Issuu on Google+

As manifestações pelo mundo e a cobertura da mídia Ariel R.Cardoso, doutorando Depto de Bioquimica, IQ -USP arrcards@gmail.com

A

ideia deste texto partiu da observação da cobertura da grande imprensa sobre as manifestações pelo mundo. Se por um lado a primavera árabe teve a complacência da mídia por outro lado a cobertura no Brasil foi severa e com sinais de forte discordância. Ora, o tema das manifestações no mundo árabe foi a abertura política, sobretudo em países que passam por regimes totalitários de relevância na economia global. Para a mídia parece bem justa a causa da abertura, mesmo que derrubem governos ou cometam assassinatos. Aqui a grande maioria das notícias apoiava o fim destas ditaduras e conclamava o poder popular. Calma leitor, isto é só no mundo árabe ou no norte da África. No Brasil, com as manifestações de junho, foram inúmeras notícias sobre

“vândalos” que queimavam lixo e depredavam patrimônio público. Por mais que não se soubesse direito o que estava acontecendo, a mídia respondeu de prontidão aos “rebeldes sem causa”, “filhos de papai”, “tudo isso por 20 centavos”. O cenário mudou quando vídeos divulgados em redes sociais mostravam que a violência não vinha apenas do lado dos manifestantes. Após esta constatação e veiculação destas informações a grande mídia mudou o tom do discurso e passou a “apoiar” os protestos e até “inserir pautas” que distoavam das originais. Não houve nenhuma revolução, nem queda de um governo, mas houve muitas reivindicações políticas, com algumas conquistas. Pois bem, passada esta etapa histórica do Brasil vemos a mídia novamente apoiando “movimentos sociais” pelo mundo. Alguns conglomerados chamam grupos ucranianos armados de

“manifestantes”, sendo que no Brasil grupos desarmados eram “vândalos”. Por que este tratamento diferenciado? Na Venezuela ocorre o mesmo, a grande mídia c o m b a t e fervorosamente as forças repressoras do Estado e fala em “presos políticos”, mas no Brasil a polícia “tinha mais é que bater nestes desocupados”. A mídia defende a repressão em seu país, mas combate a violência da “ditadura” nos outros países. Curiosa esta falta de coerência, será que existem interesses políticos dos grandes conglomerados de mídia? Dependendo do regime político pode ser muito legal o revolucionário. No B r a s i l a s manifestações pacíficas são um direito do povo, de acordo com o artigo quinto da constituição federal de 88.

“Gosto de panela e feito em casa” Um doce que tem historia: Suspiro Limenho

L

ima é uma cidade tradicionalmente que gosta de doces e sobremesas. As aproximadamente de 250 sobremesas da cozinha peruana crioula conquistaram os paladares mais exigentes dos limenhos do passado, incluindo os tradicionais Picarones e as deliciosas Mazamorras feitas de milho roxo e que pode ser acompanhado com um pudim de arroz. Mas a sobremesa mais deliciosa, delicada e deliciosa é o Suspiro Limenho ou Suspiro de Lima.A origem des-

ta sobremesa remonta há dois séculos, na cidade de Lima, embora naquela época fosse chamado de Manjar Real do Peru. Segundo o poeta José Galvez Barrenechera,a sobremesa é suave e doce como o suspiro de uma mulher sedutora e a descrição de palavras é inspiradora para uma sobremesa tão cativante,sendo o principal ingrediente desta deliciosa sobremesa, o manjar branco. Este manjar foi apresentado como um creme espesso feito de leite, amêndoas e açú-

car que dá a essa sobremesa um ar suave,outro ingrediente característico do Suspiro de Lima é o merengue, também introduzido no país pelos espanhóis e que dá a doçura fina que particulariza o agradável sabor da sobremesa,você está pronto para prepará-lo em casa e desfrutá-lo ? Então olhe o que você vai precisar:

Receita do Suspiro Limenho: 2 xícaras de leite condensado. 2 xícaras de leite evaporado (leite condensado sem açúcar). 4 gemas de ovo. 4 claras de ovo. 300 gramas de merengue. Canela. 1 taça de vinho doce para cobrir o merengue. A preparação é muito simples. Em apenas 3 passos você já pode obter o delicioso Suspiro Limenho: Passo 1: Você deve colocar ambos os leites em uma panela com o fogo bem baixo. Lentamente você vai mexendo com uma colher de pau até que você possa ver o fundo da panela, dando ao Manjar Branco uma consistência. Passo 2: Retire a panela do fogo e adicione as gemas batidas, mexendo sempre. Após, deixe-a cozinhar por 7 minutos, em seguida, despeje o montante recipientes de vidro, sem encher até a borda, e deixe esfriar. Passo 3: Faça uma calda com o açúcar e vinho doce. Em outra tigela bata as claras em neve, adicione a calda, mexendo sempre. Após, cubra os potes que e, por fim, polvilhe com canela. Deste modo você irá obter um Suspiro Limenho sem igual, com um sabor irresistível do Manjar Branco e do merengue. Bom apetite! Escrito por Cecilia Saia Sugerido por: Michel Andreos Benedicto - Personal Chef, consultor

gastronômico, formado em Gastronomia pela CEUNSP-Itu. Email contato: michel_benedito@yahoo.com.br


Pagina 2 revisada