Page 1

Este suplemento faz parte integrante da edição n.º 4536 do Jornal Correio de Azeméis. Não pode ser vendido separadamente.

regional

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

15


02

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

o conforto da palavra

editorial

editorial

Curiosidades do Natal

A Fé Cura

Será impossível determinar com rigor quando e como tiveram início as actuais celebrações do Natal. Sabe-se, por exemplo, que a comemoração religiosa do Natal foi incluí­ da primitivamente na Festa da Epifania (Dia de Reis). No Egipto, e por volta do ano 200 d.C., comemorava-se a data em várias zonas. Com a vitória do Imperador Constantino, em meados do século III, a Igreja estabeleceu definitivamente 25 de Dezembro como a data oficial para a comemoração do nascimento de Cristo, mas as igrejas ortodoxas nunca adoptaram a data, celebrando-a no dia 06 de Janeiro, na actual noite dos Reis. Embora o presépio tenha aparecido profundamente enraizado, a árvore de Natal avançou irreversivelmente, e também aqui é impossível determinar com rigor o momento do seu aparecimento, pensando-se, contudo, que tenha surgido a partir de um costume medieval alemão, onde era hábito, na Idade Média, representar-se uma peça de teatro em que a árvore, então chamada a Árvore do Paraíso, simbolizava o Jardim do Éden. Quando estes ‘mistérios’ - representações teatrais medievais baseadas em cenas dialogadas dos ofícios religiosos - foram suprimidos, a árvore passou a ser montada no interior das casas. Gradualmente, principiou a ser enfeitada com bolos, frutos e algumas velas. Desconhecida igualmente a origem da designação ‘Missa do Galo’ referenciando a Eucaristia que se celebra precisamente à meia-noite, isto é, às zero horas do dia 25 de Dezembro. Uma missa que constituiu momento próprio para muitas travessuras e que por isso foi mal aceite por muitos. Aparecem opiniões várias. Uma delas assenta no simbolismo da ave. Efectivamente, o galo é figura presente nos cata-ventos de muitas igrejas e casas particulares. Talvez tenha surgido para recordar aos sacerdotes a vigilância atenta que lhes compete manter. Lembraria o arrependimento de São Pedro, pois foi o galo, ao cantar três vezes, quem afirmou a divindade de Jesus quando, à mesa, os apóstolos duvidaram. Desde tempos remotos esta ave era considerada não só como vigilante, mas também como profeta do tempo. O seu canto afugentaria os espíritos maus e todas as calamidades, já que seria grande o seu poder sobre todas as entidades maléficas das trevas, uma crença celebrada ainda hoje em muitas cantigas e adágios populares. Já os gregos atribuíram ao canto do galo a virtude de afugentar os demónios e de despertar a aurora a fazer erguer os homens. Também, e desde tempos remotos, o galo inspirou legiões de artistas plásticos. Em Barcelos, onde existe um dos mais importantes núcleos da olaria popular portuguesa, o galo assume especial relevo. Galo que é tratado pelos bonequeiros de Barcelos nas mais diversas formas e atitudes, com grande minúcia de pormenores e especial cuidado nas pinturas.

O que melhor faz suportar as dores é a certeza de que estas vão passar. Este espírito, que uns chamam Esperança, outros Fé, está cientificamente comprovado que é uma excelente ajuda para curar doenças e muitas maleitas, o cancro inclusivé. Este é o resumo dum estudo da Universidade de S. Paulo. “Os pacientes que têm uma crença religiosa mostramse mais confiantes para lutar contra a doença (…). Os médicos dizem que o sistema imunológico desses indivíduos aparenta ser mais resistente e, talvez por isso, eles apresentem uma recuperação mais satisfatória”. Um outro estudo da Universidade de Toronto, Canadá, revela que a Fé é um santo remédio contra a ansiedade e a depressão. “A nossa principal descoberta foi perceber que há um elo entre as crenças religiosas e uma parte da massa cinzenta chamada de córtex cingulado anterior”. Um oncologista de S. Paulo afirmou que, entre os seus pacientes, “percebo nitidamente o seguinte: Aqueles que querem educar filhos ou deixar um legado lutam o dobro para recuperar suas forças”. Estas conclusões científicas recentes subscrevem, assim, aquilo que disse Jesus de Nazaré, cujo nascimento celebramos a todos os dias 25 de dezembro: “A tua fé te salvou”. Bom Natal e um Novo Ano com muita fé e esperança em dias melhores.

A Igreja estabeleceu definitivamente 25 de dezembro como a data oficial para a comemoração do nascimento de Cristo, mas as igrejas ortodoxas nunca adotaram a data, celebrando-a no dia 06 de janeiro, na atual noite dos Reis.

António Magalhães

eduardo costa

O que melhor faz suportar as dores é a certeza de que estas vão passar. Este espírito, que uns chamam Esperança, outros Fé, está cientificamente comprovado que é uma excelente ajuda para curar doenças e muitas maleitas, o cancro inclusivé... PUB


o conforto da palavra

Encontrar rumos para a vida

Caros leitores do Correio de Azeméis, Sou o Administrador Apostólico da Diocese do Porto, portanto, o Bispo com responsabilidade na Diocese. Tenho muito gosto de estar em contato convosco nesta quadra natalícia, uma oportunidade que me é concedida – e que agradeço – de desejar a todos e a todas, e a cada um, bem como a todas as famílias, um Santo Natal. Isto é, de desejar que Jesus Cristo – cujo nascimento recordamos, de modo especial, nestes dias – continue a estar no centro da nossa atenção e do nosso carinho. À volta da celebração do nascimento de Jesus Cristo, espero e desejo que haja lugar para felizes reuniões familiares e que todos – particularmente os mais desfavorecidos, mais idosos e as crianças – possam encontrar, nesta época, no calor da vida familiar, rumos para a sua própria vida e, em última instância, Jesus Cristo, Aquele que é o caminho, a verdade e a vida, e que nos poderá ajudar a encontrar ou a reencontrar o rumo da nossa própria felicidade. Um Santo Natal para todos. D. PIO ALVES ADMINISTRADOR APOSTÓLICO DA DIOCESE DO PORTO

Que Natal hoje???

Acreditamos num Deus que quis e quer que todos os homens seus filhos sejam felizes. Para que assim fosse é que Ele enviou ao mundo o Seu Filho. E foi Natal!… Daí a necessidade de sermos todos solidários, contribuíndo para a felicidade daqueles que vivem hoje mergulhados na crise. Importa: acolher, partilhar, perdoar ofensas. Diante de nós ressalta um grito de admiração por Nelson Mandela. Sua vida foi de doação, de perdão. No seu coração e na sua vida ressaltou o espírito do Natal. Vivemos num mundo em que se sente a tendência para desconfigurar o Natal. Se não é o Natal do Menino-Deus perde-se o amor, a capacidade de doação, de acolhimento. Agrava-se a crise moral para além da crise dos valores materiais Feliz Natal para todos que não apenas para os que espalham a mensagem do Natal. P. Albino de Almeida Fernandes, pároco de oliveira de azeméis

03

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Unidos em família

Olá amigos do programa ‘Nova Dimensão’, Estamos a caminho do Natal… Este tempo de preparação durante o Advento chamanos a atenção para a paz, união, carinho para com todos e até para o amor para com os inimigos. Da minha parte e em nome da equipa do ‘Nova Dimensão’, quero desejar a todos os nossos ouvintes e leitores do jornal Correio de Azeméis essa paz, essa união, esse carinho e esse amor, que a todos devem unir em família. Estamos convosco, meus amigos, todos os domingos, das 09h00 às 10h00, neste programa da Azeméis FM. Boas Festas para todos, sem esquecer os pobres, doentes, marginalizados desta vida. Que o Senhor esteja presente em todas as famílias e que o Natal seja de amor perdão. Feliz Natal, amigos ouvintes, e até sempre!” Prof. Manuel Paiva, responsável pelo ‘Nova Dimensão’, programa religioso católico da Azeméis FM Rádio

Santo e feliz Natal

Desejo um Santo e feliz Natal a todos os funcionários da Associação de Melhoramentos Pró Outeiro, a todos os utentes e colegas de direção e assembleia-geral, bem como a todos os associados. Agradeço também à Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis a colaboração que nos tem dado e à Junta de Fregueisa de Santiago de Riba-Ul. A todos os oliveirenses um Santo e Feliz Natal, e um grande abraço. ALBERTINO BASTOS PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DE MELHORAMENTOS PRÓ OUTEIRO

Sempre prontos para ajudar

Endereço a todos os oliveirenses um excelente Natal de 2013 e umas ótimas entradas para o ano de 2014, certo de que os Bombeiros Voluntários de Fajões estarão sempre aqui para os ajudar no resto do ano de 2013, como o fizeram sempre, e na certeza, também, que 2014 os ajudarão e estarão sempre presentes, como aliás, é o lema da casa.Por isso um Bom Ano a todos. Bem-hajam. CARLOS LOPES DE ALMEIDA PRESIDENTE DA DIREÇÃO ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE FAJÕES

Mais paz, saúde e solidariedade Após mais um ano de desgastante trabalho, em que muito por força do descuido e da incúria, alguns bravos bombeiros perderam a vida, quero em nome da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis fazer votos sinceros para que todos tenham um Santo Natal e que o Ano Novo de 2014 traga mais paz, saúde e solidariedade, em especial para os que mais sofrem. Aos sócios e população que servimos, aos nossos benfeitores, à Câmara Municipal e a outras entidades que connosco colaboram, aos Bombeiros com e sem frada, aos funcionários e à imprensa, a todos desejamos um Natal com amor e alegria, e melhor ano 2014.

ANTÓNIO DE ALMEIDA GOMES PRESIDENTE DA DIREÇÃO DA ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS PUB


04

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

o conforto da palavra

Perdoar e dar as mãos por Azeméis

Encarar o futuro com esperança e solidariedade

Isto já vai sendo um hábito que, todos os anos, o Correio de Azeméis e a AZ FM nos possibilitam: Endereçar um Bom Natal e um Próspero Ano Novo... é já um lugar comum. Aproveitava para fazer um apelo a todos os oliveirenses: Que nos ajudem com sugestões, com críticas, nos próximos quatro anos, para que o nosso concelho continue na calha do desenvolvimento. Penso que estamos nesse caminho, mas precisamos da ajuda de todos para termos um concelho com mais ambição e mais orgulho em si próprio; para termos um concelho que seja cada vez mais uma referência nacional. Neste sentido, é de salientar os esforços que estão a ser feitos, pela autarquia, para dotar Oliveira de Azeméis, até sob o ponto de vista industrial, juntamente com os grandes empresários concelhios, num forte e empreendedor território; são esforços que visam, sobretudo, o desenvolvimento de Oliveira de Azeméis e a possibilidade dos nossos filhos usufruirem de maiores índices de empregabilidade, se possível dentro do nosso município. É para isso que estamos aqui, para darmos uma resposta e para trabalharmos arduamente no sentido de que as gerações vindouras tenham, cada vez mais, orgulho na terra que as viu nascer. Esta é uma época de Natal, que coincide com a morte de um grande líder mundial, chamado Nelson Mandela, que foi único e, portanto, o seu exemplo, nomeadamente de sabermos perdoar e darmos as mãos por Oliveira de Azeméis, será sempre a nossa causa... o nosso partido. Vamos todos dar as mãos e unir-nos em torno de uma causa comum, que é o desenvolvimento do nosso concelho. Sabem que podem contar connosco, nós contamos convosco. Um Bom Natal e um Ano Novo com mais sorrisos nos lábios dos oliveirenses.

