Page 1


Não deixes que se esgrimam as palavras Em versos que deslizam no teu leito Por entre correntezas, terras bravas, Que saltam do recôndito do peito. Não deixes que as agruras desta vida Te façam caminhar nos seus grilhões E queiram transformar em nau perdida Teu barco que é tão cheio de ilusões. Rosa jasmim, encanto e poesia, Que teu sorriso possa cada dia Ser sonho, ser farol em toda a parte. E nos teus versos lindos possas dar A ilusão das águas desse mar Que fazem do cantar qual obra de arte! José Sepúlveda


FIM

Rosa jasmim, reportagem de Carla Ribeiro  
Rosa jasmim, reportagem de Carla Ribeiro  
Advertisement