Page 1

Carl Court/AFP/CR

FÓRMULA 1

Temporada inicia no dia 16 com promessa de equilíbrio Página 14

PAPA FRANCISCO

Pontífice argentino mostra um jeito novo de ser Igreja, mais evangélica e humana Página 7

Correio Riograndense CR

Ano 106 - Nº 5.386 - R$ 2,00 - Caxias do Sul - 12 de março de 2014 - Para assinar ligue: (54) 3220.3232 - www.correioriograndense.com.br

FESTA DA UVA 2014

Pavilhões atraem público recorde Evento contabiliza visita de 670 mil pessoas no parque de exposições. Sucesso é atribuído à valorização dos costumes da colônia.

Foto CR

SÍNDROME DE DOWN

Fabrício e Rafaela: na Apae, desenvolvem suas habilidades. Página central

Direito à vida plena

Degustação: cerca de 250 toneladas de uva foram distribuídas. Página 8

Andréia Copini/Divulgação/Correio Riograndense

9912326314 - DR/RS


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

“Mais uma vez, em 2013, o destaque do PIB brasileiro foi a agropecuária, com impressionante alta de 7%.” Editorial

CR Editorial 2

O papel decisivo da produção agropecuária

N

o ano passado, a economia brasileira cresceu 2,3%. O resultado superou o desempenho de países desenvolvidos, como os Estados Unidos e o Reino Unido, que cresceram 1,9%. Nosso desempenho também foi maior do que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha, que ficou em 0,4%, e superou ainda o do Japão, que cresceu 1,6%. Com isso, o país se inclina à competitividade do agronegócio nacional, já que, mais uma vez, o destaque do PIB foi a agropecuária, com impressionante alta de 7%. O setor de serviços aumentou 2% e a indústria, 1,3%. O crescimento em volume do valor adicionado da agricultura

decorreu do comportamento de culturas que registraram ganhos de produtividade ano a ano, com destaque para soja (24,3%), cana de açúcar (10%), milho (13%) e trigo (30,4%). Em 2012, o Brasil não resistiu aos efeitos nocivos da recessão que atingiu a União Europeia e os EUA e amargou o PIB de 0,9%. Se a economia praticamente estagnou, aquele ano foi mais um em que o agronegócio carregou nos ombros a balança comercial do país. E em 2013, alavancou a possível retomada da economia, soprando fôlego novo para 2014. A contribuição da agropecuária é expressiva mesmo quando se traça uma linha do tempo mais longa. De 1992

CR Memória

a 2011, o saldo comercial do agronegócio cresceu 574%; o superávit continuou expressivo de 1995 a 2000, quando o conjunto dos demais setores foi deficitário. Ao se festejar a recuperação da economia em 2013, é necessário reafirmar, com políticas estratégicas e duradouras, reconhecer e valorizar o papel decisivo da produção primária do país. Para o governo, não basta comemorar. Este deve planejar os rumos de modo a remover antigos entraves e estimular investimentos. Por sua vez, o agronegócio precisa promover a produção com sustentabilidade e protagonizar o futuro, respondendo aos anseios mundiais como nação fornecedora de alimentos.

• Há um ano, o Papa Francisco assumia a liderança da Igreja Católica no mundo, em substituição à Bento XVI, que renunciara cerca de um mês antes. A escolha do nome Francisco, em alusão ao santo de Assis, apontava para uma Igreja mais próxima dos pobres. O Correio Riograndense noticiou, na edição de 20 de março de 2013, a escolha do primeiro latino-americano, do primeiro jesuíta, do primeiro não europeu em mais de mil anos como sucessor de Pedro.

CR Correio Riograndense Leitura crítica FUNDADO EM 13 DE FEVEREIRO DE 1909 Filiado à ADJORI-RS e ABRAJORI Diretor de Redação: frei João Carlos Romanini Editora-chefe: Andressa Boeira Editores-assistentes: Maria de Fátima Zanandrea e Marcelino C. Dezen Editado por: ASSOCIAÇÃO LITERÁRIA SÃO BOAVENTURA / EDITORA SÃO MIGUEL

Direção-geral: frei Álvaro Morés Redação, Administração, Comercial e Assinaturas: Av. Alexandre Rizzo, 534 CEP: 95110-000 - Caxias do Sul - RS Telefone: (54) 3220-3232 Impressão: Zero Hora Editora Jornalística S.A. / Jornal Pioneiro

Circulação às quartas-feiras Website:

www.correioriograndense.com.br Redação: E-mail:

jornalcr@jornalcr.com.br Comercial/Assinaturas:

comercial@jornalcr.com.br Representante Comercial

Media Opportunities do Brasil Comunicação Ltda.

Rua Frei Caneca, nº 91, 13º Andar Bairro Consolação – São Paulo/ SP Fone (11)3255-2522 - www.mobrasil.com.br (Em todo território nacional, exceto Caxias do Sul e Porto Alegre - RS) Porto Alegre (RS): Ramgrab Representações Rua Eça de Queiroz, 220/401 - Fone (51) 91050082 - 90670-020 - Porto Alegre - RS Veículo associado

Leitura bíblica nas sessões do legislativo so que clama por inclusão cultural e política, no entanto, o Estado tem a delicada tarefa de observar o não ferimento do mandamento da neutralidade. ecentemente, acompanhamos o debate na Ao mesmo tempo, não pode assumir uma postucidade sobre o desarquivamento do projeto ra de intolerância diante dos sujeitos religiosos e de lei que determina a leitura de um versí- das minorias religiosas. O grande problema é que culo bíblico na abertura das sessões da Câmara a igualdade é frequentemente ameaçada pelo prede Vereadores. Um debate semelhante foi sobre domínio de uma cultura da maioria que abusa de a retirada dos crucifixos de repartições públicas. seu poder adquirido na história, para determinar O argumento de ambas as posições centra-se ba- o que pode valer como cultura política obrigatósicamente no seguinte: o Estado é laico, por isso ria em geral. Os conflitos surgem no momento de não deve pender para nenhuma religião. Os que decidir quem deve e quando deve aceitar o ethos são a favor se apoiam na cultura (costumes) das outras culturas. e tradição do povo. Por exemplo: Os alunos que não O retorno às No início da modernidade, seguem nenhuma religião ou dimensões religiosas que são de outra denominação buscou-se levar a cabo a laicização do Estado. Com o poder estareligiosa devem aceitar que a põe fim às teses que tal fundamentado em princípios professora venha para a sala de anunciavam o fim seculares, criou-se a esperança aula em traje islâmico? Ou o pai da religião que toda a identidade com base turco deve aceitar que a filha tereligiosa não teria relevância nha aulas de esporte junto com política. Contudo, evidencia-se um reavivamento meninos? Entendemos que o Estado é democrátidos referenciais religiosos como dimensão signi- co quando possibilita e incentiva a expressão dos ficativa da atualidade. Esse retorno às dimensões diversos grupos que o compõem. Sob premissa de um Estado democrático, a religiosas põe fim às teses que anunciavam o fim da religião, ou a necessidade da exclusão dela da admissão de exteriorizações religiosas na esfera esfera pública. É paradoxal que a mesma moder- pública política requer de todos os cidadãos que nidade institui a liberdade religiosa. Se o Estado se não excluam a possibilidade de um conteúdo tornou laico devido ao processo de secularização cognitivo das contribuições religiosas. O ideal do poder, de outro lado, incorporou-se no Estado é a sociedade sintonizada epistemicamente com o tema da liberdade de consciência e de religião. as várias formas de vida. Para isso ocorrer deNas sociedades modernas, o Estado Democráti- pende de uma mudança de mentalidade, tanto na co de Direito se defronta com o pluralismo religio- perspectiva religiosa como secular. Ésio Francisco Salvetti

Professor do IFIBE, Passo Fundo - RS

R

Correio do leitor Violência “Penso que poderíamos diminuir (anseio silencioso da humanidade) a bajulação – nefasta idolatria – dos afortunados, famosos ou bem-sucedidos, muitas vezes à margem das leis e instituições, poderosa incitação ao consumismo, à corrupção e à violência. Bajulação e sensacionalismo de certa mídia elitizante, cada vez mais distante do humano, do verdadeiro, do justo, do democrático, do amor. Tudo para criar sempre novas ilusões sobre os flutuantes ângulos da vida e aumentar o número apocalíptico dos enlouquecidos, alienados, deprimidos e frustrados que pululam em nossas sociedades. De uma forma ou de outra, todos somos violentados, vítimas ou reféns desta insanidade – como nos lembra o velho poema: ‘Vândalos, vis, virulentos, vêm vorazes violentar...’”. Frei Gregório Dezen Veranópolis - RS

Agricultura familiar “Realmente a sociedade necessita repensar e redirecionar o seu futuro em relação à produção de alimentos. Muito oportuna a reflexão de Olir Schiavenin na edição de 29/01. No meu entender, um aspecto que precisa ser incluído nesta reflexão é a questão do ‘trabalho’ da criança e do adolescente. Eles não são mais incentivados ao trabalho da roça. Se os pais querem que o filho faça algum serviço para ajudar e para aprender, ele responde que a lei não o permite trabalhar. E ai dos pais que queiram ‘obrigar’ o filho a colaborar na lavoura. Pergunto também: é necessário abrir escola integral para os filhos de agricultores? Esta escola os afasta ainda mais da vida do campo, pois no meio dia que estão em casa com a família, podem muito bem participar da lida do campo e aprender a amar a vida agrícola”. Pe. Inácio Gebert Redentorista, Lages - SC

Cartas e e-mails devem conter endereço completo e telefone do remetente. As correspondências não são necessariamente publicadas na íntegra.


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

“Primeiro, precisa ser colocada a sinalização para alertar os condutores sobre as mudanças; deixar uns 15 dias, e só depois instalar as lombadas.” Zulmir Baroni Filho, secretário municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade

CR Caxias 3 Andréia Copini/Divulgação/CorreioRiograndense

ROTA DO SOL

Visita: secretário estadual João Motta, com prefeito Alceu, esteve, em 2013, no trecho que terá lombadas

Lombadas liberadas F

inalmente, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) autorizou a Prefeitura de Caxias do Sul a instalar redutores de velocidade (lombadas físicas) na RSC453, a Rota do Sol, no km 143, no acesso ao bairro São Ciro II. O acordo entre a prefeitura e o estado foi firmado em novembro passado e, desde então, a Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade aguarda a autorização do Daer para o início dos trabalhos. Sucessivos pedidos de ajustes no projeto atrasaram a intervenção no trecho onde uma menina de 10 anos foi atropelada em setembro do ano passado quando voltava da escola.

Daer autoriza prefeitura a iniciar trabalhos no São Ciro II

O secretário municipal dos Tranportes, Zulmir Baroni Filho, em entrevista à rádio São Francisco, disse que é difícil estabelecer um prazo exato para que os quebra-molas estejam efetivamente instalados, mas estima que algumas placas de sinalização já possam ser colocadas no trecho nos próximos dias. “Primeiro, precisa ser colocada a sinalização para alertar os condutores

sobre as mudanças; deixar uns 15 dias, e só depois instalar as lombadas”, explica ele. A instalação de quebra-molas no acesso ao bairro São Ciro II é a primeira – tratada com urgência pela prefeitura - de uma série de outras intervenções propostas para a Rota do Sol, que corta o perímetro urbano de Caxias do Sul. Outros quatro pontos da rodovia são considerados críticos e aguardam melhorias por meio do acordo entre os governos municipal e estadual: o trevo de acesso a Monte Bérico, onde uma manifestação reuniu cerca de 250 pessoas na semana passada; os acessos ao Distrito Industrial, a rua Atílio Andreazza e o Travessão Leopoldina.

SALÁRIOS

Aprovado reajuste de vereadores, prefeito e secretários O poder Legislativo de Caxias do Sul Novos valores aprovou o reajuste de 5,99%, relativo Cargos Subsídios à correção inflacionária de 2013, para Prefeito R$ 21.529,00 os salários do prefeito, vice-prefeito, Vice-prefeito R$ 15.078,51 secretários e vereadores. Os novos vaSecretários R$ 13.466,87 lores dos subsídios vigoram retroativaVereadores R$ 9.046,44 mente a 1º de janeiro de 2014. Segundo os projetos de lei, apresentados pela mesa diretora da Câmara Municipal, passado, aos servidores municipais, os 5,99% resultaram do acumulado da desconsiderando o ganho real. Também serão reajustados, pelo mesinflação, repassado, ao longo do ano

mo índice de 5,99%, os salários do procurador-geral, do chefe de gabinete do prefeito, do diretor-presidente da Fundação de Assistência Social (FAS), do diretor-geral do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) e do diretor-presidente do Instituto de Previdência e Assistência Municipal (IPAM). Com o aumento, o prefeito Alceu Barbosa Velho passa a ganhar salário bruto de R$ 21,5 mil.

Olhar à vida

JAIME BETTEGA

Um ano se passou

H

á um ano, a expectativa pela fumaça branca surpreendia a todos: alguém do ‘fim do mundo’ se tornara Papa. A escolha do nome foi o primeiro impacto! Outros tempos começaram a se descortinar, depois da memorável indicação. Já nos primeiros pronunciamentos e atitudes, um sentimento de ternura e de esperança inundara o coração das pessoas de fé. O mundo recebera um presente, uma dádiva, um alento. Se a palavra ‘papa’ significa pai, ninguém mais seria órfão, daquele momento em diante. Os meses foram passando. Aos poucos, o mundo começou a se importar, mais e mais, com os passos daquele simples homem de Deus, que aceitara ser o ‘pai espiritual’ de todos os que professam a fé cristã católica. A imprensa mundial criou até um slogan: o ‘fenômeno Francisco’. Dificilmente alguém consegue tantos olhares, tamanha atenção, tantos holofotes, num curto espaço de tempo. E não é o cargo que encanta as pessoas, mas o modo simples de quem exerce um ministério com uma convicção invejável e com um coração adorável. O mundo sempre foi carente de líderes carismátiA postura de cos, com a capacidade de Francisco contagiar e desencadear de Roma esperança. Francisco de inspira valores Roma, à exemplo de Francisco de Assis, consegue que nunca sintetizar o que o mundo deveriam da técnica negligenciou: a ter ficado no bondade, a simplicidade, a esquecimento ternura e um olhar voltado aos mais necessitados. O humanismo do Papa tem impactado suave e decididamente. Além disso, aponta para novas posturas, amplia o horizonte da ação, recupera o trato fraterno, ensina a sorrir. O Papa vive e testemunha aqueles valores que sempre deram brilho ao ser humano. Não faz nada de extraordinário. Apenas coloca amor em tudo. No seu aniversário, por exemplo, quis que alguns moradores de rua estivessem na confraternização. Portanto, não basta apenas admirar-se das atitudes e palavras do Papa. É urgente aprender com ele um novo jeito de estar no mundo, sem deixar-se ‘contaminar’ pelas barbáries da ganância, do individualismo e do materialismo. A postura de Francisco de Roma inspira aqueles valores que nunca deveriam ter ficado no esquecimento. Mas nem tudo está perdido. Que cada um consiga fazer a sua parte, assim como o Papa tão bem acena. No silêncio do coração, criatividade e espiritualidade se encontram para dar ao semblante traços de serenidade e amor a tudo e a todos. Papa Francisco, obrigado por nos recordar o essencial!

SINDILOJAS

Atividades celebram os 60 anos da entidade O Sindicato dos Dirigentes Lojistas de Caxias do Sul (Sindilojas) completa 60 anos no próximo dia 16 e realiza diversas atividades para celebrar a data. A programação inicia nesta quinta-feira 13 com um jantar comemorativo, para convidados, no Espaço Nobre Even-

tos. Na ocasião, também será lançada a nova identidade visual da entidade. A programação segue com reuniãoalmoço na CIC, na segunda 17, com palestra do gerente regional do Senac, José Paulo da Rosa. Na terça 18, sessão solene na Câmara de Vereadores.

Na quinta-feira 20, comemoração na sede do Sindilojas com torta para os associados. Hoje, o Sindilojas representa cerca de 14 mil CNPJs nos cinco municípios de sua base representada: Caxias, São Marcos, Flores da Cunha, Antônio Prado e Nova Pádua.

Diariamente você pode acessar mensagem especial de frei Jaime, como a reproduzida ao lado, no Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest

“Muita fé para dar tonalidade à vida e às escolhas da vida.” @freijaime


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

“O objetivo é melhorar o serviço para os cerca de 400 mil usuários do serviço.” Leo Richter, diretor de controle e fiscalização do TCE

CR Municípios 4 Informe CR

TRANSPORTE ESCOLAR

Frota antiga e insegura Estudo do TCE gaúcho avalia 5.900 veículos e 6.071 profissionais

O

Camila Domingues/Divulgação/CR

s alunos que usam o transporte escolar no Rio Grande do Sul correm risco, pois ainda têm condutores sem formação (124), com idade avançada, infrações graves (150), além de apresentar veículos com mais de 10 anos de uso e sem cintos de segurança. As informações constam no levantamento realizado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/RS) e divulgado na quinta-feira 6. Em relação aos veículos usados no transporte de estudantes, 7,21%, conforme o estudo, não apresentam pintura da faixa escolar; 10% não passaram por inspeções e 10,56% dos ônibus não possuíam autorização para circular no interior dos municípios (ver quadro). A qualificação dos condutores e a falta de cinto são problemas adicionais para a segurança dos estudantes. “O número dos veículos sem cinto baixou, mas um único acidente pode ser fatal, por isso nota-se que há coisas que precisam ser melhoradas para aprimorar a qualidade da prestação do serviço”, Queda: idade média dos veículos caiu de 13,3 para 11,4 anos frisa o diretor de controle e fiscalização Veículos do TCE, Leo Richter. Contudo, de acordo com a pesquisa, a Próprios Terceirizados Total maior parte da frota apresenta condições 2.077 3.821 5.898 adequadas de transporte. “A idade média 35,22% 64,78% 100% As informações abrangem o serviço dos veículos caiu de 13,5 para 11,4 anos Características oferecido a alunos residentes nas zonas e foi zerada a quantidade de carteiras rurais e urbanas, nas etapas e modalivencidas em relação a 2011”, observa o • 16 condutores (0,2%) tem idade dades do ensino infantil, fundamental, diretor de controle e fiscalização do TCE. de 71 a 80 anos médio, superior, EJA e educação espeSubsídios - Os resultados do estudo cial. A radiografia detalha as caracte• 124 condutores estão sem curso subsidiarão os gestores públicos e as rísticas de 5,9 mil veículos e de 6.071 de formação específica auditorias realizadas pelo TCE. Segunprofissionais. Do estudo, salienta-se do Richter, o objetivo é melhorar o sera disparidade entre a média de idade • 150 motoristas têm infrações graves viço para os cerca de 400 mil usuários, da frota de propriedade do município ou gravíssimas 25% dos alunos matriculados na rede (pouco mais de 1/3 da frota total), que resultou em 7,2 anos, e a de terceirizabásica do ensino público. “O estudo • 4,85% dos veículos não possuem dos (quase 2/3 do total), 13,6 anos. Com ajuda os gestores a melhor adequarem a cinto de segurança efeito, a idade média da frota de terceiestruturação orçamentária, a qualidade rizados apresentava-se 88,9% superior do transporte e a segurança dos trans• 7,21% não apresentam pintura portados”, declara. à da frota de propriedade pública. da faixa Escolar Para 2014, a previsão é de R$ 98 miRecentemente, o TCE gaúcho enviou lhões para manutenção da frota escolar. ofício aos prefeitos e aos presidentes • 10% não passaram por inspeção Mas, segundo a Famurs, seria necessário de câmaras de vereadores, orientando o dobro deste valor. “Precisamos cerca de sobre o correto registro, no orçamento • 10,56% não tinham autorização R$ 200 milhões”, diz o superintendente de cada município, das despesas realipara circular no interior zadas na área do transporte escolar. técnico da entidade, Mário Nascimento.

