Issuu on Google+

SEMANÁRIO

FUNDADO EM 05 DE OUTUBRO DE 1922 DIRETOR ANTÓNIO MAGALHÃES SUB DIRETOR EDUARDO COSTA Nº 4548 - 11 MARÇO DE 2014 PREÇO 0,50 € (IVA INCLUÍDO) www.correiodeazemeis.pt Taxa Paga | Devesas - 4400 V. N. Gaia | Autorizado a circular em invólucro de plástico fechado | Autorização n.º 5804/2002 DCP-2

91

Distinguido pelo Governo com Diploma de Louvor de Mérito Jornalístico e Empresarial da Comunicação Social Regional e Local

> S. PEDRO PERMITIU FINALMENTE A REINAÇÃO E A FOLIA

Alfredo Pinho

> NESTA EDIÇÃO:

Domingo foi Carnaval em Pindelo...

> CENTRO DE LÍNGUAS ENTREGA DIPLOMAS

Página 13

Daniela Silva

> BLOCOS COM COBERTURAS EM FIBROCIMENTO SÓ VÃO ABAIXO COM O RECOMEÇO DAS OBRAS SUSPENSAS PELA ‘PARQUE ESCOLAR’

Dos ‘custos sociais’ à sua própria ‘sustentabilidade’ Páginas 04, 08 e 09 > CÂMARA JÁ CUMPRIU...

Obra Social de S. Martinho da Gândara já tem os 25 mil euros Página 05 > COM UMA VÍTIMA MORTAL

Atropelamento com fuga de condutor na Vila de Cucujães Página 11 > NÚCLEO COM TALHÃO NUM CEMITÉRIO DO MUNICÍPIO

‘Combatentes’ há 85 anos em Azeméis

Foto Procion

EB Bento Carqueja ‘a braços’ com o amianto

Páginas 05, 06 e 07

Páginas 16 e 17

‘Bolsa de €mprego’ O Correio de Azeméis publica, novamente, ofertas de emprego, em colaboração com IEFP. Consulte na página 31

PUB


02

Terça-feira, 11 de março de 2014

POESIA

Engraxadores do jardim

BILHETE POSTAL

Bebés, divórcios e abortos

Aos domingos, no jardim, Presenciei muita vez O dar lustro com o cotim... Satisfazendo o freguês. Cigarro ao canto da boca, Ou a enrolar a mortalha... Tapavam o furo à minhoca Por dá cá aquela palha... Quando acabava a missa O olhar varria a praça; A procurar a carriça Para a escova e p’ra chalaça; Sentados na sua caixa, Debruçados sobre o pé, A espalhar a graxa E a cheirar o chulé... Escovavam, punham pomada E davam brilho aos sapatos; E aquela batucada Deixava negros os coiratos...

ABERTURA

EDUARDO OLIVEIRA COSTA

Em Portugal, por cada casal, nascem 1,28 bebés. Somos o país com o pior resultado de nascimentos da União Europeia. Em França, por exemplo, nascem duas crianças por casal. Uma das causas parece ser o divórcio. Os casamentos estão a durar pouco tempo. Festas de divórcio ou de despedida de casado são a nova moda. Até há pouco tempo só havia a festa da despedida de solteiro... Os divórcios andam entre os 25.000 e os 27.000 por ano. Há uma tendência para subirem os divórcios. Em 2007 havia 54 divórcios por cada 100 casamentos. Em 2012, o número subiu para 74 divórcios! Senão vejamos: em 2008, o número de mortes foi de 103.512 e os nascimentos foram de 102.492. Portanto, há cinco anos, pela primeira vez em quase um século, morreram mais do que nasceram. Nos anos seguintes, a situação passou a caótica: no ano passado (2013) nasceram apenas 82.000 bebés! Mas há uma outra causa para a baixa natalidade: o aborto já é a 3.ª causa de morte em Portugal (!) - 20.000 por ano, só supe-

rado pelos tumores (24.000) e pelas doenças do aparelho respiratório (33.000). Há quem defenda que as dificuldades económicas podem estar na base do aumento, tanto de divórcios e abortos, como da quebra de natalidade. Não restam dúvidas de que a brutal crise que vivemos afetou a opção dos casais para terem filhos. A falta de apoios à natalidade também não ajuda. Em França, o abono de família aumenta consoante o número de filhos. Quanto mais filhos menos impostos pagam. Subsídios para os livros escolares, para ajudar a pagar a amas e creches gratuitas nas escolas, entre outros. Portugal, aliviado que esteja desta crise sem precedentes, deve começar a pensar em investir no incentivo à natalidade. É que, se juntarmos a histórica baixa natalidade registada em Portugal, no ano passado, aos 120.000 portugueses que emigraram, ficamos com as orelhas a arder: ainda vamos ter que trabalhar até que as pernas aguentem!

Falavam, davam à língua, Punham a conversa em dia, P’ra esquecer a sua míngua Quando a fome se anuncia. Já não há engraxadores, Desses que limpam sapatos... No jardim, só há senhores, Cavaqueando boatos. FERNANDO DAMAS

ESTANTE

Deseja-me J. Kenner Ela pertence-lhe.Para o bem e para o mal. Ele era o único homem que ela não podia evitar. E o único homem a quem ela não conseguia resistir.«Para mim, a nossa obsessão é ferozmente, incrivelmente real. Para o Damien é um jogo. O Damien precisa de mim, precisa de estar em controlo. As suas necessidades são palpáveis: ele precisa de sentir prazer. Lindíssimo e absolutamente brilhante, é também alguém que vive uma enorme tortura interior. Somos, em todos os aspetos, o par perfeito. Concordei em ser só dele, mas agora quero que ele seja só meu. Quero que nos amemos para além das fronteiras mais doces do nosso êxtase, até aos desejos mais profundos das nossas almas.

Este era, no desenho do artista oliveirense João Marques, o acolhedor maciço de tílias da Laje, refrigério das cálidas noites de verão, rota de pares de românticos apaixonados. Foi impiedosamente derrubado há precisamente 50 anos, pela Junta Autónoma das Estradas, com o argumento de que era entrave à circulação de viaturas pesadas. Por ali se fazia todo o trânsito da estrada Porto-Lisboa.


ABERTURA

EDITORIAL

SEMÁFORO

Tílias da Laje abatidas há cinquenta anos! A Escola Livre de Azeméis acaba de festejar noventa anos de vida. Fundou-a um punhado de entusiastas capitaneados pelo fervor do Dr. Basílio Lopes Pereira, arreigado republicano que viera de Mortágua. Ideais que bebera nos bancos da universidade e o haviam levado a alistar-se entre os voluntários que se ergueram contra os Trauliteiros, promotores da falhada instauração da Monarquia do Norte. A integração na sociedade oliveirense foi rápida: iniciou-se no núcleo local do Partido Republicano, um ano depois esteve com Bento Landureza na fundação do “Correio de Azeméis”, de que foi primeiro director, seguiu-se a nomeação como administrador do concelho. Consigo trazia a experiência da criação de uma Escola Livre no concelho natal, talvez a primeira no país. Instituições que – dizem-nos os estudiosos da matéria – tiveram como matriz os ideais do movimento maçónico. Na mesma linha poderá inserir-se o símbolo da Escola Livre, de que se encarregou graciosamente o consagrado mestre amarantino António Carneiro, a pedido do amigo Bento Carqueja: uma Vestal, sacerdotisa de Vesta, deusa romana brilhante e pura como a chama, filha de Rea e de Saturno, que tinha à sua guarda a manutenção do fogo sagrado; Vestal que vemos no símbolo a afagar a chama. A Escola Livre de Azeméis trouxe consigo um arrojado projecto de ordem predominantemente cultural e social. Criou uma secção de teatro, um orfeão, uma biblioteca, a famosa tuna, promoveu conferências, etc. Teve como preocupação a arborização da vila e alguns dos próprios “dirigentes escolares” esburacaram as covas onde carinhosamente plantaram as famosas tílias da Laje, à face da então única ligação de Lisboa ao Porto. Tílias tragicamente ceifadas há precisamente cinquenta anos. Na nossa edição de 7 de Março de 1964 - e sob o título “Por quem os sinos não dobram…” - a pena brilhante e amargurada do saudoso professor Manuel Moreira Ribeiro deixou escrito: “Que mal fariam as árvores da Laje, tão arrumadinhas à berma da estrada, para serem sacrificadas pelo machado? A mocidade de então fez de Oliveira de Azeméis um rincão único de beleza. O machado de agora derrubou, impunemente, o que quase meio século levou a crescer para regalo dos nossos olhos e encantamento da nossa alma”. Os menos jovens recordam o tufo de verdura da Laje, refrigério das cálidas noites de Verão, rota de pares de românticos apaixonados. Contra o seu derrube bem lutou o Dr. Artur Barbosa, presidente da autarquia, impotente perante a Junta Autónoma das Estradas, a argumentar com os entraves à circulação dos veículos pesados, insistentemente denunciados pelas empresas de transportes.

www.correiodeazemeis.pt geral@correiodeazemeis.pt

Fundador: BENTO LANDUREZA (1922) SEDE: Edifício Rainha, 8º piso Telefs. 256049890 • Fax: 256046263 3720 OLIVEIRA DE AZEMÉIS Horário de 2ª a 6ª • 9.00/18.30H Assinatura anual : (C/IVA 6%) (Entre Douro e Vouga) 20,00 (Resto do País) 22,50 (C/IVA 6%) (Europa) 65,00 (C/IVA 6%) (Resto do Mundo) 97,00 (C/IVA 6%)

ANTÓNIO MAGALHÃES

03

Terça-feira, 11 de março de 2014

Festejos de Carnaval Embora limitado por circunstâncias conhecidas, o Carnaval esteve nas ruas por entusiasmo de muitos, de autarquias, de associações, da FAMOA, enfim, um alargado conjunto de boas vontades. Alegremo-nos com isso. O Carnaval já faz parte, de há muito, das tradições da nossa cidade, do nosso concelho. E mesmo com as conhecidas restrições dos tempos mais recentes, têm aparecido sempre os devotados apaixonados. Porque a tradição não pode morrer. E a sábia filosofia popular recordanos sempre que as tristezas não pagam dívidas….

Direitos do consumidor No dia 15 de Março de 1982, John Kennedy, presidente dos Estados Unidos, enunciou os direitos fundamentais do consumidor. E desde então 15 de Março é comemorado como Dia Mundial dos Direitos do Consumidor. A declaração do presidente tragicamente desaparecido terá levado ao reconhecimento internacional de que todos os cidadãos, independentemente da sua situação económica ou condição social, têm direitos enquanto consumidores. Numa altura em que o mundo do consumo mudou radicalmente, o tema ganha crescente importância. Não escasseiam as propostas que, sub-repticiamente, com falinhas mansas e sedutoras, encantam os desprevenidos consumidores…

Palacete sem solução… Pela mão da Misericórdia, o chamado Palacete do Comendador acolheu o estabelecimento de apoio às crianças. Apesar de um longo e atribulado processo, com sucessivos avanços e recuos, a Segurança Social – proprietária do imóvel – não encontrou alternativa. Segurança Social que nunca, ao longo dos anos, executou as obras de conservação protocolarmente a seu cargo. Perante este impasse, e para assegurar, com a devida qualidade, a sua obra de apoio à infância, a Misericórdia apressou-se a construir instalações adequadas na Abelheira. Claro que não é difícil prever o futuro do palacete: depois de desocupado, seguemse o abandono e a degradação total… Um processo, de resto, já em marcha. Uma deterioração que dói…

A ‘RESSACA’ DA SEMANA “O asbesto (…), também conhecido como amianto (…), é uma designação comercial genérica para a variedade fibrosa de sais minerais metamórficos de ocorrência natural e utilizados em vários produtos comerciais. Trata-se de um material com grande flexibilidade e resistências química, térmica, elétrica e à tração muito elevadas e que além disso pode ser tecido. O material é constituído por feixes de fibras. Estes feixes, por seu lado, são constituídos por fibras extremamente finas e longas facilmente separáveis umas das outras com tendência a produzir um pó de partículas muito pequenas que flutuam no ar e aderem às roupas. As fibras podem ser facilmente inaladas ou engolidas podendo causar graves problemas de saúde”. (in wikipedia.org)

Há muitos anos atrás, a problemática esteve em voga e não se falava de outra coisa. Enquanto jornalistas da imprensa regional de Oliveira de Azeméis, lembramos de nos termos já debruçado, com alguma profundidade, sobre esta ‘coisa’ das placas de fibrocimento com amianto, nomeadamente na EB 2,3 Bento Carqueja, então de construção (mais ou menos) recente. Como os órgãos de comunicação social têm muita ‘força’ – mesmo que os mais céticos não acreditem, continuam a ser, em nosso entender, um ‘quarto poder’ e não um ‘contrapoder’ –, uma reportagem televisiva há umas semanas voltou a colocar o tema na ordem do dia. E, se querem saber, fez muito bem! Há coisas que, com o tempo, vão-se esquecendo e adiando, e acabam por tornar-se ‘definitivas’ quando assumiam o epíteto de ‘temporárias’ e/ou ‘provisórias’. Mas como estas… há muitas! Voltando ao ‘asbesto’… parece-nos que, agora, a opinião pública centra novamente as atenções numa matéria-prima que, tudo indica, provoca patologias graves. No nosso concelho, existem (e persistem) diversas construções que a utilizaram, nomeadamente estabelecimentos de ensino. ‘Para mal dos nossos pecados’, uma delas é a Bento Carqueja, exatamente uma escola cuja requalificação está suspensa desde meados de 2012, devido ao imbróglio da ‘Parque Escolar’, que de todos é (mais ou menos) conhecido. Isto é, ‘presos por ter cão e presos por não o ter’, ‘atados de pés e mãos’, os responsáveis locais dizem pouco ou nada poderem fazer. Até para uma pequena reparação, têm de pedir ‘com licença’ aos ‘senhores’ de uma empresa que ninguém ou poucos sabem como se encontra e onde gastou os ‘milhões’ do erário público, seja ele português ou europeu… ou dos ‘arredores’. Esperemos que a ‘pressão’ que regressou – graças ao amianto e à chuva que teima em cair dentro de algumas salas de aula (uma vergonha em pleno séc. XXI!) – leve o Ministério da Educação e outras entidades que tais (como a já famosa ‘DGEstE’) a reporem a justiça rapidamente. Resta-nos acrescentar, até para acalmar o ambiente que se tem vivido na comunidade educativa da Bento Carqueja, que as doenças relacionadas com este material “praticamente só atingem pessoas que estão ou estiveram expostas a níveis elevados de asbestos durante um longo período de tempo (por exemplo os trabalhadores das fábricas de fibrocimento). Para as outras pessoas, os riscos são extremamente baixos. Por exemplo, se alguém estiver sentado num edifício que contenha amianto, é mais provável ser atingido por um raio do que vir a morrer prematuramente devido ao amianto”, segundo uma monografia da Fac. de Farmácia da Universidade do Porto.

Diretor: António Magalhães • Subdiretor: Eduardo Costa (Cart. Prof. nº 1738) • Chefe de Redação: Ângela Amorim (Cart. Prof. nº 2855) • Redatores: • Gisélia Nunes (Cart. Prof. nº 5385) • Diana Cohen (Cart. Prof. nº 9479) •CORRESPONDENTES: Carregosa: António Amorim: Cesar: Carlos Costa Gomes; Macieira de Sarnes: Manuel Lopes; Macinhata da Seixa: António Magalhães; Nogueira do Cravo: Alírio Costa; Ossela: A. Jesus Gomes; S. Martinho da Gândara: Arlindo Gomes e Sérgio Tavares; S. Roque: Eduardo Costa; Ul: Olímpio Costa. Fotógrafo: Alfredo Pinho • COLABORADORES: • Adelino Ramos • António Vidal • António Santos • Batalha Gouveia • Beatriz Costa • Frederico Bastos • Hugo Tavares • João Araújo • Joaquim Silva • Manuel Costa • Manuela Inês • Manuel Alves Paiva • Maria Emília Costa • Mário Rui • Manuel Laia • Marisa Gonçalves • Paulo Rui • Rodrigo da Cunha (Pe) • Rui Duarte • Samuel Oliveira • Sérgio Costa • Tavares Ribeiro. (Os artigos assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores não vinculando necessariamente a opinião da direção) Os textos do Correio de Azeméis já obedecem às regras do acordo ortográfico, salvo os da responsabilidade de autores ainda não aderentes.

A REDAÇÃO

Propriedade: Globinóplia, Unipessoal, Lda NIF: 509 071 341 Ed. Rainha, 8º Piso • Oliveira de Azeméis Telef.: 256 049 890 • Fax 256 046 263 Impressão: CORAZE Oliveira de Azeméis Telf.: 256 040 526 / 910 253 116 / 914 602 969 e-mail: geral@coraze.com Depósito Legal nº 27755/89 Nº ICS 104639 Tiragem média: 6.500 exemplares


04 > CLOA ENTREGA DIPLOMAS A MAIS DE 60 ALUNOS

“Nenhum discente proposto a exame reprovou” Ao todo, foram 21 os alunos e 40 as alunas que, em 2013, “realizaram exames internacionais [a maioria de Inglês] e obtiveram resultados positivos”, sendo que, segundo Gracinda Leal, “nenhum discente proposto a exame reprovou”. Para a presidente da direção do Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis (CLOA), isto reflete o “trabalho sério das nossas docentes e é uma evidência da qualidade do ensino que se ministra nesta entidade”. Para que conste, os 61 alunos que, no passado dia 28, receberam os diplomas chamam-se: Francês DELF – B1 - José Pedro de Abreu e Sousa, Ana Carina Almeida, Armando Moreira de Sousa, Mariana Gaspar, Sara Filipa Martins; DELF – B2 - Cidália da Anunciação Amaro, Maria Teresa de Morais Pinheiro, Andreia Godinho Sousa; e DALF – C1 - Jaqueline Maria Correia; Espanhol DELE – B2 - Rita Ribeiro Faria, Carlos Neves de Pinho, Ana Correia de Pinho; Alemão - César da Costa Almeida; Inglês PET – B1 - Ana Carina Almeida, João Pedro Martins, André Duarte de Sousa, Joana Barros, Bárbara Gaspar, Marta Sofia Oliveira, Cátia Ferreira, Cristiana Albuquerque, Joana Leite Fonseca, Maria Francisca Delgado; FCE – B2 - Filipa Gonçalves, Joana da Silva Pinho, Raquel Almeida e Silva, Joana da Silva Valente, Adriana Pinto, José Pedro Borges, Joana Ribeiro Gonçalves, Elisabete Castro, Mariana Gaspar, Bruno Carneiro, Beatriz Azevedo, Raquel de Pinho Silva, Ana Luísa Correia, Bernardo Carreira, Luís Rafael Marques, Francisca Osório de Queirós, Pedro Marques Silva; CAE – C1 Maura Coelho, Pedro Valente de Sousa, Catarina Correia, Pedro Barbosa e Silva, Igor Bernardo, Rita Figueiredo de Faria, Rodrigo Novo, Luciano Carvalho, Vítor Herculano Morais, Fátima Carina Soares, Filipa Monte, João Miguel Gonçalves, Mariana Coelho, Miguel Castro e Silva; e CPE – C2 - Marta de Pinho Soares, Armando Moreira de Sousa, Eduardo Suarez, Rita Ferreira Dionísio, Pedro Lima Delgado, Mariana Ferreira, Sara Onofre Ataíde. N.R.: O CLOA volta a estar em foco nas páginas 08 e 09 desta edição.

Terça-feira, 11 de março de 2014

CONCELHO

> PRESIDENTE DA DIREÇÃO, GRACINDA LEAL, FALA EM “NOVA DINÂMICA” DO ESTABELECIMENTO DE ENSINO

Centro de Línguas a caminho da “autonomia”

“Continuamos a eliminar os excessos e a alavancar novos projetos de forma a alcançarmos a autonomia”. A afirmação é da presidente da direção do CLOA e foi proferida na última cerimónia de entrega de diplomas a alunos. Na noite de 28 de fevereiro, Gracinda Leal mostrou-se, assim, empenhada em - juntamente com os restantes elementos da direção a que preside e dos outros órgãos sociais – em “[continuar a] trilhar um caminho de uma nova dinâmica, adequando a oferta formativa às necessidades atuais da nossa comunidade”, tendo em vista, precisamente, a autossustentabilidade do Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis (CLOA). Note-se que, no presente ano letivo, a instituição de ensino oliveirense, que conta com o apoio da Câmara Municipal, é frequentada por 483 alunos, tendo-se verificado, nestes últimos três anos, um crescimento de 22%. Relativamente às Línguas com maior procura, o Inglês mantém-se no topo das preferências, embora já comece a registar-se “também um aumento significativo de inscrições nas turmas de Alemão”. O objetivo dos responsáveis, inclusive da vereadora da autarquia, é mesmo tornar o CLOA na “escola mais inovadora da

A sala polivalente da BMFC encheu para mais uma entrega de diplomas a alunos do Centro de Línguas

região” no que concerne ao ensino de Línguas. E, para isso, “contamos com uma excelente equipa” docente e “trabalhamos, diariamente, para garantir a maior variedade possível na oferta, com elevado controlo de qualidade e excelente relação preço/qualidade, para facilitar as melhores opções às nossas famílias”, disse Gracinda Leal.

Francês, Espanhol, Alemão e, mais recentemente, Mandarim; cursos intensivos; cursos de verão; explicações; e, dentro em breve, preparação para os exames nacionais do 9.º ano. Tudo isto, porque “queremos chegar mais longe”, que é como quem diz o Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis “ser reconhecido pelo Ministério da Educação”, “ser uma associação com estatuto de utilidade Preparação para os exames pública” e “ser uma entidade nacionais do 9.º ano formadora” para poder “obter brevemente financiamento comunitário”. A autarca municipal asseguEm suma, “queremos contirou que o CLOA “está aqui para nuar a melhorar o nosso serviajudar” (...) “a enfrentar mais ço público e de inclusão social”, facilmente os desafios que vão rematou Gracinda Leal. GISÉLIA NUNES aparecendo, proporcionando formação” nas áreas do Inglês,

> TESTEMUNHO DE ALUNOS É, PARA EDIL, “A MELHOR RESPOSTA” A DAR ÀQUELES QUE “PÕEM EM CAUSA O TRABALHO” DA INSTITUIÇÃO

CLOA “é uma mais-valia para todos nós” Ana Carina Almeida e Mariana Gaspar, que frequentam o Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis (CLOA), subiram ao púlpito, nesta noite de fortes emoções, para dar um testemunho em nome de todos os alunos do CLOA. Hermínio Loureiro, presidente da Câmara Municipal, sugeriu que a mensagem - que, de seguida, passamos a transcrever na íntegra - fosse “partilhada” nas “redes sociais” e ainda divulgada nos “jornais locais”, que é como quem diz no Correio de Azeméis, já que era o único jornal presente na sala polivalente da Biblioteca Municipal Ferreira de Castro. Isto em resposta àqueles que, “só por desconhecimento, põem em causa o trabalho da instituição”.

Testemunho “Como dizia Leonardo da Vinci, ‘aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende’. E não estamos arrependidos. Foram anos de esforço e de estudo, momentos de alegria, às vezes, de desânimo e tristeza, quando não alcançávamos o previsto – momentos, esses, sempre compreendidos pelos nossos professores e compensados com uma palavra amiga de conforto e incentivo. Independentemente da profissão que um dia escolhermos, as Línguas estrangeiras estão cada vez mais presentes no nosso dia a dia. Por isso, esta instituição - CLOA - é uma maisvalia para todos nós. Estas não são palavras de des-

pedida, pois, como já diziam os nossos antepassados, ‘nascemos a aprender e morremos sem saber’, o que quer dizer que sempre que necessário voltaremos à casa. Por fim, queremos agradecer, em primeiro lugar, aos nossos pais, por todo o apoio que nos deram e pelo esforço e sacrifício que fizeram durante todos estes anos para que pudéssemos chegar até aqui, e, em segundo lugar, agradecemos a todos os nossos professores, em especial à Mrs. Gonçalves e professora Isabel, pela excelente capacidade de ensino que sempre demonstraram, pela compreensão, pelo carinho e, principalmente, pela paciência que sempre tiveram para connosco. Obrigada”, afirmaram as discentes.

> ESTE ANO LETIVO, COM UM SUBSÍDIO DE 75 MIL EUROS

Câmara apoia “com convicção” CLOA Hermínio Loureiro, que deixou a meio uma outra situação de agenda por fazer mesmo questão de estar presente nesta sessão promovida pelo Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis (CLOA), iniciou a sua intervenção dirigindo “uma palavra de reconhecimento a Gracinda Leal, responsável autárquica pela coordenação” do CLOA, que, tal como ele, tem “orgulho, confiança e esperança” nesta instituição de ensino oliveirense. “Enquanto responsáveis autárquicos, temos orgulho na [sua] história” aliás, de acordo com o líder da autarquia oliveirense, “em boa hora, oliveirenses lançaram a semente” -; “confiança no presente”, uma vez que, não obstante a “conjuntura económicofinanceira [de crise]”, o CLOA “tem perto de 500 alunos”, ou seja “houve um crescimento do número [de discentes] de um ano para o outro”; e, “com um presente como este, a confiança transforma-se em esperança”. “Investimento na competitividade” do concelho Nesta a que chamou de “cerimónia simples, mas de casa cheia”, o presidente da Câmara Municipal ainda sublinhou ter “confiança no corpo docente” e, referindo-se à verba camarária que, anualmente, é afetada ao CLOA assegurou: “Em nenhuma circunstância”, “é considerada um custo”. É, isso sim, “um investimento na competitividade” do concelho. Segundo Hermínio Loureiro, em 2013/2014, a edilidade “decidiu alocar uma verba de 75 mil euros”, a qual é “o nosso esforço para que o trabalho [do CLOA] continue a ser feito”. Na sua ótica, num município onde “temos das melhores empresas do mundo”, com uma forte vocação exportadora, “temos de apostar na qualificação dos seu recursos humanos”, inclusive em termos de Línguas estrangeiras. E, por estas e por outras razões, “temos apoiado inequivocamente, com convicção”, o CLOA e “vamos continuar a fazê-lo”.


