__MAIN_TEXT__

Page 1

Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce Fundada 25/1/59

pág. 3 pág. 5 3º Leilão Maravilhas do Leite pág. 5 3º Leilão Maravilhas do Leite pág. 5 3º Leilão Maravilhas do Leite

Ano XXV Nº 295 Set/ 2014


Capa

AUMENTO NO PREÇO DO LEITE LEITEIRO Cooperativa aumenta em R$ 0,10 o preço pago pelo litro do leite ao produtor.

Todo ano é a mesma coisa e os produtores rurais de Governador Valadares e região sofrem para lidar com as oscilações no preço do leite nos mercados interno e externo. Mas o maior desafio está em enfrentar o período da entressafra, onde o calor é maior, o que reduz o desempenho produtivo dos animais, e as irregularidades das chuvas são constantes, o que interfere na produção de alimentos para o rebanho. Todos esses fatores interferem diretamente na produção, sendo que a queda no volume do leite na região chega a superar 30%. E como incentivo para garantir a rentabilidade e qualidade da produção a Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce concedeu um aumento de R$ 0,10 no preço pago pelo litro de leite aos cooperados, o que representa um aumento de 10% no valor. O valor será dividido, serão mais R$ 0,05 pelo leite fornecido

no mês de agosto e pago em setembro, e mais R$ 0,05 pelo leite fornecido em setembro e pago em outubro. O vice-presidente da Cooperativa, João Marques, afirma que a intenção é continuar o apoio incondicional aos cooperados e que a falta de chuvas interferiu diretamente na produção do leite, o que levou a Cooperativa a incentivar os produtores na tarefa de superar o período da entressafra. “Todo ano tem o período de chuva e de seca, e este ano as dificuldades são maiores. Isso porque tivemos chuvas torrenciais em dezembro do ano passado. Desse período até agora as chuvas estão irregulares e aqui na nossa região são desordenadas e as pastagens não cresceram. Tudo isso dificulta para nossos cooperados, que precisam comprar fora ração e insumos, além de mais mão de obra para a produção”, disse. Ainda de acordo com o vice-

-presidente a intenção da Cooperativa é fornecer o apoio e o incentivo necessários para os produtores rurais em relação à produção do leite. “O exercício da Cooperativa é fazer frente às dificuldades e às despesas que são inevitáveis. Queremos proporcionar mais benefícios sempre aos nossos cooperados. Sempre trabalhamos com projetos que trazem ganho para o produtor, com atividades variadas. E a gente sabe que este momento é difícil para todos. Então, nada melhor que criar uma oportunidade de incentivo para que a produção tenha a qualidade necessária”, disse Marques, revelando a certeza de que o aumento representa um alívio em um momento complicado para o produtor. O preço pago pelo leite ao produtor varia de acordo com a quantidade e qualidade. O preço médio agora será de R$ 1,10 podendo chegar a R$ 1,20.

3 CooperJornal Setembro • 2014


Matéria

Projeto Agropecuária na Escola Cerca de 500 crianças visitaram o Galpão Leiteiro da Cooperativa

Apresentação musical para as crianças no Armazém.

4

No ano passado o Armazém foi montado pela primeira vez dentro da Expoagro, foi uma aposta da diretoria que fez sucesso e foi muito aceita pelos visitantes da feira. Este ano não poderia ser diferente, o Armazém foi montado mais uma vez e com preços promocionais para quem comprasse dentro da Expoagro.

Iniciado em 2010 por iniciativa da União Ruralista Rio Doce (URRD), o Agropecuária na Escola é um projeto sócio educativo, didático e cultural, que visa proporcionar a interação e a integração de crianças com a mostra de agropecuária, realizada durante a Expoagro. A Cooperativa apoia o projeto desde seu início, sempre com muita preocupação em apresentar às crianças a cadeira produtiva do leite para que elas conheçam melhor e valorizem o produto que consomem. O cooperativismo também é um tema abordado, sempre por meio de brincadeiras e dinâmicas. Este ano cerca de 500 crianças participaram do projeto, assim que chegavam ao Parque de Exposições José Tavares Pereira iam direto para o Galpão Leiteiro da Cooperativa e eram recebidos pela diretoria e pelo educador cooperativista Marciano de Jesus. As crianças aprenderam a origem do leite, o processo industrial para a produção dos derivados e os benefícios do seu consumo para a saúde.


