Page 1

SEMANÁRIO

FUNDADO EM 05 DE OUTUBRO DE 1922

5

ºa

io

DIRETOR ANTÓNIO MAGALHÃES SUB DIRETOR EDUARDO COSTA

niversár

Nº 4517 - 23 JULHO DE 2013 PREÇO 0,50 € (IVA INCLUÍDO) www.correiodeazemeis.pt Taxa Paga | Devesas - 4400 V. N. Gaia | Autorizado a circular em invólucro de plástico fechado | Autorização n.º 5804/2002 DCP-2

90

Distinguido pelo Governo com Diploma de Louvor de Mérito Jornalístico e Empresarial da Comunicação Social Regional e Local

> HERMÍNIO LOUREIRO E JORGE OLIVEIRA E SILVA SÃO OS CABEÇAS DAS LISTAS PELO PSD À CÂMARA E ASSEMBLEIA MUNICIPAIS RESPETIVAMENTE

o Tavares Ribeir

Apresentados os candidatos sociais-democratas oliveirenses Páginas 08 e 09

> NESTE EDIÇÃO:

APRESENTADAS DUAS PROPOSTAS A CONCURSO

> TEM RESIDÊNCIA NA VILA

DE CUCUJÃES

Sequestro de empresário oliveirense em Moçambique > TRIBUNAL DÁ RAZÃO AO FUNCIONÁRIO

‘Praça da Cidade’ já tem novo arrendatário

Página 05

> PRIMEIRO JOGO OFICIAL DA OLIVEIRENSE É JÁ NO PRÓXIMO SÁBADO FRENTE AO MOREIRENSE, MAS...

Continua a imperar o silêncio no clube onde faltam direção, treinador e jogadores Página 22

Empresa tem de reintegrar trabalhador alcoolizado Página 20 > ENTREVISTAS ÀS JUNTAS

O balanço foi feito agora em S. Roque Páginas 16, 17 e 18

Cobrança de assinaturas Ano 2013 Página 27

‘Bolsa de €mprego’

O Correio de Azeméis publica, novamente, ofertas de emprego, em colaboração com IEFP. Consulte na página 31

PUBLICIDADE


02

Terça-feira, 23 de julho de 2013

POESIA

ABERTURA

POSTAL DA SEMANA

Telenovelas

O trolha Moureja o trolha, ágil, expedito, Enchendo de cor muros e paredes, No topo de um abismo, sem ter redes, Arriscando a vida, ai Deus bendito! Na rua empedrada, de granito Avança bela jovem, um ‘Mercedes’... As palavras não sustém passam paredes; Sai de pronto o piropo ao pardalito! A chuva, o sol, o vento, tudo enfrenta... Colhe, da natureza, as belas cores Que no rosto moreno ele as ostenta. Já noite caída, terminado o dia, Volta p’ra mulher, p’ros filhos... seus amores, São quem lhe enche o ninho de alegria! FERNANDO DAMAS

ESTANTE

Laços Familiares Danielle Steel Annie era uma jovem e brilhante arquiteta de Manhattan. Cheia de talento, bonita, a começar o primeiro emprego, apartamento e namorado novos, tinha o mundo na palma da mão – até que um único telefonema mudou a sua vida para sempre. Do dia para a noite, tornou-se mãe dos três filhos da irmã, agora órfãos. Annie manteve a promessa que nunca se arrependeu de ter feito, apesar de isso significar que a sua própria vida ia ficar em suspenso. Agora, com quarenta e dois anos, mais independente que nunca, com uma boa carreira e uma família que é tudo para ela, Annie sente-se confortável sendo solteira, e assim planeia ficar. Parece não ter tempo para mais nada. Com o sobrinho e as sobrinhas agora adultos e a depararem com os seus próprios desafios, Annie encontra-se naquela fase de transição em que tem simultaneamente de lhes dar uma mão e de os deixar partir, vendo-se subitamente obrigada a enfrentar uma casa vazia. Lizzie, de vinte e oito anos, uma editora na Vogue que trabalha de mais, nunca deixou que nenhum homem se aproximasse dela o suficiente para a poder magoar. Aos vinte e quatro anos, Ted, sério e trabalhador, estuda Direito e sente-se cativado por uma mulher muito mais velha e já com filhos.

EDUARDO OLIVEIRA COSTA

As exportações cresceram cerca de cinco por cento neste semestre! Em plena crise mundial e, sobretudo nos parceiros europeus, para onde tradicionalmente vão os produtos que fabricamos. E sobretudo em Espanha, o nosso principal cliente. Trabalhadores e empresários portugueses estão de parabéns. Assim vamos vencer esta assustadora crise, com muito trabalho, suor e lágrimas, que nos causa o sofrimento das dificuldades a que não estávamos habituados. Para aliviar, temos as habituais distrações. O futebol a dar alegrias e prestígio internacional... e as telenovelas. Destas, a maior audiência vai para a habitual telenovela diária, com conhecidos atores, a que se chamam “governantes” e “políticos” e que tem episódios ora dramáticos, ora cómicos. Quem escreve esta telenovela diária é muito criativo: passa-se num país maravilhoso, que tem a maior área geográfica da Europa, contando com a área marítima (tudo somado é do tamanho de todo o con-

tinente europeu!), tem 80% de solo arável, as maiores reservas da Eurolândia de ferro, de cobre, de volfrâmio, as segundas de urânio, uma invejável rede hidrográfica, inesgotáveis reservas de água doce, um dos melhores climas, uma mui apreciada gastronomia e um povo trabalhador e empreendedor, que já deu mundos ao mundo! É neste ‘paraíso’ que se desenrola esta telenovela, cujos atores fazem o papel de uns políticos e governantes patetas, que amuam, zangam-se e fazem birras. Às vezes são chamados a um patrono, a que se chama “presidente” e levam uns valentes puxões de orelhas e a ameaça de lhes retirar os brinquedos, a que chamam “Governo” com “ministérios” com todos os luxos, bons carros e até submarinos! Tem o inconveniente de ser muito monótona, repetitiva e por vezes irritante. Mas é o melhor que temos! A vantagem é que voltamos todos os dias ao trabalho, à dura vida real e produzimos bem! É o que nos safa!

Regressado do Brasil com abastados recursos, Manuel Brandão promoveu, nos finais do sec. XIX, a construção deste palacete. Num momento de grave depressão, e erradamente convicto de que não possuía meios para terminar a obra, suicidar-se-ia; a viúva D. Joana Brandão concluiu o palacete e aí viveu muitos anos. Para a história fica que, quando D. Manuel II visitou a então vila, a fim de inaugurar a Linha do Vouga, uma filhinha entregou ali ao monarca um ramo de flores. Quando era residência de António Rodrigues e família, serviu de alojamento, em 18 de Novembro de 1930, ao Presidente António Carmona e comitiva. Vendido ao Instituto das Obras Sociais, albergou o infantário gerido pela Misericórdia. Propriedade, hoje, da Segurança Social, avança em acelerada fase de degradação.


ABERTURA

EDITORIAL

Terça-feira, 23 de julho de 2013

SEMÁFORO

ESPLENDOR NA MATRIZ DE SÃO MIGUEL

Dia de Santiago

86 clérigos nas exéquias de D. Miguel O 11.º Senhor do Côvo, D. Sebastião de Castro e Lemos Magalhães e Menezes, não obstante a ligação pelo casamento a família liberal, foi arreigado miguelista. Muitas as peripécias em que se envolveu, sempre na defesa daqueles que considerava os legítimos direitos de D. Miguel. Uma fidelidade em que arriscou a vida e o património. Com a vitória de D. Pedro IV, o irmão D. Miguel foi “banido” do reino, exilando-se na Alemanha, onde veio a morrer em 14 de novembro de 1866. Oportunidade, então, de D. Sebastião prestar a derradeira homenagem ao “seu” rei, aproveitando a oportunidade do 30.º dia sobre a morte para promover exéquias solenes, um faustoso cerimonial que o próprio descreveu: “As decorações do templo e do catafalco estavam não só decentes, mas luxuosas, isto devido à boa direcção do digno abade da mesma vila, o Rev. João José Correia dos Santos, e à de Bento de Sousa Carqueja. Assistiram ao ofício, missa e cerimonial deste acto, 86 clérigos, entre os quais 24 párocos. O coro foi presidido e a missa celebrada pelo Rev. Abade de São Roque, D. João da Natividade, e a absolvição do túmulo dada pelo mesmo, depois da cerimónia da quadratura. Via-se ali, entre os eclesiásticos, uma notabilidade monacal, o Rev. Frei Joaquim de Santo António, bacharel formado em Matemática e outrora D. Abade e Procurador-Geral da Congregação Beneditina, ancião de 82 anos. A orquestra, regida pelo esperançoso mancebo Manuel José de Pinho Júnior, desempenhou cabalmente a parte importante que lhe cabia. Subindo ao púlpito, o Reverendo José Tavares Camelo, talentoso jovem, arrebatou a todos com a sua eloquência irresistível, falando ao entendimento e coração e provocando as lágrimas”. D. Sebastião individualiza vários agradecimentos, merecendo destaque “o perpétuo reconhecimento aos cavalheiros liberais que tão sensatamente souberam compreender o sentido e o fim do convite, a que, generosos, corresponderam”. A luta política fazia-se, então, com respeito pela morte, mesmo a dos mais figadais adversários. Apenas umas breves notas. O abade da então vila era o Padre Correia dos Santos, a quem devemos o culto a Nossa Senhora de La Salette. A orquestra sacra deverá ter sido a da Banda de S.Tiago de RibaUl, pois que “o esperançoso mancebo Manuel José de Pinho Júnior” foi aí executante, maestro e compositor, deixando nome inesquecível. D. João da Natividade, abade de São Roque, foi uma figura grada da Igreja, estando profundamente ligado ao decorrente processo de beatificação da “Santinha da Arrifana”. Bento de Sousa Carqueja, comerciante na nossa então vila, foi o pai do egrégio oliveirense do mesmo nome. O padre José Tavares Camelo, natural de Travassô, Águeda, foi um dos mais requisitados oradores sacros do século XIX; pude comprovar que contava apenas 29 anos de idade.

www.correiodeazemeis.pt geral@correiodeazemeis.pt

Fundador: BENTO LANDUREZA (1922) SEDE: Edifício Rainha, 8º piso Telefs. 256049890 • Fax: 256046263 3720 OLIVEIRA DE AZEMÉIS Horário de 2ª a 6ª • 9.00/18.30H Assinatura anual : (C/IVA 6%) (Entre Douro e Vouga) 20,00 (Resto do País) 22,50 (C/IVA 6%) (Europa) 65,00 (C/IVA 6%) (Resto do Mundo) 97,00 (C/IVA 6%)

ANTÓNIO MAGALHÃES

A Igreja celebra em 25 de julho o dia de Santiago Maior, assim designado para distinção de Santiago Menor. Havendo dois apóstolos com o mesmo nome, surgiu a necessidade de encontrar uma diferenciação, justificada em virtude de Santiago Maior haver sido chamado ao apostolado antes de Santiago Menor. Portugal inclui-se entre os países cristãos onde, mais rapidamente, chegou a devoção a Santiago, havendo inúmeras povoações com essa designação. Assim acontece com uma das nossas mais antigas e progressivas paróquias, que desde a primeira hora o acolheu como padroeiro.

Dia dos Avós O Dia dos Avós, em 26 de julho, foi assim escolhido, porque a data se consagra a São Joaquim e Santa Ana, pais de Maria e avós de Jesus Cristo. Conta a história que Ana e Joaquim viviam em Nazaré e não tinham filhos, mas sempre rezavam pedindo que o Senhor lhes enviasse uma criança. Apesar da idade avançada do casal, um anjo do Senhor apareceu e comunicou que Ana estava grávida, e eles tiveram a graça de uma menina que baptizaram de Maria e a quem estaria destinada a maternidade de Jesus. Conhecido o abandono em que vivem tantos dos nossos idosos, não escasseiam, neste dia, temas para as mais profundas reflexões.

Ruínas do Centro Vidreiro As ruínas do Centro Vidreiro lá continuam. Uma situação que deveria exigir, obviamente, medidas eficazes e rápidas. Sem pretender, de algum modo, esquecer outras eventuais competências, não devem ignorar-se as gravíssimas responsabilidades de quem, efetivamente, detém a posse e o dever de gestão de todo aquele espaço. Encontrando-se todo aquele património em processo judicial de falência, consoante editais divulgados na imprensa, afigura-se que a primeira responsabilidade deve ser a de quem dirige este infindável processo, cujo final ninguém se atreve sequer a sugerir.

03

A ‘RESSACA’ DA SEMANA Depois do país estar ‘parado’, uns quantos dias, à espera do (des)acordo de “salvação nacional”, eis que o ‘tiro sai pela culatra’; contudo, estamos em crer que até o próprio promotor de tal ideia já o esperava, apesar de demonstrar alguma surpresa depois de uma breve estadia nas ‘Selvagens’... talvez para ‘arejar’. Todos os partidos, ‘chamados’ a colaborar na ‘união’ pela pátria-mãe, mostraram-se “empenhados” em tudo fazer para chegarem a um consenso. Porém, tal não acontenceu e ‘empenhado’ - até à ‘raiz dos cabelos’ - continua o nosso país, sempre com a troica e os milhões em dívida ‘à perna’, num protelar de circunstãncias nunca antes visto. Agora... bem, agora, o Chefe do Estado diz que o Governo até pode sair ‘reforçado’ e que vai estar ‘de olho’ nos seus responsáveis, não se demitindo das suas (naturais) funções. Aguardemos com a serenidade que tem caraterizado, ao longo dos anos, o bom povo português. Nós, por cá, é que vamos perdendo alguma ‘serenidade’. A aproximação das eleições Autárquicas tem ‘abalado’ alguns agentes político-partidários locais. Por enquanto mantêm a postura recomendável, mas com comportamentos que fazem adivinhar que as ‘temperaturas’ vão aumentar e atingir índices bem elevados à medida que nos aproximarmos de 29 de setembro. E, por falar, nisso é de ‘ressacar’ que, no início da semana que passou, Hermínio Loureiro oficializou a sua candidatura à Câmara pelo PSD, tendo a seu lado um outro recandidato, Jorge Oliveira e Silva, à Assembleia Municipal. Os líderes das listas sociais-democratas às Assembleias das atuais 12 freguesias (três uniões e nove freguesias) foram, igualmente, conhecidos no Cine-Teatro Caracas. Os restantes partidos movimentam-se em contatos, alguns mesmo de porta-a-porta, quando estamos a sensivelmente dois meses do sufrágio. Ainda de salientar as diversas intervenções e obras a que estamos a assistir em diferentes locais e várias frentes. No prazo máximo de uma semana e meia, a Zona Industrial foi alvo de um novo piso e a EN1 (Santiago de Riba-Ul) deixou de ter tantas lombas; também a artéria que vai de Santo António pelo Hospital S. Miguel, em direção ao parque de La Salette, está a ser alvo de beneficação; o antigo edifício das Finanças, finalmente, está a merecer a atenção da autarquia, entre outras melhorias que, mesmo sem ‘descerramento de fitas’, assinalam que os ‘bons tempos’ regressam a Azeméis. Esperemos que seja para ficarem. Nesta edição, o Correio de Azeméis traz à estampa mais um balanço da atividade duma Junta, a da freguesia de S. Roque. A REDAÇÃO

Diretor: António Magalhães • Subdiretor: Eduardo Costa (Cart. Prof. nº 1738) • Chefe de Redação: Ângela Amorim (Cart. Prof. nº 2855) • Redatores: • Gisélia Nunes (Cart. Prof. nº 5385) • Diana Cohen •CORRESPONDENTES: Carregosa: António Amorim: Cesar: Carlos Costa Gomes; Macieira de Sarnes: Manuel Lopes; Macinhata da Seixa: António Magalhães; Nogueira do Cravo: Alírio Costa; Ossela: A. Jesus Gomes; S. Martinho da Gândara: Arlindo Gomes e Sérgio Tavares; S. Roque: Eduardo Costa; Ul: Olímpio Costa. Fotógrafo: Alfredo Pinho • COLABORADORES: • Adelino Ramos • António Vidal • António Santos • Batalha Gouveia • Beatriz Costa • Frederico Bastos • Hugo Tavares • João Araújo • Joaquim Silva • Manuel Costa • Manuela Inês • Manuel Alves Paiva • Maria Emília Costa • Mário Rui • Manuel Laia • Marisa Gonçalves • Paulo Rui • Rodrigo da Cunha (Pe) • Rui Duarte • Samuel Oliveira • Sérgio Costa • Tavares Ribeiro. (Os artigos assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores não vinculando necessariamente a opinião da direção) Os textos do Correio de Azeméis já obedecem às regras do acordo ortográfico, salvo os da responsabilidade de autores ainda não aderentes.

Propriedade: Globinóplia, Unipessoal, Lda NIF: 509 071 341 Ed. Rainha, 8º Piso • Oliveira de Azeméis Telef.: 256 049 890 • Fax 256 046 263 Impressão: CORAZE Oliveira de Azeméis Telf.: 910 252 676 / 910 253 116 / 914 602 969 e-mail: geral@coraze.com Depósito Legal nº 27755/89 Nº ICS 104639 Tiragem média: 6.500 exemplares


04

Terça-feira, 23 de julho de 2013

CONCELHO

> ASSEMBLEIA MUNICIPAL PARECE TER DADO O ARRANQUE PARA AS AUTÁRQUICAS

“Neste mandato o concelho não aconteceu” A oposição socialista apostou, na última Assembleia Municipal, numa ‘máxima’ transmitida, repetidamente, por diversos membros dessa bancada partidária: “Neste mandato, o concelho não aconteceu”. Uma sessão que parece ter sido o ‘trampolim’ para as Autárquicas de setembro. ANGELA AMORIM

A última reunião do órgão deliberativo municipal, que decorreu em Macieira de Sarnes, parece ter sido o ‘motor de arranque’ para as eleições Autárquicas, que se aproximam. Vários membros do PS ‘apontaram o dedo’ à gestão desta Câ-

Angela Amorim

‘rosa’. As ainda atuais instalações estão, em seu entender, “a dar uma imagem negativa do centro da cidade”. Um assunto que tem estado sempre presente, ao longo de tantos anos, mesmo em tempo de outros elencos camarários. Entre umas e outras, José Ramos não fugiu à regra e rematou: “Nestes últimos quatro anos, este concelho não aconteceu”.

As instalações sanitárias públicas, no centro da cidade, merecem mais atenção.

mara e apostaram na repetição da ideia de que, neste mandato, “o concelho não aconteceu”. José Ramos, por exemplo, voltou à área central da cidade, lembrando que “o mercado municipal necessita de arranjos interiores e exteriores”, bem como “a dinamização das respetivas lojas no exterior”. As instalações sanitárias públicas, na mesma área (Largo S. Miguel), foram igualmente

alvo das críticas deste socialista, denunciando que se apresentam “com condições terceiromundistas”. Para além disso, “a Praça José da Costa precisa de requalificação urbana, articulando-a adequadamente com a zona pedonal e até mesmo com a Praça da Cidade”, espaços nobres da nossa urbe. A central de camionagem voltou à ordem do dia pelo mesmo membro da bancada

> A PROPÓSITO DA REDE VIÁRIA MUNICIPAL

do registo popularucho”, que caraterizou, segundo ele, estes quatro anos. Tal traduzir-se-á afirmou - “nesta altura, numa concentração de intervenções na rede viária, que deviam ter surgido ao longo do mandato”. Mesmo assim sendo, registou o membro do PS, “venham essas obras, mesmo que surjam um dia antes das eleições”. “Cenário não é assim tão negro” A propósito desta matéria, o social-democrata Carlos Costa Gomes defendeu que “o cenário não é assim tão negro” como o ‘pintou’ o colega da bancada da oposição. “Pelo menos na freguesia em que vivo [Cesar], por iniciativa da Junta e com o apoio da Câmara, a nossa rede viária não está assim tão mal”, frisou. Também o presidente Hermínio Loureiro respondeu ‘à letra’ a Pedro Paiva e assumiu que “nunca escondi que temos um

Votos de louvor, congratulação e pesar O deliberativo aprovou votos de louvor ao Núcleo de Atletismo de Cucujães por se ter sagrado campeão distrital em juvenis; ao AC Cucujães por disputado a final da Taça de Aveiro (futebol), proeza também realizada pela equipa feminina do FC Cesarense, igualmente louvada; ao atleta Abílio Valente pelas medalhas conquistadas em boccia; a Ricardo Bastos pelas suas ‘Corridas Solidárias’; e aos Bombeiros de O.Azeméis por mais um aniversário, bem como à família Rodrigues que ofereceu, a esta corporação, duas viaturas. Também por todos foi aceite o voto de congratulação para o basquetebol da Oliveirense pela subida à Liga Portuguesa da modalidade. A Assembleia aprovou, ainda, dois votos de pesar e guardou um minuto de silêncio pelos falecimentos de Rosa Martins Pinho (mãe duma funcionária do município que dá apoio a este órgão) e de Guilherme Antero da Conceição, o conhecido ‘Zeca’ do hóquei em patins da UDO e da seleção nacional.

> AINDA A CASA DO COMENDADOR MANUEL BRANDÃO

Câmara de “costas viradas” para os oliveirenses O socialista Pedro Paiva considerou, nesta Assembleia Municipal, que “a Câmara andou, durante o presente mandato, de costas viradas para os oliveirenses”, no que à rede viária municipal diz respeito. “Foram feitas algumas intervenções, reconhecemos. Mas o que foi feito é, manifestamente, pouco para combater a degradação generalizada das estradas e arruamentos” no município. Por outro lado, lembrou, “a conclusão de vias repetidamente prometidas também não foi contemplada” nesta legislatura e deu exemplos, como a Via do Nordeste e as Vias Estruturantes, bem como não foram criadas “estradas condignas que sirvam a zona industrial de Oliveira de Azeméis”. Com a aproximação das eleições Autárquicas, Pedro Paiva já manifestou, então (26 de junho), a sua convicção de que as intervenções iriam surgir: “É expectável a manutenção

“Só não vê quem não quer” “Reconheço que é preciso investir no mercado municipal”, começou por concordar Hermínio Loureiro. No entanto, o presidente da Câmara retorquiu que, quanto à Praça José da Costa, “esta não está igual ao que estava”, e sugeriu uma visita ao local, mais atenta, para verificar “os canteiros novos, a iluminação toda requalificada” e até “o novo sistema de rega”, que aí foi colocado. Daí que, a propósito do “não aconteceu”, o autarca tenha retorquido: “Só não vê quem não quer”.