CONCELHO

Terça-feira, 11 de março de 2014

05

> CÂMARA COMPARTICIPA REQUALIFICAÇÃO DE COZINHA E AQUISIÇÃO DE MINIBUS DE IPSS DE S. MARTINHO DA GÂNDARA

> NAS ESCOLAS SOARES BASTO E BENTO CARQUEJA

Autarca cumpre promessa feita à Obra Social

Obras continuam à espera de conclusão

Promessa feita por Hermínio Loureiro aquando da cerimónia inaugural que teve lugar na Obra Social já foi cumprida

Nesta última reunião de Câmara pública, datada de 20 de fevereiro, foi aprovada, por unanimidade, uma comparticipação municipal “até ao valor de 25 mil euros” dos últimos dois investimentos levados a cabo pela Obra Social de S. Martinho da Câmara. O autarca Hermínio Loureiro cumpre, assim, a promessa que fez à IPSS, no mês passado. GISÉLIA NUNES

Meu dito, meu feito. Passadas poucas semanas de, em nome da autarquia de Oliveira de Azeméis, se ter comprometido a comparticipar “até ao valor de 25 mil euros”, quer a requalificação cozinha, quer a aquisição de um minibus, levadas a cabo pela Obra Social de S. Martinho da Gândara (OSSMG) no âmbito uma candidatura de cerca de 105 mil euros à Medida 3.2 – Melhoria da Qualidade de Vida do Programa de Desenvolvimento

Rural (PRODER) 2007-2013, através da Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM), Hermínio Loureiro honrou o compromisso. Na última reunião de Câmara pública, datada de 20 de fevereiro, o autarca oliveirense propôs a aprovação da minuta de um contrato-programa a celebrar com a instituição particular de solidariedade social (IPSS) sãomartinhense - que é também entidade gestora do Contrato Local de Desenvolvimento Social Mais (CLDS+) no município -, precisamente no sentido de a edilidade cooperar financeiramente na concretização destes dois investimentos. Posta à votação, esta proposta mereceu a anuência de todos os membros do executivo municipal. PS lamenta posição da tutela face à OSSMG Ainda a propósito da OSSMG, Joaquim Jorge Ferreira (PS), no período de antes da ordem do dia, afirmou ser “lamentável” o governo “colocar em risco o papel da instituição”. Isto, tendo como base as queixas do presidente da direção, António Arlindo Gomes, tornadas públicas no mês passado, aquando da vinda do secretário de Estado da

Solidariedade e da Segurança Social, Agostinho Branquinho, à Obra Social de S. Martinho da Gândara para inaugurar a ‘renovação de equipamentos’ e testemunhar a bênção da nova viatura, pelo Padre Domingos Gomes de Almeida, pároco da freguesia. Recorde-se que, tal como divulgámos oportunamente, o dirigente alertou, na altura, para o facto de, “por causa de burocracias incríveis”, que envolvem o CLDS+, a sustentabilidade económica da IPSS pode estar em causa. E, aproveitando a ocasião, pediu ajuda ao governamental para pôr termo a este impasse. Em relação a esta matéria, o vereador socialista, que foi um dos convidados da OSSMG no dia 08 de fevereiro, solicitou a Hermínio Loureiro que acompanhasse “esta situação”, o que, aliás, o líder camarário disse já estar a fazer. Na sequência, o edil informou os presentes que, além deste caso da Obra Social de S. Martinho da Gândara, há outros por resolver, envolvendo a Associação de Melhoramentos Pró-Outeiro, em Santiago de Riba-Ul, e o Centro Social Dr.ª Leonilda da Aurora Silva Matos, em Fajões. “Estou muito preocupado com o que se passa” nestas duas IPSS concelhias, rematou.

Daniela Silva

Uma vez mais, o assunto veio a público numa reunião de Câmara (ver também Assembleia Municipal, páginas 06 e 07). No período de antes da ordem do dia, Manuel Alberto Pereira questionou, novamente, Hermínio Loureiro sobre as obras que ‘fundem’ a Escola Básica e Secundária Soares Basto e a Escola EB2,3 Bento Carqueja e que, desde há uns valentes meses, estão paradas. “Para quando a sua conclusão?”, perguntou o vereador da oposição, recordando que “se passou quase um ano desde a abertura do ano letivo, que contou com as presenças do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e do ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato [altura em que se falou no desbloqueamento desta situação]”, mas, até agora, continua tudo na mesma. “Em que pé estamos e o que precisamos de fazer para concluir esta obra [da responsabilidade da empresa pública ‘Parque Escolar’]?”, ‘voltou à carga’ o socialista. Câmara já tem feito intervenções Em resposta, Hermínio

Loureiro informou o executivo municipal que lidera de que “ainda não tenho uma resposta que me agrada, que era a de continuarem a obra”. Segundo o responsável político, “o último compromisso que tínhamos apontava para setembro do ano passado, o que não aconteceu” e que “pode ter a ver com a troica”. O edil aproveitou a ocasião para também dar a saber que o município tem “feito um conjunto significativo de benfeitorias dentro da escola”, “benfeitorias” como, por exemplo, colocação de betuminoso na ligação entre os dois estabelecimentos de ensino da cidade de Oliveira de Azeméis e a vedação das traseiras da Bento Carqueja, que “temos dado ao conhecimento da ‘Parque Escolar’”. Hermínio Loureiro ainda chamou a atenção para o facto desta ‘mega escola’ ser nova, mas já apresentar “sinais preocupantes de degradação”, contudo, “nem nós nem a escola podemos fazer muito mais do que aquilo que temos feito”. PUB


06

Terça-feira, 11 de março de 2014

>A PROPÓSITO DA CONCESSÃO DA ÁGUA E SANEAMENTO, PS ACUSA HERMÍNIO LOUREIRO

“Continua a faltar à verdade aos oliveirenses” Em comunicado enviado à nossa redação, o Partido Socialista volta à questão da concessão da água e do saneamento à Indaqua, exatamente numa altura em que os oliveirenses já começaram a receber, em suas casas, o infomail da autarquia que dá conta do início da transferência de serviços. A comissão política concelhia (CPC) socialista é profundamente dura para com o presidente da Câmara, recordando novamente a sua promessa eleitoral de 2009 de que, até 2013, Oliveira de Azeméis teria “uma cobertura a 100%” dessas redes infraestruturais. “Hermínio Loureiro foi o autor do maior embuste político no nosso concelho. Sempre o dissemos; o tempo deu-nos razão e, passados quatro anos, tudo continua na mesma”, critica. ‘Apontando o dedo’ ao que consideram “falta de visão dos autarcas do PSD, que durante várias décadas não fizeram as opções de investimento corretas”, a nota de imprensa, assinada pelo presidente da CPC, denuncia como “mais grave” ainda “a solução escolhida para resolver este sério problema. Ao entregar à Indaqua a exploração das redes de água e saneamento por 30 anos, garantindo-lhe um lucro de 21,6 milhões de euros, o PSD ficará também na história como o autor da primeira PPP da nossa autarquia”. Isto é, com “este negócio”, a Câmara Municipal irá “perder uma das suas maiores fontes de receita, permitindo, ao mesmo tempo, que uma empresa privada leve do nosso concelho 60 mil euros/mês ‘limpinhos’. Um ‘grande negócio’ apenas para o privado, que, não sendo obrigado a aumentar as redes de água e saneamento atualmente existentes, ainda leva de lucro 125% do que investe na concessão durante os 30 anos”, justificam. Hermínio Loureiro é o mais visado pela oposição ao poder instituído no nosso concelho, que chega mesmo a afirmar que o autarca

“não aprende com os erros. Nas cartas que remete aos oliveirenses, continua a faltar à verdade, afirmando que a concessão garante tarifas estáveis e a execução a 100%, em seis anos, das redes de água e saneamento. Esta falsidade – alerta o partido ‘rosa’ - será desmascarada nas próximas faturas que vão chegar a casa dos oliveirenses, porque já vão refletir os aumentos substanciais dos tarifários que o PS vem denunciando, que afetarão em particular as famílias mais numerosas e com deficientes dependentes ou idosos acamados, que sofrerão os maiores aumentos nos tarifários do primeiro escalão de consumo, assim como as muitas coletividades e associações que usufruíam de água gratuita para as suas funções sociais e desportivas, e que, agora, vão ser confrontadas com encargos que agravarão a sua já difícil situação financeira”. De acordo com a mesma nota de imprensa, o PS oliveirense acusa os autarcas do PSD de “autismo”, já que não se inibiram “de aprovar um negócio cujo parecer da ERSAR, verdadeiramente arrasador para o município, refere que implicará aumentos de 61% nas taxas de saneamento, no primeiro ano, atingindo os 87% no quinto ano de exploração, o que também se verificará nas subidas das taxas da água que atingirão os 20% de agravamento”. Se houvessem dúvidas em relação às PPP’s de água e saneamento, “elas são dissipadas pelo recente relatório do Tribunal de Contas, que alerta para os enormes encargos que estes ‘negócios’ trarão aos municípios”, afirmam os socialistas, lembrando que não deixarão de “responsabi lizar os atuais autarcas do PSD pelos atrasos no concelho e por mais prejuízos financeiros que nos impedirão de saldar a pesada dívida que geraram nos últimos anos”.

CONCELHO

>“VAMOS ENCONTRAR SOLUÇÕES PARA MINIMIZAR OS IMPACTOS”

Amianto: “Uma questão que nos deve preocupar a todos” Daniela Silva

As coberturas de fibrocimento, com amianto, nos blocos ainda em funcionamento na EB Bento Carqueja.

Na última Assembleia Municipal o assunto ‘veio à baila’. Prendese com a saúde pública e tem estado (novamente) em foco nos últimos tempos. Falamos das estruturas construídas em fibrocimento (amianto) e quem o trouxe foi o socialista José Lourenço. A EB Bento Carqueja é um exemplo que ainda persiste para ‘mal dos nossos pecados’. ANGELA AMORIM

“O assunto que me trás cá hoje [reunião do deliberativo municipal de 27 de fevereiro] prende-se com um caso de saúde pública e que muito tem estado presente na agenda mediática dos últimos tempos. As doenças relacionadas com o amianto – utilizado em larga escala na construção civil e noutras aplicações até aos anos 90 – mataram pelo menos 231 pessoas em Portugal, entre 2007 e 2012, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. Acresce agora que, aquando da construção de edifícios públicos, Oliveira de Azeméis não foge à regra, apresentando uma série de equipamentos com este tipo de materiais, dando como exemplo a Escola Básica 2,3 Bento Carqueja”, começou por expor José Lourenço. Para o elemento da bancada do PS, esta “é uma questão que

nos deve preocupar a todos e, agora, que está confirmado que há problemas, precisamos que se encontrem soluções urgentes”, rematou para questionar a Câmara sobre quais as medidas que “já foram tomadas e que passos é que a autarquia deu ou irá dar para acelerar o processo de remoção e sinalização dos edifícios com amianto, nomeadamente os escolares”. Aproveitando a ocasião, José Lourenço quis conhecer o “ponto de situação das obras do edifício sede do Agrupamento de Escolas Soares de Bastos [ao qual pertence a Bento Carqueja e cuja requalificação se encontra suspensa], tendo em conta os sucessivos atrasos que se têm verificado. Para quando o retomar das obras?”, questionou. “Câmara já investiu muitos euros numa situação precária” Reconhecendo que a questão do amianto “está na ordem do dia” e que a Bento Carqueja “tem uma situação conhecida e que se mantém”, Hermínio Loureiro explicou que a “indecisão em relação ao seguimento das obras da ‘Parque Escolar’(PE)” não ajuda em nada a resolver o problema. Isto porque a requalificação (suspensa desde 2012, recorde-se) prevê que todos os blocos desse estabelecimento de ensino – que possuem coberturas em fibrocimento – sejam destruídos. “Vou continuar a insistir com o Ministério da Educação e com a ‘PE’ (…). Temos de ponderar se a obra avança ou não”, mas, “claramente, não será para este ano letivo”. De salientar – como o fez o presidente da Câmara – que todas as obras e intervenções

que decorram na área (escolas Bento Carqueja e Soares Basto) terão de obter autorização por parte da empresa ‘Parque Escolar’, no entanto o autarca ‘não desarma’ e afirma que “vamos encontrar soluções para minimizar os impactos”. Impactos (com o amianto) que, também, vão ser minorados no jardim de infância da Alumieira, em Loureiro. O chefe máximo da edilidade frisou, ainda, que “a Câmara já investiu muitos euros numa situação precária” é certo, mas que acabou por resolver grandes dificuldades para os estabelecimentos de ensino do agrupamento Soares Basto já citados: Foram arranjados alguns caminhos que permitem, agora, a circulação entre ambas as escolas (Soares Basto e Bento Carqueja). Para além disso, a Câmara está a proceder à vedação nas traseiras da EB 2,3, uma vez que a situação representava algum risco em termos de segurança. Já no período destinado ao público, Leonel Martins voltou a focar este assunto (amianto na EB 2,3 Bento Carqueja), que considerou deveras importante e que deve ser tido em conta o mais rapidamente possível, para além de chamar a atenção, também, para as condições precárias em que se encontram algumas salas de aula, cujas coberturas “metem água”. N.R.: O Correio de Azeméis contatou a diretora do Agrupamento de Escolas Soares Basto, Maria José Cálix, a propósito destes assuntos trazidos a esta reunião de Assembleia Municipal. A entrevista é publicada na página seguinte.


CONCELHO

Terça-feira, 11 de março de 2014

>OBRAS NA SOARES BASTO PODERÃO SER DAS QUE ARRANCARÃO BREVEMENTE

Coberturas de amianto na EB 2,3 irão ‘por arrasto’... A propósito do problema vivido na EB 2,3 Bento Carqueja há anos, relacionado com as coberturas em fibrocimento, o Correio de Azeméis ouviu a diretora do Agrupamento Escolar Soares Basto (AESB). Maria José Cálix mostrou-se atenta à questão, para a qual já alertou as entidades competentes, e acredita que a solução passa pelo reinício das obras na ‘escola-mãe’ que se torna cada vez mais urgente. Recordese que a requalificação está suspensa desde julho de 2012. ANGELA AMORIM

Daniela Silva

>DIRETORA MARIA JOSÉ CÁLIX ESTÁ CONFIANTE

07 >COMISSÃO POLÍTICA CONCELHIA DO PS

Joaquim Jorge reeleito presidente

“Já é tempo do projeto estar concluído”

A suspensão das obras de requalificação pela ‘Parque Escolar’ continua a atrasar tudo...

por se trabalhar no sentido de acelerar o reinício da obra de requalificação no agrupamento da responsabilidade da ‘Parque Escolar’. Posso afirmar que é neste sentido que estamos - agrupamento e também autarquia - a desenvolver todos os nossos esforços. Acrescento que, numa reunião com os elementos responsáveis pela ‘Parque Escolar’, na escola sede do agrupamento [Escola Básica e Secundária Soares Basto], há sensivelmente duas semanas, este problema foi abordado e discutido.

No agrupamento que superiormente dirige, é apenas a EB 2,3 Bento Carqueja que mantém coberturas de material com amianto? Tanto quanto sei, sim. Existem apenas na EB 2,3 Bento Efetivamente a substituição Carqueja coberturas de fibroci- de tais estruturas não devem mento. ser feitas a curto prazo, tendo em conta que se continua Quais as demarches que a aguardar essas obras da o AESB já tomou para tentar responsabilidade da ‘Parque alertar as entidades competen- Escolar’, que, tudo indica, pretes para este ‘perigo’ público? veem a destruição dos blocos Desde o passado mês de ou- que possuem amianto. Como tubro que sabemos que o Minis- se encontra o processo? tério da Educação e Ciência está É verdade que com a requaa pôr em marcha um programa lificação prevista do espaço das de substituição de coberturas escolas Secundária Soares Basto em fibrocimento nas escolas do e Básica Bento Carqueja, quer ensino básico (2.º e 3.º ciclos). A os blocos quer as coberturas solução deste problema é da res- que as ligam entre si, serão desponsabilidade da administração truídos e, em consequência, o central. Como tal, compete-lhe problema da existência de fibrogerir o programa, estabelecer as cimento desaparecerá. Por isso, etapas da sua intervenção em é importante, neste momento, cada caso particular e decidir. aproveitando o problema exisContudo, estabelecemos tente, tentar que a intervenção contatos com a Direção-Geral no AESB se reinicie o mais rapidos Estabelecimentos Escola- damente possível. Sabemos que res (DGEstE), Direção de Ser- a ‘Parque Escolar’ está a envidar viços do Norte e, no caso par- esforços para que a nossa escoticular da Escola Básica Bento la faça parte das que em breve Carqueja, a solução da questão verão a obra reiniciada. Esta inpassará, em primeiro lugar, tenção foi comunicada pessoal-

mente, na referida reunião, pelo Eng.º Luís Martins, responsável pela ‘Parque Escolar’ no Norte. Condições da Bento Carqueja deterioram-se com “inverno atípico” Também de acordo com ‘queixas’ de alguns professores e pais de alunos que frequentam a EB 2,3 Bento Carqueja, há salas que não estão protegidas e, com a chuva, chegam mesmo a meter água, durante as aulas. Confirma? Qual a solução a curto prazo? É verdade que, desde há muito tempo, alguns espaços da Escola Bento Carqueja não oferecem as melhores condições para alunos e professores, e, em geral, para todos os que lá trabalham. A situação fez-se sentir de forma ainda mais severa este ano, em consequência do rigoroso e atípico inverno que afetou todo o país. As escolas não ficaram imunes à situação. Por isso, decorrentes de situações meteorológicas atípicas alguns problemas surgiram, tal como aqueles que refere e, também, devido à continuidade do mau tempo, não puderam ser resolvidos na hora ou no mesmo dia. A eles estivemos e estamos atentos, procurando soluções, neste momento apenas temporárias, mas que criem condições mínimas de conforto e segurança. A este propósito, aproveito para agradecer publicamente à autarquia, na pessoa do senhor Ramiro Rosa, sempre disponível para ajudar a resolver os problemas mais urgentes.

“Tenho esperança que o problema que nos trouxe e outros decorrentes da suspensão da obra no Agrupamento Soares Basto se comecem a resolver em breve. O facto de já haver uma equipa de obras a trabalhar na Escola Secundária em pequenas reparações e um plano de trabalho delineado para a interrupção das atividades letivas da Páscoa, aliado à informação que obtivemos da ‘Parque Escolar’ acerca da saúde financeira da construtora, parecem-nos bons indicadores. Já é tempo do projeto estar concluído e podermos todos ter a recompensa pelos sacrifícios que têm sido feitos e usufruirmos de condições de excelência”. Naturalmente que, considerando as dificuldades económicas que o país atravessa e o facto de estar prevista uma intervenção de fundo no edificado escolar – demolição dos atuais blocos da Bento Carqueja –, quase não restam argumentos para se defender um investimento significativo numa estrutura a demolir. Apesar desta situação pouco favorável à resolução imediata do problema, continuo preocupada com as condições de trabalho na Escola Bento Carqueja e em contato regular com a DGEstE, Serviços Regionais do Norte. Com efeito, ainda no passado dia 13 de fevereiro enviei para o senhor delegado regional um email, dando conta do agravamento da situação no estabelecimento de ensino e a solicitar especial atenção a este processo, dado que a obra de requalificação se encontra suspensa desde julho de 2012. Quero reforçar que esta não é uma preocupação apenas dos encarregados de educação e das famílias em geral: estamos atentos e a fazer o nosso melhor, e estou segura que a DGEstE também o fará.

Na sequência do ato eleitoral realizado no passado dia 28 de fevereiro, Joaquim Jorge Ferreira foi reeleito para o cargo de presidente da comissão política concelhia (CPC) do Partido Socialista. O novo mandato, cuja posse dos membros eleitos está marcada para o próximo dia 14, pelas 21h30, no auditório da Junta de Freguesia de Cucujães, contará com a presença de Pedro Nuno Santos, presidente da Federação Distrital do partido. Conforme se lê na nota de imprensa enviada ao Correio de Azeméis por esta CPC, “coincidindo o atual mandato com o ciclo autárquico que terminará em 2017 e sendo a preparação das eleições Autárquicas um dos principais objetivos da comissão política agora eleita, a tomada de posse marcará o lançamento do ‘Fórum / Azeméis 2025’, uma plataforma que visa envolver a sociedade civil e demais forças vivas do concelho, com vista a refletir sobre o concelho queremos até 2025”. Com esta iniciativa, a comissão política concelhia do PS “pretende recolher um conjunto de contributos que constituam as linhas orientadoras de um programa eleitoral, projetado para um ciclo de governação autárquica de dois mandatos”.


08 >PARA ALÉM DE DAR APOIO “NECESSÁRIO À PROSSECUÇÃO DOS OBJETIVOS”…

Câmara subsidia em 75 mil euros o CLOA Já no número anterior, adiantámos pormenores do protocolo de colaboração com o Centro de Línguas, cuja minuta passou nas reuniões da Câmara (CM) e da Assembleia Municipal (ver edição passada). No entanto, importa recordar que se trata da “forma de concretização do processo de cooperação entre as partes [autarquia e Centro de Línguas (CLOA)]”. O município “comprometese a comparticipar financeiramente o CLOA até ao montante de 75.000,00 €” e, ainda, “dar todo o apoio logístico, técnico, administrativo ou outro necessário à prossecução dos objetivos”. Neste particular, de reter também que, na base desta proposta da CM estará o pedido, que o CLOA enviou ao executivo - juntamente com o seu plano de atividades do ano letivo 2013/14 e orçamento 2014 -, de um subsídio até ao montante de 89.999,23 € para “fazer face às despesas correntes de funcionamento”. Estes e outros pormenores fazem toda a ‘diferença’ para o líder da bancada do CDSPP, Pinto Moreira (ver página seguinte). >AINDA NESTA AM…

Voto de pesar pela morte do “senhor Leira” A 30 de janeiro faleceu Fernando Tavares - “o ‘Leira’ da Câmara, da UDO, das Padeirinhas de Ul, da Escola Superior de Enfermagem, da Escola Superior Aveiro Norte…”. Pela ‘partida’ deste oliveirense tão querido da comunidade e de inúmeras associações, a Assembleia Municipal aprovou um voto de pesar, proposto pela bancada do PSD, e fez um minuto de silêncio. “Homem simples, generoso e trabalhador”; “bom homem” e “homem bom”; “carismático”, “amigo”, entre muitos outros, foram alguns dos adjetivos que se ouviram a propósito de Fernando Tavares. Voto de louvor ao GCR Ossela Também aprovado, nesta sessão, foi um voto de louvor ao Grupo Cultural e Recreativo de Ossela pela Taça de Aveiro em futsal feminino.

Terça-feira, 11 de março de 2014

CONCELHO

>PSD CONSIDERAO “CUSTO SOCIAL”, ENQUANTO A OPOSIÇÃO DEFENDE A “AUTOSUSTENTABILIDADE”

Centro de Línguas também divide opiniões na AM Foto de Arquivo

Se a atribuição de uma comparticipação até ao montante de 75 mil euros ao Centro de Línguas dividiu a Câmara em reunião recente, não menos fez na sessão da Assembleia Municipal do passado dia 27 de fevereiro. A votação foi a prova disso mesmo, com o próprio presidente deste órgão a votar ao lado da oposição.

O Centro de Línguas continua a funcionar no 10.º piso do edifício Rainha.

ANGELA AMORIM

Conforme adiantámos na edição passada, após ter passado pelo ‘crivo’ do executivo (com os votos contra dos vereadores do PS), a minuta do protocolo de colaboração com o Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis (CLOA) chegou à Assembleia Municipal (AM). Neste órgão, o assunto foi discutido, com relevância para a longa intervenção (ver página seguinte) do eleito pelo CDSPP, que acabou mesmo por “convencer” o presidente deste órgão, Jorge Oliveira e Silva, único do PSD que ‘chumbou’ este ponto: “Vou votar com o Eng. Pinto Moreira [contra], porque ele convenceu-me e veio ao encontro do que eu penso”, declarou. Uma opinião partilhada por Armindo Nunes, que considerou “brilhante” a intervenção do centrista. “Não quero discutir o ato que está para aprovação, o que lhe deu origem”, mas sim “a essência da questão”. O presidente da União de Freguesias cuja sede é o Pinheiro da Bemposta reconheceu o CLOA como “uma maisvalia para a nossa população” - aliás, onde “tenho dois netos” -, porém “também sei que esta, certamente, não é a função do município”. E isto porque, no seu entender, “o Estado tem no ensino público oferta e há, igualmente, operadores privados que exercem esta função, com a vantagem de poder, assim, libertar-se o

município de mais este encargo em tempo de contenção”. Também para Armindo Nunes [tal como para Pinto Moreira], importa o Centro de Línguas “tomar nas suas mãos” o seu próprio destino, tornar-se “autossustentável”, pois isso pode levar mesmo a que “a necessidade aguce o engenho, com proveito para o erário público”. Para além do líder do deliberativo, votaram contra este protocolo os presidentes de Juntas/Uniões eleitos pelo PS (restantes elementos da bancada socialista já se haviam retirado – ver edição anterior), dois membros do CDS-PP, abstendo-se o autarca de Fajões (eleito pelo CDS-PP). A favor toda a bancada do PSD (17 votos), incluindo esta o presidente (independente) de Cesar. “Reflexão profunda”... precisa-se! Ao contrário, o social-democrata, Nuno Pires, assumiu a defesa do Centro de Línguas enquanto uma instituição muito importante para a formação e desenvolvimento dos oliveirenses e respetivo tecido empresarial. Recordou que, “ao longo destes 48 anos de existência [fundado em 1966], já passaram pelo CLOA 14.546 alunos”, quer do nosso quer de concelhos vizinhos, o que, para o jovem membro da AM, não deixa de ser significativo,

É necessário promover uma reflexão profunda sobre o Centro de Línguas tal como a “qualidade de ensino” e os “preços praticados” por esta unidade de Línguas: Em S. João da Madeira, as mensalidades situam-se entre os 50 e os 70 euros, enquanto no CLOA variam entre os 12 e os 42 euros, segundo as informações de Nuno Pires. De salientar, também, como fez o elemento do PSD, que “as inscrições têm vindo a aumentar” e 2014 inscreve nas estatísticas do CLOA 483 alunos, para além do facto desta “associação sem fins lucrativos” ter a decorrer o processo da sua certificação junto do Ministério da Educação (ME). O jovem ‘laranja’ chamou, ainda, a atenção que a comparticipação da Câmara (CM), para o ano em curso, apresenta “uma redução” face a 2013, mas, de qualquer modo, “há que assumir o que se pretende e definir uma solução”, reclamou dirigindo-se a quem não está a favor das comparticipações do município ao CLOA. De reter que, neste contexto, o próprio presidente da edilidade manifestou “total disponibilidade” para ser promo-

vida “uma reflexão profunda sobre o Centro de Línguas”, nomeadamente entre as forças políticas com assento na AM. Porém, retorquiu [a Pinto Moreira], “não devemos fazer uma discussão ideológica sobre se devemos ou não apoiar esta instituição”, caso contrário, “então, também não devemos apoiar a componente de apoio à família, a área desportiva...”. “Factor de diferenciação...” Hermínio Loureiro defendeu, igualmente, que o CLOA “é um factor de diferenciação positivo no nosso concelho”. E este protocolo trata-se de “um apoio” e de “um investimento” à instituição que, segundo o autarca, “não é olhada como um custo para o município”, a menos que se encare enquanto “custo social”. Para justificar esta ideia, lembrou a importância da aprendizagem/formação na área das Línguas na sociedade atual e num concelho como o nosso, “tão competitivo” - “é o tal custo social para sermos competitivos”, rematou. Segundo o edil, “o reconhecimento [certificação] por parte do ME pode permitir a abertura de novos horizontes” ao CLOA, que caminha para “a autonomia”. Esta é uma matéria “que nos deve unir” e não separar, defendeu o presidente do executivo.


