Issuu on Google+

SEMANÁRIO

FUNDADO EM 05 DE OUTUBRO DE 1922 DIRETOR ANTÓNIO MAGALHÃES SUB DIRETOR EDUAR2DO COSTA Nº 4530 - 05 NOVEMBRO DE 2013 PREÇO 0,50 € (IVA INCLUÍDO) www.correiodeazemeis.pt Taxa Paga | Devesas - 4400 V. N. Gaia | Autorizado a circular em invólucro de plástico fechado | Autorização n.º 5804/2002 DCP-2

91

Distinguido pelo Governo com Diploma de Louvor de Mérito Jornalístico e Empresarial da Comunicação Social Regional e Local

> PRESIDENTE DA CÂMARA SUCEDE A RUI RIO NO CONSELHO METROPOLITANO DO PORTO

Hermínio Loureiro lidera órgão deliberativo da AMP

Para cuidar do seu coração

Ver pág. 13

Página 07

> NESTA EDIÇÃO:

>NO TROÇO OLIVEIRA DE AZEMÉIS / SERNADA DO VOUGA > JUNTA DE FAJÕES CONTINUA FECHADA

As versões dos acontecimentos Páginas 16, 17 e 18 > OLIVEIRA DE AZEMÉIS É UMA CIDADE ACADÉMICA

‘Enfermeiros’ recebem caloiros

Táxis substituem o ‘Vouguinha’ para já

Páginas 04 e 05 > LOUREIRO

Maestro do Orfeão homenageado Página 15

‘Bolsa de €mprego’

Página 09

O Correio de Azeméis publica, novamente, ofertas de emprego, em colaboração com IEFP. Consulte na página 31 PUBLICIDADE


02

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

POESIA

ABERTURA

POSTAL DA SEMANA

Sempre linda! O aço alemão Conheci-te, Tinhas dezoito anos. Teus cabelos Formavam longas tranças. Foi nesse tempo, Que nós nos encontrámos. Sempre linda Como uma flor! Teu sorriso, Minha paixão, Despertou No meu coração O começo Do nosso amor

EDUARDO OLIVEIRA COSTA

Nossas vidas Uniram-se nos tempos. Nossos filhos São nossos rebentos. Nossos sonhos Foram realizados E ainda somos hoje Um casal de namorados A. EVANGELISTA DE PINHO

Um departamento do governo dos Estados Unidos divulgou que a Alemanha se tornou numa potência, beneficiando da crise europeia. Esta referência, ao que parece, irritou a senhora Merkel. Claro que a Alemanha está com uma balança comercial altamente positiva, a ponto do volume das exportações (muito acima das importações) ter já ultrapassado a quota do equilíbrio, definida com os parceiros europeus. Mas o que nós precisamos na União Europeia é de países saudáveis e fortes, que se imponham no panorama global. E também todos sabíamos que um dos objetivos dos alargamentos su ces sivos da União foi o de criar o maior mercado do mundo, em termos de valor! Claro que ‘quem tem unhas toca guitarra’! Os parceiros alemães, mal as portas se abriram, atafulharam cada canto do vasto território da U.E. com produtos, desde automóveis a hipermercados. Mas é bom notar que a saúde da maior

economia do Euro tem sido uma das tábuas de salvação desta crise financeira e económica, que teima em não nos deixar em paz. A Alemanha é quem mais contribuiu para o orçamento da União e está a ser quem mais cede capital nos empréstimos de resgate a países em bancarrota, como Portugal, Grécia e Irlanda. E também Espanha, embora sob o disfarce da salvação dos bancos espanhóis. E ainda anuncia a criação de um banco de fomento para as nossas empresas! Por isso, ainda bem que a Alemanha está bem de saúde, pois disso beneficiamos diretamente. Mas é preciso que a Alemanha tenha sempre presente que a União Europeia que nos prometeram baseia-se num princípio de solidariedade entre Estados-Membros, onde pequenos e grandes têm idêntica intervenção nas decisões e onde estes não se sobrepõem àqueles. A senhora Merkel, até ver, parece que tem mão amiga. Mas pulso de aço (do alemão, que parece que não quebra...).

ESTANTE

Cartas da Nossa Paixão Karen Kingsbury Ellie Tucker e Nolan Cook são mais do que amigos. Apesar de terem apenas quinze anos, ele repete-lhe constantemente que ela nunca irá encontrar alguém que a ame tanto. Mas uma tragédia familiar obriga Ellie a partir subitamente. Na véspera desse dia triste, ela e Nolan sentam-se sob o velho carvalho do parque onde partilharam tantos momentos felizes e escrevem uma carta um ao outro, que enterram numa caixa de metal enferrujado. Combinam regressar exatamente onze anos depois, e lerem em conjunto as duas cartas. Passaram os anos e os dois nunca mais se encontraram. Ellie tem hoje vinte e seis anos e é mãe solteira, lutando diariamente para sustentar a sua filha. Nolan conseguiu realizar o sonho de se tornar jogador de basquetebol e é uma famosa estrela da NBA. Mas desde o dia em que o pai sucumbiu a um ataque cardíaco, Nolan sofre com a solidão. Afogado num oceano de dor, pensa frequentemente em Ellie, a paixão da adolescência que nunca esqueceu, e na inocência da infância que partilharam. À medida que se aproxima a data, Ellie e Nolan sonham com o reencontro sob o velho carvalho. Mas será que, onze anos depois, ainda há alguma hipótese de serem felizes?

tráfego no dia 1908, o troço da Linha do Vouga só abriu ao Embora inaugurado em 23 de novembro de o por seu irido por António Moreira Guedes e foi cedid 21 de dezembro. O primeiro bilhete seria adqu ante. icação que, em 1983, evocou as bodas de diam saudoso filho, António César Guedes, à publ


ABERTURA

EDITORIAL

Glórias e desventuras do Vouguinha… A Refer e a CP anunciaram que o serviço ferroviário na Linha do Vouga, entre Sernada e Oliveira de Azeméis, seria “temporariamente substituído” por serviço rodoviário alternativo a partir do passado dia 1. A justificação assenta nas más situações de segurança, agravadas pelas condições atmosféricas, o que determinara já a redução da velocidade para os 10 km horários… A propósito deste comunicado, o editorialista do “Público” comentou: “Em Portugal, a história ensina-nos que, quando numa linha degradada o serviço é “temporariamente suspenso” e substituído por autocarros, essa via-férrea acaba por fechar definitivamente, algum tempo depois. Foi o que aconteceu em todas as linhas de Trás-os-Montes (das quais as mais recentes foram as do Tua, Tâmega e Corgo), do Alentejo e também na linha Figueira da Foz-Pampilhosa”. O troço da Linha do Vouga entre Sernada do Vouga e Viseu encerrou em 1 de Janeiro de 1990. Não querendo ser mais um profeta da desgraça, incluo-me entre os muitos que admitem o cumprimento da profecia. O mesmo jornalista recorda que “a Linha do Vouga esteve prestes a ser encerrada em 2011, já pelo Governo de Passos Coelho, no âmbito do Plano Estratégico dos Transportes; a contestação de autarcas e população levou, porém, à suspensão dessa medida, sem que, no entanto, tivesse avançado qualquer plano de investimento para a linha, que continuou a degradar-se”. Naturalmente que, se, de facto, vier a encerrar definitivamente este percurso, todos teremos fortes razões para lamentar as despesas recentes na automatização de passagens-de-nível e na supressão de outras com a construção de trajectos alternativos. Seria, no caso, malbaratar o dinheiro dos contribuintes… Numa indesejada coincidência, o encerramento acontece quando escassos dias nos separam de 23 de Novembro, momento em que o primeiro troço, desde Espinho a O. Azeméis, completa 105 anos de vida. Uma data grande da história do concelho, não só pela chegada de invejado avanço que foi decisivo para o progresso de toda a região, mas ainda pela presença do chefe de Estado na provinciana vila. Mais sós, os nossos idosos! Mas a supressão fica associada temporalmente a uma outra decisão que, de imediato, mereceu veemente rejeição de vários sectores da população. Precisamente quando ainda ecoavam as declarações piedosas acerca do Dia do Idoso, multiplicando-se as palavras de simpatia para com os nossos “velhinhos” e os propósitos firmes de apoio à família, um membro do governo, com o desjeito e a inoportunidade habituais, veio anunciar que estava próximo o fim da bonificação de 50% no custo das viagens de combóio de idosos e crianças, um benefício com décadas de vida. Mais sós, os nossos idosos!

www.correiodeazemeis.pt geral@correiodeazemeis.pt

Fundador: BENTO LANDUREZA (1922) SEDE: Edifício Rainha, 8º piso Telefs. 256049890 • Fax: 256046263 3720 OLIVEIRA DE AZEMÉIS Horário de 2ª a 6ª • 9.00/18.30H Assinatura anual : (C/IVA 6%) (Entre Douro e Vouga) 20,00 (Resto do País) 22,50 (C/IVA 6%) (Europa) 65,00 (C/IVA 6%) (Resto do Mundo) 97,00 (C/IVA 6%)

ANTÓNIO MAGALHÃES

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

SEMÁFORO Em dia de São Martinho A Igreja de Roma consagra o dia 11 de Novembro a S. Martinho, um dos nossos mais populares santos. Bastará dizer-se que são quatro as nossas freguesias que o têm por padroeiro: Couto de Cucujães, Fajões, São Martinho da Gândara e Travanca. Na biografia extensa de S. Martinho avulta o seu grande gesto de generosidade, ao repartir a capa com o mendigo nu. Mas por razões não devidamente esclarecidas ainda, e que poderão assentar na época do ano em que ocorre a sua festa litúrgica, certo é que a este popular santo andam associadas as castanhas… logo os magustos e o vinho.

Caleiras rotas Foram anormalmente pesadas as invernias dos últimos tempos. Dizem os meteorologistas que há anos não chovia tanto no mês de Outubro. Em tais circunstâncias, mais se revelaram algumas das nossas fragilidades relativamente ao escoamento das águas. No que respeita à cidade, com visível incidência no estado de conservação de algumas das caleiras e respectivos condutores, naturalmente dos prédios mais antigos. É necessário chamar os proprietários à razão… mas as entidades responsáveis haverão de dar exemplo, porque isto também acontece em edifícios públicos…

O drama das ruínas… Avança o espectáculo de abandono e destruição de alguns prédios, mesmo em zonas concorridas da cidade. Portas e janelas há muito sem vidraças, escancaradas, dizem alguns vizinhos – que se nos queixam! – podem servir de habitáculo a presenças pouco desejáveis, sempre maior motivo de preocupação nos tempos que correm. Pelo menos que, em tais circunstâncias, sejam erguidas barreiras e tapumes com duplo propósito: esconder as misérias e impedir a entrada, dando assim o desejado e merecido sossego a quem por ali mora perto.

03

A ‘RESSACA’ DA SEMANA A instalação dos órgãos autárquicos e respetivas tomadas de posse decorreram sem grandes problemas nas freguesias do nosso município. Isto se excetuarmos o ‘caso’ - no mínimo insólito - da freguesia de Fajões. Como então noticiámos, numa breve ‘fotolegenda’, o ato, que habitualmente constitui um momento solene e de grande dignidade, decorreu no exterior da sede da Junta, nas escadas de acesso ao piso superior. Isto porque, de acordo com o n.º1 da lista mais votada (CDS-PP), a chave para abrir a porta ‘primou pela ausência’, após uma série de episódios (mal ou bem) contados, ao Correio de Azeméis, no que diz respeito às datas e à forma como este convocou os eleitos em 29 de setembro. De reter que o presidente da Assembleia de Freguesia cessante foi o único do concelho que não instalou a nova autarquia para 2013/2017, por receio da ocorrência de “atritos”, o que não deixa igualmente de ser caricato, tendo em conta que se parte, desde logo, de um pressuposto que, quanto a nós, nunca deveria ser colocado. Porém, estava no seu direito e fez o que entendeu. E ninguém tem nada a ver com isso... Sem pretendermos ser mal-interpretados ou ‘advogados de defesa’ seja de quem for, tudo isto acaba por gerar alguma comicidade e até estupefação. Ouvidas ‘ambas as partes’ - ou as mais do que duas partes envolvidas nesta ‘história’ - não podemos deixar de concluir que, meus senhores, tudo isto se escusava; para bem ‘da moral e dos bons costumes’ do povo de Fajões... “não havia necessidade!”. Afinal é a imagem da freguesia que ‘sai mal no retrato’ à conta de ‘fações’ que teimam em não se entenderem. Pura e simplesmente... lamentável! Mas enfim... nada como ler as várias ‘versões’ e tirar as suas próprias ilações... se o conseguir. Entretanto, congratulámo-nos com a eleição do ‘nosso’ presidente da Câmara Municipal para assumir a liderança do Conselho Metropolitano do Porto (exJunta Metropolitana), bem como com as obras ‘anunciadas’ para o troço ferroviário entre Oliveira de Azeméis e Sernada do Vouga ( e vice-versa)... isto se não for uma ‘morte anunciada’ para tal percurso. Neste momento, em substituição do ‘Vouguinha’ existem táxis que asseguram o serviço. A REDAÇÃO

Diretor: António Magalhães • Subdiretor: Eduardo Costa (Cart. Prof. nº 1738) • Chefe de Redação: Ângela Amorim (Cart. Prof. nº 2855) • Redatores: • Gisélia Nunes (Cart. Prof. nº 5385) • Diana Cohen •CORRESPONDENTES: Carregosa: António Amorim: Cesar: Carlos Costa Gomes; Macieira de Sarnes: Manuel Lopes; Macinhata da Seixa: António Magalhães; Nogueira do Cravo: Alírio Costa; Ossela: A. Jesus Gomes; S. Martinho da Gândara: Arlindo Gomes e Sérgio Tavares; S. Roque: Eduardo Costa; Ul: Olímpio Costa. Fotógrafo: Alfredo Pinho • COLABORADORES: • Adelino Ramos • António Vidal • António Santos • Batalha Gouveia • Beatriz Costa • Frederico Bastos • Hugo Tavares • João Araújo • Joaquim Silva • Manuel Costa • Manuela Inês • Manuel Alves Paiva • Maria Emília Costa • Mário Rui • Manuel Laia • Marisa Gonçalves • Paulo Rui • Rodrigo da Cunha (Pe) • Rui Duarte • Samuel Oliveira • Sérgio Costa • Tavares Ribeiro. (Os artigos assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores não vinculando necessariamente a opinião da direção) Os textos do Correio de Azeméis já obedecem às regras do acordo ortográfico, salvo os da responsabilidade de autores ainda não aderentes.

Propriedade: Globinóplia, Unipessoal, Lda NIF: 509 071 341 Ed. Rainha, 8º Piso • Oliveira de Azeméis Telef.: 256 049 890 • Fax 256 046 263 Impressão: CORAZE Oliveira de Azeméis Telf.: 910 252 676 / 910 253 116 / 914 602 969 e-mail: geral@coraze.com Depósito Legal nº 27755/89 Nº ICS 104639 Tiragem média: 6.500 exemplares


04

Terça-feira, 09 de abril de 2013

A ‘Latada’ passou pelo Largo da República...

CONCELHO

...e no mesmo dia à noite, caloiros e ‘doutores’ foram batizados no espelho de água do jardim público

> ENTRE 28 DE OUTUBRO E 01 DE NOVEMBRO

Escola Superior de Enfermagem recebeu os seus caloiros em festa A Receção ao Caloiro é um dos eventos mais emblemáticos do viver académico - neste caso, dos estudantes da Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis. TAVARES RIBEIRO

Este ano, a programação contemplou várias iniciativas, realizadas em diferentes locais da cidade, durante quase uma semana (de 28 de outubro a 01 de novembro), não tendo faltado a já habitual grande ani-

A Praça José da Costa também foi palco das iniciativas académicas

PUB

mação. O ambiente de festa, que acolhe o início de ano letivo vivido no decurso da Receção ao Caloiro, incorporou, mais uma vez, a vertente cultural, com o máximo brio de todos os que estiveram envolvidos na pronta entrega para dar corpo e mãos às tarefas propostas, contribuindo para fazer com que as iniciativas fossem marcantes. Durante quase uma semana, os alunos da Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis (ESEnfCVPOA) divertiram-se, conviveram, passaram belos momentos e isso, como tudo o resto, importa verdadeiramente! Qual a relação comunidade/ universitários? Tem sido a melhor? É claro que sim! E movimenta significativa presença de público que já se vem habituando a aderir com interesse nas atividades desenvolvidas pelos estudantes e – concorde-

se ou não com a ‘praxe’ – tem repercussões na comunidade. É, pois, boa altura que nos remete a tentar perceber qual o real significado da Receção ao Caloiro, quer como lazer e diversão para os estudantes, quer como evento que ‘mexe’ na inequívoca necessidade de

envolvimento local nestes ‘picos’ de animação e forte pólo de atração de impacto popular e pendor cultural, pois, a afirmação desse caminho permite potenciar fatores de união universitários/ESEnfCVPOA/ cidade/concelho/região, entrelaçando, cada vez mais, interesses comuns com visíveis benefícios para todos. Organizado pela Associação Académica/ESEnfCVPOA, o evento contou com o imprescindível apoio da Câmara Municipal, de algumas empresas da cidade e com a colaboração dos Rapazinhos Tuna e Rapazinhos Band, e contemplou um programa suficientemente diversificado para agradar a vários públicos: No dia 28 – Comboio do caloiro e festa atrevida; dia 29 – Latada, batismo e festa de celebridades; dia 30 – Pic-nic, rally tascas e festa hippy; dia 31 – jantar académico, IX aniversário Rapazinhos Tuna e Festa Rapazinho; dia 01 – Cali paper, festa dos acessórios e Rapazinhos Band ‘ao vivo’.

Uma das festas que animaram as noites da Receção ao Caloiro 2013


CONCELHO

Uma das atuações da noite de 31 de outubro, inserida na programação da Receção ao Caloiro

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

05

O auditório da Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis encheu para ouvir e ver a tuna aniversariante

> RAPAZINHOS  REAL E MUI NOBRE TUNA DA ESENFCVPOA

9.º Aniversário comemorado em grande Assinalando o seu 9.º aniversário, os Rapazinhos Tuna, na última noite de outubro, deram um grande espetáculo (inserido no programa da Receção ao Caloiro), no auditório da Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis, com grande presença humana que tem garantido, ano após ano, inestimável apoio para o bom êxito da tuna.

A Rapazinhos - Real e Mui Nobre Tuna da ESEnfCVPOA conta já com nove anos de existência

concelhio. O resultado foi aquilo que pretendiam e nos levaram por ambientes de inspiração, talento e arte de emocionar que Ao recriarem grandes temas só estão ao alcance de muito que têm marcado o seu per- poucos. curso artístico, numa viagem O seu legado constitui já por preciosidades de reper- uma herança importantíssima, tório, garantiram, com a sua razão válida para que todos os participação, um contributo seus elementos se sintam samuito enriquecedor no pa- tisfeitos e orgulhosos por connorama académico e cultural tinuarem a boa evolução de

Rapazinhos Tuna, com nove anos de tradições académicas. E que deve ser, igualmente, bom motivo de orgulho para os oliveirenses pelo que representa e é capaz, com ‘carreira’ consolidada de presenças e prémios em grandes eventos. Rapazinhos Band ‘ao vivo’ Como banda de música a destacar-se na senda artística, os ‘Rapazinhos Band’ canta-

Houve lugar ainda para um animado concerto da ‘Rapazinhos Band’

ram, encantaram e convenceram ‘ao vivo’, na noite de 01 de novembro, tendo por palco o ‘auditório’ do Degraus Bar e um público maioritariamente constituído por jovens e colegas de enfermagem, que atento e agradado, desfrutou música e ritmos muito diversos! Reunindo tendência e condições crescentes para se

afirmarem enquanto banda, foram espetaculares neste concerto imperdível tanto nas vozes, como nas músicas e no reconhecimento pela diferença e entrega de todos os elementos para atingirem a qualidade musical que se propuseram – e bem! Em boa verdade, os Rapazinhos Band não defraudaram as altas expetativas que deles se esperava, dando grande fulgor e energia a esta atuação ‘ao vivo’, coerentemente, muito aplaudida. Porque nem só o estudo marca a vida, há também lugar à proclamação de tempos com alegre encontro propício ao conceito de festa. E essa foi bem vivida em cada um dos momentos agendados. Certo é que primou por nota alta, dando oportunidade, especialmente aos caloiros, de integração na ‘vida académica’. Ao fim de muitos dias de trabalho, todos os envolvidos na organização e na participação foram aprovados… com excelência! PUB


06

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

CONCELHO

> ENVOLVENDO CERCA DE 190 ALUNOS DO 6.º ANO, ATIVIDADE ASSINALOU DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO

AE Soares Basto dinamizou ‘PASSE de Rua’ No Agrupamento de Escolas Soares Basto, o Dia Mundial da Alimentação foi assinalado através da dinamização do ‘PASSE de Rua’. A iniciativa visou, entre outros objetivos, apoiar a promoção de hábitos alimentares saudáveis na escola e incentivar os alunos para a prática de uma alimentação equilibrada. No âmbito do Programa Alimentação Saudável em Saúde Escolar (PASSE) e inserindose na comemoração do Dia Mundial da Alimentação (16 de outubro), a Unidade de Saú-

Incentivar os jovens para a prática de uma alimentação saudável foi um dos objetivos.

de Pública (USP) e a Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) do ACES (Agrupamento de Centros de Saúde) Entre Douro e Vouga II - Aveiro Norte, em parceria com a Equipa PES do Agrupamento de Escolas (AE) Soares Basto e com a colaboração dos alunos do Curso Vocacional - CIAC, acompanhados por alguns professores,

organizaram e dinamizaram o ‘PASSE de Rua’. A atividade destinou-se às turmas do 6.º ano do AE, num total de 188 alunos, que participaram, “com entusiasmo e empenhamento”, nas atividades ludo-pedagógicas, demonstrando algum domínio dos conteúdos abordados. Com esta iniciativa, levada a

cabo no passado dia 18, pretendeu-se, entre outros objetivos, apoiar a promoção de hábitos alimentares saudáveis na escola e incentivar os alunos para a prática de uma alimentação equilibrada. A equipa organizadora aproveita a oportunidade para, por nosso intermédio, salientar e agradecer o “importante apoio” da Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis, que assegurou o transporte de todo o material necessário para a dinamização desta ação. Já agora, e isto a título de curiosidade, registe-se que o PASSE é promovido pela Administração Regional de Saúde do Norte, IP, através do seu Departamento de Saúde Pública, em parceria com a Direção Geral de Estabelecimentos Escolares, abrangendo toda a comunidade educativa de todos os níveis de ensino e elementos-chave da comunidade extraeducativa.

> ATÉ AO PRÓXIMO DIA 23 DE NOVEMBRO NA GALERIA TOMÁS COSTA

Cartoons e caricaturas de Onofre Varela Desde o passado sábado e até 23 de novembro, a Galeria Tomás Costa, na Praça da Cidade, tem patente ao público uma exposição de cartoons e caricatura da autoria de Onofre Varela. Este artista, cujos trabalhos, agora, estão expostos na cidade de Oliveira de Azeméis, nasceu no Porto em 1944 e frequentou o curso de Pintura da Escola de Artes. Exerceu a profissão de desenhador em litografias e de designer gráfico em agências de publicidade, antes de entrar nas redações de jornais como gráfico e ilustrador, em 1970. Publicou desenhos no ‘Mundo de Aventuras’ e nas revistas ‘Flama’ e ‘Seleções Femininas’ e foi colaborador de várias publicações periódicas, destacando-se, entre estas, os jornais ‘O Primeiro de Janeiro’ e ‘Jornal de

Notícias’. Trabalhou na televisão (RTP) no programa da manhã ‘Às Dez’ (1986-1988), desenhando a informação meteorológica em direto. No mesmo espaço, interveio em programas infantis, desenhando, também em direto, a partir de sarrabiscos iniciados por

crianças. Onofre Varela expôs os seus trabalhos satíricos em Portugal, Espanha, França, Turquia, Macau e Brasil, esteve representado na mostra de caricaturas de Mário Soares, no Palácio de Belém, no final do último mandato do antigo Presidente da República, e

>SUBORDINADA AO TEMA ’MUDAR DE VIDA. SERÁ POSSÍVEL?

