Issuu on Google+


Novos convênios facilitam formação acadêmica dos associados A Cooperforte firmou convênios educacionais com mais duas instituições de ensino superior: a Universidade do Grande Rio – Unigranrio, do Rio de Janeiro, e a Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM / RS, de Porto Alegre. Agora os associados da Cooperforte que estudam nessas duas capitais contam com mais um incentivo da Cooperativa para a sua formação acadêmica, pois os convênios proporcionam descontos nas mensalidades das duas conceituadas escolas superiores.

mite a acumulação de benefícios.

Quem são as novas conveniadas RJ - A tradição da Unigranrio remonta a 1970, quando foi criada, no município fluminense de Duque de Caxias, a Associação Fluminense de Educação, mantenedora das Faculdades Unidas Grande Rio. Ao longo de três décadas, vários cursos superiores foram implantados nas unidades instaladas na capital Rio de Janeiro e nas cidades de Duque de Caxias, Silva Jardim e Macaé. Hoje, a Unigranrio oferece formação acadêmica em 27 cursos superiores, 24 dos quais com desconto de 20% nas mensalidades escolares para associados da Cooperforte. O convênio recentemente assinado não contempla os cursos de Medicina, Medicina Veterinária e Odontologia. No site www.unigranrio.com.br você encontra informações gerais sobre a Universidade do Grande Rio: cursos, campus, processos seletivos, programação acadêmica etc.

Vale ressaltar que nenhum convênio firmado pela cooperativa per-

RS - A ESPM nasceu há mais de cinqüenta anos como uma escola de

ForteIRPF

restituição e não possui o FORTE13º Salário em ser, não perca tempo. Com o ForteIRPF você pode receber, a partir do dia 08 de março, até 70% do valor da restituição devida, referente ao ano base 2003. O ForteIRPF é um empréstimo bastante favorável: taxa 2,3%* a.m. + TR; taxa de administração de 1%, cobrada no ato da liberação, e seguro prestamista de 0,089% a.m., cobrado na liquidação. O pagamento será feito em parcela única, quando do recebimento da restituição, ou no máximo na data do crédito da 2a. parcela do 13º salário.

Sua restituição do IR chega mais cedo

Fácil, rápido e sem burocracia

Se você já fez a Declaração do Imposto de Renda 2004, tem direito a

A solicitação do ForteIRPF pode ser feita:

propaganda, nas dependências do Museu de Arte de São Paulo. Com o tempo ampliou sua atuação, transformando-se em um centro voltado para o ensino da propaganda, comunicação com o mercado, marketing e administração. Além de São Paulo, a ESPM possui unidades no Rio de Janeiro, Campinas e Porto Alegre e também oferece cursos de graduação em parceria com entidades acadêmicas de Salvador, Brasília, Alphaville e São Bernardo do Campo. O convênio da Cooperforte contempla apenas a unidade gaúcha da ESPM e oferece aos associados que estudam em Porto Alegre descontos de 10% nos cursos de graduação e MBA e de 15% nos cursos da Escola de Criação (Portfólio e Webdesigner) e intensivos. Informações gerais sobre a Escola Superior de Propaganda e Marketing – Unidade de Porto Alegre estão disponíveis no link Unidades ESPM do site www.espm.br. Para saber mais sobre esses e outros convênios da Cooperforte, basta ligar para 0800 701 3766 ou acessar www.cooperforte.org.br - link Produtos e Serviços / Convênios.

- diretamente na sede da Cooperforte (BSB) ou nos PACs (BH, POA, RJ ou SP), - pelo fax (61) 314-7260, - pelo site www.cooperforte.org.br Se o solicitante já tiver o Contrato de Abertura de Crédito Padrão (CAC Padrão) implantado, será necessário encaminhar apenas cópia do recibo da Declaração do IRPF 2003 e do contracheque mais recente. Quando o associado não tiver o CAC Padrão implantado, além das cópias acima necessitará também preencher e encaminhar a Proposta de Empréstimo, especificando a finalidade do crédito. * Dependendo do histórico de crédito do associado, será 2,5% a.m.+ TR.