CONCELHO

Terça-feira, 11 de março de 2014

09

> LÍDER DA BANCADA DO CDSPP AFIRMA

“CLOA hoje é uma escola de direito privado” A exposição de Pinto Moreira, sobre o Centro de Línguas e o protocolo de colaboração que estava em cima da mesa da Assembleia Municipal de 27 de fevereiro, defendeu o princípio da autossustentabilidade da instituição. Isto porque os pressupostos de natureza social aquando da sua fundação (1966) “já não se verificam”. ANGELA AMORIM

“No século XXI, todos os jovens têm um programa de 12 anos de escolaridade obrigatória, gratuita, e têm à sua disposição a aprendizagem de duas Línguas na escola pública. Portanto, os pressupostos de natureza social, de substituir o Estado, que estiveram na sua base já não se verificam. Se o Estado financia a aprendizagem geral para todos, através do sistema público de educação, o que vai para além disso é que o Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis [CLOA] hoje é uma escola de direito privado e assim tem de ser percebido. Os seus concorrentes diretos

assume um subsídio de cerca de 90 mil euros [89.999,23€]. Afinal em que ficamos?”, volta a questionar. “No segundo item, o município fica ainda comprometido a fornecer, cito ‘todo o apoio logístico necessário’, o que equivale a primeiro cheque que em branco; ‘todo o apoio técnico, segundo cheque em branco; ‘outros apoios quaisquer necessários à prossecução dos objetivos’, o que equivale a um livro de cheques”, defendeu o centrista.

Para Pinto Moreira e, de um modo geral para a oposição (e não só), o Centro de Línguas tem de ser encarado como uma escola de direito privado, que deve assegurar a sua sustentabilidade.

são as escolas privadas de Línguas que operam no mercado de concorrência livre. Se em 1966 era social, passados 50 anos é uma opção, muito menos é um direito”, defendeu Pinto Moreira. Para além disso, “esta instituição - apadrinhada pela autarquia - tem tido uma grande visibilidade pública pelas piores razões, como todos sabemos e não adianta voltar agora a falar no mesmo. Tivemos oportunidade e a desdita de assistir a um cenário que envolveu quase de tudo por parte do seu padrinho: desregulação, desordem e incompetência de gestão. Foi a Fundação La Salette, foi a Gedaz e estamos às voltas com o CLOA… para nós é mais do mesmo. Está tudo errado. E continuam sempre os mesmos a aguentar com os

prejuízos sucessivos e ninguém é responsável nem paga por erros nem por incompetências”, prosseguiu o líder da bancada centrista, rematando: “Vir a esta Assembleia pedir aprovação para avançar o dinheiro público para o financiamento da sua exploração, usando os mesmos considerandos de há 50 anos, como se nada tivesse acontecido desde então para cá e tudo estivesse na mesma, não é aceitável”. E, em jeito retórico, questionou: “Quando é que, de uma vez por todas, assumimos o princípio da autossustentabilidade económica?”

que coloque “à disposição dos oliveirenses o mesmo nível de ensino e custos equivalentes para os utilizadores” e a criação de “serviços ou outros mecanismos complementares capazes de gerar receita”. A isto chamam – como afirmou Pinto Moreira – “economia e gestão”. Para ele, “pedir é simplesmente solidariedade e o CLOA não consta que seja uma instituição de solidariedade social”.

Mas há mais perguntas para Pinto Moreira... “No primeiro item, pedem para aprovar um protocolo em que o município se comModelo defendido promete a financiar até 75 mil pelo CDS-PP euros. Mas no outro mapa [peNeste sentido, como solução, dido de comparticipação por o porta-voz dos membros do parte do CLOA – ver coluna da partido de Paulo Portas propu- pág. 08], o orçamento justifiseram um modelo para o CLOA cativo apresentado inscreve e

Legalidade da aprovação pela AM posta em questão As “conclusões finais” do CDS-PP são, em termos políticos, fazer votos para que o CLOA “continue por mais 50 anos, se houver vontade e capacidade”; legalmente requerer um “parecer jurídico onde se ateste a capacidade legal desta Assembleia Municipal para aprovar a comparticipação com dinheiro público nos gastos de funcionamento desta instituição; já ao nível da estratégia, querer que “seja apresentado um plano orientador para médio prazo, digamos no decorrer deste mandato, de como o CLOA pretende atingir a sua autossustentabilidade económica. Claro que as asneiras antigas teremos de continuar a aguentar”. E mais: “Saber, linha por linha, qual é a estrutura de gastos efetiva e, linha por linha, quais são todos os outros tipos de fornecimentos necessários paro o seu propósito e concretização dos objetivos”.

> MORREU MONTEIRO DE FREITAS

Foi deputado do PPD na Constituinte e na I Legislatura Tal como noticiámos em apontamento de última hora, o funeral de António Coutinho Moutinho de Freitas teve lugar no passado dia 04, na matriz de São Miguel. Contava 78 anos. Monteiro de Freitas nasceu na freguesia de Loivos da Ribeira, nas margens do Rio Teixeira, concelho de Baião, distrito do Porto. Concluídos os primeiros estudos na terra natal, frequentou depois a famosa Escola Infante D. Henrique, na cidade do Porto. Jovem ainda partiu para

o Brasil, trabalhando no Rio de Janeiro, na área comercial da Empresa de Tabacos Sousa Cruz. Regressado a Portugal, ingressou numa empresa suíça, da área química, sediada em Lisboa. Passando ao setor do automóvel, exerceria funções no Palácio Ford, no Porto, vindo depois para Oliveira de Azeméis chefiar a Agência Ford. E aqui residiu até ao fim. Após 25 de abril de 1974 aderiu apaixonadamente ao movimento que conduziu à funda-

ção do núcleo local do então PPD – Partido Popular Democrata, e com o seu entusiasmo e o seu verbo fácil colaborou na divulgação do jovem partido na região. Incluído, em 1975, na lista dos candidatos oliveirenses à Assembleia Constituinte, entraria em substituição do deputado arouquense Arnaldo Ângelo de Brito Lhamas, aí regressando na primeira legislatura. Esteve igualmente entre o grupo que, em 1978, fundou o Clube Rotário de O. Azeméis,

presidindo-lhe no mandato de 1981 – 1982, entrando na história do ‘Correio de Azeméis’: Monteiro de Freitas e os rotários oliveirenses ter-se-ão empenhado, em momento difícil, no apoio a este semanário. À viúva, D. Carolina Monteiro de Freitas, a seus filhos Amadeu Henrique, Daniel Bernardo, Marco António e César Artur, e à restante família , Correio de Azeméis apresenta cumprimentos de pesar. ANTÓNIO MAGALHÃES

Monteiro de Freitas.


10

Terça-feira, 11 de março de 2014

CONCELHO

>SEM A DISCUSSÃO GERADA NO CASO DO CENTRO DE LÍNGUAS

Assembleia aprova 45 mil euros para Academia de Música O protocolo de colaboração que a Câmara firmou com a Academia de Música de Oliveira de Azeméis (AMOA) foi do género do efetivado com o Centro de Línguas (CLOA), mas não gerou tanta discussão na reunião do órgão deliberativo municipal do passado dia 27 de fevereiro, que o aprovou. ANGELA AMORIM

Conforme demos a conhecer também na edição passada (pág. 06), através deste documento “o município compromete-se a comparticipar financeiramente a AMOA até ao montante de 45.000,00 €”, para além de dar “todo o apoio logístico, técnico, administrativo ou outro necessário à prossecução dos objetivos”, tal como com o CLOA. De acordo com as informações da vereadora tutelar, Gracinda Leal, as fontes de

Daniela Silva

A Academia de Música tem, atualmente, 177 alunos.

financiamento da instituição responsável pelo ensino de Música provêm das mensalidades dos alunos, do POPH - Programa Operacional Potencial Humano e de um contrato concedido peloa DGEstE – Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares. Neste momento, frequentam a AMOA 177 alunos, o que representa um aumento de 23 face ao ano letivo anterior, dos quais 120 são apoiados pelo POPH. Isto não cobre as despesas totais do ensino articulado. Apenas 57 utentes pagam mensalidades referentes a dez meses, “que têm também o seu custo social”.

De reter que candidatura termina já em julho e, por enquanto, não se conhecem ainda as regras para uma próxima, contudo Gracinda Leal está convicta de que “não haverá surpresas”. “Um investimento cultural e não um custo” Carlos Costa Gomes considera a Academia de Música de Oliveira de Azeméis “um investimento e não um custo”. Aliás, este membro da bancada social-democrata entende mesmo que “só uma visão negativa não percebe que o apoio à formação musical dos nossos jovens e crianças é um investimento de fu-

turo e uma marca cultural do desenvolvimento e crescimento integral da pessoa. Os oliveirenses perceberam isso há 30 anos [AMOA foi fundada em 1984]”. E mais: Para Costa Gomes a instituição é “um instrumento cultural que muito tem servido ao ensino da música no concelho de Oliveira de Azeméis” e a música “é a arte de expressar sentimentos, mas também promove uma educação integral do ser humano”. Por isso, entende que “esta Assembleia Municipal e todos os oliveirenses devem rever-se no plano do executivo autárquico, que prevê aprovar o protocolo de colaboração, cujo objeto é de relevante interesse para sustentabilidade financeira”. À semelhança do próprio presidente da Câmara, este representante do PSD lembrou a importância da Academia para o desenvolvimento das seis bandas de música do nosso concelho. Não obstante “as excelentes escolas de música” que todas as ‘nossas’ filarmónicas possuem, estas “têm beneficiado” da AMOA, ao nível do ensino e educação musical de muitos dos seus elementos.

de Pinto Moreira. O centrista lembrou o que se passou com a Fundação La Salette e a “herança” assumida pelo município de “meio milhão de euros de passivo” para alertar para eventuais reposições relacionadas com outras entidades ‘parceiras e/ou patrocinadas’ pela Câmara Municipal. Neste sentido, se este ponto da ordem de trabalhos (pedido de comparticipação para a Academia de Música), “na forma pode ser parecido com o ponto referente ao Centro de Línguas, já na substância reconhecemos que existem algumas diferenças e nuances significativas”, disse o líder da bancada do CDS, que considera ser este um assunto que “tem de ser melhor avaliado. O voto é um direito inalienável. Por esta razão temos de votar e vamos optar pela abstenção. No final faremos uma declaração de voto”. E fizeram - foi a seguinte: “Os membros do CDS nesta Assembleia declaram que se desvinculam desta votação”. Uma votação que registou nove abstenções (seis dos presidentes de Juntas/Uniões eleitos pelo PS e três do CDSCDS abstém-se e depois PP) e 18 votos a favor do PSD, “desvincula-se da votação” um dos quais do autarca inEsta não parece ser a ideia dependente de Cesar.

>DO ‘VIVER MELHOR’ AO ‘PMES’, PASSANDO PELA CASA DA MÓNICA

A política social concelhia na Assembleia Municipal A política social do município esteve em destaque na última reunião do órgão deliberativo. Várias foram as intervenções que, de uma forma ou outra, nela se detiveram, como por exemplo do líder da bancada socialista, Carlos Afonso, e do presidente de Fajões, Jorge Paiva, entre outras. Abordadas foram as situações dramáticas por que passam muitas instituições particulares de solidariedade social do nosso concelho, tal como daremos a conhecer em próxima edição. Entretanto, de avançar nesAtualmente mais de mil pessoas frequentam o programa te âmbito as palavras de Carlos ‘Viver Melhor’. da Costa Gomes (PSD), que, de um modo geral, congratulou-se com “a intervenção fundamental no apoio aos ci- que tem demonstrado consocial ao nível do município”, dadãos mais desfavorecidos tinuidade sem limites e este que, na sua opinião, “tem sido e fragilizados. É um trabalho muito se deve à Câmara Mu-

nicipal”, nomeadamente através do trabalho da vereadora Gracinda Leal. “A par deste empenho social – prosseguiu o socialdemocrata - é de registar o décimo aniversário do programa ‘Viver Melhor’, destinado à população sénior, em atividade desde 2004, tendo iniciado com 18 turmas e, volvidos 10 anos, conta com 33 turmas, isto é, mais 15. Atualmente frequentam este programa mais de um milhar de pessoas”. O mesmo elemento da AM enalteceu, igualmente, “a iniciativa do Rotary Club pela construção da Casa a Mónica”, uma ação que “colheu o apoio de diversas entidades privadas”, mas na qual “o pa-

pel e o apoio da autarquia foi fundamental para a concretização do projeto”. Ainda o Programa Metropolitano de Emergência Social (PMES) foi focado. Carlos Costa Gomes manifestou “a minha satisfação e da bancada do PSD pela taxa de execução de 100% na concessão do apoio financeiro de 77.506,00€, distribuído por 160 agregados familiares, num total de 877 pessoas (515 adultos e 362 crianças)”. Recorde-se que o PMES decorreu entre julho e dezembro de 2013 e assistiu agregados familiares nas áreas da habitação e saúde. N.R.: Uma matéria a aprofundar em próxima edição.


TRIBUNAIS E POLÍCIA

Terça-feira, 11 de março de 2014

CUCUJÃES> MULHER DE 79 ANOS MORRE VÍTIMA DE ATROPELAMENTO SEGUIDO DE FUGA

> NO CONCELHO OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Condutor atropela idosa e foge Uma mulher de 79 anos perdeu a vida, em Cucujães, este último sábado, na sequência de um atropelamento com fuga. O condutor foi localizado e intercetado pela GNR horas depois.

Um atropelamento seguido de fuga do condutor, ocorrido ao início da noite deste sábado, em Cucujães, resultou na morte de uma mulher de 79 anos. Maria Augusta de Jesus terá tido morte imediata ao ser colhida por um automóvel onde, ao volante, seguia um homem que se ausentou do local antes da chegada das autoridades e dos meios de socorro. A vítima mortal regressava a casa a pé, depois da missa, na companhia de uma das filhas, quando foi colhida por um carro, na Rua Dr. Manuel Ferreira da Silva Brandão, em

Maria Augusta de Jesus regressava a casa, depois da missa, quando foi colhida mortalmente neste local

circunstâncias que estão sob investigação. A filha, de 36 anos, portadora de deficiência, não sofreu qualquer ferimento, mas ficou em estado de choque ao assistir à morte da progenitora. “Iam as duas de braço dado e a minha cunhada ficou em pânico quando a mãe foi puxada. Está tão transtornada

que não consegue explicar o que se passou”, contou um genro da setuagenária ao Correio de Azeméis. Segundo fonte da GNR, o automobilista fugiu sem prestar auxílio, mas viria a ser intercetado pelo Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação (NICAV) cerca de cinco horas após o

acidente. Os militares seguiram uma pista (uma testemunha terá conseguido anotar parte da matrícula) que lhes permitiu localizar o condutor, residente na mesma freguesia. “Ao ser confrontado pela equipa de investigação, o homem assumiu a autoria do atropelamento”, revelaram as autoridades. Maria Augusta de Jesus foi projetada e sofreu lesões graves na zona da cabeça, tendo o óbito sido declarado no local, para onde foram mobilizados meios da GNR, dos bombeiros de Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira e uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Hospital de São Sebastião. A mulher, natural de Arouca, mas a residir há vários anos em Cucujães, a cerca de um quilómetro do local da tragédia, deixa marido e cinco filhas. A família aguardava a realização da autópsia ao cadáver - nas instalações do Gabinete Médico-Legal de Santa Maria da Feira - e posterior autorização do Ministério Público, para preparar o funeral da setuagenária.

>NAS FREGUESIAS DE CESAR E FAJÕES

A GNR levou a cabo uma operação de combate à criminalidade na madrugada deste domingo, tendo fiscalizado dois estabelecimentos de diversão noturna situados no concelho de Oliveira de Azeméis. Os militares levantaram três autos de contraordenação, abrangendo legislação diversa relacionada com o licenciamento, e detetaram um jovem de 23 anos na posse de uma pequena quantidade de liamba (0,1 gramas), que foi apreendida. No âmbito da mesma operação, realizada entre as 03h00 e as 07h00, foram ainda fiscalizados 152 condutores, dos quais quatro acabaram por ser detidos por condução sob efeito de álcool. Os militares elaboraram também 18 autos de contra-ordenação e apreenderam um veículo por “alteração ilegítima de caraterísticas”. Nesta operação estiveram empenhados 35 militares de diversas valências do Comando Territorial de Aveiro.

DC

Gado bovino à solta provoca pânico

> DURANTE A MADRUGADA EM UL

DR

Dezasseis Animais andaram a deambular pelas ruas de Cesar e Fajões, depois de terem fugido de uma propriedade. O episódio, ocorrido na manhã do dia 28 de fevereiro, causou um grande alvoroço, embora sem provocar feridos nem danos materiais dignos de registo. “Os animais conseguiram fugir e, sozinhos, os proprietários apanharam cerca de metade, mas os restantes dezasseis dispersaram”, contou fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR), que ajudou na captura do gado bovino, ao Correio de Azeméis. “Não eram animais de muito grande porte, mas poderiam ter causado estragos consideráveis”, relatou a mesma fonte, acrescentando que o gado andou à solta pelas ruas da freguesia de Cesar, tendo alguns dos animais chegado a transpor a fronteira com Fajões, onde foram avistados nas ime-

DE

GNR fiscaliza espaços noturnos e controla condução com álcool

Diana Cohen

DIANA COHEN

11

Tentativa de assalto na sede do Rancho ‘Cravos e Rosas’ Um ou mais indivíduos tentaram assaltar as instalações do Rancho Folclórico ‘Cravos e Rosas’, situadas em Ul, na madrugada de quintafeira passada. A tentativa de furto revelou-se, contudo, frustrada, uma vez que o alarme soou assim que o vidro foi quebrado, afugentado os ladrões e impedindo a consumação do crime.

A fuga dos animais gerou uma enorme agitação em Cesar (na foto) e Fajões

diações de uma escola. Ainda de acordo com informações da GNR, que teve de proceder ao corte de trânsito em algumas vias para prevenir a ocorrência de tragédias,

a ‘aventura’ cessou na Zona Industrial de Cesar. “O último foi apanhado numa fábrica, depois de termos fechado os portões, com o consentimento do proprietário. Esta-

va muito agitado e a ficar agressivo, mas, felizmente, não causou estragos nos carros que lá estavam estacionados”. DC


12

Terça-feira, 11 de março de 2014

REGIONAL

CESAR> ASSOCIAÇÃO DE CULTURA E DESPORTO APROVOU CONTAS DE 2013 E MAIS UM TÍTULO DE SÓCIO HONORÁRIO

Villa Cesari ‘navega em alto mar’ Na mesma sessão do órgão deliberativo, os sócios da Villa Cesari aprovaram, por unanimidade, as contas referentes ao ano transato e a atribuição do título de sócio honorário ao médico cesarense Dr. António Praça de Vasconcelos.

Médico cesarense é sócio honorário da Villa Cesari

CARLOS COSTA GOMES

Ainda antes da análise das contas de gerência do exercício financeiro do ano passado, a direção solicitou à assembleia-geral (AG) da Villa Cesari – Associação de Cultura e Desporto de Cesar a introdução de um primeiro ponto para proceder à primeira retificação orçamental de 2013 - pedido aceite pelos associados. Seguidamente, de imediato, José Azevedo, tesoureiro da agremiação cesarense, apresentou, rubrica a rubrica, as ditas contas, sendo que as receitas foram 77.227,78 euros e as despesas 72.578,32 euros. Ou seja, contas feitas, para 2014, transitou um saldo de 4.649,46 euros. Ainda no que respeita às receitas, Carlos Costa Gomes, líder da AG, referiu ser importante que os sócios saibam que o Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ) subsidia as atividades que a direção indica no plano anual (PAJ), o que corresponde a um apoio substancial para a concretização de inúmeras ações levadas a cabo ao longo do ano. De salientar ainda que o exercício financeiro resulta de um “ano intenso” de iniciativas culturais, desportivas, formativas, lúdicas e recreativas, destacando-se as de periodicidade semanal como, por exemplo, o ensino da música, a ginástica, o atletismo, o jornal da Villa Cesari, o Grupo de Cantares, o grupo Troca de Saberes, entre outras. Ainda a propósito, note-se que, no que toca a realizações, a média, durante 2013, “foram de duas ações por mês”.

Nesta sessão do órgão deliberativo da Villa Cesari, Dr. António Praça de Vasconcelos recebeu o diploma relativo a esta sua recente distinção pública

CESAR> E FILIA EQUIPA DE BTT ‘SILAMPOS/J. SANTOS’

Villa Cesari compra viatura em parceria com a Junta Paulo Silva apresentou à assembleia-geral a equipa de BTT designada ‘Silampos/J. Santos’, a qual, embora já fizesse parte da Villa Cesari – Associação de Cultura e Desporto de Cesar de modo informal, passa, agora, a partir de 2014, a ser federada na associação da modalidade. Ainda nesta reunião do órgão deliberativo, foi deliberada, por maioria, a aquisição ao Centro Infantil e Social de Cesar (CISC) de uma carrinha de transporte de passageiros, de nove lugares, pela Villa Cesari em parceria com a autarquia cesarense – compra que, de acordo com o presidente da direção, surge no seguimento da renovação da frota do CISC.

Mesa da assembleia-geral

Segundo Paulo Silva, as necessidades da Villa Cesari em termos de deslocação dos atletas são cada vez maiores: “As dificuldades, a este nível, têm sido notórias e, por isso, a oportunidade de adquirir a viatura, a um preço simbólico, em parceria com a Junta de Freguesia (que também tem lacunas a este nível) levou-nos a equacionar a compra”.

Conselho fiscal elogia “rigor” financeiro Por sua vez, Carlos Tavares - em conformidade com o estatutariamente definido - deu a conhecer o teor do parecer do conselho fiscal, a que preside, destacando “o rigor na gestão financeira da Villa Cesari, a forma exemplar da especificidade dos exercícios, bem como o controlo financeiro”. Porém, chamou a atenção para a necessidade de relatórios intercalares, “se possível, trimestrais”, como defendeu. Médico cesarense é, agora, sócio honorário da Villa Cesari Chegada a hora da votação da proposta de atribuição do título de sócio honorário ao Dr. António Praça de Vasconcelos, o responsável máximo pela AG lembrou, mais uma vez, o percurso do médico cesarense, salientando a presença da moldura humana por ocasião do seu reconhecimento público com o ‘Prémio Carreira’. Na verdade, Carlos Costa Gomes referiu que a distinção, agora feita, com a atribuição deste título, vem confirmar “toda a admiração que os órgãos sociais, associados e cesarenses em geral nutrem pelo Dr. António Praça de Vasconcelos”. Aliás, em seu entender, este gesto responsabiliza a VillaCesari, “uma vez que não é ela que honra o Dr. António Praça de Vasconcelos, mas, sim, este que nos honra ao aceitar tal distinção”. É de notar que a investidura do novo sócio honorário e a entrega do correspondente diploma foram feitas por Carlos Costa Gomes e Paulo Silva e que, na sequência deste ato e já a pensar na atribuição do ‘Prémio Carreira 2014’, foi nomeado o respetivo júri, do qual fazem parte, para além dos líderes dos respetivos órgãos sociais; Augusto Moreira da Silva, autarca cesarense; e Tomás Silva, associado da Villa Cesari, membro ativo do desenvolvimento da freguesia e profundo conhecedor da realidade local.


REGIONAL

Terça-feira, 11 de março de 2014

13

UF NC/PINDELO> DEPOIS DE TER SIDO ADIADO DUAS VEZES, CARNAVAL SAIU FINALMENTE À RUA ESTE ÚLTIMO DOMINGO

Folia reinou em Pindelo Fotos Alfredo Pinho

Não foi a 02 e a 04, mas, antes, a 09 de março que, finalmente, o Carnaval de Pindelo saiu à rua. Depois de S. Pedro ‘ter dado cabo’ dos planos da comissão organizadora do evento carnavalesco que conta já com 22 anos de realização, nos dois primeiros dias previstos, centenas de foliões, inclusive os que compunham os grupos participantes, desfilaram este último domingo, à tarde, pelas principais ruas pindelenses, para grande gáudio dos muitos espetadores

que se encontravam espalhados ao longo do percurso, que teve início na Rua dos Combatentes (lugar de Carro Quebrado) e terminou junto ao edifício da Junta de Pindelo. Recorde-se que, tal como anunciámos oportunamente, numa das edições anteriores do nosso jornal, participaram o Grupo de Bombos de Pindelo; Grupo de Jovens; ATL; Flores & Feias; Cruz & Cruz; escolas de samba Os Pioneiros e Renascer; TBS; reis do Carnaval; Kocktail Events; etc..

