Page 1


Ambicionar, Perseverar, Alcanรงar!


Ambiente

Epopeia dos Descobrimentos • Iniciada no século XV, com o visionário empenho do Infante D. Henrique, Portugal traçou novos rumos e descobriu novos mundos. Durante mais um século, um pequeno reino expandir-se-ia pelos quatro cantos do Mundo, fomentando o comércio e a riqueza, capitalizando assim a coragem do seu povo, a ousadia dos seus navegadores e o saber dos seus cientistas. Agora, sendo outros os desafios, os Portugueses devem ambicionar repetir os feitos dos seus antepassados.


Novos Horizontes para a Construção Com uma experiência consolidada ao longo de mais

de um Ambiente Melhor Servi­ços de Riba d’ Ave, Aveiro e Oliveira do Bairro, e na Sede;

de uma década, a SUMA detém, desde a sua origem, a posição

da Acreditação (de acordo com a norma NP EN ISO/IEC 17025)

de liderança no mercado nacional dos resíduos, assumindo

do Laboratório integrado na sua estrutura; e da Acreditação

a capacidade da gestão do ciclo completo em todas as suas

(atribuída pelo DGERT, de acordo com a Portaria n.º 782/97, de

variantes (RSU, RIB, RCD, CDR, RIP).

29 de Agosto) como Entidade Formadora. A complementar o

Marcado por uma Política de Gestão que assenta no

seu esforço de actualização, a adesão à Rede Portuguesa Global

compromisso para a Sustentabilidade, o percurso de expansão

Compact, iniciativa internacional lançada pela ONU, que pretende

nacional tem sido norteado por importantes conquistas e investi­

promover uma Economia Global mais sustentável e inclusiva.

mentos nas vertentes da Qualidade Incremental, da For­mação

A estes reconhecimentos acrescem os conquistados por

Profissional e Dignificação do Sector de Actuação, da Inovação,

outras estruturas empresariais do Grupo SUMA, nomeadamente

da Responsabilidade Social, e da Sensibilização e Educação para

a CITRUP, cujos Sistemas de Gestão da Qualidade, Ambiental,

a Cidadania.

Segurança e Saúde no Trabalho, e Responsabilidade Social, estão

Centrada na procura de soluções credíveis e integrati-

certificados de acordo com as normas NP EN ISO 9001:2000,

vas, a SUMA aposta na inovação organizacional e tecnológica

NP EN ISO 14001:2004, OHSAS 18001:1999/ NP 4397:2001 e

como instrumentos de navegação para fundear a permanente

SA 8000:2001, respectivamente.

optimização dos serviços prestados e a salvaguarda das condições de bem-estar das populações.

De olhos voltados para o futuro e perseguindo a «empresa da internacionalização» da sua actividade, a SUMA enfrenta

A determinação com que enfrenta a sua missão – e a de­

novos desafios ao posicionar-se estrategicamente nos mercados

fe­­sa dos valores rumo à excelência –, sustenta a atribuição da

emergentes da Europa de Leste e dos PALOP, ancorando a

Certi­ficação ao seu Sistema de Gestão da Qualidade implemen-

bandeira lusitana com o orgulho com que no passado se selaram

tado (com base na norma NP EN ISO 9001:2000) nos Centros de

os Padrões de todos os Descobrimentos.

Desafiando mundos, juntando povos, ligando vontades – é este o espírito quotidiano do Grupo SUMA –, à semelhança da atitude dos Portugueses durante a epopeia dos Descobrimentos. 3


Padrão dos Descobrimentos (Lisboa) • Monumento em forma de caravela, evoca as façanhas dos nobres, navegadores, marinheiros e artistas portugueses dos séculos XV e XVI. Destaca-se a estátua do Infante D. Henrique, o Navegador, secundado por outras figuras, como o rei D. Manuel I, o cosmógrafo Pedro Nunes, o pintor Nuno Gonçalves e o poeta Luís de Camões; uma geração de ilustres que enriquecem a memória colectiva da nação lusa e alimentam a auto-estima nacional. O edifício, inaugurado em 1960, é uma réplica do padrão provisório concebido para a Exposição do Mundo Português de 1940.


