Page 1

Caixa Postal 12.177 TELE FAX (85) 3224.4990 CEP 60.020-180 Circulação Dirigida.

Ano XV Nº 309 Fortaleza - Ceará Junho de 2012

A GARÇA

Rita de Cassia Araújo ( Da Sociedade Amigas do Livro – SAL )

No pôr do sol no amanhecer dias de calor dias de chuva nas tardes amenas ela está lá, dominando o espaço, sempre sozinha. Parece que se perdeu do bando original ou gosta do isolamento deste lago verde e sereno. Certa manhã a reconheço entre três garças meninas quase adolescentes, lindas. Festejam todas o encontro em graciosos passos, alegres sons, alimentam-se no raso, bebem água, alçam vôos para longe. Ela fica no mesmo lago, solitária , branca, esvoaçante, serena, maravilhosa e bela, saboreando seus alimentos, anda para lá e para cá acompanhada de sua imagem refletida e ampliada no espelho vezes azul como o firmamento. ACADEMIA CEARENSE DE LETRAS ADMINISTRAÇÃO: PEDRO HENRIQUE SARAIVA LEÃO REUNIÕES ORDINÁRIAS:

DIA 10 DE CADA MÊS ÀS 16:00H


TROVAS FORTALEZA-CEARÁ BRASIL TEL/FAX: 085 3224.4990 CAIXA POSTAL: 12177 E-mail : cafeliterario-fortaleza@bol.com.br

EDITOR Vicente Alencar EDITOR ADJUNTO Antônio de Alencar CONSELHO EDITORIAL Meton Maia e Silva Lúcio Rogério Cicy de Freitas Kerginaldo Alencar CONSELHO CONSULTIVO Rodrigo Caldas Freitas Maria José Mendonça Ferreira Victor Nunes Izete Alencar Jovino de Alencar Neto Assis Mendonça Neto

Nenhum colaborador recebe qualquer gratificação financeira

No sertão, se a noite desce e cobre o verdor dos campos, A beleza permanece no piscar dos pirilampos. Zenaide Marçal Lançada a sorte! Em verdade, eu parti... mares medonhos!... E, no Porto da Saudade, fui ancorar com meus sonhos... Gizelda Medeiros É preciso que se faça as cousas com muito amor, porque tudo ante a fumaça fica sem cheiro e sem cor. Ezequiel P. de Souza Rosa, mimo das roseiras, uma das mais belas flores, lembra o sentir, as tonteiras perfumosas dos amores! João de Deus Em êxtase, quando eu fito o céu, o mar ( que esplendor!), na vibração do infinito, percebo as ondas do amor! Leda Costa Lima Nesses teus olhos risonhos, Senti que o amor chegaria... Foram-se os dias tristonhos, Chegaram os dias de alegria! Vicente Alencar


TENHO SAUDADE

ENTRE ANSEIOS E DESVELOS

Otávio Vasconcelos (Do Grupo de Poetas do Aquiraz)

Giselda Medeiros (Da Academia Cearense de Letras)

Tenho a saudade, sempre presente Nos caminhos de abismos insondáveis... Saudade cinzenta, sem ficar ausente. Pesadelos de angustias intermináveis. Tenho a saudade ancorada em refúgios, Feita ecos mudos, no mundo invisível... Como procela dos mares e dilúvios, intensa saudade silente e intangível. Tenho a saudade repicando a esmo... Nos elos de cristais do pensamento. Saudade mergulhada em mim mesmo, Horizonte infinito do sentimento! Tenho a saudade de tua ausência. Igual a um torvelinho me tortura. Nas cinzas incandescias da essência Tua luz ilumina, minha noite escura.

DOMINGO DE AMOR José Telles (Da Academia de Letras e Artes do Nordeste )

Tua infância ainda me recorda querendo ninar cubro teu corpo para proteger do frio e de minhas indecisões. A inocência te veste em colo e cio, tudo é flor em tua espera e limbo, em selo d'água o amor celebra e quebra o silencio infantil que te protege, e nos amamos como se todas as manhãs fossem dormir

Somente para ti são meus desvelos... E o tempo, que não para, move os dedos Lânguidos da palavra adormecida Ao fremir silencioso do poema. Somente para ti são meus desvelos... E a folha branca que arde à minha escrita Só fala desse mel posto em teus lábios, O pasto onde se deitam meus anseios. Somente para ti são meus desvelos... E a poesia que escorre como sândalo É a unção deste amor que me sustém. Somente para ti são meus desvelos... E tu, que és mar, jangada, onda e leme, És âncora, também, dos meus segredo

ALGUÉM ME DIGA Walter Miranda (Da SOBRAMES -CE)

Que será de mim Quando não me encantarem Um pássaro a planar Um a flor desabrochando O dia amanhecendo E o sol a se pôr Que será de mim Quando não me emocionaram Um amigo rever Uma criança nascendo Um filho partir Ou o outro regressar Que será de mim Quando não te encantarem Meus versos apaixonados Minhas rimas de pé quebrado Meus contos incontáveis Que será de mim Quando não me encontrarem Meu chegar ao teu redor Soprar teu machucado Dizer que a dor vai passar E que eu te amo.