> ASSEMBLEIA MUNICIPAL APROVOU

problema com a rede viária e esse tem a ver com a sua extensão. São 700 quilómetros de estradas para conservar no concelho. Há locais com elevado nível de manutenção e outros em pior estado”. Contudo, fez questão de sublinhar, que este é um problema geral e não só do nosso município. “Aconselho-o a dar uma volta por outros locais desta região”, rematou. Intervenção na zona industrial e EN1 Menos de um mês depois desta reunião em Macieira de Sarnes, o principal arruamento da zona industrial de Oliveira de Azeméis/Santiago de Riba-Ul começou a ser intervencionado, bem como partes da EN1 nesta última freguesia (foto página seguinte), dando, na prática, resposta aos anseios das populações e dos seus representantes. Um assunto de que daremos mais pormenores em próxima edição. ANGELA AMORIM

‘Palacete’ a caminho da degradação A casa do Com. Manuel Brandão, mais conhecida pelo ‘palacete’ que já recebeu o infantário da Santa Casa da Misericórdia de Azeméis, veio novamente ‘à baila’ nesta Assembleia Municipal, desta vez pela voz do centrista Vieira Dias. Recordando a importância deste edifício, em termos históricos e arquitetónicos, lamentou, com alguma mágoa, que, “agora só vejo vidros caídos, portas e janelas partidas...”, num “abandono e degradação” que não beneficiam a imagem urbanística oliveirense. “É necessário saber de quem é a casa, se é do Ministério da Segurança Social. Se o é, é preciso encontrar novo dono, mas não para continuar vazio e sem vida, como outros edifícios”, alertou o membro do CDS-PP, exemplificando com os imóveis existentes nas ruas pedonais Bento Carqueja e António Alegria. Hermínio Loureiro concordou que “a reabilitação urbana é um assunto muito importante e preocupante. Estamos a trabalhar num projeto neste âmbito”, informou, adiantando ser necessário, agora, “encontrar soluções de financiamento”. Quanto ao ‘palacete’ corroborou não ser um imóvel da autarquia e não tendo esta condições financeiras para o adquirir e, posteriormente, recuperar.


CONCELHO

>PS INSISTE NAS MESMAS ‘TECLAS’ NUMA REUNIÃO DO DELIBERATIVO MUITO ‘POLÍTICA’

Oliveira de Azeméis “parou no tempo” A bancada socialista veio preparada, na Assembleia Municipal de 26 de junho, para o arranque do ‘combate’ político que se avizinha. O balanço do mandato desta Câmara e do PSD foi a ‘lição’ estudada, que concluiu que o concelho “parou no tempo” e “os oliveirenses foram enganados”. ANGELA AMORIM

Não foi um, nem dois, nem três os membros da bancada socialista que insistiram nas afirmações de que “Oliveira de Azeméis parou no tempo” e que “este concelho não aconteceu”, mas vários que sublinharam, nos seus discursos, esta espécie de ‘slogan’ preparado como “trabalho de casa”, conforme supôs, a dada altura, Hermínio Loureiro. Para além do que já publicámos na página anterior, também

Helena Santos, Carlos Afonso e Bruno Aragão juntaram-se ao coro de vozes críticas do PS e chamaram a atenção para “um conjunto de problemas criado pelo PSD, que vai passando de mão em mão sem resolução, sem solução e mesmo sem qualquer sonho”, como aventou Carlos Afonso. Entre estes, denunciou a “emblemática Praça da Cidade” (ver caixa) que “continua a degradar-se, por dentro e por fora”, após

“o pagamento já efetuado pela Câmara de 52 mil euros ao anterior concessionário”. E mais: A aquisição - por quase 425 mil euros - do solar Sequeiro Monterroso, em 2004. Um imóvel que já teve muitos destinos, segundo o socialista, mas que “até agora aí nada foi feito”. A juntar-se a este, o imóvel das antigas Finanças, parece ter o mesmo destino: “É facto público e notório que este está em adiantado estado de degradação ”. No entanto, já

>DEVE SER ENTREGUE ESPAÇO EM AGOSTO

Praça da Cidade já tem ‘novo dono’

Angela Amorim

Nos últimos dias, as ‘famosas’ lombas em Santiago de Riba Ul, finalmente desapareceram.

05

Terça-feira, 23 de julho de 2013

após esta reunião, este edifício começou a ser alvo de intervenção. O membro da bancada ‘rosa’ continuou a sua dissertação e passou por outros locais, não menos importantes, do património municipal que está a “desvalorizar-se”, nomeadamente o salão nobre - “em perfeito abandono e degradação” -, o café Arcádia - um outro “elefante” - e o Cine Teatro Caracas, cujas obras que recebeu não o transformaram “numa verdadeira casa da cultura”. Por seu turno, a sua colega Helena Santos já tinha lembrado estes e outros ‘elefantes’, como o antigo Centro de Saúde “parado”, a Estalagem S. Miguel “sem destino definido”, a requalificação do bairro de Lações “prometida há anos em vários documentos” (...). A socialista tinha também a ‘lição estudada’, pois “realmente o concelho não aconteceu” também para ela, ao afirmar que “não há beleza ambiental, não há espaços culturais”, mas há “ruas esburacadas” e a promessa eleitoral da conclusão das redes de água e saneamento, que “não foi cumprida”. Uma outra mensagem deixada pelo PS - que, pela insistên-

De acordo com o apurámos, já foi selecionado o concorrente a quem foi entregue a concessão do Praça da Cidade, no passado dia 01 de julho. Trata-se da empresa ‘Leonardo Albuquerque & Marcos Henriques’ e tudo indica que a entrega da chave ao novo ‘proprietário’ deste espaço de restauração estará agendada a partir de 01 de agosto, isto é, um mês depois da adjudicação, conforme o previsto legalmente. A concurso apresentaramse dois candidatos que, segundo julgamos saber, entraram com propostas muito semelhantes. O concorrente eliminado foi a empresa ‘António Manuel Sobral Ribeiro e Manuel Henriques’, que poderá ainda reclamar da decisão, o que, até à hora de fecho desta edição, não conseguimos confirmar. cia, marcou a última Assembleia Municipal - foi a de que “os oliveirenses estão cansados de ser enganados”. Bruno Aragão igualmente a vincou, como voltou à carga com algumas das críticas já citadas, acrescentando outras, como a questão do ‘shopping’, do ‘pulmão da cidade’, do fórum da juventude, entre outros.

>HERMÍNIO LOUREIRO ‘CONTRAATACA’ COM OBRA FEITA E REDUÇÃO DA DÍVIDA

“Não podemos ter sol na eira e chuva no nabal” A reunião do deliberativo prosseguiu com a resposta do presidente da Câmara às intervenções do PS. Hermínio Loureiro não ficou atrás, no que a máximas diz respeito, e frisou o que, já por diversas vezes, tem defendido: “Não podemos ter sol na eira e chuva no nabal”. Isto para lembrar – tal como o fez – que o executivo a que preside reduziu a dívida do município substancialmente, nestes últimos quatro anos, bem como o prazo médio de pagamento a fornecedores. Mesmo assim, há obra feita e o autarca fez questão de a frisar, como a requalificação das margens do Rio Caima, o investimento no parque de La Salette, o parque temático molinológico, a área de acolhimento empresarial de Ul/Loureiro, a arborização de numerosos espaços no concelho, etc.. Em relação ao fórum da juventude – planeado para o antigo centro de saúde – se não está

resolvido, não é por culpa da Câmara que comanda, nas suas palavras, mas pelo facto das chaves ainda se encontrarem na posse da Administração Regional de Saúde do Norte. Mesmo assim, com a colaboração do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Aveiro Norte – “que emprestou a chave” -, uma equipa do município “já está a trabalhar na recuperação deste espaço e o projeto a ser desenvolvido”. Para a estalagem, o edil defende ser necessário conseguir o apoio de um parceiro privado. De qualquer modo, “o espaço não está abandonado, tem sido utilizado, com a juventude a procurá-lo bastante” para várias iniciativas. Já o projeto do bairro de Lações, como informou, está aprovado, faltando ‘o melhor’: “Dinheiro!”. É que “a candidatura foi aprovada, só o dinheiro é que não veio”, retorquiu.

Para Hermínio Loureiro, a intervenção de Carlos Afonso foi uma ‘retórica’ bem conseguida; porém, para a concretizar na íntegra, tal custaria “aos cofres do município mais de sete milhões e meio de euros”. E deteve-se, com mais pormenores, no caso ‘café Arcádia’: “A Câmara perdeu todas as ações até ao Supremo. (…) Aquilo é de um privado a quem temos de apelar ao bom senso” para prosseguir as obras e reabrir o espaço. “E ele diz-nos: ‘com esta crise?!!’ Quer ir dar um tiro ao privado?”, ironizou o edil. Sociais-democratas satisfeitos com o que tem sido feito Contrariamente à ideia de que “o concelho não aconteceu” do PS, as intervenções de Costa Gomes, Marco Azevedo, Ana Neves e Filipe Carvalho, do PSD, regozijaram-se pelas “nume-

rosas ações e iniciativas” que “aconteceram” pela mão desta Câmara. Hermínio Loureiro salientou-as para contrapor às críticas da oposição. Em próxima edição, salientá-las-emos, bem como mais pormenores discu-

tidos nesta reunião ordinária da Assembleia Municipal, que aprovou a concessão das redes de água e saneamento, conforme já amplamente divulgámos. ANGELA AMORIM

PUB


06

Terça-feira, 23 de julho de 2013

CONCELHO

>APRESENTAÇÃO DO LIVRO DO CESARENSE CARLOS COSTA GOMES EM LISBOA

Professor Marcelo dá nota ‘Excelente’ ao trabalho A sessão de apresentação do livro com a dissertação de Doutoramento de Carlos Costa Gomes teve lugar na Gulbenkian, em Lisboa, no passado 12 de julho. Coube a Marcelo Rebelo de Sousa a tarefa, tendo o Professor considerado que apresentar uma obra na Fundação Calouste Gulbenkian, com a presença de personalidades tão distintas, “não está ao alcance de todos”. O comentador político e docente na Faculdade de Direito de Universidade de Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa, dá nota excelente ao trabalho de Carlos Costa Gomes. Após ano e meio de ter apresentado a sua dissertação de Doutoramento na Universidade Católica Portuguesa, Porto, sobre ‘O Pensamento Bioético de Daniel Serrão: Génese e Fio Condutor’, o estudo do cesarense Costa Gomes, nosso estimado colaborador e correspondente, vê agora a luz do dia, publicado pela Edições, Gráfica de Coimbra. Marcelo Rebelo de Sousa não teve dúvidas em avaliar o trabalho como um grande contributo para o panorama da bioética em Portugal.

‘O Pensamento Bioético de Daniel Serrão: Génese e Fio Condutor’ foi apresentado por Marcelo Rebelo de Sousa.

Carlos da Costa Gomes (ao centro) viu a sua obra ‘lançada’ na Gulbenkian, em Lisboa.

O escritor teve o privilégio da presença de muitas figuras importantes da sociedade

O autógrafo do autor para o presidente do Banco de Portugal, Carlos Costa, seu conterrâneo.

que a tese de Carlos Costa Gomes contém em si mesma sete teses, que passam por não separar a vida do autor com a sua obra, ambas se misturam; que Daniel Serrão é um cristão católico e não um católico cristão; que nele há um pensamento triádico suportado pela ciência, cultura e transcendência; que não é um pensamento fechado, mas que, ao longo do tempo, se vai deslocando com a realidade concreta da história e da vida quotidiana; que emerge numa bioética de reflexão e de decisão, ou, dito de outro modo, numa Uma tese com sete teses bioética teórica e prática; finalA apresentação da obra não mente, na leitura com outros foi uma mera circunstanciali- autores, para Serrão a vida tem dade, mas, acima de tudo, uma valor de sacralidade. segunda arguição do trabalho de autor oliveirense, desta vez, Uma homenagem realizada pelo Professor Mar- do discípulo ao mestre celo, que não deixou de avaliar Marcelo Rebelo de Sousa o trabalho como tal, desde logo, considerou o trabalho doutoral apresentando sete teses que de Carlos Costa uma homenaa obra sustenta, sem contudo, gem justa, ou mais que justa, a deixar algumas sugestões ou Daniel Serrão. Adiantou que omissões que considerou terem o Professor Serrão é uma das sido importantes no estudo e na poucas personalidades que se investigação realizada. pode sentir, com direito, vaidosa, Aquele que é, também, um porque é uma figura nacional e dos comentadores políticos do internacionalmente reconhepaís mais conceituados afirmou cida, cujo mérito não se pode

> O TRABALHO DE CARLOS COSTA GOMES

Personalidades nacionais elogiaram livro Muitas foram as personalidades nacionais que marcaram presença nesta cerimónia em Lisboa. De destacar o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, e Hermínio Loureiro, presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, entre outras, como Maria Barroso, Padre Feytor Pinto, deputada ex-ministra da saúde, Maria de Belém, e Maria Leonor Beleza, da Fundação Champalimaud; Walter Osswald e Ana Sofia Carvalho, o primeiro detentor da Cátedra da Bioética da UNESCO, a segunda diretora do Instituto de Bioética da Universidade Católica; Daniel Serrão, Jorge Soares, da Fundação Calouste Gulbenkian, entre muitas outras personalidades ligadas à saúde e à bioética em Portugal.

obliquar. O trabalho de Carlos Gomes, para além de discutir como pensa o pensamento serroniano é, em primeiro lugar, a homenagem merecida ao professor e investigador universitário. “Estamos, por isso - segundo Marcelo - diante de um trabalho que também é uma homenagem do discípulo ao seu mestre”. Continuando no desbravar da obra, o comentador não deixou de admitir que acabou por verificar que ficou a conhecer muito mais e melhor o autor em foco nesta obra. Na verdade, segundo Marcelo, “depois de ter lido o livro fiquei a conhecer muito mais não só da obra serroniana, mas, numa primeira instância, a vida e a pessoa de Daniel Serrão”. Na leitura que fez que da obra, durante 45 minutos, Marcelo Rebelo de Sousa incentivou o autor em continuar o trabalho, mas agora no confronto com outro autores portugueses, assim como considerou necessário concretizar, na prática, o que na teoria o livro apresenta como personalismo médico e ou iátrico, salientando a necessidade de apresentar a nível nacional o

contributo da Bioética na sociedade portuguesa, na medida em que esta área de conhecimento, ainda está um pouco desligada da vida quotidiana do portugueses. Costa Gomes prossegue trabalho Carlos Costa Gomes agradeceu a generosidade das palavras de Marcelo Rebelo de Sousa, assim como o rigor com que desvendou o conteúdo da tese, agora editada em livro. Agradeceu aos presentes, com uma especial referência ao autor estudado, Daniel Serrão, ao Prof. Walter Osswald, exímio orientador e a Ana Sofia Carvalho, diretora do Instituto de Bioética da Universalidade Católica. Por fim, não deixou de dedicar algumas palavras à família, principalmente à sua esposa ‘Belinha’ e filhas, pelo tempo que dispensaram da sua presença para se embrenhar nos estudos e na investigação académica. Carlos Costa Gomes continua, o já iniciado, trabalho de investigação sobre o pensamento bioético em autores portugueses.


CONCELHO

> DESIGUALDADE DE GÉNERO NO CONCELHO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS É EVIDENTE EM LUGARES DE TOPO

Mulheres não ocupam cargos de liderança As mulheres oliveirenses continuam bastante ‘apagadas’ ao nível do desempenho de cargos públicos com peso de liderança. Esta é uma das conclusões a que chegou um grupo de formandas, que se debruçou sobre uma mostra restrita de públicos. No âmbito da ‘Formação de públicos estratégicos com especialização em igualdade de género’, que decorreu em Oliveira de Azeméis, entre 07 de maio e 12 de julho, um grupo de formandas concluiu que “é importante que os setores alvo [autarquias, agrupamentos de escolas e IPSS] deste diagnóstico preliminar e outros da sociedade civil desenvolvam um olhar crítico na reformulação de lideranças a partir de representações de participação e de responsabilidade partilhadas

DR

Mulheres oliveirenses continuam muito ‘apagadas’ em termos do desempenho de cargos públicos com peso de liderança

entre homens e mulheres em espaços públicos”. Este levantamento (restrito) realizado no concelho de Oliveira de Azeméis partiu da questão “será que persistem, ao nível local, assimetrias no acesso de homens e mulheres a cargos de direção?”, formulada por Diana Lemos, Goreti Mano, Madalena Costa, Sandra Gaspar e Susana Rocha. Estas entenderam que “a realização de um diagnóstico seria uma via para conhecer a realidade em matéria de género e exercício de cargos de direção. Para o efeito,

foram contatadas 50 organizações, distribuídas pelos setores educativo, social e poder local de Oliveira de Azeméis, com o objetivo de recolher informação sobre o número de homens e mulheres incluídos em cargos de direção e de poder. Posteriormente, a nossa análise consistiu na desagregação por sexo da ocupação de cargos em órgãos decisores”. Homens predominam em cargos com poder de decisão Neste diagnóstico prelimi-

nar é de salientar que nenhuma mulher preside a qualquer uma das 19 juntas de freguesia do município. Também nas instituições particulares de solidariedade social (IPSS), “são os homens que predominam no exercício de cargos com poder de decisão”. O sexo feminino obtém melhores resultados na área da Educação, com duas mulheres a liderarem outros tantos agrupamentos de escolas dos cinco existentes em terras de La Salette. “Verifica-se, apesar de tudo, um aumento do número de mulheres nas posições mais baixas (vogais) das hierarquias dos cargos de direção”, afirmam as responsáveis pelo estudo. Em seu entender, “as soluções para combater estas assimetrias passam, necessariamente, por uma participação equilibrada dos homens e das mulheres na vida profissional e na vida familiar, nomeadamente na partilha de responsabilidades parentais e prestação de cuidados a pessoas em situação de dependência”.

> COORDENADORA DA ADRITEM FAZ BALANÇO POSITIVO

Adesão fantástica no primeiro ‘Há festa na aldeia’ O primeiro evento-âncora do projeto ‘Há festa na aldeia’, que decorreu, recentemente, em Vilarinho de S. Roque (Albergaria-a-Velha), “superou todas as expetativas”, afirmou a coordenadora da Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM), Teresa Pouzada. “As pessoas de Vilarinho de S. Roque foram fantásticas na adesão ao ‘Há festa na Aadeia’, envolvendo-se, desde a primeira hora, neste desafio lançado pelo ADRITEM”, disse a responsável, no encerramento das atividades, realçando o apoio da Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha, Junta de Freguesia de Ribeira de Fráguas e das coletividades locais, designadamente a Associação para a Promoção e o Desenvolvimento da Aldeia de Vilarinho de S. Roque (AVILAR) e o Rancho Folclórico da Ribeira de Fráguas.

“Este foi o primeiro passo de um caminho que queremos seguir, promovendo o desenvolvimento de uma aldeia com fortes recursos e com pessoas empenhadas em melhorar a sua terra”, sublinhou Teresa Pouzada. A programação incluiu espetáculos, animação de rua, teatro e folclore. Os visitantes encontraram espaços com jogos tradicionais, gastronomia, um mercado com produtos regionais, exposições sobre a história da aldeia e ficaram a conhecer ainda o trabalho de pesquisa do mentor do projeto ‘A música portuguesa a gostar dela própria’, Tiago Pereira. “As gentes de Vilarinho de S. Roque sabem receber, têm dinamismo e quando se envolvem os resultados estão à vista. Foi, sem dúvida, um grande momento para todos os que por aqui passaram ao longo de

07

Terça-feira, 23 de julho de 2013

dois dias”, referiu o vereador José Licínio Pimenta, da autarquia de Albergaria-a-Velha. O autarca lembrou que estão previstas intervenções em Vilarinho de S. Roque, designadamente as requalificações da antiga casa do professor (para alojamento de turismo rural) e da Escola Primária, que será transformada em centro de interpretação ambiental e animação. Ambos os projetos são financiados pela ADRITEM no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER). O ‘Há festa na aldeia’ em Vilarinho de S. Roque - uma iniciativa dinamizada pela ADRITEM - contou com a parceria do Município de Albergaria-aVelha e o apoio da Junta de Freguesia de Ribeira de Fráguas. A Ul - também uma ‘Aldeia de Portugal’ - o evento vai chegar nos próximos dias 14 e 15 de setembro.

> PARA SITUAÇÃO...

MUDAR

A

Equipa responsável do diagnóstico propõe Algumas medidas devem ser tomadas, ao nível local, para tentar mudar a situação das mulheres em Oliveira de Azeméis: Alargar este estudo preliminar ao contexto empresarial e a todo o âmbito associativo (associações desportivas, culturais, recreativas, etc.); analisar a participação real das mulheres em estruturas intermédias de poder, cargos executivos e não executivos e em termos de tomadas de decisão concretas; recolher informação útil que se deve traduzir em ações positivas num plano local para a Igualdade de Género em Oliveira de Azeméis; sensibilizar as organizações locais para um aumento do número de mulheres em cargos de direção; agir sobre os estereótipos no sentido de uma mudança de paradigma, no que toca ao papel dos homens na vida familiar como fator de promoção da igualdade de género e participação de mulheres em cargos de decisão e liderança.

> ARTIGOS DE VESTUÁRIO, MARROQUINARIA, ETC. VÃO SER RECOLHIDOS PARA DEPOIS SEREM ENCAMINHADOS PARA QUEM MAIS PRECISA

Autarquia lança campanha de cariz ambiental e social Vários contentores de recolha de têxteis, e não só, já foram distribuídos pelas 19 freguesias do concelho de Oliveira de Azeméis, no âmbito de um protocolo assinado entre a autarquia e a empresa ‘Filtex e Reciclagem’, de acordo com nota de imprensa remetida pela Divisão Municipal de Comunicação. De cariz ambiental e social, esta iniciativa camarária pretende promover a recolha e a valorização de diversos artigos usados para, posteriormente, serem encaminhados para instituições particulares de solidariedade social (IPSS). Não vivêssemos tempos de crise em que são cada vez mais os que precisam de ajuda. Peças de vestuário, têxtil lar, marroquinaria e brinquedos são apenas alguns dos artigos que podem ser depositados nos contentores. Segundo o mesmo comunicado, a roupa que se apresentar em bom estado vai voltar a ser vendida, em lojas sociais, a preços acessíveis, ou, então, vai ser exportada para países em vias de desenvolvimento. De registar também que, por cada tonelada alcançada, a ‘Filtex e Reciclagem’ entrega ao Município 100 euros, valor que, posteriormente, vai ser entregue a IPSS. Além disso, importa ainda salientar que o têxtil que não é reaproveitado é mandado para o centro de triagem, onde pode vir a ser reutilizado, diretamente, como pano ou desfiado.


08

Terça-feira, 23 de julho de 2013

POLÍTICA > À LIDERANÇA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Jorge Oliveira e Silva é o recandidato

O Cine Teatro Caracas apresentou-se lotado, com muitas figuras importantes do PSD nacional, distrital e local, entre tantos outros sem partido ou cor política.

