Page 1

Coreando Cultura, política, religião, pontos turisticos e muito mais

3

curiosidades que você nem imagina

O desconhecido mundo da gastronomia coreana!

Conheça um pouco do que realmente é a cultura

Sul Coreana


10

11

3 Sumário á

7

   ó  í

 ã   ú    


PONTOS TURÍSTICOS

NAMSAN SEOUL TOWER

A Namsan seoul tower é um dos principais pontos turísticos da capital Seul. Mede 236,7 metros de altura (a partir da base) e chega até 479,7 metros acima do nível do mar. Foi aberta ao público em 1980

Uma das atrações mais populares na torre, além da bela vista da cidade, é a parede de cadeados deixados por casais apaixonados, simbolizando o amor entre duas pessoas e selando seus destinos. Depois de colocar o cadeado na grade da torre, os casais jogam a chave longe para nunca ser encontrada, simbolizando o amor eterno.

GANGNAM Gangnam é uma das regiões mais ricas do país, com restaurantes, hotéis de luxo, lojas de grife e grandes empresas. O vídeo “gangnam style” foi inspirado e gravado neste distrito, especificamente no shopping COEX Mall, o maior centro comercial do continente.


HONGDAE Hongdae é o principal local de entretenimento e de vida noturna na Coréia do Sul. Durante o dia, as diversas loja de café ficam lotadas por alunos e jovens artistas. À noite, ocorrem inúmeras apresentações, concertos e musicais realizados por artistas independentes. Mais tarde, casas noturnas e bares são abertos. Muitos bares e restaurantes permanecem abertos até as 7:00 da manhã.

JOGYESA TEMPLE Jogyesa Temple é um ponto turístico ideal para quem quer conhecer melhor a religião budista e escapar um pouco da agitação da cidade. Além da arquitetura espetacular, um outro atrativo é o festival de lanternas que ocorre a cada primavera para comemorar o aniversário de Buddha. O local fica repleto de lanternas de lótus.

LOTTE WORLD

Localizado em Seul, trata-se do parque temático com maior interior do mundo. O Lotte World conta com diversas atrações: um parque de diversões ao ar livre chamado “Magic Island”, uma ilha artificial dentro de um lago ligado


por monotrilho, shopping centers, um hotel de luxo, um Museu Folclórico, cinemas e um aquário. Possui a maior pista de patinação no gelo da Coreia, além de atrações exclusivas e diferentes a cada estação do ano. mundo, sendo chamado esse movimento cultura de onda Hallyu (literalmente: “ Onda coreana”).

CULTURA / HISTÓRIA A história da Coreia pode ser dividida, a princípio, em três partes principais: pré-história e antiguidade, os três reinos da Coreia, e a modernidade. Koguryo foi fundado em 37 a.C, por Jumong, e posteriormente Taejo unificou o governo da região. Koguryo foi o primeiro dos três reinos a adotar o budismo como religião oficial. Período Posterior dos Três Reinos: Entre os anos 980 e 935, os três antigos reinos ressurgiram na península. Um dos grupos de rebeldes camponeses que se organizaram para vencer o reino de Silla, dirigido por Wang Kon, criou em 918, no Norte da península, o reino de Koryo ("alto e belo"), de onde procede o nome da Coreia.

Modernidade : No século XIX, a Coreia tornou-se objeto de intensa rivalidade entre Rússia e Japão. Aberta ao comércio japonês em 1876, foi envolvida nas guerras sinojaponesas (1894 - 1895), sendo-lhe garantida a independência em 1895 pelo Tratado de Shimonoseki, o suficiente para que virasse campo de batalha durante a guerra Russo-Japonesa (19041905). Em 1905, o Japão, que eliminara os Qing na Coreia (1895), forçou a Coreia a assinar o Tratado de Eulsa, transformando o país em um protetorado japonês. E em 1910, as tropas japonesas ocuparam a Coreia, transformando-a em colônia.

A partir da anexação, a sociedade e os costumes coreanos modificaram-se profundamente, a indústria e a economia integraram-se por completo no sistema de produção japonesa e verificou-se um acelerado processo de expansão. O japonês tornou-se a língua oficial e as tropas de ocupação sufocaram todas as tentativas de rebelião. Na atualidade o país é reconhecido mundialmente por suas tecnologias e cultura popular (K-pop), a partir do ano de 1990 o país tomou um rumo diferente quanto a exportação, se tornando o país asiático a mais exportar conteúdo televisivo e musical para o

A coreia também é reconhecida mundialmente pela educação de qualidade e saúde, também ocupa 12º lugar no ranking mundial de desenvolvimento humano e possui uma das menores taxas de mortalidade infantil sendo 4 mortos para 1000 nascidos.


