Issuu on Google+

Porto Alegre Alegre,, 2» Quinzena de Mar“o 2004

CB de Estrela busca integração com as crianças Ano X - Nº 139

* Jóia (12) * Osório (9 e 14) * Pelotas (14) * Pinheiro Machado (13) * Rosário do Sul (13) * Saldanha Marinho (15) * Santa Bárbara do Sul (15) * Santo ångelo (15) * Sapiranga (11) * Soledade (13) * Tapes (11) * Tramanda™(14) * Viam‰o(13)

Porto Alegre, 2ª Quinzena/Março 2004

Crian“ada levou capacates para participar das atividades desenvolvidas no projeto Bombeiro por um Dia

Aniversário de OPMs e entidades

– 12

POLÍCIA CIVIL

Maio 5 – PM-SC 6 – 11º BPM 8 – CRPO-Missões 9 – CCom

Trabalhadores da Segurança- Irmãos de Ofício

Polícia Civil, IGP e Susepe entram em greve. Brigada Militar opta pela operação padrão

Confira nesta edição * Agudo (10) * Boa Vista do Buricá (14) * Campo Bom (9 e 11) * Candelária (12) * Cândido Godói (13) * Catu™pe (12) * Caxias do Sul (10) * Cruzeiro do Sul (15) * Estrela (12) * Flores da Cunha (14) * Getœlio Vargas (12) * Iju™ (14)

APESP

12 – 10º BPM 13 – 8º BPM 13 – PM-DF 13 – PM-RJ

Polost lançará Antologia Poética de Policiais Civis

Mais de 3 mil servidores da SJS participam da assembl”ia que...

Projeto Fronteiras conta com novas viaturas

... frente do Palácio Piratini, onde voltam a protestar

Luiz Eduardo Barbosa/SJS

Competição agita a orla de Torres

... culmina com passeata pelas ruas do Centro de Porto Alegre até a...

Priscila de Souza defenderá 15º BPM no Musa JCB

Delegados Adalberto e Ivo selecionaram os poemas

–4

Salva-vidas nadaram 1,8 mil metros na prova realizada no Litoral

–7

Agentes da DP de Lajeado passam por qualificação

– 15

Valença defende o nome da BM no Atletismo

–3 Mulheres conquistam espaço nas guaritas do Litoral Norte

As 20 picapes ir‰o refor“ar o policiamento na Fronteira Oeste

–6

Cel Almeida e Cel Monteiro seguem para o merecido descanso – 9 e 13

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Oficial disputou a Supermaratona pela terceira vez, finalizando em 20º

–7

As Sd Vânia e Marisa e a 1º Sgt Simone atuaram com esmero na orla

–7

CAMPINA DAS MISSÕES Aos sete anos, Priscila quer surpreender no Musa

– 10

Cmt destaca empenho de 14 colaboradores

–8


Pág 2 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

MURAL DO LEITOR Contos Brigadianos A Editora Polost solicita que os autores dos Susepe contos ÒSonho de Inf›nciaÓ e ÒUm pedido de …com imensa satisfa“‰o que recebemos mensalmente as edições do Correio Brigadiano que é o elo entre os órgãos de segurança pœblicado Estado e que tem contribu™do para aumentar a integra“‰o. Aproveito a oportunidade para ressaltar a forma harmoniosa e incondicional apoio que temos recebido por parte da Brigada Militar, Pol™cia Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Estadual e Federal e outras entidades. Valdecir de Vargas - Agente Penitenciário

OPINIÃO

CORREIO BRIGADIANO

socorro do al”mÓ fa“am contato urgente atrav”s do telefone (51) 3339-7888 ou com o organizador da Antologia dos Contistas Brigadianos, Sgt Claudio Medeiros Bayerle, pelo telefone (51) 9108-3393 ou do e-mail bayerlle@pop.com.br. A obra encontra-se em fase de acabamento, com previs‰o de lan“amento para o dia 28 de abril, dentro das comemorações alusivas à Semana do Policial Militar, no Santander Cultural. Sgt Claudio Medeiros Bayerle - Porto Alegre

Manifesto Pessoal Considerando que: por for“a de regulamento o 1º Sgt ao passar para a reserva remunerada como 1º Ten não poderá retornar ao serviço ativo; recentemente foi criado o PM temporário; as associações de classe que são as legítimas representantes da corporacão, já se manifestaram contrárias às contratações de PMs temporários; o PM até chegar a graduação de 1º Sgt passou por diversos cursos para só então ser promovido; o 1º Sgt quando vai para a reserva remunerada já cumpriu o seu tempo de servi“o regulamentar, tem muito mais conhecimento t”cnico da atividade, tem pleno conhecimento dos regulamentos que regem a hierar-

quia e disciplina; o 1º Sgt tem plena condição de suprir as necessidades funcionais, as quais est‰osendo preenchidas por Òpoliciais temporários”, situa“‰o in”dita nos anos 150 anos da Brigada Militar... Sugiro que seja feita uma emenda, ou modifica“‰ono regulamento interno da BM, possibilitando que o Ten da reserva remunerada possa ser aproveitado para suprir a defasagem de efetivo, sendo que nada mais justo ” do que dar um reconhecimento digno a quem dedicou grande parte da sua vida ‹ corpora“‰o, para defender a sociedade muitas vezes com o risco da própria vida. 1º Ten RR Carlos I. F. Camargo - Porto Alegre

Jornal

Volto a agradecer o envio do jornal e parabenizo pela qualidade gráfica e editorial da publica“‰o. Alberto Oliveira - cchefe hefe da Casa Civil

Os artigos publicados com assinatura nesta página não traduzem necessariamente a opini‰o do jornal e s‰o inteira responsa bilidade de seus autores. As cartas devem ser remetidas para a coluna Mural do Leitor Leitor, com assinatura, identifica“‰o e endere“o. A Reda“‰o do JCB fica na Rua Bispo Willian Thomas, 61, CEP: 91.720-030, Porto Alegre/RS. Por razões de clareza ou espaço, as cartas poder‰oser publicadas resumidamente.

Vencimentos, remuneração... salário!

Associação Pró-Editoração à Segurança Pública Utilidade Pública Estadual e Municipal

Presidente APESP APESP:: Maj P”rcio Brasil çlvares Vice-Presidente Vice-Presidente:: Cel Verlaine U. Vasconcelos Tesoureiro: Sgt Claudio Medeiros Bayerle Secretário: Sgt Luiz Antonio R. Velasques Diretor-Presidente do Grupo Polost: Ten Cel Vanderlei Martins Pinheiro Registro no CRE 1.056.506

Marca no INPI processos nºs 824468635 e 824466934 Coordena“‰oAdministrativa e Financeira: Luci M. Pinheiro Ger’ncia Administrativa: Ten Carlos Taquatiá Apoio: Franciele Rodrigues Lacerda e Andressa çlvares Ger’ncia de Informática: Pércio Anelo Álvares Cursos Preparatórios e Profissionalizante: professora Mar™lia Monteiro Ger’ncia da Polost Livros: Suanemax Pereira Pinheiro Ger’ncia de Vendas: Cap RR D”cio da Silva Menezes Apoio: representantes Apesp Ger’ncia dadaPolost PolostPress PresseeData DataPolost: Polost: Cristiano Max Pinheiro Dire“‰odo JCB: Cel D”lbio Ferreira V ieira Ger’ncia de Reda“‰o:Jornalista Luciamem Winck MTb/RS nº 6514 Supervis‰ode Reda“‰o: Vera Eledina Leivas Pereira Estagiários: Camila Reinheimer, Felipe Bornes Samuel e Michelle Rolante Fotografia: En™dioPereira, Moisés Bastos, Paulo Pereira e arquivos fotográficos OPMs Ger’ncia da Circula“‰o: Ten Jorge Ubirajara Barros e representantes de OPMs Ger’ncia de Cidades: Ten Valter Disnei Sales Louren“o Ger’ncia Metropolitana: Ten Gilberto Filippi Teixeira Estagiária: Andreza Schumann e Cristina Carvalho da Silva Apoio: Tatiana Dux da Silva Ger’ncia Consultor de Rede: Walter Fuentes Robella Consultor de O&M: Ten Cel Santos Roberto Rocha

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Distribui“‰ogratuita dirigida: A todos os servidores civis e militares, da ativa e inativos da BM, policiais da ativa e aposentados da Pol™cia Civil, servidores da Susepe, IGP e instituições municipais de segurança, vereadores, prefeitos e parlamentares Tiragem: 30.000 exemplares Impress‰o:Oficinas Gráficas do Grupo Sinos/NH/RS Correio Brigadiano Editora Jornal™stica Ltda CNPJ: 05974805/0001-50 Sempre que voc’ encontrar o ™cone

E-mails Not™cias:jcb@seguranca.org.br significa que a reportagem está ampliada no site Circula“‰o:circulacao@seguranca.org.br Comercial: anuncio-int@seguranca.org.br www.patrulheiro.org.br anuncio-met@seguranca.org.br Suplemento Cultural:jcbcultura@seguranca.org.br Dire“‰o:jornal@seguranca.org.br Telefones: (51) 3339-7888 Reclamações: pinheiro@seguranca.org.br 3339-7754 ANO X - nº 139— 2ª Quinzena de Março 2004 Ñ A voz brigadiana da Seguran“a

N‰ointeressa o nome. Há um sufoco, com nove anos de idade, aprisionado no peito de cada policial gaœcho. Sufoco que n‰o ” grito e se expressa com veemência; que não está preso mas n‰o consegue se libertar. Sufoco que dói, que magoa e que nos indignifica sem que se deixe de ser digno. Sufoco que deixa incr”dulos os policiais com rela“‰o aos pol™ticos. Que imuniza os policiais nas questões ideológicas, exceto por alguns poucos desequilibrados existentes em qualquer grupo social. Que os desnorteia na hora de explicar aos filhos, alguns já adolescentes, sua impotência em ajudá-los materialmente. Isso tudo ” parte dos sentimentos experimentados pelos profissionais das carreiras da seguran“a pœblica do RS, por seus 108 meses sem recomposi“‰o salarial. Por outro, lado temos de analisar o governo em sua postura, informação e propósito. Quando falamos em governo n‰o estamos nos referindo ao atual, mas aos tr’s œltimos governos deste Estado – inclusive o atual. Falamos de Britto, de Ol™vio e de Rigotto. Falamos de nossa remunera“‰o quando outras categorias receberam, at” mais de uma vez, neste per™o-

do, alguma recomposi“‰o. Nossa indigna“‰o n‰o” com o titular do governo, mas tamb”m dele n‰o pode se afastar nosso sentimento, se ” dele a decis‰o de n‰o sermos inclu™dos no mesmo patamar em que já foram elevadas outras categorias. O governo é o responsável. Acreditamos que os governantes n‰o gostariam de enfrentar este julgamento daqueles que os elegeram. Mas tamb”m ” verdade que se institucionalizou um discurso fácil e conveniente em torno do crescimento vegetativo da folha e da insufici’ncia da arrecada“‰o. Governar ” administrar a escassez e quem assim n‰o entende que n‰o busque a vida pœblica nas urnas. Nos reportamos ‹ sociedade. Ela observa, tanto o governo quanto os policiais. Ela conhece os mecanismos de reposi“‰o que s‰o implementados pelo Estado ‹s categorias do Judiciário e do Legislativo, e até algumas categorias do próprio Executivo, que já tiveram algum n™vel de recomposi“‰o. A sociedade tem elementos para analisar esta situa“‰oe a ela, tamb”m, cabe julgar a postura e as informações do Executivo. Verifiquem a arrecada“‰ode nove anos atrás e julguem se não há uma flagrante injusti“a para com os profissi-

onais da seguran“a pœblica. A arrecada“‰o cresceu muito mais do que a folha dos servidores. Acreditamos que nenhum governante tem como propósito não repor salário a alguma categoria profissional, por qualquer sentimento pessoal. Acreditamos que gostariam de alcan“ar a todos. Mas que problema de incapacidade administrativa de nossos œltimos governantes se formos crédulos desse discurso. Há nove anos n‰o somos aumentados e o problema do Estado está cada vez mais deteriorado. Os homens s‰o escravos de suas palavras e promessas. O atual governo ganhou um ano para estudar como resgatar a d™vida, dele e de seus antecessores, com as categorias da seguran“a pœblica.Acreditamos que eles tenham um projeto pronto a oferecer que, mesmo n‰o sendo o ideal, possa servir de alternativa ao processo de aniquilamento psicológico, que vivem os indiv™duosdessas categorias. Garantidamente, aqueles que do palanque inferiram, ou aceitaram a infer’ncia de que dignidade também é salário, por si ou por seus pares, ter‰o de voltar ao palanque e enfrentar, n‰osó as categorias da segurança, mas o discurso deles junto ‹ sociedade.

CIDADE

Seis PMs garantem a segurança do BM de Cruzeiro do Sul está sob novo comando Autoridades civis e militares prestigiam a chegada do 1º Sgt Ederson Dorneles na cidade município de Saldanha Marinho A Brigada Militar de Cruzeiro do Sul reali- Durante a cerimônia foram apresentadas Currículo

Há quatro anos no comando da BM de Saldanha Marinho, o 1º Sgt Reiber Henrique Cavalheiro Pinto tem conseguido manter a ordem e a tranqüilida1º Sgt Reiber de no munic™pio. Durante o veraneio, os PMs desenvolveram a vigil›ncia integrada. No per™odoem que os moradores passaram na praia, todas as casas cadastradas junto Sd Keller ‹ BM foram fiscalizadas pelos policiais militares. Conforme o Cmt, as principais ocorr’ncias registradas na cidade s‰o amea“as e desordem. Este ano, o Sgt Reiber pretende intensificar a fiscaliza“‰o do tr›nsito. Cinco servido-

Cel Neme atua na adaptação dos PMs às novas regras Defensor incansável dos direitos humanos dos militares, o Cel RR Em™lio Jo‰o Pedro Neme visitou o Jornal Correio Brigadiano (JCB), no dia 11 de mar“o, para falar de sua mais recente luta: a adapta“‰o dos policiais militares ao Estatuto de Desarmamento. ÒAtrav”s do JCB será possível esclarecer os órgãos da SJS sobre a necessidade de realizar um novo registro de armas. As organizações devem regularizar suas armas cumprindo o Estatuto e evitar o acontecimento de mais casos de pris‰o de militaresÓ,explicou o Cel Neme. Nos œltimos meses, tr’s policiais foram punidos com pris‰o em Cidreira, Tramanda™e Caxias do Sul por desrespeitarem o Estatuto. Na edi“‰o 140, o JCB trará detalhes destes casos e se aprofundará nas ações realizadas para capacitar e instruir toda a área da segurança pública em relação ao pol’mico Estatuto de Desarmamento, em vigência em todo o território nacional.

Servidores da DP de Lajeado passam por qualificação

ITINERANTE Edu Campelo Castro Lucas - Cel Cav

Herói Lendo “Personagens de Nossa História“, de Hermito Lopes Sobrinho, tive minha aten“‰odespertada para o relato sobre um oficial da BM do Rio Grande do Sul. O então 1º Ten Jos” Scheid Ramos, do 2º BPM, encontravase, no dia 18 de abril de 1968, em Jœlio de Castilhos, a servi“o de sua corpora“‰o. Durante a visita que fez ‹ Delegacia de Pol™ciadaquela localidade lhe foi apresentada uma granada de m‰o que se encontrava naquele estabelecimento há muitos anos. Conhecedor do referido material, pois possu™a curso de especialização, passou a examiná-lo. O pino de segurança já bastante corroído e até mesmo improvisado n‰o cumpriu sua finalidade e a granada foi acionada. Tratava-se de um artefato metálico, de fabrica“‰ofrancesa e que detonaria em aproximadamente quatro segundos. O oficial pensou em arremessá-lo pela janela, mas aban-

donou a id”ia ao verificar que alguns colegiais, de uma escola das proximidades, passavam pelo local. Raciocinando muito rapidamente, gritou para quem estava na sala (umas oito pessoas) que se jogassem no ch‰o. A seguir, segurou a granada com a m‰o direita bem levantada e procurou proteger o rosto com o bra“o esquerdo. Com a explos‰o, ele perdeu alguns dedos da m‰o direita que ficou esfacelada e, ainda, sofreu escoriações disseminadas pelo corpo. O Ten Scheid foi promovido a Cap e reformado por incapacidade f™sica. O acontecimento teve repercuss‰o nacional e at” mesmo internacional, conforme os noticiários da época. Algumas unidades do Ex”rcito convidaram o referido oficial para proferir palestras para a tropa e o apontavam como exemplo de desprendimento e bravura. Estranhei n‰o ter sido mencionada nenhuma condecoração que, para nós

Presidente da FAMIL-RS

militares tem um significado todo especial. Lembrei ent‰o e porque n‰o, da Medalha do Pacificador. Diz o decreto que a referida comenda ” concedida pelo Cmt do Ex”rcito aos membros das For“as Auxiliares que, pelos servi“os prestados, se tenham tornado credores da homenagem especial do Ex”rcito. Ora, o Ten Scheid prestou servi“os ‹ For“a terrestre ao ser apresentado nas organiszações militares do RS. A concess‰o da Medalha do Pacificador ‹ determinada personalidade do governo, recentemente, deu margem ‹ publicação de comentários de militares insatisfeitos com a distribui“‰o da honraria. A sugest‰o de conceder a Medalha de Caxias ao destemido oficial da Brigada Militar em quest‰o, confirmaria a tese de que nunca ” tarde para se fazer justi“a, n‰o sofreria rejeições e tenho certeza, agradaria a nós que possu™most‰o grande honraria.

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 15

CORREIO BRIGADIANO

Agentes da Pol™cia Civil de Lajeado receberam, em 4 de mar“o, um curso de atualiza“‰o. Conforme o delegado Marcos Rog”rio Peroto, titular da DP local, o objetivo ” qualificar o trabalho policial. O curso teve dura“‰o de oito horas e foi ministrado atrav”s de um ciclo de palestras nas depend’ncias da Universidade do Vale do Taquari (Univates). Durante o curso, os policiais receberam informações sobre identifica“‰o (papiloscopia, sistema de classifica“‰ode digitais, coleta de impressões, identifica“‰ocriminal), com a participa“‰o da papiloscopista Ivete Bergesch. Tamb”m foram abordados conhecimentos sobre bancos de dados informatizados (sistemas da Pol™cia Civil, de outros órgãos da Secretaria da Justiça e da Seguran“a, e demais instituições federais e privadas). Essas palestras foram ministradas pelo delegado Marcos Rog”rio Peroto e pelo inspetor Valdenir Massaiol. COMANDO – O Cel Cláudio Afonso Gonçalves assumiu o comando do CRPO-Serra no lugar do Ten Cel Waldir Jo‰o Reis Cerutti. Em Gramado, o Maj Paulo Adilson Koch passou o comando do CRPO-Hort’nsias para o Ten Cel Altemir Folgiarini Ferreira.

3º Sgt Valmir

Sd Rigo

Sd Alcides

Sd Lœcio

res, al”m do Sgt Reiber, garantem a seguran“a dos 3,9 mil habitantes. Compõem o elenco o 3º Sgt Jo‰o Valmir Waischung e os Sd Jair Siqueira Keller, Lœcio Venus Rodrigues, Jair Antônio Leonardo Rigo e Alcides dos Santos Prates

zou troca de comando no dia 18 de dezembro do ano passado. O novo Cmt do Pelot‰o do munic™pio,formado por um 3º Sgt, sete Sd e um 2º Sgt CVMI, é o 1º Sgt Ederson Dorneles, que substitui o 1º Ten Antônio da Rosa Cunha na fun“‰o. Muitas autoridades militares compareceram ‹ solenidade, em especial o Maj Carlos Alberto Schneider, o Cap Vanderlei da Rosa e a Cap Nádia Rodrigues Silveira. Autoridades civis tamb”m prestigiaram o evento. Sd Elizandra Entre os presentes ilustres estavam o vice-prefeito de Cruzeiro do Sul, Inácio Weschenfelder, o presidente da C›mara Municipal, Paulo Alexandre, o gerente da Caixa Econômica Federal, Renato Zanella, o gerente do Sicredi, Luis Fernando Dorr e o vereador Jos” Paulo Mallmann.

‹ comunidade as PMs Elizandra Schenkartzuck e Izoneide Tanise Carazzo. As Sd s‰o naturais de Porto Xavier e Santa Rosa, respectivamente. Ambas conclu™ramo CBFPM em dezembro de 2003 , sendo classificadas para o Pel de CruzeiSd Izoneide ro do Sul e apresentadas no dia 15.

Solenidade de passagem de comando

Natural do município de Cacequi, o 1º Sgt Ederson Dorneles Menezes ingressou na BM em 1994. Após ter freqüentado o Curso de Forma“‰o de Soldado, iniciou suas atividades no 1º Esquadrão do 1º RPMon, em Santa Maria. Em 2001, após a conclus‰odo Curso T”cnico de Seguran“a Pœblica, o Sgt foi promovido a graduação de 2º Sgt. A partir da™, assumiu o comando da BM do munic™pio de Imigrante, sendo transferido, em 2003, para o Pelot‰o de Teutônia. No mesmo ano, assumiu a fun“‰o de Auxiliar de Disciplina dos Al Sd do Curso Básico de Forma“‰o Policial Militar do CRPO-VTC, deixando o cargo apenas no dia da formatura. Promovido em junho do ano passado ‹ graduação de 1º Sgt, Ederson Dorneles Menezes assumiu, em dezembro do mesmo ano, o comando do Pelot‰o do munic™pio de Cruzeiro do Sul.


Pág 14 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

Acidente de trânsito provoca morte do Sd Portes O Sd Raul Portes, pertencente ao OPM de Flores da Cunha, faleceu no dia 13 de janeiro em um acidente de tr›nsito. Ao deslocar-se pelo quilômetro 4 da VRS 314 para atender uma ocorr’ncia de porte ilegal de arma, a viatura conduzida pelo Sd colidiu com um caminh‰o. O caminhoneiro Moacir Luis Malacarne n‰o sofreu ferimentos. O Sd Luis Ernesto Quadros Mazui, que tamb”m estava na viatura, teve fratura exposta na perna e no antebra“o esquerdos, um corte no rosto e uma contusão torácica. Com honras fœnebres, o enterro do Sd Portes ocorreu no dia 14 de janeiro em Passo Fun-

CIDADE

CORREIO BRIGADIANO

uma ocorr’ncia, se a guarni“‰o nunca chegarÓ. O alerta tem por objetivo evitar acidentes e outras mortes de PMs.

Sd Portes, que conduzia viatura, n‰o resistiu ao ....

do – sua terra natal. O Cmt do OPM de Flores da Cunha, Ten Luis Cláudio Pires Borges, salientou, apesar da dor sentida pelo falecimento, que Òde nada adianta a pressa para chegar a

... choque com um caminh‰o na VRS 314

29º BPM de Ijuí sob novo comando O 29º BPM, de Ijuí, trocou o comando no dia 11 de Mar“o. Substituindo o Maj Germano Luiz Pontes Eifler, transferido para Porto Alegre, assumiu o Maj Eglair Mois”s de Oliveira Chaves, que tem muitos planos para colocar em prática. A solenidade, presidida pelo Cmt do CRPO/FNO, Cel Sérgio Antônio Paim Gon“alves, ocorreu na Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Uniju™),e contou com a presen“a de autoridades de 11 municípios de abrangência do 29º BPM. Retornando à cidade após três anos, o Maj Eglair disse estar disposto a fazer o poss™vel

para que a seguran“a impere no munic™pio. Emocionado, o oficial substitu™do diz que entregou “uma jóia valiosa, mas que ainda precisa ser melhor lapidadaÓ, ao novo Cmt.

Maj Pontes, Maj Eglair e Cel S”rgio (ao fundo)

Educação para o trânsito é meta em Boa Vista do Buricá

PMs transmitem ensinamentos para estudantes

Buscando manter o ótimo relacionamento firmado com a comunidade e aproveitando o per™odode volta ‹s aulas, a BM de Boa Vista do Buricá tem se dedicado a ministrar palestras em escolas da cidade. Os responsáveis pela tarefa s‰oo Cmt local, Sgt Sidney Terra Machado, e o Sd Armando Pereira, que já foi responsável por aulas do Proerd. Trazendo para a sala de aula questões pertinentes ‹ educa“‰o no tr›nsito e ‹ preven“‰o de drogas, os policiais militares t’m despertado a consci’ncia de alunos das escolas Bar‰o do Rio Branco e S‰o Jos”. ÒEssas crian“as ser‰o os motoristas de amanh‰Ó, lembrou o Sgt Sidney.

CRPO/Sul entrega Taça Cel Camilo na cidade de Pelotas Devido às comemorações dos 80 anos do 4º BPM, de Pelotas, a solenidade de encerramento do Torneio Ver‰oPela Paz, promovido pela Liga Pelotense de Futebol, contou com a participa“‰odo CRPO/Sul. Durante o evento, o Cmt Regional, Cel Juarez Fernandes de Souza, e o Cmt do 4 o BPM, Ten Cel Odiomar Luis Bitencourt Teixeira, juntamente com outros oficiais, efetuaram a entrega da Ta“a Coronel Camilo ao campe‰o do torneio. O pr’mio simboliza os 80 anos de dedica“‰o da Brigada Militar, que vem garantindo a segurança e a tranqüilidade da popula“‰o do munic™pio.

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Denarc apresenta projeto Tô Ligado no Litoral Norte O munic™pio de rTamanda™,situado no Litoral Norte do Estado, foi palco da segunda edi“‰o do Projeto Integrar que, desta vez, atuou exclusivamente na preven“‰o e combate ao uso de drogas. As atividades, realizadas no m’s de janeiro, reuniram 100 jovens de comunidades carentes, com idades entre 13 e18 anos, no Ginásio Municipal da cidade. O Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), da Pol™cia Civil, marcou presen“a apresentando o projeto de conscientização Tô Ligado, visando promover palestras e debates entre os adolescentes sobre o combate ‹s drogas abordando, inclusive, a atua“‰o dos policiais civis com os c‰es farejadores. O Projeto Integrar ” promovido pela organiza“‰o n‰o-governamentalÊCultura e Integra“‰o, que tem como objetivo aproximar as for“as policiais das comunidades mais pobres.

POLÍTICA

CORREIO BRIGADIANO

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 3

Greve e operação padrão para pressionar reajuste Passeata dá visibilidade à crise Assembléia unificada da BM, PC, IGP e Susepe mostra outra face da integração dos órgãos da SJS salarial enfrentada pelos servidores Cartazes com pedidos de reposi“‰o sala- reivindica“‰o por uma nova rial e apita“os deflagraram a paralisa“‰o dos servidores da seguran“a pœblica por tempo indeterminado, a partir do dia 22 deste m’s. Em assembl”ia geral unificada, realizada em 15 de mar“o, no Ginásio Tesourinha, com a presen“a de mais de 3 mil pessoas, os servidores da PC, Susepe e do IGP decidiram pela greve. N‰o faltaram cr™ticas ao governo do Estado, a quem os representantes das instituições acusam de ter descumprido promessa de campanha. Os brigadianos optaram por adotar a mesma tática da Polícia Federal, e irá planejar a execu“‰oda operação padrão, já que o regulamento da corpora“‰o n‰o permite a paralisa“‰o. O governador Germano Rigotto disse que n‰oesperava a greve de servidores. "Eles s‰o testemunhas dos nossos esfor“os. Temos interesse em dar aumentos salariais, mas, se tiv”ssemos concedido reajustes em 2003, n‰o ter™amoscomo cumprir, e o atraso no pagamento teria acontecido antes", sustentou. Al”m da

AbamfBM obtém liminar em favor da complementação A AbamfBM foi uma das entidades de servidores pœblicos estaduais que obteve sucesso em mandado de seguran“a contra o parcelamento salarial. No entanto, antes mesmo que o governo fosse intimado a pagar o salário integral dos pra“as, o problema foi solucionando. Segundo o presidente da entidade, Leonel Lucas, a categoria tamb”m foi procurada pelos agentes da Pol™cia Federal para lutar junto pela melhoria nos salários. A AsOf-BM igualmente ingressou no TJ/RS com mandado de seguran“a coletivo. No entanto, certamente por ter exigido multa n‰o inferior a R$ 50 mil por dia de atraso no pagamento integral dos salários, n‰o teve a mesma sorte da co-irm‰.

Servipol também assegura vitória na Justiça gaúcha A complementa“‰o salarial imediata em favor dos associados do Sindicato dos Escriv‰es,Inspetores e Investigadores de Pol™cia (Servipol) foi determinada em 9 de mar“o, liminarmente, pelo desembargador Luiz Ari Azambuja Ramos, do îrg‰o Especial do Tribunal de Justi“a do Estado. A decis‰o atenta para o cumprimento do artigo 35 da Constitui“‰o Estadual, que estabelece o pagamento dos vencimentos até o último dia útil do mês. “Está-se diante de quest‰o inquietante e extremamente grave, envolvendo verba de natureza alimentar , imprescind™vel‹ subsist’ncia da pessoa humanaÓ,mencionou. O magistrado disse ainda que devem prevalecer os meios de sustento do servidor, Òn‰o se lhe podendo impor o sacrif™cio do labor sem integral remunera“‰oÓ.