A Cooperforte realizará em Brasília, no dia 28 de março, sua Assembléia Geral de 2004. O Edital de Convocação será publicado no Diário Oficial no começo do mês de março e divulgado aos associados em locais públicos na Sede e nos Postos de Atendimento da cooperativa, nas dependências do BB e das entidades representativas do funcionalismo e como encarte dessa edição.

AGO e AGE: soberanas, mas diferentes A Assembléia Geral é o órgão deliberativo supremo da cooperativa. Suas decisões serão seguidas por todos os associados. A Assembléia Geral Ordinária AGO, conforme previsto no Estatuto da Cooperforte, reúne-se uma vez por ano, no decorrer dos três meses subseqüentes ao encerramento do exercício social, para: deliberar sobre o Relatório Anual do Conselho de Administração, que apresenta as demonstrações financeiras, o parecer do Conselho Fiscal e os fatos relevantes ocorridos no exercício; dar destinação às sobras; eleger ou reeleger os membros do Conselho de Administração, da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal, de acordo com seus respectivos mandatos; deliberar sobre a criação de fundos, entre outros. Já a Assembléia Geral Extraordinária - AGE será convocada sempre que necessário e pode deliberar sobre qualquer assunto de interesse da cooperativa, desde que mencionado no Edital de Convocação. É de competência exclusiva da AGE deli-

berar sobre reforma do Estatuto; fusão, incorporação ou desmembramento da cooperativa; mudança de objeto social e dissolução voluntária da cooperativa.

A vez e a voz dos associados As Assembléias Gerais são a materialização do espírito participativo e democrático das cooperativas. Nessas ocasiões, os associados – representados pelos delegados seccionais eleitos – participam ativamente das decisões que conduzem os rumos da instituição. Reforçam, assim, sua condição de donos, exercida a partir das experiências e necessidades que eles mesmos têm como clientes e usuários dos produtos e serviços oferecidos.

Esse é, sem dúvida, um dos grandes diferenciais das cooperativas: empresa gerida pelos próprios associados sem a intenção de lucro, visto que sua finalidade maior é atender aos anseios e expectativas da comunidade formada pelos cooperados. Na Cooperforte, os associados são ouvidos individualmente no programa Gerenciamento da Satisfação do Cliente, que acolhe todas as sugestões e críticas pelo telefone 0800 701 3766 e pelo e-mail faleconosco@cooperforte.org.br e participam coletivamente do processo decisório por meio de seus delegados seccionais.

Conheça os Delegados Seccionais da Cooperforte Seccional AC – AM – RO - RR AL - SE BA capital BA interior CE DF GO - TO MA - PI MG capital MG interior MT - MS PA - AP PE PR RJ capital RJ interior - ES RN e PB RS capital RS interior SC SP capital SP interior

Delegado Arkibal Socorro Ferreira Edvaldo da Silva Terto Carlos Augusto Bohana José Andrade Furtado e Wilson Martins da Rocha Filho Antônio Aldísio Lopes Matos Antonio José Teixeira Siqueira, Benito Lima Vasconcelos, Luiz Carlos Rosane e Rayson Ribeiro Garcia João Antonio Maia Filho Simplício Mário de Oliveira Francisco Alves e Silva Danilo Silva Neto e Luiz Carlos Fazza Alci de Souza Araújo Alberto Rocha Cunha Vamplê Brás de Lucena Romildo Gouveia Pinto Manoel Carlos Gomes e Marcelo de Souza Muniz Luiz Fernando da Costa Mattos Carlos Rosalvo de Oliveira Serrano Adolfo Ubirajara Krammer Francisco Scherer Odilon Conti Carlos de Araújo Barreto e Geraldo Pedroso Magnanelli Benedito Carlos Florêncio da Silva e Élcio da Motta Silveira Bueno


