Page 1

SEMANÁRIO

FUNDADO EM 05 DE OUTUBRO DE 1922 DIRETOR ANTÓNIO MAGALHÃES SUB DIRETOR EDUARDO COSTA Nº 4560 - 03 JUNHO DE 2014 PREÇO 0,50 € (IVA INCLUÍDO) www.correiodeazemeis.pt Taxa Paga | Devesas - 4400 V. N. Gaia | Autorizado a circular em invólucro de plástico fechado | Autorização n.º 5804/2002 DCP-2

91

Distinguido pelo Governo com Diploma de Louvor de Mérito Jornalístico e Empresarial da Comunicação Social Regional e Local

> NESTA EDIÇÃO:

> NAS FINAL FOUR DISTRITAIS DE FUTSAL

GCR Ossela e FC Azeméis trazem taças para o concelho Página 27

> AINDA HÁ TRÊS MIL UTENTES SEM MÉDICO DE FAMÍLIA, MAS JÁ FORAM MUITOS MAIS...

> 500 ANOS DO FORAL DE FIGUEIREDO E BEMPOSTA CONTINUAM A FESTEJARSE

Alunos das escolas do Agrupamento contatam a História Páginas 15, 18 e 19 > GRUPO DE TRÊS JOVENS ESTÁ NA SUA GÉNESE

Uma verdadeira ‘MATRIZ’ na cultura oliveirense Páginas 16 e 17 > APOIO FINANCEIRO SERÁ REGULARIZADO

Câmara vai dar 10 mil euros à Casa-Museu Página 05

ACES: Dois anos de balanço positivo

Páginas 08 e 09

> AZEMÉIS AINDA MAIS NA ‘ROTA DO TURISMO’

Cidade já tem Loja Interativa Página 04

‘Bolsa de €mprego’ O Correio de Azeméis publica, novamente, ofertas de emprego, em colaboração com IEFP. Consulte na página 31

PUB


02

Terça-feira, 03 de junho de 2014

POESIA

Almas desiguais Nunca tive, não tenho, nem terei Cara de fiscal ou qualquer agente, Que, não cumprindo, faz cumprir a lei Por não ter alma como tem a gente.

BILHETE POSTAL

O hino da seleção

Nunca fiz, não faço, nem farei Cara de mau, quando estou contente. Quem só mostra cara de pau à grei, Também não tem alma como tem a gente. De trapalhadas anda tudo cheio, Saturado, enfastiado e descontente E se, quem deve, não lhes puser freio, Também não tem alma igual à da gente. Do que penso, não direi a ninguém, Nem mudo, como ansiava certa gente. Como sou é que eu me sinto bem, Por ter em mim uma alma diferente! A. EVANGELISTA DE PINHO

ESTANTE

ABERTURA

EDUARDO OLIVEIRA COSTA

“Com o Cristiano Ronaldo e a seleção, o Brasil está a ficar com outra imagem dum Portugal moderno: já não é o país dos homens de bigode farto e barrigudos e das mulheres peludas!” Com esta graça, aquele português expressava muito bem o sentimento generalizado. Lembro um grupo de dança brasileiro que esteve entre nós recentemente e que dizia: “Estamos surpreendidos! Este Portugal não tem nada a ver com a ideia que temos: Auto-estradas para todo o lado, cidades com centros históricos bonitos, arruamentos e limpeza impecável, moderna arquitetura, museus modernos...”. Lembro um momento em que estava numa esplanada numa cidade brasileira e, por coincidência, andavam a passear-se os membros dum nosso rancho folclórico, vestidos a rigor. Uma senhora brasileira, percebendo que eu era português, questionou-me de forma nada espantada: “Em Portugal, ainda se vestem assim?”

O futebol é um excelente embaixador e a presença no Mundial no Brasil é uma excelente oportunidade para “vender” a imagem da realidade atual do nosso país. É uma oportunidade única para “modernizar” a imagem que o povo brasileiro no geral tem dum país que é passado. Mas, respeitando o nosso pior, infelizmente não vemos uma articulação entre a presença da seleção no Mundial e uma campanha do Turismo de Portugal. Não me parece que haja a intenção dos organismos que existem para isso de aproveitar o momento único para fazer passar a mensagem do Portugal moderno, que os brasileiros e o mundo desejem conhecer. Arrepiou-me ver o hino da nossa seleção para o Mundial: As imagens são exatamente o oposto do que precisamos transmitir: Passam o velho estádio do Jamor, um pastor desdentado e as suas cabras! A cantora parece-me que tem bigode!... Mau demais para ser verdade!

“À Conta da Família” Marlene Silva A segunda obra de Marlene Silva, “À Conta da Família”, foi lançada, com a chancela da Alphabetum Edições Literárias, em Espinho, de onde é natural a autora. Inserido na coleção infantil “À Conta”, cujo primeiro volume se intitula “À Conta dos Objetos”, o segundo número, “À Conta da Família”, é composto por três contos nos quais pinguins, chimpanzés, tigres e formigas têm rituais familiares diferentes, mas alguns até são parecidos com os que os mais pequenos fazem em casa. Com ilustrações de Raquel Balsa, o livro relata as histórias de animais que andam no infantário, dançam hip-hop e até jogam capoeira, uma mistura de luta com música. A obra pretende sensibilizar as crianças para a importância da família, seja ela biológica, de amigos ou de amor, e valorizar o papel que desempenha na nossa formação e crescimento como seres humanos. Seja qual for a família em que nascemos ou que escolhemos, as nossas tribos são aquelas em que podemos ser nós próprios e nos sentimos em casa, é a mensagem principal do livro. Ficha técnica Título: À Conta da Família Autora: Marlene Silva Ilustração: Raquel Balsa Coordenação Editorial: Maria da Graça Pereira Capa e Paginação: Raquel Balsa Pré-impressão, impressão e acabamento: Manuel Barbosa e Filhos, Lda. 1ª edição: Março de 2014 Nº páginas: 44 Preço: 15€ ISBN:978-989-8590-15-2

A primitiva capela do Espírito Santo, na freguesia de Travanca, datava de 1764. Por conseguinte, uma devoção que completa agora 250 anos. O templo abriga uma escultura do século XVI, o retábulo do Salvador, obra de João de Ruão, um dos escultores mais importantes do Renascimento em Portugal.


ABERTURA

EDITORIAL

SEMÁFORO

Nos 250 anos da capela do Espírito Santo O Pentecostes é uma das celebrações mais importantes do calendário cristão e comemora a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos, encontrando-se histórica e simbolicamente ligado ao festival judaico da colheita, que comemora a entrega dos Dez Mandamentos no Monte Sinai cinquenta dias depois do Êxodo. Para os cristãos, o Pentecostes celebra a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos. A celebração do Pentecostes, cinquenta dias depois da Páscoa, aconteceu durante séculos, face à contagem do calendário, a uma segundafeira, e os menos jovens recordam por certo que a antiga e concorrida festa ao Espírito Santo, em Travanca, decorria nesse dia da semana. Como em muitas outras circunstâncias idênticas, e por razões óbvias, a Igreja alterou a data para o domingo. Ninguém saberá ao certo quando teve início, em Travanca, a devoção ao Espírito Santo. Mas sabe-se que a anterior capela, reconvertida na actual após amplas obras de ampliação e beneficiação, ostentava na verga da porta a data de 1764. Um templo que o Padre Dr. Nogueira Gonçalves, no “Inventário Artístico de Portugal”, de 1981, classificou de “edifício pequeno e pobre”. Sendo assim, poderemos assegurar que os devotos de Travanca quiseram consolidar o seu fervor ao Espírito Santo erguendo-lhe um templo em 1764. Há precisamente 250 anos. Veneração que sucessivas gerações prosseguiram fielmente e será renovada no próximo fim-desemana. Porque a tradição não pode morrer… Ao descrever a capela do Espírito Santo, aquele historiador deixou escrito: “Não poderá imaginar quem passe na estrada nacional e repare no modesto santuário, em pequeno morro, ao fundo do lugar de Besteiros, que nele se guarda uma obra superior do renascimento coimbrão. Trata-se do retábulo do Salvador, do segundo quartel do século XVI, que se pode atribuir a João de Ruão. Terá sido o do Sacramento na igreja matriz e, passado de moda, para aqui felizmente removido”. João de Ruão foi um escultor e arquitecto francês muito activo entre 1510 e 1572. Participou em obras de restauro e beneficiação da catedral francesa de Rouen, templo gótico da Normandia, instalando-se em Coimbra no ano de 1518. Foi um dos escultores mais importantes do Renascimento em Portugal, autor da famosa Porta especiosa, da Sé Velha, e do coro da igreja de Santa Cruz. O Padre Dr. Nogueira Gonçalves acrescenta que, ao longo dos tempos, foram pintadas e repintadas as figuras e os ornatos, o que oculta certas delicadezas de cinzel. Razão por que será de pensar numa obra de restauro, naturalmente a confiar a mestres qualificados.

www.correiodeazemeis.pt geral@correiodeazemeis.pt

Fundador: BENTO LANDUREZA (1922) SEDE: Edifício Rainha, 8º piso Telefs. 256049890 • Fax: 256046263 3720 OLIVEIRA DE AZEMÉIS Horário de 2ª a 6ª • 9.00/18.30H Assinatura anual : (C/IVA 6%) (Entre Douro e Vouga) 20,00 (Resto do País) 22,50 (C/IVA 6%) (Europa) 65,00 (C/IVA 6%) (Resto do Mundo) 97,00 (C/IVA 6%)

Terça-feira, 03 de junho de 2014

ANTÓNIO MAGALHÃES

Dia Mundial do Ambiente O Dia Mundial do Ambiente é celebrado a 5 de Junho. Uma manifestação que tem como objectivo assinalar acções positivas de protecção e preservação do ambiente e alertar as populações e os governos para a necessidade de salvar o ambiente. A celebração do Dia Mundial do Ambiente teve início em 1972. A data de 5 de Junho foi escolhida porque marca o dia em que teve início a Conferências das Nações Unidas sobre o meio ambiente. Todos os anos, as Nações Unidas apresentam um tema que serve de ponto de partida para o desenvolvimento de acções de celebração do Dia Mundial do Ambiente.

Dia Mundial dos Oceanos O Dia Mundial dos Oceanos é celebrado a 8 de Junho. A celebração teve origem na Conferência da ONU sobre Ambiente e Desenvolvimento, que se realizou na cidade brasileira do Rio de Janeiro em 1992. Em 2008, as Nações Unidas decidiram que a data passaria a ser designada como o Dia Mundial dos Oceanos. Os oceanos ocupam dois terços da superfície da Terra e não são apenas o habitat de um vasto número de plantas e animais, mas fornecendo também comida, energia e múltiplos recursos aos seres humanos. Os oceanos são ainda o principal regulador térmico do planeta, absorvendo mais de um quarto do dióxido de carbono libertado pelas atividades humanas.

Quando o perigo espreita… Após um mês de Maio já com vários festejos, o mês de Junho traz consigo as mais populares romarias. Santo António chega a 13, a 24 vem o São João, São Pedro fecha a 29. Mas o mês de Junho é também tempo das não menos arreigadas celebrações das comunhões solenes. E por aí adiante. Alegremo-nos todos com isso. Mas não há bela sem senão, e também tem cabimento o velho aforismo. As festas, em regra, trazem consigo os foguetes, e todos sabemos que nem sempre são respeitadas as regras de segurança. Acresce que, dizem-no os especialistas, a abundância de chuvas conduziu ao aparecimento rápido de muita vegetação, o que pode potenciar o aparecimento de mais incêndios.

03

A ‘RESSACA’ DA SEMANA As redes sociais têm crescido exponencialmente nos últimos tempos. São muitas as aplicações que nos colocam ‘no ar’ e em contato com o mundo numa mera fração de segundos, ‘à distância de um clique’, como se costuma dizer. O Facebook mantém as preferências, com mais de 1,15 bilhão de usuários únicos, de acordo com o site ‘BI Intelligence’. Este fenómeno parece ter as suas vantagens e desvantagens, cabendo a nós, enquanto utilizadores, saber como destrinçálas. Um dos maiores riscos é a possibilidade dos nossos dados pessoais serem utilizados por pessoas com menos escrúpulos (ou mesmo criminosos), uma vez que nem mesmo a maior rede social do mundo garante total segurança de seus usuários. Importa ter consciência que, a maior parte das vezes, somos nós próprios que disponibilizamos informações pessoais a que qualquer um pode aceder. Talvez por isso – e por múltiplos outros fatores - o Google recebeu 12 mil pedidos de pessoas que querem ser ‘esquecidas’, ou seja, retiradas das pesquisas na internet, no primeiro dia em que o serviço foi oferecido pelo motor de buscas, divulgou, este sábado, um porta-voz da empresa na Alemanha. Este último mês de maio, o Tribunal de Justiça Europeu decidiu que as pessoas têm o direito de ter as suas informações retiradas das pesquisas em determinadas circunstâncias, sobretudo, se os dados estiverem desatualizados ou incorretos. A ver vamos se tal será possível, isto é, se os interessados conseguem ser ‘varridos’ desta ‘aldeia global’ de forma definitiva. E quem nos garante que isso aconteceu efetivamente? Redes sociais à parte – que também têm os seus grandes benefícios, como facilitar a partilha de conhecimentos, notícias e acontecimentos, que ocorrem no outro lado do mundo, sem custo algum e com muita eficiência -, nós por cá temos, também, informações importantes para os nossos leitores, que não deixam de ter o seu grau de otimismo. Por exemplo, em entrevista, o diretor executivo do Agrupamento de Centros de Saúde garantiu, ao nosso jornal, que o número de utentes sem médico de família decresceu bastante, nomeadamente no nosso concelho. No entanto, o objetivo – ‘sonho’ – desta entidade é atribuir um profissional de saúde de proximidade a toda a população. Mais um desejo que esperamos que seja concretizado, porque, afinal, com a saúde não se brinca...

Diretor: António Magalhães • Subdiretor: Eduardo Costa (Cart. Prof. nº 1738) • Chefe de Redação: Ângela Amorim (Cart. Prof. nº 2855) • Redatores: • Gisélia Nunes (Cart. Prof. nº 5385) • Diana Cohen (Cart. Prof. nº 9479) •CORRESPONDENTES: Carregosa: António Amorim: Cesar: Carlos Costa Gomes; Macieira de Sarnes: Manuel Lopes; Macinhata da Seixa: António Magalhães; Nogueira do Cravo: Alírio Costa; Ossela: A. Jesus Gomes; S. Martinho da Gândara: Arlindo Gomes e Sérgio Tavares; S. Roque: Eduardo Costa; Ul: Olímpio Costa. Fotógrafo: Alfredo Pinho • COLABORADORES: • Adelino Ramos • António Vidal • António Santos • Batalha Gouveia • Beatriz Costa • Frederico Bastos • Hugo Tavares • João Araújo • Joaquim Silva • Manuel Costa • Manuela Inês • Manuel Alves Paiva • Maria Emília Costa • Mário Rui • Manuel Laia • Marisa Gonçalves • Paulo Rui • Rodrigo da Cunha (Pe) • Rui Duarte • Samuel Oliveira • Sérgio Costa • Tavares Ribeiro. (Os artigos assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores não vinculando necessariamente a opinião da direção) Os textos do Correio de Azeméis já obedecem às regras do acordo ortográfico, salvo os da responsabilidade de autores ainda não aderentes.

A REDAÇÃO

Propriedade: Globinóplia, Unipessoal, Lda NIF: 509 071 341 Ed. Rainha, 8º Piso • Oliveira de Azeméis Telef.: 256 049 890 • Fax 256 046 263 Impressão: CORAZE Oliveira de Azeméis Telf.: 256 040 526 / 910 253 116 / 914 602 969 e-mail: geral@coraze.com Depósito Legal nº 27755/89 Nº ICS 104639 Tiragem média: 6.500 exemplares


04

Terça-feira, 03 de junho de 2014

CONCELHO

> AUTARQUIA COLOCA MUNICÍPIO NA ROTA DO NORTE DE PORTUGAL E DA EUROPA

Azeméis já tem uma Loja Interativa de Turismo A cidade conta, desde o passado dia 16 de maio, com uma Loja Interativa de Turismo. Em substituição do antigo posto de turismo, este novo espaço, em funcionamento permanente durante 24 horas, apresenta um conjunto de equipamentos de última geração, colocando, agora, o município na rota do Norte de Portugal e de parte da Europa. GISÉLIA NUNES

Na recém-inaugurada Loja Interativa de Turismo de Oliveira de Azeméis - a 21.ª de 65 lojas que a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal vai abrir na região que tem sob sua alçada -, o visitante, seja oliveirense, seja forasteiro, tem à sua disposição, para além de um balcão de atendimento, uma mesa multi-touch, ecrã de projeção temática, ambientes tridimensionais e um conjunto de ferramentas interativas de apoio aos produtos estratégicos e eventos culturais de diversos municípios do Norte de Portugal, inclusive de Oliveira de Azeméis, e também de Santiago de Compostela (Espanha), onde também já há uma loja. Isto, porque,

Jéssica Santos

comprar produtos de Oliveira de Azeméis vão poder fazê-lo, precisamente, na loja online”.

Segundo Melchior Moreira, com a abertura de lojas como a oliveirense, “estamos claramente a qualificar e a requalificar o turismo da região Norte de Portugal”

a ideia é mesmo internacionalizar o projeto, levando-o, até ao final do próximo ano, também “para sete capitais da Europa, que distam a cerca de três horas, três horas e meia, do Aeroporto Francisco Sá Carneiro [no Porto]”. No passado dia 16 de maio, depois do descerramento da placa evocativa da inauguração, por Hermínio Loureiro e Melchior Moreira, respetivamente, os presidentes da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis e da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, e dos ‘discursos da praxe’ pelos representantes das várias partes envolvidas, coube a Isabel Castro, também pertencente a este último organismo, apresentar o novo espaço oliveirense criado na Praça da Cidade, onde, até à data, funcionou o posto de turismo e que, como a própria afirmou, “é mais uma peça [de um total de 65] do nosso puzzle”.

Novo espaço também terá uma loja online “Esta loja é feita para vocês, que habitam em Oliveira de Azeméis, mas também para aqueles que vos vêm visitar. Por isso, haverá sempre dois públicos: O que vive em Oliveira de Azeméis, para quem o projeto tem, digamos assim, uma parte promocional, e o que não é de cá, para o qual está reservada uma parte comercial, cuja apresentação está prevista para breve e através da qual vão ser comercializados produtos típicos, como o pão e a regueifa de Ul, em todas as nossas lojas nacionais e internacionais”, explicou a responsável. Para além disso, está prevista uma loja online, onde “produtos e serviços deste município estarão à venda”. Isabel Castro disse saber que “esta cidade e este município têm uma forte emigração”. Aqui, há o “chamado turismo de saudade”, daí que “todos aqueles que estão emigrados e pretendem

Loja Interativa de Turismo ‘passo a passo’ Sendo este projeto da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal um “franchising”, todas as lojas têm um conjunto de elementos comuns: “Comecemos, pela zona da entrada, onde temos um balcão de atendimento, com um horário de funcionamento. Mas, como a loja tem o conceito de estar aberta 24 horas por dia, do lado de fora, temos uma promotora virtual, que tem toda a informação de Oliveira de Azeméis em termos turísticos”. Há, igualmente, a ter em conta, “quando a loja está aberta, uma zona de atendimento personalizada. Sim, porque esta loja está preparada para dois tipos de clientes, os que querem ter uma abordagem personalizada e os que não querem”. Ainda no interior, “temos uma zona de vídeo hall”, onde são promovidos todos os territórios da região Norte do país, através de um filme 3D. “Depois, temos uma zona de brochura/ material promocional, porque, apesar de todo o equipamento estar muito projetado para as tecnologias atuais, ainda há pessoas que necessitam de documento em papel, dos mapas”. Além disso, e uma vez que, não obstante serem franchisadas, todas as lojas têm a sua marca, No caso da de Oliveira de Azeméis, escolheu Ferreira de Castro, tendo, na entrada, uma mensagem

Investimento de cerca de 223 mil euros A Loja Interativa de Turismo de Oliveira de Azeméis representa um investimento do Município, ao abrigo de uma candidatura aprovada no âmbito do ON.2 – O Novo Norte - QREN, no valor de cerca de 223 mil euros, 160 mil dos quais comparticipados pelo Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional (FEDER), informou Álvaro de Carvalho. Também presente nesta cerimónia inaugural, que fez parte do programa comemorativo dos 30 anos da elevação de Oliveira de Azeméis a cidade, o vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) disse que “esta Loja Interativa de Turismo é um projeto que valoriza e dinamiza o turismo em Oliveira de Azeméis e que ajuda a projetar o turismo da região do Porto e Norte de Portugal”. Na sua ótica, “não é um espaço para turista ver, mas, antes, uma loja com ligação à economia local e que tem como intuito, precisamente, desenvolver a economia local”. Uma nota ainda para a degustação de produtos gastronómicos locais e a boa música tradicional portuguesa reservadas para a parte final desta sessão solene bastante participada.

deste seu escritor de referência, assim como produtos turísticos diferenciadores, nomeadamente o pão e a regueifa de Ul, o parque de La Salette e o vidro.

> EDIL HERMÍNIO LOUREIRO GARANTE

“Turismo é um setor de que não abdicaremos” Jéssica Santos

Numa sessão inaugural integrada nas comemorações do 30.º aniversário da cidade de Oliveira de Azeméis e que, entre outros convidados, contou com a presença de vereadores de Gondomar – outro dos municípios nortenhos que, a prazo, também vai estar ligado à rede de lojas do Turismo do Porto e Norte de Portugal – Hermínio Loureiro assegurou que o “tuA Câmara, através do seu presidente e do vereador com rismo é um setor de que não responsabilidades ao nível do turismo, Pedro Marques (no abdicaremos”. púlpito), está empenhada em desenvolver ainda mais este setor Segundo o autarca oliveirense, a Loja Interativa de Turismo vem mostrar isso mesmo, que a deste novo espaço situado na partida e não de chegada” para autarquia está apostada em fazer Praça da Cidade “um ponto de outros projetos, igualmente, li-

gados ao turismo e que pretendem colocar o município “na rota do progresso e desenvolvimento” e “aumentar a nossa ligação com o mundo”. Mas a aposta camarária nesta área não é de agora. De acordo com o edil, “estamos a terminar outro projeto de requalificação do QREN [parque de La Salette] e temos obras em curso no Parque Temático Molinológico de Ul”, entre outros investimentos ao nível turístico. Para o responsável político, “estamos [cada vez mais] mais próximos do mundo” e, “mes-

mo em termos de mobilidade interna, “estamos a preparar uma melhor informação dentro da própria cidade”. Em tom de brincadeira, Hermínio Loureiro disse que queria que na loja que vai abrir no Palácio das Cardosas, no Porto, antevista por muitos como o “maior e melhor” posto de turismo da Europa, “haja todos os dias, à venda, pão e regueifa de Ul”. Uma ideia que acabou por ser muito bem acolhida pelos responsáveis da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, sobretudo por Isabel Castro.