Índice

Índice 06

Recolha de Resíduos

10

Limpeza Urbana

14

Tratamento de Resíduos

18

Análises Laboratoriais

22

Educação Ambiental

26

Inovação, Desenvolvimento e Rentabilização

32

Contactos

5


Museu Nacional dos Coches (Lisboa) • Antigo edifício do Picadeiro Real do Palácio de Belém, foi concluído em 1787, durante o reinado de D. Maria I, sob traço de Giacomo Azzolini (1717-1787), arquitecto italiano naturalizado português. Em 1905, seria transformado em Museu dos Coches Reais pela rainha D. Amélia, consorte do rei D. Carlos. Possui várias dezenas de viaturas, sobretudo coches reais dos séculos XVII, XVIII e XIX. Sendo um dos museus mais visitados de Portugal, exibe as relíquias de uma nação que liderou a globalização e disseminou cultura nos cinco continentes.


ecolha

A salvaguarda

Incorporando nas suas actividades as actuais exigências ambientais, a SUMA privilegia o desempenho em segurança e a ergonomia da sua frota de equipamentos, preocupando-se, simultaneamente, em garantir que a recolha e transporte de resíduos satisfaçam os mais exigentes requisitos das populações.

dos Tesouros Escondidos

L onge vão os tempos das ruas imundas, das mulheres

de corpos dobrados sob cestos de lixo vazados aos rios, ou dos carros de bois acarretando os detritos para locais ermos. Longe vão também os tempos em que tudo tinha valor e era reintegrado na natureza. A dissociação entre produtor e consumidor, e o maior acesso a produtos vindos de lugares remotos – que exigem o seu correcto embalamento e salvaguarda –, introduziu uma nova problemática de gestão: a crescente produção de resíduos e a alteração da sua tipologia. Na senda para a Sustentabilidade Ambiental, a SUMA aposta na Triângulatura do Círculo de valorização dos resíduos, colocando à disposição das populações os sistemas de recolha separativa e selectiva nas suas diversas modalidades (porta-a-porta e de transporte voluntário). Paralelamente, promove in­ves­timentos avultados na mobilização para a Cidadania Activa e na reapren­dizagem do valor dos resíduos como importantes recursos para a geração de novos produtos através da reciclagem.

7


Castelo de São Jorge (Lisboa). Antigo reduto militar porventura anterior à ocupação muçulmana, está associado ao Cerco de Lisboa de 1147, tendo desempenhado funções de defesa. Este espaço foi «reutilizado» posteriormente para funcionar como Paço Real, até princípios do século XVI, quando a Corte se mudou para o Paço da Ribeira. No século XX, depois de já ter sido classificado Monumento Nacional em 1910, foi alvo de profundas obras, recuperando o valor simbólico das diversas etapas de crescimento da nação mais antiga da Europa.


ecolha

Recolha

de Resíduos Resíduos Sólidos Urbanos Indiferenciada Selectiva Separativa

Resíduos Especiais Monos / Monstros Cortes de jardim Gestão de resíduos de construção e demolição

Resíduos Industriais

Gestão global de resíduos e apoio a Clientes Saneamento Contentorização, recolha e transporte

Efluentes Líquidos Remoção de esgotos Limpeza de colectores

A solidez e estabilização da qualidade comprovada dos serviços prestados, leva a SUMA a centrar as suas preocupações em objectivos de optimização mais nobres e dignificantes: alicerçar nas populações as vantagens individuais e colectivas de uma recolha de resíduos que vise a sua valorização e reciclagem (Triangulatura do Círculo).

9


Calçada portuguesa • Desde o século XIX, os pavimentos de pequenos cubos de calcário e basalto em passeios e outros espaços públicos são uma das imagens de marca de Lisboa. Fruto do trabalho laborioso de mestres-calceteiros, este emblema patrimonial já há muito deixou de ser apenas português, estando presente em diversas cidades do Mundo (Rio de Janeiro, Liverpool, Nova Iorque e Macau, entre outras), fazendo com que, à semelhança de inúmeras situações de expansão de diversos produtos nacionais, se deixasse aqui e ali uma marca indelével da lusitanidade.


Limpeza

Imagem de Marca

A Limpeza Urbana é um dos indicadores de desenvolvimento de um país. A aposta em padrões de elevada qualidade fundamenta-se não apenas neste paradigma, mas também na necessidade de promover o vasto património nacional e salvaguardar o pleno usufruto dos espaços públicos, humanizando as cidades, as vilas, e a extensa orla costeira portuguesa.

