Page 1


2

Editorial Participei da reunião do Conselho Nacional do Café – CNC, em Ribeirão Preto – SP, no dia 7 de novembro de 2014. Além dos conselheiros, estavam presentes várias autoridades do setor de café, como o analista de mercado do escritório Carvalhares, Nelson Carvalhares, que ministrou uma palestra com o tema “Como Ganharmos juntos”. O palestrante destacou alguns pontos importantes em que precisamos evoluir e quais as perspectivas para mercado de café. Confira alguns trechos da análise do Conselho Nacional do Café (CNC) sobre a palestra apresentada por Nelson Carvalhares: “O CNC concorda com o analista quando menciona que o Brasil precisa divulgar e usufruir do fato de ser uma potência do café. Somos o maior produtor, o maior exportador, segundo maior consumidor mundial e possuímos tudo da cadeia – pesquisa genética, desenvolvimento de máquinas e equipamentos, tecnologias, possibilidade do georreferenciamento do parque etc., mas não usufruímos de maneira correta junto ao mundo. Se o País não possuir uma estatística eficiente e confiável, capaz de rebater estimativas de fundos, bancos, empresas e demais instituições, não terá respeito. Assim, entendemos que a construção de números confiáveis é um trabalho fundamental para o setor, independente se os números serão favoráveis ou não aos preços. Somente assim acabaremos com as estimativas sem métodos”. “Perspectivas de Mercado: atualmente o consumo Mundial de café é da ordem de 150 milhões de sacas, com taxa de crescimento de 2% ao ano. De acordo com ele, existe esse mercado pujante e a oportunidade é muito grande para o Brasil, de forma que não podemos deixá-la escapar. Ele alerta que a cafeicultura nacional não precisa que as certificadoras lhe digam o que fazer, haja vista que nosso café já é legalmente certificado. O que se faz necessário é divulgarmos isso ao mercado consumidor”. Organizar-se é fundamental. Por isso as cooperativas, junto com seus associados, têm papel fundamental na construção da solidez dessas informações, pois integra todo elo da cadeia produtiva e fornece subsídios para as entidades como CNC, OCEMG, OCB etc. Que todos possam se municiar dessas informações e reivindicar melhorias para o setor.

Expediente

Tarcísio Rabelo Presidente Coopercam

Coopercam recebe visita da Syngenta

No início do mês de novembro, a Cooperativa dos Produtores de Café de Campos Gerais e Campo do Meio (Coopercam) recebeu uma visita importante em suas dependências, para uma reunião de alinhamento estratégico. Doze colaboradores a nível gerencial da Syngenta Brasil, estiveram na empresa para conhecer melhor a Coopercam e discutir ações comerciais para os próximos anos. Empresa multinacional, a Syngenta atua nas áreas de proteção de cultivos, controle de pragas, sementes e um projeto especial intitulado Nucoffee, na área de produção de café. “Todas as visitas de nível gerencial reforçam ainda mais a parceria com a Coopercam, pois esses executivos passam a conhecer detalhadamente a entidade, o que mostra como é realizado o nosso trabalho junto ao produtor no campo”, comenta Ronaldo de Oliveira, gerente comercial da Coopercam.

Estiveram na Coopercam os seguintes executivos da Syngenta: Marcos Cilento (Gerente da Unidade), Juan Gimenez (Gerente Regional Café), Ather Barros (Gerente Regional P. Café), Marcos Zatiti (Gerente Regional Cereais), Matheus Alvim (Gerente de Marketing Café), Cristiane Silva (Coordenadora do Departamento de Acesso), Thadeu Sousa (RTV Ped), Pedro Damasceno (RTS), Ivan Macedo (RTV Cereais), Leandro Mignoso (RTV Ped), Marcos Freire (ATV), e Marcos Dutra (Desenvolvimento de Mercado). “A reunião foi de grande valia para a Coorpecam, já que os executivos ficaram surpresos com estrutura da Coopercam e com o nosso modelo de trabalho realizado. Durante a visita foi possível alinharmos estratégias que serão benéficas para o crescimento da parceria com a Syngenta e, consequentemente, com melhores resultados aos nossos cooperados”, finaliza Oliveira.

