Page 1

INFORMATIVO DA COOPERATIVA SANTA CLARA LTDA.

ANO 38 • NÚMERO 271 • FEVEREIRO DE 2014

Santa Clara supera meta e cresce 22,5% em 2013 Faturamento superior a R$ 844 milhões garantiu ano de destaque para a Cooperativa e seus produtores associados 2013 foi um ano excelente para a Cooperativa Santa Clara e seus produtores. Com um faturamento de R$ 844 milhões, a Santa Clara ultrapassou sua meta para o ano (10%) e atingiu um crescimento de 22,54%. “Em 2013 a Santa Clara fortaleceu-se ainda mais no RS, solidificando e aumentando sua participação no mercado em 6% pela qualidade de seus produtos, gerando mais resultado para a Cooperativa e os produtores”, explica o diretor Administrativo e Financeiro da Santa Clara, Alexadre Guerra. O resultado do exercício foi de R$ 57 milhões, que após os fundos estatutários, resta um montante de R$ 16,6 milhões a ser rateado entre os associados. Este valor supera em 155% o valor rateado em 2012, o que sinaliza que o ano teve excelentes resultados.

Conforme determinado pelo regulamento do estatuto, 60% dos R$ 16,6 milhões será capitalizado nas cotas dos associados, totalizando R$ 9,9 milhões. Os 40% restantes, ou R$ 6,6 milhões, serão distribuídos em mercadorias, proporcional ao movimento de cada associado. Os percentuais serão definidos na Assembleia Geral Ordinária, em 13 de março. Mais associados e produtores Não foram só os valores financeiros que cresceram em 2013. O número de associados e produtores em atividade também foi destaque. Os associados pularam

de 4.510 para 4.887 durante o ano, um crescimento de 8,35%. Já os produtores em atividade foram de 3.077 para 3.308, um crescimento de 7,5% durante o ano. Funcionários Os negócios da Cooperativa também contam com reforço entre os funcionários. O ano fechou com 1.646 empregados diretos, 172 mais que o início de 2013. Este número deve ser ampliado durante 2014, com a previsão de inauguração de mais duas unidades (Mercado Agropecuário em Jacutinga e Supermercado em Estação) e a implantação de uma quarta linha de Leite UHT.

COOPERLEITE | FEVEREIRO 2014


EDITORIAL

Conquistas conjuntas “UM EXCELENTE ANO”. Assim foi 2013 para a Santa Clara e seus produtores. O produtor recebeu mais pelo leite, um aumento de 23% no preço pago pela Cooperativa. Durante seis meses, foi pago mais de R$ 1 ao litro, em média. Em contrapartida, a Cooperativa cresceu não só em produção, mas também em participação no mercado. Os novos rumos do setor lácteo permitiram à Santa Clara incrementar ainda mais suas vendas no RS. Sua participação foi 6% superior, o que se reverteu em mais resultado, já que com clientes e consumidores mais próximos foi possível praticar melhores preços. A preocupação com a qualidade da matéria-prima foi ainda mais acentuada durante 2013, o que gerou frutos na imagem da Cooperativa em todo o país. Produtos Santa Clara são sinônimos de qualidade. A marca é referência, especialmente para os gaúchos. Reflexo disso são os prêmios recebidos pelo destaque de seus produtos e atendimento. 2014 já demonstra ser um ano de mais dificuldades, já que os preços médios do longa vida estão menores que em 2013 e, consequentemente, menores ao produtor. Cabe a nós somarmos esforços e fazermos a diferença para minimizar as quedas e fazer valer a qualidade da marca Santa Clara. Por isso, a direção da Cooperativa faz questão de sempre reforçar que “tudo que conquistamos é em conjunto”. Associados, produtores, funcionários... Todos são indispensáveis para que a Santa Clara permaneça crescendo, cada vez mais.

*****

Você já percebeu que 2014 começa diferente no Cooperleite. A nova diagramação visa deixar a leitura mais leve e interessante e traz mais diversidade de assuntos e aprofundamento para que nossos produtores fiquem ainda mais bem informados, com mais conteúdo e novas seções. Boa leitura!

02

FEVEREIRO 2014 | COOPERLEITE

Em 2013 foi evidente o quanto vale a pena trabalhar com a qualidade do produto. Mesmo em momentos de dificuldade no setor, a Santa Clara conseguiu manter-se forte e conquistar novos mercados. A profissionalização do produtor se reverte em resultados para a Cooperativa. Tudo o que conquistamos é em conjunto.