A equipa de profissionais de ‘Isabel Pinho – Cabeleireiro e Estética’ vestiramse a rigor para ‘receber’ o Carnaval. Quem passou pelas suas instalações, no piso 1 do edifício Rainha, na véspera da terça-feira de Entrudo, deparou-se com muita alegria, animação e entusiasmo, aliás qualidades e caraterísticas sempre presentes no pessoal deste estabelecimento, quer seja ou não tempo de folia e reinação. Parabéns pela sempre presente boa disposição, tão preciosa para quem recorre a momentos de descontração, embelezamento e bem-estar. o, Já agora recorde-se que, neste mês de març a ondulação e wellastrate (alisamento) contam com 20% de desconto, bem como a drenagem venolinfática manual, enquanto o ‘Erva peeling’ e ‘Enzymacid’ (peeling com ácidos naturais) estão apenas a 50 euros. Aproveite. A primavera está a chegar… rejuvenesça o que de melhor há em si.


14

Terça-feira, 11 de março de 2014

REGIONAL

CUCUJÃES> AGRUPAMENTO DR. FERREIRA DA SILVA FOI O ANFITRIÃO DA INICIATIVA

Várias escolas do país reunidas nos ‘Eco Encontros em São Roque 2014’ O Auditório Ângelo Azevedo, da Junta de Freguesia de São Roque, foi, no passado dia 22, uma vez mais, o palco dos ‘Eco Encontros em São Roque 2014’. Iniciativa de caráter anual, do Projeto EcoEscola, que reúne no concelho escolas oriundas de distintos pontos do país e que têm a educação ambiental como elemento de ação comum. Esta 12.ª edição dos ‘Eco Encontros em São Roque 2014’ reuniu mais de duas centenas de alunos, docentes, pais e encarregados de educação em torno de atividades diversas no domínio da Educação Ambiental e da promoção de atitudes ambientalmente sustentáveis, como a redução do efeito de estufa edos resíduos sólidos urbanos. Este ano, a iniciativa começou com as boas vindas do diretor do Agrupamento de Escolas (AE) Dr. Ferreira da Silva a todos os alunos, professores, pais e encarregados de educação envolvidos, em particular à escola convidada, o Agrupamento de Escolas Dr. António Torrado (Sintra), salientando a importância da temática ambiental na formação das gerações mais jovens. Também presente esteve o vereador da divisão municipal de Educação da Câmara de Oliveira de Azeméis, Isidro Figueiredo, o qual saudou António Figueiredo pela organização do evento e enalteceu o valor pedagógico deste, “pela temática muito atual de que se reveste e pelo seu cariz de intercâmbio a nível nacional com outras escolas com preocupações ambientais”. Note-se que com os ‘Eco Encontros em São Roque 2014’ pretende-se que o olhar e as competências artísticas das crianças e dos jovens sejam usados para induzir a reflexão dos demais sobre a sociedade contemporânea.

Alguns dos protagonistas dos ‘Eco Econtros em São Roque 2014’, iniciativa promovida pelo Agrupamento de Escolas Dr. Ferreira da Silva

A ideia é - segundo os promotores - fazer com que este seja um momento em que os alunos, de forma lúdica, ponderem sobre o facto de vivermos num planeta limitado em termos de recursos e de espaço e os desafios com que o mesmo se confronta, nomeadamente o crescimento da população, o sobreconsumo, as alterações das condições climatéricas, a degradação ambiental e as novas desigualdades sociais. Assim, procura-se com a música, a dança e as artes cénicas alterar a perceção dos valores e das atitudes face ao ambiente, de modo a estimular nos mais jovens uma consciencialização profunda e duradoura destas problemáticas. Diversas artes ‘subiram ao palco’ Pertencentes ao AE Dr. Ferreira da Silva, participaram a Escola Básica e Secundária (EBS) Comendador Ângelo Azevedo, através do Clube de Música, Grupo de Ginástica do Desporto Escolar, Oficina de Teatro, Projeto Eco Escola, turmas do 2.º ano e do Pré-Escolar; EBS Dr. Ferreira da Silva (escola sede), nomeadamente o Clube de Música, a Oficina de Teatro, o Projeto Eco Escola e os alunos do 5.ºC, EB1/Jardim de Infância

(JI) do Picoto, turmas do 2.º ano e crianças do JI; e ainda o AE Dr. António Torrado. Assim, perante o enorme entusiasmo de todos, deu-se início a uma tarde de celebração da educação ambiental com a apresentação de um multimédia intitulado ‘Origens’, dinamizado pelo professor Amadeu Sousa, onde as imagens e o som de efeito poderosos remetiam para os problemas e os desafios com que nos deparamos no domínio ambiental. Seguiu-se a apresentação de quatro pequenas peças musicais, utilizando instrumentos não convencionais, nomeadamente um ‘vidrofone’ construído pelos alunos do Clube de Música da EBS Dr. Ferreira da Silva, sob orientação do professor José Resende, a partir do aproveitamento de garrafas e copos de vidro reutilizados com acompanhamento de ‘Boomwhackers’. Posto isso, o Clube de Música da EBS Comendador ÂngeloAzevedo, acompanhado pela professora Aurora Emília, interpretou a melodia ‘Ai que beleza’, inspirada no Espiritual Negro ‘When the Saints’, em flauta e canto, e o AE Dr. António Torradoe apresentou a dança ‘Vamos Reciclar’, onde, a par da música apelativa, a mensagem era óbvia.

O Auditório Ângelo Azevedo recebeu o evento

De pequenino é que se começa a preservar o meio ambiente

Entretanto, subiram, novamente, ao palco os alunos da EBS Comendador Ângelo Azevedo, concretamente a Oficina de Teatro, sob a orientação da professora Anabela Sousa, com uma mensagem explícita ‘salvar o planeta, pois essa é a única forma de salvar o homem’. De salientar que, com esta peça, se pretendeu alertar o público em geral para a necessidade de uma atitude mais interventiva e ativa para ‘salvar o mundo’. Foram, sem dúvida, momentos de enorme beleza cénica e sensibilização ambiental, que procuraram alertar para o efeito da subida da temperatura no nosso planeta, escassez de recursos hídricos, poluição crescente dos oceanos, desflorestação contínua, etc., aspetos que ameaçam não só a qualidade de vida, como também a própria sobrevivência futura dos seres humanos. Florestas: “Os verdadeiros pulmões da humanidade” Dando continuidade a esta problemática, as crianças do JI e do 2.º ano da EB1 do Picoto apresentaram ‘Amiga Floresta…’, uma mensagem de atenção para com as nossas florestas, os verdadeiros pulmões da humanidade.

Já aos alunos do Projeto Eco Escola e da Oficina de Teatro da EBS Dr. Ferreira da Silva coube interpretarem e coreografarem a canção ‘Imagine’, de John Lennon com letra adaptada. De novo, o AE Dr. António Torrado ‘voltou à cena’ com duas músicas: ‘Aqui ao luar’ e ‘Quem planta uma floresta planta uma festa”. ‘Com quadrados de papel’ foi o modo encontrado pela turma do 5.ºC da EBS Dr. Ferreira da Silva para apresentar uma marcha popular, adaptando, de forma criativa, a letra, a música e o papel reciclado para a construção das roupas e restantes adereços - isto com a colaboração das disciplinas de Educação Musical, Educação Visual e Educação Tecnológica. A ginástica rítmica, artística e acrobática também não faltaram neste espetáculo, com as atuações do Grupo de Ginástica do Desporto Escolar da EBS Comendador Ângelo Azevedo, pretendendo, assim, sensibilizar para aspetos ambientais, especialmente para a temática da água, com o título ‘Blue World’ que colheu o aplauso generalizado de toda a plateia. Duas horas volvidas, os ‘Eco Encontros em São Roque 2014’ chegavam ao fim com um desfile de acessórios de moda, apresentados pelos meninos do JI e do 1.º ciclo da EBS Comendador Ângelo Azevedo, a par dos alunos dos 2.º e 3.º ciclos do Projeto EcoEscola das EBS Comendador Ângelo Azevedo e Escola Básica e Secundária Dr. Ferreira da Silva. Esta última apresentação reuniu arte e moda em materiais reciclados, promovendo a criatividade e dando uma nova utilidade a resíduos sólidos em fim de vida.


REGIONAL

15

Terça-feira, 11 de março de 2014

UF OAZ/O. AZEMÉIS> NO ÂMBITO DE MAIS UMA REUNIÃO DO CONSELHO ECOESCOLAS

Ambiente em foco no Agrupamento Soares Basto O Conselho Eco-Escolas do Agrupamento Soares Basto reuniu, no passado dia 28 de fevereiro, para debater o seu diagnóstico ambiental e aprovar as linhas de ação para o resto do ano letivo. Esta sessão contou com a participação de 16 elementos. Os dezasseis elementos presentes nesta reunião do Conselho Eco-Escolas, em representação dos alunos, professores, Município e comunidade, manifestaram a sua preocupação em relação à necessidade de mudança das atitudes de todos para a construção de um ambiente mais saudável e sustentável. E, precisamente, nesse sentido, defenderam o papel crucial da Educação como um dos pilares para a formação de cidadãos mais responsáveis e defensores da herança ambiental das gerações futuras.

O Conselho Eco-Escolas do Agrupamento Soares Basto reuniu para debater o seu diagnóstico ambiental e aprovar as linhas de ação para o resto do ano letivo

Nesta sessão ficou definido que o Agrupamento de Escolas Soares Basto vai desenvolver ações na área dos resíduos, água, energia, biodiversidade e agricultura biológica, começando por dar especial enfoque às questões dos resíduos, em que a política dos 3 R’s – Reduzir, Reutilizar e Reciclar vai ser, especialmente, trabalhada. Além disso, vão ser também desenvolvidas diversas campanhas de sensibilização para a

Panorâmica da sala onde teve lugar esta sessão

S. ROQUE> LOC ORGANIZOU DEBATE SOBRE A MULHER

Drama da violência doméstica foi abordado Em S. Roque, a LOC – Movimento de Trabalhadores Cristãos comemorou o Dia Internacional da Mulher uma semana antes, a 01 de março, com um debate no qual foram abordados vários problemas que afetam o sexo feminino, em especial o drama da violência doméstica – não tivessem, em 2013, 34 mulheres sido assassinadas em Portugal pelo marido ou companheiro. Foram ainda lidos vários poemas e apresentados três diaporamas relacionados com a mulher. Esta iniciativa da LOC foi muito participada pelos presentes, tendo-se destacado algumas ideias, que a organização considera ser importante reter como forma de prevenir estes extremos. Assim, no Auditório Ângelo Azevedo, no edifício sede da

Junta de Freguesia sanroquense, chegou-se à conclusão que se deve “criar um ambiente de tolerância, compreensão e afeto nas famílias, para que os filhos venham a ser pessoas equilibradas”; “os casais,

bem como os namorados, devem exigir respeito mútuo e ser sinceros”, não deixando “acumular as pequenas chatices, do dia-a-dia, pois [se o fizerem], cada vez, se torna mais difícil o diálogo”; que não se deve “reagir a quente, quando estamos tensos, nem tomar decisões precipitadas”; que se deve “procurar valorizar mais a vida e aqueles que estão ao nosso lado, nomeadamente o marido, esposa e filhos”; e, por último, que “a violência doméstica é um crime”. Segundo os organizadores, “milhares de mulheres, em todo o mundo, são ainda espezinhadas na sua dignidade e no respeito pelos seus direitos como seres humanos”. Por isso, rematam defendendo que “há muito, muito a fazer”.

necessidade da recolha seletiva, procurando-se responsabilizar cada um, com os seus pequenos ou grandes gestos diários, para a construção de um desenvolvimento sustentável, um desenvolvimento económico e social que proteja e respeite a natureza. Tudo isto, porque não podemos esquecer que os decisores dos tempos vindouros estão agora a ser formados e que é preciso apostar no contato com situações que envolvam a comunidade educativa e que criem experiências que ensinem como construir um melhor ambiente em todos os sentidos. A propósito, o representante da Azeméis FM no Conselho Eco-Escolas, João Araújo, lembrou que a rubrica semanal ‘Ondas Verdes’, que passa às sextas-feiras na rádio local, é uma forma de chegar à comunidade e alertar para os objetivos deste projeto. Quanto ao trabalho que se desenvolve nas escolas a este nível, é, por vezes, pouco visível, contudo, vai deixando sementes que, acreditamos, virão a dar frutos em favor de um futuro mais sustentável.

CUCUJÃES> NO CENTRO CULTURAL, COM O APOIO DA JUNTA

Aulas de zumba e de atividade física Sob a orientação da instrutora Quitéria Correia, agora, há aulas de zumba, todos os sábados, das 18h00 às 19h00, no Centro Cultural de Cucujães. O ensino desta modalidade tão em voga conta com o apoio da Junta de Freguesia da Vila de Cucujães. De salientar que a primeira mensalidade é gratuita, sendo que, ao longo deste primeiro mês, apenas é pedido aos alunos que tragam, em cada aula que participem, bens alimentares, que, depois, serão entregues a quem mais precisa. Os interessados podem inscrever-se, precisamente, no dia e dentro do horário das aulas. Ginástica de manutenção e muito mais Desta feita, todas as terças e quintas-feiras, às 21h00, no mesmo local, há, desde o passado dia 06, ginástica de manutenção, aeróbica, ginástica localizada, danças variadas, etc.. À semelhança das aulas de zumba, também estas, denominadas de atividade física, são apoiadas pela autarquia local.


16

Terça-feira, 11 de março de 2014

REGIONAL

UF OAZ/O. AZEMÉIS> PRESIDENTE DA DIREÇÃO CENTRAL PRESIDIU ÀS CERIMÓNIAS

Núcleo da Liga dos Combatentes comemorou 85 anos O NLCOA comemorou, a 23 de fevereiro, o seu 85.º aniversário, tendo convidado, para presidir às cerimónias oficiais, o presidente da direção central, TenenteGeneral Joaquim Chito Rodrigues. Neste momento alto da já longa história do Núcleo da Liga dos Combatentes de Oliveira de Azeméis (NLCOA) também marcaram presença o vicelíder da autarquia de Oliveira de Azeméis, Ricardo Tavares; o 2.º Comandante do Regimento de Engenharia n.º 3 de Espinho, Tenente-Coronel Pedro Bastos, ali em representação do Comandante Jorge Alves Caetano; o presidente da União das Freguesias de Oliveira de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Ul, Macinhata da Seixa e Madail, Carlos Silva. Ainda estiveram presentes Murilo Gama Pinto, representante da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis; António Vieira Dias, presidente de honra do NLCOA; Tenente-Coronel Barroso, que preside à Delegação de Oliveira de Azeméis da Associação

‘Fotos Procion’

Para as cerimónias oficiais do seu 85.º aniversário, o NLCOA convidou várias individualidades

“Desde então - conforme relatou o responsável diretivo - já passaram por este Núcleo três gerações de combatentes: Os combatentes da Grande Guerra, da Guerra do Ultramar e, “Já passaram por este por último, os das Missões HuNúcleo três gerações manitárias e de Apoio à Paz. de combatentes” “A primeira passagem de tesNeste dia festivo, Joaquim temunho dos combatentes da Cabete percorreu os 85 anos do Grande Guerra para os comNLCOA, começando, precisa- batentes do Ultramar foi em mente, pela sua fundação a 02 01 de fevereiro de 1970 e, cerde fevereiro de 1929, altura em ca de 42 anos depois, foi feita que “foi instalada a Delegação nova passagem de testemunho da Liga dos Combatentes da para os combatentes das MisGrande Guerra de Oliveira de sões Humanitárias e de Apoio Azeméis [hoje Núcleo da Liga à Paz”, acrescentou. dos Combatentes de Oliveira Juventude na direção de Azeméis]” e foi nomeado Por sua vez, o presidente para presidente Alexandre Fer- da direção central da Liga dos reira da Costa, através do ofício Combatentes quis fazer uso da n.º 127 de 17 janeiro de 1929. palavra para “sublinhar três de Comandos; presidentes dos Núcleos da Liga dos Combatentes de Aveiro, Espinho e Oliveira do Bairro; associados da agremiação aniversariante.

ideias”: Uma de agradecimento, uma de reconhecimento e uma de incitamento. Na sala polivalente da Biblioteca Municipal Ferreira de Castro (BMFC), o Tenente-General Joaquim Chito Rodrigues agradeceu “aos que decidiram estar presentes; à direção presidida por Joaquim Cabete, pelo seu trabalho; e à Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, pelo apoio dado ao NLCOA”. Seguidamente, reconheceu os condecorados, “que, há 40 e 50 anos, aguardavam que lhes fosse imposto, publicamente, o reconhecimento pelos serviços prestados e pelos sacrifícios passados”, e, por último, incitou todos os que ali estavam “para que, com a sua ajuda se torne mais fácil a passagem do testemunho que a Liga dos Combatentes recebeu dos combatentes da 1.ª Grande Guerra aos combatentes que, hoje, participam nos conflitos de Apoio à Paz em diversas partes do mundo”. Segundo o responsável, no NLCOA a juventude dirige já os destinos locais da Liga dos Combatentes, “esta [cada vez mais] uma instituição do Passado, do Presente e do Futuro”.

de, Ricardo Tavares felicitou o NLCOA pela “idade especial, bonita, num ano em que se comemora 100 anos do início da 1.ª Grande Guerra e que, por isso, merecia uma comemoração também especial, como, aliás, aconteceu”. Para o autarca, “ficou bem patente nesta homenagem até pelo elevado número de pessoas que compareceram - a dedicação, o brio e a qualidade que esta direção dedica às suas causas”. Aliás, a própria Câmara Municipal, que mantém “uma excelente relação de parceria com este Núcleo da Liga dos Combatentes”, fez questão de se fazer representar. O NLCOA “merece [da parte da edilidade] a maior estima e consideração, o que se tem traduzido numa cooperação mútua, no apoio municipal à realização de eventos, na cedência de terreno para construção de sede, no apoio à mudança de sede, etc.”. Ainda na ótica de Ricardo Tavares, o NLCOA “tem exercido a sua missão, no quadro associativo, com muita honra e distinção, prestigiando o nosso concelho e sendo motivo de orgulho para todos nós”. Câmara mantém “excelente Terminada esta sessão na relação de parceria” BMFC, seguiu-se um almoço com o NLCOA convívio dos associados e respeAproveitando a oportunida- tivas famílias.

UF OAZ/O. AZEMÉIS> COM A MEDALHA COMEMORATIVA DAS CAMPANHAS DAS FORÇAS ARMADAS

NLCOA condecora antigos combatentes Na Rua da Imprensa Oliveirense, junto ao Monumento dos Combatentes do Ultramar, foram prestadas honras militares, por um pelotão do Regimento de Engenharia n.º 3 (RE3) de Espinho, ao presidente da direção central da Liga dos Combatentes, Tenente-General Joaquim Chito Rodrigues, que presidiu às cerimónias do 85.º aniversário do Núcleo da Liga dos Combatentes de Oliveira de Azeméis (NLCOA). Ainda no mesmo local, foi colocada uma coroa de flores, seguindo-se a homenagem aos mortos feita pelos militares do RE3 e ainda um minuto de silêncio. Dois atos com os quais foram, assim, recordados “todos os combatentes que sacrificaram a própria viva ao serviço da Pátria, soldados que

‘Fotos Procion’

Nesta ocasião festiva, houve lugar à condecoração de antigos combatentes

demonstraram sempre um grande espírito de sacrifício e abnegação, no desempenho das suas missões”, sublinhou o presidente da direção do NLCOA. O programa comemorativo prosseguiu, depois, não muito longe dali, na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro. Foi,

precisamente, na sala polivalente deste equipamento público que teve lugar a condecoração com a Medalha Comemorativa das Campanhas das Forças Armadas de vários antigos combatentes. Os condecorados… Para que conste, foram con-

decorados: Alberto Costa (Angola 1961-63), António Aguiar (Guiné 1967-70), António Alves (Guiné 1966-68), Armando Jesus (Angola 1961-63), Delfim Pina de Pinho (Angola 1961-63), Francisco Silva (Moçambique 1968-70), Ilídio Santos (Angola 1967-70), João Gil Costa (Angola 1961-63), Joaquim Pinho (Angola 1969-71), Joaquim Resende (Angola 1969-71), Joaquim Alves da Costa (Moçambique 1973-74), José Moreira (Angola 1965-67), José Costa (Angola 1963-65), Manuel Leite da Silva (Angola 1969-71), Manuel Mota (Moçambique 1968-70), Manuel Silva (Angola 1963-65), Rogério Rodrigues da Costa (Angola 1969-71), Silvino Barnabé (Angola 1973-74), António Costa (Angola 196567) e António Rocha (Angola

1964-68). Procederam à imposição das insígnias Tenente-General Joaquim Chito Rodrigues e o 2.º Comandante do Regimento de Engenharia N.º 3 de Espinho, Tenente-Coronel Pedro Martins Bastos Já a Ricardo Tavares, vicepresidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, coube entregar a mesma condecoração, mas a título póstumo, a Carlos Freitas de Almeida, ali representado pela sua filha Priscila Freitas de Almeida. Nota ainda para Ernesto Gonçalves e Murilo Gama Pinto, que também foram agraciados, mas com a medalha do NLCOA, “por terem prestado atos de beneficência”, “nomeadamente pela oferta de dois computadores”.


REGIONAL

17

Terça-feira, 11 de março de 2014

UF OAZ/O. AZEMÉIS> AO NÚCLEO DA LIGA DOS COMBATENTES DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Câmara cede talhão num cemitério do município Mandatado pelo presidente Hermínio Loureiro, Ricardo Tavares anunciou, recentemente, que a Câmara vai ceder um talhão num cemitério do município ao NLCOA. Esta é, para o vice da autarquia, “uma oferta justa e meritória a pessoas que deram muito de si em troca de quase nada”.

‘Fotos Procion’

GISÉLIA NUNES

sociados, “possam repousar”, após a morte, caso seja esse o seu desejo manifestado ainda em vida. Esta cedência camarária é, na ótica de Ricardo Tavares, “uma oferta justa e meritória a pessoas que deram muito de si em troca de quase nada”. Passado um ano, desde que foi dada a conhecer, oficialmente, junto da edilidade, esta intenção da direção liderada por Joaquim Cabete “vai tornarse realidade” em 2014, “para

É já este ano que o Núcleo da Liga dos Combatentes de Oliveira de Azeméis (NLCOA) vai ver concretizado o seu anseio de ter, no cemitério municipal ou num outro próximo da sede do concelho – conforme assegurou o vice-presidente da autarquia oliveirense, por altura das comemorações do 85.º aniversário do NLCOA –, um talhão onde antigos combatentes, seus as-

Mesa de honra que presidiu à sessão na BMFC, vendo-se o Tenente-General Joaquim Chito Rodrigues (ao centro), Ricardo Tavares e Joaquim Cabete

grande satisfação do NLCOA”. E, por isso, agora por intermédio do Correio de Azeméis, o dirigente vem manifestar, “publicamente, em nome da Liga dos Combatentes, o agradecimento à Câmara Municipal”. Atividade do NLCOA com duas vertentes Fundado a 02 de fevereiro de 1929, o NLCOA, então denominado por Delegação da Liga dos Combatentes da Grande

Guerra, tinha como presidente, secretário e tesoureiro, respetivamente, Alexandre Ferreira da Costa, Joaquim de Almeida e Silva e António Monteiro. Na base da sua criação, há 85 anos, esteve o intuito de poder reunir numa associação os militares e ex-militares portugueses que tinham combatido na 1.ª Grande Guerra. Isto, segundo o seu atual presidente da direção, “para poderem defender os seus interesses e ajudar os inválidos de guerra, as viúvas e os órfãos”. Presentemente, os objetivos são outros, nomeadamente “a promoção da exaltação do amor à Pátria, dos valores morais e históricos de Portugal patenteados nas cerimónias evocativas da conservação das memórias” e “a promoção da proteção e auxílio na defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos sócios”. De acordo com Joaquim Cabete, a atividade do Núcleo da Liga dos Combatentes de Oliveira de Azeméis divide-se, hoje em dia, em duas vertentes: Uma social e outra de conservação

UF OAZ/O. AZEMÉIS> EM PARCERIA COM A AUTARQUIA

Comemoração do centenário do início da 1.ª Grande Guerra “Este ano, comemoramos o centenário do início da 1.ª Grande Guerra”, comemoração que ainda não tem data marcada, mas que “será feita em parceria com o Município de Oliveira de Azeméis”, informou Joaquim Cabete. Quando questionado relativamente aos planos da direção do Núcleo da Liga dos Combatentes de Oliveira de Azeméis (NLCOA), o presidente da direção falou-nos desta iniciativa, bem como da participação da agremiação oliveirense, já no próximo mês de abril, nas comemorações nacionais do Dia do Combatente, que vão decorrer na Batalha. “Fazemos questão em estar presentes com o nosso Guião em todos os eventos nacionais da Liga dos Combatentes, pois a presença massiva dos núcleos mostram a força e a grandeza desta grande instituição”, vincou o dirigente. Nota para o facto de ser intui-

passa!”. “Esta é a única fonte de financiamento para desenvolver a sua atividade”, reforçou a ideia. No entanto, e no que respeita a ajudas em termos logísticos (e não só), o responsável referiu a oferta de dois computadores ao NLCOA, “que tivemos a possibilidade de agradecer, publicamente, no âmbito das comemorações do nosso aniversário [85.º aniversário comemorado no mês passado]” (ver também página 16 nesta edição). “Por esta preciosa oferta”, Ernesto Gonçalves e Murilo Gama Pinto foram agraciados, na ocasião, com a medalha do NLCOA. Joaquim Cabete ainda fez quesQuotas são a única fonte tão de mencionar “a grande colade receita boração e o grande apoio da auEm relação a apoios financei- tarquia [de Oliveira de Azeméis] ros com que conta para poder no que concerne à cedência de ‘cumprir a sua missão’, Joaquim espaços”, nomeadamente da sala Cabete afirmou que “o NLCOA polivalente da Biblioteca Municivive exclusivamente das quoti- pal Ferreira de Castro para a reazações dos seus associados e que lização das cerimónias formais do vão diminuindo a cada ano que aniversário do NLCOA. to do NLCOA assinalar, igualmente, o Dia do Combatente a nível local. Mas os objetivos não se quedam por aqui… “Queremos [de igual modo] criar alguns protocolos com farmácias, óticas e clínicas de forma a beneficiar os sócios”, adiantou Joaquim Cabete. Segundo nos assegurou, embora ainda não se saiba “qual será a recetividade por parte destes serviços para um possível acordo”, é já ponto assente que “temos que abordar o assunto”. Aliás, “estou certo de que será benéfico para ambas as partes”, garantiu.

das memórias. No que diz respeito à primeira, “ajudamos os combatentes que nos contatam para requerer a atribuição do Suplemento Especial de Pensão, a Medalha das Campanhas das Forças Armadas ou a reabertura de processo por acidente em serviço”. Além disso, “para aqueles que tenham perdido a sua cédula militar e que necessitam de um documento comprovativo do tempo que prestaram ao serviço nas Forças Armadas, para efeitos de reforma/aposentação, solicitamos ao Arquivo Geral do Exército uma certidão”. “Relativamente à conservação das memórias, aqui enquadram-se todas cerimónias organizadas pelo NLCOA, como o seu aniversário, em fevereiro; o Dia do Combatente, em abril; e o Armistício, em novembro”, esclareceu o responsável por esta agremiação sedeada na Rua António Alegria, na cidade de Oliveira de Azeméis, e que, no final de 2013, contabilizava 498 sócios, entre os quais muitos “inativos”.

