Issuu on Google+

Sabe-tudo / 16

Valter Campanato/ABr/CR

Saúde / 9

Div./CR

Brasileiro desconhece formas de prevenção do diabetes

Como a vida surge e evolui nos extremos da Terra

Correio Riograndense Para assinar ligue: (54) 3220.3232

Ano 105 - Nº 5.369 - R$ 2,00

www.correioriograndense.com.br

Caxias do Sul - 30 de outubro de 2013

9912326314 - DR/RS

Senar SC/Especial/CR

✦ INCLUSÃO DIGITAL

Uma janela aberta para o meio rural

Cursos a distância registram 200 mil matrículas no campo, onde só 10% têm acesso à internet ✦ MUNICÍPIOS

✦ TEOLOGIA

Legislação põe freio nas emancipações

Respostas do primeiro módulo do Curso

Página 4

Página 13

Fábio Pozzebon/ABr/CR

✦ MOBILIDADE URBANA

Trânsito: trajeto casa-trabalho tira meia hora/dia do brasileiro. Páginas 2 e 8

Devagar, quase parando

Internet ajuda agricultor na capacitação e desenvolvimento social. Página central


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

“Que sair de automóvel seja uma opção, não uma obrigação decretada pelo falho, desconfortável e irregular transporte público.” Editorial

2 - Editorial

É preciso mudar do individual para o coletivo

N

unca na história do Brasil houve tantos anúncios de obras para mobilidade urbana. A realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas já deflagrara movimentos nesse sentido. Mas, agora, parece que os governantes despertaram para um problema que não para de crescer em área e complexidade. Mais do que isso: caminha para a irreversibilidade. Na semana passada foram divulgados recursos recordes para obras. Metrô, corredores de ônibus e outros sistemas de transporte público desfilaram como metas inadiáveis. E de um dia para o outro, choveu um mar de soluções. Infelizmente, a experiência mostra que as coisas não

funcionam assim no Brasil. O pior é que as dificuldades avolumam-se, espalhando contratempo e confusão. Estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) concluiu que o brasileiro consome, em média, mais de 30 minutos para percorrer o trajeto de casa ao local de trabalho. Cerca de 20% gastam mais de uma hora. E os pobres são os mais prejudicados. Na raiz desse absurdo desperdício de tempo está uma política que privilegia o transporte individual. Não é por nada que a frota de automóveis saltou de 30 milhões, em 2000, para 76 milhões, em abril deste ano. E ela vai aumentar, como projetam especialistas.

Se está devagar, o trânsito nas grandes e médias cidades vai piorar. A menos que os gestores dos sistemas de mobilidade surpreendam e superem os desafios. A lei promulgada em 2012 prevê, por exemplo, restrição ao uso inadequado do automóvel. Ninguém tem o direito de impedir um cidadão de comprar um veículo. Mas é fundamental que a política atual para o setor - iníqua, excludente e ineficiente mude e estimule o uso racional e a expansão das redes de condução coletiva. Que sair de carro seja uma opção, não uma obrigação decretada pelo falho, desconfortável e irregular transporte público.

Correio do leitor Indranil Mukherjee/ AFP/CR

UM PASSEIO VITORIOSO Com o domínio de ponta a ponta, o alemão Sebastian Vettel conquistou o GP da Índia no domingo 27 e se sagrou, aos 26 anos, tetracampeão da Fórmula 1. A tarefa do piloto da Red Bull, que já era confortável, ficou ainda mais simples na segunda volta, quando Fernando Alonso, até então seu rival pelo título, foi tocado e precisou parar para trocar o bico de sua Ferrari. Vettel (à direita na foto) é o quarto tetracampeão da história da F1, juntando-se a Michael Schumacher (sete títulos), Juan Manuel Fangio (cinco) e Alain Prost (quatro). Destes, porém, só Schumacher e Fangio conquistaram quatro mundiais seguidos, como fez Vettel, e nenhum conseguiu atingir a marca com tão pouca idade. O segundo lugar ficou com Nico Rosberg, da Mercedes. O brasileiro Felipe Massa, que deve obter vaga na Williams, chegou em quarto. Faltam ainda três provas da F-1, uma no Brasil.

Correio Riograndense FUNDADO EM 13 DE FEVEREIRO DE 1909 Filiado à ADJORI-RS e ABRAJORI Diretor de Redação: frei João Carlos Romanini Editor-chefe: Ibanor J. Sartor Editores-assistentes: Maria de Fátima Zanandrea e Marcelino C. Dezen Editado por: ASSOCIAÇÃO LITERÁRIA SÃO BOAVENTURA / EDITORA SÃO MIGUEL

Direção-geral: frei Álvaro Morés Redação, Administração, Comercial e Assinaturas: Av. Alexandre Rizzo, 534 CEP: 95110-000 - Caxias do Sul - RS Telefone: (54) 3220-3232 Impressão: Zero Hora Editora Jornalística S.A. / Jornal Pioneiro

Circulação às quartas-feiras Website:

www.correioriograndense.com.br Redação: E-mail:

jornalcr@jornalcr.com.br Comercial/Assinaturas:

comercial@jornalcr.com.br Representante Comercial

Media Opportunities do Brasil Comunicação Ltda.

Rua Frei Caneca, nº 91, 13º Andar Bairro Consolação – São Paulo/ SP Fone (11)3255-2522 - www.mobrasil.com.br (Em todo território nacional, exceto Caxias do Sul e Porto Alegre - RS) Porto Alegre (RS): Ramgrab Representações Rua Eça de Queiroz, 220/401 - Fone (51) 91050082 - 90670-020 - Porto Alegre - RS Veículo associado

Leitura crítica A árdua missão de educar e ensinar Karine Luiza Biguelini

A sociedade fala, o povo comenta e alguns pais muito criticam dizendo que o erro está nos professores; que a culpa é dos professoAtualmente em nosso país vivemos uma res; são os professores quem estão deixanrealidade educacional que vem preocupando do a desejar... Mas será que esses “críticos muitos profissionais e dentro deste contexto de plantão” acompanham as atitudes de seu entende-se que é necessário haver mudanças filho? Aliás, quantas horas por dia o filho extraordinárias para que o processo de ensi- tem contato e/ou convívio com seus pais? no e aprendizagem não piore ainda mais. Eis as questões... Ao mesmo tempo em que E a pergunta que todos devem estar se fa- procura-se o culpado, esquecem-se de suas zendo: mas o que há de tão errado? Ouve- obrigações. Diante destes vários fatores/problemas é se falar tanto no aprimoramento de escolas e profissionais cada vez mais qualificados, possível verificar em algumas realidades a liberdade em demasia, a qual é o problema enfalta de amor, a falta de tão? Há liberdade em demasia, Deus e a falta de diálogo. Eis que surge daí a falta de amor, falta de Deus E tentando compreender apresentação e levantae falta de diálogo mento da situação atual: todos os desafios que na escola, os professosão proporcionados ao res além de exercer sua profissão estão (mais profissional de educação, buscam-se respostas do que nunca), exercendo o papel de “pais”. para as mais diversas situações. Da mesma forma que a evolução das tecnoRealidades vividas e noticiadas pelos meios de comunicação apresentam preocupantes logias está se tornando cada vez mais avane sintomáticas histórias e acontecimentos çada, as crianças também estão inseridas em oriundos do tamanho desrespeito dos alunos adaptações. O fato é que se faz necessária com seus professores e demais profissionais uma mudança de comportamentos, onde se insere a verdadeira capacidade dos pais em que trabalham neste mesmo ambiente. Aos professores está sendo somada, obri- controlar as atitudes de seus filhos, para que gatoriamente, a árdua e difícil missão tam- em meio ao processo de aprendizagem, os bém de “educar” seus alunos, mesmo saben- profissionais consigam com maior ênfase redo do seu principal objetivo que é “ensinar/ alizar o que lhes é conferido desenvolver na escola: ensinar. transmitir conhecimentos” a eles. Professora, Derrubadas - RS

Médicos cubanos

“Conforme matéria no CR, um médico lá em Cuba ganha R$ 450 por mês e o governo brasileiro vai pagar ao regime cubano R$ 10.000 por cada um que vier trabalhar aqui. Essa medida tem cheiro de mensalão e o governo cubano é que vai controlar isso. Pelo que vejo, nosso maior problema não é a saúde, mas leis e justiça. Portanto, estamos no caminho certo – devemos importar leis e juízes de Cuba para julgar a maior vergonha brasileira, que se chama mensalão. Afinal de contas, alguns dos julgados são remanescentes da Guerrilha do Araguaia, que queria adotar leis cubanas, com direito ao paredon. Para eles, será um orgulho serem julgados pela lei que queriam nos impor”. Jayme Berta, Medianeira - PR

Casa das Etnias

“Em nome do Ponto de Cultura Casa das Etnias, agradeço pela divulgação da inauguração do prédio que abriga o Ponto de Cultura, bem como pela divulgação da 3ª Semana das Etnias”. Iraci Marin, Coordenador, Caxias do Sul - RS

Bandas marciais

“Foi um espetáculo o 13º Encontro de Bandas Marciais/Musicais, no domingo 6, no parque da Fenachamp, com a participação de 7 bandas. Parabéns à Escola Irmã Teofânia pela promoção”. Avelino Ló, Agente, Garibaldi - RS

Educação

“Hoje, fala-se da educação do passado, do futuro e se esquece a mais importante, a do presente... Infelizmente, muitos resumem a missão da escola em transmitir conhecimentos. Sim, esta também é função da escola, mas a sua missão, ao resumir-se apenas a isto, torna-se pobre e defasada. Além dessa tarefa, ela tem a missão de preparar homens para fazer o correto uso do conhecimento, o que implica trabalhar para que dela saiam homens íntegros”. Ivo Adamatti, Professor, Caxias do Sul - RS Cartas e e-mails devem conter endereço completo e telefone do remetente. As correspondências não são necessariamente publicadas na íntegra.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

“O meio empresarial de Caxias é feito por pessoas que fizeram história, e nosso compromisso agora é fazer com que isso permaneça e cresça.” Empresário Davi Randon

3 - Caxias

✦ GIGIA BANDERA

Jaime Bettega

Empresários agraciados

Olhar à vida

David Abramo Randon, diretor-presidente das Empresas Randon; Edson D’Arrigo, diretor-presidente da Intral S/A; e Valdir Baú, diretor da Tramontina, de Garibaldi, são os empresários homenageados com o Mérito Metalúrgico Gigia Bandera 2013. A distinção, que chega em sua 21ª edição, é uma iniciativa do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs), presidido por Getulio Fonseca. A solenidade de entrega da distinção está marcada para o dia 22 de novembro, no Clube Juvenil. David Randon, 54 anos, natural de Caxias do Sul, é formado em Engenharia Mecânica pela PUC-RS. Iniciou suas atividades nas Empresas Randon em 1983, quando assumiu a filial do grupo em São Paulo, permanecendo nessa função por 14 anos. Em 1992, David assumiu a vicepresidência do Conselho de Administração da Randon e, em 2009, foi nomeado diretor-presidente do grupo. Desde 1996, acumula também a função de diretor-presidente da Randon Argentina. “O meio empresarial de Caxias é feito por pessoas que fizeram história, e nosso compromisso agora é fazer com que isso permaneça e cresça”, declarou Randon ao saber da homenagem. Edson D’Arrigo nasceu em Caxias em 1961. Formado em Engenharia Elétrica pela PUC-RS, é também mestre em Qualidade e Produtividade na Indústria. Em 1985, Edson fez um estágio na Intral, atuando em diferentes setores. De 1989 a 1993, trabalhou na Enxuta. Logo após, voltou para a Intral e, em 2005, assumiu

Júlio Soares/Divulgação/Correio Riograndense

Entrega da outorga será dia 22 de novembro, no Clube Juvenil

Edson D’Arrigo, David Randon e Valdir Baú ganham o Mérito Metalúrgico a presidência da empresa. Valdir Baú, 70 anos, é natural de Carlos Barbosa. Cursou Ciências Políticas e Econômicas na Universidade de Caxias do Sul (UCS) de 1965 a 1968. Começou a trabalhar na Tramontina em 1961. Dois anos depois, participou da fundação de uma nova empresa do grupo, a Indústria Metalúrgica Tramontina, que mais tarde virou a Tramontina Garibaldi, da qual é diretor. Desde 2001, faz parte do Conselho de Administração da companhia. Os nomes indicados foram avaliados e escolhidos por uma Comissão Especial do Simecs. O Mérito Gigia Bandera homenageia personalidades empresariais

✦ FESTA DO AGRICULTOR

do setor industrial que se destacam por sua atuação ética, moral e profissional, evidenciada pela conduta empreendida e pelas atividades desenvolvidas em seus segmentos. O Gigia Bandera foi instituído em referência a Luigia Carolina Zanrosso Eberle, conhecida como Gigia Bandera. Ela chegou ao Brasil em 1884, instalando-se em Caxias. A ligação com a indústria decorre de sua dedicação à frente de uma funilaria adquirida pela família em 1886. Ela foi pioneira na indústria metalúrgica de Caxias. A funilaria familiar deu origem à metalúrgica fundada pelo filho Abramo Eberle, empresa precursora do ramo.

✦ CULTURA E CULINÁRIA

Forqueta promove festival de massas

Rainha (c) e princesas eleitas divulgam a 8ª Festa do Agricultor

Fazenda Souza elege soberanas Jocasta Paloschi, 22 anos, é a rainha da 8ª Festa do Agricultor de Fazenda Souza. Ela e as princesas Leticia Deinani, 18; e Juliana Camazzola, 23, têm a missão de divulgar a festa, marcada para os finais de semana de 25, 26 e 27 de julho e 1º, 2 e 3 de agosto de 2014. As soberanas foram eleitas entre cinco candidatas, na noite do sábado

26, em evento no Clube Minuano. O concurso reuniu mais de mil pessoas e contou com a animação das torcidas das candidatas. O vice-prefeito Antonio Feldmann, a secretária do Turismo, Drica de Lucena, e os subprefeitos Jurandir Palandi (de Fazenda Souza) e Ricardo Daneluz Neto (de Vila Oliva) prestigiaram o evento.

Culinária também é cultura. Ciente disso, o Ponto de Cultura Costurando Sonhos, de Forqueta, promove o 1º Festival de Massas. O evento será realizado dia 9 de novembro, a partir 20h30, no salão paroquial da comunidade. Alunos que participam das oficinas de música, teatro e dança, oferecidas no Ponto de Cultura, se apresentarão na noite do jantar. Haverá também uma mostra de artesanato com peças produzidas pelas artesãs dos cursos de macramé e palha de trigo, também ministrados no Ponto de Cultura Costurando Sonhos. A animação do Festival de Massas ficará por conta do grupo de filó Felice Personne. O ingresso para o evento, nesta primeira edição, será por adesão, ao preço de R$ 25. O cardápio do festival terá bigoli ao molho carbonara, taiadele ao molho branco com legumes, macarrão ao molho bolonhesa, tortéi ao molho de frango, galeto, pão, salada verde, café e biscoito. Ingressos antecipados pelos telefones (54) 3206-1668 e 9985-3275, com Sandra Bonetto.

A

Um dia partiremos

lgumas inscrições captam a atenção e desencadeiam profundas reflexões. Essa ‘movimentação’ interior permite adentrar num campo que é muito particular: a interioridade humana. É um mundo que adquire o formato da individualidade; espaço de solidão, sonhos, arquivo de confidências, lugar da transparência. Uma simples palavra ou a letra de uma canção pode elevar o pensamento ou reportar a longínquas paragens, sem que a pessoa saia fisicamente do lugar. O ser humano é simplesmente fantástico. Dias atrás, num muro, uma inscrição prendeu minha atenção e evocou reflexões: “Aqui se acabam riqueza, orgulho e vaidade.” Seria apenas mais uma frase se a mesma não se referisse ao cemitério, espaço onde jazem os entes queridos. O lugar do ‘descanso final’ iguala a todos. Não há mais distinção. Mesmo que algumas sepulturas possam ser ostentação, o fim último não discrimina, todos são visitados e convocados para o definitivo. A caminhada terrena é feita de muitas escolhas. Há quem imagina durar para sempre. Não aceita refletir sobre o fim. Vive como se não precisasse de ninguém, apega-se ao que terá que ser deixado por aqui mesmo. Um jeito de viver é Não tem uma boa relação com optar pelo bem. A o tempo, procura bondade é como esconder o número uma luz que afasta a de anos, evita penescuridão do orgulho sar na partida. Um dia, porém, será e da vaidade necessário partir. Um ponto final será colocado. Termina a riqueza, o orgulho e a vaidade. Permanece somente o essencial. Muito já se falou e muito ainda será comentado sobre essa verdade denominada morte. Evidente que a preocupação maior sempre será a vida. Não há necessidade de passar os dias imaginando ou sofrendo por se aproximar do momento final. Querendo ou não, o veredito será dado. Sem a possibilidade de levar alguma bagagem, o passaporte será o bem realizado. Em rápidos segundos, as boas obras são agrupadas e sintetizadas. Daqui só se leva o bem que se faz. A transitoriedade pode favorecer escolhas e posturas que engrandecem a vida. Negar o término da existência, neste mundo, não ajuda em nada. Viver valores que vão além do tempo parece ser sinal de inteligência. Um jeito criativo de viver é optar pelo bem e não cansar de recomeçar a cada amanhecer. A bondade é como uma luz que afasta a escuridão do orgulho e da vaidade. Afinal, permanecerão para sempre as marcas de saudades, bem querer e de eternidade. Diariamente você pode acessar mensagem especial de frei Jaime, como a reproduzida ao lado, no Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest

“A vida tem sentido pelo fato de sermos capazes de construir relacionamentos. E o primeiro relacionamento é conosco mesmos.” @freijaime


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

Paulo Ziulkoski, presidente da CNM

4 - Municípios

✦ EMANCIPAÇÕES

Informe CR

Freio nas novas cidades

Mão Amiga é de utilidade pública Os parlamentares de vos do poder público. A Caxias aprovaram, por proposta foi de autoria da unanimidade, o proje- Mesa Diretora da Casa. to de lei que declara de A entidade, fundada em utilidade pública a As- 6 de maio de 2010, atua sociação Mão Amiga. na proteção e defesa de Com isso, a entidade crianças e adolescentes e poderá receber incenti- na promoção da família.