> APRESENTAÇÃO DO CANDIDATO DO PSD À CÂMARA, HERMÍNIO LOUREIRO, ENCHEU O CARACAS

“Uma candidatura do futuro e da esperança” Hermínio Loureiro é novamente o n.º1 do PSD à Câmara Municipal pelo PSD, como já tínhamos anunciado. A candidatura foi tornada pública, perante o Caracas lotado e com a presença de Marques Mendes. Ainda sem promessas concretas e apenas uma ligeira ‘passagem’ pela concessão da água e saneamento, o recandidato tinha a seu lado o mandatário Com. António Rodrigues, o diretor de campanha António Xará e os propostos para liderar as freguesias, entre dirigentes nacionais e locais, e ‘históricos’ do partido ‘laranja’.

riência e conhecimentos” podem ser vitais para “ajudar OA a encontrar um rumo de futuro, bem como a vencer as dificuldades e adversidades com que estamos confrontados” esteve na base desta candidatura e foi, estrategicamente, sublinhada pelo concorrente à CM e, mais tarde, por Marques Mendes, ex-presidente do PSD e amigo do candidato, também presente (ver pág. seguinte). Para além deste, compareceram no Caracas diversos dirigentes nacionais, distritais e locais, bem como muitos ‘históricos’ do PSD, nomeadamente Casimiro de Almeida. Também já anteriormente, o mandatário da campanha, o empresário António da Silva Rodrigues, utilizou o mesmo ‘mote’ para justificar o seu apoio a Hermínio Loureiro (ver pág. “Experiência” para “ajudar seguinte). Oliveira de Azeméis” “Ter recebido, hoje, o apoio A ideia de que a sua “expe- inequívoco e empenhado da de julho, a sua intenção de ser o n.º1 da lista do PSD ao executivo municipal nas Autárquicas de setembro. “Uma decisão como esta nunca é fácil de tomar. Mas a olhar para esta plateia, humildemente, reconheço que decidi bem”, rematou. De facto, o Caracas apresentou-se lotado, sem cadeiras de vago e com apoiantes de pé, num total aproximado a um milhar de pessoas, anunciado por responsáveis da candidatura. Entre estes encontravam-se simpatizantes e militantes do PSD e da JSD, bem como do PCP, PS e CDS, conforme adiantou Hermínio, a quem agradeceu, defendendo que tal dá “uma maior abragência a este projeto e a esta candidatura, onde o principal partido é Oliveira de Azeméis”.

ANGELA AMORIM

“Quero anunciar aos oliveirenses que, depois de uma profunda e séria reflexão, decidi recandidatar-me à presidência da Câmara Municipal [CM] de Oliveira de Azeméis [OA]”. Foi com estas palavras que Hermínio Loureiro oficializou, a 15

Hermínio Loureiro: “Resistiremos à mentira e a todas as provocações”.

família Rodrigues (...) é, para nós, um enorme sinal de confiança. Espero estar à altura dessa confiança, prometendo trabalho e dedicação por OA. Ver que um dos maiores empresários deste país, de uma forma absolutamente desinteressada, decide dar a cara num projeto autárquico, só pode ser sentido com emoção e orgulho. Assumo o compromisso de lutar por OA e por nunca o defraudar e desiludir”, garantiu o recandidato, agradecendo ao comendador ter aceite o convite. “Resistiremos à mentira” e a “provocações” Hermínio Loureiro prometeu não se deixar “arrastar para uma linguagem imprópria” e pugnar por uma campanha eleitoral com “elevação” e “respeito”. “Resistiremos à mentira e a todas as provocações. Se insistirem nesse caminho, ficarão a falar sozinhos. A nossa caminhada vai ser alegre e positiva, ou não tivesse uma direção de candidatura liderada pelo independente António Xará, que coordena uma jovem e experiente equipa”, anunciou. E, em jeito de ‘slogan’, perspetivou: “A minha candidatura é uma candidatura do futuro e da esperança” para “construir um concelho ainda mais forte” e com um “desenvolvimento harmonioso das 19 freguesias”. Para o n.º 1 social-democrata à CM, “importa valorizar a nossa coesão territorial”. Neste seguimento, relembrou uma série de obras

Jorge Oliveira e Silva (que não esteve presente por razões “estritamente profissionais”) volta a ser o cabeça de lista à Assembleia Municipal de Oliveira de Azeméis (OA) pelo PSD. “Um amigo, um grande oliveirense, um homem de causas que tem um paixão enorme pelo concelho”, caraterizou Hermínio Loureiro. Nesta noite foram, também, apresentados os 12 candidatos às Assembleias de Freguesia (ver pág. seguinte). “São homens e mulheres com provas dadas e absolutamente disponíveis para trabalhar pelo futuro de OA”, considerou o cabeça de lista à Câmara Municipal.

e intervenções realizadas nas 19 freguesias, assim como projetos-âncora que marcam o seu atual mandato. Seis anos para cumprir as “metas” na água e saneamento Não fazendo ‘tabu’ sobre a concessão das redes de água e saneamento, o ainda líder da edilidade desta vez não foi muito concreto em promessas. Repetiu apenas o que tem defendido nos últimos tempos: “Vamos, em seis anos, ter cumpridas as metas que nos propomos nas 19 freguesias, num investimento previsível de 60 milhões de euros, que conta com uma alavanca inicial de 18 milhões”. Frisou que os preços das tarifas para os consumidores serão “socialmente comportáveis” e que, “de uma vez por todas, este problema do município vai ser resolvido”. Esta matéria levou à única alusão direta, desta noite, ao seu mais direto opositor nas Autárquicas: “É o meu objetivo e é o projeto que depende da minha vitória e da minha candidatura. (...) E há a posição do candidato do PS, que só sabe criticar e criar obstáculos para que este sonho de todos não se concretize, procurando confundir, baralhar e atrasar”. Esta promessa eleitoral de Hermínio Loureiro, de há quatro anos atrás, continua a ser um ‘cavalo de batalha’ para si, enquanto recandidato, dependendo, ainda, da decisão do Tribunal de Contas, como disse.


POLÍTICA

09

Terça-feira, 23 de julho de 2013

Tavares Ribeiro

> ASSEMBLEIAS DE FREGUESIA DO CONCELHO

DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Candidatos do PSD

r – Augusto Moegosa – António Manuel Fernandes Aguiar; Cesa Carr iro; Ribe ira Pere enço Lour ré And – es Sarn Macinhata da Seixa e Da dir.ª para a esq.ª: Macieira de Oliveira de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Ul, de s uesia Freg das o Uniã ; PSD pelo ada apoi , uel Mário de Pina e reira da Silva – Lista Independente Ossela – José Rodrigues dos Santos; Fajões – Man ; Leite os Sant eira Oliv de Inês – e Roqu S. ; es; Loureiro – Paulo Madail – Carlos Manuel Pinho Silva Costa; Cucujães – Martinho Augusto Alves Gom lo Rebe uel Man – elo Pind e o Crav do ueira posta, Travanca, e Silva; União das Freguesias de Nog Lopes; União das Freguesias de Pinheiro da Bem iro Ribe uel Man o Pedr – dara Gân da o tinh Jorge Cabral da Silva Paço; S. Mar Palmaz – Pedro Joaquim Silva Ribeiro.

> ANTÓNIO RODRIGUES, MANDATÁRIO DA CANDIDATURA

“Não é momento de fazer experiências”

António da Silva Rodrigues: “Eu quero o nosso concelho bem entregue e em boas mãos”.

O Com. António da Silva Rodrigues é o mandatário da candidatura de Hermínio Loureiro. O presidente do conselho de administração do grupo empresarial Simoldes fez questão de frisar que não tem partido nem é militante; “sou um homem livre, sou um homem de causas, preocupado com o futuro de Oliveira de Azeméis”. Daí que, “depois de uma reflexão, envolvendo a minha família, aceitei dar a cara por este projeto e ser mandatário da candidatura de Hermínio Loureiro”. E porquê? Porque o empresário considera Hermínio Loureiro “um homem com credibilidade, com competência e com um currículo invejável” (...) “capaz de garantir o presente e transmi-

tir esperança para o nosso futuro. E eu quero o nosso concelho bem entregue e em boas mãos”. Tendo por base o “trabalho notável” destes quatro anos, “apesar da conjuntura de crise que assola o país”, António Rodrigues alertou: “Não é o momento de fazer experiências. Não podemos trocar o certo pelo incerto. É tempo de escolhermos quem nos dá total garantia para o nosso futuro. E é nisto que eu me revejo. É por isso que vejo em Hermínio Loureiro a pessoa certa, no lugar certo e no momento certo”, defendeu. “Eu estou ao lado de Hermínio Loureiro, porque acredito nele e porque gosto da minha terra”, rematou.

> MARQUES MENDES CONSIDERA QUE HERMÍNIO LOUREIRO TEM...

“Peso político e prestígio nacional”

Marques Mendes: “Hermínio Loureiro tem capacidade de reivindicar junto do governo central”

Luís Marques Mendes foi uma presença marcante na sessão que oficializou Hermínio Loureiro como recandidato à Câmara (CM) oliveirense pelo partido de que já foi presidente. Este fez questão de frisar que veio a Oliveira de Azeméis (OA) manifestar a sua “solidariedade” e “apoio” ao “amigo de longa data”. Porém, para este que já foi, também, deputado social-democrata pelo círculo de Aveiro, “nesta eleição, o que interessa é saber se se é ou não um bom presidente de CM, um bom ou mau candidato”. Definitivamente, para Marques Mendes, Hermínio “é um belíssimo exemplo” nessa matéria e o apoio que lhe manifestou, há quatro anos, foi nesta noite “renovado e reforçado”. E isto porque, “numa conjun-

tura desfavorável, mostrou ser um gestor autárquico eficaz. (...) Foi capaz de reduzir a dívida municipal e o prazo médio de pagamento a fornecedores”; mesmo em tempo de crise, o seu amigo “conciliou a competitividade com a solidariedade, criou condições para que OA tenha uma taxa de desemprego abaixo da média nacional”. Para além disso, lembrou os vários “projetos marcantes” da legislatura de Hermínio Loureiro, como a AAE Ul/Loureiro, o novo pólo da Universidade de Aveiro (Parque do Cercal), etc.. Tudo isto para chegar à ideia principal de que o ainda presidente da CM tem uma caraterística muito importante que abona a favor do desenvolvimento do concelho: “Capaci-

dade de reivindicar junto do governo central” que, mesmo sendo do seu partido, já o viu “a bater o pé em prol de OA”, nomeadamente na defesa das urgências do hospital e das valências do tribunal. “Em poucas palavras: Hermínio Loureiro tem peso político e prestígio nacional; competência e influência”, caraterísticas fundamentais, no entender de Marques Mendes, tendo em conta a proximidade do Quadro Comunitário de Apoio 2014/2020. Neste contexto, “será preciso ter ideias, capacidade, prestígio e influência, a nível nacional, para captar e não deixar fugir os fundos comunitários para outras localidades. O meu conselho é: não troquem o certo pelo incerto”, concluiu.


10

Terça-feira, 23 de julho de 2013

POLÍTICA

> HOSPITAL S. MIGUEL DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Urgência não fecha Após algumas dúvidas as condições físicas lançadas por estudos para a prestação dos realizados pela cuidados de saúde. administração central, Estas garantias foram dadas que apontavam para a Hermínio Loureiro numa o encerramento da reunião com os responsáveis urgência do Hospital da Administração Regional de Oliveira de Azeméis, de Saúde (ARS) na presença do secretário de Estado Ado presidente da junto do ministro da Saúde, Fernando Leal da Costa, e em Câmara Municipal de que participou também o deOliveira de azeméis, putado eleito por Aveiro com Hermínio Loureiro, responsabilidades na área da saúde, Couto dos Santos. recebeu garantias No encontro foi vincada, de que não só isso ao presidente da Câmara Municipal, a importância da urnão acontecerá, gência do Hospital S. Miguel como o Hospital verá numa lógica de complemenainda melhoradas taridade com a do Hospital S.

Palmaz

Pindelo

Sebastião em Santa Maria da Feira que, como é do conhecimento geral, apresenta demasiados constrangimentos. Na mesma reunião foi ainda garantido o reforço na prestação dos cuidados de saúde primários numa política de proximidade, valorizando as unidades de saúde, as unidades de saúde familiar e extensões de saúde. O presidente da Câmara Municipal reclamou a colocação de profissionais de saúde para dar resposta às necessidades das populações, nomeadamente àquelas pessoas que mais precisam. “Defendemos uma política de proximidade e queremos que os médicos e os profissionais da saúde estejam onde fazem

mais falta”, salienta Hermínio Loureiro. Perante esta exigência do autarca foram colocadas diversas hipóteses ao nível da mobilidade e que visam promover a proximidade, nomeadamente no acesso ao médico de família “para que nenhum oliveirense fique privado do mesmo” - referiu Hermínio Loureiro. Na opinião do autarca, as populações hoje servidas, por exemplo, pelas extensões de saúde de Pindelo, Palmaz e S. Martinho da Gândara “terão em primeiro lugar que assegurar médico de família e, posteriormente, criar condições para um atendimento de proximidade. Para isso precisamos de agilizar

recursos administrativos e clínicos”. A autarquia disponibilizouse para o apoio administrativo caso seja necessário, bem como encontrar soluções de mobilidade que permitam, fundamentalmente, melhorar as condições dos cuidados de saúde primários. “Nesse sentido tudo faremos para garantir o normal, regular e bom funcionamento de todas as extensões de saúde e em particular de Pindelo, Palmaz e S. Martinho da Gândara”- salientou ainda Hermínio Loureiro. (O conteúdo desta página é da responsabilidade do Partido Social Democrata de Oliveira de Azeméis)

S. Martinho da Gândara


POLÍTICA

Terça-feira, 23 de julho de 2013

11 > NÃO FALTE: DIA 26 DE JULHO, PELAS 21H00, NO AUDITÓRIO DO ‘PRAÇA DA CIDADE’

Candidatos do CDS-PP apresentam-se à população

Na deslocação à Zona Industrial de Fajões, foi feita uma análise, in loco, ao plano de pormenor

> CDSPP VOLTA À FREGUESIA DE FAJÕES

Jorge Paiva adianta alguns dos seus planos A comitiva do CDS oliveirense, acompanhada pelo candidato à Câmara Municipal, Miguel Portela, assim como pelo n.º 1 à Assembleia de Freguesia de Fajões, o conhecido autarca Jorge Paiva, observou, in loco, o muito que há a fazer nesta terra e a necessidade de mudança que esta freguesia possui.

Para poder encontrar soluções, os visitantes verificaram todas estas questões, através do conhecimento profundo que Jorge Paiva tem da sua terra. Homem residente nesta freguesia, de onde é natural, tem larga experiência quer na Junta de Freguesia de Fajões, quer nas associações, nas quais participou na respetiva gestão. Este candidato está empenhado em vencer o desafio do próximo dia 29 de setembro, com uma equipa de pessoas de trabalho e com experiência em várias áreas profissionais. Num périplo que foi bastante abrangente e demonstrou um profundo conhecimento, por parte do candidato da fre-

guesia, foram muitos os locais apreciados por esta extensa comitiva, que, seguidamente, passamos a enumerar: - Zona Industrial de Fajões - na visita a este local foi feita uma análise, in loco, ao respetivo plano de pormenor, infelizmente, abandonado pelas Juntas anteriores. Este projeto tem que ser acarinhado, pois dele provém a riqueza, o comércio, etc.. Temos todos a ganhar com o seu avanço; - Via do Nordeste (4.ª fase) – troço crucial para o desenvolvimento da vila de Fajões, integrada na continuação da Via do Nordeste. Temos a considerar que os terrenos já são, praticamente, a 80% património municipal;

Mais um dos pontos desta visita dos centristas oliveirenses à freguesia fajoense

- Caminhos florestais – Conservação - verificação do abandono dos caminhos florestais; só para os reparar são precisos milhares de euros. São estes caminhos o garante e defesa da nossa floresta; - Parque do S. Marcos - uma das ‘meninas bonitas’ de Fajões; daqui pode ver-se toda a orla marítima em tempo bom, parque natural, o qual queremos continuar a apoiar para que a juventude e os idosos desfrutem de condições naturais para as horas de lazer. Podemos ir buscar fundos para o desenvolvimento do Monte de S. Marcos; - Salão paroquial - apoiar a construção do salão paroquial, pois existe projeto que tem que avançar; o projeto foi oferecido

A Comissão Política Concelhia (CPC) do CDS-PP de Oliveira de Azeméis convida todos os oliveirenses para a apresentação pública dos seus candidatos às eleições Autárquicas 2013. A apresentação é sextafeira, dia 26 de julho, pelas 21h00, no auditório do edifício ‘Praça da Cidade’. Convidamos a população a vir conhecer quem escolhemos para gerir os destinos das nossas freguesias e do nosso município para os próximos quatro anos. Por Oliveira de Azeméis e por si é que estamos a trabalhar. Todos por um concelho melhor!

pela edilidade; - Centro Cívico – Dinamização e recuperação das margens. Junto às instalações da Junta de Freguesia, pretendemos construir e reconstruir as margens do Rio Antuã, bem como requalificar o leito do rio com mini açudes. Rio ainda com trutas e outras espécies de peixe; - Conservação de ruas - Pretendemos, permanentemente, ter as ruas limpas e asseadas; - Água e saneamento – Fossas a despejarem para o rio. Tratase de uma obra que queremos acompanhar, a par e passo, com os respetivos parceiros. Esta é apenas uma pequena resenha do muito que esta equipa pretende fazer por Fajões, nos próximos quatro anos, que compreendem o mandato a que se candidata. “O Jorge Paiva é um homem com um profundo conhecimento da sua terra e das suas necessidades pelo que se perfila como um bom candidato a gerir os destinos desta freguesia. É um candidato que se apresenta, com a sua vasta equipa, pronto a dar o seu melhor e que temos forte convicção ser importante para o futuro de Fajões”, afirmou o líder da Concelhia centrista, Miguel Portela. (O conteúdo desta página é da responsabilidade da Comissão Política Concelhia CDS-PP de Oliveira de Azeméis)


12

Terça-feira, 23 de julho de 2013

POLÍTICA Joaquim Jorge e a comitiva do PS contataram com a realidade em que trabalham todos os dias os profissionais que asseguram os mais importantes cuidados de saúde no nosso município, visitando as principais valências de saúde no concelho. Os representantes da candidatura socialista reuniram com o Conselho de Administração do Hospital S. Miguel, que teve a oportunidade de enquadrar o papel do nosso Hospital no Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, E.P.E., salientando que, em resultado dos sucessivos cortes que o setor da saúde pública está a sofrer, será cada vez mais difícil manter esta unidade hospitalar aberta. Perante esta incerteza, Joaquim Jorge manifes tou preocupação e total disponibilidade para que a autarquia, sob a sua gestão, possa vir a ser um parceiro ativo na procura de soluções que permitam garantir o seu funcionamento, designadamente através do reforço de meios e da manutenção de serviços que possam continuar servir a população oliveirense e da região, mantendo uma prestação de cuidados de saúde de maior proximidade e com elevada qualidade.

Reunião com o Conselho de Adm. do Hospital

Visita ao Centro de Saúde de Oliveira de Azeméis

Visita à Unidade de Saúde de Cucujães

Visita à Unidade de Saúde de Cesar

Estado da Saúde preocupa PS As atuais localizações das unidades de saúde obrigam os seus utentes a deslocações que nem sempre são fáceis de realizar. Esta realidade atinge, principalmente, utentes de mais idade e com mais dificuldades económicas, que acabam

por sofrer as consequências das grandes distâncias a que ficam estes serviços, da ausência de uma rede de transportes e, soretudo, da difícil situação económica que vivemos. “Porque queremos ajudar a ultrapassar estas dificuldades, assumimos

o compromisso de criar um Serviço de Transportes Gratuito de Utentes para consultas nas unidades de saúde que será estendido a todas as freguesias do concelho”. Este compromisso será concretizado em articulação com as Juntas de

Freguesia e a rede concelhia de serviços de saúde, assegurando, prioritariamente, o transporte de idosos, economicamente, carenciados. (O conteúdo desta página é da responsabilidade do Partido Socialista de Oliveira de Azeméis)

Ricardo Bastos

Simão Godinho

Paulo Mota

Rui Cabral

Candidato à União das Freguesias de Oliveira de Azeméis, Madail, Macinhata da Seixa, Ul e Santiago de Riba-Ul

Candidato à Assembleia de Freguesia (AF) de Cucujães

Candidato à AF de Ossela

Candidato à AF de Loureiro

É um “corredor de fundo” que, ao longo da sua vida, tem vindo a demonstrar que é um homem que luta por causas nobres. Nesta fase da sua vida, aceitou o desafio de se dedicar a tempo inteiro, a esta União de Freguesias que contará com mais de 20 mil habitantes.

Tal como tem vindo a demonstrar ao longo dos vários anos de experiência autárquia, Simão Godinho possui uma elevada sensibilidade social e conhecimento da sua freguesia, encontrando- se, totalmente, disponível para acompanhar a sua gestão, sendo acompanhado por uma excelente equipa que representa a maioria dos cucujanenses residente nos diferentes lugares de Cucujães.

É um homem apaixonado por Ossela que tudo fará para que esta freguesia possa vir a ter o progresso que merece. Determinado, este novo candidato lidera uma forte equipa que está empenhada em trazer para Ossela o investimento e a atenção dignos da freguesia que viu nascer Ferreira de Castro.

Atual presidente da Junta, é, novamente, o candidato do Partido Socialista à freguesia de Loureiro. O jovem autarca pretende um segundo mandato para consolidar as políticas de proximidade que tem levado a cabo o seu executivo, assim como continuar a dar visibilidade às potencialidades da freguesia, transformando-a cada vez mais numa referência a Sul do concelho de Oliveira de Azeméis.


REGIONAL

Terça-feira, 23 de julho de 2013

13

N. CRAVO> ASSOCIAÇÕES NOGUEIRENSES E PINDELENSES DERAM MAIS BRILHO AO 18.º ANIVERSÁRIO DE NOGUEIRA DO CRAVO

Vila atingiu a maioridade Já a pensar no que, com a União das Freguesias de Nogueira do Cravo e de Pindelo, vai acontecer, o executivo liderado por Manuel Rebelo convidou associações e coletividades pindelenses para, juntamente com as nogueirenses, fazerem a festa do 18.º aniversário da vila. Além de dar mais brilho à efeméride, a ideia também foi criar laços entre as duas populações para iniciativas futuras. ALÍRIO COSTA

No sentido de comemorar da melhor maneira o 18.º aniversário da elevação de Nogueira do Cravo a vila, o executivo nogueirense contou com a participação de associações e coletividades nogueirenses e pindelenses nas diversas atividades programadas para este dia festivo. Com esta ‘união das freguesias’, o objetivo também foi criar laços de amizade mais fortes entre as duas populações para iniciativas futuras. Assim, ao cair da tarde de 21 de junho, a Fanfarra do Agrupamento n.º 534 dos Escuteiros, sediados nesta jovem vila, desfilou e prestou guarda de honra às entidades oficiais presentes na cerimónia. Para além da Junta de Nogueira do Cravo representada pelo presidente,

RIART’, contribuiu muito para a satisfação dos que se associaram à festa. Nota ainda para o contributo dado pela sessão de fogo de artifício.