Decisão judicial também beneficiou sócios da Amapers Mesma ordem foi expedida em favor da Associa“‰o dos Monitores, Agentes e Auxiliares Penitenciários do Estado do Rio Grande do Sul (Amapers) pelo desembargador Vasco Della Giustina, integrante do 2º Grupo Cível do Tribunal da Justi“a do Estado. ÒO periculum Ô in moraÕdecorre da própria natureza da presta“‰o,que ” aliment™cia, n‰o admitindo maiores tergiversações, por óbvio”, pregou. DELEGADOS – Ação coletiva dos delegados de Pol™cia tamb”m foi encaminhada ‹ Justi“a exigindo pagamento integral dos salários em atraso. A categoria chegou a amea“ar com greve no dia 16 de mar“o, mas recuou.

matriz salarial, as entidades tamb”m exigiram a redu“‰o da diferen“a entre o maior e o menor vencimento, reajuste imediato de 28%, gratifica“‰o por dedica“‰o exclusiva e melhores condições de trabalho. Sob o slogan “Salário da seguran“a pœblica ” um caso de pol™ciaÓ, os manifestantes Centenas de servidores reœnem-se em assembl”ia unificada no Tesourinha tomaram as arquibancadas do fissionais de nível médio. Já no Distrito Fedeginásio e, munidos de apitos e narizes de paral, 700 PMs e bombeiros realizaram manifeslha“o, ouviram as propostas dos representanta“‰oem frente ao Minist”rio da Justi“a reivintes das associações. “Em fevereiro fomos dis- dicando aumento de R$ 2 mil no atual piso sacutir o aumento de salário com o governador e larial de R$ 1,4 mil. ÒO governo tem predile“‰o acabamos negociando o recebimento do mespelo segmento civil da seguran“a pœblica em moÓ,afirmou o Cel Cairo Bueno de Camargo, detrimento dos bombeiros e policiais militaresÓ, presidente da AsOfBM e da Fecasp. afirmou o representante da categoria, Cb SidSomados aos pedidos de reajuste salarial, ney Patr™cio. Se o aumento for conseguido, o os PMs ainda exigiram o retorno da verticalida- piso ainda será inferior ao da Polícia Civil e ao de e a execu“‰o do plano de carreira dos pro- do Detran, que ” de R$ 3,9 mil.

Ao t”rmino da assembl”ia geral unificada, os servidores da seguran“a pœblicaganharam às ruas da área central de Porto Alegre, provocando intenso congestionamento no tr›nsito. Em passeata, eles protestaram contra os baixos salários. “O governo está pagando para ver e a população ficará desamparadaÓ,advertiu o presidente da AbaCaminhada mobilizou servidores da BM, PC, IGP e Susepe mfBM, Leonel Lucas. Já a presidente da porque n‰o houve avan“os nas tratativas iniciUgeirm-Sindicato, Ad”lia Porto, assegurou que adas ainda em 2003. Oliveira reiterou que o apesar da paralisa“‰o, os servi“os essenciais ser‰omantidos. ÒA Pol™cia Civil, por exemplo, Executivo não dispõe de recursos, mas que está realizará apenas os flagrantes de homic™dios, es- aberto para negociar com as categorias profistupros e casos de maior gravidade”, frisou. Já o sionais. "A situa“‰o dos policiais militares e civis ” cr™tica. Reconhe“o que o governo tem liIGP fará exclusivamente laudos de necropsia. mites orçamentários, mas tem obrigações a Ao t”rmino da marcha, os manifestantes concentraram-se à entrada do Palácio Piratini, cumprir, como o pagamento em dia dos salários", disse o deputado estadual Estilac Xavier . onde as lideran“as foram recebidas pelo chefe da Casa Civil, Alberto Oliveira. Cerca de 30 mi- O governo reforçou a segurança da área externutos depois, retornaram ‹ rua, insatisfeitos. Isto na, com emprego de PMs nclusive a cavalo.


Pág 4 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

GERAL

CORREIO BRIGADIANO

CIDADE

Salva-Vidas revelam criatividade Polost lançará 1ª Antologia Poética de Policiais Civis O concurso de esculturas na areia feitas por salvas-vidas atra™ram a aten“‰o dos veranistas de Cidreira. Os pr’mios foram patrocinados pelo Correio Brigadiano. O 3º Sgt Juarez Matias e os Sd Antônio Adalberto Vandervert e Malcon Roben foram os vencedores, retratando um salvamento no mar. O crocodilo e anaconda, dos Sd Carlos Renato Wolker, Carlos Renoudo Sonnemam e S”rgio Rocha Paredes, ficaram em 2º lugar. Uma bruxa com a crian“a no colo garantiu aos Sd Roberto Carlos Bernardes Dias e Eledir Adelino Barros de Vargas o 3º

Representantes e Colaboradores do

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Alegrete: Sgt Evilásio Carvalho da Cunha; Arroio Grande: Sgt W alter B. Nunes; Bag”: Ten Jos” Ernandes F . Simon; Bento Gon“alves: Sd Pedro Can™sio Dullius; Ca“apava do Sul: Sd Andr” Pimentel dos Santos; Cachoeira do Sul: Sgt Jo‰o da Fonseca Cides; Camaqu‰:Sgt Carlos Cabreira; Candelária: Sd Manoel Zaluar da Silva; Capivari do Sul: Sd Jo‰o Paulo Gross;Carazinho: Sgt Alceno Jos” Silveira; Cidreira: Ten Auri Furtado Durgante; Dois Irm‰os: Sgt Darci Teixeira dos Santos; Frederico Westphalen: Sgt Juarez Martinez Medino; Gua™ba:Sd Flávio Ribeiro Troyano; Guapor”: Sd Jo‰o Carlos de Oliveira; Igrejinha: Sgt Augusto Ferraz da Silva; Iju™:Ten Ubiratan Gras Borges; Itaqui: Sd Ari Portella; Lagoa Vermelha: Ten Nelton Jos” Busin; Lajeado: Sgt Jeferson Chaves Flores; Lavras do Sul: Sgt Luiz Mario Alves Morais; Montenegro: ST Manoel Ademar da Silva, o Garibaldi; Nova Petrópolis: Sgt Firmino Müller; Novo Hamburgo: Sgt Edemar dos Santos; Panambi: Sd Carlos Silva de Souza; Pantano Grande: Sgt Enildo Guterres de Mello; Para™: Sgt Jos” Lemos de Oliveira; Passo Fundo: Ten Jos” Luiz Zibetti; Pelotas: Pelotas: Cap Antonio Jorge Rivas;Porto Alegre: gre: Sgt Jorge Alfeu Nunes, Mercado dos Gringos, Sgt Everton Porciœncula Moreira, Armaz”m Tropical, Sgt Paulo Roberto V ieira, Ferragem S‰o Tarc™sioe Bar do Tiririca; Rio Grande: Antonio Riete P. Neves; Rio Pardo: Cap Jo‰o Marley Rodrigues;Sananduva: Sd Alderino Antônio Brezolin; Santa Cruz do Sul: Sgt Paulo Juarez dos Santos; Santa Maria: Cel Pedro de Mattos Ribas e Sgt V aldir da Silva Dorneles; Santa Rosa: Sd Sandro Oliveira; Santana da Boa Vista: Sgt Jos” Francisco Teixeira; SantÕAnado Livramento: ST Paulo Renato Paim Vieira; Santiago: Sgt Potenciano Marques Dorneles; Santo ångelo: Ten Dorcelo Silvio Kretzmann; Santo Antônio da Patrulha: Sd Marco Aur”lio da Silva; S‰oGabriel: Ten Luiz Carlos Bergenthal;S‰o Leopoldo: Sd Ad‰o Pedroso;S‰oLuiz Gonzaga: Sgt Rui dos Santos Araœjo; S‰oSebasti‰odo Ca™: Sd Gilberto Luiz de Andrade; Sapiranga: Sd Bas™lio Paulo Streletcki;Sarandi: Sd Valdemar Chaves; Taquara: Cel Claudio Silva da Rocha; Torres: Sgt Tibœrcio Joaquim da Silva; Uruguaiana: Sgt Luiz Carlos da Rosa Aguiar; Vera Cruz: Ten Cel Carlos Eduardo G. Coelho; e Viam‰o:Sd Mário Joaquim Pacheco da Silva.

Lançamento da obra entitulada “Do Outro Lado da Insígnia” já tem data marcada

Rotina dos salvamento no mar ” atra“‰o na areia

lugar. A Maj Cristine Rasbold, da Assessoria de Comunica“‰o Social da BM, o diretor do JCB, Cel D”lbio V ieira, e o diretor do Museu da BM, Maj Roberto Kraid Pereira, atuaram no jœri.

Troca de notas fiscais poderá render automóvel

Cinco automóveis, cinco motos, 10 microcomputadores e dez televisores 29 polegadas. Estes s‰o os pr’mios oferecidos pelos programas “A Nota é Minha” e “Nota Solidária”, do governo do Estado, do qual faz parte MABM. O consumidor poderá efetuar a troca dos 30 documentos fiscais exigidos por uma cartela numerada, concorrendo a pr’mios trimestralmente. Quanto mais a entidade trocar as cartelas, mais pontos somará na disputa por recursos, que ser‰o disponibilizados pelo Executivo, num total de R$ 13,2 milhões. Somente serão aceitos documentos fiscais emitidos a partir de 1º de novembro de 2003. Ao receber o repasse dos recursos, a instituição deverá aplicá-lo, obrigatoriamente, em benef™cio direto aos PMs e dependentes. O OPM que efetuar mais trocas terá direito a indicar o gasto de 10% do valor recebido no trimestre (caso o MABM seja contemplado) para benef™cio exclusivo de seus PMs.

Promovendo uma integra“‰o cultural entre as pol™cias, a 1» Antologia dos Poetas Policiais Civis será lançada juntamente com a 1ª Antologia de Contos da BM no dia 28 de abril, no Santander Cultural. Os projetos est‰o sendo viabilizados atrav”s da parceria firmada entre a editora Polost e a Associação Pró-Editoração à Seguran“a Pœblica(Apesp). A obra da Pol™cia Civil foi organizada pelos delegados Ivo Bairros de Brum e Adalberto Abreu de Oliveira, diretor geral da Acadepol, que visitaram o Jornal Correio Brigadiano no dia 27 de fevereiro. O livro reœne poesias divididas em temas urbanos e rurais, escritas por 28 policiais civis

ativos e inativos, atuantes na Capital, Interior e na regi‰o Metropolitana. Essa diversidade resultou em poemas que abordam aspectos culturais de todas as áreas do Rio Grande do Sul. Segundo Adalberto, os policiais acharam excelente a id”ia de produzir uma antologia e particiDelegados Ivo Bairros de Brum e Adalberto Abreu de Oliveira param com empenho. ÒEsperoque o livro seja motivo de orgulho outro lado do policial, desconhecido pela sociepara a corpora“‰oÓ, ressaltou Adalberto, com dade – vontade expressa no título da obra “Do otimismo. Ele espera que a Antologia revele um outro lado da Ins™gniaÓ.

Organizadores do Fest Lavras agradecem participação do JCB Disputado nos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro, em Lavras do Sul, o 1º Circuito Estadual de Futebol Feminino de Areia foi considerado pelas autoridades locais um sucesso. Como parte do evento Fest Lavras Ver‰o2004, o torneio mobilizou tanto a comunidade lavrense quanto os munic™pios vizinhos. O resultado positivo da primeira edi“‰o do evento motivou uma carta de agradecimento do prefeito Aristides Saul Teixeira ao Jornal Correio Brigadiano (JCB). ÒA parceria firmada com o JCB demonstrou que ” poss™vel realizar grandes eventosÓ, destaca um dos trechos da carta. O texto, assinado pelo promotor do Fest Lavras, Sgt Luiz Mário Alves Moraes, o secretário de Turismo do município, Sávio Silveira, e

Lara

Sgt Moraes

o prefeito Aristides, ressalta ainda a participa“‰o da comunidade. ÒTivemos um final de semana movimentado, onde o esporte, o turismo, a cultura e o lazer se misturaram numa só festaÓ,assinala outro trecho. O documento cita o apoio do secretário estadual do Turismo, Esporte e Lazer, Luis Augusto Lara, cujo suporte foi decisivo na realiza“‰o do evento.

Farrapos promove jantar-dançante e festeja aniversário Um jantar-dan“ante, no dia 27 de mar“o, ‹s 21h, irá marcar as comemorações dos 60 anos do Clube Farrapos. A For“a Total Banda Show animará a festa. Aos sócios, o ingresso individual será vendido por R$ 20,00, enquanto que aos não sócios a entrada individual custará R$ 30,00. Para sócios oficiais, o convite pode ser implantado com a devida autoriza“‰o preenchida. Os ingressos podem ser parcelados em dois cheques pr”-datados, para os associados: um para final de mar“o e outro para o final de abril. Os não sócios podem dar um cheque para o final de mar“o, no valor de R$ 20,00, e um cheque para o final de abril no valor de R$ 15,00. O traje para a festa será Recepção.

Time de futebol de areia do MBM é vice-campeão

Rosário do Sul já tem um herói: é o bombeiro Meireles

Homenageado pela C›mara Municipal e aclamado pela comunidade do munic™pio de Rosário do Sul, o Sd Alceb™adesMeireles, do Corpo de Bombeiros, efetuou um salvamento que marcará para sempre sua vida na corpora“‰o.Ao passar próximo ‹ margem do Sd Meireles é um herói Rio Santa Maria, em15 de fevereiro, o Sd Meireles presenciou o desespero de um homem que Time foi refor“ado pelo Ten Cel Prates e o Sgt Salviano se afogava. Mesmo n‰o estando em servi“o, o Eles n‰o s‰o t‰o badalados quanto os cra- ele prontamente se jogou no rio com a roupa ques da Sele“‰o Brasileira de futebol de areia, que estava e resgatou a v™tima, prestando rapicomo Júnior Negão e Jorginho – considerado damente os primeiros socorros. O rapaz que o melhor jogador do mundo –, mas também estava em apuros se recuperou bem e disse n‰o correm e disputam partidas acirradas nas arei- palavras para agradecer a dedica“‰o de Meireas das praias gaœchas. S‰o os atletas que dis- les. Com o salvamento, a temporada de veraputaram no ver‰o os jogos do Bolamar , em Tra- neio 2003/2004 em Rosário do Sul chegou ao manda™.A BM esteve representada no torneio, fim sem nenhuma v™tima fatal por afogamento. na categoria Master, pela equipe do MBM, cujo elenco foi composto por alguns servidores militares. Com uma comiss‰o t”cnica composta por 17 jogadores, um t”cnico, um preparador f™sico e um massagista – Sgt Salviano – o time ficou com o vice-campeonato, perdendo na final por 5 x 2 para a equipe do S™tio do Beto, de Gravata™.Al”m do massagista, o T en Cel Prates integrou o grupo vice-campe‰o.

Sgt Teixeira lança livro retratando o Passo das Carretas

2º Sgt RR Teixeira está eufórico com lançamento

O conselheiro do MTG, 2º Sgt RR José Francisco Teixeira, lan“ou o livro ÒComandos e Cruzadas – Combate do Passo das Carretas”. A obra retrata o combate entre as for“as do Cel Jœlio Rafael de Arag‰o Bozano, intendente de Santa Maria e Cmt do 1 1º Corpo Provisório da Brigada Militar e as for“as dos Gen Zeca Netto e Honório Lemes. A inten“‰odo autor ” contar um pouco mais da história de Santana da Boa Vista e seus moradores. ÒProcurei resgatar em diversos arquivos fatos importantes da tradi“‰o gaœcha e principalmente do munic™pioÓ, explicou. A obra tem 232 páginas e ilustrações fotográficas. JORNAL – O HBM de Santa Maria completou seus 57 anos, recebeu novos equipamentos e modernizou a sede. A entidade comemorou o aniversário com o lan“amento de um Informativo para ressaltar os avanços na área da saœde e retratando os esfor“os para satisfazer cada vez mais os usuários.

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 13

CORREIO BRIGADIANO

Cel Monteiro deixa a BM para o merecido descanso Comando de Policiamento da Área Metropolitana passa a ser comandando pelo Cel Mariano O ex-Cmt do Policiamento de çrea Metropolitana – com jurisdição em vários municípios como Viam‰oe Esteio –, Cel João Alberto Monteiro, foi para a reserva remunerada desfrutar de um descanso merecido. A solenidade de passagem de comando ocorreu no dia 4 de mar“o, em Canoas. No lugar do Cel Monteiro, que tamb”m comandou os bombeiros na regi‰o Metropolitana e foi diretor do Departamento Administrativo, atingindo o posto de Cel em 1999, assumiu o Cel Ariovaldo dos Santos Mariano. Ele declarou que, ao longo de sua carreira, conquistou todos os postos por merecimento, de Ten a Cel. O Cel Monteiro fez o curso de bombeiros para oficiais e em seguida foi destacado para em Caxias do Sul, e posteriormente, em Passo Fundo, além de atuar durante três anos no 1º BPM, na Capital. Serviu na APM, na EsFAS, de Santa Maria, e foi Sub-Cmt tamb”m extinta EsFECS. Logo após, foi chefe da Seção de Operações do CPC. Mais tarde, promovido a T en

Cel Monteiro despede-se da Brigada Militar

Cel, foi chefe da 2» Se“‰o do Estado Maior da BM. Tamb”m esteve ‹ frente do CB de Santa Cruz do Sul, onde ganhou o Pr’mio Qualidade Total na área de segurança, em 1997. Após receber a premia“‰o, foi designado para o Estado

Maior da BM, onde desempenhou a fun“‰o de chefe da Se“‰o Log™stica, de Or“amento e Patrimônio. ÒNa regi‰o Metropolitana, tra“amos algumas metas e conseguimos reduzir sensivelmente a criminalidade, principalmente as ocorr’ncias de latroc™nio e roubosÓ, afirmou. Outro fato marcante na sua carreira foi ter participado do inqu”rito que apurou a quebradeira do relógio dos “500 Anos do Brasil”. Segundo ele, pediram que ele isentasse dois Cap da participa“‰o da destrui“‰o, mas acabaram sendo condenados pelo ato. ÒFui afastado do inqu”rito e perseguido por”m, mais tarde, consegui provar a correção das investigações e anular as acusações feitas contra mim”, assinalou. Monteiro ressaltou ainda a satisfa“‰o que sente do dever cumprido e a convic“‰o de que a segurança no Estado é totalmente viável. “Se cada Cmt fizer sua parte, será possível qualificar a segurança pública”. Após anos de servi“os prestados ‹ corpora“‰o, o Cel Monteiro pretende se dedicar mais ‹ fam™lia.


Pág 12 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

CORREIO BRIGADIANO

CIDADE

Pel de Jóia realiza treinamento Bombeiros de Estrela atuam na comunidade escolar para combater o roubo de gado Sgt Diolvane ministra palestras para alunos de 5ª série no projeto bombeiro por um dia O Pel de Jóia está sob o comando do Ten Gilberto de Mello Martins desde outubro de 2003. Segundo ele, as principais ocorr’ncias registradas no munic™pio s‰o abigeato e porte ilegal de armas. Na tentativa de coibir a criminalidade, a Brigada Militar está realizando um cadastramento dos pecuaristas para prevenir o roubo de gado. “Após o início do levantamento o índice de abigeato foi reduzido“, afirmou. O 1º Sgt Jaques Maúricio Zinser e o Sd Edson Lázaro Cabreira dos Santos fizeram curso de combate ao abigeato no campo de instru“‰o em

SantÕAnado Livramento. Outra atividade desempenhada pelas guarnições com freqüencia é a apreens‰ode armas por porte ilegal. A prefeitura destina uma verba mensal para o Consepro que repassa ‹ Pol™cia Civil e a Brigada Militar. A manuten“‰o de equipamentos e viaturas ” feita atrav”s dessa verba. O Ten destacou ainda a implanta“‰o do Programa Educacional de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e ‹s Drogas (Proerd). Neste semestre, o curso será ministrado pelo Sd Gilmar Dutra em uma escola estadual e outra municipal.

O Corpo de Bombeiros de Estrela está sob o comando do Cap Luis Marcelo Gon“alves Maya há oito anos. Os bombeiros atendem 38 munic™piosdo Vale do Taquari. A corpora“‰o desenvolve palestras durante todo o ano, para prevenir acidentes domésticos com gás de cozinha e instalações elétricas. Segundo o Cap Maya, o efetivo desenvolve o projeto Bombeiro por um Dia. Atrav”s dessa iniciativa, s‰o ministradas palestras para alunos de 5ª série pelo 3º Sgt Diolvane Nunes da Silva. Após receberem os ensinamentos, as cri-

an“as s‰o testadas quanto aos ensinamentos recebidos. Os testes s‰o avaliados pelos bombeiros, Secretaria Municipal de Educa“‰oe pela Coordenadoria Regional da Educa“‰o. Os autores dos melhores trabalhos s‰o convidados a passar um dia inteiro com os heróis do fogo. Integrados ‹ guarni“‰o, recebem Sgt Diolvane (na foto usando farda de Cb) ensina as crian“as treinamento especial e participam das atividades dos bombeiros. ÒEles conhecem at” sou. Todos os participantes recebem certificado de participa“‰o na programa“‰o. o funcionamento da Sala de Operações“, fri-

Pel de Catuípe age com eficiência para manter segurança O Pel de Catuípe busca a eficácia no atendimento da popula“‰o. Atualmente, conta com um efetivo de 17 PMs e duas viaturas. Segundo o Cmt,1º Ten Jorge Schimanoski, todos os PMs s‰o bem treinados, inteligentes, capazes e Sgt Leonardo conscientes de suas obrigações, mantendo um clima de tranqüilidade pública e uma sensa“‰o de segurança. “O 1º Sgt José Leonardo Moreira n‰o mede esfor“os no cumprimento de suas missões, realizando-as sempre com ’xitoÓ, assinalou. O Ten Schimanoski tamb”m destacou a elabora“‰o dos T ermos Circunstanciados, os quais foram por diversas vezes elogiados pelo Judiciário local e pela comunidade, que está satisfeita com o trabalho realizado pela BM. Recentemente, em megaopera“‰o realizada em parceria com a equipe do delegado Francisco Lorents e com PMs de Iju™,houve a pris‰o de um foragido.

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

BM de Candelária desenvolve ação para coibir violência A Cia de Candelária desacelerou, em mar“o, a Opera“‰o Resid’ncia Evid’ncia, que ” tratada com maior ’nfase durante temporada de f”rias. Essa é uma das várias operações queÊ s‰oexecutadas, com o intuito de manter a criminalidade em um nível aceitável. Nessa ”poca do ano ” comum o deslocamento de pessoas para o Litoral Norte e outras localidades, deixando dessa maneira as suas resid’ncias ‹ merc’ de arrombadores. Os policias militares conseguiram reduzir consideravelmente os furtos a resid’ncias nos œltimos anos, dando maior tranqüilidade aos veranistas. A operação consiste em vistorias aos imóveis previamente cadastrados junto ‹ Brigada Militar , onde s‰o registrados dados como a data de sa™da, de chegada, bem como local das f”rias e telefone para contato no caso de alterações. Desta forma, o efetivo visita a resid’ncia cadastrada, verificando eventuais anormalidade e deixando no local um bilhete com a anota“‰o de hora e local em que foi efetuada a inspe“‰o. GETòLIO VARGAS – A Cia está sob o comando do Cap Robson Emanuel Leite Camargo que assumiu em dezembro de 2003. ÒPretendo dar continuidade ao trabalho desenvolvido pelo exCmt, Cap Aurivan ChiochettaÒ, assinalou. O Cap Robson tamb”m destacou o Programa de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e ‹s Drogas (Proerd), ministrado pelos Sd Amarildo Jos” Safraider e Humberto Carlos Bortolotto. Eles tamb”m realizam palestras de preven“‰o de acidentes no tr›nsito para os alunos, principalmente no retorno ‹s aulas. A Brigada Militar e a Pol™cia Civil est‰ointegradas e fazem operações em conjun to para reduzir os ™ndices de criminalidade.

GERAL

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 5

CORREIO BRIGADIANO

Atleta Olímpico assume comando da EsEf da BM Ten Cel Estivalete, ex-Cmt da EsEf, aposta no Maj Selistre para dar continuidade a seu trabalho A Escola de Educa“‰o F™sica da BM (EsEfBM) agora conta com um novo Cmt. T rata-se do Maj Carlos Alberto Luvizetto Selistre. Como ele mesmo explica, sua chegada ao comando n‰oé nenhuma surpresa já que, até então, ele assumia o cargo de Sub-Cmt da EsEf-BM. A cerimônia de passagem de comando realizouse no dia 1º de março, no Ginásio da BM, e marcou a despedida do Ten Cel Edson Estivalete Bilhava. Deixando a EsEf-BM, o T en Cel Estivalete assumiu, no dia seguinte, o comando do 36º BPM, em Bento Gonçalves. Atleta com participa“‰o em olimp™adas e integrante ativo das atividades da igreja católica, o novo Cmt da EsEf-BM, oMaj Selistre chama a aten“‰o dos seus colegas de profiss‰o por sua disposi“‰o. ÒAcredito que o novo Cmt vai dar um esp™rito de saœde f™sica e mental ‹ corpora“‰oatrav”s de suas id”ias inovadoras e extrema dedica“‰oÓ, salientou entusiasmado seu ex-colega do Col”gio T iradentes, Maj Edson Rangel, que representava a Corregedoria-

igreja católica motivou também a participação do arcebispo Dom Dadeus Grings. Mas quem roubou a cena durante a solenidade n‰o foi nenhuma autoridade, e sim o pai do Ten Cel Estivalete, que deixava transparecer alegria pela presen“a de seu familiar. Ao final do ato, o dire-

Ten Cel Estivalete, Cel Biacchi, Maj Selistre

Geral da corporação na cerimônia. Diversas autoridades civis e militares compareceram ‹ solenidade de passagem de comando no Ginásio da BM. Entre elas, a secretária municipal de Esportes, Regiane Pena Rodrigues, a Ten Cel Estivalete, o pai, Cel Biacchi, Cel Marcadella e o Maj Selistre presidente do Conselho Regional de Educa“‰o F™sica, Jeane Marques Cazelato, o tor de Ensino da BM, Cel Paulo Renato Biacchi chefe do Estado Maior, Cel Tarso Antônio MarRodrigues, recebeu, ao lado do Ten Cel Estivacadella, a diretora do Detran-RS, Ana Gomes, lete e seu pai, do Cel Marcadella e do Maj See o primeiro Cmt da EsEF-BM, Cel F”lix Biscu- listre um trof”u em homenagem ‹ passagem bi Costa. A forte liga“‰o do Maj Selistre com a dos 166 anos da Brigada Militar.

Brigada promove troca de comandos na Capital Como parte das modificações realizadas pelo comando da BM, o Cel Ariovaldo dos Santos Mariano assumiu, em 9 de mar“o, na sede do MBM, o Comando de Policiamento Ostensivo Metropolitano, deixando o posto de Cmt do Corpo de Bombeiros. O novo Cmt do CCB será o Cel Luiz Jaidemir de Figueiredo çvila, que estava ‹ frente da Ajud›ncia-Geral da BM. No lugar do Cel çvila, foi empossado o T en Cel Leo Antônio Bulling. Além deles, o Cel Reuvaldo Antônio Vasconcelos Ferreira deixou o comando do BPRv para assumir o Departamento

18 unidades da corporação passam por troca de Cmt Modificações em 18 unidades e a instala“‰ode dois novos comandos regionais de policiamento. Estas foram as mudan“as realizadas pelo comando da BM no in™cio de mar“o. As principais trocas ocorreram nos comandos regionais Planalto (Passo Fundo), Fronteira Oeste (SantÕAnado Livramento), Hort’nsias (Gramado), Serra (Caxias do Sul), Litoral (Osório), Metropolitano (Canoas) e no Batalh‰o de Pol™cia Rodoviária (Porto Alegre). As novidades foram a cria“‰o dos comandos regionais do aVle do Caí, com sede em Montenegro e responsável por 19 cidades, e Centro Sul, em Gua™ba, cuja atuação se estenderá por 11 munic™pios, que estavam sob responsabilidade do CPM. Os comandos do 2º BPM (Rio Pardo), 6º BPM e do Corpo de Bombeiros, ambos com sede em Rio Grande, também sofreram alterações. Em Porto Alegre as mudan“as ainda atingiram os comandos do 11º BPM (Zona Norte), 19º BPM (Partenon), 20º BPM (Sarandi) e 21º BPM (Restinga), cujas posses já ocorreram.

