Page 1

PUBLICIDADE

SEMANÁRIO

FUNDADO EM 05 DE OUTUBRO DE 1922 DIRETOR ANTÓNIO MAGALHÃES SUB DIRETOR EDUARDO COSTA Nº 4465 - 10 DE JULHO DE 2012 PREÇO 0,50 € (IVA INCLUÍDO) www.correiodeazemeis.pt Taxa Paga | Devesas - 4400 V. N. Gaia | Autorizado a circular em invólucro de plástico fechado | Autorização n.º 5804/2002 DCP-2

89

Distinguido pelo Governo com Diploma de Louvor de Mérito Jornalístico e Empresarial da Comunicação Social Regional e Local

> NESTA EDIÇÃO:

> COM SETE CARAS NOVAS E DOIS EXJUNIORES

Oliveirense apresenta plantel para a nova época

> NO PRÓXIMO ANO LETIVO 2012/2013

Página 21

Ensino secundário em São Roque e Cucujães

> CERIMÓNIA CONTOU COM PRESENÇA DO SECRETÁRIO DE ESTADO DO ENSINO

Página 04 > ASSUNTO ‘VEIO À TONA’ NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Reorganização Administrativa Territorial vai avançar

Página 06

>NO DESPORTO

CAP’s da região norte tomam posse em Azeméis

- Jovens de S. Roque vingam na Seleção, FC Porto e Sporting - Nogueirense precisa de apoios para terminar obras no campo

Página 09

Páginas 22, 23 e 25

design mundografico.com.pt

COLOQUE A SAÚDE DA SUA FAMÍLIA PRIMEIRO.

Medicina Dentária • Clínica Geral • Medicina Interna/Consulta da obesidade • Pediatria • Cirurgia Geral • Cardiologia • Ortopedia • Podologia • Nutrição •

ESPECIALIDADES

PUBLICIDADE

• Acupuntura • Enfermagem Geral • Enfermagem de Reabilitação • Medicina Estética • Pressoterapia • Radiofrequência facial e corporal • Massagem Terapêutica • Análises Clinicas • Eletrocardiograma

Rua de Samil, nº 815 | 3720-715 São Roque OAZ | tel. 256 413 113 | mail. cmsroque@sapo.pt

CLÍNICA MÉDICA DE

SÃO ROQUE


02

Terça-feira, 10 de julho de 2012

POESIA

ABERTURA

POSTAL DA SEMANA

Moro na Os 5 mil euros minha aldeia Desta aldeia que não conheceis Vinde ver o que a nossa terra produz Onde nasce tudo aquilo que comeis E quem trabalha até não ter mais luz Minha aldeia é tão bonita... Nela toda a gente se conhece Que pensa ser pobre mas é rica Abençoada terra onde tudo cresce Afeiçoa-se ao amor dos pobres Dorme em profunda tranquilidade É minha aldeia que alimenta os nobres E até os que a trocaram pela cidade São suas palavras o trabalho Os frutos o seu bom povo cultiva Que conhece cada caminho e atalho Da “banda de baixo e da banda de riba”

EDUARDO OLIVEIRA COSTA

“Gostava de contribuir para a dívida de Portugal, emprestando 5 mil euros, mesmo sem juro. Não o posso fazer!” Ouvi isto de um aposentado do ensino, que fazia uma palestra. De facto, se contribuíssem dois milhões de portugueses a viver no país e um milhão a viver no estrangeiro, isto dava uma soma de 15 mil milhões de euros! Uma das vantagens da Itália, por exemplo, é que a dívida do Estado está quase toda em mãos de italianos e não de especuladores estrangeiros! Por exemplo, em vez de retirar os subsídios a toda a gente, se o Governo transformasse esse valor em empréstimo com um juro baixo, a revolta de cada um seria seguramente menor. Pelo menos, sabíamos que mais cedo ou tarde, receberíamos esse valor, que estava a render e era nosso, apesar de

não podermos dispor dele. Mas, já não nos sentíamos roubados! Ora, vejamos estas contas: isto devia dar qualquer coisa como… (vou ver o site da Prodata…) 10 mil milhões por ano. E se ainda fizéssemos como em França, que vão taxar em 75% os salários acima de determinado e alto valor, isto daria (vou a site…) mais uns 3 mil milhões. Tudo junto, o Estado encaixava empréstimos de cerca de… (vou ao site da estatística nacional…) 30 mil milhões por ano! Ora bem, isto queria dizer que em… (calculadora…) sete anos, a dívida de Portugal ficava na mão dos portugueses! Não precisávamos de estender a mão ao estrangeiro e ter que permitir que os credores nos governassem (como acontece com qualquer falido)! Poupando ainda uma pipa de massa em juros!

Terra que miuto dá e pouco recebe Em troca talvez de alguns chiscos Na terra aplainada assim se escreve Os pobres... é que alimentam os ricos Minha aldeia nunca amaldiçoa Gente com outro pensar ou maneira Nossa gente é simples, corajosa e boa Mora no coração e nunca à sua beira ÁLVARO OLIVEIRA COSTA SILVA

ESTANTE

Não Quero Dizer-te Adeus David Baldacci Não quero dizer-te adeus é sobre o destino de uma família marcada pela perda e salva pelo amor. Centrado na resiliência espiritual de um pai e na revelação do amor que une uma família, neste e no outro mundo, Não quero dizer-te adeus está predestinado a tocar profundamente o coração dos seus leitores. Jack enfrenta uma doença terminal e os médicos não lhe dão qualquer esperança de cura. Jack passa então os últimos dias a preparar-se para a iminente despedida da sua família: a esposa, Lizzie, e os seus três filhos. Então, inesperadamente, a tragédia volta a atacar: Lizzie morre num acidente de viação…

Neste jazigo, em Carregosa, repousam os restos mortais de Sebastião José Vasques (1825 – 1884) e de Eduarda Elisa Sousa Vasques (1844 – 1910), que terão sido, talvez, os maiores beneméritos na longa história da jovem vila. Para além de outras generosidades, deve-se-lhes a oferta do primeiro edifício escolar, majestoso e avançado para a época e ainda hoje ao serviço da comunidade; também o Asilo de Nossa Senhora das Dores, um sonho lindo e uma conhecida frustração. Para muitos, o exemplo de vida destes amigos de Carregosa deveria conceder-lhes o direito a um mais cuidado arranjo da última morada.


ABERTURA

EDITORIAL

SEMÁFORO

Que mais irá acontecer? A Imprensa apresenta-nos diariamente, em grandes títulos, situações da mais aviltante rapinagem. Os relatórios do Tribunal de Contas são arrasadores. Na Escola D. João de Castro as obras não eram feitas, mas eram pagas… e, ao que parece, custaram ao erário público três milhões de euros. Num outro estabelecimento de ensino, no Liceu Passos Manuel, o simples trabalho de retirar quadros de ardósia custou três mil euros. Multiplicam-se as derrapagens. O dinheiro esvaiu-se… Agora é o caso deplorável dos cinquenta médicos – ou talvez mais! – com a Polícia Judiciária a filmar a entrega de luvas. Por cada caixa receitada, naturalmente dos produtos mais caros, alguns médicos receberiam 50 euros. As receitas seriam depois aviadas em farmácias que efectuavam as vendas a “doentes-fantasma” e os produtos voltavam a entrar no mercado nacional ou seguiam para a exportação. Entretanto, o Serviço Nacional de Saúde comparticipava a 90%, ou quase, várias vezes a mesma embalagem. Fala-se numa fraude de 50 milhões, há quem admita aproximar-se dos 100. Naturalmente, conforta-nos saber que a esmagadora maioria dos nossos médicos é constituída por cidadãos competentes, da maior idoneidade, tão impolutos como incapazes de se envolverem nestas redes para atafulhar os bolsos. De vez em quando, chegam-nos mais novidades acerca do estafado caso BPN, que alguns consideram o maior escândalo financeiro da nossa história; conhece-se apenas um arguido propriamente dito, apesar de morar em todos a convicção da existência de vários outros por aí à solta, intocáveis tal como os seus patrimónios aparentemente fraudulentos e mudados de nome… e a quem o mais certo é nada acontecer. Há poucos dias, acresceu a informação de que, em vários institutos públicos, os principais responsáveis se recusaram a promover os cortes nos vencimentos e nos subsídios. Diz-se que vão ser chamados a repor o que receberam ilegitimamente, embora poucos acreditem nisso. Mas mesmo que respeitem a intimação, a uma desobediência destas não deveria corresponder imediatamente a demissão? Até ao momento, nem uma palavra se ouviu. Parece crescer preocupantemente o número de aderentes a um chavão que pretende denunciar a fortaleza perante os fracos e a fraqueza diante dos fortes. A leitura da Imprensa dos últimos tempos da I República fala-nos de vários sectores do povo que abominavam os partidos políticos, considerados grandes responsáveis pelo estado de ruína em que o país caíra. Sussurros destes vão hoje engrossando o tom da voz.

www.correiodeazemeis.pt geral@correiodeazemeis.pt

Fundador: BENTO LANDUREZA (1922) SEDE: Edifício Rainha, 8º piso Telefs. 256049890 • Fax: 256046263 3720 OLIVEIRA DE AZEMÉIS Horário de 2ª a 6ª • 9.00/18.30H Assinatura anual : (C/IVA 6%) (Entre Douro e Vouga) 20,00 (Resto do País) 22,50 (C/IVA 6%) (Europa) 65,00 (C/IVA 6%) (Resto do Mundo) 97,00 (C/IVA 6%)

Terça-feira, 10 de julho de 2012

ANTÓNIO MAGALHÃES

Senhora do Carmo A capela da Senhora do Carmo, em Cidacos, foi construída, em 1749, pelo Padre Manuel Dias de Carvalho, bacharel formado em cânones, da chamada “casa da botica”. Interrompida durante vários anos, a festa em honra da Senhora do Carmo, no multissecular lugar de Cidacos, regressou pela vontade da população, galvanizada pelo entusiasmo de D. Isabel Maria de Amador Valente Calejo. Aos 263 anos de vida, a velha capelinha será palco, no próximo fim-de-semana, da festividade em honra da sua padroeira. Com redução dos custos, que os tempos impõe-na. Para que a tradição não morra!

A tomada da Bastilha Celebra-se no próximo sábado o dia grande da República Francesa. No dia 14 de Julho de 1789, a população de Paris assaltou o castelo de Santo António, conhecido por Bastilha. É este o início da Revolução Francesa, em que, com propósitos de liberdade, foram cometidos horrendos crimes. Jamais deveremos esquecê-los. Mas foi também o momento de, sob a influência inspiradora dos promotores da independência dos Estados Unidos da América, os constituintes franceses proclamarem a célebre Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, um marco decisivo na história da humanidade.

Nova época desportiva As competições, nas várias modalidades, estão aí à porta. Em tempo de vacas magras, o bom senso tem aconselhado moderação nos gastos. O início de mais uma época constitui momento privilegiado de reflexão. Naturalmente que não pode haver competição sem espírito vencedor. Mas os resultados não são tudo, não podem ser tudo no desporto. Como não pode esquecer-se que toda a prática desportiva há-de privilegiar a formação. Naturalmente do corpo e do espírito. E é neste entendimento que se formulam os maiores êxitos a todos desportistas do nosso concelho.

03

A ‘RESSACA’ DA SEMANA Quando o nosso país se vê mergulhado numa das crises mais profundas dos últimos anos, enfrentando as mais ‘fortes tempestadas’ - qual ‘Cabo das Tormentas’ à busca de renovadas ‘esperanças’ -, eis que os políticos se entretêm com quem tem, ou não, títulos académicos, enquanto nós ficamos a ver tudo por um ‘canudo’! E, ‘canudo’, já chega de tanta ‘conversa da treta’! Primeiro José Sócrates, agora Miguel Relvas e quantos mais se seguirão? Uma circunstância que se repete, vezes sem conta, deixa de ser notícia, entrando já num ‘consentido’ conceito do senso comum, como hoje se costuma dizer... seja lá isso o que for. Injusto? Quiçá! Especialmente para todos quantos andaram a gastar o ‘fiofó’ das calças pelos bancos das universidades, durante quatro ou cinco anos; é que o ‘dito cujo’ Processo de Bolonha começou apenas em 1999, se não estamos enganados, sendo já uma injustiça para os anteriores licenciados, mestrados, doutorados e quejandos. Porém, ao que tudo indica, a legislação assim o permite; portanto, enquanto esta não se alterar, o melhor mesmo é discutirem-se coisas mais úteis e menos fúteis - ser ou não ser ‘Dr.’ não deve ser a questão - para o avanço do nosso país, que, com as últimas ‘novas’ sobre a ilegalidade da suspensão dos subsídios de férias e de Natal já tem muito mais que falar. Se o Tribunal Constitucional o afirma, quem somos nós para duvidar, hein? O juiz decidiu... está decidido. Não vamos, meus senhores, fazer disto outro ‘cavalo de batalha’... é apenas necessário repor a legalidade e o resto é perder o tempo... que não temos! Nós por cá também assistimos, na semana que passou, a uma situação caricata e, eventualmente, algo insólita na nossa cidade. Na terça-feira, o secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, João Casanova de Almeida (Dr., julgamos nós), esteve numa cerimónia no Cine Teatro Caracas - exatamente em Oliveira de Azeméis -, a qual reuniu dezenas de professores de todo Norte de Portugal. Numa estadia ‘relâmpago’, rodeada do mais alto ‘secretismo’ - por pouco nem o Correio de Azeméis sabia que cá estaria mais um alto representante da Nação - dirigiu algumas palavras aos (então) futuros presidentes e demais dirigentes das diversas Comissões Administrativas Provisórias (CAP’s) dos conhecidos ‘mega-agrupamentos’. A nossa surpresa vai apenas para o facto de tal não ter sido anunciado - pelo menos pela Direção Regional de Educação do Norte, que organizou a tal “mera reunião de trabalho” na nossa cidade -, contrariamente ao que sempre acontece quando um membro do governo vem a Azeméis. Receio de represálias por escolhas menos convenientes, num processo que há muito deixou de ser pacífico? A REDAÇÃO

Diretor: António Magalhães • Administrador: Eduardo Costa (Cart. Prof. nº 1738) • Chefe de Redação: Ângela Amorim (Cart. Prof. nº 2855) • Redatores: • Gisélia Nunes (Cart. Prof. nº 5385) • Diana Cohen •CORRESPONDENTES: Carregosa: António Amorim: Cesar: Carlos Costa Gomes; Loureiro: Emanuela Gomes ; Macieira de Sarnes: Manuel Lopes; Macinhata da Seixa: António Magalhães; Nogueira do Cravo: Alírio Costa; Ossela: A. Jesus Gomes; S. Martinho da Gândara: Arlindo Gomes e Sérgio Tavares; S. Roque: Eduardo Costa; Santiago de Riba-Ul: Luís Mateus; Ul: Olímpio Costa. Fotógrafo: Alfredo Pinho • COLABORADORES: • Adelino Ramos • António Vidal • António Santos • Batalha Gouveia • Beatriz Costa • Frederico Bastos • Hugo Tavares • João Araújo • Joaquim Silva • Manuel Costa • Manuela Inês • Manuel Alves Paiva • Manuel dos Santos Matos • Maria Emília Costa • Mário Rui • Manuel Laia • Marisa Gonçalves • Paulo Rui • Rodrigo da Cunha (Pe) • Rui Duarte • Samuel Oliveira • Sérgio Costa • Paulo Pinho • Tavares Ribeiro. (Os artigos assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores não vinculando necessariamente a opinião da direção) Os textos do Correio de Azeméis já obedecem às regras do acordo ortográfico, salvo os da responsabilidade de autores ainda não aderentes.

Propriedade: Globinóplia, Unipessoal, Lda NIF: 509 071 341 Ed. Rainha, 8º Piso • Oliveira de Azeméis Telef.: 256 049 890 • Fax 256 046 263 Impressão: CORAZE Oliveira de Azeméis Telf.: 910 252 676 / 910 253 116 / 914 602 969 e-mail: geral@coraze.com Depósito Legal nº 27755/89 Nº ICS 104639 Tiragem média: 6.500 exemplares


04

Terça-feira, 10 de julho de 2012

concelho

> Anúncio foi feito em sede de executivo municipal

Secundário no novo território educativo de São Roque/Cucujães

Está garantido o ensino secundário no novo território educativo, recentemente criado, constituído pelas freguesias de São Roque, Nogueira do Cravo e Cucujães. A boa nova foi dada por Isidro Figueiredo na reunião de Câmara do passado dia 26 de junho. Gisélia Nunes

O vereador da Divisão Municipal de Educação da Câmara de Oliveira de Azeméis aproveitou o período de antes da ordem do dia (PAOD) da

sessão pública para pôr os restantes colegas do executivo camarário a par de mais esta conquista do município em termos de educação. Isto depois de também haver informado que “ [àquela data] estamos na fase final” da criação de novas unidades orgânicas, decorrentes do processo de agregação de agrupamentos de escolas e de secundárias, como, aliás, veio a confirmar-se, no passado dia 04 de julho, com a tomada de posse das Comissões Provisórias Administrativas (CAP) concelhias, no âmbito de uma cerimónia, realizada no CineTeatro Caracas, em que foram empossadas todas as CAP da região norte (ver página 09). Hermínio Loureiro voltaria a tocar, mais tarde mas ainda no PAOD, no assunto. O presi-

dente da autarquia afirmou que “da nossa parte está garantida a abertura do 12.º ano” quer em São Roque, quer em Cucujães. No entanto, chamou a atenção para que “cabe [agora] à comunidade educativa cativar alunos”. Regozijo pela concretização de “um projeto há muito desejado” Ainda a propósito, passados dias, recebemos na redação do Correio de Azeméis um comunicado remetido pela Escola EB2,3 Dr. Ferreira da Silva, de Cucujães, anunciando, precisamente, o alargamento da sua rede de oferta ao ensino secundário, no próximo ano letivo, e, por conseguinte, a concretização de “um projeto há muito desejado”.

“Certos de que o ensino secundário em Cucujães traria um impulso ainda maior à vila e ao seu desenvolvimento, a autarquia, a Associação de Pais e Encarregados de Educação, a direção e o conselho geral do Agrupamento de Escolas de Couto de Cucujães efetivaram esforços junto da Direção Regional de Educação do Norte, que se tornaram profícuos com a autorização de alargamento da sua oferta formativa aos cursos científico-humanísticos do ensino secundário”, diz o documento, através do qual, em particular, a Associação de Pais e Encarregados de Educação ainda se mostra “satisfeita com a possibilidade de os seus educandos darem continuidade ao seu

percurso escolar num contexto próximo das suas residências e das referências familiares”. No que toca à EB2,3 Dr. Ferreira da Silva, a comemorar “25 anos de existência e experiência” e tendo “como apanágio a aposta na qualidade do ensino, no dinamismo e na relação professor-aluno”, apresentase “determinada em dar continuidade a estes propósitos a nível do ensino secundário”. Informa ainda que as préinscrições estão abertas, sendo que os interessados em frequentar o ensino secundário (Ciências e Tecnologias e Línguas e Humanidades) devem inscrever-se em www.agrupcouto-cucujaes.rcts.pt/ ou dirigir-se aos serviços administrativos da EB2,3.

> Constrangimentos de trânsito geram “algum descontentamento”, avisa PS

Beneficiação da ER 227 em Nogueira do Cravo Volvidos dias após o início da beneficiação da ER227, na freguesia de Nogueira do Cravo – obra que contempla, igualmente, a construção de uma rotunda no cruzamento com a EM544 (nas imediações do restaurante Las Vegas) –, Joaquim Jorge Ferreira trouxe o tema à reunião de Câmara. Na ótica do socialista, “a autarquia de Oliveira de Azeméis devia concentrarse nas alternativas de trân-

sito”, uma vez que “os constrangimentos são enormes e estão a gerar algum descontentamento”. Acontece que, segundo a maioria social-democrata que compõe o executivo municipal, tanto a Câmara como a Junta de Freguesia nogueirense estão a fazer o papel que lhes compete, apelando à melhor compreensão de todos, e não só. Aliás, no que diz respeito à

edilidade oliveirense, “conseguimos sensibilizar a Estradas de Portugal para deixar uma faixa de trânsito aberta durante os quatro meses” (período previsto para a execução da empreitada), “quando a própria empresa pública queria encerrar completamente a estrada”. “O esforço de minimizar o impacto negativo da obra está a ser feito”, assegurou o edil Hermínio Loureiro.


