Desfile de moda Outono/inverno O departamento cultural do Núcleo de Atletismo de Cucujães (NAC) realiza, no próximo dia 24, pelas 21h30, na Casa do Torreão, um desfile de moda outono/inverno 2012-2013, com o objetivo de mostrar as propostas do comércio tradicional. Com as temperaturas a baixarem, é altura de vestir roupas bem quentinhas e confortáveis. A propósito, sabe o que está ‘in’ neste outono/inverno? Conhece o que o comércio tradicional tem para oferecer para estas estações do ano? Se está interessado em conhecer, esteja na Casa do Torreão, em Cucujães, no próximo sábado para assistir a um desfile, promovido pelo NAC. Participantes: Casa Gracinha, de S. João da Madeira,

com vestuário infanto-juvenil; a Angel Lingerie, de S. João da Madeira, com roupa interior e a Naza Boutique, de Santa Maria da Feira, com roupa casual. Atletas do Ginásio Rainha desfilarão com o vestuário da Angel Lingerie. Todos os modelos são penteados pela Carla Coutinho Cabeleireiros, de Cucujães. A decoração do espaço é da responsabilidade da florista Bouquet, de Oliveira de Azeméis, enquanto o fotógrafo oficial do evento é ‘Coisas da Imagem – Fotosport’, de S. João da Madeira. O valor de entrada (2,00 euros) reverte a favor das obras na sede do NAC, associação juvenil, sem fins lucrativos, que se dedica ao desporto e à cultura.


Este especial faz parte integrante do Jornal Correio de Azeméis, Edição n.º 4482. Não pode ser vendido separadamente.

Low Cost na Saúde!

Clínica Geral Vá ao médico s Dermatologia por apena Pediatria � Psiquiatria Cardiologia Neurologia

Cardiologia

Atendimen Atendimento Médico PPermanente

CLÍNICA GERAL

2,50

Ginecologia/Obstetricia

m .com lhas.com apardelhas ica ic nicaparde lin cli ww.c w www.clin

p elhas clínica pard

Adira ao C artão F amilia da Clinica P ardelhas

Medicina Dentária

Saiba aqui as suas Vantagens

DESCUBRA

Uma nova realidade na área da Saúde www.clinicapardelhas.com e mail: geral@clinicapardelhas.com

Sede

Rua Carlos de Sousa Ferreira n.º 18 Pardelhas | 3870-209 MURTOSA Telef.: 234 866 440 Telm.: 919 940 831 Fax.: 234 867 496

Filial 1

Rua Abel Silva Ribeiro, 404 E 3720-486 Pinheiro da Bemposta - OAZ Telef.: 256 998 124 Telm.: 919 941 672

Filial 2

Rua Prof. Silva Pinto, N.º1126 3720-686 | S. Roque - OAZ Telef.: 256 887305 Telm.: 918 784 612

> ÚLTIMO ANO DE MANDATO

José Godinho confessa ambições antes de deixar a presidência Páginas 02 e 03

> NO JANTAR DE ANIVERSÁRIO

Projeto da formação elogiado pelos altos organismos desportivos Página 04

> HERMÍNIO LOUREIRO AFIRMA

Autarquia mantém aposta no desporto Página 05

> NAS RESPETIVAS PROVAS

Parabéns Oliveirense!

Equipas seniores estão ao mais alto nível Páginas 06 e 07

> PASSIVO REDUZIDO 32%

Contas aprovadas e estatutos alterados em assembleia geral da Oliveirense Página 08 PUB


02

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

90.º ANIVERSÁRIO DA OLIVEIRENSE

>JOSÉ GODINHO É DEFENSOR DOS JOGADORES DA CASA PARA REFORÇAR AS EQUIPAS SENIORES

“Temos das melhores formações do país” Este é o último ano de José Godinho na presidência da Oliveirense. O dirigente desportivo, que já leva quase três décadas no clube, ainda não decidiu o futuro, mas confessa que o seu sonho passa por deixar a equipa de futebol na primeira Liga e ver concluída a reconstrução do Estádio Carlos Osório. Ao fim de 24 anos como dirigente, José Godinho retirou-se do clube por ter sentido a falta de apoio das forças vivas de Oliveira de Azeméis, mas há quatro anos voltou e para ser presidente. Homem de ideias fixas e defensor acérrimo dos seus ideais, José Godinho foi o mentor do Centro de Formação que hoje tem centenas de jovens a praticar futebol. No entanto, as dificuldades financeiras com que o clube se debate não permitem ao presidente avançar para a reconstrução do velhinho estádio. O dirigente apela ao apoio e compreensão dos oliveirenses para as dificuldades do clube, que recentemente completou 90 anos de vida, pedindo que colaborem quando há vendas de rifas e que apoiem as equipas mesmo em caso de derrotas.

e contratámos jogadores de es- há três anos para cá, não podecalões inferiores. mos estar a gastar. E a prestação do guarda-redes João Pinho e a sua chamada à Seleção Nacional de sub21 também o surpreendeu? Não, o João Pinho não me está a surpreender, porque foi uma aposta minha. Fui eu que provoquei tudo isto para que ele fosse o titular. Por isso é que não contratei mais nenhum guarda-redes quando tinha várias hipóteses, alguns até mais experientes, mas tenho que dar um ‘empurrão’ aos jogadores da casa, pois sou um defensor dos jogadores da formação. Nós temos das melhores formações do país. Não temos é o dinheiro que os outros têm para podermos melhorar e temos que dar formação aos jogadores que nos aparecem aqui da região. Se tivéssemos dinheiro íamos A questão financeira da Oliveirense é a principal buscar outros talentos e formápreocupação de José Godinho vamos mais. Não há nenhum projeto de formação como o nosso. Nós conseguimos artiO alargamento do número tel suficiente para aguentar cular com as escolas no sentido de equipas na segunda Liga foi um campeonato tão longo? de formar turmas com os jogauma boa medida? Não, a Oliveirense não tem dores de determinados escalões Sim, porque havia meses um plantel suficiente para onde os horários são compatíque tínhamos só um jogo em aguentar-se até ao fim no topo, veis para os treinos começarem casa. Agora aumentou também mas no futebol nunca sabemos mais cedo. Se até aqui os treinos o nível competitivo. As equipas o que vai acontecer. O plantel da acabavam às 23h00 ou depois, B foram uma boa medida, por- Oliveirense tem jogadores para agora às 20h30 o Centro de Forque também deram mais visibi- se manter na II Liga, poderá é mação fecha e todos podem ir lidade à II Liga, que antes tinha não ter jogadores experientes para casa estudar e descansar. apenas uma página nos jornais como têm as outras equipas. e agora tem três; a II Liga contriQual é o objetivo da equipa? buiu ainda para a formação do Surpreende-o este lugar no O objetivo não deixa de ser jogador português, porque as campeonato nesta altura? aquele que eu pedi ao treinador equipas B são compostas, na sua Surpreende. Nunca pensei no início da época: a permanêngrande parte, por jogadores por- que estivéssemos neste lugar cia. Pedi para atingir os 40 pontugueses que querem formar-se a partir do momento em que tos e ele já me veio dizer que mepara atingir a 1ª Liga. reduzi o orçamento em 40% e tade já foi conseguido. Portanto, apostei na formação do clube. vamos ver o que vai acontecer e A Oliveirense tem um plan- Temos muitos jovens no plantel se houver alguma coisa mais, no final, ficamos todos contentes. Conta mexer no plantel no ‘mercado de inverno’? Quem olhar para o passado, pelo menos nestes últimos três anos em que eu estive à frente da Oliveirense, nunca contratámos nem cedemos ninguém em dezembro. O único jogador dispensado, e foi em novembro, foi o Pascal que foi para Angola. Tudo leva a crer que vamos manter a mesma política porque não há dinheiro. A não ser que conseguíssemos vender algum jogador e permitisse pensar nisso; mas como temos ainda muitas dívidas no clube e queremos amortizá-las, desde

Qual é a sua principal preocupação atual no clube? É a questão financeira, porque nós temos o hóquei em patins estabilizado, ou seja, sem problemas financeiros; temos o basquetebol que começa a dar alguma preocupação financeira, porque já está a atingir um nível elevado e o orçamento também dispara. E temos o futebol que já tem uma preocupação financeira de trás e que nos levou a cortar 40% no orçamento. A única modalidade que baixou o orçamento drasticamente foi o futebol, porque não há receitas e, mesmo assim, temos muitas dificuldades para encontrar receitas para o atual orçamento. Como os patrocinadores são quase sempre os mesmos para as três modalidades isto começa a complicar. “Com a saída do Pedro Miguel pensei em deixar a Oliveirense” Que medidas seguiu para formar o plantel sénior do futebol esta época? Foi muito simples. O primeiro objetivo era reduzir em 40% o orçamento. E após a renúncia de Pedro Miguel, que deixou o clube honradamente porque ele foi um técnico que só dignificou o clube, procurei encontrar um treinador com perfil para o futebol. E depois de contratar o treinador discuti com ele a estratégia para as contratações e, mantendo a estrutura base da defesa, começámos a preencher as restantes posições com jogadores muito baratos e andámos às sobras de outros clubes. Substituir o Pedro Miguel no comando técnico foi uma tarefa difícil? Eu pensei que era muito difícil. Quando recebi a carta dele a dizer que ia sair nem respondi, porque fiquei muito preocupado, pois não é fácil encontrar um treinador que tenha alguma ligação ao clube e seja uma pessoa dedicada. E eu até cheguei a pensar em sair da Oliveirense, porque não ia encontrar um treinador que se integrasse na nossa filosofia. Entretanto, apareceu-me o João de Deus e lembrei-me do trabalho que ele fez no Atlético. Aceitei uma reu-


90.º ANIVERSÁRIO DA OLIVEIRENSE

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

nião com ele aqui em Oliveira de Azeméis e aí ficou tudo decidido. É uma pessoa muito séria, excelente, com um grande espírito de sacrifício e com uma grande compreensão. Reconheceu que temos grandes dificuldades financeiras e então disse para eu contratar os jogadores para ele trabalhar. É o único treinador que filma os treinos para depois analisar. Chegou também a recear esta fase pós Pedro Miguel? Pensei que esta época íamos andar no fundo da tabela a lutar pela permanência. É uma equipa de muito sofrer, mas neste momento há um bom balneário e isso foi uma das minhas preocupações. Antes do início do campeonato falei com os jogadores um a um e preparei-os bem para as dificuldades que vão surgindo e eles têm sido de uma grande compreensão. Estamos preocupados em arranjar dinheiro para lhes pagar, não só a eles, mas também aos treinadores e fornecedores; temos muitas obrigações, como os impostos, que não podemos deixar de pagar. Nós aqui falamos verdade e não escondemos nada e isso também dá confiança aos jogadores e treinadores. “Estivemos perto de subir à Liga com 80% do plantel formado na casa” Este é o quarto ano como presidente depois de ter deixado, por algum tempo, o dirigismo na Oliveirense. Como é que começou na Oliveirense? Estive 24 anos como dirigente. Comecei no hóquei durante dois anos, findo estes passei para vogal da direção e ao fim de alguns anos pediram-me para criar um projeto para a formação, porque tínhamos lá só um campo de onze e um balneário velho. Eu aceitei o desafio e avancei com o projeto do Centro de Formação; depois nos últimos dois anos fui o presidente do futebol e só não subimos à segunda Liga porque fomos muito prejudicados no jogo com o Olivais e Moscavide. Tinha sido uma subida muito bonita, pois nesse ano tínhamos 80% de jogadores formados na casa.

03 “Se a Oliveirense subisse à I Liga a reconstrução do novo estádio arrancava” Qual é a dívida do clube? A Oliveirense tinha uma dívida bastante grande. Neste momento tem cerca de um milhão e julgo que vamos chegar ao final desta época com metade desse valor. É isso que pretendemos para, na época seguinte, quem cá estiver, chegar ao saldo zero para que a Oliveirense possa ‘respirar’ um bocado.

clubes. No dia seguinte a ganhar a Taça de Portugal apenas saiu um retângulo a falar dessa conquista nos jornais. O Benfica ganhou-nos a Supertaça e andou a semana toda nos jornais. Temos que nos mentalizar que somos pequenos e depois trata-se de uma modalidade que, praticamente, não vem nos jornais desportivos e quando se fala é do FC Porto ou do Benfica. O hóquei, a partir do momento que não é modalidade olímpica tem muitas dificuldades em manter alguma visibilidade.

O que é que já fez na Oliveirense? Já fiz de tudo na Oliveirense, mas o que mais me orgulha é o projeto da formação, cuja grande finalidade era dotar a equipa sénior com a maioria de jogadores da casa e ser campeão. E estivemos lá perto. Outra ideia do projeto era construir o Centro de Formação. Gastei muito dinheiro do meu bolso, mas também tive apoios e o mais fundamental foi o de Ápio Assunção (então presidente da Câmara) e por isso tem o nome na obra. Esta foi a grande viragem para que os jogadores possam ter conforto e boas condições na sua formação. É pena as dificuldades financeiras porque ficava muito satisfeito de ver reconstruído o estádio. A maqueta está feita.

Acha que é possível ser campeão de hóquei? Sim, é possível. A Oliveirense tem um plantel muito bem construído e está ao nível dos grandes clubes para discutir o título. Mas nós sabemos que ainda hoje existem muitos interesses na modalidade que são difíceis de combater e que são fatores externos aos jogos e acabamos por ser prejudicados.

E quando avança a reconstrução do estádio? Vou para o 4º ano no clube e já comecei a trabalhar na reconstrução do estádio. Se calhar daqui a quatro ou cinco anos será possível. O problema será arranjar o dinheiro. Nesta reconstrução será aproveitado o retângulo de jogo, as bancadas vão a baixo e os balneários também serão feitos de novo.

O basquetebol este ano recusou o convite para jogar na Liga Profissional? Essa foi a melhor decisão? A equipa recusou porque eu não autorizei que jogasse na Liga Profissional. Temos que ter os pés bem assentes no chão e penso que o basquetebol já está num nível muito bom e temos dificuldades para encontrar receitas para pagar o orçamento desta modalidade. Isso seria cometer os erros do passado. Ainda hoje estamos a pagar algumas dívidas. Acabámos de pagar a dívida à Liga e temos mais 20 mil euros para pagar à TMN de comunicações.

Vale a pena alimentar a ideia da reconstrução do estádio ou esse é um projeto utópico? Não é utópico. Posso dizer que se a Oliveirense subisse à 1ª Liga de certeza que a construção arrancava, porque recebíamos mais dinheiro. E mesmo correndo o risco de voltar a descer conseguíamos um estádio novo. Se não subirmos, nos próximos três ou quatro anos vai ser muito difícil a não ser que, no Quadro Comunitário, se criem os incentivos.

