Page 1

SEMANÁRIO

FUNDADO EM 05 DE OUTUBRO DE 1922 DIRETOR ANTÓNIO MAGALHÃES SUB DIRETOR EDUARDO COSTA Nº 4496 - 26 FEVEREIRO DE 2013 PREÇO 0,50 € (IVA INCLUÍDO) www.correiodeazemeis.pt Taxa Paga | Devesas - 4400 V. N. Gaia | Autorizado a circular em invólucro de plástico fechado | Autorização n.º 5804/2002 DCP-2

90

Distinguido pelo Governo com Diploma de Louvor de Mérito Jornalístico e Empresarial da Comunicação Social Regional e Local

> NESTA EDIÇÃO:

> CENTRAL DE BIOMASSA É UM INVESTIMENTO DE 25 MILHÕES DE EUROS

Já produz energia para abastecer 20 mil casas Páginas 04 e 05

PARTIDO SOCIALISTA ADIANTA-SE NA ‘CORRIDA’ ÀS AUTÁRQUICAS 2013

> UM GRANDE BENEMÉRITO

Faleceu António César Guedes Página 6 > UM SONHO DE PALMAZ

Estrada de Vilarinho acabou com isolamento há 50 anos atrás

Página 15 > NO PRAZO DE DOIS ANOS

Joaquim Jorge Ferreira é o candidato à Câmara

Página 07

Assaltada duas vezes em casa Página 13

‘Bolsa de €mprego’ O Correio de Azeméis publica, novamente, ofertas de emprego, em colaboração com IEFP. Consulte na página 31 PUBLICIDADE

Menina do Olho


02

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

POESIA

Perfil de um vigarista

POSTAL DA SEMANA

“De” e “Da”

Contam sempre uma sedutora história Ou fazem falsas promessas também Das quais nunca tenhamos nós memória, Ouvindo-as, o pai, os filhos e a mãe. Os vigaristas são outros ladrões, Que nos rodeiam, como cerca a fera! Cuidado! Não soframos de ilusões, Pois chegarão, quando menos se espera. Cuide-se de quem lhe fale baixinho Com falas mansas e cheias de mel Ou até lhe mostre um raro carinho Para bem desempenhar seu papel. Nunca caia no conto do vigário, Julgando que o que dizem é por bem. Grave isto para sempre na memória Que ninguém anda a dar nada a alguém

ABERTURA

EDUARDO OLIVEIRA COSTA

“Alguém” trocou a palavra “de” por “da” e a Lei ficou ao contrário do pretendido por quem a aprovou: os ilustres deputados da Assembleia da República. Detetado o erro, matou-se a dúvida e os senhores presidentes de Câmara podem afinal candidatar-se ao fim de três mandatos, desde que noutro município. Concluiu-se que foi um erro de algum funcionário da ‘Imprensa Nacional-Casa da Moeda’, empresa do Estado que trata da impressão do ‘Diário da República’. Daí que já não é necessário averiguar quem foi o culpado pelo grave erro e se o mesmo foi intencional. Ora, uma Lei é um texto de muita responsabilidade, que é enviado “fechado” para um técnico na gráfica, que o abre com uma “palavra-chave”, pagina-o (coloca-o numa página, a que dá número, coloca o cabeçalho na página, etc.), “fecha-o”

de novo e vai para impressão, sem que alguém possa alterar uma vírgula! Fica assim devidamente registado no computador, qual a “palavra-passe” que foi utilizada, sabendo-se deste modo muito bem, quem mexeu no referido texto. Há também registo de quais os funcionários do Estado por cujos computadores passou a Lei - cujo original, impresso em papel e assinado pelo punho do Presidente da República, é guardado no arquivo próprio. Portanto, parece muito improvável que não se consiga saber quem alterou a importante palavra! Teríamos o direito de saber e de julgar! Há quem diga que somos um país de ignorantes… Mas, há muitos e ilustres cidadãos que nos acham mais ignorantes (ou parvos…) do que supostamente somos!

A. EVANGELISTA DE PINHO

ESTANTE

Manuscrito Encontrado em Accra Paulo Coelho Não há arma mais forte que a palavra 14 de julho de 1099. Enquanto Jerusalém se prepara para a invasão dos cruzados, um grego conhecido como «O Copta» convoca uma reunião com os jovens e velhos, homens e mulheres da cidade. A multidão, formada por cristãos, judeus e muçulmanos, chega à praça do palácio de Herodes pronta para ouvir um discurso inflamatório sobre como se preparar para o combate, mas não é isso que o Copta tem a dizer. Tudo indica que a derrota é iminente, e que o mundo, tal como o conhecem, está prestes a chegar a um fim. Mas o grego apenas quer instigar as pessoas a buscarem a sabedoria existente na sua vida quotidiana, forjada a partir dos desafios e dificuldades que têm de enfrentar. O verdadeiro conhecimento, acredita, está nos amores vividos, nas perdas sofridas, nos momentos de crise e de glória e na convivência diária com a inevitabilidade da morte. Na tradição de clássicos intemporais como O Profeta, de Khalil Gibran, Manuscrito encontrado em Accra, de Paulo Coelho, é um convite à reflexão sobre os nossos princípios e a nossa humanidade.

A igreja de Palmaz sofreu profundas obras de beneficiação e restauro. Será um dos mais antigos templos da região, embora tenha sofrido, ao longo dos tempos, várias transformações – entre elas a realizada no século XVII, com a ampliação de uma para três naves. A escultura da padroeira Santa Marinha datará do século XV. Muito apreciado este lavabo do século XVIII.


ABERTURA

EDITORIAL

SEMÁFORO

À confusão dos mandatos… segue-se o “de” e o “da”! Os nossos parlamentares de 2005 aprovaram uma lei a impor a limitação de mandatos nas autarquias. Uma lei que, à semelhança de muitas outras, se viria a revelar susceptível de interpretações diferentes. Abundam, de há muito, vozes autorizadas a lamentar a má qualidade técnica das nossas leis, o que custa a compreender aos cidadãos anónimos, ignorantes na jurisprudência mas a quem as estatísticas informam da maioria de juristas entre os 230 deputados, para além dos muitos assessores e bem pagos gabinetes de advogados. A lei esteve longe de reunir consenso. Argumentavam alguns ser necessário pôr termo à força política dos caciques, nos últimos tempos mais poderosa do que nunca. Defendiam outros que o povo, quem mais ordena, sabe distinguir o trigo do joio, pelo que está morto o perigo do caciquismo. Acrescia o significativo número dos que entenderam e aprovaram a limitação, mas desejavam vê-la extensiva a muitas outras funções… entre elas, por exemplo, a dos parlamentares. Pessoalmente, e na possível apreciação global do que se tem passado pelo país fora após a instituição do Poder Local, entendo haver presidentes que, pela obra produzida, poderiam – e talvez devessem! – prolongar os seus mandatos. A outros, contudo, bastaram-lhes um ou dois mandatos para revelar a incompetência, o crime da ocupação abusiva e irreversível dos solos que são de todos, conhecendo-se, infelizmente, casos de desonestidades e abusos de poder que os tribunais julgarão, se, entretanto, a chamada e generosa prescrição não lhes colocar um pedregulho por cima. Durante este longo período, desde 2005, o tema esteve em banho-maria, o que se compreende pelo facto de a limitação não produzir efeitos imediatos. Mas quando se aproximaram as eleições de 2013, multiplicaram-se os pareceres, surgiram, aos molhos, constitucionalistas e construtores de opinião, ainda que ignorando-se, em tantos casos, qualquer formação na área do Direito. Não escasseando microfones ao dispor, bastou-lhes ter a desfaçatez necessária. Entretanto, nova embrulhada quando se descobriu que o texto publicado no Diário da República difere do aprovado no Parlamento, mercê, ao que parece, da intervenção da Imprensa Nacional. A já célebre questão do “de” e do “da” traz mais achas para a fogueira, raiando magotes de linguistas a dar os seus palpites… naturalmente à medida de cada caso. Quando decidirão os nossos parlamentares acabar com tamanha balbúrdia, a avolumar a conhecida má cotação dos nossos políticos?

www.correiodeazemeis.pt geral@correiodeazemeis.pt

Fundador: BENTO LANDUREZA (1922) SEDE: Edifício Rainha, 8º piso Telefs. 256049890 • Fax: 256046263 3720 OLIVEIRA DE AZEMÉIS Horário de 2ª a 6ª • 9.00/18.30H Assinatura anual : (C/IVA 6%) (Entre Douro e Vouga) 20,00 (Resto do País) 22,50 (C/IVA 6%) (Europa) 65,00 (C/IVA 6%) (Resto do Mundo) 97,00 (C/IVA 6%)

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

ANTÓNIO MAGALHÃES

São Gabriel de Nossa Senhora das Dores Morreu o santo jovem na idade de 24 anos, na manhã de 27 de Fevereiro de 1862. Trinta anos depois fez-se o reconhecimento do corpo. Na ocasião, com o simples contacto de suas relíquias, verificou-se a cura prodigiosa de uma jovem que a tuberculose pulmonar tinha reduzido ao último estado. Reproduziram-se aos milhares os prodígios que foram constatados à invocação do Santo. Em 1908 o Papa Pio X inscreveu o nome de Gabriel da Virgem Dolorosa no catálogo dos beatos e em 1920 Bento XV decretou-lhe as solenes honras da canonização. Pio XI estendeu a sua festa a toda a Igreja, em 1932, que se celebra amanhã.

Salão nobre nas bodas de diamante O chamado salão nobre, no edifício do mercado municipal, celebra muito em breve as bodas de diamante. Foi inaugurado festivamente no sábado das festas de Nossa Senhora de La Salette, a 13 de Agosto de 1938. Ali se viveram momentos de esplendor, receberam-se visitantes ilustres, serviram-se banquetes oficiais, famosas orquestras abrilhantaram bailes de Carnaval a levar longe o nome da então provinciana vila. A nossa Assembleia Municipal nasceu e viveu ali. Mas o tempo e as suas sevícias não perdoam. Mesmo em tempos de sabidas vacas magras, importará devolver ao salão nobre a possível nobreza.

Morte na passadeira Atropelamento em passadeira da zona central da cidade conduziu à morte trágica de um peão. Uma passagem assinalada já por outros atropelos, ainda que sem esta gravidade. Em tais circunstâncias, perante uma fatalidade de tão cruel dimensão, surgem de imediato, como é natural, as mais divergentes opiniões. Não devem antecipar-se julgamentos. Às autoridades caberá averiguar, em tempo útil, quais os responsáveis, tornando públicas as conclusões, e, sendo caso disso, proceder em conformidade. Importa assegurar intransigentemente a segurança dos peões… que, na luta contra as máquinas, ficam sempre a perder.

03

A ‘RESSACA’ DA SEMANA Notícias como a de Oscar Pistorius aguardar julgamento em liberdade, porque, segundo o juiz, parece não haver risco de fuga, até às que publicam o alegado assédio sexual a membros da Igreja por D. Carlos Azevedo, que o nega, se passou esta semana ‘informativamente falando’. Isto entre outros temas, a maior parte dos quais repetida, como a ‘revolução’ do ‘Grândola Vila Morena’, que já chegou a ‘nuestros hermanos’. Quem não anda a achar muita graça são os naturais dessa terra alentejana; já os nossos governantes estão a ‘borrifar-se’ para tal - é mais um discurso ou menos! De facto, nós, portugueses, temos uma capacidade de improviso de reivindicação raramente visto noutros países do Globo. Após algumas vozes ‘afinadas’ (outras nem por isso) com o verdadeiro ‘hino’ à liberdade e à democracia, eis que dá na cabeça de meia dúzia deles - agora já ultrapassa esse número de longe - de pedir faturas com o número de contribuinte dos nossos governantes, como forma de chamar a atenção para a vida, que está tudo menos fácil. Dá vontade de rir... no mínimo! Somos efetivamente um povo de brandos costumes, mas de uma imaginação tão fértil que, um destes dias, conseguimos inventar um qualquer antídoto para a falta de dinheiro. Como se costuma dizer, “pobretas, mas alegretas!” ‘Ressacando’, por cá começa a ouvir-se o acelerar dos ‘motores’ em direção às Autárquicas 2013. As ‘cartas de amigo e amor’ começam a surgir, transformando-se em ‘cartas de escárnio e maldizer’. Momentos únicos em que tudo parece ser possível: Bate-se nas costas do outro com vontade de lhe dar umas ‘murraças’; tanto se aperta a mão ao fulano da mesma cor, como o pescoço ao da cor ‘adversa’. Isto é... política! Agora, mais a sério. O Partido Socialista arrancou à frente na ‘corrida’ em Oliveira de Azeméis. O que se adivinhava, confirmou-se: O seu n.º1 à Câmara Municipal é Joaquim Jorge Ferreira, atual presidente da comissão política concelhia do partido rosa, que o elegeu para essa tarefa na passada sextafeira. Pela frente deve ter, supomos, um recandidato presidencial do lado laranja e do centro outro também já habituado a estas ‘andanças’, entre outros. A ver vamos. Desejamos apenas que seja uma ‘corrida sem atropelos’ e que os jornais não sejam ‘usados’ para passar ‘episódios de novelas’ sem fim à vista... a redação agradecia! A REDAÇÃO

Diretor: António Magalhães • Administrador: Eduardo Costa (Cart. Prof. nº 1738) • Chefe de Redação: Ângela Amorim (Cart. Prof. nº 2855) • Redatores: • Gisélia Nunes (Cart. Prof. nº 5385) • Diana Cohen •CORRESPONDENTES: Carregosa: António Amorim: Cesar: Carlos Costa Gomes; Loureiro: Emanuela Gomes ; Macieira de Sarnes: Manuel Lopes; Macinhata da Seixa: António Magalhães; Nogueira do Cravo: Alírio Costa; Ossela: A. Jesus Gomes; S. Martinho da Gândara: Arlindo Gomes e Sérgio Tavares; S. Roque: Eduardo Costa; Santiago de Riba-Ul: Luís Mateus; Ul: Olímpio Costa. Fotógrafo: Alfredo Pinho • COLABORADORES: • Adelino Ramos • António Vidal • António Santos • Batalha Gouveia • Beatriz Costa • Frederico Bastos • Hugo Tavares • João Araújo • Joaquim Silva • Manuel Costa • Manuela Inês • Manuel Alves Paiva • Manuel dos Santos Matos • Maria Emília Costa • Mário Rui • Manuel Laia • Marisa Gonçalves • Paulo Rui • Rodrigo da Cunha (Pe) • Rui Duarte • Samuel Oliveira • Sérgio Costa • Paulo Pinho • Tavares Ribeiro. (Os artigos assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores não vinculando necessariamente a opinião da direção) Os textos do Correio de Azeméis já obedecem às regras do acordo ortográfico, salvo os da responsabilidade de autores ainda não aderentes.

Propriedade: Globinóplia, Unipessoal, Lda NIF: 509 071 341 Ed. Rainha, 8º Piso • Oliveira de Azeméis Telef.: 256 049 890 • Fax 256 046 263 Impressão: CORAZE Oliveira de Azeméis Telf.: 910 252 676 / 910 253 116 / 914 602 969 e-mail: geral@coraze.com Depósito Legal nº 27755/89 Nº ICS 104639 Tiragem média: 6.500 exemplares


04 > EM COLABORAÇÃO COM AS JUNTAS DE FREGUESIA

Criação de uma espécie de ‘ecoponto florestal’ A empresa ‘Ponto Florestal’, de que nos falaram André Alegria e Miguel Figueiredo, já existe, mas, por enquanto, só ainda no ‘papel’. Segundo o administrador e o diretor da Central Termoeléctrica de Biomassa de Terras de Santa Maria (CTBTSM), a ideia é, contando com a colaboração das juntas de freguesia, pôr à disposição dos munícipes de Terras de Santa Maria um espaço onde, após limparem as suas matas, possam depositar os resíduos florestais, que, posteriormente, vão ter como destino a CTBTSM. Desta forma, vão sair a ganhar os proprietários, as autarquias locais e, claro, a CTBTSM. > QUANDO DEVERIA RECEBER

CTBTSM tem de pagar pelas cinzas que produz

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

> CENTRAL TERMOELÉCTRICA DE BIOMASSA DE TERRAS DE SANTA MARIA RECEBE APENAS BIOMASSA DE ORIGEM FLORESTAL

Família Alegria ‘investiu’ 25 milhões no futuro Na última semana, a nossa reportagem ‘fez uma viagem ao futuro’, visitando a Central Termoeléctrica de Biomassa de Terras de Santa Maria, e falou com os seus administrador e diretor. Ambos mostraram não ter dúvidas que o nosso futuro passa por uma maior aposta na utilização de fontes de energia renovável, como é o caso da biomassa florestal. GISÉLIA NUNES

Para além de energia elétrica, a Central Termoeléctrica de Biomassa de Terras de Santa Maria (CTBTSM) também tem como subproduto cinzas, que, efetivamente, poderão vir a ter valor comercial, mas que, por uma questão legal, são tratadas ainda como resíduo. De acordo com o jovem administrador da CTBTSM, não lhes é possível “dar ou vender as cinzas”, havendo em Portugal poucas empresas com licença para as recolher. “Temos de pagar para as tirar de cá quando devíamos receber por elas [pelas cinzas]”, visto serem, por exemplo, um regulador de solos e “um ótimo fertilizante”, como disse André Alegria. Neste momento, as cinzas já estão a ser usadas como fertilizante em campos agrícolas, como, por exemplo, na Murtosa, e em compostagem, o que só é possível, porque a empresa que o faz tem licença para isso, sendo uma das poucas em Portugal com autorização para isso.

CONCELHO

A biomassa florestal carateriza “um dos maiores recursos endógenos” de que, atualmente, o país dispõe, vindo a suscitar, ao longo destes últimos anos, cada vez mais interesse quer pelo potencial energético que representa, quer pela quantidade produzida. Em relação a isto não existem dúvidas, assim como não há argumentos contra o facto de que o futuro – o nosso futuro e o dos nossos filhos – também passa por uma maior aposta na utilização de fontes de energia renovável. Carlos Alegria, professor doutorado, entendido na matéria e com raízes familiares oliveirenses, sabe bem que assim é e, por isso, em tempos, não hesitou em arrancar com a construção de uma central termoelétrica de biomassa na freguesia de Carregosa, concelho de Oliveira de Azeméis, hoje, denominada Central Termoeléctrica de Biomassa de Terras de Santa Maria (CTBTSM) e que ocupa uma área total de três hectares. CTBTSM assegura 25 postos de trabalho Esta empresa carregosense, cuja edificação, no lugar de Silvares, custou 25 milhões de euros e que, presentemen-

A nossa reportagem teve direito a uma visita guiada feita pelo Eng.º André Alegria, administrador da CTBTSM

bém ‘amiga do ambiente’, a CTBTSM é encarada pelo jovem administrador, com quem chegámos à fala, como “um investimento virado para o futuro”. Aliás, na sua ótica, “se o Estado tornar interessante a tarifa, podemos, eventualmente, até ajudar no combate aos incêndios”. “Se houver alguma forma [por parte da tutela] de potenciar a limpeza das florestas, através da motivação dos seus proprietários, podemos vir, exponencialmente, a diminuir o risco de fogos florestais”, reforçou a ideia. Note-se que só na região do Entre Douro e Vouga a área florestal ocupa 54% do território, sendo muito frequente a ocorrência de incêndios florestais.

Uma média de 40 fornecedores neste primeiro ano e meio de atividade Produção de energia elétrica Neste primeiro ano e meio Na Central de funcionamento, a média Termoeléctrica de fornecedores situa-se na de Biomassa casa dos 40. Tratam-se, maiode Terras de ritariamente, de madeireiros Santa Maria, o oriundos de um raio não suciclo começa perior a 25 quilómetros, ou com a chegada seja, de Oliveira de Azeméis, do camião carmas também de Arouca, Vale regado de biode Cambra, Santa Maria da massa florestal Feira e não muito mais para (triturada ou além destas localidades, visto não triturada). que “se forem de mais lonNo caso da ge acabam por não ganhar matéria (resíduos florestais e rolaria fora de medida para para as despesas tidas em a produção de pasta de papel) ainda estiver por triturar, a combustível e portagens”. trituração é feita ali. Mas, segundo o diretor da A biomassa já triturada passa por um processo de análise CTBTSM, Miguel Figueiredo, para determinar a sua qualidade (tipo de biomassa, humidacom o qual também falámos, de, densidade, etc.) antes do veículo de transporte descarre“qualquer outra pessoa pode gar, de traseira ou lateralmente, a biomassa diretamente para trazer-nos biomassa” desde dentro do silo, “o nosso armazém de combustível”. que a mesma seja “de origem, Dentro do silo, a biomassa é encaminhada para a caldeira única e exclusivamente, flopor intermédio de tapetes rolantes. A combustão da biomasrestal”, “sem inertes [pedras, sa vai transferir o calor à água de uma caldeira, que consome lixos, etc.], “de maneira a 12 toneladas por hora desse carburante e produz 40 tonelapoder ser tratada para, dedas de vapor de água por hora para gerar 10 MWhe. pois, ser queimada”. Este mesmo vapor, sobreaquecido, é encaminhado para a A título de curiosidade, e turbina, onde chega à temperatura de 450 graus e com uma ainda a propósito dos benepressão de 60 Bar. Todo o caudal de vapor depois de condenfícios ambientais de um sado é reenviado de novo para a caldeira. empreendimento do géneEstamos perante “um ciclo fechado”, ao longo do qual “há perro, registe-se que, apesar da das, mas estas são mínimas”. Como afirmou o diretor Miguel queima da biomassa libertar Figueiredo, “aqui nada se desperdiça, tudo se transforma”. dióxido de carbono para a atmosfera, este mesmo CO2 já havia sido absorvido pelas te, é administrada pelo filho mens), provenientes de Ter- plantas que deram origem do promotor, André Alegria, ras de Santa Maria. ao combustível, tornando o dá trabalho a 25 pessoas (a Por ser geradora de rique- balanço de emissões de CO2 esmagadora maioria ho- za e de emprego, e tam- nulo (ou virtualmente nulo). > PASSO A PASSO…


CONCELHO

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

> POR ANO…

CTBTSM produz energia suficiente para abastecer 20 mil habitações Quase que apostamos que o leitor, assim como nós até ao momento em que fizemos esta reportagem, não sabia que a maioria das habitações do município de Oliveira de Azeméis é abastecida de energia elétrica distribuída pela EDP… mas produzida em Carregosa.

> CÂMARA DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS E JUNTA DE CARREGOSA TAMBÉM PARTICIPARAM NESTA DESLOCAÇÃO

Comissão de Agricultura e Mar visita Central de Biomassa

Além de visitar as instalações, a comitiva foi posta ao corrente de como se processa a produção de energia elétrica

Panorâmica da Central Termoeléctrica de Biomassa de Terras de Santa Maria

GISÉLIA NUNES

É nesta freguesia do concelho de Oliveira de Azeméis, mais concretamente na Avenida Ferreira de Castro, no lugar de Silvares, que está instalada a Central Termoeléctrica de Biomassa de Terras de Santa Maria (CTBTSM), a qual produz, por hora, 40 toneladas de vapor de água – valor equivalente a uma produção de cerca de 82 GWhe por ano. Feitas as contas, a CTBTSM, cuja potência elétrica máxima é de 10 MWhe, gera, anualmente, o suficiente para alimentar de eletricidade 20 mil casas. Depois de produzida pela central termoelétrica sedeada em Carregosa, a energia elétrica é adquirida a esta pela EDP, que, por sua vez, a distribui. Todos estes dados foram avançados ao Correio de Azeméis,

05

A nossa visita também contemplou uma passagem pela sala de comando

na semana passada, por André Alegria e Miguel Figueiredo, respetivamente, o administrador e o diretor da CTBTSM. Em conversa com o nosso semanário, depois de uma visita guiada às instalações, os dois responsáveis adiantaram também que, por dia, entre 10 a 15 fornecedores (a maior parte madeireiros) entregam, diretamente, na empresa entre 250 a 300 toneladas de biomassa, sendo que alguma já chega triturada, mas outra não, o que, neste último caso, não constitui problema.

Ou seja, de acordo com as mesmas fontes, a biomassa não estar triturada “não é obstáculo”. “O que vem por triturar trituramos cá”, informaram, acrescentando que o único impedimento é a “qualidade”, ou melhor, a falta dela, uma vez que “aceitamos apenas biomassa de origem, única e exclusivamente, florestal”. Em regime normal de funcionamento, são consumidas cerca de 12,5 toneladas por hora de biomassa, com 35% de humidade e um PCI de 13.000 kJ/kg.

a e Mar (ver No decorrer da visita da Comissão de Agricultur contrato do atura assin à ainda texto ao lado), houve lugar s de Santa Terra de assa Biom de trica entre a Central Termoeléc tendo éis, Azem de ira Olive de quia Maria (CTBTSM) e a autar a estilh de a, últim desta parte por em vista o fornecimento, foi aliás, que, o ment Docu ais. orest fl de madeira e de resíduos , cipal muni tivo execu de sede em ato, aprovado, no mês trans título A ente. tunam opor ciou anun tal como o nosso jornal as tem um de curiosidade, neste momento, a CTBTSM apen não quer que o e, irens olive ra Câma acordo do género com a s outro com o mesm o fazer a a dizer que não esteja abert municípios.

A Central Termoeléctrica de Biomassa de Terras de Santa Maria (CTBTSM) recebeu, na manhã do passado dia 18 de fevereiro, a Comissão de Agricultura e Mar (CAM), nomeadamente o seu grupo de trabalho com competências ao nível da biomassa, composto por deputados à Assembleia da República afetos a diferentes partidos políticos. A Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis também marcou presença, fazendo-se representar pelos seus presidente e vice-presidente, respetivamente, Hermínio Loureiro e Ricardo Tavares. Já a Junta de Carregosa – freguesia onde a CTBTSM está instalada – esteve representada pelo seu líder, Diamantino Melo. Coube aos administradores desta empresa a funcionar há já um ano e meio, Carlos Alegria e filho André Alegria, fazer uma visita guiada às instalações. Mas não sem antes o diretor, Miguel Figueiredo, fazer uma explicação prévia do que iam ver, ou seja, da forma

como ali se produz energia elétrica a partir de biomassa florestal, servindo-se, para o efeito, de uma apresentação em powerpoint. O responsável residente – como o próprio se autodenominou – mostrou ainda à comitiva imagens da construção da CTBTSM, aliás, tal como fez aquando da conversa com a nossa reportagem, que aconteceu no dia seguinte a esta deslocação da CAM. Na ocasião, houve lugar ainda a alguns desabafos por parte de Carlos Alegria relativamente às condições de pagamento da EDP, a qual, em seu entender, “deveria pagar uma tarifa superior [à que paga atualmente] às centrais de biomassa”. Já o autarca oliveirense não perdeu a oportunidade de definir “este investimento [em Carregosa] de muito positivo”, porque – como justificou Hermínio Loureiro – “cria postos de trabalho, ‘incentiva’ à limpeza das matas”, etc..


