__MAIN_TEXT__

Page 1

Michuim 20 Anos


Editorial São 20 anos de história, 20 anos de trajetória, 20 anos de conquistas e vitórias. São 20 anos semeando confiança e colhendo resultados. Neste ano completamos não apenas os 20 anos da Cooperativa Agropecuária Camponovense (Coocam), mas também os 20 anos do Michuim, essa comemoração masculina, que reúne anualmente os amigos da Coocam e aqueles com quem a cooperativa estabelece parcerias sólidas e duradouras, algumas que já chegam a somar os mesmos 20 anos. Em 2013, além de brindar o ano agronômico, que tem se mostrado promissor e lucrativo aos associados da Coocam, a cooperativa ainda brinda a presença de seus amigos, companheiros, parceiros, fornecedores e autoridades que nestes anos acompanham e escrevem com a gente a história dessa cooperativa. Nessas 20 edições, o Michuim assim como a Coocam cresceu, tornou-se uma festa conhecida em todo o Estado, esperada até mesmo por seus convidados, mas não perdeu a sua essência. Ela aconteceu e acontece para reunir aqueles a quem a Coocam quer prestigiar não apenas com trabalho, mas também com um momento de descontração, com bom bate papo, música, boa comida e muito chopp em capão de mato e tradição campeira. Assim é o Michuim, uma festa que veio para ficar e que já é consagrada por todos aqueles que todos os anos se deslocam de suas casas, de outras cidades e de todas as partes do Estado para estarem conosco. Assim é a Coocam, uma cooperativa que veio para ficar, voltada para a produção sustentável e com o foco no desenvolvimento e crescimento dos seus associados, de seus parceiros e das regiões onde atua. Assim somos nós, comprometidos com tudo o que fazemos, do trabalho a comemoração... vida longa a Coocam, vida longa ao Michuim!

Expediente

João Carlos Di Domenico - Presidente da Coocam

O caderno especial “Michuim 20 anos” é uma produção do jornal “O Celeiro”. Jornalista responsável: Claudia Mota (DRT/SC 816 JP). Reportagens: Claudia Mota, Camila Bebber Gomes e Arquivo jornal O Celeiro. Diagramação e arte: Wilhiam Peretti. Fotos: Arquivo jornal O Celeiro, Evandro Novak e Camila Bebber Gomes. Impressão: Gráfica Araucária. Tiragem: 1100 exemplares.

Novembro de 2013


COOCAM A história começa... Criar uma cooperativa próspera e que desse melhores condições aos produtores rurais associados. Este foi o objetivo dos 50 produtores rurais que se uniram e, em 21 de janeiro de 1993, criaram a Cooperativa Agropecuária Camponovense (Coocam), em Campos Novos. No final do ano, a Coocam lança o Michuim festa, exclusivamente masculina, para cooperados, fornecedores e convidados da cooperativa. O Michuim, prato principal que dá nome a festa, é uma receita de origem do Marrocos a base de carneiro assado inteiro na brasa. Hoje, o Michuim reúne mais de mil convidados sempre no último fim de semana do mês de novembro. Com um ano de atuação, a Coocam inaugurava a sede própria às margens da BR 470, km 319, onde está até hoje. A estrutura, contava com uma unidade graneleira, a sede administrativa e a unidade sementeira, com capacidade para receber 600 mil sacas, e já superava as expectativas recebendo mais de 350 mil sacas no primeiro ano de trabalho. No mesmo ano, a Coocam passou a produzir um produto nobre no ramo alimentício e industrial – o milho Waxy. Desde então, a Coocam é a única produtora da cultura no Estado de Santa Catarina.

