Page 1


EDITORIAL

Caros Economistas

ESPAÇO DO ECONOMISTA

Já estamos com metade do mandato vencido. Buscamos realizar o nosso plano de trabalho e, para isso, criamos uma comissão para estudar a viabilidade da compra de imóvel(is) no interior, para abrigar delegacias, e/ou subsedes, reiniciamos as discussões para criar o CORECON Acadêmico, estamos em processo de formatação de um novo site e realizamos o 1° EPECO – Encontro Paranaense de Economistas e Estudantes de Economia, juntamente com uma reunião com Coordenadores de Curso, entre outras ações.

O economista paranaense José da Silveira Filho, lança no dia 3 de agosto de 2012, o livro “Aquarela do Brasil: do café ao Plano Real”, na Faculdades Integradas Santa Cruz. O evento será realizado no Auditório a partir das 21 hs.

Os desafios estão sendo vencidos com a colaboração dos funcionários, dos conselheiros e principalmente pela participação de estudantes e economistas. Neste Informe trataremos do 1° EPECO em Foz do Iguaçu, 2° Torneio de Economia, Prêmio Economista Paranaense do Ano, além de apresentar os números do Conselho, o tradicional artigo de Economista e serão apresentadas as ações que serão realizadas para a comemoração do Dia do Economista. Em parceria com a FIEP estamos encaminhando a Cartilha Sombra do Imposto. Na economia mundial continuamos esperando o desfecho da crise do velho continente, no qual a possibilidade de salvar a banca europeia sem endividar os Estados pode amenizar a crise, tirando a economia mundial desse compasso de espera, mas não vai resolvê-la. No Brasil soluções requentadas de curto prazo ajudam, mas não resolvem. Louvemos o esforço do governo em reduzir as taxas de juros, e deixá-la em níveis civilizados.

2

EPECO

A obra, que aborda a Economia Brasileira Contemporânea, retrata as transformações da economia do Brasil ao longo do tempo, revelando a lógica de encadeamento dos acontecimentos, mostrando como uma situação se transforma em outra.

PARCERIAS E CONVÊNIOS O Conselho Regional de Economia do Paraná possui parcerias com duas instituições de ensino superior, que oferecem graduação e pós-graduação, a Esic e a ISAE/FGV. Por meio desta parceria, os economistas registrados junto ao Corecon-PR podem obter desconto de 10% na mensalidade em qualquer um dos cursos ofertados por estas instituições.

EXPEDIENTE CORECON-PR Conselho Regional de Economia 6ª Região - PR - Corecon Rua Professora Rosa Saporski, nº989 - Mercês - Curitiba - Paraná Fone: (41) 3336-0701 www.corecon-pr.org.br Redação: Evidência Comunicação Integrada - (41) 3342-6832 evidencia@evidenciacomunicacao.com

Jornalistas: Ines Dumas e Fabiana Lima - imprensa@corecon-pr.org.br Presidente: Eduardo Moreira Garcia Vice-presidente: José Augusto Soavinski Conselheiros Efetivos: Antonio Agenor Denardi, Ario Taborda Dergint, Carlos Magno Andrioli Bittencourt, Sergio Guimarães Hardy, Andréa Cristhine Prodohl Kovalczuk, Carlos Alberto Gandolfo, João Carlos Leonello, Mauricio Cadenas Prado, Breno Pascualote Lemos, Sergio Lopes. Conselheiros Suplentes: Cesar Reinaldo Rissete, Eduardo Andre Cosentino, Elhana Marcelino Farias, Kalil Karam Netto, Cid Cordeiro da Silva, Ricardo Kureski, Ronaldo Antunes da Silva, Vanya Trevisan Marcon Heimoski, Edmundo Rodrigues da Veiga Neto, Kanitar Aymore Saboia Cordeiro, Nivaldo Candido da Silva. Conselheiros Federais Efetivos: Kanitar Aymore Saboia Cordeiro, Odisnei Antonio Bega. Conselheiros Federais Suplentes: Antonio Agenor Denardi, Antonio Eduardo Nogueira.

EPECO discute o currículo e o mercado de trabalho dos economistas Evento realizado em Foz do Iguaçu contou com palestra do economista e professor Carlos Lessa.

