a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

1

www.cooperativa.coop.com.br


EXPEDIENTE:

EDITORIAL

Palavra do Presidente

Tradição e qualidade em cada lance... É uma frase que define bem o nosso Leilão! São anos reafirmando o compromisso de promover negócios para os cooperados e entre os próprios cooperados. O Leilão Vacas e Novilhas é a oportunidade de destacar o que tem de melhor em nossas fazendas além de promover e exibir um aprimoramento genético em animais de excelência. São 100 lotes para cooperados que querem investir, conhecer e também - porque não - aprender mais sobre os avanços genéticos presente na nossa Cooperativa.

COOPERJORNAL | Maio 2017

Nesta edição do Cooperjornal estamos convidando todos os nossos cooperados e produtores rurais da região para participar do 18º Leilão da Cooperativa de Vacas e Novilhas. O Leilão da Cooperativa é realizado no último sábado de maio, e é uma grande oportunidade de fazer negócios. Além disso, nesta edição vamos mostrar os ótimos resultados que estamos tendo com o projeto Crê$er Genética, FIV. Também contamos com um artigo assinado pelos coordenadores do Sebrae Educampo em Minas Gerais mostrando os resultados do projeto na nossa região. Vamos contar a história da Fazenda Ygarapés, referência em genética guzerá e guzolando no Brasil e no Mundo. Falamos sobre os benefícios do leite e de uma das ações presentes no Dia C 2017.

Conselho Administrativo Antônio Carlos Brandão Edson Constantino Ramos Fernando Antônio Ferreira Geraldo Antônio Birro Costa Guilherme Olinto Abreu Lima Resende João Marques Pereira Neto Mário Dias Leão Elias de Oliveira Alves Maurício Francisco de Souza Diretoria Executiva Diretor-presidente: Guilherme Olinto Abreu Lima Resende Vice-presidente: João Marques Pereira Neto Conselho Fiscal Turíbio Alves Modesto Marcos Leite Costa Otacílio Nunes da Silva Jasmo Antônio Braga Adair Soares dos Anjos Adalberto Corrêa de Almeida Textos Departamento de Comunicação e Eventos Juliana Pio – 12.137/MG Luciely Elorrany (estagiária) Revisão Tarciso Alves Fotos Arquivo Cooperativa Luciely Elorrany Colaboração Técnica Gilmar Oliveira (Gerente Geral) Pedro Repossi Júnior (Médico Veterinário) Roberto O. Costa Filho (Eng. Agrônomo) Marciano de Jesus (Educador Cooperativista) Wilian Salvador (Controller) Projeto Gráfico e Diagramação Pop Comunicação Inteligente Impressão Gráfica Arco-Íris

Um arremate completo de informações sobre genética te espera nesta edição. Vale a pena conferir! Saudações Cooperativistas Guilherme Olinto Abreu Lima Resende

Rua João Dias Duarte, 1371/1395 Bairro São Paulo – 35030-220 Governador Valadares – MG Fone: (33) 3202-8300

2

Sumário


Dispondo de vários animais de alto padrão genético, o vice-presidente da Cooperativa, João Marques Pereira Neto, afirma que o Leilão é uma grande oportunidade para fazer negócios. “Já é tradicional na nossa região a realização deste leilão que fomenta não somente a economia local, mas a capitalização pessoal entre os próprios cooperados. O leilão de Vacas e Novilhas da Cooperativa trás a certeza de qualidade, disponibilizando em uma única noite rebanhos de alta capacidade de produção leiteira.”, destaca Marques.

Existe uma grande expectativa por parte de todos envolvidos na realização deste Leilão. Por isso a seleção das vacas e novilhas participantes é rigorosa, exigindo profissionalismo e diretrizes específicas para qualificação dos animais como afirma o presidente, Guilherme Olinto resende. “Por ser tradicional, é considerado hoje como um dos mais importantes leilões agropecuários da região. A cada ano que passa, somos mais rigorosos nos lotes que ofertamos. Essa é uma medida que mantem a qualidade e a nossa motivação, que somente aumenta a cada edição que realizamos’, afirma Olinto. Para aqueles produtores rurais que não puderem estar presente no Parque de Exposições existe a opção de lances pelo site da www.minasleiloes.com.br que estará transmitindo ao vivo todo o Leilão, os cadastros e lances podem ser feitos também, através do telefone 33 3271 9738.

Ao final do 18º Leilão da Cooperativa de Vacas e Novilhas será sorteada para todos compradores presentes uma moto zero km.

www.cooperativa.coop.com.br

O último sábado de maio já é agenda fi xa de todo o cooperado. realizado pelo 18º ano um dos maiores leilões a nível nacional, o Leilão da Cooperativa Vacas e Novilhas acontecerá no dia 27 maio, a partir das 16h, no Parque de Exposições de Governador Valadares. Este ano também acontecerá a 3ª Feira de Touros da Cooperativa durante todo o sábado.

3

Por ser tradicional, é considerado hoje como um dos mais importantes leilões agropecuários da região. A cada ano que passa, somos mais rigorosos nos lotes que ofertamos. Essa é uma medida que mantem a qualidade e a nossa motivação, que somente aumenta a cada edição que realizamos Guilherme Olinto Abreu Lima resende (presidente da Cooperativa)

Já é tradicional na nossa região a realização deste leilão que fomenta não somente a economia local, mas a capitalização pessoal entre os próprios cooperados. O leilão de Vacas e Novilhas da Cooperativa trás a certeza de qualidade, disponibilizando em uma única noite rebanhos de alta capacidade de produção leiteira. João Marques Pereira Neto (vice-presidente da Cooperativa)


COOPERJORNAL | Maio 2017

Resultados Crê$er Genétiva FIV: melhoramento genético para o nosso cooperado

A cada ano o mundo se torna mais tecnológico, e no meio agropecuário não tem sido diferente. O uso de técnicas para aprimorar a produção, qualidade e intervalo entre partos se tornou inevitável para os proprietários que querem expandir os negócios. A Cooperativa oferece desde 2014, dentro do Cre$er Genética, a prática de Fertilização In Vitro (FIV) em parceria com a In Vitro Brasil, que possibilita potencializar as características do rebanho, seja ele do pequeno ao grande produtor. Desde a criação do projeto até o final de 2016, já foram realizadas 16 rodadas de FIV, sendo 2.680 embriões transferidos, com 1.050 prenhezes confirmadas até então. Em 2017 já foram realizadas duas rodadas e a inovação no rebanho do cooperado não para de criar resultados positivos.