com Excelência

Os espaços públicos devem ser entendidos por

todos os utilizadores como se de uma casa comum se tratassem, cabendo a todos os «condóminos» a exigência de os manter em boas condições de salubridade e higiene, para que seja possível

beneficiarem do direito ao seu usufruto de acordo com a salvaguarda das liberdades individuais. Este modelo requer o compromisso da hetero-fiscalização e o exercício da Cidadania Activa, mas também a capacidade de colocar ao serviço das populações os métodos e equipamentos mais eficientes e inovadores. Com recurso a tecnologias de ponta na Lavagem, Varredura e Limpeza por Aspiração, a SUMA tem como bastiões de referência a participação em eventos de grande projecção internacional (EXPO’98 e PORTUGAL 2000 – Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia) e a obtenção de distinções públicas concedidas pelo Governo, designadamente no Concurso Nacional de Gestão de Resíduos «Cidades Limpas» (Aveiro, em 2001; e Ílhavo, em 2003). Na Limpeza de Praias, o perfil de desempenho da SUMA contribuiu também para que 29 praias fossem galardoadas em 2007 pela Associação Bandeira Azul da Europa.

11


Forte de São Julião da Barra (Oeiras) • Considerado durante séculos como o Escudo do Reino, por ser a maior fortificação marítima portuguesa, foi concebido pelo arquitecto Miguel de Arruda e concluído em 1568. Além da sua inquestionável função de defesa territorial, nas suas masmorras estiveram presos centenas de jesuítas, durante a perseguição encetada a esta ordem religiosa por Sebastião José de Carvalho e Mello, assumindo um dos símbolos da faceta mais negra da personalidade do Marquês de Pombal, uma das figuras reconhecidamente mais progressistas e empreendedoras da História de Portugal.


Limpeza

Limpeza

Urbana

Limpeza Urbana Varredura mecânica* Varredura manual* Lavagem mecânica* Lavagem manual* Recolha, manutenção e limpeza de papeleiras Corte de ervas e aplicação de herbicidas Limpeza por aspiração Limpeza de feiras e mercados Limpeza de sarjetas, valetas e sumidouros Limpeza superficial de cursos de água Limpeza de fachadas e remoção de graffitis

Limpeza de Praias Limpeza mecânica de areal Limpeza manual de areal Desinfecção de areias

Recolha, manutenção e limpeza de papeleiras

*de passeios, arruamentos e vias de comunicação

Vigilante e diligente no seu desempenho, as acções de Limpeza Urbana garantidas pela SUMA visam a garantia da segurança e bem-estar das populações, sobretudo daquelas franjas específicas que denotam maior fragilidade e preocupação, e que, por isso, deveriam induzir a participação cívica e proteccionista de todos os agentes envolvidos.

13


Mosteiro dos Jerónimos (Lisboa) • Iniciado em 1501, por ordem do rei D. Manuel I, albergou os monges da Ordem de São Jerónimo até 1834. As obras, de arquitectura manuelina, decorreram ao longo de um século, tendo mobilizado avultados recursos materiais e humanos para prestar uma edificante homenagem aos elementos marítimos testemunhados pela bravura dos percursores da «globalização». Alberga os restos mortais ou as arcas tumulares dos reis D. Manuel I, D. João III, D. Sebastião e D. Henrique, além de outras grandes figuras nacionais, como Vasco da Gama, Luís de Camões e Fernando Pessoa.


ratamento

O Mapeamento

A consciência generalizada de que o desperdício é um acto de ignorância colectiva e individual, levou ao aparecimento de inúmeras formas de valorização de detritos. Hoje, nas sociedades mais avançadas, os ciclos de produção integram os resíduos em áreas tão diversificadas como a construção civil, as indústrias têxtil, de arte e design, e o sector energético.

da Valorização

E mbora uma eficaz Recolha e Limpeza Urbana permi-

ta fazer «desaparecer» os resíduos da proximidade imediata das populações, existe, a jusante, um complexo processo de gestão que carece de especial investimento para evitar a criação de

problemas de degradação ambiental com consequências para a Saúde Pública. Nesse sentido, as soluções de fim de linha, como os Aterros Sanitários ou as Centrais de Incineração, devem ser encaradas como reduto da minoria dos resíduos não susceptíveis de valorização. Se bem que seja incontornável o encaminhamento de uma determinada fracção de resíduos para Aterros Sanitários – em condições compatíveis com a salvaguarda do Ambiente Urbano e Natural –, urge apostar na valorização e no potencial de reciclagem e de reutilização da maior parte dos componentes residuais da actividade humana. A este propósito, a SUMA integra, nas vertentes de Tra­ tamento, as melhores tecnologias de triagem dos resíduos – com vista à reciclagem –, de produção de adubos orgânicos através de Centrais de Compostagem, dedicando-se também à concepção e exploração de Aterros Sanitários, sempre numa perspectiva de optimização dos recursos naturais e financeiros.