O Conselho Regional de Economia do Paraná (Corecon-PR) promoveu no dia 07 de junho, em Foz do Iguaçu, no Viale Cataratas, o 1º Encontro Paranaense de Economistas e Estudantes de Economia, que teve como tema o “Currículo e o Mercado de Trabalho dos Economistas”. O evento reuniu especialistas em mercado para discutir os rumos da profissão, entre eles, o economista e professor Carlos Lessa, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que abriu a programação. Lessa falou sobre a profissão do economista e também sobre os rumos da economia brasileira, traçando um parâmetro com outros países no desenvolvimento. Em comparação com a China, por exemplo, ele disse que o Brasil está mais avançado em algumas áreas, entre elas, no processo de urbanização. “Hoje 80% da população é urbana, enquanto na China, mais da metade ainda está no campo, e eles terão que passar ainda por esse processo”. No período da tarde foram realizados dois painéis, um deles com o economista Edson Roffé Borges, do Pará, sobre “O mercado de trabalho dos economistas”. O outro abordou “O currículo do curso de economia e o mercado de trabalho”, com o economista e professor da FAE Centro Universitário, Gustavo Nunes Mourão. Curso de Perícia Econômico-Financeira A programação do minicurso de Introdução à Perícia Econômico-Financeira encerrou as atividades do EPECO, na sexta-feira (08),com a aplicação dos seguintes módulos: Mercado de Trabalho do Perito e Assistente Técnico Econômico-Financeiro; Introdução à

Avaliação de Empresas em Processos Judiciais; Introdução à Análise de Contratos Bancários e Perícia Judicial Econômico-Financeiro (Exposição de Perícia – Contrato de Abertura de Crédito Cheque Especial). Os cursos foram ministrados pelos economistas especialistas em perícia Sérgio Guimarães Hardy, Elhanã Marcelino Farias, Carlos Alberto Gandolfo e João Carlos Leonello. Encontro de Coordenadores No dia 08 de junho, pela manhã, foi realizado o Encontro de Coordenadores, com o objetivo de debater as propostas apresentadas pelos palestrantes do dia anterior sobre o currículo do curso de economia. Os coordenadores das instituições paranaenses de ensino superior se reuniram e discutiram algumas propostas para mudanças na grade curricular, que visam:

tação para atuar, mas que são compartilhadas, concorrentes ou mesmo complementares de outras profissões; • As entidades representativas poderiam realizar campanhas nas escolas e pré-vestibulares e nas empresas para apresentar o curso de economia, seus campos de atuação e sua importância para a sociedade, com o intuito de melhorar a procura pelo curso; • As entidades representativas deveriam emitir opiniões imediatas a qualquer nova notícia, evento ou ato de âmbito internacional, nacional, regional, ou mesmo local, com relação a assuntos de relevância econômica e política que tenham repercussões econômicas.

• Verificar as necessidades do mercado no qual as instituições de ensino estão inseridas e buscar criar uma identidade para o curso, levando em consideração essas necessidades; • Buscar inserir no currículo dos cursos de economia matérias de áreas nas quais o economista tem habili3


ARTIGO

TORNEIO

A CELEUMA DA LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DA CENTRAL DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS AMPLA (CTR) PARA A REGIÃO METROPLITANA DE LONDRINA (RML), PARANÁ, BRASIL Irene Domenes Zapparoli (UEL) zapparoli@uel.br A Região Metropolitana de Londrina, para se consolidar com sustentabilidade, não poderá deixar de contar com local adequado para disposição de resíduos urbanos, industriais, hospitalares, da construção civil e agrícolas, entre outros. Este artigo apresenta o resultado do trabalho realizado com o objetivo de identificar quais as questões socioeconômicas que devem ser levantadas para a escolha do local adequado para a implantação de uma CTR nova. A metodologia consistiu em levantamento bibliográfico e na triangulação de dados primários levantados com estudo observacional, a partir dos quais emergiram as categorias, para a elaboração das entrevistas feitas com autoridades municipais e com 21 empresários da RML sobre a composição dos resíduos gerados nos segmentos econômicos. As estimativas das frações dos resíduos sólidos produzidos por municípios da Região Metropolitana de Londrina apresentaram o valor de 633.957 kg/ dia de resíduos. Os resultados acenam para a difícil consideração das questões socioeconômicos na escolha de quem e qual município deve sediar

a CTR. O município de Londrina centraliza as atividades econômicas, nesse sentido justifica-se a localização da CTR nas imediações de Londrina. Trata-se de uma questão de viabilizar economicamente a coleta, transporte e destinação final dos resíduos. Porém, no local de implantação da CTR, pelo estudo socioeconômico, há que se considerar que existem funcionando na região outras formas de destinação de resíduos e que em nada favorecem as dimensões da sustentabilidade econômica, social e ambiental da área diretamente afetada. O sistema produtivo é composto por pequenas propriedades, denominado de cinturão verde, que se destina à cultura de hortifrutigranjeiros para abastecer o comércio atacadista e varejista na região. As culturas, na maioria, intensivas de recursos hídricos, não poderão se valer de água contaminada. Com as ingerências do funcionamento dos empreendimentos de destinação de resíduos já em funcionamento na RML, os programas de minimização de impacto precisam ser conjuntos entre os setores públicos e privados, no sentido de viabilizar a infraestrutura na RML. REFERÊNCIAS BRASIL. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional

de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências, 2010. ____. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada, RDC Nº 306, de 07 de dezembro de 2004, que dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde, 2004. ____. Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico. Diário Oficial da União, DOU. Em 08 de janeiro de 2007. Disponível em: <http://www.siam.mg.gov.br/sla/>. Acesso em: 02 de setembro de 2011. COMEL. Coordenação da Região Metropolitana de Londrina. Disponível em: www.comel. pr.gov.br. Acesso em: 08 de agosto de 2011. IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. 2011. Perfil dos Municípios: Município de Londrina. Disponível em: http://www.ipardes. gov.br/perfil_ municipal/ MontaPerfil.php?Municipio=86000&btOk=ok. Acesso em: 08 de agosto de 2011. OBBLADEN et al. Série de Publicações Temáticas. Londrina: CREA-PR, 2009.

Alunos da Fecilcam vencem o Torneio Paranaense de Economia Com o resultado, os vencedores foram automaticamente credenciados para a disputa nacional, que será realizada em setembro Estudantes do curso de economia de diversas instituições de ensino superior do Paraná participaram nos dias 07 e 08 de junho, em Foz do Iguaçu, de um desafio para testar seus conhecimentos e habilidades. O II Torneio Paranaense de Economia, promovido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (Corecon-PR), teve como dupla vencedora os alunos da Fecilcam (Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão), Marcelo José Francisco da Mata e Flávia Lazzaretti Ieger.

nomia. “Essa é a primeira vez que participamos. Sabíamos que havia pessoas com mais experiência no jogo, mas procuramos utilizar nossos conhecimentos e pensar bastante na hora de jogar. Tivemos questões sobre economia internacional, setor público e gerenciamento de crise, que para serem solucionados exigem uma boa base de economia”, comenta o vencedor Marcelo da Mata, que ainda acrescentou a importância do evento para fazer amizades com alunos de outras instituições.

A dupla vencedora, além de dividir o prêmio de R$ 2 mil, fica automaticamente classificada para participar da Gincana Nacional de Economia, que será realizada entre os dias 12 e 14 de setembro, em Belo Horizonte (MG).

O Torneio Paranaense de Economia consistiu na disputa por soluções de problemas econômicos entre duas equipes em cada partida, na qual o adversário lança, na tela do concorrente, situações a serem dominadas como: “aumento da taxa de juros”, “inflação”, “valorização da moeda”, entre outras. “No jogo é preciso ter muita concentração e um pouco de sorte, pois só assim se consegue fazer uma boa jogada”, observa a campeã Flávia.

Os acadêmicos da Unioeste Francisco Beltrão, William Eidt e Ana Claudia Kuntz, alcançaram o segundo lugar na competição e vão dividir o prêmio no valor R$ 1,2 mil. A terceira posição ficou com os estudantes da Universidade Estadual de Maringá, Silvia Vilarinho Couto e Gustavo Giachini, que receberam como premiação individual R$ 400. A quarta colocação ficou com os alunos da Universidade Positivo, Vitor Manuel de Carvalho e Marciano Carlos Barreto. Além de testar os conhecimentos, os estudantes tiveram a oportunidade de aproximar e estreitar os laços entre as Universidades e seus estudantes, futuros profissionais de eco-

4

O torneio teve o objetivo de estimular os estudantes de Ciências Econômicas à prática, ao desempenho, à competência e à solidez teórica sobre temas distintos da economia em suas diversas áreas. Reuniu na disputa alunos de dez instituições de ensino do Paraná: FAE e Positivo de Curitiba, UEPG de Ponta Grossa, Unicentro e UFFS de Laranjeiras do Sul, UEM e FCV de Maringá, FECILCAM de Campo Mourão, Unioeste de Cascavel e Francisco Beltrão. 5