“Meus sinceros agradecimentos ao quadro societário da Coocam, que não mede esforços para o desenvolvimento desta cooperativa e, principalmente, aos colaboradores da Coocam, que vivem o dia-a-dia da empresa, fazendo dela sinônimo de qualidade e confiança.” João Carlos Di Domenico Presidente da Coocam


Em 1994 foi inaugurada a sede da matriz da Coocam. Em 2000, a Coocam realizou a primeira edição do Dia de Campo, no campo demonstrativo da cidade de Barracão (RS). Com uma dinâmica própria, por meio da apresentação de novidades, com a formação de vários pequenos grupos, a Coocam conquistou os produtores que participam do evento, anualmente, em busca de novas tecnologias e interação com a cooperativa. Em fevereiro de 2002, a Coocam expande sua atuação e inaugura a filial 2, na cidade de Lebon Régis (SC). Com estrutura e terreno alugado da família Gueller, a Coocam começa a escrever história em solos que não os camponovenses. Uma história de sucesso, de progresso e desenvolvimento. No ano seguinte, a Cooperativa amplia o armazém graneleiro na matriz, em Campos Novos. Com a ampliação, o armazém aumentou a capacidade de estocagem de grãos e deu a Coocam o espaço físico que ela necessitava para continuar crescendo. Em 2003, a Coocam implantou o projeto Escola no Campo com o objetivo de formar agentes ambientais, entre as crianças do quinto ano, das escolas rurais das cidades de atuação da Coocam, e a partir delas, modificar o comportamento das famílias, comunidades, no sentido de construir uma sociedade mais consciente diante da necessidade de preservação ambiental e do cuidado com o meio ambiente. Em 2005, a Coocam atravessa a fronteira e ins-

tala uma filial no município de Barracão (RS) e passa a atender os produtores riograndenses. A cidade de Curitibanos também abre suas portas para a Coocam em 2005. Com sede instalada na cidade vizinha de Campos Novos, a Coocam expande sua atuação e ainda aumenta sua capacidade de recebimento de grãos. Com um investimento audacioso e grandioso, em 2006, a Coocam inaugura a sua primeira unidade industrial – a Fábrica de Rações Coocam, que tem sua produção vendida, exclusivamente, para a Perdigão. Mais uma fonte de negócios somada ao potencial produtivo da cooperativa. Foram R$ 18 milhões investidos num parque fabril que é um dos mais

modernos do Brasil, com capacidade de produção de até 30 mil toneladas de ração por mês. Este ano, ao completar 20 anos, a Coocam iniciou o ano com a inauguração da sede própria no município de Lebon Régis (SC). Com uma unidade moderna e pensada para a otimização do recebimento de cereais, a Coocam coloca a disposição da região uma unidade com capacidade para a estocagem de 600 mil sacas de grãos. Sempre em busca

de inovação, a Coocam inaugurou, em setembro, a Unidade de Tratamento de Sementes Industrial (TSI). Mais um passo dado no emprego da tecnologia em prol da lucratividade e rentabilidade no campo. O projeto Escola no Campo completou 10 anos em outubro com a participação de 13 escolas dos cinco municípios de abrangência da Coocam. Hoje, a Cooperativa Agropecuária Camponovense (Coocam) é uma das maiores cooperativas rurais do Estado de Santa Catarina, sendo dividida na matriz em Campos Novos e nas filiais recebedoras de cereais, em Curitibanos, Lebon Régis e Barracão, além da Fábrica de Ração e da sede social dos funcionários, a SER Coocam. A Coocam conta com 250 colaboradores, com variação em épocas de safra. “O crescimento ano a ano não demonstra apenas o nosso empenho e esmero diante das atividades no campo, demonstra sim, a vitória de um setor econômico que cresce a cada ano e impulsiona a economia mundial – o agronegócio. Meus sinceros agradecimentos ao quadro societário da Coocam, que não mede esforços para o desenvolvimento desta cooperativa e, principalmente, aos colaboradores da Coocam, que vivem o dia-a-dia da empresa, fazendo dela sinônimo de qualidade e confiança.”, diz o presidente da Coocam, João Carlos Di Domenico.