15


Jardim Botânico da Ajuda (Lisboa) • Fundado em 1768 por ordem do rei D. José, com o fim de manter, estudar e coleccionar o máximo de espécies do mundo vegetal, foi o primeiro Jardim Botânico construído no país. Desenhado pelo botânico italiano Domingos Vandelli, o jardim de 3,5 hectares chegou a albergar 5.000 espécies oriundas de África, Ásia e América, sendo um testemunho de passagem dos Portugueses por todos os continentes.


ratamento

Gestão e Tratamento de Resíduos

Centros de Triagem Concepção, construção e exploração

Estações de Tratamento Mecânico-Biológico

Concepção, construção e exploração

Centrais de Valorização Energética Concepção, construção e exploração

Estações de Transferência Concepção, construção e exploração Gestão da cadeia de transporte - Recolha em Alta

Parques de Resíduos

Concepção, construção e exploração

Aterros Sanitários

Concepção, construção e exploração

Correspondendo à etapa última de um percurso que procura o melhor destino para os resíduos, a sua reconversão em novos produtos e a deposição final em harmonia com o ambiente – quer urbano, quer natural –, estas são operações que potenciam a valorização dos recursos naturais e financeiros. 17


Aqueduto das Águas Livres (região de Lisboa) • Primeira grande Obra Pública Portuguesa, foi mandado construir por D. João V em 1731, a partir de nascentes na zona de Belas. Contudo, as obras somente seriam finalizadas em 1832 com o Reservatório da Mãe de Água das Amoreiras, agregando então cerca de 60 quilómetros de ramais aéreos e subterrâneos e mais de duas dezenas de chafarizes. Foi desactivado, como origem de água potável, na década de 70 do século passado, sendo hoje o mais extenso Monumento Nacional.


aboratório

Ancorar a Qualidade

Porque nenhum esforço de investimento, por maior que seja, pode ser rentável e sustentável sem um apertado controlo de qualidade, a SUMA promove a monitorização contínua dos seus serviços, garantindo, para além da componente operativa, a acreditação do reconhecimento de «bem fazer».

A auto-avaliação e a monitorização dos sistemas

cons­tituem ferramentas imprescindíveis para a manutenção da Quali­dade dos serviços e permitem almejar as posições de topo nas preferências de Clientes e Parceiros, sendo, simultaneamente, o garante da detecção e correcção de anomalias susceptíveis de criar efeitos negativos no Desempenho Ambiental e de Saúde Pública. Para cumprir os níveis de exigência das sociedades mais desenvolvidas, a SUMA, através da vertente laboratorial, dedica especial atenção ao controlo integrado dos parâmetros ambientais nos Sistemas de Tratamento de Resíduos (Centrais de Triagem, Estações de Compostagem e Aterros Sanitários) e de Águas (Sistemas de Abastecimento – consumo humano, Tratamento de Piscinas e Estações Balneares). A melhoria contínua desta vertente de intervenção permite garantir a manutenção da acreditação do Laboratório, pela norma NP EN ISO/IEC 17025, para 56 parâ­metros, alvo de acompanhamento permanente pelo Instituto Regulador das Águas e Resíduos - IRAR – e de auditorias pelo Instituto Português de Acreditação - IPAC.

19


Chafariz do Palácio dos Arcebispos (Santo Antão do Tojal, Loures) • Construído em 1732 sob ordens do arquitecto italiano António Canevari (1681-1764) – o primeiro arquitecto do Aqueduto das Águas Livres –, este chafariz é um exemplo da «internacionalização» de mestrias e saberes, assumindo semelhanças com a famosa Fontana di Trevi, em Roma, concebida por Nicola Salvi, um discípulo de Canevari.


aboratório

Análises

Laboratoriais Águas Análises: • águas para consumo humano • águas balneares • águas de piscinas • águas de processos industriais • águas residuais • lixiviados Colheita e transporte de amostras

Resíduos

Estudos de caracterização física Caracterização físico-química de resíduos Análise química de solos, lamas e correctivos orgânicos

Sistemas de Tratamento

Monitorização ambiental de aterros sanitários Caracterização e avaliação de processos de tratamento

de águas Estudos de variáveis ambientais

Num mercado que exige permanente actualização, a SUMA integra, na gestão da sua actividade, as tecnologias mais sofisticadas e fidedignas, para satisfazer os mais exigentes padrões de qualidade e permanecer no topo das preferências de Clientes e Potenciais Clientes, assegurando o compromisso do rigoroso cumprimento dos critérios ambientais.