Dados abrangem urbanos e rurais

MACHADINHO

Com a participação do Esporte Clube Avaí, de Maximiliano de Almeida (RS), e da empresa Pedreira Engenhos, de Capinzal (SC), a Usina de Machadinho chegou à marca dos 60 mil visitantes, dia 23 de fevereiro. Entre os grupos também está o Apostolado da Oração, de Maximiliano. A visita à usina é gratuita e pode ser agendada pelo telefone 0800-644-0026. Durante o passeio, as pessoas são conduzidas por equipe treinada que repassa informações sobre o empreendimento. Trata-se de oportunidade para conhecer Visita à usina: Apostolado da Oração de Maximiliano de Almeida o processo de geração de energia.

Divulgação/CR

Hidrelétrica comemora a marca de 60 mil visitantes

Instituto Elisabetha Randon O Instituto Elisabetha importante na direção de Randon (IER) foi decla- integrar a rede socioasrado como uma entidade sistencial de Caxias do de utilidade pública pelo Sul. O instituto apoia e Legislativo caxiense, por desenvolve programas unanimidade. Com isso, com foco na formação de está apto a captar incen- crianças e adolescentes, tivos públicos, conso- educação para o trânsito, lidando mais um passo cultura e voluntariado. Expografia em museus O Museu dos Capu- educativo@muscap.org. chinhos (Muscap), de br ou telefone (54) 3220Caxias do Sul, convida 9565. As vagas são limipara a oficina Expogra- tadas. Investimento de fia em Museus, ministra- R$ 350, parceláveis em da por Roberta Tiburri, duas vezes. Certificado dias 7, 14 e 28 de abril. de 20 horas concedido Inscrições pelo e-mail pelo Muscap. Oficinas Gentencena Estão abertas até 21 de tir dos 16 anos) oferecimarço as inscrições para dos pelo Programa Genos interessados em parti- tencena. As inscrições, cipar da Oficina de Teatro gratuitas, assim como as Infanto-juvenil (8 a 15 oficinas, devem ser feitas anos) e dos Núcleos de pessoalmente na SecretaFormação Teatral (a par- ria da Cultura de Caxias. Espetáculo teatral O Grupo Teatro In- 19h e 21h30. A entrada vertido, de Belo Hori- é gratuita e os ingressos zonte (MG), apresenta podem ser retirados na em Caxias Os Ances- bilheteria do teatro uma trais, com texto e di- hora antes de cada sesreção de Grace Passô. são, sujeito à lotação do A peça ocupará a sala espaço. Os Ancestrais de teatro do Centro parte de uma situação Municipal de Cultura fantástica para aborDr. Henrique Ordovás dar temas como laços Filho em duas sessões familiares e noção de no dia 18 de março, às propriedade de terra. Obras descentraliza serviços A Secretaria de Obras e infraestrutura e financeiro Serviços Públicos de Ca- estarão na rua Dom José xias do Sul descentraliza Baréa, 2202, térreo. Já o seus serviços. O gabinete atendimento aos presido secretário Adiló Di- dentes de bairro e à codomenico ficará na rua munidade, que ocorre nas João Gregório Paniz, 684, terças-feiras, será realizajunto às oficinas. O proto- do na rua João Gregório colo (expediente) será no Paniz, 1143, nas depencentro administrativo. Os dências do departamento setores de pavimentação, de iluminação. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASILESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO - COMARCA DE CAXIAS DO SUL SERVIÇO DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS DA 1ª ZONA

CASAMENTOS

Fone: 3226-7980

ROBERTO RUSCHEL DA SILVA - Oficial Registrador. FAZ SABER, que por este Serviço, habilitaram-se ao casamento as seguintes pessoas: (Editais nº 27.529 ao 27.541) - Vinicius Tessari e Greice Ellen Witt - Douglas Luís Lacerda da Silva e Leticya Alves Barbosa - Daniel Pizzamiglio e Simone Andreia Viecceli - Marcelo Rodrigues Pandolfo e Angélica Daiani Brenner - Ricardo Luiz Lopes e Ivanilce Silvestro - Michel Leonardo Braga Golle e Lais Tatiane Ribeiro - Ivolnei Paulo Iop e Ana Cristiana Borges de Souza - André Luís Scherer Rach e Gabriela Bianchi Furlin - Jhonatan Willian Rodrigues de Lima e Tays Nicole Nogueira Moreira - Felipe Zuccolotto e Caroline Boeira Dalzochio - Antonio Carlos Empinotti e Laura Mercedes Cardozo Britos - Juliano Czarnobay e Marilei da Silva - Jair Antonio da Silveira e Andréia Luciane da Conceição SE ALGUÉM SOUBER de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul, 10 de março de 2014 ROBERTO RUSCHEL DA SILVA - Oficial Registrador


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

CR Municípios 5 Giro

NOVA PETRÓPOLIS

Calendário valoriza raízes culturais germânicas

O

Sabrina Schuster/Divulgação/CR

Festival Internacional do Folclore, que chega este ano à sua 42ª edição, programado para ocorrer de 25 de julho (data da que marca a imigração alemã no RS) a 10 de agosto, evidencia o calendário de eventos, que acaba de ser lançado pela secretaria de Turismo de Nova Petrópolis. O calendário destaca ainda um evento voltado para a gastronomia: o 1º Festival Sabores da Colônia, que será realizado de 19 a 29 de junho dentro do Parque Aldeia do Imigrante; e a Frühlingsfest (Festa da Primavera), que acontece de 10 a 19 de outubro. No total, são oito grandes eventos divulgados até o final do ano, envolvendo áreas como malhas, folclore, flores, gastronomia e religiosidade. “O calendário tem todo o apelo que o visitante procura, porque buscamos sempre valorizar a cultura local”, resume o secretário de Turismo, Daniel Camargo. Turismo: crianças cultuam as tradições alemãs e participam das festas típicas realizadas na cidade

CULTURA

FLORES DA CUNHA

Grupos italianos fazem turnê Agora, a comitiva italiana participa de atividades em Santa Catarina. Em visita à região, a historiadora lançou o livro “As memórias da emigração do Altoplano de Bretonico”. Paralelamente, os grupos se apresentaram com entrada franca. Também vieram Antonella Giordani, da Provincia Autônoma do Trento, e Cezare Ciolla, da Associazione Trentini nel Mondo.

Voltado a pessoas da terceira idade, o Projeto Conviver, de Flores da Cunha, retomou suas atividades deste ano. Os encontros ocorrem no Salão Paroquial, todas as quartas-feiras à tarde. O prefeito Lídio Scortegagna abriu a temporada 2014. “Vocês trabalharam muito para desenvolver o município. Chegou a vez de retribuir, com medidas que propor-

cionem o bem-estar”, destacou. O projeto busca melhor qualidade de vida para a terceira idade, por meio de confraternização e convívio social. Atualmente, cerca de 200 idosos participam. A iniciativa é coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Social, por meio do Centro de Referência em Assistência Social. Fotos Divulgação/CR

Trinta integrantes do Coro Soldanella e o grupo musical tirolês Brentegana Folk Band, de Brentonico, província de Trento, Itália, estão visitando o Brasil. Acompanhada do prefeito, Giorgio Dossi; do secretário municipal Maurizio Passerini e sua esposa Monica Bianchi, e da historiadora Rita Pedrotti, a comitiva visitou municípios da Serra do Vale do Taquari.

Projeto Conviver inicia atividades

Coro Soldadella: cantores mostram talento musical no Sul FARIA LEMOS

Sagra Trevisana A Associação Caminhos de Faria Lemos, Rota Cantinas Históricas e Paróquia Nª Srª do Rosário realizam dia 16 a 5ª Sagra Trevisana di Faria Lemos, em Bento Gonçalves. A programação inicia às 9h30 com a missa em dialeto trevisano. Durante o dia serão apresentados ‘saberes e fazeres’ dos imigrantes, tais como, pão cozido no forno a lenha, vitelo al menarosto, jogos populares. A festa se estende até as 15h30 Cartaz: divulgação da festa quando será servido café típico.

Brìscola: idosos participam de atividades, como jogo de cartas COREDE PRODUÇÃO

Mulheres têm encontro marcado A região do Corede Produção está com várias atividades programadas para festejar o Dia Internacional da Mulher. Dia 13, o público feminino de Nova Alvorada será homenageado, no Clube Comercial. No dia 14, Santo Antônio do Palma realiza palestra sobre a Lei Maria da Penha, dicas de beleza e maquiagem, além de trilha sensitiva e sorteio de brindes. Em Água Santa, dia 14, as mulheres vão conferir uma palestra

sobre alimentação na Câmara de Vereadores. Na sequência, dia 15, Santo Expedito do Sul promove o 6º Encontro de Mulheres, com a presença de 1.000 pessoas. O evento conta com palestra, teatro, atividades artísticas, recreativas e almoço. Ainda dia 15, São José do Ouro fará o encontro na Associação dos Motoristas Ourenses, com a participação de 1.500 pessoas. Haverá palestra, almoço, sorteio de brindes e matinê.

Teutônia/14ª Schlachtfest A Associação Artístico Cultural Teutônia prepara a 14ª Schlachtfest, uma festividade vinda com os primeiros imigrantes que colonizaram a região. O evento está marcado para 10 de maio. Inscrições até o dia 3 de maio, com Tatiani , pelo (51) 8174 0284 ou e-mail tatiani.fie@bol.com.br Santa Rosa/Fenasoja Uma parceria entre Administração de Santa Rosa, Emater/RS e Coopermil oportunizará aos visitantes da 20ª Feira Nacional da Soja (Fenasoja) conferir atrações gastronômicas e culturais. Trata-se da Cozinha da Soja, que irá funcionar durante a feira, de 25 de abril a 4 de maio, no Parque Municipal de Exposições Alfredo Leandro Carlson. “Um Novo Olhar” A Escola Municipal de Ensino Fundamental Attílio Tosin, de Garibaldi, está desenvolvendo o projeto “Um Novo Olhar”. A iniciativa consiste na formação continuada (capacitação docente) de professores e gestores da escola. Salvador do Sul/peixes A 80ª Feira do Peixe Vivo de Salvador do Sul será realizada nos dias 16 e 17 de abril. A anterior, encerrada em fevereiro, vendeu 1,5 tonelada de carpas. Interessados devem contatar com a Secretaria da Agricultura pelo telefone (51) 3638-1215. Carlos Barbosa/grade Com a finalidade de estabelecer referencial curricular comum às escolas municipais de Carlos Barbosa, foi implantado um novo componente: a disciplina “Educação para o cotidiano”. A ideia é do secretário municipal de Educação, Paulo César Bellaver. Vila Flores/ mulheres As mulheres de Vila Flores foram homenageadas dia 8 de março, com encontro e missa na igreja matriz Santo Antônio. O pároco frei Antoninho Pasqualon foi o celebrante. Elas participaram da palestra “Autoestima e a valorização da mulher”, com Maria de Lourdes Guerra. O prefeito Vilmor Carbonera, a primeira dama, Dalva Carbonera; o vice Rudimar Peruzzo e esposa Marilene prestigiaram o evento.


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

“Quem extrai madeira sabe que a devastação da floresta traz danos, mas não admite morar no meio daquele ouro verde sem lucrar com ele.” Pe. Zezinho

CR Opinião 6

A gestação do povo brasileiro e o saber popular LEONARDO BOFF

Autor de O cuidado necessário, Vozes, 2012

O Apesar de todas tribulações históricas, o povo brasileiro nunca perdeu sua autoestima e o encantamento do mundo

povo brasileiro ainda não acabou de nascer. Vindos de 60 países diferentes, aqui estão se mesclando representantes destes povos num processo aberto, todos contribuindo na gestação de um povo novo que um dia acabará de nascer. O que herdamos da Colônia foi um estado altamente seletivo, uma elite excludente e uma imensa massa de destituídos e descendentes de escravos. O cientista político Luiz Gonzaga de Souza Lima, na sua original interpretação do Brasil, diz que nascemos como empresa transnacionalizada, condenada a ser fornecedora de produtos in natura para o mercado mundial (A refundação do Brasil, 2011). Mas apesar deste constrangimento histórico-social, no meio desta massa enorme maduraram lideranças e movimentos que propiciaram o surgimento de todo tipo de comunidades, associações, grupos de ação e de reflexão que vão das quebradeiras de coco do Maranhão, aos povos da floresta do Acre, dos semterra do sul e do nordeste, das comunidades de base, aos sindicatos do ABC paulista. Nenhum processo desta magnitude se faz sem aliados, sem a ligação orgânica daqueles que manejam um saber especializado com os movimentos sociais comprometidos. É aqui que a universidade é desafiada a alargar seu horizonte. Importa que os mestres e alunos frequentem a escola viva do povo, como praticava Paulo Freire, e permitir que gente

do povo possa entrar nas salas de aula e escutar os professores nas matérias relevantes para eles como eu fazia nos meus cursos na UERJ. Essa visão supõe a criação de uma aliança entre a inteligência acadêmica com a miséria popular. As universidades são urgidas a buscar um enraizamento orgânico nas periferias, nas bases populares e nos setores ligados diretamente à produção. Aqui pode se estabelecer uma fecunda troca de saberes, entre o saber popular, de experiências feito, e o saber acadêmico, constituído pelo espírito crítico; dessa aliança surgirão novas temáticas teóricas nascidas do confronto com a antirrealidade popular e da valorização da vasta riqueza do povo na sua capacidade de encontrar, sozinho, saídas para seus problemas. Deste casamento, se acelera a gênese de um povo; permite um novo tipo de cidadania, baseada na con-cidadania dos representantes da sociedade civil e acadêmica e das bases populares que tomam iniciativas por si mesmos e submetem o Estado a um controle democrático, cobrando-lhe os serviços básicos especialmente para as populações periféricas. Nestas iniciativas populares, com suas várias frentes (casa, saúde, educação, direitos humanos, transporte coletivo etc), os movimentos sociais sentem necessidade de um saber profissional. É onde a universidade pode e deve entrar, socializando o saber,

Solidariedade e Quaresma Escritor, autor, em parceria com Leonardo Boff, de “Mística e espiritualidade” (Vozes), entre outros livros

Q

uaresma é tempo de solidariedade e partilha. Há mais de 20 anos promovo Campanha de Quaresma em benefício de uma obra social que conheço, acompanho e na qual confio. Este ano a escolhida é o Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo (CDHEP), que atua na Zona Sul da capital paulista, nos distritos de Jardim Ângela, Capão Redondo, Jardim São Luís e Campo Limpo. Nessas regiões vivem mais de um milhão de habitantes, dos quais 23% estão na faixa etária entre 18 e 29 anos. Com altos índices de violação de direitos, violência e segregação, Campo Limpo possui o maior número de óbitos por homicídio de jovens da cidade de São Paulo, seguido do Jardim Ângela, segundo estudo da Rede Nossa São Paulo. Programa Fundada há 30 anos, com do CDHEP origem na Comissão Pastoral ajuda o dos Direitos Humanos participante da região episcopal de da Serra (SP), a reconhecer Itapecerica a entidade tem como seus atos, desafios centrais a violência, assumir o acesso à justiça e a responsabilidades responsabilização. A sede CDHEP em Campo Limpo e reparar do foi construída em mutirão os danos da comunidade, em terreno doado. Dois programas se destacam na entidade: 1) Perdão e Justiça Restaurativa. A prática de Justiça Restaurativa é um meio de gestão de conflitos em que um facilitador auxilia os envolvidos, junto com os membros de sua família e da comunidade, a iniciar um processo dialógico, capaz de transformar uma relação conflituosa ou violenta em relação de respeito. Ajuda cada participante a reconhecer seus atos, assumir responsabilidades e reparar os danos. Iniciado em 2005, o programa tem por finalidade a formação e aplicação dessas práticas. Cuida da

FREI BETTO

formação de educadores de escolas públicas da região, de técnicos em diversas áreas sociais, de agentes de pastorais, da população encarcerada, de agentes penitenciários e de movimentos populares. Facilita e supervisiona processos restaurativos e promove Núcleos Comunitários de Práticas de Justiça Restaurativa. 2) Programa Criança e Juventude. O CDHEP tem longa atuação com a juventude da região. Atualmente, seus dois principais projetos são o “Observatório Local dos Direitos da Criança e do Adolescente” no território do Capão Redondo, protagonizado por jovens moradores, e “Construindo uma nova narrativa com jovens mães moradoras do Capão Redondo”, cujo objetivo é estabelecer processos de conscientização envolvendo jovens mães, com idade entre 14 e 24 anos, para que construam projetos de vida e difundam ações de garantia dos direitos sexuais e reprodutivos. Desde 2009 o CDHEP desenvolve ações de interface entre os dois programas. Entre 2010 e 2012, implementou o projeto Novas Metodologias de Justiça Restaurativa com Adolescentes e Jovens em conflito com a lei em parceria com a Secretaria Especial dos Direitos Humanos do governo federal. Em janeiro de 2012, iniciou um segundo projeto, com a mesma parceria – Tecendo Redes de Cuidado: Fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente e Práticas de Justiça Restaurativa, cujo objetivo é articular e capacitar o sistema de garantia de direitos, visando à proteção integral da criança e do adolescente em situação de vulnerabilidade, e diminuição de judicialização em escolas públicas da região. A equipe do CDHEP é integrada por 14 pessoas, oito monitoram os cursos e quatro cuidam da administração. As despesas mensais fixas são em torno de R$ 12 mil, sendo que uma parte procede da Secretaria Nacional de Direitos Humanos do governo federal e da contribuição de agências estrangeiras. Essas fontes são insuficientes para as necessidades da Ong. Quaresma é tempo de oração, abstinência e partilha. Interessados em apoiar esta iniciativa podem contatar o CDHEP (sara@cdhep.org.br)

oferecendo encaminhamentos para soluções originais e abrindo perspectivas às vezes insuspeitadas por quem é condenado a lutar só para sobreviver. Deste ir-e-vir fecundo entre pensamento universitário e saber popular pode surgir o biorregionalismo. A partir desta prática, a universidade pública resgatará seu caráter público, será realmente servidora da sociedade. E a universidade privada realizará sua função social, já que em parte é refém dos interesses privados das classes proprietárias e feita chocadeira de sua reprodução social. Esse processo dinâmico e contraditório só prosperará se estiver imbuído de um grande sonho: de ser um povo novo, autônomo, livre e orgulhoso de sua terra. Apesar de todas tribulações históricas, apesar de ter sido considerado, tantas vezes, jeca-tatu e joão-ninguém, o povo brasileiro nunca perdeu sua autoestima e o encantamento do mundo. É um povo de grandes sonhos, de esperanças inarredáveis e utopias generosas, um povo tão imbuído pelas energias divinas que estima ser Deus brasileiro. Talvez seja esta visão encantada do mundo, uma das maiores contribuições que nós, brasileiros, podemos dar à cultura mundial emergente, tão pouco mágica e tão pouco sensível ao jogo, ao humor e à convivência dos contrários.

