Issuu on Google+

1

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO ESPIRITO SANTO FACULDADE DO ESPIRITO SANTO – UNES ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 3° PERIODO

BRUNO LENON PICOLI PESSIN MONIQUE HELLEN VICTORIO BELATO MATEUS FIM BARBOSA

GUIA DE LINGUAGEM C

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 2013


2

BRUNO LENON PICOLI PESSIN MONIQUE HELLEN VICTORIO BELATO MATEUS FIM BARBOSA

GUIA DE LINGUAGEM C

Trabalho Acadêmico apresentado a disciplina de Programação de Computadores na Faculdade do Espirito Santo, como requisito parcial de avaliação. Professor: Valderedo Sedano

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 2013


3 SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO............................................................................................... ...................... 04 2 Guia da Linguagem C ........................................................................................................... 05 2.1 Comando If ........................................................................................................................ 05 2.2 Comando If else If .............................................................................................................. 05-06 2.3 Comando Switch ................................................................................................................ 07-08 2.4 Comando While ................................................................................................................. 08-09 3 Pesquisa da Web .................................................................................................................. 10-11

4 CONCLUSÃO ....................................................................................................................... 12 5 BIBLIOGRAFIA .................................................................................................................... 13


4

1.INTRODUCÃO A linguagem C nos mostra a base da maioria dos sistemas que conhecemos hoje, é através dela que obtivemos conhecimento de lógicas de programação para definir questões simples ou complexas. Para que estas resoluções ocorrerem precisou-se encontrar uma sequência de instruções que quando executadas resultem na solução da questão, e é isto que visaremos neste guia rápido, uma explicação simples e direta do contexto da linguagem C.


5

2-GUIA DE LINGUAGEM C 2.1 Comando if Utilizamos o comando if quando desejamos que o programa teste uma ou mais condições e execute um ou outro comando de acordo com o resultado deste teste. A sintaxe de if é a seguinte: if (condição) { comandos; } else { comandos; } A declaração if testará a condição expressa entre parênteses. Caso a condição seja verdadeira, os comandos declarados entre as chaves serão executados. A declaração else é opcional: podemos utilizá-la para determinar um conjunto de comandos que serão executados caso a condição testada seja falsa. Note que somente um dos conjuntos de comandos será executado, nunca os dois: caso a condição seja verdadeira, o bloco pertencente a if será executado; caso a condição falhe, o bloco pertencente a else será executado.

2.2 Comando If – Else if Utilizamos a variação “If – Else If” quando desejamos que o programa teste várias condições em sequência, até encontrar uma que seja verdadeira. Sua sintaxe é muito parecida com a declaração if simples: if (condição) { comandos; } else if (condição)


6

{ comandos; } else if (condição) { comandos; } else { comandos; } Cada bloco “else if” deverá testar uma condição diferente. O programa testará todas as condições na sequência, de cima para baixo, até encontrar uma condição verdadeira. Quando isto acontece, os comandos pertencentes ao bloco “verdadeiro” serão executados enquanto todos os outros blocos do encadeamento são ignorados. Caso nenhuma condição “else if” seja verdadeira, executa-se o bloco de comandos pertencente ao else final. Note que o else é opcional: Se o else final não estiver presente e todas as outras condições forem falsas, então nenhuma ação será realizada.

Exemplo: EX. IF e ELSE: # include < stdio.h> # include <stdlib.h> Main() { In n; Printf (“Digite um número\ n”); Scanf (“%d”, &n); If ( n <=30) { Print f(“O número é menor ou igual a trinta\n”); } Else if ( n==0) { Printf (“O número é igual a zero\ n”); } Else ( n>5) { Printf (“O número é maior que trinta\ n”); } Sistem (“PAUSE”); }


7

2.3 Comando Switch A declaração switch é uma maneira fácil e elegante de se fazer uma tomada de decisão com múltiplas escolhas. Na declaração switch, a variável é sucessivamente testada contra uma lista de inteiros ou constantes caractere. Quando uma associação é encontrada, o conjunto de comandos associado com a constante é executado. Veja a sintaxe de switch abaixo: switch ( variável ) { case valor1: comandos; break; case valor2: comandos; break; ... case valorx; comandos; break; default: comandos; } A declaração switch testa o valor de uma única variável. Note que existem vários “case”, cada um associado a um determinado valor. A declaração comparará o valor da variável com o valor de cada um dos “case”: quando uma associação é encontrada, os comandos pertencentes ao “case” relacionado são executados. Se nenhuma associação for encontrada, a declaração switch executará os comandos pertencentes ao bloco default (note que o bloco default é opcional: caso ele não exista, caso nenhuma associação seja encontrada a declaração switch termina sem que nenhum comando seja executado). O exemplo abaixo demonstra uma utilização da declaração switch Após o fim de cada bloco de comandos “case”, é comum utilizar o comando “break;”. Este comando interrompe a execução do laço em que o