O presidente

Muitos associados já atuaram como diretores da cooperativa que tem o mesmo presidente desde a fundação, João Carlos Di Domenico. Ele tem dedicado os últimos 20 anos a construir, com os associados e colaboradores, a história da Coocam.


Como tudo começou 1993-1997 O Michuim nasce no fim do ano de 1993, ano de fundação da Cooperativa Agropecuária Camponovense (Coocam). Associados e colaboradores decidiram comemorar a superação de todas as dificuldades enfrentadas para a implantação do empreendimento. Mauri Chiodi, o idealizador da festa, se propôs a preparar o Michuim, prato típico marroquino que havia aprendido em Fraiburgo (SC). A carne a base do Michuim é o carneiro inteiro assado na brasa e recheado com temperos e condimentos especiais. João Carlos Di Domenico disponibilizou a Fazenda São João do Burity, na BR 282, para a festa e os amigos se oferecem para ajudar na organização. Trinta homens participam da festa no último sábado de novembro. A cada edição, a festa cresce e começa a receber também fornecedores e amigos da cooperativa.

1998-2002

Em 1998, o Michuim já é tradição e recebe convidados, como o deputado federal Hugo Bihel, os deputados estaduais Reno Caramori e Ulisses Santini, o superintendente da Conab no Estado, Ivo Silveria e Fernando Drissing que assumiria a presidência da Epagri no ano seguinte. Cerca de 400 pessoas participaram da edição de 2000 do

Michuim. Entre os presentes, os deputados Reno Caramori, Ulisses Santini e Romildo Titon e o presidente da Faesc, José Zeferino Pedroso. A confraternização cresce e recebe presidentes de cooperativas catarinense, gaúchas, paranaenses e paulistas. O sucesso do “Michuim da Coocam” coloca a festa no calendário de Campos Novos. Em 2002, o público da festa chega a 530 pessoas.

2003-2007

Em 2003, o Michuim completou 10 anos e teve cerca de 600 convidados. Nesta edição foram consumidos 900 quilos de carne e 2 mil litros de chopp. Entre as autoridades convidadas estão presentes o secretário do estado da agricultura, Moacir Sopelsa, os presidentes da Epagri e Cidasc, deputado federal Odacir Zonta, deputados estaduais Reno Caramori e Jorginho Mello. Além de prefeitos dos municípios da região, diretores da Perdigão e do Banco Boston. Na décima edição, o presidente da Coocam, João Carlos Di Domenico, garantiu que o Michuim continuaria crescendo nos próximos anos, assim como a Coocam. Durante o Michuim, em 2004, a Coocam assinou convênio com a Secretaria de Estado da Agricultura para viabilizar subsídios para a construção de armazéns em Santa Catarina. Com a presença do secretário Moacir Sopelsa, o contrato assinado estabelecia o subsídio de 50% do custo de operações realizadas pela Coocam

para a ampliação de sua capacidade de armazenagem com uma unidade em Campos Novos e outra em Curitibanos. No novembro de 2005, a Coocam anuncia o investimento de R$ 18 milhões na implantação da Fábrica de Ração e recebe 800 convidados para o Michuim. Mais uma edição de sucesso, a festa reúne lideranças representativas do setor agropecuário e, que a cada ano, comemora os bons resultados da cooperativa. A décima quarta edição do Michuim, em 2007, reuniu 1100 convidados. Além do presidente da Coocam, a cerimônia de abertura da festa contou com a mensagem do deputado estadual Jorginho Mello, presidente da Organização das Cooperativas de Santa Catariana (Ocesc), Neivor Canton, secretário de estado da agricultura Antônio Ceron, deputado estadual Reno Caramori, prefeito de Campos Novos Nelson Cruz, deputado estadual Romildo Titon, deputado federal Cláudio Vignatti e deputado federal Odacir Zonta. “A Coocam dá, a Santa Catarina e ao Brasil, uma oportunidade para demonstrar a força que a cooperação pode criar.”, afirmou Neivor Canton. Para o presidente da Coocam, esta edição foi especial por conta do período de boas perspectivas que o setor agrícola passava.