O valor do verde Escritor, compositor e intérprete de músicas

Q

PE. ZEZINHO

uem cava uma mina de ouro debaixo de um lençol de água sabe que pode haver inundação, mas torce para que não haja. Afinal, aquela riqueza vale o risco! Quem extrai madeira sabe que a devastação da floresta traz danos à região, ao país e ao mundo, mas não admite morar no meio daquele ouro verde sem lucrar com ele. Preservar por quê? Um desastre ecológico não toca os desmatadores. Dizem que não foram eles. Falta ou excesso de chuva são explicados como fenômeno da natureza. Por que raciocinar em favor dos outros, quando a riqueza está ali pedindo para ser explorada? Por que não cavar o túnel se a cidade precisa? Se houver deslizamento, culpa-se a fatalidade. Depois, dez anos depois, a justiça decide de quem foi a culpa. Ninguém irá preso ou pagará a conta! É assim o ser humano. Sabe, mas não faz; conhece os riscos, mas arrisca; O ser humano entende, mas não compreende. De é assim. Sabe, vez em quando a tragédia do outro o mas não comove, mas ele acha que não pode faz; conhece fazer nada. Se todo mundo parasse de campos e derrubar matas, só os riscos, cultivar porque há enchentes e deslizamentos, mas arrisca; ninguém comeria. Assim se defende. entende, Dois irmãos e duas irmãs que mas não herdaram duas fazendas da família compreende decidiram trilhar um caminho diferente. Visitaram outros países e voltaram com um projeto de irrigação e outro de criação de gado confinado. Auxiliados por bons agrônomos e pecuaristas confinaram as 12 mil cabeças de gado, planejaram o plantio de capim, aprenderam a industrializar parte da ração e usaram 95% do imenso pasto descampado para plantio de alimentos e de árvores. Custou mais caro criar gado, tiveram que diminuir o plantel, mas a fazenda voltou a ser verde e as matas renasceram. Entenderam que era possível ser, ao mesmo tempo, fazendeiro, plantador de verde, produtor de alimentos e criador de gado. Peixes em abundância, gado de qualidade, frutas e cereais tornaram as fazendas modelo de ocupação racional do solo. Dois vizinhos pensam fazer o mesmo. Os do outro lado do rio não arriscam. Não pretendem salvar nada a não ser o seu investimento!


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 12 de março de 2014

“Na Igreja precisamos de reformas mais profundas para corrigir desvios alimentados durante muitos séculos”. José Antonio Pagola, sacerdote, teólogo e escritor

CR Especial 7

PONTIFICADO

Papa Francisco, um presente de Deus Pontífice argentino está criando na Igreja um clima novo, mais evangélico e mais humano

N

Querido irmão Francisco: desde que foste escolhido para ser humilde “rocha”, sobre a qual Jesus quer continuar a construir sua Igreja hoje, eu segui suas palavras com cuidado. Acabei de voltar de Roma, onde eu vi que abraças crianças, abençoando os doentes e desvalidos e acenando para a multidão. formas possam ser levadas a termo, “A heresia mais grave necessitamos previamente de uma conversão a um nível mais profune sutil que impregnou o do e radical. Precisamos, simples- Cristianismo é ter feito da mente, voltar para Jesus, para enIgreja o centro de tudo, raizar nosso cristianismo com mais removendo do horizonte o verdade e fidelidade na sua pessoa, na sua mensagem e no seu proje- projeto do Reino de Deus” to do Reino de Deus. Então, quero expressar o que mais me atrai no Dizem que você é acessível, teu serviço como Bispo de Roma. estejas no meio de nós abraçandespretensioso, humilde, simpátido aos pequenos e abençoando Eu te agradeço por abraçar os doentes e desvalidos, para nos co... e não sei quantas coisas mais. Acredito que há em você algo crianças e estreitá-las contra o teu lembrar como acolher Jesus. Este mais, muito mais. Pude ver a Praça peito.Com esses gestos estás nos gesto profético me parece crucial de São Pedro e Via della Concilia- ajudando a recuperar aquele gesto nestes tempos em que o mundo zione cheia de pessoas entusiasma- profético de Jesus, tão esquecido corre o risco de desumanizar-se, das. Eu não creio que essa multidão na Igreja, porém importante para esquecendo-se dos últimos. se sinta atraída apenas pela tua sim- entender o que Ele esperava de plicidade e simpatia. Em poucos seus seguidores. De acordo com Eu te agradeço que nos convomeses, você se converteu em uma relato do Evangelho, Jesus cha- ques de forma tão reiterada a sair “boa nova” para a Igreja, e até para mou os doze, colocou uma crian- das igrejas para entrar na vida e ça no meio deles, a estreitou em na realidade onde as pessoas somuito além da Igreja. Por quê? seus braços e disse: “Quem aco- frem e se alegram, lutam e traQuase sem perceber, você está lhe uma destas crianças em meu balham. Esse mundo onde Deus quer construir uma convivência apresentando ao mundo a Boa nome, está acolhendo a mim”. mais humana, justa e solidária. Nova de Jesus. Você está crianTínhamos esquecido que no Creio que a heresia mais grave e do na Igreja um clima novo, mais evangélico e mais humano. Estás centro da Igreja, atraindo a aten- sutil que impregnou o Cristianisnos trazendo o Espírito de Cristo. ção de todos, devem estar sempre mo é ter feito da Igreja o centro Pessoas afastadas da fé cristã me os pequenos, os mais frágeis e de tudo, removendo do horizonte dizem que lhes ajudas a confiar vulneráveis. É importante que es- o projeto do Reino de Deus. mais na vida e na bondade do ser tejas entre nós como “rocha”, soJoão Paulo II nos recordava que humano. Alguns, que vivem afas- bre a qual Jesus edifica sua Igreja, tados do caminho para Deus, me mas é tão importante ou mais que a Igreja não é um fim em si, mas apenas “semente, sinal e instruconfessam que despertou dentro mento do Reino de Deus”, porém deles uma pequena luz que convi“Quase sem perceber, suas palavras se perderam entre da a revisar suas atitudes diante do você está apresentando muitos outros discursos. Agora mistério último da existência. desperta em mim uma grande aleao mundo a Boa Nova gria quando nos chamas a sair da Eu sei que na Igreja precisamos de Jesus. Você está “autorreferencialidade” para cade reformas mais profundas para corrigir desvios alimentados du- criando na Igreja um clima minhar até as “periferias existennovo, mais evangélico e ciais”, onde nos encontramos com rante muitos séculos, mas nos úlos pobres, as vítimas, os doentes, timos anos tem crescido em mim mais humano”. uma convicção. Para que essas reos infelizes...

“Nós temos que construir pontes, não muros, para defender a fé; precisamos de uma Igreja de portas abertas, não de controladores da fé”

AFP/CR

o dia 13 de março a Igreja comemora um ano da eleição do cardeal Jorge Mário Bergoglio como Papa. A presença de Francisco no Vaticano representa um grande alento, pois ele está mostrando aos cristãos e também aos não cristãos um jeito novo de ser Igreja, mais evangélica, mais simples, mais humana. Para recordar a data, o Correio Riograndense publica uma “cartaartigo” do sacerdote espanhol José Antonio Pagola*, escrita ainda no ano passado, mas que sintetiza o pensamento de milhões de cristãos.

Acolhida: Francisco beija uma criança. Os pequenos e os mais frágeis estão no centro da Igreja Alegra-me destacar tuas palavras: “Nós temos que construir pontes, não muros para defender a fé; precisamos de uma Igreja de portas abertas, não de controladores da fé”. “A Igreja não cresce com o proselitismo, mas por atração, testemunho e pregação”. Parece-me ouvir a voz de Jesus que, a partir do Vaticano, nos exorta: “Ide anunciar que o Reino de Deus está próximo”, “ide e curai os doentes”; “o que de graça recebestes, de graça dai”.

pre nos dá um pouco de medo, porque nos sentimos mais seguros quando temos tudo sob controle, se somos nós que construímos, programamos e planejamos nossa vida, de acordo com nossos esquemas, valores e gostos... Temos medo de que Deus nos guiará por novos caminhos, nos tire nossos horizontes, com frequência limitados, fechados, egoístas, para abrirnos os seus”. Por isso pedes que nos perguntemos sinceramente: “Estamos abertos às surpresas de Deus ou nos fechamos com medo da novidade do Espírito Santo? Estamos determinados a percorrer os novos caminhos que a novidade de Deus nos apresenta ou nos entrincheiramos em estruturas caducas, que perderam a capacidade de resposta?”. Eu quero concluir estas linhas expressando-te humildemente um

“Tínhamos esquecido que no centro da Igreja, atraindo a atenção de todos, devem estar sempre os pequenos, os mais frágeis e vulneráveis” desejo. Talvez não poderá fazer grandes reformas, mas impulsionar a renovação evangélica em toda a Igreja. Certamente, podes tomar as medidas oportunas para assegurar que os futuros bispos das dioceses do mundo inteiro tenham um perfil e um estilo pastoral capazes de promover essa conversão a Jesus que buscas impulsionar a partir de Roma.

Agradeço ainda teu constante convite a converter-nos ao Evangelho. Estou surpreso com tua liberdade em dar nome aos nossos pecados. Não o fazes com linguagem moralista, mas com força evangélica: os ciúmes, a inveja, a ambição de fazer carreira e o deseFrancisco, você é um presente jo por dinheiro; a desinformação, a difamação e a calúnia; a arrogância de Deus. Obrigado! e a hipocrisia clerical; a “mundaneidade espiritual” e a “burguesia de espírito”; os “cristãos de salão”, * Padre José os “crentes de museu”, os cristãos Antonio Pagola com “cara de funeral”; tua preocué sacerdote pação com o “sal sem sabor”, um espanhol, licenciado em “sal sem gosto de nada”, e nos chaTeologia pela mas a ser discípulos que aprendem Universidade a viver no estilo de Jesus. Mas não nos chamas apenas a uma conversão individual. Nos instigas à renovação eclesial, estrutural. Não estamos acostumados a ouvir essa linguagem. Surdos ao apelo renovador do Concílio Vaticano II, esquecemos que Jesus convidava seus seguidores a “por vinho novo em odres novos”. Por isso, me enche de esperança tua homilia da festa de Pentecostes, quando dizias: “A novidade sem-

Gregoriana de Roma, licenciado em Sagrada Escritura pelo Instituto Bíblico de Roma e diplomado em Ciências Bíblicas pela Escola Bíblica de Jerusalém. Professor e escritor, é conhecido no mundo inteiro pelas dezenas de livros escritos, entre os quais Jesus, aproximação histórica, Jesus diante da mulher e É bom crer. Atualmente, Pagola atua na paróquia São Vicente Mártir de Abando, em Bilbao.


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

“A Festa Nacional da Uva se faz a várias mãos.” Edson Nespolo, presidente da Comissão Comunitária

CR Reportagem 8

FESTA NACIONAL DA UVA

História contada a 800 mil pessoas Luiz Chaves/Divulgação/CR

E

Nespolo: presidente da festa

Desfile cênico musical: a tradição colonial tomou conta das ruas da cidade, engrandecendo a festa Diversidade - Com o tema Na Alegria da Diversidade, o evento celebrou seus 83 anos e os 60 anos do Monumento Nacional ao Imigrante. Contou na abertura com a maior autoridade do país, a presidente da República, Dilma Rousseff. Mas o sucesso foi conquistado ainda com a fórmula ex-

pressa nos pavilhões. O parque de eventos levou o visitante a conhecer a história da formação de Caxias do Sul. Objetos e cenários que reportavam à imigração; os espaços que representavam a fé, a gastronomia, a música, o trabalho e cultura dos colonos italianos atraíram o olhar

do público que buscou a festa e a encontrou. Alinham-se aos atrativos a Vila dos Distritos, o Sabor da Aventura, o Cicloparque, a Padaria das Colônias, a Mostra Fotográfica das Embaixatrizes, a Praça de Vinhos e o Lounge da Diversidade. Nos três pavilhões e nas réplicas

que compõem o parque, estiveram à venda produtos de mais de 400 expositores. O público que esteve nos pavilhões pôde prestigiar também as mais variadas apresentações de dança, música e esquetes teatrais. Durante 18 dias foram mais de 800 inserções artísticas e culturais e 12 shows nacionais com nomes como Claudia Leitte, Maria Gadú, Thiaguinho, Bruno e Marrone, Amado Batista, Paula Fernandes, Jota Quest, além das apresentações dos grupos gaúchos no Festchê. Para assistir aos shows passaram pelo Espaço Multicultural 205 mil pessoas.

Fotos Andréia Copini/Divulgação/CR

m 1931, vitivinicultores criaram um jeito de celebrar a colheita. Surgia assim, a Festa Nacional da Uva de Caxias do Sul, que em sua 30ª edição, encerrada no domingo 9, bateu recorde de público ao receber nos pavilhões mais de 670 mil pessoas, sem contabilizar as mais de 119 mil que prestigiaram os desfiles cênicos musicais, no centro da cidade, com 1.500 figurantes. A festa, marcada pela alegria e emoção, vai ficar na memória. “A Festa da Uva deu certo porque investimos no original, valorizamos a colônia e tiramos o contexto de feira para incluir o conceito de festa”, declara ao CR o presidente da Comissão Comunitária, Edson Nespolo. Nespolo elenca outros motivos que engrandeceram a maior festa comunitária do Sul do Brasil. “A divulgação ampla do evento na cidade e interior, na região e no estado. Soma-se a dedicação das soberanas, a rainha Giovana Crosa e as princesas Gabrielle Debastiani e Karina Furlin, das embaixatrizes e da população de Caxias do Sul”, destaca. “A Festa Nacional da Uva se faz a várias mãos”, emenda.

Luiz Chaves/Div./CR

Festa encerra com público recorde. Próximo evento ocorre de 18 de fevereiro a 6 março de 2016

Dedicação à festa: rainha Giovana e princesas Gabrielle e Karina

Disputa: as 13 provas destacam hábitos dos imigrantes italianos

Consumo: uva atrai público

Ideia é criar estacionamento público

Olimpíada Colonial premia campeões

Consumo chega a 250 toneladas

Com todos os ganhos em 2014, a Festa da Uva 2014 precisa ser aprimorada ainda mais. A opinião é do próprio presidente da Comissão Comunitária, Edson Nespolo. “Precisamos melhorar a infraestrutura, especialmente a chegada ao parque de eventos”, adianta, referindo-se ao congestionamento de veículos em dias de intensa movimentação. Talvez, opina ele, uma alternativa seja criar estacionamentos públicos para carros e ônibus na chegada à cidade e levar esse público de ônibus até os pavilhões. “O engarrafamento gera queixas e tira público”, enfatiza Nespo-

lo, que, ao ser questionado para voltar a presidir a festa, prometeu pensar no assunto. “Minha paixão é a gestão”, afirma. É esperar e acreditar, pois foi nessa direção que foram enfrentados problemas como a temperatura interna do parque e a limpeza. Por enquanto, reconhece que o evento adquiriu a importância que tem graças ao povo. “Só temos que agradecer à comunidade de Caxias do Sul e a todos os visitantes. Tenhamos orgulho da Festa da Uva porque a Festa da Uva tem orgulho de sua cidade”, destaca o presidente da Comissão Comunitária.

A colônia na cidade. Chegou ao fim no domingo 9 a Olimpíada Colonial da Festa Nacional da Uva. Os campeões das 12 eliminatórias nos distritos e na prova Urbana/Imprensa disputaram os títulos, na Praça Dante Alighieri, com a presença das soberanas. “A festa é da comunidade, somos todos protagonistas desta linda história de mais de 80 anos”, disse a rainha Giovana Crosa. A Olimpíada, que homenageia, por meio de 13 provas diferenciadas, os hábitos dos antigos imigrantes italianos, reuniu cerca de 1.200 competidores. A entidade destaque, Inav, a comuni-

Destaques • Equipe: Multiflon • Entidade: Instituto de Audiovisão • Comunidade: Fazenda Souza

dade de Fazenda Souza receberam como prêmios uma TV de 40 polegadas, do Jornal Pioneiro, além de placa. A empresa Multiflon ganhou a placa (ver quadro). Já a Paralimpíada Colonial oportunizou a pessoas com deficiência a disputa em cinco modalidades. A integração reuniu para-atletas de diversas entidades. Os campeões também reconhecidos no domingo.