Administrativo, em substitui“‰oao Ten Cel Jo‰o Nivaldo Duarte. O comando do BPRv ficará a cargo do Ten Cel Carlos Frederico Azevedo Hirsch. Todas as modificações têm como objetivo promover a reorganiza“‰oestrutural da corpora“‰o, tendo em vista as promoções e transfer’ncias ocorridas na Brigada Militar nos œltimos dias.

Cel Ariovaldo assume o Comando de Policiamento Ostensivo Metropolitano

JUSTI‡A – O STJ manteve o parcelamento de salários dos professores suspendendo a liminar que determinava o pagamento integral dos professores filiados ao Cpers-Sindicato. Já os servidores da Justi“a, al”m de terem recebido aumentos salariais, receberam integralmente, inclusive os magistrados – instrutores iniciais da decis‰o. Muito bem diz o ditado: ÒPimenta nos olhos dos outros ” col™rioÓ. MAGISTRATURA – Um fantasioso tribunal internacional de Justi“a foi instalado em Porto Alegre, recentemente. Por certo arranhou a nacionalmente conceituada magistratura gaœcha. Não acreditamos que o Código de Ética permita que ju™zes ‹ revel do ordenamento jur™dicodo pa™s, usem do cargo e do conhecimento t”cnico jur™dico para atua“‰o paralela em questão ideológica. Breve, outros tribunais acontecer‰ojulgando pol™ticos desafetos e, depoisÉ os próprios desembargadores não colaboracionistas. A‡ÍES – Todas as entidades de classe da seguran“a pública argüiram, na Justiça, a quest‰odo parcelamento. O governo conseguiu antecipar o pagamento da parcela final, aparentemente, esvaziando as ações. Mas a seqüela ficou e o indicativo está aí. IMPASSE – Caminha-se para um impasse na seguran“a pública. Há 9 anos sem aumento, as categorias deram ao governo do Estado, um ano e dois meses para que se manifestasse

sobre essa situa“‰o que na campanha eleitoral foi bem enfatizada. Ou seja, a dignidade passa por salário. ASSEMBL…IA – A assembl”ia da AsOfBM, realizada no Clube Farrapos, no dia 1 1 de mar“o, teve um bom comparecimento de oficiais... da reserva. Um T en Cel e uns poucos Cap e Ten da ativa se fizeram presentes. Um oficial inativo, presente ao evento, desabafou n‰oentendendo a aus’ncia da oficialidade: ÒParecemsatisfeitos com a falta de recomposi“‰o salarial, com o parcelamento do pagamento e com o novo projeto do IPEÓ. PROCURADORES – Agora vai... A PGE sinalizou suspender os entraves ao projeto de desenvolvimento da Funda“‰o BM. Para breve haverá um projeto de Lei do Executivo. METAS – A reestruturação operacional da BM ” a meta que foi alcan“ada. A revis‰o do sistema disciplinar ainda está sendo aguardada. Já a terceira meta que tratava da quest‰o da carreira e que recebeu um tratamento Legislativo, n‰o deve ser considerada alcan“ada. Conseguiram gerar promoções para não emperrar o atual sistema. SENASP – O Ten Cel Ferreira, ex-Cmt do BPRv, está em Brasília, atuando junto ao Secretário Nacional de Seguran“a Pœblica. GOLFINHO – A festa de encerramento da Opera“‰oGolfinho, realizada na sede da SAC, já come“a a se tornar tradicionas.

IBCM – A entidade está recebendo currículos de candidatos ao cargo de técnico (a) de enfermagem, para aproveitamento futuro. Os interessados dever‰o enviar seus curr™culos para a sede da institui“‰o, localizada na rua Bar‰o do Triunfo, 175, no bairro Menino Deus, em Porto Alegre, ou enviar atrav”s da Internet para o endere“o rh@ibcm.org.br .


Pág 6 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

CORREIO BRIGADIANO

GERAL

Solenidades comemoram aniversário da APM Patrulha Comercial atua com Eventos marcam passagem dos 88 anos da Academia de Polícia Militar e abertura de seu ano letivo bicicletas em Venâncio Aires Tr’s eventos marcaram o aniversário de 88 anos da Academia de Pol™cia Militar (APM) e o in™cio de seu ano letivo no dia 1º de março. Os aprovados em concurso para forma“‰o de Cap se apresentaram. Os alunos do curso de piloto privado tamb”m iniciaram as aulas. Na mesma oportunidade, o Col”gio Tiradentes – instituição que voltou a ser administrada pela BM em 2003 – recebeu novos estudantes. As solenidades aconteceram a partir das 17h, na sede da APM, sendo prestigiadas pelo secretário da Justiça e da Segurança, Jos” Otávio Germano. Os 25 futuros Cap – designados como cadetes durante o curso de forma“‰o – terão quatro semestres de aula. Na primeira semana, houve um per™odo de adapta“‰ocom a corpora“‰o, ocasi‰o em que

Chegada de novos alunos marcam aniversário da APM

eles tomaram contato com a legisla“‰o da BM, rotinas da vida de caserna e visitaram diversas unidades da corpora“‰o. A aula inaugural ocorreu no dia 8. No mesmo ato, foi dado in™cio ao curso de piloto privado, que visa a formar condutores de aeronaves para atuarem no Grupamento de Pol™cia Militar A”reo (GPMA). No pri-

Secretaria da Fazenda homenageia BPFaz por sete anos de serviçosÊ Em cerimônia realizada no início da ma- cretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), data de nh‰do dia 27 de feverei1946. Já na década de ro no auditório do MBM 60, o 9º Batalhão de PoPrevid’ncia e Seguros, o l™ciaMilitar criou o primeisecretário estadual da ro Destacamento FazenFazenda, Paulo Michelucdário, que em 1997 seci, prestou uma homenaria transformado em Grugem ao Batalh‰o de Pol™po de Polícia Fazendácia Fazendária (BPFaz). ria. Em 1998, por decreEle destacou que desde o to, foi criado o BPFaz. in™ciode sua carreira de A unidade ” comagente fiscal do Tesouro, Michelucci entrega placa ao Maj Leal na sede do MBM posta por duas compatrabalhou ao lado dos ponhias operacionais e de liciais militares. O secretário entregou ao Cmt um efetivo administrativo, al”m do Comando e do BPFaz, Maj Reinaldo Leal, um of™cio e uma Estado Maior. O efetivo ” de 229 PMs, sendo placa alusivos ao 7º aniversário da unidade. que 97% atuam atividade fim. A unidade atua Durante a cerimônia, o Maj Leal apresen- em postos fiscais, tanto na fronteira do Estado tou um breve histórico do BPFaz, onde desta- como em outras regiões, dando apoio à fiscalicou que a primeira not™cia de participa“‰o da za“‰o do tr›nsito de mercadorias da Sefaz, e Brigada Militar, em ações conjuntas com a Se- em ações diversas, como as blitze do IPVA.

SJS entrega viaturas à BM em mais uma etapa do Projeto Fronteiras

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Em mais uma etapa do Projeto Fronteiras, a Secretaria da Justi“a e da Seguran“a (SJS) entregou em 2 de mar“o um lote de viaturas para a Brigada Militar. O secretário José Otávio Germano, e o Cmt-Geral, Cel Nelson Pafiadache da Rocha, participaram do ato realizado no estacionamento da sede da SJS, em Porto Alegre. As 20 picapes Mitsubishi – destinadas à regi‰ode Uruguaiana e SantÕAna do Livramento – possuem tração nas quatro rodas e serão empregadas no patrulhamento rural, visando o combate ao abigeato. Contudo, at” que completem mil quilômetros rodados, os veículos permanecer‰ona Capital, sendo utilizadas na Opera“‰oVolta ‹s Aulas. As camionetes já apresentam o novo gra-

Luiz Eduardo Barbosa/SJS

Camionetes ser‰o empregadas no combate ao abigeato

fismo das viaturas da BM, que visa melhorar a visibilidade dos carros utilizados no policiamento ostensivo. At” o final do m’s, ainda dentro do Projeto Fronteiras, a Polícia Civil receberá 13 viaturas Corsa Sedam e 7 picapes S-10. Outros 30 Corsa Sedam ser‰o repassados ‹ BM, finalizando a entrega das aquisições realizadas em dezembro pelo Pregão Eletrônico.

meiro m’s, os 33 oficiais participantes receber‰oinformações teóricas sobre pilotagem de aviões. Em seguida, prestarão exame no Departamento de Avia“‰oCivil (DAC). Aprovados nesta etapa, passar‰o ‹s aulas práticas. Já o Col”gio Tiradentes recebeu 120 novos alunos. … a maior oferta de vagas desde a sua funda“‰o, em 1980. Esses jovens foram aprovados numa sele“‰o ocorrida no m’s de novembro que envolveu mais de mil estudantes egressos do Ensino Fundamental. A institui“‰o possui estrutura administrativa e pedagógica resultante da parceria entre a BM e a Secretaria Estadual da Educa“‰o (SEC). A escola destina-se a ministrar o Ensino M”dio, adotando em suas atividades o regime disciplinar com caracter™sticas militares, incluindo o uso obrigatório de uniforme.

Tendo em vista diversificar os servi“os prestados e aproveitar ao máximo o efetivo, a BM de Ven›ncio Aires passou a utilizar-se tamb”m de bicicletas, sendo pioneira no V ale do Rio Pardo. O policiamento em bicicleta da cidade está sendo destinado à Patrulha Comercial e tem atingido ótimos resultados. Segundo o 1º Ten Rudimar Laus Alves, Cmt do 1º Pelotão, as bicicletas dão maior agilidade ‹ patrulha, que realiza o cadastramento dos comerciantes do munic™pio. Em casos de arrombamento, geralmente no turno da noite, ” possível assessorar o efetivo que está na rua com informações fornecidas pelos próprios comerciantes. A novidade foi implantada recentemente, em dezembro do ano passado, mesma data em que o Sd Armando Siqueira da Rosa e a Sd V iviane Viana do Amaral passa-

ram a integrar o efetivo da BM de Ven›ncio Aires e tamb”m da Patrulha Comercial. A comunidade adaptou-se muito bem ao conv™viocom as bicicletas. ÒO uso de bicicletas facilitou o contato da popula“‰o com os brigadianos, o que se torna uma tarefa dif™cil para o policiamento motorizadoÓ, explicou o Cmt da Cia, Cap Rafael Tiarajœde Oliveira.

Sd Armando e Sd Viviane refor“aram o efetivo

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 11

CORREIO BRIGADIANO

CIDADE

BPRv irá intensificar fiscalização na RS 239 Turistas “invadem” Tapes e BM Nas escolas, os patrulheiros rodoviários estaduais continuarão realizando palestras educativas Apertar o cerco aos motoristas que trafegam em alta velocidade e dar continuidade ‹s palestras educativas de conscientiza“‰o no tr›nsito. Estes s‰o alguns dos objetivos tra“ados pelo novo Cmt do BPRv de Sapiranga, 1º Ten Carlos Erinaldo Freitas Rosa. Al”m da cidade, a Cia PRv tem sob sua responsabilidade os munic™pios de Novo Hamburgo, Parob”, Campo Bom, Nova Hartz e Araricá, num total de 41 quilômetros de estradas, atendendo a uma popula“‰o estimada em 300 mil pessoas. Na RS 239, que liga Est›ncia Velha a Riozinho, do quilômetro 18 ao 23, trecho que compreende a cidade de Campo Bom, poucas ocorr’ncias de tr›nsito t’m sido registradas. No ano passado, foram assinalados 82 acidentes no local, sendo 56 com danos materiais, 24 com lesões corporais e dois com v™timas fatais. Em sete ocasiões, os acidentes foram causados por problemas climáticos e em uma, por embriaguez. ÒO local ” bem sinalizado, mas a desaten“‰o dos motoristas ” que causa a maioria

Consepro auxilia a segurança pública em Campo Bom O OPM de Campo Bom, que esteve durante o ver‰o sob o comando interino do Cap S”rgio Alex Laydner Medina, conta com 64 integrantes e possui10 viaturas. O Cmt, Cap Jefferson Eroni de Oliveira Gon“alves, retomou suas atividades no dia 8 de março, após retornar da Opera“‰o Golfinho, destacando que o Consepro auxilia na manuten“‰o das viaturas e demais equipamentos. Segundo o Cap Laydner, a corpora“‰o tamb”m se destaca pelo canil e cinófilos, muito elogiados pela comunidade. Para coibir as ocorr’ncias, s‰o feitas barreiras para verifica“‰o de armas e ve™culos irregulares. A Patrulha Escolar atua de modo a evitar transtornos e garantindo aos alunos e aos pais um retorno ‹s aulas com seguran“a e tranqüilidade. O Programa Educacional de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e ‹s Drogas (Proerd) ” ministrado pelo Sd Vlademir Luiz Longo Guedes em cinco escolas estaduais. Os alunos t’m um contato próximo com a instituição – trabalho reconhecido pela comunidade escolar ÒEssas atividades aumentam o entrosamento entre a comunidade e a BMÒ, destacou Laydner.

BM de Sapiranga recebe três novas viaturas do Estado O secretário da Justiça e da Segurança, Jos” Otávio Germano, participou da solenidade de entrega de tr’s viaturas para a BM de Sapiranga. O evento foi realizado em frente ‹ sede da corpora“‰o. Estavam presentes o prefeito Renato Delmar e o Cmt Regional, Ten Cel Evaldo Gomes Rodrigues. Os três automóveis Volkswagen Gol foram adquiridos pelo Sindicato das Indœstrias de Cal“ados de Sapiranga e repassados ‹ BM atrav”s do Consepro. Al”m disso, a Indœstria de Cal“ados Valle entregou cinco rádios portáteis ao policiamento ostensivo. A BM tamb”m recebeu quatro novos coletes ‹ prova de balas doados pelo Consepro. SAPIRANGA – PMs de Sapiranga prenderam um dos sete fugitivos do Pres™dio de Novo Hamburgo. Ele fez parte do primeiro grupo de apenados que escapou com outros seis detentos. O criminoso foi preso após assaltar uma fábrica de cal“ados de Sapiranga, levando R$ 6,5 mil, recuperados pela BM. Entre os fugitivos, o que foi preso ” considerado o mais perigoso. O corregedor-geral da Susepe, Homero Negrello, anunciou a inten“‰o da Secretaria de Justi“a e da Seguran“a de transformar o pres™dio em albergue para apenados do semi-aberto.

dos acidentesÓ, justificou o Cmt Freitas. N‰o bastasse os 35 quilômetros sob jurisdição do BPRv na RS 239, os patrulheiros rodoviários ainda têm a tarefa de cuidar dos primeiros seis quilômetros da RS 464. A rodovia tem in™cio na RS 239 e tem fim no munic™pio de Nova Hartz. Para este ano, o Ten Freitas pretende intensificar ainda mais o policiamento nas estradas, como o desenvolvimento das Operações Radar Ostensivo. ÒO nosso objetivo ” coibir o excesso de velocidade e alertar os motoristas sobre a import›ncia de dirigir com cautelaÓ, ressaltou. Mesmo refor“ando a fiscaliza“‰o nas estradas, o Ten Freitas não irá descuidar da parte educacional. Nas escolas, o Cmt dará continuidade ‹s palestras de conscientiza“‰o nas instituições de ensino do munic™pio. Aten“‰o no tr›nsito, regras gerais de circulação e lições sobre comportamento nas ruas ser‰o alguns dos temas abordados pelos Sd …verton da Fonseca Cassere, Fernando Mujica dos Santos e Jonas Grass de Oliveira. Os tr’s ter‰o a obriga“‰o de

repassar informações aos alunos com idades entre 4 e 14 anos. ÒDaremos aten“‰o especial ‹ Escola Municipal Quatro Colônias, em Campo BomÓ, destacou. Os col”gios ‹s margens das rodovias tamb”m ser‰o contemplados com as palestras. Al”m da rede municipal de ensino, os patrulheiros rodoviários também irão visitar empresas locais e de cidades vizinhas. Somado aos projetos sociais, o Cmt quer manter o bom relacionamento estabelecido com a prefeitura de Sapiranga pelo seu antecessor , o 1ºSgt G”lson Luiz Oliveira dos Santos, que comandou a BM durante tr’s anos e transferiu-se para a Assembl”ia Legislativa. Como exemplo da integra“‰o, o Cmt Freitas citou o apoio do prefeito na manuten“‰o do pr”dio da sede e na aquisi“‰o de material de Expediente. ÒTemos um ótimo entrosamento tanto com as autoridades locais quanto com a comunidadeÓ,salientou. Com o suporte de toda a popula“‰o,a BM de Sapiranga pretende garantir a seguran“a dos habitantes da regi‰o.

reforça o policiamento nas ruas Tomada por turistas durante o per™odo de veraneio, Tapes teve triplicada a sua popula“‰o nos meses de janeiro e fevereiro. De acordo com o Cmt da BM local, Cap Euclides Maria da Silva Neto, o nœmero de habitantes passa dos 20 mil para mais de 55 mil nesta ”poca do ano. Para garantir a seguran“a das pessoas que v‰o passear na cidade, o Pel recebeu o refor“o de brigadianos de diversas regiões do Estado. Al”m dos PMs, o Cap ganhou o apoio do 1º Ten João Adalberto Pierozan, do 9º BPM, cuja colabora“‰o se deu principalmente nas instruções repassadas aos companheiros de farda. ÒPode-sedizer que ele foi o meu bra“o direito na coordenação das operações policiais”, destacou. As principais ocorr’ncias registradas pela BM no ver‰o foram acidentes de tr›nsito e perturba“‰o do sossego. Com a experi’ncia de quem já está há cinco anos no comando do elenco, o Cap Euclides ressaltou que o grupo n‰o teve dificuldades na realiza“‰o do policiamento

do município. “O efetivo orgânico está acostumado com as normas de trabalho e isso facilita no desenvolvimento das tarefasÓ, observou. O bom entrosamento com as autoridades locais tamb”m ” um dos fatores que contribuem para a manuten“‰o da ordem. ÒProcuramos ficar a par de todos os eventos que foram programados para o ver‰oÓ, ressaltou. O Cmt acrescentou que a Secretaria do Turismo informou à BM quem seriam os responsáveis pela realiza“‰odos shows e atividades de entretenimento na cidade. O Minist”rio Pœblico, o Judiciário e o Conselho Pró-Segurança Pública (Consepro), segundo o Cap, tamb”m mant’m com a Brigada Militar um relacionamento harmonioso. ÒTodos cooperam conosco das mais variadas formasÓ, salientou. Aparelho de fax, detector de metais, microcomputador e scanner s‰o alguns dos equipamentos doados ‹ sede do Pel. ÒAt” mesmo o conserto de nossas viaturas foi custeado por elesÓ, afirmou.


Pág 10 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

CORREIO BRIGADIANO

Mais 5 PMs reforçam unidade da Brigada Militar no Interior Dando fim a um jejum de10 anos, a Brigada Militar do munic™pio de Agudo recebeu um grupo de 5 novos policiais militares. Muito satisfeita, a comunidade agora conta com um importante reforço na área da segurança pública. Atuando no policiamento ostensivo, os Sd Ronaldo Machado Bissaco, Cedenir Müller da Silva e Carlos Alberto Glänzel chegaram em Agudo no dia 5 de janeiro deste ano. A vinda dos tr’s PMs coincidiu com o t”rmino da constru“‰oda Linha de Tiro da corpora“‰o.

Trânsito do município de Agudo conta com fiscalização rigorosa

Atrav”s de uma campanha intitulada ConsUm pouco depois, os Sd S”rgio Alexancientiza“‰o e Educa“‰o para o Tr›nsito, aplidre Santos de Vargas e Luciano da Silva Jucada desde mar“o do ano passado, as irregulali‰o,passaram a integrar o efetivo nos dias 10 ridades no tr›nsito est‰o diminuindo no munic™e 19 de fevereiro, respectivamente. pio de Agudo. Apenas nos dois primeiros meProcurando suprir as necessidades resul- ses deste ano, mais de 80 ve™culos passaram tantes da defasagem de seu efetivo, a Cia de pela fiscalização, totalizando sete autuações e Agudo tem mostrado muito empenho e dedica- algumas advert’ncias por irregularidades. “‰o.Na busca de alternativas, a unidade estaO trabalho da BM de Agudo n‰o se limita beleceu parcerias com órgãos militares de diaos automóveis, estendendo-se também aos civersos munic™pios vizinhos que, em alguns ca- clistas, que chegam a receber multas no valor sos, enfrentam as mesmas dificuldades. de quase R$ 200,00 por conduzirem sem capa-

cete. Embora alguns moradores do munic™pio achem a atua“‰o dos PMs severa e n‰o se acostumem com a aplica“‰o das multas, a maior parte da comunidade está muito satisfeita e procura auxiliar a BM informando as localidades que necessitam de sua presta“‰o de servi“os. ÒAscampanhas limitadas apenas ‹ conscientiza“‰oda popula“‰o se mostraram ineficientes ao longo do tempo e os resultados s‰o melhores quando, paralelamente, há uma fiscaliza“‰o rigorosaÓ, justificou o Cmt da Cia de Agudo, Cap Paulo Jœnior Rodrigues Esp™ndola.

CIDADE

Confraternização marcará passagem do Dia do Policial A proximidade do dia 21 de abril, eleito Dia do Policial em homenagem ‹ T iradentes, vem movimentando o munic™pio de Agudo. Pelo terceiro ano consecutivo será realizado um torneio de futebol de sal‰o em comemora“‰o ‹ data. Como nos anos anteriores, as presen“as da BM, Pol™ciaCivil e Susepe locais e de munic™pios vizinhos, est‰o confirmadas. Antes do torneio, será realizada uma formatura em homenagem a Joaquim Jos” da Silva Xavier , o Tiradentes, patrono das pol™cias militares e civis do Brasil.

Tecnologia facilita a atuação da Polícia em Caxias do Sul Uma central localizada no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) controla 10 c›meras instaladas na cidade de Caxias do Sul desde o dia 24 de dezembro do ano passado. A novidade tem auxiliado a BM, a Pol™ciaCivil e a Guarda Municipal a desempenharem seu trabalho com agilidade e efici’ncia, promovendo tamb”m a integra“‰o entre os respectivos efetivos. Segundo o coordenador operacional da Brigada Militar de Caxias do Sul,Cap Gerson Luiz Pereira de Souza, principalmente as ocorrências corriqueiras – como furto de pedestres – têm sido solucionadas com muita rapidez. Os recursos para a aquisi“‰o dos equipamentos foi arrecadado pela C›mera de Dirigentes Lojistas (CDL) junto a seus associados. O crit”rio para eleger os lugares que receber‰o as c›meras s‰o a contribui“‰o dos estabelecimentos comerciais e, conforme a verba vai chegando, vai sendo feita a instala“‰o. Segundo o presidente da Comissão Pró-Segurança Pública, Alcides Perini, a meta ” disponibilizar mais seis c›meras para o policiamento.

Bela morena irá defender 15º BPM no concurso Musa

GOLFINHO

14º Competição de Natação teve presença feminina A prova, vencida pelo Sgt Juvenal Tadeu Peres, foi disputada na praia de Torres Disputada desde 1992, quando o ent‰o Cap Joel Prates Pedroso decidiu fazer uma competi“‰oentre os salva-vidas das principais praias do Litoral Norte, a 14» edi“‰o da prova de nata“‰o foi marcada n‰o pela disputa acirrada, mas pela presen“a feminina. Vencida pelo Sgt Juvenal Tadeu Peres, de Tramanda™,a travessia da Ilha dos Lobos contou com a participa“‰oda Sgt Simone Rosa Baldi e das Sd V›nia Denalle e Marisa Bless. A beleza das mo“as tamb”m foi um dos obstáculos enfrentados pelos competidores do sexo masculino. Al”m de preparo f™sico para enfrentar os 1,8 mil metros de travessia e o calor escaldante no dia da prova, os atletas ainda tiveram que redobrar a aten“‰o para n‰o deixarem se encantar pelas curvas longil™neas das tr’s. Os 64 inscritos na disputa, que há cinco anos passou a ser realizada em Torres, nada-

Sgt Juvenal Tadeu Peres

ram at” as margens da Praia Grande. A prova foi criada com objetivo de aprimorar o Dos 64 competidores, três eram mulheres: as Sd Vânia e Marisa e a 1º Sgt Simone entrosamento entre os salva-vidas e servir como evento, enquanto que o segundo e terceiro cotreinamento, aperfei“oando a t”cnica de salvalocados, o Sd Eder Jofre Escobar, de Tramanmento sem deixar de lado o esp™rito de grupo. da™,e o Sd Pedro Scherer , de Xangri-Lá, resNa primeira competi“‰o participaram represen- pectivamente, ganharam cadeiras e guarda-sol. tantes de oito praias, vencendo o Sd Eliseu CaComo pr’mio ao esfor“o dos competidoffaratti Hoher, de Balneário Pinhal. res foram entregues aos participantes uma toaO campe‰o desta edi“‰o, Sgt Juvenal, re- lha e medalha. Afinal, todos lutaram ao máximo cebeu uma bicicleta e um kit do patrocinador do na busca da vitória.

Com o objetivo de conscientizar as crian“as sobre a import›ncia de se preservar a natureza, os bombeiros de S‰oJerônimo realizaram em 28 de fevereiro, na Praia do Encontro, o projeto Salva-Vidas Mirim. Coordenado pelo Cmt do CB local, 1ºTen Jair Paula da Silva, os encontros com as crian“as com idades Crian“ada brincou, cantou e ouviu atentamente as instruções na Praia do Encontro entre 5 e 12 anos teve como palestrantes qua- lições e repassem aos pais e amigosÓ, destatro integrantes da Escola de Bombeiro. cou. Muitos dos inscritos no programa s‰o fiChefiados pelo 1ºSgt Ari Abraão Leopol- lhos de pra“as e crian“as carentes que moram do Menezes, os Sd Paulo C”zar Tereza Olivei- em frente ‹ sede do CB, na vila Princesa Isabel. ra, Cassius Elias Arejam Pires e Rudinei MediO Bar da Amizade, na Praia do Encontro, na Duarte alertaram a garotada acerca dos cui- foi o local escolhido pelos bombeiros para que dados a serem tomados no cotidiano para con- a crian“ada fizesse um lanche. ÒFirmamos uma servar o meio ambiente e passar o veraneio parceria com o dono do bar, que cedeu o espasem correr riscos no mar. ÒEles receberam ins- “o interno, e com o com”rcio, que contribuiu com truções sobre ecologia e limpeza de praia atra- p‰oe salsichas”, ressaltou. Com o estômago v”s de atividades recreativas”, salientou o 1ºTen forrado de cachorro-quente e as energias reposJair. Al”m disso, os bombeiros chamaram a tas, a garotada aproveitou para cantar as mœsiaten“‰o de meninos e meninas para os pericas do programa, cujo tema principal foi a natugos da água. “A idéia é que eles aprendam as reza. ÒEles aprenderam brincandoÓ, disse o Cmt.

Cel Valença termina em 20º lugar na Supermaratona de Rio Grande

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

A filha do Sd Vanderlei irá desfilar pela primeira vez

Com 1m30cm de altura e 25 quilos, Priscila Ferreira de Souza pretende encantar os jurados do concurso Musa Correio Brigadiano. Filha do Sd Vanderlei Silva de Souza, do 15º BPM, e de Sheila Adriana Ferreira, ela gosta de ler , brincar de boneca e passear no Zoológico e em parques de divers‰o. Aos sete anos, a estudante da Escola Martinho Lutero, em Canoas, quer dar os primeiros passos na passarela. Estreante em desfiles, a morena já posou para fotografias. Alegre e falante, a menina já expressou a vontade de seguir a carreira da m‰e: professora. ÒEu preferia que ela fosse modelo, mas se quiser trilhar seu caminho no ensino n‰o serei um empecilhoÓ, salientou. Sheila acrescentou que suas colegas de trabalho, vizinhos e os familiares t’m sido os maiores incentivadores da participa“‰oda menina no concurso.