2008-2013 A confraternização também é realizada para motivar e estimular os produtores a inves-

tirem para aumentar resultados na lavoura, a fim de obter maior produtividade e rentabilidade. “O Michuim da Coocam tornou-se uma grande reunião de vários ramos do meio agropecuário e proporciona o fortalecimento dos laços de amizade que conquistamos todos os anos.”, ressalta João Carlos Di Domenico. Aos 16 anos, o Michuim reuniu 1200 convidados entre políticos de todas as siglas partidárias, empresários, fornecedores, produtores e amigos da Coocam. Com mais de 100 colaboradores na organização da festa, os carneiros pesavam entre 47 e 60 quilos. Foram 60 sacos de carvão no preparo de cada animal e quase oito horas no fogo, regado de margarina para a carne não se desmanchar. Em 2010, as lentes registraram os ex-prefeitos de Campos Novos, Romildo Titon, Dejandir Dalpasquale, Nelson Cruz e Nelson Serpa no Michuim. Sebastião Corra também esteve na festa. No mesmo ano, a abertura da festa foi transmitida ao vivo pela TV das Cooperativas. Na 18ª edição do Michuim, em 2011, os 1300 convidados consumiram três mil litros de chopp e mais de 1500 quilos de carne. 2013, o Michuim da Coocam completa 20 anos. A estimativa é que 1300 pessoas participem da festa e eles devem consumir cerca de 1500 quilos de carne e de 3 mil litros de chopp. “A festa só é possível porque todos os anos nossos amigos comparecem e trazem muita alegria, entusiasmo e bom humor. É disso que o Michuim é feito”, explicou João Carlos Di Domenico, presidente da Coocam, desde a fundação, em 21 de janeiro de 1993.


1993 a 2012


Mais de 50 colaboradores participam do evento

Por que só homens?

O sucesso da festa desperta a curiosidade das mulheres. Mas, segundo os organizadores, a liberdade das conversas não seria a mesma com a presença delas. Além disso, o local do evento precisaria de melhor infraestrutura para recebê-las. Em 2004, foi feita uma pesquisa entre os homens que participam do Michuim e 97% votaram contra a presença feminina. A Coocam decidiu manter a tradição e a festa segue sendo apenas para eles. O Michuim da Coocam é a maior festa de confraternização masculina de Campos Novos.

O Michuim não é grandioso apenas pelo número de convidados que lotam a Fazenda São João anualmente, é grandioso também pelo espírito de integração que une os mais de 50 colaboradores, todos voluntários, para fazer acontecer a grande festa. São empresários, comerciantes, profissionais liberais e membros de instituições financeiras que, neste dia, deixam suas funções para empregar seus dotes no recebimento dos convidados, no preparo da carne, no corte dela e no servir os presentes com muita comida e bebida. A festa começa a ser feita muito antes da chegada dos primeiros convidados. Por volta das 6h, a carne já está no fogo e os assadores já tomam conta dela para que tudo saia como o esperado. “Essa simplicidade e integração que faz do Michuim uma festa tão bonita. Ela integra pessoas, apresenta aqueles que ainda não se conhecem pessoalmente e cria relações de amizade.”, explica João Carlos Di Domenico.

Curiosidades Os números 1993, primeira edição 100 convidados 1 michuim 2003, 10 anos de Michuim 600 convidados 2 michuins 900 quilos de carne 2 mil litros de chopp

A logomarca “Em uma conversa informal com o o vice-presidente da Coocam, Riscala Jr, em 2011, ele expôs sua vontade de criar um símbolo, mascote, algo que representasse o Michuim. Após isso começou a criação da logo, uma pesquisa sobre a receita e um pouco da história do já tradicional Michuim em Campos Novos. O que quisemos representar, além da ovelha no rolete, foi o espírito desta festa, o que ela representa aos organizadores e seus convidados. Então surgiu essa simpática ovelhinha, uma leitura alegre e engraçada do prato principal, com a versatilidade de mudar a cor do evento a cada ano.Foi usada já em 2011 e se faz até agora. Vários materiais recebem