Projeto restringe a criação de novos municípios no país Incluídos e excluídos Região

Nordeste Sul Norte Sudeste Centro-Oeste

População exigida

Municípios atuais

Fora dos critérios

8.782 12.546 6.273 12.546 6.273

1.793 1.191 450 1.668 466

532 794 105 908 178

%

29,7 66,7 23,3 54,4 38,2

Total municípios: 5 .568 Os municípios atuais que não atendem o critério população: 2.517 ou 45,2%

populacional abaixo da média mínima regional estabelecida. A media é 8.782 para o Nordeste, 12.546 para o Sul e Sudeste e 6.273 para o Norte e CentroOeste. “Caso um dos dois não atenda a esse critério, a criação e o desmembramento serão inviabilizados”, afirma. No entanto, se atender ao requisito populacional, o distrito será submetido ao estudo de viabilidade. Esse propõe análise em três aspectos: economico-financeiro, político-administrativo e socioambiental e urbano. Após o estudo de viabilidade, um plebiscito para criação, incorporação, fusão e desmembramento será aplicado na região. Em atendimento à determinação constitucional, o texto aprovado manteve a obrigatoriedade de ocorrer votação nas duas áreas. “Se o resultado da consulta populacional for negativo à emancipação, novo plebiscito com o mesmo objeto só pode ser feito após dez

anos”, esclarece o presidente da CNM. Outro ponto levantado pelo estudo da Confederação é o que trata da obrigatoriedade de ter subscrito pelo menos 20% dos eleitores residentes na área para ingressar com requerimento para criação ou desmembramento. No caso de incorporação ou fusão a exigência é de 10%. “Nesse sentido, fica a dúvida de como será o tratamento dado aos projetos já enviados às Assembleias Legislativas”, destaca. Arcoverde - A localidade de Arcoverde deseja emancipar-se de Carlos Barbosa, na Serra gaúcha, há duas décadas. “O projeto aprovado pelo Senado é uma injustiça. Vamos nos mobilizar”, adianta ao CR o presidente da Comissão de Emancipação, Agostinho Salvi. Segundo ele, o distrito possui 3.000 moradores e tem economia estruturada na agropecuária e agroindústria. Divulgação/CR

O sonho de 20 anos de Arcoverde, distrito de Carlos Barbosa (RS), se tornar município ficou mais longe depois que o Congresso Nacional aprovou o projeto que muda as regras para a criação, fusão, desmembramento e incorporações de municípios. A aprovação aguarda agora a sanção presidencial. “O projeto dificulta bastante a criação de novas cidades pela rigidez das normas e regras instituídas”, analisa o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM) Paulo Ziulkoski. Com o novo ordenamento legal, os pedidos de emancipações só podem ser enviados às Assembleias Legislativas se estiverem de acordo com as determinações do projeto prestes a se tornar lei. Entre os critérios mais rígidos está o relacionado à quantidade populacional. Segundo a CNM, 45,2% dos atuais municípios não atenderiam a determinação, e não poderiam sequer chegar à fase de realização do estudo de viabilidade (ver quadro). “Na região Sul, 66,8% dos municípios não se enquadram à norma e na região Sudeste, 54,8%”, exemplifica Ziulkoski. Ou seja: se os critérios valessem para os atuais municípios, 2.517, ou 45,2%, voltariam à condição de distrito. Para a criação e desmembramento de municípios, o texto diz que tanto o distrito a ser emancipado quanto o remanescente não pode ter quantidade

Carlos Heinen é reeleito presidente da CIC O empresário Carlos da entidade os empreHeinen foi reeleito, por sários Reomar Slaviero, maioria de votos, pre- na vice-presidência de sidente da Câmara de Indústria; Analice CarIndústria, Comércio e rer, na vice-presidência Serviços de Caxias do do Comércio; e CelestiSul (CIC) para o biênio no Oscar Loro, na vice2014-2015. Com Hei- presidência de Serviços. nen foram reeleitos para A posse será dia 16 de o Conselho Executivo dezembro. Giovana Schimitt/Div./CR

“O projeto dificulta bastante a criação de novas cidades pela rigidez das normas e regras instituídas.”

Presidente Heinen e os vices Analice, Loro e Slaviero

Souza é Cidadão Caxiense A dedicação do ra- sessão solene da Câmadialista Luiz Carlos ra Municipal de Caxias Oliveira de Souza à co- do Sul. Souza, que é namunidade local foi re- tural de Bom Jesus, atua conhecida por meio da hoje como repórter da concessão do título de unidade móvel da Rádio Cidadão Caxiense, em Caxias. Mais Bela Negra 2013 As inscrições para o da Mulher (4º piso do concurso da Mais Bela Centro Administrativo). Negra 2013 estão aber- As interessadas devem tas até 5 de novembro e ter entre 15 e 26 anos. O devem ser feitas na Co- concurso será realizado ordenadoria de Promo- dia 22 de novembro no ção e Igualdade Racial Ponto de Cultura UAB ou na Coordenadoria Cultural.

Arcoverde, distrito de Carlos Barbosa, busca emancipação há 20 anos e vai continuar lutando

Novas áreas pressionam as contas públicas da União O que parece ser restritivo para a Confederação Nacional de Municípios, para outros pode se assemelhar a uma farra, cujos custos acabam caindo no colo da União. Estima-se que a nova regra vai criar 180 municípios, que vão gerar quase 30 mil cargos. A conta é simples. São 360 prefeitos e vice-prefeitos; 100 empregados por prefeitura, em média, somando 18 mil; 10 vereadores por cidade, totalizando 1.800; 5.400 funcionários de gabinetes; e mais 1.800 administrativos para as câmaras municipais. Existem 5.568 municípios - metade deles surgiram nos últimos 15 anos. De-

pois da Constituição de 1988, os municípios ganharam maior participação no bolo da arrecadação. Quando a Constituição foi promulgada, tinham 10,8% do total; em 2010, passaram a 18,3%. As duas principais receitas dos municípios são repasses da União (o Fundo de Participação dos Municípios, FPM) e do Estado, do ICMS. Perderam espaço no bolo os Estados, cuja fatia passou de 26,9% para 25,1% e, principalmente, a União, que recuou de 62,3% para 56,6%. Estudo do economista e geógrafo François Bremaeker, da Associação Transparência Municipal, mostra que

as desonerações de impostos feitas pelo governo para estimular a economia tiveram impacto considerável no FPM, que é a receita mais importante para 80% dos municípios. De 2008 a 2012, segundo o economista, o FPM cresceu 29,8% enquanto o salário mínimo, principal despesa dos municípios, foi reajustado em 49,9%. O desempenho do ICMS variou conforme o Estado e, em alguns deles também foi afetado pela guerra fiscal. “No período, o ICMS cresceu em média 49,5% e praticamente empatou com a variação do mínimo”, calculou Bremaeker.

Denúncias trabalhistas Tramitam no Ministério de trabalho (139), conPúblico do Trabalho em trato (201), remuneração Caxias, que tem abran- (159), fraudes trabalhisgência sobre 66 municí- tas (143), exploração do pios, 1.008 procedimen- trabalho infantil (124), tos investigatórios. Os liberdade de organização temas mais recorrentes sindical (111). De trabasão: meio ambiente do lho análogo ao de escravo trabalho (450), duração são mais 26. Em 2012, só do trabalho e pagamentos em Caxias, foram enca(223) incluindo jornada minhadas 863 denúncias. Injeção na economia O 13º injetará R$ balho da Universidade 513,4 milhões na eco- de Caxias do Sul, com nomia caxiense. Nú- base em dados do Mimero foi apurado pelo nistério do Trabalho e Observatório do Tra- Emprego.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

5 - Municípios ✦ SALVADOR DO SUL

Giro

✦ FEIRA Divulgação/CR

✦ SARANDI

Serafina Corrêa prepara Feagris A Feira Agroindustrial, Comercial e de Serviços de Serafina Corrêa (Feagris) tem programação artística e cultural variada. O evento ocorre de 14 a 17 de novembro, no entorno do Ginásio Irceu Antônio Gasparin. A Feagris conta com 100 ex-

positores locais e da região, que exibem máquinas, vestuário, artesanato etc. Haverá baile da terceira idade, gastronomia e shows. As crianças poderão se divertir nos brinquedos infláveis e com o show Os Peraltas. A entrada é gratuita.

Produtos reciclados ajudam no sustento da entidade

Lar da Menina confecciona cartões O Lar da Menina, que atende 89 jovens de Sarandi, recicla papel e, a partir disso, confecciona cartões de aniversário, Natal e outros. O trabalho tem apoio da Cáritas de Passo Fundo e do casal Mario e Ria Puhl, residentes em

Guaporé/corticeira Com quase 40 anos de idade, cerca de 20 metros de altura e flores alaranjadas (foto), uma corticeira-da-serra chama a atenção dos moradores de Guaporé. Foi plantada a pedido do médico Neff Pereira Arar, na década de 70, mesmo depois de alertado que não se adaptaria ao solo guaporense, pois se desenvolve em locais muito úmidos e brejosos. Divulgação/CR

17. Dia 13 a entrada é gratuita. Dia 14, crianças até 12 anos têm acesso gratuito. Nos demais dias, crianças até 10 anos não pagam. No dia 15, os idosos a partir dos 60 anos de idade terão entrada grátis. Nos demais dias, pessoas dessa faixa de idade terão 50% de desconto. As soberanas, a rainha Daiana Stein e as princesas Michele Ludwig e Greice Spier, divulgam na região do Vale do Caí as potencialidades salvadorenses. A Festur 2013 é presidida por Cleo Marciano Meurer. Princesa Greice (E), rainha Daiana e princesa Michele

Canela (RS), que ensinou a técnica de reciclagem. A Cáritas doou R$ 3.000,00 para a aquisição de equipamentos, melhoria da qualidade e da produtividade do papel reciclado. Informações (54) 3361-1578. Expectativa é reunir 20 mil pessoas no centro da cidade

✦ GARIBALDI

Fattore/Div./CR

Próxima Festa do Champanha tem data marcada

Prefeito (ao microfone) destacou organização da Fenachamp

A Festa Nacional do Champanha (Fenachamp), de Garibaldi, se despede com o anúncio da próxima edição. “A Fenachamp será em 2015, de 1º a 25 de outubro”, disse o prefeito Antonio Cettolin no encerramento, neste domingo 27. A festa, iniciada em 3 de outubro, chegou ao fim com o maior sabrage coletivo do mundo e a participação das maiores vinícolas do país.

E R A G L U J R A R T S I N I ADM

UNICIPAL CÂMARA M A D S E Õ Ç DAS FUN SÃO DUAS

ipar é c i t r a p a r a P nhecer. o c e t n a t r impo

Adriana Sabadin/Divulgação/CR

A Festa do Turismo de Salvador do Sul (Festur), que tem suas origens em festas comunitárias realizadas na década de 60, ocorre de 13 e 17 de novembro, no Parque Affonso Christóvão Wallauer. Além de ser o maior evento do município, a 10ª edição marca os festejos do cinquentenário de emancipação. As principais atrações da festa são os shows da banda argentina Star Beetles, dia14; Os Serranos, dia 15; a dupla João Neto e Frederico, dia 16; banda Chimarruts, dia

Lermen/Divulgação/CR

Festa do Turismo movimenta região do Caí

CASAMENTO CASAMENTO

Apae de Ipira/eleição Os dias 4 e 5 de novembro serão marcados pela eleição dos alunos autodefensores da Escola Especial Semente de Esperança, mantida pela Apae de Ipira. Os alunos eleitos têm um mandato de dois anos. Capão Bonito do Sul/feira Nos dias 22 e 23 de novembro, Capão Bonito do Sul promove a VIII Feira de Ovinos e a V Mostra de Pequenos Animais,no Parque de Eventos João Lindolfo Bolsonello. A realização é da Associação dos Criadores.

No dia 12 de outubro de 2013, na catedral metropolitana de Porto Alegre, os noivos Viviane e Frederico oficializaram sua união. Após o ato religioso, os convidados foram recepcionados no Porto Alegre Country Club. A noiva é filha de Claudio José Busatto e Vilma Castaldello Busatto e o noivo é filho de Ricardo Conrado e Tânia Maria M. Conrado.

Julgar e Administrar também são tarefas da Câmara Municipal. O Legislativo pode julgar o prefeito, o vice-prefeito e os próprios vereadores em ações político-administrativas que não estejam de acordo com os interesses do município. Em caso de suspeita, são criadas comissões de inquérito que podem determinar, por exemplo, a perda do mandato. Na parte administrativa, cabe à Câmara organizar os seus serviços. Isso inclui, por exemplo: escolher a Mesa Diretora; constituir as comissões de vereadores; administrar seus recursos; e dispor sobre o seu quadro de servidores. Acompanhe o trabalho do Legislativo caxiense pelo site: www.camaracaxias.rs.gov.br


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

“A democracia ocidental continuará a ser uma falácia enquanto não criar condições para que todos tenham acesso aos bens essenciais a uma vida digna e feliz.” Frei Betto

Maria Clara Lucchetti Bingemer

6 - Opinião

Sem sepultura

Teóloga e autora de “O mistério e o mundo - Paixão por Deus em tempo de descrença”, Editora Rocco.

H

á uns 15 dias, a Itália foi agitada por uma discussão inusitada: a recusa de dar sepultura em território italiano a Erich Priebke, exoficial nazista e capitão das SS. Após a guerra, Priebke conseguiu fugir para a Argentina, com identidade falsa. Menos de um ano depois, voltaria a usar seu nome verdadeiro. Ele conseguiu permanecer na obscuridade por décadas, trabalhando como professor na cidade de Bariloche, até ser localizado por jornalistas americanos, em 1994. Acabou extraditado para a Itália. Priebke, que morreu aos 100 anos, vinha cumprindo pena de prisão perpétua em regime domiciliar, em Roma, desde 1999. Após a extradição, foi condenado pela participação no massacre das Fossas Ardeatinas: 335 civis, entre eles 70 judeus, foram mortos. A chacina, ocorrida em 24 de março de 1944, foi ordenada pessoalmente por Adolf Hitler, enfurecido com a morte de 33 soldados alemães por guerrilheiros na região de Roma. Como represália, para cada alemão morto dez civis teriam que ser executados. Os túneis de uma antiga pedreira próximo

Frei Betto

da via Ardeatinas, nos subúrbios de Roma, escreveu depoimentos pungentes sobre sua foram o local escolhido e as vítimas experiência no campo. (NE - após uma selecionadas, em sua maioria, em prisões semana de espera, Priebke foi sepultado na da região. Ao todo, 335 civis (todos homens Itália, em local secreto). e cinco a mais do que o determinado) foram Tudo isso faz recordar o terrível recolhidos pelos guardas da SS, liderados genocídio que manchou para sempre a por Priebke e por outro oficial, Karl Hass. história da humanidade. E traz à memória, Todas as cidades italianas e o próprio igualmente, o testemunho de pessoas Estado do Vaticano recusavam-se a que viveram o horror da tragédia e em dar sepultura ao nazista morto. Nem a meio a ela conservaram sua dignidade Argentina, onde humana. Mais ele viveu, nem ainda: pessoas Uma atitude feita de compaixão e a Alemanha, que, em meio ao piedade é mais fecunda. Não sua terra natal. holocausto, nos esquecer, mas perdoar. Aí está o A grande ajudam a recordar caminho da liberdade e da redenção que o ser humano é preocupação era que o enterro de maior do que todos Priebke representasse uma oportunidade os horrores que sobre ele possam se abater. para manifestações de neonazistas que Uma delas é Etty Hillesum, jovem judia existem em abundância na Itália e outros holandesa, morta na câmara de gás em países da Europa. Isso alimentaria o clima Auschwitz, aos 29 anos. Bonita e sedutora, de tensão na capital italiana, já que 16 inteligente e culta, Etty tinha diante de si um de outubro marcava o 70º aniversário da brilhante futuro brutalmente interrompido deportação de mil judeus do gueto de Roma pela perseguição nazista. Enquanto sobre para o campo de Auschwitz, na Polônia, ela se fechava o cerco que os nazistas dos quais apenas 16 sobreviveram - entre impunham a seu povo, ela, mergulhada em eles o famoso filósofo Primo Levi, que uma intensa experiência de Deus, crescia

Robin Hood tinha razão

Frei Betto é escritor, autor de “A obra do Artista - uma visão holística do Universo” (José Olympio), entre outros livros. http://www.freibetto.org/> twitter:@freibetto