Momento do corte do bolo do 18.º aniversário da vila de Nogueira do Cravo

pela secretária e pelo tesoureiro, respetivamente, Manuel Rebelo, Patrícia Neves e Manuel Moreira, também estava presente o líder da Assembleia de Freguesia, José Sousa. De fora da terra, vieram o autarca de Oliveira de Azeméis Hermínio Loureiro; os vereadores Pedro Marques, Joaquim Jorge Ferreira e Manuel Alberto Pereira; o responsável máximo pela Assembleia Municipal (AM), Jorge Oliveira e Silva; o presidente da Federação das Associações do Município de Oliveira de Azeméis (FAMOA) António Grifo; e os congéneres de Manuel Rebelo, José Alves, de Ossela, e Amaro Simões, de S. Roque. Casa das Associações será “mais-valia para o associativismo local” Na hora dos discursos da praxe, Manuel Rebelo foi o primeiro a usar da palavra, não fosse ele o anfitrião. ‘Vestindo já a pele’ de candidato, pelo PSD, nas próximas Autárquicas, começou por dar os parabéns aos seus fregueses, para, depois, prometer que, “se for eleito, farei uma gestão de equidade para unir cada vez mais as populações de am-

bas as freguesias”. De seguida, enumerou as várias obras executadas neste mandato prestes a terminar, em particular a Casa das Associações de Nogueira do Cravo, que espera ver concluída muito em breve. Na oportunidade, falou ainda do “esforço” que foi feito pela autarquia local para que Unidade de Saúde de Nogueira do Cravo se mantivesse a funcionar. Por seu turno, António Grifo, da FAMOA, à semelhança do interveniente que o antecedeu, também se regozijou por mais um aniversário da vila de Nogueira do Cravo e falou na futura Casa das Associações, cujas obras estão a decorrer no antigo edifício das Finanças, destacando-a como “uma mais-valia para o associativismo”. Seguiu-se Jorge Oliveira e Silva, definindo de “excelente” a família nogueirense e de “notável” o trabalho feito pela Junta no que concerne à Saúde. O representante da AM disse saber que “existe falta de médicos de família na Extensão de Saúde” e, por isso mesmo, garantiu “total empenho para resolver, no mais breve espaço de tem-

po, esta carência para que não haja populações de primeira e de segunda”. Por último, interveio Hermínio Loureiro. Para o edil oliveirense, o facto de a Vila de Nogueira do Cravo ter atingido a maioridade “traz mais responsabilidades”, mas não é nada que, na sua ótica, os nogueirenses não saibam lidar, uma vez que “são um povo que não baixa os braços”. Exemplos disso “são as obras levadas a cabo pela Junta de Freguesia” e o movimento associativo. Por falar em associativismo, Hermínio Loureiro afirmou que “falta desbloquear a situação do Pavilhão d’ A NOZ [Associação Nogueirense de Cultura e Desporto]” e recordou a homenagem póstuma ao malogrado ciclista Bruno Neves com a realização do 5.º Memorial Bruno Neves. Posto isso, o Grupo Coral dos Adoradores do Santíssimo Sacramento ‘veio a terreiro’ para cantar o Hino Nogueirense e os ‘parabéns a você’, momento ao qual, naturalmente, se associaram centenas de pessoas. A oferta de bolo de aniversário e champanhe, ao som da música do grupo musical ‘MA-

Festa rija nos dois seguintes A festa prosseguiu no dia 22 de junho, com diversas atividades levadas a cabo pel’ A NOZ, Escola EB1 Maria Godinho e pelo Ginásio Gimnogandra (Cesar), o qual atuou a convite da Associação de Pais do Jardim de Infância, Destaque ainda para os grupos de Hip-hop e de Zumba de Nogueira do Cravo e Pindelo, a Escola de Samba ‘Os Pioneiros’, de Pindelo, e a linda voz de Andreia Gomes, de Fajões, que encerraram o programa desse sábado. Já o domingo seguinte foi, praticamente, dedicado ao folclore, com a realização de um mini festival, no âmbito do qual atuaram o Grupo de Danças e Cantares de Nogueira do Cravo, o Rancho Folclórico Infantil e Juvenil, também de Nogueira do Cravo, e o Grupo Folclórico Juventude de St.ª Maria de Pindelo. Participaram ainda nos festejos o Real Clube Nogueirense, Escola de Ciclismo Bruno Neves, as associações de pais da Escola EB1 Maria Godinho e da Feira, Jardim de Infância, Agrupamento n.º 534 dos Escuteiros, Comissão de Festas 2013, Centro Social Paroquial de Nogueira do Cravo e PARC de Pindelo É de notar ainda que, durante este fim de semana festivo, estiveram a funcionar uma dúzia de tasquinhas sob alçada de várias associações. Houve ainda um concurso de karaoke, direcionado para todas as agremiações participantes, tendo o júri atribuído à Comissão de Festas 2013 o primeiro prémio.

>CARTA AO DIRETOR

Indivíduos fazem passar-se por bombeiros em peditório NUNO OLIVEIRA*

A direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis solicita a V/ Ex.ª a seguinte divulgação: Tem vindo a verificar-se a presença, em vários locais da nossa cidade e em outras localidades do distrito de Aveiro, a presença de elementos que, fazendo-se passar por bombeiros, vestidos com coletes em tudo semelhantes aos usados pelos nossos operacionais, abordam os transeuntes, nomeadamente automobilistas, ocupando as passadeiras e fazendo sinal de paragem, pedindo ajuda para a compra de uma ambulância. Muitas são as pessoas que nos têm

abordado a perguntar se já adquirimos a ambulância para cuja compra dizem ter contribuído. A direção e comando repudiam estes procedimentos oportunistas e ilegais. Consideramos ilegais, porque, desde logo, ocupam as passadeiras reservadas à passagem de peões, violando o Código da Estrada, e, mais ilegais ainda, quando fazem sinal de paragem aos automobilistas o que, tanto quanto sabemos, só as autoridades competentes estão autorizadas a fazê-lo. Os bombeiros servem a comunidade oliveirense e, apesar das imensas dificuldades com

que lutam no dia a dia, só efetuam peditórios anuais pelo Natal, cuja receita reverte e é gerida pelos mesmos bombeiros, através de uma comissão. Estamos tristes e revoltados, alertando, pois, os cidadãos e autoridades competentes, para acabar com esta pouca vergonha. Se tal não acontecer, poderá haver lugar a tomadas de posição extremas, que gostaríamos de evitar. A DIREÇÃO E O COMANDO, * GABINETE DO COMANDO DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS


14

Terça-feira, 23 de julho de 2013

REGIONAL

CARREGOSA> JUNTA ATRIBUIU QUINZE CERTIFICADOS DE RECONHECIMENTO NO 23.º ANIVERSÁRIO DA VILA

“Dinâmica” das associações e da Igreja reconhecida Da sessão solene que teve lugar no auditório da Junta, além da entrega de medalhas de mérito a personalidades e empresas, ainda constou a atribuição de quinze certificados de reconhecimento. Tanto a Fábrica da Igreja como várias associações, inclusive uma de Fajões, foram consideradas pelo autarca local como “o sangue da prosperidade”. GISÉLIA NUNES

No dia do 23.º aniversário da elevação de Carregosa a vila, o associativismo – não só o local, mas também o da freguesia vizinha de Fajões – e a Igreja viram a sua “dinâmica” a ser, publicamente, reconhecida pela Junta presidida por Diamantino Melo. Além do que foi atribuído à Fábrica da Igreja, “pela sua atividade evangelizadora na comunidade”, foram catorze os certificados de reconhecimento entregues a agremiações culturais, recreativas, desportivas e sociais, nomeadamente

ciações que serviam e [ainda servem] o seu semelhante”. Na sua ótica, tudo isto “valeu a pena, porque jamais as suas atividades deixarão de estar presentes na vida desta terra”.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fajões, representada pelo seu presidente da direção, Carlos Almeida, também recebeu um certificado de reconhecimento

à Associação Columbófila de Carregosa, Associação Cultural e Desportiva de Azagães, Associação Cultural e Etnográfica S. Miguel de Azagães, Associação de Reformados e Pensionistas de Carregosa, Banda de Música de Carregosa, Centro Social, Cultural e Recreativo de Carregosa, Comissão Social de Assistência de Carregosa, Juventude Desportiva Carregosense, União Recreativa e Desportiva de Teamonde, União Recreativa ‘Os Amigos da Terra’ – URATE, Associação de Pais e Encarregados de Educação da EB2,3 de Carregosa, Associação de Pais e Encarregados de Edu-

cação da EB1 de Carregosa e Jardim de Infância da Cavadinha, Associação de Pais e Encarregados de Educação do Centro Escolar de Azagães e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fajões. Em relação a esta última, foi dito, na altura, que “embora não seja da nossa terra, é da nossa área de abrangência” e a ela “todos devemos muito pelo esforço humanitário de que se reveste a sua ação”. Coube a Diamantino Melo e a Maria João Valente, esta em representação do presidente da Assembleia de Freguesia (AF), fazer a respetiva distinção.

Club de Oliveira de Neste último sábado, 20 de julho, o Rotary nstrução e ampliação Azeméis assinalou o fim das obras de reco pais, situada na da futura casa de Mónica Pereira e dos seus agora, apenas “equipar, Raposeira, freguesia de Palmaz. Faltando, chegar ao fim aquele mobilar e decorar” o imóvel, está prestes a ria deste clube de serviço que, até à data, é o maior projeto da histó como a entrega das oliveirense. A inauguração da habitação, bem para o setembro. Em suas chaves aos proprietários, está prevista veremos este assunto. próxima edição do nosso jornal, desenvol

“O sangue da prosperidade” Por falar em Diamantino Melo, o autarca local considerou aquelas que, a 13 de julho, dia do 23.º aniversário da elevação de Carregosa a vila, foram distinguidas como “o sangue da prosperidade”, definindo ainda as suas missões de “nobres”. Num tom que parecia já ‘soar’ a despedida – recorde-se que, devido à lei de limitação de mandatos, não pode voltar a recandidatar-se à AF carregosense – o líder autárquico remontou a 1997, quando foi eleito presidente de Junta, altura em que “o meu primeiro objetivo foi apoiar as asso-

Diamantino Melo também reconhecido Aproveitando a oportunidade, Hermínio Loureiro fez questão de agradecer “todo o trabalho, dedicação, empenho e determinação de Diamantino Melo”, prestes a despedir-se das suas funções políticas. Em Carregosa, o responsável máximo pela Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis dirigiu, igualmente, uma palavra “ao trabalho extraordinário que tem sido desenvolvido pelas associações locais”. Em seu entender, estamos perante “uma das freguesias mais dinâmicas do concelho”, não havendo um fim de semana em que “não haja iniciativas nesta terra”. O edil também se referiu à visita do Rei D. Manuel II, agora, perpetuada num busto de bronze na Praça Comendador Fernando Pinho Teixeira: “A mais alta figura do país fez questão de vir a Carregosa (…). Ligações a D. Manuel Correia de Bastos Pina o fizeram cá vir, sendo esta deslocação um sinal de respeito para com um povo generoso que, já naquela altura, sabia receber bem”.

da Junta de Freguesia A sessão solene que teve lugar no auditório público de Carregosa, terminou em grande. Na cave deste edifício um verde de honra e encontravam-se, à espera dos convidados, a 2013’ (iniciativa também a exposição de fotografia ‘Carregos URATE integrada no da União Recreativa ‘Os Amigos da Terra’ o patentes ao público estã qual da ‘Julho’13 Cultural’), no âmbito r Carregosa 2013’, os trabalhos dos participantes no ‘Fotopape gráfico. inclusive os dos vencedores do concurso foto


REGIONAL

Terça-feira, 23 de julho de 2013

CARREGOSA> CARREGOSENSE ANTÓNIO AMORIM TRAÇA RETRATO DA VILA ANIVERSARIANTE

Carregosa: Ontem, hoje e amanhã António Amorim também se associou às comemorações do 23.º aniversário da vila de Carregosa. Este carregosense caraterizou, histórica e socialmente, a terra a que pertence.

António Amorim, nosso estimado colaborador, também foi convidado para falar de Carregosa.

GISÉLIA NUNES

Depois da inauguração, na Praça Comendador Fernando Pinho Teixeira, do busto que assinala a visita do Rei D. Manuel II, há 103 anos, a terras carregosenses e de uma breve alocução sobre este episódio histórico pelo professor António Magalhães, conforme noticiámos na edição anterior, o programa das comemorações do 23.º aniversário da elevação de Carregosa a vila prosseguiu no auditório do edifício sede da Junta de Freguesia. Aqui, contrariamente ao que estava previsto, a turma do préescolar do Centro Social Cultu-

ral e Recreativo de Carregosa não dançou, tendo dado, logo, lugar à intervenção de António Amorim, carregosense que, à semelhança do diretor do jornal Correio de Azeméis, foi também convidado para partilhar ‘pedaços’ da história desta ainda muito jovem vila. O ‘historiador de serviço’, digamos assim, começou por informar os presentes que, de acordo com uma das três versões conhecidas, “o topónimo Carregosa provém de ‘Carrago’, sinónimo de arraial bélico, cercado de carros, armas e

munições”. Relativamente a ilustres carregosenses, destacou D. Manuel Correia de Bastos Pina, Bispo de Coimbra, Conde de Arganil e padrinho do Rei D. Manuel II; o juiz conselheiro Manuel Joaquim Tavares da Costa; o Padre Allyrio de Mello; Vicente de Sousa Brandão; entre outros. Como figura relevante, António Amorim referiu ainda o comendador Fernando Pinho Teixeira, do Grupo Ferpinta – empresário conhecido internacionalmente e ao qual já foram atribuídas duas comendas.

UL> EM ANO DE BODAS DE PRATA

XXIII Festival Nacional de Folclore do Rancho ‘Cravos e Rosas’ No ano em que comemora as suas bodas de prata, o Rancho Folclórico ‘Cravos e Rosas’ de Santa Maria de Ul está a organizar o seu XIII Festival Nacional de Folclore. Agendada para o próximo dia 27 de julho, a edição deste ano tem lugar no Largo da Capela de Adães, na freguesia de Ul, e, à semelhança de 2013, insere-se no programa das Festas em

honra de N.ª Sr.ª das Febres. Além do grupo anfitrião, participam o Grupo Folclórico da Associação Cultural e Recreativa de Dume (Dume – Braga), Grupo Folclórico de São Pedro de Cête (Paredes – Porto), Rancho Folclórico de Rocas do Vouga (Sever do Vouga – Aveiro) e Rancho Folclórico de Provisende (Arouca - Aveiro).

A receção dos participantes, assim como a das entidades convidadas, está prevista para as 18h00, na sede do ‘Cravos e Rosas’ sita na antiga Escola EB1 de Adães. Seguem-se, depois, o jantar convívio na EB2,3 Bento Carqueja (18h45), o desfile desde a sede até ao Largo da Capela de Adães (20h45) e o início do XIII Festival Nacional de Folclore (21h30).

OLIVEIRA DE AZEMÉIS> INICIATIVA TEM LUGAR NO JARDIM PÚBLICO, NESTA SEXTAFEIRA

Misericórdia promove III Feira de Gastronomia Organizada pela Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis (SCMOA), a III Feira de Gastronomia tem lugar na Praça José da Costa – vulgo Jardim Público –, na cidade de Oliveira de Azeméis, esta sexta-feira, dia 26 de julho, a

partir das 10h30, hora prevista para a abertura. O programa prossegue com a atuação do Grupo de Cavaquinhos da Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis (11h00), as Marchas Populares (14h30) e a exibição do Grupo Musicaima

– Fados e Canções (16h00). A SCMOA convida as instituições do concelho e a comunidade em geral a participarem na iniciativa. Esta é, sem dúvida alguma, uma boa oportunidade para provar bons petiscos! Aproveite-a!

15 PINHEIRO DA BEMPOSTA> DEPOIS DE REQUALIFICADA

Banda de Música inaugura sede no dia 03

Obras que, por enquanto, “fazem parte do imaginário” Para o fim da sua intervenção, António Amorim deixou as lacunas daquela que, com a recente reorganização administrativa do território, é, agora, uma das doze freguesias do concelho de Oliveira de Azeméis. Segundo disse, “Carregosa enferma ainda da falta (...) de um lar de idosos, um parque de convívio e lazer, um pavilhão gimnodesportivo, uma melhor cobertura de gás natural e de água ao domicílio, uma rede de saneamento digna e uma rede viária melhorada”. Mesmo estando consciente da “asfixia que a atual crise económica do país nos provoca”, António Amorim afirmou ter “esperança” quanto ao facto de, “paulatinamente e com muito trabalho” vir a ser possível executar estas obras – que, desde há vários anos, “fazem parte do imaginário quer dos autarcas, quer das forças vivas da terra” – e, assim, “tornar a nossa vila ainda mais próspera e aprazível, onde dê gozo viver”.

Depois da requalificação do edifício sede da Sociedade Musical Harmonia Pinheirense, feita ao abrigo de uma candidatura à Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM), a inauguração desta obra está agendada para o próximo dia 03 de agosto, sábado, pelas 10h00, na vila de Pinheiro da Bemposta. De notar que esta cerimónia vai culminar com um porto de honra e, como não podia deixar de ser, vai ser abrilhantada pela secular Banda de Música.

M. SEIXA> NO BRASIL ATÉ DIA 31 DE JULHO

Jovem macinhatense nas Jornadas Mundiais da Juventude O jovem macinhatense Fábio Miguel Oliveira Pinto, de 25 anos, tem desenvolvido, ao longo dos anos, uma grande atividade na paróquia, de modo particular na condução e orientação dos movimentos da juventude. Um colaborador dinâmico e ativo, que tem granjeado grandes simpatias. Méritos que tem extravasado muito para além da paróquia de Macinhata da Seixa, méritos premiados agora com a participação nas Jornadas Mundiais de Juventude, que decorrem entre 21 e 31 de julho e que são presididas pelo Papa Francisco.


16

ENTREVISTA

Terça-feira, 23 de julho de 2013

> JUNTA DE FREGUESIA DE S. ROQUE TRAÇA BALANÇO “POSITIVO” DESTES ÚLTIMOS QUATRO ANOS, MAS…

Amaro Simões diz ter tido “algumas deceções” “Um dos meus grandes ‘sonhos’ era concluir o saneamento”, disse, em entrevista ao nosso jornal, Amaro Simões. Mas a verdade é que ainda não é desta que este seu “sonho” vai ser concretizado. Mesmo tendo perfeita noção que esta obra “não depende de nós”, o autarca de S. Roque refere-a como uma das “deceções” deste seu mandato prestes a chegar ao fim.

Amaro Simões ladeado por Maria Isabel da Costa (à dt.ª) e Maria Alice Pinho

GISÉLIA NUNES

na conversa com o nosso jornal, este natural de Guimarães assumiu-se como (re)candidato à Assembleia de Freguesia de S. Roque, nas eleições marcadas para 29 de setembro (ver página 18 desta edição).

Dando seguimento às entrevistas às Juntas do concelho, esta semana, o Correio de Azeméis foi até S. Roque, onde a liderar o executivo encontrou um vimaranense de 61 anos, literalmente, apaixonado por esta terra, que o acolheu há mais de três décadas, e por aquilo que faz a tempo inteiro. Com este, é o quarto mandato de Bernardo Amaro Simões enquanto presidente de Junta. E, caso ganhe nas Autárquicas 2013, não será o último, pois,

Para começar, pedimos-lhe para fazer um balanço deste seu último mandato. Sem dúvida alguma que faço um balanço positivo deste mandato. No entanto, não quero deixar de referir que, ao longo destes quatro anos, tive algumas deceções como, por exemplo, o saneamento, que não foi prosseguido. Isto é, para mim, uma grande frustração. Nem as outras obras, que fomos capazes de concluir, como é o caso do Parque Inter-Gerações/Revita-

lização de Área Rural e de Lazer, um espaço adjacente à sede da Junta de Freguesia (JF) de S. Roque ou a restauração eficaz da Ponte do Silvar, compensam esta deceção. Ou seja, em geral, o balanço é positivo, embora as minhas expetativas fossem muito maiores. Como em tudo na vida, saboreamos quando conseguimos conquistar algumas ‘vitórias’ e lamentamo-nos por coisas que não fizemos ou fizemos menos bem. Agora, nestes seus últimos quatros anos de vida autárquica, quais foram as suas ‘vitórias’ e ‘derrotas’? ‘Vitórias’… Falando em termos de obras físicas, volto a referir o Parque Inter-Gerações ou, como também já é conhecido,

Jardim Público, do reforço desta nova centralidade que se desenvolve à volta deste Centro Cívico de São Roque. Este espaço revela mais vida que do muitas sedes de concelhos. Falo também de muitos melhoramentos que foram levados a cabo ao nível da rede viária. Em relação a estes últimos, foram pequenas intervenções cirúrgicas que, por si só, representaram pouco investimento, mas que não há dúvida que beneficiaram muito as pessoas que, regularmente, utilizam as vias que foram intervencionadas. Objetivo superado, ou vitória, se quiser, foi também a reconstrução da Ponte do Silvar, ou ponte ‘Morgado do Covo’, como sugere o Dr. M. António Fernandes, que decifrou as inscrições relevadas na pedra ‘enigmática. Competindo às JF também a atenção às pessoas, sobretudo, nos momentos mais frágeis, considero uma grande ‘vitória’ o dinamismo e o exemplar funcionamento da nossa Comissão Social de Freguesia. Constituída em 2004, por razões óbvias, desenvolveu-se muito nestes quatro anos. Passando, agora, para as ‘derrotas’, um dos meus objetivos, um dos meus grandes ‘sonhos’ era concluir o saneamento – temos, sensivelmente, 50% de rede pública de esgotos, mas

nem sequer 20% do saneamento está ligado à ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais) –, contudo, tal não foi possível. Claro que temos consciência que a implementação desta infraestrutura, assim como a da água, não depende de nós. No entanto, entendemos que, por razões estratégicas e económicas, seremos das primeiras freguesias a ser intervencionadas, dado tratar-se de um pequeno investimento para unir pontos, “ coser malha”, ligando imediatamente à ETAR os 30% que faltam. Ficando toda a freguesia de S. Roque, a Norte, assim como Nogueira do Cravo (a Sul), com o problema resolvido. Depois, é só faturar. A Câmara, neste momento, está a desperdiçar muitos recursos, com prejuízo evidente, também, para o ambiente. No ponto em que está, se permitissem, S. Roque e Nogueira do Cravo resolveriam o problema, com vantagem para todos. Não faz sentido estar tão dependentes do serviço de cisternas para despejo de fossas como temos estado. Com as atuais exigências, não há freguesia que aguente. No mês passado tivemos de adquirir um novo trator (33.000 euros), porque o anterior estava a dar muitas despesas de manutenção.