Primeira ‘Conversa de Biblioteca´ é já esta sexta-feira Nesta próxima sexta-feira, dia 08 de novembro, pelas 21h00, na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro, em Oliveira de Azeméis, tem lugar a primeira ‘Conversa de Biblioteca’. Subordinada ao tema ‘Mudar de Vida. Será Possível?’, a iniciativa, cuja participação tem um custo de cinco euros, vai ter como orador José Micard Teixeira. Os interessados em participar podem inscrever-se enviando uma mensagem com o nome e contato para mdkm@netcabo.pt, a qual – note-se - só será considerada válida depois da receção da mensagem de mail. A organização, a qual espera o maior número de participações possível, chama a atenção para o facto de ninguém ser obrigado a intervir, podendo optar apenas por escutar. Participe!

> DESTINAMSE A PROJETO DE HISTÓRIA SOCIAL DA EMIGRAÇÃO PORTUGUESA

Apelo a quem tenha cartas de emigrantes

ilustrou livros escolares, jogos e contos infantis, para a Editora Educação Nacional, Majora e Porto Editora. Após a aposentação (2001), publicou desenhos na revista ‘O Tripeiro’, no jornal ‘O Comércio do Porto’ e iniciou colaboração com o semanário ‘O Gaiense’.

Marcelo Borges, professor de História no Dickinson College (USA), vem, por intermédio do jornal Correio de Azeméis, pedir a todos aqueles que guardem em suas casas cartas particulares escritas por pessoas que emigraram ou dirigidas a emigrantes portugueses e que desejem que estas contribuam para o conhecimento das múltiplas experiências da emigração na dimensão quotidiana e familiar para o contatar. Tendo, igualmente, interesse em outras formas de contatos estabelecidos por emigrantes e as suas famílias, como, por exemplo, cartões postais e fotografias, o docente informa que as ditas missivas, que contribuirão para um projeto de história social da emigração portuguesa do

séc. XIX e da primeira metade do séc. XX, serão estudadas nas perspetivas histórica e linguística. Marcelo Borges garante que a correspondência será digitilizada e a confidencialidade dos dados pessoais será preservada. Assim, os interessados em colaborar devem entrar em contato com o próprio por correio eletrónico cartas@dickinson.edu ou Projecto Cartas (Borges)/ Department of History/ Dickinson College/ Carlisle, PA 17013/EUA. “Pela importante presença de emigrantes de Oliveira de Azeméis na história da emigração portuguesa”, Marcelo Borges afirma que tem “muito interesse” em incluir as histórias desta zona neste trabalho académico.


CONCELHO

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

07

> SUCEDE A RUI RIO NO CARGO

Hermínio Loureiro é presidente do Conselho Metropolitano do Porto Hermínio Loureiro é o atual presidente do Conselho Metropolitano do Porto (CMP). O presidente da ‘nossa’ Câmara foi eleito, no passado dia 29 de outubro, sucedendo, nestas novas funções, a Rui Rio, ex-autarca municipal do Porto. Com 16 votos a favor e um branco, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis foi o escolhido, pelos autarcas da Área Metropolitana do Porto (AMP), para ocupar a ‘cadeira grande’ do CMP, antes Junta Metropolitana do Porto (JMP). De acordo com o que apurámos, eleitos para este órgão, para primeiro e segundo vicepresidentes, foram o socialista Joaquim Couto, de Santo Tirso, e o social-democrata Bragança Fernandes, da Maia,

Sucedendo a Rui Rio, o oliveirense Hermínio Loureiro é o atual líder do Conselho Metropolitano do Porto

respetivamente. Sem funções de liderança ficam os independentes Rui Moreira, que depois de ser eleito anunciou não estar na corrida por um lugar que entende não ser prioritário para a Câmara do Porto, e Guilherme Pinto, o único dos 17 autarcas da AMP que não esteve presente na reunião da sucessão, embora fazendo-se

representar. Esta sessão realizou-se no passado dia 29 de outubro e decorreu à porta fechada, apesar da lei, que estabelece o regime jurídico das áreas metropolitanas, definir que os encontros são públicos, segundo a agência Lusa. Como justificação, foi dada a falta de condições físicas para a presença dos jornalistas.

Na próxima reunião, serão anunciados, oficialmente, os nomes dos três secretários da comissão executiva deste órgão que substituiu a JMP, tendo os novos eleitos optado pelo mínimo permitido por lei para este cargo. Recorde-se que, anteriormente, eram cinco os secretários do executivo.

> ÉPOCA DE GRIPE 2013/2014

Vacinação contra a gripe sazonal A gripe é uma doença contagiosa que, na maior parte das vezes, cura espontaneamente. No entanto, podem ocorrer complicações, particularmente em pessoas com determinadas doenças crónicas ou com idade igual ou superior a 65 anos. Os vírus da gripe estão em constante alteração, motivo pelo qual todos os anos são produzidas novas vacinas contra a gripe. A vacinação é a melhor prevenção, sobretudo em relação às complicações graves. De acordo com press release, enviado à nossa redação, pela Unidade de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Entre Douro e Vouga II - Aveiro Norte, este ano a vacina é gratuita para todos os cidadãos com idade igual ou superior a 65 anos e para pessoas vulneráveis residentes ou internadas em instituições. A vacina gratuita está

apresentem ou telefonem para as unidades de saúde (centro de saúde) onde estão inscritos, ainda segundo a mesma entidade. A vacinação contra a gripe é, fortemente, recomendada a outros grupos alvo prioritários (ainda que não seja gratuita), nomeadamente a doentes crónicos e imunodeprimidos, com seis ou mais meses de idade; grávidas com tempo de gestação superior a 12 semanas; profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados (lares de idosos, designadamente). A vacina recomenda-se, A vacina gratuita está disponível apenas nos centros/ ainda, às pessoas com idaunidades de saúde, não havendo necessidade de receita de entre os 60 e os 64 anos. médica ou de pagamento de taxa moderadora É, também, considerada essencial a adoção de medidas disponível apenas nos centros As pessoas podem ser vaci- que reforçam a higiene das de saúde, não havendo neces- nadas em qualquer momento mãos e de regras de etiqueta sidade de receita médica ou de da época outono/inverno, pre- respiratória, como tossir ou pagamento de taxa moderado- ferencialmente, antes do final espirrar para um lenço desra. do ano. Para tal, basta que se cartável ou para o antebraço.

Descentralização das reuniões do CMP A escolha de Hermínio Loureiro, segundo o jornal ‘Expresso’, “surgiu após várias reuniões entre Virgílio Macedo, presidente da Distrital do PSD/Porto, e líder da Distrital do PS, José Luís Carneiro, negociações que contaram, ainda, com a ajuda do vice-presidente ‘laranja’, Marco António Costa. No entendimento PS/PSD vingou a tradição de fazer eleger para a AMP um autarca do partido com maior número de câmaras, embora com o desaire no Porto e Gaia seja o PS quem reúne a maior fatia de eleitores nesta estrutura regional”. Os grandes desafios para os novos dirigentes são o delinear de estratégias para investimentos a candidatar ao IV Quadro Comunitário de Apoio (IV QCA) e a descentralização. Neste último particular e por proposta do presidente da Câmara de Gaia, o socialista Eduardo Vítor Rodrigues, as reuniões do Conselho Metropolitano do Porto passam a realizar-se, rotativamente, pelos 17 concelhos do Grande Porto, sendo a próxima em Paredes. > NÚCLEO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS ASSINALA OS 90 ANOS DA LIGA DOS COMBATENTES E O 95º ANIVERSÁRIO DO ARMISTÍCIO

Comemorações agendadas para 10 de novembro No próximo dia 10 de novembro, domingo, o Núcleo de Oliveira de Azeméis da Liga dos Combatentes assinala, em simultâneo, o 95.º aniversário do Armistício e os 90 anos da Liga dos Combatentes. Marcada para as 11h00, a cerimónia tem lugar junto ao Monumento aos Combatentes da 1.ª Grande Guerra, na Praça José da Costa, na cidade. A direção, através do seu presidente Joaquim Cabete, vem, por nosso intermédio, convidar todos os associados, familiares, amigos e população em geral, a participar neste ato simbólico.


08 >PAIS DEVEM ESTAR CADA VEZ MAIS ATENTOS

Cuidados a ter com as redes sociais

Francisco Salgueiro considera que os jovens estão muito expostos aos perigos das redes sociais, pelo que os pais devem estar atentos e acompanhar o que os filhos fazem no ‘mundo virtual’ e, sobretudo, devem explicar-lhes os cuidados que devem ter. O escritor destacou: 1) ‘Entrar no mundo deles’: A melhor forma de proteger os filhos é saber o mesmo que eles e como funcionam os sites que visitam; 2) ‘Ser ‘amigo’ dos filhos nas redes sociais’: Ao fazer parte deste grupo, poderão compreender que tipo de relação existe entre os filhos e os amigos; 3) ‘Modo-fantasma’: Os pais deverão evitar fazer comentários. Assim, os filhos esquecem-se que os pais ‘andam por lá’ e não se coíbem de colocar lá o que lhes apetecer; 4) ‘Quem és tu’: A pressão do grupo faz com que os jovens criem milhares de amigos, contudo, não conhecem a maioria. Os pais devem sensibilizar os filhos para aceitar amizades apenas de pessoas que conhecem e da sua idade; 5) ‘Encorajar a utilização dos controlos da privacidade’: Incentivar os filhos a analisarem os controlos disponíveis e a criarem um nível de privacidade seguro; 6) ‘Uma vez na internet, para sempre na internet’: É importante desenvolver a ideia de que uma fotografia colocada na internet pode vir a trazer muitos problemas uns anos ou décadas mais tarde; 7) ‘Avançar pouca informação’: Quanto mais informação se disponibilizar maiores serão os riscos; 8) ‘Respeito pelos outros’: publicitar as imagens de outros coloca em risco o direito à privacidade; 9) ‘Não trocar imagens’: Não enviar vídeos ou fotografias sem roupa ou qualquer outra situação comprometedora; 10) ‘Não imitarem comportamentos’: Devido ao excesso de imagens de cariz sexual de alguns ídolos, os jovens tendem a imitar este comportamento; 11) ‘Não divulgarem qualquer dado pessoal’: Evitar dar informações que facilitem a sua localização; 12) ‘Nada de combinações’: Não se deve combinar nada com desconhecidos; 13) ‘Sensibilização’: Sensibilizar para a importância do diálogo com os pais perante qualquer atividade que considerem suspeita; 14) ‘Prevenir o ‘bullying’’: A divulgação de informações online incita outros a comentarem e fazê-lo de forma negativa.

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

CONCELHO

>‘SOLTAR AMARRAS’ ORGANIZOU TERTÚLIA COM A PRESENÇA DO ESCRITOR FRANCISCO SALGUEIRO

‘Jovens do séc. XXI’ em foco na Misericórdia Os perigos das redes sociais, sexo, drogas, álcool, doenças sexualmente transmissíveis, solidão foram alguns dos temas debatidos a 25 de outubro passado, no âmbito da tertúlia ‘Jovens do séc. XXI… A realidade que Francisco Salgueiro associou-se a esta iniciativa. desconhecemos’. Inserida nas comemorações o convite da Equipa de Inter- forma tão disponível”, aceitou do 122.º aniversário da venção Direta ‘Soltar Amarras’ e o convite da centenária instituiparticipou na tertúlia ‘Jovens do ção para vir falar destas temátiMisericórdia, a iniciativa séc. XXI… A realidade que des- cas “tão complexas que caratecontou com a presença conhecemos’, surpreendendo rizam os tempos atuais”. do escritor Francisco “com o seu talento” a assistência Salgueiro, autor dos livros ali presente. “Procura incessante de Em ambiente descontraído, prazer e fuga à realidade” ‘O fim da inocência’ e ‘O numa sala repleta, onde tamEsta iniciativa levada a cabo fim da inocência II’. bém marcou presença Gracin- a 25 de outubro passado foi

feriu, na ocasião, que “no dia a dia, contatamos com jovens, de idades cada vez mais precoces, que assumem um estilo de vida caraterizado por excessos de álcool, drogas, sexo banal e sem sentimento… tudo isto numa procura incessante de prazer e de fuga à realidade”. Segundo a responsável, nos últimos anos, “tem-se verificado uma alteração do padrão de consumo de substâncias psicoativas, registando-se, entre os jovens, uma procura crescente de drogas sintéticas”, uma “realidade, ainda pouco conhecida”, que “levanta a necessidade de obter novas informações e desenvolver estratégias preventivas e educativas mais eficazes e adaptadas aos atuais contextos”. Foi, precisamente, com base nesta “necessidade” que a Equipa ‘Soltar Amarras’ convida Leal, vereadora da divisão organizada pela Equipa ‘Soltar dou o autor dos livros ‘O fim Tendo aquela noite sido pro- municipal de Ação Social da Amarras’, afeta à SCMOA, a qual da inocência’ e ‘O fim da inogramada para se falar sobre os Câmara, o provedor da Santa trabalha há mais de uma dúzia cência II’. O objetivo era que jovens, obviamente, que estes Casa da Misericórdia de Olivei- de anos com a população toxi- este partilhasse as suas vivênteriam de fazer parte do evento. ra de Azeméis (SCMOA), Victor codependente e alcoólica do cias com jovens que, por sua E, assim sendo, coube à banda Machado, deu as boas-vindas e concelho. vez, também partilharam a sua de Oliveira de Azeméis ‘Os Pa- agradeceu a presença do escriAliás, um dos seus ‘rostos’ – a realidade, levando-o a escrever radigma’ animar quem aceitou tor Francisco Salgueiro, que, “de psicóloga Susana Barbosa – re- estas duas obras.

>FRANCISCO SALGUEIRO CHAMA A ATENÇÃO:

Pais não conhecem verdadeiramente os filhos A leitura dos livros de Francisco Salgueiro confronta-nos com uma realidade atual, mas de dimensão alarmante, quer para técnicos, quer para pais. Tanto ‘O fim da inocência’ como ‘O fim da inocência II’ levantam muitas questões, confrontando-nos com diversas problemáticas, nomeadamente com “o risco de viver à velocidade de um clique, que está acessível a qualquer adolescente ou jovem”. Nesta tertúlia, o escritor começou por destacar o desconhecimento que os pais têm sobre a vida dos filhos, esclarecendo que tal acontece, porque “os pais pensam que os filhos são como eles eram e que vivem realidades semelhantes à que eles próprios viveram”. No entanto, hoje em dia, “existe uma realidade social completamente diferente daquela”. E se tal ocorre é, porque, na sua ótica, a tecnologia, associada às novas formas de comunicação e multimédia, passou a permitir o acesso a quase tudo, desde drogas ao álcool, passan-

do pela pornografia. Para Francisco Salgueiro, “os atuais recursos informáticos, as redes socais, os telemóveis representam um meio de intrusão na esfera privada das pessoas (…). Os adolescentes lidam com a pressão das redes sociais, que os levam a ser ‘vítimas’ na busca alucinante de ‘likes’ para ultrapassarem a mítica marca dos 1000 amigos”, pensando apenas “nos desafios, na popularidade e nunca nas consequências”. Em seu entender, “as drogas, a pornografia, o uso de fotografias pessoais de caráter sexual conduzem os jovens a uma exposição desmedida, invadindo, literalmente, a intimidade de muitas pessoas”. Recorrer à net para satisfazer curiosidades Os jovens recorrem à internet para satisfazer a sua curiosidade pessoal sobre imensos assuntos, inclusive, acerca da sexualidade. Porém, “os sites de pornografia gratuita que eles consultam oferecem informações desade-

quadas às suas vidas reais em termos emocionais, levandoos a criar uma ideia de sexo sem sentimento, onde tudo é permitido”, afirmou, acrescentando que, “assim como a televisão, a internet também cria valores e modelos de comportamento, que, muitas vezes, são violentos e prejudiciais”. Além disso, também, “a típica reserva dos adolescentes, que são, a maioria das vezes, relutantes em discutir temas com os seus pais, torna-os, particularmente, vulneráveis”. Francisco Salgueiro ainda chamou a atenção para o facto da quantidade, o tipo e a disponibilidade de novas drogas sintéticas estarem a aumentar, proliferando, sobretudo, através da net e acarretando fortes desafios para a saúde dos jovens. Segundo informou, no passado dia 25 de outubro, “este fenómeno é reconhecido como um problema global, o que o torna difícil de controlar”. Mais: “A proibição das drogas vendidas nas smartshops não resolve

este ‘flagelo’, pois o acesso está à distância de um clique (mercado estrangeiro)”. Já no caso do uso de álcool, Francisco Salgueiro entende que “os estudantes são vítimas de uma sociedade negligente com esse produto (…). Os jovens ‘usam e abusam’ do consumo de álcool, porque esta substância está, intrinsecamente, inserida na nossa cultura e no conceito de diversão”. De igual modo, na sua perspetiva, “muitos pais não estão preparados para lidar com esta realidade, porque também não a conhecem, contudo, conseguimos compreender que contrariar a propagação do uso da internet pelos jovens é, praticamente, impossível, uma vez que esta faz agora parte integral da identidade dos jovens”. Por estas e por outras razões, “torna-se fundamental que os pais se atualizem em relação às exigências do mundo atual e solicitações das redes sociais, para que percebam sobre o que têm de intervir”.


CONCELHO

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

>NO TROÇO DA LINHA DO VOUGA ENTRE SERNADA DO VOUGA E OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Táxis substituem temporariamente comboios Desde a passada sexta-feira que, no troço entre Sernada do Vouga (Águeda) e Oliveira de Azeméis da Linha do Vouga, dois táxis estão a assegurar o serviço que, até então, era prestado por comboios. GISÉLIA NUNES

Segundo um comunicado emitido em conjunto pela CP (Comboios de Portugal) e pela REFER, esta decisão foi tomada na sequência da “degradação das condições da via, no troço entre Oliveira de Azeméis e Águeda, em resultado das condições climatéricas extremamente adversas que se fizeram sentir” na penúltima semana de outubro. De acordo com a nota informativa que nos foi enviada, precisamente devido aos estragos causados pelo mau tempo, a REFER decidiu introduzir, no dia 25 do último mês, “como medida cautelar e de modo a assegurar a segurança das circulações”, “limitações de velocidade”, que acabaram por originar “significativas perturbações ao nível da regularidade e pontualidade dos comboios”. Situação que levou a CP a substituir, temporariamente, o serviço de comboios por serviço rodoviário alternativo, no troço entre Sernada do Vouga e Oliveira de Azeméis, “no sentido de minimizar os transtornos decorrentes desta situação e salvaguardar as necessida des dos seus clientes” (ver horários do serviço rodoviário na caixa). No mesmo documento, a CP adianta que no troço Sernada do Vouga – Macinhata do Vouga – Águeda – Aveiro vão ser feitos ajustamentos à oferta de comboios e algumas supressões parciais entre Macinhata - Sernada do Vouga e Águeda – Sernada do Vouga. Alterações que “serão comunicadas nos próximos

Atualmente o ‘Vouguinha’ não faz o troço Azeméis/Sernada e vice-versa. Esse serviço é assegurado por táxis, temporariamente.

Autarquia continua a defender modernização da Linha do Vouga “Não podemos facilitar quando estamos perante questões de segurança e, em primeiro lugar, está sempre a segurança dos passageiros”, afirmou Hermínio Loureiro, quando questionado sobre o assunto pelo Correio. No entanto, o presidente da Câmara também é de opinião que só “compreendemos [a substituição dos comboios por autocarros] se a mesma for, de facto, temporária”. Para o autarca de Azeméis, tendo a REFER investido, “nos últimos anos, muito dinheiro na automatização e eliminação de passagens de nível, também neste percurso, não faz sentido, agora, desistir”. E tanto é assim que o executivo a que preside vai continuar a defender que “a Linha do Vouga precisa de ser modernizada, de ter mais horários e novas carruagens”.

Movimento Cívico pela Linha do Vouga está contra

Poucos passageiros nos primeiros dias Ainda ontem, segunda-feira, às 10h30, a nossa reportagem esteve na Estação da CP de Oliveira de Azeméis, onde falou com um dos dois taxistas que, desde sexta-feira passada, têm assegurado o serviço rodoviário entre a cidade oliveirense e Sernada do Vouga e viceversa. Em declarações ao jornal Correio de Azeméis, o profissional adiantou que não têm tido muitos passageiros e os que têm só vão até à estação de Pinheiro da Bemposta, facto que, na sua ótica, pode deverse ainda à “falta de informação”. Por enquanto, a circulação entre Oliveira de Azeméis e Sernada do Vouga está a ser feita de táxi, todos os dias, contudo, é possível que tal situação venha a alterar-se. De qualquer modo, no caso de haver alterações, as pessoas serão devidamente informadas. rantem que “estão a desencadear esforços no sentido de ultrapassar tais contrariedades”. No entanto, ainda não se sabe durante quanto tempo esta substituição vai estar em vigor nem quando vão ter início as obras para a

>“COMPREENDEMOS A SUBSTITUIÇÃO DO SERVIÇO SE A MESMA FOR, DE FACTO, TEMPORÁRIA”

>SUBSTITUIÇÃO DE COMBOIOS POR AUTOCARROS

>E OS QUE HÁ SÓ VÃO ATÉ À ESTAÇÃO DE PINHEIRO DA BEMPOSTA

dias”. Já no que diz respeito ao troço Oliveira de Azeméis – Espinho, não há alterações ao serviço a assinalar. “Conscientes das im plica ções de tais medidas na mobilidade das populações”, a CP e a REFER ga-

09

reparação da via férrea degradada. A nossa reportagem ainda questionou a REFER sobre ambos os ‘timings’, mas a mesma não adiantou mais nada para além do que já havia sido dito no press release remetido aos media.

Em reação ao anúncio da substituição do serviço de comboios entre Sernada do Vouga e Oliveira de Azeméis, o Movimento Cívico pela Linha do Vouga (MCLV), segundo a Lusa, comparou a CP a um aluno que “usa cábulas sabendo que será reprovado”. De acordo com a agência noticiosa, o MCLV declara que “as medidas que a CP e REFER vêm, agora, anunciar para salvaguardar o serviço de passageiros entre Oliveira de Azeméis e Sernada do Vouga [em Águeda] fazem lembrar o menino que, em véspera de teste, não estudou e vai agora recorrer à cábula, mesmo sabendo que o professor o vai ver copiar e consequentemente reprová-lo”. No documento, o MCVL refere ainda que “a REFER e entidades responsáveis deixaram [este troço da Linha do Vouga] atingir um tal estado de degradação que este desfecho era há muito previsível, se nada fosse feito em contrário”.