06

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

CONCELHO

>FIGURA CARISMÁTICA DA CIDADE E DO CONCELHO

Morreu António César Guedes

Em baixo à esq.ª, António César Guedes, um dos fundadores da secção de ténis da Oliveirense

Na sua residência, faleceu, no último sábado, António César Guedes. Completaria 97 anos no próximo dia 25 de maio. Com a sua morte desaparece uma figura carismática da cidade e do concelho, com rigor podemos dizer que a nossa terra, a nossa região, todos nós ficámos mais pobres. ANTÓNIO MAGALHÃES

António César Guedes frequentou a Escola Conde de Ferreira, a Casa Escola, embrião do Colégio, a nossa Escola Comércio do Porto, depois a Escola Raúl Dória, fundada em 1902, no Porto, no local onde hoje se situam as instalações do ‘Jornal de Notícias’. A escola era, à época, estabelecimento de ensino pioneiro na área do ensino comercial. Ingressou no mundo do trabalho ao lado de seu pai, António Moreira Guedes, sucedendo, na terceira geração, no comércio de ourivesaria naquele que era dos mais conhecidos e prestigiados estabelecimentos de toda a região, transportando as malas carregadas de ouro pelas feiras da região, uma missão hoje de todo impossível. Na linguagem de então não se ia “ao ourives”, ou “à ourivesaria”, mas tão-somente ao “senhor Guedes”. Dir-se-á ainda que o agora extinto ‘acompanhou’ sucessivas gerações pela vida fora: vendeu-lhes, com nome gravado, a primeira lembrança para o batismo, depois a prenda da comunhão solene, o primeiro relógio de pulso por via de re-

gra no exame da 4.ª classe ou da missão, esculpiu nomes e datas nas alianças de casamento que o celebrante abençoou. Mas a sua vida extravasou muito para além da profissional. Vimo-lo praticamente nas principais instituições do concelho. A Comissão de Melhoramentos de La Salette, a que presidiu devotadamente durante décadas, foi, por certo, o grande amor da vida, uma paixão nascida desde o berço pela mão do pai, de quem herdou o honrado nome, membro ativo da Comissão Patriótica Oliveirense, criadora do centenário Parque. Serviu a Misericórdia, a Oliveirense, o então Asilo da Infância Desvalida (atual C. A. F. Pinto de Carvalho), os Bombeiros Voluntários, o Instituto de Cultura Ferreira de Castro, inclui-se entre os que se abalançaram na estalagem de S. Miguel; a sua generosidade de esfoço esteve sempre presente em sucessivos movimentos de solidariedade, de cultura e recreio. Uma atividade cívica que não cabe, obviamente, nos limites estreitos deste apontamento. Foi, jovem ainda, praticante de ténis, uma modalidade da Oliveirense impulsionada por João Carlos Gomes da Costa. Esteve, desde a origem, nas comissões organizadoras dos famosos bailes de Carnaval, primeiramente no salão nobre do município, mais tarde no ginásio do colégio, a levar longe o nome da então provinciana vila. Logo após 25 de abril de 1974 foi membro da Comissão Administrativa da Câmara Municipal, presidida pelo Dr. Flávio Laranjeira, a quem sucedeu aquando da renúncia por razões profissionais, assumindo o comando até final de 1976, momento da realização das primeiras eleições Autárquicas

António César Guedes (em primeiro plano à dirt.ª), foi um dos organizadores dos famosos bailes de carnaval. Este data de 1950.

e consequente instituição do Poder Local. Em sua memória, foi hasteada a bandeira do município nos paços do concelho. Foi um apaixonado estudioso da história das nossas terras e das nossas gentes, possuindo por certo o maior acervo, documental e fotográfico, da terra que amou e serviu, para além do muito que guardava numa memória de rara fidelidade e de invulgar capacidade de recolha e fixação. Felizmente para a nossa história, promoveu a edição de vários trabalhos, impedindo, como repetidamente acontece, a perda irrecuperável do que foi reunindo numa vida tão longa como fecunda. Em suma, um verdadeiro cidadão, de esmerada educação, irradiante de simpatia, simples no trato para com todos, homem solidário, de causas, de convicções, disponível, que somou, ao longo da vida, legiões de amizades, como ficou bem patente na multidão que acorreu à nova casa mortuária e ao funeral, onde os estandartes de várias instituições se associaram na homenagem ao benfeitor e amigo. Pessoalmente, e porque tínhamos em comum a paixão

Agora, a eterna saudade...

pelas velharias, muito devo à amizade de António César Guedes, sempre disponível para comigo repartir a vastidão dos seus conhecimentos. Prazer de muitos anos que agora se extingue impiedosamente, deixando o travo amar-

go da saudade. O Correio de Azeméis, que sempre beneficiou da estima e da dedicação de António César Guedes, apresenta cumprimentos de pesar à família enlutada. Paz à sua alma. PUB


CONCELHO

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

07

> PARTIDO SOCIALISTA É O PRIMEIRO A APRESENTAR O SEU CANDIDATO ÀS AUTÁRQUICAS 2013

Joaquim Jorge Ferreira avança na corrida à Câmara Joaquim Jorge Ferreira é o candidato do Partido Socialista à presidência da Câmara Municipal nas próximas eleições Autárquicas. A decisão – unânime - foi tomada sexta-feira passada, entre as hostes do partido rosa. Em reunião da comissão política concelhia (CPC) do Partido Socialista de Oliveira de Azeméis, realizada no passado dia 22, os socialistas oliveirenses escolheram, por unanimidade, Joaquim Jorge Ferreira para encabeçar uma candidatura “que se pretende aglutinadora da sociedade oliveirense e que corporize o sentimento de mudança necessária na gestão da autarquia de Oliveira de Azeméis”. Esta tem como principal objetivo “devolver aos oliveirenses a confiança

que continuam por resolver no concelho de Oliveira de Azeméis”. Porém, “acredita na capacidade dos oliveirenses e nas potencialidades do concelho, para que, com muito trabalho e determinação, juntos encontremos as soluções para ultrapassar todos os desafios com que vamos ser confrontados”, declara. Ainda de acordo com o press release, enviado à nossa redação, “os problemas concretos de Oliveira de Azeméis merecerão a especial atenção do PS”, pois “as pessoas estarão no centro do nosso projeto político, com especial ênfase nos mais jovens, nos desempregados e nos mais desfavorecidos”.

da experiência empresarial de mais 25 anos, na área da gestão ao nível das Tecnologias de Informação e Comunicação. Atualmente, lidera a equipa de vereadores do PS no atual executivo municipal e desempenha, ainda, as funções de presidente da assembleia-geral da Associação Comercial dos Concelhos de Oliveira de Azeméis e Vale de Cambra, sendo também vice-presidente do Clube Desportivo de Cucujães. Alia à sua longa experiência empresarial uma vasta experiência autárquica resultante da sua participação em vários mandatos autárquicos como vereador e deputado municipal, Joaquim Jorge Ferreira. desempenhando, igualmente, desde 2010, o cargo da CPC do PS de OliEmpresário com formação veira de Azeméis. Sob a sua liderança e a esperança num futuro melhor”, em Engenharia o Partido Socialista concelhio “tem defende a CPC do PS em comunicado Residente na freguesia de Cucu- feito uma intervenção política séria à imprensa. jães, casado e pai de duas filhas, é e responsável, tendo como princíJoaquim Jorge Ferreira assume-se licenciado em Engenharia Eletrotéc- pio orientador da sua ação a defe“consciente da difícil situação finan- nica e Computadores pela Faculdade sa intransigente dos interesses dos ceira da autarquia e profundamente de Engenharia da Universidade do oliveirenses”, pode ler-se no mesmo conhecedor dos muitos problemas Porto e conta com uma bem sucedi- documento.

> ISABEL MARIA CALEJO DESCOBRE 11 MANEIRAS DIFERENTES DE USAR O LENÇO DA CABEÇA NO SÉC. XIX

A riqueza da nossa etnografia em boas mãos A pesquisa assídua faz parte do quotidiano de Isabel Maria Calejo e tem contribuído para a descoberta de pormenores interessantes sobre os costumes dos nossos antepassados. Por exemplo: As mulheres do séc. XIX atavam os lenços de mais de uma dezena de maneiras! Isabel Maria Calejo não precisa de apresentações. No que ao folclore e etnografia popular da nossa região diz respeito, ninguém melhor para se conversar, descobrindo-se usos e costumes de outrora, que nunca nos passaram pela cabeça. Quem algum dia pensou ser possível que, no nosso concelho, em finais do séc. XIX, as mulheres tivessem uma imaginação tão fértil ao ponto de conseguir usar o lenço da cabeça (sob os chapéus) de 11 maneiras diferentes, pelo menos? Pois bem. Foi isso mesmo que a diretora do Grupo Folclórico de Cidacos provou, através de uma foto de 1890, descoberta entre os seus pertences herdados de antepassados, quando o agrupamento de que é fundadora apenas tinha conhecimento de três. Um

pormenor que veio enriquecer a história etnográfica de Oliveira de Azeméis. Mas há mais, como Isabel Maria Calejo confidenciou ao Correio de Azeméis: “Relativamente aos homens, verificou-se que os que trabalhavam na lavoura usavam chapéus de felpo velho e que mandavam cobrir ou com cotim, ou remendavam; ou, então, usavam boné”. Ao nível dos trajes da região, um outro pormenor em que esta grande senhora do folclore português se tem debruçado é sobre xailes, tendo mesmo promovido uma mostra recentemente na cidade. “Quanto aos xailes - explica à nossa reportagem - obteve-se conhecimento dos seus vários tipos, através do questionamento a várias pessoas da região de Aveiro”, aliás sua terra-natal. “Averiguou-se, então, que existiam xailes de franja grande e trabalhada, de franja curta, de veludo e fazenda”. As pesquisas e estudos realizados sobre estas matérias ocuparam Isabel Maria Calejo e o seu grupo folclórico, aproveitando, com isso, para assi-

Esta foi a foto que deu origem a mais um estudo etnográfico de Isabel Maria Calejo. Numa análise atenta veem-se 11 maneiras diferentes de se colocar o lenço por baixo do chapéu

O xaile da esquerda é caraterístico do nosso concelho, enquanto que o outro é, supostamente, de Aveiro.

nalar os 35 anos da Federação de Folclore Português (FFP), comemorados o ano passado, organismo a que pertence desde a sua fundação. Até porque

um dos objetivos da FFP é “a Parabéns D. Isabel Maria, pesquisa, recolha, defesa, es- continuamos a confiar no seu tudo e divulgação de todas as amor e paixão a causas como esformas da tradição cultural tas. Todos nós saímos a ganhar. ANGELA AMORIM popular dos portugueses”.


08

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

CONCELHO

> ATRAVÉS DA SUA DIVISÃO MUNICIPAL DE AMBIENTE E CONSERVAÇÃO DA NATUREZA

Câmara convida escolas a celebrarem Semana da Água No âmbito do Plano de Educação Ambiental para a Sustentabilidade 2012/2013 (PEAS), a Divisão Municipal de Ambiente e Conservação da Natureza da Câmara de Oliveira de Azeméis vai comemorar, de 11 a 15 de março, a Semana da Água. A celebração desta semana temática, que decorre entre 11 e 15 de março, vai consistir no desenvolvimento da Campanha de Sensibilização para o Consumo Humano de Água da Torneira, em parceria com as Águas do Douro e Paiva (AdDP), completandose ainda o ciclo urbano da água com um dia aberto na Estação de Tratamento de

A celebração da Semana da Água, no nosso município, também contempla uma visita à ETAR do Salgueiro, em Santiago de Riba-Ul

Águas Residuais do Salgueiro (ETAR), em Santiago de Riba-Ul, para visita em parceria com a entidade gestora, a Luságua. Os objetivos da Semana da Água abrangem, assim,

os da campanha ‘Beba Água da Torneira’ da AdDP, tendo também em vista alertar a comunidade escolar para a importância de tratar a água residual doméstica, de modo a evitar a poluição e contami-

nação dos rios e dos solos. De salientar que a AdDP, ao desenvolver esta iniciativa, pretende evidenciar a qualidade da água da torneira, transmitindo o valor confiança; promover o consumo

de água da torneira junto dos consumidores domésticos; e, por último, sensibilizar a população para o consumo de água da torneira, promovendo novas práticas e novos hábitos. E, precisamente, nesse sentido, a Divisão Municipal de Ambiente e Conservação da Natureza convida as escolas sede do Agrupamento de Escolas Dr. Ferreira da Silva, que inclui a escola básica e secundária com o mesmo patrono, de Cucujães, e a sua congénere Comendador Ângelo Azevedo, de S. Roque, bem como a Escola Básica e Secundária Ferreira de Castro, a participarem na Semana da Água, com a realização de sessões informativas das AdDP, nos estabelecimentos de ensino, que devem ser dirigidas, até, ao máximo, de quatro turmas do 3.º ciclo por sessão, de acordo com o espaço disponível em cada unidade escolar. O convite é ainda abrangente à visita à ETAR do Salgueiro, nos próximos dias 14 e 15 de março.

> NA GALERIA GERALDES DA SILVA NO PORTO

Mizé expõe ‘Trajecto Artístico’

exposição de pintura na Galeria Tomás Costa. No sábado passado, chegou ao fim mais uma a nascido no Porto, em 1955, quem teve Desta feita, foi Manuel Da Costa (2.º à esq.ª), artist amento público oliveirense situado na Praça trabalhos da sua autoria expostos neste equip o desta mostra aconteceu no passado dia da Cidade, em Oliveira de Azeméis. A inauguraçã da Animação Sóciocultural da Câmara, 09, tendo contado com a presença da vereadora idades ligadas à cultura concelhia. Gracinda Leal (na foto), além de outras individual

A próxima exposição de Maria José Silva, mais conhecida por Mizé, vai ter lugar na Galeria Atelier Geraldes da Silva, no n.º 225/229 da Rua St.º Ildefonso, no Porto. Intitulada ‘Trajecto Artístico’, esta nova mostra da artista natural de Viseu, há muito radicada em Oliveira de Azeméis, vai estar patente ao público de 02 a 28 de março, de segunda-feira a sábado, das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 19h00. A inauguração está marcada para 02 de março, pelas 17h00. De notar que esta é a 11.ª exposição individual de Mizé e a sua primeira de 2013.


CONCELHO

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

09

> TRATAMENTO PARA AUTISMO DESENVOLVIDO NOS EUA TAMBÉM É APLICADO EM PORTUGAL

‘The Son-Rise Program’ “coloca os pais como professores chave” Gisélia Nunes

A pouco mais de um mês do Dia Mundial do Autismo (02 de abril), o Rotary Club trouxe à discussão aquela que é a mais comum e conhecida manifestação das perturbações do espetro do autismo (PEA), fornecendo, através de uma palestra, informação sobre a importância do diagnóstico e da intervenção precoces. GISÉLIA NUNES

Com esta iniciativa que, no passado dia 20 de fevereiro, organizou em parceria com a autarquia oliveirense, o Rotary Club de Oliveira de Azeméis (RCOA) encheu, literalmente, a Sala Polivalente da Biblioteca Municipal Ferreira de Castro (BMFC), tendo contado com a presença, na qualidade de palestrante, de Susana Silva. Durante cerca de duas horas, a presidente da Associação Vencer Autismo (AVA) falou sobre o ‘The Son-Rise Program’ para uma plateia muito interessada que, no final, não se inibiu de usar o ‘tempo de antena’ que lhe estava reservado para colocar questões para fazer, exatamente, isso. Mas, afinal, o que é isto do ‘The Son-Rise Program’? Na BMFC, Susana Silva debruçou-se sobre o ‘The Son-Rise Program’ – não fosse a AVA a única organização portuguesa que, por enquanto, o aplica em Portugal. Trata-se de um programa de formação para pais e formadores que cuidam de crianças com autismo, criado nos Estados Unidos da América (EUA) pelos autores e professores Barry Bears Neil Kaufman e Samahria Lyte Kaufman, em 1974, quando ao seu filho Raun foi diagnosticado autismo grave e incurável.

Convidada pelo Rotary Club, Susana Silva (em 1.º plano) veio a Oliveira de Azeméis falar sobre o ‘The Son-Rise Program’

> PRESTE ATENÇÃO A DETERMINADOS SINAIS DE ALERTA

Já são cerca de 67 milhões os autistas no mundo Segundo a Vencer Autismo, não existe qualquer método de diagnóstico médico ou ‘cura’ para o autismo, mas um diagnóstico e uma intervenção precoces são sempre fatores de sucesso em crianças com autismo, que podem chegar a ter uma vida livre e independente. Por isso é que, também de acordo com a mesma associação, convém aos pais estarem atentos a determinados sinais que podem indicar que o seu filho está em risco, devendo, se for esse o caso, pedir ao pediatra ou médico de família uma avaliação imediata. Por exemplo, devem prestar atenção se o seu Feito em casa, sendo esta tida “como o ambiente mais estável e encorajador para ajudar” o autista, “coloca os pais como professores chave” – até, “porque ninguém conhece melhor os nossos filhos como nós” – e orienta-os “passo a passo, permitindo que os seus filhos melhorem drasticamente em todas áreas de aprendizagem, comunicação social, desenvolvimento”, etc.. Tratar com amor e respeito Em vez de forçar uma criança autista a obedecer a um mundo que ainda não entende, com o ‘The Son-Rise Program’ procura-se envolvê-la, primeiro, no seu mundo, devendo os pais, ou outras pessoas que também lhe são próximas, esforçaremse por entender o que será mais

bebé não ri ou não tem outra expressão de felicidade dos seis meses em diante; não imita sons, sorrisos ou qualquer outra expressão facial a partir dos nove meses; não palra aos 12 meses; não aponta, agarra, mostra ou acena aos 12 meses; não diz qualquer palavra aos 16 meses; não diz frases de duas palavras com sentido (sem imitar ou repetir) até aos 24 meses; não responde ao seu nome quando, por volta dos dez meses, é chamado; ou perde qualquer tipo de linguagem ou aptidões sociais a qualquer idade. Atualmente, cerca de 67 milhões de pessoas são afetadas pelo autismo ao nível mundial, prevendo-se que, este ano, vão ser mais as crianças diagnosticadas com este distúrbio neurobiológico do que com diabetes, cancro e HIV juntos.

eficaz para o seu crescimento individual. Este tratamento para autismo desenvolvido por pais nos EUA “abraça as expressões físicas e emocionais do autismo, com carinho e compreensão”, centrando-se “no respeito e no carinho profundos como os mais importantes factores para promover a motivação da criança para aprender”. O treino é diário e intensivo, ao longo do qual as “estereotipias” (comportamentos repetidos em isolamento e para a sua própria satisfação) da criança são imitados pelo adulto, que, deste modo, mostra interesse e tenta entrar, através dessa porta, para o interior daquela. Só a título de curiosidade, ao longo destas três décadas, mais de 25 mil famílias, oriundas

de mais de 80 países, já foram ajudadas pelo ‘The Son-Rise Program’. A sua pode ser a próxima…por isso, caso esteja interessado em saber mais acerca deste programa pode obter outras informações junto da AVA, na sua sede situada na Rua de Gondarém, no Porto, através do telefone n.º220931390,do telemóvel 914279669, do email info@vencerautismo.org ou em www.vencerautismo.org. No entanto, fica a nota que existem outros métodos e programas. Susana Silva esmiuçou apenas o ‘The Son-Rise Program’, porque foi convidada com esse intuito, contudo, “há outras ajudas”. Na sua ótica, o importante é “cada pai saber o que existe”, para, depois, escolher o melhor para si e para o seu filho.

> “ESTAS CRIANÇAS APARECERAM PARA NOS MOSTRAR O AMOR INCONDICIONAL”

Elevado número de casos pode não ser casual “Cada vez mais existem autistas, o que pode não ser por acaso”. A afirmação é de Susana Silva, também ela mãe de uma adolescente autista. Para a presidente da Associação Vencer Autismo (AVA), “possivelmente, estas crianças apareceram para nos mostrarem o que é o verdadeiro amor incondicional”, porque, “mesmo que não mudem, vamos continuar a amá-las tal como elas são”. A responsável falava, já no fim desta palestra promovida pelo Rotary Club de Oliveira de Azeméis, com conhecimento de causa e, como tal, mostrando convicção no que dizia: “Estamos a falar de crianças super felizes no seu mundo (…). Só temos mesmo de aprender a aceitá-las como são”. Questionada sobre se era a favor do uso de medicação, foi perentória: “Não aconselho a medicação”. Susana Silva admitiu já ter dado, em tempos, medicamentos à filha, mas também disse não querer voltar a fazê-lo. Isto, “porque – conforme justificou – o problema vai continuar lá e no dia em que o medicamento desaparecer tudo virá ao de cima”. A líder da AVA terminou defendendo, uma vez mais, que “o segredo está na intensidade do trabalho [que é desenvolvido com o autista]”. “Estas crianças precisam de um acompanhamento constante”, reforçou a ideia.


10

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

CONCELHO

> DIA DOS NAMORADOS VIVIDO NA MISERICÓRDIA DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

‘Um circuito de amor’ Dia de S. Valentim… dia em que se trocam presentes, cartões e caixas de bombons para celebrar a união amorosa entre casais. Uma data que a Misericórdia oliveirense assinalou devidamente. A Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis não poderia deixar de comemorar este dia e proporcionou um programa especial ‘Dia dos Namorados’ às gerações que integra (idosos e crianças). Já no dia 13, contaram com o Coro e a Tuna da Universidade Sénior, que presentearam os utentes com músicas tradicionais e serenatas. No dia do cupido propriamente dito, 14 de fevereiro, ambas as gerações participaram no ‘Circuito do amor’, que se caraterizou por diversas oficinas: ‘O amor está no ar’, para deixar mensagens e desenhos relacionados com o dia, em balões; ‘Postais para apaixonar’ e o ‘Correio da amizade’; ‘Cozinhar com amor’, onde puderam confecionar bolachas em coração e

A Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis cantou... e encantou a Misericórdia oliveirense

Ao som de músicas românticas e com um balão na testa, os mais pequeninos mostraram os seus dotes para a dança

fazer espetadas de fruta com balão na testa, puderam mechocolate; e ‘A mexer vais xer e mostrar os seus dotes aquecer’ que, ao som de mú- para a dança. sicas românticas e com um O dia foi animado, muito

apaixonante e, mais uma vez, as gerações cruzaram-se partilhando os valores do amor, carinho e amizade.

> DE 22 A 26 DE MARÇO

Concurso de Instrumentos de Sopro Terras de La Salette

O Concurso Internacional de Instrumentos de Sopro ‘Terras de La Salette’ realiza-se na cidade de Oliveira de Azeméis entre os dias 22 e 26 de março. Lançado em 2006 pela Câmara Municipal oliveirense, a iniciativa está aberta aos instrumentos de madeiras e metais, sendo que a inscrição é efetuada com o preenchimento de um boletim próprio. A forte adesão que o certame registou logo na primeira edição, de caráter local e regional, resultou no seu alargamento aos níveis nacional e internacional. Mais informações em http://sopros.cm-oaz.pt.