Alexandre Guerra, diretor Administrativo e Financeiro da Santa Clara, sobre o crescimento da Santa Clara durante o ano de 2013.

EXPEDIENTE COOPERATIVA SANTA CLARA Rua Pedro Baldasso, 47, Carlos Barbosa 95185-000 | Fone: (54) 3461-8300 www.coopsantaclara.com.br Conselho de Administração Presidente: Rogerio Bruno Sauthier Vice-presidente: Gelsi Belmiro Thums Secretário: Itamar Tang Conselheiros: Ademar Carbonera, Célio Horst, Clairton Cecconello, Justino Paludo, Lauro Benedetti, Nelson Volpatto, Rogério Cichelero, Severino Camillo Conselho Fiscal: Adelino Guerra, Armelindo Loss e Ivalino Tonatto COOPERLEITE Informativo mensal dos produtores associados à Cooperativa Santa Clara Ltda. Direção: Dptos. de Marketing e de Política Leiteira Redação: Virginia Silveira (MTB 14.905) Contato: virginias@coopsantaclara.com.br Tiragem: 4.070 exemplares Distribuição gratuita. Acompanhe nas redes sociais: facebook.com/coopsantaclara; twitter.com/coopsantaclara; youtube.com/coopsantaclara


MARKETING E EVENTOS

Reunião do Banco de Sêmen na Santa Clara

20 COOPERATIVAS participaram da reunião do Banco de Sêmen em fevereiro

A COOPERATIVA SANTA CLARA sediou nos dias 2 e 3 de fevereiro uma reunião do Banco de Sêmen, organizada pelo presidente da Associação Gaúcha de Laticínios e Laticinistas (AGL), Ernesto Krug. A reunião no auditório da Santa Clara contou com a participação de cerca de 20 cooperativas do estado. O objetivo da reunião dos compradores é aumentar o poder

de barganha junto às empresas comercializadoras de sêmen. No encontro é possível negociar para aquisição do sêmen importado por preços mais acessíveis. Sete empresas participaram do encontro expondo os touros disponíveis para venda. Em 2013 foram adquiridas mais de 120 mil doses através do Banco.

AGENDE - SE: excursão para os EUA em outubro OS interessados a visitar a World Dairy Expo 2014, maior ex p o s i ç ã o de gado leiteiro do mundo, já podem se agendar. A viagem para Madison, nos Estados Unidos, está marcada para os dias 1º a 11 de outubro. Importante que os interessados busquem informações e confirmem participação o quanto antes a fim de agilizar a documentação necessária. Mais informações: Médico veterinário Fábio Guagnini, DPL de Carlos Barbosa, fone (54) 3461-9649.

Santa Clara na ExpoSertão e La Prima Vendemmia

EXPOSERTÃO, com participação do Agro de Estação

A CO O P E RAT I VA Santa Clara participou com estandes próprios na ExpoSertão, em Sertão, e na La Prima Vendemmia, em Nova Roma do Sul. Entre os dias 6 e 8 de dezembro, o Mercado Agropecuário de

DESFILE da Vendemmia com os mascotes da Santa Clara

Estação participou da ExpoSertão, com produtos variados de agro e degustação de produtos de Frigorífico e Laticínios. Na 11ª edição da Prima Vendemmia, que aconteceu de 24 a 26 de janeiro, a estande foi orga-

nizado pelo Supermercado e Mercado Agropecuário de Nova Roma, com produtos do agropecuário e exposição e degustação de produtos de Laticínios e Frigorífico.