COMO É A POLÍTICA NA COREIA DO SUL?

O Poder Executivo: o presidente é o chefe do Estado, do governo e o comandante-chefe das forças armadas. Ele é eleito para um mandato único de 5 anos. Além disso, desfruta dos poderes executivos e nomeia o Primeiro-Ministro, que não precisa ser membro do parlamento, e o Conselho de Estado (gabinete) com o consentimento do Parlamento. O ministro é o auxiliador do presidente. O setor executivo do governo é direta ou indiretamente dependente do apoio do parlamento, frequentemente expresso através de um voto de confiança. O Poder Legislativo: a legislatura na Coreia do Sul é possui uma única câmara legislativa. O Parlamento, chamado de Assembleia Nacional, é eleito por um mandato de quatro anos e conta com 299 assentos distribuídos entre os partidos de acordo com um sistema proporcional ao número de votos.

O governo sul-coreano é definido como uma democracia presidencialista assim como no Brasil, na qual o presidente da República é o chefe de governo e o chefe de Estado. Em 1948 tiveram lugar pela primeira vez nas eleições diretas, e apesar disso a Coreia do Sul foi governada por várias ditaduras militares entre 1960 e 1980, o que significa que a democracia na Coreia do Sul é relativamente recente.

Os poderes na Coreia seguem a linha de muitos países democráticos, sendo divididos em três poderes: o executivo, o legislativo e o judiciário.

Poder judiciário: é a Corte Constitucional da Coreia do Sul, cujos juízes são nomeados pelo presidente com o consentimento do parlamento, além de ser independente dos outros dois poderes. São supervisionadas questões de constitucionalidade. A Coreia do Sul não aceitou a jurisdição obrigatória do Tribunal Internacional de Justiça. Primeiro-ministro: Lee Nak-yeon Presidente: Moon Jae-in

Casa Azul – Sede presidencial Assembleia Nacional da Correia do Sul – Sede do Poder Legislativo


RELIGIÃO DA COREIA DO SUL

A religião na Coreia do Sul é denominada principalmente pelo budismo tradicional. Possui um grande crescimento da fé cristã (composto de cristãos católicos e protestantes de várias denominações).

O budismo representa uma atitude perante o mundo, uma técnica de comportamento. Seus seguidores aprendem a desapegar-se de tudo o que é transitório, o que resulta numa espécie de autossuficiência espiritual.

As três maiores religiões praticadas são o Budismo, Protestantismo e Catolicismo e o restante segue para vários novos movimentos religiosos, incluindo Jeungismo, Daesunismo, Cheondoísmo.

PROTESTANTISMO Um dos principais ramos do cristianismo, teve início na Europa Central no começo do século XVI, foi uma reação contra as doutrinas e práticas do catolicismo romano medieval. Os protestantes também são conhecidos pelo nome de evangélico

BUDISMO

CATOLICISMO

É uma filosofia ou religião que abrange diversas tradições, crenças e práticas geralmente baseadas nos ensinamentos de Buda.

É um termo amplo para o corpo da fé católica, a sua teologia, doutrinas, liturgia, princípios éticos, e características comportamentais, um povo religioso como um todo.

O budismo não é só uma religião, mas também um sistema ético e filosófico, originário da região da Índia.


A Moda do ontem e do hoje ROUPAS TRADICIONAIS Hanbok é a roupa tradicional coreana. Muitas vezes, é caracterizado por cores vibrantes, linhas simples e ausência de bolsos. Embora o termo significa literalmente “roupas coreanas”, hoje hanbok muitas vezes se refere especificamente ao hanbok da Dinastia Joseon e é usado como roupa formal ou semi formal durante as festas e celebrações tradicionais. Refletindo as origens dos nômades do norte da Ásia, hanbok foi projetado para facilitar a circulação e também incorporou muitos estilos confortáveis. A partir deste momento, a estrutura básica do hanbok foi estabelecido em jaqueta (jeogori), calças (baji), e a saia (chima). Calças curtas, justas e apertadas, jaquetas na altura da cintura, foram usados por homens e mulheres durante os primeiros anos, no período dos Três Reinados da Coreia. A estrutura básica do hanbok e suas características, permanece relativamente inalterado até hoje. Perto do fim do período dos Três Reinados, as mulheres começaram a usar saias compridas e jaquetas na altura do quadril e os homens passaram a usar calças largas e presas nos tornozelos e, uma jaqueta de estilo de uma túnica estreita, apertado nos pulsos. As vestimentas dos mongóis foi a única influência estrangeira que fez mudanças visíveis e significativos para o hanbok. Princesas mongóis que se casaram com coreanos nobres, e assim, trouxeram com eles a moda mongol, que começou a prevalecer na vida formal e privada. Como resultado dessa influência, a saia foi encurtada, o comprimento da jaqueta diminuiu, amarrando no peito com uma fita e as mangas foram levemente encurvada.