> BASTA PREENCHER O ANEXO H, CAMPO 901 DO QUADRO 9

Apoie uma instituição através do seu IRS

de Carvalho (CAFPC) solicita, ao Correio A direção do Centro de Apoio Familiar Pinto entos ao ‘Grupo Boa Vontade’ pelo de Azeméis, para apresentar os seus agradecim seu trabalho de angariação junto do donativo oferecido à instituição e que resultou os votos de felicidades”, reçam ende de empresas e particulares. “A todo o grupo, ira. Olive agradece o presidente António J. Resende de

Sem qualquer custo adicional – lei n.º 16/2001 – IRS: para o contribuinte, os cidaCentro de Apoio Familiar Pinto dãos podem apoiar muitas das de Carvalho – n.º contribuinte: instituições oliveirenses, que, 500 892 725; atualmente, já têm concedida Comossela – Comissão de autorização para receber 0,5% Melhoramentos de Ossela – n.º do seu IRS, à semelhança de contribuinte: 503 601 349 outras por esse país fora. Para o efeito, basta no preenchimento N.R.: O nosso jornal disponido Anexo H, campo 901 do biliza-se a divulgar mais IPSS quadro 9, indicar o número de habilitadas a receber este apoio, contribuinte da respetiva instidesde que nos façam chegar, tuição que pretende apoiar. atempadamente, a sua denomiO Correio de Azeméis está em nação completa e o seu número condições de adiantar, já, duas de contribuinte. Vale a pena instituições particulares de socolaborar, pois apenas temos lidariedade social do concelho o trabalho do preenchimento (IPSS) que pode ajudar com a desse campo, mas sem quaissua contribuição na declaração quer custos para o cidadão, de rendimentos do ano de 2012 repita-se.


opinião M€rcados à terça

Alterações ao IRC e o investimento

José Brandão Sousa*

Um dos temas mais frequentes no (novo) discurso do governo é a necessidade de relançar o crescimento da economia. O crescimento da economia só se dá através do aumento do investimento (público e privado) e do consumo (interno e externo). Ora, tirando as exportações, o consumo é o que sabemos… O investimento nunca esteve tão baixo. Aliás, em 2012, caiu mesmo para o nível de 1960. No setor privado, o investimento faz-se, fundamentalmente, com dois fins: para aumentar a capacidade de produção e/ou para substituir equipamentos por outros mais atualizados e com maior produtividade. Com o objetivo de relançar o investimento, o governo está estudar uma iniciativa interessante de redução do IRC. A Comissão da Reforma do IRC, presidida por António Lobo Xavier, encara a possibilidade de o Estado conceder um benefício fiscal, de até 70% do IRC, para as empresas que invistam os lucros obtidos. Esta medida permitiria colocar em pé de igualdade as empresas existentes, já a laborar, com as que se vão constituir para as quais também se estudam isenções fiscais da mesma ordem de grandeza. Ainda estão por definir os ativos a considerar para que as empresas possam ser favorecidas com este benefício. Na minha opinião a utilização direta de lucros para integração (reforço) no capital social também deveria considerada, já que uma das grandes debilidades das nossas PME’s é a fragilidade dos seus capitais próprios. Este benefício poderia ser um incentivo interessante para o reforço dos capitais próprios das empresas, melhorando, assim, o seu acesso ao financiamento bancário que é a sua mais importante fonte de financiamento. Do ponto de vista da atratividade de investimentos internacionais, esta medida aumentaria significativamente a nossa ‘competitividade fiscal’, pois, como é sabido, a carga fiscal suportada pelas empresas em Portugal está 10% acima da média europeia. Mais uma vez, esta medida tem que passar pela análise da troika e no crivo da União Europeia por questões de concorrência. Mas a intervenção das associações empresariais pode também ter um papel importante nas decisões finais. Se esta medida for implementada terá com certeza um efeito benéfico no relançamento da economia. Pois investimento gera emprego que, por sua vez, gera consumo, ajudando assim a criar um círculo virtuoso de crescimento da nossa economia. Pois de círculos viciosos já temos a nossa dose… *j.brandao.sousa@olivetree.com

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

11

A Feira dos... zonzos

Miguel Ângelo Barreiro

A devastação que varreu, da Feira dos 11 e à sua volta, todas as árvores, foi um crime contra o direito soberano de um povo à sua memória, crime de lesa – pátria. E um abuso de poder de quem foi eleito para gerir a coisa pública, mas não é seu dono e senhor. Não se veja aqui uma questão partidária. Autarquias da mesma cor, em S. João Madeira e Vale de Cambra Cambra, criaram invejáveis parques; a Câmara Municipal de Espinho justificou o abate forçado de 2 – só duas! – árvores, vítimas dum temporal. E vai substitui-las. Quando os oliveirenses se derem conta das consequências da barbárie, será tarde. A natureza vinga-se. Umas chuvadas fortes e veremos como ficam os taludes que sustentam o recinto, sem a proteção natural das árvores. Ninguém de boa-fé contesta o abate de árvores doentes, ou em risco de queda iminente. Mas, se é para preservar, se há ramos a ameaçar cair, podam-se. Se falta terra às raízes, lavra-se e acrescenta-se terra. O quê? Cortando uma ou outra, as outras caíam? Em que planeta? Não nos atirem serrim aos olhos. Não se moveu uma palha para salvar os plátanos sãos. Nem uma só lágrima de crocodilo por elas. A cegueira da ‘máquina zero’ não leu o seu próprio estudo que diz: “Evitar a impermeabilização do solo, salvaguardando a longevidade das árvores existentes”. Intempéries sempre haverá. Cortamse todas as árvores para não cair nenhuma? As casas em ruinas não são perigo-

sas para crianças, velhos e novos? Atabalhoadamente, o responsável ex­plica o inexplicável. Machado quente ameaça de eutanásia qualquer árvore com “má cara”. “Podiam não cair neste ou no próximo ano, mas daqui a três ou quatro estariam mal.” Ora também eu! Mas conto não ser abatido. É dos ‘livros’: corre bem, fomos nós, corre mal ‘queima-se’ quem ‘dá a cara’. São de alívio os desabafos: “a operação foi um sucesso”; “não houve aproveitamento político”. Leia-se: uma operação premeditada; a oposição podia aproveitar-se. O vereador do Ambiente fez a festa sozinho, mas arrisca-se a apanhar as canas. O presidente da Câmara é um político profissional de muitas ‘guerras’ sem se ‘queimar’ — chapeau! — chegou ao Governo e à Liga. Ao alhear-se desta alhada sabe o que faz. Se confrontado — duvido que alguém o faça — pode assobiar para o lado. Notas, baixas, para as oposições: PS alheio, CDU silenciosa, CDS concordando e sugerindo - rinque de patinagem, desportos radicais, logo mais cimento e alcatrão. Isto dito por um democrata à séria, resta humildemente remeter a viola ao saco quem já viu estas cenas em ‘filmes’ antigos. Não as prometidas novas árvores, sim umas enfezadas ‘varas’ que se recusam a crescer (síndrome de abate?). Ah! A nova Feira será espaço verde, juro! Um Ecoponto? O cimento pintado de verde?

Sobre o amor

Artur Tavares

Na madrugada de 16 do corrente, quando ouvia rádio, numa entrevista a uma estudiosa - julgo médica - foi perguntado, pelo jornalista, onde se situa o amor: Se no cérebro ou no coração, como vulgarmente se diz, “estás no meu coração”, “vives no meu coração”, etc. etc.. Respondendo, a interpolada disse que, na verdade, o amor situa-se numa parte do cérebro e que comanda tudo o que for relativo ao amor, desde o gostar de alguém com paixão até à perda do afeto, que faz com que as pessoas se afastem mesmo quando, anteriormente, “não podiam viver um sem o outro”. Adiantou que isso acontece quando a glândula cerebral amorosa entra em fase de depressão, sendo, nesses casos, a ocasião em que o coração tem batimentos mais fortes, dando a sensação de dor e de desgosto, muitas vezes com consequências nefastas. Daí o dizer-se que o amor se situa nesse órgão essencial, pois é através dele que se faz a irrigação sanguínea de todo o organismo e, por conseguinte, também da tal glândula do amor e vice-versa. A capacidade dessa glândula faz diferença de pessoa para pessoa, pelo que algumas são precocemente apaixonadas, amorosas, afetuosas, etc., en-

quanto outras só mais tarde ou nunca sentirão tais sensações. Aliás, referiu que o amor tem diversas variáveis e começa logo a manifestar-se após o parto, com o “amor maternal”, o que é extensivo a todos os animais, pois, também eles, procuram defender os seus filhos. Conforme vão crescendo vai-se desenvolvendo entre eles a capacidade de amar e, já adolescentes ou adultos, a mesma glândula faz com que a atração por alguém aconteça naturalmente para dar continuidade às espécies. Em oposição estarão outras variáveis que, não atingindo a sua finalidade - o amor -, fazem com que os sentimentos sejam desiguais de pessoa para pessoa, como já foi referido. Quando a parte amorosa é ou aproxima-se da ideal é duradoura e as pessoas tornam-se mais alegres e irradiam boa disposição, por vezes contagiando e despertando nos outros a vontade de amar e de serem amadas. Finalizou, dizendo que o uso de drogas, como a cocaína, faz com que as mulheres dependentes, quando forem mães, os seus filhos tenham uma diminuição das funções das glândulas do amor. A ser assim... tenha-se em conta!


12

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Praça pública Acho que só no ano de 1974/75 se ouviu tanto a Grândola Vila Morena como nos últimos dias. Apesar da coincidência de datas, não foi para assinalar o aniversário da morte do grande Zeca Afonso. Foi para dar voz à indignação do povo. Já José Mário Branco dizia que a uma canção é uma arma. Esta semana foi a senhora Viviane Reding, vice-presidente da comissão europeia, a afirmar que “feliz era o país onde o povo se manifestava pela canção”! É minha convicção que muito se vai continuar a ouvir cantar nos próximos tempos. Já muito se falou de Relvas, todavia acho que este ultrapassou, esta semana, os limites da provocação. Sim porque só como provocatório pode ser entendido o seu comportamento. Depois de um período de quarentena, eis que Relvas julga que o povo esquece com facilidade. Não é assim ou, pelo menos, nem sempre é assim. Não passa pela cabeça de mais ninguém, a não ser pela de Relvas, que o mesmo possa ir a uma Universidade, onde a maioria da plateia seriam estudantes, que pagam propinas e que “dão o litro” para concluir uma formação e depois disto ouvem o Ministro Relvas a mandá-los emigrar, ele que é Dr. por equivalência ir “perurar” sobre o que quer que seja, mormente, sobre liberdade e futuro da imprensa em Portugal. Quem é que já esqueceu a história da jornalista do público? Quem é que já esqueceu o dossier RTP e a tentativa de vender a TV pública portuguesa a um outro Estado soberano? As pré anunciadas conferências realizadas por vários ministros do governo para explicar a sua política, foram transformadas em reuniões dos ministros do governo com militantes do PSD. Sim, é que até o PSD não percebe a politica deste governo. Mesmo a falar dentro de portas, estas reuniões não têm corrido muito bem. Há muita contestação interna, além daquela que já conhecemos dos militantes do PSD que as assumem em público como, Manuela Ferreira Leite, António Pacheco Pereira, Marcelo Rebelo de Sousa… e até Carlos Abreu Amorim, deputado da bancada parlamentar do PSD e candidato laranja à Câmara de Gaia. Por cá nada de novo, o nosso presidente de câmara está em perfeita sintonia com as políticas deste governo, tanto assim que fez parte da mesa numa reunião, na passada sexta-feira, em S. João da Madeira, onde esteve também Álvaro Santos Pereira para explicar a política do governo. O presidente da câmara de S. João da Madeira também esteve presente, mas na assistência, se calhar porque, também ele, não percebe aquilo que os que estavam na mesa explicavam… Que diferença!

Helena Terra

opinião

Causa comum Momento de reflexão O populismo não tem limites no seio do partido socialista, sendo a demagogia é a imagem de marca do actual líder António José Seguro. A propósito da 7 avaliação da troika a Portugal no âmbito do memorando, que foi assinado e negociado também e sobretudo pelo governo socialista de Sócrates, soubemos que António José Seguro enviou uma carta aos lideres do BCE, FMI e Comissão Europeia pedindo que esta avaliação fosse feita por políticos e não por técnicos e solicitando uma revisão rápida do memorando, ameaçando mesmo que os Socialistas poderiam deixar de apoiar e suportar o acordo que eles próprios assinaram. Seguro é um líder fraco e esse facto é óbvio para toda a gente, inclusive para os seus camaradas socialistas. Obviamente está a tentar cavalgar a legitima onda de insatisfação dos Portugueses com a austeridade, e com esta atitude pretende esconder essa fraqueza. Esta é uma atitude meramente populista e irresponsável, sobretudo para um partido que se pretende alternativa ao governo, que não apresenta propostas mas apenas diz o que sabe que o povo quer ouvir, mesmo que não possa ser realizado. O líder socialista fez tanto para que esta carta fosse publicitada que os mais atentos perceberam logo quais as suas reais intenções. Não consegui perceber se Seguro queria que a sétima avaliação fosse feita directamente pelos presidentes das três entidades que constituem a troika. O Primeiro-Ministro respondeu bem à questão, alertando que do ponto de vista político o trabalho de defesa dos interesses nacionais se fazem no dia-a-dia, sem publicidade gratuita que têm como única causa relevante o alarme dos mercados internacionais em relação à situação do nosso país. Aliás, o que Seguro conseguiu com esta atitude foi criar nos nossos credores a sensação de que do lado do PS impera a irresponsabilidade e que este partido já não preza a estabilidade política. Esta semana, a propósito da limitação de mandatos, voltou a intensificar-se a polémica sobre a constitucionalidade de os Presidentes de Camara que cumpriram 3 mandatos numa autarquia se poderem candidatar a outra diferente. A este propósito só posso perguntar o que esperam os deputados da Assembleia da República para clarificarem de uma vez por todas esta lei? Discutam, argumentem mas votem e alterem de uma vez por todas o texto da lei de forma clara ou esta situação vai-se prolongar e o problema vai aumentar e o principal perdedor poderá ser sempre a democracia portuguesa.

José Campos

Estimados leitores este fim-de-semana foi a tomada de posse da renovada comissão política do CDS-PP de Oliveira de Azeméis. Uma noite que já começa a ser rotina para muitos dos seus participantes, que já somam alguma experiencia nestas lides, e onde conseguimos misturar gerações e assim os mais velhos podem transmitir aos mais novos os anos de sabedoria Miguel Portela acumulada. A família que se foi criando contínua em franco crescimento, pelo que o número de elementos desta comissão política passou de 27 para 37 elementos, o que denota bem que apesar do intenso trabalho que temos desenvolvido não se denota o desgaste habitual em situações destas. Foi uma noite agradável onde a comissão política teve uma noite memorável, para recordar, que lhe possa servir de alento nos momentos mais difíceis. Foi uma alegria juntar no mesmo local o nosso eurodeputado Nuno Melo, confesso admirador do nosso concelho, o nosso Secretário-geral António Carlos Monteiro, os nossos deputados da nação Raul de Almeida e Teresa Anjinho, o nosso Presidente da Distrital António Loureiro e o nosso secretário-geral adjunto Pedro Magalhães. Um elenco de luxo que veio dar outro brilho a esta tomada de posse e que veio reforçar o apoio do CDS-PP nacional a esta equipa que se fortalece para o próximo mandato que terá como especial particularidade a disputa das eleições autárquicas. Em tom de festa não faltaram os habituais discursos, o convívio entre os inúmeros participantes e a surpresa reservada pela comissão politica para todos os convidados. Antes mesmo dos discursos foi feita uma exibição de danças de salão com que a organização deste jantar brindou todos os presentes, dando algum glamour a esta cerimónia. Esta tomada de posse foi um momento único e que demonstra que o CDS-PP de Oliveira de Azeméis tem vindo a crescer e a incluir novas pessoas, umas regressadas outras novas nestas andanças mas todas com o espirito de missão e focadas no concelho de Oliveira de Azemeís. Esta equipa, que continuará o seu trabalho, com missão renovada por mais dois anos, não abdicará dos seus princípios de liberdade, de solidariedade e de justiça e honrará sempre os seus opositores num debate que se espera moderado e respeitando as ideias de cada um. Foi bom ter percebido que neste meio político oliveirense existe quem perceba que apesar das diferenças de ideologia política deverá prevalecer a boa relação e o bom senso, acreditem que quem ganhará mais com isso será a população. Despeço-me com amizade


TRIBUNAIS E POLÍCIA

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

13

> NA TRAVESSA BENTO LANDUREZA

Roubada em casa pela segunda vez Um novo assalto violento, na mesma casa, em menos de dois anos, deixou os moradores em pânico. A vítima foi encontrada fechada num armário. DIANA COHEN

Um ano e quatro meses após ter sido atacada por ladrões, na sua habitação, uma mulher residente na cidade voltou a viver um pesadelo idêntico. Anabela Lima, de 44 anos, foi encontrada trancada num armário, ao final da tarde de segunda-feira passada, altura em que o marido chegou ao apartamento situado no rés-do-chão de um prédio na Travessa Bento Landureza. Segundo apurou o Correio de

todo o ouro que tinha guardado na residência. Na altura, os homens, encapuzados, que atuaram com luvas, taparam-lhe a boca e arrastaram-na para a casa de banho, onde a manietaram para, daquele modo, conseguirem ‘trabalhar’ à vontade. Revistaram, depois, a habitação, acabando por descobrir o cofre, que continha cerca de 2500 euros em ouro e 300 em notas e roubaram, ainda, um computador portátil. Para trás, os assaltantes, que tinham um sotaque estrangeiro, deixaram um rasto de destruição. Naquela tarde, Anabela Lima, que só conseguiu pedir ajuda Anabela Lima voltou a ser assaltada em sua casa, tendo, desta vez, sido trancada num quando os ladrões abandonaarmário pelos larápios. ram o local, admitiu ter ficado traumatizada com o sucedido. A mulher e o marido procuO primeiro assalto em 2011 ravam, já, uma nova morada Azeméis, a vítima, reformada da quantia monetária. por invalidez, levantara, hoDepois de descoberta, a A vítima terá revivido a tar- e, preferencialmente, uma casa ras antes, o dinheiro da pen- mulher foi transportada pelos de fatídica de 12 de outubro de que ofereça melhores condições são. Não foi possível apurar bombeiros locais para o hospi- 2011, em que surpreendeu dois de segurança. se os ladrões conseguiram le- tal, dado a estado de ansiedade criminosos violentos a assaltar A GNR deslocou-se ao local var outros objetos para além em que se encontrava. o seu apartamento e ficou sem do crime e está a investigar. PUB

> EM S. MARTINHO DA GÂNDARA

Assalto deixa moradores sem internet Dezenas de moradores da freguesia de S. Martinho da Gândara ficaram vários dias sem acesso aos serviços de telefone, internet e televisão, na sequência de um furto de fios de cobre. Foi já no passado dia 08 ou 09 que um ou mais desconhecidos subiram a, pelo menos, três postes para subtraírem cerca de 50 metros de cabos pertencentes à operadora ‘Meo’. Mas só no final da semana passada a situação ficou resolvi-

da, ainda que, durante o fim de semana, tenham chegado, ao Correio de Azeméis, relatos de residentes na zona Oeste da freguesia, que ainda não tinham acesso às linhas telefónicas. Manuel Silva, um dos lesados, morador no lugar de Pardieiro, contou que, nos últimos meses, esta é a segunda vez que tal sucede na localidade, mas nunca a operada tinha demorado tanto tempo a substituir os cabos furtados. DC

> EM CESAR

Dupla presa por agressões Dois indivíduos que terão provocado desacatos no interior de um bar situado em Cesar, na noite de sexta-feira, dia 15, reagiram mal à presença da patrulha da GNR. Segundo a Guarda, os suspeitos, de 25 e 34 anos, “de imediato agrediram os militares, que necessitaram de fazer uso da força para efetivar as detenções”. Os agentes da

autoridade atacados receberam, depois, cuidados médicos. A dupla foi presente ao Tribunal de Oliveira de Azeméis no dia seguinte, tendo o processo baixado a inquérito. Depois de interrogados, foi-lhes aplicada, como medida de coação, apresentações semanais no posto da GNR de Cesar. DC


14

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

REGIONAL Foto de Arquivo

Muitos ‘pequenos grandes artistas’ desfilaram no ‘Artes em Palco’.

CUCUJÃES> ‘ARTES EM PALCO’ DO NÚCLEO DE ATLETISMO REVELA ARTISTAS DA TERRA

Cucujães tem talento Inserido no programa ‘Noites Quentes de Inverno’, o departamento Cultural do NAC levou a cabo, no Centro Cultural de Cucujães, mais um espetáculo de variedades intitulado ‘Artes em Palco’. Isto com o objetivo de dar a conhecer artistas cucujanenses, de todas as idades, que se dedicam ao canto, música, dança ou teatro. Apesar das baixas temperaturas que se fazem sentir neste mês de fevereiro, no passado dia 16, o calor proporcionado pela cultura ‘aqueceu’ o Centro Cultural cucujanense. Perante uma sala repleta, os artistas que fizeram parte deste espetáculo, organizado pelo departamento Cultural do Núcleo de Atletismo de Cucujães (NAC),

0, No dia 04 de março, entre as 09h30 e as 13h0 uma o Lions Clube oliveirense promove mais oteca colheita de sangue. Desta vez o local é a Bibli de ira Municipal Ferreira de Castro, em Olive a Azeméis, e conta, como habitualmente, com m Pode ue. parceria do Instituto Português do Sang 65 os e 18 dar sangue todas as pessoas entre os r uma anos. Colabore, quem sabe não poderá salva (ou mais) vida(s).

PINHEIRO DA BEMPOSTA> PRÉMIOS PODEM SER RECLAMADOS JUNTO DA AUTARQUIA LOCAL

Sorteio do Carnaval 2013

A música foi uma das vertentes que esteve presente.

apresentaram o seu trabalho a um público maravilhado com o talento que surgia em palco: professora Elisabete e o seu Grupo de Dança Sénior; TEPAS – Teatro Experimental por Amadores Sanjoanense; Sociedade Filarmónica Cucujanense; Escola de Música Girassol; Instrumentos & Companhia; Ana Catarina Correia, acompanhada por Ivan Oliveira; e Irmãos Lestre. O próximo evento é uma Feira de Sabores & Fado (ver cartaz nesta página), agendado para o próximo dia 02 de março, a par-

tir das 19h30, na Casa do Torreão, em Cucujães. Além da venda de petiscos caseiros, a preço reduzido, pelas instituições de solidariedade social presentes, tem lugar, igualmente, uma ‘Noite de Fado’, que conta com a presença de Fado Sentido e Grupo de Fado do Instituto Superior de Engenharia do Porto. A entrada custa dois euros, sendo que a receita reverte a favor desta associação juvenil, sem fins lucrativos, com o estatuto de utilidade pública, que se dedica ao desporto e à cultura.

> ENTRE 27 DE FEVEREIRO E 03 DE MARÇO Município na Feira Internacional de Turismo A partir de amanhã e até 03 de março, o município de Oliveira de Azeméis vai marcar presença na BTL – Feira Internacional de Turismo, que se realiza em Lisboa, mais concretamente na FIL (Feira Internacional de Lisboa). As ‘crackies’ da Caçarola, a cerveja Vadia, o café Caravela, os queijos Indulac, o pão e a regueifa de Ul, a aletria e a torta de ovos do mestre Lindolfo são alguns dos produtos que vão ser apresentados neste certame. Em termos hoteleiros e de restauração, estarão a Quinta da Dinha, o Vale do Rio Hotel Rural e o Hotel Dighton. A BTL continua a ser o espaço de eleição para os profissionais ligados à área turística, funcionado como o grande barómetro do mercado.

Já são conhecidos os resultados do sorteio do Carnaval 2013 levado a cabo, recentemente, na freguesia do Pinheiro da Bemposta. A extração teve lugar na sede da Junta de Freguesia pinheirense, no passado dia 15, pelas 17h00, na presença de representantes das associações envolvidas no desfile carnavalesco deste

ano, sendo que os números sorteados são os seguintes: 1.º prémio – rifa n.º 109 (micro-ondas), 2.º – n.º 491 (garrafa de whisky), 3.º – n.º 523 (garrafa de espumante) e 4.º e 5.º n.ºs 115 e 79 (garrafa de vinho). Os felizes contemplados podem reclamar os respetivos prémios junto da autarquia local.


REGIONAL

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

15

PALMAZ> FOI UM SONHO DE MUITAS DÉCADAS

Bodas de ouro da estrada de Vilarinho Vilarinho de São Luís, em Palmaz, é o lugar do concelho mais distante, separando-o 16 quilómetros da cidade. Nas milenares rotas de Ribeira de Fráguas e Silva Escura, terras, respetivamente, de Albergaria-aVelha e Sever do Vouga, o isolamento deste pitoresco povoado permitiu que, consoante escreveu António Afonso de Deus, “constitua hoje um espaço relativamente intacto quando comparamos as mudanças arquitetónicas ocorridas com os demais aglomerados do município”. ANTÓNIO MAGALHÃES

Uma solidão minimizada há precisamente 50 anos, quando foi lançado o movimento que conduziu à abertura dos seis quilómetros de estrada a ligar a Nespereira de Cima, da mesma freguesia, substituindo o íngreme, apertado e lamacento trilho por onde se fazia o único acesso à civilização. Os mais antigos recordam os funerais e os turnos de sacrificados que, ao ombro, conduziam os esquifes, e, em curtas paragens do percurso, beneficiavam da merenda a reconfortar o estômago e recuperar as energias. António Rodrigues e José Amaral – pioneiros do movimento Vinham de longe os anseios por uma estrada, angústia de há muito exposta à câmara, que sempre se revelou impotente. Até que, corria o ano de 1962, dois proprietários de Vilarinho de São Luís – José Correia Amaral e António Rodrigues (Serralheiro) – conduzidos pelo jovem Almiro Rodrigues, filho do segundo e

o único possuidor de carta de condução, deliberaram expor o drama das gentes de Vilarinho ao engenheiro Cunha Amaral, que presidia à Direcção dos Serviços de Urbanização de Aveiro. (Recorde-se que José Correia do Amaral foi nomeado, em 1933, regente do posto escolar de Vilarinho, sendo, assim, o primeiro mestre de sucessivas gerações). Não desistindo perante as primeiras negativas, que assentavam na escassez de verba, o eng. Cunha Amaral viria a admitir a abertura da estrada impondo, contudo, duas condições, talvez, na sua ótica, suficientemente inacessíveis para pôr fim ao sonho dos pedintes: a oferta de todos os terrenos necessários à abertura, com renúncia a quaisquer indemnizações, e o pagamento da importância de 32 contos para suportar as despesas dos estudos, de gabinete e de campo. A planta e os cálculos elaborados pelo engenheiro Carlo Noya Coutinho, da Direção de Aveiro, informariam ser necessária a ocupação de terrenos de 125 proprietários, calculandose em cerca de 317 contos o valor das expropriações, de que todos desistiriam. 125 proprietários renunciam às expropriações 27 residentes custeiam os estudos técnicos António Rodrigues e José Amaral não eram de abandonar o sonho. Relativamente aos proprietários residentes em Vilarinho, a oferta foi fácil e imediata, pois todos desejavam uma via que os retirasse do isolamento. A dificuldade estava nos de fora, para quem, naturalmente, era reduzido o interesse. Uma visita dos três, na companhia do prior de Palmaz, a Tábua, onde residia um sacerdote proprietário também de terrenos, trouxe-lhes ânimo. Prior que ofereceria decisiva colaboração apelando nas homilias dominicais à colaboração de todos, enquanto os promotores da obra iam expondo aos mais reticentes a importância da nova via, tarefa em que Almiro Rodrigues se empenhou esforçadamente. A mobilização conduziu ao êxito, garantindo-se a oferta de todos os terrenos. De porta a porta, uma tarefa ciclópica a de

conseguir que 125 proprietários desistissem, unanimemente, das indemnizações a que tinham direito. Por outro lado, a subscrição entre os residentes, no total de 27, assegurou o apuro de 32.300$00, aparecendo António Rodrigues com a maior oferta (10.000$00), seguido pelos irmãos José e João Correia Amaral (5.000$00 cada). Atualizando a verba total, pode dizer-se que com ela era então possível a aquisição de um excelente automóvel novo. Reunidas, assim, as condições para o engenheiro Carlos Noya Moutinho avançar com os estudos, que nas considerações gerais nos falam da “riqueza florestal de Vilarinho, constituindo grande fonte de abastecimento de papel para a indústria de papel”, expressando a urgência da via: “Através dos caminhos existentes circulam camiões em condições quase inacreditáveis, pondo em perigo constante as vidas dos que trabalham neste mister e provocando um enorme desgaste de material. (…) A povoação encontra-se isolada, a mais de 6 km da via mais próxima utilizável para automóveis; a sua população necessita urgentemente de uma estrada pela qual lhes possa chegar um médico, uma ambulância, etc., enfim, um pouco de progresso”. Entrando em pormenores técnicos, referem-se os terrenos escarpados com inclinações que chegam a 40%, embora o objetivo tenha sido nunca atingir os máximos previstos pelos regulamentos, 12% nos traineis e um raio mínimo de 25 m. A faixa de rodagem foi de 5 m, mais 0,50 m em cada berma. As escavações somaram 78 600 m3 de terras e os aterros a realizar atingiram a profundidade máxima de 8 m, mas em muito pequenas dimensões. Para uma extensão de 6 050 m, previa-se o custo de 3.300.800$00, incluindo a referida verba para as expropriações, que não se consumou. De fora ficou, posteriormente construída, a ponte sobre o chamado Rio Beirô, mantendo-se a travessia em madeira suportada por gigantesco eucalipto oferecido por António Rodrigues. A estrada chegaria, finalmente, a Vilarinho de São Luís, consumava-se o sonho de sucessivas gerações.