A maquete das obras do Estádio Carlos Osório está pronta e o presidente gostava de ver a obra pronta nos próximos anos

casos temos que contar com apoios e um presidente da Oliveirense tem que ter determinados apoios, da Câmara Municipal e das forças vivas da terra e naquele ano não senti esse apoio. Mas também não me mandaram embora. Neste momento, vou para a quarta época e voltei porque me pediram. Pediramme para tomar conta da Oliveirense e para colocar o clube com uma boa imagem e penso que temos vindo a conseguir. A nível da Liga e da Federação, a Oliveirense já é um clube com muito respeito, dinamismo e com atividade intensa mesmo dentro da Liga e da Federação. Somos convidados para participar em muitas comissões, chegámos a ser coordenadores da segunda Liga, agora somos coordenadores do Movimento dos Clubes de Fátima. Somos um clube que se apresenta com uma imagem de honestidade e transparência.

Em algum momento se arrependeu de ter voltado à Oliveirense? Não, eu nunca me arrependo de nada do que faço. Posso é sentir em algum momento vontade de largar e isso tem a ver com o facto de uma pessoa se sentir impotente para Não ter subido nesse ano é resolver os problemas, mas eu uma situação que guarda com tenho vindo a resistir. Neste tristeza? momento a resolução de proSim, com muita tristeza, mas blemas tem sempre a ver com a maior tristeza foi não ter con- problemas financeiros, porque tinuado como presidente do o resto temos conhecimentos futebol, porque naquela altura e capacidades para resolver. já tinha concluído o Centro de Formação e já me estava a vi- “As modalidades são rar para o estádio que, se calhar a história do clube nesta altura, já estava feito. e têm que existir”

rense estão enraizadas. A Oliveirense é muito prejudicada, no bom sentido, em relação a outros clubes que não têm modalidades. Todos os clubes que só têm futebol as receitas vão todas para essa modalidade. Aqui na Oliveirense, as receitas são a dividir por três, o que nos cria dificuldades a concorrer com outros clubes. Mas as modalidades não são independentes? São independentes, mas os patrocinadores são comuns, o que quer dizer que o patrocínio é a dividir por três. Alguma vez chegou a pensar em terminar com as modalidades? Não, nunca. O que pode acontecer na Oliveirense é haver algum recuo, como é o caso do futebol que baixou 40% no orçamento; o basquetebol, que já andou na Liga Profissional, também recuou para a CNB2. Agora acabar nunca, porque as modalidades são a história do clube e têm que existir. Podem é existir com a sua equipa sénior mais ou menos competitiva. Nas últimas eleições disse que queria acompanhar mais de perto as modalidades. Conseguiu-o? Não, não consegui porque as dificuldades são tantas ao nível financeiro e de tesouraria que é impossível, mas as pessoas que estão à frente das secções estão a fazer um excelente trabalho.

A conquista, este ano, da Taça de Portugal é um motivo de orgulho para o clube? É um orgulho para a OliveiE por que é que não continuComo é que vê as modalidarense, mas infelizmente não ou? des na Oliveirense? Não continuei porque nestes As modalidades na Olivei- temos a visibilidade de outros


04

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

90.º ANIVERSÁRIO DA OLIVEIRENSE

> FPB, FPF, FPP E LPFP PRESENTES NO JANTAR DE ANIVERSÁRIO

Entidades desportivas testemunham a importância da União Desportiva Oliveirense A prova de que a Oliveirense já ganhou o seu espaço e importância entre as altas entidades do desporto nacional foram as presenças no jantar, que reuniu mais de uma centena de convivas, entre atletas, treinadores, diretores, autarcas e empresários. No passado dia 25 de Outubro, a União Desportiva Oliveirense assinalou mais um aniversário. São já 90 anos de um emblema que suporta, praticamente ao mais alto nível, três modalidades: o futebol na Liga de Honra, o hóquei em patins na 1ª Divisão Nacional e o basquetebol na Proliga. O papel das equipas de formação na sociedade também foi relevado pelos convidados, que elogiaram o projeto comandado pelo presidente da Oliveirense, José Godinho. “O país atravessa grandes dificuldades e projetos de aposta nas camadas jovens são fundamentais”, afirmou Andreia Couto, salientando que “estes são ideais que a Liga defende para tornar o futebol mais forte”. A diretora executiva da Liga de Clubes elogiou ainda as nove décadas

que tem dado na Liga, esperando que siga em relação ao topo”, disse Vítor Ferreira, acrescentando que a Oliveirense projeta o nome do concelho “de forma ímpar” nas três modalidades. O vice-presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol defende que a formação é uma aposta de futuro. Assim, continuou o dirigente, o clube presta “uma ajuda à sociedade não só do ponto de vista desportivo, mas também na formação e educação dos jovens”.

A diretora executiva da Liga de Clubes entregou uma lembrança à Oliveirense

do emblema de Oliveira de Azeméis ao serviço do desporto e da comunidade. Já Elísio Carneiro destacou os grandes eventos que são realizados em Oliveira de Azeméis, dando maior relevância ao Mundial feminino que se disputa em dezembro próximo. “Este município sempre patrocinou eventos organizados pela Associação de Futebol de Aveiro e em dezembro temos cá o Mundial de futsal feminino”. O vicepresidente da Federação Portuguesa de Futebol destacou o papel dos patrocinadores “que permitem a consolidação do

clube”, bem como de todos os oliveirenses que “ajudam” esta instituição. Elísio Carneiro salientou ainda o papel de liderança do presidente da Oliveirense e a sua capacidade de conseguir “pensar o que vai ser o futebol nos próximos anos”. “Foi devido às suas ideias que consolidou uma escola de formação com alicerces muito grandes”, reconheceu o dirigente, que deixou ainda uma palavra de apreço aos “clubes pequenos e médios” pelo trabalho que fazem diariamente. Oliveira de Azeméis ficará para sempre na memória dos

As suas férias estão aqui! Réveillon MadeiRa Partidas de Lisboa e Porto a 28, 29 e 30 Dez.’ 12

Desde:

Inclui: avião + transfers + 4 noites em APA + Hotel Dom Pedro Garajau | 3 estrelas +

432

625

por pessoa em duplo

taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 95) + Seguro Multiviagens

Réveillon MaRRakech chaRteR Partida de Lisboa a 29 Dez.’ 12

Inclui: avião + transfers + 3 noites em Meia-Pensão + Hotel Zalagh Kasbah | 4 estrelas + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 50) + Seguro Multiviagens

Desde:

por pessoa em duplo

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos. Lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. Por favor consulte-nos. RNAVT 1702

ABERTO à hORA DE ALMOÇO Rua Doutor Aníbal Beleza, 97 | 3720-251 OLIVEIRA DE AZEMÉIS Email: oazemeis@abreu.pt | Tel.: 256 690 080

amantes do hóquei em patins. Foi nesta cidade que a Seleção Nacional venceu, em 2003, o último título internacional, feito enaltecido por Fernando Claro. “Guardo no coração a cidade, porque foi aqui que a Seleção Nacional conquistou o 15º Campeonato do Mundo”, disse o presidente da Federação de Patinagem, que ouviu depois a pronta resposta do presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis. “Se para voltarmos a ser Campeões do Mundo temos de organizar a prova em Oliveira de Azeméis, estamos disponíveis para isso”, garantiu Hermínio Loureiro. O presidente da Federação Portuguesa de Patinagem, centrando-se na modalidade que representa, elogiou os diretores da Oliveirense, que “têm demonstrado muita competência e trabalho até a nível internacional”, e desejou que o hóquei em patins oliveirense continue a “somar grandes êxitos”. No basquetebol, a Oliveirense já viveu grandes momentos com a sua participação na Liga Profissional, onde conquistou uma Taça de Portugal, uma Supertaça e uma Taça da Liga. “Estamos aqui presentes pelo apreço que temos pelo grande clube que é, pelo que já foi na modalidade e pelos passos

“A Oliveirense nem sempre é valorizada” Depois de cumprido um minuto de silêncio em memória de todos os dirigentes da Oliveirense que já faleceram e também da avó do presidente da assembleia do clube, que foi a sepultar no dia do jantar de aniversário, Jorge Oliveira Silva usou da palavra para destacar a “pujança” do clube ao fim de 90 anos de existência. “Nas três modalidades, a Oliveirense é dos clubes mais ecléticos em Portugal e nem sempre é valorizado. Somos um clube pequeno, mas enorme na alma”, afirmou o presidente da Assembleia Municipal (AM) de Oliveira de Azeméis. E logo de seguida a elogiar a aposta que vem sendo feita na formação, Jorge Oliveira e Silva deixou um recado para o seio do clube. “O adversário do futebol nunca pode ser o hóquei ou o basquetebol. Tem de ser o FC Porto, o Benfica ou o Guimarães”, disse o orador para depois afirmar que, no futuro, “não vai haver espaço para tantos clubes” no concelho. Por isso, o presidente da AM defendeu que todas as forças deviam centrar-se no clube mais representativo do concelho: a Oliveirense. Também Milton Soares (presidente da Escola Livre de Azeméis) em nome de todos os clubes, José Alves (presidente da Junta de Ossela) em representação das 19 freguesias e António Grifo, presidente da FAMOA, congratularam a Oliveirense por mais um aniversário.


90.º ANIVERSÁRIO DA OLIVEIRENSE

05

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

> PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL NÃO TEM DÚVIDAS

“Oliveirense é um dos maiores clubes de Portugal” “Estamos a comemorar 90 anos de um dos maiores clubes em Portugal. A Oliveirense é uma referência nacional nas mais diversas modalidades”, destacou Hermínio Loureiro, que até já foi dirigente do clube, na modalidade de basquetebol. No jantar de aniversário, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis e membro da Federação Portuguesa de Futebol, afirmou que não é fácil encontrar um clube tão eclético como é a Oliveirense, já que no futebol tem um projeto sustentado na Liga de Honra, no hóquei em patins milita na 1ª Divisão Nacional e recupera o destaque no basquetebol. “Há poucos clubes

Hermínio Loureiro aproveitou o momento para dizer que a autarquia vai manter a aposta no desporto em Oliveira de Azeméis

em Portugal que se podem orgulhar deste feito”, acrescentou o também ex-presidente da Liga de Clubes, que aponta três palavras para definir o clube fundado em 1922: “Orgulho no passado; Confiança no presente; e, acima de tudo, esperança no futuro”. Adepto e sócio da Oliveirense, Hermínio Loureiro é um homem atento a tudo o que se

passa no clube do seu coração e a formação é um dos setores a que dá especial atenção. Por isso, é com orgulho que destaca a presença de jogadores formados na ‘casa’, curiosamente dois guarda-redes, que este ano se estrearam nas respetivas seleções nacionais: Diogo Almeida, que esteve no Campeonato da Europa de hóquei em patins; e João Pinho, que participou no

> JOSÉ GODINHO FALOU DA OBRA LANÇADA HÁ UM ANO E LAMENTOU

“Ausência de curiosidade” no livro da Oliveirense Depois dos agradecimentos a todos os que têm ajudado a levar o clube para a frente, José Godinho recordou o lançamento, o ano passado, do primeiro volume da história da Oliveirense e lamentou a “ausência de curiosidade da nossa comunidade desportiva” neste livro que retrata os primeiros 45 anos de vida desta instituição. “Será do tempo de reajustamentos a que estamos a ser sujeitos? Será do envelhecimento dos oliveirenses que mais sentem este clube? Estamos perante muitas interrogações para as quais teremos de procurar as devidas respostas”, começou por destacar o presidente da Oliveirense, garantindo que, pelos órgãos sociais da União, “tudo é feito para que se continue a honrar e a prestigiar o clube e a prestar um verdadeiro serviço de interesse público à sociedade”. A Oliveirense tem cerca de meio milhar de jovens, distribuídos pelas três modalidades, a formar-se desportiva e socialmente nas instalações do clube. “Esta formação sócio desportiva é desenvolvida e produzida com base em projetos específicos por modalidade, mas comuns no grande alcance das

A Escola Livre também ofereceu uma lembrança à Oliveirense

metas que a sociedade, em geral, hoje exige”, disse José Godinho. Lamentando as dificuldades financeiras que o clube atravessa, o dirigente máximo do clube agradeceu aos treinadores e jogadores seniores “pela entrega, desempenho, capacidade e, fundamentalmente, pela compreensão pelas dificuldades financeiras e de tesouraria que o clube atravessa”. “Têm sido uns resistentes às terríveis e drásticas dificuldades financeiras do clube”, salientou o presidente para quem “Oliveira de Azeméis já é uma marca no panorama desportivo nacional”.

jogo amigável de sub 21 de futebol entre Portugal e a Ucrânia. Já no âmbito do basquetebol, Hermínio Loureiro considerou uma “tremenda injustiça” o castigo aplicado pela Federação a Nuno Cortez. Apesar das dificuldades económicas do país, em geral, e da autarquia local, em particular, o edil garantiu que vai manter o apoio às equipas de forma-

ção dos clubes. “O concelho é muito conhecido, até a nível internacional, pela sua aposta no desporto e, por isso, vamos continuar a apoiar o desporto em Oliveira de Azeméis”. O autarca destacou ainda a importância da autarquia continuar a apostar em eventos desportivos, já que estes, além de darem notoriedade ao concelho, fomentam também o desporto nos jovens. “Mas para isso também precisamos de ter excelentes parceiros e em Oliveira de Azeméis eles existem”, dando como exemplo o Grupo Simoldes. “Merece um aplauso pelo apoio que tem dado à Oliveirense”. Hermínio Loureiro antevê, ainda, uma época “marcante” para as três modalidades da Oliveirense. “Este ano pareceme que vai correr bem”, salientou o também jogador da equipa de veteranos da Oliveirense, que raramente falha um treino ao sábado à tarde sob as ordens do presidente do clube, e treinador, José Godinho.