Caros munícipes, Aproximamo-nos do Natal, uma época que vivemos de forma especial. O Natal é o momento propício para uma reflexão de como devemos viver a solidariedade e os valores cristãos. É no espírito natalício que encontramos a esperança e a solidariedade com que ele deve ser vivido. Os valores da doação e da responsabilidade não se esgotam nesta época pois há que continuar a assegurar, diariamente, os princípios da igualdade e da justiça social, através de um trabalho profundo que envolva redes de proximidade e um conjunto de parceiros sociais que garantam mais qualidade de vida e dignidade às pessoas mais necessitadas. Neste desafio é importante o trabalho de cada oliveirense, estando atento, apoiando e alertando para situações sociais que mereçam uma resposta adequada. Nesta época natalícia quero deixar a todos os oliveirenses uma palavra de tranquilidade e uma outra de esperança. A primeira palavra vai para o compromisso do executivo continuar a apoiar, como no passado, os que menos têm e os que mais precisam. Estaremos ao lado dos mais vulneráveis social e economicamente, e manter-nos-emos atentos a novas situações sociais que surjam. A segunda palavra vai para a forma como eu desejo que todos os oliveirenses encarem o futuro: Com esperança. O espírito natalício induz as pessoas para essa esperança que eu gostaria que acompanhasse diariamente os oliveirenses. Estamos a construir um concelho mais solidário, de pessoas mais felizes e com uma vida mais confortável, apesar dos problemas sociais e económicos do país. As dificuldades ultrapassam-se com esforço, dedicação e solidariedade, e é nessa base que estou confiante de que o espírito de Natal permanecerá, ao longo de 2014, na sociedade oliveirense e no coração dos munícipes, ajudando-nos a construir um concelho mais justo e equilibrado. Desejo a todos os oliveirenses um Santo e Feliz Natal.

JORGE OLIVEIRA E SILVA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Hermínio Loureiro Presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis PUB


o conforto da palavra

Terรงa-feira, 17 de dezembro de 2013

05


06

Confiança e esperança

Queria começar por agradecer a atenção e a oportunidade que o Correio de Azeméis e a AZ FM me estão a dar para desejar um Feliz Natal a todos os oliveirenses e formular votos de um Ano de 2014 com saúde e sucesso pessoal e profissional para todos. A confiança e a esperança devem nortear as nossa vivência e as nossas decisões. Com essa atitude, todos podemos construir um mundo e uma sociedade melhor. Umas boas festas e um Feliz Ano de 2014. RICARDO TAVARES VICE-PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

o conforto da palavra

ir ao encontro daqueles que mais precisam É tempo de Natal. Aproximámonos rapidamente de um novo ciclo de esperança que ser quer renovado em cada Natal e em cada Ano Novo, que todos celebramos. Esta é uma quadra do ano em que procuramos dar particular ênfase ao nosso desprendimento e ir ao encontro daqueles que menos têm e mais precisam de nós. E nem sempre necessitam apenas de bens materiais. Quantas vezes um sorriso, um gesto, uma palavra fazem a diferença. A aproximação aos valores que nos regem, ao reviver da magia que o Natal tinha e tem na infância de cada um de nós são um convite a que vivamos estes tempos conturbados, de dificuldades, dando um maior cuidado e atenção aos que nos são mais próximos: Aos nossos amigos e familiares, mas também àqueles que mais precisam do nosso apoio. Vivamos, todos nós, este espírito natalício que se espelha e renova em cada nascimento do Menino Jesus, e que este tempo seja propício à realização de novos projetos para que se concretizem já no Novo Ano de 2014. Neste mês de dezembro, marcado definitivamente pelo desaparecimento desse grande vulto da Humanidade, que foi Nelson Mandelo, cujo exemplo nos deve inspirar e motivar em cada momento das nossas vidas, ele próprio deixou estas palavras: “Não pode haver maior dom do que o de dar o próprio tempo e energia para ajudar os outros sem esperar nada em troca”. Desejo a todos os oliveirenses um Santo e Feliz Natal, e que o Novo Ano seja de muita prosperidade e permita a concretização de todos os maiores sonhos de cada um de nós.

ISIDRO FIGUEIREDO, VEREADOR DA CÂMARA MUNICIPAL DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Renascer na justiça e na fraternidade Ao aproximarmo-nos do grande acontecimento que é o nascimento do Menino-Deus, quero expressar a todas as pessoas que vivem e trabalham no município de Oliveira de Azeméis votos de uma quadra festiva cheia de saúde, alegria, amor e paz. E é a partir da mensagem estampada no presépio - que muitos homens e muitas mulheres querem ignorar e até colocar de lado -, que eu desejo que os valores da humildade, igualdade e esperança continuem a desabrochar no nosso coração. Diante dos problemas não nos devemos deixar invadir pelo desânimo, mas, com coragem, devemos apostar no nosso empenho e enfrentar o cansaço, escolhendo caminhos que permitam encarar o futuro com maior esperança. Que este Natal não seja só forte no amor, mas que também mostre a força renovadora que ele encerra. Vamos olhar o Menino-Deus para aprendermos a renascer na justiça e na fraternidade. E, como escreveu José Tolentino Mendonça, “enganamse os que pensam que só nascemos uma vez; nascemos nos gestos e para lá dos gestos. Nascemos dentro de nós e no coração de Deus. O que Jesus nos diz é que ‘tu também podes nascer’”. Votos de um Santo Natal. GRACINDA LEAL, VEREADORA DA CÂMARA MUNICIPAL DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

PUB


o conforto da palavra

Concretização de sonhos Queria aproveitar para me dirigir a todos os oliveirerenses – aliás, é com muita honra que o faço -, numa época importante para todos nós como é o Natal, desejando-lhes um Santo Natal, independentemente das dificuldades que o nosso país e a nossa sociedade atravessam...Devemos ter esperança e olhar para o futuro com um ‘sorriso’. Desejo a todos os jovens com quem trabalho e também para aqueles com quem não trabalho um futuro risonho e que 2014 seja, de facto, um ano muito melhor do que 2013. A todos em geral faço votos para que, neste novo ano, possam concretizar, se não todos, alguns dos sonhos que procuram realizar, na esperança de que Oliveira de Azeméis continue a fazer parte da identidade dos oliveirenses com orgulho e esperança no futuro. Desejo a todos, sem exceção, que passem um Natal junto dos que mais gostam, da sua família e dos seus entes queridos. E, já agora, chamo a atenção para que o Natal seja também no nosso comércio tradicional. Por isso, não se esqueçam de procurar as lojas concelhias para comprar as prendas que puderem comprar. Um grande abraço a todos! Pedro Marques, vereador da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis

Que a vida nos sorria de forma diferente Quero desejar a todos os oliveirenses um Feliz Natal. Que esta época natalícia seja de celebração dos valores da vida e da família, e que 2014 seja um ano com menos austeridade e com mais realizações para todos... que a vida nos sorria de forma diferente da que nos tem sorrido até aqui. Um forte abraço para todos os oliveirenses e os desejos de Boas Festas. Joaquim Jorge Ferreira, presidente da Comissão Política Concelhia do PS

07

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Um novo ano melhor

O CDS-PP de Oliveira de Azeméis vem, por este meio, desejar a todos os oliveirenses um Feliz Natal e que o ano de 2014 seja melhor e lhes traga tudo o que pretendem. Um abraço de toda a Comissão Política Concelhia a todos os oliveirenses. Miguel Portela, presidente da Comissão Política Concelhia do CDS-PP

Não virar a cara ‘à luta’ Numa quadra natalícia, em que os oliveirenses, trabalhadores, reformados, pensionistas e outros setores da nossa produção vivem com grandes dificuldades, devido à brutal ofensiva no plano económico e social, apelo para que não virem a cara à luta e que continuem, com grande confiança, a lutar para que consigam uma nova viragem política para uma política patriótica de esquerda. Em nome da Comissão Concelhia do PCP, quero desejar a todos os militantes e amigos do partido político umas boas festas e que os objetivos para 2014, que já referi, sejam atingidos. Boas festas para todos, de um modo geral. Óscar Oliveira, coordenador do pcp de Oliveira de Azeméis PUB


08

Não podemos perder a esperança

Aproveitando a oportunidade que me dão desejo a todos os associados um Bom Natal e um Ano Novo próspero, ficando convicto que o próximo ano será o da viragem… não podemos perder a esperança. Um Bom Natal a todos. MANUEL TAVARES, VICE-PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DO CONCELHO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Acreditemos em nós próprios e em Deus A Associação Comercial deseja a todos os seus associados da nossa área de envolvência e a todas as pessoas em geral que este período os compense por tudo o que têm sofrido, ao longo de muitos meses de crise que tem atravessado o nosso país. De facto, é a esperança que nos anima e nos move. A esperança de um DeusMenino que nasce no coração de cada um e nos leva a praticar a solidariedade na pessoa que mais precisa. Feliz Natal. Feliz Ano Novo. Boas compras. Bons negócios para humanizar esta sociedade em que vivemos. Votos de muito amor, carinho e esperança. Quem acredita em si e em Deus sempre vencerá. ABILIO PINTO RODRIGUES, PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DOS CONCELHOS DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS E DE VALE DE CAMBRA

o conforto da palavra

Empenho Ajudem o Agir é para movimento importante ultrapassar associativo a crise

Sou de Oliveira de Azeméis, embora, neste momento, esteja a trabalhar no Porto. Queria desejar a todos os oliveirenses, ligados ou não à atividade que exerço – atividade empresarial, neste caso, no setor dos laticínios -, um Bom Natal e um Bom ano 2014, com saúde e muitas felicidades. Que todos nós nos empenhemos em ultrapassar a crise em que o país vive. Muito obrigado!” Com. Casimiro de Almeida, presidente do conselho de administração da empresa Lactogal

Desejo a todo o movimento associativo e a todos os seus dirigentes, sócios e simpatizantes um Bom Natal e que o Ano Novo de 2014 traga coisas boas para todo o movimento associativo, melhores do que 2013, até porque as nossas associações merecem mais apoio. Estou confiante que 2014 já estará melhor e peço a todas as entidades que ajudem o movimento associativo, pois não há dúvida alguma que é um grande suporte da cultura popular e da nossa ação social. A todos, um Feliz Natal e um Bom Ano.

ANTÓNIO LUÍS GRIFO, PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DO MUNICÍPIO DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

A Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis, pela voz deste seu provedor, deseja aos colaboradores e leitores do Correio de Azeméis, e a todos os oliveirenses em geral, um Feliz Natal e um Bom Ano de 2014. Espero que este ano todos façamos algo para concretizar esse voto. De facto, é bom que não esqueçamos que as pessoas só terão um Natal Feliz e um Bom Ano Novo se cada um de nós fizer algo por isso e em benefício dos outros. Em poucas palavras: Há que partir para os atos e não ficar apenas pelas palavras todos os dias.