UF OAZ/O. AZEMÉIS> NÚMERO DE SÓCIOS ATIVOS INFERIOR A 500 IMPLICA A NÃO EXISTÊNCIA DESTES DOIS ÓRGÃOS SOCIAIS

NLCOA não tem assembleia-geral nem conselho fiscal Interpelado sobre a composição dos atuais órgãos sociais, Joaquim Cabete adiantou-nos apenas os nomes de quem compõe a direção, que lidera, dando-nos, de seguida, conta de um pormenor curioso do Núcleo da Liga dos Combatentes de Oliveira de Azeméis (NLCOA) que o diferencia das outras agremiações. Segundo o líder do corpo diretivo, o facto de o NLCOA ter um número de sócios ativos inferior a 500 implica a não existência de assembleia-geral (AG) e de conselho fiscal. Ou seja, no caso do núcleo oliveirense, é o presidente da direção que convoca e preside à AG. A propósito, Joaquim Cabete prosseguiu com os esclarecimentos, dizendo que “todos os núcleos prestam, mensalmente, as contas à direção central [órgão executivo máximo da Liga dos Combatentes presidido pelo Tenente-General Joaquim Chito Rodrigues] e têm regras quanto às despesas que fazem, apesar de serem autónomos”. Note-se que, ainda de acordo com este responsável, as mesmas contas também são apresentadas, “por cortesia”, aos sócios do NLCOA em reunião da AG. Membros da direção Voltando, então, aos elementos da direção, são eles: Joaquim Cabete (presidente), Carlos Afonso (secretário), Eduardo Correia (tesoureiro), António Alves (1.º vogal), António Ramos (2.º vogal) e João Gil (vogal suplente).


18

Terça-feira, 11 de março de 2014

Uma visão de futuro 1 de Março de 2014… Este dia marcou o início da concessão das redes de água e saneamento do concelho. Poderia ser um dia para nos regozijarmos se estivéssemos na década de 90 e na presença de um contrato equilibrado e justo que fomentasse as redes básicas de água e saneamento e não garantisse lucros chorudos ao privado. Contudo, o que se verificou foi a antítese dos pressupostos que determinaram esta decisão por parte do PSD, a saber… como o Município está endividado e não tem capacidade financeira para executar as redes que faltam e não há candidaturas a fundos comunitários que permitam avançar com a construção das redes mantendoas na esfera pública, só restava um caminho – a concessão! A decisão que temos hoje, de concessão à INDÁQUA, por 30 anos, de toda a rede de água e saneamento, não obriga a empresa a aumentar as redes existentes – 42% de saneamento e 70% de água - argumentando agora o PSD com a existência de fundos comunitários para a realização das redes em falta. Uma viragem de 180º na narrativa que sustentou o caminho escolhido. Para este PSD, liderado por Hermínio Loureiro, os fins eleitoralistas justificam os meios, pelo que as verdades de ontem são facilmente desmentidas pelas suas afirmações de hoje. Em resultado desta política, quem paga a fatura são os oliveirenses que, em pleno séc. XXI não possuem acesso a estes serviços básicos e os que possuem, terão as suas contas significativamente aumentadas sem que tal se traduza num qualquer aumento ou melhoria do serviço. Estarão sim, desde já, a contribuir para os 21,6 milhões de euros de lucro garantido que a INDÁQUA assegurou com este negócio. O que se exigia a um gestor público competente, que na presença de pareceres da Entidade Reguladora da Água e Saneamento e do Tribunal de Contas, verdadeiramente arrasadores sobre a opção tomada - por não garantir o cumprimento das metas de 90% da rede de saneamento e 95% da rede de água - era que decidisse em prol do bem comum, mantendo estes serviços na esfera pública, concluindo a rede com recurso aos fundos comunitários que afirma existirem. Infelizmente não é o caso e a opção tomada é a fuga para a frente, colocando Oliveira de Azeméis no mapa das parcerias público privadas de água e saneamento – 27 em 308 municípios - assumindo agora perante os munícipes que o resultado do investimento privado é apenas um começo, e que tudo o resto terá que provir dos fundos comunitários, reconhecendo tardiamente tudo o que o Partido Socialista tem vindo a referir sobre esta temática. O PSD só ainda não assume que os tarifários vão aumentar significativamente para a maioria da população, mas disso darão conta os oliveirenses quando olharem para a fatura...

Hélder Simões

opinião

Causa comum Momento de reflexão

Como referido na crónica do Correio de Azeméis da edição passada a propósito dos acontecimentos da última Assembleia Municipal, pela primeira vez na história da política recente concelhia, vereadores e membros da Assembleia Municipal de um partido político abandonaram a respectiva sessão quando ainda não se tinha iniciado o período da ordem do dia. Esta atitude do PS, de extrema gravidade e que colidiu com a postura correcta dos presidentes de junta eleitos pelo PS, que se mantiveram na sessão, participando activamente na mesma, demonstra uma grave falta de respeito pelos órgãos autárquicos locais, e pelos Oliveirenses. Acima de tudo, demonstram uma grande falta de cultura democrática. Aqueles que, como tão frequentes vezes temos oportunidade de constatar, passam a vida a criticar de forma extremamente grosseira, escolhendo o nosso presidente da Camara Municipal como principal alvo (o caricato comunicado do partido socialista publicado a semana passada sobre esta matéria é mais uma prova evidente disso), não conseguem tolerar a crítica política, não aceitam ser contrariados, enervam-se e amuam. Este tipo de atitude de responsáveis políticos tem de ser veemente condenada. Infelizmente, o tempo em que no PS eram pessoas como o Arquitecto Gomes Fernandes a liderar a bancada socialista na Assembleia Municipal já lá vão. Nessa altura, não obstante existir um combate político assertivo por parte do PS, os interesses de Oliveira de Azeméis falavam mais alto e o PS não tomava as atitudes actuais de guerrilha política pessoal e de maledicência. Os Oliveirenses esperavam que, pelo menos no comunicado do PS sobre a irresponsável atitude de abandono tomada, surgisse alguma explicação plausível. Surgisse o motivo que levou ao amuo. Surgisse pelo menos uma referência ao comportamento distintivo que os Presidentes de Junta socialistas tiveram. Mas nada disso. O ódio e o nervosismo de quem originou esta situação é tal que mais uma vez o comunicado serve para pessoalizar e atacar o Presidente da Camara e o Presidente da Assembleia. O PS prefere abandonar quando deveria discutir nos locais próprios os assuntos de Oliveira de Azeméis, discutir o que eles consideram parcialidade e falta de perfil do líder da Assembleia Municipal. E anulam-se perante a atitude autoritária do presidente da comissão política local do PS se esqueceu do seu papel de vereador e deu a ordem de abandono da sala. Mau demais! É pois natural que muitos socialistas oliveirenses não se revejam nesta postura. É óbvio que os Oliveirenses não se revejam nestas atitudes. Escrevi sobre este tema na minha crónica passada, mencionando que a tomada de posição que o PS assumiria sobre este assunto iria no sentido da vitimização política. Era previsível e assim aconteceu. É só ler o comunicado do PS. O problema para o PS é que os Oliveirenses mostram claramente o seu repúdio por quem, agindo mal, prefere desculpar-se com a vitimização. Dizia eu na minha última crónica que os responsáveis socialistas demonstravam uma clara falta de cultura política. Também aqui é só ler o comunicado do líder do PS. Um rol de considerações pessoais aos Presidentes de Camara e Assembleia Municipal, sem conseguirem tolerar eles próprios a crítica política. O nervosismo evidente em quem comanda o PS concelhio, a imaturidade democrática demonstrada, e acima de tudo a política que os socialistas têm feito e que privilegia a maledicência em vez de colocar primeiro os interesses de Oliveira de Azeméis, são sobretudo maus para a nossa terra.

José Campos

Estimados leitores comemorou-se no passado sábado, dia 8 de março, o Dia Internacional da Mulher, dia dedicado a todas mulheres do mundo. A origem desta comemoração são as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e de trabalho. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917, contudo a ideia da criação deste dia já Miguel vem desde os primeiros anos do sécu- Portela lo XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto, culminando no EUA com a morte de mais de uma centena de mulheres tecelãs que morreram a lutar pelos seus direitos. Foi no ano de 1910 na Dinamarca que ficou decidido que o dia 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem às mulheres que morreram nos EUA. Passados muitos anos, mais concretamente em 1975, através de um decreto, a data foi oficialmente proclamada pela ONU. Esta data foi muito importante pois lançou o verdadeiro debate sobre o papel da mulher na sociedade atual. Ainda existem bastantes preconceitos e alguma desvalorização do papel da mulher na família, no trabalho e na própria sociedade, mesmo com todos os avanços da sociedade moderna. Ainda se relatam casos de salários mais baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional entre muitos outros. Mesmo no meio político foi criada a regra da paridade por forma a obrigar os partidos a não relegarem as mulheres para segundo plano nas listas que apresentam a sufrágio nas mais variadas eleições. Orgulho-me de vos dizer que neste capitulo o CDSPP de Oliveira de Azeméis teve uma igualdade no género dos candidatos apresentados e tivemos mesmo várias listas encabeçadas por mulheres. A minha lista para a Camara Municipal apresentou duas mulheres nos dois lugares que me seguiram e temos juntas de freguesia onde elegemos várias mulheres como autarcas, sinal que no nosso concelho somos um partido onde há muito que o papel da mulher é valorizado e bem percebido. Termino partilhando convosco o que me ensinou o médico, Dr. Albino Aroso, grande impulsionador do projeto materno-infantil e acérrimo defensor das mulheres: “A mulher é merecedora de muito respeito pois começa por ser mãe do marido, depois é mãe dos filhos e por fim é mãe dos pais e mãe dos sogros. “ Despeço-me com amizade


opinião

*PS: Já após ter sido escrito o presente texto no dia 03.03.2014 respondeu a CMOA à mencionada proposta informando laconicamente que “já procedeu à outorga de contrato de arrendamento do espaço em causa”. Grande novidade! Como já não soubéssemos todos.

19

Um cantinho do comércio tradicional

Gulliver: de Liliput a Brobdingnag O senhor Presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis tem-se em conta de gigante. E é justo que assim seja. Olha-se ao espelho e pode ver-se como director-geral, deputado da nação, secretário de Estado… e presidente de inúmeras coisas (fastidiosas de enumerar). E ver-se-á, seguramente, como putativo e futuro ministro da República. Mas, qual Gulliver, verá a todos os oliveirenses como anões. E faz mal. Na verdade só esse complexo liliputiano, de que padece manifestamente, faz com que, a propósito da concessão pela Câmara Municipal do ‘Café Arcádia’ e do ‘Praça da Cidade’ nos trate como seres ignaros. Quanto ao ‘Café Arcádia’ terá dito, há cerca de dois anos, em Assembleia Municipal, que a Câmara perdeu todos os processos judiciais movidos contra o concessionário. Nem uma palavra, contudo, sobre os motivos pelos quais os perdeu. E idos os ditos processos nenhuma palavra sobre a completa inércia da Câmara na aplicação de medidas dissuasoras do encerramento e que imponham a abertura do estabelecimento. Designadamente, por que não cria e aplica a Câmara Municipal uma severa taxa, para os estabelecimentos em espaços municipais, que permanecem encerrados? Ou então uma de inúmeras medidas, penalizadoras do encerramento (e que os serviços jurídicos não terão dificuldade em sugerir), que levem o inquilino a proceder à imediata abertura ou entrega do estabelecimento ao município? Já quanto ao denominado ‘Praça da Cidade’, confronta-nos, sem qualquer pejo, com um verdadeiro escândalo. Ao celebrar, por ajuste directo, um contrato de arrendamento privado (alegadamente com perdão de rendas), por um inacreditável período de 20 anos, sem qualquer garantia de qualidade da actividade a explorar, a Câmara Municipal e o seu presidente imaginar-se-ão acima de todo o escrutínio. A este propósito serão para sempre autores materiais e morais de um crime de lesa património municipal, como não será necessário muito tempo para todos podermos constatar. E o senhor presidente da Câmara Municipal e o vereador do pelouro mentem sem escrúpulos. Ambos sabem que o inquilino escolhido para o ‘Praça da Cidade’ não tem, nem nunca teve, qualquer estabelecimento comercial na Foz do Douro, no Porto. Mas não se coíbem de, em sessão do executivo, se autojustificarem da ‘excelência da escolha’, um afirmar a mentira e outro de calá-la ensurdecedoramente. E não se coíbem igualmente de, em completa ilegalidade, entregar o espaço ao inquilino antes da celebração de qualquer contrato com o mesmo. Declaração de interesses (como soi dizer-se): Patrocinei a apresentação de uma proposta de exploração do espaço (que passava pela instalação de um restaurante tipo ‘frango da Guia’), que propunha o pagamento de um ano adiantado de renda e a realização de eventos culturais indicados ou aceites pela Câmara Municipal. A Câmara Municipal nem se dignou responder*. Preferiu, como de costume, os amigalhaços. O Sr. Presidente da Câmara Municipal não será versado em Jonathan Swift. Importa por isso lembrálo que Lemuel Gulliver - depois de, em Liliput, ter sido um gigante entre anões - chegou a Brobdingnag e aí foi um anão entre gigantes. Também assim será.

Terça-feira, 11 de março de 2014

Luís Lourinho

Direção da Associação Comercial dos Concelhos de Oliveira de Azeméis e Vale de Cambra

A Associação Comercial dos Concelhos de Oliveira de Azeméis e Vale de Cambra cumprimenta todos os comerciantes seus associados. Bemvindos ao nosso cantinho. Abordar questões do comércio tradicional não se tem revelado tarefa fácil. No entanto, não é com as dificuldades que vamos esmorecer ou desanimar. Continuamos a pugnar pelo otimismo em qualquer situação. O nosso esforço será compensado com criatividade e empreendedorismo, formação e bom senso, moderação e planificação de negócios. A época regular de saldos terminou e com balanço positivo. O que ouvimos foi nesse sentido. Porém, aceitamos opiniões contrárias e sabemos que se o balanço financeiro foi positivo, o mesmo se deve aos saldos e a sustentabilidade das empresas só se consegue em épocas sem ser de saldos ou de promoções. Temos vindo a falar de novas normas e de novos decretos-lei que entraram em vigor e que determinam procedimentos diferentes dos anteriores. Como ainda não sabemos todos os contornos dos assuntos a que dizem respeito, vamos tomar atenção à formação e sessão de esclarecimento que vai ter lugar durante este mês.

Inscreva-se e faça a formação com os especialistas que chamámos até junto de nós. Continuamos com a formação. Mais turmas continuam a ser formadas para darmos seguimento ao nosso plano de formação modular. Ainda há cursos que lhe interessam e que têm vagas. Preencha a inscrição e, logo que seja possível, chamá-lo-emos. Todos os nossos serviços disponíveis estão ao dispor dos nossos sócios. É vantajoso pertencer a esta associação. Aqui tem a informação, o serviço e apoio jurídico, o aconselhamento financeiro e as parcerias para serem uma mais-valia no seu negócio. Queira fazer-se sócio, aproveite as vantagens e a segurança que os nossos serviços lhe dão para ter em dia o seu negócio, o seu serviço ou o que quer que seja, de Higiene, Segurança no exercício da sua atividade. Creia que estamos diariamente a lutar para que usufrua de melhores serviços e condições para o seu negócio. Leva tempo, mas temos a certeza que, brevemente, você vai confirmar que vale a pena ser nosso sócio. Terminamos por hoje, desejando a todos um ano de bons negócios e a continuação de ótimo trabalho. Bom Carnaval.

‘São novos, não pensam!’

Jorge Azevedo

Quando dou exemplos da vida de há décadas a jovens, vejo olhos arregalados: “Mas isso é mesmo verdade?”, perguntam como não se fosse possível. Não vou dizer que, naquele tempo – e não é preciso recuar muitas décadas –, era um atraso de vida, pois, daqui a uns anos, não muitos, estes mesmos jovens irão contar aos novos como consideravam rudimentar a vida do seu tempo. Eu gosto de lhes transmitir aspetos de épocas passadas para que vejam que a atualidade não é assim tão má como imaginam e que têm uma vida facilitada. Dizer a uma adolescente que, no meu período de juventude, era impensável um homem sair com uma senhora, um rapaz com uma rapariga, e não assumir as despesas – refeição, bilhete do cinema ou do autocarro -,

Eu gosto de lhes transmitir aspetos de épocas passadas para que vejam que a atualidade não é assim tão má como imaginam e que têm uma vida facilitada.

surpreende-a, porque hoje está habituada a cada um assumir os seus gastos. Não o era para as ‘pizzas’ nem os hambúrgueres que não tinham sido inventados. Explicar-lhes que a chegada cá da ‘Coca-Cola’ levantou suspeitas políticas, como fosse uma subversão, não é fácil; dizer-lhes que, num transporte público, a mulher tinha direito ao lugar sentado nem que, para isso, um homem tivesse de se levantar é novidade, ou que, nas portas, a mulher passava e só depois o homem, por muito macho que fosse. Ah, já me esquecia, e então narrarlhes como era a educação e o respeito nas escolas, fossem do primário ou da universidade, dá-lhes riso, um gozo tremendo. Falar-lhes do que aconteceria a um pai que fosse à escola ofender, verbalmente, um professor (nem pensar agredi-lo, que daria prisão e assunto arrumado), confunde-lhes a mente habituada a despiques nas salas de aulas entre o aluno e o docente; um papel pelo ar resultaria num ‘ponha-se lá fora’; qual quê andar sobre as carteiras! (Aqui um parêntesis, só para nós, os adultos: A culpa nem é dos meninos, ‘são novos não pensam’: A causa está em nós, os crescidos, os que fazemos as leis e damos o exemplo). Pronto, não era por este ‘caminho’ que hoje previa andar. Santa paciência - está dito!


11 de março de 2014

desporto

HÓQUEI EM PATINS> DESLIZE DO BENFICA DEVOLVE TERCEIRO LUGAR À UDO

Vitória ‘gorda’ contra vizinhos de Vale de Cambra OLIVEIRENSE, 7 HA CAMBRA, 2

Foto Alfredo Pinho

HA Cambra: Cláudio Bessa; António Leal, Vítor Oliveira, Nuno Maia e Bruno Fernandes (cinco inicial). Treinador: Ricardo Geitoeira. Jogo no Pavilhão Dr. Salvador Machado Árbitros: Paulo Santos e Porfírio Fernandes.

A olhar para a pontuação, o primeiro lugar continua dividido entre o FC Porto e o Valongo (ambos com 50), apesar de os Dragões possuírem mais golos marcados e menos sofridos – pelo que acaba de pertencer-lhes o primeiro posto. Logo atrás, surge a Oliveirense, com 49 pontos, encontrando-se o Benfica com 47. Com a diferença de pontos que separa as posições a ser tão reduzida, todos os feijões contam e a Oliveirense bem o sabia quando recebeu, no passado sábado, o HA Cambra, no ‘Salvador Machado’. A partida até parecia ter começado bastante dividida, pois tanto a UDO quanto o HA Cambra procuravam responder com mais ritmo de jogo à velocidade que a adversária colocava em cada jogada. Por isso, mal se via a bola circular entre os jogadores nos

O Cambra ainda tentou, mas não conseguiu levar de vencida a Oliveirense

primeiros cinco minutos. De um e do outro lado, a técnica era contra-atacar e rematar ao fim de dois ou três passes. Estava a ver-se que o golo não tardaria, pois as balizas – sobretudo a visitante – estavam a ser permanentemente bombardeadas. Cláudio Bessa ia parando o que podia, contudo, acabou por ser surpreendido, passados apenas três minutos de jogo, por um tiro de Tó Silva, que aproveitou da melhor forma uma distração da defensiva cambrense. Ainda não tinham passado dois minutos quando Gonçalo Alves, derrubado enquanto avançava para a baliza, consegue ir para a marca do livre direto. Dali saiu de bola controlada e, apesar da boa mancha de Cláudio Bessa, conseguiu desfeitear o keeper das ‘abelhas’. Os golos madrugadores dos azuis e vermelhos levaram Ricardo Geitoeira a pedir, cedo, o seu time-out. E no reatamento, o Cambra veio com um ataque melhor organizado, só que a defesa ficava um pouco descompensada. Assim, a UDO até conseguia entrar com mais

Tomar prega susto à Oliveirense SC TOMAR, 2 OLIVEIRENSE, 3 SC Tomar: Fábio Guerra; Nuno Domingues, João Lomba (1), Ivo Silva (1), David Gonçalves; Luís Silva, Dário Santo, Hernâni Diniz, Francisco Neves e Daniel Leal (gr). - Treinador: Nuno Domingues UD Oliveirense: Diogo Almeida, André Azevedo, Daniel Oliveira (1), Tó Silva (1), Gonçalo Alves (1); Nelson Pereira, Gonçalo Suissas, Rúben Pereira, Diogo Silva e Domingos Pinho (gr). - Treinador: Nuno Resende Jogo no Pavilhão Jácome Ratton- Tomar

Oliveirense: Diogo Almeida; Tó Silva, Poka, André Azevedo e Gonçalo Alves (cinco inicial). – Treinador: Nuno Resende.

Vitória importante da Oliveirense ante o HA Cambra, sobretudo, porque a escorregadela do Benfica contra o Juventude de Viana, na jornada 19, significou que a equipa de Nuno Resende recuperou o terceiro posto da tabela.

>19.ª JORNADA

facilidade na área adversária, só que Cláudio Bessa conseguia defesas – por vezes – impensáveis: Aos oito minutos até tirou o doce da boca a Gonçalo Alves, que lhe apareceu completamente solto à frente da baliza. Do lado da UDO também Diogo Almeida brilhava: Embora sem ter tido muito trabalho, dizia ‘presente’ quando era necessário. As atenções estavam era mais concentradas na meia pista do Cambra. Era tiro atrás de bomba e bomba atrás de tiro. Bessa também estava lá e, aparentemente, nada afetado com os golos madrugadores. O marcador mostrava 11’10 quando o ex-Oliveirense Francisco Silva quase assistia com sucesso Bruno Fernandes, que falhou a emenda a um passe cruzado pelo ar. E aos 7’57’’ a UDO voltou a ter a luzinha do seu lado quando o mesmo Bruno Fernandes falhou um lance idêntico, mas pelo solo. A partir daqui e até ao intervalo, o emblema das ‘abelhas’ deu muito que fazer à defesa unionista, mas os comandados

de Nuno Resende chegavam para ‘as encomendas’. E se por acaso falhavam, Diogo Almeida segurava. E foi com 2-0 que chegou o final do meio-tempo. No regresso dos balneários, o recomeço do encontro foi semelhante: Três minutos volvidos veio o primeiro, por Gonçalo Alves, que assinou o quarto aos minuto 11. A vencer por números ‘gordos’, a UDO era já ‘dona e senhora’ da partida, enquanto o Cambra não possuía argumentos para contrariar o maior ascendente unionista. Quando por acaso os forasteiros beneficiaram de um livre direto, Cândido Oliveira ‘Carrais’ desperdiçou. Quem não marca sofre e foi o que aconteceu: A seis minutos do final, Rúben Pereira fez o 5-0 e Gonçalo Alves (aos quatro, na recarga de uma grande penalidade) e Tó Silva (naquele mesmo minuto) elevaram para 7-0. Carrais e Francisco Silva ainda reduziram para 7-2, mas não conseguiram fazer melhor e levaram embora uma pesada derrota. A sorte foi que a casa é “mesmo ali ao lado”.

A 19.ª jornada disputarase a meio da semana anterior, com a deslocação dos homens de Nuno Resende a Tomar, onde venceram a equipa local por 2-3. Apesar do favoritismo dos forasteiros, o SC Tomar não se atemorizou e até acabou por pregar um valente susto aos unionistas, quando inaugurou o marcador aos sete minutos de jogo por Ivo Silva. A Oliveirense era a equipa com um maior pendor ofensivo, mas a verdade é que os anfitriões não davam espaços na defesa. Mas Poka lá encontrou um ‘buraco de agulha’ por onde fez passar o esférico, até bater nas redes de Fábio Guerra. Empatada a contenda, a Oliveirense subiu as linhas e sufocou a defensiva local – a qual voltou a distrair-se e a permitir a Tó Silva fazer um belo golo. O Tomar não baixou os braços e o esforço foi premiado com o 2-2, conseguido por João Lomba, que rematou forte para uma defesa em que Diogo Ameida aertou na bola, mas sem conseguir evitar que fizesse um arco e entrasse na baliza da Oliveirense. No regresso dos balneários para o segundo tempo, o Tomar poderia ter voltado a entrar por cima, mas Nuno Domingues, ao cobrar uma grande penalidade, enviou a bola ao ferro. Seria Gonçalo Alves a desfazer a igualdade, com uma excelente iniciativa individual a levar o resultado para o 2-3. Logo depois, assina um falhanço numa grande penalidade que poderia ter saído caro, se Ivo Silva tivesse marcado na cobrança do livre direto que sancionou a 10.ª falta da UDO.