PARLAMENTO ESTADUAL Jair Soares Deputado Estadual - PP

Dever Cumprido

Projeto Salva-Vidas Mirim é um sucesso na orla de São Jerônimo

Um percurso de 50 quilômetros dividido em pisos diferentes – paralelepípedo, asfalto, areia e unistein –, marcou a Supermaratona de Rio Grande, disputada no m’s em fevereiro. Com o preparo f™sico e disposi“‰o de garoto, o Cmt do CRB do munic™pio, eTn Cel Rudimar Antônio Valen“a Gon“alves, completou a prova em 4h15 min, chegando em 20º lugar. Ex-Cmt do 6º BPM, o oficial, al”m de disputar a corrida em busca dos primeiros lugares, corre por um objetivo ainda mais nobre: o prazer em superar desafios. Sem sofrer press‰o por ter que conquistar resultados positivos, V alen“a obteve boas colocações nas edições anteriores, em 2000 e 2001, ficando em 10º e 15º lugares, respectivamente, na categoria at” 45 anos. Rec”m recuperado de uma opera“‰o nos ligamentos do joelho esquerdo, o Cmt n‰o conseguiu repetir o desempenho das outras provas. ÒN‰o tive uma prepara“‰o adequada em virtude da interven“‰o cirœrgica e do longo tempo de recupera“‰oÓ, observou. Apesar dos obstáculos próprios da Supermaratona, o Ten Cel Valen“a reconheceu que a temperatura no dia da prova estava agradável e até ajudou os atletas. Segundo ele, o maior problema enfrentado pelos 300 participantes foi o vento contrário nos últimos 25 quilômetros da prova. Durante dois anos, o oficial passou por

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 7

CORREIO BRIGADIANO

Cmt do CRBAM, Ten Cel Valença, finalizou em 20º lugar

sessões de refor“o muscular na companhia do professor Olimar Echeverria, um dos responsáveis pelo seu retorno ‹s maratonas. Somente 40 dias antes da Supermaratona, o Cmt, œnico oficial da Brigada Militar a participar da prova e finalizar o trajeto, intensificou os treinamentos, correndo uma hora por dia. O esfor“o e a dedica“‰ot’m um motivo especial: completar a prova. “Não dá para negar a vontade de querer vencer, mas terminar a corrida tamb”m ” motivo de orgulho para mimÓ, atestou.

Sd ganha 4º lugar em prova estadual de Triathlon no RS

Nos 52 anos de vida pœblica, sempre procurei observar as regras de conduta em todos os cargos que ocupei. Assim fiz tanto na condi“‰o de funcionário em início de carreira, até quando exerci cargos de importância como secretário da Administração, da Saúde, deputado federal, governador, ministro da Previd’ncia, vereador e, agora, como deputado estadual, l™der da minha bancada na Assembl”ia. Desta forma, o fato de ter sido apontado, pela Superintend’ncia Legislativa, como o œnico parlamentar a comparecer em todas as sessões legislativas em 2003 – claro, muito me honra – mas considero absolutamente normal tal distin“‰o.

Ética Se pensarmos bem, o próprio Código de Ética Parlamentar, em seu artigo 2º, parágrafo V, aponta a "Supremacia do Plenário" como o norte da atividade parlamentar, entre outras, como a observ›ncia da legalidade, da democracia, do livre acesso, da representatividade, da transpar’ncia, da fun“‰o social e da boa f”. A bem da verdade, nossa frequência no plenário não impediu que tiv”ssemos uma atividade intensa, dentro e fora do gabinete. Minha experi’ncia e conhecimento em assuntos previdenciários, me fizeram percorrer o Estado e visitar outros, abordando o tema da Previd’ncia, no ano em que o governo lançou a reforma previdenciária. Ao lado disso, temas atinentes às adaptações dessa reforma no Estado tomaram meu tempo, como a participa“‰o em várias comissões da Casa. Apenas tenho o sentimento de dever cumprido, com muito orgulho. Bernardo de Souza Deputado Estadual - PPS

Brigada Militar e o "novo" IPE

Sd Barcelos obt’m 4» coloca“‰o em prova internacional

Sendo o œnico militar participante, o Sd Valdenir Rodrigues Barcelos, atuante no Batalh‰ode Polícia Rodoviária, em Porto Alegre, surpreendeu a todos ao conquistar o 4º lugar na 1» etapa do Campeonato Estadual de Triathlon de 2004. Realizado no dia 15 de fevereiro em Balneário Pinhal, no Litoral Norte, o evento ” resultado de uma parceria entre a Federa“‰o Gaœchade Triathlon e a Confedera“‰o Brasileira de Triathlon. A atividade reuniu atletas de diversas partes do Brasil e do mundo. A prova consistia em 1,9 mil metros de nata“‰o, 90 quilômetros de ciclismo e 21 de corrida, conclu™dos por Valdenir em 5h53min. Concorreram com o Sd, na categoria 40 a 44 anos, dois argentinos, um uruguaio, um su”co e 4 catarinenses.

GPM desenvolveu projetos educativos na Costa Doce A BM de Arambar” desenvolveu, durante a Opera“‰o Golfinho 2003/2004, o Projeto ÒBrigada Mirim Ecológica”, destinado a crianças de oito a 13 anos. Os principais beneficiados com o programa foram os adolescentes de fam™lias carentes do munic™pio, indicados pela Secretaria da Assist’ncia Social. Eles tiveram aulas de resist’ncia às drogas, relações humanas, trânsito, primeiros socorros, meio ambiente, recrea“‰oe outros, recebendo lanche durante o per™odo.O projeto foi realizado em parceria com a prefeitura, tendo o patrocínio de vários colaboradores. ÒEsta iniciativa elevou sobremaneira o nome da institui“‰o Brigada Militar junto ao pœblicoexternoÓ, destacou o Cmt da Opera“‰o Golfinho na cidade, 1ºTen Carlos Augusto Braz Feijó. No dia 5 de mar“o, ocorreu, na Casa da Memória da administra“‰o municipal, a formatura da segunda e œltima turma deste veraneio da “Brigada Mirim Ecológica”. O evento foi prestigiado por várias autoridades locais. BRENNER – O Cel Luiz Antônio Brenner Guimar‰es,que foi Sub-Cmt da Brigada Militar, ” o novo titular da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Seguran“a Urbana.

Vou repetir: quando foi aprovada, no Congresso Nacional, a denominada "reforma da Previd’ncia" e foi alterada a Constitui“‰o Federal, uma parte da "grita" foi ouvida e os militares (federais e dos estados) ficaram fora de tal "reforma". Como? Simplesmente pela preserva“‰o, sem altera“‰o, do parágrafo 1º e por uma nova redação para o parágrafo 2º – ambos do artigo 42 da Constituição Federal – que falam de uma lei específica para regular (futuros) direitos e deveres dos militares estaduais.

Projeto de Lei Complementar O Projeto de Lei Complementar nº 25/2004, com grandes alterações ao sistema previdenciário do Estado do Rio Grande do Sul, estabelece em seu artigo 52 que para militares ativos e inativos, e a seus pensionistas, enquanto não advierem tais leis específicas, o desconto previdenciário será de 11%. Isto mesmo! Significa esta regra legal (caso aprovada) que, ainda que vitoriosa alguma ação ante o Judiciário, contra o desconto de 11%, de nada adiantará reclamar, pois já terá sido aprovado, por lei estadual, que o desconto ” este.

Emenda necessária Torna-se necessária uma emenda para que, enquanto não forem aprovadas as tais leis espec™ficas,sejam mantidas as atuais alíquotas de descontos – e foi isto que fiz. Paulo Azeredo Deputado Estadual - PDT

Um estado dentro do Estado O crime, no Brasil, chegou a um patamar em que só pode ser comparado com a época da Máfia da Bebida e dos Jogos, no Estados Unidos, nos anos 20 e 30. Pessoas s‰o mortas e ningu”m fica sabendo. Homens e mulheres s‰o presos, julgados, condenados e executados por tribunais formados por criminosos de segundo escal‰o nas vilas mais pobres das grandes cidades. As quadrilhas determinam quando as escolas devem ou podem funcionar. Resolvem se o comércio do lugar pode abrir suas portas e se as linhas de ônibus devem trafegar por esta ou aquela via pública. Já se disse várias vezes que existe um estado dentro do Estado com suas leis e normas, n‰o escritas, mas respeitadas por toda a popula“‰o. No entanto, este fato n‰o pode ser aceito pela sociedade que deve se revoltar contra esta estrutura.

Esquadrões da morte A partir daí, dá-se margem para que surjam esquadrões da morte, tão ou mais perigosos que o próprio crime organizado. Alias, o crime organizado surge a partir de estruturas policiais mal pagas e mal equipadas, e de certa forma, escorraçada pela própria sociedade, como a dos arapongas do extinto SNI. Treinados e com profundo conhecimento da estrutura policial, estes homens são facilmente cooptáveis quando não têm uma estrutura psicológica estável e sentemse ameaçados pelo Estado que os criou. Naturalmente, os criminosos que cometem estas barbáries não são os chefões. São simples peças de substituição dentro da estrutura. Os grandes financiadores ” que precisam ser encontrados e combatidos, mas estes gozam de uma prote“‰o superior as for“as da lei.

Sombras Ent‰o,que atitudes tomar para que se consiga dinamitar, pelo menos em parte, o peda“o do iceberg mergulhado? A ponta vis™vel se acaba com medidas objetivas de preven“‰o. Mas, e a grande montanha que navega nas sombras?


Pág 8 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

INTERIOR

CORREIO BRIGADIANO

Cmt Genz elogia a atuação dos PMs de Campina das Missões À frente do OPM desde outubro de 2003, o Ten destacou o empenho e a dedicação de seus PMs no policiamento do município Há seis meses no comando da BM de Campina das Missões, o 1ºTen Ronei Jaime Genz já conseguiu tra“ar um perfil do grupo de PMs. Sobram elogios ao trabalho de policiamento desenvolvido pelos companheiros de farda na cidade. O resultado ” um munic™pio marcado pela ordem, integra“‰o entre comunidade e policiais e baixo nœmero de ocorr’ncias. De acordo com o Cmt, o bom entrosamento, a compet’ncia e a disposi“‰o do elenco tornaram o OPM um lugar assediado por outros servidores da regi‰o, que lutam por uma vaga na BM local. ÒTodo mundo quer vir para cá”, destacou, orgulhoso. Outros componentes tamb”m contribuem para o alto astral dos PMs, como a presen“a de parentes no elenco. As fam™liasMallmann, dos primos 3º Sgt Laudelino e Sd J”ferson e Heck, e dos irm‰os Sd Elmo e Eloe, fazem parte da BM local e ajudam a manter a união do grupo. “É fácil trabalhar com familiares, at” mesmo para uma eventual troca de escala no horário”, observou. Com uma equipe eficiente e dedicada, os œnicoscontratempos registrados pelas autoridades s‰o casos de desordem, acidentes de tr›nsito e, raramente, furtos. ÒA œltima vez que assinalamos uma ocorr’ncia dessa natureza foi quando uma mulher furtou os documentos do maridoÓ,afirmou. Para garantir a seguran“a dos 8 mil habitantes, o 1ºTen Genz conta com o apoio da prefeitura e do Conselho Comunitário Pró-Segurança Pœblica (Consepro), cujo presi-

1º Ten Genz

1º Sgt Neiss

Sd Mauri

Sd Jeferson

Sd Andr”a e Toscani (de amarelo) organizaram o jantar

Sd Rohte

Sd Heck

Sd Roberto

Sd Elmo

dente ” Norm”lio Dewes. A ajuda se traduz na manuten“‰ode viaturas e na aquisi“‰o de material de Expediente. Diferentemente da situa“‰ovivida pelos OPMs do Interior, o Cmt conta com um efetivo completo e uma viatura, modelo 1997, em bom estado de conserva“‰o. Al”m dele, 14 homens compõem o efetivo: 1º Sgt Luis Neiss, 3º Sgt Laudelino Mallmann e

Brigada Militar de São Jorge forma mais 60 alunos no Proerd Diplomas, brindes, entrega de camisetas e medalhas marcaram a formatura das tr’s turmas que conclu™ram o Programa Educacional de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e ‹s Drogas (Proerd) no segundo semestre de 2003, no munic™piode S‰o Jorge. O curso formou 60 alunos das esOs 60 alunos que conclu™ram o curso cantaram a can“‰o do Proerd colas municipais Carlos T arasconi e Daniel Faraco e da Escola Estadual dos professores, diretores e empresários locais. ÒDetodas as pessoas da comunidade que souPedro Nunes da Silva. Na cerimônia de formatura, além de famili- beram da id”ia do Proerd, n‰o houve quem n‰o ares, várias autoridades estiveram presentes. tivesse elogiado o projetoÓ, observou o Sd ClairNa ocasi‰o, eles puderam acompanhar os tra- ton. Ele destacou tamb”m o suporte do Cmt da balhos desenvolvidos pelos adolescentes, como BM, Sgt Antônio Augusto da Silva, na implemenpe“as de teatro, canções do Proerd e as reda- ta“‰o do programa, cujo objetivo foi orientar e conscientizar os estudantes na preven“‰o ao ções feitas durante o projeto. Ministrado pelo Sd Clairton Rojai, o programa teve a aprova“‰o uso de drogas e no combate ‹ viol’ncia.

Sd Braun

Sd Nerison

Sd Sauer

Sd Vilmar

Sd Odir

Sd Simon

os Sd Mauri Angelin, Jos” Jeferson Mallmann, vizinhas, como Cândido Godói, São Paulo das Adolar Jos” Rohte, Rog”rio Roberto Krever , Sd Missões e Porto Lucena, para auxiliar os comOdir Inácio Braun, Erci Antônio Sauer, Odir Jos” panheiros de farda. Este ano, o Cmt Genz preAndres, Eloe Andr” Heck, Elmo Alo™sio Heck, tende intensificar o policiamento comunitário e Nerison Luiz Hıf fling, Vilmar Luiz Engroff e Val- a fiscaliza“‰o do tr›nsito. Segundo ele, a popunei Carlos Simon. A fartura de servidores ” utili- la“‰o tem contribu™do com a BM, trazendo inzada em prol da regi‰o. N‰o s‰o raras as vezes formações e denunciando a presen“a de estraem que os Sd s‰o deslocados para as cidades nhos nas ruas de Campina das Missões.

Numa demonstra“‰o de carinho e reconhecimento ao trabalho dos companheiros de farda, os integrantes do Esquadrão de Alegrete – Sd Andr”a Fragoso Fontana e Remi Lara T oscani – organizaram, no mês de dezembro, no restaurante Clube Atl”tico Sete de Setembro, um jantar em homenagem aos PMs ativos e inativos do munic™pio. Na entrada do restaurante, os convidados, esposas e filhos de brigadianos, foram recepcionados pelos anfitriões da festa. ÒComaten“‰o e carinho, eles demonstraram que ” poss™vel reunir colegas e amigos da BMÓ, destacou o representante do CB para Inativos, Evilásio Carvalho da Cunha. Cerca de 50 pessoas, entre familiares e PMs, estiveram presentes no jantar de confraterniza“‰o.

CORREIO BRIGADIANO

A questão do Excesso de Prazo em matéria Administrativa Disciplinar tente para julgar o fato, a regular cientifica“‰o do servidor acusado ou sindicado, presen“a do acusado nos atos de audi’ncia ou tomada de depoimentos, bem como de seu defensor , se houver, e o dispositivo legal que foi afrontado. Al”m disso, outro fato que por vezes passa desapercebido e que ” de suma import›ncia salientar, é que as decisões proferidas pela autoridade, tais como solu“‰o de sindic›ncia ou procedimento administrativo disciplinar, carecem de fundamenta“‰o. Como possuem for“a de senten“a, estas devem ser claras, concisas e precisas. No processo judicial, por exemplo, quando n‰o atendidos estes requisitos na senten“a, esta provavelmente, será alvo de embargos de declara“‰o, uma vez que n‰o satisfaz a quem a recebe ou deixa margens a pensamentos errôneos, difusos, obscuros. Já quando isso ocorre na seara administrativa, enseja de parte do recorrente o pedido de reconsidera“‰o do ato, cumulado com o de esclarecimento do teor da solu“‰o. Em deixando a autoridade de avaliar estes aspectos ou n‰oos cumprindo de forma regular e aproveitando o processo para aplicar penalidades severas ou prejudiciais ao comportamento do servidor, induvidosamente chegar-se-á a uma discuss‰o,quer ainda no plano administrativo e, esgotado este, já no plano judicial, com a conseqüente argüição de nulidade do procedimento e insubsist’ncia da penalidade aplicada. Balizados de argumentos sólidos de defesa, apegam-se servidores punidos a todo e qualquer elemento capaz de proporcionar-lhe um ganho, de algum modo, que lhe sirva como salva“‰o e, isso, convenhamos, n‰o ” nenhum crime. O direito universal acolhe, como dizem os gaœchos, o jÒus esperneandi Ò, ou seja, o direito de espernear, comum aquele que se encontra em situa“‰o desesperadora. N‰o raramente, se pleiteia a nulidade do feito em fun“‰o do excesso de prazo em sua conclus‰o.

O Corpo de Bombeiros de Osório foi instalado provisoriamente em 2 de mar“o de 1979. De acordo com Cmt, Cap Claudio Morais Soares Jœnior, a corpora“‰o foi transferida para a sede oficial – que passa por reformas – no ano seguinte. Por interm”dio da obra de revitaliza“‰o,a meta ” recuperar e ampliar o pr”dio. O projeto tamb”m prev’ a moderniza“‰o da Sala de Operações. Em 30 de junho de 1998, com a nova es-

1º Sgt Sidney

1º Sgt Rog”rio

3º Sgt Gilberto

3º Sgt Marcelino

CORRE‡ÌO – A edi“‰o 138 do Jornal Correio Brigadiano circulou em 5 de mar“o de 2004, com data equivocada correspondente aos primeiros 15 dias de fevereiro. Cabe salientar que o correto ” 1» quinzena de mar“o. Sd Marques

Sd C”sar

Sd Camargo

Sd Antônio

Cláudio Pereira Nunes - 1º Sgt Bel em Direito pela Urcamp, pósgraduado em Direito Civil e Processo Civil na Unirriter e professor E-mail: clnunes@vetorial.net

Essa tese n‰o ” afastada nem mesmo por estudiosos famosos, tais como Palhares Moreira Reis que afirmaÓ... esgotados todos os prazos, inclusive com os da prorroga“‰o, deve a autoridade desconstituir quem tenha sido designado para a apura“‰o e constituir outro para o prosseguimento dos trabalhos...Ó. Fazendo analogia ao nosso sistema de apura“‰o, torna-se quase imposs™vel um novo procedimento, analisando a natureza do processo e sua finalidade, que ” corrigir o erro imediatamente, sem fim punitivo, mas sim, educativo. Ainda levando-se em considera“‰o a quest‰olegal, se tem que os prazos para a feitura dos procedimentos disciplinares s‰o, em regra, peremptórios, não obstante à idéia tra“ada pela Lei 81 12/90, aplicada subsidiariamente no processo. Dessa forma, quaisquer atrasos ou desvios que venham a exceder os prazos estabelecidos para os atos procedimentais podem gerar, eventualmente, argüição de nulidade. De outra banda, deve-se levar em considera“‰otamb”m o preju™zo que a autoridade causa ‹ administra“‰o ao agir dessa forma. Atitudes desidiosas n‰o merecem qualquer condescend’ncia e devem ser apuradas e com a devida severidade punidas. Não há sustenta“‰oposs™vel ‹ eterniza“‰o dos procedimentos no ›mbito administrativo, sem conclus‰o ou, ainda, sua demora com a inten“‰o de procrastinar o próprio processo ou atrasar a vida de algu”m. Nota-se ent‰o que o excesso tanto pode ser ruim para quem está sendo acusado como pode vir em seu favor . Já, do ponto de vista da Administra“‰o, toda e qualquer demora prejudica sempre a esta que, constantemente, busca a verdade real e a justi“a. Destarte, imperioso que as autoridades processantes fiquem atentas nesse sentido para que se evite erros ou excessos e trabalhem com o fulcro de alcan“ar um ideal de justi“a administrativa e legal.

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 9

CB de Osório está reformando a Cel Paulo Almeida despede-se da Brigada Militar Solenidade de despedida ocorreu no Largo do Baronda, em Capão da Canoa, no Litoral Norte sede para ampliar as instalações A passagem de comando do CRPO-LitoGraduado em Pedagogia na Faculdade

ITINERANTE

Desde o momento em que se passou a discutir uma nova sistemática na aplicação de normas e procedimentos na área administrativa disciplinar dentro da Brigada Militar, um dos pontos mais incontroversos, sem dœvida, ” o chamado excesso de prazo na apura“‰o de fatos desta natureza. Muito embora hajam entendimentos diametralmente opostos ao que se vai apresentar neste ensaio, permito-me algumas reflexões neste sentido e que julgo corretas. A forma como a Administra“‰o deve conduzir o processo administrativo disciplinar, em qualquer de suas modalidades (sindic›ncia sumária ou formal e o próprio PAD, propriamente dito) exige extrema aten“‰o de parte da autoridade no sentido de evitar quaisquer neglig’ncias relacionadas a demora na feitura e decis‰odo processo, vez que isso pode levar a um questionamento de parte do servidor faltoso, já na esfera judicial e, conseqüentemente, isso pode acarretar um decisum favorável a este, anulando a san“‰o imposta. Objetivamente falando, necessário se faz Como a maioria dos Pel que cada vez mais se transforme o processo do interior do Estado, o OPM administrativo em arma de salvaguarda de dide Nova Alvorada está danreitos, tais como o contraditório e a ampla dedo continuidade ao Programa fesa e n‰o simplesmente como outrora ocorEducacional de Resist’ncia ‹ ria, instrumento punitivo da autoridade que, por Viol’ncia e ‹s Drogas (Provezes, agia a seu bel prazer utilizando-se do erd). No segundo semestre poder administrativo como demonstra“‰o de de 2003, formaram-se 40 alusua força. Os princípios básicos do contraditónos de tr’s col”gios: escolas rio e da ampla defesa devem obedecer sua oriestaduais Eliza Zaretta Sutilli gem e os atos praticados pela autoridade dee Vicente Guerra e Escola BM formou tr’s turmas do Proerd no segundo semestre de 2003, em Nova Alvorada vem se revestir dessa caracter™stica com o fulMunicipal Sete de Junho. lho na comunidade escolarÓ, ressaltou. Os escro de atingir a meta prec™pua que ” a busca Um sucesso em todas as cidades que t’m tudantes tamb”m destacaram a import›ncia sido realizado, o programa tem como meta aler- do Proerd. ÒAprendi com o programa a ter uma da verdade real acerca dos fatos que deram origem ao processo. Preocupações básicas alutar os jovens sobre os males causados pelo uso vida saudável e sem drogas”, observou Júnior dem ‹ garantia de defesa e ‹ observ›ncia de de drogas. No munic™pio, as aulas foram minis- Zilli Campagnolo, aluno da 4» s”rie do Eliza fórmulas e princ™pios citados que, embora por tradas pelo Sd Enio Elias Stefanello. E sua atu- Sutilli. ÒHoje eu vejo a BM caminhando para o a“‰ojunto ‹ comunidade foi alvo de elogios do rumo de uma pol™cia cidad‰, uma pol™cia que a exce“‰o,no processo administrativo disciplinar, Cmt da BM local, 1º Sgt Oliveira Ferraz da Luz. comunidade quer e mereceÓ, filosofou Ol™via se fazem indispensáveis, tais como: os atos de instaura“‰oexpedidos pela autoridade compeÒEleestá de parabéns pelo excepcional traba- Bombonatto Locatelli, aluna do Vicente Guerra.

Em Nova Alvorada, três escolas foram beneficiadas com o programa

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

3º Sgt Mallmann

PMs da reserva e da ativa de Alegrete são homenageados

CIDADE

Patrulheiros têm bom entrosamento em Campo Bom Para garantir a tranqüilidade e a seguran“a dos habitantes de Campo Bom, o BPRv de Sapiranga, que tamb”m atende ‹s ocorr’ncias de tr›nsito da cidade, n‰o tem medido esfor“os. Al”m de fiscalizarem o fluxo de carros nas RSs 239 e 464, os patrulheiros rodoviários estaduais tamb”m trabalham integrados aos policiais civis e militares. Quando ocorre algum contratempo no munic™pio, como fuga de criminosos, os PMs avisam os colegas que, imediamente, montam barreiras nos principais trechos que ligam Campo Bom ‹s cidades vizinhas. ÒRecebemos as informações da BM e nos posicionamos estrategicamente na estradaÓ, afirmou o Cmt do BPRv, 1º Ten Carlos Erinaldo Freitas Rosa. Segundo ele, o bom entrosamento entre as duas instituições já vigora desde a época em que os patrulheiros rodoviários eram comandados pelo 1º Sgt Gélson Luiz Oliveira dos Santos. Al”m de Sapiranga e Campo Bom, o BPRv atua nas rodovias estaduais de Novo Hamburgo, Parobé, Nova Hartz e Araricá.

Formatura O 8º BPM, de Osório, realizou a formatura do Programa Educacional de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e às Drogas. O 1º Ten Milton Batista de Agostinho e os Sd Jo‰o Lemos Duarte e Silvia Nunes Salgado ministraram as aulas. No 2º semestre de 2003, foram formadas 431 crian“as de 20 escolas da rede pœblica e privada, com apoio da Transpetro, Banrisul e Frigor™fico Borœssia.odos ÒT receberam certificados de conclusão”, disse o Cmt do 8º BPM, Maj Renato Antonio Nunes Fraga, um incentivador da iniciativa.

trutura“‰oda BM, a ent‰o fra“‰o recebeu a atual denomina“‰o,ficando diretamente subordinada ao Comando Regional de Bombeiros do V ale do Rio dos Sinos, com sede em S‰o Leopoldo. Com a instala“‰o do Comando Regional de Bombeiros do Litoral, em Tramanda™,a unidade vinculou-se ao novo órgão. A corporação atua no munic™pio e tamb”m em Atl›ntida Sul e Mariápolis, contando com tr’s viaturas de combate a inc’ndio e dispondo de 23 bombeiros e de uma funcionária civil. Embora reconhe“a o desempenho profissional de todos os seus subordinados, o Cap destaca o trabalho desenvolvido pelos 1º Sgt Paulo Rogério e Sidney Silva, 3º Sgt José Altair Marcelino e Paulo Gilberto Oliveira e Sd Rog”rio Marques Nunes, Jœlio C”sar Meireles, Jo‰o Batista Camargo e Antônio Matos Scheffer. ÒEles se empenham na realiza“‰o de suas tarefasÓ, atestou o Cmt, evidenciando o apoio recebido da administra“‰o municipal que, em breve, pretende adquirir novos equipamentos para o CB.

ral, com sede em Osório, foi realizada no dia 21 de fevereiro no Largo do Baronda, em Cap‰oda Canoa, onde o Cel Paulo Jos” Almeida passou o cargo para o Ten Cel S”rgio Roberto de Abreu. O ex-Cmt do CRPO-Litoral, entusiasmado, relata que agora se dedicará à reserva remunerada. Ele pretende continuar morando no munic™pio e se dedicar ‹ Patrulha do Mar , resultante de uma parceria da Brigada Militar e o Centro de Apoio ‹ Crian“a e ao Adolescente (Ceacria). ÒTenho alguns projetos pol™ticos para 2004Ó,destacou Almeida, que acompanha todos os eventos socias da corpora“‰o. A carreira do Cel Almeida na Brigada Militar iniciou em 1º de março de 1969 como Al Of. Depois de concluir o extinto Curso de Forma“‰ode Oficiais (CFO), ele serviu no 9º BPM, na Academia de Pol™cia Militar , no Estado Maior da Brigada Militar, al”m de comandar a Cia de Cap‰o da Canoa, o CRB da çrea Metropolitana, o CRPO-Vale do Taquari, e o Comando de Policiamento da Capital. T amb”m atuou

Nossa Senhora da Imaculada Concei“‰o,em Viam‰o,especializou-se em Supervis‰o Escolar, Psicologia e Sociologia da Educa“‰o. Recebeu o registro de professor de Didáticas e concluiu a pós-graduação em Administração de Recursos Humanos na PUC-RS. O Cel Almeida vai deixar saudade. Afinal, sua marca registrada ” o apego pela fam™lia. Mas o afastamento da BM nem chegará a acontecer. Afinal, ” pai do CapTiago Almeida, do Departamento de Ensino. Agora, o Cel pretende passar mais tempo com a neta Rafaella, de 1 ano e 5 meses. ÒEu sentirei falta da BM, mas saio realizado profissionalmente e feliz pelas amizades que conquistei na corpora“‰oÒ, disse. Almeida relatou o apoio Cel Almeida com a inseperável neta Rafaella no colo que recebeu do Correio Brigadiano: ÒO jornal ” essencial na cobertura das ações realizadas como diretor do Supletivo da BM, do Col”gio Tiradentes, da Escola de Forma“‰o e Aperfei- pela BMÓ. Na despedida, foram muitas as ho“oamento de Sgt, em Santa Maria, e de Escola menagens recebidas por este grande homem de Forma“‰o e Especializa“‰o de Cb e Sd, em que, por onde passou, conquistou muitos filhos Montenegro – ambas extintas –, além de ser- brigadianos. Não faltaram lágrimas e abraços emocionados. vir na Diretoria de Ensino.