4

“Acho que o preço foi justo e o resultado excelente. O nível do material que gera é extremamente melhor do que o meu. Participo do Educampo e já participei da Universidade do Leite e procuro sempre está presente para crescer o meu negócio. Isso só consigo através de conhecimento”, afirma Borges.

“Já fiz três rodadas de FIV. Inclusive tenho novilhas que já está com cinco meses para criar. Tem dado certo, e vejo que são novilhas que tem saído melhor do que as outras, que nasceram de inseminação. Você vê que elas crescem muito, que desenvolvem muito mais”, destaca Bragança.

O produtor rural Nilton Borges, da Comunidade de Periquito, já participou de cinco rodadas e teve no total de 21 bezerras fêmeas como resultado. Cooperado há três anos, Borges, pretende continuar o trabalho de melhoramento genético através da FIV. Caso de sucesso também da comunidade de Periquito é o cooperado Osnir Bragança. Cooperado desde 1977, ele vê o uso da FIV a oportunidade de expansão da produção.


O cooperado Elias Oliveira Alves, da comunidade de Boa União, afirma que tem que ter planejamento para crescer a produção, por isso, participa do Educampo, também fez a Universidade do Leite, e com o auxilio da FIV tem o objetivo de alcançar um plantel de 20 vacas FIV.

“Participei de quatro rodadas. Tive meus prós e contras, mas os resultados foram bons. Em setembro de 2016, fiz a FIV e já tenho uma delas prenha, que está acima de 370 kg. Além desta, mais duas bezerras da mesma rodada receberam o protocolo. Essas bezerras foram um bom resultado. Quero chegar a ter mais vacas FIV no meu plantel, obtendo mais resultados positivos,” destaca Alves. Também pensando no aumento de produção, Marcos Leite Costa, cooperado de Marilac, conta a experiência com a FIV “Eu participei de três rodadas. A primeira foi excelente, porque de oito vacas implantadas, tive sete fêmeas. Na segunda fiz quatro vacas e emprenharam três, duas fêmeas e um macho. Já na terceira fiz quatro vacas e ficaram três fêmeas. Saíram bezerras bonitas e saudáveis. O projeto é muito bom e tem muita gente fazendo, não só o grande produtor, mas também o pequeno. Vale a pena o investimento!”, ressalta Costa.

“O projeto tem aumentado a visibilidade à medida que vai gerando novas oportunidades de negócios, para quem vende e para quem compra genética. A parceria entre a Cooperativa e a In Vitro Brasil nesse modelo de difusão genética foi a primeira no país e é uma vitrine para os laticínios e cooperativas nacionais”, destaca Leite.

www.cooperativa.coop.com.br

Para o médico veterinário Walace Leite, da In Vitro Brasil, o projeto Crê$er Genética FIV tem obtido maior volume de participantes a cada ano graças aos resultados positivos.

5

Qualidade superior em sementes forrageiras. sementesantafe.com.br


certo No caminho

Um dos grandes gargalos da pecuária leiteira na atualidade é a falta de informação. Trata-se de um contrassenso, pois ocorre justamente no momento em que somos inundados por uma enorme quantidade de informações sobre tudo e sem contar a agilidade em que elas são transmitidas, mas infelizmente ainda convivemos com uma grande dificuldade de conseguir dados consistentes e representativos sobre a pecuária leiteira no Brasil.

COOPERJORNAL | Maio 2017

As poucas fontes de informações confiáveis acessam dados restritos e amostras pouco representativas da realidade de algumas regiões.

6

consequentemente os resultados que mais destoam da média não conseguem ser atenuados e acabam por interferir de forma significativa nos indicadores médios. Esta macrorregião é composta por três microrregiões: Vale do rio Doce, região Metropolitana de Belo Horizonte e Vale do Mucuri. Quando analisamos os dados do Educampo/Sebrae, as regiões do Triangulo Mineiro e Alto Paranaíba contam com 186 produtores na amostra e no Vale do rio Doce somente 32.

Parte deste problema está na existência de um grande número de produtores informais na atividade, ou seja, quando não existe qualquer registro sobre a quantidade produzida ou vendida de leite na propriedade. Esta é realidade em algumas regiões do estado e do Brasil.

Entre as microrregiões que compõem a Macrorregião Vale do rio Doce existem grandes variações de topografia, características físicas do solo e principalmente no padrão genético do rebanho e no microclima. Estas variações exigem, portanto, que os resultados médios da região do Vale do rio Doce sejam analisados com muita cautela para evitar conclusões errôneas ou não representativas de toda uma região.

Porém, existem algumas regiões que contam com fontes confiáveis de informações, principalmente aquelas que tem implantado algum projeto de assistência técnica oficial ou privada.

Não bastassem as diferenças entre as micro e macrorregiões, ocorre ainda outro agravante no comparativo de resultados entre os grupos de fazendas - o tempo de consultoria técnica.