10

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

concelho

> OE 2014 diminui valor de transferências em cerca de 1,36%

> Antigas sedes autarquias locais

Menos dinheiro para todas as freguesias A participação das freguesias nos impostos do Estado reflete um decréscimo para o próximo ano, como adiantámos na semana anterior. Algo que afeta, de forma semelhante, todas elas, agregadas em uniões ou não. Angela Amorim

Na proposta do Orçamento Geral do Estado (OE) para 2014, a participação das freguesias nos impostos da Administração Central registou um decréscimo face ao ano em curso, conforme, aliás, adiantámos na edição anterior do nosso jornal. Num exercício de cálculo, verificámos que, de um modo geral, a diminuição situa-se em cerca de 1,36% para todas as freguesias, equitativamente, mesmo no caso das uniões. Senão vejamos: Em 2013, as freguesias de Oliveira de Azeméis (98.183 euros), Santiago de Riba-Ul (51.105), Macinhata da Seixa (27.218), Madail (23.157) e Ul (41.688) – que, hoje, constituem um agrupamento – receberam, no seu conjunto, 241.351 euros. Ora, para o próximo ano,

o OE inscreve uma verba de 238.072 euros para esta União de Freguesias, que, comparada de modo grosseiro (digamos assim), assume o decréscimo dos tais 1,36%, se as contas não nos falham. Neste mesmo registo encontram-se as restantes freguesias de per si (ver quadro em anexo). Ou seja: Carregosa, por exemplo, recebeu, do OE de 2013, 46.069 euros, enquanto para o ano a sua participação nos impostos do Estado queda-se pelos 45.443 euros; as-

sim, verifica-se a diminuição na ordem dos mesmos 1,36 pontos percentuais, tais como as restantes do concelho. Perante os números, chegámos à conclusão que não é por esta via que a agregação de freguesias consegue ‘poupar’ dinheiro ao Estado, até porque o que está em questão é a contribuição dos oliveirenses, em termos de impostos. Azeméis é o segundo com maior verba no distrito No conjunto dos 19 muni-

das

Por enquanto não há encerramentos no concelho

cípios do distrito de Aveiro, Oliveira de Azeméis é, logo a seguir a Santa Maria da Feira (16.764.408 euros), o município que obtém uma maior fatia do OE 2014 (11.799.641), aliás o que já aconteceu este ano (2013): 17.236.900 e 12.133.128 euros, respetivamente. Assim, também no que diz respeito à participação dos municípios nos impostos do Estado regista-se uma quebra em todos eles. Águeda confirma o terceiro lugar com a previsão de receber, para 2014, 8.353.467 euros (2013: 9.404.753), seguindo-se: Aveiro, 8.000.369 (8.378.109); Arouca, 7.839.442 (8.060.984); Anadia, 7.809.037 (8.030.323); Ovar, 7.204.730 (8.069.783); Estarreja, 6.528.192 (6.712.805); Vale de Cambra, 6.227.670 (6.520.690); Oliveira do Bairro, 6.189.243 (6.364.568); Vagos, 5.442.628 (5.596.617); A l b e r g a r i a - a - Ve l h a , 5.435.965 (5.710.265); Espinho, 5.315.739 (5.452.999); Castelo de Paiva, 5.254.826 (5.403.050); Ílhavo, 5.254.277 (5.403.101); Sever do Vouga, 4.670.495

Se se vier a verificar alguma ‘economia’, com a reorganização administrativa do território, esta poderá registar-se nas despesas correntes das autarquias locais, com eventuais ‘cortes’ nos custos com consumíveis, manutenção, instalações, pessoal, etc.. O encerramento de algumas juntas de freguesia estão previstas na lei, caso assim o entendam os responsáveis autárquicos das uniões. No entanto, neste momento e de acordo com o que apurámos, tal não se anuncia para qualquer das freguesias que foram unificadas no concelho. Oliveira de Azeméis, Pinheiro da Bemposta e Nogueira do Cravo são as sedes dos respetivos agrupamentos, com as ex-Juntas das restantes freguesias agregadas a manterem as instalações abertas, pelo menos, algumas horas e/ ou em alguns dias/noites. Em próxima edição, tentaremos confirmar esta notícia e adiantar os respetivos horários de funcionamento de cada uma. (4.802.669); Mealhada, 4.654.879 (5.129.667); S. João da Madeira, 3.979.242 (4.091.516); Murtosa, 3.438.495 (3.535.772).

> Carta ao diretor

“Casal vive em situação difícil e precária”

Com pedido de publicação, recebemos da Misericórdia de Oliveira de Azeméis a carta que passamos a transcrever:

“Exm.º Senhor Diretor Porque, por um lado, está em causa, de certa forma, o bom nome desta Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis (SCMOA) e, por outro, o rigor e a objetividade que sabemos que todos os colaboradores desse jornal e V.ª Excelência, em particular, tanto prezam, não podemos deixar de prestar um esclarecimento a propósito de uma afirmação que consta do trabalho jornalístico que, sob o título “Casal vive situação difícil e precária”, foi publicado na página 32 da edição do ‘Correio de Azeméis’ do dia 29 p.p. A afirmação a que nos referimos é a que, posta na boca do senhor presidente da Junta de Freguesia de Pinheiro da Bemposta, diz que o “o casal esteve a ser apoiado pela Santa Casa da Misericórdia, que lhe garantia o almoço, mas, entretanto, esse apoio foi-lhes retirado, porque se queixavam da comida”. Ora, essa afirmação não é exata, como V.ª Excelência, facilmente, concluirá, se atentar na seguinte sequência fatual.

Por solicitação do Serviço Local da Segurança Social, no início de dezembro 2012, a SCMOA, através do Programa de Emergência Alimentar – Cantina Social, passou a fornecer ao casal o almoço e o jantar, fazendo a entrega diária dos mesmos nas instalações do Centro Social Paroquial de Pinheiro da Bemposta, onde o referido casal os procurava. Assim decorreram as coisas até 07 de maio deste ano, sendo que, nos dias 08 e 09, ninguém apareceu a procurar a comida, que foi devolvida à procedência. Perante essa situação, a Santa Casa deixou, naturalmente, de levar os recipientes com a alimentação a Pinheiro da Bemposta, ficando na expetativa do desenvolvimento da situação, sendo agora surpreendida pela “explicação” dada no referido trabalho jornalístico. Constata-se assim que não chegou à Misericórdia qualquer deixa acerca da comida – queixa que, aliás, por muito reiterada que fosse, nunca determinaria o fim do apoio prestado, mas, sim, a tentativa de melhorar o(s) aspeto(s)

criticado(s) – sendo certo, por outro lado, que, se o problema fosse de “dieta”, é óbvio que teria sido fornecida comida de dieta, que também se confeciona todos os dias na instituição. De resto, convirá deixar claro que a alimentação fornecida era exatamente igual à que consumiam os nossos utentes e colaboradores. Face a fatualidade descrita e ao teor da “notícia” a que nos reportamos, é nossa convicção que V.ª Excelência entenderá, independentemente de qualquer apelo desta SCMOA ao direito de resposta, repor a verdade dos factos, não deixando quaisquer dúvidas aos leitores do conceituado periódico que dirige acerca dos critérios que presidem à atuação solidária desta instituição. Na certeza da melhor atenção, subscrevemo-nos com os melhores cumprimentos e agradecimentos. P’la Mesa Administrativa O Provedor


opinião

Uma visão de futuro «Jovens portugueses qualificados emigram para poder “ser adultos”» (in Público, 8-10-2013) A emigração dos jovens portugueses tem sido tema constante da imprensa nacional e não pode deixar de ser motivo de preocupação para todos nós. Os jovens portugueses sentem-se “de mãos atadas” para dar aso aos seus desejos e ambições, quer pessoais quer profissionais. Nada é mais frustrante do que um país que trava as ambições e o crescimento de um jovem. O seu desejo efervescente de independência, de ser cidadão ativo e interventivo, esbarra com a luta pela sobrevivência. Este é um tema que deve preocupar seriamente os órgãos que têm o dever de servir e orientar os seus cidadãos e deverá estar na primeira linha da sua ação. Está claro que numa primeira instância, são as famílias as primeiras a partilharem a angústia daqueles que veem o seu futuro estagnado. No entanto, esse sentimento deve ser uma preocupação de todos nós e especialmente para o poder central e para o poder autárquico. Convém realçar que na última década o investimento em educação tem sido muito elevado, mas corremos sérios riscos de perder grande parte de todo esse investimento, se permitirmos que os nossos jovens continuem a emigrar. Todo o investimento que as famílias fazem na educação, quer-se retribuído em oportunidades concretas. É urgente proporcionar aos jovens oportunidades de emprego e também facilidades na aquisição de habitação. No que respeita à habitação, todos sabemos que os jovens atuais procuram uma cidade que seja muito mais que um mero dormitório. Têm a necessidade de se identificarem com a cidade que habitam e para tal, é necessário criar um conjunto de ofertas e dinâmicas que constituam um projeto e não se traduzam apenas em iniciativas pontuais. Pergunto-me inúmeras vezes: “Que projeto tem este executivo para os seus jovens?”. Que seja do conhecimento público, nenhum! Não é a perder jovens para os concelhos vizinhos, para outras cidades e mesmo países que vamos crescer como concelho! Temos de proporcionar e criar condições para que os jovens possam retribuir todo o esforço que a comunidade fez por si. Cabe, especialmente à Câmara Municipal, promover a participação ativa dos jovens na sociedade que integram. É urgente que os jovens oliveirenses criem laços com sua terra mãe, criem raízes, e constituam aí as suas famílias!

Ana Raquel Teixeira

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

11

Causa comum Momento de reflexão

Hermínio Loureiro foi eleito, no passado dia 29 de Outubro, Presidente do Conselho Metropolitano do Porto, organismo que substitui a Junta Metropolitana do Porto, anteriormente liderada por Rui Rio. É uma excelente notícia. Desde logo porque o Presidente da Camara Municipal da nossa terra assume o cargo da mais alta importância na área metropolitana do Porto. Mas também é o reconhecimento da capacidade e da mais-valia que representam Hermínio Loureiro. Temos a felicidade de a nossa autarquia em Oliveira de Azeméis ser liderada por alguém com valor reconhecido por todos. Recordo que Hermínio Loureiro foi eleito para a presidência da Junta Metropolitana com 16 votos a favor e um branco. Acredito que, sendo justo, devemos fazer o elogio público a quem o merece e a quem tem valorizado e elevado o nome de Oliveira de Azeméis a patamares muito elevados. É um orgulho ter um Oliveirense à frente dos destinos de tão importante organismo, mas acima de tudo, é um descanso porque reconheço a enorme capacidade política do nosso presidente da Camara e por isso tenho a certeza de que este órgão vai funcionar em prol das populações de uma forma excelente. A nível nacional a semana foi rica em acontecimentos políticos. Tivemos a apresentação do orçamento de estado e também a apresentação do muito aguardado, e demasiadas vezes adiado guião para a reforma do estado. Se relativamente ao orçamento de estado me parece que estamos perante um documento realista, infelizmente duro, mas imprescindível para a consolidação do caminho que temos seguido até aqui (se tudo correr bem levar-nosá brevemente para fora do domínio financeiro dos nossos credores), já no caso do guião da reforma do estado apresentado pelo Vice-Primeiro-Ministro, fiquei desapontado. Li com atenção o documento, e para além de algumas ideias genéricas já muito faladas anteriormente, o que mais notei foi um empurrar de tomada de decisões para anos futuros. Não chega. Até por este motivo, ou seja pela fragilidade do documento, seria da mais elementar importância que os Socialistas decidissem entrar nesta discussão sem demagogias. Para isso bastava que quisessem sentarse à mesa com o PSD e o CDS. Era importante que o PS deixasse o tacticismo político de lado e pensasse mais no país. A recusa do PS é o sinónimo de uma liderança fraca, sem força, sem ideias e sem alternativas para o país, uma liderança que quer sobreviver a todo o custo.

José Campos

Estimados leitores nos últimos dias têm sido muitas as pessoas que me dirigem palavras de descontentamento pelo evidente apoio dos elementos do CDS-PP à mesa proposta pelo PSD na Assembleia Municipal. Alguns desabafam mesmo que nunca esperavam essa posição da minha parte e que pelo que me conhecem não será nada coerente com o caminho que tenho traçado nos Miguel últimos anos. Portela É verdade, quem me conhece bem sabe que esta posição nunca foi nem poderá ser caucionada por mim, a coerência que tenho colocado no meu discurso nos últimos anos não exprime esta posição. Mesmo a bem da estabilidade da política local a abstenção serviria perfeitamente para permitir tal desfecho e demarcaria perfeitamente algum afastamento nos objetivos de cada um dos partidos. Tanto eu como a equipa que me acompanha no CDS-PP não concordamos nem esperávamos que o desfecho fosse tal como foi, a surpresa que foi para muitos dos populares também foi a nossa e nesse sentido nada se poderá fazer pois a decisão é dos eleitos. A democracia tem destas vicissitudes e por muito que queiramos perceber como certas situações são possíveis, a verdade é que acabam por acontecer e que por mais que se queira nem tudo estará ao alcance de quem tem as maiores responsabilidades. Nunca mudei a minha opinião nem me desviei do caminho que defendi para o nosso concelho, continuo a defender as mesmas prioridades e as mesmas alternativas que até ao dia das eleições, não mudei nem deixei de ser quem sou. Não posso contudo ultrapassar as minhas limitações, não sendo eleito não tenho poder de influenciar diretamente os destinos do concelho, posso sim continuar a porfiar por aquilo que acredito, da melhor maneira que puder e souber. Continuo a reconhecer aos meus opositores virtudes e lacunas, assim como eu as tenho, e continuo a acreditar na grandiosidade da democracia enquanto sistema político que rege o nosso país. Aceito que os eleitos assumem as suas responsabilidades, é para isso que lá estão, e a população espera da sua parte grandiosidade nas tomadas de decisão, doutra forma não votariam neles. A perspetiva que tenho sustentado na defesa dos interesses dos oliveirenses enquanto Presidente da Concelhia do CDS-PP mantem-se e acredito veementemente em tudo o que defendemos nos últimos anos com realismo e honestidade. A extraordinária equipa que me acompanha tem sabido estar à altura dos momentos e saberá com toda a certeza estar à altura de mais um percalço no nosso caminho. Reafirmo que apenas estamos aqui pelo nosso concelho e a continuarmos nestas lides será sempre com enfoque em Oliveira de Azeméis e nos Oliveirenses, nada mais… Despeço-me com amizade.


12

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

O paradoxo civilizacional: A ética entre a política e cultura…

M€rcados à Terça

Comércio Investe: Novo fôlego para o comércio tradicional!

José Brandão de Sousa

opinião

,

Num tempo em que as más notícias são tão frequentes, sobretudo para as pequenas empresas e para o comércio tradicional, eis, finalmente, uma boa notícia: Encontram-se abertas, até ao dia 25 de novembro de 2013, as candidaturas para o programa Comércio Investe, lançado pelo IAPMEI. Esta medida, que vem substituir o anterior MODCOM, tem por fim apoiar projetos conjuntos (promovidos pelas associações empresariais) ou individuais (promovidos por empresas) de modernização e valorização dos estabelecimentos comerciais de retalho, abertos ao público, e não inseridos em centros comerciais. Pretende ser uma aposta na inovação e na utilização de formas avançadas de comercialização O apoio traduz-se num incentivo financeiro não reembolsável (leia-se: a fundo perdido) correspondendo a 40% das despesas elegíveis, mas não podendo ultrapassar 35 000 euros por projeto individual. Os beneficiários do programa podem ser micro e pequenas empresas comerciais, cuja atividade principal esteja classificada no CAE 47 – Comércio a retalho exceto veículos automóveis (há ainda mais algumas exceções que não estão contempladas). Aquelas devem estar legalmente constituídas na data da candidatura, bem como cumprirem as condições legalmente exigíveis no estabelecimento objeto de candidatura, terem uma situação económico-financeira equilibrada e terem as fontes de financiamento do projeto asseguradas (incluindo algum capital próprio). São elegíveis projetos que exijam um investimento mínimo de 15.000 euros e cujo prazo de execução seja inferior a 12 meses. As despesas elegíveis incluem, entre outras, a aquisição de equipamentos e software, mobiliário, remodelação da área de venda ao público, renovação de fachadas, aquisição de toldos e reclamos, conceção de conteúdos para presença na internet, bem como a elaboração dos respetivos projetos de arquitetura e especialidades, e a elaboração do processo de candidatura. Trata-se de um programa mui­to interessante que, devidamente aproveitado, pode contribuir para dar um novo fôlego ao nosso comércio tradicional. j.brandao.sousa@olivetree.com

Carlos Costa Gomes

Cultura e política, não sendo a mesmo coisa, devem, contudo, manter uma relação de liberdade e de promoção crítica. A cultura deve exercer influência na vida política, submetendo-a continuamente a uma avaliação ética, como forma de evitar ou pelo menos minorar a sua degradação. Quando falamos de degradação política, do que estamos a falar? Quando, depois de abril de 1974, pela primeira vez ouvi falar de política, principalmente, sobre a política ditatorial de quase meio século, fiquei com a ideia de que a política era uma palavra má. Fazer política, então, significava dedicar-se a uma atividade mais ou menos associada à violência social e à imposição de segurança interna da República, que obstruía e censurava severamente os jornais, revistas, liberdade de expressão, rádio e televisão. Tudo era crivado pelos órgãos políticos do poder e só os ‘elogios’ aos servidores do regime eram permitidos. Depois do 25 de abril de 1974, o Estado de direito ressuscitava a liberdade de imprensa e direito à crítica e os partidos eram legalizados. A política voltou a ser aquilo que é e rejuvenesceu. Após anos de repressão ideológica, sucederam-se os direitos, as liberdades, a vida cívica e a participação política e democrática atraiu muitos portugueses. A política é vista com otimismo e como um processo de desenvolvimento social, cultural e económico. E eu acreditei. Aos 16 anos participei, envolvi-me com afinco no projeto da social-democracia. Sá Carneiro entusiasmou-me... Não exagero se disser que, na década 80 do século passado, profissionais competentes, académicos, cientistas, empresários entre outros sentiram-se chamados a intervir na vida pública e política, desinteressadamente, com o fim de servir Portugal e suas regiões. Portugal destilava qualidade intelectual, moral e ética e a sociedade e o cidadão comum, como eu, compreendiam a atividade política como uma atividade honrada que canalizava os esforços e as energias coletivas e individuais para converter Portugal num país livre e próspero. A política, como arte de fazer cumprir os deveres e de fazer respeitar os valores, animou pessoas culturalmente decentes. Atualmente, a honradez de fazer política e do político roça a mediocridade. A política, na opinião da maioria dos cidadãos portugueses, é uma atividade pouco honesta que afasta ou anula a participação de pessoas culturalmente sérias e com valores eticamente elevados e universais. Não raras vezes, a opinião de muitos cidadãos sobre a nova política ou sobre os novos políticos é de que são uma nulidade e, ao mesmo tempo, um grupo que se aproveita para enriquecer desonestamente. A política caiu num fosso de imoralidade, que não é só exclusivo da ditadura, mas também da democracia. A política aparece como uma atividade suja e vil. Não pactuo com esta ideia e este conformismo populista sobre a atividade po-

lítica que, de maneira exagerada, mas com alguma verdade, o jornalismo sensacionalista, convence a opinião pública. Por isso, participo e não abdico de fazer uma política ética e de verdade. A cultura do espetáculo leva à frivolidade da política. A banalização cultural, a banalização do espetáculo que os meios de comunicação social reservam aos políticos, banaliza culturalmente a política. A frivolidade da política é a imagem da frivolidade dos políticos, porque a ideia corrente é de que os políticos não estão nos cargos para servir, mas para se servirem pela corrupção e favorecimento. A frivolidade da políti­ ca ameaça seriamente a democracia. A criatividade frívola e negativa da política e da cultura do espetáculo do nosso tempo acabará, se nada for feito, por realizar aquilo que o comunismo não conseguiu: destrui-la... Descobrem-se diariamente novos casos de corrupção de políticos e funcionários públicos; são incontáveis os favorecimentos e os subornos; os contratos mal formulados; conhecem-se, à velocidade da luz, enriquecimentos ilícitos; a putrefação do sistema é de tal forma gigantesca e grotesca que a sociedade em volta da política tornou-se numa verdadeira selva. Efetivamente não vai ser o comunismo que acabará com a democracia, mas a própria democracia liberal que desmoronar-se-á por si mesma. Apesar desta realidade não considero, fatidicamente, que o sistema democrático, conforme o ideal da social-democracia, ruirá… antes pelo contrário, acredito, sim, que este é o modelo político que poderá garantir a honestidade em vez da desonestidade; a liberdade em vez de repressão; responsabilidade em vez de irresponsabilidade; direitos, mas também deveres. O papel da cultura é o de ocupar o seu lugar e preencher o vazio que existe entre a política e a ética (moral) que, no passado, era ocupado pela religião. A cultura, como fermento de valores universais e sociais, não pode atraiçoar a sua responsabilidade, ao educar para o facilitismo e evitando o confronto com a política. Esta tem sido a atitude cultural dos nossos dias e, por isso, transformou-se na cultura do espetáculo e do entretimento, e a política em frivolidade. A política, com a falência da ordem dos valores e referências espirituais, que no passado no mundo ocidental fazia de travão aos excessos e desregramentos dos donos do poder, tornou-se, como vemos, uma atividade dominada mais pelos interesses particulares do que pelos coletivos, contrariando, deste modo, o primado da política. Todavia, eu acredito na política. E esta é hora da ética da responsabilidade, é a hora de homens capazes de “servir a política e não servir-se da política”!... A ética da responsabilidade pressupõe uma política democrática participativa em vez da partidocracia… este será, no meu entendimento, o caminho do futuro da política.


EMPRESAS&EMPRESÁRIOS > REALIZADOS PELO CENTRO DE CARDIOLOGIA DE AZEMÉIS

Em que consistem os diferentes exames cardíacos? - Eletrocardiograma: O eletrocardiograma é o registo da atividade elétrica do coração, obtido por elétrodos colocados nos membros e no peito, ligados ao aparelho (eletrocardiógrafo), que o converte em traçado, constituído por várias ondas. A análise deste traçado, feita por comparação com o padrão considerado normal, fornece ao médico informação importantíssima sobre o estado de saúde do paciente; - Ecocardiograma modo M e 2D: O ecocardiograma transtorácico, também conhecido por ecografia cardíaca, é um exame ultrasónico que, de um modo simples, inócuo e indolor, nos permite obter imagens das diferentes estruturas cardíacas (pericárdio, miocárdio, cavidades, válvulas, grossos vasos, etc.), de boa qualidade na grande maioria dos casos; - Ecocardiograma Doppler: A técnica Doppler permite um estudo detalhado dos fluxos sanguíneos intracavitários, transvalvulares e nos diferentes vasos, com visualização direta dos fluxos e com possibilidade de determinar velocidades e pressões sanguíneas e áreas valvulares; - Prova de esforço: A prova de esforço é um exame que consiste em efetuar um ECG no decurso de um esforço, sob a vigilância de um cardiologista e de um cardiopneumologista. Destinase a submeter o coração ao stress do exercício tentando evidenciar ou exacerbar sinais ou sintomas não existentes ou minimamente existentes em repouso. - ECG 24h (Holter): O Holter é um exame que permite o registo contínuo do ritmo e da frequência cardíaca durante um período de 24 horas, através de um registo eletrocardiográfico. Destina-se a detetar alterações do ritmo cardíaco durante a atividade diária normal do utente e a correlacionar eventuais sintomas referenciados pelo próprio (exemplos: palpitações, tonturas ou perda de consciência); - Pressão Arterial 24h (MAPA): O MAPA é um exame que permite realizar medições automáticas e sucessivas da pressão arterial, com o objetivo de avaliar o seu comportamento face à atividade quotidiana de um indivíduo durante o trabalho, o repouso e o sono. Permite avaliar os níveis da tensão arterial durante as 24 horas.

13

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

> ÚNICA ENTIDADE DO CONCELHO AUTORIZADA A FAZER ELETROCARDIOGRAMAS E RESTANTES EXAMES CARDÍACOS PELO SNS TRANSFERIUSE PARA O CENTRO CLÍNICO INDUMED

Centro de Cardiologia de Azeméis mudou de instalações com novos exames

Em cima: Eng. José Miguel Silva, Prof. Dr. Luís Martins, Dr. Tiago Sotto Maior, Dr. Rogério Silva. Em baixo: Téc. Lilian Gomes, Sec. Tânia Miguel, Téc. Catarina Silva

Agora instalado no Centro Clínico Indumed, na Rua Fernando Paúl, em Oliveira de Azeméis, o Centro de Cardiologia de Azeméis é a única unidade de cardiologia no concelho autorizada pelo Serviço Nacional de Saúde a realizar eletrocardiogramas e restantes exames cardíacos. Conta com um corpo clínico composto por três cardiologistas e alguns técnicos paramédicos, dispondo ainda dos mais recentes equipamentos. Assim, com o Centro de Cardiologia de Azeméis, instalado na Rua Fernando Paúl, já não há desculpa para gastos e perdas de tempo em deslocações para concelhos vizinhos tendo em vista a realização dos diversos meios de diagnóstico não invasivos de cardiologia. Com o Centro de Cardiologia de Azeméis, os utentes têm ao seu dispor a única entidade no município oliveirense autorizada pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) a fazer eletrocardiogramas e outros meios de diagnóstico, também, con-

siderados ferramentas básicas e de rotina na avaliação de qualquer suspeita de doença cardíaca, nomeadamente Ecocardiograma e prova de esforço (ver coluna nesta página). Também se executa a medição da Pressão Arterial 24h (MAPA). Segundo o Dr. Rogério Silva, este investimento num corpo clínico acrescido de mais dois cardiologistas (Prof. Dr. Luís Martins e Dr. Tiago Sotto Maior), bem como por alguns técnicos cardiopneumologistas, aliados a equipamentos médicos de última geração instalados em espaço próprio construído para a finalidade, vem, assim, colmatar uma “lacuna” de que ‘padeciam’ terras de La Salette e que, de modo algum, gerava “uma situação de conforto, proximidade e porque não dizê-lo de orgulho, tanto para a classe mé-

Sala dedicada à ecocardiografia com equipamentos modernos

dica como para os utentes oliveirenses”. Acordos com o SNS, PT/ CTT, SAMS e EDP O cardiologista Dr. Rogério Silva e a sua equipa esperam que o Centro de Cardiologia de Azeméis - com convenções (acordos) com o SNS e, igualmente, com outros subsistemas como a PT/CTT, SAMS (Serviços de Assistência Médico-Social do Sindicato dos Bancários do Norte) e EDP - se torne numa unidade de cardiologia de referência no concelho, Além disso, acreditam que os oliveirenses, e não só, venham a acarinhar esta ‘maisvalia’ em termos de saúde e a apreciar a competência e o sentido acolhedor e simpático dos seus profissionais, bem como a resposta atempada às solicitações da classe médica/ utentes.