António Rodrigues (Serralheiro) e José Correia Amaral, heróis da estrada de Vilarinho

Completar a homenagem aos pioneiros A estrada de Vilarinho celebra agora as suas bodas de ouro. Obra que nos fala de quanto são capazes os homens quando reunidos em torno de um ideal comum. Perpetuada já na toponímia,

muito justamente, a memória de José Correia Amaral, importará estendê-la ao companheiro de jornada António Rodrigues, a quem Vilarinho de São Luís deve outros gestos de generosidade, não podendo esquecer-se o contributo para a construção da capela em honra do santo padreiro. PUB


16

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

REGIONAL

Joana Almeida sabe bem o que quer, mas tem consciência que o futuro na dança não será fácil, não obstante as suas excelentes performances e o seu esforço para vencer.

OSSELA > JOANA CASIMIRO ALMEIDA É UMA BAILARINA DE ‘MÃO CHEIA’

“Sinto-me outra e noutra dimensão quando danço” Nasceu com a dança no corpo e na mente. Desde pequenina que as artes sempre fizeram parte do seu dia a dia e tomaram conta dos seus sonhos. Inicialmente a música e o canto. Agora nada mais do que a dança e... a dança!

na Escola Superior de Dança do Instituto Politécnico de Lisboa, no seu 1.º ano letivo. O primeiro semestre está ‘resolvido’ com boas notas e ótima performance. O Correio de Azeméis encontrou-a de férias e aproveitou para dar dois dedos de conversa e ver três pezinhos de dança, como só ela sabe improvisar.

“O castigo pior era tirarem-me da dança...” Ainda no 1.º ciclo do ensino básico, a Joana descobriu - com a professora de natação - a sua paixão: a dança ANGELA AMORIM criativa. Daí até à Escola de Dança Ana Luísa Mendonça Tem 18 anos, chama-se Jo- foi um ‘pulinho’, enquanto ana Casimiro Almeida e nas- foi aluna na EB 2,3 Bento ceu em Ossela. Depois de um percurso a que se entregou, de alma e coração, ao ballet clássico e/ou contemporâneo, entre outros géneros, a menina desta história real vê as portas do futuro (incerto, é certo) abrirem-se rumo ao indefinido. Sabe apenas o que quer fazer um dia mais tarde - não sabe se o vai conseguir neste país onde tudo parece cada vez mais difícil de alcançar. Dançar - aliás, como tem feito até aqui - e, de preferência, vir a fazer parte de uma Companhia profissional são os seus objetivos, pois então. Dar aulas (de dança, claro) não está fora de questão, mas, por enquanto, é uma hipótese que encara apenas a longo prazo. Entretanto tem pela frente a licenciatura em Dança

Carqueja. Já no 7.º ano mudou-se para o CEI - Centro de Educação Integral (ensino articulado), integrando a vertente de Dança. Aí teve ballet, dança contemporânea e moderna, expressão dramática e música. “Acabei com muito boas notas na área da dança, mas as outras nem por isso. Como ‘castigo’ voltei à Bento Carqueja, deixando para trás o que mais gostava. Era sempre o mesmo ‘castigo’ que me davam quando tirava notas menos famosas. Nunca tirei negativas, mas a minha mãe achava que eu podia tirar melhor notas se não me dedicasse tanto à dança. Ela sabia que esse

> SELECIONADA COM OUTROS COLEGAS DE TURMA

Jovem oliveirense atua na Futurália

A Joana e alguns dos seus colegas do 1.º ano da Escola Superior de Dança do Politécnico de Lisboa foram convidados a atuar na Futurália - Feira de Educação, Formação e Orientação Educativa, que decorre na FIL em Lisboa, entre 13 e 16 de março. O grupo - que integra alunos selecionados - vai apresentar alguns dos trabalhos feitos no âmbito da disciplina ‘Estudo do Movimento’. A jovem oliveirense apresentar-se-á numa coreografia original da sua autoria e de mais dois colegas (trio). Parabéns. Força Joana, estamos contigo!

era o pior castigo que me podiam dar”, confessou entre sorrisos. O ‘castigo’ durou pouco. A nossa bailarina é insistente e luta pelo seu sonho. “Acabei por ir para ballet e jazz para a ‘Meia Ponta’ e, mais tarde, novamente para a Ana Luísa Mendonça”. Com o 9.º ano completo, através do concurso ‘À procura de uma estrela’ - em que participou na Jobra, a jovem de Ossela viu os horizontes mais abertos e convence os seus pais a completar os seus estudos no Conservatório de Música dessa instituição da Branca, no curso profissional de Intérprete de Dança, que lhe deu a equivalência ao ensino regular (10.º, 11.º e 12.º anos). Londres na mira... A nossa Joanita, de cara catita e sempre bem disposta, conta-nos que, no 12.º ano, chegou a prestar provas em duas escolas superiores de dança em Londres, Inglaterra, tendo mesmo conseguido entrar numa delas. Porém, para além da questão económica, as saudades e o facto de nunca se ter separado da família para tão longe, foram argumentos fortes para preferir - “por enquanto, pelo menos” - ficar pelo seu país. Nas provas de aferição ao Politécnico de Lisboa Joana ‘deu nas vistas’ e não deixou por mãos alheias os seus dotes: Entre oito dezenas de candidatos obteve o 1.º lugar na área técnica e o 2.º nos restantes critérios de avaliação. Hoje em dia é uma menina feliz... com muitos sonhos. “Gostava de fazer Erasmus em Inglaterra ou na Holanda, e de dançar numa Companhia profissional. Sei bem que as saídas profissionais no nosso país e, então, nesta área, são muito poucas. Dar aulas de dança não é uma hipótese posta de parte, mas isso será para muito mais tarde. Sinto que sou muito menina para isso” [e mais um sorriso]. E se não fosse bailarina, o que gostaria de ser foi a pergunta da praxe. A resposta foi pronta: “Também gostava de seguir investigação e psicologia na área criminal” [um ramo com mais saídas, especialmente nos dias que correm - dizemos nós]. Estes são os sonhos da Joana... milhares de outros existem entre os nossos jovens que, cada vez mais, estão conscientes que o seu Portugal pouco ou nada tem para lhes dar...


REGIONAL

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

17

CARREGOSA>ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ETNOGRÁFICA S. MIGUEL DE AZAGÃES

Espetáulo de variedades de grande nível O auditório da Junta de Freguesia de Carregosa encheu para ver o espetáculo de variedades da Associação Cultural e Etnográfica S. Miguel de Azagães... e valeu a pena. A Associação Cultural e Etnográfica S. Miguel de Azagães presenteou os seus conterrâneos, que lotaram o auditório da Junta de Freguesia, com um espetáculo de

variedades, não deixando por mãos alheias os seus dotes artísticos. O festival de uma organização amadora apresentou-se a um nível que deixou até os mais céticos curvados. A jovialidade, a música, juntamente com as sátiras proclamadas, o guarda-roupa e até os novos processos de comunicação não faltaram, numa mistura que valeu a pena assistir. Tratou-se, efetivamente, de uma noite, na qual, mais uma vez, a dedicação dos componentes que têm no seu ‘comando’ uma competente líder, Sandra Aguiar, demonstrou

que tudo é possível quando o empenho, o gosto e a vontade de fazer são os ‘ingredientes’ para o sucesso, associados a uma vontade individual sem esperar qualquer retribuição. O público presente, depois de mais de três horas de animação saiu, com certeza, satisfeito e feliz - não tivesse o evento sido diversificado e de organização superior. Foi um momento de boa disposição, a que se seguiu, pelos seus colaboradores, uma simples mas honrosa homenagem a Sandra Aguiar, que mereceu o aplauso de todos os presentes.

A sátira foi um dos ‘ingredientes’ deste espetáculo de variedades da agremiação carregosense

Outro dos grandes momentos da noite

CARREGOSA > S. PEDRO QUASE QUE ESTRAGAVA O ENTRUDO

Carnaval ‘dentro de portas’ foi festa animada Integradas na ‘Baratafeira’ que, pela terceira vez, se realizou nas imediações da Praça do Comendador Fernando Teixeira, as associações de pais das escolas básicas da freguesia e, ainda, o departamento de formação da Juventude Desportiva Carregosense, assim como o Centro Social Cultural e Recreativa, prepararam tudo para fazer um desfile de Carnaval, na tarde de domingo, dia 10. Lamentou-se o mau tempo que se fez sentir. Desta vez, o S. Pedro ‘não colaborou’ e o desfile não se fez, ou melhor, não se fez como previsto, mas as razoáveis, para não dizer boas, condições do auditório para esse efeito e espaços/salas agregadas permitiram que aí se realizasse a demonstração improvisada dos participantes e se desenvolvesse uma autêntica festa carnavalesca, onde não faltaram o desfile, a dança e comes e bebes. As crianças, que eram os principais figurantes, arrastaram consigo os mais velhos e daí resultou uma festa que alegrou até os mais sisudos. Foram momentos de alegria, por vezes, mesmo deslumbrantes, que fizeram esquecer a crise. Parabéns à organização e seus colaboradores. Ficámos surpresos e admirados, pois chegámos a crer que seria um desaire, quando, afinal, tudo correu bem e de uma forma tão intensa que se fora pensada para assim ser, com certeza, não teria a imagem e o ambiente que acabou por proporcionar a quem ali se deslocou.


18

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

POLÍTICA

> SOCIAISDEMOCRATAS VISITAM O PINHEIRO DA BEMPOSTA E CONCLUEM...

“Associativismo muito forte”

Hermínio Loureiro e os seus pares do PSD visitaram as obras que estão a ser realizadas na sede da Banda de Música.

Conhecer o investimento que foi e está a ser feito pela Câmara Municipal foi o principal objetivo da visita que o PSD fez ao Pinheiro da Bemposta, segundo o press release enviado à nossa redação. Nesta deslocação socialdemocrata àquela freguesia do sul do concelho foram visitadas obras realizadas diretamente, ou através de protocolo com a Junta de Freguesia, ou ainda com associações locais. A sede da Banda de Música do Pinheiro da Bempos-

ta, onde se apreciaram as respetivas obras, foi o primeiro local a ser visitado. A filarmónica do Pinheiro da Bemposta está a renovar e ampliar a sua sede, através de uma candidatura apresentada e aprovada pelo PRODER, e que contará com um apoio da Câmara Municipal de 20% sobre o valor elegível que ronda os 200 mil euros. O presidente da Câmara Municipal, Hermínio Loureiro, garantiu aos dirigentes da coletividade essa mesma comparticipação já aprovada em reunião de executivo, assumindo levar a proposta de deliberação à próxima Assembleia Municipal. Para Hermínio Loureiro o apoio da autarquia a este tipo de investimentos é de particular importância, por-

A oportunidade para apreciar vários melhoramentos nas vias de comunicação da freguesia.

que premeia e incentiva o empreendedorismo associativo. “A Banda de Música do Pinheiro da Bemposta arriscou ao abalançar-se nesta obra e merece o apoio da autarquia. Precisamos de um associativismo forte e que não fique à espera dos subsídios e dos apoios para fazer obra”. Para o edil a visita a algumas das obras realizadas no presente mandato nesta freguesia, como o melhoramento das ruas do Vidigal, do Cimo de Vila em Tugilde, do Vale de Água, do Caminho da Feira, da Alagoa e das imediações do Lar do Centro Social, são a demonstração de que a Câmara Municipal “olha para todas as freguesias de igual forma independentemente da cor partidária da

junta de freguesia”, lê-se no comunicado da comissão política do PSD. “Temos uma visão supra partidária do território e a nossa atuação pauta-se sempre por esse princípio”, referiu Hermínio Loureiro às muitas pessoas que acompanharam esta iniciativa socialdemocrata. Para a Câmara Municipal “as juntas não têm cor. Tratamos a freguesia do Pinheiro da Bemposta como uma das 19 e não como uma freguesia da oposição”, declarou. Estação dos comboios é sede da Columbófila local Na sequência desta visita a delegação laranja passou, ainda, na cerimónia de inauguração da Associação Columbófila Pinheirense, mas já

na qualidade de convidados e não numa etapa da visita social-democrata. Ainda assim Hermínio Loureiro “destacou a vertente empreendedora dos dirigentes desta columbófila” que, como disse, “também eles não estiveram à espera dos poderes públicos para recuperar a estação dos comboios, dotando a associação com uma sede e contribuindo, dessa forma, para recuperar património histórico importante para a freguesia e para o concelho”. Revelando que a autarquia apoiou e colaborou, desde a primeira hora, para a obra, Hermínio Loureiro não deixou de desejar que “o exemplo desta associação possa ser repetido não só em Oliveira de Azeméis, mas um pouco por todo o país”.

A comitiva social-democrata esteve, desta vez, no Pinheiro da Bemposta, continuando o périplo que tem feito pelas freguesias do concelho.


POLÍTICA

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

> NESTE JANTAR DO CDSPP, QUE REUNIU MAIS DE 200 PESSOAS, AS AUTÁRQUICAS 2013 TAMBÉM FIZERAM PARTE DO ‘MENU’

Concelhia centrista assume-se como candidata Miguel Portela, neste jantar de tomada de posse da Concelhia que lidera, não quis desvendar nomes quanto aos candidatos das Autárquicas 2013, mas também não omitiu que ali estavam presentes muitos dos que, em outubro próximo, vão “lutar, nas urnas, por um concelho melhor, mais justo, mais social”.

A posse da nova Concelhia de Oliveira de Azeméis deu origem a um convívio alargado, ao qual não faltaram notáveis nacionais do CDS-PP

GISÉLIA NUNES

Depois da atuação de dois pares da Escola Ritmo das Formas, a ‘dança’ foi, realmente, outra, com os vários discursos, feitos ainda antes da nova Comissão Política Concelhia (CPC) do CDS-PP de Oliveira de Azeméis, composta por 37 elementos (mais dez do que na anterior), tomar posse, a ‘tocarem’ – embora alguns apenas ao de ‘leve’ – no assunto Autárquicas 2013. Na intervenção de Miguel Portela o tema, como seria de esperar, também foi referido, contudo, o líder da CPC centrista optou por ser vago, não adiantando quaisquer nomes de candidatos. Preferiu, antes, “assumir” “que somos candidatos a lutar nas urnas por um concelho melhor, mais justo, mais social e a fazer de Oliveira de Azeméis um local capaz de dar futuro às novas gerações (…). Temos algumas dezenas de potenciais candidatos neste grupo de trabalho e muitos fora dele, que a seu tempo serão anunciados”. “Teremos que pensar seriamente qual a opção que melhor sirva o concelho e as suas gentes, freguesia a freguesia, e numa visão global do mesmo”, acrescentou ainda a propósito. “Não fazemos promessas” Num jantar em que estiveram reunidas mais de 200 pessoas, entre elas “uma delegação de amigos fajoenses, bem encabeçados pelo nosso estimado amigo Jorge Paiva”, Miguel Portela, que já vai no seu terceiro mandato à

> CONCELHIA OLIVEIRENSE TIDA COMO “REFERÊNCIA” NO DISTRITO E NO PAÍS

são’. O deputado à Assembleia da República (AR) centrista, eleito pelo círculo de Aveiro, “Oliveira de Azeméis merece não poupou elogios “a Miguel Portela e à um vereador” do CDS-PP sua equipa de excelência”, que “tem feito um trabalho único, de contágio”, “em que Ainda faltam alguns meses para as Autárqui- todos participam no futuro coletivo de cas 2013, é certo, mas a verdade é que, neste Oliveira de Azeméis”. “O vosso sucesso é o “jantar de celebração da amizade e do à sucesso do CDS-PP, mas, acima de tudo, o vontade”, que caraterizam a ‘família centrista’, de Oliveira de Azeméis e dos oliveirenses”, no qual marcaram presença muitos indesublinhou o parlamentar. pendentes, o tema ‘veio à baila’, várias vezes, Seguiu-se António Carlos Monteiro, outro informalmente, no meio de conversas que dos convidados de renome para esta tomada iam sendo tidas ao longo do serão ou, então, de posse, e também ele falou nas próximas fazendo parte dos discursos públicos que se eleições, a realizar este ano. Referindo-se ouviram. à concelhia liderada por Miguel Portela, o António Loureiro, presidente da Distrital do secretário-geral do CDS-PP afirmou que CDS-PP de Aveiro, foi um dos que, publica- “precisamos de gente”, “que não tenha mente, tocou no assunto, defendendo que medo de ir à luta e de gastar sola do sapato” “Oliveira de Azeméis merece um vereador” e que tenha presente três princípios: “humildo Partido Popular, pois “se há concelhia dade”, “proximidade” e “coragem”. que serve de referência para todo o distriNote-se que Teresa Anjinho, deputada à AR, to” é a oliveirense, “pelo trabalho excelente e Pedro Magalhães, secretário-geral adjunto, sempre em defesa da população”. também estiveram presentes neste repasto, Raúl de Almeida ‘tocou pelo mesmo diapamas não intervieram. frente da concelhia popular, garantiu que “não seremos candidatos contra ninguém, mas, sim, candidatos por Oliveira de Azeméis e pela sua população”, respeitando “os nossos adversários” e exigindo “respeito pelas nossas ideias”. Enquanto presidente da comissão política concelhia, “cá estarei” “para dar a cara pelo que acreditamos, para tentar cumprir as nossas ambições e, acima de tudo, para fazer por cumprir os compromissos que, chegada a altura, fizermos, pois nós não fazemos promessas… assumimos, isso sim,

compromissos com o nosso eleitorado”. Miguel Portela tem consciência que não chegou “até aqui sozinho” e, por isso, fez menção a todos aqueles que, desde 2009, o têm vindo a acompanhar nesta “missão”, inclusive os que já faleceram, como foi o caso da “D.ª Ema”, “que partiu demasiado cedo”, no fundo, “a esta família a que chamamos de Comissão Política Concelhia do CDS-PP de Oliveira de Azeméis”

com seriedade e perseverança, abrindo o CDS-PP à população, incutindo um espírito de partilha e de missão, nesta equipa, atingimos um aumento de filiados na ordem dos 20%”, afirmou, com orgulho, o responsável político. “No nosso caminho, que começou em 2009, fomos, logo, para o terreno e, desde então, não mais perdemos a proximidade à nossa população”, porque “sabemos que Oliveira de Azeméis precisa de nós, da “Aumento de filiados nossa dedicação, para evoluir na ordem dos 20%” e se tornar mais competitivo”, “Trabalhando arduamente, defendeu Miguel Portela.

19 > NUNO MELO PEDE “CAUTELA PELO QUE ESTÁ EM JOGO”

Bloquistas e comunistas por detrás do ‘Grândola, Vila Morena’ Nuno Melo esteve no concelho para dar posse a Miguel Portela e aos restantes elementos da Comissão Política Concelhia do CDS-PP de Oliveira de Azeméis, aproveitando para mostrar “gratidão” a quem por cá votou nos candidatos centristas nas últimas Europeias de 2009 – “agradeço os votos de confiança”, afirmou – e também para lançar um alerta sobre o que, ultimamente, se tem passado um pouco por todo o país. Perante mais de duas centenas de militantes, amigos e simpatizantes do partido inspirado pela democracia cristã, o eurodeputado falou nas recentes manifestações contra o governo, cujos manifestantes surgem “de punho no ar” e cantando ‘Grândola, Vila Morena’ de Zeca Afonso. Em seu entender, “é bom que não confundamos protesto com intolerância”, porque, não obstante haver “muitas razões de protesto”, “o que ali está [‘camuflado’] é partido orgânico”, nomeadamente o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português, que “só querem desestabilizar”. “Temos de ter cautela pelo que está em jogo”, chamou a atenção, até, porque, “houve quem no 11 de março de 1975 tentasse impor a sua voz, excluindo a dos outros”. Nesta sua intervenção, em terras de La Salette, Nuno Melo também não ‘poupou’ os socialistas, os quais, na sua ótica, “têm de cumprir pena até ao fim”, “não merecem voltar ao poder, muito menos, com uma maioria absoluta”. Aliás, “maioria absoluta só se for mesmo no congresso do PS”, disse em jeito de ironia.


26 de fevereiro de 2013

desporto

LIGA DE HONRA> JOÃO DE DEUS ARRISCOU, MAS FORAM OS VISITANTES QUE CHEGARAM À VITÓRIA

Santa Clara eficaz derrotou Oliveirense nos descontos Alfredo Pinho

OLIVEIRENSE, 2 SANTA CLARA, 3

“Apesar de não termos feito um grande jogo tivemos muita vontade, mas não conseguimos vencer”.

Oliveirense: João Pinho; Capela, Banjai, Diego, Paulinho (Hélder Silva, 84’); Zé Pedro, Rui Lima, Zé Pedro; Carela (Ivan Santos, 49’), Avto (Carlitos, 76’) e Barry. Treinador: João de Deus.

JOÃO DE DEUS, TREINADOR DA OLIVEIRENSE

Santa Clara: Hélder Godinho; André Simões, Luiz Carlos, Accioly, Serginho; Godinho, Paulo Monteiro, Pacheco (Pedro Cervantes, 73’); Alex (Hugo Santos, 60’), Platini (Marco Lança, 90’3’) e Reguila. Treinador: Luís Miguel. Estádio Carlos Osório, em Oliveira de Azeméis. Árbitro: Luís Ferreira. Cartão amarelo: Capela (13’), Alex (21’), Godinho (28’), Platini (31’), Luiz Carlos (48’), André Simões (54’), Barry (67’), Reguila (74’ e 87’), Pedro Cervantes (80’), Hélder Godinho (82’), Accioly (85’), Paulo Monteiro (90’+1). Cartão vermelho: Reguila (87’, a.a.). Marcadores: Pacheco (9’), Reguila (45’), Zé Pedro (45’+2’), Rui Lima (55’, g.p.), Pedro Cervantes (90’+3’).

Na receção ao Santa Clara, a Oliveirense perdeu por 2-3 com o golo da vitória dos açorianos a ser marcado já no final do período de compensação pelo recém-entrado Pedro Cervantes.

“Foi um jogo excelente do Santa Clara que entrou para ganhar e uma vitória de grande qualidade”.

LUÍS MIGUEL, TREINADOR DO SANTA CLARA

Hélder Silva e o ex-Oliveirense Manuel Godinho na luta pela posse de bola

Embora a Oliveirense tenha dominado, o Santa Clara surpreendeu pela eficácia ao aproveitar as três vezes em que chegou com perigo à baliza da Oliveirense para marcar, embora com muitas culpas para a defesa da casa, que demonstrou muitas cerimónias para afastar o esférico da área. Numa jogada conduzida pelo lado esquerdo por Platini, logo aos 9’, a bola sobrou para Pacheco que, à boca da baliza, só pre-

cisou de encostar o pé para inaugurar o marcador. Na resposta, Barry esteve perto do empate, mas o remate cruzado passou ao lado do poste de Hélder Godinho com Capela a chegar também atrasado para a emenda. Com o jogo morno, mas com a Oliveirense sempre mais perigosa à procura do golo, em cima do intervalo um ‘balde de água fria’ voltou a cair sobre a formação da casa com mais uma oferta da defesa de

Oliveira de Azeméis, que deixou Reguila solto na área e à vontade para cabecear. A Oliveirense voltou a responder e esteve perto de reduzir não fosse a magnífica defesa de Hélder Godinho a um remate à meia volta de Zé Pedro. Mas, na jogada seguinte, o médio da Oliveirense rematou para a baliza sem que o guarda-redes do Santa Clara reagisse para defender no último lance da primeira parte.

A Oliveirense entrou para a segunda parte a pressionar e Rui Lima empatou de penálti a castigar mão de André Simões na área. No minuto seguinte, o médio esteve perto de colocar a Oliveirense em vantagem, mas o remate forte saiu ao poste. Já na etapa final e com o Santa Clara a jogar com dez, João de Deus arriscou tudo na busca da vitória que daria já a permanência na Liga de Honra, trocando o defesa Paulinho pelo extremo Hélder Silva, mas foram os visitantes a chegar à vitória numa jogada de contra-ataque que apanhou desprevenida a defesa da casa.

> PARA A DESLOCAÇÃO AO ESTÁDIO DO FEIRENSE

Chico Silva de fora e Guima em dúvida Depois de ter integrado a convocatória na penúltima jornada, o avançado Guima foi substituído à última da hora dos eleitos de João de Deus e já não defrontou o Freamunde, devido a uma lesão muscular na face posterior da coxa direita. O jogador, reforço de inverno da Oliveirense, tem feito apenas tratamento e, por estes dias, vai realizar exa-

mes para avaliar a gravidade da lesão pelo que, depois de ter falhado a receção ao Santa Clara, continua em dúvidas para a deslocação, domingo, ao reduto do Feirense. A saída de Guima deu lugar ao regresso de Laranjeira aos convocados dois meses depois. Uma fratura do maléolo, a 19 de dezembro, afastou o jogador dos trabalhos na equipa, mas

agora o atleta está totalmente recuperado e é mais uma opção para o técnico João de Deus. Certa é a ausência de Chico Silva dos eleitos para defrontar o Feirense na próxima jornada. O defesa esquerdo tem uma rutura na face posterior da coxa direita e vai continuar a fazer apenas tratamentos durante os próximos dias.

