Page 1

INFORMATIVO DA COOPERATIVA SANTA CLARA LTDA.

ANO 43 • NÚMERO 324 • NOVEMBRO DE 2018

Leite Saudável beneficia associados da Cooperativa

Durante a primeira etapa, os associados da Cooperativa participaram de atividades técnicas de qualificação

Ações visam a melhora na qualidade e na quantidade de leite produzido A SANTA CLARA, desde outubro de 2015, desenvolve o projeto Leite Saudável, aprovado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). No decorrer de três anos de execução foram desenvolvidas diversas ações. O projeto visa melhoria da qualidade do leite, da sanidade, genética e da gestão e produtividade. De acordo com o gerente do Departamento de Política

Leiteira (DPL), Maurício Bonafé, o Leite Saudável é uma iniciativa que auxilia no crescimento da propriedade. “Ele contribui com a melhora da qualidade e na quantidade do leite produzido, e devido aos cuidados, o animal produz por mais tempo”, afirma. Na primeira etapa do projeto foram realizadas as seguintes ações: Subsídio de 50% na aquisição de aquecedores boiler: 784 equipamentos; Subsídio de 100% na aquisição de 876 dosadores e 2.598 frascos de cloro;

. .

.

Subsídio de 100%, na qual fo r a m 8 9 . 5 4 8 a n á l i s e s d e controle leiteiro realizadas para 155 produtores; Subsídio de 60% para testes de tuberculose e brucelose em 89.591 animais; Subsídio de 30% na área de genética: 64.492 inseminações artificiais; Gestão: Programa de Gestão da Propriedade de Leite (GepLeite); 274 eventos técnicos realizados.

. . . .

Leia mais sobre a segunda fase do Projeto Leite Saudável na página 11. COOPERLEITE | NOVEMBRO 2018


EDITORIAL

Mais ações em prol da qualidade A Santa Clara é reconhecida pela qualidade de seus produtos. Porém, o trabalho inicia na propriedade muito antes de chegar na mesa do consumidor. Todo o cuidado que o associado possui no tambo interfere no resultado final. Há três anos, a Cooperativa desenvolve o Projeto Leite Saudável. Para que as ações tenham uma continuidade, a Cooperativa aprovou junto ao Ministério da Agricultura a segunda etapa. As atividades que já vinham sendo realizadas e que deram resultados significativos serão intensificadas, e ainda novas iniciativas serão inseridas. O acompanhamento é realizado pela equipe técnica da Cooperativa, que orienta os associados de forma que possam manter ou ainda melhorar e aumentar a quantidade de leite produzido na propriedade. São diversos os benefícios para os produtores, que vem a somar no tambo leiteiro. A Cooperativa busca proporcionar aos seus associados todos os recursos disponíveis no que se refere a qualidade, ao melhoramento genético e a sanidade. Para isto, o corpo técnico participa constantemente de qualificações, e posteriormente compartilha e aplica todo o conhecimento adquirido. Prova disso é que anualmente promove evento em parceria com a Emater com o objetivo de alinhar o trabalho em prol da cadeia produtiva do leite. As informações sobre as etapas do Projeto Leite Saudável podem ser conferidas nesta edição do Cooperleite. Boa leitura!

O Cooperleite tem o objetivo de conscientizar, orientar e capacitar os produtores para a produção de leite com qualidade, segurança e em conformidade com a legislação vigente, fazendo valer desta forma o item 9.2.4. do Anexo IV da Instrução Normativa 62, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimemento (MAPA).

02

NOVEMBRO 2018 | COOPERLEITE

Há um mercado crescente para queijos finos, mesmo com a crise. Quando a superarmos, então, as oportunidades desse segmento se multiplicarão. Precisamos qualificar o produtor antes de mais nada, para prepará-lo a este novo desafio.

Eduardo Leite, governador eleito do Rio Grande do Sul em entrevista ao Cooperleite sobre as propostas para o setor lácteo. (Leia mais nas páginas 08 e 09)