Esperamos a realização dos seus exames no Centro Clínico Indumed, no n.º 37 da Rua Fernando Paúl (junto à Farmácia Falcão), com quatro gabinetes funcionais, na sua maioria com luz natural, e dispondo de estacionamento automóvel próprio. Para marcações ou outros assuntos: Telefone n.º 256 68 80 70; telemóvel n.º 963 830 988; fax n.º 256 688 073; email: centrocardiolo giaazemeis@gmail.com. Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 08h30 às 19h00 PUB


14 UL> NO PRÓXIMO DIA 23 DE NOVEMBRO

Grupo Folclórico ‘As Padeirinhas de Ul’ comemora 27.º aniversário No próximo dia 23 de novembro, sábado, o Grupo Folclórico ‘As Padeirinhas de Ul’ leva a efeito o seu 27.º aniversário. A festa tem início pelas 17h30, com a celebração de uma missa solene em memória dos elementos do agrupamento de folclore que já faleceram, na igreja matriz de Ul. Seguese, depois, a partir das 19h30, o jantar convívio na cantina da empresa MDA, do grupo Simoldes, situada na zona industrial de Oliveira de Azeméis. Para mais informações, contatar a direção através do mail padeirinhas. de.ul@gmail.com ou os telemóveis n.ºs 914 267 138 (António Joaquim Silva, presidente) ou 918 407 290 (Vera Oliveira, secretária). PALMAZ> LIONS CLUBE PROMOVE ESTE DOMINGO

Colheita de sangue no salão paroquial Desta vez é o salão paroquial de Palmaz que vai acolher uma colheita de sangue promovida pelo Lions Clube de Oliveira de Azeméis. Contando com a parceria do Instituto Português do Sangue, a recolha vai ser feita no próximo domingo, dia 10 de novembro, das 09h00 às 13h00. Se tem entre 18 e 65 anos de idade e é saudável, não deixe de se associar a esta causa. Dê sangue… Lembre-se que deste seu gesto altruísta pode depender uma vida! Ainda mais numa fase em que, infelizmente, se regista uma diminuição significativa do número de dadores.

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

REGIONAL

TRAVANCA> PONDO EM PRÁTICA O PROJETO ‘ALIMENTATE COM BOAS LEITURAS’

EB1 comemorou Dia Mundial da Alimentação

A chamada de atenção para a necessidade de se proceder a uma alimentação saudável ocupou as crianças da EB1 de Travanca.

Ao longo de três dias, alunos, professores e assistentes operacionais da EB1 de Travanca comemoraram o Dia Mundial da Alimentação, apelando para a importância da sopa e de uma alimentação mais saudável.

da implementação do projeto ‘Alimenta-te com boas leituras’ e que teve como principais objetivos promover a leitura, articular a ação do estabelecimento de ensino com o Plano Nacional de Leitura e fomentar bons hábitos de alimentação. Todas as turmas estiveram envolvidas nesta comemoração, tendo participado nas diversas atividades programadas. Aliás, as várias iniciativas passaram pelas diferentes salas e espaços comuns da EB1 travanquense, de modo a garantir a participação de todos. Apelo que fizeram através Falamos de ações como, por

exemplo, a narração de histórias e sua exploração (reconto, resumos, desenho e pintura, moral da história, animação da leitura com a participação dos alunos, outros registos…); a exploração do tema ‘a importância da sopa’; entoação de canções (‘Come a sopa vá lá’ e ‘A Roda da Alimentação”); realização de coreografia, com adereços sobre a mesma; pintura, recorte e dobragem do ‘quanto queres’; visualização de um PPS intitulado a ‘rua da alimentação, exploração da pirâmide da alimentação, desenho e pintura de pratos coloridos’; confeção de sopa

(creme) de couve e de vários bolos de cenoura com pinhões e sua degustação. De salientar que, no último dia, confecionaram uma deliciosa sopa de legumes e de quatro saborosos bolos de cenoura com pinhões. Alunos, professores e assistentes trouxeram ingredientes e os materiais necessários e todos, sem exceção, puseram as ‘mãos na massa’. Já agora, o mais curioso foi ver a maioria das crianças a comer sopa, que tinha sobrado do almoço, à hora do lanche, com uma alegria estampada no rosto. “E esta, hein?”.

TRAVANCA> COMUNIDADE EDUCATIVA REAPROVEITOU ESPAÇO JÁ EXISTENTE

EB1 travanquense tem agora uma biblioteca

Já há um espaço próprio na EB1 de Travanca para o desenvolvimento de (bons) hábitos de leitura.

A EB1 de Travanca já pode contar com um pequeno e lindo espaço que funciona como biblioteca. Isto, fruto do trabalho e da boa vontade da comunidade escolar deste estabelecimento de ensino travanquense. Segundo uma nota informativa enviada pelos alunos do 4.º ano, na EB1 de Travanca, os encarregados de educação pensaram em aproveitar um espaço

de arrumações para uma biblioteca. Isto, ainda antes do início do ano escolar. Na altura, não só as crianças, mas também os seus pais, avós e ainda as assistentes operacionais pintaram as paredes com cores muito alegres e calorosas e, com bonitos tecidos, fizeram almofadas. Deste modo, deixou de existir um espaço mal aproveitado

e cheio de velharias para passar a haver uma pequena biblioteca com duas estantes repletas de livros. O compartimento em causa tem também uma televisão, um puf, um branco grande de madeira, um armário com jogos, muitos CD e DVD, um sofá ‘inventado’ com colchões e um armário ‘museu’ com livros e fotografias antigas. De salientar que, para além

da “preciosa ajuda” das famílias e das assistentes operacionais, houve uma colaboração por parte da Junta de Freguesia de Travanca (agora extinta) e da EB 2,3 Dr. José Pereira Tavares. Tratou-se de “uma iniciativa excelente, pois, assim, os alunos têm mais uma oportunidade de desenvolver bons hábitos de leitura e de pesquisa”.


CONCELHO

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

LOUREIRO> COMEMORAÇÕES DO 34.º ANIVERSÁRIO DO ORFEÃO DE LOUREIRO PROSSEGUEM ESTA SEXTAFEIRA

Concerto homenageou o maestro Rui Ferreira Na noite de 19 de outubro, o auditório da Junta encheu, como já não se via há muito tempo, para assistir ao concerto comemorativo dos 20 anos do maestro Rui Ferreira na direção artística do Orfeão de Loureiro. Após cerca de uma hora de espetáculo, calorosamente aplaudido, e a merecida consagração do homenageado, os presentes retiraram-se satisfeitos e até comentando que sabia a pouco… MANUEL TERRA

Tal como foi noticiado oportunamente, o Orfeão de Loureiro, a comemorar os seus 34 anos de existência, quis homenagear a longevidade artística do maestro Rui Ferreira com um concerto, contando com a colaboração de músicos da Banda de Música de Loureiro e da Escola de Música de Romariz. E em boa hora o fez, porque, saindo do seu habitual ‘canto à capela’, conseguiu uma sonoridade que agradou. Na ocasião, foram apresentadas

O vasto currículo de Rui Ferreira foi salientado nesta homenagem ao maestro do Orfeão de Loureiro.

obras propícias ao acompanhamento instrumental como os arranjos do próprio maestro ‘Amália’ e ‘Gaivota’, entre outros, não esquecendo a estreia do famoso ‘Aleluia’ de Handel. Já no final, coube ao presidente da direção da coletividade loureirense, em breves palavras de circunstância, enaltecer o “vastíssimo currículo” de Rui Ferreira e agradecer o contributo dos músicos que acompanharam o espetáculo. Por sua vez, um elemento feminino do órgão diretivo entregou um ramo de flores ao maestro e o vice-presidente uma peça de vidro, tendo ainda subido ao palco o ‘vice’ da Câmara Municipal

PINHEIRO DA BEMPOSTA> ORGANIZADA PELA DESAFIO D’ ARTE

Feira de Artes no pavilhão da EB2,3 este domingo Este domingo, 10 de novembro, o pavilhão gimnodesportivo da EB2,3 Dr. José Pereira Tavares acolhe mais uma Feira de Artes organizada pela Desafio d’ Arte – Associação Cenográfica de Pinheiro da Bemposta, desta feita, com a colaboração do Agrupamento de Escolas de Loureiro. Decorrendo entre as 10h00 e as 19h00, a iniciativa promete muita animação, contando, para o efeito, com a participação da Banda de Música de Pinheiro da Bemposta; Axé

e Zumba – Ginásio Rainha (Oliveira de Azeméis); Zumba Living – Tiago Cadete; Zumba – Ossela; Zumba – ‘A NOZ’ (Nogueira do Cravo); e ainda Zumba – Desafio d’ Arte. Visite a Feira de Artes, onde, para além da arte, a gastronomia também ‘vai estar em alta’. No recinto onde tem lugar esta atividade da Desafio d’ Arte vão estar à venda pernil no espeto, castanhas, entre outras ‘tentações gastronómicas’.

e o autarca local, presentes, que se associaram à homenagem prendando, igualmente, Rui Ferreira. De destacar que do Orfeão de Ovar, coral também orientado pelo mesmo regente, veio uma comitiva que lhe ofertou, de igual modo, um ramo de flores. As comemorações do 34.º aniversário do Orfeão de Loureiro prosseguem esta próxima sexta-feira, dia 08 de novembro, com um jantar de convívio entre todos os coralistas e familiares. Seguem-se os preparativos para um ou dois concertos de Natal, já na forja, e o tradicional cantar das Janeiras, desde o Natal até aos Reis.

15

CARREGOSA> FESTIVAL DE TEATRO ORGANIZADO PELA URATE ARRANCA ESTE SÁBADO

Pedro Tochas no FESTOLA 2013 A secção de teatro da URATE leva a cabo mais um FESTOLA, nos próximos dias 09, 15, 16, 22, 23, 24 e 30 de novembro. Para além da vertente de palco, a edição deste ano do festival de teatro, que tem lugar em Carregosa, vai contemplar uma formação de clown e uma tertúlia, que visa promover a conversa entre várias gerações de atores carregosenses. Considerado um dos melhores palhaços no mundo e muito conhecido entre nós pela campanha publicitária da água Frize, Pedro Tochas é o cabeça de cartaz da edição deste ano. De seguida, o Correio de Azeméis passa a divulgar o programa detalhado: Sábado, dia 09, 21h30, auditório da Junta de Freguesia - Grupo Cénico de Bairros | Bairros | Castelo de Paiva ‘Uma lição de vida Divórcio aos Trambolhões’ - comédia Custo 2,5 cartolas Sexta-feira, dia 15, 21h30, Café da Praça - Tertúlia ‘Teatro na terra’, com a presença de carregosenses que fizeram teatro durante várias gerações Sábado, dia 16, 21h30, auditório da Junta de Freguesia - Grupo Juvenil de Teatro da URATE | Carregosa ‘A cadeira é minha’ - comédia - Grupo de Teatro da URATE | Carregosa ‘Os três à vez’ - comédia Custo 2,5 cartolas Sexta-feira, dia 22, 21h00, auditório da Junta de Freguesia - Formação de clown Sábado, dia 23, auditório da Junta de Freguesia - 10h - 2.ª parte da formação de clown; 14h30 - 3.ª parte da formação de clown - 21h20 - Pedro Tochas – ‘O Palhaço Escultor’ Custo 6 cartolas por reserva através do link abaixo mencionado ou n.º de telemóvel 913390642|no dia custo 7,5 cartolas Domingo, dia 24, auditório da Junta de Freguesia - 10h00 - 4.ª parte da formação de clown; 14h30 - 5.ª parte da formação de clown Sábado, dia 30, 21h30, auditório da Junta de Freguesia - Grupo de Teatro ‘O Celeiro’ | Montemor-o-Novo ‘Estranhos e Maravilhosos’ - perfomance Custo 2,5 cartolas Mais informações podem ser obtidas em http://www.portalurate.com


16

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

REGIONAL

FAJÕES> NO MEIO DUM ‘IMBRÓGLIO’ AUTÁRQUICO, JORGE PAIVA, ELEITO PRESIDENTE PELO POVO, RECLAMA:

“Deixem-me trabalhar!” A freguesia de Fajões continua com as portas da sede da Junta fechadas. De acordo com o que apurámos, o cidadão mais votado em 29 de setembro, Jorge Paiva (CDS-PP), chamou a si a instalação dos órgãos autárquicos, depois de ter tomado conhecimento de que o presidente da Assembleia cessante não o faria. O ato deu-se no exterior do edifício, uma vez que ninguém do executivo anterior veio abri-lo, conforme a sua versão.

Como o presidente da Assembleia de Freguesia cessante não deu posse aos eleitos, coube a Jorge Paiva fazê-lo, como o cabeça da lista mais votada a 29 de setembro

nos reconhece. “Deixem-me trabalhar” é o que pede JorANGELA AMORIM ge Paiva, após ter contado, à nossa reportagem, a sua verA situação que se vive, atu- são dos acontecimentos. almente, na autarquia de Fajões é, no mínimo, sui generis Eventuais conversas entre e já foi noticiada por diver- mandatário e presidente sos órgãos de comunicação da AF cessante terão social, originando centenas ‘baralhado’ tudo? de comentários nas redes so“De acordo com a lei, ciais. O Correio de Azeméis competia ao presidente da ouviu várias pessoas envol- Assembleia de Freguesia vidas no processo, entre as cessante – Dr. Luís Filipe, quais Jorge Paiva, o cabeça da pois como tal se intitulava lista mais votada (CDS-PP) até então - convocar os cipara Assembleia de Freguesia dadãos eleitos democraticafajoense nas últimas eleições mente nos cinco dias subseAutárquicas. quentes à confirmação dos Com uma maioria “esma- resultados das eleições, que gadora”, como fez questão de lhe foram comunicados frisar, nada o faria prever que pela própria Câmara [dia 02 se instalasse este impasse que ou 03 de setembro]. Eu e os é, de todo, “prejudicial à fre- restantes elementos da lista guesia” e ao “desempenho efi- vencedora, CDS-PP, aguarciente” da nova Junta, como dámos serenamente”, come-

çou por relatar-nos Jorge Paiva. E continuou: “No dia 08, eu – enquanto cidadão mais votado – falei com o mandatário do CDS-PP, Dr. Carlos Correia. Dada a amizade e até os vínculos da profissão que os unem, pedi-lhe para interceder junto do presidente da AF cessante, tentando saber se ele tinha, ou não, intenções de convocar os eleitos. Então a resposta foi afirmativa, pelo que continuámos à espera das convocatórias”. Tendo em conta as declarações de Jorge Paiva, a tentativa de obtenção de informações por parte daquele que foi mandatário do CDS-PP nas últimas eleições junto de Luís Filipe Oliveira voltou a acontecer uns dias mais tarde, já que as convocatórias não chegavam: “No

dia 14, por volta das 20h00, o Dr. Carlos Correia informou-me que o presidente cessante já não ia convocar ninguém”. Perante as circunstâncias, “no dia seguinte [15 de outubro], fui convocar pessoalmente – como cidadão mais votado e por protocolo, como prevê a lei – os eleitos para a instalação e tomada de posse no dia 19. Assinaram o protocolo eu próprio, Manuel Silva, Sandra Barros, Bruno Oliveira e Floriano Costa, pelo CDS-PP; Manuel Mário Silva e Abel Tavares, pelo PSD; e dirigi-me também às casas de Maria Fernanda Sousa e de Anabela Pinheiro, ambas do PS. A primeira disse-me que não assinava o protocolo, porque era ilegal e que pretendia uma carta registada; a segunda, fui duas vezes a sua casa e não a encontrei. Acabei por encontrá-la, dia 16, à porta da Junta de Freguesia, e convoquei-a verbalmente, tendo esta também se recusado a assinar o protocolo. Para ambas, enviei carta registada com aviso de receção, ainda nesse mesmo dia”. Também segundo a versão do eleito presidente da Junta de Fajões para 2013/2017, nesse dia 16 de outubro, “verbalmente, solicitei à D. Aurora [funcionária que se encontra no posto dos Correios, que funciona no rés do chão da sede da autarquia e que está incumbida – de acordo com edital, que se encontra na porta da Junta no 1.º piso – de transmitir e tentar resolver assuntos referentes à Junta] que transmitisse ao presidente do executivo cessante [José Santos] a realização da Assembleia de instalação, tendo, no dia 17

de outubro, lá deixado uma carta dirigida a este para lhe ser entregue, informando-o da realização da reunião extraordinária dia 19. Segundo me parece, ele recusou-se a receber a carta, que ainda lá se encontra”. Instalação e tomada de posse nas escadas Na noite do dia 19, à hora marcada (21h00), compareceram junto à sede da Junta, para além dos eleitos pelo CDS-PP, os dois membros do PSD. Ausentes estiveram as eleitas pelo PS, assim como o presidente da Junta, José Santos. Chaves para abrir a porta também não ‘compareceram’. “Meia hora decorrida, liguei para a GNR, tendo-se apresentado um piquete, que me identificou e tomou conta da ocorrência. Como havia condições (quórum), fez-se a reunião no exterior da Junta, nas escadas. Constatou-se, então, que os dois elementos do PSD já não se encontravam no local. Eram 22h00, sensivelmente. Identifiquei os eleitos [maioria CDS-PP], verifiquei as ausências e foram investidos os membros nas suas funções, conforme prevê a lei. Depois de instalada e assinada a ata, seguiu-se a primeira reunião da AF, presidida por mim. Procedeu-se à eleição da única lista apresentada, por sufrágio secreto, que foi aprovada com cinco votos”. Recorde-se, como adiantámos recentemente, que para a mesa da AF de Fajões foi eleito presidente Bruno Miguel Oliveira, tendo a secretariá-lo Célio Julião Oliveira e Floriano Costa Paiva. De acordo com a ata desta sessão, os trabalhos foram encerrados pelas 22h45.

>“ESTAMOS MANDATADOS PELO POVO DE FAJÕES” PARA TRABALHAR

Fechaduras de portas exteriores da Junta trocadas No dia seguinte, 20 de outubro, “a nova Junta quis reunir, extraordinariamente, por volta das 09h00, para começar a trabalhar”, explicou-nos Jorge Paiva. Como as portas “continuavam fechadas”, com a ajuda de “um serralheiro”, procedeuse “à troca das fechaduras de três portas exteriores”, tendo, segundo a sua versão, “chamado a GNR” (de Cesar), que esteve no local e levantou um “auto

de notícia”. Com esta atitude [mudança das fechaduras], o eleito pelo CDS-PP quis “apenas estancar o acesso a documentos e outros bens que existem na Junta a pessoas estranhas aos novos órgãos autárquicos”. Desde então, a Junta está encerrada e Jorge Paiva espera a entrega das chaves do interior (“secretaria, gabinetes, etc. continuam fechados”), bem

como do espólio da autarquia. Para isso, no dia 22 de outubro, enviou uma carta registada, com aviso de receção, ao presidente do executivo cessante, a qual reclama a entrega de chaves de acesso à secretaria e gabinete; livro de atas; livros de contratos e de protocolos; livros de registo de expediente (entradas e saídas); carimbos; chaves do cofre e respetivas senhas de acesso, bem como aos alarmes;

livro de cheques, extratos e demais documentação referente às contas bancárias; demais documentação e bens que integrem o património da autarquia. “Queremos trabalhar. Estamos mandatados pelo povo de Fajões, com uma maioria que não deixa margem para dúvidas. Ou estão a esconder algo de grave e não querem entregar a chave, ou não entendo e não consigo sequer qualificar

um ato de tal irresponsabilidade”, adiantou-nos Jorge Paiva, sublinhando que “já morreram pessoas e nem sequer foram passados verbetes para autorizar a enumação; não há onde guardar o dinheiro dos atestados [passados no posto dos Correios]. Para além disso, não conheço a situação financeira da autarquia e tenho um orçamento de 2014 para fazer”, rematou.


REGIONAL

>LUÍS FILIPE OLIVEIRA, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA CESSANTE AO NOSSO JORNAL

“Achei por bem não marcar para evitar atritos” Para o presidente da AF cessante, a forma como foram convocados os eleitos, por Jorge Paiva, “é ilegal”, para além deste procedimento ter sido feito “fora do prazo”. Já quanto à sua própria decisão de não ter marcado a reunião continua a defendê-la sem arrependimentos, por “temer conflitos”.

‘armar’ quaisquer problemas neste tipo de ‘cerimónia’… E tinha poder de marcar. Não sei. A lei prevê essa faculdade de eu não dar posse… não vejo o porquê de tanta insistência. Confirma-me conversas entre o senhor e o mandatário do CDS-PP, Carlos Correia? Não. Além disso, as funções do mandatário de uma lista terminam no final da campanha. O mandatário não tem poderes alguns para fazer seja o que for depois do ato eleitoral. Os seus poderes esgotam-se no dia das eleições. Como querem deturpar tudo?

ANGELA AMORIM

Qual a razão que o levou a não convocar os membros eleitos e a não proceder à instalação dos órgãos autárquicos em Fajões? A lei dá-me a faculdade de marcar ou não marcar. O presidente da Assembleia de Freguesia (AF) cessante tem cinco dias para marcar a reunião. Caso não marque, o cabeça da lista mais votada tem outros cinco dias para a marcar. Achei por bem não a marcar para evitar atritos, conflitos, como o Sr. Jorge Paiva é ‘useiro e vezeiro’ em plenas AF’s. Achei por bem não correr esse risco, pois é uma pessoa de trato difícil, que ‘ferve em pouca água’ e que iria criar problemas nessa Assembleia de Freguesia. Eu tinha do dia 02 ao dia 07 para marcar; ele, do dia 07 a 12 para o fazer. Por isso, como vê, ele deixou passar o prazo para convocar a AF. Mas reconhece que foi Jorge Paiva que saiu vencedor, com larga maioria, das eleições de 29 de Setembro, com certeza… Isso não tem nada a ver. Ninguém põe isso em causa. A lei prevê a possibilidade de eu marcar ou não.

O presidente da Assembleia de Freguesia de Fajões cessante, Luís Filipe Oliveira, não quis agendar a reunião para “evitar situações mais delicadas”.

redação? Não cumpriu o prazo legal de cinco dias para a convocação dos eleitos, que terminou no dia 12. Esse prazo, jamais o consegue cumprir. Teria de cumprir os outros prazos: O prazo legal do aviso da convocatória e a forma legal (o meio) como deve ser enviada. E, nessa matéria, a lei é muito clara: Carta registada com aviso de receção. Não cumpriu nem uma coisa nem outra. Carta ou por protocolo, diz a lei… E o que é o protocolo? Diga-nos… O protocolo tem que ser um acordo de cavalheiros que exista nessa freguesia. Poderia acontecer o seguinte: Em Fajões ou noutra freguesia, os membros da AF deliberam que, para evitar a despesa do envio das convocatórias (portes do CTT), estipulem entre eles outra forma (um telefonema, um email, um fax) para a convocação das reuniões. Em Fajões, como é fácil de confirmar, nunca houve qualquer protocolo.