O motivo da festa, a uva, marcou presença nos pavilhões de exposições, nos desfiles, nos adereços, nas apresentações... ela esteve em toda a parte. Cerca de 250 toneladas da fruta foram distribuídas graciosamente ao público. Além do consumo, 315 viticultores participaram mostrando as mais diversas variedades, sendo que 27 foram premiados. Agora, é aguardar a próxima Feira Agroindustrial, que acontece juntamente com a Festa da Uva, programada para 18 de fevereiro a 6 de março de 2016.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 12 de março de 2014

“É inacreditável que no século 21 alguns países ainda tolerem casamento infantil e o estupro marital”. Salil Shetty, secretário-geral da Anistia Internacional

CR Internacional 9

CAMPANHA

Direitos sexuais defendidos A

saúde e a vida de milhões de pessoas em todo o mundo estão sendo ameaçadas por falhas de governos para garantir os direitos sexuais e reprodutivos da população, mostra a Anistia Internacional, que lançou uma campanha global sobre o assunto, intitulada “Meu Corpo, Meus Direitos”. “É inacreditável que no século 21 alguns países ainda tolerem casamento infantil e o estupro marital, enquanto outros proíbem sexo fora do casamento e união entre pessoas do mesmo sexo, por exemplo, que são até puníveis com pena de morte”, disse Salil Shetty, secretário-geral da Anistia Internacional. Um estudo publicado pela organização destaca o aumento da repressão dos direitos sexuais e reprodutivos em muitos países que priorizam políticas repressivas sobre os direitos humanos e liberdades básicas. Alguns apontam que 150 milhões de garotas com menos de 18 anos já foram agredidas sexualmente e 142 milhões de meninas correm o risco de ser obrigadas a casar, de 2011 a 2020. Segundo Shetty, os governos devem tomar ações positivas, não apenas acabando com leis opressivas, mas também promovendo e protegendo os direitos sexuais e reprodutivos, dando informação, educação, serviços e acabando com a impunidade para a violência sexual. A campanha "Meu Corpo, Meus Direitos" encoraja jovens de todo o mundo a conhecer e exigir o di-

Gestação: 14 milhões de adolescentes dão à luz todos os anos, principalmente como resultado de sexo forçado e gravidez indesejada

Marcello Casal Jr/ABr/Correio Riograndense

Estudo denuncia que cerca de 150 milhões de meninas já foram agredidas

Dados • 150 milhões de meninas com idade inferior a 18 anos já foram agredidas sexualmente

• 142 milhões de meninas estão propensas a casar ainda crianças entre 2011 e 2020 • 14 milhões de adolescentes dão à luz todos os anos, principalmente como resultado de sexo forçado e gravidez indesejada • 215 milhões de mulheres não têm acesso a métodos contraceptivos, mesmo que queiram evitar a gravidez • A atividade sexual entre pessoas do mesmo sexo é ilegal em pelo menos 76 países, dos quais 36 estão na África Fonte: Anistia Internacional

reito de tomar decisões sobre sua saúde, seu corpo, sua sexualidade e reprodução, sem o controle do Estado, medo, coerção ou discriminação. Também lembra aos líderes mundiais as obrigações de adotar ações positivas, inclusive por meio de acesso aos serviços de saúde.

CASAMENTOS

REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS DE GALÓPOLIS CAXIAS DO SUL

ESTRADA FEDERAL, BR 116, KM 160, Nº 755 - GALÓPOLIS - CAXIAS DO SUL-RS - (54) 3284-1033

LOANDA MARIA LOPES MILANI - OFICIAL Comunicam que pretendem contrair matrimônio as seguintes pessoas DAVÍ RODRIGO POOTER E CHELEN DE MELLO FERNANDES ALDINIR RUPPENTHAL E JOSEANE WROCHINSKI Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e forma da lei. Caxias do Sul, 07 de março de 2014 LOANDA MARIA LOPES MILANI REGISTRADORA

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO E CALÇADO DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

BASE TERRITORIAL: Caxias do Sul, Antônio Prado, Bento Gonçalves, Cotiporã, Flores da Cunha, Fagundes Varela, Guabejú, Ipê, Nova Roma do Sul, Protásio Alves, São Jorge, São Marcos, Santa Tereza, Veranópolis, Vila Flores e Nova Prata.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Pelo presente edital, convoco todos os trabalhadores associados ao Sindicato, para a Sessão de Assembléia Geral Ordinária, a realizar-se no dia 28 de Março de 2014, em primeira convocação as 19h em segunda convocação as 20h tendo por local a sede social, sito na Rua Pinheiro Machado, 1640 em Caxias do Sul, a fim de ser tratado e deliberado sobre a seguinte ordem do dia: 1- Leitura aprovação ou não do balanço financeiro, e relatório administrativo do exercício de 2013 e parecer do Conselho Fiscal. 2- Leitura e aprovação ou não da previsão orçamentária para o exercício de 2015. Caxias do SuI, 12 de março de 2014 Jandir Zaccaria - Presidente

Nos dois anos da campanha, a Anistia Internacional vai publicar uma série de reportagens de vários países onde os direitos sexuais e reprodutivos são negados. Os casos incluem meninas forçadas a casar com seus violentadores, no Magrebe (a parte ocidental do mundo árabe);

mulheres e meninas que tiveram aborto negado, apesar de problemas de saúde e até de risco morte, em El Salvador (América Central) e outros países; e meninas muito jovens forçadas a dar à luz em Burkina Faso (África). Salil Shetty declarou que conheceu mulheres de comunidades rurais, no Nepal (Ásia), onde muitas meninas são forçadas ao casamento ainda crianças e mais de meio milhão de mulheres sofrem condições debilitantes conhecidas como prolapso uterino (útero caído), como resultado de contínuas gestações e trabalhos de parto difíceis.

Pelo país Trânsito no carnaval Conforme levantamento do Detran-RS, o feriadão de carnaval deste ano terminou com redução de 30,3% no número de mortes nas ruas e estradas gaúchas em relação ao mesmo período de 2013. Entre o meio-dia da sexta-feira 28 e o meio-dia da quarta 5, foram 23 mortes no trânsito gaúcho, dez a menos do que no carnaval do ano passado. Estradas federais Nas rodovias federais, 155 pessoas perderam a vida durante o carnaval. Foram registrados 3.201 acidentes, com 1.823 pessoas feridas, entre a 0h da sexta-feira 28 e a 0h da quinta 5, segundo dados da Polícia Rodoviária Federal. Em 2013, 157 pessoas morreram em 3.149 acidentes durante a operação de carnaval, com 1.793 feridos. Os estados que registraram mais mortes foram o Paraná, com 25, Minas Gerais (24), Bahia (14), Rio Grande do Sul (11) e Santa Catarina (9). Mulher ganha menos Apesar de conquistar espaço no mercado de trabalho, a mulher continua com salário menor que o dos homens. Em 2012 – dado mais atual disponível - elas receberam quase R$ 73, em média, para cada R$ 100 recebidos por eles, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Atualmente, no Brasil, as mulheres representam 43,4% das pessoas economicamente ativas. Apesar disso, são a maioria dos desempregados: 57,8%.

Assine o Correio Riograndense Informação, cultura, opinião, entretenimento, curiosidades e muito mais Preencha o cupom e envie. Não precisa selar. Basta recortar este cupom e colocar em qualquer caixa de coleta dos correios. A cobrança será feita por boleto bancário.

Assinale a opção de assinatura:

□ Via Agente: R$ 135,00 □ Via Correio: R$ 145,00 (endereço na capa - mala direta) □ Carta: R$ 230,00 (dentro de envelope lacrado)

E-mail: comercial@jornalcr.com.br - Fone: 54 3220.3232

Nome: _______________________________________ ______________________________________________ Rua: __________________________________________ _____________________________ Nº ______________ Compl.: ____________ Bairro: _____________________ Cidade: ________________________________________ CEP _____________________ Estado _____________ Telefones: ( ) __________________________________ E-mail: ________________________________________

9912326314 - DR/RS


“Eles precisam passear, namorar, ir ao cinema, festas; os que ficam muito segregados, fechados na família, não se tornam independentes.” Simone De Antoni Perini, psicóloga e coordenadora técnica da Apae Caxias

CR 10

CORREIO RIOGRANDENSE • Cax

Saú

Fotos CR

SÍNDROME DE DOWN

Apae Caxias: entre os 560 beneficiários da instituição, 20% são portadores da síndrome de Down

T

Direito à vida plena e digna

rissomia do 21 = 21/3 = Dia Internacional da Síndrome de Down. As pessoas com trissomia do cromossomo 21, alteração genética mais conhecida como síndrome de Down, possuem três cromossomos em vez dos dois esperados no par 21. Daí vem a escolha do dia 21 de março (21/3) como data de valorização das pessoas com a síndrome e de conscientização da sociedade sobre a importância da promoção de seus direitos, permitindo que elas tenham vida plena e digna, como membros participativos em suas comunidades. “Ter um cromossomo a mais não nos impede de sermos iguais aos outros”, disse publicamente o ator Breno Viola, de 32 anos, que tem síndrome de Down e atuou em Colegas, filme que trata justamente da síndrome e que teve grande repercussão, sendo escolhido o melhor do Festival de Cinema de Gramado em 2012. Fabrício Fank, de 18 anos, compartilha a mesma opinião, a julgar

Todo ano, nascem no Brasil 8 mil bebês com trissomia do 21. Falha genética não impede que participem da comunidade por sua declaração. “Gosto de estudar, trabalhar, passear, fazer amigos – tenho vários, e legais – jogar bola, tudo normal”, disse ao Correio Riograndense. Fabrício frequenta a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Caxias do Sul desde os dois anos de idade. Ingressou pelo Núcleo de Estimulação Essencial, onde tinha sessões de fisioterapia, fonoaudiologia e estimulação cognitiva; e hoje frequenta, no período da manhã, a Escola Especial Dr. Henrique Ordovás Filho – Apae. “Oferecemos, além do ensino especial, oficinas de atividades de vida diária, de arte e lazer, atividades desportivas e recreativas”, explica a diretora Paula Menegat. À tarde, Fabrício trabalha como empacotador no supermercado Vantajão, no bairro Santa Fé, perto de sua casa. “Vou sozinho, da minha Simone: psicóloga e coordenadora

casa ao mercado”, diz orgulhoso. “E tem que separar tudo: comida é comida, detergente é detergente”, fala Fabrício, referindo-se à seleção que faz na hora de empacotar as compras dos clientes. “Na saída, digo ‘volte sempre’ e mando um beijo”, conta ele, simpático e extrovertido. A independência e desenvoltura de Fabrício foram conquistadas graças ao tratamento adequado que recebeu desde a infância. “O foco do nosso trabalho é a busca pela independência dos portadores de necessidades especiais, sejam os diagnosticados com síndrome de Down como os que têm qualquer outra deficiência, evitando o protecionismo e aproveitando suas habilidades”, afirma Simone De Antoni Perini, psicóloga e coordenadora técnica da Apae Caxias. Além de características físicas

particulares, os portadores da síndrome de Down têm um déficit intelectual e, consequentemente, uma aprendizagem mais demorada. “Eles aprendem, porém de forma mais lenta, pela repetição. Precisamos treiná-los a realizar determinadas tarefas, inclusive aquelas do cotidiano”, explica. A dica de Simone para as famílias é que fiquem atentas ao que a criança consegue fazer sozinha, estimulando-a para isso. “Precisamos oferecer condições para que ela desenvolva uma tarefa, por vezes facilitando e auxiliando, mas não fazer por ela; e isso vale tanto para pentear o cabelo, por exemplo, como para montar um quebra-cabeça”, afirma. Outra regra de ouro é permitir que participem da vida em sociedade. “Eles precisam passear, namorar, ir ao cinema, teatro, festas, clubes, restaurantes etc”, observa Simone. “Aqueles que ficam muito segregados, fechados na família, não se tornam independentes”, conclui.

Tratamento multidisciplinar facilita independência

Fabrício Fank: aos 18 anos, estuda e trabalha em um supermercado

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, a cada 600 a 800 nascimentos, uma criança tem síndrome de Down, independentemente de etnia, gênero ou classe social - média de 8 mil novos casos por ano. Ainda não há estudos conclusivos sobre os fatores que desencadeiam a síndrome. Sabe-se apenas que a idade avançada da futura mãe pode facilitar sua ocorrência. A estimativa é de que a partir dos 35 anos haja a probabilidade de um entre 275 bebês nascer com essa alteração genética, enquanto aos 20 anos, é de um em 1.600 crianças. “A síndrome de Down não é

uma doença, não é contagiosa, caracteriza-se por um conjunto de sinais e sintomas”, explica Simone Perini, coordenadora técnica da Apae de Caxias do Sul. Entre esses sinais, alguns são comuns a todos os portadores, como olhos puxados, pescoço curto, dedos das mãos menores, déficit intelectual e, principalmente, baixo tônus muscular. “Eles são mais ‘molinhos’, e isso interfere nas habilidades motoras, por isso, exercícios de fisioterapia e fonoaudiologia são importantes para que possam engatinhar, sentar, andar, falar”, observa Simone.

Ela diz que o tratamento deve ser multidisciplinar e iniciado o quanto antes, preferencialmente ainda nos bebês. As terapias estimulam o desenvolvimento do equilíbrio, da postura, dos movimentos e do raciocínio, garantindo futuro melhor à criança, com vida mais independente. Contra o preconceito, Simone indica informação. “Atualmente, recebemos gestantes em busca de esclarecimentos. Elas querem conhecer a síndrome e saber como podem ajudar os filhos que estão por nascer, este é o caminho”, afirma.


axias do Sul, 12 de março de 2014

úde

CR

Sofia Gums, sobrinha de Olga, 77, a mais idosa com Down do Brasil

Diagnóstico ocorre na gestação

ntigamente, os pais só ficavam sabendo que o filho apresentava alguma alteração genética após o seu nascimento. Hoje, a informação pode chegar ainda durante a gestação. A mãe pode se submeter a um exame chamado Oscar (sigla de One Stop Clinic for Assessment of Risk, em inglês), que rastreia diferenças nos genes ainda no primeiro trimestre da gestação, entre a 11ª e a 14ª semanas. O diagnóstico mais comum é a trissomia cromossômica 21 (síndrome de Down). O exame é simples e rápido. A partir da análise do sangue da mãe, que traça o perfil bioquímico, e da ultrassonografia morfológica, que demonstra a formação do osso nasal e a translucência nucal (acúmulo de líquido na região da nuca, que desaparece após a 14ª semana de gestação), é possível fazer o mapeamento de um possível diagnóstico. Caso o resultado seja positivo, outros exames mais invasivos são recomendados. Com assertividade de 99,9%, a coleta do líquido amniótico e da placenta confirma ou descarta o diagnóstico da síndrome de Down. Cartilha - Uma cartilha elaborada pelo Ministério da Saúde reúne informações sobre as principais doenças que acometem pessoas com a síndrome e os cuidados necessários em cada fase. Há orientação sobre o diagnóstico clínico e os exames necessários: de zero a dois anos; de dois a 10 anos; de 10 a 19 anos; do

Antônio Magalhães Barbosa/Div./CR

A

11

“Ela está muito bem de saúde e faz tudo sozinha. Sou muito feliz por cuidar dela.”

Olga Gums: aos 77 anos, é a mais idosa com sídrome de Down do Brasil

Hoje, expectativa de vida é maior

Pré-natal: análise do líquido amniótico confirma alteração genética adulto e do idoso. A cartilha recomenda, entre outras coisas, que o ecocardiograma, um exame do coração, seja realizado periodicamente, tendo em vista que 50% das crianças com síndrome de Down apresentam cardiopatias. Também aconse-

Irmãs do Imaculado Coração de Maria

lha a realização de hemograma, para afastar a possibilidade de alterações nas células vermelhas do sangue, e exame de função da tireoide, assim como de visão e audição e ainda radiografia da coluna. Esses cuidados preventivos valem da infância à idade adulta.

No fim da década de 40, o diagnóstico da síndrome de Down era muito mais aflitivo do que é hoje para os pais, pois indicava uma vida curta, entre 12 e 15 anos. Atualmente, graças aos avanços da medicina, a expectativa de vida de portadores da alteração genética está entre 60 e 70 anos, de acordo com a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Olga Gums, de 77 anos, entra para o RankBrasil em 2014 por ser a mais idosa com síndrome de Down do país. A moradora de Santa Teresa (ES) vive há 26 anos em um sítio próximo ao distrito de Aparecidinha. Ela superou a marca de Maria de Nazaré, de 67 anos, recordista em 2010. Natural de Santa Maria de Jetibá (ES), a capixaba nasceu no dia 27 de maio de 1936. Caçula en-

Mães

Assinatura presente Dia das

O alicerce da vida começa com o amor de Mãe, que constrói, nos da força, amparo e nos renova em cada gesto e carinho.

Comprometidas com a defesa e promoção da vida, sobretudo dos mais necessitados, participaram na 37ª Romaria da Terra, realizada em Tapes/RS, no assentamento Lagoa do Junco, no dia 04 de março e que teve como tema: Reforma Agrária, Cooperação e Agroecologia, com o objetivo de “Cultivar Vida Saudável”. Rezemos pelas vocações!

CR C=0

www.icm-sec.org.br - www.icmcaxias.com.br

tre 11 irmãos, atualmente reside com a sobrinha Sofia Gums, de 60 anos, que cuida dela há mais de 25. A recordista fica a maior parte do tempo em casa e não fala português. Influenciada pela cultura pomerana, presença forte na cidade, nunca aprendeu a língua brasileira e conversa apenas em pomerano, uma variedade do baixo alemão. Gosta de ver fotografias e passa as tardes na cadeira de balanço. Animada, Olga dança, canta e reza com frequência, além de tocar gaita desde menina. De acordo com Sofia, a idosa é uma pessoa independente e saudável. “Ela está muito bem de saúde e faz tudo sozinha”, afirma. “Sou feliz por cuidar dela e, se Deus quiser, ainda vai viver bastante; o título é uma alegria para nós”, diz Sofia.

Faça uma assinatura do e presenteie quem você ama.

M = 100

(54) 3220 3232 - comercial@jornalcr.com.br

Y = 100

K = 10

Ao assinar você ganha um CD de mensagens

CR Correio Riograndense


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

“Com ganho de produtividade a agropecuária representou R$ 234,6 bilhões na soma de todos os bens e serviços do país.” Rebeca Palis, do IBGE

CR Agricultura 12

PRODUTO INTERNO BRUTO

Grãos e cana alavancam economia

cultores estão em estado de alerta. No Paraná, as primeiras contas indicam redução de 12% na atual safra. A falta de chuva e as altas temperaturas levaram a um corte de 2,15 milhões de toneladas em relação à estimativa diParaná - Goiás já registrou vulgada em janeiro para os dois perda de 25% da produção de primeiros meses do ano. soja por causa da seca: um prejuízo estimado em 1,4 milhão de Logística - Não bastassem as toneladas de grãos, equivalente a condições adversas, o elevado cerca de R$ 2 bilhões. Os agri- custo de logística impede que o

Camila Domingues/PP/Div./CR Fotos Divulgação/CR

Produto Interno Bruto: a produção da soja cresceu 24,3% em 2013, com um aumento de área plantada de apenas 11,3%. Outros produtos agrícolas que tiveram crescimento em 2013 foram o trigo (com alta de 30,4%), o milho (13%) e a cana-de-açúcar (10%)

agronegócio brasileiro contribua mais para o PIB do país. “Vamos continuar crescendo o dobro da economia, mas em um volume que não compensará a acomodação dos preços”, afirma Pedro Arantes, consultor técnico do Senar de Goiás. “Mesmo com todas as dificuldades, ainda conseguimos ser competitivos", completa. O ajuste no câmbio em 2013 com alta acumulada do dólar de 15,5% ante o real - também im-

pulsionou o resultado do campo, ao favorecer as exportações. Os números não surpreenderam o diretor técnico da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Luiz Antonio Pinazza, que prevê novo salto neste ano: “A estiagem que está castigando as lavouras precisará ser melhor avaliada. Não dá para fazer previsões seguras neste momento”, observa. Também otimista para 2014, o diretor administrativo da Asso-

ciação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja) de Mato Grosso, Nelson Piccoli, sustenta que, por ora, não houve mudanças significativas nos preços. “A capacidade de crescimento do agronegócio no Brasil ainda é imensa”, sublinha, ilustrando que somente no estado o tamanho da área de cultivo pode dobrar. “Há cerca de 9 milhões de hectares dedicados à pastagem, que podem se transformar em plantações”, diz.