VÍTOR MACHADO, PROVEDOR DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS PUB


o conforto da palavra

Conduzir à solidariedade absoluta Na qualidade de presidente do Lions Clube de Oliveira de Azeméis (LCOA), queria enviar uma mensagem de Natal que não se perdesse no tempo, como as folhas de outono, mas, simplesmente, que fosse eterna; que nos mostrasse o sentido positivo da vida e nos conduzisse à solidariedade absoluta. Uma mensagem de Natal que não fosse mais uma mensagem, mas sim uma mensagem de coragem, amor e paz, que nos resgatasse a esperança e que nos fortalecesse a fé... e que a humildade, a solidariedade e a esperança sejam sempre sentimentos constantes no nosso coração. A paz é como uma semente que precisa de ser plantada, regada e cultivada. Que Deus nos continue a abençoar e a permitir que tenhamos cada vez mais energia para que possamos continuar a ser um verdadeiro farol de esperança, iluminando os caminhos e as pontes, e que, através dos nossos serviços comunitários locais de voluntariado, como recolhas de sangue, bolsas de estudo, apoio a crianças desprotegidas, rastreios visuais, apoio a carenciados do nosso concelho, palestras sobre saúde e outros temas, o LCOA continue a tentar construir um mundo cada vez melhor. Já dizia Madre Teresa de Calcutá: “Eu sei que o meu trabalho é uma gota no oceano, mas, sem ele, o oceano seria maior”. O LCOA deseja um Feliz e Santo Natal a todos e que 2014 seja um ano com muita paz, alegria, solidariedade e generosidade, e de grandes realizações em todas as vertentes das nossas vidas. A todos os meus companheiros e companheiras do Lions, dou um grande abraço de solidariedade pelos seu empenho e dedicação. JOSÉ ANTÓNIO DA SILVA PINTO, PRESIDENTE DO LIONS CLUBE DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

09

Novo ano menos duro Festa e solidariedade Aproveito a oportunidade que me é concedida pelo Correio de Azeméis para, em meu nome pessoal e do Centro de Apoio Familiar Pinto de Carvalho, desejar a todos que tenham um Feliz Natal, juntamente com a família, e que o novo ano não seja tão duro para os desfavorecidos. ANTÓNIO OLIVEIRA PRESIDENTE DO CENTRO DE APOIO FAMILIAR PINTO DE CARVALHO

Queria deixar uma mensagem de Natal, dizendo que, nesta quadra propícia a um ambiente de festa e solidariedade, o Rotary Club e a Casa da Amizade de Oliveira de Azeméis desejam a todos os oliveirenses um Santo e Feliz Natal, bem como um novo ano pleno de felicidades. Aproveitam ainda o ensejo para agradecer a generosidade dos oliveirenses, que nos tem permitido levar a cabo, com sucesso, os nossos projetos. Para todos, o nosso muito obrigado e os nossos votos de Boas Festas! Manuel Bastos Pinto – Rotary Club e Casa da Amizade de Oliveira de Azeméis PUB


10

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O CONFORTO DA PALAVRA

Gisélia Nunes

A casa do Pai Natal voltou ao Largo da República.

> PROGRAMA NATALÍCIO ANIMA OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Uma época festiva como esta sem árvores de Natal não fazia sentido.

Natal mágico e feliz para todos O programa de animação, promovido pela Câmara Municipal, arrancou com o ‘clique’ que iluminou as ruas da cidade, no passado dia 03. A iluminação natalícia deu o primeiro toque especial a Oliveira de Azeméis, que se engalanou a primor para receber o Natal 2013 e o novo ano de 2014, com cor e sonorização a reforçarem o espírito festivo.

Alfredo Pinho

Natal, do concurso de presépios, a decorrer na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro, e a ‘New Year Party’, uma organização do Conselho Municipal da Juventude. De acordo com o que apurámos, esta festa de celebração de entrada no novo ano, dirigida a toda a população, tem lugar na Praça da Cidade, a partir das 22h00, e conta com a atuação das bandas ‘Paradigma’, ‘Tarantino’s’ e de vários dj’s convidados. A entrada tem um custo de cinco euros com oferta de uma bebida de cápsula. Os bilhetes estão à venda na loja Ponto JÁ. A iluminação natalícia enche de espírito natalício as ruas da cidade. Este ano em menor escala, A propósito deste programa mas nem por isso com menor beleza. de animação da edilidade, o seu ‘chefe máximo’, Hermínio Loureiro, em comunicado envidades, que marcam a quadra, gica’ -, a caminhada de Natal, em parceria com a autarquia. viado à nossa redação, faz voalgumas das quais já decorre- que partiu do lugar do Curval, tos para que “vá ao encontro ram, como a chegada do Pai freguesia do Pinheiro da Bem- Passagem de ano é das expetativas da população Natal, a feira de artesanato, a posta, com destino à cidade. na Praça da Cidade oliveirense e contribua para Diversas são as iniciativas festa para as crianças, no Cine Esta ação foi organizada pela Destaque ainda para a reali- o sucesso da atividade coagendadas, espetáculos e no- Teatro Caracas - ‘Poção Má- Associação Espaço Jacobeus, zação da mostra de árvores de mercial”. PUB


O CONFORTO DA PALAVRA

11

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O Pai Natal regressou a Oliveira de Azeméis, acompanhado dos seus duendes. Até o Panda se associou à festa, no passado dia 07 de dezembro.

> ELE ESTÁ DE VOLTA AO LARGO DA REPÚBLICA

Vai à casa do Pai Natal... é fixe! Até ao próximo dia 24, isso mesmo – dia de consoada – e antes de partir para a visita às chaminés… o Pai Natal aí está. No Largo da República, na sua casinha… à tua espera. A magia e o sonho fazem parte do imaginário infantil, numa quadra festiva em que os mais pequeninos são os reis. Viva o Natal da fantasia!

Do programa de animação natalícia da Câmara Municipal, apostamos que os mais pequeninos ficaram deliciados, essencialmente, com a chegada do Pai Natal à sua casinha, que, à semelhança de anos anteriores, está situada no Largo da República, junto aos Paços do Concelho. Vindo diretamente da Lapónia, o Santa Claus (há quem lhe chame ‘Samuel’ este ano… vá-se lá saber porquê) instalou-se, no

Os mais pequninos ainda puderam deliciar-se com o espetáculo ‘Poção Mágica de Natal’ no Cine Teatro Caracas, nos dias 11 e 12 do corrente.

passado dia 07, e por aqueles lados estará até ao próximo dia 24, data em que parte para a distribuição (ao domicílio, chaminé por chaminé) das suas prendas de Natal. Com ele chegaram duendes e corujas, entre outras personagens do imaginário infantil, não faltando, no sábado da sua chegada, muitos balões e surpresas. Crianças das escolas do con-

celho, entre outras, têm vindo visitar o Pai Natal ‘oliveirense’, que tem sempre uma história de encantar para lhes contar, um sorriso e a promessa de voltar. A casa do Pai Natal abre as suas portas às 10h00 e encerra às 19h00. Se ainda não tirou uma foto com o ‘barrigudo das barbas brancas’, por que espera? Os seus filhos, netos, sobrinhos, afilhados… vão adorar. Ali se

abre um mundo de sonho e fantasia. ‘Poção Mágica de Natal’ No Natal tudo parece magia… é uma realidade. A fazer justiça a isso mesmo, o espetáculo ‘Poção Mágica de Natal’ encheu o ‘velhinho’ Caracas de crianças das escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico do nosso município, nos passados dias 11 e 12 de de-

zembro. Nesta representação, o Pai Natal e os duendes trabalham todo o ano na criação de uma poção mágica que transmite o espírito do natalício. Essa é feita de plantas que crescem no ‘Campo dos sorrisos’. Porém, este ano, o Pai Natal e os seus duendes não estavam a conseguir encontrar as plantas mágicas. Numa viagem hilariante pelo mundo da magia e do malabarismo, na companhia de um duende, um feiticeiro e uma bruxa má, a solução lá surgiu, assim como o Pai Natal… e assim foi esta ‘Poção Mágica’. Para o ano há mais… magia. Na Biblioteca e no Centro Lúdico também é Natal As escolhas para passar umas ótimas férias de Natal acontecem, também, na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro e no Centro Lúdico de Oliveira de Azeméis. Os programas e as atracões são variadas. Não perca, no primeiro caso, o projeto ‘Natal, livros e tal’ e, no segundo, o ‘Natal lúdico’. Consulte os sites http://centroludico.cm-oaz.pt e http://www.bm-ferreiradecastro.com PUB


12

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O CONFORTO DA PALAVRA

> CORREIO DE AZEMÉIS FOI AO ENCONTRO DE QUEM VIVE O ESPÍRITO DO NATAL TODOS OS DIAS DO ANO

Missão dos Vicentinos: “Aliviar a miséria espiritual e material” >INTEGRAM A SOCIEDADE DE S. VICENTE DE PAULO

Quem são os Vicentinos?

Visite o site dos Vicentinos de Oliveira de Azeméis em http://vicentinosazemeis.wordpress.com/

Nesta época natalícia, que estamos a viver, o nosso semanário foi ao encontro de quem vive o espírito do Natal todos os dias do ano. Formados há quase três décadas, os Vicentinos de Oliveira de Azeméis são mesmo um exemplo de vida a seguir. GISÉLIA NUNES

Estamos a viver semanas em que o melhor de nós vem ao de cimo… É quase Natal! E, estando nós já tão próximos do dia

25 de dezembro, renasce a esperança num mundo melhor: Sem fome nem outro qualquer tipo de miséria humana. Mas há quem, não apenas na quadra natalícia, mas durante todo o ano, viva, intensamente, essa esperança. Colocando em prática os ensinamentos de Cristo e da Igreja Católica, a missão das Conferências de S. Vicente de Paulo, entre as quais a Conferência Mista de S. Miguel (Vicentinos de Oliveira de Azeméis) é, precisamente, “aliviar a miséria espiritual e material dos que vivem em situação de risco social”. Aliás, a ação destes grupos de pessoas de bom coração, com idades compreendidas entre os 16 e os 60 anos, tem como base a visita domiciliária às famílias, ofere-

Armazém onde guardam os géneros alimentares até os distribuírem pelas famílias carenciadas

cendo assistência tanto espiritual como material. No caso da Conferência Mista de S. Miguel, esta “presta apoio [mensal] em géneros alimentares, ajuda em medicamentos, roupa, móveis e despesas pontuais” a mais de 30 famílias. Além disso, dispõe de um banco de ajudas técnicas – camas articuladas e cadeiras de rodas –, tendo em vista a sua cedência à comunidade, e é parceira do Centro Social Paroquial de S. Miguel, mais conhecido por Lar S. Miguel, na dinamização do ‘Espaço Solidário, onde, diariamente, se serve sopa aos mais pobres.

os Vicentinos nasceram em 1985 pela mão de um grupo de jovens da paróquia incentivados pelo atual pároco oliveirense, Padre Albino Fernandes. Sempre que necessário apoiam famílias de outras freguesias, mas, maioritariamente, acompanham as que residem na cidade. Até, porque o objetivo “é que cada freguesia tenha o seu grupo de Vicentinos para, assim, poderem cuidar dos seus pobres”. Atualmente, além de Oliveira de Azeméis, existem conferências vicentinas em Pinheiro da Bemposta, Loureiro, Cucujães, Santiago de Freguesias do concelho Riba-Ul, Fajões, Macieira de apoiadas pelos Vicentinos Sarnes, Macinhata da Seixa, Em Oliveira de Azeméis, Ossela, Ul e Madail.

Os Vicentinos são os membros das chamadas Conferências de S. Vicente de Paulo que integram a Sociedade de S. Vicente de Paulo – organização internacional que nasceu em Paris (França), em 1833, pelas mãos de Frederico Ozanam e um grupo de amigos, cuja missão é “aliviar a miséria espiritual e material dos que vivem em situação de risco social, colocando em prática os ensinamentos de Cristo e da Igreja Católica”. Falamos de pequenos grupos formados ao nível de cada paróquia, que – ‘animados’ pelo espírito de S. Vicente de Paulo - exercem bem de perto o auxílio aos mais pobres.