CONCELHO > BUSTO DE JOSÉ DA COSTA PODERIA PREENCHER VAZIO DEIXADO PELO ‘MENINO DA PILINHA’

Munícipe dá sugestão ao executivo camarário

Terça-feira, 10 de julho de 2012

05

> CAMINHO DO PISÃO E PRAÇA DA CIDADE NOVAMENTE EM FOCO

Assuntos recorrentes continuam sem resposta Já há muitos meses que Hélder Simões traz às reuniões de Câmara os mesmos assuntos. Em finais de maio fê-lo e agora, passado um mês, voltou a fazê-lo. Ainda antes do início da discussão da ordem do dia, o jovem socialista referiu-se quer ao caminho do Pisão (Fajões), quer ao espaço ‘Praça da Cidade’ (cidade de Oliveira de Azeméis), afirmando que “começa a não fazer sentido não haver uma definição” relativamente a estas duas matérias. Mas também não foi desta vez que terminou a tal indefinição, visto que, em resposta, o presidente da Câmara disse não ter “ novidades”. > UNIÃO DESPORTIVA OLIVEIRENSE

Equipa de hóquei em patins enaltecida

Na Praça José da Costa, em Oliveira de Azeméis, há cerca de um ano que a coluna em mármore, onde estava o ‘Menino da Pilinha’, permanece vazia

Um busto de José da Costa em vez do espaço vazio deixado pelo ‘Menino da Pilinha’, que fora roubado do jardim público em julho do ano passado. A sugestão foi dada por Artur Costa, munícipe oliveirense que regressou em grande às reuniões de Câmara, vestido de meirinho. GISÉLIA NUNES

Depois de um interregno de vários meses, devido a problemas de saúde, não só seus, mas também da esposa, Artur Costa regressou em grande às reuniões de Câmara, nas quais sempre foi uma presença assídua. Isto, porque, na sessão do dia 26 de junho, não se limitou a aparecer nem a intervir. O munícipe quis também surpreender o presidente da autarquia e os vereadores, surgindo vestido de meirinho, antigo oficial de justiça, cuja missão era executar os mandatos judiciais, citar, penhorar e prender. E foi exata-

Artur Costa (de pé) surpreendeu os presentes na sala de reuniões da Câmara, surgindo vestido de meirinho

mente assim, assumindo este papel, que fez a sua já habitual intervenção no período destinado ao público. Além de fazer elogios, reparos e críticas, tendo por base vários assuntos relacionados com a cidade, o interveniente também quis dar uma sugestão. Aludindo ao espaço vazio deixado na Praça José da Costa após o roubo do ‘Menino da Pilinha’, sugeriu que a coluna em mármore onde estava colocada a tão conhecida escultura da autoria de José Fernando de Sousa Caldas fosse, agora, ocupada por “um busto do patrono do local”. Na sua opinião, o busto até “poderá ser de granito ou mármore de cor diferente da do pilar” de maneira a evitar a “cobiça dos amigos do alheio”.

Artur Costa justificou que esta ideia não se devia ao facto de ser trineto de José da Costa, mas antes porque o seu familiar é a “primeira pessoa mais ilustre nascida nesta terra, depois da elevação a concelho em 1799, a que se seguiu o não menos notável Bento Carqueja”. Em seu entender, estes “dois personagens, embora com percursos diferentes, foram a alma mater para o desenvolvimento da sua e nossa terra e lhe deram enorme projeção para a sua época”. Daí ser “inegavelmente merecedores do nosso reconhecimento”, defendeu. N.R.: Numa próxima edição divulgaremos outros temas, igualmente, referidos por Artur Costa em sede de executivo municipal.

Ainda antes de ser recebida pela autarquia, no passado dia 29 de junho, a equipa sénior de hóquei em patins da União Desportiva Oliveirense foi elogiada em sede de executivo municipal por ter conquistado, pelo segundo ano consecutivo, a Taça de Portugal. Pedro Marques, o vereador do Desporto da Câmara, foi o primeiro a enaltecer “esta vitória de espírito de união e sacrifício” e também de muita humildade sobre “um clube grande como o Benfica”. Seguiu-se Hélder Simões, autarca da oposição, que também se mostrou satisfeito por este triunfo. Já no período destinado ao público, o munícipe Artur Costa fez uma “referência especial, pela positiva, ao ótimo desempenho da nossa equipa de hóquei em patins na Taça de Portugal”.


06

Terça-feira, 10 de julho de 2012

CONCELHO

> REORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA TERRITORIAL AUTÁRQUICA VAI MESMO AVANÇAR

Decidimos ou decidem por nós... A Assembleia Municipal tem 90 dias, contados a partir de 31 de maio, para se pronunciar sobre a agregação de freguesias que pretende para o concelho. Caso contrário, uma unidade técnica, em sede da Assembleia da República, o fará.

prov.com.pt

Nada fazer ou apresentar a nossa proposta. A inércia dá sempre mau resultado, pois pensamos que alguém, não se sabe bem quem, resolve os nossos problemas. Esse seria o caminho mais fácil. Restanos a segunda: concertar, olhar para o concelho na sua globalidade e, de acordo com os parâmetros fixados, emitir a pronúncia”. Neste seguimento, o centrista quis conhecer o ponto de situação desta matéria, que tem vindo a ser acompanhada por uma comissão criada em sede da AM, conforme então o nosso jornal divulgou.

ANGELA AMORIM

A reorganização administrativa territorial autárquica veio à Assembleia Municipal, de 28 de junho último, pela voz de João Osório. O membro da bancada do CDS-PP chamou a atenção para a Lei nº 22/2012, que estabelece os objetivos, princípios e parâmetros desta reforma. Neste documento, publicado em Diário da República de 30 de maio, o concelho de Oliveira de Azeméis é classificado de “Nível 2”, tendo sido definidos cinco “lugares urbanos”: Cesar, Nogueira do Cravo, Oliveira de Azeméis, Pinheiro da Bemposta e Vila de Cucujães. O art.º 11º deste diploma prevê que a Assembleia Municipal (AM) delibere sobre esta

O processo, na sua totalidade, tem de estar definido até 14 ou 15 de outubro próximo

matéria, sem prejuízo do definido na legislação. Esta “pronúncia” tem de ser entregue à Assembleia da República (AR), “no prazo máximo de 90 dias a contar da entrada em vigor da presente Lei [isto é, dia seguinte à sua publicação - 31 de maio último], acompanhada, quando emitidos, dos pareceres das assembleias de freguesia”. Posteriormente, esta “pronúncia” do deliberativo municipal será analisada - em termos de conformidade ou desconformidade - por uma “Unidade Técnica”, que funcionará junto

do parlamento, cuja criação/ constituição também está prevista na Lei 22/2012 (artº 13º). Em caso de ausência de “pronúncia” por parte da AM, esta “Unidade Técnica” apresentará à AR “propostas concretas de reorganização administrativa do território das freguesias”. E é aqui que ‘a porca pode torcer o rabo’ “Enorme responsabilidade” para a AM Voltando à intervenção do centrista João Osório, “este diploma de suma importância, criticado por muitos,

> LEI Nº 22/2012 PUBLICADA EM DR A 30 DE MAIO

Algumas considerações legislativas em foco A reorganização administrativa territorial autárquica implica a agregação de freguesias, em função do número de habitantes e da densidade populacional de cada município. ANGELA AMORIM

Tendo em conta estas variáveis, Oliveira de Azeméis enquadra-se no “Nível 2”, isto é, um concelho “com densidade

populacional entre 100 e 1000 habitantes por quilómetro quadrado e com população igual ou superior a 25000 habitantes”. À luz da presente Lei, “considera-se lugar urbano o lugar com população igual ou superior a 2000 habitantes, conforme anexo II”. O Correio de Azeméis consultou o dito anexo, que aponta, desde logo, as freguesias de Cesar, Nogueira do Cravo, Oliveira de Azeméis, Pinheiro da Bemposta e Vila de Cucujães como “lugares urbanos” do nosso município. Em casos “devidamente fundamentados” a Assembleia Municipal pode alterar a percentagem de re-

dução de freguesias previstas neste diploma. Tendo em conta que o município oliveirense é considerado de “Nível 2”, as freguesias devem ter no máximo 50 mil habitantes e o mínimo de 15 mil por freguesia no lugar urbano e de 3000 nas outras. Como curiosidade, “a freguesia criada por efeito da agregação tem a faculdade de incluir na respetiva denominação a expressão ‘União das Freguesias’, seguida das denominações de todas as freguesias anteriores que nela se agregam”. A ‘nova’ freguesia constitui uma nova pessoa coletiva territorial e dispõe uma única sede.

tendo havido, aqui e ali, alguma celeuma”, coloca, em seu entender, “uma enorme responsabilidade a este órgão deliberativo, no sentido de deliberar, através de uma pronúncia sobre a agregação de freguesias”. Não obstante, é convicção deste membro, que a AM de que faz parte “fará o seu trabalho, no sentido de defender os superiores interesses” do nosso concelho. Isto é, mesmo não sendo obrigatório, elaborará o seu parecer no prazo legal estabelecido. Daí que conclua: “Estamos perante duas situações:

Solução consensual... precisa-se Hermínio Loureiro adiantou que a comissão - “que estava a fazer um excelente trabalho” tem de voltar a reunir-se, pois “é importante que façamos nós esse trabalho”, de forma a evitar que a unidade técnica “decida por nós”. De qualquer modo, “o processo culmina sempre na AM” e “não é uma reforma fácil”, sublinhou o presidente da Câmara, alertando para a necessidade de “nos abstrairmos de bairrismos”. É importante “encontrar uma solução equilibrada, com consenso”, esperando, desde logo, que “não agrade a todos, porque isso seria possível apenas caso pudéssemos manter as 19 freguesias”.


CONCELHO > AGRUPAMENTO DE CENTROS DE SAÚDE EDV II SEM COORDENADOR?

Ajardinamento... precisa-se A propósito do ajardinamento necessário junto ao novo Centro de Saúde, na reunião da Assembleia Municipal de 28 de junho, aflorou-se a questão - ainda mais preocupante - da falta de um coordenador na ACES do EDV II.

Foto de Arquivo

ANGELA AMORIM

O Centro de Saúde de Oliveira de Azeméis continua à espera de ajardinamento e de um novo visual, no espaço exterior, mas já na área que lhe está afeta. Uma situação que já mereceu um alerta, por parte da socialista Helena Santos, que, na última Assembleia Municipal, voltou a referir o assunto. Para esta, que, refirase a propósito lá exerce a sua atividade, enquanto médica, o aspeto daquele espaço é “triste e árido”, no qual “falta verde” e em nada condizente com as

Para lá dos muros, o espaço encontra-se “triste e árido”. No exterior a Câmara já ajardinou.

novas instalações da unidade de saúde de Lações de Cima. Segundo adiantou, o que lá está ajardinado foi feito por quem lá trabalha, numa “atitude de voluntariado e às nossas custas”. O presidente da Câmara anotou a questão, mas desde logo foi retorquindo não ser da responsabilidade da autarquia aquele espaço. “Os arran-

jos cá fora sim e estão feitos”. O edil reconheceu que, neste momento, nem se sabe quem é o coordenador da Saúde em Oliveira de Azeméis. “Tenho muitos outros problemas para resolver, nomeadamente de Palmaz, S. Martinho da Gândara, entre outros, e não sei quem é o interlocutor” a quem recorrer. E rematou: “Cada um que assuma as suas

> EXPOSIÇÃO JÁ FOI INAUGURADA

Mizé mostra trabalhos no Porto

Mizé está a expor no Centro de Cultura e Congressos da Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos

A artista plástica de Oliveira de Azeméis, Maria José Silva, mais conhecida por Mizé, está a expor no Centro de Cultura e Congressos da Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos, no Por-

to. A mostra está patente até ao próximo sábado, dia 14 de julho, neste espaço, localizado na Rua Delfim Maia, nº 405 – Jardim de Arca d’Água, e pode ser apreciada das 10h00 às 20h00.

Conforme anunciámos, Mizé tem já agendada outra exposição dos seus trabalhos pictóricos no Casino de Pontevedra, em Espanha, já no próximo mês de agosto.

07

Terça-feira, 10 de julho de 2012

responsabilidades”. Odete Pinho foi a primeira coordenadora do ACES II do EDV, ao qual pertencemos, juntamente com Vale de Cambra e S. João da Madeira. Porém, o Correio de Azeméis sabe que esta ter-se-á demitido, uma circunstância que não conseguimos confirmar totalmente. Voltaremos ao assunto em próxima edição. > ASSEMBLEIA APROVA

MUNICIPAL

Votos de louvor a associações e pessoas Em sede do deliberativo municipal, foi aprovada uma série de votos de louvor, pelos feitos alcançados por várias coletividades do nosso meio desportivo: SC Bustelo (proposto por PSD e PS); Núcleo de Atletismo de Cucujães (PSD e PS); hóquei em patins da Oliveirense (PSD e PS); equipas seniores masculina e feminina do Cesarense, bem como pela convocação duma jogadora deste clube para a respetiva seleção nacional (PSD e PS). Pelo PSD foi, ainda, apresentado um voto de louvor a Manuel dos Santos Gomes, pela distinção de que foi alvo, com a entrega da Ordem de Mérito Empresarial por Cavaco Silva. Neste particular, Jorge Paiva frisou o facto do comendador “ser um digno fajoense e um oliveirense de quatro costados” e ter já sido presidente da Junta de Fajões, que acompanhou no mandato de 1982 a 1985.

> AINDA A ADMINISTRATIVA...

REFORMA

“Cidade será sempre o coração deste vasto concelho” Ramiro Rosa, presidente da Junta de Freguesia da sede do concelho, usou da palavra na última sessão ordinária da Assembleia Municipal para se congratular por mais um aniversário da elevação de Oliveira de Azeméis à categoria de cidade. Neste sentido, debruçou-se, essencialmente, pela homenagem prestada, “com a atribuição de topónimos nas ruas da cidade a três cidadãos oliveirenses, que se destacaram, de diferentes formas, ao longo da sua vida”. O autarca recordou, então, Júlio Pinto, Aníbal Araújo e Álvaro Figueiredo, e as respetivas vidas e obras, de forma muito sintética. “Esta minha referência ao aniversário da cidade tem, ainda, uma particularidade”, anunciou o presidente Ramiro Rosa. “É que será, provavelmente, a última sobre o aniversário da cidade tal como a conhecemos hoje, fruto da reforma administrativa, que ocorrerá nos próximos tempos.Apesar disso e mesmo contando, seguramente, com mais território e mais população, a cidade será sempre o coração deste vasto concelho”, defendeu, manifestando a sua expetativa quanto ao futuro: “Espero que a data [16 de maio] ganhe cada vez mais relevância para todos e que nos permita colocar, permanentemente, Oliveira de Azeméis no centro da nossa estratégia de desenvolvimento”.

ÚLTIMA HORA > FAJÕES

Ladrões assaltaram cemitério para furtar metal Na madrugada de ontem, o cemitério de Fajões foi palco de uma onda de assaltos. Um ou mais ladrões conseguiram furtar quinze imagens de cobre que estavam pousadas sobre as campas. Esta não é uma situação inédita no concelho, já que, praticamente, todos os cemitérios existentes nas freguesias já foram visitados por assaltantes durante a noite. As autoridades investigam.

DC


08

Terça-feira, 10 de julho de 2012

CONCELHO

> TRANSMISSÃO DE TAREFAS DO ROTARY CLUB DE OLIVEIRA DE AZEMÉIS

João Xará sucede a Marco Azevedo A família rotária de Oliveira de Azeméis reuniu-se para o habitual jantar de transmissão de tarefas. Em ambiente de balanço e renovadas expetativas para o ano rotário 2012-2013, Marco Azevedo passou a pasta a João Xará. Mas a troca de lugares de liderança não se quedou por aqui. Num final de tarde bem simpático, a reunião festiva promovida pelo Rotary Club de Oliveira de Azeméis (RCOA), no passado dia 29 de junho, iniciou-se com diversos momentos de satisfação, o primeiro dos quais a atribuição de um título Paul Harris a Carla Vale, membro da Casa da Amizade local. Outro momento de regozijo do passado dia 29 de junho foi o aumento do quadro social do Rotaract oliveirense. Diana Catalão, João Silva e Catarina Pinho foram admitidos no seio da família rotária, admissão que representa “um passo importante nas suas vidas de serviço e de ajuda à comunidade”. Já aquando da transmissão de tarefas do Rotaract a presidente cessante, Carla Gomes, agradeceu a todos os que, como disse, a ajudaram ao longo da sua presidência com “inúmeras atividades importantes e de alguma irreverência”. “O aumento do quadro social é uma garantia da boa continuidade do clube”, rematou. Por sua vez, a sua sucessora, Sara Figueiredo, afirmou que “assumo que o peso do clube é elevado, mas prometo

João Xará é o novo líder do Rotary Club

continuar a apostar na audácia e na determinação.” Seguiu-se a Casa da Amizade. Na oportunidade, a presidente cessante proferiu que “foi um ano de muitas tarefas e projetos”. Conceição Costa também agradeceu, “profundamente, o trabalho das minhas companheiras, fazendo votos de um bom trabalho para este novo ano”, enquanto a sua sucessora Fátima Silva manifestou vontade de “continuar com o excelente trabalho desenvolvido e de dedicar muito de mim e da família ao Rotary e à Casa da Amizade”. Com espírito de missão cumprida Na hora da despedida do lugar da presidência, Marco Azevedo mostrou satisfação por estes últimos 365 dias, ao longo dos quais, como fez questão de vincar, “vivi, junto do clube, dos companheiros e restantes elementos da família rotá-

ria, momentos que ficarão para sempre gravados no meu coração”. 2011/2012 foi um ano rotário “repleto de projetos [sendo o da ‘Casa da Mónica’, o mais mediático], atividades e dinâmicas”, levados a cabo com o contributo dos companheiros do Rotary, Rotaract e Casa da Amizade. Na ótica do presidente cessante, cada um deles contribuiu individualmente para que “todo o coletivo atingisse tão elevados objetivos”. Em relação a João Xará, Marco Azevedo comprometeu-se, publicamente, a apoiá-lo “com total dedicação e empenho”. “Será garantidamente um excelente ano”, sendo certo que, “na minha pessoa, terá sempre, além de amigo um companheiro sempre disponível”, garantiu. RCOA reconhecido a nível nacional Já quase no final do período destinado aos discursos, interveio Isidro Figueiredo. O vereador da Câmara Municipal enalteceu o ano que estava a terminar, vincando que “o Rotary na nossa cidade faz muito mais do que se espera de um clube de serviço”, sendo “um grupo muito forte, dinâmico e coeso no desempenho de voluntariado dedicado às causas sociais”. Já António Simões Pinto, ali em representação do Governador do Distrito Rotário 1970, a que pertence o RCOA, focou-se na “enorme projeção do Rotary Club de Oliveira de Azeméis em toda a estrutura rotária nacional”, resultante de inúmeros projetos, entre os quais o da ‘Casa da Mónica’. António Simões Pinto felicitou ainda os novos membros do Rotaract, “pois eles são o garante de continuidade do movimento rotário”, e a João Xará desejou-lhe as maiores felicidades e cora-

> NOVO LÍDER ROTÁRIO LANÇA DESAFIO PARA ESTE ANO:

“Semear a Paz servindo quem mais precisa” João Xará, na sua primeira intervenção como presidente do RCOA, transmitiu força e dinamismo para que o clube de serviço mantenha ao longo do próximo ano a mesma pujança dos últimos tempos. O novo líder reconheceu “estar a assumir uma grande responsabilidade numa instituição com uma história de grandes realizações ao longo de 34 anos de existência”, tendo como propósito o de sempre: “Trabalhar, trabalhar, trabalhar”. “Podem contar com meu empenho e esforço”, prosseguiu, acrescentando que “estes são a minha vontade e o meu compromisso”. Disse ainda que “inovar é lançar medidas com visão, que projetem o clube para o futuro”. Por exemplo, no que concerne ao plano de angariação de fundos, “vamos estudar novas formas de apoio que revistam mais a natureza de contrapartidas e menos de caridade”, afirmou. Aludindo ao lema deste ano rotário, escolhido pelo presidente de Rotary International, Sakuji Tanaka – ‘Paz através do Servir’, João Xará sublinhou que “a nossa missão para este ano” é, precisamente, “semear a Paz servindo quem mais precisa”. gem”, estando convicto que o presidente “fará um trabalho de elevada qualidade, como, aliás, é prática habitual neste clube”.

> BRUNO PINHO ASPIRA PARTICIPAR NOS JOGOS PARAOLÍMPICOS 2016

Casa da Amizade oferece cadeira de rodas a atleta de boccia Ainda sobre o lançamento da pedra fundamental da futura casa da Mónica, que vai ser reconstruída em Palmaz (assunto de que falámos na edição da semana transata), outro jovem, também portador de deficiência e, curiosamente, da mesma freguesia, esteve presente na cerimónia. Falamos de Bruno Pinho, de 26 anos, atleta de boccia do concelho conhecido aos níveis nacional internacional, que aspira participar nos Jogos Paraolímpicos 2016, a realizar no Rio de Janeiro (Brasil), e que, na véspera, havia recebido a cadeira de rodas elétrica de que tanto precisava das mãos da Casa da Amizade (CA), organização afeta ao Rotary Club de Oliveira de Azeméis. Recorde-se que a necessidade da aquisição deste novo material de saúde deu origem

um texto através do qual faz “um agradecimento muito especial” a todos quantos o ajudaram a ultrapassar mais este obstáculo. O desportista começa por agradecer à Casa da Amizade, estendendo o seu reconhecimento público ao rotário Manuel Bastos Pinto, “pelas palavras que me dirigiu”, aquando da apresentação pública da cadeira de Graças à generosidade das senhoras da Casa da Amizade, rodas, e à jornalista Ana Catelas, Bruno Pinho concretizou um dos seus sonhos que, “com a sua reportagem, divulgou imenso a ‘Campanha à ‘Campanha das Tampinhas’, no Pinho. das Tampinhas’”. iniciativa promovida pela CA, A urgência fez com que a Dirige ainda um ‘obrigado’ como, aliás, divulgámos opor- Casa da Amizade tivesse de re- a todos aqueles que juntaram tunamente. No entanto, a com- correr ao seu fundo de socorro tampinhas e as entregaram pra teve de ser antecipada, pois, para conseguir os 4.600 euros nos respetivos pontos de recona sequência de exames médi- necessários. lha. “Quero dizer que todas as cos, chegou-se à conclusão que, tampinhas recolhidas até hoje, devido ao crescimento, a antiga Sentimento de gratidão bem como as que ainda vão ser cadeira de rodas estava a afetar tornado público no futuro, serão encaminhasobremaneira a coluna de BruBruno Pinho fez-nos chegar das para quem de direito para

ajudar casos idênticos ao meu, por isso, não parem de colaborar”, afirma. Bruno Pinho lembra que “existem outros ‘Brunos’ que precisam de ajuda”, apelando, de seguida, à comunidade para continuar a ajudar: “Não conseguimos mudar o mundo, mas conseguimos mudar a vida de alguém”, sendo que “um gesto tão simples como juntar tampinhas pode mudar a vida de pessoas com necessidades especiais”. Por último, informa que os locais de entrega permanecem os mesmos. N.R.: em edição futura do nosso jornal, contamos divulgar outras atividades também desenvolvidas pela Casa da Amizade neste último ano rotário liderado por Conceição Costa.