Este é o caso das regiões aonde o Educampo/Sebrae atua. O projeto está ancorado em mais de 60 indicadores gerenciais e tecnológicos que permitem aos produtores e empresas parceiras, planejarem resultados por meio de uma estrutura de tecnologia da informação capaz de gerar dados e orienta-los na sua tomada de decisão. As metas estabelecidas são mensuradas e acompanhadas, mostrando a evolução dos indicadores que impactam as propriedades rurais assistidas e as empresas parceiras.

O Projeto Educampo, assim como outros, visa o aumento da rentabilidade do produtor por meio de intervenções técnicas e gerenciais contínuas e intensivas nas propriedades. Contudo, isso não ocorre “do dia para a noite”, ou seja, as mudanças na pecuária leiteira são gradativas.

Por isso o banco de dados do projeto é considerado o mais consistente de Minas Gerais e do Brasil. Sua abrangência é bastante significativa, pois atua nas regiões Sul, Alto Paranaíba e Triângulo Mineiro, Centro, Vale do rio Doce e Noroeste e atende, mensalmente, a 800 propriedades leiteiras. O critério utilizado na divisão das regiões não é a proximidade dos municípios, mas as características da pecuária leiteira desenvolvida em cada um deles. Desta forma, pretende-se alcançar amostras semelhantes, com um número razoável de propriedades, diminuindo as distorções que possam ser encontradas em uma ou outra fazenda que não se enquadre no perfi l médio das demais na região. Na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, por exemplo, o maior número de propriedades analisadas está na região do Alto Paranaíba e a menor no Triângulo Mineiro. Apesar de próximas, as duas regiões possuem diferenças significativas quanto ao uso de tecnologia, padrão genético do rebanho e do sistema de produção utilizado. Por isso é tão importante ter um grande número de propriedades na amostra. Desta forma, podemos diminuir as discrepâncias e com isso gerar indicadores mais representativos da realidade da região como um todo. Na região do Vale do rio Doce, o problema é parecido, porém com o agravante de termos menos propriedades na amostra,

Desta forma é esperado que os resultados sejam melhores com o passar do tempo, pois as propriedades priorizam seus problemas e resolvem primeiro os que mais impactam no resultado econômico de sua atividade. Sendo assim, em fazendas com maior tempo de consultoria não devemos ter problemas básicos de manejo e sim, refinamentos nos processos para melhorias nos resultados. Este cenário remete novamente à necessidade de cautela nas comparações, pois produtores com pouco tempo de consultoria tendem a ter resultados inferiores a produtores ou grupos com maior tempo. Como exemplo, os produtores das regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba que têm, em média, 6 anos de participação no Projeto Educampo, enquanto os produtores da Cooperativa Agropecuária Vale do rio Doce têm, em média, 2,6 anos. Como alternativa às comparações com outras regiões, a fim de minimizar os fatores que interferem nas interpretações, podemos utilizar análises comparando as propriedades com elas mesmas, ou seja, analisar o antes e depois de um grupo de propriedades. Na região Vale do rio Doce, grande parte das fazendas do Projeto Educampo são atendidas pela parceria com a Cooperativa Agropecuária do Vale do rio Doce, que fica sediada em Governador Valadares-MG. Neste grupo, 13 fazendas foram assistidas no período de janeiro de 2015 a dezembro de 2016 e tiveram seus dados econômicos corrigidos pelo IGP-DI de fevereiro de 2017, com objetivo de avaliar a evolução dos seus resultados nestes dois anos de consultoria.


A qualidade do leite, que tem seu histórico demonstrado no gráfico abaixo, é um dos itens de destaque na evolução deste grupo de produtores, pois os valores médios obtidos nas últimas análises de CBT e CCS atendem a todos os padrões de exigência internacionais, com limite máximos de 400.000 CCS/mL e 100.000 UFC/mL.

Apesar de atender aos dois parâmetros, somente nos últimos 3 meses, a linha de tendência mostra que os resultados seguem melhorando. A CCS reduziu a valores nunca antes vistos neste grupo de fazendas. Já a CBT mantém estável na melhor sequência de resultados positivos para este indicador.

1000 900 800 700 600

400 300 200

531 372

150

100

14

0 MAI /14

JUL /14

SET NOV JAN MAR MAI /14 /14 /15 /15 /15

JUL /15

SET NOV JAN MAR MAI /15 /15 /16 /16 /16

SET NOV /16 /16

CBT(Cont. Bacteriana Total)

CCS(Cont. Células Somáticas)

Mesmo com o curto período de tempo avaliado, os dados técnicos também mostram boa evolução na tabela 01. Os incrementos observados nos indicadores vacas em lactação e produtividade das vacas em lactação, contribuíram substancialmente para um aumento superior a 20% na produção média de leite diária.

JUL /16

Estes resultados são decorrentes de três fatores: das melhorias no desempenho dos animais em cria e recria, reduzindo a idade ao primeiro parto; na reprodução das vacas, reduzindo o intervalo de partos; e na orientação sobre melhores opções genéticas nas compras de animais.

INDICADOR

2015

2016

INDICAÇÃO

Produção média de leite (L/dia)

480,13

579,32

20,7%

9,81

10,47

6,7%

Produção / Mão de obra permanente (L/h)

165,01

218,26

32,3%

Produção / Área para pecuária (L/ha/ano)

963,08

1.146,18

19,0%

4.227,86

3.343,86

-20,9%

Produção / Vacas em lactação (L/Vaca/dia)

Est. de capital médio por litro (diário) (R$/L/dia)