Matéria

CFC 2014

Lançado em 2009, como parte do Programa de Desenvolvimento Sustentável da Cadeia Produtiva do Leite (PDSCPL), o Centro de Formação do Cooperado (CFC) foi criado para oferecer aos cooperados orientações constantes que lhe permitam estar sempre preparados para o disputado mercado de leite, estar capacitado a atender a Instrução Normativa 62 que trata das questões de qualidade, além de manter uma educação continuada dos cooperados.

Este ano a primeira etapa do CFC será realizada na Fazenda Paraíso, de propriedade da Heringer Fertilizantes, em Barra do Jucu, Vila Velha – ES, entre os dias 6 e 11 de outubro. Os temas abordados serão recuperação de pastagem, produção de volumoso, melhoramento genético e cria e recria de bezerras. Os cooperados interessados em participar deverão procurar o Departamento de Campo para se inscrever (33) 3202-8310.

3 de Novembro|2014

No dia 3 de novembro haverá, como parte do CFC, um treinamento específico para líderes de comunidade.

19 de Dezembro|2014 Encerramento do CFC

5 CooperJornal Setembro • 2014


Matéria

37º Concurso Leiteiro premia vaca Alemanha como grande campeã

6


Durante três dias (9, 10 e 11 de julho) 24 vacas participaram do 37º Concurso Leiteiro da Cooperativa, o evento é um dos mais tradicionais e principais eventos da cadeia produtiva do leite de toda a região. Produtores rurais de Governador Valadares e também de outras cidades passaram pelo galpão leiteiro e puderam ver de perto toda a tecnologia e manejo envolvido no cuidado com animais de excelência que participam de torneios de produção de leite. Foram realizadas três ordenhas por dia, totalizando nove ordenhas durante os três dias de competição. A Alemanha foi a grande campeã na categoria Acima de 50 kg, com produção média de 62 kg/dia e produção total de 184,985 kg. A vaca Alemanha tem cinco anos de idade e de acordo com o proprietário dela, o cooperado Márcio José Lopes Barreto, a vaca é diferenciada e foi um acerto trazê-la para participar do concurso “A Alemanha é uma vaca muito boa, não tenho

do que reclamar. A preparação começou desde o ano passado, como tem que ser para um concurso leiteiro. Tratei bem dela e os cuidados foram redobrados. Para ser campeã tivemos que ter concentração e foco no que queríamos conquistar”, afirmou Barreto. Pelo resultado e sucesso no evento é provável que no próximo ano a Alemanha participe novamente do concurso, é o que garante o proprietário. Para o médico veterinário e gerente do Departamento de Campo da Cooperativa, Pedro Francisco Repossi Júnior o concurso leiteiro deste ano superou as expectativas. “Tivemos 11 produtores cooperados e 24 animais que participaram da competição. A média de produção das vacas este ano foi maior, e a vaca que foi a grande campeã teve uma média de produção de 62 kg por dia. A cada concurso as vacas que participam têm a média de produção maior que as do ano anterior. Tivemos outras três vacas com

média acima de 60 kg de leite, e, neste ano aconteceu muita alternância nas posições, o concurso foi bastante concorrido. A disputa foi grande e isso é bastante positivo”, disse Repossi, ressaltando que outro ponto positivo é que este ano teve a participação de dois novo produtores, que participaram pela primeira vez do evento, “diferentemente dos anos anteriores, quando os participantes eram sempre os mesms cooperados”, afirmou. Participar de um evento dessa magnitude, para as vacas, exige cuidados especiais. “O que se faz com as vacas que participam do concurso não se faz normalmente com as outras vacas da fazenda. É um trabalho especial voltado para o concurso. No período de preparação as vacas vão comer mais do que elas normalmente comem; há uma pressão fisiológica maior, a rotina é diferente. Ela tem que responder a esse trato que o produtor está dando a ela”, finalizou o veterinário.