06

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

90.º ANIVERSÁRIO DA OLIVEIRENSE

FUTEBOL> APESAR DAS MUDANÇAS NO PLANTEL

Equipa surpreende com forte início de época À passagem da 13.ª jornada da Liga de Honra, a Oliveirense ocupa o 4.º lugar da tabela classificativa. No final da temporada passada, a equipa de futebol viveu uma mudança que se podia pensar ser drástica com a saída do treinador Pedro Miguel, homem natural da terra e que já comandava a equipa há oito temporadas. Recorde-se que duas épocas depois de ter falhado a subida à Liga de Honra, num jogo de má memória para os oliveirenses frente ao Olivais e Moscavide, Pedro Miguel conseguiu, em 2008, levar a Oliveirense à segunda Liga, sete temporadas depois de ter passado por lá. Nas últimas épocas, a equipa de Oliveira de Azeméis intrometeu-se na luta pela subida de divisão até à última jorna-

acontecer, pelo contrário. João de Deus foi o treinador escolhido e com um plantel composto por quase 50% de jogadores jovens formados no clube e com outros mais experientes, a Oliveirense tem tido um arranque que supera as melhores expetativas, não só da direção, como também do grupo de trabalho que parece disposto a garantir a permanência o mais depressa possível. O técnico já reconheceu que meio caminho está feito e é jogo a jogo que quer fazer o resto do percurso até atingir a permanência. De acordo com João de Deus, o objetivo passa por garantir um lugar na Liga de Honra na próxima época e nada mais do A Oliveirense está a realizar um campeonato acima das expetativas que isso. “Não pensamos em objetivos megalómanos, apenas da e na temporada passada pela Académica de Coimbra, temer vir a ser uma época de conseguir fazer um campeoconseguiu o feito inédito de equipa que viria a vencer o transição do pós-Pedro Mi- nato tranquilo e conseguir a chegar à meia-final da Taça de troféu frente ao Sporting. guel, com as dificuldades que permanência”, garante o treiPortugal, onde foi eliminada Mas aquela que se chegou a se esperariam, acabou por não nador.

HÓQUEI EM PATINS> NUNO RESENDE MANTÉM EQUIPA NA ROTA DAS VITÓRIAS

Dois anos seguidos a vencer a Taça de Portugal Depois de ter conquistado a Taça de Portugal nas duas épocas anteriores, no campeonato nacional a Oliveirense continua colada aos lugares cimeiros da tabela classificativa.

te ao Benfica e num encontro em que o favoritismo era todo dado, quase de bandeja, ao adversário. Mas a Oliveirense fez jus ao seu nome, uniuse em torno de um objetivo e levantou a terceira Taça de Portugal do seu palmarés, a segunda consecutiva. Isto numa época em que Nuno Resende assumiu o comando técnico da equipa quando já estavam disputadas algumas jornadas do campeonato, acumulando A equipa de hóquei em pa- funções com a de jogador. tins da Oliveirense terminou a No campeonato, época após última época a erguer a Taça época, a equipa tem andado de Portugal numa final fren- na luta pelos lugares cimeiros

A Oliveirense encerrou a época passada com a conquista da Taça de Portugal

da tabela classificativa e os adeptos anseiam a conquista do primeiro título de campeão nacional. A Oliveirense já marcou o seu espaço entre os grandes da modalidade e, em cada prova que entra, é sempre com o objetivo de ganhar, sendo já um conjunto temido pelos adversários. Na Liga dos Campeões, a formação de Nuno Resende tem o objetivo de atingir os quartos de final e na Taça de

Portugal a meta passa por chegar à final four da prova. Já no campeonato, o técnico Nuno Resende aponta o terceiro ou o quarto lugar na classificação numa época desportiva que teve início com a derrota na Supertaça frente ao Benfica, perdendo novamente a oportunidade de ganhar pela primeira vez este troféu em quatro finais já disputadas. “Se conseguirmos chegar ao terceiro lugar seria fantás-

tico. Temos os patins bem assentes no piso e não temos dúvidas até onde queremos e até onde podemos ir; com calma certamente vamos conseguir”, disse Nuno Resende. Além das três Taças de Portugal, a Oliveirense venceu também uma Taça CERS (1996/97). Este ano marcou ainda a estreia dos dois guarda-redes da Oliveirense, Domingos Pinho e Diogo Almeida, na Seleção Nacional.


90.º ANIVERSÁRIO DA OLIVEIRENSE

07

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

BASQUETEBOL> MODALIDADE ESTÁ A CRESCER A CADA ÉPOCA QUE PASSA

Oliveirense de novo às portas da Liga A Oliveirense continua imbatível no campeonato e, a continuar assim, o regresso à Liga Profissional parece estar para breve. Depois de um período áureo da Oliveirense na Liga Profissional de Basquetebol, onde ganhou uma Taça de Portugal (2002/2003), duas Taças da Liga (2002/03 e 2005/06) e uma Supertaça (2003/04), a insustentabilidade da equipa ao mais alto nível, aliada às dificuldades financeiras que co-

meçaram a surgir no clube, levou ao fim da equipa sénior de basquetebol no final da temporada 2005/2006. Com uma interrupção de uma época, a Oliveirense voltou a apostar na equipa sénior, tão necessária para a motivação dos mais jovens jogadores, tendo começado a jogar na CNB2 com uma equipa totalmente amadora e formada apenas por atletas da formação. A terceira época da Oliveirense na CNB2 é já no mandato de José Godinho, que aposta no vice-presidente Hélder Albergaria para dirigir a modalidade. Embora não sendo natural de Oliveira de Azeméis, Hél-

A Oliveirense iniciou a época com a conquista do Troféu António Pratas

der Albergaria aceitou o desafio e apresentou um projeto de quatro anos onde se propôs a juntar todos os atletas formados no clube e que andavam espalhados por outras equipas. O certo é que a Oliveirense tem vindo, novamente, a conquistar o seu espaço no basquetebol nacional e, passo a passo, já está na Proliga e ‘às portas’ do Campeonato da Liga. Na época 2009/10 sagrou-se campeã nacional da CNB2, tendo repetido o feito na temporada seguinte já na

CNB1. No final da época passada, a Oliveirense foi 3.ª classificada no Campeonato Nacional da Proliga, tendo ficado a uma vitória da subida à LPB. Se o ano passado falhou por pouco esse objetivo, esta época a equipa, que continua a ser treinada por Sérgio Salvador, está bem encaminhada para se voltar a juntar aos melhores do basquetebol nacional. A temporada começou da melhor maneira com a conquista da primeira prova oficial do calendário

nacional – o Troféu António Pratas – e no campeonato a Oliveirense segue imparável com quatro vitórias em outras tantas jornadas já disputadas e com grande diferença pontual nos resultados finais. A boa prestação da Oliveirense foi mesmo reconhecida pela Federação que quase exigiu que o clube substituisse, primeiro, o FC Porto e depois o Barreirense esta época no principal campeonato nacional, mas o clube declinou todos os convites. PUB

Isolamais


08

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

90.º ANIVERSÁRIO DA OLIVEIRENSE

> ESTATUTOS DO CLUBE TAMBÉM FORAM ALTERADOS EM ASSEMBLEIAGERAL

Oliveirense com contas aprovadas Os sócios da Oliveirense aprovaram por unanimidade o relatório de atividades e contas do clube numa assembleia que concordou ainda com a alteração dos estatutos do clube. Assim, as contas vão passar a ser apresentadas de acordo com a época desportiva (01 julho a 31 de junho). José Godinho apresentou, em assembleia-geral, a atual situação financeira da Oliveirense, algo que que tem merecido redobrada preocupação por parte do presidente. No entanto, o dirigente realçou que as contas “não dão uma ideia realista” do atual momento, uma vez que já foram fechadas no final do ano de 2011. E foi por este mesmo motivo que os estatutos do clube foram alterados também nesta assembleia e mediante a aprovação dos associados. Assim, a contabilidade do clube passará a ser enquadrada de acordo com a época desportiva (01 de julho a 30 de junho do ano seguinte) em vez de ser mediante o ano civil como era até agora. No que diz respeito ao relatório de contas agora aprovado, José Godinho destacou o ativo total líquido de cerca de 5 milhões e 512 mil euros, tendo este “crescido 23% em relação ao ano anterior”. Já o passivo total líquido ronda o 1 milhão e 372 mil euros, um valor que foi “reduzido cerca de 32% em relação ao ano anterior”. Ainda de acordo com o documento fornecido na reunião, o clube tem capitais próprios de cerca de 4 milhões, que cresceram em relação ao ano anterior cerca de 67%. Já o passivo bancário baixou cerca de 54% em relação ao ano anterior de 1 milhão e 527 mil euros para 706 mil euros. Depois de apresentados os números, José Godinho afirmou que “estes valores já estão alterados e para melhor”. No entanto, segundo o presidente, as dificuldades financeiras continuam a tomar conta do clube, que viu os apoios “reduzidos drasticamente”. José Godinho mostrou-se otimista quanto ao futuro, esperando que, no final da época, “com um pouco de sorte”, o clube possa registar “uma dívida muito menor relativamente ao que tínhamos há três anos e daqui a um tempo ter o clube a zeros”. No que respeita às atividades da Oliveirense, o presidente destacou o “brilhante comportamento” do basquetebol nas competições em que está inserida, a conquista da Taça de

Portugal no hóquei em patins e a presença da equipa de futebol nas meiasfinais da Taça de Portugal. Nas três modalidades, o clube movimentou 620 jogadores, 65 técnicos, 80 diretores e seccionistas e 10 elementos especializados no departamento médico. No ponto destinado a outros assuntos de interesse para o clube, o sócio Amílcar Ferreira questionou o presidente sobre a criação de uma sala para expor todas as taças conquistadas pelas equipas da Oliveiren- O presidente da secção de hóquei em patins, António Valente, mostrou na se. “A sala de troféus tem sido uma assembleia-geral a Taça de Portugal, conquistada pela Oliveirense preocupação minha, mas terá de ser um espaço com dignidade para ser exposto à sociedade e para ser adiantando que tem mantido conta- ser encontrado um local no centro da visitado”, destacou José Godinho, to com o presidente da Câmara para cidade.

???????????????????????????????


REGIONAL CESAR> EDIÇÃO DE 2012 COM BALANÇO POSITIVO

‘Os nossos artistas’ são de grande qualidade Dando continuidade ao que aconteceu em anos anteriores, a edição de 2012 de ‘Os nossos artistas’ foi, uma vez mais, uma montra de trabalhos manuais e artesanais de grande qualidade.

Carlos Costa Gomes

CARLOS COSTA GOMES

Vindo a realizar-se há mais de uma dezena de anos, a exposição ‘Os nossos artistas’, na sua última edição, levada a cabo em outubro último, mostrou, uma vez mais, capacidade de aglutinação de participantes, juntando, no mesmo espaço, cerca de três dezenas de expositores com saberes e sabores diversos. Dada, então, a grande variedade de expositores, ‘Os nossos artistas’ revela-se, cada vez mais, uma fonte de novidade e interesse pela grande diversidade de artigos expostos: artes decorativas de Andreia Gabriel; caixas e artigos em madeira de Ana Rita Almeida – Além do Arco-Íris; acessórios para roupa de Aníbal Rodrigues; panos pintados de Aurora, Sandra e Maria da Luz; bijuterias de Bruna Martins; artesanato di-

De edição para edição, a exposição ‘Os nossos artistas’ tem ganho qualidade

verso do Centro Infantil e Social de Cesar (CISC); telas de Clara Lopes, Constança Araújo, Dinis Mesquita, Fernanda Valente, Conceição Pombo e João Teixeira; artigos de cera de Idalina Campos; artigo de material reciclado de Andreia Joana, Amélia Pinho e Isabel Ribeiro; bambus, de José Teixeira; sacos de tecido, Júlia Silva; doçaria local e regional de Luís e Pedro Queirós, empalhagem de móveis, Maria

13

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

Martins; arte floral de Olga Florista; arraiolos de Tavares; bordados, Grupo Troca de Saberes e Made By Ju de Joana Araújo, etc.. Uma iniciativa que ganha tradição A organização do evento é da responsabilidade da Junta de Freguesia de Cesar (JFC), com o apoio do grupo de senhoras que, desde a primeira hora, tem estado ao lado da

autarquia na concretização das mais variadas iniciativas. Recorda-se ainda que, para além da mostra, a promoção de outras ações da JFC, com igual qualidade, “põe-na numa das mais dinâmicas nos âmbitos cultural, tradicional e mesmo no campo social”, tal como foi referido pelas entidades oficiais, nomeadamente pelas Junta de Freguesia e Câmara Municipal, na visita que fizeram ao certame.

> EM CESAR E, NO DIA SEGUINTE, EM AZEMÉIS

Queda de trabalhadores Um acidente de trabalho que ocorreu na tarde de quinta-feira passada, em Cesar, deixou um operário em estado considerado grave. O sinistrado, de 20 anos, sofreu lesões ao cair do telhado um armazém situado na Praça da Liberdade. A queda, de cerca de cinco metros, deu-se quando uma placa do telhado que o jovem reparava cedeu. A vítima apresentava suspeitas de lesões na coluna e foi socorrida pelos Bombeiros Voluntários de Fajões, que a transportaram para o Hospital de São Sebastião, na Feira. No dia seguinte, praticamente à mesma hora, os bombeiros oliveirenses acorreram a uma outra queda que vitimou um trabalhador, nas instalações de uma empresa localizada na Zona Industrial de Santiago de Riba-Ul.

DC

PINHEIRO/OSSELA/LOUREIRO > UNIDADES DE SAÚDE Angela Amorim

a, com fabrico artesanal na freguesia de Ainda a dar os primeiros passos, a Cerveja Vadi a de conquistar uma medalha de prata Ossela, concelho de Oliveira de Azeméis, acab uma competição, realizada na Alemanha, no ‘Brussels Beer Contest’. Isto no âmbito de oriundas de 16 países. com a participação de mais de 500 cervejas

Alterações nos horários de atendimento De acordo com o Correio de Azeméis apurou, junto do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Entre Douro e Vouga II, as unidades de saúde do Pinheiro da Bemposta, Ossela e Loureiro vão ter os seus horários de encer ramento alterados. Trata-se de uma “redestribuição” para “aumentar a acessibilidade dos cuidados de saúde primários” na zona Sul do concelho, conforme explicação do seu presidente, Miguel Portela,

ao Correio de Azeméis. Alterações Unidade de Saúde do Pinheiro da Bemposta fecha às 18h00 às terças e quintas-feiras, mantendo o horário das 20h00 nos restantes dias; Unidade de Saúde de Ossela encerra às terças-feiras às 20h00 e às quintas às 19h00; Unidade de Saúde de Loureiro, também nesses dias (terças e quintas-feiras), passa a fechar às 20h00.