CONCELHO

Terça-feira, 03 de junho de 2014

>UM APOIO FINANCEIRO DESTINADO ÀS TÃO URGENTES OBRAS

>SOCIALISTAS LAMENTAM

Casa-Museu vai receber 10 mil euros da Câmara Pelo que disse Hermínio Loureiro na última reunião de Câmara pública, realizada a 22 de maio, a autarquia se ainda não regularizou a atribuição de um apoio financeiro à Casa-Museu Regional de Oliveira de Azeméis está prestes a fazê-lo.

Foto de Arquivo

GISÉLIA NUNES

“Espero proceder à regularização da situação nesta ou na próxima semana”, afirmou o autarca oliveirense, em sede de executivo municipal, acrescentando que “já demos indicações aos serviços para elaborar um contrato-programa”. Isto, tendo em vista o cumprimento assumido, no início do ano, pelo vice-presidente Ricardo Tavares, a dirigentes da instituição que com ele reuniram, para fazer face à premência de uma intervenção no antigo edifício, sobretu-

Mais uma vez, a Casa-Museu volta a ser alvo de atenções pelas piores razões. O estado das suas instalações continua à espera de melhores dias

do ao nível do telhado, que, a qualquer momento, pode ruir. Mas o edil não se ficou por aqui. Segundo adiantou, o montante a atribuir à CasaMuseu Regional vai ser de 10 mil euros e não de 7.500, como estava, inicialmente, previsto. De salientar que esta intervenção de Hermínio Loureiro veio na sequência da de Manuel Alberto Pereira. Apro-

veitando o período de antes da ordem do dia, o vereador socialista e também presidente da assembleia-geral do museu local lembrou à maioria que “a Casa-Museu continua a aguardar pelo apoio financeiro”. Ainda a propósito questionou “se é possível transferir verbas de uma dívida que está por saldar para esta ne-

cessidade específica [obras no telhado]”. Por sua vez, o cidadão Artur Costa, no final da sessão, manifestou-se em relação a esta ajuda monetária. O munícipe, que também está ligado à Casa-Museu Regional, afirmou: “Manifesto a minha satisfação pela verba anunciada. Não dá para tudo, mas dará para alguma coisa”.

>EM SEDE DE EXECUTIVO MUNICIPAL

Mercado à Moda Antiga em foco Isidro Figueiredo foi o primeiro a falar daquela que foi “uma das maiores edições de sempre” do Mercado à Moda Antiga, trazendo milhares de visitantes à cidade de Oliveira de Azeméis no fim de semana de 17 e 18 de maio. De acordo com o vereador do Movimento Associativo, “este cartaz cultural já se tinha afirmado antes, mas [agora] com esta tamanha adesão acaba de se afirmar como um projeto que terá continuidade nos próximos anos”. Seguiu-se Hélder Simões. Em relação àquele que é tido como o maior evento do concelho e um dos maiores da Área Metropolitana do Porto, o socialista sugeriu, nas próximas organizações, “melhores condições de acessibilidade para viaturas de emergência” e que o parque de estacionamento Abílio Campos, onde já funcionou o mercado provisório, estivesse aberto, coisa que

Jéssica Santos

05

à Moda Antiga”. Além disso, na sua ótica, esta iniciativa devia acontecer duas vezes por ano de maneira a possibilitar a participação das mais de 200 associações do concelho.

Casa-Museu Ferreira de Castro “continua igual”

Segundo Manuel Alberto Pereira, passados 116 anos sobre o nascimento de Ferreira de Castro, “é importante olharmos para o espaço [CasaMuseu Ferreira de Castro, em Ossela] que ele deixou como legado ao município”. O socialista lamentou por, neste último ano, nada ter sido feito para requalificar aquele património. “Não há uma pintura nova, não há um arranjo no telhado”, o que, na sua ótica, “desqualifica a nossa ação como políticos”, perante não só os munícipes, como também os forasteiros que, pelo menos, uma vez por ano, no âmbito das comemorações do aniversário do escritor osselense nos visitam. Já Hermínio Loureiro assegurou que “há coisas que podem não ser visíveis, mas que estão a ser feitas”. Mais: “Há empresas, parceiros privados, que estão a ser contatados para colaborar na requalificação deste espaço”. >DO RIO CAIMA, EM PALMAZ

Limpeza aguarda “por melhores dias” As margens do Caima (Palmaz) e a necessidade de uma intervenção no local voltaram a ser tema antes da ordem do dia. Manuel Alberto Pereira chamou a atenção para o facto “do acesso àquele local ser difícil para quem quer andar a pé”, sendo, em seu entender, “necessário fazer um corte à muita vegetação ali existente”. O presidente informou que “estamos a aguardar por melhores dias para proceder à limpeza”. Aliás, “temos já um plano de intervenção preparado”. PUB

não aconteceu desta última vez – duas sugestões das quais o presidente da Câmara Municipal disse ter tomado “boa nota”. Entretanto, no final da reunião, ‘disse de sua justiça’ Artur Costa. No período destinado ao público, este oliveirense repetiu o que tem dito nestes últimos

anos: “O Mercado à Moda Antiga de mercado à moda antiga não tem nada. Chamem-lhe o que quiserem… ‘Confraternização, convívio de coletividades’, mas não Mercado à Moda Antiga”. Aliás, “na Casa-Museu há para aí 30, 40 fotografias que mostram o que é, verdadeiramente, o Mercado


06

Terça-feira, 03 de junho de 2014

concelho

> Iniciativa teve grande adesão

‘Venha tomar café connosco’ na USOA A noite de 23 de maio teve encontro marcado no edifício II da Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis (USOA), com algumas músicas de há épocas atrás, que foram muito presentes e voltaram a ser escutadas durante a iniciativa ‘Venha tomar café connosco’. E, desta vez, o espaço do evento ‘esteve mesmo à pinha’, mais não comportava!

“Da música a melodia diz, pela alma falando, mais do que a boca diria muitas horas conversando.” António Aleixo

sicos convidados, levando à adesão em número ainda mais Tavares Ribeiro significativo do que o habitual. Seja como for, é sempre bom Provavelmente muito se de- sinal. Com efeito, o cresciveu à notoriedade e ao valor mento de interesse não pára inequívoco de todos os mú- de aumentar e assim se regista

por entendermos que a iniciativa avança para a definitiva consolidação. E não se julgue que é de importância marginal querer captar os ‘universitários’ para novas geografias de interesses

e oportunidades, com particular incidência na música tradicional. Não é, não! Na animação – que deriva da palavra latina ‘Anima’, com significado de ‘Alma’ ou ‘Sopro Vital’ – criam-se elos

de ligação muito fortes como grupo, despertando óbvios benefícios da convivialidade, enquanto se valorizam momentos onde a cultura ganha espaço – e mais, numa altura em que os sonhos germinam, a realização periódica desta iniciativa vale como prova inequívoca da afirmação da USOA, que sabe como apresentar “produtos” culturais muito bons à comunidade onde se insere!

é a vez da aldeia de Couce, no concelho de Valongo, receber o evento a 05 e 06 de julho, mais um dia do que em 2013. O HFA prossegue em Areja, Gondomar, nos dias 12 e 13 de julho. Também com o Rio Douro como pano de fundo, a 09 e 10 de agosto, Porto Carvoeiro (Santa Maria da Feira) acolhe este projeto da ADRITEM, voltando a englobar no programa a festa em honra de S. Lourenço. ‘Há festa na aldeia’ é um projeto pioneiro de desenvolvimento do território, criando um novo foco de atratividade

em espaços rurais com caraterísticas próprias - Areja, Couce, Porto Carvoeiro, Ul e Vilarinho de S. Roque -, precisamente as cinco ‘Aldeias de Portugal’ em Terras de Santa Maria. Promovido pela ADRITEM em parceria com os municípios de Albergaria-a-Velha, Gondomar, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira e Valongo -, o projeto, financiado pelo Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER), propõe o envolvimento ativo da população, estimulando os usos e costumes, as tradições culturais e a gastronomia.

> ’Há festa na aldeia’ está de regresso este verão

Ul encerra ciclo em setembro Os fins de semana ‘Há festa na aldeia’ estão de regresso este verão, com o segundo ciclo de eventos a arrancar nos dias 14 e 15 de junho em Vilarinho de S. Roque - Albergaria-a-Velha, numa organização da Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM). Tal como no ano passado, a aldeia de Ul encerra a edição de 2014 a 13 e 14 de setembro. “O projeto, lançado no passado ano, tem dado um impulso às cinco aldeias envolvidas no sentido de serem capazes de atrair, por elas pró-

prias, visitantes interessados no contato com o património natural, nos usos e costumes das suas gentes”, diz o presidente da ADRITEM, Emídio Sousa, convicto de que o “êxito alcançado em 2013 irá ser repetido”. A programação do ciclo de eventos-âncora para 2014 – a divulgar oportunamente - incluirá, entre outras atividades, espetáculos, animação de rua, folclore, exposições, jogos tradicionais, gastronomia e venda de produtos regionais, destacando-se nesta edição “um ainda maior” envolvimen-

to dos habitantes locais, que, “desde a primeira hora, têm vestido com brio a camisola do ‘Há festa na aldeia’”. Estes eventos são o ponto alto do ‘Há Festa na Aldeia’ (HFA), que, ao longo de todo o ano, “num processo contínuo”, desenvolve os cinco eixos fundamentais que moldam este programa: Valorização do património natural e paisagístico; reforço do tecido económico e criação de emprego; desenvolvimento do sector turístico; valorização do património rural; melhoria dos serviços sociais e culturais. Após Vilarinho de S. Roque,


CONCELHO

07

Terça-feira, 03 de junho de 2014

>FORAM RECEBIDOS PELA DEPUTADA CARLA RODRIGUES

Duas centenas de alunos oliveirenses no Parlamento No âmbito da iniciativa ‘Políticos de palmo e meio’ da Câmara Municipal, cerca de 200 alunos das escolas do nosso concelho estiveram na Assembleia da República. A comitiva foi recebida pela deputada oliveirense, Carla Rodrigues. A deputada do PSD elei- As crianças tiveram a oportunidade de visitar a Assembleia da República e ouvir as explicações ta pelo círculo de Aveiro e da deputada Carla Rodrigues. natural do nosso município, Carla Rodrigues, recebeu, no Parlamento, cerca de duas de várias escolas do concelho. tiva, promovida pela Divisão nicipal, ‘Políticos de palmo centenas de alunos do 4.º ano A visita integrou-se na inicia- de Educação da Câmara Mu- e meio’, de que demos conta

recentemente. As crianças foram acompanhadas por 26 professores e auxiliares, e por técnicos da Divisão de Educação da edilidade. Recorde-se que ‘Políticos de palmo e meio’ visa fomentar a formação cívica dos alunos, o conhecimento do concelho, dos órgãos executivos e das funções exercidas pelas autarquias (câmara municipal e juntas de freguesia). “Foi uma alegria e um prazer colaborar, mais uma vez, com a Divisão de Educação da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, nesta iniciativa que reputo de grande mérito e valia”, comentou, na ocasião, a deputada Carla Rodrigues, que recebei a comitiva em Lisboa.

> ALUNOS DA SECUNDÁRIA FERREIRA DE CASTRO APRESENTAM PROJETO NA UA

‘Em volta da energia’ leva-os ao Pavilhão do Conhecimento No passado dia 07 de maio, concluiu-se o projeto ‘Em volta da energia’, com a participação de alunos e professores da Escola Básica e Secundária Ferreira de Castro na conferência ‘Jovem divulgador da ciência’, realizada na Universidade de Aveiro (UA). Os alunos participantes foram Bárbara Pinho (11.º A), João Marques, José Pinho e Pedro Rendeiro (todos do 11.º C),

que foram apoiados [na execução do projeto] pelas professoras Alexandra Esteves, Maria Fernanda Gomes e Maria La-Salete Ribas. Estava prevista a atribuição de um prémio ao estabelecimento de ensino que se destacasse ao nível da ‘qualidade da apresentação do projeto’, poster elaborado’ e ‘stand’. Contudo, o júri decidiu atribuir o prémio a todas as escolas

participantes, face à variedade, qualidade das apresentações e à satisfação das expetativas. Neste sentido, alunos e professores envolvidos irão visitar o Pavilhão do Conhecimento, nos dias 05 ou 06 de junho. De reter que, durante a enOs jovens participantes. trega dos certificados, o júri destacou, publicamente, a qualidade da comunicação efetuada pela aluna Bárbara Pinho. estão de parabéns, até porque vido fora dos seus tempos de No fundo, todos os alunos todo o projeto foi desenvol- aulas.

>AGORA PELA MÃO DA MAIOR UNIÃO DAS FREGUESIAS DO CONCELHO

Aí está mais uma edição das ‘Férias desportivas’ A União das Freguesias (UF) de Oliveira de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Ul, Macinhata da Seixa e Madail promove ‘Férias Desportivas 2014’, entre 23 de junho e 19 de julho, entre as 09h00 e as 17h00, para crianças e jovens entre os seis e os 16 anos. À semelhança de outros anos – então sob a responsabilidade da Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis -, são muitas as atividades previstas, como deslocações ao Parque Aquá- piscina e ao Parque da Cidade mação circense, os jogos de ta- fe, workshops, artes plásticas, citico de Amarante, às praias do de Vale de Cambra. Para além buleiro e tradicionais, desportos nema, insufláveis, sidecar, entre Furadouro e da Costa Nova, à disso, as pinturas faciais, a ani- coletivos, ténis, dança, minigol- tantas outras, fazem parte de

um leque de ofertas que prometem muita animação e que, com certeza, poucos serão os que o querem perder. As inscrições são limitadas e podem ser feitas até dia 20 do próximo mês, na sede da UF (Feira dos Onze), ou pelos telefones 256 674 181, 913 236 572 e 918 213 417. Descontos para irmãos e número de semanas (ver em cima). De referir que decorrem, até ao mesmo dia, as inscrições para monitores e professores. Inscreve-te já… amanhã pode já ser tarde!


08

Terça-feira, 03 de junho de 2014

ENTREVISTA >O SONHO DO DIRETOR DO ACES PARA 2015

Um médico de família para cada utente

Miguel Portela, diretor executivo do ACES Aveiro Norte, apresentou-nos os números dos utentes que, atualmente, continuam sem médico de família, sendo atualmente muito menores do que há dois anos atrás.

“Quando aqui cheguei [ao ACES] a minha meta principal foi dar um médico de família a cada utente e temos lutado muito para tornar possível essa ambição. Gostava muito de dizer que, no fim de 2015, esse sonho estaria concretizado. Sabemos que as dificuldades do país são muitas neste momento, contudo temos contado com o apoio e acompanhamento constante por parte da ARS Norte e, juntos, temos articulado estratégias que têm resultado em ganhos para a saúde da nossa população, ganhos de eficiência económica e estruturais. Acredito que, mantendo esta boa articulação, será possível ‘sonhar’ em resolver, definitivamente, o problema dos utentes sem médico de família, durante o próximo ano”.

>DIRETOR EXECUTIVO DO ACES AVEIRO NORTE, MIGUEL PORTELA, FAZ BALANÇO POSITIVO DE DOIS ANOS DE ATIVIDADE

Cerca de 95% dos utentes já têm médico de família

Dos 20 mil utentes da área de intervenção do ACES Aveiro Norte (O. Azeméis, V. Cambra e S. J. Madeira) que, há dois anos, não tinham médico de família, apenas restam seis mil sem este profissional de retaguarda, metade dos quais no concelho de Oliveira de Azeméis. Miguel Portela não está totalmente satisfeito, no entanto o diretor executivo deste Agrupamento de Centros de Saúde ‘sonha’ ter a população toda coberta em 2015.

conhecer os meandros da instituição, as equipas, os parceiros com que nos relacionamos; perceber a dimensão desta entidade e identificar as maiores carências que existiam. Essa foi a tarefa mais importante, pois, doutra forma, não seria possível estruturar um trabalho assente na realidade. Daí tentar alicerçar uma estratégia para o futuro dos cuidados de saúde primários dos três concelhos que o ACES Aveiro Norte serve: Oliveira de Azeméis, S. João da Madeira e Vale de Cambra.

Após isso, foram, com certeza, definidas as lacunas existentes e as estratégias a adotar para as combater… As carências encontradas foram das mais variadas procedências, desde os recursos humanos e materiais até aos estruturais, o que obrigou a delinear prioridades e a focalizar as nossas ações nos aspetos essenciais para a instituição e ANGELA AMORIM para a população que temos a nosso cargo. Ao fim de quase dois anos Naturalmente preocupouà frente do Agrupamento de me bastante os 20 mil utentes Centros de Saúde (ACES) sem médico de família que Aveiro Norte, que balanço encontrei. Esta carência não faz do trabalho desenvolvido só afetava a população que nequer pelo senhor, quer pela cessitava de médico de família, equipa que o acompanha? como os profissionais que, em Durante os primeiros tem- número insuficiente, tinham de pos no ACES, foi importante se desdobrar em esforços para

tentar responder às pessoas que não tinham médico e precisavam de cuidados de saúde. Neste sentido, foquei as minhas energias em captar médicos especialistas em Medicina Geral e Familiar para o ACES, de forma a conseguir dar a cada habitante um médico de família. Contudo, as carências com pessoal não se ficavam pela classe médica. Encontrei também carências em assistentes técnicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos e nutricionistas, se bem que a necessidade mais reclamada pela população era os médicos de família. Em jeito de balanço, o esforço do ACES Aveiro Norte tem sido recuperar o número de profissionais essenciais para dar o atendimento necessário à população; fazer uma gestão financeira rigorosa e equilibrada, tentando otimizar ao máximo a relação custo/ benefício nos gastos efetuados por esta entidade. Não podemos esquecer que o país está em fase de recuperação financeira e cada cêntimo gasto deve ser bem avaliado. Conseguimos reduzir os gastos ao mesmo tempo que melhorámos os níveis assistenciais à nossa população. Também temos conseguido, de forma equilibrada, requalificar edifícios do ACES e apetrechá-los

de forma a dar maior conforto aos utentes e profissionais (ver também página seguinte). No que diz respeito à cobertura da população em termos de médicos de família: Quantos pessoas existiam sem médico de família quando chegou ao ACES e quantas existem agora? Quando cheguei ao ACES existiam cerca de 20 mil utentes sem médico de família, o que representava uma cobertura de cerca de 84% da população: 14 mil em Oliveira de Azeméis e seis mil em Vale de Cambra, enquanto S. João da Madeira tinha a sua população coberta a 100%. Neste momento, temos aproximadamente seis mil utentes sem médico de família em todo o ACES Aveiro Norte, que representa uma cobertura de cerca de 95% da população: Aproximadamente três mil utentes sem médico de família em Oliveira de Azeméis e outros tantos em Vale de Cambra. S. Roque, S. Martinho e Cucujães são as freguesias mais problemáticas Mesmo com estes importantes progressos, o certo é que ainda se mantém uma boa percentagem de pesso-

as sem médico de família atribuído, também no nosso concelho. Quais as freguesias com mais problemas e para quando a sua resolução? Neste momento já invertemos realidades outrora preocupantes, como o caso de Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz, onde não havia capacidade de resposta mínima às necessidades das populações. Foram demasiadas as vezes que nos deparámos com dificuldades de acesso daquelas populações aos cuidados de saúde primários. Isso deu-nos força para lutar por conseguir melhores instalações, mais pessoal médico para essa área e, neste momento, é com bastante satisfação que podemos transmitir que não só todos os utentes dessas freguesias têm médico de família, como temos ainda, neste momento, cerca de 400 vagas para quem o solicitar. A população que, ainda, não tem médico de família no concelho de Oliveira de Azeméis vai sendo aos poucos absorvida pelas unidades existentes. Neste momento será S. Roque, S. Martinho da Gândara e Cucujães as freguesias que apresentam mais utentes sem médico de família, contudo as perspetivas são de ir reduzindo durante o próximo ano.


ENTREVISTA

Terça-feira, 03 de junho de 2014

>ACES AVANÇA PARA OBRAS DE RENOVAÇÃO EM EDIFÍCIOS AO SEU SERVIÇO

Concelho oliveirense obteve a prioridade O Agrupamento de Centros de Saúde Aveiro Norte apostou, nestes dois anos e sobretudo nos últimos tempos, em intervenções de requalificação em algumas instalações que acolhem os seus serviços. As obras começaram no nosso concelho, nomeadamente no Pinheiro da Bemposta, Cucujães e, também, na sede em Lações de Cima. ANGELA AMORIM

Para além da grande aposta nos médicos de família, que outros projetos e melhorias foram registados, ao longo destes dois anos, no Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Aveiro Norte, nomeadamente em termos técnicos, logísticos e/ou outros? O ACES já desenvolvia projetos e cuidados na comunidade envolvente, através das Unidades de Cuidados na Comunidade (UCC), da Unidade de Saúde Pública (USP), da Equipa de Cuidados Continuados Integrados (ECCI), Equipa Coordenadora Local (ECL) e da Equipa Local de Inserção (ELI), onde colabora com escolas, rede social, instituições de solidariedade social, entre outras, no concelho. Neste aspeto, temos mantido e até melhorado, sempre que nos é solicitado pelos nossos parceiros. Também melhorámos consideravelmente a articulação com o nosso hospital de referência Centro Hospitalar Entre Douro e Vouga (CHEDV) -, com o qual estabelecemos protocolos de colaboração e conseguimos ‘linha direta’ com os seus responsáveis, sempre no sentido de facilitar o acesso aos nossos utentes. Existe um diálogo aberto e cooperante entre as direções de ambas as instituições, o que nos permite, naturalmente, ganhos em saúde para as po-

O diretor executivo salientou a importância do trabalho esforçado dos profissionais ao serviço do Agrupamento de Centros de Saúde Aveiro Norte, que dirige.

pulações que servimos. Também no âmbito da colaboração com o CHEDV, conseguimos trazer para o ACES a cooperação da Pedopsiquiatria, o que veio reforçar um protocolo já existente no âmbito da Psiquiatria. Algumas obras têm sido realizadas em edifícios que servem este Agrupamento de Centros de Saúde, nomeadamente no concelho de Oliveira de Azeméis… Efetivamente, outra preocupação que temos é melhorar a qualidade dos edifícios que servem o ACES. Temos efetuado obras de requalificação frequentes, não só para acolher novas unidades, como também para termos melhores condições de habitabilidade nas unidades já existentes. Em 2013 a prioridade foi o concelho de Oliveira de Azeméis, onde renovámos duas unidades, de forma a capacitálas para acolher duas Unidades de Saúde Familiar: Cucujães e ao Pinheiro da Bemposta. Também fizemos algumas intervenções no edifício sede [Lações de Cima, na cidade]. Este ano a prioridade é o edifício de S. João da Madeira, que, em breve, irá sofrer obras profundas de melhoria das suas condições gerais.

giu e se processa? Temos tido a preocupação de acompanhar de perto as necessidades dos utentes, que são, no fundo, a nossa razão de existir. Ao longo do tempo, fuime apercebendo que a ida ao IPO das senhoras que faziam o rastreio do cancro da mama era, para algumas, uma preocupação e tinham alguma dificuldade em chegar ao IPO, recorrendo várias vezes a transportes muito onerosos para as suas possibilidades. Como o ACES não possui meios de transporte coletivos, procurei a ajuda da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, que de imediato colocou à disposição um autocarro. Este leva, uma vez por mês, todas as utentes que necessitam da consulta de aferição no IPO. Neste momento o autocarro sai na última quinta-feira de (MIGUEL PORTELA, cada mês do ACES, por volDIRETOR EXECUTIVO DO ta das 12h45, leva as utentes e ACES AVEIRO NORTE) aguarda pelo fim das consultas, trazendo-as de volta à nossa sede (Lações de Cima, Oliveira Transporte ao IPO para de Azeméis). rastreio do cancro da mama Quando o rastreio estiver nos outros concelhos do ACES Uma vossa iniciativa inte- [S. João da Madeira e Vale de ressante, concretizada recente- Cambra], tentaremos replicar, mente - conforme publicámos com essas autarquia, este pro-, foi o transporte gratuito de tocolo de colaboração. pessoas para o rastreio do Penso que este foi um servicancro da mama ao IPO do ço que trouxe bastantes ganhos Porto. Recorde-nos como sur- à população. “Já o tenho referido anteriormente e não será demais repetir a resiliência dos profissionais do ACES Aveiro, que ultrapassam diariamente dificuldades logísticas ou de pessoal, sempre sem prejudicar o atendimento dos utentes. Estes [profissionais do ACES] ultrapassam as dificuldades com que se vão deparando e o resultado do seu trabalho é evidentemente melhor de dia para dia. Nos períodos de dificuldade, a qualidade dos recursos humanos é vital para superar os piores momentos e os nossos funcionários têm estado à altura dessas dificuldades”.