> TIDOS COMO AS DUAS OBRAS MAIS EMBLEMÁTICAS

Centro Escolar e Parque Inter-Gerações marcaram mandato Como obras emblemáticas deste mandato, Amaro Simões e as suas colegas do executivo Maria Isabel da Costa e Maria Alice Pinho, respetivamente, a secretária e a tesoureira, apresentaram o Centro Escolar Comendador Ângelo Azevedo e o Parque Inter-Gerações. Mas as intervenções de fundo não se quedaram por aqui… Como define este mandato em termos de intervenções mais de fundo? Lá está…é incontornável… falo-lhe, novamente, no Parque Inter-Gerações, o qual, embora tenha resultado de uma candidatura, dependeu de nós. A Câmara Municipal, haverá de colaborar com 20%. Foi um desafio arrojado para a fregue-

sia, com os seus poucos recursos, responsabilizar-se por esta obra, desde a conceção, projetos, elaboração de procedimentos, submissão ao PRODER. A JF foi preponderante nesta intervenção que contou com a competência e compreensão da ADRITEM. Depois, temos algumas obras que foram feitas ao abrigo de protocolos de colaboração estabelecidos com a Câmara Municipal: 1.ª fase do arranjo urbanístico da área envolvente ao cemitério de Bustelo (17.299 euros); 2.ª fase, incluindo a repavimentação, a concluir brevemente (+ 15.000 euros). Parque de estacionamento da Escola Básica e Secundária Ângelo Azevedo e do Grupo Desportivo de S. Roque (17.012,66 euros); Rua

do Formal (12.720 euros); Rua, Travessa e Caminho da Ribeira Verde (26.935 euros); reabilitação da Ponte do Silvar (10.000 euros), um projeto antigo a que, finalmente, demos solução, etc.. Além disso, repavimentámos, em Samil, a Rua dos Moinhos (4.000 euros), uma via alternativa que liga S. Roque a S. João da Madeira, que estava muito degradada e nós reabilitámo-la; na Gândara, a Travessa D. João da Natividade (5.900 euros), entre outras acessibilidades. Pelo que nos está a dizer, houve, então, uma grande intervenção ao nível da rede viária… Sim. Mas há mais… Houve um esforço grande a este nível. Como nunca havia alcatrão

para S. Roque, fizemos um protocolo com a Câmara Municipal no sentido da melhoria da rede viária (tapar buracos) no valor de 5.000 euros. Acabando por não ser um bom acordo, pois já gastámos mais de 20.000 euros, senti que foi um esforço do sr. presidente no sentido procurar corrigir aquilo que, objetivamente, se percecionava como falta de colaboração do assessor com competências delegadas para o efeito. Tendo esta nomeação corrido mal para S. Roque, prejudicando-nos, o presidente tentou corrigir. A verdade é que conseguimos ir tapando, a tempo e horas, os buracos que iam aparecendo, demorando mais porque o inverno foi muito adverso.

Dê-nos uma ou mais obras emblemáticas deste mandato. De facto, na minha opinião, a obra mais emblemática e estruturante do mandato, em S. Roque e em todo o município, ao nível da Educação, foi a conclusão do novo Centro Escolar Comendador Ângelo Azevedo (afeto à Escola Básica e Secundária com o mesmo nome), que assegura o ensino pré-escolar, todo o ensino básico e, agora, o secundário. Boa visão da Câmara, da sua Divisão Municipal de Educação e do diretor do Agrupamento de Escolas [Dr. Ferreira da Silva], que souberam interpretar em tempo útil a Carta Escolar, aproveitando muito bem o terreno, atempadamente, adquirido, para o efeito. GISÉLIA NUNES


ENTREVISTA

17

Terça-feira, 23 de julho de 2013

> CASO NÃO SEJA “INFRAESTRUTURADA” ATÉ MEADOS DE 2014

Zona Industrial da Costa Má em risco A regra do PDM é clara: “Se a Zona Industrial da Costa Má não for, minimamente, infraestruturada até meados de 2014 deixa de ser assim classificada”. O autarca de uma das freguesias mais dinâmicas ao nível empresarial aproveitou esta entrevista do Correio de Azeméis para lançar o alerta. GISÉLIA NUNES

de uma via estruturante que pudesse dar continuidade à estrada do Cercal, pelo menos, desde a Costa Má até S. João da Madeira, porque a nossa rua principal bloqueia um pouco na zona de Samil, contudo, reconheço que esta não é, neste momento, uma prioridade. A reabilitação da Ponte dos Moinhos, em Samil, já seria um bom ponto de partida.

Caso não seja “infraestruturada” até meados do próximo ano, a ZI da Costa Má corre o risco de deixar de o ser

ligada aos moldes. Acontece que se a ZI da Costa Má não for, minimamente, infraestruturada até meados de 2014 deixa de ser assim classificada. Esta é uma das regras do PDM, da qual a Câmara tem conhecimento, só que, neste momento, todas as suas atenções estão centradas na Área de Acolhimento Empresarial (AAE) de Ul/Loureiro. Presentemente, esta [a AAE] é a sua prioridade absoluta. Faço um apelo aos empresários de S. Roque no sentido de ‘não deixarem cair’ a ZI da Costa Má, embora tenha consciência que, nos tempos que se vivem hoje, tomara eles manterem as suas indústrias a trabalhar.

Quais as zonas industriais que existem em S. Roque? Qual é o ponto de situação, nomeadamente em termos de plano urbanístico? Quais são as necessidades em termos de intervenções? Temos duas zonas industriais (ZI): A ZI da Costa Má, com 63.665 m2 e projeto aprovado, apoiada numa via estruturante, com saneamento regular, mas que não tem infraestruturas…só existe em PDM (Plano Diretor Municipal); e a ZI do Merouço, que já tem unidades industriais/ armazéns a laborarem, contudo, não tem plano, nem infraestruturas, nem projeto. Além destas duas ZI, temos polos industriais Estamos a falar de um inespalhados por toda a freguesia. vestimento de que ordem? Ao nível empresarial, S. RoEstamos a falar de milhões que é dinâmica, tendo mais de de euros (PT; central elétrica; uma centena de empresas de passeio; ruas; etc.). calçado e cerca de uma dezena Acontece que é de elementar

prudência consolidar as nossas boas empresas e diversificar o nosso tecido industrial, proporcionando-lhes condições adequadas. Fico sempre em ‘carne viva’ quando vejo deslocalizações de fábricas para terras vizinhas ou, pior, ameaças de encerramento por falta de condições. Os nossos empresários são uns lutadores, mereciam mais atenção, até porque a AAE de Ul/Loureiro é muito grande, mas não vai criar muitos postos de trabalho. Rede viária boa Uma das apostas dos executivos prende-se, de uma forma geral, com melhoramentos na rede viária. Quer acrescentar mais alguma coisa ao que já disse sobre este assunto? Querer mais todos queremos. Mas, muito sinceramente, tomáramos nós conservar bem o que já temos. É verdade que precisávamos

Mencionou essa via estruturante. Há mais alguma? Se relativizarmos, não estamos muito mal. Sabe, temos de lutar pelo progresso e bem-estar, mas temos de ter sentido de justiça se não perdemos credibilidade e, por isso mesmo, quando lutamos, devemos fazê-lo por objetivos razoáveis e de equidade. Um autarca deve ser combativo, diligente, persuasivo, mas não deve ser individualista nem egoísta. Uma Câmara ou uma Junta não deve ser gerida como uma associação de futebol, em que, para um ganhar e se afirmar perante os outros, esses outros têm de perder. Em política todos podemos e devemos crescer harmoniosamente. Há muita gente na política que alimenta tentações futebolísticas, não olhando a meios. Sinto pena! “Movimento associativo com muita garra” Passando, agora, para o tema ‘associativismo’, como é S. Roque ao nível associativo? Temos um movimento associativo com muita garra e dinâmica. Vimos nascer o ENESSE Basquetebol, ajudámos a reabilitar o Grupo Desportivo de

S. Roque, queremos colaborar para a manutenção do Sporting Clube de Bustelo no patamar em que está. Tudo clubes federados. Temos, ainda, o Clube de Caça e Pesca do Cercal e a Associação Columbófila do Distrito de Aveiro, cuja sede é, precisamente, na nossa freguesia. Ou seja, em termos desportivos estamos bem. Ao nível recreativo e cultural, temos a A CHAMA – Associação Recreativa e Cultural de S. Roque, que tem sido uma referência nesta comunidade. Gravou dois CD (um através do seu Grupo de Cavaquinhos e o outro pelo Rancho Folclórico e Etnográfico). Temos, também, o Grupo de Cantares de S. Roque, já há 25 anos, a recolher e divulgar a música popular portuguesa, e que gravou, de igual modo, um CD. Há ainda que contar com a Associação Recreativa e Cultural Renascer e o Movimento Reviver que exercem as suas atividades mais centralizadas no lugar de Bustelo. No âmbito da Ação Social, vi nascer e crescer o modelar Centro Infantil de S. Roque, de que fui dos primeiros diretores e presidente. Dispomos de um acolhedor e confortável Lar de Terceira Idade e Centro de Dia. Damos vida a um processo de geminação com uma vila amiga, Sourzac, do município de Mussidan, França, onde, recentemente, fomos convidados a participar numa das suas mais emblemáticas festividades, neste caso, no Filibrée de Bergerac. Por estas e por outras razões, diga-me como é que não podia apaixonar-me por S. Roque?

> “POR ESTE ANDAMENTO, QUALQUER DIA, TAMBÉM VAMOS COMEÇAR A PAGAR PELO AR QUE RESPIRAMOS”

Autarca não concorda com privatização da água Rede pública de água e saneamento: Relativamente a esta matéria, o que nos tem a dizer? Como já referi, temos cerca de 50% de rede pública de esgotos, mas nem sequer 20% está ligada à ETAR. No que respeita à água, temos 82% de cobertura. Muita gente tem todas as infraestruturas à porta, mas, alegando custos excessivos, não requer a sua ligação. Outros precisariam de a requerer, mas

são da rede pública de água e saneamento à Indaqua? Tenho muitas dificuldades em acolher a solução defendida pela Câmara. Não me repugna que a recolha e o tratamento do saneamento seja entregue à iniciativa privada. Agora, a água? Custame a aceitar que seja privatizaJá agora, qual é a sua opi- da. Não concordo, de maneira nião em relação à solução en- alguma, com a sua privatização! contrada pelo Município de Ainda mais quando o concelho Oliveira de Azeméis – conces- está e, podia estar melhor ser-

não a tendo à porta, o processo fica-lhes, ainda, mais caro. Podíamos estar bem melhor. Esta matéria é um dos objetivos da JF não superados, mas o facto de não ter sido superado não se deveu à nossa falta de empenho. A rede pública de água e saneamento não depende de nós.

vido deste bem essencial, particularmente depois da adesão à empresa ‘Águas do Douro e Paiva’. Por este andamento, qualquer dia, também vamos começar a pagar pelo ar que respiramos…

Relativamente à água, não me convencem. Quanto ao saneamento, não sou tão perentório. Contudo, se for para atalhar tempo perdido, avancem! Só o tempo confirmará a ‘bondade’ da solução. Estou convencido que vamos ver muito boa genMas, segundo o que tem te que votou a favor revelar-se vindo a ser defendido pelo contra as consequências deste próprio Município de Oliveira processo. de Azeméis, não há outra forSinceramente? Não me parema de se avançar com a obra… ce que a solução da Câmara seja não há dinheiro. a mais feliz.


18

Terça-feira, 23 de julho de 2013

> E TAMBÉM UMA UNIDADE DE SAÚDE “MUITO BEM ESTRUTURADA”

“Temos o melhor parque escolar do munícipio” Como carateriza o atual parque escolar de S. Roque? É composto por quantos estabelecimentos de ensino? E estes precisam de alguma intervenção? Acho que temos o melhor parque escolar do município. Temos muitos alunos, um bom corpo docente, funcionários e auxiliares zelosos, ótimas associações de pais que valorizam imenso os estabelecimentos de ensino. É certo que já tivemos mais alunos. O número não tem oscilado muito nos últimos 4 anos. Temos dois pólos de ensino: Um em Bustelo (Jardim de Infância e Escola EB1) e um outro na Escola Básica e Secundária Comendador Ângelo Azevedo, que, agora, com o Centro Escolar, assegura o ensino desde o pré-escolar ao secundário. O Centro Infantil oferece também o ensino pré-escolar. No que concerne aos cuidados de saúde primários, a população local está bem servida? Há unidade de saúde? E há médicos de família suficientes para responder às solicitações? Temos uma Unidade de Saúde, situada nas imediações do edifício sede da Junta de Freguesia, que atende utentes não só de S. Roque, mas também de Pindelo e de Nogueira do Cravo com quem articula. Está muito bem estruturada, bem dimensionada e, embora funcione bem, temos a garantia que ainda vai funcionar melhor, a partir de setembro próximo, com a vinda de médicos efetivos. Neste momento, contamos com uma médica efetiva e a colaboração de três médicos que cobrem o lugar de outro efetivo que pediu aproximação a casa. Diminuição das transferências de verbas: “Uma indignidade” Como têm lidado com a diminuição das transferências de verbas camarárias, que sentiram no bolso, há uns anos? Isso influenciou o desempenho do executivo a que preside? As freguesias foram alvo, no mandato anterior, de um corte de 40%. Estamos a receber, por ano, cerca de 35.728,

00 euros, quando antes recebíamos 55.560,00 euros. Era assim há mais de 20 anos. Foi uma indignidade que nos fizeram. Procuram compensar com protocolos que podem ter sempre uma leitura distorcida e discricionária. Dão-nos por favor aquilo a que sempre tivemos direito. Porque também já, naquele tempo, havia protocolos. Na minha opinião, as freguesias deviam ter mais competências próprias. Neste momento, funcionamos com competências delegadas do Município, até para tapar buracos, o que é muito subjetivo, pois estamos sempre dependentes do humor do presidente de Câmara. Não é correto isso! O presidente já fez declarações no sentido de corrigir estes procedimentos. A prometida ‘via verde’ deu no que deu! Ou as Juntas passam a ter mais competências ou, então, o melhor é acabar com eleições para as Assembleias de Freguesia e o presidente da edilidade nomeia seus delegados para o executivo da freguesia. Felizmente o governo tem-se portado melhor. Reduziu também, mas muito menos. Acredite que isto é um desabafo que faço com alguma mágoa, porque vejo freguesias, até noutros municípios, com grande capacidade de gestão a terem de ‘estar amarradas’ aos critérios e preconceitos dos líderes das suas Câmaras. E o número de funcionários da Junta chega? É outra injustiça. Há freguesias ao nosso nível que têm dois, três ou quatro funcionários destacados. Nós só temos um… pelo menos, é bom. Já fomos, abusivamente, ‘ameaçados’ de ficar sem nenhum. Mas não têm funcionários próprios? Sim. Temos sete funcionárias(os). Com o da Câmara, oito. Mas, mesmo assim, vamo-nos reforçando com os Contratos EmpregoInserção (CEI) e os CEI +, do Instituto do Emprego e Formação Profissional, e algumas pessoas que são encaminhadas pelo Tribunal para fazerem trabalho comunitário.

ENTREVISTA > À ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE S. ROQUE NAS AUTÁRQUICAS 2013

Amaro Simões é (re) candidato

Aquando da entrevista, Amaro Simões fez questão de nos fazer uma visita guiada ao Parque-Intergerações, uma das obras emblemáticas deste seu último mandato

Foi por amor que, há mais de trinta anos, trocou Guimarães por S. Roque e, agora, é, por amor à terra que o adotou que vai voltar a candidatarse à Assembleia de Freguesia (AF). Ao nosso semanário, Amaro Simões já assumiu que é o candidato pelo Partido Socialista à AF sanroquense. GISÉLIA NUNES

Há autarcas que entendem que as Juntas de ‘cor partidária’ diferente da da Câmara têm tratamento diferente. Nota isso, também, em relação a S. Roque cujo executivo é socialista? O presidente da Câmara [Hermínio Loureiro] diz que não há tratamento diferente, que todos os autarcas são tratados de igual forma, e, francamente, acredito que ele diga isso com sinceridade. Eu também defendi sempre esse princípio. Mas ninguém acredita que isso acontece de facto. Não acontece, porque, ao nível dos pequenos poderes delegados, há muita areia na engrenagem. Aliás, o presidente sabe bem disso, só que, infelizmente, não consegue pôr mão no sistema. Há outros poderes e acham que ‘deve ser assim’. No entanto, isto é simbólico e não passa de ‘trocos’ e ‘pequena mercearia’ indigna de quem assim procede, que conseguimos ultrapassar com mais entrega,

mais trabalho e mais dedicação. S. Roque não sai prejudicada. Agora, que estamos em vésperas de eleições, gostariam de cá chegar e proclamar, como fizeram há quatro anos, que “S. Roque está parado”. Podem criar-nos obstáculos, mas não nos param! Aprendi com os sanroquenses a superar as dificuldades. O que pensa acerca da tão polémica lei de limitação de mandatos? O Amaro Simões é um dos autarcas do concelho que não é ‘obrigado’ a sair, digamos assim. Não precisei de lei para entender que ao fim de três mandatos consecutivos temos o direito e dever de abrir perspetivas e dar oportunidades a outros. Em 2005-2009 antecipei-me à lei e saí, porque entendi que o devia fazer. Penso que, assim como devemos saber entrar e estar, também devemos saber sair. Olhe, há pessoas que têm mesmo de ‘ser empurradas’ para darem o lugar a outros, mas, por outro lado, esta lei ‘vai arrumar’ com gente válida. Ou seja, na minha opinião, isto de limitar os mandatos tem coisas boas e coisas más, como se está a constatar. Não deveríamos precisar de leis para estes procedimentos. Posso ir mais longe... Se três mandatos consecutivos devem obrigar a mudar de autarca, por que não obrigar a mudar de partido ao fim de seis mandatos? Pode não ser muito democrático mas que era, politicamente, ‘mais higiénico’, lá isso era. Uma vez que não é ‘limitado’ por esta lei, nestas Autárquicas que se avizinham, podemos contar consigo como o n.º 1 à Assembleia de Freguesia de S. Roque?

Sim. Assumo publicamente que sou candidato. Ainda estive até à última para ver se aparecia alguém com vontade e garra para dar continuidade a este projeto, mas não, não apareceu quem quer que seja. Esta decisão resulta do apelo da minha conciência e da motivação que mantenho em poder continuar a ser útil à freguesia. Por último, quer deixar uma mensagem aos seus fregueses? Quero pedir-lhes para continuarem unidos como, ultimamente, têm estado. Acho que somos um exemplo de comunidade. Uma palavra de agradecimento também à Maria Isabel da Costa, secretária, e à Maria Alice Pinho, tesoureira, pelos bons e maus momentos. Aos funcionários, administrativas, auxiliares e cantoneiros que são o ‘nosso gabinete de imagem’ um pedido de compreensão por cada vez lhes foi pedido mais trabalho e oferecido menos ‘conforto’. Melhores dias hão de vir. Aproveito também a oportunidade para fazer um reconhecimento público a todos os membros da Assembleia de Freguesia, à sua presidente, Teresa Xará e, em particular, à Célia Sá e à sua equipa, que, ao longo destes quatro anos, mantiveram, sobretudo, posições construtivas. Em S. Roque, todos os autarcas vestiram, de facto, a ‘camisola’ da freguesia e não perderam tempo com politiquices. Dá gosto trabalhar assim e, por isso, neste fim de mandato, só tenho é de me sentir feliz pela forma como tudo correu.


REGIONAL

Terça-feira, 23 de julho de 2013

CESAR> HOMENAGEM PÓSTUMA A AURELIANO AZEVEDO, ANTIGO AUTARCA CESARENSE

Quando a morte fala, a vida cala-se…!? Na longínqua convivência do homem com a morte, o seu mistério e a sua inevitabilidade confrontam-se sempre ao ponto de no esperado acontecer o inesperado. Exemplo disso foi o falecimento de Aureliano Azevedo que aconteceu, inesperadamente, antes do esperado. CARLOS COSTA GOMES

Homem de causas públicas, Aureliano Azevedo cedo dedicou muito do seu tempo à vida política e nela permaneceu até ao fim. Depois do 25 de abril de 1974, abraçou o projeto político do PPD/PSD, partido fundado a 06 de maio de 1974, poucos dias depois da Revolução dos Cravos. Membro histórico e apaixonado pelo PPD, partido de eleição, foi uma figura destacada na organização do PPD/PSD local e no concelho, tendo ocupado o cargo de presidente de Junta de Freguesia de Cesar, membro da Assembleia Municipal e exercendo na altura do seu falecimento as funções de membro da Assembleia de Freguesia. O seu modo de estar na política e no debate político cultivou-lhe qualidades de intervenção nos mais diversos âmbitos da participação política, cívica, associativa, etc.. E o seu modo interventivo nem sempre granjeou a compreensão de outras personalidades. Por isso, se é verdade que junto de si havia quem o admirava, também é verdade que, por ter, precisamente, um espírito de intervenção ativo, criou alguns adversários. Este é sempre o preço a pagar pela participação ativa e plena nas causas sociais, públicas e políticas. A sua preocupação pelas questões políticas e partidárias sempre estiveram em primeiro lugar. Porém, no momento de viragem da política local, embora, certamente, muito lhe custasse, não deixou de reconhecer ser vantajoso para Cesar uma

Homem de causas públicas, Aureliano Azevedo ´partiu’, inesperadamente, aos 67 anos de idade

aliança política, independente de partidos. De membro ‘opositor’ passou a membro colaborador e, assim, permaneceu, até ao fim… Entre o esperado... o inesperado A caminho de mais um período de movimentação política, Aureliano Azevedo mostrouse, novamente, disponível para continuar a intervir na vida e na causa pública na vila cesarense. Em diversos planos, sempre expressivo, ajudou a aflorar programas e ideias para o futuro de Cesar; deu vários conselhos e fez apelos à participação em organizações, mesmo nas de fora da terra. Este dinâmico cidadão acreditava que era possível Cesar manter o ritmo de desenvolvimento e crescimento, mas, para isso, dizia ser necessário alguém representar a freguesia no órgão deliberativo municipal. A convicção, a esperança e o entusiasmo, com que abordava estas questões, até ao ateu criavam sobressalto... Todavia, ainda que nos custe admitir, vivemos suspensos num fio de vida, sempre a fazer perguntas. Para muitas delas existem respostas, mas há uma pergunta que vence sempre a resposta. E quando o inesperado acontece nem a pergunta

conseguimos formular. De repente, vemos partir um amigo e todo o nosso corpo dói e sofre. “Dói-me tudo” é a expressão popular para referir uma dor não localizável. A morte de alguém, de um familiar e/ou de um amigo é sempre uma dor sofrida não localizável. E a pergunta é sempre “porquê…?”. Ao questionarmo-nos sobre o porquê da morte, a nossa intenção não é saber algo que não sabemos, mas exigir de nós uma confrontação com a situação vivida pelo outro que será, afinal, também nossa. No entanto, o fio da vida mantém-se suspenso e tenso pela pergunta e a única

resposta plausível, mas sempre difusa, que conseguimos dar, é que se calarmos a vida de Aureliano Azevedo a morte fala. Ou dito de outro modo, sempre que a morte fala cala-se a vida. No entanto, a vida da pessoa é muito mais do que o acontecimento que é a morte. A morte não existe, existe, isso sim, um corpo físico, que expirou no seu tempo biológico, mas que continua vivo naquilo que semeou. Aureliano Azevedo, o seu corpo físico, já não está entre nós. O seu tempo limitado de existir nesse corpo físico terminou ainda que inesperadamente. Conquanto a informação da razão nos diga sobre a perda real e concreta do amigo, do pai e do marido, a mesma razão informa-nos da esperança (cristã): Aureliano Azevedo, não estando entre nós, está em nós… Diante da morte, precisamos de compreender a importância de uma não linguagem sobre Deus. A moralização de sentimentos, na defesa de Deus, é incompreensível para quem sofre. Quem sofre sofre e tem direito ao grito de revolta. Por isso, a pergunta “por que levou quem tanto amava?” não é para ser respondida, mas, sim, uma interrogação diante do problema da morte e do sofrimento, cuja explicação é sempre inexplicável. A resposta à questão inexplicável é a nossa presença e com ela fazer falar a vida… porque a morte não chega nem com a velhice, nem quando ela é inesperada, a morte chega e fala com o nosso esquecimento de quem ‘parte’.