14

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

> NA OURIVESARIA BASTOS NUMA DAS PRINCIPAIS AVENIDAS DA CIDADE

Diana Cohen

Falsos clientes roubam 15 mil euros em ouro Um casal fingiu querer comprar alianças para, depois, fugir com o mostruário dos anéis. A GNR identificou a viatura em que se deslocavam os assaltantes e está a investigar o caso. DIANA COHEN

Primeiro, estiveram na pa-

TRIBUNAIS E POLÍCIA

O assalto, na Ourivesaria Bastos, durou apenas alguns segundos

daria vizinha a observar as movimentações. Depois, atacaram a ourivesaria, arrancando o mostruário das alianças das mãos da funcionária do estabelecimento, situado no centro da cidade. No total, os ladrões terão arrecadado cerca de 15 mil euros em ouro. Foi pelas 16h00 de sextafeira passada que o casal, cujos elementos, segundo os comerciantes “não tinham mais de 30 anos”, entrou nas instalações da Ourivesaria Bastos, na Avenida Dr. António José de

Almeida, pedindo à empregada para ver alianças em ouro. “Ela mostrou-lhes, mas, depois, pediram-lhe para ir buscar as alianças mais grossas”, contou o dono do espaço, Manuel Bastos, ao Correio de Azeméis. Quando a vítima regressou com o mostruário dos anéis em ouro, o homem agarrou-o e puxou-o com violência. A colaboradora ainda tentou resistir e medir forças, mas, com um esticão mais forte, ao mesmo tempo que, acidentalmente, pontapeou um vidro que co-

> POR ALEGADAS OFENSAS À INTEGRIDADE FÍSICA

Juiz julgado por agressões a casal O juiz que preside o Círculo Judicial de Oliveira de Azeméis e outros três arguidos, entre eles, um filho do magistrado, estão a ser julgados, no Tribunal da Relação do Porto, por, alegadamente, terem agredido um casal, em março de 2010. O incidente ocorreu nas proximidades da habitação do juiz António Alberto, em Gião, Santa Maria da Feira, quando, de acordo com a acusação do Ministério Público (MP), o magistrado retirou a sua viatura do local, guardando-a na sua garagem, antes da chegada das autoridades. Quando se encontrou novamente com o casal, a mulher insistiu em chamar a GNR. Então, refere o documento, António Alberto “ergueu um

dos braços na direção da cara dela, para a impedir de concretizar a chamada e, com as costas da mão, vibrou-lhe uma forte pancada de cima para baixo que a atingiu na face”. O companheiro da mulher terá, então, agarrado o magistrado que, lê-se na acusação, “ao sentir-se agarrado, lhe desferiu murros no peito e rosto”. A primeira sessão do julgamento realizou-se na sexta-feira passada. Citado pela agência Lusa, António Alberto defendeu-se, alegando ter sido ele a vítima, já que o assistente, Vítor Hugo, o agrediu “com um murro nos lábios”. De acordo com a versão do juiz, o incidente deuse numa altura em que Vitor Hugo já preenchia a declaração amigável

e, ainda assim, a mulher contatava a guarda, por não concordar em resolver o caso “a bem”. Antes de assistente e arguido terem ficado “engalfinhados”, António Alberto confessou ter posto a mão no antebraço da mulher, mas “sem a magoar, sem a pressionar”, pedindo-lhe “para deixar o telemóvel”. Garantiu, ainda, que agiu em legítima defesa e não desferiu um soco em Vitor Hugo, tendo-o, apenas, repelido “com os braços”, acusando, antes, o homem de agressões. António Alberto e outro homem respondem por ofensas à integridade física qualificadas. Os restantes, são suspeitos do mesmo crime, mas na forma simples. DIANA COHEN

bre a parte inferior do balcão, o assaltante conseguiu, mesmo, roubar todas as alianças: cerca de 200 gramas em ouro. “Eles deviam pensar que ela estava sozinha na loja. Senão, não tinham entrado”, concluiu Manuel Bastos, que, na altura do assalto, encontrava-se nas traseiras do estabelecimento comercial e só se apercebeu do crime quando ouviu o som emitido pelo quebrar do vidro. A dupla fugiu, depois, apressadamente, num Fiat Punto de cor preta, dirigido por um

cúmplice. A GNR compareceu no local do crime pouco tempo depois, tendo registado a ocorrência e os relatos das testemunhas. Entretanto, já identificou o automóvel dos suspeitos, oriundo do Norte do país. Este foi o primeiro assalto que ocorreu na Ourivesaria Bastos. “Felizmente, aqui, nunca tinha acontecido. Pior foi quando roubaram a ourivesaria do meu sobrinho, há três anos, e o espancaram com um martelo”, recordou o ourives.


20 de novembro de 2012 (Este suplemento faz parte integrante do Jornal Correio de Azeméis n.º 4482)

desporto

FUTSAL> MUNDIAL DE FUTSAL FEMININO DE 03 A 09 DE DEZEMBRO EM OLIVEIRA DE AZEMÉIS

“Torneio antecâmara para o 1.º campeonato do mundo” Fazer deste III Torneio Mundial de Futsal Feminino uma espécie de “antecâmara para o 1.º campeonato do mundo” da modalidade, na sua vertente feminina. Este é um dos objetivos da Federação Portuguesa de Futebol, que, juntamente com a Associação de Futebol de Aveiro e a Câmara oliveirense, organiza a competição internacional que Oliveira de Azeméis recebe entre 03 e 09 de dezembro. GISÉLIA NUNES

Fernando Gomes, Álvaro da Fonseca e Hermínio Loureiro, respetivamente, os presidentes da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Associação de Futebol de Aveiro (AFA) e Câmara Municipal oliveirense apresentaram, ontem, em conferência de imprensa, o III Torneio Mundial de Futsal Feminino, que se vai realizar, em Oliveira de Azeméis, de 03 a 09 de dezembro. Isto depois de Alcobendas (Espanha) e Fortaleza (Brasil) terem acolhido o mesmo certame. No auditório do edifício da Praça da Cidade, os representantes das três entidades envolvidas na organização da terceira edição daquela que, por enquanto, é a maior competição internacional da modalidade mostraramse otimistas quanto ao sucesso organizativo e, de igual modo, relativamente ao futuro. O líder da FPF disse mesmo que encara este Mundial de Futsal Feminino como um “torneio antecâmara para o 1.º Cam-

A cidade acordou, ontem, com uma grande campanha de marketing de promoção e divulgação do Mundial de Futsal Feminino.

peonato do Mundo de Futsal Feminino”. A ideia é “criar bases” para que, no futuro, a FIFA (Federação Internacional de Futebol) venha a organizar um campeonato oficial no âmbito deste desporto em concreto, na sua vertente feminina, que é coisa que até à data ainda não se verificou. Além do mais, é intuito do organismo que tutela o futebol nacional, a que Fernando Gomes preside, transformar o futsal na maior modalidade de pavilhão no país. “Vamos tentar fazer com que o futsal seja a modalidade pavilhão mais praticada em Portugal”, afirmou em terras de La Salette. Entre nós, o dirigente, para quem a candidatura’ apresentada pela autarquia à FPF era a que oferecia “melhores garantias de sucesso”, ainda fez saber que as entradas para o III Torneio Mundial de Futsal Feminino vão ser livres, sendo que o objetivo é encher, na totalidade, tanto o pavilhão Dr. Salvador Machado (palco principal, no qual vai ser jogada a maioria das partidas, inclusive a final) como o pavilhão municipal de Oliveira de Azeméis, onde ainda vão ser disputados jogos.

Um município que aposta no desporto Hermínio Loureiro foi o primeiro a falar neste encontro marcado com os jornalistas, ou não estivesse ali a desempenhar o papel de anfitrião. O autarca e, igualmente, vice-presidente da FPF começou por sublinhar que, não obstante ser cada vez mais difícil as autarquias apoiarem o desporto – não só devido à “crise”, mas também pela “legislação em vigor” que dificulta, e que de maneira, o apoio autárquico em termos desportivos – o município de Oliveira de Azeméis (MOA) vai continuar a apostar no desporto. “Passámos [a edilidade] de uma fase de construção de equipamentos desportivos” para uma outra em que a prioridade é “dar-lhes vida”, mantê-los em funcionamento. Daí o MOA ‘ter abraçado’, uma vez mais, um evento com amplitude mundial, que, desta feita, envolve as melhores seleções de futsal feminino do mundo. “Em Oliveira de Azeméis, quando aceitamos ser parceiros na organização de grandes eventos desportivos, fazemo-lo com base em três premissas: aumentar a qua-

lidade da modalidade [neste caso do futsal]; aumentar o número de praticantes; e aumentar a notoriedade do município”, sublinhou. Aliás, o edil quer – e frisou-o ontem – que o III Mundial de Futsal Feminino seja referenciado como “um antes de Oliveira de Azeméis e um depois de Oliveira de Azeméis”. Na hora dos agradecimentos, Hermínio Loureiro agradeceu à União Desportiva Oliveirense (UDO), em particular às secções de basquetebol e hóquei em patins, pela “cedência” do Dr. Salvador Machado; à FPF, “por ter escolhido Oliveira de Azeméis para a realização deste evento”; e, por último, a todos aqueles que, durante a madrugada anterior, andaram a colocar, em sítios estratégicos do concelho, material de divulgação do III Torneio Mundial de Futsal Feminino. Por seu turno, Álvaro da Fonseca revelou-se “feliz” pelo “rebuçado” dado pela FPF, sinal de que “confia nos nossos trabalho e dedicação”. Outro motivo de satisfação para este responsável pela AFA é o facto de em Aveiro a modalidade estar “em progresso”.

2ª DISTRITAL> S. ROQUE VOLTOU A PERDER

Derrota ao cair do pano CANEDO, 1 S. ROQUE, 0 Canedo: Higuita, Manu, Pedro, Jota, Robalinho (Moreira), Nino, João, Manuel, Miguel (André), Marcelo e China S. Roque: Amílcar, Casalinho (Diogo), Marco, Caxana, Barbosa, Fi, Farinhas, Fábio (Rui), Acosta, João Marques e João Pedro (Brunito). Campo das Valadas, em Canedo. Árbiro: Carlos Tavares. Marcador: Robalinho (88’)

Já com um novo treinador no banco, o S. Roque sofreu uma derrota injusta na deslocação a Canedo, pois num jogo bastante equilibrado foi Robalinho, perto do final, a desfazer a igualdade quando os adeptos que se deslocaram desde a vila de S. Roque, em bom número, já festejavam o empate. A primeira parte foi muito equilibrada com o Canedo com mais posse de bola, enquanto os visitantes respondiam em contra-ataque, mostrando que estavam em campo para discutir o resultado. Há a salientar uma oportunidade para cada lado com os guarda-redes a resolverem com duas magníficas defesas. Numa segunda parte de muito contato físico a prejudicar o espetáculo, Robalinho, já perto do final, aproveitou um ressalto para fazer o único golo da partida. No final, o novo técnico do S. Roque, Aurélio Fonseca, mostrou-se desagradado com o resultado, mas salientou que a sua equipa tem qualidade suficiente para dar a volta à situação.

Simão Ferreira defende-se Na sequência da crónica do S. Roque publicada na semana passada, Simão Ferreira, ex-treinador da equipa, esclarece que foi o próprio que colocou o seu lugar à disposição no S. Roque e garante que não foi dispensado pela direção. “Eu já tinha colocado o lugar à disposição três vezes e só agora é que a direção aceitou”, afirmou o técnico, defendendo ainda que “nenhum jogador saiu em litígio comigo”.


16

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

TAÇA DE PORTUGAL> GOLO EM CIMA DO INTERVALO GARANTIU TRIUNFO

2ª DISTRITAL> EM CASA

Pinheirense triunfa Foi Garrido que abriu o marcador, logo aos oito minutos do primeiro tempo, para o Pinheirense. Perante uma equipa rápida e eficaz foi o Pinheirense quem primeiro chegou ao golo. Antes do intervalo, Flávio teve oportunidade de aumentar a vantagem para a equipa do Pinheiro da Bemposta, mas falhou. Com alguns remates do Bom Sucesso valeu o trabalho de Carlos, guarda-redes do Pinheirense, para adiar o golo dos visitantes, que, no entanto, viria a surgir ainda antes do intervalo. Logo aos três minutos da segunda parte, foi João que, sendo aniversariante neste

DESPORTO

PINHEIRENSE, 2 BOM SUCESSO, 1 Pinheirense: Carlos, Toninho, Tiago, Vítor, Alcides, Fabrício, Garrido, Flávio, Rato, João, Rola (Titi 62’). Treinador: Magalhães. Bom Sucesso: Gaby, Nelson Queiros, Nelson Calado, Dani (Carlos 80’), Gamelas, Dino (Renato Sereno 77’), Marco (Xandre 75’), Paulo, Lobo, Miguel, Mino. Treinador: Vítor Urbano.

Diogo põe a Oliveirense nos oitavos de final da Taça

Alfredo Pinho

OLIVEIRENSE, 1 U. LEIRIA, 0 Oliveirense: Mammadou; Joca, Banjai, Diego, Chico Silva; Diogo, Zé Pedro, Rui Lima (Capela, 90’); Hélder Silva (Carlitos, 77’), Ivan Santos (Avto, 63’) e Barry. Treinador: João de Deus.

Estádio Jaime Rocha, em Pinheiro da Bemposta. Árbitro: Alberto Patrício Cartão amarelo: Flávio (30’), Nelson Queiros (40’), Toninho (50’), Rato (57’), Garrido (78’), João (90’), Dani (92’) Marcadores: Garrido (8’), Miguel (31’), João (48’)

dia, presenteou o povo de Pinheiro da Bemposta, marcando o segundo golo para a formação de Magalhães que esteve inquieto e expectante durante a partida. O Pinheirense conquista a vitória frente ao quarto classificado e soma a segunda vitória no campeonato.

U. Leiria: Hugo Miguel; Tiago Rosa, Filipe (Filipe Santos, 55’), Tiago Pires, Luciano; Fábio, Emiliano, Ricardo; Hélio (Hygor, 68’), Nelson Torres e Serginho I. Treinador: José Bizarro. Estádio Carlos Osório, em Oliveira de Azeméis. Árbitro: Jorge Sousa (AF Porto). Cartão amarelo: Tiago Pires (61’) Avto (85’), Luciano (85’), Zé Pedro (89’) Marcadores: Diogo (44’)

A Oliveirense venceu o Leiria num jogo em que foi perdulária.

Ao vencer a União de Leiria com um golo marcado em cima do intervalo por Diogo, a Oliveirense garantiu a passagem aos oitavos de final da Taça de Portugal. Já perto do final, foi Mammadou que evitou o prolongamento. ANA FIGUEIREDO

Numa primeira parte dividida, o maior domínio de jogo pertenceu à Oliveirense, mas a equipa apenas conseguiu materializar em golo essa supremacia diante de um adversário que milita na 2.ª Divisão Nacional ao minuto 44. Hélder Silva e Barry protagonizaram as duas oportunidades mais flagrantes da equipa da casa para chegar à vanta-

gem, mas Hugo Miguel resolveu bem os lances não permitindo o golo. A chegar ao intervalo, a Oliveirense esmoreceu e começou a revelar dificuldades para atacar a baliza contrária. Quem tirou partido disso foi o Leiria, que começou a jogar mais no meio campo contrário, mas também sem criar perigo. Na segunda parte, os visitantes entraram determinados em chegar ao empate, mas os caminhos para a baliza de Mammadou estavam bem fechados. Nesta fase do jogo, a Oliveirense criou diversos lances para aumentar a vantagem, sobretudo por intermédio de Barry, mas Hugo Miguel esteve bem entre os postes. Aos 73’ Barry assistiu Zé Pedro à entrada da área e, na cara do guarda-redes, o jogador rematou por cima da barra. Na resposta foi Ricardo que obrigou Mammadou a uma excelente intervenção na melhor situação criada pelos visitantes para chegar ao golo. Já

A Oliveirense está nos oitavos de final na Taça de Portugal nos descontos, Nelson Torres cabeceou com perigo, mas o gigante Mammadou evitou o prolongamento.