A

desigualdade mata”, afirmou o York, viu-se forçado a pedir demissão epidemiologista britânico Richard diante dos protestos gerados pelos Wilkinson ao constatar que nas quase 200 milhões de dólares que regiões menos igualitárias os índices de ele recebeu de bônus (New Yorker, mortalidade são mais altos. 03/10/2003). Em 2008, a opinião pública dos EUA Os pesquisadores Frans de Waal e mostrou-se indignada quando, em plena Sarah Brosnan, ao testar macacoscrise econômica, o governo destinou prego, verificaram que eles se 700 milhões de dólares como “socorro” zangavam ao ver um companheiro aos executivos que haviam provocado receber uma recompensa melhor. tantas perdas no setor imobiliário. Uvas Sarah entregava um seixo a um dos aos figurões; pepinos à plebe... animais e, em seguida, estendia a mão No Brasil, a opinião pública também para que o macaco o devolvesse em se mostrou indignada ao saber que troca de um pedaço de pepino. Os dois senadores utilizavam jatinhos da FAB macacos aceitaram a troca 25 vezes para eventos particulares, como festas consecutivas. Sarah passou a entregar a um dos animais um cacho de uvas, um dos alimentos preferidos Fraternidade significa inclusão, deles. O outro continuou a receber e até abrir mão de um direito para pepino. O clima azedou. O macaco que o outro, mais necessitado, merecedor de pepino demonstrou possa superar uma dificuldade nítida aversão à desigualdade. Ao ver seu companheiro receber uva, de casamento. As mordomias, em ficou agitado e atirou longe seixo e pepino. Um alimento que ele tanto gosta especial as pagas com dinheiro público, suscitam sempre revolta. tornou-se repulsivo. Os animais têm muito a nos ensinar. Os macacos não se irritavam quando Sarah Brosnan colocou dois macacos as uvas eram exibidas a todos eles e pepinos continuavam a ser trocados por separados por uma grade. O primeiro seixos. A irritação aparecia quando um tinha à sua frente duas latinhas, em cores diferentes. Elas podiam ser deles recebia uvas. A desigualdade era trocadas por comida. Se ele entregasse motivo da revolta. (Teste descrito por a ela a lata A, receberia comida só para de Waal em “A era da empatia”, SP, seu próprio consumo. Se entregasse a Companhia das Letras, 2010). Ao tornar público a pesquisa, Sarah B, ganharia o bastante para dividir com e Frans receberam duras críticas de o segundo macaco. Os macacos-prego economistas, filósofos e antropólogos, testados davam, em geral, preferência à chocados com a comparação entre lata que favorecia a partilha da refeição. macacos e humanos. Para azar dos A democracia ocidental continuará críticos, a divulgação coincidiu com a ser uma falácia enquanto não criar a denúncia de que Richard Grasso, condições para que todos tenham diretor da Bolsa de Valores de Nova acesso aos bens essenciais a uma

vida digna e feliz. Os três ideais da Revolução Francesa – liberdade, igualdade e fraternidade – na verdade têm sido limitados e deturpados. A liberdade passou a ser entendida como direito de um se sobrepor ao outro, ainda que o outro seja relegado à miséria. A igualdade existe, quando muito, na letra da lei. Ricos e pobres merecem tratamentos diferenciados perante a Justiça, e mesmo os recursos públicos são destinados, preferencialmente, aos mais abastados, como faz o BNDES. A fraternidade ainda permanece uma utopia. Supõe que todos se reconheçam como irmãos e irmãs. Basta recorrer ao exemplo familiar para saber o que isso significa. Em uma família, embora as pessoas sejam diferentes, com talentos e aptidões próprios, todos devem ter os mesmos direitos e as mesmas oportunidades. Fraternidade significa inclusão, reconhecimento, e até mesmo abrir mão de um direito para que o outro, mais necessitado, possa se livrar de uma dificuldade. Robin Hood tinha razão. O que a humanidade mais anseia é a partilha dos bens da Terra e dos frutos do trabalho humano. Essa a verdadeira comunhão. No entanto, a riqueza e o poder, quase sempre associados, cegam seus detentores, incapazes de se colocar no lugar do outro, daquele que sofre ou padece de exclusão social. E para que a cegueira não seja acusada de indiferença criminosa e desumana, inventam-se teorias econômicas e ideologias que justifiquem e legitimem a aberração como natural...

interiormente e sentia-se cada vez mais livre. Via que os nazistas estavam cegos pela loucura de um ditador e de um sistema enlouquecido. A tal ponto que eram eles próprios que estavam presos pelas cercas de arame farpado. Não seus prisioneiros. Havia nessa jovem mulher uma completa ausência de posturas artificiais e visões disfarçadas das coisas. Sua visão se desenvolveu em meio às mais grotescas e desumanizantes circunstâncias. E nesse cenário tão doloroso, viu lucidamente que os alemães planejavam o extermínio sistemático de seu povo. Mas sustentou que “se pudesse ser encontrado um só alemão decente, haveria razões de sobra para não odiar a totalidade do povo. Apesar de todo o sofrimento e injustiça, eu não posso odiar os outros”. Embora seja perfeitamente compreensível o desconforto do povo italiano em dar sepultura em seu solo àquele que comandou o assassinato de tantos de seus filhos, a atitude de Etty Hillesum, feita de compaixão e piedade para com tanta cegueira, é mais fecunda. Não esquecer, mas perdoar. Aí está o caminho da liberdade e da redenção.

Pe. Zezinho Escritor, compositor e intérprete de músicas

O mínimo necessário

V

em de longe a proposta da justiça social. Irineu de Lion, do segundo século, fala em “Salus animae, salus carnis e oeconomia salutis”. Não basta crer e professar. É preciso servir e transformar. O cristão fará de tudo para que ao seu redor todos tenham o mínimo necessário para viver. Compus uma canção que reproduzia essa doutrina: “Quero ser pro meu irmão a imagem dele meu irmão que ainda não tem o necessário pra ter paz. Quero ser pro meu irmão a resposta dele, eu que vivo mais feliz e às vezes tenho até demais”. Eram os difíceis anos 70 de repressão militar e de assaltos a bancos a serviço de ideologias marxistas. O ódio havia se transformado em doutrina. Mudou o cenário político, mudou a mentalidade de empresários, sindicatos e trabalhadores, tem-se mais e é possível ser mais, mas estamos longe, muito longe ainda de oferecer ao povo o básico e o necessário. Se olharmos para as periferias, veremos precariedade. A maioria mora mal, ganha mal e come mal. A previdência não prevê nem provê o mínimo necessário para quem trabalha. A corrupção endêmica, o jeitinho de sempre, os acima da lei, movimentos sociais com mais ideologia do que com rumo, partidos fisiológicos demais, figuras políticas egocêntricas demais... É gigantesca a montanha do quanto ainda resta por fazer para que o Brasil possa se olhar no espelho e declarar-se nação adulta. O adolescentismo ainda governa nosso país imediatista demais quando deveria esperar e lento demais quando deveria correr. Qualquer católico que sonhe repercutir na sociedade precisa saber o que é indispensável para alguém viver em paz. O mínimo necessário não é questão de “talvez; quem sabe”…. É questão de sobrevivência da democracia e das próprias igrejas onde comungam!


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

“Começamos a transformar uma riqueza finita, que é o petróleo, em um tesouro indestrutível, que é a educação de alta qualidade.” Presidente Dilma Rousseff

7 - Nacional

F PETRÓLEO

Um desafio de dimensões gigantescas

Leilão do campo de Libra deflagra o complexo processo de exploração do rico pré-sal brasileiro O governo enalteceu o resultado. E a presidente Dilma Rousseff logo declarou que renderia R$ 1 trilhão em 35 anos, 75% dos royalties destinados à educação e 25%, à saúde. Já a oposição criticou. E fortes protestos em frente a hotel, no Rio de Janeiro, tentaram impedir o leilão. “Sucesso” para o Planalto, “fracasso” para os críticos, “aquém”

Dois modelos para explorar

O pré-sal, que já foi definido pelo ex-presidente Lula como um passaporte para o futuro, pode mudar os destinos do país. Só o campo leiloado, Libra - o mais promissor de todos -, possui reservas entre 8 bilhões e 12 bilhões de barris de petróleo (no mundo, as reservas conhecidas beiram 1,5 trilhão de barris). O resultado da exploração passa pelo modelo a ser adotado. O leilão atraiu apenas um consórcio e com predominância da Petrobras. Por ele, o petróleo extraído continua pertencendo ao Estado – as empresas extraem o petróleo, ficam com uma parte para cobrir despesas e ter um lucro, e entregam o restante para o Estado. Há o modelo da concessão, em que a empresa fica dona do petróleo extraído por determinado tempo e, em troca, o concessionário compensa o governo com dinheiro, tributos e royalties.

Economia: um salto importante

No ano passado, o Brasil produziu 2,1 milhões de barris de petróleo/ dia. Ficou em 11º no ranking mundial, liderado por Rússia (10 milhões barris/dia), Arábia Saudita (9,8) e EUA (6,5). Com Libra, o Brasil deve atingir 3,5 milhões de barris/ dia em 2020, o que dará a 6ª posição. Não é só na estatística que o país pode evoluir. Os investimentos para a exploração do pré-sal devem chegar a 700 bilhões de dólares, conforme projeção do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis. Esse volume de recursos deverá se multiplicar na economia do país. Segundo a Fundação Getúlio Vargas, cada R$ 1,00 aplicado equivale a um aumento na economia nacional de R$ 2,45. Por esse cálculo, os 700 bilhões se transformarão em cerca de 1,7 trilhão de dólares. Isso significa mais de um orçamento anual da União – o aprovado para 2013 é de R$ 2,27 trilhões; pela cotação do dólar da semana passada, os efeitos dos investimentos no pré-sal representariam, de forma direta, indireta e induzida, uns R$ 3,7 trilhões.

para o mercado. Estas foram as avaliações predominantes sobre o leilão do campo de Libra, no présal da Bacia de Campos, realizado na semana passada. O consórcio vencedor é formado pela Petrobras, que terá 40%, Shell (20%), Total Elf (20%) e as estatais chinesas CNPC (10%) e CNOOC (10%). Sem concorrentes, o consórcio

vencedor ofereceu o lance mínimo estabelecido no edital. Com isso, o governo vai receber um bônus de assinatura de R$ 15 bilhões mais 41,65% do petróleo produzido após descontados os custos de produção (o chamado lucro-óleo). Para a diretora da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda

Chambriard, “a qualidade técnica que conseguimos reunir, com empresas como a Petrobras e a Shell, vai entrar para a história do país”. Já para o coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros, João Antônio de Moraes, o país ficou 60% mais pobre. “Até o leilão, o Brasil tinha 100% do maior campo do pré-sal. A partir de então, tem

no máximo 40%”, afirmou. A presidente Dilma respondeu críticas dizendo que a concessão “é bem diferente de privatização”. “Começamos a transformar uma riqueza finita, que é o petróleo, em um tesouro indestrutível, que é a educação de alta qualidade”. (Com informações da Agência Brasil)


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

“Não se pode criar barreiras para aquisição de veículo individual... mas com políticas de uso racional e investimentos no transporte público.” Carlos Henrique Carvalho, técnico do Ipea

8 - Reportagem

✦ MOBILIDADE URBANA

Trânsito devagar, quase parando

Dos 54 milhões de domicílios existentes no Brasil, 54% possuem pelo menos um automóvel ou uma motocicleta para uso particular. Essa proporção é relativa a 2012 e representa aumento de 9 pontos percentuais na comparação com 2008 – ano em que 45% dos lares brasileiros tinham um veículo particular. Esses dados foram divulgados na semana passada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em comunicado com a análise de resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, sobre mobilidade urbana. Mais do que a descrição da realidade, o Ipea criou cenários a partir da clara tendência de que o percentual de residências com veículos aumentará nos próximos anos. Se, de um lado, está cada vez mais facilitado o acesso da população, mesmo dos segmentos de menor renda, aos automóveis, de outro crescem os desafios para os gestores dos sistemas de mobilidade. A questão é simples: a maior taxa de motorização dos brasileiros implica na elevação do número de acidentes, de congestionamentos e dos índices de poluição. Parte desta conta está sendo paga diariamente, em especial nas regiões metropolitanas. Problemas relativos à mobilidade urbana, principalmente os valores das tarifas, foram apontados como estopim para os protestos que levaram

Fábio Pozzebon/ABr/Correio Riograndense

Está cada vez mais demorado para o brasileiro se deslocar da casa até o local de trabalho Percentual de domicílios com carro ou moto

Santa Catarina Rondônia Paraná Distrito Federal São Paulo Roraima Goiás Rio Grande do Sul Brasil

74,3% 68,2% 67,7% 64,1% 63,7% 63,7% 63,2% 61,5% 54%

Fonte: Ipea

Campeãs da demora Região

Em regiões metropolitanas, como Brasília, gasta-se mais de 40 minutos da casa ao trabalho às ruas milhares de pessoas em junho. Hoje, dificilmente alguém se desloca em uma grande cidade sem ter de enfrentar a lentidão e outros desafios do trânsito. Tanto que está cada vez mais demorado ir da casa ao trabalho. E isso vai piorar. “Cada vez mais, os domicílios de baixa renda terão acesso ao veículo privado”, diz o texto. “Resta ao poder público estabelecer políticas para mitigar as externalidades geradas pelo aumento do transporte

Cada vez mais lento e complicado O levantamento do Ipea apurou ainda que o brasileiro demora cada vez mais para se deslocar da casa ao trabalho. Comparação entre 1992 e 2012 revelou que houve aumento de tempo para esses deslocamentos nas dez regiões metropolitanas pesquisadas, passando de 36,4 minutos para 40,8, quando a média nacional é de 30,2 minutos. A liderança é do Rio de Janeiro, com 47 minutos, em média, seguida de São Paulo. O que a tabela ao lado não mostra é que nessas regiões cerca de 20% consomem mais de uma hora para chegar ao local de trabalho. Estão nessa situação 25% dos cariocas e 23,5% dos paulistanos. Porto Alegre é destaque, com apenas 7,8% nesse item. Segundo o Ipea, por apresentar melhor distribuição das atividades econômicas e um sistema de trânsito qualificado – mesmo assim, está cada vez mais difícil chegar ou sair da capital dos gaúchos. “Não se pode esperar que a produtividade desses trabalhadores seja igual à de um que leva menos de 30 minutos para chegar ao trabalho. Isso traz fortes impactos

SC na liderança

do ponto de vista social e também econômico, já que a produtividade é comprometida”, avalia Carlos Henrique Carvalho, técnico de planejamento e pesquisa do Ipea. Em geral, de acordo com o Ipea, dois terços (66%) da população gastam até 30 minutos diariamente no trajeto casa/trabalho. “Mas há uma clara tendência de piora”, ressalta o documento. Para inverter essa tendência e garantir um sistema mais confiável, confortável e ágil, Carvalho defende a criação, pelos governos, de incentivos para distribuir melhor pelo território as atividades econômicas e, em decorrência, os empregos, além de priorizar investimentos em transporte público. “Não é o que temos visto no país. Não se pode criar barreiras para aquisição de veículo individual, mas devemos seguir o padrão europeu, em que todos têm, mas as políticas incentivam o seu uso racional, seja por cobrança de estacionamento ou de pedágio urbano, além de investimentos na expansão das redes de transporte público e dos corredores de ônibus exclusivos”, conclui o técnico.

individual, já que as tendências apresentadas corroboram a tese de piora das condições de trânsito nas cidades brasileiras”, acrescentam os técnicos do Ipea, no comunicado distribuído na quinta 24. Considerando a posse de veículos privados por Estado, o levantamento revela que os maiores índices são verificados em Santa Catarina (75% dos domicílios têm carro ou moto), no Paraná (68%) e no Distrito Federal (64%). Ala-

goas tem o menor índice de motorização por domicílio: 32%. O Rio Grande do Sul, com 63,7%, dividia a sexta posição. Para relacionar o tema à região, o CR procurou dados referentes ao Censo de 2010. O IBGE apurou que Caxias tinha 64,1% dos domicílios com automóveis e Bento, 65,8%; mas os campeões eram Carlos Barbosa (73,5%), Garibaldi (71,8%) e Flores da Cunha (70,9%).

Domicílios com veículos na região Bento Gonçalves Carlos Barbosa Caxias do Sul Farroupilha Flores da Cunha Garibaldi São Marcos Veranópolis Rio Grande do Sul

Motocicleta Automóvel Motocicleta Automóvel Motocicleta Automóvel Motocicleta Automóvel Motocicleta Automóvel Motocicleta Automóvel Motocicleta Automóvel Motocicleta Automóvel Motocicleta Automóvel

18,23% 65,85% 21,02% 73,54% 12,41% 64,13% 14,65% 67,55% 11,97% 70,90% 16,93% 71,88% 15,56% 68,27% 14,78% 67,10% 17,04% 52,68% Fonte: IBGE/Censo 2010

Opção pelo transporte individual O Brasil optou por uma política equivocada para a mobilidade urbana. Desde 2003 foram investidos R$ 32,5 bilhões no transporte individual, por meio da redução do IPI e da Cide. Esse dinheiro daria para construir 1.500 km de

corredores de ônibus ou 150 km de metrô. Enquanto isso, a frota brasileira mais do que dobrou em pouco mais de uma década: era de 30 milhões em 2000 e atingiu 76 milhões no primeiro quadrimestre de 2013.

Tempo* Tempo* 1992 2012

Rio de Janeiro 43,6 São Paulo 38,2 Salvador 31,2 Recife 32,2 Belo Horizonte 32,4 Curitiba 30,2 Porto Alegre 27,9

47 45,6 39,7 38 36,6 32 30

* Minutos da casa ao trabalho Fonte: Ipea

Política ineficaz prejudica pobres A população pobre ainda enfrenta os maiores problemas de mobilidade urbana nas grandes cidades brasileiras. Entre as pessoas com renda per capita de meio a um salário mínimo, 17% passam mais de uma hora no deslocamento casa/trabalho. Essa proporção é seis pontos percentuais superior à registrada nas famílias mais ricas (acima de cinco salários mínimos). Os extremamente pobres (renda de até 25% do mínimo), por outro lado, passam tempo menor presos no trânsito (58% gastam menos de 30 minutos). Essa situação, porém, reflete a falta de condições de mobilidade desse estrato da população, que se vê obrigado a trabalhar em locais próximos de casa por não poder pagar o transporte público. O texto do Comunicado do Ipea mostra ainda a ineficácia das políticas de auxílio ao transporte, como o vale-transporte, que atingem pouco as classes sociais mais baixas. Cerca de 40% dos trabalhadores brasileiros recebem esse tipo de auxílio, mas os menores percentuais de cobertura estão nas famílias com renda per capita inferior a meio salário mínimo. Apenas 11% das famílias nessa condição recebem auxílio-transporte, enquanto entre as famílias com renda superior a cinco salários mínimos o índice é 36%. De acordo com o Ipea, esse cenário “levanta questões sobre a eficácia desse tipo de medida, especificamente para os trabalhadores informais e os desempregados”.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

9 - Saúde

“Não existem alimentos que provocam diretamente o diabetes; o principal causador é a obesidade”. Luiz Turatti, endocrinologista, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes

F DIABETES

F ÔMEGA 3

Brasileiros desconhecem

Auxílio contra a ansiedade

Alerta: açúcar não é o único vilão causador do diabetes soas obesas com mais de 40 anos. O diabetes é uma doença caracterizada pela alta taxa de açúcar (glicose) no sangue. Portanto, é correta a associação entre o produto e a doença. O que poucos sabem

é que há açúcar em quase todos os alimentos, inclusive nos considerados salgados. Nos alimentos, o açúcar não aparece necessariamente como o conhecemos no açucareiro, ele encontra-se “camu-

flado”, na forma de amido ou de frutose, por exemplo. Quase tudo tem açúcar. Até batata frita. Segundo as tabelas nutricionais, uma porção de fritas tem mais açúcar (amido) do que duas colheres (sopa) de chocolate, por exemplo. Um pedaço de 100 gramas de melancia tem o correspondente a meia colher (sopa) de açúcar (frutose). Mas o açúcar não é o único vilão do diabetes. A obesidade é um dos principais fatores de risco para a doença. "Não existem alimentos que provocam diretamente o diabetes; o principal causador é a obesidade, uma consequência do consumo de alimentos calóricos", afirma Luiz Turatti, endocrinologista da SBD. Ele explica que, quando a pessoa engorda e acumula gordura, é como se as células ficassem entupidas e, então, a insulina tem dificuldade para agir. “Isso faz com que a glicose tenha dificuldade de sair da corrente sanguínea e entrar nas células para funcionar como combustível do organismo”, esclarece. "O açúcar, sozinho, não causa o diabetes, mas sim o hábito de consumir muitas calorias; por isso fazer exercício é tão importante”, conclui.