09 >DA EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE, PASSANDO ‘AO LADO’ DO DESEMPREGO

Funcionários do ME a caminho do ACES “Outro entrave à evolução das nossas unidades foi as restrições, por parte da tutela, a novas contratações na função pública. Existe uma carência grave de secretários clínicos, com poucos a trabalharem nas unidades e muitos a aposentarem-se periodicamente. Rapidamente este problema tornou-se numa grave preocupação para a gestão. Ora, não podendo existirem contratações na função pública, procurámos outras soluções. Na análise que fomos fazendo das possibilidades que teríamos de captar novos secretários clínicos, apercebemo-nos que começavam a surgir excedentários no Ministério da Educação (ME). Nessa altura, reuni com os diretores dos agrupamentos de escolas da nossa área de influência e propus-lhes uma solução que seria boa para ambas as partes: Para eles era uma preocupação dispensar os funcionários considerados excedentários, contudo, se lhes garantissem uma colocação na área de residência, para alguns seria uma possibilidade de garantir emprego, mudando apenas de Ministério. O ACES poderia garantir esse emprego aos excedentários do ME e, dessa forma, acolher voluntários, desaparecendo o peso das escolas terem que decidir quem mandar embora. Felizmente, as reuniões com os diretores de agrupamentos correram muito bem e temos, neste momento, oito mobilidades a caminho, que irão colmatar algumas carências em áreas-chave do atendimento do ACES, permitindo mesmo o arranque da Unidade de Saúde Familiar de Cucujães”.


10

Terça-feira, 03 de junho de 2014

Minuto da água: Princípios essenciais para um racional uso deste recurso Água é dinheiro (e muito mais: é vida!). Algumas regras de poupança Num período em que se fala tanto de crise, a palavra poupança está na ordem do dia. Todos nós queremos economizar, guardando mais… dinheiro (mais notas e mais moedas, nas nossas carteiras). Por outras palavras, todos queremos fazer as nossas poupanças, para nós e para deixarmos também aos nossos descendentes. Porém, importa que ninguém se esqueça de que é, igualmente, urgente deixar em herança outros bens, outros recursos… A água é o bem que aqui está hoje em destaque. E como podemos poupá-la? Aqui ficam alguns conselhos. 1. Reduzir o tempo do banho. Num único banho de chuveiro de 15 minutos, podem ser gastos até 240 litros. 2. Fechar a torneira, durante a escovagem dos dentes. É que, mesmo quando alguém escova os dentes durante apenas cinco minutos com a torneira aberta, gastam-se 80 litros. 3. Não colocar papel ou lixo na sanita, já que mais água terá de ser utilizada, para que o papel se vá embora. 4. Se o autoclismo tiver dois botões (um para descargas maiores e e outro para descargas equenas), importa usar o botão das descargas pequenas, sempre que tal for possível. 5. Se alguma torneira estiver a pingar, há que fechá-la. É que uma torneira a pingar durante todo o dia pode desperdiçar até 50 litros de água. 6. Fechar a torneira, quando se estiver a lavar a louça. É que podem ser gastos mais de 130 litros de água, se a torneira estiver totalmente aberta. 7. Utilizar o balde, em diversas situações. Se se lavar o carro com a mangueira aberta, durante meia hora, podem ser gastos até 600 litros. Mas, se se trocar a mangueira pelo balde, podem já ser gastos até 40 litros. As diferenças são tão grandes… Vale a pena! Eu vou melhorar os meus hábitos, de molde a fazer uma utilização mais racional da água. Quem me acompanha?... O ambiente agradece. A família agradece. E a nossa carteira… também!

Era uma vez uma revolução...

albino pinho*

Sónia Pereira

opinião

Abril das águas mil, que, mesmo quando está de ‘mau humor’, é sempre abril. Os seus perfumes, flores e rebentos desculpam todo o resto... é a natureza no seu esplendor supremo! Foi numa quinta-feira, lembro-me perfeitamente, que esse glorioso dia - até o S.Pedro ajudou na festa - apresentou-se mais perfumado e radioso do que nunca. Ainda o sol se espreguiçava e a notícia corria célere Portugal de lés a lés: “Somos livres!!!” Na rádio sucediam-se os comunicados da Junta Militar, recentemente empossada, e as musicas ‘Grândola Vila Morena’ e o ‘E Depois do Adeus’. A ditadura e o fascismo caíram!!! Liberdade, fascismo, ditadura, democracia? Mas, afinal, o que é que aconteceu, questionava o ‘Zé povo’ semi analfabeto, ainda a medo, num tempo que até sonhar podia ser perigoso e os confessionários da Igreja suspeitos, por esta estar demasiado comprometida com o regime. Era o tempo das ‘conversas em familia’ do Marcelo, padrinho do atual Marcelo das escolhas, que punha qualquer um a dormir mesmo sem sono. O tempo do salve-se quem puder. Só para França tinha fugido (‘de assalto’) quase um milhão, em pouco mais de dez anos, por falta de liberdade, de dinheiro, de ‘cagaço’ da guerra colonial, ou de todas elas. Era o tempo da Rádio Moscovo e Tirana (clandestinos), que nos descreviam, em horas certas e na nossa Língua, o ‘paraíso’ para lá da cortina de ferro. Da rádio Argel da oposição. Era o tempo da música de intervenção, com o ícone principal Zeca Afonso, mais Luís Cilia, José Mário Branco, Sérgio Godinho, Manuel Freire, Pedro Barroso, Fanhais etc. Do ‘Portugal amordaçado’ de Mário Soares e das ‘Trovas do Vento que Passa’ de Manuel Alegre. Era o tempo da rapariga prendada, bela e devotada. O tempo da música ‘yé yé’ importada e da calça ‘à boca de sino’. O tempo de se acomodar com uma mão cheia de quase nada, num país fechado sobre si mesmo sem esperança nem futuro. O tempo do Deus, Pátria e Família. Do tudo a Bem da Nação e do orgulhosamente sós. E a Junta Militar provisória deu as primeiras explicações, para a revolta dos capitães. A esquerda reivindica a revolução, a direita, disfarçadamente, participa, mas despreza-a, e, subtilmente, aproveita-a para seu proveito, como é o caso presente. E os novos políticos e partidos começaram a aparecer como cogumelos, prometendo o paraíso a todos, logo a seguir. O povo saíu à rua e gritou: “O povo unido jamais será vencido”. Abriram-se as portas das prisões de par em par para os delitos políticos. E, num ápice, todos começaram a festejar e a discutir política convencidos dos seus argumentos. E surgiu novo vocabulário, com palavras adequadas ao momento, como ‘facho’, ‘comuna’, ‘socialista’, ‘democrata’, ‘demagogo’, ‘lacaio’, ‘cacique’ e por aí adiante. E sucederam-se os governos provisórios. Os golpes e contra golpes, e as maiorias silenciosas. Houve o PREC e as sessões de esclarecimento sobre tudo e mais alguma coisa. Houve o COPCON para o que desse e viesse. Nacionalizou-se tudo que mexia. Mui-

tos suspeitos do antigo regime tiveram de dar à sola. Gritou-se a plenos pulmões: “A terra é de quem a trabalha”. Ocupou-se herdades no Alentejo e proclamou-se uma pseudo reforma agrária. Cantou-se Catarina Eufémia. Houve julgamentos populares e agostos quentes, com os móveis a voarem janela fora para a fogueira. E veio a moda da barba grande. Ser de esquerda era a moda em moda, mesmo se a família era reacionária. E a música do “Força Força, camarada Vasco, nós seremos a muralha d’aço!” E a da ‘Gaivota’ da Ermelinda Duarte. E frases fortes como “Olhe que não, olhe que não Sr. Doutor!”; Ou ainda: “O povo é sereno, o povo é sereno!” Criaram-se sindicatos livres, com os primeiros CCT, direito à greve, á associação, reunião e manifestação e leis laborais. Criaram-se comissões ad hoc de trabalhadores, morados e afins. Fez-se plenários, greves e manifestações por tudo e por nada. Libertados de tanto sufoco e exploração patronal, entrou-se na era da renvindicação de mais direitos do que deveres. Criaram-se mil e um partido para todos gostos e feitios. Realizam-se eleições, constituintes, legislativas e presidenciais. Houve governos provisórios, com ministros com e sem pasta, e constituicionais, de minoria e de maioria, de quase todas as cores, formas e feitios. Acabou-se com a maldita guerra colonial, que foi o motivo maior da revolução, que matou mais de 10.000 jovens e deixou um número muito maior de incapacitados à vida. Uma guerra sem sentido que, durante longos 13 anos, sugou quase todo o orçamento do Estado e riqueza das colónias. Fez-se a descolonização, possível segundo uns, irresponsável, segundo outros. Foi o fim do Império, com o abandono de África, com pouca honra e menos glória, que levou Torga a escrever: “Fomos de caravela, viemos de canoa”. Por causa disso regressaram os retornados... e muitos revoltados. Quarenta longos anos passaram. A democracia consolidou-se. As infraestruturas mudaram radicalmente a paisagem de Portugal. Mas o essencial da revolução, justiça social, oportunidades iguais para todos no trabalho e justiça, direito à saúde, à habitação e à educação ainda deixam muito a desejar, e, com este governo neoliberal, do ‘vale tudo’, o pouco que restava desse espírito revolucionário tem regredido assustadoramente. Vivemos tempos em que a liberdade individual de cada um se mede pela quantidade de zeros da sua conta bancária. Temos uma esquerda poeirenta, uma direita salazarenta e um centro utópico, em que ninguém cede um milímetro a ninguém. Uma revolução que se fez com música e cravos, que correu mundo. Que foi musa e fonte de inspiração para outros países, poetas e trovadores. Apesar de tudo ainda nos resta o direito de decidir quem queremos que nos governe. Mesmo se a qualidade dos políticos é bastante medíocre, convém mudá-los de vez em quando, antes que os irrevogáveis e compulsivos mentirosos ainda nos tirem esse imaculado direito, tudo em nome do capital. Quem tenta violar sistematicamente a Constituição, mete um povo de joelhos, com a bênção de um presidente parcial, tudo é de esperar. A História os julgará! (abril 2014)


opinião

Terça-feira, 03 de junho de 2014

11

Visão de futuro Causa comum Momento de reflexão

Os portugueses votaram e, como sempre, decidiram bem. Ganhou quem devia ganhar, perdeu quem merecia perder. A grande derrotada foi a coligação PSD/CDS, que obteve o seu pior resultado de sempre, e a linguagem truculenta de Rangel e Nuno Melo, com a inusitada tentativa de trazer para o debate das europeias a governação Sócrates, teve nos resultados a punição que merecia. O PS, independentemente das leituras políticas que se pretendam fazer, obteve uma vitória que se traduz em factos inquestionáveis: - O PS obteve 31,47% dos votos, quando em 2009 atingiu os 26,53%, enquanto que o PSD e CDS juntos, e nessa altura com 40% dos votos, agora obtiveram apenas 27,71%. Ou seja, o PS subiu 5% e o PSD/ CDS perderam mais de 12% dos votos. - PSD e CDS passaram de 1,5 milhões de votantes (2009) para cerca de 900 mil eleitores em 2014. - Sozinho, o PS consegue mais votos do que toda a esquerda junta e derrota de forma inequívoca a coligação de direita PSD/CDS; tudo levando a crer que estes partidos seriam ainda mais penalizados se votassem os 300 mil portugueses que “compulsivamente” enviaram para a emigração. - O PS ganhou 1 eurodeputado, enquanto que a coligação PSD/CDS perdeu 3. Caso fossem eleições legislativas, PSD e CDS perderiam quase 50 deputados, enquanto que o PS ganharia 19. Por outro lado, embora não seja possível comprovar, considerando que nestas eleições o CDS “valeu” 4 ou 5%, então o PSD representou apenas cerca de 22%, ficando o PS 10% acima deste partido. Poderá ser isto entendido como uma vitória menor? Os factos demonstram claramente que não. Porém, quando seria expectável que, associado ao novo “chumbo” do Tribunal Constitucional, este “desastre” da direita atingisse os partidos da coligação e que os respetivos líderes sofressem as consequências destas derrotas, pois traduzem bem o que tem sido a sua ação neste (des)governo, eis que o PS “abre” uma crise. Ironicamente, o partido mais votado passa a ser o único partido a ser verdadeiramente escrutinado e o seu líder que ganhou as últimas eleições autárquicas com o melhor resultado de sempre e somou agora uma importante vitória nas eleições europeias, vê questionada a sua capacidade para implementar um projeto alternativo ao atual governo. Recorrendo a exemplos “futeboleiros”, o que se passa hoje no PS assemelha-se a uma SAD desportiva que em plena época resolve discutir a substituição de um treinador que, tendo ganho o campeonato e a taça de Portugal, se preparava para a vitória na Liga dos Campeões. Tal como as “chicotadas psicológicas” mas ao seu invés, pois estas normalmente surgem na sequência de maus resultados estamos perante uma arriscada discussão e de imprevisíveis consequências, cuja “tática” usada só em 2015 saberemos se foi a mais adequada.

Joaquim Jorge

A confusão interna é muita no Partido Socialista. Não sei se é uma nova casa dos segredos ou não, tão pouco me interessa se António José Seguro está agarrado à cadeira do poder a todo o custo ou se as primárias que agora sugere fazem sentido. São problemas internos do maior partido da oposição em Portugal, e cabe aos seus militantes, aos seus dirigentes resolverem-no. O que me preocupa mais e me deixa muito revoltado é a atitude do PS perante o país, perante os Portugueses. Como é possível que os deputados deste partido tenham votado favoravelmente uma moção de censura ao governo, que delineada pelos Comunistas e que entre outras barbaridades pedia a saída de Portugal do Euro e a saída de Portugal da União Europeia? É a confirmação da confusão em que o PS está instalado. Está no ADN socialista a crítica destrutiva ao Governo, custe o que custar. A irresponsabilidade faz parte do PS. Como é possível um partido que se diz Europeísta votar em algo que pretende ser exatamente anti Europa? Que sinal é este que o PS quer dar aos Portugueses? Espero que as pessoas não deixem passar em claro esta atitude. É esta forma de estar na política que nos colocou na crise que vivemos nos últimos anos. O PS não pode merecer de maneira nenhuma a confiança dos Portugueses. Bem sei que os principais dirigentes do maior partido da oposição estão actualmente com a cabeça nas questões e guerrilhas internas de disputa do poder, mas nada disso justifica esta atitude, este desnorte. Honra seja feita a alguns deputados socialistas, infelizmente muito poucos, que saíram de hemiciclo na altura da votação por não se sentirem confortáveis em votar um texto daquela natureza. Repito, pouco me importa se António José Seguro tem para os seus camaradas legitimidade para ser seu secretário geral, aquilo que me importa, e que me incomoda, é que alguém tão medíocre politicamente possa comandar os destinos de um partido com aspirações de voltar a governar Portugal e que age desta forma tão irresponsável. Por falar em irresponsabilidade, os juízes do tribunal constitucional voltaram a mostrar inaptidão e pouca aderência à realidade. Estes senhores tentam constantemente por em causa os esforços dos Portugueses para a resolução dos seus problemas financeiros e nem se apercebem que, com estas atitudes e a falta de alternativas, só contribuem para que outras medidas de austeridade tenham de ser levadas a cabo para substituir as que erradamente chumbam. Não sendo um órgão eleito pelo povo, são no entanto um órgão que faz política e que impõe a ideologia de uma constituição que defende o caminho para o socialismo, como entendido aquando da revolução. Só que ao contrário dos governos, que prestam contas e podem perder eleições, os juízes do tribunal constitucional não prestam contas pelas suas decisões.

José Campos

Estimados leitores agora que o verão começa a aproximar-se, chega a altura ideal para retomar algumas atividades que pretendam trazer alguma atratividade para Oliveira de Azeméis. Tivemos alguns certames que foram ganhando alguma capacidade para se consolidar, recordo-me por exemplo da feira do livro que surgiu há uns anos atrás no parque de La-Salete e Miguel que acabou por não se realizar mais. Portela A feira de artesanato tem existido, um pouco discreta ultimamente, com poucos stands em exposição, mas com caras que insistem em manter a sua presença sempre que ela surge. Agora que o Mundial de Futebol vai regressar e trazer a febre das multidões seria de equacionar criar uma funzone, como já tem sido feito e muito bem, tentando talvez misturar no mesmo espaço uma feira do livro ou de artesanato. Sabemos que muitas vezes os expositores poderão não aderir em grande número, que a procura por parte dos transeuntes também poderá ficar um pouco aquém do esperado e isso poderá levar os organizadores a repensar a pertinência destes eventos. Penso que misturar na mesma área um evento agregador de pessoas como a funzone e uma feira do livro ou de artesanato, poderá ser uma mistura que funcione. Isto pois dá mais garantias aos expositores da existência de público perto dos seus stands e isso poderá fazer com que mais adiram a estas iniciativas. Quem sabe até misturar uma feira de artesanato e feira do livro no mesmo espaço pois dessa forma ganha-se dimensão de oferta e poderá desta forma aumentar-se a potencialidade do público-alvo. Oliveira de Azeméis tem tido exemplos de sucesso, como o mercado à moda antiga, estas feiras também já o foram em tempos, seria uma maisvalia para o centro urbano recuperar estes eventos conseguindo dar-lhes a vitalidade necessária para atrair forasteiros e oliveirenses ao centro urbano ou até ao parque de La-Salete. È sempre uma incógnita o nível de adesão a estes eventos não só por parte dos expositores como do publico, contudo teremos que pensar em estratégias que possa elevar as expectativas não só de quem expõe como do potencial publico por forma a atraí-los para estes eventos. Com isto não pretendo dizer que é fácil gerir a criação destes eventos, sei que não é assim, penso sim que o sucesso de outros tempos seria positivo para Oliveira de Azeméis e devemos perseguir esse objetivo. Despeço-me com amizade


12

Terça-feira, 03 de junho de 2014

GERAL

>EM CUCUJÃES

Mãe acusada de agredir aluno durante uma aula A progenitora reconhece que errou ao escolher aquela forma para repreender uma criança que teria batido na sua filha, que diz ser vítima de ‘bullying’. DIANA COHEN

A mãe de um aluno do Colégio da Gandarinha, em Cucujães, acusa a progenitora de uma colega do filho de ter agredido o menor durante uma aula, o que a levou a apresentar uma queixa na GNR. Por sua vez, a encarregada de educação acusada de agressão também fez uma participação ao Ministério da Educação, alegando que a sua filha é vítima de ‘bullying’. O incidente ocorreu na quinta-feira, um dia depois de, alegadamente, o menino de oito anos, que frequenta o segundo ano de escolaridade, ter batido numa colega da mesma idade. Segundo a versão da família do aluno, “devido a uma pequena quezília que houve”, a mãe da

O incidente levou a encarregada de educação do aluno supostamente agredido a avançar com uma queixa na GNR de Cucujães

menor irrompeu pela sala de aula, “deu-lhe um puxão de orelhas, torceu-lhe o braço” e ameaçou-o verbalmente. “O meu neto até podia ser um assassino e pode ser uma criança considerada problemática, mas nada justifica o que a senhora fez e isso agora vai ser resolvido via judicial”, disse ao Correio de Azeméis o avô da criança supostamente agredida. Versão distinta apresentou a mãe da menina, que, ao contrário da família do colega da

filha, não desvalorizou a zanga entre as duas crianças e que a conduziu àquele ato, tudo indica, irrefletido. “Todos os dias aquela criança bate nos colegas e a isso chama-se ‘bullying’, que é crime. Os outros pais calam-se com medo de represálias, mas eu não”, alegou, sem, no entanto, deixar de demonstrar algum arrependimento face à atitude que tomou. “Sei que o que fiz não foi o mais correto, porque não estava a lidar com um filho meu”, reconheceu.

“Vamos tentar resolver o problema de forma pacífica” A direção do Colégio da Gandarinha lamentou o incidente de quinta-feira passada e informou que os pais de ambos os alunos já foram contatados para comparecerem esta semana nas instalações para uma reunião. “Em face do ocorrido, chamámos as partes envolvidas com o objetivo de dialogar e intervir pedagogicamente, para que isto não se volte a repetir”, afirmou o presidente da Fundação Condessa de Penha Longa, que gere aquele estabelecimento de ensino. Vasco Pinto Leite sublinhou, ainda, que esta se tratou de uma situação pontual e inesperada. “O nosso colégio está em funcionamento há 137 anos e esperemos que pelo menos durante os próximos 100 não volte a acontecer nada semelhante, porque tentamos incutir o respeito entre os alunos e os encarregados de educação”, disse. “Vamos tentar resolver o problema de forma pacífica, a bem, apelando a uma reconciliação e indo à raíz do problema”, revelou o responsável.

Na passada sexta-feira, o Conselho Metropolitano do Porto reuniu-se, no Arquivo Municipal de Oliveira de Azeméis. Recorde-se que esta entidade é, atualmente, presidida por Hermínio Loureiro, autarca do nosso município. De entre a ordem de trabalhos, analisada e discutida em cerca de hora e meia sensivelmente, destacamos a decisão deste órgão em promover a fusão das agências de energia que servem a Área Metropolitana do Porto: Uma para os concelhos a Norte (Agência de Energia do Porto) e outra para os do Sul (Energaia) do Rio Douro. Também a reorganização hospitalar e a portaria que a define estiveram em cima da mesa. Esta será uma matéria que desenvolveremos em próxima edição.