PUB


O CONFORTO DA PALAVRA

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

>TÊM SIDO INÚMERAS AS ATIVIDADES E CAMPANHAS TENDO EM VISTA, SOBRETUDO, A ANGARIAÇÃO DE GÉNEROS ALIMENTARES

Vicentinos e comunidade ‘de mãos dadas’ pelos que mais precisam Já neste próximo fim de semana os Vicentinos de Oliveira de Azeméis vão entregar mais de 55 cabazes de Natal às famílias que vêm acompanhado regularmente. Um gesto que é de louvar, só possível graças à generosidade das gentes de terras de La Salette. GISÉLIA NUNES

Além desta entrega de cabazes de Natal às famílias que, ao longo do(s) ano(s), tem vindo a acompanhar, há outras ações que a Conferência Mista de S. Miguel desenvolve no sentido de, igualmente, “aliviar a miséria espiritual e material dos que vivem em situação de risco social”. Mas esta sua nobre missão só é possível, porque “outros se associam à nossa causa”. Mais do que nunca os Vicentinos de Oliveira de Azeméis e a comunidade ‘têm dado as mãos’ pelos que mais precisam. Provas disso são, além de donativos monetários, as inúmeras atividades e campanhas que, nestes últimos meses, têm vindo a ser levadas a cabo tendo em vista, sobretudo, a angariação de géneros alimentares. Por exemplo, neste momento e desde há alguns domingos para cá, está a decorrer a campanha ‘Um mimo para os Vicentinos’. Promovida pelos comerciantes da zona da Praça da Cidade, trata-se de uma iniciativa solidária, que, entre outras coisas, inclui animação de rua e descontos na compra de alguns produtos no comércio tradicional. Também na paróquia oliveirense, durante o Advento, nas missas dominicais, está em marcha a campanha ‘Amar e servir os irmãos é acolher Jesus que vem’, de igual modo, a favor da Conferência Mista de S. Miguel. Entretanto, no ‘Dvoluto’, um bar de Oliveira de Azeméis, es-

Destaque, por último, para o evento ‘24 horas a correr’ promovido pelo oliveirense Ricardos Bastos. Agradecimento Os Vicentinos de Oliveira de Azeméis, na pessoa do seu atual presidente Joaquim Jardim, querem, por intermédio do nosso jornal, “deixar uma palavra de agradecimento e apreço a todos aqueles que, A 2.ª Caminhada Solidária’ da AHBVOA, em setembro de várias formas, têm manipassado, reverteu a favor dos Vicentinos festado o seu apoio a esta causa. Por muito singela que esta manifestação possa parecer, tão a organizar uma festa a rea- inscrição, quem participou foi é, na verdade, muito relevanlizar já amanhã, 18 de dezembro, convidado a oferecer um géne- te, pois prova que cada um cuja entrada é um alimento não ro alimentar, que reverteria para de nós, em união de esforços, perecível destinado, depois, os as famílias mais desfavorecidas pode contribuir para o fortaVicentinos oliveirenses. acompanhadas pela conferência lecimento da nossa identidavicentina. de solidária”. Vicentinos participam na recolha do Banco Alimentar À semelhança do que fizeram no primeiro semestre de 2013 e em outros anos, recentemente, os ‘seguidores de S. Vicente de Paulo’, desta vez, com a ajuda do Grupo de Escoteiros 212 de Oliveira de Azeméis, participaram na recolha do Banco Alimentar em dois dos supermercados da urbe. Ação na qual foram “testemunhas de mais uma concludente manifestação de solidariedade, por parte dos oliveirenses, num momento de particular dificuldade, pese embora o evidente agravamento da situação económica e a redução do rendimento disponível”. Nota ainda para a aula de spinning denominada ‘Pedalar solidário’, organizada pelo Ginásio Rainha (Oliveira de Azeméis), no passado dia 01 de dezembro, que resultou em mais bens alimentícios para este grupo de homens e mulheres que, no seu dia-a-dia, colocam em prática os ensinamentos de Cristo e da Igreja Católica. Além disso, em setembro passado, houve a ‘2.ª Caminhada Solidária’, da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis, que ligou o quartel dos ‘soldados da paz’ ao Parque Temático Molinológico de Ul. Recorde-se que, junto com a

13

Fé e esperança numa vida melhor

“Em nome dos Vicentinos de Oliveira de Azeméis e aproveitando esta oportunidade, agradeço a todos quantos têm contribuído, generosamente, para que possamos levar a cabo a nossa missão e desejo que esta onda de solidariedade que temos sentido nestes últimos meses deste ano se mantenha. A todas as famílias, principalmente, as mais necessitadas, desejo um Natal cheio de fé e esperança numa vida melhor”.

JOAQUIM JARDIM, VICENTINOS DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS (CONFERÊNCIA MISTA DE S. MIGUEL) PUB


14

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

o conforto da palavra

> Crise não impede que os oliveirenses vivam o verdadeiro espírito natalício

Natal é sempre Natal… haja muito ou pouco dinheiro! Porque a tradição ainda é o que era, o Correio de Azeméis voltou a sair à rua em mais uma quadra natalícia, desta feita para saber se este Natal vai ser diferente do de 2012. Como seria de esperar, a palavra crise ‘veio à baila’ - até porque, ao que parece, esta ainda está para durar -, mas também não é coisa que vá ensombrar o Natal dos oliveirenses. Tenham muito ou pouco dinheiro, comprem muitas ou poucas prendas, as nossas gentes dizem que não vão deixar de viver o verdadeiro espírito natalício… Porque isso, sim, é o que realmente importa!

Na verdade, este Natal não vai ser muito diferente do do ano passado, uma vez que, na nossa família, vivemos o verdadeiro espírito de Natal: O Natal com toda a família reunida na ceia, brincadeiras, conversas, risadas, Sofia Batista, lareira, o cheirinho a doces de Natal, 32 anos, o Natal da união, convívio e amor... Oliveira de Trocamos algumas prendinhas, Azeméis mas apenas pequenas lembranças com uma simbologia especial... não somos dados ao consumismo desenfreado e louco, que é promovido nesta época. Desejo um Feliz Natal a todos!

Para já, não notei grandes diferenças. Apesar da crise, acho que as pessoas estão motivadas para celebrar o Natal, porque esta, havendo muito ou pouco dinheiro, é sempre uma quadra marcante, Maria Xará, que nos toca. Mesmo aqueles que 77 anos, não têm muito dinheiro mas têm Oliveira de crianças na família, acabam por Azeméis comprar uma prendinha…penso que não deixam os mais pequeninos sem uma lembrança, por mais simbólica que seja.

Neste Natal, em relação ao do ano passado, noto diferença para pior. Vejo menos pessoas a fazerem compras e, na rua, o ambiente é triste, impera o pessimismo. E isto, na minha maneira de ver as coisas, deve-se à crise que, contrariamente ao que Ilídio Ferreira, alguns dizem, não ‘está com os dias 68 anos, contados’. Em minha casa, vamos Oliveira de celebrar o Natal da mesma forma, Azeméis porque, felizmente, ao longo de toda a vida trabalhei para, agora, ter a minha reforma e estar mais descansado. Mas, mesmo assim, vou comprar só prendas para os meus filhos. Em relação à mesa de Natal, vai ter o habitual: Nem mais, nem menos.

Olhe, nesta quadra natalícia, tenho visto um pouco de tudo: Vejo pessoas entusiasmadas, outras nem por isso. Mas, sim, noto diferenças…para pior. Sabe que a crise ainda está aí em força, as pessoas têm menos Alzira de Jesus dinheiro. Mas também lhe digo, Santos, 65 anos, como o Natal é a festa da família, Santiago de desde que estejamos todos Riba-Ul juntos já é bom. Em princípio, vou comprar só prendas para as crianças.

PUB


o conforto da palavra

Abel Nunes, 61 anos, Pinheiro da Bemposta

Este Natal? Este Natal vai ser diferente do anterior e para melhor, porque mal já andamos nós, portugueses, há muito tempo. Ultimamente, tem-se notado algumas melhorias… No meu caso, o que tiver que comprar, vou comprar na mesma.

Noto muita diferença… a crise está aí e não há meio de acabar. As coisas estão caríssimas e as pessoas têm cada menos dinheiro na carteira. Sabe que mais? Isto começou a piorar desde que a nossa moeda Maria passou a ser o euro. Atualmente, os Ascensão salários são baixíssimos e o custo Oliveira, de vida é muito caro. 53 anos, Ul Realmente, só quem tem muito dinheiro e, por conseguinte, muito poder de comprar é que não sente a crise.

15

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Para mim, este Natal vai ser igual ao do ano passado. Vou comprar as mesmas prendas. Mas tenho noção que, em geral, as pessoas vão comprar menos presentes, porque têm menos dinheiro. São cada vez mais as empresas Feliciano que encerram portas e cada Bastos, 47 anos, vez menos as que abrem e, Oliveira de inevitavelmente, são cada vez mais Azeméis os desempregados. É óbvio que, não tendo emprego, as pessoas têm menor ou, simplesmente, não têm poder de compra.

Olhe, o Natal, para mim, é uma época que adoro. Vivo com muita intensidade o Natal, contrariamente à passagem de ano que não me diz nada. Acredite que posso andar muito triste, mas não deixo de viver o Natal e, assim Júlia Gomes, sendo, o deste ano não vai ser 62 anos, diferente ao de 2012. Com muito Bustelo ou pouco dinheiro, o que fiz no ano passado vou fazer agora. Prendas? Vou dar conforme posso e, como tal, se não puder dar uma prenda cara dou um miminho, pois o que, realmente, importa é o verdadeiro significado do Natal: Família, paz, união, carinho, amor, etc..

Valores como a saúde, a solidariedade, o amor, a fraternidade, a alegria e a esperança são muito mais importantes do que o dinheiro, não só nesta quadra natalícia, como durante todo o ano. Com ou sem prendas, com ou sem Pai Natal... o que interessa mesmo é que todos nós tenhamos hipóteses de festejar este Natal em família, no calor dos nossos lares. Importa, igualmente, pensar naqueles que não têm estes ‘privilégios’ e tentar minimizar as suas mágoas e dores. Feliz Natal. PUB


16

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O CONFORTO DA PALAVRA

> FALTA DE DIVULGAÇÃO PODE ESTAR NA ORIGEM

Feira de artesanato de Natal com poucos visitantes este ano

Ana Catelas

Muitos artesãos compareceram ao certame de Natal de 2013. O que faltou mesmo foram os visitantes

No fim de semana de 07 e 08 de dezembro, o pavilhão municipal foi o palco para a oitava edição da Feira de Artesanato – Natal 2013.

À semelhança das restantes edições, o objetivo foi a venda de produtos de cariz artesanal, como forma de promoção do comércio e dinamização do artesanato português. Participaram artesãos, as-

sociações de artesãos e outras instituições, enquanto a animação esteve a cargo do grupo de Bombos e Gigantones ‘Os Janizários’ e do Rancho Folclórico ‘As Padeirinhas de Ul’, no primeiro dia, e da banda juvenil ‘Paradigma’ no domingo.

De acordo com o que o Correio de Azeméis apurou, junto de alguns dos artesãos presentes, o certame ficou aquém do esperado e os visitantes pecaram por falta de comparência. Esta pouco afluência deveu-se, no en-

tender de várias pessoas com quem conversámos, sobretudo à falta de divulgação do acontecimento, tendo esta mostra/venda passando despercebida mesmo aos mais aficionados neste tipo de iniciativas. PUB


o conforto da palavra

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

17

>Natal com imaginação e beleza a cargo das nossas escolas

Rotundas de Azeméis estão ainda mais bonitas este ano Algumas rotundas de Oliveira de Azeméis estão bem bonitas este ano. A cargo das escolas do nosso município, a decoração está plena de imaginação e bom gosto. O Correio de Azeméis andou ‘por aí’ e captou algumas belas imagens, que animam e embelezam artérias e alguns lugares da nossa cidade. PUB


18

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O CONFORTO DA PALAVRA

>EM ÉPOCA DE ‘PRENDAS’

Câmara paga subsídios a bombeiros do concelho Falar de Natal é também falar de muitas instituições e entidades que, diariamente, existem por amor ao próximo, a quem servem abnegada e voluntariamente. Entre outras, os ‘soldados da paz’ merecem, igualmente, o nosso destaque e homenagem nesta época festiva. A propósito, estas corporações receberam uma ‘prenda’ do município.