DESPORTO

21

Terça-feira, 11 de março de 2014

HÓQUEI EM PATINS> II DIVISÃO SUL

Escola Livre de Azeméis perde pontos preciosos em casa E. L. AZEMÉIS, 5 A.D. OEIRAS,6

Alfredo Pinho

Escola Livre: Hélder Cereja (G. Redes); Pedro Silva (1); Ricardo Bastos, José Rodrigues, Bruno Andrade (1). Jogou ainda: Hugo Drumond (3) A.D. Oeiras: Hugo Silva (G. Redes); Tiago Gouveia; Marco Gatinho (4); Diogo Tocha (1); Tiago Nogueira (1). Jogaram ainda: Paulo Tembo, Paulo Rosa Jogo no Pavilhão Escola Livre de Azeméis Árbitros: António Santos e Paulo Almeida

Jogo de emoções fortes, este último sábado, em Oliveira de Azeméis, no Pavilhão da ELA, emblema que cedeu os três pontos em disputa à equipa visitante, da AD Oeiras. Na verdade, na primeira parte até pareceu que os anfitriões tinham a partida controlada. Marcaram primeiro, logo aos oito minutos, e o resultado foi aguentado até faltarem cerca de dois para o final

As emoções estiveram ao rubro neste encontro da ELA com a AD Oeiras

da primeira metade. No regresso dos balneários tudo parecia transformado. O Oeiras entrou praticamente a desfazer a igualdade para 1-2, e no mesmo minuto aponta o 1-3. Os homens da casa não pouparam esforços a tentar retomar algum controlo so-

bre as operações, mas estava difícil de ‘encarreirar’. Faziam tudo bem, mas era na finalização que estava o problema, pois era cada ‘tiro, cada canela’, uma vez que o esférico morria sempre nas pernas dos adversários quando era disparado na direção da baliza. Aos cinco minutos jogados

na primeira parte, entrou mais um na baliza da ‘Santinha’, e o resultado engordou para o 1-4 aos 19’57’’. Para desespero dos adeptos, o 1-5 foi feito 30 segundos depois. Mas quando Bruno Andrade – desta vez após 15 segundos – reduziu para 2-5, o pouco mas excelente público

que acorreu ao pavilhão voltou a animar-se, e com ele também os atletas galvanizaram-se. Aos 18 minutos para o final, a Escola Livre de Azeméis (ELA) poderia ter estreitado a diferença mas, em menos de um par de minutos, a ELA desperdiça um penálti e um livre direto – e da mesma forma, com o remate a sair totalmente ao lado. Mas no jogo em si, a ELA era – claramente – o melhor conjunto em campo. O guardião do Oeiras foi salvo oito vezes pelo poste, em remates que levavam mesmo o selo de golo. Com a contagem decrescente dos minutos, os visitantes apertaram a defesa e causaram imensas dificuldades de penetração aos Escolares. Ainda assim Hugo Drummond conseguiu fazer o 3-5 num golo soberbo, ao aproveitar um ressalto de uma bola mal defendida pelo guarda-redes visitante. A ELA ainda fez o 4-5, mas permitiu o 6-4 ao Oeiras. A dois minutos do final da partida, a Ela faz o golo o 5-6, resultado esse que se manteve até ao final da partida.

> VI CAMPEONATO DA LIGA  FASE REGULAR

Vitória preciosa, mas muito difícil Foto de Arquivo

Francisco Jordão (em grande forma), chegando ao intervalo já a vencer por um ponto (3940). Oliveirense: João Abreu (15); Aaron Fuller (19); João Soares (21); James Blasczyk Após o intervalo, denotan(8); e Renato Azevedo (3). Jogaram ainda: do alguma intranquilidade, a João Reveles (4); e Nelson Costa; - Treinador: Rui Alves Oliveirense teve pela frente um adversário que demonstrava Algés: Josimar Cardoso (4); Rui Quintino não querer sair derrotado de (7); João Santos (4); António Pires (10) e Henrique Piedade (4). Jogaram ainda – Oliveira de Azeméis. Com um Diogo Correia (5); Francisco Amiel (6); jogo mais esclarecido, teve em Francisco Jordão (17) Pedro Rocha (8) e Diogo Ventura (2). – Treinador: André Francisco Jordão um jogador Martins. exímio nos lançamentos de Jogo no Pavilhão Dr. Salvador Machadois pontos, acabando, mesdo, em Oliveira de Azeméis mo assim, por não ultrapassar Árbitros: Fernando Rocha, Nuno Monteia Oliveirense, que conseguiu ro e Jorge Cabral vencer o penúltimo período A Oliveirense acabou por conquistar a vitória num jogo Por períodos: 24-18; 15-22; 17-11; 14-16 (56-51). Perfeitamente justifidifícil com o Algés cável, face à diferença exibicional das equipas. Nos últimos dez minutos Justa vitória, mas bastante di- equipa da casa, que acabou por À entrada para o último pefícil, perante o Algés. A Olivei- ser mais consistente em termos da primeira parte, o técnico ríodo João Abreu, com grando Algés, André Martins, teve de mobilidade, conquistou 15 rense entrou melhor, deixou-se defensivos e ofensivos. O primeiro período foi ga- que retificar algumas situações pontos e Aaron Fuller, ao marultrapassar no segundo período e teve que se empenhar a fun- nho pela Oliveirense (24-18), e conseguiu recuperar passan- car 19 pontos e ao conquistar do, nos últimos segundos, para com João Soares a ser deter- do para a frente do marcador, 14 ressaltos, foi o jogador de conquistar um precioso triunfo. minante nesta vantagem dos devido á melhoria na defesa, eleição deste encontro, com tendo em conta a entrada de uma valorização de 27.0%. Um sucesso merecido da visitados.

OLIVEIRENSE, 70 ALGÉS, 67

Os últimos segundos foram jogados sob forte emoção, com João Soares e Aaron Fuller a continuar a aparecer em grande plano e a levarem a sua equipa à vitória, explorando as oportunidades que lhe foram concedidas no jogo interior, acabando João Abreu, com dois lances livres por consolidar á Oliveirense uma preciosa vitória, que não foi fácil de conquistar, com uma arbitragem perfeitamente isenta de erros. Para Hugo Matos, “não foi fácil esta vitória”. O adjunto do treinador principal da Oliveirense, Rui Alves, comentou que “sabíamos que para vencer teríamos que demonstrar caráter e garra, duas armas essenciais para se conseguir ganhar jogos e foi isso que aconteceu, perante uma equipa bastante forte e que tem demonstrado neste campeonato o seu real valor”. ADELINO RAMOS


22

Terça-feira, 11 de março de 2014

desporto

Columbófilia Columbofilia >Campeonato Distrital

Já começou a nova época No passado dia 03 de março, teve início a campanha desportiva da columbofilia do distrito de Aveiro, com solta em Évora. Já no último fim de semana, a modalidade esteve em alta em Viana do Alentejo.

Sociedade Columbófila de Macieira de Sarnes Viana do Alentejo Ordem de chegada 1.º Carlos Barbosa; 2.º e 7.º Augusto Pinho; 3.º Os Mirandinhas; 4.º Manuel Oliveira; 5.º José Costa; 6.º Artur Resende; 8.º e 10.º Ernesto Martins; 9.º Joaquim Rodrigues. Classificação Geral 1.º Joaquim Rodrigues, 700 2.º Carlos Barbosa, 684 3.º Artur Resende, 681 4.º Augusto pinho, 671 5.º Ernesto Martins, 667 6.º José Costa, 658 7.º Os Mirandinhas, 614 8.º Pombal Quinta Mouta, 613 9.º José Correia, 589 10.º Adelino Costa

Campeonato Feminino Ordem de chegada

5.º Manuel Ferreira Tavares, 191 10 Alfredo Oliveira; 4º Luís Miguel; 5º Alberto Azevedo; 6.º Albertino & Filho, 189 6º Nuno Calçada e 7º José 7.º Nelson Gomes Rocha, 168 Martins Santos 8.º Manuel J. Gonçalves, 164 10.º Luís Miguel Oliveira, 146 Classificação Geral 1º Alfredo Oliveira, 461 Viana do Alentejo 2º José Martins Santos, 456 Ordem de chegada 1.º e 7.º Albertino & Filho; 2.º 3º Luís Miguel, 427 Pombal Quinta Moutas; 3.º Ir- 4º Fernando Soares, 418 mãos Oliveira; 4.º António O. 5º Os Ribeiros, 411 Campos; 5.º Luís Rodrigo; 6.º 6º Rui Monteiro, 411 Artur Rocha; 8.º e 9.º Arlindo 7º Manuel Estrela, 386 Rocha; 10.º Luís M. Gonçalves 8º Carlos Silva, 372 9º Os Perigosos, 369 Oliveira. 10º Domingos P. Oliveira, 354 Classificação Geral 1.º Irmãos Oliveira, 403 Associação 2.º Albertino & Filho, 393 Columbófila 3.º Manuel Dias Castro, 352 Nogueirense 4.º Pombal Quinta Moutas, 342 5.º Serafim Santos Queirós, 342 Viana do Alentejo Ordem de Chegada 6.º Luís Miguel Oliveira, 328 1º, 4º, 5º, 6º e 9º Aureliano E. 7.º Arlindo Silva Rocha, 324 Aguiar; 2º Mário R. Sá; 3º e 10º 8.º Manuel J. Gonçalves, 313, Aureliano Azevedo & Filho; 7º e 9.º Nelson Gomes Rocha, 293, 8º Tiago Estrela 10.º António O. Campos, 268

Campeonato Feminino

1.º Esmeralda Silva; 2.º, 4.º e 10.º Maria Amália; 3.º Maria Ordem de chegada Lina; 5.º Bruna Costa; 6.º e 7.º Tatiana Barbosa; 8.º e 9.º Cris- 1.º Esmeralda Silva; 2.º, 4.º e 10.º Maria Amália; 3.º Maria Lina; tina Silva 5.º Bruna Costa; 6.º e 7.º Tatiana Barbosa; 8.º e 9.º Cristina Silva Classificação Geral 1.ª Cristina Silva, 248 Classificação Geral 2.ª Tatiana Barbosa, 248 1.ª Cristina Silva, 248 3.ª Georgina Rodrigues, 224 2.ª Tatiana Barbosa, 248 4.ª Bruna Costa, 217 3.ª Georgina Rodrigues, 224 5.ª Maria Lina, 215 4.ª Bruna Costa, 217 6.ª Maria Miguel, 215 5.ª Maria Lina, 215 7.ª Filipa Dias, 178 6.ª Maria Miguel, 215 8.ª Maria Fernanda, 162 7.ª Filipa Dias, 178 9.ª Isabel Pinho, 137 8.ª Maria Fernanda, 162 10.ª Maria Amália 9.ª Isabel Pinho, 137 10.ª Maria Amália

Centro Columbófilo de Cesar Évora Ordem de chegada

1.º, 2.º, 3.º e 7.º Irmãos Oliveira; 4.º António O. Campos; 5.º Serafim Queirós; 6.º Albertino & Filho; 8.º e 9.º Manuel Dias Castro; 10.º Manuel F. Tavares Classificação Geral 1.º Irmãos Oliveira, 209 2.º Serafim Santos Queirós, 195 3.º Manuel Dias Costa, 195 4.º António O. Rodrigues, 194

O Correio de Azeméis publica as classificações e faz votos para que a nova época decorra com espírito de aventura e entusiasmo.

Sociedade Columbófila de Fajões Évora Ordem de Chegada 1º, 4º, 5º, 9º e 10º Manuel Estrela; 2º e 6º José Martins Santos; 3º Alfredo Oliveira; 7º Carlos Silva e 8º Luís Miguel

Classificação Geral 1º Aureliano A. & Filho, 68 2º Mário R. Sá, 63 3º Aureliano E. Aguiar, 58 4º Tiago Estrela, 53

Associação Columbófila Vila Chá Viana do Alentejo Ordem de Chegada 1º Luís Silva; 2º, 7º e 9º Artur G. Conceição; 3º e 8º Armando Valente; 4º Augusto Costa; 5º António Rebelo; 6º Sebastião Valente e 10º Manuel Torres Classificação Geral 1º Luís Silva, 275 2º António Rebelo, 264 3º Manuel Torres, 262 4º Rufino Oliveira, 251 5º Artur G. Conceição, 215 6º Mário R. Sá, 203 7º Augusto Costa, 179 8º Armando Valente, 171 9º Augusto Aires, 168 10º Manuel Lopes, 154

tos Coelho; 5º Danilo Costa Resende; 6º Júlio Manuel Silva Miguel; 7º e 8º José Maria Sousa Lopes; 9º Jorge Miguel Santos Silva e 10º Capistrano Pereira Azevedo

Classificação Geral 1.º Arlindo P. Almeida, 464 2.º Hélio, Flávio, Paulo & Lopes, 450 3.º Francisco X. F. Paiva, 441 4.º Paulo M. S. Aguiar Costa, 425 5.º Manuel P. Brandão, 424 6.º Pedro Pires & Alice Venda, 412 7.º Miguel S. F. Almeida, 410 8.º Carlos Miguel B. Silva, 402 9.º Família Damas & Jorge, 372 10.º Soares & Fernandes, 342

Classificação Geral 1º Alfredo Silva C. Lassal, 512 2º Danilo Costa Resende, 485 3º Júlio Manuel S. Miguel, 473 4º Manuel Alberto S. Pereira, 471 5º José Maria Sousa Lopes, 460 Sociedade 6º Loja do Canário SAD, 435 Columbófila 7º Serafim Lopes S. Coelho, 433 de Azeméis 8º João & Nuno Marques 421 Viana do Alentejo 9º Américo A. A Almeida, 399 10º Alberto M. N. G Pereira, 394 Ordem de chegada 1.º Torcato Ribeiro; 2.º, 3.º e 10.º Sociedade F. Damas & Jorge; 4.º e 7.º AgosColumbófila Riba-Ul tinho Ferreira; 5.º, 6.º e 8.º Soares & Fernandes; 9.º Mário Sá. Évora Ordem de Chegada Classificação Geral 1º António Jorge; 2º, 4º e 5º 1.º F. Damas & Jorge Danilo Resende; 3º Alberto 2.º Soares & Fernandes Valente; 6º e 7º Ilídio Reis; 8º e 3.º Torcado Ribeiro 9º Júlio Miguel e 10º Loja Ca- 4.º António Rebelo nário SAD 5.º Rufino Oliveira 6.º Agostinho Ferreira Viana do Alentejo 7.º Miguel Almeida Ordem de Chegada 8.º João Assunção 1º Cândido Ferreira; 2º 9.º Mário Sá António Jorge; 3º Marco Cas- 10.º Aureliano Aguiar & Filho tro; 4º Loja do Canário SAD; 5º Pombal Ferreiras; 6º Viriato Duarte; 7º Joaquim Santos; Associação 8º Paulo Ricardo Silva; 9º José Columbófila de C. Godinho e 10º Pombal Fer- Carregosa reiras Évora Ordem de chegada Classificação Geral 1.º, 2.º, 9.º e 10.º Albino Aguiar 1º Danilo Resende, 789 Oliveira; 3.º, 4.º e 8.º António 2º António Jorge, 780 Valente; 5.º e 6.º Manuel Fer3º Loja do Canário SAD, 770 reira; 7.º Rui Soares. 4º Júlio Miguel, 761 5º Cândido Ferreira, 743 Viana do Alentejo 6º Marco Castro, 742 Ordem de chegada 7º Ilídio Reis, 731 1.º Leonel Almeida; 2.º, 4.º, 9.º 8º Rui Frio, 675 e 10.º Rui Soares; 3.º e 8.º Ma9º Manuel Soares, 671 nuel Ferreira; 5.º e 7.º Albino 10º Miguel Almeida, 663 Oliveira; 6.º António Correia

Grupo Os Unidos de Travanca

Classificação Geral 1.º Albino Aguiar, 285 Viana do Alentejo 2.º Manuel Ferreira, 278 Sociedade Ordem de chegada 3.º Rui Soares, 273 Columbófila Cucujães 1.º e 5.º Fernando da Silva Ro- 4.º António Valente, 242 drigues; 2.º e 7.º Manuel Pe- 5.º Leonel Almeia, 222 Viana do Alentejo reira Brandão; 3.º Júlio Soares 6.º Alfredo Pinho, 218 Ordem de Chegada Viana do Castelo Henriques; 4.º e 10.º Francisco 7.º Jorge Tavares, 149 1º e 3º Alfredo Silva Coim- Xavier F. Paiva; 6.º Jaime Go- 8.º António Pinho, 135 Ordem de Chegada 1º e 8º Fernando Soares; 2º Do- bra Lassal; 2º Loja do Canário dinho Silva; 8.º e 9.º Arlindo 9.º António Correia, 131 mingos Paiva Oliveira; 3º, 9º e SAD; 4º Serafim Lopes San- Pereira Almeida 10.º Manuel Neves, 82


desporto

Terça-feira, 11 de março de 2014

Liga Cabovisão> Oliveirense vem da Madeira com mais uma derrota

De novo a cair na tabela Foto Arquivo

I Distrital> 22.ª Jornada

Demasiado Pesado Gafanha, 4 At. Cucujães, 1 Gafanha: Batista, Cristiano, Mathieu, Pedro Rita (Leandro, 71’), Mark Vale (Daniel Guedes, 42’), Hugo Paulo, Nelson, Sidónio, Ricardo Sousa (Nuno Miguel, 80’), Célio Sousa, Yan – Treinador: Carlos Miguel. At. Cucujães: Pedro; Rebelo, João Lamas, Ricardo Nuno, Brinca (Puskas,78’), Canelas (Paivinha, 75’), Márcio, Litos, Roscas (Jorge, 66’), Casalinho, Hélder - Treinador: Durbalino Lima. Jogo no Complexo Desportivo do Gafanha Árbitro: Óscar Rocha Cartões amarelos: Mark Vale; Rebelo, Márcio e Roscas. Marcadores: Mathieu (05’ e 76’), Ricardo Sousa (60’), Daniel Guedes (90+1); João Lamas (70’)

Novo desaire para a União Desportiva Oliveirense, que acaba de ficar isolada com 32 pontos no penúltimo no lugar da tabela, ainda que a uma margem ligeira de descer ao estatuto de lanterna vermelha – o Atlético está em último, com 28. No passado domingo, na deslocação ao reduto do União da Madeira, os homens de Artur Marques foram discutir a 33.ª jornada da 2.ª Liga e trouxeram embora um desagradável 2-0, que só surgiu a 25 minutos do final. Após uma primeira parte equilibrada, ainda que sem grandes oportunidades de golo, o resultado chegou ao fim dos primeiros 45 minutos em branco, embora já tivesse ficado a impressão que os madeirenses eram o conjunto mais ameaçador dentro das quatro linhas. Manuel Fidalgo até assinou um falhanço clamoroso ao não conseguir uma emenda para golo, perante uma baliza totalmente aberta.

U. Madeira, 2 UD Oliveirense, 0 União da Madeira: Pedro Trigueira; Carlos Manuel, Zarabi, Roberto, Gil Barros, Toni (Calico, 90), Micael Babo (Rúben Andrade, 61), Hugo Morais, Choco (Santiago Silva, 58), Adilson e Miguel Fidalgo. (Suplentes: José Manuel, Calico, Ginho, Rúben Andrade, Ferrán Tacón, David Azin e Santiago Silva). - Treinador: Rui Râncio. Oliveirense: João Pinho; Carela, Sérgio, Banjai, Califo, Godinho (Ângelo, 86), Renan (Hélder Silva, 75), Zé Sousa (Carlitos, 65), Ely, Rui Lima e Yero. (Suplentes: Mamadu, Carlitos, Hélder Silva, Ângelo e Steven). - Treinador:Artur Marques. Jogo no Estádio do Centro Desportivo da Madeira, na Ribeira Brava. Árbitro: Jorge Ferreira (Braga). Cartões amarelos: Choco (17), Godinho (42), Renan (44), Califo (77) e Carela (83). Marcadores: Santiago Silva e Miguel Fidalgo.

Depois foi a vez de Rui Lima fazer tremer as hostes anfitriãs, ao cabecear certeiro, mas para uma defesa esforçada de Pedro Trigueira. Ainda assim, o maior ascendente ofensivo estava do lado dos insulares e, aos 43 minutos, Choco atirou à tangente do travessão de João Pinho. Depois de uma primeira parte em ‘branco’, Santiago Silva inaugurou o marcador para os anfitriões aos 64 minutos, cabendo a Miguel Fidalgo, aos 77’, dilatar a vantagem para os madeirenses e fixar o resulta-

Oliveirense sofreu novo desaire, desta feita, contra a U. Madeira; encontra-se, agora, no penúltimo lugar da tabela, com 32 pontos do final. No regresso para a segunda metade, o União da Madeira acabou por segurar com mais força o encontro, e aos 64 minutos o recém-entrado Santiago Silva assinou um golo acrobático, que desassossegou os comandados de Artur Marques. Três minutos depois, Califo poderia ter reposto a igualdade, contudo,Trigueira negou-lhe o golo e forma espetacular. Na procura do golo, a Oliveirense adiantou as suas linhas, o que facilitou que, num lance de contra-ataque, Fidalgo fizesse o 2-0. Aos 83’, o mesmo Fidalgo teve nos pés o 3-0, mas, ao cobrar o castigo máximo contra a União do Continente, não conseguiu desfeitear João Pinho. Ainda que sem baixar os braços, a UDO não conseguiu dar a volta ao texto e o apito final soou a anunciar a perda de pontos nas ilhas.

A jogar fora, frente a um candidato à subida, o Cucujães procurava manter o ciclo sem derrotas. Porém, o jogo não começou bem para os homens do Atlético Clube de Cucujães, que, logo aos 5’, viram o Gafanha chegar à vantagem com Mathieu, após livre da esquerda, a surgir de cabeça, batendo Pedro; reagiu o Cucujães e, aos 9’, Canelas foi derrubado na área. Na conversão do penálti, Márcio atirou ao lado. A equipa do Gafanha foi paciente e procurou criar perigo nas bolas paradas. Perto da meia hora, Hugo Paulo atirou ao poste, de cabeça; já perto do intervalo, o Cucujães voltou a estar perto do golo com Ricardo Nuno a rematar, com Batista batido, aparece um defesa da casa a salvar em cima da linha. Ao intervalo, o Cucujães merecia estar, pelo menos, empatado. Na segunda parte, o Gafanha entrou melhor e, aos 60’, Ricardo Sousa de livre fez o 2-0. O Cucujães reduziu, aos 70’, por João Lamas, após canto de direita, o Atlético acabou por ganhar novo ânimo. Contudo, aos 76’, Mathieu surgiu nas costas de defesa do Cucujães e, perante Pedro, fez o 3-1, que ‘matou’ o AC Cucujães, que veio a sofrer o 4-1 já nos descontos. No final, uma vitória que acaba por ser justa, embora por números enganadores. No próximo domingo, a equipa da Vila de Cucujães recebe o Mourisquense, num jogo muito importante para a concretização do objetivo dos homens de Durbalino neste campeonato. Sérgio Costa

23 > Núcleo de Treinadores de Futebol de Aveiro

Jantar do 17.º aniversário O Núcleo de Treinadores de Futebol de Aveiro leva a efeito um jantar/debate para comemorar o seu 17.º aniversário, no próximo dia 17, pelas 20h00, no restaurante ‘O Rancho’, em Escapães, concelho de Santa Maria da Feira (Rua de Cima, junto ao pavilhão desportivo). A participação está aberta a todos os fundadores, antigos dirigentes, sócios, treinadores e outros agentes desportistas e desportistas em geral. Para mais esclarecimentos e inscrições (até ao próximo dia 14), contate: 911 172 976 (presidente, José Luís Correia) ou emails jose. soarescorreia@hotmail.com ou nucleoaveiroantf@gmail. com.

> Clube Desportivo de Loureiro

Jantar assinala 17.º aniversário O Clube Desportivo de Loureiro (CDC) promove, no próximo sábado, dia 15, um jantar comemorativo do seu 17.º aniversário. O convívio realiza-se na Quinta do Torreão, em Cucujães, com início marcado para as 20h00. Para celebrar esta efeméride, os jovens atletas e dirigentes desta associação loureirense convidam amigos e apoiantes para se associarem a esta confraternização, pois a presença de todos nós só dignificará a cerimónia e dará ânimo para a continuação da formação dos jovens futebolistas do CDC. Os interessados em participar podem contatar o clube através do telemóvel 917 514 816.