ADCOINTER Ícaro Campos/CR

C

om o aumento da área plantada e da produtividade e ainda um clima favorável, a agropecuária se manteve, no ano passado, como uma importante alavanca da economia brasileira. O Produto Interno Bruto (PIB) do campo cresceu 7% em 2013, a maior expansão desde o início da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 1996. No quarto trimestre ante os três meses imediatamente anteriores, não houve variação. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o aumento foi de 2,4%. A participação do setor na atividade do país saiu de 5,3%, em 2012, para 5,7%, a maior desde 2009. Puxaram o bom momento das lavouras no ano passado o trigo (cresceu 30,4%), a soja (24,3%), o milho (13%) e a cana-de-açúcar (10%). “Com ganho de produtividade significativo, a agropecuária representou R$ 234,6 bilhões na soma de todos os bens e serviços produzidos no país”, reforça a gerente da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis. Neste ano, os grãos continuarão decisivos ao crescimento do país, mas o avanço do setor não deve ser tão expressivo. A estiagem observada desde as primeiras semanas tem reduzido as projeções para as safras das principais culturas em várias regiões. A acomodação dos preços médios das commodities - por conta, sobretudo, do arrefecimento da demanda do mercado chinês - também explica as apostas, ainda precipitadas, em alta de 4% ou 5% em 2014.

Secs do Paraná/Divulgação/CR

Campo cresce de 7% em 2013, impulsionado principalmente pelo trigo, soja e milho e puxa o PIB

Membros novos: Lídio (da esq. à dir.), Demétrio, Alceu e Araí

Ceasa Serra tem nova diretoria O prefeito de Caxias do Sul, Alceu Barbosa Velho, e o secretário municipal da Agricultura, Araí Horn, seguem como presidente e diretor-presidente,

respectivamente, da Adcointer Ceasa Serra. O prefeito de São Marcos, Demétrio Lazzaretti, é vice; e o de Flores da Cunha, Lídio Scortegagna, secretário.


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

CR Agricultura 13

ENTREVISTA

M

Embrapa Uva e Vinho é geradora de soluções

Giovani Capra/Divulgação/CR

Correio Riograndense - Fale sobre a singularidade da cultivar moscato branco. Mauro Zanus - A região de Farroupilha caracteriza-se historicamente por concentrar mais de 50% da produção nacional de uvas moscatéis, com produção anual superior a 40 milhões de kg, distribuída entre 1.337 produtores vitícolas e 3.730 hectares de vinhedos. O avanço dos vinhos importados vem diminuindo a competitividade do vinho moscatel. Várias cultivares de uva com sabor moscatel são cultivadas na região e, algumas vezes, a coincidência de nomes pode levar a Mauro Zanus alguma confusão com relação é o novo chefe-geral da à identidade. Uma das uvas é a Embrapa Uva e Vinho, moscato branco. Sua origem não é conhecida, tendo sido provade Bento Gonçalves velmente introduzida no Brasil (foto acima). por volta do final do século XIX. É graduado em A moscato branco não deve ser agronomia, com confundida com cultivares de uva moscatel introduzidas mais mestrado em fitotecnia, recentemente na Serra, como a pela Universidade Federal ‘moscato branco R2’. do RS. Iniciou na Apesar ser também conhecida Embrapa em 1987. como ‘moscato italiano’, ainda não há definição da identidade Coordena o Laboratório da moscato branco com nenhuma de Análise Sensorial. das centenas de cultivares de uvas aromáticas descritas pela ampelografia italiana. Em 1931, esta cultivar já fazia parte do campo de matrizes da Estação Experimental de Caxias do Sul para a distribuição de material propagativo aos completa da moscato branco, que viticultores. É uma cultivar muito inclui desde o estabelecimento de bem adaptada às condições do Sul sua origem, de forma a confirmar do Brasil. É resistente à antracno- sua singularidade no Brasil. se, porém, bastante suscetível ao CR - Qual a importância de apodrecimento da baga. Apresenta alta fertilidade, e em vinhedos bem se estabelecer a caracterização conduzidos, em anos favoráveis, completa da moscato branco? Zanus - Esta especificidade é proporciona colheitas abundantes muito interessante do ponto de de uvas de ótima qualidade. Esses indícios apontando para vista prático, no que tange ao a singularidade estabelecimento da Indicação da uva ‘moscato Não há definição da Geográfica de branco’ cultivada no Brasil têm sido identidade da moscato Farroupilha, pois confirmados no branco com nenhuma agrega bastante valor à Indicaprojeto ‘Caracterização de uvas das cultivares de uvas ção, consideranaromáticas descritas do que os vinhos mantidas pelo Banco de Germomoscatel locais plasma de Uva seriam, no caso, visando promover a valorização elaborados com uma cultivar de do desenvolvimento de Indica- uva diferenciada, presente soções Geográficas’, parceria entre mente nessa região e única no Embrapa Uva e Vinho, Ministério mundo. O projeto prevê, ainda, a da Agricultura, Pecuária e Abaste- caracterização fenológica, agrocimento (coordenadorias Regena- nômica e enológica da uva ‘mosgro, Proticultiv2 e Indigraf) e Inra cato branco’. Além disso, esta (instituição francesa de pesquisa cultivar foi selecionada no Proagronômica). O projeto engloba grama de Melhoramento Genétium conjunto de atividades que co de Uva da Embrapa para ter o tem por objetivo a caracterização seu genoma sequenciado no Bra-

Divulgação/CR

auro Zanus, que assumiu recentemente a chefia geral da Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves, avalia alguns aspectos da vitivinicultura em entrevista ao Correio Riograndense.

sil, permitindo um detalhamento ainda maior na caracterização genética e molecular e abrindo possibilidades de análises potenciais para aprofundar o estudo da biologia da cultivar, com base no conhecimento da sequência do seu DNA CR - Em relação às doenças das videiras conceituadas como “nova filoxera”, qual a resposta da pesquisa? Zanus - A ‘nova filoxera’ tem sido um grande desafio para as instituições de pesquisa do mundo que trabalham com a videira, levando-se em conta os danos provocados, a ampla distribuição geográfica e a dificuldade de controle. É um complexo de doenças causadas por alguns fungos fitopatogênicos do solo e da parte aérea, conduzindo à morte progressiva da planta. Essa moléstia pode ser dividida em dois grupos: ataque no sistema radicular e o tronco (pé-preto e black goo) e ao segundo provocando danos nos ramos e no caule (podridão ou morte descendente). A Embrapa Uva e Vinho tem conduzido pes-

Grosso e Goiás. Mas o que mais aumentou foram as zonas de produção reconhecidas, que praticamente duplicaram, passando de 14 para 25 zonas em 10 Estados produtores do Brasil. A Embrapa tem atuado em todo o Brasil nas distintas zonas junto ao setor produtivo vitivinícola, apoiando a inovação e a adaptação para a produção de uvas, vinhos, sucos e outros produtos, seja nas regiões tradicionais, naquelas em consolidação e também nos novos polos de desenvolvimento. Vamos continuar esse trabalho fantástico de fazer do Brasil um produtor diversificado e original, ampliando a competitividade para pequenos, médios e grandes produtores. Estão disponíveis as tecnologias que desenvolvemos de variedades adaptadas aos diferentes climas do Brasil, bem como as tecnologias que tornam possível o cultivo de uvas em zonas subtropicais e tropicais. E isso é inovação no mundo de produtos derivados da uva. Também temos trabalhado de forma inédita dentre os países do Novo Mundo vitivinícola desenvolvendo indicações geográficas de vinhos finos de origem controlada, com altos padrões de qualidade e originalidade dos produtos.

CR - Fale do trabalho das estações experimentais de Vacaria e de Jales. Zanus - Em Jales (SP), fica a Estação Experimental de Viticultura Tropical (EVT), onde está a maior parte do acervo do Banco Ativo de Germoplasma de Uva da Embrapa. Por conta de sua loquisas visando ao controle dessas calização - em área tropical úmidoenças, entre elas a produção de da -, a EVT presta-se, sobretudo, materiais vegetativos livres de a dinamizar o processo de criação contaminação para distribuição de cultivares, já que na região se aos viveiristas; a proteção de fe- pode obter até duas safras de uva rimentos com agentes de controle num mesmo ano. biológico ou químico; o desenvolA propósito, por meio do Provimento de novos porta-enxertos grama de Melhoramento Genécom resistência à pérola-da-terra tico de Uva da Embrapa, foram e aos fungos causadores da doen- lançadas, desde 1994, 18 varieça do primeiro grupo. Para a do- dades de uva para mesa/consumo ença do segundo in natura e para elaboração de grupo (podridão ou morte des- A ‘nova filoxera’ é um suco e/ou vinho. cendente) as pes- complexo de doenças No segmento de quisas que estão causadas por fungos, vinhos, os ‘cases’ de sucesso maiosendo conduzidas conduzindo à morte res são as castas irão determinar o da planta BRS lorena e melhor momento BRS moscato, para a proteção uvas híbridas por da planta com fungicidas / produtos alternativos meio das quais é possível obter vinhos que se pode perfeitamente e as formas de proteção. comparar, do ponto de vista orCR - Sobre o aspecto da Lei do ganoléptico, com os produzidos Vinho - novas zonas de produção com castas Vitis vinifera. Em Vacaria (RS), a Embrapa vitivinícola em dez Estados brasileiros - o que cabe à Embrapa? Uva e Vinho tem a Estação ExpeZanus - As zonas de produção rimental de Fruticultura de Clima de uvas para processamento pas- Temperado, direcionada, priorisaram a contemplar três novos tariamente, às culturas de maçã, Estados – Espírito Santo, Mato pera e pequenas frutas.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 12 de março de 2014

CR Geral 14

Felipe Massa, piloto da Williams

FÓRMULA 1

Temporada de equilíbrio I

nicia no próximo final de semana, 16 de março, na Austrália, a 65ª temporada da Fórmula 1. Ao longo do ano serão 19 provas. As novidades no calendário são os GP da Áustria (Spielberg) e da Rússia (Sochi, que sediou, em fevereiro, os Jogos de Inverno). E o encerramento da temporada volta a ocorrer em Abu Dabhi e não no Brasil, como oconteceu no ano passado (veja tabela, abaixo). Para aumentar a segurança dos pilotos e a competitividade das equipes e para reduzir os custos, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) definiu uma carga de mudanças, talvez a maior na história da categoria. As principais mudanças são o fim dos motores V8 de 2.4 litros, substituídos por unidades V6, de apenas 1.6 litro turbinado, com injeção direta de combustível, em vez dos antigos V8 de aspiração natural. Também há mudan- Renovação: Bottas (E) e Massa, os pilotos da equipe Williams ças na rotação máxima permitiCalendário da F1 de 2014 Equipes e pilotos F1 2014 da, que caiu de 18 mil rpm para 15 mil giros; e no carroceria dos Data País Circuito Caterham • Marcus Ericsson carros; além de um sistema de • Kamui Kobayashi 16/03 Austrália Melbourne Park pontos acumulados por infrações Ferrari • Kimi Raikkonen 30/03 Malásia Sepang • Fernando Alonso cometidas pelos pilotos em cada 06/04 Bahrein Sakhir Forse Índia • Sérgio Perez corrida – com 12 pontos um pi20/04 China Xangai • Niko Hulkenberg loto pode ser suspenso na prova 11/05 Espanha Barcelona Lotus • Romain Grosjean seguinte. 25/05 Mônaco MonteCarlo (rua) • Pastor Maldonado O Brasil conta apenas com 08/06 Canadá Montreal Marussia • Max Chilton Felipe Massa na temporada em 22/06 Áustria Spielberg • Jules Bianchi 2014. Ele trocou a Ferrari pela 06/07 Inglaterra Silverstone McLaren • Kevin Magnussen Williams, considerada uma das • Jenson Button 20/07 Alemanha Hockenheim favoritas neste ano. Ele terá como Mercedes • Nico Rosberg 27/07 Hungria Budapeste companheiro o jovem finlan• Lewis Hamilton Spa-Francorchamps 24/08 Bélgica dês Valtteri Bottas. Para Massa, Red Bull • Sebastian Vettel 07/09 Itália Monza Mercedes, Williams, Force Índia, • Daniel Ricciardo 21/09 Cingapura Cingapura (Rua) Sauber • Esteban Gutierrez McLaren e Ferrari têm condições 05/10 Rússia Sochi • Adrian Sutil de disputar o título. Ele não cita a 12/10 Japão Suzuka Toro Rosso • Daniil Kvyat Red Bull, equipe que está em cri02/11 USA Austin • Jean-Eric Vergne se, mas que tem Sebastian Vettel, 09/11 Brasil Interlagos Williams • Felipe Massa o alemão imbatível nas últimas • Valtteri Bottas 23/11 Abu Dhabi Yas Marina quatro temporadas. SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO E CALÇADO DE CAXIAS DO SUL E REGIÃO

BASE TERRITORIAL: Caxias do Sul, Antônio Prado, Bento Gonçalves, Cotiporã, Flores da Cunha, Fagundes Varela, Guabejú, Ipê, Nova Roma do Sul, Protásio Alves, São Jorge, São Marcos, Santa Tereza, Veranópolis, Vila Flores e Nova Prata.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

Pelo presente edital, convoco todos os trabalhadores integrantes das categorias profissionais representadas por este Sindicato, exercestes de atividades no Município de Caxias do Sul, para a Sessão de Assembléia Geral Extraordinária, a realizar-se no dia 28 de Março de 2014, em primeira convocação às 17h em segunda convocação as 18h, tendo por local a sede social sito à rua Pinheiro Machado, 1640 em Caxias do Sul, a fim de ser tratado e deliberado sobre a seguinte ordem do dia; 1 - Deliberar sobre a conveniência ou não de ser instaurada Revisão do Dissídio Coletivo e/ou Convenção Coletiva de Trabalho das condições estabelecidas em 2013. 2 - Em caso afirmativo bases a serem pleiteadas e para conciliação. 3 - Deliberar sobre a outorga de poderes ao Presidente do Sindicato para adotar todos os atos pertinentes a Negociação Coletiva e em caso de malogro das negociações o encaminhamento para a via judicial, podendo ou não optar por arbitro mediador das negociações. 4 - Deliberar sobre importância ou percentual a ser descontado e recolhido aos cofres do Sindicato para fins do custeio das atividades sindicais e Assistência Social; 5-Deliberar sobre a concessão de poderes ao Presidente do Sindicato para no curso das negociações receber contra-proposta conciliatórias, aceitá-las, rejeitá-las, constituir procuradores com poderes para o fim de adotar todas as medidas judiciais e extrajudiciais necessárias e firmar acordo Caxias do SuI, 12 de março de 2014 Jandir Zaccaria - Presidente

Carl Court/AFP/CR

Mudanças prometem mais competitividade entre pilotos e equipes

SCHUMACHER

O heptacampeão ‘corre’ pela vida Enquanto 22 pilotos da F-1 aguardam o início da temporada, um ex-piloto que bateu quase todos os recordes na categoria luta pela vida. Michael Schumacher, heptacampeão mundial de F-1, permanece em coma no hospital de Grenoble, França. Segundo os médicos que cuidam de Schumacher, a situação é muito crítica e “apenas um milagre” poderia trazer o ex-piloto de volta. Ele sofreu um acidente no final do ano passado, quando esquiava nos Alpes franceses e, após uma queda, bateu violentamente a cabeça numa rocha, sofrendo traumatismo craniano.

Panorama Sebrae em Flores da Cunha Na terça 4, o prefeito Lídio Scortegagna, o presidente do Centro Empresarial, Vanderlei Dondé, e o diretor regional do Sebrae, Rogério da Silva Rodrigues, assinaram o termo de renovação do contrato de permanência do Ponto de Atendimento do Sebrae por mais dois anos em Flores da Cunha. Na Assinatura: contrato renovado ocasião, foram apresentados alguns números que comprovam param de capacitações. E tama eficácia do Ponto. No ano bém foi efetuado o cadastro de passado, 361 empresas foram 432 novos microempreendedoatendidas e dessas, 107 partici- res individuais.

Centro Empresarial/Div/CR

“Fui muito bem recebido dentro da equipe. Sinto a importância daquilo que eu faço: isso me dá mais prazer, mais motivação.”

Santa Clara A Cooperativa Santa Clara, de Carlos Barbosa (RS), iniciou março com novidades. Os consumidores já poderão encontrar, nos supermercados da região Sul, o novo doce cremoso de morango em potes de 400g. O produto soma-se à li-

Doces:

em balde e pote

Intral e Festuva Entre as muitas empresas caxienses que têm ligação com a Festa da Uva, encerrada no domingo 9, uma tem sua origem ligada diretamente ao evento – a Intral. No ano de 1950, para iluminar o novo pavilhão da festa, que hoje abriga a Prefeitura, foi importado o que havia de mais moderno na época em iluminação, as lâmpadas fluorescentes. Mário Menezes, do Senai, responsável pela instalação do novo sistema, percebeu a grande oportunidade que tinha em mãos e fundou a Sociedade Eletroluz que mais tarde, com a chegada do sócio Guido D’Arrigo, a empresa tornouse a Intral S/A.

nha que já conta com doces de abóbora com coco, figo, goiaba e uva. A Santa Clara tem novidades também na linha de food service. São os doces cremosos de frutas sabores abóbora com coco, figo, goiaba, morango e uva e o doce de Divino Fogão leite com chocolate em baldes O sabor da comida de fazenda de 4,8kg, especiais para restaurantes, padarias e outros esta- vai invadir a praça de alimentação do Iguatemi Caxias. O belecimentos. restaurante Divino Fogão, rede com 169 lojas espalhadas pelo Sincontec Brasil, deverá abrir as portas, no Toma posse na sexta-feira Iguatemi, até o final de abril. 14, a diretoria do Sindicato dos Contadores e Técnicos Polomex em Contabilidade de CaJoint venture entre a Marxias do Sul e Região Norcopolo e Mercedes-Benz, no deste – Sincontec Serra, México, a Polomex fechou a para a gestão 2014/2015. venda de 100 ônibus, modeAna Marlene Gasperin, a lo Paradiso 1200, ao grupo nova presidente, assumirá Estrella Blanca, que atua em com os demais integrantes 27 estados mexicanos. da diretoria.