EU OLHO A VIDA Neide Freire ( Da Academia de Letras dos Municípios do Estado do Ceará )

Eu olho a vida Como vejo o mar, Erguido, uivando em vergalhões medonhos Depois, rendado em fina espuma branca Calmo, vencido, a beijar o chão! Eu olho a vida Como vejo a serra, O dorso abrupto apontando aos céus À luz brilhante de azul vestida Envolta em sombras ao findar do dia... Do amor a ventura fementida Esvai-se triste como a espuma fria E a glória do sonho, como o azul da serra, Mera sombra, ignota, fugidia! Eu olho a serra Como eu vejo o mar E como o mar eu vejo a vida Todos os meses, na segunda semana, precisamente Na terça-feira, a realização da

TERÇA- FEIRA EM PROSA E VERSO. Presenças de poetas, poetisas, escritoras, trovadores e artistas. No horário exato das 19h30min às 21h30min Local: PALÁCIO DA LUZ (SEDE DA ACADEMIA CEARENSE DE LETRAS)


A POESIA DE VICENTE ALENCAR (Da UBE-CE)

... É TÃO RISONHO!

DOCEMENTE

O amor que te dedico É tão risonho, Pois pensando em ti, Eu te proponho, Cantar, gritar, Ganhar a corrida Com o vento, Sentir o sol queimar A todo momento Sem reclamar da vida Um instante Pois quando te ausentas Meu coração vive tormentos O amor que te dedico É tão risonho Que espero, choro, reclamo, Acordado sonho, Pois sei que cedo ou tarde Em nosso ninho, Tudo voltará como antes Num imenso oceano de carinho.

Docemente, com uma ternura que somente o amor pode explicar, escrevi uma sonata morena, onde os compassos são medidos pelos cabelos pretos, pelo sorriso aberto e mãos tão belas e carinhosas. Os sons executados idênticos à tua voz transportam-me ao êxtase. Docemente, coloquei a partitura em aveludado estojo, destacando-a, lembrando tua imagem que reina imponente em noite de festa.

NESSES MOMENTOS Caminhamos juntos, rimos juntos, rezamos juntos, Há uma comunhão de muito amor quando nos encontramos. É assim a nossa vida, Que de tão maravilhosa nos proporciona tudo o que precisamos e o que desejamos. Ruim mesmo é quando Não podemos nos ver, não podemos ficar juntos. Nesses momentos parece que o mundo desaba e tudo mais importante desaparece sob os pés

SOU APENAS... Sou apenas um menino apaixonado. Que ama todos os minutos, todos os momentos, todos os instantes, nesta vida onde juntos estamos, dia a dia, nestes muitos anos. Sou apenas um menino apaixonado, que todos os dias se renova, pois teu sorriso, o teu olhar, o teu falar, são riquezas do meu coração. Sou apenas um menino apaixonado, pois acompanho as emoções, dividindo contigo todos os momentos. Se estás feliz, estou feliz! Se sofres, eu sofro também. É uma jornada de muito amor, que bem sei, permanecerá sempre.


FERNANDO TAMBURINI* Como dizíamos em comentário anterior, os homens se esquecem facilmente das derrotas mas guardam para sempre a lembrança de suas vitórias. É um caso de psicanalise. De compensação freudiana. Deturpam as fatos mais corriqueiros, corrompem as narrativas, jogam lenha na fogueira da lenda, contando que se coloquem no centro dos acontecimentos, que se promovam a falsos heróis. Moram em Fortaleza e torcem pelo Flamengo, são paralíticos e jogam em corridas de cavalo. Depois, com a cara mais lambida do mundo, dizem “nós ganhamos”, quando na verdade, quem ganhou foi o outro animal. - Que quer dizer estado de calamidade pública? – Perguntava um prefeito a outro e o outro: - Quer dizer que o Estado também está na miséria! O que eles pensam: - “O homem de talento, para vencer na vida, procura lisonjear os outros; o tolo, se lisonjeia a si mesmo” – MALBA TAHAN - “Os apetites se fartam: os ideais, nunca” – JOSÉ INGENIEROS. - “Pensa bem quem pode e não quem quer” – LISANDRO DE LA TORRE - “Porque posso raciocinar, não me envergonho de mudar de opinião” - GOETHE - “Galinha na mesa de pobre, ou está doente o pobre ou a galinha” - POPULAR