CONCELHO

09

Terça-feira, 10 de julho de 2012

> EM CERIMÓNIA PRESIDIDA PELO SECRETÁRIO DE ESTADO DO ENSINO E DA ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR

Mais de seis dezenas de CAP’s empossadas em Azeméis Ao todo, foram 64 as CAP’s, de toda a região norte do país (quatro das quais do município de Oliveira de Azeméis) que tomaram posse numa cerimónia realizada no Cine-Teatro Caracas. A sessão foi presidida por João Casanova de Almeida, secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar. ANGELA AMORIM E GISÉLIA NUNES

Na passada quarta-feira, 04 de julho, no Cine-Teatro Caracas, na cidade de Oliveira de Azeméis, estiveram presentes não só os 316 professores (regra geral, diretores e membros das suas equipas que, por força da criação dos novos territórios educativos, cessaram funções) que compõem as 64 Comissões Administrativas Provisórias (CAP’s) que foram empossadas, mas também o secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, João Casanova de Almeida, e o diretor da Direção Regional de Educação do

Angela Amorim

a propósito da agregação de agrupamentos, são momentos sempre propícios a que se gere alguma instabilidade, pelos receios que se criam em torno da mudança”. De qualquer modo, o responsável máximo pela DME afirmou acreditar que “estão reunidas as condições para que os novos territórios eduNomes fortes ligados à Educação, um dos quais João Casanova de Almeida (2.º da esq.ª cativos, de dimensão moderapara a dt.ª) marcaram presença na cerimónia que teve lugar no Caracas da (em relação ao que se passa em muitos municípios do resto do país), possam fazer com que das dificuldades surjam > DAS 64 COMISSÕES QUE TOMARAM POSSE presidente da CAP – António Figueiredo; novas oportunidades de reQUATRO SÃO DE TERRAS DE LA SALETTE sede – Agrupamento de Escolas de Couto de forço das lideranças e de afirQuem preside às CAP’s Cucujães. mação dos novos territórios do concelho? - Território educativo Soares Basto/Bento Careducativos, onde os nossos queja: presidente da CAP – Mário Rui Simões alunos continuarão a situar- Território educativo de Fajões/Carregosa: pre- Lopes; sede – Escola Básica e Secundária se, ao nível do sucesso, num sidente da CAP – Paula Moniz; sede – Agrupa- Soares Basto. ranking muito acima da mémento de Escolas de Fajões. - No caso da Escola Básica e Secundária dia (…) e em que as comuni- Território educativo de Loureiro/Pinheiro Ferreira de Castro, este estabelecimento de dades educativas se envolvam, da Bemposta: presidente da CAP – Felisberto ensino passa a agrupamento resultante de de facto, nos processos de enNeves; sede – Agrupamento de Escolas de reordenamento da rede educativa e, como tal, sino/aprendizagem centrados Loureiro. compreenderá também jardins de infância e no aluno e na sua formação - Território educativo de Cucujães/São Roque: escolas EB1. integral”. N.R.: No final da semana passada, chegou à nossa redaNorte, João Grancho. cimento do trabalho que tem semanário, já à margem da ce- ção um comunicado da autoria Aliás, para Isidro Figueiredo, sido desenvolvido ao nível edu- rimónia de tomada de posse, o do PS, com algumas críticas e a presença destes dois nomes cativo no nosso município”. vereador da Divisão Municipal questões quanto à forma como fortes ligados à Educação, assim de Educação (DME) da au- foram nomeados os presidencomo de todos os elementos que “Fazer das dificuldades tarquia oliveirense disse ainda tes das CAP’s. Assunto que, em constituem as novas CAP’s, “é, oportunidades” é objetivo que “os processos de mudan- próxima edição, divulgaremos de alguma forma, o reconheEm declarações ao nosso ça, como aquele que se viveu com mais pormenores

> ENTREVISTADO PELO CORREIO DE AZEMÉIS, GOVERNAMENTAL RECONHECE “DINÂMICA” DO MUNICÍPIO

Alterações permitirão sistema de ensino “mais racional” Entrevistado pelo nosso semanário, João Casanova de Almeida mostrou-se confiante quanto aos bons resultados em termos educativos que advirão destas alterações que, agora, estão a ser levadas a cabo. O representante do Ministério da Educação e Ciência adiantou mesmo que “esta nova agregação de agrupamentos de escolas e secundárias torna possível que o projeto educativo seja verdadeiramente mais sequencial e mais coerente entre todos os níveis escolares”.

mostramos que estas cerimónias não têm que ocorrer forçosamente em capitais de distrito, podendo também acontecer em zonas que, pela dinâmica que têm revelado, merecem, de igual modo, acolher este tipo de realizações. Com isto, pretendemos dar a conhecer uma realidade que é cada vez mais a nossa: a procura da qualidade independentemente da localização geográfica.

cesso ainda não tem a maturidade que permite a todos os intervenientes e agregações o distanciamento que possibilite uma melhor análise do trabalho que se pode desenvolver com um tipo de unidade organizacional que tenha vários ciclos de escolaridade. Desde logo, esta nova agregação de agrupamentos de escolas e secundárias torna possível que o projeto educativo seja verdadeiramente mais sequencial e A nível nacional, o processo mais coerente entre todos os níde agregação de escolas tem veis escolares. Note-se que, com decorrido com alguns proble- estas novas realidades organiPorquê a escolha de Olivei- mas e atropelos pelo meio. No zacionais, podem esbater-se os ra de Azeméis para local da que respeita à área abrangida problemas que existem nas mucerimónia da tomada de posse pela DREN, de que faz parte o danças de ciclo de escolaridade, das CAP quando a DREN tem município oliveirense, qual é o tirando-se, assim, maior partioutros pontos mais centraliza- balanço que faz? do dos alunos, que são a nossa dos? Não partilho dessa opinião. prioridade, e fazer com que A escolha de Oliveira de Houve e talvez haja algumas consigam ter maior sucesso duAzeméis é simbólica. Com ela, incompreensões, porque o pro- rante uma maior escolaridade.

O processo de composição das CAP’s, além de moroso, também levantou alguma polémica entre os vários diretores das escolas… Mas as CAP’s têm uma base legal para a sua constituição, sendo que devem ser convidados os elementos das direções de escolas que as vão constituir. Ora, este é um princípio fundamental. Para além deste indicador, é preciso que exista uma equipa e que esta seja coesa o mais possível. Portanto, tem de haver da parte das próprias direções um apuramento de quem irá integrar a CAP. Não vamos dar nem mais nem menos do que aquele que, de facto, têm. Trata-se de uma Comissão Administrativa Provisória, composta por profissionais competentes escolhidos em

função de critérios legais, que, ao longo de um ano, vai preparar a instalação da futura direção e que não há dúvida que fará um trabalho gigantesco. Somente isso… Em relação ao ruído que possa existir em torno deste tema, julgo que não se justifica. O que espera deste novo ano letivo, que dentro de meses se inicia, com todas estas alterações? Todas as alterações que foram processadas permitirão que o sistema educativo fique a funcionar de uma forma mais racional. Neste momento, esperamos aquilo que já esperávamos em 2011/2012, embora este, na altura, não tivesse sido o sentimento de todos os intervenientes: queremos que 2012/2013 seja tranquilo.


10

Terça-feira, 10 de julho de 2012

> CÉSAR OLIVEIRA NA PRIMEIRA PESSOA

Mentor faz balanço de trabalho Em jeito de balanço final, o Correio de Azeméis pretendeu saber de César Oliveira, mentor do ‘projeto + Folclore’, quando e por que surgiu este exaustivo trabalho, objetivos e resultados práticos. Seguem-se as suas declarações: “Basicamente, surgiu devido a termos muitos grupos folclóricos no concelho oliveirense e região. E por eu estar ligado à música e essa componente adiantar caminho facilitando a sensibilidade para as sonoridades e vivência tradicional. Ao ter encontrado na Biblioteca boa recetividade por parte da responsável Marta Mota em acolher um projeto desta natureza, ficaram então reunidas as intenções de concretização. A partir daí, avançou-se para o levantamento dos grupos existentes em Oliveira de Azeméis, pedindo tal informação e colaboração à FAMOA que está direcionada e trabalha com os grupos permanentemente. Registados os grupos no ativo, desenvolvemos contatos com a vereadora Gracinda Leal para garantir apoio da Câmara Municipal ao projeto e nesse sentido fazer uma rede de parceria Biblioteca/Câmara Municipal/Famoa/grupos folclóricos. Numa primeira reunião, fez-se o esboço do projeto e propostas às entidades/parceiras e aos grupos (no início estiveram presentes nove, mas três declinaram por já terem compromissos agendados). Percebido o interesse das parcerias e grupos folclóricos em participar no projeto a desenvolver na Biblioteca Municipal, agendou-se reunião posterior, para a definição em pormenor do projeto com datas e atividades, contemplando: exposições, ateliers de instrumentos e de danças e atuações. A realização de exposições permitiu aos grupos exporem o legado mais importante e caraterístico de cada grupo. E os ateliers deram oportunidade ao público de visualizar e até experimentar instrumentos caraterísticos do ato musical folclórico. Objetivo compreendido para “dar-se conta” da componente instrumental e de dança – levando, com a interação elementos/público, à forma prática e fácil de perceber o que está “por detrás” do Folclore. Com isto pretendemos a divulgação de atividade no espaço da Biblioteca Municipal Ferreira de Casto e, neste caso, direcionada para a preservação de usos e costumes da cultura folclórica concelhia. O ciclo de atividades com os seis grupos que aderiram desenvolveu-se de abril a junho, embora a ideia inicial se reporte ao estágio efetuado no 2.º ano da faculdade (4.º semestre e agora concretizada no 6.º semestre). Quanto a resultados práticos, contou com a participação de 6 grupos folclóricos e em média 15 participantes do público nas atividades de ateliers. As exposições estiveram abertas ao público frequentador da Biblioteca, por isso não foi contabilizado o número de visitantes, que atraiu também escolas e lares, com visita guiada a estudantes e/ ou idosos. Efetuou-se uma gravação total dos ateliers: registo fílmico e fotográfico que foi entregue a cada grupo, em DVD, permitindo visualizar todo o trabalho realizado, dando suporte a estudos e continuação de projetos ligados ao folclore. A partir de conversas informais com os diretores e elementos de cada grupo foi possível verificar a evidente satisfação por terem participado neste ciclo de atividades onde tiveram oportunidade de demonstrar uma enorme vontade em preservar a identidade e continuidade da existência folclórica”.

CONCELHO

> SEM SURPRESAS...

‘projeto + Folclore’ revela-se um êxito A motivação e a qualificação do folclore concelhio integraram as prioridades do ‘projeto + Folclore’, não descurando a oportunidade para desenvolver e defender os potenciais de atratividade quer de captação de elementos jovens, quer de públicos interessados neste particular bem cultural. TAVARES RIBEIRO

Obedecendo a uma programação que se estendeu de abril a junho, com a promoção de várias atividades, o espetáculo final deu-se, em grande, no ótimo espaço exterior da Biblioteca Municipal Ferreira de Castro (BMFC), durante a tarde do passado dia 23, que se iniciou com desfile desde a Praça da Cidade e ‘trouxe a terreiro’ as atuações de vários agrupamentos folclóricos que aderiram ao projeto promovido em rede de parceria entre o estagiário César Oliveira, do Curso de Animação Sociocultural do Instituto Jean Piaget, a BMFC, Câmara Municipal, Federação das Associações do Município de Oliveira de Azeméis (FAMOA) e grupos folclóricos. Na altura de tecer breves comentários, uns e outros trocaram elogios. Merecidos, claro! Para o desenvolvimento deste projeto foi preciosa a colaboração de todos e, especialmente, dos grupos folclóricos que se mostraram disponíveis para a participação. A saber: Grupo Folclórico de Cidacos, Grupo Folclórico e Etnográfico de Palmaz, Grupo de Dan-

O espaço exterior da Biblioteca Municipal Ferreira de Castro foi o palco escolhido para o espetáculo final

ças e Cantares de Nogueira do Cravo, Rancho Folclórico Grupo Musical Macinhatense, Rancho Infantil e Juvenil de Cucujães. Em relação ao Grupo ‘Os Pauliteiros de Ossela’, que participou em todas as outras ações, não esteve presente no espetáculo final devido a outros compromissos assumidos anteriormente. O estagiário César Oliveira, que desenvolveu e soube captar a este projeto – de estudo académico e de prática – interessante número de adesões, considerou “muito salutar este tentar caminho para melhor preservar e trazer gente, ao folclore, especialmente as camadas mais jovens”. Sublinhou que o bom resultado final dependeu essencialmente de um coletivo pois, como referiu, “foi uma equipa que trabalhou”, agradecendo à Biblioteca na pessoa de Marta Mota e colaboradores, à vereadora Gracinda Leal, ao presidente da Famoa, António Grifo e, em especial, aos diretores e elementos dos grupos “por me terem tratado tão bem. Foram muito simpáticos, muito atenciosos comigo e enriqueceram-me imenso a nível de cultura do folclore”. Pondo em evidência que todos os recursos devem ser promovidos, a

César Oliveira juntamente com a vereadora Gracinda Leal, D.ª Isabel Maria Calejo, entre outros

vereadora Gracinda Leal agradeceu a quantos se esforçaram pelo sucesso do projeto + Folclore, que foi tão participado, mencionando, em especial, César Oliveira, pelo facto de se ter lembrado e proposto à Biblioteca, esperando, em contrapartida, terem contribuído para uma boa nota no curso. Em seu entender, as exposições de trajes, instrumentos, utensílios, – “foram muito interessantes”. Bem como “os ateliers de danças ou músicas” e também as atuações ao longo do estágio, resultando numa “experiência muito positiva”, que até deu motivação extra para pensar futuramente em “algumas atividades para o folclore do concelho”. Por outro lado, os responsáveis do grupo foram unânimes em reconhecer

a validade das ações, evidenciando que os responsáveis e elementos ligados à preservação de seculares tradições não gostam de dizer que não a um grande desafio, a tal ponto de até pedirem “hajam mais eventos”, porque o folclore está um bocadinho em baixo. Da colaboração prestada, após desejarem ao César Oliveira que possa “tirar bom proveito”, e porque o folclore “está um bocadinho em baixo”, logo, carente de um grande espaço de atenção e apoio, apelaram, em troca: “Não se esqueça de nós!” De modo consensual, gerou-se ainda a ideia de ser visto com bons olhos a constituição de “uma futura associação dos grupos folclóricos do concelho”.


opinião

Terça-feira, 10 de julho de 2012

11

M€rcados à terça

Impulso Jovem

José Brandão Sousa*

Quase 36% dos jovens estão desempregados. Trata-se de uma situação dramática. É toda uma geração, academicamente bem preparada, que vê permanentemente frustrada e adiada a oportunidade de iniciar uma carreira profissional. Com vista a minorar esta situação acaba de entrar em vigor um programa de apoio à empregabilidade e à criação de empregos. Trata-se do ‘Impulso Jovem’. Como o nome indica é um programa desenhado para criar oportunidades de emprego e de formação para os jovens. Inclui um conjunto de medidas de grande interesse para as empresas a operar na área dos bens transcionáveis que queiram apostar na sua revitalização. As empresas poderão admitir estagiários durante seis meses, recebendo estes uma bolsa de estágio paga pelo Estado. O montante desta bolsa varia em função das habilitações académicas dos estagiários, podendo ir de 1 IAS - Indexante dos Apoios Sociais (419,22 euros), no caso de estagiários sem o ensino secundário completo,

até 2,25 IAS (943,25 euros) para doutorados. Os candidatos deverão obrigatoriamente estar inscritos num Centro de Emprego há mais de quatro meses. Todas as medidas preveem a existência de ações de formação específicas durante o estágio. As diversas medidas previstas, que têm a designação comum de ‘Passaporte’, visam objetivos diferenciados e específicos. Assim, o ‘Passaporte Emprego’ propõe-se, genericamente, dotar os jovens de competências que lhes permitam uma transição célere para o mercado de trabalho. Esta medida destina-se a jovens entre os 18 e os 25 anos de idade. Já o ‘Passaporte Emprego Industrialização’ visa, especialmente, estágios em empresas industriais e tem como alvo jovens com mais de 18 e menos de 30 anos. Existe ainda o ‘Passaporte Emprego Inovação’, que se destina aos jovens academicamente mais qualificados. O objetivo é elevar o nível de qualificação das empresas, dotando-as de qua-

dros mais preparados que ajudem as empresas a inovar e a modernizar-se. Poderão candidatar-se desempregados com idades entre os 23 e os 34 anos e que tenham o grau de mestre ou doutor. Com o ‘Passaporte Emprego Internacionalização’ pretende-se reforçar empresas que desenvolvam estratégias de internacionalização, quer pela via do investimento, quer pela via da exportação. Esta medida está direcionada para jovens com idades entre 18 e os 30 anos. A finalidade do programa é, sobretudo, a empregabilidade, pois prevê, também, a possibilidade do pagamento de um Prémio de Integração às empresas que contratem os estagiários no fim do estágio. Este prémio é de montante igual à totalidade das bolsas pagas ao estagiário. Trata-se de uma oportunidade que as empresas não devem deixar de considerar. *j.brandao.sousa@gmail.com

Carta Aberta ao Sr. José Campos

Joaquim Jorge Ferreira

Pacientemente, tenho evitado reagir às opiniões políticas que emite neste Jornal. Primeiro por entender que não deveria valorizar a cegueira de quem usa sistematicamente uma coluna de opinião para idolatrar o PSD e os seus líderes, sejam eles locais ou nacionais, criticando de forma doentia os outros partidos, num tom que muitas vezes chega à má educação. Em segundo lugar, porque tendo V. Exa. formação suficiente para perceber que em todos os partidos existe gente séria e competente, gente boa e menos boa, enquadrava o seu comportamento autista que apenas encontra virtuosidades no seu partido e irresponsabilidade nos seus opositores, numa atitude que é comum a uma certa juventude que está pronta para todo o tipo de “serviços”. Porém, as considerações da sua última crónica acerca do trabalho desenvolvido pelos Vereadores do Partido Socialista não podem ficar sem uma resposta frontal, sob pena dos Oliveirenses julgarem como verdadeiras o conjunto de mentiras que tem vindo a produzir e a reproduzir. Bem sei que V. Exa. nunca assistiu a reuniões do executivo camarário. No entanto, bastaria uma breve consulta às atas para ficar a conhecer as mais de duas centenas de propostas até agora apresentadas pelos vereadores socialistas, uma grande parte delas aprovadas por unanimidade, evitando assim a leviandade ou ignorância com que comenta o seu desempenho. Poderia ainda perceber o sentido das centenas de intervenções, interpelações, sugestões, requerimentos, denúncias e contributos sobre os principais dossiers. Em suma, com esta simples prática, teria a oportunidade de avaliar com rigor a forma como trabalhamos, mesmo na oposição, e a responsabilidade com que encaramos o exercício da actividade política. Mas, se com humildade reconhecemos que não fazemos mais do que a nossa obrigação, porque é assim que honramos os Oliveirenses que em nós confiaram, também lhe garanto que não será fácil para si desacreditar o nosso trabalho. Percebemos que a qualidade do nosso desempenho, resultante do trabalho realizado ao longo de todo o mandato e não apenas em altura de eleições, incomoda os que, convivendo mal com a crítica, estão habituados a confundir o município com o seu próprio

partido. Todavia, admitindo que o limitado alcance da sua visão política não lhe permita ver a falta de fundamento e injustiça das suas críticas, aproveito para lhe recordar a incoerência permanente que coloca nas suas análises. Na edição do CA de 15/12/2009 afirmou que “o Governo do PS governava para o espectáculo, para o Marketing e a pensar na melhor maneira de se manter no poder”. Dizia então que a estratégia do governo do PS passava pela vitimização, sublinhando que o governo esquecia que o papel da oposição é “criticar, fiscalizar e apresentar propostas alternativas”. Pois bem, não podemos estar mais de acordo. De estranhar é a contradição que o leva agora a transformar a propaganda e o marketing sistemático do actual executivo camarário em importantes formas de comunicação e de valorização do nosso concelho e ao mesmo tempo a reduzir o papel dos vereadores do PS, que têm criticado, fiscalizado e proposto, a um mero exercício de maledicência e arrogância. Ora, por muito que lhe custe a si e ao seu PSD, os Oliveirenses não vão esquecer que uma das primeiras medidas do atual executivo foi precisamente a contratação por 48.000 euros/ano dos serviços publicitários da empresa First 5 Consulting, responsável pela campanha autárquica de Hermínio Loureiro e que com este mantém ligação, desde a altura em que foi responsável pela Liga de Clubes. São maus exemplos como este, num Concelho que o PSD levou à falência, criando uma dívida superior a 56 milhões de euros, que nós combatemos. No PS não criticamos de forma gratuita, até porque precisaríamos de várias páginas deste jornal para resumir os muitos erros de gestão cometidos ao longo destes anos no nosso concelho, pelos tais gestores que com a sua SERIEDADE e VERDADE defende. Confunde crítica justificada, por obsessão da oposição por Hermínio Loureiro! Acredite que somos bem mais exigentes com as nossas obsessões, mas esta a existir seria bem mais fundamentada que a sua obsessão compulsiva pelo PS em geral e pelos vereadores do PS em particular. Se há obsessão, é da parte de Hermínio Loureiro quando invoca a ação de “forças ocultas” e dos