Therezina Adelaide Taffarel Tres Falecida em 11 de fevereiro de 2014, em Rodeio Bonito (RS), aos 85 anos. Era natural de Cotiporã (RS), mas morava em Pinhal (RS). Foi casada com Severino Tres, com quem teve oito filhos: Aristides, Geraldo, Luís, Nilsa, Vânia, Sérgio, Clóvis e Tânia, além de 12 netos e 5 bisnetos. Ela sempre cultivou valores como honestidade, fé, paciência, perseverança, trabalho e compreensão. Deixa exemplos como esposa, mãe, sogra, avó e bisavó. Uma homenagem dos familiares a esta pessoa amorosa, dedicada Descanse em paz! e religiosa.


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

CR Editais 15

Loterias LOTERIA FEDERAL 08/03/2014 1º .............................48.771 2º .............................20.033 3º .............................68.286 4º .............................50.031 5º .............................48.779 QUINA Concurso 3429 18 - 28 - 38 - 55 - 75 Concurso 3430 06 - 14 - 34 - 51 - 58 Concurso 3431 07 - 14 - 25 - 35 - 57 Concurso 3432 42 - 58 - 62 - 73 - 76 Concurso 3433 03 - 21 - 24 - 72 - 74 Concurso 3434 33 - 45 - 49 - 54 - 69 LOTOFÁCIL Concurso 1025 01 - 02 - 07 - 09 - 11 13 - 14 - 15 - 16 - 17 18 - 19 - 22 - 23 - 25 Concurso 1026 01 - 05 - 06 - 07 - 11 12 - 14 - 15 - 16 - 18 19 - 20 - 21 - 23 - 24 Concurso 1027 01 - 03 - 05 - 06 - 08 09 - 10 - 12 - 14 - 15 16 - 19 - 21 - 23 - 25 MEGA-SENA Concurso 1579 25 - 34 - 40 - 49 - 51 - 60 Concurso 1580 01 - 06 - 14 - 17 - 33 - 36 LOTOMANIA Concurso 1433 07 - 11 - 15 - 20 - 23 - 25 - 31 34 - 36 - 41 - 42 - 48 - 62 - 71 76 - 77 - 82 - 85 - 86 - 91

EDITAL DE CASAMENTO Dione Aparecida de Conto, Tabeliã e Registradora do Serviço Notarial e de Registros de Vila Seca, faz saber que pretendem casar as seguintes pessoas: • EVANDRO DE BARROS OLIVEIRA, filho de Paulo Gilberto dos Santos e de Marlene de Barros e ELAINE RODRIGUES DOS SANTOS GOES, filha de Argeu de Goes e de Maria Elena Rodrigues dos Santos, o Regime de Comunhão Universal de Bens. • CLAYDERSON BRITO PARADA, filho de Anderson Dias Parada e de Albaleila Brito e JÉSSICA AYUMI TOBIAS TSUKUDA, filha de Walmir Toshiyuki Tsukuda e de Miladi Cruciol Tobias Tsukuda, o Regime de Comunhão Universal de Bens. Quem souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul, 06 de março de 2014

Coluna do Agente Curso de Teologia a Distância Inicia no dia 9 de abril a 10ª edição do Curso de Teologia a Distância, iniciativa do Correio Riograndense e Estef, de Porto Alegre. As pessoas que desejarem participar já poderão efetuar suas inscrições, diretamente na Estef, através do email extensao@estef.edu.br, pelo fax (51) 3217.4567 ou pelo Correio, para: Estef, rua Tomaz Edson, 212, CEP 90640-000 Porto Alegre - RS.

Prazo para inscrições vai até 30 de maio. Para inscrever-se não é preciso ter participado das edições anteriores, mas é necessário ser assinante ou ter acesso ao CR, pois o conteúdo só é publicado no jornal. Portanto, se alguém deseja efetuar assinatura para disponibilizar do curso, é bom fazê-lo logo, para ter o CR em mãos quando inicia a publicação das lições.

CASAMENTOS

REGISTRO CIVIL DE ANA RECH - CAXIAS DO SUL-RS BR116, km 147, nº 15.999 - CEP 95059-520 Caxias do Sul-RS - Fone: (54) 3238.1111 Cláudio Klering - oficial Emerson Roberto Klering - oficial substituto Comunica que pretendem contrair matrimônio as seguintes pessoas: EDITAL: 6051/034 1 - CHRYSTIAN SANTOS DOS SANTOS E SUELEN GONÇALVES DE FREITAS. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul, 05 de março de 2014

Cooperativa de Trabalho Têxtil Galópolis Ltda. EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 03.222.609/0001-01

Convocamos os senhores associados da Cooperativa de trabalho Têxtil Galópolis Ltda, para participarem da Assembléia Geral Ordinária que será realizada na sua sede social, Rua Antonio Chaves, 383, bairro Galópolis, Caxias do Sul - RS, a se realizar no dia 28 de março de 2014. Primeira convocação as 17:30h com 2/3 (dois terços) do número de associados, segunda convocação as 18:30h com metade mais um dos associados ou em terceira convocação as 19:30h com 50 (cinquenta) sócios ou, no mínimo, 20% do total de sócios, prevalecendo o menor número, exigida a presença de, no mínimo, 4 (quatro) sócios caso a cooperativa possua até 19 (dezenove) sócios matriculados, para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1) Prestação de contas do Conselho Administrativo relativo ao exercício 2013, acompanhado do parecer do Conselho Fiscal, Balanço Geral, Demonstrativo das sobras ou perdas apuradas no exercício, Destinação das sobras ou perdas do exercício e Plano da Administração para o ano 2014. 2) Eleição e Posse do Conselho Fiscal. 3) Quaisquer outros assuntos de interesse da Cooperativa. Caxias do Sul, 12 de março de 2014 Fernando Marchioro Presidente

CASAMENTOS

Rua Alfredo Chaves, nº 557 - Fone: 3221.7645 CARLOS ALBERTO FRAINER - Registrador PELO REGISTRO CIVIL DE PESSOAS NATURAIS E DE INTERDIÇÕES E TUTELAS DA 2ª ZONA DESTA CIDADE, HABILITARAM-SE PARA CASAR AS SEGUINTES PESSOAS: Editais nº 31.396 á 31.409 - GABRIEL DE ALMEIDA BABINSKI E RENATA CRISTIANE DE MORAES ANDREIS - GABRIEL DE LARIA SANTOS E JANE FERNANDA RODRIGUES - JULIANO FERRAZ SCHROEDER E TAÍS BÔVO RIBEIRO - MÁRCIO DINIZ TRINDADE BUSANELLO E TAIANE LUCAS PONTEL - RAFAEL DE CEZARE E SHARON DA SILVA RAIMONDI - MURIEL DOS REIS GOEBEL E VANESSA MACEDO FINGER - TAISSON TOIGO E FABIANA MEIZELLI MARTINS - LUÍS CARLOS SCHWAIZER E INES DALL’AGNOL - ALENÔR ANTONIO DA SILVA E MARLI DE CANDIDO BOEIRA - ARMANDO DE CANDIDO BOEIRA E ZENILDA FRANCISCA DA SILVA - DIEGO DE OLIVEIRA LAZZERES E MARIA CRISTINA BORGES MODEL - MARCELO PANIGAZ E CRISTIANE VALENTINI TAUFER - GUILHERME VENDRUSCOLO E MÔNICA LAGEMANN GREWE - LEOMAR MARIANO DOS SANTOS E SABRINA PEREIRA DA SILVA Caxias do Sul, 10 de Março de 2014

EDITAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS QUÍMICAS, FARMACÊUTICAS E DE MATERIAL PLÁSTICO DE CAXIAS DO SUL - SINQUIPLAST

Com sede na Rua Flores da Cunha, 1667 - Centro - Caxias do Sul - CNPJ 90.774.720/0001-05 - Com base territorial nos municípios de Caxias do Sul, Antonio Prado, Barão, Bento Gonçalves, Canela, Carlos Barbosa, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Gramado, Monte Belo do Sul, Nova Pádua, Nova Petrópolis, Nova Roma do Sul, Santa Teresa, São Marcos, São Valentin do Sul e Vale Real.

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL 2014 DOS EMPREGADOS EDITAL DE NOTIFICAÇÃO

Nas BANCAS

Cientificam-se as empresas empregadoras de trabalhadores vinculados à categoria profissional de Trabalhadores nas industrias químicas, farmacêuticas e material plástico, nas cidades da base territorial supra, que de acordo com a legislação em vigor (art 578 e seguintes da CLT), estão obrigadas a descontar da folha de pagamento do mês de março do corrente ano, de todos os seus empregados, a contribuição sindical, no valor correspondente a um dia (1/30 avos) da remuneração mensal contratual do referido mês. O recolhimento da referida contribuição deverá ser efetuado pelas empresas, através das guias fornecidas pela respectiva entidade, nas agências da Caixa Econômica Federal, até dia 30 de abril de 2014. (art. 583 da CLT). Caxias do Sul, 10 de março de 2014. Adão Arnaldo Jose Rodrigues - Presidente

Vinícola Serra Gaúcha S/A

CNPJ 07.973.210/0001-05 NIRE 43 3 0004632 0 EDITAL DE CONVOCAÇÃO - 8 Assembléia Geral Ordinária e 9 Assembléia Geral Extraordinária Em conformidade com os artigos 7º, 8º e 16 letra B do Estatuto, ficam convocados os senhores acionistas a reunirem-se em Assembléias Geral Ordinária e Extraordinária no dia 29 de abril de 2014, às 18:00 horas, em primeira convocação com quorum legalmente exigido e em segunda convocação com qualquer número de acionistas, na sede social, à Linha Zambicari, s/nº, Zona Rural, São Marcos – RS, a fim de deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1. Em Assembléia Geral Ordinária: A. Prestação de Contas dos Administradores. B. Leitura, exame, discussão e votação das demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2013. C. Deliberar sobre a destinação do lucro líquido do referido exercício e a distribuição de dividendos. D. Fixação da remuneração global anual dos administradores. 2. Em Assembléia Geral Extraordinária: A. Elevar o capital social da Companhia, mediante aproveitamento de parte do saldo da conta Lucros Acumulado, bem como reforma do Estatuto Social. B. Outros assuntos do interesse da Companhia. 3. Documentos de que Trata o Artigo 133 da Lei 6.404/76: Encontram-se a disposição dos senhores acionistas, na sede social à Linha Zambicari, s/nº, Zona Rural, em São Marcos – RS, os citados documentos a que se refere o art. 133 da Lei 6404/76, relativo ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2013. São Marcos - RS, 19 de fevereiro de 2014. Rosmari Terezinha Gionedis Zanlorenzi - Diretor Presidente. a

a

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

O Conselho de Administração presidido pelo seu presidente da Cooperativa Unics Brasil dos Corretores de Seguros, CNPJ-06.282.071/0001-00, NIRE-43400089900, de acordo com o artigo 26 do Estatuto Social, CONVOCA aos associados a participarem da Assembleia Geral Ordinária, a realizar-se no dia 26 de Março de 2014, quarta-feira, às 17:00 (dezessete) horas em 1ª (primeira) chamada com quórum de 2/3 (dois terços dos associados), 2ª (segunda) chamada às 18:00 (dezoito) horas com quórum de metade dos associados mais um, e em ultima chamada às 19:00 (dezenove) horas com quórum mínimo de dez associados, Local sita na Rua Bento Gonçalves, 2820 - Térreo, bairro São Pelegrino, na Cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul, com a seguinte ORDEM DO DIA: 1 - Apresentação e aprovação de contas do ano-base 2013; 2 - Destinação das Sobras Líquidas do exercício social; 3 - Eleição e Posse do Conselho Fiscal para o ano de 2014; 4 - Assuntos Gerais. Caxias do Sul/RS, 12 de março de 2013 Pedro Raineri dos Santos Reis Presidente

COOPERATIVA VINÍCOLA NOVA ALIANÇA LTDA

CAXIAS DO SUL-RS - CNPJ - 88.612.486/0001-60 - NIRE - 434.000.312-35

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA CONVOCACÃO Convocamos os senhores Associados da Cooperativa Vinícola Nova Aliança para participarem da Assembleia Geral Ordinária, que se realizará no dia 31 de Março de 2014, no Salão Paroquial de Sete de Setembro, SN - Localidade Interior, CEP: 95270-000, na cidade de Flores da Cunha/RS, em primeira convocação às 12:00 horas, com a presença mínima de 2/3 dos associados; em segunda convocação, às 13:00 horas, com a presença mínima da metade mais um dos associados ou; em terceira e última convocação às 14:00 horas, com a presença mínima de 10 (dez) associados, para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1 - Apreciação, discussão e votação do Relatório de Gestão, Parecer do conselho Fiscal, Demonstrações Contábeis do exercício de 2013 e Relatório da Auditoria Independente; 2 - Deliberação dos ajustes de períodos anteriores; 3 - Destinação das sobras ou perdas à disposição da Assembleia; 4 - Eleição dos membros do Conselho Fiscal; 5 - Autorização para a Diretoria contratar EGF, (Empréstimo do Governo Federal), PRONAF Comercialização e demais linhas de crédito, bem como gravar bens imóveis; 6 - Autorização para participação no PAA (Programa de Aquisição de Alimentos); 7 - Alteração de endereço da matriz e filiais; 8 - Assuntos Gerais. Nos termos do Art. 56 do Estatuto Social da Cooperativa, é permitida a reeleição de apenas 1/3 dos membros do Conselho Fiscal. NOTAS: 1 – Para efeito de verificação de quorum, considera-se nº 789 (Setecentos e oitenta e nove) associados em pleno gozo de seus direitos sociais. 2 - A Assembléia se realizará fora da sede social da cooperativa por falta de condições adequadas. Caxias do Sul-RS, 07 de Março de 2014. Alceu Dalle Molle Diretor Presidente - Cooperativa Vinícola Nova Aliança Ltda

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA Cooperativa Gaúcha de Hotéis e Turismo Ltda (CNPJ 05.736.288/0001-80) Convocamos os senhores associados da Cooperativa Gaúcha de Hotéis e Turismo Ltda, para participarem da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária que será realizada na sua sede social, à Rua Sinimbu, 2266, Caxias do Sul – RS, no dia 31 de março de 2014. Primeira convocação às 15 horas com presença de 2/3 dos cooperados, Segunda convocação às 16 horas com presença da metade mais um dos cooperados e terceira e última convocação às 17 horas com a presença de no mínimo 50% (cinquenta por cento) dos sócios ou, no mínimo, 20% (vinte por cento) do total de sócios, prevalecendo o menor número, em terceira convocação, exigida a presença de, no mínimo, 04 (quatro) sócios caso a cooperativa possua até 19 (dezenove) sócios matriculados, para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia. 1) Prestação de contas do Conselho Administrativo relativo ao exercício 2013, acompanhado do parecer do Conselho Fiscal, Balanço Geral, Demonstração das Sobras ou Perdas apuradas no exercício, Destinação dos resultados do exercício e Plano da Administração para o ano de 2014. 2) Eleição e Posse do Conselho Fiscal 3) Quaisquer outros assuntos de interesse da Cooperativa. 4) Ratificar as deliberações tomadas na Assembleia Geral Extraordinária realizada em 19/08/2013. Que tratou da reforma do estatuto social, em razão da lei 12690/2012, com as seguintes alterações estatutárias. 4.1. Alteração da denominação social; 4.2. Número mínimo de associados; 4.3. Direitos dos associados; 4.4. Eliminação de Associados; 4.5. Capital Social; 4.6. Quorum para instalações das Assembleias Gerais; 4.7. Ordem do dia das Assembleias Gerais; 4.8. Criação da Assembleia Geral Especial; 4.9. Número de membros do Conselho de Administração; 4.10. Das retiradas e duração do trabalho; 4.11. Do Repouso Anual Remunerado; 4.12. Do Trabalho Noturno; 4.13. Do Adicional de Insalubridade; 4.14. Do Adicional de Periculosidade; 4.15. Da Dissolução e Liquidação; 4.16. Nova redação do Estatuto Social. Caxias do Sul, 12 de março de 2014 José Luiz Talin - Presidente


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

William Shakespeare (1564 -1616), poeta e dramaturgo inglês

CR Sabe-Tudo 16

TORRE EIFFEL

A dama faz

O pai pergunta para a filha: - Querida, você acha que sua professora desconfia que eu estou te ajudando a fazer a lição de casa? - Eu acho que sim, pai. Ela até já me disse que o senhor deveria voltar para a escola!

Palavras cruzadas diretas PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br Funkeira que gravou "Show das Poderosas"

(?) Clube: entidade filantrópica internacioAceito por nal criada hipótese em 1905

Agave (Bot.) Norte (abrev.)

"Premiação" que elege os piores atores e filmes de Cinema do ano

Thiago Fragoso, ator de "Amor à Vida" (TV)

Falatório; mexerico Enganar (pop.) Sem juízo (fem.) 52, em romanos Conjunto de três

"O final coroa a (?)" (dito) Cesar (?), nadador brasileiro recordista

(?) Campos, atriz de "Salve Jorge" (TV) Programa de edição de imagens (Inform.)

Registro policial (?) Mocó, personagem

Armário, mesa ou sofá Osso da parte posterior do nariz

Metal prateado utilizado em lâmpadas de gás incandescente

Aqui está Enfermeira pioneira no Brasil Legítima Raça bovina de pelo curto

Estilos de vestuário adotados por grupo social Telúrio (símbolo) "Brown (?)", sucesso dos Rolling Stones

Ary Fontoura, ator Gesto Do fogo

"Disc", em CD Creme, em inglês

(?) Nandi, atriz Expressa espanto

Instituto de previdência social (sigla) Robert De (?), ator Deus nórdico "O (?)", romance de Raul Pompeia

Quando, em inglês Defeito de caráter do Tio Patinhas (bras.)

BANCO

Objetivo de quem pratica musculação

113

Solução

A I N I T T L A

P A N I E T T A I I N T E S I E T M N I O S V A C E T A L A R A T N C O D U R

A N A N E R I

I N P S

S M U P E O B S T C O I E L O

C R E A M

D E I S ID A D E O U R O BO

R O T A R Y

F R A M

Até a época da construção da Torre Eiffel, a edificação mais alta erguida por seres humanos era a Grande Pirâmide de Quéops, no Egito, com 138 metros de altura e quase 5 mil anos de idade. A Torre Eiffel permaneceu como a construção mais alta do mundo até o ano de 1930, quando perdeu o posto para o Chrysler Building, em Nova York, Estados Unidos, que tem 319 metros de altura. A dama de ferro francesa tem 300 metros de altura. Somando-se a extensão da antena em seu topo, a altura sobe para 324 metros. Seu peso total é de 7mil toneladas, incluindo 40 toneladas de tinta. Possui 15 mil peças de aço e 1.652 degraus até o topo – mas há elevadores! Hoje, o Burj Khalifa, anteriormente conhecido como Burj Dubai, um arranha-céu que está localizado em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, é a estrutura mais alta do mundo edificada pelo homem, com 828 metros de altura. A sua construção iniciou-se em setembro de 2004 e a inauguração ocorreu em janeiro de 2010.