Pág 8 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

INTERIOR

CORREIO BRIGADIANO

Cmt Genz elogia a atuação dos PMs de Campina das Missões À frente do OPM desde outubro de 2003, o Ten destacou o empenho e a dedicação de seus PMs no policiamento do município Há seis meses no comando da BM de Campina das Missões, o 1ºTen Ronei Jaime Genz já conseguiu tra“ar um perfil do grupo de PMs. Sobram elogios ao trabalho de policiamento desenvolvido pelos companheiros de farda na cidade. O resultado ” um munic™pio marcado pela ordem, integra“‰o entre comunidade e policiais e baixo nœmero de ocorr’ncias. De acordo com o Cmt, o bom entrosamento, a compet’ncia e a disposi“‰o do elenco tornaram o OPM um lugar assediado por outros servidores da regi‰o, que lutam por uma vaga na BM local. ÒTodo mundo quer vir para cá”, destacou, orgulhoso. Outros componentes tamb”m contribuem para o alto astral dos PMs, como a presen“a de parentes no elenco. As fam™liasMallmann, dos primos 3º Sgt Laudelino e Sd J”ferson e Heck, e dos irm‰os Sd Elmo e Eloe, fazem parte da BM local e ajudam a manter a união do grupo. “É fácil trabalhar com familiares, at” mesmo para uma eventual troca de escala no horário”, observou. Com uma equipe eficiente e dedicada, os œnicoscontratempos registrados pelas autoridades s‰o casos de desordem, acidentes de tr›nsito e, raramente, furtos. ÒA œltima vez que assinalamos uma ocorr’ncia dessa natureza foi quando uma mulher furtou os documentos do maridoÓ,afirmou. Para garantir a seguran“a dos 8 mil habitantes, o 1ºTen Genz conta com o apoio da prefeitura e do Conselho Comunitário Pró-Segurança Pœblica (Consepro), cujo presi-

1º Ten Genz

1º Sgt Neiss

Sd Mauri

Sd Jeferson

Sd Andr”a e Toscani (de amarelo) organizaram o jantar

Sd Rohte

Sd Heck

Sd Roberto

Sd Elmo

dente ” Norm”lio Dewes. A ajuda se traduz na manuten“‰ode viaturas e na aquisi“‰o de material de Expediente. Diferentemente da situa“‰ovivida pelos OPMs do Interior, o Cmt conta com um efetivo completo e uma viatura, modelo 1997, em bom estado de conserva“‰o. Al”m dele, 14 homens compõem o efetivo: 1º Sgt Luis Neiss, 3º Sgt Laudelino Mallmann e

Brigada Militar de São Jorge forma mais 60 alunos no Proerd Diplomas, brindes, entrega de camisetas e medalhas marcaram a formatura das tr’s turmas que conclu™ram o Programa Educacional de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e ‹s Drogas (Proerd) no segundo semestre de 2003, no munic™piode S‰o Jorge. O curso formou 60 alunos das esOs 60 alunos que conclu™ram o curso cantaram a can“‰o do Proerd colas municipais Carlos T arasconi e Daniel Faraco e da Escola Estadual dos professores, diretores e empresários locais. ÒDetodas as pessoas da comunidade que souPedro Nunes da Silva. Na cerimônia de formatura, além de famili- beram da id”ia do Proerd, n‰o houve quem n‰o ares, várias autoridades estiveram presentes. tivesse elogiado o projetoÓ, observou o Sd ClairNa ocasi‰o, eles puderam acompanhar os tra- ton. Ele destacou tamb”m o suporte do Cmt da balhos desenvolvidos pelos adolescentes, como BM, Sgt Antônio Augusto da Silva, na implemenpe“as de teatro, canções do Proerd e as reda- ta“‰o do programa, cujo objetivo foi orientar e conscientizar os estudantes na preven“‰o ao ções feitas durante o projeto. Ministrado pelo Sd Clairton Rojai, o programa teve a aprova“‰o uso de drogas e no combate ‹ viol’ncia.

Sd Braun

Sd Nerison

Sd Sauer

Sd Vilmar

Sd Odir

Sd Simon

os Sd Mauri Angelin, Jos” Jeferson Mallmann, vizinhas, como Cândido Godói, São Paulo das Adolar Jos” Rohte, Rog”rio Roberto Krever , Sd Missões e Porto Lucena, para auxiliar os comOdir Inácio Braun, Erci Antônio Sauer, Odir Jos” panheiros de farda. Este ano, o Cmt Genz preAndres, Eloe Andr” Heck, Elmo Alo™sio Heck, tende intensificar o policiamento comunitário e Nerison Luiz Hıf fling, Vilmar Luiz Engroff e Val- a fiscaliza“‰o do tr›nsito. Segundo ele, a popunei Carlos Simon. A fartura de servidores ” utili- la“‰o tem contribu™do com a BM, trazendo inzada em prol da regi‰o. N‰o s‰o raras as vezes formações e denunciando a presen“a de estraem que os Sd s‰o deslocados para as cidades nhos nas ruas de Campina das Missões.

Numa demonstra“‰o de carinho e reconhecimento ao trabalho dos companheiros de farda, os integrantes do Esquadrão de Alegrete – Sd Andr”a Fragoso Fontana e Remi Lara T oscani – organizaram, no mês de dezembro, no restaurante Clube Atl”tico Sete de Setembro, um jantar em homenagem aos PMs ativos e inativos do munic™pio. Na entrada do restaurante, os convidados, esposas e filhos de brigadianos, foram recepcionados pelos anfitriões da festa. ÒComaten“‰o e carinho, eles demonstraram que ” poss™vel reunir colegas e amigos da BMÓ, destacou o representante do CB para Inativos, Evilásio Carvalho da Cunha. Cerca de 50 pessoas, entre familiares e PMs, estiveram presentes no jantar de confraterniza“‰o.

CORREIO BRIGADIANO

A questão do Excesso de Prazo em matéria Administrativa Disciplinar tente para julgar o fato, a regular cientifica“‰o do servidor acusado ou sindicado, presen“a do acusado nos atos de audi’ncia ou tomada de depoimentos, bem como de seu defensor , se houver, e o dispositivo legal que foi afrontado. Al”m disso, outro fato que por vezes passa desapercebido e que ” de suma import›ncia salientar, é que as decisões proferidas pela autoridade, tais como solu“‰o de sindic›ncia ou procedimento administrativo disciplinar, carecem de fundamenta“‰o. Como possuem for“a de senten“a, estas devem ser claras, concisas e precisas. No processo judicial, por exemplo, quando n‰o atendidos estes requisitos na senten“a, esta provavelmente, será alvo de embargos de declara“‰o, uma vez que n‰o satisfaz a quem a recebe ou deixa margens a pensamentos errôneos, difusos, obscuros. Já quando isso ocorre na seara administrativa, enseja de parte do recorrente o pedido de reconsidera“‰o do ato, cumulado com o de esclarecimento do teor da solu“‰o. Em deixando a autoridade de avaliar estes aspectos ou n‰oos cumprindo de forma regular e aproveitando o processo para aplicar penalidades severas ou prejudiciais ao comportamento do servidor, induvidosamente chegar-se-á a uma discuss‰o,quer ainda no plano administrativo e, esgotado este, já no plano judicial, com a conseqüente argüição de nulidade do procedimento e insubsist’ncia da penalidade aplicada. Balizados de argumentos sólidos de defesa, apegam-se servidores punidos a todo e qualquer elemento capaz de proporcionar-lhe um ganho, de algum modo, que lhe sirva como salva“‰o e, isso, convenhamos, n‰o ” nenhum crime. O direito universal acolhe, como dizem os gaœchos, o jÒus esperneandi Ò, ou seja, o direito de espernear, comum aquele que se encontra em situa“‰o desesperadora. N‰o raramente, se pleiteia a nulidade do feito em fun“‰o do excesso de prazo em sua conclus‰o.

O Corpo de Bombeiros de Osório foi instalado provisoriamente em 2 de mar“o de 1979. De acordo com Cmt, Cap Claudio Morais Soares Jœnior, a corpora“‰o foi transferida para a sede oficial – que passa por reformas – no ano seguinte. Por interm”dio da obra de revitaliza“‰o,a meta ” recuperar e ampliar o pr”dio. O projeto tamb”m prev’ a moderniza“‰o da Sala de Operações. Em 30 de junho de 1998, com a nova es-

1º Sgt Sidney

1º Sgt Rog”rio

3º Sgt Gilberto

3º Sgt Marcelino

CORRE‡ÌO – A edi“‰o 138 do Jornal Correio Brigadiano circulou em 5 de mar“o de 2004, com data equivocada correspondente aos primeiros 15 dias de fevereiro. Cabe salientar que o correto ” 1» quinzena de mar“o. Sd Marques

Sd C”sar

Sd Camargo

Sd Antônio

Cláudio Pereira Nunes - 1º Sgt Bel em Direito pela Urcamp, pósgraduado em Direito Civil e Processo Civil na Unirriter e professor E-mail: clnunes@vetorial.net

Essa tese n‰o ” afastada nem mesmo por estudiosos famosos, tais como Palhares Moreira Reis que afirmaÓ... esgotados todos os prazos, inclusive com os da prorroga“‰o, deve a autoridade desconstituir quem tenha sido designado para a apura“‰o e constituir outro para o prosseguimento dos trabalhos...Ó. Fazendo analogia ao nosso sistema de apura“‰o, torna-se quase imposs™vel um novo procedimento, analisando a natureza do processo e sua finalidade, que ” corrigir o erro imediatamente, sem fim punitivo, mas sim, educativo. Ainda levando-se em considera“‰o a quest‰olegal, se tem que os prazos para a feitura dos procedimentos disciplinares s‰o, em regra, peremptórios, não obstante à idéia tra“ada pela Lei 81 12/90, aplicada subsidiariamente no processo. Dessa forma, quaisquer atrasos ou desvios que venham a exceder os prazos estabelecidos para os atos procedimentais podem gerar, eventualmente, argüição de nulidade. De outra banda, deve-se levar em considera“‰otamb”m o preju™zo que a autoridade causa ‹ administra“‰o ao agir dessa forma. Atitudes desidiosas n‰o merecem qualquer condescend’ncia e devem ser apuradas e com a devida severidade punidas. Não há sustenta“‰oposs™vel ‹ eterniza“‰o dos procedimentos no ›mbito administrativo, sem conclus‰o ou, ainda, sua demora com a inten“‰o de procrastinar o próprio processo ou atrasar a vida de algu”m. Nota-se ent‰o que o excesso tanto pode ser ruim para quem está sendo acusado como pode vir em seu favor . Já, do ponto de vista da Administra“‰o, toda e qualquer demora prejudica sempre a esta que, constantemente, busca a verdade real e a justi“a. Destarte, imperioso que as autoridades processantes fiquem atentas nesse sentido para que se evite erros ou excessos e trabalhem com o fulcro de alcan“ar um ideal de justi“a administrativa e legal.

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 9

CB de Osório está reformando a Cel Paulo Almeida despede-se da Brigada Militar Solenidade de despedida ocorreu no Largo do Baronda, em Capão da Canoa, no Litoral Norte sede para ampliar as instalações A passagem de comando do CRPO-LitoGraduado em Pedagogia na Faculdade

ITINERANTE

Desde o momento em que se passou a discutir uma nova sistemática na aplicação de normas e procedimentos na área administrativa disciplinar dentro da Brigada Militar, um dos pontos mais incontroversos, sem dœvida, ” o chamado excesso de prazo na apura“‰o de fatos desta natureza. Muito embora hajam entendimentos diametralmente opostos ao que se vai apresentar neste ensaio, permito-me algumas reflexões neste sentido e que julgo corretas. A forma como a Administra“‰o deve conduzir o processo administrativo disciplinar, em qualquer de suas modalidades (sindic›ncia sumária ou formal e o próprio PAD, propriamente dito) exige extrema aten“‰o de parte da autoridade no sentido de evitar quaisquer neglig’ncias relacionadas a demora na feitura e decis‰odo processo, vez que isso pode levar a um questionamento de parte do servidor faltoso, já na esfera judicial e, conseqüentemente, isso pode acarretar um decisum favorável a este, anulando a san“‰o imposta. Objetivamente falando, necessário se faz Como a maioria dos Pel que cada vez mais se transforme o processo do interior do Estado, o OPM administrativo em arma de salvaguarda de dide Nova Alvorada está danreitos, tais como o contraditório e a ampla dedo continuidade ao Programa fesa e n‰o simplesmente como outrora ocorEducacional de Resist’ncia ‹ ria, instrumento punitivo da autoridade que, por Viol’ncia e ‹s Drogas (Provezes, agia a seu bel prazer utilizando-se do erd). No segundo semestre poder administrativo como demonstra“‰o de de 2003, formaram-se 40 alusua força. Os princípios básicos do contraditónos de tr’s col”gios: escolas rio e da ampla defesa devem obedecer sua oriestaduais Eliza Zaretta Sutilli gem e os atos praticados pela autoridade dee Vicente Guerra e Escola BM formou tr’s turmas do Proerd no segundo semestre de 2003, em Nova Alvorada vem se revestir dessa caracter™stica com o fulMunicipal Sete de Junho. lho na comunidade escolarÓ, ressaltou. Os escro de atingir a meta prec™pua que ” a busca Um sucesso em todas as cidades que t’m tudantes tamb”m destacaram a import›ncia sido realizado, o programa tem como meta aler- do Proerd. ÒAprendi com o programa a ter uma da verdade real acerca dos fatos que deram origem ao processo. Preocupações básicas alutar os jovens sobre os males causados pelo uso vida saudável e sem drogas”, observou Júnior dem ‹ garantia de defesa e ‹ observ›ncia de de drogas. No munic™pio, as aulas foram minis- Zilli Campagnolo, aluno da 4» s”rie do Eliza fórmulas e princ™pios citados que, embora por tradas pelo Sd Enio Elias Stefanello. E sua atu- Sutilli. ÒHoje eu vejo a BM caminhando para o a“‰ojunto ‹ comunidade foi alvo de elogios do rumo de uma pol™cia cidad‰, uma pol™cia que a exce“‰o,no processo administrativo disciplinar, Cmt da BM local, 1º Sgt Oliveira Ferraz da Luz. comunidade quer e mereceÓ, filosofou Ol™via se fazem indispensáveis, tais como: os atos de instaura“‰oexpedidos pela autoridade compeÒEleestá de parabéns pelo excepcional traba- Bombonatto Locatelli, aluna do Vicente Guerra.

Em Nova Alvorada, três escolas foram beneficiadas com o programa

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

3º Sgt Mallmann

PMs da reserva e da ativa de Alegrete são homenageados

CIDADE

Patrulheiros têm bom entrosamento em Campo Bom Para garantir a tranqüilidade e a seguran“a dos habitantes de Campo Bom, o BPRv de Sapiranga, que tamb”m atende ‹s ocorr’ncias de tr›nsito da cidade, n‰o tem medido esfor“os. Al”m de fiscalizarem o fluxo de carros nas RSs 239 e 464, os patrulheiros rodoviários estaduais tamb”m trabalham integrados aos policiais civis e militares. Quando ocorre algum contratempo no munic™pio, como fuga de criminosos, os PMs avisam os colegas que, imediamente, montam barreiras nos principais trechos que ligam Campo Bom ‹s cidades vizinhas. ÒRecebemos as informações da BM e nos posicionamos estrategicamente na estradaÓ, afirmou o Cmt do BPRv, 1º Ten Carlos Erinaldo Freitas Rosa. Segundo ele, o bom entrosamento entre as duas instituições já vigora desde a época em que os patrulheiros rodoviários eram comandados pelo 1º Sgt Gélson Luiz Oliveira dos Santos. Al”m de Sapiranga e Campo Bom, o BPRv atua nas rodovias estaduais de Novo Hamburgo, Parobé, Nova Hartz e Araricá.

Formatura O 8º BPM, de Osório, realizou a formatura do Programa Educacional de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e às Drogas. O 1º Ten Milton Batista de Agostinho e os Sd Jo‰o Lemos Duarte e Silvia Nunes Salgado ministraram as aulas. No 2º semestre de 2003, foram formadas 431 crian“as de 20 escolas da rede pœblica e privada, com apoio da Transpetro, Banrisul e Frigor™fico Borœssia.odos ÒT receberam certificados de conclusão”, disse o Cmt do 8º BPM, Maj Renato Antonio Nunes Fraga, um incentivador da iniciativa.

trutura“‰oda BM, a ent‰o fra“‰o recebeu a atual denomina“‰o,ficando diretamente subordinada ao Comando Regional de Bombeiros do V ale do Rio dos Sinos, com sede em S‰o Leopoldo. Com a instala“‰o do Comando Regional de Bombeiros do Litoral, em Tramanda™,a unidade vinculou-se ao novo órgão. A corporação atua no munic™pio e tamb”m em Atl›ntida Sul e Mariápolis, contando com tr’s viaturas de combate a inc’ndio e dispondo de 23 bombeiros e de uma funcionária civil. Embora reconhe“a o desempenho profissional de todos os seus subordinados, o Cap destaca o trabalho desenvolvido pelos 1º Sgt Paulo Rogério e Sidney Silva, 3º Sgt José Altair Marcelino e Paulo Gilberto Oliveira e Sd Rog”rio Marques Nunes, Jœlio C”sar Meireles, Jo‰o Batista Camargo e Antônio Matos Scheffer. ÒEles se empenham na realiza“‰o de suas tarefasÓ, atestou o Cmt, evidenciando o apoio recebido da administra“‰o municipal que, em breve, pretende adquirir novos equipamentos para o CB.

ral, com sede em Osório, foi realizada no dia 21 de fevereiro no Largo do Baronda, em Cap‰oda Canoa, onde o Cel Paulo Jos” Almeida passou o cargo para o Ten Cel S”rgio Roberto de Abreu. O ex-Cmt do CRPO-Litoral, entusiasmado, relata que agora se dedicará à reserva remunerada. Ele pretende continuar morando no munic™pio e se dedicar ‹ Patrulha do Mar , resultante de uma parceria da Brigada Militar e o Centro de Apoio ‹ Crian“a e ao Adolescente (Ceacria). ÒTenho alguns projetos pol™ticos para 2004Ó,destacou Almeida, que acompanha todos os eventos socias da corpora“‰o. A carreira do Cel Almeida na Brigada Militar iniciou em 1º de março de 1969 como Al Of. Depois de concluir o extinto Curso de Forma“‰ode Oficiais (CFO), ele serviu no 9º BPM, na Academia de Pol™cia Militar , no Estado Maior da Brigada Militar, al”m de comandar a Cia de Cap‰o da Canoa, o CRB da çrea Metropolitana, o CRPO-Vale do Taquari, e o Comando de Policiamento da Capital. T amb”m atuou

Nossa Senhora da Imaculada Concei“‰o,em Viam‰o,especializou-se em Supervis‰o Escolar, Psicologia e Sociologia da Educa“‰o. Recebeu o registro de professor de Didáticas e concluiu a pós-graduação em Administração de Recursos Humanos na PUC-RS. O Cel Almeida vai deixar saudade. Afinal, sua marca registrada ” o apego pela fam™lia. Mas o afastamento da BM nem chegará a acontecer. Afinal, ” pai do CapTiago Almeida, do Departamento de Ensino. Agora, o Cel pretende passar mais tempo com a neta Rafaella, de 1 ano e 5 meses. ÒEu sentirei falta da BM, mas saio realizado profissionalmente e feliz pelas amizades que conquistei na corpora“‰oÒ, disse. Almeida relatou o apoio Cel Almeida com a inseperável neta Rafaella no colo que recebeu do Correio Brigadiano: ÒO jornal ” essencial na cobertura das ações realizadas como diretor do Supletivo da BM, do Col”gio Tiradentes, da Escola de Forma“‰o e Aperfei- pela BMÓ. Na despedida, foram muitas as ho“oamento de Sgt, em Santa Maria, e de Escola menagens recebidas por este grande homem de Forma“‰o e Especializa“‰o de Cb e Sd, em que, por onde passou, conquistou muitos filhos Montenegro – ambas extintas –, além de ser- brigadianos. Não faltaram lágrimas e abraços emocionados. vir na Diretoria de Ensino.


Pág 10 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

CORREIO BRIGADIANO

Mais 5 PMs reforçam unidade da Brigada Militar no Interior Dando fim a um jejum de10 anos, a Brigada Militar do munic™pio de Agudo recebeu um grupo de 5 novos policiais militares. Muito satisfeita, a comunidade agora conta com um importante reforço na área da segurança pública. Atuando no policiamento ostensivo, os Sd Ronaldo Machado Bissaco, Cedenir Müller da Silva e Carlos Alberto Glänzel chegaram em Agudo no dia 5 de janeiro deste ano. A vinda dos tr’s PMs coincidiu com o t”rmino da constru“‰oda Linha de Tiro da corpora“‰o.

Trânsito do município de Agudo conta com fiscalização rigorosa

Atrav”s de uma campanha intitulada ConsUm pouco depois, os Sd S”rgio Alexancientiza“‰o e Educa“‰o para o Tr›nsito, aplidre Santos de Vargas e Luciano da Silva Jucada desde mar“o do ano passado, as irregulali‰o,passaram a integrar o efetivo nos dias 10 ridades no tr›nsito est‰o diminuindo no munic™e 19 de fevereiro, respectivamente. pio de Agudo. Apenas nos dois primeiros meProcurando suprir as necessidades resul- ses deste ano, mais de 80 ve™culos passaram tantes da defasagem de seu efetivo, a Cia de pela fiscalização, totalizando sete autuações e Agudo tem mostrado muito empenho e dedica- algumas advert’ncias por irregularidades. “‰o.Na busca de alternativas, a unidade estaO trabalho da BM de Agudo n‰o se limita beleceu parcerias com órgãos militares de diaos automóveis, estendendo-se também aos civersos munic™pios vizinhos que, em alguns ca- clistas, que chegam a receber multas no valor sos, enfrentam as mesmas dificuldades. de quase R$ 200,00 por conduzirem sem capa-

cete. Embora alguns moradores do munic™pio achem a atua“‰o dos PMs severa e n‰o se acostumem com a aplica“‰o das multas, a maior parte da comunidade está muito satisfeita e procura auxiliar a BM informando as localidades que necessitam de sua presta“‰o de servi“os. ÒAscampanhas limitadas apenas ‹ conscientiza“‰oda popula“‰o se mostraram ineficientes ao longo do tempo e os resultados s‰o melhores quando, paralelamente, há uma fiscaliza“‰o rigorosaÓ, justificou o Cmt da Cia de Agudo, Cap Paulo Jœnior Rodrigues Esp™ndola.

CIDADE

Confraternização marcará passagem do Dia do Policial A proximidade do dia 21 de abril, eleito Dia do Policial em homenagem ‹ T iradentes, vem movimentando o munic™pio de Agudo. Pelo terceiro ano consecutivo será realizado um torneio de futebol de sal‰o em comemora“‰o ‹ data. Como nos anos anteriores, as presen“as da BM, Pol™ciaCivil e Susepe locais e de munic™pios vizinhos, est‰o confirmadas. Antes do torneio, será realizada uma formatura em homenagem a Joaquim Jos” da Silva Xavier , o Tiradentes, patrono das pol™cias militares e civis do Brasil.

Tecnologia facilita a atuação da Polícia em Caxias do Sul Uma central localizada no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) controla 10 c›meras instaladas na cidade de Caxias do Sul desde o dia 24 de dezembro do ano passado. A novidade tem auxiliado a BM, a Pol™ciaCivil e a Guarda Municipal a desempenharem seu trabalho com agilidade e efici’ncia, promovendo tamb”m a integra“‰o entre os respectivos efetivos. Segundo o coordenador operacional da Brigada Militar de Caxias do Sul,Cap Gerson Luiz Pereira de Souza, principalmente as ocorrências corriqueiras – como furto de pedestres – têm sido solucionadas com muita rapidez. Os recursos para a aquisi“‰o dos equipamentos foi arrecadado pela C›mera de Dirigentes Lojistas (CDL) junto a seus associados. O crit”rio para eleger os lugares que receber‰o as c›meras s‰o a contribui“‰o dos estabelecimentos comerciais e, conforme a verba vai chegando, vai sendo feita a instala“‰o. Segundo o presidente da Comissão Pró-Segurança Pública, Alcides Perini, a meta ” disponibilizar mais seis c›meras para o policiamento.

Bela morena irá defender 15º BPM no concurso Musa

GOLFINHO

14º Competição de Natação teve presença feminina A prova, vencida pelo Sgt Juvenal Tadeu Peres, foi disputada na praia de Torres Disputada desde 1992, quando o ent‰o Cap Joel Prates Pedroso decidiu fazer uma competi“‰oentre os salva-vidas das principais praias do Litoral Norte, a 14» edi“‰o da prova de nata“‰o foi marcada n‰o pela disputa acirrada, mas pela presen“a feminina. Vencida pelo Sgt Juvenal Tadeu Peres, de Tramanda™,a travessia da Ilha dos Lobos contou com a participa“‰oda Sgt Simone Rosa Baldi e das Sd V›nia Denalle e Marisa Bless. A beleza das mo“as tamb”m foi um dos obstáculos enfrentados pelos competidores do sexo masculino. Al”m de preparo f™sico para enfrentar os 1,8 mil metros de travessia e o calor escaldante no dia da prova, os atletas ainda tiveram que redobrar a aten“‰o para n‰o deixarem se encantar pelas curvas longil™neas das tr’s. Os 64 inscritos na disputa, que há cinco anos passou a ser realizada em Torres, nada-

Sgt Juvenal Tadeu Peres

ram at” as margens da Praia Grande. A prova foi criada com objetivo de aprimorar o Dos 64 competidores, três eram mulheres: as Sd Vânia e Marisa e a 1º Sgt Simone entrosamento entre os salva-vidas e servir como evento, enquanto que o segundo e terceiro cotreinamento, aperfei“oando a t”cnica de salvalocados, o Sd Eder Jofre Escobar, de Tramanmento sem deixar de lado o esp™rito de grupo. da™,e o Sd Pedro Scherer , de Xangri-Lá, resNa primeira competi“‰o participaram represen- pectivamente, ganharam cadeiras e guarda-sol. tantes de oito praias, vencendo o Sd Eliseu CaComo pr’mio ao esfor“o dos competidoffaratti Hoher, de Balneário Pinhal. res foram entregues aos participantes uma toaO campe‰o desta edi“‰o, Sgt Juvenal, re- lha e medalha. Afinal, todos lutaram ao máximo cebeu uma bicicleta e um kit do patrocinador do na busca da vitória.

Com o objetivo de conscientizar as crian“as sobre a import›ncia de se preservar a natureza, os bombeiros de S‰oJerônimo realizaram em 28 de fevereiro, na Praia do Encontro, o projeto Salva-Vidas Mirim. Coordenado pelo Cmt do CB local, 1ºTen Jair Paula da Silva, os encontros com as crian“as com idades Crian“ada brincou, cantou e ouviu atentamente as instruções na Praia do Encontro entre 5 e 12 anos teve como palestrantes qua- lições e repassem aos pais e amigosÓ, destatro integrantes da Escola de Bombeiro. cou. Muitos dos inscritos no programa s‰o fiChefiados pelo 1ºSgt Ari Abraão Leopol- lhos de pra“as e crian“as carentes que moram do Menezes, os Sd Paulo C”zar Tereza Olivei- em frente ‹ sede do CB, na vila Princesa Isabel. ra, Cassius Elias Arejam Pires e Rudinei MediO Bar da Amizade, na Praia do Encontro, na Duarte alertaram a garotada acerca dos cui- foi o local escolhido pelos bombeiros para que dados a serem tomados no cotidiano para con- a crian“ada fizesse um lanche. ÒFirmamos uma servar o meio ambiente e passar o veraneio parceria com o dono do bar, que cedeu o espasem correr riscos no mar. ÒEles receberam ins- “o interno, e com o com”rcio, que contribuiu com truções sobre ecologia e limpeza de praia atra- p‰oe salsichas”, ressaltou. Com o estômago v”s de atividades recreativas”, salientou o 1ºTen forrado de cachorro-quente e as energias reposJair. Al”m disso, os bombeiros chamaram a tas, a garotada aproveitou para cantar as mœsiaten“‰o de meninos e meninas para os pericas do programa, cujo tema principal foi a natugos da água. “A idéia é que eles aprendam as reza. ÒEles aprenderam brincandoÓ, disse o Cmt.