Com um maior volume produzido, houve uma importante redução no estoque de capital médio investido por litro de leite produzido diariamente. Desta forma, melhoraram também os indicadores de produtividade da terra e da mão de obra, diluindo os custos fi xos e alguns os custos diretos. O incremento na produtividade dos funcionários fi xos resultou na redução de 31,4% no gasto com mão de obra em relação a renda bruta da atividade, entretanto ocorreram incrementos nos gastos com

concentrado e volumosos, como pode ser observado na tabela 02. O maior percentual de renda comprometido com estes insumos no último ano é bastante positivo, visto que ainda existe um longo caminho a percorrer na busca por maior intensificação dos sistemas de produção nas propriedades analisadas. Esta intensificação acontecerá somente enquanto houver viabilidade econômica de fazêla, pois a partir de determinados níveis de produtividade passa-se a reduzir os resultados econômicos da atividade. 2015

2016

INDICAÇÃO

CT do leite/preço do leite (%)

118,57

103,71

-12,5%

Gasto com mão de obra na ativ./renda bruta da atividade (%)

15,78

10,82

-31,4%

Gasto com volumoso na atividade / RB da atividade (%)

8,47

12,63

49,1%

20,74

22,27

7,4%

Margem bruta da atividade (R$/Ano)

51.648,28

79.404,00

53,7%

Margem líquida da atividade (R$/ano)

-10.880,90

17.607,71

261,8%

INDICADOR

Gasto com concentrado na ativ./renda bruta da atividade (%)

www.cooperativa.coop.com.br

500

7


O incremento na escala de produção e a otimização no uso dos fatores de produção, associados aos maiores preços recebidos pelo leite no ano de 2016 foram responsáveis por trazer maior equilíbrio na relação entre preço e custos, o que impactou diretamente nas margens dos produtores. Os resultados de margem bruta aumentaram mais de 53% na média do grupo analisado, sendo que a margem líquida aumentou 261%. Estes números mostram que a atividade está melhorando e já se tornou viável no médio prazo, fato que é evidenciado pelo resultado positivo de margem líquida. Na região Vale do Rio Doce, assim como em todas as outras no Brasil, o aumento da eficiência econômica está diretamente ligado ao aumento na produção de leite diária nas propriedades, confirmando a tendência de maiores produções em menores áreas, principalmente pelo aumento considerável no valor da terra nos últimos anos.

COOPERJORNAL | Maio 2017

O Sebrae e a Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce sabem dessa necessidade de crescer, porém com eficiência. Por este motivo a produção de leite do grupo cresceu quase 20% no mesmo período em que o Brasil e o estado de Minas Gerais reduziram a produção em 3,71% e 5,21%,

respectivamente, segundo o Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Ao longo desses 20 anos de história do Educampo os resultados alcançados com a implantação de inovações técnicas e gerenciais nos vários grupos de produtores, demonstram o êxito do projeto e confirmam o sucesso do modelo proposto, que se adequa perfeitamente a diferentes realidades, transformando o produtor e sua propriedade, tornando-os mais eficientes e competitivos. A seriedade dos trabalhos realizados pelo Projeto, associada à capacidade produtiva das propriedades, ao perfil dos produtores e a parceria com a cooperativa, gerou maior margem e consequentemente maior rentabilidade, o que traz maior sustentabilidade no curto, médio e longo prazo. Não há dúvidas, ainda existe um longo caminho a percorrer, mas estamos na direção certa! Simone Pinto Lopes Analista técnica do Sebrae Minas Coordenadora Estadual do Projeto Educampo Leit

Palestra sobre a Silagem de grão úmido lota o auditório da Cooperativa

Marcos Neves Pereira, da Universidade Federal de Lavras.

8

No dia 3 de abril, segunda-feira, a Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce e o Sebrae Educampo realizou às 18h, uma palestra sobre a “Viabilidade da utilização da silagem de grão úmido nas propriedades do Vale do Rio Doce”. Foram mais de 100 participantes, entre cooperados e produtores rurais da região que lotaram o auditório da Cooperativa. A palestra foi ministrada pelo professor

Marcos Neves Pereira, da Universidade Federal de Lavras. Para o consultor do Sebrae Educampo, Bruno Magalhães, a palestra sobre silagem de grão úmido foi uma grande oportunidade oferecida ao cooperado. “Trata-se de uma inovação ainda incipiente no Vale do Rio Doce e promissora no sentido de proporcionar ao produtor todas as ferramentas para dominar a tecnologia em questão, buscando sempre um alimento de melhor

qualidade a custos mais baixos”, destaca Magalhães. Para a cooperada Zezé Vilela, foi bom participar da palestra sobre a silagem de grão úmido. “Hoje em dia uma das maiores preocupações para o produtor rural é a alimentação, é sempre bom escutar alternativas para reduzir o custo na produção de leite, dentro da realidade de cada um”, destaca Vilela.


Essa história começou com o encantamento do Sr. José Transfiguração Figueiredo com a raça guzerá. Sr. José adquiriu suas primeiras matrizes guzerá no ano de 1958. E em 1973, influenciado por um veterinário que dava assistência à fazenda, iniciou a produção de guzolando.

Com uma produção média diária de 1.500 litros de leite, Mica diz estar investindo muito na produção de guzolandas, tendo feito FIVs das principais doadoras do plantel. Com isso, acredita que rapidamente as marcas alcançadas em concursos leiteiros serão superadas.

Com o emprego de biotecnologias e a partir de programas de melhoramento genético, aliados ao controle leiteiro oficial da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), a Fazenda Ygarapés faz parte da história do Guzerá no Brasil, sendo uma das protagonistas do Guzerá Leiteiro no Mundo. Com 10 touros em centrais e outros tantos de linhagens JF em teste de progênie e também em centrais, o plantel é também reconhecido por ser o detentor do maior número de recordes de produção de leite da raça guzerá

Cooperada há 15 anos, a Fazenda Ygarapés, participa dos programas Crê$er da Cooperativa, Educampo, Universidade do Leite, e acredita que a assistência feita através dos técnicos veterinários e agronômica é o diferencial, buscando sempre inovar através do conhecimento.