Conselho de Administração: Tarcísio Rabelo, José Eduardo Vanzela, José Afonso Gomes, Oswaldo Pimenta Duarte, Benigno Carvalho Machado. Suplentes: José Lúcio Ribeiro, José Maurício de Souza, Valeria Miarelli. Diretoria Executiva: Tarcisio Rabelo, José Eduardo Vanzela, José Afonso Gomes. Conselho Fiscal 2014: Marcos Francisco de Oliveira, José Nicodemos dos Santos e Mauro Dias Palhão (efetivos); e José Donizeti Correa, Vitor Raimundo de Abreu Salgado e José Maria Soares (suplentes). Jornalista Responsável e Redação: Eliana Sonja Rotundaro MTb 12982. Colaborador e fotos: Hendrix Brasiliense. Diagramação: Sakey Comunicação. Tiragem: 2 mil exemplares. Impressão: Gráfica Novo Mundo.


3

COCCAMIG DIVULGA VENCEDORES DO 3º CONCURSO DE QUALIDADE DE CAFÉ

PROJETO COLHEITADEIRA P1000 - ANÚNCIO 1-4 PÁGINA COOPERCAM - VEICULAR OUTUBRO 2014.pdf 1 09/10/2014 14:27:28

Em 2014, Sul de Minas, Matas de Minas e Cerrado Mineiro foram as três das quatro regiões da área de abrangência da Cooperativa Central de Cafeicultores e Agropecuaristas de Minas Gerais que coroaram o 3º Concurso de Qualidade de Café do Sistema Coccamig. De acordo com a diretoria da Cooperativa, observou-se, neste ano, uma grande evolução em relação ao concurso de 2013, devido à qualidade dos cafés ganhadores e também ao aumento de amostras inscritas no concurso, que foi da ordem de 65%. Além desse crescimento, 2014 será marcado pelo 1º Leilão Eletrônico de Café, no qual os lotes finalistas estarão participando, já com um preço mínimo – superior aos valores de mercado – garantido pela Coccamig. C “Desta forma, acreditamos que estamos no caminho correto, conseguindo atingir nosM so grande objetivo, que é agregar valor ao Y produto do homem do campo e das nossas cooperativas. Parabéns a todos pela conquisCM ta”, congratulou o presidente da Coccamig, MY Tarcísio Rabelo. CY

CMY

K


5

COopercam ajuda apae de campos gerais

Fazer o bem à sociedade em geral é o objetivo principal do Dia de Cooperar, uma ação do Sistema Ocemg que incentiva as cooperativas associadas a promover e estimular a integração de ações voluntárias em um grande movimento cooperativista. É um dia reservado para fazer o bem ao próximo por meio de ações diversificadas e simultâneas em todo o estado mineiro. Criado em 2009, a Ocemg propõe uma data específica para a ação. Em 2014, o dia 6 de setembro foi escolhido para o grande dia. A Cooperativa dos Cafeicultores de Campos Gerais e Campo do Meio (Coopercam), por exemplo, aproveitou uma ação já existente na entidade para

ampliar ainda mais a adesão ao bem e ao voluntariado: o Projeto ReciclAção. O Projeto tem como objetivo arrecadar lixo reciclável através dos colaboradores da Coopercam, vendê-lo e, com o dinheiro angariado, reverter em cestas básicas para famílias carentes. Com o envolvimento de toda a população da cidade, inclusive de empresários de vários ramos, o Projeto foi ampliado e designado para ajudar a APAE. “No dia 6 de setembro, percorremos as ruas da cidade recolhendo material reciclável. Foram mais de 30 empresas envolvidas e conseguimos mais de quatro toneladas de material reciclável e R$ 5 mil com a sua venda. Além de ajudar a APAE, conseguimos retirar muito lixo da natureza, pois em Campos Gerais não há coleta seletiva”, explica Hendrix Brasiliense, colaborador da Coopercam e organizador do Projeto ReciclAção. Com o dinheiro entregue à APAE serão construídas três salas de atendimento de fisioterapia e uma para atendimento odontológico. Brasiliense explica que a obra está orçada em R$ 53 mil e que a ação será realizada em prol da APAE até se conseguir