Guima já marcou esta época ao serviço da Oliveirense, mas agora está de fora por lesão


DESPORTO

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

2.ª NACIONAL> MAU DEMAIS PARA SER VERDADE

Último da tabela venceu em Cesar Joaquim Silva

CESARENSE, 1 LUSITÂNIA, 2

21

2.ª NACIONAL> EQUIPA BUSTELENSE NÃO PERDE HÁ SEIS JOGOS

Bustelo volta a pontuar fora de casa de António que levou a bola a embater no poste, apareceu o inevitável Rafa a empurrar a bola para o fundo da baliza, Coimbrões: Fábio Carvalho, Nando, Brandão, Joel (João Silva, 68’), Luís Paulo, fazendo o primeiro golo da Fábio Rola, Paulinho Teixeira, Paulinho Pepartida e o seu terceiro golo nantes (Tiago Lopes, 68’),Tiago Penantes, em outras tantas partidas. Até Sardinha (Ricardinho, 73’) e Nuno Pinto. Treinador: Paulo Lima. ao intervalo, o Bustelo podia ter dilatado a vantagem, mas Bustelo: Jorge; Paivinha, Luís, Renato, Gil; Tiago Filipe, Diego (Márcio, 70’), Miguel os locais também dispuseBruno (Marcelo, 85’), Azevedo; Rafa e ram de uma boa oportunidaAntónio (Gustavo, 65’). Treinador: Miguel Oliveira. de para marcar, no entanto o guardião Jorge conseguiu Parque de Jogos Silva Matos. evitar pelo que o resultado ao Árbitro: António Moreira (Vila Real) Cartão amarelo: Tiago Filipe (66’),Joel intervalo era justo. (68’), Brandão (75’), Nuno Pinto (80’), Rafa Na segunda metade, o (81’), Luís (90’+4) e Renato (90’+5) Marcadores: Rafa (30’) e Tiago Lopes Coimbrões procurou reagir (77’). à desvantagem, tal como lhes competia, e entrou forte, mas Depois do empate a equipa visitante ia conseguindo segurar a vantagem perante o líder do apesar do forte assédio à balicampeonato, o za bustelense com o guardião Jorge, mais uma vez, em plaBustelo enfrentava no de destaque, conseguindo mais uma difícil parar as investidas locais. A deslocação na formação de Miguel Oliveira ainda conseguiu incomodar a visita ao terreno do baliza local, mas seriam mesCoimbrões, que se mo os locais a chegar à igualdade numa das poucas falhas encontra num lugar defensivas da equipa bustetranquilo da tabela lense. Até final, o sinal mais classificativa. pertenceu aos visitantes que tiveram nos pés de Gustavo A equipa visitante, a neces- a melhor oportunidade para sitar de pontos para fugir aos chegar à vitória, mas, depois lugares incómodos, entrou de correr largos metros com a melhor na partida e, a jogar bola e ter tirado um defensor a favor do vento na primeira do caminho, não teve forças metade, foi superior ao seu para rematar com êxito para a adversário, criando algumas baliza, mantendo o empate até oportunidades de golo, que ao apito final do árbitro. Na iam sendo desperdiçadas pe- próxima jornada, o Bustelo los seus atacantes. recebe o Tocha, ‘lanterna verÀ passagem da meia hora, e melha’, para tentar a primeira na recarga a um cabeceamento vitória em casa esta época.

COIMBRÕES, 1 BUSTELO, 1

Cesarense: Marco, Américo, Tiago Resende, Miguel (Fadulay 46’), Fábio, Paulo Jorge, Rosas (Júlio 46’), Oliveira, Tiago Ferreira, Zé Mário (e Cris 75’) e Magno. Treinador: Joaquim Martins. Lusitânia: David Dinis, Ricardo, Dário, Miguel Oliveira, Queirós, Pomba (Vasquinho 90+2, Marreta (Diogo Picanço, 86’), Cris, Nuno Lima, Alex e Cardoso. Treinador: Francisco Faria. Estádio do Mergulhão, em Cesar. Árbitro: José Pedro Laranjeiro (Coimbra). Cartão amarelo: Queirós (52’), Miguel Oliveira (59’) e Américo (65’). Cartão vermelho: Fábio (76’). Marcadores: Zé Mário (26’), Marreta (29’) e Queirós (75’).

O Cesarense foi surpreendido em casa esta jornada pelo último classificado. A equipa do Sport Clube Lusitânia, que se deslocou dos Açores, veio vencer a Cesar por 2-1, não permitindo que a formação de Joaquim Martins fugisse aos últimos lugares. JOAQUIM SILVA

O Cesarense até foi a primeira equipa a marcar quando decorria o minuto 26, por intermédio de Zé Mário, depois da bola ter embatido primeiro na trave. Alimentaram-se as esperanças, mas a produtividade de jogo não convencia. O Cesarense jogava mal, pontapé para a frente, muitos passes errados e os insulares iam acreditando que era possível dar a volta ao resultado dado que praticavam melhor futebol. Não demorou muito tempo, três minutos bastaram e

O Cesarense contava somar uma vitória, mas dentro de campo não mostrou superioridade

surgiu o empate. Na sequência de um lançamento de linha lateral, longo, surgiu um remate ao poste da baliza à guarda de Marco e, na recarga, Marreta não deu quaisquer possibilidades ao guardião local. Estava feito o empate e as dificuldades para os comandados de Joaquim Martins aumentavam. O Lusitânia estava por cima do jogo e, apesar do lugar que ocupa na tabela classificativa, mostrava, no momento, que não era inferior ao adversário. Isto era visível, os visitantes praticavam um futebol mais apoiado, com menos erros e a acreditar mais que poderiam ganhar o jogo. Para a parte complementar, o técnico do Cesarense procurou alterar o ritmo do jogo e incentivar a equipa, refrescando-a com duas substitui-

DESENHARORES PROJETISTAS (c/ experiência CATIA) Resposta para a J R Ribeiro Moldes, Lda.

T: 256 607 047

ções em simultâneo, fazendo entrar Fadulay e Júlio para os lugares de Miguel e Rosas, mas de nada valeu e os erros de marcação mantinham-se. Foi assim que, quando decorria o minuto 75, mais um lançamento de linha a meio campo, permitiu o volte-face, dois a um. Muitas facilidades e Queirós a ficar sozinho frente a Marco, colocando ponto final num jogo que mostrou que ser último não é sinónimo de ser mais fraco. Um minuto depois Fábio foi expulso e o Cesarense ficou a jogar em inferioridade numérica até ao apito final.

PUB


22

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

1.ª DISTRITAL> EQUIPA QUEIXASE DE DUALIDADE DE CRITÉRIOS

Cucujães perde em jogo polémico ÁGUEDA, 2 CUCUJÃES, 0 Águeda: Nuno; Rony, Luís (Ricardo (70’), Samú, Stephane, Valter, Rodrigo, Fábio (José Rodrigues, 80’), Simões, Alexandre e Daniel (Rui Rodrigues, 70’). Treinador: Fernando Pereira. Cucujães: Pedro; Rebelo, Rui Correia (Miguel 45’), Telmo (Tiago Valente, 75’), Brinca, Rui Silva, Rui Miguel (Marcelo Oliveira, 83’), Jorge Amorim, Stephane, Roscas e Carlitos. Treinador: Durbalino. Estádio Municipal de Águeda. Árbitro: Paulino Duarte. Cartão amarelo: Nuno, Samú; Rui Correia, Brinca, e Marcelo Oliveira. Cartão vermelho: Paivinha (no banco). Marcadores: Rodrigo (2’) e Valter (88’).

O Cucujães perdeu na deslocação ao estádio do Águeda. O jogo começou logo por um lance polémico com Rebelo a sofrer uma falta violenta sem que nada tivesse sido sancionado e quando o jogador do Cucujães estava a receber assistência o Águeda chegou ao golo com Rodrigo a rematar e a bola ainda a ser desviada por um defesa antes de entrar na baliza de Pedro. Depois o Cucujães tentou reagir, mas o critério da equipa de arbitragem privilegiou o futebol agressivo dos homens da casa e numa dessas jogadas junto ao banco do Cucujães os ânimos aqueceram, mas de vários encostos de cabeças entre os jogadores só Paivinha (que estava no banco) foi expulso, enquanto o jogador do Águeda continuou em campo numa clara falta de critério na atribuição de cartões. Já perto do intervalo, Jorge Amorim foi agredido na cara, mas apenas foi sancionada a falta. Na segunda parte, o Cucujães entrou mais forte e Brinca ficou perto do golo, mas atirou por cima da barra. Pouco depois, canto a favor do Cucujães e ao segundo poste surgiu um desvio, mas a bola foi ao ferro da baliza de Nuno. Poucos minutos volvidos, o Cucujães chegou ao golo, mas este foi anulado por alegada falta sobre o guarda-redes que saiu à bola, metendo-se entre um aglomerado de jogadores. Já perto do final, o Àgueda chegou ao 2-0 por Valter. No final, derrota injusta do Cucujães, que vai ter de lutar contra muitas forças para conseguir a permanência. SÉRGIO COSTA

2.ª DISTRITAL> NUM GRANDE ESPETÁCULO DE FUTEBOL

Macieirense trava o líder MACIEIRENSE, 3 ESMORIZ, 3 Macieirense: Padeiro, Gustavo (Bernardo, 61’), Samu, Moisés, Brunito, Xavier, Dani, Ricardinho, Leandro (Lúcio, 72’), Padeiro II e Sérgio Gomes (Jardas, 86’). Treinador: Zé Manel.

DESPORTO

1.ª DISTRITAL> ONZE JOGOS DEPOIS, S. ROQUE VOLTA A VENCER

Exibição de luxo garante três pontos Alfredo Pinho

Esmoriz: Ricardo, Pedro Russo, Ruca, Rui, Diogo Lima, Diogo Silva, Pedro Godinho, Nuno Godinho, Samu (Carriça, 79’), Pinho (Fred, 79’) e Ratinho (Tozé, 90’). Treinador: Amadeu. Campo do Viso em Macieira de Sarnes. Árbitro: André Castro. Assistentes: André Marques e Catarina Amorim. Cartão amarelo: Diogo Silva (71’) Marcadores: Samu (34’), Padeiro II (45’+1’ e 53’), Ratinho (58’), Pedro Godinho (64’) e Leandro (65’)

Numa partida a contar para a 20.ª jornada, o Campo do Viso foi palco de um grande espetáculo de futebol, onde a divisão de pontos acaba por ser um prémio justo para cada uma das equipas. O Esmoriz entrou muito pressionante na partida e, fruto de uma boa circulação de bola, colocou muitas dificuldades à equipa da casa, que não conseguiu criar muitos lances ofensivos nesta primeira parte. Apesar disso, aos 6’, Pinho obrigou Padeiro a uma grande intervenção e, logo depois, foi a vez de Ricardo levar a melhor sobre Leandro e Sérgio Gomes. À passagem do minuto 34, Samu fez o 0-1 mas, mesmo em cima do intervalo, Padeiro II empatou, estreando-se a marcar pelo Macieirense. A abrir o segundo tempo, Padeiro II bisou na partida, mas a vantagem durou apenas 5’, já que Ratinho, com um pequeno desvio de cabeça, voltou a igualar o encontro. O 2-2 que se verificava diz bem do grande jogo que ambas as formações estavam a protagonizar mas ficou ainda melhor, pouco depois, com mais um golo para cada equipa, num espaço de apenas um minuto. Pedro Godinho adiantou novamente o Esmoriz no marcador mas logo depois, Leandro fuzilou Ricardo, estabelecendo o resultado final nuns expressivos 3-3. O Macieirense realizou o sorteio do Carnaval e os números sorteados foram os seguintes: 1º-497; 2º-730 e 3º095. Os premiados têm até ao próximo dia 30 de Abril para reclamarem os respetivos prémios. A direção agradece a colaboração de todos os que contribuíram para o sucesso desta iniciativa. PAULO RUI

O S. Roque averbou uma justa vitória na receção ao Mansores.

Onze jornadas depois de ter conseguido a última vitória, o S. Roque regressou aos triunfos no campeonato distrital, mas os três pontos não permitiram à equipa fugir do último lugar da tabela.

bem desmarcado por Fi e na cara do guarda-redes, não desperdiçou e colocou justiça no marcador. É caso para perguntar onde andava esta jovem equipa que, com troca de bolas e sempre pelos flancos, fazia o que queria da equipa contrária. O Mansores tentava parar o ‘endiabrado’ Joel, quase sempre travado em falta perante a passividade do árbitro da partida, mas, aos 83 minutos, em mais uma exceQuando Joel inaugurou lente jogada dos ‘canarinhos’, o marcador, à passagem do Joel voltou a marcar e estabeminuto 73, já o resultado leceu o resultado final peranera lisonjeiro para o Manso- te os aplausos dos adeptos da res, pois Penetra, com uma casa, que, já há três longos mão cheia de excelentes de- meses, não saboreavam os fesas, já tinha adiado o golo três pontos. ao S. Roque. No entanto, Joel, Vitória justa num jogo que

S. ROQUE, 2 MANSORES, 0 S. Roque: Hugo; Fi, Marco, Guedes, Vasquinho, Farinhas, Cuco (Casalinho), Barbosa, João Pedro (Fábio), João Marques e Joel (Rui Pedro). Treinador: Aurélio Fonseca. Mansores: Penetra; Correia, Rocha, Fábio, Rui Dolores (Jesus), Zé Luís (Luís), Marcelo, Telmo, Coelho, Bruno e André (Torres). Treinador: Pedro Silva. Complexo Desportivo do Calvário, em S. Roque. Árbitro: João Cabo. Cartão amarelo: Barbosa e Joel; Correia e André. Marcador: Joel (73’ e 85’).

teve praticamente só um sentido e que peca por um resultado escasso. Arbitragem bem tecnicamente, mas fraca no aspeto disciplinar.

> NÚCLEO SPORTINGUISTA DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS EM ASSEMBLEIA

Eleições dos corpos gerentes é dia 01 de março na sede da coletividade O Núcleo Sportinguista oliveirense reúne-se, em assembleia-geral ordinária, no próximo dia 01 de março, pelas 21h30, tendo como pontos agendados a situação atual dos sócios, apreciação, discussão e votação do relatório e contas referentes ao ano 2012, bem como análise de

qualquer outro assunto de interesse para o núcleo. De salientar que esta reunião é, também, eleitoral, estando marcada a eleição dos corpos gerentes para 2013. Se não houver quórum à hora agendada, a sessão iniciar-se-á meia hora depois. PUB

Vítor Resende Bastos - 83 Anos

- Oliveira de Azeméis Sua esposa, filhos, nora, genros, netos, bisnetos e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar, assim como a missa do 7.º dia, que será celebrada sexta-feira, dia 01 de março, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis. Agência Beira-Mar, Ld.ª - Oliveira de Azeméis - Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)


DESPORTO

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

FUTEBOL FEMININO> AFASTADA DA LUTA PELO TÍTULO, EQUIPA VAI LUTAR PELA PERMANÊNCIA

Derrota pesada e inesperada do Cesarense

FUTSAL> CAMPEONATO DISTRITAL FEMININO

2.ª DISTRITAL> PINHEIRENSE DERROTADO EM CASA

PARC vence e mantém o 5.º lugar

Erros defensivos marcaram o resultado

ARD VILAMAIORENSE, 1 PARC, 3 ARD Vilamaiorense : Tânia Paiva; Tatiana Martins, Liliana Sousa, Estela Conceição, Mara Soares. Jogaram ainda: Diana Paiva, Liliana Farelo, Catarina Baptista. Treinador: José Agostinho. PARC: Sílvia; Joana Fernandes, Daniela Ferreira, Raquel, Aida Borges. Jogaram ainda: Andreia Resende, Lena. Treinador: Hugo Tavares. Pavilhão do ADR Vilamaiorense. Árbitros: Hugo Matos e Nuno Silva. Cartão amarelo: Catarina Baptista, Diana Paiva (2) e Joana Fernandes Cartão vermelho : Diana Paiva (a.a.). Marcadoras: Diana Paiva (38’), Joana Fernandes (8’), Raquel (38’ e 39’).

Ao Cesarense resta, agora, lutar pela permanência no Campeonato Nacional Feminino.

OURIENSE, 4 CESARENSE, 0 Cesarense: Liliana, Gaby, Patrick, Diana Carmo (Eliana, 45’), Pirralha, Di Almeida, Érica, Cátia Campos (Diana Bastos, 69’), Andreia Norton, Sara Sá, Sara Lopes (Rita Lage, 81’). Treinadores: Paulo Alex/Fernando Santos/PP Ouriense: Petra, Tininha (Catarina, 81’), Ana, Anaís, Joana, Pisco, Anita (Mafalda, 65’), Tita, Mariana, Inês (Flávia, 86’), Diana. Treinador: Mauro Moderno. Campo da Caridade, em Ourém. Arbitro: Ana Aguiar (A.F. Lisboa) Cartão vermelho: Liliana. Marcadoras: Tininha (15’); Diana (17’, 35’); Tita (80’).

O Cesarense deslocou-se a Ourém, a casa do primeiro classificado, na esperança de averbar uma vitória e a possibilidade de se apurar para a fase de campeão. A equipa de Cesar não dependia só de

si, pois o Vilaverdense não poderia vencer o seu jogo. O Cesarense vinha a realizar excelentes exibições e resultados, e isso, só por si, era um grande trunfo que poderia jogar a seu favor. Mas uma inesperada exibição descolorida, apática e com muitos erros coletivos e individuais pelo meio, deitou tudo a perder, permitindo que o seu adversário infligisse uma pesada derrota. Com alguma facilidade, a equipa da casa inaugurou o marcador aos 15’, por intermédio de Tininha, cabendo a Diana marcar mais dois golos antes do intervalo. No reatamento, a equipa do Cesarense entrou melhor, determinada a limpar a má imagem deixada na primeira parte. As ‘Black Angels’ impuseram o seu jogo, criaram algumas jogadas de perigo, mas sem con-

seguir chegar ao golo. Aos 70’ uma sucessão de erros culminou com Liliana a derrubar em zona lateral uma adversária, dando lugar à marcação de uma grande penalidade e à exagerada expulsão da guarda-redes. Na conversão, já com Diana Bastos na baliza, o Ouriense, através de Tita, rematou ao poste. Até final, com o Cesarense desmotivado, a equipa da casa ainda conseguiu, em consequência de um canto, marcar mais um golo, fixando o resultado final em 4-0. Agora, resta ao Cesarense, que parte na frente do grupo da permanência, garantir pontos suficientes para, o mais cedo possível, garantir um lugar na 1.ª Divisão Nacional na próxima época. R. CASTRO

> NO PRÓXIMO DIA 17 DE MARÇO

Caminhada por Ponte de Lima O No próximo dia 17 de março, domingo, a ACREV – Vilar vai levar a efeito uma caminhada pela Ecovia de Ponte de Lima, um percurso com um total de 15 quilómetros, recomendando-se o uso de calçado impermeável para prever eventuais zonas encharcadas. Este percurso é parte integrante da Ecovia do Rio Lima, estende-se ao longo da margem esquerda do rio,

unindo as duas vilas minhotas, Ponte de Lima e Ponte da Barca. Para além das várias zonas de lazer e parques de merendas localizadas na Ecovia ao longo do rio, a comitiva pode ainda visitar o conjunto de Moinhos do Gemieiro. A concentração está marcada para as 7h00 na sede da ACREV, em Vilar, ou para as 07h15 junto ao Largo Luís de Camões (junto ao Rainha). A

caminhada terá início às 10h00 no lugar de Fundo de Oleiros, Ponta da Barca, havendo uma paragem oito quilómetros depois num café. Depois do almoço, os caminheiros têm a oportunidade de fazer uma visita ao centro de Ponte de Lima. As inscrições devem ser feitas até ao dia 11 de março pelo email acrev@sapo.pt ou pelos contactos 919 557 972 ou 965 853 137.

23

A PARC conquistou a sétima vitória consecutiva no campeonato distrital, após vencer por 3-1, a ARD Vilamiorense. A formação pindelense começou bem e à passagem do minuto oito: Joana Fernandes servida por Raquel inaugura o marcador. As locais reagiram e até ao intervalo a baliza auri-negra passou por diversos sobressaltos, principalmente nos últimos 5’, onde, não fosse Sílvia e os postes, o resultado não terminaria com a vantagem das comandadas de Hugo Tavares. A toada da segunda metade continuou a demonstrar um Vilamaiorense mais dominador, mas que ia quase sempre esbarrando na boa organização defensiva da formação visitante. Até que depois de tanto tentar, o golo do empate acaba mesmo por chegar aos 38’. Mas foi ‘sol de pouca dura’, pois, no ataque seguinte, Raquel coloca de novo a sua equipa em vantagem, após superior marcação de um livre a 15 metros da baliza. A equipa da casa vai à procura do golo do empate, mas quem acaba por marcar é a PARC, novamente por Raquel, que a um minuto do final concluiu da melhor maneira um rápido contra-ataque. Até ao final, as pindelenses ainda poderiam ter chegado ao quarto golo, mas Raquel falhou um livre de 10 metros. Vitória feliz das auri-negras que, desta forma, mantêm o quinto lugar, quando faltam quatro jornadas para o final da prova.

PINHEIRENSE, 0 VALONGUENSE, 2 Pinheirense: Carlos, Amaral (J.Renato, 70’), Perez, Alcides, Hélio, Vítor, João Silva, Garrido, Toninho (Fabrício, 75’), Pardal, Rola. Treinador: Magalhães. Valonguense: Renato, Hugo, João, Ricardo, Igor, Arye, Queirós, Carvalho (Joel, 85’), Dany (Veiga, 72’), Herlander (David, 70’), Zamorano Treinador: Paulo Rui. Estádio Jaime Rocha, em Pinheiro da Bemposta. Cartão amarelo: Arye (36’), Veiga (53’), Carvalho (73’). Marcadores: Arye (53’), Perez (54’, a.g.).

Nesta jornada, o Pinheirense recebeu o 2.º classificado, vindo de Valongo do Vouga. Num jogo sem grande fulgor por parte de ambas as equipas valeu ao Valonguense dois erros defensivos fulcrais para ditarem o resultado. Com uma equipa disciplinada, sem sanções, o Pinheirense lutou contra as adversidades do jogo, mantendo um ritmo acelerado durante a primeira parte. Arye inaugurou o marcador aos 53 minutos, fintando a dificuldade defensiva da equipa da casa. Um minuto volvido, Ricardo chutou em direção à baliza e Perez, tentando cortar a bola, introduziu-a na própria baliza. Apesar da jovialidade do trio de arbitragem, foi de realçar o seu bom desempenho durante toda a partida. No passado dia 09, o Pinheirense defrontou o Avanca, em terras vizinhas, para fazer o jogo que tinha sido adiado devia às más condições climatéricas e desta feita derrotou a equipa visitada por 2-0. A equipa do Pinheiro da Bemposta pontuou, através de Garrido, que concretizou uma grande penalidade e de Pardal, que bateu a bola nas redes da baliza adversária, depois de uma jogada construída a partir da linha de meio campo.


24 HÓQUEI EM PATINS> A JOGAR FORA DE PORTAS

Escola Livre vence Boavista e segue na Taça BOAVISTA, 1 ESCOLA LIVRE, 5 Boavista: Gil Clemente; Pedro Silva, Paulo Ramalho, Hugo Oliveira e Bruno Teixeira. Jogaram ainda: José Monteiro, Pedro Campos, Carlos Pinho e Ricardo Oliveira. Escola Livre: Hélder Cereja; Sérgio Almeida, Bruno Andrade, Ricardo Bastos e José Rodrigues. Jogaram ainda: Paulo Jesus, Rui Pinho, Daniel Gaspar, Alexandre Santos e Marco Abrantes. Pavilhão do Alfena. Árbitro: Rui Torres e Sofia Ferreira. Marcha do marcador: 0-3; 1-3; 1-5. Ao intervalo: 0-2.

A Escola Livre de Azeméis (ELA) deslocou-se ao pavilhão do Alfena para disputar o jogo a contar para a Taça de Portugal. Com as equipas a estudarem-se mutuamente, a equipa dos escolares foi desperdiçando várias oportunidades de golo até aos 10’ de jogo, quando Bruno Andrade, numa jogada de contra-ataque, inaugurou o marcador. A ELA continuou a pressionar o adversário até que, num livre direto, Sérgio Almeida aumentou a vantagem para 0-2. Na segunda parte, os visitantes continuaram a pressionar e, decididos a vencer, chegaram ao 0-3, por intermédio de Daniel Gaspar, numa jogada hábil. Mesmo assim, a equipa do Boavista continuou a acreditar noutro resultado em casa e, num remate fora da área, reduziu a desvantagem através de Hugo Oliveira. Sérgio Almeida aumentou a vantagem dos escolares e, a três segundos do final da partida, José Rodrigues ainda teve tempo para fixar o resultado final em 1-5, rematando de uma forma prendada. Foi um jogo dominado pelos escolares, tendo estes desperdiçado numerosas ocasiões de golo.

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

DESPORTO

HÓQUEI EM PATINS> ‘PIOLHO’ E GONÇALO ALVES GARANTIRAM A VITÓRIA

Oliveirense vira minhotos por duas vezes Alfredo Pinho

OLIVEIRENSE, 2 Ó. BARCELOS, 0 Oliveirense: Diogo Almeida; André Azevedo, Diogo Silva, Tó Silva e Gonçalo Alves (1). Jogaram ainda: Francisco Silva, Miguel Rocha e Ricardo Ramos ‘Piolho’ (1). Treinador: Nuno Resende. Óquei de Barcelos: Ginho; José Pedro, Luis Querido, Jorge Maceda e Rafa. Jogaram ainda: Hugo Costa, Henrique Magalhães e Fellini. Treinador: José Querido. Pavilhão Dr. Salvador Machado, em Oliveira de Azeméis. Árbitros: Luis Peixoto (Lisboa), Joaquim Carpelho (Setúbal) e Carlos Miguel (Aveiro).

A Oliveirense recebeu, este sábado, no Pavilhão Dr. Salvador Machado, a formação minhota do Óquei de Barcelos e venceu, por dois golos, sem resposta, num jogo a contar para a 20.ª jornada do Nacional da I Divisão, mantendo o terceiro lugar no campeonato.

Ricardo Ramos ‘Piolho’ abriu o marcador do Óquei de Barcelos

Derrota em Valongo após Liga Europeia Depois do jogo frente ao Liceo da Corunha, a Oliveirense defrontou o Valongo, na passada quarta-feira, tendo saído do reduto deste adversário com uma derrota, por

to bem a todas as investidas atacantes, em vinte e cinco ARTUR SILVA minutos sem golos mas muito bem disputados. Numa primeira parte sem Já na segunda metade do golos e muito equilibrada, encontro, Nuno Resende foram os guarda-redes as lançou ‘Piolho’ em campo figuras principais. Ginho, e foi ele quem inaugurou o do lado barcelense, e Diogo marcador, aos trinta e seis Almeida opuseram-se mui- minutos. Jogada de Tó Sil-

3-0. Num jogo equilibrado, a equipa de Oliveira de Azeméis dominou e procurou sempre alterar o rumo dos acontecimentos com constantes contra-ataques e remates à baliza, mas os inspirados jogadores da casa não permitiram e garantiram o triunfo.

va que, depois de passar por trás da baliza, assistiu ‘Piolho’, que, no interior da área, rematou, colocado, abrindo o marcador. Reagiu a equipa minhota, pressionando mais alto mas sem efeitos práticos, acabando por ser a Oliveirense que, por intermédio de Gonçalo

Alves, fez o segundo e fixou o resultado final em 2-0, naquele que foi o 47.º golo do jovem jogador no campeonato. Na próxima jornada, a Oliveirense defronta o ‘lanterna vermelha’ Gulpilhares que, nesta jornada, perdeu no terreno do Benfica por 21-4.