>NA ROTUNDA DE ACESSO À A32 PINDELO

Colisão provocou quatro feridos Quatro pessoas ficaram feridas na sequência de um acidente ocorrido este domingo, na rotunda de acesso à A32, em Pindelo. As vítimas circulavam em dois automóveis que colidiram, cerca das 18h20, em circunstâncias não apuradas. Os sinistrados, de 22, 24, 49 e 53 anos, não inspiravam cuidados de maior, apesar de dois deles terem ficado encarcerados, informou fonte dos bombeiros. Os Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis, que socorreram as vítimas em conjunto com a Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Hospital da Feira, enviaram, para o local, quatro ambulâncias e um veículo de desencarceramento. Depois de assistidos, os feridos foram transportados para o hospital. DC

>LANÇAMENTO AGENDADO PARA 21 DE JUNHO

‘O Corvo Mudo’ integra CD Novos Talentos FNAC 2014 Tendo apresentado ao vivo o seu álbum ‘Linhas’ no âmbito da primeira ação organizada pela MATRIZ (ver pág. 17), ‘O Corvo Mudo’, com pouco mais de um ano e meio de existência, começa a dar passos fortes rumo ao reconhecimento, que se adivinha promissor. Segundo Brígida Ramos, convidada, em 2013, para trabalhar com esta banda oliveirense, “o seu disco está a ter uma divulgação e aceitação a nível nacional bastante grande”. Tanto é assim que, depois da apresentação e do lançamento do single de estreia ‘Tempestades’, pelas mãos da ant3, seguiu-se o lançamento online, a 10 de maio, e posterior apresentação ao vivo no dia 24. Mas as conquistas não se quedam por aqui, sendo que, a convite de Henrique Amaro, da ant3, ‘O Corvo Mudo’ vai integrar a coletânea Novos Talentos FNAC 2014, com lançamento agendado para 21 de junho. A formação atual conta com André Santos (baixo e voz), Filipe Minhava (guitarra), Marcelo Soares (bateria), Rui Lopes (guitarra) e Rui Martins (guitarra, teclas e voz).


REGIONAL

13

Terça-feira, 03 de junho de 2014

LOUREIRO> PARA PARTICIPAR NO ‘FESTIVAL DA PRIMAVERA’ EM PONFERRADA

Orfeão de novo em Espanha Correspondendo a um convite recebido há já alguns meses, o Orfeão de Loureiro empreendeu mais uma digressão a Espanha, no fim de semana de 24 e 25 de maio, para participar no ‘Festival da primavera’. O ‘Festival da primavera’ é um concerto coral que se realiza há mais de 20 anos em Ponferrada, simpática cidade da região de Castela e Leão, no Norte da Península Ibérica. Depois de Pontevedra e Salamanca, o coral loureirense continua a ser solicitado para atuar no país vizinho, onde promove as melodias da nossa cultura, que privilegia no seu vasto reportório. E desta vez não foi exceção: As canções de José Afonso – ‘Vejam bem’ e ‘Balada do outono’, a par de arranjos do próprio

Atualmente com cerca de 30 vozes e as portas abertas a novas adesões, ao Orfeão de Loureiro não faltam projetos

maestro de temas bem portugueses – ‘Coimbra é uma lição’ e ‘Amália’, ou outros clássicos da nossa música ligeira, coral e tradicional, arrancaram estrondosos aplausos. Apesar de, à mesma hora, as atenções da maioria dos espanhóis (e não só) estarem concentradas na disputa futebolística de dois clubes madrilenos na capital portuguesa, nem por isso o auditório

UF OAZ/O. AZEMÉIS> MAIS UMA EDIÇÃO DO ESPETÁCULO PELA INCLUSÃO

‘Emoções’ regressa ao palco do Caracas A CERCIAZ promove, no próximo dia 07 de junho, pelas 21h30, no CineTeatro Caracas, o já conhecido espetáculo pela inclusão, denominado ‘Emoções’. Esta iniciativa conta com o apoio da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, das escolas de dança Ana Luísa Mendonça, Meia Ponta, All About Dance e a Academia de Música A.M.A.R.

da Casa da Cultura de Pon- houve lugar a uma troca de ferrrada deixou de estar bem lembranças entre as direções composto. dos dois coros amigos, ocasião para cada um publicitar Oportunidade para a sua terra. Loureiro exibiu divulgar a freguesia a sua tradição agrícola, ofere o concelho tando um carro de bois, peça No fim, já depois de mui- fabricada pelo cantor e tamtos aplausos que exigiram ‘bis’, bém artesão Basílio Santos;

do município de Oliveira de Azeméis foi uma jarra em vidro e a ocasião foi aproveitada para revelar que a indústria vidreira portuguesa nasceu no nosso concelho há cerca de cinco séculos. Para fechar a festa em beleza, o anfitrião Coral Solera Berciana obsequiou a todos com um animado jantar convívio que durou até às tantas… Em jeito de balanço pode dizer-se que esta deslocação se cifra num êxito artístico do conjunto vocal loureirense, na divulgação de Loureiro, Oliveira de Azeméis e alguns pormenores da nossa cultura entre a comunidade castelhana, que tão simpaticamente recebeu e em momentos de agradável convívio vivido entre as duas comunidades. Para os orfeonistas de Loureiro e para alguns familiares e amigos que os acompanharam foi ocasião também para estreitar laços, cimentando um clima que há muito é de verdadeira família. PUB


14 UF OAZ/UL> NA IGREJA MATRIZ

Concerto ‘Flutoncello’ No próximo dia 07 de junho, às 18h30 (após a eucaristia das 17h30), tem lugar o concerto ‘Flutoncello’, na igreja matriz da paróquia de Ul. Do programa a apresentar por esta agremiação, formada unicamente por músicos ulenses, salientam-se as obras ‘Pastoral Symphony (G.F. Handel), ‘Allegro’ (Telemann), ‘Badinerie’ (Bach), ‘Magic Flute’ (Mozart), entre outras. O ‘Flutoncello’ é um grupo de animação de cerimónias matrimoniais religiosas ou civis, constituído por quatro elementos: Ana Resende, Inês Godinho, Joana Carvalho e Mário Cunha. UF OAZ/UL> ORGANIZADA PELO RANCHO ‘CRAVOS E ROSAS’

II Feirinha de Artesanato da Primavera este domingo O Rancho Folclórico ‘Cravos e Rosas’ realiza, neste próximo domingo, dia 08 de junho, a II Feirinha de Artesanato da Primavera. Integrando-se no plano anual de atividades 2014, esta iniciativa conta com a participação de associações e artesãos provenientes de localidades pertencentes a Oliveira de Azeméis, mas também aos concelhos limítrofes de S. João da Madeira, Albergaria-a-Velha, etc.. Os principais objetivos são a divulgação do artesanato local e regional e o estabelecimento da ponte com os projetos das outras agremiações de Ul, promovendo a partilha, troca de saberes e a mostra do trabalho realizado pelas mesmas; A II Feirinha de Artesanato da Primavera tem lugar na antiga EB1 de Adães, atual sede do Rancho Folclórico ‘Cravos e Rosas’ (coordenadas GPS: N 40º49’20.67’’; W 8º30’26.69’’), e decorre das 09h30 às 20h00. Ler mais: http://cravoserosas.webnode.pt/news/ ii-feirinha-de-artesanatoda-primavera/.

Terça-feira, 03 de junho de 2014

REGIONAL

S. MARTINHO DA GÂNDARA> ATIVIDADE ORGANIZADA PELA IPSS SÃOMARTINHENSE E PELA CONGÉNERE DE LOUREIRO

Mega aula de ‘chair yoga’ na Obra Social A Obra Social de São Martinho da Gândara e a Associação de Solidariedade Social de Loureiro promoveram, no passado dia 21 de maio à tarde, uma mega aula de ‘chair yoga’ para utentes das instituições de apoio à terceira idade do concelho de Oliveira de Azeméis. Tendo como ‘sala de aula’ o salão da instituição particular de solidariedade social (IPSS) são martinhense, esta atividade, orientada pela instrutora Eulália, teve por objetivo proporcionar aos seniores uma nova forma de exercício físico e mental. Note-se, por exemplo, que, através do ‘chair yoga’,

O salão da Obra Social de S. Martinho da Gândara recebeu uma aula de ‘chair yoga’ , que juntou muitos seniores do concelho

é possível trabalhar todos os músculos, posturas, respiração e meditação sem ser preciso estar em pé, podendo, assim, incluir-se também os seniores com mais dificuldade, inclusive os que se encontram

em cadeiras de rodas. Nesta iniciativa interinstitucional participaram as seguintes IPSS: Obra Social de São Martinho da Gândara, Associação de Solidariedade Social de Loureiro, Funda-

CUCUJÃES> PELA PRIMEIRA VEZ COMEMORASE O DIA DA VILA DE CUCUJÃES

Dia 07 de junho há festa rija No sábado 07 de junho, dia do 87.º aniversário da elevação de Cucujães a vila, os cucujanenses têm motivos de sobra para festejar. Pela primeira vez comemora-se o Dia da Vila de Cucujães, assim como, pela primeira vez, tem lugar um encontro de bandas filarmónicas organi-

zado pela Junta de Freguesia, através da sua comissão consultiva da cultura. Tendo lugar no campo de jogos do Atlético Clube de Cucujães (ACC), a festa tem início pelas 14h30, com o desfile das agremiações musicais no Largo da Columbófila – Parque Desportivo

do ACC. Já agora as participantes neste 1.º Encontro de Bandas Filarmónicas são: Sociedade Filarmónica Cucujanense, Banda de Música do Pinheiro da Bemposta, Banda Filarmónica de Louriçal do Campo e Sociedade Filarmónica Recreativa e Beneficente Vilanovense.

CUCUJÃES> NOS PRÓXIMOS DIAS 04, 11, 18 E 25

Sessões de cinema sénior no Centro Cultural No âmbito de uma iniciativa promovida pela Junta de Freguesia da Vila de Cucujães, através da sua comissão consultiva da cultura, com o apoio do Centro Lúdico de Oliveira de Azeméis, o Centro Cultural vai acolher quatro sessões de cinema sénior. A primeira, marcada já para

as 14h30 de amanhã, 04 de junho, exibe o filme ‘A menina da Rádio’, uma realização de Artur Duarte com a participação de Maria Matos e António Silva. Seguem-se, à mesma hora, mas nos dias 11, 18 e 25 de junho, ‘A canção de Lisboa’ (de Cottinelli Telmo com Vasco Santana e Beatriz Costa), ‘O Costa do

Castelo’ (de Artur Duarte, com Maria Matos e António Silva) e ‘O Leão da Estrela’ (de Artur Duarte com António Silva e Milú), respetivamente. A entrada é livre, mas está sujeita a inscrição prévia, dado o número limitado de lugares sentados deste equipamento público cucujanense.

ção Manuel Brandão (Cucujães), Centro Infantil e Social de Cesar, Centro de Dia e Lar de São Roque, Centro Paroquial Social de Santo André (Macinhata da Seixa) e Lar Vila Nida de Fajões.


regional

15

Terça-feira, 03 de junho de 2014

UF PB/P. Bemposta>Alunos do 8.º ano fazem pequena monografia

Foral a Figueiredo e Bemposta Na aula de História, alunos do 8.º ano fizeram uma pequena monografia, que partiu da leitura e exploração da transcrição do Foral a Figueiredo e Bemposta, concedido por D. Manuel I no ano de 1514. “Inicialmente renitentes” a tal tarefa, porque “o português afigurava-se-lhes inintelível”, os alunos “acabaram por se empenhar, ultrapassando as dificuldades que ‘ymquirições’, ‘pagauão’, ‘hua’, ‘reeaaes’, ‘mijlho’ e muitos outros termos invulgares que o português arcaico lhes colocava”, começa por nos explicar Maria Ivone Melo Ferreira. A responsável docente explicou, ainda, em nota enviada ao nosso jornal: “A tarefa permitiu fazer o levantamento de nomes e patronímicos mais usuais, nomes de localidades, listagem dos pagamentos dos foros e portagens, os funcionários da administração, as medidas de capacidade e moedas usadas, numa tentativa de aproximação ao trabalho do historiador”. Trata-se de “um trabalho pueril”, nas palavras de Maria Ivone Pereira de Melo Ferreira, que tem como finalidade “dar a conhecer o documento, facilitar a leitura e a interpretação aos que o pretenderem” . “Os Forais e a reforma de D. Manuel I Carta de foral ou, simplesmente, foral era um documento administrativo pelo qual o rei ou um senhor concedia determinadas regalias e privilégiosaos moradores de uma povoação. A Carta de Foral de Figueiredo e Bemposta é uma das 589 concedidas por D. Manuel I, quase metade no ano de 1514, integrando uma política de feição centralizadora, caraterística da Idade Moderna. Esta reforma dos forais, levada a cabo por D. Manuel I no início séc. XVI, foi preparada em reinados anteriores num período de centralização interna e, em grande medida, devido a queixas dos representantes dos municípios que pediam que fossem averiguados quais os usos e costumes legítimos para acabar com as burlas e prepotências dos senhores donatários e invocando que se arruinava o comércio, aumentava o custo de vida e despovoava o país. D. João II já tinha emitido uma carta régia para que se fizessem chegar à coroa os forais e ou títulos que legitimassem as cobranças feitas, num processo de lenta consolidação do poder real que se iniciara já com D. João I. Dada a complexidade da reforma, foi com D. Manuel I que se cumpriu a tarefa. Foi, então, nomeada uma comissão de letrados, chefiada por Fernão de Pina, que durante 20 anos recolheu toda a documentação existenterelativa a antigos forais ou privilégios e a reformulou, seguindo uma série de princípios gerais, em benefício da unificação administrativa, tendo como consequência que todos os

forais novos fossem quase idênticos. O objetivo da reforma manuelina era fixar encargos e foros a pagar pelos concelhos ao rei e aos donatários. Comoas disposições eram parecidas ou mesmo gerais, para todos estes forais, o reipodiacontrolar o que se passava sempre que reunia as Cortes. Istoconduziu auma certa limitação da liberdade e dos direitos dos concelhos. Contudo, tambémpermitiu um certo controlo em relação aos direitos dos nobres e mesmo do rei, sendo uma defesa contra os poderosos, dado que, a partir daí,se podia invocar o que constava no foral a respeito de determinado assunto. No mesmo sentido de uniformização, foi feita a reconversão das moedas antigas, promulgado o “Regimento dos oficiais das cidade vilas e lugares destes reinos” eé de registar que todos os forais foram redigidos num mesmo tipo de letra caligráfica, muito mais legível, o gótico librário ou humanístico. Do mesmo modo, foram reformulados os pesos e medidas, pois a sua variação dificultava o comércio e o esclarecimento das obrigações foraleiras. Para simplificar as trocas comerciais, definiram-se os múltiplos, os submúltiplos e os seus valores em relação à unidade padrão. São, então, definidas a nomenclatura e os produtos a que cada uma das medidas de capacidade se destinava. Assim, para os cereais e o azeite – o alqueire, o meio alqueire e a quarta; para o vinho – o almude, o meio almude, a canada, a meia canada, o quartilho e o meio quartilho.Para a regulamentação dos pesos mandouse fundir um conjunto de pesos em bronze, que se encaixavam uns nos outros e cuja caixa tinha uma asa para facilitar o transporte. Na tampa aparecem o escudo real português e a esfera armilar manuelina. Todos os concelhos foram dotados de novos padrões de peso, não tendo acontecido o mesmo relativamente às unidades de volume de secos e líquidos. O Foral de Figueiredo e Bemposta O foral foi concedido em 15 de agosto de 1415, tal como outros forais e, segundo Maria Alegria Marques, é em tudo igual ao de Angeja. Os locais expressamente referidos no texto são os seguintes: Figueiredo, Bemposta,

Branca, Contumil, Santiais, Devesa, Canelas, Salreu, Fermelã, Fonte Chã, Assequins ( Águeda)e Pinheiro (S. João de Loure). No entanto, podemos encontrar referência a outros lugares a partir, sobretudo, dos nomes de quem pagava os tributos. Desta forma encontramos Albergaria a Nova, Barroca,Besteiros, Casal de Lopo Preto*, Crasto, Damonde, Dornes, Fermelaínha, Crasto de Grijó, Monte Redondo,Outeiro, Palmaz, Pedregosa, S Martinho, Soutelo, Souto, Travanca, Vale do Gamoal (Rio Meão?),Valverde e Vilarinho.Para além de muitos outros referidos nas portagens e que seria fastidioso referir. Pelo tipo de impostos e rendas pagos, verificamos que se tratava de uma zona rural, dado que a população era composta, essencialmente,por lavradores foreiros, trabalhando terras de outrem,a troco de rendas e outros pagamentos, fala-se profusamente de moinhos, mas muito menos de mesteres, aliás, só aparecem dois ferreiros e um sapateiro. À data da doação,os lugaresnele referidos eram pertença do Senhorio de Angeja, Diogo Moniz, nascido em 1470. O título nobiliárquico foi criado por D. João I, estando os senhores de Angeja ligados aos senhores de Vila Verde dos Francos, no Concelho de Alenquer, família ligadaa Afonso de Albuquerque, Vice-rei da Indiaentre 1509 e 1515. Em Vila Verde ainda subsiste um palácio do século XV, o palácio dos Marqueses de Angeja, título criado em 1714. Segundo registos no Arquivo Distrital de Aveiro, em 1839, Pinheiro da Bemposta aparecereferido na comarca de Estarreja; em 1855, decorrente da legislação liberal de que extingue forais e bens da Coroa, perde o estatuto e, em 1878,integra-sena comarca de Oliveira de Azeméis. Patronímicos e sua formação Após a queda do Império Romano e o estabelecimento dos reinos bárbaros germânicos, estabeleceu-se o uso de apenas um nome. Mais tarde, provavelmente por necessidade de diferençar melhor as pessoas, cerca do século X, vão surgindo patronímicos familiares. Assim, um senhor das terras de Ribadouro adotava Ribadouro como patronímico, outro das terras de Sousa adotava Sousa como nome.

Até ao século XII o nome era seguido do patronímico, sendo o segundo nome assumido a partir do dos pais. Assim, Pedro Eanes seria filho de João (Joham), João Pires filho de Pedro, António Gonçalves filho de Gonçalo, Vasco Alvares filho de Álvaro e, por sua vez, o filho daquele chamar-se-ia, por exemplo, Rodrigo de nome próprio com patronímico Vaz. Assim, de entre os nomes encontrados temos Álvaro Pires, João Alvares, Afonso Fernandes, Gonçalo Rodrigues, Jorge Eanes, Gonçalo Alvares e, de forma mais diferenciadora João Fernandes da Cantela, Lançarote Afonso de Fermelaínha, Álvaro Afonso do Baril, João Fernandes da Pedregosa, Gonçalo Peres do Lameiroentre outros. Pesos e medidas referidos no Foral Os pesos e medidas mais referidos, e de acordo com a já referida reforma de D. Manuel I, são os seguintes: almude -16,8 litros; alqueire -13,1 litros; carga de carro/carreta - +/-220 kg; carga maior - carga de uma besta muar ou cavalar +/- 110 kg; carga menor -carga de asno +/- 55 kg; costal carga transportada às costas +/- 22, 5 kg; eirádiga - três alqueires da medida corrente; Quarta de pão - quarta parte de um alqueire; Pinta - medida de líquidos , três quartilhos;Sabudo- quantia não fracionada; Moio - 32 alqueires e Sangalhesa- um moio. Administração No que se refere à administração, são referidos os seguintes:Almoxarifefuncionário local que tinha a seu cargo a recolha de impostos e rendas; Mordomo- representante local do Senhor a quem o rei tinha concedido a tutela económica e administrativa; Rendeiros e oficiais de portagem ou quadrilheirosarrendatários do direito de recolher os impostos localmente; Requeredor - oficial de justiça; Tabelião - fazia escrituras, oficializava contratos e recebia por isso, pelo que pagava à coroa a pensão, neste caso em Aveiro; Vintaneiro - oficial encarregue de cobrar a vigésima parte de qualquer bem. Moeda Dos pagamentos em moeda encontramos referência a reais, a unidade monetária cuja cunhagem se iniciou nos anos 30 do século XV, ceitise a soldos. O soldo circulou entre os reinados de D. Afonso V e D. Sebastião e valeria onze ceitis. No que se refere a esta última, há quem defenda que o seu nome está relacionado com a dobra produzida em Ceuta, enquanto outros reportam o nome a sextil, a sexta parte do real. Do léxico geral há ainda a referir as seguintes palavras: Biscoito- pão muito bem cozido que dura muito tempo; descaminhosonegação de pagamento; gado do

vento – gado perdido; leitiga – leitoa; lutuosa- peça ou pensão que se paga por morte de alguém; maninho – terras incultas; pena d’armas- condenação pelo uso indevido de armas; pena de sangue- condenação ou multa imposta a quem espancasse, ferisse ou matasse alguém, ainda que não corresse sangue; sumagre – planta para curtir peles; terrádego – imposto destinado a barraca de feira; vinho molemosto, entre outros. Pena do Foral O documento termina com a chamada pena do foral, no qual se estabelece um conjunto de determinações para com os que não respeitassem os direitos nele consignados. As penas poderiam ser o degredo por um ano, fora do concelho, ou o pagamento de uma indemnização. Os almoxarifes ou os oficiais incorriam numa pena de perda do lugar, sem poder ocupar outro e o senhorio do concelho também ficava sob alçada régia, sendo-lhe suspensos direitos e jurisdição no casode não respeitar os direitos inscritos no foral. A justiça poderia ser feita imediatamente, por qualquer oficial, sem necessitar de ordem superior, desde que conhecida sumariamente a verdade. Notícias sobre Diogo Moniz, Senhor de Angeja e Pinheiro. Na épocade concessão da carta de foral encontramos registadas no Arquivo Nacional da Torre do Tombo as seguintes notícias: -A Diogo Moniz, fidalgo do rei, é dada licença para que confirme os juízes e oficiais de Angeja, de Pinheiro, da Bemposta e de Saquis, exceto quando lá estiver o corregedor. 20-07-1515 - Sentença contra Diogo Moniz pela qual foi suspenso da jurisdição de confirmar os juízes das vilas de Figueiredo, Angeja e Pinheiro e de coutar a pescaria do rio de Framelão, por levar mais do que lhe estava ordenado pela passagem da barca do rio de Angeja. - Sentença contra Diogo Moniz, senhor de Pinheiro e Angeja, a respeito da jurisdição do lugar de Pinheiro. 27-01-1539 *Encontramos , ainda, no Arquivo digital da Torre do Tombo o seguinte :” Lopo Preto, escudeiro, morador na bemposta, do concelho de figueiredo, enviou dizer que foram dadas certas culpas a João mendews, bacharel em leis e corregedor na comarca da estremadura, as quais eram que, sendo o suplicante tabelião em os concelhos de figueiredo e antoam, fizera muitas erradas em seu ofício por onde o devia perder, e, assim, haver prova de justiça, por bem do que fora preso em a cadeia e prisão dessa correição e fora acusado por bem da justiça, e tanto processado em seu feito que fora condenado por sentença que perdesse os ofícios e fosse degredado um ano fora dos ditos concelhos”. http://digitarq. dgarq.gov.pt/details?id=3881623


16

Terça-feira, 03 de junho de 2014

REPORTAGEM

> MOVIMENTO CRIADO POR JOVENS PRETENDE “VOLTAR A PÔR O NOME DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS NO PANORAMA NACIONAL”

MATRIZ quer ‘agitar’ a cultura oliveirense A MATRIZ não quer ocupar o lugar de quem quer que seja. Apenas acredita que “é possível fazer mais e diferente” ao nível cultural em Oliveira de Azeméis, bastando, para isso, que “nos deem espaço”. O Correio de Azeméis esteve à conversa com Brígida Ramos, que, juntamente com outros dois jovens oliveirenses, deu origem a este movimento que pretende ‘agitar’ a cultura local. GISÉLIA NUNES