24

Terça-feira, 11 de março de 2014

DESPORTO

FUTEBOL> CN SENIORES  SUBIDA

Cesarense garante três pontos com golos de luxo Foto DR

FC CESARENSE, 5 SC S. JOÃO DE VER, 2 FC Cesarense: Marco ©; Tiago Silva (Diogo Mota, 9’), Tiago Resende, Marquitos, Tó Frangolho (Américo, 86’), João Pinto, Bruno Anciães, Oliveira, Castro, Alex, Zé Mário (Pedro Nunes, 77’). - Treinador Luís Miguel. SC S. João de Vêr: Pedro Albergaria, Márcio (Vítor, 80’), Cancela, João Correia (Cândido Costa, 66’), Ruben Gomes, Júlio, Rui Lopes, Vítor Hugo, Machadinho, Rui Silva ©, Xavier (Leo, 34’). - Treinador: Francisco Batista. Jogo no Estádio do Mergulhão, em Cesar Árbitro: Leonardo Marques (AF Aveiro), auxiliado por Bruno Silva e Luís Branco Marcadores: Bruno Anciães (13’, 27’), Leo (48’), Ruben Gomes (50’), Castro (61’), Diogo Mota (82’) e Alex (85’) Cartões Amarelos: Marquitos (49’), João Correia (60’), Rui Silva (64’) e Vítor Hugo (80’)

Um grande espetáculo de Futebol no Mergulhão

Para esta partida, ‘fruto’ de alguns castigos e lesões, Luís Miguel teve necessidade de fazer algumas adaptações na equipa, para além de ter convocado o júnior João Marques.

chegar à baliza de Marco com perigo. O primeiro ameaço pertenceu mesmo aos forasteiros, logo aos 8’, com Júlio, já na área do Cesarense, a não dar o melhor seguimento e a permitir a defesa de Marco. O Cesarense respondeu de imediato, de lance de bola parada, com Zé Mário a cruzar R. CASTRO para a área adversária, mas com Diogo Mota a não conO Cesarense entrou bem no seguir cabecear com eficácia jogo, mas com o SJ Vêr sem- para golo. Este tinha acabado pre muito atrevido a procurar de entrar para substituir o le-

sionado Tiago Silva. Aos 13’, primeiro golo do Cesarense e da partida: Num ataque rápido dos alvi-negros, Alex recebeu a bola e, com muita mestria e oportunidade isolou Bruno Anciães, que, na cara do guarda-redes, inaugurou o marcador. Bruno Anciães viria, novamente, a marcar aos 27’ e outra vez com Alex na assistência. Já na área, este colocou a bola para trás, onde surgiu Bruno Anciães, que, com calma, colocou a bola no fundo da baliza

de Pedro Albergaria. A partida chegou ao intervalo com o Cesarense a jogar simples, rápido e bem, o que lhes permitiu uma vantagem confortável. No reatamento, o SJ Vêr entrou mais objetivo e agressivo. Logo aos 48’, na sequência de um livre, a bola foi colocada na área, onde surgiu Leo a cabecear para golo. Dois minutos depois, as coisas complicam-se para o Cesarense, com Rúben Gomes a empatar a partida, aproveitando algu-

ma confusão na área da equipa da casa. À passagem dos 52’ reclama-se grande penalidade a favorecer o Cesarense, por bola na mão de um defensor adversário, mas a equipa de arbitragem não sancionou. Na sequência de um canto, aos 61’, a bola chegou à área do SJ Vêr, com o guarda-redes a socar para a frente. A bola caiu nos pés de Castro, que, com um remate certeiro, conseguiu fazer passar a bola por entre algumas pernas e fazer golo. O Sj Vêr procurou responder, de novo, à situação de desvantagem. Aos 75’, Marco realizou uma portentosa defesa a remate forte e colocado de Rui Lopes. Diogo Mota, numa jogada rápida de transição da defesa para o ataque, ‘matou’ o jogo ao marcar um bonito golo em jeito, tirando o guarda-redes adversário do alcance da bola. Já perto do apito final, Alex carimbou de vez esta importante vitória do Cesarense ao, numa jogada plena de insistência individual, marcar também um bonito golo. Excelente partida realizada pelo FC Cesarense com muitos e extraordinários golos, apesar de, nesta fase, Luís Miguel estar a ser confrontado com muitas limitações no plantel.

CN SENIORES - MANUTENÇÃO> JÁ VÃO CINCO GRANDES PENALIDADES FALHADAS ESTA ÉPOCA

Bustelo cede novo empate em casa lo não foi além de novo empate, pese embora tenha sido superior ao seu opositor e tenha desperdiçado algumas boas Bustelo: Janita; Paivinha, Renato,Luís, Aloportunidades para garantir meida (Muge, 86’); Azevedo (Bruno Tiago, 63’), Diego (Nani, 70’), Marcelo, Miguel os três pontos. Soares, Miguel e Ayrton. A equipa da casa não enLusitano Vildemoinhos: Nuno, Marco trou muito bem na partida: Almeida (Wilson, 74’), Lay, João Paulo, Algo ansiosos e nervosos, os Belo, João Costa (Johnny, 41’), Álvaro, visitantes conseguiram ser um Costa, Diogo Brás, Carlitos e Marcel. pouco superiores no primeiro Jogo no Estádio da Quinta do Côvo, em quarto de hora. Bustelo Árbitro:Tiago Antunes (Coimbra) A partir daqui o Bustelo Cartões amarelos: Diogo Brás (3’), Álvaro equilibrou o encontro e foi (15’), Luís (37’), Ayrton (39’), Costa (46’ e 63’), Azevedo (51’), Diego (54’), Lay (60’ e quando atravessava o melhor 66’), Marcelo (65’), Miguel Soares (83’), período que surgiu o golo Bruno Tiago (85’), Nuno (90’+1), Johnny inaugural, por parte dos fo(90’+3) e João Paulo (90’+4). Marcadores: Costa (25’) e Miguel (35’) rasteiros, quando nada o fazia prever: É que a defensiva local, mais uma vez, demonstrou Neste segundo encontro em grande serenidade e eficácia e casa, na segunda fase, o Buste- foi apenas num lance de bola

S.C.BUSTELO, 1 L. VILDEMOINHOS, 1

parada que acabou por ceder, já que o tento dos visitantes resultou de um livre bombeado para a área onde surgiu um jogador a desviar a bola para o fundo da baliza, enganando Janita que nada podia fazer. A partir do golo, os comandados de Miguel Oliveira reagiram de uma forma mais evidente e, por diversas vezes, chegaram com perigo à área visitante, sendo que, num desses lances, após uma excelente jogada de envolvimento e de insistência por parte dos locais, surgiu o golo do empate, com Paivinha a cruzar para a área onde apareceu Miguel a cabecear para o golo, concluindo da melhor forma uma bela jogada.

Até ao intervalo os locais poderiam ter chegado à vantagem, contudo foi na segunda metade que surgiu a melhor oportunidade do encontro na sequência de uma grande penalidade que a equipa Bustelense não soube aproveitar. Desta vez foi Ayrton a permitir a defesa ao guardião contrário que efetuou uma bela defesa, sendo que no entanto começa a ser preocupante o facto de, esta época, o Bustelo já ter desperdiçado cinco grandes penalidades e concretizado apenas duas, o que já custou alguns pontos na tabela classificativa. Falhada a grande penalidade, tornou-se mais difícil aos locais chegarem com perigo à

baliza visitante, já que a equipa adversária, a jogar com menos duas unidades, fechou-se bem na sua retaguarda e com uma defensiva bem organizada dificultou bastante a tarefa Bustelense. Os anfitriões, jogando mais com o coração do que com a cabeça, não conseguiram ter o discernimento necessário para chegar à vantagem, mesmo jogando em vantagem numérica. Foi um resultado penalizador para o Bustelo, pois teve hipótese de manter as distâncias para os últimos lugares. Pelo contrário, viu os seus opositores aproximarem-se na classificação antes de mais uma difícil deslocação a Grijó na próxima jornada.


DESPORTO

25

Terça-feira, 11 de março de 2014

II DISTRITAL> PALMAZ ‘SAI DE CENA’ APÓS PRIMEIRO GOLO SOFRIDO

Psicologicamente de rastos Após fim de semana de pausa para a realização de mais uma eliminatória da Taça Distrital, o futebol regressou a Palmaz. Cumprindo a 21.ª jornada da série B da II Distrital, o Furadouro deslocou-se até ao pelado do Parque Desportivo de Palmaz, super moralizado, após vitória caseira, por 6-0, perante o Vista Alegre. RENATO BASTOS

Os homens da casa ainda não puderam contar com a presença do lesionado Hélio e de Fabrica, indisponível por motivos pessoais, contando, assim, para este encontro, com 14 jogadores. Com Jorge regressado à baliza, o Palmaz pretendia fazer tudo por tudo para regressar às vitórias, algo que já não se verificava desde o final de dezem-

ADRC PALMAZ, 0 CD FURADOURO, 5 Palmaz: Jorge; Dani, Pileca, João, Gil (Nico, 73’), Magalhães ©, Vilas, Cláudio (Xami, 57’), Ricardo Ribeiro, Fábio (Chiva, 70’) e Mário Lima. - Treinador: António Valente Furadouro: Carlos; Fábio, Nuno, João, Paulo (Rui, 77’), Maganinho © (Óscar, 62’), André Gomes, Ruben, Humberto (Mauro, 20’), André Félix e Luís. - Treinador: Ângelo Resende Jogo no Parque Desportivo de Palmaz, Oliveira de Azeméis Árbitro: Carlos Novais, auxiliado por Paulo Cardoso e Mário Pinto Marcadores: Pileca (a.g.); André Gomes; André Félix e Luís (2)

O Palmaz tem mostrado dificuldade em correr contra as adversidades

bro transato. Com uma boa entrada em jogo, nos primeiros minutos, o controlo do mesmo pertenceu aos visitados. No entanto, ao quarto de hora, o Furadouro adiantou-se no marcado após corte defeituoso de Pileca, na sua pequena área, para a sua própria baliza na sequência de um cruzamento da direita, junto à linha de fundo. Novo jogo onde o Palmaz cedo se viu a perder e onde, novamente, a equipa se “desfez” psicologicamente!

Na jornada passada, foram três golos sofridos em 5 minutos, nesta, pese embora mais espaçados, até ao intervalo o Furadouro somou mais 2 golos ao placar. Durante esse período a equipa palmacense eclipsou-se do jogo. Não sendo capaz de encadear um par de passes de qualidades e não saindo do seu meio campo defensivo, o Palmaz entregou em bandeja de ouro o jogo aos homens de Ângelo Resende que, com qualidade à mistura, fizeram o melhor pro-

veito da oferta. No início do segundo tempo, viu-se, novamente, um Palmaz mais acutilante. Fixando-se no seu meio campo ofensivo, conseguindo pontapés de cantos e sacando algumas faltas, levantava-se uma réstia de esperança relativamente ao encurtar do marcador. No entanto, não passaram de sete/oito minutos com este panorama. Quebrando física e animicamente, ao não aproveitar as ocasiões criadas, o Palmaz voltou a ausentar-se da

partida. Até final, foi um jogo sem história, no qual o Furadouro se superiorizou com normalidade e conseguindo avolumar o resultado para os 0-5 finais. Mais uma vez se provou que não é a falta de qualidade técnica dos homens de António Valente que está na base destes resultados desnivelados, mas tão só uma incapacidade gritante para lidar com a adversidade e correr atrás dos resultados negativos. Na próxima semana, nova jornada a ser disputada em Palmaz, com a receção ao Vista Alegre.

II DISTRITAL – SÉRIE A> MACIEIRENSE VENCE ARGONCILHE COM UM GOLO SOLITÁRIO

Regresso aos triunfos fora de portas ARGONCILHE, 0 MACIEIRENSE, 1

Foto DR

Argoncilhe: João, Luís, Ricardo, João Tavares, Rogério (André, 81’), Tiago, Elson (Rui Gonçalves, 87’), Hélder, Rui, Miguel e Tiago Neves (Pedro, 75’). - Treinador: Freitas Macieirense: Hugo, Bernardo, Moisés, Xavi, Brunito, Samu, Lúcio, Miguel (Fabito, 87’), Ruben, Catrina (Zé, 83’) e Marcelo (Sérgio Gomes, 55’). - Treinador: Miguel Tavares Jogo no Campo do Centro Social de Argoncilhe, St.ª Maria da Feira Cartões amarelos: Moisés (27’), Rogério (44’) e Hugo (81’) Marcador: Ruben (45’, g.p.)

Um golo solitário de Ruben, em cima do intervalo, permitiu ao Macieirense regressar às vitórias fora de casa, algo que não acontecia desde a visita a Caldas S. Jorge a 16 de novembro. Este encontro teve duas partes bem distintas: Se na primeira, o jogo foi entretido, com várias ocasiões para cada lado, no segundo tempo, o esférico andou, quase sempre, longe das duas balizas. O primeiro

Depois dos incidentes verificados na oitava jornada, nos próximos três jogos, a casa do Macieirense passará a ser o Campo das Cruzes, em Fajões

lance de perigo pertenceu à equipa da casa e surgiu, aos 13 minutos, na sequência de uma perda de bola dos visitantes a meio-campo, contudo, Hugo, com uma excelente defesa com os pés, negou o golo a Miguel. Logo a seguir, Xavi desmarcou Catrina, que tentou surpreender João, mas sem sucesso. Pela amostra dos minutos

iniciais, a partida não defraudou as expetativas dos adeptos mais otimistas, no entanto, o caudal ofensivo não ficou por aqui. Ao longo da etapa inicial, as oportunidades surgiram com alguma frequência, em ritmo de parada e resposta, mas só em cima do minuto 45, a bola, efetivamente, fez balançar as redes, neste caso, da baliza dos

anfitriões. Ruben, na marcação de um castigo máximo cometido sobre Catrina, não falhou, fazendo, assim, o seu primeiro golo ao serviço da formação de Macieira de Sarnes. Nos segundos 45 minutos, o Argoncilhe entrou mais pressionante na partida mas também com mais agressividade, o que motivou algumas pequenas picardias entre os jogadores. Já do outro lado, os forasteiros optaram por um futebol mais pragmático e de maior contenção, por forma a manter o equilíbrio posicional de cada setor da equipa. Porém, só à passagem do minuto 70, surgiu um lance de algum perigo, com Sérgio Gomes a rematar à figura de João. Nos últimos 10 minutos, o Argoncilhe, em virtude do maior domínio na posse de bola, esteve perto de marcar, em duas ocasiões. Primeiro, Miguel, na marcação de um livre frontal, rematou perto do travessão e, já em período de descontos, Tiago atirou a rasar o poste.

Os três pontos acabam por ser um prémio justo para a boa organização revelada pelo Macieirense, principalmente, quando se encontrou em vantagem no marcador. Na sequência da interrupção do dérbi, referente à 8.ª jornada, entre o Macieirense e o Real Nogueirense, a A.F. Aveiro decidiu punir, ambos os clubes, com a derrota por 3-0 e com a interdição de três jogos dos respetivos terrenos de jogo, para além da correspondente multa. A equipa de Macieira de Sarnes vai, então, passar a jogar no Campo das Cruzes em Fajões, a começar já, no próximo domingo, na receção ao Caldas S. Jorge. Por fim, o Macieirense vem agradecer a todos os que contribuíram para o seu habitual sorteio de Carnaval e, portanto, aqui ficam os números dos vencedores, que têm até ao dia 06 de abril para reclamarem os respetivos prémios: 1.º 919, 2.º 961 e 3.º 958. PAULO RUI


26

Terça-feira, 11 de março de 2014

DESPORTO

FUTEBOL FEMININO> CONVÍVIO

> 2.ª EDIÇÃO SOLTEIROS VS CASADOS

Atletas e pais do FC Cesarense num dia diferente

“A jogar estás a ajudar o Grupo Desportivo Fajões “

Os solteiros voltaram a perder contra os casados

Animação e boa disposição foram o ‘prato do dia’

No passado sábado, a equipa técnica e diretiva do FC Cesarense feminino sub-18 promoveu um animado convívio entre as suas atletas e respetivos encarregados de educação.

gos das suas filhas, desta vez, puderam experimentar a modalidade e colocar em prática as suas capacidades. Do convívio fizeram parte um jogo entre os pais e atletas, para além de uma animada série de penaltis. Apesar das nossas atletas terem disputado um jogo frente um conjunto adversário diferente do habitual, no final, o resultado sorriu para a equipa ROSÁRIO SANTOS feminina. O resultado, como é Os pais das atletas que, óbvio, pouca importa assiduamente, têm acom- e o que, realmente, fica panhado os treinos e jo- desta iniciativa acima

de tudo é o convívio entre todos os intervenientes e a importância cada vez mais crescente do acompanhamento dos filhos e da sua vida, quer no desporto, quer em outras atividades em que os mesmos estejam inseridos. No final, ainda houve lugar a um lanche entre todos, onde reinou mais uma vez a animação e boa disposição. Todos os participantes estão de parabéns, pelo que ficou a promessa de que mais ações como esta se voltarão a repetir.

No passado dia 01 de março, realizou-se a 2.ª edição de Solteiros vs Casados, no Campo das Cruzes em Fajões. A organização esteve a cargo do Grupo Desportivo de Fajões (GDF), que, com este evento, quis juntar, mais uma vez, a população fajoense e angariar mais fundos para ajudar o GDF. Estava um dia triste, pois a chuva não parava de cair, mas isso não fez com que os atletas solteiros e casados, que confirmaram a sua presença, não deixassem de aparecer e praticar um

excelente jogo de futebol, onde se viveu o jogo e onde a alegria de jogar e o fair play se impuseram. Os solteiros alinharam com Márcio, Marco Pimenta, Filipe Ramos, Filipe Pereira, Filipe Soares, Fábio Xavier, Pedro Nuno, Ricardo Herói, Nuno GRAU, Carlos Conceição, Gil, Márcio, Ricardo Conceição, Hélder, Paulo, Francisco e Salvador. Do lado dos casados, entraram em campo António Mendes, José Alves, José Maria, Daniel ‘Velhote’, Filipe ‘Jacó’, Rui Pinho, Ma-

galhães, Pauleta, Jorge, Fernando Pinho, Ricardo Emanuel, Jorge Sá, Julinho, Paulo Laranjeira, Manuel Lopes e Sérgio ‘Fajoval’. Além de se divertirem a fazer o seu desporto favorito, estes desportistas ajudaram mais uma vez o Grupo Desportivo Fajões. O resultado é o menos importante, embora a verdade seja que as duas edições foram ganhas pelos casados. Quem vencerá a próxima? “Participa e vence”, desafia o GDF JÚLIO PINHO

> FORMAÇÃO

Primeira Vitória dos Benjamins do Grupo Desportivo Fajões

> REPRESENTAM O EMBLEMA DO CESARENSE

Ângela e Mariana na Seleção Distrital de Aveiro sub16 A dedicação dos petizes fajoenses foi compensada com uma vitória fora de portas

O FC Cesarense Feminino Sub18 tem duas atletas na Seleção Distrital de Sub16 da AF Aveiro. Ângela Cardoso e Mariana Almeida são as duas re-

presentantes do emblema do Cesarense. O próximo treino é já na quarta-feira, frente ao C. Albergaria, com vista à representação da Sele-

ção Distrital no Torneio InterAssociações Sub/16 Femininos – Fut7 Parabéns às atletas alvinegras. ROSÁRIO SANTOS

Foi com o belo sol do dia 08 de março que os benjamins deslocaramse a Válega (Ovar) para mais uma jogo da Série GOLD/E. Os meninos de Oliveira de Azeméis fizeram um jogo muito dedicado, muito intenso e no fim do qual, graças à entrega e vontade demonstradas, conseguiram uma vitória merecida, pelo bom desempenho de todos os atletas. Jogaram Rui Filipe,

Diogo António, Ruben Silva, Ricardo Oliveira, Alexandre Martins, Pedro Matos, Ruben Oliveira, Tiago Pinho, Miguel Azevedo, Xavier Correia, João Sousa, Rafael, orientados pelos Treinadores Júlio Pinho e Jorge Sá e, claro, os diretores Rui Correia e Armando Santos. Esta vitória por 1-2, feita com dois bons golos e construída através de boas prestações, desde o guarda-redes aos avançados,

constituiu uma enorme alegria para os jogadores, equipa técnica, diretores e pais dos atletas. O GDF aproveita para pedir reforços para o conjunto, pelo que apela ao interesse dos meninos entre os 4 e os 6 e os 8 e os 11 anos de idade. “Precisamos de vocês para continuar a vencer e, claro, dar continuidade a este projeto”, apela a direção do GDF. JÚLIO PINHO


DESPORTO

27

Terça-feira, 11 de março de 2014

FUTSAL FEMININO> MAIS UMA CONQUISTA PARA O PALMARÉS DO GRUPO CULTURAL E RECREATIVO DE OSSELA

Ossela fica com a Supertaça Depois da equipa do Always Young se sagrar campeã distrital e o Ossela ter ganho a Final Four, este sábado, disputou-se, no Pavilhão da EB 2,3 de Lourosa, a Supertaça Feminina em Futsal. Perspetivava-se um grande jogo, pois iriam estar frente a frente duas excelentes equipas que queriam mostrar a sua superioridade. Para este jogo, as osselenses contaram com um reforço, Di Max, (ex-Mogeje), que veio dar mais consistência à equipa. Como era de esperar, o jogo começou com alguma cautela, por parte das duas equipas, mas, mais uma vez, foi o conjunto osselense a pegar na partida e a criar situações de golo, só que Andreia ia negando. Com o decorrer do jogo, dava para ver que a equipa campeã ia, mais uma vez, fazer o seu jogo, ou seja, esperar pelo erro osselense. E isso

A equipa de futsal feminina do Ossela acaba de conquistar a Supertaça

acabou por dar frutos, já que à passagem do minuto 9 a melhor marcadora do campeonato, Cláudia, fez dois golos, colocando a sua equipa na frente do marcador, ainda que com alguma injustiça. De imediato, foi pedido o minuto de desconto para serenar as osselenses e até ao intervalo o marcador não se alterou.

Isto, não por falta de ocasiões de golo, mas sim porque pela frente estava uma guardiã muito inspirada. Na etapa complementar, a maneira de jogar não se alterou e, aos cinco minutos, Marta fez o 2-1. Só que, no minuto seguinte, Fátima aproveitou mais uma perda de bola do Ossela e ampliou para 3-1, fa-

zendo, logo de seguida, o 4-1, por Cátia. O vencedor do encontro parecia estar encontrado, mas ainda faltava muito jogo e a equipa osselense queria mostrar a toda a gente que era superior ao Always Young. Tó Pacheco colocou de imediato o 5-4 e, em pouco mais de dois minutos, chegou à igualdade,

com um golo de Bárbara e outro de Marta. As osselenses continuaram a jogar em 5-4 e numa perda de bola Cátia colocou, novamente, o Always Young na frente. O jogo estava com uma intensidade louca, o que começava a fazer mossa na equipa campeã, que não tem um plantel tão equilibrado. Assim, nos últimos cinco minutos, as mulheres de Ossela não só chegaram ao empate (por intermédio de Bárbara), como poderiam ter chegado à vitória no cair do pano: Ao segundo poste, Diana, com algum azar, não acertou com a baliza. Partiu-se, então, para o prolongamento. Com a equipa osselense mais fresca, não se estranhou que o golo acontecesse: Filipa colocou, pela primeira vez, o seu conjunto na frente do marcador, para delírio dos adeptos. Até ao final do jogo e sem que as campeãs do Always Young conseguissem reagir, o Ossela ainda marcou mais dois golos: Um por Bárbara e outro, mesmo ao som da buzina, por Marta, que colocou o marcador em 5-8.

FUTSAL> FORMAÇÃO

Juniores de Ossela campeões distritais Após duas épocas em que se sagraram vice-campeões de juvenis, no primeiro ano em que os comandados de Joel Santos subiram a juniores ,viram o seu trabalho e a sua dedicação serem compensados com o título de campeões distritais. Num campeonato dividido nas séries norte e sul, foi possível assistir a um campeonato muito disputado e equilibrado onde se destacaram seis equipas. Na zona Norte, o acesso à fase dos primeiros teve como protagonistas quatro equipas: Ossela, Crecor, Juventude de Fiães, e Saavedra Guedes, mas, no final, foram o Ossela e o Crecor a conseguirem o acesso à fase onde se disputaria o acesso à Taça Nacional e o título de campeão distrital Já na zona Sul Covão Lobo e Beira Mar travaram entre si, sem grandes problemas, o mesmo acesso à fase dos primeiros. Para esta fase de apuramento de campeão, os jovens de Ossela não tiveram qualquer derrota, contando

da, de parabéns, pois foram protagonistas de um percurso excecional durante toda a época, tendo sido campeões de Série (1.ª fase do campeonato), com a melhor defesa e o terceiro melhor ataque, não contabilizando qualquer perda de pontos em casa. Já na fase de apuramento de campeão, os jovens oliveirenses não sofreram qualquer derrota e voltaram a contar com a defesa menos batida e o segundo melhor ataque. Para estes atletas, a época ainda poderá trazer mais alegrias: Com o primeiro lugar garantido, assegurado está, também, o acesso a disputar a Supertaça Distrital que irá opor o campeão distrital e o Os juniores do Ossela viram o seu trabalho e a sua dedicação serem compensados com o campeão da Taça Distrital. título de campeões distritais Contudo, neste momento a equipa já está de olhos poscom dois empates e quatro bas as equipas tinham em um grande jogo de futsal, o tos nos confrontos que estão vitórias. Foi um campeonato jogo a disputa do campeona- empate a três bolas designou para vir na Taça Nacional, difícil e muito competitivo to, sendo que o Ossela partia que a equipa orientada por prova para a qual prometem onde só na última jornada o com alguma vantagem tanto Joel Santos se sagrasse cam- dignificar o melhor possível campeão foi encontrado. pontual como de diferença peã. o nosso distrito, pelo terceiro Para a Taça Nacional, am- de golos. No fim, e depois de Os jovens estão, sem dúvi- ano consecutivo.


28

Terça-feira, 11 de março de 2014

necrologia/PUB.

5.º Aniversário Lutuoso - 13/03/2014

Maria da Conceição Rosa dos Santos - Pindelo -

A morte levou aquela que tanto amávamos. Mas a sua memória ficará sempre no nosso coração Pela passagem do 5.º aniversário do falecimento de Maria da Conceição Rosa dos Santos, sua família recorda-a com profunda e eterna saudade.

1.º Aniversário Lutuoso - 08/03/2014

António Jorge Correia dos Santos - Pindelo -

“Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente? ... Tu chamarás e eu mesmo te responderei”

A Franklim Prata energia pretende recrutar Comerciais/Coordenador Comercial (m/f) para desenvolver actividade na área de gás natural/electricidade no âmbito da Liberalização do Mercado Função: - Prospecção, angariação de novos Clientes Requisitos: - Excelente capacidade de comunicação e Boa fluência verbal; - Orientação para objectivos; - Residentes nos concelhos de Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, São João Madeira e arredores. Ofertas: - Integração num projecto ambicioso e exigente com parceiro de referência nacional; - Remuneração de acordo com a actividade desenvolvida e objectivos concretizados; - Formação em Vendas, negociação e Coaching personalizados;

Eterna saudade de esposa, filhos, nora e restante família e amigos.