19 CESAR> ÓRGÃO DELIBERTATIVO NA PRIMEIRA PESSOA:

“Arguta capacidade interventiva” reconhecida Durante 16 anos (desde 1997 a 2103), privamos de perto com Aureliano Azevedo, nomeadamente na Assembleia de Freguesia (AF). Neste período, num universo de cerca de oitenta e cinco reuniões magnas, Aureliano Azevedo, em todas em que esteve presente, nunca deixou de intervir. Recordamos, já com saudade, o modo como trazia as cábulas com os reparos e as sugestões para melhoramentos da vila. Além de ser sempre muito ativo e de intervenção fácil, registamos, aqui, também a sua cordialidade de trato para com todos os membros do órgão deliberativo, independentemente da sua cor partidária. Ainda acerca do seu papel como membro da AF, é de referir a amabilidade e o rigor com que endereçava as interpelações à Mesa e, da mesma forma, enaltecer o respeito que tinha pelos dois órgãos autárquicos locais: Assembleia e Junta de Freguesia. Por isso, mesmo sabendo que ninguém é insubstituível, para a AF cesarense, Aureliano Azevedo deixou a sua marca, o seu estilo e a sua personalidade gravados no pensamento de cada um de nós. Goste-se ou não, foi (e continuará a ser) uma figura marcante – durante o tempo que lhe foi dado a viver num corpo físico – pela sua “arguta capacidade interventiva”. PUB


20

Terça-feira, 23 de julho de 2013

TRIBUNAIS E POLÍCIA

>É RESIDENTE EM CUCUJÃES

Oliveirense raptado em Moçambique José Paulo Tavares foi sequestrado em Maputo, na tarde de terça-feira passada, e os familiares ainda não terão recebido pedido de resgate. DIANA COHEN

Um empresário oliveirense foi sequestrado há uma semana, em Maputo, Moçambique, e, desde então, a família aguarda ansiosamente por notícias que teimam em não chegar. Tudo aconteceu ao final da terça-feira passada, quando José Paulo Tavares, com aproximadamente 50 anos, estava nas instalações da empresa de comér-

Imagem RTP

gócio do mesmo ramo, acabou por ser levado à força para o veículo do gangue armado e, desde então, nunca mais foi visto. “Já passaram muitos dias, por isso, calculamos que eles [os sequestradores] estejam a jogar com os níveis de ansiedade da família”, disse ao Correio de Azeméis fonte ligada aos familiares. A família aguardava, a qualquer momento, um telefonema com o pedido de resgate que, ontem, ainda não teria sido O violento sequestro ocorreu nas instalações da empresa efetuado. E quer acreditar que da vítima, na baixa da cidade este seja o móbil do crime. “É desesperante esta espera, cio alimentar ‘Dincore’, de que empresa, depois de destruírem mas acreditamos que tudo vai é proprietário. Um grupo de o sistema de vídeo-vigilância. O correr bem e que eles só quehomens munidos com armas filho da vítima, de idade jovem, rem dinheiro, porque o José manietaram os funcionários, terá assistido a tudo. Paulo é uma pessoa que não José Paulo Tavares, residente faz mal a ninguém e não anda que estariam na zona de escritórios, e amordaçaram o dono da em Cucujães, onde gere um ne- lá a criar problemas”, contou a

mesma fonte. O Correio de Azeméis apurou que o pai de José Paulo encontra-se, já, em Moçambique. Na sexta-feira, o assessor do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Miguel Guedes, disse, ao Diário de Notícias, que o órgão, “através da Embaixada de Portugal em Maputo, está a acompanhar o caso em questão desde a primeira hora, em coordenação com as autoridades moçambicanas e com a família do cidadão português”. Segundo a RTP, o empresário oliveirense é o primeiro português vítima de sequestro desde que este tipo de crimes começou a proliferar em Moçambique, há dois anos. Os resgates já terão rendido aos criminosos cerca de 42 milhões de dólares.

>AINDA O ACIDENTE MORTAL NO PINHEIRO DA BEMPOSTA

Cadeia para condutor que fugiu após atropelar O tribunal optou por não suspender a pena, devido à postura “altamente censurável” que o arguido adotou. José Soares, o arguido que respondeu pelo atropelamento mortal do primo da ex-mulher, seguido de fuga, foi condenado a dois anos de cadeia e ao pagamento de uma indemnização de 85 mil euros aos pais da vítima. O tribunal não teve dúvidas de que o padeiro praticou os crimes de homicídio por negligência e omissão de auxílio de que estava a ser acusado pelo Ministério Público, nem de que a pena mais adequada a aplicar seria

uma efetiva. Segundo a magistrada, o facto de não ter revelado arrependimento, nem ter-se apresentado às autoridades após o sucedido pesaram na decisão. Outros fatores, também, não abonaram a favor do arguido, entre eles ter sido condenado, entretanto, ao pagamento de uma multa por condução em estado de embriaguez e também punido com dois anos e seis meses de prisão suspensa por um crime de violência doméstica, sendo que não estará a cumprir as condições da suspensão dessa pena.

Postura “altamente censurável” O trágico atropelamento ocorreu na madrugada de 10 de dezembro de 2011, na Rua Futebol Clube Pinheirense, no Pinheiro da Bemposta. Ficou provado que a viatura colheu Orlando Gomes, que estava de pé junto a um muro. A sentença refere também que José Soares não circulava pelo lado direito, como deveria, nem “da forma mais adequada”. O que o condutor nunca chegou a admitir foi que, na altura, alegadamente, sabia que ferira uma pessoa, o que, nas palavras da

magistrada, “era o cenário mais provável e plausível de todos”. Ao tribunal, chegou a dizer que pensou que o seu automóvel tivesse passado por cima de pedras, mas, segundo a juíza, “compará-lo [o falecido] a pedras não deixa de ser surpreendente”. “Não se entende porque não pensou que tinha atropelado uma pessoa”, acrescentou. Depois do acidente, José Soares “não parou nem ligou” para os meios de socorro e nem mesmo depois de ter conhecimento de que o primo da ex-mulher morrera atropelado

naquele local confessou a autoria do crime à GNR, pelo que “descurou por completo o dever de socorro”, refere a sentença. Ao tribunal contou que não o fez por “medo da reação” da família de Orlando Gomes, Por estes motivos, o tribunal entende serem “muito elevadas a culpa do condutor e a necessidade de punição”, classificando de “altamente censurável” a postura do homem. A advogada do arguido anunciou que a sentença será objeto de recurso. DIANA COHEN

PINDELO > ACIDENTE REMONTA A 14 DE FEVEREIRO DE 2012

Tribunal dá razão a ‘homem do lixo’ apanhado com 2,3 g/l de álcool Dois funcionários da empresa de recolha de resíduos ‘Dias Verdes’ envolveram-se num acidente de viação, no ano passado, durante a tarde, vindo a descobrir-se que estavam sob efeito de álcool. Ambos foram alvo de um processo disciplinar, que terminou em despedimento. Porém, o Tribunal de Oliveira de Azeméis julgou o despedimento de um deles ilícito e o Tribunal de Relação do Porto (TRP) confirmou, agora, essa decisão. No dia 14 de fevereiro, em Pindelo, quando os dois operários se dirigiam para as instalações da empresa, o veículo despistou-se, tombou para a direita

e o homem que seguia no lugar do pendura sofreu ferimentos ligeiros. O condutor acusou uma taxa de alcoolemia de 1,79 g/l e o ferido, que foi assistido pelos Bombeiros Voluntários de Fajões, tinha 2,3 g/l de álcool no sangue. O operário que ficou ferido contestou o despedimento, dizendo que seguia como acompanhante e, por isso, não pode ser responsabilizado. Para além disso, invocou a inexistência de regulamentos ou normas na empresa que impeçam o consumo de álcool. O Tribunal de Azeméis julgou ilícito o despedimento e, assim, condenou a entidade

empregadora a reintegrá-lo e a pagar-lhe todos os salários que receberia se não tivesse sido mandado embora. “O bom senso não é fonte de direito, antes fosse” No recurso que apresentou ao TRP, a empresa defende que “é do senso comum generalizado ser vedada a ingestão de álcool quando se trabalha no interior de viaturas automóveis”, não sendo, assim, exigível a existência “de regulamentos ou de norma interna a proibir o consumo de álcool aos trabalhadores”. Considera, ainda, “de extrema gravidade um trabalhador encontrar-se alcooli-

zado no exercício de funções laborais, por não dispor assim o mesmo das suas faculdades físicas num estado capaz, podendo, por causa disso, ocorrer acidentes de trabalho ou outro tipo de anormalidades, como efetivamente veio a acontecer”. Mas os juízes desembargadores discordaram. Concluíram que, como o trabalhador não autorizou o acesso ao documento que comprova que estava alcoolizado, esse documento “constitui prova ilegal”. Por outro lado, como não dispunha, pelo menos na altura, de uma norma legal que impusesse o não consumo de álcool aos trabalhadores, o empregador não

pode “limitar-se a afirmar que a norma resulta do bom senso”, porque “o bom senso não é fonte de direito, antes fosse”. Em jeito de conclusão, lê-se no acórdão, consultado pelo Correio de Azeméis, que o homem apenas sofreu um acidente no seu trabalho, “o que não viola nenhum dos seus deveres laborais e não pode, por isso, constituir infração que determine a aplicação de qualquer sanção disciplinar”. “É evidente que o motorista do camião não pode beber”, mas o mesmo não se aplicará ao acompanhante. DIANA COHEN


opinião

Praça pública O Eurostat divulgou hoje, segunda-feira, ao início do dia que a divida pública portuguesa foi a terceira mais elevada da União Europeia até Março aumentando para 127,2% do PIB contra 123,8% registados no trimestre anterior. Mais elevada que a nossa apenas a da Grécia e a da Itália. Mau, muito mau. Por uma vez Vitor Gaspar teve razão. Aquando da sua demissão, ele escreveu que falhámos todas as metas e que, mesmo assim, o primeiro-ministro insistia em manter o rumo. Com este panorama Portugal, dificilmente escapará a novo resgate. E não venham os profetas do dia seguinte dizer que tal aconteceu porque não houve acordo. Estes são os dados apurados e fixados até Março deste ano! Por falar em acordo, deixem que vos diga que durante estes dias vivi sob alguma perplexidade uma vez que ninguém, nenhum dos partidos negociadores, nem o “olheiro” presidencial estabeleceram um objetivo para as negociações. Como é que se negoceia sem saber qual o objetivo pretendido? A salvação nacional? Desculpem-me mas é demasiado vago e pode servir para tudo e aprendi com a sabedoria popular que aquilo que serve para tudo não é bom para coisa nenhuma. Fiquei baralhada, quando próximo do final da semana, os negociadores declaram ao país que as negociações estão próximo da rutura e, no mesmo dia, o Presidente da República, das Selvagens, declara que está muito satisfeito com o decurso das negociações… Cheguei a pensar que isto se devesse a problemas de comunicação entre Lisboa e as Selvagens, afinal, aqui a rede de comunicações não há-de ser das melhores. Depois concluí que tudo isto foi pensado, previamente pensado. Cavaco Silva, apesar de não morrer de amores nem por Pedro Passos Coelho, nem por Paulo Portas (ainda não esqueceu o que um lhe fez enquanto líder da Jota laranja e o outro enquanto jornalista do Independente), não é capaz de se desprender da sua filiação partidária e das suas implicâncias partidárias. No domingo à noite Cavaco Silva deu-nos a conhecer aquilo que já imaginávamos. O governo mantém-se em funções. É certo que ele não disse qual governo e nós sabemos que o atual está manco. Também sabemos que a proposta apresentada por Passos Coelho de remodelação de governo não foi na altura aceite por Cavaco… Todavia, em politiques, irrevogável não tem o mesmo significado que tem em português e, por isso aquilo que ontem não podia ser passa a ser possível hoje, no mundo do politiques, é claro! Cavaco tentou “chantagear” a oposição acenando com a possibilidade de eleições em 2014, para que a oposição se amarrasse com a maioria num ato de suicídio coletivo. A oposição não se vendeu por aquele “prato de lentilhas”. Cavaco, por sua vez, conseguiu ficar prisioneiro do governo, não dum governo qualquer, deste governo que nos conduziu ao pior resultado de sempre. E isto foi o Eurostat que nos deu a conhecer. Faça o governo o que fizer Cavaco mete a viola no saco até 2015! E é este o estado a que chegámos pela mão de uma maioria tripartida, PSD, CDS, Belém…

Helena Terra

Terça-feira, 23 de julho de 2013

21

Causa comum Momento de reflexão

Estamos a pouco mais de 2 meses das próximas eleições autárquicas e à semelhança do que se passa um pouco por todo o país, também em Oliveira de Azeméis uma parte da atenção das pessoas, dos partidos, das associações e da sociedade em geral está já centrada nesse acontecimento. A este propósito não poderia deixar de fazer uma referência extremamente relevante à apresentação do candidato Hermínio Loureiro, ocorrida na passada 2ª feira, dia 15 de Julho. Como é do conhecimento geral, a moldura humana que acorreu ao Cineteatro Caracas a demonstrar o seu apoio foi impressionante e não obstante ser um espaço que alberga uma lotação elevada, esse espaço foi manifestamente pequeno para acolher tanta gente. Queria destacar o ambiente positivo que se viveu nessa noite, escutando um discurso que Herminio Loureiro transmitiu aos presentes realista, bem preparado e acima de tudo de esperança no futuro e nos Oliveirenses. O balanço dos últimos 4 anos é positivo, mas a presença em massa dos Oliveirenses demonstrou que os mesmos se revêm, mais do que nunca, e inclusive tendo em conta os tempos que vivemos, em Hermínio Loureiro como a pessoa que estando à frente dos destinos da Camara poderá nos próximos anos trazer ainda mais qualidade e mais vida ao nosso concelho. O slogan escolhido pela candidatura sintetiza realmente o sentimento que se vive hoje no nosso concelho: Um bom Presidente. A nível nacional e no momento em que escrevo este artigo o Sr. Presidente da Republica ainda não falou sobre o fim das negociações tripartidas para o tão falado mas impossível acordo de salvação nacional entre CDS, PSD e PS. Espero que desta vez Cavaco Silva não se equivoque como anteriormente e tente remediar o mal que provocou ao não viabilizar a solução que Passos Coelho lhe apresentou à cerca de duas semanas. A única saída para o país atualmente passa pela continuação do governo PSD – CDS, legitimado pelo presidente da república. Os mercados e os nossos credores estão atentos. Ninguém pretende um novo resgate. Cavaco errou ao propor o acordo de salvação nacional, acima de tudo por 2 motivos. Desde logo as posições entre governo e PS estavam muito estremadas. E depois porque era de prever que o PS nunca se empenharia verdadeiramente neste acordo e o mesmo estava votado ao fracasso. Uma análise cuidada permite concluir que o Compromisso de Salvação Nacional que o PS apresentou tem muitos pontos em comum com grande parte das ideias que o partido já tinha apresentado no seu documento de Coimbra, pelo que se conclui que não houve um grande esforço deste partido para aproximar posições com os restantes interlocutores. Quem ouviu Seguro a justificar o romper das negociações só ouviu um discurso de campanha eleitoral, populista e oco de conteúdo. Até parecia que não foi o PS o principal interlocutor nas negociações com a Troika há 2 anos atrás. E a partir do momento em que Soares falou, Seguro tremeu e cedeu mais uma vez. Faz parte do ADN socialista este tipo de atitudes.

José Campos

Estimados leitores esta 6.ª feira pelas 21.00 horas no auditório da Praça da Cidade o CDSPP de Oliveira de Azeméis vai ter a honra de vos apresentar os elementos em quem confiamos para gerir os destinos do nosso concelho durante os próximos quatro anos. Está perto do limite, o prazo para que as candidaturas sejam apresentadas, o trabalho que temos desenvolvido para que consigamos estar presentes um pouco por todo o concelho, partilhando a Miguel nossa forma de estar perante as dificuldades e Portela a nossa entrega pelo nosso concelho está praticamente concluído. Numa altura em que a população se encontra desanimada com o meio politico, muitos nem querem ouvir falar nestes assuntos, o CDS-PP em Oliveira de Azeméis conseguiu dar um salto quer quantitativo, quer qualitativo na candidatura que vamos apresentar aos órgãos concelhios de Oliveira de Azeméis. Não só conseguimos um leque de grande qualidade de candidatos, com experiencia e formação nas mais variadas áreas e valências, bem como conseguimos abranger uma área territorial substancialmente maior no concelho em Oliveira de Azeméis. O trabalho que temos desenvolvido nos últimos quatro anos, com a abertura das nossas reuniões à população, com a presença constante no terreno perto dos problemas, na observância das decisões que iam passando pela Assembleia Municipal e assembleias de freguesia onde estávamos presentes, procurando orientar as decisões naquilo que achávamos ser melhor para o nosso concelho, preparou-nos como nunca para este ato eleitoral. Não só sentimos a grande responsabilidade que será decidir o que melhor servirá o nosso concelho, como entendemos que o nosso contributo é necessário no cenário autárquico oliveirense. A postura de moderação, ponderação, coerência e acima de tudo de grande responsabilidade nas decisões que envolvem o nosso concelho tem sido a base da nossa atuação ao nível da Assembleia Municipal e das juntas onde temos trabalhado com os partidos que connosco partilharam as decisões nestes últimos quatro anos. Estivemos sempre ao lado do que achávamos certo, do que achávamos correto e do que melhor serviria os superiores interesses da nossa população, mas acima de tudo defendendo intransigentemente a observância da legalidade e legitimidade das decisões. A minha passagem pela Assembleia Municipal foi muito importante como aprendizagem e integração nestas matérias sendo que nas discussões e votações sempre assumi e contribui para a eficácia e o prestígio dos trabalhos da Assembleia Municipal e, em geral, para a observância da Constituição e das leis. Sinto que tanto eu como este excelente grupo que me acompanha a este ato eleitoral, temos muito para contribuir para este concelho que tanto estimamos ao ponto de estarmos dispostos a ir a eleições para aceitar democraticamente a superior decisão dos oliveirenses. Esperamos então por vós na próxima 6.ª feira pelas 21.00h no auditório da Praça da Cidade em frente ao Gemini. Despeço-me com amizade


23 de julho de 2013

desporto

JOGO AMIGÁVEL> ESFORÇO DA EQUIPA DA CASA NÃO FOI RECOMPENSADO

Trofense mais eficaz contra a garra oliveirense Depois da vitória sobre o Gil Vicente, a Oliveirense recebeu o Trofense, no passado sábado, para o segundo jogo amigável da temporada, tendo saído derrotada por 2-1. A formação da casa criou mais oportunidades de golo junto à baliza contrária, mas foram os visitantes a marcar nos poucos lances de perigo conseguidos. A uma semana do primeiro jogo oficial, a Oliveirense continua sem um treinador no banco, com o nível de formação necessário para dirigir a equipa, e com um plantel super limitado. Apesar de manter o trio atacante no onze inicial, a Oliveirense tem apenas um central disponível (Banjai), que tem feito dupla com Sérgio, um jovem que cumpriu na época passada o seu último ano como júnior e tem demons-

OLIVEIRENSE, 1 TROFENSE, 2 Oliveirense: João Pinho; Carela, Sérgio, Banjai, Paulinho; Renan, Zé Sousa, João Paulo; Carlitos, Avto e Guima. Jogaram ainda: Mammadou, Hélder Silva, Fábio, Oliveira, Nuno Sousa, Miguel Bruno, Viola Cova, Guima (júnior), Diogo (júnior) Treinador: Artur Marques. Trofense: Conrado; Guevara, Dennis, Aitor, Mathes, Tiago, Hélder Sousa, A. Viana, Preciado, Rateira e João Jesus. Jogaram ainda: Luíz Alberto, Mateus Fonseca, Rafinha, Paulo Monteiro, Tiago Mesquita, Rua, Diones, Ricardo, Neves, J. Inocêncio Treinador: Luís Diogo.

A Oliveirense tem, até ao momento, treze jogadores inscritos na Liga de Futebol

trado valias para conseguir um lugar no plantel sénior. No meio campo, o adjunto Artur Marques, que tem dirigido a equipa enquanto não há outra solução, apostou de início em dois jovens para fazer o trio com Renan: João Paulo e Zé Sousa. Apesar destas debilidades, a formação de Oliveira de Azeméis acabou por se debater de igual para igual diante de uma equipa com mais tempo de pré-época e já com plantel praticamente formado. Com garra, preocupada em fechar os caminhos para a sua baliza e apostando em contra-ataques rápidos, a Oli-

veirense foi quem mais perigo criou para chegar à vantagem. Numa jogada rápida, Renan cruzou para a área, mas Avto, à ‘boca’ da baliza, rematou pouco acima da barra. Pouco depois foi Carlitos que, com um remate de longe, ameaçou a baliza de Conrado. Como quem não marca acaba por sofrer... foi o Trofense, numa das raras falhas defensivas da formação de Oliveira de Azeméis, a chegar à vantagem com Rateira a rematar dentro da área perante o guarda-redes João Pinho. Com o golo, o Trofense soltou-se mais, trocou melhor a bola e começou a chegar com

perigo à baliza já à guarda de Mammadou, que foi obrigado a aplicar-se para evitar o segundo golo dos visitantes. Na segunda parte, a Oliveirense retomou o controlo do jogo e à passagem do minuto 69 chegou ao empate pelo central Banjai após a marcação de um livre de Renan. O jogador da Oliveirense apareceu solto dentro da área e, na cara de Conrado, a desviar a bola do alcance do guardaredes. Mas pouco depois, os visitantes voltaram a adiantar-se no marcador com Rafinha, numa boa jogada individual, a rematar dentro da área sem

Estádio Carlos Osório, em Oliveira de Azeméis. Árbitro: Sandra Bastos (Aveiro). Marcadores: Rateira (35’), Banjai (69’), Rafinha (73’)

hipótese para o jovem Fábio Oliveira, que procura manterse como o terceiro guardaredes do plantel, numa altura em que Artur Marques já tinha começado a trocar os jogadores mais experientes pelos vários juniores que têm treinado com o plantel principal. Hoje há jogo com os juniores A Oliveirense defronta hoje a equipa de juniores do clube no terceiro amigável da préépoca. O jogo tem início às 17 horas no Estádio Carlos Osório, em Oliveira de Azeméis.

> EMBORA SEM CONFIRMAÇÃO OFICIAL

Henrique Nunes pode ser o treinador da Oliveirense A menos de uma semana do arranque dos jogos oficiais, continua sem ser conhecido o treinador da Oliveirense para a nova época. O clube de Oliveira de Azeméis é, de todos da Liga de Honra, o que está mais atrasado na formação do plantel, continuando sem registar qualquer reforço além de ser o único que, nesta altura, ainda não tem treinador. Alguns

nomes de possíveis técnicos já vieram a público, mas aquele que parece ganhar mais força ultimamente é o de Henrique Nunes. Aos 58 anos, o treinador que na última época liderou o Feirense pode ser o sucessor de João de Deus no comando técnico da Oliveirense. No que diz respeito à direção, não era conhecido qualquer desenvolvimento até ao fecho

desta edição. José Godinho, que presidiu à Oliveirense nos últimos quatro anos, e o presidente da Assembleia Geral, Jorge Casimiro, mantinham-se incontactáveis, tal como tem acontecido nas últimas semanas. Do plantel, e inscritos na Liga de Futebol, fazem parte apenas os treze jogadores que transitaram da época passada:

Os guarda-redes João Pinho e Mamadou; os defesas Banjai, Paulinho, Nuno Sousa; os médios Miguel Bruno, Zé Sousa, Carela, João Paulo, Renan; e os avançados Carlitos, Guima e Avto. Taça da Liga arranca no próximo sábado O primeiro jogo oficial da Oliveirense é já no próximo

sábado a contar para a Taça da Liga. Na primeira jornada desta prova, a formação de Oliveira de Azeméis deslocase ao reduto do Moreirense num encontro marcado para as 17 horas. Recorde-se que a Oliveirense está inserida no Grupo D, do qual fazem parte também as equipas do Feirense, Chaves, Moreirense e Covilhã.