7 CooperJornal Setembro • 2014


Reuniões de

Comunidade

Outubro

Reuniões

Reunião do Comitê Educativo toda 1ª

8

01 02 04

Comitê Educativo, Sede da Cooperativa, 13h

09 10 11 12 16

Poaia, propriedade de Turíbio, 14h

17 18 19 22 23 24 25

Fernandes Tourinho, Centro Cultural, 13h

Itabirinha, propriedade de José Preto, Córrego Rico, 14h São Geraldo da Piedade, Salão Paroquial Vila Nova Floresta, 14h Marilac, Salão Paroquial, 14h Alvarenga, Banco de Alimentos, 13h Central de Santa Helena, Salão Paroquial, 14h Mendes Pimentel, Salão Paroquial, Baixas da Oliveiras, 16h Bugre/Cassimiro, propriedade de Sebastião Leão, 14h Golconda, Igreja Presbiteriana, 14h Central de Minas. Câmara de Vereadores, 14h Lavrinha Jampruca, Câmara de Vereadores, 14h Beija Flor, propriedade de Mário Viana, 14h

Novembro

Setembro

segunda-feira do mês

01 02 06 07 08 09 16 21 22 23 27 29

Virgolândia, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, 14h

03 04 05 06 10 11 12 13 18 19 20 24 25 26 27

Comitê Educativo, Sede da Cooperativa, 13h

Coroaci, Salão Paroquial do Procópios, 14h Comitê Educativo, Sede da Cooperativa, 13h Pingo D’agua, propriedade Rangel, 14h São Vicente, propriedade de Joaquim Carapina, 14h Vila São Bernardo, Salão Paroquial, 14h Boa União, propriedade de Elias, 14h Pontal, Propriedade de Zé Mariano, 14h Itapinoã, Sede da Associação, 14h Córrego dos Prazeres, Igreja Católica, 14h Periquito, propriedade de Ricardo Alves, 14h Krenak, Tribo Indígena

Capitão Andrade, Salão Paroquial, 13h Boa União, propriedade de Elias, 14 h Sobrália, Salão do Sindicato Rural, 14h Tarumirim, Salão do Sindicato Rural, 13h Poaia, propriedade de Turíbio, 14h São José do Divino, Câmara Municipal, 14h Sabinópolis, Salão do Sindicato Rural, 14h Itaúna, propriedade de José Nunes, 14h Nacip Raydan, Clube Alvorada, 15h Santa Efigênia de Minas, Sede da Associação, 14h Marilac, Salão Paroquial, 14h Pingo D’agua, propriedade de Rangel, 14h Cuparaque Bugre/ Cassimiro, propriedade de Sebastião Leão, 14h


Matéria

3º Leilão Maravilhas do Leite

O Leilão Maravilhas do Leite que aconteceu pela primeira vez em 2012 já está se tornando mais uma tradição da Cooperativa. Este ano, em sua terceira edição, ele foi realizado no sábado, mais uma vez logo após o encerramento do 37º Concurso Leiteiro dentro da Expoagro. O diferencial deste leilão é levar a arremate todas as vacas que participam do Concurso Leiteiro da Cooperativa, assim é um leilão de animais de alto padrão e com produtividade comprovada. Durante toda a semana da feira os interessados em adquirir as vacas e novilhas do Leilão Maravilhas do Leite podem visitar o galpão leiteiro e acompanhar a produção de cada animal, tendo a certeza que estão adquirindo o que existe de melhor em gado leiteiro na região. Este ano cada cooperado pôde levar para o leilão um animal a mais além daqueles que participaram do 37º Concurso Leiteiro. Assim, foram leiloados 36 animais entre vacas e novilhas com uma movimentação financeira de R$ 186.000,000.

9 CooperJornal Setembro • 2014


Matéria

Fertilização In Vitro Cooperativa oferece Fertilização In Vitro a 1.350 produtores rurais do Vale do Rio Doce

Apresentação musical para as crianças no Armazém.

Apresentação musical para as crianças no Armazém.