Enviar Curriculum Vitae para: cv@franklimprata.com; identificando o perfil ao qual se candidata

Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis

Assembleia-Geral Ordinária Convocatória No termos do art.º 24º, n.º 2, alínea b) dos Estatutos, convoco os Irmãos da Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis para reunirem-se em assembleia-geral ordinária, no dia 28 de março de 2014, pelas 20h00, no salão nobre da Misericórdia, na Rua da Abelheira, n.º 571, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apresentação, discussão e votação do relatório e contas da gerência de 2013 e do parecer do conselho fisca; 2. Debate de qualquer outro assunto de interesse para a vida da Santa Casa da Misericórdia. O relatório e contas da gerência de 2013 e o parecer do conselho fiscal poderão ser consultados pelos Irmãos na secretaria a partir do próximo dia 21 de março, durante as horas de expediente. Se no dia e na hora para que são convocados não houver número legal de Irmãos (mais de metade dos Irmãos com direito a voto), a assembleia funcionará uma hora depois, em conformidade com o n.º 1 do Art.º 26º. Oliveira de Azeméis, 07 de março de 2014 A presidente da assembleia-geral (Maria Manuela Conceição Antunes)

C. A. n.º 4548 de 11/03/2014

MANUEL AUGUSTO ESTEVES RAPOSO NOTÁRIO EM ESTARREJA JUSTIFICAÇÃO

Certifico, narrativamente, para efeito de publicação, que por escritura de Justificação, lavrada em cinco de Março de dois mil e catorze, no Cartório Notarial do Notário Manuel Augusto Esteves Raposo, sito na Rua Manuel Lopes Rodrigues, n.º 6, na cidade e no concelho de Estarreja, e exarada a folhas 18 e seguintes, do livro de notas para escrituras diversas com o número 107 – E, Sérgio Manuel Soares de Oliveira, NIF 206 875 363, casado no regime da comunhão de adquiridos com Sónia Patrícia Alves de Oliveira, NIF 238 139 700, natural da freguesia de Salreu, concelho de Estarreja, residente na Rua dos Barreiros, n.º 19, Beduído, Estarreja, por não possuir título suficiente que legitime o seu direito, invocou a aquisição, por usucapião, do seguinte bem imóvel, de que é dono e legítimo possuidor com exclusão de outrem: PRÉDIO RÚSTICO, sito em Murteira, freguesia de Loureiro, concelho de Oliveira de Azeméis, composto por pinhal com a área de dois mil novecentos e sessenta metros quadrados, a confinar do norte com Albino da Silva Vidigueira, do sul com limite da freguesia e concelho, do nascente com Joaquim Rodrigues de Pinho e do poente com António de Sousa Marques Figueira, inscrito na respectiva matriz, em nome do justificante (um terço), de José Maria de Oliveira e Sousa (um terço) e da herança de Ana Rosa de Oliveira e Sousa (um terço), sob o artigo 894, com o valor patrimonial de IMT e atribuído de mil e quarenta euros e setenta cêntimos, omisso na Conservatória do Registo Predial de Oliveira de Azeméis. Está conforme o original. Estarreja, cinco de março de dois mil e catorze. O NOTÁRIO (Manuel Augusto Esteves Raposo) Conta registada sob o n.º 424 C. A. n.º 4548 de 11/03/2014

Tribunal Judicial de Oliveira de Azeméis 1.º Juízo Cível

Anúncio Processo: 207/14.3TBOAZ Interdição/Inabilitação

N/Referência: 4429719 Data: 24-02-2014 Requerente: Ministério Público Requerido: Álvaro Jesus Santos

Associação de Melhoramentos Pró-Outeiro Assembleia-Geral Convocatória

Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal, a ação de Interdição/Inabilitação em que é requerido Álvaro Jesus Santos, nascido em 20-11-1938, natural de Macieira de Sarnes, filho de Manuel Alves dos Santos e de Maria Rosa de Jesus, com última residência na Rua da Devesa, 66 3700 Macieira de Sarnes e actualmente acolhido na Instituição O Mágico, Centro de Apoio Social, Cultural e Recreativo, Rua do Cortinhal, N.º 325, 3750-309 Águeda, para efeito de ser decretada a sua interdição por anomalia psíquica. Passei o presente e outro de igual teor para serem afixados. O Juiz de Direito, Dr.(a). Nuno Fernando Sá Couto Martins da Cunha O Oficial de Justiça, Julia Costa

Nos termos dos estatutos desta associação, convocamse os ex.mos senhores associados, a reunirem-se em assembleia-geral ordinária, no próximo dia 28 de março de 2014, pelas 20h00, na sede da instituição com a seguinte ordem de trabalhos: 1- Apreciação e votação do relatório de contas e parecer do conselho fiscal relativo ao ano de 2013; 2- Outros assuntos de interesse. Se à hora indicada não se verificar quórum, esta assembleia terá início meia hora depois, às 20h30, com qualquer número de associados. O presidente da assembleia-geral Fernando Dias Brandão C. A. n.º 4548 de 11/03/2014

C. A. n.º 4548 de 11/03/2014

Tribunal Judicial de Oliveira de Azeméis

2.º Juízo Cível ANÚNCIO Processo: 189/14.1TBOAZ Interdição/Inabilitação N/Referência: 4442427 Data: 04-03-2014 Requerente: Maria Isabel Henriques Gomes Amorim Interdito: Maria Isabel Henriques

Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal, ação de Interdição/Inabilitação em que é requerida Maria Isabel Henriques, com a última residência em Carregosa – 3720-000 Carregosa e atualmente no Lar da Santa Casa da Misericórdia de São João da Madeira, para efeito de ser decretada a sua interdição por anomalia psíquica. A Juiz de Direito, Dr(a). Liliana da Silva Sá O Oficial de Justiça, Isabel Pinho C. A. n.º 4548 de 11/03/201

N.º 1 em alarmes Proteção Interior e Exterior

sos para idosos

CRA com avisos à polícia/ INEM Nuno Jesus: 914 452 696 nuno.jesus@securitasdirect.pt


Geral/pub.

29

Terça-feira, 11 de março de 2014

UF PB/P. Bemposta> Instituições de apoio à terceira idade organizaram baile e concurso de máscaras

Mais de cem idosos mascararam-se para comemorar o Carnaval No passado dia 28 de fevereiro, à tarde, houve bastante folia carnavalesca no salão polivalente da sede da União das Freguesias de Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz, na vila pinheirense. A iniciativa partiu do Centro Social Paroquial de Pinheiro da Bemposta (CSPPB) e da Associação de Solidariedade Social de Loureiro (ASSL) – ambas instituições de apoio à terceira idade do

concelho, uma de Pinheiro da Bemposta e a outra de Loureiro - e consistiu num baile e num concurso de máscaras, tendo em vista a comemoração do Carnaval. Por falar em concurso de máscaras, o mesmo contou com uma numerosa e animada participação dos idosos, ao ponto de o júri, constituído pelas animadoras do CSPPB e da ASSL, ter tido “sérias dificuldades para selecionar os concorrentes

vencedores”. “Dificuldades” à parte, os primeiro e segundo prémios lá acabaram por ser atribuídos ao Centro Social Dr.ª Leonilda Aurora Silva Matos (Fajões) e o terceiro à Obra Social de S. Martinho da Gândara. Nota ainda para a muita dança que houve e que deixou os mais de cem seniores, mascarados a rigor, com vontade de que estas festas se repitam. PUB

4.º Aniversário Lutuoso - 08/03/2014

Jacir de Siqueira - 72 Anos

Que a estrada se abra à sua frente. Que o vento sopre levemente às suas costas. Que o Sol brilhe morno e suave em sua face. Que a chuva caia de mansinho em seus campos… E até que nos encontremos de novo, que Deus o guarde na palma de suas mãos.

A família de Jacir de Siqueira, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada no sábado, na igreja matriz de Ul.

Manuel Castro Ribeiro

De sua esposa, filhos, noras e netos, eterna saudade.

António de Jesus Rodrigues Nunes - 78 Anos (F. 07-03-2014) - Pinheiro da Bemposta -

A família de António de Jesus Rodrigues Nunes, sensibilizada e reconhecida com todas as provas de carinho e pesar recebidas aquando do seu falecimento. Participa que a missa de 7.º dia será celebrada na quinta-feira, na igreja matriz de Pinheiro da Bemposta. Funerária José Pina Lda. - Praça José da Costa nº 107 – 3720-217 -Oliveira de Azeméis - R. Visconde n. 2259 – 3700-269 S. João da Madeira - Tel. 919743670 e 256682116 - E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

Maria Izabel de Lima - 90 Anos - Bustelo -

Seus filhos, noras, genro, netos, bisnetos e demais família agradecem, reconhecidamente, a todas as pessoas que acompanharam as cerimónias fúnebres, assim como a missa de 7.º dia, ou que, de outra forma, lhes manifestaram o seu pesar. Agência Funerária Beira-Mar – Rua Conde Santiago de Lobão, n.º 230 – Oliveira de Azeméis Filial: Rua S. João Baptista (Lugar da Igreja) Loureiro – Telf.: 256 682 905 * Telm.: 917 533 018 (24 horas)

Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fajões

Convocatória Ao abrigo da competência que me é conferida pela alínea a), n.º 1 do artigo 26.º dos Estatutos desta associação, convoco a assembleia-geral anual para o dia 31 de março de 2014, pelas 20h30, a realizar no seu auditório, com a seguinte ordem de trabalhos: 1- Apreciação e votação do relatório de atividades e contas do exercicio findo, bem como parecer do conselho fiscal; 2- Deliberar sobre outros assuntos de interesse para a associação. Será facultada, no prazo estatuário, a todos os associados interessados a consulta de todos os elementos de suporte relativos aos pontos da ordem de trabalhos na secretaria da associação durante as horas de expediente. Se à hora marcada não se encontrar presente a maioria absoluta dos associados, a assembleia-geral será reiniciada decorridos trinta minutos, independentemente do número de associados presentes. Fajões, 09 de março de 2014 O presidente da mesa da assembleia-geral (Fernado Manuel Gomes Pais Ferreira, Dr.) C. A. n.º 4548 de 11/03/2014

(F. 06-03-2014) - Ul -

Funerária José Pina Lda. - Praça José da Costa nº 107 – 3720-217 -Oliveira de Azeméis - R. Visconde n. 2259 – 3700-269 S. João da Madeira - Tel. 919743670 e 256682116 - E-mail: funerariajosepina@hotmail.com

Celeste Gomes da Rocha - 79 Anos - Barreiro-Nabais-Escariz -

Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres realizadas em Nabais, no passado dia 10 de março, ou que, de outra forma se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia em sufrágio pela sua alma que será celebrada na Capela de São Pedro de Nabais, no próximo dia 15 de março, pelas 19h30. Funeral a cargo de Alcino & Filho, Serviços funerários e lutuosos www.alcinoefilho.com tel: 256412007 – 917571219


30

Terça-feira, 11 de março de 2014

necrologia/PUB.

4.º Aniversário Lutuoso - 13/03/2014

1.º Aniversário Lutuoso - 09/03/2014

Filipe da Costa Marcelino

Palmira Rosa Correia

- Rua da Restauração-Chão da Silva-Carregosa -

- Costeira-Carregosa -

A morte levou aquele que nós tanto amávamos, mas a sua memória ficará para sempre no nosso coração. Passados quatro anos desde a sua partida para a morada eterna, a família recorda-o com profunda saudade Será celebrada missa em sua memória, pelas 16h00, no próximo sábado, dia 15 de março, na igreja matriz de Carregosa.

Mãe, faz um ano que partiste Muitas saudades deixaste Partiste para a companhia do Senhor

Teus filhos pedem a Deus que te cubra com um monte de luz da Virgem Maria. Seus filhos, genros, noras, netos e bisnetos.

8.º Aniversário Lutuoso - 10/03/2014

3.º Aniversário Lutuoso - 13/03/2014

Maria Fernanda Teixeira da Silva Cereja

Evaristo da Silva Pinho

- Oliveira de Azeméis Parece que foi ontem, mas já lá vão três anos que sem ti ficamos. A dor que em nossa casa entrou E em nós uma grande saudade ficou.

- Santiago de Riba-Ul Longe ou perto de ti, Estamos sempre a recordar Estás à beira de Jesus, Onde um dia te iremos encontrar

Seu marido, filho, nora e neta recordam-na com profunda e eterna saudade. Mandam cele­brar missa em sufrágio pela sua alma, no dia 13 de março, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis.

3.º Aniversário Lutuoso - 14/03/2014

Manuel José Sá Couto Costa Santos

Sua esposa, filhos, genro, nora e netos recordam-no, com profunda e eterna saudade. Mandam cele­brar missa em sufrágio pela sua alma, no dia 15 de março, pelas 18h00, na igreja matriz de Santiago de Riba-Ul.

- Oliveira de Azeméis -

No dia em que se completa o 3.º aniversário sobre o seu falecimento, sua esposa, filhos, nora, netos e demais família recordam, com profunda saudade, este seu ente querido. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma no próximo dia 14 de março, pelas 19h30, na igreja matriz de Oliveira de Azeméis.

Leónia da Silva Pinho - 83 Anos

1.º Aniversário Lutuoso - 11/03/2014

Ernestina Oliveira Costa

- Rua da Costa - Carregosa

Sua família vem, por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres realizadas em Carregosa, no passado dia 06 de março, ou que, de outra forma, se lhe associaram na dor. Renova profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia de 7.º dia, em sufrágio pela sua alma, que será celebrada na igreja matriz de Carregosa, no próximo dia 14 de março, pelas 19h00.

- Santiago de Riba-Ul -

Guardamos a tua imagem Ver jamais te veremos. Apesar da distância, nós nunca te esqueceremos. Sua família recorda-a com profunda e eterna saudade. Manda cele­ brar missa em sufrágio pela sua alma, no dia 13 de março, pelas 19h00, na Capela do Senhor da Campa.

Funeral a cargo de Alcino & Filho, Serviços funerários e lutuosos www.alcinoefilho.com tel: 256412007 – 917571219

Liga dos Amigos do Hospital de Oliveira de Azeméis Convocatória

Ao abrigo dos artº 23º, artº 28º, artº 29º, artº 30º e artº 34º, dos Estatutos da Liga dos Amigos do Hospital de Oliveira de Azeméis, convoco todos os sócios para se reunirem em assembleia-geral ordinária, a realizar no próximo dia 28/03/2014, pelas 20h30, no salão da ­União das Freguesias de Oliveira de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Ul, Macinhata da Seixa e Madail, sito na Feira dos Onze, com a seguinte ordem de trabalhos: 1- Apreciação, discussão e votação do Relatório e Contas do exercício do ano 2013. 2- Outros assuntos de interesse para a Liga. De acordo com o parágrafo 2 do artº 31º dos Estatutos, se à hora marcada não estiver presente a maioria dos sócios, a assembleia-geral reunirá, ao fim de meia hora, com qualquer número de presenças. Oliveira de Azeméis, 27 de fevereiro de 2014 O presidente da assembleia-geral Arqº Gaspar André Domingues C. A. n.º 4548 de 11/03/2014

Centro de Apoio Familiar Pinto de Carvalho Assembleia-Geral Ordinária Convocatória

Ao abrigo do Artº 29, ponto 2, alínea c) dos Estatutos, convocam-se todos os associados desta instituição para a assembleia-geral ordinária, que terá lugar pelas 20h00, no próximo dia 14 de março de 2014, na sede à Rua Padre Manuel José Oliveira, n.º 80, desta cidade de Oliveira de Azeméis. 1- Apreciação, discussão e votação do relatório e contas da direção, referente ao exercicio de 2013, assim como o relatório do conselho fiscal. 2- Outros assuntos de interesse para a intituição.

Longe ou perto de ti estamos Sempre a recordar-te com saudade Até um dia, quando todos nos encontrarmos

De acordo com as disposições estatutárias, Artº. 31, ponto 1, se à hora indicada não estiver presente o número de associados previstos, a assembleia-geral ordinária iniciar-seá uma hora depois da inicialmente marcada, com qualquer número de associados presentes. Oliveira de Azeméis, 27 de fevereiro de 2014 O presidente da assembleia-geral (Dr. António Alberto Vieira Dias) C. A. n.º 4548 de 11/03/2014

Misericórdia da Vila de Cucujães Convocatória

A Misericórdia da Vila de Cucujães, de acordo com o es­ tipulado no art. 30º dos seus Estatutos, convoca os Irmãos para a assembleia-geral a realizar no dia 31/03/2014, pelas 21h00, na sede da instituição, com a seguinte ordem de trabalhos: Ponto 1- Aprovação e votação das contas de gerência relativas ao exercício de 2013; Ponto 2- Outros assuntos de interesse para a instituição. Se à hora marcada não se verificar quorum, esta assembleia funcionará 30 minutos mais tarde com qualquer número de Irmãos. Vila de Cucujães, 28 de fevereiro de 2014 O presidente da assembleia-geral Arlindo Conceição Gomes Correia C. A. n.º 4548 de 11/03/2014

Banda de Música de Loureiro Convocatória

Nos termos dos Estatutos da Banda de Música de Loureiro, convoco os sócios desta Banda de Música, para uma assembleia-geral ordinária a realizar no dia 22 de março de 2014, pelas 20h30, na sede desta coletividade, com a seguinte ordem de trabalhos: 1 - Leitura e votação da ata da última assembleia-geral. 2 – Apresentação e votação do relatório e contas do exer-

cício de 2013. 3 - Apreciação e votação do plano de atividades e orçamento para o ano de 2014. 4 - Meia hora para discutir assuntos de interesse para a coletividade. Se à hora designada para o início da reunião, não estiver presente a maioria dos associados, a assembleia iniciarse-á uma hora depois, com qualquer número de sócios presentes, conforme o estipulado nos Estatutos. Loureiro, 05 de março de 2014 O presidente da mesa da assembleia-geral Mário Alberto Pires Lopes C. A. n.º 4548 de 11/03/2014

COOPERATIVA ELÉCTRICA DE LOUREIRO, C.R.L. Convocatória

Nos termos dos Estatutos desta Cooperativa, convoco todos os Cooperantes a reunirem-se em assembleia-geral ordinária, no próximo dia 29/03/2014, pelas 10h00, na Sede da Cooperativa Eléctrica de Loureiro, C.R.L., situada na Rua Dr. Sá Carneiro, n.º 830 e com a seguinte ordem de trabalhos: Ponto 1 (um) – Leitura e votação da acta anterior. Ponto 2 (dois) – Apresentação, discussão e votação do Relatório e Contas do exercício de 2013. Ponto 3 ( três) – Trinta minutos para discutir assuntos de interesse para a Cooperativa. Se à hora marcada não estiver presente o número legal de Cooperantes, a assembleia funcionará meia hora mais tarde com qualquer número de presenças. Loureiro, 03 de fevereiro de 2014 O presidente da mesa da assembleia-geral José Queirós Tavares C. A. n.º 4548 de 11/03/2014


PUBLICIDADE MIGUEL SANTOS

Santo Expedito

Meu Santo Expedito das causas justas e urgentes, socorre-me nesta hora de aflição e desespero, interceda por mim ao Senhor Jesus Cristo, vós que sois o Santo dos desesperados e das causas urgentes. Proteja-me e dai-me força, coragem e serenidade. Atenda o meu pedido... Devolva-me a paz, atendendo ao meu pedido... com urgência. Serei grato para o resto da minha vida e levarei o seu nome a todos os que tiverem fé. Rezar um Pai Nosso.

Nova Gerência

Animação com música em cafés

Com aparelhagem incluída Preço económico

917 670 443

Executamos todo o tipo de serviços funerários

Contatos: Ramiro Alves: 912 696 282 | Alice Carvalho: 912 474 743 Cucujães

ALUGA-SE

Fábrica de Calçado com sede em S. Roque - OAZ pretende admitir (m/f):

no Curval (P. Bemposta)/Coche

OPERADOR DE CAD-CAM COM EXPERIÊNCIA

Habitação térrea

C/ 2 quartos, cozinha completa, sala, casa de banho c/ hidromassagem, lavandaria, 1 pátio coberto.

250 euros

Contato: 918 416 667

Favor contatar: TLM 919 832 285 / 918 208 895

NARCISO FBP IMOB. - IND. S. Roque Aluga Escritórios - Lojas - Pavilhões

Telem.: 935 130 880

Faça-se assinante do Correio de Azeméis

Ligue-nos: 256 049 890 VENDEM-SE Apartamentos

Acabados de construir

Com empréstimos a 100% Com taxa de juro especial p/ empréstimo

963 021 817 DÃO-SE EXPLICAÇÕES Em casa ou ao domicílio Contato:

967 691 914 827 121 698

31

Terça-feira, 11 de março de 2014

Telepizza S. João da Madeira/Fajões

ADMITE (M/F)

Operador de Loja Distribuidor com carta de mota Part-time Contatar: 256 887 083 Líder mundial no fornecimento de sistemas de Injeção implementado em mais de 35 países

Deseja reforçar a sua equipa comercial e procura

Um Técnico Moldes de Injeção ou Técnico de Máquinas de Injeção para Portugal

Sua missão : • Desenvolver e fomentar a relação com o cliente (injetores, fabricantes de moldes & Gabinetes de Desenho) • Instalar os sistemas de injeção nas instalações do cliente • Assegurar o serviço pós-venda do sistema de injeção • Assistir aos arranques de produção nas fábricas de teste ou centros de produção • Visitar os clientes Perfil : • Dinâmico, motivado, autónomo & sério • Ter noções de afinação de parâmetros de injeção será uma mais-valia • Ter experiência técnica em produção ou fábricas de testes • Dominar o Inglês & o Francês Enviar CV e carta de motivação por e-mail para: mastip-portugal@mastip.fr


32

Terça-feira, 11 de março de 2014

EMPRESAS&EMPRESÁRIOS

> CC CLÍNICA EM OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Um conceito inovador de prevenir e tratar a doença Com base na experiência adquirida, nomeadamente no Porto, cidade onde se formou e trabalhou, e na constatação da inexistência de um espaço que albergasse dois conceitos de medicina conciliáveis, e feito o estudo do projeto, delineadas as metas e escolhidos os profissionais para as diversas áreas, a jovem empresária da CC Clínica abriu portas à entrada (Sul) de Oliveira de Azeméis, no início deste mês. A aposta estava na criação de um espaço onde possa encontrar-se uma equipa multidisciplinar com o objetivo de promover os bons hábitos de saúde dos oliveirenses, com possibilidade de prevenção e tratamento de doenças, conciliando a medicina alopática e as terapias não convencionais (TNC). Além disso, foi criada a disponibilidade de um espaço para formação, com workshop’s e palestras direcionadas para a temática da saúde. Rodeada de familiares, amigos, convidados e colaboradores, Catarina Correia inaugurou, no passado dia 03 de março, a CC Clínica e orientou a visita guiada pelas várias salas que a clínica ocupa. Trata-se de um espaço alegre e sóbrio, deixando antever o cuidado de personalizar as diversas áreas, quer de prevenção, quer de tratamentos. Porém, afirma Catarina Correia, com o curso de Medicina Tradicional Chinesa, Acupuntura, “o que queremos implementar é, além da consciência de uma medicina preventiva, uma forma diferente no tratamento de diversas patologias, embo-

Cuide de si... Cuide da sua saúde... Cuide do seu bem-estar...

Uma equipa dinâmica e com muito entusiasmo para o atender e cuidar do seu bem-estar geral. Visite-a na CC Clínica.

Ao centro, o representante da Câmara, vereador Isidro Figueiredo, ouve atentamente a apresentação da CC Clínica pela sua promotora, Catarina Correia

> WORKSHOP DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL: ‘PARE, SINTA E SABOREIE… OLHE PARA SI, CUIDE DE SI, VIVA POR SI!’

Um novo olhar… No próximo dia 15 de março, pelas 15h00, ao longo de 90 minutos, a vida dá-lhe uma oportunidade para escutar, partilhar, sentir e desenvolver o melhor que há em si. ra tenhamos também áreas dedicadas a tratamentos de SPA e a Fitness”. Nesta clínica, “a pessoa pode vir tratar não só do físico, mas também da mente, fomentando sempre o bemestar geral. No entanto, a nossa meta é proporcionar excelentes cuidados de saúde, educando e estimulando

Será um trabalho vivencial, integrador de variadas experiências, técnicas e exercícios. Requisitos: Desejo de autoconhecimento, de desenvolvimento pessoal e de compromisso com a própria vida. Desejo de Ser Feliz. É necessário levar roupa confortável, disponibilidade e motivação. A entrada é gratuita. Inscrição obrigatória.

a prevenção… por isso, vão ser promovidos workshops e feitas palestras sobre temas mais diversificados”. A título de exemplo, está já marcado para 15 de março um workshop de Desenvolvimento Pessoal (ver caixa), “que pretende ensinar as pessoas a desfrutar do momento, do agora, pois é muito

difícil - com a vida agitada que as pessoas levam - parar e olhar para a realidade da vida; precisamos de encontrar respostas e saber ultrapassar as dificuldades que nos surgem”. Áreas de ação Encontram-se na área de terapias, já em funcionamen-

to: Medicina Tradicional Chinesa (Acupuntura); Ospeopatia; Naturopatia; Homeopatia; Reiki; Shiatsu; Psicologia; Hipnose Clínica; Podologia; Nutrição; Terapia da Fala; Psicomotricidade; Fisioterapia Especializada; Estética Avançada; Serviços de enfermagem. Na área de SPA, sobressai Ritual Delícia de Cacau, Ritual Oriental; Massagem Zen; Massagem com Pedras Quentes. E, na área de Fitness, Pilates Clínico e Yoga para bebés, crianças, adultos e séniores. Entre os convidados, em representação da Câmara Municipal, marcou presença o vereador Isidro Figueiredo, que se manifestou satisfeito pela criação deste espaço em Oliveira de Azeméis “destinado à prevenção de desgastes psicológicos e outros, e para recuperar forças físicas que, no dia a dia que vivemos de stresse permanente, vão surgindo”. “Por aquilo que me apercebo e da realidade que conheço - prosseguiu o autarca - na região há espaços que têm algumas destas valências, mas não estão tão completos e tão personalizados como o que pude ver aqui com várias valências, e onde se podem encontrar várias respostas para o bem-estar da saúde, física e mental. Faz todo o sentido, é um espaço condigno, um espaço que as pessoas devem procurar não só para cuidar da doença, mas sobretudo para a prevenir e encontrar uma resposta para o seu bem-estar físico e mental”. A CC Clínica está situada na Rua Santo António, Edifício São Pedro 1011 r/c dt.º, em Macinhata da Seixa, junto à rotunda Sul do Intermarché de Oliveira de Azeméis. Para marcações, inscrições, etc. pode ser utilizado o telefone n.º 256 107 915 ou o endereço electrónico geralccclinica@gmail.com


11 03 2014