COOPERLEITE | FEVEREIRO 2014

03


COOPE

Reuniões de Núcleos apresentam bala Encontros serão realizados nos 52 núcleos constituídos DESDE NOVEMBRO de 2013, os municípios onde a Santa Clara possui produtores sedia as Reuniões de Núcleos. Estão sendo realizados encontros com os 52 núcleos, inclusive os recém criados em Alto Alegre e Salto do Jacuí (região do Alto Jacuí). A expectativa é que mais 3.000 pessoas participem no total. A pauta da reunião as propostas de alterações no plano pastagem (calcário), mudanças no regulamento do pagamento do leite pela qualidade, auxílio funeral e programa de visitas Conhecendo Minha Cooperativa. Também foram apresentados demonstrativos do pré-balanço, litros de leite recebidos durante o ano, número de associados, produtores e funcionários, faturamento e resultado do período, preço do leite pago ao produtor e ainda realizadas as eleições dos novos representantes e vices. Segundo o presidente da Cooperativa, Rogerio Bruno Sauthier, a participação e envolvimento dos associados durante o período de reuniões foi bastante satisfatória. Sobre a eleição dos novos representantes dos núcleos, o presidente destaca que “Embora seja uma eleição bem singela, todos estão bastante conscientes nas votações, procurando o bem da Cooperativa. É um processo que exige que escolham entre muitas pessoas boas e vão fazer efeito mais tarde, na escolha das futuras diretorias”. Em breve os associados receberão a convocação e ordem do dia da Assembleia Geral Ordinária 2014, que será quinta-feira, 13 de março, em Carlos Barbosa.

04

REUNIÃO de Núcleo em Nova Roma do Sul

ENCONTRO para eleição dos representantes do novo núcleo de Alto Alegre

PRODUTORES associados na reunião realizada em Paraí FEVEREIRO 2014 | COOPERLEITE


RATIVA

anço de 2013 e elegem representantes NÚCLEOS

REPRESENTANTE

VICE-REPRESENTANTE

REGIÃO CARLOS BARBOSA Linha Pimenta Santa Barbara Santa Clara Baixa Santa Luiza Sede-Carlos Barbosa Torino Nova Roma do Sul Imigrante Nova Padua São Luiz Santo Antônio de Castro

Sadi Schafer Telmo Zanesco Gelsi Belmiro Thums Rogerio Bruno Sauthier Adelino Guerra Inocência Dalsin Nelson Volpatto Darciy Tiemann Lourenço Tonello Luiz Carlos Kurmann Dirseu Tomasel

Victor Flores Paese Gema Toffoli Cini Adelar Dalcin Gilso Luiz Dalcin Eloi Gallina Abilio Denicol Vilson Luiz Testolin Luiz Fernando Mollmann Levino Lusa Marcos Luiz Dupont Carlos Demari

REGIÃO VERANÓPOLIS Vila Flores São Roque Fagundes Varela Sede-Veranópolis Nossa Sra da Pompeia/Monte Claro Cotiporã Protásio Alves Santo Isidoro e São Gotardo

Ademar Carbonera Mateus Domeneghini Hilario Russi Moises Antonio Ceppo Ivalino Tonatto Tiago Pitol Frizon Raymundo Cappellaro Rui Dal Pizzol

Everton Augusto Omizzolo Egidio Domeneghini Alceu Rigo Valdir Santo Cenci Alceu Ferrari Alcides Citolin Leonice Carmen B. Ferreira Gilmar Mazzarollo

REGIÃO PARAÍ Capela Santa Gema Linha Treze - Nova Araçá Nossa Senhora da Salete São Caetano São João Bosco São Mateus Sede - Paraí Linha Garibaldi - Nova Prata Vila Maria David Canabarro Santo Antonio do Palma Ibiraiaras São Jorge Ciríaco

Neri Finatto Ivo Pedro Cestonaro Cosme Dal Pozzo Eduardo Dall Agnol Justino Paludo Antonio Pietrobiasi Dimas Pecatti Vanir Francisco Nichetti Adroaldo Emilio Hoppe Lauro Antonio Bendetti Alceo Antonio Pressi Francieli Sgarbossa Danieli Stocco Renato Castellani

Carlos Cassol Pedro Zampieron Pedro Nolio Célio Pedro Oltramari Josué Reginatto Pedro Pietro Biasi Gilmar Franzosi Lidio de Conto Nauro Valentin Nizzola Dirceu Mario Damo Gilmar Vedana Leimar Catapan Anderson Bolsoni Milton Maroso

REGIÃO ALTO DO JACUÍ Selbach Lagoa dos Três Cantos Quinze de Novembro Alto Alegre Salto do Jacuí

João Julio Schneider Adelio Adelino Lammers Arno Ricardo Goelzer Fabio Missio João Miguel Schaefer Fiuza

Ademar Jaco Feldkircher Ari Carlos Eckstein Celio Horst Amarildo Antonio Corazza Milton Celeste da Silva

REGIÃO ALTO URUGUAI Sertão Ipiranga do Sul Jacutinga Estação Getulio Vargas

Clairton Pedro Cecconello Darci Adelino Tonelo Lauri Kossmann Sergio Luis de Vargas Amauri Alberto Zorzan