HÓQUEI EM PATINS> TAÇA DE PORTUGAL, SEGUNDA ELIMINATÓRIA

Cucujães cai diante adversário da 2ª. Divisão CUCUJÃES, 1 JUV. PACENSE, 5 Cucujães: Pedro Sereno;João Moreira,Tiago Oliveira (1) e Miguel Oliveira. Jogaram ainda: José Martins; João Teixeira, Mário Vieira, João Teles, Andrés Soares e Duarte Resende. Treinador:Rui Tavares. Juv. Pacense: Jorge Mesquita; João Paulo(4), Luís Costa, Nélson Gomes e Filipe Brandão. Jogaram ainda: Duarte Dias (1), Marcelo Ribeiro, António Leal e Nuno Leal. Treinador: Nélson Gomes. Pavilhão do Clube Desportivo de Cucujães. Árbitros: Paulo Rainha e Cristiano Jardim (Minho). Cartão azul:Miguel Oliveira e Andrés Soares. Ao intervalo:0-3.

A jogar em casa, e num encontro a contar para a Taça de Portugal, o Cucujães não conseguiu vencer este adversário da 2ª. Divisão Nacional, ficando pelo caminho na prova, num jogo em que o árbitro revelou dualidade de critérios na análise dos lances.

RUI DUARTE

O jogo começou com o Cucujães a criar algumas boas oportunidades de golo, mas, na baliza, o Juventude Pacense tinha um guardaredes que defendeu tudo e mais alguma coisa. Com o desenrolar do jogo, o Cucujães enervou-se e começou a cometer erros e disso se aproveitaram os visitantes para marcar, sendo que, ao intervalo, o resultado era 0-3. A segunda parte foi mais do mesmo: O Cucujães criava

as melhores oportunidades do jogo, mas não marcava e apenas conseguiu o seu golo de honra por Tiago Oliveira. Fora da Taça de Portugal e com o campeonato já terminado, o Cucujães, para que os seus jogadores não estejam sem jogar, vai entrar na Taça de Aveiro com as seguintes equipas: Vigor e Mocidade, Sanjoanense e Oliveira do Hospital. O primeiro jogo é já no próximo domingo, dia 03 de março, no reduto do Vigor e Mocidade, às 11h00.


DESPORTO

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

BASQUETEBOL> COM A MAIORIA DOS JOGADORES FORMADOS NO CLUBE DE AZEMÉIS

Oliveirense está perto de regressar ao convívio entre os grandes A Oliveirense está perto de regressar ao principal campeonato português de basquetebol. Uma vitória sobre o Maia, por mais de oito pontos no próximo sábado, deixa a Oliveirense a apenas um triunfo, nos restantes dois jogos que faltam disputar na fase regular, de garantir a subida à Liga Portuguesa de Basquetebol (LPB). A realizar um campeonato a roçar a perfeição, a formação de Oliveira de Azeméis apenas perdeu um jogo (frente ao Maia), mantendo-se na liderança da Proliga e a depender apenas de si para conseguir o objetivo que, na época passada, escapou por uma vitória (a Oliveirense perdeu o quinto jogo das meias-finais diante do Algés). A conquista do Troféu António Prates, ainda antes de começar o campeonato, já deixava antever o que a equipa podia fazer na prova. À passagem da 15.ª jornada, este histórico do basquetebol português soma 14 vitórias com um plantel composto, na sua maioria, por jogadores formados no emblema de Oliveira de Azeméis (à exceção de João Reveles, que começou a jogar na Oliveirense nos sub-20, e de André Pereira, formado no FC Porto). “Há um retorno maior por jogar na LPB” Com uma Taça de Portugal (2002/2003), duas Taças da Liga (2002/03 e 2005/06) e uma Supertaça (2003/04) no seu palmarés, a equipa de basquetebol da Oliveirense viu interrompido o seu percurso na Liga Profissional, onde brilhava entre os grandes da modalidade, na temporada 2005/2006. Depois de um ano

Kim Ramalho

Dos onze jogadores do plantel, nove foram formados na Oliveirense.

sem seniores, a Oliveirense regressou na época 2007/2008 na CNB2, mas esta história começa a ser desenhada a partir do momento em que Hélder Albergaria assume o comando da secção para um mandato de quatro anos. E, neste espaço de tempo que está prestes a terminar, o responsável pelo basquetebol, que admite ter ‘caído de pára-quedas’ na modalidade, está à beira da sua terceira subida de divisão e de conseguir os objetivos definidos inicialmente: fazer regressar à Oliveirense os jogadores formados no clube e colocar a equipa de novo no principal campeonato português. “Acredito que vamos conseguir a subida de divisão”, afirmou Hélder Albergaria, salientando que a base do sucesso foi constituir um “grupo forte” com jogadores formados no clube. E ascender à LPB seria um feito “bom” para a cidade e para todos os oliveirenses. “Há um

retorno maior. A Oliveirense é composta por jogadores de Oliveira de Azeméis e isso reflete-se no muito público que assiste aos jogos no nosso pavilhão”. E, em caso de subida de divisão, a Oliveirense “tinha equipa para ir aos playoffs”, sem precisar de mexidas. Depois de ter trazido para a Oliveirense jogadores que brilharam no clube nos tempos da Liga Profissional, como João Abreu, Nuno Cortez e João Reveles, o presidente afirma que o pleno era ver o atleta internacional José Barbosa, uma das peças fundamentais atualmente na Ovarense, novamente com a camisola do emblema de Oliveira de Azeméis. “Se subirmos quem sabe se isso não será possível”. “A Oliveirense é um potencial candidato à subida” Sérgio Salvador chegou ao comando técnico da Oliveirense em fevereiro do ano pas-

sado, numa altura que a equipa não estava num bom momento em termos de resultados na Proliga, e chegou ao final da temporada a lutar por um lugar no principal campeonato português. “Já tenho uma equipa com identidade de jogo e com jogadores de qualidade”, afirmou o treinador, salientando que tem um “excelente plantel” para disputar os lugares cimeiros da tabela, “mas há mais quatro ou cinco equipas recheadas de bons jogadores e com potencialidades”. No entanto, o treinador não tem dúvidas em afirmar que a Oliveirense “é um potencial candidato à subida”. Encarando a subida de divisão jogo a jogo desde o arranque do campeonato, o encontro do próximo sábado frente ao Maia, única equipa que derrotou a Oliveirense esta época, não vai fugir à regra e o pensamento dos oliveirenses estará unicamente na vitória. “Jogamos diante dos nossos adeptos, sentimo-nos muito bem a jogar em casa e a equipa cresceu muito desde esse jogo com o Maia até agora”, disse Sérgio Salvador, que comanda um grupo de jogadores em que nove dos onze que compõem o plantel foram formados na Oliveirense. As exceções são João Reveles, que chegou a Oliveira de Azeméis quando era Sub 20, e André Pereira, formado no FC Porto. O “trabalho” é apontado pelo técnico como sendo a chave do sucesso, ao qual se alia o facto da maioria dos jogadores ter sido formada no clube e de alguns continuarem a viver em Oliveira de Azeméis. “A equipa trabalha bem. A maioria dos jogadores foi formada ou tem passado pelo clube e o facto de se sentirem em casa já é importante. Depois, dentro de campo, são jogadores interessados e que dão tudo pela camisola que vestem”. Por isso, seja qual for a posição da Oliveirense no final do campeonato, Sérgio Salvador defende que “a equipa tem que sair sempre de cabeça levantada”.

25 > ÚLTIMO ANO DE MANDATO DE HÉLDER ALBERGARIA

Falta de apoios pode levar à saída do presidente

No final de mandato, Hélder Albergaria admite que está com um pé fora da Oliveirense. Confessa-se cansado por ter que encontrar sempre soluções para arranjar verbas numa altura em que os patrocinadores estão cada vez mais a desistir de apoiar. “São sempre os mesmos a ajudar e assim é difícil”, confessa o dirigente, admitindo poder continuar apenas se tiver garantias de patrocínios. E, segundo o dirigente, jogar na LPB “não é muito caro”, até porque a Oliveirense “tem a vantagem de ter jogadores de Oliveira”, não tendo, por isso, que pagar estadias nem deslocações. Às dificuldades para arranjar patrocinadores acrescem obstáculos para arranjar recintos desportivos para as equipas treinarem. “Os seniores treinam três vezes por semana e a formação anda por aí espalhada. Temos um pavilhão municipal, mas há dois meses que não o conseguimos utilizar”, lamenta o presidente da secção. Sendo a formação dos atletas para ingressar na equipa sénior uma das maiores preocupações de Hélder Albergaria, o presidente lamenta o fim da equipa sénior na Liga Profissional. “A nível do saneamento financeiro admito que a equipa saiu na altura certa, mas a nível desportivo foi péssimo, porque o fim dos seniores refletiu-se na formação. Agora não conseguimos ter jovens nos sub 14, porque em 2006 houve um vazio no minibasket”, analisou Hélder Albergaria.


2ªDist Juvenis – 2ªFase Primeiros

26

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Classificações Liga Zon Sagres Resultados – 20.ª Jornada Estoril Praia 3 1 Sporting V. Setúbal 1 0 Beira-Mar SC Braga 3 2 V. Guimarães FC Porto 2 1 Rio Ave Nacional 3 1 Olhanense Moreirense 0 0 Gil Vicente Benfica 3 0 P. Ferreira Académica Marítimo Classificação J V E D F - C Benfica 20 16 4 0 50 - 14 FC Porto 19 15 4 0 46 - 10 P. Ferreira 20 9 8 3 27 - 18 Braga 20 10 4 6 44 - 30 Rio Ave 20 8 5 7 25 - 26 Estoril Praia 20 7 4 9 30 - 29 Marítimo 19 6 7 6 19 - 28 Guimarães 20 6 6 8 21 - 32 Nacional 20 6 5 9 29 - 34 V. Setúbal 19 6 5 8 22 - 33 Sporting 20 5 7 8 20 - 25 Académica 19 4 8 7 25 - 28 Gil Vicente 20 4 7 9 20 - 31 Olhanense 20 3 8 9 21 - 31 Moreirense 20 3 6 11 19 - 34 Beira-Mar 20 3 6 11 23 - 38 Próxima Jornada – 03 Março P. Ferreira - V. Setúbal Sporting - FC Porto Gil Vicente - Nacional Rio Ave - Estoril Praia Marítimo - Moreirense Beira-Mar - Benfica V. Guimarães - Académica Olhanense - SC Braga

P 52 49 35 34 29 25 25 24 23 23 22 20 19 17 15 15

SEGUNDA LIGA Resultados – 29.ª Jornada Leixões 1 0 Benfica B Penafiel 2 0 FC Porto B V. Guimarães B ADI SC Braga B Oliveirense 2 3 Santa Clara Sporting B 5 1 Freamunde Atlético CP 1 1 Arouca Portimonense 2 1 Marítimo B Tondela 1 5 Belenenses Sp. Covilhã 1 1 Trofense Desp. Aves 1 0 Naval U. Madeira 3 0 Feirense Classificação J V E D F - C Belenenses 29 21 6 2 54 - 23 Sporting B 29 13 12 4 46 - 29 Arouca 29 14 8 7 45 - 32 Leixões 29 12 10 7 34 - 26 Desp. Aves 29 11 12 6 34 - 32 Tondela 29 12 8 9 38 - 35 Santa Clara 29 11 10 8 42 - 34 Oliveirense 29 11 10 8 39 - 34 Penafiel 29 12 7 10 30 - 25 Portimonense 29 12 7 10 40 - 38 Benfica B 29 11 8 10 48 - 37 FC Porto B 29 10 11 8 36 - 32 U. Madeira 29 9 13 7 33 - 31 Naval 28 9 11 8 37 - 38 Feirense 29 8 9 12 39 - 43 Atlético CP 29 9 6 14 30 - 41 Marítimo B 29 9 4 16 24 - 32 SC Braga B 27 5 11 11 23 - 33 Sp. Covilhã 29 5 10 14 25 - 38 Trofense 29 5 10 14 19 - 37 V. Guimarães B 28 4 11 13 14 - 31 Freamunde 29 4 7 18 24 - 51 Próxima Jornada – 03 Março Benfica B - Portimonense FC Porto B - Sporting B U. Madeira - Tondela Belenenses - Desp. Aves Arouca - Marítimo B Trofense - Atlético CP Feirense - Oliveirense Santa Clara - V. Guimarães B SC Braga B - Penafiel Freamunde - Sp. Covilhã Naval - Leixões

Juniores

Campeonato Nacional Feminino

P 69 51 50 46 45 44 43 43 43 43 41 41 40 38 33 33 31 26 25 25 23 19

2ª Divisão Nacional - Zona Centro Resultados –21.ª Jornada Sp. Espinho 1 2 Operário Cesarense 1 2 Lusitânia Anadia 0 1 AD Nogueirense S. João Ver 2 2 Pampilhosa Ac. Viseu 1 1 Benf. C. Branco Tocha 1 4 Sousense Coimbrões 1 1 Bustelo Cinfães 2 0 Tourizense Classificação J V E D F - C P Cinfães 21 12 7 2 39 - 17 43 Ac. Viseu 21 11 7 3 28 - 15 40 Sp. Espinho 21 10 7 4 26 - 17 37 Operário 21 9 7 5 34 - 22 34 Anadia 21 10 3 8 22 - 20 33 S. João Vêr 21 9 5 7 26 - 24 32 Pampilhosa 21 9 5 7 30 - 30 32 Benfi.C.Branco 21 7 9 5 32 - 25 30 Sousense 21 7 8 6 22 - 20 29 Coimbrões 20 6 9 5 27 - 28 27 AD Nogueirense 21 7 6 8 22 - 25 27 Tourizense 21 5 6 10 19 - 24 21 Cesarense 21 5 5 11 16 - 28 20 Bustelo 21 3 9 9 15 - 26 18 Lusitânia 20 3 6 11 24 - 39 15 Tocha 21 2 5 14 15 - 37 11 Próxima Jornada – 03 Março Lusitânia - Operário AD Nogueirense - Cesarense Pampilhosa - Anadia Benfi.C.Branco - S. João Ver Sousense - Ac. Viseu Bustelo - Tocha Tourizense - Coimbrões Cinfães - Sp. Espinho

Resultados – 18.ª Jornada Atl. Ouriense 4 0 Cesarense Leixões 1 4 Boavista Fut. Benfica 0 1 Vilaverdense FC C. Albergaria 4 1 Fund. L. Santos 1º Dezembro 2 0 E. F. F. Setúbal Classificação J V E D F - C P Atl. Ouriense 18 13 2 3 40 - 13 41 18 12 4 2 40 - 17 40 DifC. Albergaria 1º Dezembro 18 12 3 3 40 - 19 39 36 Vilaverdense 18 8 7 3 32 - 21 31 36 Cesarense 18 7 6 5 25 - 25 27 9 Boavista 18 6 4 8 26 - 28 22 14 Fund. L. Santos 18 6 1 11 22 - 40 19 -1 1 Leixões 18 4 2 12 18 - 38 14 -9 E. F. F. Setúbal 18 3 3 12 15 - 33 12 -11 Fut. Benfica 18 2 2 14 9 - 32 8

-5 -11 -5 -3 -11 -10 -15 -15

I Divisão Distrital

Resultados – 22.ª Jornada Calvão 0 5 AD Sanjoanense São Roque 2 0 Mansores L. Lourosa 3 2 P. Brandão Canedo 0 0 Carregosense Fermentelos 1 2 Mealhada Milheiroense 1 0 Gafanha o para Águeda 2 0 Cucujães S. Paivense 1 0 Alba B Fiães 3 1 Mourisquense Classificação J V E D F - C P L. Lourosa 22 20 2 0 70 - 9 62 AD Sanjoanense 22 19 3 0 83 - 20 60 Fiães 22 11 4 7 42 - 27 37 Águeda 22 10 7 5 38 - 29 37 Carregosense 22 10 6 6 29 - 26 36 S. Paivense 22 9 8 5 35 - 27 35 Milheiroense 22 8 8 6 36 - 31 32 Mealhada 21 8 7 6 39 - 31 31 Gafanha 22 8 6 8 21 - 26 30 P. Brandão 22 7 5 10 31 - 34 26 Mansores 22 7 5 10 26 - 38 26 Fermentelos 22 7 2 13 27 - 40 23 Canedo 22 5 7 10 21 - 28 22 Mourisquense 22 4 10 8 26 - 38 22 Alba B 22 6 3 13 29 - 44 21 Cucujães 22 5 4 13 22 - 42 19 21 4 1 16 14 - 55 13 Dif Calvão S. Roque 22 3 4 15 22 - 66 13 31 Próxima Jornada – 03 Março 17 13 Alba B - Fiães 8 Mourisquense - Calvão 2 AD Sanjoanense - São Roque 3 Mansores - L. Lourosa 8 5 P. Brandão - Canedo 5 Carregosense - Fermentelos 2 Mealhada - Milheiroense 11 Gafanha - Águeda 4 Cucujães - S. Paivense 2

-1 -4 -11 -8 -10 -13 -18 -17 -27

2ª Divisão Distrital – Série A

Resultados – 20.ª Jornada Caldas S. Jorge 1 0 Cortegaça Macierense 3 3 Esmoriz ACDR Mosteirô 0 1 Nogueirense Mosteirô FC 2 2 Alvarenga Sanguêdo 1 3 Rio Meão Soutense 4 0 Lobão Folgou: Argoncilhe o para Classificação J V E D F - C Esmoriz 17 13 2 2 45 - 9 Soutense 18 13 1 4 35 - 21 Caldas S. Jorge 18 12 3 3 31 - 18 Nogueirense 17 11 1 5 38 - 20 Macieirense 19 8 6 5 35 - 21 Argoncilhe 17 8 4 5 21 - 21 Rio Meão 19 7 6 6 29 - 22 Alvarenga 18 7 4 7 30 - 32 Lobão 18 7 3 8 29 - 35 Sanguêdo 18 4 6 8 18 - 25 Mosteirô FC 18 3 7 8 20 - 31 ACRD Mosteirô 19 2 3 14 13 - 37 Cortegaça 18 0 0 18 7 - 62 Próxima Jornada – 24 Fevereiro Cortegaça - Macieirense Esmoriz - ACRD Mosteirô Nogueirense - Mosteirô FC Alvarenga - Sanguêdo Rio Meão - Soutense Lobão - Argoncilhe Folga: Caldas S. Jorge Dif

22 13 Juniores 9 12 2 1ª Div. Nacional de Juniores 2 2ª Fase Manutenção - Norte 0 Resultados – 2ª Jornada 7 Boavista 2 3 Varzim 2 P. Ferreira 3 2 Oliveirense -1 Penafiel 0 2 Académica -3 Leixões 3 2 Freamunde -5 Classificação -12 J V E D F - C -11 Oliveirense 2 1 0 1 5 - 5 -15 Leixões 2 2 0 0 5 - 3 Académica 2 1 1 0 3 - 1 -22 Penafiel 2 0 0 2 0 - 5 P. Ferreira 2 1 1 0 o4para - 3 Varzim 2 1 0 1 4 - 4 Boavista 2 0 0 2 4 - 6 Freamunde 2 1 0 1 5 - 3 Próxima Jornada – 02 Março P. Ferreira - Penafiel Académica - Leixões Freamunde - Boavista Oliveirense - Varzim

P 41 40 39 34 30 28 27 25 24 18 16 9 0

Juvenis

1ª Dist Juniores – 2ª Fase Últimos Resultados – 4.ª Jornada Loureiro 1 2 Milheiroense Esmoriz 2 0 Pampilhosa Cucujães 1 0 Oliv. Bairro Eixense 2 5 Feirense B Dif Águeda 1 0 Argoncilhe 27 Classificação 23 21 J V E D F - C 11 Cucujães 4 3 1 0 10 - 2 0 Águeda 4 3 1 0 4 - 1 -2 Feirense B 4 3 0 1 15 - 5 -18 Esmoriz 4 2 2 0 13 - 3 -20 Pampilhosa 4 2 0 2 8 - 4 -18 Milheiroense 4 2 0 2 7 - 6 -23 Oliv. Bairro 4 1 2 1 3 - 2 Eixense 4 1 0 3 6 - 13 Argoncilhe 4 0 0 4 a1 para - 13 Loureiro 4 0 0 4 4 - 22 Próxima Jornada – 02 Março Milheiroense - Águeda Argoncilhe - Eixense Oliv. Bairro - Loureiro Pampilhosa - Cucujães Feirense B - Esmoriz

P 10 10 9 8 6 6 5 3 0 0

2ªDist Juniores–2ªFase Primeiros Resultados – 5.ª Jornada P. Brandão 5 0 Avanca

Dif

61 Sp. Paivense 3 2 Ovarense 63 Gafanha 2 0 LAAC 15 Cesarense 3 0 Furadouro 9 Sp. Espinho B 4 3 Arouca 3 Classificação 8 J V E D F 5 P. Brandão 5 4 0 1 18 8 Paivense Sp. 5 4 0 1 16 -5 Sp. Espinho B 5 3 0 2 16 -3 Gafanha 5 3 0 2 8 -12 Cesarense 5 3 0 2 10 -13 Ovarense 5 2 2 1 13 -7 Avanca 5 2 1 2 5 -12 Furadouro 5 1 1 3 11 -15 Arouca 5 1 0 4 7 -20 LAAC 5 0 0 5 4 -41 Próxima Jornada – 02 Março -44

C 4 10 12 4 7 11 9 19 15 17

P 12 12 9 9 9 8 7 4 3 0

2ªDist Juvenis – 2ªFase Últimos Série C 14 Resultados – 5.ª Jornada Ovarense 2 1 Pessegueirense 6 Avanca 0 2 Valecambrense 4 Loureiro 4 Macieira Cambra Válega Soutelo 3 Classificação 2 J V E D F - C P -4 5 3 1 1 11 - 4 10 -8Ovarense Avanca 5 3 1 1 11 - 5 10 -8 -13Valecambrense 5 3 1 1 9 - 7 10

Dif

Loureiro 4 3 0 1 9 - 5 Pessegueirense 5 2 1 2 12 - 8 Soutelo 4 1 2 1 o 9para - 2 Válega 4 0 0 4 2 - 13 Macieira Cambra 4 0 0 4 1 - 20 Próxima Jornada – 03 Março Valecambrense - Ovarense Pessegueirense - Soutelo Loureiro - Avanca Macieira Cambra - Válega

Furadouro - Arouca Sp. Paivense - Sp. Espinho B o para LAAC - P. Brandão Ovarense - Gafanha Avanca - Cesarense

2ª Dist Juniores – 2ª Fase Últimos Série B Resultados – 5.ª Jornada Rocas do Vouga 1 3 Valecambrense Caldas S. Jorge 1 1 S.V. Pereira Murtoense 1 1 São Roque Folgou: GDR Soutelo Classificação J V E D F - C P GDR Soutelo 4 3 1 0 7 - 1 10 Valecambrense 4 3 0 1 13 - 6 9 Caldas S. Jorge 3 2 0 1 6 - 5 6 S. V. Pereira 3 1 0 2 13 - 8 3 São Roque 3 1 0 2 4 - 5 3 Murtoense 4 1 0 3 7 - 15 3 Dif Rocas do Vouga 3 0 1 2 5 - 7 1 36 Próxima Jornada – 02 Março 14 Valecambrense - GDR Soutelo 13 S.V. Pereira - Rocas do Vouga 18 São Roque - Caldas S. Jorge 14 0 Folga: Murtoense

7 -2 Juvenis -6 -7 -111ªDist Juvenis – 2ªFase Primeiros Resultados – 4.ª Jornada -24 Sp. Espinho 3 1 Beira-Mar B -55

Feirense B 1 0 Arouca Avanca 2 0 Gafanha o para L. Lourosa 1 1 Oliveirense Arrifanense 0 1 Anadia Classificação J V E D F - C P Avanca 4 4 0 0 11 - 2 12 Anadia 4 4 0 0 7 - 1 12 Beira-Mar B 4 2 0 2 7 - 8 6 Sp. Espinho 4 2 0 2 5 - 6 6 Oliveirense 4 1 2 1 6 - 4 5 Arouca 4 1 1 2 6 - 5 4 Feirense B 4 1 1 2 3 - 5 4 Gafanha 4 1 1 2 3 - 6 4 L. Lourosa 4 0 2 2 4 - 8 2 Arrifanense 4 0 1 3 3 - 10 1 Próxima Jornada – 03 Março Beira-Mar B - L. Lourosa Oliveirense - Arrifanense Arouca - Avanca Gafanha - Sp. Espinho Anadia - Feirense B