EXPEDIENTE COOPERATIVA SANTA CLARA Rua Pedro Baldasso, 47, Carlos Barbosa 95185-000 | Fone: (54) 3461-8300 www.coopsantaclara.com.br Conselho de Administração Rogerio Bruno Sauthier Presidente: Gelsi Belmiro Thums Vice-presidente: Itamar Tang Secretário: Conselheiros: Adelio Adelino Lammers, Anselio Molon, Eduardo Dall Agnol, Inocência Dalsin, Ireno Woithe, Nauro Valentin Nizzola, Nelson Volpato e Tiago Pitol Frizon Ademar Carbonera, Conselho Fiscal: Pedro Canísio Bourscheid e Vilmor Paulo Baldasso COOPERLEITE Informativo mensal dos produtores associados à Cooperativa Santa Clara Ltda. Direção: Dptos. de Marketing e de Política Leiteira Redação: Relato - Conteúdo e Assessoria Contato: estefanial@coopsantaclara.com.br Tiragem: 3.990 exemplares Distribuição gratuita. Acompanhe nas redes sociais: facebook.com/coopsantaclara; instagram.com/coopsantaclara twitter.com/coopsantaclara; youtube.com/coopsantaclara


MARKETING

Presidente é agraciado com o Troféu Padre Theodor Amstad Honraria foi entregue durante o Seminário Gaúcho de Cooperativismo, realizado em Bento Gonçalves O TRABALHO desenvolvido em prol do Cooperativismo Gaúcho por Rogerio Bruno Sauthier foi reconhecido através do Troféu Padre Theodor Amstad 2018. A honraria foi entregue ao presidente da Cooperativa Santa Clara no dia 08 de novembro, pela Ocergs/Sescoop durante o Seminário Gaúcho de Cooperativismo. A distinção leva o nome do Padre Theodor Amstad, responsável pela fundação da primeira cooperativa de Crédito

Presidente da Santa Clara recebeu a premiação durante seminário

no Brasil, a Sicredi Pioneira RS de Nova Petrópolis. O XVIII Seminário Gaúcho do Cooperativismo - Inovação

e Sustentabilidade ocorreu nos dias 08 e 09 de novembro, no Hotel Dall'Onder, em Bento Gonçalves.

Santa Clara participa

Cooperativa expõe produtos em Paim Filho

OS MERCADOS Agropecuário de Jacutinga e Estação e o DPL estiveram presentes na Frinape, feira multissetorial que reúne indústria, comércio, serviços, agropecuária, tecnologia e entretenimento. O evento foi realizado entre os dias 9 e 18 de novembro, em Erechim.    No estande da Cooperativa Santa Clara, os visitantes conferiram toda a linha de produtos comercializados nas unidades. Já o DPL acompanhou 12 associados com 32 animais jovens que foram postos em pista para julgamento.

Equipe da 20ª Mostra Agropecuária e Expoagro 2018

da Frinape, em Erechim

Frinape foi realizada entre 09 e 18 de novembro

O MERCADO Agropecuário Santa Clara de Paim Filho esteve mais próximo dos associados e clientes da região, pois participou da 20ª Mostra Agropecuária e Expoagro 2018. Durante o evento, os visitantes conferiram diversos produtos da unidade no estande da Cooperativa. A 20ª Mostra Agropecuária e Expoagro foram realizadas entre os dias 19 e 23 de setembro, no Parque Municipal de Exposições de Paim Filho. COOPERLEITE | NOVEMBRO 2018

03


QUALIFICAÇÃO

Viagem técnica à Alemanha proporciona troca de experiências EuroTier/Divulgação

O evento em Hannover é considerado um dos mais importantes no ramo de produção agropecuária da Europa UM GRUPO formado por associados, familiares, técnicos e parceiros comerciais da Cooperativa está em viagem técnica à Alemanha. A excursão foi organizada pelo Departamento de Política Leiteira (DPL) da Santa Clara. A comitiva embarcou no dia 10 de novembro e retorna ao Brasil no dia 18. A programação consiste na visitação da feira EuroTier, em Hannover, reconhecido com um dos maiores eventos de produção agropecuária da Europa, além de visitar propriedades leiteiras.

Grupo de associados e técnicos da Cooperativa irá visita a EuroTier, em Hannover

Integram o grupo da Santa Clara: Carla Tatiane Herberts Goelzer (Quinze de Novembro), Ana Laura Herberts Goelzer (Quinze de Novembro), Everton Daniel Goelzer (Quinze de Novembro), Fábio Guagnini (Carlos Barbosa), Giovana Brandelero (Nova

Alvorada), Ivani Pochmann Kohler (Jacutinga), Ivanor Bernardo Dall Agnol (Paraí), Rafael Martins Lucas (Carlos Barbosa), Samuel Mânica (Garibaldi), Silvia Rosane Loeff Lavall (Victor Graeff), Tiago Luersen (Teutônia) e Dinaldo Guagnini (Vacaria).