Confusão entre os tipos da doença Segundo a pesquisa da Sociedade Brasileira de Diabetes, 34% das pessoas diagnosticadas com a doença não sabem se sofrem do tipo 1 ou 2, um dado muito preocupante, já que ambos os problemas têm causas, complicações e tratamentos diferentes um do outro. O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune, isto é, que acontece quando o corpo passa a atacar o próprio organismo. O pâncreas deixa de produzir quantidade suficiente de insulina, o hormônio que ajuda a controlar a taxa de açúcar no sangue. Pacientes com

diabetes tipo 1 precisam medir seus níveis de glicose várias vezes ao dia e repor a insulina por meio de injeções. O tipo 2 da doença não é um erro do sistema imunológico, mas sim consequência, principalmente, do excesso de peso. O fator genético, ou seja, o histórico da moléstia na família, também aumenta o risco dessa condição. Segundo Luiz Turatti, vice-presidente da SBD, manter um peso saudável, praticar atividades físicas e não fumar são as melhores formas tanto de diminuir o risco da enfermidade quanto de evitar que ela se agrave. Portadores do tipo 1 medem diariamente o nível glicêmico

Fabio Rodrigues Pozzebon/ABr/CR

Cuidar da alimentação, praticar atividade física ou parar de fumar ainda não são fatores reconhecidos pela população como medidas efetivas para prevenir o diabetes tipo 2. É o que mostra pesquisa divulgada pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), que lança a campanha “Diabetes: mude seus valores”. Do total de entrevistados, apenas 28% relacionaram atividades físicas ao controle da doença e 72% não associaram o tabagismo como fator de risco. A maioria da população também acredita que basta evitar o consumo de açúcar para prevenir a doença, um mito que dificulta o tratamento, segundo a SBD. Além disso, 34% dos que se declararam diabéticos não souberam dizer se portavam o tipo 1 ou 2 da doença. Os dados revelam que os brasileiros ainda desconhecem o problema. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, entre 2000 e 2010, o transtorno matou mais de 470 mil pessoas, fazendo com que o Brasil atingisse a quarta posição em número de casos no mundo. Atualmente, são mais de 13,4 milhões de pessoas com diabetes do tipo 2 no país, especialmente pes-

sxc.hu/Correio Riograndense

Dieta e atividade física não são reconhecidas como meio de prevenção

F PLANOS DE SAÚDE

Novos procedimentos terão cobertura A partir de janeiro de 2014, os beneficiários de planos de saúde individuais e coletivos terão direito a mais 87 procedimentos que serão cobertos pelas operadoras. Pela primeira vez, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) incluiu na lista 37 medicamentos orais para o tratamento domiciliar de diferentes tipos de câncer de grande incidência: estômago, fígado, intestino, rim, testículo, útero, ovário e mama. A lista traz ainda 50 novos exames, consultas e cirurgias.

Foram incluídas no rol de procedimentos 28 cirurgias por videolaparoscopia, técnica menos invasiva, e a obrigatoriedade de fornecimento de bolsas coletoras intestinais ou urinárias para pacientes ostomizados, assim como os respectivos equipamentos de segurança e proteção. Também será contemplado o tratamento de dores crônicas nas costas utilizando radiofrequência e tratamento de tumores neuroendócrinos por medicina nuclear.

Consulta fisioterápica obrigatória A medida da ANS beneficia 42,5 milhões de consumidores com planos de saúde de assistência médica e outros 18,7 milhões consumidores com planos exclusivamente odontológicos. Além de novos procedimentos, a agência ampliou o uso de outros 44 já ofertados. Entre eles, o exame pet scan, que passa de três para oito indicações. Entre as novidades também está a cobertura obrigatória para consulta com fisioterapeuta e am-

pliação do número de consultas e sessões, de seis para 12, com profissionais de especialidades como fonoaudiologia, nutrição, psicologia e terapia ocupacional. No rol odontológico, passam a constar a realização de enxertos periodontais, teste de identificação da acidez da saliva e tunelização, que é cirurgia de gengiva destinada a facilitar a higienização dentária. A medida é válida para consumidores com planos de saúde contratados após 1º de janeiro de 1999.

Especialistas da Universidade Bristol, no Reino Unido, encontraram evidências de que a ansiedade típica das gestantes pode ser minimizada com a ingestão de peixes. Eles avaliaram o padrão alimentar de aproximadamente 9.500 grávidas e seu estado emocional. As gestantes que não consumiam peixes eram 53% mais propensas a apresentar ansiedade. Para evitar a inquietação, o ideal seria comer de duas a três porções de peixe por semana, preferencialmente os ricos em ômega 3, como atum, salmão e sardinha.

F ALHO

Alta temperatura anula benefícios Rico em componentes sulforados, como alicina, o alho afasta várias doenças, como gripe e câncer. Mas as versões processadas oferecem os mesmos benefícios? A Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio analisou o alho picado e frito, fatiado e frito e em pasta, logo após o processamento e a cada 45 dias, por seis meses. Em um primeiro momento, a pasta perdeu só 9,5% da alicina. Em seis meses, esse teor caiu mais de 20%. O maior problema ocorreu nas preparações fritas, pois logo no início mais de 90% da substância sumiu, um efeito da exposição à alta temperatura.

F ARTROSE

Brócolis protege as articulações Um recente estudo inglês associa o consumo do brócolis e de outros vegetais a um menor risco de artrose. Segundo pesquisadores da Universidade de East Anglia, na Inglaterra, o elemento capaz de evitar a evolução dessa doença que prejudica os movimentos é o sulforafano. “Ao analisar células humanas e animais, percebemos que a substância diminui a destruição da cartilagem”, declarou Ian Clark, professor de biologia musculoesquelética e líder da investigação. Os motivos também já foram esclarecidos pelos pesquisadores. O sulforafano bloqueia uma molécula responsável por causar a inflamação e, consequentemente, minimiza a degeneração das articulações. Quem não gosta de brócolis tem outras alternativas. Para se beneficiar da substância protetora das articulações também vale consumir couve, couve-flor e repolho, alimentos que também contêm quantidade significativa de sulforafano.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxi

10 - Agricu

“A maior reivindicação dos jovens rurais é ter maior acesso à internet.” Josiane Einloft, coordenadora de jovens da Fetag/RS

✦ INCLUSÃO DIGITAL

Janela para o meio rural

Quem está on-line? Se a pergunta for feita para o habitante da área urbana, a resposta pode ser 40%. Já se for dirigida ao que mora na zona rural, será no máximo 10%. De acordo com a pesquisa Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) Domicílios, divulgada em 20 de junho deste ano, o acesso à internet chegou a 40% das residências brasileiras, com 80,9 milhões de usuários. Contudo, há grande abismo entre a cidade e o interior. Não é à toa que uma das principais demandas da juventude rural é a inclusão digital no campo. No RS, o assunto foi discutido em julho durante a Marcha da Juventude Rural, em Porto Alegre. A coordenadora de jovens da Fetag/ RS, Josiane Einloft, avalia que o problema não é a carência de computadores, mas a falta de sinal para poder realizar o acesso. Hoje muito do trabalho educacional e de assistência técnica e da troca de informação é feito on-line, “o que estimularia a permanência do jovem no campo”, diz. “A maior reivindicação dos jovens rurais é ter maior acesso à internet, até porque nos estudos as escolas exigem isso para realização dos trabalhos”, salienta Josiane ao CR.

Sala de aula ao ar livre: cursos pela web estão transformando o cenário, a vida e as propriedades do meio rural do país criada em maio de 2010, contabiliza 200 mil matrículas de todas as regiões do país. Só da região Sul foram quase 40 mil matriculados nesse período (ver quadro). Para o secretário executivo do Senar, Daniel Carrara, a EaD é grande impulsionadora do crescimento pessoal e profissional do brasileiro do meio rural. “Ela permite eficaz combinação de

estudo e trabalho, garantindo a permanência do aluno em seu próprio ambiente. O aluno passa a ser sujeito ativo em sua formação. Ele escolhe o melhor horário para estudar. A aprendizagem ocorre no mesmo ambiente em que ele trabalha e vive. É um processo de formação profissional onde o aluno une teoria e prática”, enfatiza Carrara. Fetag/Divulgação/CR

Vida - O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) está transformando o cenário do meio rural ao apostar nos cursos de Educação a Distância (EaD Senar). “São 17 cursos gratuitos e focados em uma vida melhor para os brasileiros que vivem longe dos centros urbanos”, avalia Solon Coutinho de Lucena Neto, assessor técnico do Senar. Em menos de três anos, a EaD,

Fotos Arquivo Senar/Divulgação/CR

Internet leva a aprendizagem e contribui para a formação e a profissionalização

Jovens gaúchos pediram, na Marcha da Juventude 2013, inclusão digital ao meio rural

A falta de computador não é empecilho. Os dados do Senar apontam que a vontade de aprender é maior que as dificuldades. “Quem não dispõe de computador em casa vai para o sindicato rural ou para uma lan house. Para a grande maioria dos participantes, os conhecimentos adquiridos são considerados de aplicação imediata”, conclui Lucena.

Cursos a distância (1º/5/10 a 18/10/13) Turmas Matrículas Paraná 1.454 11.832 Santa Catarina 1.444 9.892 Rio Grande do Sul 1.454 14.929 Fonte: EaD/Senar

Recurso auxilia pequeno produtor Tatiane Müller, 25 anos, de Novo Cabrais (RS), é uma das alunas da EaD Senar. Ela fez o curso “Negócio certo rural” para conhecer melhor a organização da propriedade e, a partir daí, procurou outros cursos para se capacitar. “Já fiz o de ‘trabalhador empreendedor’ e acabei de me inscrever no de meio ambiente”, relata. “Essa é uma forma nova de incentivar o pequeno produtor a ter um melhor desempenho na propriedade”, destaca ao CR. A jovem trabalha com a mãe Neusa (o pai Lodegar já é falecido) em uma área de nove hectares, na Linha Pfeiffer, onde cultiva tabaco e milho - as culturas que ocupam mais espaço -, cana-de-açúcar e eucalipto, além de criar suínos e

aves. Com a meta de permanecer no meio rural, o próximo passo é fazer faculdade na área agrícola. “Os cursos ajudam a melhorar o desempenho da propriedade e a colocar em prática o que se aprendeu on-line”, assegura Tatiane. Candelária - Engajados, jovens de Linha Alta, a 10 quilômetros da sede, Candelária, construíram duas antenas para poder acessar a internet. “Junto com a comunidade, eles formaram e mantêm duas associações para contar com esse serviço”, revela a coordenadora de jovens da Fetag/ RS, Josiane Einloft. Os grupos utilizam a web para cursos, troca de informações técnicas e até a comercialização de produtos.


do Sul, 30 de outubro de 2013

ultura - 11

“Vemos o engajamento das mulheres no gerenciamento das propriedades rurais.” Andrea Barbosa Alves, do Senar

Cetanp chega ao milésimo curso de fora, em diversas áreas. “A qualificação profissional é condição para o desenvolvimento do indivíduo e um processo que dura a vida inteira, em um contexto de educação permanente”, frisa Basso. Para o instrutor Flávio Breda, a educação, a atualização e a própria convivência das pessoas que passam pelo Centro de Formação são importantíssimas para melhorar a produção, os serviços prestados e, consequentemente, a qualidade de vida dos agricultores familiares e das outras pessoas que procuram o Centro. O diretor da Escola Bom Pastor, Adriano Fiorini, lembrou o começo do Cetanp, o primeiro curso, os desafios, bem como das comemorações pela capacitação de 1.000 alunos, e depois, de 10 mil. “Esse trabalho representa muito para a Escola, que é uma grande beneficiária desse processo. É um trabalho diferenciado, com uma parceria efetiva”, declara.

Maioria dos alunos é mulher e jovem

Após concluírem os cursos gratuitos do Senar pelo portal Educação a Distância (EaD), os alunos respondem um formulário de pesquisa. Esse retorno dos alunos orienta melhorias no conteúdo dos cursos. Em três anos, a EaD comemora o índice de 98% de satisfação. “Os alunos, a maioria tem de 25 a 30 anos, se envolvem com os conteúdos. Eles enxergam a possibilidade de aumentar sua capacidade técnica e, consequentemente, levam desenvolvimento para o campo”, assegura Solon Lucena Neto, coordenador dos cursos on-line. Uma curiosidade é que 53% dos alunos são mulheres. “Vemos

o engajamento das mulheres no gerenciamento das propriedades rurais. Elas querem se especializar, se informar, para ajudar seus maridos e filhos”, observa. Para Andrea Barbosa Alves, chefe do Departamento de Educação Profissional e Promoção Social do Senar, os cursos a distância, pelo computador, sem horário fixo para começar ou terminar, facilitam o interesse das mulheres, que geralmente possuem muitos afazeres na propriedade.

Programa Qualidade de Vida. Em segundo lugar, o Programa de Inclusão Digital, que ensina os primeiros passos da internet, a trabalhar no Excel, a navegar no Canal do Produtor e outros. Além de produtores rurais e familiares, a EaD Senar conta com um número significativo de alunos que trabalham com áreas relacionadas às atividades do campo, como turismo rural, criação de animais aquáticos, pecuária, florestamento e reflorestamento. As inscrições estão abertas para Saúde - O curso mais procura- os cursos on-line gratuitos da EaD. do pelos produtores e familiares Para isso, basta acessar www.caé o Saúde Rural, que faz parte do naldoprodutor.com.br/eadsenar Entrega de certificados técnicos da Emater lembra mil cursos

PARTICIPE da promoção e GANHE INDIQUE um AMIGO para assinar o jornal Correio Riograndense. Você GANHA uma Sacola ECOBAG e ele RECEBE o primeiro mês de jornal GRATUITO. A sacola será enviada após confirmação do pagamento da assinatura. Validade: 13/12/2013

54 3220.3232 comercial@jornalcr.com.br

Correio Riograndense

Rejane Paludo/Divulgação/CR

Cursos aumentam capacidade técnica e levam o desenvolvimento social para o campo

Os cursos de profissionalização rural, na sua maioria, são realizados com aulas presenciais. Na Serra gaúcha há um exemplo que funciona com sucesso há quase 20 anos. Trata-se do Centro de Formação de Agricultores de Nova Petrópolis (Cetanp), que completou 1.000 cursos na quarta 23. “Esse milésimo curso representa a consolidação de uma proposta, sendo que hoje o Centro é referência na qualificação”, destaca o coordenador do Cetanp, Arnaldo Basso. O número foi comemorado com a entrega dos certificados a 13 técnicos da Emater/RS-Ascar que concluíram o curso de manejo da ordenha e qualidade do leite. O ato contou com a participação de representantes da Emater/RS-Ascar, Escola Bom Pastor, Cooperativa Piá, Sicredi, Prefeitura e Sindicato dos Trabalhadores Rurais, das entidades mantenedoras do Cetanp. O Cetanp capacitou 13.486 alunos, de 364 municípios do Estado e


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

12 - Agricultura F PLANAPO

Da Terra

Com investimentos previstos em R$ 9 bilhões em três anos, a presidente Dilma Rousseff lançou na quinta 17, o Brasil Agroecológico. É o primeiro Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo) do país. As ações se baseiam no decreto 7794/12, que cria a Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica e foi sancionado em agosto de 2012. O Brasil Agroecológico tem como principal objetivo articular políticas e ações de incentivo ao cultivo de alimentos orgânicos e com base agroecológica. Dos recursos totais previstos, R$ 7 bilhões serão disponibilizados via crédito rural por meio do Pronaf e do Plano Agrícola e Pecuário. Os outros R$ 2 bilhões serão usados em ações específicas, como qualificação e promoção de assistência técnica e extensão rural, desenvolvimento e inovações tecnológicas e ampliação do acesso a mercados institucionais, como o Programa de Aquisição de Alimentos e o Programa Nacional de Ali- Jovens de Dom Feliciano: verba ajuda na substituição do fumo

mentação Escolar. As atividades serão vinculadas às ações orçamentárias já aprovadas no Plano Plurianual (PPA), de 2012 a 2015. Dez ministérios estão envolvidos no Planapo, que tem como foco o apoio a agricultores familiares, assentados da reforma agrária, povos e comunidades tradicionais e suas organizações. É o caso de produtores de fumo de Dom Feliciano (RS), que substituem o tabaco por hortaliças. Eixos - O plano está estruturado em quatro eixos estratégicos: produção, uso e conservação de recursos naturais, conhecimento e comercialização e consumo. A partir daí, as ações formam um conjunto de 125 iniciativas. Entre elas, crédito rural e demais mecanismos de financiamento; seguro agrícola e de renda; preços agrícolas e extrativistas, incluídos mecanismos de regulação e compensação de preços nas aquisições ou subvenções; compras governamentais; assistência técnica e extensão rural.

F TRIGO

O Banco de Sementes Crioulas “Sementes da Solidariedade”, da CPT de Santa Cruz do Sul, recebeu o 2º lugar do IV Prêmio Odair Firmino de Solidariedade, durante a XIX Assembleia Nacional da Cáritas Brasileira, ocorrida em Brasília de 17 a 20 de outubro. O prêmio foi recebido por Oldi Helena Jantsch, reconhecida pela atuação ecológica. Odair Firmino nasceu em 22 de junho de 1945 em Ipameri, Goiás, e faleceu em 5 de julho de 2008. Teve a sua vida marcada pelo trabalho exemplar em favor dos mais excluídos. Foi liderança muito atuante na Cáritas Brasileira. Seu exemplo de trabalho social e dedicação aos pobres inspirou a criação do prêmio Odair Firmino de Solidariedade. Oldi Helena Jantsch

Abertura da safra de trigo foi marcada pelo otimismo

Cruz Alta inaugura colheita O clima de otimismo marcou a abertura da colheita da safra de trigo na sexta-feira 25, em Cruz Alta. O evento reuniu produtores e lideranças na Fundação de Experimentação e Pesquisa Fecotrigo. Em 50% das lavouras, o grão está maduro e pronto para ser colhido.