2009, 16 anos de Michuim 1200 convidados 100 colaboradores na organização da festa 60 sacos de carvão no preparo de cada carneiro

a aplicação deste logo, personalizando ainda mais o evento. O convite

2013, 20 anos de Michuim (estimativa) 1300 convidados 3 michuins 1500 quilos de carne 3 mil litros de chopp

do evento e ajuda ainda mais tornando-o reconhecido em todo

é o primeiro que chega trazendo a ovelhinha aos convidados. No dia do evento canecas são dadas aos convidados também exibindo nossa amiga ovelha. Além de materiais gráficos espalhados pelo evento. Ficamos felizes em ver que o logo já faz parte essencial o país. Aos ilustres convidados que sempre aguardam ansiosos a chegada de seus convites exclusivos, um abraço e aguardem o próximo!” Patricia Dalmolin - Designer - Nuance Agência de Design


A Receita

Como é preparado o Michuim?

Prato típico da culinária marroquina, os assadores do Michuim da Coocam seguem a risca os passos para preparação do mesmo. O carneiro tem que ser macho, porque as fêmeas dilatam a carcaça na prenhez e não tem a mesma qualidade em sua carne. O preparo começa antes mesmo do abate. O carneiro tem que ficar dois dias em confinamento e tomando pouca água. Isso sem contar que o animal não pode ficar estressado senão solta um óleo chamado lanolina em toda a carne que faz cair a qualidade. Geralmente, os animais pesam entre 50 a 60 quilos e são preparados com uma mistura de temperos com ervas finas e muito conhaque. Para o assado são necessários 60 sacos de carvão e quase 8 horas no fogo, regado com margarina para não desmanchar a carne. Depois de pronto é só servir e apreciar.

“O Michuim é um bode que é retirado todos os órgãos internos deixando só a carne e ossos. Após é preparado um molho a base de vinho, temperos, conhaque, tempero verde, alho entre outros, este molho é colocado no interior do animal que é preso ao espeto pela pélvis até a boca e coloca-se o tempero dentro do animal que é suturado, trancando-se para que o animal rode geralmente das 5 da manhã até a 1 da tarde em meio a brasas, no externo ele é regado o tempo todo de margarina para que não solte o matâmbre ou a costela do osso. O Michuim é preservado inteiro até na hora de servir, o liquido do tempero interno é recolhido e pode ser comido com pão e com a carne do próprio michuim este prato é um prato diferente e que tem um preparo especial, este ano teremos três Michuins, e ainda teremos ovelha em cortes como, quarto, paleta, costela, retalho e linguiça além de costelões.” Dhiemis Metz Pinheiro Colaborador da equipe do michuim


Os convidados

Cooperados, fornecedores, parceiros, empresários, autoridades e amigos “Acompanhei com orgulho e alegria a maioria dos eventos realizados nesses 20 anos de Michuim. Essa é uma festa extraordinária que a Coocam realiza a cada ano, integrando associados, dirigentes e funcionários da cooperativa com grande parcela da comunidade regional. Lideranças políticas e econômicas de todas as tendências se integram nessa grande festa democrática onde o verdadeiro objetivo é a confraternização de todos aqueles que fazem parte desta grande comunidade regional. Minha relação de amizade, respeito e admiração com o presidente da Coocam, João Carlos Di Domenico, foi motivo de minha frequente presença nesse evento, no qual, inclusive, recebi emocionante homenagem. Essa é uma confraternização que deveria ser modelo para o Brasil e para o mundo. Parabéns a todos.”