Em seu entender, então, não estão instalados os órgãos autárquicos em Fajões, tendo em conta o que afirEsse protocolo não pode ma num press release envia- ser feito entre cidadãos? do, recentemente, à nossa Não. Os cidadãos não têm

17

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

Não houve sequer uma conversa de cavalheiros a propósito deste assunto? Não, já disse que não. Nem de cavalheiros e de mandatário muito menos.

poderes para fazer protocolo, nem legislar sobre o funcioVamos ficar neste impasnamento da AF. se? O que se vai passar na sua opinião? Não considera que tudo Não quero fazer futuroloisto, mais uma vez, só vem gia. Sei o que pode e o que prejudicar a freguesia, pelo deve acontecer. Depende das menos a sua imagem? partes e das posições que Sem dúvida. É lamentável. tomarem. Que foi ilegal não há dúvida alguma. E mais: Mas não considera que o Pessoas do povo presentes a senhor também contribuiu assistir intervieram como se para este estado de coisas? fossem membros da AF. Não, de forma alguma. Pelo contrário. Contribui Também no seu press repara evitar isso ao não mar- lease, faz alusão ao que se car a AF… se calhar, teria passou no domingo. Confirsido mais grave. ma-nos isso novamente? Na manhã de domingo, Mais grave? Estas situa- 20 de outubro, Jorge Paiva ções eventualmente teriam arrombou as duas portas de sido evitadas… acesso à sede do edifício da Se calhar teriam existido Junta e entrou, triunfalmente, confrontos físicos, como o Sr. nas instalações. Como soou Paiva é protagonista nisso há o alarme, a GNR compareceu vários anos. Não tenho dúvi- no local, julgando ser um asda alguma que fiz bem para salto e identificou Jorge Paievitar situações mais delica- va, tendo participado dele ao das. Ministério Público. Crê mesmo que numa sessão de instalação e tomada de posse poderia ocorrer esse tipo de conflitos? É muito provável. Não era uma AF qualquer. Era uma AF em que estaria Jorge Paiva.

Nesse domingo à tarde, foi feita queixa pelo Sr. presidente da Junta cessante, José Santos, contra a situação? Sim. José Santos dirigiuse à GNR para fazer queixa. Neste momento, há duas: Jorge Paiva tinha sido o Uma feita pela GNR e outra cidadão eleito pelo povo, por José Santos contra Jorge não nos parece que fosse Paiva.

>CONTATOS COM O PRESIDENTE DA AF CESSANTE?

Carlos Correia não se pronuncia O Correio de Azeméis contatou Carlos Correia, que foi mandatário do CDS-PP nas últimas eleições Autárquicas, que não quis tecer quaisquer comentários sobre o assunto. ‘Não confirmou, nem deixou de confirmar’ – utilizando a sua própria expressão – se chegou à fala com Luís Filipe Oliveira, presidente da Assembleia de Freguesia cessante. E ainda afirmou convicto: “Sobre matéria política não emito qualquer opinião. Não lhe vou dizer nada”. >PRESIDENTE DA CONCELHIA DO CDSPP

Miguel Portela lamenta sucedido Já Miguel Portela, presidente da comissão política concelhia do CDS-PP, não fugiu à questão e lamentou, ao Correio de Azeméis, o sucedido: “Realmente é de lamentar o incidente ocorrido na tomada de posse em Fajões. Como sempre demonstramos, repudiamos qualquer acontecimento que obste ao exercício da função para a qual alguém foi democraticamente eleito. Findas as eleições e apurados os resultados finais, eleitos e autarcas cessantes devem colaborar e usar de respeito e cordialidade entre si, a bem da população que os elegeu. Estas situações estranhas à vontade dos eleitores em nada dignificam a democracia e os resultados obtidos no ato eleitoral. Seria importante que o bom senso imperasse para o bem de todos e para o bem dos destinos da freguesia”. >APESAR DAS VÁRIAS TENTATIVAS

Correio não conseguiu contatar José Santos Por diversas vezes, tentámos contatar o presidente da Junta de Freguesia de Fajões dos últimos quatro anos, José Santos, via telemóvel ou mesmo telefone fixo (para uma instituição onde habitualmente se encontra), e não conseguimos chegar à fala com o autarca. (Continua página seguinte)


18

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

REGIONAL

>ANABELA PINHEIRO N.º2 DA LISTA DO PS CONTRA A FORMA “SEM VALOR LEGAL” DA CONVOCATÓRIA

Data da reunião também posta em causa pela eleita Para uma das duas eleitas pelo PS à Assembleia de Freguesia houve alguma “precipitação” por parte de Jorge Paiva, quanto à data de agendamento da Assembleia de Freguesia de instalação e tomada de posse dos órgãos autárquicos. ANGELA AMORIM

As duas eleitas pela lista do PS para a Assembleia de Freguesia (AF) de Fajões, Fernanda Sousa (n.º1) e Anabela Pinheiro (n.º2), não compareceram na sessão de instalação e tomada de posse, do passado dia 19 de outubro. O Correio de Azeméis tentou contatar a primeira, mas sem sucesso, tendo, então, recorrido à segunda para auscultar a sua opinião sobre os factos. Anabela Pinheiro, que assumia funções de secretária da Junta liderada por José Santos, confirmou-nos praticamente a versão de Jorge Paiva, no que diz respeito aos trâmites que

aviso, algo que devia ser tido em conta ao marcar a data da reunião”. Para Anabela Pinheiro, “se no dia 15 tivesse notificado convenientemente, através de carta registada com aviso de receção, para a reunião lá para 22 ou 23 de outubro, sem precipitações, estaríamos [ambas as eleitas do PS] presentes, não obstante o prazo do dia 13 para a convocatória ter sido, desde logo, ultrapassado”. O impasse permanece na autarquia de Fajões. A Junta de Freguesia continua com as portas fechadas. Resta saber até quando...

este desenvolveu para a convocatória dos diversos membros eleitos para Assembleia de Freguesia (AF) de Fajões para o mandato 2013/2017. Contudo, o facto de confirmar a versão não quer dizer que aceite e reconheça legitimidade ao ato. Antes pelo contrário. Anabela Pinheiro põe em causa, desde logo, a forma escolhida: “Ele contatou-me, queria que assinasse um protocolo, falso. Era apenas um papel feito por ele próprio. O protocolo para ter valor legal teria de ser assinado na última AF, pelos an-

teriores responsáveis autárquicos. Jorge Paiva é apenas o cidadão mais votado, sem poderes para, por si só, fazer qualquer protocolo. Eu disselhe que não assinava, que me enviasse uma carta registada com aviso de receção”, conta. Uma carta, cujo aviso para levantamento nos CTT devia ter chegado à sua caixa de Correio – afirma ela – “na sexta-feira, dia 18, pois só no sábado é que a vi”. Como, entretanto, era fim de semana, esta acabou por só ir levantá-la na segunda-feira, 21, isto é, dois dias depois da

data da reunião de instalação e tomada de posse dos novos órgãos autárquicos, que, recordese, foi sábado dia 19. Por outro lado, a (ainda ou ex) secretária da Junta fala, igualmente, nos prazos ultrapassados. “Tanto o presidente da AF cessante, quanto o Sr. Jorge Paiva deixaram passar os prazos. O primeiro tinha do dia 03 ao dia 08 para convocar; o segundo do dia 08 ao dia 13 de outubro. Para além disso, por lei, uma carta registada pode ser levantada nos sete dias úteis posteriores à receção do

Junta apresentou queixa por dano Ainda na troca de impressões com a n.º2 da lista socialista, o Correio de Azeméis voltou a tomar conhecimento que foi apresentada uma queixa, no domingo, contra Jorge Paiva, pelo líder da Junta cessante, José Santos, por dano. “Independentemente de ter ou não tocado o alarme e a GNR já lá se encontrar ou não [questões que se levantam neste caso e que não conseguimos confirmar junto das autoridades, por se encontrar em segredo de justiça], quem neste país tem o direito de rebentar uma porta sem mandato de um juiz?”, questionou retoricamente a nossa interlocutora.

>MANUEL MÁRIO SILVA PSD DIZ QUE HÁ “PROBLEMAS PESSOAIS POR RESOLVER” E…

Freguesia é que “paga a fatura” Manuel Mário Silva e Manuel Carvalho Silva (PSD) assinaram o dito protocolo e, à hora marcada, compareceram na AF de 19 de outubro. O atraso e as condições fizeram com que se fossem embora antes do início da sessão. Ambos esperam tomar posse, sem mais problemas, até porque é a freguesia que sai “prejudicada”.

ANGELA AMORIM

Manuel Mário Pina e Silva, n.º 1 eleito pela lista do PSD, corroborou, ao Correio de Azeméis, ter comparecido, cerca das 21h00 do dia 19 de outubro, junto à sede da autarquia para assumir funções na nova Assembleia de Freguesia (AF). Com ele esteve o seu colega Manuel Carvalho da Silva, com a mesma intenção, substituindo os seus colegas que haviam renunciado (Abel Correia e Elisa Santos). Também nos confirmou ter sido convocado por Jorge Paiva “pessoalmente” e ter assinado “um papel [o dito protocolo] com data do dia 15 de outubro”, sem quaisquer objeções. Porém, decorrida cerca de

meia hora, acabou por se ausentar do local, bem como o seu colega social-democrata, pois “não havia condições para essa reunião. A instalação e tomada de posse dos órgãos autárquicos são atos que exigem alguma dignidade, ainda por cima num dia de chuva e frio. Não seria de todo conveniente, a meu ver, a realização dessa Assembleia de Freguesia (AF)”.Ainda nesse dia, através do seu colega Manuel Carvalho da Silva, que lhe ligou, “soube apenas que tinha decorrido mesmo no exterior do edifício e que os elementos do CDS-PP tinham tomado posse”. Neste momento, “estou à espera de tomar posse e ver o que irá acontecer”, adianta-

nos para confessar: “Tenho estado um pouco ‘a leste’ da situação. Espero que tudo se resolva passiva e serenamente, caso assim não seja não estou lá a fazer coisa alguma. Penso que de parte a parte – prossegue – as pessoas não tiveram calma; ambas as partes deveriam ter cedido um pouco e tudo teria sido evitado”. Manuel Mário Silva acredita que “isto tudo será ultrapassado. Jorge Paiva tem uma maioria e todas as condições para desempenhar um mandato condigno”. Já quanto ao comportamento do presidente da AF cessante, Luís Filipe Oliveira, o n.º1 do PSD não dá grandes palpites, apenas comenta: “Se fosse

eu, tinha marcado a reunião e, se não quisesse estar presente, indicava alguém que me substituísse no ato”. Tudo isto para concluir com uma ideia que é, com certeza, partilhada por muitos: “Fajões não é uma terra de desordeiros. Existem algumas pessoas com rivalidades entre si e problemas pessoais por resolver, acabando por ser a freguesia a pagar a fatura e a sair prejudicada de tudo isso. Fajões não merece o que se tem passado. De um modo geral - continua o n.º 1 da lista do PSD - a população é ordeira e igual a todas as restantes das 19 freguesias do concelho. Faço votos para que as coisas se alterem, pois já é tempo disso!”


REGIONAL

19

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

OSSELA> PRÉMIO ESCOLAR ESCRITOR FERREIRA DE CASTRO 20122013

Constança Bento e Tiago Henriques foram os vencedores Constança Costa Bento e Tiago Almeida Henriques foram os vencedores do Prémio Escolar Ferreira de Castro, referente ao último ano letivo 2012-2013. Cumprindo o que diz o regulamento, a entrega dos prémios aconteceu em outubro, mais concretamente no dia 26. De acordo com o regulamento publicado em Diário da República a 29/12/1966, sob a Portaria 22.403, “a distribuição dos prémios farse-á, anualmente, no mês de outubro” e, assim sendo, a entrega dos prémios ocorreu no passado dia 26 e, também como habitualmente, no salão multiusos da sede social do Grupo Cultural e Recreativo de Ossela. A mesa que presidiu a cerimónia era composta pelo Agrupamento de Escolas Ferreira de Castro (pela primeira vez, como entidade responsável pelos estabelecimentos de ensino de Ossela), representado pela sua diretora, Ilda Ferreira; Câmara de Oliveira de Azeméis, na pessoa do vereador da Divisão Municipal de Educação, Isidro Figueiredo; e Junta de Freguesia de Ossela, cuja representação coube ao seu presidente, José Rodrigues dos Santos. Ainda fizeram parte deste leque de convidados, com assento na mesa, José Alves da Silva, porque, durante o ano letivo 2012-2013, acompanhou os alunos ainda na qualidade de autarca osselense; e Carlos Castro, o líder diretivo do Centro de Estudos Ferreira de Castro (CEFC). “Mérito” reconhecido Na ‘pele’ de representante do órgão de gestão que tem sob sua responsabilidade este galardão, Ilda Ferreira dirigiu-se aos presentes, dizendolhes que “é com um grande

Os vencedores do prémio no ano letivo 2012/2013

OLIVEIRA DE AZEMÉIS> CRIADO PELA CASA DA COMARCA OLIVEIRENSE

neste cargo. De salientar que, como complemento ao Prémio Escolar Escritor valor oficial do Prémio Escolar Escritor Ferreira de Castro Ferreira de Castro (50 euros), a Fundação Alegria, através do Centro de Estudos FerO Prémio Escolar Escritor Ferreira de Castro reira de Castro (CEFC), presenteou cada um foi criado em 1966 pela Casa da Comarca dos vencedores com 250 euros, “para que – de Oliveira de Azeméis (associação sedeada segundo Carlos Castro, do CEFC - possam, em Lisboa), com a intenção de imortalizar de algum modo, servir de ânimo à vossa o nome de Ferreira de Castro na terra onde aplicação aos estudos, a exemplo de Ferreinascera e para que a constante vontade do ra de Castro que, depois da 4.ª classe (atual escritor em aprender pudesse ser imitada 4.º ano), continuou a estudar durante toda pelas crianças de Ossela. a vida, e sempre sem professor; por isso, Na época, o presidente da direção era diz-se que foi autodidata”. Dulcídio Alegria, principal responsável pela Na impossibilidade de não poderem ter um formalização deste importante galardão, exemplar do livro ‘Emigrantes’ autografado oficializado com a publicação no Diário da pelo próprio Ferreira de Castro, “entregaRepública de 29 de dezembro daquele ano. mos-vos um ‘Emigrantes’ (oferta da Cavalo Dulcídio Alegria faleceu a 13 de dezembro de Ferro) com um carimbo feito, proposide 2010, mas, um ano antes, ainda consetadamente, para esta ocasião”, disse Carlos guiu criar a Fundação Alegria, com sede em Castro, aproveitando ainda a oportunidade Oliveira de Azeméis, e da qual foi presidente “para vos oferecer do conto ‘O Senhor dos do conselho de administração. O seu filho, Navegantes’ e um pequeno livrinho dediProfessor Doutor Carlos Alegria, sucedeu-o cado a este dia que vos é consagrado”. orgulho que, em representação do recente Agrupamento de Escolas Ferreira de Castro, presto homenagem aos alunos [do 4.º ano] Tiago Almeida Henriques e Constança Costa Bento, que se distinguiram no ano letivo 2012-2013, pelos seus resultados escolares, e recebem aqui o ‘Prémio Escolar Escritor Ferreira de Castro’. Este prémio é a consagração pública do vosso mérito”, sublinhou a professora, acrescentando que esta distinção “visa o reconhecimento do mérito na concretização de um projeto pessoal que exi-

giu, estou certa, muito sacrifício”. Na sua ótica, “nada na vida se consegue sem esforço, por isso, procurem o conhecimento”, com o qual “compreenderão melhor o mundo e enfrentá-lo-ão com mais facilidade”. Ilda Ferreira apelou ainda para que os dois vencedores “sigam o exemplo de vida de Ferreira de Castro, que, apesar das adversidades, conseguiu criar uma obra literária e nela projetar os valores humanistas que sempre defendeu, contribuindo para fazer chegar a Língua Portuguesa a todos

os cantos do mundo”. Ferreira de Castro, Ivone Ferreira e Dulcídio Alegria evocados “Que o exemplo de vida de Ferreira de Castro vos inspire na concretização dos vossos anseios e vos torne melhores pessoas, mais cultas, mais tolerantes, mais livres e mais humanas”, apelou a responsável educativa, recordando, de seguida, as palavras do escritor para quem “o sentimento humano é um dos maiores e nobres sentimentos”: “Os mais profundos sentimentos humanos, uma

vez acesos, não cabem nos limites de uma pátria, por muito grande que ela seja”. (‘Aldeia Nativa’, Os Fragmentos, Círculo de Leitores, p.33). Ilda Ferreira evocou, “com uma enorme saudade”, Ivone Ferreira, “uma professora dedicada e querida desta Escola [Básica e Secundária Ferreira de Castro], hoje Agrupamento [de Escolas Ferreira de Castro], uma estudiosa da obra de Ferreira de Castro e membro da direção do Centro de Estudos Ferreira de Castro” e relembrou, ainda, “o Dr. Dulcídio Alegria associado à criação do Prémio Escolar Escritor Ferreira de Castro que hoje se entrega”. A docente dirigiu as palavras finais aos galardoados, desejando-lhes que “este prémio vos estimule na procura da realização pessoal e académica!”. Seguidamente, a diretora do Agrupamento de Escolas entregou-lhes o prémio oficial - um cheque no valor de 50 euros. Mas as prendas não se ficaram por aqui. Constança Bento e Tiago Henriques também levaram para casa mais 250 euros, oferecidos pela Fundação Alegria, através do CEFC; a obra ‘Emigrantes’ (oferta da ‘Cavalo de Ferro’, atual editora da obra de Ferreira de Castro); e algumas recordações da Junta de Freguesia de Ossela. Se bem que o momento mais importante da cerimónia, para os dois, talvez tenha sido aquele em que assinaram o Livro de Honra do Prémio Escolar Escritor Ferreira de Castro e quando receberam o certificado que comprova que foram selecionados entre os “alunos que mais se tenham distinguido por qualidades morais, assiduidade às aulas, aplicação ao estudo e dotes inteletuais” no último ano letivo. A festa prosseguiu na Pensão Suissa, em Macieira de Cambra (Vale de Cambra), onde teve lugar o jantar de gala, uma oferta do Centro de Estudos Ferreira de Castro aos galardoados e aos seus pais, no qual participaram, de igual modo, outros familiares e amigos.


05 de novembro de 2013

desporto

HÓQUEI EM PATINS> VISITANTES ABRIRAM O MARCADOR, MAS ACABARAM POR LEVAR 71

Oliveirense dá goleada ao Turquel no primeiro jogo em casa OLIVEIRENSE, 7 HC TURQUEL, 1

Alfredo Pinho

Oliveirense: Diogo Almeida; André Azevedo, Gonçalo Alves (2), Tó Silva (1) e Diogo Silva. Jogaram ainda: Domingos Pinho, Gonçalo Suissas (1), Poka (1), Nelson Pereira (1) e Rúben Pereira (1). Treinador: Nuno Resende HC Turquel: Marco Barros; Tiago Rafael (1), Daniel Matias, Paulo Passos e Vasco Luís. Jogaram ainda: Pedro Vaz, Alexandre Duarte, Fábio Alexandre e André Luís. Treinador: João Simões Jogo no Pavilhão Dr. Salvador Machado, Oliveira de Azeméis Árbitros: João Duarte (Lisboa), Paulo Romão (Lisboa) e António Rocha (3.º árbitro, Lisboa)

‘Chuva’ de golos no primeiro jogo em casa da UDO, na temporada. Cumprindo a 2.ª jornada do campeonato nacional, os unionistas golearam o HC Turquel, dando aos adeptos as melhores boas-vindas no regresso das emoções do hóquei a Oliveira de Azeméis. Naquele que era antevisto como o jogo ‘quente’ da 2.ª jornada do campeonato da 1.ª Divisão, a Oliveirense conseguiu uma vitória expressiva, perante o conjunto que veio de Turquel. Todos os golos só apareceram na segunda parte e os visitantes ainda conseguiram marcar primeiro. A partir do 1-1 foi sempre a somar para os homens de Nuno Resende, que fizeram o marcador girar até ao 7-1. A primeira parte até que foi renhida, conforme o demonstra o nulo – justo – ao intervalo. Logo nos primeiros minutos o Turquel ameaçou a baliza de Diogo Almeida, mas,

Foi difícil quebrar o muro que Marco Barros erguera na baliza, mas depois foi sempre a somar golos...

atento, o ‘keeper’ unionista fez três defesas consecutivas, impedindo os forasteiros de marcarem primeiro. Logo de seguida foi a vez do guardião contrário exibir-se e, com uma aparatosa defesa, negou o golo à UDO. Se durante os primeiros cinco minutos foi o Turquel quem procurou manter mais posse de bola, de súbito era a Oliveirense quem jogava à frente. Mas com os comandados de João Simões bem fechados na zona defensiva, o cinco da casa ia tentando concretizar a partir da meia distância. Só que entre as defesas do guardião e as interceções dos lances de ataque, o Turquel ia conseguindo chegar com perigo à área de Diogo Almeida.

de de abrir o ativo. Nesta altura era visível que a UDO tomara as rédeas do jogo. Agora estava mais rematadora, com um maior ascendente atacante. O relógio marcava os 14’23’’ quando o juiz do encontro penalizou Tiago Rafael por derrube do adversário, que seguia em boa posição na direção da baliza da equipa de Oliveira de Azeméis. Na cobrança, de novo Gonçalo Alves: desta vez na linha de livre direto, o 77 da União não conseguiu evitar a defesa de Marco Barros, mas ainda segurou a sobra. Na recarga atirou em jeito, mas por cima. Com doze para o intervalo, a possibilidade de marcar de penálti foi dada ao Turquel, mas Tiago Rafael também não marcou. Os visitantes Gonçalo Alves desperdiçou não davam sinais de quebra e duas vezes conseguiram, por várias vezes, Aos 16 minutos para o final lances de muito perigo, mas ao da primeira parte, o Turquel intervalo o resultado não estafoi punido com o castigo má- va melhor do que 0-0. ximo. Chamado a converter, Gonçalo Alves acertou no fer- Golos só na segunda parte ro e, na recarga, atirou ao lado, No regresso dos balneários, desperdiçando a oportunida- o Turquel não levou muito

tempo a apontar o primeiro: Diogo Almeida seria batido aos 23’43’’. Foi a primeira, mas também a última vez no encontro. Até porque desse ponto em diante a Oliveirense acusou o abanão e apareceu inspiradíssima no jogo. É que Gonçalo Alves não deixou passar um minuto para repor a igualdade. Depois foi o reforço Poka quem marcou para o 2-1 (aos 20’20’’). O mesmo Poka esteve também no 3-1 da UDO, ao intercetar um ataque para servir Suissas que, isolado na cara de Marco Barros, não perdoou. O golo número quatro foi o bis de Gonçalo Alves, enquanto Tó Silva apontou, aos 10’44’’ para o final do encontro, o 5-1. Com dez minutos para jogar e com uma vantagem tranquila dos unionistas, o ritmo da partida não diminuiu. Desde o apito inicial, ambos os conjuntos praticaram um hóquei rápido. E apesar de já poucas vezes conseguir surgir no meio campo da UDO, o Turquel nunca desistiu e quando

aparecia, fazia-o com perigo. Aos 6’41’’ os forasteiros perderam uma bola num ataque, em vantagem de dois para um, na direção da baliza azul e vermelha. Rúben Pereira, com um remate poderoso e bem colocado, fez o sexto. O sétimo golo apareceu já no último minuto. Aos 46 segundos do final, Nelson Pereira rematou pela esquerda e colocou a bola no ângulo mais afastado de Marco Barros. Vitória justa para a UDO que, apesar de uma primeira parte menos vistosa, soube dar a volta – e de que maneira – ao ‘xadrez’. Na próxima jornada a Oliveirense vai ao recinto do Juventude de Viana. Oportunidade para começar a definir posições na tabela classificativa, até porque os visitados têm também duas vitórias: a primeira frente ao Sporting (5-2) e a segunda contra o recémpromovido Mealhada (2-6). Recorde-se que na primeira jornada a UDO foi ganhar três pontos ao pavilhão do Carvalhos (2-6).