Segundo Mica Figueirêdo, filho do Sr. José, que administra a fazenda, a trajetória do “Guzerá JF” foi sempre marcada pela busca de inovação e utilização de novas tecnologias. Com isso muitos investimentos foram feitos com vistas ao processo de seleção. Em 1987 iniciou-se a participação em concursos leiteiros regionais e nacionais e desde 1992, a fazenda realiza o controle leiteiro oficial, o que possibilitou a identificação das melhores linhagens e potencializou o trabalho. Em 2016 a fazenda Ygarapés participou pela primeira vez do Concurso Leiteiro da Cooperativa, sendo vencedora com a vaca guzolanda, Bulgária JF - com a produção média de 67,35kg e pico de 71,698kg.

Expozebu 2017 A Fazenda Ygarapés foi destaque na Expozebu 2017. Neste ano, levou duas vacas Guzerás e duas vacas Guzolandas e trouxe premiações. No Concurso Leiteiro Guzerá, Ogiva II JF, foi a Grande Campeã com produção média de 49,38 Kg, pico de 50,86, sendo também Campeã Concurso Qualidade do Leite – Proteína. A Reservada Grande Campeã também foi da Ygarapés, Ondina II JF, produziu média de 45,46 kg, pico de 46,80 e também recebeu o prêmio de Melhor Úbere 2017 e sagrou-se Campeã Concurso Qualidade do Leite – CCS. No Guzolando, Fantasia JF, foi Reservada Campeã da categoria com média de produção de 49,61 kg, pico de 52,38 kg. Além desses prêmios, este ano a Ygarapés recebeu o prêmio de Melhor Tratador Guzolando, Vagner, pelo teve o orgulho de ver Vagner, tratador do gado de concurso leiteiro Além disso, dos nove touros aprovados para o teste de progênie do CBMG, oito tem genética JF.

www.cooperativa.coop.com.br

Fazenda Ygarapés: um legado familiar

9


Assembleia 2017 supera expectativas

COOPERJORNAL | Maio 2017

“Deliberamos, discutimos e aprovamos as contas e destinações das sobras, além disso, foi realizada a eleição do Conselho Fiscal por aclamação. Nas cooperativas os membros têm igual direito de voto decidindo assim o futuro da instituição” afirma Olinto

10

A Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce realizou no dia 27 de janeiro, segunda-feira, na terceira chamada, às 13h, no Armazém da Cooperativa, a Assembleia Geral Ordinária 2017. Mais de 300 pessoas entre cooperados e convidados estiveram presentes para deliberar sobre temas como: discussão e aprovação das contas e destinações de sobras de 2016, eleição do Conselho Fiscal, entre outros assuntos relevantes para a gestão ao longo de 2017.

O diferencial de uma cooperativa para uma empresa comum está na democratização de decisão entre os associados sobre a gestão da instituição. Os números, as sobras, os projetos e o futuro da empresa partem daqueles que são o seu maior interesse, os cooperados. Segundo Guilherme Olinto Resende, presidente da Cooperativa, em mais um ano realizamos a Assembleia Geral Ordinária conforme o Edital publicado.


FOI REALIZADO O SORTEIO DE UM CARRO

Ao final foram sorteadas 10 bolsas de estudos no valor de R$3.800,00 cada, para os cooperados presente na Assembleia. Além disso, sorteamos um strada para os cooperados participantes da promoção Virbac, o ganhador foi João Salvador, da Fazenda São Sebastião, de Mathias Lobato, representada na Assembleia pelo gerente, Raul Gualberto.

Para João Salvador, foi uma surpresa ser o ganhador do carro. “Estou muito feliz em ser premiado com um carro

Conselho Fiscal Um novo conselho fiscal foi eleito por aclamação durante a Assembleia 2017. A chapa eleita que será responsável por fiscalizar os trabalhos da Cooperativa pelo período de um ano, conforme o Estatuto Social, é composta pelos cooperados: Jasmo Antônio Braga (Nacip Raydan), José Soares Teixeira (Central de Santa Helena), Otacílio Nunes da Silva (Vila São Bernardo), José Ferreira dos

“A Cooperativa é uma empresa onde os donos são os cooperados, e por isso é um dever de todos participarem ativamente para ajudar a gerir o negócio.”, declara Teixeira.

Santos (Capitão Andrade), Orlando Pereira Mendes (Paca) e Ilmo Coelho da Silva (Paca). Para o coordenador do conselho fiscal, José Soares Teixeira, que participa pela quarta vez como conselheiro fiscal, é fundamental o envolvimento do cooperado com o próprio negócio.

www.cooperativa.coop.com.br

afirma Salvador

11


COOPERJORNAL | Maio 2017

12 pré-assembleias foram realizadas pela Cooperativa

12

A Cooperativa presa pela integração total do cooperado no momento de decisão. Por isso, foram realizadas pré-assembleias, atendendo o máximo possível da área em que atua. Ao total, foram aproximadamente 500 cooperados participantes, nas 12 regiões percorridas, onde foram discutidas pautas relevantes a Assembleia, contando com a presença da

diretoria executiva, conselheiros, educador cooperativista, candidatos ao conselho fiscal (indicados pelo Comitê Educativo) e equipe técnica. Segundo João Marques Pereira Neto, vice-presidente da Cooperativa, é muito importante a realização das pré-assembleias.

“Discutimos nas pré-assembleias a pauta da Assembleia Geral. Dessa forma, o cooperado tem mais liberdade em questionar, opinar e prestar a devida atenção a gestão da instituição. Quando realizamos as pré-assembleias vamos diretamente a casa do cooperado expor os temas deliberados a Assembleia Geral. Com um número menor de pessoas, temos a possibilidade de bater um papo sobre o futuro”, destaca Marques.


A Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce e o 4º Concurso Leiteiro de Marilac doaram no dia 16 de março, 600 litros de leite longa vida Ibituruna, a Instituição Infantil Dona Conceição, na cidade de Marilac. Todo o leite doado é fruto do trabalho de treze produtores rurais que participaram do 4º Concurso Leiteiro de Marilac, realizado nos dias 15 de setembro de 2016, uma parceria da Cooperativa e da Prefeitura Municipal de Marilac.

No total foram produzidos 1.1225 kg de leite in natura que foram convertidos em 600 litros de leite UHT Ibituruna. A ação fortalece um dos princípios cooperativistas que é o “interesse pela comunidade”, onde as cooperativas atuam diretamente no desenvolvimento sustentável das comunidades que atua. Para a responsável pela instituição Arilda Bicalho de Pinho Silveira, é gratificante a contemplação feita pela Cooperativa e o Concurso Leiteiro de Marilac.

www.cooperativa.coop.com.br

Instituição Infantil Dona Conceição recebe a doação de 600 litros de leite Ibituruna

13

“Sempre precisamos de doações e toda ajuda é bem vinda. O leite que recebemos aqui dura até dois meses e com a quantidade de crianças que atendemos na região se torna uma dos nossos principais mantimentos pedido”, afirma Silveira.


MAIO 25/5 26/5 26/5 26/5 27/5 27/5 27/5 27/5 28/5 28/5 29/5 29/5 29/5 29/5 29/5 29/5 29/5 30/5 30/5 30/5 31/5 31/5 31/5

MARCELO FRANCA COELHO ANDRE LUIZ DE SOUZA ANDRADE CARLITO CUSTODIO ANDRADE Omar da Silva Camelo JOSE GONCALVES RODRIGUES JOSE MIGUEL FILHO SHIRLEY PEREIRA DA SILVA VINICIUS VENANCIO BACELAR ADELAR LIRIO CARLOS SILVEIRO RABELO SOUTO FERNANDO MOREIRA SANTANA HELIO BARRETO DA SILVA MARIA DO ROSARIO ALVES SANTOS NIVALDO PEREIRA DE ARAUJO OLGA MARIA BICALHO Pedro Castelane PEDRO DE SOUZA MENDES JOSE VIDAL DA SILVA Julio Cezar Pinto Coelho TIAGO VIEIRA DOS SANTOS Alberone Teixeira Gon�alves HAROLDO GERALDO DE ANDRADE Rubens Silveira Vilete

COOPERJORNAL | Maio 2017

JUNHO

14

1/6 1/6 1/6 2/6 3/6 3/6 4/6 4/6 4/6 4/6 4/6 5/6 5/6 5/6 5/6 5/6 5/6 5/6 6/6 6/6 6/6 6/6 6/6 6/6 6/6 6/6 6/6 7/6 7/6 7/6 8/6 8/6 8/6 8/6 8/6 9/6 10/6 10/6 10/6 10/6 11/6 11/6 13/6 13/6 13/6 14/6 14/6 15/6

SALOMAO DE OLIVEIRA PINHO SANSAO JOSE SOARES VANDER ANTONIO DE CARVALHO ANTONIO NAZARIO PEREIRA ANTONIO CARLOS FERREIRA DE CARVALHO Dymerson Roberto de Moura GERALDO FERREIRA DE SA GILSON VITOR CAMPOS Jumar Rodrigues Mozer Odilio Antonio Vieira PEDRO MOREIRA FRADES DO CARMO AFONSO LUIZ BRETAS FABIO JUNIOR DE MOURA SILVA JOAO LOURENCO DE OLIVEIRA KATIA CILENE PERPETUO ALVES LOPES MARCIO CASSIMIRO COSTA ROCHA NOE NUNES FERNANDES REINALDO MENESES DE ASSIS ADHEBAR SOARES ALBERTO NUNES DE OLIVEIRA EDBERTO JOSE ZANON REZENDE FRANCILLON ROBERTO SILVA LOPES Izael Rodrigues Ferreira JOSE DE SOUZA LIMA JOSE MARIA FERREIRA DE ALVARENGA Natalia Alves Fonte Wagner Roberto de Freitas ANTONIO CARLOS BRANDAO Dirceu Martins de Oliveira WELLINGTON LUIZ TEIXEIRA DE OLIVEIRA JOSE DIAS FILHO JOSE GERALDO PIO RONIE VON DIAS BICALHO SEBASTIAO JUSTINO DA ROCHA SEBASTIAO MACHADO Gilmar Martins Maulaz HELIO ARAUJO DINIZ FILHO IRACI DE SOUZA FRANCA MAXIMA APARECIDA FERREIRA MAXIMO WILLIAM GOMES DE CASTRO ANTONINHO PEREIRA NETTO Dirceu Norberto de Mesquita JOSE GONCALVES DOS REIS MAURO ANTONIO SILVEIRA RENE SOARES DE FREITAS ANTONIO ANASTACIO CAMELO JOSE NILTON FIGUEIREDO ADIR FELICIANO LEITE

15/6 16/6 16/6 16/6 17/6 17/6 17/6 17/6 18/6 19/6 19/6 19/6 20/6 20/6 21/6 21/6 21/6 22/6 22/6 22/6 22/6 23/6 23/6 23/6 23/6 23/6 23/6 23/6 23/6 24/6 24/6 24/6 24/6 24/6 25/6 25/6 25/6 25/6 25/6 26/6 27/6 27/6 27/6 28/6 28/6 28/6 29/6 29/6 29/6 29/6 29/6 30/6 30/6 30/6 30/6 30/6