Tecido impermeável que reveste pisos

L D I E N Ã O L T E R O I A F D A E I U G E N E Ã O

Por 41 anos, foi a mais alta edificação

Escola literária de José de Alencar Moeda do Japão "(?) Bem", hit de Lulu Santos Presentes, mas não manifestos

© Revistas COQUETEL

A mais velha, entre as mulheres

P H M O T O S W H O P

ste ano, a dama de ferro francesa completa 125 anos. Um dos mais famosos pontos turísticos do mundo, e certamente o mais popular da França, vai passar por uma renovação para tentar atrair ainda mais visitantes, não bastasse os 7 milhões de turistas que recebe todo ano, número que o transforma no monumento com entrada paga mais visitado do mundo. Os trabalhos, que já começaram, se concentram no primeiro andar do ícone metálico francês, considerado o menos atraente para os turistas. Localizado a 57 metros de altura (a torre inteira tem 324 m), o patamar ganhará novos pavilhões de vidro nas suas bordas, que vão abrigar espaço para eventos, atividades culturais e multimídia; restaurante; loja e um pequeno museu sobre o monumento. Também será construído um piso translúcido no centro do andar. A ideia é criar nas pessoas a impressão de estarem andando no vazio, ou flutuando. A reforma também inclui uma minicentral eólica capaz de produzir 8 mil quilowatts de eletricidade anualmente, reaproveitamento da água da chuva e adaptações visando acessibilidade. Prevista para ser concluída no segundo semestre de 2014, a renovação deve custar 25 milhões de euros, o equivalente a R$ 81 milhões. Desde os anos 1980, o monumento tem sido regularmente renovado, restaurado e adaptado para um público cada vez maior. A Torre Eiffel foi construída por Gustave Eiffel para a Exposição Universal de 1889, em celebração ao aniversário de 100 anos da Revolução Francesa. Sua construção em dois anos, dois meses e cinco dias foi um feito técnico e arquitetônico para a época.

125 anos

Ria se puder

4/when. 5/cream — ígneo — sugar. 6/háfnio — rotary. 7/etmoide. 9/photoshop.

Ponto turístico francês, um dos mais famosos do mundo, será renovado para atrair mais pessoas

wikipedia.org/CR

“Sofremos demais pelo pouco que nos falta e alegramo-nos pouco pelo muito que temos.”

Uma aventura familiar Frozen, uma aventura congelante, lançamento da V & R Editoras, faz parte da coleção Meu livro divertido, que traz histórias inspiradas em carismáticas tramas da Disney. Dezenas de adesivos integram a obra, para que o pequeno leitor crie sua própria história, colando as figuras nos diversos cenários do livro. Frozen tem 20 páginas e é indicado para crianças a partir de três anos.


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

CR Imigração 17

“Scuseme! Scuseme! Ma quel talian li me ga tirà fora del sèrio! Mai visto roba compagna.” Sarafin, el àngelo

ARLINDO BATTISTEL

El ritorno de Nanetto Pipetta (757)

La prima carera Frederico Jacob Marcon

V

Ivorá - RS

ale Véneto, o Val Vénita come i disea i taliani ani indrio, ze oncó un distrito de Polésine, tuto qua dea 4ª Colònia. Tuti taliani bona gente. Chi ga contà questa ze stà Mostacin, Diomede Rossato, ntel programa in talian tea ràdio San Roque de Faxinal do Soturno. El ga contà che la pal ano 1948 o 1950, quando in Vale Véneto el sporte gera sol carte, tressete, quatrìlio o sinquìlio o giugo dela mora e gnente altro, qualchedun ze vegnesto cola notìssia che se podea far carere de cavai. La fiévera la ga ciapà suito e un per de òmeni i ga scoiesto un posto piano para far la prima carerada. Ma come no i ghea pràtica gnanca una, invesse de far na serca de stanghe para far i limiti dela cància, i ga cavà na valeta, fonda diese centìmitri, tuto al longo dei dusento metri dea cància. Par corer i ga scoiesto due petissi, un pangarè e un bianco. E anca i ga catà i juìsi, nò due, ma trè. Bastea due ma i ga catà mèio meter un terso, de sterpe. Sto terso zera un tal Marchesan, un tanto studià, a quel tempo. Tuto pronto, i jòquei su i petissi e la carera la ga scominsià. A la metà dela cància, el petisso pangarè se ga verto fora par la drita, via pal potrero, fora del trìlio. Quelaltro petisso el ga sevità corer. Ma vanti rivar, a un due metri dela balisa, el se ga strambà. L’è ndato par tera, fato un “cavalinho de pau” e cosi l’è sbrissià cole costele par tera, passando par la balisa, ma de rè, a sliton par tera. I due juìsi principai no i ze ndai d’acordo. Un disea che la carera zera vàlida; quelaltro disea che bisognea che’l petisso fusse passà in pié. E no i ga rivà a una decission. Alora tuti ghe ga tocà scoltar la decission del terso juis, Marchesan, che cossi el ga parlà: Sia in pié o butà, de davanti o de rè, cola testa o cola coa, de vangoarda o de retagoarda, confirmo che ga guadagnà el petisso bianco, istesso che sia stà de bunda. Nissun pi ga parlà. E la decission de Marchesan la iova ncora oncó. La prima carera, in Vale Véneto, la ze stata guadagnada cossi – par un petisso bianco, de bunda. Ze come quando se fa un gol, ntel futbol. No iova co l’è fato cole man o in impedimento. Ma quelaltri, sia coi pié, cola testa, cola pansa, col peto, cola schena, o anca col cul, tuto iova.

Can ciapà par la coa (Conto de Jacir Grando, Erechim, enviado por Honório Tonial) Questo fato el ga sucedesto là ala ligna Paloma, Barra do Rio Azul, ntea casa de João Rover, vegnisto dea Itàlia, che lera bisnono dela me mama. Intanto che i disnea, soto la tola ghera un can, sentà zo, con la coa zo par la sfesa del soaio. A Severo Vedana (zénero de João Rover) che lera birbante, ghe ga saltà la idea de ndar soto la casa e ciapar el can par la coa, par spaurar quei che i zera in tola. Lu ga fato finta de ver finio da magnar e l’è ndato fora. Soto la casa, el ga ciapà el can par la coa e la tegnea tirada. Maginàrsela! El can, robe chel devente mato, el ga tacà scainar e a voler morsegar quei che i zera in torno la tola. Spaventai, i ze scampai via, robe che i se cope dea paùra che i ga ciapà! I volea copar el can parché i credea che lera deventà rabioso. E sto Severo, robe che’l crepe de rider, vedendo tuto quel afar!

N

Ilustração Derli Dutra, São José do Ouro (RS)

In Paradiso, provisoriamente

anetto gera in meso le capoere cucià do drio na piantela ben fissa, quande no se sa de ndove ghe càpita un samo de brespe cative come mai vea visto compagne. - Santa Maria! Anca questa me volaria! Sbèrega el toso. Sùbito e pi svelto che’l podea tórsela el se ga sbandà per fora dele capoere e cole brespe drìoghe a spunciarghe el cul. - Situ capità, fiol d’un chin! Ghe dise Sarafin, - Aiùto! Aiùtooo! Aiùtooooooooooooo! Col spaurasso e anca le becade che’l ga ciapà, no’l ga gnanca visto Sarafin che se vea postà drio un sasso, pròpio come un cassador a spetar el beco. E intanto che Nanetto vegnea a tuta carera tegnéndose el capel co na man e quel’altra a sbrìndolo come se’l fusse zolar vegnea come un indemonià drito ndove gera Sarafin. E se questo no’l fusse svelto a “taiarghe” el camino, sicuramente Nanetto ghe scamparia nantra volta. Ma Sarafin ghe ga passà na gamba che lo ga fato dar trè salti mortai e i lo ga assà stirà come

morto in meso el potrero. - Te gò ciapà si! ghe dise Sarafin, ma sensa Nanetto poder scoltarlo perché cola tómbola el toso gavea perso i sentimenti. Alora, vanti che’l ghe scampasse via nantra volta Sarafin, per garantia de ver fato ben so mistier, prima el ghe ga dato due sberle ntea fàcia par veder se’l vegnea su e come no’l ga fato moto nessun e anca per far un bon viàio ghe ga dato na ingession de indòrmia e lo ga infagotà e piantà rento tea cuneta. Dopo, Nanetto, cuneta e tuto sora la caretina e drito al Paradiso. - Fa bon viàio, Nanetto! dise Sarafin vanti scuriar le nùvole.

Eduardo Grígolo Jundiaí - SP

I gera ancora metà viàio e Sarafin el scolta un bordelamento: “La Verginela non posso trovar! La Verginela non posso trovar! Solo me basta che la sia bela e tchombalarilarela e viva’l amor! Solo me basta che la sia bela e tchombalarilarela e viva’l amor!” Co’l se volta indrio el vede Nanetto in pié, brassi verti in crose ocii serai e a sberegar in alta vose. - Tégnete senò te caschi fora! ghe osa Sarafin.

Alora Nanetto, solche par coionarlo, scomìnsia a sgorlar la cuneta e con quela anca la caretina la sgorlea. - Férmete! Férmete! ghe osea l’àngelo e anca lu un’ora da na banda e nantra de quel’altra sentà sora el scagnet dea caretina no’l stea chieto. - Sarafin fiol d’un chin! Sarafin fiol d’un chin! Ghe disea Nanetto e sevitea a sgorlarlo. Poreto Sarafin bisognea tégnerse per no cascar e anca far qualcosa per fermar Nanetto. Alora cole fumane in su, ga cia-

pà el sicoto che’l doperea per scuriar le nùvole e el ghe ga dato na bona sicotada che lo ga fato fermarse de colpo. - Bruta bèstia! Se no te te fermi cole bone te te fermarè de altre maniere! Vero? bróntola un Sarafin che no se vea mai visto compagno. Nanetto nantra volta no’l podea scoltarlo perché gavea ciapà na tómbola che’l ze restà impirà col cul insu, ma ancora rento tea cuneta. E così ze stà fin rivar al Paradiso. San Piero zera là che li spetea. Dopo vèrderghe la porta de Paradiso ghe domanda ai due: - Veo fato bon viàio? - Porca mastela ... bróntola Sarafin, rosso de ràbia. - Varda la boca! Ghe grida San Piero. - Scuseme! Scuseme! Ma quel talian li me ga tirà fora del sèrio! Mai visto roba compagna. Gnanca la indòrmia lo ga fato dormensarse. Me à bisognà doperar el sicoto che mai pi lo vea doperà. - Pénsitu che l’è tuto fàcile? ghe dise San Piero. - Che trasportar ànime al Paradiso l’è farlo sensa laoro? Se te ghè pensà cosi te te ghè sbalià tondamente! Ma in fine el toso ze qua e no bisogna torlo n a n t r a volta. - Adesso bisogna che ripose almanco trè di perché son tanto straco! E anca me toca taconar su le me ale che se ga sbregà coi spini. Mai pi vao far sto laoro mi sol. Con permesso! - Vai! Vai! La pròssima ànima che te bisognarà torla l’è sol ntea setimana che vien. Alora par riposar e rifarte la vestimenta te ghè nò trè ma sìnque di. - Gràssie! E tante gràssie, San Piero! Intanto che Nanetto, indormensà e ancora rento tea cuneta, el ze stà piantà tea càmera del “Paradiso Provisoriamente”.

Sabores da terra Pastel de requeijão Ingredientes: 1quilo de farinha; 1 colher (sopa) de azeite de oliva; 1 colher (sopa) de açúcar; 1 colher (chá) de sal; 3 colheres (sopa) de cachaça. Recheio: 1 litro de leite coalhado; 1 colher (sopa) de sal; cebolinha picada; 1 gema; pimenta a gosto. Modo de fazer: deixar o leite fora da geladeira para talhar. Colocar o conteúdo em um pano de prato e deixar escorrer. Misturar a coalhada Sorvete de uva com sal, cebolinha, gema e pimenta. Ingredientes: 4 claras; 4 gemas; 1 pitaLevar ao fogo e cozinhar por cinco minutos. Reservar. Misturar os in- da de sal; 13 colheres de açúcar; 1 pote gredientes da massa e sovar. Abrir de nata; 200 ml de suco de uva. com o rolo e recortar quadrados. ReModo de fazer: bater as claras em neve chear e fritar. com a pitada de sal e oito colheres de açú• Receita de Maria B. Santa Catarina - 3ª Légua car. Acrescentar as gemas, uma a uma, ba-

Reprod./CR

Vita, Stòria e Fròtole

Fonte: Caderno de Receitas.Valorização da Mulher do Meio Rural. Organizado pela Coordenadoria Municipal da Mulher. Caxias do Sul, 2007 - 2ª edição.

tendo levemente. Acrescentar a nata aos poucos, mexendo levemente. Despejar em um refratário às colheradas. Bater no liquidificador o suco de uva com o açúcar restante. Espalhar pelo meio do outro creme. Levar ao freezer por três horas.

Receita de Marta Regina S. de Castilhos - Criúva


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

“É inaceitável um crime como o tráfico humano e que pessoas sejam tratadas como objetos, como escravos.” José Eduardo Cardoso, ministro da Justiça

CR Igreja 18

CF-2014

Não ao tráfico humano

Olhar diferente

ALDO COLOMBO

A

humanidade sempre apreciou e valorizou o milagre. Em teologia se fala no milagre como a quebra ou superação das leis naturais. E são cada vez mais comuns os “milagres” da técnica. Existem ainda os falsos milagres, frutos da esperteza e da ingenuidade. Alguns desses milagres são extremamente duvidosos. O Evangelho conta que os fariseus pediram a Jesus um sinal do céu (Mc 8,11). O pedido foi recusado, mesmo porque Jesus não queria ser conhecido e seguido pelas obras extraordinárias que fazia. Ele pedia aos favorecidos que não contassem nada a ninguém. É fácil seguir um vencedor. Jesus queria que os seus discípulos assumissem o último lugar, dessem seu rosto para bater e tomassem a cruz de cada dia. O evangelista João evita falar em milagres, prefere a palavra sinais. E isto corresponde ao modo de agir de Jesus. Os sinais de Jesus significam que o mal estava sendo vencido. Restituir a vida em sua plenitude era o seu objetivo. Os cegos veem, os mudos falam, os surdos ouvem, os paralíticos andam, os pobres são evangelizados. Esses são os sinais do Reino. Na caminhada da fé, o milagre não tem muita importância. Os que Os que têm fé têm fé não precisam não precisam de milagres; para os de milagres; que não tem fé, nem o para os que milagre adianta. O crente percebe os não têm fé, sinais de Deus ao longo nem o milagre do caminho. Francisco adianta de Assis dizia que o universo era um templo onde percebia voz e os sinais do Criador. Seu discípulo Boaventura ampliou a visão: as criaturas se constituem em escada que leva a Deus. É a sensibilidade que faz perceber os sinais de Deus. Uma senhora, aos gritos, exigia que o padre suspendesse o toque dos sinos antes da missa das 10 horas, numa igreja perto da praia. Ela e seus filhos precisavam dormir. Já uma empregada doméstica, que não podia ir à missa para atender a família dos patrões, ficava feliz quando escutava o sino convidando para a prece. Deus fala de muitas maneiras. Fala no coração de seus filhos, fala na comunidade eclesial, fala nos fatos que apontam os sinais dos tempos. Deus continua falando - gritando - em nosso atribulado mundo. Ouvi-Lo é uma questão de escolha. Assim como é questão de escolha perceber os sinais de Deus. Muitas vezes, o dinheiro, o prazer, o comodismo falam mais alto. Os antigos procuravam a solidão do deserto, como local de encontro com Deus. Os que levam Deus a sério, hoje, criam diariamente espaços de deserto e silêncio que permitem que Deus seja Deus e que seus discípulos possam escutálo e perceber seus sinais. Deus não é uma ideia, mas uma realidade. Ele fala e caminha conosco. Ele possibilita uma vida terrena com significado que leva à vida definitiva.

Campanha da Fraternidade alerta para a exploração de pessoas

C

ontribuir na identificação das práticas do tráfico humano em suas várias formas. Esse é o objetivo da Campanha da Fraternidade de 2014, segundo o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner. Ele presidiu a cerimônia de abertura da CF de 2014, na quarta-feira de Cinzas, 5 de março, na sede da CNBB, em Brasília. Representantes do governo e entidades da sociedade civil marcaram presença na solenidade, entre eles o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso; o representante da OAB, Marcelo Lavèrene Machado; e a secretária executiva do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), pastora Romi Márcia Bencke. A CF deste ano aborda o tema “Fraternidade e Tráfico Humano”, com o lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5,1). Para dom Leonardo, que também é bispo auxiliar de Brasília, “o tráfico humano de hoje é, certamente, fruto da cultura que vivemos. A Campanha, ao trazer à luz um verdadeiro drama humano, deseja despertar a sensibilidade de todas as pessoas de boa vontade”. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, disse que o governo se une à CNBB e às demais entidades na luta contra o tráfico de pessoas. Para o ministro, o Estado deve reagir frente a essa vergonhosa realidade. “É inaceitável um crime como o tráfico humano e que pessoas sejam tratadas como objetos, como escravos. Não importa a modalidade deste crime. Ele tem que ser objeto de uma reação muito forte da sociedade moderna,

José Cruz/ABr/Div./CR

Sinais de Deus pelo caminho

Abertura da CF: ministro Cardoso (E), dom Leonardo, Marcelo e pastora Romi do Estado moderno”, afirmou. A secretária executiva do Conic, pastora Romi, salientou que a Campanha da Fraternidade nos coloca o “grande desafio de falar honestamente das hierarquias econômicas, sociais e culturais, que acabam legitimando esse tipo de exploração humana”. E o representante da OAB, Marcelo Machado, enfatizou que a CF “vai chamar atenção para essa grande chaga que é a opressão, o abandono, em uma sociedade estruturada sob bases injustas, visando apenas o consumismo e o capitalismo”.

cretário executivo da CF 2014, leu a mensagem que o Papa Francisco enviou. De acordo com o Pontífice, “não é possível ficar impassível, sabendo que existem seres humanos tratados como objetos. A pessoa humana não se deveria vender e comprar como uma mercadoria. Quem a usa e explora, mesmo indiretamente, torna-se cúmplice dessa prepotência”. O Papa também destacou que “a dignidade humana é igual em todo o ser humano: quando piso-a no outro, estou pisando a minha. Foi para a liberdade que Cristo nos libertou!”. Ao final, concedeu sua bênção Dignidade - Durante a abertura da apostólica a todos os brasileiros desejando Campanha, padre Luiz Carlos Dias, se- uma Quaresma de vida nova em Cristo.