O ano civil começa no dia 1º de janeiro, mas os brasileiros em geral, na sua forma particular de levar a vida, consideram que é só depois do carnaval que as coisas, realmente, acontecem. Por isso, como antes da passagem de Momo tudo é festa, férias e folia, ainda é tempo de definir projetos para 2004 e planejar o que deve ser feito para que eles sejam realizados com sucesso. Muitos projetos começam com um sonho, que se transforma em desejo e, depois, em um objetivo. Os bens que sonhamos adquirir, os lugares aonde desejamos ir, as possibilidades que queremos ter e proporcionar àqueles que nos são caros - inicialmente podem parecer coisas distantes e até inatingíveis. Mas começam a ficar visíveis, próximas e

alcançáveis com o fortalecimento da confiança e com a determinação, que se materializa no planejamento e na disciplina imprescindíveis para que se alcancem as metas estabelecidas. Foi pensando assim que alguém disse e muita gente repete: não existe sonho impossível. Hoje até se acrescenta: às vezes, é só uma questão de tempo. E também de esforço e de persistência!

Toda caminhada começa com o primeiro passo Para começar um planejamento financeiro, não é preciso grandes fórmulas. Como quem vai se lançar em um grande salto, o primeiro passo é

saber onde se está, ou melhor, conhecer a situação atual do equilíbrio entre as receitas e despesas. Depois, avaliar o que pode ser feito para tornar essa relação cada vez mais positiva, calcular eventuais fatos externos que possam impactá-la e prever soluções favoráveis para situações imprevistas.Tudo porque o saneamento e o equilíbrio financeiros são o alicerce do planejamento. Quando a realização de projetos envolve recursos, paralelamente à busca do equilíbrio financeiro, é preciso conhecer o custo daquilo que se quer. Como num orçamento, “o preço do sonho” deve ser calculado no momento presente e projetado para o tempo em que se pretende tê-lo realizado. Assim, será possível, no planejamento, definir a alternativa de economia viável e mais adequada e o cronograma que permitirá, pouco a pouco, juntar a quantia prevista. Para cumprir um planejamento financeiro é preciso disciplina. Tenha-se em conta que liquidações, ofertas, promoções e descontos são tentações constantes que estão em toda parte. É preciso ser persistente para recusá-las, com a certeza de que, ao longo do tempo, todo e qualquer centavo se multiplica e será importante para a conquista do que se quer.

O equilíbrio de seu bolso está em suas mãos Não é segredo para ninguém que, na busca de alcançar o equilíbrio financeiro e iniciar um programa de poupança, o caminho mais curto começa dentro de casa, com o enxugamento (e em alguns casos corte mesmo!) das despesas supérfluas. Nessa direção, avalie se você tem


desfrutado das assinaturas de tv a cabo e de revistas e se sua conta telefônica (às vezes pesada pelo uso da internet) não tem como ser aliviada. Lembre-se que aluguel de vídeos e DVDs também pesa no orçamento, mas muitas vezes essa pode ser uma alternativa mais econômica do que o cinema para o lazer da família. Especialistas desaconselham qualquer tipo de desperdício. Recomendam que tudo deve ser comprado na medida exata das necessidades, evitando-se formar estoques que podem levar a perdas diversas. Recomendam dar uma folga para o cartão de crédito e sair de casa com poucas folhas no talão de cheques, para não ceder ao ilusionismo consumista. Falando sobre receita, despesa e economia, Augusto C. B. Sabóia, da consultoria Sabóia Advisors, especializada em planejamento financeiro familiar, fez um comentário interessante em matéria publicada no jornal Gazeta Mercantil: “Normalmente, as pessoas calculam quanto gastam para ver quanto sobra para poupar. Mas o correto é definir quanto precisa guardar para depois ver quanto pode gastar. A chave para conseguir isso é economizar”, ensina.