“Cumprimos com o nosso objetivo que era passar. Já tínhamos consciência que não ia ser fácil. Mesmo falhando muitos golos, é uma vitória justa e tranquila que fizemos por merecer”.

JOÃO DE DEUS, TREINADOR DA OLIVEIRENSE

“Merecíamos pelo menos um golo. Estivemos melhores na segunda parte e o prolongamento era o mais justo. Gostei da atitude e entrega dos meus jogadores”.

JOSÉ BIZARRO, TREINADOR DA U. LEIRIA


DESPORTO 1.ª DISTRITAL> CUCUJÃES SÓ SE PODE QUEIXAR DE SI MESMO

2.ª DISTRITAL> DIANTE DO ÚLTIMO

Tanto desperdício pago com derrota A jogar diante dos seus adeptos, o Cucujães procurava a vitória para sair dos últimos lugares da tabela classificativa, mas o Gafanha conseguiu o golo do triunfo ao minuto 79, num encontro em que a equipa da casa desperdiçou vários lances para marcar. SÉRGIO COSTA

O jogo começou de forma equilibrada com as equipas a revelarem alguma ansiedade na hora de definir as jogadas. Até que, aos 20’, o Cucujães ficou perto do golo com Brinca, numa jogada de insistência, a encostar para a baliza, mas apareceu Cris a salvar o golo. Aos 44’, Ricardo Nuno

Macieirense venceu por nove

Alfredo Pinho

CUCUJÃES, 0 GAFANHA, 1 Cucujães: Ricardo; Rebelo, Valdemar, Stephane, Hélder, Rui Correia, Ricardo Nuno, Nuno Reis, Canelas, Brinca e Telmo. Treinador: Durbalino. Gafanha: Batista; Sidónio, Cris, António, Lameiras, Cajó, Rita, Nuno Francisco (Daniel, 90’), Luisão, Óscar (Praia, 90’) e Capelas (Agostinho, 85’). Treinador: Carlos Miguel. Parque de Jogos de Cucujães. Árbitro: André Portal. Cartão amarelo: Canelas (39’), Ricardo Nuno (66’), Nuno Reis (77’); Lameiras (67’). Marcador: Rita (79’).

defesa, após remate de Rita. Este jogador viria mesmo a chegar ao golo, ao minuto 79, num livre polémico em O Cucujães foi surpreendido em casa pelo Gafanha que a bola bateu no braço de Nuno que estava encostado ao corpo. Até final, o Cucujães prorecuperou uma bola e serviu boa posição, atirou por cima. curou o empate e, aos 84’, HélBrinca, mas apareceu um de- Pouco depois foi Valdemar der, por duas vezes, obrigou fensor a evitar que o mesmo que também não conseguiu Batista a defesas milagrosas. rematasse para o golo. marcar com a baliza à sua No final, derrota injusta para Na segunda parte, o Cucu- mercê. Aos 55’ foi Ricardo a equipa da casa que se pode jães entrou ainda mais forte Coelho que evitou o golo do queixar da falta de sorte na e, aos 49’, Ricardo Nuno, em Gafanha, com uma grande hora de finalizar.

1.ª DISTRITAL> CARREGOSENSE SOMOU TRÊS PONTOS

Acreditar até ao fim vale vitória Alfredo Pinho

O Carregosense voltou às vitórias no campeonato

Após o empate na semana te caso frente ao Fiães, numa passada, o Carregosense volta, vitória justa do querer e do novamente, às vitórias, nes- acreditar até ao fim. Logo no

primeira minuto, o Carregosense sofreu um golo madrugador após uma perda de bola a meio campo, com Hugo Silva a atacar pelo lado direito e a passar a bola por cima de Justo com André Cardoso a limitarse a encostar para o fundo das redes. O Carregosense não desistiu e, aos 17’, chegou ao empate por Bruno Alves a rematar forte de fora da área sem hipóteses para o guarda-redes Fernando. Até ao intervalo, as equipas batalharam na obtenção do golo, mas tanto a defesa local como a visitante não o permitiram. Na 2.ª parte, o Fiães ficou em desvantagem numérica e o

15.º Aniversário Lutuoso - 25/11/2012

O.P. n.º 34045

Manuel Pinho Almeida - Azagães-Carregosa -

No dia em que se completa o 15.º aniversário sobre o falecimento de Manuel Pinho Almeida, sua esposa, filhas, genro, netas e demais família recordam, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma no próximo dia 26 de novembro, pelas 19h00, na igreja matriz de Carregosa.

17

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

FIÃES, 1 CARREGOSENSE, 2 Carregosense: Pedro Justo, Rui Faria, João Couto, Bruno Alves (Hélder aos 78’), Ricardo Paiva (Rogerinho aos 62’), Pardal, Rogério, Miguel Silva, Frodo, Zé do Porto (Rui Silva aos 62’), Barbosa. Treinador: Luís Miguel. Fiães: Fernando Pais, Vítor Santos, Joaquim Santos, Nelson Ferreira (Tiago Neves aos 55’), Hugo Silva (Tiago Reis aos 70’), Pedro Silva, Ruben Almeida, André Cardoso (Bruno Cardoso aos 80’), Fábio Adegas, Pedro Oliveira, Bruno Pinto. Treinador: Vasco Coelho. Estádio Dr. Teixeira da Silva Árbitro: Paulo Duarte. Cartão amarelo: Bruno Alves e Rui Silva; Pedro Silva, Paulo Oliveira, Vítor Santos, Ruben Almeida e Joaquim Santos. Cartão vermelho: Joaquim Santos (a.a.) Marcadores: André Cardoso (1’), Bruno Alves aos (17’), Miguel (90+1’).

Carregosense pressionou mais, quer com remates, quer com contra-ataques rápidos, mas a concretização não estava a ser eficaz. O golo da vitória surgiu já nos descontos, quando Barbosa se desmarca pelo lado esquerdo e cruza para a área, com Miguel a surgir na frente da baliza e a marcar o seu primeiro e tão ansiado golo. O Carregosense é um justo vencedor, já que foi a equipa que mais arriscou e mais trabalhou no sentido de procurar a vitória. ALÍPIO SOARES

MACIEIRENSE, 9 CORTEGAÇA, 0 Macieirense: Padeiro (Fábio, 53’), Bernardo (Gustavo, 46’), Xavier, Moisés, Brunito, Samu, Dani, Ricardinho, Fábio Anjos, Leandro (Leite, 46’) e Sérgio Gomes. Treinador: Zé Manel Cortegaça: Nuno, João, China, Pereira, Edson, Cláudio (Pudim, 46’), Marcelo, Baía (Luís, 34’), Eduardo (Soares, 46’), Ricardo e Frota. Treinador: Ruben Pombinho Campo do Viso, em Macieira de Sarnes. Árbitro: Carlos Silva. Cartão amarelo: Nuno (23’ e 32’) e João (30’ e 51’). Cartão vermelho: Nuno (32’), João (51’) e Frota (76’) Marcadores: Sérgio Gomes (4’, 75’ e 84’), Ricardinho (13’, 34’, 56’ e 80’), Leandro (23’) e Fábio Anjos (82’).

Diante do lanternavermelha, o Macieirense conquistou uma goleada histórica ao vencer por uns esclarecedores 9-0, um adversário que terminou o encontro reeduzido a apenas oito jogadores. Numa bela tarde de sol, os locais cedo demonstraram a sua evidente superioridade, e aos 13’ já venciam por 2-0. À passagem do minuto 23’, Leandro também fez o gosto ao pé e, pouco depois, Sérgio Gomes não conseguiu transformar uma grande penalidade. Antes do intervalo, Ricardinho fez o 4-0 e para o segundo tempo, o técnico Zé Manel fez rodar a equipa, estreando Gustavo e Fábio. No início da etapa complementar, o Macieirense voltou a aumentar a sua vantagem no marcador e, após um período do jogo em que abrandou um pouco o ritmo, a equipa da casa voltou a carregar e acabou por fazer ainda mais quatro golos, com destaque para o hattrick de Sérgio Gomes e o poker de Ricardinho. Numa partida de sentido único, o triunfo do Macieirense até podia ter tido proporções ainda maiores, face ao volume de oportunidades criadas. Após o seu quarto jogo em casa, a formação de Macieira de Sarnes ainda não sofreu qualquer golo. No final do desafio, o treinador Zé Manel enalteceu a postura dos seus jogadores que “foram humildes e tiveram a mesma atitude de quando defrontam um adversário com outras ambições”. PAULO RUI


18

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

HÓQUEI EM PATINS> NUM PAVILHÃO DIFÍCIL

Cucujães escorregou SISMARIA, 6 CUCUJÃES, 2 Sismaria:Marco Guerra;André Silva (1),Ricardo Santos,Orlando Fernandes (3) e Mário Fonseca (1). Jogaram ainda:Rafael Silva e Ricardo Pereira. Treinador: Francisco Mendes. Cucujães: José Martins; Duarte Resende,Miguel Oliveira,João Moreira(1) e Tiago Oliveira (1). Jogaram ainda:Pedro Sereno;Pedro Costa,Fábio Cunha,João Teixeira e Gonçalo Tavares. Treinador:Rui Tavares. Pavilhão: Muncipal de Marrazes, em Leiria. Árbitro:Paulo Oliveira (Aveiro) e (Pedro Sousa). Ao intervalo: 2-0.

Numa das deslocações mais complicadas, o Cucujães foi até ao Sismaria averbar a segunda derrota do campeonato num piso onde encontrou dificuldades para manter o equilibrio durante o jogo todo e mais uma vez o Cucujães mostrou-se perdulário na hora de finalizar. O jogo iniciou-se praticamente com o golo do Sismaria, enquanto o Cucujães criava oportunidades, mas não marcava num encontro em que o seu adversário fechavase bem na defesa e quando atacava criava sérias dificuldades para os visitantes. Na segunda parte, o Cucujães tentou corrigir aquilo que estava mal, mas falhava na hora de marcar e disso aproveitou o adversário para chegar aos 4-0. Os visitantes apenas conseguiram reduzir para 4-2 e ainda desperdiçaram uma grande penalidade, o que podia ter colocado a equipa da casa a ‘tremer’. Como quem não marca sofre, o Sismaria colocou o resultado final em 6-2. RUI DUARTE

> CAMINHADA DA ACREV

Pelas margens do rio Cercal... Neste domingo, dia 25, a Associação Cultural e Recreativa de Vilar (ACREV) leva a cabo mais uma caminhada, desta feita, pelas margens do rio Cercal. A concentração está marcada para as 08h45, no Miradouro António Tavares (parque de La Salette). Trata-se de um percurso circular, de cerca de 11,5 km e dificuldade média. As inscrições podem ser feitas até às 15h00 de sábado , através do mail acrev@sapo.pt ou dos n.ºs telm: 965 853 137, 938 615 994, 919 709 818 ou 918 407 332.

DESPORTO

HÓQUEI EM PATINS> DEPOIS DE VENCER NA QUARTAFEIRA O GULPILHARES

Oliveirense sofre a primeira derrota Alfredo Pinho

FÍSICA, 4 OLIVEIRENSE, 3 Física: Carlos Coelho; Carlos Godinho, German Dates (1), Aln Fernandes (1) e Samuel Lima. Jogaram ainda: Ricardo Pereira (2) e João Beja. Treinador: Vítor Fortunato. Oliveirense: Diogo Almeida; André Azevedo, Nelson Pereira, Miguel Rocha (3) e Diogo Silva. Jogaram ainda: Francisco Silva, Gonçalo Alves, Ricardo Ramos e Tó Silva. Treinador: Nuno Resende. Pavilhão Manuel Antunes Jr. Árbitros: José Monteiro, Rui Torres e Joni Faria. Marcha do marcado:2-0; 2-1; 3-1; 3-2; 3-3; 4-3. Ao intervalo: 3-2.

À passagem da sétima jornada, a Oliveirense sofreu a primeira derrota no campeonato. Em casa do Física, equipa treinada pelo ex-oliveirense Vítor Fortunato, a Oliveirense foi surpreendida e perdeu pela margem mínima. Depois de ter vencido o Gulpilhares, no ‘Salvador

A Oliveirense vai apresentar uma exposição à FPP acerca da arbitragem no último jogo

Machado’, por 5-3, na passada quarta-feira, a Oliveirense deslocou-se ao reduto do Física, no último sábado, de onde saiu derrotada por 4-3. Num encontro marcado por uma grande dualidade de critérios, que acabou por prejudicar a formação comandada por Nuno Resende, a Oliveirense foi penalizada com dois golos que castigaram a fraca entrada no jogo. No entanto, a equipa corrigiu e conseguiu equilibrar o encontro. Miguel

Rocha, o melhor marcador neste jogo com três golos, reduziu a desvantagem para a Oliveirense, mas a equipa da casa voltou a aumentar a diferença. Ainda antes do intervalo, de grande penalidade, Miguel Rocha colocou o marcador em 3-2. Na segunda parte, a Oliveirense continuou à procura de mudar o rumo dos acontecimentos, mas o trabalho da equipa de arbitragem e uma sólida defesa do Física

não permitiram à Oliveirense chegar à vitória. Oliveirense queixa-se à Federação O trabalho da equipa de arbitragem no encontro frente ao Física mereceu total repúdio dos dirigentes da Oliveirense que já adiantaram que vão fazer uma exposição dos acontecimentos à Federação Portuguesa de Patinagem (FPP) e ao Conselho Nacional de Árbitros.

HÓQUEI EM PATINS> VIANENSES MAIS EFICAZES

Escolares lutam mas não conseguem ganhar ESCOLA LIVRE, 2 JUV. VIANA, 4

Alfredo Pinho

Escola Livre: Cereja; Sérgio Almeida, Paulo Jesus (2), Paulo Almeida, Flávio Silva. Jogaram ainda: Bruno Andrade; Daniel Gaspar, Ricardo Bastos. Juv. Viana: Leornado Pais; Nuno Félix (2); Diogo Fernandes (1); Joel Coelho(1); João Araújo. Jogaram ainda: Nuno Almeida; Gustavo Lima; Jorge Vieira. Pavilhão da Escola Livre de Azeméis. Árbitro: Jerónimo Moura, Nuno Sequeira e Árbitro Auxiliar: Paula Santos Cartão azul: Flávio Silva, Diogo Fernandes Marcha do marcador: 0-2; 1-2; 1-3; 2-3; 2-4. Ao intervalo: 0-2.