Santa Clara promove Dia de Campo para associados OS RESULTADOS obtidos pelo uso de diferentes pastagens, silagem e adubação pautaram os eventos técnicos promovidos pelo Departamento de Política Leiteira (DPL) em outubro. Participaram associados da Cooperativa residentes em Vila Maria, Salvador do Sul e Barão de Cotegipe.

No dia 16 de outubro, o Dia de Campo foi sobre trigo e silagem. O encontro foi realizado na propriedade de Dieter Roese, em Salvador do Sul.

A propriedade de Luciano Pagoto, em Vila Maria, foi o ponto de encontro para associados e técnicos, no dia 17 de outubro. Os assuntos levantados foram a utilização de diferentes fontes de nitrogênio e adubos, bem como as características do trigo TBio Energia, ideal para silagem. Para a pastagem, foram analisados o trigo Tarumã, aveia Bagual e aveia Esmeralda.

04

NOVEMBRO 2018 | COOPERLEITE

Fertilização de solo e silagem levaram cooperativados a participar de capacitação, no dia 10 de outubro, na Linha Saracura, Barão de Cotegipe.


SUSTENTABILIDADE

Bovinocultura leiteira é debatida no XII Encontro Técnico, em Paraí Programação contou com palestras técnicas e grupos de trabalho MOTIVADOS A debater e promover melhoramentos na bovinocultura leiteira no Rio Grande do Sul, aproximadamente 120 profissionais participaram do XII Encontro Técnico Santa Clara e Emater. O evento foi realizado no dia 06 de novembro, no Clube Gercan, em Paraí.    Na abertura, o presidente da Cooperativa, Rogerio Bruno Sauthier, ressaltou que “esta é uma oportunidade de aprendizado para os técnicos. É um espaço de conhecimento que após deve ser compartilhado”. O dever de levar a tecnologia aos produtores foi destacado na fala do presidente da Emater, Iberê de Mesquita Orsi. “Precisamos levar renda, qualidade de vida e sustentabilidade para a zona rural. No futuro, não teremos mais a palavra agronegócio, e sim agrossociedade”.    O Encontro Técnico Santa Clara é um momento para dialogar sobre a produção de alimento e formulação de dieta para cada estratégia de produção, focando no desenvolvimento da cadeia produtiva de leite, gerando por

Presidente da Cooperativa, Rogerio Bruno Sauthier, destacou em sua fala que o encontro possibilita aprendizado para os técnicos

fim um plano de trabalho conjunto entre os profissionais, buscando a excelência na assistência técnica prestada ao produtor de leite. Palestras    As “Estratégias para produção de volumoso” foram o tema abordado pelo engenheiro agrônomo Renato Fontanelli, da Embrapa Trigo – UPF. De acordo com ele, é necessário avaliar o potencial produtivo, os valores nutritivos, a conservação da forragem, o planejamento forrageiro e a produção animal.    No evento, o SisLeite foi detalhado pelo assistente técnico

estadual do Sistema de Produção Animal da Emater/RS, zootecnista Jaime Ries. “O produtor tem que saber a renda dele baseados nos custos de produção”, ressaltou. Para ele, é necessário que seja realizada a gestão da propriedade.   A estrutura da Santa Clara foi apresentada pelo gerente do Departamento de Política Leiteira (DPL), Maurício Bonafé. “A união entre o corpo técnico tem por objetivo auxiliar o produtor de leite”, afirmou.    No turno da tarde, os técnicos da Santa Clara e Emater reuniram-se em grupos divididos por região e traçaram o plano de ação para o próximo ano.

BRASIL/MUNDO PLANO DE INCENTIVO O Plano de Incentivo ao Aumento da Produção da Cooperativa Santa Clara prevê o pagamento de R$ 0,10 por litro de leite produzido a mais, comparado com o mesmo mês do ano anterior. O benefício que entra em vigor entre janeiro e junho de 2019, e também irá ser realizado em 2020.

NOTAS FISCAIS A Cooperativa Santa Clara está em processo de mudança do sistema de emissão de notas fiscais. Com isso, no cupom fiscal da compra de rações, o desconto do associado vem detalhado. Qualquer dúvida em relação a nota fiscal basta contatar com a Fábrica de Rações pelo telefone (54) 3461-8376.