Devagar se vai longe ... As despesas cotidianas, por menores que pareçam, se somadas consomem grande parte da receita mensal, da mesma forma que a economia diária de centavos – tão menosprezada – se for feita durante anos com certeza resultará em uma boa quantia. Por isso, não desperdice qualquer oportunidade de economia e procure sempre aplicar sistematicamente, na modalidade mais vantajosa, o valor que conseguiu poupar. No esforço de economizar, não se descuide de seus gastos domésticos com energia elétrica, água, telefone, perda de alimentos e outros. Fique atento à evolução das contas mensais e verifique se o consumo está racional e compatível com o tamanho da família e com sua receita. Como os supermercados são templos do consumo, especialistas

recomendam alguns cuidados na hora de ir às compras, como por exemplo: evitar a data de recebimento do salário; fazer e se ater à lista de compras, com especificação de quantidades; não levar crianças; ficar atento a pesos e prazos de validade; conferir se as promoções são mesmo vantajosas etc. Quanto aos serviços bancários, o melhor é optar pelas instituições que cobram as menores tarifas, assim como é aconselhável ter apenas uma ou duas contas-correntes para melhor acompanhamento e fugir, a todo custo, do cheque especial. Da mesma forma, é recomendável ter apenas um cartão de crédito, usá-lo com cautela e pagar a fatura integralmente. Um presente aqui, uma lembrança ali, um agrado acolá. Somadas, essas manifestações de carinho podem custar caro e comprometer seu orçamento. Para que isso não aconteça, seja criterioso na escolha dos presentes, lembrando que mais importante do que o valor é o afeto que eles expressam. Observando esses conselhos, você verá como é fácil e produtivo adotar uma nova postura financeira. As economias obtidas cotidianamente mesmo as menores - aplicadas disciplinadamente na melhor opção de investimento, possibilitarão que você consiga juntar, no tempo programado, a quantia necessária para realizar seu objetivo. Pense nisso!

Poupeforte Programado: compromisso com seu sonho A Cooperforte tem o produto certo para quem quer chegar, a cada mês, mais perto de seu sonho. É o Poupeforte Programado, modalidade de depósito a prazo na qual o associado programa a transferência mensal automática do valor desejado de sua conta corrente para a Cooperforte. O Poupeforte Programado é uma aplicação vantajosa: o valor investido rende à taxa mensal de 1,1% + TR até totalizar R$ 1.000,00, a partir do que passa a render a taxas diferenciadas. O valor mínimo de aplicação é R$ 50,00, e o associado pode programar de dois a 99 depósitos mensais, com a vantagem de que no mês em que sua conta-corrente não apresentar saldo na data programada, o débito será interrompido sem nenhuma conseqüência, voltando a ser realizado no mês seguinte. As aplicações programadas podem ser suspensas a qualquer tempo, da mesma forma que o resgate pode ser efetuado, bastando para isso que o associado entre em contato com a Cooperforte. Veja, no quadro abaixo, a simulação de um Poupeforte Programado no valor de R$ 50,00, R$ 100,00, R$ 200,00 e R$ 500,00, pelo período de um, três, cinco, sete e dez anos, com base na TR de fevereiro/04 ( 0,0458%).

Poupeforte Programado (simulação) Aplicação mensal (R$) 50,00

100,00

200,00

500,00

637,00

1.276,21

2.560,31

6.409,60

(3 anos-36 parcelas)

2.167,47

4.351,21

8.734,46

21.955,04

(5 anos-60 parcelas)

4.121,53

8.295,30

16.708,64

42.287,45

(7 anos-84 parcelas)

6.627,76

13.390,79

27.066,42

69.366,52

23.991,09

49.094,46

126.937,65

(1ano-12 parcelas)

(10 anos-120 parcelas) 11.805,43

Projeção de saldos líquidos ao final da capitalização, já descontado o IR sobre os rendimentos. Taxas: fevereiro de 2004


Balancete Patrimonial 2003 (em reais/mil) Balancete

ITENS Associados * Mutuários

Balanço

novembro

dezembro

dezembro

63.302

63.710

63.710

30.729

30.705

30.705

126.662 2.684

131.980 2.714

131.980 2.714

41.039 82.253

44.201 84.490

44.201 84.490

685 1

575 0

575 0

83.318

84.185

84.185

82.404 914

82.716 1.469

82.716 1.469

4.313

4.227

4.227

1.100 2.760

1.100 2.719

1.100 2.719

453

408

408

214.293

220.392

220.392

135.139 129.117

139.803 134.422

140.530 134.422

650 5.372

656 4.725

656 5.452

79.154

80.589

79.862

32.567 34.943

32.952 34.940

32.952 35.667

11.644

12.697

11.243

214.293

220.392

220.392

4.540 (1.971)