21


Claustro Gótico da Sé do Porto • Situada no coração do centro histórico, a Sé é um dos principais e mais antigos monumentos da Cidade Invicta. O início da sua construção data da primeira metade do século XII, tendo esse primeiro edifício, em estilo românico, sofrido muitas alterações ao longo dos séculos. O claustro (séc. XIV) foi construído no reinado de D. João I, o fundador da «Ínclita Geração», responsável pela empresa dos Descobrimentos.


ducação

Tratado de Vocação

Apoiando-se num passado com provas dadas na arte de promover consciências críticas que actuem numa perspectiva de mudança e desenvolvimento, a SUMA investe na aprendizagem e formação contínuas para que as gerações mais jovens adquiram competências sociais e individuais de Cidadania e herdem um futuro mais sustentável.

Responsável

Num Mundo cada vez mais globalizado e com um

crescente apelo ao consumo e ao desperdício, a Sensibilização para as boas práticas ambientais tem colocado a SUMA numa posição interventiva de âmbito nacional, que muito ultrapassa as valências contratuais com os municípios de actuação. Tida como um dos principais vectores de criação de gerações socialmente mais responsáveis, à Sensibilização Ambien­tal estão associados os nobres propósitos de garantir uma maior funcionalidade dos serviços prestados às populações e uma elevada eficácia na gestão dos recursos. Com implicações directas no aumento da maturação cívica das populações, os avultados investimentos na concepção de projectos únicos no País são justificados pelo compromisso da Sustentabilidade. Detendo um património ímpar de mais de duas centenas de campanhas de sensibilização, a Responsabilidade Social é assumida com a determinação das empresas que revêem a liderança como motor de desenvolvimento colectivo. Vocacionadas para estimular aprendizagens sobre as boas práticas ambientais, esta área de actuação tem sido granjeada pelo reconhecimento da sua participação para a redução da produção de resíduos e sua valorização.

23


Castelo de Almourol (Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha) • Antigo reduto militar muçulmano, localizado numa pequena ilha do rio Tejo, foi reedificado depois da fundação de Portugal por ordem do rei D. Afonso Henriques, sendo entregue aos Templários, que o usaram para defesa militar e controlo do comércio fluvial. Depois da extinção da Ordem dos Templários passou a ser gerido pela Ordem de Cristo, cujo símbolo rasgou os mares nas velas das embarcações Portuguesas. É Monumento Nacional desde 1910.


ducação

Educação

Ambiental Campanhas de Sensibilização Concepção: • Planos estratégicos de intervenção • Materiais de suporte: instrumentos informativos e lúdico-pedagógicos Monitorização das acções: • Distribuição qualitativa por contacto pró-activo Avaliação: • Estudo e análise de resultados • Identificação de medidas de eficácia • Elaboração de instrumentos de medida

Programas de Educação Ambiental Sessões de formação Sessões de animação Sessões multimédia

Unidades Móveis de Sensibilização LIXOTECA® REUTILÂNDIA® CIDADÓMETRO ®

Almejando a sensibilização transversal para a Cidadania Activa, através da constituição de redes de propagação epidémica de mensagens, as campanhas de sensibilização e educação ambiental da SUMA assumem o compromisso da adequação pedagógica, envolvendo a população mais receptiva ao trabalho de mudança comportamental e os públicos específicos com perfil relevante na produção de resíduos.

25


Rosa-dos-ventos no Padrão dos Descobrimentos (Lisboa) • Com um diâmetro de 50 metros, em mármores de vários tipos, contém um planisfério de 14 metros onde estão embutidas naus e caravelas, bem como as principais rotas dos primeiros navegadores lusitanos. Foi desenhada pelo arquitecto Luís Cristino da Silva (1896-1976) e oferecida pela África do Sul, pouco depois da inauguração do actual Padrão dos Descobrimentos, em 1960. É um marco inequívoco da audácia dos Portugueses na descoberta de novos horizontes.