MODA ATUAL A cultura do k-pop influencia diretamente nas tendências de moda da Coréia do Sul, especialmente dos jovens coreanos. Os sulcoreanos aderem certos estilos que podem parecer “alternativos” na visão dos brasileiros. Interessante notarmos que, o estilo alternativo visto no Brasil é popular e comum lá na Coreia do Sul. O comfy style — tradução literal para estilo confortável: peças largas e maiores — é um trend marcante no país do leste asiático. Muitas das tendências sul-coreanas de moda e beleza podem ser vistas também nos MV’s de K-Pop e K-dramas. CABELOS Cabelos coloridos, visual andrógeno e looks customizados, também são famosos por terem referências aos populares animes (desenhos animados japoneses).


Como a maioria dos orientais, os coreanos têm cabelos escuros e gostam bastante de clarear os fios.Os cortes curtos são destaque e não são simples. Sempre tem que ter algo a mais, um detalhe . Esses destaques são feitos com auxílio de escovas, babyliss e penteados. Os estilos variam entre ondulados ou lisos, mas com cortes com estilo.

MAQUIAGEM As coreanas utilizam muito BB creams e CC creams, que além de ter uma baixa cobertura possuem fator protetor e alguns ajudam a diminuir o envelhecimento e rugas. Dependendo da ocasião elas utilizam base, mas não com tanta frequência como as brasileiras. Além disso também fazem questão de uma pele iluminada, utilizam iluminadores e pós bronzeadores para afinar o nariz e o rosto. O blush dependendo da pessoa é “complementar”, algumas utilizam para realçar as maçãs do rosto e outras preferem algo bem discreto, geralmente em tons de pêssego e rosa que valorizem seus tons de pele. Nos olhos quase nunca elas utilizam sombras, e se utilizarem são sombras marrons bem esfumadas ou tons super claros e cintilantes. O favorito das coreanas é o delineador, elas gostam de fazer o Korean Line (o que seria o "delineado gatinho" aqui no Brasil), as vezes elas esfumam o delineado com um pouco de sombra marrom abaixo dos olhos para dar uma impressão de olho maior. Nos lábios atualmente está sendo muito utilizado a técnica "Gradiente Lips" onde elas passam um batom de cor mas escura no centro da boca e um mais claro (ou lip balm) em volta ,criando um degradê .


ECONOMIA Moeda: Won sul-coreano; Posição no ranking econômico mundial: 15º (em volume de PIB 2017) Força de trabalho (em 2017): 27,5 milhões de trabalhadores ativos (estimativa) Taxa de desemprego: 3,8% (em 2017) População abaixo da linha de pobreza: 10,2% (estimativa 2018) Dívida Pública: 35,9% do PIB (em 2017) Carga tributária (impostos e taxas): 23% do PIB (em 2017) Principais parceiros econômicos (exportação): China, Estados Unidos, Japão e Hong Kong. Principais parceiros econômicos (importação): China, Japão, Estados Unidos, Austrália e Arábia Saudita. Exportações (em 2017): US$ 552,3 bilhões Importações (em 2017): US$ 448,4 bilhões Saldo da balança comercial (em 2017): superávit de US$ 1103,9 bilhões

Indicadores econômicos Décima terceira potência econômica mundial, a Coreia do Sul conheceu um crescimento espetacular ao longo dos últimos trinta anos. Desde 2012, o crescimento econômico da Coreia do Sul tem sido lento, devido a choques cíclicos e a um declínio constante no potencial de crescimento do país. Em 2016, as dificuldades econômicas do país foram acentuadas por uma deterioração das relações com a China, seu principal parceiro comercial. Após os testes nucleares nortecoreanos, a Coreia do Sul concordou em aceitar a implantação do sistema anti-míssil dos EUA em seu território, para grande consternação de Pequim. A sulcoreana Samsung teve que deixar de produzir o smartphone Galaxy Note 7 após vários incidentes. O excedente fiscal foi consolidado (1,1% do PIB), a dívida pública se mantém sustentável (menos de 40% do PIB) e a inflação está estável. Contudo, a dívida das empresas representa 30% do PIB e o elevado nível de endividamento das famílias constitui um risco para o setor bancário. O orçamento de 2017, que atribui um montante recorde à defesa devido às crescentes tensões com a Coreia do Norte,

se centra no apoio à criação de emprego, à saúde e ao bem-estar. A Coreia do Sul enfrenta problemas estruturais, tais como um mercado financeiro subdesenvolvido, o envelhecimento da população e o declínio da competitividade à medida que a economia chinesa sobe de nível de mercado. O rendimento por habitante da Coreia do Sul passou de 100 dólares, em 1963, para quase 30 mil dólares nos dias de hoje. Embora a taxa de desemprego esteja em queda, atingindo seu nível mais baixo desde 2002, o número de trabalhadores irregulares é muito alto, as desigualdades sociais não param de crescer e os laços sociais estão se deteriorando.