Antônio Negri Pedro Rossatto Adelar Alfredo Rauch Helio Toigo Ivo José Vicenzi

Núcleos que não haviam escolhido representantes até o fechamento desta edição: Torino Baixo, Sagrado Coração de Jesus/Arroio Canoas, Vanini, Marcorama, Desvio Machado, São Pedro/Campestre, Linha Muller, Santa Teresinha/Bom Princípio e Linha Doze. COOPERLEITE | FEVEREIRO 2014

05


REPORTAGE

Implantação de sistema de irrigação Investimento em irrigação garante a qualidade da pastagem mesmo em períodos de falta de chuvas ESTE VERÃO tem sido apontado como o mais quente dos últimos anos, com temperaturas beirando os 40°C. As altas temperaturas, em conjunto com a baixa umidade do ar, acabam causando diversos transtornos prejudicando as plantações. Para minimizar os efeitos do calor e da falta de chuvas, a irrigação desponta como uma alternativa nas lavouras. “O sistema de irrigação na propriedade permite aos animais terem sempre disponível forragem de alta qualidade, mesmo em períodos de escassez de chuvas, que são cada vez mais frequentes. Introduzir pastagens perenes na área irrigada garante a redução ou mesmo ausência do vazio forrageiro nos períodos de entre-safra”, explica João Antonio Ferreira da Silva, técnico em apropecuária do DPL de Selbach. Investimento que dá resultado Na propriedade do produtor Marcos Tessaro, em Marau, 5 hectares dos 23,8 existentes são de pastagens de tifton e sorgo, que garantem alimento durante todo o ano para os 50 animais e a produção de 700 litros/dia. As 26 vacas atualmente em lactação pastam no tifton durante o dia e no sorgo à noite. A alimentação é complementada com silagem e ração. Para as novilhas e vacas secas, a alimentação é com pastagem de tifton no verão e feno no inverno, com complementação de silagem e ração.

06

FEVEREIRO 2014 | COOPERLEITE

JONAS Pech, do Mercado Agropecuário

SISTEMA de irrigação na propriedade de Kraemer, em Não-Me-Toque, foi implantado

Pensando em garantir pastagem de qualidade todo o ano, Tessaro implantou há um ano um sistema de irrigação em 2 ha, um de giguis e um de tifton. São 10 linhas, uma a cada 20 metros, cada uma com registro próprio. A bomba consegue ativar duas linhas por vez, precisando que o produtor abra os registros e programe a bomba, que desliga automaticamente no tempo programado. A água é proveniente de um açude. O sistema é acionado apenas quando as chuvas ficam escassas. “Se não chove durante três dias a gente já entra com a irrigação. Assim temos pastagem sempre”, explica. Segundo ele, com o tempo seco que vem fazendo na estação, o pasto ficaria escasso. “Com certeza ia faltar e teríamos que reforçar com a silagem, ficando mais caro. Em 2003/2004 teve uma seca forte, que sentimos bastante nas pastagens. Esse últi-

mo ano, desde a implantação da irrigação, não faltou pastagem”. Na propriedade do associado José Romeu Kraemer, em NãoMe-Toque, no Alto Jacuí, o sistema de irrigação funciona desde dezembro, mas já dá resultados. Com uma produção diária de 800 litros de leite/dia, a propriedade conta com um plantel de 35 vacas, sendo 28 animais em produção e o leite a principal atividade. A propriedade é composta por 19 hectares próprios e 8 arrendados, nos quais 2ha está plantado tifton, utilizado para a alimentação de novilhas e vacas em período seco, e 3,5 sorgo irrigado, disponível para as vacas em produção. A alimentação é basicamente pasto, com suplementação de silagem e ração 20% de proteína no cocho. O sistema adotado permite a irrigação de parcelas de pasto isoladas, com acionamento automático, que pode ser programado


EM ESPECIAL

garante boa pastagem todo o ano Programas estaduais facilitam implantação nas propriedades

o há dois meses mas já apresenta benefícios

de acordo com a necessidade nos cinco setores subdivididos. Nesse caso, o produtor pode programar anteriormente os melhores horários para acionar o sistema, sem a necessidade de estar presente no local. Segundo Kraemer, a oferta diária de pasto fresco possibilitou uma alimentação de mais qualidade para o rebanho. “A gente já estava observando esta dificuldade de ter pasto neste período mais crítico e com a irrigação estamos conseguindo manter, o que nos dá segurança na alimentação. Não é tão barato, mas o produtor precisa fazer sua parte e as vacas precisam ter alimento de qualidade”. O produtor ainda indica procurar a Emater para implementar o programa (leia mais no quadro ao lado). “O produtor sozinho não deve se lançar em um projeto como este. As orientações técnicas na questão do manejo também são importantes”, finaliza.