Um crime perverso, que tira a liberdade das pessoas A abertura da Campanha da Fraternidade já é uma tradição não apenas na CNBB, promotora do evento, mas em muitas dioceses do Brasil. Na diocese de Caxias do Sul, dom Alessandro Ruffinoni abriu a CF durante cerimônia realizada às 10 horas, no Espaço Mater Dei, junto à catedral diocesana. Na ocasião, dom Alessandro também anunciou o início das celebrações dos 80 anos da diocese

de Caxias (matéria na página ao lado). Dom Alessandro destacou que a CF quer ser um forte trabalho de esclarecimento e prevenção para a população e quer ajudar para que vítimas em potencial não sejam presas dos criminosos. “O tráfico de pessoas é um crime que trabalha com a ilusão, com a vontade que alguém tem de melhorar de vida, de ter oportunidades. É um crime perverso porque tira

a liberdade da pessoa depois que ela foi enganada e já está vulnerável, geralmente longe de sua terra e de sua família”. O bispo caxiense reforça a importância da Campanha, que alerta para os diversos tipos de escravidão, seja nas relações de trabalho ou pessoais e convida os cristãos a conhecer esta realidade, a refletir e a agir, especialmente acolhendo as vítimas desses crimes hediondos.

Indagações da fé

BRUNO GLAAB

Teólogo - Estef • E-mail: freiglaab@gmail.com

O que é exorcismo? A Igreja Católica ainda o pratica nos dias atuais? Daniel Urquiza, São Jerônimo (RS)

Daniel, a questão do exorcismo é muito complexa em nossos dias. Sabe-se que muitos abusos aconteceram e continuam acontecendo nessa área. Por isso, a Igreja trata da questão com muita prudência e não lhe dá tanta importância. Basta ver que o Catecismo da Igreja Católica trata dele diretamente apenas em um parágrafo, no número 1673. Segundo o mesmo Catecismo, “quando a Igreja exige publicamente e com autoridade, em nome de Jesus Cristo, que uma pessoa ou objeto sejam protegidos contra

a influência do maligno e subtraídos a seu domínio, fala-se de exorcismo”. Faz distinção entre exorcismo simples e exorcismo solene. O simples é aquele praticado na celebração do Batismo, quando se impõe a mão sobre o candidato pedindo a libertação do pecado e do diabo (cf. Cat. 1237). O solene, chamado de “grande exorcismo”, “visa expulsar os demônios ou livrar da influência demoníaca, e isto pela autoridade espiritual que Jesus confiou à sua Igreja”. Este último “só pode ser praticado por um sacerdote, com a permis-

são do bispo. Nele é necessário proceder com prudência, observando estritamente as regras estabelecidas pela Igreja”. Com o desenvolvimento das ciências, sobretudo psíquicas, sabe-se hoje que muitos casos, que no passado pareciam ser possessões demoníacas, hoje são compreendidos como doenças; e consequentemente, necessitam de tratamentos médicos. Fazer uso indiscriminado do exorcismo pode-se considerar charlatanismo. (Resposta de padre Mário Fernando Glaab, www.marioglaab.blogspot.com.br)


CORREIO RIOGRANDENSE • Caxias do Sul, 12 de março de 2014

CR Igreja 19

CAXIAS DO SUL

Iniciam celebrações dos 80 anos da diocese

LUIZ TURRA

Ivo Adamatti/Div/CR

D

urante a abertura da Campanha da Fraternidade, na quarta 5, no Espaço Mater Dei, junto à catedral diocesana, dom Alessandro Ruffinoni deu início às celebrações dos 80 anos da diocese de Caxias do Sul. O ano jubilar iniciará no dia 18 de março de 2014 e se estende até o dia 6 de setembro de 2015. “Estamos vivendo uma mudança de época e queremos que a celebração do jubileu nos impulsione a olhar para frente”, disse dom Alessandro. Por isso, as celebrações serão norteadas pelo lema “Ainda tens um longo caminho a percorrer” (1Rs 19,7). O lançamento das celebrações contou com a presença do prefeito Alceu Barbosa Velho e representantes de diversas entidades. A abertura oficial do ano será no dia 18 de março, com a celebração de uma missa no seminário Aparecida, às 18h30, seguida de jantar de confraternização. Dom Alessandro destacou que estão confirmados diversos eventos ao longo desse período e outros serão definidos. Entre as novidades anunciadas pelo bispo estão a criação do Museu Diocesano Dom José Barea, que será implantado no subsolo da casa do bispado. Segundo dom Alessandro, o museu, que será aberto no dia 8 de setembro, visa proteger a memória e o patrimônio sacro da diocese. Abrigará um acervo bastante representativo, que inclui alfaias, arte sacra, fotografias, objetos litúrgicos e do cotidiano, biblioteca etc. O projeto do museu prevê também o estabelecimento de um circuito roteirizado de igrejas, capelas e até de outros

No coração da vida

Q

Cartaz do jubileu: prefeito Alceu Barbosa Velho (E) e dom Alessandro museus que contemplem a arte sacra, dentro da área da diocese. A sede do museu terá uma central de informações sobre os acervos, que ficariam em seus locais de origem, e outras fontes de orientação para os interessados. Outra novidade anunciada por dom Alessandro é a revitalização do santuário diocesano de Caravaggio, que prevê um melhor aproveitamento do entorno para bem acolher os milhares de romeiros que visitam o local anualmente. Muitos eventos que ocorrem ao longo do ano vão se inserir nas comemorações dos 80 anos da diocese, como as celebrações dos 75 anos do seminário Nossa

Senhora Aparecida, dia 21 de março; a 135ª Romaria de Caravaggio, dias 25 e 26 de maio; o retiro do clero, de 26 a 29 de maio; a semana teológica, de 8 a 11 de setembro; o 34º encontro das zeladoras das capelinhas, dia 12 de outubro etc. Abrangência - A diocese de Caxias do Sul foi criada no dia 8 de setembro de 1934, pelo Papa Pio XI, através da bula Quae Spirituali Christiphidelium, desmembrando-a da arquidiocese de Porto Alegre. Hoje é formada por 32 municípios, 70 paróquias e 983 comunidades-igrejas. Abrange uma população de 900 mil habitantes.

Seminário Aparecida completa 75 anos de existência O seminário diocesano Nossa Senhora Aparecida completa, no dia 19 de março, 75 anos de existência. Com a criação da diocese, em 1934, o primeiro bispo, dom José Barea, empenhou-se intensamente para a construção de uma casa de formação para o clero, que seria inaugurada no dia 19 de março de 1939. Como primeiros

formadores, foram contratados os freis capuchinhos, que durante 14 anos dirigiram o seminário. No começo eram 28 seminaristas, no ano seguinte já eram 90 e em 1946 saltaram para 180, diversos dos quais de outras dioceses. A direção passou aos diocesanos em 1953. Padre Edmundo Marcon é o atual reitor do seminário.

NOVA ROMA DO SUL

Como casa de formação, passou pelo seminário Aparecida a maioria dos padres diocesanos da diocese de Caxias d Sul. Parte de toda a história do seminário estará registrada no livro comemorativo Seminário Aparecida, 75 anos cultivando vocações, que será lançado durante a Feira do Livro de Caxias do Sul.

SINDICATO DOA TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONTRUÇÃO DE DO MOBILIÁRIO DE CAXIAS DO SUL

Base Territorial: Caxias do Sul, São Marcos, Antonio Prado, Garibaldi, Carlos Barbosa e Nova Roma do Sul. CNPJ 88.662.275/0001-31 Sede Rua Borges de Medeiros, 334. Caxias do Sul-RS - CEP 95020-310, fone 3332-2192.

AVISO DE RECOLHIMENTO DE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DE 2014

Festa: beleza do local atrai participantes

Capela louva o padroeiro A capela São José, às margens do arroio Jararaca e perto do rio da Prata, em Nova Roma do Sul (RS), realizou, no domingo 9, festa do padroeiro. A capela é patrimônio histórico e cultural do município. Padre Gilberto Lazzarotto presidiu a missa campal, às 10h30. Em seguida, ocorreu a

Um espinho no coração

bênção de São José às famílias e individual, no interior da capela, com imposição das mãos. Ao meio-dia houve almoço colonial e churrasco e à tarde, shows, música italiana e muitas brincadeiras. O lucro da festa foi praticamente todo destinado a entidades assistenciais.

Pelo presente edital o SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO DE CAXIAS DO SUL, representante legal dos trabalhadores integrantes da categoria profissional exercentes de atividades na indústria da construção civil, olarias, cerâmicas, mobiliário, oficiais marceneiros e terraplanagem, faz saber aos empregadores na base territorial representada por este Sindicato, nas cidades de Caxias do Sul, Carlos Barbosa, Garibaldi, São Marcos. Antonio Prado e Nova Roma do Sul, conforme dispõe o artigo 582 da CLT, que o desconto da Contribuição Sindical de seus empregados, deverá ser efetuado na folha de pagamento do mês de março de 2014 e recolhido em estabelecimento bancário credenciado pela Caixa Econômica Federal (Código Sindical 004.181.89230-0), até dia 30 de abril de 2014 impreterivelmente. Ficam os empregados cientificados desde já, que o não recolhimento da referida contribuição de seus empregados, importará em multa de 10% (dez por cento) nos trinta primeiros dias com adicional de 2% (por cento) ao mês subsequente e juros de 1% (por cento) ao mês mais correção monetária, conforme estabelece o art. 600 da CLT. As guias de recolhimento já foram expedidas, devendo os empregadores que não receber em tempo hábil solicitá-las na sede deste Sindicato através fone/fax (54) 3223-2192 e 3223-4510 ou por email: sticmcaxias.rs@terra.com.br Caxias do Sul, 06 de março de 2014 Antonio Olírio dos Santos Silva Presidente

uando o Papa João Paulo II, pela primeira vez, esteve no Brasil em 1980, chegou à Bahia e visitou os Alagados. Ali encontrou a dura e triste realidade dos moradores das palafitas. Num discurso emocionante gritou ao mundo: “Não vos dói o coração? Não vos dói o coração?” Depois de um clamor de compaixão, o Papa disse aos moradores: “Quero encorajar o desejo de vocês, que é também o meu, de melhorar seu nível de vida, para se tornarem mais humanos com toda a dignidade; mais irmãos de todos na família humana; mais filhos de Deus, sabendo e praticando o que isso quer dizer” (João Paulo II - 07/07/1980). Deste grito, no mesmo dia começou a história e a vida da paróquia Nossa Senhora dos Alagados. A partir da visita, desencadeou-se um processo de humanização e evangelização, onde a sensibilidade humana e a fé garantem um imenso trabalho de inclusão social e vida digna em comunidade. A dor no coração despertou um novo cuidado à vida. Movido pela compaixão dos humanos imigrantes, mortos no mar Mediterrâneo, o Papa Francisco realiza sua primeira visita fora de Roma, à ilha de Lampedusa. A notícia foi dada no momento em que foi publicada a primeira encíclica: “A luz da fé”. Sérios comentários desta decisão profética de Francisco afirmam que a visita é outra forencíclica, escrita “Somos uma tíssima com gestos, palavras, sociedade que, lágrimas e compaixão. na globalização Francisco fala de “um espinho no coração”. da indiferença, Este é causado pelo não sabe chorar” dramático destino dos (Papa Francisco) imigrantes mortos no mar. Em lugar de ser um caminho de esperança, tornou-se um caminho de morte. “Quando ouvi esta notícia, há algumas semanas, notícia que já se repetiu por tantas vezes, o pensamento começou a pulsar continuamente como um espinho no coração que traz sofrimento. Senti o dever de vir aqui hoje, rezar e realizar um gesto de aproximação, mas também acordar a nossa consciência para que o que aconteceu não se repita. Não se repita, por favor!” (Francisco). Nesta mesma visita e também em sua vinda ao Brasil, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, Francisco faz um grande pedido de perdão pela humanidade que não se sente responsável e não chora a morte de tantos irmãos, cujas esperanças e cujas vidas são roubadas. “Somos uma sociedade que, na globalização da indiferença, não sabe chorar” (Francisco). Este clamor profético dos papas e agora, da Igreja no Brasil em Campanha da Fraternidade, voltada para o tráfico humano, certamente não ficará apenas num alerta, mas haverá de desencadear atitudes e ações de resgate e promoção da dignidade dos mais frágeis e ameaçados. Se, ao focar uma problemática subterrânea e tão vergonhosa para a sociedade, começa-se a despertar uma consciência adormecida, já podemos dizer que a Campanha da Fraternidade 2014 valeu a pena. “...tratar os seres humanos como meros instrumentos de lucro e não como pessoas livres e responsáveis é uma infâmia que envenena a sociedade humana e constitui uma violação à imagem do Criador” (Gaudium et spes, 27).


CR Correio Riograndense

Palavras

Caxias do Sul - 12 de março de 2014

TRÁFICO HUMANO

Pessoas não são mercadoria Ivo Adamatti/Div/CR

CF desafia a despertar para a dura realidade dos que têm sua dignidade roubada

“A base mais eficaz para restabelecer a dignidade humana é anunciar o Evangelho de Jesus Cristo nos campos e nas cidades.” PAPA FRANCISCO, na mensagem para a Campanha da Fraternidade de 2014

“Depois do pão, a educação é a primeira necessidade de um povo.” GEORGES J. DANTON (1759-1794), político francês

“O campo se presta a todas as divagações do sonho.” JULES RENARD (1864-1910), escritor francês

Fraternidade: dom Alessandro Ruffinoni, na abertura da Campanha na diocese de Caxias do Sul. Convite às pessoas para conhecer esta realidade, refletir e agir. Página 18

GILBERT CESBRON (1913-1979), escritor francês

Igreja no Mundo Colégio Pio Brasileiro O Colégio Pio Brasileiro completa, no dia 3 de abril, 80 anos. Ele nasceu a partir do Pontifício Colégio Pio Latinoamericano, instituição eclesiástica criada em 1858 para a formação do clero da América Latina em Roma. O cardeal Raymundo Damasceno, presidente da CNBB, disse que o Papa Francisco visitará o Colégio Pio Brasileiro, em data a ser definida. Informou ainda que a CNBB vai assumir a direção do colégio, que desde o início esteve aos cuidados dos jesuítas. Orar com insistência Em recente homilia na Casa Santa Marta, o Papa Francisco convidou a rezar com insistência e com a certeza de que Deus escutará nossa oração. Ele explicou que a oração tem duas características: a “necessidade” e ao mesmo tempo a “certeza” de que Deus, no seu tempo e do seu jeito, atenderá nosso pedido. “Não sei se isso soa mal, mas rezar é mais ou menos como incomodar a Deus até que ele nos escute”, disse o Papa.

“Somos jovens quando desejamos que cada novo dia seja diferente do anterior: e velhos quando esperamos que cada ano se pareça com o anterior.”

Novo gerenciamento econômico no Vaticano Por meio do Motu Proprio Fidelis dispensator et prudens (Gerente fiel e prudente), o Papa Francisco constituiu uma nova estrutura de gerenciamento econômico da Santa Sé e do Vaticano. A Secretaria para a Economia terá o atual arcebispo de Sydney, Austrália, cardeal George Pell (foto), como dirigente. O novo organismo é a autoridade sobre todas as atividades econômicas e administrativas da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano. Secretaria coordena operações dentro da Santa Sé De acordo com o diretor da do Vaticano: prepara e publica Sala de Imprensa do Vaticano, os balanços e responde a um padre Federico Lombardi, a conselho”, composto por 15 secretaria é “uma instituição membros, sendo oito eclesiásforte, que coordena a dimen- ticos (cardeais e bispos) e sete são da realidade operativa leigos especialistas em econodentro da Santa Sé e da Cidade mia e finanças. Em favor da paz “A visita que o Papa Francisco fará à Terra Santa no final de maio dará um novo impulso ao processo de paz entre israelenses e palestinos”, ressalta o Patriarca Latino de Jerusalém, dom Fouad Twal. A mensagem faz parte de uma carta pastoral, divulgada na quarta-feira de Cinzas, convocando os fiéis a se prepararem para a visita papal.

Diálogo inter-religioso “O Papa virá para confirmar a nossa fé, intensificar as relações ecumênicas e o diálogo interreligioso e dar novo impulso ao processo de paz”, afirma dom Twal. Francisco visitará, como peregrino, lugares marcantes da vida de Jesus. Estará na Jordânia, Palestina e Israel. Rezará missas em Amã, dia 24, e na Praça da Natividade, em Belém, dia 25.

Pároco da aldeia global “As palavras e ações do Papa Francisco restituíram entusiasmo aos cristãos e ao mundo. Ele se tornou o pároco da aldeia global. O seu método de evangelização está inspirando milhares de pessoas”. Com essas palavras, o arcebispo de Yangon, Myanmar, dom Charles Maung Bo, relançou um apelo à evangelização recordando a vocação missionária da Igreja. A fé e a família O brasileiro Diego Alves, do Valência, da Espanha, é famoso por defender pênaltis com uma frequência impressionante. Duas coisas o diferenciam: o valor à família, “base de tudo”, e a devoção a Nossa Senhora Aparecida, cuja imagem está estampada em suas luvas. Liderança copta “O importante é estar presente. Não importa se você é copta ou muçulmano, homem ou mulher”, declarou Hala Shukrallah, primeira mulher na história da política egípcia eleita para dirigir um partido – o Al-Dostour. E ela não é apenas mulher, mas uma cristã copta.

Prece Da Campanha da Fraternidade de 2014 Ó Deus, sempre ouvis o clamor do vosso povo e vos compadeceis dos oprimidos e escravizados. Fazei que experimentem a libertação da cruz e a ressurreição de Jesus. Nós vos pedimos pelos que sofremo o flagelo do tráfico humano. Convertei-nos pela força do vosso espírito, e tornai-nos sensíveis às dores destes nossos irmãos. Comprometidos na superação deste mal,vivamos como vossos filhos e filhas,na liberdade e na paz. Por Cristo nosso Senhor. Amém! PARA USO DOS CORREIOS ■ MUDOU-SE ■ CEP ■ DESCONHECIDO ■ NÃO EXISTE Nº INDICADO ■ RECUSADO ■ FALECIDO ■ INORMAÇÃO ESCRITA PELO ■ AUSENTE PORTEIRO OU ■ NÃO PROCURADO SÍNDICO ■ END. INSUFICIENTE REINTEGRADO AO SERVIÇO POSTAL EM ___/___/___

___/___/___

_________________ RESPONSÁVEL


Cr 1203  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you