NOVOS PEDÁGIOS Foi anunciado que nas rodovias gaúchas serão instaladas sete nove praças de pedágio, administradas pelo Grupo CCR, a partir de janeiro de 2019. Serão contempladas as BRs 101, 290 (freeway), 386 e 448 (Rodovia do Parque). A tarifa nesses locais será de R$ 4,30. COOPERLEITE | NOVEMBRO 2018

05


REPORTAGE

Propriedades inovam com impla Associados da Santa Clara apostam em energia sustentável para reduzir gastos na ordenha e poder usufruir de mais conforto O CUSTO da rotina da ordenha, resfriamento do leite e aparelhos domésticos deixava o associado da Cooperativa Santa Clara, Paulo Zanette, 47 anos, preocupado a cada nova conta de luz. A propriedade localizada em Cotiporã comporta atualmente 30 vacas Jersey, que somam 570 litros ao dia. O custo de energia elétrica chegava a quase R$ 675 ao mês. A solução foi ser pioneiro na cidade em utilização de energia fotovoltaica em propriedade rural. Com a geração mensal de 1.200 kWh/ mês, o valor da conta de luz caiu para R$ 75. A instalação das placas foi feita diretamente no solo, ao contrário da maioria dos projetos em que o sistema é fixado no telhado. Dessa forma, a incidência solar é aproveitada em todos os momentos do dia. Além de garantir um retorno financeiro do investimento em pouco tempo, a tecnologia é limpa e

A conta de luz de Paulo Zanette, de Cotiporã, reduziu 88% após a instalação

não prejudica o meio ambiente. A estrutura responde à rede de luz convencional, porém não é totalmente dependente da concessionária de energia, já que produz o necessário para o próprio consumo. Zanette decidiu apostar na energia solar depois de con-

versar com um amigo, que é proprietário de uma empresa do ramo, localizada em Dois Lajeados. “Lá já são 12 propriedades com essa tecnologia. Aqui eu fui o primeiro. Pesquisei na internet e tirei todas as minhas dúvidas, então percebi que eu não tinha nada a perder. Energia elétrica

Benefícios da energia solar na propriedade DE ACORDO com o engenheiro elétrico Sidimar Capitanio, a energia fotovoltaica é uma maneira segura e rentável de ganhar estabilidade energética e eficiência produtiva. Ela é indicada para todos os tipos de propriedades rurais e pode ser instalada em qualquer região, até mesmo nas mais remotas. A solução passou a ser utilizada após uma normativa de liberação pela Agência Nacional de Energia

06

NOVEMBRO 2018 | COOPERLEITE

Elétrica (Aneel) em 2012. “Em 2015, o custo da energia elétrica começou a aumentar tanto que a fotovoltaica passou a ser bem viável. É uma forma muito segura, tem vida útil longa e a economia é grande. Para limpeza dos módulos é reaproveitada a água da chuva e orientamos o proprietário fazer a cada três meses. A garantia é de dez anos para defeito de fábrica e de 20 anos para o funcionamento do sistema”, afirma.

Antigamente as linhas de crédito eram muito limitadas, mas agora o governo aporta com financiamentos. “A parte ruim é que a tributação torna o produto nacional mais caro. A energia elétrica rural aumentou. Fazendo o financiamento de dez anos com taxa de juros a 2,5% ao ano, o agricultor pega o valor daquela energia que pagava para a concessionária e paga o banco” diz o engenheiro.


EM ESPECIAL

antação de energia fotovoltaica funciona como pagar aluguel de um imóvel. A gente não revê aquele dinheiro. Por que não investir em algo que vai ser meu?”, avalia. Para conseguir concretizar a inovação, o criador aderiu ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Trata-se de um financiamento a agricultores e produtores rurais para investimento na utilização de tecnologias de energia renovável, entre outras aplicações. Foram investidos R$ 72 mil, com prazo para quitar em dez anos, sendo que o retorno do investimento é em cinco anos. A legislação brasileira permite que o produtor rural gere sua própria energia elétrica. A unidade de geração fica conectada à rede de distribuição da concessionária local, funcionando com um sistema de compensação de energia. A energia solar produzida a mais é lançada para a rede, auxiliando o abastecimento da comunidade. À noite, a propriedade é abastecida pela concessionária. Toda energia produzida fica de crédito, podendo ser consumida dentro de cinco anos. A esposa de Zanette, Márcia, 45 anos, comemora. Agora é possível usufruir de mais conforto dentro de casa e proporcionar o mesmo agrado ao rebanho. "Conseguimos instalar novos aparelhos de ar-condicionado dentro de casa. Além disso, disponibilizamos mais ventiladores, para evitar o estresse térmico das vacas." Voto de confiança Na propriedade de Waldemar Longhi, 62 anos, localizada no município de Pinhal da Serra, a instalação dos módulos de energia fotovoltaica conseguiu