toda a verba necessária. “Já obtivemos com a Prefeitura o empréstimo de pedreiros para fazer a obra. O Sicoob doou uma TV para fazermos uma rifa solidária para a arrecadação de recursos. Vamos pedir à comunidade doação de brindes para essa rifa”, conta Brasiliense. O Projeto ReciclAção, desde que começou a funcionar, em março deste ano, já beneficiou cerca de 300 pessoas. “Ações sociais não devem ser encaradas como uma obrigatoriedade, pois assim perderia todo o sentindo que embasa e envolve a solidariedade e ações transformadoras, que possam realmente contribuir com a vida das pessoas, tantos dos que recebem quanto dos que doam. E foi com esse espiríto de fazer o bem sem olhar a quem, que decidimos iniciar o projeto e de forma espontânea todos se ofereceram para ajudar. Foi bem motivador perceber que muitos querem fazer o bem e o que falta, às vezes, é um pequeno incentivo”, completa Brasiliense.


A MELHOR SOLUÇÃO DE MANEJO

Mario Figueira Equipe de Manejo Monsanto Jataí/GO

Alberto Schlatter Produtor rural Chapadão do Sul/MS


ESTร AO ALCANCE DE TODOS.

Valdeci Monteiro Produtor rural Londrina/PR

Luciana Colaรงo Equipe de Manejo Monsanto Toledo/PR


10

Artigo

pROBLEMAS PELO EFEITO DA ESTIAGEM SOBRE A FLORAÇÃO DAS LAVOURAS CAFEEIRAS

A floração do cafezal é um momento muito esperado pelo cafeicultor, pois é o primeiro anuncio da safra vindoura. Neste ano, agora em setembro/ outubro, teve inicio a florada nas lavouras, em algumas áreas onde já choveu, mas existiam e permanecem dúvidas sobre o volume, a abertura e o pegamento desta florada. O que se tem visto no campo já pode começar a aclarar estas dúvidas. Primeiro, havia o receio de que o stress hídrico, mais cedo, em fevereiro até maio, poderia dificultar a indução floral, na fase inicial de formação das gemas. Pode-se observar, sobre isso, que houve a indução normal, pois, agora, os ramos e as rosetas estão com grande numero de botões florais, com boa uniformidade no amadurecimento das gemas, pelo próprio efeito da seca, de maio a setembro. Como as chuvas, na maioria das regiões, ainda foram em pequeno volume e mal distribuídas, existem variações no comportamento da florada. Em muitas áreas houve uma pequena florada, de ponteiro e mais nas lavouras novas. Em outras, com um pouco mais de chuvas, a florada foi maior, com cerca da metade dos botões abrindo, precisando de mais chuva para a abertura total. Neste ponto surgem indagações e afirma-

ções diversas, dos produtores e dos técnicos. Será que estas flores, por terem ocorrido em período de pouca chuva e pela persistência da seca, vão pegar, ou seja, vão se transformar em frutos? A primeira resposta a esta indagação depende do que virá de chuva em seguida. Se dentro de pouco tempo as chuvas se normalizarem, a falta de chuvas no período da pós-abertura das flores não causará prejuízos, de certo modo até favorece, pela menor ocorrência de fungos, que atacam no momento da floração e na formação inicial dos chumbinhos. O stress prejudicial à frutificação ocorre quando os frutos começam a crescer rapidamente e a formar as sementes, que acontece a partir de 60-80 dias pós florada, aí que mora o perigo. A segunda resposta diz respeito às lavouras em áreas mais quentes e secas e que chegaram a secar ramos, sofrendo muita desfolha Nestas, é claro, a floração vai ficar prejudicada pela morte de gemas e pelo menor pegamento da floração, pois as reservas que se acumulam nas folhas, ficaram prejudicadas. Por último, existe, em campo, uma terceira situação, onde a florada ocorreu com pouca chuva, com 5-20 mm apenas. Aí já podem ser observados alguns problemas com a floração. Onde a água foi pouca estão ocorren-