FISCALIZAÇÃO

PLENÁRIA FISCALIZAÇÃO 2012

Dando continuidade ao trabalho de fiscalização, o Corecon/PR tem promovido ações nos diversos segmentos do setor público (estadual e municipal) e privado. Também estamos atentos às pessoas jurídicas, quer seja junto aos cartórios de títulos e documentos ou Junta Comercial do Paraná. Vale lembrar a atenção especial para os diversos concursos públicos, com finalidade de preservar a área de atuação do economia. Recentemente uma determinada em-

presa, com registro no Corecon/PR, nos procurou alegando prejuízo no tocante ao edital publicado na cidade de Bagé/RS, onde estava sendo permitida a participação de outros profissionais. De imediato e em conjunto com o Corecon/RS, foi solicitado ao órgão que seja alterado o referido edital que, no primeiro momento, foi suspenso e republicado da mesma maneira. Diante do exposto, foi impetrado Mandado de Segurança, com obtenção de liminar suspendendo o

edital, a fim de que o mesmo seja retificado. Até a presente data, foram abertos 52 processos de exercício ilegal da profissão. Há que ser mencionado, que além dessas atuações, o setor de fiscalização do Corecon/PR tem acompanhado os processos de pedido de cancelamento, com o propósito de confirmar se aqueles que solicitam baixa estão realmente envolvidos em outras áreas.

Corecon-PR firma parceria com a Qualicorp Visando beneficiar os economistas registrados com acesso à saúde de qualidade, o Conselho Regional de Economia firmou parceria com a Qualicorp. A empresa, que atua no mercado nacional, é líder em administração de benefícios e irá disponibilizara Bradesco Saúde entre os convênios médicos oferecidos para o Corecon-PR. Em breve, serão divulgados demais benefícios e planos de assistência à

saúde, para que os economistas possam optar pelo convênio que melhor atenda as suas necessidades. Na assinatura, estiveram presentes o presidente do Corecon-PR, o economista Eduardo Moreira Garcia, o gerente da entidade Amarildo de Souza Santos, a supervisora comercial da filial de Curitiba da Qualicorp, Hosana Loiola e a coordenadora comercial da empresa, Elaine Cristina Beserra. Eduardo Moreira Garcia e Elaine Cristina Beserra.

PRESTAÇÃO DE CONTAS PARA O INFORME 1º TRIMESTRE 2012

INDICADORES DE DESEMPENHO

Corrupção é tema da Cartilha do movimento A Sombra do Imposto Os economistas registrados ao Corecon-PR estão recebendo como encarte desta edição, a cartilha do movimento “A Sombra do Imposto”, que tem como tema a corrupção. O exemplar, distribuído pela Federação das Indústrias do Paraná – FIEP, tem como objetivo promover a conscientização da população sobre a necessidade de mudanças no sistema tributário e fiscal brasileiro. Editada anualmente desde 2010, a cartilha foi uma forma encontrada pela FIEP para gerar mobilização de toda a sociedade, a fim de pressionar o Governo a repensar o injusto e complexo sistema tributário, a injustiça fiscal e assim realizar a possível reforma tributária. Desde o início da campanha, já foram distribuídos mais de 1,6 milhões de exemplares. De acordo do Dorgival Lima Pereira – Coordenador Executivo da Sombra do Imposto e Assessoria á Presidência da FIEP, o tema escolhido para a campanha deste ano afeta diretamente a economia do país, elevando a carga 6

tributária e reduzindo a competitividade do país, além de impactar na diminuição da geração de emprego e renda. “O tamanho da corrupção no Brasil é de R$ 40 bilhões de reais, e ela está presente, infelizmente, em 73 % dos 5.560 municípios brasileiros”, comenta. Dorgival Pereira alerta que o cidadão deve ser o verdadeiro fiscal dos gastos públicos. “Ele tem o direito de cobrar transparência de seus governantes e deve, ao detectar qualquer irregularidade, denunciar ao Ministério Público Estadual ou Federal”, observa.