Waldemar Longhi adquiriu o sistema com financiamento de R$ 29 mil

reduzir a conta de luz que chegava a R$ 280 para R$ 160 ao mês. “Tenho vizinhos que pegam somente a taxa. No meu caso, acredito que precisaria instalar ainda mais placas, porque não está produzindo tanta energia”, comenta o produtor associado à Santa Clara. A ideia ocorreu após uma palestra realizada em sua casa, na presença de vizinhos e de uma empresa do segmento. Longhi contratou uma linha de crédito de R$ 29 mil. “Se é para pagar para a concessionária, prefiro pagar uma prestação para algo que vai ser meu. No início fiquei com um pé atrás, mas depois da demonstração eu vi que valia o risco.” O projeto de Waldemar possui 14 painéis de 260 watts,

contemplando uma potência de 3,64kW, podendo ser ampliada de acordo com a demanda de energia da propriedade. O sistema está gerando em média 5.200 kWh/ano, o que representa uma economia de R$ 2.300 ao ano. Considerando os reajustes sofridos pela energia elétrica, estima-se que a economia será superior às parcelas do financiamento em no máximo cinco anos. Com a oferta de painéis nacionais financiados pelo Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar - Pronaf Eco, o agricultor tem a oportunidade de adquiri-los com juro de 2,5% ao ano, dez anos de prazo para pagar e até três anos de carência.

LINHAS DE CRÉDITO ATRAVÉS DO PRONAF ECO

Financiamento* Sicredi Banrisul Banco do Brasil

Taxas A partir de 2,5% a.a A partir de 2,5 a.a. A partir de 2,5% a.a.

* Para mais informações contate com as agências bancárias acima ou outras de sua preferência. COOPERLEITE | NOVEMBRO 2018

07


ENTRE

"Vamos ampliar os programas v e à estruturação de cooperativa O tucano de 33 anos, Eduardo Leite (PSDB), fala sobre seus planos para o agronegócio assim que assumir o governo do Rio Grande do Sul, em janeiro de 2019. Leite também declara qual será sua postura para fortalecer o laticínio gaúcho e combater a guerra fiscal entre os Estados. O político ainda revela seu posicionamento sobre o cooperativismo. Cooperleite: No campo, há décadas os jovens questionam se investir nas propriedades familiares é uma boa estratégia. A agricultura é um dos motores do RS. O seu governo pretende tornar o campo um lugar promissor para as próximas gerações? Eduardo Leite: Essa é uma das nossas mais profundas convicções: o campo é, sobretudo, promissor. Para tornar essa premissa realidade, vamos ampliar os programas voltados à agricultura familiar e à estruturação de cooperativas, apoiar o desenvolvimento da agricultura familiar e a chegada da Internet rápida à zona rural, possibilitando que o jovem permaneça no meio ou retorne ao campo sem perder contato com o mundo ao seu redor, fomentar o cooperativismo por meio do financiamento de agências, assistência técnica e capacitação e dar prioridade ao programa Rede Forte no Campo (rede trifásica no campo) para proporcionar infraestrutura energética às propriedades rurais, e estimular a parceria com a comunidade. C: Seu Plano de Governo fala

08

NOVEMBRO 2018 | COOPERLEITE

Governador eleito quer promover a permanência do jovem no campo

especificamente em "apoiar a estruturação de cooperativas". O associativismo é uma maneira de fortalecimento dos pequenos produtores. Como isso será realizado durante a gestão? Eduardo: Vamos ampliar programas voltados ao setor agrícola, à agricultura familiar. Queremos aumentar a produtividade da propriedade rural com processos de inovação, novas tecnologias e equipamentos. Como dissemos antes, vamos intensificar a distribuição de redes de energia trifásica e internet rápida no campo. E disponibilizar linhas de crédito através do Banrisul. Nós reconhecemos muito a importância da agricultura e da pecuária não apenas como atividades de primeira grandeza para a alimentação saudável dos gaúchos, o que por si só já lhe daria monta exclusiva como essencial para o indivíduo e a economia do Rio Grande do Sul, mas também por garantir a dignidade às famílias produtoras e, com a qualidade do que produz e comercializa, também a dignidade da mesa dos cidadãos da nossa terra.