“Participo todo ano e organizo desde a criação até o abate, assar e servir. Começamos a pensar no evento Michuim desde que terminamos o outro, separamos os animais, encarneirar as ovelhas e termos a estrutura, estamos com a média de 60 a 70 cordeiros cerca de 1000 a 1300 quilos de carne, três michuins, usamos meio dia para abater, mas é um processo de dificuldade, saber, higiene, dá trabalho, mas dá prazer. De ano a ano é sucesso ver clientes, amigos participarem e o melhor é ver o pessoal sair satisfeito, após tamJosé Zeferino Pedrozo bém saber e receber comentários, Presidente da Faesc para quem prepara receber isso Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina é ver que é o resultado de bom trabalho.”

“Participo desde o quinto ano, faço parte da equipe de preparo. Quando comecei éramos dois. O evento começou com 100 pessoas agora está na casa de 1000 participantes, o que era dois, agora são três michuins. O interessante é que começamos a carnear na sexta-feira e usa-se muito pouco a faca para carnear, usamos um dia só para isso. Colocamos no fogo por cerca de 10 horas e regamos com margarina para cuidar e preservar a carne, utilizamos 30 quilos de margarina para os três michuins. É um processo de fogo brando e de longa espera, para não estourar, é muito trabalhoso, claro, é um prato muito bom, aprendi a fazer dentro do evento e hoje temos uma equipe. Mas o que é muito gratificante e ver o que se tornou, uma das melhores festas, pois encontram-se lá pessoas de todas as profissões. É um dia muito legal feito com carinho e vontade.” Valter Antonio Reck Colaborador

Zeca Di Domenico Fazendeiro

“Faço parte desde o primeiro. O Michuim além de confraternizar é um momento de contatos profissionais, uma festa esperada pelo setor do agronegócio e já quebrou fronteiras nacionais. É um evento muito comentado, e é uma satisfação participar deste bom trabalho e ajudar também no desenvolvimento do município. Eu ajudo a carnear e servir e tenho orgulho de participar desta família.” Fernando Sergio Rosar Presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Campos Novos


“A cada ano o Michuim está melhor, até deveria ser duas vezes ao ano, participo da organização todo ano e acho um espetáculo, pois levanta o nome da Coocam e quem sempre vem quer participar de novo. Estou desde o início e é ótimo para conversar, é uma festa para unir amigos, para estar junto e celebrar conquistas.” Ademar Rupp Sócio da Coocam “O Michuim é uma festa para o cooperativismo. A Coocam consegue reunir pessoas que se identificam e trabalham em prol do mesmo objetivo. Tenho compartilhado desta grande festa que agrega conhecimento, integração e novas oportunidades.” Claudio Vignatti Deputado Federal

“O Michuim é um evento que envolve as pessoas. Faz oito anos que participo. Com orgulho digo que faço parte do pessoal que faz o michuim, nossa equipe geralmente vai na sexta, carneia e às 5 horas da manhã coloca no fogo. É interessante ver as pessoas chegarem com felicidade para participar do Michuim e que para elas prazeroso estar ali. Para nós que trabalhamos é importante também receber mais pessoas para ajudar, ver que as pessoas também se interessam em ajudar. É um trabalho focado na voluntariedade, o que fortalece ainda mais nossa amizade. Eu, que trabalho no setor do michuim vejo que todos que chegam no evento vão nos visitar, ver o que está acontecendo, como é preparado, e as pessoas nos procuram para ver como faz, nosso orgulho é esse.” Dhiemis Metz Pinheiro Colaborador da equipe do michuim