Os presidentes da Câmara e Assembleia Municipal foram recebidos em Fajões pela direção dos Bombeiros

uma centena de milhar de euros de subsídios, atribuídos às duas corporações de Bombeiros do concelho. As verbas foram entregues pelo presidente da autarquia, Hermínio Loureiro, que aproveitou para discutir com ambas as Associações Humanitárias outros assuntos no De acordo com press release âmbito da cooperação existenenviado à nossa redação, a Câ- te. Os apoios atribuídos e pagos mara Municipal pagou mais de aos Bombeiros de Oliveira de

Azeméis e de Fajões inserem-se no plano de apoio da autarquia àquelas instituições de socorro. Hermínio Loureiro, presidente da Câmara Municipal, considera “fundamental o contributo destas entidades no desenvolvimento eficaz das atividades que lhes estão atribuídas no âmbito da proteção civil”. Este responsável do poder municipal defende uma

Hermínio Loureiro e Isidro Figueiredo em reunião com os Bombeiros de Oliveira de Azeméis

“ainda maior articulação entre a autarquia e as restantes entidades envolvidas”. De reter que Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis receberam 64.386,18 euros e os seu homólogos de Fajões 37.217,98 euros. Novas áreas de intervenção em ‘cima da mesa’ Ainda segundo o mesmo

comunicado, nas reuniões de trabalho realizadas, foram abordadas diversas matérias específicas a cada Associação (Oliveira de Azeméis e Fajões), bem como a definição que se impõe no que diz respeito às áreas de intervenção de cada corporação, no âmbito da nova realidade territorial decorrente da agregação de freguesias. PUB


O CONFORTO DA PALAVRA

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

19

> ‘SOLDADOS DA PAZ’ OLIVEIRENSES ORGANIZAM ESPETÁCULO TENDO EM VISTA COMPRA DE VIATURA DE COMBATE A FOGOS

Veículo de que bombeiros precisam custa cerca de 22 mil euros Organizado por um grupo de bombeiros de Oliveira de Azeméis, o espetáculo de stand up comedy encheu o Caracas. Rendendo 1200 euros, esta foi a primeira de muitas iniciativas que os ‘soldados da paz’ vão promover para angariar dinheiro para a aquisição de uma viatura de combate a incêndios florestais. O espetáculo de stand up comedy que, na noite de 06 de dezembro, ‘contagiou’ de bom humor o Cine-Teatro Caracas foi a primeira de muitas atividades que vão ser levadas a cabo por um grupo de ‘soldados da paz’

Os cinco humoristas juntamente com os bombeiros envolvidos na organização deste espetáculo solidário

da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis (AHBVOA), tendo em vista a aquisição de uma viatura de combate a incêndios florestais. Para já, com esta iniciativa, foram angariados 1200 euros, mas são precisos mais cerca de 20.800 euros para comprar o veículo de que a AHBVOA precisa.

Pelo palco do Caracas, perante uma ‘casa cheia’, passaram os comediantes Miguel ‘Sete Estacas’, Falâncio (Vasco Duarte), Pedro Neves, João Seabra e Rui Xará. Mas ainda antes houve lugar à apresentação de imagens bem ilustrativas do serviço que os bombeiros oliveirenses prestam à comunidade da sua área de

Algumas das alunas da professora de dança Marisa Silva que subiram ao palco do Caracas

intervenção e à atuação de um grupo de alunas de dança da professora Marisa Silva. Em declarações ao Correio de Azeméis, a organização afirma que o “sucesso” desta ação “deveu-se a todos os oliveirenses que contribuíram de bom grado, quer em termos monetários, quer com sua presença, o que propor-

cionou um extraordinário calor humano que, numa noite muito fria, aqueceu aquela sala de espetáculos”. Agradece também “a todos os que tornaram possível a realização deste evento”, inclusive a Câmara Municipal, Grupo ASK, Ginásio Rainha e A NOZ – Associação Nogueirense de Cultura e Desporto. PUB


20

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O CONFORTO DA PALAVRA

>PRÉMIO DE MÉRITO E SELO ‘AZEMÉIS INTEGRA’ PROMOVEM A IGUALDADE DE OPORTUNIDADES

Comunidade empresarial reconhecida pelo apoio Pelo quarto ano consecutivo, em parceria com outras entidades do concelho, o município organizou o Torneio Municipal de Boccia, que assinalou o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. A entrega do Prémio de Mérito Municipal e do selo ‘Azeméis Integra’ completaram os pontos altos do programa. Ainda longe estava o Natal, mas o seu espírito esteve bem presente. A iniciativa teve lugar nos dias 30 de novembro e 03 de dezembro. Para além do Torneio Municipal de Boccia, incluiu a distinção das empresas do município pela integração social e profissional das pessoas portadoras de deficiência no concelho. Neste sentido, foram entregues o Prémio de Mérito Municipal e o selo ‘Azeméis Integra’. “Obrigado às empresas” “O prémio constitui uma forma pública de homenagem às entidades que, em cada ano, mais se destacaram na integração profissional de pessoas com deficiência”, afirmou, na oportunidade, a vereadora responsável pela Ação Social,

O Prémio de Mérito Municipal e os selos ‘Azeméis Integra’ assinalaram o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, bem como um torneio de Boccia.

Gracinda Leal. Por seu turno, palavras do presidente da autarquia, Hermínio Loureiro, foram, acima de tudo, para a Comissão Municipal para a Deficiência, que comemorou o seu 10.º aniversário: “Estamos perante uma equipa que apresenta um trajeto virtuoso e que hoje é publicamente reconhecido”. O autarca agradeceu, ainda, à comunidade empresarial no sentido de dar a todos as mesmas oportunidades e a forma como têm apoiado esta causa.

freguesia de Cucujães. As empresas Iguaria-Bombonaria & Gourmet, Hélio &Vítor, Lda. e Açúcar Arte-Cake Design receberam diplomas de reconheci-

mento. O selo ‘Azeméis Integra’ mais importante (verde-escuro) dos três existentes no projeto ficou nas mãos da Segurança Social.

‘Obrigado’ às empresas O Prémio de Mérito Municipal de Pessoas Portadoras de Deficiência foi dado à empresa Gametal, Metalúrgica da Gandarinha, S.A., à Santa Casa da Misericórdia e à empresa Rodrigues & Castro Lda., da

Duarte Mesquita

> ATRIBUIÇÃO DO SELO ‘AZEMÉIS INTEGRA’

Quase duas dezenas de entidades distinguidas Selo amarelo - Nível 1 Arquivo Municipal Turismo – Posto Turismo Auditório da Junta de Freguesia de Carregosa Creche da Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis Centro Social, Cultural e Recreativo de Pindelo Clinica Medicina Dentária Dra. Ana Quintas Seabra e Dr. Rui Barbosa Mota Millennium BCP – Oliveira de Azeméis Maria Celeste Santos Machado – Boutique Loja Bijou Sandwich e Bar Sal e Pimenta Minimercado Cruzeirinho Pingo Doce (edif. Rainha) Vem Cá – Decoração Selo verde-claro - Nível 2 Caixa Geral Depósitos – Cucujães Caixa Geral Depósitos – Oliveira de Azeméis Lar Pinto Carvalho Modelo Continente Hipermercados S.A Selo verde-escuro - Nível 3 Segurança Social PUB


o conforto da palavra

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

21

> ‘Natal Empreendedor 2013’ dá prémio em serviços no valor estimado de 5.000 euros

Seja o ‘nosso’ vencedor! O Correio de Azeméis, a AZFM e a empresa Numeroscópio uniram esforços e promoveram um Concurso de Ideias & Empreendedorismo – ‘Natal Empreendedor 2013’, através do qual pode lançar-se numa carreira profissional proeminente e com futuro. Elabore o seu plano e candidate-se. Nesta época natalícia nada melhor do que proporcionar um concurso para premiar a melhor ideia e/ou melhor empreendedor, com vista à criação do seu próprio negócio ou emprego. Em tempos conturbados pela crise, pelo desemprego e pela falta de oportunidades, cada vez mais a solução passa pelo desenvolvimento do próprio negócio e do caminho para um futuro melhor. O empreendedorismo, mais do que estar

lidar em números aquela ideia que tanto tempo temos dentro de nós são os objetivos dos promotores.

na moda, é uma forma de atuar perante as adversidades. Encontrar soluções, planear as etapas, solidificar ideias e, finalmente, dar início à atividade. Assim, surge o ‘Concurso de Ideias & Empreendedorismo’, lançado, agora, pelo nosso semanário e pela rádio AZFM,

em parceria com a empresa Numeroscópio. Neste concurso – que será conhecido, igualmente, por ‘Natal Empreendedor 2013’ -, procuramos contribuir para aumentar um pouco a esperança a todos, fazendo votos que esta iniciativa inovadora desperte dentro de cada um o seu

espírito empreendedor. É que são muitas as vezes que procuramos a solução fora, onde não existe... quando ela pode estar em cada um de nós... nas nossas próprias mãos. Incentivar à inovação metódica, despertar mentes e promover o desejo de escrever e va-

Prémio ‘empreendedor’ O vencedor do concurso beneficia de um (1) prémio, avaliado/estimado em 5.000 euros, consubstanciado em apoio técnico, acompanhamento especializado a nível técnico e motivacional. O regulamento está disponível na página www.facebook. com/natalempreendedor2013 e todas as dúvidas técnicas podem ser tiradas pelo email: numeroscopio@hotmail.com, ou, com marcação prévia, na Loja 10 Piso -1, do Centro Comercial Rainha, em Oliveira de Azeméis. A data limite para apresentação das candidaturas é o dia 06 de janeiro 2014, com envio do Plano de Negócios e C.V. do promotor para e-mail supra. A divulgação do vencedor será feita no dia 14 Janeiro 2014. Pense na sua ideia que há tanto tempo fala. Elabore um Plano de Negócios e candidatese. Já isso o torna vencedor. PUB


22

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O CONFORTO DA PALAVRA

>ENQUANTO SE PREPARA O NATAL 2013 NA PARÓQUIA DE CESAR

Grupo ‘Shalom’ celebrou ‘bodas de prata’ em concerto

No concerto dos seus 25 anos, o Grupo Coral juvenil ‘Shalom’ gravou um CD.

No âmbito das celebrações do 25.º aniversário do Grupo Coral Juvenil de Cesar - ‘Shalom’, realizouse, no passado 08 de dezembro, dia da Imaculada Conceição, o concerto de consagração à Nossa Senhora do Grupo ‘Shalom’, pelos 25 anos ao serviço da paróquia de Cesar. Um dia que começa por anunciar as festas maiores de um mês dedicado ao Menino Jesus, Deus nascido entre os homens.

O Grupo Coral Juvenil de Cesar - ‘Shalom’ conta já com a bonita idade de um quarto de século. Mais do que celebrar os 25 anos que passaram, o grupo pretende ter um olhar prospetivo com vista ao futuro, mas sem nunca esquecer a sua história. A memória é sempre um tónico para consolidar a raiz essencial de cada organização. O trabalho desenvolvido, ao longo destes anos, tem granjeado a confiança da paróquia de Cesar, na sua primeira pessoa, o seu pároco, Pd. Joaquim Vieira Cavadas, que muito ajudou na evolução do grupo e no acolhimento que lhe prestou em 1988. Carlos Costa Gomes, elemento fundador e diretor do coro, antes de iniciar o

A igreja matriz encheu-se para ouvir os jovens cantarem, destacando-se a presença do pároco de Cesar, Joaquim Cavadas.

momento musical, salientou que o seu desejo era de que o concerto fosse mais um encontro, onde todos participassem ativamente e não como ouvintes ou assistentes passivos. Referiu ainda que, através do canto, Deus desce até nós e nós nos elevámos até Deus. Um encontro/concerto vivo e vivificante. A igreja de Cesar acolheu este concerto e os cesarenses encheram por completo a matriz, demonstrando o carinho e o apreço que nutrem pelo Grupo ‘Shalom’. De registar, também, a participação muito ativa da assembleia, que rapidamente deixou-se contagiar pelas vozes juvenis do pequeno coro. Como referiu o Pd. Joaquim Cavadas, o Grupo

‘Shalom’ ou, como normalmente gosta de chamar, “os meus canarinhos”, também o ajudou no seu trabalho pastoral e espiritual. O pároco afirmou mesmo que este agrupamento coral tem sido um pilar de sustentação na sua ação pastoral em Cesar e agradeceu, por isso, o trabalho desta agremiação ao longo dos anos, assim como o momento vivificante, alegre que os presentes puderam viver. Por seu turno, Élia Correia, fundadora do grupo e organista, agradeceu a disponibilidade de todos elementos e do maestro, pela dedicação e perseverança, no decurso destes 25 anos, enquanto Augusto Moreira, presidente da Junta de Freguesia de Cesar - também ele um elemento que passou pelo Grupo Sha-

lom -, teve palavras de reconhecimento pelo magnífico momento que teve oportunidade de viver e de reviver. O autarca fez votos para que o grupo continue a deliciar com os seus cânticos as celebrações litúrgicas e outras iniciativas em que participe, como será no Concerto de Natal organizado pela autarquia cesarense. Concerto gravado em CD O concerto de consagração à Imaculada Conceição foi gravado (ao vivo) e, segundo Carlos Costa Gomes, o Grupo ‘Shalom’ pretende que este esteja disponível no início do ano de 2014. De referir ainda que este é o terceiro CD que o grupo grava, esperando, como no passado, que a adesão ao trabalho musical seja de agrado das pessoas. PUB


o conforto da palavra

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

23

>Concerto de apresentação, no Caracas, às 21h30; sessão de autógrafos, no mesmo local, entre as 15h00 e as 17h30

‘The Rangers’ apresentam CD no próximo dia 21 Faltam só onze dias para o concerto de apresentação do primeiro CD dos ‘The Rangers’ intitulado ‘Sixties’, o qual vai contar com a participação surpresa de uma das mais antigas bandas de música do país. Uma boa prenda para oferecer para este Natal.