DESPORTO

Terça-feira, 23 de julho de 2013

23

> MIGUEL OLIVEIRA CONTINUA NO COMANDO TÉCNICO E O PLANTEL ESTÁ PRATICAMENTE FECHADO

Bustelo reforçado com onze caras novas Depois de, na temporada transata, ter conseguido a permanência na 2.ª Divisão Nacional apenas na última jornada, o Bustelo quer, esta época, garantir esse objetivo o mais rapidamente possível num campeonato que o treinador antevê muito competitivo. Miguel Oliveira, o treinador que conseguiu a proeza de levar o Bustelo à 2.ª Divisão Nacional e manter o clube neste patamar pela segunda época consecutiva, volta a assumir o comando técnico da equipa por mais uma temporada. Se no campeonato passado, a luta pela permanência durou até à última jornada, este ano, o treinador quer evitar esse longo sofrimento, garantindo a manutenção o mais rápido possível. No entanto, Miguel Oliveira antevê, desde já, um campeonato mais difícil do que o do ano passado. “Vai ser um campeonato com mui-

> FRENTE AO GONDOMAR

Primeiro amigável é a 07 de agosto O Bustelo tem já alguns jogos de preparação agendados, todos para o mês de agosto. O primeiro está marcado para o dia 07, em casa, frente ao Gondomar. No dia 10, o Bustelo volta a jogar em casa, desta feita diante do Perafita; no dia 14, o Bustelo desloca-se a S. João da Madeira para defrontar a Sanjoanense. Nos dias 17 e 21, o Bustelo volta a jogar fora de portas: em Alba e Avanca, respetivamente.

O treinador Miguel Oliveira antevê um campeonato mais difícil este ano

tos mais clubes, mais competitivo e há muitas equipas, aqui, vizinhas, o que vai aumentar o número de derbies e, consequentemente, dar intensidade aos jogos”, afirmou o técnico, reconhecendo que esta proximidade entre as equipas no mesmo campeonato vai

oferecer “mais espetáculo” aos adeptos que, certamente, vão encher mais os estádios. O plantel do Bustelo para a temporada 2013/2014 está praticamente fechado. Mantendo a mesma base da época passada, da qual transitaram doze jogadores, o plantel foi

reforçado com 11 caras novas, estando ainda em aberto a possibilidade de chegar mais um jogador para o ataque. Para a baliza chegaram dois reforços: Janita (ex-Sanjoanense) e Tiago Rodrigues (ex-Oliveirense). O defesa Luís Martins, que, no ano passado, em dezembro úl-

timo, reforçou o Bustelo a título de empréstimo da Oliveirense, assinou contrato por uma época com o emblema bustelense. Este setor recuado foi ainda reforçado com a contratação de Ricardo Almeida, ex-júnior do Feirense, e de Belletti, ex- S. João Ver. Para o meio campo, o treinador Miguel Oliveira viu o plantel reforçado com a entrada de Letz (ex-Sanjoanense), Bruno Tiago (ex-União de Lamas) e Muge (ex-Ovarense). Para o ataque chegaram Ayrton (ex-Sanjoanense), Magno (ex-Cesarense), Miguel (exCarregosense) e Rafa, que já vestiu a camisola do Bustelo na época passada, a partir de dezembro, a título de empréstimo pela Oliveirense. Nova bancada inaugurada no arranque do campeonato A temporada vai começar em grande no Campo da Quinta do Côvo. Durante este período de férias, o estádio foi beneficiado com a construção de uma nova bancada lateral, o que vai oferecer melhores condições à assistência que, assim, vai passar a não ter de estar de pé durante os jogos. A obra vai ser inaugurada no primeiro jogo do campeonato da equipa bustelense em casa.

FUTEBOL> CAPTAÇÕES PARA A EQUIPA SÉNIOR REALIZAMSE NOS PRÓXIMOS DIAS 29 E 31 NO CAMPO DO VISO

Macieirense apresenta a nova equipa técnica O Futebol Clube Macieirense já se encontra a preparar a temporada que se aproxima. A equipa técnica já foi apresentada e o plantel está a ser formado.

Gomes. A época 2013/2014 marca o regresso do técnico principal à formação de Macieira de Sarnes, onde foi treinador adjunto entre 2007 e 2009, enquanto Sérgio Gomes continua ligado ao Macieirense noutra função, após ter pendurado as chuteiras no final da temporada passada. Miguel Tavares agradeceu à direção a oportunidade de O emblema de Macieira de treinar, pela primeira vez, uma sarnes apresentou já a nova equipa sénior e referiu que equipa técnica do clube para pretende “formar uma equia nova época, sendo a mesma pa homogénea e competitiva, formada pelos treinador Mi- de forma a concretizar os obguel Tavares e adjunto Sérgio jetivos do Macieirense”.

Treinos de captação no Campo do Viso O clube de Macieira de Sarnes vai realizar dois treinos de captações de jogadores, nos próximos dias 29 e 31 de julho, às 19h30, no Campo do Viso e, em homenagem ao antigo presidente, vai organizar o I Torneio Zé do Porto, nos dias 07 e 08 de setembro. As outras equipas participantes serão Sérgio Gomes e Miguel Tavares formam a equipa técnica oportunamente divulgadas. do Futebol Clube Macieirense Registe-se ainda que no arranque deste torneio, o Macieirense pretende inaugurar as obras de beneficiação que tendem melhorar as condições para dar melhores condições tem vindo a realizar no Cam- da estrutura desportiva não só aos jogadores. PAULO RUI po do Viso. Estas obras pre- para os adeptos, mas também


24 > SEGUNDO JOGO AMIGÁVEL NO ‘MERGULHÃO’

Feirense mais eficaz diante do Cesarense CESARENSE, 0 FEIRENSE, 2 Cesarense: João, Areias, Mendes, Careca, Marquito, Miguel Baptista, Tó, Bruno, Pena, Hugo, Alex. Jogaram ainda: Marco, Oliveira, Américo, Rosas, Tintim, Zé Mário, Pedro Nunes, Toni, Diogo e Tomé Treinador: Nuno Costa. Feirense: Miguel, André Santos, Carvalho, Pedro Santos, Álvaro, João Ricardo, Tiago Jogo, Hélder Rodrigues, Chapinha, Edu, Ricardo. Jogaram ainda: Marco, Micael, Fábio, Barge, Sténio, Jonathan, Edu, Cris, Rena, Jacob e Ricardo Valente Treinador: Pedro Miguel Estádio do Mergulhão Árbitro: Renato Oliveira Marcadores: Tiago Jogo (15’), Jonathan (58’, g.p.)

O Feirense, da Liga de Honra, venceu, na passada sexta-feira, o Cesarense, da 2.ª Divisão Nacional, por 2-0, num jogo amigável típico de pré-época. Frente a uma equipa com menos de uma semana de trabalhos, Tiago Jogo e Jonathan foram os marcadores dos golos, no Estádio do Mergulhão, que deram o triunfo à formação treinada por Pedro Miguel. Num encontro com pouco interesse e pouco emotivo, a equipa da Liga de Honra acabou por dominar e chegou à vantagem no marcador, logo aos 15’, numa jogada de contra-ataque desenhada por Chapinha com Hélder Rodrigues depois a isolar Tiago Jogo que, na cara do guarda-redes do Cesarense, não desperdiçou. Na segunda parte, a equipa da casa podia ter chegado ao empate, mas Tintin não teve a frieza suficiente para desfeitear o guarda-redes feirense, rematando à figura. Como quem não marca acaba por sofrer, foi o Feirense que voltou a marcar, desta vez de grande penalidade. Jonathan foi carregado dentro da área e o próprio encarregou-se de estabelecer o resultado final. Já perto do apito final, o ex-oliveirense Zé Pedro, isolado, rematou por cima.

Terça-feira, 23 de julho de 2013

DESPORTO

JOGO DE TREINO> EQUIPA DA CASA LEVAVA APENAS DOIS DIAS DE TREINOS

Cesarense empatou com o Leixões no primeiro amigável CESARENSE, 0 LEIXÕES, 0 Cesarense: Marco; Oliveira, Rosas, Garcia, Américo, Telmo, Tó, Pedro Nunes, Tintin, Toni e Zé Mário. Jogaram ainda: João Silva, Careca, Diogo Mota, Marquitos, Mendes, João Marques, Pena, Bruno Fogaça, Areias, Semedo, Ruben. Treinador: Nuno Costa. Leixões: Jorge Batista; João Viana, Pedro Pinto, Zé Pedro,João Pedro; Rui Cardoso, Novais, Danilo; Bruno Vaz, Fábio Zola e Pedras. Jogaram ainda: Moreira, Marquinhos, Nuno Silva, Huguinho, Moedas, Ruben Saldanha, Cadinha, Anderson, Materazzi, Pedro Tavares Treinador: Pedro Correia. Estádio do Mergulhão, em Cesar. Árbitro: André Castro.

O plantel do Cesarense deixou uma boa imagem diante do Leixões.

No primeiro jogo amigável da temporada, disputado apenas dois dias após o arranque da pré-época no Mergulhão, o Cesarense recebeu o Leixões e o resultado pautou-se por um nulo.

Costa. Num encontro muito disputado a meio campo, com os jogadores a lutarem muito pela posse de bola, a primeira oportunidade de golo surgiu à passagem da meia hora de jogo, quando Pedras, em boa posição, cabeceou pouco acima da baliza do Cesarense. Pouco antes, o guarda-redes Marco tinha defendido, com os pés, o remate de Bruno Vaz O Cesarense recebeu, na dentro da área. passada quarta-feira, o Leixões, Na segunda parte foi o Cesada Liga de Honra, no primeiro rense que esteve perto do golo, amigável da época da equipa quando Alex enviou, com esagora comandada por Nuno trondo, a bola à barra da baliza

Beira-Mar amanhã no Mergulhão O Cesarense realiza amanhã, quarta-feira, mais um jogo amigável. Desta vez, o adversário é o Beira-Mar, também da Liga de Honra, e o encontro está agendado para as 18h00, no Estádio do Mergulhão, em Cesar. Já no sábado, a formação agora comandada por Nuno Costa vai realizar o primeiro jogo de preparação fora de portas. Na deslocação à Lousada, onde a equipa insular está a realizar o estágio, o Cesarense vai defrontar o Marítimo a partir das 10h30.

A pré-época começou em Cesar com dez caras novas.

de Jorge Batista. A partir daqui, o jogo tornou-se mais rápido e o guarda-redes do Cesarense, João Silva, passou por alguns

momentos de aflição quando o Leixões surgiu mais rematador, mas faltou eficácia na hora da finalização.

> CLUBE JÁ PREPARA A ÉPOCA 2013/2014

Formação do Cesarense arranca em finais de agosto O FC Cesarense já está a preparar a época 2013/2014 também no que à formação diz respeito. Com novas ideias e objetivos, o clube de Cesar já tem delineada a estratégia para a próxima temporada. Com Ângelo Silva a assumir o papel de vice-presidente para a formação, o primeiro grande objetivo passa por ‘arrumar’ a casa e, em paralelo, implementar uma nova filosofia e criar a nova estrutura para a gestão de um departamento que já tem uma dimensão e importância considerável dentro do clube.

Outra das prioridades será manter e, se necessário, melhorar o capital humano existente, quer ao nível de técnicos, como de seccionistas e atletas, introduzindo-se ligeiras alterações no sentido de melhorar, significativamente, a ligação entre equipas e restante estrutura do clube, por forma a facilitar o sucesso dos objetivos comuns e esbater as atuais dificuldades sociais e financeiras. A equipa de sub-18 feminina irá ficar sob a responsabilidade direta do departamento de Formação, assim como irão ser dados os primeiros passos

para a criação de uma Escola de Futebol. Neste contexto, o apoio dos patrocinadores, sócios e amigos do clube será muito importante, assumindo especial relevo o carinho, a colaboração e apoio que os pais e familiares dos atletas possam dispensar a todas as equipas e respetivo staff. As equipas de futebol 11 são as primeiras a iniciar os trabalhos, no dia 26 de agosto, enquanto as equipas de futebol de 7 começam a 02 de setembro e a equipa feminina sub-18 no dia 09 do próximo mês.


DESPORTO

25

Terça-feira, 23 de julho de 2013

> JOSÉ QUEIRÓS ACEITOU RECANDIDATARSE PARA 80% DOS MIÚDOS TEREM ONDE JOGAR FUTEBOL

Direção eleita evita fecho do Clube Desportivo de Loureiro A lista liderada por José Queirós foi a única apresentada a sufrágio na assembleia-geral do Clube Desportivo de Loureiro destinada apenas a eleições. Ao fim de seis anos como presidente, José Queirós decidiu recandidatar-se para evitar o fim do clube. O problema diretivo do Clube Desportivo de Loureiro (CDL) está resolvido. José José Queirós (4.º a contar da esq.ª) voltou a assumir a presidência do CDL Queirós aceitou assumir a direção do clube de futebol por mais dois anos e, assim, impediu que o CDL fechas> PARA O BIÉNIO 2013/2015 se portas por falta de órgãos Tesoureiro: Vítor Rafael Tavares Órgãos diretivos do Loureiro sociais. “Havia a necessiVogais: Joaquim Marrafa Fonseca; Vítor dade de continuar com os Rebelo Reis; Acácio Coelho Silva Assembleia-Geral miúdos e não podia abanVogais suplentes: Vítor Silva Monteiro; Presidente: António Rodrigues donar o clube. Tive que me António Oliveira Marques Vice-presidente: Paulo Jorge Tavares recandidatar”, afirmou José Secretário Álvaro Manuel Teorgas Queirós ao nosso semanário, Conselho fiscal salientando que, assim, eviPresidente: Isidro Figueiredo Direção tou um possível fecho da asSecretário: Evaristo Silva Queirós Presidente: José da Silva Queirós sociação desportiva. A única Relator: Ilídio Neves Teorgas Vice-presidente: Francisco Murcela lista apresentada e candidata Suplente: Mariana Tavares Santos Secretário: Marisol Barbosa aos órgãos sociais do Clube Desportivo de Loureiro para o próximo biénio foi aprovada, por unanimidade, pelos atletas que praticam despor- e fica sem poder praticar aos seus atletas. No entanpoucos associados presentes to no Clube Desportivo de desporto e isso nós não que- to, as condições financeiras Loureiro, desde as equipas de remos”, acrescentou o presi- atuais, não só do clube mas na assembleia-geral (AG). futebol de sete ao futebol de dente recentemente eleito. também do país, e a conseonze, em todos os escalões Há vários anos que o quente luta por patrocínios Objetivos adiados da formação. “O grande pro- emblema loureirense luta não permite uma aposta na por falta de apoios A preocupação de José blema é que se o clube fecha pela implementação de um melhorias das infraestrutuQueirós prende-se, exclusi- portas cerca de 80% dos relvado sintético, de forma ras. “O nosso objetivo era vamente, com os cerca de 90 miúdos não têm colocação a dar melhores condições ter um campo sintético,

> FALECEU AOS 69 ANOS, VÍTIMA DE DOENÇA PROLONGADA

António Neves jogou na Oliveirense e no Nogueirense Natural e residente em Nogueira do Cravo, após prolongada doença, faleceu, aos 69 anos de idade, António da Silva Neves, também conhecido por Neves.

Durante a sua vida terrena, como desportista, António Era pai do malogrado ci- Neves jogou futebol na Oliclista Bruno Neves, de quem veirense, tendo, nos últimos muito se orgulhava que, anos, integrado a equipa como é sabido, foi vítima de de Veteranos daquele clube. um acidente, que lhe roubou Depois, no fim de carreira a vida, enquanto participava como jogador, jogou no Real numa prova em Amarante a Nogueirense, tendo, inclusicontar para a Taça de Portu- ve, recentemente, ocupado gal, em 2008. o cargo de presidente da di-

A. COSTA

reção desta coletividade. O seu nome também consta na lista de diversas associações. Como militar, cumpriu uma comissão de serviço, como enfermeiro, em Angola, Na vida civil foi industrial, após o 25 de abril de 1974, fez parte da comissão administrativa da Junta de Freguesia.

uma estrutura que nos fazia muita falta, porque somos dos poucos clubes que ainda têm campo pelado”, lamentou José Queirós, explicando que esta carência não só prejudica a entrada de novos jogadores no clube, como implica a saída de muitos, uma vez que há associações vizinhas que oferecem melhores condições de treino e de jogo. À falta dos apoios dos patrocinadores junta-se a falta dos subsídios da Câmara Municipal. Segundo o dirigente máximo do Loureiro, o clube não recebe qualquer verba da autarquia há dois anos, o que deixa os cofres do emblema com menos cerca de cinco mil euros. Para a próxima época, os novos órgãos sociais tinham outro objetivo estipulado mas, à partida, deverá também ser adiado por falta de infraestruturas. “Queríamos apostar no futebol feminino, mas como só temos um campo para tantas equipas treinarem, e poucos balneários, não temos hipóteses”, explicou o presidente, adiantando que já havia jogadoras e treinadores disponíveis para formar um plantel. O presidente da assembleia-geral, António Rodrigues, no final da reunião, congratulou-se por ter aparecido uma direção que evitou que uma associação de Loureiro fechasse portas, continuando, assim, a fomentar a prática desportiva não só dos jovens da freguesia, como de outras limítrofes.


26

Terça-feira, 26 de julho de 2013

DESPORTO

FUTSAL> COM OITO REFORÇOS JÁ NA EQUIPA

Futsal de Azeméis define plantel para atacar a subida Com oito caras novas e a possibilidade de ainda chegar mais um reforço, o Futsal de Azeméis tem o plantel praticamente fechado para a próxima temporada. Da época transata renovaram contrato sete jogadores. Ricardo Canavarro é o novo treinador para uma época em que o objetivo é o regresso aos nacionais. Com vista a nova época e o ataque à subida de divi-

Ricardo Canavarro já foi apresentado como novo treinador do Futsal Clube de Azeméis.

são, pois na próxima edição do Campeonato Distrital de Aveiro o campeão sobe diretamente à 2.ª Divisão Nacional, devido aos novos figurinos dos campeonatos nacionais, o Futsal de Azeméis tem o seu plantel praticamente desenhado. Da época anterior transitam os jogadores Bruno Lourenço, Bino, Spock, Inácio, Bruninho, Amarelo e Rudi. No que diz respeito a reforços, a equipa oliveirense reforçou-se com qualidade e experiência, alguns desses reforços já tiverem passagens ou estavam mesmo na 1.ª Divisão Nacional. Os reforços são os seguintes: Paulinho e Paulo Azevedo (ex-ACR Vale de Cambra), Andorinha (ex CRECOR), Hélder e Robinho (ex-Unidos Pinheirense), Paulo Fa-

BASQUETEBOL> UMA INICIATIVA DO OLIVEIRENSE MARCO PINTO

> EM ASSEMBLEIA GERAL

MP Campus fomentou a atividade desportiva e social entre os mais pequenos A segunda edição do MP Campus realizou-se entre 05 e 12 de julho no Agrupamento Escola Básica e Secundária Ferreira de Castro. Marco Pinto, natural de Oliveira de Azeméis, jogador e treinador de basquetebol, é o coordenador responsável por este projeto. Este campus tem como principal desporto o basquetebol, mas também inclui outras atividades como zumba, body combate, treino funcional, natação, sessões de vídeo e convidados especiais, tendo estes jogadores e treinadores uma carreira basquetebolística comprovada. Marco Pinto teve a iniciativa de realizar este campo de basquete com o objetivo de ensinar tudo o que já aprendeu, tendo o jovem já passado por mais de quatro clubes e seleções distritais e nacionais. Tem também como finalidade melhorar as capacidades basquetebolísticas destes jovens e ajudá-los a crescer não só como atletas, mas também como pessoas, pois com isto pretende também que os jovens aprendam a respeitar-

Os jovens participantes no MP Campus, com Marco Pinto (ao centro em baixo).

se uns aos outros, conhecerem-se melhor a eles próprios, ficarem a conhecer mais sobre a modalidade desportiva, mas, principalmente, que desfrutem destes dias e construam novas amizades. Visto que ‘sonhar o impossível e fazer o inacreditável’ é uma frase que vive o dia a dia, conseguiu comprovar todas estas palavras, sendo este MP Campus um sonho de criança, que, com muita dedicação,

esforço e sacrifício, conseguiu realizá-lo pela segunda vez, alargando os seus horizontes, tendo acolhido atletas do distrito de Aveiro, bem como do Porto. Agradece a todos os apoios que teve (Invertzo, Café Santiago, Lactogal, Padaria Flor de Azeméis, Padaria Flor do Outeiro, D. Beatriz Amaral, Escola Básica e Secundária Ferreira de Castro, CERCIAZ, ginásio Gymnosport, Lacticí-

ria (ex-São Mateus), Aleni (ex-Gondomar) e Pipokah (ex-Operário dos Açores). No entanto, a equipa poderá ser reforçada com mais um jogador. O novo treinador do Futsal Clube de Azeméis é Ricardo Canavarro, que, na última época, chegou ao Azagães quando o campeonato já ia a meio, mas ainda a tempo de levar a formação de Carregosa à subida à 3.ª Divisão Nacional. A equipa técnica é ainda composta por Miguel Negrais (ex-ACR Vale de Cambra), Hélder Costa e o fisioterapeuta Paulo Almeida, ambos já estavam no clube. O arranque dos trabalhos está agendado para o dia 29 de agosto. O plantel oliveirense parte depois para um estágio em Viseu.

nios de Azeméis, Performance Informática, ACR Vale Cambra e União Desportiva Oliveirense) e também a todos os excelentes participantes, convidados: Prof. Francisco Gradeço (Sangalhos), André Pinto (CAB Madeira), Mário Gonçalves (Ovarense), Prof. Tiago Cardoso, Prof. Bruno e Prof. Liliana, e monitores (Hugo Meireles, Ricardo Guimarães, Ana Soares e Beatriz Praça).