Embora a Emater/RS mencione queda no rendimento das lavouras, o Estado deve colher 2.695.693 toneladas, a segunda maior safra gaúcha - a maior foi há dois anos (2.744.936 toneladas). O preço médio da saca de 60 kg, apurado pela Emater, é de R$ 40,71.

Santa Clara reúne técnicos litragem de leite. “Apesar de ter necessitado de adaptação, a pastagem foi grande negócio para a propriedade”, colocou. Na propriedade de Zanella, o foco foi a pastagem de alfafa com fornecimento no cocho, sala de ordenha, aquecedor Boiler e gerador de energia e o confinamento com camas de borracha. As camas de borracha são opção para evitar mamites e outros problemas de saúde animal no confinamento, além de facilitar a limpeza. Já o aquecedor Boiler é uma alternativa para tornar mais eficiente a limpeza das salas de ordenha. Pastagem de alfafa com irrigação na propriedade de Dal Mas

Emater/Divulgação/CR

F COTIPORÃ As propriedades de Mauro Dal Mas e Lírio Luiz Dal Mas e de Rubens Zanella, ambos de Cotiporã, receberam 89 técnicos da Cooperativa Santa Clara e Emater. Os técnicos atuam em 50 municípios. Participaram ainda os presidentes da Santa Clara, Rogerio Bruno Sauthier; da Emater, Lino de David; e o prefeito José Carlos Breda. O grupo teve acesso a dados sobre a pastagem de alfafa com irrigação e o controle biológico da lagarta do milho. Sobre as vantagens do uso da pastagem de alfafa, o produtor Lírio destacou a evolução da propriedade no aumento da

Capão Bonito do Sul A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio do RS confirmou para dezembro a abertura de um posto veterinário e zootécnico em Capão Bonito do Sul. As atividades envolvem distribuição de vacinas durante as campanhas e emissão de Guia de Trânsito Animal, entre outras e serão desenvolvidas pelo técnico em agropecuária, José Carlos Campos dos Santos (foto).

Cleuza Brutti/Divulgação/CR

Prêmio Odair Firmino

Caseiros/plantas Moradoras dos meios rural e urbano de Caseiros (RS) participam, em novembro, do curso sobre plantas medicinais, aromáticas e condimentares. A promoção é da Emater/RS. “O curso capacita pessoas na identificação e indicação das plantas; transfere conhecimentos sobre cultivo, colheita, secagem, armazenagem e embalagem das plantas”, diz a extensionista Giancarla Passos.

Federasul/agronegócio A Federasul entregou o Troféu Porteiras (foto) a sete escolhidos em três categorias da primeira edição do Prêmio Vencedores do Agronegócio. Entre outros foram agraciados a Guatambu Estância do Vinho, de Dom Pedrito; a Cooperativa Languiru, de Teutônia; o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e a Cooperativa de Produtores Ecologistas de Garibaldi (Coopeg). A Federasul distinguiu a Expodireto/ Cotrijal por sua referência como feira de negócios, inovação, tecnologia e palco de debates. Ivan Andrade/Div./CR

F CÁRITAS/CPT

Pastoral da Terra/Div./CR

Plano reforça agroecologia com R$ 9 bilhões

Carlos Barbosa/calcário A Prefeitura de Carlos Barbosa finalizou a distribuição de calcário para 72 núcleos familiares de agricultores. O projeto repassou um total de 1.082.000 kg de calcário, em média cada núcleo recebeu 15.000 kg.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

“A Igreja é uma comunhão. Sem a consciência comunitária da participação e da ação conjunta fica-se a deriva do individualismo, da improvisação....” Frei Wilson Dallagnol

13 - Especial

✦ TEOLOGIA A DISTÂNCIA

Respostas do primeiro módulo do Curso

Referem-se a Igreja Povo de Deus e foram elaboradas pelo responsável, frei Wilson Dallagnol Lição 1 1) A quem Deus confia a mediação da salvação? É à comunidade cristã que Deus confia a mediação da salvação. É aos discípulos de Jesus que Deus entrega o poder de serem mensageiros e operadores do Reino e a primeira responsabilidade é dos ministros ordenados. 2) Quais são as condições para poder pertencer à Igreja de Jesus? Para pertencer à Igreja é preciso dar sua adesão pessoal e comunitária a Jesus Cristo, aceitar o sacramento do batismo, caminhar com os irmãos, estar em sintonia com as diretrizes e linhas pastorais da Igreja. 3) Quais são os elementos indispensáveis para se caracterizar uma comunidade de fé (Igreja)? Os elementos indispensáveis da comunidade de fiéis em Jesus são: a dimensão comunitária da fé (kerygma), a comunhão fraterna entre os irmãos (koinonia), a celebração da fé vivida e professada (liturgia) e o serviço da caridade, ou seja, a concretização da fé em obras (diaconia). Lição 2 1) De quem é a responsabilidade de agir no mundo por meio da ação pastoral? A responsabilidade é comum a todos os batizados. Os primeiros a darem o testemunho são aqueles que o Senhor chamou a pertencer ao ministério ordenado. Estes coordenam e animam a ação evangelizadora. 2) Qual é o conteúdo central da pregação da Igreja, seguindo o caminho de seu Mestre Jesus Cristo? O conteúdo central é o Reino de Deus, o evangelho de Jesus Cristo. Ademais, pode-se acrescentar as verdades fundamentais da fé (kerigma). Sempre foi missão da Igreja zelar pelo anúncio daquilo que Jesus ensinou. 3) Em sua realidade, qual é o conteúdo central da pregação da Igreja? Em cada realidade se deve ter presente a pregação daquilo que a Igreja acredita. Porém, os responsáveis podem seguir “linhas” diferentes. Um pode ser mais de cunho carismático, outro mais hierárquico, outros podem ser mais cunho profético libertador. Lição 3 1) Quais são a origem e a finalidade dos carismas? Quem gera a Igreja particular é a ação do Espírito Santo. É Ele quem regula e normatiza o exercício concreto dos carismas. O Espírito Santo anima os crentes

que possuem a tarefa de guiar a comunidade de fé. A finalidade dos carismas é a edificação da comunidade dos fiéis. 2) Como deve ser feito o discernimento dos carismas na Igreja Local? Desde a época apostólica existem os carismas, os quais se destinam à dinamização da comunidade local e ao apostolado. Eles não podem ser usados arbitrariamente na Igreja. Precisam ser discernidos com muita serenidade e profecia, sob a coordenação do bispo, dos párocos e das lideranças locais. 3) Qual é a missão do bispo diocesano na Igreja particular (diocese)? O bispo diocesano é quem preside e anima todo o conjunto da Igreja Particular. Ele sabe que existe um magistério dos fiéis e um magistério episcopal. Cabe ao bispo manter íntegra a doutrina recebida dos Apóstolos, anunciar o Evangelho e presidir a caminhada da Igreja local.

sabe onde ser quer chegar (não ter meta). A quem tem solicitude (cuidado) pastoral exige-se que se organize um projeto de ação, optando por um rumo, uma decisão de fundo que marca a orientação da ação. É para transformar a realidade. 3) Quais os elementos que constituem um plano de ação pastoral? Um processo de planejamento segue três passos: um ponto de referência (marcos referencial e doutrinal), uma tomada de pulso (diagnóstico) e uma organização das ações (organização e programação).

começa com a realidade e a prática, em comunhão e participação. 3) Por que se faz necessária uma Conversão Pastoral? É buscar novas formas de evangelizar. Ir “além de uma mera pastoral de conservação” e ter a coragem de adotar “uma pastoral decididamente missionária” (DA 370). Esta conversão torna a Igreja uma “Mãe” geradora de novos filhos, “casa” acolhedora e “escola” de comunhão missionária. Na “escola” de Jesus, os discípulos precisam estar em permanente conversão (pessoal, comunitária e pastoral).

Lição 6 1) O que significa “exercício do sacerdócio comum dos fiéis”? Decorrente de nosso batismo, somos um povo sacerdotal. É a participação de todos os fiéis crentes na vida, nas decisões e ações da Igreja. Trata-se de fazer o que e como Cristo fez do novo povo “um reino de sacerdotes para Deus Pai”. 2) Explique o que é “unidade na diversidade”. Existe uma variedade de membros no Povo de Deus, mas na base existe uma igualdade entre todos e uma dignidade comum. Existe uma diversidade, mas o objetivo é a salvação de todos. Uns têm maior responsabilidade, mas em vista do bem comum de todo o Povo de Deus. 3) Como acontece a participação dos fiéis leigos em sua Igreja – comunidade local? A Igreja é uma comunhão. Sem a consciência comunitária da participação e da ação conjunta ficase à deriva do individualismo, do espontaneismo e da improvisação. E a sensibilidade de fé do Povo de Deus (LG 12) chama a todos os membros da Igreja para uma ação organizada e pensada.

Lição 8 1) Qual é a fonte dos ministérios leigos na Igreja? “Existem dons diferentes, mas o Espírito é o mesmo; diferentes serviços, mas o Senhor é o mesmo; diferentes modos de agir, mas o mesmo Deus que realiza tudo em todos” (1Cor 12,4-6). A única fonte dos dons, serviços, carismas, os quais se transformam em ministérios na vida eclesial, é a Santíssima Trindade, a qual age em nós por meio do Espírito Santo. 2) Qual é a finalidade principal dos ministérios leigos? A finalidade dos carismas e ministérios é a de animar a vida em comum (vida fraterna) e o anúncio do Evangelho. “Quem de vocês quiser ser grande, deve tornar-se o servidor de vocês e quem de vocês quiser ser o primeiro, deverá tornar-se o servo de todos” (Mc 10,43-44). 3) Cite os ministérios leigos existentes em sua comunidade local. Cada estudante, em sua igreja local, pode narrar os ministérios existentes. Estes ministérios podem ser: da palavra, da comunhão, da catequese, da caridade...

Lição 4 1) Quais são sinais de vida e de morte existentes em sua realidade local? Pode-se encontrar sinais de vida, como amor, doação, trabalho voluntário, dedicação, ajuda nas emergências, entre outros. Já os sinais de morte podem ser o egoísmo, a fofoca, o ciúme, a maldade, a violência, entre outros. 2) A quem compete discernir os Sinais dos Tempos? “Compete a todo Povo de Deus, sobretudo dos pastores e dos teólogos, com o auxílio do Espírito Santo, auscultar, discernir e interpretar as várias linguagens de nosso tempo” (Vaticano II, Gaudium et Spes, n. 44) 3) O que são sinais dos tempos? Sinais dos tempos são pequenos ou grandes acontecimentos, fatos, realidades históricas que transmiLição 7 tem sinais, tanto para o bem quanto para o mal. São sinais que estão 1) O que significa “metodoloa indicar rumos que a vida toma. gia da prática pastoral”? É o discernimento para escolher Lição 5 um caminho para chegar a uma 1) Em que sentido a realidade meta. É uma arte de caminhar, que nos cerca exige que se faça um construindo um caminho. Se não for escolhida uma metodologia coplanejamento da ação pastoral? A Igreja começou a planejar sua erente com a proposta evangélica atuação porque viu que a realida- acaba-se comprometendo o objede exigia um plano de interven- tivo e conteúdo da evangelização. 2) Quais são os tipos de metoção. Passou a valorizar o aprendizado das ciências, procurando dologia de planejamento pastopensar, planejar e organizar me- ral existentes atualmente? São quatro as formas de planelhor sua ação pastoral. 2) Quais são as razões que justi- jar: a) a normativa, depende da ficam um planejamento pastoral? autoridade; b) a estratégica, parte Planeja-se para evitar a im- da instituição e assegura seus obprovisação. Não ter um plano de jetivos; c) a prospectiva, parte do ação pastoral é sinal que não se ideal a atingir; d) a participativa,

Lição 9 1) Qual é a diferença entre diretoria e conselho de pastoral? A diretoria centraliza as decisões; concentra o poder; o patrimônio é só para o lucro; tem metodologia autoritária, movida pelos interesses privados; fomenta a desigualdade dos membros; tem relações impositivas e individualistas; e as celebrações são mera “desobriga” e ritualistas. Por seu lado, o conselho de pastoral favorece o fazer juntos, com poder partilhado e de todos, numa metodologia participativa, que se inspira no Evangelho de Jesus; ele respeita a voz e a vez de todos, com relações fraternas e solidárias e onde as celebrações procuram unir fé e vida.

2) Quais são as vantagens de um conselho de pastoral na comunidade de fé? O conselho permite comunhão e participação nas decisões e na ação. Oferece autonomia e maturidade. Anima e articula os serviços, ministérios, pastorais e movimentos. Toma decisões próximas à realidade. É prático e concreto. Encaminha e executa com agilidade. Aproxima a Igreja das famílias. Avalia a caminhada e projeta ações de acordo com as necessidades. Incultura o Evangelho de forma viva, criativa e concreta. 3) Como está organizada a coordenação de sua comunidade eclesial? Os conselhos de pastoral são formados por representantes dos serviços, pastorais, ministérios e movimentos existentes na comunidade de fé; quando é em nível de paróquia – rede de comunidades, o conselho é formação por um membro de cada comunidade de base, um representante de cada pastoral, serviço, ministério ou movimento organizados em nível de paróquia. Lição 10 1) Será que o individualismo e o interesse próprio impedem a vivência comunitária de nossa fé cristã? Por que? O individualismo e o interesse próprio minam a vivência comunitária da fé. As razões desta afirmação são: contrariam os princípios da fé cristã: amor mútuo, fraternidade, doação, serviço, partilha, entre outros. Todo o integrante da comunidade cristã irá se cultivar (ascese, espiritualidade) para adotar sempre uma atitude de aceitação dos outros, de saber conviver fraternalmente, de acolher aquilo que é diferente de sua opinião. 2) Por que a Igreja Povo de Deus precisa ser uma rede de comunidades? Porque está embasada no anúncio dos apóstolos e dos primeiros discípulos. As comunidades cristãs têm o sustento do Espírito Santo para serem vivas e dinâmicas. A Igreja de Jesus é uma rede de comunidades, tais como células vivas, lugares privilegiados onde os fiéis vivenciam o encontro com Cristo e a comunhão fraterna. 3) Em sua realidade eclesial, pode-se dizer que os responsáveis pela animação pastoral possibilitam a participação dos fiéis na vida e na missão da Igreja? Cada realidade eclesial é diferente. Pode ter agentes de diferentes atitudes. Uns podem ter maior ou menor participação dos fiéis na vida e na missão da Igreja.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

Frei Betto, em Fome de Deus

F LEITURA

Um encontro com Deus

14 - Geral

Panorama Milena Schäfer/Conceitocom Brasil/Div/CR

“O que se busca não é ouvir falar de Deus... Busca-se, sobretudo, deixar que Deus rompa o seu silêncio e fale no íntimo de cada um.”

Esta é a experiência proposta no novo livro de Frei Betto

Entidade regional está instalada em sala exclusiva

sita, basta simplesmente olhar para dentro. A publicação reúne 100 mensagens postadas na página do autor no Facebook, com citações de Dalai Lama, Martin Luther King, Albert Einstein, entre outros. Frei Jaime – formado em filosofia, teologia e administração de empresas, coordenador da Lefan e fundador do projeto Mão Amiga – é autor ainda de “Fazer o bem”, “A perfeição do amor” e... Espiritualidade nas organizações: uma dimensão humana vital ao trabalho (de frei Jaime Bettega, Educs, 128 págs.). Nesta obra, lançada no mesmo dia de “O olhar do coração”, na Feira do Livro de Caxias, frei Jaime, que também é professor de Administração na UCS, coloca sua capacidade de investigação acadêmica e sua prática de ação social para provar o quanto o aparentemente impossível (o valor positivo da Espiritualidade no ambiente industrial) torna-se possível.

O olhar do coração (de frei Jaime Bettega, Quatrilho Editorial, 112 págs.). Este livro traz uma seleção de mensagens publicadas por este capuchinho, natural de Caxias do Sul e com espaço nobre no Correio Riograndense. Quem acompanha a página de frei Jaime no Facebook sabe que as suas postagens diárias oferecem conforto e esperança. Nesta obra, que chega em formato de livro de bolso, ele mostra que, para alAntídoto apocalíptico - 150 cançar a paz que a alma neces- provas científicas da existência

de Deus (de Zico Zugno, editora Z-Book, 208 págs.). Trata-se de uma obra que procura ser “remédio contra tantas previsões sombrias e nefastas que estão propagando por aí”. O conteúdo do livro fortalece a esperança de um mundo melhor, pois lembra 150 razões emocionantes da perfeição e do esmero da Criação que possibilitam a nossa vida. O terceiro livro de Zico (José Zugno Filho) amplia e aprofunda o tema do primeiro (“101 razões emocionantes para a vida continuar após 2012”). Nele, este engenheiro eletricista/eletrônico, professor e palestrante – entre outras realizações, projetou máquina exclusiva para a Nasa - responde questões como “haverá vida extraterrestre?”, “haverá vida mais inteligente no Planeta Terra?” ou “criacionismo, evolucionismo, ambos ou nenhum?”. Isso tudo aliando “ciência e fé sem conflitos”. O livro está disponível em e-book (www. zicozugno.com.br), ao preço de R$ 9,90, e, fisicamente, em livrarias caxienses. Contatos pelo (54) 3027 4890.

ACI de Carlos Barbosa é nova sede da CICS Serra Desde outubro, a Associação Carlos Barbosa, uma das 11 das Entidades Representativas associadas da entidade-mãe da Classe Empresarial da Ser- na região. A ACI será anfitriã ra Gaúcha (CICS Serra) está da CICS Serra pelos próximos oficialmente instalada na sede quatro anos. A CICS Serra atenda Associação do Comércio, de de segunda a sexta-feira, em Indústria e Serviços (ACI) de horário comercial. Flexibilização Os funcionários da Marcopolo aceitaram a proposta de flexibilização da jornada de trabalho. Ao todo, votaram 5.086 funcionários e 71,4% aprovaram a flexibilização, que será adotada nos meses de novembro e dezembro. Pela proposta, os trabalhadores serão liberados uma vez por semana, mas não terão o dia descontado. Quando a produção voltar a crescer, as horas não-trabalhadas serão compensadas. A flexibilização é uma forma de reduzir os impactos da queda de pedidos da empresa até o final do ano.