A Escola Livre de Azeméis (ELA) recebeu a Juventude de Viana, mas não conseguiu vencer este adversário num jogo bem disputado. A equipa da ELA entrou bem no encon-

Num bom jogo de hóquei em patins, o Viana foi mais eficaz

tro, mas a equipa adversária adiantou-se no marcador por Nuno Félix. A formação da casa perdeu a bola na área do adversário, o que possibilitou

o contra-ataque dos vianenses, que aumentaram a vantagem por Joel Coelho. Na segunda parte, a Escola Livre de Azeméis entrou num

bom ritmo de jogo e reduziu por Paulo Jesus. A formação de Azeméis continuou a lutar, sofreu uma falta na pequena área que originou um livre direto, mas na conversão Paulo Jesus enviou o esférico ao poste. A equipa do Juv. Viana aumentou o marcador, novamente, por Nuno Félix e numa jogada rápida e bem construída, novamente Paulo Jesus reduziu a vantagem para 2-3. A equipa visitante quase no final da partida fixou o resultado final 2-4 por Diogo Fernandes. O pavilhão estava bem composto para assistir a um jogo que foi bem disputado, com os dois conjuntos a lutarem pela vitória, tendo a formação da Juv. Viana conseguido concretizar as investidas que fez.


DESPORTO FUTSAL> CAMPEONATO DISTRITAL DA 1.ª DIVISÃO

Pontos perdidos à sexta jornada

FUTSAL> COM UMA BOA EXIBIÇÃO

FUTEBOL> 2ª DISTRITAL

Nogueirense vence em Mosteirô da Feira

PARC confirma bom momento

Num jogo muito bem disputado no recinto do Mosteirô, o Nogueirense averbou a terceira vitória do campeonato numa partida em que entrou muito bem, criando várias oportunidades para inaugurar o marcador. Na segunda parte, o jogo foi mais equilibrado com várias oportunidades para cada lado; no entanto o Nogueirense esteve sempre mais perto do golo e, numa das oportunidades, aos 88 minutos, o Nogueirense fez justiça no marcador com um golo de belo efeito de Talheiro, fixando o resultado final em 0-1. A arbitragem esteve em plano razoável.

Alfredo Pinho

ESGUEIRA, 2 AZAGÃES, 2 Esgueira: Daniel, Tomé (1, 1 a.g.), Eduardo, Tiago (1), Daniel. Jogaram ainda: Sérgio, Rui, Marco, Teófilo, Ricardo. Treinador: Luis Silva. Azagães: Rúben, Carlos, Tiago (1), Messi, Joel. Jogaram ainda: Vitinha, Gigante, Fabio, J. Paulo. Treinador: Ricardo Dias. Pavilhão da Escola Secundária de Esgueira. Árbitro: Leandro Costa, Alfredo Andrade Cartão amarelo: Vitinha, Messi, Eduardo. Duplo Amarelo(Vermelho): Sergio

O Azagães já estava precavido para as dificuldades que ia encontrar em Esgueira e acabou mesmo por perder, aqui, os primeiros pontos do campeonato muito por culpa também do excesso de confiança depois de cinco vitórias consecutivas. O Azagães mostrou-se mais ofensivo, mas pela frente encontrou um guarda-redes em bom plano. Na segunda parte, o jogo ficou mais rápido e os golos acabaram por aparecer com a equipa da casa a inaugurar o ativo. O Azagães conseguiu a ‘cambalhota’ no marcador, mas, já nos instantes finais, o Esgueira conseguiu o golo que roubou os primeiros pontos do campeonato ao Azagães. O resultado acaba por se ajustar ao encontro com muitas queixas, quer de um lado quer do outro, à arbitragem, apesar de serem árbitros referenciados a nível distrital e nacional. FREDERICO BASTOS

A PARC ocupa o 3.º lugar da tabela classificativa.

PARC, 4 SP CASTELÕES, 0 PARC: Sílvia; Daniela, Filipa, Raquel, ainda. Jogaram ainda: Joana Fernandes, Andreia, Liliana, Adriana, Tukka. Treinador: Hugo Tavares. SP Castelões: Ana Maria; Joana Silva, Adriana Campos, Tânia Pinho, Daniela Rodrigues Jogaram ainda: Carla Soares, Ana Almeida, Natália Pinho, Ana Portela. Treinador: Laurentino Lima.

19

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

ram o marcador, à passagem dos 9’, por intermédio de Filipa. Um minuto depois Raquel faz o 2-0 para as locais. Sem grande resposta das forasteiras, Daniela, aos 16’, colocou o resultado em 3-0, que perduraria até ao intervalo. No segundo tempo, as pin delenses geriram, a seu

belo prazer, a vantagem trazida da etapa inicial, tendo ainda tempo para mais um golo, da autoria de Raquel. Com esta vitória, a PARC soma 19 pontos, mantendo o 3.º lugar. Na próxima jornada, a PARC volta a jogar em casa, diante da ARD Vilamaiorense.

Pavilhão da PARC, em Pindelo. Arbitros -João Pereira e António Coutinho Cartão amarelo: Filipa. Marcadoras: Filipa (9’), Raquel (10’, 28’), Daniela (16’).

A PARC confirmou, uma vez mais, o bom arranque de campeonato que está a realizar, ao derrotar o Castelões, por 4-0. Numa partida presenciada por bastante público, a equipa auri-negra dominou por completo as operações e acabou por justificar o triunfo. Apesar disso, não foi brilhante a exibição das comandadas de Hugo Tavares, que inaugura-

Núcleo de Camionistas de Terras de La Salette

Convocatória Nos termos e para efeito do artigo 63.º dos seus estatutos,o N.C.T.L. (Núcleo Camionistas Terras La Salette) vem, por este meio, convocar os seus sócios para a próxima assembleia-geral, a realizar no dia 24 de novembro (sábado), pelas 21h00, na Junta de Freguesia do Pinheiro da Bemposta, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apresentação/aprovação do relatório de contas 2. Apresentação de listas para a direção do próximo biénio (entregues 2 horas antes da assembleia) 3. Eleições da direção para o próximo biénio 4. Outros assuntos A assembleia-geral só se reunirá, em primeira convocatória, se estiver presente, ou representada, metade dos sócios com direito a voto, realizando, no entanto, segunda convocatória meia hora depois da hora marcada, com os sócios presentes. Caniços, 14 de novembro de 2012 O Presidente da Comissão Instaladora Manuel Augusto Mortágua

S I T Á R G eios r t s ra

A Corpusmed clínica, no âmbito do seu projeto de intervenção precoce realizará nas suas instalações, rastreios de saúde gratuitos, com o objetivo de promover estilos de vida saudáveis através da educação para a saúde. Rastreios oferecidos: Avaliação da glicémia. Avaliação da tensão arterial. Medição da percentagem de gordura corporal. Índice de massa corporal. Medição do perímetro abdominal. Avaliação do seus pés (confie os seus pés à Podologia).

Dia

Sábado 24 de Novembro de 2012 Horas

Das 14:00 às 18:00 Horas

256 092 412

927 648 372

Rua Marquês de Abrantes, Nº 375 Edifício Gemini, 1º, Salas 4, 5 e 9 3720-255 Oliveira de Azeméis

Avaliação da saúde oral (para que possa passar o Natal com um sorriso bonito e saudável). Avaliação da linguagem (orientações nas crianças dos 3 aos 10 anos). Os utentes podem realizar gratuitamente todos estes rastreios, recebendo também, aconselhamento sobre como melhorar a sua saúde e outros presentes.


20

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

3.º Aniversário Lutuoso - 22/11/2012

NECROLOGIA/PUB. O.P. n.º 34044

Adelino Pereira Dionísio

1.º Aniversário Lutuoso - 17/11/2012 António Rodrigues da Silva

- Estação-Ul -

- Rua Mártir São Sebastião-Carregosa -

Pede um pouco por todos, a quem deixaste a chorar... Que nós, aqui todos juntos, continuaremos a te amar!

Passado um ano da sua partida para a morada eterna, a família recorda-o com profunda saudade.

No dia em que se completa o 3.º aniversário sobre o falecimento de Adelino Pereira Dionísio, sua família recorda, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido. Manda celebrar missa em sufrágio pela sua alma no pró­ ximo dia 22 de novembro, pelas 18h00, na igreja matriz de Ul.

Alcides dos Santos Valente 67 anos (F. 15-11-2012) - Santiago de Riba-Ul-Carnaxide -

A família de Alcides dos Santos Valente, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada, quinta-feira, pelas 19h00, na capela do Senhor da Campa. Maria Fernandes dos Santos Valente (Esposa) Ana Célia dos Santos Valente Casteleiro (Filha) Susana Cristina dos Santos Valente (Filha) Funerária José Pina Lda, Praça José da Costa, n.º 107 - 3720-217 Oliveira de Azeméis Telf.: 256 682 116 * Telm.: 919 743 670 * E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

Maria dos Anjos Rodrigues da Cunha Silva - 60 Anos - Faria de Cima-Vila de Cucujães -

Seu marido, filhos, nora, genro e netos vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra amanhã, 21 de novembro, pelas 19h00, na igreja de Cucujães. Funerária Cristino Ldª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

Salvador da Silva Fernandes - 73 Anos - Ferral-Vila de Cucujães -

Seus filhos, noras, genros e netos vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra no próximo dia 23 de novembro, pelas 19h00, na igreja de Cucujães. Funerária Cristino Ldª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

Celestino Marques de Oliveira - 63 Anos

- Rua dos Combatentes, n.º 236-Pindelo-OAZ -

Sua família vem, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, a realizar quarta-feira, dia 21 de novembro, pelas 19h00, na igreja matriz de Pindelo. luz do horizonte - Funerária, Lda. (Rui Santos & M. Augusto - Vale de Cambra - Telms.: 918 712 770/914 542 819

Centro Social, Cultural e Recreativo de Carregosa Associação de Solidariedade Social

Assembleia-Geral CONVOCATÓRIA De acordo com o estipulado no artigo 28.º número 1 dos Estatutos do Centro Social, Cultural e Recreativo de Carregosa, venho por este meio convocar todos os associados a reunirem-se em assembleia-geral ordinária, para o dia 30 de novembro 2012 pelas 19h30, na sede da instituição, com os pontos da Ordem de Trabalhos: 1 – Leitura e votação da ata anterior 2 – Apresentação, discussão e votação do Orçamento do ano 2013 3 – Votar apresentação de candidatura de membros de órgãos sociais com dois ou mais mandatos 3 – Assuntos diversos do interesse da instituição Sem mais de momento, salvaguardo o estipulado no artigo n.º 28.º alínea 3), onde o início dos trabalhos aguardará uma hora, caso a assembleia não reúna a maioria dos associados inscritos da instituição. 16/11/2012 Presidente da Assembleia Geral (Fernando Valente)

“Uma lágrima pelos que morrem, evapora-se. Uma flor sobre a campa, logo murcha. Uma oração, Deus acolhe”. (Santo Agostinho)

Angelina Rosa Soares Leite - 81 Anos - Rua da Liberdade-Carregosa -

Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres, realizadas em Carregosa, no passado dia 16 de novembro, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia em sufrágio pela sua alma. Funeral a cargo de Funerária Triste Ajuda de Alcino & Filho, Lda. www.alcinoefilho.com - tel: 256 412 007 - 917 571 219

José Paulo de Mendonça Amaral

82 anos (F. 15-11-2012) - Oliveira de Azeméis A família de José Paulo de Mendonça Amaral, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada amanhã, quartafeira, pelas 19h30, na Igreja Matriz de Oliveira de Azeméis. Funerária José Pina Lda, Praça José da Costa, n.º 107 - 3720-217 Oliveira de Azeméis Telf.: 256 682 116 * Telm.: 919 743 670 * E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

Manuel Soares Ferreira

84 anos (F. 16-11-2012) - Macinhata da Seixa A família de Manuel Soares Ferreira, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada amanhã, quartafeira, pelas 19h00, na igreja matriz de Macinhata da Seixa. Funerária José Pina Lda, Praça José da Costa, n.º 107 - 3720-217 Oliveira de Azeméis Telf.: 256 682 116 * Telm.: 919 743 670 * E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

João Paulo Amorim

Solicitador de Execução - Cédula 1982 ANÚNCIO (1.ª Publicação) Processo: 1694/08.4TBOAZ - Tribunal Judicial de Oliveira de Azeméis Execução Comum: 2.º Juízo Cível N.º Interno: PE/276/2008 Data: 2010-06-01 Exequente: Caixa Geral de Depósitos, S. A. Executado: Felisberto Cerdeira da Costa Bernardes e outros Nos autos acima identificados foi designado o dia 13 de Dezembro de 2012, pelas 10.30 horas, neste Tribunal, para a abertura de propostas em carta fechada, que sejam entregues até esse momento, na Secretaria deste Tribunal, sito à Av. António José D’Almeida, em Oliveira de Azeméis, pelos interessados na compra do(s) seguinte(s) bem/bens: TIPO DE BEM: Bem Imóvel DESCRIÇÃO: Fracção autónoma designada pela letra “G”, destinada a habitação, correspondente ao terceiro andar recuado, com a área de 154m²; terraço com 70m²; varanda com 12m²; garagem na cave com 37m²; espaço de arrumos no vão da cobertura por cima da habitação com 118m² e acesso pela escadaria comum, assinalados com a mesma letra da fracção, situado na freguesia e concelho de Oliveira de Azeméis, inscrito na matriz predial sob o Art. 3679º-G e descrito na Conservatória do Registo Predial sob o nº 1297/19950329-G. Penhorado a: Felisberto Cerdeira da Costa Bernardes e Francisca Belém da Cunha Pereira Bernardes, residentes ao Edif. São José, 3.º G - Serro, Oliveira de Azeméis. VALOR BASE PARA VENDA: €126.000,00, as propostas deverão ser, no mínimo, iguais ou superiores a 70% do valor base anunciado, ou seja, €88.200,00. DEPOSITÁRIO: Felisberto Cerdeira da Costa Bernardes, residente ao Edif. São José, 3.º G - Serro, Oliveira de Azeméis. EXECUTADO(S): Felisberto Cerdeira da Costa Bernardes e outros. O Solicitador de Execução, João Paulo Amorim NOTA: Os proponentes devem juntar à sua proposta, como caução, um cheque visado, à ordem do Solicitador de Execução, no montante correspondente a 20% do valor base dos bens ou garantia bancária no mesmo valor (n.º 1 do Art. 897.º do CPC). C. A. n.º 4482 de 20/11/2012 - O.P. n.º 34040


necrologia/PUB.