Cel Valença termina em 20º lugar na Supermaratona de Rio Grande

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

A filha do Sd Vanderlei irá desfilar pela primeira vez

Com 1m30cm de altura e 25 quilos, Priscila Ferreira de Souza pretende encantar os jurados do concurso Musa Correio Brigadiano. Filha do Sd Vanderlei Silva de Souza, do 15º BPM, e de Sheila Adriana Ferreira, ela gosta de ler , brincar de boneca e passear no Zoológico e em parques de divers‰o. Aos sete anos, a estudante da Escola Martinho Lutero, em Canoas, quer dar os primeiros passos na passarela. Estreante em desfiles, a morena já posou para fotografias. Alegre e falante, a menina já expressou a vontade de seguir a carreira da m‰e: professora. ÒEu preferia que ela fosse modelo, mas se quiser trilhar seu caminho no ensino n‰o serei um empecilhoÓ, salientou. Sheila acrescentou que suas colegas de trabalho, vizinhos e os familiares t’m sido os maiores incentivadores da participa“‰oda menina no concurso.

PARLAMENTO ESTADUAL Jair Soares Deputado Estadual - PP

Dever Cumprido

Projeto Salva-Vidas Mirim é um sucesso na orla de São Jerônimo

Um percurso de 50 quilômetros dividido em pisos diferentes – paralelepípedo, asfalto, areia e unistein –, marcou a Supermaratona de Rio Grande, disputada no m’s em fevereiro. Com o preparo f™sico e disposi“‰o de garoto, o Cmt do CRB do munic™pio, eTn Cel Rudimar Antônio Valen“a Gon“alves, completou a prova em 4h15 min, chegando em 20º lugar. Ex-Cmt do 6º BPM, o oficial, al”m de disputar a corrida em busca dos primeiros lugares, corre por um objetivo ainda mais nobre: o prazer em superar desafios. Sem sofrer press‰o por ter que conquistar resultados positivos, V alen“a obteve boas colocações nas edições anteriores, em 2000 e 2001, ficando em 10º e 15º lugares, respectivamente, na categoria at” 45 anos. Rec”m recuperado de uma opera“‰o nos ligamentos do joelho esquerdo, o Cmt n‰o conseguiu repetir o desempenho das outras provas. ÒN‰o tive uma prepara“‰o adequada em virtude da interven“‰o cirœrgica e do longo tempo de recupera“‰oÓ, observou. Apesar dos obstáculos próprios da Supermaratona, o Ten Cel Valen“a reconheceu que a temperatura no dia da prova estava agradável e até ajudou os atletas. Segundo ele, o maior problema enfrentado pelos 300 participantes foi o vento contrário nos últimos 25 quilômetros da prova. Durante dois anos, o oficial passou por

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 7

CORREIO BRIGADIANO

Cmt do CRBAM, Ten Cel Valença, finalizou em 20º lugar

sessões de refor“o muscular na companhia do professor Olimar Echeverria, um dos responsáveis pelo seu retorno ‹s maratonas. Somente 40 dias antes da Supermaratona, o Cmt, œnico oficial da Brigada Militar a participar da prova e finalizar o trajeto, intensificou os treinamentos, correndo uma hora por dia. O esfor“o e a dedica“‰ot’m um motivo especial: completar a prova. “Não dá para negar a vontade de querer vencer, mas terminar a corrida tamb”m ” motivo de orgulho para mimÓ, atestou.

Sd ganha 4º lugar em prova estadual de Triathlon no RS

Nos 52 anos de vida pœblica, sempre procurei observar as regras de conduta em todos os cargos que ocupei. Assim fiz tanto na condi“‰o de funcionário em início de carreira, até quando exerci cargos de importância como secretário da Administração, da Saúde, deputado federal, governador, ministro da Previd’ncia, vereador e, agora, como deputado estadual, l™der da minha bancada na Assembl”ia. Desta forma, o fato de ter sido apontado, pela Superintend’ncia Legislativa, como o œnico parlamentar a comparecer em todas as sessões legislativas em 2003 – claro, muito me honra – mas considero absolutamente normal tal distin“‰o.

Ética Se pensarmos bem, o próprio Código de Ética Parlamentar, em seu artigo 2º, parágrafo V, aponta a "Supremacia do Plenário" como o norte da atividade parlamentar, entre outras, como a observ›ncia da legalidade, da democracia, do livre acesso, da representatividade, da transpar’ncia, da fun“‰o social e da boa f”. A bem da verdade, nossa frequência no plenário não impediu que tiv”ssemos uma atividade intensa, dentro e fora do gabinete. Minha experi’ncia e conhecimento em assuntos previdenciários, me fizeram percorrer o Estado e visitar outros, abordando o tema da Previd’ncia, no ano em que o governo lançou a reforma previdenciária. Ao lado disso, temas atinentes às adaptações dessa reforma no Estado tomaram meu tempo, como a participa“‰o em várias comissões da Casa. Apenas tenho o sentimento de dever cumprido, com muito orgulho. Bernardo de Souza Deputado Estadual - PPS

Brigada Militar e o "novo" IPE

Sd Barcelos obt’m 4» coloca“‰o em prova internacional

Sendo o œnico militar participante, o Sd Valdenir Rodrigues Barcelos, atuante no Batalh‰ode Polícia Rodoviária, em Porto Alegre, surpreendeu a todos ao conquistar o 4º lugar na 1» etapa do Campeonato Estadual de Triathlon de 2004. Realizado no dia 15 de fevereiro em Balneário Pinhal, no Litoral Norte, o evento ” resultado de uma parceria entre a Federa“‰o Gaœchade Triathlon e a Confedera“‰o Brasileira de Triathlon. A atividade reuniu atletas de diversas partes do Brasil e do mundo. A prova consistia em 1,9 mil metros de nata“‰o, 90 quilômetros de ciclismo e 21 de corrida, conclu™dos por Valdenir em 5h53min. Concorreram com o Sd, na categoria 40 a 44 anos, dois argentinos, um uruguaio, um su”co e 4 catarinenses.

GPM desenvolveu projetos educativos na Costa Doce A BM de Arambar” desenvolveu, durante a Opera“‰o Golfinho 2003/2004, o Projeto ÒBrigada Mirim Ecológica”, destinado a crianças de oito a 13 anos. Os principais beneficiados com o programa foram os adolescentes de fam™lias carentes do munic™pio, indicados pela Secretaria da Assist’ncia Social. Eles tiveram aulas de resist’ncia às drogas, relações humanas, trânsito, primeiros socorros, meio ambiente, recrea“‰oe outros, recebendo lanche durante o per™odo.O projeto foi realizado em parceria com a prefeitura, tendo o patrocínio de vários colaboradores. ÒEsta iniciativa elevou sobremaneira o nome da institui“‰o Brigada Militar junto ao pœblicoexternoÓ, destacou o Cmt da Opera“‰o Golfinho na cidade, 1ºTen Carlos Augusto Braz Feijó. No dia 5 de mar“o, ocorreu, na Casa da Memória da administra“‰o municipal, a formatura da segunda e œltima turma deste veraneio da “Brigada Mirim Ecológica”. O evento foi prestigiado por várias autoridades locais. BRENNER – O Cel Luiz Antônio Brenner Guimar‰es,que foi Sub-Cmt da Brigada Militar, ” o novo titular da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Seguran“a Urbana.

Vou repetir: quando foi aprovada, no Congresso Nacional, a denominada "reforma da Previd’ncia" e foi alterada a Constitui“‰o Federal, uma parte da "grita" foi ouvida e os militares (federais e dos estados) ficaram fora de tal "reforma". Como? Simplesmente pela preserva“‰o, sem altera“‰o, do parágrafo 1º e por uma nova redação para o parágrafo 2º – ambos do artigo 42 da Constituição Federal – que falam de uma lei específica para regular (futuros) direitos e deveres dos militares estaduais.

Projeto de Lei Complementar O Projeto de Lei Complementar nº 25/2004, com grandes alterações ao sistema previdenciário do Estado do Rio Grande do Sul, estabelece em seu artigo 52 que para militares ativos e inativos, e a seus pensionistas, enquanto não advierem tais leis específicas, o desconto previdenciário será de 11%. Isto mesmo! Significa esta regra legal (caso aprovada) que, ainda que vitoriosa alguma ação ante o Judiciário, contra o desconto de 11%, de nada adiantará reclamar, pois já terá sido aprovado, por lei estadual, que o desconto ” este.

Emenda necessária Torna-se necessária uma emenda para que, enquanto não forem aprovadas as tais leis espec™ficas,sejam mantidas as atuais alíquotas de descontos – e foi isto que fiz. Paulo Azeredo Deputado Estadual - PDT

Um estado dentro do Estado O crime, no Brasil, chegou a um patamar em que só pode ser comparado com a época da Máfia da Bebida e dos Jogos, no Estados Unidos, nos anos 20 e 30. Pessoas s‰o mortas e ningu”m fica sabendo. Homens e mulheres s‰o presos, julgados, condenados e executados por tribunais formados por criminosos de segundo escal‰o nas vilas mais pobres das grandes cidades. As quadrilhas determinam quando as escolas devem ou podem funcionar. Resolvem se o comércio do lugar pode abrir suas portas e se as linhas de ônibus devem trafegar por esta ou aquela via pública. Já se disse várias vezes que existe um estado dentro do Estado com suas leis e normas, n‰o escritas, mas respeitadas por toda a popula“‰o. No entanto, este fato n‰o pode ser aceito pela sociedade que deve se revoltar contra esta estrutura.

Esquadrões da morte A partir daí, dá-se margem para que surjam esquadrões da morte, tão ou mais perigosos que o próprio crime organizado. Alias, o crime organizado surge a partir de estruturas policiais mal pagas e mal equipadas, e de certa forma, escorraçada pela própria sociedade, como a dos arapongas do extinto SNI. Treinados e com profundo conhecimento da estrutura policial, estes homens são facilmente cooptáveis quando não têm uma estrutura psicológica estável e sentemse ameaçados pelo Estado que os criou. Naturalmente, os criminosos que cometem estas barbáries não são os chefões. São simples peças de substituição dentro da estrutura. Os grandes financiadores ” que precisam ser encontrados e combatidos, mas estes gozam de uma prote“‰o superior as for“as da lei.

Sombras Ent‰o,que atitudes tomar para que se consiga dinamitar, pelo menos em parte, o peda“o do iceberg mergulhado? A ponta vis™vel se acaba com medidas objetivas de preven“‰o. Mas, e a grande montanha que navega nas sombras?


Pág 6 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

CORREIO BRIGADIANO

GERAL

Solenidades comemoram aniversário da APM Patrulha Comercial atua com Eventos marcam passagem dos 88 anos da Academia de Polícia Militar e abertura de seu ano letivo bicicletas em Venâncio Aires Tr’s eventos marcaram o aniversário de 88 anos da Academia de Pol™cia Militar (APM) e o in™cio de seu ano letivo no dia 1º de março. Os aprovados em concurso para forma“‰o de Cap se apresentaram. Os alunos do curso de piloto privado tamb”m iniciaram as aulas. Na mesma oportunidade, o Col”gio Tiradentes – instituição que voltou a ser administrada pela BM em 2003 – recebeu novos estudantes. As solenidades aconteceram a partir das 17h, na sede da APM, sendo prestigiadas pelo secretário da Justiça e da Segurança, Jos” Otávio Germano. Os 25 futuros Cap – designados como cadetes durante o curso de forma“‰o – terão quatro semestres de aula. Na primeira semana, houve um per™odo de adapta“‰ocom a corpora“‰o, ocasi‰o em que

Chegada de novos alunos marcam aniversário da APM

eles tomaram contato com a legisla“‰o da BM, rotinas da vida de caserna e visitaram diversas unidades da corpora“‰o. A aula inaugural ocorreu no dia 8. No mesmo ato, foi dado in™cio ao curso de piloto privado, que visa a formar condutores de aeronaves para atuarem no Grupamento de Pol™cia Militar A”reo (GPMA). No pri-

Secretaria da Fazenda homenageia BPFaz por sete anos de serviçosÊ Em cerimônia realizada no início da ma- cretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), data de nh‰do dia 27 de feverei1946. Já na década de ro no auditório do MBM 60, o 9º Batalhão de PoPrevid’ncia e Seguros, o l™ciaMilitar criou o primeisecretário estadual da ro Destacamento FazenFazenda, Paulo Michelucdário, que em 1997 seci, prestou uma homenaria transformado em Grugem ao Batalh‰o de Pol™po de Polícia Fazendácia Fazendária (BPFaz). ria. Em 1998, por decreEle destacou que desde o to, foi criado o BPFaz. in™ciode sua carreira de A unidade ” comagente fiscal do Tesouro, Michelucci entrega placa ao Maj Leal na sede do MBM posta por duas compatrabalhou ao lado dos ponhias operacionais e de liciais militares. O secretário entregou ao Cmt um efetivo administrativo, al”m do Comando e do BPFaz, Maj Reinaldo Leal, um of™cio e uma Estado Maior. O efetivo ” de 229 PMs, sendo placa alusivos ao 7º aniversário da unidade. que 97% atuam atividade fim. A unidade atua Durante a cerimônia, o Maj Leal apresen- em postos fiscais, tanto na fronteira do Estado tou um breve histórico do BPFaz, onde desta- como em outras regiões, dando apoio à fiscalicou que a primeira not™cia de participa“‰o da za“‰o do tr›nsito de mercadorias da Sefaz, e Brigada Militar, em ações conjuntas com a Se- em ações diversas, como as blitze do IPVA.

SJS entrega viaturas à BM em mais uma etapa do Projeto Fronteiras

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Em mais uma etapa do Projeto Fronteiras, a Secretaria da Justi“a e da Seguran“a (SJS) entregou em 2 de mar“o um lote de viaturas para a Brigada Militar. O secretário José Otávio Germano, e o Cmt-Geral, Cel Nelson Pafiadache da Rocha, participaram do ato realizado no estacionamento da sede da SJS, em Porto Alegre. As 20 picapes Mitsubishi – destinadas à regi‰ode Uruguaiana e SantÕAna do Livramento – possuem tração nas quatro rodas e serão empregadas no patrulhamento rural, visando o combate ao abigeato. Contudo, at” que completem mil quilômetros rodados, os veículos permanecer‰ona Capital, sendo utilizadas na Opera“‰oVolta ‹s Aulas. As camionetes já apresentam o novo gra-

Luiz Eduardo Barbosa/SJS

Camionetes ser‰o empregadas no combate ao abigeato

fismo das viaturas da BM, que visa melhorar a visibilidade dos carros utilizados no policiamento ostensivo. At” o final do m’s, ainda dentro do Projeto Fronteiras, a Polícia Civil receberá 13 viaturas Corsa Sedam e 7 picapes S-10. Outros 30 Corsa Sedam ser‰o repassados ‹ BM, finalizando a entrega das aquisições realizadas em dezembro pelo Pregão Eletrônico.

meiro m’s, os 33 oficiais participantes receber‰oinformações teóricas sobre pilotagem de aviões. Em seguida, prestarão exame no Departamento de Avia“‰oCivil (DAC). Aprovados nesta etapa, passar‰o ‹s aulas práticas. Já o Col”gio Tiradentes recebeu 120 novos alunos. … a maior oferta de vagas desde a sua funda“‰o, em 1980. Esses jovens foram aprovados numa sele“‰o ocorrida no m’s de novembro que envolveu mais de mil estudantes egressos do Ensino Fundamental. A institui“‰o possui estrutura administrativa e pedagógica resultante da parceria entre a BM e a Secretaria Estadual da Educa“‰o (SEC). A escola destina-se a ministrar o Ensino M”dio, adotando em suas atividades o regime disciplinar com caracter™sticas militares, incluindo o uso obrigatório de uniforme.

Tendo em vista diversificar os servi“os prestados e aproveitar ao máximo o efetivo, a BM de Ven›ncio Aires passou a utilizar-se tamb”m de bicicletas, sendo pioneira no V ale do Rio Pardo. O policiamento em bicicleta da cidade está sendo destinado à Patrulha Comercial e tem atingido ótimos resultados. Segundo o 1º Ten Rudimar Laus Alves, Cmt do 1º Pelotão, as bicicletas dão maior agilidade ‹ patrulha, que realiza o cadastramento dos comerciantes do munic™pio. Em casos de arrombamento, geralmente no turno da noite, ” possível assessorar o efetivo que está na rua com informações fornecidas pelos próprios comerciantes. A novidade foi implantada recentemente, em dezembro do ano passado, mesma data em que o Sd Armando Siqueira da Rosa e a Sd V iviane Viana do Amaral passa-

ram a integrar o efetivo da BM de Ven›ncio Aires e tamb”m da Patrulha Comercial. A comunidade adaptou-se muito bem ao conv™viocom as bicicletas. ÒO uso de bicicletas facilitou o contato da popula“‰o com os brigadianos, o que se torna uma tarefa dif™cil para o policiamento motorizadoÓ, explicou o Cmt da Cia, Cap Rafael Tiarajœde Oliveira.

Sd Armando e Sd Viviane refor“aram o efetivo

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 11

CORREIO BRIGADIANO

CIDADE

BPRv irá intensificar fiscalização na RS 239 Turistas “invadem” Tapes e BM Nas escolas, os patrulheiros rodoviários estaduais continuarão realizando palestras educativas Apertar o cerco aos motoristas que trafegam em alta velocidade e dar continuidade ‹s palestras educativas de conscientiza“‰o no tr›nsito. Estes s‰o alguns dos objetivos tra“ados pelo novo Cmt do BPRv de Sapiranga, 1º Ten Carlos Erinaldo Freitas Rosa. Al”m da cidade, a Cia PRv tem sob sua responsabilidade os munic™pios de Novo Hamburgo, Parob”, Campo Bom, Nova Hartz e Araricá, num total de 41 quilômetros de estradas, atendendo a uma popula“‰o estimada em 300 mil pessoas. Na RS 239, que liga Est›ncia Velha a Riozinho, do quilômetro 18 ao 23, trecho que compreende a cidade de Campo Bom, poucas ocorr’ncias de tr›nsito t’m sido registradas. No ano passado, foram assinalados 82 acidentes no local, sendo 56 com danos materiais, 24 com lesões corporais e dois com v™timas fatais. Em sete ocasiões, os acidentes foram causados por problemas climáticos e em uma, por embriaguez. ÒO local ” bem sinalizado, mas a desaten“‰o dos motoristas ” que causa a maioria

Consepro auxilia a segurança pública em Campo Bom O OPM de Campo Bom, que esteve durante o ver‰o sob o comando interino do Cap S”rgio Alex Laydner Medina, conta com 64 integrantes e possui10 viaturas. O Cmt, Cap Jefferson Eroni de Oliveira Gon“alves, retomou suas atividades no dia 8 de março, após retornar da Opera“‰o Golfinho, destacando que o Consepro auxilia na manuten“‰o das viaturas e demais equipamentos. Segundo o Cap Laydner, a corpora“‰o tamb”m se destaca pelo canil e cinófilos, muito elogiados pela comunidade. Para coibir as ocorr’ncias, s‰o feitas barreiras para verifica“‰o de armas e ve™culos irregulares. A Patrulha Escolar atua de modo a evitar transtornos e garantindo aos alunos e aos pais um retorno ‹s aulas com seguran“a e tranqüilidade. O Programa Educacional de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e ‹s Drogas (Proerd) ” ministrado pelo Sd Vlademir Luiz Longo Guedes em cinco escolas estaduais. Os alunos t’m um contato próximo com a instituição – trabalho reconhecido pela comunidade escolar ÒEssas atividades aumentam o entrosamento entre a comunidade e a BMÒ, destacou Laydner.

BM de Sapiranga recebe três novas viaturas do Estado O secretário da Justiça e da Segurança, Jos” Otávio Germano, participou da solenidade de entrega de tr’s viaturas para a BM de Sapiranga. O evento foi realizado em frente ‹ sede da corpora“‰o. Estavam presentes o prefeito Renato Delmar e o Cmt Regional, Ten Cel Evaldo Gomes Rodrigues. Os três automóveis Volkswagen Gol foram adquiridos pelo Sindicato das Indœstrias de Cal“ados de Sapiranga e repassados ‹ BM atrav”s do Consepro. Al”m disso, a Indœstria de Cal“ados Valle entregou cinco rádios portáteis ao policiamento ostensivo. A BM tamb”m recebeu quatro novos coletes ‹ prova de balas doados pelo Consepro. SAPIRANGA – PMs de Sapiranga prenderam um dos sete fugitivos do Pres™dio de Novo Hamburgo. Ele fez parte do primeiro grupo de apenados que escapou com outros seis detentos. O criminoso foi preso após assaltar uma fábrica de cal“ados de Sapiranga, levando R$ 6,5 mil, recuperados pela BM. Entre os fugitivos, o que foi preso ” considerado o mais perigoso. O corregedor-geral da Susepe, Homero Negrello, anunciou a inten“‰o da Secretaria de Justi“a e da Seguran“a de transformar o pres™dio em albergue para apenados do semi-aberto.

dos acidentesÓ, justificou o Cmt Freitas. N‰o bastasse os 35 quilômetros sob jurisdição do BPRv na RS 239, os patrulheiros rodoviários ainda têm a tarefa de cuidar dos primeiros seis quilômetros da RS 464. A rodovia tem in™cio na RS 239 e tem fim no munic™pio de Nova Hartz. Para este ano, o Ten Freitas pretende intensificar ainda mais o policiamento nas estradas, como o desenvolvimento das Operações Radar Ostensivo. ÒO nosso objetivo ” coibir o excesso de velocidade e alertar os motoristas sobre a import›ncia de dirigir com cautelaÓ, ressaltou. Mesmo refor“ando a fiscaliza“‰o nas estradas, o Ten Freitas não irá descuidar da parte educacional. Nas escolas, o Cmt dará continuidade ‹s palestras de conscientiza“‰o nas instituições de ensino do munic™pio. Aten“‰o no tr›nsito, regras gerais de circulação e lições sobre comportamento nas ruas ser‰o alguns dos temas abordados pelos Sd …verton da Fonseca Cassere, Fernando Mujica dos Santos e Jonas Grass de Oliveira. Os tr’s ter‰o a obriga“‰o de

repassar informações aos alunos com idades entre 4 e 14 anos. ÒDaremos aten“‰o especial ‹ Escola Municipal Quatro Colônias, em Campo BomÓ, destacou. Os col”gios ‹s margens das rodovias tamb”m ser‰o contemplados com as palestras. Al”m da rede municipal de ensino, os patrulheiros rodoviários também irão visitar empresas locais e de cidades vizinhas. Somado aos projetos sociais, o Cmt quer manter o bom relacionamento estabelecido com a prefeitura de Sapiranga pelo seu antecessor , o 1ºSgt G”lson Luiz Oliveira dos Santos, que comandou a BM durante tr’s anos e transferiu-se para a Assembl”ia Legislativa. Como exemplo da integra“‰o, o Cmt Freitas citou o apoio do prefeito na manuten“‰o do pr”dio da sede e na aquisi“‰o de material de Expediente. ÒTemos um ótimo entrosamento tanto com as autoridades locais quanto com a comunidadeÓ,salientou. Com o suporte de toda a popula“‰o,a BM de Sapiranga pretende garantir a seguran“a dos habitantes da regi‰o.

reforça o policiamento nas ruas Tomada por turistas durante o per™odo de veraneio, Tapes teve triplicada a sua popula“‰o nos meses de janeiro e fevereiro. De acordo com o Cmt da BM local, Cap Euclides Maria da Silva Neto, o nœmero de habitantes passa dos 20 mil para mais de 55 mil nesta ”poca do ano. Para garantir a seguran“a das pessoas que v‰o passear na cidade, o Pel recebeu o refor“o de brigadianos de diversas regiões do Estado. Al”m dos PMs, o Cap ganhou o apoio do 1º Ten João Adalberto Pierozan, do 9º BPM, cuja colabora“‰o se deu principalmente nas instruções repassadas aos companheiros de farda. ÒPode-sedizer que ele foi o meu bra“o direito na coordenação das operações policiais”, destacou. As principais ocorr’ncias registradas pela BM no ver‰o foram acidentes de tr›nsito e perturba“‰o do sossego. Com a experi’ncia de quem já está há cinco anos no comando do elenco, o Cap Euclides ressaltou que o grupo n‰o teve dificuldades na realiza“‰o do policiamento

do município. “O efetivo orgânico está acostumado com as normas de trabalho e isso facilita no desenvolvimento das tarefasÓ, observou. O bom entrosamento com as autoridades locais tamb”m ” um dos fatores que contribuem para a manuten“‰o da ordem. ÒProcuramos ficar a par de todos os eventos que foram programados para o ver‰oÓ, ressaltou. O Cmt acrescentou que a Secretaria do Turismo informou à BM quem seriam os responsáveis pela realiza“‰odos shows e atividades de entretenimento na cidade. O Minist”rio Pœblico, o Judiciário e o Conselho Pró-Segurança Pública (Consepro), segundo o Cap, tamb”m mant’m com a Brigada Militar um relacionamento harmonioso. ÒTodos cooperam conosco das mais variadas formasÓ, salientou. Aparelho de fax, detector de metais, microcomputador e scanner s‰o alguns dos equipamentos doados ‹ sede do Pel. ÒAt” mesmo o conserto de nossas viaturas foi custeado por elesÓ, afirmou.


Pág 12 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

CORREIO BRIGADIANO

CIDADE

Pel de Jóia realiza treinamento Bombeiros de Estrela atuam na comunidade escolar para combater o roubo de gado Sgt Diolvane ministra palestras para alunos de 5ª série no projeto bombeiro por um dia O Pel de Jóia está sob o comando do Ten Gilberto de Mello Martins desde outubro de 2003. Segundo ele, as principais ocorr’ncias registradas no munic™pio s‰o abigeato e porte ilegal de armas. Na tentativa de coibir a criminalidade, a Brigada Militar está realizando um cadastramento dos pecuaristas para prevenir o roubo de gado. “Após o início do levantamento o índice de abigeato foi reduzido“, afirmou. O 1º Sgt Jaques Maúricio Zinser e o Sd Edson Lázaro Cabreira dos Santos fizeram curso de combate ao abigeato no campo de instru“‰o em

SantÕAnado Livramento. Outra atividade desempenhada pelas guarnições com freqüencia é a apreens‰ode armas por porte ilegal. A prefeitura destina uma verba mensal para o Consepro que repassa ‹ Pol™cia Civil e a Brigada Militar. A manuten“‰o de equipamentos e viaturas ” feita atrav”s dessa verba. O Ten destacou ainda a implanta“‰o do Programa Educacional de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e ‹s Drogas (Proerd). Neste semestre, o curso será ministrado pelo Sd Gilmar Dutra em uma escola estadual e outra municipal.

O Corpo de Bombeiros de Estrela está sob o comando do Cap Luis Marcelo Gon“alves Maya há oito anos. Os bombeiros atendem 38 munic™piosdo Vale do Taquari. A corpora“‰o desenvolve palestras durante todo o ano, para prevenir acidentes domésticos com gás de cozinha e instalações elétricas. Segundo o Cap Maya, o efetivo desenvolve o projeto Bombeiro por um Dia. Atrav”s dessa iniciativa, s‰o ministradas palestras para alunos de 5ª série pelo 3º Sgt Diolvane Nunes da Silva. Após receberem os ensinamentos, as cri-

an“as s‰o testadas quanto aos ensinamentos recebidos. Os testes s‰o avaliados pelos bombeiros, Secretaria Municipal de Educa“‰oe pela Coordenadoria Regional da Educa“‰o. Os autores dos melhores trabalhos s‰o convidados a passar um dia inteiro com os heróis do fogo. Integrados ‹ guarni“‰o, recebem Sgt Diolvane (na foto usando farda de Cb) ensina as crian“as treinamento especial e participam das atividades dos bombeiros. ÒEles conhecem at” sou. Todos os participantes recebem certificado de participa“‰o na programa“‰o. o funcionamento da Sala de Operações“, fri-

Pel de Catuípe age com eficiência para manter segurança O Pel de Catuípe busca a eficácia no atendimento da popula“‰o. Atualmente, conta com um efetivo de 17 PMs e duas viaturas. Segundo o Cmt,1º Ten Jorge Schimanoski, todos os PMs s‰o bem treinados, inteligentes, capazes e Sgt Leonardo conscientes de suas obrigações, mantendo um clima de tranqüilidade pública e uma sensa“‰o de segurança. “O 1º Sgt José Leonardo Moreira n‰o mede esfor“os no cumprimento de suas missões, realizando-as sempre com ’xitoÓ, assinalou. O Ten Schimanoski tamb”m destacou a elabora“‰o dos T ermos Circunstanciados, os quais foram por diversas vezes elogiados pelo Judiciário local e pela comunidade, que está satisfeita com o trabalho realizado pela BM. Recentemente, em megaopera“‰o realizada em parceria com a equipe do delegado Francisco Lorents e com PMs de Iju™,houve a pris‰o de um foragido.