do os botões chamados de grãos de arroz. Eles foram estimulados a crescer, pelo diferencial hídrico ocorrido, porem a pouca água não foi suficiente para o crescimento completo e para a abertura dos mesmos. Então estes botões ficam amarelecidos e acabam caindo, sem que se abram em flores. Nas condições com um pouco mais de água as pétalas das flores ficam menores, algumas abrem parcialmente e outras abrem normalmente, com flores de pequeno tamanho. Nesta última condição não se espera perdas. Em conclusão pode-se dizer que, apesar de não conhecermos perfeitamente o processo de florescimento e o que está acontecendo na fisiologia, internamente, nos cafeeiros, em voltando, nesses próximos dias, a ocorrer chuvas normais, as lavouras que produziram pouco em 2014 estão preparadas para dar uma boa safra em 2015. Aquelas que produziram bem em 2014 se encontram desfolhadas e tem poucas condições de florescimento e de pegamento da florada. De fato, a estiagem pode prejudicar a próxima safra de café. O quanto vai depender da retomada das chuvas e só mais a frente é que poderemos avaliar melhor. J.B. Matiello – Eng. Agrônomo Fundação Procafé


11

Pesquisas revelam que o café, em doses certas, traz vários benefícios à saúde O povo brasileiro é apaixonado por café. Mais ainda a população sul mineira, já que a região é uma das importantes do País na produção desse produto. De manhã, o brasileiro não sai de casa sem tomar ao menos um gole da preciosa bebida. Junte-se ao café quente o leite, o pão de sal e o pão de queijo. Depois dessa fartura, a família se sente mais desperta e animada para começar o dia. Além desse bem-estar diário, o café, de acordo com várias pesquisas ao redor do mundo, traz uma série de benefícios à saúde humana. Abaixo, uma lista das principais vantagens do café. Mas lembre-se: para ser benéfico, deve-se tomar a bebida em doses moderadas. 1 - Café ajuda na prevenção de doenças Pesquisadores descobriram que tomar de 1 a 3 xícaras de café por dia reduz o risco de diabetes tipo 2 de forma significativa e tomar seis ou mais xícaras todos os dias o risco cai ainda mais. A formação de doença de Parkinson pode ser reduzida em até 80% e o risco de câncer de pele pode ser diminuída em até 25%. O estudo também revelou que as mulheres que tomam quatro ou mais xícaras pode diminuir as chances de desenvolver câncer de mama em até 40%.

4 - Uma vida mais longa Um estudo realizado pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostra que pessoas que tomam café são mais propensas a ter uma vida mais longa do que aqueles que não têm este hábito diário. Cientistas afirmam que os antioxidantes encontrados naturalmente no café combatem o envelhecimento.

6 - É bom para o fígado Pesquisadores já comprovaram que o consumo diário de café ajuda a regular o fígado. O consumo regular de café pode reduzir o risco de contrair cirrose hepática, câncer de fígado ou até mesmo insuficiência hepática. Os benefícios não param por ai: também reduz o risco de cirrose alcoólica. Esses benefícios não se estendem às outras bebidas com cafeína ou chá.

2 - Tomar café antes de ir para academia ajuda a malhar melhor Antes de todos os exercícios em casa ou na academia, você pode beber uma xícara de café. A bebida libera endorfina no corpo em poucos minutos e permite que o seu corpo esteja mais preparado para começar sua rotina diária de trabalho e exercícios. A endorfina vai ajudar a aumentar o desempenho. Atletas e treinadores de alto nível têm usado o café para aumentar o desempenho físico antes de uma competição.

3 - Café é rico em antioxidante Uma xícara de café tem mais de mil antioxidantes. Estes por sua vez, são importantes para a saúde e agem de muitas maneiras em nosso corpo. Eles podem, por exemplo, reduzir a inflamação causada por artrite e livra você das toxinas que causam este tipo específico de câncer. Eles também neutralizam os radicais livres, que podem conduzir a um ganho de peso.

5 - Ajuda no raciocínio rápido O café mantém você mais ativo e ajuda no raciocínio. A cafeína, principal ingrediente do café, é um estimulante e bloqueia os efeitos do neurotransmissor inibitório que é chamado de adenosina. Este bloqueio aumenta o disparo neuronal no interior do cérebro e provoca a libertação de outros tipos de neurotransmissores. Isto leva a um efeito estimulante do líquido e melhora seu raciocínio e humor de forma quase automática. Consumir café regularmente também ajuda a superar problemas mentais e melhora as habilidades cognitivas. Estudos mostram que o café enriquece a capacidade de pensar e dá uma um impulso extra quando se precisa tomar decisões de forma mais rápida.