A IRRIGAÇÃO é fundamental para evitar frustrações de safras e manter altos níveis de produtividade e renda estável ao longo dos anos. Para incentivar e facilitar a expansão da irrigação, viabilizando o aumento da produtividade e a renda dos produtores gaúchos, a Emater é o braço de execução de dois programas do Governo do RS: Mais Água, Mais Renda (SEAPA) e Irrigando a Agricultura Familiar (SDR). Todos os agricultores podem ter acesso aos programas, que compreendem créditos para diversas culturas. Os produtores que se enquadram no Pronaf podem acessar ambos programas, dependendo do projeto a ser realizado. O Irrigando a Agricultura Familiar conta com 80% de subsídio do Estado para um teto de R$ 12 mil, com 20% de contrapartida do produtor, podendo o interessado, caso seja necessário, completar o valor ou financiar via Pronaf.

Através do Mais Água, Mais Renda, o produtor do Pronaf pode financiar até R$ 150 mil, com três anos de carência, e subsídio de 100% do Estado na primeira e última parcela. Para a realização dos projetos, basta o interessado procurar pelo escritório da Emater de seu município e preencher a ficha de inscrição. É o escritório local que indica o tipo de programa que o agricultor irá acessar, encaminha para a secretaria estadual responsável e realiza, após aprovação, todo o levantamento topográfico da lavoura, o projeto de crédito do açúde e da irrigação, fornece as licenças ambientais e realiza encaminhamento para a liberação de crédito. Após a liberação dos valores, o técnico irá acompanhar a implantação do sistema. “Podem ser financiados projetos de quaisquer atividades agrícolas, não só da pastagem”, acrescenta o gerente regional adjunto da Emater de Caxias do Sul, Jandir Luís Pedroni.

IRRIGAÇÃO em Marau foi aprovada pelo produtor Marcos Tessaro

COOPERLEITE | FEVEREIRO 2014

07


QUALIFICAÇÃO

Dia de Campo sobre cultivo do milho e elaboração correta da silagem Santa Clara e Pioneer realizam Dia de Campo especial sobre silagem em Carlos Barbosa COM O APOIO da Cooperativa Santa Clara, a empresa de sementes Pioneer realizou nos dias 23 e 24 de janeiro o Dia de Campo denominado 3ª Área Tecnológica Du Pont Pioneer. Entre os dois dias, mais de 120 produtores de toda a região passaram pela propriedade do associado Abilio Denicol, em Torino, interior de Carlos Barbosa, onde foi realizado o plantio de diversas variedades de milho e explicações sobre o manejo e maquinário. Os vendedores técnicos das empresas Pioneer e Du Pont apresentaram híbridos da marca e ainda explicaram o manejo do ponto de corte de silagem, opções para ministrar herbicidas e fungicidas, tratamento de semente industrial, tecnologias, demonstração de máquinas, etc. Falando sobre o manejo ideal do milho para elaboração da silagem, o técnico em agropecuária da Cooperativa Santa Clara Geovane Stein demonstrou o ponto de corte, falou sobre regulagem da ensiladeira, importância da trituração do grão do milho e partícula de corte ideal para incentivar a ruminação dos animais. (Leia mais orientações para fazer a silagem corretamente na matéria ao lado.) Já o Mercado Agropecuário Santa Clara esteve presente com implementos agrícolas pensados para a silagem, possibilitando que os interessados fizessem negócios no próprio local.