“profetas da desgraça” para justificar a incompetência que tem demonstrado em lidar com assuntos como o do Centro de Línguas, cujos graves danos para o município, avaliados em muitas centenas de milhares de euros, procurou ocultar. O seu idolatrado Hermínio Loureiro é o rosto de um poder autárquico há muito instalado no Concelho, que “atira a pedra e esconde a mão”, recorrendo ao discurso manipulador para desinformar a opinião pública mais desatenta. Como refere, o PSD tem conseguido manter o poder político em Oliveira de Azeméis pelos mais variados motivos, mas como diz o povo “não há bem que sempre dure, nem mal que não acabe”. Por muito que custe a quem vive do poder instalado no município, o PS não abdicará do seu papel ativo e continuará a trabalhar para que seja construída uma alternativa política a esta gestão autárquica leviana e “folclórica” que não assume as responsabilidades pelas suas mentiras e pelos danos que causa ao Concelho. Há muito que conhecemos a velha e já gasta fórmula do PSD local: ter “alguém”, todas as semanas, numa coluna de jornal, a dizer mal da oposição, desviando a atenção dos seus “telhados de vidro” e da sua incapacidade para promover o desenvolvimento do concelho e melhorar a qualidade de vida dos Oliveirenses. Utilize o privilégio de se poder dirigir aos Oliveirenses através das suas crónicas, para construir e não para destruir, para discutir soluções para os problemas e não para ocultar a realidade, pois nenhuma propaganda, por mais cara e sofisticada que seja, a conseguirá mascarar. A política precisa de jovens atentos e responsáveis que saibam conviver com a crítica e que respeitem os seus adversários políticos, mas sobretudo necessita de jovens que, com uma leitura rigorosa da realidade, tenham capacidade para a influenciar positivamente. Finalmente, estamos de acordo numa única coisa. O que hoje somos como concelho resulta sobretudo do dinamismo e qualidade dos nossos empresários e operários e da disponibilidade de muitos Oliveirenses que enriquecem com a sua dedicação um associativismo que a todos orgulha. Vereador e Presidente da Comissão Política Concelhia do PS


12

Terça-feira, 10 de julho de 2012

Praça pública O Tribunal Constitucional pronunciou-se sobre a inconstitucionalidade dos cortes do décimo terceiro e décimo quarto mês já efetuados aos funcionários públicos e pensionistas. No essencial o Tribunal Constitucional fundamenta a sua posição na violação do princípio da igualdade. Várias perplexidades me ocorrem a este propósito. A primeira delas tem que ver com um facto de terem que ter sido um “punhado” de deputados a requerer a fiscalização ao Tribunal Constitucional e não tenha sido o Presidente da República a fazê-lo. Em primeiro lugar porque era a ele que competia, em primeira mão, fazê-lo pois é ele o guardião mor da nossa lei fundamental. Em segundo lugar porque ele próprio diz que alertou o governo para a inconstitucionalidade daquelas medidas. Ora o Presidente da República não existe para alertar quando há violações da Constituição da República Portuguesa, mas para atuar para as impedir, sob pena de se tornar, ele próprio, numa inutilidade constitucional. Outra das perplexidades que se me coloca prende-se com o facto de, quer legal, quer politicamente se tratar da mesma forma duas realidades distintas. O décimo terceiro e décimo quarto mês dos funcionários públicos e o dos pensionistas. Num dos casos estamos perante a redução de direitos motivada pelo “estado de necessidade” em que o país se encontra. Noutro dos casos estamos perante um confisco de direitos. O direito de crédito dos pensionistas à sua reforma foi-se constituindo ao longo de toda uma carreira contributiva. Foi um direito formado em cascata com cotizações e contribuições do próprio e da sua entidade patronal. É o dinheiro dos próprios que foi confiscado. Não se pense que o Estado corta despesa com o dinheiro que não é seu! A última perplexidade tem que ver com aquilo que o governo diz que há-de propor para repor o princípio da igualdade violado. Facilmente se imagina que no Orçamento de Estado, que dentro de alguns meses se há-de começar a discutir para o próximo ano, vai haver aumento do IRS como forma de “compensar” o Estado dos cortes que vai deixar de fazer de décimo terceiro e décimo quarto mês. O IRS onera todos os trabalhadores e também pensionistas. No próximo ano tributa-se o rendimento deste ano. O que é que vai acontecer a quem já foi cortado agora? Aguardemos as cenas dos próximos capítulos…

Helena Terra

opinião

Causa comum Momento de reflexão

Não podemos ter a memória curta. Sócrates e os seus companheiros socialistas desgovernavam Portugal ainda há pouco mais de um ano. Os Portugueses puniram estes senhores nas urnas, mas o legado deles ainda dura. A crise profunda ficou e o acordo de resgate com a troika era já uma inevitabilidade. O compadrio, os gastos supérfluos, o desleixo na gestão da causa e dos organismos públicos eram uma realidade. A austeridade, medida necessária para resolver os problemas financeiros, passou a ser indispensável. Não passou assim tanto tempo desde que Sócrates era PrimeiroMinistro, mas a lata destes Socialistas não tem de facto limite. Puseram o país de tanga, mas agora é vê-los todos os dias virem a público passar uma esponja completa pela responsabilidade que tiveram na crise, como se a responsabilidade da situação a que chegamos fosse do actual Governo. É por isso que, de vez em quando, é bom relembrarmos as pessoas, para que nunca esqueçam os verdadeiros responsáveis pela nossa situação. Ética, responsabilidade, verdade e coragem são para mim os valores essenciais, que devem reger os políticos. Estes valores deveriam estar sempre presentes no seio da política nacional e europeia. Penso no entanto que, se de facto fossem os polares fundamentais para os actuais líderes europeus, a Europa já não estaria na crise profunda que hoje atravessa e seria certamente um bloco económico forte e em expansão. Falo nesta questão a propósito da última cimeira de líderes europeus, em que apesar de curtas, algumas medidas importantes foram de facto tomadas, tendo como efeito imediato uma acalmia dos mercados. O problema, como sempre, veio depois. Como é possível que perante uma situação em que estamos todos no mesmo barco, tenhamos líderes europeus a cantar vitória em relação a outros países? Como é possível que tenhamos países que após terem concordado, venham à posterior levantar dúvidas, dificuldades, e ameaçando que não farão parte de certos acordos? Desculpem-me a expressão, mas estará tudo doido? Com estas atitudes, alguns líderes europeus poderão ficar na história como os responsáveis pelo fim da união Europeia, e pelo fim do Euro. No meio desta falta de responsabilidade, Passos Coelho tem andado bem pois não tem contribuído para este ruido de fundo, para o frenesim público que não interessa a ninguém. Os interesses de Portugal e da Europa têm de ser debatidos e defendidos com rigor, mas em sede própria. É aí que Passos coelho tem de ser firme e é aí que o tem sido.

José Campos

(Des)educação A crise obriga a cortar um pouco por todo o lado e, consciente disso, o governo anunciou o congelamento de vagas para os cursos do ensino superior. Mas por que é que as vagas estão paradas, paradinhas, e não vão aumentar? Primeiro porque a cerveja está Ricardo cara e os estudantes bebem muito Pinho na sala de convívio, porque alguém caiu em cima dos matraquilhos e não há verba para os arranjar, depois porque se descobriu agora que há cursos que não garantem emprego. Verdade? Pois, parece que sim. Há cursos que não garantem futuro. Quem tira uma licenciatura em ecoturismo não tem trabalho, quem termina uma licenciatura em línguas estrangeiras só tem a Orsi Feher, e não concordo com esta mania que as pessoas têm de ser engenheiros e doutores, porque torna-se cansativo tratar o jardineiro por engenheiro ou a rapariga da caixa do supermercado e o rapaz que nos entrega a pizza em casa por “doutor”. Eu sei, ficamos a saber que têm um canudo, mas também que lhes serviu para ver a vida pelo binóculo do “não tenho colocação”. Há quem diga e pense que no seu tempo não era assim. Já eu, nunca perco a oportunidade de me juntar a um coro de moralistas, e dizer que no meu tempo isto não era assim. Mas depois lembro-me da idade que tenho e calo-me porque isto é o meu tempo. Quem não conhece alguém que tenha “apenas” a 4ª classe mas que fez uma brilhante carreira profissional? Acho que tudo se deve à motivação que na altura seria diferente. Agora obrigam-se os alunos a estudar até ao 12º ano, sem qualquer vontade ou motivação. Fazem-no apenas e só porque querem demonstrar à Europa que cá somos todos qualificados, mesmo que não saibamos nada. Assim, e provado o valor que têm os graus académicos até se poupa se acabarmos com qualquer tipo de ensino, até porque, nós portugueses, temos a escola toda e já topámos que ler, escrever e saber fazer contas ou juntar 2+2, afinal não nos garante nada. Safam-se mais facilmente os que recorrem ao Google e à Wikipédia, os que tiram cursos ao domingo e aqueles que fazem 36 cadeiras num ano. E afinal, fazendo bem as contas, precisamos da escola para quê? Como diz a música : “We don´t need no education…”


CONCELHO

Terça-feira, 10 de julho de 2012

13

> ESTUDO INDICA POSSIBILIDADE DE SUSTENTABILIDADE DA FERROVIA

Linha do Vouga pode levar-nos ao Porto Após ter sido anunciado o fecho da Linha do Vouga para final de 2011, neste momento um estudo encomendado pela AMP avança com a possibilidade de reestruturação da ferrovia, tornando-a viável e sustentável. ANGELA AMORIM

O estudo realizado pela empresa TRENMO - Transportes, Engenharia e Modelação à sustentabilidade da Linha do Vale do Vouga demonstra alguma abertura para seguir em frente com os planos dos municípios a Norte de Oliveira de Azeméis, servidos por esta, que, desde início, apontam para a ligação ao Porto. De acordo com o que apurámos, essa “sustentabili-

Foto de Arquivo

A proposta permite criar um acesso ferroviário ao Porto para os municípios a Sul do Douro

dade financeira” pode ser possível, sem custos para o erário público e apenas suportada por fundos comunitários e por capital privado. A proposta do estudo, encomendado à TRENMO pela Área Metropolitana do Porto (AMP), aponta para a ligação à cidade Invicta (Campanhã),

servindo as populações do Entre Douro e Vouga, mais concretamente de Azeméis, S.J. Madeira e Feira. As novidades não são muitas no que diz respeito ao projeto desde início defendido pelos autarcas destes três concelhos, apoiados pelos restantes (Arouca e V. Cambra), que passará por uma reestruturação da

ferrovia, tornando-a compatível com a Linha do Norte. De acordo com a Lusa, a execução da obra integrar-se-á na nova concessão da CP para o Porto, pelo que “o risco de negócio ficará com o setor privado”, segundo afirmou Luís Montenegro, líder da bancada do PSD na Assembleia da República. Este e outros

deputados do PSD do círculo de Aveiro estiveram reunidos, dia 02 deste mês, com os autarcas dos seis municípios servidos por esta estrutura, isto é, os do EDV e o de Espinho. Luís Montenegro realçou, ainda, tendo em conta a agência noticiosa, que se a proposta for aceite pela tutela, o projeto permitirá ligar esta nossa região ao Porto e, daí, a toda a rede de transportes da AMP, nomeadamente ao metro ou autocarros da STCP, com o mesmo bilhete que o levou à capital do Norte. Calcula-se que esteja em causa um investimento de 68 milhões de euros, dos quais 85% suportados por fundos comunitários e os restantes no âmbito de uma concessão. Uma viagem da nossa cidade ao Porto levaria uma hora, contra os atuais 70 minutos de autocarro, sem necessidade de mudar de comboio em Espinho, já que a Linha do Vouga entroncaria na Linha do Norte na zona de Silvalde, daquele concelho. PUB


14

Terça-feira, 10 de julho de 2012

REGIONAL

OLIVEIRA DE AZEMÉIS> D. JOÃO LAVRADOR PRESIDIU À MISSA DO CRISMA

Cerca de 40 jovens crismados na paróquia oliveirense “A nossa vida tem de ser um toque com Cristo para uma comunhão com Ele e com os outros”... PROF. MANUEL PAIVA

Foram quase quatro dezenas os jovens que frequentaram a catequese durante os 12 anos, preparando-se, assim, para a receção do sacramento do Crisma. O dia 30 de junho marcou a história desta comunidade. Às 16h00, no salão paroquial, D. João Lavrador acolheu esses paroquianos, explicando-lhes o significado da receção do sacramento e a responsabilidade que assumiam. Seguiu-se, na igreja, a eucaristia, presidida por D. João Lavrador e concelebrada pelo nosso pároco e pelo vigário da Vara. O Pd. Albino Fernandes saudou o Bispo Auxiliar da Diocese do Porto e enalteceu a coragem que levou os que iam crismar-se a perseverarem na caminhada, bem longa, de uma catequese levada a sério e culmina-

D. João Lavrador celebrou o sacramento do Crisma

da por um retiro bem vivido. Também não esqueceu a exemplar doação dos catequistas à ação formativa destes jovens, em colaboração com os seus pais. Na homilia, D. João Lavrador fez uma brilhante exposição, baseada na mensagem do Evangelho do dia e conduziu a vasta assembleia a fazer a descoberta da força do amor que nos leva a viver a comunhão com Cristo e com todos os irmãos. “A nossa vida é uma comunhão entre

tantas pessoas; é sobretudo uma comunhão com Jesus Cristo”, afirmou. Referindose à preocupação de Jairo, que veio pedir a Jesus a cura da sua filha, D. João levou-nos a entrar em comunhão com os sofrimentos dos outros para os ajudar nos seus momentos de aflição. Destacou a necessidade que temos de uma boa notícia, como Jairo a sentiu quando Jesus se pôs a caminho para casa daquele pai tão aflito. Também fez referência àquela mulher rejeitada por

A igreja matriz encheu-se de esperança...rumo a um futuro de comunhão, serviço, perdão e interajuda

todos, mas que rompeu pelo meio da multidão, com uma fé tão viva, que entendeu que bastaria tocar no manto de Jesus para ficar curada. Aqui o Bispo Auxiliar levou a assembleia a descobrir o toque de Jesus na nossa vida e o seu convite para, com Ele, fazermos comunhão. “A nossa vida tem de ser assim um toque com Cristo para uma comunhão com Ele e com os outros” alertou. O Senhor Jesus está, de facto, sempre em comunhão connosco, mesmo

nos momentos em que o julgamos ausente! Foi realmente um grito a sacudir a nossa letargia para descobrir a beleza do amor, da comunhão e da fraternidade que, de todos, fazem uma só família. Agora a nossa comunidade fica à espera do testemunho destes jovens para a ajudarem a construir um futuro de comunhão, serviço, perdão e interajuda... teremos, então, uma comunidade exemplar e feliz, e um futuro de esperança!...

OLIVEIRA DE AZEMÉIS> “VÓS SOIS OS CAMPEÕES DA VIDA E OS QUE MAIS IMPORTA RECONHECER E LOUVAR”

‘Jubileu dos Casais’ assinala bodas matrimoniais O Pavilhão Rosa Mota, no Porto, no início de junho, encheu-se com mais de 1500 casais que celebravam as suas bodas matrimoniais, com familiares e muitos amigos. Tratava-se do ‘Jubileu dos Casais’, inserido nas ‘Jornadas Diocesanas da Família e da Juventude’, com a celebração da ‘Missa da Família’, iniciativa da diocese do Porto, ao mesmo tempo que, em Milão, se celebrava o ‘VII Encontro Mundial da Famílias’. A paróquia de Oliveira de Azeméis esteve representada por vários casais jubilados. O serviço foi muito bem organizado por inúmeras boas vontades, que se deram totalmente à preparação deste evento. No altar, estiveram vários bispos e acólitos. D. Manuel Clemente presidiu à eucaristia e começou a cele-

Mais de 1500 casais comemoraram as suas bodas matrimoniais no Pavilhão Rosa Mota, no Porto

bração, afirmando: “Dizemonos e reconhecemo-nos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Assim mesmo fomos batizados e assim mesmo somos cristãos”. Na homilia, enquadrou a

Família no contexto atual da sociedade e focou a sua importância, defendendo que a sociedade deve “reconhecer em cada família a melhor escola da sociabilidade, onde aprendemos a viver

solidariamente (…). Que bom – continuou - que belo e verdadeiro é estarmos aqui a celebrar as bodas matrimoniais, de 10, 25, 50 e mais anos”. Dirigindo-se aos casais jubilados afirmou: “Vós sois os verdadeiros campeões da vida e os que mais importa reconhecer e louvar”. Depois de insistir que a família é o sustentáculo da sociedade e das nações, e, por isso, quando se desmorona, toda a sociedade se desmorona, o chefe máximo da Igreja da nossa diocese quis lançar aos casais presentes um vigoroso apelo: “Deixo-vos um pedido: fazei ainda mais da vossa vida um testemunho permanente, sereno e belo, de tudo quanto é possível”. Depois apelou para que o matrimónio seja devidamente preparado, pois “é fundamen-

tal que em cada comunidade a preparação para o matrimónio seja feita a longo prazo, a partir duma catequese que forme para a vida partilhada com Deus e com os outros”. No fim da missa um representante do Secretariado Diocesano da Pastoral da Família agradeceu a colaboração de um sem número de pessoas, que trabalharam incansavelmente na organização logística desta celebração. Foi ainda distribuído pelo Bispo do Porto um diploma a cada casal, terminando tudo num almoço alegre e fraternalmente partilhado à sombra das frondosas árvores do parque circundante. Esta celebração foi um grito de alerta para se tentar ainda salvar a família, hoje tão atacada por ‘coloridas’ tempestades tão perigosas como ‘subterrâneas’. PROF. MANUEL PAIVA


REGIONAL CUCUJÃES> AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE COUTO DE CUCUJÃES

Fim de aulas assinalado com festa

A festa contou com uma numerosa assistência

No dia 15 de junho, o Agrupamento de Escolas de Couto de Cucujães (AECC) realizou a sua habitual festa de encerramento do ano letivo, na escola sede. O espetáculo começou por volta das 18h15, com o ‘Hino do Agrupamento’ e com a saudação da diretora, professora Rosa Gabriela Reis, e depois houve de tudo: danças, canções, ginástica acrobática, marchas populares, dramatizações, entrega de prémios, teatro, entrega de lembranças a professores e até, no fim, a atuação do grupo musical ‘Kibanda’. As centenas de pessoas que assistiram ao evento escolar

não se cansaram de aplaudir os artistas da casa, desde os mais pequenos do pré-escolar aos ‘finalistas’ do 9.º ano. Entretanto, nas várias barraquinhas de comes e bebes espalhadas pelo recinto, os clientes formavam filas, para matarem a sede ou provarem as febras ou o porco no espeto. Como já é hábito, vários ex-alunos aproveitaram a ocasião para reverem os seus antigos professores e colegas. A organização da iniciativa esteve a cargo dos professores, alunos, funcionários e associações de pais e encarregados de educação do Agrupamento de Escolas de Couto de Cucujães.

15

Terça-feira, 10 de julho de 2012

O. AZEMÉIS> FOI A UMA SEXTAFEIRA... ‘YEH’... E EM FINAL DE ANO!!!

Externato leva Caracas ao rubro

O Externato Infantil e Primário de Oliveira de Azeméis voltou a dar sinais da classe e do profissionalismo com que encara a sua missão pedagógica

O Externato Infantil e Primário de Oliveira de Azeméis voltou a demonstrar a classe e o profissionalismo com que encara a sua missão pedagógica, didática e até cultural, ao longo de tantos anos de existência.

táculo digno de registo, que teve lugar no Cine-Teatro Caracas, no passado dia 22. Sem deixar os seus créditos por mãos alheias e já firmados ao longo dos anos, a música, a dança e a interpretação dos ‘pequenos grandes’ artistas foi uma verdadeira maravilha, com um guarda-roupa de luxo, fazendo jus ao que este estabelecimento de ensino já nos habituou. A emoção e os sentimentos estiveram ao rubro, quer entre alunos e docentes do A sua festa de encerramento Externato, quer mesmo com de ano letivo foi, novamente, os pais e encarregados de eduum momento alto, num espe- cação, que viveram um final

de tarde espetacular. E como era sexta-feira, nada melhor do que aquela interpretação coreograficamente esplêndida da música dos Boss AC... ‘É sexta-feira’... YEH! Mais uma vez aqui ficam os nossos parabéns à Leninha e ao João Rui, responsáveis do Externato Infantil e Primário de Oliveira de Azeméis, bem como aos restantes docentes e auxiliares, nomeadamente a Teresa, a Sara, a Fatinha, D.ª Ângela, teacher Paula (Inglês), Prof.ª Célia (Música), Sara (Dança), e Andreia e Ricardo (Karaté).