Luís Pais Borges e Jorge Silva, este trabalho discoIncluindo vinte covers gráfico, produzido pelo de músicas dos anos 60 jovem oliveirense Ricardo bem nossas conhecidas e Rosa, vai ser lançado a 21 contando com a colabo- de dezembro, pelas 21h30, ração de nomes artísticos no Cine Teatro Caracas, como Eva Danin, Sandra curiosamente, no dia do Brandão, Sandra Silva, 45.º aniversário da inau-

guração da sala de espetáculos da cidade de Oliveira de Azeméis. Mas ainda antes desta banda de Oliveira de Azeméis, cuja formação remonta a 1965, subir ao palco, os seus fãs vão poder, também no Caracas,

comprar o CD (por apenas cinco euros) e, depois, obter um autógrafo - tudo isto entre as 15h00 e as 17h30. Quanto aos bilhetes do concerto, encontram-se à venda no local do espetáculo. Não perca mais tempo e reserve já o(s) seu(s)! Acredite que, “agora, com idades acima dos 60 anos, mais maduros e mais exigentes, estes ‘cotas’ – como os próprios dizem conseguem, apesar de tão grande interregno, imprimir muita qualidade aos temas que interpretam e que fazem vibrar todos quantos assistem aos seus concertos”. Junte-se a Carlos Flores, Elísio Guilherme, Zeferino Teque, Daniel Pintor, João Carlos e César Pinho na concretização deste “sonho de quarenta e muitos anos”.

PUB


24

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O CONFORTO DA PALAVRA

>AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FERREIRA DA SILVA DE CUCUJÃES

‘Natal na Rua’ estende emoções à comunidade O ‘Natal na Rua’ teve lugar no passado dia 06 de dezembro em Nogueira do Cravo. Tratou-se de um espetáculo que envolveu toda a comunidade educativa do agrupamento de escolas Dr. Ferreira da Silva, tendo como elemento congregador a expressão musical.

Muitas canções de Natal pela comunidade educativa do agrupamento de escolas Dr. Ferreira da Silva, frente à capela de Santo Antão em Nogueira do Cravo.

se deslocassem ao evento numa mole humana assinalável para uma fria noite de outono, deixando o quentinho de suas casas para darem calor humano a Enquadrada no espírito na- esta bela iniciativa. talício, a iniciativa teve lugar na bela escadaria da Capela de San- Muitas músicas em to Antão, em Nogueira do Cravo, espírito natalício e os cânticos próprios da quadra O espetáculo abriu com a foram interpretados com muita atuação dos alunos e docentes mestria por mais de seis cente- do ensino articulado da EBS Dr. nas de crianças dos jardins de Ferreira da Silva com ‘Sonata infância e alunos do 1.º ciclo do de Ron Simpson’. Os alunos do ensino básico e ensino secundá- jardim de infância e 1.º ciclo do rio, docentes e associações de Largo da Feira cantaram ‘Pó de pais e encarregados de educação Estrelas’ e as crianças da escola da comunidade escolar. O bom básica (EB) e jardim de infância tempo que se fez sentir permitiu (JI) de Bustelo apresentaram a que muitas centenas de pessoas canção ‘Então é Natal’. Com os

meninos do JI do Picoto, veio a canção ‘Natal de Elvas, Natal Africano, Os meus presentinhos’, seguindo-se os alunos da EB do Picoto com o tema ‘Som bem bom’. Dando sequência à festa, atuaram os alunos da EB Com. Ângelo Azevedo, com a canção ‘Em tons de Natal’. Após um breve intervalo, os alunos da EB Maria Godinho entoaram ‘À Volta do Pinheirinho’, cabendo às crianças do JI Com. Ângelo Azevedo e JI de Nogueira do Cravo interpretarem a bela canção ‘Pai Natal cansado’. Depois foi a vez das crianças do JI e EB de Faria de Baixo com a canção ‘Menino Jesus à Lapa’, seguindo-se

os alunos do 1.º ciclo da EB Com. Ângelo Azevedo com a composição ‘É Natal, há uma estrela a brilhar’. Já a noite ia avançada quando os alunos da EBS Dr. Ferreira da Silva, fruto da dedicação e afinco com que ensaiaram, encantaram quantos os escutavam com o belo momento musical ‘Feliz Navidad’. A encerrar, docentes de todos os ciclos de ensino e o conjunto das associações de pais e encarregados de educação (APEE) deste agrupamento (en)cantaram com os temas ‘Rapsódia de Natal’ e ‘A Grande Surpresa’, respetivamente. A noite de animação recheada de espírito natalício permitiu,

ainda, momentos de convívio. Para que nada faltasse, as APEE do agrupamento montaram barraquinhas para venda de iguarias da época e não só. António Figueiredo, diretor do Agrupamento, apelou para que este Natal seja vivido com espírito de partilha, solidariedade, carinho e amizade, deixando o seu agradecimento aos professores, educadoras, pais, encarregados de educação, alunos, pessoal não docente, associações de pais e Junta de Freguesia de Nogueira do Cravo pelo apoio, empenho e dedicação manifestados, sem os quais não seria possível levar a efeito com tanto êxito o ‘Natal na Rua’. PUB


o conforto da palavra > Organizada pela Comissão de Melhoramentos de palmaz

Tradicional ceia de Natal a 21 de dezembro

Cumprindo uma tradição de há muitos anos, a Comissão de Melhoramentos Locais (CML) de Palmaz vai levar a efeito mais uma ceia de Natal destinada a todos os idosos da freguesia. Tendo lugar no Pólo Multigeracional ‘Com Vida’ (antigo Escola Soares Basto) – equipamento que, atualmente, está sob alçada da CML -, o convívio natalício está agendado para o próximo dia 21, sábado, a partir das 19h30. As inscrições encontram-se abertas nos locais habituais até 19 de dezembro. PUB

Feirinha de Natal ainda está a decorrer Pelo segundo ano consecutivo, também no Pólo Multigeracional ‘Com Vida’, a CML de Palmaz tem em curso uma feirinha de natal com o objetivo de angariar fundos para a organização de futuras atividades. Destinando-se a toda a população local, a iniciativa continua a decorrer, estando o seu término previsto para o próximo dia 19. A CMP continua a contar com a presença e a colaboração de todos!

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

25


26

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O CONFORTO DA PALAVRA

>JOVEM CASAL OLIVEIRENSE ‘DEDICASE DE ALMA E CORAÇÃO’ AO CAKE DESIGN

Transformar bolos “em obras de arte” “Há bolos que mudam vidas… há bolos que alegram vidas e… há bolos que ‘adoçam’ vidas”. Que o digam Sara Raquel Guedes e Miguel Hespanha, que, em certo momento das suas vidas, descobriram que o seu futuro passaria pelo cake design. Neste Natal de 2013, o CA falou com um jovem casal oliveirense capaz de transformar bolos “em obras de arte”.

Sara Raquel Guedes e Miguel Hespanha criaram o bolo de aniversário de Herman José, uma réplica do BMW descapotável do humorista

e… “‘adoçam’ vidas”, entre os quais alguns alusivos a esta época que estamos a viver. Falamos de um jovem casal oliveirense (ela com 30 anos de idade e ele com 34), residente em Pinheiro da Bemposta, que, em 2010, ‘se rendeu’ ao cake design. O facto de, nesse mesmo ano, ambos GISÉLIA NUNES terem ficado desempregados e de, na altura, os seus dois filhos “nos Em plena quadra natalícia, a pedirem bolos que não podíanossa reportagem foi ao encon- mos comprar” fez despertar “esta tro de quem é capaz de tornar o nossa paixão” e “ter a certeza que seu Natal mais doce e, ao mesmo o nosso futuro passaria pelo cake tempo, mais mágico. Sara Raquel design”, conforme contaram ao Guedes e Miguel Hespanha criam Correio de Azeméis (CA). bolos que “mudam”, “alegram” Depois de terem chegado a

esta conclusão, o primeiro passo foi “tirar o curso completo ‘Wilton Cake Decorating’”. Segundo nos relataram, “fomos a Inglaterra enriquecer os nossos conhecimentos, através da participação em ‘workshops’, e visualizar o trabalho desenvolvido por grandes profissionais deste ramo na maior feira internacional dedicada, exclusivamente, ao cake design”. Atelié ‘AçúcarArte Cake Design’ aberto há um ano Entretanto, há cerca de um ano, decidiram “arriscar e abrir o nosso ateliê” - AçúcarArte Cake Design – sendo que “os nossos filhos,

de primeiros clientes, passaram a ser os nossos maiores críticos e, naturalmente, a nossa maior fonte de inspiração e os nossos clientes os nossos melhores amigos”. “É por todos eles que, neste momento, nos dedicamos a 100% a esta maravilhosa arte de decorar bolos”, sublinharam Sara Raquel Guedes e Miguel Hespanha. Hoje, ‘dedicam-se de alma e coração corpo’ a este seu projeto, não parando de surpreender nesta arte de transformar “o exterior simples de um bolo, a que todos estamos habituados a ver, em verdadeiras obras de arte”. Aliás, tanto é assim que, da sua lista de clientes, destacam-se nomes como o humorista português Herman José e a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis – autarquia para a qual fizeram, recentemente, o bolo comemorativo dos 10 anos da Comissão Municipal para a Deficiência. “Cada bolo é único” Ao longo deste seu percurso enquanto cake designers, a principal dificuldade com que se têm deparado é “fazer com que as pessoas

entendam que este trabalho requer materiais bastante dispendiosos, muitas e longas horas de trabalho”, porque – como explicaram ao CA – “cada bolo é único”, sendo “pensado, projetado, idealizado e, finalmente executado, a pedido do cliente”. Abrir uma loja é desejo para 2014 A poucas semanas do fim de 2013, Sara Raquel Guedes e Miguel Hespanha partilharam com o CA o que desejam para o novo ano. De acordo com o que disseram ao nosso semanário, o seu futuro passa por “abrir o nosso próprio espaço ao público para podermos partilhar conhecimentos e onde todos poderão ver e conhecer o nosso trabalho”. Aliás, estes dois jovens fizeram saber que esperam que, já no início de 2014, “o nosso projeto de loja passe dos papéis à realidade”. Contatos: Sara Raquel Guedes e Miguel Hespanha; telefone n.º 256 998 147 e/ou telemóvel n.º 91 629 77 96; email acucarartecakedesign@gmail.com; facebook: AçúcarArte Cake Design. PUB