08

FEVEREIRO 2014 | COOPERLEITE

PRODUTORES observam orientações sobre a silagem no espaço da Cooperativa

Como produzir a silagem ideal? A M E N S U RAÇÃO do ponto de corte pode ser feita pelo próprio produtor na lavoura. É necessário coletar 5 ou 6 espigas aleatoriamente, quebrar ao meio e verificar se o grão apresenta meia linha do leite (foto ao lado). Neste estágio, o milho tem de 30% a 35% de matéria seca, quantidade ideal para dar início ao processo de ensilagem. O tamanho da partícula também deve ser observado, mantendo a ensiladeira sempre bem afiada. A uniformização do tamanho é fundamental para que seja promovida a quebra ou esmagamento do grão, já que a flora ruminal das vacas não consegue digerir o grão quando inteiro. “Além da silagem ser um volumoso que proporciona sustentabilidade para a vaca, é a principal fonte de energia, que está presente principalmente no grão”, explica o técnico Geovane Stein. Também é importante compactar corretamente (o mais

indicado é não parar de compactar com o trator entre a chegada de um carroção e outro ao silo) e realizar o fechamento e vedação, colocando terra acima da lona, do meio para as laterais para eliminar todo o oxigênio da superfície. A fatia de corte deve ser de 20 cm diários, de uma lateral a outra, para evitar a entrada de oxigênio e consequentemente, estragar o silo. Stein complementa: “É importante considerar a necessidade diária de silagem para dimensionar o tamanho do silo corretamente”.


ARTIGO

Os prejuízos da falta de cálcio na alimentação de jovens e adultos Nutricionista Renata B. David IPGS – Instituto de Pesquisas, Ensino e Gestão em Saúde SABE - SE QUE um dos fatores ambientais de maior relevância para a saúde do osso é o teor de cálcio ingerido diariamente. Na infância, o cálcio é necessário para o crescimento ósseo adequado. Como o leite e outros produtos lácteos são as fontes principais do elemento, as crianças que não os consomem, ou os ingerem em quantidades limitadas, estão em risco de deficiência de cálcio. Na gestação ocorrem mudanças no metabolismo de cálcio que favorecem a transferência deste elemento para o bebê, incluindo alterações nos hormônios reguladores do elemento, assim o consumo deve ser priorizado e aumentado. Outra faixa etária que deve ter o consumo diário de cálcio é na menopausa e envelhecimento, pois a absorção desse nutriente declina com o passar da idade, podendo ser causa de osteoporose com facilidade. Teor de Cálcio nos alimentos O cálcio é encontrado em maiores ou menores concentrações, dependendo do alimento analisado, sendo, geralmente, mais abundante e biodisponível no leite bovino e derivados. Com a mudança dos costumes e necessidades da população (com pessoas optando por dietas vegetarianas exclusivas, por exemplo), bem com o avanço da medicina em diagnosticas e tratar pacientes com distúrbios como a intolerância à lactose ou a alergia

CONSUMO de leite ajuda a evitar problemas relacionados à falta de cálcio

à proteína do leite de vaca, o estudo de outras fontes biodisponíveis de cálcio tornou-se necessário. Embora alguns alimentos tenham teores razoáveis de cálcio, sabemos que a absorção em alimentos de origem vegetal é de apenas 40%. Desta forma, é ideal manter o consumo de leites e derivados de origem animal para melhor suprir a carência da vitamina.

osteoporose, porém são valores de cálcio no limite do osso. • Aumento de peso: Alguns estudos relacionam que pessoas que têm baixo consumo de cálcio podem ter chances maiores de aumento de peso. Quanto deve ser o consumo de cálcio?

Alguns problemas da falta de cálcio • Osteoporose: Ossos ficam porosos, ou seja, a estrutura fica cada vez mais fraca; com a perda de cálcio, a fragilidade dos ossos é crítica e qualquer tipo de fratura pode ocorrer facilmente. • Osteopenia: Caracterizada pela pouca quantidade de cálcio nos ossos, indicando que ainda não há COOPERLEITE | FEVEREIRO 2014

09


CLASSIFICADOS EQUIPAMENTOS VENDE-SE resfriador Etscheid, 670l, 2 ordenhas, 2007. Tratar c/ Antoninho Valente, (54) 99237875 ou 9644-2479 - F. Varela VENDE-SE resfriador Gelgás a granel 1.000l, 4 ordenhas. Tratar c/ Rangel, (054) 9917-2435 - Getúlio Vargas VENDE-SE resfriador Sulinox, 500l, 2007, ótimo estado. Tratar c/ Catarina Bragagnollo, (54) 9993-4097 - Nova Prata VENDE-SE resfriador a granel, 2 ordenhas, Etscheid, 670 litros. Tratar com Tercilio Pavan, (54) 9132-4427 - Carlos Barbosa VENDE-SE resfriador 650l, Etscheid, 2007, 2 ordenhas. Tratar c/ Domingos Spagnolo, (54) 9995-9308 - Fagundes Varela VENDE-SE resfriador 520l, Friomax, 2010. Tratar com Idarci Miotto, (54) 9929-3263 - Vista Alegre do Prata VENDE-SE resfriador de leite a granel, 530l, Friomax. Tratar com Donato Tonin, (54) 35042700 - Nova Roma do Sul VENDEM-SE resfriador 500l, Westfália, ordenhadeira 02 conjuntos, motor 15 HP, forrageira Nogueira. Tratar c/ Angelo Zanon, (54) 3271-2515 - São Jorge