OLIVEIRA DE AZEMÉIS> ANTIGO E ATUAL PROVEDORES ESTIVERAM PRESENTES NA FESTA

Misericórdia comemorou fim de ano letivo com espetáculo Eduardo Iglésias

veis da dança, cântico, passagem de modelos, etc.. Houve lugar também para a despedida dos petizes finalistas, aos quais, como manda a tradição, foram entregues as pastas. Deste evento organizado pela SCMOA, destaca-se,

Um dos momentos do espetáculo organizado pela instituição centenária oliveirense

O Cine-Teatro Caracas foi, novamente, o local escolhido para a festa de final de ano letivo da Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Azeméis (SCMOA). Desta vez, na presença dos novos corpos gerentes, inclusive do provedor Vítor Moreira Machado, os utentes desta instituição centenária oliveirense, e não só, foram, no passado

dia 30 de junho, os protagonistas de um espetáculo bastante animado, como, aliás, já vem sendo habitual. Pelo palco passaram crianças (desde bebés até à Sala dos 05 anos) e os seus pais, bem como idosos do Centro de Dia e do Lar de Terceira Idade, mostrando a uma numerosa assistência os seus dotes artísticos aos ní-

igualmente, a intervenção de Vítor Moreira Machado, feita ainda antes do início das atuações. O líder da mesa administrativa aproveitou a ocasião festiva não só para dirigir algumas palavras ao seu antecessor, Gaspar Domingues, que se en-

contrava presente, mas também para falar sobre as atuais condições da SCMOA, que, como disse, “são muito boas”, em particular as do Infantário, que foi a última valência a ser transferida para o edifício situado na Abelheira. PUB


16

Terça-feira, 10 de julho de 2012

REGIONAL

CUCUJÃES > AINDA NAS BODAS DE DIAMANTE DA MISERICÓRDIA CUCUJANENSE

Parceira nas políticas sociais do município A Misericórdia da Vila de Cucujães tem um importante papel a desempenhar na ação social e na solidariedade dentro da comunidade que integra. Disso estão conscientes todos os intervenientes nas comemorações dos seus 75 anos.

Angela Amorim

O secretário de Estado, Marco António Costa, descerrou mais uma placa na Misericórdia de Cucujães. Já o fizera em 2005, aquando da sua primeira visita à instituição

ANGELA AMORIM

Conforme já publicámos, a Misericórdia de Cucujães completou 75 anos de existência. Momento para “refletirmos sobre o papel desenvolvido e que desenvolvem a instituições particulares de solidariedade social (IPSS’s)”, apelou Hermínio Loureiro, presidente da Câmara. Até porque, “em momentos de dificuldades, como os que atravessamos, o seu papel torna-se mais relevante, mais visível e mais necessário”. Nos tempos que correm, “os dirigentes das IPSS’s “têm cada vez mais obrigações e menos direitos, prejudicando a sua própria vida em favor destas causas”.

Concretamente a instituição aniversariante, o edil considerou-a “um parceiro ativo no que tem a ver com as políticas sociais do município” e, por isso, a autarquia também deu “uma prenda” à Misericórdia, com a pavimentação do terreno em anexo, agora um ótimo parque de estacionamento, então em terra batida e muito mau estado. Hermínio Loureiro aproveitou, ainda, para agradecer a vinda do secretário de Estado da Segurança e da Solidariedade Social a Cucujães, “sempre pronto para vir a Oliveira de Azeméis”. Uma atitude que tem

> OBRA RETRATA HISTÓRIA DA INSTITUIÇÃO

Misericórdia lança livro O lançamento do livro ‘A Misericórdia da Vila de Cucujães 1937-2012’ foi lançado durante as comemorações nas bodas de diamante da instituição. Da autoria do jornalista Valter Santos e da historiadora/genealogista Teresa Cruz Tobby, a obra retrata a fundação e o desenvolvimento da Misericórdia, ao longo dos seus 75 anos de vida. ‘Sala dos Provedores’ Ainda a 30 de junho, foram apresentados os retratos de todos os provedores que passaram pela instituição, expostos na que agora se denomina ‘Sala dos Provedores’. Para que conste, aqui ficam os seus nomes: Alfredo Fernandes de Andrade (1937/39); Pd. João Domingues Arede (1939/53); Agostinho Lopes da Costa (1953/76); Manuel Pinto Bessa (1976/79); Arcílio Brandão de Azevedo (1979/82); Arnaldo da Silva Gomes (1983/86) e o atual Domingos José de Pinho Ferreira, que tomou posse em 1986. De reter que, durante o protocolo, Arlindo Correia, um dos dirigentes da Misericórdia, sublinhou “o empenho e a determinação” do agora provedor “para levar por diante a comemoração desta efeméride”, não obstante a sua tão ocupada vida empresarial e pessoal. Patrocinadores das comemorações Grupo Simoldes, Ribsol, Calçado Centenário, Caixa Geral de Depósitos (Cucujães), Junta de Freguesia e Câmara Municipal.

correspondência, pois, como disse o presidente, Marco António Costa “pode contar com o voluntarismo das IPSS’s e das autarquias do concelho. Temos conseguido boas políticas sociais, extamente porque temos bons dirigentes que no terreno as implementam”.

João Lavrador, sublinhou o facto da nossa cultura estar a avançar muito na vertente social. “O grande problema que está subjacente à realidade que estamos a viver é que temos de encarála de forma diferente: ou somos irmãos, ou somos concorrentes”. Neste sentido, opinou que “a realidade não tem permitiPlataforma de fraternidade do uma plataforma de fraterO Bispo Auxiliar do Porto, D. nidade”. A liberdade “é muito

importante”, em seu entender, “mas tem de se relacionar com outras vertentes”. Já a igualdade “tem-se teorizado muito”, porém, também “exige a complementaridade de todos e só pode ser entendida quando tivermos uma fraternidade efetiva”. Ainda de acordo com as palavras do representante da Diocese do Porto, pelo facto de sermos seres humanos, só resolveremos os atuais problemas através da solidariedade, esperando da parte de quem nos governa “muita verdade e muita clareza”. Até porque “nunca se fará justiça enquanto tivermos pobres e necessitados”. D. João Lavrador congratulouse, por último, “com o trabalho da Misericórdia de Cucujães” e de quem a dirige. Recorde-se, neste propósito, que já Hermínio Loureiro havia pedido uma salva de palmas para o provedor, Domingos José de Pinho Ferreira, que, ao longo de 26 anos, tem dado muito de si em prol da instituição. N.R.: Para complemento desta matéria, sugerimos a leitura das duas edições anteriores.


REGIONAL

17

Terça-feira, 10 de julho de 2012

FAJÕES > CONCLUÍDOS MELHORAMENTOS NA IGREJA DA PARÓQUIA

Segunda fase deve arrancar em breve Foto de Arquivo

A igreja de Fajões foi alvo de obras de melhoramento nos meses de janeiro, fevereiro e março, no valor de 80 mil euros. Mais 20 mil de investimento se espera para uma segunda fase, com a cobertura da escadaria exterior. À nossa redação chegou um comunicado de imprensa sobre as obras realizadas, desde o início do corrente ano na igreja matriz desta vila, da responsabilidade da Comissão de Fábrica da Paróquia. De acordo com esse documento, as intervenções consistiram no levamento do piso antigo, soalho em madeira, substiuído por granito do piso antigo, renovado, misturado com granito novo e madeira nova. Os degraus antigos foram suprimidos. Pintura geral do interior do templo, arranjo da sacristia e uma nova porta, guarda-vento, em vidro e madeira, foram mais melhoramentos verificados. As obras estenderam-se pelo primeiro trimestre deste ano, tendo, nesse período, sido utilizado o salão dos Bombeiros de Fajões para o as atividades da igreja. Segundo o press release, “os melhoramentos enquadramse perfeitamente no estilo da igreja. O que tornou este local de culto mais belo e funcional. O exterior também foi melhorado com um sistema, bem conseguido, de retenção e esgotamento das

Uma igreja renovada, depois das obras de melhoramento. Segue-se agora a segunda fase das intervenções

Peregrinação a Fátima reuniu mais de 150 pessoas

águas pluviais”. De acordo com o que apurámos, “o custo total rondou os 80 mil euros, cobertos pela generosidade de muitos fajoenses, do comércio e empresas da região, em especial da Sonecol. Brevemente será concluída

a segunda fase das obras, com a cobertura da escadaria exterior para o coro, orçamentada em 20 mil euros”. Recorde-se que este importante melhoramento foi inaugurado, pelo Bispo Auxiliar da Diocese do Porto, D. João La-

vrador, aquando da sua última passagem por Fajões, em março último. Salão paroquial seria bem-vindo Sem grandes alaridos e paulatinamente esta comissão “está

bem viva e é um elo importante de coesão de todos os paroquianos”. Provas disso foram a recente peregrinação a Fátima, que reuniu mais de 150 pessoas, e uma missa com os idosos. Como um anseio, pensa-se que o ideal seria “todos se unirem para começar a pensar seriamente na requalificação de todo o adro. Já houve algumas tentativas que infelizmente não passaram do papel. Sabemos que os tempos não são os melhores para tal empreitada, mas temos a certeza que, se todos tiverem vontade, a obra vai acabar por acontecer. O local é dos mais belos da região e seria um erro não ser aproveitado convenientemente”. Uma outra ideia lançada, neste documento enviado ao Correio de Azeméis, era um salão ou casa paroquial, “multifuncional para festas religosas e profanas, bem regulamentado; seria talvez uma fonte de receita que, com o tempo, seguramente, se ia autofinanciar, e ser até uma fonte de receita para a Comissão de Fábrica”. Nesse projeto e em local adequado, devia ser “incluída uma capela mortuária, que os novos tempos exigem, pois é deprimente e pouco dignificante começar a última viagem a partir de um carro de uma agência funerária, algures no adro, com os familiares e acompanhntes sujeitos aos caprichos do tempo”. Como disse Fernando Pessoa, “Deus quer, o Homem sonha e a obra nasce” e a freguesia de Fajões “já deu provas de ser capaz de unir todos para grandes obras, basta haver alguém que lidere este projeto, que já peca por tardio”, defende o press.

Médicas de Fajões galardoadas pela respetiva Ordem

com Em sessão solene, que congregou, no Porto, médicos guiu distin icos Méd dos m Orde 50 e 25 anos de profissão, a ira, Olive s Basto de Silva da ira e galardoou Maria José More irmã sua e , Tirso o Sant de ital médica oftalmologista no Hosp ica méd , Lino ira Olive s Basto de Maria Teresa Moreira da Silva Pia, a Mari ital Hosp no iços Serv estomatologista e diretora dos medicina. do Porto, por completarem 25 anos de exercício de da médica lhas fi s, Fajõe de vila da As duas médicas são naturais el de Samu or, orad colab o noss do Palmira Moreira da Silva e Olide u Muse Casa da ção Dire da Bastos Oliveira, presidente ira. Olive e Filip Luís , gado advo veira de Azeméis, e irmãs do


18

Terça-feira, 10 de julho de 2012

REGIONAL

LOUREIRO> PRÓXIMO CONCERTO AGENDADO PARA DIA 28 NO BARÃO CAFFÉ

‘Festivários’…muito mais do que uma simples banda ‘Festivários’ não é apenas “uma mera banda de fundo de quintal”. É muito mais do que isso, apresentandose como “uma cooperativa de atividades relacionadas com diversão e música”. O seu próximo concerto está agendado para 28 de julho, no Barão Caffé, em Loureiro. Composta por Gonçalo Nunes, Vicente Pinho, Vítor Rodrigues e Mário Pereira – quatro jovens, com uma média de idades próxima dos 30 anos e oriundos de Pinheiro da Bemposta, São Roque e Santiago de Riba-Ul –, a banda ‘Festivários’ nasceu a partir de um projeto que estava adormecido há mais de uma década: ‘Stolen Miseries’. Em setembro de 2011, foram tomadas as primeiras diligências com o objetivo de reunir os ex-elementos do antigo grupo.

Quatro jovens músicos do concelho que ainda vão dar muito que falar...

No mês seguinte, já estavam a ser feitos os primeiros ensaios e a ser decidido qual o género musical a tocar. Entretanto, como, desta vez, não iriam participar todos os membros da banda ‘Stolen Miseries’, não fazia sentido manter-se o nome, tendo, então, começado as iniciativas em busca de um novo. Foi então que surgiu a ideia de chamar ‘Festi-

vários’, “porque música é festa e vocês são vários, mas únicos, nós somos ‘Festivários’”. Entretanto, em abril passado, os ‘Festivários’ apresentaramse ao público no Café Parati, em Pinheiro da Bemposta, espaço ao qual estão “gratos pelo apoio e a recetividade” de quem assistiu ao concerto. Cerca de dois meses depois, voltaram a fazer-se ouvir nas

-Ul, vários casais reuniram-se, no Na comunidade paroquial de Santiago de Riba 60, 50, 25 e 10 anos de matrimónio. passado dia 24 de junho, para celebrar os seus renovaram os seus votos Na altura, foi celebrada uma eucaristia na qual lhos, netos, entre outros. Mais uma fi dos matrimoniais e contaram com a presença testemunho de união, convicção e vez, na paróquia santiaguense, foi dado um plo. unidade.Um bem haja a todos pelo seu exem

Festas em Honra do Mártir São Sebastião, na mesma freguesia, mas, desta feita, no lugar da Bemposta, onde sentiram, de novo, o calor humano e o incentivo do público presente. Projeto quer abranger todas as faixas etárias ‘Festivários’ não foi pensada para ser apenas “uma mera banda de fundo de quintal”.

Quem a compõe tem outras ideias bem mais arrojadas. E tanto é assim que, hoje, ‘Festivários’ apresenta-se como “uma cooperativa de atividades relacionadas com diversão e música”. Neste momento, estão a ser feitos contatos com DJ’s, e não só, tendo em vista agradar todas as faixas etárias e proporcionar eventos únicos. Isto, não obstante “o caminho ainda ser curto e os apoios não serem muitos”. Aliás, por isso mesmo, por os “apoios” serem escassos, o lançamento de trabalhos originais vai ter mesmo de ser adiado. Atualmente, os ‘Festivários’ apenas tocam músicas de grupos bem conhecidos como Pearl Jam, Pólo Norte, Xutos e Pontapés, entre outros. Em termos de agenda, está para breve a realização de mais dois concertos: um, no próximo dia 28, no Barão Caffé, em Loureiro; o outro, no mês de agosto, no Irish Roque, em São Roque. Os contatos para marcação de atuações ou outro assunto são os seguintes: telemóvel – 916 816 253, email festivarios@ gmail.com e/ou facebook – www.facebook.com/festivariosband.


TRIBUNAIS E POLÍCIA/PUB.

Terça-feira, 10 de julho de 2012

19

> OLIVEIRA DE AZEMÉIS

Tribunal da Relação mantém ladrões de gasolineiras na cadeia Assaltaram duas bombas de gasolina com uma arma de plástico, mas o preço a pagar pela ‘brincadeira’ foi elevado.

Foto Diana Cohen

DIANA COHEN

Os dois assaltantes que, em janeiro, foram condenados a penas de prisão efetiva, não se conformaram com a decisão judicial e recorreram para o Tribunal da Relação do Porto (TRP), que, contudo, confirmou a pena anteriormente aplicada pelos juízes de Oliveira de Azeméis. No verão passado, mais precisamente, nos dias 10 e 13 de julho, Carlos Mendes e João Tavares, de 21 e 22 anos, o primeiro residente em Albergaria-a-Velha, o outro em Travanca, assaltaram dois postos de abastecimento situados no centro da cidade. Pelos dois roubos, foram condenados, respetivamente, a quatro e três anos de prisão. Ambos os arguidos consideraram as penas aplicadas injustas. Contestaram, alegando que as testemunhas ouvidas em sede de julgamento não os reconheceram e, na sua perspetiva, a convicção do tribunal assentou, essencialmente, nos depoimentos dos inspetores da Polícia Judiciária (PJ) do Porto responsáveis pelas detenções, que relataram o que lhes foi dito, informalmente, na

Os funcionários dos postos de abastecimento temeram pelas suas vidas quando lhes foi apontado o suposto revólver

ocasião. E essas “conversas informais são desprovidas de valor probatório”, referiram. Não pediam a absolvição, mas pretendiam que o TRP entendesse que “os factos cometidos foram um simples acidente de percurso, esporádico e que a ameaça da pena, como medida de reflexos sobre o seu comportamento futuro, evitará a repetição de comportamentos delituosos”. De nada serviu, sendo que o novo acórdão deu razão ao proferido pelo juiz António Alberto. “As necessidades de prevenção geral (...) são altas porque o tipo de crime em questão é uma verda-

> LOUREIRO

Jovem que violou a avó aguarda julgamento na prisão Após ter sido presente a primeiro interrogatório judicial, o suspeito saiu das instalações do Tribunal de Oliveira de Azeméis com destino a um estabelecimento prisional. Na discoteca onde esteve, com os amigos, na madrugada de domingo (dia 01 de julho), tentou seduzir várias mulheres e por pouco não era agredido pelo companheiro de uma delas. O inesperado aconteceu, contudo, quando chegou a casa e violou a própria avó, de 82 anos, que não pôde oferecer resistência por se encontrar acamada. No dia seguinte à violação, o suspeito, de 19 anos, foi interrogado, no Tribunal de Oliveira de Azeméis, por um juiz de instrução criminal, que não o deixou sair em liberdade. Ao início da noite, o jovem seguiu para um estabelecimento prisional, onde ficará detido até o processo ir a julgamento. Rosa (nome fictício) terá sido forçada a manter relações sexuais com o neto durante a noite, depois de o jovem ter estado na discoteca com amigos. Embriagado, o violador, que estava incumbido de zelar pelos avós, serviu-se

da octogenária para satisfazer os seus ímpetos sexuais. O alerta partiu de uma funcionária do centro de dia que presta apoio domiciliário à reformada. Na manhã seguinte, ao chegar à habitação da mulher, acamada e imobilizada, suspeitou de que a idosa tivesse sido vítima de abusos. As autoridades surpreenderam o principal suspeito quando este dormia no quarto ao lado e, momentos depois, o rapaz saía da moradia sob detenção, acompanhado de agentes da autoridade. O neto, agora constituído arguido, recebia um subsídio por tomar conta dos avós, ambos com problemas de saúde. Aquando da violação, o marido da vítima estava internado no Hospital de S. Sebastião (Feira), devido a complicações relacionadas com a amputação das duas pernas. O suspeito foi, também, indiciado por consumo e tráfico de droga, pois tinha haxixe na sua posse quando a polícia o intercetou. Tem, ainda, antecedentes criminais por furtos. DIANA COHEN

deira praga social, causando um grande clima de insegurança e colocando em crise o bom funcionamento de um serviço essencial para a sociedade”, justificara o magistrado. “Têm que mudar de vida” O pânico instalou-se no posto de abastecimento de combustível da BP, situado na Avenida Dr. António José de Almeida, quando, disfarçado com um gorro e óculos de sol, Carlos entrou na

loja de conveniência para roubar 250 euros, ameaçando a funcionária com uma arma que se, constatou, posteriormente, ser ‘de brincar’. Depois, entrou no carro dirigido por João e colocaramse em fuga. Três dias depois, a dupla invadiu a gasolineira, da mesma marca, instalada no lado oposto da estrada. Utilizaram um ‘modus operandi’ semelhante, mas, desta vez, conseguiram arrecadar mais 50 euros do que na primeira. A namorada do arguido mais velho, de 30 anos, também foi constituída arguida, mas o tribunal absolveu-a, na impossibilidade de conseguir provar o seu envolvimento no segundo assalto. Carlos, com antecedentes criminais e processos pendentes, era, ainda, suspeito do furto de uma viatura, no concelho onde residia, do qual foi ilibado. “Os assaltos em bombas de gasolina são um inferno no nosso país”, considerou o presidente do coletivo de juízes, que optou pela aplicação de uma pena de cadeia ao se aperceber de que os arguidos “ainda não interiorizaram que têm que mudar de vida, deixar de consumir drogas e aproveitar o apoio da família”.


20

EMPRESAS&EMPRESÁRIOS

Terça-feira, 10 de julho de 2012

> ACOMPANHANDO AS EXIGÊNCIAS DOS NOSSOS DIAS

‘McDrive’ com um serviço mais rápido Maior prontidão no serviço ao cliente, nomeadamente a nível do ‘Drive’, foi um dos objetivos das obras de melhoramento no McDonald’s de Lourosa. “Basicamente, 50% das vendas deste restaurante são ‘Drive’. Investimos bastante para tornar esta área mais funcional e eficiente. A ideia é aumentar a rapidez de resposta, porque o McDrive é um negócio de conveniência”. Esta região fica a contar, assim, com dois ‘Drives’ bem operacionais (Lourosa e S. João), estando agendado a curto/médio prazo a abertura do terceiro com as alterações previstas para a Feira. > SERÁ O MAIOR DOS TRÊS RESTAURANTES DO EDV

McDonald’s da Feira passa para exterior O McDonald’s da Feira, que se encontra na galeria da restauração do Pingo Doce, vai mudar-se para o exterior. A Jerónimo Martins pensa reorganizar o espaço interno. Assim ao lado de uma área comercial da AKI e dum posto de combustíveis, o restaurante de Francisco Nadais impor-se-á, tornando-se o 3.º McDrive do EDV. “Este será o maior dos três e aproximar-se-á dos 180 a 200 lugares”. Os timings não estão, ainda, definidos, passando-se agora pelo processo de licenciamento. A nova unidade será potenciadora de mais postos de trabalho, para além dos 30 assegurados.