Dália Alimentos Já está no mercado a Linguiça de Lombo Suíno Dália. O novo produto lançado pela Dália Alimentos (Cooperativa das Suinoculturas de Encantado) é diferenciado, pois é produzido com redução de sódio e baixo índice de gordura. No total, há mais de uma centena de produtos com a marca Dália.

Alesi Ditadi/Div./CR

Fome de Deus - fé e espiritualidade no mundo atual (de Frei Betto, editora Paralela, 176 págs.). Neste livro, Frei Betto (Carlos Alberto Libânio Christo), um dos mais importantes líderes espirituais brasileiros e articulista de várias publicações, entre elas o Correio Riograndense, aborda temas como a oração, o amor ao próximo, a fé e a vida de santos, sempre a partir de um ponto de vista contemporâneo. Por meio de textos simples e curtos, mas extremamente profundos, ele propõe um encontro transparente e frequente com Deus, uma experiência rica que é mais significativa do que imaginamos. “O que se busca não é ouvir falar de Deus, falar sobre Deus ou mesmo falar a Deus. Buscase, sobretudo, deixar que Deus rompa o seu silêncio e fale no íntimo de cada um”, diz o autor, frei dominicano que já escreveu 57 obras e ganhou, entre tantos prêmios, dois Jabutis.

Tratores Agrale Tratores Agrale A Agrale prevê fechar o ano com produção recorde de tratores. O bom desempenho obtido nos três trimestres do ano deverá ser mantido e permitirá à empresa caxiense crescer mais de 20% e superar o volume de 2.200 unidades fabricadas. A Agrale produz quatro linhas de tratores, com potências entre 15 cv a 168 cv. Caxias/Cidead Caxias do Sul sediará, no dia 5 de novembro, a última edição do Ciclo de Debates de Administração (Cidead) do ano de 2013. Evento é realizado pelo CRA-RS e neste ano passou pelas cidades de Uruguaiana, Alegrete, Santa Rosa, Ijuí, Santo Ângelo, Pelotas, Bagé, Passo Fundo, Gravataí, Osório e Santana do Livramento. Evento ocorre no auditório do Bloco F da Faculdade da Serra Gaúcha (FSG).

ANIVERSÁRIO Aloisio Knorst completa 80 anos no dia 30 de outubro de 2013. Assinante e leitor assíduo do Correio Riograndense, reside em Modelo (SC). Os filhos prestam homenagem a este pai querido e amado. O desejo de muitas felicidades, saúde e alegria: Sergio, Paulo, Lisete, Celso e Volnei, noras Zelir, Mari, Gabrielle, Michele, genro Eduardo e netos: Byanca, Marcel, Natascha, Mateus, Hitoshi, Irica, Barbara, Larissa, Pedro, Isabela e Lucas.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

15 - Geral Loterias LOTERIA FEDERAL

Coluna do Agente

26/10/2013

1º ........................ 60.294 2º ........................ 11.548 3º ........................ 93.986 4º ........................ 57.756 5º ........................ 13.131

QUINA

Concurso 3321

04 - 07 - 20 - 31 - 52 Concurso 3322

14 - 29 - 33 - 51 - 58 Concurso 3323

06 - 25 - 52 - 61 - 75 Concurso 3324

25 - 26 - 33 - 44 - 75 Concurso 3325

08 - 11 - 25 - 62 - 79 Concurso 3326

Promoção prorrogada Diante da boa aceitação da promoção que brindou os 10 primeiros agentes que conseguiram fazer cinco novas assinaturas com os livros Retratos da Colônia, de frei Arlindo Battistel, o Departamento de Circulação está prorrogando o prazo da promoção, que vigorou de 25 de setembro a 1º de novembro, até o dia 30 de novembro. Desta forma, os cinco primeiros agentes que fizerem cinco novas assinaturas também receberão os dois volumes da obra de Battistel. E atenção: agentes que não haviam

03 - 04 - 05 - 06 - 07 09 - 10 - 11 - 18 - 20 21 - 22 - 23 - 24 - 25 Concurso 972

01 - 03 - 06 - 08 - 11 13 - 14 - 15 - 16 - 20 21 - 22 - 23 - 24 - 25

Concurso 1541

05 - 24 - 37 - 44 - 49 - 58 Concurso 1542

07 - 11 - 12 - 30 - 39 - 57

LOTOMANIA

Concurso 1395

03 - 06 - 07 - 11 - 15 - 18 - 42 45 - 48 - 51 - 54 - 55 - 57 - 71 77 - 79 - 82 - 90 - 91 - 97

SFB COMERCIAL S/A

CNPJ 03.891.644/0001-05 NIRE 43300038653 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA CONVOCAÇÃO Convocamos os Srs. Acionistas a se reunirem em Assembleia Geral Ordinária, na sede da companhia, sita à Rua Santos Dumont, 182, térreo, em Caxias do Sul, RS, em primeira convocação, às 9:00 horas do dia 08 de novembro de 2013, para deliberarem sobre a seguinte Ordem do Dia: 1- Examinar, discutir e v o ta r o R e l a t ó r i o d a D i r e t o r i a e a s Demonstrações Financeiras do exercício social findo em 31 de dezembro de 2012; 2Deliberar sobre a destinação do resultado do exercício e a distribuição de dividendos. Caxias do Sul, 16 de outubro de 2013. A Diretoria

CASAMENTOS REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS DE GALÓPOLIS CAXIAS DO SUL ESTRADA FEDERAL, BR 116, KM 160, Nº 755 - GALÓPOLIS - CAXIAS DO SUL - RS

LOANDA MARIA LOPES MILANI OFICIAL

Comunicam que pretendem contrair matrimônio as seguintes pessoas

JOEL CARLOS MARCHIORO e SIMONE NICHELE Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e forma da lei. Caxias do Sul, 25 de outubro de 2013 LOANDA MARIA LOPES MILANI REGISTRADORA

CASAMENTOS

Dione Aparecida de Conto, Tabeliã e Registradora do Serviço Notarial e de Registros de Vila Seca, faz saber que pretendem casar as seguintes pessoas: - ANDRIGO BOGO, filho de Ivanor Bogo e de Inez Brambati Bogo e DADIANE CASAGRANDE, filha de Gilmar Casagrande e de Ana Leonilda Boff, pelo Regime da Comunhão Universal de Bens - JOÃO ANTÔNIO MUSSKOPF BOEIRA, filho de Salvador de Oliveira Boeira e de Izalia Musskopf Boeira e JÉSSICA DA SILVA DE SIQUEIRA, filha de Flavio Gilberto da Silva de Siqueira e de Benta Marques da Silva, pelo Regime da Comunhão Universal de Bens Quem souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul, 25 de Outubro de 2013

CASAMENTOS

EDITAL DE CITAÇÃO - EXECUÇÃO

EDITAL DE CASAMENTO

Concurso 973

01 - 02 - 03 - 05 - 06 08 - 11 - 14 - 15 - 18 20 - 21 - 22 - 24 - 25 MEGA-SENA

CASAMENTOS

SERVIÇO NOTARIAL E DE REGISTROS DE SANTA LÚCIA DO PIAÍ MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL-RS Rua Rosa Franciosi Giordani, nº 110, sala 03 - Distrito de Santa Lúcia do Piaí CEP 95.130-000 - Telefone/Fax: (54)3266-1286 Daniela Bellaver Fistarol Registradora Civil Comunica que se habilitaram ao casamento, as seguintes pessoas: Edital nº 815 CLÉBER SAGIORATO e VANUSA DA SILVA Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul-RS, 17 de Outubro de 2013 Daniela Bellaver Registradora Civil

REGISTRO CIVIL DE ANA RECH - CAXIAS DO SUL-RS BR116, km 147, nº 15.999 - CEP 95059-520 Caxias do Sul-RS - Fone: (54) 3238.1111 Cláudio Klering - oficial Emerson Roberto Klering - oficial substituto Comunica que pretendem contrair matrimônio as seguintes pessoas: EDITAIS: 5966/144 até 5973/151 1 - VINÍCIUS CRISTIANO CAMPOS DA SILVA E RAFAELA DA SILVA JESUS. 2 - FÁBIO ROHDEN E JÉSSICA PALOSCHI. 3 - RODRIGO PAIM E INDIARA JAINNE CHAVES. 4 - MARCELO EDENILSO FARAON E SORAIA ZANELATO. 5 - RONEI BRISOTTO E LAURA ANDRÉIA COSTA. 6 - PAULO RICARDO OLIVEIRA DUTRA E JOCASTA VIEIRA RODRIGUES. 7 - MAILLON JOAN ROSA DA SILVA E ALINE PASQUAL. 8 - FELIPE DALLA SANTA SOUZA E AMANDA LAVORATTI. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul, 23 de outubro de 2013

50 - 53 - 56 - 59 - 66 LOTOFÁCIL Concurso 971

conseguido completar as cinco novas assinaturas desde o início da promoção, poderão participar até 30 de novembro, incluindo essas assinaturas já feitas. Portanto, uma oportunidade imperdível para obter o número de assinaturas exigido e desfrutar de uma obra impressionante – exatas 5.384 fotos, distribuídas em 1.360 páginas, que retratam os costumes, tradições, religiosidade, agricultura, moda e outras atividades do cotidiano dos descendentes de imigrantes italianos, alemães, poloneses etc, do sul do país.

EDITAL DE CITAÇÃO - EXECUÇÃO 3º Vara - Comarca de Farroupilha Prazo de: 20 (vinte) dias. Natureza: Execução de Titulo Extrajudicial Processo: 048/1.05. 0001543-0 (CNJ: 001543195.2005.8.21.0048) Exeqüente: Banrisul S.A.. Executado: Vivaldo dos Santos. Objeto: CITAÇÃO de Vivaldo dos Santos, atualmente em lugar incerto e não sabido, para que pague(m), no PRAZO de VINTE E QUATRO (24) HORAS, o débito de R$ 3.640,84 (três mil e seiscentos e quarenta reais e oitenta e quatro centavos), em data de 16/05/2005 e demais cominações legais, ou, no mesmo prazo nomeie(m) bens à penhora, sob pena de, em não o fazendo, seremlhe(s) penhorados tantos bens quanto bastem para garantir a execução. Farroupilha, 31 de Janeiro de 2013. SERVIDOR: Josiane Lima. JUIZ: Maria Cristina Rech.

Rua Alfredo Chaves, nº 557 - Fone: 3221.7645 CARLOS ALBERTO FRAINER - Registrador

PELO REGISTRO CIVIL DE PESSOAS NATURAIS E DE INTERDIÇÕES E TUTELAS DA 2ª ZONA DESTA CIDADE, HABILITARAM-SE PARA CASAR AS SEGUINTES PESSOAS: Editais nº 31.052 a 31.075 - ROMUALDO ANCHIETA DE LIMA E ROCHELE SAVARIS - JANILTON DA SILVA LEMOS E EDYZANA DA SILVEIRA - JOÃO RADIMIR RODRIGUES MOURA E INÊS MARISA DOS SANTOS - PABLO GEORGE RODRIGUES OLIVEIRA E ELIANE PRISCILA LEITE - RAFAEL JOSÉ GUARESE E MARIZA JANETE LIRA - RONALDO LUÍS MÜLLER E DAIANE TREVISAN - ANDRIGO NUNES DE AZEVEDO E JOCÉLIA BORGES DE CAMPOS - CLAUDIO ISOTON E SUELEN REGINA COMMUNELLO - KELLER GÖTTSCHE GOMES DA SILVA E CÍNTIA DOS SANTOS LAMAS - EURIDES ALVES DA SILVA E CÍNTIA KELLY RODRIGUES COLONIA - DANTE CAMARGO E JOSILENE FERREIRA DA SILVA - MÁRCIO LEANDRO WILDNER E SUÉLEN OTOBELLI - ÍGOR MARTINI E ÉLEN STANGHERLIN - CLÁUDIO ROBERTO DOS REIS SOARES E DANIELE KUZE DO NASCIMENTO - CLEBER ALCIDES BASSO E ANA PAULA ROSIAK - RENAN BORGES MARTINS E KÁTIA CRISTINA LENZI - FERNANDO ANDREIS E BÁRBARA ALBÉ REGENINI - ÉDIPO DE OLIVEIRA MAPELLI E ÂNDREA SEGABINAZZI - MARCOS SANTINI DE ABREU E KARINE GIASSON - DIEGO ESPINOSA AZAMBUJA E CINARA TORRESAN - ANTÔNIO CARLOS LOPES E VANICE JESUS DE MELOS - JOSUÉ DRAGO DE ALMEIDA E ELIANE CRISTINA DOCENA - THIAGO THOMAZI E PATRICIA REGINA RIVA - RENÊ LUIZ TRAGANSIN JÚNIOR E MAISA LISBOA DE ABREU Caxias do Sul, 28 de outubro de 2013

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL - ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO - COMARCA DE CAXIAS DO SUL SERVIÇO DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS DA 1ª ZONA Fone: 3226-7980

CASAMENTOS

ROBERTO RUSCHEL DA SILVA - Oficial Registrador. FAZ SABER, que por este Serviço, habilitaram-se ao casamento as seguintes pessoas: (Editais nº 27.205 ao 27.236) - Carlos Roberto Denti e Morgana Mery Bonho - Elmo Joanir Biazus e Joseane Indiara Ferreira - Tiago Bisinella e Cristiane Lazzari - Heron da Silva Chaves Júnior e Gabriele da Rocha - Geonei Carlos Solivo e Juliana Aguiar Paim - Sergio Carvalho Trindade e Deise Vilma Webber - Altanir Trevisan e Silvana Motta da Silva - Fábio Generosi e Vanessa da Rosa Arruda - Bruno César Muner e Aline Bolfe - Magnos Matielo Pauwels Gebauer e Luciana Umann Drebes - Roberto Taboada Fellini e Letícia Marchetti Lodi - Renê Nunes de Souza Filho e Sandra Mara Mapelli - Jonne Ricardo Rodrigues Vigolo e Jéssica Monteiro da Silva - Daniel de Freitas Silva e Jéssica Valim Marchett - Robert Alexandre de Souza e Lucimeire da Silva Armi - Pablo de Oliveira Mazzochi e Milena Folchini Ribas - Selmar Sandro Padilha e Adriana Pagno - Alexsandro Reis da Silva e Katiane Alves Teixeira - Estevan Odon Rocha de Souza e Mariana Pistore - José Davi Oltramari e Aline Smiderle Boff - Claudiomiro Maier da Rosa e Enia Sinara da Silva - Alexandre Guerreiro Sartori e Camila Garbin - Thomas Panassol de Camargo e Thaís dos Santos Toniolo - Paulo Gilberto Ribeiro e Lisiane Reis dos Santos - Darcí Antônio Scarabotto e Desolina da Silva - Júlio Luiz Longhi Júnior e Simone Quetinelis de Cabral - Soly Antônio da Silva e Zenaide Jaci de Oliveira - Peter Josimo Schell Klein e Juliana Rafaela Ferrary Jardim - Roberto Cesar Vilasbôa Paim e Flávia Xavier - Nelson Costa e Helena Toigo - Adriano Guerreiro Binotti e Joelma Aparecida dos Santos - André Melo dos Santos e Franciele Nunes dos Santos SE ALGUÉM SOUBER de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul, 28 de outubro de 2013 ROBERTO RUSCHEL DA SILVA - Oficial Registrador

6ª vara Cível - Comarca de Caxias do Sul. Prazo de: VINTE (20) dias. Natureza: Execução de Título Extrajudicial. Processo: 010/1.11.0033024-0 (CNJ: 005683973.2011.8.21.0010). Exequente: Montec Mão de Obra Industrial Ltda. Executado: Foco da Luz Materiais Elétricos Ltda e outro. Objeto: CITAÇÃO de José Polidoro Arent, atualmente em lugar incerto e não sabido, para que pague, no PRAZO de TRÊS (3) DIAS, o débito de R$ 7.594,74, atualizado em data de 04/11/2011 e demais cominações legais, ficando ciente de que havendo o pagamento integral no prazo legal, a verba honorária arbitrada será reduzida pela metade; ou, querendo, ofereça EMBARGOS no prazo legal de QUINZE (15) DIAS, contados do término do prazo deste edital. No prazo de embargos, reconhecendo o executado o crédito do exequente e comprovando o depósito de, no mínimo, 30% (trinta por cento) do valor exequendo, inclusive custas processuais e honorários advocatícios, poderá o executado requerer seja admitido a pagar o restante em até SEIS (6) parcelas mensais, acrescidas de correção monetária e juros de 1% (um por cento) ao mês. Não efetuado o pagamento, se procederá a PENHORA, AVALIAÇÃO e DEPÓSITO de tantos bens quantos forem necessários para garantir a execução. Caxias do Sul, 18 de setembro de 2013. SERVIDOR: Maria Gorete Grisa. JUIZ: Luciana Fedrizzi Rizzon.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO O Presidente do Conselho Executivo do Recreio da Juventude, no uso das atribuições, que lhe são conferidas pelo Estatuto Social, Art. 57, inciso I; e de conformidade ao Artigo 55, inc. I, letra “a” número 1 e letra “b”. Convoca os associados do RECREIO DA JUVENTUDE, em pleno gozo dos seus direitos estatutários, para Assembleia Geral Ordinária, a realizar-se no dia 18 de novembro de 2013 (segunda-feira), em sua Sede Administrativa/Campestre, sito a Rua Atílio Andreazza, 3525, nesta cidade, em primeira chamada às 18h com a presença de no mínimo dois terços (2/3), em segunda chamada às 18h30, com a presença de no mínimo um terço (1/3) e em terceira e última chamada às 19h com a presença de qualquer número de associados, com a seguinte ordem do dia: ORDEM DO DIA 1°) Eleição de 1/3 do Conselho Deliberativo 2°) Eleição dos membros do Conselho Executivo 3°) Eleição dos membros do Conselho Fiscal 4°) Assuntos Gerais Caxias do Sul, 30 de Outubro de 2013 Ademir Somavilla - Presidente do Conselho Executivo


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

“Quem não tem confiança nos outros, não lhes pode ganhar a confiança.” Lao-Tsé (604-531 a. C.), filósofo chinês

16 - Sabe-Tudo Fotos Divulgação/CR

✦ NATUREZA Micro-organismos vivem no Mar Morto, um dos lagos mais salgados do mundo

Ria se puder Um avião caiu em uma ilha. Na ilha havia duas tribos: uma de canibais e outra de vegetarianos. Quem foi para o lado canibal morreu, quem foi para o lado vegetariano, também. Por quê? - Porque a tribo vegetariana comia: raiz de cabelo, maçã do rosto, a veia aorta, a batata da perna etc.