Principais setores econômicos O setor agrícola na Coreia do Sul representa apenas uma fatia negligenciável do PIB do país (2,3%) e emprega somente 6% da população. O arroz é o principal cultivo agrícola, embora a cevada, o trigo, o milho, a soja e o sorgo também sejam cultivados de modo extensivo. A pecuária constitui também uma atividade em grande escala.
 As principais industrias são: têxteis, aço, fabricação de automóveis, construção naval e eletrônica. A Coreia do Sul é o maior produtor de semicondutores do mundo. O setor industrial representa cerca de 40% do PIB do país, enquanto o setor terciário corresponde a aproximadamente 58% do PIB e emprega quase 70% da população.


CULINÁRIA COREIA DO SUL COMIDAS TÍPICAS DOCES A Culinária sul-coreana é muito rica e tem uma grande diversidade, desde pratos leves como sopas até doces e bebidas, além de serem saborosas são muito saudáveis e nutritivas. Uma comida tradicional coreana, não pode ser completa, sem o Kimchi, que é uma mistura de várias verduras conservadas, como acelga, nabo, cebolinha, pepino em salmouras e apimentadas, misturadas com outros ingredientes típicos coreanos.

KYUNGDAN É um doce muito comum em festas de aniversário, sua massa é feita de arroz e seu recheio consiste em mel e açúcar.

COMIDAS TÍPICAS SALGADAS SULLEONGTANG O Sulleongtang é um caldo de rabada, feito com rabo de boi estufado, macarrão de vidro, e cebolinha.

HOTTEOK É uma espécie de panqueca coreana. É uma considerado uma comida de rua, pois é comumente vendido em barracas. Sua massa é feita de farinha ou arroz, é recheado com variados tipos de castanhas e com açúcar mascavo.

KIMBAP O Kimbap é a versão do sushi japonês da Coréia. É feito de arroz, normalmente recheado com espinafre, rabanete em conserva, bolo de peixe e omelete cortado.


CLIMA O clima típico da Coréia do Sul é o chamado Clima de Monções, caracterizado por ventos que mudam de direção de acordo com as estações do ano. Em determinada época levam ar úmido do oceano para o continente e em outra o ar seco da terra para o mar. As monções asiáticas são as mais fortes do planeta, possuindo histórico de ocorrência de tufões, tempestades torrenciais e grandes alagamentos. Na Coréia do Sul, a época de monções começa no final de junho e termina no início de setembro.

CARACTERÍSTICAS DE RELEVO E HIDROGRAFIA A Coreia do Sul é um país montanhoso, porém nenhum de seus picos ultrapassa os 2.000 metros. A principal cordilheira é a T’aebaek.

Os invernos em geral são longos, frios e secos. O mês de janeiro costuma ser o mais frio do ano coreano, com temperaturas mínimas com alguns graus abaixo de 0. Já os verões, são curtos, quentes e muito húmidos. A temperatura média é de 22°.

As montanhas T’aebaek são o grande divisor de águas da Coreia do Sul. Lá nascem os principais rios do país, entre eles o rio Nakdong, o maior em extensão.


3 Curiosidades sobre a Coreia do Sul Quando achamos que conhecemos muito sobre o mundo, na verdade descobrimos que não conhecemos nada. Através dessa coluna viemos passar um pouco mais do que é a realidade da Coreia do Sul, trazendo alguns fatos que normalmente são pouco conhecidos.

Fato 1: Trekking A Coreia do Sul é formada por 70% de montanhas, o que faz com que a população abrace o Trekking, como a atividade rotineira e tradicional. O Trekking consiste em trilhas, porem na Coreia do Sul vai muito além disso, as pessoas começam o esporte já nas suas vestimentas, que costumam ser brilhantes e coloridas.

Fato 2: Comemorações românticas O dia 14 de cada mês tem sempre alguma comemoração romântica, como o Kiss Day (Dia do Beijo) em junho e o Hug Day (Dia do Abraço). No 14 de fevereiro, conhecido pelo mundo como Valentine’s Day, as mulheres que presenteiam seus namorados e maridos. Já no dia 14 de março, conhecido como Dia Branco, os homens presenteiam as mulheres.

Fato 3: Disk – ajuda Há um número de telefone para turistas que é grátis e em inglês, eles podem te informar horários de ônibus, recomendações sobre o que fazer e tradução ao vivo.

Coreiadosul  
Coreiadosul  
Advertisement