LECIO MANOEL DE SOUZA LEOSMAR FABRICIO DA SILVA JUNIOR PEDRO JULIO CAMELO Ricardo Silveira Braga GABRIEL MARTINS NETO JOSE CARLOS PIO JOSE DIVINO DA FONSECA RONILSON BATISTA FARIAS JOAO VALENTIM DAMASCENO AQUILES LIMA MONTEIRO DE REZENDE Ronivon da Silva Wanderson de Sa ALBERTO FERREIRA Claudio de Almeida Prata ANTONIO PATROCINIO DE OLIVEIRA JAIDER FERNANDES RAMIRO FELIPE MONTEIRO ANDERSON DAMACENO DE SOUZA CELIA MATOS MARQUES JOSE RAMOS DA SILVA LEOMIR CECILIO DE SOUZA Geraldo Mangela da Silva GILCIMAR LUCAR MARTINS JOAO PAULO DE OLIVEIRA MIRANDA JOSE DA SILVEIRA LEITE SOBRINHO Jovem Gilberto Soave Pereira MARCOS ANTONIO DE ALMEIDA OTTO MARTINS DA SILVEIRA FILHO SEBASTIAO FROIS BRAGA ANISIO GOMES DA SILVA JAIDER DE ALMEIDA JOAO BATISTA DE PAIVA JOAO GUILHERME MARCO ANTONIO ALVES DE OLIVEIRA ANTONIO RODRIGUES VALADARES Gilberto Asdrubal Neto JOSE FERREIRA DOS SANTOS MATEUS ASSIS BRAGA WANDERLEY DA SILVA FEITAL RICARDO SANTOS JOABE JACOB PENA JOSE LADISLAU DE SA SEBASTIAO LADISLAU COSTA EBERALDO FERREIRA L ALMEIDA HELENITA MARIA DE JESUS E SILVA ZORAINA MODESTO AGUIAR JOAO TEODORO SOBRINHO PAULO FRANCISCO DE FREITAS PEDRO CHAVES DE SOUZA PEDRO JOSE DA SILVA ROBERTO SOARES DIAS AUGUSTO DIAS DUARTE Joao Paulo da Silva Manoel Antonio da Silva Marcio Andre Marques da Silva Moises dos Santos

JULHO 01/07 01/07 02/07 02/07 02/07 02/07 03/07 03/07 03/07 03/07 04/07 04/07 04/07 04/07 04/07 04/07

Alair Valverde JOAQUIM EUGENIO CANDIDO BRAGA Fabiano Sampaio de Abreu JOSE MARTINIANO DE OLIVEIRA SANIEL KALIL DIAS SEBASTIAO PRUDENCIO JUNIOR ADALBERTO CORREA DE ALMEIDA CARLOS LOPES DE PAIVA ELIES SANTOS JURANDI VESFAL FERREIRA ANDRE ALMEIDA CAMPOS Benoni de Meneses Furtado GERSON LUCAS EVANGELISTA ITAMAR LUIZ DA SILVA Jose Venancio Bacelar Lorem Pevidor da Silva

05/07 05/07 05/07 05/07 05/07 05/07 06/07 06/07 06/07 07/07 07/07 07/07 07/07 07/07 07/07 08/07 08/07 09/07 09/07 09/07 09/07 09/07 10/07 10/07 10/07 10/07 11/07 12/07 13/07 14/07 14/07 14/07 14/07 14/07 15/07 16/07 17/07 17/07 17/07 17/07 18/07 18/07 18/07 19/07 19/07 19/07 19/07 19/07 20/07 20/07 20/07 21/07 21/07 21/07 21/07 22/07 22/07 22/07 22/07 22/07 23/07 23/07 23/07 24/07 24/07 24/07 24/07 24/07 25/07 25/07 26/07 26/07 26/07 26/07 26/07 26/07 27/07

ADAIR COELHO ADELINO GUERRA DA SILVA DIONISIO FLAVIO CORREIA EBER MIRANDA DA COSTA EDIMAR ANGELO DA SILVA MARCIO CAMPOS DE SOUSA AERCIO LOPES FARIA ANTONIO MARCOS SOARES PEREIRA RUSTON SANTOS SOUZA ALEXANDRO DA SILVA Jaires Antonio de Paula JOSE CLAUDIO LOPES JORDAO JOSE DORCELINO LOPES Raquel Avelino de Freitas Paz TURIBIO ALVES MODESTO GENECY AGUIAR LOUBACK SEBASTIAO CAETANO PEREIRA ADAIR TEODORO ALVES FRANCISCO ANTONIO COELHO BRANDAO Joaquim Carrijo de Freitas ONESIMO RODRIGUES DE ANDRADE ROMILDA FRANCA DA SILVA DOMICIO PATROCINIO DE OLIVEIRA LIVIO SORAGGI COURA Sebastiao Morais de Melo WALDEMAR JOSE SOARES Valdeir Pinto Soares Delio Cesar da Silva Jose Maria da Silva Junior AFONSO COELHO CAMPOS DENILSON MARTINS GONCALVES GERONIL TEODORO DE SOUZA OZIAS BATISTA RAMOS Sergio Marcio Mendes Campos RAIMUNDO ALVES MENDES MARCIO JOSE LOPES BARRETO DILSON DOS SANTOS FAUSTO BENTO VIEIRA Ivalde Vargas Araujo RANNER DA SILVA RAMOS ENEIAS LELIS FERREIRA JOSE LEAO COELHO OSNI DE SOUZA BRAGANCA LUCIO DE SOUZA BRAGA LUZIA ALEXANDRINA DO NASCIMENTO SILVA MAURICIO LEITE COSTA SHEILLA FERREIRA VILAS NOVAS WILSON LUIZ FERREIRA HELIO JUSTINO DE LIMA JOSE ALENCAR DA SILVA JOSE GETULIO GONCALVES CARMELIO SIMAS COELHO Domingos de Souza Serpa MANOEL ARAGOSO LIBERATO SEBASTIAO ALVES DE ANDRADE ADJUTO DOS REIS ILDEU PEREIRA DIAS JUNIOR JUAREZ ALVES COSTA Maria Cristina Cabral ORLANDO PEREIRA MENDES ANDRE MARCOS DE MATOS JURACY FERNANDES DE RODRIGUEZ SEBASTIAO LOPES DE FARIAS FRANCISCO MATEUS DA SILVA JOSE MARIA VILELA MARIA APARECIDA DOS REIS MENEGUCI MARIO COSTA JUNIOR SALVADOR VERISSIMO Sergio Soave Pereira VALDECI MATEUS DA SILVA DIVINO FERREIRA DA SILVA HELITON VALERIO SANCHES BRANDAO JADIR PEREIRA DE AMORIM JOANES VALINHO DA SILVA JOAO PEREIRA DA SILVA Josimar Ferreira Ready ALTAIR DE PAULA VARGAS