21

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

Durval Ferreira Pinho Campos - 91 Anos

69.º Aniversário (Caso fosse vivo) - 20/11/2012

Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres, realizadas em Macieira de Sarnes, no passado dia 14 de novembro, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia em sufrágio pela sua alma, que foi cele­brada na igreja matriz de Macieira de Sarnes no passado dia 18 de novembro, pelas 09h00.

- Oliveira de Azeméis -

Eduardo Gonçalves da Silva

- Calçada da Ribeira-Macieira de Sarnes -

Fazes falta a todos... Mesmo que passem 100 anos... continuam a amar-te! Aí no céu, onde agora estás, hoje é o dia do teu aniversário e sempre por nós serás lembrado. Nesta data, em que completaria 69 anos, a sua família informa que será celebrada missa em sua intenção, hoje, 20 de novembro, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis.

Funeral a cargo de Funerária Triste Ajuda de Alcino & Filho, Lda www.alcinoefilho.com - Tel.: 256 412 007 - 917 571 219

Maria Alice de Pinho Santos - 42 Anos

COMOSSELA - Comissão de Melhoramentos de Ossela

Sua família vem, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia de 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, a celebrar hoje, dia 20 de novembro, pelas 19h15 na igreja matriz de Nogueira do Cravo. luz do horizonte - Funerária, Lda. (Rui Santos & M. Augusto - Vale de Cambra - Telms.: 918 712 770/914 542 819

Serralheiro de Moldes Técnicos Zona de Aveiro Experiência + de 3 Anos Idade: Entre 25 - 40 Anos

Contatos: e-mail: candidaturasrecursos@gmail.com

Tlm. 92 44 53 045

MUNICÍPIO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS Divisão de Obras Particulares e Loteamentos AVISO

Nos termos do artigo 27.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, com a redação conferida pelo Decreto-lei n.º 26/2010 de 30 de Março, torna-se público que a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, emitiu em 13 de Novembro de 2012, UM ADITAMENTO AO ALVARÁ DE LOTEAMENTO N.º 10/2000, a pedido de Mina do Pintor – Imobiliária, Lda, contribuinte nº 500 193 576, que titula a aprovação da alteração ao prédio identificado como lote 159, situado em Moutado, na freguesia de Nogueira do Cravo e concelho de Oliveira de Azeméis, descrito na Conservatória do Registo Predial de Oliveira de Azeméis sob o n.º 1022/20011214, e inscrito na respetiva matriz urbana sob o artigo 1945 – P, da respetiva freguesia.

Este espaço pode ser seu Contacte-nos: 256 049 890

Instituição Particular de Solidariedade Social ASSEMBLEIA-GERAL CONVOCATÓRIA De acordo com o Art.º 28.º, n.º 2, alínea c) dos Estatutos, convocam-se os associa­dos para uma Assembleia-Geral Ordinária, a realizar: Dia: 22 de novembro de 2012 Local: Sede da Comossela Hora: 20h30 ORDEM DE TRABALHOS 1. Apreciação e votação do Orçamento, parecer do Conselho Fiscal e Programa de ação para 2013. 2. Autorização para a concessão de financiamento a ser contraído no Montepio, ao abrigo da Linha de Apoio à Economia Social; 3. Assuntos de interesse para a instituição. Ossela, 09 de novembro de 2012 O Presidente da mesa da assembleia-geral (Antero Castro)

Nota: Se à hora marcada não estiver presente a maioria dos sócios, a assembleia terá início 30 minutos depois com qualquer número de sócios presentes.

C. A. n.º 4482 de 20/11/2012

Nos autos acima identificados foi designado o dia 13-122012, pelas 15:30 horas, neste Tribunal, para a abertura de propostas, que sejam entregues até esse momento, na Secretaria deste Tribunal, pelos interessados na compra do seguinte bem imóvel: Prédio urbano sito em Besteiros, da freguesia de Travanca, concelho de Oliveira de Azeméis, composto por casa de habitação, rés-do-chão e andar, logradouro e jardim, a confrontar de norte com arruamento comunitário, sul com rua Areal, nascente com lote 8 e poente com lote 10, inscrito na matriz sob o art.º 1001, descrito na CRP, de Oliveira de Azeméis sob o nº 1066/20040928, com o valor patrimonial de 89 774,88 euros. Valor base da venda: 175 000,00 euros. Valor mínimo da venda, correspondente a 70% do valor base da venda: 122 500,00 euros.

Área abrangida pelo Plano Diretor Municipal (P.D.M.) de Oliveira de Azeméis e pela Operação de Loteamento titulada pelo Alvará de Loteamento nº 10/2000.

Nota: No caso de venda mediante propostas em carta fechada os proponentes devem juntar à sua proposta, como caução, um cheque visado, à ordem da massa insol-

Alteração ao Alvará A alteração do presente aditamento consiste na alteração da localização do polígono de implantação do anexo do lote 159.

CAIXA DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS, CRL

Nota Final Em tudo mais, mantêm-se as prescrições do alvará de loteamento n.º 10/2000, e dos demais documentos que integram o respetivo processo de aditamento ao loteamento, que se encontra arquivado nesta Câmara Municipal – Processo n.º PI/2063/2011 de 15 de Fevereiro de 2011. Dado e passado para que sirva de título ao requerente e para todos os efeitos prescritos no Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, com a redação conferida pela lei n.º 26/2010 de 20 de Março. Paços do Município, 13 de Novembro de 2012 Por delegação do Presidente da Câmara Municipal, O Vereador: Dr. Ricardo Jorge de Pinho Tavares C. A. n.º 4482 de 20/11/2012 O.P. n.º 34039

PUBLICIDADE Processo: 256/12.6TBOAZ-D Referência: 3791030 Partes: Insolvente: Nuno Jorge Martins Ramos e ou­ tro(s)… Credor: Banco Espírito Santo, S.A., Soc. Aberta e outro(s)… Liquidação (CIRE) ANÚNCIO No Tribunal Judicial de Oliveira de Azeméis, 3.º Juízo Cível e nos autos acima identificados:

CONVOCATÓRIA

Nos termos do n.º 2 do artigo 22.º e do n.º 1 do artigo 24.º dos Estatutos da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Oliveira de Azeméis, CRL, pessoa coletiva 501 103 813, matriculada na Conservatória do Registo Predial de Oliveira de Azeméis sob o mesmo número, com sede na Rua Luís de Camões, números 68, 76 e 78, em Oliveira de Azeméis, com o código postal número 3720-230, convoco todos os associados desta Caixa, no pleno gozo dos seus direitos, a reunirem-se, em assembleia-geral ordinária, no dia 09 de dezembro de 2012, pelas 10h00, na sede da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Oliveira de Azeméis, CRL, em Oliveira de Azeméis, para apreciar e votar as matérias da seguinte: ORDEM DE TRABALHOS: 1- Discussão e votação do Plano de Atividades e Orçamento para o ano de 2013. 2- Meia hora para discutir assuntos que se revelem de interesse para a Caixa Agrícola. Se à hora marcada o número de Associados presentes não for estipulado no n.º 1 do artigo 25.º dos Estatutos, a assembleia reunirá, com qualquer número, uma hora depois, de acordo com o n.º 2 do mesmo artigo 25.º. Oliveira de Azeméis, 19 de novembro de 2012 O Presidente da mesa da assembleia-geral (Manuel Pereira Ferreira Pinto, Dr.) C. A. n.º 4482 de 20/11/2012

vente de Nuno Jorge Martins Ramos e mulher, no montante correspondente a 20% do valor base dos bens ou garantia bancária no mesmo valor (n.º 1 ao Art.º 897.º do CPC). O Juiz de Direito, Ass) Dr.(a) Carla Maria Marques Couto O Oficial de Justiça, Ass) Rui Santos Oliveira C. A. n.º 4482 de 20/11/2012 O.P. n.º 34037

senhor

Divorciado, 58 anos de idade, culto, honesto, sério, de boas famílias PROCURA senhora honesta, séria, culta, sem encargos, viúva ou divorciada, com boa apresentação, bem constituída, sem vícios, respeitadora, educada e de bom caráter humano e social. Se deseja ser feliz, por favor contate este número: 919 406 336 e sei que nunca se irá arrepender! Assunto muito sério. Não atendo privados.

O.P. n.º 34038

- Rua de Santo Antão-Nogueira do Cravo -

admite-se

O.P. n.º 34036

accoavc - Associação Comercial dos Concelhos de Oliveira de Azeméis e Vale de Cambra CONVOCATÓRIA Nos termos da alínea e) do artigo 19.º e para cumprimento do n.º 1 da alínea 1.ª do artigo 17.º dos Estatutos desta Associação Comercial, convocamse todos os associados a reunirem-se em assembleia-geral, no auditório, 2.º andar, do Edifício-Sede, situado na Avenida César Pinho, em Oliveira de Azeméis, no próximo dia 30 de novembro de 2012, pelas 21h00, com a seguinte: Ordem de Trabalhos 1. Período de 30 minutos de antes da ordem do dia; 2. Apresentação, discussão e votação do plano de atividades e orçamento para 2013. Se, à hora marcada, não comparecer número de associados suficientes para que esta assembleia possa funcionar, funcionará 30 minutos depois da hora marcada com qualquer número. Oliveira de Azeméis, 13 de novembro de 2012 O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA-GERAL a) Eng.ºJoaquim Jorge Ferreira C. A. n.º 4482 de 20/11/2012 O.P. n.º 34024


22

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

MUNICÍPIO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS Divisão de Obras Particulares e Loteamentos AVISO

Nos termos do artigo 27.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, com a redação conferida pelo DecretoLei nº 26/2010 de 30 de Março, torna-se público que a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, emitiu em 30 de Outubro de 2012, UM ADITAMENTO AO ALVARÁ DE LOTEAMENTO N.º 13/94, a pedido de Agostinho Fernandes Carneiro, portador do Bilhete de Identidade n.º 114009121 e do número de contribuinte 200491563, que titula a aprovação da alteração ao prédio situado no lugar do Monte, na freguesia de Madail, concelho de Oliveira de Azeméis, descrito na Conservatória do Registo Predial de Oliveira de Azeméis sob o n.º 198/19941129 e inscrito na matriz predial urbana sob o artigo nº 438 da respetiva freguesia. Área abrangida pelo Plano Diretor Municipal (P.D.M.) de Oliveira de Azeméis e pela Operação de Loteamento titulada pelo Alvará de Loteamento n.º 13/94 Alteração ao Alvará As alterações do presente aditamento consistem na alteração da área de implantação e construção do anexo previsto no Lote 7.

publicidade

Área de cedência ao domínio público.................850,00m2 - Destinada a alargamento e retificação dos arruamentos.. ............................................................................448,00m2 - Destinada a passeios...................................291,00m2 - Destinada a estacionamento público............111,00m2 Área total de implantação................................1.209,00m2 - Edifícios destinados a Habitação..............1.125,00m2 - Anexos...........................................................84,00m2 Área total de construção..................................2.631,00m2 - Área de construção acima da cota de soleira....1.422,00m2 - Área de construção abaixo da cota de soleira..1.125,00m2 - Anexos...........................................................84,00m2 Número de lotes...............................................................9 Número de fogos..............................................................9 Paços do Município, 29 de Outubro de 2012 Por delegação do Presidente da Câmara Municipal, O Vereador: Dr. Ricardo Jorge de Pinho Tavares C. A. n.º 4482 de 20/11/2012 O.P. n.º 34033

Clarinda Pereira

Agente de Execução CÉDULA N.º 3249

O lote n.º 7 apresenta-se, de acordo com as alterações introduzidas pelo referido aditamento, com as seguintes características:

ANÚNCIO – EDITAL DE VENDA (1.ª Publicação)

Lote n.º 7 – Tem a área de 645,00 m2 onde se encontra implantado um edifício, tipo moradia unifamiliar constituída por cave facultativa destinada a aparcamento, rés-do-chão e andar, e está prevista a construção de um anexo, cuja área de implantação e de construção será de 39,20 m2.

Tribunal Judicial de São João da Madeira – 3.º Juízo Cível Processo: 280/09.6TBSJM - Referência Interna: PE/12/2009 Acção Executiva sob a Forma de Processo Comum Exequente(s): Banco Espírito Santo, S.A. Executado(s): Imupa – Iniciação Urbanística Particular, S. A.

