Issuu on Google+

JORNAL DE PAREDE

EDIÇÃO DE FEVEREIRO DE 2010


No passado dia 2 de Fevereiro, comemorou-se na nossa escola, pelo segundo ano consecutivo, “LA CHANDELEUR”. Esta actividade foi organizada pelas professoras do grupo disciplinar de Francês (Natália Tavares, Abigail Oliveira e Ana Isabel Santos) e dinamizada pelos alunos do 3º ciclo. Mais uma vez, foram instaladas, no átrio da nossa escola, três barraquinhas destinadas à venda de crepes que as diferentes turmas ocuparam ao longo do dia. O espaço foi decorado com painéis alusivos a esta comemoração e as barraquinhas foram ornamentadas com a participação e trabalhos dos alunos. A professora Liliana Couto, do Curso de Educação e Formação de Pré-impressão, colaborou também na decoração do espaço. Nos vários intervalos, as turmas deram a saborear a toda a comunidade escolar os crepes que prepararam. Nada faltou, desde os crepes simples, com açúcar e canela, outros recheados com chocolate, compota de morango, mel e ainda os crepes especiais. Simplesmente deliciosos! Todos os alunos participaram de forma empenhada e entusiástica nesta actividade. Foi um dia muito divertido e “apetitoso”, sem dúvida a repetir.


Para aqueles que quiserem saborear os deliciosos crepes nas suas casas, aqui fica uma receita realmente fácil de preparar e com menos ingredientes que a massa de crepes tradicional. É só “pôr a mão na massa”!

INGREDIENTES (para cerca de 30 crepes) - 4 ovos - 1 pitada de sal - 1 copo (20cl) de farinha - 1 copo de água tépida Juntar todos os ingredientes e, se necessário, passar com a varinha mágica para tornar a massa mais uniforme. Depois é só colocar na frigideira, untada com um pouco de manteiga ou óleo, e fazer saltar os crepes. BON APPÉTIT !


VENCEDORA DO CONCURSO POEMA/ CARTA DE AMOR No passado dia 18 de Fevereiro, terminou o prazo para a entrega de trabalhos para o Concurso Poema/Carta de Amor. O júri (constituído pelas docentes Ana Isabel Santos, Paula Gomes e Ana Paula Couto) reuniu e ficou deveras impressionado com a capacidade criativa dos concorrentes! Obrigada a todos e parabéns! Porém, tal como estava estipulado no regulamento, era necessário definir um vencedor e, depois “largas horas de discussão” decidiuse que a Eunice da turma E do 8º ano seria a vencedora! Parabéns Eunice! Parabéns a todos os cupidos!!!

A equipa da BE


Poema vencedor

Eunice, 8ยบE


Outros poemas a concurso

Eunice, 8ยบ E


Ana Lurdes, 8ยบA


Nicole, 8ยบE


O Amor

É um sentimento De dar Só sofrimento Paixão! Está tudo ausente Meu Deus! Que aperto no coração!

Eliana Alves da Conceição Nº13, 6ºE


Meu amor, Minha paixão, Só tu dás alegria Ao meu coração

És linda como o sol E brilhas como a lua Para mim és um girassol Se te não vejo fico fula!

Catarina Pinto Coelho N.º 10, 6ºE


O amor, É fogo ardente Que arde na mente E acelera a gente.

Meu amor, Tanta é a dor De tanto te querer E não te poder ter.

Valter Santos n.º 27, 6ºE


Quando estás ausente Fico triste, zangada Mas quando estás presente Fico louca de contente.

Ter-te ao meu lado Seja noite ou dis É a mais bela melodia Que dá tanta alegria.

Sempre que te vejo Os meus olhos brilham E nos teus se fixam Reprovando um beijo

Verónica Barbosa N.º 28, 6ºE


Ana Lurdes, 8ยบA


Ana Lurdes, 8ยบA


Ana Lurdes, 8ยบA


Ana Lurdes, 8ยบA


Ana Lurdes, 8ยบA


Teatro na escola Os alunos do Clube de Teatro têm vindo a apresentar o seu trabalho na biblioteca da escola. No passado dia 19, os alunos do 8ºA

e

8ºC

tiveram

oportunidade

de

assistir

a

uma

representação teatral baseada nas “ Lições do Tonecas”. Os alunos do Clube de Teatro produziram o texto que interpretaram, dando um toque pessoal às conhecidas “Lições do Tonecas”. Tratou-se de uma apresentação muito divertida em que não faltaram as personagens do professor e do irrequieto

menino

Tonecas,

acompanhados

de

outras

personagens inesperadas, que não vamos aqui revelar, para não estragar a surpresa para os que ainda não viram. Certo é que este grupo desenvolveu um trabalho muito engraçado e proporcionou aos colegas um agradável momento de diversão. Ficamos a aguardar novas apresentações.