27/07 27/07 28/07 28/07 28/07 28/07 29/07 29/07 29/07 29/07 29/07 30/07 30/07 30/07 31/07 31/07

GEDON EUSTAQUIO MARTINS JOSE SOARES TEIXEIRA CELIO DE ANDRADE GONCALVES HELIO DA SILVA DRUMOND JOSE ALVANE DE ALMEIDA ROBERTO VITOR DE MIRANDA ANTONIO BRAGA NETO MARIO GOMES DE SOUZA NIRSON MIGUEL ARCANJO PALMERINDO JOSE MACHADO SILVALINO ALVES DA SILVA Ismar Rodrigues dos Santos LUCIANO GONCALVES GRIPP VALTEIR DE OLIVERIA JOSE FABIANO DE SOUZA Sebastiao Carrijo Costa

PARA BENS

Colaboradores MAIO 03/05 05/05 05/05 18/05 19/05 21/05

Marciano Adalberto De Jesus Hudson Cardono Neto Welington Oliveira Marcal Mariana De Jesus Souto Eli De Souza Da Silva Adriana Ferreira Freitas

JUNHO 02/06 03/06 08/06 08/06 11/06 11/06 20/06 27/06

Edninho Pereira Batista Junior Thiago Lemos Guimaraes Joao Batista Campos Pedro Francisco Repossi Junior Cicero Marcos Meira De Oliveira Everton Junio Ferreira De Souza Jessica Carolina Gomes Bruno Da Costa Melo Pettersen Miranda

JULHO 03/07 08/07 10/07 15/07 30/07

MARLENE GOMES DE OLIVEIRA VIEIRA LUCIELY ELORRANY COSTA MOURA LIVIO SORAGGI COURA FERNANDO SILVA RAMOS QUIRINO VITOR AZEVEDO LISBOA


15

www.cooperativa.coop.com.br


O que tem em um copo de 200 mL de leite? O leite é um dos alimentos mais completos e balanceados que existe! Além de ter proteínas de altíssimo valor biológico, o leite é a principal fonte natural de cálcio, sendo essencial na prevenção da osteoporose.

COOPERJORNAL | Maio 2017

Veja tudo que tem em um copo de 200 mL de leite:

16


Pitadas Plano Diretor

A diretoria, conselheiros e gerência geral participaram do Plano Diretor 2017/2020 do Sistema Ocemg no dia 10 de março. A inciativa busca nortear ações e mapa estratégico dos próximos anos a partir de workshops regionais com a ampla participação das cooperativas. O evento aconteceu em Valadares e contou com dirigentes de diversas cooperativas da região, além da participação do presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato.

No dia 22 de dezembro de 2016 foi realizada uma confraternização para os caminhoneiros das transportadoras parceiras da Cooperativa. Com a palavra da diretoria, uma dinâmica de interação, um show de stand up comedy, realizado pela Empresa Líder, e o sorteio de R$ 1.500,00 realizado, os presentes puderam participar de uma noite de interação.

Diretoria Sistema Ocemg 2017/2021

Encontro Virbac O gerente do Armazém, Armando Tavares, participou do Lançamento do produto Virbac “Fort” representando a Cooperativa. O evento aconteceu no dia 31/03 a 02/04 no Tauá Resort Hotel em Caeté.

Embrapa Os engenheiros agrônomos da Cooperativa, Roberto de Oliveira Costa e Samuel Lucchesi, e o representante da Riber, Márcio Henrique M. Queiroz , estiveram no dia 8 de março, na Embrapa de Sete Lagoas - MG participando da ILP (Integração Lavoura Pecuária).

No dia 5 de abril foi realizada a Assembleia Geral Ordinária (AGO) do Sistema Ocemg onde foi realizada a eleição da diretoria da entidade e dos conselhos diretor, fiscal, administrativo e de ética para o período 2017/20121. O presidente da Cooperativa, Guilherme Olinto Resende, faz parte do Conselho Diretor desta nova gestão.

www.cooperativa.coop.com.br

5º Encontro da Agropecuária do Leste de Minas

17 Cooperados Aniversariantes No dia 11 de março foi comemorado o aniversário do cooperado Ramon Lázaro Vazquez de março. Na foto o cooperado e a mãe, Maria de Jesus Vazquez.

No dia 25 de março foi comemorado o aniversário do cooperado Euler Fernandes. Na foto o cooperado ladeado do gerente do Armazém, Armando Tavares e da assessora executiva da Cooperativa, Jaqueline Silva.

A Cooperativa deseja um ano repleto de realizações!


18 COOPERJORNAL | Maio 2017


19

www.cooperativa.coop.com.br


20 COOPERJORNAL | Maio 2017

Profile for cooperativagv

COOPERJORNAL MAIO 2017  

O Cooperjornal é a revista da Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce que mantém seus cooperados e públicos de interesse informados sobre...

COOPERJORNAL MAIO 2017  

O Cooperjornal é a revista da Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce que mantém seus cooperados e públicos de interesse informados sobre...

Advertisement