8

programa se encontra, fazendo com que o programa prossiga para o próximo comando imediatamente após o laço. No caso de switch, o comando break assegura que a execução da declaração switch termine, forçando o programa à voltar para sua execução normal. Caso omitíssemos os comandos break; no fim de cada bloco, a declaração switch executaria os comandos presentes no “case” em que a associação foi encontrada, e continuaria a executar todos os comandos presentes em todos os “case” na sequência (incluindo o bloco default) até o término da declaração switch. Note que este comportamento pode ser útil em alguns programas, como por exemplo uma sequência de operações matemáticas onde utilizamos a declaração switch para escolher o ponto de partida da sequência. Ex.: # include <stdio.h> Main() { Float x; Printf (“Digite seu peso\ n”); Scanf (“%f”, &x); Switch (peso) Case ´<=45´: Printf (“magro\ n”); Case ´<=60´: Printf(“Médio\ n”); Case ´<100´: Printf (“obeso\ n”); Default; Printf ( peso exorbitante\ n”); }

2.4 Comando while Uma outra forma de laço é a declaração while. Seu funcionamento é muito parecido com a declaração for que estudamos anteriormente. Ao encontrar um laço while, o programa testa a condição especificada. Se a condição for verdadeira, efetuará os comandos contidos no laço. Quando a condição se torna falsa, o laço termina e o programa passa para o próximo comando. A sintaxe da declaração while é a seguinte: while (condição) { comandos; }


9

A declaração while é diferente é diferente da declaração for em alguns aspectos. Em primeiro lugar, while não utiliza variáveis de controle automaticamente. O único argumento entre os parênteses é a condição a ser testada: caso a condição nunca mude e seja sempre verdadeira, estaremos criando um laço infinito. Assim, cabe ao programador inserir uma variável de controle no laço while para evitar que isso ocorra. Isso pode ser feito declarando-se e inicializando-se uma variável antes do laço while, testando esta variável de controle no laço while e finalmente modificando esta variável (incrementando-a ou decrementando-a) após a execução dos comandos necessários.

Exemplo: #include <stdio.h> Main (){ Int n; N=1; While (n,=10) { Printf(“10*%2d=%2d”,n10*n); N=n+1; } }


10

3-PESQUISA NA WEB

INSEGURANÇA NA WEB

Atualmente a internet nos possibilita realizar diversas transações bancárias, além de pagamentos de contas e compra de produtos, com isso vem a preocupação sobre a segurança na Web. Todos sabem que é importante ter um antivírus, e também sempre mantê-lo atualizado, todas as vezes que estivermos online, pois a cada dia surgem novos vírus, ou seja, alguns softwares que podem infiltrar no computador de forma ilícita com intuito de causar danos ou roubar informações identificados como Malware, Spyware, etc. Recentemente no Brasil, foi descoberto um malware bancário, que detecta quando uma pessoa visualiza um boleto bancário no navegador e altera em tempo real os números da linha digitável para desviar o destino do pagamento, além de corromper o código de barras para impedir o uso e obrigar a vítima a digitar a sequencia numérica enganosa. O vírus traz ainda recursos de captura de senha do Facebook e Hotmail. Devemos estar atentos, pois até mesmo quem não utiliza os serviços do Internet Banking pelo computador, pode ser vítima ao receber um boleto impresso, pois continuará com os números incorretos, e o dinheiro pago irá para uma conta diferente daquela que deveria receber o dinheiro. De acordo com a Linha Defensiva, o código não altera boletos de um site específico. Qualquer página que tiver uma linha digitável e a palavra “boleto” está sujeita a ser modificada. Além disso, o malware não modifica os dados apresentados de forma legível, ou seja, o valor, a data de vencimento do boleto, o logo e o número do banco sempre estarão corretos para que a vítima não perceba. O vírus ao ser iniciado tenta localizar a presença de softwares de segurança dos bancos e removê-los do computador, e também desabilita o firewall do Windows. Para detectar o golpe é importante analisar:   

As linhas digitáveis dos boletos serão sempre parecidas; Os códigos de barras com espaçamento em branco será inválido; O logo do banco será sempre idêntico ao numero do banco presente na linha digitável;

Outra muito importante é ir direto a sua agência bancária e se cadastrar o bankline disponível com uma senha para melhorar sua segurança. É recomendável que o certificado de segurança que seu banco disponibiliza seja instalado no computador que escolher para realizar suas transações. Atentar


11

para os programas que você instala no seu computador é um item importante, pois alguns programas podem acessar seus dados sem que você perceba e autorize. Para um bom desempenho destas facilidades é necessário que você tenha um antivírus bom e atualizado. Há atualmente versões gratuitas disponíveis para download que atendem a demanda, mais o melhor é adquirir um antivírus completo e que ofereça a proteção total do seu computador.


12

4-CONCLUSÃO

A visão geral que pode ser observada neste guia fornece o conhecimento básico para que o usuário da linguagem C consiga executar funções simples e diretas através do mesmo. Tais como obedecer a uma sequência de operações antes de tornar-se executável, depois de escrever as sequências acionar o compilador para desencadear as tarefas que o problema pede. Pode ser de extrema ajuda saber a linguagem de programação. Ela pode te auxiliar em uma simples tarefa ou até mesmo em serviços amis complexos como até o fechamento de uma folha de pagamento. Espero que tenha sido de grande ajuda nosso guia de linguagem C.


13

5-BIBLIOGRAFIA

http://linguagemc.com.br/ https://pt.wikipedia.org/wiki/C_%28linguagem_de_programa%C3%A7%C3%A3 o%29 http://g1.globo.com/tecnologia/


Guia de Linguagem C