4.336 (2.115)

27.672 (13.060)

2.569 (1.362)

2.221 (1.166)

14.612 (7.345)

(771) (616)

(834) (508)

(4.002) (2.935)

(90) 546

(34) 648

(503) 3.043

(431)

(438)

(2.948)

1.207 0

1.055 (3)

7.267 3

1.207

1.052

7.270

ATIVO Circulante Disponibilidades Títulos e Valores Mobiliários Operações de Crédito Outros Créditos Outros Valores e Bens Realizável a Longo Prazo Operações de Crédito Outros Créditos Permanente Investimentos Imobilizado de Uso Diferido Total do Ativo PASSIVO Circulante Depósitos Obrigações p/ Empréstimos e Repasses Outras Obrigações Patrimônio Líquido Capital Social Fundo de Reserva Sobras ou Perdas Acumuladas Total do Passivo DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Receitas da Intermediação Financeira Despesas da Intermediação Financeira Resultado Bruto da Intermediação Financeira Outras Receitas / Despesas Operacionais Despesas de Pessoal Despesas Administrativas Despesas Tributárias Outras Receitas Operacionais Outras Despesas Operacionais RESULTADO OPERACIONAL RESULTADO NÃO OPERACIONAL RESULTADO NO MÊS / NO SEMESTRE * Incluindo pré-cadastros


Em uma aliança global contra a pobreza, o Cooperativismo une organizações cooperativas dos hemisférios Norte e Sul em esforço conjunto de desenvolvimento econômico e social. Desenvolvimento econômico é a mesma coisa que crescimento? Para o presidente da Aliança Cooperativa Internacional, Ivano Barberini*, não é, ou melhor, é mais. Em entrevista publicada na edição nº 10 da revista Gestão Cooperativa - cujo trecho transcrevemos nesta página - ele explica que “desenvolvimento econômico é mais do que crescimento porque inclui o progresso social, a liberdade de participar política e comunitariamente, de trocar bens e idéias, que são os blocos construtores do desenvolvimento socioeconômico e democrático”. E continua: “Esta é a razão pela qual surgem grandes desafios e oportunidades de crescimento para o movimento cooperativo. Os desafios não são facilmente transponíveis e só venceremos se interagirmos em diferentes níveis ao mesmo tempo: cultura do cooperativismo, fortalecimento da sua identidade, boas práticas comerciais, participação dos membros, promoção da ética e da responsabilidade social. O Cooperativismo deve ser capaz de renovar suas estratégias, preencher os sonhos e satisfazer as necessidades das pessoas que buscam o movimento cheias de esperança e confiam, principalmente, nos membros cooperados. Os membros precisam se sentir, ao mesmo tempo, donos e depositários de suas cooperativas. A preocupação com a comunidade é um princípio cooperativista que se aplica cada vez mais a questões globais. Nesse contexto, o modelo cooperativo pode

contribuir para equilibrar melhor os interesses dos hemisférios Norte e Sul no combate à pobreza e, eventualmente, promover sua eliminação. O cooperativismo não pode solucionar problemas que tomaram uma dimensão endêmica, mas pode fazer parte da solução, porque possui os valores e a experiência necessária. A experiência de um comércio recíproco justo e igualitário, o intercâmbio de conhecimentos e assistência técnica são práticas que precisam ser aprofundadas e expandidas para outros setores. Essas são contribuições úteis para a administração de empreendimentos cooperativos que se iniciam. Finalmente, precisamos aproximar a visão das instituições com ações concretas. É de vital importância que tenhamos mais harmonia entre as diferentes gerações de cooperados, baseada em reciprocidade, em saber escutar e respeitar. Embora o conhecimento e a experiência adquirida sejam essenciais, não são suficientes porque precisam estar unidas num espírito inovador, como é a cultura das novas gerações. A habilidade de trabalhar em grupo é a melhor forma de expressão do Cooperativismo, pois compartilha experiências, esforços e cultura, da qual é porta-voz.” * Ivano Barberini é presidente da Aliança Cooperativa Internacional – ACI. Italiano de Modena, tem mais de 40 anos de experiência em cooperativismo e desde 1996 está à frente da Legacoop – órgão representativo de mais de 10 mil cooperativas da Itália, com cerca de 5 milhões de associados.