AGENDA

VENDE-SE ensiladeira JF 92/Z10, 2005. Tratar c/ Valter Viapiana, (54) 9646-5943 - São Jorge

10 a 14/03 EXPODIRETO Não-Me-Toque

VENDE-SE ensilhadeira Nogueira - Pecus 9004, 2001. Tratar com Edson Pasquali, (54) 9136-6384 - Veranópolis

13/03 Assembleia Geral Ordinária Carlos Barbosa

VENDE-SE ensilhadeira JF V10, 2005. Valor R$ 4.000,00. Tratar com César Dal Mas, (54) 99236721 - Cotiporã VENDE-SE ordenhadeira Intermaq, 01 conj. e 02 tarros plásticos. Tratar c/ Ondina Lovison, (54) 3242-9722 - Nova Prata

VEÍCULOS VENDEM-SE camionete C20, a diesel, 1992, carroceria de madeira, e motor Yamaha B8, a diesel. Tratar pelo fone (54) 99769391 - Ibiraiaras VENDE-SE trator Valmet 68, 1991, direção hidráulica, embreagem dupla, pneus recapados, mecânica em dia c/ 2.000 horas, super inteiro e bem cuidado. Tratar pelo fone (51) 9998-4496 São Pedro da Serra VENDE-SE caminhão Chevrolet D68, com carroceria semi-nova, em bom estado de conservação. Tratar com Aldomir, (54) 99770838 -Estação

VENDE-SE ordenhadeira balde ao pé Intermaq, 2 conj. Tratar c/ Fernando Felicetti, (54) 99858082, 3259-1002 - Farroupilha

VENDE-SE trator 290, Massey Ferguson, 1993, 3 pt. Aceito troca por trator menor ou carro. Tratar c/ Genésio Tadiotto, (54) 9921-7095 - Vila Flores

VENDE-SE carroção p/ 6 ton c/ chupim, 2013. Tratar c/ Laurides, (54) 9679-1163 - Estação

VENDE-SE trator Valmet, 65. Tratar com Gilmar Martello, (54) 9631-1766 - Protásio Alves

25 a 27/03 EXPOAGRO AFUBRA 2014 Rio Pardo 24/04 11º Encontro de Mulheres com Atividade no Leite Farroupilha MAIO Início das aulas de informática Mais informações na próxima edição do Cooperleite.

DIVERSOS VENDEM-SE novilhas. Tratar com Aderico Cerutti, (54) 3461-0245 - Carlos Barbosa COMPRAM-SE terneiras holandesas c/ registro. Tratar com Valeriano M. de Moraes, (54) 99728878 - Bom Jesus VENDE-SE comedouro pendular para aviário de corte. Tratar com Odil Francisco Ochi, (54) 96909166 - Paraí VENDE-SE 800 metros de cabo novo Multiplex, trifásico, 4X16. Tratar com Celio Bristot, (54) 9909-1531 - Paraí VENDEM-SE vacas e novilhas holandesas. Tratar c/ Marcos Baldissera, (54) 9602.2068 - Veranópolis Nota: A Cooperativa Santa Clara não se responsabiliza pelos produtos aqui anunciados. Os negócios são realizados diretamente pelos produtores.

Anunciar nos classificados do Cooperleite é gratuito para associados. Envie seu anúncio com nome do associado, telefone para contato (com DDD) e cidade para virginias@coopsantaclara.com.br ou entre em contato com o DPL de sua região.

10

FEVEREIRO 2014 | COOPERLEITE


SAIBA MAIS SOBRE A SANTA CLARA NOSSAS UNIDADES Indústrias de Laticínios e Longa Vida (UHT) Localizadas em Carlos Barbosa, transformam aproximadamente 600 mil litros de leite/dia em uma linha de mais de 120 produtos de laticínios entre leites, queijos e outros derivados. A Santa Clara também possui parceria com outras cooperativas e empresas para produção terceirizada de alguns produtos.