10

O Estado de Minas Gerais tem a principal bacia leiteira do país e responde por 27,5% do total de leite produzido no Brasil segundo dados o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A região do Vale do Rio Doce tem grande importância na produção do estado e é nela que está a Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce, fundada há 55 anos e com um histórico importante de desenvolvimento e inovação na produção de leite. O presidente da Cooperativa, Guilherme Olinto Resende, conhece os problemas enfrentados pelo produtor de leite e acredita que facilitar o acesso à tecnologia é fundamental para fortalecer a produtor “O Vale do Rio Doce tem uma produção de leite expressiva e tem capacidade de produzir ainda mais, mas o produtor de leite ainda encontra muitas dificuldades para evoluir. Muitos desconhecem as técnicas mais avançadas e o pequeno produtor, que aqui é maioria, dificilmente tem acesso ao que existe de mais moderno. Com muito trabalho estamos conseguindo mudar essa realidade, a Cooperativa está democratizando a tecnologia e dando condições de crescimento para todos os cooperados,” comemora Resende. A Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce tem como missão institucional em seu planejamento estratégico promover o desenvolvimento tecnológico dos cooperados, oferecendo produtos e serviços inovadores que aprimorem a sua produção e contribuam para o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva do leite. Assim, a Cooperativa trabalha constantemente em busca de novas tecnologias para aumentar a produção e garantir maior rentabilidade de cada cooperado.


Projeto Crê$er Genética Com um investimento inicial de mais de meio milhão de reais, utilizando recursos da própria Cooperativa e subsídios de parceiros, a Cooperativa implantou em 2009 o Projeto Crê$er Genética, que é o incentivo à realização de Inseminação Artificial em Tempo Fixo, a IATF. O corpo técnico da cooperativa atende o cooperado, seleciona as vacas com capacidade de prenhez, faz a orientação quanto à aplicação de hormônios para o sucesso do procedimento e finaliza com a realização da IATF, sempre com sêmen de touros geneticamente superiores e com alto potencial em produção de leite. Desde a implantação do projeto Crê$er Genética já foram feitas mais de doze mil inseminações. Este foi um importante passo da Cooperativa para garantir mais lucro a médio e longo prazo aos cooperados. O projeto possibilita que o produtor planeje a melhor época de parição das vacas, se organize para produzir alimentação para o rebanho lactante e se prepare para receber as bezerras geneticamente melhoradas, inclusive fazendo treinamento de mão de obra e melhorando a estrutura para receber as bezerras. A IATF permite diminuir o intervalo entre partos e ainda produz bezerras leiteiras de qualidade melhorando as características do rebanho e, consequentemente a produtividade leiteira. Também foi implantado o projeto de Cria e Recria de bezerras, para que os animais fruto da inseminação tivessem manejo e alimentação adequados e chegassem a produzir com todo o potencial. Fertilização In Vitro Com a consolidação da IATF, difusão da tecnologia bem aplicada e mais receptividade dos produtores para novas tecnologias a Cooperativa sentiu que era hora de dar mais um passo e implantar a Fertilização In Vitro. O objetivo da Cooperativa é trazer sempre o

que existe de mais avançado no seguimento para todos os cooperados. Democratizar o acesso ao que existe de mais moderno e permitir que todos os 1.350 cooperados possam ter nas suas propriedades a melhor genética do Brasil. Para isso o presidente da Cooperativa, Guilherme Olinto, se reuniu em 2013 na fazenda São Francisco em Mogi Mirim - SP com o presidente da In Vitro, José Henrique Fortes Pontes, e começaram a traçar planos para implantar na Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce um projeto que levasse embriões de genética elevada e com pagamento facilitado desde pequeno ao grande produtor de leite associado à Cooperativa. Em março de 2014 uma comitiva formada por diretoria, conselheiros, cooperados e corpo técnico da Cooperativa visitou a fazenda São Francisco e fechou parceria e o formato de trabalho. A In Vitro Brasil, que é a maior empresa de produção de embriões FIV do mundo, presente em 11 países e que domina 45% do mercado mundial, se tornou a mais nova parceira da Cooperativa e a responsável por coordenador em conjunto com o Departamento de Campo da Cooperativa a implantação do projeto. O vice-presidente da Cooperativa, João Marques, acredita a FIV será um salto muito grande na pecuária leiteira de toda a região “Além de diminuir o intervalo entre partos, que por si só já torna a atividade mais produtiva, temos um ganho genético enorme e muito importante. As bezerras fruto da FIV serão animais de alta produção e com uma genética altíssima. Pequenos produtores terão em suas fazendas animais a nível das grandes fazendas do Brasil e isso vai naturalmente se refletir na produção,” explica Marques. Em abril os cinco veterinários credenciados para atender os cooperados e o gerente do departamento de Campo, Pedro Francisco Repossi Júnior, foram treinados pelo técnico da In Vitro, Douglas