2ªDist Juvenis – 2ªFase Primeiros P 34 33 31 28 26 26 20 12

Resultados – 5.ª Jornada Anadia B 1 2 Oliveirense B Taboeira B 6 1 Taboeira B Valonguense 1 2 Carregosense Oiã 1 1 Sp. Paivense Vilamaiorense 0 3 Alba Classificação J V E D F - C P Alba 4 3 1 0 9 - 2 10 Oliveirense B 5 3 1 1 12 - 7 10 Sp. Paivense 3 3 0 0 9 - 3 9 Carregosense 4 3 0 1 5 - 2 9 Anadia B 5 2 1 2 10 - 7 7 Taboeira B 0 3 Primeiros 13 - 8 6 2ªDist Juvenis5 – 22ªFase P. Brandão B 5 2 0 3 7 - 14 6 Resultados Vilamaiorense 5 1– 5.ª0Jornada 4 1 - 11 3 ValonguenseAnadia5B 1 0 2 1 Oliveirense 4 5 - 14B 1 Taboeira5B 0 6 1 1 Taboeira Oiã 4 2 -B 12 1 Valonguense Carregosense 1 2 Próxima Jornada – 03 Março Oiã 1 1 Sp. Paivense Oiã - Vilamiorense Vilamaiorense 0 3 Alba Oliveirense B - Alba Classificação Sp. Paivense J V- Valonguense E D F - C P DifAlba Carregosense 4 3 - Taboeira 1 0 9B - 2 10 8 Oliveirense B 5 3 1 1 B12 - 7 10 P. Brandão B - Anadia 3 Paivense Sp. 3 3 0 0 9 - 3 9 10 2ªDist Juvenis – 2ªFase Últimos Carregosense 4 3 0 1 5 - 2 9 10 Anadia B 5Série 2 B 1 2 10 - 7 7 4 Taboeira B Resultados 5 2– 5.ª0 Jornada 3 13 - 8 6 1 Brandão BRio Meão P. 5 21 00 S. 3 V.7Pereira - 14 6 1 Arada Vilamaiorense 5 13 01 R. 4 Nogueirense 1 - 11 3 -7 Valonguense Arouca 5 06 11 Esmoriz 4 5 - 14 1 Oiã 5 02 13 Cesarense 4 2 - 12 1 Cucujães -12 PróximaClassificação Jornada – 03 Março -18 Oiã -JVilamiorense V E D F - C P Arouca 5 4 B0- Alba 1 o20 - 6 12 Oliveirense para CesarenseSp. Paivense 5 4 0 1 19 - 9 12 - Valonguense Esmoriz 5 3 1 1 16 - 11 10 Carregosense - Taboeira B Arada 5 3 1 1 8 - 9 10 P. Brandão B - Anadia B Cucujães 5 2 0 3 16 - 14 6 Rio Meão 5 1 1 3 5 - 16 4 S. V. Pereira 5 0 2 3 1 - 5 2 R. Nogueirense 5 0 1 4 5 - 19 1 Próxima Jornada – 03 Março S. V. Pereira - Cesarense R. Nogueirense - Rio Meão Esmoriz - Arada Arouca - Cucujães

desporto

Dif

Resultados – 5.ª Jornada Anadia B 1 2 Oliveirense B Taboeira B 6 1 Taboeira B Valonguense 1 2 Carregosense Oiã 1 1 Sp. Paivense Vilamaiorense 0 3 Alba Classificação J V E D F - C P 4 3 1 0 9 - 2 10 Oliveirense B 5 3 1 1 12 - 7 10 Sp. Paivense 3 3 0 0 9 - 3 9 Carregosense 4 3 0 1 o5para - 2 9 Anadia B 5 2 1 2 10 - 7 7 Taboeira B 5 2 0 3 13 - 8 6 P. Brandão B 5 2 0 3 7 - 14 6 Vilamaiorense 5 1 0 4 1 - 11 3 Valonguense 5 0 1 4 5 - 14 1 Oiã 5 0 1 4 2 - 12 1 Próxima Jornada – 03 Março Oiã - Vilamiorense Oliveirense B - Alba Sp. Paivense - Valonguense Carregosense - Taboeira B P. Brandão B - Anadia B

0 2 2 -5 1 0 -2 Alba 2

9 7 5 0 0

Iniciados Nacional Iniciados – Manutenção Série C Dif

Resultados – 5.ª Jornada Ac. Viseu 0 1 Candal

Sp. Mêda 0 4 Repesenses 6 Lusitano FCV 2 1 Avanca 7 Folgou: Oliveirense 1 Classificação 5 J V E D F - C -1 Repesenses 4 3 0 1 11 - 3 -8 Lusitano FCV 4 3 0 1 8 - 4 -2

Ac. Viseu 5 3 0 2 11 - 6 Oliveirense 4 2 0 2 o 4para - 4 Candal 4 2 1 1 2 - 3 Avanca 4 0 1 3 3 - 6 Sp. Mêda 3 0 0 3 0 - 13 Próxima Jornada – 03 Março Oliveirense - Ac. Viseu Repesenses - Lusitano FCV Candal - Sp. Mêda Folga: Avanca

P 41 37 27 25 22 22 9

2ª Dist Iniciados – 2ª Fase Últimos Série C

Resultados – 5.ª Jornada São Roque 3 1 S. Mart. Gândara Loureiro Válega Cucujães 1 0 Macieira Cambra 7 Oliveirense C 2 1 Carregosense 5 Classificação 6 J V E D F - C P 3 5 4 1 0 15 - 6 13 3Cucujães C 5 3 2 0 12 - 7 11 5Oliveirense 2ª Dist Iniciados – 2ª Fase Últimos 6 3 0 3 9 - 6 9 -7Carregosense Série 5 2 C2 1 9 - 4 8 -10São Roque Resultados – -9S. Mart. Gândara 5 25.ª1Jornada 2 7 - 7 7 São Roque 3 2 1 S.2 Mart. -10Macieira Cambra 5 1 4 -Gândara 5 5 Loureiro Válega 4 0 2 Válega 2 3 - 5 2 Cucujães Macieira Cambra 1 0 Loureiro 5 0 0 5o para 2 - 21 0 Oliveirense C 2 –1 03Carregosense Próxima Jornada Março Classificação Carregosense - Loureiro (4-0) Dif J V ECambra D F - C P 7Cucujães Válega - Macieira 5 4 1 0 15 - 6 13 - Cucujães 5Oliveirense CSão Roque 5 3 2 0 12 - 7 11 6Carregosense S. Mart. Gândara 6 3 - Oliveirense 0 3 9 C - 6 9 3São Roque 5 2 2 1 9 - 4 8 3S. Mart. Gândara 5 2 1 2 7 - 7 7 5Macieira Cambra 5 1 2 2 4 - 5 5 -7Válega 4 0 2 2 3 - 5 2 -10Loureiro 5 3ªDivisão-Série 0 0 5 2 - 21B 0 -9 Camp.Nacional Próxima Jornada 03 Março Resultados – 15.ª–Jornada -10 Carregosense (4-0) A. Abeira Douro 3 - Loureiro Mouros 3 S. Mart. Gondomar S. João Ver 1 3 Cambra VálegaFC - Macieira Dif AA Leça 6 1 Rioodepara Moinhos São Roque Cucujães 14 U. Pinheirense 2 2 Cidade Lourosa S. Mart.Futsal Gândara - Oliveirense C 10 Lamas Arsenal Parada

Dif

Iniciados

Futsal

5 Futsal Azeméis 2 4 L. Valboense -1 Folgou: Sangemil 2 Classificação -11 J V E D F - C -4 U. Pinheirense 14 11 2 1 95 - 45 -14 S. João Ver 14 8 3 3 52 - 36

AA Leça 14 8 3 3 58 - 44 L. Valboenses 14 8 2 4 o66para - 50 Lamas Futsal 12 6 3 3 39 - 36 Arsenal Parada 13 6 3 4 48 - 34 Sangemil 12 6 2 4 37 - 30 Futsal Azeméis 13 3 3 7 34 - 50 S. Mart. Mouros 14 2 5 7 28 - 47 Rio de Moinhos 13 3 2 8 39 - 64 Cidade Lourosa 13 1 7 5 29 - 44 A. Abeira Douro 13 2 3 8 38 - 56 Gondomar FC 13 2 2 9 33 - 61 Próxima Jornada – 02 Março S. Mart. Mouros - Sangemail S. João Ver - AA Leça Leões Valbenses - Lamas Futsal Dif Rio de Moinhos - Futsal Azeméis 7 A. Abeira Douro - U. Pinheirense 6 Arsenal Parada - Cidade Lourosa 2 Folga: Gondomar FC

4 4 7 -11 -19

Hóquei em Patins

P 9 9 7 7 6 5 4 4 3 0

2ª Dist Iniciados – 2ª Fase Últimos Série C

Resultados – 5.ª Jornada São Roque 3 1 S. Mart. Gândara Loureiro Válega 7 Cucujães 1 0 Macieira Cambra 5 Oliveirense C 2 1 Carregosense 6 Classificação 3 J V E D F - C P 3Cucujães 5 4 1 0 15 - 6 13 5Oliveirense C 5 3 2 0 12 - 7 11 -7Carregosense 6 3 0 3 9 - 6 9 -10São Roque 5 2 2 1 9 - 4 8 -9S. Mart. Gândara 5 2 1 2 7 - 7 7 -10Macieira Cambra 5 1 2 2 4 - 5 5 Válega 4 0 2 2 3 - 5 2 Loureiro 5 0 0 5o para 2 - 21 0 Próxima Jornada – 03 Março Carregosense - Loureiro (4-0) Válega - Macieira Cambra São Roque - Cucujães S. Mart. Gândara - Oliveirense C

Dif

Distrital Feminino

Resultados – 26.ª Jornada S. Pedro Castelões 1 1 NEGE GB Beira Ria 1 7 ACD Gião F. Sto André 7 0 Alquerubim Vilamaiorense 1 3 PARC Pindelo o para ADRE Palhaça Veiros 2 5 CCD AMUPB F. Clube 1 4 L. Lourosa Folga: ARCA Águeda e Novasemente Classificação J V E D F - C Novasemente 22 21 0 1 239 - 13 CCD Veiros 23 19 2 2 123 - 32 L. Lourosa 22 17 3 2 162 - 28 Vilamaiorense 20 14 2 4 165 - 45 PARC Pindelo 21 13 2 6 108 - 48 ACD Gião 23 12 1 10 106 - 75 ADRE Palhaça 23 11 2 10 97 - 65 F.Sto André 22 11 1 10 65 - 73 AMUPB F. Clube 22 8 0 14 52 - 106 S.Pedro Castelões 23 6 1 16 54 - 93 NEGE 23 4 3 16 45 - 148 ARCA Águeda 21 4 1 16 39 - 163 DifGB Beira Ria 23 3 2 18 22 - 143 8 Alquerubim 21 0 0 21 11 - 294 Próxima Jornada – 01 Março 4 CCD Veiros - F. Sto. André 5 ACD Gião - S. Pedro Castelões 0 ARCA Águeda - Vilamaiorense -1 L. Lourosa - ADRE Palhaça -3 Alquerubim - Novasemente -13 PARC Pindelo - AMUPB F. Clube Folga: NEGE e GB Beira Ria

1ª Dist Iniciados – 2ª Fase Últimos Resultados – 4.ª Jornada Taboeira 1 3 Anta Cesarense 2 2 Oliveirense B Arouca Mourisquense Sp. Paivense 5 0 U. Lamas Dif Milheiroense 0 5 Arrifanense 9 Classificação 6 J V E D F - C -1 Sp. Paivense 4 3 0 1 12 - 7 -1 Anta 4 3 0 1 8 - 4 2 Oliveirense B 4 2 1 1 8 - 7 1 U. Lamas 4 2 1 1 6 - 8 -2 Taboeira 4 2 0 2 10 - 7 -3 -4 Cesarense 4 1 2 1 6 - 6 -7 Arrifanense 4 1 1 2 8 - 7 Arouca 3 1 1 1 4 - 4 Mourisquense 3 1 0 2 o 4para - 6 Milheiroense 4 0 0 4 3 - 13 Próxima Jornada – 03 Março Anta - Cesarense Oliveirense B - Sp. Paivense Arrifanense - Taboeira Mourisquense - Milheiroense U. Lamas - Arouca

P 35 27 27 26 21 21 20 12 11 11 10 9 8

1ª Divisão Nacional Resultados – 20.ª Jornada HC "Os Tigres" 3 9 HC Braga HC Turquel 4 1 AE Física Benfica 21 4 Gulpilhares Oliveirense 2 0 OC Barcelos Candelária 4 4 AD Valongo FC Porto 13 2 AD Limianos Dif Sporting 3 4 A Acad. Espinho 5 Paço de Arcos 6 3 HA Cambra o para 4 Classificação 1 J V E D F - C -2 FC Porto 20 17 1 2 152 - 60 3 Benfica 19 16 2 1 152 - 51 0 Oliveirense 20 14 2 4 120 - 73 1 AD Valongo 20 12 3 5 94 - 56 0 Paço de Arcos 19 12 3 4 81 - 55 -2 AE Física 18 10 0 8 81 - 63 -10 HC Turquel 19 9 3 7 67 - 75 HC Braga 20 9 2 9 74 - 88 Candelária 16 8 2 6 o 63 para - 56 OC Barcelos 18 7 0 11 71 - 65 HC "Os Tigres" 19 6 1 12 75 - 113 HA Cambra 20 6 0 14 66 - 105 Sporting 20 4 3 13 64 - 99 A Acad. Espinho 20 4 1 15 60 - 110 AD Limianos 19 3 1 15 64 - 125 Gulpilhares 20 3 0 17 60 - 152 Próxima Jornada – 02 Março HC "Os Tigres" - Paço de Arcos HC Braga - HC Turquel AE Física - Benfica Gulpilhares - Oliveirense OC Barcelos - Candelária Dif AD Valongo - FC Porto 9 AD Limianos - Sporting 5 A Acad. Espinho - HA Cambra 3

5 0 -1 -2 -19

o para

P 52 50 44 39 39 30 30 29 26 21 19 18 15 13 10 9

Basquetebol> No próximo sábado, Dif equipa conta com o 9 5 apoio dos adeptos 3 5 em casa 0 -1 -2 -19

Dif

9 5 3 5 0 -1 -2 -19

Oliveirense joga ‘cartada importante’ frente ao Maia o para

o para

A Oliveirense recebe sábado, dia 02, a partir Dif 50 das 21H00, a equipa do 16 14 Maia Basket para um dos 16 3 jogos mais importantes 14 7 da 18ª. jornada da Pro-16 -19 liga. A Oliveirense, que -25 -15 em quinze jogos conta -18 -28 apenas com uma derrota, o para vai defrontar um adversário que, com o mesmo número de jogos disputados, soma três derrotas. Vai, certamente, ser um jogo importante para a Oliveirense, que irá procurar o triunfo para dar um passo de gigante rumo à Liga PorP Dif 63 226 tuguesa de Basquetebol. 59 91 54 134 44 No caso da Oliveirense 120 41 60 37 31 vencer por mais de oito 35 32 34 -8 pontos, basta mais um 24 -54 19 -39 triunfo, nos dois jogos 15 -103 13 -124 que faltam, para a equi11 -121 0 -283 pa de Azeméis garantir a subida. a para Já o Maia vai procurar encurtar a distância pontual para a Oliveirense, que na primeira volta perdeu na cidade da Maia por 65-57 e, em caso de vitória, o Maia Dif 0 Basket colocar-se-á em 0 0 0 segundo lugar, com 0 0 uma derrota a mais que 0 a00 Oliveirense, ficando à Dif espera 0 de novo deslize 92 0 0 equipa de Sérgio Sal101 da 47 0 0 38 vador nos dois últimos 26 0 0 18 encontros que lhe fal-8 -14 tam disputar na fase re7 6 gular (frente ao Illiabum -38 -39 e Sangalhos, ambos fora -35 -50 de portas). Nesta situa-61 -92 ção, em caso de igualdade pontual no final, a o para vantagem para a subida pertencerá à equipa do Maia Basket. Adelino Ramos


DESPORTO/OPINIÃO

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

> DIA 10 DE MARÇO VAI REALIZAR O PRIMEIRO FESTIVAL DA MODALIDADE

Escola de patinagem artística funciona em Cucujães

A patinagem artística começa a dar os primeiros passos no concelho. Uma oferta para todos os interessados entre os 4 e os 60 anos em Cucujães.

Com milhares de atletas em Portugal, chega, finalmente, ao concelho de Oliveira de Azeméis a modalidade de patinagem artística. A escola ‘Just Show’ do Porto, em parceria com o Clube Desportivo de Cucujães, pretende aumentar a oferta desportiva neste concelho e promover a modalidade como um espetáculo desportivo. Apesar de ser uma modalidade ainda recente no Clube Desportivo de Cucujães, a patinagem artística já ganhou carinho, simpatia e interesse de muitos jovens e adultos com vontade de experimentar e aprender técnicas de patinagem. Esta escola está dividida em três grupos e é orientada pela treinadora Fátima Sousa. Tem como destinatários todos os interessados com idades compreendidas entre os 4 e os 60 anos. O grupo iniciação é formado por atletas com idades a partir dos 4 anos e que dão os primeiros passos na modalidade e, numa fase posterior, a aprendizagem das primeiras exigências técnicas gerais da modalidade.

O grupo competição conta com atletas que já adquiriram as técnicas básicas essenciais à prática federada da modalidade e têm como objetivo o aperfeiçoamento das técnicas exigidas para a competição. A componente competitiva permite a participação nas provas de aptidão, festivais e competições. Por sua vez, o grupo veteranos engloba maiores de 18 anos com vontade de aprender ou aperfeiçoar. Numa vertente mais descontraída realizam-se passos básicos de patinagem e coreografias sobre rodas. Os treinos realizam-se no pavilhão desportivo de Cucujães

(junto à igreja) todas as terçasfeiras, das 18h30 às 20h00, e sábados, das 14h00 às 15h30. Para mais informações contate a escola de dança através dos telefones 914816610 ou 916766351 ou ainda pelo email cucujaesjustshow@gmail. com. 1º Festival realiza-se a 10 de março O primeiro Festival de Patinagem Artística vai realizar-se já no próximo dia 10 de março, pelas 15h00, no pavilhão desportivo de Cucujães. A entrada tem um custo simbólico de 1 euro, sendo gratuita para jovens até aos 18 anos.

27

>CARTA AO DIRETOR

Ainda a visita do PSD a Travanca COMISSÃO POLÍTICA DO PSD DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Recebemos, com pedido de publicação, o que passamos a transcrever: “O PSD de Oliveira de Azeméis tem, desde a tomada de posse da nova Comissão Política de Secção, optado por visitar todas as freguesias do concelho numa estratégia de aprofundamento da realidade concelhia e contato com os anseios e necessidades das suas populações, mas também conhecendo no terreno o trabalho que está a ser realizado pelos órgãos autárquicos. Esta contextualização e esta resposta surgem da necessidade de explicar aos leitores menos atentos que tenham sido surpreendidos pela carta ao diretor, subscrita pelos srs. Nuno Jesus, José Ribeiro, Rogério Ribeiro e pela sra. Ana Pereira, reagindo à visita que efetuámos à freguesia de Travanca. O chorrilho de disparates e verborreia que, ao longo de quase uma página de jornal, são dirigidos ao PSD apenas encontram explicação no ressabiamento sempre demonstrado pelo expresidente da Junta de Freguesia, Nuno Jesus, e seus colegas. Recorde-se que Nuno Jesus, que foi presidente da Junta de Freguesia e foi substituído em eleições democráticas pelo atual presidente Pedro Silva, tem desde a primeira hora demonstrado, das mais diversas formas, uma revolta extrema com o resultado eleitoral autárquico que lhe foi atribuído livremente pelos eleitores da sua própria freguesia. Em democracia é preciso saber ganhar e saber perder. É preciso saber tirar ilações das vitórias, mas também das derrotas. Se Nuno Jesus era presidente da Junta de Freguesia e tinha, como se deduz da sua prosa, todas as soluções para os problemas, por que não as aplicou enquanto exerceu o seu mandato? Por que insiste em puxar para si e para o seu partido o que se fez de bom mesmo na atual liderança da Junta e em empurrar as coisas menos boas para os outros? Se desempenhou com a honestidade, a transparência, o rigor e a capacidade que não reconhece aos outros, por que terá perdido as eleições em Travanca? Estas são algumas das reflexões que aconselhamos não só aos signatários da dita carta a fazerem, mas também àqueles que, de forma isenta e independente, olham e leem estas atoardas disparadas em todas as direções por quem tem dificuldade em viver de acordo com as regras da democracia. Desde o primeiro dia após o último ato eleitoral autárquico que o sr. Nuno Jesus enveredou por comportamentos muito discutíveis em democracia. Não vamos perder mais tempo com estas atitudes, mas somos levados a pensar que este senhor está revoltado com a maioria dos travanquenses que escolheu democraticamente o Sr. Pedro Silva e equipa para gerir os destinos da freguesia. Os travanquenses optaram sabiamente por pessoas que sabem fazer em detrimento por quem acha que sabe falar. Entre falar e fazer a escolha foi inequívoca: os travanquenses optaram por quem gosta de fazer. E é isto que o sr. Nuno Jesus nunca aceitou. Citando António Guterres: ‘É a vida…’ ”


28

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2012

4.º Aniversário Lutuoso - 23/02/2013

Necrologia/pub. O.P. n.º 34332

Margarida Barbosa Ferreira Pinho

Manuel Oliveira Neto - 76 Anos - Loureiro -

A tua ausência súbita e inesperada é reflexo da imprevisibilidade da vida e da vulnerabilidade humana. Tentamos encontrar as palavras certas para te dizer o que sentíamos, mas não conseguimos... Passamos noites em claro a pensar, como te podíamos ajudar; Fizemos tudo o que podíamos para te ter junto a nós. Mas de nada valeu: O tempo foi passando e o medo fez-se refém da nossa coragem. Um dia nós esperávamos-te, entusiasmados para te mostrar o quanto eras importante para nós. Mas... tu não vieste. Não porque não quiseste, mas porque a vida não quis que vies­ ses. Choramos muito, lamentamos muito, sofremos muito. Partiste sem te despedires. A nossa vida marcaste; Um pe­ daço do nosso coração levaste e uma eterna saudade dei­ xaste. Resta-nos acreditar que, quando olhamos para o Céu e observamos todas aquelas estrelas a brilhar, tu serás uma delas: A que ilumina o sentido da nossa vida. Do teu marido, filha, genro, neta e demais família.

A família de Manuel Oliveira Neto sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada na próxima sextafeira na igreja matriz de Loureiro. Funerária José Pina Lda, Praça José da Costa, n.º 107 - 3720-217 Oliveira de Azeméis Telf.: 256 682 116 * Telm.: 919 743 670 * E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

Manuel Almeida Martins - 70 Anos - Macinhata da Seixa -

A família de Manuel Almeida Martins sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento e missa de 7.º dia. Funerária José Pina Lda, Praça José da Costa, n.º 107 - 3720-217 Oliveira de Azeméis Telf.: 256 682 116 * Telm.: 919 743 670 * E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

Aniversários Lutuosos 27.º de Raimundo Francisco de Pinho

Trindade Maria de Figueiredo - 86 Anos

10.º de Maria Miranda de Oliveira

A família de Trindade Maria de Figueiredo sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento e missa de 7.º dia .

- Palmaz -

27-02-2013

11-03-2013 Que foram do Lugar das Môutas Vila de Fajões **************************** Seus filhos, netos, bisnetos e demais família recordam estas datas, com eterna saudade, e mandam rezar missas em sufrágio de suas almas na igreja matriz de Fajões. A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional. (Carlos Drummond de Andrade)

Funerária José Pina Lda, Praça José da Costa, n.º 107 - 3720-217 Oliveira de Azeméis Telf.: 256 682 116 * Telm.: 919 743 670 * E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

cavalheiro

O.P. n.º 34333

Viúvo, 69 anos, procura conhecer senhora de 55 a 68 anos para relacionamento sério Telef.: 963 574 077 E-mail: as1604564@sapo.pt

Saiba o que fazer quando começam as dores nas articulações res nas articulações, por ser ecaz e extremamente segura.

Dra. Inês Veiga (*)

A utilização de glucosamina e condroitina, duas substâncias naturais, contribuem para menos dores e um melhor funcionamento das articulações. As dores nas articulações surgem geralmente nas pessoas mais velhas, o que não quer dizer que não se possa começar a ter sintomas mais cedo. A osteoartrose é uma perda gradual da cartilagem articular que eventualmente pode conduzir a dores e degradação do funcionamento das articulações. O problema pode piorar com o tempo frio e húmido, mas existem formas de melhorar esta situação sem ter que recorrer a medicamentos. A glucosamina e a condroitina são uma combinação que demonstrou aliviar as dores articulares e melhorar o funcionamento das articulações quando tomada regularmente, para tratar ou prevenir os sintomas. É cada vez mais utilizada por pessoas com do-

• A glucosamina associada à condroitina pode aliviar as dores tão ecazmente como os medicamentos • Tanto a glucosamina como a condroitina são componentes naturais e constituintes importantes da cartilagem Previne a degradação da cartilagem O facto interessante acerca da combinação de glucosamina e condroitina é que impede a degradação da cartilagem e ajuda a reparar parte da que está em falta. Até agora, nenhuma outra substância demonstrou o mesmo efeito. A glucosamina estimula a síntese corporal de cartilagem e atua como um tijolo da cartilagem das articulações. A condroitina auxilia estas ações. Estudos demonstraram que a glucosamina associada a condroitina pode prevenir a progressão da degradação da cartilagem e, alguns peritos armam ainda que, pode reconstruir lentamente parte dos tecidos já danicados. Porque se degrada a cartilagem? A cartilagem, tal como qualquer outro tecido do corpo humano, depende dum aporte constante de nutrientes que participam nos mecanismos de

produção e reparação que mantêm os tecidos em bom funcionamento. Ao contrário de todos os outros tecidos, não existem vasos sanguíneos na cartilagem. Deste modo, é utilizado um mecanismo para levar os nutrientes às células da cartilagem. Imagine a sua cartilagem como uma esponja. Uma esponja pode absorver líquidos e libertá-los novamente quando se espreme. A cartilagem funciona de modo muito semelhante. A cartilagem recebe a maior parte dos seus nutrientes para reparação através dum líquido existente no interior da cápsula articular. Este líquido é conhecido como líquido sinovial. Para além disso, funciona como um lubricante e amortecedor das articulações. Glucosamina precisa de enxofre para actuar adequadamente Se tiver oportunidade de ler alguma da investigação cientíca que foi re-

alizada com glucosamina, verica que existem estudos que demonstram bons efeitos, enquanto outros nem por isso. Deste modo, parece um enigma, mas existe uma explicação lógica. A glucosamina apenas atua na presença de enxofre. Em muitas situações, estes estudos utilizaram uma forma de glucosamina designada cloridrato de glucosamina, que não contém enxofre. Os estudos que mostram bons efeitos foram realizados com sulfato de glucosamina, que inclui enxofre. É importante saber isto quando se procura um suplemento de glucosamina. (*)

Farmacêutica

Seguro e ecaz A extensa investigação que tem sido realizada mostra que este produto atua geralmente num período de 8 a 12 semanas. Uma vantagem muito importante é o facto de não apresentar efeitos secundários, uma vez que tanto a glucosamina como a condroitina são parte natural da bioquímica corporal e, deste modo, não atuam como substâncias estranhas.