Nota Final Em tudo mais, mantêm-se as prescrições do alvará de loteamento n.º 13/94, e dos demais documentos que integram o respetivo processo de aditamento ao loteamento, que se encontra arquivado nesta Câmara Municipal – PI/4173/2012, de 01 de Junho. Dado e passado para que sirva de titulo ao requerente e para todos os efeitos prescritos no Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, com a redação conferida pelo Decreto-lei nº 26/2010 de 30 de Março. Paços do Município, 30 de Outubro de 2012 Por delegação do Presidente da Câmara Municipal O Vereador: Dr. Ricardo Jorge de Pinho Tavares C. A. n.º 4482 de 20/11/2012 O.P. n.º 34033

MUNICÍPIO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS Divisão de Obras Particulares e Loteamentos AVISO

Nos termos do artigo 27.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, com a redação conferida pelo Decreto-Lei n.º 26/2010 de 30 de Março, torna-se público que a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, emitiu em 29 de Outubro de 2012, ALVARÁ DE LOTEAMENTO N.º 01/12, a pedido de Durvalino Pereira da Conceição & Silva – Construtores Civis, Lda, portadora do cartão de pessoa coletiva n.º 502 425 598, que titula a aprovação da operação de Loteamento Urbano e respetivas obras de urbani­ zação, que incide sobre o prédio sito em Ponte de Cavaleiros, da freguesia de Santiago de Riba-Ul, concelho de Oliveira de Azeméis, descrito na Conservatória do Registo Predial de Oliveira de Azeméis sob o n.º 1443/20011019, inscrito na respetiva matriz sob o artigo n.º R-449, da respetiva freguesia. Área abrangida pelo Plano Director Municipal (P.D.M.) de Oliveira de Azeméis Operação de loteamento com as seguintes características: Área do prédio a lotear....................................6.557.00m2 Área Sobrante do prédio objeto da Operação de Lotea­ men­to...............................................................2.601,00m2 Área abrangida pela Operação de Loteamento.................. .........................................................................3.956,00m2 - Área dos Lotes.........................................2.594,00 m2 - Área de Cedência ao Domínio Público........850,00m2 - Área Comum aos Lotes 2 a 9......................512,00m2

Faz-se saber que nos autos acima identificados, encontra-se designado o dia 19 de Dezembro de 2012, pelas 14h00, no Tribunal Judicial de São João da Madeira – 3.º Juízo, para abertura de propostas em carta fechada, que sejam entregues até esse momento, na secretaria do Tribunal, pelos interessados na compra do seguinte bem: Espécie: Bem Imóvel a vender: Prédio Urbano – sito em “Lugar de Casal Novo – Vila de Cucujães –“, casa térrea com quintal, com área coberta de 60m2, logradouro com a área de 40m2 e quintal com 150m2, a confrontar a Norte com Manuel de Almeida Cambra, do Sul com Francisco Gonçalves, do Nascente com Manuel de Almeida Cambra e do Poente com caminho, com valor patrimonial de 13.070,00 €, inscrito na matriz respetiva sob o art. Urbano 657 e descrito na Conservatória do Registo Predial de Oliveira de Azeméis sob o n.º 242 da freguesia de Cucujães. Serão aceites as propostas de aquisição dos bens a quem melhor oferecer igual ou acima de 52.500,00 € (cinquenta e dois mil e quinhentos euros), corres­ pondente a 70% do valor base de 75.000,00 € (setenta e cinco mil euros), penhorado à executada Imupa – Iniciação Urbanística Particular, S.A. com sede na Rua Dom Afonso Henriques, 217 – 3700-027 São João da Madeira. Os proponentes devem juntar à sua proposta, como caução, um cheque visado à ordem da Agente de Exe­ cução, no montante de 5% do valor atribuído aos bens ou garantia bancária no mesmo valor – n.º 1 do artigo 897.º do Código do Processo Civil. Serão consideradas todas as propostas recebidas na secretaria do Tribunal. As propostas devem vir em envelope fechado, contendo a identificação completa do proponente, por quem exiba documento de identificação bastante. As propostas enviadas por correio deverão conter, sob pena de não serem consideradas, fotocópia do B.I. e NIF do proponente e/ou seu legal representante bem como telefone de contacto. Sendo o proponente pessoa colectiva, deverá a referida proposta ser acompanhada por documento de onde se possa aferir de quem representa a quem tem poderes para o acto. É fiel depositário, que os deve mostrar a pedido, Luís Manuel Ferreira de Almeida Cambra – Legal representante da executada, com domicílio profissional na

Rua Dom Afonso Henriques, 217 – 3700 – 027 São João da Madeira. Não se encontra pendente oposição à execução. Foram reclamados créditos por: • Instituto de Segurança Social, IP no valor de 15.460,67€ (Quinze mil quatrocentos e sessenta euros e sessenta e sete cêntimos) A Agente de Execução - Clarinda Pereira C. A. n.º 4482 de 20/11/2012 O.P. n.º 34042

Manuel Rascão Marques – CP 1809 João Coutinho – CP 1708 Solicitadores de Execução EDITAL Citação de Ausente em Parte Incerta (Artigos 244.º e 248.º do C.P.C.) (1ª Publicação)

A CITAR: Fabia Sofia de Oliveira Moreira São João da Madeira – Tribunal Judicial – 4.º Juízo N.º do Processo: 2491/06.7TBFIG Cabeça de Casal: Ricardo Jorge de Oliveira Moreira Credor: Caixa Geral de Depósitos, S. A. Mandatário: Rogério Bastos Credor: ISS/Centro Distrital da Segurança Social de Aveiro Mandatário: João Daniel Graça Executado: Jorge Manuel da Costa Moreira Cônjuge: Maria de Fátima Pinho Martins Oliveira Moreira Executado: Moreira & Figueiredo, L.da Exequente: Sorefoz – Electrodomésticos e Equipamentos, S. A. Mandatário: João Manuel Pedrosa Russo Interveniente Principal: Fabia Sofia de Oliveira Moreira Valor: 109917,01 € PE/187/2006 OBJECTO E FUNDAMENTO DA CITAÇÃO Nos termos e para os efeitos do disposto nos artigos 248.º e seguintes (do Código do Processo Civil), correm Éditos de 30 (trinta) dias, contados da data da segunda e última publicação do anúncio citando Fabia Sofia de Oliveira Moreira, com última residência conhecida na Rua José Maria Castro Lopes Júnior, SN, Vila de Cucujães, comarca de Oliveira de Azeméis, para no prazo de 10 (dez) dias decorrido que seja o dos éditos e nos termos do disposto no n.º 2 do artigo 862.º e 826.º do C.P.C., fazer as declarações que entender quanto ao direito do executado Jorge Manuel da Costa Moreira e ao modo de o tornar efectivo, decorrente da penhora efectuada nos presentes autos sobre a parte pertencente ao referido executado, no imóvel mencionado no Auto de Penhora sob a Verba n.º 1 (UM), de que é(são) co-herdeiro(a), por via do falecimento do(a) Sr(a). Maria de Fátima de Pinho Martins de Oliveira, ficando tal direito à ordem do Agente de Execução, desde a data da primeira notificação efectuada, não podendo ser objecto de cessão, oneração ou alienação, salvo mediante venda judicial no âmbito dos autos de execução supra identificados. O respectivo auto de penhora encontra-se à disposição do(s) citando(s) na Secretaria do Tribunal Judicial de São João da Madeira. O Agente de Execução Manuel Rascão Marques C. A. n.º 4482 de 20/11/2012 O.P. n.º 34041


publicidade

Albino Dias de Pinho Margarida Rosa Gomes Moreira - Fajões -

Nestes 65 anos de união, provaram que a força de uma união ultrapassa todas as dificuldades da vida. Em cada obstáculo que aparecia, era mais um degrau que subiam nesta longa caminhada cheia de amor e carinho. Muitos parabéns dos frutos desta cami­ nhada. Dos 7 filhos, 17 netos, 11 bisnetos e dos que estão a chegar.

aluga-se

hotelaria negócio de ocasião

Apartamento no Parque de La-salette C/ móveis de cozinha, máquina de lavar louça

963 178 724

aluga-se T3

C/ cozinha mobilada Na R. Dr. José Borges de Azevedo n.º 165

919 190 718

O.P. n.º 35578

O.P. n.º 34035

O.P. n.º 34003

65.º Aniversário de Casamento - 29/11/12

23

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

Ideal para quem está a pensar montar ou renovar negócio. Para desocupar. 1 Balcão c/ frio, 1 Balcão neutro. Bancadas inox diversas, Cozinha e Snack, Exaustor inox c/ motor Bancada refrigerada, Câmara frig.ª c/ 1720x1720x2120, Armário refrigerado inox 1500 Lt c/ 2 portas, Móvel expositor de snack. Tudo novo sem estrear. Motivo: Desistência de projeto por motivos de saúde e para desocupar zona de S. João da Madeira.

Telf.: 967 250 932

Empresa de Calçado pretende

admitir Controlador/a de Qualidade

Contatar: 256 876 020 / 256 878 101

Este espaço pode ser seu Contacte-nos: 256 049 890

Escritórios - Lojas - Pavilhões

Telem.: 935 130 880 compra-se

Ouro usado ouro - prata - jóias - relógios diamantes - moedas - c. penhor - etc.

santa maria da feira

r. dr. vitorino de sá, nº 4 - 1º j (edf. ccem - ao lado da farmácia araújo) tlm.: 919 855 215 * tlf: 256 336 220

são joão da madeira

r. joão de deus, nº 76 - 1º g (edf. turumo ao lado do tribunal) tlm: 917 812 543 * tlf: 256 413 298 **E-mail: jantobil@hotmail.com**

aluga-se

Apartamentos

Ainda por usar pela primeira vez, Com opção de compra, Caso opte/queira Centro de Loureiro (Frente à escola EB)

963 021 817

aluga-se Escritório ou para outro fim Perto dos CTT de OAZ

Preço: 100€/mês

967 827 691

aluga-se

Apartamento T3

Rua 25 de Abril, 238, O. Azeméis C/ mobília de cozinha completa

961 474 900 256 674 490

O.P. n.º 34006

narciso bp imob. - Ind. S. Roque Aluga


24

Terça-feira, 20 de novembro de 2012

GERAL

> EDITORA EXIGE UM NÚMERO DE VENDAS GARANTIDO PARA PUBLICAR ‘O ESTRANHO CASO DE MARIANA’

Jovem conta com oliveirenses para realizar sonho Desde pequena que Raquel Santos alimenta um gosto especial por inventar textos, tendo escrito alguns livros à mão e guardado para mais tarde recordar. Agora está perto de concretizar o sonho de ver publicado um livro, mas precisa de ajuda. “Desde pequena que tenho um gosto especial pela escrita e o sonho de escrever e publicar o meu livro. Quem não

gostaria de ver o seu livro na casa das outras pessoas?”, começa por dizer Raquel Santos, que, em 2010, participou na escrita do conto online, realizado na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro e no qual foi selecionada em dois dos capítulos do livro. “Este ‘bichinho’ nunca saiu do meu pensamento e, no ano passado, quando estive desempregada, comecei a escrever até que surgiu a hipótese de participar num concurso da Editora Bookit”, explicou a jovem de 25 anos. No início de setembro, deste ano, Raquel Santos, natural da freguesia de Ul, recebeu o resultado da iniciativa e, adianta, “não foi nada favo-

rável”. No entanto, isto não a fez desistir. “Como me considero uma pessoa lutadora, não baixei os braços e enviei o meu texto para algumas editoras, esperando atentamente por uma resposta. Fiquei muito contente quando uma editora do Porto, ‘Papiro, se mostrou interessada”, afirmou a licenciada em Educação de Infância, mas desempregada neste momento, antes de explicar a história da obra. “‘O estranho caso de Mariana’ é uma narrativa emocionante e que prende a cada instante, porque nunca se sabe o que vai acontecer à Mariana. Está escrita numa linguagem simples para ser de fácil compreensão, uma

> EM S. MARTINHO DA GÂNDARA

Foto direitos reservados

O suspeito tinha armas em casa, que a GNR apreendeu em maio deste ano

que, numa ocasião, chegou a empurrar a sua cabeça contra a parede e, noutra, a esbofeteou violentamente na sequência de uma discussão relacionada com a venda de cabeças de gado. Sempre que mostrava vontade em separar-se do alegado agressor, este ameaçava-a. “Ponho-te as mãos ao pescoço” ou “acabo contigo” terão sido algumas das frases proferidas pelo homem. Desempregada e a residir com familiares, Maria vê-se, atualmente, numa situação difícil, pelo que pede uma indemnização ao marido. Aos magistrados, garantiu, ainda, que nunca houve moti-

vez que a faixa etária a que se destina é dos 09 aos 16 anos, o que não significa que as outras pessoas não possam ler”. No entanto, publicar este livro não está a ser tarefa fácil para a jovem, que tem que garantir perto de duas centenas de livros pré-vendidos para que a publicação passe do sonho à realidade. “Em 15 dias obtive 100 respostas

positivas. No entanto, ainda faltam garantir mais compradores”, salientou Raquel Santos, que ambiciona depois apresentar o livro nas escolas de forma a “elucidar” as crianças para a importância da leitura. Todos os interessados em ajudar a concretizar o sonho desta ulense podem entrar em contato através do email oestranhocasodemariana@gmail.com.

> NO LUGAR DA ABELHEIRA, EM O. AZEMÉIS

Suspeito de violência do doméstica forçava mulher a fazer sexo A vítima, que seria ameaçada de morte e agredida pelo marido corpulento, teve que se refugiar numa instituição. Um homem, que, durante vários anos, terá praticado o crime de violência doméstica, na forma agravada, é, ainda, acusado de ter obrigado a mulher a manter relações sexuais com ele. O suspeito, agricultor natural de S. Martinho da Gândara, onde também reside, agora, sozinho, começou ontem a ser julgado no Tribunal de Oliveira de Azeméis, mas não quis comentar a acusação do Ministério Público (MP). Já a vítima, recordou, ao coletivo de juízes, o pesadelo que viveu na casa de ambos, antes de ter sido encaminhada para uma casa de abrigo. Contou que o marido, de quem se quer divorciar, a procurava para sexo e, “com medo”, fez-lhe “as vontades”. “Não foi de livre vontade”, explicou. Os desentendimentos entre o casal acentuaram-se, de acordo com o MP, em 2005. Maria (nome fictício) seria constantemente insultada pelo cônjuge,

Raquel Santos conta com a sua ajuda para concretizar o sonho de ver o seu livro publicado

vo para as agressões. “Sempre fui uma pessoa humilde, sincera e trabalhadora”, alegou. Em maio passado, o cumprimento de um mandado de busca emanado pelo tribunal culminou na apreensão de armas ao indivíduo. Na residência, os militares do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas da GNR encontraram uma espingarda de dois canos, de calibre 12, outra de ar comprimido, quatro caixas de munições e quatro facas de lâmina grande, pelo que o arguido responde, também, pelo crime de detenção de arma proibida. DIANA COHEN

Homem mordido em luta de cães Uma luta entre dois cães, junto à passagem de nível existente no lugar da Abelheira, feriu o dono de um dos animais. A vítima, a rondar os 40 anos, passeava com o seu cão, de raça Labrador, segundo os populares, sem trela, quando, ao aproximar-se do jardim de uma residência, que é guardada por um canídeo de raça Pitbull, este último conseguiu passar por debaixo da rede e saltar para a estrada. O conflito, a meio da tarde de sexta-feira passada, foi sanado por um morador que segurou o Pitbull, envolvendo o pescoço do animal com o seu cinto, evitando, assim, que o caso atingisse outras proporções. “A dona da casa estava muito aflita e nunca conseguiria segurá-lo sozinha”, explicou a testemunha ao Correio de Azeméis. Contudo, o dono do Labrador acabou por ser mordido pelo seu próprio animal numa perna, tendo sido, depois, assistido pelos Bombeiros de Oliveira de Azeméis no local. Não necessitou de receber tratamento no hospital. A GNR também se deslocou à passagem de nível e tomou conta da ocorrência. Outro caso na Feira acaba pior Sorte diferente teve uma mulher que, na mesma tarde, mas em Milheirós de Poiares, concelho de Santa Maria da Feira, foi atacada por um cão de raça Pitbull, que a desfigurou. Maria, de 74 anos, deslocara-se à residência de um vizinho, que lhe dera permissão para se servir da água do seu poço, quando o animal, de raça considerada perigosa, conseguiu soltar-se, alegadamente, após ter rebentado a trela, mordendo-a na face. A septuagenária foi, depois, socorrida pelos Bombeiros Voluntários de Arrifana, que, dada a gravidade dos ferimentos, a transportaram para as urgências do Hospital Eduardo Santos Silva, em Gaia. DIANA COHEN

20-11-2012  

20-11-2012