DESPORTO

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

HOMENAGEM> UDO EM PREITO AO ‘SEU’ CAMPEÃO EUROPEU

“O hóquei é uma paixão, é a minha vida” O guarda redes dos juvenis da UDO foi peça fundamental para Portugal conquistar o título no Campeonato Europeu de Hóquei em sub-17. Perante os adeptos da modalidade, o clube rendeu-lhe a devida homenagem. A União Desportiva Oliveirense aproveitou o intervalo do jogo ante o Turquel para homenagear Tiago Rodrigues, o jovem guarda-redes que se sagrou campeão europeu em Espanha, defendendo as cores da bandeira portuguesa. António Valente, responsável máximo da modalidade no clube, procedeu à entrega de uma placa que formaliza o preito, numa cerimónia simples, mas repleta de significado. O atleta, com 15 anos de idade, descreve que integrar a comitiva portuguesa “foi uma sensação espetacular”, “apesar das dificuldades que tivemos”, sobretudo na preparação, que foi tão exigente quanto o valor das equipas que estavam na

Escola Livre: Hélder Cereja; Ricardo Bastos, Pedro Silva, Rui Pinho e Daniel Gaspar Jogaram ainda: Alexandre Santos, José Rodrigues e Bruno Andrade U.F. Entroncamento: Orlando Pereira; David Vieira, Bruno Pereira, João Mendes e Rui Alves. Jogaram ainda: Tiago Vale; Edgar Costa; Pedro Brazete Jogo no Pavilhão Albano Mateus, Entroncamento Árbitros: Cidalino Lamosa e Paulo Ferrão

A UDO soube reconhecer e distinguir o mérito do jovem atleta

competição. “No final, foi gratificante termos ganho”, sublinha, em declarações ao Correio de Azeméis, Tiago Rodrigues, um dos dois patinadores mais novos da equipa que foi disputar o Campeonato Europeu em Alcobendas, Espanha, no mês de outubro. Todos os outros eram já jogadores no escalão de juvenis, na altura da convocatória. A chamada à seleção nacional de sub-17 acaba por ser uma progressão natural na carreira de Tiago Rodrigues, que des-

de há três anos vinha sendo o guarda redes titular da seleção de Aveiro em iniciados – era ainda infantil de segundo ano. “Fui chamado por azar de um colega, que ficou doente. Não deixei escapar a oportunidade, dei tudo por tudo e cheguei onde cheguei”, acrescenta. Na altura, Rodrigues vestia a camisola do HA Cambra, emblema onde deu os primeiros passos no Hóquei. Na idade de transição para iniciado, ingressou na Oliveirense. Agora, sente-se bem de azul e vermelho. “Estou contente

Alfredo Pinho

CD Cucujães: Pedro Sereno; Gabriel Teixeira, Duarte Resende (1), Tiago Oliveira (1) e Miguel Oliveira (1). Jogaram ainda: José Martins, João Teles e André Silva. Treinador: Carlos Gonçalves CA Feira: Ricardo Fernandes; João Moreira (1), David Sá (3), Tiago Pinho (2) e Pedro Silva. Jogaram ainda: Artur Couto, Simão Pinho (1) e Hugo Gonçalves. Treinador: Rui Tavares

Num jogo entre vizinhos – em que ambas as equipas procuravam os três pontos – a vitória sorriu aos visitantes. O Cucujães entrou no encon-

Escola Livre perde em casa do Entroncamento E.L. AZEMÉIS, 3 ENTRONCAMENTO, 5

por jogar num grande clube como é a Oliveirense. Sou tratado com muito carinho, é um ambiente espetacular. Encontro aqui condições que poucos clubes têm a nível nacional e até europeu”. Como ambições pessoais, Tiago Rodrigues almeja ser novamente chamado à seleção de sub-17 – que agora já é o seu escalão. Num futuro um pouco mais distante, quer lutar para integrar a equipa sénior da UDO. “Se não der, quero jogar hóquei até não poder mais. O hóquei é uma paixão, é a minha vida”.

Cucujães ainda sem vitórias no campeonato

Jogo no Pavilhão do CD Cucujães Árbitros: Cláudia Rêgo e Cristiane Jardim (Minho) Cartões azuis: Miguel Oliveira e João Teles Cartões vermelhos: Miguel Oliveira e Tiago Pinho

HÓQUEI EM PATINS> 2.ª DIVISÃO SUL

Alfredo Pinho

HÓQUEI EM PATINS> 2.ª DIVISÃO NORTE

CD CUCUJÃES, 3 CA FEIRA, 7

21

tro praticamente a marcar, mas a Feira equilibrou, tendo chegado ao empate e conseguido mais dois golos de avanço. Até ao intervalo, o melhor que os anfitriões fizeram foi reduzir para 2-3. Pelo caminho ficaram quatro bolas nos postes, mesmo

a pedir golo, enviadas pelos homens de Rui Tavares. A segunda parte começou com o AC Feira a fazer o 2-4 e, a partir daqui, os visitantes embalaram para uma vitória expressiva, tendo o Cucujães apontado apenas mais um, por Tiago Oli-

veira (3-7). Já perto do fim, os locais puderam ficar a queixar-se de alguma falta de sorte, já que acertaram várias vezes nos postes. Arbitragem excelente de uma dupla que merece os parabéns. Com esta, o Cucujães soma a terceira vitória no campeonato. Com cinco jogos cumpridos, o melhor que o clube conseguiu foi um empate frente ao Lavra (3-3), estando ainda por apurar a decisão da Federação quanto ao jogo contra o CART, que não se realizou devido à falta de policiamento (poderá ser averbada uma vitória por 10-0 favorável aos cucujanenses). Na próxima jornada o clube de Azeméis desloca-se a Famalicão, para uma partida que tem o apito inicial agendado para as 19:00 horas.

Numa primeira parte de um jogo muito rápido, os escolares lutaram mas não conseguiram marcar. E como quem não marca sofre, foi a formação do Entroncamento quem abriu o ativo, aos 18’16’’, através de Tiago Vale. Os comandados de Carlos José não desanimaram e continuaram a trocar bem a bola, até que, numa jogada bem construída, Rui Pinho repõs a igualdade no marcador. A Escola Livre conseguiu, depois, passar à frente com um golo de Pedro Silva, mas ainda na primeira parte a turma visitada fez o tento de empate. Na segunda parte a ELA continuou pró-ativa e a lutar pelo objetivo. Prova disso é que José Rodrigues logrou fazer o 2-3 aos 17’45’’. Determinada a ultrapassar os obstáculos, a equipa do Entroncamento rentabilizou um contra ataque em golo de empate, e o marcador ficou no 3-3 até aos 57 segundos finais. Nessa altura, uma perda de bola dos escolares resultou num verdadeiro balde de água fria, pois permitiu que os locais fizessem o 4-3. Ainda mais perto do fim, e num lance duvidoso, o árbitro assinalou falta para livre direto, que permitiu ao Entroncamento fixar o resultado em 5-3. Foi um jogo intenso, ao longo do qual a Escola Livre empenhou todas as suas forças, embora tenha desperdiçado algumas ocasiões de golo. A equipa da casa, por outro lado, foi eficaz, aproveitando bem os erros do adversário. No próximo dia 9, é o Sesimbra que vem ao Norte, ao pavilhão da ‘Santinha’, para cumprir a sexta jornada do campeonato.


22

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

DESPORTO

FUTSAL> EQUIPA DE AZEMÉIS EMPATA EM S. JOÃO DA MADEIRA

Ter o pássaro na mão e deixá-lo fugir D. SANJOANENSE, 2 FC AZEMÉIS, 2 D. Sanjoanense: Patrick, Renato, Flávio, Ricardo e Pedro (cap). Jogaram ainda: Luís, Serguinho, Álvaro, Teixeira e Márcio Treinador: Nuno Azevedo FCA: (5): Inácio, Andorinha, André Silva, Pipokah, Azevedo. Jogaram ainda: Spock (cap), Bruninho, Robinho, Joel Treinador: Ricardo Canavarro Arbitros: Vitor Alves e Bruno Amorim Cartões amarelos: Ricardo, Pipokah e Robinho Marcadores: Renato (2), Azevedo e Andorinha

O jogo anteviase difícil para as hostes oliveirenses, visto tratar-se de um dérbi e de uma equipa bastante experiente, mas também devido às ausencias, no Futebol Clube de Azeméis (FCA), por castigo e lesão.

O FC Azeméis pecou nas finalizações

O FCA começou o jogo tranquilo, muito forte a defender e a atacar pela certa. Num pontapé colocado, de Paulo Azevedo, os forasteiros colocaram-se em vantagem, decorriam, sensivelmente, dez minutos da primeira parte. Pouco depois, Andorinha dilatava o marcador. O clube de Oliveira de Azeméis estava muito concentrado e só pecava na finalização, pois ia falhando alguns golos certos. Na primeira parte, a equipa da casa só causou perigo num livre. Com um 2-0 ao intervalo, a

equipa do Dínamo veio mais pressionante. Durante os primeiros 15 minutos os visitantes estiveram irrepreensíveis a defender e, à semelhança do primeiro tempo, só pecavam na finalização. Uma falha que se veio a tornar fatal, pois num ápice (dois minutos) o conjunto da casa empatou o jogo, praticamente, nas únicas duas oportunidades de que dispôs em toda a partida. Um empate que castiga a má finalização do plantel oliveirense, num encontro que talvez tenha sido a melhor exibição da época até ao momento.

FUTSAL FEMININO> PINDELENSES DOMINARAM FORA DE PORTAS

PARC arrasa em Telhadela Na noite de sábado, disputouse o jogo antecipado da sétima jornada do campeonato distrital de futsal. O encontro pôs frente a frente as equipas do Telhadela e da P.A.R.C.. O jogo não podia ter começado da melhor maneira para a equipa visitante de Pindelo: o primeiro golo surgiu logo aos 12 segundos, com um remate forte

e colocado de Raquel. Poucos minutos depois a mesma jogadora ampliou o resultado para 0-2. Numa partida sempre dominada pela equipa pindelense, chegou-se ao intervalo com o marcador em 0-5, mais um golo de Raquel, e outros de Filipa e Joana Silva. A abrir o segundo tempo, um

poker de Raquel eleva o marcador para 0-6. No conforto da vantagem, a turma forasteira acabou por ser surpreednida por duas transições rápidas e a equipa da casa reduziu para 2-6. As atletas de Hugo Tavares assentaram, novamente, o jogo e, com três golos de Lena, chegou-se ao final com um resultado justo e merecido (2-9).

FUTSAL> A JOGAR NO PAVILHÃO ANTÓNIO COSTEIRA

Mérito do Ossela na vitória frente ao CRECUS Nesta terceira jornada, o GCR Ossela não pôde jogar no seu recinto (não apresentava condições para a prática de futsal devido ao mau tempo), pelo que recebeu, no Pavilhão Municipal António Costeira, a surpreendente equipa da CRECUS. Com uma atitude determinada e a pressionar, o conjunto de Oliveira de Azeméis não

conseguia, porém, superiorizar-se à bem organizada defesa da equipa adversária. Nos poucos contra-ataques do CRECUS, os anfitriões sofreram golo a meio da primeira parte, numa desatenção defensiva. Apesar de massacrar, ofensivamente, o Ossela falhava na finalização, tudo por culpa da grande exibição do guarda-redes adversário.

Na segunda parte, os locais entraram, novamente, a pressionar e cedo foi conseguido o empate para, pouco depois, virarem o resultado para 2-1. Em vantagem, a opção foi baixar as linhas, obrigando os forasteiros a subirem. Em poucos minutos surgiu o 3-1 e o 4-1. Na parte final do encontro, o CRECUS ainda reduziu para 4-2, ficando assim até ao final.

Classificações


DESPORTO

23

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

BASQUETEBOL> OLIVEIRENSE LEVA DE VENCIDA O ADVERSÁRIO MENOS DESEJADO

Vitória sofrida mas justa frente à Ovarense final. Uma vitória sofrida da Oliveirense. Foi premiada a equipa mais organizada e que teve a capacidade de reentrar no jogo quando este lhe ‘fugiu’, jogando até ao limite perante uma Ovarense bem preparada e que, apesar de ter revelado muito mais soluções coletivas, não conseguiu evitar a derrota.

OLIVEIRENSE, 72 OVARENSE, 70 Oliveirense: João Abreu (11); Aaron Fuller (19); João Soares (22); Nelson Costa (1);João Reveles (8) – cinco inicial – André Carvalho; João Barbosa; Renato Azevedo (2); Francisco Albergaria; Rui França; Carlos Resende e André Pereira (9). Treinador: Rui Alves Ovarense: Cristóvão Cordeiro (10); José Barbosa (10); Fernando Neves (11); Miguel Miranda (12); e Sergi Koll (8) – cinco inicial – Emanuel Sá (3); André Pinto (6); Nuno Morais (3) e Pedro Costa (7). Treinador: Carlos Pinto Jogo no Pavilhão Dr. Salvador Machado, Oliveira de Azeméis Árbitros: Luís Lopes, Paulo Marques e Paulo Pereira Por períodos: 18-20 ; 23-16; 19-18; 12-16

A Oliveirense recebeu e venceu a Ovarense por 72-70. Vitória justa que premiou a estratégia de Rui Alves neste dérbi aveirense e o empenho de toda uma equipa. Os talentos finalizadores de Aaron Fuller e João Soares, que, à sua conta, marcaram 41 pontos, foram também cruciais.

A Oliveirense venceu uma das principais equipas da Liga

Consciente disso, e apesar das muito melhores opções que Carlos Pinto tinha no banco, Rui Alves não se amedrontou, arrancando para este jogo com uma exibição baseada no espírito de equipa. O norte americano Aaron Fuller que foi, mais uma vez, o carrasco (MVP) da partida, com 19 pontos, 14 ressaltos e quatro assistências, tendo ainda tido sempre a seu cargo a estratégia de equilibrar as transições. ADELINO RAMOS Também João Soares foi um dos que mais contribuíram no Após a derrota frente ao capítulo de lançamentos (22 Maia Basket, logo na primeira pontos) e dos ressaltos (10), jornada, a Oliveirense tinha, bem como nas mudanças rápineste dérbi aveirense, o adver- das de velocidade. sário teoricamente menos deA vitória não seria, certamensejado: A Ovarense. te, um resultado estranho e, à

partida, era algo, perfeitamente, possível. Mas quem viu (e desta vez, o pavilhão revestiu-se de uma moldura humana impressionante) sabe que, nos últimos três minutos, com o marcador a registar um empate (65-65), eram poucos aqueles que apostavam em qualquer resultado positivo para a formação da Oliveirense. Mas os pupilos de Rui Alves suportaram bem o facto da Ovarense ter conseguido colarse no marcador e, rapidamente, voltaram a unir-se, amealhando mais quatro pontos (69-65), fundamentais para estabilizar a equipa.

Carlos Pinto tinha a estratégia bem estudada e, mal os jogadores vareiros marcavam pontos, o técnico mandava, como uma mola, pressionar Fuller, algumas vezes, alvo de situação de dois para um. Mas com toda a equipa da Oliveirense a entrar com tudo nos derradeiros 32 segundos, os locais conseguiram marcar mais três pontos (72-67). No entanto, com a precisão de José Barbosa, da Ovarense, os visitantes lograram marcar um triplo, colocando, agora, o marcador em 72-70. Após um falhanço de um atleta da Oliveirense José Barbosa teve ainda a possibilidade de tentar mais Todos contra Fuller um triplo para vencer o jogo, O segredo da Ovarense con- mas a bola não entrou, tendo sistia em ‘parar’ Aaron Fuller. soado logo de seguida o apito

BASQUETEBOL> PRIMEIRA ELIMINATÓRIA A 17 DE NOVEMBRO

Oliveirense recebida pela Dragon Force para a Taça de Portugal Foi realizado na semana passada o sorteio dos 16 avos de final e dos oitavos de final da Taça de Portugal: A Oliveirense, que, esta época, regressou ao convívio dos grandes do basquetebol, vai deslocar-se, no próximo dia 17, ao Dragão Caixa para defrontar a equipa do DragonForce, que, após a passagem pelo CNB2, aparece na Proliga, dando mais prestígio e visibilidade a este encontro. A formação que sair vencedora desta eliminatória irá defrontar nos oitavos de final,

agendados para o dia 08 de dezembro, que será Desportivo da Póvoa a definir. O sorteio dos quartos-de-final tem lugar a 12 de dezembro. Esta primeira eliminatória fica também marcada com a partida de maior cartaz: Aquela em que a Ovarense recebe o Benfica, atual campeão nacional. São dois dos principais candidatos à conquista do valioso troféu, mas um deles irá ficar pelo caminho, logo, no arranque da competição, que arranca do próximo domigo a oito com

Nota positiva para atletas da formação Uma nota final para dois jovens da formação unionista: João Barbosa e Francisco Albergaria confirmaram-se nesta partida como atletas de qualidade e mostraram que, quando conseguirem um melhor entrosamento com o coletivo, podem ter uma palavra a dizer nesta Liga Portuguesa, competição que tem equipas ‘donas’ de orçamentos bem superiores. O desempenho daqueles atletas foi uma das notas positivas anotadas por Mário Matos, no rescaldo do encontro: “Não complicaram”. Em declarações ao Correio de Azeméis, o adjunto de Rui Alves salientou também que se tratou de uma “vitória justa”, tendo atribuido ainda ‘sinal mais’ vai para “o público maravilhoso” que acorreu ao pavilhão para ver “este verdadeiro espetáculo de basquetebol”. O próximo encontro está agendado para o próximo sábado no ‘Salvador Machado’, parante a equipa de Barcelos. Para ver e aplaudir, a partir das 21h00.

PEDESTRIANISMO> NO PRÓXIMO DIA 17

ACREV caminha até à Sr.ª da Saúde

sete equipas da região de Aveiro. Das equipas aveirenses em prova, sublinhe-se que o Esgueira desloca-se ao recinto da Física em Torres Vedras, o Galitos recebe o Algés e a Sanjoanense defronta o Terceira Basket. Por último, o Sangalhos recebe o Illiabum, num apetecível dérbi distrital. Quanto às expetativas da Oliveirense, são, certamente, altas: O desejo é o de passar esta eliminatória. ADELINO RAMOS

A ACREV está a organizar mais uma caminhada, desta feita, à N. Sr.ª da Saúde. A iniciativa está marcada para o dia 17 de novembro, com concentração às 08h00, na Praça José da Costa, em Oliveira de Azeméis. O percurso, entre Oliveira de Azeméis e Gestoso, totaliza 12 quilómetros (regresso a pé é facultativo) e tem nível de dificuldade médio. Por estrada de asfalto, calçadas, estradões e caminhos de floresta, a ACREV pretende “percorrer o percurso seguido pelos nossos pais e avós na romaria à Sr.ª da Saúde”. O custo de inscrição é de 5 euros e inclui o transporte de regresso, seguro desportivo e outras despesas. As inscrições devem ser efetuadas até 15 de novembro. O email da associação é acrev@sapo.pt. Por telefone, os contatos são o 919 557 972 (Amaro Bastos) e 965 853 137 (Manuel Soares).


24

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

DESPORTO

LIGA CABOVISÃO> TRÊS PONTOS SALVOS POR AUTOGOLO NOS ÚLTIMOS MINUTOS

Oliveirense vence Feirense com um pouco de sorte à mistura FEIRENSE, 2 OLIVEIRENSE, 3 Feirense: Marco, Icaro, Túlio (Marcelo, 64), Carvalho, Barge, Tiago Jogo (Cris, 83), Sténio, Xavier (Ricardo Barros, 67), Zé Pedro, Jorge Gonçalves e Porcellis. Treinador: Pedro Miguel. Oliveirense: João Pinho, Sérgio, Paulinho, Banjai, Steven, Godinho, Alphonse, Valdinho (Laurindo, 66), Carela (Luciano, 76), Rui Lima (Laranjeira, 90) e Guima Treinador: Henrique Nunes. Marcadores: Jorge Gonçalves (24’), Godinho (36’), Guima (47’), Porcellis (72) e Carvalho (85’, p.b.) Jogo no Estádio Marcolino de Castro, em Santa Maria da Feira Árbitro: Nuno Almeida (Algarve). Cartões amarelos: Barge (33), Túlio (43), Carvalho (45+1), Steven (55 e 61), Sténio (56) e Cris (90+3) Cartão vermelho: Steven (61, a.a.)

O apetecível dérbi regional no Marcolino de Castro correu melhor para a Oliveirense, que, a cinco minutos do fim, viu a sorte sorrir-lhe com um autogolo de Carvalho, desfazendo o empate a duas bolas a favor dos unionistas. Foi sofrida a vitória que a Oliveirense ‘sacou’ este sábado em Santa Maria da Feira, num jogo que – além das caraterísticas de dérbi regional – tinha o ‘background’ dos treinadores como ‘ingrediente extra’. O técnico da UDO, Henrique Nunes, é dali natural e já serviu muitos anos o emblema

Henrique Nunes foi ao concelho de onde é natural buscar uma vitória para Oliveira de Azeméis.

feirense. Tinha pela frente os homens de Pedro Miguel – este nascido em Azeméis e que, no comando da equipa unionista, já assegurou triunfos históricos para o clube. Em termos de tabela, o 20.º classificado recebia o 16.º. Por isso, os três pontos eram mais do que cruciais para ambos os conjuntos. Mas foi a União quem levou a melhor e conseguiu, com o triunfo, ascender à 14.ª posição. Porém, foi o Feirense quem, claramente, entrou melhor na partida. Nas bancadas, os adeptos oliveirenses tiveram de suster a respiração, logo aos quatro minutos, quando viram Sténio a tirar o melhor partido de uma confusão na área e a rematar. Respiraram de alívio

quando o esférico embateu contra o guardião João Pinho. Safos do primeiro intento, os homens de Nunes vieram a sofrer golo mais tarde, aos 24 minutos, quando Jorge Gonçalves executou da melhor maneira um livre direto próximo da linha de área. Mas a UDO reagiu bem e, logo depois, Godinho esteve perto de empatar. Fê-lo aos 36, no seguimento de um canto: um erro de marcação da defesa da casa deixou-o livre para, de cabeça, colocar a bola nas redes de Marco.

aproveitar mais um lance de canto para, aproveitando uma sobra na área, rematar para o 1-2. Uma vantagem mínima que passou a estar sob ameaça quando, aos 60 minutos, Steven foi amarelado pela segunda vez e viu a cartolina vermelha sair do bolso de Nuno Almeida. Aos 72, Porcellis logrou aproveitar a vantagem numérica e repôs a igualdade, servido por Marcelo que desenhou um cruzamento eficaz. Uma fórmula que acabou por servir até ao final do enUDO aguentou contro, até porque a UDO pasinferioridade numérica sou a jogar à defesa. Por isso, o O intervalo chegou com Feirense parecia fazer sempre o empate a uma bola, toda- o mesmo e a coisa quase corria via, logo no início do segun- bem, pois Porcellis estava quado tempo, foi a vez de Guima se sempre lá, demonstrando

>PRESIDENTE DA LIGA ALVO DE CONTESTAÇÃO Oliveirense também quer destituição de Mário Figueiredo A Oliveirense integra o grupo de 14 clubes da Primeira Liga e da Liga Cabovisão que entregou, na semana passada, um documento na Liga a pedir a realização de uma reunião extraordinária da assembleia-geral destinada a deliberar sobre a destituição do atual presidente, Mário Figueiredo. Conduzido inicialmente pela Académica, o movimento acabou por ter o apoio de vários clubes. Além da Oliveirense, FC Porto, Braga, Vitória de Setúbal, Vitória de Guimarães, Belenenses, Gil Vicente, Marítimo, Nacional, Rio Ave e Tondela integram o rol de requerentes, que tem de fora o Benfica e o Sporting, que não quiseram associar-se a este pedido, que, se for atendido, deverá levar à marcação de eleições antecipadas. Passou a aguardar-se, entretanto, a decisão do presidente do órgão deliberativo, Carlos Pereira. que a formação caseira era a que mais procurou a vitória. O azar ditou o infortúnio dos fogaceiros, que viram o 2-3 ser feito com um golo na própria baliza de Carvalho, num corte de bola mal executado a cinco minutos do fim do tempo regulamentar. No próximo fim de semana há Oliveirense x Sporting B no Carlos Osório, a contar para a 15.ª jornada. Fica em atraso a 14.ª, que a maioria dos clubes cumpre no dia 06 de novembro. A Oliveirense fá-lo-á a 16, deslocando-se ao reduto do Farense.