Palavras cruzadas diretas PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br

Defensor; beque (fut.) Associação que ampara o excepcional (sigla) (?)-in, técnica de massoterapia Conjunto de raios luminosos (pl.)

Ringtone Suvenir de barro do Primeiro Norte de Portugal signo Órgão estadual de (Astrol.) estradas (sigla)

Religião (abrev.)

Ampara; sustenta

“(?) e Jacó”, obra machadiana (Lit.) A começar de 45, em romanos

Emily Brontë, escritora britânica

Vida desponta em lugares congelantes, escaldantes e áridos

no está o Mar Morto. Situado no Oriente Médio, é um dos lagos mais salgados, com índice de 32%, dez vezes mais do que o mar, o que faz os nadadores boiarem sem esforço. A evaporação constante de água forma cristais de sais. Os

Vogal do pingo Ovo, em inglês

Trigo, milho, feijão e ervilha

Ornato de noivas Tonelada (símbolo)

(?) Sandoval, virtuose do trompete Anfíbio de carne apreciada Tipo de estacionamento Pedras de moinhos

BANCO

Revolta em navio Íntegra (fig.)

(?) Chagall, pintor, gravador e vitralista

(?) Gardner, diva dos anos 50 (Cin.)

O efeito da ingestão de arsênico

Conjunto de galhos e folhagens (pl.)

50 Desafios para mudar sua maneira de pensar Nas bancas e livrarias www.coquetel.com.br

41

Solução G M A D A R E L E I R O E D E S D E S E B A R I A U T R M AR C R O E E T A L T I V O A M A S

Fontes submarinas: Ficam espalhadas pelo assoalho oceânico em áreas de atividade vulcânica. Osganismos que habitam estas regiões vivem em temperaturas de variam de 80 a 100ºC e em profundidades que 2.000 a 3.000 metros. Lago Vostok, Antártida: É a área mais fria do planeta, com média anual de -55ºC. No gelo, cientistas encontraram bactérias, leveduras, fungos e microalgas.

A rocha de carbonato de cálcio

T P L O I Q A G U P A E O D I X E A L C V E G L R T U Ã L O T A S R

Outros lugares

micro-organismos do local são extremamente eficientes no controle da entrada e saíde de sais e água das membranas celulares. Uma típica paisagem marciana esconce o Vale da Morte, deserto localizado no oeste dos Estados Unidos. Extremamente árido, o lugar já resgistrou a temperatura mais elvada da Terra: 58ºC. As bactérias e outros animaizinhos invisíveis a olho nu, que vivem no solo e rochas da região, desenvolveram mecanismos para reter água nas células. O deserto mais frio e árido do mundo, o Vale Seco McMurdo, encontra-se na Antártida. A água nesta região passa do estado sólido (gelo) direto para o gasoso. A temperatura varia de -23,7ºC a 0,7ºC. Seu ecossistema é dominado por micro-organismos, musgos, líquens e alguns invertebrados. Alguns vivem dentro das rochas.

3/ava — egg. 4/reta. 5/grãos. 6/arturo — feixes. 8/calcária. 14/cinza de cigarro.

Lugares onde só os fortes sobrevivem. Existem e estão espalhados pelos continentes. Mesmo em locais onde as temperaturas são congelantes ou escaldantes, os solos são áridos ou salinos, a vida surge e surpreende pela grandeza e criatividade. Um desses lugares pertence ao Chile, na América do Sul. Trata-se do deserto do Atacama, uma das regiões mais secas da Terra. No interior do deserto, chove apenas alguns milímetros por década e a radiação solar é muito intensa por causa da elevada atitude de 2.400 metros. A temperatura média oscila de) a 25ºC. Além disso, a água evapora rapidamente e deixa uma camada de sais minerais. Mesmo nessa região extremamente inóspita (inabitável), micro-organismos vivem nas margens do deserto. Na região mais baixa do planeta, a 396 metros abaixo do ocea-

(?) e rolar: fazer o que quer (bras.)

C D I N Z A D F E C I E G A R R M O

Extremos da Terra

© Revistas COQUETEL 2013

Pó que curaria aftas, segundo a crença Cinta-(?), popular peça íntima feminina

Aquela que terminou um curso

Pequeno urso, grande espirro

O deserto do Atacama, no Chile, uma das regiões mais secas do planeta, exibe vida

Chu é um filhote de panda fofinho. Curiosamente, quando Chu espirra, coisas ruins acontecem! Por isso, seus pais ficam sempre atentos ao verem ele coçar a pontinha do nariz. Mesmo assim, coisas acontecem onde eles menos esperam! O dia de Chu, de Neil Gaimam (Editora Rocco), é voltado ao público infantil. Com narrativa leve e ilustrações divertidas, de Adam Rex, a obra provoca os pequenos leitores. Tradução de Ana Bergin.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

“Sempre che ghe rivo darente la me scampa via e me costa tanto catarla nantra volta.” Nanetto Pipetta

Arlindo Battistel

El ritorno de Nanetto Pipetta (740) Ilustração Derli Dutra, São José do Ouro (RS)

La stropeta Romano Prando Lacerdópolis - SC

Questo poema che go scrito el par meso strambo, Ma el ze pura verità, tanti noi crede mia. Parlo sora la educassion dei fioi giorno de oncoi, Dela mancansa dela stropeta che tanto ben faria. Nò maltratarli e gnanca darghe bastonade ai fioi. In tute le ocasion ghe vol autorità e bona maniera Disea i nostri noni e anca i preti sti ani. Quel che se impara da quei se lo porta vita intiera. Ma adesso, cola modernità ghe ze lege mese strambe. Una l’è quela che protege la gioventù, el Consìlio Tutelare Che i minori de età che i sipia lìberi del lavoro, Ma i pol far tute le malegràssie, come robar e copare. Tuto tea natura ze movimento e lavoro Come ga dito San Paolo, quel che no lavora no’l mèrita magnare Ghe ze anca un provèrbio che el dise maisomeno cossi: Che la persona nasse per el lavoro come el osel per volare. Che bruti esémpii dei nostri ministri e polìtichi Che i roba i soldi del pòpolo, come se dise, i nostri s-chèi. Sensa educassion e amparati pel la impunità E anca per mancansa de stropa quando i zera cèi. Sti ani ghe zera più giustìssia, severità e onestità I polìtichi i zera più onesti, i gavea rispeto e educassion. Oncó i fa su de tuto; ladroere e veiacade. El par che esser coroti e ladri ze na profission! Ghe ze ncora polìtichi bone persone, che i fa polito, Ma ghenè tanti che i se impiena de soldi a scarselade, Ma par questi na stropeta ze massa poco. Ghe voria un bel baston e darghe zo bastonade. Per fenir, vui dirve a tuti quanti Che i esémpii e i provèrbi dei noni i ga bona serventia. Se i pare e mare de faméia i doperesse la stropa, Tel mondo tanti crimi e desgràssie non saria.

Par rider un pochetin Tendi el gato: Na volta, un omo che bevea massa e bastonea la dona, quando el ndava casa, ciùco, el ga catà na sigagna che ghe ga dito: Férmete de bever se nò te te trasformi in un sordo schifoso. Spaurà, el ga assà là de bever, ma un giorno no’l se ga tegnesto e el ga fato na bruta steca coi amighi. Ndato casa ciùco, e pien de paùra, el ga dito a la sposa: - Varda, se taco restar pìcoleto e co na coa dadrio, mi te imploro: stà tenta al gato, par carità!

Nanetto sogna col so nido d’amore Eduardo Grígolo Jundiaí - SP

(Retomada do texto de Eduardo Grigolo, interrompido na edição de 14 de agosto de 2013). Nanetto vea na granda qualità: el gera molto osservador. Lu stea sempre atento e co le récie in pié come na “irara”. Per quel gera un poc difìcile “passarghe la gamba”. Fea de conta che gnente volea, ma chi lo conossea savea ben che no’l dea punto sensa gropo. Alora, una matina pena dopo colassion e intanto che i tosati i gusea el roncon par ndar trar do capoera, Beto el ga visto che Nanetto ndea da na parte a l’altra vardando insù, un’ora banda drita, nantra, tea banda sanca, un poc darente le capoere dopo un poc pi distantot, avanti e indrio, come un insemenio. - Cio, compare Mosca Bianca, ghetu ciapà el bis del cul? - Tasi, Beto! No te pol assarme in pace solche un menuto? No te vedi che son drio osservar quel osel drio farse el nido sora un ramo de quel pin là? - Vutu farte un someiante? No te piase la cuneta che te ven rangià? - Beto, vao far de conta che no

e me costa tanto catarla nantra volta. - Ben se l’è par maridarte te rangiarén una potrancona che corcoveia solche un pochetin, vero? Chià! Chià! Chià! Qua ghenè arquante, te pol scoier quela che la te piase! - Nò! E pronto! Se no posso maridarme co la Gelina, gnanc’una altra me serve! Ghetu capio, scurioson? - Calma! Calma! No bisogna perder la tramontana bonoreta ancora! Ciapa el roncon e intanto che te trà do capoera te vedarè che la to suca voda la se inpienirà de altre idee e te me ringrassiarà per questo! - Ti no te sa gnente! El mio cuore l’è belche insanguinà de tanto piander per la Gelina. L’è una tosa che me ò inamorà e che per gnente de questo mondo la trucaria per nantra. Punto e basta! Capito? - Va là! Va là, Nanetto! Le tose le ze tute compagne: Due ocii, due récie, due gambe, due brassi, un naso, una boca, etessètera. Cognóssitu qualc’una diversa? - Bruto bèstia! No l’è così! Son drio osservar quel osel perché me à vegnest una idea in suca. Go visto sora un libro che ze i osèi mas-chii che fa el nido d’amore e dopo i ciama la so eleta par darghe l’onor de esser la mama dei so pupini, setu? - E ti te va far nantra cuneta par meter la Gelina rento come se la fusse una tatina ancora? - Nò! Nò! Trè volte nò! El mio “nido d’amore” ndove portarò la Gelina l’è una caseta sémplice, ma piena de

te ò scoltà dir gnente, nò perché te mèrita, ma perché mi son passionà anca mi, tanti ani fa, per la Gelina. Sempre che ghe rivo darente la me scampa via

tuto quelo che ghe piase. Vui farla sentirse come na regina. Varda sol: Regina Gelina! Tuto combina! Vero? - E chi farà sta caseta? Ti sol? - Nò! Vao domandarghe a Ilia come scomìnsio. Sò anca mi che prima bisogno comprar un toc de tera. Sensa quel no se fa roba nessuna! Dopo bisogno comprar tole, scàndole, sotaroni, palanchi, finestre... - Férmete! Férmete! Adess te pol desmissiarte! No l’è mèio prima de tuto ndar in serca dela Gelina e dopo maridarte far la caseta? Intanto che no la resta pronta te pol star qua, ti e la Gelina. - Beto, Beto! Come te ò dita i osèi mas-chii i fa el nido e dopo pronto i ciama la so oseleta. Vui far compagno a lori. Quissà fando così la Gelina no la càpite e anca ela vardando el nostro “nido d’amore” no farà come la oseleta? - Ah! Pensea che te gera drio sognar! Setu che i morosi no i vede gnente, i someia orbi! L’è par quel che dopo che i ze insieme tuto el tempo, dopo che i se marida, quela passion de prima ociada va via e i difeti i càpita. Alora, intrà sberle e basi i va avanti insieme intanto che Dio vol, perché dopo la prima “tempesta” la voia ze de ciapar i trapèi, cada uno de so banda, e via a tuta carera e pi distante che se pol. - Bisogna che te la cognossa la Gelina. Una creatura del’altro mondo. Bela, belìssima! Tanto par fora quanto par rento! - I morosi i ze orbi e sordi al medèsimo tempo! No avantaia gnente discorer sora questo con lori! Se te vol laorar vegni! Sinò te pol restar li a vardar i osèi! Arrivederci! - Ah! Spèteme Beto che vao con ti!

Sabores da terra Creme de chocolate

(cebola, louro, sálvia); rosmarino; 2 dentes de alho; 1 pitada de pimenta; 1 leite condensado; 1 lata de creme de lei- colher de manteiga. Recheio: 1 kg de te sem soro; 1 ovo; 4 colheres (sopa) de guisado; sal a gosto; pimenta; tempemaisena; chocolate em pó. ro verde; 1 caldo de galinha; 1 ovo; ½ noz-moscada. Modo de fazer: bater no liquidificador Modo de fazer: em uma bacia, colocar o leite, o ovo, o chocolate, a maisena e o leite condensado. Cozinhar em fogo duas xícaras de água com todos os tembrando até engrossar. Misturar o creme peros, mergulhar as codornas e deixar por quatro horas. Misturar os ingrediende leite e levar à geladeira. tes do recheio. Rechear as codornas, • Receita de Juliana Tomassoni - Vila Cristina fechando-as com um palito. Untar uma forma com manteiga e colocar as codorCodornas recheadas nas para assar, por duas horas. Ingredientes: 10 codornas; ¼ de colher (sopa) de sal; tempero verde • Receita de Gema A. Scopel - Santa Lúcia do Piaí Ingredientes: 1 litro de leite; 1 lata de

Reprod./CR

Vita, Stòria e Fròtole

17 - Imigração

Fonte: Caderno de Receitas. Valorização da Mulher do Meio Rural. Organizado pela Coordenadoria Municipal da Mulher. Caxias do Sul, 2007 - 2ª edição.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

“Por terem sido ordenados, os clérigos estão a serviço do povo de Deus e se sujeitam às leis da Igreja e da diocese.” Pe. Mário Glaab, Indagações da fé

Olhar diferente

Santos da Terra e santos do Céu

D

epois de ter vivido na África por 42 anos, envelhecido, um missionário retornava à pátria. No mesmo avião viajou um famoso cantor. À noite, o missionário não conseguiu silenciar sua mágoa: Senhor, eu não entendo. Passei mais de 40 anos na missão, enfrentei toda espécie de trabalhos e privações; o cantor permaneceu apenas uma semana no conforto de uma grande cidade. Milhares de pessoas o estavam esperando porque voltou para casa e, por mim, ninguém esperando. Com doçura, o Senhor explicou: meu filho, você ainda não chegou em casa. Escrevendo aos coríntios, Paulo lembrava que existem muitas maneiras de construir. Há os que constroem com ouro, outros, com prata, pedras, preciosas, madeira, barro e palha. No final, cada um receberá a recompensa merecida (1Cor 3,12). O antigo ritual da posse de um papa incluía uma cerimônia. Era queimado um feixe de palha, enquanto alguém proclamava: assim passa a glória do mundo. O mundo de hoje não está preocupado com os valores e com a fidelidade cotidiana. Apenas festeja o maior, o mais rápido, o mais rico, o que vende mais cópias de discos, o atleta mais veloz, enfim, aplaude o sucesso. Mas o sucesso passa como a palha lambida pelo fogo. O cantor foi ovacionado, mas o velho missionário, carregado de heroísmos, totalmente ignorado. Jesus conta a parábola do rico que fazia esplêndidas festas todos os dias. Sua casa estava cheia de amigos, era aplaudido por todos. O pobre Lázaro amargava a solidão, o esquecimento e as migalhas. Apenas os cães, solidários, vinham lamberlhe as feridas. Ambos – o rico e o pobre – estavam a caminho. Um dia, Lázaro chegou em casa e recebeu a recompensa prometida (Lc 16,19). O Céu não é apenas um lugar preparado por Deus, mas também uma escolha nossa. A Bíblia diz que Deus criou o Céu e a Terra. As duas realidades não podem ser separadas. A Terra é o caminho que nos conduz ao Céu. Chiara Lubich dizia que o céu é uma casa que estamos construindo agora, para habitar depois. Nesse aspecto, é indevido dizer que Deus castiga ou recompensa. Deus aceita nossas escolhas. Aceita o ouro, a prata, madeira, mas, porque é Pai, aceita também a palha e o barro de nossa fraqueza. Na liturgia, se fala no repouso eterno aos que morrem. Não se trata de passividade. Depois da luta, das batalhas do dia a dia, a recompensa definitiva, ou como queria o apóstolo Paulo, as surpresas de Deus. São santos no céu, os que foram santos – santificados por Deus - na terra.

O Céu não é só um lugar preparado por Deus, mas também uma escolha nossa

✦ SANTA MARIA

Gaúchos cultuam padroeira Romaria da Medianeira, que ocorre no dia 10/11, chega à 70ª edição

Uma das mais tradicionais celebrações religiosas do Sul do país, será realizada no dia 10 de novembro, em Santa Maria (RS). A Romaria de Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças, que chega à 70ª edição, deverá reunir um grande número de fiéis e devoto. O tema deste ano é “Creio Senhor, mas aumentai minha fé” e o tema “Com Maria, renovemos nossa fé”. A romaria será presidida pelo cardeal de São Paulo, dom Odilo Scherer. A 70ª Romaria da Medianeira iniciou com a 1ª noite da Trezena, no domingo 27, com a imagem da Medianeira percorrendo 13 paróquias de Santa Maria. No dia 10, a programação prevê missas no santuário de hora em hora, das 5 às 18 horas; na catedral, missas às 5 e às 7 horas. Às 8h30 inicia a procissão, da catedral até o santuário, onde ocorre solene missa campal às 10 horas, no Altar Monumento. Às 15 horas, será dada a bênção da saúde aos romeiros, no Altar Monumento. Durante a romaria deverá ocorrer um momento especial em memória dos 241 jovens vitimados

Jornal O Santuário/Arq./Div./CR

Aldo Colombo

18 - Igreja

Milhares de devotos de vários Estados e até do exterior participam da romaria pelo incêndio na boate Kiss, em janeiro deste ano. Considerada a 2ª maior romaria do Brasil – somente no dia da festa, sempre no 2º domingo de novembro, chega a reunir mais de 300 mil pessoas -, o evento surgiu a partir da devoção a Nossa Senhora Medianeira, difundida pelo irmão Ignácio Valle, a partir de

Igreja no Mundo Cuba prende Mais de 200 católicos foram presos antes de chegar ao santuário da Virgem da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba, no dia de sua festa, em setembro. A ditadura castrista proibiu as romarias e bloqueou as principais estradas que levam ao santuário, perto de Santiago de Cuba. Nada, hoje, une mais os cubanos do que a devoção à Virgem da Caridade.