Gaitkoski. O treinamento contou com uma parte teórica em que Gaitkoski explicou como é o procedimento da FIV desde o laboratório até a fazenda e também uma parte prática em que ele orientou os veterinários a como deve ser feita a seleção de vacas aptas a receberem os embriões, já que este é fator fundamental para o sucesso da FIV. Depois de todo o planejamento e treinamento o projeto começou a ser executado em maio. Foram criados grupos de cooperados com propriedades organizadas geograficamente de forma planejada, já que hoje a Cooperativa está presente em 62 municípios do Vale do Rio Doce e capta leite diariamente num raio de até 270 kms. O cooperado Renato Medina de Tarumirim – MG está hoje com produção de 50 litros por dia. Na propriedade dele três vacas foram receberam embriões e as três emprenharam de fêmea, 100% de sucesso. “Soube do projeto de FIV em uma reunião de comunidade e solicitei participar, este projeto da Cooperativa é fantástico, sou pequeno produtor e não teria como arcar com os custos de uma tecnologia dessas, mas com o apoio da Cooperativa isso se tornou possível, já estou me preparando para receber as bezerras e certamente quero participar das próximas rodadas,” comenta Medina satisfeito com o resultado. Já foram iniciadas três rodadas de trabalho, a primeira que iniciou em maio teve 251 transferências de embriões e um resultado de 40% de aproveitamento, assim, entre dezembro e janeiro a expectativa é que nasçam 100 bezerras. A segunda e a terceira rodada já foram iniciadas em junho e julho, respectivamente, e os diagnósticos delas ainda serão feitos. Nesses três grupos já participaram 42 cooperados, sendo que 10 participam de mais um grupo. Os cooperados que desejam participar devem procurar o Departamento de Campo pelo telefone (33) 3202-8300.

11 CooperJornal Setembro • 2014


Novos Cooperados

Novos Cooperados

A Cooperativa deseja felicidades a todos os novos cooperados

Sebastião Severiano do Carmo

Tarumirim

Dionísio Flávio Correia

Coroaci

Jorge Adrião da Silva

Mantena

Itamar Barroso

Sabinópolis

Terezinha Silviano de Jesus

Sao José da Safira

Divino Rodrigues de Oliveira

Engenheiro Caldas

Heloisa Célia Lorentz Magalhaes

Fernandes Tourinho

Carlos Salgado Purger

Governador Valadares

AGOSTO

JULHO

Sejam bem-vindos!

Ildeu Pereira Dias Junior

Coroaci

Lurdes dos Santos Oliveira Lima

Central de Minas

Fernando Morais Franca

Periquito

José Miguel da Silva

Sobrália

Elias José Moreira

Galiléia

Nelson Claret Soares

Divino das Laranjeiras

Devair Carvalho de Freitas

São Felix de Minas

Fábio Júnior de Moura Silva

Sobrália

Maria Bernardina Cunha

Periquito

Adenil dos Santos Cunha

Resplendor

Vailton Josué de Souza

Resplendor

Neide Alves de Souza

Pescador

Matéria

Nova diretoria do Silemg toma posse

12

No dia 28 de agosto foi empossada a nova diretoria do Sindicato da Indústria de Laticínio do Estado de Minas Gerais (Silemg). O diretor-presidente da Laticínios Porto Alegre, João Lúcio Barreto Carneiro, assumiu a gestão da instituição para os próximos três anos. O ex-presidente do sindicato, Guilherme Olinto, presidente da Cooperativa Agropecuária Vale do Rio

Doce, continua na diretoria como vice-presidente. João Lúcio espera dar continuidade ao sólido trabalho desenvolvido pelo sindicato ao longo dos seus 66 anos de história, como uma entidade que é referência entre os produtores do setor e também diante do mercado de laticínios e seus derivados.