PRÉMIOS> SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL

Rui Lima nomeado para melhor jogador de outubro Os prémios do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol estão de volta e, para o mês de outubro, o médio Rui Lima, da União Desportiva Oliveirense, é um dos cinco nomeados. A votação está aberta a todos e pode ser efetuada no site institucional daquele organismo, em www.sjpf.pt. Além de Rui Lima, estão no rol de ‘candida-

tos’ Quim (Desp. Aves), Luís Gustavo (Beira-mar), Bernardo Silva (Benfica B) e Ricardo Pessoa (Portimonense). Além de melhor jogador do mês, o Sindicato tem ainda em eleição o melhor jogador jovem. As opções são Daniel Martins (Beira-mar), Bernardo Silva (Benfica B), João Cancelo (Benfica B), Patrão (Braga B) e Mike

(Santa Clara). Rui Lima, 35 anos, nasceu no Porto e, no início da carreira, jogou no Boavista, tendo ainda representado as cores do Gondomar, do Aves, do Chaves e do Vitória de Setúbal. Passou, depois, a vestir as cores do BeiraMar, cumprindo quatro épocas consecutivas na divisão principal do futebol português.

Em 2007 estreou-se além fronteiras, ingressando no AC Omonia, clube que militava na primeira divisão cipriota. No entanto, foi terminar a época noutro clube do país, o Nea Salamis Famagusta. Regressou ao Boavista em 2008, numa altura em que os axadrezados tinham sofrido a despromoção. Em 2009-2010, Lima voltou

ao Chipre, mas de novo mudou de equipa a meio da temporada. Desta vez mudou também de país: foi para Israel, jogar pelo Hapoel Haifa FC. Rui Lima representa o clube de Oliveira de Azeméis desde a temporada de 2010/11, tendo sido na época passada o quinto melhor marcador do campeonato, ao apontar 14 golos.


DESPORTO

25

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

CN SENIORES> CESARENSE SAI DE ESPINHO DERROTADO PELA DIFERENÇA MÍNIMA

Mais ousadia poderia ter dado em vitória O Espinho, último classificado da série D e ainda sem vitórias, entrou melhor no jogo e, logo aos 10’, colocou-se na frente do marcador por intermédio de Cédric. R. CASTRO

O Cesarense procurava atacar pelos flancos, mas seria novamente a equipa da casa a criar nova e excelente oportunidade de golo, aos 26’, com Marco a opor-se com mestria a um forte remate já dentro da área e que levava o selo de golo. A partir daí, o Cesarense conseguiu equilibrar o jogo. Nos últimos 15 minutos da primeira parte, o Cesa-

O último classificado levou a melhor sobre o Cesarense

rense melhorou significativamente, criando muitas dificuldades à defensiva espinhense. Aos 42’, talvez a

melhor oportunidade para o empate, com Diogo Mota a fazer uma excelente arrancada, apanhando a defensi-

va da casa em contra-pé. Já dentro da área, o atleta procurou colocar a bola em Zé Mário, porém esta perdeu-se nos pés de um defensor, que desviou para canto. Para a parte complementar, os alvi-negros entraram mais desinibidos e criaram muitas dificuldades à equipa da casa. Aos 55’, na sequência de um canto, Bruno Ansiães não conseguiu emendar para a baliza. Aos 62’, nova perdida e, na sequência de novo canto, novamente Bruno a não cabecear certeiro para golo. Foi o melhor período do Cesarense. O Espinho procurou responder com perigo, todavia a defensiva do Cesarense esteve sempre atenta e não deu grandes espaços. Na fase final da partida, o Cesarense procurou chegar pelo menos ao empate, mas o discernimento já não era

SP. ESPINHO, 1 FC CESARENSE, 0 Sp. Espinho: Chico; Bosingwa, José Carlos ©, Fabio Gonçalves, Allan, Joao Dias (williams, 65’), Cédric, Pedro Couto (Joca, 65’), Katallin (Boateng, 85’), Tiago, Pipa. Treinador: Fernando Gomes FC Cesarense: Marco ©; Americo, Tiago Resende, Tó FDrangolho (Castro, 45´), Fogaça (Paulo Ferreira, 64’), Bruno Ansiães, Alex, Diogo Mota, José Mário (Tintim, 75´), Careca. Treinador: Rui França Jogo no E. Com. Manuel Violas, Espinho Árbitro: Luis Calado (AF Viseu) Marcador: Cédric (10´) Cartões amarelos: Cédric (10´), Allan (23’), Tiago Resende (31’), Marco (31’), Hugo (34´), Bosingwa (50´), Fogaça (58´), Fabio Gonçalves (75´), Joca (79´), Pipa (86´), Boateng (90+2´)

o melhor e as pernas já não davam mais. O Cesarense saiu derrotado de Espinho, contudo, mais uma vez, ficou a sensação que com mais sorte e um pouco mais de ousadia poderia ter garantido um resultado positivo.

CN SENIORES> GRANDE PENALIDADE, PERTO DO FINAL, DERROTA EQUIPA BUSTELENSE

Derrota inglória ao cair do pano ANADIA, 1 SC BUSTELO, 0 Anadia: Manuel Gama; João Nogueira, Marito (Iafai, 60’), Makukula, Éder; Hugo Amado (Rafa, 73’), Moacir (Fábio, 78’), Branco; Miguel Ramos, Zé Miguel e Barreto. S.C.Bustelo: Janita; Paivinha, Luís, Renato, Almeida , Bruno Tiago (Letz, 54’), Azevedo, Diego, Marcelo (Dani, 65’); Ayrton (Magno, 75’) e Miguel. Estádio Municipal Engº Sílvio Henriques Cerveira Árbitro: Carlos Macedo (Braga) Cartão amarelo: Renato (32’), Marcelo (35’), Makukula (39’), Janita (75’), Éder (80’), Luís (81’), Paivinha (87’), Fábio (88’) e Zé Miguel (90’+4) Marcador: Branco (88’g.p.)

Nesta difícil deslocação para mais um dérbi aveirense, o Bustelo procurou manter a série de invencibilidade, pois só havia perdido na primeira jornada e vinha de seis jogos consecutivos sempre a somar pontos. O jogo começou com um ligeiro ascendente da equipa local, mas sempre sem criar grande perigo junto da baliza de Janita, que teve uma tarde de pouco trabalho – à imagem do guardião local, já que, nesta partida, as oportunidades de golo foram quase inexistentes, excetuando

DISTRITAL> SUB18 FEMININO

FC Cesarense abre campeonato a ganhar O Campeonato Distrital Sub-18 Feminino 2013/2014 começou este fim de semana. Um escalão em que a Associação de Futebol de Aveiro aposta bastante. A equipa do FC Jovens do FCC estrearam-se com vitória. Cesarense venceu o SC Esmoriz por 6-2 com golos de Brigite (3), Adelaide, Sousa e Angela.

um ou outro lance que poderiam ter feito funcionar o placar. Na primeira metade, o único lance de perigo surgiu para os locais com um seu jogador a enviar a bola ao poste quando efetuava um cruzamento que saiu direto à baliza de Janita. O intervalo chegou com o nulo no marcador, resultado que se ajustava perfeitamente dado o equilíbrio protagonizado por ambas as equipas. Na segunda metade, manteve-se a mesma toada e foi um jogo algo incaraterístico, mui-

to disputado a meio-campo e sem grandes oportunidades. Os locais demonstravam ser uma equipa muito forte fisicamente e muito aguerrida, que dificultava em muito a tarefa dos visitantes. No entanto, dispôs da melhor ocasião do encontro até então, com Letz a aproveitar uma série de ressaltos e a rematar para a baliza. Todavia, encontrou pela frente um jogador adversário, que evitou o golo em cima da linha. Pouco depois, já muito perto do apito final, surgiu o lance que

decidiu o encontro, com o árbitro da partida a assinalar uma grande penalidade, que deixa muitas dúvidas e que resultou no único golo do jogo, trazendo um sabor amargo para os homens de Oliveira de Azeméis. O Bustelo, apesar de ter feito talvez a exibição menos conseguida da época, merecia no mínimo trazer um ponto nesta deslocação. Na próxima semana há receção ao Estarreja, no último jogo da primeira volta. FILIPE OLIVEIRA PUB


26

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

DESPORTO

TAÇA DE AVEIRO> PALMAZ ELIMINADO DA COMPETIÇÃO

Clara superioridade traduz-se em resultado volumoso mas justo AD OIÃ, 6 ADRC PALMAZ, 1 Oiã: Tozé, Simão, Ricardo Lamas, Ricardo Marques, André Marques, Bruno, Luís, Albino, André Fernandes (Ismael, 56’), Fábio (Ricardo Rebelo, int.), Rafael (André Pires, int.) e Ricardo Varalonga. Treinador: Adolfo Dias Palmaz: Jorge, Dani, Gil (Ricardo Ribeiro, 31’), João, Hélio, João Vilas, Armando (Cláudio, int.), Pedro Vidal, Xami (João Branco, 56’), Fábio e Mário Lima. Treinador: António Valente Campo da Marinha, Oiã Árbitro: Miguel Almeida, auxiliado por Fernando Lopes e Eduardo Ribeiro Cartões amarelos: Dani Marcadores: 1-0 (Ricardo Lamas, 9’), 2-0 (Ricardo Marques, 43’), 3-0 (Armando, a.g. 45’), 4-0 (Ismael, 65’), 5-0 (Ismael, 67), 6-0 (Ricardo Marques, 70’), 6-1 (Mário Lima, 80’)

Numa tarde bastante soalheira e em domingo de pausa dos respetivos campeonatos, as equipas da AD Oiã (que lidera, invicta, a série C da 2.ª divisão) e do Palmaz disputaram a 2.ª eliminatória da Taça Distrital. O jogo começou com a equi-

Resultado pesado para o Palmaz, que não teve argumentos para contrariar a superioridade do adversário

pa da casa a tomar a iniciativa e as despesas do jogo, num relvado, razoavelmente, bem tratado, pese embora o dilúvio que se tinha feito sentir no dia anterior. Logo aos nove minutos e já após um par de oportunidades flagrantes desperdiçadas, a equipa visitada chegou à vantagem através de Ricardo Lamas que, na sequência de um canto, salta mais alto que a defesa do Palmaz e inaugura o marcador. A equipa forasteira não acusou o golo madrugador, conseguindo

estabilizar o jogo, apesar da lesão muscular de Gil (substituído por Ricardo Ribeiro). Consegue equilibrar a contenda até aos 43 minutos, onde, novamente, numa desatenção defensiva, Ricardo Marques consegue encostar para o 2-0 após primeira defesa apertada de Jorge. Quando se pensava que o intervalo seria bom conselheiro para a equipa do Palmaz, que tinha de aproveitar para organizar linhas e corrigir marcações, Armando – num lance de infelicidade – co-

locou a bola dentro da própria baliza e acabou com as aspirações de tentar discutir o jogo. Na segunda parte, a infelicidade voltou a bater à porta do Palmaz perto dos 60’: Logo, após a substituição de Xami por João Branco, Pedro Vidal lesionou-se num lance em que tentou evitar um remate de fora da área, e sem condições de continuar, deixou a equipa reduzida a 10 unidades. Recuou então João Branco para a zona central da defesa. A

> DERROTA EM MILHEIRÓS DE POIARES

estavam melhores no encontro e, em contra ataque, ia causando algum perigo para Pedro. Na segunda parte o jogo não mudou de rumo, com o Milheiroense a importunar a baliza dos visitantes em lances de transição defesaataque. Só a partir do minuto 65 os forasteiros começaram a criar lances passíveis de

PEDRO R. VIDAL

MILHEIROENSE, 2 AT. CUCUJÃES, 0

Cucujães fora da Taça A jogar fora, o Cucujães procurava seguir em frente na Taça de Aveiro, mas pela frente tinha um adversário de valor: O Milheiroense. E começou melhor a equipa da casa que, logo aos seis minutos, chegou ao golo após livre da direita do ataque. Procurou responder o Cucujães, mas os anfitriões

partir deste momento, a equipa palmacense, já psicologicamente debilitada, em desvantagem numérica e perante a clara maisvalia do adversário, não conseguiu suster o ímpeto atacante dos anfitriões e acabou por permitir que, em três jogadas de bolas cruzadas para o interior da área, surgissem mais três golos. O golo de honra dos visitantes surgiu aos 80 minutos através do sempre batalhador Mário Lima que, aproveitando um atraso deficiente do defesa lateral esquerdo para o seu guarda-redes, se antecipou a este colocando a bola no fundo das redes. Nota para a boa exibição do guarda-redes Jorge, que fez o que podia para evitar um resultado ainda mais volumoso. Nota também positiva para a arbitragem de Miguel Almeida que, com um critério equilibrado, deixou jogar sem necessidade de recorrer a muitas paragens.

criarem golo, mas não conseguia quebrar o zero no seu lado do marcador. Foi a turma de Milheirós quem fez gritar golo mais uma vez (88 minutos). No final, vitória justa do Milheiroense ante um Cucujães que, face às alterações na equipa, denotou dificuldades para chegar com perigo à baliza dos homens da casa.

Cucujães estreia-se no futebol feminino A equipa feminina de futebol do Atlético Clube de Cucujães estreou-se, no sábado, com uma vitória (4-0) frente ao Argoncilhe. Um dia histórico, pois esta é a primeira época em que a equipa milita em competições oficiais naquele escalão do desporto rei.

Milheiroense: Jorge; Hugo Ferreira, Alfredo, Diogo, José António, Daniel Maia, Rui Silva, Ricardo Martins, Bilinho, Charneca e Diogo Torres. Treinador: Hélder Pinho At. Cucujães: Pedro, Carlitos, João Lamas, Rui Correia (André Felix, 65), Rui Miguel (Casalinho, 65), Ricardo Nuno, Litos, Stephane, Tiago Rogério, Puskas (Brinca, 70) e Hélder. Treinador: Durbalino Lima Jogo no Complexo Desportivo Milheiroense Árbitro: Cláudio Pereira Cartões amarelos: Alfredo, José António, Daniel Maia, Rui Correia, Litos e Puskas.

SÉRGIO COSTA

> DIFERENÇA MÍNIMA EM ALVARENGA

S. Roque cai na Taça em jogo emotivo ALVARENGA, 3 S. ROQUE, 2 Alvarenga: Zé; Pedro, Vitinha, Zé Manel, Motinha, Zé Luís (Rui Alexandre, 91’), Zé Testinha, Pedrito (Sérgio, 82’), Rafael (Ricardo, 75’), Fintinhas e Fábio. Treinador: Francisco André S. Roque: Hugo; Pedro, Xavi, Talheiro e Guedes; Tiago Costa (Xavier, 68’), Brunito, Zé Pedro (Dani, 48’) e Machado; João Marques e Diogo Costa (Joel, 58’). Treinador: Aurélio Fonseca Árbitro: Nélson Silva Auxiliares: Vítor Gomes e Marco Pereira Marcadores: Zé Luís (3’) e Motinha (49’ e 53’); Brunito (2’) e Machado (29’)

A deslocação a Alvarenga era um jogo imprevisível para os canarinhos. Sem grande conhecimento de parte a parte, até porque são de séries diferentes da 2ª Divisão Distrital, ninguém sabia muito bem o que se poderia esperar. A verdade é que este encontro foi muito animado, jogado a alto ritmo e emotivo desde o início. Logo ao segundo minuto, Diogo Costa descaiu para a direita e cruzou rasteiro para a emenda de Brunito. Estava feito o primeiro golo do encontro e ainda antes dos adeptos do S. Roque pararem de fes-

tejar o Alvarenga respondeu também com um cruzamento – de Pedrito – para a cabeça de Zé Luís na pequena área. O guarda-redes Hugo ficou mal no lance com uma hesitação na saída que facilitou a vida ao adversário. A partida foi-se desenrolando no meio-campo com ligeira superioridade para a equipa da casa, mas os canarinhos não adormeceram e, na cobrança de um livre do lado esquerdo, Machado bateu tenso, a bola bateu na frente de Zé e entrou na baliza. Estava garantida a vantagem na ida para os balneários.

O Alvarenga entrou ainda com mais garra no segundo tempo e arrumou a questão em dois tempos por intermédio de Motinha: primeiro num lance que deu ideia de fora de jogo ao fugir nas costas da defesa para um remate que Hugo deveria ter conseguido defender; depois num lance de insistência de Zé Luís que roubou a bola a Xavi e cruzou rasteiro para o avançado da casa bisar ao segundo poste. Foi clamorosa a falta de comunicação na defesa do S. Roque ao longo de todo o encontro e, neste lance, custou o

afastamento da Taça Distrital. Restou aos comandados de Aurélio Fonseca lutar por um resultado melhor, mas nada funcionou. Nem Machado e Guedes de livre, nem Joel individualmente, nada perturbou com veemência a vantagem dos caseiros. Arbitragem algo irregular disciplinarmente. Nota de destaque para os juvenis do S. Roque que levam 5 vitórias noutros tantos jogos e estão a um passo de disputar a subida de divisão na segunda fase do campeonato. FÁBIO RIBEIRO


DESPORTO

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

27

FC CESARENSE> AÇÃO INFORMATIVA PARA PAIS E ATLETAS

Clube inova na abordagem às questões dos escalões de formação No passado dia 31 de outubro, na Casa da Leitura, em Cesar, o departamento de Futebol de formação do Futebol Clube Cesarense levou a efeito uma ação informativa, dirigida a toda a sua estrutura da formação e, em particular, aos pais e encarregados de educação dos seus atletas. R. CASTRO

Esta iniciativa teve como objetivo a análise da atividade de início de época desportiva e uma discussão aberta e transparente sobre questões de organização e eventuais melhorias que os pais pudessem sugerir. Por outro lado, a ação pretendeu dar a conhecer a criação de um gabinete de Psicologia Desportiva, direcionado não só aos jovens atletas do clube, como também aos respetivos pais e encarregados de educação. Este serviço irá

A iniciativa esteve à altura das expetativas.

ser prestado por Eduardo Ramos, um dos técnicos da formação do FCC, inserido no seu estágio pós-formação de Psicologia no Desporto. O vice-presidente da Formação, Ângelo Silva, começou por fazer um balanço do arranque da época desportiva e suas dificuldades, dando a conhecer a todos os presentes quais os objetivos delineados. Deu nota, entretanto, dos projetos que estão a ser desenvolvidos, tais como a possibilidade da reformulação de um balneário e direcionado para a formação, a melhoria das condições da enfermaria e a realização de uma atividade de encerra-

mento de época diferente do habitual. Ângelo Silva realçou, também, a importância e necessidade de mudanças significativas na postura de alguns encarregados de educação no decorrer dos jogos e treinos, assim como deu a conhecer a evolução positiva na liquidação das mensalidades por parte dos atletas. Os encarregados de educação tiveram a oportunidade de colocar questões ou esclarecimento de dúvidas e propostas que foram respondidas ou registadas pelo departamento de Futebol de Formação. Na segunda parte, foi apre-

sentado o projeto do gabinete de Psicologia Desportiva por parte do convidado Eduardo Ramos. Este recém-licenciado e colaborador do clube apresentou o seu projeto de uma forma direta e objetiva, focando os aspetos positivos e negativos da envolvência pais-atletas-clubes, expetativas e anseios dos pais e atletas. Foi também dado a conhecer a cada vez maior importância da motivação, da amizade, da alegria que os atletas devem desfrutar com o futebol e não colocar nos atletas expetativas muito altas que podem sair caras no futuro. Eduardo Ramos procurou,

>CLUBE QUER PROVAR QUE TEM VALOR PARA ESTAR NO TOPO

Clube Desportivo de Cucujães

Boa época do Macieirense Numa época em que houve várias mudanças no clube, tanto ao nível da equipa técnica como do plantel, o Macieirense encontra-se a fazer uma boa temporada, como comprova o atual quarto lugar na tabela classificativa e a apenas um ponto do vicelíder, Rio Meão. Após cinco jornadas realizadas, o clube de Macieira de Sarnes segue invicto no campeonato, fruto de três vitórias e dois empates. Ao longo deste trajeto, o aspeto mais positivo encontra-se no setor defensivo, onde a formação orientada por Miguel Tavares sofreu apenas um golo e na sequência de uma grande penalidade. Já o ataque tem-se revelado o verdadeiro ‘calcanhar de

O Macieirense acumula, no campeonato, três vitórias e dois empates.

Aquiles’ da equipa, que tem apenas cinco golos marcados até ao momento, o que dá uma média de um golo por jogo. Esta malapata encontrase, diretamente, associada ao baixo nível de eficácia demonstrado pelo Macieirense ao longo desta temporada, apesar das várias oportunida-

des de golo criadas em todos os encontros realizados, o que lhe tem retirado alguns pontos, que lhe dariam, por certo, um lugar de ainda mais destaque na classificação. O fraco pecúlio de golos está distribuído pelo Walter, com dois, seguido de Catrina, Bernardo e Xavi, com um tento cada um.

também, sensibilizar os presentes para a necessidade dos jovens atletas terem bem definidos e escalonados, por níveis de importância, as suas responsabilidades na escola, em casa e no futebol. Outro tema focado foi a questão tão propalada do scouting, as suas vantagens e desvantagens, e os cuidados a ter por parte dos encarregados de educação, perante pressões e ilusões que, na maioria dos casos, são muito prejudiciais aos jovens atletas. Eduardo Ramos efetuou uma apresentação interessante do seu projeto, que cativou todos os presentes e que os encarregados de educação e atletas do FC Cesarense podem e devem usufruir. Esta iniciativa do departamento de Formação do FC Cesarense esteve à altura das expetativas criadas e com uma moldura humana interessante. Pena que muitos pais e encarregados de educação não tenham estado presentes por forma a colocarem e verem esclarecidas as suas dúvidas e, especialmente, terem perdido a oportunidade de assistir e melhorar o seu conhecimento do que deve ser o futebol de formação com a excelente apresentação do convidado.

Apesar da época ainda estar no seu início, o Macieirense vai continuar a lutar, dentro das quatro linhas, que tem valor para andar pelos lugares cimeiros do campeonato e, para isso, conta com o habitual apoio dos seus fiéis adeptos. PAULO RUI

Convocatória De acordo com os estatutos do Clube Desportivo de Cucujães, convoco todos os associados a reunirem-se em assembleia- geral ordinária no dia 15 de novembro de 2013, pelas 21h00 na sede do Clube, com a seguinte ordem de trabalho: 1 – Leitura da ata da assembleia anterior; 2 – Aprovação de contas do exercício de 2012; 3 – Obras no pavilhão; 4 – Conta pavilhão; 5 – Outros assuntos de interesse do Clube. Se à hora marcada não estiver presente a maioria legal dos associados, a assembleia reunirá meia hora depois, com qualquer número de associados. Vila de Cucujães, 25 de outubro de 2013 O presidente da assembleiageral, (ass. ilegível)


28

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

apontamentos fotográficos

Por: Júlio Abreu e Sousa

Agenda

Exposição de artes decorativas no Museu No dia 13 de novembro será inaugurada uma exposição de artes decorativas, da autoria de Rosa Maria de Jesus Bastos Figueiredo Melo, na Casa-Museu Regional de Oliveira de Azeméis. Esta mostra estará patente até ao próximo dia 27 deste mês, no seguinte horário: De segunda a sexta-feira, das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00.

‘Fragmentos do Castro de Ul’ Oliveira de Azeméis, cidade.

palavras cruzadas Por: Augusto Vilhena

A exposição ‘Fragmentos do Castro de Ul’ estará patente, até ao final de janeiro de 2014, no núcleo principal do Parque Temático Molinológico. Trata-se de uma exposição de arqueologia, desenvolvida pela Casa-Museu Regional de Oliveira de Azeméis, com o objectivo de divulgar um importante sítio arqueológico do concelho – o Castro de Ul e alguns dos materiais arqueológicos dos trabalhos ocorridos nos anos 80. A inauguração será no próximo dia 09 de novembro às 15h00. A visita à exposição é gratuita.