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

BM de Candelária desenvolve ação para coibir violência A Cia de Candelária desacelerou, em mar“o, a Opera“‰o Resid’ncia Evid’ncia, que ” tratada com maior ’nfase durante temporada de f”rias. Essa é uma das várias operações queÊ s‰oexecutadas, com o intuito de manter a criminalidade em um nível aceitável. Nessa ”poca do ano ” comum o deslocamento de pessoas para o Litoral Norte e outras localidades, deixando dessa maneira as suas resid’ncias ‹ merc’ de arrombadores. Os policias militares conseguiram reduzir consideravelmente os furtos a resid’ncias nos œltimos anos, dando maior tranqüilidade aos veranistas. A operação consiste em vistorias aos imóveis previamente cadastrados junto ‹ Brigada Militar , onde s‰o registrados dados como a data de sa™da, de chegada, bem como local das f”rias e telefone para contato no caso de alterações. Desta forma, o efetivo visita a resid’ncia cadastrada, verificando eventuais anormalidade e deixando no local um bilhete com a anota“‰o de hora e local em que foi efetuada a inspe“‰o. GETòLIO VARGAS – A Cia está sob o comando do Cap Robson Emanuel Leite Camargo que assumiu em dezembro de 2003. ÒPretendo dar continuidade ao trabalho desenvolvido pelo exCmt, Cap Aurivan ChiochettaÒ, assinalou. O Cap Robson tamb”m destacou o Programa de Resist’ncia ‹ V iol’ncia e ‹s Drogas (Proerd), ministrado pelos Sd Amarildo Jos” Safraider e Humberto Carlos Bortolotto. Eles tamb”m realizam palestras de preven“‰o de acidentes no tr›nsito para os alunos, principalmente no retorno ‹s aulas. A Brigada Militar e a Pol™cia Civil est‰ointegradas e fazem operações em conjun to para reduzir os ™ndices de criminalidade.

GERAL

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 5

CORREIO BRIGADIANO

Atleta Olímpico assume comando da EsEf da BM Ten Cel Estivalete, ex-Cmt da EsEf, aposta no Maj Selistre para dar continuidade a seu trabalho A Escola de Educa“‰o F™sica da BM (EsEfBM) agora conta com um novo Cmt. T rata-se do Maj Carlos Alberto Luvizetto Selistre. Como ele mesmo explica, sua chegada ao comando n‰oé nenhuma surpresa já que, até então, ele assumia o cargo de Sub-Cmt da EsEf-BM. A cerimônia de passagem de comando realizouse no dia 1º de março, no Ginásio da BM, e marcou a despedida do Ten Cel Edson Estivalete Bilhava. Deixando a EsEf-BM, o T en Cel Estivalete assumiu, no dia seguinte, o comando do 36º BPM, em Bento Gonçalves. Atleta com participa“‰o em olimp™adas e integrante ativo das atividades da igreja católica, o novo Cmt da EsEf-BM, oMaj Selistre chama a aten“‰o dos seus colegas de profiss‰o por sua disposi“‰o. ÒAcredito que o novo Cmt vai dar um esp™rito de saœde f™sica e mental ‹ corpora“‰oatrav”s de suas id”ias inovadoras e extrema dedica“‰oÓ, salientou entusiasmado seu ex-colega do Col”gio T iradentes, Maj Edson Rangel, que representava a Corregedoria-

igreja católica motivou também a participação do arcebispo Dom Dadeus Grings. Mas quem roubou a cena durante a solenidade n‰o foi nenhuma autoridade, e sim o pai do Ten Cel Estivalete, que deixava transparecer alegria pela presen“a de seu familiar. Ao final do ato, o dire-

Ten Cel Estivalete, Cel Biacchi, Maj Selistre

Geral da corporação na cerimônia. Diversas autoridades civis e militares compareceram ‹ solenidade de passagem de comando no Ginásio da BM. Entre elas, a secretária municipal de Esportes, Regiane Pena Rodrigues, a Ten Cel Estivalete, o pai, Cel Biacchi, Cel Marcadella e o Maj Selistre presidente do Conselho Regional de Educa“‰o F™sica, Jeane Marques Cazelato, o tor de Ensino da BM, Cel Paulo Renato Biacchi chefe do Estado Maior, Cel Tarso Antônio MarRodrigues, recebeu, ao lado do Ten Cel Estivacadella, a diretora do Detran-RS, Ana Gomes, lete e seu pai, do Cel Marcadella e do Maj See o primeiro Cmt da EsEF-BM, Cel F”lix Biscu- listre um trof”u em homenagem ‹ passagem bi Costa. A forte liga“‰o do Maj Selistre com a dos 166 anos da Brigada Militar.

Brigada promove troca de comandos na Capital Como parte das modificações realizadas pelo comando da BM, o Cel Ariovaldo dos Santos Mariano assumiu, em 9 de mar“o, na sede do MBM, o Comando de Policiamento Ostensivo Metropolitano, deixando o posto de Cmt do Corpo de Bombeiros. O novo Cmt do CCB será o Cel Luiz Jaidemir de Figueiredo çvila, que estava ‹ frente da Ajud›ncia-Geral da BM. No lugar do Cel çvila, foi empossado o T en Cel Leo Antônio Bulling. Além deles, o Cel Reuvaldo Antônio Vasconcelos Ferreira deixou o comando do BPRv para assumir o Departamento

18 unidades da corporação passam por troca de Cmt Modificações em 18 unidades e a instala“‰ode dois novos comandos regionais de policiamento. Estas foram as mudan“as realizadas pelo comando da BM no in™cio de mar“o. As principais trocas ocorreram nos comandos regionais Planalto (Passo Fundo), Fronteira Oeste (SantÕAnado Livramento), Hort’nsias (Gramado), Serra (Caxias do Sul), Litoral (Osório), Metropolitano (Canoas) e no Batalh‰o de Pol™cia Rodoviária (Porto Alegre). As novidades foram a cria“‰o dos comandos regionais do aVle do Caí, com sede em Montenegro e responsável por 19 cidades, e Centro Sul, em Gua™ba, cuja atuação se estenderá por 11 munic™pios, que estavam sob responsabilidade do CPM. Os comandos do 2º BPM (Rio Pardo), 6º BPM e do Corpo de Bombeiros, ambos com sede em Rio Grande, também sofreram alterações. Em Porto Alegre as mudan“as ainda atingiram os comandos do 11º BPM (Zona Norte), 19º BPM (Partenon), 20º BPM (Sarandi) e 21º BPM (Restinga), cujas posses já ocorreram.

Administrativo, em substitui“‰oao Ten Cel Jo‰o Nivaldo Duarte. O comando do BPRv ficará a cargo do Ten Cel Carlos Frederico Azevedo Hirsch. Todas as modificações têm como objetivo promover a reorganiza“‰oestrutural da corpora“‰o, tendo em vista as promoções e transfer’ncias ocorridas na Brigada Militar nos œltimos dias.

Cel Ariovaldo assume o Comando de Policiamento Ostensivo Metropolitano

JUSTI‡A – O STJ manteve o parcelamento de salários dos professores suspendendo a liminar que determinava o pagamento integral dos professores filiados ao Cpers-Sindicato. Já os servidores da Justi“a, al”m de terem recebido aumentos salariais, receberam integralmente, inclusive os magistrados – instrutores iniciais da decis‰o. Muito bem diz o ditado: ÒPimenta nos olhos dos outros ” col™rioÓ. MAGISTRATURA – Um fantasioso tribunal internacional de Justi“a foi instalado em Porto Alegre, recentemente. Por certo arranhou a nacionalmente conceituada magistratura gaœcha. Não acreditamos que o Código de Ética permita que ju™zes ‹ revel do ordenamento jur™dicodo pa™s, usem do cargo e do conhecimento t”cnico jur™dico para atua“‰o paralela em questão ideológica. Breve, outros tribunais acontecer‰ojulgando pol™ticos desafetos e, depoisÉ os próprios desembargadores não colaboracionistas. A‡ÍES – Todas as entidades de classe da seguran“a pública argüiram, na Justiça, a quest‰odo parcelamento. O governo conseguiu antecipar o pagamento da parcela final, aparentemente, esvaziando as ações. Mas a seqüela ficou e o indicativo está aí. IMPASSE – Caminha-se para um impasse na seguran“a pública. Há 9 anos sem aumento, as categorias deram ao governo do Estado, um ano e dois meses para que se manifestasse

sobre essa situa“‰o que na campanha eleitoral foi bem enfatizada. Ou seja, a dignidade passa por salário. ASSEMBL…IA – A assembl”ia da AsOfBM, realizada no Clube Farrapos, no dia 1 1 de mar“o, teve um bom comparecimento de oficiais... da reserva. Um T en Cel e uns poucos Cap e Ten da ativa se fizeram presentes. Um oficial inativo, presente ao evento, desabafou n‰oentendendo a aus’ncia da oficialidade: ÒParecemsatisfeitos com a falta de recomposi“‰o salarial, com o parcelamento do pagamento e com o novo projeto do IPEÓ. PROCURADORES – Agora vai... A PGE sinalizou suspender os entraves ao projeto de desenvolvimento da Funda“‰o BM. Para breve haverá um projeto de Lei do Executivo. METAS – A reestruturação operacional da BM ” a meta que foi alcan“ada. A revis‰o do sistema disciplinar ainda está sendo aguardada. Já a terceira meta que tratava da quest‰o da carreira e que recebeu um tratamento Legislativo, n‰o deve ser considerada alcan“ada. Conseguiram gerar promoções para não emperrar o atual sistema. SENASP – O Ten Cel Ferreira, ex-Cmt do BPRv, está em Brasília, atuando junto ao Secretário Nacional de Seguran“a Pœblica. GOLFINHO – A festa de encerramento da Opera“‰oGolfinho, realizada na sede da SAC, já come“a a se tornar tradicionas.

IBCM – A entidade está recebendo currículos de candidatos ao cargo de técnico (a) de enfermagem, para aproveitamento futuro. Os interessados dever‰o enviar seus curr™culos para a sede da institui“‰o, localizada na rua Bar‰o do Triunfo, 175, no bairro Menino Deus, em Porto Alegre, ou enviar atrav”s da Internet para o endere“o rh@ibcm.org.br .


Pág 4 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

GERAL

CORREIO BRIGADIANO

CIDADE

Salva-Vidas revelam criatividade Polost lançará 1ª Antologia Poética de Policiais Civis O concurso de esculturas na areia feitas por salvas-vidas atra™ram a aten“‰o dos veranistas de Cidreira. Os pr’mios foram patrocinados pelo Correio Brigadiano. O 3º Sgt Juarez Matias e os Sd Antônio Adalberto Vandervert e Malcon Roben foram os vencedores, retratando um salvamento no mar. O crocodilo e anaconda, dos Sd Carlos Renato Wolker, Carlos Renoudo Sonnemam e S”rgio Rocha Paredes, ficaram em 2º lugar. Uma bruxa com a crian“a no colo garantiu aos Sd Roberto Carlos Bernardes Dias e Eledir Adelino Barros de Vargas o 3º

Representantes e Colaboradores do

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Alegrete: Sgt Evilásio Carvalho da Cunha; Arroio Grande: Sgt W alter B. Nunes; Bag”: Ten Jos” Ernandes F . Simon; Bento Gon“alves: Sd Pedro Can™sio Dullius; Ca“apava do Sul: Sd Andr” Pimentel dos Santos; Cachoeira do Sul: Sgt Jo‰o da Fonseca Cides; Camaqu‰:Sgt Carlos Cabreira; Candelária: Sd Manoel Zaluar da Silva; Capivari do Sul: Sd Jo‰o Paulo Gross;Carazinho: Sgt Alceno Jos” Silveira; Cidreira: Ten Auri Furtado Durgante; Dois Irm‰os: Sgt Darci Teixeira dos Santos; Frederico Westphalen: Sgt Juarez Martinez Medino; Gua™ba:Sd Flávio Ribeiro Troyano; Guapor”: Sd Jo‰o Carlos de Oliveira; Igrejinha: Sgt Augusto Ferraz da Silva; Iju™:Ten Ubiratan Gras Borges; Itaqui: Sd Ari Portella; Lagoa Vermelha: Ten Nelton Jos” Busin; Lajeado: Sgt Jeferson Chaves Flores; Lavras do Sul: Sgt Luiz Mario Alves Morais; Montenegro: ST Manoel Ademar da Silva, o Garibaldi; Nova Petrópolis: Sgt Firmino Müller; Novo Hamburgo: Sgt Edemar dos Santos; Panambi: Sd Carlos Silva de Souza; Pantano Grande: Sgt Enildo Guterres de Mello; Para™: Sgt Jos” Lemos de Oliveira; Passo Fundo: Ten Jos” Luiz Zibetti; Pelotas: Pelotas: Cap Antonio Jorge Rivas;Porto Alegre: gre: Sgt Jorge Alfeu Nunes, Mercado dos Gringos, Sgt Everton Porciœncula Moreira, Armaz”m Tropical, Sgt Paulo Roberto V ieira, Ferragem S‰o Tarc™sioe Bar do Tiririca; Rio Grande: Antonio Riete P. Neves; Rio Pardo: Cap Jo‰o Marley Rodrigues;Sananduva: Sd Alderino Antônio Brezolin; Santa Cruz do Sul: Sgt Paulo Juarez dos Santos; Santa Maria: Cel Pedro de Mattos Ribas e Sgt V aldir da Silva Dorneles; Santa Rosa: Sd Sandro Oliveira; Santana da Boa Vista: Sgt Jos” Francisco Teixeira; SantÕAnado Livramento: ST Paulo Renato Paim Vieira; Santiago: Sgt Potenciano Marques Dorneles; Santo ångelo: Ten Dorcelo Silvio Kretzmann; Santo Antônio da Patrulha: Sd Marco Aur”lio da Silva; S‰oGabriel: Ten Luiz Carlos Bergenthal;S‰o Leopoldo: Sd Ad‰o Pedroso;S‰oLuiz Gonzaga: Sgt Rui dos Santos Araœjo; S‰oSebasti‰odo Ca™: Sd Gilberto Luiz de Andrade; Sapiranga: Sd Bas™lio Paulo Streletcki;Sarandi: Sd Valdemar Chaves; Taquara: Cel Claudio Silva da Rocha; Torres: Sgt Tibœrcio Joaquim da Silva; Uruguaiana: Sgt Luiz Carlos da Rosa Aguiar; Vera Cruz: Ten Cel Carlos Eduardo G. Coelho; e Viam‰o:Sd Mário Joaquim Pacheco da Silva.

Lançamento da obra entitulada “Do Outro Lado da Insígnia” já tem data marcada

Rotina dos salvamento no mar ” atra“‰o na areia

lugar. A Maj Cristine Rasbold, da Assessoria de Comunica“‰o Social da BM, o diretor do JCB, Cel D”lbio V ieira, e o diretor do Museu da BM, Maj Roberto Kraid Pereira, atuaram no jœri.

Troca de notas fiscais poderá render automóvel

Cinco automóveis, cinco motos, 10 microcomputadores e dez televisores 29 polegadas. Estes s‰o os pr’mios oferecidos pelos programas “A Nota é Minha” e “Nota Solidária”, do governo do Estado, do qual faz parte MABM. O consumidor poderá efetuar a troca dos 30 documentos fiscais exigidos por uma cartela numerada, concorrendo a pr’mios trimestralmente. Quanto mais a entidade trocar as cartelas, mais pontos somará na disputa por recursos, que ser‰o disponibilizados pelo Executivo, num total de R$ 13,2 milhões. Somente serão aceitos documentos fiscais emitidos a partir de 1º de novembro de 2003. Ao receber o repasse dos recursos, a instituição deverá aplicá-lo, obrigatoriamente, em benef™cio direto aos PMs e dependentes. O OPM que efetuar mais trocas terá direito a indicar o gasto de 10% do valor recebido no trimestre (caso o MABM seja contemplado) para benef™cio exclusivo de seus PMs.

Promovendo uma integra“‰o cultural entre as pol™cias, a 1» Antologia dos Poetas Policiais Civis será lançada juntamente com a 1ª Antologia de Contos da BM no dia 28 de abril, no Santander Cultural. Os projetos est‰o sendo viabilizados atrav”s da parceria firmada entre a editora Polost e a Associação Pró-Editoração à Seguran“a Pœblica(Apesp). A obra da Pol™cia Civil foi organizada pelos delegados Ivo Bairros de Brum e Adalberto Abreu de Oliveira, diretor geral da Acadepol, que visitaram o Jornal Correio Brigadiano no dia 27 de fevereiro. O livro reœne poesias divididas em temas urbanos e rurais, escritas por 28 policiais civis

ativos e inativos, atuantes na Capital, Interior e na regi‰o Metropolitana. Essa diversidade resultou em poemas que abordam aspectos culturais de todas as áreas do Rio Grande do Sul. Segundo Adalberto, os policiais acharam excelente a id”ia de produzir uma antologia e particiDelegados Ivo Bairros de Brum e Adalberto Abreu de Oliveira param com empenho. ÒEsperoque o livro seja motivo de orgulho outro lado do policial, desconhecido pela sociepara a corpora“‰oÓ, ressaltou Adalberto, com dade – vontade expressa no título da obra “Do otimismo. Ele espera que a Antologia revele um outro lado da Ins™gniaÓ.

Organizadores do Fest Lavras agradecem participação do JCB Disputado nos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro, em Lavras do Sul, o 1º Circuito Estadual de Futebol Feminino de Areia foi considerado pelas autoridades locais um sucesso. Como parte do evento Fest Lavras Ver‰o2004, o torneio mobilizou tanto a comunidade lavrense quanto os munic™pios vizinhos. O resultado positivo da primeira edi“‰o do evento motivou uma carta de agradecimento do prefeito Aristides Saul Teixeira ao Jornal Correio Brigadiano (JCB). ÒA parceria firmada com o JCB demonstrou que ” poss™vel realizar grandes eventosÓ, destaca um dos trechos da carta. O texto, assinado pelo promotor do Fest Lavras, Sgt Luiz Mário Alves Moraes, o secretário de Turismo do município, Sávio Silveira, e

Lara

Sgt Moraes

o prefeito Aristides, ressalta ainda a participa“‰o da comunidade. ÒTivemos um final de semana movimentado, onde o esporte, o turismo, a cultura e o lazer se misturaram numa só festaÓ,assinala outro trecho. O documento cita o apoio do secretário estadual do Turismo, Esporte e Lazer, Luis Augusto Lara, cujo suporte foi decisivo na realiza“‰o do evento.

Farrapos promove jantar-dançante e festeja aniversário Um jantar-dan“ante, no dia 27 de mar“o, ‹s 21h, irá marcar as comemorações dos 60 anos do Clube Farrapos. A For“a Total Banda Show animará a festa. Aos sócios, o ingresso individual será vendido por R$ 20,00, enquanto que aos não sócios a entrada individual custará R$ 30,00. Para sócios oficiais, o convite pode ser implantado com a devida autoriza“‰o preenchida. Os ingressos podem ser parcelados em dois cheques pr”-datados, para os associados: um para final de mar“o e outro para o final de abril. Os não sócios podem dar um cheque para o final de mar“o, no valor de R$ 20,00, e um cheque para o final de abril no valor de R$ 15,00. O traje para a festa será Recepção.

Time de futebol de areia do MBM é vice-campeão

Rosário do Sul já tem um herói: é o bombeiro Meireles

Homenageado pela C›mara Municipal e aclamado pela comunidade do munic™pio de Rosário do Sul, o Sd Alceb™adesMeireles, do Corpo de Bombeiros, efetuou um salvamento que marcará para sempre sua vida na corpora“‰o.Ao passar próximo ‹ margem do Sd Meireles é um herói Rio Santa Maria, em15 de fevereiro, o Sd Meireles presenciou o desespero de um homem que Time foi refor“ado pelo Ten Cel Prates e o Sgt Salviano se afogava. Mesmo n‰o estando em servi“o, o Eles n‰o s‰o t‰o badalados quanto os cra- ele prontamente se jogou no rio com a roupa ques da Sele“‰o Brasileira de futebol de areia, que estava e resgatou a v™tima, prestando rapicomo Júnior Negão e Jorginho – considerado damente os primeiros socorros. O rapaz que o melhor jogador do mundo –, mas também estava em apuros se recuperou bem e disse n‰o correm e disputam partidas acirradas nas arei- palavras para agradecer a dedica“‰o de Meireas das praias gaœchas. S‰o os atletas que dis- les. Com o salvamento, a temporada de veraputaram no ver‰o os jogos do Bolamar , em Tra- neio 2003/2004 em Rosário do Sul chegou ao manda™.A BM esteve representada no torneio, fim sem nenhuma v™tima fatal por afogamento. na categoria Master, pela equipe do MBM, cujo elenco foi composto por alguns servidores militares. Com uma comiss‰o t”cnica composta por 17 jogadores, um t”cnico, um preparador f™sico e um massagista – Sgt Salviano – o time ficou com o vice-campeonato, perdendo na final por 5 x 2 para a equipe do S™tio do Beto, de Gravata™.Al”m do massagista, o T en Cel Prates integrou o grupo vice-campe‰o.

Sgt Teixeira lança livro retratando o Passo das Carretas

2º Sgt RR Teixeira está eufórico com lançamento

O conselheiro do MTG, 2º Sgt RR José Francisco Teixeira, lan“ou o livro ÒComandos e Cruzadas – Combate do Passo das Carretas”. A obra retrata o combate entre as for“as do Cel Jœlio Rafael de Arag‰o Bozano, intendente de Santa Maria e Cmt do 1 1º Corpo Provisório da Brigada Militar e as for“as dos Gen Zeca Netto e Honório Lemes. A inten“‰odo autor ” contar um pouco mais da história de Santana da Boa Vista e seus moradores. ÒProcurei resgatar em diversos arquivos fatos importantes da tradi“‰o gaœcha e principalmente do munic™pioÓ, explicou. A obra tem 232 páginas e ilustrações fotográficas. JORNAL – O HBM de Santa Maria completou seus 57 anos, recebeu novos equipamentos e modernizou a sede. A entidade comemorou o aniversário com o lan“amento de um Informativo para ressaltar os avanços na área da saœde e retratando os esfor“os para satisfazer cada vez mais os usuários.

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 13

CORREIO BRIGADIANO

Cel Monteiro deixa a BM para o merecido descanso Comando de Policiamento da Área Metropolitana passa a ser comandando pelo Cel Mariano O ex-Cmt do Policiamento de çrea Metropolitana – com jurisdição em vários municípios como Viam‰oe Esteio –, Cel João Alberto Monteiro, foi para a reserva remunerada desfrutar de um descanso merecido. A solenidade de passagem de comando ocorreu no dia 4 de mar“o, em Canoas. No lugar do Cel Monteiro, que tamb”m comandou os bombeiros na regi‰o Metropolitana e foi diretor do Departamento Administrativo, atingindo o posto de Cel em 1999, assumiu o Cel Ariovaldo dos Santos Mariano. Ele declarou que, ao longo de sua carreira, conquistou todos os postos por merecimento, de Ten a Cel. O Cel Monteiro fez o curso de bombeiros para oficiais e em seguida foi destacado para em Caxias do Sul, e posteriormente, em Passo Fundo, além de atuar durante três anos no 1º BPM, na Capital. Serviu na APM, na EsFAS, de Santa Maria, e foi Sub-Cmt tamb”m extinta EsFECS. Logo após, foi chefe da Seção de Operações do CPC. Mais tarde, promovido a T en

Cel Monteiro despede-se da Brigada Militar

Cel, foi chefe da 2» Se“‰o do Estado Maior da BM. Tamb”m esteve ‹ frente do CB de Santa Cruz do Sul, onde ganhou o Pr’mio Qualidade Total na área de segurança, em 1997. Após receber a premia“‰o, foi designado para o Estado

Maior da BM, onde desempenhou a fun“‰o de chefe da Se“‰o Log™stica, de Or“amento e Patrimônio. ÒNa regi‰o Metropolitana, tra“amos algumas metas e conseguimos reduzir sensivelmente a criminalidade, principalmente as ocorr’ncias de latroc™nio e roubosÓ, afirmou. Outro fato marcante na sua carreira foi ter participado do inqu”rito que apurou a quebradeira do relógio dos “500 Anos do Brasil”. Segundo ele, pediram que ele isentasse dois Cap da participa“‰o da destrui“‰o, mas acabaram sendo condenados pelo ato. ÒFui afastado do inqu”rito e perseguido por”m, mais tarde, consegui provar a correção das investigações e anular as acusações feitas contra mim”, assinalou. Monteiro ressaltou ainda a satisfa“‰o que sente do dever cumprido e a convic“‰o de que a segurança no Estado é totalmente viável. “Se cada Cmt fizer sua parte, será possível qualificar a segurança pública”. Após anos de servi“os prestados ‹ corpora“‰o, o Cel Monteiro pretende se dedicar mais ‹ fam™lia.


Pág 14 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

Acidente de trânsito provoca morte do Sd Portes O Sd Raul Portes, pertencente ao OPM de Flores da Cunha, faleceu no dia 13 de janeiro em um acidente de tr›nsito. Ao deslocar-se pelo quilômetro 4 da VRS 314 para atender uma ocorr’ncia de porte ilegal de arma, a viatura conduzida pelo Sd colidiu com um caminh‰o. O caminhoneiro Moacir Luis Malacarne n‰o sofreu ferimentos. O Sd Luis Ernesto Quadros Mazui, que tamb”m estava na viatura, teve fratura exposta na perna e no antebra“o esquerdos, um corte no rosto e uma contusão torácica. Com honras fœnebres, o enterro do Sd Portes ocorreu no dia 14 de janeiro em Passo Fun-

CIDADE

CORREIO BRIGADIANO

uma ocorr’ncia, se a guarni“‰o nunca chegarÓ. O alerta tem por objetivo evitar acidentes e outras mortes de PMs.

Sd Portes, que conduzia viatura, n‰o resistiu ao ....

do – sua terra natal. O Cmt do OPM de Flores da Cunha, Ten Luis Cláudio Pires Borges, salientou, apesar da dor sentida pelo falecimento, que Òde nada adianta a pressa para chegar a

... choque com um caminh‰o na VRS 314

29º BPM de Ijuí sob novo comando O 29º BPM, de Ijuí, trocou o comando no dia 11 de Mar“o. Substituindo o Maj Germano Luiz Pontes Eifler, transferido para Porto Alegre, assumiu o Maj Eglair Mois”s de Oliveira Chaves, que tem muitos planos para colocar em prática. A solenidade, presidida pelo Cmt do CRPO/FNO, Cel Sérgio Antônio Paim Gon“alves, ocorreu na Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Uniju™),e contou com a presen“a de autoridades de 11 municípios de abrangência do 29º BPM. Retornando à cidade após três anos, o Maj Eglair disse estar disposto a fazer o poss™vel

para que a seguran“a impere no munic™pio. Emocionado, o oficial substitu™do diz que entregou “uma jóia valiosa, mas que ainda precisa ser melhor lapidadaÓ, ao novo Cmt.

Maj Pontes, Maj Eglair e Cel S”rgio (ao fundo)

Educação para o trânsito é meta em Boa Vista do Buricá

PMs transmitem ensinamentos para estudantes

Buscando manter o ótimo relacionamento firmado com a comunidade e aproveitando o per™odode volta ‹s aulas, a BM de Boa Vista do Buricá tem se dedicado a ministrar palestras em escolas da cidade. Os responsáveis pela tarefa s‰oo Cmt local, Sgt Sidney Terra Machado, e o Sd Armando Pereira, que já foi responsável por aulas do Proerd. Trazendo para a sala de aula questões pertinentes ‹ educa“‰o no tr›nsito e ‹ preven“‰o de drogas, os policiais militares t’m despertado a consci’ncia de alunos das escolas Bar‰o do Rio Branco e S‰o Jos”. ÒEssas crian“as ser‰o os motoristas de amanh‰Ó, lembrou o Sgt Sidney.

CRPO/Sul entrega Taça Cel Camilo na cidade de Pelotas Devido às comemorações dos 80 anos do 4º BPM, de Pelotas, a solenidade de encerramento do Torneio Ver‰oPela Paz, promovido pela Liga Pelotense de Futebol, contou com a participa“‰odo CRPO/Sul. Durante o evento, o Cmt Regional, Cel Juarez Fernandes de Souza, e o Cmt do 4 o BPM, Ten Cel Odiomar Luis Bitencourt Teixeira, juntamente com outros oficiais, efetuaram a entrega da Ta“a Coronel Camilo ao campe‰o do torneio. O pr’mio simboliza os 80 anos de dedica“‰o da Brigada Militar, que vem garantindo a segurança e a tranqüilidade da popula“‰o do munic™pio.

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Denarc apresenta projeto Tô Ligado no Litoral Norte O munic™pio de rTamanda™,situado no Litoral Norte do Estado, foi palco da segunda edi“‰o do Projeto Integrar que, desta vez, atuou exclusivamente na preven“‰o e combate ao uso de drogas. As atividades, realizadas no m’s de janeiro, reuniram 100 jovens de comunidades carentes, com idades entre 13 e18 anos, no Ginásio Municipal da cidade. O Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), da Pol™cia Civil, marcou presen“a apresentando o projeto de conscientização Tô Ligado, visando promover palestras e debates entre os adolescentes sobre o combate ‹s drogas abordando, inclusive, a atua“‰o dos policiais civis com os c‰es farejadores. O Projeto Integrar ” promovido pela organiza“‰o n‰o-governamentalÊCultura e Integra“‰o, que tem como objetivo aproximar as for“as policiais das comunidades mais pobres.