“A MATRIZ quer, realmente, ocupar a cidade”, afirmou Brígida Ramos, a propósito do movimento a que, juntamente com Francisco Soares e Rui Martins, deu origem. Os três jovens oliveirenses – ela de 36 anos e eles com idades na casa dos 20 - acreditam que “é possível fazer mais e diferente” pela cultura local, bastando apenas que “nos deem espaço”. Além disso, é também preciso que continuem a ser apoiados, institucional e particularmente, tal

Direito reservados

artístico e cultural, este projeto ‘100% oliveirense’ pretende oferecer uma programação alternativa. E isto como? Apostando em gente da arte e da cultura da terra, atendendo ao desígnio de manter elevados padrões de exigência e maturidade, contribuindo para a ativa relação cidade/habitantes e voltando a “pôr o nome de Oliveira de Azeméis no panorama nacional”. No entanto, tal não significa “que se tenha de ficar preso à cidade” nem que “exigimos que as pessoas de Oliveira de Azeméis e arredores se identifiquem com o mesmo que nós”. Segundo Brígida Ramos, a ideia é “expandir” a MATRIZ, não só dentro da urbe e do concelho, mas também levando-a > QUE ESTEJAM “ABANDONADOS, ESQUECIDOS” dias antes, ‘tomaram de salto’ , sem lhes terem até outras localidades do país NA CIDADE causado “qualquer mazela”, e as pessoas reonde esta forma de estar face “Gostamos de ocupar espaços gressam a suas casas, levando “a recordação à cultura seja bem acolhida. como se fossem nossos” daquele momento, em que viram o espaço Oferecendo “a tal alternativa de forma diferente”. a quem quiser usufruir dela”, Brígida Ramos também partilhou, com o Nomes como o salão nobre da Câmara Munio movimento está recetivo a Correio de Azeméis, o “lado romântico” da cipal ou o palacete onde, outrora, funcionou o “colaborar com outros núcleMATRIZ. O objetivo é “dar vida” a locais infantário da Santa Casa da Misericórdia, que os, associações ou entidades “abandonados, esquecidos, de preferência, é propriedade da Segurança Social, constam culturais de outras cidades”, que tenham alguma ligação à história, trada lista de lugares com história de Oliveira de mantendo sempre, claro está, a dição e essência oliveirense”, disse a jovem Azeméis que este movimento oliveirense quer sua “essência oliveirense”. natural de Oliveira de Azeméis, acrescentan- “ocupar” temporariamente. A MATRIZ não é de nindo: “Gostamos de ocupar espaços como se Aliás, o edifício da antiga Mercantil, na Rua guém e, ao mesmo tempo, é fossem nossos, de transformá-los” e, desta Bento Carqueja, é outro que tal. Brígida de todos, apresentando-se coforma, “cuidar deles por momentos”. Ramos ainda não perdeu a esperança de, um mo uma ‘fonte de cultura’, à No fim, “tudo volta ao que era, como se dia, desenvolver neste local, que lhe é partidisposição dos oliveirenses tivéssemos acabado de acordar de um cularmente caro, uma ação da do género que e de forasteiros: “Da mesma sonho”. Brígida Ramos, Francisco Soares e teve lugar na estalagem S. Miguel, no parque maneira que os oliveirenses Rui Martins devolvem os sítios que, horas ou de La Salette. saem de Oliveira de Azeméis para irem a concelhos vizinhos alimentar-se de cultura, como foram na ação inaugural parque de La Salette, mais de Nascido da ambição dos os de fora também virão para do passado dia 24 de maio, que 200 pessoas (ver também pági- seus mentores de dinamizar e cá se houver programas de levou à estalagem S. Miguel, no na seguinte). colaborar no desenvolvimento qualidade”.

> ASSIM NASCE A MATRIZ… SE RENOVAM MEMÓRIAS NUM MOVIMENTO PERPÉTUO

“Uma cidade que se quer de todos e para todos” Alfredo Pinho

Caraterizada por aquilo que move os seus três elementos fundadores, a MATRIZ apresenta-se como um projeto informal, livre e de caráter amplo, que se pretende capaz de proporcionar interesses, gostos e sensações que cheguem através da programação e apresentação de momentos culturais, artísticos e cívicos. Um dos momentos da noite em que a MATRIZ ‘tomou de Assente na premissa de que assalto’ a estalagem S. Miguel é possível apresentar uma programação atenta às novas propostas de diferentes vertentes culturais, este movimento seja manter, ao longo do seu ativa enquanto estrutura culoliveirense recém-criado de- crescimento, uma posição tural na cidade de Oliveira de

Azeméis. Cada ação será pensada ao mais ínfimo pormenor, através das vivências de cada um dos seus membros, das referências construídas nas ruas que ainda se mantêm e no uso quase invasivo de espaços que precisam de nós para respirarem novamente. Brígida Ramos garantiu-nos que “vamos ocupar a cidade!”. A MATRIZ terá a sua força na pró-atividade e na criatividade, nos artistas, nos programadores, na cidade, nos seus habitantes, nos vizinhos,

em todos aqueles que possam usufruir das ações criadas, “tirando prazer, crescendo connosco, dando-nos vida”. A MATRIZ faz parte de “uma cidade que se quer de todos e para todos”. Aliás, “uma cidade de encontros e interesses livres, de apresentação de diferentes géneros artísticos, será uma conquista de uma identidade plural”. Assim nasce a MATRIZ, se pensa Oliveira de Azeméis… se renovam memórias num movimento perpétuo.


REPORTAGEM

Terça-feira, 03 de junho de 2014

17

> PRIMEIRA AÇÃO DA MATRIZ “EXCEDEU TODAS AS EXPETATIVAS”

Movimento dá a conhecer ‘ilustres oliveirenses desconhecidos’ Para Brígida Ramos, a primeira ação da MATRIZ não podia ter corrido melhor, tendo superado “todas as expetativas”. A convite do recém-formado movimento, vários ‘ilustres oliveirenses desconhecidos’, com “grande potencial artístico”, deram-se a conhecer, atraindo até à estalagem S. Miguel mais de 200 pessoas, muitas das quais vindas de fora do concelho. GISÉLIA NUNES

A primeira ação da MATRIZ encheu a estalagem S. Miguel, tendo superado “todas as expetativas”

Foi, precisamente, André Gomes – um dos artistas convidados para esta primeira ação que encheu de vida a estalagem S. Miguel – que fez Brígida Ramos, juntamente com Francisco Soares e Rui Martins, avançar para a concretização do projeto

MATRIZ. Há uns meses, este jovem natural de Oliveira de Azeméis “convidou-me para fazer o lançamento do seu livro [‘Megafone Estragado’] (…). Ora, eu, como não me identifico muito com apresentações formais, fui para

casa pensar e desconstruí, completamente, a ideia inicial”, contou-nos a mentora da MATRIZ, que acabou por “pegar” neste ‘ilustre escritor desconhecido’ e juntá-lo a outros oliveirenses também com “grande potencial artístico” e que, de igual modo, “estão um pouco na penumbra” para ‘dar corpo’ ao evento, que assinalou o arranque do movimento e que contou com o apoio da Câmara Municipal e de particulares. Na estreia da MATRIZ, no mês passado, Brígida Ramos e os seus dois colegas deram a conhecer, além da obra de André Gomes, o álbum ‘Linhas’, da banda ‘O Corvo Mudo’ (ver breve na página 12); a exposição ‘O nevoeiro traz uma estranha beleza a um lugar isolado’, de Tiago Oliveira; a instalação ‘No TV Day’, de Mariana Martins; e,

por último, o vídeo ‘Reflexos’, de Diogo Landô, Ricardo Praça e Hélder Arêde. Superando “todas as expetativas”, tratou-se de um serão em que a cultura local foi a ‘rainha da noite’ e que levou até à estalagem S. Miguel, no parque de La Salette, mais de 200 pessoas, muitas das quais vindas de fora do concelho, nomeadamente de Vale de Cambra e de S. João da Madeira. Seguir-se-ão, com toda a certeza, novas iniciativas da MATRIZ, mas até lá “vai ser preciso muita ponderação” e, uma vez mais, “um grande trabalho de casa”. Brígida Ramos, Francisco Soares e Rui Martins não querem “fazer as coisas por fazer”, sendo que o objetivo, daqui para a frente, “é manter ou, até mesmo, elevar a fasquia atingida” no passado dia 24 de maio. PUB


18

Terça-feira, 03 de junho de 2014

REGIONAL

UF PB/P. BEMPOSTA> COMEMORAÇÕES DOS 500 ANOS DA ATRIBUIÇÃO DO DOCUMENTO A FIGUEIREDO E BEMPOSTA

Alunos do 1.º ciclo ‘à descoberta do Foral’ No âmbito das comemorações dos 500 anos do Foral de Figueiredo e Bemposta, os alunos do 1.º ciclo das escolas desta UF estão a aprender a ler o documento atribuído a 15 de agosto de 1514 pelo Rei D. Manuel I. Uma de entre muitas atividades que constam do programa comemorativo, que se estende até dezembro. UF PB/P. BEMPOSTA> NAS IMEDIAÇÕES DA IGREJA MATRIZ

‘Baile de Santos Populares’ na noite de 13 de junho Além do peditório portaa-porta que, segundo o presidente Fernando Nunes Ferreira, “até está a correr bem”, e da venda, aos domingos, da ‘regueifa de S. Paio’ e de outras iguarias, a comissão de festas tem promovido outras iniciativas de angariação de fundos para os grandiosos festejos em honra de S. Paio que vão decorrer em Pinheiro da Bemposta, entre 26 e 28 de julho. Caso deste ‘Baile de Santos Populares’ marcado para 13 de junho, a partir das 18h00, nas imediações da igreja matriz, ao som de um grupo de concertinas e de jovens músicos da Banda de Música local, e que vai contar ainda com uma saborosa ‘sardinha assada na telha’, entre outras ‘tentações gastronómicas’, aos quais vai ser difícil resistir.

As crianças das escolas da UF de Pinheiro, Palmaz e Travanca andam ‘à descoberta do Foral’...

Segundo uma nota informativa da autoria da divisão municipal de Comunicação, enviada à redação do Correio de Azeméis, foi projetada, com recurso às novas tecnologias, a página da chancelaria de D. Manuel I, onde figura cópia do texto do foral e foi daqui que se partiu para a explicação do que é uma carta de foral e de como os copistas recorriam a abreviaturas para poderem facilitar o seu trabalho. Para as crianças, o primeiro contato com a escrita em letra miúda e com pouco espaço entre as linhas faz parecer difícil decifrar o que está escrito no documento. Ora, esta ação de sensibili-

zação que anda a percorrer as escolas das três freguesias que compõem a agora a União das Freguesias (UF) de Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz pretende fomentar a história local e aproximar a comunidade do Arquivo Municipal. No caso da EB1 do Outeiro, em Travanca, esteve presente Armindo Nunes, presidente da UF, para quem “a escola deve ser vivida com atenção e interesse, uma vez que ela nos prepara para a vida”. A sessão, denominada ‘À descoberta do Foral’, culminou com uma atividade de escrita criativa, no âmbito da qual não faltaram as penas gráficas e a tinta-da-china.

UF PB/P. BEMPOSTA> ESCOLA DE AREOSA

Aluna arrecada 1.º lugar no ‘Canguru matemático’ Marta Afonso Magalhães, aluna do 2.º ano da Escola Básica n.º 1 de Areosa, no Pinheiro da Bemposta, conquistou o 1.º lugar no concurso nacional mini-escolar – ‘Canguru Matemático’. De registar que, neste mesmo certame, uma outra menina deste estabelecimento de ensino, também do 2.º ano, a Amy Hosie, obteve uma ótima performance, ao alcançar a 5.ª posição. Os restantes alunos, de acordo com os responsáveis escolares, também ficaram muito bem classificados. O Concurso ‘Canguru matemático’ contribui para a popularização e promoção da matemática nos jovens, e é promovido pela ‘Canguru sem fronteiras’, uma associação de caráter internacional, que reúne personalidades do mundo da matemática de 47 países. O seu objetivo é promover a divulgação desta disciplina elementar por todos os meios ao seu alcance e, em particular, pela organização anual do concurso ‘Canguru matemático sem fronteiras’, que tem lugar no mesmo dia em todos os países participantes. Pretende-se, deste modo, estimular e motivar o maior número possível de alunos para a matemática e é um complemento a outras atividades, tais como as

alunos do 3.º ano, “o espaço quinhentista estava muito divertido onde as nossas professoras, auxiliares e alguns dos nossos pais, vestidos a rigor, venderam doces, salgados, sabonetes, carteiras em pele e o significado dos nomes próprios. Foi uma granEscola no ‘Mercado de festa, sempre animada! à moda antiga’ Andámos num carrossel de Como oportunamente di- madeira que parecia muito vulgámos, a edição deste ano antigo. Tinha umas ovelhas do ‘Mercado à moda antiga’ em brancas e pretas e era puxaOliveira de contou com um es- do por uma manivela! Tampaço dedicado à comemoração bém tinha vários jogos como dos 500 anos da atribuição do as andas para três pessoas, Foral de Figueiredo e Bempos- mesas de ar em madeira, um ta, tendo o estabelcimento de jogo da garrafa, um jogo do ensino da Areosa participado sapo e cavalos! no evento (foto). Houve danças quinhentisDe acordo com o relato dos tas e espetáculos de fogo! A Olimpíadas. Em Portugal a organização deste concurso está a cargo do departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra com o apoio da Sociedade Portuguesa de Matemática.

música celta estava sempre a ser tocada e todos dançámos! Fomos visitados pelo senhor presidente da CâmaraMunicipal e outras pessoas importantes. Também fomos filmados pela RTP1. Cada um de nós teve a sua preferência nesta festa, mas do que mais gostámos foi que a nossa escola tivesse participado!” Festa de encerramento ano letivo A festa de encerramento das atividades letivas da EB1 de Areosa está prevista para as 20h30 do próximo dia 13 de junho, no salão da sede da União de Freguesias do Pinheiro da Bemposta, Palmaz e Travanca.


REGIONAL

Terça-feira, 03 de junho de 2014

19

UF PB/P. BEMPOSTA> APRESENTAÇÃO DE EBOOK RELATIVO AO DOCUMENTO MANUELINO

Foral ‘em linguagem descomplicada e atual’ Neste último sábado, 31 de maio, o salão polivalente da sede da Junta da União das Freguesias de Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz acolheu mais uma iniciativa cultural, desta vez, promovida em parceria, cujo tema de união conjugou ‘(Re)Ler direitos e deveres inscritos no Foral de Figueiredo e Bemposta em linguagem descomplicada e atual’ por Tavares Ribeiro. TAVARES RIBEIRO

Pinheiro da Bemposta distingue-se mais e mais como pólo dinamizador cultural. Tem essa ‘nobreza’ nos Pergaminhos de História e Memória! E mantém-se inscrita no ADN de nobreza no caráter que se consolida! Faz parte de um padrão comportamental dos pinheirenses que é felizmente atual, pois os seus habitantes assumem-se, cada vez mais, como elementos nobilitantes da vila, trabalhando para isso, engrandecendo o melhor da sua identidade colectiva. As pessoas são dinâmicas e, igualmente, a autarquia local, as instituições de ensino e sociais, as associações e coletividades. E as populações vizinhas beneficiam com esta boa influência em que o Pinheiro da Bemposta se renova como pólo dinamizador! No âmbito deste serão cultural organizado, em parceria, pela União das Freguesias (UF) de Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz, Banda de Música do Pinheiro da Bemposta (BMPB), Desafio D’Arte, ATEC da Associação Recreativa e Cultural do Curval (ARCC), Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis (USOA) e Caima Press – Edições, o autor - com apresentação em e-book sobre o documento manuelino que ‘deu existência’ a um dos mais im-

Mesa que presidiu ao evento integrado nas comemorações dos 500 anos do Foral de Figueiredo e Bemposta

portantes concelhos medievais da Estremadura -, começou por referir a antiga importância do julgado de Figueiredo que culminou na atribuição do Foral de Figueiredo e Bemposta. Mas também observou direitos, deveres, isenções, equivalências de pesos e medidas já em desuso, profissões e curiosidades inscritas na Carta de Foral que D. Manuel I – monarca que se preocupou com a reorganização do Reino – concedeu, a 15 de Agosto de 1514, às povoações de Figueiredo e Bemposta, elevando-as a importante concelho medieval, cujo termo e influência se estendeu por um vasto território até à perda da municipalidade ditada pela Reforma de Mouzinho da Silveira, em 24 de outubro de 1855. As terras que dele faziam parte foram integradas em diversos concelhos (cinco freguesias passaram para o concelho de Oliveira de Azeméis – Pinheiro da Bemposta, Travanca, Palmaz, Loureiro e Ul; quatro freguesias para o de Estarreja – Canelas, Fermelã, Salreu e Santiais; duas para o de Albergaria-a-Velha – Branca e Ribeira de Fráguas; e uma para Águeda – Assequins). Ligado à concessão de foral, seria erigido, mais tarde, em praça pública, na Bemposta, o Pelourinho – estrutura construída em meados do século XVI, constituída por plataforma, base, coluna e remate – e a Casa da Câmara (“jóia arquitectónica que testemunha o esplendor local nos doura-

Ampla adesão de públco à iniciativa

dos anos de setecentos, época construtiva do Domus Municipalis”) que são parte do património e elementos culturais desta terra que deverão ser lidos numa estreita ligação com a importância do seu rico passado.

Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, também presente nesta sessão, reconheceu o interesse e trabalho que caraterizam o autor, procurando dar a conhecer, ao público em geral, as origens e alguns acontecimentos da história das localidades como, neste caso, a atribuição do importante documento manuelino. Aproveitando a oportunidade, a autarca recordou que, até dezembro, vai decorrer um ciclo de ações articuladas entre edilidade, UF, instituições de ensino, associações e coletividades que estruturam a parte cultural das comemorações dos 500 anos do Foral de Figueiredo e Bemposta - um programa que “vale a pena seguir pela efetiva qualidade artística”.

Trabalho de Tavares Ribeiro enaltecido Na ocasião, Armindo Nunes, presidente de Junta da UF anfitriã, agradeceu a presença de todos, em especial a das associações e coletividades participantes no evento. Continuou a intervenção, referindo o interesse, carinho e apoio que a autarquia dá a estas manifestações de cultura e elogiando Tavares Ribeiro pelo “entusiasmo com que se dedica à investigação histórica e, em particular, pelo empenho demonstrado nesta Não faltou animação atividade por si promovida”. O segundo momento da Gracinda Leal, vereadora da sessão, tão importante como

o primeiro – se não mais! –, enobreceu-se com a presença de convívio e espetáculo, onde o aprender também se deseja ligado ao prazer. E assumindo a abertura, a Desafio D’ Arte proporcionou a visão de uma invulgar dança medieval, onde a fusão dos sons de um tempo sem tempo e beleza dos movimentos corporais, esbateram fronteiras físicas entre passado/presente, convidando mental regresso a muitos séculos atrás! Ineludivelmente, experiências destas enriquecem e nos deleitam ao percecionar caminhos de arte com futuro ‘original’. Que belo desafio! E dia de festa pode ser, mas será muito menos se estiver ausente do programa a participação da consagrada BMPB, que, neste caso, esteve bem representada com um quarteto de metais e, a enriquecer o encerramento, com a turma dos adultos. Foi fantástico observar quanto o toque de arrebatamento, alvoroço, entusiasmo, outrora tão comum, renovouse, temporalmente, neste espaço de atuação quer do primeiro, quer do segundo grupo de elementos da filarmónica, dignificando, sem dúvida, a imagem de marca desta mais que secular, mas sempre jovem agremiação musical! Por seu lado, a ATEC da ARCC apresentou-se com um elenco de luxo em que a teatralidade da representação entrou em cena, chamou ao palco a originalidade que deixa sensíveis marcas, memoráveis e, por isso, a participação foi tão festejada de aplausos! Os grupos da USOA (‘Património Material e Imaterial’ e o Grupo de Cavaquinhos) estiveram ao nível do que já lhes é habitual e reconhecemos no mérito de assumirem papel de âncora que valoriza a ‘nossa’ música tradicional e nela encontra sons e ritmos certos de manter o ‘encanto’ nos vários públicos, vivendo cada momento de cultura com energia, animação, envolvimento! Com a união de todos viveu-se um noite linda, tanto que, ao findar as atuações, as pessoas permaneceram largos momentos na sala, como que querendo mais e mais. Até uma próxima!


03 de junho de 2014

desporto

UD OLIVEIRENSE> SEM LISTAS EM CIMA DA MESA

Assembleia-geral eleitoral adiada para esta quarta-feira A assembleia-geral eletiva que esteve marcada para a passada quarta- feira foi adiada para a desta semana. Aconteceu que à mesa do órgão deliberativo não chegaram quaisquer listas para colocar em sufrágio. A União Desportiva Oliveirense revive, assim, o impasse diretivo em que também caiu no final da época passada com José Godinho, que, desde 2009, vem assegurando a presidência, a confirmar que a sua eventual recandidatura depende da garantia de que existirá um conjunto de “condições” para que a Oliveirense possa enfrentar da melhor forma a próxima época. Na quarta-feira, o próprio dirigente confirmou que manteve já reuniões com o presidente da edilidade, Hermínio Loureiro, mas não revelou o que foi tratado ou tão pouco se algo foi decidido. No entanto, deu a entender que os contatos com o autarca e com as forças vivas da cidade

hóquei ou ao basquete para custear despesas e dívidas do futebol. António Valente, por exemplo, contestou que houvesse registos de impostos por pagar por parte do hóquei numa altura em que havia por receber, por parte da Câmara, um montante de 69 mil euros para o hóquei em patins. “Há alturas em que uma pessoa se cansa”, desabafou mais tarde Godinho, sublinhando que, recentemente, chegou a pagar do próprio bolso impostos do Hóquei

em Patins e que ainda no ano passado perdoou mais de 350 mil euros ao clube, que ele próprio havia abonado. Mas olhando para trás, Godinho revelou satisfação por, em cinco anos, ter reduzido a dívida de Oliveirense de 3 milhões para 500 mil euros. E dirigindo-se àqueles responsáveis, Godinho desafiou-os a avançarem para a presidência: “Está na altura de algumas mentes brilhantes assumirem a direção do clube, pois acham que fazem melhor”. Pelo meio, o associado Horácio Bastos interveio para propor uma alteração aos estatutos para que o clube falasse a uma só voz – por exemplo, para que qualquer investimento ou contratação por parte das modalidades fosse avalizada pelo presidente do clube. Mais tarde, Jorge Casimiro advertiu também para a necessidade de se pensar em avançar com propostas para emlhorar as relações institucionais entre os respnsáveis. “Pode haver uma ou outra forma melhor de se gerir este clube, com mais autonomia para os responsáveis das modalidades ou, então, assumindo uma presidência que centre a gestão de todas as modalidades”.

ca dos sete metros e não perdoou o 1-2. Mas Hugo repôs a igualdade aos 17 minutos e João Candeias, a três minutos do fim, cobrou sem veleidades o livre da 10.ª falta forasteira e fixou o resultado final em 2-3, confirmando que os azuis e vermelhos vinham realizando uma época abaixo das expetativas. O Campeonato Nacional ficou, assim, cumprido, tendo

o Valongo conseguido o título ao vencer o FC Porto. O pódio ficou repartido entre aqueles emblemas e o Benfica, todos com 74 pontos, mas, no confronto direto, o Valongo ficou em primeiro, o Benfica em segundo e o Porto em terceiro. O quarto lugar, já se sabe, foi para o Juventude de Viana (65 pontos). A Oliveirense totalizou 61.