No quadro-negro do Liceu: Quando um sobe um outro desce, quando um trepa um outro tomba. O rico do pobre zomba Aquele que cai padece. A fruta quando está verde, ninguém quer, ninguém apanha, se der coroa ela ganha, se der cara você perde. Está é a lógica do forte, esta é a luta pela vida: alguns vencem na subida outros tombam para morte!... Dizia a velha experiente à filha que ia casar-se com um intelectual: - Nunca esqueça, querida, que a leitura mais importante para a felicidade conjugal, sempre foi e será o livro de cheques do marido! O presidiário dizendo para a mulher: - Não precisa se preocupar com nosso casamento. Depois de trinta anos na cadeia, aprendi a dar valor a minha liberdade!

* Saudoso Professor do Liceu do Ceará


TROVAS – TEMA : ILUSÃO A mais doida verdade,

Uma ilusão linda e plena

e a que me cala mais fundo,

nascida de um bem querer

é a notória brevidade

nem todo mundo condena

das ilusões deste mundo.

porque mata sem doer

Pereira de Albuquerque

Deusdedit Rocha

Ilusão é barco à vela

A sorte já vem traçada

a singrar mares insanos;

na palma da nossa mão...

naufraguei junto com ela

Não se pode mudar nada.

na praia dos desenganos.

Quem tenta é ilusão.

Hortência Sales Pessoa

Clandyra Dias da Rocha

Foste a ilusão derradeira,

Sonhar dormindo é ilusão,

que me acenou de tão perto,

ou lembrança do passado;

tal fora esquia palmeira,

projeto, ideal ou ação

na solidão do deserto. João Batista da Frota Soares

é de quem sonha acordado Aluísio Matias de Paula

Ela é uma planta que medra

Na chegada e na saída

em toda e qualquer nação...

Nesta rua da ilusão,

atire a primeira pedra

Caminho feliz da vida

quem não vive de ilusão.

Guiado pela emoção.

Luis Gonzaga Fiqueiredo de Arruda

Vicente Alencar

O encanto da meninice

Nos momentos de tristeza,

com meus netos se refez,

Nas asas da solidão,

agora, em plena velhice,

Toco a vida, com beleza,

planto ilusões outra vez!...

Dando asas à ilusão

Fernando Câncio Araújo

Jorge Pontes Lima

“Não existe arte que os governantes aprendam mais rapidamente uns com os outros de que aumentar impostos” Adam Smith (1723-1790), economista escocês


T R OVA S Autores Cearenses

1 Na estrada da minha vida Já percorri muito chão Hoje nada me intimida nem mata minha ilusão Maria Laísa Bomfim

6 De tanto ficarmos juntos, no enlevo do mútuo afeto, quem ouve nossos assuntos, não distingue avô do neto Batista Soares

2 O meu coração ensina que preto é uma linda flor quando o vejo na retina dos olhos do meu amor! Moacir Gadelha

7 Canta, alma de cigarra, em nome do meu amor: és canção que na guitarra, soluça saudade e dor... Cid Carvalho

3 “Mãe de Deus – Santa Maria” como se Deus mãe tivesse, no céu por nós rogaria se junto a Deus estivesse. Deusdedit Rocha

8 Amor, palavra pequena, que tanta coisa nos diz... E quem não ama, que pena! Nazareth Serra

4 A vaidade a que me entrego, sem pompa e em dose normal, se não faz bem ao ego, não lhe pode fazer mal! Pereira Albuquerque 5 Sempre lembro desta verdade, que pregaram – crentes e ateus: A vaidade e a caridade Não louvam o mesmo Deus! Fernando Câncio Araújo

9 As lindas flores do campo, bailando com as demais, reluzindo assim o encanto, Das gotinhas de cristais... Jorge Pontes Lima 10 Vaidade, é qual veneno que intoxica o coração, e o amor terno, puro e ameno faz vibrar de gratidão Argentina Andrade

ACADEMIA CEARENSE DE LETRAS ADMINISTRAÇÃO : PEDRO HENRIQUE SARAIVA LEÃO REUNIÕES ORDINÁRIAS: DIA 10 DE CADA MÊS AS 16:00h


CORREIO CEARENSE N 309°  

Noticias de cultura, politica, esportes e de interesse do cidadão

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you