>MODERNIZAÇÃO DA ESTÉTICA, OPERACIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO E OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS

McDonald’s de Lourosa atualiza-se Angela Amorim

Com a passagem do 14.º aniversário, o McDonald’s de Lourosa deu uma ‘prenda’ a si mesmo. Atualizou a sua imagem às congéneres europeias, otimizou os seus recursos e proporcionou maior conforto aos colaboradores e clientes Com quase década e meia de existência, o McDonald’s de Lourosa apresenta-se com novo visual, mais eficiente e funcional. No espaço de seis semanas - apenas duas das quais encerrado ao público -, este restaurante conseguiu, através de “um investimento substancial” por parte do franchisado, Francisco Nadais, sofrer uma intervenção de fundo, coordenada pela McDonald’s Portugal e realizada por um empreiteiro que concluiu as obras dois dias antes da data prevista, que era 01 de junho. Como a nossa reportagem teve oportunidade de apreciar ‘in loco’, o edifício apresenta-se, agora, de acordo com a imagem e as linhas decorativas, de conforto e operacionalidade seguidas pelos congéneres europeus da marca, aliás à semelhança do de

S. João da Madeira - também uma unidade de Francisco Nadais -, tendo sido, este último, o primeiro em Portugal a seguir estes padrões. A deslocalização da zona de deposição/gestão de resíduos para o exterior do imóvel - agora em edifício independente, onde é compactado - permitiu libertar, reorganizar e racionalizar o espaço interior, nomeadamente com a ampliação da área da cozinha, melhoramento da sala reservada aos colaboradores, otimização da área de funcionamento do ‘Drive’ e alargamento da pista frontal de atendimento, levando a “um fluxo mais franco” e a maior rapidez de resposta

ao cliente. Poupança dos recursos energéticos A intervenção realizada no McDonald de Lourosa foi profunda e englobou, também, uma grande ‘mexida’ ao nível da otimização e poupança de recursos, nomeadamente energéticos e água. Conforme nos explicou Francisco Nadais, “o edifício - com maior isolamento - está muito mais eficiente em termos energéticos”, nomeadamente no que diz respeito à modernização dos sistemas de climatização, que permitem, de forma automática, “uma poupança de energia substancial”. Ainda neste capítulo de salientar a

aposta feita no que concerne ao corte no desperdício de água, com a atualização/modernização de todo o sistema, nomeadamente de rega nos espaços ajardinados, “passando de aspersão para rega gota a gota”. A postura seguida por grande parte dos empresários portugueses, em tempos de retração, é ‘esperar para ver’. Contrariamente, Francisco Nadais seguiu a filosofia de que “é nas crises que surgem as maiores oportunidades. Isto vem nos livros. É uma máxima de gestão. Esta foi a forma que encontrei para ajudar a consolidar, ainda mais, a marca McDonald’s neste mercado do Entre Douro e Vouga”.

>FRANCISCO NADAIS EM LOUROSA, FEIRA E S.J. MADEIRA

As suas férias estão aqui! açores são MiGuel - esPeCial FaMÍlias (Crianças até aos 11 anos não PaGaM)

Partidas diárias de Lisboa e Porto De 30 Mai. a 31 Out.’ 12

Desde:

295

por pessoa em duplo

Inclui: avião + transfers + 2 noites em APA + Hotel Vip Executive Azores | 4 estrelas + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 85) + Seguro Multiviagens

Grande CirCuito da CroáCia Partidas de Lisboa à segunda-feira De 16 Jul. a 20 Ago.’ 12

Inclui: avião + transfers + 7 noites em APA + 13 refeições + Hotéis de 4 estrelas + guia em português + taxas aeroporto e segurança (€ 40) + Seguro Multiviagens

Desde:

1.243

por pessoa em duplo

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos; lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. CONSULTE-NOS. RNAVT 1702

ABERTO à hORA DE ALMOÇO Rua Doutor Aníbal Beleza, 97 | 3720-251 OLIVEIRA DE AZEMÉIS Email: oazemeis@abreu.pt | Tel.: 256 690 080

Mais de 120 postos de trabalho assegurados Contas feitas aos três restaurantes de Francisco Nadais - McDonald’s de Lourosa, Feira e S. J. Madeira -, este ‘franchisado’ assegura cerca de 120 postos de trabalho, 40 dos quais neste renovado espaço de Lourosa. Com algum orgulho, o empresário falanos de funcionários que já têm mais cinco e dez anos de casa. “Aquilo que se ouve sobre a precariedade do trabalho nos restaurantes da marca não é de todo o meu caso, nem

da maior parte a nível nacional. A McDonald’s assegura sete mil postos de trabalho em Portugal. Somos uma força muito significativa”. As obras realizadas em Lourosa também são benfeitorias para os seus colaboradores, permitindo-lhes trabalhar em condições mais eficientes e funcionais. Este investimento acabou por “consolidar estes 40 postos de trabalho”, assegurou Francisco Nadais.


10 de julho de 2012 (Este suplemento faz parte integrante do Jornal Correio de Azeméis n.º 4465. Não pode ser vendido separadamente)

desporto

> OBJETIVO É ENTRAR EM CAMPO PARA LUTAR PELOS TRÊS PONTOS

Oliveirense apresentou plantel

O plantel da Oliveirense é formado por um misto de juventude e experiência

A Oliveirense apresentou, no sábado, à comunicação social o plantel para a próxima temporada, onde constam, até ao momento, sete reforços e dois atletas da formação, que subiram a seniores, de um total de 24 jogadores. Os jogadores subiram ao relvado do Estádio do Calvário, em S. Roque, onde a Oliveirense já treina há uma semana para poupar o relvado do ‘Carlos Osório’, para as habituais fotografias da prá-época antes do treino matinal conduzido pelo técnico João de Deus. Ao fim de oito dias após o arranque da época, o treinador, que assumiu esta temporada o

comando técnico da Oliveirense, garantiu que os trabalhos estão a decorrer dentro da normalidade. “Há muitas ideias para serem assimiladas”, começou por adiantar João de Deus que ocupou o cargo deixado vago por Pedro Miguel. “Tenho ideias diferentes do ex-treinador e este é um processo normal que tenho que cumprir como treinador. Queremos manter o que de bom foi feito no clube”, disse João de Deus, que espera ter uma equipa com “ideias próprias” de jogo numa Liga “muito competitiva” e que pode ser decidida nos “pequenos detalhes”. Tendo como objetivo a permanência na II Liga, João de Deus quer, no entanto, uma equipa que entre em campo sempre com o pensamento na vitória. “Temos um plantel que é uma mescla de juventude e de experiência e o nosso objetivo é ir a jogo sempre para lutar pelos três pontos”,

Os ex-juniores que estão a fazer a pré-época na Oliveirense

Os reforços Hélder Silva (ex-Arouca), Carlitos (exCesarense), Kiki (ex-Madalena), Joca (ex-PAAEK, Chipre), Barry (ex-Atlético) e Avto (ex-Juv. Évora)

acrescentou o técnico que destaca a “qualidade” dos seus jogadores e a evolução ao longo dos treinos. O facto da Oliveirense ter andado, recentemente, na luta pela subida de divisão até às últimas jornadas parece não assustar o técnico. “No meu trabalho há poucas coisas que me assustam. Ainda bem que a Oliveirense conseguiu fazer belíssimos campeonatos

porque com isso conseguiu o respeito que hoje tem. Esta é uma nova etapa e vamos fazer o melhor que estiver ao nosso alcance”, concluiu João de Deus antes de dirigir o último treino da semana. Joca quer justificar aposta da Oliveirense Depois de seis épocas por países como a Grécia, o Chipre e a China, o médio Joca está de re-

A equipa técnica: os adjuntos Carlos Miragaia e Artur; o treinador João de Deus; o treinador de guarda-redes Jorge Silva e o observador Miguel Moreira

gresso ao futebol português e à Oliveirense onde chegou a treinar na época passada. Formado nas camadas jovens do FC Porto, o jogador que assinou por uma temporada com o emblema de Oliveira de Azeméis confessa-se satisfeito com o regresso ao futebol português. “”Estou contente com esta oportunidade que me estão a dar e quero mostrar a razão pela qual estão a apostar em mim”, afirmou o médio, que reconhece estar um jogador “mais responsável e mais experiente”. O capitão Laranjeira vai cumprir a sua 13ª época com a camisola da Oliveirense. Sendo um dos mais experientes jogadores do plantel, o defesa central salientou que esta época marcará uma aposta nos atletas mais jovens e, por isso, tudo fará para ajudar à integração dos mais novos no espírito do clube. “Queremos fazer uma boa campanha. Como mais experiente e capitão vou ajudar os mais jovens e o clube a alcançar o sucesso”, prometeu o defesa central. Taça da Liga arranca dia 29 A Oliveirense realiza o primeiro jogo oficial da época já no próximo dia 29 deste mês com a deslocação ao estádio do Belenenses em partida a contar para a primeira jornada da Taça da Liga. No dia 01 de agosto, a equipa de Azeméis desloca-se à Madeira, para defrontar o União, e apenas na última jornada da 1ª fase joga no Estádio Carlos Osório frente ao Freamunde, no dia 05. Oliveirense recebe Sporting B no arranque da Liga O sorteio do campeonato, este ano alargado a 22 equipas e com um total de 32 jornadas, ditou a recepção da Oliveirense ao Sporting B no arranque da II Liga, no dia 12 de agosto. O início do campeonato vai colocar à prova a equipa de João de Deus, que na 3ª jornada recebe o Marítimo B e, depois da deslocação a Arouca, joga em casa com o FC Porto B. À 13ª jornada, a Oliveirense recebe o Benfica B.


22

Terça-feira, 10 de julho de 2012

DESPORTO

FUTEBOL> QUATRO JOGADORES TÊM OBJETIVOS BEM DEFINIDOS NO FUTEBOL

Jovens de S. Roque afirmam-se na Seleção, FC Porto e Sporting Além de terem em comum o facto de viverem em S. Roque, os quatros amigos alimentam também o sonho de serem jogadores de futebol e continuar a pisar os grandes palcos como seniores. Por agora, os jovens já estão bem lançados. ANA CATELAS

São jovens, jogadores de futebol e agora estão de férias depois de uma época desgastante não só dentro das quatro linhas, mas também na sala de aulas. Bruno Costa, Leonardo Almeida, Marcelo Santos e Ricardo Tavares vivem em S. Roque e partilham a paixão pelo futebol. Sonham ser jogadores profissionais e prometem muito trabalho para não deixar fugir esta oportunidade de se afirmarem no FC Porto e no Sporting, clubes que representam já há algumas épocas. Sabem que a concorrência é grande, mas confessam que já lidam bem com a pressão até porque, como admitem, um desleixo pode ser fatal e pôr mesmo em causa a continuidade nos clubes onde chegaram com muito trabalho e esforço. Os estudos também fazem parte dos planos dos jovens… pelo menos até ao 12º ano. A partir daí, as certezas são poucas, pelo menos para a maioria deles. “Eu sei é que quero jogar futebol”, acrescentam. Neto de vedeta da Oliveirense chega ao FC Porto e Seleção Bruno Costa tem 15 anos e começou a dar os primeiros toques quando tinha ainda três. Neto de Costa Leite, jogador da Oliveirense, S. Roque, Cucujães e Arrifanense, o jovem também começou na Oliveirense tal como o seu avô, mas foi por pouco tempo. Transferiu-se para o Milheiroense e depois para o Feirense onde começou a dar nas vistas e captou a atenção dos ‘olheiros’ do FC Porto.

Bruno Costa joga no FC Porto e esta época estreou-se na Seleção Nacional

Daí até assinar pelo seu novo clube estiveram dois treinos. “Correram bem e eles gostaram de mim”, afirmou Bruno Costa, que recorda esse tempo. “Quando me ligaram fiquei muito contente. Sabia que ia ser muito difícil e o meu pai disse-me isso mesmo”. No entanto, isto não impediu Bruno Costa de lutar por este objetivo. “Mesmo assim eu quis ir e passar por essas dificuldades”. O mais difícil estava feito, pensava o ala esquerdo dos Sub-15 do FC Porto. Mas não. “O primeiro ano também foi muito difícil, mas depois habituei-me”, acrescentou. Habitual titular na equipa azul e branca, Bruno Costa reconhece que estas três épocas têm corrido bem e espera que a próxima assim continue. “É uma experiência muito boa e mesmo que não dê nada no futuro vale pelo que já passei”. Esta última época jamais será esquecida pelo jogador que até começou por jogar hóquei em patins antes de se

iniciar no futebol. Bruno Costa foi convocado para os dois estágios da Seleção Nacional Sub 15 e depois foi mesmo chamado para defrontar a Rússia em partida amigável. “Fiquei muito contente com essa chamada. Sabia que ia ser difícil chegar ao jogo com a Rússia, mas com muito esforço e muito trabalho consegui merecer a confiança do selecionador”, frisou Bruno Costa, salientando mesmo que sem trabalho não se consegue nada. “Em todos os treinos e jogos dou sempre o meu máximo. Tem que ser assim”. Definindo-se como um jogador que tem “muita técnica”, o sanronquense espera chegar aos “melhores clubes do mundo”. O sonho é chegar ao Real Madrid. “É o melhor clube”, aponta o jogador que tem em Cristiano Ronaldo a sua fonte de inspiração e um “exemplo”. A jovem promessa do futebol português tudo faz para conciliar os estudos com o futebol. Depois das aulas apanha

Ricardo Tavares é o capitão da Seleção Nacional e esta época subiu à equipa de juniores do Sporting

o táxi que o leva até ao centro de treinos do FC Porto e, no final, o traz de volta para S. Roque. “É cansativo, mas vale a pena”. Na hora de escolher, Bruno Costa não tem dúvidas. “Primeiro são os estudos, mas o que eu quero mesmo é jogar futebol”. Terminado o 9º ano, o jovem vai seguir Ciências e Tecnologias e ir para a Universidade também está nos seus planos, embora ainda não tenha ideia do curso. Isto porque “o que eu sei é que quero jogar futebol”. Sanroquense é capitão da Seleção Nacional Mais perto da equipa sénior do Sporting está o oliveirense Ricardo Tavares. Aos 17 anos, o jogador, também natural de S. Roque, vai estrear-se nos juniores do clube leonino e já com o pensamento na equipa principal do emblema que representa há seis temporadas. “Vai ser o ano mais difícil desde que estou na Academia. Vou jogar com jogadores mais velhos, tenho menos oportunidades para

jogar, mas tenho que trabalhar muito para ganhar lugar na equipa”, afirmou o defesa central consciente de que o trabalho e o desempenho durante a época são determinantes para garantir a continuidade de um jogador num clube como o Sporting. “O meu sonho, tal como de todos os colegas que estão na Academia, é chegar à equipa sénior do Sporting”, adiantou o jovem que aos 11 anos vestiu pela primeira vez a camisola do clube de Alvalade. Só ao fim da terceira época em que fez treinos de captações no Sporting é que Ricardo Tavares conseguiu o ‘sim’ do pai para assinar pelos leões. “Nos dois primeiros anos, o meu pai disse que eu ainda era muito novo. Eu sabia que o meu pai fazia o que era melhor para mim e aceitei”, referiu o central que começou por treinar na Sanjoanense e a ir aos fins de semana para Lisboa para jogar. Aos 13 anos, Ricardo Tavares mudou-se para a Academia, em Alcochete, e a dis-


DESPORTO tância de casa não foi fácil de ultrapassar no primeiro ano. Mas, no geral, o balanço é positivo. “Têm sido anos muito bons. Tenho evoluído como jogador e como pessoa. Estar na Academia tornou-me mais responsável e homem mais cedo, porque temos que nos habituar a cumprir regras impostas pelo Sporting”, salientou o jogador, que ontem já regressou aos treinos na Academia de Alcochete. Na época 2010/2011, Ricardo Tavares viveu uma época inesquecível com a chamada à Seleção Nacional de sub-16, tendo participado em torneios e jogos particulares. Teve, desde logo, uma responsabilidade maior ao ser o eleito pelo selecionador Rui Bento para ser o detentor da braçadeira de capitão, função que se mantém até ao presente. Este ano representou a Seleção Sub 17, tendo sido o titular nos três jogos para o apuramento para o Campeonato da Europa, que, no entanto, a equipa viria a falhar. “Foi uma grande tristeza não termos passado a segunda fase, mas temos que levantar a cabeça, porque ainda somos novos e teremos muitos Europeus pela frente”. Para manter a carreira de jogador no Sporting, Ricardo Tavares vê-se privado das saídas com os amigos e até de estar com a família. “Sabemos que isto é o nosso futuro e temos que nos agarrar a este trabalho e um dia teremos a oportunidade de recuperar esse tempo que agora não temos”, afirmou o sanroquense que passou para o 11º ano de Humanidades e a sua entrada na Universidade dependerá da sua carreira de futebolista no Sporting ou noutro clube enquanto jogador sénior. Lesões assustaram mas não estragaram anos de trabalho no Sporting Também Leonardo Almeida recebeu o telefonema que tantos jovens jogadores da bola gostariam de receber. Tinha nove anos quando o chamaram para ir fazer um treino de captação à Academia do Sporting e as suas qualidades acabaram por agradar aos responsáveis leoninos. “Sabia que ia ser difícil. Mas este era um objetivo que tinha que conseguir. E consegui”, afirmou o jogador que começou a jogar futebol no Feirense quando tinha 5 anos. “Fiquei surpreendido e muito feliz”, recordou o jovem, fazendo um balanço destes cinco anos com a camisola do Sporting envergada.

No torneio de Marinhas 2011, Marcelo Santos recedeu o prémio de Melhor Marcador

Terça-feira, 10 de julho de 2012 rantiu Leonardo Almeida visivelmente satisfeito. Apesar de se ter transferido para o Sporting, o sanroquense continuava a treinar nas equipas das redondezas e ia a Lisboa apenas ao fim de semana para jogar. “Não era fácil, mas consegui ultrapassar isso. Os meus pais acompanharamme sempre e desde sempre me apoiaram”. Apenas o ano passado, Leonardo se mudou de malas e bagagens para Alcochete onde começou a participar nos treinos da equipa e a frequentar uma escola local. Esta não foi uma mudança fácil, mas a companhia dos colegas na mesma situação ajudaram a ultrapassar os primeiros dias de adaptação longe de casa e da família. “Foi sempre um sonho jogar num dos três grandes e esta oportunidade surgiu mais cedo do que eu pensava”, reconheceu Leonardo Almeida, também ele uma jovem promessa do futebol português. “Espero manter-me no Sporting e vou dar tudo por tudo para chegar aos seniores”. No entanto, a meta do jovem jogador não se fica por aqui. “O meu objetivo é ser cada vez melhor e jogar no Barcelona”, clarificou o médio centro que considera a Academia do Sporting “uma das melhores do mundo e se tive a oportunidade de ir para lá tenho que aproveitar”. Quanto ao futuro profissional, Leonardo também só pensa em ser futebolista, mas pretende, pelo menos, terminar o 12º ano. Depois? “Logo se vê!”

Um avançado com a pontaria afinada Desde cedo que Marcelo Santos começou a dar nas vistas com uma bola nos pés. Os primeiros toques foram dados com o irmão na garagem lá de casa, mas rapidamente passaram para o campo do Feirense onde se estreou aos cinco anos . Foi o amigo Leonardo Almeida que o desafiou a ir com ele fazer um treino no Feirense, acabando mesmo por ficar lá durante seis anos antes de ser convidado a fazer treinos de captação no FC Porto com quem viria a assinar e a integrar a equiLeonardo Almeida começou por treinar nos clubes desta pa de Sub-12. “Esta era uma zona e ia a Lisboa apenas aos fins de semana para jogar boa oportunidade para demonstrar que tinha qualidade para jogar no FC Porto. “As épocas no Sporting têm dos durante três meses. “Mas Sabia que ia ser difícil, mas corrido muito bem, mas as consegui recuperar e voltei à tentei e consegui”, afirmou o lesões às vezes atrapalham”, equipa”. Durante esse tempo, avançado que regista a marca disse o médio centro, que confessa o jogador, “pensei de 86 golos numa temporada este ano chegou a temer pelo que podia pôr em causa o ao serviço do Feirense. seu futuro na equipa leonina. meu trabalho ao longo desNa próxima época cumUma lesão no início da época, tes anos, mas recuperei bem prirá o quarto ano com a ca“possivelmente a mais difícil e na próxima temporada misola dos azuis e brancos até hoje”, afastou-o dos relva- continuo no Sporting”, ga- vestida e o balanço não podia

23 ser melhor para este também sanroquense. “Estes anos correram muito bem. Evolui em termos de técnica e de finalização. Alguns treinos no FC Porto são específicos e isso é bom para evoluirmos individualmente”, esclareceu Marcelo Santos que ao serviço dos dragões já ganhou prémios de melhor marcador nos torneios em que o clube participou. “Jogar no FC Porto é um grande orgulho pelo símbolo que tenho ao peito e neste clube temos mais consciência do que temos que fazer”, defendeu o avançado consciente de que apenas com muito trabalho consegue manter-se no FC Porto e almejar algo mais. “Temos alguma pressão própria, porque sabemos que as coisas têm que correr bem para mostrarmos o nosso valor. É uma pressão positiva e já me começo a habituar a lidar com ela”, salientou outra jovem promessa no futebol português, também ele natural de S. Roque. Na próxima época vai jogar no campeonato nacional pela equipa de Sub-15 do FC Porto. “Espero que sejamos campeões nacionais e que eu possa marcar muitos golos, porque seria bom para o clube e bom para mim”. Os dias de Marcelo Santos, tal como o dos seus colegas aqui apresentados, são preenchidos entre o futebol e a escola. Apenas à segunda e ao sábado, o jogador tem descanso da bola, sendo que nos restantes dias é uma correria: acaba a escola e já está o táxi à sua espera para o transportar até ao centro de treinos. Os estudos e os trabalhos de casa são feitos à noite quando regressa. “Peço ao taxista para me deixar primeiro a mim em casa. Chego por volta das 19h30 e pego nos cadernos e nos livros para estudar”, afirmou o jovem que passou para o 9º ano. “Tento conciliar o futebol com a escola. Eu quero ser jogador de futebol, mas se não conseguir, ou se sair do FC Porto, sigo com os estudos”. O plano B do jovem está bem delineado: “Quero ficar ligado ao desporto, talvez como professor de Educação Física ou como treinador”. Por agora, o avançado aposta no trabalho para seguir com os seus objetivos dentro das quatro linhas e para dar forma ao seu sonho de chegar à Liga Inglesa e também à Seleção Nacional. “Agradeço ao Feirense por tudo o que me deu e quem sabe um dia posso voltar lá”. Quando? “Não sei. Só o futuro dirá”, concluiu Marcelo Santos.