Rúben e Márcio, 8ºC


ANA SALDANHA VISITA AGRUPAMENTO DA CORGA No passado dia 11 de Fevereiro, Ana Saldanha visitou o nosso Agrupamento. A escritora, de uma especial simpatia e cordialidade, estabeleceu diálogo informal com os docentes da escola (especialmente os de LP) sobre a abordagem das suas obras. Com os alunos, ficou especialmente agradada com os vários trabalhos desenvolvidos desde o 1º Ciclo ao 12º ano (Cursos Profissionais): ilustrações, comentários, continuação de histórias, dramatizações (em função da faixa etária dos alunos) e encetou com eles um diálogo próximo característico de uma excelente comunicadora. Na sala de aula foram abordadas as obras: Ninguém dá prendas ao Pai Natal; Cinco Tempos, Quatro Intervalos; Uma Questão de Cor; Escrito na Parede e Dentro de Mim. As colegas de LP e os alunos estão de parabéns pelo excelente trabalho que realizaram na abordagem das obras da escritora!


VENCEDOR DO CONCURSO “À DESCOBERTA DE UM LIVRO DE … Ana Saldanha”

Como sabem, terminou dia 16 de Fevereiro o Concurso " À Descoberta de um Livro de...Ana Saldanha"! A equipa da BE ficou bastante satisfeita com os resultados, pois, uma vez que a escritora visitou o nosso Agrupamento no passado dia 11 de Fevereiro, a procura de livros aumentou significativamente! Obrigada a todos quantos aceitaram este desafio de leitura, mas alguém tinha de ser o vencedor! Desta vez, após sorteio, o vencedor foi o Bruno Almeida ( da turma 11º profissional) que descobriu que a obra a concurso era "Escrito na Parede". Como recompensa, o Bruno recebeu um livro. Não foi de Ana Saldanha, mas foi, também, de uma excelente escritora: Alice Vieira! Quem dá o que tem... Parabéns, Bruno!

VENCEDORES DO CONCURSO MARCADORES DE LIVRO Tânia Coelho (11ºA) e Eduardo (6ºB) respectivamente:

Menções Honrosas: Carina Reis (8ºA) e Carla Sousa (Assistente Operacional)


O Carnaval de Veneza, na Itália, é diferente de qualquer outro carnaval. Hoje em dia, as fantasias e as famosas máscaras venezianas inspiram-se na elegância e bom gosto dos trajes dos séculos XVII e XVIII, ou nas personagens da Commedia Dell´Arte*, em que figuram os conhecidos pierrots, colombinas e polichinelos. No final do século XI, os festejos chegavam a durar até seis meses. Por essa época chegou-se mesmo a regulamentar o uso das máscaras. São comuns os relatos de abusos praticados atrás das máscaras durante e depois do carnaval de Veneza. As autoridades chegaram a proibir o uso das máscaras no início do século XVII. Após quase desaparecer no século XIX, o Carnaval de Veneza tem vindo a ser, desde 1980, revitalizado e encorajado pelas autoridades. Atrai hoje mais de 100 mil pessoas, que para ali convergem a fim de admirar o luxo das fantasias e das máscaras. Em Veneza, nas mansões e palácios do Gran Canale, organizam-se luxuosos bailes e a alta sociedade internacional comparece aos salões dos hotéis de luxo. Neles dança-se valsa, tarantela e até mesmo samba, cada vez mais popular. O povo, por sua vez, concentra-se na Praça São Marcos, onde se diverte de maneira bem mais desinibida.

Commedia dell'arte - Conhecida também como Comédia de Máscaras, a Commedia Dell´Arte era composta por espectáculos teatrais em prosa, muito populares na Itália e em toda a Europa na segunda metade do século XVI e até meados do século XVIII.

Cátia Silva (5º B)


Máscaras de Veneza Utilizadas actualmente apenas na altura do carnaval, as máscaras venezianas foram usadas em muitas outras ocasiões no passado, nomeadamente para esconder a identidade e o estatuto de quem as usava. Hoje em dia, estas máscaras são uma das recordações mais procuradas pelos turistas que visitam a cidade, existindo vários tipos de máscaras venezianas: Bauta- é o tipo de máscara com a qual se pode comer, falar e beber sem ter que se retirar.

Moretta - é uma máscara oval de veludo preto usada especialmente por mulheres. Tornou-se popular em Veneza fazendo sobressair as caracteristicas femininas, apesar de não ter boca. Volto ou larva - esta máscara é totalmente branca, podendo ser usada com uma capa negra. Fabricada com tecido e cera é muito mais leve do que as outras.