AF


O CONFORTO DA PALAVRA

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

27

> EM CONCURSO DE BOLOS DE NOIVA QUE DECORREU NA EXPOSALÃO BATALHA

Cake designers oliveirenses conquistam 2.º lugar Chegaram, viram e quase tantes e nunca podem parar”, além de formações de cake design, “temos vindo ficaram em primeiro lugar no a apostar na área do chocolate, pois este concurso de bolos de noiva é sempre uma mais-valia e uma grande integrado na Exposição ‘Festas paixão”. Estes dois jovens empreendedores tame casamentos’, que, de 23 de bém estiveram “nas jornadas técnicas de novembro a 01 de dezembro, chocolate Master Martini, na Academia decorreu na ExpoSalão. Entre 17 Profissional de Cake Design, onde tivegrandes nomes do cake design mos o privilégio de aprender, com Nicoletta Rustici e o Chef Armando Monnacional, Sara Raquel Guedes teiro, algumas técnicas para trabalhar e Miguel Hespanha foram os o chocolate”. Posto isso, ainda quiseram segundos preferidos do público “enriquecer os nossos conhecimentos com uma formação dada pela Chef Céu nesta iniciativa em que foram Carvalho, uma grande ‘chocolatier’ naconvidados a participar pela cional”. Associação Nacional de Cake Participação no ‘Christmas Design, de que são associados. GISÉLIA NUNES

Mas as ‘conquistas’ deste casal oliveirense não se ficam pela que alcançaram na ExpoSalão – Centro de Exposições (Batalha). 2013 tem sido um ano em que Sara Raquel Guedes e Miguel Hespanha têm marcado presença, com as suas “obras de arte”, em diversos eventos e até foram solicitados no sentido de passarem a colaborar em revistas do ramo. Segundo disseram à nossa reportagem, em setembro último, “recebemos o convite da Exponor – Feira Internacional do Porto para estarmos representados, com o nosso stand, na primeira edição da exposição ‘Porto Cake Alive’ - mostra “onde surgiu o convite para sermos colaboradores da Revista Bolos Decorados, da Editorial Nascimento, que viu e acreditou no nosso trabalho”. Aliás, na sequência desta oportunidade, já “participámos na edição de novembro, com o nosso ‘Agricultor’, e na de dezembro com o bolo intitulado ‘Na Lapónia’”,

Story Cakes’ Além de tudo isso, no mês transato, foram contatados pelo blogue ‘Cake Beats’, “para participar num evento único e inovador: Um calendário do Advento a que se deu o nome de ‘Christmas Story Cakes’”. Trata-se – conforme esclareceram – de uma inédita iniciativa que “junta 27 grandes nomes nacionais do cake design, em que cada um foi desafiado a participar, criando e executando um bolo de Natal”. “Cada bolo conta uma história, isto é, quando um cake designer está a fazer um bolo nada é feito ao acaso - uma peça não está ali só para tapar uma imperfeição, ela existe e está presente pela história que o cake designer quer transmitir”. No ‘Christmas Story Cakes’, “cada cake designer é, antes de mais, um sonhador, cujas maiores alegrias são o sorriso e o agradecimento de quem recebe o seu bolo (…). É, acima de tudo, um contador de histórias que, em vez de o fazer por palavras, o faz através dos bolos que decora”.

Aposta também na área do chocolate Gosto pela pastelaria não é de agora “Como neste mundo dos doces, as forA título de curiosidade, note-se que o mações e ‘workshops’ são muito impor- gosto pela pastelaria tanto de Sara Raquel

Guedes como de Miguel Hespanha não é agora. A primeira contou-nos que, “desde muito nova, desenvolvi o gosto pelas Artes, tendo frequentado o Curso Tecnológico de Design e, com a influência da minha mãe e da minha tia, o gosto pela pastelaria”. “Há 13 anos, quando conheci o Miguel, reparei que os nossos gostos coincidiam: Ele sempre foi um bom aluno em trabalhos manuais e também tinha

Com o bolo ‘A magia do Natal chegou à aldeia’, o casal oliveirense é o único representante do distrito de Aveiro no ‘Cake Beats’

uma tia-avó, que sempre o incentivou a ser o seu ajudante na preparação de doces conventuais e pastelaria tradicional portuguesa”, acrescentou.


28

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O CONFORTO DA PALAVRA

>COMÉRCIO INTENSIFICASE EM ÉPOCA NATALÍCIA

GNR ensina comerciantes a defenderem-se

Militares promovem ações de sensibilização no sentido de preparar o setor do comércio para as práticas criminosas que tendem a surgir nesta época do ano.

cou o programa ‘Comércio Seguro’ da GNR, uma série de ações que visam combater os crimes praticados no âmbito da atividade comercial, capazes de gerar um forte sentimento de insegurança não apenas entre os comerciantes, mas também no seio da população em geral. Até ao dia 24 de dezembro, através de um patrulhamento DIANA COHEN apeado, cerca de 170 militares do Comando Territorial de Este fim de semana arran- Aveiro irão abordar os comer-

ciantes, relembrando quais os procedimentos a adotar em caso de furto, roubo ou ameaça, “de forma a potenciar o sentimento de segurança” destes e dos clientes, anunciou a força de segurança. Será reforçada a vigilância junto a espaços comerciais, acompanhada de visitas e entrega de desdobráveis com conselhos de segurança destinados a esse público-alvo. Segundo a Guarda, trata-se de uma iniciativa que, através do

DR

Através do programa ‘Comércio Seguro’, a GNR pretende informar os comerciantes acerca de medidas de segurança e auto-proteção

policiamento de proximidade, “pretende fazer com que este setor de atividade esteja mais habilitado e preparado para responder preventivamente às práticas delituosas que têm tendência a surgir nesta época do ano”. Os comerciantes irão aprender a dificultar a vida ao ladrão e as regras de segurança na gestão do dinheiro, “uma vez que esta é uma época em que o fluxo de

pessoas em áreas comerciais se intensifica e, consequentemente, as transações monetárias são mais frequentes”. No decorrer da abordagem, a GNR tenciona ainda alertar para a importância da prudência (na hora de abrir e fechar a loja) e da realização da dupla verificação, mas também lembrar quais os procedimentos a adotar na presença de um assaltante e após um roubo.

>ESPETÁCULO DE NATAL DA ASSOCIAÇÃO CENOGRÁFICA DE PINHEIRO DA BEMPOSTA É JÁ ESTE DOMINGO

Desafio d’ Arte apresenta ‘Os cinco elementos’ no Caracas É já este domingo, 22 de dezembro, pelas 17h00, que a Desafio d’ Arte – Associação Cenográfica de

Pinheiro da Bemposta veira de Azeméis. apresenta ‘Os cinco eleA dança volta a estar em mentos’ no Cine Teatro do destaque no espetáculo de Caracas, na cidade de Oli- Natal desta agremiação

pinheirense, cujo bilhete tem um custo de 2,50 euros. A Desafio d’ Arte convi-

da, desde já, todos a virem celebrar em grande os cinco elementos da natureza e, em simultâneo, o Natal. PUB


o conforto da palavra

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

29

Mais uma vez... Natal e Ano Novo Com a graça de Deus, transponho mais um Há pouco tempo um anúncio televisivo comarco na estrada do tempo. Todos sabemos meçava assim: “No meu tempo não havia…”. que não é um virar de folha no calendário que A boa disposição e a graça da personagem que muda magicamente o curso dos acontecimeno dizia eram como uma lufada de ar fresco tos, mas, sempre nesta época, há uma solicitapara as agruras da vida. ção para olhar para trás, em jeito de análise e Rir faz bem à saúde, embora não anule a balanço. crise dos desempregados. Todos sabemos que Inevitavelmente surge a comparação dos há uma ideia amplamente difundida de que o tempos, sobretudo quando já se viveu tantos Irene Lúcia Natal, se transformou num desenfreado connatais e fins de ano. Acentua-se cada vez mais Arede sumismo e mais isto e mais aquilo. É uma reo fosso das desigualdades fundamentais entre alidade. os homens, não só dos vários ‘mundos’ em que Há muitos anos era mais forte o espírito de se dividiu o mundo, como dentro de cada um Natal. O presépio era o centro das atenções destes ‘mundos’. com as prendas do Menino Jesus. O Pai Natal É certo que há quem diga que os portugueera desconhecido por estas bandas. Não sou ses preferem dar o que for em dinheiro para contra ele, claro, até porque os meus netos, até não terem de encarar de perto a desgraça dos há pouco tempo, na noite de consoada, vibraoutros. Mas, neste país, onde os infortúnios da vam com a sua figura que, passando pelo jarvida abundam, ainda há quem não se confordim e, através de uma janela aberta propositame e prefira pôr mão à obra, ou seja, ajudar as damente, deixava as prendas. instituições de apoio aos necessitados, sabenNo meu tempo não havia… as tecnologias do organizar bem o seu tempo. avançadas que hoje existem. Escrevia-se às pesO que é preciso é que o empolgamento soas lindos postais. Hoje telefona-se ou fala-se emocionado que surge durante as festas de Natal seja para continuar. As televisões deram a reportagem de tantas Há muitos anos era mais forte o espírito dádivas: toneladas de bens alimentares para serem distribuídos pelos pobres! Foi lindo. de Natal. O presépio era o centro das Nestas ocasiões muita boa gente é afetada por uma crise aguda de amor ao próximo, que atenções com as prendas do Menino passa muitas vezes depois de curada a ressaca da noite de Ano Novo. jesus. O Pai Natal era desconhecido por Sempre houve pobreza em Portugal. Talvez as pessoas fossem mais resignadas, mas quanestas bandas... ta gente passou fome… A minha vivência desse tempo como Vicentina pode confirmá-lo.

pela internet. É certo que é agradável ouvir as pessoas, algumas aproveitam para desabafar. O que também é bom para elas. Não resisto a contar o teor do primeiro telefonema de ‘Boas Festas’ que há pouco recebi. É minha conhecida desde os tempos de escola. Muito nova acompanhou os pais para o Alentejo. Casou, mudou de terra, mas, pelo Natal, mandava-me um postal de ‘Boas Festas’. A primeira letra do meu nome, um I, foi sempre trocado por um E, mas isso era irrelevante. É uma pessoa simples, boa, bem humorada, porém completamente alheia a rigores da semântica. Pelo telefone começou a tecer algumas considerações, mais ou menos filosóficas, sobre a quadra que atravessamos: as injustiças de que S. José foi vítima, as dificuldades que teve para arranjar um sítio digno para o seu filho nascer – que ele sabia não ser seu, mas de Deus – uma vez mais as injustiças com toda a gente a recusar-lhes guarida! E, de injustiça em injustiça, lá vieram os queixumes sobre uns terrenos que tinha e que estavam embargados. Que já tinha ido à “Cambra” (Câmara), mas a “Senhora Cambra” não resolve nada porque são todos uns “nabos”! Depois da irritação contra os “nabos”, veio a saúde dela, que tinha o “costrol” alto, todavia o pior mesmo era saber que tinha “ácido único”! Terminei a agradecer e a retribuir os votos de um Santo Natal e de um Ano Novo cheio de paz – o costume nestas alturas – aos homens de boa vontade. Aproveito a ‘deixa’ para desejar o mesmo aos que trabalham no jornal ‘Correio de Azeméis’ e a todos os seus leitores. PUB