Em plenária realizada em 11/05/12, conforme pauta previamente acordada foram debatidos e aprovados os seguintes itens: 1 – Aprovação da 2ª Reunião Extraordinária 2012, realizada em 13/04/12. 2 – Aprovação da proposta para convênio de plano de saúde com a empresa QUALICORP, sem custos para o conselho. 3 – Comissão de Tomadas de Contas – aprovação do balancete do 1º Trimestre de 2012. 4 - Comissão de Fiscalização – o presidente da Comissão de Fiscalização, o economista José Augusto Soavinski, relatou aos presentes os processos de registros, cancelamentos e ética, os quais foram deferidos ou indeferidos pelo plenário do Corecon. 5 – APROVAÇÃO DA REALIZAÇÃO DE AÇÕES REFERENTES AO DIA DO ECONOMISTA. Foram aprovados EnTENDA de Economia, Projeto Dia do Economista, Alt eração do Prêmio Economista Paranaense do Ano – permitindo a estudantes registrados votarem no prêmio. 6 – Aprovação do Projeto do EPECO – Encontro Paranaense de Economistas e Estudantes de Economia. Informe sobre o 2º Torneio Paranaense de Economia e Homologação das bancas julgadoras do 22° Prêmio Paraná de Economia. 7 – Sugestão para ampliação do convênio com a OAB e para estudar a viabilização de cursos em conjunto com a OAB e SINDECON. 8 – Apresentada proposta do COFECON para criação do CORECON Acadêmico no Corecon/PR, que foi aprovada. 9 - Resolução 1.868/2012 COFECON define as bases referenciais para valoração dos honorários de serviços prestados por economistas profissionais e por empresas prestadoras de serviços de economia e finanças e institui o Valor da Hora de Trabalho de Economia – VHT, na qual ficou homologada a implantação da tabela e será realizada a divulgação no site do CORECON/PR. 10 – Resolução 1867/2012 COFECON define alterações na ART – Anotação de Responsabilidade Técnica e na CAT – Certidão de Acervo Técnico. As alterações foram apresentadas para a plenária, que decidiu que ART não será cobrada dos economistas e empresas registradas no CORECON-PR.

77


ECONOMISTA

MÊS DO ECONOMISTA CORECON-PR planeja diversas atividades para agosto em comemoração ao Dia do Economista

EnTENDA de Economia, Prêmio Economista Paranaense do Ano, Prêmio Paraná de Economia e o Prêmio BRDE, estão entre as ações.

mercado, bem como por jornalistas e comentaristas econômicos. Por meio da ação, a entidade visa, também, prestar uma homenagem e incentivar os economistas importantes para o Estado, com o reconhecimento dos trabalhos desenvolvidos pela classe. O prêmio compreende três categorias, “Economista Acadêmico do Ano”, “Jornalista Econômico” e “Economista Paranaense do Ano”. Serão três indicados para cada categoria, os quais serão votados pelos economistas registrados junto ao Corecon-PR, e os vencedores serão divulgados durante a premiação.

tivar a pesquisa e a investigação econômica pelos profissionais da área. O Prêmio Paraná de Economia é destinado às categorias Monografia de Conclusão de Curso de Graduação (que foram aprovadas no período letivo de 2011) e Economia Pura e Aplicada. Os artigos técnicos fazem parte do Prêmio BRDE de Desenvolvimento, que tem o objetivo de incentivar a pesquisa e a investigação econômica pelos profissionais de economia. O tema deste ano para os artigos tem como foco a “Análise do papel do BRDE no desenvolvimento do Estado”.

O Conselho Regional de Economia do Paraná (Corecon-PR) irá promover uma série de atividades em agosto, mês em que é comemorado o Dia do Economista. O objetivo da entidade é destacar e fortalecer a importância do economista perante a sociedade. Entre as ações, serão promovidas palestras e debates sobre assuntos econômicos, o projeto EnTENDA de Economia, o 4º Prêmio Economista Paranaense do Ano, o 22º Prêmio Paraná de Economia e o VIIº Prêmio BRDE.

Em Ponta Grossa, na UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa), será promovida a solenidade de entrega do 22º Prêmio Paraná de Economia e do VIIº Prêmio BRDE de Desenvolvimento, no dia 31 de agosto. Promovido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (CORECON–PR) em parceria com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), esses prêmios têm o objetivo de estimular e valorizar a produção científica ligada à economia paranaense pura e aplicada, além de incen-

Por meio dessas atividades, o Corecon-PR pretende prestar uma homenagem aos economistas. As ações planejadas têm a finalidade de aproximar o Economista da população, enaltecendo a importância da sua atuação em diversas áreas. Para o Corecon-PR, este é um modo de destacar o economista perante os demais profissionais na sociedade, esclarecendo que ele é o profissional mais capacitado para entender e interpretar os fatos econômicos que afetam o cotidiano das pessoas.

O projeto EnTENDA de Economia, que é realizado simultaneamente em várias cidades no dia 13 de agosto, reúne economistas, alunos e professores de economia em uma grande ação de cidadania, que oferece orientações gratuitas à população sobre o orçamento doméstico. Além disso, haverá a distribuição da cartilha “Entenda Economia: dicas para o consumo consciente”, que traz uma orientação completa para auxiliar o consumidor no planejamento eficiente dos seus gastos. A entrega do 4º Prêmio Economista Paranaense do Ano será realizada no dia 13 de agosto, em Curitiba/PR, tem como objetivo reconhecer o trabalho realizado por economistas que se destacam no setor acadêmico e no 8

Corecon Informe 7  

Informativo do Corecon. Ano 3. Edição 7. Julho 2012