Necrologia/Pub. Armando da Cruz Oliveira - 63 Anos

- Rua das Cavadas-Pindelo-OAZ Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Reno­va profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra nesta quinta-feira, dia 28 de fevereiro, pelas 19h00, na igreja matriz de Pindelo. LUZ DO HORIZONTE - Funerária, Lda. (M. Augusto Sousa & Rui Santos) - Vale de Cambra - Tms. 918 812 770/914 542 819

29

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Ângela Tavares da Silva - 75 Anos - Oliveira de Azeméis -

Seus filhos, noras, netos, bisnetos e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres do seu ente querido, assim como a missa do 7.º dia, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar. Agência Beira-Mar, Ld.ª - Oliveira de Azeméis - Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Ilídia Jesus da Silva - 81 Anos

Abel da Silva Costa - 73 Anos

- Bustelo -

- Sepultado em Macinhata da Seixa -

Seus sobrinhos, Edite e Fernando, agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres do seu ente querido, assim como a missa do 7.º dia, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Seus filhos, noras, genros, netos e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres do seu ente querido, assim como a missa do 7.º dia, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Agência Beira-Mar, Ld.ª - Oliveira de Azeméis - Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Agência Beira-Mar, Ld.ª - Oliveira de Azeméis - Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Fernando Jorge Brito de Castro Rubim - 39 Anos

Carlos Manuel Dias Ferreira - 51 Anos

Seus irmãos, cunhados, primos e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres do seu ente querido, assim como a missa do 7.º dia, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Sua esposa, filha, irmãos e demais família agradecem, reco­ nhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as ce­ rimónias fúnebres do seu ente querido, assim como a missa do 7.º dia, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Agência Beira-Mar, Ld.ª - Oliveira de Azeméis - Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Agência Beira-Mar, Ld.ª - Oliveira de Azeméis - Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

- Faleceu em França-Sepultado em Palmaz -

- Sepultado em Macinhata da Seixa -

Manuel de Almeida Pinho - 72 Anos

Florentino Ferreira da Silva - 70 Anos - Portela-Oliveira de Azeméis -

- Teamonde-Carregosa -

Sua esposa, filhas, genros, netos e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres do seu ente querido, assim como a missa do 7.º dia, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres realizadas em Carregosa, no passado dia 24 de fevereiro, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia em sufrágio pela sua alma.

Agência Beira-Mar, Ld.ª - Oliveira de Azeméis - Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Funeral a cargo de Alcino & Filho, Serviços funerários e lutuosos www.alcinoefilho.com tel: 256412007 – 917571219

Rosa Maria Pereira Ferreira - 54 Anos

- Rua Terras de Santa Maria-Nogueira do Cravo Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres realizadas em Nogueira do Cravo, no passado dia 24 de fevereiro, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia em sufrágio pela sua alma.

Estefânia Melo Almeida Cruz - 66 Anos - Águas Santas-Maia -

Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres realizadas em Carregosa, no passado dia 24 de fevereiro, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia em sufrágio pela sua alma.

Funeral a cargo de Alcino & Filho, Serviços funerários e lutuosos www.alcinoefilho.com tel: 256412007 – 917571219

MUNICÍPIO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

ASSEMBLEIA MUNICIPAL Secção de Atas e Apoio aos Órgãos Municipais EDITAL Dr. Jorge Manuel Freitas Oliveira e Silva, Presidente da Assembleia Municipal de Oliveira de Azeméis, torna público que, nos termos do n.º 3 do artigo 84.º da Lei n.º 169/99 de 18 de setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5-A/2002, se vai realizar, no dia 28 de fevereiro de 2013 (quinta-feira) às 17h00, na Junta de Freguesia de Santiago de Riba-Ul, a Sessão Ordinária da Assembleia Municipal, com a seguinte Ordem de Trabalhos: Período de Antes da Ordem do Dia Período da Ordem do Dia: Ponto um: Votação das atas n.ºs 22 e 23; Ponto dois: Apreciação da informação escrita do Senhor Presidente da Câmara acerca da atividade e situação financeira do Município; Ponto três: Relatório de Acompanhamento da Execução do Plano de Saneamento Financeiro – Reporte a 31 de dezembro de 2012 (atualização a 17 de janeiro de 2013) – Conhecimento e tomada de posição; Ponto quatro: 1.ª Revisão ao Orçamento 2013 – aprovação; Ponto cinco: Alterações ao plano de ajustamento financeiro relativo à adesão ao Programa II no âmbito PAEL – Programa de Apoio à Economia Local – Aditamento ao contrato de empréstimo no âmbito do PAEL – Ratificação; Ponto seis: Inspeção Ordinária ao Município – Parecer Final n.º 20/2012, da Inspeção-Geral da Administração Local – Conhecimento e tomada de posição;

Ponto sete: Processo n.º 62/ 2012 - Prestação de Serviços para Recolha, Transporte e Deposição de Resíduos Sólidos Urbanos e Limpeza Urbana – Autorização para assunção de compromisso plurianual, bem como repartição de encargos em mais do que um ano económico; Ponto oito: Aquisição de serviços, modalidade de avença, para efeitos de assessoria técnica no âmbito da arqui­ tetura paisagista – Autorização para assunção de compromisso plurianual; Ponto nove: Cedência e Utilização de Veículos Municipais de Transporte de Passageiros – Proposta de isenção de taxas; Ponto dez: Adenda ao protocolo de colaboração cele­ brado com a UAC – Associação de Unidade de Acompa­ nhamento e Coordenação do Centro Urbano de Oliveira de Azeméis – Autorização; Ponto onze: Protocolo de colaboração a celebrar com a Academia de Música de Oliveira de Azeméis, com vista ao desenvolvimento das atividades e projetos no ano de 2013 - Autorização; Ponto doze: Protocolo de colaboração a celebrar com o Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis, com vista ao desenvolvimento das atividades e projetos no ano de 2013 - Autorização; Ponto treze: Contratos-programa a celebrar com a Associação Recreativa e Cultural de Loureiro, Banda de Música de Loureiro, Sociedade Musical Harmonia Pinheirense e Freguesia de S. Roque, no âmbito das candidaturas apresentadas ao PRODER – Autorização, convalidação e ratificação de todos os atos entretanto praticados e demais efeitos, bem como autorização de assunção de compromisso plurianual; Ponto catorze: Protocolos de delegação de competências a celebrar com as Freguesias de Pinheiro da Bemposta,

Funeral a cargo de Alcino & Filho, Serviços funerários e lutuosos www.alcinoefilho.com tel: 256412007 – 917571219

Loureiro, S. Roque e Macieira de Sarnes - Autorização, convalidação e ratificação de todos os atos entretanto praticados e demais efeitos, bem como a autorização de assunção de compromisso plurianual. Período de Intervenção do Público Oliveira de Azeméis, 20 de fevereiro de 2013 O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL (Jorge Manuel Freitas de Oliveira e Silva, Dr.) C. A. n.º 4496 de 26/02/2013

alugam-se Antigas instalações da EXELMOLDE, situadas em Porto de Carro Oliveira de Azeméis Compostas de salas de desenho, escritório, exposição, gerência, dois espaços de 320 m2 cada, com instalação elétrica e de ar, para fabrico de moldes ou armazém.

Renda económica

Informações através do TLM: 917 906 263


30

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

9.º Aniversário Lutuoso - 27/02/2013

Necrologia/pub. O.P. n.º 34314

Bernardino Augusto da Silva - Lugar da Manta-Cucujães -

No dia em que se completa o 9.º aniversário sobre o falecimento de Bernardino Augusto da Silva, sua esposa, filhos, genro, noras, netos e bisnetos recordam-no, com profunda e eterna saudade. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, no próximo sábado, dia 02 de março, pelas 18h00, na igreja matriz de Cucujães.

8.º Aniversário Lutuoso - 27/02/2013

O.P. n.º 34308

Manuel Soares da Costa

- Faria de Cima-Cucujães Há oito anos, Deus levou-te para junto Dele, quis levar-te com saudade e tristeza; continuaremos a recordar-te No dia em que se completa o 8.º aniversário sobre o falecimento de Manuel Soares Costa, seus filhos, genro, noras e netos recordam, com profunda saudade, este seu ente querido. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, amanhã, dia 27 de fevereiro, pelas 19h00, na Capela de Nossa Senhora Conceição, em Faria de Cima, Cucujães.

11.º Aniversário Lutuoso - 04/03/2013

O.P. n.º 34322

Armindo Costa Correia de Pinho - S. Roque -

Sua esposa, filhos e restante família recordam-no, com saudade, e mandam celebrar missa no próximo dia 04 de março, pelas 19h00, na igreja de S. Roque.

Falecimento - 15/07/2012

O.P. n.º 34323

Armando Soares da Silva - Brasil -

Sua família vem participar que Armando Soares da Silva faleceu no Brasil, no passado dia 15 de julho de 2012, recordando, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido.

MARIA AUGUSTA MARTINS

(MARIA DO MARCELINO) 26/02/2013 Mãe, a tua vida foi uma lâmpada acesa. Um ano se passou com saudade e tristeza. Por isso é que digo: Foi na tarde do primeiro dia da semana. A notícia percorreu as ruas de Jerusalém... Jesus está vivo. Este acontecimento marcou a história de tal maneira que consagraram esse dia como o Dia do Senhor. Foi também na tarde do primeiro dia da semana, o Dia do Senhor, que a notícia se fez eco: A minha Mãe morreu. Melhor, a minha Mãe adormeceu. Adormeceu em Cristo. Chegara o dia de seu encontro mais pleno e total com Deus. Uma outra coincidência: A liturgia da missa chama a este domingo o Domingo da Alegria. Adivinhamos a alegria da minha Mãe pelo encontro com Jesus. Sem dar nas vistas, no silêncio no Lar S. Miguel, Jesus veio e deu-lhe a mão para a ajudar nesta sua hora. A hora da passagem. Já lhe dera muitas outras vezes a mão. Em muitos acontecimentos que preencheram a sua vida. Também nestes, que foram os seus últimos dias, Jesus levou a minha Mãe a participar amorosamente na sua paixão redentora. Jesus é assim. Guiou a vida da minha Mãe. Serenamente. E naquela tarde de domingo disse-lhe: “Vem comigo, vou levar-te até à casa do Pai”. Confiante, ela foi. E estando à sua beira vi minha Mãe partir. Meus amigos, a minha Mãe era uma de nós. Fazia parte da vida de muitos. Sabemos que a muitos tocou com as suas afabilidade e disponibilidade. Passava sorrindo, no seu aparente apagamento. Passava com passos de lã. Não gostava de se fazer notar. A sua alegria era tão só estar e ver como outros cresciam, sobretudo os seus mais queridos, filhos e netos. A sua obra está aqui. Na família que fez nascer e crescer com o amor de Mãe. E também de avó. A sua obra está aqui, nas amigas que fez, nessas horas e dias vividos e tecidos por malhas de compreensão e ternura. Tudo envolto em tanta simplicidade que se não dava por tal. Como o ar... Só se dá pelo seu valor quando falta. Viver cada dia…Confiar-se à providência divina…Procurar o Reino dos Céus…Foi assim a minha Mãe. Mulher que revelava profunda humanidade, vivida na serenidade, força de vontade, humildade e bondade. Também viver em paz e irradiar a paz à sua volta era seu timbre. Mãe boa. Profundamente boa. Mãe de fé. A fé de quem sabe que Cristo é tudo. Foi o encontro com Deus que o amava com Amor de Pai. Mãe dou graças ao Senhor. Deus foi bom para connosco. No Céu, a minha Mãe repousa o seu olhar sobre nós. Até a um novo encontro. Agora, a minha Mãe saiu da visibilidade do nosso olhar, não do coração. Como que sussurrando, ela me diz: “Até já, meu amor.” Mãe tenho muitas saudades tuas, mas sei que estás bem com Jesus. Da tua filha com amor: ALDA e FILIPE O.P. n.º 34304 PUB

9.º Aniversário Lutuoso - 29/02/2013

O.P. n.º 34326

Maria Rosa Santos - Nogueira do Cravo -

Na passagem do 9.º aniversário sobre o falecimento deste seu ente querido, seus filhos, noras e netos recordam-na, com muita saudade, mandando celebrar missa, em sufrágio pela sua alma, no dia 02 de março, pelas 17h30, na igreja matriz de Nogueira do Cravo. Agradecem a todas as pessoas que se dignarem assistir a este ato piedoso.

5.º Aniversário Lutuoso - 06/03/2013

Joaquim Henriques de Pinho - Cidacos-Oliveira de Azeméis -

Sua esposa recorda-o, com profunda e eterna saudade. Participa que será celebrada missa pela sua alma, no próximo dia 06 de março, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis.

O.P. n.º 34331

António Ferreira Roma (Repolho) - 83 Anos

- Rua D.ª Claudina Brandão-Penêdo-Vila de Cucujães Seus filhos, genros, nora, netos e restante família vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra no dia 01 de março, pelas 19h00, na igreja matriz de Cucujães. Funeral a cargo da Agência Funerária Santa Luzia (Cucujães) - Tlm.: 919 263 081

O.P. n.º 34201

Senhor competente que tenha exercido atividade por conta própria no ramo da Construção Civil, como ladrilhador há mais de cinco anos, para trabalhar no Luxemburgo, como gerente técnico de uma empresa. Bom salário! Será considerado uma mais-valia ter exercido também as atividades: Aquecimento de casas e instalações sanitárias. Telefonar só entre as 13h00 e as 15h00.

Contato: 927 159 738

aluga-se

Apartamento no parque de La Salette C/ móveis de cozinha, máquina de lavar louça

O.P. n.º 34015

Procura-se

963 178 724

grande história verdadeira?

De 13 pessoas salvas da sua morte? Do tratamento excelente da sua energia, feito no seu consultório, em sua casa

1. Sr. Fernando Paiva de Oliveira, Azagães, Carregosa, dei-lhe uma vida nova! Está muito feliz. 2. Tânia Mariza, menina de 2 anos e meio, S. Miguel do Mato, diversos hospitais e farmácias ‘mandaram-na enterrar’. 3. Sr.ª Rosa Amélia dos Santos Pereira M., de S. Roque, de 42 anos, foram-lhe retirados todos os químicos, do posto médico, e a insulina diária, do hospital, ...estava toda inchada. Mandaram enterra-la! 4. O filho Manuel do S. José Maria, ‘dente d’ ouro’, de Loureiro, andaram por diversos lados, para o salvar! Não lhe deram cura? 5. A senhora do Sr. Manuel Gomes Reis, de Faria, carregada de ouro, com um sacão às costas, andou em tratamento por causa da asma, 53 anos, a caminhar para Vila Nova de Gaia, cheia de ‘explosivos’ para respirar (por semana, dava 250 a 300 contos). Ora, isto foi um fartote dos chamados médicos. Só eu a pude salvar e pu-la normal, o Sr. Manuel Reis gastou 11 mil escudos. 6. O Sr. Zaias O., de Carregosa, andou com o seu ‘buraco’ tapado e inchado... nem com pastilhas ele desinchava e... nem não lhe ­desprendia as pernas... tinha diversos problemas de saúde. 7. O meu sobrinho, Manuel Almeida, veio do Porto, do Hospital de São João, onde esteve internado e de o mandaram para casa morrer! Estava todo inchado, com as pernas presas. Dei-lhe um medicamento, que, ao fim de duas horas, o salvou, deixando-o cheio de alegria! 8. Eu tive à noite uma grande descarga de fígado, comecei a ver tudo a andar à volta e a sentirme sem forças...Via tudo enublado e escuro... pensei que ia morrer, mas ainda consegui chamar os bombeiros para me levarem ao hospital. Lá prenderam-me na cadeira de rodas, desde as 09h30 até outro dia às 02h30 da tarde, sem medicação... só me viram a tensão, a 39/30, e disseram-me “está a morrer”. Três ‘sapateiros’? Pedi para me soltarem e me levantarem. Vim para casa, sem forças, e comecei a fazer o tratamento. Senti-me, logo, a ganhar as forças, com a minha energia de estudar no grande ‘documento’! De ciências, medicina, à distância, 400 km da cidade de Luanda. A isto é que se chama um doutor, cheio de experiência na vida. 9. Uma jovem, de 29 anos, que os médicos lhe roubaram os peitos, dizendo que o mal era do peito. Afinal, não era. Morando junto ao rio, no Couto, Cucujães, estava toda ligada, da cabeça, aos pés, cheia de feridas... só se via os olhos e a ponta dos dedos. Eu pedi a tia que ma trouxesse à porta para vê-la com os meus olhos! Ela chorava, de dores, fez-me chorar também. De imediato, vim a casa buscar o medicamento, que lhe ofereci para a salvar do seu sofrimento e comichão! 10. Outra senhora, nas mesmas condições, toda ligada e também em grande sofrimento, Ossela, junto do ribeiro da Pedreira! 11. Um irmão do Sr. Albano, que me procurou, nas mesmas condições, com grande sofrimento! 12. Outro, de S. Roque, nas mesmas condições com grande sofrimento. 13. Uma senhora, L. Vieira, que andava a queimar um mal ruim no útero, que todos os oitos dias ia ao hospital, em Santa Maria da Feira, cheia de sofrimento, também S. Roque. Tudo isto desapareceu de um dia para outro. E mais? Dr. Manuel Silva, Alto Vira-vento, junto à ponte de ferro, T. 917 769 555 - Lações de Cima - Oliveira de Azeméis


publicidade Lara Costa Silva

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O.P. n.º 34317

Bodas de Ouro Matrimoniais - 24/02/2013 António Jesus Oliveira Jandira Dias Costa

- Palmaz -

- Ferreiros-Palmaz -

23/02/2013

2 Anos Um dia fui um sonho, hoje sou realidade Faz dois anos que cheguei, trazendo alegria e felicidade

Pela passagem dos 50 anos de vida em comum de António Jesus Oliveira e Jandira Dias Costa, suas filhas, genros e netos desejam-lhes muitas felicidades com votos de muitos anos de vida. Felicidades mãe, felicidades pai. Parabéns! O.P. n.º 34325

Lara, pela passagem das tuas duas primaveras, teus pais, avós e padrinhos desejam-te muitos anos de vida e fazem votos para que sejas muito feliz. Parabéns!

Manuel Oliveira Tavares

O.P. n.º 34324

- Bustelo -

No dia em que Manuel Oliveira Tavares completa 28/02/2013 o seu 72.º aniversário, seus filhos, genros, no- 72 Anos ras e netos desejam-lhe muitas felicidades e fazem votos para que este dia se repita por muitos anos. Parabéns!

Beatriz Mota Costa Filipa Mota Costa - Oliveira de Azeméis -

Bodas de Prata Matrimoniais - 06/03/2013 - Luxemburgo -

Parabéns a você, Nesta data querida Muitas felicidades, Muitos anos de vida em comum No dia em que André Filipe Oliveira Araújo e Carla Marisa Pereira Neves Araújo celebram 25.º ano sobre o momento em que uniram as suas vidas, suas filhas, genro e netos desejamlhes muitas felicidades e fazem votos para que este dia se repita por muitos e longos anos. Parabéns!

Beatriz e Filipa, neste dia em que completam o vosso 12.º aniversário, vossos pais e irmã desejam-vos muitas felicidades e fazem votos para que este dia se repita por muitos anos.

aluga-se

- Vila Chá-S. Roque 58 Anos já passaram; Já viveram e sofreram, Criaram e educaram... também muito trabalharam Pela passagem de mais um ano sobre o momento em que uniram suas vidas, seus filhos, filhas, genros, noras e netos desejam-lhes muitas felicidades. Parabéns! O.P. n.º 34334

narciso bp imob. - Ind. S. Roque Aluga

O.P. n.º 34306

Escritórios - Lojas - Pavilhões

vende-se

Moradia Isolada

Cave, R/C e Andar Jardim com pátio Vários Extras Ótimo preço

Telem.: 935 130 880

963 021 817

oferece-se

vende-se

Modelista e Estilista de Calçado

Faz-se modelação por 30 euros

Telf.: 917 267 287

Apartamentos T2 e T3 em OAZ

Empréstimo a 100% Spreed reduzidíssimo Vários extras Preços especiais

967 827 691

O.P. n.º 34310

O.P. n.º 34328

Manuel Pereira Maria Adelaide Soares Cravo

O.P. n.º 34327

André Filipe Oliveira Araújo Carla Marisa Pereira Neves Araújo

26/02/2013 12 Anos

58.º Aniversário Matrimonial - 25/02/2013

31

Apartamento novo unifamiliar T2 c/ fogão sala, 2 wc, garagem privativa Chão Além, Loureiro OAZ

Telm.: 256 692 453 936 451 283

enfermeira Licenciada pela Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha, com a classificação de 16 valores, pretende colocação em área da sua formação, a tempo inteiro, em parttime ou ao domicílio.

Telf.: 919 240 580


32 > PARECER CONSIDERA ART.º 62.º INCONSTITUCIONAL

ANMP espera resposta do Tribunal A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) solicitou a apreciação da conformidade constitucional das normas constantes do n.º 1 do artigo 62.º da Lei n.º 50/2012, de 31 de agosto, cujo conteúdo é a determinação de dissolução compulsiva das empresas locais sempre que se verifique, alternativamente, uma das quatro situações que aí se elencam (ver início do texto principal). Tendo em conta que, a acontecer, tal situação surgirá, na grande parte dos casos, independente da vontade das autarquias acionistas, a ANMP pretendeu, assim, saber se tal não representa uma interferência constitucionalmente ilegítima no princípio da autonomia local. David Duarte, Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, debruçou-se então sobre o assunto e, à exceção da alínea a) desse artigo [62.º], as restantes considera-as “inconstitucionais”: “(...) as normas das alíneas b), c) e d) (...), por expressarem uma ponderação que interfere desproporcionalmente no princípio da autonomia do poder local” constituem “uma violação material desse princípio”. Conclusão: “Nestes termos e por esta razão, entendese que essas normas são inconstitucionais”. De acordo com o que apurámos, a ANMP solicitou já aos Presidentes da República e da Assembleia República (AR), ao primeiro-ministro, ao provedor de Justiça, ao procurador-geral da República e aos grupos parlamentares da AR, “que promovam, junto do Tribunal Constitucional, a apreciação da fiscalização da legalidade e da constitucionalidade” deste diploma.

Terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

CONCELHO

> ATIVIDADES E SERVIÇOS DA GEDAZ MANTERSEÃO MESMO EM CASO DE SER EXTINTA

Internalização será caminho a seguir em Azeméis Internalizar os serviços da GEDAZ na Câmara pode ser uma saída, caso a lei que defende a extinção das empresas municipais autoinsustentáveis avance. Por enquanto, esperase “tranquilamente” o parecer do tribunal quanto à constitucionalidade do diploma. ANGELA AMORIM

Conforme adiantámos na edição passada, o novo regime jurídico da atividade empresarial local (NRJAEL) determina a extinção de empresas locais - entre as quais as conhecidas empresas municipais (EM’s) - quando, nos últimos três anos, o resultado líquido é negativo; as vendas e prestações de serviços realizados não cobrem, pelo menos, 50% dos gastos totais dos respetivos exercícios; o peso contributivo dos subsídios à exploração é superior a 50% das suas receitas; ou o valor do resultado operacional subtraído ao mesmo, o valor correspondente às amortizações e às depreciações é, também, negativo. Este é, basicamente, o conteúdo do art.º 62.º da Lei 50/2012 de 31 de agosto, que aprova o NRJAEL e que deu, então, o prazo de meio ano para o encerramento das EM’s que não fossem sustentáveis do ponto de vista económicofinanceiro, um prazo que expira em finais deste mês. GEDAZ em risco de fechar pelas normas do NRJAEL De reter que a GEDAZ foi constituída em 10 de julho de 2009, sendo, atualmente, a única empresa municipal criada em Oliveira de Azeméis. Trata-se da entidade gestora dos equipamentos desportivos municipais (piscinas, pavilhão ginodesportivo, polidesportivos do concelho e palcos/barracas/estrados para instalação não permanente) e é a responsável pela organiza-

As piscinas e os restantes equipamentos manter-se-ão em funcionamento independentemente da lei avançar ou não, garante o presidente do município.

> COM A EVENTUAL DISSOLUÇÃO DAS EM’S

Trabalhadores do município ‘regressam’... ao município De acordo com nota informativa da Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), de dezembro último, sobre ‘Empresas Locais - Integração de trabalhadores no município’, as diferentes opções que o diploma abre para substituição das empresas locais que sejam dissolvidas potenciam, todas, os seguintes “fluxos de pessoal”: “Regresso aos respetivos municípios dos trabalhadores que se encontravam em cedência de interesse público, detentores de uma relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado; cedência aos municípios de trabalhadores em regime de ção de eventos que, até então, se encontrava sob a alçada do gabinete de gestão de equipamentos desportivos do município, de acordo com estudo de viabilidade económica, concluído em abril de 2009, a que já nos referimos a semana passada. Com um passivo de cerca de 600 mil euros no fecho de contas de 2012, a sua autosustentabilidade está longe de estar assegurada, correndo, por isso, sérios riscos de ter de encerrar, caso o governo execute a lei 50/2012 de 31 de agosto. Prestação de serviços garantida O presidente da Câmara Municipal - entidade que ga-

contrato de trabalho, detentores de um contrato de trabalho por tempo indeterminado, na exata medida em que sejam necessários ao cumprimento das atividades objeto da integração ou internalização e quando tal situação se verificar”. Neste último caso, só estão abrangidos os trabalhadores admitidos pelo menos um ano antes da deliberação de dissolução da empresa municipal. Ainda segundo este esclarecimento da CCDR-N, “não cabe aqui registar quer o regresso dos trabalhadores que se encontrem em cedência ocasional às respetivas entidades empregadoras, quer o regime regra para o pessoal em efetividade de funções que não se encontre ao abrigo do instrumento cedência de interesse público, a saber: contrato de trabalho e a consequente cessação do mesmo por extinção de posto de trabalho”.

rante a viabilidade da GEDAZ, suportando as comparticipações para o respetivo equilíbrio financeiro - tem consciência da situação e garante, ao Correio de Azeméis, que, por enquanto, não vai tomar qualquer decisão nesta matéria, até porque segue as indicações da própria Associação Nacional de Municípios (ANM), que avançou com um pedido de declaração de inconstitucionalidade do diploma (Lei 50/2012), não tendo ainda obtido resposta por parte do Tribunal Constitucional (ver coluna ao lado). No entanto, Hermínio Loureiro não foge à nossa insistência e garante que “os serviços que a GEDAZ presta vão continuar

a funcionar, com a mesma qualidade que têm sido facultados”, independentemente desta EM vir ou não a fechar. “O importante é tranquilizar a população”, dando conta que “é nossa intenção e vontade manter o normal funcionamento das piscinas e de todos os equipamentos que estão sob a responsabilidade atual da GEDAZ”. Para o autarca, em último recurso (“e depois de melhor ponderada e discutida a questão”), provavelmente enveredar-se-á pela “internalização da atividade” - prevista na lei - da ‘nossa’ EM nos serviços da entidade pública participante, ou seja, na Câmara Municipal oliveirense.

26-02-2013  

26-02-2013