novação

Rotas de Desenvolvimento A sustentabilidade do progresso resulta de um

compromisso com a antecipação do futuro, questionando-

-se continuamente procedimentos e metodologias. O sucesso empresarial carece de capacidade de visão e de uma aposta estratégica na inovação. Perspectivando novos desafios, e recorrendo a meios financeiros, técnicos e oficinais próprios, a SUMA contempla as actividades de Inovação, Desenvolvimento e Rentabilização que reflectem uma política de intervenção vocacionada para a resolução de problemas reais, ultrapassando largamente o seu objecto jurídico. As boas práticas ambientais e de ecoeficiência e a preocupação da excelência do serviço assumem maior expressão na concepção e reformulação de sistemas e/ou equipamentos destinados a encontrar alternativas de desempenho, que visem promover a procura de soluções menos poluentes para emissões gasosas, líquidas e sonoras, e que garantam o incremento da sua fia­bilidade e manutenabilidade. O trabalho produzido permitiu já a concepção de diversos equipamentos, testados, patenteados e em funcionamento em contexto real, tendo um deles sido objecto de atribuição do 1º Prémio Nacional de Inovação Ambiental.

Atenta às necessidades de mudança e aos novos desafios, a SUMA encara a ecoeficiência como bastião de desenvolvimento e inovação, socorrendo-se da «geração de conhecimento» para lançar soluções eficazes inexistentes no mercado do sector dos resíduos. 27


Torre de Belém (Lisboa) • Baluarte mandado construir por D. Manuel I entre 1514 e 1520, sob ordens do arquitecto Francisco Arruda (m. 1547), no local onde partiam as frotas para as Índias. Com a perda da sua importância militar, foi funcionando como registo aduaneiro, posto de sinalização telegráfico e farol, bem como prisão nos reinados de D. Filipe I e D. João IV. Foi classificado Monumento Nacional em 1907, e em 1983, pela UNESCO, Património Cultural da Humanidade, à semelhança de treze conjuntos monumentais e paisagísticos, e dezassete cidades dispersas pelo antigo Império Português.


novação

Inovação,

Desenvolvimento

e Rentabilização SU MA-VLE Sistema de lavagem interior e exterior de contentores de ecopontos de superfície e subterrâneos. Galardoado com o 1º Prémio Nacional de Inovação Ambiental – Indústria e Ambiente (2004).

SU MA-SPIC Sistema de identificação electrónica de contentores.

SU MA-FIX Sistema de fixação / travagem de contentores.

SU MA-DAAC Dispositivo de acoplamento e abertura de contentores.

SU MA-KIT HERBICIDA Sistema de aplicação de herbicida para moto 4.

SU MA-QUICK Sistema para suspensão de cargas.

Detentora de um conhecimento alargado sobre os processos produtivos e consciente da necessidade de assumir uma postura concorrencial num mercado em permanente mudança, a SUMA encara a inovação radical e incremental como importantes ferramentas para assegurar a criação de dinâmica empresarial e encetar novas descobertas.

29


Igreja de São Vicente de Fora (Lisboa) • Construção emblemática do período de fusão entre as coroas peninsulares, o novo edifício deste Mosteiro é a mais importante peça da arquitectura portuguesa de fins do século XVI. No local onde se situa actualmente, acamparam, em 1147, o rei D. Afonso Henriques e o seu exército, em preparativos para a tomada de Lisboa. O templo foi erigido para cumprir o votomeninos que o reinofizera ao mártir Vicente, Castelo de São São Jorge em Lisboa pelo bom sucesso da conquista. A sua história evoca o legado de empreendorismo, determinação e tenacidade do rei fundador da nacionalidade.


Obrigado

Agradecimentos A todos os que tornaram possível a concepção deste inventário de competências, a SUMA dirige sinceros agradecimentos, sobretudo pela participação generosa e exemplar com que se prestaram a ficar para o registo da História da empresa, tendo para isso dispensado um insubstituível capital de património individual: o retrato das suas emoções e da sua resgatada disponibilidade.

Abdul Abba, Ana Balsemão, Ana Carvalho, Ana Catarina Cordeiro, André Gonçalves, André Ribeiro, Bernardo Pinheiro, Candela Masiello, Carolina Baião, Catarina Borges, Cláudia Kol de Carvalho, Cristina Masiello, Duarte Silva, Francisco Monteiro, Francisco Seiça, Gonçalo Borges, Gonçalo Seiça, Gustavo Gama, Inês Ferreira, Inés Masiello, Joana Mota, João Lourenço Mota, João Ferreira, João Mota, José Luís Baptista, Lia Carvalho, Luís Teixeira, Mara Kol de Carvalho, Mariana Santos, Marta Cordeiro, Martim Dias, Martinha Santos, Melanie Teixeira, Miguel Balsemão, Miguel Gonçalves, Miguel Ribeiro, Olavo Santos, Pedro Borges, Pedro Moreira, Rodrigo Santos, Ruben Mateus, Sara Margarido, Sara Santos, Tiago Barata e Tiago Ferreira.