24

DESPORTO

Terça-feira, 10 de julho de 2012

> MILTON SOARES É O NOVO PRESIDENTE DO CLUBE

Escola Livre elege novos órgãos sociais Milton Soares é o novo presidente da Escola Livre de Azeméis. A única lista proposta a sufrágio foi eleita com 61 votos favoráveis numa assembleiageral muito concorrida. A nova direção quer recuperar o passivo do clube. A Escola Livre de Azeméis (ELA) tem novos órgãos sociais. Milton Soares, eleito presidente, apresentou a única lista proposta para eleições numa assembleia-geral que reuniu muitos associados do clube. No total foram 65 os votantes, tendo a lista sido eleita com 61 votos favoráveis, dois brancos, um contra e ainda um voto nulo. Já com projetos definidos para levar o clube para a frente, Milton Soares adiantou ao Correio de Azeméis que este mandato de dois anos vai marcar um ponto de viragem na ELA. “Vai ser alterada a maneira de se trabalhar, a equipa e as atividades. Queremos recomeçar tudo”, começou por referir o jovem líder que vai apostar na formação de equipas de benjamins e escolares para competir. Isto tendo por princípio a formação de jogadores para mais tarde integrarem a equipa sénior da Escola Livre de Azeméis. Além deste objetivo, a direção tem outro que considera “mais essencial” e que passa por recuperar o passivo do clube. “Queremos pôr as contas

Alfredo Pinho

Oliveirense oferece livro dos 45 anos de história A Oliveirense lançou uma campanha na qual oferece o livro recentemente lançado e que conta a história dos primeiros 45 anos de vida do clube de Oliveira de Azeméis fundado em 1922. Para receber um exemplar do livro basta pagar as quotas de sócio até dezembro de 2013 na secretaria do clube. > PARA O CLUBE INSCREVER A EQUIPA

Cucujães inicia peditório na freguesia

Milton Soares foi eleito numa assembleia-geral com grande afluência de sócios

Novos órgãos sociais da Escola Livre

Relator: Mickael da Silva

Assembleia Geral: Presidente: Manuel Augusto C. Costa Vice-presidente: João Rodrigues Ramalho Secretário: Miguel Ângelo Cereja Conselho Fiscal: Presidente: Marcial Vaz santiago Vice-presidente: Sara Cunha o menos negativas possíveis, fazendo um bom trabalho de equipa. Queremos, no fundo, pôr o clube de boa saúde financeira”, salientou Milton Soares. Já em termos desportivos, a meta passa por ficar nos cinco primeiros classificados da 2.ª Divisão Nacional. A direção vai começar a for-

Direção: Presidente: Milton César Soares Vice-presidente: João Ricardo Costa Tesoureiro: José Luís Cunha Secretário: Simão Pedro Costa Vogais: Ângelo da Silva Cereja; Johnny Martins; Vítor Gonçalves; Ricardo Alves Matos; Álvaro Tavares Costa; Fernando Jorge Vilar.

mar o plantel para a próxima temporada, sendo certo que a equipa técnica, liderada pelo treinador Paulo Almeida e pelo adjunto Aníbal Valente, será a mesma. No que diz respeito aos próximos dois anos na liderança da Escola Livre, Milton Soares reconhece as dificuldades que vai ter, mas isso não faz o jo-

vem desanimar. “Vai ser muito difícil, mas estou confiante. Os patrocínios são muito difíceis, mas vamos trabalhar para conseguir mais apoios e angariar novos associados”, adiantou o novo dirigente máximo do clube, deixando uma promessa: “Vamos trabalhar por um futuro melhor”.

> TREINADOR ASSUME COMANDO TÉCNICO COM OBJETIVO DEFINIDO

Simão Ferreira para levar S. Roque à I Distrital Simao Ferreira é o treinador escolhido pela direção do S. Roque para treinar a equipa ‘canarinha’ na próxima época, na II Divisão Distrital. O treinador, que já passou pela formação da Oliveirense, inicou a última temporada no

> CAMPANHA PARA AJUDAR O CLUBE

Carregosense, tendo terminado a época a treinar o Pinheirense. A direção e o novo treinador já preparam a nova época em que o objetivo é o regresso à I Divisão Distrital. Entretanto, prossegue o primeiro torneio de verão

de futebol de sete que decorre no relvado do Complexo Desportivo do Calvário, organizado pelo GD S. Roque, e que se está a revelar um verdadeiro sucesso. O lema desta direção continua o mesmo: “O S. Roque nao pára”.

Simão Ferreira vai treinar o São Roque

A comissão administrativa do Atlético Clube de Cucujães, recentemente empossada e que será notícia na próxima edição do jornal, vai iniciar um peditório porta a porta pela freguesia de forma a angariar verbas para inscrever o plantel na Associação de Futebol de Aveiro. De acordo com o líder da comissão, Rogério Cavaleiro, o clube precisa de cinco mil euros para fazer face às despesas a curto prazo. > DA TÔMBOLA 2012

Cesarense divulga números premiados O FC Cesarense já anunciou os números premiados da tômbola 2012. O 1.º prémio saiu ao número 6711, o 2.º bilhete premiado tem o número 2784 e o 3.º prémio tem o número 7698. Os prémios devem ser reclamados e levantados até ao dia 31 deste mês no Supermercado ‘Casarão’, em Cesar, ou através do número de telemóvel 933 850 108. O Cesarense agradece a todos os que colaboraram para o sucesso desta tômbola, nomeadamente aos diretores, sócios, público em geral e, especialmente, às empresas doadoras de muitos prémios.


DESPORTO

25

Terça-feira, 10 de julho de 2012

> NA DURA PROVA ‘ULTRA TRAIL DA SERRA DA FREITA 2012’

Atletas do Ginásio Rainha cortaram a meta Hélder Oliveira e Micael Fernandes, atletas do Ginásio Rainha de Oliveira de Azeméis, participaram na Ultra Maratona da Serra da Freita, no passado fim-de-semana, e cortaram a meta desta dura prova. Os atletas Hélder Oliveira e Micael Fernandes, ambos residentes em Espinho e em representação do Rainha Ginásio em Oliveira de Azeméis, levaram as cores do Ginásio Rainha até à meta da duríssima prova de Trail realizada nas serras agrestes da Freita. A Ultra Maratona da Serra da Freita (UTSF) realiza-se desde 2006 e foi a primeira prova de Trail em Portugal. A UTSF é uma prova da responsabilidade da Confraria Trotamontes e dos Leões de Veneza, desenvolvendo-se ao longo da Serra da Freita, por 70km em montanha, com um desnível acumulado de 8.000 metros aproximadamente e com um limite máximo para conclusão da prova de 17h30m.

Hélder Oliveira

É uma prova reconhecida entre os amantes do trail como uma prova difícil e dura, exigindo um bom momento de forma aos candidatos a ‘Finisher´s’ nesta Ultra Maratona. Dizem os participantes, “terminar é um feito”. De facto, a lista de abandonos é demonstrativa do gigantesco obstáculo físico que esta

Micael Fernandes

prova constitui. Foram 63 os atletas a não chegar à meta, com um total de 127 atletas a atingir o tão desejado título de ‘finisher’ atribuído a quem cruza a meta. A prova atravessava a famosa Frecha da Mizarela, na Serra da Freita, zona extremamente íngreme, numa altura em que os atletas já haviam percorrido 67km

aproximadamente, para de seguida terminarem junto ao Parque de Campismo do Merujal, era a derradeira prova de fogo para atingir a meta. Hélder Oliveira terminou a prova com 15h47m e no 87.º lugar, enquanto que Micael Fernandes terminou com 16h43m e no 102.º lugar. Está prevista a representação do Ginásio Rainha

em várias Ultra Maratonas de Montanha até final de 2012, entre elas, Óbidos com 50km a 04 de agosto; Tilenus Xtreme em Espanha, com 105km a 21 de Setembro; Serra D´Arga com 42km no mês de outubro; e Axtrail com 72 km no mês de novembro. Uma vez mais, o Ginásio Rainha na meta de uma Ultra-Maratona.

FUTEBOL> PARA BALNEÁRIOS NOVOS, CAMPOS DE FUTEBOL E VEDAÇÃO DO RECINTO

Nogueirense pede apoios para concluir obras Ao longo de mais de três décadas, o Real Clube Nogueirense foi o emblema do concelho a praticar futebol federado mesmo nas piores condições desportivas. ALÍRIO COSTA

Finalmente, a direção recentemente eleita, e da qual fazem parte elementos da comissão de obras, está decidida a resolver de uma vez por todas a situação, criando condições condignas para a prática de futebol. Para isso, estão em fase de acabamen-

no espaço de terreno pertença do clube, o atual campo de futebol 11 vai aumentar para Norte e diminuir para Sul, o que vai permitir que no sentido Nascente/Poente vá nascer um campo de futebol de 7 para a formação. A vedação do recinto de jogo, como é obrigatório, também está incluída nas obras que até ao mês de setembro a direção quer ver concluídas. Para isso, faz um apelo às entidades, população residente na freguesia, e outros nogueiClube apela à generosidade de todos para terminar as tão ansiadas obras renses espalhados pelo mundo, industria e comércio para, dentro do possível, contribuir to os novos balneários com ções dispõem ainda de dois enfermagem, posto médico e para as obras, valorizando e 45 metros de comprimento, balneários para árbitros, dois outros requisitos necessários dignificando o povo de Nocom estrutura para futura para cada equipa (visitado e para um bom funcionamento. gueira do Cravo e o Real Clubancada. As novas instala- visitante), sala de massagens, Em termos de campos de jogo, be Nogueirense.


26

Terça-feira, 10 de julho de 2012

DESPORTO

XADREZ> ROBERTO ROMARÍS E FERNANDO PINHO EM TORNEIO COM 109 XADREZISTAS

Jogadores do NAC em evidência na Galiza Os xadrezistas Roberto Patiño Romarís e Fernando Pinho estiveram em evidência na quarta edição do Torneio Aberto Internacional Carlos I, disputado no final do mês passado, em Sanxenxo, Espanha. Os dois jogadores da equipa principal do Núcleo de Atletismo de Cucujães (NAC) são presença habitual nesta competição que, este ano, contou com uma participação recorde de 109 xadrezistas, provenientes de 11 países. O espanhol Roberto Patiño Romarís – há duas temporadas a representar o NAC

Fernando Pinho e Roberto Patiño Romarís representaram o NAC num torneio em Sanxenxo

– conquistou o prémio de ‘Melhor Jogador Galego’, obtendo a 13.ª posição na ge-

ral. Já Fernando Pinho (27.º posto) venceu a sua categoria (sub-2000).

KARATÉ> COM KARATECAS ENTRE OS 03 E OS 65 ANOS

Encontro de karaté reuniu 200 atletas em Azeméis

O melhor português foi Paulo Pinho, jogador do Amigos Urgezes, classificando-se

> NO PRÓXIMO SÁBADO, NO CINETEATRO CARACAS

Ballet encerra época da Meia Ponta No próximo dia 14 de julho, pelas 21h30, no Cine-Tearo Caracas, a Meia Ponta apresenta ‘Coppélia - Um bailado escrito nos livros’.

As duas centenas participantes neste encontro aperfeiçoaram as suas técnicas de karaté

No passado mês de junho, realizou-se na Escola Básica e Secundária de Ferreira de Castro, em Oliveira de Azeméis, um Encontro de Karaté, estilo Goju-Ryu, ministrado pelo Instrutor Chefe de Portugal, Shihan Jorge Monteiro (7º Dan). Este evento foi organizado pelos Senseis José Santos, Andreia Santos, Joana Santos, Ricardo Alves e Vítor Silva, e contou com a participação de 200 karatecas das suas escolas,

com idades compreendidas entre os 03 e os 65 anos. São responsavéis pelos Dojos (escolas de karaté) Dragões de Azeméis, Santiaguense, Karaté Clube de Azeméis, S. Martinho, Loureiro, EDDALM, Gimnágua, e Academia Compassos. O encontro foi um sucesso e contou com o entusiasmo dos karatecas, que treinaram com empenho e dedicação, e mostraram a sua técnica nos exames a que foram submetidos.

Esta iniciativa contribuiu para o aperfeiçoamento das técnicas de karaté e para o crescimento dos karatecas como um todo, baseado em princípios de disciplina, respeito, domínio próprio, humildade e determinação. Um especial obrigado a João Godinho, presidente dos Dragões de Azeméis, pelo apoio que tem dado, não só a este evento, mas também ao longo de todos estes anos.

na 11.ª posição. José Prata (33.º posto), João Andias (46.º), Miguel Babo (68.º) e Álvaro Brandão (69.º) completaram a delegação lusa presente na prova, uma das mais importantes do género que decorre na Galiza. Este torneio de clássicas foi jogado em sistema ‘Suiço’ de nove sessões e teve como vencedor o grande-mestre espanhol (de origem uzbeca) Ibragim Khamrakulov, excampeão mundial de juniores. O NAC assegurou, em abril passado, em Alpiarça, a permanência na II Divisão Nacional, batendo a equipa local por 2-1. A formação terminou a prova na quinta posição, entre oito formações, numa competição dominada pelo Sport Operário Marinhense, que, na próxima época, disputará a principal prova colectiva do xadrez português.

Francisco Pinho, finalista da Escola Ginasiano, no papel do bailarino principal Franz, o Violinista La Mouche interpreta Dr. Coppélius e Rui Gestosa no papel de Bispo. A Coppélia e a Swanilda são respetivamente interpretadas por Daniela Sousa e Sara Almeida. De realçar que todos os Este espetáculo de final de convidados são de Oliveira ano, produzido pelas docen- de Azeméis, por isso, o objetes Sara Almeida, Daniela tivo da Meia Ponta, mais uma Sousa e Susana Miguel, irá vez, fica cumprido: promover envolver cerca de 80 bailari- a cultura e a Dança que bem nos das disciplinas de ballet se fazem neste concelho… e modern jazz, dividindo-se Um espetáculo a não perder! em duas partes: uma primeira, que retrata variados episó- Inscrições abertas a partir dios registados nos livros que de agosto fazem a história das nossas A nova temporada terá inívidas e a segunda, uma varia- cio no dia 03 de setembro. A ção do bailado Coppélia, um 30 de julho serão divulgados ballet cómico-sentimental os novos horários e durandividido em três atos. Des- te o mês de agosto, de 2.ª a ta forma, a escrita e a dança 6.ª feira, das 18h00 às 20h00, irão fundir-se na arte do mo- poderá fazer ou renovar a vimento moderno e contem- sua inscrição com oferta da porâneo. mesma. Mais informações: Este bailado conta, como 917757752 e/ou https://www. convidados especiais, com facebook.com/meia.ponta.


Geral/Necrologia/PUb.

Terça-feira, 10 de julho de 2012

27

Macinhata da Seixa> Compôs o ‘Correio’ durante muitos anos

Faleceu Manuel Godinho Inesperadamente, Manuel Godinho de Oliveira faleceu na sua casa de Silvares. Contava 80 anos de idade. Viúvo, desde 13 de setembro de 1971, de Maria Cesarina Lemos, vítima inocente de atropelamento, assumiu a tarefa da educação dos filhos, crianças de dois e cinco anos. Tipógrafo na ‘Tipografia de Azeméis’, propriedade de seu pai Amadeu Oliveira e de Adelino Ferreira, e onde pontificava o

exímio Agostinho Filipe Ferreira, que entrou na história como o Senhor

Filipe da Tipografia, compôs durante longos anos o ‘Correio de Azeméis’, quando os carateres eram combinados à mão, assim como a paginação. Foi ainda, também durante um longo período, e como saxofonista, executante da então famosa orquestra do Grupo Musical Macinhatense, e, nessa qualidade, integrou os corpos dirigentes. Um homem bom, sempre disponível, de grande humildade e dedicação.

Oliveira de Azeméis> Junto ao Hospital São Miguel

Atropelada na passadeira Um automóvel colheu, numa passadeira existente na rua Manuel Alegria, junto ao Hospital São Miguel, uma mulher que a atravessaria, ao início da tarde da última quinta-feira. A vítima apenas sofreu ferimentos ligeiros. O condutor, que parou logo após

18.º Aniversário Lutuoso - 18/07/2012

Prof. Manuel Moreira Ribeiro o atropelamento, foi iden-

tificado pela GNR. DC

Este espaço pode ser seu Contacte-nos: 256 049 890 19.º Aniversário Lutuoso - 14/07/2012 Ilda Marques da Fonseca

O.P. n.º 36277

- Nogueira do Cravo -

No dia em que se completa o 18.º ani­versário sobre o seu falecimento, sua família recorda, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido. Manda celebrar missa em sufrágio pela sua alma no próximo dia 20 de julho, pelas 19h15, na igreja matriz de Nogueira do Cravo.

Manuel da Costa Moreira - 73 Anos

No dia em que se completa o 19.º aniversário sobre o seu fa­ lecimento, seus filhos e restante família recordam, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, no próximo dia 14 de julho, pelas 17h30, na igreja matriz de Ul.

- Milheirós de Poiares Sua esposa, filhos, genro, noras, netos e demais família vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres, ou que, de ou­tra forma, se lhes asso­ ciaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças ami­ gas na liturgia do 7.º dia que se realiza sábado, dia 14 de julho, pelas 20h00, em Milheirós de Poiares.

Adosinda Martins da Costa Godinho Sampaio - 75 Anos

Baldomiro de Almeida Santos (Miro do Pereiro) - 90 Anos

- Lugar da Estação-Ul -

- S. João da Madeira -

Seu marido, filhos, noras e netos vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres, ou que, de ou­tra forma, se lhes associaram na dor. Renovam pro­ funda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia que se realiza quinta-feira, dia 12 de julho, pelas 19h00, na Capela do Senhor da Campa, em Santiago de Riba-Ul. Funerária Cristino Ldª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

Maria Natália Ferreira Valente - 73 Anos - Igreja-S. Roque -

Seu marido, filhos, noras e netos vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres, ou que, de ou­tra forma, se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia que se realiza amanhã, quarta-feira, dia 11 de julho, pelas 19h00, na igreja de S. Roque. Funerária Cristino Ldª - Santiago de Riba-Ul - Telf.: 256 682 451 * Telm.: 919 697 374

Casa Guedes - Agência Funerária - Rua Dr. Guilherme Alves Moreira, N.º 316 - 3700-457 Milheirós de Poiares Telf.: 256 841 179 * Telm.: 965 815 114/969 015 754/968 685 709

- Milheirós de Poiares Sua esposa, filhos, genros, noras, netos, bisnetos e demais famí­ lia vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres, ou que, de ou­tra forma, se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas pre­ senças amigas na liturgia do 7.º dia que se realiza, sexta-feira, dia 13 de julho, pelas 20h00, em Milheirós de Poiares. Casa Guedes - Agência Funerária - Rua Dr. Guilherme Alves Moreira, N.º 316 - 3700-457 Milheirós de Poiares Telf.: 256 841 179 * Telm.: 965 815 114/969 015 754/968 685 709

Maria Dolores Gomes de Oliveira - 80 Anos

- Fajões Seu marido, filhos, netos e demais família vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas ce­ rimónias fúnebres, ou que, de ou­tra forma, se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia que se realizou no passado dia 06 de julho, pe­ las 19h00, em Fajões. Casa Guedes - Agência Funerária - Rua Dr. Guilherme Alves Moreira, N.º 316 - 3700-457 Milheirós de Poiares Telf.: 256 841 179 * Telm.: 965 815 114/969 015 754/968 685 709


28

Terça-feira, 10 de julho de 2012

Necrologia/pub. O.P. n.º 36262

5.º Aniversário Lutuoso - 10/07/2012

Artur da Silva Gomes - Santiago de Riba-Ul -

Cinco anos passaram desde que partiste Mas o amor é eterno e os momentos únicos Cada gesto, palavras e atos estão guardados no nosso coração, protegidos por uma capa de ouro, onde viverás eternamente Da esposa, filhos, noras, genros e netos com amor e saudade. Será celebrada uma missa pela sua alma no dia 12 de julho, às 19h00, na Capela do Sr. da Campa. Agradecemos a todos os que comparecerem.