C: As nossas estradas e a qualidade da energia no campo impactam diretamente na competitividade de nossos produtos. Como os moradores do Rio Grande do Sul serão assistidos nessas áreas? Eduardo: O Plano de Logística e Transportes, lançado neste ano, estima a necessidade de investir mais de R$ 25 bilhões no modal rodoviário. O Estado não dispõe dessa capacidade de investimento. Nós vamos deflagrar intenso processo de requalificação da infraestrutura com um programa de concessão à iniciativa privada para recuperação, construção e duplicação de rodovias, e dotar o escoamento de nossa produção agrícola da qualidade necessária para reduzir o custo logístico e tornar o estado mais competitivo. O programa será uma das ferramentas para tirar o Estado da estagnação econômica, a gerar vagas de trabalho e renda, o que fará a roda da economia girar e integrar todas as atividades em um novo ciclo de crescimento. Vamos acelerar também a chegada da rede de energia trifásica ao campo. C: O RS é o segundo maior produ-


EVISTA

voltados à agricultura familiar as," afirma o governador eleito tor de leite do Brasil e a concentração da produção está em pequenas propriedades familiares. Porém, nos últimos dois anos 19 mil produtores abandonaram a atividade por ano. Quais políticas focarão na reversão do quadro? Eduardo: Precisamos melhorar o ambiente de negócios. Criar condições favoráveis ao investimento desses produtores e estimulá-los a voltar ao negócio. A solução passa também pela melhoria da conjuntura econômica e pelo aperfeiçoamento de processos. No momento em que consigamos colocar a roda da economia a girar novamente, reduzir tributos, simplificar processos, desburocratizar o licenciamento ambiental, garantir segurança jurídica e aperfeiçoar as regras fiscais com vista à competitividade dos setores produtivos teremos criado um ambiente favorável ao consumo, aos negócios e ao produtor; ao garantirmos uma infraestrutura melhor à pequena propriedade estaremos indiretamente estimulando a sua capacidade produtiva e, assim, o produtor poderá enxergar na atividade leiteira uma oportunidade de negócios renovada.

fiscais que seu governo fomentará às cooperativas de laticínios? Eduardo: Vemos com muito bons olhos o refinamento dessa produção. Há um mercado crescente para queijos finos mesmo com a crise. Quando a superarmos, então, as oportunidades desse segmento se multiplicarão. Precisamos qualificar o produtor antes de mais nada, para prepará-lo a este novo desafio. E estudar quais os incentivos fiscais que serão mais eficientes para dar segurança à cadeia produtiva e estimular o crescimento das cooperativas, proporcionando assim mais mercado e mais vagas de trabalho. C: Somos um país importador de lácteos em nossa balança comercial e o Rio Grande do Sul é exportador para outros Estados da Federação. Enfrentamos dificuldades na comercialização de leite em função da guerra fiscal existente, onde a ST sobre o produto torna o leite menos competitivo perante o leite dos estados compradores. Qual será a postura do governo

para fortalecer o laticínio gaúcho? Eduardo: Prioritariamente precisamos de uma política de redução de tributos, embora devamos manter ainda por dois anos as alíquotas atuais de ICMS antes de começar a reduzi-las. Esse período de descompressão é necessário para não prejudicar os orçamentos das prefeituras, para que possamos revisar a política atual e elaborar uma nova política tributária. Com ICMS menor, ganharemos competitividade automaticamente frente aos nossos concorrentes. Temos de aprimorar a logística do segmento, que será ajudada pelo nosso plano de concessões rodoviárias, que facilitará o escoamento da produção, e devemos estudar junto com as cooperativas novas políticas de estímulo à atividade. Paralelamente, devemos inovar na área ambiental: ampliar a velocidade e a eficiência dos processos de licenciamento. E instituir mecanismos e regras mais claras para que o empreendedor saiba exatamente o que precisa fazer e onde poderá desenvolver o seu negócio. FOTOS: DIVULGAÇÃO

C: Uma das formas para melhorar a arrecadação é combater a informalidade, que gera uma concorrência desleal. Como o Governo irá atuar em relação a esta questão? Eduardo: Com fiscalização rigorosa e políticas de estímulo à regularização da atividade informal. C: Hoje a exportação de leite em pó, junto a produtos de valor agregado como queijos finos, é vista pelo setor como uma alternativa para aliviar a pressão do mercado interno. Quais as políticas de incentivo à qualidade e incentivos

Leite diz que deverá manter as alíquotas atuais de ICMS nos próximos dois anos COOPERLEITE | NOVEMBRO 2018

09


CLASSIFICADOS DIVERSOS VENDEM-SE 30 caixas para colher uva, preço a combinar. Tratar com Enio Lorenzet, (54) 3477-2350 - Paraí. VENDE-SE gerador tratorizado 12 KVA, trifásico. Tratar com Domingos Ongaratto, (54) 99986-3667- Carlos Barbosa.