Perfil

Aldo França

A vida do cooperado Aldo França hoje se divide entre a fazenda Fincudo, a 13 km de Marilac, e a prefeitura da cidade. Ele que já foi vereador por três mandatos e vice-prefeito hoje é prefeito de Marilac e paralelamente cuida da propriedade que fornece entre 700 e 1.000 litros de leite diariamente. “Trabalho na área rural há 23 anos. Antes eu gerenciava uma propriedade, mas há dois anos arrendei uma fazenda e lá tenho gado de corte e leite. Gosto de trabalhar com gado leiteiro, me dá uma renda importante que ajuda a manter as despesas da fazenda e tenho muita satisfação com o leite”, explica França. O cooperado é nascido e criado em Marilac, tem amor pela cidade, nela se casou e teve três filhos. “Gosto muito de fazer parte da Cooperativa e vejo que ela tem tido um papel importante na nossa região. Como prefeito de Marilac fico muito feliz com a nossa parceria e por estarmos firmes realizando juntos conquistas para a cidade”, conta.

13 CooperJornal Setembro • 2014


Matéria

DIA C Juntos somos mais e podemos mais!

Apresentação musical para as crianças no Armazém.

Apresentação musical para as crianças no Armazém.

No dia seis de setembro a Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce em parceria com a Unimed, Unicred, Sicoob Ac Credi e Sicoob Crediriodoce realizou o Dia C – Dia de Cooperar em Governador Valadares. Este ano as cooperativas se uniram e escolherem o Lar dos Velhinhos como entidade a ser beneficiada com as ações do Dia C, o Lar recebeu uma notificação do Ministério Público exigindo um reforma da cozinha para que atenda as normas sanitárias. Assim, foi realizada uma quermesse solidária que teve ainda sarau de poesias, pula-pula, barraquinhas com comidas típicas e venda das camisas da campanha. A quermesse aconteceu na rua Oswaldo Cruz em frente ao Lar dos Velhinhos de Governador Valadares.

No dia 10 de outubro o Lar dos Velhinhos estará realizando um bingo de um Fusca 1967. A Cooperativa está cooperando com a entidade e contribuindo nas vendas do bingo. Quem quiser adquirir deve procurar o Departamento de Comunicação da Cooperativa, cada cartela é vendida por R$ 10,00. Toda a renda arrecadada com a quermesse e com o bingo será usada na reforma da cozinha e para cobrir outras necessidades da instituição.

15 CooperJornal Setembro • 2014


Pitadas

Dia de Campo – Educampo Em agosto foi realizado um Dia de Campo do Projeto Educampo na Estância do Criador, de propriedade da cooperada Meire Melo. O objetivo do Dia de Campo foi reunir todos os cooperados que participam do Educampo e apresentar os resultados que o projeto já contabiliza. Além disso, os participantes puderam ver de perto as melhorias feitas na Estância do Criador sob orientação do técnico do Educampo, Bruno Magalhães, e que já estão trazendo mais rentabilidade para a proprietária.

Workshop Crê$er Genética No dia 22 de agosto aconteceu o 1º Workshop Crê$er Genética - FIV, na Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce. Os técnicos da In Vitro Brasil, Antônio Carlos Nogueira Vieira e Douglas Gaitkoski, apresentaram os resultados que o projeto já contabiliza em três meses de implantação, orientaram quanto ao tratamento dos animais envolvidos e discutiram com os cooperados a forma de trabalho na Cooperativa.

Workshop G100

Aconteceu em agosto o 1º Workshop Segurança Alimentar: Qualidade do Leite & Prevenção às Fraudes realizado pela Associação Brasileira das Pequenas e Médias Cooperativas e Empresas de Laticínios, o G100. O gerente da Cooperativa, Gilmar Oliveira, o gerente do departamento de campo, Pedro Francisco Repossi Júnior e o encarregado de qualidade do leite Lívio Coura estiveram no evento que teve ainda a presença do presidente da Cooperativa Guilherme, Olinto, que também preside o G-100. O objetivo do evento foi discutir os principais pontos relacionados à segurança alimentar do leite. O palestrante foi o dr. Marcelo Bonnet que é coordenador do laboratório de qualidade de leite da Embrapa Gado de Leite, um estudioso no assunto de qualidade de leite e prevenção de fraudes.

Profile for cooperativagv

COOPERJORNAL SETEMBRO DE 2014  

O Cooperjornal é a revista da Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce que mantém seus cooperados e públicos de interesse informados sobre...

COOPERJORNAL SETEMBRO DE 2014  

O Cooperjornal é a revista da Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce que mantém seus cooperados e públicos de interesse informados sobre...

Advertisement