44.º Aniversário Lutuoso - 28/05/2012 Manuel da Costa 14.º Aniversário Lutuoso - 17/08/2012 Marinha Soares Na passagem de mais um aniversário sobre os seus falecimentos, seu filho Manuel Soares Costa e nora Maria Lucinda Rodrigues Ferreira Costa, netos, bisnetos e demais família recordam, com profunda e eterna saudade, estes seus entes queridos. O.P. n.º 36264

15.º Aniversário Lutuoso - 06/07/2012 Zeferino Bastos de Almeida

- Carregosa “Uma lágrima pelos que morrem evapora-se. Uma flor sobre a campa, logo, murcha. Uma oração... Deus acolhe.” (Santo Agostinho)

A família agradece a todas as pessoas presentes na missa em sufrágio pela alma deste seu ente querido, realizada no passado sábado, na igreja matriz de Carregosa. Funerária Triste Ajuda - Alcino e Filho, Ldª - Carregosa Ol. Azeméis - Telf.: 256 412 007 * Telm.: 917 571 219 * Fax: 256 412 709

O.P. n.º 36265

1.º Aniversário Lutuoso - 22/06/2012 Augusto Ferreira - Oliveira de Azeméis -

No dia em que se completou o 1.º aniversário sobre o falecimento de Augusto Ferreira, sua esposa Albina Rodrigues, filha, genro, netos e bisnetos recordam, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido.

7.º Aniversário Lutuoso - 16/07/2012 Teresa de Carvalho Neves

O.P. n.º 36271

No dia em que se completa o 9.º aniversário sobre o falecimento de Sérgio Francelino Rebelo dos Santos, sua família recorda, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido. Manda celebrar missa em sufrágio pela sua alma no próximo dia 13 de julho, pelas 19h15, na igreja matriz de Nogueira do Cravo.

39.º Aniversário Lutuoso - 11/07/2012 48.º Aniversário Lutuoso - 08/07/2012

Haideia Rodrigues Ferreira

- Pindelo -

No dia em que se completa o 7.º aniversário sobre o seu falecimento, seu marido, filhos e netos recordam, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, no próximo dia 14 de julho, pelas 18h00, na igreja matriz de Pindelo.

6.º Aniversário Lutuoso - 12/07/2012 Tomás Teixeira Borges

9.º Aniversário Lutuoso - 13/07/2012 Sérgio Francelino Rebelo dos Santos

Apesar do sofrimento Do maior ao mais pequenino Não sei porquê, mas é certo Todos gostavam de te ouvir Em nossa casa, às vezes, parecia Enquanto nossos olhos choravam Um céu aberto Víamos tua boca a sorrir Sua filha e restante família recordam-nos com saudade. Mandam celebrar missa no dia 09 de julho, pelas 19h00, na igreja de Cucujães. Queridos pais, sereis sempre recordados nos nossos corações. Da vossa filha Maria Helena. O.P. n.º 36270

O.P. n.º 36274

- Nogueira do Cravo -

No dia em que se completa o 6.º aniversário sobre o seu falecimento, sua esposa, filhos e restante família recordam, com profunda e eterna saudade, este seu ente querido. Mandam celebrar missa em sufrágio pela sua alma, no próximo dia 13 de julho, pelas 19h15, na igreja matriz de Nogueira do Cravo.

O.P. n.º 36267

Marcelino Fernando Dias de Sousa - 55 Anos - Alto de St.ª Luzia-Vila de Cucujães -

Sua mãe, irmã e sobrinhas vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres, ou que, de ou­tra forma, se lhes associaram na dor. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na liturgia do 7.º dia. Agência Funerária Sta Luzia - Vila de Cucujães - Telf.: 256 911 783 - Telm.: 919 263 081

Cartório Notarial

Margarida Maria Rodrigues Gago da Câmara Notária EXTRACTO DE JUSTIFICAÇÃO Certifico que no dia quatro de Julho de dois mil e doze, no Cartório Notarial de Margarida Maria Rodrigues Gago Câmara, sito na Av. Dr. António José de Almeida, foi lavrada uma escritura de Justificação Notarial, no livro de escrituras diversas número 83 de folhas 28 a folhas 29 verso por: JOSÉ DA COSTA JARDIM e esposa MARGARIDA MARIA DE PINHO SOARES casados no regime da comu­ nhão geral de bens, naturais, ele da freguesia de Santiago de Riba-Ul, deste concelho e ela da de Macieira de Cambra, concelho de Vale de Cambra, na primeira residentes no lugar de Vila Cova, NF 171 306 856 e 171 306 864. Declararam os outorgantes: Que são donos, com exclusão de outrém, do seguinte prédio:

Alberto Dias Ferreira

Rústico composto de terreno de cultura e ramada, com a área de seiscentos e noventa metros quadrados, sito no lugar da Lousa, freguesia de Pindelo, concelho de Oliveira de Azeméis, a confrontar do norte com o próprio, sul com Aníbal Soares de Pinho, nascente com Manuel Correia Silva Lima e do poente com Augusto de Oliveira Costa, omisso no registo predial, inscrito na respectiva matriz sob o artigo rústico 1 466. Que o identificado prédio veio à posse dos justificantes por Doação verbal feita pelo seu falecido irmão Manuel da Costa Jardim que foi residente no lugar de Vila Cova, freguesia de Santiago de Riba-Ul, concelho de Oliveira de Azeméis por volta do ano de mil novecentos e oitenta, doação essa que não chegou a ser formalizada por escritura pública, pelo que não possuem título formal que legitime o domínio do referido prédio. Que, não obstante isso, tem usufruído o mesmo prédio, colhendo os correspondentes frutos, gozando todas as utilidades por ele proporcionadas, pagando os ­respectivos impostos com ânimo de quem exercita direito próprio, sendo reconhecidos como seus donos por toda a gente,

Férias algarve

Albufeira

Aluga-se Apartamento T2 C/ piscina Próximo das praias: S. Rafael / Galé / Salgados / Outras O.P. n.º 36273

966 039 659

fazendo-o de boa fé por ignorarem lesar direito alheio, pacificamente, porque sem violência, contínua e publicamente, à vista e com o conhecimento de toda a gente, sem oposição de ninguém – e tudo isto por lapso de tempo superior a vinte anos. Que, dadas as enunciadas características de tal posse, eles adquiriram o identificado prédio, por usucapião, título este que, por natureza, não é susceptível de ser comprovado pelos meios normais. Está conforme o original para efeitos de publicação. Cartório Notarial de Margarida Maria Rodrigues Gago da Câmara Oliveira de Azeméis, 4 de Julho de 2012 O Colaborador autorizado, (João Filipe Tavares Fernandes) Conta registada sob o n.º 900 Registado na Ordem dos Notários sob o nº 223/5 de 07-02-2012 Edição n.º 4465 de 10/07/2012 O.P. n.º 36266


saúde e bem-estar/geral

29

Terça-feira, 10 de julho de 2012

> Uma patologia a ter em conta

Meningite vírica Uma meningite corresponde a uma inflamação das membranas que cobrem o sistema nervoso central – as meninges – que afeta sobretudo crianças pequenas. Os vírus são os principais agentes causadores da doença, seguidos das bactérias. O modo de transmissão da doença varia em função do agente, mas, em geral, transmite-se através das mãos contaminadas ou do contato com fezes, ou através de secreções respiratórias ou gotículas expelidas durante a tosse, o espirro, entre outros. Acima dos dois anos de idade, é comum o início repentino de febre alta, dor de cabeça, náuseas, vómitos, desconforto ocular perante a luz, confusão e sonolência. Nos recémnascidos e nas crianças mais jovens estes sintomas estão ausentes ou são difíceis de detetar. Neste caso, a alteração do comportamento habitual do bebé (mais irritável ou apático, que não se queira alimentar ou com vómitos) pode ser um sinal de alerta. Ao contrário das meningites bacterianas, que podem ter consequências graves, incluindo a morte, as formas víricas são, geralmente, menos graves e resolvem-se sem tratamento específico em cerca de sete a dez dias. Para as causas víricas, o tratamento antibiótico não está indicado. O seu tratamento envolve, geralmente, repouso, boa hidratação e medicamentos para aliviar a febre e as dores de cabeça. Assim, a distinção da causa da meningite é imprescindível para o correto tratamento. Salienta-se que apenas a forma chamada meningo-

cócica de meningite bacteriana obriga a um período de afastamento temporário da frequência escolar do doente até que se declare a cura clínica (de acordo com o Decreto Regulamentar n.º 3/95 de 27 de Janeiro). Nos restantes casos, as crianças afetadas podem ficar temporariamente em casa, de forma a melhorarem o seu estado geral. O Programa Nacional de Vacinação (PNV) permitiu tornar os vírus do sarampo, da papeira e da poliomielite

O. Azeméis> Artista foi uma das participantes na edição deste ano

Obras de Liz Pereira fizeram parte do ‘Entr’ Artes’ Tal como anunciámos na nossa edição de 19 de junho passado, o projeto camarário ‘Entr’ Artes’ voltou a realizar-se este ano e voltou a ‘dar vida’ a uma exposição que esteve patente ao público, recentemente, na Galeria Tomás Costa, na Praça da Cidade. Nesta mostra puderam ser apreciados diversos trabalhos de pintura, fotografia, escultura e desenho, inclusive quadros de Liz Pereira, artista plástica cujo nome, por motivos que nos foram alheios, não incluímos na peça noticiosa sobre o assunto, mas que agora fazemos questão de mencionar. Recorde-se que, ao longo das suas edições, o ‘Entr´Artes’ tem vindo a contar com a participação de artistas oriundos de vários pontos do país, tendo como objetivos promover as artes e dar uma imagem colorida e movimentada às ruas Bento Carqueja e António Alegria, entre outros locais do núcleo histórico da urbe de Oliveira de Azeméis.

causas raras de meningite no nosso país. O PNV contempla também as vacinas contra uma das bactérias responsáveis pela meningite meningocócica e contra a bactéria chamada Haemophilus influenzae tipo b, que também pode causar meningite. Assim, o cumprimento do PNV é muito importante para prevenir a doença. Para além disto, é também muitíssimo importante o cumprimento de cuidados básicos de higiene, como lavar adequadamente as mãos (sobretudo

após mudança de fraldas, ida à casa de banho, assoar o nariz ou tossir, antes de comer ou de manipular alimentos, e antes de prestar cuidados a outras pessoas), lavar bem os alimentos que vão ser consumidos crus, limpar com frequência os brinquedos das crianças, limpar as superfícies passíveis de estarem contaminadas (por exemplo, o comando da televisão, as maçanetas das portas, os corrimões, entre outros), tapar a boca com um lenço ou com o antebraço quando tossir ou espirrar, e evitar beijar ou partilhar copos ou talheres, batom ou outros objetos usados por pessoas com meningite (ou por si, quando estiver doente). Relativamente à lavagem de mãos, há que ter atenção à lavagem de todas as superfícies (incluindo unhas, entre os dedos e punhos) e à sua correta secagem, de preferência com uma toalha de uso único. Em suma, a maioria dos casos de meningite é de causa vírica, sendo autolimitada, não causando complicações para o doente e não obrigando a medidas especiais (como o isolamento, etc.). Contudo, devido à semelhança de sintomas entre as meningites víricas e as bacterianas, quando existe suspeita, recomenda-se a ida aos serviços de saúde. A prevenção existe e é fortemente recomendada. Unidade de Saúde Pública

Palmaz> Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social preside à cerimónia

Requalificação da Escola Soares Basto inaugurada no sábado A Escola Soares Basto, em Palmaz, construída em 1924, poderá ser considerada o embrião do nosso ensino técnico. Reconvertida para o ensino primário, por ali passaram sucessivas gerações

de alunos e de mestres. Encerrada há vinte e sete anos, tem estado ao serviço da Comissão de Melhoramentos de Palmaz. As profundas obras de requalificação, que, neste último ano, a reconverte-

ram no Pólo Multigeracional ‘Com Vida’, serão inauguradas no próximo sábado, dia 14, pelo secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social, Marco António Costa. PUB


30

publicidade

Terça-feira, 10 de julho de 2012

O.P. n.º 36232

Marta Freitas Almeida Parabéns pelo teu 11.º aniversário!

07/07/2012 11 Anos

Esperamos que vivas muitos mais anos sem nunca perderes a essência que faz de ti única e especial.

Lara Barbosa - Oliveira de Azeméis -

13/07/2012

Parabéns a você 4 Anos Nesta data querida Muitas felicidades Muitos anos de vida No dia em que completas a tua 4.ª primavera, teus pais desejamte muitas felicidades. Parabéns!

Miguel Resende Leite Silva Joana Filipa Resende Leite Silva 14/07/2012 09/07/2012 2 Anos

- Oliveira de Azeméis -

16 Anos

Miguel Resende Leite Silva e Joana Filipa Resende Leite Silva, no dia em que completam mais uma primavera, os vossos pais desejam-vos muitas felicidades. Parabéns! O.P. n.º 36268

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL

JOÃO AFONSO MARQUES COELHO GIL, Capitão de Fragata e Capitão do Porto de Aveiro, ao abrigo das competências que lhe são conferidas pelo Capítulo V do Regulamento Geral das Capitanias e pela alínea a), do n.º 6, do Art.º 13º, do Decreto-Lei n.º 44/2002, de 02 de março, faz saber que nesta repartição marítima corre termos processo de justificação, em que é requerente: LUÍS ARMANDO TAVARES DA ROSA, NIF nr.º 174449399, casado, residente na Rua Serrazina, n.º 255 – São Martinho da Gândara – 3720-549 OLIVEIRA DE AZEMÉIS, que foi proferida decisão final no processo de JUSTIFICAÇÃO ADMINISTRATIVA POR USUCAPIÃO do direito de propriedade da embarcação em fibra de vidro, com as seguintes dimensões: 3,00m de comprimento; 1,40m de boca, de cor branca, querendo, no prazo de 10 dias subsequentes ao termo do prazo dos editais, deduzirem oposição nos termos do n.º 1 do artigo 117 – H do Código do Registo Predial, alterado pelo Decreto-Lei n.º 116/2008, de 04 de julho, aplicável supletivamente ao registo patrimonial marítimo. Capitania do Porto de Aveiro, 19 de junho de 2012 O CAPITÃO DO PORTO João Afonso Marques Coelho Gil Capitão-de-Fragata Edição n.º 4465 de 10/07/2012

salão de cabeleireiro

* Procura profissional de cabeleireiro Para trabalhar em regime de conta própria ou percentagem * Técnica de unhas de gel por conta própria

O.P. n.º 36272

MARINHA AUTORIDADE MARÍTIMA NACIONAL CAPITANIA DO PORTO DE AVEIRO EDITAL N.º 21/2012

Loja comercial, estado nova Preparada p/ policlínica, consultórios ou outro ramo Área 150m2, centro da cidade

Contato: 914 620 299

Telm. 917 217 871 / 919 698 890

aluga-se

aluga-se casa

Ourapraia - Algarve Desde 04 de agosto a 11 de agosto de 2012 Aparthotel 4 estrelas, para 4 a 5 pessoas C/ piscina Bom preço Contatos: 917 576 225 ou 256 685 757

Cavalar - Ul 914 757 611 O.P. n.º 36263

O.P. n.º 36233

Tribunal Judicial de Oliveira de Azeméis 3.º Juízo Cível ANÚNCIO

Processo: 1482/12.3TBOAZ Interdição/Inabilitação N/Referência: 3630728 Data: 28-06-2012 Requerente: Ministério Público de Oliveira de Azeméis Requerido: Maria Celeste de Sá Nunes Faz-se saber que foi distribuída neste Tribunal, a ação de Interdição/Inabilitação em que é requerida Maria Celeste de Sá Nunes, com residência em domicílio: Lar do Centro Paroquial de Pinheiro da Bemposta, Passal – Lugar da Igreja, 3720-000 Pinheiro da Bemposta – Oaz, para efeito de ser decretada a sua interdição por ter sido vítima de Encefalopatia Anóxica, após PCR, tendo entrado em situação neurológica vegetativa. O Juiz de Direito, Dr.ª Carla Maria Marques Couto O Oficial de Justiça, Manuela Costa

arrenda-se

O.P. n.º 36260

O.P. n.º 36250


alugaM-se T2 e T3

911 055 405

Remodelado moderno

julho/agosto/ setembro

Terça-feira, 10 de julho de 2012

taróloga estela

Venha conhecer o seu futuro, através das cartas

963 174 152 256 687 102

917 242 269

Edifício Gemini - OAZ Contato: 912 680 616

aluga-se OAZ Apartamento T4

alugam-se T1 e T2

Apartamento T2

C/ 3 casas de banho Rua Albino dos Reis Edifício Vista Alegre, n.º 23

911 055 405

(Para férias)

Na Praia da Rocha, Portimão

Este espaço pode ser seu

S. Roque Aluga

Escritórios - Lojas - Pavilhões

Telem.: 935 130 880 compra-se

Ouro usado ouro - prata - jóias - relógios diamantes - moedas - c. penhor - etc.

santa maria da feira r. dr. vitorino de sá, nº 4 - 1º j (ao lado da farmácia araújo) tlm.: 919 855 215 * tlf: 256 336 220

são joão da madeira r. joão de deus, nº 76 - 1º g (edf. turumo ao lado do tribunal) tlm: 917 812 543 * tlf: 256 413 298 **E-mail: jantobil@hotmail.com**

Em Armação de Pêra Toda equipado Aluga-se à semana/ quinzena - todo o ano

256 109 410

O.P. n.º 36248

Apartamento T2

Contacte-nos: 256 049 890

narciso fbp imob.

969 013 288 915 076 646

aluga-se

Furadouro aluga-se Todo equipado para férias

919 757 193

aluga-se Apartamento T3 Em Loureiro Em prédio novo Bom preço

963 021 817

arrenda-se Casa em AdãesUl (OAZ)

Com ou sem mobília

O.P. n.º 36247

O.P. n.º 36210

2 casas em Madail

T1, em Lagos, Algarve

Bom preço 256 683 208 912 641 030

vende-se Apartamentos T2 e T3

Em OAZ Empréstimo a 100% Spreed reduzidíssimo Preços especiais 967 827 691

aluga-se Em S. Roque

Armazém ou fábrica 220 mts2 / corte e costura Escritórios 200 mts2 c/ possibilidade de divisões

O.P. n.º 36175

919 190 718

aluga-se

O.P. n.º 36216

R. de Avenal, n.º 346

Algarve 1.ª Quinzena de agosto Apartamento T1 (6 pessoas) Aldeamento Retur (junto a Montegordo)

O.P. n.º 36261

O.P. n.º 36249

Casa c/ cozinha mobilada

aluga-se

O.P. n.º 36210

aluga-se

O.P. n.º 35784

publicidade

910 420 242

31


32

Terça-feira, 10 de julho de 2012

EMPRESAS&EMPRESÁRIOS

>EM TECNOLOGIA PARA FRESAGEM E FURAÇÃO PROFUNDA EM AÇO DE MOLDES

CHETO Corporation S.A. é líder mundial no segmento A Zona Industrial de Santiago de Riba UL está mais rica em termos estruturais e de dinâmica empresarial. Recentemente, foi inaugurada uma nova unidade empresarial – a CHETO Corporation SA -, uma unidade com capacidade para enfrentar os desafios do momento.

equipamentos para a indústria, cada vez mais exigente, nomeAURÉLIO GOMES adamente no setor dos moldes. Na passada quarta-feira, 04 de Fundada em 2009, a CHETO julho, a administração reuniuCorporation S.A. fixou o seu se com os colaboradores, cliencentro de montagem de equi- tes e amigos para a inauguração pamentos na Zona Industrial de oficial do seu espaço. Santiago de Riba Ul/Oliveira de Ao fim de escassos três anos, Azeméis. Aqui desenvolve En- a CHETO Corporation foi genharia, planeamento, comér- construindo o seu principal segcio e instalação de máquinas e mento no desenvolvimento e fa-

Os administradores da CHETO Corporation Paulo Carmo, Carlos Teixeira, Rui Almeida e Sérgio André

brico de máquinas de fresagem e furação profunda, em especial destinadas à exportação. Com efeito, 95% do seu fabrico e comercialização destina-se a mercados externos, localizados em quatro continentes e para países como Espanha, Itália Canadá e China, entre outros. Com realismo e a competência adquirida, a CHETO Corporation prevê atingir, até

ao final de 2012, um volume de negócios de cinco milhões de euros. Segundo o presidente do Conselho de Administração Carlos Teixeira “a trajetória de crescimento da empresa está alicerçada numa política comercial agressiva e inteligente, num forte investimento em investigação e desenvolvimento, e no grupo de 12 colabora-

dores, com cursos superiores completos e altamente qualificados”, em cuja formação a empresa tem apostado. Outra das apostas da CHETO Corporation passa por encarar a inovação como fonte potenciadora do empreendedorismo e dinâmica, que, atualmente, as empresas devem ostentar para enfrentar o futuro com algum otimismo. PUB

09-07-2012  

09-07-2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you