Especial agradecimento Padrão dos Descobrimentos Museu Nacional dos Coches

Apesar da sua História recente, o projecto de edificação da SUMA tem sido resultado do contínuo esforço e envolvimento do seu capital humano, das relações empreendedoras dos seus Accionistas, Clientes, e Parceiros. 31


Contactos

Padrão (réplica no Tamariz) • Até 1482, as descobertas marítimas eram assinaladas apenas com cruzes de madeira, mas a partir desse ano, por ordem de D. João II, passaram a ser substituídas por colunas de pedra encimadas por uma cruz e com inscrições em português, latim e árabe. O primeiro padrão (São Jorge) seria hasteado por Diogo Cão na margem do actual rio Zaire, tendo sido também colocados noutros locais de África por Bartolomeu Dias e Vasco da Gama, marcos que eternizaram o testemunho dos audazes percursos dos nossos antepassados.

Como um marco de seriedade e responsabilidade, a SUMA segura com firmeza os compromissos assumidos, para assim assegurar o Bem-Estar das gerações actuais e futuras.


SUMA

SEDE

CENTROS DE SERVIÇOS

R. do Mar do Norte

CAMINHA / CERVEIRA

ÍLHAVO

PORTO / MAIA

SINTRA / ALMADA

Lugar do Feital

Zona Industrial de Taboeira

Lugar da Pinguela - Custóias

Cabra Figa

Lote 1.03.2.1B, 1º

AVEIRO /

4910-409 Vila Praia de Âncora

Lote 51, Apartado 3015

4460-793 Matosinhos

E.N. 249, Lote 3

1998-017 Lisboa

OLIVEIRA DO BAIRRO

Tel.: 258 915 075

3801-101 Aveiro

Tel.: 229 436 040

2635-047 Rio de Mouro

Tel.: 217 997 700

Zona Industrial de Taboeira

Fax: 258 915 076

Tel.: 234 303 230

Fax: 229 436 049

Tel.: 214 453 547

Fax: 217 997 763

Lote 51, Apartado 3015

Mail: caminha@suma.pt

Fax: 234 310 451

Mail: matosinhos@suma.pt

Fax: 214 456 994

Mail: sede@suma.pt

3801-101 Aveiro

Mail: ilhavo@suma.pt

Mail: sintra@suma.pt

Tel.: 234 303 230

FARO

PÓVOA DE VARZIM /

Fax: 234 310 451

Sítio da Malvada

TERRAS DE BOURO

VALE DO SOUSA

Mail: aveiro@suma.pt

Caixa Postal 61 Z

LEIRIA

Quinta da Mangalaça

R. Alexandrino Chaves Velho

Braciais - Patacão

Charneca

Lugar de Góios - Marinha

Nº 62, 2º Esq. - Leigal

ALCOBAÇA

8005-518 Faro

Zona Industrial da Barosa

4740-543 Esposende

4590-318 Freamunde

R. da Lagoeira - Fervença

Tel.: 289 815 724

2400-013 Leiria

Tel.: 253 966 149

Tel.: 255 870 608

2460-526 Alcobaça

Fax: 289 815 726

Tel.: 244 852 541

Mail: esposende@suma.pt

Fax: 255 870 632

Tel.: 262 597 706

Mail: faro@suma.pt

Fax: 244 829 131 Mail: leiria@suma.pt

Fax: 262 597 753 Mail: alcobaca@suma.pt

GAIA / STª MARIA DA FEIRA /

Mail: valedosousa@suma.pt RIBA D’AVE Quinta do Mato

AROUCA

OURÉM / CONSTÂNCIA

4765-901 Riba D’Ave

BATALHA / PORTO DE MÓS

R. do Passadouro - Madalena

E.N. 356 S/N

Tel.: 252 900 780

Zona Industrial da Jardoeira

4405-776 Vila Nova de Gaia

Casal dos Crespos

Fax: 252 900 789

Lote 5, Apartado 200

Tel.: 227 151 730

2490-782 Ourém

Mail: ribadave@suma.pt

2440-040 Batalha

Fax: 227 151 739

Tel.: 249 544 222

Tel.: 244 766 077

Mail: vngaia@suma.pt

Fax: 249 544 238

Fax: 244 766 697