EQUIPAMENTOS VENDE-SE resfriador a granel Westfalia, 2.050 litros, monofásica. Tratar com André, (54) 999626736 – Carlos Barbosa. VENDE-SE resfriador Westfalia, 520 litros. Tratar com Ignácio Levandoski, (54) 99649-5676 - Paraí.

VENDEM-SE resfriador Etscheid, 500 litros, 2004, e bomba de ordenha 280. Tratar com Paulo, (54) 99926-9845 – Sertão. VENDE-SE ordenhadeira canalizada Fockink 4 conjuntos. Tratar com João Antoniolli, (54) 99974-5043 – Estação. VENDEM-SE ordenhadeira 300, um conjunto; transferidor Sulinox, 60 litros; e resfriador Westfalia, 1.000 litros, trifásico. Tratar com Neri Finatto, (54) 99959-7064 São Domingos do Sul. VENDE-SE ensiladeira JF92 Z10. Tratar com Rodrigo Anziliero, (54) 3504-1260 ou 99623-5883 Antônio Prado.

Anunciar nos classificados do Cooperleite é gratuito para associados. Envie seu anúncio com nome do associado, telefone para contato (com DDD) e cidade para cooperleite@coopsantaclara.com.br ou entre em contato com o DPL de sua região.

RECEITA CONFRARIA GOURMET

Torta de Aipim com Atum Ingredientes • 500g de aipim cozido e bem amassado (ou batata) • 200g de Nata Santa Clara • 2 potes de Temper Cheese Santa Clara sabor Provolone • 1/2 xícara de pepino em conserva bem picadinho • 10 azeitonas bem picadas • 2 cenouras cozidas e bem picadinhas • 1 lata de atum com molho picante (ou frango cozido e picado) • 2 colheres (de sopa) de tempero verde picado • 100 ml de leite-de-coco (controlar) Modo de Preparo Misture muito bem todos os ingredientes e acomode em prato ou pote com tampa. Deixe gelar. Decore e sirva como entrada.

10

NOVEMBRO 2018 | COOPERLEITE

VENDEM-SE resfriador Westfalia, 1.000 litros, 2 ordenhas, monofásico; ordenhadeira Eurolatte, 8 conjuntos, completa (extração, medição e lavadora automática). Tratar com Ivandro Thums, (54) 99174 6249 - Carlos Barbosa.

AGENDA 12/12/2018 Encontro de Criadores de Gado com Registro Carlos Barbosa/RS 04/05/2019 13º Encontro de Mulheres com Atividade no Leite Paraí/RS

Nota: A Cooperativa Santa Clara não se responsabiliza pelos produtos aqui anunciados. Os negócios são realizados diretamente pelos produtores.

Definido o prazo para a obra civil em Casca

Nova unidade deve ser concluída no final do mês

OS ACABAMENTOS da Indústria de Laticínios em Casca serão concluídos até o final deste mês. De acordo com o gerente de Projetos, Daniel Bandeira Silva, os computadores e equipamentos já estão no complexo. “A empresa tem o prazo até o dia 31 de novembro para entregar toda a obra para a Cooperativa”, afirma. Os testes para a geração do ar comprimido deverão ocorrer entre 10 e 15 de dezembro. Os 12 funcionários que participaram de treinamento na Indústria, em Carlos Barbosa, por 30 dias, já estão atuando em Casca com os demais colaboradores.


ARTIGO

Mais benefícios aos associados: Leite Saudável Santa Clara Carlos Alberto Gomes de Araujo, Supervisor Política Leiteira DPL Carlos Barbosa AS AÇÕES desenvolvidas para os associados ganham uma nova etapa através do Projeto II Leite Saudável Santa Clara. As atividades que iniciaram no mês de outubro deste ano seguem até setembro 2021. Nesta etapa são focados três pilares da produção: qualidade do leite, melhoramento genético e sanidade do rebanho. O projeto foi autorizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e publicado no Diário Oficial da União em 15 de outubro deste ano, para ser oferecido aos associados da cooperativa por três anos. No item qualidade do leite, o projeto compreende a busca pela melhoria. Desta forma, a cooperativa irá bonificar as análises mensais de rebanho para controle individual de Contagem de Células Somáticas (CCS) e composição do leite encaminhadas e orientadas pelos técnicos do Departamento de Política Leiteira (DPL). Ainda, irá oportunizar assistência técnica para revisão de equipamentos de ordenha e resfriadores aos associados através de técnicos terceirizados devidamente treinados, indicados pelo departamento técnico. Também está prevista a realização de tardes de campo e reuniões, organizadas pelos técnicos da Cooperativa. Em relação ao melhoramento genético, o programa compreende a busca do plantel mais adequado a cada propriedade, desta forma a bonificação sobre o valor do sêmen para o período de janeiro a junho de cada