DESTAQUE Acompanhe a Santa Clara no Facebook Quem tem perfil na rede social pode curtir a fanpage da Santa Clara, em facebook.com/coopsantaclara. Você fica por dentro das novidades da Cooperativa e ainda interage com a marca.

PRODUTOS Conheça mais sobre os produtos que levam a marca Santa Clara

RECEITA CONFRARIA GOURMET

Polenta Recheada Gratinada Ingredientes • 500ml de caldo de carne • 500ml de água • 50g de Manteiga Santa Clara • 2g de açafrão em pó • 250g de farinha de milho (média) • 100ml de azeite • Sal a gosto • Pimenta-do-reino a gosto • 50g de Queijo Parmesão Ralado Santa Clara Recheio: • 250g de Queijo Camembert Santa Clara • 125g de Creme de Leite UHT Santa Clara Modo de Preparo Junte o caldo com água e aqueça. Acrescente a manteiga e o açafrão. Aos poucos coloque a farinha de milho, mexendo por 20 minutos para não formar grumos. Acrescente o azeite, tempere e misturar bem. Pique o Queijo Camembert e

Queijo Colonial foi o primeiro queijo produzido pela Santa Clara em 1912, sendo a Cooperativa foi a pioneira na sua produção. Tem aproximadamente 1 Kg e matura por 30 dias. À venda nas versões forma e meia lua.

junte ao creme de leite aquecido. Coloque a polenta em aros untados, fazer um orifício e coloque o creme de camembert. Cubra com parmesão e leve ao forno em 250°C para gratinar. Rendimento: 6 porções

A Copa é elaborada com a ponta do lombo suíno, condimentado com temperos próprios, defumada e maturada por um período de 50 a 60 dias. Nos mercados pode ser encontrada fatiada, em tamanho mini ou inteira.

Veja mais receitas no site www.coopsantaclara.com.br/confraria COOPERLEITE | FEVEREIRO 2014

11


BRUCELOSE E TUBERCULOSE

Controle de zoonoses é fundamental O exemplo de Protásio Alves

Doenças no rebanho geram prejuízos no campo O COOPERLEITE vem abordando periodicamente a questão da tuberculose e brucelose, doenças comuns a homens e animais, ou zoonoses, que acarretam a diminuição da produção de leite, da fertilidade do rebanho, além de interferir na comercialização de matrizes, pela rejeição por parte dos compradores. Por serem doenças de difícil diagnóstico e ocasionarem diversas perdas econômicas, é fundamental que os produtores fiquem atentos e façam regularmente os testes que identificam as doenças. A meta para 2014 é que o programa de testes da Santa Clara, que se repete a cada dois anos, atinja 100% dos animais dos produtores associados. Na região de Carlos Barbosa os testes são realizados regularmente há 25 anos. Entre os associados já há propriedades certificadas pelo Ministério da Agricultura e outras com todo o encaminhamento necessário. Os agricultores que estiverem regulamentados dentro de cada um dos programas recebem bonificação de meio centavo por litro de leite entregue.

12

FEVEREIRO 2014 | COOPERLEITE

A prefeitura do município gaúcho de Protásio Alves implementou um programa próprio de Erradicação e Controle de Brucelose e Tuberculose em Bovinos, a fim de testar e identificar 100% dos animais do município, sem custo para os produtores. A adesão ao Programa Estadual de Erradicação facilita o recebimento das indenizações através do Fundesa. Testar os animais é importante para a propriedade, produtores rurais e também para os consumidores, que podem consumir produtos com procedência e qualidade garantidas.

Paraná exigirá controle de zoonoses para venda de matéria-prima no Estado O GOVERNO DO PARANÁ implantou rigorosas normas para garantir a qualidade do leite no estado. A partir de 31 de maio, os produtores que não comprovarem que a propriedade está livre de zoonoses não poderão vender leite para os laticínios. A intenção é aumentar a qualidade do leite e prevenir a

transmissão destas doenças por meio do consumo. Os produtores já eram obrigados a vacinar animais até 8 meses de idade contra a brucelose. A nova norma prevê multa para quem não o fizer e ainda multas para produtores e laticínios que descumprirem a lei. Fonte: Globo Rural


Cooperleite | Fevereiro 2014  

Informativo mensal dos produtores associados à Cooperativa Santa Clara Ltda.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you