José Godinho (à esq.ª) ainda não confirmou a recandidatura

irão continuar, até Godinho chegar a uma conclusão sobre a sua recandidatura. Durante a sessão, Jorge Casimiro, presidente da assembleia-geral, pediu aos atuais órgãos sociais que se mantivessem em funções por mais uma semana, “para ver se surgem listas ou alguma solução para este impasse”. “Somos união, não desunião”, lembrou o responsável, numa altura em que também tentou apaziguar os ânimos na reunião – à qual acorreram apenas cerca de meia centena de associados.

É que mesmo antes da sessão marcada para as eleições houve uma outra, destinada a discutir e votar as contas do clube. O voto contra de António Valente, responsável máximo da secção de hóquei em patins, e a abstenção de Hélder Albergaria – homólogo do primeiro na secção de basquetebol – revelam a relativa insatisfação daqueles relativamente aos números, motivada, sobretudo, pela distribuição das verbas pelas modalidades e a utilização de verbas atribuídas ao

I DIVISÃO> HÓQUEI EM PATINS

Oliveirense fora da Liga Europa Na última jornada a contar para o Campeonato Nacional da I Divisão, a Oliveirense viu fugir a possibilidade de, pelo menos, garantir a participação, na próxima época, na Liga Europa, restando-lhe a discussão da Taça CERS. É que esse sonho dependia, além de uma vitória frente aos ‘galos’, da derrota do Juventude de Viana, que, entretanto, ven-

ceu o encontro deste sábado e, assim, conseguiu negar o posto à União. O Juventude de Viana, refirase, bateu e atirou para a despromoção o Física de Torres Vedras, orientado por Vítor Fortunato, que já está confirmado como o treinador da Oliveirense 2014/2015. Em Barcelos, e numa primeira parte com apenas um golo,

a Oliveirense ainda conseguiu sair para o descanso em vantagem. Um golo de Tó Silva, ao minuto 14, ia fazendo os unionistas acreditarem num bom desfecho. O problema foi que os anfitriões entraram melhor na segunda parte e, logo aos três minutos, Zé Braga igualou a contenda. Com a 10.ª falta do Barcelos, Gonçalo Alves foi para a mar-


DESPORTO

21

Terça-feira, 03 de junho de 2014

FC CESARENSE FEMININO> COM A ÉPOCA QUASE NO FINAL

>EXPOSIÇÃO

Convívio fortaleceu laços

Futebol: Os magos da bola Para assinalar XX Campeonato do Mundo de Futebol (12 de junho), está patente ao público, no átrio da biblioteca municipal, a exposição do Ciclo de Exposições Documentais Temáticas Leituras sobre… ‘Futebol: Os magos da bola’. O futebol é o tema desta exposição, que pode ser visitada durante do mês de junho e que visa a divulgação do acervo documental da biblioteca sobre esta temática. A mostra, com entrada livre, é destinada ao público em geral.

As atletas e respetivos pais do FC Cesarense partilharam uma tarde de grande convívio. >A 8 DE JUNHO

No passado sábado, a equipa técnica e diretiva do FC Cesarense feminino sub-18 promoveu, mais uma vez, um animado convívio entre as suas atletas e respetivos encarregados de educação.

educação, foi, sem dúvida, o menos importante. O que Esta foi, sem dúvida, uma realmente fica desta iniciatitarde de partilha, convívio, va é, acima de tudo, o controca de experiências e mui- vívio entre todos os interveta diversão, onde pais e filhas nientes, pois vivemos num manifestaram um enorme contexto excessivamente grau de cumplicidade. conturbado e não podemos Do convívio fez parte um deixar de assumir a responjogo entre os pais e atletas, sabilidade de acompanhar e além da já habitual e animada influenciar no processo de série de penáltis. formação dos nossos filhos, O resultado, que sorriu a para que se criem vínculos favor dos encarregados de que podem promover aleROSÁRIO SANTOS

>I DISTRITAL

Cucujães cai de pé AT. CUCUJÃES, 2 SOUTENSE, 0 At. Cucujães: Pedr; Rebelo; Carlitos, João Lamas, Brinca, Canelas (Julinho, 71), Márcio, Tiago Valente (Puskas, 55), Rui Miguel, Jorge e Casalinho. Treinador: Durbalino Lima. Soutense: Huguito; Xurra, Nuno Pinho, Jorginho (Ricardo Bastos, 29’), Mauro Rui Silva, 50’), Zé Tó (Folha, 62), Motinha, Roma, Alexandre, Fernando Jorge. Treinador: Borges. Jogo no Parque de Jogos de Cucujães. Árbitros: Hugo Pinho, auxiliado por Hélder Resende e Marisa Castro. Cartões amarelos: Brinca (30’), Jorge (52’). Marcadores: Brinca (54’) e Puskas (87’).

A jogar em casa frente a um adversário tranquilo o Cucujães procurava vencer para acabar a época de cabeça erguida. A equipa da casa entrou bem no jogo mas foi o Soutense que dispôs da primeira ocasião, com Fernando Jorge a desviar para a bliza mas Pedro a defender. Aos 15 minutos João Lamas, em boa posição, cabeceou à figura de Huguito. Aos 31 minutos, numa boa jogada do Soutense, Motinha atirou perto do poste. Ao intervalo, o resultado aceitavase pelo que se passou nos primeiros 45 minutos. Na segunda

parte o Cucujães chegou à vantagem com Brinca, num cabeceamento certeiro, a bater Huguito. A partir daqui o Soutense foi mais ofensivo, enquanto o Cucujães ia procurando controlar o resultado. Até que, aos 84 minutos, foi assinalado penálti contra os locais. Mas Pedro adivinhou o lado e negou o golo aos forasteiros. Aos 87 Brinca trabalhou na esquerda e Puskas fez o 2-0 final. Fica a vitória do Cucujães, que acaba por ser justa embora a diferença mínima espelhasse mais corretamente o que se passou dentro das quatro linhas.

gria, divertimento, prazer e distração. Assim, estes eventos, com atividade física à mistura, podem ser um recurso bastante adequado para alcançar este propósito. Toda a equipa convida os simpatizantes para o último jogo da época 2013/2014 que se realizará hoje, terça feira, no Estádio do Mergulhão, campo sintético n.º 2, pelas 20h00, frente ao Vagos.

Caminhar por Azeméis em Palmaz A Câmara Municipal promove no dia 08 de junho, pelas 09h00, o programa ‘Caminhar por Azeméis’ na freguesia de Palmaz no âmbito do Centro Municipal de Marcha e Corrida de Oliveira de Azeméis. A iniciativa, realizada em parceria com a união de freguesias de Pinheiro da Bemposta, Palmaz e Travanca, tem como objetivo promover e incentivar a prática desportiva junto da população jovem, adulta e sénior, assim como, proporcionar momentos de convívio e de lazer. A concentração dos participantes tem lugar na sede da junta de freguesia de Palmaz às 08h45. Para participar na iniciativa é necessário a realização da inscrição na secretaria da piscina municipal, na secretaria da junta de freguesia ou através do endereço eletrónico gabinete.desporto@cm-oaz.pt até ao dia 5 de junho. >SC BUSTELO

Sorteio adiado O Sporting Club de Bustelo está a informar todos os sócios, simpatizantes e amigos que adquiriram bilhetes para o Grande Sorteio do St.º António/14, que em vez de ir ser sorteado pela lotaria do St.º António sê-lo-á pelos números da lotaria nacional de S. Pedro, a 30 de junho.


22

Terça-feira, 03 de junho de 2014

DESPORTO

CD II DIVISÃO> JUNIORES DO CESARENSE AFASTADOS COM INJUSTIÇA

Lance polémico custou a subida ao Cesarense FC CESARENSE, 2 SOUTELO, 2 FC Cesarense: Jacinto, Flávio (Semedo, 60’), Filipe, João Paulo, Batista, João Marques (Simão, 81’), Suarez (Elsio, 60’), Juan, Paulo Coelho, Rui Costa, Ricardo. Treinador: Luis Miguel. Soutelo: Carlos Nunes, Simão Correia, Andre Filipe ©, Andre Soeiro (Carlos Azevedo, 75’), Carlos Manuel, Bruno Miguel (Gonçalo, 65’), Renato (Miguel, 70’), Filipe Miguel, André Carvalho, Diogo, Daniel. Treinador: Eduardo Silva. Jogo no Campo Sintético do Mergulhão, Cesar Marcadores: Batista (13’), Ricardo (38’ AG), Elsio (72’), Daniel (90+3’) Cartões Amarelos: Filipe (76’, 90+2’), Juan (80’), Daniel (81’), Batista (90+3’), Carlos Nunes (90+3’), Simão Correia (36’) Cartão Vermelho: Filipe (90+2’, a.a.)

Para o último e mais importante jogo da época, com a bancada do sintético apinhada de gente, os juniores do Cesarense necessitavam de vencer o seu adversário (que já tinha garantido a subida), por forma a garantirem a subida de divisão. R. CASTRO

O FC Cesarense entrou na partida a jogar sobre brasas com o seu adversário a não facilitar e a criar perigo sempre que podia. Depois de algumas tentativas sem sucesso, eis que, aos 13’, o Cesarense inaugurou o marcador, através de Batista, dando o melhor seguimento a um cruzamento com um exce-

Apesar do bom desempenho do Cesarense, os forasteiros conseguiram o empate.

lente golpe de cabeça, fazendo anichar a bola no fundo da baliza adversária. As coisas começaram a correr bem, mas, desde cedo, se percebeu que a equipa estava muito nervosa e isso era evidente na falta de eficácia, ora no último passe ora na finalização. A equipa corria e esforçava-se por fazer tudo bem. Aos 38’, uma infelicidade do central Ricardo, quando tentava desviar de cabeça uma bola alta e na sequência de um livre, introduziu a mesma na sua baliza para desespero de toda a equipa e adeptos. No intervalo, a partida estava empatada a um golo. Para a segunda parte, a equipa adversária entrou mais agressiva, obrigando a turma do Cesarense a estar mais atenta e cautelosa. A ansiedade e o nervosismo não ajudavam, porém era imperioso que a equipa marcasse o mais rápido possível por forma a colocarse na frente do marcador. Luís Miguel arriscou tudo para os últimos 30 minutos,

fazendo entrar dois atletas de caraterísticas atacantes: Semedo e Elsio vieram mexer completamente com o jogo. A equipa passou a atacar mais e melhor. Mal entrou, Elsio, na sequência de um canto, quase fez golo. Na jogada seguinte, cruzamento de Batista e Elsio, muito infeliz, enviou a bola à trave. Logo de seguida, João Marques, sem qualquer marcação, recebeu a bola já dentro da área e rematou para golo, no entanto o guarda-redes adversário defendeu para a frente, surgindo Elsio que não conseguiu empurrar para a baliza. Era o melhor período do Cesarense em toda a partida. Aos 70’, finalmente o golo. Cruzamento para a área e Élsio a surgir, muito oportuno, e a marcar um bom golo que seria efusivamente festejado. Mas seria necessário marcar novamente para que a equipa descomprimisse um pouco. À passagem dos 75’, contra-ataque rápido do Cesarense e, já na área, Batista rematou ao

FUTEBOL FEMININO> ESTE SÁBADO REEDITASE A FINAL DA ÉPOCA PASSADA

Cesarense discute Taça de Aveiro com o Albergaria As Finais das Taças Distrito de Aveiro Seniores Masculinos e Femininos realizar-seão no próximo dia 07 de junho de 2014, sábado, no Parque de Desportivo de Avanca. Em disputa pela Taça Dis-

trito de Aveiro Feminina, pelas 15h00, encontram-se as equipas do Clube Albergaria e do FC Cesarense, que reeditarão a final da época passada. Já em masculinos, pelas

17h30, a Taça Prof. José Valente Pinho Leão terá uma final inédita com as equipas do SC Esmoriz e do RD Águeda a chegarem pela primeira vez à Final da Taça Distrito de Aveiro.

lado. Aos 85’ Semedo, depois de se livrar de três adversários, entrou na área adversária com a bola controlada, mas não teve o discernimento necessário para rematar eficazmente. A partida entrou no período de descontos (4 minutos dados pelo árbitro) e, já quando nada o fazia prever, o Soutense chegou ao golo do empate, aos 90+2’, numa jogada muito polémica e precedida de falta clara. Um atleta adversário desviou a bola para a frente com as

duas mãos e, em consequência da jogada, a bola saiu para canto. Na cobrança, a redonda foi muito bem colocada na área. A defensiva local não conseguiu tirar a bola da pequena área. Grande confusão de pernas. A bola sobrou para Daniel que, numa mistura de sorte e eficácia conseguiu colocá-la dentro da baliza do Cesarense. Um balde de água fria para os locais e muitos protestos, uma vez que a jogada, que deu canto, foi nitidamente precedida de falta. A atitude do Soutelo também não foi muito bem entendida, pois deu a ideia que veio fazer o jogo da sua vida a Cesar quando não tinha nada a ganhar nem a perder. Com este empate e com a vitória do Avanca e do Sanguedo, o Cesarense vê-se afastado da tão desejada subida de divisão. Uma desilusão para toda a equipa e para todos aqueles que trabalharam, arduamente, para que esta fosse uma época de sucesso. Mas o futebol é assim mesmo. Fértil em injustiças e situações menos compreensíveis que, infelizmente, acabam por penalizar projetos arrojados e épocas de excelente nível.


DESPORTO

23

Terça-feira, 03 de junho de 2014

>FORMAÇÃO

Atletismo da Villa Cesari/ Opinlux em alta Nos passados dias 18 e 19 de maio, a equipa de atletismo da Villa Cesari/Opinlux obteve excelentes resultados no Campeonato Distrital de Benjamins. CARLOS COSTA GOMES

Uma das grandes apostas da Associação Villa Cesari, desde a fundação da equipa de atletismo Villa Cesari/Opinlux, foi nos escalões de formação. Os resultados nesta área, hoje como ontem, acontecem naturalmente, porque o trabalho a este nível, como já diversas vezes ficou demonstrado, tem sido notável. Por isso não é de admirar a excelente classificação alcançada coletivamente pela equipa de atletismo cesarense, quer nos escalões femininos, quer nos escalões masculinos, atingindo, respetivamente os 2.º e 3.º lugares da classificação geral do Campeonato Distrital de Aveiro.

Os meninos de Cesar brilharam no pódio...

da ficou no 3º lugar. No salto em comprimento, feminino, Mariana Oliveira conseguiu o 5.º, Inês Lopes o 9.º e Maria Correia o 10.º lugar. Na prova de 150 metros série 2, feminino, Ana Filipa conseguiu o primeiro lugar. Nos 100 metros planos masculinos João Reis ficou em 5.º e Roberto Moreira em 6.º lugar. No lançamento do peso 2 kg, Ana Almeida alcançou o 4.º lugar. No salto em comprimento masculino, Tiago Rodrigues chegou Classificações ao 4.º lugar e nos 300 metros plaIndividualmente, nos 50m nos, João Reis ficou no 3.º lugar. barreiras, feminino, Luna MiranNa prova dos 600 metros fe-

mininos série B1, Ana Almeida conquistou o 3.º lugar e, na série B2, Margarida Oliveira o 1.º e Inês Lopes o 4.º. Na prova de 600 metros masculinos, série B, João Reis foi 5.º e Tiago Rodrigues 9.º. No lançamento do anel feminino, Beatriz Moreira assumiu a 4.ª posição e Inês Moreira a 6.ª. Na prova de 500 metros femininos, Luna Miranda foi 3.ª, enquanto na de masculinos, António Oliveira foi 3.º e João Rodrigues 7.º. Na prova de 1000 metros femininos, Ana Filipa Correia foi

E as meninas não lhes ficaram atrás.

2.ª, nos 60 metros planos, série B1, Maria Correia foi 4.ª e, na série B2, Beatriz Moreira chegou também à 4.ª posição. No arremesso de bola 200gr, Beatriz Moreira foi 2.ª e Ana Almeida foi 3.ª. Na prova de 50 metros femininos, Juliana Ladeira atingiu o 5.º lugar. Na prova de 50 metros masculinos, sérieB2, André Ribeiro foi 2.º. Já no salto em comprimento masculino, António Oliveira classificou-se em 6.º lugar e, na prova de 150 metros femininos, série B2, Inês Moreira

foi 3.ª; na série B3 Margarida Oliveira foi 4.ª e Inês Lopes 5.ª. No triplo salto masculino, Jorge Reis foi 3.º. Na prova de 150 metros masculinos, Tiago Rodrigues foi 5.º. Nos 120 metros femininos, Juliana Ladeira atingiu a 6.ª posição. Nos 120 metros masculinos, André Ribeiro foi 2.º e João Rodrigues 6.º. Nos 800 metros femininos, Susana Ferreira chegou ao 7.º. No que diz respeito aos 800 metros masculinos, João Almeida foi 6.º, Roberto Moreira 8.º e João Reis 9.º.

AZEMÉIS ACTIVO 2014> INICIATIVA SEGUE COM TORNEIO DE DAMAS

Final Municipal do Concurso de Dança

No salão da sede da União de Freguesias do Pinheiro da Bemposta, Palmaz e Travanca (UFPBPT) decorreu a final municipal do Concurso de Dança do Azeméis Activo 2014, com a presença de 27 pares oriundos de diversas freguesias do Município de Oliveira de Azeméis. Os finalistas, que foram apurados nas eliminatórias – previamente realizadas ao longo do mês –, foram avaliados por um júri constituído por Armindo Nunes, presidente da UFPBPT; Antonieta Sobral, da Comissão de Melhoramentos Locais de Palmaz; Vanessa Ferreira, monitora de dança; e Ângela Azevedo, diretora do Centro Lúdico de Oliveira de Azeméis. Em virtude da qualidade dos pares, o painel de elementos que os avaliou teve imensa dificuldade em escolher os melhores, mas, no final, os vencedores foram as duplas Mário Lopes/

Terminado o Concurso de Dança, segue-se o Torneio de Damas

Fátima Reis (1.º lugar, Palmaz); Olívia Santos /José Castro (2.º, S. Roque); e Agostinho Tavares / Mª Conceição Costa (3.º, Nogueira do Cravo) Os organizadores do concurso aproveitam este apontamente de reportagem do Correio de Azeméis para expressarem um agradecimento especial à União de Freguesias de Pinheiro da Bemposta, Palmaz e Travanca, pela oferta do lanche a todos

os participantes e pela cedência das instalações, bem como a todos os membros do júri, que contribuíram para uma tarde de convívio e diversão entre todos os participantes. O programa Azeméis Activo continua com o Torneio de Damas - fase de apuramento, em todas as freguesias, a decorrer desde o dia 26 de maio. Ontem, dia 2, a competição passou pelo Centro Social D.ª Leonilde Ma-

tos, Fajões. A 06 de junho será a vez da Junta de Freguesia de Loureiro acolher mais uma eliminatória. E a 09, o evento estará na Associação de Reformados e Pensionistas de Macieira de Sarnes, enquanto no dia 11 de junho o palco do Torneio de Damas é o Pavilhão GCR de Ossela. Entretanto, a fase final Municipal do torneio de damas decorre no dia 04 de julho, no Pólo

Multigeracional de Palmaz. Para participar nas ações, destinadas à população em situação de reforma, é fundamental a realização de uma inscrição realizada na respetiva junta de freguesia, pelo representante do Conselho Municipal do Idoso e pelo programa Viver Melhor. As inscrições são válidas até às 14h00 dos dias do torneio. Recorde-se que o programa Azeméis Activo, que este ano encerra em novembro, tem como objetivo a promoção de momentos de convívio e troca de interesse e habilidades através da valorização dos saberes tradicionais. Além dos torneios de sueca, damas, dominó e do concurso de dança, o programa engloba um campeonato de xadrez e um encontro municipal de jogos tradicionais. Um rol de atividades desenvolvidas para proporcionar um envelhecimento mais ativo.


24

DESPORTO

Terça-feira, 03 de junho de 2014

> FANZONE

AUTOMOBILISMO> MAIS UMA CONQUISTA IMPORTANTE DO PILOTO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Mini Street Basquete no coração da cidade

Rebelo Martins no pódio de Lousada

Estão a decorrer as inscrições para o Mini Street Basquete, uma iniciativa promovida pela Câmara de Oliveira de Azeméis, no âmbito da Fanzone. A ação decorrerá na Praça da Cidade a 21 de junho. As inscrições são limitadas a 12 equipas por escalão e devem ser feitas até dia 17 na loja Ponto JA. As equipas devem ser compostas por 3 ou 4 elementos. O jogo tem lugar em meio campo, sendo o seu início realizado com bola ao ar na linha de lance livre. Entre as regras do jogo, contam-se as seguintes: A equipa que defende, se sofre um cesto, repõe a bola pela linha final só podendo atacar depois de passar o prolongamento da linha de lance livre. Quando ganha o ressalto ou intercepta a bola dentro do prolongamento da linha de lance livre tem de fazer sair a bola dessa zona antes de poder atacar o cesto. O tempo de jogo será de 8 minutos em tempo corrido. Cada cesto convertido vale 2 pontos. No escalão B apenas é permitido roubar a bola no drible. O resultado final do jogo é dado pelo número de pontos que cada equipa marcou, menos o número de faltas que fizeram. A partir do momento que uma equipa atinge a 5ª falta, a equipa adversária beneficia de lances livres. Qualquer comportamento anti-desportivo levará à desqualificação da equipa que o praticou. Qualquer situação não contemplada neste regulamento, será resolvida pela organização do Torneio. Cada participante terá direito a um seguro de acidentes pessoais.

João Rebelo Martins, piloto oliveirense da Roadgalaxy, subiu ao pódio no Campeonato Nacional de Ralicross, em Lousada, a bordo de um Peugeot 306 na Categoria S2000. Rebelo Martins começou bem o fim de semana nortenho, alcançando o melhor tempo na primeira sessão de treinos cronometrados, quedando-se pelo terceiro tempo na segunda sessão, porque “a pista, na segunda sessão e após a rega, estava muito encharcada e, ao contrário dos meus adversários, não coloquei pneus novos”. Com isto, o piloto arrancou de segundo para as mangas de qualificação.