Mail: ourem@suma.pt

Mail: batalha@suma.pt

33


GRUPO SUMA

EMPRESAS ASSOCIADAS

EMPRESAS PARTICIPADAS

NOVAFLEX

NOVA BEIRA

RESIGÉS

SUMA ESPOSENDE

AMBIGERE

ECOLEZÍRIA

R. do Mar do Norte

Serviços Administrativos

Serviços Administrativos

Quinta da Mangalaça

Caminho das Voltas

R. Dionísio Saraiva

Lote 1.03.2.1B, 1º

R. do Mar do Norte

R. do Mar do Norte

Lugar de Góios - Marinha

Nº 15

Nº 2, 1º, Porta 5

1998-017 Lisboa

Lote 1.03.2.1B, 1º

Lote 1.03.2.1B, 1º

4740-543 Esposende

9060-329 Funchal

2080-104 Almeirim

Tel.: 217 997 700

1998-017 Lisboa

1998-017 Lisboa

Tel.: 253 966 149

Tel.: 291 210 290

Tel.: 243 599 028

Fax: 217 997 763

Tel.: 217 997 700

Tel.: 217 997 700

Mail: esposende@suma.pt

Fax: 291 238 956

Fax: 243 597 808

Mail: novaflex@suma.pt

Fax: 217 997 763

Fax: 217 997 763

Mail: novabeira@suma.pt

Mail: resiges@suma.pt

SUMA DOURO

AMBILITAL

REAL VERDE

Sede

Sede

Aterro Intermunicipal

Monte Novo dos Modernos

RESILEI

Serviços Administrativos

Campo Grande, Nº 35, 7º B-C

Avenida Luísa Tody, 375

do Vale do Douro Norte

Apartado 20 - Ermidas Sado

Quinta do Banco

R. do Mar do Norte

1700-087 Lisboa

Edifício Ceiset

Mosteiro - Andrães

7565-908 Alvalade

Apartado 772

2900-464 Setúbal

5000-033 Vila Real

Tel.: 269 502 222

2416-905 Leiria

Lote 1.03.2.1B, 1º

Mail: ecoleziria@gmail.com

1998-017 Lisboa

INVESTAMBIENTE

Tel.: 259 511 864

Fax: 269 502 111

Tel.: 244 570 360

Tel.: 217 997 700

Serviços Administrativos

Fax: 259 518 350

Mail: geral@ambilital.pt

Fax: 244 570 369

Fax: 217 997 763

R. do Mar do Norte

Mail: douro@suma.pt

Mail: realverde@suma.pt

Lote 1.03.2.1B, 1º

CITRUP

RIMA

Sede

1998-017 Lisboa

SERURb MATOSINHOS

Lugar de Sendal

R. António Gomes Ribeiro

Aterro Intermunicipal

Tel.: 217 997 700

Lugar da Pinguela - Custóias

Apartado 3060

(Entrada Sul), 1º Esq. Tras.

do Vale do Douro Norte

Fax: 217 997 763

4460-793 Matosinhos

4471-907 Moreira da Maia

Silvares

Mosteiró - Andrães

Mail: investambiente@suma.pt

Tel.: 229 436 040

Tel.: 229 471 070

4620-131 Lousada

5000-033 Vila Real

Sede

Fax: 229 436 049

Fax: 229 471 071

Tel.: 255 870 608

Rua Alto do Montijo

Mail: matosinhos@suma.pt

Mail: geral@citrup.pt

Fax: 255 870 632

ECOLATLÂNTICA

TRATOFOZ

R. do Mar do Norte

Local do Aterro

Lote 1.03.2.1B, 1º

3900-476 Maiorca

Lotes 1 e 2, 2º 2795-000 Carnaxide

1998-017 Lisboa Tel.: 217 997 700 Fax: 217 997 763


Finisterra


Cer tificações/ Acreditações CITRUP

• NP EN ISO 9001:2000 • NP EN ISO 14001:2004 • NP 4397:2001 / OHSAS 18001:1999 • SA 8000:2001 SERURb – Laboratório • NP EN ISO / IEC 17025 SUMA – Sede e Centro de Serviços de Aveiro e Oliveira do Bairro • NP EN ISO 9001:2000 SUMA – Estação de Tratamento de

Resíduos Sólidos Urbanos de Riba d’ Ave • NP EN ISO 9001:2000 SUMA – Departamento de Formação • Portaria n.º 782/97, de 29 de Agosto Adesões SUMA

• The Global Compact


Catálogo Institucional  

Catálogo de serviços corporativos

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you