ano 3 – número 26 – fevereiro de 2004

O Instituto Cooperforte realizará, no dia 28 de março, em Brasília, a sua Assembléia Geral Ordinária de 2004, cuja pauta incluirá os seguintes assuntos: alteração estatutária, tendo em vista a habilitação, junto ao Ministério da Justiça, do Instituto como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, categoria que possibilita a captação de recursos e assinatura de convênios com órgãos governamentais e agências de desenvolvimento nacionais e internacionais; apresentação do Relatório de Atividades e da Prestação de Contas do exercício de 2003 e divulgação do Planejamento Estratégico 2004, com as principais linhas de ação do Instituto.

Parceria & inserção social O Instituto Cooperforte firmou recentemente parceria com a empresa Cobra Tecnologia. Como primeiro resultado, três jovens participantes do projeto Passaporte do Futuro foram admitidos no quadro funcional daquela empresa, elevando para 23 o número de participantes do projeto ja absorvidos pelo mercado de trabalho. O projeto Passaporte do Futuro é uma iniciativa de responsabilidade social que tem por objetivo capacitar jovens carentes para sua inserção profissional. Lançado em Brasília em outubro de 2002 pela Cooperforte, o projeto já qualificou 40 jovens da capital brasileira, dos quais 20 se uni-

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários de Instituições Financeiras Públicas Federais Ltda. SBS - Quadra 2 - Bloco A - Loja 1 - Térreo - Ed. Casa de São Paulo - 70078-900 - Brasília /DF

POSTOS DE ATENDIMENTO S. Paulo Av. S. João, 32 - 11º andar - (11) 3106-6969 fax (11) 3104-1679 B. Horizonte R. Rio de Janeiro, 750 - 5º andar (31) 3217-3362 fax (31) 3217-3085 P. Alegre Rua Uruguai, 185 - 8º andar - fone/fax (51) 3224-2883 e (51) 3224-2944 R. Janeiro Av. Nilo Peçanha, 50 Sl 1612 - Ed. De Paoli - fone/fax (21) 2220-0953

www.cooperforte.org.br Central Teleforte 0800 701 3766 - fax (61) 314-7260

DIRETORIA EXECUTIVA Presidente José Valdir Ribeiro dos Reis Diretores Marconi Tavares França Paulo Rochadel Lima CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Presidente José Valdir Ribeiro dos Reis Conselheiros João Batista Nogueira Josué Martins Neto Leonel Moscato Ziquinatti

ram na criação da Cooperativa de Prestação de Serviços de Informática e Tecnologia - Cooperinfo. Implantado também em São Leopoldo / RS, visando a capacitação de 42 jovens em padaria / confeitaria ou elétrica de automóveis, o Passaporte do Futuro já concluiu a etapa conceitual sobre cooperativismo e cidadania. A certificação será no dia 12 de março. O próximo passo será a aprendizagem específica da modalidade escolhida, preparando os participantes para o exercício profissional, com estágio. A Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, a Superintendência do BB e a AABB local são parceiras do Instituto Cooperforte no desenvolvimento do projeto Passaporte do Futuro no Rio Grande do Sul.

Marconi Tavares França Nilton Brunelli de Azevedo Paulo Rochadel Lima CONSELHO FISCAL Antonio Roberto Andretta David Vecchi Achiamé Givaldo Carneiro dos Santos JORNALISTA RESPONSÁVEL Antonio Emilio da Costa MTb 5.200/83 - DRT/DF

REVISÃO Antonio Menezes PROGRAMAÇÃO VISUAL E DIAGRAMAÇÃO Estúdio 59 TIRAGEM 65 mil exemplares


22686be6b03e64b227c8c5ea534464d6ad77a78d