Foto Eatfotocenter/ Edgar Alves

João Rebelo Martins saiu de Lousada com um terceiro lugar no palmarés

Nas mangas de qualificação houve uma aprendizagem constante à pista e a velocidade imprimida no 306 era notória. Dois segundos e um terceiro lugar levaram Rebelo Martins a arrancar para a final na segunda posição, pelo corredor central. Na final, após um arranque

soberbo e uma tesoura que fez levantar o muito público que estava na bancada, o piloto estava a comandar a corrida. Contudo, um erro de condução e uma ida mal calculada à ‘joker lap’ remeteu o piloto oliveirense para a terceira posição. No final, o piloto referiu que

“ tudo é treino, tudo é aprendizagem”. “Tive a possibilidade de lutar pela corrida até ao fim mas um erro de condução – o carro fugiu-me de traseira quando ia em quarta, provocando um ligeiro despiste – e não calculei a entrada na joker, fizeram-me perder duas posições”, acrescentou. “Mas considero que o fim de semana correu bem porque estou mais rápido que em Mação, estou mais habituado ao carro e à equipa. Com isso prevejo uma grande corrida em Castelo Branco”, finalizou o jovem, que que corre com as cores da Vida Económica, eni, Norfer, Alfaiate D`Interiores, Arax Gazzo, Powercoaching, fluidotronica, AC Angola, Kartódromo de Oiã, Cerveja Vadia, Loba, Oakley, Quinta do Estanho, Molfil, Ginásio Rainha, Konica Minolta e Moçambique Motorsport,

TÉNIS> TORNEIO DE VETERANOS CT PORTO 2

Célia Sá vence mais uma vez desta feita no Porto Numa organização do Clube de Ténis do Porto (CTP) a tenista do Clube de Ténis de Azeméis (CTA), Célia Sá, venceu o Torneio de Veteranos CTP 2, ao bater a tenista da casa, Olga Alfaiate, na final de singulares, pelos parciais de 6/3, 4/6 e [10-3]. Na mesma prova Célia Sá,

fazendo dupla com outra tenista do CTA, Deolinda Duarte, venceu a variante de pares femininos, fazendo assim a dobradinha, ao derrotarem a dupla do C T Porto, Clara Fonseca / Olga Alfaiate, por 6/0, 6/7 (3) e [10-7].

Célia Sá e Deolinda Duarte vencem no CTP

ANTÓNIO SANTOS

PUB

> COM MAIS DE 200 PATINADORES AGUARDADOS

‘O Egito’ inspira espetáculo de patinagem O Clube Desportivo de Cucujães vai levar a efeito o II Festival de Patinagem Artística ‘O Egito’, o qual realizar-se-á no pavilhão desportivo daquele clube. O evento, agendado para 07 de junho, tem início marcado para as 18h00. A organização conta com a participação de mais de 200 atletas de clubes oriundos do norte e centro do país. A entrada é gratuita.


DESPORTO

FUTSAL> INICIATIVA DA ‘UNIDOS AO FUTSAL’ ESCOLHEU A “CAPITAL DO FUTSAL” PARA A 3.ª EDIÇÃO

Gala ‘Os Melhores do Ano’ celebra modalidade e atletas em Azeméis

Rufino Ferreira e Pedro Marques.

Os melhores do futsal português reúnemse em Oliveira de Azeméis para a 3.ª edição da gala ‘Os Melhores do Ano’, organizada pela ‘Unidos ao Futsal’, com o apoio da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis. A iniciativa, que se realiza a 27 e 28 de junho, chega então àquela que Rufino Ferreira, administrador da entidade organizadora, até considera como a cidade “capital do futsal”, evidência patente não só no facto do concelho ter acolhido, nos últimos tempos, algumas das provas mais importantes do calendário nacional e mundial, mas também na “paixão dos clubes” locais pela modalidade “A capacidade organizativa da autarquia” foi outra das razões apontadas por Rufino Ferreira para a opção por Oliveira de Azeméis. O responsável falava durante a apresentação oficial da iniciativa, que decorreu na passada sexta-feira na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro. O vereador Pedro Marques, que representou o município naquela sessão, não rejeitou o elogio, mas acrescentou que os sucessos organizativos têm acontecido também “porque temos tido parceiros à altu-

ra”. Além disso, o concelho tem “aquilo que é essencial”. “Não faria sentido apostar nesta modalidade se não houvesse praticantes e clubes” em Azeméis. Elogiando que a gala não deixa esquecidos os escalões de formação, Marques aludiu às dificuldades que os clubes têm “em estar condignamente nos campeonatos” e adver tiu para a necessidade de aproveitar iniciativas como esta para “chegar aos mais altos níveis com soluções”. “Esta gala é uma oportunidade para recolher ideias”. Desde a primeira edição – que envolveu 150 pessoas – que a ‘Unidos ao Futsal’ está a apostar neste evento, que, em 2013, cresceu em número de participantes – para meia centena – e que, em 2014, espera superar as expetativas. Pelo menos, a edição 2014 da gala de ‘Os Melhores do Ano’ já cresceu em inovação. É que conta com várias novidades, como por exemplo a realização de um ‘All Star’ nacional, que colocará frente a frente os melhores executantes do Norte e do Sul do país. Do cartaz faz ainda parte uma partida entre antigos craques do futsal portuense e aveirense, que promete momentos únicos. Este será o programa para o dia 28 de junho, que culmina com a gala propriamente dita, a partir das 20h00, no Pavilhão Municipal Prof. António Costeira. Nesse contexto, serão atri-

25

Terça-feira, 03 de junho de 2014

Atletas e dirigentes desportivos na apresentação da Gala.

buídos os prémios relativos aos melhores marcadores, melhores treinadores, melhores jogadores e jogadores revelação, da Liga Sport Zone Futsal e do Campeonato Nacional Feminino. O futsal aveirense também não foi esquecido. À semelhança da edição anterior, os atletas e treinadores que mais se distinguiram, ao longo da última temporada, em todos os escalões etários, serão agraciados.

Refira-se que, no dia anterior, 27 de junho, arranca o 1.º Clinic da Unidos ao Futsal, que terá como oradores os consagrados técnicos Jorge Braz, selecionador nacional de futsal; Tiago Polido, treinador dos italianos do A.S.D. ASTI Cálcio A5; e Ramon Francisco Barreiro Pose, coordenador geral dos espanhóis do Santiago Futsal. Pedro Catita, comentador de futsal da RTP, será o moderador.

> AS ‘GRANDES’ NOMEAÇÕES

Liga Sport Zone Melhor Treinador - João Freitas Pinto (SL Benfica); Nuno Dias (Sporting CP); Paulo Tavares (Braga/ AAUM); Ricardo Lobão (Leões Porto Salvo). Melhor Jogador - Ré (Leões Porto Salvo); Alex (Sporting CP); Divanei (Sporting CP); Bruno Coelho (SL Benfica). Jogador revelação: André Coelho (Braga/AAUM); Pauleta (Belenenses/ElPozo); Ruizinho (Vila Verde); Fábio Cecilio (Braga/AAUM). Campeonato Nacional Feminino Melhor treinador - Francisco Paiva (FC Vermoim); Pedro Nobre (SL Benfica); Teresa Jordão (Golpilheira); André Teixeira (Restauradores Avintenses) . Melhor jogadora - Ana Azevedo (FC Vermoim); Daniela Ferreira (Restauradores Avintenses); Inês Fernandes (SL Benfica); Melissa Antunes (Rede Jovem Mogege). Jogadora revelação - Ana Sérvolo (Golpilheira); Cristiana Oliveira (Restauradores Avintenses); Sara Ferreira (SL Benfica); Jennifer Rodrigues (Quinta dos Lombos). >INSCRIÇÕES

Participação inclui jantar A participação no evento é aberta a todos quantos o desejem, sendo que para tal os interessados deverão proceder à sua inscrição. Para formalizar a participação na III Gala dos Melhores do Ano, basta fazer transferência do valor da inscrição para o NIB 0045 3160 4025 8933 11596, enviando depois o comprovativo da transferência para o mail: galaunidosfutsal@ gmail.com Em caso de dúvida, os interessados poderão contactar os números 919 035 029 (Marco Silva) ou o 938 984 858 (Rufino Ferreira). Até ao dia 15 de Junho de 2014, a participação na Gala (que inclui jantar) tem o custo de 15 euros para adultos e crianças a partir dos 11 anos, e de 8 euros para crianças dos 5 aos 10 anos. Após aquela data o custo aumenta para 20 e 12 euros, respetivamente. As crianças até aos 4 anos de idade não pagam.


26

Terça-feira, 03 de junho de 2014

desporto

Gala ‘Os Melhores do Ano’>FC Azeméis tem Paulo Azevedo como melhor marcador da I Distrital

Ossela domina nas nomeações distritais A lista dos nomeados aos galardões da gala ‘Os Melhores do Ano’ é extensa. A organização fez questão de, além de distinguir os atletas de primeira linha da modalidade no país, destacar o empenho dos jogadores que, em Aveiro, se distinguiram nos respetivos Campeonatos e escalões.

de pretendentes aos prémios, com particular destaque para o Grupo Cultural e Recreativo de Ossela: além da formação, tem Bruno Reis e Bruno Costa como opções para melhor jo­ gador da II Divisão do Cam­ peonato Distrital de Aveiro. O Futsal Clube de Azeméis, que militou na I Divisão aveirense, tem Paulo Azevedo nomeado, também, para melhor jogador. Azevedo irá, de qualquer for­ ma, estar no centro das aten­ ções, pois receberá o troféu que o distingue como o melhor marcador da I Divisão Distri­ tal, ao ter apontado 41 golos. Os mesmos, aliás, que a joga­ Oliveira de Azeméis está for­ dora Cláudia Dias, do Always temente representado no rol Young, que atua no Campeo­

nato Feminino aveirense. Já a II Distrital foi domina­ da por André Sousa, do Juven­ tude de Canedo, que totalizou os 44 golos. Também Cláudia e André serão galardoados, por esse feito, na 3.ª gala ‘Os Melhores do Ano’. Quanto às nomeações, a ní­ vel distrital, a lista é a seguinte: I Divisão de Aveiro Melhor Jogador - Gil Bal­ seiro (Beira-Mar); Nando Lara (Beira-Mar); Paulo Azevedo (Futsal Azeméis); Paulo Russo (Juventude de Fiães). II Divisão Aveiro Melhor Jogador - Bruno Reis (Ossela); André Sousa (Juven­

tude de Canedo); Bruno Costa Gomes (Barrô); Fernando Sa­ (Ossela); Quirino (Arrifanense). muel (CAP Alquerubim); Luís Lassal (Dínamo Sanjoanense). Formação (Aveiro) Melhor jogador benjamins Melhor jogador juniores - - Pedro Pereira (Barrô); Dio­ Bruno Santos (Crecor); Mar­ go Santos (ADREP); Eduardo celo Mateus (Covão do Lobo); Garrana (Maceda); Miguel So­ Tiago Dias (Juventude de Fi­ ares (Lordelo). ães); Rui Silva (Ossela). Melhor jogador juvenis - Campeonato Distrital João Roubaco (Atómicos);Vítor Feminino Pacheco (Ossela); Rui Resende Melhor jogadora (seniores) (Dínamo Sanjoanense); Sérgio - Ana Pereira (Ossela); Cláudia Paiva (Escapães). Dias (Allways Young); Filipa Melhor jogador iniciados Ferreira (Ossela); Juliana Rodri­ - Quaresma (Ossela); Pauli­ gues (Lusitânia de Lourosa). nho (Ossela); Marcelo Olivei­ Melhor jogadora (juniores) ra (Fundo Vila); Hugo Santos - Andrea Pinho (Ossela); Inês (Travassô). Filipa (Ossela); Joana Coelho Melhor jogador infantis (Lusitânia de Lourosa); Mara - Tiago Vilar (Ossela); Pedro Soares (Ossela).

Columbofilia Associação Colombófila de Carregosa

Classificação na Prova de La Gineta

6º Paulo M. S A. Costa, 2441 7º Carla, Hugo & Hélder Silva, 2415 Classificação na Ordem de Chegada 8º Altino & Santiago, 2391 Prova de La Gineta 1º, 4º & 10º - F. Damas & Jorge; 9º Fernando S. Rodrigues, 2380 Ordem de Chegada: 2º Agostinho Ferreira; 3º Mi­ 10º Carlos M. B. Silva, 2340 1.º, 8.º Jorge Tavares; 2.º, 3.º guel Almeida; 5º António Ta­ António Pinho; 4.º, 7.º Manuel vares; 6º e 9º - António Rebelo; Centro Columbófilo Ferreira; 5.º, 6.º, 9.º Albino 7º e 8º - António Rebelo de Cesar Aguiar; 10.º António Valente Concurso La Gineta I Classificação Geral Os dez primeiros prémios Classificação Geral 1º F. Damas & Jorge, 2747 no concurso: 1.º Albino Aguiar, 1844 2º António Rebelo, 2634 1- Irmãos Oliveira; 2º, 5º e 10º 2.º António Valente, 1556 3º Soares & Fernandes, 2583 António Rodrigues; 8- Serafim 3.º Manuel Ferreira, 1529 4º Miguel Almeida, 2459 Queirós; 3º Manuel Gonçal­ 4.º António Correia, 1458 5º Agostinho Ferreira, 2428 ves; 4º Albertino & Filho; 6º 5.º Rui Soares, 1411 6º Torcato Ribeiro, 2243 6.º Jorge Tavares, 1319 7º Aureliano Az.& Filho, Pombal Quinta Moutas; 7º e 9º Jorge Miguel santos 7.º Leonel Almeida, 1310 2075 8.º António Pinho, 1263 8º João Assunção, 2032 Classificação Geral 9.º Alfredo Fernandes, 962 9º Mário Sá, 1967 1º Irmãos Oliveira, 2517 10.º Manuel Neves, 365 10º Manuel Pereira, 1879 2º Albertino & Filho, 2354 Associação Columbófila grupo ‘os unidos 3º António O. Rodrigues, 2308 Nogueirense de travanca’ 4º Serafim S. Queirós, 2253 5º Manuel J. Gonçalves, 2074 Classificação na Prova de La Gineta I 6º Jorge Miguel Santos, 2012 Prova de La Gineta Ordem de chegada 7º Pombal Qta Moutas, 2000 1º, 4º e 9º Família Damas & 8º Arlindo Rocha, 1981 Ordem de chegada Jorge; 2º Fernando Silva Ro­ 9º Manuel Dias Castro, 1769 1.º Tiago Estrela; 2.º, 3.º, 4.º, drigues; 3º Miguel Sérgio 10º Nelson G. Rocha, 1740 5.º, 8.º Aureliano E. Aguiar; 6.º Ferreira Almeida; 5º Arlindo Aureliano Azevedo & Filho; Pereira Almeida; 6º Jaime Go­ Sociedade Columbofila 7.º, 9.º Mário R. Sá dinho Silva; 7º e 8º Paulo Mi­ de Macieira de Sarnes guel S Aguiar Costa e 10º Júlio Concurso La Gineta I Classificação geral Soares Henriques Ordem de chegada 1.º Mário R. Sá, 458 1º Artur Resende; 2º Joaquim 2.ºAureliano E. Aguiar, 373 Classificação geral Costa; 3º José Pinho; 4º e 6º 3.º Aureliano Azevedo & Filho, 367 1º Arlindo P. Almeida, 2994 Carlos Barbosa; 5º e 10º Pom­ 4.º Tiago Estrela, 251 2º Fam. Damas & Jorge, 2893 bal Quinta das Moutas; 7º Er­ 5.º Albano Teixeira, 9 3º Miguel S. F. Almeida, 2527 nesto Martins; 8º Augusto Pi­ 4º Soares & Fernandes, 2505 Sociedade Columbófila 5º Hélio, Flávio, Paulo & Lo­ nho; 9º Joaquim Rodrigues de Azeméis pes, 2478

Classificação Geral 1º Artur Resende, 4274 2º Joaquim Rodrigues, 4252 3º Augusto Pinho, 4197 4º Pombal Qta Moutas, 4163 5º Os Mirandinhas, 4012 6º Carlos Barbosa, 3830 7º Adelino Costa, 3764 8º Manuel Oliveira, 3550 9º Ernesto Martins, 3289 10º Joaquim Costa, 3261 Sociedade Columbófila de Cucujães

Classificação na Prova de La Gineta Ordem de chegada

Ordem de chegada 1.º Fernando Soares; 2.º António José Oliveira; 3.º, 10.º Alcides Relvas; 4.º Alfredo Oliveira; 5.º, 7.º Tânia Silva; 6.º, 9.º Manuel Estrela; 8.º Rui Oliveira Classificação geral 1.º Manuel Estrela, 2894 2.º Alfredo Oliveira, 2871 3.º Rui Monteiro, 2826 4.º Luís Miguel, 2680 5.º Alcides Relvas, 2616 6.º Os Perigosos, 2543 7.º António J. Oliveira, 2470 8.º Domingos Paiva, 2269 9.º Carlos Silva, 2178 10.º Fernando Soares, 2164

1.º Anselmo Pinho Gomes; 2.º Sociedade Columbófila João & Nuno Marques; 3.º,5.º de riba-ul Danilo Costa Resende; 4.º Perei­ Classificação na ra &Pinhos; 6.º, 8.º, 9.º, 10.º Al­ berto Manuel Neto G. Pereira; 7.º Prova de La Gineta Serafim Lopes Santos Coelho Ordem de chegada Classificação geral 1.º Julio M. S. Miguel, 3099 2.º João & Nuno Marques, 2998 3.º Danilo C. Resende, 2978 4.º Serafim L. S. Coelho, 2846 5.º Alberto M. N. Pereira, 2822 6.º Alfredo S. C. Lassal, 2804 7.º Loja do Canário SAD, 2769 8.º Pereira & Pinhos, 2634 9.º Manuel A. S. Pereira, 2594 10.º José Maria S. Lopes, 2376 Sociedade Columbófila de Fajões

Classificação na Prova de La Gineta

1.º Rui Frio; 2º Agostinho Mar­ ques; 3º Ilídio Reis; 4º Manuel Soares; 5º António Jorge; 6º Alberto Valente; 7º e 9º Danilo Resende; 8º Joaquim Santos; 10º Miguel Almeida Classificação geral 1.º Julio Miguel, 5076 2.º Danilo Resende, 5039 3.º Rui Frio, 4729 4.º Ilídio Reis, 4728 5.º Loja do Canário SAD, 4711 6.º António Jorge, 4684 7.º Marco Castro, 4329 8.º Paulo Pinho, 4171 9.º José Godinho, 4141 10.º Os Teixeiras, 4117


DESPORTO

27

Terça-feira, 03 de junho de 2014

>NO CULMINAR DE UMA ÉPOCA BRILHANTE

Futsal Clube Azeméis venceu a Taça Distrital de Aveiro Num fim de semana repleto de futsal, disputou-se, no Pavilhão Municipal de Vale de Cambra, a Final Four da Taça de Aveiro, que tinha o A. J. Fiães, o Arrifanense, o Saavedra Guedes e o Futsal Azeméis como candidatos. No primeiro jogo a equipa do Fiães levou de vencida o Arrifanense por quatro bolas a duas, enquanto que na segunda meia final o Futsal Clube de Azeméis (FCA) venceu a forte equipa do Saavedra Guedes por 3 a 1. Foi um jogo muito intenso, à semelhança do campeonato. O FC Azeméis esteve muito bem nessa partida, tendo conseguido colocar-se em vantagem bastante cedo, por intermédio de Hélder, ao mesmo tempo que se manteve muito forte defensivamente – como foi apanágio no campeonato, o que se confirma com o facto de se ter

O FCA foi um vencedor incontestável.

sagrado como a defesa menos batida. Na segunda parte, apesar de grande pressão da equipa de Pardilhó, o FCA assegurou sempre o domínio do jogo. Hélder bisou na partida e Padeiro fez o terceiro golo a turma oliveirense. Só mesmo perto do fim o conjunto do Saavedra Guedes obteve o seu tento de honra. O FCA apurou-se para a final com inteira justiça. Final de emoções No domingo o Futsal Clube de Azeméis tinha pela frente

mais um ‘osso duro de roer’, a equipa da A. J. Fiães, que queria vencer pela primeira vez o troféu naquela que era já a sua terceira presença na final da Taça. Só que os homens de Canavarro também queriam levar o ‘caneco’, pelo que entrou em jogo muito pressionante e sempre com as linhas muito avançadas. O guarda redes fianense estava, porém, muito bem entre os postes e foi evitando ao máximo a primeiro golo da FCA. Até que, depois de um re-

Os adeptos foram incansáveis no apoio à equipa

mate ao poste de Andorinha, Hélder inaugurou o marcador, para gáudio das mais de 200 pessoas oriundas de Oliveira de Azeméis. Ao intervalo, o marcador estava em 1-0. Nos primeiros minutos da segunda parte a equipa do Fiães foi à procura do prejuízo, mais pressionante. E foi num contra-ataque que chegou ao empate. Mas Futsal de Azeméis não se atemorizou e, praticamente de rajada, um grande golo de Andorinha voltou a colocar a FCA na frente. Era a loucura

nas bancadas. Nos últimos minutos a formação do Fiães apostou no 5x4, tática que não deu frutos para ela, mas sim para o FCA, pois Ruca recuperou a bola e fez um golo de longa distância, matandoo jogo. Já se celebrava nas bancadas, só que o resultado final ainda não estava feito: nos últimos 3 segundos Paulo Azevedo fechou o marcador em 4 a 1. Taça Distrital para Futsal Azémeis, e festa da equipa com todos adeptos afetos ao clube. Prémio mais que justo.

TAÇA DISTRITAL> FINAL FOUR DE INICIADOS

Ossela vence e convence na Final Four de iniciados Neste fim de semana em Vale de Cambra só deu Azeméis. É que, além da Taça de seniores em futsal, o ‘caneco’ no escalão de iniciados também veio para o concelho, pelos ‘pés’ do GCR Ossela. Os iniciados osselenses tinham, este fim de semana, a Final Four da Taça Distrital da A.F.Aveiro, no Pavilhão Municipal de Vale de Cambra. Os jovens queriam mostrar o seu valor a muita gente que, às vezes parece, não respeitar o trabalho que se faz em Ossela. Depois de no sábado vencer o Dímano Sanjoanense, num jogo muito sofrido, por culpa própria, os osselenses tinham pela frente o Fundo de Vila, Campeão Distrital 2013/2014. O conjunto oriundo de Oliveira de Azeméis entrou em campo muito concentrado, começando logo a tentar chegar ao golo. Só que a bola, teimosamente, não queria entrar. Contra a corrente do jogo o

Iniciados mostraram o seu valor.

Fundo de Vila chegou ao golo, beneficiando de um atraso de bola ao guarda-redes osselense, que originou um livre à entrada da área. De pronto os iniciados osselenses responderam, desta feita com golo, nascido de uma grande jogada de entendimento. Com este tento os osselen-

ses poderiam, por várias vezes, ter feito o segundo, mas o guardião contrário estava em bom plano, não permitindo que fossem a vencer para o descanso. Na segunda parte o jogo começou praticamente da mesma forma, com um golo do Fundo de Vila, mas logo na jo-

O resultado agradou aos apoiantes.

gada seguinte o Ossela voltou a empatar. A partir dai só deu Ossela. E que bom foi ver estes atletas a fazer o que mais gostam, ou seja, jogar futsal. O resultado final de 3-7 é um pouco pesado para o Fundo de Vila, mas os nossos atletas trabalharam muito para o conseguir.

Parabéns a todos os que semanalmente trabalham com estes briosos jogadores, que conseguem mostrar serem valiosos, quando os deixam. Parabéns ao Fundo de Vila, pois tem atletas individualmente muito bons, dando ainda mais significado à vitória do GCR.


28

necrologia/PUb.