POLÍTICA

CORREIO BRIGADIANO

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 3

Greve e operação padrão para pressionar reajuste Passeata dá visibilidade à crise Assembléia unificada da BM, PC, IGP e Susepe mostra outra face da integração dos órgãos da SJS salarial enfrentada pelos servidores Cartazes com pedidos de reposi“‰o sala- reivindica“‰o por uma nova rial e apita“os deflagraram a paralisa“‰o dos servidores da seguran“a pœblica por tempo indeterminado, a partir do dia 22 deste m’s. Em assembl”ia geral unificada, realizada em 15 de mar“o, no Ginásio Tesourinha, com a presen“a de mais de 3 mil pessoas, os servidores da PC, Susepe e do IGP decidiram pela greve. N‰o faltaram cr™ticas ao governo do Estado, a quem os representantes das instituições acusam de ter descumprido promessa de campanha. Os brigadianos optaram por adotar a mesma tática da Polícia Federal, e irá planejar a execu“‰oda operação padrão, já que o regulamento da corpora“‰o n‰o permite a paralisa“‰o. O governador Germano Rigotto disse que n‰oesperava a greve de servidores. "Eles s‰o testemunhas dos nossos esfor“os. Temos interesse em dar aumentos salariais, mas, se tiv”ssemos concedido reajustes em 2003, n‰o ter™amoscomo cumprir, e o atraso no pagamento teria acontecido antes", sustentou. Al”m da

AbamfBM obtém liminar em favor da complementação A AbamfBM foi uma das entidades de servidores pœblicos estaduais que obteve sucesso em mandado de seguran“a contra o parcelamento salarial. No entanto, antes mesmo que o governo fosse intimado a pagar o salário integral dos pra“as, o problema foi solucionando. Segundo o presidente da entidade, Leonel Lucas, a categoria tamb”m foi procurada pelos agentes da Pol™cia Federal para lutar junto pela melhoria nos salários. A AsOf-BM igualmente ingressou no TJ/RS com mandado de seguran“a coletivo. No entanto, certamente por ter exigido multa n‰o inferior a R$ 50 mil por dia de atraso no pagamento integral dos salários, n‰o teve a mesma sorte da co-irm‰.

Servipol também assegura vitória na Justiça gaúcha A complementa“‰o salarial imediata em favor dos associados do Sindicato dos Escriv‰es,Inspetores e Investigadores de Pol™cia (Servipol) foi determinada em 9 de mar“o, liminarmente, pelo desembargador Luiz Ari Azambuja Ramos, do îrg‰o Especial do Tribunal de Justi“a do Estado. A decis‰o atenta para o cumprimento do artigo 35 da Constitui“‰o Estadual, que estabelece o pagamento dos vencimentos até o último dia útil do mês. “Está-se diante de quest‰o inquietante e extremamente grave, envolvendo verba de natureza alimentar , imprescind™vel‹ subsist’ncia da pessoa humanaÓ,mencionou. O magistrado disse ainda que devem prevalecer os meios de sustento do servidor, Òn‰o se lhe podendo impor o sacrif™cio do labor sem integral remunera“‰oÓ.

Decisão judicial também beneficiou sócios da Amapers Mesma ordem foi expedida em favor da Associa“‰o dos Monitores, Agentes e Auxiliares Penitenciários do Estado do Rio Grande do Sul (Amapers) pelo desembargador Vasco Della Giustina, integrante do 2º Grupo Cível do Tribunal da Justi“a do Estado. ÒO periculum Ô in moraÕdecorre da própria natureza da presta“‰o,que ” aliment™cia, n‰o admitindo maiores tergiversações, por óbvio”, pregou. DELEGADOS – Ação coletiva dos delegados de Pol™cia tamb”m foi encaminhada ‹ Justi“a exigindo pagamento integral dos salários em atraso. A categoria chegou a amea“ar com greve no dia 16 de mar“o, mas recuou.

matriz salarial, as entidades tamb”m exigiram a redu“‰o da diferen“a entre o maior e o menor vencimento, reajuste imediato de 28%, gratifica“‰o por dedica“‰o exclusiva e melhores condições de trabalho. Sob o slogan “Salário da seguran“a pœblica ” um caso de pol™ciaÓ, os manifestantes Centenas de servidores reœnem-se em assembl”ia unificada no Tesourinha tomaram as arquibancadas do fissionais de nível médio. Já no Distrito Fedeginásio e, munidos de apitos e narizes de paral, 700 PMs e bombeiros realizaram manifeslha“o, ouviram as propostas dos representanta“‰oem frente ao Minist”rio da Justi“a reivintes das associações. “Em fevereiro fomos dis- dicando aumento de R$ 2 mil no atual piso sacutir o aumento de salário com o governador e larial de R$ 1,4 mil. ÒO governo tem predile“‰o acabamos negociando o recebimento do mespelo segmento civil da seguran“a pœblica em moÓ,afirmou o Cel Cairo Bueno de Camargo, detrimento dos bombeiros e policiais militaresÓ, presidente da AsOfBM e da Fecasp. afirmou o representante da categoria, Cb SidSomados aos pedidos de reajuste salarial, ney Patr™cio. Se o aumento for conseguido, o os PMs ainda exigiram o retorno da verticalida- piso ainda será inferior ao da Polícia Civil e ao de e a execu“‰o do plano de carreira dos pro- do Detran, que ” de R$ 3,9 mil.

Ao t”rmino da assembl”ia geral unificada, os servidores da seguran“a pœblicaganharam às ruas da área central de Porto Alegre, provocando intenso congestionamento no tr›nsito. Em passeata, eles protestaram contra os baixos salários. “O governo está pagando para ver e a população ficará desamparadaÓ,advertiu o presidente da AbaCaminhada mobilizou servidores da BM, PC, IGP e Susepe mfBM, Leonel Lucas. Já a presidente da porque n‰o houve avan“os nas tratativas iniciUgeirm-Sindicato, Ad”lia Porto, assegurou que adas ainda em 2003. Oliveira reiterou que o apesar da paralisa“‰o, os servi“os essenciais ser‰omantidos. ÒA Pol™cia Civil, por exemplo, Executivo não dispõe de recursos, mas que está realizará apenas os flagrantes de homic™dios, es- aberto para negociar com as categorias profistupros e casos de maior gravidade”, frisou. Já o sionais. "A situa“‰o dos policiais militares e civis ” cr™tica. Reconhe“o que o governo tem liIGP fará exclusivamente laudos de necropsia. mites orçamentários, mas tem obrigações a Ao t”rmino da marcha, os manifestantes concentraram-se à entrada do Palácio Piratini, cumprir, como o pagamento em dia dos salários", disse o deputado estadual Estilac Xavier . onde as lideran“as foram recebidas pelo chefe da Casa Civil, Alberto Oliveira. Cerca de 30 mi- O governo reforçou a segurança da área externutos depois, retornaram ‹ rua, insatisfeitos. Isto na, com emprego de PMs nclusive a cavalo.


Pág 2 – 2» Quinzena de Mar“o 2004

MURAL DO LEITOR Contos Brigadianos A Editora Polost solicita que os autores dos Susepe contos ÒSonho de Inf›nciaÓ e ÒUm pedido de …com imensa satisfa“‰o que recebemos mensalmente as edições do Correio Brigadiano que é o elo entre os órgãos de segurança pœblicado Estado e que tem contribu™do para aumentar a integra“‰o. Aproveito a oportunidade para ressaltar a forma harmoniosa e incondicional apoio que temos recebido por parte da Brigada Militar, Pol™cia Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Estadual e Federal e outras entidades. Valdecir de Vargas - Agente Penitenciário

OPINIÃO

CORREIO BRIGADIANO

socorro do al”mÓ fa“am contato urgente atrav”s do telefone (51) 3339-7888 ou com o organizador da Antologia dos Contistas Brigadianos, Sgt Claudio Medeiros Bayerle, pelo telefone (51) 9108-3393 ou do e-mail bayerlle@pop.com.br. A obra encontra-se em fase de acabamento, com previs‰o de lan“amento para o dia 28 de abril, dentro das comemorações alusivas à Semana do Policial Militar, no Santander Cultural. Sgt Claudio Medeiros Bayerle - Porto Alegre

Manifesto Pessoal Considerando que: por for“a de regulamento o 1º Sgt ao passar para a reserva remunerada como 1º Ten não poderá retornar ao serviço ativo; recentemente foi criado o PM temporário; as associações de classe que são as legítimas representantes da corporacão, já se manifestaram contrárias às contratações de PMs temporários; o PM até chegar a graduação de 1º Sgt passou por diversos cursos para só então ser promovido; o 1º Sgt quando vai para a reserva remunerada já cumpriu o seu tempo de servi“o regulamentar, tem muito mais conhecimento t”cnico da atividade, tem pleno conhecimento dos regulamentos que regem a hierar-

quia e disciplina; o 1º Sgt tem plena condição de suprir as necessidades funcionais, as quais est‰osendo preenchidas por Òpoliciais temporários”, situa“‰o in”dita nos anos 150 anos da Brigada Militar... Sugiro que seja feita uma emenda, ou modifica“‰ono regulamento interno da BM, possibilitando que o Ten da reserva remunerada possa ser aproveitado para suprir a defasagem de efetivo, sendo que nada mais justo ” do que dar um reconhecimento digno a quem dedicou grande parte da sua vida ‹ corpora“‰o, para defender a sociedade muitas vezes com o risco da própria vida. 1º Ten RR Carlos I. F. Camargo - Porto Alegre

Jornal

Volto a agradecer o envio do jornal e parabenizo pela qualidade gráfica e editorial da publica“‰o. Alberto Oliveira - cchefe hefe da Casa Civil

Os artigos publicados com assinatura nesta página não traduzem necessariamente a opini‰o do jornal e s‰o inteira responsa bilidade de seus autores. As cartas devem ser remetidas para a coluna Mural do Leitor Leitor, com assinatura, identifica“‰o e endere“o. A Reda“‰o do JCB fica na Rua Bispo Willian Thomas, 61, CEP: 91.720-030, Porto Alegre/RS. Por razões de clareza ou espaço, as cartas poder‰oser publicadas resumidamente.

Vencimentos, remuneração... salário!

Associação Pró-Editoração à Segurança Pública Utilidade Pública Estadual e Municipal

Presidente APESP APESP:: Maj P”rcio Brasil çlvares Vice-Presidente Vice-Presidente:: Cel Verlaine U. Vasconcelos Tesoureiro: Sgt Claudio Medeiros Bayerle Secretário: Sgt Luiz Antonio R. Velasques Diretor-Presidente do Grupo Polost: Ten Cel Vanderlei Martins Pinheiro Registro no CRE 1.056.506

Marca no INPI processos nºs 824468635 e 824466934 Coordena“‰oAdministrativa e Financeira: Luci M. Pinheiro Ger’ncia Administrativa: Ten Carlos Taquatiá Apoio: Franciele Rodrigues Lacerda e Andressa çlvares Ger’ncia de Informática: Pércio Anelo Álvares Cursos Preparatórios e Profissionalizante: professora Mar™lia Monteiro Ger’ncia da Polost Livros: Suanemax Pereira Pinheiro Ger’ncia de Vendas: Cap RR D”cio da Silva Menezes Apoio: representantes Apesp Ger’ncia dadaPolost PolostPress PresseeData DataPolost: Polost: Cristiano Max Pinheiro Dire“‰odo JCB: Cel D”lbio Ferreira V ieira Ger’ncia de Reda“‰o:Jornalista Luciamem Winck MTb/RS nº 6514 Supervis‰ode Reda“‰o: Vera Eledina Leivas Pereira Estagiários: Camila Reinheimer, Felipe Bornes Samuel e Michelle Rolante Fotografia: En™dioPereira, Moisés Bastos, Paulo Pereira e arquivos fotográficos OPMs Ger’ncia da Circula“‰o: Ten Jorge Ubirajara Barros e representantes de OPMs Ger’ncia de Cidades: Ten Valter Disnei Sales Louren“o Ger’ncia Metropolitana: Ten Gilberto Filippi Teixeira Estagiária: Andreza Schumann e Cristina Carvalho da Silva Apoio: Tatiana Dux da Silva Ger’ncia Consultor de Rede: Walter Fuentes Robella Consultor de O&M: Ten Cel Santos Roberto Rocha

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Distribui“‰ogratuita dirigida: A todos os servidores civis e militares, da ativa e inativos da BM, policiais da ativa e aposentados da Pol™cia Civil, servidores da Susepe, IGP e instituições municipais de segurança, vereadores, prefeitos e parlamentares Tiragem: 30.000 exemplares Impress‰o:Oficinas Gráficas do Grupo Sinos/NH/RS Correio Brigadiano Editora Jornal™stica Ltda CNPJ: 05974805/0001-50 Sempre que voc’ encontrar o ™cone

E-mails Not™cias:jcb@seguranca.org.br significa que a reportagem está ampliada no site Circula“‰o:circulacao@seguranca.org.br Comercial: anuncio-int@seguranca.org.br www.patrulheiro.org.br anuncio-met@seguranca.org.br Suplemento Cultural:jcbcultura@seguranca.org.br Dire“‰o:jornal@seguranca.org.br Telefones: (51) 3339-7888 Reclamações: pinheiro@seguranca.org.br 3339-7754 ANO X - nº 139— 2ª Quinzena de Março 2004 Ñ A voz brigadiana da Seguran“a

N‰ointeressa o nome. Há um sufoco, com nove anos de idade, aprisionado no peito de cada policial gaœcho. Sufoco que n‰o ” grito e se expressa com veemência; que não está preso mas n‰o consegue se libertar. Sufoco que dói, que magoa e que nos indignifica sem que se deixe de ser digno. Sufoco que deixa incr”dulos os policiais com rela“‰o aos pol™ticos. Que imuniza os policiais nas questões ideológicas, exceto por alguns poucos desequilibrados existentes em qualquer grupo social. Que os desnorteia na hora de explicar aos filhos, alguns já adolescentes, sua impotência em ajudá-los materialmente. Isso tudo ” parte dos sentimentos experimentados pelos profissionais das carreiras da seguran“a pœblica do RS, por seus 108 meses sem recomposi“‰o salarial. Por outro, lado temos de analisar o governo em sua postura, informação e propósito. Quando falamos em governo n‰o estamos nos referindo ao atual, mas aos tr’s œltimos governos deste Estado – inclusive o atual. Falamos de Britto, de Ol™vio e de Rigotto. Falamos de nossa remunera“‰o quando outras categorias receberam, at” mais de uma vez, neste per™o-

do, alguma recomposi“‰o. Nossa indigna“‰o n‰o” com o titular do governo, mas tamb”m dele n‰o pode se afastar nosso sentimento, se ” dele a decis‰o de n‰o sermos inclu™dos no mesmo patamar em que já foram elevadas outras categorias. O governo é o responsável. Acreditamos que os governantes n‰o gostariam de enfrentar este julgamento daqueles que os elegeram. Mas tamb”m ” verdade que se institucionalizou um discurso fácil e conveniente em torno do crescimento vegetativo da folha e da insufici’ncia da arrecada“‰o. Governar ” administrar a escassez e quem assim n‰o entende que n‰o busque a vida pœblica nas urnas. Nos reportamos ‹ sociedade. Ela observa, tanto o governo quanto os policiais. Ela conhece os mecanismos de reposi“‰o que s‰o implementados pelo Estado ‹s categorias do Judiciário e do Legislativo, e até algumas categorias do próprio Executivo, que já tiveram algum n™vel de recomposi“‰o. A sociedade tem elementos para analisar esta situa“‰oe a ela, tamb”m, cabe julgar a postura e as informações do Executivo. Verifiquem a arrecada“‰ode nove anos atrás e julguem se não há uma flagrante injusti“a para com os profissi-

onais da seguran“a pœblica. A arrecada“‰o cresceu muito mais do que a folha dos servidores. Acreditamos que nenhum governante tem como propósito não repor salário a alguma categoria profissional, por qualquer sentimento pessoal. Acreditamos que gostariam de alcan“ar a todos. Mas que problema de incapacidade administrativa de nossos œltimos governantes se formos crédulos desse discurso. Há nove anos n‰o somos aumentados e o problema do Estado está cada vez mais deteriorado. Os homens s‰o escravos de suas palavras e promessas. O atual governo ganhou um ano para estudar como resgatar a d™vida, dele e de seus antecessores, com as categorias da seguran“a pœblica.Acreditamos que eles tenham um projeto pronto a oferecer que, mesmo n‰o sendo o ideal, possa servir de alternativa ao processo de aniquilamento psicológico, que vivem os indiv™duosdessas categorias. Garantidamente, aqueles que do palanque inferiram, ou aceitaram a infer’ncia de que dignidade também é salário, por si ou por seus pares, ter‰o de voltar ao palanque e enfrentar, n‰osó as categorias da segurança, mas o discurso deles junto ‹ sociedade.

CIDADE

Seis PMs garantem a segurança do BM de Cruzeiro do Sul está sob novo comando Autoridades civis e militares prestigiam a chegada do 1º Sgt Ederson Dorneles na cidade município de Saldanha Marinho A Brigada Militar de Cruzeiro do Sul reali- Durante a cerimônia foram apresentadas Currículo

Há quatro anos no comando da BM de Saldanha Marinho, o 1º Sgt Reiber Henrique Cavalheiro Pinto tem conseguido manter a ordem e a tranqüilida1º Sgt Reiber de no munic™pio. Durante o veraneio, os PMs desenvolveram a vigil›ncia integrada. No per™odoem que os moradores passaram na praia, todas as casas cadastradas junto Sd Keller ‹ BM foram fiscalizadas pelos policiais militares. Conforme o Cmt, as principais ocorr’ncias registradas na cidade s‰o amea“as e desordem. Este ano, o Sgt Reiber pretende intensificar a fiscaliza“‰o do tr›nsito. Cinco servido-

Cel Neme atua na adaptação dos PMs às novas regras Defensor incansável dos direitos humanos dos militares, o Cel RR Em™lio Jo‰o Pedro Neme visitou o Jornal Correio Brigadiano (JCB), no dia 11 de mar“o, para falar de sua mais recente luta: a adapta“‰o dos policiais militares ao Estatuto de Desarmamento. ÒAtrav”s do JCB será possível esclarecer os órgãos da SJS sobre a necessidade de realizar um novo registro de armas. As organizações devem regularizar suas armas cumprindo o Estatuto e evitar o acontecimento de mais casos de pris‰o de militaresÓ,explicou o Cel Neme. Nos œltimos meses, tr’s policiais foram punidos com pris‰o em Cidreira, Tramanda™e Caxias do Sul por desrespeitarem o Estatuto. Na edi“‰o 140, o JCB trará detalhes destes casos e se aprofundará nas ações realizadas para capacitar e instruir toda a área da segurança pública em relação ao pol’mico Estatuto de Desarmamento, em vigência em todo o território nacional.

Servidores da DP de Lajeado passam por qualificação

ITINERANTE Edu Campelo Castro Lucas - Cel Cav

Herói Lendo “Personagens de Nossa História“, de Hermito Lopes Sobrinho, tive minha aten“‰odespertada para o relato sobre um oficial da BM do Rio Grande do Sul. O então 1º Ten Jos” Scheid Ramos, do 2º BPM, encontravase, no dia 18 de abril de 1968, em Jœlio de Castilhos, a servi“o de sua corpora“‰o. Durante a visita que fez ‹ Delegacia de Pol™ciadaquela localidade lhe foi apresentada uma granada de m‰o que se encontrava naquele estabelecimento há muitos anos. Conhecedor do referido material, pois possu™a curso de especialização, passou a examiná-lo. O pino de segurança já bastante corroído e até mesmo improvisado n‰o cumpriu sua finalidade e a granada foi acionada. Tratava-se de um artefato metálico, de fabrica“‰ofrancesa e que detonaria em aproximadamente quatro segundos. O oficial pensou em arremessá-lo pela janela, mas aban-

donou a id”ia ao verificar que alguns colegiais, de uma escola das proximidades, passavam pelo local. Raciocinando muito rapidamente, gritou para quem estava na sala (umas oito pessoas) que se jogassem no ch‰o. A seguir, segurou a granada com a m‰o direita bem levantada e procurou proteger o rosto com o bra“o esquerdo. Com a explos‰o, ele perdeu alguns dedos da m‰o direita que ficou esfacelada e, ainda, sofreu escoriações disseminadas pelo corpo. O Ten Scheid foi promovido a Cap e reformado por incapacidade f™sica. O acontecimento teve repercuss‰o nacional e at” mesmo internacional, conforme os noticiários da época. Algumas unidades do Ex”rcito convidaram o referido oficial para proferir palestras para a tropa e o apontavam como exemplo de desprendimento e bravura. Estranhei n‰o ter sido mencionada nenhuma condecoração que, para nós

Presidente da FAMIL-RS

militares tem um significado todo especial. Lembrei ent‰o e porque n‰o, da Medalha do Pacificador. Diz o decreto que a referida comenda ” concedida pelo Cmt do Ex”rcito aos membros das For“as Auxiliares que, pelos servi“os prestados, se tenham tornado credores da homenagem especial do Ex”rcito. Ora, o Ten Scheid prestou servi“os ‹ For“a terrestre ao ser apresentado nas organiszações militares do RS. A concess‰o da Medalha do Pacificador ‹ determinada personalidade do governo, recentemente, deu margem ‹ publicação de comentários de militares insatisfeitos com a distribui“‰o da honraria. A sugest‰o de conceder a Medalha de Caxias ao destemido oficial da Brigada Militar em quest‰o, confirmaria a tese de que nunca ” tarde para se fazer justi“a, n‰o sofreria rejeições e tenho certeza, agradaria a nós que possu™most‰o grande honraria.

2» Quinzena de Março 2004 – Pág 15

CORREIO BRIGADIANO

Agentes da Pol™cia Civil de Lajeado receberam, em 4 de mar“o, um curso de atualiza“‰o. Conforme o delegado Marcos Rog”rio Peroto, titular da DP local, o objetivo ” qualificar o trabalho policial. O curso teve dura“‰o de oito horas e foi ministrado atrav”s de um ciclo de palestras nas depend’ncias da Universidade do Vale do Taquari (Univates). Durante o curso, os policiais receberam informações sobre identifica“‰o (papiloscopia, sistema de classifica“‰ode digitais, coleta de impressões, identifica“‰ocriminal), com a participa“‰o da papiloscopista Ivete Bergesch. Tamb”m foram abordados conhecimentos sobre bancos de dados informatizados (sistemas da Pol™cia Civil, de outros órgãos da Secretaria da Justiça e da Seguran“a, e demais instituições federais e privadas). Essas palestras foram ministradas pelo delegado Marcos Rog”rio Peroto e pelo inspetor Valdenir Massaiol. COMANDO – O Cel Cláudio Afonso Gonçalves assumiu o comando do CRPO-Serra no lugar do Ten Cel Waldir Jo‰o Reis Cerutti. Em Gramado, o Maj Paulo Adilson Koch passou o comando do CRPO-Hort’nsias para o Ten Cel Altemir Folgiarini Ferreira.

3º Sgt Valmir

Sd Rigo

Sd Alcides

Sd Lœcio

res, al”m do Sgt Reiber, garantem a seguran“a dos 3,9 mil habitantes. Compõem o elenco o 3º Sgt Jo‰o Valmir Waischung e os Sd Jair Siqueira Keller, Lœcio Venus Rodrigues, Jair Antônio Leonardo Rigo e Alcides dos Santos Prates

zou troca de comando no dia 18 de dezembro do ano passado. O novo Cmt do Pelot‰o do munic™pio,formado por um 3º Sgt, sete Sd e um 2º Sgt CVMI, é o 1º Sgt Ederson Dorneles, que substitui o 1º Ten Antônio da Rosa Cunha na fun“‰o. Muitas autoridades militares compareceram ‹ solenidade, em especial o Maj Carlos Alberto Schneider, o Cap Vanderlei da Rosa e a Cap Nádia Rodrigues Silveira. Autoridades civis tamb”m prestigiaram o evento. Sd Elizandra Entre os presentes ilustres estavam o vice-prefeito de Cruzeiro do Sul, Inácio Weschenfelder, o presidente da C›mara Municipal, Paulo Alexandre, o gerente da Caixa Econômica Federal, Renato Zanella, o gerente do Sicredi, Luis Fernando Dorr e o vereador Jos” Paulo Mallmann.

‹ comunidade as PMs Elizandra Schenkartzuck e Izoneide Tanise Carazzo. As Sd s‰o naturais de Porto Xavier e Santa Rosa, respectivamente. Ambas conclu™ramo CBFPM em dezembro de 2003 , sendo classificadas para o Pel de CruzeiSd Izoneide ro do Sul e apresentadas no dia 15.

Solenidade de passagem de comando

Natural do município de Cacequi, o 1º Sgt Ederson Dorneles Menezes ingressou na BM em 1994. Após ter freqüentado o Curso de Forma“‰o de Soldado, iniciou suas atividades no 1º Esquadrão do 1º RPMon, em Santa Maria. Em 2001, após a conclus‰odo Curso T”cnico de Seguran“a Pœblica, o Sgt foi promovido a graduação de 2º Sgt. A partir da™, assumiu o comando da BM do munic™pio de Imigrante, sendo transferido, em 2003, para o Pelot‰o de Teutônia. No mesmo ano, assumiu a fun“‰o de Auxiliar de Disciplina dos Al Sd do Curso Básico de Forma“‰o Policial Militar do CRPO-VTC, deixando o cargo apenas no dia da formatura. Promovido em junho do ano passado ‹ graduação de 1º Sgt, Ederson Dorneles Menezes assumiu, em dezembro do mesmo ano, o comando do Pelot‰o do munic™pio de Cruzeiro do Sul.


Porto Alegre Alegre,, 2» Quinzena de Mar“o 2004

CB de Estrela busca integração com as crianças Ano X - Nº 139

* Jóia (12) * Osório (9 e 14) * Pelotas (14) * Pinheiro Machado (13) * Rosário do Sul (13) * Saldanha Marinho (15) * Santa Bárbara do Sul (15) * Santo ångelo (15) * Sapiranga (11) * Soledade (13) * Tapes (11) * Tramanda™(14) * Viam‰o(13)

Porto Alegre, 2ª Quinzena/Março 2004

Crian“ada levou capacates para participar das atividades desenvolvidas no projeto Bombeiro por um Dia

Aniversário de OPMs e entidades

– 12

POLÍCIA CIVIL

Maio 5 – PM-SC 6 – 11º BPM 8 – CRPO-Missões 9 – CCom

Trabalhadores da Segurança- Irmãos de Ofício

Polícia Civil, IGP e Susepe entram em greve. Brigada Militar opta pela operação padrão

Confira nesta edição * Agudo (10) * Boa Vista do Buricá (14) * Campo Bom (9 e 11) * Candelária (12) * Cândido Godói (13) * Catu™pe (12) * Caxias do Sul (10) * Cruzeiro do Sul (15) * Estrela (12) * Flores da Cunha (14) * Getœlio Vargas (12) * Iju™ (14)

APESP

12 – 10º BPM 13 – 8º BPM 13 – PM-DF 13 – PM-RJ

Polost lançará Antologia Poética de Policiais Civis

Mais de 3 mil servidores da SJS participam da assembl”ia que...

Projeto Fronteiras conta com novas viaturas

... frente do Palácio Piratini, onde voltam a protestar

Luiz Eduardo Barbosa/SJS

Competição agita a orla de Torres

... culmina com passeata pelas ruas do Centro de Porto Alegre até a...

Priscila de Souza defenderá 15º BPM no Musa JCB

Delegados Adalberto e Ivo selecionaram os poemas

–4

Salva-vidas nadaram 1,8 mil metros na prova realizada no Litoral

–7

Agentes da DP de Lajeado passam por qualificação

– 15

Valença defende o nome da BM no Atletismo

–3 Mulheres conquistam espaço nas guaritas do Litoral Norte

As 20 picapes ir‰o refor“ar o policiamento na Fronteira Oeste

–6

Cel Almeida e Cel Monteiro seguem para o merecido descanso – 9 e 13

CIANOMAGENTAAMARELOPRETO

Oficial disputou a Supermaratona pela terceira vez, finalizando em 20º

–7

As Sd Vânia e Marisa e a 1º Sgt Simone atuaram com esmero na orla

–7

CAMPINA DAS MISSÕES Aos sete anos, Priscila quer surpreender no Musa

– 10

Cmt destaca empenho de 14 colaboradores

–8


JCB 139 Mar2004