1928. Dois anos depois, diante da ameaça de um confronto armado entre unidades militares, foi realizada por um grupo de mulheres uma caminhada pedindo a Nossa Senhora que afastasse o conflito. Em 1942, Nossa Senhora Medianeira foi proclamada padroeira do Rio Grande do Sul, pelo arcebispo metropolitano,

dom João Becker. No ano seguinte foi realizada a primeira romaria estadual à Medianeira, evento que chega à 70ª edição. O atual santuário foi inaugurado em 1985. Padre Bertilo Morsch é o reitor e pároco do santuário-basílica. Como ocorre tradicionalmente, o governador do Estado, Tarso Genro confirmou presença na romaria.

Indagações da fé

Bruno Glaab, teólogo - Estef e-mail: freiglaab@gmail.com

Barril de pólvora “A República Centro-Africana é um barril de pólvora pronto a explodir”, advertiu o presidente da Conferência dos Bispos daquele país, dom Dieudonné Nzapalainga, na sua conferência ao Conselho para os Direitos Humanos da ONU em Genebra, no dia 21 de outubro, sobre a dramática situação humanitária no país.

Que diferença há entre clero religioso e clero diocesano? André Feltes, Rio do Sul - SC

André. Para responder à sua pergunta devo permanecer dentro da categoria “clero”, isto é, de ministros ordenados (existem religiosos não ordenados, os quais não serão levados em conta nesta resposta). Existem os clérigos que por terem sido ordenados (terem recebido o sacramento Rastro de destruição da Ordem) são diáconos ou Devoção crescente Segundo dom Nzapalain- presbíteros, e assim pertenA devoção cada vez maior ga, rebeldes estão deixan- cem a uma diocese onde estão à padroeira motivou uma do um rastro de estupros incardinados. Como tais, estão movimentação sem prece- e destruição. Na região de a serviço do povo de Deus e se dentes na história da ditadura Bossangoa 200 casas foram sujeitam às leis da Igreja e da castrista, o que levou a uma incendiadas e 37 mil pesso- diocese, assumindo os comoperação relâmpago da po- as buscam refúgio na missão promissos próprios de seu eslícia visando desarticular os católica, onde as doenças, tado de vida. Entre as leis da grupos que preparavam os falta de higiene, remédios e Igreja, também a do celibato. festejos. Distintivos e outros alimentos provocam a morte O superior imediato dos diáemblemas religiosos podem de 4 a 5 pessoas por dia. conos e dos presbíteros dioter facilitado as prisões. cesanos, também chamados seculares, é o bispo diocesano Ajuda da Igreja à Síria soma US$ 72 milhões da diocese onde estão incardiO Pontifício Conselho Cor US$ 72 milhões foram doados nados. Unum divulgou dados sobre pelas organizações humanitáExistem, no entanto, tama ajuda da Igreja Católica em rias católicas para a população bém os ministros ordenados favor da Síria. Até o momento, síria e países vizinhos. que pertencem a uma ordem

ou congregação religiosa. Isto é, por uma opção livre, assumem os conselhos evangélicos da pobreza, obediência e castidade para os viverem em comunidade que se caracteriza em determinado carisma. Fazem os votos diante do superior religioso, e assim, tornam-se membros daquela ordem ou congregação, comprometendo-se em viver as regras que são próprias da mesma. No trabalho pastoral que prestam a partir de seu estado de ministros ordenados, estão em comunhão com o bispo diocesano. Então, como clero, tanto uns como outros, são ministros ordenados; mas, os religiosos, além do estado clerical, optam por viver comunitariamente, num carisma próprio, os conselhos evangélicos, tendo seus superiores imediatos dentro da congregação à qual pertencem. (Pe. Mário F. Glaab, www. marioglaab.blogspot.com.br)


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 30 de outubro de 2013

19 - Igreja F IRMÃS DE SÃO JOSÉ

Luiz Turra

Conselho Amplo reúne irmãs de 18 países

F AMAZONAS

Adelide Canci/Div./CR

Com uma missa de acolhida, presidida por frei Aldo Colombo, iniciou dia 18 de outubro e terminará dia 6 de novembro o Conselho Amplo da Congregação das Irmãs de São José de Chambéry, em Garibaldi (RS). O Conselho é realizado a cada dois anos e em países diferentes. Garibaldi foi escolhida porque é o berço da congregação no Rio Grande Sul. Estão participando do Conselho Amplo 23 religiosas. São as coordenadoras das diferentes províncias e regiões que representam 18 países de atuação nos cinco continentes: Índia, Paquistão, República Tcheca, França, Bélgica, Alemanha, Irlanda, Dinamarca, Noruega, Itália, Estados Unidos, Bolívia, Brasil, Suécia, País de Gales, Papua Nova Guiné, Tanzânia e Moçambique. Objetivo do Conselho Amplo é estudar, refletir, aprofundar e debater assuntos referentes à continuidade do carisma, vida e missão de toda a congregação nos 18 países. O tema “Avançar como ‘corpo’ em nossa diversidade”, disse irmã Ieda Tomazini, gaúcha

No coração da vida

Coordenadoras das províncias e regiões presentes nos cinco continentes que integra o Conselho Geral da congregação, “é um apelo a crescermos na unidade cientes de nossas diferenças de cor, culturas, costumes, tradições, língua, concepções, e tradições. É um avançar como corpo com a riqueza de nossa diversidade, anunciando que Jesus continua sendo a razão de nossa consagração, de nosso sim à causa da comunhão e da reconciliação”. A sede da congregação está em

Roma e a superiora geral é a irmã Sally Hodgdon, dos EUA, auxiliada pelas irmãs Ieda, do Brasil; Clementina Copia, da Itália; e Philomina Parambil, da Índia. No Brasil existem cinco províncias: São Paulo, Paraná e três no RS (Porto Alegre, Lagoa Vermelha e Caxias do Sul), cuja provincial é Anita Pastori, e uma região - Norte/Nordeste. Também há uma região na Bolívia, coordenada por brasileiras.

F ROSÁRIO DE POMPEIA Marcelino Pavan/Div./CR

Criada nova diocese A Igreja brasileira ganhou, em outubro, mais uma diocese – Coari, no Amazonas, até então prelazia. A nova diocese, com sede em Coari, a 400 km de Manaus, pertence ao Regional Norte 1 da CNBB, tem dez paróquias e um imenso território de 135 mil quilômetros quadrados. E o Papa Francisco também nomeou como seu primeiro bispo dom Marek Marian Piatek, até então bispo prelado. Piatek, 59 anos, da congregação dos redentoristas, é polonês e está no Brasil desde 1986.

F MURIALDINAS

Congregação dá adeus a Leonora Grazziotin Irmã Leonora Grazziotin nasceu em Bom Jesus aos 8 de novembro de 1929, filha de José e Ignes Zanotto Grazziotin, e faleceu aos 14 de outubro de 2013, com 84 anos. Membro da congregação das Irmãs Murialdinas de São José, viveu seus primeiros 15 anos de vida religiosa em Fazenda Souza, dedicando-se à educação, na Escola Santa Maria Goretti, como professora e na secretaria da biblioteca. Também trabalhou no bairro Madureira, em Caxias, como superiora da comunidade religiosa, diretora e secretária da escola São João Bosco, professora, ministra da Eucaristia, entre outros cargos; e em Porto Alegre, no Lar Maria Menina e na Vila Restinga. Passou os últimos anos no Centro Social Pe. João Schiavo, em Fazenda Souza, falecendo após longa enfermidade.

Primeiro santuário mariano gaúcho realizou 111ª romaria de Pompeia

Pinto Bandeira festeja a padroeira A paróquia de Pinto Bandeira (RS) promoveu, no dia 13 de outubro, a 111ª Romaria e Festa de Nossa Senhora do Rosário de Pompeia. O tradicional evento religioso ocorre anualmente desde o ano de 1902, data da inauguração da atual igreja, que foi sagrada como primeiro santuário mariano do Rio Grande do Sul, no dia 20 de outubro de 1915, por dom João Becker. Cerca de quatro mil pessoas participaram da romaria, que contou com intensa programação religiosa, iniciando com alvorada festiva, missas às 8,

10h30 e 15 horas, e contou ainda com procissão e encerramento, consagração a Nossa Senhora, bênção dos objetos religiosos, da água e da saúde; bênção das rosas e do envio, presididas pelo pároco, padre Luiz Mascarello, e Roque Siebeneichler, religiosos da congregação passionista, presente em Pinto Bandeira desde 1915. Também foi inaugurada a Sala das Promessas, “espaço compreendido como extensão, continuidade do santuário, altar de gratidão, local onde conhecemos a força da fé do devoto e do peregrino”, informa padre Luiz.

EDITAL DE INTIMAÇÃO 1ª Vara de Família - Comarca de Caxias do Sul. Prazo de: Trinta (30) dias. Natureza: Homologação de acordo. Processo: 010/1.13.0017930-9. Autor: Vanderli Marcelo Corso Pereira e Vanessa Grasiela Bossardi. Objeto: Intimação a quem interessar possa, visando resguardar interesses de terceiros, que as partes ingressaram com pedido de modificação do regime de bens de casamento, alternando de regime de Comunhão Parcial de Bens para Comunhão Universal de Bens. Caxias do Sul, 19 de agosto de 2013. Servidor: Alzira Pedroso de Morais. Juiz: José Pedro de Oliveira Eckert.

Velas acessas para os nossos mortos

D

ar-se conta da necessidade da linguagem simbólica da religião é um sinal de sabedoria. Não somos anjos, nem simples animais, nem demônios, nem superhomens ou supermulheres. Símbolos são símbolos e não simbolizados. Fazem parte de nossa linguagem comunicativa. O simbolizado é sempre surpreendente, misterioso e inatingível aos sentidos. Sabemos algo do que seja o amor, mas não temos uma definição matemática, nem um acesso total ao amor. Uma flor para uma pessoa amada não é todo o amor, mas um sinal motivado pelo amor. Velas acesas para nossos mortos não desvendam a eternidade no tempo, nem permitem por em retirada às sombras da morte. Velas acesas, em chama, para nossos mortos, são uma linguagem aproximativa que nos ajuda a sentir a luminosidade da vida que não se deixa prender pelas trevas da morte. Conheci uma igreja deste Brasil que decidiu substituir as velas acesas por pequenas luzes que, ao receberem uma moeda, acendem por um determinado tempo. A intenção de quem decidiu instalar esse mecanismo era boa: evitar a poluição e o estrago das pinturas do templo. Porém, a reação popular veio pelo lado do simbólico. Quem chegasse para acender uma lâmpada não via, nem sentia, nada mais do que um mecanismo frio e sem vida. Depois de um determinado período de experiência bem-intencionada, mas frustrada, o padre se viu forçado a construir um velário, em lugar adequado para favorecer o diálogo simbólico de fé. Até parece um retrocesso ao primitivo, quando um velário eletrônico poderia dar sinal de evolução e modernidade. Porém a vela acesa expressa um dinamismo carregado de sentido. É fogo acendendo o fogo; é movimento natural que o vento pode apagar e por isso necessita de proteção; é o tremular que acena para a movimentada e frágil caminhada da fé; é o consumir-se por uma causa nobre, sem cobrar, nem reclamar; é o acenar para a grande luz que não vacila nem se apaga. Conheço pessoas simples, e de acentuada vivência de fé, que se posicionam diante da simbólica vela acesa e passam horas em oração e contemplação. São essas pessoas que sabem usar o símbolo para entrar no mundo do simbolizado. Por ser tão rico o mundo do simbolizado, um símbolo não se reduz a um pobre e pequeno objeto descartável, mas a algo sagrado e respeitável. Ao acompanhar um sepultamento de uma senhora da comunidade, vi em suas mãos, junto ao terço, uma vela enfeitada. Um familiar dizia-me que esta era a vela de seu batismo. Ela deixou escrito, no testamento, que desejava ser sepultada levando a vela para confirmar a fé que um dia foi acesa no batismo e na morte passaria a fazer parte da grande luz do Ressuscitado. Velas acesas para nossos mortos recordam e apontam para um significado maior do que uma formalidade conveniente, ou um simples objeto. “Deus é luz e nele não há trevas” (1Jo 1,5). “Eu sou a luz do mundo, quem me segue não anda nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8,12). Velas acesas para nossos mortos ajudam a tornar transparente a opacidade da morte.

Uma vela acesa é o tremular que acena para a frágil caminhada da fé


Correio Riograndense

PARA USO DOS CORREIOS ■ MUDOU-SE ■ CEP ■ DESCONHECIDO ■ NÃO EXISTE Nº INDICADO ■ RECUSADO ■ FALECIDO ■ INORMAÇÃO ESCRITA PELO ■ AUSENTE PORTEIRO OU ■ NÃO PROCURADO SÍNDICO ■ END. INSUFICIENTE

Caxias do Sul - 30 de outubro de 2013

✦ MEDIANEIRA

Romaria espera mais de 300 mil fiéis

REINTEGRADO AO SERVIÇO POSTAL EM ___/___/___

___/___/___

Jornal O Santuário/Arq/Div.CR

Uma das mais tradicionais celebrações, festa é dedicada à padroeira do RS

_________________ RESPONSÁVEL

Palavras “São bem-vindos os esforços de todos os governos para combater a fome. Mas é triste pensar que limitamos nossa ambição a lutar contra a pobreza. Queremos vidas que elevem o espírito humano, envolvam nossas mentes, espantem-se com as novidades.” EDMUND PHELPS, economista norteamericano, Nobel de Economia de 2006

“O carro é o cigarro do futuro. Para o cotidiano, cada vez mais teremos de apostar no transporte público.” Santa Maria aguarda um grande número de fiéis para a 70ª romaria da Medianeira, no dia 10 de novembro. Página 18

JAIME LERNER, urbanista e ex-prefeito de Curitiba

Curso de Teologia a Distância - Edição 2013 Bioética – Lição 7

A SAÚDE QUE BUSCAMOS Frei Adelino Gabriel Pilonetto

Capuchinho, mestre em Teologia e professor da Estef

Se há um bem que todos apreciamos é a saúde. Quando ela nos falta, sentimo-nos perdidos. E para recuperá-la, damos até o que não temos. Mas talvez nunca a valorizemos tanto como quando a perdemos. Há pessoas, entretanto, que buscam a saúde de forma obsessiva, esquecidas da própria finitude natural. Outras supervalorizam um aspecto isolado: a juventude, a beleza, a força, o sucesso. São atitudes doentias. Pois há uma maneira doentia de viver, como há uma maneira sadia até de morrer! O QUE É A SAÚDE? À primeira vista, saúde é não ter doenças, ter os órgãos em bom funcionamento. Mas isto é pouco, pois fica reduzida ao bem-estar corporal. A Organização Mundial da Saúde (OMS) amplia o conceito: “saúde é o completo bem-estar físico, mental e social”. Uma boa definição,

embora utópica e esquecida do espiritual, que também conta. Como a saúde nunca é perfeita, deve incluir também a capacidade de reagir a situações adversas e de conviver com elas quando é impossível transformá-las. Assim, será considerada pessoa sadia a que consegue integrar na própria vida perturbações do bem-estar físico, psíquico e social, lutando para modificar o que é possível e integrando o que é impossível mudar. Como poderia, diversamente, viver de modo saudável quem perdeu um rim ou um olho? Victor Frankl, que esteve no campo de concentração nazista, notou que não eram as pessoas fisicamente robustas as que melhor sobreviviam às situações deprimentes, mas as que tinham encontrado um sentido na vida. O sentido da vida faz parte da boa saúde. A boa convivência também. Quem se fecha em seu próprio mundo se empobrece e

AUTONOMIA, CONTEXTO, PATOLOGIA E EXEMPLO “Nenhum sujeito humano existe à margem de um entorno familiar, cultural, profissional e material. O mesmo ser humano que demonstra grande capacidade de autonomia, de relação e de ação num meio determinado pode encontrar-se diminuído noutro contexto. A patologia somática e psíquica da emigração é um triste exemplo” (Francisco J. Alarcos. Bioética e pastoral da saúde. Paulinas, 2006, p. 187).

não tarda a adoecer. SAÚDE PREVENTIVA É melhor chegar antes que a doença e fechar-lhe a porta; a saúde é mais que tudo prevenção. Se a perspectiva de vida cresceu nas últimas décadas, deve-se muito à medicina curativa, que “faz milagres”, mas ainda mais se deve às melhorias havidas no saneamento básico, no sistema alimentar e em tantas outras medidas propostas pela medicina preventiva. Em nosso país, por exemplo, a pastoral da criança reduziu muito a mortalidade infantil. A saúde preventiva tem a ver com nutrição adequada, água de boa qualidade, habi-

QUESTÕES: 1) - Quais os elementos de uma boa saúde? 2) - Como se caracteriza a saúde preventiva? 3) - Por qual porta a doença costuma entrar em sua região?

tação digna, convivência respeitosa, atenção às mães e crianças, educação, trabalho, esporte, alegria, festa, sem esquecer uma espiritualidade sadia, boa relação com a natureza e um sentimento de justiça, solidariedade e paz. É lamentável que ainda haja doenças produzidas pela fome, pobreza, marginalização, analfabetismo, falta de condições. Lamentável também que a vida encurte pela ponta do cigarro, pelo fundo do copo, pela ilusão das drogas, por relações sexuais anárquicas, por violências de todo tipo. Saúde é um equilíbrio dinâmico, prospectivo, que envolve a inteira pessoa em suas múltiplas dimensões.

PRAZO: Prazo para enviar respostas desta lição: 20 de janeiro de 2014 RESPOSTAS PARA: ESTEF - Escola Superior de Teologia e Espiritualidade Franciscana Rua Tomaz Edson, 50 90640-100 - Porto Alegre - RS E-mail: extensao@estef.edu.br Fax: (51) 3217.4567


Cr 3010