Eleições no Futsal de Azeméis marcadas para sexta-feira O Futsal Clube de Azeméis convoca todos os seus associados para uma assembleia-geral agendada para a próxima sextafeira, dia 26 de julho. A reunião do deliberativo terá início pelas 21 horas, na sede desta associação, sita na Rua José Moreira Dias, lote 3, RC esquerdo, em Oliveira de Azeméis. A ordem de trabalhos engloba dois pontos: - Ponto 1: Eleição para os órgãos sociais para o biénio 2013 a 2015; - Ponto 2: Apresentação e discussão de quaisquer outros assuntos do interesse do Futsal Clube de Azeméis.


geral/pub

Terça-feira, 23 de julho de 2013

Férias Desportivas 2013 Agradecimentos

Entre os dias 24 de junho e 20 de julho, decorreram, na Escola Básica e Secundária Ferreira de Castro, as Férias Desportivas 2013, coordenadas por mim. Chegadas ao fim, posso afirmar que todos os objetivos foram alcançados. Enquanto coordenadora deste projeto, fui percebendo, ao longo destas quatro semanas, a satisfação das crianças estampada nos seus rostos, dos pais/encarregados de educação, assim como do staff e, acima de tudo, de toda a comunidade oliveirense em geral. Tudo isto só foi possível graças à colaboração da Escola Básica e Secundária Ferreira de Castro, à Câmara Municipal, ao grupo Simoldes, Lactogal, Novarroz, Caçarola, Catelas e Teorgas, Isolamais, Celar e muitos outros, que deram o seu apoio, mas que pretendem o anonimato. Neste sentido, aproveito esta ocasião para agradecer a todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, incentivaram e ajudaram a chegar a bom porto este projeto. Desde já, o meu sincero muito obrigado! Oliveira de Azeméis, 20 de julho de 2013 Catarina Ventura

COMOSSELA - Comissão de Melhoramentos de Ossela Instituição Particular de Solidariedade Social ELEIÇÕES CORPOS DIRETIVOS 2013/2015 De acordo com os Estatutos, convocam-se os associados para o ato eleitoral a decorrer na sede da instituição sábado, dia 03 de agosto de 2013 das 16h00 às 17h00. Prazo para entrega de listas: Até às 18h00 do dia 26 de julho de 2013 nos serviços administrativos da instituição. Ossela, 15 de junho de 2013 O presidente da mesa da assembleia-geral (Antero Castro)

algarve Férias

1.ª Quinzena agosto Casa Tipo T2 a 4,5 kms da Praia Verde (Monte Gordo)

Preço acessível

962 537 972

27 cavalheiro 49 anos, 1,63m, estatura média, responsável

Pretende conhecer senhora com as mesmas caraterísticas para uma relação futura

910 836 059

A Empresa Regressàfama Unip. L.da está no mercado das águas de garrafão, marca Vitalis. Temos máquinas de água e café. Também comercializamos máquinas de água ligadas à rede com uma poupança na ordem dos 75 % em relação aos garrafões. Fazemos distribuição em todo o distrito de Aveiro. Temos preços acessívei e assistência personalizada. Para qualquer esclarecimento pode ligar para os n.ºs 917 261 742 ou 912 965 535

Admitimos vendedor comissionista


28

Terça-feira, 23 de julho de 2013

necrologia

Deolinda Tavares Gonçalves - 81 Anos - Rua de Contumil-Loureiro -

Maria da Conceição Godinho de Oliveira - 80 Anos

Seu filho, noras, netos, bisnetas e demais família, profundamente sensibilizados, vêm, por este meio, agradecer, reconhecidamente, a todas as pessoas que se dignaram incorporar-se no funeral da saudosa extinta, realizado no dia 18 de julho, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar. Para todos a sua profunda gratidão.

Sua filha, netas e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres, assim como a missa do 7.º dia, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Agência Funerária Resende, Lda. - Tlf.: 256 502 200 - Tlm.: 918 684 233 / 919 764 922

António Fernando Cardoso Pinto - 60 Anos - Rua de Milheirós-São João da Madeira -

Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres, realizadas em Macieira de Sarnes, no passado dia 17 de julho, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia em sufrágio pela sua alma, que se celebrou na igreja matriz de Macieira de Sarnes, no passado dia 20 de julho, pelas 18h00. Funeral a cargo de Alcino & Filho, Serviços funerários e lutuosos www.alcinoefilho.com tel: 256412007 – 917571219

Clementina Gonçalves de Almeida - 93 Anos

- S. Mamede-Fajões Suas filhas, netos, bisnetos e demais família vêm, por este meio, agra­decer a todas as pessoas que se dignaram tomar par­te nas ceri­mó­ni­as fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Reno­vam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra, quinta-feira, dia 25 de julho, pelas 19h00, em Fajões. Casa Guedes Lda | Rua Dr. Guilherme Alves Moreira, n.º 316 | 3700-475 Milheirós de Poiares Telf.: 256 811 445 | Telm.: 965 815 114 / 968 685 709

Armando de Azevedo Alves - 62 Anos

- Vale do Conde - Fermedo-Arouca Sua esposa, filhos, noras, netos e demais família vêm, por este meio, agra­decer a todas as pessoas que se dignaram tomar par­te nas ceri­mó­ni­as fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Reno­vam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra, quinta-feira, dia 25 de julho, pelas 20h00, em Fermedo. Casa Guedes Lda | Rua Dr. Guilherme Alves Moreira, n.º 316 | 3700-475 Milheirós de Poiares Telf.: 256 811 445 | Telm.: 965 815 114 / 968 685 709

Manuel Gomes - 92 Anos

- Trav.ª da Baganha - Fajões Seus filhos, noras, netos, bisnetos e demais família vêm, por este meio, agra­decer a todas as pessoas que se dignaram tomar par­te nas ceri­mó­ni­as fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Reno­vam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra, sexta-feira, dia 26 de julho, pelas 19h00, em Fajões. Casa Guedes Lda | Rua Dr. Guilherme Alves Moreira, n.º 316 | 3700-475 Milheirós de Poiares Telf.: 256 811 445 | Telm.: 965 815 114 / 968 685 709

Manuel Guedes de Pinho - 79 Anos

- Seixal - Milheirós de Poiares Sua esposa e demais família vêm, por este meio, agra­decer a todas as pessoas que se dignaram tomar par­te nas ceri­mó­ni­as fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Reno­vam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra, amanhã, dia 24 de julho, pelas 20h00, em Milheirós de Poiares. Casa Guedes Lda | Rua Dr. Guilherme Alves Moreira, n.º 316 | 3700-475 Milheirós de Poiares Telf.: 256 811 445 | Telm.: 965 815 114 / 968 685 709

Maria Teresa Azevedo - 78 Anos - Santiago de Riba-Ul -

A família de Maria Teresa Azevedo, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada, quinta-feira, na capela do Senhor da Campa. Funerária José Pina Lda, Praça José da Costa, n.º 107 - 3720-217 Oliveira de Azeméis | R. Visconde, n.º 2259 3700-269 S. João da Madeira | Telf.: 256 682 116 * Telm.: 919 743 670 * E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

José Tavares dos Santos - 77 Anos

- Lugar de Silvares-Macinhata da Seixa -

Agência Funerária Beira-Mar – Rua Conde Santiago de Lobão, n.º 230 – Oliveira de Azeméis Filial: Rua S. João Baptista (Lugar da Igreja) Loureiro – Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Manuel Pereira da Silva - 82 Anos

- Lugar das Cavadas-São Martinho da Gândara -

Sua esposa, filhos, noras, netos e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as ceri­mónias fúnebres, assim como na missa do 7.º dia, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar. Agência Funerária Beira-Mar – Rua Conde Santiago de Lobão, n.º 230 – Oliveira de Azeméis Filial: Rua S. João Baptista (Lugar da Igreja) Loureiro – Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Armando da Silva Santos - 73 Anos - Lugar de Contumil-Loureiro -

Sua esposa, filhos, noras, netos, irmãos e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, lhes manifes­ taram o seu pesar, assim como na missa do 7.º dia, que será celebrada amanhã, quarta-feira, dia 24 de julho, pelas 18h00, na igreja matriz de Loureiro. Agência Funerária Beira-Mar – Rua Conde Santiago de Lobão, n.º 230 – Oliveira de Azeméis Filial: Rua S. João Baptista (Lugar da Igreja) Loureiro – Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Manuel Ribeiro França - 91 Anos - Lugar de Damonde-Travanca -

Sua família agradece, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres, ou que, de outra forma, lhe manifestaram o seu pesar, assim como na missa do 7.º dia, que será celebrada sábado, dia 27 de julho, pelas 19h30, na igre­ ja matriz de Travanca. Agência Funerária Beira-Mar – Rua Conde Santiago de Lobão, n.º 230 – Oliveira de Azeméis Filial: Rua S. João Baptista (Lugar da Igreja) Loureiro – Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Cândido da Costa Tavares - 64 Anos - Lugar da Pica-Vila de Cucujães -

Sua família vem, por este meio, agra­decer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas ce­ri­mó­­ni­as fúnebres, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Reno­va profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma. Funerária Cristino Ld.ª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

Maria Encarnação Neves da Silva - 76 Anos

- Rua da Gândara - S. Roque Seus filhos, genros, noras e netos vêm, por este meio, agra­decer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas ce­ri­mó­­ni­as fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Reno­vam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se celebra no dia 26 de julho, pelas 19h00, na igreja de S. Roque. Funerária Cristino Ld.ª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

Ilda Soares de Castro (Auxiliar das Missões) - 82 Anos

- Lar de Santa Teresinha - Missões Cucujães A Sociedade Missionária e família vêm, por este meio, agra­decer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas ce­ri­mó­­ni­as fúnebres, ou que, de outra forma, se lhes associaram na dor. Reno­vam profunda gratidão pelas presenças amigas na litur­gia do 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que se realiza no dia 26 de julho, pelas 19h00, na igreja da vila de Cucujães. Funerária Cristino Ld.ª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

1.º Aniversário Lutuoso - 27/07/2013

- Oliveira de Azeméis -

Manuel Rodrigues de Oliveira

A família de José Tavares dos Santos, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento e missa de 7.º dia.

No dia em que se completa o 1.º aniversário sobre o falecimento de Manuel Rodrigues de Oliveira, sua esposa, filhas, genros, noras e netos recordam-no, com profunda eterna saudade. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, sábado, dia 27 de julho, pelas 18h00, na igreja matriz de Palmaz.

Funerária José Pina Lda, Praça José da Costa, n.º 107 - 3720-217 Oliveira de Azeméis | R. Visconde, n.º 2259 3700-269 S. João da Madeira | Telf.: 256 682 116 * Telm.: 919 743 670 * E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

- Ferreiros - Palmaz -


SAÚDE E BEMESTAR

Terça-feira, 23 de julho de 2013

29

> DICAS PARA MANTER A SAÚDE BUCAL EM DIA

Cárie: Doença silenciosa e progressiva A cárie é uma doença silenciosa, que muitas vezes não é percebida devido ao seu desenvolvimento lento e contínuo. Se não tratada precocemente, pode ocasionar diversos problemas que afetam toda a saúde do corpo. Os estágios iniciais do desenvolvimento das lesões de cárie não causam nenhum desconforto. Por isso, muitas vezes as pessoas só notam que sofrem da doença quando esta já está num estágio avançado, causando dores de dente. Para o dentista e professor Marcelo Bonecker, é essencial manter bons hábitos de higiene bucal para preveni-la. Além disso, para saber se o indivíduo já está acometido pela doença, a visita ao estomatologista é a melhor alternativa.

DR

alteração de cor em tons de marrom nos dentes afetados. Além disso, é preciso lembrar que se a cavidade é grande, esta reterá alimentos, podendo causar mau hálito e mau gosto na boca”, explica Bonecker. Dicas de bons hábitos de higiene bucal • Escove os dentes no mínimo três vezes por dia ou após cada refeição para evitar acumular resíduos na boca e, consequentemente, a proliferação de bactérias • Use sempre o fio dental. Esse háCom a cárie, os dentes apresentam-se em tons mais escuros. bito ajuda a remover a placa bacteriana, os restos de comida que podem ter ficado entre os dentes, evitando “É possível um leigo perceber de mancha branca e sem apresen- inflamações como a gengivite. • Fique atento à qualidade dos que está com lesões de cárie. No tar uma cavidade evidente”, afirma alimentos consumidos, pois a cárie entanto, as pessoas geralmente o especialista. tem dificuldade de reconhecê-las, Já nos estágios mais avançados ocorre quando as bactérias que reprincipalmente quando estão em da doença, o professor explica que é vestem os dentes se alimentam de estágios iniciais de desenvolvi- mais fácil diagnosticá-la. “Nesta fase açúcares simples. (in ‘Agência RBSA’) mento, ou seja, na forma de lesões é possível percebê-la, pois apresenta PUB


30

necrologia/pub.

Terça-feira, 23 de julho de 2013

3.º Aniversário Lutuoso - 27/07/2013

7.º Aniversário Lutuoso - 25/07/2013

Joaquim Gomes (Vicente)

Adílio Gonçalves da Costa

- S. Mamede-Fajões No dia em que se completa o 3.º aniversário sobre o falecimento de Joaquim Gomes, sua esposa Mafalda, seus filhos, genros, noras, netos e bisnetos recordam, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, no próximo dia 27 de julho, pelas 17h00, na igreja matriz de Fajões.

- Oliveira de Azeméis -

No dia em que se completa o 7.º aniversário lutuoso sobre o falecimento de Adílio Gonçal­ ves da Costa, sua esposa e filhos recordamno, com profunda e eterna saudade. Mandam celebrar missa, em sufrágio pela sua alma, no próximo dia 26 de julho, pelas 19h00, na igreja matriz de S. Roque, sua terra natal.

3.º Aniversário Lutuoso - 29/07/2013

Maria Otília Bastos Pereira

- Porto de Carro-Oliveira de Azeméis -

Longe ou perto de ti, estamos sempre a recordar Estás à beira de Jesus, onde um dia te iremos encontrar No dia em que se completa o 3.º aniversário sobre o falecimento de Maria Otília Bastos Pereira, seus irmãos, cunhadas e sobrinhos recordam, com profunda eterna saudade, este seu ente querido. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, no próximo dia 29 de julho, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis.

2.º Aniversário Lutuoso - 28/07/2013

7.º Aniversário Lutuoso - 24/07/2013

Alfredo José da Silva Santos

José Martins Soares da Costa

- Ul -

Longe ou perto de ti, estamos sempre a recordar Estás à beira de Jesus, onde um dia te iremos encontrar No dia em que se completa o 2.º aniversário sobre o falecimento de Alfredo José da Silva Santos, sua esposa, filho e sogros recordam-no, com profunda eterna saudade. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, no próximo dia 30 de julho, pelas 18h00, na igreja matriz de Ul.

- Oliveira de Azeméis -

A dor de te termos perdido Não pode fazer esquecer a felicidade de te termos conhecido Ficarás sempre no coração de quem te ama

1.º Aniversário Lutuoso - 21/07/2013

Augusto Pereira Aires

Amar-te-emos para sempre!

Pai, fez um ano que me deixaste, um pedaço de mim partiu contigo. As saudades são muitas; cada dia sinto mais a tua falta. Eras a minha alma gémea. Esta tua filha que nunca te esquece, Celeste

Tua esposa, filho, nora e demais família recordam-te com muita saudade. Participam que será celebrada missa, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis, amanhã, dia 24 de julho, pelas 19h30.

- Macieira de Loureiro -

18.º Aniversário Lutuoso - 25/07/2013

1.º Aniversário Lutuoso - 29/07/2013

Rui Manuel da Silva Godinho

António Silva da Fonseca

- S. Martinho da Gândara Faz 18 anos que nos deixaste Choramos lágrimas de saudade Que há tantos anos lembramos com emoção Queremos dizer-te, filho, Que continuas vivendo no nosso coração Seus pais, irmã e sobrinhos recordam-no, com profunda e eterna saudade. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, no dia 27 de julho, pelas 19h00, na capela de S. Lázaro.

12.º Aniversário Lutuoso - 29/07/2013

Dr. Manuel B. Tavares Fernandes - Ossela -

Há doze anos, Deus levou-te para junto d’Ele O nosso coração estará sempre triste com a tua ausência e a saudade, essa ficará para sempre dentro de nós. Foste e serás sempre um exemplo vivo nas nossas vidas. Tua esposa, filhas, netas, genro, pais, irmã e demais família mandam celebrar missa pela sua alma, no dia 27 de julho, pelas 19h00, na igreja matriz de Ossela.

Boa apresentação

Gostava de conhecer pessoa do sexo feminino, com idade à volta dos 40 anos. Não importa a beleza ou o estatuto social, mas a capacidade de saber amar fielmente.

968 146 451 256 682 525

Este espaço pode ser seu Contate-nos: 256 049 890

- Para férias T1 para 4 pessoas Em Lagos - Algarve

C/ piscina, rodeado por 5 praias

Telm.: 966 015 678

aluga-se

Uma missa será rezada no dia 29 de julho, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis.

ALUGA-SE

cavalheiro

No Algarve, Apartamento T1 (6 pessoas) Aldeamento Retur Junto a Monte Gordo, (Praia do Cabeço) 1.ª Quinzena de agosto 1.ª Quinzena de setembro

Faz um ano que partiste para junto do Senhor, Tua esposa e tuas filhas te recordam com amor.

Contato: 917 242 269

vende-se moradia T3

Excelentes áreas e acabamentos, cozinha equipada, 2 garagens, jardim frontal e pequena área de horta/pomar Macinhata da Seixa (a 5 min. de OAZ)

bom negócio

Contato: 917 014 682

aluga-se Apartamento T4 C/ 3 casas de banho Frente ao Edifício Rainha, em OAZ

912 446 749

algarve

Aluga-se Zona Montegordo 2ª Quinzena Agosto 1ª Quinzena Setembro

936 602 057

Ligar das 17h às 22h

alugam-se

2 Apartamentos T2

Em Arrota - Loureiro Sem condomínio bom preço

Tlm. 912 547 783

ARRENDA-SE PAVILHÃO INDUSTRIAL Com 500 metros de área coberta e 300 metros de logradouro Lugar da Igreja - Santiago de Riba-Ul

telem. 966 230 589


publicidade

Terça-feira, 23 de julho de 2013

31

Diogo Filipe da Silva Matos

Lara Francisca Roma de Almeida

- Ribeira-Cidacos-Oliveira de Azeméis -

- Cucujães -

Faz 10 anos 24/07/2013 Que nasceu um menino 10 Anos Era muito pequenino E agora está um grande rapazinho Parabéns Diogo! Que este dia se repita por muitos e longos anos, são os votos da tua irmã, pais e restante família.

Que este dia 27 de julho 24/07/2013 seja prolongado por muitos anos 02 Anos junto dos teus pais Lara, no dia em que completas o teu 2.º aniversário, teus pais, avós, tio e padrinhos desejam-te muitas felicidades e fazem votos para que este dia se repita por muitos e longos anos.

Ilídio Fernando Leite Santos

Vítor Hugo de Oliveira Assunção - Loureiro -

No dia em que o Vítor Hugo de Oliveira Assunção completa o seu quinto aniversário, seus pais, tios, avós e primos desejam-lhe muitas felicidades com beijinhos de parabéns.

aluga-se t3 Sítio aprazível/ sossegado

narciso bp imob. - Ind. S. Roque Aluga

937 603 079 939 464 840

Telem.: 935 130 880

Em Cidacos/OAZ

aluga-se Apartamento T2 Para férias Furadouro Todo equipado 919 757 193

26/07/2013 05 Anos

- Carregosa -

No dia em que Ilídio Fernando Leite Santos completa 28/07/2013 o seu 50.º aniversário, seus pais, irmã, cunhado, e 50 Anos sobrinhos desejam-lhe as maiores felicidades com votos para que esta data se repita por muitos anos. Parabéns!

Escritórios - Lojas - Pavilhões

precisam-SE

Funcionários para empresa de calçado em S. Roque: * 1 funcionário para o setor de montagem (com experiência) * 1 funcionário para o setor de acabamento e embalagem, com carta de condução

Contato: 256 871 091

procura-se

T3 novos c/ excelentes áreas

Para se ocupar de casa e pessoa idosa. Zona de Cesar

Móveis de cozinha, placa, forno, exaustor, esquentador, combinado, microondas, vidros duplos, ar condicionado, aspiração central, estores elétricos, roupeiros embutidos... Spread reduzido... Condições especiais de financiamento

Junto a S. J. Madeira e O. Azeméis

Senhora

912 798 258

Contatos.: 917 224 575 ou 919 015 363

(ligar a partir das 18h00)

vende-se Apartamentos

Acabados de construir Loureiro - OAZ (Frente à Escola EB)

963 021 817

aluga-se Apartamento

No centro da cidade Cozinha equipada Preço: 260 euros

967 827 691


32

Terça-feira, 23 de julho de 2013

CONCELHO

> ORGANIZADO PELA CERVEJA ARTESANAL VADIA EM PARCERIA COM A ASSOCIAÇÃO VALE PANDORA, FESTIVAL TEM LUGAR EM OSSELA

Vadia Rock 2013 é já este sábado É já neste próximo sábado, dia 27 de julho, que se realiza mais um Festival Vadia Rock, organizado pela Cerveja Artesanal Vadia, em parceria com a Associação Vale Pandora. Dado o enorme sucesso da primeira edição deste evento e a crescente divulgação da marca, espera-se a duplicação do público este ano. Produzida em Selores, na freguesia de Ossela, concelho de Oliveira de Azeméis, a Cerveja Artesanal Vadia é já um projeto, totalmente, inovador e de grande sucesso, tanto a nível regional como nacional. De acordo com press release que foi remetido à nossa redação, pelas mãos dos três

Foto de Arquivo

O Vadia Rock 2013, a ter lugar em Selores, neste próximo sábado, é uma boa oportunidade para partilhar uma Vadia

promotores Nicolas Billard, Nuno Marques e Victor Silva, a cerveja Vadia tem conquistado cada vez mais os portugueses, pelas suas caraterísticas que a tornam única, sendo, hoje, já vendida de Norte a Sul do país Assente num conceito de ‘fresh beer’, a Vadia é uma cerveja 100% natural, sem qualquer aditivo ou tratamento químico.

Não é filtrada nem pasteurizada, oferecendo a quem a bebe, aromas e sabores idênticos ao de uma cerveja acabada de sair da cuba. Em tom de celebração de todo este sucesso, o Festival Vadia Rock pretende juntar amigos, clientes, fornecedores e apreciadores para, em ambiente de festa e ao som de

boa música, degustarem os diferentes tipos de cerveja Vadia disponíveis no mercado: ‘Vadia Preta’, ‘Vadia Ruiva’, ‘Vadia de Trigo Branca’ (medalha de prata em Bruxelas em 2012, com 500 marcas internacionais a concurso) e ‘Vadia Pilsner’… enfim, para todos os gostos! Com muita música, comida e bebida, o Festival Vadia Rock

vai decorrer no espaço exterior da Cervejaria Artesanal Vadia, em Selores, este sábado, 27 julho, a partir das 15h00. Segundo a mesma nota informativa, compõem o cartaz as bandas Tarabum (grupo de bombos que vai fazer uma arruada, na rua principal da freguesia, desde o centro de Ossela até à Cervejaria Artesanal Vadia), Postas de Bacalhau, Lululemon, Homem ao Mar e Johnny’s Grace. A edição deste ano conta com uma novidade: Nos intervalos musicais, vão ser feitas visitas guiadas à Cervejaria Artesanal Vadia, para os interessados. Com um custo de cinco euros se forem adquiridos até ao dia do evento ou sete euros no próprio dia, os bilhetes estão à venda nos locais de consumo da Vadia e em www.facebook. com/cervejavadia. Mais informações podem ser obtidas através dos telefone e telemóvel n.ºs 256 482 151 e 910 895 008, geral@cervejavadia.pt, www.cervejavadia.pt, www.facebook.com/cervejavadia. PUB

23 07 2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you