“Há vinte anos para celebrar a fundação e inauguração da Coocam e na época funcionário do Banco do Brasil e supervisor da carteira agrícola, fomos convidados pelo presidente para um churrasco com os associados da Coocam juntamente com os funcionários do banco e alguns vereadores. Em torno de 50 a 60 pessoas se reuniram no capão da Fazenda São João que está localizada a um quilometro da sede da fazenda. Um fato que marcou, no início da década de noventa, não recordo bem o ano, foi quando pela seis horas da manhã o João Carlos chegou, estávamos com o fogo pronto (eu era o responsável pelo costelão e o Marcio Chioddi pelo michuim), e disse que iria chover e era melhor mudarmos para o galpão das máquinas, foi ai que vimos o valor da equipe que trabalha no Michuim, em uma hora as máquinas tinham sido retiradas. Nós com os costelão e michuim já no fogo, o pessoal das ovelhas terminando o moquém e a turma da retaguarda providenciando mesas e bancos. Outro fato que me marcou foi na mesma época em que eu, Marcio e o Gaita, fomos recrutados para fazer um michuim e dois costelão para uma comitiva norte-americana em visita a Coocam inclusive com as esposas, na Fazenda São Sebastião do saudoso José Cristino.” Leonyr Jacomel Diretor financeiro da Coocam


“Ficamos lisonjeados de participar de uma comemoração como esta, que reúne em meio a natureza os associados e amigos da Coocam a fim de todos os anos comemorar os resultados e criar relações ainda mais estreitas.” “O Michuin é algo único e incomparável. Torço para que ninguém passe pela vida sem prová-lo.”

Odacir Zonta Deputado Federal

“Já saí da formatura da minha filha para participar, vou aos Estados Unidos, mas volto dias antes para participar do evento este ano. O Michuim tomou proporções enormes, hoje é uma festa da Coocam e na realidade ainda conserva e vai conservar a essência do Michuim que é ser todo produzido por amigos, desde o abate, temperar, preparar, espetar, assar e servir. Além disso, a proporção regional se tornou estadual e até nacional. É uma festa que a Coocam mantém pelo nome e pelo ciclo de amizade, é a reunião de amigos para amigos, é a festa para empresários, parceiros, clientes para pessoas que negociam com a Coocam, para agradar e valorizar quem investe na cooperativa que é voltada a sustentabilidade, mostrando, por exemplo, o lugar do Michuim que é um mato preservado é uma festa que eu não perco e que não posso perder.”

Valdir Colatto Deputado Federal

“Participo desde o primeiro, até porque o Michuim acontece na fazenda da minha família. É um grande prazer. É uma festa que começou pequena, só pra os sócios da Coocam e das instituições financeiras que financiaram a cooperativa. O evento cresceu e hoje é uma festa que chama atenção. A gente viaja pelo Brasil e vê que a Coocam é muito conhecida pelo Michuim. É uma festa que atrai, pelas amizades, pela carne e pelo ambiente de integração que proporciona. A família Coocam faz uma grande comemoração, uma celebração a amizade e ao Michuim.”

José Patrício Neves da Fontoura Advogado

“Participo desde o primeiro e podemos afirmar que a cada edição está melhor. Trabalho todo ano na função nobre de churrasqueiro. Fora da Coocam, o Michuim é o marketing da Coocam, pois quem vem de fora vê e se inspira no evento para contatos e negócios com a própria Coocam e isso só enobrece o trabalho cada vez mais.” Lebrão Empresário

Alexandre Alvadi Di Domenico Sócio da Coocam e Diretor do Jornal O Celeiro

“O Michuim é um evento diferenciado que não existe no Brasil e por onde a gente passa ouve comentários sobre a festa. Comecei como convidado, há 10 anos, e numa sexta-feira, quando começam os preparativos para o Michuim, eu sugeri fazer um prato para o pessoal que estava trabalhando, então, fizemos a codorna recheada e polenta que virou o prato tradicional da sexta. O Michuim da Coocam é uma maneira de aproximar e de conhecer novos parceiros, pois a maioria dos convidados atua no ramo do agronegócio. O Michuim abre oportunidades de negócios.” Nivaldo Sanchi, empresário de Videira, responsável pela janta dos colaboradores na sexta-feira, quando começa os preparativos para o Michuim


As carnes


A Festa


Profile for Coocam

Michuim 20 anos | 2013  

Michuim 20 anos | 2013  

Profile for coocam
Advertisement