Melhoramento genético é um dos focos da próxima etapa

Manutenção nas salas de ordenhas integra as ações do programa

ano passa a ser de 40% sobre qualquer sêmen comercializado pelo DPL da Santa Clara. Outra forma será através do trabalho de acasalamento dirigido sem ônus ao produtor interessado, e mais o trabalho de mapeamento genético subsidiado em 80% pela cooperativa em um trabalho conjunto com o Sebrae. Os produtores serão bonificados em 100% do valor do teste de exames para identificar

a ausência de tuberculose e brucelose nos animais de toda propriedade produtora de leite, realizado pelos veterinários credenciados, oportunizando a mais produtores certificarem suas propriedades. Com esses benefícios, pretende-se qualificar os associados da Cooperativa e, consequentemente, ter uma matéria-prima de maior qualidade e quantidade. COOPERLEITE | NOVEMBRO 2018

11


CONHECIMENTO

Palestras integram o 18º Encontro de Criadores de Gado com Registro Especialistas apresentarão dados sobre genética, terceirização, agronegócio e a importância do registro para o criador O 18º ENCONTRO Santa Clara de Criadores de Gado de Leite com Registro será realizado na quartafeira, 12 de dezembro, a partir das 9h30min, na Associação dos Funcionários da Cooperativa Santa Clara (Ascla), em Carlos Barbosa. O evento objetiva a valorização do associado, criador de gado leiteiro que registra seus animais. Desde 2007, a Santa Clara é entidade que mais registra gado leiteiro no Brasil. A programação contempla palestras. A primeira será proferida pelo zootecnista e produtor de leite no Paraná, Tobias Katsman. O holandês de 43 anos compartilhará sua experiência, tratando do tema Terceirização na Produção de Leite. “Irei mostrar o que fizemos em nossa propriedade, contando com a terceirização de diversos serviços, como silagem e plantio”, afirma. Na sequência, o engenheiro agrônomo e supervisor do Departamento de Política Leiteira (DPL), Carlos Alberto Araujo, vai

Em 2017, o Encontro envolveu criadores de diferentes regiões

comandar a palestra "Trabalhar Com Leite É Um Bom Negócio? O GepLeite Nos Esclarecerá". Após o almoço, o diretor da Quality Consultants of New Zealand Ltda - América Latina, Bernard Woodcock, compartilhará seu conhecimento na palestra Criação Eficiente de Terneiras no Mundo e Suas Aplicações no Brasil. Às 14h30min é a vez do geneticista, diretor técnico da DNA Genética do Brasil, Celso Barbiero, falar sobre O Melhoramento Genético Pós-descoberta da Seleção Genômica. “Hoje, já conseguimos mapear mais de 20 doenças em bovinos. As 600 amostras que estamos coletando entre os associados da Santa

SUA CASA DE CARA NOVA NO MERCADO AGROPECUÁRIO

-TINTAS -PORCELANATO -PISO -METAIS -LAMINADO CERÂMICO

10X

TUDO EM ATÉ

Promoção válida para todo mês de novembro de 2018.

NOVEMBRO 2018 | COOPERLEITE

Clara, nos levarão ao resultado detalhado sobre a genética desse rebanho”, destaca. Por fim, o analista de fomento do DPL, Claudir Vibrantz, apresentará dados atualizados dos registros da Cooperativa. “O registro de animais é semelhante à uma carteira de identidade. Ele informa que os pais são registrados e que o criador deste animal participa de uma associação de criadores, registrada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Entre os diferenciais, o registro assegura a perfeita identificação oficial dos animais (brinco, foto ou tatuagem). Ele também fornece informações e dados para o acasalamento programado”, salienta Vibrantz.

SEM JUROS

Profile for Cooperativa Santa Clara

Cooperleite | Novembro 2018  

Informativo mensal dos produtores associados à Cooperativa Santa Clara Ltda.

Cooperleite | Novembro 2018  

Informativo mensal dos produtores associados à Cooperativa Santa Clara Ltda.

Advertisement