Columbine - este tipo de máscara é decorada com ouro, prata, cristais e pele. Pode segurar-se junto à cara apenas com um bastão, ou ser atada ao rosto com uma tira de tecido. Medico Della Peste - devido ao seu longo bico esta é uma das máscaras mais bizarras. Tradicionalmente branca, esta máscara tem um bico oco podendo ser coberta por pequenos cristais que lhe conferem um aspecto espectacular. Ana Oliveira (5ºB)


A minha luz Naquela cidade, não existia nada de interessante, apenas uma estrela franca iluminava a noite eterna. À janela do meu quarto, triste e sozinha, eu estava a observá-la e percebi que também ela estava só. De repente, reparei que ela se encaminhava na minha direcção. Junto do meu ouvido, com uma voz suave, fina e terna, segredou-me uma história. Era uma história fantástica! Fiquei emocionada! Duas lágrimas soltaram-se dos meus olhos e suspirei profundamente com aquela história de amor. Então, a estrela Mariana limpou, com toda a delicadeza, as minhas lágrimas emocionadas e continuámos a contar histórias sobre as nossas vidas. A minha tristeza desapareceu e para substituí-la, vieram a alegria e a felicidade, o sentimento da amizade. Como a conversa estava a ser deliciosa, nem nos demos pelo passar do tempo até que começou a amanhecer e a Mariana perdeu o seu brilho e depois desapareceu. No momento fiquei boquiaberta, mas quando ía à janela, à noite, percebia que a estrela Mariana estava sempre presente no céu, a olhar por mim. Trabalho realizado pela turma do 8ºE no apoio de Língua Portuguesa

Ce travail a été fait à propos de la tache de l’unité 4 : résumé d`un livre qu`on avait lu.

« Je ne suis pas l’unique » L’histoire que j’ai lue et vraiment aimée est ‘’Je ne suis pas l’unique’’ (une biographie du Zé Pedro – Xutos & Pontapés). C’est une histoire de vie fantastique. L’histoire a été écrite par sa soeur, Helena Reis. Le livre nous parle de ses amis et de sa jeunesse, de sa bande, des drogues, de la mort de ses parents, de ses petites amies, de sa famille, de sa façon de vivre et de sa personnalité. Une des parties du livre que j’ai aimée le plus a été quand il a eu une hémorragie, à cause des drogues et de l’alcool. Il a été aux portes de la mort, mais il a récupéré. Ceci, fait qu’il arrête avec la consommation des drogues, de l’alcool et du tabac. Je l’ai connu et je peux dire qu’il est une personne spéciale. C’est une personne de causes et de solidarité.

Travail réalisé par Vanda (9ºE)


Justin Bieber Justin Drew Bieber, nascido em Stratford, a 1 de Março de 1994, é um cantor de R&B canadiano. Justin gostou sempre de cantar, e aos 8 anos começou a tocar instrumentos. Com apenas 12 anos quando participou pela primeira vez numa competição de canto. A sua carreira teve início através do YouTube . Justin Timberlake ofereceu-lhe um bom contrato, no entanto Justin acabou por escolher Usher. Em Julho de 2009, “One Time", o seu primeiro single, atingiu o número 12 no “Canadian Hot 100” e o vigésimo lugar na “Billboard Hot 100” . Nesta altura o cantor está a trabalhar na segunda parte de seu CD (“My World”), que foi dividido em duas partes, estando previsto o lançamento desta segunda parte para Março, nos EUA.

Trabalho realizado por: Silvana Santos 8ºC


Provérbios do mês de Fevereiro *Neve em Fevereiro, presságio do mau celeiro. *Fevereiro quente, traz o diabo no ventre. *Em Fevereiro põe o teu fumeiro. *O tempo de Fevereiro enganou a mãe ao soalheiro. *Em Fevereiro neve e frio; é de esperar calor no estio. *Em Fevereiro põe a mãe ao soalheiro e manda-lhe um saraivem *Dia de S. Brás, a cegonha verás, e se não a vires o Inverno vem atrás. *Água de Fevereiro mata o onzeneiro. * Em Fevereiro chuva, em Agosto uva. * Quando não chove em Fevereiro, nem bom prado, nem bom palheiro.

Sara Correia 8ºC

Anedotas Era o primeiro dia de aulas e a professora perguntou: - Como te chamas? - Eu chamo-me Joãozinho. - Joãozinho é em casa aqui, é João. E tu? Como te chamas? - Francisquinha, senhora professora. - Fancisquinha é em casa, aqui é Francisca. E tu? - Agosto. - Agosto?! - Sim, em casa sou Agostinho.

- Alguém me explica porque é que os alentejanos semeiam alhos nas bermas das estradas? - Porque o alho faz bem à circulação.

Um bêbado estava a passar e diz para uma senhora: - Oh minha senhora! Porque é que aplicou tanta maquilhagem?


Diz a mulher com um ar superior. - Ora, para ficar linda! O bêbado, duvidoso diz: - E porque é que não ficou?

Na escola: - Menino Tomás o que é matéria? - Matéria é tudo aquilo que eu não sei...

- Sabem porque é que o livro de Matemática se suicidou? - Porque tinha problemas a mais.

- Sabes o que diz um ouriço quando choca com um cacto? - És tu mãe?

Trabalho realizado por: Silvana Santos 8ºC


BOAS LEITURAS !!


Jornal de Fevereiro