Magusto no Parque Molinológico de Ul No sábado, dia 09 do corrente, pelas 21h00, realizar-se-á um magusto tradicional, no Parque Molinológico de Ul, uma iniciativa da ADRITEM, em parceria com associações locais de Ul, Loureiro e Travanca. Neste momento de convívio, decorrerão pequenos apontamentos de animação a cargo do movimento associativo destas três freguesias, sendo também exibido o ‘Há festa na Aldeia 2013’ (HFA), nomeadamente o vídeo de recolha de memórias da Aldeia de Ul, realizado pelo mentor do projeto ‘A música portuguesa a gostar dela própria’, Tiago Pereira, fotografia e filme resumo do evento âncora do HFA 2013. Esta iniciativa promove, assim, o envolvimento e identidade local, à volta de uma fogueira onde se assam castanhas, bebe-se jeropiga, água-pé ou vinho novo.

No próximo dia 10, vai haver festa no Pólo Multigeracional ‘Com Vida’. A partir das 14h30, ao som da música do ‘Duo Musical Máriart’, vai ter lugar um magusto de S. Martinho organizado pela Comissão de Melhoramentos Locais de Palmaz (CMLP). Neste domingo, não vão faltar as castanhas assadas eo bom vinho. Por isso, quem aceitar o convite, vai passar, com toda a certeza, uma boa tarde.

Farmácias de Serviço novembro Falcão

2 5 8 11 14 17 20 23 26 29

Moderna

3 6 9 12 15 18 21 24 27 30

Gomes da Costa 1 4 7 10 13 16 19 22 25 28 Soluções: Sama, avulso. má; 6-SS, Zn; 7-Ré, Oc, od (dó); 8-Alea3-Deão, idioma; 4-Enxurrada; 5-OO, zé, Verticais: 1-Sacada, apto; 2-Eco, error; 11-Oração, osso. dez, Oe; 9-Proa, normal; 10-Tom, diais; râ, cera; 6-Ir, AA; 7-Edaz, ET, UV; 8-Ariida; 3-Coaxos, acém; 4-Ou, solama; 5-Dá, Horizontais: 1-Sede, praxes; 2-Aceno,

sudoku

Magusto no Pólo ‘Com Vida’ em Palmaz

tório; 9-Xícara, emas; 10-Edema, ais; 11-

HORIZONTAIS: 1-Centro (fig), etiquetas; 2-Gesto, passeio; 3-O grasnar das rãs, a parte do lombo dos bovinos (entre a pá e o cachaço); 4-Alternativa, claridade intensa; 5-Oferece, batráquio, cerume; 6-Andar, em partes iguais; 7-Devorador, Extra-terrestre (abrev), ultra-violetas (sigla); 8-Secura, Oersted (simb.fís); 9-Frente, regular; 10-Modo de dizer, quotidianos; 11-Prece, dificuldade (fig). VERTICAIS: 1-Varanda pequena, capaz; 2-Repetição de um som, viagem longa e sem rumo; 3-Decano, dialecto; 4-Corrente de águas sujas; 5-O sono do bebé, trabalhador, nociva; 6-Antigo polícia nazi, Zinco (s.q.); 7-Acusada, língua falada outrora na região do Loire (França), pena (inv); 8-Casual; 9-Chávena, ave corredora semelhante à avestruz (pl); 10-Inchaço (provocado pela infiltração de serosidade nos tecidos do organismo), gritos de dor; 11-Caruma, solto.

Úteis Táxis

256682230

Bombeiros Voluntários Fajões Voluntários O. Azeméis

256851122 256682122

GNR Oliveira de Azeméis Cucujães Cesar

256600740 256890283 256851772

Centros de Saúde O. Azeméis Cucujães Carregosa Cesar Fajões Loureiro Nog. Cravo Ossela P. Bemposta Pindelo Travanca S. M. Gândara S. Roque

256664070 256891666 256412197 256851584 256852651 256692409 256866151 256482013 256999339 256602990 256681242 256686188 256871400

Serviços de saúde Ambulâncias Cruz Vermelha 256688901 Delegação de Saúde 256682281 Hospital 256600800 Policlínica Gemini 256661410 Policlínica de Az eméis 256682842 Viatuasaúde 256998124/5 Clínica de Bustelo 256388581 Gab. Rad. de Azeméis 256661200 C. Enfer. Teixeira 256682370 C. Enferm. Geral 256682619 C. Enferm. Santos Corr. e Fern., LDª 256674833 Centro Clínico Indumed 256687035 Cliaz 256660818 Farmaze 256607005 Invistasaúde 256285040 Clinica dos Afectos 309892018 Farmácias Falcão Gomes da Costa Moderna Farmácia Santiago Amorim (Carregosa) Pindelo Cesar Bessa (Cucujães) Cunha e Silva (Cucujães) Castro (Loureiro) Conceição (Nog. Cravo) Santos (Ossela) Valente (S.M. Gândara) Ferraz (S. Roque) Pinheirense (Pinheiro da Bemposta)

256682018 256682563 256682151 256668235 256412165 256607101 256851284 256890797 256890233 256692099 256868124 256482107 256674178 256871116 256999138

Finanças O. Azeméis Tesouraria O. Azeméis

256682564 256673846

CTT - Correios de Portugal O. Azeméis Carregosa Cesar Cucujães Loureiro Nogueira do Cravo Pinheiro da Bemposta S. Martinho da Gândara S. Roque Centro de Distrib. Postal/Z. Industrial

256660630 256412051 256850110 256899000 256692168 256860210 256999111 256682106 256871032 256600793

Câmara Municipal Geral Serviços água

256600600 256600627

Juntas de Freguesia Carregosa Cesar Cucujães Fajões Loureiro Macieira de Sarnes Macinhata da Seixa Madail Nog. Cravo O. Azeméis Ossela Palmaz Pindelo P. Bemposta S. Roque S.M. Gândara S.T. Riba Ul Travanca Ul

256412393 256852246 256890210 256851522 256692000 256834861 256682083 256688910 256866128 256674181 256484885 256999822 256602635 256991128 256871275 256686181 256686318 256687962 256686511


Terça-feira, 05 de novembro de 2013

29

PUB

GERAL/NECROLOGIA/PUB

l Dighton, na cidade de Oliveira de Azeméis, Nos passados dias 01 e 02 de novembro, o hote iniciativa do projeto europeu ‘Happy Home Wallet’. A acolheu uma reunião de trabalho, no âmbito tir, discu para e, irens olive dos quais o Município reuniu parceiros de nove países europeus, um ar’. poup para zir ‘redu ao eito cultura no que diz resp partilhar e aprender mais sobre cada país e do nosso jornal. Voltamos a esta matéria em próxima edição

Maria Rosa Nunes - 87 Anos

Clarinda Pombalina Ferreira da Silva - 85 Anos

Seus filhos, nora, genro, netas e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar, assim como na missa de 7.º dia, que será celebrada sexta-feira, dia 08 de novembro, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis.

Seus filhos, Mariazinha Azevedo, António Azevedo, Fernando Azevedo, genro, noras, netos, bisnetos e demais família, na impossibilidade de agradecerem, pessoalmente, a todas as pessoas que se dignaram a comparecer nas cerimónias fúnebres deste seu ente querido, realizadas no dia 01 de novembro, na igreja matriz de Palmaz, ou que, por outro modo, lhes testemunharam o seu pesar, vêm, por este meio, expressar a sua mais profunda gratidão por este gesto. Comunicam e agradecem ainda a todas as pessoas que venham a comparecer na missa de 7.º dia por sua alma, que se celebra amanhã, no dia 06 de novembro, na igreja matriz de Palmaz.

Agência Funerária Beira-Mar – Rua Conde Santiago de Lobão, n.º 230 – Oliveira de Azeméis Filial: Rua S. João Baptista (Lugar da Igreja) Loureiro – Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Funerária David Pires da Conceição, Ld.ª - Rua Nossa Senhora das Dores - 3850-503 Branca, ALB Telms: 919 809 098 / 916 239 487 Telf: 234 541 121 - E-mail: funerariadpconceicao@gmail.com

- Oliveira de Azeméis -

- Bolfeta - Palmaz -


30

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

necrologia/pub. 2.º Aniversário Lutuoso - 09/11/2013

11.º Aniversário Lutuoso - 09/11/2013

Maria Leonor Gonçalves dos Santos

Domingos José da Silva

- Escravilheira-Oliveira de Azeméis As estações do ano manifestaram-se através do teu silêncio A tua ausência de dois anos sente-se neste tempo inquietante! Fecho os olhos... vejo o teu sorriso, mãe! Vives para além deste tempo, vives no aconchego do meu coração, mãe! No dia em que se completa o 2.º aniversário sobre o falecimento de Maria Leonor Gonçalves dos Santos, sua filha recorda-a, com profunda e eterna saudade. Manda celebrar missa em memória da sua alma, sábado, dia 09 de novembro, pelas 16h30, na igreja matriz de Carregosa.

- Santiago de Riba-Ul -

No dia em que se completa o 11.º aniversário sobre o falecimento de Domingos José da Silva, suas filhas, genro, netos e netas recordam, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido. Mandam celebrar missa em memória da sua alma, sábado, dia 09 de novembro, pelas 18h00, na igreja matriz de Santiago de Riba-Ul.

2.º Aniversário Lutuoso - 09/11/2013

3.º Aniversário Lutuoso - 01/11/2013

Maria Leonor Gonçalves dos Santos

Glória de Jesus Duque

- Escravilheira-Oliveira de Azeméis -

- Lugar de Gemieiro de Cima-Macinhata da Seixa -

“Ninguém morre quando fica vivo no coração de alguém”

Seus afilhados, Júlio e Clara, e suas filhas, recordam-na com ­imensa saudade e agradecem, reconhecidamente, a todas a pessoas que participaram com a sua presença na eucaristia.

Seu marido, filhas, genros e netos recordam-na, com imenso carinho, e comunicam que será celebrada missa em sua memória, sábado, dia 09 de novembro, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis. Agradecem, reconhecidamente, a todas a pessoas que honrem com a sua presença esta santa eucaristia.

Irene Rosa Vieira - 89 Anos

1.º Aniversário Lutuoso - 09/11/2013

Manuel da Silva Tavares (Falcão)

(F. 02-11-2013) - Palmaz -

- Alviães-Palmaz “A morte não é nada. Eu apenas passei para o outro lado do caminho. Rezem, sorriam, pensem em mim. Rezem por mim. Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do caminho.” Santo Agostinho Na passagem do 1.º aniversário sobre o falecimento de Manuel da Silva Tavares, sua esposa, filhas e genro recordam-no, com saudade, e mandam celebrar missa, em sufrágio pela sua alma, no próximo dia 09 de novembro, pelas 17h30 na igreja matriz de Palmaz.

A família de Irene Rosa Vieira, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada no próximo sábado, na igreja matriz de Palmaz. Eterna gratidão Funerária José Pina Lda. - Praça José da Costa nº 107 – 3720-217 -Oliveira de Azeméis - R. Visconde n. 2259 – 3700-269 S. João da Madeira - Tel. 919743670 e 256682116 - E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

Ana Aires Costa - 89 Anos

Domingos Lopes - 83 Anos

- Natural de Loureiro-Oliveira de Azeméis -

- Rua António Soares da Silva-Cavadas-Cucujães Seus filhos, noras, genros, netos e bisnetos vêm, por este meio, agra­decer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas ce­ri­mó­­­­ni­as fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Reno­vam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia de 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebrou, ontem, dia 04 de novembro, pelas 19h00, na igreja da Vila de Cucujães.

(A residir em Lisboa)

“Foste um exemplo para nós... dedicada, trabalhadora, alegre Até já...Até sempre...” Sua filha, genro, netos, bisneto e restante família participam o falecimento de Ana Aires Costa, no dia 22 de outubro, e o funeral,no dia 23 p.p., tendo sido celebrada missa de 7.º dia, na igreja de N.ª Sr.ª de Fátima, em Lisboa, pelas 19h00. Agradecemos, reconhecidamente, a todos os familiares e amigos que nos acompanharam em todas as cerimónias realizadas.

Centro Social Dr.ª Leonilda A. S. Matos

Convocatória Nélson Gomes de Oliveira, na qualidade de presidente da mesa da assembleia-geral do Centro Social Dr.ª Leonilda Aurora da Silva Matos, convoca todos os sócios desta instituição, ao abrigo do artigo n.º 29 do n.º 2 alínea c), dos Estatutos do Centro Social, para a assembleia -geral ordinária a realizar no próximo dia 15 de novembro de 2013, pelas 20h00, na sede desta instituição, sita na Rua Dr.ª Leonilda Aurora da Silva Matos, n.º 280, Vila de Fajões. Ordem de Trabalhos Ponto 1.º - Eleição de membros para o conselho fiscal; Ponto 2.º - Apresentação, discussão e votação do plano de ação e orçamento para o ano de 2014. Outros assuntos de interesse para a instituição. Se à hora designada, na presente convocatória, não esti­ ver presente o número legal previsto de associados, a assembleia reunirá com qualquer número de associados dentro de trinta minutos, conforme parágrafo um, do artigo 31.º dos Estatutos. Acesso somente mediante apresentação de cartão de sócio atualizado. Fajões, 30 de outubro de 2013 O presidente da assembleia-geral (Nélson Gomes de Oliveira) C. A. n.º 4530 de 05/11/2013

Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis

Assembleia-geral ordinária Convocatória Por imperativo do Art.º 24.º, n.º2, alínea c) dos Estatutos, convoco os Irmãos da Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis a reunirem em assembleia- geral ordinária, a realizar no dia 15 de novembro de 2013, pelas 20h00, no salão nobre do Lar da Misericórdia, na Rua da Abelheira, com a seguite ordem de trabalhos: 1. Apresentação, discussão e votação do plano de atividades e orçamento para o ano de 2014; 2. Debate de qualquer assunto de interesse para a vida da Santa Casa da Misericórdia. O orçamento e plano de atividades para o ano 2014 poderão ser consultados pelos irmãos na secretaria do Lar da Misericórdia, a partir do próximo dia 11 de no-

Funerária Cristino Ld.ª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

vembro, durante as horas de expediente. Se no dia e na hora para que são convocados não houver número legal de irmãos, a assembleia funcionará uma hora depois, em conformidade com o n.º 1 do Art.º 26º. Oliveira de Azeméis, 29 de outubro de 2013 A presidente da assembleia-geral (Maria Manuela Conceição Antunes) C. A. n.º 4530 de 05/11/2013

Centro de Apoio Familiar Pinto de Carvalho

Assembleia-geral ordinária Convocatória Ao abrigo do Art.º 29, ponto 2, alínea c) dos Estatutos, convocam-se todos os associados desta instituição para a assembleia-geral ordinária, que terá lugar pelas 20h00, no próximo dia 15 de novembro de 2013, na sede à Rua Padre Manuel José Oliveira, n.º 80, desta cidade de ­Oliveira de Azeméis, com a seguinte ordem de trabalhos: 1- Apreciação, discussão e aprovação do orçamento, ação e parecer do conselho fiscal para o ano de 2014; 2- Outros assuntos de interesse para a instituição. De acordo com as disposições estatutárias, Art.º 31, ponto 1, se à hora indicada não estiver presente o número de associados previstos, a assembleia-geral ordinária iniciar-se-á uma hora depois da inicialmente marcada, com qualquer número de associados presentes. Oliveira de Azeméis, 29 de outubro de 2013 O presidente da assembleia-geral (Dr. António Alberto Vieira Dias)

C. A. n.�� 4530 de 05/11/2013

Cerciaz – Centro de Recuperação de ­Crianças Deficientes e Inadaptadas de ­Oliveira de Azeméis, C.R.L. Assembleia-geral ordinária Convocatória

Nos termos da alínea a) do artigo 29.º dos Estatutos da Cooperativa CERCIAZ – CENTRO DE RECUPERAÇÃO

DE CRIANÇAS DEFICIENTES E INADAPTADAS DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS, CRL., convoco todos os coo­ perantes para uma assembleia-geral ordinária a realizar na sua sede social, na Rua Francisco Abreu e Sousa, n.º 800, em Lações de Cima, Oliveira de Azeméis, para as 20h30 do dia 14 de novembro de 2013 com a seguinte ordem de trabalhos: 1 - Leitura e aprovação da ata anterior; 2 - Aprovação da Conta de Exploração Previsional e Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos para o ano de 2014; 3 - Outros assuntos de interesse para a instituição. Se à hora marcada não estiverem presentes 50% dos seus representantes legais, a assembleia reunirá meia hora depois com qualquer número de presenças. CERCIAZ, 31 de outubro de 2013 O presidente da assembleia-geral Eng.º António da Costa Pereira Santos

C. A. n.º 4530 de 05/11/2013

Associação de Melhoramentos Pró-Outeiro

Assembleia-geral Convocatória Nos termos dos estatutos desta Associação, convocam-se os Ex.mos Senhores Associados, a reunirem em assembleia-geral ordinária, no próximo dia 29 de novembro de 2013, pelas 20h00, na sede da instituição, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apresentação do orçamento para o ano de 2014; 2. Eleição do presidente da assembleia-geral, tesoureiro e dois vogais da direção, secretário e relator do conselho fiscal; 3. Outros assuntos de interesse. Se à hora indicada não se verificar quórum, esta assembleia terá início meia hora depois, às 20h30, com qualquer número de associados. O vice-presidente da assembleia-geral, José Pereira da Costa

C. A. n.º 4530 de 05/11/2013


publicidade

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

Ricardo André Oliveira Estrela

Rafael Filipe Oliveira Beleza - Santiago de Riba-Ul -

Parabéns te queremos dar Um forte aperto de mão Sempre te vamos amar, Amor do nosso coração Seus pais e avós desejam-lhe um feliz aniversário. Para­béns!

Oração do Santo Expedito

Meu Santo Expedito das Causas Justas e Urgentes, Socorrei-me nesta Hora de Aflição e Desespero, intercedei por mim junto ao Nosso Senhor Jesus Cristo! Vós que sois um Santo Guerreiro, Vós que sois o Santo dos Aflitos, Vós que sois o Santo dos Desesperados, Vós que sois o Santo das Causas Urgentes, Protegei-me, Ajudai-me, Dai-me Força, Coragem e Serenidade. Atendei ao meu pedido: “Fazer o pedido”. Ajudai-me a superar estas Horas Difíceis, protegeime de todos que possam me prejudicar, Protegei a Minha Família, atendei ao meu pedido com urgência. Devolvei-me a Paz e a Tranquilidade. Serei grato pelo resto de minha vida e levarei seu nome a todos que tem fé. Muito Obrigado, Meu Santo Expedito. Rezar um Pai Nosso, uma Avé Maria e a fazer o sinal da cruz. Em agradecimento mande publicar esta oração para propagar os benefícios do grande Santo Expedito. J.M.

arrenda-se T2 Zona Industrial de Oliveira de Azeméis Recentemente remodelado; Cozinha toda equipada

917 622 210 912 510 002

Faça-se assinante

procura-se

Cabeleireira M/F Com muita experiência

964 774 948

aluga-se T2

C/ cozinha mobilada R. dos Combatentes, n.º 62

919 190 718

pede-se

Este espaço pode ser seu Contate-nos: 256 049 890

50.º Aniversário Matrimonial - 09/11/2013 António da Conceição Pereira Filomena Joaquina de Sousa

Cozinheiro/a de cozinha tradicional portuguesa

- Samil-S. Roque Parabéns vos queremos dar, um forte aperto de mão daqueles que vos amam, do fundo do coração Pela passagem do 50.º aniversário matrimonial de António da Conceição Pereira e Filomena Joaquina de Sousa, seus filhos, nora, genro e netos desejam-lhes muitas felicidades.

Marcação para o nr. 965 208 543

narciso bp imob. - Ind. S. Roque Aluga Escritórios - Lojas - Pavilhões

Telem.: 935 130 880

enfermeira Vânia Trindade Cuidados no seu domicílio; tratamentos de feridas; injeções, higiene a pessoas dependentes e outros cuidados

910 767 307

Apartamentos

256 049 890

Andreia Sofia Oliveira Estrela

- Loureiro 06/11/2013 Do amor gerado 26 Anos Flores ainda em botão Por todos são amados Amores dos nossos corações Vossa mãe e restantes familiares desejam-vos um feliz aniversário. Parabéns! 05/11/2013 21 Anos

07/11/2013 8 Anos

vende-se

Ligue-nos:

31

Acabados de construir Loureiro - OAZ (Frente à Escola EB2,3)

963 021 817

vende-se Apartamentos T2 e T3 em OAZ

Empréstimo a 100% Spreed reduzidíssimo Vários extras Preços especiais

967 827 691

precisa-se

alugam-se

Para iniciar a actividade em Janeiro

Garagem individual Oliveira de Azeméis

Cozinheiro/a com experiência

910 528 667

S. João Madeira

T2 e T3

961 474 900 256 674 490


32

Terça-feira, 05 de novembro de 2013

TRIBUNAIS E POLÍCIA

> ATROPELAMENTO MORTAL EM LOUREIRO

Ministério Público pede a condenação do condutor Magistrada defende que o condutor deve ser responsabilizado, enquanto que a defesa clama pela absolvição, atribuindo culpas à vítima mortal, que estava alcoolizada. DIANA COHEN

A procuradora do Ministério Público (MP) pediu, no Tribunal de Oliveira de Azeméis, a condenação do automobilista acusado de um crime de homicídio por negligência grosseira, no caso do atropelamento de um ciclista que “estava embriagado e a obstruir a estrada”. A defesa, por outro lado, alegou que, naquelas circunstâncias, seria, “fisicamente, impossí-

O desfecho do caso será conhecido esta sexta-feira, no Tribunal de Oliveira de Azeméis

vel” evitar o acidente, ocorrido na freguesia de Loureiro. A magistrada considerou que deverá ser dada credibilidade à acusação, segundo a qual o arguido, de 59 anos, desrespeitou “as regras mínimas de prudência e cuida-

> NO OUTEIRO EM SANTIAGO DE RIBAUL

do na condução estradal”. Opinião semelhante tem o advogado da família da vítima mortal, que avançou com um pedido de indemnização cível de cerca de 200 mil euros. Já a defesa frisou que o

automobilista “fez o que era, humanamente, exigível” e que, tendo por base as leis da física, é “impossível atribuir a culpa ao arguido”. Realçou que o ciclista apresentava uma taxa de alcoolemia superior a 3 g/l e circulava numa bicicleta “sem qualquer dispositivo luminoso”, tendo sido este o único a não cumprir as regras de trânsito. Ainda de acordo com o causídico, não há provas de que o réu seguia a uma velocidade superior a 50 km/h, conforme sugere o despacho de acusação. Acidente foi há mais de um ano Silvino Neves, 53 anos, estava deitado na via pública, na noite de 22 de março de 2012, quando foi atropelado por um veículo de distribuição de encomendas. O homem sofreu ferimentos

muito graves e faleceu ao trigésimo dia de internamento no hospital. Na primeira sessão do julgamento, o arguido explicou que não conseguiu ver o ciclista, porque foi encadeado por sinais de luzes de outros automobilistas, que tentavam alertá-lo de que estava um homem caído na estrada. Disse, também, que só viu “o vulto a quatro ou cinco metros de distância” e, nesse momento, travou e desviouse “o máximo para a direita”, mas sem conseguir evitar o embate fatal. O MP entende que o arguido deveria ter previsto a possibilidade de vir a encontrar um obstáculo na estrada e imobilizado, “de imediato, a marcha” assim que foi surpreendido pelos gestos e sinais luminosos. A leitura da sentença ficou agendada para esta semana.

Foto D.R.

Ciclista atropelado ficou em estado grave Uma carrinha atropelou um ciclista, no lugar de Outeiro, em Santiago de Riba-Ul, deixando -o em estado muito grave. O acidente ocorreu pelas 20h40 de quarta-feira, numa altura em que o condutor da bicicleta, com idade a rondar os 50 anos, estaria caído na estrada. O automobilista não se terá apercebido da presença do homem na via e o automóvel

que dirigia acabou por passar por cima do ciclista. A vítima sofreu politraumatismos que inspiravam bastantes cuidados e, depois de retirado de debaixo do carro e assistido no local, foi transportado para o Hospital de S. Sebastião, em Santa Maria da Feira, numa ambulância dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis.

A vítima, com cerca de 50 anos, ficou presa debaixo da carrinha

PUB


5 11 2013