Terça-feira, 03 de junho de 2014

>Dia Internacional para a Segurança em Passagens de Nível celebra-se hoje

REFER e UIC organizam conferência internacional Para assinalar o Dia Internacional para a Segurança em Passagens de Nível, a REFER, em cooperação com a UIC – Union Internacionale des Chemins de Fer, realiza hoje, 03 de junho, no Museu do Oriente (Salão Macau), em Lisboa, a conferência internacional ‘Trabalhar em conjunto para uma maior segurança nas passagens de nível’. Uma iniciativa que vai contar

ainda com a assinatura do auto de consignação da empreitada de automatização de 12 passagens de nível – REFER-grupo EFACEC. Partindo de uma mensagem comum ‘Nas passagens de nível, dê prioridade à vida!’, esta jornada de reflexão, que se realiza pelo sexto ano consecutivo, agrega gestores ferroviários, entidades reguladoras, forças policiais, ONG e de

diversas associações europeias e internacionais, e tem como primeiro propósito sensibilizar os utilizadores dos atravessamentos de nível para a necessidade de adotarem comportamentos seguros e respeitarem a sinalização. À semelhança de anos anteriores, a REFER vai desenvolver ainda algumas ações de sensibilização junto de utilizadores,

nos seguintes atravessamentos e horários: Linha do Norte – Miramar – 08h00 – 09h00 PN ao km 323,850 – (norte do apeadeiro); Linha do Norte - atravessamento de nível da estação de Coimbra B – 09h00 – 10h00; Linha do Norte – Vila Franca de Xira – 09h00 – 10h00 PN ao km 29,887 – (sul da estação); Linha de Cascais – Lisboa – 11h00 – 12h00 PN ao km 1,648 – (Ro-

cha Conde d’ Óbidos); Linha do Algarve – Faro – 09h00 – 10h00; PN ao km 340,311 – (marina). PUB

computador danificado?

Enfermeira

Andrelina Fernandes de Sá - 78 Anos

Fale connosco Cláudio Cruz

Tratamento de feridas; remoção de pontos ou agrafos; injeções; higiene a pessoas dependentes; entre outros cuidados

Telm.: 914 242 752

910 767 307

Sua família vem, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, se lhe associarem na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia de 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, a celebrar hoje, terça-feira, dia 03 de junho, pelas 19h15, na igreja matriz de Nogueira do Cravo.

Com experiência presta cuidados ao domícilio:

Reparações de Board

- Rua Nossa Senhora dos Prazeres - Nogueira do Cravo -

LUZ DO HORIZONTE – Funerária, Lda. (M. Augusto Sousa&Rui Santos) – Vale de Cambra Tms. 918 712 770 / 914.542.819

Mimosa Ferreira Lopes - 89 Anos

Carlos Mário Soares Rodrigues - 81 Anos

Seu marido, filhas, genros, netos, bisnetas e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres ou que de outra forma lhes manifestaram o seu pesar, assim como na missa de 7.º dia, que será celebrada no sábado, dia 07 de junho, pelas 19h15, na igreja matriz de Madaíl.

A família de Carlos Mário Soares Rodrigues, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada, sábado, pelas 19h00, na igreja matriz de Ossela.

Agência Funerária Beira-Mar – Rua Conde Santiago de Lobão, n.º 230 – Oliveira de Azeméis Filial: Rua S. João Baptista (Lugar da Igreja) Loureiro – Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Funerária José Pina Lda. - Praça José da Costa n.º 107 – 3720-217 -Oliveira de Azeméis - R. Visconde n. 2259 – 3700-269 S. João da Madeira - Tel. 919743670 e 256682116 - E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

- Lugar do Castanheiro-Madaíl -

(F. 30-05-2014) - Ossela -

Idalina Soares da Costa - 91 Anos

Avelino de Carvalho Barros - 71 Anos

A família de Idalina Soares da Costa, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada na quinta-feira, na igreja matriz de Ul.

A família de Avelino de Carvalho Barros, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento e missa de 7.º dia.

(F. 30-05-2014) - Ul -

Funerária José Pina Lda. - Praça José da Costa n.º 107 – 3720-217 -Oliveira de Azeméis - R. Visconde n. 2259 – 3700-269 S. João da Madeira - Tel. 919743670 e 256682116 - E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

(F. 27-05-2014) - Oliveira de Azeméis -

Funerária José Pina Lda. - Praça José da Costa n.º 107 – 3720-217 -Oliveira de Azeméis - R. Visconde n. 2259 – 3700-269 S. João da Madeira - Tel. 919743670 e 256682116 - E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

Alda da Silva - 83 Anos

António da Silva - 94 Anos

A família de Alda da Silva, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada na sexta-feira, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis.

A família de António da Silva, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada no sábado, pelas 18h00, na igreja matriz de Palmaz.

Funerária José Pina Lda. - Praça José da Costa n.º 107 – 3720-217 -Oliveira de Azeméis - R. Visconde n. 2259 – 3700-269 S. João da Madeira - Tel. 919743670 e 256682116 - E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

Funerária José Pina Lda. - Praça José da Costa n.º 107 – 3720-217 -Oliveira de Azeméis - R. Visconde n. 2259 – 3700-269 S. João da Madeira - Tel. 919743670 e 256682116 - E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

(F. 30-05-2014) - Oliveira de Azeméis -

Rosa Gomes Pereira - 81 Anos - Rua do Outeiro-Loureiro -

Seus filhos, noras, netos e demais família, profundamente sensibilizados, vêm, por este meio, agradecer, reconhecidamente, a todas as pessoas que se dignaram incorporar-se no funeral da saudosa extinta, realizado no passado dia 31 de maio, ou que de outra forma lhes manifestaram o seu pesar. Para todos, a sua profunda gratidão. Agência Funerária Resende, Lda. - Tlf.: 256 502 200 - Tlm.: 918 684 233 - 919 764 922

(F. 31-05-2014) - Palmaz -

Maria Joaquina de Sousa - 87 Anos

- Rua Águas Ferreas-Macieira de Sarnes Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres realizadas na igreja paroquial de Macieira de Sarnes, hoje, dia 03 de junho, ou que de outra forma se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia de 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que será celebrada na igreja matriz de Macieira de Sarnes, no próximo dia 08 de junho, pelas 09h00. Funeral a cargo de Alcino & Filho, Serviços funerários e lutuosos www.alcinoefilho.com tel: 256412007 – 917571219

Armando Lima de Oliveira - 58 Anos

Amália Rosa Ferreira - 83 Anos

Sua esposa, filhos, genros, nora, netos e demais família vêm, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas ceri­mónias fúnebres ou que de outra forma se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia de 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra, quinta-feira, dia 05 de junho, pelas 20h00, em Macieira de Sarnes.

Suas irmãs, cunhado, sobrinhos e demais família vêm, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas ceri­ mónias fúnebres ou que de outra forma se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia de 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra, sábado, dia 07 de junho, pelas 18h30, na igreja de Macieira de Sarnes.

António Oliveira & Guedes, Lda - Agência Funerária - Rua do Casal nº 68 | 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Tlm.: 968 685 709 / 965 815 114 / E-mail: agencia.funeraria.ag@hotmail.com

António Oliveira & Guedes, Lda - Agência Funerária - Rua do Casal nº 68 | 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Tlm.: 968 685 709 / 965 815 114 / E-mail: agencia.funeraria.ag@hotmail.com

- Rua das Picarotas-Devesa-Macieira de Sarnes -

- Rua Alto das Casas-Macieira de Sarnes -


GERAL

Terça-feira, 03 de junho de 2014

29

>ENGENHARIA DE PRODUÇÃO INDUSTRIAL

Reforço na investigação e parcerias empresariais O Isvouga, através da sua Unidade de Investigação – U3Is -, estabeleceu um protocolo com o Centro de Investigação e Desenvolvimento em Engenharia Mecânica (CIDEM) do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP). Através deste, as entidades promovem o intercâmbio de docentes e investigadores, com a partilha de laboratórios e competências nas mais variadas áreas da engenharia mecânica.

Foto de Arquivo

promover a realização de trabalhos de caráter mais prático, a licenciatura em Engenharia de Produção Industrial efetivou um conjunto de parcerias com algumas empresas de reconhecido prestígio e líderes de mercado, como é o caso da Simoldes. Com este grupo empresarial oliveirense, está a ser estudada a possibilidade da produção de painéis interiores para automóveis com revestimento em cortiça, existindo já protótipos. Para esse efeito, a Simoldes disponibiliza os seus laboratórios de ensaios, moldes e diverO Isvouga assinou protocolo com o Centro de Investigação sos materiais, sendo o projeto e Desenvolvimento em Engenharia Mecânica orientado pelo coordenador da licenciatura, Nuno Loureiro. Com esta iniciativa do Is- cido empresarial da região do Já com a Colep, uma das emvouga e do CIDEM, “preten- Entre Douro e Vouga”, explica presas fundadoras da entidade de-se estimular o sucesso dos o Instituto de Santa Maria da instituidora do Isvouga, o estaestudantes da licenciatura Feira, em nota informativa en- belecimento de ensino superior em Engenharia de Produção viada ao nosso semanário. localizado no concelho vizinho Industrial, promovendo, por da Feira encontra-se a reestruesta via, o prosseguimento dos Parcerias com empresas turar os planos de manutenção estudos, bem como fomentar Igualmente com o objetivo numa das linhas de litografia e, a investigação aplicada ao te- estimular a aprendizagem e graças ao acesso ao histórico da

manutenção da empresa, está concretamente a analisar, redesenhar e a implementar os novos planos. Por seu turno, com a Vicaima - outra empresa de referência nacional e, tal como a anterior, sedeada em Vale de Cambra - está a desenvolver um sistema de monitorização do consumo de energia nas linhas de produção, usando os autómatos já existentes, reprogramando alguns canais e criando software próprio para a leitura e interpretação dos novos dados. Por último, com a empresa Fluidica, foi assinado um protocolo que se traduz pelo financiamento da aquisição de materiais e equipamentos, que estão a permitir a criação de uma bancada laboratorial dos ciclos frigoríficos. Com este equipamento será possível aos estudantes do Isvouga testarem e aprenderem, na prática, o funcionamento de um frigorífico ou de uma bomba de calor. PUB


30

Terça-feira, 03 de junho de 2014

necrologia/PUb.

1.º Aniversário Lutuoso - 08/06/2014

2.º Aniversário Lutuoso - 17/05/2014

Sérgio Manuel Ferreira da Costa

Piedade Godinho Marques

- Samil-S. Roque“A vida nos ensinou a dizer-te adeus, que tanto amamos, sem te tirar dos nossos corações” Nós, familiares, gostaríamos de agradecer o apoio de todos e convidá-los para a missa em memória deste nosso ente querido, que será celebrada no dia 09 de junho, pelas 19h00, em S. Roque. Muitas saudades, de seus pais, filha, irmãs, sobrinhas e cunhado.

- Cruzeiro-Oliveira de AzeméisLembrar-te é fácil... Esquecer-te nunca. Há dois anos que já não estás entre nós, Mas permanecerás sempre nos nossos corações

19.º Aniversário Lutuoso - 03/06/2014

Amélia Oliveira Carvalho Neves Gonçalves - Oliveira de Azeméis-

Pede um pouco por todos, por quem deixaste a chorar, que nós, aqui, todos juntos continuaremos a te amar Pela passagem do 19.º aniversário sobre o falecimento de Amélia Oliveira Carvalho Neves Gonçalves, seu marido, filhas, genros, netos e restantes familiares recordam-na com profunda e eterna saudade.

No dia em que se completa o 2.º aniversário sobre o falecimento de Piedade Godinho Marques, sua filha Lúcia recorda-a com eterna saudade. 2.º Aniversário Lutuoso - 04/06/2014

3.º Aniversário Lutuoso - 06/06/2014

Agostinho da Silva

Maria de Lurdes Braga Borges Sousa

- Nogueira do CravoApenas queríamos passar um dia contigo, só mais uma vez,abraçar-te, ouvir a tua voz, dar-te um beijo e dizer-te que te amamos. Brilha sempre para nós! Com saudades, do teu marido, filhas e restante família. Mandam ­celebrar missa em sufrágio pela sua alma no próximo dia 06 de junho, pelas 19h15, na igreja de Nogueira do Cravo.

9.º Aniversário Lutuoso - 05/06/2014

Sérgio Paulo Moreira Barbosa

- Cavadas-PindeloO tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo... Jamais esqueceremos tudo o que vivemos! Foste, és e serás sempre alguém muito especial! Com saudade, A família.

Gracinda de Jesus Mateus - 81 Anos - Cavadas-Vila de Cucujães -

Seus filhos, nora, genro e netas vêm, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas ceri­mónias fúnebres ou que de outra forma se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia de 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra no dia 06 de junho, pelas 19h00, na igreja de Cucujães. Funerária Cristino Ld.ª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

Cândida de Almeida Freitas - 85 Anos - Rio d’ Ossos-Vila de Cucujães -

Seu marido, filhos, nora, genro e netos vêm, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas ceri­mónias fúnebres ou que de outra forma se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­ gia de 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra no dia 06 de junho, pelas 19h00, na igreja de Cucujães.

- Santiago de Riba-Ul-

Faz dois anos que partiste... Ficou connosco a recordação. Tudo se tornou mais triste; viverás no nosso coração. No dia em que se completa o 2.º aniversário sobre o falecimento de Agos­tinho da Silva, sua esposa, filhos e netos recordam-no com profunda e eterna saudade. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma no próximo dia 07 de junho, pelas 18h00, na igreja matriz de Santiago de Riba-Ul.

2.º Aniversário Lutuoso - 31/05/2014

João Soares da Silva (João da Quinta)

- Oliveira de AzeméisParece que foi ontem, mas já lá vão dois anos que sem ti ficamos. A dor em nossa casa entrou e, em nós, uma enorme saudade ficou. Pela passagem do 2.º aniversário sobre o falecimento de João Soares da Silva, sua família recorda-o com profunda e eterna saudade.

Tribunal Judicial de Oliveira de Azeméis 2.º Juízo Cível

Processo: 926/14.4TBOAZ Interdição/Inabilitação Referência: 4570113 Data: 29-05-2014 anúncio Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal, a ação de Interdição/Inabilitação em que é requerido Ricardo Manuel Torres Cardoso, com residência em domicílio: Rua José Leite Rocha Júnior 215, Fajões, 3720-000 Oliveira de Azeméis, para efeito de ser decretada a sua interdição por anomalia psíquica.

Funerária Cristino Ld.ª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

Cartório Notarial

Margarida Maria Rodrigues Gago da Câmara Notária Extracto de Justificação Certifico que no dia vinte e nove de maio de dois mil e catorze, no Cartório Notarial de Margarida Maria Rodrigues Gago Câmara, sito na Av. Dr. António José de Almeida, foi lavrada uma escritura de Justificação Notarial, no livro de escrituras diversas número 91 de folhas 26 a folhas 27 verso por: Carlos Manuel de Pinho e Silva, casado, natural desta cidade, onde é residente na Rua Domingos José da Costa, Cartão de Cidadão 10020558 5ZZ5, que outorga na qualidade de Presidente da ‘união das freguesias de oliveira de azeméis, santiago de ribaul, ul, macinhata da seixa e madail’, com sede na Rua Conselheiro Boaventura de Sousa, desta cidade de Oliveira de Azeméis, entidade equiparada a pessoa coletiva número 510 838 359. Declarou o outorgante: Que a citada ‘União das Freguesias de Oliveira de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Ul, Macinhata da Seixa e Madail’ é

dona e possuidora, com exclusão de outrém, do seguinte prédio rústico: Terreno de cultura a ramada, com a área de setecentos e quarenta e dois metros quadrados, sito no lugar de Gemieiro de Baixo, em Macinhata da Seixa, integrada na União das Freguesias de Oliveira de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Ul, Macinhata da Seixa e Madail, deste concelho, a confrontar do norte com Rio, sul com Joaquim Alves da Costa, nascente com a rua da Dorna e poente com Emílio Correia Bastos, omisso no Registo Predial, inscrito na matriz sob o artigo 1384 (que provém do artigo 486 da extinta freguesia de Macinhata da Seixa). Que o identificado prédio rústico foi doado à então fre­guesia de Macinhata da Seixa, agora integrada na re­ferida ‘União de Freguesias’, por António Maria Soares de Bastos, viúvo, que foi residente em Gemieiro, Macinhata da Seixa, Olivera de Azeméis, por doação verbal, efectuada no mês de setembro do ano mil novecentos e oitenta e seis, doação essa que não chegou a ser formalizada por escritura pública, pelo que não possui qualquer título formal que legitime o domínio do mesmo prédio. Que, não obstante isso, a sua representada tem usufruído o mesmo prédio, colhendo os correspondentes frutos, gozando todas as utilidades por ele proporcionadas, sendo reconhecida

A Juiz de Direito, Dr(a). Liliana da Silva Sá O Oficial de Justiça, Isabel Pinho

C. A. n.º 4560 de 03/06/2014

como sua dona por toda a gente, fazendo-o de boa fé por ignorar lesar direito alheio, pacificamente, porque sem violência, contínua e publicamente, à vista e com o conhecimento de toda a gente, sem oposição de ninguém, e tudo isto por lapso de tempo superior a vinte anos. Que, dadas as enunciadas caracteristicas de tal posse, ela adquiriu o identificado prédio, por usucapião - título este que, por natureza, não é susceptivel de ser comprovado pelos meios normais. Está conforme o original para efeitos de publicação. Cartório Notarial de Margarida Maria Rodrigues Gago da Câmara Oliveira de Azeméis, 29 de Maio de 2014 O Colaborador autorizado (João Filipe Tavares Fernandes) Conta registada sob o n.º 704 (Registado na Ordem dos Notários sob o n.º 223/ 8 de 18-02) C. A. n.º 4560 de 03/06/2014


publicidade

Jéssica Miranda Santos

Inês Santos Bastos - S. Roque -

03/06/2014 14 Anos

Parabéns te queremos dar, um forte aperto de mão Sempre te vamos amar, amor do nosso coração. No dia em que Inês Santos Bastos comemora o seu 14.º ani­ versário, seus pais, irmão, padrinhos e avós desejam-lhe muitas felicidades e fazem votos para que este dia se repita por muitos e longos anos. Parabéns.

- Azagães-Carregosa -

- Outeiro-Pindelo 08/06/2014 85 Anos Parabéns a você Nesta data querida Muitas felicidades Muitos anos de vida Para a Eugénia, que completa 85 primaveras, seus filhos, noras, genros e netos desejam-lhe um dia muito feliz e que esta data se repita por muitos e longos anos.

até ao 9.º ano Em casa ou ao domicílio

Contato: 914 121 698

ALUGA-SE Apartamento T1

C/ móveis de cozinha, lugar de garagem No parque de La Salette

963 178 724

narciso Fbp imob. - Ind. S. Roque Aluga Escritórios - Lojas - Pavilhões

Telem.: 935 130 880

senhora Disponível para trabalhos domésticos ou tomar conta de idosos

256 106 047

admite-se Pedreiro de 1.ª (m/f) com muita experiência para trabalhar No concelho de OAZ

964 016 608

06/06/2014 18 Anos

Querida filha faz 18 anos no dia 06 de junho que nasceste. Queremos desejar-te um feliz aniversário cheio de saúde e alegria. Continua com a tua sinceridade, honestidade e humildade, ao longo da tua vida. Desejamos-te um futuro risonho, é o que mais desejamos. És o nosso orgulho...

Eugénia Rosa de Jesus

dão-se explicações

31

Terça-feira, 03 de junho de 2014

Beijo dos teus pais, avós, padrinhos e restante família. Parabéns!

Rita Cristina Soares Resende

- Devesa Velha-S. João da Madeira 10/06/2014 13 Anos Que flor tão linda Que Deus nos deu Faz 13 aninhos Que a Rita nasceu Rita, no dia em que completas as tuas 13 primaveras, teus pais desejam-te um dia muito feliz e que esta data se repita por muitos e longos anos. Parabéns!

vendem-se Apartamentos

Acabados de construir

Com empréstimos a 100% Com taxa de juro especial p/ empréstimo

ALUGA-SE Casa T2

Na Rua Pe. Manuel Oliveira Ferreira, 102 Centro da cidade O. Azeméis

963 021 817

256 673 627 960 069 226 919 444 443

procuro

aluga-se

Senhora a partir dos 50 anos

Para compromisso sério

968 282 130

Para férias

Vivenda com piscina e T1 - Algarve

Contatos: 963 600 506 918 131 578

Faça-se assinante

alugam-se quartos

Zona do Bairro Centro Vidreiro Preferência a professoras ou estudantes

100 e 150 euros

915 830 163

vende-se

Táxi por motivo de doença Em Oliveira de Azeméis

Contato: 917 538 326

Ligue-nos:

256 049 890


32

Terça-feira, 03 de junho de 2014

GERAL

> NO CAMPEONATO NACIONAL DAS PROFISSÕES QUE TEVE LUGAR NO PORTO

Forte representação da equipa do Norte Este emblemático evento a nível nacional, promovido pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. (IEFP, I.P.), enquanto representante de Portugal nas organizações ‘WorldSkills International’ e ‘WorldSkills Europe’, contou com a participação de 380 concorrentes, oriundos de Norte a Sul do país, Madeira e Açores.

fes de equipa e 97 jurados, inscritos por inúmeras entidades da região (serviços de formação profissional, escolas públicas e profissionais, empresas e outras entidades formadoras). Num total de 45 profissões, em domínios tão diferentes como as artes criativas, gestão e tecnologias de informação, produção, engenharia e tecnologia, transporte e logística, serviços sociais, pessoais e turismo, as competições decorreram no Centro de Emprego e Formação O Campeonato Nacional das Profissões decorreu no Porto Profissional do Porto (Bairro de 25 a 30 de maio, sendo que o Norte contou com uma do Cerco), Escola de Hotelaria forte representação e Turismo e Centro Comercial Dolce Vita Porto. nal, escolas e empresas de todo diferentes operadores, induzinEste evento, aberto ao públio país, competiram entre si nas do, simultaneamente, fatores de co, contou com inúmeras atiprofissões em prova. O Campe- crescente qualidade, inovação vidades paralelas - workshops onato Nacional das Profissões e criatividade nos processos de e seminários sobre educação, constitui um momento ímpar ensino-aprendizagem. formação, emprego e evolução de avaliação das qualificações e A representar a equipa do tecnológica, espaços de aconJovens com idades entre os 17 competências adquiridas, e visa Norte no Campeonato Nacio- selhamento a jovens - e atividae os 25 anos e provenientes de aferir a eficácia da formação nal das Profissões estiveram 120 des lúdicas nas áreas de música, centros de formação profissio- profissional ministrada pelos jovens formandos, quatro che- dança, desenho e desporto.

> LEGIÃO DA BOA VONTADE LBV

Voluntários precisam-se... A Legião da Boa Vontade promove recolhas de alimentos para famílias de baixos recursos, assistidas pelo seu centro social. Se está interessado em ajudar, com a oferta de géneros alimentícios não perecíveis, pode fazê-lo na sua sede, Rua Comandante Rodolfo de Araújo – Bonfim (Porto), ou na Av.ª Brasil, n.º 33A (Lisboa), ou, ainda, na Rua Simões de Castro, n.º 147 (Coimbra). Esta instituição precisa, igualmente, de voluntários. Entre em contato com a ‘Central de Voluntários da LBV’, se ainda não está inscrito. Saiba como pelo telefone n.º 222 086 494.

PUB

3 06 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you