7 - Reduz o risco de gota Só quem tem Gota (tipo de artrite que ocorre quando o ácido úrico se acumula no sangue e causa inflamação nas articulações) sabe o quando é doloroso. Ela afeta as articulações e dificulta a mobilidade durante um longo período de tempo. Consumo de café pode reduzir a dor sentida e aliviar esta condição. Estudos mostram que as mulheres que tomam café regularmente diminuem o risco de desenvolver gota. Isso ocorre porque os antioxidantes contidos no café reduzem a insulina e automaticamente diminuí produção de ácido úrico.

8 - Benefícios do café para pele Beber café pode ajudar diminuir o risco de câncer de pele. Um estudo feito especificamente com a cafeína do café mostrou que consumidores de café têm um risco menor de desenvolver carcinoma basocelular.

9 - Café ajuda a queimar calorias Quando você pensa em café, você costuma pensar na bebida. No entanto, se o seu foco é a perda de peso, extrato de café verde pode ser um aliado eficaz. Após um estudo de 22 semanas com 16 adultos com excesso de peso, os pesquisadores descobriram que os participantes que consumiram café em sua forma crua conseguiram perder peso de forma significativa. Trinta e sete e meio por cento das pessoas que participaram da pesquisa saíram da situação obesidade tipo 2 para uma faixa de peso normal. Se você está lutando contra a balança acrescente à sua alimentação alguns grãos de café ainda verde.


12

LEITE: TÉCNICAS SIMPLES PODEM AJUDAR A PRODUZIR MAIS

Para que a produção de leite seja mais econômica e competitiva, o único caminho é o aumento da produtividade. Para que isso aconteça, é preciso deixar de lado conceitos ultrapassados e ter um novo enfoque da assistência técnica, atualmente mais voltada para o aspecto curativo. A grande maioria dos pecuaristas desconhece a maneira de fazer um efetivo controle sanitário, bem como as técnicas de manejo e os cuidados com a alimentação. Tais procedimentos são indispensáveis à melhoria da eficiência na atividade leiteira. É possível caracterizar a baixa eficiência reprodutiva dos rebanhos leiteiros devido ao longo intervalo entre os partos. Além de representar baixo potencial genético para produção de leite, esse longo intervalo entre os partos não permite que esse potencial seja totalmente explorado. Sub-

nutrição, doenças debilitantes e infectocontagiosas e manejo inadequado são as principais causas de ineficiência que, por sua vez, contribui para uma acentuada redução na produção de leite e de bezerros. Para que haja aumento da produtividade, a estruturação de uma fazenda exige, inicialmente, um levantamento sanitário, com eliminação dos animais portadores de doenças infectocontagiosas e, posteriormente, um efetivo controle sanitário. Em um rebanho livre de doenças, a alimentação passa a ser o principal fator determinante da boa eficiência produtiva. Não adianta uma vaca bem nutrida manifestar cio precocemente pós-parto e, depois, necessitar de sucessivos serviços devido a infecções uterinas, ou então, apresentar curto período de serviço em consequência de alguma doença infectocontagiosa.

Nesses casos, o intervalo entre partos continuará sendo longo. O criador de gado de leite pode obter maior taxa de parição no rebanho sadio, por meio de um nível nutricional adequado, que deve ser oferecido nas diversas fases da vida produtiva e reprodutiva do gado. A eficiente produção de alimentos volumosos é indispensável para a economia desse processo. Os controles reprodutivo, leiteiro e sanitário e a utilização racional do alimento produzido e disponível são fatores importantes nos resultados financeiros da atividade leiteira. Caso a sua produção leiteira não esteja satisfatória, procure o Departamento Técnico da Cooopercam e solicite uma avaliação de seu rebanho bem como as possíveis mudanças para uma maior eficiência de sua propriedade.

Coopercam setembro outubro issu  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you