30

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

o conforto da palavra

Evangelho da Alegria: A Igreja necessita de uma voz profética!? Na exortação apostólica ‘Evangelli Gaudium’ (‘A Alegria do Evangelho’), o Papa aponta o individualismo, a crise de identidade; uma vida quotidiana incolor da igreja e exorta os católicos a fazerem a “revolução da ternura” para serem sinais de esperança. Olhando para dentro da Igreja, pergunta “a quem queremos evangelizar quando os próprios católicos vivem lado a lado com a Carlos inveja e o ciúme”; “como queremos crescer Costa em Igreja quando os leigos são mantidos Gomes fora das decisões?” Não esquecendo, neste particular, os direitos das mulheres e dos jovens num maior protagonismo ao nível das decisões importantes da Igreja particular e dos lugares onde ela está presente. A nível da pastoral, sublinha a crise de identidade e um protagonismo de vida quotidiana incolor da Igreja. A normalidade e a funcionalidade de manutenção clerical, já por si desgastada, desgasta também a fé na medida em que esta é vivida em função do benefício e não do ofício. É necessário fazer uma “revolução de ternura”. Ainda neste contexto, não esqueceu as homílias das celebrações da eucaristia: “A homília deve ser breve e evitar parecer uma conferência ou uma aula; deve ser capaz de dizer palavras que façam arder os corações”. Exorta a evitar a “pregação mo-

ralista, apelando à abertura de um diálogo de proximidade, de acolhimento cordial que não condena”. A economia atual, tema muito caro do Papa Francisco, é aqui abordada como um sistema injusto. O Chefe da Igreja Católica afirma mesmo que “esta economia mata, porque prevalece a lei do mais forte”. A contemporaneidade económica criou uma nova cultura – a cultura descartável: “Os mais pobres não sendo explorados, são lixo e sobras”. Vive-se a tirania do invisível e virtual, sufocado por um mercado económico divinizado, “onde reina a especulação financeira, corrupção ramificada, evasão fiscal; não esquecendo os ataques à liber-

“Os mais pobres não sendo explorados, são lixo e sobras”. Vive-se a tirania do invisível e virtual, sufocado por um mercado económico divinizado...”

dade religiosa, a indiferença religiosa no coração do cristianismo, assim a cultura relativista sobre a própria conceção de família”. Para o Papa Francisco é necessário uma voz profética que denuncie as injustiças políticas, sociais e económicas; que faça ouvir o clamor e os gritos dos mais desprotegidos e dos mais fragilizados, por forma a construir uma sociedade mais justa, mais fraterna e mais solidária. E aponta quatro princípios: trabalhar a longo prazo, sem obsessão dos resultados imediatos; operar para que os opostos atinjam uma unidade multifacetada que gera nova vida; evitar reduzir a política e a fé à retórica; colocar em conjunto globalização e localização. Neste tempo novo, segundo o Bispo de Roma, a Igreja precisa de uma evangelização aberta ao diálogo às realidades políticas, sociais, religiosas e culturais. O diálogo ecuménico é imprescindível para o enriquecimento recíproco, porque com os outros também se pode aprender. É necessário um diálogo transdisciplinar. Finalmente, o Papa convida os católicos a dar razões da sua esperança e como missionários a procurarem o bem do próximo, este que é suficiente para justificar o dom da vida. PUB


o conforto da palavra

Terça-feira, 17 de dezembro de 2013

31

Uma história no Natal Eduardo nasceu numa aldeia perdida e encravada nas serranias na Beira Alta. Fez os seus estudos básicos e secundários na vila, sede do seu concelho, porque na aldeia já nem escola básica existia, devido ao seu despovoamento. O Litoral só o viu, já rapazote, numa excursão a Fátima e à Nazaré. Albertina, da mesma aldeia, foi o grande amor da sua vida, desde a infancia à adolescência. Amor interrompido depois do secundário, em que cada um seguiu caminhos diferentes. Os pais de Eduardo sempre trabalharam, como os seus progenitores, no amanho das rudes e pobres leiras, que subiam em socalcos pela encosta acima, e, ainda, na criação de algum gado que Eduardo ajudava a apascentar, nos seus tempos livres, pelas serras e baldios da zona. E assim foi deslizando o tempo, sem grandes histórias, marcado entre fases da lua, sementeiras e colheitas. No entanto o grande sonho paterno era dar seguimento às boas notas escolares do seu Eduardinho, como ternamente o tratavam. Um dia teria enviá-lo para a Universidade. Dar-lhe um futuro mais promissor. Ou então, como outros da aldeia, teria de emigrar, pois indústria não havia e as pobres terras só davam para o sustento da casa e pouco mais. Finalmente, chega a boa notícia por que tanto lutaram: Mercê do seu grande empenho, Eduardo consegue, na secundária, notas máximas nas várias disciplinas. Seu pai jubíla e desce à cidade com ele para o inscrever na melhor Universidade pública. Novo combate, em ambiente bem diferente, ia começar para o beirão, que, com a aplicação e o espírito de sacrífício que o caracterizavam, moldados na rude vida campesina beirã, iria vencer. Seus pais de quase tudo se privavam para que a Eduardo nada faltasse até ao canudo final. Instalado numa républica coimbrã, o nosso ‘herói’, ainda que tímido, por força das circunstâncias, entra na vida boémia da Lusa Atenas, mas nunca esquecendo a sua proveniência. Até que enfim chega o dia mais aguardado, os exames finais, que passa com distinção. Para comemorar o feito, e convencido que a hora da mudança tinha chegado, seu pai, à boa maneira beirã, manda abater a sua melhor rés e, à sombra da sua frondosa ramada, faz um opíparo jantar com o povo da aldeia, mais alguns amigos e familiares vindos de longe. Mas - há sempre um ‘mas’- os tempos mudaram e hoje ser doutor está longe de corresponder a futuro assegurado. Findas as festas, Eduardo desce as montanhas, até ao Litoral, cheio de projetos e sonhos, à procura de uma oportunidade. Bate a todas as portas, responde a todos os anúncios. Utiliza as novas tecnologias, ‘obrigatórias’ nos tempos modernos. Mas tudo que aparece são trabalhos temporários, precários e mal pagos. Entretanto conhece Beatriz, através das redes sociais, onde passa demasiado tempo. Mulher urbana, toda sofisticada, aventureira, sensual, cheia de vícios, mesmo com histórias de toxicodependência... em resumo, ‘mulher fatal’, mas, também como ele, com canudo académico e trabalhos mal pagos em part-time. Os dias e postes na net sucedemse, até que decidem juntar os seus trapos e problemas, e viverem em concubinato. Mal alojados e ganhando apenas para as despesas correntes e vícios, sobretudo dela. Se as coisas

Albino PInho

até aí não estavam famosas para o nosso Eduardo, habituado a velocidades mais brandas, com a Beatriz só podiam piorar. E foi o que aconteceu, de uma forma talvez irresponsável, entre dois ‘charros’ e, quem sabe, alguns ‘chutos’, nasce um rebento do sexo masculino. Durante esses conturbados tempos, as notícias que Eduardo mandava para a Beira Alta eram todas pintadas de cor de rosa ou azul celeste. Engendradas pela imaginação maquiavélica de Beatriz, perita na matéria, a quem obedecia cegamente, Eduardo - sempre na esperança de as coisas mudarem - ia adiando a ida à aldeia, apresentar a sua nova família, ainda que não muito católica, como os pais sempre desejaram, e era tradição da família e da terra. A crise entre os concubinos acentua-se a cada dia que passa, quase sempre pelo mesmo motivo: o dinheiro, sempre curto para tanto gasto e vício. A relação chega a vias de facto e a rutura natural acontece. Beatriz, mais uma vez, parte para outra, com outro, que entretanto arranjara nas redes sociais, pois claro (!), fugindo às suas responsabilidades maternais, deixando o pobre Eduardo com o bebé nos braços. Neste novo quadro, entregue a si próprio e com um bébé a seu inteiro cargo, não restava outra alternativa que contar toda a verdade a seus pais e assumir as consequências. Durante dias andou a matutar se havia outra alternativa. Recusavasse a dar tal desgosto aos pais, que tantos sacrifícios fizeram para lhe dar uma formação superior e um futuro melhor. Depois de algumas noites em branco, finalmente ganha a coragem que devia, liga à sua querida mãe e, com as mais doces palavras do mundo, conta-lhe toda a verdade. Sua mãe tudo ouve em silêncio. No final, perguntou-lhe se era possível ele vir à aldeia passar o Natal que se avizinhava, que, entretanto, ia preparar o seu pai. Assim aconteceu, com uma mão quase cheia de nada para oferecer a seus pais. Eduardo mete-se a caminho da serra, com o seu bébé, no seu já gasto carro, temendo pela reação de seu pai, que tudo apostara nele. Chegado à casa paterna, sua mãe recebe-o, como só uma mãe sabe receber, deixando cair aquela lágrima pelo rosto marcado pelas agruras da vida. Eduardo pergunta pelo pai, sua mãe responde que deve estar para chegar da horta. Instalam o bébé nas melhores roupas de cama da casa. Seu pai entra, abraça Eduardo longamente e num eterno silêncio. Em seguida, pega ao colo o seu netinho, que fica a admirar longo tempo. Alguns dias passam, no maior dos silêncios, até ao dia de consoada. A mãe prepara a tradicional e secular ceia de Natal, na centenária cozinha, envelhecida pelo tempo e pelo fumo, que algumas vezes se recusava a sair pela chaminé. Finda a ceia, Eduardo com seu pai vai à missa do galo na aldeia, como nos velhos tempos. Sua mãe fica a cuidar do bébé. Ao fim da missa, foi tempo de rever velhos amigos de infância, a maioria emigrada, em volta do também tradicional madeiro que ardia no adro da igreja. Para seu espanto, seus olhos cruzam-se com os de Albertina, que se encontrava no lado oposto. Com o tremeluzir da luz do fogo que se projeta nas suas faces, fitam-se longamente, como a rever o filme dos seus tempos idos. Receiam-se, mas, finalmente, caem nos braços um do outro. Resumem em poucos minutos o tempo em que não se viram. Ela ainda descomprometida, mais bela,

mais madura, tinha decidido ficar pela terra, dedicar-se aos pais e às terras da família. Com o consentimento de seu pai, Eduardo convida-a a passar lá a casa para comer algumas iguarias de Natal e meter melhor a conversa em dia. Albertina diz que é tarde, mas aceita; pelo caminho vai avisar os pais. Chegados os três a casa, sua mãe, ainda acordada, apresenta o menino, entretanto acordado, num velho berço que serviu a Eduardo, perto do aconchego do fogo que crepitava e aquecia ainda mais aquela noite santa. Por um longo momento todos os olhares se concentraram no doce sorriso do petiz, o ‘menino Jesus’ daquela noite especial. Enquanto os pais se recolheram com o menino, a noite foi longa para Eduardo e Albertina, naquele banco corrido da lareira. Falaram um pouco de tudo e fizeram mais alguma coisa, que não convém descrever num conto de Natal que se preze. No dia seguinte, juntam-se os mesmos, por proposta de Eduardo, que transmite a todos o que tinha decidido naquela longa noite sem sono. Dirigindo-se a seus pais, diz: “Estive a falar com a Albertina sobre o nosso futuro e decidi o seguinte: Com a experiência da Albertina e a minha teoria adquirida na Universidade, decidimos começar a experimentar novos cultivos nas nossas terras, que nos deem um futuro para podermos fixar-nos aqui na aldeia dignamente. Vamos tentar produzir pequenos frutos para exportação. A qualidade da terra parece-nos propícia e mercado não faltará. Se ganharmos esta aposta, outros produtos se seguirão. O caminho será duro, mas, com a nossa tenacidade de beirões que somos, tenho a certeza vamos conseguir. Somos novos, temos de ter o destino nas nossas mãos; eu e a Albertina acreditamos. Amanhã mesmo vamos começar a tratar de tudo. Gostávamos de saber a vossa opinião”. Seu velho pai, até aí sempre muito confuso e parco em palavras, emociona-se, abraço seu filho e diz-lhe: “Meu filho, obrigado por ficares connosco e pelo neto que me deste; o dinheiro não é tudo na vida, valeu a pena os sacrifícios que fiz por ti, conta comigo!” O tempo foi correndo, com mil e uma noites mal dormidas, muito suor e algumas lágrimas, mas o projeto venceu, valeu a pena. Como nos melhores contos, Eduardo e Albertina realizaram o seu sonho profissional e não só. Casaram, são muito felizes e esperam aumentar a família brevemente. albino.pinho@sunrise.ch


32

Terรงa-feira, 17 de dezembro de 2013

o conforto da palavra

17 11 2013 especial  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you